SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE ACOMPANHAMENTO DA FLEXIBILIZAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DO IFSP CAMPUS SÃO CARLOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE ACOMPANHAMENTO DA FLEXIBILIZAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DO IFSP CAMPUS SÃO CARLOS"

Transcrição

1 SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE ACOMPANHAMENTO DA FLEXIBILIZAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DO IFSP CAMPUS SÃO CARLOS Investigação das percepções dos servidores do IFSP campus São Carlos, acerca da jornada flexibilizada dos servidores técnicos-administrativos. São Carlos 2014

2 2 Investigação das percepções dos servidores do IFSP campus São Carlos, acerca da jornada flexibilizada dos servidores técnicos-administrativos. Período de análise: novembro 2013 a setembro de 2014 De acordo com a Portaria n de 08 de outubro de 2014, a qual aprova e institui o Regulamento da Jornada de Trabalho dos Servidores Técnico-Administrativos do IFSP, em substituição a Resolução Nº963 do IFSP de 03/09/2013, temos no caput do seu art. 2º que a jornada flexibilizada de trabalho dos servidores técnico-administrativos do IFSP de 6 (seis) horas diárias e 30 (trinta) horas semanais sem prejuízo da remuneração e especifica que será aplicado nos setores onde houver serviços-atividades que demandem atendimento ao público usuário ininterruptamente por no mínimo 12 horas, ou trabalho no turno noturno. Assim em regime de flexibilização de jornada na maioria dos seus setores 1 desde 1º de novembro de 2013º o IFSP Campus São Carlos, através da sua subcomissão local permanente de acompanhamento da jornada de trabalho flexibilizada (Sub 30h) e da sua direção verificou no último mês de outubro (2014) junto aos coordenadores/chefias, aos docentes e servidores técnico-administrativos como esses grupos observam o funcionamento desses setores, a qualidade dos serviços prestados por eles e os reflexos pessoais e profissionais das 30h para os servidores flexibilizados. Foram feitos três (3) questionários distintos para verificar a percepção da comunidade de servidores do IFSP Campus São Carlos a respeito da flexibilização de jornada de trabalho (30h) dos servidores técnico administrativos, os questionários estiveram disponíveis para serem respondidos online entre os dias 8 a 15 de outubro de A seguir apresentaremos o que a comunidade do IFSP Campus São Carlos percebe sobre as 30h. 1. COORDENADORES/CHEFIAS 1.1 Caracterização da amostra Foram convidados 10 coordenadores e/ou chefias para o preenchimento do questionário formado por 23 questões, sendo 3 coordenadores e/ou chefias docentes e 7 administrativos. Nossa amostra contou com 8 coordenadores (as)/ chefias participantes. Os coordenadores/chefias convidados são responsáveis pelos seguintes setores: Direção GED (SSP e BIB) GAD CDI CTI CAP 1 GAD, CDI, CTI, CRE, SSP e BIB (esses últimos dois subsetores).

3 3 CGP CAE CRE CAR-IND A título de esclarecimento os coordenadores da CAE, CAP e CGP não possuem servidores subordinados. Você é coordenador administrativo ou coordenador docente? Administrativo 7 88% Docente 1 13% Você possui subordinados no setor em que você é coordenador/chefia? Sim 5 63% Não 3 37% Todos os três coordenadores/chefias sem subordinados responderam o questionário Você já era coordenador no campus São Carlos na data de implementação da jornada flexibilizada de trabalho dos servidores técnico- administrativos (30h)?

4 4 Sim 4 50% Não 4 50% 1.2 Desempenho do serviço prestado Na sua opinião, com a flexibilização de jornada (30h), o desenvolvimento das atividades dos seus subordinados melhorou? Sim 2 24% Não 0 0 Igual as 40h 3 38% Não tenho subordinados 3 38% Segundo a visão da maioria dos coordenadores as 30h não mudaram substancialmente o desempenho dos servidores flexibilizados. Na sua opinião o desempenho geral do serviço público no IFSP - campus São Carlos, com a flexibilização de jornada dos servidores técnico-administrativos (30h), melhorou? Sim 5 63% Não 1 13% Igual as 40h 2 25%

5 5 Ao contrário do que acharam sobre o desempenho dos servidores, no que se refere aos setores, a maioria dos coordenadores (5) apontaram que os serviços foram melhorados pelas 30h. Em relação ao desempenho da prestação do serviço oferecido pelos setores flexibilizados no IFSP - campus São Carlos os coordenadores fizeram as seguintes considerações favoráveis: Melhor garantia de atendimento local dos setores flexibilizados. Disposição e qualidade dos atendimentos que passam a ser ininterruptos (atendimento ampliado) e garantia de atendimento nos horários de maior demanda. Agilidade e comprometimento com os prazos e execução dos trabalhos. Sobre a implantação das 30 horas: você acredita que melhorou o atendimento ao público? Sim 7 88% Não 1 13% Em relação a opinião dos coordenadores/chefias sobre a melhoria do atendimento ao público com a implementação da flexibilização de jornada (30h) a maioria respondeu positivamente. O (a) que respondeu negativamente argumentou que com as 30h há a dificuldade de atender algumas demandas devido a falta de alguns servidores específicos em todos os horários. Entre os coordenadores/chefias que opinaram favoravelmente sobre a melhoria do atendimento ao público um (a) dissertou que com a flexibilização ocorreu a ampliação dos horários dos setores, os quais passaram a não fechar nos horários de maior procura pelos alunos 18h30 antigo horário de janta de alguns servidores e 21h15 intervalo de aulas. Os três primeiros questionamentos foram muito parecidos (melhoria na qualidade dos serviços prestados pelos pelo campus e pelos servidores) e a percepção dos coordenadores/chefias foi muito positiva nestes quesitos. 1.3 Sobre a Legislação que regulamenta a Flexibilização de Jornada Tem ciência sobre os conteúdos da Resolução 963 e 968 de 2013, do Conselho Superior?

6 6 Sim 8 100% Você conhece a finalidade, função e o trabalho desenvolvido pela Comissão Central 30 horas - ADM IFSP? Sim 7 88% Não 1 13% Você conhece a finalidade, função e o trabalho desenvolvido pela CISTA - Comissão Interna de Supervisão de Técnicos-Administrativos? Sim 6 75% Não 2 25% Você conhece a finalidade, função e o trabalho desenvolvido pela Comissão LOCAL 30 horas - ADM IFSP?

7 7 Sim 8 100% Em relação as legislações e as comissões responsáveis pela implementação da flexibilização da jornada de trabalho (30h) a maioria dos coordenadores/chefias apontaram conhecimento em relação as Resoluções 963 e 968 e a subcomissão local 30h. Já em elação a comissão central 30h e a CISTA, o número de coordenadores/chefias que não tinham conhecimento foram de 1 e 2 respectivamente. Assim percebemos que os coordenadores/chefias são conhecedores (as) dos aspectos legais que concernem a flexibilização de jornada de trabalho. A subcomissão local esclareceu ao seu setor sobre a jornada flexibilizada? Sim 7 88% Não 1 13% Está ciente que os setores devem funcionar por no mínimo 12 horas ininterruptas? Sim 8 100% Talvez um dos aspectos mais importantes da flexibilização de jornada de trabalho dos servidores técnico administrativos, o funcionamento ininterrupto dos setores por no mínimo 12h por dia, é de conhecimento geral por parte dos coordenadores.

