OPINIÃO: CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PATRONAL E SUA INCIDÊNCIA SOBRE SERVIÇOS CONTRATADOS POR INTERMÉDIO DE MEI (MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OPINIÃO: CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PATRONAL E SUA INCIDÊNCIA SOBRE SERVIÇOS CONTRATADOS POR INTERMÉDIO DE MEI (MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL)"

Transcrição

1 OPIIÃO: COTRIBUIÇÃO PREVIDECIÁRIA PATROAL E UA ICIDÊCIA OBRE ERVIÇO COTRATADO POR ITERMÉDIO DE MEI (MICROEMPREEDEDOR IDIVIDUAL) A Receita Federal do Brasil (RFB) e o Conselho Gestor do imples acional (CG) emitiram recentemente atos administrativos regulando o art. 18- B da Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, que instituiu o Estatuto acional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, com a redação que lhe foi dada pela Lei Complementar 139, de 10 de novembro de Trata- se da Instrução ormativa RFB nº 1.453, de 24 de fevereiro de 2014 e da Resolução CG nº 113, de 27 de março de 2014, que deram nova interpretação à LC 123/2006, especificamente em relação à Contribuição Patronal Previdenciária (CPP) a cargo de empresas contratantes de Empresário Individual, enquadrado como MEI Microempreendedor Individual. O Empresário Individual 1, é uma pessoa ATURAL (a pessoa física, no Direito Tributário) que exerce atividade econômica organizada, ou seja, exerce atividade empresarial mas não é uma pessoa jurídica, respondendo pessoalmente pelas suas obrigações. A legislação apenas o equipara a uma pessoa jurídica, para determinados fins fiscais. 2 O MEI, por sua vez, é o regime tributário adotado pelo Empresário Individual, do tipo Microempresa (ME) 3, que tem receita bruta limitada a R$60 mil reais anuais ou R$5 mil reais mensais. omente pode exercer determinadas atividades, nos termos da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011 (anexa), não pode ter filial e nem participar de outras empresas, sendo permitido contar com o 1 Código Civil: Art Considera- se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços. Parágrafo único. ão se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa. 2 Decreto nº 3.000, de 26 de março de 1999 (Regulamento do Imposto de Renda RIR 99): Art As empresas individuais, para os efeitos do imposto de renda, são equiparadas às pessoas jurídicas (Decreto- Lei n º 1.706, de 23 de outubro de 1979, art. 2 º ). 1 º ão empresas individuais: I - as firmas individuais (Lei n º 4.506, de 1964, art. 41, 1 º, alínea "a"); 3 Art. 3º Para os efeitos desta Lei Complementar, consideram- se microempresas ou empresas de pequeno porte, a sociedade empresária, a sociedade simples, a empresa individual de responsabilidade limitada e o empresário a que se refere o art. 966 da Lei nº , de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), devidamente registrados no Registro de Empresas Mercantis ou no Registro Civil de Pessoas Jurídicas, conforme o caso, desde que: (...) Página 1 de 28

2 auxílio de um único empregado que receba o salário mínimo ou o piso salarial da categoria profissional. Existem três tipos de MEI, conforme o seguinte quadro: MEI optante pelo imei 4 sem empregado ão paga IRPJ, IPI, PI, Cofins e CLL. TRIBUTAÇÃO MEDIATE VALOR FIXO MEAL (independe da receita bruta mensal) : - Contribuição Previdenciária: R$ 36,20 (= 5% do salário mínimo) - ICM (comércio e indústria): R$ 1,00, se contribuinte. - I (prestadores de serviços): R$ 5,00, se contribuinte. - Complementação CP: 15% do salário mínimo (facultativo). MEI optante pelo imei com empregado ão paga IRPJ, IPI, PI, Cofins e CLL. TRIBUTAÇÃO MEDIATE VALOR FIXO MEAL (independe da receita bruta mensal): - Contribuição Previdenciária: R$ 36,20 (= 5% do salário mínimo) - ICM (comércio e indústria): R$ 1,00, se contribuinte. - I (prestadores de serviços): R$ 5,00, se contribuinte. - Complementação CP: 15% do salário mínimo (facultativo). - Contribuição Previdenciária Patronal (CPP): 3% sobre o salário - Contribuição Previdenciária do Empregado: 8% sobre o salário MEI optante pelo imples acional 5 Paga os seguintes impostos unificados sobre a receita bruta total mensal, com alíquotas conforme atividades e tabelas do imples acional: - IRPJ; - IPI; - CLL; - COFI; - PI/Pasep; - Contribuição Patronal Previdenciária CPP*; - ICM (comércio e indústria) e; - I (prestadores de serviços). (*exceto as que se dediquem à construção de imóveis e obras de engenharia em geral, inclusive sob a forma de subempreitada; execução de projetos e serviços de paisagismo; decoração de interiores e; serviço de vigilância, limpeza ou conservação). Assim sendo, nos termos da LC 123/2006 com a redação dada pela Lei Complementar nº 128, de 19 de dezembro de 2008, o contratante de serviços do Empresário Individual enquadrado como MEI não estava obrigado ao recolhimento da Contribuição Patronal Previdenciária (CPP), exceto no caso de contratação de determinados serviços, quais sejam, os de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos. Ocorre que a LC 139/2011 promoveu alterações na LC 123/2006, dentre as quais a efetuada no art. 18- B, levando a Receita Federal e o Comitê Gestor do imples a externar recente entendimento, por meio dos atos administrativos já citados, de 4 istema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos Abrangidos pelo imples acional. 5 Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Página 2 de 28

3 que esse artigo instituiu a tributação, pela Contribuição Previdenciária Patronal, da contratação, por empresa 6, de todo e qualquer serviço por intermédio do MEI. Comparando a redação da LC 123/2006, antes e depois da LC 139/2011, têm- se (grifo nosso): LC n o 123, de 14/12/2006 com a redação que lhe foi dada pela LC nº 128, de 19/12/ Vigência: A partir de 1 o de janeiro de LC n o 123, de 14/12/2006 com a redação que lhe foi dada pela LC nº 139, de 10/11/2011. Vigência: A partir de 11 de novembro de Art. 18- B. A empresa contratante de serviços executados por intermédio do MEI mantém, em relação a esta contratação, a obrigatoriedade de recolhimento da contribuição a que se refere o inciso III do caput e o 1º do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, e o cumprimento das obrigações acessórias relativas à contratação de contribuinte individual. Parágrafo único. Aplica- se o disposto neste artigo exclusivamente em relação ao MEI que for contratado para prestar serviços de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos. 1º Aplica- se o disposto no caput em relação ao MEI que for contratado para prestar serviços de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos. - 2 o O disposto no caput e no 1 o não se aplica quando presentes os elementos da relação de emprego, ficando a contratante sujeita a todas as obrigações dela decorrentes, inclusive trabalhistas, tributárias e previdenciárias. Assim, ao que tudo indica, a retirada da palavra exclusivamente no parágrafo que trata do MEI que preste serviços de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos foi determinante para o entendimento da Administração de que houve o surgimento de nova tributação, passando- se a aplicar o caput do art. 18- B para todo e qualquer serviço contratado por intermédio do MEI. 6 Lei 8.213, de 24/07/ Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência ocial e dá outras providências. Art. 14. Consideram- se: I - empresa - a firma individual ou sociedade que assume o risco de atividade econômica urbana ou rural, com fins lucrativos ou não, bem como os órgãos e entidades da administração pública direta, indireta ou fundacional; (...) Parágrafo único. Equipara- se a empresa, para os efeitos desta Lei, o contribuinte individual em relação a segurado que lhe presta serviço, bem como a cooperativa, a associação ou entidade de qualquer natureza ou finalidade, a missão diplomática e a repartição consular de carreira estrangeiras. (g.n.) Com o mesmo teor, confira o art. 15 da Lei 8.212, de 24/07/1991, que Dispõe sobre a Organização da eguridade ocial, Institui Plano de Custeio, e dá outras providências. Página 3 de 28

4 Eis os textos dos atos administrativos em questão, comparados com a redação até então vigente (grifo nosso): Instrução ormativa RFB nº 1.453, de 24/02/2014 Artigo vigente a partir de 25 de fevereiro de 2014 Art A empresa contratante de serviços executados por intermédio do MEI mantém, em relação a esta contratação, a obrigatoriedade de recolhimento da contribuição a que se referem o inciso III e o 5º do art. 72, bem como o cumprimento das obrigações acessórias relativas à contratação de contribuinte individual. 1º os termos do 1º do art. 18 da Lei Complementar nº 123, de 2006, com redação dada pela Lei Complementar nº 139, de 10 de novembro de 2011, aplica- se o disposto no caput: I - em relação ao MEI que for contratado para prestar serviços de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos a partir de 1º de julho de 2009; II - em relação aos demais serviços prestados por intermédio do MEI, a partir de 9 de fevereiro de Instrução ormativa RFB nº 971, de 13/11/2009 Artigo vigente até 24 de fevereiro de 2014 Art A empresa contratante de serviços executados por intermédio do MEI mantém, em relação a esta contratação, a obrigatoriedade de recolhimento da contribuição a que se referem o inciso III e o 5º do art. 72, bem como o cumprimento das obrigações acessórias relativas à contratação de contribuinte individual. 1º Aplica- se o disposto neste artigo exclusivamente em relação ao MEI que for contratado para prestar serviços de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos. 2º A obrigação da empresa de reter a contribuição do segurado contribuinte individual a seu serviço, descontando- a da respectiva remuneração, e a recolher na forma do art. 4º da Lei nº , de 8 de maio de 2003, não se aplica a este artigo. Obs. Retificação (Publicada no DOU de 10/04/2014, seção 1, pág. 34) o 1º do art. 201 da Instrução ormativa RFB nº 971, de 13 de novembro de 2009, alterado pelo art. 1º da Instrução ormativa RFB nº 1.453, de 24 de fevereiro de 2014, publicada nas páginas 77 a 80 da eção 1 da Edição do Diário Oficial da União (DOU) nº 39, de 25 de fevereiro de 2014: Onde se lê: Art. 201 (...) (...) 1º os termos do 1º do art. 18 da Lei Complementar nº 123, de 2006, com redação dada pela Lei Complementar nº 139, de 10 de novembro de 2011, aplica- se o disposto no caput: (...) Leia- se: Art. 201 (...) (...) 1º os termos do 1º do art. 18- B da Lei Complementar nº 123, de 2006, com redação dada pela Lei Complementar nº 139, de 10 de novembro de 2011, aplica- se o disposto no caput: (...) Página 4 de 28

