AHE FOZ DO RIO CLARO. Processo nº / º RELATÓRIO SEMESTRAL GERÊNCIA E GESTÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AHE FOZ DO RIO CLARO. Processo nº 5601.14040/2002-2 3º RELATÓRIO SEMESTRAL GERÊNCIA E GESTÃO"

Transcrição

1 AHE FOZ DO RIO CLARO Prcess nº / º RELATÓRIO SEMESTRAL GERÊNCIA E GESTÃO JANEIRO DE 2009

2 Sumári Sumári... 2 RELATÓRIO DE GERÊNCIA E GESTÃO APRESENTAÇÃO ATENDIMENTO DOS PLANOS BÁSICOS AMBIENTAIS Mei Físic... 5 MF001 Prgrama de Mnitrament d Nível Piezmétric... 5 MF002 Prgrama de Mnitrament de Uss d Sl, Cntrle de Prcesss Ersivs e Estabilizaçã das Encstas... 6 MF003 Prgrama de Mnitrament Sismlógic... 7 MF004 Prgrama de Mnitrament ds Parâmetrs Meterlógics Reginais8 MF005 Prgrama de Levantament e Indenizações de Prcesss Mineráris... 9 MF006 Prgrama de Estuds Gelógics e Getécnics Cmplementares Mei Biótic MB001 Prgrama de Desmate e Limpeza d Reservatóri MB002 Prgrama de Levantament e Resgate da Flra Atingida MB003 Prgrama de Recmpsiçã da App n Entrn d Reservatóri Visand Recmpr Cntínus cm Áreas Priritárias para Cnservaçã MB004 Prgrama de Mnitrament, Inventariament e Resgate da Fauna Silvestre e Estuds de Capacidade Suprte de Áreas de Interesse para Cnservaçã da Fauna...16 MB005 Prgrama de Mnitrament, Inventariament e Resgate da Ictifauna17 MB006 Prgrama de Mnitrament Limnlógic e da Qualidade da Água.. 18 MB007 Prgrama de Aplicaçã da Lei Snuc Sistema Nacinal de Unidades de Cnservaçã MB008 Prgrama de Mnitrament d Mexilhã Durad na Bacia d Ri Clar Mei Sciecnômic MSE001 Prgrama de Cmunicaçã Scial MSE002 Prgrama de Educaçã Ambiental ns Municípis MSE003 Prgrama de Educaçã Ambiental n Canteir de Obras

3 MSE004 Prgrama de Arquelgia Preventiva MSE004A Subprgrama de Valrizaçã d Patrimôni Cultural MSE005 Prgrama de Relcaçã de Infra-Estruturas e Benfeitrias MSE006 Prgrama de Capacitaçã e Api as Municípis MSE006A Subprgrama de Plan de Desenvlviment Lcal Integrad E Sustentável...27 MSE006B Subprgrama de Api à Criaçã d Cmitê de Bacia Hidrgráfica28 MSE006C Subprgrama de Api a Cmbate à Prstituiçã Infantil MSE007 Prgrama de Saúde Pública MSE007A Subprgrama de Saúde d Trabalhadr MSE007B Subprgrama de Mnitrament de Denças de Veiculaçã Hidrica30 MSE007C Subprgrama de Prevençã de Acidentes cm Animais Peçnhents...30 MSE008 Mnitrament das Interferências Urbanas e na Cmunidade MSE009 Prgrama de Negciaçã MSE010 Plan Diretr d Reservatóri MSE11 Gestã e Gerência Ambiental Canteir PCA Plan de Cntrle Ambiental n Canteir de Obras PRAD Plan de Recmpsiçã de Áreas Degradadas RESPOSTAS ÀS CONDICIONANTES LI-GUS 138/ EXIGÊNCIAS TÉCNICAS COMPLEMENTARES ANEXO I LICENÇA DE DESMATAMENTO DO RESERVATÓRIO SOB O Nº 032/ ANEXO II Licença de Desmatament d Canteir sb nº 1137/ ANEXO III Blets de Pagament da Lei SNUC

4 RELATÓRIO DE GERÊNCIA E GESTÃO 1. APRESENTAÇÃO A Mais Verde é a empresa cntratada para realizar a crdenaçã e fiscalizaçã da implantaçã ds Prgramas Básics Ambientais d Aprveitament Fz d Ri Clar. O presente relatóri apresenta resum d andament de tds s Prgramas Básics Ambientais e cndicinantes da Licença de Instalaçã 138/2008. Fts 1 e 2. Fts cedidas pela Cnstrutra Triunf, cm vista geral da bra AHE Fz d Ri Clar, n mês de janeir de

5 2. ATENDIMENTO DOS PLANOS BÁSICOS AMBIENTAIS O Plan Básic Ambiental visa minimizar e/u mitigar s impacts gerads pel Aprveitament Hidrelétric. O Plan Básic é cmpst pr 26 prgramas, subdividid em quatr grups: Mei Biótic; Mei Físic; Mei Sóci Ecnômic e PBAs relativs a Canteir de Obras. Fram assim dividids de maneira a facilitar trâmite entre s departaments d órgã fiscalizadr e s respectivs relatóris serã apresentads em vlumes seguind a mesma divisã, send que, para Mei Sciecnômic, serã dis vlumes, cm a descriçã ds PBAs neles cntids, na capa de apresentaçã. 2.1 Mei Físic MF001 Prgrama de Mnitrament d Nível Piezmétric Empresa Cntratada: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets Atividades executadas: Especificaçã técnica ds Piezômetrs; Indicaçã ds pnts de implantaçã, justificativa baseada n mapeament gelógic e de águas subterrâneas; Cadastrament de edificações, estruturas enterradas, fssas negras, secas u sépticas, estradas e vias de acess; Instalaçã ds piezômetrs pela empresa Seluge. Atividades a executar: Identificaçã, cadastr e mapeament ds pçs já existentes; Mnitrament d lençl freátic; Cnslidaçã d banc de dads; Recmendações de medidas de cntrle, mitigaçã e cmpensaçã. 5