8 8 1.4 Publicização dos horários e dos setores Seu setor apresenta fixação de horários de funcionamento e dos seus servidores afixado na porta ou no mural próximo a ele? Sim 6 75% Não 2 25% Seu setor apresenta fixação de horários de funcionamento e horários de servidores no site institucional? Sim 8 100% A publicização dos horários dos servidores e dos setores tanto nos murais/portas dos setores, quanto no site institucional está ocorrendo segundo os coordenadores/chefias, lembrando que segundo a Portaria n no seu Art. 8: 1 São competências da chefia imediata a publicação do horário de funcionamento do setor e o encaminhamento deste para divulgação no sítio institucional. 1.5 Ausências e trocas Caso algum servidor precise se ausentar do setor e não houver mais ninguém no mesmo, qual será sua atitude?

9 9 Procurar um servidor para atender o setor durante o período 6 Deixar recado de papel colado na porta com o horário de retorno 3 Deixar recado de papel colado na mesa com o horário de retorno 2 Outro 2 Não tenho servidores subordinados na minha coordenação 1 Na alternativa outro um (a) coordenador/chefia apontou que solicitaria por memorando a presença do servidor e o outro comunicaria a subcomissão. Gostaríamos de salientar que as chefias são responsáveis pela manutenção do funcionamento ininterrupto. A primeira alternativa é a mais cabível, Procurar um servidor para atender o setor durante o período, para não incorrer em falha no atendimento mínimo de 12h. Caso não seja possível, as chefias devem solicitar à subcomissão um estudo para substituir um servidor de um outro setor para o que está defasado, em último caso deve-se afixar o horário de retorno do atendimento e a chefia informar por escrito à subcomissão sobre o ocorrido. Você já precisou que ocorresse substituição de um servidor do seu setor por um servidor de OUTRO setor para a manutenção do atendimento ininterrupto de 12 horas? Sim 2 25% Não 5 63% Não tenho servidores subordinados 1 13% Se você respondeu SIM na questão anterior, você comunicou a subcomissão por escrito?

10 10 Sim 1 50% Não 1 50% Salientamos a necessidade de comunicar a subcomissão por escrito em caso de um servidor substituir outro de um setor que não seja o de origem. O seu setor já atendeu o público externo e interno em que a demanda e competência não é do seu setor? Sim 7 88% Não 1 12% Um (a) dos (as) coordenadores (as)/chefias apontou que atende a demanda desde que solicitado (a) formalmente e outro (a) afirmou que orienta que a pessoa procure o setor responsável para resolver a demanda colocada. É necessário que todos os servidores tenham ciência do organograma do campus e as atividades mínimas desenvolvidas pelos setores para eventuais encaminhamentos de demandantes. 1.6 Percepções da Amostra O IFSP fornece uma estrutura adequada para o exercício das funções dos seus servidores sob o regime de flexibilização de jornada? Sim 4 50%

11 11 Não 3 38% Não tenho servidores subordinados 1 12% Um dos participantes apontou que falta estrutura física, espaço para refeições, limpeza e descanso no IFSP São Carlos. Salientamos que o IFSP Campus São Carlos se encontra nas dependências da UFSCar enquanto o seu prédio é finalizado, por tal a falta de espaços adequados para atender aos servidores. Você notou algum problema que surgiu nas 30 horas? Sim 1 50% Não 1 50% Segundo os coordenadores/chefias: Casos específicos que a subcomissão que não soube pontuar (não detalhados). Como proceder com compensação de horários (A subcomissão entrou em contato com a CISTA para sanar tais dúvidas); Necessidade dos servidores entenderem que FLEXIBILIZAÇÃO não é REGIME DE TRABALHO (necessidade de uma reunião da subcomissão com os servidores para esclarecer a legalidade das 30h). Necessidade de determinado servidor estar na instituição em horário que não é o estabelecido na sua folha de ponto. Necessidade de atender a demanda quando solicitado previamente. Os servidores, quando solicitado com antecedência, necessitam atender as demandas colocadas pelo cargo/função. Quais as maiores dificuldades encontradas para a adoção do regime das 30 horas?

12 12 Intervalo para refeições 3 Falta de tempo para execução dos trabalhos 2 Falta de servidores técnico-administrativos 2 Comunicação/atividades com outros setores 1 Falta de controle no horário de trabalho 1 Entrosamento com a equipe 1 Serviços externos 1 Assiduidade 0 Pontualidade 0 Orientação da chefia 0 Assédio Moral 0 Por lei e orientação da CISTA os servidores possuem, dentro da sua jornada de trabalho, 15 minutos para refeições. Na opção outros foram apontados pelos coordenadores as seguintes dificuldades: O controle de alteração de horários em situações emergenciais. Compreensão pelos servidores que se trata de flexibilização de jornada e não regime de trabalho; Aceitação dos horários definidos pela chefia. As dificuldades apontadas acima precisam ser discutidas entre os coordenadores/chefes com os seus subordinados com a colaboração da subcomissão e presença da direção para se acordar os procedimentos e soluções para cada uma das demandas apontadas.

13 13 Quais os principais benefícios que você acredita que a flexibilização trouxe para o seu setor e para os seus subordinados? Ampliação dos períodos de atendimento/funcionamento dos setores 7 Garantia legal de atendimento ininterrupto 7 Publicidade de horários 6 Assiduidade 4 Maior eficiência dos servidores 3 Comprometimento dos servidores 3 Integração, trabalho coletivo e cooperação 3 Comunicação, articulação e organização entre os setores 2 Comunicação, articulação e organização entre os servidores dos setores 2 Maior envolvimento das chefias imediatas 1 Não tenho servidores subordinados na minha coordenação 1 Outro: Saída para médicos e diminuição de atestados médicos; 1.7 Comentários e sugestões 1) Quer deixar uma sugestão para melhorar as 30 horas?

14 14 Sim 3 37% Não 5 63% Entre as sugestões colocadas: a) Serviços desenvolvidos pelo servidor em horário oposto ao dele, a chefia poderá solicitar a alteração de horário pontualmente naquele dia para o atendimento a demanda. Esclarecendo que estas situações são eventuais e não rotineiras visto que o servidor sempre adequa suas tarefas para os horários em que se encontra na instituição, no entanto, em algumas situações a demanda e os horários pedem tais adequações dada as particularidades dos setores, visto que nossas atribuições são muitas vezes integradas com outros sistemas que não os institucionais. Acredito que este esclarecimento por parte da comissão evita que o servidor com horário flexibilizado entenda a solicitação da chefia como arbitrária. b) Repassar um esclarecimento maior aos servidores administrativos, informando que a jornada flexibilizada pode ser alterada em caso de necessidade da instituição. c) Verificar junto à CISTA e a comissão Central os ajustes necessários para melhor adequação da implantação ocorrida, tais como: compensação de horas, faltas justificadas e injustificadas, horas extraordinárias. Como proceder? d) Criação de um documento (manual ou anexo à resolução) com as orientações aos servidores que gozam dessa flexibilização, bem como as chefias imediatas, orientando a todos sobre os procedimentos que precisam ser seguidos, assim como apresentando os mecanismos para os casos de faltas (justificadas e injustificadas), horas extraordinárias e compensação de horas, entre outros.