5 Resolução CG nº 113, de 27 de março de 2014 Artigo vigente a partir de 31 de março de 2014 Art A. A empresa contratante de serviços executados por intermédio do MEI mantém, em relação a essa contratação, a obrigatoriedade apenas de recolhimento da CPP nos termos do inciso III do caput e do 1º do art. 22 da Lei nº 8.212, de 1991, e de cumprimento das obrigações acessórias relativas à contratação de contribuinte individual, na forma disciplinada pela RFB. (Lei Complementar nº 123, de 2006, art. 18- B) 1º O disposto no caput não se aplica quando presentes os elementos da relação de emprego, hipótese em que a contratante do MEI ou de trabalhador a serviço dele fica sujeita a todas as obrigações decorrentes dessa relação, inclusive trabalhistas, tributárias e previdenciárias. (Lei Complementar nº 123, de 2006, art. 2º, inciso I e 6º; art. 18- B, 2º) 2º O disposto no caput não se aplica também quando presentes os elementos da relação de emprego doméstico, hipótese em que o empregador doméstico contratante do MEI ou de trabalhador a serviço dele, fica sujeito a todas as obrigações decorrentes dessa relação, inclusive trabalhistas, tributárias e previdenciárias. (Lei Complementar nº 123, de 2006, art. 2º, inciso I e 6º; Lei nº 8.212, de 1991, art. 24, parágrafo único)." Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011 Artigo Vigente até 30 de março de 2014 Art O MEI não poderá realizar cessão ou locação de mão- de- obra. 1 º Cessão ou locação de mão- de- obra é a colocação à disposição da empresa contratante, em suas dependências ou nas de terceiros, de trabalhadores, inclusive o MEI, que realizem serviços contínuos relacionados ou não com sua atividade fim, quaisquer que sejam a natureza e a forma de contratação. 2 º Dependências de terceiros são aquelas indicadas pela empresa contratante, que não sejam as suas próprias e que não pertençam à empresa prestadora dos serviços. 3 º erviços contínuos são aqueles que constituem necessidade permanente da contratante, que se repetem periódica ou sistematicamente, ligados ou não a sua atividade fim, ainda que sua execução seja realizada de forma intermitente ou por diferentes trabalhadores. 4 º Por colocação à disposição da empresa contratante, entende- se a cessão do trabalhador, em caráter não eventual, respeitados os limites do contrato. 5 º A vedação de que trata o caput não se aplica à prestação de serviços de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos. 6 º a hipótese do 5 º, a empresa contratante de serviços executados por intermédio do MEI deverá, com relação a esta contratação: (Lei Complementar n º 123, de 2006, art. 18- B, caput e 1 º ) I - recolher a CPP a que se refere o inciso III do caput e o 1 º, ambos do art. 22 da Lei n º 8.212, de 1991; II - prestar as informações de que trata o inciso IV do art. 32 da Lei n º 8.212, de 1991; III - cumprir as demais obrigações acessórias relativas à contratação de contribuinte individual. 7 º O disposto no 6 º aplica- se a qualquer forma de contratação, inclusive por empreitada. 8 º Quando presentes os elementos: I - da relação de emprego, a contratante do MEI ou de trabalhador a serviço deste ficará sujeita a todas as obrigações dela decorrentes, inclusive trabalhistas, tributárias e previdenciárias. II - da relação de emprego doméstico, o empregador doméstico não poderá contratar MEI ou trabalhador a serviço deste, sob pena de ficar sujeito a todas as obrigações dela decorrentes, inclusive trabalhistas, tributárias e previdenciárias. Página 5 de 28

6 Dessa forma, segundo tal interpretação, os contratantes de serviços do Empresário Individual sob o regime de Microempreendedor Individual MEI, devem recolher a Contribuição Previdenciária Patronal (CPP) à alíquota de 20% (vinte por cento) sobre a remuneração pactuada com o prestador de serviços, tal como ocorre com a contratação dos demais contribuintes individuais (anteriormente chamados de autônomos ), além da contribuição adicional devida por determinados tipos de contratantes. 7 Mesmo sendo recente tal regulamentação, a Receita Federal determinou o recolhimento da CPP sobre as contratações de serviços de MEI efetuadas a partir de 09 de fevereiro de 2012, ou seja, após 90 dias da publicação da nova redação da LC 123/2006 (princípio constitucional tributário da anterioridade nonagesimal 8 ). ote- se que o contratante do MEI que exerce atividade ligada ao comércio e a indústria ou seja, que não seja prestador de serviço, conforme lista anexa, não está sujeito ao pagamento da CPP em relação a tais contratações, tanto pela própria natureza jurídica de tais atividades quanto pelo fato de que a atual redação da LC 123/2006 tratou somente da CPP para prestadores de serviços. Entendemos que podem haver questionamentos judiciais quanto à inconstitucionalidade 9 dos efeitos retroativos 10 dados pela Instrução ormativa 7 Como os bancos comerciais, bancos de investimentos, bancos de desenvolvimento, caixas econômicas, sociedades de crédito, financiamento e investimento, sociedades de crédito imobiliário, sociedades corretoras, distribuidoras de títulos e valores mobiliários, empresas de arrendamento mercantil, cooperativas de crédito, empresas de seguros privados e de capitalização, agentes autônomos de seguros privados e de crédito e entidades de previdência privada abertas e fechadas. 8 CF 88. Art em prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: (...) III cobrar tributos: (...) b) no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou; c) antes de decorridos noventa dias da data em que haja sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou, observado o disposto na alínea b; (g.n.) CF 88 Art A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e das seguintes contribuições sociais: I do empregador, da empresa e da entidade a ela equiparada na forma da lei, incidentes sobre: a) a folha de salários e demais rendimentos do trabalho pagos ou creditados, a qualquer título, à pessoa física que lhe preste serviço, mesmo sem vínculo empregatício; b) a receita ou o faturamento; c) o lucro; (...) 6º As contribuições sociais de que trata este artigo só poderão ser exigidas após decorridos noventa dias da data da publicação da lei que as houver instituído ou modificado, não se lhes aplicando o disposto no art. 150, III, b. (g.n.) 9 Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo- se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: ( ) XL - a lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu; (...) XXXVI - a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada; 10 Código Tributário acional. Art A modificação introduzida, de ofício ou em consequência de decisão administrativa ou judicial, nos critérios jurídicos adotados pela autoridade administrativa no exercício do lançamento somente pode ser efetivada, em relação a um mesmo sujeito passivo, quanto a fato gerador ocorrido posteriormente à sua introdução. (g.n.) Página 6 de 28

7 RFB nº 1.453/2014, em função de quebra dos princípios da segurança jurídica, da retroatividade benéfica, da boa fé e da confiança 11, dentre outros, já que a instrução normativa anterior (I RFB 971/2009) manteve- se inalterada após a edição da LC 139/2011 até o dia 24 de fevereiro de Do mesmo modo ocorreu com a Resolução do CG, cuja alteração foi publicada somente em 31 de março de Por fim, deve ser ressaltado que a imprensa noticiou recentemente que o próprio Governo Federal é contrário ao entendimento da Receita Federal, conforme declarações do Ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, o qual estaria cuidando do caso junto à Presidência da República e ao Ministério da Fazenda. 13 o entanto, vê- se que a LC 139/2011 é oriunda do PL 87- A/2011, proposto justamente pela Presidência da República. a mensagem de encaminhamento do referido PL ao Congresso acional, a Presidência da República justifica a alteração do art. 18- B da LC 123/2006 nos seguintes termos: A alteração do artigo 18- B visa evitar a contratação indevida de MEI, para os casos em que na realidade se contrata um empregado. ão vemos, porém, como a instituição da contribuição previdenciária para os contratantes de MEI possa alcançar o objetivo disposto em tal justificativa, já que: (i) ainda assim, a contratação do MEI continuaria a ser mais vantajosa economicamente do que a contratação de um empregado e; (ii) independente de tal modificação, a relação de emprego que se forma obrigatoriamente quando presentes os requisitos previstos na CLT Consolidação das Leis Trabalhistas - uma vez reconhecida judicialmente, já implica na obrigatoriedade de pagamento de todas as verbas trabalhistas e previdenciárias. 11 Código Tributário acional. Art ão normas complementares das leis, dos tratados e das convenções internacionais e dos decretos: (...) III - as práticas reiteradamente observadas pelas autoridades administrativas; (...) Parágrafo único. A observância das normas referidas neste artigo exclui a imposição de penalidades, a cobrança de juros de mora e a atualização do valor monetário da base de cálculo do tributo. (g.n.) 12 Por outro lado, provavelmente a Receita Federal contra argumentará no sentido de que a atual instrução normativa foi meramente interpretativa de uma lei preexistente, tendo o objetivo apenas de explicitar seu sentido e fixar o entendimento da administração tributária sobre a Lei 123/2006, com a redação que lhe foi dada pela LC 139/2011, a qual já se encontrava em vigor desde 09 de fevereiro de Cf. e- negocios/microempreendedor- vira- imbroglio- dentro- do- governo Página 7 de 28

8 Assim sendo, enquanto não alterado o quadro atual, concluímos que: 1. Deve ser feito o recolhimento da CPP na contratação de serviços de empresários individuais enquadrados como MEI, a partir de 25 de fevereiro de Em relação à contratação de serviços de empresários individuais enquadrados como MEI, efetuadas entre 09 de fevereiro de 2012 e 24 de fevereiro de 2014, a contratante pode optar por: a) acatar o entendimento da RFB e efetuar o recolhimento da CPP com os acréscimos legais; b) não acatar o entendimento da RFB e defender- se administrativamente em caso de autuação; c) não acatar o entendimento da RFB e propor Ação Judicial, eventualmente depositando os valores discutidos em Juízo. É nossa opinião. Alessandra Drummond 14 Com a colaboração de Thiago A. Feital Advogada, sócia do escritório Drummond & eumayr Advocacia, o qual atua na área do Direito do Entretenimento, e da empresa Artmanagers, especializada em Gestão de Projetos de Entretenimento e Incentivos Fiscais. 15 Graduando em Direito pela UFMG. Página 8 de 28

9 Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/2012) (Alterado pela Resolução CG nº 111, de 11 de dezembro de 2013) (Vide art. 6º, I da Res. CG nº 111/2013) (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE /01 ABATE DE AVE ABATEDOR(A) DE AVE COM /00 COMÉRCIO VAREJITA DE HORTIFRUTIGRAJEIRO COMERCIALIZAÇÃO DO PRODUTO ACABADOR(A) DE CALÇADO /02 ACABAMETO DE CALÇADO DE COURO OB COTRATO AÇOUGUEIRO(A) /01 COMÉRCIO VAREJITA DE CARE - AÇOUGUE ADETRADOR(A) DE AIMAI /03 ALOJAMETO, HIGIEE E EMBELEZAMETO DE AIMAI ADETRADOR(A) DE CÃE DE GUARDA /02 ERVIÇO DE ADETRAMETO DE CÃE DE GUARDA AGETE DE CORREIO FRAQUEADO E /02 ATIVIDADE DE FRAQUEADA DO CORREIO PERMIIOÁRIO ACIOAL AGETE DE VIAGE /00 AGÊCIA DE VIAGE AGETE FUERÁRIO /04 ERVIÇO DE FUERÁRIA AGETE MATRIMOIAL /02 AGÊCIA MATRIMOIAI ALFAIATE /02 COFECÇÃO, OB MEDIDA, DE PEÇA DO VETUÁRIO, EXCETO ROUPA ÍTIMA ALIHADOR(A) DE PEU /04 ERVIÇO DE ALIHAMETO E BALACEAMETO DE VEÍCULO AUTOMOTORE AMOLADOR(A) DE ARTIGO DE /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO CUTELARIA E EQUIPAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE AIMADOR(A) DE FETA /99 OUTRA ATIVIDADE DE RECREAÇÃO E LAZER ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE ATIQUÁRIO(A) /01 COMÉRCIO VAREJITA DE ATIGUIDADE APLICADOR(A) AGRÍCOLA /01 ERVIÇO DE PULVERIZAÇÃO E COTROLE DE PRAGA AGRÍCOLA APURADOR(A), COLETOR(A) E /00 OUTRA ATIVIDADE DE PRETAÇÃO DE ERVIÇO FORECEDOR(A) DE RECORTE DE DE IFORMAÇÃO ÃO EPECIFICADA MATÉRIA PUBLICADA EM JORAI E ATERIORMETE REVITA ARMADOR(A) DE FERRAGE A /01 ERVIÇO DE COFECÇÃO DE ARMAÇÕE COTRUÇÃO CIVIL METÁLICA PARA A COTRUÇÃO ARQUIVITA DE DOCUMETO /00 ERVIÇO COMBIADO DE ECRITÓRIO E APOIO ADMIITRATIVO ARTEÃO(Ã) DE BIJUTERIA /00 FABRICAÇÃO DE BIJUTERIA E ARTEFATO EMELHATE ARTEÃO(Ã) EM BORRACHA /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE BORRACHA ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM CERÂMICA /99 FABRICAÇÃO DE PRODUTO CERÂMICO ÃO- REFRATÁRIO ÃO EPECIFICADO Página 9 de 28