6 Status d Prgrama: prgrama encntra-se dentr d crngrama previst, cnsiderand que haverá apenas uma leitura de parametrizaçã antes d enchiment d reservatóri. Dificuldades encntradas na implantaçã: Alguns pnts esclhids inicialmente apresentaram dificuldade de acess. Huve também falta de dispnibilidade de prprietáris para facilitar a entrada d equipament para perfuraçã. Após instalads s piezômetrs das prpriedades d Espóli de Zalda e Rbert Leni, nã tiveram seus dads cletads pr impediment pr parte ds prprietáris da entrada d geólg da empresa executra. Relatóri: O Relatóri Semestral encntra-se em anex sb a seguinte identificaçã: Relatóri Semestral Prgrama de Mnitrament d Nível Piezmétric UHE fz d Ri Clar Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets MF002 Prgrama de Mnitrament de Uss d Sl, Cntrle de Prcesss Ersivs e Estabilizaçã das Encstas Empresa Cntratada: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets Mnitrament das cndições d sl (antes e durante enchiment d reservatóri); Registr visual sistemátic das crrências existentes e nvas; Inspeções dcumentadas (ftgrafia, base tpgráfica e ficha técnica); Atividades Previstas Prjets de cntençã e cntrle Acmpanhament da implantaçã ds prjets elabrand relatóris de atividades. 6

7 Tais atividades fram inicialmente indicadas n PBA, n cas de crrência de prcesss ersivs. Os prcesss detectads fram indicads smente para mnitrament cnstante, cnfrme expst n relatóri. Status d Prgrama: O prgrama encntra-se dentr d crngrama previst, send que fi refrmatad apenas para dar cntinuidade n mnitrament. Dificuldades identificadas n cas de futuras implantações de cntenções: Passagem pr acesss dentr das prpriedades vizinhas à futura APP d reservatóri pr falta de permissã de alguns prprietáris. Outra dificuldade é que, em váris lcais cm prcesss ersivs identificads ainda há acess d gad e utilizaçã para dessedentaçã animal, devid a acrds cm prprietáris para us da área até seis meses antes d enchiment d reservatóri. Relatóris: O Relatóri Semestral encntra-se em anex sb a seguinte identificaçã: Prgrama de Mnitrament de Us d Sl e Cntrle de Prcesss Ersivs e Estabilizaçã das Encstas - UHE Fz d Ri Clar Relatóri Semestral Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets MF003 Prgrama de Mnitrament Sismlógic Empresa Cntratada: WW Cnsultria. Elabraçã da prpsta de implantaçã da rede; Atividades em Execuçã: Mnitrament mensal. Este PBA está send executad em cnjunt cm s demais empreendiments, a nível reginal, cnfrme rientaçã d EIBH d Sudeste de Giás. Status d Prgrama: O prgrama teve um atras n seu iníci devid à greve da Receita Federal que impediu a chegada ds equipaments, iniciand efetivamente em julh de Prém, a fase mais imprtante d mnitrament é 7

8 imediatamente após a frmaçã d reservatóri. Os únics abals registrads na regiã estã relacinadas às detnações e mvimentaçã de máquinas nas bras. Cm este prgrama é de abrangência reginal, fram instaladas 03 (três) estações n primeir semestre, uma n AHE Fz d Ri Clar, utra n AHE Salt e n AHE Caçu. Relatóris: O Relatóri Semestral encntra-se em anex sb a seguinte identificaçã: Relatóri Resum da Execuçã d Prgrama de Mnitrament Sismlógic Bacias d Ri Verde e Ri Clar AHE Fz d Ri Clar - Janeir de WW Cnsultria e Tecnlgia. MF004 Prgrama de Mnitrament ds Parâmetrs Meterlógics Reginais Empresa Cntratada: CCP Ciência e Tecnlgia Ltda. Implantaçã das Platafrmas de Cleta de Dads Atividades em Execuçã: Operaçã d Prgrama de mnitrament, cm cletas mensais. Status d Prgrama: O prgrama teve um atras n seu iníci devid à greve da Receita Federal que impediu a chegada ds equipaments, iniciand efetivamente em julh de 2008, pis as PCDs estã vinculadas a um satélite american. Prém, a fase mais imprtante d mnitrament é após a frmaçã d reservatóri. Este Prgrama está send executad em cnvêni cm a SIMEGO para mnitrament d cnjunt ds empreendiments da regiã, cnfrme EIBH d Sudeste de Giás. Após a instalaçã das Platafrmas de Cleta de Dads (PCDs), n final d primeir semestre, iniciaram- se as cletas de dads, que sã dispnibilizadas em temp real via internet pel site d SIMEHGO, cnfrme slicitaçã ds prprietáris rurais. Site de acess: Link: Rede Observaçã Link: Usina Hidrelétrica Fz d Ri Clar- Sã Simã 8

9 Usina Hidrelétrica Salt d Ri Verdinh _Itaguaçu Usina Hidrelétrica de Caçu Caçu Pendências: Huve falha n sistema de transmissã de dads das PCDs de Fz d Ri Clar e Salt d Ri Verdinh, de md que, alguns dias de cleta nã fram enviads via satélite e encntra-se n banc de dads das próprias PCDs e necessita de retirada via dispsitiv em HD. Já fi slicitada da executra a crreçã d nme d lcal da PCD Salt d Ri Verdinh n site que é Itarumã. Relatóris: O Relatóri Semestral encntra-se em anex sb a seguinte identificaçã: Usina Hidrelétrica Fz d Ri Clar Prgrama de Mnitrament Climatlógic Relatóri de Avaliaçã Climática Julh a Dezembr de 2008 CCP Ciência e Tecnlgia MF005 Prgrama de Levantament e Indenizações de Prcesss Mineráris Empresa Cntratada: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets Levantament ds prcesss mineráris ativs n DNPM e regularizaçã relativa às licenças ambientais; Verificaçã in lc; Slicitaçã d pedid de blquei junt a DNPM. Obtençã d blquei Prtcl d prcess de blquei junt à SEMARH. Análise e tratament ds dads; Avaliaçã ecnômica ds títuls; Atividades a Executar: Mnitrament, junt a DNPM, de verificaçã de nvs pedids de Pesquisa. Obtençã ds terms de renúncia. 9

