4 1 v o N T K M IDEAL I Apartamento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "4 1 v o N T K M IDEAL I Apartamento"

Transcrição

1 IDEAL I Apartamento MKT Nov 14

2 Instrumento de Assistência à Saúde IDEAL I - Apartamento

3 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE Centro Trasmontano de São Paulo CNPJ: / Nº de Registro: (11) Diferenças entre planos individuais e coletivos Os planos com contratação individual ou familiar são aqueles contratados diretamente da operadora de plano de saúde: é o próprio beneficiário quem escolhe as características do plano a ser contratado. Os planos com contratação coletiva são aqueles em que o beneficiário ingressa no plano de saúde contratado por uma empresa ou órgão público (coletivo empresarial); associação profissional, sindicato ou entidade assemelhada (coletivo por adesão). Nos planos coletivos é um representante dessas pessoas jurídicas contratantes, com a participação ou não de uma administradora de benefícios, que negocia e define as características do plano a ser contratado. Assim, é importante que o beneficiário antes de vincular-se a um plano coletivo, em especial o por adesão, avalie a compatibilidade entre os seus interesses da pessoa jurídica contratante. Aspectos a serem observados na contratação ou ingresso em um plano de saúde PLANOS INDIVIDUAIS OU FAMILIARES Coletivo Empresarial Com 30 participantes ou mais PLANOS COLETIVOS Não é permitida a exigência de cumprimento de carência, desde que o beneficiário formalize o pedido de ingresso do contrato coletivo ou de sua vinculação à pessoa jurídica contratante. CARÊNCIA É permitida a exigência de cumprimento de período de carência nos prazos máximos estabelecidos pela Lei nº 9.656/ 1998: 24h para urgência/emergência, até 300 dias para o parto a termo e até 180 dias para demais procedimentos. Com menos de 30 participantes Coletivo por Adesão É permitida a exigência de cumprimento de carência nos mesmos prazos máximos estabelecidos pela lei. Não é permitida a exigência de cumprimento de carência desde que o beneficário ingresse no plano em até trinta dias da celebração do contrato firmado entre a pessoa jurídica contratante e a operadora de plano de saúde. A cada aniversário do contrato será permitida a adesão de novos beneficiários sem cumprimento de carência, desde que: (1) os mesmos tenham se vinculado à pessoa jurídica contratante após 30 dias de celebração do contrato e (2) tenham formalizado a proposta de adesão em até 30 dias da data de aniversário do contrato.

4 Coletivo Empresarial COBERTURA PARCIAL TEMPORÁ- RIA (CPT) REAJUSTE Sendo constatado no ato da contratação que o beneficiário tem conhecimento de doença ou lesão preexistente (DLP), conforme declaração de saúde, perícia médica ou entrevista qualificada e Carta de Orientação ao Beneficiário de entrega obrigatória, a operadora poderá oferecer cobertura total, após cumpridas eventuais carências, sem qualquer ônus adicional para o beneficiário. Caso a operadora opte pelo não oferecimento de cobertura total, deverá neste momento, oferecer a Cobertura Parcial Temporária (CPT) que é a suspensão, por até 24 meses, das coberturas para procedimentos de alta complexidade, internações cirúrgicas ou em leitos de alta tecnologia, relacionados exclusivamente à DLP declarada. Como alternativa a CPT é facultado à operadora oferecer o Agravo, que é um acréscimo no valor da mensalidade paga ao plano privado de assistência à saúde para que o mesmo tenha acesso regular à cobertura total, desde que cumpridas as eventuais carências. A operadora de planos de saúde não pode negar a cobertura de procedimentos relacionados a DLP não declaradas pelo beneficiário antes do julgamento de processo administrativo na forma prevista pela RN 162/2007 Os planos individuais ou familiares precisam de autorização prévia da ANS para aplicação de reajuste anual, exceto para os de cobertura exclusivamente odontológica que devem ter cláusula clara elegendo um índice de preços divulgado por instituição externa. A variação da mensalidade por mudança de faixa etária é o aumento decorrente da alteração de idade do beneficiário, segundo faixas e percentuais de variação dispostos em contrato e atendendo a RN nº 63/2003. Com 30 participantes ou mais Com menos de 30 participantes Coletivo por Adesão Não é permitida a aplicação de Cobertura Parcial Temporária (CPT) ou Agravo, desde que o beneficiário formalize o pedido de ingresso em até trinta dias da celebração do contrato coletivo ou de sua vinculação a pessoa jurídica contratante É permitida a aplicação de Cobertura Parcial Temporária (CPT) ou Agravo. É permitida a aplicação de Cobertura Parcial Temporária (CPT) ou Agravo, indepedente do número de participantes Os planos coletivos não precisam de autorização prévia da ANS para aplicação de reajuste anual. Assim, nos reajustes aplicados às mensalidades dos contratos coletivos, prevalecerá o disposto no contrato ou índice resultante de negociação entre as partes contratantes (operadora de plano de saúde e pessoa jurídica), devendo a operadora obrigatoriamente comunicar os reajustes à ANS. O beneficiário deverá ficar atento à periodicidade do reajuste que não poderá ser inferior a 12 meses, que serão contados da celebração do contrato ou do último reajuste aplicado e não do ingresso do beneficiário ao plano. Embora não haja a necessidade de prévia autorização da ANS, esta faz um monitoramento dos reajustes anuais aplicados nos contratos coletivos. A variação da mensalidade por mudança de faixa etária é o aumento decorrente da alteração de idade do beneficiário, segundo faixas e percentuais de variação dispostos em contrato e atendendo a RN nº 63/2003. VIGÊNCIA A vigência mínima do contrato individual ou familiar é 12 meses com renovação automática. A vigência mínima do contrato coletivo é negociada e tem renovação automática.

5 REGRAS DE RESCISÃO E/OU SUSPENSÃO Nos planos individuais ou familiares a rescisão ou suspensão contratual unilateral por parte da Operadora somente pode ocorrer em duas hipóteses: por fraude: e/ou por não pagamento da mensalidade por período superior a sessenta dias, consecutivos ou não, nos últimos doze meses de vigência do contrato, desde que o beneficiário seja comprovadamente notificado até o 50º dia de inadimplência. Nos planos coletivos as regras para rescisão ou suspensão contratual unilateral são negociadas entre a pessoa jurídica contratante e a operadora de plano de saúde. É importante que o beneficiário fique atento às regras estabelecidas no seu contrato. A rescisão unilateral imotivada, por qualquer das partes, somente poderá ocorrer após a vigência do período de 12 meses e mediante prévia notificação da outra parte com antecedência mínima de 60 dias. Na vigência do contrato e sem anuência da pessoa jurídica contratante, a operadora só pode excluir ou suspender a assistência à saúde de beneficiário em caso de fraude ou perda do vínculo de titular ou de dependência. MECANISMOS DE REGULAÇÃO ALTERAÇÕES NA REDE ASSISTEN- CIAL DO PLANO É importante que o beneficiário verifique: (1) se o plano a ser contratado possui co-participação e/ou franquia. Em caso positivo, é obrigatório constar no contrato quais os serviços de saúde e como será a sua participação financeira; (2) como é o acesso aos serviços de saúde, no plano que desejar contratar. Exigência de perícia por profissional de saúde, autorização administrativa prévia e/ou direcionamento a prestadores só são permtidas se houver previsão no contrato. Alterações na rede de prestadores de serviço devem ser informadas pela operadora, inclusive as inclusões. No caso de redimensionamento por redução de prestador hospitalar, a alteração necessita ser autorizada pela ANS antes da comunicação aos beneficiários. Esta comunicação deve observar 30 dias de antecedência no caso de substituição de prestador hospitalar para que a equivalência seja analisada pela ANS. Perda da condição de beneficiário nos planos coletivos Nos planos coletivos os beneficiários titulares e seus dependentes podem ser excluídos do plano de saúde, que continua vigente, quando perdem o vínculo com a pessoa jurídica contratante, ou seja, com o sindicato, associação profissional ou congênere, órgão público ou empresa. Direitos dos artigos 30 e 31, da Lei nº. 9656/1998, nos planos coletivos empresariais Nos planos coletivos empresariais em que há participação financeira do beneficiário no pagamento da mensalidade, regular e não vinculada à co-participação em eventos, é assegurado ao mesmo o direito de permanências neste plano coletivo no caso de demissão sem justa causa ou aposentadoria. No caso de morte do titular demitido ou aposentado em gozo do benefício de decorrente dos artigos 30 e 31, é assegurada a permanência do grupo familiar. O beneficiário tem um prazo máximo de 30 dias, após seu desligamento, para se manifestar junto à empresa/órgão público, com a qual mantinha vínculo empregatício ou estatutário, sobre a sua vontade de permanecer no plano de saúde. O beneficiário assume integralmente o pagamento da mensalidade quando opta pela permanência. O período de manutenção da condição de beneficiário do plano é de 6 meses no mínimo, e proporcional ao período em que o mesmo permaneceu vinculado e contribuindo para o plano de saúde como empregado ou servidor. Salientamos que o beneficiário perde o direito de permanência no plano de saúde do seu ex-empregador ou órgão público quando da sua admissão em um novo emprego ou cargo. Direito de migrar para plano individual ou familiar aproveitando carência do plano coletivo empresarial Os beneficiários de planos coletivos empresariais que tiverem o benefício de plano de saúde extinto, terão o direito de se vincular a um plano da mesma operadora com contratação individual ou familiar, sem a necessidade de cumprimento de novos prazos de carência. Essa prerrogativa não se aplica aos planos de autogestões. A condição para exercer esse direito é que a operadora comercialize plano individual ou familiar.

