PERGUNTAS E RESPOSTA DO MEI - Microempreendedor Individual atualizado em março de 2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERGUNTAS E RESPOSTA DO MEI - Microempreendedor Individual atualizado em março de 2012"

Transcrição

1 PERGUTA E REPOTA DO MEI - Microempreendedor Individual atualizado em março de )O que é Microempreendedor Individual? Considera-se MEI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº , de 10 de janeiro de Código Civil, que tenha auferido receita bruta, no ano-calendário anterior, de até R$ ,00 e que seja optante pelo imples acional. 2)Qual a lei que instituiu o Microempreendedor individual? Lei complementar nº 128 de 19 de dezembro de ) A legislação do Microempreendedor Individual já está em vigor? Os artigos 18-A a 18-C da Lei Complementar nº 123, de 14/12/2006, na redação dada pela Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008, relativos ao Microempreendedor Individual, produzem efeitos a partir de 01/07/2009. A partir de novembro de 2011, a Resolução do CG º 94, de 29 de novembro de 2011(Consolidação ormativa), no Título II, arts.91 a 108, tratam do MEI. O anexo XIII dessa mesma Resolução trás as atividades permitidas ao MEI. 4) Como e onde posso me formalizar? A formalização será feita pela internet no endereço no Estado da Bahia a partir de 08/02/2010. FORMALIZE-E Antes de iniciar o processo de inscrição, leia atentamente o Manual do Processo Eletrônico de Inscrição do Microempreendedor Individual (MEI). Para realizar uma nova inscrição, clique aqui. Para consultar certificado, clique aqui. Para imprimir o carnê de pagamento mensal, clique aqui. Para imprimir o Relatório Mensal de Receitas Brutas (um para cada mês): Clique aqui. Há um considerável número de empresas contábeis espalhadas pelo Brasil que poderão realizar esse trabalho de graça. Para saber quem são essas empresas consulte a relação, por município, que estará disponível no Portal do Empreeendedor (endereço eletrônico acima). Lembre-se de que toda atividade a ser exercida, mesmo na residência, necessita de autorização prévia da Prefeitura que, nesse caso, será também de graça. O EBRAE é outro parceiro que oferecerá orientação de graça sobre a formalização. 5)Quanto tempo demora para me formalizar?

2 Como a formalização é feita pela Internet, o CPJ, o número de inscrição na Junta Comercial, no I e um documento de alvará que equivale ao alvará de funcionamento são obtidos imediatamente, gerando um documento único. ão há a necessidade de assinaturas ou envio de documentos e cópias. Tudo é feito eletronicamente. Lembre-se, também, de que é necessário conhecer as normas da Prefeitura para desenvolver o seu negócio, seja ele qual for. ão se registre se não estiver dentro dos requisitos municipais, principalmente em relação à possibilidade de atuar naquele endereço. 6)Posso me formalizar a qualquer tempo? Para o empreendedor que está obtendo o CPJ a partir de 08/02/2010, efetuada no endereço eletrônico o caso de empreendedores que já possuem CPJ a opção somente poderá ser feita durante o mês de janeiro de cada ano Após a formalização, como efetuar alteração ou extinção da Inscrição na Junta Comercial? A formalização é feita pela Internet, entretanto para efetuar a alteração ou extinção, o empresário deverá utilizar o formulário "Requerimento de Empresário", em papel ou em formulário eletrônico disponibilizado no sítio das Juntas Comerciais, e dirigir-se à Junta Comercial para protocolo do requerimento, como todos os demais empresários. 7)Qual o custo da formalização? O ato de formalização está isento de todas as tarifas. Para a formalização e para a primeira declaração anual existe uma rede de empresas de contabilidade que são optantes pelo IMPLE ACIOAL que irão realizar essas tarefas sem cobrar nada no primeiro ano. Após a formalização o empreendedor terá o seguinte custo: Para a Previdência: R$ 31,10 por mês (representa 5% do salário mínimo que é reajustado no início de cada ano); Para o Estado: R$ 1,00 fixo por mês se a atividade for comércio ou indústria; Para o Município: R$ 5,00 fixos por mês se a atividade for prestação de serviço. 8)Como faço o pagamento destes valores? Por meio de um documento chamado DA que é gerado pela Internet no endereço Esse documento pode ser gerado por qualquer pessoa em qualquer computador ligado à Internet. É possível gerar, de uma só vez, os DA do ano inteiro e ir pagando mês a mês. O pagamento será feito na rede bancária e casas lotéricas, até o dia 20 de cada mês. clique em: PGMEI. 9)Qual será o procedimento em caso de atraso nos pagamentos dos impostos? Caso haja esquecido o pagamento na data certa haverá cobrança de juros e multa. A multa será de 0,33% por dia de atraso limitado a 20% e os juros serão calculados com base na taxa ELIC, sendo que para o primeiro mês de atraso os juros serão de 1%. Após o vencimento deverá ser gerado novo DA, acessando-se novamente o endereço A emissão do novo DA (que é de graça) já conterá os valores da multa e dos juros, sem precisar fazer cálculos

3 por fora. 10) Como farei se quiser ter direito a aposentadoria por tempo de contribuição? esse caso deverá complementar o pagamento em favor do I à alíquota complementar de 9%, calculada sobre o salário-mínimo. O pagamento deverá ser feito em GP, com o código de pagamento 1295, na rede bancária, até o dia 15 do mês seguinte a que se referir o pagamento ou no primeiro dia útil subseqüente se o dia 15 for feriado. Exemplo: Com o valor atual do salário- mínimo a conta será a seguinte: R$ 622,00 x 9% = R$ 55,98. Esse valor deverá ser recolhido em GP com o código de pagamento Com esse pagamento, o valor correspondente ao salário-mínimo (atualmente R$ 465,00) passa a contar para todos os efeitos para o cálculo de qualquer benefício previdenciário, inclusive aposentadoria por tempo de contribuição. Caso o trabalhador já recolha carnê mensal pelo exercício de outra atividade, poderá continuar a fazê-lo, sob os códigos normais. 11) MEI QUE TRABALHE TAMBÉM COMO AUTÔOMO Exemplo: o trabalhador já recolhe carnê mensal sobre o valor de R$ 600,00, à alíquota de 20%, representando R$ 120,00, em GP, com o código Caso recolha o DA, efetue a contribuição complementar de 9% (código 1295) e mantenha a contribuição que vinha fazendo (código 1007), seu salário-decontribuição para fins de benefício passará a ser de R$ 1.222,00 resultado da soma de R$ 622,00 com R$ 600,00. 12) MEI QUE TRABALHE TAMBÉM PARA EMPREA, COMO EMPREGADO OU COTRIBUITE IDIVIDUAL Pode haver ainda trabalhador que, além de Microempreendedor Individual, tenha vínculo de trabalho com outra empresa, como empregado ou autônomo. esse caso, a remuneração que receber da empresa contará para todos os efeitos para os benefícios previdenciários essas informações provêm da GFIP (Guia de Recolhimento do FGT e de informações à Previdência ocial), preenchida pela empresa. Da mesma forma, se esse trabalhador quiser que o valor recolhido em DA passe a contar para a média no cálculo de todos os benefícios, deverá recolher a GP (Guia da Previdência ocial) com código de pagamento 1295, até o dia 15 de cada mês, com valor correspondente a 9% do salário-mínimo. 13) Que outras obrigações terei com a Receita Federal, ecretaria da Fazenda do estado e ecretaria de Finanças do município? Anualmente deverá fazer uma Declaração do faturamento, também pela Internet e nada mais. Essa declaração deverá ser feita até o último dia do mês de Janeiro de cada ano. Mensalmente deverá fazer uma declaração correspondente, basicamente, à informação de quanto o empreendimento faturou, com emissão de notas fiscais e sem a emissão de notas fiscais. Pode ser de próprio punho e não precisa ser enviada a lugar algum. Basta guardá-la. O modelo dessa declaração está no Anexo único à Resolução CG nº 10. Além disso, o empreendedor deverá guardar as notas fiscais de suas compras.

