TERIZAÇ1W DA FRONTEIRú, BRASIL-PARAGUAY, REALISADA NO ACATeI?! ATA DA 5a. CONFERENCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TERIZAÇ1W DA FRONTEIRú, BRASIL-PARAGUAY, REALISADA NO ACATeI?! ATA DA 5a. CONFERENCIA"

Transcrição

1 AT A DA 5a. CONFERENC:C_~ DA COLISSIW T\'IIXTA DE LII'UTES E CARA-º. TERIZAÇ1W DA FRONTEIRú, BRASIL-PARAGUAY, REALISADA NO ACATeI?! IIENTO DA CONIS,'31W BRASILEIRA, NA ILHA QUE FICA EH FRENTE A 5a. nueda DO SALTO DAS SETE quedas. ATA DA 5a. CONFERENCIA Neste local, acampamento da Comissão brasileira, na ilha que fica em frente a quinta Queda do Salto das Sete Queda3, aos dezoito dias do mez de Julho do ano de mil nove centos e trinta e quatro, sendo Chefe do Governo dos Estados Unidos do Brasil o Excellentissimo Senhor Doutor Getulio Dornelles Vargas e Presidente da Republica do Paraguay o Exc2l1entissino SeDBor Doutor Eusebio Ayala, reunio-se a Comissão r'ixta de Limites e Caracterização da Fronteira Br. sil-paraguay, composta, por parte do Brasil, dos Senhores: Primeiro Comissario Haj ar de Engenharia Leopoldo Nery da Fonseca.lurri or- e Ajudantes Tecnicos Capitães Ces ar Gonçalves e Thales Facó, e por parte do Paraguay: Primeiro Comiss ar-í o Capitão de Navio Don 2:1ias Ayala e Ajudante Secretario Te~ent~ Carlos Casaccia Bibolini, com o fim de ca~binar pontos de vista G escolher o local onde se deveria constrillr o marco que,iria assinalar o ponto terminal da linha divis~ ria que vem do riarco da cabeceira do Lhi cuhy, O Primeiro Comissario brasileiro inicia a collferoncia, propondo que se consigne a1 ata, as mais vivas congratulações de seu Governo e da Comissão brasileira, pelo foliz desfecho do acidente porque passou o seu collega parª g uayo que levou quarenta e oito horas na mata, desviado do acampamento para onde não poude voltar em virtude da cerrª ção e da chuva que o impediram de orientar-se. O Comissario Paraguayo, em nane de seu Governo, no da Comissão que preside e no de seu proprio agradece as manifestações da Co missão Brasileira, e lamenta que o inesperado sucesso tenha

2 semaado a preocupação no animo de todos. A seguir o Comissario brasileiro exibe düqs copias autenticas, uma de um trecho da carta geral da fronteira e outra de uma planta de d~ talhe do Salto das Sete Quedas, levantadas pelos demarcadores de mil oitocentos setenta e dous-rní L oitocentos setenta e q~btro ( ), e bem assim, un croquis do local assignalando o Pilar de observação que a atual Comissão Mixta acaba de construir e que está nas cercanias do pont o tenninal da linha descrit a pelos antigos demarcadores na ata da l6a. conferencia, linha que serve de limite entre o Brasil e o ParaguaYi e pelas razões seguintes: lq. A linha acima referida foi descrita na ata da 16a.conferencia, n03 seus mi ní.m os detalhes. Estão assinaladas as passagens por todos os campos e c apões, vindo desde o marco do Ibicuhy, pelo divisor de aguas, sem atravessar un só co~ rego ou ar-r-oío, o que indica que não vae incidir ao norte do local onde está o pilar de observação, porquanto teria que atravessar agua antes de chegar ás barrancas do Rio Paraná. 2:2. Di Z a ata da l6a. Conferencia, que em frent e á 5a. e mais importante queda, ha una ilha, e cano de fato a comissão brasileira identificou essa ilha corno sendo aquela em que estão os atuaes a campament os das Ccrnissões Brasileira, e Parag~~ya, sendo concordes que seus acidentes topograficos, e a copia da planta dos demarcadores de mil oitocentos setenta e quatro (1874), ezibida pelo Primeiro Comissario brasileiro, com o croquis levantado pela atual comissão. )Q. Contando-se do Norte para o Sul, pela margem esquerda, conforme a nuneração inscrita na copia da planta do Salto, levantada pelos antigos demarcadores, a 5a. e mais importaq te das Sete Quedas, é justamente a que fica em frente ao bra ço do rio, que contornando a ilha separa-a do local onde a

3 -3 Comissão brasileira verificou haver ac~1pado a comissão de mí ', oitocentos setenta e quatro (1874). 4 Q Contando de Sul para o Norte, antes de chegar á queda referida no item anterior, isto é, a 5a., só ha duas quedas, 1\ que são a 7a. e a 6a. Continuando o primeir o Comissario brasileiro cog 1,I f IIIl vida o seu colega paraguayo á, em Comissão Mí.xt a, proceder!\ \ à escolha do local em que se deveria construir o mar-co que \: \1, iria indicar o ponto terminal da linha secca, que vem do M,aE, 1 co do Ibicw1Y. Fazendo uso da palavra, o primeiro Comissario paraguayo, manifestou o seguinte: Que tendo chegado ate as cataratas, e não havendo encontrado indicação de certe za precisa sobre o lo~~l do ponto que deveria corresponder ao marco t ermí.nal ela Lí.nhs seca, do cume de Maracajú, porque não pode consic1ei~ar como talo que diz a ata da 16a. Conferencia, - "com rumo g er-al 53 QSE atravessa dois pequenos camp os e com 46kil,3 de distancia neste ultimo r-um o chega à 5a. e mais importante das Sete Quedas, que são formadas pelo en contra da serra com o Rio Paraná, tendo em frente una pequ~ na ilha. 71 não são mais precisas as coordenadas geograficas, latitude 24 Q \1,42 Sul, longitude llq ",30 Oeste do Real observatorio do Rio de Janeiro, que correspondem ao Salto das Se~e Quedas, que abarca m1a extensão aproximada do canal de uns quatro kilometros, não se deu crun o ponto que determinam estas coordenadas, e mesmo que se houvesse dado c on ele, apenas se teria um ponto particular das quedas, e não como esplicitamente se rquer, o ponto terminal da linha seca, onde corresponde o marco que se deveria levantar. Na pequena planta, copia da Mapoteca da Chancelaria do Rio de Janeiro, que exibe a Comissão brasileira, figura o acampamento sobre o Paraná, porem nos documentos não figura nenhum dado de referencia crun respeito a sua relação