10 Status d Prgrama: O prgrama encntra-se dentr d crngrama previst, send que pedid de blquei fi btid antes da emissã da LI. A Prcuradria Jurídica d DNPM elabru parecer sbre cnflit entre atividades de explraçã de recurss minerais e de geraçã e transmissã de energia elétrica (Parecer/PROGE nº 500/2008-FMM-LBTL-MP-SDM-JA), aprvad cm frça nrmativa pel Diretr-Geral d DNPM. A empresa Cnsiliu, executra d prgrama está realizand as adequações necessárias de acrd cm a nrmativa. A Fz d Ri Clar Energia SA, realizu nv estud nde fi cmprvada a viabilidade da permanência da explraçã de areia d únic detentr de direit minerári, na margem esquerda d reservatóri. A SEMARH fi cnsultada e fi indicad um nv estud ambiental para Relcaçã das estruturas de explraçã de areia d prprietári, imediatamente após a faixa de 30 metrs, dentr da APP d reservatóri. Tal prcediment reduz impact scial, dand cntinuidade à atividade d explradr de areia e prevend as devidas mitigações ambientais. Relatóris: O Relatóri Semestral encntra-se em anex sb a seguinte identificaçã: Relatóri Semestral Prgrama de Levantament e Indenizaçã de Prcesss Mineráris UHE Fz d Ri Clar - Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets MF006 Prgrama de Estuds Gelógics e Getécnics Cmplementares Empresa Cntratada: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets Cnsulta bibligráfica, aquisiçã e interpretaçã de imagem de satélite, delimitaçã das frmações rchsas, identificaçã preliminar das unidades estratigráficas, seleçã de áreas alvs; Recnheciment gelógic-superficial, execuçã e interpretaçã de investigações gelógicas de superfície, cadastrament e levantament das características, cleta de amstras e ensais getécnics. Atividades a Executar: Análise ds dads, interpretaçã ds resultads, indicaçã de áreas de risc, prpsiçã de recmendações as prgramas crrelacinads. 10

11 Status d Estud: estud encntra-se dentr d crngrama devend finalizar antes d pedid da Licença de Funcinament cm relatóri cnclusiv. Esse estud fi slicitad n âmbit d EIBH d Sudeste de Giás. Relatóris: O Relatóri Semestral encntra-se em anex sb a seguinte identificaçã: Relatóri Semestral Prgrama de Estuds Gelógics e Getécnics Cmplementares UHE Fz d Ri Clar - Janeir/2009. Empresa respnsável: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets. 2.2 Mei Biótic MB001 Prgrama de Desmate e Limpeza d Reservatóri A- Inventári flrestal Empresa Cntratada: Arbórea O Inventári Flrestal fi cncluíd e já entregue a órgã ambiental. Fi feita a slicitaçã da Licença de Desmatament da área d reservatóri deferida sb nº 032/2008, (Anex 1)para tda a margem direita e 933/2008 para a tda a margem esquerda. B- Desmatament da área d canteir B.1 Desmatament Empresa Cntratada: Cnstrutra Triunf Execuçã d desmatament, crte e estcagem da madeira e retirada de sl rgânic para execuçã d PRAD. Fi slicitada e deferida a renvaçã da Licença de Desmatament d Canteir sb nº 1137/2008 (Anex 2). Durante períd, nã fram necessárias ações de desmatament na área d canteir de bras. Atividades a Executar: 11

12 Cadastrar empreendedr junt a IBAMA, n CTF cm cnsumidr de lenha para venda e retirada da mesma, cnsiderand as perações pel Sistema DOF. C- Desmatament da área d Reservatóri Pedid da Licença de Explraçã Flrestal Os trabalhs de desmatament fram iniciads em nvembr de 2008, pririzand a cta 340,0m, prevista cm máxim para a sbreelevaçã. Atividades a Executar: Cadastrar empreendedr junt a IBAMA, n CTF cm cnsumidr de lenha para venda e retirada da mesma, cnsiderand as perações pel Sistema DOF. Cadastrar s prprietáris interessads n recebiment da madeira. A empresa respnsável pela atividade é a Arbrea. Execuçã d desmatament Elabraçã d relatóri final d Desmatament. C.1- Acmpanhament d desmatament Resgate de Fauna Empresa Cntratada: Cnsiliu Prjets e Mei Ambiente Atividades em Execuçã: Resgate da fauna existente n lcal d desmatament que prventura, tenham mviments antagônics a prcess de desmatament que está send realizad da cta inferir para a superir. Está send feit acmpanhament d desmatament pelas empresas Arbrea, na parte de gerenciament da execuçã, Cnsiliu n acmpanhament de fauna e flra. Os relatóris específics cnstam ds PBAs de Fauna, Flra e sbre desmatament encntram-se anex a Mei Biótic. Os trabalhs de resgate fram iniciads em nvembr, juntamente cm s trabalhs de desmatament. Os animais cletads sã encaminhads cnfrme laud emitid pel veterinári presente n lcal e de acrd cm a licença de fauna. A destinaçã ds espécimes pderá ser sltura e, em menr númer, para cleçã científica. De tds s animais cletads sã retirads s dads bimétrics. 12

13 Relatóri: O Relatóri de acmpanhament d desmatament está inserid n Relatóri referente a Prgrama de Mnitrament, Acmpanhament e Resgate da Fauna Silvestre. C.2- Acmpanhament d Desmatament Resgate de Epífitas Empresa Cntratada: Cnsiliu Prjet e Mei Ambiente Atividades em Execuçã: Mnitrament durante desmatament para cleta de epífitas e sementes C.3- Acmpanhament d desmatament Gerenciament e Cubagem Empresa Cntratada: Arbórea Mei Ambiente e Flrestas Atividades em Execuçã: Identificaçã ds pátis de estcagem Cubagem d material Pagament das taxas referente as sels. Lançament ds sels n Sistema DOF. D- Limpeza da Área d Reservatóri Empresas Cntratadas: Cnsiliu Prjets e Mei Ambiente - Levantament das estruturas Marluz Prestadra de Serviçs ME Serviçs de Demliçã e Desinfecçã Levantament das estruturas atingidas, bem cm das estruturas passíveis de desinfecçã cm fssas, currais, pcilgas entre utras. Cntrataçã da empresa para execuçã da desinfecçã. Atividades a Executar: Realizar a desinfecçã e demliçã das estruturas. Relatóris: 13