4 14) Qual a receita bruta anual do Microempreendedor Individual? O limite é de R$ ,00 anuais. Mas, caso constitua uma empresa no decorrer do ano, a receita bruta de R$ ,00 será proporcional aos meses em que a empresa foi constituída até o final do ano. Por exemplo: ,00 / por 12 meses = 5.000,00 por mês, logo, se uma empresa for registrada em abril, a receita bruta não poderá ultrapassar R$ ,00 (5.000,00 * 9 meses = ,00). 15) e a pessoa estiver enquadrada na lei do Microempreendedor Individual e eestourar a cota de 60 mil anual o que ocorre? esse caso temos duas situações. A Primeira: o faturamento foi maior que ,00, porém não ultrapassou R$ ,00. esse caso o seu empreendimento é incluído no sistema do IMPLE ACIOAL, na categoria de microempresa, a partir de janeiro do ano seguinte ao ano em que o faturamento excedeu os R$ ,00. A partir daí o seu pagamento passará a ser de um percentual do faturamento por mês, 4% se for comércio, 4,5% se for indústria e 6% se for prestador de serviço. O valor do excesso deverá ser acrescentado ao faturamento do mês de janeiro e os tributos serão pagos juntamente com o DA referente àquele mês. A egunda: o faturamento foi superior a R$ ,00. esse caso o enquadramento no IMPLE ACIOAL é retroativo a janeiro do ano em cursoe o recolhimento sobre o faturamento, conforme explicado na Primeira ituação passa a ser feito no mesmo ano em que ocorreu o excesso no faturamento, COM acréscimos de juros e multa. Por isso, recomenda-se que o empreendedor, ao perceber que seu faturamento no ano será maior que R$ ,00, inicie imediatamente o cálculo e o pagamento dos tributos acessando diretamente o Portal do IMPLE ACIOAL, no endereço 16) Poderá o Microempreendedor Individual trabalhar em sua residência? Poderá o Município conceder Alvará de Funcionamento Provisório para o Empreendedor Individual: I - instalado em áreas desprovidas de regulação fundiária legal ou com regulamentação precária; II- em residência do Empreendedor Individual, na hipótese em que a atividade não gere grande circulação de pessoas. Ele deve, antes de proceder ao registro, consultar o município para saber se naquele endereço residencial pode ser instalado um negócio, lembrando que o bem estar coletivo se sobrepõe ao interesse individual. Isso quer dizer que atividades barulhentas ou com grande circulação de pessoas, dificilmente poderão ser exercidas em residência. 17) O Empreendedor Individual é obrigado a emitir nota fiscal?

5 O Empreendedor Individual estará dispensado de emitir nota fiscal para consumidor pessoa física, mas estará obrigado à emissão quando vender para destinatário cadastrado no CPJ. Caso venda para destinatário cadastrado no CPJ, poderá emitir ota Fiscal Avulsa (desde que prevista na legislação do Estado ou do Município). Além disso, caso venda mercadorias para pessoa jurídica contribuinte do ICM, o comprador poderá emitir nota fiscal de entrada. 18) Para o ambulante que trabalha na rua como vai funcionar o sistema? O ambulante ou quem trabalha em lugar fixo deverá consultar a Prefeitura antes de fazer o registro, com relação ao tipo de atividade e ao local onde irá trabalhar. Apesar do Portal Empreendedor emitir documento que autoriza o funcionamento imediato do empreendimento, as declarações do empresário, de que observa as normas e posturas municipais, são fundamentais para que não haja prejuízo à coletividade e ao próprio empreendedor que, caso não seja fiel ao cumprimento das normas como declarou, estará sujeito a multas, apreensões e até mesmo fechamento do empreendimento e cancelamento dos seus registros. O município poderá, no prazo de 180 dias após a inscrição, caso verifique que requisitos legais não foram obedecidos, cancelar todas as inscrições e opções do Microempreendedor Individual. 19) Preciso ter contabilidade? A contabilidade formal como livro diário e razão está dispensada. ão é preciso também ter Livro Caixa. Contudo, o empreendedor deve zelar pela sua atividade e manter um mínimo de controle em relação ao que compra, ao que vende e quanto está ganhando. Essa organização mínima permite gerenciar melhor o negócio e a própria vida, além de ser importante para crescer e se desenvolver. O empreendedor deverá registrar, mensalmente, em formulário simplificado, o total das suas receitas. Deverá manter em seu poder, da mesma forma, as notas fiscais de compras de produtos e de serviços. 20) Quais os benefícios da formalização? A) Cobertura Previdenciária para o Empreendedor e sua família, traduzida nos seguintes benefícios. Para o Empreendedor: 1- Aposentadoria por idade : mulher aos 60 anos e homem aos 65. É necessário contribuir durante 15 anos pelo menos e a renda é de um salário mínimo; 2- Aposentadoria por invalidez : é necessário 1 ano de contribuição; 3- Auxílio doença: é necessário 1 ano de contribuição; 4- alário maternidade (mulher): são necessários 10 meses de contribuição; Para a família: 1- Pensão por morte: a partir do primeiro pagamento em dia; 2- Auxílio reclusão: a partir do primeiro pagamento em dia; Obs. e a contribuição do Empreendedor Individual se der como base em um salário mínimo, qualquer benefício a ele que vier a ter direito também se dará como base em um salário mínimo. B) Acesso a serviços bancários, incluindo crédito. C) Apoio técnico do EBRAE sobre a atividade exercida;

6 D) Possibilidade de crescimento em um ambiente seguro; E) Desempenhar a atividade de forma legal, sabendo que não sofrerá ações do Estado; F) Formalização simplificada e sem maiores burocracias; G) Baixo custo da formalização em valores mensais fixos; H) implificação no processo de baixa e ausência de pagamento de taxas. 21) Posso contratar alguém para me ajudar? A lei prevê a possibilidade da contratação de até um empregado com remuneração de um salário mínimo ou piso da categoria. 22) Qual o custo para contratação de um empregado? O custo previdenciário, recolhido em GP, é de R$ 68,42, sendo R$ 18,66 de responsabilidade do empregador e R$ 49,76 descontado de empregado. Esses valores se alteram caso o salário seja superior ao salário-mínimo e até o piso da categoria profissional. A GP é recolhida até o dia 20 de cada mês com o código ) Em qualquer caso é preciso fazer a Guia do FGT e Informação à Previdência? ó deve ser feita se o Empreendedor Individual tiver empregado. Havendo empregado, a GFIP deve ser entregue até o dia 7 do mês seguinte ao pagamento do salário através de um sistema chamado conectividade social da Caixa Econômica Federal. Ao preencher e entregar a GFIP, deverá ser depositado o FGT do empregado, calculado à base de 8% sobre o seu salário. Todas essas contas são feitas automaticamente pelo sistema GFIP, que deve ser baixado do site da Internet da Receita Federal, no endereço na parte de Download. Em resumo, o custo total do empregado para o microempreendedor individual é 11% do respectivo salário mínimo ou piso da categoria, o que equivale a R$ 68,42se o empregado ganhar o salário mínimo. 24) Posso prestar serviços a outras empresas? O Microempreendedor Individual não poderá realizar cessão ou locação de mão-deobra. Isso significa que o benefício fiscal criado pela LC 128/2008 é destinado ao empreendedor, e não à empresa que o contrata. ignifica, também, que não há intenção de fragilizar as relações de trabalho, não devendo o instituto ser utilizado por empresas para a transformação em Microempreendedor Individual de pessoas físicas que lhes prestam serviços. Caso exerça determinadas atividades (serviços de hidráulica, eletricidade, pintura, alvenaria, carpintaria e de manutenção ou reparo de veículos), poderá ceder mãode-obra a outra empresa. Todavia, nesse caso será considerado, para todos os efeitos, pessoa física contribuinte individual. 25) Como fica a situação do Alvará de funcionamento e do cumprimento de posturas municipais?