4 can a linha seca. Diz a ata da 16a. conferencia ao descrever a linha geral Ibicuhy-Sete Quedas, - "os pequenos detalhes da linha e particularidades da zona que a contem, são consign~ das nas plantas. fi Pois bem, no arquivo de nossa Chancelaria só existe a planta da barra do Rio Apa, além da carta geral da linha, que não dá para reconstruil-a. Em atenção ao que fica expqsto e aos trabalhos que seriam mister para estabelecer sequer o ultimo trecho da linha seca, a comissão par-aguava é de opinião que se efetuem nesta temporada as observações ast rcncraí cas nec esaarí.a s sobre,o pilar de ob servag~o e os denais trabalhos afins, deixando os do levan 1 tamento do marco, pa ra quando de ciencia certa e consiencia segurél se p os aa oonst r-u'ilc o, ErJ resposta aos argumentos do colega o primeiro Comissario brasileiro declara que a Comis são par'agusva não encontrou indicação precisa sobre o ponto terminal da linha divisaria que vem do Marco Tb.í.cuhy, de a cordo COR a descrição contida na ata da 16a. conferencia, porque não está suficientemente documentada, uma vez que o PriCleiro Cómissario paraguayo afirma desconhecer a planta parcial do Salto das Sete Quedas, dizendo que na Chancelaria de Assunção só ha a planta parcial da boca do Apa e a carta geral. Na ata da 18a. conferencia, declara o Camissa rio brasileiro, lê-se _. "D'Lt.a s plantas parciaes, (o que mostra haver mais de uma planta parcial), e a carta geral bem COClO as atas das conferencias da Comissão comprovwn e comprovar~o ati todo tempo a realização da demarcação da fronteira dos dois pa í.ze s ". Quanto a não serau precisas as coordenadas geograficas contidas na ata da 17a. Conferencia não pode admitir,que uma Comissão de t ecnicos quizesse definir todo o salto com as coordenadas de um ponto, mas sim, que essas

5 -j coordenadas se referem ao local do acwnpamento assinalado no c op i a da planta parcial do Salto que oxibio na con~eren- ) cia. No relatorio do Senhor Capitão de Fragata Domingos Ag tonio Ortiz, na pagina 60 da brochura "Los Limites del Para :::: guayíl tomo I, por César A. Vasconcellos, l~-se - lia 12 de ~ ~ Abril teroinóse el observatorio astronomico, y procedimos a un minucioso reconocimento de toda la extension del rio oc~ pado por el salt o de Guairá, comenzando a levantar la planta de las orillas del Paraná en dichos lugares contamos Si~ te Saltos principales por el costado izquierdo y tres por el lado derecho, 11.,'. é a copia autentica deste levantamento, citado pelo er~ão priogiro Comissario paraguayo que a comis_\ são brasileir2 ~xibe, tirando dela todas as caracteristicas neces s ar-las J Lccacãc do mar-co que ora se trata de constru-l ir. O primeiro Comissario paraguayo, manifesta haver se in teirado bem do que diz S8U colega, porem, ante a incerteza que lhe crear-am as consi cter-aç õe s aduzidas ant eriorment e per. mit,e-se insistir 00 seu ponto de vista - de deixar para outra opol~unidade o levantamento do marco. &n conbinuação o pr-í.m e.í.r-o comissário b:'asileiro diz que: ante a persistencia de seu colega paraguayo, lastima ter de deixar de cumprir a missão que trouxe a Ccn í.s são Mí.xt a ao Salto das Sete Quedas, não podendo r-ecue ar-vs e a acatar a decisão irrevogavel da Comissão paragua ya, embora toda a Co:nissão brasileira esteja colvencida da verdadeira posição que deverá ser dada ao lc'iarco terminal da linha secai e a seguir a Comissão Mixta resolve consignar em ata: que continuaram os trª, balhos na zona do divisor entre o rjiarco do Estrella e Pontª Porã; que &n SlB viagem para Guaira, a Comissão Mixta identificou os locaes dos marcos construidos em mil oitocentos setenta e do La i e mil oitocentos setenta e quatro (1$72-1$7lj nas cabeceiras do Iguateny e do IbicQhy, conhecido este ul

6 tino pelos mor-a dor-e s com o nome de 1!Taquepery\!; deixando o pessoal COEl os elementos necessarios á reconstrução dos me.. mos; que não obstant e o resolvido nesta Conferencia, continuar-se-ão as observaç ões ast ronomicas para a det erminação das coordenadas geograficas do "Pilar de observação 1T construido na atual cwnpanha pela Comissão mixta, em frente a 5a. Queda; e dando-se por terminada a presente Conferencia, da qual se lavrou em duplicata, a presente ata em portuguez e hespanhol, lidas e achadas conformes, foram assinª das por todos os membros presentes da Comissão Mixt.a, e eu, C'1pitão Cesar Gonçalves, secretario 'Had-hoc il a escrevi..em t empo, o Primeiro Comissario brasileiro declq r-a que: quando s i s s e n5: :) poder concordar, digo, recusar-se a acatar a decif;2{o.í.rrev cg ave L da CO.1lissão paraguaya, referio-se tão somerrt e à transferencia da construção do marco que será er:gido neste local. a) r::aj or- Leopoldo Lery C,'l Fonseca,Jr. Capitão CeSar Gonçalves Capit~o Thales Facó Elias Ayala Carlos.Casaccia Bibolini