10 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM CIMETO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO ARTEFATO E PRODUTO DE COCRETO, CIMETO, FIBROCIMETO, GEO E MATERIAI EMELHATE ARTEÃO(Ã) EM CORTIÇA, BAMBU E AFI /02 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DIVERO DE CORTIÇA, BAMBU, PALHA, VIME E OUTRO MATERIAI TRAÇADO, EXCETO MÓVEI ARTEÃO(Ã) EM COURO /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE COURO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM GEO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO ARTEFATO E PRODUTO DE COCRETO, CIMETO, FIBROCIMETO, GEO E MATERIAI EMELHATE ARTEÃO(Ã) EM LOUÇA, VIDRO E /01 DECORAÇÃO, LAPIDAÇÃO, GRAVAÇÃO, CRITAL VITRIFICAÇÃO E OUTRO TRABALHO EM CERÂMICA, LOUÇA, VIDRO E CRITAL ARTEÃO(Ã) EM MADEIRA /01 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DIVERO DE MADEIRA, EXCETO MÓVEI ARTEÃO(Ã) EM MÁRMORE, GRAITO, ARDÓIA E OUTRA PEDRA /03 APARELHAMETO DE PLACA E EXECUÇÃO DE TRABALHO EM MÁRMORE, GRAITO, ARDÓIA E OUTRA PEDRA ARTEÃO(Ã) EM METAI /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO DE METAL ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM METAI PRECIOO /02 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE JOALHERIA E OURIVEARIA ARTEÃO(Ã) EM OUTRO MATERIAI /99 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DIVERO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM PAPEL /00 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PATA CELULÓICA, PAPEL, CARTOLIA, PAPEL- CARTÃO E PAPELÃO ODULADO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM PLÁTICO /99 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE MATERIAL PLÁTICO PARA OUTRO UO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM VIDRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO DE VIDRO ATRÓLOGO(A) /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE AZULEJITA /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIORE E EXTERIORE BALACEADOR(A) DE PEU /04 ERVIÇO DE ALIHAMETO E BALACEAMETO DE VEÍCULO AUTOMOTORE BALEIRO(A) /04 COMÉRCIO VAREJITA DE DOCE, BALA, BOMBO E EMELHATE BAHITA DE AIMAI DOMÉTICO /03 ALOJAMETO, HIGIEE E EMBELEZAMETO DE AIMAI BARBEIRO(A) /01 CABELEIREIRO BARQUEIRO(A) /99 OUTRO TRAPORTE AQUAVIÁRIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE BARRAQUEIRO(A) /00 COMÉRCIO VAREJITA DE MERCADORIA EM GERAL, COM PREDOMIÂCIA DE PRODUTO ALIMETÍCIO - MIIMERCADO, MERCEARIA E ARMAZÉ BEEFICIADOR(A) DE CATAHA /00 FABRICATE DE COERVA DE FRUTA BIKEBOY (CICLITA MEAGEIRO) /02 ERVIÇO DE ETREGA RÁPIDA BIKE PROPAGADITA /99 OUTRA ATIVIDADE DE PUBLICIDADE ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE Página 10 de 28

11 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM BOLACHEIRO(A)/BICOITEIRO(A) /00 FABRICAÇÃO DE BICOITO E BOLACHA BOMBEIRO(A) HIDRÁULICO /01 ITALAÇÕE HIDRÁULICA, AITÁRIA E DE GÁ BOELEIRO(A) (FABRICATE DE BOÉ) /00 FABRICAÇÃO DE ACEÓRIO DO VETUÁRIO, EXCETO PARA EGURAÇA E PROTEÇÃO BORDADEIRO(A) /99 OUTRO ERVIÇO DE ACABAMETO EM FIO, TECIDO, ARTEFATO TÊXTEI E PEÇA DO VETUÁRIO BORRACHEIRO(A) /06 ERVIÇO DE BORRACHARIA PARA VEÍCULO AUTOMOTORE BRITADOR /01 BRITAMETO DE PEDRA, EXCETO AOCIADO À EXTRAÇÃO CABELEIREIRO(A) /01 CABELEIREIRO CALAFETADOR(A) /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIORE E EXTERIORE CALHEIRO (A) (Incluído pela Res. CG /99 ERVIÇO EPECIALIZADO PARA COTRUÇÃO nº 104, de 12 de dezembro de 2012) ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE CAMIHOEIRO(A) DE CARGA ÃO /02 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA, EXCETO PERIGOA PRODUTO PERIGOO E MUDAÇA, ITERMUICIPAL, ITERETADUAL E ITERACIOAL CAMIHOEIRO (A) DE CARGA ÃO PERIGOA, ITERMUICIPAL E ITERETADUAL (Redação dada pela Res.CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) /02 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA, EXCETO PRODUTO PERIGOO E MUDAÇA, ITERMUICIPAL, ITERETADUAL E ITERACIOAL CATOR(A)/MÚICO(A) IDEPEDETE /02 PRODUÇÃO MUICAL CAPOTEIRO(A) /08 ERVIÇO DE CAPOTARIA CARPITEIRO(A) /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO ARTIGO DE CARPITARIA PARA COTRUÇÃO CARPITEIRO(A) ITALADOR(A) /02 ITALAÇÃO DE PORTA, JAELA, TETO, DIVIÓRIA E ARMÁRIO EMBUTIDO DE QUALQUER MATERIAL CARREGADOR (VEÍCULO DE /00 CARGA E DECARGA TRAPORTE TERRETRE) CARREGADOR DE MALA /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE CARROCEIRO - COLETA DE ETULHO E /00 COLETA DE REÍDUO ÃO- PERIGOO REÍDUO CARROCEIRO - TRAPORTE DE CARGA /01 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA, EXCETO PRODUTO PERIGOO E MUDAÇA, MUICIPAL CARROCEIRO - TRAPORTE DE /04 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE MUDAÇA MUDAÇA CARTAZITA, PITOR DE FAIXA /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PRETADO PUBLICITÁRIA E DE LETRA PRICIPALMETE À EMPREA ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE CHAPELEIRO(A) /00 FABRICAÇÃO DE ACEÓRIO DO VETUÁRIO, EXCETO PARA EGURAÇA E PROTEÇÃO CHAVEIRO(A) /02 CHAVEIRO CHOCOLATEIRO(A) /01 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DERIVADO DO CACAU E DE CHOCOLATE CHURRAQUEIRO(A) AMBULATE /00 ERVIÇO AMBULATE DE ALIMETAÇÃO Página 11 de 28

12 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM CHURRAQUEIRO(A) EM DOMICÍLIO /02 ERVIÇO DE ALIMETAÇÃO PARA EVETO E RECEPÇÕE - BUFÊ CLICHERITA /00 ERVIÇO DE PRÉ- IMPREÃO COBRADOR(A) DE DÍVIDA /00 ATIVIDADE DE COBRAÇA E IFORMAÇÕE CADATRAI COLCHOEIRO(A) /00 FABRICAÇÃO DE COLCHÕE COLETOR DE REÍDUO ÃO- PERIGOO /00 COLETA DE REÍDUO ÃO- PERIGOO COLETOR DE REÍDUO PERIGOO /00 COLETA DE REÍDUO PERIGOO COLOCADOR(A) DE PIERCIG /06 ERVIÇO DE TATUAGEM E COLOCAÇÃO DE PIERCIG COLOCADOR(A) DE REVETIMETO /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIORE E EXTERIORE COMERCIATE DE IETICIDA E /05 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO AEATE RATICIDA DOMIAITÁRIO COMERCIATE DE PRODUTO PARA /05 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO AEATE PICIA DOMIAITÁRIO COMERCIATE DE AIMAI VIVO E DE /04 COMÉRCIO VAREJITA DE AIMAI VIVO E DE ARTIGO E ALIMETO PARA AIMAI DE ETIMAÇÃO ARTIGO E ALIMETO PARA AIMAI DE ETIMAÇÃO COMERCIATE DE ARTIGO DE /02 COMERCIO VAREJITA DE ARTIGO DE ARMARIHO ARMARIHO COMERCIATE DE ARTIGO DE BEBÊ /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO DE CAÇA, /04 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE CAÇA, PECA PECA E CAMPIG E CAMPIG COMERCIATE DE ARTIGO DE CAMA, /03 COMERCIO VAREJITA DE ARTIGO DE CAMA, MEA E BAHO MEA E BAHO COMERCIATE DE ARTIGO DE COLCHOARIA /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE COLCHOARIA COMERCIATE DE ARTIGO DE CUTELARIA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE UO PEOAL E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE /03 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE ILUMIAÇÃO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE JOALHERIA COMERCIATE DE ARTIGO DE ILUMIAÇÃO COMERCIATE DE ARTIGO DE JOALHERIA COMERCIATE DE ARTIGO DE ÓPTICA /00 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE ÓPTICA COMERCIATE DE ARTIGO DE /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE RELOJOARIA RELOJOARIA COMERCIATE DE ARTIGO DE /01 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE TAPEÇARIA, TAPEÇARIA, CORTIA E PERIAA CORTIA E PERIAA COMERCIATE DE ARTIGO DE VIAGEM /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE VIAGEM COMERCIATE DE ARTIGO DO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DO VETUÁRIO VETUÁRIO E ACEÓRIO E ACEÓRIO COMERCIATE DE ARTIGO ERÓTICO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO EPORTIVO /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO EPORTIVO COMERCIATE DE ARTIGO FOTOGRÁFICO E PARA FILMAGEM COMERCIATE DE ARTIGO FUERÁRIO / /99 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO FOTOGRÁFICO E PARA FILMAGEM COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE Página 12 de 28