15 15 2. DOCENTES Dos atuais 47 docentes do campus São Carlos, uma está com função de Diretora Geral do IFSP São Carlos, um como Gerente de Ensino e um como coordenador da área de indústria, os três foram convidados a participar da atual pesquisa enquanto coordenadores/chefias, respondendo questionário especifico. Quatro (4) professores na data da pesquisa estavam afastados para qualificação e dois (2) estavam com cargo de direção em outros campi do IF. Assim foram convidados para contribuir com suas percepções sobre as 30 horas, trinta e oito (38) docentes do Campus São Carlos. Entre os docentes doze (12) entraram em exercício após a implementação da flexibilização de jornada. Sendo que desses, apenas dois (2) responderam a pesquisa. No total tivemos dezesseis respondentes, e suas respostas apresentamos a seguir. Você já era docente no campus São Carlos na data de implementação da jornada flexibilizada de trabalho dos servidores técnico administrativos (30h)? 2.1 Desempenho do serviço prestado Na sua opinião o desempenho geral do serviço público no IFSP - campus São Carlos, com a flexibilização de jornada dos servidores técnico-administrativos (30h), melhorou? A percepção dos professores ficou bastante dividida neste questionamento. Deixamos um campo para que os professores pudessem complementar sua resposta, assim entre os que optaram por expressar sua opinião tivemos duas respostas favoráveis: Acredito que as demandas não deixaram de ser atendidas

16 16 Maior disponibilidade de servidores nos horários de funcionamento da instituição e melhor disposição dos servidores. As outras respostas foram: Não foi percebida qualquer alteração; Os serviços continuaram funcionando da mesma forma; O docente alegou que não depende dos serviços dos técnicos administrativos; Sobre a implantação das 30 horas: você acredita que melhorou o atendimento ao público? A maior parte dos professores alegou que não acredita que a implementação das 30h melhorou a qualidade dos serviços oferecidos, nesta mesma questão deixamos um espeço para os (as) professor (as) justificar suas respostas caso quisessem. Entre os que fizeram tivemos as seguintes afirmações: Não adianta ter um servidor para atender se ele não consegue resolver o problema. Não percebi nenhuma alteração; Recebo muitas reclamações dos alunos em relação aos serviços dos Técnicos Administrativos. Em uma resposta favorável houve a argumentação que a tendência é a melhoria dos serviços com o transcorrer do tempo. O (a) docente afirma ainda que com a flexibilização muitos processos que eram concentrados passaram a ser distribuídos para que outros servidores possam atender as demandas em momentos distintos. 2.2 Sobre a Legislação que regulamenta a Flexibilização de Jornada: Tem ciência sobre os conteúdos da Resolução 963 e 968 de 2013, do Conselho Superior?

17 17 Sim 6 38% Não 10 62% Você conhece a finalidade, função e o trabalho desenvolvido pela Comissão Central 30 horas - ADM IFSP? Você conhece a finalidade, função e o trabalho desenvolvido pela CISTA - Comissão Interna de Supervisão de Técnicos-Administrativos? Você conhece a finalidade, função e o trabalho desenvolvido pela Comissão LOCAL 30 horas - ADM IFSP? Você teve esclarecimentos sobre o funcionamento da Jornada Flexibilizada (30h) dos servidores técnico-administrativos?

18 18 Em relação a legislação e comissões ligadas a flexibilização de jornada parte dos professores possuem conhecimento. A flexibilização de jornada de trabalho dos servidores técnico-administrativos (30h) impactou de alguma maneira nas suas atividades enquanto docente? Sim, de maneira positiva 2 13% Sim, de maneira negativa 2 13% Não impactou 9 55% Indiferente 3 19% A maioria apontou que a flexibilização de jornada ou foi indiferente ou não impactou a rotina dos docentes. Está ciente que os setores devem funcionar por no mínimo 12 horas ininterruptas? 2.3 Horários e atendimento dos servidores administrativos Você encontrou o horário de funcionamento dos setores com facilidade?

19 19 Sim, afixado nas portas dos setores e murais do campus 11 Sim, divulgado no site institucional 5 Não 0 Outros 1 Você já precisou saber o horário de algum servidor técnico-administrativo e achou o seu horário de trabalho afixado na porta do setor ou no site institucional? Alguma vez ao precisar utilizar algum serviço de um setor ou servidor específico você foi atendido na sua demanda? 2.4 Percepções da Amostra Você pontuaria algum problema que surgiu nas 30 horas?

20 20 Os professores apresentaram os seguintes problemas: A biblioteca não funciona aos sábados e nem durante todo o período das aulas ordinárias em alguns dias da semana. (Em relação a biblioteca, a mesma funciona 12h ininterruptas de segunda a sexta). Número insuficiente de técnico administrativos para a viabilização da flexibilização de jornada de trabalho sem impactos; Falta de comunicação entre as pessoas que trabalham em horários diferentes. Os setores (chefias e servidores serão alertados sobre a necessidade de maior comunicação entre os servidores e os trabalhos desenvolvidos pelos setores). Eventualmente o servidor procurado estava almoçando durante o expediente. Os servidores flexibilizados possuem 15 minutos de intervalo para refeições, sendo que em decorrência do IFSP São Carlos não possuir sede própria por enquanto não há um local adequado para os servidores efetuarem suas refeições. Quais os principais benefícios que você acredita que a flexibilização trouxe?

21 21 O atendimento ininterrupto é o maior benefício que a flexibilização de jornada pode trouxe para o IFSP segundo a visão dos docentes de São Carlos. Citação de algum servidor em especifico Você gostaria de se manifestar a respeito do atendimento/trabalho de algum servidor/setor em especial? As citações foram encaminhadas para os (as) coordenadores (as). 3. ADMINISTRATIVOS Quadro de servidores Flexibilizados

22 22 Nome Siape Cargo Setor Anderson Luis Petroni Assistente em Administração CDI Fernanda Lisboa Ribeiro Assistente em Administração CDI Cleber Castro Hage Técnico de Laboratório - Área CTI Evandro Bruno Ichiba Técnico de Laboratório - Área CTI Mateus Santos Santana Técnicos em Tecnologia da Informação CTI Nilton Cesar da Silva Analista de Tecnologia da Informação CTI Rodrigo Henrique Ramos Técnicos em Tecnologia da Informação CTI André Luis Maximiano Assistente em Administração CRE Nívia Maria Sucomini Assistente em Administração CRE Airton Tomaz Pereira Administrador GAD Daniela Amorim Fontes Assistente em Administração GAD Felipe Lisboa Ribeiro Assistente em Administração GAD Héber Carrilho Zanelli Auxiliar em Administração GAD Thalita Maiume Camikado Contadora GAD Elis Regina Alves dos Santos Bibliotecário GED-BIB Marcio Rogério Tomazzi Estevo Bibliotecário GED-BIB Ana Claudia Moura Padilha Assistente de Alunos GED-SSP Carla Laís Macedo de Held Assistente de Alunos GED-SSP Caroline Silva Neubern de Oliveira Técnico em Assuntos Educacionais GED-SSP Samira Nathália Pizza Assistente Social GED-SSP Solange Aparecida de Souza Monteiro Pedagoga GED-SSP Tiago Batista Medeiros Técnico em Assuntos Educacionais GED-SSP Magda Silva Donega Psicóloga GED-SSP Giseli de Souza Lucas Pedagoga GED-SSP