DELEGAÇÕES: DELEGAÇÃO BRASILEIRA:

DELEGAÇÕES: DELEGAÇÃO BRASILEIRA: ATA DA QÜINQUAGÉSIMA-QUINTA CONFERÊNCIA DA COMISSÃO MISTA DE LIMITES E DE CARACTERIZAÇÃO SESUdDA COr.lISSÃO SR...SILSlRA DA FRONTEIRA BRASIL-PARAGUAI. DSJ>1.!:..R.C.":"OORA D~ LIMITES ENTRE OS DIAS VINTE

Leia mais

DECRETO Nº 86.061, DE 02 DE JUNHO DE 1981. Cria Estações Ecológicas, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que

DECRETO Nº 86.061, DE 02 DE JUNHO DE 1981. Cria Estações Ecológicas, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que DECRETO Nº 86.061, DE 02 DE JUNHO DE 1981. Cria Estações Ecológicas, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 81, item III, da Constituição,

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

LIZADA NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, ESTA TIVA DO BRASIL. CARDOSO, MINISTRO DE ESTADO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO

LIZADA NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, ESTA TIVA DO BRASIL. CARDOSO, MINISTRO DE ESTADO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO ATA DA QUADRAGÉSIMA-NONA CONFERÊNCIA DA seúunoa COMISSÃO BRASILEIRA DEMARCADORA DE: LIMITES COMISSÃO MISTA DE LIMITES E DE CARACTERI ZAÇÃO DA FRONTEIRA BRASIL-PARAGUAI, REA LIZADA NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO,

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

O BRASIL E A VENEZUELA

O BRASIL E A VENEZUELA NACIONAL IMPRENSA MINISTERIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Collecção do Actos Intenacionaes N. 25 ACCÔRDO ENTRE O BRASIL E A VENEZUELA Para a demarcação da fronteira brasileirovenezuelana Concluído em Caracas,

Leia mais

TRATADO anmra O SFASIL E A COLJ3MBIA

TRATADO anmra O SFASIL E A COLJ3MBIA TRATADO anmra O SFASIL E A COLJ3MBIA A Republica dos Estados Unidos do Brasil e a Republica da Colombia, desejosas de consolidar en bases firmes e duradouras suas antigas relaçóes de paz e amizade, de

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

ppt_monumentos_catarat_7quedas_pafonso_vggrande COMPARANDO QUATRO DOS MAIORES MONUMENTOS FLUVIAIS NOS RIOS IGUAÇU, PARANÁ, SÃO FRANCISCO E XINGU

ppt_monumentos_catarat_7quedas_pafonso_vggrande COMPARANDO QUATRO DOS MAIORES MONUMENTOS FLUVIAIS NOS RIOS IGUAÇU, PARANÁ, SÃO FRANCISCO E XINGU ppt_monumentos_catarat_7quedas_pafonso_vggrande COMPARANDO QUATRO DOS MAIORES MONUMENTOS FLUVIAIS NOS RIOS IGUAÇU, PARANÁ, SÃO FRANCISCO E XINGU 1. O médio rio Iguaçu abre as numerosas cataratas ao cair

Leia mais

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 31 CARTOGRAFIA: ESCALAS

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 31 CARTOGRAFIA: ESCALAS GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 31 CARTOGRAFIA: ESCALAS 0 10 20 30 40 km 1? 1 000 000 (ou 1 cm representa 10 km) A 10 20 30 40 30 40 50 B 50 50 40 40 30 30 20 20 10 0 0 10 A 50 50 B Edificações Estrada de ferro

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

Nome: ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nome: ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Disciplina: Geografia Ano / Série: 6ª ano Professor (a):gabriel Moreira Perona Data: / / 2014 Roteiro de Recuperação Nome: ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

DECRETO DE 13 DE DEZEMBRO DE 2002. Cria a Reserva Extrativista Maracanã, no Município de Maracanã, no Estado do Pará, e dá outras providências.

DECRETO DE 13 DE DEZEMBRO DE 2002. Cria a Reserva Extrativista Maracanã, no Município de Maracanã, no Estado do Pará, e dá outras providências. DECRETO DE 13 DE DEZEMBRO DE 2002 Cria a Reserva Extrativista Maracanã, no Município de Maracanã, no Estado do Pará, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 1 a Começa assim Este jogo começa com todos os participantes procurando as PA LAVRAS SEMENTES. E isso não é nada difícil! Basta as pessoas que vão jogar o jogo saírem conversando

Leia mais

MISSÃO ESPECIAL DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL. Senhor Ministro,

MISSÃO ESPECIAL DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL. Senhor Ministro, MISSÃO ESPECIAL DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL Nº 6 C/R La Paz, 29 de março de 1958. Senhor Ministro, Com o propósito de estreitar ainda mais as relações políticas e econômicas entre nossos países, nas conversações

Leia mais

DECRETO DE 27 DE JUNHO DE 2002. Cria a Área de Proteção Ambiental-APA da Bacia do Rio São João/Mico-Leão-Dourado, no Estado do Rio de Janeiro, e dá

DECRETO DE 27 DE JUNHO DE 2002. Cria a Área de Proteção Ambiental-APA da Bacia do Rio São João/Mico-Leão-Dourado, no Estado do Rio de Janeiro, e dá DECRETO DE 27 DE JUNHO DE 2002. Cria a Área de Proteção Ambiental-APA da Bacia do Rio São João/Mico-Leão-Dourado, no Estado do Rio de Janeiro, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso

Leia mais

UM LÍDER DO TEMPLO VISITA JESUS

UM LÍDER DO TEMPLO VISITA JESUS Bíblia para crianças apresenta UM LÍDER DO TEMPLO VISITA JESUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Byron Unger; Lazarus Adaptado por: M. Maillot; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido

Leia mais

ACORDO DE ACIONISTAS ENTRE ALEXANDRE G. BARTELLE PARTICIPAÇÕES S.A. VERONA NEGÓCIOS E PARTICIPAÇÕES S.A. GRENDENE NEGÓCIOS S.A. GRENDENE S.A.