13 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM COMERCIATE DE ARTIGO MÉDICO E /00 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO MÉDICO E ORTOPÉDICO ORTOPÉDICO COMERCIATE DE ARTIGO PARA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE HABITAÇÃO UO PEOAL E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO UADO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO UADO COMERCIATE DE BEBIDA /00 COMÉRCIO VAREJITA DE BEBIDA COMERCIATE DE BICICLETA E /03 COMÉRCIO VAREJITA DE BICICLETA E TRICICLO; TRICICLO; PEÇA E ACEÓRIO PEÇA E ACEÓRIO COMERCIATE DE UVEIRE, /01 COMÉRCIO VAREJITA DE UVEIRE, BIJUTERIA E BIJUTERIA E ARTEAATO ARTEAATO COMERCIATE DE BRIQUEDO E /01 COMÉRCIO VAREJITA DE BRIQUEDO E ARTIGO ARTIGO RECREATIVO RECREATIVO COMERCIATE DE CAL, AREIA, PEDRA /04 COMÉRCIO VAREJITA DE CAL, AREIA, PEDRA BRITADA, TIJOLO E TELHA BRITADA, TIJOLO E TELHA COMERCIATE DE CALÇADO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE CALÇADO COMERCIATE DE CARVÃO E LEHA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE CETA DE CAFÉ DA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO MAHÃ ALIMETÍCIO EM GERAL OU EPECIALIZADO EM PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE COMÉTICO E /00 COMÉRCIO VAREJITA DE COMÉTICO, PRODUTO ARTIGO DE PERFUMARIA DE PERFUMARIA E DE HIGIEE PEOAL COMERCIATE DE DICO, CD, DVD E /00 COMÉRCIO VAREJITA DE DICO, CD, DVD E FITA FITA COMERCIATE DE ELETRODOMÉTICO E EQUIPAMETO DE ÁUDIO E VÍDEO /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE ELETRODOMÉTICO E EQUIPAMETO DE ÁUDIO E VÍDEO COMERCIATE DE EMBALAGE /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE EQUIPAMETO DE /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE TELEFOIA E COMUICAÇÃO EQUIPAMETO DE TELEFOIA E COMUICAÇÃO COMERCIATE DE EQUIPAMETO E /01 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE UPRIMETO DE IFORMÁTICA EQUIPAMETO E UPRIMETO DE IFORMÁTICA COMERCIATE DE EQUIPAMETO E /01 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE UPRIMETO DE IFORMÁTICA (Redação dada pela Res.CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) COMERCIATE DE EQUIPAMETO PARA ECRITÓRIO COMERCIATE DE EXTITORE DE ICÊDIO COMERCIATE DE FERRAGE E FERRAMETA COMERCIATE DE FLORE, PLATA E FRUTA ARTIFICIAI EQUIPAMETO E UPRIMETO DE IFORMÁTICA /07 COMÉRCIO VAREJITA DE EQUIPAMETO PARA ECRITÓRIO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE /01 COMÉRCIO VAREJITA DE FERRAGE E FERRAMETA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE FOGO DE ARTIFÍCIO /06 COMÉRCIO VAREJITA DE FOGO DE ARTIFÍCIO E ARTIGO PIROTÉCICO COMERCIATE DE GÁ LIQUEFEITO DE /00 COMÉRCIO VAREJITA DE GÁ LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) PETRÓLEO (GLP) COMERCIATE DE ITRUMETO /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE MUICAI E ACEÓRIO ITRUMETO MUICAI E ACEÓRIO COMERCIATE DE LATICÍIO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE LATICÍIO E FRIO Página 13 de 28

14 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM COMERCIATE DE LUBRIFICATE /00 COMÉRCIO VAREJITA DE LUBRIFICATE COMERCIATE DE MADEIRA E /02 COMÉRCIO VAREJITA DE MADEIRA E ARTEFATO ARTEFATO COMERCIATE DE MATERIAI DE /99 COMÉRCIO VAREJITA DE MATERIAI DE COTRUÇÃO EM GERAL COTRUÇÃO EM GERAL COMERCIATE DE MATERIAI /03 COMÉRCIO VAREJITA DE MATERIAI HIDRÁULICO HIDRÁULICO COMERCIATE DE MATERIAL ELÉTRICO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE MATERIAL ELÉTRICO COMERCIATE DE MEDICAMETO /04 COMÉRCIO VAREJITA DE MEDICAMETO VETERIÁRIO VETERIÁRIO COMERCIATE DE MIUDEZA E /02 LOJA DE VARIEDADE, EXCETO LOJA DE QUIQUILHARIA DEPARTAMETO OU MAGAZIE COMERCIATE DE MOLDURA E /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO QUADRO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE MÓVEI /01 COMÉRCIO VAREJITA DE MÓVEI COMERCIATE DE OBJETO DE ARTE /03 COMÉRCIO VAREJITA DE OBJETO DE ARTE COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO /03 COMÉRCIO A VAREJO DE PEÇA E ACEÓRIO OVO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE OVO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE PEÇA E PARA APARELHO ELETROELETRÔICO PARA UO DOMÉTICO ACEÓRIO PARA APARELHO ELETROELETRÔICO PARA UO DOMÉTICO, EXCETO IFORMÁTICA E COMUICAÇÃO COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO /05 COMÉRCIO A VAREJO DE PEÇA E ACEÓRIO PARA MOTOCICLETA E MOTOETA PARA MOTOCICLETA E MOTOETA COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO /04 COMÉRCIO A VAREJO DE PEÇA E ACEÓRIO UADO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE UADO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE COMERCIATE DE PERUCA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE PLATA, FLORE /02 COMÉRCIO VAREJITA DE PLATA E FLORE ATURAI, VAO E ADUBO ATURAI COMERCIATE DE PEUMÁTICO E /05 COMÉRCIO A VAREJO DE PEUMÁTICO E CÂMARA- DE- AR CÂMARA- DE- AR COMERCIATE DE PRODUTO DE /00 COMÉRCIO VAREJITA DE COMÉTICO, PRODUTO HIGIEE PEOAL DE PERFUMARIA E DE HIGIEE PEOAL COMERCIATE DE PRODUTO DE /05 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO AEATE LIMPEZA DOMIAITÁRIO COMERCIATE DE PRODUTO DE /02 PADARIA E COFEITARIA COM PREDOMIÂCIA PAIFICAÇÃO DE REVEDA COMERCIATE DE PRODUTO DE /01 TABACARIA TABACARIA COMERCIATE DE PRODUTO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO FARMACÊUTICO HOMEOPÁTICO FARMACÊUTICO HOMEOPÁTICO COMERCIATE DE PRODUTO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO FARMACÊUTICO, EM MAIPULAÇÃO DE FÓRMULA FARMACÊUTICO, EM MAIPULAÇÃO DE FÓRMULA COMERCIATE DE PRODUTO ATURAI /99 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO ALIMETÍCIO EM GERAL OU EPECIALIZADO EM PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE PRODUTO PARA FETA E ATAL /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE PRODUTO RELIGIOO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE Página 14 de 28

15 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM COMERCIATE DE REDE PARA DORMIR /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ITEMA DE /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE EGURAÇA REIDECIAL UO PEOAL E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE TECIDO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE TECIDO COMERCIATE DE TITA E MATERIAI /00 COMÉRCIO VAREJITA DE TITA E MATERIAI PARA PITURA PARA PITURA COMERCIATE DE TOLDO E PAPEL DE /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE PAREDE UO PEOAL E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE VIDRO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE VIDRO COMPOTEIRO(A) /00 FABRICAÇÃO DE COERVA DE FRUTA COFECCIOADOR(A) DE CARIMBO /02 FABRICAÇÃO DE CAETA, LÁPI E OUTRO ARTIGO PARA ECRITÓRIO COFECCIOADOR(A) DE FRALDA /01 FABRICAÇÃO DE FRALDA DECARTÁVEI DECARTÁVEI COFEITEIRO(A) /02 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PAIFICAÇÃO IDUTRIAL COFEITEIRO(A) /02 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PADARIA E (Retificado no DOU de 13/02/2012, eção 1, pág. 71) COFEITARIA COM PREDOMIÂCIA DE PRODUÇÃO PRÓPRIA COTADOR(A)/TÉCICO(A) COTÁBIL /01 ATIVIDADE DE COTABILIDADE COTUREIRO(A) DE ROUPA, EXCETO OB MEDIDA /01 COFECÇÃO DE PEÇA DE VETUÁRIO, EXCETO ROUPA ÍTIMA E A COFECCIOADA OB MEDIDA COFECÇÃO, OB MEDIDA, DE PEÇA DO VETUÁRIO, EXCETO ROUPA ÍTIMA COTUREIRO(A) DE ROUPA, OB /02 MEDIDA COVEIRO /03 ERVIÇO DE EPULTAMETO COZIHEIRO(A) QUE FORECE REFEIÇÕE PROTA E EMBALADA PARA COUMO /04 FORECIMETO DE ALIMETO PREPARADO PREPODERATEMETE PARA COUMO DOMICILIAR CRIADOR(A) DE AIMAI DOMÉTICO /02 CRIAÇÃO DE AIMAI DE ETIMAÇÃO CRIADOR(A) DE PEIXE ORAMETAI /04 CRIAÇÃO DE PEIXE ORAMETAI EM ÁGUA EM ÁGUA DOCE DOCE CRIADOR(A) DE PEIXE ORAMETAI /04 CRIAÇÃO DE PEIXE ORAMETAI EM ÁGUA EM ÁGUA ALGADA ALGADA E ALOBRA CROCHETEIRO(A) /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO DO VETUÁRIO, PRODUZIDO EM MALHARIA E TRICOTAGE, EXCETO MEIA CUIDADOR(A) DE IDOO E EFERMO /00 ATIVIDADE DE FORECIMETO DE IFRA- ETRUTURA DE APOIO E AITÊCIA A PACIETE O DOMICÍLIO CUHADOR(A) DE MOEDA E /03 CUHAGEM DE MOEDA E MEDALHA MEDALHA CURTIDOR DE COURO /00 CURTIMETO E OUTRA PREPARAÇÕE DE COURO CUTOMIZADOR(A) DE ROUPA /99 OUTRO ERVIÇO DE ACABAMETO EM FIO, TECIDO, ARTEFATO TÊXTEI E PEÇA DO VETUÁRIO DEDETIZADOR(A) /00 IMUIZAÇÃO E COTROLE DE PRAGA URBAA DEPILADOR(A) /02 ATIVIDADE DE ETÉTICA E OUTRO ERVIÇO DE CUIDADO COM A BELEZA Página 15 de 28

