DOLINinforme. Informativo Eletrônico GUPE. Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas - G026. Fundado em 25 de Agosto de 1985 EDIÇÃO ESPECIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DOLINinforme. Informativo Eletrônico GUPE. Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas - G026. Fundado em 25 de Agosto de 1985 EDIÇÃO ESPECIAL"

Transcrição

1 DOLINinforme Informativo Eletrônico GUPE Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas - G026 Fundado em 25 de Agosto de 1985 ANO 2 N 15 28/02/2011 EDIÇÃO ESPECIAL GUPE realiza Expedição Pinheiro Seco II Relatos do 1 dia (29/01/ Sábado) Por Nair Fernanda Mochiutti Membro efetivo - GUPE Um ônibus com 13 integrantes do GUPE acompanhados pelo professor Tiago Barbosa (UEPG) saíram de Ponta Grossa em direção a porção nordeste do município de Castro, na localidade de Pinheiro Seco. O grupo contou com a companhia de José Mário Budny, Osmar Rizental e Gilmar Budny (membros do GUPE), os quais viajaram com veículos próprios. Chegada do grupo na porteira da chácara do Seu Eurico, bagagens para seis dias de acampamento (foto: Henrique Simão Pontes). Depois de muitos dias chuvosos, o sábado estava com tempo bom e os mais de 40 km de estrada de chão (que liga Castrolanda a Pinheiro Seco) estavam transitáveis. Ao chegar em Pinheiro Seco, o grupo procurou Seu Sebastião. A intenção era usar um local de sua propriedade para acampamento. Ele, por sua vez, cedeu um espaço junto a uma cascalheira. Mas, por ter chovido muito na região, o local estava bastante encharcado. Resolvemos buscar outro local. A tentativa foi uma propriedade onde se sabia ter uma caverna a ser explorada. Todavia, o proprietário e o caseiro responsável (Almir) estavam ausentes. A comitiva seguiu em frente, até a propriedade do Seu Eurico, onde está situada a caverna Pinheiro Seco e onde o GUPE havia acampado na primeira expedição, em O Seu Eurico e sua família foram muito receptivos ao grupo. Cedeu um local agradável para acampar, junto ao rio, com bastante sombra e de fácil acesso. Enquanto o acampamento era montado, José Mario, Osmar e Gilmar foram explorar algumas cavidades da região. 1

2 Após montar o esconderijo medonho (palavras do Seu Eurico), foi juntada lenha seca para a linguiçada da noite. Aproximadamente às 17 horas José Mario, Osmar e Gilmar retornaram ao acampamento, permanecendo com o grupo até o fim da tarde. As atividades de acampamento terminaram perto das 16h. Do meio da tarde até às 20h, foi dedicado tempo a trabalhos fotográficos na caverna Pinheiro Seco. Participaram os integrantes Henrique, Heder, João, Igor e Fernanda. Para obter melhor qualidade das imagens, alguns equipamentos especiais - incluindo um holofote ligado a uma bateria 12 volts- foram utilizados. Os resultados foram bem interessantes, com belas imagens das galerias, salões, estalactites, cortinas, represas de travertino e outras formas. Aproveitando a chegada da noite e o término da atividade fotográfica, Heder, Henrique e João iniciaram a privação sensorial com o Igor, que ficou 1 hora sozinho dentro da caverna. Igor ficou sem lanterna e equipamento de comunicação, só ao som das gotas d água e na companhia dos morcegos. Esta atividade foi realizada nos outros dias com diferentes integrantes do GUPE. Depois de um dia de trabalho e calor, terminamos com a linguiçada na companhia da família Schamne (Dona Maria, Seu Toninho e Paula) que passou a noite de sábado e o domingo com o grupo. José Mario e Osmar retornaram para Ponta Grossa e Gilmar foi para sua chácara, localizada um pouco a diante da Localidade de Pinheiro Seco. Detalhe da represa de travertinos na Gruta Pinheiro Seco, João Carlos de escala (foto: Henrique S. Pontes). Relatos do 2 dia (30/01/ Domingo) Por João Carlos Flügel Filho Tesoureiro - GUPE Ainda no escuro da madrugada rural, aproximadamente às 6h da manhã, o acampamento da segunda expedição à região de Pinheiro Seco teve seu despertar pelos sons dos celulares. Após o café, preparado pela integrante Pâmela Schamne, foram traçadas as metas do dia. A expedição visava topografar as cavernas cadastradas pelo GEEP Açungui, bem como outras cavernas encontradas pelo GUPE. Além da topografia, estava previsto a realização de levantamento fotográfico. Às 07:10h, a equipe de topografia exploração partiu para dar inicio às atividades do dia. A equipe de topografia era composta de três membros, Felipe, Henrique e João Carlos. Os membros da equipe de exploração também participaram da atividade fotográfica, realizada logo após o término da topografia na primeira cavidade topografada do dia, ainda não nomeada. A equipe de exploração era composta por: Andressa, Diogo, Igor e Rafael e contavam com a ajuda de Heder e Fernando que já tinham visitado algumas grutas em exploração realizada na primeira expedição do GUPE na região. Durante a manhã, o tempo estava nublado, e, depois de aproximadamente vinte minutos de caminhada, as equipes chegaram à Gruta localizada próximo de uma Cascalheira. A entrada da caverna situa-se ao lado da estrada, dentro de um vale íngrime. O acesso ocorre por um pequeno início de trilha na borda da mata e toda a equipe desceu para dar início às atividades. 2

3 Chegando à porta da gruta, foram realizados os preparativos para a topografia. Então Felipe, munido de seu lendário facão, tomou por sua a responsabilidade fabricar duas bases para fixar as visadas topográficas. Enquanto isso, a equipe de exploração adentrou a caverna para tomar conhecimento da cavidade. A topografia teve inicio às 8h e terminou próximo das 10h, apresentando um desenvolvimento de 95 metros. A Gruta localizada ao lado da cascalheira tem a sua entrada parcialmente fechada por alguns blocos abatidos. Entretanto, a passagem é possível por entre blocos e troncos de árvores. Interior da Gruta localizada ao lado da Cascalheira, João Carlos como escala (foto: Henrique Simão Pontes). Ao longo de todo o duto, o teto da caverna apresenta um numero considerável de estalactites e algumas cascatas de rocha. Nas paredes da caverna foram encontrados acumulações de matéria orgânica e grandes troncos de árvores no chão, indicando que o rio apresenta grande vazão durante períodos chuvosos. Ao final do duto principal, o qual a caverna sustenta o rio, um sifão aparece e, a partir daí, a caverna continua por uma passagem estreita em um nível mais alto que o nível do rio. Tal passagem estreita, cuja transposição não apresenta muita dificuldade, leva a um salão maior. Neste salão, um grande volume de solo forma um barranco e por uma passagem baixa, mas não apertada, chega-se ao ultimo salão de possível acesso, onde se encontra um outro sifão - que se supõe ser conectado com o restante do curso de água da caverna. Após o término da topografia, iniciou-se o levantamento fotográfico. O trabalho nesta caverna acabou por volta das 11:30h. Após uma pausa para o almoço, as atividades continuaram e se iniciou o trabalho de topografia na segunda caverna visitada pela expedição, a Catedral da Luz, gruta cadastrada pelo GEEP Açungui. A topografia desta caverna teve inicio no início da tarde, mas foi concluída somente no dia seguinte, porque se aproximava o horário combinado de retorno ao acampamento. A caverna apresenta salões amplos e a grande riqueza em espeleotemas como cascatas de rochas e discos, velas, belíssimos travertinos, e as clássicas, porem não menos belas, colunas estalactites e estalagmites. O retorno ao acampamento aconteceu por volta das 19h. Ao chegar ao acampamento, os membros banharam-se no rio e se preparam para o saboroso jantar feito pela Pâmela. Neste mesmo dia, Rafael e Igor partiram de carro junto de Gilmar Budny (Membro do Conselho Deliberativo do GUPE) em busca de novas cavernas. O resultado da exploração deles foi relatado por Rafael e Igor, ressaltando a localização de buracos na terra, provavelmente pippings, mas nenhuma caverna. Relatos do 3 dia (31/02/ Segunda) Por Heder Leandro Rocha Vice-Coordenador Geral - GUPE Iniciamos as atividades do terceiro dia, às 6h, com o coordenador geral do GUPE, Henrique Simão Pontes, acordando a todos com seu amável aparelho celular. Fizemos a refeição do café da manhã, feito por nossa querida Pâmela Schamne, responsável pela cozinha e líder da equipe de base. Sem essa equipe 3