23 23 Quadro de servidores não Flexibilizados Nome Siape Cargo Setor Motivo Valéria de Griff Assistente em Opção do CDI Marcincowski Administração servidor Luiz Carlos Veltrone Técnicos de Laboratório - Setor não CAR-IND Junior Área Mecânica Flexibilizado Quadro de servidores com autocapacitação Nome Siape Cargo Setor Motivo Ricardo Magno Lopes da Auxiliar em Silva Administração CRE Autocapacitação Bruno de Carvalho Opini Técnicos de Laboratório - Área Mecânica CAR-IND Autocapacitação Eduardo Luiz de Godói Técnicos de Laboratório - Área Mecânica CAR-IND Autocapacitação 3.1 Caracterização da Amostra Em relação a participação dos servidores técnico administrativos participantes da pesquisa, excluindo os que são coordenadores tivemos: Dos cinco (5) servidores alocados na GAD três (3) responderam ao questionário. Os dois (2) alocados na CDI participaram; Na CTI quatro (4) dos cinco (5) servidores participaram e na GED (que engloba SSP, CRE e BIB) em um total de doze (12) possíveis, dez (10) colaboraram com a pesquisa. Além de um (1) da indústria. Como já explicitado nas tabelas acima, dos 29 servidores técnico administrativos do IFSP campus São Calos passíveis de optarem pelo regime de flexibilização de

24 24 jornada de trabalho (30h), dois (2) estão sob o regime de trabalho de 40h, três (3) estão sob autocapacitação e vinte e quatro (24) estão flexibilizados (30h) Tivemos oito (8) servidores que responderam ao questionário que entraram após a implementação da jornada, sendo um (1) não flexibilizado e os outros sete (7) já estão gozando da jornada flexibilizada, os outros doze (12) respondentes fazem 30h desde o início da flexibilização. 3.2Desempenho do serviço prestado Na sua opinião o desenvolvimento das suas atividades melhorou com flexibilização de jornada de 30 horas? Lembrando que a questão foi autoavaliativa e poderia ter sido explorada de forma discursiva na tentativa de abarcar as motivações dos servidores nas suas respostas. Nenhum utilizou esse recurso. Na sua opinião o desempenho geral do serviço público no IFSP - campus São Carlos, com a flexibilização de jornada dos servidores técnico-administrativos (30h), melhorou? Ao abrirmos espaço para os participantes complementarem suas respostas de forma discursiva tivemos dois participantes que responderam igual as 40 horas. O primeiro afirma que os serviços estão sendo realizados da mesma forma que no regime de 40h, não possibilitando para o mesmo perceber claramente nem melhora e nem piora; Já o outro afirmou que como já entrou no IFSP São Carlos sob o regime de flexibilização de jornada ele não possui parâmetros para fazer uma avaliação. Os que justificaram favoravelmente a melhoria do desempenho geral do serviço público prestado no IFSP São Carlos, com a flexibilização de jornada, podemos destacar que quase todos apontaram primeiramente como fator positivo o atendimento ininterrupto dos setores por 12h, a redução de jornada diária dos servidores de 8h para 6 horas diárias como um fator de garantia de qualidade de vida pessoal, gerando mais comprometimento

25 25 e disposição dos técnico administrativos e por fim um respondente apontou que sempre terá um servidor no setor para atender as demandas ou fazer os primeiros encaminhamentos. Apesar de nenhum servidor ter afirmado que NÃO houve melhoria no desempenho do serviço, duas respostas discursivas levantaram algumas questões importantes e que merecem destaque relacionados a procedimentos. Primeiramente foi apontado que o IFSP São Carlos ainda carece de procedimentos e melhoria no fluxo de informações, ou seja, quem faz o que, quem é responsável pelo o que. Foi ainda apontado a falta de definição de responsabilidades. Houve também a seguinte fala muitas informações continuam não sendo repassadas e ficamos perdidos em várias situações no que concerne ao atendimento do público, em especial dos alunos. Sobre a implantação das 30 horas: você acredita que melhorou o atendimento ao público? Em relação ao ATENDIMENTO AO PÚBLICO em especifico, argumento principal para subsidiar a justificativa para um setor aderir a flexibilização de jornada, 95% da nossa amostra se posicionou de forma afirmativa, entre as justificativas discursivas destacamos: O horário dos servidores está no site institucional e o atendimento é ininterrupto durante 12h. Comparado com as 40h os setores funcionam mais tempo. Há sempre servidores disponíveis para o atendimento nos setores; Houve um esforço conjunto dos setores para sistematizar suas ações, de forma a garantir o atendimento nos momentos que algum servidor especifico não se encontra (quando não está em horário de trabalho, de férias ou até mesmo afastado). 3.3 Sobre a Legislação que regulamenta a Flexibilização de Jornada O conhecimento da Legislação que regulamenta a flexibilização é de extrema importância para os beneficiários da mesma. Tem ciência sobre os conteúdos da Resolução 963 e 968 de 2013, do Conselho Superior?

26 26 Você conhece a finalidade, função e o trabalho desenvolvido pela Comissão Central 30 horas - ADM IFSP? Você conhece a finalidade, função e o trabalho desenvolvido pela CISTA - Comissão Interna de Supervisão de Técnicos-Administrativos? Você conhece a finalidade, função e o trabalho desenvolvido pela Comissão LOCAL 30 horas - ADM IFSP? A subcomissão local esclareceu ao seu setor sobre a jornada flexibilizada? Está ciente que o setor deve funcionar por no mínimo 12 horas ininterruptas?

27 27 Esse é o ponto fundamental da flexibilização de jornada de trabalho dos servidores técnico administrativos. 3.4 Publicização dos horários e dos setores Seu setor apresenta fixação de horários de funcionamento e dos seus servidores afixado na porta ou no mural próximo a ele? Seu setor apresenta fixação de horários de funcionamento e horários de servidores no site institucional? 3.5 Ausências e trocas Ao precisar sair do setor e no caso de não haver mais ninguém no local, qual será sua atitude?

28 28 Você já precisou substituir um servidor de OUTRO setor para a manutenção do atendimento ininterrupto de 12 horas? Se você respondeu SIM a questão anterior, sua chefia comunicou à subcomissão por escrito? É importante ressaltar que a subcomissão precisa ser comunicada por escrito pelas chefias em caso de um servidor substituir outro de um setor diferente. Você já atendeu o público externo e interno em que a demanda e competência não era do seu setor?

29 29 Não encaminhei para outro funcionário do setor pois tratavam-se de atividades específicas, nos casos a orientação foi de retornar em outro momento. Apenas informei quem deveria ser procurado e quando esse servidor seria encontrado; É importante os estudos de viabilidade dos setores sejam conhecidos pelos membros desses e que ocorra um informativo das atribuições básicas dos setores flexibilizados para possíveis encaminhamentos. 3.6 Percepções da Amostra O IFSP fornece uma estrutura adequada para o exercício das funções dos seus servidores sob o regime de flexibilização de jornada? Entre as três respostas negativas relativas a estrutura do IFSP São Carlos destacamos as seguintes colocações: Falta local para alimentação, higiene pessoal e para guardar os bens pessoais Creio que a falta de espaço (provisória) dificulta um pouco, pois não há um espaço reservado para os servidores no horário de alimentação (intervalo de 15 minutos) A falta de alguns espaços, principalmente para alimentação, higiene pessoal e para guardar os bens pessoais foi arrazoada nesta questão pelos servidores ao afirmarem que a estrutura é adequada, por entenderem que a falta de estrutura será minimizada com a mudança para o prédio do IFSP São Carlos. Você notou algum problema que surgiu nas 30 horas?

30 30 Falta de comprometimento por parte de algumas pessoas. Como troca de horário sem aviso prévio e/ou divulgação. Pessoas trocam seus horários de forma "quase" independente e repentinamente; Problema generalizado de comunicação entre as pessoas que não avisam sobre trocas de horários e não repassam informações sobre quem exerce determinado serviço e o que fazer caso a pessoa não esteja no local. O elemento comunicação dentro do setor é evidenciado nestas respostas. Quais os principais benefícios que você acredita que a flexibilização trouxe para o seu setor?