16 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM DIGITADOR(A) /99 PREPARAÇÃO DE DOCUMETO E ERVIÇO EPECIALIZADO DE APOIO ADMIITRATIVO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE DIC JOCKEY (DJ) OU VIDEO JOCKEY (VJ) /06 ATIVIDADE DE OORIZAÇÃO E DE ILUMIAÇÃO DITRIBUIDOR(A) DE ÁGUA POTÁVEL EM /02 DITRIBUIÇÃO DE ÁGUA POR CAMIHÕE CAMIHÃO PIPA DOCEIRO(A) /04 FORECIMETO DE ALIMETO PREPARADO PREPODERATEMETE PARA COUMO DOMICILIAR DUBLADOR(A) /01 ERVIÇO DE DUBLAGEM EDITOR(A) DE JORAI /00 EDIÇÃO DE JORAI EDITOR(A) DE LITA DE DADO E DE /00 EDIÇÃO DE CADATRO, LITA E DE OUTRO OUTRA IFORMAÇÕE PRODUTO GRÁFICO EDITOR(A) DE LIVRO /00 EDIÇÃO DE LIVRO EDITOR(A) DE REVITA /00 EDIÇÃO DE REVITA EDITOR(A) DE VÍDEO /99 ATIVIDADE DE PÓ- PRODUÇÃO CIEMATOGRÁFICA, DE VÍDEO E DE PROGRAMA DE TELEVIÃO ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE ELETRICITA DE AUTOMÓVEI /03 ERVIÇO DE MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO ELÉTRICA DE VEÍCULO AUTOMOTORE ELETRICITA EM REIDÊCIA E /00 ITALAÇÃO E MAUTEÇÃO ELÉTRICA ETABELECIMETO COMERCIAI ECADERADOR(A)/PLATIFICADOR(A) /01 ERVIÇO DE ECADERAÇÃO E PLATIFICAÇÃO ECAADOR /01 ITALAÇÕE HIDRÁULICA, AITÁRIA E DE GÁ EGRAXATE /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE ETREGADOR DE MALOTE /01 ERVIÇO DE MALOTE ÃO REALIZADO PELO CORREIO ACIOAL EVAADOR(A) E EMPACOTADOR(A) /00 EVAAMETO E EMPACOTAMETO OB COTRATO ETAMPADOR(A) DE PEÇA DO /01 ETAMPARIA E TEXTURIZAÇÃO EM FIO, TECIDO, VETUÁRIO ARTEFATO TÊXTEI E PEÇA DO VETUÁRIO ETETICITA /02 ATIVIDADE DE ETÉTICA E OUTRO ERVIÇO DE CUIDADO COM A BELEZA ETETICITA DE AIMAI DOMÉTICO /03 ALOJAMETO, HIGIEE E EMBELEZAMETO DE AIMAI ETOFADOR(A) /05 REPARAÇÃO DE ARTIGO DO MOBILIÁRIO FABRICATE DE ABORVETE /02 FABRICAÇÃO DE ABORVETE HIGIÊICO HIGIÊICO FABRICATE DE AÇÚCAR MACAVO /00 FABRICAÇÃO DE AÇÚCAR EM BRUTO FABRICATE DE AMEDOIM E /00 FABRICATE DE COERVA DE FRUTA CATAHA DE CAJU TORRADO E ALGADO FABRICATE DE ÁGUA ATURAI /99 FABRICAÇÃO DE OUTRA BEBIDA ÃO- ALCOÓLICA ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE FABRICATE DE ALIMETO PROTO /00 FABRICAÇÃO DE ALIMETO E PRATO PROTO COGELADO FABRICATE DE AMIDO E FÉCULA DE VEGETAI /01 FABRICAÇÃO DE AMIDO E FÉCULA DE VEGETAI Página 16 de 28

17 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM FABRICATE DE ARTEFATO DE FUILARIA FABRICATE DE ARTEFATO ETAMPADO DE METAL FABRICATE DE ARTEFATO ETAMPADO DE METAL, OB ECOMEDA OU ÃO (Redação dada pela Res. CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) FABRICATE DE ARTEFATO PARA PECA E EPORTE FABRICATE DE ARTEFATO TÊXTEI PARA UO DOMÉTICO /01 PRODUÇÃO DE ARTEFATO ETAMPADO DE METAL /01 PRODUÇÃO DE ARTEFATO ETAMPADO DE METAL /01 PRODUÇÃO DE ARTEFATO ETAMPADO DE METAL /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO PARA PECA E EPORTE /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO TÊXTEI PARA UO DOMÉTICO FABRICATE DE ARTIGO DE CUTELARIA /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO DE CUTELARIA FABRICATE DE AVIAMETO PARA /05 FABRICAÇÃO DE AVIAMETO PARA COTURA COTURA FABRICATE DE BALA, COFEITO E /02 FABRICAÇÃO DE FRUTA CRITALIZADA, BALA E FRUTA CRITALIZADA EMELHATE FABRICATE DE BOLA/BOLEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO PARA VIAGEM, BOLA E EMELHATE DE QUALQUER MATERIAL FABRICATE DE BRIQUEDO ÃO ELETRÔICO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO BRIQUEDO E JOGO RECREATIVO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE CALÇADO DE BORRACHA, MADEIRA E TECIDO E FIBRA /00 FABRICAÇÃO DE CALÇADO DE MATERIAI ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE CALÇADO DE COURO /01 FABRICAÇÃO DE CALÇADO DE COURO FABRICATE DE CHÁ /05 FABRICAÇÃO DE PRODUTO PARA IFUÃO (CHÁ, MATE, ETC.) FABRICATE DE CITO/CITEIRO /00 FABRICAÇÃO DE ACEÓRIO DO VETUÁRIO, EXCETO PARA EGURAÇA E PROTEÇÃO FABRICATE DE COERVA DE FRUTA /00 FABRICAÇÃO DE COERVA DE FRUTA FABRICATE DE COERVA DE /99 FABRICAÇÃO DE COERVA DE LEGUME E LEGUME E OUTRO VEGETAI OUTRO VEGETAI, EXCETO PALMITO FABRICATE DE DEIFETATE /00 FABRICAÇÃO DE DEIFETATE DOMIAITÁRIO FABRICATE DE EMBALAGE DE /00 FABRICAÇÃO DE EMBALAGE DE CARTOLIA E CARTOLIA E PAPEL- CARTÃO PAPEL- CARTÃO FABRICATE DE EMBALAGE DE /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE TAOARIA E DE MADEIRA EMBALAGE DE MADEIRA FABRICATE DE EMBALAGE DE PAPEL /00 FABRICAÇÃO DE EMBALAGE DE PAPEL FABRICATE DE EPECIARIA /00 FABRICAÇÃO DE EPECIARIA, MOLHO, TEMPERO E CODIMETO FABRICATE DE EQUADRIA METÁLICA /00 FABRICAÇÃO DE EQUADRIA DE METAL FABRICATE DE EQUADRIA /00 FABRICAÇÃO DE EQUADRIA DE METAL METÁLICA OB ECOMEDA OU ÃO (Redação dada pela Res. CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) FABRICATE DE FIO DE ALGODÃO /00 PREPARAÇÃO E FIAÇÃO DE FIBRA DE ALGODÃO FABRICATE DE FIO DE LIHO, RAMI, JUTA, EDA E LÃ /00 PREPARAÇÃO E FIAÇÃO DE FIBRA TÊXTEI ATURAI, EXCETO ALGODÃO Página 17 de 28

18 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM FABRICATE DE FUMO E DERIVADO DO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO DO FUMO, FUMO EXCETO CIGARRO, CIGARRILHA E CHARUTO FABRICATE DE GELÉIA DE MOCOTÓ /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE GELO COMUM /04 FABRICAÇÃO DE GELO COMUM FABRICATE DE GUARDA- CHUVA E IMILARE FABRICATE DE GUARDAAPO E COPO DE PAPEL /01 FABRICAÇÃO DE GUARDA- CHUVA E IMILARE /99 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PAPEL PARA UO DOMÉTICO E HIGIÊICO- AITÁRIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE FABRICAÇÃO DE ITRUMETO MUICAI, PEÇA E ACEÓRIO FABRICATE DE ITRUMETO /00 MUICAI FABRICATE DE JOGO RECREATIVO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO BRIQUEDO E JOGO RECREATIVO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE LATICÍIO /00 FABRICAÇÃO DE LATICÍIO FABRICATE DE LETREIRO, PLACA E PAIÉI ÃO LUMIOO /03 FABRICAÇÃO DE LETRA, LETREIRO E PLACA DE QUALQUER MATERIAL, EXCETO LUMIOO FABRICATE DE LETREIRO, PLACA E PAIÉI ÃO LUMIOO, OB ECOMEDA OU ÃO (Redação dada pela Res. CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) FABRICATE DE LUMIÁRIA E OUTRO EQUIPAMETO DE ILUMIAÇÃO /03 FABRICAÇÃO DE LETRA, LETREIRO E PLACA DE QUALQUER MATERIAL, EXCETO LUMIOO /02 FABRICAÇÃO DE LUMIÁRIA E OUTRO EQUIPAMETO DE ILUMIAÇÃO FABRICATE DE MALA /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO PARA VIAGEM, BOLA E EMELHATE DE QUALQUER MATERIAL FABRICATE DE MAA ALIMETÍCIA /00 FABRICAÇÃO DE MAA ALIMETÍCIA FABRICATE DE MEIA /00 FABRICAÇÃO DE MEIA FABRICATE DE MOCHILA E CARTEIRA /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO PARA VIAGEM, BOLA E EMELHATE DE QUALQUER MATERIAL FABRICATE DE PAIÉI E LETREIRO LUMIOO /04 FABRICAÇÃO DE PAIÉI E LETREIRO LUMIOO FABRICATE DE PAIÉI E LETREIRO LUMIOO, OB ECOMEDA OU ÃO (Redação dada pela Res. CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) FABRICATE DE PÃO DE QUEIJO COGELADO FABRICATE DE PÃO DE QUEIJO COGELADO (Redação dada pela Res. CG nº 111/2013) /04 FABRICAÇÃO DE PAIÉI E LETREIRO LUMIOO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE /01 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PAIFICAÇÃO IDUTRIAL FABRICATE DE PAPEL /00 FABRICAÇÃO DE PAPEL FABRICATE DE PARTE DE PEÇA DO VETUÁRIO - FACÇÃO FABRICATE DE PARTE DE ROUPA ÍTIMA - FACÇÃO FABRICATE DE PARTE DE ROUPA PROFIIOAI - FACÇÃO /03 FACÇÃO DE PEÇA DO VETUÁRIO, EXCETO ROUPA ÍTIMA /02 FACÇÃO DE ROUPA ÍTIMA /03 FACÇÃO DE ROUPA PROFIIOAI Página 18 de 28

