1. OBJETIVO E ÂMBITO. 1.1 Objeto A Mota-Engil Africa N.V. ( Mota-- Engil Africa ou a Empresa ) e respetivas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. OBJETIVO E ÂMBITO. 1.1 Objeto 1.1.1 A Mota-Engil Africa N.V. ( Mota-- Engil Africa ou a Empresa ) e respetivas"

Transcrição

1

2 1. OBJETIVO E ÂMBITO 1.1 Objeto A Mota-Engil Africa N.V. ( Mota-- Engil Africa ou a Empresa ) e respetivas subsidiárias (juntamente com a Empresa, o Grupo ) comprometem-se a conduzir todos os seus negócios e relações com dedicação, empenho, profissionalismo e integridade A ética empresarial do Grupo baseia-se no cumprimento dos critérios que promovem os valores, a cultura e o modelo de gestão do Grupo, e que promovem também o respeito pelos indivíduos e respetivos direitos Este Código pretende estabelecer os princípios e regras por que se pauta o Grupo e criar a base do comportamento dos seus trabalhadores (conforme definido abaixo). Este Código entra em vigor em Junho de 2014 e poderá ser alterado pontualmente pelo conselho de administração da Empresa. 1.2 Âmbito de implementação O Código aplica-se a todos os indivíduos que trabalhem em qualquer nível hierárquico dentro do Grupo, incluindo quadros superiores, dirigentes, administradores, trabalhadores (quer sejam contratados a termo indefinido, definido ou temporário), consultores, empreiteiros, subempreiteiros, estagiários, pessoal destacado, trabalhadores domiciliários, trabalhadores ocasionais e temporários, voluntários, agentes, patrocinadores ou qualquer pessoa associada com o Grupo (designadas coletivamente por trabalhadores ) O Grupo também espera que os seus parceiros cumpram as mesmas normas nas suas relações com o Grupo e nas relações estabelecidas em nome do Grupo com outras partes Este Código não constitui um contrato nem cria qualquer obrigação contratual entre os trabalhadores e o Grupo. No entanto, este Código deverá ser respeitado por todos os trabalhadores nas suas atividades diárias, uma vez que estipula o modelo comportamental compatível com a cultura empresarial do Grupo. 1.3 Relação entre o Código e outras políticas do Grupo 2

3 1.3.1 Este Código deverá ser considerado juntamente com as outras políticas do Grupo referidas neste Código, incluindo a Política Anticorrupção e Suborno e as Regras de Denúncia. 1.4 Monitorização e Cumprimento O conselho de administração da Mota Engil Africa (o Conselho de Administração ) é responsável pela supervisão da implementação deste Código e pela revisão anual dos princípios aqui contidos para assegurar a eficácia e implementação deste Código Todos os membros do Grupo se comprometem a cumprir este Código e respeitar os respetivos princípios nas suas relações com acionistas, parceiros, clientes, fornecedores, trabalhadores e com a comunidade. O conselho de administração de cada membro do Grupo deverá adotar esta política sob a supervisão do Conselho de Administração, tendo em consideração as questões éticas e as caraterísticas específicas de cada país em que determinado membro do Grupo desenvolve as suas atividades. 2. VISÃO / MISSÃO / VALORES 2.1 Visão O Grupo pretende ser um líder internacional nas suas áreas de atividade através da aplicação das melhores práticas de mercado e inovação contínua para fornecer serviços de excelência aos clientes e também à comunidade. 2.2 Missão O Grupo tem como missão criar valor para os seus acionistas e respeitar a comunidade de forma socialmente responsável. 2.3 Valores Os princípios éticos e a conduta empresarial do Grupo assentam nos seus valores fundamentais, estes são ambição, integridade, coesão e espírito de equipa Ambição O Grupo está empenhado em melhorar e demonstrar a sua vontade em superar novos desafios para contribuir para o seu crescimento Integridade 3

4 O Grupo está empenhado em escolher o caminho que reforça os seus princípios de honestidade, verdade, lealdade, retidão e justiça na conduta diária de todos os seus trabalhadores Coesão O Grupo pretende garantir que os objetivos ambiciosos que estabelece são alcançados através da contribuição de todas as unidades de negócio. A experiência do Grupo facilita a mobilização dos recursos necessários para superar novos desafios Espírito de Equipa O Grupo desenvolve a sua atividade a nível global em contextos culturalmente diversificados e encoraja, entre todos os trabalhadores, um sentimento de pertença, o respeito pela diferença, a lealdade e reciprocidade. 3. REGRAS GERAIS DE ÉTICA E CONDUTA 3.1 Relações com e entre trabalhadores Cumprimento de leis, regras e regulamentos Todos os trabalhadores deverão sempre cumprir todas as leis, regras, regulamentos e normas profissionais aplicáveis no país em que desenvolvem a sua atividade O Papel dos Superiores Hierárquicos O Conselho de Administração, os quadros superiores e intermédios são responsáveis por dar o exemplo, orientar e apoiar as suas equipas no cumprimento deste Código Respeito, integridade, lealdade e espírito de equipa As relações entre trabalhadores deverão basear-se no respeito mútuo, lealdade, retidão e na devida observância dos princípios de ética e cooperação para fomentar um ambiente de trabalho forte e espírito de equipa. Todos os trabalhadores estão proibidos de cometer qualquer forma de discriminação, intimidação (bullying), assédio ou agressão no local de trabalho. A intimidação (bullying) no local de trabalho é definida como o tratamento inaceitável de um trabalhador por parte de outro(s) que possa negar os direitos do referido trabalhador ou intimidá-lo. O assédio é definido como comportamento ameaçador ou desestabilizador de um trabalhador para com outro que uma pessoa razoável consideraria intimidante, ofensivo ou degradante Conflito de interesses 4