ACORDO DE ACIONISTAS ENTRE ALEXANDRE G. BARTELLE PARTICIPAÇÕES S.A. VERONA NEGÓCIOS E PARTICIPAÇÕES S.A. GRENDENE NEGÓCIOS S.A. GRENDENE S.A. ACORDO DE ACIONISTAS ENTRE ALEXANDRE G. BARTELLE PARTICIPAÇÕES S.A. VERONA NEGÓCIOS E PARTICIPAÇÕES S.A. GRENDENE NEGÓCIOS S.A. GRENDENE S.A. E DETERMINADOS INTERVENIENTES ACORDO DE ACIONISTAS Pelo presente

Leia mais

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Página 1 de 5 Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Capitulos 01 - Requisitos 02 - Etaqpas 03 - Traçado 04 - Trafego e Clssificação 05 - Geometria 06 - Caracteristicas Técnicas 07 - Distancia

Leia mais

PERÍCIA AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1. Paulo Nobukuni

PERÍCIA AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1. Paulo Nobukuni 1 PERÍCIA AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1 Paulo Nobukuni RESUMO: O objetivo foi tratar sobre elementos da perícia ambiental como mobilizadores sociais, ocorrendo o estudo em trechos inundáveis da bacia

Leia mais

Atos Oficiais Administrativos

Atos Oficiais Administrativos BAHIA. SEXTA-FEIRA, 12 de Abril de 2013 ANO VI N 865 Atos Oficiais Administrativos ATA DE DISPENSA DE LICITAÇÃO POR VALOR Nº DL 255/2013 SMS PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 13488/2013 Aos onze dias do mês de

Leia mais

ANO V EDIÇÃO nº 1209 SEÇÃO II

ANO V EDIÇÃO nº 1209 SEÇÃO II ANO V - EDIÇÃO Nº 1209 - SEÇÃO II DISPONIBILIZAÇÃO: quarta-feira, 19/12/2012 PUBLICAÇÃO: quinta-feira, 20/12/2012 ANO V EDIÇÃO nº 1209 SEÇÃO II DISPONIBILIZAÇÃO: quarta-feira, 19 de dezembro de 2012 PUBLICAÇÃO:

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

CHEGAM A 21 CASOS CONFIRMADOS DE GRIPE NO BRASIL; CRECHE É INTERDITADA EM CAMPINAS (SP)

CHEGAM A 21 CASOS CONFIRMADOS DE GRIPE NO BRASIL; CRECHE É INTERDITADA EM CAMPINAS (SP) Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6 Ọ ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM 2015 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Leia a tirinha abaixo e responda às questões 1 e

Leia mais

Promoção de Arquivamento nº 09/2015/PRM/STA Ref: IC nº 1.26.003.000097/2013-91

Promoção de Arquivamento nº 09/2015/PRM/STA Ref: IC nº 1.26.003.000097/2013-91 AO NÚCLEO DE APOIO OPERACIONAL À PFDC NA PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA DA 5º REGIÃO Promoção de Arquivamento nº 09/2015/PRM/STA Ref: IC nº 1.26.003.000097/2013-91 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 052, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2002.

LEI COMPLEMENTAR Nº 052, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2002. 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 052, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2002. DISPÕE SOBRE A DEMARCAÇÃO TERRITORIAL DOS DISTRITOS QUE COMPÕE O MUNICÍPIO DE DOURADOS O PREFEITO MUNICIPAL DE DOURADOS, Estado do Mato Grosso do Sul,

Leia mais

Os objetivos desta aula serão basicamente conceituar projetos e administração de projetos.

Os objetivos desta aula serão basicamente conceituar projetos e administração de projetos. Aula 01 Introdução Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula serão basicamente conceituar projetos e administração de projetos. Ao final desta aula, você deverá estar apto a compreender como a definição

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha.

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha. O Plano da Salvação Contribuição de Pr. Oswaldo F Gomes 11 de outubro de 2009 Como o pecado entrou no mundo e atingiu toda a raça humana? [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo

Leia mais

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana Mundo Geo Connect Seminário Geotecnologia na Gestão Municipal Sessão Desafios para as Prefeituras: o CTM como instrumento de política fiscal e urbana São Paulo, 16 de junho de 2011 Cadastro Territorial

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

ATA NOTARIAL - USUCAPIÃO

ATA NOTARIAL - USUCAPIÃO ATA NOTARIAL - USUCAPIÃO 1 Finalidade: Atestar a posse e outros requisitos para a usucapião extrajudicial 2 Local: República Federativa do Brasil, SP, São Paulo, Praça João Mendes, nº 42, 1º andar, no

Leia mais

NOME DO ALUNO: DISCIPLINA: Geografia ANO: 6º TURMA: FII 6 VALOR: 2,0 PROFESSOR(A): Tânia e Rita Aranda DATA: / /2013 NOTA:

NOME DO ALUNO: DISCIPLINA: Geografia ANO: 6º TURMA: FII 6 VALOR: 2,0 PROFESSOR(A): Tânia e Rita Aranda DATA: / /2013 NOTA: NOME DO ALUNO: Nº: DISCIPLINA: Geografia ANO: 6º TURMA: FII 6 VALOR: 2,0 PROFESSOR(A): Tânia e Rita Aranda DATA: / /2013 NOTA: Caro aluno, Com o objetivo de reforçar o conhecimento sobre a criação do Universo,