19 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM FABRICATE DE PARTE PARA /00 FABRICAÇÃO DE PARTE PARA CALÇADO, DE CALÇADO QUALQUER MATERIAL FABRICATE DE POLPA DE FRUTA /00 FABRICAÇÃO DE COERVA DE FRUTA FABRICATE DE PRODUTO DE /00 FABRICAÇÃO DE COMÉTICO, PRODUTO DE PERFUMARIA E DE HIGIEE PEOAL PERFUMARIA E DE HIGIEE PEOAL FABRICATE DE PRODUTO DE LIMPEZA /00 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE LIMPEZA E POLIMETO FABRICATE DE PRODUTO DE OJA /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE FABRICATE DE PRODUTO DE TECIDO /02 FABRICAÇÃO DE EQUIPAMETO E ACEÓRIO ÃO TECIDO PARA UO ODOTO- MÉDICO- HOPITALAR PARA EGURAÇA PEOAL E PROFIIOAL FABRICATE DE PRODUTO DERIVADO /01 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE CARE DE CARE FABRICATE DE PRODUTO DERIVADO /02 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DO ARROZ DO ARROZ FABRICATE DE RAPADURA E MELAÇO /00 FABRICAÇÃO DE AÇÚCAR EM BRUTO FABRICATE DE REFRECO, XAROPE E /03 FABRICAÇÃO DE REFRECO, XAROPE E PÓ PARA PÓ PARA REFRECO REFRECO, EXCETO REFRECO DE FRUTA FABRICATE DE ROUPA ÍTIMA /01 COFECÇÃO DE ROUPA ÍTIMA FABRICATE DE ABÕE E DETERGETE /00 FABRICAÇÃO DE ABÕE E DETERGETE ITÉTICO ITÉTICO FABRICATE DE UCO COCETRADO /01 FABRICAÇÃO DE UCO COCETRADO DE DE FRUTA, HORTALIÇA E LEGUME FRUTA, HORTALIÇA E LEGUME FABRICATE DE UCO DE FRUTA, /02 FABRICAÇÃO DE UCO DE FRUTA, HORTALIÇA E HORTALIÇA E LEGUME LEGUME, EXCETO COCETRADO FABRICATE DE VELA, ICLUIVE /06 FABRICAÇÃO DE VELA, ICLUIVE DECORATIVA DECORATIVA FARIHEIRO DE MADIOCA /00 FABRICAÇÃO DE FARIHA DE MADIOCA E DERIVADO FARIHEIRO DE MILHO /00 FABRICAÇÃO DE FARIHA DE MILHO E DERIVADO, EXCETO ÓLEO DE MILHO FERRAMETEIRO(A) /00 FABRICAÇÃO DE FERRAMETA FERREIRO/FORJADOR /00 FABRICAÇÃO DE FERRAMETA FILMADOR(A) /04 FILMAGEM DE FETA E EVETO FORECEDOR(A) DE ALIMETO /01 FORECIMETO DE ALIMETO PREPARADO PREPARADO PARA EMPREA PREPODERATEMETE PARA EMPREA FOEIRO (LIMPADOR DE FOA) /00 ATIVIDADE RELACIOADA A EGOTO, EXCETO A GETÃO DE REDE FOTOCOPIADOR(A) /01 FOTOCÓPIA FOTÓGRAFO(A) /01 ATIVIDADE DE PRODUÇÃO DE FOTOGRAFIA, EXCETO AÉREA E UBMARIA FOTÓGRAFO(A) AÉREO /02 ATIVIDADE DE PRODUÇÃO DE FOTOGRAFIA AÉREA E UBMARIA FOTÓGRAFO(A) UBMARIO /02 ATIVIDADE DE PRODUÇÃO DE FOTOGRAFIA AÉREA E UBMARIA FUILEIRO / LATEREIRO /02 ERVIÇO DE LATERAGEM OU FUILARIA E PITURA DE VEÍCULO AUTOMOTORE GALVAIZADOR(A) /02 ERVIÇO DE TRATAMETO E REVETIMETO EM METAI Página 19 de 28

20 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM GEEIRO(A) /03 OBRA DE ACABAMETO EM GEO E ETUQUE GRAVADOR(A) DE CARIMBO /03 ERVIÇO DE GRAVAÇÃO DE CARIMBO, EXCETO COFECÇÃO GUARDADOR(A) DE MÓVEI /02 GUARDA- MÓVEI GUIA DE TURIMO /00 OPERADORE TURÍTICO GUICHEIRO (REBOQUE DE VEÍCULO) /02 ERVIÇO DE REBOQUE DE VEÍCULO HUMORITA E COTADOR DE HITÓRIA /01 PRODUÇÃO TEATRAL ITALADOR(A) DE ATEA DE TV /00 ITALAÇÃO E MAUTEÇÃO ELÉTRICA ITALADOR(A) DE EQUIPAMETO DE EGURAÇA DOMICILIAR E EMPREARIAL, EM PRETAÇÃO DE ERVIÇO DE VIGILÂCIA E EGURAÇA ITALADOR(A) DE EQUIPAMETO PARA ORIETAÇÃO À AVEGAÇÃO MARÍTIMA, FLUVIAL E LACUTRE ITALADOR(A) DE IOLATE ACÚTICO E DE VIBRAÇÃO ITALADOR(A) DE IOLATE TÉRMICO ITALADOR(A) DE MÁQUIA E EQUIPAMETO IDUTRIAI ITALADOR(A) DE PAIÉI PUBLICITÁRIO ITALADOR(A) DE REDE DE COMPUTADORE ITALADOR(A) DE ITEMA DE PREVEÇÃO COTRA ICÊDIO ITALADOR(A) E REPARADOR (A) DE ACEÓRIO AUTOMOTIVO ITALADOR(A) E REPARADOR(A) DE ELEVADORE, ECADA E ETEIRA ROLATE ITALADOR(A) E REPARADOR(A) DE ITEMA CETRAI DE AR CODICIOADO, DE VETILAÇÃO E REFRIGERAÇÃO ITRUTOR(A) DE ARTE E CULTURA EM GERAL /00 ITALAÇÃO E MAUTEÇÃO ELÉTRICA /02 ITALAÇÃO DE EQUIPAMETO PARA ORIETAÇÃO À AVEGAÇÃO MARÍTIMA, FLUVIAL E LACUTRE /05 TRATAMETO TÉRMICO, ACÚTICO OU DE VIBRAÇÃO /05 TRATAMETO TÉRMICO, ACÚTICO OU DE VIBRAÇÃO /00 ITALAÇÃO DE MÁQUIA E EQUIPAMETO IDUTRIAI /01 ITALAÇÃO DE PAIÉI PUBLICITÁRIO /99 OUTRA ATIVIDADE DE TELECOMUICAÇÕE ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE /03 ITALAÇÕE DE ITEMA DE PREVEÇÃO COTRA ICÊDIO /07 ERVIÇO DE ITALAÇÃO, MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE ACEÓRIO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE /03 ITALAÇÃO, MAUTEÇÃO E REPARAÇÃO DE ELEVADORE, ECADA E ETEIRA ROLATE /02 ITALAÇÃO E MAUTEÇÃO DE ITEMA CETRAI DE AR CODICIOADO, DE VETILAÇÃO E REFRIGERAÇÃO /99 EIO DE ARTE E CULTURA ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ITRUTOR(A) DE ARTE CÊICA /02 EIO DE ARTE CÊICA, EXCETO DAÇA ITRUTOR(A) DE CURO GERECIAI /04 TREIAMETO EM DEEVOLVIMETO PROFIIOAL E GERECIAL ITRUTOR(A) DE CURO /05 CURO PREPARATÓRIO PARA COCURO PREPARATÓRIO ITRUTOR(A) DE IDIOMA /00 EIO DE IDIOMA ITRUTOR(A) DE IFORMÁTICA /03 TREIAMETO EM IFORMÁTICA ITRUTOR(A) DE MÚICA /03 EIO DE MÚICA JARDIEIRO(A) /00 ATIVIDADE PAIAGÍTICA Página 20 de 28

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2012 SIMPLES NACIONAL

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2012 SIMPLES NACIONAL AO XXIII - 2012-4ª EMAA DE JAEIRO DE 2012 BOLETIM IFORMARE º 04/2012 IMPLE ACIOAL ITEMA DE RECOLHIMETO EM VALORE FIXO MEAI DO TRIBUTO ABRAGIDO PELO IMPLE ACIOAL - IMEI - ORMA GERAI A PARTIR DE 1º DE JAEIRO

Leia mais

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (Aletrado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/2012) (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I)

Leia mais

Atividades Permitidas ao MEI

Atividades Permitidas ao MEI Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011 - arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art.

Leia mais

Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N

Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/2012) (Alterado pela Resolução CG nº 111, de

Leia mais

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE

Leia mais

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE

Leia mais

ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI. Anexo XIII da Resolução CGSN 94/2011. *

ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI. Anexo XIII da Resolução CGSN 94/2011. * ATIVIDADE PERMITIDA AO MEI Anexo XIII da Resolução CG 94/2011. * OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE DE AVE ABATEDOR(A) DE AVE COM COMERCIALIZAÇÃO 4724-5/00 COMÉRCIO

Leia mais

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem Alfabética

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem Alfabética CAE Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem Alfabética ABATEDOR(A) DE AVE COM COMERCIALIZAÇÃO DO PRODUTO Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. Com vigência a

Leia mais

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem por CNAE

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem por CNAE CAE Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem por CAE Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. Vigência a partir de janeiro de 2012 (Alterado pela Resolução CG nº

Leia mais

CARTILHA EI EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

CARTILHA EI EMPREENDEDOR INDIVIDUAL CARTILHA EI EMPREEDEDOR IDIVIDUAL Dispõe sobre o empreendedor Individual, no âmbito do imples acional, que produzirá efeitos a partir de 1º de julho de 2009. Instituiu o IMEI, que é o istema de Recolhimento

Leia mais

Comentários ao Microempreendedor Individual - MEI

Comentários ao Microempreendedor Individual - MEI Comentários ao Microempreendedor Individual - MEI ão temo em dizer que a criação da figura do MEI Microempreendedor Individual foi uma das ideias mais inteligentes surgidas nos últimos tempos. Foi uma

Leia mais

Resolução CGSN nº 78, de 13 de setembro de 2010

Resolução CGSN nº 78, de 13 de setembro de 2010 Resolução CG nº 78, de 13 de setembro de 2010 DOU de 15.9.2010 O Comitê Gestor do imples acional (CG), no uso das competências que lhe conferem a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, o Decreto

Leia mais

LEGISLAÇÃO CITADA ANEXADA PELA COORDENAÇÃO DE ESTUDOS LEGISLATIVOS CEDI Seção de Legislação Citada - SELEC

LEGISLAÇÃO CITADA ANEXADA PELA COORDENAÇÃO DE ESTUDOS LEGISLATIVOS CEDI Seção de Legislação Citada - SELEC LEGILAÇÃO CITADA AEXADA PELA COORDEAÇÃO DE ETUDO LEGILATIVO CEDI eção de Legislação Citada - ELEC LEI COMPLEMETAR º 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 (Republicada no DOU de 6/3/2012 em atendimento ao disposto

Leia mais

pela Resolução CGSN nº 117/2014) 22/12/2014

pela Resolução CGSN nº 117/2014) 22/12/2014 AEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/ (Alterado pela Resolução CG nº 111,

Leia mais

ATIVIDADES GERADORAS E NÃO GERADORAS DE ICMS

ATIVIDADES GERADORAS E NÃO GERADORAS DE ICMS Faça um Curso de Contabilidade Básica e adquira conhecimentos suficientes para cuidar de sua própria empresa Acesse: http://www.cursocerto.net.br ATIVIDADE GERADORA E ÃO GERADORA DE ICM AEXO XIII (arts.