31 31 Como nas respostas dos docentes a ampliação do período de atendimento é apontada pelos servidores administrativos como um dos maiores benefícios obtidos com a flexibilização de jornada. Quais as principais dificuldades decorrentes da flexibilização? Entre as dificuldades a comunicação entre os setores entre servidores dos setores foi destacada

32 32 Quais as maiores dificuldades encontradas para a adoção do regime das 30 horas? Entre as dificuldades apresentadas pelos servidores, com a adoção das 30h, o destaque ficou por conta da questão sobre como proceder com os intervalos para refeições com sete (7) citações e na sequência a comunicação/atividades com os outros setores (algo que com a flexibilização foi realçado) e a falta de servidores técnico administrativos para viabilizar as 30h com cinco (5) citações. Por fim também citamos as orientações da chefia com quatro (4) citações. Como está utilizando as 2 horas diárias de "bônus" em seu dia?

33 33 Em decorrência da flexibilização grande parte dos servidores está utilizando o tempo para estudos e em sequência lazer, o que mostra que as 30h estão permitindo uma melhor capacitação dos servidores e influi também na qualidade de vida dos mesmos (lazer e esportes). 3.7 Execuções do Trabalho no regime de 6h O tempo para a execução de suas atividades de trabalho no IFSP está sendo suficiente? Você acredita que o atendimento, de acordo com suas atribuições e suas atividades de trabalho estão sendo feitas com qualidade e eficiência?

34 34 Sim, pois me encontro mais satisfeito para e com o trabalho. O bom planejamento das atividades podem tornar 6 horas dinâmicas e produtivas. Sim procuro atender todas as minhas funções com muito afinco. Em uma eventualidade na execução de uma atividade urgente em que 6 horas diárias não são suficientes para terminá-la, o que você faz? Você já precisou ficar mais que as 6 horas diárias? 3.8 Sobre as 30h As seis horas diárias ajudou no transporte/locomoção ao IFSP? Pego horário de menos transito. Com as 2 horas de bônus me sinto a vontade para vir caminhando para o trabalho. Esta "pequena" mudança de rotina consiste em um enorme ganho na qualidade de vida.

RESOLUÇÃO N.º XXX, DE XX DE XXXXXX DE 2013

RESOLUÇÃO N.º XXX, DE XX DE XXXXXX DE 2013 RESOLUÇÃO N.º XXX, DE XX DE XXXXXX DE 2013 O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições regulamentares e, considerando

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO. Florianópolis, XX de junho de 2011.

MINUTA DE RESOLUÇÃO. Florianópolis, XX de junho de 2011. MINUTA DE RESOLUÇÃO Florianópolis, XX de junho de 2011. A REITORA DO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelos artigos 10o. Paragrafo 4o e 11, da lei 11.892,

Leia mais

REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013.

REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013. REGULAMENTO/COGEP Nº 001, DE 1º DE JUNHO DE 2012. 2ª Edição Atualizada em 29 de janeiro de 2013. Dispõe acerca da Política de uso do PONTO ELETRÔNICO E DA JORNADA DE TRABALHO dos servidores do Instituto

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comisão designada pela Portaria nº 1.525/11, prorrogada pela Portaria nº 561/12

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comisão designada pela Portaria nº 1.525/11, prorrogada pela Portaria nº 561/12 RELATÓRIO FINAL DA COMISSÃO DESIGNADA PELA PORTARIA UTF N 1.525/2011, ORROGADA PELA PORTARIA UTF Nº 561/2012, RESPONSÁVEL PELA AESENTAÇÃO DE OPOSTA DE VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO Nº 4.836/2003

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO RESOLUÇÃO AD REFERENDUM Nº 41/2014, DE 10 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre a aprovação do regulamento

Leia mais

Portaria nº 962/2011 Florianópolis, 11 de julho de 2011.

Portaria nº 962/2011 Florianópolis, 11 de julho de 2011. Portaria nº 962/2011 Florianópolis, 11 de julho de 2011. O Reitor pro tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela

Leia mais

ENTENDENDO AS NORMAS SOBRE JORNADA DE TRABALHO DOS TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DA UFPE

ENTENDENDO AS NORMAS SOBRE JORNADA DE TRABALHO DOS TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DA UFPE ENTENDENDO AS NORMAS SOBRE JORNADA DE TRABALHO DOS TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DA UFPE Perguntas e Respostas sobre a Resolução nº 02/2014 Conselho de Administração-UFPE Prof. Anísio

Leia mais

DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. O Prefeito Municipal de Querência - MT, no uso de suas

DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. O Prefeito Municipal de Querência - MT, no uso de suas DECRETO Nº. 1.370/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015. Dispõe acerca da Política de uso do ponto eletrônico e da jornada de trabalho dos servidores públicos do Poder Executivo município de Querência - MT. atribuições,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 Regulamenta o processo de implementação e avaliação da flexibilização para ajuste de jornada de trabalho

Leia mais

REGULAMENTO DA FLEXIBILIZAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO

REGULAMENTO DA FLEXIBILIZAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO REGULAMENTO DA FLEXIBILIZAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO CAPÍTULO I DA APRESENTAÇÃO Art. 1 º. O presente regulamento visa disciplinar

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS VOTUPORANGA PLANO DE GESTÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS VOTUPORANGA PLANO DE GESTÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS VOTUPORANGA 1 PLANO DE GESTÃO Eder Diretor Breve Currículo: Candidato ao Cargo de Diretor Geral do Campus Votuporanga EDER APARECIDO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 20 DE OUTUBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 20 DE OUTUBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 20 DE OUTUBRO DE 2014. Estabelece orientações acerca do registro eletrônico de frequência dos servidores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande

Leia mais

ANEXO XI FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO E ATESTE DOS SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE CONSERVAÇÃO, LIMPEZA E AFINS E CONTROLE DE ENTRADA DE MATERIAIS

ANEXO XI FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO E ATESTE DOS SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE CONSERVAÇÃO, LIMPEZA E AFINS E CONTROLE DE ENTRADA DE MATERIAIS ANEXO XI FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO E ATESTE DOS SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE CONSERVAÇÃO, LIMPEZA E AFINS E CONTROLE DE ENTRADA DE MATERIAIS Mês / Ano: Localidade: Responsável: Cargo: 1. De um modo geral, como

Leia mais

A Câmara Superior de Gestão Administrativo-Financeira, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto e o Regimento Geral desta Instituição, e

A Câmara Superior de Gestão Administrativo-Financeira, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto e o Regimento Geral desta Instituição, e SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA RESOLUÇÃO N.º 05/2013 Regulamenta o sistema de registro eletrônico

Leia mais

Perguntas frequentes:

Perguntas frequentes: Perguntas frequentes: O equipamento é regulado para bater ponto só às 7 ou às 8 horas, nos horários tradicionais? Não, você pode bater o ponto em qualquer horário tendo como norte os horários institucionais.