Leia mais

ATA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE 18 DE ABRIL DE 2013 Nº 8 /2013

ATA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE 18 DE ABRIL DE 2013 Nº 8 /2013 ATA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE 18 DE ABRIL DE 2013 Nº 8 /2013 PRESIDENTE: Nuno Manuel Sousa Pinto de Carvalho Gonçalves. VEREADORES PRESENTES: José Manuel Gonçalves Vice-Presidente, Mário

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO ESPECIALIZADO EM SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO INVERNO 2007 RESPOSTA RECURSOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO ESPECIALIZADO EM SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO INVERNO 2007 RESPOSTA RECURSOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO ESPECIALIZADO EM SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO INVERNO 2007 RESPOSTA RECURSOS GEOGRAFIA Questão 1 A solicitação está baseada na alegação de que

Leia mais

ESTADO MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA GRANDE NOTIFICAÇÃO DE RECEBIMENTO DE RECURSOS FEDERAIS

ESTADO MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA GRANDE NOTIFICAÇÃO DE RECEBIMENTO DE RECURSOS FEDERAIS 03.507.548/0001-10 Arrecadação: 880/13 25/01/2013 373.00 FMAS/PROJOVEM ADOLESC-47.837-7 Fonte de recursos: 0301 - Recurso de Convênio e Programa-Outras Finalidades Total geral : Fica liquidada a importância

Leia mais

O Colégio Seta é mantido pelo Colégio Seta S/C LTDA., estabelecida a Rua Antonio Agu, 361 Osasco Centro, Cep 06013-006.

O Colégio Seta é mantido pelo Colégio Seta S/C LTDA., estabelecida a Rua Antonio Agu, 361 Osasco Centro, Cep 06013-006. 1. Identificação 1.1. A Escola O Colégio Seta tem sede em Osasco, São Paulo à Rua Antonio Agú, 361 Centro Cep 06013-006, Tel/Fax 3681-9695, CNPJ 48.890.693.0001-61, inscrito na DEO sob o número 130928.

Leia mais

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores?

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Noemi: É a velha história, uma andorinha não faz verão,

Leia mais

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 03/03/2013 PROFESSORA: A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: 1 - O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. (Jó 33:4)

Leia mais

3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: n o

3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: n o 3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: n o 1) Leia esta tirinha de Mauricio de Sousa e divirta-se com ela. Em seguida, resolva a questão proposta. NÃO, CHICO! VOCÊ NÃO

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 150/2007 Contrato para execução dos serviços de manutenção de jardins e floreiras, autorizado pelo Senhor Eduardo Cardoso, Secretário de Administração

Leia mais

Programa Peixe Vivo - Cemig

Programa Peixe Vivo - Cemig Programa Peixe Vivo - Cemig 4º Seminário Estratégias para Conservação de Peixes em Minas Gerais. 40 anos Uma Trajetória Ambiental no Setor Elétrico Vasco Campos Torquato Novembro 2014 Com muito orgulho

Leia mais

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Uma Cidade para Todos Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Colaboração Nuno Oliveira, coordenador do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal

Leia mais

LEI Nº 454/2012. LEI:

LEI Nº 454/2012. LEI: LEI Nº 454/2012. Súmula: Autoriza o Poder Executivo a conceder cessão de direito real de uso de imóveis e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE RESERVA, Estado do Paraná, Sr. Frederico Bittencourt

Leia mais

CORREÇÃO GEOGRAFIA - PROVA 1 1ª ETAPA 6º ANO

CORREÇÃO GEOGRAFIA - PROVA 1 1ª ETAPA 6º ANO CORREÇÃO GEOGRAFIA - PROVA 1 1ª ETAPA 6º ANO 1) Observe o quadro O Pescador (1931), de Tarsila do Amaral, e responda: a) A paisagem retratada pela artista é uma paisagem transformada ou preservada. Justifique

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

Agora é só com você. Geografia - 131

Agora é só com você. Geografia - 131 Geografia - 131 3 Complete: O espaço da sala de aula é um domínio delimitado por um(a)..., que é sua fronteira. Ainda em grupo faça o seguinte: usando objetos como lápis, palitos, folhas e outros, delimite

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO 1 - DEFINIÇÃO 1.1 - Acidente de trabalho Qualquer prejuízo à saúde ou integridade física do trabalhador ocorrida no trabalho ou em decorrência do trabalho. 1.1.1 - Acidente Típico Acidente que ocorre numa

Leia mais

BPC Policy Brief. Monitor: O caminho para Nova Déli? A reforma do FMI, a sucessão no Banco Mundial e o banco do BRICS

BPC Policy Brief. Monitor: O caminho para Nova Déli? A reforma do FMI, a sucessão no Banco Mundial e o banco do BRICS Junho, 2012 BPC Policy Brief - V. 2 N. 46 BPC Policy Brief Monitor: O caminho para Nova Déli? A reforma do FMI, a sucessão no Banco Mundial e o banco do BRICS Diego Santos Vieira de Jesus Sobre o BRICS

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise A crise econômica afeta o setor sucroenergético principalmente, dificultando e encarecendo o crédito

Leia mais

Treinamento de Tesouraria Gestão 2013/14

Treinamento de Tesouraria Gestão 2013/14 2 Treinamento de Tesouraria Gestão 2013/14 Willian Vinícius Peixoto Tesoureiro Distrital Gestão 2013/14 Tesoureiro Rotaract de Itaúna Cidade Universitária Gestão 2012/13 Tesoureiro Rotaract de Itaúna Cidade

Leia mais

Avenida Ipiranga: Processo Evolutivo ao Longo do Século XX

Avenida Ipiranga: Processo Evolutivo ao Longo do Século XX 2121 X Salão de Iniciação Científica PUCRS Avenida Ipiranga: Processo Evolutivo ao Longo do Século XX Acad. Júlia Schiedeck Nunes, Ana Rosa Sulzbach Cé (orientadora) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo,