4 nenhuma outra funcionaria, que isso fique registrado. Perto das 8h, eu, Henrique, Fernando, João, Felipe, Laís e Fernanda saímos rumo à Gruta Catedral da Luz, conhecida localmente como Gruta do Chiquinho para continuar a topografia ainda pendente e iniciar as explorações nas matas da região. Chegando à Gruta a equipe foi dividida. Pela manhã, Fernando e eu iniciamos a exploração na mata da região onde a gruta fica localizada. Já Henrique, João e Felipe ficaram na topografia - Laís e Fernanda acompanharam esse trabalho. Perto do meio dia, eu e Fernando retornamos para a gruta sem sucesso na exploração. Na gruta, decidimos que voltaríamos ao acampamento para almoçar. Já alimentados, retornamos à Gruta Catedral da Luz, agora com Rafael na equipe de topografia e Igor na exploração. Henrique, João, Felipe e Rafael terminaram a topografia, sendo que Igor e eu fomos para exploração na mata. Nessa tarde, Diogo, Andressa, Dani e Pâmela acompanharam-nos para conhecer a gruta e retornaram ainda no meio da tarde. A topografia foi finalizada perto das 17h, quando houve uma pausa para alimentação. Exatamente nesse horário Igor e eu retornamos da exploração, mais uma vez sem sucesso. Em seguida, iniciamos as fotografias da cavidade. A atividade se estendeu até às 22h, rendendo belas imagens. Por fim, retornamos pela mata ao acampamento - uma tarefa não muito fácil, pois carregávamos muitos equipamentos, dentre eles uma bateria de automóvel utilizada na iluminação para as fotografias. Entrada principal da Gruta Catedral da Luz (conhecida na região como Gruta do Chiquinho), Heder Rocha como escala (foto: Henrique Pontes). Enfim, esse dia foi bastante interessante, pois evoluímos com as fotografias, exploramos uma grande região de mata a procura de outras cavidades e terminamos a topografia da Gruta Catedral da Luz. Relatos do 4 dia (01/02/2011 Terça-feira) Parte 1 Por Andressa Cerqueira Carvalhais Secretária - GUPE No quarto dia da expedição, após o almoço, o grupo, composto pelos membros Andressa, Fernando, Heder e Igor saiu para explorar os arredores da caverna denominada Catedral da Luz à procura de novas cavidades. O grupo seguiu pela trilha de acesso à caverna, até sua entrada. Então, dirigiu-se à direita na mata abrindo uma nova trilha. Como guia, foi usada uma fotografia aérea e bússola para localizar um local onde indicava haver hidrografia ou um vale bastante entalhado e seco. Os integrantes seguiram pela mata fechada, composta por vegetação pouco desenvolvida, porém densa, com samambaias e cipós com espinhos que dificultaram a passagem. Durante o caminho, quando no alto do morro, houve uma chuva rápida com raios, o que obrigou o grupo descer até a borda da encosta para esperá-la passar. 4

5 Depois da parada, o grupo continuou a abrir caminho até chegar ao vale onde a Gruta Catedral da Luz está situada. Os integrantes perceberam, então, que chegaram próximo a uma das entradas da caverna, e que, na verdade, apenas a contornaram. Por Felipe Mateus Schamne Almoxarife - GUPE Na tarde de terça-feira, a equipe de topografia, composta pelos membros Henrique, João, Felipe, Fernanda e Pámela, foi até a Caverna do Monjolo, conduzidos em uma caminhonete por José Mário Budny e seu sobrinho. A respectiva cavidade situa-se a aproximadamente 10km da Gruta Pinheiro Seco. Após mais de uma hora de solavancos e uma fina chuva, chegamos ao local. Após indicações do Seu João, proprietário das terras em torno da caverna, a equipe caminhou por alguns minutos até encontrar o pórtico de entrada da Caverna. Parte 2 Já estava escurecendo e a equipe resolveu voltar ao acampamento. Após uma forte caminhada, o grupo chegou ao acampamento por volta das 21h. burro) com tábuas, evitando que o espaço ficasse totalmente livre e vulnerável a acidentes perigosos e até mesmo fatais. A princípio, o Grupo de Topografia percorreu a Caverna de forma rápida, apenas para observar o percurso a ser topografado, suas galerias laterais e o curso d água que percorre a Caverna. Em seguida, iniciou a topografia da Caverna. O membro Henrique foi o desenhista, João era ponta-de-trena - munido da nova trena a laser do GUPE - e os demais membros revezaram na marcação azimutal da metragem da linha principal (sisal). Aproximadamente às 6h foi concluída a topografia da Caverna do Monjolo. Iniciamos, então, o trabalho de fotografar. Henrique dominou a máquina fotográfica, enquanto Felipe controlava a iluminação. Fernanda e João apareciam nas fotografias como pontos de escala e referência. Caverna do Monjolo (foto: Henrique Simão Pontes). José Mário, membro do Conselho Deliberativo do GUPE que cadastrou a Caverna no Cadastro Nacional há alguns anos, relatou algumas peculiaridades da mesma. Contou que próximo ao local havia um Monjolo de porte médio, que aproveitava a água de um sumidouro na margem do rio e, ainda, mostrou uma Clarabóia que fica poucos metros para dentri, relatando um fato ocorrido anos atrás: um acidente naquela altura da caverna. Para evitar esse tipo de acontecimento, os moradores locais fizeram uma tampa (mata Pâmela, Fernanda, Felipe, João e Henrique, todos molhados e com muito frio na caçamba da caminhonete do Zé Mario, retornando de noite ao acampamento, após termino dos trabalhos na Caverna do Monjolo (fotos: Henrique Pontes). Encerrada a parte fotográfica os membros retornaram à residência de Seu João, que, então, mostrou uma foto do antigo Monjolo que deu nome à Caverna. O grupo retornou ao acampamento próximo das 20h. 5

6 Relatos do 5 dia (02/02/2011 Quarta-feira) Por Henrique Simão Pontes Coordenador Geral - GUPE O quinto dia da expedição foi marcado por muitas caminhadas, morros, conversas com moradores e alguns imprevistos. A equipe - composta pelos membros Henrique, João e Fernando - partiu do acampamento munida de todos os equipamentos necessários por volta das 08h, em busca de mais grutas na Localidade de Pinheiro Seco. Guiada por uma imagem do Google Earth da região, a equipe caminhou cerca de 2 km perguntando para moradores sobre a existência de tocas, abrigos, grutas, cavernas, buracos e demais terminologias que representem cavidades subterrâneas naturais. O resultado foi que todos os moradores disseram não existir cavidades naquela porção da localidade de Pinheiro Seco. Todavia, o último morador questionado, Seu João, indicou possíveis buracos na rocha na propriedade de uma senhora, próxima à igreja católica. A equipe retornou e rumou ao local indicado. Após autorização, adentrou a propriedade e iniciou uma varredura na área. Os resultados encontrados foram: duas tocas entulhadas, um abrigo de pouco mais de 5 metros de extensão, um buraco (possível abismo entulhado) no interior de um imenso vale e a ressurgência de um pequeno córrego sem possibilidades de acesso. A equipe resolveu retornar ao acampamento para almoçar e, assim, planejar novo objetivo para o período da tarde. Pouco antes de chegar ao acampamento, o grupo encontrou um morador de grande fama na localidade, apelidado de Lobo e considerado um conhecedor dos quatro cantos da região. Em conversa, Lobo indicou a localização de uma outra gruta, ainda não mencionada por nenhum outro morador. A gruta está localizada na propriedade do Seu Josué Rute. No acampamento, houve o almoço e o planejamento dos objetivos da tarde. Apesar de haver mais membros no acampamento, somente os mesmos integrantes da equipe partiram em direção oposta, na estrada principal da região. Isso porque Felipe comandava o conserto da cobertura do acampamento, destruída durante vendaval que assolou a região no dia anterior. A equipe andou cerca de 4 km na estrada até chegar à casa de Seu Josué, que a recebeu muito bem e a levou de trator em direção à caverna. No caminho, houve uma parada e o grupo entrou em uma cavidade, um único duto inteiro assoreado, apresentando cerca de 10 metros de desenvolvimento. João Carlos em carona no trator de Seu Josué. Um dos únicos momentos de fotografia deste dia da expedição, devido aos acontecimentos (foto: Henrique Simão Pontes). Foi realizada uma imensa volta em um morro e uma parada no alto de um espigão. Neste ponto, Seu Josué indicou a localização da caverna. O grupo teria que descer a encosta até chegar a um vale bastante entalhado e subir o rio. Desceu por entre uma capoeira repleta de árvores e cipós de espinhos até chegar ao rio. Após subir 100 metros por dentro do rio, começou a chover. Por motivo de segurança, a equipe resolveu sair do rio, que apresentava uma forte vazão. O grupo subiu o outro lado da encosta em direção à estrada, até chegar atrás de uma pequena casa de madeira. Neste momento, houve um ataque de marimbondos e o grupo teve que contornar a casa para chegar à estrada, passando por um embaralhado de árvores e cipós de espinhos. Os marimbondos estavam extremamente agitados e agressivos, de modo 6

