Valores estimados PAF. Justificação em PAF (acumulado) total

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Valores estimados PAF. Justificação em PAF (acumulado) 2011 2012 total 2013 2014"

Transcrição

1 QUADRO I: SÍNTESE DA SITUAÇÃO FINANCEIRA ATUAL E PREVISÕES DE EVOLUÇÃO Município: Miranda do Douro estimados estimados / Apurados / Apurados (acumulado) total Apurados 214 (acumulado) / A1. Saldo inicial (de operações orçamentais) , , ,51, , ,76, , , ,3 A2. Reposições não abatidas nos pagamentos,,,,, 674,4 674,4,,, A3. Receita efetiva , , ,1, , , , , , ,33 A3.1. Receita corrente , , ,13, , , , , , ,22 A3.2. Receita capital (s/ ativos e passivos financ.) , , ,97, , , , , , ,89 da qual A Venda de bens de investimento 23.46, 2.25, 2.25,,,,,,,, A4. Despesa efetiva , , ,3, , , , , , ,3 A4.1. Correntes , , ,16, , , , , , ,2 das quais A Juros , , ,41, , , , , , ,62 a. Resultantes do PAEL,,, , , , , , ,11 b. Resultantes de outro endividamento de médio e , , ,27, , , , , , ,3 c. Resultantes de endividamento de curto prazo 65.99, , ,14, , , , , , ,3 A Despesas com pessoal , , ,4, , , , , , ,88 A4.2. Despesas de capital (s/ ativos e passivos financ.) , , ,87, , , , , , ,1 A5. Saldo global , , ,7, , , , , , ,3 A5.1. Saldo corrente , , ,3, , , , , , ,2 A5.2. Saldo de capital , , ,1, , , , , , ,99 A6. Saldo primário , , ,48, , , , , , ,65 A7. Ativos financeiros líquidos amortizações,,,,,,,,,, A7.1. Receitas de ativos financeiros,,,,,,,,,, A7.2. Despesas de ativos financeiros,,,,,,,,,, A8. Passivos financeiros líquidos amortizações , , ,82, , , , , , ,35 A8.1. Receitas de passivos financeiros 7., 65., 65.,, , , ,,,, A8.2. Despesas de passivos financeiros , , ,82, , , , , , ,35 a. Resultantes do PAEL,,, , , , , ,8-184,28 b. Resultantes de outro endividamento de médio e , , ,82, , , , , , ,7 c. Resultantes de endividamento de curto prazo, 1.35., 1.35.,,,,,,,, A9. Receita total , , ,1, , , , , , ,33 A1. Despesa total , , ,85, , , , , , ,95 A11. Saldo para a gerência seguinte , , ,76, , , , , , ,65 A12. Serviço da dívida , , ,23, , , , , , ,73 A13. Endividamento total , , , , , , , , , ,61 A13.1 Bancário , , ,95, , , , , , ,37 A Médio e , , ,95, , , , , , ,37 a. Resultante do PAEL,,, , , , , , ,63 b. Outro endividamento bancário de médio e longo prazo c) , , ,95, , , , , , ,74 A Curto prazo 7.,,,,,,,,,, A13.2 Fornecedores , , , , , , , , , ,91 A13.3 Outra dívida a terceiros não financeira , , ,19, , ,7-3.91, , , ,15 A14. Prazo médio de pagamento (n.º dias) , , , c) Corresponde à conta 2312 (incluindo designadamente os do IHRU/INH)