Leia mais

R 25ª AULA = MODELOS 01 ACORDO PARA COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO DE TRABALHO COLETIVO:

R 25ª AULA = MODELOS 01 ACORDO PARA COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO DE TRABALHO COLETIVO: R 25ª AULA = MODELOS 01 ACORDO PARA COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO DE TRABALHO COLETIVO: Pelo presente instrumento, xxxxx (qualificar), com sede nesta Cidade, na Rua xxxxx nº xxxxx, Cep nº xxxxx Bairro xxxxx,

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 179/2009 Contrato para locação de imóvel para abrigar os Cartórios da 17ª e 87ª Zonas Eleitorais - Jaraguá do Sul/SC, autorizado pelo Senhor Eduardo

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / /2011 ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIE: 5ª SÉRIE / 6º ANO DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSOR: Equipe de Geografia CAROS ALUNOS (AS): Roteiro de Estudos

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 101/2007 Contrato para prestação de consultoria em Planejamento Estratégico, autorizado pelo Senhor Eduardo Cardoso, Secretário de Administração

Leia mais

DECRETO-LEI N. 581 DE 1 DE AGOSTO DE 1938

DECRETO-LEI N. 581 DE 1 DE AGOSTO DE 1938 DECRETO-LEI N. 581 DE 1 DE AGOSTO DE 1938 Dispõe sobre registro, fiscalização e assistência de sociedades cooperativas; revoga os decretos ns. 23.611, de 20 de dezembro de 1933, e 24.647, de 10 de julho

Leia mais

SUB12 Campeonato de Resolução de Problemas de Matemática Edição 2009/2010

SUB12 Campeonato de Resolução de Problemas de Matemática Edição 2009/2010 Puxa um banco ou uma cadeira O Sr. António fabrica na sua oficina de marcenaria bancos e cadeiras de madeira. Os bancos e as cadeiras têm pés exactamente iguais. Cada banco leva 3 pés e cada cadeira tem

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETÚBAL

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETÚBAL ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETÚBAL CONSELHO DE ARBITRAGEM NORMAS DE CLASSIFICAÇÃO PARA A ÉPOCA 2015/2016 ÁRBITROS E OBSERVADORES DE FUTEBOL Entrada em vigor 15 de Julho de 2015 ÍNDICE I CAPÍTULO - NORMAS

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca ANUNCIO DE MUDANÇAS NO SISTEMA FINANCEIRO

Leia mais

Ribeirão Bonito - SP Abril 2008 AMARRIBO A MA R R IB O

Ribeirão Bonito - SP Abril 2008 AMARRIBO A MA R R IB O Ribeirão Bonito - SP Abril 2008 A MA R R IB O A MA R R IB O w w w.a m a r r ib o.or g.b r f u n d a çã o: 1 4 d e n ov em b r o d e 1 9 9 9 loca liza çã o A MA R R IB O- A m igos A s s ocia d os d e R

Leia mais

A LIÇÃO DAS GENEALOGIAS

A LIÇÃO DAS GENEALOGIAS A LIÇÃO DAS GENEALOGIAS Gn 5 1 Esta é a lista dos descendentes de Adão. Quando criou os seres humanos, Deus os fez parecidos com ele. 2 Deus os criou homem e mulher, e os abençoou, e lhes deu o nome de

Leia mais

Acta da reunião ordinária da Câmara Municipal do Concelho de Vila Velha de Ródão levada a efeito em nove de Janeiro de dois mil e dois

Acta da reunião ordinária da Câmara Municipal do Concelho de Vila Velha de Ródão levada a efeito em nove de Janeiro de dois mil e dois FL 1 ANO DE 2002 ACTA DE / /20 Acta da reunião ordinária da Câmara Municipal do Concelho de Vila Velha de Ródão levada a efeito em nove de Janeiro de dois mil e dois Acta º1 --------Aos nove dias do mês

Leia mais

Carta Influência do Clima no Cotidiano Juvenil. Prezados representantes brasileiros da Conferencia Juvenil de Copenhague,

Carta Influência do Clima no Cotidiano Juvenil. Prezados representantes brasileiros da Conferencia Juvenil de Copenhague, Rio de Janeiro 03 de dezembro de 2009 Carta Influência do Clima no Cotidiano Juvenil Prezados representantes brasileiros da Conferencia Juvenil de Copenhague, Tendo em vista a confecção coletiva de uma

Leia mais

KROTON EDUCACIONAL S.A. CNPJ/MF nº 02.800.026/0001-40 NIRE nº 3130002518-7 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 28 DE MAIO DE 2007

KROTON EDUCACIONAL S.A. CNPJ/MF nº 02.800.026/0001-40 NIRE nº 3130002518-7 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 28 DE MAIO DE 2007 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 28 DE MAIO DE 2007 1. Hora, Data, Local Às 15:00 horas do dia 28 de maio de 2007, na sede social da Companhia, na Av. Raja Gabaglia, nº 3.125, 4º

Leia mais

t " u _A ~ _t-º-!):_~_ª _

t  u _A ~ _t-º-!):_~_ª _ 0 0,_,_,, 0.0 _ 0.0. _. _ ' ASSUNTO CÂMARA DOS DEPUTADOS (' 1J?l J77 f3,4 ) t " u _A ~ _t-º-!):_~_ª _ uºu._ $ _~~_h? _~.P _~p~ t:_a9 C? u!l.ªq _~E.1a._~u_ªe. u _B.?:! :"fg s._ Xt. _~ _b-º-_ u_ªu up.9._~_t.j.