5 Todos os trabalhadores têm a responsabilidade de agir no melhor interesse do Grupo e não deverão fazer nada que entre em conflito com essa responsabilidade. Os conflitos de interesse ocorrem quando os trabalhadores participam em atividades fora do âmbito dos seus deveres dentro do Grupo ou mantêm relações financeiras ou pessoais que prejudiquem, ou possam prejudicar, o cumprimento dos seus deveres dentro do Grupo, ou que colidam com os objetivos do Grupo. Habitualmente, os conflitos de interesse surgem nos seguintes contextos: (a) desempenho de cargos ou funções em organizações fora do Grupo que possam afetar a capacidade do trabalhador desempenhar os seus deveres no Grupo, ou influenciar um processo de tomada de decisão no qual o referido trabalhador tem, direta ou indiretamente, um interesse pessoal; (b) ter familiares próximos que desempenham cargos ou funções no Grupo ou noutras organizações e que possam influenciar o trabalhador ou afetar a sua capacidade de desempenhar os seus deveres no Grupo, incluindo a objetividade na tomada de decisões; (c) deter interesses financeiros numa organização onde o trabalhador pudesse influenciar pessoalmente a relação empresarial do Grupo com a referida organização, incluindo organizações das quais o referido trabalhador seja dono, cofundador ou administrador; e/ou (d) tirar partido de uma oportunidade de negócio ou recursos do Grupo, incluindo recursos informáticos e endereço eletrónico, para proveito próprio Confidencialidade O Grupo detém informação relativa a segredos comerciais e dados pessoais dos trabalhadores. Todos os trabalhadores, mesmo após cessação dos seus deveres no Grupo, deverão garantir a confidencialidade de questões relacionadas com o Grupo, respetivos clientes e fornecedores que, devido à sua natureza e por decisão do Grupo, não deverão ser tornadas públicas. Todos os recursos e bens não públicos disponibilizados pelo Grupo são propriedade deste e não deverão ser usados por nenhum trabalhador a título pessoal ou para proveito próprio do referido trabalhador. Os dados pessoais relativos a qualquer trabalhador estão sujeitos à confidencialidade e apenas o referido trabalhador, ou um gestor responsável pelo referido trabalhador, poderá aceder aos dados a título profissional. 5

6 3.1.6 Drogas e substâncias ilegais Os trabalhadores não poderão apresentar-se ao trabalho sob a influência de qualquer substância ilegal ou álcool. No decurso do horário de trabalho, da utilização de equipamento ou veículos do Grupo e permanência nas instalações do Grupo durante tempo de pausa, os trabalhadores nunca poderão usar, transferir, vender, produzir ou possuir substâncias ilegais, material para o consumo das referidas substâncias, álcool ou outras substâncias que produzam efeitos semelhantes. Qualquer trabalhador que esteja a tomar qualquer medicação que constitua um risco para a segurança deverá informar imediatamente o seu superior hierárquico ou supervisor Segurança e higiene O Grupo cumpre todas as regras aplicáveis à segurança e higiene no trabalho para promover uma cultura responsável relativamente à saúde e segurança, e a prevenção de riscos no local de trabalho. Todos os trabalhadores têm o dever de cumprir todas as leis, regulamentos e regras internas aplicáveis à segurança e higiene Igualdade de oportunidades e não discriminação O Grupo adotou uma política rigorosa que defende a igualdade de oportunidades e a não discriminação em todos os aspetos da vida profissional, incluindo recrutamento, seleção de recursos humanos, política salarial e progressão na carreira. Todas as formas de discriminação, incluindo a discriminação baseada na ascendência, sexo, religião, estado civil, idade, nacionalidade, etnia, incapacidade, crenças políticas e ideológicas e filiação sindical de um trabalhador são incompatíveis com a dignidade humana e inaceitáveis. Qualquer conduta que constitua assédio moral ou físico, ou qualquer outra forma de abuso de poder, é igualmente inadmissível Recrutamento O Grupo adotou um processo de recrutamento não discriminatório que ignora ascendência, sexo, religião, estado civil, idade, nacionalidade, etnia, incapacidade, crenças políticas e ideológicas e filiação sindical dos indivíduos. Um indivíduo que seja nomeado para um cargo dentro do Grupo deverá preencher os requisitos necessários relativos às qualificações e competências do cargo para o qual foi nomeado Formação 6

7 O Grupo adotou um plano de formação que pretende fornecer aos seus trabalhadores orientação técnica e comportamental contínua e que permita ao Grupo maximizar as suas competências e elevados padrões. Todos os trabalhadores deverão apostar na melhoria contínua dos seus conhecimentos e no desenvolvimento das suas competências para um desempenho de excelência dos seus deveres e prestação de serviços melhores aos clientes do Grupo Uso de recursos Todos os trabalhadores deverão usar os recursos disponibilizados pelo Grupo exclusivamente para fins profissionais e não para proveito próprio. Todos os trabalhadores deverão assegurar que os recursos do Grupo, incluindo recursos informáticos e endereço eletrónico, são usados de forma eficiente e cuidadosa Comunicação O Grupo fomenta a participação ativa, as iniciativas e consultas dos trabalhadores para facilitar a comunicação e diálogo entre trabalhadores e gestores Inovação O Grupo promove o uso de tecnologia e inovação nas suas áreas de negócio para maximizar a exploração, promoção e encorajamento de novas ideias para criar valor para o seu negócio. 3.2 Relações com o Mercado e outros intervenientes Relações com clientes O Grupo e respetivos trabalhadores deverão agir de forma profissional e eficaz para prestar serviços de qualidade e excelência que contribuem para manter e fortalecer as relações com os clientes do Grupo e reforçar a forte imagem e reputação do Grupo Corrupção e suborno O Grupo adotou uma política de tolerância zero relativamente ao suborno e corrupção, e está empenhado em defender as leis que se aplicam ao combate do suborno e corrupção em todas as jurisdições em que desenvolve as suas atividades. É favor consultar também a Política Anticorrupção e Suborno do Grupo, que estabelece as responsabilidades dos trabalhadores relativamente ao cumprimento das leis, regras e regulamentos antisuborno aplicáveis nas jurisdições em que o Grupo desenvolve as suas atividades. 7

8 3.2.3 Ofertas, presentes e hospitalidade Todos os trabalhadores estão permanentemente proibidos de dar, prometer dar, oferecer ou aceitar qualquer pagamento, presente ou hospitalidade na expetativa ou esperança de concessão ou receção de uma vantagem empresarial, ou para recompensar uma vantagem empresarial previamente concedida. Um trabalhador poderá dar ou aceitar um presente simbólico que não detenha a influência de terceiros e não pretenda obter ou reter negócio ou uma vantagem empresarial, que cumpra as leis locais, seja dado ou recebido em nome do Grupo e de forma aberta e não secreta. É favor consultar também a Política Anticorrupção e Suborno do Grupo Concorrência leal e leis antimonopólio O Grupo apoia o livre empreendimento e compromete-se a empreender práticas de concorrência leal nos seus negócios com escrupuloso respeito pelos regulamentos que promovem a concorrência e protegem os clientes. Toda a conduta empresarial deverá cumprir as regras e práticas do mercado e todas as leis aplicáveis. A violação das leis antimonopólio e de concorrência leal têm como consequência multas que poderão minar a estabilidade financeira do Grupo e provocar a aplicação de sanções severas contra os indivíduos envolvidos (incluindo até prisão efetiva) Relações com fornecedores e prestadores de serviço Os membros do Grupo deverão selecionar fornecedores e prestadores de serviços de forma independente e objetiva com base nas condições de mercado, qualidade do serviço e critérios de custos. Os membros do Grupo deverão negociar de boa fé e honrar os seus compromissos em conformidade com as suas obrigações contratuais Relações com governos e autoridades Habitualmente, o Grupo não adota nenhuma posição, direta ou indiretamente, relativamente às políticas públicas, nem contribui para organizações políticas seja de que forma for. O Grupo tem a obrigação de cumprir toda a legislação nacional e internacional em vigor em cada país onde desenvolve as suas atividades. Todos os trabalhadores estão proibidos de dar, prometer dar, oferecer ou aceitar qualquer pagamento, presente ou hospitalidade em relações com um trabalhador público para facilitar ou agilizar qualquer atividade empresarial. É favor consultar também a Política Anticorrupção e Suborno do Grupo. 8