2 QUADRO II: MEDIDAS PROPOSTAS NO PLANO DE AJUSTAMENTO FINANCEIRO Município: Miranda do Douro Data: das s Data início prevista para os efeitos da aplicação da 211 apurados (indique o montante total executado nas rubricas respetivas) resultante da aplicação da (indique apenas o acréscimo, em relação a 211, resultante da implementação da ) 212 executados 212 da implementação Quantificação dos impatos resultante da aplicação (indique apenas o acréscimo, em relação a 211, resultante da implementação da ) 213 executados resultante da aplicação executados (indique apenas o acréscimo, em relação a da 211, resultante da implementação da implementação da Quantificação dos impatos ) da implementação da Quantificação dos impatos contas 211 (%) contas 211 (%) contas 211 (%) B.1 Aumento da receita Reunião Câmara 3/2/212, publicado 1. Maximização dos preços cobrados pelo município, através da reapreciação dos tarifários , ,18 39% ,18, DR, II série de 7/3/212 Ao valor apurado em 211 adicionase o impacto para , % , ,42 Ao valor apurado em 211 adicionase o impacto para 212 e para , 5% 62.67, ,75 Ao valor apurado em 211 adicionase o impacto para os anos de 212 a Otimização e racionalização das taxas cobradas pelo município , ,32 91% ,32, Ao valor apurado em 211 adicionase o impacto para 212 Sessão de Assembleia Municipal Ao valor apurado em 211 adicionase ,78 3% , ,62 de 5/11/213, publicado no D.R., II Série de 31/12/213 o impacto para 212 e para 213 Sessão de Assembleia Municipal Ao valor apurado em 211 adicionase 8.218,53 17% , ,47 de 5/11/213, publicado no D.R., II Série de 31/12/213 o impacto para os anos de 212 a Outras s com impacte no aumento da receita Avaliação Geral de Imóveis - Imposto Municipal s/ Imóveis Actualização das Rendas de Edificios Municipais discriminar ca numa linha B.2 Redução da despesa 4. Redução/contenção/racionalização da despesa municipal com atividades que tenham impacto direto na diminuição de custos de funcionamento de infraestruturas municipais Total Aumento de receita (B.1) 45.39, ,5 45% ,5, ,78 4% , , , % , , , ,18 24% ,18, Ao valor apurado em 211 reduz-se o ,25 15% , ,62 justificados com ,66 Ao valor apurado em 211 reduz-se o 212 e Outras s com impacte na redução da despesa , ,82 25% , , ,68 2% , , ,18 1% , ,5 aumento da receita, de Impostos Ao valor apurado em 211 reduz-se, % , ,43 Diretos (422,583,79 ) e de (51.853,34 ) para os anos de 212 a Limitação do crescimento da rubrica "Estudos, Pareceres, Projectos e Consultadoria" , ,8 1% , ,71 Ao valor apurado em 211 reduz-se o ,8 1% ,17 934,54,31 justificados com ,97 Ao valor apurado em 211 reduz-se o 212 e 213 aumento da receita, de Impostos Ao valor apurado em 211 reduz-se 33.47,91 5% , ,7 Diretos (422,583,79 ) e de (51.853,34 ) para os anos de 212 a Redução das transferências para Entidades Terceiras , ,6 39% 45.47, ,76 No esta impõe que as despesas com transferências para entidades terceiras se fixem em 5% do valor executado no ano de ,67 5% , 163,335,99 justificados com , No esta impõe que as despesas com transferências para Entidades terceiras se fixem em 5% do valor executado no ano de 211, não acumulando com a redução operado no ano de 212. No esta impõe que as despesas com transferências para aumento da receita, de Impostos Entidades terceiras se fixem em 9.86,63 2% , ,2 Diretos (422,583,79 ) e de (51.853,34 ) 213 em 5% do valor executado no ano de 211, reduzindo-se para os anos subsequentes de acordo com o no. 5.3 Redução do n.º de colaboradores (regra 2 por 1) , ,42 13% ,42, Ao valor apurado em 211 reduz-se o 212 Pese embora implementada de forma eficaz a preconizada, o desvio evidenciado resulta da restituição do subsídio de férias, não no, aumento das ,4 5% , ,14 taxas contributivas da entidade patronal e de despesas com programas do IEFP, compensados pela comparticipação financeira desta entidade. Ao valor apurado em 211 reduz-se o 212 e 213 Pese embora implementada de forma eficaz a preconizada, o desvio evidenciado resulta da restituição do subsídio de férias, não no, aumento das 12.21,45 % , ,72 taxas contributivas da entidade patronal e de despesas com programas do IEFP, compensados pela comparticipação financeira desta entidade. Ao valor apurado em 211 reduz-se para os anos de 212 a Redução do volume de horas extraordinárias e ajudas de custo , ,27 21% ,27, Ao valor apurado em 211 reduz-se o ,21 15% , ,68 Ao valor apurado em 211 reduz-se o 212 e 213 aumento da receita, de Impostos Ao valor apurado em 211 reduz-se 1.66,39 2% -1.81, ,7 Diretos (422,583,79 ) e de (51.853,34 ) para os anos de 212 a Limitação das despesas de investimento à receita de capital do FEF líquida da amortização de capital do empréstimo de Saneamento e PAEL , ,27 37% ,27, No esta traduz-se em amortizações de de médio e ,95 justificados com (PAEL+Saneamento Financeiro) ,85 justificam-se com investimentos com ,6 32% , ,99 comparticipação financeira s no PAEL (Quadro III) ,82 por pagamentos de processos de expropriação de terrenos decretados pelo Tribunal. No esta traduz-se em amortizações de de médio e. Para o ano de 213 esse valor é de ,6., % ,11 a Receita de capital a título de transferências ,11 para investimentos, não prevista No esta traduz-se em amortizações de de médio e. Para o ano de 214 esse valor é de , Implementação do Plano de Eficiência Energética discriminar ca numa linha B.3 Outras s , 28.84, 1% , ,66 Ao valor apurado em 211 reduz-se o 212 Ao valor apurado em 211 reduz-se Parte justifica-se pela alteração em 213 apenas impacto na 28.84, 1% , ,14 da taxa do IVA da eletricidade de para 213, não acumulando 6% para 23%, em vigor em 211 com o impacto para 212 Total Poupança gerada pela redução da despesa (B.2) , , 25% , , ,93 2% , , ,18 1% , ,48 6. Informação referente a eventuais concursos públicos que se encontrem a decorrer b) 7. Informação referente a processos judiciais e extrajudiciais pendentes, em resultado dos quais resulte significativo impacte financeiro para o município b) 8. Outras s b) Ao valor apurado em 211 reduz-se Parte justifica-se pela alteração em 213 apenas o impacto da taxa do IVA da eletricidade de na para 213, não ,8 5% , ,8 6% para 23%, em vigor em 211, valores de referência para a elaboração do acumulando com o impacto para 212, reduzindo-se nos anos subsequentes de acordo com as s preconizadas no discriminar ca numa linha Total aumento receita / poupança gerada pelas outras s (B.3) Total impacte esperado (B.1+B.2+B.3) , , , , , , , , ,2 b) Indicação do tipo de impacte que podem ter: no caso de aumento de receitas indicar com sinal positivo; no caso de aumento da despesa indicar com sinal negativo. c) Devem ser registadas todas as s implementadas pelo Município. Caso as s não estejam listadas no quadro, deverão acrecentar as linhas necessárias.

3 QUADRO III: EVOLUÇÃO PREVISIONAL DA RECEITA E DA DESPESA Município: Miranda do Douro Data: apresentados em apurados 212 ao estimados 213 ao estimados total ao Receitas correntes , , ,13, , , , , , ,22 Impostos directos , , ,44, , , , , , ,79 IMI , , ,3, , , ,2 Parte do aumento avalição extraordinária de imóveis não no , , ,7 Parte do aumento avalição extraordinária de imóveis não no IMT 1.88, , ,7, , , , , , ,6 Derrama, , ,99, , , ,78 Pese embora não ter havido alteração das taxas da derrama previstas no a mátéria coletável reduziuse , , ,14 Pese embora não ter havido alteração das taxas da derrama previstas no a mátéria coletável reduziuse. Outros , , ,35, , , , , , ,1 Impostos indirectos 3.394, , ,48, , , , , , ,14 Taxas, multas e outras penalidades 5.59, , ,49, , , ,62 Pese embora a revisão das taxas, verificouse uma diminuição da atividade em termos gerais no concelho, eventualmente fruto da crise económica , , ,31 Taxas , , ,8, , , , , , ,61 Multas 4.273, , ,41, 4.569, , , ,41 913, ,7 Rendimentos da propriedade , , ,89, , , , , , ,34 Transferências correntes , , ,27, , , , , justificados com a passou de 6-4, para 8-2 de 212 para , , ,22 Venda de bens e serviços correntes 4.326, , ,2, , , , , , ,75 Venda de bens , , ,51, , , , , , ,56 Serviços 22.87, , ,51, , , , , , ,31 Rendas,,,,,,,,,, Outras receitas correntes , , ,54, , , , , , ,71 Receitas de capital , , ,97, , , , , , ,89 Venda de bens de investimento 23.46, 2.25, 2.25,,,,,,,, Terrenos,,,,,,,,, Habitações 23.46, 2.25, 2.25,,,,,,,, Edifícios,,,,,,,,, Outros bens de investimento,,,,,,,,, Transferências de capital , , ,97, , , ,9 Fundo de Equilíbrio Financeiro (FEF) , , ,, , , , Para além da linha seguinte, deve-se ao atraso na execução de obras com cofinanciamento (EDP) , justificados com a passou de 6-4, para 8-2 de 212 para , , , , 62.91, , Ativos financeiros,,,,,,,,,, Passivos financeiros 7., 65., 65.,, , , ,,,, Outras receitas de capital, 5, 5,,, 6.546, ,96, 2.983, , Rep. não abatidas nos pagamentos,,,,, 674,4-674,4,,, Total receita , , ,1, , , ,31 Fica grandemente nota tida para as transferências de capital , , ,33 Receitas correntes , , ,13, , , , , , ,22 Receitas de capital , , ,97, , , , , , ,89 Despesas correntes , , ,16, , , , , , ,2 Despesas com o pessoal , , ,4, , , ,29 Na essência justifica-se com a reposição do subsídio de férias não no , , ,88 Remunerações certas e permanentes , , ,28, , , , , , ,76 Abonos variáveis ou eventuais ,87 79.,12 79.,12, 67.66, , , , , ,84 Segurança social , , ,, , , , , , ,28 Pese embora a revisão das taxas, verificouse uma diminuição da atividade em termos gerais no concelho, eventualmente fruto da crise económica. 212 de 6/4 para 8/2 em 212 de 6/4 para 8/2 em 212 de 6/4 para 8/2 em Na essência justifica-se com a reposição do subsídio de férias não no.