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTA DO MEI - Microempreendedor Individual atualizado em março de 2012

PERGUNTAS E RESPOSTA DO MEI - Microempreendedor Individual atualizado em março de 2012 PERGUTA E REPOTA DO MEI - Microempreendedor Individual atualizado em março de 2012 1)O que é Microempreendedor Individual? Considera-se MEI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº

Leia mais

MEI: SIMPLES NACIONAL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL NOVAS ALTERAÇÕES DA NORMA REGULAMENTADORA PROCEDIMENTO

MEI: SIMPLES NACIONAL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL NOVAS ALTERAÇÕES DA NORMA REGULAMENTADORA PROCEDIMENTO MEI: IMPLE ACIOAL MICROEMPREEDEDOR IDIVIDUAL OVA ALTERAÇÕE DA ORMA REGULAMETADORA PROCEDIMETO Resenha de Matérias Técnicas nº 666 CRC-P Matérias Especiais: UMÁRIO 1. Considerações Iniciais 2. Quem Pode

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO LEI º 490/09 ETADO DO RIO DE JAEIRO PREFEITURA MUICIPAL DE MACUCO GABIETE DO PREFEITO ITITUI A LEI GERAL MUICIPAL DO EMPREEDEDOR IDIVIDUAL, E DÁ OUTRA PROVIDÊCIA. O Prefeito Municipal de Macuco, no uso

Leia mais

Não constitui hipótese de incidência. a revenda de embalagens usadas que acondicionaram matérias-primas. ou produtos intermediários empregados

Não constitui hipótese de incidência. a revenda de embalagens usadas que acondicionaram matérias-primas. ou produtos intermediários empregados Boletim Manual de Procedimentos ICM - IPI e Outros Federal IPI - Revenda de embalagens usadas UMÁRIO 1. Introdução 2. ão incidência 3. Hipótese de incidência 4. Produtos adquiridos para uso, consumo ou

Leia mais

OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N ABATEDOR(A) DE AVES COM

OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N ABATEDOR(A) DE AVES COM AEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE DE AVE ABATEDOR(A) DE AVE COM 4724-5/00 COMÉRCIO

Leia mais

Manual de Desenvolvimento dos Municípios

Manual de Desenvolvimento dos Municípios 2 Manual de Desenvolvimento dos Municípios 2 a Edição Brasília, 2012. DIRETORIA Presidente da CM Paulo Roberto Ziulkoski Diretor-Presidente do ebrae Luiz Barretto CRÉDITO DA PUBLICAÇÃO Coordenação Augusto

Leia mais

Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009

Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009 Resolução CG nº 58, de 27 de abril de 2009 DOU de 28.4.2009 Dispõe sobre o Microempreendedor Individual MEI no âmbito do imples acional. Alterada pela Resolução CG nº 60, de 22 de junho de 2009. Alterada

Leia mais

ANEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I)

ANEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) AEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI O C U PA Ç Ã O CAE DECRI UBCLAE CAE I ICM ABADOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABA DE AVE ABADOR(A) DE AVE COM CO- 4724-5/00 COMÉRCIO

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

Receita Bruta em 12 meses (em Alíquota IRPJ CSLL COFINS P I S / PA S E P CPP ISS

Receita Bruta em 12 meses (em Alíquota IRPJ CSLL COFINS P I S / PA S E P CPP ISS D.440.000,0 a.60.000,00 9,53% 0,4% 0,4%,5% 0,30% 3,57% 3,07% 0,50% D.60.000,0 a.800.000,00 9,6% 0,4% 0,4%,6% 0,30% 3,6% 3,0% 0,50% D.800.000,0 a.980.000,00 0,45% 0,46% 0,46%,38% 0,33% 3,94% 3,38% 0,50%

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008. Trabalhistas MICROEMPREENDEDOR - Alterações INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. Sumário: 12 Conceito Introdução 3.1 - Tributação

Leia mais

Lei Complementar 123/2006

Lei Complementar 123/2006 Lei Complementar 123/2006 Art. 18-A. O Microempreendedor Individual - MEI poderá optar pelo recolhimento dos impostos e contribuições abrangidos pelo Simples Nacional em valores fixos mensais, independentemente

Leia mais

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária Lei Complementar 128 Alterações na Legislação Previdenciária Microempreendedor Individual MEI Conceito: É o empresário individual, referido no art. 966 do Novo Código Civil, que tenha auferido receita

Leia mais

Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte Lei Complementar n.º 123/2006

Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte Lei Complementar n.º 123/2006 Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte Lei Complementar n.º 123/2006 Baião & Filippin Advogados Associados Adv.: João Paulo de Mello Filippin Lei Complementar n.º 123/2006 Desburocratização;

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012 Publicada no DOE(Pa) de 14.08.12. Vide IN 16/12, que trata do registro eletrônico de documentos fiscais. Alterada pelas IN 17/12, 03/14, 23/14. Vide

Leia mais

CÓPIA. Relatório. 27 Cosit SRRF06/DISIT

CÓPIA. Relatório. 27 Cosit SRRF06/DISIT Fl. 11 Fls. 1 nfls txtfls Solução de Consulta Interna nº MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL COORDENAÇÃO GERAL DE TRIBUTAÇÃO 27 Data 13 de setembro de 2013 Origem SRRF06/DISIT

Leia mais

(UTV) = Atividade está dispensada de Consulta Branca, porém é obrigatório Autorização da UTV Unidade de Transportes e Vias Públicas.

(UTV) = Atividade está dispensada de Consulta Branca, porém é obrigatório Autorização da UTV Unidade de Transportes e Vias Públicas. Tabela conforme Anexo XIII da Resolução CGN nº 94, de 29 de novembro de 2011(arts. 91,inciso I e 92, 2º, inciso I), contendo a forma de inscrição/alteração no Município de Joinville, das atividades que

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI) 04/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Contratação de Empregado... 7 3.2 Cessão ou Locação de Mão-de-Obra... 7

Leia mais

Lucro Presumido. SECAT/DRF Florianópolis Contadoria Judicial da JFSC Florianópolis, 15.10.2013.

Lucro Presumido. SECAT/DRF Florianópolis Contadoria Judicial da JFSC Florianópolis, 15.10.2013. Lucro Presumido SECAT/DRF Florianópolis Contadoria Judicial da JFSC Florianópolis, 15.10.2013. IRPJ CF/88, artigo 153 Compete à União instituir impostos sobre: III - renda e proventos de qualquer natureza

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014 Referência : Correio eletrônico de 13/3/2014. Protocolo AUDIN-MPU nº 453/2014.

Leia mais

III - de cujo capital participe entidade da administração pública, direta ou indireta, federal, estadual ou municipal;

III - de cujo capital participe entidade da administração pública, direta ou indireta, federal, estadual ou municipal; Guia do Supersimples ENQUADRAMENTO E RESTRIÇÕES I - Enquadramento e Restrições OSupersimples ou Simples Nacional, instituído pela Lei Complementar 123/06, que entrou em vigor no dia 1º de julho de 2007,

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado RESOLUÇÃO SEFA Nº 145/2015 Publicada no DOE 9428 de 09.04.2015 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, com fundamento nos Ajustes SINIEF 1/2013, 22/2013 e 5/2014; no inciso XIV do art. 45 da Lei n. 8.485, de

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos.

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos. Até dia Obrigação AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.07.2014, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra "b", da Lei nº 11.196/2005 ): 5

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SRF

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SRF SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SRF INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 539 DE 25 /04 /2005 Altera a Instrução Normativa SRF nº 480, de 15 de dezembro de 2004, que dispõe sobre a retenção de tributos e contribuições

Leia mais

MANUAL Processo Simples Nacional

MANUAL Processo Simples Nacional 1. VISÃO GERAL 1.1 OBJETIVOS: Conforme combinação com a Equipe Teorema Joinville teríamos que criar uma tabela de Receitas, uma tabela com as alíquotas por faturamento com data inicial final de validade,

Leia mais

SEÇÃO II DAS VEDAÇOES AO INGRESSO AO SIMPLES NACIONAL DAS ATIVIDADES PERMITIDAS A ADESÃO AO SIMPLES NACIONAL

SEÇÃO II DAS VEDAÇOES AO INGRESSO AO SIMPLES NACIONAL DAS ATIVIDADES PERMITIDAS A ADESÃO AO SIMPLES NACIONAL SEÇÃO II DAS VEDAÇOES AO INGRESSO AO NACIONAL DAS ATIVIDADES PERMITIDAS A ADESÃO AO NACIONAL ART. 17 Parágrafo 1º - As vedações relativas a exercício das atividades previstas no caput não se aplica as

Leia mais

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) Fonte: elaboração própria abril de 2013 EMENTA: CONTEXTO LEGISLATIVO. OS PRINCIPAIS SETORES. CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SUBSTITUÍDAS. CRITÉRIO

Leia mais

DA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP E COFINS

DA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP E COFINS O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, LEI Nº 9.718, DE 27 DE NOVEMBRO DE 1998. Altera a Legislação Tributária Federal. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º Esta Lei aplica-se

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 36 - Data 4 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO HIDRÁULICA, ELÉTRICA, SANITÁRIA, DE GÁS

Leia mais

Códigos a Alíquotas FPAS Relação dos códigos FPAS segundo a atividade da empresa

Códigos a Alíquotas FPAS Relação dos códigos FPAS segundo a atividade da empresa Códigos a Alíquotas FPAS Relação dos códigos FPAS segundo a atividade da empresa Código FPAS Discriminativo 507 INDÚSTRIA (exceto as do art. 2º "caput" do Decreto-Lei n.º 1.146/70) TRANSPORTE FERROVIÁRIO

Leia mais

Cape contabilidade LUCRO REAL

Cape contabilidade LUCRO REAL 1. CONCEITO LUCRO REAL No regime do lucro real o Imposto de Renda devido pela pessoa jurídica é calculado sobre o valor do lucro líquido contábil ajustado pelas adições, exclusões e compensações prescritas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 127, DE 14 DE AGOSTO DE 2007 Mensagem de veto Altera a Lei Complementar n o 123, de 14 de dezembro de 2006. O PRESIDENTE

Leia mais

COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008

COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008 COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008 O Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) publicou resoluções que prorrogam o prazo da competência

Leia mais

Art. 1º O art. 1º da Resolução CGSN nº 3, de 28 de maio de 2007, passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 1º O art. 1º da Resolução CGSN nº 3, de 28 de maio de 2007, passa a vigorar com a seguinte redação: RESOLUÇÃO CGSN Nº 115, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 DOU de 08/09/2014 Publicação: 08/09/2014 Altera a Resolução CGSN nº 3, de 28 de maio de 2007, que dispõe sobre a composição da Secretaria Executiva do Comitê

Leia mais

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.01 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.02 6190-6/01 Provedores de acesso às redes de comunicações

Leia mais

TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS

TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS Base Constitucional: PIS E COFINS PIS: Art. 149 e 239 da Constituição Federal COFINS: Art. 195 da Constituição Federal 1 COFINS Art. 195. A seguridade social

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 255 - Data 15 de setembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SUBSTITUTIVA. EMPRESAS

Leia mais

Profissões em ordem alfabética

Profissões em ordem alfabética Profissões em ordem alfabética A ABATEDOR(A) DE AVES ABATEDOR(A) DE AVES COM COMERCIALIZAÇÃO DO PRODUTO ACABADOR(A) DE CALÇADOS AÇOUGUEIRO(A) ADESTRADOR(A) DE ANIMAIS ADESTRADOR(A) DE CÃES DE GUARDA AGENTE

Leia mais

ANO XXVI - 2015-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2015

ANO XXVI - 2015-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2015 AO XXVI - 2015-2ª EMAA DE JAEIRO DE 2015 BOLETIM IFORMARE º 02/2015 IMPOTO DE REDA PEOA JURÍDICA TAXA DE CÂMBIO PARA ATUALIZAÇÃO DO CRÉDITO E OBRIGAÇÕE EM MOEDA ETRAGEIRA - ATUALIZAÇÃO EM 31.12.2014...