14 O levantament das estruturas afetadas a serem demlidas e/u desinfetadas, estã listadas n relatóri de Relcaçã de Infra-estruturas e Benfeitrias. MB002 Prgrama de Levantament e Resgate da Flra Atingida Empresa Cntratada: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets Seleçã das áreas de estud em fragments; Mntagem de excicatas; Cleta de sementes; Avaliaçã d lcal de viveir e especificaçã d mesm; Marcaçã de matrizes arbóreas, cleta e envi d material para armazenament, beneficiament e testes de germinaçã na Universidade Federal de Giás Campus Jataí em parceria cm a Assciaçã SOS Cerrad. Atividades a Executar: Cntinuidade na cleta de sementes; Cntinuidade na preparaçã de excicatas; Envi das sementes a viveir. Relatóris: O Relatóri Semestral encntra-se em anex, sb a seguinte identificaçã: Prgrama de Levantament e Resgate da Flra Atingida - UHE Fz d Ri Clar Relatóri Semestral Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets 14

15 MB003 Prgrama de Recmpsiçã da App n Entrn d Reservatóri Visand Recmpr Cntínus cm Áreas Priritárias para Cnservaçã A- Prpsta da APP Flexível Escp d Trabalh: A prpsta para elabraçã da APP Flexível surgiu d Estud Integrad de Bacias Hidrgráficas que prpôs uma gestã integrada para implantaçã ds empreendiments, flexibilizand as áreas de preservaçã permanente, na medida em que cnectavam fragments nas prximidades ds reservatóris e criavam crredres de fauna na regiã. Além d aspect ambiental, a questã scial seria especialmente estudada em funçã de nã desvincular prprietári residente d seu lugar de rigem em funçã da sua saída da faixa de APP, após s primeirs 30 metrs, cas tenha a sede u estruturas prdutivas afetadas pela faixa. O órgã ambiental, em funçã de discussões cm Ministéri Públic acerca da legalidade da prpsta, nã tem acatad tais prpstas, na apresentaçã ds Plans Ambientais de Us d Entrn. Ressalta que tal prpsta vem a encntr a ansei ds prprietáris e vinha send discutid nas audiências em funçã da apresentaçã da recmendaçã e aprvaçã da mesma n Estud Integrad de Bacias Hidrgráficas d Sudeste d Estad de Giás. Diante d expst, deve-se registrar que criu-se uma expectativa na cmunidade lcal e que será necessári uma manifestaçã frmalizada d órgã ambiental,de frma a amparar as cnsultrias n repasse de infrmações as prprietáris. Deve-se ressaltar que existem algumas passagens de estradas e acesss já existentes que ficarã na futura APP. Cnsiderand que s impacts decrrentes da implantaçã ds acesss já estã estabilizads e, cnsiderand que a abertura de nvs acesss, acima da APP gerariam mais impacts, principalmente ns lcais de travessias de córregs, fi requerid a órgã ambiental a permanência ds mesms, desde que estejam situadas 30 metrs acima d NA d reservatóri. B- Recmpsiçã da APP A nva área de Preservaçã Permanente (faixa de 100 metrs) que apresenta pastagem u cultura cm us d sl será utilizada na casiã d desmatament, cm área de páti, pis é a única área que realmente pertence à cncessinária. 15

16 Cnsidera-se aqui que a utilizaçã é temprária, apenas para que se ganhe temp retirand tdas as madeiras da área d reservatóri, sem crrência de atrass para iníci d enchiment, previst para setembr de A utilizaçã da área será para traçament da madeira, u seja, crte em tras e empilhament. A Fz d Ri Clar S.A., fará a daçã da madeira, cas seja de interesse d prprietári. Nesse cas mesm deverá indicar um páti para armazenament. Desta frma planti destas áreas está planejad para final d an de As sementes fram encaminhadas à Universidade Federal de Giás Campus Jataí, que já pssui cnvêni firmad para recebiment e teste de germinaçã. Fram cletadas as sementes e encaminhadas a beneficiament e germinaçã. Fi realizad um estud lcacinal e ações de gestã para implantaçã d viveir. Encntra-se em fase de elabraçã de prjet e a área já está definida. Será cnstruíd em Itaguaçu, em área cedida pela Prefeitura de Sã Simã. A área já fi desafetada pela Prefeitura para atendiment da demanda. Atualmente está send utilizada pel aljament da Cnstrutra Triunf para a cnstruçã de Salt d Ri Verdinh. Atividades em Execuçã: O prjet de implantaçã d viveir está em fase de elabraçã e deverá ser implantad n an de Está em elabraçã prjet de recmpsiçã da APP. Relatóri: Em anex encntra-se relatóri preliminar d Prjet. Prgrama de Recmpsiçã da APP Relatóri semestral Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets MB004 Prgrama de Mnitrament, Inventariament e Resgate da Fauna Silvestre e Estuds de Capacidade Suprte de Áreas de Interesse para Cnservaçã da Fauna 16

17 Empresa Cntratada: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets (Parceria Naturae) Obtençã da Licença de Fauna, junt à SEMARH e as devidas renvações da mesma sb registr: 029/2008; Pré-resgate para inventariament; Salvament durante desmatament; Mnitrament; Estuds de Capacidade Suprte; Levantament de dads e mnitrament de denças de veiculaçã hídrica. Cnstruçã d Centr de Triagem Atividades a Executar: Dar cntinuidade a mnitrament (duas campanhas antes d enchiment) Dar cntinuidade a salvament durante desmatament. Salvament durante enchiment. Relatóri: O Relatóri encntra-se em anex, sb a identificaçã: Prgrama de Mnitrament e Resgate da Fauna silvestre UHE Fz d Ri Clar Relatóri Semestral Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets MB005 Prgrama de Mnitrament, Inventariament e Resgate da Ictifauna Empresa Cntratada: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets (Parceria Naturae) Inventariament; Salvament durante desvi d ri; 17