4 Aquisição de bens e serviços , , ,11, , , , , , ,39 Aquisição de bens , , ,36, , , , , , ,2 Aquisição de serviços , , ,75, , , , , , ,59 Juros e outros encargos , , ,41, , , , , , ,62 Resultantes do PAEL,, , , , , , ,11 Resultantes de outro endividamento de médio e , , ,27, , , , , , ,3 Resultantes de endividamento de curto prazo 65.99, , ,14, , , ,66 Pagamento de juros a fornecedores motivado pelo atraso na aprovação e execução do PAEL , , ,3 Transferências correntes , , ,66, , , , , , ,98 Empresas públicas municipais e intermunicipais,,,,,,,,,, Freguesias 2.243,1, 3.156, , , , , , , ,93 Associações de municípios , , , , , , , , , ,62 Instituições sem fins lucrativos , , ,7, , , , , , ,49 Famílias,,,,,,,,, Outras 9.215,62,, , , , , , ,8 Subsídios 27.8, , ,44, 27.8, 15.23, ,7 27.8, 82.32, ,42 Empresas públicas municipais e intermunicipais 17.5, , ,44, 17.5, 6.573, ,7 17.5, 74.34, ,42 Famílias 1.3, 9.95, 9.95,, 1.3, 8.63, 1.67, 1.3, 7.98, 2.32, Outros,,,,,,,,, Outras despesas correntes , , ,14, , , , , , ,91 Despesas de capital , , ,69, , , , , , ,75 Aquisição de bens de capital , , ,49, , , , , , ,42 Investimentos , , ,2, , , , , , ,15 Terrenos, 1.875, 1.875,,, , ,82 Pagamento de expropriações não previstas no, 6.718, ,4 Habitações, 5.625, 5.625,, , ,44,,,, Edifícios 56.23, , ,45, , , , , , ,92 Construções diversas ,4 4.5, 4.5,, 9.57, , , , , ,55 Outros , , ,75, , , , , , ,28 Locação financeira, , ,71, 8.363, ,35-2, , ,53 188,6 Bens de domínio público , , ,58, , , ,6 atrasos na execução de obras cofinanciadas (EDP) , , ,13 Transferências de capital , , ,38, , , , , , ,68 Empresas públicas municipais e intermunicipais,,,,,,,, 23.48, ,71 Freguesias 1., , ,34, 38.71, , ,12 1., 4., -3., Associações de municípios ,,,, 22.99,4, 22.99, ,, , Instituições sem fins lucrativos, 5., 5.,, ,3 7., 1.318, ,3, 1.318,3 Famílias,,,,,,,,,, Outras, 8.143, ,4, , ,6,,,, Activos financeiros,,,,,,,, Passivos financeiros , , ,82, , , ,21 Deslizamento temporal face ao do mapa do serviço da dívida PAEL + Saneamento, atedndo à data da obtenção do visto do Tribunal de Contas , , ,35 Resultantes do PAEL,, , , , , ,8 184,28 Resultantes de outro endividamento de médio e , , ,82, , , , , , ,7 Resultantes de endividamento de curto prazo, 1.35., 1.35.,,,,,,,, Outras despesas de capital,,,,,,,,,, Total despesa , , ,85, , , , , , ,95 Despesa corrente , , ,16, , , , , , ,2 Despesa de capital , , ,69, , , , , , ,75 Saldo (Receita - Despesa) , , ,25, , , , , , ,38 Deslizamento temporal face ao do mapa do serviço da dívida PAEL + Saneamento, atedndo à data da obtenção do visto do Tribunal de Contas

5 QUADRO IV: MAPA PREVISIONAL DA EVOLUÇÃO DÍVIDA POR CURTO E MÉDIO E LONGO PRAZO E DO SERVIÇO DA DÍVIDA DE EMLP (DÍVIDA EM 31 DE DEZEMBRO) Município: MAPA PREVISIONAL DA EVOLUÇÃO DÍVIDA POR CURTO E MÉDIO E LONGO PRAZO (euros) Oservação / Oservação ( ) Dívida de Curto prazo Empréstimos de CP Empréstimos de MLP - Valor exigível a CP Outra Fornecedores c/c Fornecedores de imobilizado c/c Estado e Outros Entes Públicos Clientes, contribuintes e utentes Administração autárquica Outros credores Subtotal Curto prazo Dívida de Médio e Empréstimos No âmbito do PAEL Deslizamento do mapa de serviço da dívida atendendo à data de utilização dos (PAEL + Saneamento) Deslizamento do mapa de serviço da dívida atendendo à data de utilização dos (PAEL + Saneamento) Outros de médio/ Deslizamento do mapa de serviço da dívida atendendo à data de utilização dos (PAEL + Saneamento) Deslizamento do mapa de serviço da dívida atendendo à data de utilização dos (PAEL + Saneamento) Outra Fornecedores c/c Fornecedores de imobilizado c/c Estado e Outros Entes Públicos Clientes, contribuintes e utentes Administração autárquica Outros credores Subtotal Médio e Total da dívida Dívida referente a operações de tesouraria e, se refletidas patrimonialmente, a cauções e garantias prestadas por terceiros Total da dívida de natureza orçamental MAPA PREVISIONAL DA EVOLUÇÃO DO SERVIÇO DA DÍVIDA DE EMLP ( ) Amortizações Juros Amortizações Juros Amortizações Juros Amortizações Juros Amortizações Juros Amortizações Juros Amortizações Juros SERVIÇO DA DÍVIDA EMLP No âmbito do PAEL Outros de médio/ Total

3. ANEXOS J.I. EXECUÇÃO 00 PAEL

3. ANEXOS J.I. EXECUÇÃO 00 PAEL 3. ANEXOS J.I. EXECUÇÃO PAEL Síntese situação financeira atual e previsões de evolução Medidas propostas no plano de ajustamento financeiro Evolução previsional da receita e da despesa Mapa previsional

Leia mais

MAPAS DE FLUXOS FINANCEIROS

MAPAS DE FLUXOS FINANCEIROS DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 MAPAS DE FLUXOS FINANCEIROS Documentos de Prestação de Contas 2010 DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 Fluxos de Caixa Documentos de Prestação de Contas 2010 DOC

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS 2010 5 ANÁLISE ORÇAMENTAL

RELATÓRIO E CONTAS 2010 5 ANÁLISE ORÇAMENTAL 5 ANÁLISE ORÇAMENTAL 1 PRINCIPAIS DESTAQUES [Indicadores] Indicadores 2009 RECEITA Crescimento da Receita Total -18,8 19,8 Receitas Correntes / Receitas Totais 76,1 61 Crescimento das Receitas Correntes

Leia mais

FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS

FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS CÂMARA MUNICIPAL DO / SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE TRANSPORTES COLECTIVOS DO RECEBIMENTOS Saldo da gerência anterior 2.363.424,49 Execução Orçamental 1.404.990,71 Operações de Tesouraria 958.433,78 Total