9 3.2.7 Relações com a comunicação social A informação fornecida aos meios de comunicação social e divulgada publicamente deverá ser informativa e verdadeira. Os trabalhadores só poderão fazer declarações públicas que sejam estratégica e institucionalmente relevantes para o Grupo quando autorizados para o devido efeito Informação privilegiada e transação de valores mobiliários O Grupo respeita e cumpre as leis sobre valores mobiliários aplicáveis nos países em que desenvolve as suas atividades ao assegurar que a informação privilegiada está segura e protegida. A informação privilegiada é informação precisa, que geralmente não está disponível, direta ou indiretamente relacionada com a Mota Engil Africa ou com os valores mobiliários da Mota-Engil Africa, e que, se disponibilizada, teria o potencial de afetar significativamente o preço dos valores mobiliários da Mota-Engil Africa. O Código de Prática para a Transação de Valores Mobiliários da Mota Engil Africa N.V. por Pessoal Autorizado (o Código de Transação de Ações ) também impõe restrições aplicáveis à transação de valores mobiliários da Mota Engil Africa. Todo o pessoal autorizado (conforme aqui definido) que pretenda transacionar valores mobiliários da Mota Engil Africa deverá obter a autorização da Mota Engil Africa antes de qualquer transação, em conformidade com o Código de Transação de Ações Proteção de dados pessoais O Grupo detém informação relativa a dados pessoais dos trabalhadores. O Grupo cumpre todas as leis e regulamentos aplicáveis à proteção de dados pessoais, incluindo a existência e armazenamento de ficheiros, direitos de consulta e correção de dados pessoais Transparência da informação Qualquer informação pública gerada e comunicada pelo Grupo deverá cumprir todas as leis e regulamentos aplicáveis. Qualquer informação pública de natureza financeira sobre o Grupo deverá apresentar a situação financeira do Grupo, dado o período ou data a que refere, de forma completa, precisa e fiável, e deverá ter sido preparada atempadamente Governança empresarial 9

10 A gestão do Grupo deverá ser conduzida com transparência e em conformidade com as regras, diretrizes e princípios de boa governança empresarial. 3.3 Relações com a Comunidade Direitos humanos O Grupo respeita e promove os direitos humanos em todos os contextos culturais, socioeconómicos e geográficos em que desenvolve as suas atividades, respeitando e apoiando as tradições e culturas das comunidades locais em conformidade com os interesses específicos de cada região Trabalho infantil O Grupo proíbe qualquer situação que envolva trabalho infantil ou forçado Responsabilidade social O Grupo está firmemente empenhado em prosseguir e reforçar a sua estratégia de gestão responsável do ponto de vista ético, social e ambiental. O programa de responsabilidade social do Grupo pretende alcançar os seguintes objetivos gerais: (a) criação de valor; (b) ecoeficiência e inovação; (c) proteção ambiental; (d) ética empresarial; (e) diálogo com as partes interessadas; e (f) gestão do capital humano. O Grupo está empenhado em contribuir para uma sociedade mais justa e próspera para fomentar o crescimento económico, a coesão social e proteção ambiental e para promover a melhoria da qualidade de vida das gerações atuais e futuras. 4. VIOLAÇÕES DESTE CÓDIGO 4.1 Ação disciplinar Se qualquer trabalhador violar este Código ou qualquer outra política do Grupo, o referido trabalhador enfrentará uma ação disciplinar, que poderá levar ao seu despedimento. 4.2 Procedimento para comunicar violações 10

11 4.2.1 Todos os trabalhadores são responsáveis pela aplicação correta e integral deste Código. Todos os trabalhadores deverão, em todas as circunstâncias, basear a sua conduta nos princípios e valores aqui contidos Todos os trabalhadores deverão comunicar qualquer situação que viole as regras estipuladas neste Código. O Grupo estabeleceu os procedimentos seguintes para ajudar os trabalhadores nestas comunicações e para assegurar que as referidas comunicações são tratadas de forma eficaz e pronta: (a) qualquer trabalhador que suspeite que uma determinada prática, atividade, transação ou possível transação não cumpre a lei ou qualquer disposição deste Código, poderá comunicar a sua suspeita prontamente a um membro dos quadros intermédios ou superiores, ou ao Presidente do Conselho de Administração; e (b) em conformidade com as Regras de Denúncia, todas as situações são tratadas confidencialmente. Qualquer trabalhador que tenha comunicado de boa fé uma suspeita de violação da lei ou deste Código ou outra irregularidade e que não usufrua de benefício pessoal como resultado da referida irregularidade não verá o seu cargo dentro do Grupo prejudicado de qualquer forma como consequência da sua comunicação. 11

12 12

1. INTRODUÇÃO. Mensagem do Presidente

1. INTRODUÇÃO. Mensagem do Presidente Data de início de vigência: 1 de setembro de 2013 1. INTRODUÇÃO Mensagem do Presidente O Mundo de hoje obriga-nos a uma presença em inúmeros quadrantes e a uma enorme capacidade para que possamos adaptar-nos

Leia mais

INTRODUÇÃO 1 COMPROMISSO DA SONAE HOLDING

INTRODUÇÃO 1 COMPROMISSO DA SONAE HOLDING Índice INTRODUÇÃO... 2 1 COMPROMISSO DA SONAE HOLDING... 2 2 COMPROMISSO DOS COLABORADORES... 2 3 PRINCÍPIOS DE RELACIONAMENTO... 3 3.1 RELAÇÕES COM ADMINISTRADORES E COLABORADORES... 3 3.2 RELAÇÕES COM