7 A concessão do Alvará de Localização depende da observância das normas contidas nos Códigos de Zoneamento Urbano e de Posturas Municipais. Por esse motivo, a maioria dos municípios mantém o serviço de consulta prévia para o empreendedor investigar se o local escolhido para estabelecer a sua empresa está de acordo com essas normas. Além disso, outras normas deverão ser seguidas, como as sanitárias, por exemplo, para quem manuseia alimentos. Assim, antes de qualquer procedimento, o empreendedor deve consultar a as normas municipais para saber se existe ou não restrição para exercer a sua atividade no local escolhido, além de outras obrigações básicas a serem cumpridas. O Portal do Empreendedor tem documento pelo qual o interessado irá declarar que está cumprindo a legislação municipal, motivo pelo qual é fundamental que ele consulte essas normas e declare, de forma verdadeira, que entende a legislação e a obedecerá, sob pena de ter o seu empreendimento irregular. Esse documento terá o valor de alvará provisório por até 180 dias. O ambulante ou quem trabalha em lugar fixo deverá conhecer as regras municipais antes de fazer o registro, com relação ao tipo de atividade e ao local onde irá trabalhar. Apesar do Portal Empreendedor emitir documento que autoriza o funcionamento imediato do empreendimento, as declarações do empresário, de que observa as normas e posturas municipais, são fundamentais para que não haja prejuízo à coletividade e ao próprio empreendedor que, caso não seja fiel ao cumprimento das normas como declarou, estará sujeito a multas, apreensões e até mesmo o fechamento do empreendimento e cancelamento de seus registros. Caso o município averigúe e constate alguma ilegalidade nessa declaração, nesses 180 dias de validade do documento que equivale ao alvará provisório, toda o registro da empresa (CPJ, inscrição na Junta Comercial, etc) serão sumariamente revogados. Caso o empreendedor não disponha dessa informação, recomenda-se expressamente que ele não finalize o registro. O ebrae, os escritórios de contabilidade e a própria administração municipal estão aptos a prestar as informações necessárias. 26. as aquisições de mercadorias em outro Estado é devido ao MEI o pagamento do ICM antecipado ao Estado? im. O ICM antecipado deverá ser recolhido antes da entrada no território deste Estado, de mercadorias procedentes de outra unidade da Federação ou do exterior, destinadas a o Microempreendedor Individual MEI, de que trata o art. 18-A da Lei Complementar nº 123/06. 27) Que atividades podem ser enquadradas como Microempreendedor Individual?

8 Atualmente, as atividades estão previstas no anexo XIII da Resolução do CG nº 94, de 29/11/2011, Consolidação ormativa do imples acional. Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE /01 ABATE DE AVE ABATEDOR(A) DE AVE COM COMERCIALIZAÇÃO DO PRODUTO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE HORTIFRUTIGRAJEIRO ACABADOR(A) DE CALÇADO /02 ACABAMETO DE CALÇADO DE COURO OB COTRATO AÇOUGUEIRO(A) /01 COMÉRCIO VAREJITA DE CARE AÇOUGUE ADETRADOR(A) DE AIMAI /03 ALOJAMETO, HIGIEE E EMBELEZAMETO DE AIMAI ADETRADOR(A) DE CÃE DE GUARDA /02 ERVIÇO DE ADETRAMETO DE CÃE DE GUARDA AGETE DE CORREIO FRAQUEADO E PERMIIOÁRIO /02 ATIVIDADE DE FRAQUEADA DO CORREIO ACIOAL AGETE DE VIAGE /00 AGÊCIA DE VIAGE AGETE FUERÁRIO /04 ERVIÇO DE FUERÁRIA AGETE MATRIMOIAL /02 AGÊCIA MATRIMOIAI ALFAIATE /02 COFECÇÃO, OB MEDIDA, DE PEÇA DO VETUÁRIO, EXCETO ROUPA ÍTIMA ALIHADOR(A) DE PEU /04 ERVIÇO DE ALIHAMETO E BALACEAMETO DE VEÍCULO AUTOMOTORE AMOLADOR(A) DE ARTIGO DE CUTELARIA /99 REPARAÇÃO E MAUTEÇÃO DE OUTRO OBJETO E EQUIPAMETO PEOAI E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE AIMADOR(A) DE FETA /99 OUTRA ATIVIDADE DE RECREAÇÃO E LAZER ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE

9 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ATIQUÁRIO(A) /01 COMÉRCIO VAREJITA DE ATIGUIDADE APLICADOR(A) AGRÍCOLA /01 ERVIÇO DE PULVERIZAÇÃO E COTROLE DE PRAGA AGRÍCOLA APURADOR(A), COLETOR(A) E FORECEDOR(A) DE RECORTE DE MATÉRIA PUBLICADA EM JORAI E REVITA /00 OUTRA ATIVIDADE DE PRETAÇÃO DE ERVIÇO DE IFORMAÇÃO ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE ARMADOR(A) DE FERRAGE A COTRUÇÃO CIVIL /01 ERVIÇO DE COFECÇÃO DE ARMAÇÕE METÁLICA PARA A COTRUÇÃO ARQUIVITA DE DOCUMETO /00 ERVIÇO COMBIADO DE ECRITÓRIO E APOIO ADMIITRATIVO ARTEÃO(Ã) DE BIJUTERIA /00 FABRICAÇÃO DE BIJUTERIA E ARTEFATO EMELHATE ARTEÃO(Ã) EM BORRACHA /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE BORRACHA ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM CERÂMICA /99 FABRICAÇÃO DE PRODUTO CERÂMICO ÃO REFRATÁRIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM CIMETO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO ARTEFATO E PRODUTO DE COCRETO, CIMETO, FIBROCIMETO, GEO E MATERIAI EMELHATE ARTEÃO(Ã) EM CORTIÇA, BAMBU E AFI /02 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DIVERO DE CORTIÇA, BAMBU, PALHA, VIME E OUTRO MATERIAI TRAÇADO, EXCETO MÓVEI ARTEÃO(Ã) EM COURO /00 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE COURO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM GEO /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO ARTEFATO E PRODUTO DE COCRETO, CIMETO, FIBROCIMETO, GEO E MATERIAI EMELHATE ARTEÃO(Ã) EM LOUÇA, VIDRO E CRITAL /01 DECORAÇÃO, LAPIDAÇÃO, GRAVAÇÃO, VITRIFICAÇÃO E OUTRO TRABALHO EM CERÂMICA, LOUÇA, VIDRO E CRITAL ARTEÃO(Ã) EM MADEIRA /01 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DIVERO DE MADEIRA, EXCETO MÓVEI ARTEÃO(Ã) EM MÁRMORE, GRAITO, ARDÓIA E OUTRA PEDRA /03 APARELHAMETO DE PLACA E EXECUÇÃO DE TRABALHO EM MÁRMORE, GRAITO, ARDÓIA E OUTRA PEDRA