7 que os integrantes tiveram que passar correndo e continuar correndo um trecho na estrada. A equipe partiu em direção ao acampamento sem cumprir com o objetivo de encontrar a caverna, mas transferiu este objetivo para o outro dia. O grupo apertou o passo para chegar ao acampamento e passar uma pomada em João, que foi o principal alvo dos marimbondos. A equipe chegou ao acampamento por volta das 19 horas, apesar do ataque, todos os membros ficaram bem, pois nenhum apresenta alergia a picadas de vespas, marimbondos ou abelhas. Relatos do 6 dia (03/02/2011 Quinta-feira) Parte 1 Por Felipe Mateus Schamne Almoxarife - GUPE Na manhã do sexto dia da expedição, os membros Felipe, Henrique, Diogo e Igor saíram do acampamento às 7:30h, com o objetivo de encontrar a cavidade localizada nas terras de Seu Josué - gruta não encontrada no dia anterior. A equipe voltou cerca de 2 km pela estrada principal da região, a partir da caverna Pinheiro Seco, até chegar à casa onde estava infestada de marimbondos. Seguindo um pouco mais adiante Felipe e Henrique seguiram por uma trilha, Diogo e Igor esperaram na estrada com os equipamentos de topografia e fotografia. O grupo foi separado para primeiro localizar a caverna e, depois de localizada, o restante do grupo se deslocaria ate o local com todos os equipamentos. Felipe e Henrique adentraram a mata até encontrar o rio, percorrendo cerca de 200 metros até o rio onde encontraram uma pequena cavidade. Ao explorar esta cavidade, descobriram que ela adentrava apenas cerca de 8 metros. A jusante no mesmo rio, eles encontraram uma ressurgência que supostamente tem ligação com a cavidade encontrada. Ainda na margem direita do rio, encontraram mais alguns abrigos. Entretanto, estes não chegavam a 3 metros de desenvolvimento. Seguindo cerca de 60 metros a montante da ressurgência na porção alta da encosta direita do rio, foi localizada mais uma entrada de cavidade. Ao explorar a cavidade, os membros encontram um pórtico largo, mas com teto baixo, no qual adentram e encontram dois salões, o principal e um menor à esquerda. Ao lado direito encontram um pequeno conduto, no qual foi necessária a retirada de blocos - e mesmo assim tiveram que passar em uma passagem extremamente apertada. Após averiguar por dezenas de metros depois da minúscula passagem, os membros Felipe e Henrique retornaram até o restante do grupo e resolveram retornar ao acampamento para pegar mais equipamentos e almoçar. Felipe e Henrique no acampamento após explorar a Caverna Barreiro do Imbuial (foto: Daniella F. Moss). Após o almoço, o membro João Carlos junta-se a equipe, que se dirige novamente até a Caverna, denominada temporariamente de Barreiro do Imbuial. A cavidade recebeu este nome devido à localização - em Imbuial -, e ter muito barro em seu interior. Nesta etapa foi realizada a topografia, com o Henrique como desenhista e João como operador da trena laser e o restante dos membros - Felipe, Diogo e Igor - ficou responsável por explorar a caverna. Já na entrada, através de uma passagem baixa à direita, foi descoberto um duto que leva ao primeiro salão da caverna. Os salões da caverna são ligados, na maioria, por dutos pequenos, que exigiam um bom preparo físico de seus visitantes. Resumidamente, 7

8 trata-se de uma caverna repleta de dificuldades, com quebra-corpos, tetos baixos e muito barro, deixando o local escorregadio e as botas carregadas de lama no solado. era necessário subir uma rampa de aproximadamente 15 metros de comprimento, bastante íngrime e repleta de lama. João Carlos e Felipe em trabalho de topografia (foto: Henrique Simão Pontes). O desenvolvimento da topografia não foi possível devido à extrema dificuldade que a caverna proporcionou. Em uma das continuações, era necessário descer um poço com cerca de 5 metros. O problema era chegar até o poço, pois se tratava de uma passagem extremamente apertada na qual era difícil passar de maneira a realizar o rapel. Outro trecho que não permitiu a continuação ficava no alto de um salão, no qual Igor passando por um dos vários tetos-baixos da caverna (foto: Henrique Simão Pontes). Após encerrar a topografia, os membros realizaram algumas fotos dos salões da caverna. O trabalho fotográfico não foi conforme planejado, pois - além do grau de dificuldade desta cavidade e os membros estarem esgotadosa quantidade imensurável de lama dificultava o manuseio de equipamentos sensíveis. Após o encerramento das atividades, os membros retornam ao acampamento aproximadamente as 18 h. Por Fernando Bertani Gomes Membro Efetivo - GUPE Ao amanhecer, todos os membros da expedição despertaram, como de rotina, ao cantar do galo precedido das saracuras e curicacas. Os integrantes Fernando, Heder e Laís prepararam-se para desbravar as coxilhas e seus habitantes, a fim de realizar entrevistas abertas, dirigidas apenas por alguns questionamentos levantados por Laís (a qual realizará sua dissertação de mestrado na região). Iniciaram o trabalho de campo organizados em caminhar até o bairro dos Martins, o qual tem ligação com a família do seu Eurico Martins (propriedade onde ficou o acampamento e onde se situa a Caverna Pinheiro Seco). Parte 2 Porém, iniciaram uma entrevista já no primeiro aglomerado de moradias rurais, a pelo menos 2 km da Caverna da Cascalheira. A conversa foi com seu Sebastião, que mora ao lado da ponte (entrevista gravada). Em conversa, Seu Sebastião indicou para os membros conversarem com um dos moradores mais velhos da região, a ser encontrado na Localidade de Caraguatá (vizinha à Pinheiro Seco). Infelizmente a entrevista não foi realizada devido à idade bastante avançada do senhor. Fernando e Heder apresentaram o início da Gruta de Caraguatá (conhecida como Gruta do Antenor) a integrante Laís. Depois da visita à gruta, decidiram continuar a caminhada na estrada principal para além de Caraguatá. 8

9 Caminharam alguns quilômetros sem encontrar moradia, apenas plantação de pinus. A informação de que o próximo vilarejo, Água Branca, era aproximadamente 20 km para frente, fez com que eles decidissem retornar para o acampamento, para no caminho conversar com seu Sebastião (da Caverna da Cascalheira ). Prosseguir era inviável, assim como chegar no bairro dos Martins. Já na casa do seu Sebastião, os membros foram acolhidos com um chimarrão, café e prosa. Uma boa e extensa conversa (entrevista gravada), trocando vivências e aprendendo muito sobre o local. E para isso, nada melhor, do que pessoas que, como seu Sebastião, moram na localidade há 60 anos. Durante a conversa, emergiu a vontade de tentar descobrir outras cavernas. Seu Sebastião aconselhou novamente a equipe a conversar com Moisés, conhecido por Monsézinho, o qual trabalha com concerto de motos. Seu Monsé, entendendo a vontade dos pesquisadores, colocou sua bota, apanhou seu folhão e adentrou na mata com uma destreza de fazer suar e arranhar os membros do GUPE (Fernando e Heder), pois a região é repleta de árvores e cipós de espinhos. Após um período caminhando, Seu Monsé mostrou duas cavidades que atingem de 2 a 10 metros de desenvolvimento. Também afirmou a existência de pelo menos seis outras cavidades em um mesmo paredão rochoso, tanto do lado esquerdo como direito do Rio do Turvo. Esse mesmo rio percorre uns 60 metros talhado na rocha, com paredões verticais de pelo menos 9 metros de altura. E nesse paredão, a aproximadamente 100 metros a jusante da ponte do rio do Turvo, na propriedade do Lourivalzinho. Segundo Monsé, existe outra caverna, de aproximadamente 100 metros. Os membros do GUPE localizaram somente sua entrada, avistada de longe, pois se localiza na outra margem do rio. Fica, portanto, a necessidade de realizar a Expedição Pinheiro Seco III. Relatos do 7 dia (04/02/2011 Sexta-feira) Por Henrique Simão Pontes Coordenador Geral - GUPE Na manhã do último dia da Expedição Pinheiro Seco II, os membros acordaram por volta das 8h e, após o café da manhã, deram início ao desmonte do acampamento. Após guardar todas as bagagens e limpar a área, a equipe posicionou-se para a foto com todos os membros e o Seu Eurico, grande amigo que nos recebeu mais uma vez em sua casa e nos ajudou neste trabalho. O ônibus da UEPG, com a Professora Carla Prieto, chegou próximo das onze horas da manhã. Após carregar as bagagens no veículo, o grupo retornou para Ponta Grossa com todos os objetivos cumpridos. O grupo desmontando o acampamento e arrumando as malas para retornar à Ponta Grossa (foto: Laís Luana Massuqueto). 9