Leia mais

5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS

5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS 5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS 1 PRINCIPAIS DESTAQUES [Indicadores] Indicadores 2010 2011 RECEITA Crescimento da Receita Total 19,8 3,7 Receitas Correntes / Receita Total 61 67,2 Crescimento das

Leia mais

8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS Designação da Entidade: CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS Gerência de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2006 8.2.1 Não se aplica. 8.2.2 Os conteúdos das contas

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 7.946.571,02 Execução Orçamental 5.519.930,76 Operações de Tesouraria 2.426.640,26 das Receitas Orçamentais 58.322.634,95 Receitas Correntes 55.610.658,97 01 Impostos

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE GONDOMAR. Mapas da Prestação de Contas (Anexo I)

CÂMARA MUNICIPAL DE GONDOMAR. Mapas da Prestação de Contas (Anexo I) CÂMARA MUNICIPAL DE GONDOMAR Mapas da Prestação de Contas (Anexo I) Ano de 2007 CC ÂÂMM AARR AA MM UU NN I IICC IIPP I AALL DD EE GG OONN DD OOMM AARR R EE LL AA TT ÓÓ RR II IOO EE C OO NN TT AA SS / 22

Leia mais

CORRENTES CAPITAL TOTAL RECEITAS 17 526 004 7 283 896 24 809 900 DESPESAS 12 372 900 12 437 000 24 809 900

CORRENTES CAPITAL TOTAL RECEITAS 17 526 004 7 283 896 24 809 900 DESPESAS 12 372 900 12 437 000 24 809 900 ANÁLISE DO ORÇAMENTO: RECEITA E DESPESA O orçamento para 2014 volta a ser mais contido que o anterior, situando-se em 24.809.900, ou seja menos 4,3% que o de 2013. Como se verá mais à frente, o plano de

Leia mais

DOCUMENTOS Prestação de Contas 2014

DOCUMENTOS Prestação de Contas 2014 DOCUMENTOS Prestação de Contas 2014 VIZELA Câmara Municipal VIZELA INDÍCE MENSAGEM DO PRESIDENTE 1 BALANÇO (PONTO 5 DO POCAL) - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 1.348.952,41 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 1.034.500,26 Operações de Tesouraria 314.452,15 16.035.427,63 Receitas Correntes 11.478.511,35 01

Leia mais

Município de Mesão Frio

Município de Mesão Frio Relatório Anual 2014 Execução do Plano de Saneamento Financeiro (n.º7, do artigo 40.º, da Lei das Finanças Locais) ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 3 2 EMPRÉSTIMO A MÉDIO E LONGO PRAZO 4 3 ANÁLISE ECONÓMICA E FINANCEIRA

Leia mais

Relatório Semestral de Acompanhamento do Plano Financeiro

Relatório Semestral de Acompanhamento do Plano Financeiro Relatório Semestral de Acompanhamento do 2º Semestre 2010 Índice 1. Introdução 3 2. Plano de Pagamentos 4 3. Receita 5 4. Despesa 6 5. Endividamento Líquido e Endividamento de Médio e Longo Prazo 7 7.

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2013 ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2013/12/31 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A ANO 2013 ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2013/12/31 R E C E B I M E N T O S ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2013/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 213.697,03 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 67.235,92 OPERAÇÕES DE TESOURARIA...

Leia mais

Quadro 1. Execução do Plano

Quadro 1. Execução do Plano Município de Condeixa-a-Nova - Relatório de Gestão 2008 1. Do Plano Plurianual de Investimentos 1.1. Introdução Pretende-se com o presente relatório complementar os documentos que constituem a Conta de

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2007 O Órgão Executivo; O Órgão Deliberativo;

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2007 O Órgão Executivo; O Órgão Deliberativo; PRESTAÇÃO DE CONTAS 2007 Junto se remetem os Documentos de Prestação de Contas referentes à Gerência de 2007, organizados em conformidade com o POCAL e de acordo com a Resolução n.º 04/2001 2.ª Secção,

Leia mais

1. Do Plano Plurianual de Investimentos. 1.1.- Introdução

1. Do Plano Plurianual de Investimentos. 1.1.- Introdução Página 1 de 16 1. Do Plano Plurianual de Investimentos 1.1.- Introdução Pretende-se com o presente relatório complementar os documentos que constituem a Conta de Gerência relativa ao ano de 2006, elaborada

Leia mais

R E L A T Ó R I O E C O N T A D E G E R Ê N C I A 2 0 0 8

R E L A T Ó R I O E C O N T A D E G E R Ê N C I A 2 0 0 8 R E L A T Ó R I O E C O N T A D E G E R Ê N C I A 2 0 0 8 índice Índice (numeração conforme a indicação no POCAL) índice... 2 5 - Balanço... 3 6 Demonstração de Resultados... 9 7 Mapas de Execução Orçamental...

Leia mais

8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS As Demonstrações Financeiras anexas foram elaboradas de acordo com os princípios contabilísticos definidos pelo Plano Oficial de Contabilidade das Autarquias

Leia mais

Documentos de Prestação de. Contas

Documentos de Prestação de. Contas Documentos de Prestação de Contas Ano Financeiro de 2010 INDICE GERAL 7.3.1 CONTROLO ORÇAMENTAL DA DESPESA 7.3.2 CONTROLO ORÇAMENTAL DA RECEITA 7.4 EXECUÇÃO ANUAL DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 7.4A

Leia mais

Informação Financeira

Informação Financeira Informação Financeira Balanço Código das contas POCMS Imobilizado ACTIVO Exercícios AB AP AL AL Bens de domínio público: 451 Terrenos e Recursos naturais 452 Edifícios 453 Outras construções e infra-estruturas

Leia mais

ANO 2007 ENTIDADE C.M.L. MUNICÍPIO DE LAGOA Pág. 1

ANO 2007 ENTIDADE C.M.L. MUNICÍPIO DE LAGOA Pág. 1 ENTIDADE C.M.L. MUNICÍPIO DE LAGOA Pág. 1 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 383.685,64 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 161.920,09 OPERAÇÕES DE TESOURARIA... 221.765,55 RECEITAS ORÇAMENTAIS...