6 O beneficiário tem um prazo máximo de 30 dias, após a extinção do benefício, para contratar, junto à operadora, o plano individual ou familiar. Este direito não existe caso tenha havido apenas a troca de operadora por parte do contratante (órgão público ou empresa). Cobertura e segmentação assistencial Define o tipo de assistência à qual o beneficiário terá direito. Os planos podem ter assistência ambulatorial, hospitalar, obstétrica e odontológica. Essas assistências à saúde isoladas ou combinadas definem a segmentação assistencial do plano de saúde a ser contratado pelo benenficiário. A Lei nº 9.656/1998 definiu como referência o plano com assistência ambulatorial, hospitalar, obstétrica e urgência/emergência integral após 24h, em acomodação padrão enfermaria. O contrato pode prever coberturas mais amplas do que as exigências pela legislação, mas as exclusões devem estar limitadas às previstas na Lei nº 9.656/1998. A cobertura para acidente do trabalho ou doença profissional em plano coletivos empresariais é adicional e depende de contratação específica. Abrangência geográfica Aponta para o beneficiário a área em que a operadora de plano saúde se compromete a garantir todas as coberturas de assistência à saúde contratadas. A abrangência geográfica pode ser nacional, estadual, grupo de estados, municipal ou grupo de municípios. Área de atuação É a especificação nominal do(s) estado(s) ou município(s) que compõem as áreas de abrangência estadual, grupo do estados, grupo de municípios ou municipal. É importante que o beneficiário fique atento a estas informações, uma vez que as especificações da área de abrangência e da área de atuação do plano, obrigatoriamente, devem constar no contrato de forma clara. Administradora de benefícios Quando houver participação de Administradora de Beneficios na contratação de plano coletivo empresarial, a verificação do número de participantes para fins de carência ou CPT considerará a totalidade de participantes eventualmente já vinculados ao plano estipulado. Se a contratação for de plano coletivo por adesão, para fins de carência considerar-se-á como data de celebração do contrato coletivo a data do ingresso da pessoa jurídica contratante ao contrato estipulado pela Administradora de Benefícios. Para informar-se sobre estes e outros detalhes da contratação de planos de saúde, o beneficiário deve contatar a operadora. Permanecendo dúvidas, pode consultar a ANS pelo site ou pelo Disque ANS ( ). ESTE MANUAL NÃO SUBSTITUI O CONTRATO O Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde é uma exigência da Resolução Normativa 195/2009, da Agência Nacional de Saúde Suplementar Ministério da Saúde Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Av. Augusto Severo, 84 - Glória - CEP: Rio de Janeiro - RJ Disque ANS:

7 Índice 1. QUALIFICAÇÃO DA OPERADORA QUALIFICAÇÃO DO CONTRATANTE ATRIBUTOS DO CONTRATO ÁREA DE ABRANGÊNCIA, NOME COMERCIAL E Nº DE REGISTRO DO PLANO NA ANS CONDIÇÕES DE ADMISSÃO COBERTURAS E PROCEDIMENTOS GARANTIDOS EXCLUSÕES DE COBERTURA DURAÇÃO DO CONTRATO PERÍODOS DE CARÊNCIA DOENÇAS E LESÕES PRÉ-EXISTENTES MECANISMOS DE REGULAÇÃO FORMAÇÃO DE PREÇO E MENSALIDADE REAJUSTE FAIXAS ETÁRIAS CONDIÇÕES DA PERDA DA QUALIDADE DE BENEFICIÁRIO RESCISÃO DISPOSIÇÕES GERAIS DEFINIÇÕES ELEIÇÃO DE FORO... 19

8 Condições Gerais do INSTRUMENTO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Individual/Familiar Plano Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia 1. QUALIFICAÇÃO DA OPERADORA CENTRO TRASMONTANO DE SÃO PAULO, inscrito no CNPJ/MF sob nº / , com sede no Centro da Capital do Estado de São Paulo à Rua Tabatinguera n. 294, CEP: , doravante denominado TRASMONTANO. 2. QUALIFICAÇÃO DO CONTRATANTE Será considerada CONTRATANTE, a pessoa natural devidamente qualificada e indicada como titular na Proposta de Admissão, a qual faz parte integrante deste instrumento, doravante denominado ASSOCIADO TITULAR. 3. ATRIBUTOS DO CONTRATO O presente contrato tem por objetivo a prestação continuada de serviços na forma de Plano Privado de Assistência à Saúde médico-hospitalar, conforme previsto no inciso I, art. 1º da Lei 9.656/98, abrangendo a cobertura descrita na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas com a Saúde, da Organização Mundial de Saúde, CID 10, as especialidades definidas pelo Conselho Federal de Medicina, bem como no Rol de Procedimentos Médicos editados pela ANS, vigente à época do evento, aos Beneficiários regularmente inscritos, na forma e condições deste instrumento. O presente contrato é de adesão, bilateral, gerando direitos e obrigações para as partes, conforme dispõe o Código Civil Brasileiro, estando também sujeito às disposições do Código de Defesa do Consumidor. 3.1 Tipo de Segmentação Assistencial do Plano de Saúde Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia. 3.2 Padrão de Acomodação em Internação Acomodação Individual (APARTAMENTO). 01

9 4. ÁREA DE ABRANGÊNCIA, NOME COMERCIAL E Nº DE REGISTRO DO PLANO NA ANS PLANO ACOMODAÇÃO REGISTRO ANS ABRANGÊNCIA DE COBERTURA GRUPO DE MUNICÍPIOS Ideal I Apartamento /13-5 São Paulo (Capital), alguns municípios da Gde. São Paulo: Franco da Rocha, Guarulhos, Mauá, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Suzano e outros do Litoral Paulista: Guarujá, Santos e São Vicente. 5. CONDIÇÕES DE ADMISSÃO São considerados como BENEFICIÁRIOS deste Contrato o BENEFICIÁRIO Titular, e seus dependentes, indicados na Proposta de Adesão anexa, com grau de parentesco ou afinidade e dependência econômica em relação ao BENEFICIÁRIO titular. BENEFICIÁRIOS Dependentes são: a. O cônjuge; b. Os filhos, os enteados e os tutelados, que ficam equiparados aos filhos, menores de 18 (dec. O companheiro, havendo união estável, na forma da lei, sem eventual concorrência com o zoito) anos ou de 24 (vinte e quatro) anos, se estudantes universitários; cônjuge, salvo por decisão judicial. Poderão ser incluídos BENEFICIÁRIOS dependentes, posteriormente à celebração deste Contrato, desde que solicitado pelo CONTRATANTE. Em caso de inclusão de novo (s) dependente (s), este (s) deverá (ão) cumprir, por inteiro, os prazos de carência previstos neste Contrato, exceto para os casos dos filhos recém-nascidos e filhos adotivos menores de 12 (doze) anos. Ao recém-nascido, filho natural ou adotivo do BENEFICIÁRIO, será garantida a inscrição como dependente, isento do cumprimento dos períodos de carência e não cabendo qualquer alegação de doença ou lesão preexistente, desde que, a inscrição ocorra no prazo máximo de 30 (trinta) dias do nascimento. Em caso de inscrição de filho(s) adotivo (s) do BENEFICIÁRIO, menor de 12 (doze) anos de idade, serão aproveitados os mesmos períodos de carência já cumpridos pelo BENEFICIÁRIO adotante. 6. COBERTURAS E PROCEDIMENTOS GARANTIDOS Respeitados os prazos de carência, as exclusões e as coberturas estabelecidas nestas Condições Gerais, o BENEFICIÁRIO terá cobertura para as despesas ambulatoriais, hospitalares, exames 02

10 complementares e serviços auxiliares listados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS, através do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde vigente à época do evento, relacionados às doenças listadas na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde, da Organização Mundial de Saúde (CID 10). A participação de profissional médico anestesiologista nos procedimentos listados no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde vigente à época do evento terá cobertura assistencial obrigatória, caso haja indicação clínica. Está garantida, ainda, a cobertura para os procedimentos listados no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, relacionados ou não com a saúde ocupacional e acidentes de trabalho. A atenção prestada aos portadores de transtornos mentais priorizará o atendimento ambulatorial e em consultórios, utilizando-se a internação psiquiátrica apenas como último recurso terapêutico e de acordo com indicação do médico assistente. Todos os procedimentos clínicos ou cirúrgicos decorrentes de transtornos mentais codificados na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde/10º Revisão - CID - 10, inclusive aqueles necessários ao atendimento das lesões auto-infligidas, estão obrigatoriamente cobertos. O atendimento, dentro da segmentação e da área de abrangência estabelecida no contrato, está assegurado independentemente do local de origem do evento. 6.1 Coberturas Ambulatoriais em Unidades da Rede Credenciada pelo Trasmontano: Ao BENEFICIÁRIO serão asseguradas as coberturas com despesas decorrentes de cirurgias ambulatoriais que não necessitem de internação hospitalar, consultas médicas, exames clínicos e laboratoriais, bem como terapias, conforme relacionado a seguir: a. Consultas médicas, em número ilimitado, em clínicas básicas e especializadas, inclusive obstétricas para pré-natal, aptas a atender as especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina - CFM; b. Serviços de apoio diagnóstico, tratamentos e demais procedimentos ambulatoriais, incluindo procedimentos cirúrgicos ambulatoriais, solicitados pelo médico assistente ou cirurgião dentista devidamente habilitado, mesmo quando realizados em ambiente hospitalar; c. Procedimentos de reeducação e reabilitação física em número ilimitado de sessões por ano, que poderão ser realizados tanto por fisiatra como por fisioterapeuta, conforme indicação do médico assistente; d. Consultas e sessões com nutricionista, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e psicólogo, de acordo com o número de sessões estabelecido no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde vigente à época do evento, conforme indicação do médico assistente. e. Psicoterapia de acordo com o número de sessões estabelecido no Rol de Procedimentos e 03

11 Eventos em Saúde vigente à época do evento, conforme Diretrizes de Utilização, que poderão ser realizados tanto por psicólogo como por médico devidamente habilitados; f. Atendimentos nos casos de planejamento familiar, incluindo: - atividades educacionais; - consultas de aconselhamento para planejamento familiar; - atendimento clínico; - sulfato de DEHIDROEPIANDROSTERONA (SDHEA); - implante de dispositivo intra-uterino (diu) hormonal incluindo o dispositivo. g. Os seguintes procedimentos, considerados especiais: - Hemodiálise e diálise peritonial; - Quimioterapia oncológica ambulatorial; - Radioterapia; - Procedimentos de hemodinâmica ambulatorial; - Hemoterapia ambulatorial; - Cirurgias oftalmológicas ambulatoriais. 6.2 Coberturas Hospitalares em Unidades da Rede Credenciada pelo Trasmontano: h. Medicamentos registrados/regularizados na ANVISA, utilizados nos procedimentos diag- nósticos e tarapêuticos para a segmentação ambulatorial; Ao BENEFICIÁRIO serão asseguradas as coberturas de despesas médico-hospitalares, sem limite de prazo, valor máximo e quantidade de internação, em unidades referenciadas aptas a atender as especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina - CFM, englobando os seguintes itens: a. Internações hospitalares clínicas e/ou cirúrgicas, bem como o acesso à acomodação em nível superior, sem ônus adicional, na indisponibilidade de leito hospitalar nos estabelecimentos próprios ou contratados pelo plano e internações em Centro de Terapia Intensiva ou similar; b. Despesas referentes a honorários médicos, serviços gerais de enfermagem, exceto quando em caráter particular, e alimentação; c. Toda e qualquer taxas, incluindo materiais utilizados, assim como a remoção do paciente, quando comprovadamente necessária, para outro estabelecimento hospitalar, em território brasileiro, dentro dos limites da abrangência geográfica prevista no contrato; d. Remoção do paciente, comprovadamente necessária, para outro estabelecimento hospitalar, dentro dos limites de abrangência geográfica previstos no contrato, em território brasileiro; e. O BENEFICIÁRIO terá direito à cobertura de despesas de diária(s) de 1 (um) acompanhante, no caso de paciente menor de 18 (dezoito) anos e com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, bem como para aqueles portadores de necessidades especiais, conforme indicação do médico assistente, no local da internação, excetuado os casos de CTI ou similar; 04