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Índice Apresentação... 3 Principais Objectivos do Código... 3 Finalidade do Código de Ética... 4 Âmbito de Aplicação... 4 Serviço Público... 4 Missão... 5 Visão... 5 Responsabilidade

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO CÓDIGO DE ÉTICA DA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO 0 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO... 2 2 - ABRANGÊNCIA... 2 3 - PRINCÍPIOS GERAIS... 2 4 - INTEGRIDADE PROFISSIONAL E PESSOAL... 3 5 - RELAÇÕES COM

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Índice Nossos princípios diretivos 03 Proteção do patrimônio e uso dos ativos 04 Informação confidencial 05 Gestão e Tratamento dos Colaboradores 06 Conflitos de interesse 07

Leia mais

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 2 Sumário 1. Introdução...3 2. Postura pessoal e profissional...4 3. Relacionamento com público interno...6 4. Relacionamento

Leia mais

Código de Ética Fevereiro de 2015

Código de Ética Fevereiro de 2015 Código de Ética Fevereiro de 2015 Índice 1. Âmbito de aplicação... 3 2. Ética... 3 2.1. Princípios e valores fundamentais... 3 2.2. Proibição de decisão em situação de conflito de interesses... 4 2.3.

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. 1 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. Este código de ética e conduta foi aprovado pelo Conselho de Administração da INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. ( Companhia

Leia mais

Código de Conduta e Ética

Código de Conduta e Ética CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA BC CONSULT Página 1 de 9 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PRINCÍPIOS... 4 INTEGRIDADE... 4 DISCRIMINAÇÃO... 4 CONFLITO DE INTERESSE... 4 CONFIDENCIALIDADE DE INFORMAÇÕES... 5 PROTEÇÃO AO

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SUPRIMENTO DE MATERIAL E SERVIÇOS GSS CÓDIGO DE RELACIONAMENTO COM OS FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SUPRIMENTO DE MATERIAL E SERVIÇOS GSS CÓDIGO DE RELACIONAMENTO COM OS FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS CÓDIGO DE RELACIONAMENTO COM OS FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS ELETRONORTE SUPERINTENDÊNCIA DE SUPRIMENTO DE MATERIAL E SERVIÇOS GSS CÓDIGO DE RELACIONAMENTO COM OS FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS 1 2

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. APFF Administração do Porto da Figueira da Foz, S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA. APFF Administração do Porto da Figueira da Foz, S.A. CÓDIGO DE ÉTICA APFF Administração do Porto da Figueira da Foz, S.A. Índice 1. Preâmbulo 2. Disposições Gerais 2.1. Âmbito de aplicação 2.2. Objectos do 2.3. Dimensões éticas da empresa 2.4. Cumprimento

Leia mais

Código de Ética da Parpública. Ética - Princípios e valores fundamentais. Âmbito de aplicação

Código de Ética da Parpública. Ética - Princípios e valores fundamentais. Âmbito de aplicação Código de Ética da Parpública Âmbito de aplicação Aplica-se a todos os colaboradores da Parpública sem prejuízo de outras disposições legais ou regulamentares aplicáveis ou a que por inerência do exercício

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA FPP - FUNDAÇÃO PORTUGUESA DO PULMÃO 1/8

CÓDIGO DE CONDUTA FPP - FUNDAÇÃO PORTUGUESA DO PULMÃO 1/8 CÓDIGO DE CONDUTA DA FPP - FUNDAÇÃO PORTUGUESA DO PULMÃO Lisboa, Julho de 2015 1/8 I - ÂMBITO Artigo Primeiro Âmbito Pessoal O presente Código integra um conjunto de regras e princípios gerais de ética

Leia mais

Código de Ética LLTECH

Código de Ética LLTECH Código de Ética LLTECH Quem somos A LLTECH é uma empresa que oferece soluções inovadoras para automação e otimização de processos industriais, fornecendo toda a parte de serviços e produtos para automação

Leia mais

TIPO DOC. RESOLUÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO

TIPO DOC. RESOLUÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO TPO DOC. 1/7 1. CONSDERAÇÕES O papel social de uma instituição vai além do que preveem as leis que a regem. O Serviço Federal de Processamento de Dados - SERPRO, ao prestar serviços baseados na tecnologia

Leia mais

A SINIGAGLIA, endossa e pratica de forma sistemática os princípios do Pacto Global 1 da ONU, integrando-os a seus processos:

A SINIGAGLIA, endossa e pratica de forma sistemática os princípios do Pacto Global 1 da ONU, integrando-os a seus processos: INTRODUÇÃO O regime da livre iniciativa impõe às organizações e seus integrantes a conduzirem-se dentro de um ambiente de respeito e entendimento, zelando para que toda e qualquer forma de relacionamento,

Leia mais

Código de Ética Rastru

Código de Ética Rastru CÓDIGO DE ÉTICA RASTRU O objetivo desse Código de É tica é definir com clareza os princípios éticos que norteiam as ações e os compromissos da organização Rastru, tanto da parte institucional como da parte

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta Ética das Empresas Concremat contempla os princípios que devem estar presentes nas relações da empresa com seus colaboradores, clientes,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. da AMBISIDER RECUPERAÇÕES AMBIENTAIS, SA

CÓDIGO DE ÉTICA. da AMBISIDER RECUPERAÇÕES AMBIENTAIS, SA CÓDIGO DE ÉTICA da AMBISIDER RECUPERAÇÕES AMBIENTAIS, SA 1 CÓDIGO DE ÉTICA Preâmbulo O presente Código de Ética é um conjunto de princípios e valores fundamentais que se traduzem na prática e no dia-a-dia

Leia mais

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência Código de Ética Conduzimos nossos negócios dentro de uma estrutura de padrões profissionais, legislações, regulamentações e políticas internas. Entretanto, temos consciência que essas normas não necessariamente

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING O Código de Conduta Ética é um instrumento destinado a aperfeiçoar os relacionamentos da organização e elevar o clima de confiança nela existente. Este Código tem

Leia mais

DIRETRIZ GLOBAL ANTICORRUPÇÃO

DIRETRIZ GLOBAL ANTICORRUPÇÃO DIRETRIZ GLOBAL ANTICORRUPÇÃO I. Declaração da Diretriz. É a diretriz da Global Crossing Limited ( Global Crossing ou a Empresa ) conduzir todos os seus negócios de uma maneira honesta e ética. Ao fazer

Leia mais

c. Promover o comportamento ético no ambiente em que atuamos.

c. Promover o comportamento ético no ambiente em que atuamos. Introdução O Código de Ética e Conduta foi aprovado em reunião do Conselho de Administração em 03/08/2015. É um documento que resume as principais políticas e diretrizes que definem as regras orientadoras

Leia mais

MOTA-ENGIL AFRICA N.V.