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE

DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE ANEXO 1 DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE MUNICÍPIO DE GUIMARÃES GERÊNCIA 1 DE JANEIRO A 31 DE DEZEMBRO DE 2014 DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Nº DESIGNAÇÃO CÓDIGO POCAL 1 Balanço 5 2 Demonstração de resultados

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE

DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE ANEXO 1 DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Nº DESIGNAÇÃO CÓDIGO POCAL 1 Balanço 5 2 Demonstração de resultados 6 3 Plano plurianual de investimentos - aprovado por deliberação de 3/12/2009 7.1 4 Orçamento

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO ORÇAMENTAL E PATRIMONIAL DO POCAL, APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 54-A/99, DE 22 DE FEVEREIRO

CLASSIFICAÇÃO ORÇAMENTAL E PATRIMONIAL DO POCAL, APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 54-A/99, DE 22 DE FEVEREIRO Classe 0 Contas do controlo orçamental e de ordem* 01 Orçamento Exercício corrente* 02 Despesas 021 Dotações iniciais* 022 Modificações orçamentais* 0221 Transferências de dotações 02211 Reforços* 02212

Leia mais

Notas ao Balanço e à Demonstração de Resultados consolidados

Notas ao Balanço e à Demonstração de Resultados consolidados ANEXO AO BALANÇO E DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS CONSOLIDADOS NOTA INTRODUTÓRIA A Lei nº 2/2007, de 15 de Janeiro (Lei das Finanças Locais), dispõe no seu Artigo 46.º o seguinte: «1 - Sem prejuízo dos documentos

Leia mais

Documentos de. Prestação de Contas. e Relatório de Gestão

Documentos de. Prestação de Contas. e Relatório de Gestão Documentos de Prestação de Contas e Relatório de Gestão 2012 DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS E RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 Município de Santa Marta de Penaguião Relatório de Gestão 2012 Í N D I C E Pág.

Leia mais

AMADORA - MUNICIPIO DA AMADORA MOEDA EUR DATA 2015/04/10 A DEZEMBRO - 2014/12/01 a 2014/12/31 PAG. 1

AMADORA - MUNICIPIO DA AMADORA MOEDA EUR DATA 2015/04/10 A DEZEMBRO - 2014/12/01 a 2014/12/31 PAG. 1 A DEZEMBRO - 2014/12/01 a 2014/12/31 PAG. 1 Imobilizado: Bens de domínio público 451 Terrenos e recursos naturais 1.437.193,54 1.437.193,54 1.424.390,02 452 Edifícios 453 Outras construções e infra-estruturas

Leia mais

ANO DE 2010 BALANÇO DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

ANO DE 2010 BALANÇO DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CONTAS ANO DE 2010 BALANÇO DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PARAQUEDISMO RUA DA UNIDADE, 9 7000-719

Leia mais

Fluxos de Caixa Instituto de Higiene e Medicina Tropical - Universidade Nova de Lisboa Gerência de 01-01-2012 a 31-12-2012 Class. Económica Recebimentos Saldo da gerência anterior Execução orçamental -

Leia mais

Relatório Semestral de Acompanhamento

Relatório Semestral de Acompanhamento 4.º relatório semestral Relatório Semestral de Acompanhamento 1º semestre 2012 Município de Mondim de Basto julho de 2012 1 ÍNDICE I. Introdução...3 II. Execução do Plano de Contenção de Despesa Corrente...4

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO JUNTA DE FREGUESIA DE RONFE - ANO ECONÓMICO DE 2006-

RELATÓRIO DE GESTÃO JUNTA DE FREGUESIA DE RONFE - ANO ECONÓMICO DE 2006- RELATÓRIO DE GESTÃO JUNTA DE FREGUESIA DE RONFE - ANO ECONÓMICO DE 2006- ANÁLISE FINAL DO EXERCÍCIO ORÇAMENTAL Ano Económico de 2006 ANÁLISE AOS MAPAS DE CONTROLO ORÇAMENTAL Controlo Orçamental Despesa

Leia mais

Documentos de Prestação de Contas

Documentos de Prestação de Contas Documentos de Prestação de Contas E DOCUMENTOS ANEXOS Segundo a Resolução nº04/2001-2ª Secção APROVAÇÃO Câmara Municipal - Reunião de / / Assembleia Municipal - Sessão de / / ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS

Leia mais

MUNICÍPIO DE MÊDA Plano de Contas Consolidado para o Ano Económico de 2012

MUNICÍPIO DE MÊDA Plano de Contas Consolidado para o Ano Económico de 2012 Plano de s Consolidado para o Ano Económico de 2012 1 Disponibilidades 11 Caixa 111 Caixa Principal 118 Fundo Maneio 119 Transferências de caixa 12 Depósitos em instituições financeiras 1201 Caixa Geral

Leia mais

8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 8.2.1 - Princípios Contabilísticos Na contabilidade autarca é necessário cumprir um conjunto de princípios contabilísticos, de modo a obter uma imagem

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2010 ENTIDADE CM AMADORA MUNICIPIO DA AMADORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2010/12/31 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A ANO 2010 ENTIDADE CM AMADORA MUNICIPIO DA AMADORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2010/12/31 R E C E B I M E N T O S 15:10 2011/06/09 Fluxos de caixa Pag. 1 ENTIDADE CM AMADORA MUNICIPIO DA AMADORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2010/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 54.683.639,20 EXECUÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO CONSOLIDADO 2014. Reunião de Câmara Municipal de 12/06/2015

RELATÓRIO DE GESTÃO CONSOLIDADO 2014. Reunião de Câmara Municipal de 12/06/2015 RELATÓRIO DE GESTÃO CONSOLIDADO 2014 Reunião de Câmara Municipal de 12/06/2015 Sessão da Assembleia Municipal de 22/06/2015 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 5 2. PERÍMETRO DE CONSOLIDAÇÃO... 6 3. MÉTODO DE CONSOLIDAÇÃO...

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 393.778,77 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 263.966,97 Operações de Tesouraria 129.811,80 16.355.231,25 Receitas Correntes 12.596.773,53 01 Impostos

Leia mais

Documentos de Prestação de Contas

Documentos de Prestação de Contas Documentos de Prestação de Contas E DOCUMENTOS ANEXOS Segundo a Resolução nº04/2001-2ª Secção APROVAÇÃO Câmara Municipal - Reunião de / / Assembleia Municipal - Sessão de / / ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS

Leia mais

2. Enquadramento Orçamental para o Exercício de 2015

2. Enquadramento Orçamental para o Exercício de 2015 G R A N D E S O P Ç Õ E S D O P L A N O E O R Ç A M E N T O 2 9 2. Enquadramento Orçamental para o Exercício de 2015 GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2015 3 0 G R A N D E S O P Ç Õ E S D O P L A N O

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 316.566,25 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 264.031,03 Operações de Tesouraria 52.535,22 5.031.119,33 Receitas Correntes 2.585.384,84 01 Impostos

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 Nº do Dimensão Data de Designação documento em bytes criação 53,4 KB 08/04/2011 24,6 KB 08/04/2011 72,2 KB 29/04/2011

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 Nº do Dimensão Data de Designação documento em bytes criação 53,4 KB 08/04/2011 24,6 KB 08/04/2011 72,2 KB 29/04/2011 PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 Junto se remetem os Documentos de Prestação de Contas referentes à Gerência de 2010, organizados em conformidade com o POCAL e de acordo com a Resolução n.º 04/2001 2.ª Secção,

Leia mais

Em 31 de Dezembro do ano de 2011 e 31 de Dezembro de 2012, estas rubricas tinham a seguinte composição:

Em 31 de Dezembro do ano de 2011 e 31 de Dezembro de 2012, estas rubricas tinham a seguinte composição: 8.2 Notas ao Balanço e à Demonstração de Resultados As demonstrações financeiras relativas ao exercício de 2012, foram preparadas de acordo com os princípios contabilístico fundamentais previstos no POCAL