Leia mais

PIRATAS, PORTOS E PISTOLAS - A CONTRAFAÇÃO DA MARCA SMITH & WESSON NO BRASIL *

PIRATAS, PORTOS E PISTOLAS - A CONTRAFAÇÃO DA MARCA SMITH & WESSON NO BRASIL * PIRATAS, PORTOS E PISTOLAS - A CONTRAFAÇÃO DA MARCA SMITH & WESSON NO BRASIL * Denis Allan Daniel ** Combater o fluxo de mercadorias pirateadas no Brasil não é tarefa fácil. O território brasileiro cobre

Leia mais

Escola Secundária Mouzinho da Silveira Departamento de Ciências Sociais e Humanas Grupo de Recrutamento 420 Ano Letivo de 2014 / 2015 Curso Básico

Escola Secundária Mouzinho da Silveira Departamento de Ciências Sociais e Humanas Grupo de Recrutamento 420 Ano Letivo de 2014 / 2015 Curso Básico Escola Secundária Mouzinho da Silveira Departamento de Ciências Sociais e Humanas Grupo de Recrutamento 420 Ano Letivo de 2014 / 2015 Curso Básico Planificação Anual da disciplina de GEOGRAFIA 7 º Ano

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE TECNOLOGIA NT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DEE

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE TECNOLOGIA NT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DEE REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CAPÍTULO I Do Departamento de Engenharia Elétrica Art. 1 O Departamento de Engenharia Elétrica é o órgão acadêmico que congregam docentes

Leia mais

Relatório de avaliação da qualidade da cartografia do Município de Matosinhos. Escala 1:2 000 Junho de 2014

Relatório de avaliação da qualidade da cartografia do Município de Matosinhos. Escala 1:2 000 Junho de 2014 Relatório de avaliação da qualidade da cartografia do Município de Matosinhos Escala 1:2 000 Junho de 2014 ÍNDICE Página 1 - INTRODUÇÃO 3 2 - QUALIDADE TOPOLÓGICA 6 3 - QUALIDADE POSICIONAL 9 4 - COMPLETUDE

Leia mais

Etapas da maturidade de Eliseu

Etapas da maturidade de Eliseu Etapas da maturidade de Eliseu TEXTO BÍBLICO BÁSICO 2 Reis 2.5-11 5 - Então os filhos dos profetas que estavam em Jericó se chegaram a Eliseu, e lhe disseram: Sabes que o SENHOR hoje tomará o teu senhor

Leia mais

Topografia. Conceitos Básicos. Prof.: Alexandre Villaça Diniz - 2004-

Topografia. Conceitos Básicos. Prof.: Alexandre Villaça Diniz - 2004- Topografia Conceitos Básicos Prof.: Alexandre Villaça Diniz - 2004- 1 ÍNDICE ÍNDICE...1 CAPÍTULO 1 - Conceitos Básicos...2 1. Definição...2 1.1 - A Planta Topográfica...2 1.2 - A Locação da Obra...4 2.

Leia mais

Planificação Geografia 7º ano Ano Letivo 2012 / 2013

Planificação Geografia 7º ano Ano Letivo 2012 / 2013 Planificação Geografia 7º ano Ano Letivo 0 / 0 I Unidade: A Terra: estudos e representações II Unidade: Meio Natural Conteúdos Conceitos Estruturantes Competências Essenciais Estratégias Recursos/Materiais

Leia mais

FACULDADE PALOTINA DE SANTA MARIA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO DA FAPAS. TÍTULO I Da Entidade

FACULDADE PALOTINA DE SANTA MARIA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO DA FAPAS. TÍTULO I Da Entidade FACULDADE PALOTINA DE SANTA MARIA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO DA FAPAS TÍTULO I Da Entidade Artigo 1º - O Diretório Acadêmico de Administração da Faculdade Palotina de Santa Maria,

Leia mais

Lista de Geografia I Data da entrega: 21/03/2016

Lista de Geografia I Data da entrega: 21/03/2016 Lista de Geografia I Data da entrega: 21/03/2016 Questão 01) Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): 1ª série Professor: Edu Marinho Considerando a posição geográfica do território brasileiro ilustrada

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República Polo em Petrolina/Juazeiro

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República Polo em Petrolina/Juazeiro Ref.: Inquérito Civil Público n.º 1.26.001.000170/2013-45 PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO EGRÉGIA 1ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Trata-se de Representação formulada em desfavor

Leia mais

Bem-aventurados os que são misericordiosos

Bem-aventurados os que são misericordiosos Bem-aventurados os que são misericordiosos Site: www.ceefa.org.br Face: www.fb.com/ceefacuritiba O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo X Bem-aventurados os que são misericordiosos Sidnei Lopes 31/05/2016

Leia mais

Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos

Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos Ernest Hemingway Colinas como elefantes brancos As colinas do outro lado do vale eram longas e brancas. Deste lado, não havia sombra nem árvores e a estação ficava entre duas linhas de trilhos sob o sol.

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

história. mais especiais. Seja bem vindo! Esportália Ao Sul da Europa, no pequeno e pacato país de Esportália, foi onde vivemos por muito

história. mais especiais. Seja bem vindo! Esportália Ao Sul da Europa, no pequeno e pacato país de Esportália, foi onde vivemos por muito eta do meu avô. Ganhei esta cadern s importantes para escrever coisa ia ar us só e qu Prometi a ele ra registrar esta há melhor lugar pa o nã o, iss r po is, e especia história. ajuda das pessoas foi escrita

Leia mais

ppus Ês,,grfint,2ç SEVERINO SALUSTIANO DE OLIVEIRA ajuizou Ação de Reparação por Danos Morais c/c Obrigação de Fazer contra o Banco BMG.

ppus Ês,,grfint,2ç SEVERINO SALUSTIANO DE OLIVEIRA ajuizou Ação de Reparação por Danos Morais c/c Obrigação de Fazer contra o Banco BMG. AC no 200.2009.032.354-0/001 1 );'( I ppus Ês,,grfint,2ç 91 r. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira DECISÃO MONOCRÁTICA

Leia mais

PRINCÍPIOS DA INSTRUÇÃO PROGRAMADA 1. Se você ler cada um dos quadros cuidadosamente, provavelmente cometerá muito poucos erros.