12 f. Exames complementares indispensáveis ao controle da evolução da doença e à elucidação diagnóstica realizados durante o período de internação hospitalar; g. Fornecimento de medicamentos nacionais e nacionalizados, anestésicos, gases medicinais e transfusões, conforme prescrição do médico assistente ministrados durante o período de internação hospitalar; h. Atendimentos nos casos de planejamento familiar incluindo o seguinte procedimento: sulfato de DEHIDROEPIANDROSTERON A (SDHEA); i. Os seguintes procedimentos, considerados especiais, cuja necessidade esteja relacionada à continuidade da assistência prestada em nível de internação hospitalar: - Hemodiálise e diálise peritonial; - Quimioterapia oncológica ambulatorial; - Procedimentos radioterápicos ambulatorial e hospitalar; - Hemoterapia; - Nutrição enteral ou parenteral; - Procedimentos diagnósticos e terapêuticos em hemodinâmica; - Embolizações e radiologia intervencionista; - Exames pré-anestésicos ou pré-cirúrgicos; - Procedimentos de reeducação e reabilitação física; j. Cirurgia plástica reparadora quando efetuada para restauração de órgãos e funções confor- me Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde vigente à época do evento; k. Cirurgia plástica reconstrutiva de mama, utilizando-se de todos os meios e técnicas necessárias para o tratamento de mutilação decorrente de utilização de técnica de tratamento de câncer; l. Procedimentos buco-maxilo-faciais que necessitarem de internação hospitalar, realizada por profissional habilitado pelo seu Conselho de Classe, incluindo a cobertura de exames complementares solicitados pelo cirurgião-dentista assistente, habilitado pelo respectivo conselho de classe, desde que restritos à finalidade de natureza odontológica, e o fornecimento de medicamentos, anestésicos, gases medicinais, transfusões, assistência de enfermagem e alimentação ministrados durante o período de internação hospitalar; m. Estrutura hospitalar necessária à realização dos procedimentos odontológicos passíveis de realização em consultório, mas que por imperativo clínico necessitem de internação hospitalar, incluindo a cobertura de exames complementares solicitados pelo cirurgião-dentista assistente, habilitado pelo respectivo conselho de classe, desde que restritos à finalidade de natureza odontológica; n. Transplantes listados no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde vigente à época do evento, bem como as despesas com os procedimentos necessários à realização do transplante, incluindo, quando couber: despesas assistenciais com doadores vivos, medicamentos utilizados durante a internação, acompanhamento clínico no pós operatório imediato e tardio, exceto medicamentos de manutenção, despesas com captação, transporte e preservação dos 05

13 órgãos na forma de ressarcimento ao Sistema Único de Saúde - SUS. Na hipótese de realização dos referidos transplantes, o associado deverá, obrigatoriamente, estar inscrito em uma das Centrais de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos - CNCDOs, sujeitando-se aos critérios de fila única de espera e de seleção. 6.3 Cobertura para Saúde Mental em Unidades da Rede Credenciada Trasmontano: Ao BENEFICIÁRIO serão asseguradas as coberturas das despesas relativas à saúde mental correspondentes ao tratamento de todos os transtornos psiquiátricos codificados na CID-10. A cobertura hospitalar garantirá por ano de vigência do contrato: a. Custeio integral de pelo menos 30 (trinta) dias de internação; b. Nas internações psiquiátricas o custeio parcial excepcionalmente poderá ser fixado a partir do 31º (trigésimo primeiro) dia de internação, por ano de contrato, com co-participação do Beneficiário de 49% (quarenta e nove por cento) observados os tetos estabelecidos nos normativos vigentes; Esse percentual de co-participação equivalerá ao máximo admitido por norma editada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) que estiver vigente à época da contratação do seguro. c) A cobertura do tratamento em regime de hospital-dia deverá se dar de acordo com as diretrizes estabelecidas nos normativos vigentes. 6.4 Cobertura Obstétricas a. Procedimentos relativos ao pré-natal e à assistência ao parto e puerpério; b. Cobertura de um acompanhante indicado pela mulher durante o trabalho de parto, e pós-parto imediato; c. Cobertura assistencial ao recém-nascido(a), filho(a) natural ou adotivo(a) do BENEFICIÁRIO, durante os 30 (trinta) primeiros dias após o parto sendo vedada qualquer alegação de DLP ou aplicação de CPT ou Agravo. 6.5 Urgência e Emergência É obrigatória por parte do TRASMONTANO a cobertura do atendimento nos casos de: a. urgência, assim entendidos os resultantes de acidentes pessoais ou de complicações no processo gestacional; e b. emergência, como tal definidos os que implicarem risco imediato de vida ou de lesões irreparáveis para o paciente, caracterizado em declaração do médico assistente. O TRASMONTANO garantirá os atendimentos decorrentes de acidentes pessoais, sem restrições, depois de decorridas 24 horas de vigência do contrato. 06

14 A cobertura será prestada por 12 (doze) horas ou, caso surja a necessidade de internação, por período inferior, para: a. os atendimentos de urgência e emergência referentes ao processo gestacional, durante o cumprimento dos períodos de carência; b. os atendimentos de urgência e emergência, quando efetuados no decorrer dos períodos de carência para internação; e c. os casos em que houver acordo de Cobertura Parcial Temporária e que resultem na necessidade de eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia ou procedimentos de alta complexidade relacionados às doenças ou lesões preexistentes. Após cumpridas as carências, haverá cobertura dos atendimentos de urgência e emergência desde a admissão até a alta, ou que sejam necessários para a preservação da vida, órgãos e funções Da Remoção A remoção do paciente será garantida pela OPERADORA nas seguintes hipóteses: a. para outra unidade de atendimento da rede do plano, depois de realizados os atendimentos classificados como urgência e emergência, quando caracterizada, pelo médico assistente, a falta de recursos oferecidos pela unidade para continuidade da atenção ao paciente; e b. para uma unidade do SUS, depois de realizados os procedimentos caracterizados como urgência e emergência, quando houver o limite de 12 (doze) horas de atendimento, nas hipóteses citadas acima, e este for atingido ou surgir a necessidade de internação. Da Remoção para o SUS: Ao TRASMONTANO caberá o ônus e a responsabilidade da remoção do paciente para uma unidade do SUS que disponha dos recursos necessários a garantir a continuidade do atendimento. Quando não puder haver remoção por risco de vida, o CONTRATANTE e o prestador do atendimento deverão negociar entre si a responsabilidade financeira da continuidade da assistência, desobrigando-se, assim, o TRASMONTANO desse ônus. O TRASMONTANO deverá disponibilizar ambulância com os recursos necessários a garantir a manutenção da vida, só cessando sua responsabilidade sobre o paciente quando efetuado o registro na unidade SUS. Se o paciente ou seus responsáveis optarem, mediante assinatura de termo de responsabilidade, pela continuidade do atendimento em unidade que, ainda que pertencente ao SUS, não disponha dos recursos necessários a garantir a continuidade do atendimento, ficará o TRASMONTANO desobrigada da responsabilidade médica e do ônus financeiro da remoção Do Reembolso Será garantido ao Beneficiário o reembolso das despesas decorrentes dos atendimentos de 07

15 urgência e emergência ocorridos na área de abrangência geográfica da cobertura contratual sempre que não for possível a utilização dos serviços de prestadores da rede assistencial deste plano. O beneficiário terá o prazo de 1 (um) ano para solicitar o reembolso, devendo para tanto apresentar ao TRASMONTANO os seguintes documentos: a. Relatório do médico assistente contendo diagnóstico, tratamento efetuado, data de atendib. Conta hospitalar discriminada, inclusive relação de materiais e medicamentos utilizados, mento e as condições que caracterizam a urgência e/ou emergência; apresentando nota fiscal quitada, facultado ao TRASMONTANO periciar os prontuários médi- cos, resguardadas as normas éticas; c. Comprovante de pagamento original dos honorários médicos, assistentes, auxiliares, anestesistas e outros. Que deverá conter: o número do CRM, CNPJ/CPF, as funções e o evento a que se refere. O reembolso será efetuado no prazo máximo de 30 (trinta) dias, contados a partir do recebimento da documentação completa pelo TRASMONTANO, e seu valor não poderá ser inferior ao praticado por esta junto à rede assistencial do presente plano. 7. EXCLUSÕES DE COBERTURA Para fins de aplicação do art. 10 da Lei de nº /98, consideram-se EXCLUÍDOS E NÃO COBERTOS pelo PLANO, os seguintes serviços e procedimentos: a. Tratamento ilícitos ou antiéticos assim definidos sob o aspecto médico ou não reconhecidos pelas autoridades competentes; b. Tratamento clínico ou cirúrgico experimental; c. Tratamento de inseminação artificial; d. Fornecimento de medicamentos importados não nacionalizados, ou seja, sem registro vigente na ANVISA; e. Atendimento domiciliar, incluindo aluguel de equipamentos e similares para tratamento domiciliar, materiais e medicamentos para tratamento domiciliar, serviços de enfermagem domiciliar e remoção domiciliar, exceto nos casos de internação domiciliar oferecida pela operadora em substituição à internação hospitalar. f. Fornecimento de medicamentos prescritos durante a internação hospitalar cuja eficácia e/ou efetividade tenham sido reprovadas pela Comissão de Incorporação de Tecnologias do Ministério da Saúde - CITEC; g. Fornecimento de próteses, órteses e seus acessórios não ligados ao ato cirúrgico; 08