10 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ARTEÃO(Ã) EM METAI /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO PRODUTO DE METAL ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM METAI PRECIOO /02 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE JOALHERIA E OURIVEARIA ARTEÃO(Ã) EM OUTRO MATERIAI /99 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DIVERO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM PAPEL /00 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DE PATA CELULÓICA, PAPEL, CARTOLIA, PAPEL CARTÃO E PAPELÃO ODULADO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM PLÁTICO /99 FABRICAÇÃO DE ARTEFATO DE MATERIAL PLÁTICO PARA OUTRO UO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE ARTEÃO(Ã) EM VIDRO /00 FABRICAÇÃO DE ARTIGO DE VIDRO ATRÓLOGO(A) /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE AZULEJITA /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIORE E EXTERIORE BALACEADOR(A) DE PEU /04 ERVIÇO DE ALIHAMETO E BALACEAMETO DE VEÍCULO AUTOMOTORE BALEIRO(A) /04 COMÉRCIO VAREJITA DE DOCE, BALA, BOMBO E EMELHATE BAHITA DE AIMAI DOMÉTICO /03 ALOJAMETO, HIGIEE E EMBELEZAMETO DE AIMAI BARBEIRO(A) /01 CABELEIREIRO BARQUEIRO(A) /99 OUTRO TRAPORTE AQUAVIÁRIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE BARRAQUEIRO(A) /00 COMÉRCIO VAREJITA DE MERCADORIA EM GERAL, COM PREDOMIÂCIA DE PRODUTO ALIMETÍCIO MIIMERCADO, MERCEARIA E ARMAZÉ BEEFICIADOR(A) DE CATAHA /00 FABRICATE DE COERVA DE FRUTA BIKEBOY (CICLITA MEAGEIRO) /02 ERVIÇO DE ETREGA RÁPIDA BIKE PROPAGADITA /99 OUTRA ATIVIDADE DE PUBLICIDADE ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE BOLACHEIRO(A)/BICOITEIRO(A) /00 FABRICAÇÃO DE BICOITO E BOLACHA

11 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM BOMBEIRO(A) HIDRÁULICO /01 ITALAÇÕE HIDRÁULICA, AITÁRIA E DE GÁ BOELEIRO(A) (FABRICATE DE BOÉ) /00 FABRICAÇÃO DE ACEÓRIO DO VETUÁRIO, EXCETO PARA EGURAÇA E PROTEÇÃO BORDADEIRO(A) /99 OUTRO ERVIÇO DE ACABAMETO EM FIO, TECIDO, ARTEFATO TÊXTEI E PEÇA DO VETUÁRIO BORRACHEIRO(A) /06 ERVIÇO DE BORRACHARIA PARA VEÍCULO AUTOMOTORE BRITADOR /01 BRITAMETO DE PEDRA, EXCETO AOCIADO À EXTRAÇÃO CABELEIREIRO(A) /01 CABELEIREIRO CALAFETADOR(A) /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIORE E EXTERIORE CAMIHOEIRO(A) DE CARGA ÃO PERIGOA /02 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA, EXCETO PRODUTO PERIGOO E MUDAÇA, ITERMUICIPAL, ITERETADUAL E ITERACIOAL CATOR(A)/MÚICO(A) IDEPEDETE /02 PRODUÇÃO MUICAL CAPOTEIRO(A) /08 ERVIÇO DE CAPOTARIA CARPITEIRO(A) /99 FABRICAÇÃO DE OUTRO ARTIGO DE CARPITARIA PARA COTRUÇÃO CARPITEIRO(A) ITALADOR(A) /02 ITALAÇÃO DE PORTA, JAELA, TETO, DIVIÓRIA E ARMÁRIO EMBUTIDO DE QUALQUER MATERIAL CARREGADOR (VEÍCULO DE TRAPORTE TERRETRE) /00 CARGA E DECARGA CARREGADOR DE MALA /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO PEOAI ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE CARROCEIRO COLETA DE ETULHO E REÍDUO /00 COLETA DE REÍDUO ÃO PERIGOO CARROCEIRO TRAPORTE DE CARGA /01 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA, EXCETO PRODUTO PERIGOO E MUDAÇA, MUICIPAL CARROCEIRO TRAPORTE DE MUDAÇA /04 TRAPORTE RODOVIÁRIO DE MUDAÇA CARTAZITA, PITOR DE FAIXA /99 OUTRA ATIVIDADE DE ERVIÇO

12 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM PUBLICITÁRIA E DE LETRA PRETADO PRICIPALMETE À EMPREA ÃO EPECIFICADA ATERIORMETE CHAPELEIRO(A) /00 FABRICAÇÃO DE ACEÓRIO DO VETUÁRIO, EXCETO PARA EGURAÇA E PROTEÇÃO CHAVEIRO(A) /02 CHAVEIRO CHOCOLATEIRO(A) /01 FABRICAÇÃO DE PRODUTO DERIVADO DO CACAU E DE CHOCOLATE CHURRAQUEIRO(A) AMBULATE /00 ERVIÇO AMBULATE DE ALIMETAÇÃO CHURRAQUEIRO(A) EM DOMICÍLIO /02 ERVIÇO DE ALIMETAÇÃO PARA EVETO E RECEPÇÕE BUFÊ CLICHERITA /00 ERVIÇO DE PRÉ IMPREÃO COBRADOR(A) DE DÍVIDA /00 ATIVIDADE DE COBRAÇA E IFORMAÇÕE CADATRAI COLCHOEIRO(A) /00 FABRICAÇÃO DE COLCHÕE COLETOR DE REÍDUO ÃO PERIGOO /00 COLETA DE REÍDUO ÃO PERIGOO COLETOR DE REÍDUO PERIGOO /00 COLETA DE REÍDUO PERIGOO COLOCADOR(A) DE PIERCIG /06 ERVIÇO DE TATUAGEM E COLOCAÇÃO DE PIERCIG COLOCADOR(A) DE REVETIMETO /05 APLICAÇÃO DE REVETIMETO E DE REIA EM ITERIORE E EXTERIORE COMERCIATE DE IETICIDA E RATICIDA /05 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO AEATE DOMIAITÁRIO COMERCIATE DE PRODUTO PARA PICIA /05 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO AEATE DOMIAITÁRIO COMERCIATE DE AIMAI VIVO E DE ARTIGO E ALIMETO PARA AIMAI DE ETIMAÇÃO /04 COMÉRCIO VAREJITA DE AIMAI VIVO E DE ARTIGO E ALIMETO PARA AIMAI DE ETIMAÇÃO COMERCIATE DE ARTIGO DE ARMARIHO /02 COMERCIO VAREJITA DE ARTIGO DE ARMARIHO COMERCIATE DE ARTIGO DE BEBÊ /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO DE CAÇA, PECA E CAMPIG /04 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE CAÇA, PECA E CAMPIG COMERCIATE DE ARTIGO DE /03 COMERCIO VAREJITA DE ARTIGO DE CAMA,