Leia mais

Orçamento 2010. Município de Murça

Orçamento 2010. Município de Murça Orçamento 2010 Município de Murça ÍNDICE DOCUMENTOS PREVISIONAIS 4 INTRODUÇÃO 5 1- ORÇAMENTO DE 2010 6 2- RECEITA 7 2.1- RECEITA CORRENTE 8 2.2- RECEITA DE CAPITAL 9 3- DESPESA 9 3.1- DESPESA CORRENTE

Leia mais

Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos

Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos Contribuinte nº 506 811 875 Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos Ano Económico 2015 Aprovado em reunião da Junta de Freguesia em / / Aprovado em reunião da Assembleia de Freguesia em / / ORÇAMENTO

Leia mais

DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E PATRIMONIAL ORÇAMENTO. (Transposto 2014)

DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E PATRIMONIAL ORÇAMENTO. (Transposto 2014) ORÇAMENTO 2015 (Transposto 2014) A presente proposta de Orçamento foi elaborada no respeito pelas regras previsionais constantes no ponto 3.3 do POCAL (Plano Oficial das Autarquias Locais), aprovado pelo

Leia mais

I - Considerações Gerais

I - Considerações Gerais I - Considerações Gerais Os documentos de prestação de contas relativos ao ano de 2013 foram elaborados de harmonia com o preceituado na Lei, sujeitos a processos de certificação por parte do Revisor Oficial

Leia mais

37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00

37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00 37.100.500,00 0 DA CÂMARA MUNICIPAL DE LEIRIA ANO 2013 RECEITAS DESPESAS CORRENTES 23.469.442,00 CORRENTES 23.270.500,00 CAPITAL 13.631.058,00 CAPITAL

Leia mais

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 8.2 - NOTAS AO BALANÇO E A DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 8.2.1 Indicação e justificação das disposições do POCAL que, em casos excecionais, devidamente fundamentados e sem

Leia mais

Nº do. Dimensão em Designação documento. Data de criação. bytes

Nº do. Dimensão em Designação documento. Data de criação. bytes PRESTAÇÃO DE CONTAS 2008 Junto se remetem os Documentos de Prestação de Contas referentes à Gerência de 2008, organizados em conformidade com o POCAL e de acordo com a Resolução n.º 04/2001 2.ª Secção,

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 310.276,31 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 103.137,41 Operações de Tesouraria 207.138,90 6.794.667,86 Receitas Correntes 5.881.296,87 01 Impostos

Leia mais

Município de Mortágua

Município de Mortágua Município de Mortágua Documentos de Prestação de Contas Balanço Demonstração de Resultados Mapas de Execução Orçamental Anexos às Demonstrações Financeiras Relatório de Gestão 2004 Índice Índice: 5. Balanço

Leia mais

Município de Alcácer do Sal Relatório de prestação de contas consolidadas

Município de Alcácer do Sal Relatório de prestação de contas consolidadas 1- INTRODUÇÃO A lei das Finanças Locais (Lei nº 2/2007, de 15 de Janeiros) veio determinar a obrigatoriedade da consolidação de contas para os Municípios que detenham serviços municipalizados e/ou a totalidade

Leia mais

8.2.1 Disposições do POCAL derrogadas e seus efeitos no Balanço e Demonstração de Resultados

8.2.1 Disposições do POCAL derrogadas e seus efeitos no Balanço e Demonstração de Resultados 8.2 O Balanço e a Demonstração de Resultados encontram-se elaborados de acordo com os princípios contabilísticos definidos pelo Plano Oficial de Contabilidade das Autarquias Locais (POCAL) e demais legislação

Leia mais

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 NOTA INTRODUTÓRIA A RUMO 2020, E.M. é uma empresa pública de âmbito municipal constituída em 16 de Outubro de 2006. Tem a sua

Leia mais

Serviços Municipalizados da C.M.Guarda

Serviços Municipalizados da C.M.Guarda 01 Orçamento-Exercício corrente 12.450.272,25 12.450.272,25 0,00 0,00 011 Receitas,00 12.133.603,25 0,00 12.133.603,25 01104 Taxas, multas e outras penalidades,00 19.860,00 0,00 19.860,00 0110402 Multas

Leia mais

ORÇAMENTO PARA O ANO 2010 - Receita

ORÇAMENTO PARA O ANO 2010 - Receita ORÇAMENTO PARA O ANO 200 - Receita 0 Impostos directos 002 Outros 00202 Imposto municipal sobre imóveis 26.548.49 00203 Imposto único de circulação 6.4.999 00204 Imposto municipal s/ transacções onerosas

Leia mais

Mapa de Fluxos de Caixa

Mapa de Fluxos de Caixa RECEBIMENTOS Saldo da Gerência Anterior 1.243.835,16 Execução Orçamental 1.090.463,60 Operações de Tesouraria 153.371,56 Receitas Orçamentais 18.346.140,09 01 IMPOSTOS DIRECTOS 4.120.643,81 0102 Outros

Leia mais

ORÇAMENTO RECEITA E DA DESPESA

ORÇAMENTO RECEITA E DA DESPESA MUNICÍPIO DAS VELAS ORÇAMENTO DA RECEITA E DA DESPESA ANO DE 2010 MUNICÍPIO DAS VELAS ORÇAMENTO DA RECEITA 2010 Código Class. Económica ORÇAMENTO PARA O ANO 2010 - Receita 01 Impostos directos 0102 Outros

Leia mais

NOTAS ANEXAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 2 REFERENCIAL CONTABILÍSTICO DE PREPARAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

NOTAS ANEXAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 2 REFERENCIAL CONTABILÍSTICO DE PREPARAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ASSOCIAÇÃO POPULAR DE PAÇO DE ARCOS Rua Carlos Bonvalot, Nº 4 Paço de Arcos Contribuinte nº 501 238 840 NOTAS ANEXAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 1 IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE:

Leia mais

Relatório de Gestão MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES

Relatório de Gestão MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES 2014 Relatório de Gestão MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES Índice Geral 1. INTRODUÇÃO... 4 2. ANÁLISE SUMÁRIA DA EXECUÇÃO ORÇAMENTAL E PATRIMONIAL... 6 2.1. EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 6 2.2. EXECUÇÃO PATRIMONIAL...