16 h. Quaisquer atendimentos em casos de cataclismos, guerras e comoções internas, quando declarados pela autoridade competente; i. Procedimentos Clínicos ou Cirúrgicos para fins estéticos, bem como órteses e próteses para o mesmo fim; j. Tratamento de rejuvenescimento ou de emagrecimento com finalidade estética; k. Tratamentos odontológicos, exceto cirurgias odontológicas buco-maxilo-faciais, que necessitem de ambiente hospitalar e a estrutura hospitalar necessária à realização dos procedimentos odontológicos passíveis de realização em consultório, que por imperativo clínico necessitem de internação hospitalar; l. Despesas com hospitais, médicos e entidades não credenciadas e não relacionadas no Manual de Orientação oferecido pela OPERADORA, exceto nos casos de urgência e emergência; m. Atendimento a domicílio dos USUÁRIOS; n. Cirurgias plásticas em geral, com finalidade estética; o. Transplantes, à exceção de córnea e rim, e dos transplantes autólogos; p. Especialidades não reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina. 8. DURAÇÃO DO CONTRATO Este contrato terá vigência inicial de 1 (um) ano, sendo seu início a partir da assinatura do contrato ou da assinatura da proposta de adesão ou do pagamento da primeira mensalidade, o que correr primeiro. Após esse prazo, a renovação do contrato será por prazo indeterminado. Não haverá cobrança de qualquer taxa no ato da renovação. 9. PERÍODOS DE CARÊNCIA As coberturas previstas pelo plano contratado somente passam a vigorar depois de cumpridos os prazos de carência a seguir descritos: Atendimento de urgências/emergências - 24 horas Partos a Termo dias Demais Casos dias As carências explicitadas neste tema serão contadas a partir da data da vigência contratual, ou 09

17 seja, a partir da assinatura da proposta de adesão, da assinatura do contrato ou do primeiro pagamento, o que ocorrer primeiro. 10. DOENÇAS E LESÕES PRÉ-EXISTENTES O beneficiário deverá informar o TRASMONTANO, quando expressamente solicitado na documentação contratual por meio da Declaração de Saúde, o conhecimento de doenças ou lesões preexistentes à época da adesão ao presente contrato, sob pena de caracterização de fraude, ficando sujeito à suspensão ou rescisão unilateral do contrato, conforme o disposto no inciso II do parágrafo único do art. 13 da Lei nº 9.656/1998. Doenças ou Lesões Preexistentes são aquelas que o beneficiário ou seu representante legal saiba ser portador ou sofredor, no momento da contratação ou adesão ao plano privado de assistência à saúde, de acordo com o art. 11 da Lei nº 9656/1998, o inciso IX do art 4º da Lei nº 9961/2000 e as diretrizes estabelecidas na Resolução Normativa nº 162/2007. Para informar a existência de doenças e lesões preexistentes, o Beneficiário Titular preencherá o Formulário de Declaração de Saúde acompanhado da Carta de Orientação ao Beneficiário e poderá solicitar um médico para orientá-lo. O beneficiário tem o direito de preencher a Declaração de Saúde mediante entrevista qualificada orientada por um médico pertencente à lista de profissionais da rede de prestadores credenciados ou referenciados pelo TRASMONTANO, sem qualquer ônus para o beneficiário. Caso o beneficiário opte por ser orientado por médico não pertencente à lista de profissionais da rede assistencial do TRASMONTANO, poderá fazê-lo, desde que assuma o ônus financeiro dessa entrevista. O objetivo da entrevista qualificada é orientar o beneficiário para o correto preenchimento da Declaração de Saúde, onde são declaradas as doenças ou lesões que o beneficiário saiba ser portador ou sofredor, no momento da contratação ou adesão ao plano privado de assistência à saúde, além de esclarecer questões relativas aos direitos de cobertura e conseqüências da omissão de informações. É vedada a alegação de omissão de informação de doença ou lesão preexistente quando for realizado qualquer tipo de exame ou perícia no beneficiário pelo TRASMONTANO, com vistas à sua admissão no plano privado de assistência à saúde. Sendo constatada por perícia ou na entrevista qualificada ou através de declaração expressa do beneficiário, a existência de doença ou lesão que possa gerar necessidade de eventos cirúrgicos, de uso de leitos de alta tecnologia e de procedimentos de alta complexidade, o TRASMONTANO oferecerá a cobertura parcial temporária, e, dependendo do caso, ser-lhe-á facultada a oferta do agravo. Caso o TRASMONTANO não ofereça Cobertura Parcial Temporária no momento da adesão contratual, não caberá alegação de omissão de informação na Declaração de Saúde ou aplicação posterior de Cobertura Parcial Temporária ou Agravo. Cobertura Parcial Temporária - CPT é aquela que admite, por um período ininterrupto de até 10

18 24 meses, a partir da data da contratação ou adesão ao plano privado de assistência à saúde, a suspensão da cobertura de Procedimentos de Alta Complexidade, leitos de alta tecnologia e procedimentos cirúrgicos, desde que relacionados exclusivamente às doenças ou lesões preexistentes declaradas pelo beneficiário ou seu representante legal. Agravo é qualquer acréscimo no valor da contraprestação paga ao plano privado de assistência à saúde, para que o beneficiário tenha direito integral à cobertura contratada, para a doença ou lesão preexistente declarada, após os prazos de carências contratuais, de acordo com as condições negociadas entre a operadora e o beneficiário. Na hipótese de Cobertura Parcial Temporária, o TRASMONTANO somente poderá suspender a cobertura de procedimentos cirúrgicos, o uso de leito de alta tecnologia e os procedimentos de alta complexidade, quando relacionados exclusivamente à Doença ou Lesão Preexistente. Os procedimentos de alta complexidade encontram-se especificados no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS, disponível no site É vedado ao TRASMONTANO a alegação de Doença ou Lesão Preexistente decorridos 24 meses da data da celebração do contrato ou da adesão ao plano privado de assistência à saúde. Nos casos de Cobertura Parcial Temporária, findo o prazo de até 24 (vinte e quatro) meses da contratação ou adesão ao plano privado de assistência à saúde, a cobertura assistencial passará a ser integral, conforme a segmentação contratada e prevista na Lei n 9.656/1998. O Agravo será regido por Aditivo Contratual específico, cujas condições serão estabelecidas entre as partes, devendo constar menção expressa a percentual ou valor do Agravo e período de vigência do Agravo. Identificado indício de fraude por parte do beneficiário, referente à omissão de conhecimento de doença ou lesão preexistente por ocasião da adesão ao plano privado de assistência à saúde, o TRASMONTANO deverá comunicar imediatamente a alegação de omissão de informação ao beneficiário através de Termo de Comunicação ao Beneficiário e poderá solicitar abertura de processo administrativo junto a ANS, quando da identificação do indício de fraude, ou após recusa do beneficiário à Cobertura Parcial Temporária. Instaurado o processo administrativo na ANS, ao TRASMONTANO caberá o ônus da prova. O TRASMONTANO poderá utilizar-se de qualquer documento legal para fins de comprovação do conhecimento prévio do Beneficiário sobre sua condição quanto à existência de doença e lesão preexistente. A ANS efetuará o julgamento administrativo da procedência da alegação, após entrega efetiva de toda a documentação. Se solicitado pela ANS, o Beneficiário deverá remeter documentação necessária para instrução do processo. Após julgamento, e acolhida à alegação do TRASMONTANO, pela ANS, o Beneficiário passa 11

19 a ser responsável pelo pagamento das despesas efetuadas com a assistência médicohospitalar prestada e que tenha relação com a doença ou lesão preexistente, desde a data da efetiva comunicação da constatação da doença e lesão preexistente, pelo TRASMONTANO, bem como será excluído do contrato. Não haverá a negativa de cobertura sob a alegação de doença ou lesão preexistente, bem como a suspensão ou rescisão unilateral do contrato até a publicação, pela ANS, do encerramento do processo administrativo. 11. MECANISMOS DE REGULAÇÃO a) Cartão de Identificação do Beneficiário Nenhum atendimento ao serviço previsto neste contrato será realizado sem a apresentação do Cartão de Identificação do beneficiário fornecido e expedido pelo TRASMONTANO para os beneficiários cadastrados no Plano, acompanhada de cédula de identidade dos mesmos ou, inexistindo tal documento, outro que surta efeitos similares, exceto nos casos de urgência e emergência. O beneficiário, no extravio do Cartão, para obter uma 2ª (segunda) via, comunicará o fato imediatamente ao TRASMONTANO, arcando com as despesas da confecção de outra via. Cessa a responsabilidade do beneficiário a partir da comunicação do extravio do cartão de identificação. b) Autorizações Prévias Para a realização dos procedimentos contratados será necessária a obtenção de AUTORIZA- ÇÃO PRÉVIA através de GUIA, exceto consultas e os casos caracterizados como urgência e emergência. O pedido médico deverá ser apresentado à Central de Emissão de Guias do TRASMONTANO que emitirá resposta pelo profissional avaliador no prazo de 01 (um) dia útil, a contar da data da solicitação ao TRASMONTANO, ou em prazo inferior, quando caracterizada a urgência. Os procedimentos deverão ser solicitados pelo médico-assistente ou cirurgião-dentista em formulário específico e disponibilizado pelo TRASMONTANO, ou quando não credenciado, em Receituário, contendo dados do BENEFICIÁRIO, descrição dos exames e especificação de acordo com CID. c) Da Junta Médica O TRASMONTANO garante, no caso de situações de divergência médica, a definição do impasse através de junta constituída pelo profissional solicitante ou nomeado pelo beneficiário, por médico da operadora e por um terceiro, escolhido de comum acordo pelos dois profissionais nomeados. Cada uma das partes pagará os honorários do profissional que nomear, exceto se o médicoassistente escolhido pelo beneficiário pertencer à rede credenciada ou própria do TRASMONTANO, que nesse caso, arcará com os honorários de ambos os nomeados. A remuneração do terceiro desempatador deverá ser paga pela operadora. 12