13 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM CAMA, MEA E BAHO MEA E BAHO COMERCIATE DE ARTIGO DE COLCHOARIA /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE COLCHOARIA COMERCIATE DE ARTIGO DE CUTELARIA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE UO PEOAL E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO DE ILUMIAÇÃO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE ILUMIAÇÃO COMERCIATE DE ARTIGO DE JOALHERIA /01 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE JOALHERIA COMERCIATE DE ARTIGO DE ÓPTICA /00 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE ÓPTICA COMERCIATE DE ARTIGO DE RELOJOARIA /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE RELOJOARIA COMERCIATE DE ARTIGO DE TAPEÇARIA, CORTIA E PERIAA /01 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE TAPEÇARIA, CORTIA E PERIAA COMERCIATE DE ARTIGO DE VIAGEM /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DE VIAGEM COMERCIATE DE ARTIGO DO VETUÁRIO E ACEÓRIO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO DO VETUÁRIO E ACEÓRIO COMERCIATE DE ARTIGO ERÓTICO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO EPORTIVO /02 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO EPORTIVO COMERCIATE DE ARTIGO FOTOGRÁFICO E PARA FILMAGEM /08 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO FOTOGRÁFICO E PARA FILMAGEM COMERCIATE DE ARTIGO FUERÁRIO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO MÉDICO E ORTOPÉDICO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE ARTIGO MÉDICO E ORTOPÉDICO COMERCIATE DE ARTIGO PARA HABITAÇÃO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO DE UO PEOAL E DOMÉTICO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE ARTIGO UADO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO ARTIGO UADO COMERCIATE DE BEBIDA /00 COMÉRCIO VAREJITA DE BEBIDA

14 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM COMERCIATE DE BICICLETA E TRICICLO; PEÇA E ACEÓRIO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE BICICLETA E TRICICLO; PEÇA E ACEÓRIO COMERCIATE DE UVEIRE, BIJUTERIA E ARTEAATO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE UVEIRE, BIJUTERIA E ARTEAATO COMERCIATE DE BRIQUEDO E ARTIGO RECREATIVO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE BRIQUEDO E ARTIGO RECREATIVO COMERCIATE DE CAL, AREIA, PEDRA BRITADA, TIJOLO E TELHA /04 COMÉRCIO VAREJITA DE CAL, AREIA, PEDRA BRITADA, TIJOLO E TELHA COMERCIATE DE CALÇADO /01 COMÉRCIO VAREJITA DE CALÇADO COMERCIATE DE CARVÃO E LEHA /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE CETA DE CAFÉ DA MAHÃ /99 COMÉRCIO VAREJITA DE PRODUTO ALIMETÍCIO EM GERAL OU EPECIALIZADO EM PRODUTO ALIMETÍCIO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE COMÉTICO E ARTIGO DE PERFUMARIA /00 COMÉRCIO VAREJITA DE COMÉTICO, PRODUTO DE PERFUMARIA E DE HIGIEE PEOAL COMERCIATE DE DICO, CD, DVD E FITA /00 COMÉRCIO VAREJITA DE DICO, CD, DVD E FITA COMERCIATE DE ELETRODOMÉTICO E EQUIPAMETO DE ÁUDIO E VÍDEO /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE ELETRODOMÉTICO E EQUIPAMETO DE ÁUDIO E VÍDEO COMERCIATE DE EMBALAGE /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE EQUIPAMETO DE TELEFOIA E COMUICAÇÃO /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE EQUIPAMETO DE TELEFOIA E COMUICAÇÃO COMERCIATE DE EQUIPAMETO E UPRIMETO DE IFORMÁTICA /01 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE EQUIPAMETO E UPRIMETO DE IFORMÁTICA COMERCIATE DE EQUIPAMETO PARA ECRITÓRIO /07 COMÉRCIO VAREJITA DE EQUIPAMETO PARA ECRITÓRIO COMERCIATE DE EXTITORE DE ICÊDIO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE FERRAGE E /01 COMÉRCIO VAREJITA DE FERRAGE E

15 OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM FERRAMETA FERRAMETA COMERCIATE DE FLORE, PLATA E FRUTA ARTIFICIAI /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE FOGO DE ARTIFÍCIO /06 COMÉRCIO VAREJITA DE FOGO DE ARTIFÍCIO E ARTIGO PIROTÉCICO COMERCIATE DE GÁ LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) /00 COMÉRCIO VAREJITA DE GÁ LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) COMERCIATE DE ITRUMETO MUICAI E ACEÓRIO /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE ITRUMETO MUICAI E ACEÓRIO COMERCIATE DE LATICÍIO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE LATICÍIO E FRIO COMERCIATE DE LUBRIFICATE /00 COMÉRCIO VAREJITA DE LUBRIFICATE COMERCIATE DE MADEIRA E ARTEFATO /02 COMÉRCIO VAREJITA DE MADEIRA E ARTEFATO COMERCIATE DE MATERIAI DE COTRUÇÃO EM GERAL /99 COMÉRCIO VAREJITA DE MATERIAI DE COTRUÇÃO EM GERAL COMERCIATE DE MATERIAI HIDRÁULICO /03 COMÉRCIO VAREJITA DE MATERIAI HIDRÁULICO COMERCIATE DE MATERIAL ELÉTRICO /00 COMÉRCIO VAREJITA DE MATERIAL ELÉTRICO COMERCIATE DE MEDICAMETO VETERIÁRIO /04 COMÉRCIO VAREJITA DE MEDICAMETO VETERIÁRIO COMERCIATE DE MIUDEZA E QUIQUILHARIA /02 LOJA DE VARIEDADE, EXCETO LOJA DE DEPARTAMETO OU MAGAZIE COMERCIATE DE MOLDURA E QUADRO /99 COMÉRCIO VAREJITA DE OUTRO PRODUTO ÃO EPECIFICADO ATERIORMETE COMERCIATE DE MÓVEI /01 COMÉRCIO VAREJITA DE MÓVEI COMERCIATE DE OBJETO DE ARTE /03 COMÉRCIO VAREJITA DE OBJETO DE ARTE COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO OVO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE /03 COMÉRCIO A VAREJO DE PEÇA E ACEÓRIO OVO PARA VEÍCULO AUTOMOTORE COMERCIATE DE PEÇA E ACEÓRIO PARA APARELHO ELETROELETRÔICO PARA UO DOMÉTICO /00 COMÉRCIO VAREJITA EPECIALIZADO DE PEÇA E ACEÓRIO PARA APARELHO ELETROELETRÔICO PARA UO DOMÉTICO, EXCETO IFORMÁTICA E COMUICAÇÃO

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009.

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009. M.E.I. (Micro empreendedor Individual) Lei Complementar numero 128 de 19 de dezembro de 2008. Considera-se MEI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002

Leia mais

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2012 SIMPLES NACIONAL

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2012 SIMPLES NACIONAL AO XXIII - 2012-4ª EMAA DE JAEIRO DE 2012 BOLETIM IFORMARE º 04/2012 IMPLE ACIOAL ITEMA DE RECOLHIMETO EM VALORE FIXO MEAI DO TRIBUTO ABRAGIDO PELO IMPLE ACIOAL - IMEI - ORMA GERAI A PARTIR DE 1º DE JAEIRO

Leia mais

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE

Leia mais

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE

Leia mais

ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI. Anexo XIII da Resolução CGSN 94/2011. *

ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI. Anexo XIII da Resolução CGSN 94/2011. * ATIVIDADE PERMITIDA AO MEI Anexo XIII da Resolução CG 94/2011. * OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE DE AVE ABATEDOR(A) DE AVE COM COMERCIALIZAÇÃO 4724-5/00 COMÉRCIO

Leia mais

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI

Anexo XIII da Resolução CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011. (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (Aletrado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/2012) (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I)

Leia mais

Atividades Permitidas ao MEI

Atividades Permitidas ao MEI Atividades Permitidas ao MEI Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011 - arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art.