MOTA-ENGIL AFRICA N.V. MOTA-ENGIL AFRICA N.V. CÓDIGO DE PRÁTICAS DE NEGOCIAÇÃO TÍTULOS DA MOTA-ENGIL AFRICA N.V. POR PESSOAS RESTRITAS Adotado em novembro de 2014 no âmbito da cotação em bolsa da Mota-Engil Africa N.V. com efeitos

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Essas regras estão organizadas em torno das seguintes exigências:

CÓDIGO DE ÉTICA. Essas regras estão organizadas em torno das seguintes exigências: CÓDIGO DE ÉTICA O Grupo PSA Peugeot Citroën construiu seu desenvolvimento com base em valores implementados por seus dirigentes e funcionários, e reafirmados nos objetivos de desenvolvimento responsável

Leia mais

Não empregamos nenhuma pessoa com idade menor que a permitida por lei.

Não empregamos nenhuma pessoa com idade menor que a permitida por lei. Código de Conduta SOSINIL Princípios Gerais A SOSINIL publica seu Codigo de Conduta e Ética que servirá de referencial para uma conduta adequada, coerente e uniforme a ser adotada com os envolvidos em

Leia mais

.1 Comportamentos esperados

.1 Comportamentos esperados Normas de Conduta Normas de Conduta Este documento contém normas de conduta que devem ser respeitadas pelos diretores, auditores, líderes e todos os empregados do Grupo Pirelli, e também por todos que

Leia mais

Código de Conduta. Os nossos cinco princípios fundamentais: O benefício e a segurança do doente estão no centro de tudo o que fazemos

Código de Conduta. Os nossos cinco princípios fundamentais: O benefício e a segurança do doente estão no centro de tudo o que fazemos O nosso compromisso de cuidar e curar Código de Conduta Os nossos cinco princípios fundamentais: Doentes O benefício e a segurança do doente estão no centro de tudo o que fazemos Colaboradores Tratamos

Leia mais

Colgate-Palmolive Company. Código de Conduta do Fornecedor

Colgate-Palmolive Company. Código de Conduta do Fornecedor Colgate-Palmolive Company Código de Conduta do Fornecedor Prezado Fornecedor da Colgate, No decorrer do tempo, a Colgate-Palmolive Company construiu sua reputação como organização que emprega práticas

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA ISA CAPITAL DO BRASIL S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA ISA CAPITAL DO BRASIL S.A. CÓDIGO DE ÉTICA ISA CAPITAL DO BRASIL S.A. 1 INTRODUÇÃO O Grupo ISA e suas empresas avançam para metas a cada vez mais exigentes e ambiciosas, desenvolvendo suas práticas em contextos diversos e inovadores

Leia mais

Cliente Empreendedorismo Metodologia e Gestão Lucro Respeito Ética Responsabilidade com a Comunidade e Meio Ambiente

Cliente Empreendedorismo Metodologia e Gestão Lucro Respeito Ética Responsabilidade com a Comunidade e Meio Ambiente Código de Ética OBJETIVO Este código de ética serve de guia para atuação dos empregados e contratados da AQCES e explicita a postura que deve ser adotada por todos em relação aos diversos públicos com

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP 2008-2 1 Apresentação A SABESP a partir da sua própria missão de prestar serviços de saneamento, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente constitui-se

Leia mais

Edição A. Código de Conduta

Edição A. Código de Conduta Edição A Código de Conduta -- A 2011.09.26 1 de 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 2 2 PRINCÍPIOS E NORMAS GERAIS... 2 a) Trabalho Infantil... 2 b) Trabalho forçado... 2 c) Segurança e bem-estar no local de trabalho...

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA PROFISSONAL da

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA PROFISSONAL da CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA PROFISSONAL da INDICE Página 1 Objectivos do Código de Ética..3 2 Missão e valores.3 3 Âmbito de aplicação 3 4 Publicação e actualizações..3 5 - Normas de conduta 3 5.1 - Lealdade

Leia mais

Índice. 1. Princípios gerais. 2. Plano TCC: compromissos

Índice. 1. Princípios gerais. 2. Plano TCC: compromissos 1 Índice 1. Princípios gerais 2. Plano TCC: compromissos 2.1 Subornos 2.2 Doações a partidos políticos 2.3 Doações a organizações beneficentes e patrocínio 2.4 Tratamentos de favor 2.5 Presentes, alojamentos

Leia mais

Minerals Technologies Inc. Resumo das políticas de conduta comercial

Minerals Technologies Inc. Resumo das políticas de conduta comercial Minerals Technologies Inc. Resumo das políticas de conduta comercial É sempre exigido um comportamento legal e ético Este Resumo das políticas de conduta comercial (este "Resumo") fornece uma descrição

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E INTEGRIDADE DE FORNECEDORES

CÓDIGO DE CONDUTA E INTEGRIDADE DE FORNECEDORES SUMÁRIO 1. Introdução... 04 2. Abrangência... 04 3. Objetivo... 04 4. Princípios Éticos... 05 5. Preconceitos e Discriminação... 05 6. Respeito à Legislação e Integridade nos Negócios... 05 7. Documentos,

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética SUMÁRIO 1 Objetivo... 03 2 Abrangência... 03 3 Valores... 03 4 - Conduta ética da PPL com os diversos públicos 4.1 - Cliente: Foco de nossa atuação... 03 4.2 - Relação e interação com fornecedores e parceiros...

Leia mais

Política de Conflitos de Interesses

Política de Conflitos de Interesses Política de Conflitos de Interesses Índice Índice 2 Política de Conflitos de Interesses 3 1. Introdução... 3 2. A nossa política de conflitos de interesses... 3 3. Conflitos de interesses estudos de investimento...