20 d) Serviços Próprios e Rede Credenciada Será fornecida ao beneficiário uma relação contendo os dados dos prestadores de serviços próprios e credenciados pelo TRASMONTANO, obedecidas as regras que disciplinam o atendimento dos mesmos, sendo que os beneficiários com mais de 60 (sessenta anos), as gestantes, lactantes, lactentes e crianças até 05 (cinco) anos possuem privilégios na marcação de consultas, exames e qualquer outros procedimentos em relação aos demais beneficiários. A relação contendo os dados dos prestadores de serviços próprios e credenciados do TRASMONTANO terá suas atualizações disponíveis na sede do TRASMONTANO, através do serviço de tele-atendimento ou por meio da internet. A inclusão como contratado, referenciado ou credenciado, de qualquer entidade hospitalar, implica compromisso para com os consumidores quando a sua manutenção ao longo da vigência do contrato, conforme regras abaixo: 1. A substituição da entidade hospitalar seja por outra equivalente e mediante comunicação aos consumidores e a ANS com trinta dias de antecedência, ressalvados desse prazo mínimo, os casos decorrentes de rescisão por fraude ou infração das normas sanitárias e fiscais em vigor; 2. Nos casos de substituição do estabelecimento hospitalar por infração às normas sanitárias em vigor, durante período de internação, o TRASMONTANO arcará com a transferência do beneficiário para outro estabelecimento equivalente, sem ônus adicional, garantindo-lhe a continuação da assistência; 3. Na hipótese da substituição do estabelecimento hospitalar ocorrer por vontade do TRASMONTANO durante período de internação do beneficiário, o hospital estará obrigado a manter a internação e o TRASMONTANO a pagar as despesas até a alta hospitalar, a critério do médico assistente, na forma do contrato; 4. Em caso de redimensionamento da rede hospitalar por redução, a operadora deverá solicitar à ANS autorização expressa. 12. FORMAÇÃO DE PREÇO E MENSALIDADE O valor a ser pago pela cobertura assistencial contratada é pré -estabelecido. A mensalidade que o BENEFICIÁRIO titular pagará ao TRASMONTANO será devida por si e pelos demais BENEFICIÁRIOS dependentes na importância definida na Proposta de Adesão. Os pagamentos deverão ser feitos, mensalmente, até a data do vencimento da contrapresta- Caso o BENEFICIÁRIO não receba instrumento de cobrança até 5 (cinco) dias úteis antes do vencimento, deverá comunicar ao TRASMONTANO. O não recebimento do instrumento de cobrança não desobriga o BENEFICIÁRIO de efetuar o seu pagamento no prazo de vencimento mensal. 13

21 ção pecuniária, de acordo com a data da assinatura da Proposta de Adesão, ou no primeiro dia útil subseqüente quando o vencimento ocorrer em feriado ou dia em que não haja expediente bancário. O recebimento pelo TRASMONTANO de parcelas em atraso constituirá mera tolerância, não implicando em novação contratual ou transação. Em casos de atraso no pagamento das contraprestações pecuniárias, a regularização se fará por meio de cobrança de multa de 2% (dois por cento), e juros de 1% (um) por cento ao mês, calculados proporcionalmente ao tempo de atraso. O pagamento da contraprestação pecuniária referente a um determinado mês não implica na quitação de débitos anteriores. 13. REAJUSTE Nos termos da legislação vigente, o reajuste financeiro a incidir sobre o valor da mensalidades será anual, e terá como data-base de aniversário o mês de assinatura do Contrato, observado o limite máximo autorizado pela ANS Caso deixe de ser obrigatória a autorização da ANS para a aplicação do reajuste e, cumulativamente, não se estabeleça um percentual como limite máximo, o reajuste dar-se-á conforme regras vigentes a época Caso a nova legislação venha a estabelecer um período inferior a doze meses para o reajustamento, este será aplicado ao presente contrato Caso nova legislação venha a admitir o reequilíbrio econômico-atuarial do contrato, este será reavaliado, quando o nível de sinistralidade da carteira ultrapassar o índice médio ofícial de mercado, cuja base é a proporção entre as despesas assistenciais e as receitas diretas do plano, apuradas no período de 12 meses consecutivos, anteriores à data base de aniversário considerado como data-base de aniversário o mês de assinatura do Contrato. a) Neste caso, para o cálculo do percentual de reajuste será aplicada a seguinte fórmula: R = S - 1 Sm Onde: S - Sinistralidade apurada no período (Mínimo de 12 meses). Sm - Meta de Sinistralidade expressa em contrato. Além dos reajustes acima previstos, haverá alteração de preço em razão da mudança de faixa etária, disposto no tema próprio. 14

22 14. FAIXAS ETÁRIAS Em havendo alteração de faixa etária de qualquer BENEFICIÁRIO inscrito no presente Contrato, a contraprestação pecuniária será reajustada no mês subseqüente ao da ocorrência, de acordo com os percentuais da tabela abaixo, que se acrescentarão sobre o valor da última da contraprestação pecuniária, observadas a seguintes condições, conforme art. 3º, incisos I e II da RN 63/03: a. O valor fixado para a última faixa etária não poderá ser superior a seis vezes o valor da pri- meira faixa etária; b. A variação acumulada entre a sétima e a décima faixa não poderá ser superior à variação acumulada entre a primeira e a sétima faixas. PERCENTUAIS DE AUMENTO POR FAIXA ETÁRIA PÓS RES. RN 63/2003 FAIXA ETÁRIA % AUMENTO Faixa Etária Acréscimo 0 a 18 0% 19 a 23 0% Plano: Ideal I Apartamento 15. CONDIÇÕES DA PERDA DA QUALIDADE DE BENEFICIÁRIO O beneficiário dependente será excluído do plano de assistência à saúde nos casos de: a) perda da condição de dependência definida nas condições gerais deste contrato; b) infrações ou fraudes com o objetivo de obter vantagens ilícitas; c) a pedido do beneficiário titular. 24 a a a 38 28,91% 9,82% 2,03% 39 a a a a 58 > 59 13,43% 49,65% 5,01% 8,29% 115,16% A extinção do vínculo do titular não extingue o contrato, sendo assegurado aos dependentes já inscritos o direito à manutenção das mesmas condições contratuais, com a assunção das obrigações decorrentes O disposto no item anterior não se aplica às hipóteses de rescisão unilateral do contrato por fraude ou não pagamento da mensalidade. 16. RESCISÃO A operadora terá o direito de suspender ou rescindir, unilateralmente, o presente contrato, caso ocorra atraso no pagamento das contraprestações pecuniárias por período superior a 60 (sessenta) dias, consecutivos ou não, nos últimos 12 (doze) meses de vigência do mesmo. 15

23 O exercício do direito da rescisão e/ou da suspensão previsto no caput se encontra condicionado à inequívoca notificação do devedor até o qüinquagésimo dia de inadimplência. Independentemente das conseqüências e responsabilidades legais, este contrato será cancelado nos casos comprovados de fraude, perdendo o BENEFICIÁRIO e seus dependentes, quaisquer direitos dos benefícios previstos neste Contrato, assim como da devolução de qualquer quantia paga. O BENEFICIÁRIO terá o direito de rescindir, unilateralmente, o presente contrato a qualquer tempo. Entretanto, se a rescisão ocorrer no primeiro ano de vigência do contrato, o BENEFICIÁRIO pagará multa rescisória de 10% das mensalidades restantes para se completar os primeiros doze meses. 17. DISPOSIÇÕES GERAIS Integram este contrato, para todos os fins de direito, a Proposta de Admissão assinada pelo (a) Contratante, o Manual da Rede Credenciada, o Cartão Individual de Identificação, Entrevista Qualificada, Exame Médico, quando for o caso, a Declaração de Saúde do titular e dependentes e a Carta de Orientação ao Beneficiário, o Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde (MPS) e o Guia de Leitura Contratual (GLC). O (A) BENEFICIÁRIO reconhece expressamente que seu vínculo contratual é apenas com o TRASMONTANO. O (A) BENEFICIÁRIO, por si e por seus beneficiários dependentes, autoriza o TRASMONTANO a prestar todas as informações cadastrais solicitadas pelos órgãos de fiscalização da assistência à saúde, respeitados os normativos referentes ao sigilo médico. Qualquer tolerância por parte do TRASMONTANO não implica perdão, novação, renúncia ou alteração do pactuado. O TRASMONTANO não se responsabilizará por qualquer acordo ajustado particularmente pelos beneficiários com médicos, hospitais ou entidades contratadas ou não. Estas despesas correrão por conta exclusiva do beneficiário. O TRASMONTANO fornecerá aos beneficiários o CARTÃO INDIVIDUAL DE IDENTIFICAÇÃO, cuja apresentação deverá estar acompanhada de documento de identidade legalmente reconhecido, que assegura a fruição dos direitos e vantagens deste contrato. Ocorrendo a perda ou extravio do CARTÃO INDIVIDUAL DE IDENTIFICAÇÃO, o(a) CONTRATAN- TE deverá participar, por escrito, o fato ao TRASMONTANO, para o cancelamento ou, quando for o caso, a emissão de segunda via mediante pagamento do custo de nova carteira de identificação no valor de R$ 15,00, sendo que o cancelamento só terá validade quando reconhecido por escrito, pelo TRASMONTANO. É obrigação do (a) CONTRATANTE, na hipótese de rescisão, resolução ou resilição deste 16

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Operadora: Unimed do Estado de São Paulo - Federação Estadual das Cooperativas Médicas CNPJ: 43.643.139/0001-66 Nº de registro na ANS: 319996 Site: http://www.unimedfesp.coop.br SAC: 0800 772 3030 Manual

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Direito de migrar para plano individual ou familiar aproveitando carência do plano coletivo empresarial Os beneficiários dos planos coletivos empresariais que tiverem o benefício de plano de saúde extinto,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE DIFERENÇAS ENTRE PLANOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE DIFERENÇAS ENTRE PLANOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS Operadora: ELOSAÚDE - CNPJ: 11.593.821/0001-03 03 - N ANS: 41729-7 - Site: www.elosaude.com.br - Tel.: (48) 3298-5555 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE DIFERENÇAS ENTRE PLANOS INDIVIDUAIS

Leia mais

Manual de Orientação para contratação de Plano de Saúde

Manual de Orientação para contratação de Plano de Saúde Operadora: Allianz Saúde CNPJ: 04.439.627/0001-0 Nº de registro na ANS: 00051-5 Nº de registro do produto: conforme contratado pelo estipulante Site: www.allianz.com.br Telefone: 0800 7228148 Manual de

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Operadora: Unimed Curitiba Sociedade Cooperativa de Médicos CNPJ: 75.055.772/0001-20 Nº de registro na ANS: 30470-1 Site: http://www.unimedcuritiba.com.br Tel:(41) 3019-2000 Exclusivo para liberações de

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE.