10 Espeleofoto do Leitor Integrantes da Expedição Pinheiro Seco II. Em pé: Seu Eurico, Laís, Andressa, Diogo, Fernanda, Daniella, Igor, Fernando e Pâmela, agachados: Henrique (de branco), Heder, João e Felipe (Detalhe importante: o boneco com o capacete amarelo, bandolim e lampião ao lado, representa nosso companheiro Rafael Köene, o qual teve que retornar antes para Ponta Grossa por causa de seu trabalho) (foto: Henrique Simão Pontes). Agradecimentos Esta expedição contou com o apoio de muitas pessoas, por isso tivemos muito sucesso em nossos trabalhos. Agradecemos, em especial, a toda a família Schamne (Toninho, Maria, Paula, Pámela e Felipe), pela força, atenção e carinho. Agradecemos a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e ao Departamento de Geociências (DEGEO) pelo apoio com o veículo, em especial ao Professor Tiago Augusto Barbosa, Professora Carla Prieto e ao secretário do DEGEO João Paulo. Agradecemos aos membros da velha guarda do GUPE: José Mário Budny, Gilmar Budny e Osmar Rizental pelo companheirismo e pelos presentes deliciosos (queijo caseiro e cracóvia). Agradecemos a Empresa Manfra Ltda. pela doação da trena à laser, material de grande utilidade nesta expedição e em futuros trabalhos. Agradecemos ao Bateriais Baranek pelo empréstimo de uma bateria utilizada no holofote para iluminação durante fotografias. Agradecemos ao Seu Eurico e sua família pela hospitalidade, carinho e por todas as prosas. Agradecemos ao Seu Sebastião e família pela recepção, conversas e hospitalidade. Enfim, agradecemos a todos os moradores da Localidade de Pinheiro Seco, povo hospitaleiro que muito nos ensinou nestes dias que por lá estávamos. _ 10

11 Espeleoparceiros Grupo de Escalada Cidade de Pedra - GECP - Nossa comunidade no Orkut: Nosso site: Visite também: e Imprima somente se for necessário, lembre-se de sua responsabilidade com o Meio Ambiente, pense ecologicamente. Expediente DOLINinforme é uma publicação eletrônica do Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas GUPE, contato: Comissão Editorial Felipe Simão Pontes MTB 6797 Heder Leandro Rocha, Henrique Simão Pontes e Laís Luana Massuqueto A reprodução deste é permitida, desde que citada a fonte. _ 11

Furnas do Realengo. Visita ao complexo de Furnas na comunidade de Três Barras interior do município de Morro Grande SC.

Furnas do Realengo. Visita ao complexo de Furnas na comunidade de Três Barras interior do município de Morro Grande SC. Furnas do Realengo Visita ao complexo de Furnas na comunidade de Três Barras interior do município de Morro Grande SC. As Furnas localizadas próximas ao Canyon Realengo, a 5 km da comunidade, são Paleotocas

Leia mais

Veículo: Editoria: Seu Bolso Dez Minutos

Veículo: Editoria: Seu Bolso Dez Minutos Editoria: Seu Bolso Dez Minutos Concursos devem oferecer 1,9 mil vagas 06 Editoria: Cidade Jornal Agora Dia de Luta Contra a Tuberculose terá programação especial (X) Press-release da assessoria de imprensa

Leia mais

INFORMATIVO XCM DESAFIO GRUTAS DE BOTUVERÁ

INFORMATIVO XCM DESAFIO GRUTAS DE BOTUVERÁ INFORMATIVO XCM DESAFIO GRUTAS DE BOTUVERÁ 6ª ETAPA DO RANKING CATARINENSE DE MARATON LOCAL Grutas de Botuverá Botuverá/SC 1. PROGRAMAÇÃO: DIA 04 de Junho (sab) HORA 17:00 á 19:00 Retirada do kit. LOCAL

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Programa transmitido em 26 de fevereiro

Leia mais

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR *

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * PSICODRAMA DA ÉTICA Local no. 107 - Adm. Regional do Ipiranga Diretora: Débora Oliveira Diogo Público: Servidor Coordenadora: Marisa Greeb São Paulo 21/03/2001 I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * Local...:

Leia mais

Campos Neutrais Pelos Viajantes da Câmera

Campos Neutrais Pelos Viajantes da Câmera Turismo Fotográfico Campos Neutrais Pelos Viajantes da Câmera Janeiro - 2014 Foto: JM Lanita - Capilla-Taim/Brasil RS 1 Viajantes da Câmera nos Campos Neutrais por Felipe Nyland Porto Alegre amanhecia

Leia mais

Preservar é Bonito. Preservar é Bonito

Preservar é Bonito. Preservar é Bonito Deus disse: Vou ajeitar a você um dom Vou pertencer você para uma árvore. E pertenceu-me... Patrimônio As Grutas do Lago Azul e de Nossa Senhora Aparecida, em Bonito-MS, por sua beleza e características

Leia mais

Compreendendo o espaço

Compreendendo o espaço Módulo 1 Unidade 2 Compreendendo o espaço Para início de conversa... A forma como você se locomove na cidade para ir de um lugar a outro tem a ver com as direções que você toma e com o sentido para o qual

Leia mais

Viagem a Dornes e Sertã

Viagem a Dornes e Sertã Viagem a Dornes e Sertã (19 e 20 de Março de 2011) Por: RuckFules 1 No fim de semana, aproveitando os belos dias de Sol com que a chegada da Primavera nos presenteou, decidi dar uma volta pelo interior,

Leia mais

Traçando os caminhos

Traçando os caminhos A UU L AL A Traçando os caminhos Hoje vamos aprender a traçar o caminho entre dois lugares. Já sabemos como encontrar no mapa um lugar que procuramos. Agora, é preciso decidir qual a melhor maneira de

Leia mais

Começamos a viagem com a tentativa de comprar uma botija de gás propano Repsol compatível com a nossa saída livre. Nada feito

Começamos a viagem com a tentativa de comprar uma botija de gás propano Repsol compatível com a nossa saída livre. Nada feito 03 de Março 2010 Começamos a viagem com a tentativa de comprar uma botija de gás propano Repsol compatível com a nossa saída livre. Nada feito Verificada a pressão dos pneus arrancamos. Seguimos pela A7

Leia mais

Trabalhos Científicos EDITORIAL. Paleotocas na BAND - SC

Trabalhos Científicos EDITORIAL. Paleotocas na BAND - SC Boletim Informativo das Pesquisas do Projeto Paleotocas Número 22 Junho de 2012 Site: www.ufrgs.br/paleotocas Distribuição Dirigida Responsável: Prof. Heinrich Frank Contato: paleotocas@gmail.com Fone:

Leia mais

Lista de Exercícios - Movimento em uma dimensão

Lista de Exercícios - Movimento em uma dimensão UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II Lista de Exercícios - Movimento em uma dimensão Perguntas 1. A Figura 1 é uma gráfico

Leia mais

REGULAMENTO GUIÃO 6ª ETAPA DATA:

REGULAMENTO GUIÃO 6ª ETAPA DATA: GUIÃO 6ª ETAPA DATA: REGULAMENTO O evento terá início às 23,00h do dia 12 de julho de 2014. O levantamento dos dorsais será das 20,00h às 23,00h. A concentração para partida é às 23,00h. PERCURSOS: Sendo

Leia mais

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno.