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA SOMMA INVESTIMENTOS

CÓDIGO DE ÉTICA DA SOMMA INVESTIMENTOS 1. O CÓDIGO Este Código de Ética (Código) determina as práticas e padrões éticos a serem seguidos por todos os colaboradores da SOMMA INVESTIMENTOS. 2. APLICABILIDADE Esta política é aplicável: 2.1. A

Leia mais

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores 00 12/02/2015 Original Natalia Simões Araujo (Coordenadora Funções Corporativas e Compliance) Antonio Ferreira Martins (Vice- Presidente Jurídico e

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento SUMÁRIO 1. Conceito 2. Objetivo 3. Abrangência 4. Regras e Normas 4.1 Conceito de Ética. Ponto de vista empresarial 4.2 Princípios

Leia mais

JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578

JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578 JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578 CÓDIGO DE ÉTICA Escopo Este Código de Ética ( Código ) reúne as principais normas de conduta que devem

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DO FORNECEDOR

CÓDIGO DE CONDUTA DO FORNECEDOR CÓDIGO DE CONDUTA DO FORNECEDOR A Weatherford construiu sua reputação como uma organização que exige práticas comerciais éticas e altos níveis de integridade em todas as nossas transações comerciais. A

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PSIQUIATRIA. Código de Condutas Éticas

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PSIQUIATRIA. Código de Condutas Éticas 1 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PSIQUIATRIA Código de Condutas Éticas I - Mensagem do Presidente II Premissas III Condutas Éticas nas atividades da ABP 1. Cumprimento das leis 2. Relação com o Governo 3. Atividades

Leia mais

POLITICA DE QUALIDADE

POLITICA DE QUALIDADE CÓDIGO ÉTICA ÍNDICE: PALAVRA DO DIRETOR POLITICA DE QUALIDADE MISSÃO VISÃO VALORES CONFIDENCIALIDADE DE INFORMAÇÃO CLIENTES FORNECEDORES ACIONISTAS COMUNIDADE RESPONSABILIDADE SOCIAL IMPRENSA ORGÃOS GOVERNAMENTAIS

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. 2011 MDados

CÓDIGO DE ÉTICA. 2011 MDados CÓDIGO DE ÉTICA 2011 MDados I N D I C E Introdução. Pág. 2 Âmbito e aplicação... Pág. 2 Objectivos e valores Pág. 3 Código de Ética MDados Sistemas de Informação SA 1 INTRODUÇÃO Os princípios de actuação

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL A Política de Prevenção à Corrupção tem como objetivo dar visibilidade e registrar os princípios e valores éticos que devem nortear a atuação dos empregados,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA HABITÁGUA

CÓDIGO DE ÉTICA DA HABITÁGUA CÓDIGO DE ÉTICA DA HABITÁGUA ÍNDICE PREÂMBULO... 3 CÓDIGO DE ÉTICA... 5 Secção I: PARTE GERAL............................................... 6 Secção II: PRINCÍPIOS... 8 Secção III: DEVERES CORPORATIVOS...

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO TERMO DE USO PORTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO TERMO DE USO (PORTAL) Bem vindo à Capesesp. Ao utilizar nosso serviço, o usuário concorda com este Termo de Uso, que poderá ser modificado periodicamente.

Leia mais

Código de Ética e de Conduta Empresarial

Código de Ética e de Conduta Empresarial O da Irmãos Parasmo S/A leva em consideração os elementos essenciais existentes nas suas relações com os seus diferentes públicos acionistas, clientes, colaboradores, fornecedores, prestadores de serviços,

Leia mais

O Banrisul no relacionamento com os diversos setores da sociedade terá suas posições e ações baseadas nas seguintes disposições:

O Banrisul no relacionamento com os diversos setores da sociedade terá suas posições e ações baseadas nas seguintes disposições: 1.0 - CÓDIGO DE ÉTICA DO BANRISUL Preâmbulo O compromisso maior da instituição deve ser o de possibilitar continuamente a consecução de sua missão, a saber: Ser o agente financeiro do Estado para promover

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. O presente Código de Conduta da Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A. (a Companhia ), visa cumprir com as disposições do Regulamento

Leia mais

CÓDIGO DE FORNECEDORES DA GALDERMA

CÓDIGO DE FORNECEDORES DA GALDERMA CÓDIGO DE FORNECEDORES DA Código de fornecedores da Galderma Preâmbulo A Galderma tem como missão ser reconhecida como a empresa de inovação mais competente e bemsucedida, centrada exclusivamente em corresponder

Leia mais

2.1. Cumprimos leis e regulamentos nacionais e internacionais. Obedecemos a todas as leis e regulamentos internacionais e nacionais relevantes.

2.1. Cumprimos leis e regulamentos nacionais e internacionais. Obedecemos a todas as leis e regulamentos internacionais e nacionais relevantes. CÓDIGO DE CONDUTA 1. Introdução O Código de Conduta Ahlstrom descreve os princípios éticos que sustentam o modo como conduzimos os negócios em nossa empresa. Baseia-se em nossos principais valores Agir

Leia mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 Sumário 1 Introdução... 2 1.1 Finalidade do documento... 2 1.2 Abrangência... 2 2 Objetivos do código de conduta... 2 3 Princípios éticos... 3 4 Relações entre os Profissionais... 4 4.1 Oportunidade no

Leia mais

ÍNDICE. Introdução 02. Abrangência 03. Objetivos 03. Princípios Gerais 04 Integridade profissional e pessoal

ÍNDICE. Introdução 02. Abrangência 03. Objetivos 03. Princípios Gerais 04 Integridade profissional e pessoal ÍNDICE Introdução 02 Abrangência 03 Objetivos 03 Princípios Gerais 04 Integridade profissional e pessoal 05 Relações com clientes, parceiros e no ambiente de trabalho 06 Condutas não aceitáveis 06 Gestão

Leia mais

Código de Ética - Ultra

Código de Ética - Ultra Código de Ética - Ultra Ética na gestão - Equidade, transparência e responsabilidade - Cumprimento das leis - Desenvolvimento sustentável Ética nos relacionamentos - Acionistas e investidores - Colaboradores

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA

CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA Código de Ética e de Responsabilidade Social Propósitos A ACE Schmersal tem uma atuação corporativa pautada em valores éticos e morais. Estes mesmos valores regem

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS

NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS Página 1 de 9 UL NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS Página 2 de 9 ÍNDICE 1.0 OBJETIVO... 4 2.0 ESCOPO... 4 3.0 DEFINIÇÕES... 4 4.0 PRÁTICAS DE CONTRATAÇÃO... 5 4.1 TRABALHO FORÇADO... 5 4.2 TRABALHO

Leia mais

Requisitos do Grupo Volkswagen relativos à sustentabilidade nas relações com os seus parceiros comerciais (Code of Conduct para parceiros comerciais)

Requisitos do Grupo Volkswagen relativos à sustentabilidade nas relações com os seus parceiros comerciais (Code of Conduct para parceiros comerciais) Requisitos do Grupo Volkswagen relativos à sustentabilidade nas relações com os seus parceiros comerciais (Code of Conduct para parceiros comerciais) I. Preâmbulo Os requisitos que se seguem especificam

Leia mais

IINSTRUÇÃO DO SISTEMA. Código de conduta

IINSTRUÇÃO DO SISTEMA. Código de conduta 1 de 7 Revisão Data Assunto / revisão / modificação 00 16/04/15 Emissão Inicial. Nome Cargo Data Assinatura Consultor / Gerente EMITENTE Maciel Amaro Técnico / RD Valéria Ap. R. Amaro Diretora administrativa