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE. MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE. Operadora: Unimed Campo Grande MS Cooperativa de Trabalho Médico. CNPJ: 03.315.918/0001-18 Nº de registro na ANS: 312851 Site: http://www.unimedcg.com.br

Leia mais

Associação Unisaúde Marau MANUAL DO USUÁRIO. Manual do Usuário

Associação Unisaúde Marau MANUAL DO USUÁRIO. Manual do Usuário Associação Unisaúde Marau MANUAL DO USUÁRIO Manual do Usuário MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO. QUALIFICAÇÃO DA OPERADORA DE PLANO DE SAÚDE... 3 2. CARACTERÍSTICAS DO PLANO... 3 2.. Objetivo... 3 2.2. Nome comercial

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO Operadora: GreenLine Sistema de Saúde - LTDA CNPJ: 61.849.980/0001-96 Nº de Registro na ANS: 32.507-4 Site: http://www.greenlinesaude.com.br Tel: 0800-776 - 7676 Manual de Orientação

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO. Edição: 25/02/14

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO. Edição: 25/02/14 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO Edição: 25/02/14 Direito de migrar para plano individual ou familiar aproveitando carência do plano coletivo empresarial Os beneficiários

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde Operadora: Prodent Assistência Odontológica Ltda CNPJ: 61.590.816/0001-07 N de registro na

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº - 262, DE 1º - DE AGOSTO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº - 262, DE 1º - DE AGOSTO DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº - 262, DE 1º - DE AGOSTO DE 2011 Atualiza o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde previstos na RN nº 211, de 11 de janeiro de 2010. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional

Leia mais

GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS

GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS 2 Diferenças entre planos individuais e coletivos: Os planos com contratação individual ou familiar são aqueles contratados

Leia mais

Com 30 participantes ou mais

Com 30 participantes ou mais MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE CUNHA ODONTOLOGIA S/S LTDA CNPJ n : 06.216.938/0001-20 N de registro na ANS: 41695-9 Site: www.cunhaodontologia.com.br Tel: Serviços: (62) 3945.5673

Leia mais

Guia Prático. do seu PLANO DE SAÚDE. Rio

Guia Prático. do seu PLANO DE SAÚDE. Rio Guia Prático do seu PLANO DE SAÚDE Rio Bem -vindo à ALIANÇA ADMINISTRADORA! Sumário Informações Importantes...3 Guia de Leitura Contratual...6 Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde...8

Leia mais

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde Manual de Orientação para contratação de planos de saúde nós somos a casembrapa Funcionamento de um plano de autogestão: Somos uma operadora de saúde de autogestão. Uma entidade sem fins lucrativos, mantida

Leia mais

Seguro Saúde Coletivo Empresarial

Seguro Saúde Coletivo Empresarial Seguro Saúde Produto Fit Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia Condições Gerais ANS nº 000043 0073.0001.0397 Índice Condições Gerais do Contrato de Seguro Saúde Produto Fit Modalidade Ambulatorial

Leia mais

CAURJ CAIXA ASSISTENCIAL UNIVERSITÁRIA DO RIO DE JANEIRO REGULAMENTO APROVADO EM 27/04/2005 PLANO AMBULATORIAL

CAURJ CAIXA ASSISTENCIAL UNIVERSITÁRIA DO RIO DE JANEIRO REGULAMENTO APROVADO EM 27/04/2005 PLANO AMBULATORIAL CAURJ CAIXA ASSISTENCIAL UNIVERSITÁRIA DO RIO DE JANEIRO REGULAMENTO APROVADO EM 27/04/2005 PLANO AMBULATORIAL REGULAMENTO DO PLANO AMBULATORIAL DA CAURJ* (*ENTIDADE REGISTRADA SOB O Nº. 34.782 PLANO REGISTRADO

Leia mais

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde Manual de Orientação para contratação de planos de saúde nós somos a casembrapa Somos uma operadora de saúde de autogestão. Uma entidade sem fins lucrativos, mantida com recursos dos associados e da patrocinadora

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 25 15/5/2009 15:03 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.656, DE 3 DE JUNHO DE 1998. Texto compilado Dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência

Leia mais

SulAmérica Saúde PME Hospitalar com Obstetrícia. Condições Gerais 03 a 29 vidas

SulAmérica Saúde PME Hospitalar com Obstetrícia. Condições Gerais 03 a 29 vidas SulAmérica Saúde PME Hospitalar com Obstetrícia Condições Gerais 03 a 29 vidas Versão 05 Vigência Fevereiro/2014 Contrato nº 0058.0044.0597 Cod.553 Cod.553 SulAmérica Saúde PME Índice SulAmérica Saúde

Leia mais

CONTRATO DE PR ESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE OFERTA DE PLANO DE

CONTRATO DE PR ESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE OFERTA DE PLANO DE CONTRATO DE PR ESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE OFERTA DE PLANO DE Hospital César Leite Nome Fantasia: PLANCEL CNPJ: 22.263.081/0001-55, Registro da Operadora na ANS: 31.470-6, Classificação da Operadora na ANS:

Leia mais

CONTRATO UNIVALE REGIONAL PESSOA JURÍDICA

CONTRATO UNIVALE REGIONAL PESSOA JURÍDICA CONTRATO UNIVALE REGIONAL PESSOA JURÍDICA PLANO REGIONAL DE SAÚDE AMBULATORIAL/HOSPITALAR COM OBSTETRÍCIA Coletivo por Adesão EMPRESA: ASSUNIVASF 1 TÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES SUBTÍTULO I QUALIFICAÇÃO

Leia mais

3, 4 5, 6 e 7 7 e 8 9 e 10

3, 4 5, 6 e 7 7 e 8 9 e 10 PLANO REFERÊNCIA - 466057119 PLANO EXATO ENFERMARIA 466429129 PLANO EXATO APARTAMENTO 466433127 PLANO BÁSICO 10 APARTAMENTO 466431121 PLANO CLÁSSICO - 466432129 PLANO ESPECIAL 100 466430122 PLANO EXECUTIVO

Leia mais

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Manual do Beneficiário Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Entenda como foi viabilizado o seu plano de saúde COLETIVO POR ADESÃO BENEFICIÁRIO O Beneficiário de plano privado de assistência

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA Nº 1, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2007

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA Nº 1, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2007 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA Nº 1, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2007 Estabelece orientações aos órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009.

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009. RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009. Dispõe sobre a classificação e características dos planos privados de assistência à saúde, regulamenta a sua contratação, institui a orientação para

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO 1 DAS PARTES

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO 1 DAS PARTES 1 DAS PARTES CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO FAPES ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS LTDA, nome fantasia PREVQUALI ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS, sociedade brasileira limitada, administradora de benefícios, inscrita

Leia mais

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Manual do Beneficiário Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Entenda como foi viabilizado o seu plano de saúde COLETIVO POR ADESÃO BENEFICIÁRIO O Beneficiário de plano privado de assistência

Leia mais

ODONTOMAIS ONE. Nº Protocolo de Solicitação 41687.423796.415003.4092. Tipo de Registro Registro Pos RN195. Segmentação Assistencial Odontológico

ODONTOMAIS ONE. Nº Protocolo de Solicitação 41687.423796.415003.4092. Tipo de Registro Registro Pos RN195. Segmentação Assistencial Odontológico DADOS DA EMPRESA ODONTOMAIS ONE Análise de Solicitações - Registro de Produto Data da Solicitação 17/02/2014 Nº Protocolo de Solicitação 41687.423796.415003.4092 Nº Registro 470.816/14-4 Tipo de Registro

Leia mais

São considerados Usuários Titulares os empregados e/ou diretores da CONTRATANTE expressamente cadastrados no contrato.

São considerados Usuários Titulares os empregados e/ou diretores da CONTRATANTE expressamente cadastrados no contrato. COLETIVO POR ADESÃO PADRÃO B- N 457.286.08.6 ATRIBUTOS DO CONTRATO Trata-se de Plano Privado de Assistência à Saúde, definido na Lei 9656 de 03 de junho de 1998, de prestação de serviços continuada, com

Leia mais

SulAmérica Saúde PME

SulAmérica Saúde PME SulAmérica Saúde PME SulAmérica Saúde PME Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia Condições Gerais ANS - Nº 000043 0057.8013.0797 Índice Condições Gerais do Contrato de Seguro Saúde PME Modalidade Ambulatorial

Leia mais

CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE REGISTRO AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR N.º: 470.001/13-5 PLANO: MEMORIAL PLUS

CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE REGISTRO AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR N.º: 470.001/13-5 PLANO: MEMORIAL PLUS CARACTERISTICAS GERAIS DO CONTRATO a)- QUALIFICAÇÃO DA OPERADORA Contrato de Plano Privado de Assistência à Saúde, que fazem entre si, de um lado, como CONTRATADA, CENTRO MÉDICO FÁTIMA LTDA, operadora

Leia mais

www.saudepas.com.br ANS - n.º 40924-3

www.saudepas.com.br ANS - n.º 40924-3 SAÚDE PAS www.saudepas.com.br ANS - n.º 40924-3 SAÚDE PAS A SUA REDE PREFERENCIAL! - MÉDICOS - LABORATÓRIOS - CLÍNICAS DE IMAGENS Nesta Rede, utilize apenas seu cartão do Saúde PAS (e documento de identificação)

Leia mais

Manual do Beneficiário. Seguro de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão

Manual do Beneficiário. Seguro de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Manual do Beneficiário Seguro de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Entenda como foi viabilizado o seu seguro-saúde COLETIVO POR ADESÃO BENEFICIÁRIO O Beneficiário de plano privado de assistência

Leia mais

Instrumento de Comercialização de Planos de Saúde

Instrumento de Comercialização de Planos de Saúde De 30 à 99 vidas Com Coparticipação 1. DAS PARTES: 1.1. Celebra(m) o presente instrumento, na qualidade de CONTRATANTE(S), a(s) pessoa(s) jurídica(s) abaixo qualificada(s): RAZÃO SOCIAL: NOME FANTASIA:

Leia mais

CONTRATO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ANIMAL PLANO PETMEDIC

CONTRATO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ANIMAL PLANO PETMEDIC CONTRATO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ANIMAL PLANO PETMEDIC QUALIFICAÇÃO Nome: DO(A) CONTRATANTE: Filiação: / Data de nascimento: / / CPF: RG: Órgão emissor: Endereço: Nº Complemento: Bairro: CEP Cidade: UF:

Leia mais

Seguro Saúde. Coletivo Empresarial

Seguro Saúde. Coletivo Empresarial Seguro Saúde Produto 930 Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia Condições Gerais ANS - Nº 000043 0068.0146.0197 Índice Condições Gerais do Contrato de Seguro Saúde Produto 930 Modalidade Ambulatorial

Leia mais

Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia. Condições Gerais 30 a 99 vidas

Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia. Condições Gerais 30 a 99 vidas SulAmérica Saúde Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia Condições Gerais 30 a 99 vidas Versão 04 Vigência Fevereiro /2015 Contrato nº 0058.0075.0497 Cod.545 Cod.545 Condições Gerais Índice SulAmérica

Leia mais

Associação dos Auditores Fiscais do Estado da Paraíba AFRAFEP REGULAMENTO DO PLANO DE SAÚDE AFRAFEP-SAÚDE PLUS

Associação dos Auditores Fiscais do Estado da Paraíba AFRAFEP REGULAMENTO DO PLANO DE SAÚDE AFRAFEP-SAÚDE PLUS REGULAMENTO DO PLANO DE SAÚDE AFRAFEP-SAÚDE PLUS Em conformidade com o Anexo I da IN nº 23/2009 da ANS DA QUALIFICAÇÃO DA OPERADORA DE PLANO DE SAÚDE Art. 1º. A AFRAFEP - Associação dos Auditores Fiscais

Leia mais

PORTARIA MPOG/SRH Nº 1.983, DE 05 DE DEZEMBRO DE 2006 - DOU DE 06/12/2006

<!ID852972-1> PORTARIA MPOG/SRH Nº 1.983, DE 05 DE DEZEMBRO DE 2006 - DOU DE 06/12/2006 PORTARIA MPOG/SRH Nº 1.983, DE 05 DE DEZEMBRO DE 2006 - DOU DE 06/12/2006 Estabelece orientações aos órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC sobre

Leia mais

CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLÓGICA COLETIVO EMPRESARIAL

CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLÓGICA COLETIVO EMPRESARIAL CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLÓGICA COLETIVO EMPRESARIAL Atendimento ao Cliente Central 24 Horas Tel.: (11) 32172008 Fax: (11) 31186500 Proposta de Adesão composta pelas Condições

Leia mais

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Manual do Beneficiário Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Entenda como foi viabilizado o seu plano de saúde COLETIVO POR ADESÃO BENEFICIÁRIO O Beneficiário de plano privado de assistência

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 017/2009

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 017/2009 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 017/2009 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

REGULAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS E HOSPITALARES COLETIVO POR ADESÃO. Registro ANS SINPAS Nº 436.319/01-1

REGULAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS E HOSPITALARES COLETIVO POR ADESÃO. Registro ANS SINPAS Nº 436.319/01-1 REGULAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS E HOSPITALARES COLETIVO POR ADESÃO COBERTURA ASSISTENCIAL NÍVEL C AGREG ADO Registro ANS SINPAS Nº 436.319/01-1 I QUALIFICAÇÃO DA OPERADORA ASSOCIAÇÃO VALEPARAIBANA

Leia mais

COMUNICADO 2 CREDENCIAMENTO TSE Nº 1/2015

COMUNICADO 2 CREDENCIAMENTO TSE Nº 1/2015 COMUNICADO 2 CREDENCIAMENTO TSE Nº 1/2015 Respostas aos questionamentos da Unimed Seguros PERGUNTA 1: Podemos entender que poderão participar do processo de credenciamento todas as empresas interessadas

Leia mais

CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA - BRADESCO DENTAL COLETIVO EMPRESARIAL - PRÉ-PAGAMENTO

CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA - BRADESCO DENTAL COLETIVO EMPRESARIAL - PRÉ-PAGAMENTO CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA - BRADESCO DENTAL COLETIVO EMPRESARIAL - PRÉ-PAGAMENTO v14-05.2015 1ª via CONTRATANTE, 2ª via SUCURSAL e 3ª via OPERADORA. 1 CONTRATO DE

Leia mais

Resposta Área Técnica: Sim. Desde que atendam aos pré-requisitos constantes no Edital.

Resposta Área Técnica: Sim. Desde que atendam aos pré-requisitos constantes no Edital. Advocacia-Geral da União Secretaria-Geral de Administração Superintendência de Administração no Distrito Federal Coordenação de Compras Licitações e Contratos Divisão de Compras e Licitações ESCLARECIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA

REGULAMENTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA REGULAMENTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA Este Regulamento, elaborado em consonância com o padrão estabelecido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS configura-se em instrumento contratual de abrangência

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 396, DE 25 DE JANEIRO DE 2016

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 396, DE 25 DE JANEIRO DE 2016 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 396, DE 25 DE JANEIRO DE 2016 Altera a Resolução Normativa RN nº 124, de 30 de março de 2006, que dispõe sobre a aplicação de penalidades para as infrações à legislação dos

Leia mais

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Manual do Beneficiário Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Entenda como foi viabilizado o seu plano de saúde COLETIVO POR ADESÃO BENEFICIÁRIO O Beneficiário de plano privado de assistência

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA Modelo de contrato Protegido pela Lei nº 9.610, de 19/02/1998 - Lei de Direitos Autorais IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATANTE:(Nome

Leia mais

SERVIÇOS MÉDICOS E COMPLEMENTARES: NORMAS E ROTINAS (SOMENTE ACESSÍVEIS AOS CAMPI DO INTERIOR)

SERVIÇOS MÉDICOS E COMPLEMENTARES: NORMAS E ROTINAS (SOMENTE ACESSÍVEIS AOS CAMPI DO INTERIOR) SERVIÇOS MÉDICOS E COMPLEMENTARES: NORMAS E ROTINAS (SOMENTE ACESSÍVEIS AOS CAMPI DO INTERIOR) Preliminarmente, cabe lembrar que a concessão dos Serviços Médicos e Complementares pela Universidade de São

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PLANO INDIVIDUAL E FAMILIAR ANS: 41511-1. contrap pf quinta-feira, 19 de julho de 2012 16:54:23

CONDIÇÕES GERAIS PLANO INDIVIDUAL E FAMILIAR ANS: 41511-1. contrap pf quinta-feira, 19 de julho de 2012 16:54:23 CONDIÇÕES GERAIS PLANO INDIVIDUAL E FAMILIAR 1 9 7 ANS: 4111-1 1 quinta-feira, 19 de julho de 212 16:4:23 ÍNDICE CLÁUSULA I BJETO... 3 CLÁUSULA II DEFINIÇÕES... 3 CLÁUSULA III ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA DE

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 262, DE 1 DE AGOSTO DE 2011.

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 262, DE 1 DE AGOSTO DE 2011. RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 262, DE 1 DE AGOSTO DE 2011. Atualiza o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde previstos na RN nº 211, de 11 de janeiro de 2010. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de

Leia mais

www.santahelenasuade.com.brmecanismos de

www.santahelenasuade.com.brmecanismos de 1 www.santahelenasuade.com.brmecanismos de Regulação 2 A CONTRATADA colocará à disposição dos beneficiários do Plano Privado de Assistência à Saúde, a que alude o Contrato, para a cobertura assistencial

Leia mais

Planos e seguros privados de assistência à saúde - Lei 9656 de 03/6/1998

Planos e seguros privados de assistência à saúde - Lei 9656 de 03/6/1998 Planos e seguros privados de assistência à saúde - Lei 9656 de 03/6/1998 Ementa: Dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde Relacionamento(s): Art. 10-A (insere) alterado por: Lei

Leia mais

Edição nº 35/2016 Brasília - DF, quinta-feira, 3 de março de 2016. Diretoria Geral INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 38, DE 1_DE_MARÇO_DE 2016

Edição nº 35/2016 Brasília - DF, quinta-feira, 3 de março de 2016. Diretoria Geral INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 38, DE 1_DE_MARÇO_DE 2016 Diretoria Geral INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 38, DE 1_DE_MARÇO_DE 2016 Dispõe sobre a concessão de bolsa de estudo para curso de pós-graduação no âmbito do Conselho Nacional de Justiça. O DIRETOR-GERAL DO CONSELHO

Leia mais

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão

Manual do Beneficiário. Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Manual do Beneficiário Plano de Assistência à Saúde, Coletivo por Adesão Entenda como foi viabilizado o seu plano de saúde COLETIVO POR ADESÃO BENEFICIÁRIO O Beneficiário de plano privado de assistência

Leia mais

PLANO DE SAÚDE. Tenha em mãos informações importantes. Guarde junto com o cartão do seu plano de saúde para consultar quando precisar

PLANO DE SAÚDE. Tenha em mãos informações importantes. Guarde junto com o cartão do seu plano de saúde para consultar quando precisar PLANO DE SAÚDE Tenha em mãos informações importantes Guarde junto com o cartão do seu plano de saúde para consultar quando precisar A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é a agência reguladora

Leia mais

REAJUSTE DE MENSALIDADE INFORMAÇÕES INDISPENSÁVEIS AO CONSUMIDOR

REAJUSTE DE MENSALIDADE INFORMAÇÕES INDISPENSÁVEIS AO CONSUMIDOR REAJUSTE DE MENSALIDADE INFORMAÇÕES INDISPENSÁVEIS AO CONSUMIDOR Reajuste de mensalidade é a variação do valor pago ao plano de saúde. A variação pode acontecer por três motivos: necessidade de atualização

Leia mais

ANEXO: ANEXO II DADOS DO PRODUTO

ANEXO: ANEXO II DADOS DO PRODUTO ANEXO: ANEXO II DADOS DO PRODUTO A comercialização dos produtos estabelecidos no inciso I do art. 1º da lei nº 9.656/98 deverá seguir os procedimentos definidos em Instrução Normativa específica, com as

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O N º 1 9 1 / 2 0 0 7

R E S O L U Ç Ã O N º 1 9 1 / 2 0 0 7 R E S O L U Ç Ã O N º 1 9 1 / 2 0 0 7 O Conselho Deliberativo do AGROS Instituto UFV de Seguridade Social, no uso de suas atribuições legais, resolve: 1. Aprovar o Regulamento do Plano de Assistência à

Leia mais

TERMO DE ADESÃO PARA INCLUSÃO DE BENEFICIÁRIOS

TERMO DE ADESÃO PARA INCLUSÃO DE BENEFICIÁRIOS TERMO DE ADESÃO PARA INCLUSÃO DE BENEFICIÁRIOS DADOS DA OPERADORA CONTRATADA Nome: UNIMED FEDERAÇÃO DO PARANÁ FEDERAÇÃO ESTADUAL DAS COOPERATIVAS MÉDICAS DO ESTADO DO PARANÁ Endereço: RUA ANTÔNIO CAMILO