Leia mais

Plano de Gestão 2013-2016 IFSP Campus Caraguatatuba

Plano de Gestão 2013-2016 IFSP Campus Caraguatatuba Visão Institucional O Campus Caraguatatuba do IFSP desenvolveu-se nos últimos anos, ampliando os cursos oferecidos, desde a Formação Inicial e Continuada, passando pelos Cursos Técnicos, de Tecnologia,

Leia mais

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO UFES 2015 SUMÁRIO

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO UFES 2015 SUMÁRIO MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO UFES 2015 SUMÁRIO 1. Apresentação O Programa de Avaliação de Desempenho constitui um processo pedagógico, coletivo

Leia mais

Ponto Eletrônico. Coordenação de Gestão de Pessoas - CGP Gerência de Administração - GAD. IFSP Campus Campinas

Ponto Eletrônico. Coordenação de Gestão de Pessoas - CGP Gerência de Administração - GAD. IFSP Campus Campinas Ponto Eletrônico Coordenação de Gestão de Pessoas - CGP Gerência de Administração - GAD IFSP Campus Campinas 2º semestre de 2013 Lei de Introdução às normas do Direito Brasileiro Lei nº 12.376, de 2010

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

1. Do Programa Institucional de Qualificação de servidores do Instituto Federal Catarinense - PIQIFC:

1. Do Programa Institucional de Qualificação de servidores do Instituto Federal Catarinense - PIQIFC: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense Câmpus Rio do Sul EDITAL N 016/2015/GAB, de 02 de julho de 2015. PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIFICAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA RESOLUÇÃO Nº 03/2014 Revoga a Resolução nº 05/2013 e dá nova redação

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 PORTARIA Nº. 17, DE 23 DE JANEIRO DE 2015. Aprova

Leia mais

Comissão Própria de Avaliação -CPA. Ações e Melhorias Institucionais 2010/2011/2012

Comissão Própria de Avaliação -CPA. Ações e Melhorias Institucionais 2010/2011/2012 Comissão Própria de Avaliação -CPA Ações e Melhorias Institucionais 2010/2011/2012 Comissão Própria de Avaliação - CPA A auto-avaliação objetiva sempre a melhoria da qualidade dos serviços educacionais

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE PRESTAÇÃO DE TRABALHO DE HORÁRIOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

REGULAMENTO DOS REGIMES DE PRESTAÇÃO DE TRABALHO DE HORÁRIOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA REGULAMENTO DOS REGIMES DE PRESTAÇÃO DE TRABALHO DE HORÁRIOS DO O Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL), é um Estabelecimento de Ensino Superior Público cujo período de funcionamento, de aulas

Leia mais

Capítulo I Das Disposições Preliminares

Capítulo I Das Disposições Preliminares RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 10, DE 1º DE MARÇO DE 2004 Estabelece normas complementares relativas ao registro, controle e apuração da frequência dos servidores públicos da administração direta, autárquica e fundacional

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA Av. Mamoré, nº 1520, Bairro Três Marias CEP: 78919-541 Tel: (69) 3733-5000 Porto Velho - RO 1 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ANO 2014. São Carlos

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ANO 2014. São Carlos AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ANO 2014 São Carlos 2015 1 INSTITUTO FEDERAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA IFSP CAMPUS SÃO CARLOS Relatório, referente ao ano de 2014,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA UNILAB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA UNILAB RESOLUÇÃO N 19/2015, DE 06 DE NOVEMBRO DE 2015. Dispõe sobre a criação do Programa de Professor(a) Colaborador(a) Voluntário(a) (PPCV) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO UNIFESP

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO UNIFESP 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO UNIFESP PROPOSTA DE IMPLEMENTAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO FLEXIBILIZADA EM 30 HORAS PARA OS SERVIDORES TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO (TAEs) DA UNIFESP Documento

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Definições

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Definições UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI Curso de Arquitetura e Urbanismo Laboratório de Planos e Projetos REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I Definições Art.1º O Laboratório de Planos e Projetos (LAPP) agrega

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010. Dispõe sobre a jornada de trabalho, o registro e o controle da frequência dos servidores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

Programa de Avaliação de Desempenho da UTFPR. Programa de Avaliação de Desempenho dos Servidores da UTFPR

Programa de Avaliação de Desempenho da UTFPR. Programa de Avaliação de Desempenho dos Servidores da UTFPR Programa de Avaliação de Desempenho dos Servidores da UTFPR Universidade Tecnológica Federal do Paraná 100 anos Histórico 1966 - ETFPR professores e técnicost cnicos- administrativos avaliados. 1994 -

Leia mais

RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Referência: Ano letivo de 2012 MANTENEDORA: Sociedade Educacional UNIFAS MANTIDA: Faculdade de Sinop FASIP CÓDIGO DA MANTIDA: 1934 SINOP-MT/2013 RELATÓRIO AUTOAVALIAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO Art. 1º Este Regulamento Interno disciplina as normas relativas ao funcionamento da Comissão Própria

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA)

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) UNIESP FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES FIRP COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RIBEIRÃO PIRES DEZEMBRO DE 2014 2 COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA

Leia mais

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA O presente documento foi elaborado e aprovado pela Comissão Própria de Avaliação da UNEMAT, com

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 25/2014 Regulamenta a política de afastamento para qualificação e capacitação do Pessoal Técnico- Administrativo,

Leia mais

EDITAL Nº 004/DG/CRFI/IFB, DE 20 DE MARÇO DE 2015

EDITAL Nº 004/DG/CRFI/IFB, DE 20 DE MARÇO DE 2015 EDITAL Nº 004/DG/CRFI/IFB, DE 20 DE MARÇO DE 2015 PROCESSO SELETIVO PARA DESLOCAMENTO INTERNO DE SERVIDOR EFETIVO PARA A COORDENAÇÃO DE REGISTRO ACADÊMICO DO CAMPUS RIACHO FUNDO O DIRETOR GERAL DO CAMPUS

Leia mais

CÂMPUS PASSOS ABRIL/2013

CÂMPUS PASSOS ABRIL/2013 CÂMPUS PASSOS ABRIL/2013 GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL DE MINAS GERAIS PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

prorrogação CÂMPUS POUSO ALEGRE

prorrogação CÂMPUS POUSO ALEGRE prorrogação CÂMPUS POUSO ALEGRE NOVEMBRO/2014 GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONA0L E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL DE MINAS

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 1 Fragilidade resultado inferior a 50% Ponto a ser melhorado 50% e 59,9% Potencialidade igual ou

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho n.º 341/2015 de 6 de Fevereiro de 2015

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho n.º 341/2015 de 6 de Fevereiro de 2015 S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho n.º 341/2015 de 6 de Fevereiro de 2015 Considerando que nos termos do disposto na Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas o empregador público deve elaborar regulamentos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 60/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 60/2013 RESOLUÇÃO Nº 60/2013 Regulamenta a jornada de trabalho dos Servidores Técnico-administrativos em Educação, a adoção do sistema de registro eletrônico de ponto, a assiduidade e cumprimento dos horários

Leia mais

PORTARIA-R N.º 634/2011, de 17 de agosto de 2011

PORTARIA-R N.º 634/2011, de 17 de agosto de 2011 PORTARIA-R N.º 634/2011, de 17 de agosto de 2011 O Reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista a subdelegação

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA FACIIP UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO - UNIBAHIA PERÍODO 2015/2017. Lauro de Freitas - Bahia

FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA FACIIP UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO - UNIBAHIA PERÍODO 2015/2017. Lauro de Freitas - Bahia FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA FACIIP UNIDADE BAIANA DE ENSINO PESQUISA E ETENSÃO - UNIBAHIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO 2015/2017 Lauro de Freitas

Leia mais

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 02 1 OBJETIVO DO MANUAL... 03 2 CONCEITOS UTILIZADOS... 04 3 POLÍTICA DE CARGOS E SALÁRIOS... 06 4 POLÍTICA DE CARREIRA... 07 5 AVALIAÇÃO

Leia mais

PORTARIA PGR/MPU N.º 707, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2006.