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. BADESUL Desenvolvimento S.A- Agência de Fomento 0800 642 6800 - Rua Gen. Andrade Neves, 175 - Porto Alegre - RS - CEP: 90010-210

CÓDIGO DE ÉTICA. BADESUL Desenvolvimento S.A- Agência de Fomento 0800 642 6800 - Rua Gen. Andrade Neves, 175 - Porto Alegre - RS - CEP: 90010-210 CÓDIGO DE ÉTICA Introdução O Código de Ética do BADESUL explicita os valores éticos que regem o desempenho de sua missão: Contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Rio Grande do Sul, através

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Estrutura do Código de Ética e Conduta 1. Introdução pág. 03 2. Mensagem da Diretoria pág. 04 3. Relações no Ambiente de Trabalho pág. 05 4. Relacionamento Externo pág. 07 5.

Leia mais

POLÍTICA GLOBAL ANTICORRUPÇÃO DA DUN & BRADSTREET

POLÍTICA GLOBAL ANTICORRUPÇÃO DA DUN & BRADSTREET POLÍTICA GLOBAL ANTICORRUPÇÃO DA DUN & BRADSTREET JUNHO DE 2015 OBJETIVO DA POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO A Dun & Bradstreet está comprometida com os mais elevados padrões éticos. Acreditamos em conduzir os negócios

Leia mais

Política de Relacionamento com Fornecedores

Política de Relacionamento com Fornecedores Política de Relacionamento com Fornecedores Publicado em: 25/06/2013 1. Conceito O Santander tem como compromisso promover a sustentabilidade, conduzindo seus negócios em plena conformidade com a legislação

Leia mais

Política Anticorrupção

Política Anticorrupção Soluções que impulsionam e valorizam sua empresa. Política Anticorrupção Ano fiscal 2016 Política Anticorrupção Objetivo Definir procedimentos para assegurar que todos os colaboradores, funcionários, sócios

Leia mais

Código de Ética. 1. Apresentação

Código de Ética. 1. Apresentação Código de Ética 1. Apresentação A Missão, a Visão, os Princípios Gerais, os Valores e as Normas de Conduta constantes do Código de Ética integram a Cultura da Lusa, a qual deve presidir à conduta profissional

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E BOAS PRÁTICAS

CÓDIGO DE CONDUTA E BOAS PRÁTICAS CÓDIGO DE CONDUTA E BOAS PRÁTICAS Fundação Alentejo no Alentejo e para o Alentejo, um projeto para além da esperança Fernanda Ramos 1992 Aprovado na reunião do Conselho de Administração da FA Novembro

Leia mais

Código de Conduta da Fundação Comendador Almeida Roque 2015

Código de Conduta da Fundação Comendador Almeida Roque 2015 Preâmbulo A Fundação Comendador Almeida Roque adiante designada abreviadamente por Fundação é uma fundação privada de solidariedade social, sem fim lucrativo instituída pelo Comendador Almeida Roque e

Leia mais

Código de Conduta do INOVINTER

Código de Conduta do INOVINTER Título Do Documento Página 1 de 6 Código de Conduta do Página 2 de 6 FICHA TÉCNICA Título Código de Conduta do Coordenação Direção (Álvaro Cartas) Autoria INOVINT ER Re dação Direção e Qualidade Ano Re

Leia mais

Apresentação. Após a leitura, o colaborador deve atestar que se compromete a respeitar os padrões estabelecidos nesse documento.

Apresentação. Após a leitura, o colaborador deve atestar que se compromete a respeitar os padrões estabelecidos nesse documento. CÓDIGO DE ÉTICA 1 2 3 Apresentação Apresentamos a todos o Código de Ética do Banco A.J Renner S.A. Este código contém as orientações que devem ser seguidas individual e coletivamente na busca pela excelência

Leia mais

TÍTULO I. Do Centro Social Paroquial S. Jorge de Arroios. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artº 1º Da Missão do Centro

TÍTULO I. Do Centro Social Paroquial S. Jorge de Arroios. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artº 1º Da Missão do Centro TÍTULO I Do Centro Social Paroquial S. Jorge de Arroios CAPÍTULO I Disposições Gerais Artº 1º Da Missão do Centro O Centro Social Paroquial S. Jorge de Arroios é uma Instituição Particular de Solidariedade

Leia mais

[CÓDIGO DE ÉTICA] Interinvest

[CÓDIGO DE ÉTICA] Interinvest [CÓDIGO DE ÉTICA] Este documento determina as práticas, padrões éticos e regras a serem seguidos pelos colaboradores, fornecedores e a todos aqueles que, direta ou indiretamente, se relacionem com a Interinvest.

Leia mais

Código de Ética e Conduta em Relações Comerciais Bridge Research

Código de Ética e Conduta em Relações Comerciais Bridge Research Código de Ética e Conduta em Relações Comerciais Bridge Research Missão Ser a referência no Brasil em soluções de pesquisa de mercado que utilizem tecnologia como uma plataforma para melhorar a decisão

Leia mais

Código de Ética. Mensagem do CEO

Código de Ética. Mensagem do CEO Mensagem do CEO Ao longo dos últimos 15 anos, a GATEWIT alcançou uma reputação global de confiança, ética e honestidade, que tem sido um pilar fundamental para o sucesso do negócio. Os valores que nos

Leia mais

CNH INDUSTRIAL CÓDIGO DE CONDUTA PARA FORNECEDORES

CNH INDUSTRIAL CÓDIGO DE CONDUTA PARA FORNECEDORES Sede Social: 25 St. James s Street, Londres, SW1A 1HA Reino Unido CNH INDUSTRIAL CÓDIGO DE CONDUTA PARA FORNECEDORES Visão Geral Nós, da CNH INDUSTRIAL NV e nossas subsidiárias ("CNH Industrial" ou a Companhia)

Leia mais

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações:

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações: POLÍTICAS CORPORATIVAS Assunto: Código de Ética e Conduta Objetivo O Código de Ética e Conduta objetiva estabelecer os princípios, conceitos e valores que orientam o padrão ético de todos os Colaboradores

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC De origem grega, o termo ethos significa costumes e deve ser entendido com um conjunto de princípios básicos que visam disciplinar e regular, a moral e a conduta das