Leia mais

PARECER TÉCNICO Nº 16/GEAS/GGRAS/DIPRO/2016 COBERTURA: IMPLANTE COCLEAR

PARECER TÉCNICO Nº 16/GEAS/GGRAS/DIPRO/2016 COBERTURA: IMPLANTE COCLEAR PARECER TÉCNICO Nº 16/GEAS/GGRAS/DIPRO/2016 COBERTURA: IMPLANTE COCLEAR Nos termos do art. 4º, inciso III, da Lei nº 9.961, de 2000, compete à Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS elaborar o Rol de

Leia mais

4. DOS DEVERES 1. DA EMPRESA

4. DOS DEVERES 1. DA EMPRESA 1. APRESENTAÇÃO O Manual Nacional de Acidente do Trabalho tem por finalidade estabelecer normas, regras e diretrizes que norteiem o INTERCÂMBIO de Acidente do Trabalho entre todas as UNIMEDs do país, consolidando

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MÉDICO-HOSPITALAR E AFIM DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CAPÍTULO I DO OBJETIVO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MÉDICO-HOSPITALAR E AFIM DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CAPÍTULO I DO OBJETIVO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MÉDICO-HOSPITALAR E AFIM DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo disciplinar

Leia mais

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS Este aditivo é parte integrante do Seguro Saúde contratado pelo Estipulante abaixo indicado, bem como de suas Condições Gerais. Número

Leia mais

Apresentação. Prezado beneficiário,

Apresentação. Prezado beneficiário, LANOIII Apresentação Prezado beneficiário, Visando dar continuidade à prestação dos melhores serviços em saúde e promover uma melhor qualidade de vida ao beneficiário, a CompesaPrev apresenta o CompesaSaúde

Leia mais

SULAMÉRICA TRT 2ª REGIÃO / SP

SULAMÉRICA TRT 2ª REGIÃO / SP SULAMÉRICA TRT 2ª REGIÃO / SP 1. OBJETO: 1.1. A presente proposta tem por objeto disponibilizar seguros saúde da Sul América Seguros Saúde S.A., operadora registrada na Agência Nacional de Saúde Suplementar

Leia mais

REGULAMENTO V X 2 R1 1

REGULAMENTO V X 2 R1 1 R12XV REGULAMENTO 1 1 - ATRIBUTOS DO CONTRATO 1.1 - O presente Regulamento tem por objetivo assegurar a prestação continuada de serviços ou cobertura de custos assistenciais, na forma de plano privado

Leia mais

5.1 COMO PROCEDER PARA FAZER UMA TRANSFERÊNCIA DE UM BENEFICIÁRIO PARA OUTRO CONTRATO (MUDANÇA DE PLANO)... 24 5.2 COMO PROCEDER PARA FAZER UMA

5.1 COMO PROCEDER PARA FAZER UMA TRANSFERÊNCIA DE UM BENEFICIÁRIO PARA OUTRO CONTRATO (MUDANÇA DE PLANO)... 24 5.2 COMO PROCEDER PARA FAZER UMA Sumário 1 ORIENTAÇÕES... 9 1.1 DOCUMENTAÇÃO... 9 1.2 ASSINATURA DOS DOCUMENTOS... 9 1.2.1 PESSOA JURÍDICA... 9 1.2.2 BENEFICIÁRIO... 9 1.3 ENDEREÇO... 10 1.4 RASURAS... 10 1.5 CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO...

Leia mais

PAUTA. 85ª Reunião da Câmara de Saúde Suplementar CAMSS

PAUTA. 85ª Reunião da Câmara de Saúde Suplementar CAMSS PAUTA 85ª Reunião da Câmara de Saúde Suplementar CAMSS Data: 10/12/2015 Horário: Das 13h às 17h Local: Centro de Convenções Bolsa do Rio Endereço: Praça XV de Novembro, nº 20 Salão Nobre, Térreo Centro

Leia mais

SABESPREV SAÚDE REEMBOLSO DE DESPESAS MÉDICAS

SABESPREV SAÚDE REEMBOLSO DE DESPESAS MÉDICAS Além de disponibilizar uma ampla rede de recursos credenciados, a Sabesprev ainda possibilita aos seus beneficiários o reembolso de despesas com serviços de saúde em regime de livre escolha, quando o beneficiário

Leia mais

REGULAMENTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA E ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA

REGULAMENTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA E ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA R11XV REGULAMENTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA E ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA Este Regulamento elaborado em consonância com o padrão estabelecido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS configura-se em instrumento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS TERMO DE CREDENCIAMENTO N 02/09 Processo Administrativo n 09/10/14.340 Interessado: Secretaria Municipal de Recursos Humanos Objeto: Assistência à Saúde, através de Plano de Contratação Coletiva por Adesão,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS CENTRO REGIONAL DE CULTURA, inscrito no CNPJ/MF sob o nº 17.860.164/0001-91, com sede na Av. Presidente Tancredo de Almeida Neves nº 45, bairro Avenida, CEP

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 054/2009

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 054/2009 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 054/2009 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N.º 07/2015 PLANTÃO MÉDICO DE ESPECIALIDADES

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N.º 07/2015 PLANTÃO MÉDICO DE ESPECIALIDADES EDITAL DE CREDENCIAMENTO N.º 07/2015 PLANTÃO MÉDICO DE ESPECIALIDADES O Município de Não-Me-Toque comunica aos interessados que está procedendo ao CHAMAMENTO PÚBLICO no horário das 8:15 às 11:33h e das

Leia mais

PARECER TÉCNICO Nº 21/GEAS/GGRAS/DIPRO/2016 COBERTURA: LENTE INTRAOCULAR - CATARATA

PARECER TÉCNICO Nº 21/GEAS/GGRAS/DIPRO/2016 COBERTURA: LENTE INTRAOCULAR - CATARATA PARECER TÉCNICO Nº 21/GEAS/GGRAS/DIPRO/2016 COBERTURA: LENTE INTRAOCULAR - CATARATA Nos termos do art. 4º, inciso III, da Lei nº 9.961, de 2000, compete à Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS elaborar

Leia mais

O QUE É O POD III? QUEM PODE SER INSCRITO NO POD III?

O QUE É O POD III? QUEM PODE SER INSCRITO NO POD III? APRESENTAÇÃO Esta CARTILHA é destinada aos beneficiários responsáveis (titulares de grupos familiares) do Plano de Assistência Odontológica III (POD III), da Caixa de Assistência dos Empregados do Banco

Leia mais

CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SEGMENTAÇÃO: AMBULATORIAL + HOSPITALAR COM OBSTETRICIA CONTRATAÇÃO: COLETIVA EMPRESARIAL (PME)

CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SEGMENTAÇÃO: AMBULATORIAL + HOSPITALAR COM OBSTETRICIA CONTRATAÇÃO: COLETIVA EMPRESARIAL (PME) CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SEGMENTAÇÃO: AMBULATORIAL + HOSPITALAR COM OBSTETRICIA CONTRATAÇÃO: COLETIVA EMPRESARIAL (PME) NÚMERO DO REGISTRO DA OPERADORA NA AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE

Leia mais

Seguro-Saúde. Guia para Consulta Rápida

Seguro-Saúde. Guia para Consulta Rápida Seguro-Saúde. Guia para Consulta Rápida O que é seguro? 6 O que é Seguro-Saúde? 6 Como são os contratos de Seguro-Saúde? 7 Como ficaram as apólices antigas depois da Lei nº 9656/98? 8 Qual a diferença

Leia mais

CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SEGMENTAÇÃO: AMBULATORIAL + HOSPITALAR COM OBSTETRICIA CONTRATAÇÃO: COLETIVA EMPRESARIAL (PME)

CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SEGMENTAÇÃO: AMBULATORIAL + HOSPITALAR COM OBSTETRICIA CONTRATAÇÃO: COLETIVA EMPRESARIAL (PME) CONTRATO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SEGMENTAÇÃO: AMBULATORIAL + HOSPITALAR COM OBSTETRICIA CONTRATAÇÃO: COLETIVA EMPRESARIAL (PME) NÚMERO DO REGISTRO DA OPERADORA NA AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE

Leia mais

ANEXO V MINUTA - TERMO DE ACORDO TERMO DE ACORDO Nº /2013

ANEXO V MINUTA - TERMO DE ACORDO TERMO DE ACORDO Nº /2013 ANEXO V MINUTA - TERMO DE ACORDO TERMO DE ACORDO Nº /2013 TERMO DE ACORDO QUE ENTRE SI O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, E A ADMINISTRADORA BENEFÍCIOS PARA

Leia mais

CAPÍTULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO

CAPÍTULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 392, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2015 Dispõe sobre aceitação, registro, vinculação, custódia, movimentação e diversificação dos ativos garantidores das operadoras no âmbito do sistema

Leia mais

ANEXO V PAPEL TIMBRADO DA LICITANTE. Declaração de concordância com as especificações da RN da ANS Nº 279.

ANEXO V PAPEL TIMBRADO DA LICITANTE. Declaração de concordância com as especificações da RN da ANS Nº 279. ANEXO V PAPEL TIMBRADO DA LICITANTE Declaração de concordância com as especificações da RN da ANS Nº 279. A Operadora... concorda em cumprir o estipulado abaixo: 1. Da inclusão dos membros do Conselho

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação do Plano de Saúde

Manual de Orientação para Contratação do Plano de Saúde Manual de Orientação para Contratação do Plano de Saúde Maio/2016 www.cabesp.com.br CNPJ 62.231.527/0001-84 Plano Cabesp Família: 442.499/03-9 ANS - nº 35233-1 3 ÍNDICE ITEM PÁGINA PLANO DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS MÉDICO- HOSPITALARES DO PLANO ASSOCIADO REGISTRO NA ANS: 455.903/07-7 NATUREZA, DENOMINAÇÃO E OBJETIVOS

REGULAMENTO GERAL DE BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS MÉDICO- HOSPITALARES DO PLANO ASSOCIADO REGISTRO NA ANS: 455.903/07-7 NATUREZA, DENOMINAÇÃO E OBJETIVOS REGULAMENTO GERAL DE BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS MÉDICO- HOSPITALARES DO PLANO ASSOCIADO REGISTRO NA ANS: 455.903/07-7 NATUREZA, DENOMINAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º A CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS EMPREGADOS DO BANESE

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES. Laboratório de Desenvolvimento, Sustentabilidade e. Clique para editar o cargo do autor

CONTRIBUIÇÕES. Laboratório de Desenvolvimento, Sustentabilidade e. Clique para editar o cargo do autor CONTRIBUIÇÕES Laboratório de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Clique para editar Inovação o nome do Setorial autor Clique para editar o cargo do autor Clique Rio de para Janeiro, editar 13/06/2016 local

Leia mais