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno. Meu lugar,minha história. Cena 01- Exterior- Na rua /Dia Eduardo desce do ônibus com sua mala. Vai em direção a Rose que está parada. Olá, meu nome é Rose sou a guia o ajudara no seu projeto de história.

Leia mais

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa.

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa. A Criada Russa Sandra Pinheiro Interior. Noite. Uma sala de uma casa de família elegantemente decorada. Um sofá ao centro, virado para a boca de cena. Por detrás do sofá umas escadas que conduzem ao andar

Leia mais

- Estou à espera que apareça alguém para passar a Noite de Natal comigo. E o Burro disse ao seu Dono: - Como também estamos sozinhos podíamos

- Estou à espera que apareça alguém para passar a Noite de Natal comigo. E o Burro disse ao seu Dono: - Como também estamos sozinhos podíamos Um Natal Solidário Era uma vez Uns dias antes da Consoada de Natal, estava um Esquilo que vivia sozinho na floresta, a pensar Como é que vai ser o meu Natal? nisto sentiu o cheiro ao bacalhau e decidiu

Leia mais

DEMARCAÇÃO DA EXPLORAÇÃO FLORESTAL

DEMARCAÇÃO DA EXPLORAÇÃO FLORESTAL CAPÍTULO 5 DEMARCAÇÃO DA EXPLORAÇÃO FLORESTAL Demarcação da Exploração Florestal 53 APRESENTAÇÃO A demarcação das estradas, ramais de arraste, pátios de estocagem e a indicação da direção de queda das

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Sandra Aymone. Texto e ilustrações de. Chico Buarque de Hollanda. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto.

Sandra Aymone. Texto e ilustrações de. Chico Buarque de Hollanda. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. Todos juntos somos fortes, somos flecha e somos arco, todos nós no mesmo barco, não há nada pra temer! Ao meu lado há um amigo que é preciso proteger... Chico Buarque de Hollanda Agradecemos aos parceiros

Leia mais

Relato da Viagem do Irmão Brian Kocourek à África do Sul

Relato da Viagem do Irmão Brian Kocourek à África do Sul Relato da Viagem do Irmão Brian Kocourek à África do Sul De 28 de novembro à 4 de dezembro de 2015 Voamos do Aeroporto Greater em Cincinnati de tarde, no dia 28 de novembro de 2015, e chegamos à Cidade

Leia mais

Pré Universitário Uni-Anhanguera

Pré Universitário Uni-Anhanguera Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 1 o ano Disciplina: Física - Velocidade média V m, Aceleração Média A m e Movimento Retilíneo Uniforme

Leia mais

nicobelo@hotmail.com NICOLAU BELLO

nicobelo@hotmail.com NICOLAU BELLO NICOLAU BELLO 1 * ATUALMENTE EXISTEM NO TRÂNSITO NO BRASIL MAIS DE CINCO MILHÕES DE MOTOS NO TRÂNSITO. * 10 MILHÕES DE CARROS, ONIBUS, TAXIS E CAMINHÕES. * MOTOS PASSAM CÉLERES ENTRE OS CARROS, ESTES DÃO

Leia mais

Um havia um menino diferente dos outros meninos: tinha o olho direito preto, o esquerdo azul e a cabeça pelada. Os vizinhos mangavam dele e gritavam: Ó pelado! Tanto gritaram que ele se acostumou, achou

Leia mais

Produção nas Alturas

Produção nas Alturas Produção nas Alturas No dia 29 de maio de 2015, durante a aula de Introdução a Engenharia de Produção, a professora Tatiane Lazari passou uma dinâmica de caráter pedagógico, que se tratava da produção

Leia mais

PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA

PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA Memorial da Resistência de São Paulo PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA CEMITÉRIO MUNICIPAL DE AREIA BRANCA Endereço: Avenida Nossa Senhora de Fátima, 768, Areia Branca, Santos,SP. Classificação: Cemitério Identificação

Leia mais

Trilhas e Passeios em Cunha:

Trilhas e Passeios em Cunha: Trilhas e Passeios em Cunha: CIRCUITO MONJOLO Cachoeira do Pimenta Distância: 12km (a partir do centro de Cunha) Percurso: Estrada do Monjolo - 8km em estrada de terra e 4km com calçamento (trechos íngremes)

Leia mais

TOCAS DE CROCODILO EDITORIAL CONGRESSO DE PALEONTOLOGIA CAVERNAS NA ILHA DE FLORIANÓPOLIS

TOCAS DE CROCODILO EDITORIAL CONGRESSO DE PALEONTOLOGIA CAVERNAS NA ILHA DE FLORIANÓPOLIS Boletim Informativo das Pesquisas do Projeto Paleotocas Número 25 março de 2013 Responsável: Prof. Heinrich Frank Site: www.ufrgs.br/paleotocas Contato: paleotocas@gmail.com EDITORIAL O ano de 2013 começou

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

Como sabem, no ditado popular, nosso projeto procura sarna pra se coçar...

Como sabem, no ditado popular, nosso projeto procura sarna pra se coçar... Como sabem, no ditado popular, nosso projeto procura sarna pra se coçar... Aqui em Minas, mais precisamente na cidade de Conselheiro Lafaiete, estamos em uma base fixa, o CCZ, estamos em plena atividade..

Leia mais

UNIVERSIDADE SAGRADO CORAÇÃO USC

UNIVERSIDADE SAGRADO CORAÇÃO USC UNIVERSIDADE SAGRADO CORAÇÃO USC KARINA VIEIRA SOUZA ALVES SANT ANA REPORTAGEM: A VIDA NAS RUAS DE BOTUCATU BAURU 2012 A vida nas ruas de Botucatu A Praça da Igreja Sagrado Coração de Jesus, na Rua Major

Leia mais

AUTORES E ILUSTRADORES: FELIPE DE ROSSI GUERRA JULIA DE ANGELIS NOGUEIRA VOGES

AUTORES E ILUSTRADORES: FELIPE DE ROSSI GUERRA JULIA DE ANGELIS NOGUEIRA VOGES AUTORES E ILUSTRADORES: FELIPE DE ROSSI GUERRA JULIA DE ANGELIS NOGUEIRA VOGES 1ºC - 2011 APRESENTAÇÃO AO LONGO DESTE SEMESTRE AS CRIANÇAS DO 1º ANO REALIZARAM EM DUPLA UM TRABALHO DE PRODUÇÃO DE TEXTOS

Leia mais

ESTUDANTE, BEM VINDO A VIÇOSA, BEM VINDO A UFV! Esse é um guia básico para você não se sentir perdido nos procedimentos iniciais.

ESTUDANTE, BEM VINDO A VIÇOSA, BEM VINDO A UFV! Esse é um guia básico para você não se sentir perdido nos procedimentos iniciais. ESTUDANTE, BEM VINDO A VIÇOSA, BEM VINDO A UFV! Esse é um guia básico para você não se sentir perdido nos procedimentos iniciais. UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA Brasil: 26 estados 5 regiões administrativas

Leia mais

BARCO À VISTA! por Paulo Pinheiro*

BARCO À VISTA! por Paulo Pinheiro* BARCO À VISTA! por Paulo Pinheiro* Sentiu uma descarga de adrenalina grande quando notou o barco encalhado. Olhou ao redor, céu azul, praia, mar e mata, tudo calmo e deserto, e um barco na outra ponta

Leia mais

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015 V.4 - N.4 - Setembro de 2015 Vilma Lúcia da Silva 05 Assessora de Comunicação do Parque da Cidade Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal Só no mês de setembro o Parque da Cidade recebeu

Leia mais

1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados.

1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados. 1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados. É bonita a história que acabaste de contar. Vou dar este livro ao Daniel, no dia do seu aniversário. Ele adora

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DO ENDURO

OS PRINCÍPIOS DO ENDURO OS PRINCÍPIOS DO ENDURO Uma prova divide-se em roteiro e navegação, sendo: Roteiro: Seguir corretamente o trajeto estabelecido pela organização; Navegação: Percorrer o caminho no tempo e média horária

Leia mais

A brisa do mar está ótima!