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social 1.4.7.3. Contribuições do art.195 CF Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social (previdência, saúde e assistência social), espécies de contribuições sociais, como

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 186 - Data 25 de junho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS SERVIÇOS DE CONTROLE DE VETORES

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a sua atualização cadastral.

Leia mais

Dando prosseguimento à aula anterior, neste encontro, encerraremos o

Dando prosseguimento à aula anterior, neste encontro, encerraremos o Dando prosseguimento à aula anterior, neste encontro, encerraremos o art.195, CF, comentando os seus principais parágrafos, para fins de concurso público! Alberto Alves www.editoraferreira.com.br 1º As

Leia mais

Pergunte à CPA. ISS Regras Gerais

Pergunte à CPA. ISS Regras Gerais 05/08/2014 Pergunte à CPA ISS Regras Gerais Apresentação: Samyr Henrique Muniz Qbar ISS Legislação básica Art. 156, III da C.F./88 Lei Complementar 116/2003 (lista de serviços) Lei Ordinária de cada município

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014:

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014: AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014 03/Abril. 5ª Feira. IOF - Imposto sobre Operações Financeiras. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014: - Operações

Leia mais

b) agrupados, por categoria, os segurados empregado, trabalhador avulso e contribuinte individual;

b) agrupados, por categoria, os segurados empregado, trabalhador avulso e contribuinte individual; Instrução Normativa RFB nº 971, de 13 de novembro de 2009 DOU de 17.11.2009 O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso da atribuição que lhe confere o inciso III do art. 261 do Regimento Interno

Leia mais

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua Cadeia tributária nacional Exemplo prático Autor: Ader Fernando Alves de Pádua RESUMO O presente artigo demonstra de forma clara e objetiva as varias fases da cadeia tributária nacional, criando um exemplo

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 28 27 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 64 - Data 30 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS. FORNECIMENTO DE MÃO DE

Leia mais

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 20/08/2014. Sumário: 1 - Introdução 2 - Conceito 3 - Opção

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. A partir de 01/07/2007 deixa de existir o Simples que conhecemos atualmente (Lei 9.317/96) e passa a Existir o Simples Nacional.

SIMPLES NACIONAL. A partir de 01/07/2007 deixa de existir o Simples que conhecemos atualmente (Lei 9.317/96) e passa a Existir o Simples Nacional. SIMPLES NACIONAL Visando um esclarecimento a todos os nossos clientes, elaboramos a presente cartilha com o máximo de informações para auxiliar no entendimento do novo sistema de recolhimento de impostos.

Leia mais

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI?

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI? FAQ -MEI 1. Qual o significado da sigla MEI? R: MEI é a sigla utilizada para Micro Empreendedor Individual 2. Qual é a definição de MEI? R: O MEI é o empresário individual a que se refere o art. 966 do

Leia mais

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 Comércio Varejista 2000 Comércio a Varejo e por Atacado de VeículosAutomotores 50 Manutenção e Reparação de VeículosAutomotores

Leia mais

CUSTEIO DA SEGURIDADE SOCIAL

CUSTEIO DA SEGURIDADE SOCIAL Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 15 CUSTEIO DA SEGURIDADE SOCIAL A Seguridade Social é financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, mediante recursos provenientes

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

http://www.merchant.com.br

http://www.merchant.com.br DOU de 29.10.2004 Dispõe sobre a retenção de tributos e contribuições nos pagamentos efetuados pelas pessoas jurídicas de direito privado a outras pessoas jurídicas pela prestação de serviços. O SECRETÁRIO

Leia mais

Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª RF

Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª RF Fls. 1 Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª RF Solução de Consulta Interna nº 1 Data 15 de junho de 2012 Origem DIFIS/SRRF01 (e processo nº 10166.725012/2012 53) Assunto: Contribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA DEZEMBRO DE 2014

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA DEZEMBRO DE 2014 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA DEZEMBRO DE 2014 Até dia Obrigação 3 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.11.2014,

Leia mais

IRPJ. Lucro Presumido

IRPJ. Lucro Presumido IRPJ Lucro Presumido 1 Características Forma simplificada; Antecipação de Receita; PJ não está obrigada ao lucro real; Opção: pagamento da primeira cota ou cota única trimestral; Trimestral; Nada impede

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº, de 2014.

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº, de 2014. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº, de 2014. (do Sr. Guilherme Campos e outros) Altera a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006 para reorganizar e simplificar a metodologia de apuração do imposto

Leia mais

SIMPLES NACIONAL LC 128/08 VALDIR DONIZETE SEGATO

SIMPLES NACIONAL LC 128/08 VALDIR DONIZETE SEGATO SIMPLES NACIONAL LC 128/08 VALDIR DONIZETE SEGATO 1 Empresário Contábil, MBA em Contabilidade Empresarial pela PUC-SP, Delegado Regional do CRC-SP em Jundiai, Professor Universitário e de Pós-Graduação.

Leia mais

Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual

Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual 10/07 12/08 07/09 12/06 03/07 03/07 07/07 09/07 09/07 Sanção da Lei Geral da MPE (re)fundação da Frente Parlamentar da MPE Criação da subcomissão Permanente da MPE Entrada em vigor do Simples Nacional

Leia mais

NOTA TÉCNICA: MEI TEM DIREITO A BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

NOTA TÉCNICA: MEI TEM DIREITO A BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NOTA TÉCNICA: MEI TEM DIREITO A BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Abrangência: Microempreendedores Individuais (MEI). Conteúdo: lista de atividades que podem ser realizadas pelo MEI. OCUPAÇÃO CNAE ABATEDOR(A)

Leia mais

IRPF Imposto de Renda da. Nathália Ceia Março 2011

IRPF Imposto de Renda da. Nathália Ceia Março 2011 IRPF Imposto de Renda da Pessoa Física Nathália Ceia Março 2011 Programa Aula 1 1. Princípios Gerais 2. Fato Gerador 3. Características 4. Contribuinte e Responsável Programa Aula 2 5. Alíquotas e Formas

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 21 - Data 17 de setembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL SIMPLES NACIONAL. JORNAL. FORMA DE TRIBUTAÇÃO.

Leia mais

Retenção de Impostos e Contribuições

Retenção de Impostos e Contribuições Retenção de Impostos e Contribuições COMO A FONTE PAGADORA DEVE DESCONTAR: IR PIS/PASEP COFINS CSLL ISS INSS Resumo do conteúdo: IR Fonte Assalariados / Pro Labore IR Fonte Terceiros e Não Assalariados

Leia mais

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Até: Segunda-feira, dia 6 IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de março/2015: - Operações de crédito - Pessoa Jurídica - Cód. Darf 1150 - Operações de crédito

Leia mais

ALERTA GERENCIAL. Alterações na Legislação Federal

ALERTA GERENCIAL. Alterações na Legislação Federal Edição nº 140 02 de março de 2015. ALERTA GERENCIAL Alterações na Legislação Federal A Medida Provisória nº 669, publicada no D.O.U. DE 27/02/2014, promoveu diversas alterações na legislação tributária

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 INFORMAÇÕES GERAIS Pessoa Jurídica Lucro Real Tributação com base no lucro efetivo demonstrado através do livro diário de contabilidade (obrigatório) 1. Empresas obrigadas à apuração

Leia mais

MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009

MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009 MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009 Informativo 19 - Página 285 - Ano 2009 ORIENTAÇÃO MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Opção pelo SIMEI Conheça as condições para recolhimento

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 (Do Sr. Vaz de Lima) Altera os Anexos da Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, para permitir o abatimento de parcela dedutível do valor devido mensalmente

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES FISCAIS. Período de 01.01 a 31.01.2016

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES FISCAIS. Período de 01.01 a 31.01.2016 033 18/12/2015 1 de 14 DIA 04 1.ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Recolhimento do ICMS/ Substituição Tributária correspondente a fatos geradores ocorridos no mês de outubro/2015 pelas empresas cujas autopeças,

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 35 - Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO ELÉTRICA. TRIBUTAÇÃO. ANEXO

Leia mais

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura,

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, exceto morango 0122-9/00 Cultivo de flores e plantas

Leia mais

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL COMERCIO DE VEÍCULOS USADOS

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL COMERCIO DE VEÍCULOS USADOS LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL COMERCIO DE VEÍCULOS USADOS LUCRO PRESUMIDO (COM RESTRIÇÕES) LUCRO REAL SIMPLES NACIONAL (COM RESTRIÇÕES) LEI nº 9.716/98 Artigo 5º As pessoas jurídicas que tenham como objeto

Leia mais

http://www2.camara.gov.br/internet/homeagencia/materias.html?pk=95334

http://www2.camara.gov.br/internet/homeagencia/materias.html?pk=95334 http://www2.camara.gov.br/internet/homeagencia/materias.html?pk=95334 (Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara') Agência Câmara Tel. (61) 3216.1851/3216.1852 Fax. (61) 3216.1856

Leia mais

Calendário mensal das obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2011 05.01 (4ª feira)

Calendário mensal das obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2011 05.01 (4ª feira) Calendário mensal das obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2011 05.01 (4ª feira) IR-FONTE Último dia para recolhimento do Imposto de Renda na Fonte referente a juros sobre o capital

Leia mais

Retenções na Fonte. Normas e Procedimentos para retenções de tributos municipais, estaduais e federais para prestadores de serviços

Retenções na Fonte. Normas e Procedimentos para retenções de tributos municipais, estaduais e federais para prestadores de serviços Retenções na Fonte Normas e Procedimentos para retenções de tributos municipais, estaduais e federais para prestadores de serviços Retenção na Fonte IRPJ (1,5% ). Fato Gerador - O imposto de renda na fonte

Leia mais

Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015

Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015 Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015 Até: Quarta-feira, dia 6 IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de abril/2015: - Operações de crédito - Pessoa Jurídica - Cód. Darf 1150 - Operações de crédito

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011.

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. INFORMATIVO MENSAL Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. I FEDERAL IPI - NOVAS DISPOSIÇÕES SOBRE A SUSPENSÃO DO IMPOSTO NA EXPORTAÇÃO

Leia mais

Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado. Clique e veja o compromisso do dia. 6 7. Clique e veja o compromisso do dia.

Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado. Clique e veja o compromisso do dia. 6 7. Clique e veja o compromisso do dia. Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA à SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 31 - Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SISTEMA INTEGRADO DE PAGAMENTO DE IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES DAS

Leia mais