18 Triagem ds espécimes; Mnitrament Atividades a Executar: Cntinuidade n mnitrament Resgate da ictifauna durante enchiment Apresentaçã d Relatóri Cnclusiv sbre MTP. Relatóris: O Relatóri se encntra em anex, sb a identificaçã: Prgrama de Inventariament, Mnitrament e Resgate da Ictifauna UHE Fz d Ri Clar Relatóri Semestral Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets MB006 Prgrama de Mnitrament Limnlógic e da Qualidade da Água Empresa Cntratada: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets Mnitrament da qualidade da água. Avaliaçã de pssíveis crrências de macrófitas. Atividades a Executar: Dar cntinuidade a mnitrament na fase ri e realizar as campanhas cm peridicidade indicada n PBA para a fase enchiment d reservatóri. Relatóris: O Relatóri encntra-se em anex, sb a identificaçã: Prgrama de Mnitrament Limnlógic e da Qualidade d àgua - UHE Fz d Ri Clar Relatóri Semestral Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets 18

19 MB007 Prgrama de Aplicaçã da Lei Snuc Sistema Nacinal de Unidades de Cnservaçã Indicaçã das áreas cm ptencialidade para aplicaçã d recurs da Lei SNUC na regiã de implantaçã d empreendiment; Frmalizaçã d Term de Acrd cm Departament de Cmpensaçã Ambiental d SEMARH, estabelecend valres e prazs para pagament ds valres para cmpensaçã ambiental relacinada à Lei SNUC. Pagament, cnfrme crngrama estabelecid, das parcelas referentes a Term de Acrd. Atividades a Executar: Finalizar pagament das parcelas; Obter Term de Quitaçã de pagament a ser emitid pel órgã ambiental Infrmar à cmunidade sbre a aplicaçã da verba pr parte d órgã ambiental. Relatóri: Os blets de pagament estã apresentads cm Anex 3. MB008 Prgrama de Mnitrament d Mexilhã Durad na Bacia d Ri Clar Empresa Cntratada: Ecgeraes Ltda Este prgrama cnsta d EIBH e está send implementad a nível reginal. Levantament de dads; Mnitrament a jusante e mntante, cm cleta de água ds pnts de mnitrament para análise de parâmetrs relacinads à existência d mlusc; Indicaçã de medidas preventivas; 19

20 Atividades a Executar: Implementaçã das medidas preventivas; Ações de Educaçã Ambiental (campanha); Capacitaçã de técnics para a identificaçã d mexilhã cm realizaçã de palestras (campanha). A próxima campanha de mnitrament será remanejada para reservatóri de Ilha Slteira e trech d ri Paranaíba cm a finalidade de avaliar a dispersã d mlusc naquele curs hídric, receptr ds ris Clar e Verde. Relatóri: O Relatóri Semestral encntra-se n anex sb a identificaçã: Mnitrament e Cntrle d Mexilhã Durad Relatóri Semestral Janeir de 2009 UHE Fz d Ri Clar Ecgeraes Cnsultria Ambiental 2.3 Mei Sciecnômic MSE001 Prgrama de Cmunicaçã Scial Empresa Cntratada: Cnsiliu Mei Ambiente & Prjets Manutençã de canais aberts de uvidria entre cmunidade e empreendedr através de númers telefônics e de ampla divulgaçã, para mapeament das dúvidas da cmunidade; Divulgaçã de infrmes através de diferentes mídias impressas e áudivisual. Mídia Impressa: Clunas fixas em jrnal, cm artigs u matérias nticisas, de respnsabilidade d serviç intern de cmunicaçã ds empreendiments; Ntícias e/u matérias especiais, em frma de releases para jrnais de circulaçã reginal u estadual; Api na elabraçã de cartilhas e material de suprte para Prgrama de Educaçã Ambiental; 20

21 Elabraçã de Infrmativs cm ntícias sbre andament da bra e ds prgramas ambientais, cm circulaçã ns municípis envlvids. Api na frmataçã da Campanha de Cmbate a Abus e Explraçã Sexual Infantil (preparaçã d material publicitári) Mídias Snras: Ntícias e/u matérias especiais, em frma de releases de interesse públic e/u cntratual, cnfrme demanda, para divulgaçã via rádis de veiculaçã ns municípis afetads; Ntícias e/u matérias especiais, em frma de prgrama em rtinas quinzenais, para divulgaçã via rádis de veiculaçã ns municípis afetads; Cnvcaçã da cmunidade para events através de carrs de sm vlantes. Mídias Áudis-Visuais: Elabraçã de um víde de divulgaçã da implantaçã da Usina; Elabraçã de ntícias, matérias especiais u entrevistas para divulgaçã na televisã, em nticiáris reginais as mldes d executad para a Campanha de Cmbate a Abus e Explraçã Sexual Infantil; Atividades a Executar: Elabraçã d víde cm s resultads ds prgramas ambientais; Elabraçã d víde d resultad da implantaçã das bras. Dar cntinuidade n prgrama de rádi Dar cntinuidade na elabraçã d infrmativ Dar cntinuidade na veiculaçã das matérias n jrnal lcal. Relatóri: O Relatóri encntra-se n anex sb a identificaçã: PBA-Prgrama de Cmunicaçã Scial AHE Fz d Ri Clar Relatóri Semestral - Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets MSE002 Prgrama de Educaçã Ambiental ns Municípis Empresa Cntratada: Walm Engenharia e Tecnlgia Ambiental. 21

22 Definiçã ds lcais de trabalh e datas cm Secretaria de Educaçã; Cncurs para símbl d Prgrama de Educaçã Ambiental; Gincana eclógica; Passeata eclógica cm apresentaçã teatral; Oficina de reciclagem; Wrkshp de apresentaçã ds Prgramas Ambientais ns municípis envlvids; Dia d Agricultr, cm palestras sbre manej e cnservaçã d sl e ficinas de reciclagem (aliments e brinqueds); Mstra de três filmes d FICA; Reuniões ds NEAs Curss de Capacitaçã ds Prfessres ligads à área ambiental. Elabraçã de cartilha ds Prgramas Ambientais Atividades em Execuçã: Elabraçã da cartilha sbre animais peçnhents: Reuniões e atividades ds NEAs Planejament para as visitas guiadas as canteirs; Cartilha sbre desmatament. Atividades a Executar: Visitas guiadas as canteirs de bras; Gincana; Finalizaçã d Curs de Capacitaçã ds prfessres ligads a mei ambiente ns municípis envlvids; Events rurais; Oficinas; Palestras educativas junt à ppulaçã para prgrama de Mnitrament d Mexilhã Durad; 22