A brisa do mar está ótima! A brisa do mar está ótima! Mais um fim de semana. Cristiana e Roberto vão à praia e convidam Maristela para tomar um pouco de ar fresco e de sol, e tirar o mofo! É verão e o sol já está bem quente. Mas

Leia mais

RAIOS, RELÂMPAGOS E TROVÕES. Resumo. Introdução

RAIOS, RELÂMPAGOS E TROVÕES. Resumo. Introdução RAIOS, RELÂMPAGOS E TROVÕES Resumo Angelita Ribeiro da Silva angelita_ribeiro@yahoo.com.br O tema do trabalho foi Raios, Relâmpagos e Trovões. Os alunos investigaram como se dá a formação dos três fenômenos.

Leia mais

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente?

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? O Meio Ambiente ::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? Seu João: Não sei não! Mas quero que você me diga direitinho pra eu aprender e ensinar todo mundo lá no povoado onde eu moro. : Seu João,

Leia mais

7. o ANO FUNDAMENTAL. Prof. a Andreza Xavier Prof. o Walace Vinente

7. o ANO FUNDAMENTAL. Prof. a Andreza Xavier Prof. o Walace Vinente 7. o ANO FUNDAMENTAL Prof. a Andreza Xavier Prof. o Walace Vinente CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade I Tempo, espaço, fontes históricas e representações cartográficas

Leia mais

Conforto, sustentabilidade, qualidade de serviço e aventura na Amazônia. Tudo no M/V Desafio. A melhor maneira de explorar a Amazônia!

Conforto, sustentabilidade, qualidade de serviço e aventura na Amazônia. Tudo no M/V Desafio. A melhor maneira de explorar a Amazônia! 2015 Conforto, sustentabilidade, qualidade de serviço e aventura na Amazônia. Tudo no M/V Desafio. A melhor maneira de explorar a Amazônia! O M/V Desafio é um barco único no estilo veleiro na Amazônia

Leia mais

GRUPO III 1 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO III 1 o BIMESTRE PROVA A Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: TARDE Data: 27/4/2011 PROVA GRUPO GRUPO III 1 o BIMESTRE PROVA A Nome: Turma: Valor da prova: 4,0 Nota: Forte terremoto provoca tsunami e mata centenas

Leia mais

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA Uma Aventura na Serra da Estrela Coleção UMA AVENTURA Atividades Propostas Leitura em voz alta de um ou dois capítulos por aula. Preenchimento das fichas na sequência

Leia mais

Pesca de Trutas em Lages, SC 13 a 15 de Novembro 2010

Pesca de Trutas em Lages, SC 13 a 15 de Novembro 2010 Pesca de Trutas em Lages, SC 13 a 15 de Novembro 2010 Fotos e Texto: Rogério Batista, Alfredo Divani e Alejandro Antúnez Após nossa ultima pescaria em Outubro, prometemos que voltaríamos para este belo

Leia mais

Viagem ao litoral. www.interaulaclube.com.br

Viagem ao litoral. www.interaulaclube.com.br A UU L AL A Viagem ao litoral Arlindo e alguns amigos tinham programado para o feriado uma visita à praia. Arlindo não via o mar desde criança, e estava ansioso para viajar. - Finalmente, chegou o carnaval!

Leia mais

Últimas noticias sobre o Rally de Washington 2011

Últimas noticias sobre o Rally de Washington 2011 Últimas noticias sobre o Rally de Washington 2011 Faça uma cópia colorida do seu passaporte e do seu visto americano. Quando chegar ao hotel, deixe seus valores, passaporte e documentos no cofre do quarto

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS ANIMAIS SINANTRÓPICOS DA SUB- BACIA HIDROGRÁFICA URBANA PILÃO DE PEDRA, EM PONTA GROSSA PR

LEVANTAMENTO DOS ANIMAIS SINANTRÓPICOS DA SUB- BACIA HIDROGRÁFICA URBANA PILÃO DE PEDRA, EM PONTA GROSSA PR LEVANTAMENTO DOS ANIMAIS SINANTRÓPICOS DA SUB- BACIA HIDROGRÁFICA URBANA PILÃO DE PEDRA, EM PONTA GROSSA PR Leticia Polesel Weiss (leticia_w@hotmail.com) Rosana Pinheiro Maria Aparecida Oliveira Hinsching

Leia mais

Avaliação do Programa Cidadania em Trânsito ALUNOS Novembro / 2013

Avaliação do Programa Cidadania em Trânsito ALUNOS Novembro / 2013 Avaliação do Programa Cidadania em Trânsito ALUNOS Novembro / 2013 1 INDICE: METODOLOGIA:... 3 PERFIL DOS RESPONDENTES:... 4 CIDADANIA EM TRÂNSITO... 5 A Gidion é uma empresa que:...5 Você sabe se tem

Leia mais

Segunda-feira, dia 04 de maio de 2015

Segunda-feira, dia 04 de maio de 2015 Segunda-feira, dia 04 de maio de 2015 Pousamos no pequeno aeroporto de Katmandu um pouco depois das 6 da manhã. Apenas três aviões cargueiros estavam no aeroporto e poucas caixas com produtos para a população.

Leia mais

Guia da Corrida. Rio de Janeiro. Retirada do Kit. Seja feliz, seja saudável, seja você! Bem Vindo à The Color Run!

Guia da Corrida. Rio de Janeiro. Retirada do Kit. Seja feliz, seja saudável, seja você! Bem Vindo à The Color Run! Seja feliz, seja saudável, seja você! Guia da Corrida Bem Vindo à The Color Run! Rio de Janeiro Agradecemos a você e aos seus novos amigos, por fazerem da The Color Run um dos maiores eventos de 5 km do

Leia mais

DESENHO DE ARQUITETURA PLANTA BAIXA AULA 01 PROF ALINE FERNANDES

DESENHO DE ARQUITETURA PLANTA BAIXA AULA 01 PROF ALINE FERNANDES DESENHO DE ARQUITETURA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PLANTA BAIXA PROJETO ARQUITETÔNICO SÍMBOLOS GRÁFICOS PASSOS PARA MONTAGEM DE PLANTA BAIXA: 1. Deve-se estimar o tamanho

Leia mais

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Sumário introdução 03 Capítulo 5 16 Capítulo 1 Pense no futuro! 04 Aproveite os fins de semana Capítulo 6 18 Capítulo 2 07 É preciso

Leia mais

Manual do Usuário e Instalação - FIT100

Manual do Usuário e Instalação - FIT100 Manual do Usuário e Instalação - FIT100 1. APRESENTAÇÃO: O Rastreador Locktronic FIT100 é um dispositivo eletrônico para lhe auxiliar na proteção de seu veículo. As funções disponíveis neste produto são

Leia mais

Urakepe. Olá. Meu nome é Romel. Sou uma índia Chachi. Eu moro no vilarejo de São Salvador, no oeste do Equador. Eu tenho cinco irmãos, duas irmãs e

Urakepe. Olá. Meu nome é Romel. Sou uma índia Chachi. Eu moro no vilarejo de São Salvador, no oeste do Equador. Eu tenho cinco irmãos, duas irmãs e Urakepe. Olá. Meu nome é Romel. Sou uma índia Chachi. Eu moro no vilarejo de São Salvador, no oeste do Equador. Eu tenho cinco irmãos, duas irmãs e muitos primos. Existem cerca de 60 famílias em São Salvador

Leia mais

Portfolio 1ª Assembleia Geral dos Formandos 2013

Portfolio 1ª Assembleia Geral dos Formandos 2013 Caros formandos, Portfolio 1ª Assembleia Geral dos Formandos 2013 Nós da comissão de formatura 2013 optamos pela divulgação antecipada dos tópicos ( Listados a seguir) que serão decididos na Assembleia,

Leia mais

10 simples passos que irão mudar a forma como você tira fotos

10 simples passos que irão mudar a forma como você tira fotos VERSÃO FOTOGRAFIA 10 simples passos que irão mudar a forma como você tira fotos Existem várias formas de alterar o resultado final de uma foto, seja através do ISO, da velocidade do obturador, da abertura

Leia mais

LEVANTAMENTO DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DA BACIA HIDROGRÁFICA SOBRE OS IMPACTOS CAUSADOS PELO VAZAMENTO DO ÓLEO DIESEL NO RIO SESMARIA NOS MUNICÍPIOS