Leia mais

Existências. Provisões para cobrança duvidosa

Existências. Provisões para cobrança duvidosa 8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS POR NATUREZA As demonstrações financeiras anexas foram preparadas com base nos livros e registos contabilísticos da ESHTE mantidos em conformidade com

Leia mais

Praça Francisco Inácio - 4835-321 - Contrib: 507 214 668 - Tel: 253 531 824

Praça Francisco Inácio - 4835-321 - Contrib: 507 214 668 - Tel: 253 531 824 01 Impostos directos 0102 Outros CORRENTES 010202 Imposto municipal sobre imóveis 9.000,00 TOTAL Rúbrica 01 9.000,00 02 Impostos indirectos 0202 Outros 020206 Impostos indirectos específicos das autarquias

Leia mais

ANEXO. Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais Para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014

ANEXO. Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais Para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 ANEXO Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais Para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 1 - Identificação de entidade: 1.1- Designação da entidade: GATO - Grupo de Ajuda a Toxicodependentes

Leia mais

Freguesia de Tabuadelo e São Faustino. Concelho de Guimarães

Freguesia de Tabuadelo e São Faustino. Concelho de Guimarães Freguesia de Tabuadelo e São Faustino Concelho de Guimarães Relatório de Gerência de Contas e Relatório de Actividades Ano de 2013 Índice: Introdução:... 3 Analise Económica e Financeira... 5 Execução

Leia mais

CENTRO SÓCIO - CULTURAL E DESPORTIVO SANDE S. CLEMENTE Rua N. Senhora da Saúde nº 91 -S. Clemente de Sande

CENTRO SÓCIO - CULTURAL E DESPORTIVO SANDE S. CLEMENTE Rua N. Senhora da Saúde nº 91 -S. Clemente de Sande CENTRO SÓCIO - CULTURAL E DESPORTIVO SANDE S. CLEMENTE Rua N. Senhora da Saúde nº 91 -S. Clemente de Sande NIPC :501971327 NISS :20007555241 NOTAS PERÍODOS 31-12-2014 31-12- ACTIVO Activo não corrente

Leia mais

ANO 2006 ENTIDADE CMVM - MUNICIPIO DE VIEIRA DO MINHO PÁG. 1. (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) ( 10 = 7-9 ) (11=4+5-6-7) (12)a

ANO 2006 ENTIDADE CMVM - MUNICIPIO DE VIEIRA DO MINHO PÁG. 1. (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) ( 10 = 7-9 ) (11=4+5-6-7) (12)a MAPA DO CONTROLO ORÇAMENTAL DA RECEITA ANO 2006 ENTIDADE CMVM - MUNICIPIO DE VIEIRA DO MINHO PÁG. 1 CLA SIFICAÇÃO ECONÓMICA PREVISÕES RECEITAS POR RECEITAS LIQUIDAÇÕES RECEITAS REEMBOLSOS/RESTITUIÇÕES

Leia mais

(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) ( 10 = 7-9 ) (11=4+5-6-7) (12)a

(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) ( 10 = 7-9 ) (11=4+5-6-7) (12)a MAPA DE CONTROLO ORÇAMENTAL DA RECEITA - POR ENTIDADE MVN - MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS ANO 2014 JANEIRO A JUNHO - 2014/06/30 PAG 1 CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA REEMBOLSOS/RESTITUIÇÕES GRAU RECEITAS CORRENTES

Leia mais

MUNICÍPIO DO PORTO SANTO

MUNICÍPIO DO PORTO SANTO MUNICÍPIO DO PORTO SANTO Ponto 8 do POCAL ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As notas apresenta neste documento correspondem à numeração no POCAL. Aquelas cuja numeração se omite, não são aplicáveis ao

Leia mais

19. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS

19. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS 19. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS 19.1. INFORMAÇÕES RELATIVAS ÀS ENTIDADES INCLUÍDAS NA CONSOLIDAÇÃO a) O perímetro de consolidação do Município de Pombal integra as seguintes entidades:

Leia mais

Documentos de Prestação de Contas

Documentos de Prestação de Contas Documentos de Prestação de Contas Exercício Económico de 2014 Relatório de Gestão Exercício Económico de 2014 1 Índice 1 Considerações Gerais Pág. 3 2 Atividade Municipal Pág. 4 3 Execução Orçamental 3.1

Leia mais

DOCUMENTOS PREVISIONAIS PARA O ANO DE 2009

DOCUMENTOS PREVISIONAIS PARA O ANO DE 2009 DOCUMENTOS PREVISIONAIS PARA O ANO DE 2009 - ORÇAMENTO DA RECEITA E DA DESPESA - PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS - GRANDES OPÇÕES DO PLANO - RESUMO DE ORÇAMENTO APROVADO EM: C.A. / / C.M. / / A.M. /

Leia mais

8. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

8. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 8. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Nota Introdutória A Manuel Rodrigues Gouveia, S.A. ( MRG ou Empresa ) tem sede em Seia, foi constituída em 1977 e tem como actividade principal a Construção Civil

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2009 DOCUMENTOS PREVISIONAIS 2005 CÂMARA MUNICIPAL DE ESPINHO

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2009 DOCUMENTOS PREVISIONAIS 2005 CÂMARA MUNICIPAL DE ESPINHO PRESTAÇÃO DOCUMENTOS PREVISIONAIS 2005 DE CONTAS 2009 CÂMARA MUNICIPAL DE ESPINHO Í N D I C E RELATÓRIO DE GESTÃO RELATÓRIO DE ACTIVIDADES SITUAÇÃO PATRIMONIAL E FINANCEIRA EXECUÇÃO DOS DOCUMENTOS PREVISIONAIS

Leia mais

Junta de Freguesia de Alcabideche

Junta de Freguesia de Alcabideche Junta de Freguesia de Alcabideche (Sede da Junta de Freguesia de Alcabideche) Conta de Gerência 2012 Junta de Freguesia de Alcabideche Conta de Gerência 2012 Prestação de Contas Ano de 2012 Prefácio Orçamental

Leia mais

BALANÇO ANO 2005 ENTIDADE C.M.M MUNICIPIO DE MIRANDELA PAG. 1 EXERCÍCIOS CÓDIGO DAS N N - 1 ACTIVO AB A/P AL AL

BALANÇO ANO 2005 ENTIDADE C.M.M MUNICIPIO DE MIRANDELA PAG. 1 EXERCÍCIOS CÓDIGO DAS N N - 1 ACTIVO AB A/P AL AL Prestação de Contas - 2005 Junto se remete os Documentos de Prestação de Contas referentes à Gerência de 2005, organizados em conformidade com o POCAL e a Resolução n.º 04/2001 2.ª Secção, do Tribunal

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS 2010 6 ANÁLISE ECONÓMICO - FINANCEIRA

RELATÓRIO E CONTAS 2010 6 ANÁLISE ECONÓMICO - FINANCEIRA 6 ANÁLISE ECONÓMICO - FINANCEIRA 1 ANÁLISE DO BALANÇO O Balanço e o Sistema Contabilístico adequam-se ao previsto no Plano Oficial de Contabilidade das Autarquias Locais (POCAL), espelhando a situação

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2007 ENTIDADE MUN. VNFAMALICAO MUNICIPIO DE VILA NOVA DE FAMALICAO Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2007/12/31

F L U X O S D E C A I X A ANO 2007 ENTIDADE MUN. VNFAMALICAO MUNICIPIO DE VILA NOVA DE FAMALICAO Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2007/12/31 ENTIDADE MUN. VNFAMALICAO MUNICIPIO DE VILA NOVA DE FAMALICAO Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2007/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 2.998.192,70 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 1.267.764,59

Leia mais

AB AP AL AL 2013 2013 2013 2012

AB AP AL AL 2013 2013 2013 2012 Balanço - Activo Dados atuais 23.04.2014 13:48:11 Organismo: 1012 ADSE Página: 1 Exercício:2013 Emissão:23.04.2014 13:48:17 Balanço - Activo Activo Imobilizado Bens de domínio público: 451 Terrenos e recursos

Leia mais

documentos DEprest ação cont as

documentos DEprest ação cont as documentos DEprest ação DE cont as 2013 Índice Índice: 5. Balanço 5.1 Balanço 6. Demonstração de Resultados 6.1 Demonstração de Resultados 7. Mapas de Execução Orçamental. 7.3 Mapas de Controlo Orçamental.