23 Relatóri: O Relatóri Semestral das ações desenvlvidas encntra-se em anex sb a identificaçã: AHE Fz d Ri Clar Prgrama de Educaçã ambiental ns Municípis PEA-CISS Caçu e Sã Simã 3º Relatóri de Atividades Semestrais 20 de julh de 2008 a 20 de janeir de Walm Engenharia e Tecnlgia Ambiental MSE003 Prgrama de Educaçã Ambiental n Canteir de Obras Empresa Cntratada: Cnstrutra Triunf Palestras diárias ns DDSQMS (Diálg Diári de Segurança, Qualidade, Mei Ambiente e Saúde); Elabraçã ds vídes (n PBA de Cmunicaçã Scial) para utilizaçã nas visitas guiadas à bra; Realizaçã de events trimestrais: Semana d Mei Ambiente, Qualidade, Segurança e Saúde cm palestras relacinads as temas prpsts n PBA; Atividades a Executar: Cntinuidade ns events trimestrais; Cntinuidade das palestras diárias ns DDSQMS; Api na recepçã ds visitantes (aluns e cmunidade) durante as visitas guiadas rganizadas pel PBA de Educaçã Ambiental ds Municípis. Relatóri: O relatóri de andament das ações de Educaçã Ambiental n Canteir de Obras encntra-se em anex, sb a seguinte identificaçã: Obra 403 UHE Fz d Ri Clar Relatóri de Andament - Ações Ambientais n Canteir de Obras Cnstrutr Triunf. 23

24 MSE004 Prgrama de Arquelgia Preventiva Empresa Cntratada: Universidade Federal de Giás Labratóri de Arquelgia. Já fi finalizad trabalh de levantament e resgate da arquelgia em tda a área d reservatóri e canteir de bras e fi entregue Relatóri Final a IPHAN, bem cm Relatóri das Atividades de Educaçã Patrimnial. Relatóri: O Relatóri Final fi encaminhad juntamente cm 2º Relatóri Semestral de Andament ds PBAs. MSE004A Subprgrama de Valrizaçã d Patrimôni Cultural O sub-prgrama já fi desenvlvid e Relatóri encaminhad a IPHAN. Encntra-se anex a Relatóri supracitad e já entregue à SEMARH. MSE005 Prgrama de Relcaçã de Infra-Estruturas e Benfeitrias Empresa Cntratada para Cadastrament das Estruturas e Elabraçã de Anteprjets: Cnsiliu Mei Ambiente &Prjets Levantament das relcações de estradas, rede elétrica, abasteciment de água e rede de telefnia das prpriedades afetadas; Verificaçã, junt a prprietári, d futur lcal para relcaçã das infra-estruturas; Retirada da Estaçã Fluvimétrica Telemetrizada da CESP Estaçã Rndinha. Atividades em Execuçã: 24

25 Elabraçã ds prjets de relcaçã ds acesss, rede de energia elétrica, abasteciment de água e telefnia. Atividades a Executar: Aprvaçã ds prjets de relcaçã da rede de energia junt à CELG; Aprvaçã das prpstas de relcaçã de estradas e acesss junt as prprietáris afetads (pela nva estrada) e Prefeituras; Cntrataçã da execuçã da estrada Cntrataçã da execuçã da rede elétrica Cntrataçã da execuçã ds pçs de abasteciment de água Acmpanhament das relcações e elabraçã de relatóris, cntempland as medidas de PCA e PRAD para bras específicas. Relatóri: PBA-Prgrama de Relcaçã de Infra-estruturas e Benfeitrias UHE Fz d Ri Clar Relatóri Semestral - Janeir Cnsiliu Mei Ambiente e Prjets MSE006 Prgrama de Capacitaçã e Api as Municípis Empresa Cntratada: Mais Verde Planejament Sciambiental Este prgrama é desenvlvid cnfrme planejament reginal, abrangend s municípis de Caçu, Cacheira Alta, Itarumã e Sã Simã. Implantaçã de sinalizaçã ns acesss às bras; Fi realizad diagnóstic para api à infra-estrutura de serviçs ns municípis envlvids; Elabraçã de prjets e regulamentaçã da Assistência Scial. Fi realizad Curs de Capacitaçã na área de Assistência Scial ns municípis envlvids, desenvlvid em três móduls. 25

26 Fi realizad api às Secretarias de Saúde, Açã Scial, Cnselhs Tutelares, Plícias Civil e Militar: Daçã de cmputadr, equipaments de infrmática e mbiliári para Plícia Militar de Caçu; Daçã de cmputadr, equipaments de infrmática e mbiliári para Plícia Civil de Caçu; Daçã de cmputadr, equipaments de infrmática e mbiliári para Plícia Civil de Cacheira Alta; Daçã da aferiçã d etilômetr para Juizad Especial de Caçu; Daçã da aferiçã d decibilímetr para Juizad Especial de Caçu; Daçã da aferiçã d etilômetr para Juizad Especial para utilizaçã em Itarumã; Daçã da aferiçã d decibilímetr para Juizad Especial para utilizaçã em Itarumã; Para a área de Assistência Scial fi realizada a refrma d prédi Secretaria que será transfrmada em CRAS Centr de Referência de Assistência Scial em Sã Simã. Pintura e refrma d prédi da antiga Creche para funcinament cm CRAS, n municípi de Caçu; Daçã de veícul e equipaments para UTI móvel para Caçu; Daçã de equipaments hspitalares, eletrdméstics e móveis para Hspital de Caçu; Daçã de ambulância para Cacheira Alta; Daçã de veícul para Cnselh Tutelar de Caçu; Daçã de veícul para Cnselh Tutelar de Itarumã; Daçã de veícul para Cnselh Tutelar de Cacheira Alta; Daçã de veícul para Superintendência de Mei Ambiente de Sã Simã; Daçã de materiais para bra da Casa d Albergad para Cnselh de Segurança de Sã Simã; Daçã de equipaments hspitalares para Hspital de Sã Simã; Daçã de equipaments hspitalares e de fisiterapia para Pst de Saúde de Itaguaçu; 26