LEVANTAMENTO DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DA BACIA HIDROGRÁFICA SOBRE OS IMPACTOS CAUSADOS PELO VAZAMENTO DO ÓLEO DIESEL NO RIO SESMARIA NOS MUNICÍPIOS LEVANTAMENTO DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DA BACIA HIDROGRÁFICA SOBRE OS IMPACTOS CAUSADOS PELO VAZAMENTO DO ÓLEO DIESEL NO RIO SESMARIA NOS MUNICÍPIOS DE RESENDE RIO DE JANEIRO E SÃO JOSÉ DO BARREIRO SP

Leia mais

Cadastro de Sítio de Coleta Programa de Pesquisa em Biodiversidade

Cadastro de Sítio de Coleta Programa de Pesquisa em Biodiversidade Nome Sítio: Trilha A Resex Canutama Sigla Sítio: A Núcleo: Cadastro de Sítio de Coleta Descrição Sítio: Trilha localizada na Reserva Extrativista Canutama, no município de Canutama, na margem esquerda

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Uma Procissão em Comunhão a Nossa Senhora

Uma Procissão em Comunhão a Nossa Senhora Uma Procissão em Comunhão a Nossa Senhora Os Paroquianos de Canidelo, na noite de 29.05.2015 presentearam Nossa Senhora e Nossa Mãe Maria Santíssima, com uma bela e sublime procissão. Foram quatro procissões

Leia mais

Em direção a Samsun, tiramos excelentes fotografias do avião a sobrevoar as águas serenas do Mar Negro.

Em direção a Samsun, tiramos excelentes fotografias do avião a sobrevoar as águas serenas do Mar Negro. Reunião de projeto na Turquia No dia 19 de abril de 2015, pelas 6 horas da manhã partimos do Aeroporto Sá Carneiro rumo à Turquia. Ao aterrarmos em Frankfurt, a surpresa foi enorme. Este aeroporto é uma

Leia mais

PROJETO. MEMÓRIA LOCAL 3ºs anos Profªs Eliana Zoccoler Lamano e Priscila Gabanella Gomes

PROJETO. MEMÓRIA LOCAL 3ºs anos Profªs Eliana Zoccoler Lamano e Priscila Gabanella Gomes PROJETO MEMÓRIA LOCAL 3ºs anos Profªs Eliana Zoccoler Lamano e Priscila Gabanella Gomes Objetivos Nosso projeto tem como objetivo principal levar os alunos a construírem conhecimentos sobre o tempo histórico

Leia mais

Use bem o seu dinheiro

Use bem o seu dinheiro 1016323-6 - abr/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

Laudo de Vistoria Ambiental ÁREA DE ESTUDO

Laudo de Vistoria Ambiental ÁREA DE ESTUDO Laudo de Vistoria Ambiental I Identificação da Propriedade: Associação Condomínio Parque Primavera CNPJ 60.549.656/0001-90 Rua Eurico Gaspar Dutra 255 - Carapicuíba CEP 06342-200 ÁREA DE ESTUDO II Característica

Leia mais

PRÊMIO INTERAÇÕES ESTÉTICAS RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS EM PONTOS DE CULTURA MODELO DO RELATÓRIO DADOS DO PROJETO

PRÊMIO INTERAÇÕES ESTÉTICAS RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS EM PONTOS DE CULTURA MODELO DO RELATÓRIO DADOS DO PROJETO PRÊMIO INTERAÇÕES ESTÉTICAS RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS EM PONTOS DE CULTURA MODELO DO RELATÓRIO DADOS DO PROJETO PROPONENTE: Nilton Gonçalves Gamba Junior NOME DO PROJETO: Domo Geodésico de Bambu Intercâmbio

Leia mais

PRONUNCIAMENTO DO EXCELENTÍSSIMO DEPUTADO FEDERAL FERNANDO DE FABINHO SOBRE ESTRADA GERAL DO SERTÃO SRAS. DEPUTADAS, SRS. DEPUTADOS, SR.

PRONUNCIAMENTO DO EXCELENTÍSSIMO DEPUTADO FEDERAL FERNANDO DE FABINHO SOBRE ESTRADA GERAL DO SERTÃO SRAS. DEPUTADAS, SRS. DEPUTADOS, SR. PRONUNCIAMENTO DO EXCELENTÍSSIMO DEPUTADO FEDERAL FERNANDO DE FABINHO SOBRE ESTRADA GERAL DO SERTÃO SRAS. DEPUTADAS, SRS. DEPUTADOS, SR. PRESIDENTE Participamos hoje, na Câmara dos Deputados do lançamento

Leia mais

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA UMA AVENTURA NA CIDADE COLEÇÃO UMA AVENTURA ATIVIDADES PROPOSTAS Leitura integral na sala de aula, por capítulos, um ou dois por aula Compreensão da narrativa Distinção

Leia mais

6. Considerações finais

6. Considerações finais 84 6. Considerações finais Nesta dissertação, encontram-se registros de mudanças sociais que influenciaram as vidas de homens e mulheres a partir da chegada das novas tecnologias. Partiu-se da Revolução

Leia mais

SITE_INEP_PROVA BRASIL - SAEB_MT_9ºANO (OK)

SITE_INEP_PROVA BRASIL - SAEB_MT_9ºANO (OK) 000 IT_005267 A figura a seguir é uma representação da localização das principais cidades ao longo de uma estrada, onde está indicada por letras a posição dessas cidades e por números as temperaturas registradas

Leia mais

!!!!! Castelo neuschwanstein/neuschwanenstein em Fussen. host family que recebeu minha irmã em 2010/2011 em Augsburg

!!!!! Castelo neuschwanstein/neuschwanenstein em Fussen. host family que recebeu minha irmã em 2010/2011 em Augsburg Alemanha Eu cheguei na Alemanha no dia 14 de Agosto de 2014, e desde então moro em Potsdam, a capital de Brandeburgo e 30 minutos de Berlim A minha host family me buscou no aeroporto e desde o primeiro

Leia mais

ROTA DA SERRA RIO GRANDE DO SUL SANTA CATARINA

ROTA DA SERRA RIO GRANDE DO SUL SANTA CATARINA RIO GRANDE DO SUL SANTA CATARINA O EVENTO: EXPEDIÇÃO: DATA: De 10 a 12 de Outubro de 2015 DURAÇÃO DO EVENTO: 03 dias. LOCAL: Porto Alegre/RS / Bom Jesus/RS / Orleans/SC ROTEIRO: Ida Porto Alegre/ Gramado

Leia mais

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 Somente quando estiver com documento do veículo em mãos, para fornecer ao atendente a placa e o chassi do veículo.

Leia mais

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos.

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos. Óptica Os fenômenos ópticos que observamos através do nosso aparelho de visão (Olho Humano) são todos devidos às propriedades da luz. Para estudarmos a óptica, ou seja, os efeitos sofridos pela luz, utilizaremos

Leia mais

Benedicto Silva. Foto 1. Minha mãe e eu, fotografados pelo meu pai (setembro de 1956).

Benedicto Silva. Foto 1. Minha mãe e eu, fotografados pelo meu pai (setembro de 1956). 1. INTRODUÇÃO 1.1. MINHA RELAÇÃO COM A FOTOGRAFIA Meu pai tinha uma câmara fotográfica. Ele não era fotógrafo profissional, apenas gostava de fotografar a família e os amigos (vide Foto 1). Nunca estudou

Leia mais

Professor Ventura Ensina Tecnologia

Professor Ventura Ensina Tecnologia Professor Ventura Ensina Tecnologia Experimento PV001 Maquete com Instalação Elétrica Ensino Fundamental Direitos Reservados = Newton C. Braga 1 Maquete com Instalação Elétrica Você gostaria de aprender

Leia mais

LEI DA CALÇADA. Vamos fazer de São José um lugar cada vez melhor para se viver!