Leia mais

Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N

Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de 2012) (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/2012) (Alterado pela Resolução CG nº 111, de

Leia mais

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem Alfabética

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem Alfabética CAE Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem Alfabética ABATEDOR(A) DE AVE COM COMERCIALIZAÇÃO DO PRODUTO Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. Com vigência a

Leia mais

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem por CNAE

CNAES Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem por CNAE CAE Permitidos para MEI - Micro Empreendedor Individual em Ordem por CAE Anexo XIII da Resolução CG nº 94, de 29 de novembro de 2011. Vigência a partir de janeiro de 2012 (Alterado pela Resolução CG nº

Leia mais

Resolução CGSN nº 78, de 13 de setembro de 2010

Resolução CGSN nº 78, de 13 de setembro de 2010 Resolução CG nº 78, de 13 de setembro de 2010 DOU de 15.9.2010 O Comitê Gestor do imples acional (CG), no uso das competências que lhe conferem a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, o Decreto

Leia mais

CARTILHA EI EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

CARTILHA EI EMPREENDEDOR INDIVIDUAL CARTILHA EI EMPREEDEDOR IDIVIDUAL Dispõe sobre o empreendedor Individual, no âmbito do imples acional, que produzirá efeitos a partir de 1º de julho de 2009. Instituiu o IMEI, que é o istema de Recolhimento

Leia mais

Comentários ao Microempreendedor Individual - MEI

Comentários ao Microempreendedor Individual - MEI Comentários ao Microempreendedor Individual - MEI ão temo em dizer que a criação da figura do MEI Microempreendedor Individual foi uma das ideias mais inteligentes surgidas nos últimos tempos. Foi uma

Leia mais

pela Resolução CGSN nº 117/2014) 22/12/2014

pela Resolução CGSN nº 117/2014) 22/12/2014 AEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI (Alterado pela Resolução CG nº 104, de 12 de dezembro de (Vide art. 5º da Res. CG nº 104/ (Alterado pela Resolução CG nº 111,

Leia mais

ATIVIDADES GERADORAS E NÃO GERADORAS DE ICMS

ATIVIDADES GERADORAS E NÃO GERADORAS DE ICMS Faça um Curso de Contabilidade Básica e adquira conhecimentos suficientes para cuidar de sua própria empresa Acesse: http://www.cursocerto.net.br ATIVIDADE GERADORA E ÃO GERADORA DE ICM AEXO XIII (arts.

Leia mais

OPINIÃO: CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PATRONAL E SUA INCIDÊNCIA SOBRE SERVIÇOS CONTRATADOS POR INTERMÉDIO DE MEI (MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL)

OPINIÃO: CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PATRONAL E SUA INCIDÊNCIA SOBRE SERVIÇOS CONTRATADOS POR INTERMÉDIO DE MEI (MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL) OPIIÃO: COTRIBUIÇÃO PREVIDECIÁRIA PATROAL E UA ICIDÊCIA OBRE ERVIÇO COTRATADO POR ITERMÉDIO DE MEI (MICROEMPREEDEDOR IDIVIDUAL) A Receita Federal do Brasil (RFB) e o Conselho Gestor do imples acional (CG)

Leia mais

LEGISLAÇÃO CITADA ANEXADA PELA COORDENAÇÃO DE ESTUDOS LEGISLATIVOS CEDI Seção de Legislação Citada - SELEC

LEGISLAÇÃO CITADA ANEXADA PELA COORDENAÇÃO DE ESTUDOS LEGISLATIVOS CEDI Seção de Legislação Citada - SELEC LEGILAÇÃO CITADA AEXADA PELA COORDEAÇÃO DE ETUDO LEGILATIVO CEDI eção de Legislação Citada - ELEC LEI COMPLEMETAR º 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 (Republicada no DOU de 6/3/2012 em atendimento ao disposto

Leia mais

MEI: SIMPLES NACIONAL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL NOVAS ALTERAÇÕES DA NORMA REGULAMENTADORA PROCEDIMENTO

MEI: SIMPLES NACIONAL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL NOVAS ALTERAÇÕES DA NORMA REGULAMENTADORA PROCEDIMENTO MEI: IMPLE ACIOAL MICROEMPREEDEDOR IDIVIDUAL OVA ALTERAÇÕE DA ORMA REGULAMETADORA PROCEDIMETO Resenha de Matérias Técnicas nº 666 CRC-P Matérias Especiais: UMÁRIO 1. Considerações Iniciais 2. Quem Pode

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO LEI º 490/09 ETADO DO RIO DE JAEIRO PREFEITURA MUICIPAL DE MACUCO GABIETE DO PREFEITO ITITUI A LEI GERAL MUICIPAL DO EMPREEDEDOR IDIVIDUAL, E DÁ OUTRA PROVIDÊCIA. O Prefeito Municipal de Macuco, no uso

Leia mais

Não constitui hipótese de incidência. a revenda de embalagens usadas que acondicionaram matérias-primas. ou produtos intermediários empregados

Não constitui hipótese de incidência. a revenda de embalagens usadas que acondicionaram matérias-primas. ou produtos intermediários empregados Boletim Manual de Procedimentos ICM - IPI e Outros Federal IPI - Revenda de embalagens usadas UMÁRIO 1. Introdução 2. ão incidência 3. Hipótese de incidência 4. Produtos adquiridos para uso, consumo ou

Leia mais

OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N ABATEDOR(A) DE AVES COM

OCUPAÇÃO CNAE DESCRIÇÃO SUBCLASSE CNAE ISS ICMS ABATEDOR(A) DE AVES 1012-1/01 ABATE DE AVES N N ABATEDOR(A) DE AVES COM AEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI OCUPAÇÃO CAE DECRIÇÃO UBCLAE CAE I ICM ABATEDOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABATE DE AVE ABATEDOR(A) DE AVE COM 4724-5/00 COMÉRCIO

Leia mais

Manual de Desenvolvimento dos Municípios

Manual de Desenvolvimento dos Municípios 2 Manual de Desenvolvimento dos Municípios 2 a Edição Brasília, 2012. DIRETORIA Presidente da CM Paulo Roberto Ziulkoski Diretor-Presidente do ebrae Luiz Barretto CRÉDITO DA PUBLICAÇÃO Coordenação Augusto

Leia mais

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil.

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Indústria É assim que e Comércio a gente segue Exterior em frente. Introdução Atualmente, muitos

Leia mais

Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009

Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009 Resolução CG nº 58, de 27 de abril de 2009 DOU de 28.4.2009 Dispõe sobre o Microempreendedor Individual MEI no âmbito do imples acional. Alterada pela Resolução CG nº 60, de 22 de junho de 2009. Alterada

Leia mais

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP)

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) Edição 2013 01) O que é Microempreendedor Individual - MEI? Considera-se Microempreendedor Individual - MEI o empresário individual

Leia mais

ANEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I)

ANEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) AEXO XIII (arts. 91, inciso I e 92, 2º, inciso I) Atividades Permitidas ao MEI O C U PA Ç Ã O CAE DECRI UBCLAE CAE I ICM ABADOR(A) DE AVE 1012-1/01 ABA DE AVE ABADOR(A) DE AVE COM CO- 4724-5/00 COMÉRCIO

Leia mais

2ª Etapa 2009 a 2011. EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham!