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

UHE SANTO ANTONIO. MARGEM ESQUERDA Análise crítica: Guilherme Todt S D- RT- 0063-13 00

UHE SANTO ANTONIO. MARGEM ESQUERDA Análise crítica: Guilherme Todt S D- RT- 0063-13 00 UHE SANTO ANTONIO Titul: Dcument N. Rev. RELATÓRIO DE DESMOBILIZAÇÃO DO 3 MODULO DA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE EFLUENTE (ETE)- S D- RT- 0063-13 00 Elabraçã: Tarcis Camil MARGEM ESQUERDA Análise crítica:

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

PROJETO CADASTRO DE FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUA SUBTERRÂNEA

PROJETO CADASTRO DE FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUA SUBTERRÂNEA IINNTTRRODDUUÇÇÃÃO I As decisões sbre a implementaçã de ações de cnvivência cm a seca exigem cnheciment básic sbre a lcalizaçã, caracterizaçã e dispnibilidade das fntes de água superficiais e subterrâneas.

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p.

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p. Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 SESI Serviç Scial da Indústria Dads da rganizaçã Nme: SESI Serviç Scial da Indústria Endereç: Av Paulista, 1313, Sã Paul, SP Site: www.sesi.rg.br Telefne: (11) 3146-7405

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

Anglo American. Biodiversidade Brasil

Anglo American. Biodiversidade Brasil Angl American Bidiversidade Brasil GRUPO ANGLO AMERICAN A Angl American é um ds maires grups de mineraçã e recurss naturais d mund, cmprmetida em perar de frma sustentável e respnsável. Um ds Princípis

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física)

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física) Lista de Dcuments Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de aliments Dcuments para estabeleciments cmerciais (pessa física) 1) Ficha de Inscriçã Cadastral, preenchida na própria VISA; 2) Cópia

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (X) PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmic ; Scial PROJETO DE INTERDISCIPLINARIDADE

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem.

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem. Aluns de Pós-Graduaçã de Instituições Estrangeiras Visa apiar visitas de n máxim 30 dias, de dutrands de instituições estrangeiras, qualificads, e prcedentes de Centrs de Excelência para estudarem, pesquisarem

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais:

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais: PROCEDIMENTOS PARA CERTIFICAÇÃO E/OU RENOVAÇÃO DO CEBAS CNAS CERTIFICAÇÃO/RENOVAÇÃO O Certificad é um ds dcuments exigids para slicitar as seguintes isenções de cntribuições sciais: Parte patrnal da cntribuiçã

Leia mais

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária Uma nva prpsta para a Agenda Ambiental Prtuária Marcs Maia Prt Gerente de Mei Ambiente O grande desafi a tratar cm as questões ambientais prtuárias é bter um resultad equilibrad que harmnize s cnflits

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

PARCERIA PÚBLICO PRIVADA SETOR HABITACIONAL JARDINS MANGUEIRAL

PARCERIA PÚBLICO PRIVADA SETOR HABITACIONAL JARDINS MANGUEIRAL PARCERIA PÚBLICO PRIVADA SETOR HABITACIONAL JARDINS MANGUEIRAL Jardins Mangueiral Primeira Parceria Públic-Privada d Brasil Jardins Mangueiral Famílias beneficiadas: 8.000. Casas de dis e três quarts

Leia mais

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências O desafi da regulaçã ecnômic-financeira ds peradres públics de serviçs de saneament básic n Brasil: primeiras experiências Karla Bertcc Trindade VI Fr Iber American de Regulación 11/11/2013 - Mntevide,

Leia mais

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PdC CZ.01 PM 3.5 Versã 1 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid índice. Alterada

Leia mais

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico Legenda da Guia de Tratament Odntlógic Term Registr NS Nº da n prestadr Num. d Camp na Númer da principal 3 Data da autrizaçã Senha senha 1 2 4 5 6 Nme d camp na Registr NS Númer da n prestadr Númer da

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

Anexo 01 - Mapeamento Documentos ISO. Mapeamento dos Documentos ISO. Pasta/ forma Sala Supervisão. Pasta documentos da ISO

Anexo 01 - Mapeamento Documentos ISO. Mapeamento dos Documentos ISO. Pasta/ forma Sala Supervisão. Pasta documentos da ISO Item 01 02 03 04 05 06 Refere a dcument PQN-02 PQN-02 07 PQN-05 08 09 10 Identificaçã Nme d registr Cntrle de emissã e distribuiçã de dcuments Matriz ds registrs da qualidade Ficha de cntrle de atualizações

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração do Relatório Ambiental Prévio (RAP)

Termo de Referência para Elaboração do Relatório Ambiental Prévio (RAP) Term de Referência para Elabraçã d Relatóri Ambiental Prévi (RAP) O Relatóri Ambiental Prévi é um estud técnic elabrad pr um prfissinal habilitad u mesm equipe multidisciplinar que ferece elements para

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

NORMA GERAL AMBIENTAL. Tipo de Atividade: Meio Ambiente. Sumário

NORMA GERAL AMBIENTAL. Tipo de Atividade: Meio Ambiente. Sumário Títul: GESTÃO DOS COMPROMISSOS AMBIENTAIS Identificadr: NGL-5.3.1-16.12 Prpnente: Tip de Atividade: Mei Ambiente Revisã: Flha: 1 / 37 Sumári 1. MOTIVAÇÃO...2 2. OBJETIVO...2 2.1. Objetiv Geral...2 2.2.