PORTARIA PGR/MPU N.º 707, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2006. PORTARIA PGR/MPU N.º 707, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2006. Regulamenta a jornada de trabalho, o controle de freqüência, serviços extraordinários dos servidores do Ministério Público da União e dá outras providências.

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 GABINETE DA GOVERNADORA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº_03 /2009. O Defensor Público Geral do Estado do Pará, no uso de atribuições previstas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS - UFAL Comissão Especial para Elaboração da Minuta de Resolução sobre Distribuição da Carga Horária Docente

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS - UFAL Comissão Especial para Elaboração da Minuta de Resolução sobre Distribuição da Carga Horária Docente MINUTA DE RESOLUÇÃO Nº XX/2013 - CONSUNI/UFAL, de XX/XX/2013. REGULAMENTA A DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA SEMANAL DE ATIVIDADES DO CORPO DOCENTE DA UFAL. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal

Leia mais

Município de Macedo de Cavaleiros Câmara Municipal

Município de Macedo de Cavaleiros Câmara Municipal Regulamento interno do horário de trabalho dos trabalhadores da de Macedo de Cavaleiros Preâmbulo As alterações legislativas, designadamente a publicação da Lei nº 59/2008 de 11 de Setembro, que aprovou

Leia mais

Projeto. Avaliação do Programa Escola Integrada de Belo Horizonte

Projeto. Avaliação do Programa Escola Integrada de Belo Horizonte Projeto Avaliação do Programa Escola Integrada de Belo Horizonte Objetivo apresentar uma série de resultados da avaliação do Programa Escola Integrada, por intermédio da análise de indicadores de diferenciais

Leia mais

Câmara Municipal de São Pedro do Sul

Câmara Municipal de São Pedro do Sul Regulamento A elaboração do presente regulamento resulta da necessidade de definir regras e harmonizar os procedimentos relacionados com a duração e organização do tempo de trabalho, conforme impõe o definido

Leia mais

Para efeito desta Lei:

Para efeito desta Lei: LEI ORDINARIA n 39/1993 de 17 de Dezembro de 1993 (Mural 17/12/1993) Estabelece o Plano de carreira do Magistério público do Município, institui o respectivo quadro de cargos e dá outras providências.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 132/10. Normatiza o registro de frequência dos servidores técnico- administrativos, docentes, e estagiários do IFPR. O CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO, no uso de suas atribuições

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REITORIA PORTARIA Nº 1.254, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REITORIA PORTARIA Nº 1.254, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REITORIA PORTARIA Nº 1.254, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. Dispõe sobre o sistema de registro eletrônico de ponto e o controle de frequência dos servidores

Leia mais

Regulamento Interno de Execução do Horário de Trabalho

Regulamento Interno de Execução do Horário de Trabalho Regulamento Interno de Execução do Horário de Trabalho Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Objeto e âmbito de aplicação 1 - O presente Regulamento estabelece os períodos de funcionamento do Gabinete

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 33/2012 Autoriza a criação do Comitê de Gestão e Tecnologia da Informação (CGTI), da Universidade Federal da

Leia mais

Capítulo II DOS USUÁRIOS REGULARES E EVENTUAIS

Capítulo II DOS USUÁRIOS REGULARES E EVENTUAIS RESOLUÇÃO DA VRG Nº 03/2008 DISPÕE SOBRE O SERVIÇO DE ATENDIMENTO E FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA MARIO OSORIO MARQUES DA UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL -

Leia mais

Prezados alunos e docentes:

Prezados alunos e docentes: 1 FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS NÚCLEO DE PSICOLOGIA EDITAL II DAS ATRIBUIÇÕES DE ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EDUCACIONAL, PSICOLOGIA DO, PSICOLOGIA CLÍNICA E PSICOLOGIA INSTITUCIONAL/SOCIAL - 1º SEMESTRE

Leia mais

VISÃO MISSÃO VALORES. Comprometimento, cooperação, ética, excelência, inclusão, responsabilidade social, sustentabilidade e transparência.

VISÃO MISSÃO VALORES. Comprometimento, cooperação, ética, excelência, inclusão, responsabilidade social, sustentabilidade e transparência. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO VISÃO Ser referência em educação profissional, proporcionando o desenvolvimento tecnológico e socioeconômico do Espírito Santo, com reconhecimento Nacional e Internacional. MISSÃO

Leia mais

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU O trabalhador temporário é pessoa física contratada por empresa de trabalho temporário, para prestar serviços pessoalmente e mediante salário e subordinação, a empresa tomadora

Leia mais

ATO REGULAMENTAR N. 18/2012-GPGJ

ATO REGULAMENTAR N. 18/2012-GPGJ ATO REGULAMENTAR N. 18/2012-GPGJ Dispõe sobre a regulamentação de registro e controle biométrico, por meio de impressão digital, de frequência dos servidores do Ministério Público do Estado do Maranhão.

Leia mais

IMPORTANTE: Este documento não substitui o original aprovado pela Decisão n o 11/2007 da Congregação da FFFCMPA em 21 de dezembro de 2007

IMPORTANTE: Este documento não substitui o original aprovado pela Decisão n o 11/2007 da Congregação da FFFCMPA em 21 de dezembro de 2007 COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO E DO PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO PROGRAMA

Leia mais

PROPOSTAS DE PLANO DE GESTÃO IFSP CAMPUS CATANDUVA - 2015-2017

PROPOSTAS DE PLANO DE GESTÃO IFSP CAMPUS CATANDUVA - 2015-2017 PROPOSTAS DE PLANO DE GESTÃO IFSP CAMPUS CATANDUVA - 2015-2017 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DO OBJETIVO A palavra viva é diálogo existencial. Expressa e elabora o mundo, em comunicação e colaboração.

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO - ANEXOS - ANEXO I - PROCEDIMENTOS PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO REQUERIMENTO Art. 1º - A capacitação interna poderá ser proposta pela Reitoria, Pró-Reitorias ou Diretorias

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO SREP. Versão 1-2014

MANUAL DO SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO SREP. Versão 1-2014 MANUAL DO SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO SREP 1. Introdução Versão 1-2014 Esse manual destina-se aos servidores técnico-administrativos em educação da Ufes que utilizam o Sistema de Registro Eletrônico

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG RESOLUÇÃO N 28 DE 17 DE SETEMBRO DE 2015, DA REITORA DA UFTM Dispõe sobre instrumento de registro de assiduidade e pontualidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SIGRH - FREQUÊNCIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SIGRH - FREQUÊNCIA SIGRH - FREQUÊNCIA Boa Vista RR, 21 novembro de 2014. É o módulo do Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH) que tem por objetivo permitir o gerenciamento das informações relacionadas ao

Leia mais

Representante da Sociedade Civil Organizada Calixto Nunes da França. Representante Discente Artur da Costa Júnior

Representante da Sociedade Civil Organizada Calixto Nunes da França. Representante Discente Artur da Costa Júnior I DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome: Faculdade de Medicina de Juazeiro do Norte Código da IES INEP: 1547 Caracterização da IES: Instituição Privada Sem Fins Lucrativos Estado: Ceará Cidade: Juazeiro do Norte Composição

Leia mais

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior Prof. Marcílio A. F. Feitosa Avaliação das Instituições de Educação Superior A Avaliação Institucional é um dos componentes

Leia mais

Profª. Drª. Maria Ivonete Barbosa Tamboril Vice-Presidente

Profª. Drª. Maria Ivonete Barbosa Tamboril Vice-Presidente Resolução nº 065/CONSAD, de 18 de julho de 2.008 Substitui a Resolução 053/CONSAD, que trata da regulamentação do Estágio Probatório do servidor da Unir. A Vice Presidente do Conselho de Administração

Leia mais

A APLICAÇÃO FOI DRASTICAMENTE REDUZIDA

A APLICAÇÃO FOI DRASTICAMENTE REDUZIDA Bernardo Leite AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO HÁ TEMPOS... Objetivos principais: Aumento de salário Demissão CONCLUSÃO: A APLICAÇÃO FOI DRASTICAMENTE REDUZIDA A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO É um processo natural e

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Campus Juiz de Fora

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Campus Juiz de Fora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Campus Juiz de Fora Ata da vigésima sexta Reunião do Conselho do Câmpus Juiz de Fora realizada no dia 07 de maio de 2014.