PRINCÍPIOS DA INSTRUÇÃO PROGRAMADA 1. Se você ler cada um dos quadros cuidadosamente, provavelmente cometerá muito poucos erros. PRINCÍPIOS DA INSTRUÇÃO PROGRAMADA 1 INSTRUÇÕES Existem diferenças entre um Curso Programado ou Programa em Instrução Programada e um livro - texto comum. A primeira diferença é que o material se apresenta

Leia mais

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: Com ajuda de seu professor faça a leitura do texto de Paulo Freire. A ESCOLA

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: Com ajuda de seu professor faça a leitura do texto de Paulo Freire. A ESCOLA 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: Com ajuda de seu professor faça a leitura do texto de Paulo Freire. A ESCOLA Escola é... o lugar onde se faz amigos, não se trata só de prédios, salas, quadros,

Leia mais

CaçaDOR DE PALAVRAS. Que nos ENSINA a BÍBLIA sobre a criação?

CaçaDOR DE PALAVRAS. Que nos ENSINA a BÍBLIA sobre a criação? Que nos ENSINA a BÍBLIA sobre a criação? Deus é o CRIADOR. A Bíblia diz em GÊNESIS 1:1 No princípio criou Deus os CÉUS e a terra. DEUS revela-se a si mesmo através da criação. A Bíblia diz em SALMOS 19:1

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

GEOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS.

GEOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. 2 a Etapa GEOGRAFIA SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Leia atentamente o CARTAZ sobre ELIMINAÇÃO AUTOMÁTICA, afixado na parede da sala, à sua frente, e as instruções que se

Leia mais

Engenharia Civil Topografia e Geodésia. Curso Técnico em Edificações Topografia GEODÉSIA

Engenharia Civil Topografia e Geodésia. Curso Técnico em Edificações Topografia GEODÉSIA e Geodésia GEODÉSIA e Geodésia GEODÉSIA O termo Geodésia, em grego Geo = terra, désia = 'divisões' ou 'eu divido', foi usado, pela primeira vez, por Aristóteles (384-322 a.c.), e pode significar tanto

Leia mais

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02 Olá, amigos! AULA 02 Tudo bem com vocês? E aí, revisaram a aula passada? Espero que sim. Bem como espero que tenham resolvido as questões que ficaram pendentes! A propósito, vamos iniciar nossa aula de

Leia mais

Federação de Patinagem de Portugal

Federação de Patinagem de Portugal CIRCULAR 12 / 2013 2013- Data : 26 de janeiro de Assunto : Caneta LASER, Face ao comentário de desagrado do SCP e relativo ao jogo entre o SC Braga vs SCP, tendo como crítica a um adepto / atleta que terá

Leia mais

DECRETO N º 1.699. EMENTA: Define zonas de preservação paisagística e ecológica.

DECRETO N º 1.699. EMENTA: Define zonas de preservação paisagística e ecológica. DECRETO N º 1.699. EMENTA: Define zonas de preservação paisagística e ecológica. O Prefeito Municipal de Volta Redonda, no uso de suas atribuições legais, com fundamento no artigo 13 da Lei Municipal 1.412,

Leia mais

INVENÇÃO EM UMA EXPERIMENTOTECA DE MATEMÁTICA: PROBLEMATIZAÇÕES E PRODUÇÃO MATEMÁTICA

INVENÇÃO EM UMA EXPERIMENTOTECA DE MATEMÁTICA: PROBLEMATIZAÇÕES E PRODUÇÃO MATEMÁTICA INVENÇÃO EM UMA EXPERIMENTOTECA DE MATEMÁTICA: PROBLEMATIZAÇÕES E PRODUÇÃO MATEMÁTICA Fernanda de Oliveira Azevedo Universidade Federal de Juiz de Fora azevedof.oliveira@gmail.com Resumo: O presente trabalho

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

PCHs: Aspectos Regulatórios e Comerciais. Marcos Cabral

PCHs: Aspectos Regulatórios e Comerciais. Marcos Cabral Universidade Federal de Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Elétrica Planejamento de Sistemas Elétricos de Potência- TE157 PCHs: Aspectos Regulatórios e Comerciais Marcos Cabral Definição

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PALMAS TO, NOVEMBRO 2015 A disciplina Trabalho de Conclusão de Curso, na Faculdade Católica do Tocantins, está organizada

Leia mais

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros 1 of 5 11/26/2010 2:57 PM Comunicação Social 26 de novembro de 2010 PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009 Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros O número de domicílios

Leia mais

(MINUTA DE CONTRATO)

(MINUTA DE CONTRATO) 1 (MINUTA DE CONTRATO) CONTRATO Nº CONTRATO QUE ENTRE SI FAZEM A COMPANHIA DOCAS DA PARAÍBA E A PESSOA JURÍDICA... PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA E ASSESSORAMENTO CONTABIL E FINANCEIRO, NA

Leia mais

Art. 3 o Na aplicação dos recursos originários desta Lei, será obedecido o que dispõe a Lei Municipal n o 2.946, de 21 de fevereiro de 2002.

Art. 3 o Na aplicação dos recursos originários desta Lei, será obedecido o que dispõe a Lei Municipal n o 2.946, de 21 de fevereiro de 2002. PROJETO DE LEI N o 5, DE 14 DE JANEIRO DE 2014. AUTORIZA O MUNICÍPIO A FIRMAR CONVÊNIO E A REPASSAR CONTRIBUIÇÃO FINANCEIRA AO FRATERNO AUXÍLIO CRISTÃO, PARA EXECUÇÃO DE PROJETOS CONFORME ESPECIFICADO.

Leia mais