LEI DA CALÇADA. Vamos fazer de São José um lugar cada vez melhor para se viver! APRESENTAÇÃO Planejar uma cidade também significa cuidar da circulação das pessoas, garantido segurança e igualdade. Muitas pessoas caminham somente a pé, ultrapassando 30% de todos os deslocamentos de

Leia mais

PRÁTICAS SILVICULTURAIS

PRÁTICAS SILVICULTURAIS CAPÍTULO 10 PRÁTICAS SILVICULTURAIS 94 Manual para Produção de Madeira na Amazônia APRESENTAÇÃO Um dos objetivos do manejo florestal é garantir a continuidade da produção madeireira através do estímulo

Leia mais

GUIA DE INICIAÇÃO RÁPIDA

GUIA DE INICIAÇÃO RÁPIDA GUIA DE INICIAÇÃO RÁPIDA 1. REMOVA A TAMPA TRASEIRA 2. INSERIR O CARTÕES SIM EO CARTÃO DE MEMÓRIA 3. INSIRA A BATERIA 4. CARREGUE A BATERIA POR 8 HORAS ANTES DE LIGAR 5. LIGUE O TELEFONE E AGUARDE A CONFIGURAÇÃO

Leia mais

Guia de Discussão Série Eu e meu dinheiro Episódio: O pão da avó

Guia de Discussão Série Eu e meu dinheiro Episódio: O pão da avó Guia de Discussão Série Eu e meu dinheiro Episódio: O pão da avó Sumário Sobre a série... 3 Material de apoio... 3 Roteiro para uso dos vídeos em grupos... 4 Orientações para o facilitador... 4 Conduzindo

Leia mais

Casa, Galpão Bambuzal 01. Caixa d'agua. Pedra. Lagoa, Charco Cactus 000. Cachoeira,Bica. Rio, Corrego. Toco, Tronco. Palmeira.

Casa, Galpão Bambuzal 01. Caixa d'agua. Pedra. Lagoa, Charco Cactus 000. Cachoeira,Bica. Rio, Corrego. Toco, Tronco. Palmeira. DICAS DA PROVA Para uma boa Prova, Sempre respeite as orientações da Planilha e do pessoal da Organização. Esteja de Acordo com o Regulamento. Distância Referência Campo/Quadra Poste Casa, Galpão Bambuzal

Leia mais

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br A U A UL LA O céu Atenção Aquela semana tinha sido uma trabalheira! Na gráfica em que Júlio ganhava a vida como encadernador, as coisas iam bem e nunca faltava serviço. Ele gostava do trabalho, mas ficava

Leia mais

BELA ART PISCINAS 1. A

BELA ART PISCINAS 1. A Manual de construção e instalação de piscina de vinil- BELA ART PISCINAS 1. A escolha do local. O espaço disponível para a sua área de lazer deve incluir a área de churrasqueira, a área de estar social

Leia mais

2. ESTADO DE CONSERVAÇÃO DA ESTRADA

2. ESTADO DE CONSERVAÇÃO DA ESTRADA Relatório do Reconhecimento de Campo da BR-319, Voltado à Elaboração dos Planos de Manejo das Unidades de Conservação Federal do Interflúvio Purus-Madeira 1. INTRODUÇÃO Entre os dias 4 e 8 de novembro

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ UNIDADE ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA GERÊNCIA DE APOIO ADMINISTRATIVO S E F A Z SECRETARIA DA FAZENDA

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ UNIDADE ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA GERÊNCIA DE APOIO ADMINISTRATIVO S E F A Z SECRETARIA DA FAZENDA S E F A Z SECRETARIA DA FAZENDA GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA UNIDADE ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA GERÊNCIA DE APOIO ADMINISTRATIVO Apresentação Este manual pretende dar dicas simples aos

Leia mais

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA Ficha técnica no. 2.1 Atividade Principal 2.1 SENTINDO A NATUREZA Objetivo da 2 Os escoteiros estão trabalhando por um mundo onde o habitat natural seja suficiente para suportar as espécies nativas. Objetivos

Leia mais

Entrevista Radio Tucujú II. (Prof. Marcos Albuquerque) Macapá-AP, 11/02/2004.

Entrevista Radio Tucujú II. (Prof. Marcos Albuquerque) Macapá-AP, 11/02/2004. Repórter: Reginaldo Borges Arqueólogo: Marcos Albuquerque Entrevista Radio Tucujú II. (Prof. Marcos Albuquerque) Macapá-AP, 11/02/2004. Prof.- e que não se sabia ao certo, se elas eram... digamos ligados

Leia mais

TRABALHO DE CAMPO / VIAGEM DE ESTUDO DO MEIO CIDADES HISTÓRICAS MINEIRAS

TRABALHO DE CAMPO / VIAGEM DE ESTUDO DO MEIO CIDADES HISTÓRICAS MINEIRAS TRABALHO DE CAMPO / VIAGEM DE ESTUDO DO MEIO CIDADES HISTÓRICAS MINEIRAS 2013 Tiradentes, São João Del Rei, Ouro Preto, Mariana, Congonhas, Cordisburgo e Belo Horizonte 30 / 04 a 05 / 05 / 2013 Colégio

Leia mais

P Como foi essa experiência com o barco da Justiça no

P Como foi essa experiência com o barco da Justiça no VISITA AO AMAPÁ FÁTIMA NANCY ANDRIGHI Ministra do Superior Tribunal de Justiça A Justiça brasileira deve se humanizar. A afirmação foi feita pela ministra Nancy Andrighi, do Superior Tribunal de Justiça,

Leia mais

Viagem ao Gerês e à Galiza (Agosto de 2007)

Viagem ao Gerês e à Galiza (Agosto de 2007) Viagem ao Gerês e à Galiza (Agosto de 2007) Por: Jaqueline, Davide, Ivo e André DIA 1-3 de Agosto de 2007 Partida de Olhão em direcção a Coimbra, onde chegamos por volta das 16h00. Ida até à praia fluvial

Leia mais

RELATÓRIO MUDANÇA FAMÍLIA MORGAN PARA SALVADOR/BA

RELATÓRIO MUDANÇA FAMÍLIA MORGAN PARA SALVADOR/BA RELATÓRIO MUDANÇA FAMÍLIA MORGAN PARA SALVADOR/BA Dia 07/12/2011 Em reunião (vídeo conferência) nesta data realizada no gabinete apostólico, sito a Rua Joaquim de Figueiredo, 332 Barreiro, com a participação

Leia mais

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDO (Turma 2012) Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/be310 A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA)

Leia mais

a) ( ) 1200 b) ( ) 1800 c) ( ) 2700 d) ( ) 3600 e) ( ) 4500

a) ( ) 1200 b) ( ) 1800 c) ( ) 2700 d) ( ) 3600 e) ( ) 4500 01) A figura abaixo, é formada por um triângulo e um retângulo, usando-se 60 palitos iguais. Para cada lado do triângulo são necessários seis palitos. Se cada palito mede 5 cm de comprimento, qual é a

Leia mais

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA Joel Henrique Rohr 1 Resumo: Uma das patologias existentes na construção civil são as infiltrações. Um dos pontos críticos das

Leia mais

R. Rutschka. R. Rutschka. P. Rull Gomes

R. Rutschka. R. Rutschka. P. Rull Gomes Primeira Edição R. Rutschka Ilustrações de: R. Rutschka Revisão de texto: P. Rull Gomes São Paulo, 2012 3 R. Rutschka 2012 by R. Rutschka Ilustrações R. Rutschka Publicação PerSe Editora Ltda. ISBN 978-85-8196-024-1

Leia mais

Relógio de Bolinhas Montagem de Flávio Machado Desenhos de Alex Sandro

Relógio de Bolinhas Montagem de Flávio Machado Desenhos de Alex Sandro Relógio de Bolinhas Montagem de Flávio Machado Desenhos de Alex Sandro Construir este relógio foi um desafio, pois não dispunha de nenhum projeto e o que tinha eram apenas fotos, por isso relutava em entrar

Leia mais

LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1

LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1 LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1 TESOUREIRO 41 ANOS DE TRABALHO Empresa Horizonte Nascido em Itapipoca, Ceará Idade: 76 anos Esposa: Maria Pinto de Oliveira Praciano Filhos: Lucineide Eu entrei na Empresa

Leia mais

Gramática e Redação. Exercícios de Revisão I

Gramática e Redação. Exercícios de Revisão I Nome: n o : E nsino: A no: T urma: Data: Prof(a): Fundamental 7 o Gramática e Redação Exercícios de Revisão I Leia com atenção o texto abaixo. Ignácio de Loyola Brandão nasceu em Araraquara, no Estado

Leia mais

Apoio: Patrocínio: Realização:

Apoio: Patrocínio: Realização: 1 Apoio: Patrocínio: Realização: 2 CINDERELA 3 CINDERELA Cinderela era uma moça muito bonita, boa, inteligente e triste. Os pais tinham morrido e ela morava num castelo. A dona do castelo era uma mulher

Leia mais