Leia mais

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe acerca das regras e procedimentos para a concessão, indenização, parcelamento e pagamento da remuneração de férias dos servidores do Instituto

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA RESOLUÇÃO N. TC-10/2004 Estabelece normas e procedimentos para a implantação e operacionalização do Programa de Capacitação dos servidores do Tribunal de Contas, consolida normas existentes e dá outras

Leia mais

Relatório de Autoavaliação 2014

Relatório de Autoavaliação 2014 Relatório de Autoavaliação 2014 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Virginópolis 2015 1 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 A Comissão Própria de Avaliação

Leia mais

Manual de Recursos Humanos

Manual de Recursos Humanos Manual de Recursos Humanos Associação dos Amigos do Paço das Artes Francisco Matarazzo Sobrinho Organização Social de Cultura 1 Finalidade: Disponibilizar princípios básicos de gestão de pessoal que devem

Leia mais

MINUTA DA RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS 30 HORAS SEMANAIS DO CEFET-MG

MINUTA DA RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS 30 HORAS SEMANAIS DO CEFET-MG MINUTA DA RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS 30 HORAS SEMANAIS DO CEFET-MG Regulamenta o processo de implementação e avaliação da flexibilização da jornada de trabalho dos servidores técnico-administrativos

Leia mais

Regulamento de Monitoria do Curso de Medicina da UNOESTE. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA CAPÍTULO I DA APRESENTAÇÃO

Regulamento de Monitoria do Curso de Medicina da UNOESTE. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA CAPÍTULO I DA APRESENTAÇÃO Regulamento de Monitoria do Curso de Medicina da UNOESTE. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA CAPÍTULO I DA APRESENTAÇÃO Art. 1º O presente Regulamento estabelece as finalidades, objetivos, atribuições

Leia mais

MANUAL PARA PREENCHIMENTO DE REQUERIMENTOS ON-LINE

MANUAL PARA PREENCHIMENTO DE REQUERIMENTOS ON-LINE SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA DEPARTAMENTO DE RECURSOS EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO MANUAL PARA PREENCHIMENTO DE REQUERIMENTOS ON-LINE Mogi das Cruzes, 2010. Sumário 1. Requerimentos Disponíveis...

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS PROFESSOR: Itair Pereira da Silva DISCENTES: Maria das Graças João Vieira Rafael Vitor ORGANOGRAMA PRESIDENTE GERENTE

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL LEVANTAMENTO DAS MEDIDAS REALIZADAS

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL LEVANTAMENTO DAS MEDIDAS REALIZADAS AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL LEVANTAMENTO DAS MEDIDAS REALIZADAS RELATÓRIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CPA 2011/12 Porto Velho RO 2011/2012 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA Profª Drª. Nelice Milena Batistelli

Leia mais

Programa de Ginástica Laboral

Programa de Ginástica Laboral Programa de Ginástica Laboral 1. IDENTIFICAÇÃO Nome: Programa de Ginástica Laboral (PGL) Promoção e Organização: Centro de Educação Física, Esportes e Recreação Coordenadoria do Campus de Ribeirão Preto.

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

PROJETO DE RESOLUÇÃO. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, PROJETO DE RESOLUÇÃO Estabelece a jornada de trabalho dos servidores Técnico-Administrativos,sistema de ponto eletrônico biométrico e dá outras providências. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Letícia Calsavara de Oliveira Coordenadora de Gestão de Recursos Humanos Câmpus Londrina - UTFPR

Letícia Calsavara de Oliveira Coordenadora de Gestão de Recursos Humanos Câmpus Londrina - UTFPR ESTUDO COMPARATIVO ENTRE A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA MODALIDADE 360 GRAUS E A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO APLICADA NA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Letícia Calsavara de Oliveira Coordenadora

Leia mais

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE 1 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO (Síntese dos resultados) COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Avenida Rio Branco, 50 Santa Lúcia 29056-255 Vitória ES 27 3357-7500 DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2014

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2014 INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre os procedimentos complementares relativos à jornada de trabalho e ao controle de assiduidade e pontualidade

Leia mais

Relatório de Avaliação TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

Relatório de Avaliação TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Relatório de Avaliação TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS A temática tecnologia da informação esta em todas as áreas: áreas da saúde, empresarial, governamental. A humanidade está entrando

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 Altera o Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação (CPA) das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração das Faculdades

Leia mais

Instrumento: Docentes

Instrumento: Docentes COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS PRESIDENTE EPITÁCIO CURSO: TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Resultado da Autoavaliação Institucional Instrumento: Docentes Presidente Epitácio -

Leia mais

DIRETRIZES PARA A GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DO IFPB

DIRETRIZES PARA A GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DO IFPB Ministério da Educação Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba Pró-Reitoria de Ensino Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação Pró-Reitoria de Extensão DIRETRIZES PARA A

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DOS COLEGIADOS DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS UNIFEMM

REGIMENTO INTERNO DOS COLEGIADOS DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS UNIFEMM REGIMENTO INTERNO DOS COLEGIADOS DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS UNIFEMM Sete Lagoas, 2010 2 REGIMENTO INTERNO DOS COLEGIADOS DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 002/2013-UNEMAT

INSTRUÇÃO NORMATIVA 002/2013-UNEMAT INSTRUÇÃO NORMATIVA 002/2013-UNEMAT Dispõe sobre o registro de ponto e controle de frequência dos servidores da Sede da Reitoria da Universidade do Estado de Mato Grosso. CONSIDERANDO o disposto no Decreto

Leia mais

Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014. Câmpus Restinga Maio, 2013. Desenvolvimento Institucional

Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014. Câmpus Restinga Maio, 2013. Desenvolvimento Institucional Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014 Câmpus Restinga Maio, 2013 Desenvolvimento Institucional APRESENTAÇÃO Ao iniciar uma conversa sobre planejamento, planos de ação e instrumentos afins,

Leia mais

REGULAMENTO HORÁRIO DE TRABALHO (Aprovado na reunião do Executivo Municipal de 10/12/2007)

REGULAMENTO HORÁRIO DE TRABALHO (Aprovado na reunião do Executivo Municipal de 10/12/2007) REGULAMENTO HORÁRIO DE TRABALHO (Aprovado na reunião do Executivo Municipal de 10/12/2007) CAPÍTULO I NORMAS GERAIS Artigo 1.º Legislação Habilitante Lei nº 23/2004, de 22 de Junho; Decreto-Lei nº 100/99.

Leia mais