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

ROTEIRO DE PROJETOS. 6 Email: Pirilampo.sede@hotmail.com

ROTEIRO DE PROJETOS. 6 Email: Pirilampo.sede@hotmail.com ATENÇÃO: Este frmulári cntém rientações quant a preenchiment de cada camp. Após preenchiment, excluir as rientações que aparecem em clchetes ([]). I. INFORMAÇÃO SOBRE A ORGANIZACAO RESPONSÁVEL PELO PROJETO

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal;

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal; Requeriments de Obstáculs Hipism Crss Cuntry: Requeriments Mandatóris: Tda madeira e demais prduts flrestais utilizads devem ser cmpsts de fibra reciclada (us n pós-cnsum) u vir de fntes legais e respnsáveis,

Leia mais

Requerimentos de Energia Temporária: Requerimentos Mandatórios:

Requerimentos de Energia Temporária: Requerimentos Mandatórios: Requeriments de Energia Temprária: Requeriments Mandatóris: Adtar s requeriments mínims definids n Códig Básic da Iniciativa Ética Cmercial (IEC) / Ethical Trading Initative (ETI): O empreg deverá ser

Leia mais

1.1.3.1 Ausência de processo de monitoramento e avaliação da execução do PDTI.

1.1.3.1 Ausência de processo de monitoramento e avaliação da execução do PDTI. Cnstatações 1.1.3.1 Ausência de prcess de mnitrament e avaliaçã da execuçã d PDTI. 1.1.3.2 Cmitê de TI nã atuante e inefetiv. 1.1.3.3 Quantidade insuficiente de servidres para a gestã de TI. 1.1.3.4 Falhas

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º).

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º). VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteraçã n crngrama (Art. 6º e Art. 12º). APRESENTAÇÃO Idealizad e instituíd pela Assciaçã Nacinal de Entidades Prmtras de Empreendiments Invadres (Anprtec), em parceria

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema Plan de Desenvlviment Ecnômic Reginal e Lcal ds Municípis d Pntal d Paranapanema 1ª Etapa Diagnóstic Ecnômic e Definiçã de Cenáris Apresentaçã as municípis 20/08/2014 Cnvêni: Elabraçã: Plan de Desenvlviment

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010 Meta Priritária 5 Implantar métd de gerenciament de rtinas (gestã de prcesss de trabalh) em pel mens 50% das unidades judiciárias de 1º grau. Esclareciment da Meta Nã estã sujeits a esta meta s tribunais

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

Lista de Verificação Norma de Referência Certificado de Energia Renovável Categoria ADESÃO

Lista de Verificação Norma de Referência Certificado de Energia Renovável Categoria ADESÃO REGRAS GERAIS PARA REALIZAÇÃO DA AUDITORIA / USO DA LISTA DE VERIFICAÇÃO CERTIFICADO CATEGORIA ADESÃO FONTE DE GERAÇÃO DE ENERGIA: HÍDRICA Esta lista de verificaçã aplica-se a Certificad de Energia Renvável

Leia mais

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL Carga Hrária: 16 hras/atividade Hrári: 8h30 às 18h (cm interval para almç) Brasília, 26 e 27 de nvembr de 2015

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l Fund de Desenvlviment das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i R e g i n a l p a r a B r a s i l e C n e S u l Fnd de Desarrll de las Nacines Unidas para la Mujer O f i c i n a R e g i n a l p

Leia mais

(X) Acompanhamento ( ) Revisão ( ) Mudança ( ) Outro. 2. Participantes Nome Unidade e-mail Assinatura Lista Impressa e Assinada

(X) Acompanhamento ( ) Revisão ( ) Mudança ( ) Outro. 2. Participantes Nome Unidade e-mail Assinatura Lista Impressa e Assinada Ata de Reuniã 1. DADOS GERAIS Prjet/demanda Reuniã Mensal de Status Reprt de Prjets Identificadr Data 26/03/14 Unidade Mtiv (X) Acmpanhament ( ) Revisã ( ) Mudança ( ) Outr 2. Participantes Nme Unidade

Leia mais

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro Seminári de Acmpanhament SNPG Área 21 APCNs André F Rdacki Marcia Sares Keske Rinald R J Guirr Áreas de Avaliaçã - CAPES Clégi de Humanidades Ciências Humanas Ciências Sciais Aplicadas Linguística, Letras

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

Lista de Verificação Norma de Referência Certificado de Energia Renovável Categoria PLENO

Lista de Verificação Norma de Referência Certificado de Energia Renovável Categoria PLENO Lista de Verificaçã Nrma de Referência Certificad de Energia Renvável REGRAS GERAIS PARA REALIZAÇÃO DA AUDITORIA / USO DA LISTA DE VERIFICAÇÃO CERTIFICADO CATEGORIA PLENO FONTE DE GERAÇÃO DE ENERGIA: HÍDRICA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INFORMAÇÃO TÉCNICA nº 066/2008 - COHID/CGENE/DILIC/IBAMA Brasília, 11 de agst

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal;

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal; Requeriments de Obstáculs Hipism Salts: Requeriments Mandatóris: Tda madeira e demais prduts flrestais utilizads devem ser cmpsts de fibra reciclada (us n pós-cnsum) u vir de fntes legais e respnsáveis,

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE Institut Instituiçã fcada na geraçã de sluções para a implementaçã e gestã pedagógica de Núcles de Treinament e Capacitaçã de prfissinais e acadêmics

Leia mais

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA O prcess de cntrle de estque de gôndla fi desenvlvid cm uma prcess de auxili a cliente que deseja cntrlar a quantidade de cada item deve estar dispnível para venda

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO 52ª PREMIAÇÃO ANUAL IAB RJ EDITAL 2014 INTRODUÇÃO O Institut de Arquitets d Brasil - IAB-RJ cnvca arquitets e urbanistas a participarem da 52ª Premiaçã Anual ds Arquitets que, em 2014, agrega às categrias

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

Requerimentos para Energia Temporária: Requerimentos para práticas de trabalho:

Requerimentos para Energia Temporária: Requerimentos para práticas de trabalho: Requeriments para Energia Temprária: Requeriments para práticas de trabalh: Adtar s requeriments mínims definids n Códig Básic da Iniciativa Ética Cmercial (IEC) / Ethical Trading Initative (ETI): O empreg

Leia mais