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA EDP somos o que fazemos

CÓDIGO DE ÉTICA EDP somos o que fazemos CÓDIGO DE ÉTICA EDP somos o que fazemos CÓDIGO DE ÉTICA EDP Mensagem do Presidente - 2 - CÓDIGO DE ÉTICA EDP É minha convicção que o sucesso da EDP se fundamenta nas relações de confiança que, ao longo

Leia mais

O Banrisul no relacionamento com os diversos setores da sociedade terá suas posições e ações baseadas nas seguintes disposições:

O Banrisul no relacionamento com os diversos setores da sociedade terá suas posições e ações baseadas nas seguintes disposições: 1.0 - CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO BANRISUL Preâmbulo O compromisso é servir como Guia Prático de Conduta Pessoal e Profissional, a ser utilizado por todos os Colaboradores do Banrisul, possibilitando a

Leia mais

Código de Ética e Conduta do IAPMEI

Código de Ética e Conduta do IAPMEI Código de Ética e Conduta do IAPMEI Âmbito e Objectivo do Documento Públicas (Lei n.º 58/2008, de 9 de Setembro) e da Carta Ética da Administração Pública. O Código de Ética e Normas de Conduta aplica-se

Leia mais

Índice. 1. Objetivo...04. 2. Âmbito de aplicação...05. 3. Princípios orientadores da conduta de Gas Natural Fenosa...06. 4. Normas de conduta...

Índice. 1. Objetivo...04. 2. Âmbito de aplicação...05. 3. Princípios orientadores da conduta de Gas Natural Fenosa...06. 4. Normas de conduta... Código de Ética Índice 1. Objetivo...04 2. Âmbito de aplicação...05 3. Princípios orientadores da conduta de Gas Natural Fenosa...06 4. Normas de conduta...07 5. Aceitação e cumprimento do Código...22

Leia mais

Manual de Diretrizes de Conduta Ética da BB Consórcios S.A

Manual de Diretrizes de Conduta Ética da BB Consórcios S.A Manual de Diretrizes de Conduta Ética da BB Consórcios S.A Versão Atualizada Outubro/2015 Introdução Este Manual define as diretrizes que obrigam e devem ser observadas por todos os colaboradores, em todos

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA OUTUBRO/2007

CÓDIGO DE ÉTICA OUTUBRO/2007 OUTUBRO/2007 ÍNDICE Página 1. APRESENTAÇÃO 1 2. OBJETIVOS 1 3. NORMAS, PRINCÍPIOS E VALORES ÉTICOS 2 4. CONFLITOS DE INTERESSES 5 5. CONFIDENCIALIDADE 6 6. DÚVIDAS COM A APLICAÇÃO DO CÓDIGO DE ÉTICA 6

Leia mais

MANUAL DE CONDUTA ÉTICA E EMPRESARIAL GRUPO VIVO SABOR

MANUAL DE CONDUTA ÉTICA E EMPRESARIAL GRUPO VIVO SABOR MANUAL DE CONDUTA ÉTICA E EMPRESARIAL GRUPO VIVO SABOR INTRODUÇÃO Ciente de sua responsabilidade como fornecedora de refeições coletivas e prestadora de serviços, o Grupo Vivo Sabor divulga seu Manual

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA 2 INFORMAÇÕES GERAIS O QUE É O CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA O Código de Ética e de Conduta (Código) é o instrumento no qual se inscrevem os valores que pautam a actuação do

Leia mais

CONTRATOS PÚBLICOS BASE JURÍDICA OBJETIVOS RESULTADOS

CONTRATOS PÚBLICOS BASE JURÍDICA OBJETIVOS RESULTADOS CONTRATOS PÚBLICOS As entidades públicas celebram contratos para assegurar o fornecimento de obras e a prestação de serviços. Estes contratos, concluídos mediante remuneração com um ou mais operadores,

Leia mais

Fundação Professor Francisco Pulido Valente CÓDIGO DE CONDUTA

Fundação Professor Francisco Pulido Valente CÓDIGO DE CONDUTA Fundação Professor Francisco Pulido Valente CÓDIGO DE CONDUTA Dezembro de 2012 INTRODUÇÃO As fundações são instituições privadas sem fins lucrativos que visam contribuir para o bem comum, para o desenvolvimento

Leia mais

Código de Conduta nos Negócios e Ética do UBS

Código de Conduta nos Negócios e Ética do UBS Código de Conduta nos Negócios e Ética do UBS Prefácio Este Código de Conduta nos Negócios e Ética do UBS (o Código) estabelece os princípios e práticas aos quais os funcionários e diretores do UBS estão

Leia mais

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL Ano 2013 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA Caro Colaborador Estamos entregando o Código de Ética e Conduta da Instituição, o qual fará parte

Leia mais

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 1. OBJETIVO: Estabelecer diretrizes e critérios para o atendimento aos requisitos da norma de Responsabilidade Social SA 8000. 2. DEFINIÇÕES: Não aplicável. 3. DOCUMENTOS APLICÁVEIS Manual da Qualidade;

Leia mais

Termos e Condições Gerais para utilizadores (desde setembro de 2015)

Termos e Condições Gerais para utilizadores (desde setembro de 2015) Termos e Condições Gerais para utilizadores (desde setembro de 2015) Estes Termos e Condições Gerais a seguir designados "TCG" regem os direitos e obrigações do utilizador no uso do website da Matool AG

Leia mais

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos O código de ética DBA representa a necessidade de reforço aos valores e à cultura da empresa através da ética. Assim, é fundado nos valores essenciais da corporação e pode ser definido pelas normas padrões

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa

Política de Responsabilidade Corporativa Política de Responsabilidade Corporativa Índice 1. Introdução...04 2. Área de aplicação...04 3. Compromissos e princípios de atuação...04 3.1. Excelência no serviço...05 3.2. Compromisso com os resultados...05

Leia mais

Condições gerais sobre o uso da aplicação web do fornecedor de transporte

Condições gerais sobre o uso da aplicação web do fornecedor de transporte Condições gerais sobre o uso da aplicação web do fornecedor de transporte Proteção de dados É do conhecimento do contratante que, não só a informação referente à empresa particularmente informação referente

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regulamento para Designação de Organismos de Avaliação da Conformidade, em anexo.

Art. 1º Aprovar o Regulamento para Designação de Organismos de Avaliação da Conformidade, em anexo. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 087, de 03 de maio de 2002. O PRESIDENTE DO INSTITUTO

Leia mais

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa Caro colaborador, A prática do Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa é tão importante que fazemos questão que cada colaborador tenha seu próprio

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Manual de Políticas da CERCI Elaborado por/data Departamento de Gestão da Qualidade/Março 2013 Aprovado por/data Direção/18.03.2013 Revisto por/data Índice 1. Política e Objetivos

Leia mais