Leia mais

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2012

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2012 ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2012 PÁGINA : 1 01 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 4.684.112,00 01.01 ADM/OPERAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

Informação Financeira

Informação Financeira Informação Financeira Balanço Polis Litoral Ria Aveiro das ACTIVO BALANÇO ANALÍTICO Dezembro 09 Dezembro 08 ACTIVO BRUTO AMORT. E AJUST. ACTIVO LIQUIDO ACTIVO LIQUIDO IMOBILIZADO Imobilizações Incorpóreas

Leia mais

ABC da Gestão Financeira

ABC da Gestão Financeira ABC da Gestão Financeira As demonstrações financeiras são instrumentos contabilísticos que reflectem a situação económico-financeira da empresa, evidenciando quantitativamente os respectivos pontos fortes

Leia mais

Município da Calheta

Município da Calheta Câmara Municipal EMPRÉSTIMO DE SANEAMENTO FINANCEIRO RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO 6.º SEMESTRE PLANO DE SANEAMENTO FINANCEIRO MAIO DE 2012 Preparado por: Página 2 de 31 ÍNDICE PLANO DE SANEAMENTO FINANCEIRO...

Leia mais

NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS Nota introdutória As demonstrações financeiras relativas ao exercício, foram preparadas de acordo com os princípios contabilísticos geralmente aceites previstos

Leia mais

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE ÁGUA E SANEAMENTO DE VISEU Rua Conselheiro Afonso de Melo 3510-024 VISEU N.º de Identificação Fiscal 680.020.

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE ÁGUA E SANEAMENTO DE VISEU Rua Conselheiro Afonso de Melo 3510-024 VISEU N.º de Identificação Fiscal 680.020. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE ÁGUA E SANEAMENTO DE VISEU Rua Conselheiro Afonso de Melo 3510-024 VISEU N.º de Identificação Fiscal 680.020.063 NOTAS AO BALANÇO E A DEMONSTRAÇÃO

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A R E C E B I M E N T O S PERÍODO 2014/01/02 A 2014/12/31 Pág. 1 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 259.724,13 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 18.518,45 OPERAÇÕES DE TESOURARIA... 241.205,68 RECEITAS ORÇAMENTAIS... 4.975.283,44

Leia mais

Análise Financeira 2º semestre

Análise Financeira 2º semestre ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE VISEU DEPARTAMENTO DE GESTÃO Análise Financeira 2º semestre Caderno de exercícios CAP II Luís Fernandes Rodrigues António Manuel F Almeida CAPITULO II 2011 2012 Página

Leia mais

ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Conforme preceitua o Decreto Lei n.º 54-A/99 de 22 de Fevereiro, com as devidas alterações, os anexos às Demonstrações Financeiras visam facultar aos órgãos autárquicos

Leia mais

Anexo ao Balanço e à Demonstração de Resultados

Anexo ao Balanço e à Demonstração de Resultados Anexo ao Balanço e à Demonstração de Resultados (ponto 8.2 e 8.3 do Dec-Lei 54-A/99 de 22 de fevereiro) 8.2.1 Indicação e justificação das disposições do POCAL que, em casos excecionais e devidamente fundamentados

Leia mais

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS relativo às contas individuais do exercício de dois mil e quatro, do Conselho Geral da Ordem dos Advogados, pessoa colectiva de direito público nº 500 965

Leia mais

PLC Corretores Seguros SA Pág. 1 de 4 BALANÇO ANALÍTICO. Exercícios ACTIVO AB AA AL AL. Imobilizado:

PLC Corretores Seguros SA Pág. 1 de 4 BALANÇO ANALÍTICO. Exercícios ACTIVO AB AA AL AL. Imobilizado: PLC Corretores Seguros SA Pág. 1 de 4 Imobilizado: ACTIVO AB AA AL AL Imobilizações incorpóreas: Despesas de Instalação... 770,64 770,64 Despesas de investigação e de desenvolvimento... Propriedade industrial

Leia mais

ORÇAMENTO PARA O ANO 2014 - Receita

ORÇAMENTO PARA O ANO 2014 - Receita ORÇAMENTO PARA O ANO 2014 - Receita 04 Taxas, multas e outras penalidades 0402 Multas e outras penalidades 040201 Juros de mora 6.000 040204 Coimas e penalidades por contra-ordenações 040299 Multas e penalidades

Leia mais

MUNICÍPIO DO PORTO SANTO

MUNICÍPIO DO PORTO SANTO MUNICÍPIO DO PORTO SANTO ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS As notas apresentadas neste documento, estão conforme o preconizado no art.º 46º da Lei n.º 2/2007, de 15 de janeiro,

Leia mais

Relatório de execução orçamental Anual. Índice Página: 1 - O grau de execução orçamental 2

Relatório de execução orçamental Anual. Índice Página: 1 - O grau de execução orçamental 2 Índice Página: 1 - O grau de execução orçamental 2 2 - Análise detalhada 2 2.1-Despesa total efetuada, em 2014, através das fontes de financiamento 2 2.2 - Despesa total efetuada, em 2014, pela fonte de

Leia mais

A prestação de contas de 2011 é elaborada de acordo com o SNC 1, não existiram alterações no capital nem perdas ou ganhos por imparidade.

A prestação de contas de 2011 é elaborada de acordo com o SNC 1, não existiram alterações no capital nem perdas ou ganhos por imparidade. INTERPRETAÇÃO DAS CONTAS DO EXERCÍCIO DE 2011 Nota Introdutória: A prestação de contas de 2011 é elaborada de acordo com o SNC 1, não existiram alterações no capital nem perdas ou ganhos por imparidade.

Leia mais

Notas ao Balanço e à Demonstração de Resultados Município da Lourinhã

Notas ao Balanço e à Demonstração de Resultados Município da Lourinhã 2. Notas ao Balanço e Demonstrações de Resultados 2.1 - As contas do município derrogaram o ponto 2.8.3 do POCAL que institui a obrigatoriedade da utilização da contabilidade de custos. Tal facto ficou

Leia mais

II Execução do Orçamento

II Execução do Orçamento Município de Valpaços Relatório e contas Ano 2014 II Execução do Orçamento 2.1 Comparação entre o Orçamento Inicial e o Orçamento Executado Com base no princípio da utilização racional das dotações aprovadas,

Leia mais

8.2. NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

8.2. NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 8.2. NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS As Demonstrações Financeiras anexas foram elaboradas de acordo com os princípios contabilísticos

Leia mais