2ª Etapa 2009 a 2011. EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham! 2ª Etapa 2009 a 2011 EI - Empreendedor Individual Profissionalizar para prosperar. Aqui, todos ganham! Benefícios para o Setor de Agenciamento de Viagens Com a Lei Complementar 128/08 - que alterou o Estatuto

Leia mais

CARTILHA DO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

CARTILHA DO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL CARTILHA DO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL MARCOS ARAÚJO Presidente do SINDSIME ÍNDICE 1 3 5 7 9 INTRODUÇÃO LEI 2 VANTAGENS COMO ME ESCREVO OBTENÇÃO DE ALVARÁ 4 OBTENÇÃO DE ALVARÁ DOCUMENTAÇÃO FISCAL 6 AMBULANTES

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

Quem tem conhecimento vai pra frente

Quem tem conhecimento vai pra frente blogdosempreendedores.com.br facadiferente.sebrae.com.br contabilidadeschmitt.com.br Fotos: Produtos do Projeto Gemas e Joias do Sebrae-PA Livro Artesanato- Um negócio genuinamente brasileiro (Sebrae,

Leia mais

Receita Bruta em 12 meses (em Alíquota IRPJ CSLL COFINS P I S / PA S E P CPP ISS

Receita Bruta em 12 meses (em Alíquota IRPJ CSLL COFINS P I S / PA S E P CPP ISS D.440.000,0 a.60.000,00 9,53% 0,4% 0,4%,5% 0,30% 3,57% 3,07% 0,50% D.60.000,0 a.800.000,00 9,6% 0,4% 0,4%,6% 0,30% 3,6% 3,0% 0,50% D.800.000,0 a.980.000,00 0,45% 0,46% 0,46%,38% 0,33% 3,94% 3,38% 0,50%

Leia mais

(UTV) = Atividade está dispensada de Consulta Branca, porém é obrigatório Autorização da UTV Unidade de Transportes e Vias Públicas.

(UTV) = Atividade está dispensada de Consulta Branca, porém é obrigatório Autorização da UTV Unidade de Transportes e Vias Públicas. Tabela conforme Anexo XIII da Resolução CGN nº 94, de 29 de novembro de 2011(arts. 91,inciso I e 92, 2º, inciso I), contendo a forma de inscrição/alteração no Município de Joinville, das atividades que

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012 Publicada no DOE(Pa) de 14.08.12. Vide IN 16/12, que trata do registro eletrônico de documentos fiscais. Alterada pelas IN 17/12, 03/14, 23/14. Vide

Leia mais

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.01 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.02 6190-6/01 Provedores de acesso às redes de comunicações

Leia mais

Lei Complementar 128 / 2008 MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI)

Lei Complementar 128 / 2008 MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Lei Complementar 128 / 2008 MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) É o empresário individual (sem sócio) que tenha auferido receita bruta anual de até R$ 36.000,00. (Faturamento médio de R$ 3 mil/mês) O Microempreendedor

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado RESOLUÇÃO SEFA Nº 145/2015 Publicada no DOE 9428 de 09.04.2015 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, com fundamento nos Ajustes SINIEF 1/2013, 22/2013 e 5/2014; no inciso XIV do art. 45 da Lei n. 8.485, de

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008. Trabalhistas MICROEMPREENDEDOR - Alterações INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. Sumário: 12 Conceito Introdução 3.1 - Tributação

Leia mais

Profissões em ordem alfabética

Profissões em ordem alfabética Profissões em ordem alfabética A ABATEDOR(A) DE AVES ABATEDOR(A) DE AVES COM COMERCIALIZAÇÃO DO PRODUTO ACABADOR(A) DE CALÇADOS AÇOUGUEIRO(A) ADESTRADOR(A) DE ANIMAIS ADESTRADOR(A) DE CÃES DE GUARDA AGENTE

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a sua atualização cadastral.

Leia mais

Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual

Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual 10/07 12/08 07/09 12/06 03/07 03/07 07/07 09/07 09/07 Sanção da Lei Geral da MPE (re)fundação da Frente Parlamentar da MPE Criação da subcomissão Permanente da MPE Entrada em vigor do Simples Nacional

Leia mais

GUIA DO MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI)

GUIA DO MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) APOSTILA PARA CAPACITAÇÃO DE GESTORES MUNICIPAIS, MICRO E PEQUENOS EMPRESÁRIOS DO SETOR AGROINDUSTRIAL E DE SERVIÇOS TÉCNICOS PARA A INDÚSTRIA AGROALIMENTAR CONVÊNIO Ministério do Desenvolvimento, Indústria

Leia mais

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária Lei Complementar 128 Alterações na Legislação Previdenciária Microempreendedor Individual MEI Conceito: É o empresário individual, referido no art. 966 do Novo Código Civil, que tenha auferido receita

Leia mais

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RIO CLARO AUTOR(ES):

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

Apresentação. Torne-se um Empreendedor Individual e traga para o seu negócio todos os benefícios da formalização. Guia do Empreendedor Individual

Apresentação. Torne-se um Empreendedor Individual e traga para o seu negócio todos os benefícios da formalização. Guia do Empreendedor Individual Apresentação Muitos brasileiros trabalham informalmente por conta própria, ou seja, não têm nenhum tipo de registro. E por isso ficam sem acesso a diversos benefícios, como a Previdência Social, cursos

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

NOTA TÉCNICA: MEI TEM DIREITO A BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

NOTA TÉCNICA: MEI TEM DIREITO A BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NOTA TÉCNICA: MEI TEM DIREITO A BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Abrangência: Microempreendedores Individuais (MEI). Conteúdo: lista de atividades que podem ser realizadas pelo MEI. OCUPAÇÃO CNAE ABATEDOR(A)

Leia mais

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI?

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI? FAQ -MEI 1. Qual o significado da sigla MEI? R: MEI é a sigla utilizada para Micro Empreendedor Individual 2. Qual é a definição de MEI? R: O MEI é o empresário individual a que se refere o art. 966 do

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Empresas em geral Microempresas

Leia mais

VIDEOCONFERÊNCIA AÇÕES DO ESTADO PERANTE O MEI 20/04/2010

VIDEOCONFERÊNCIA AÇÕES DO ESTADO PERANTE O MEI 20/04/2010 VIDEOCONFERÊNCIA AÇÕES DO ESTADO PERANTE O MEI 20/04/2010 1 MEI-MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMBASAMENTO LEGAL: MEI - é o empresário individual definido no art. 966 do Código Civil - Lei 10.406/2002; Art.18-A,

Leia mais

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 Comércio Varejista 2000 Comércio a Varejo e por Atacado de VeículosAutomotores 50 Manutenção e Reparação de VeículosAutomotores

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008

COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008 COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008 O Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) publicou resoluções que prorrogam o prazo da competência

Leia mais

Acabador de calçados Adestrador de cães de guarda Agente de correio franqueado Agente de viagens Agente funerário Agente matrimonial Antiquário

Acabador de calçados Adestrador de cães de guarda Agente de correio franqueado Agente de viagens Agente funerário Agente matrimonial Antiquário Acabador de calçados Adestrador de cães de guarda Agente de correio franqueado Agente de viagens Agente funerário Agente matrimonial Antiquário Aplicador agrícola Apurador, coletor e fornecedor de recortes

Leia mais

AVANÇOS NA IMPLEMENTAÇÃO E APRIMORAMENTO DA LEI GERAL DAS MPE

AVANÇOS NA IMPLEMENTAÇÃO E APRIMORAMENTO DA LEI GERAL DAS MPE AVANÇOS NA IMPLEMENTAÇÃO E APRIMORAMENTO DA LEI GERAL DAS MPE O MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI Seminário tripartite - OIT Políticas para superar a informalidade Maio/09 - Brasília - DF 12/08 07/09

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 PERGUNTAS E RESPOSTAS MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI)

Leia mais

Quem tem conhecimento vai pra frente

Quem tem conhecimento vai pra frente facadiferente.sebrae.com.br Fotos: Produtos do Projeto Gemas e Joias do Sebrae-PA blogdosempreendedores.com.br Livro Artesanato- Um negócio genuinamente brasileiro (Sebrae, Vol. 1, março 2008) 2.307.530

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

DECRETO Nº 14.657 DE 17/05/2010 DOM-Vitória de 22/05/2010

DECRETO Nº 14.657 DE 17/05/2010 DOM-Vitória de 22/05/2010 PREFEITO MUNICIPAL DE VITÓRIA, CAPITAL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº 14.657 DE 17/05/2010 DOM-Vitória de 22/05/2010 Dispõe sobre licenciamento para o Microempreendedor Individual - MEI. O Prefeito

Leia mais

Taller sobre remesas, educación financiera y microemprendimiento en Goíanía, Brasil, 26 y 27 de Noviembre 2014.

Taller sobre remesas, educación financiera y microemprendimiento en Goíanía, Brasil, 26 y 27 de Noviembre 2014. Fortalecimiento del diálogo y de la cooperación entre la Unión Europea (UE) y América Latina y el Caribe (ALC) para el establecimiento de modelos de gestión sobre migración y políticas de desarrollo www.migracion-ue-alc.eu

Leia mais

MANUAL DO PGMEI. 1 Introdução. 1.1 Apresentação do Programa

MANUAL DO PGMEI. 1 Introdução. 1.1 Apresentação do Programa PGMEI PGMEI Pág. 1 MANUAL DO PGMEI 1 Introdução 1.1 Apresentação do Programa O Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional para o Microempreendedor Individual (PGMEI) é um sistema

Leia mais

ANEXO I ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI DISPENSADAS DA LICENÇA DE FUNCIONAMENTO;

ANEXO I ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI DISPENSADAS DA LICENÇA DE FUNCIONAMENTO; ANEXO I ATIVIDADES PERMITIDAS AO MEI DISPENSADAS DA LICENÇA DE FUNCIONAMENTO; Subclasse CNAE 2.0 Denominação 0161-0/02 Serviço de poda de árvores para lavouras 0161-0/03 Serviço de preparação de terreno,

Leia mais

Pergunte à CPA. ISS Regras Gerais

Pergunte à CPA. ISS Regras Gerais 05/08/2014 Pergunte à CPA ISS Regras Gerais Apresentação: Samyr Henrique Muniz Qbar ISS Legislação básica Art. 156, III da C.F./88 Lei Complementar 116/2003 (lista de serviços) Lei Ordinária de cada município

Leia mais

Empreendedor Individual:

Empreendedor Individual: Empreendedor Individual: 1. O que é Empreendedor Individual? Considera-se EI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 - Código Civil, que tenha auferido

Leia mais

MANUAL DO PGMEI Versão Janeiro/2016

MANUAL DO PGMEI Versão Janeiro/2016 MANUAL DO PGMEI Versão Janeiro/2016 PGMEI Pág. 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 3 1.2 OBJETIVO DO PROGRAMA... 3 1.3 A QUEM SE DESTINA... 3 1.4 TRIBUTOS ABRANGIDOS PELO SIMEI...

Leia mais

ANO XXVI - 2015-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2015

ANO XXVI - 2015-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2015 AO XXVI - 2015-2ª EMAA DE JAEIRO DE 2015 BOLETIM IFORMARE º 02/2015 IMPOTO DE REDA PEOA JURÍDICA TAXA DE CÂMBIO PARA ATUALIZAÇÃO DO CRÉDITO E OBRIGAÇÕE EM MOEDA ETRAGEIRA - ATUALIZAÇÃO EM 31.12.2014...

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS FINANCEIROS REPASSADOS PELO CREA-RS ÀS ENTIDADES DE CLASSE.

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS FINANCEIROS REPASSADOS PELO CREA-RS ÀS ENTIDADES DE CLASSE. GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS FINANCEIROS REPASSADOS PELO CREA-RS ÀS ENTIDADES DE CLASSE. Gerência de Contabilidade Março/2014 APRESENTAÇÃO A finalidade deste guia é orientar

Leia mais

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura,

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, exceto morango 0122-9/00 Cultivo de flores e plantas

Leia mais

Lei Complementar 123/2006

Lei Complementar 123/2006 Lei Complementar 123/2006 Art. 18-A. O Microempreendedor Individual - MEI poderá optar pelo recolhimento dos impostos e contribuições abrangidos pelo Simples Nacional em valores fixos mensais, independentemente

Leia mais

Resolução CGSN nº 78, de 13 de setembro de 2010 - Impressão

Resolução CGSN nº 78, de 13 de setembro de 2010 - Impressão Resolução CG nº 78, de 13 de setembro de 2010 - Impressão Página 1 de 33 Resolução CG nº 78, de 13 de setembro de 2010 DOU de 15.9.2010 Altera a Resolução CG nº 58, de 27 de abril de 2009. O Comitê Gestor

Leia mais

Quais as condições necessárias para que eu me cadastre como empreendedor individual? Faturar até R$ 36 mil por ano;

Quais as condições necessárias para que eu me cadastre como empreendedor individual? Faturar até R$ 36 mil por ano; cultura 1. Quais as condições necessárias para que eu me cadastre como empreendedor individual? 2. Faturar até R$ 36 mil por ano; Não participar de outra empresa, como sócio ou titular; Trabalhar sozinho

Leia mais

MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL M E I

MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL M E I COORDENADORIA de PLANEJAMENTO e DESENVOLVIMENTO URBANO SUPERVISÃO TÉCNICA de LICENCIAMENTO - SUSL MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL M E I Esta palestra é baseada nos sites: PMSP/SEMEI e no PORTAL do EMPREENDEDOR

Leia mais

MANUAL Processo Simples Nacional

MANUAL Processo Simples Nacional 1. VISÃO GERAL 1.1 OBJETIVOS: Conforme combinação com a Equipe Teorema Joinville teríamos que criar uma tabela de Receitas, uma tabela com as alíquotas por faturamento com data inicial final de validade,

Leia mais

MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI

MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI 1. NOÇÕES GERAIS MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI 1.1. O que é Micro Empreendedor Individual? É o contribuinte que tenha auferido receita bruta no ano calendário

Leia mais

MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI

MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI 1. NOÇÕES GERAIS MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI 1.1. O que é Micro Empreendedor Individual? É o contribuinte que tenha auferido receita bruta no ano calendário

Leia mais

MANUAL DO PGMEI. 1 Introdução. 1.1 Apresentação do Programa

MANUAL DO PGMEI. 1 Introdução. 1.1 Apresentação do Programa PGMEI PGMEI Pág. 1 MANUAL DO PGMEI 1 Introdução 1.1 Apresentação do Programa O Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional para o Microempreendedor Individual (PGMEI) é um sistema

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI

GUIA PRÁTICO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI GUIA PRÁTICO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI 2009 APRESENTAÇÃO O Guia Prático do Microempreendedor Individual MEI - é uma publicação da FENACON e dos sindicatos que fazem parte do Sistema SESCAP/SESCON.

Leia mais

ANEXO II PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO AMBIENTAL DE CAPÃO DA CANOA GRUPOS DE ATIVIDADES.

ANEXO II PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO AMBIENTAL DE CAPÃO DA CANOA GRUPOS DE ATIVIDADES. 1 ANEXO II PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO AMBIENTAL DE CAPÃO DA CANOA GRUPOS DE ATIVIDADES. 1.HABITAÇÃO 2.MEIOS DE HOSPEDAGEM 3.COMÉRCIO VAREJISTA I 4.COMÉRCIO VAREJISTA II 5.COMÉRCIO VAREJISTA

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI) 04/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Contratação de Empregado... 7 3.2 Cessão ou Locação de Mão-de-Obra... 7

Leia mais

TUTORIAL DE REGISTRO NO PORTAL DO EMPREENDEDOR

TUTORIAL DE REGISTRO NO PORTAL DO EMPREENDEDOR TUTORIAL DE REGISTRO NO PORTAL DO EMPREENDEDOR Tela inicial do Portal do Empreendedor O Portal do Empreendedor concentra os esclarecimentos e procedimentos para formalização do empreendedor individual.

Leia mais

Microempreendedor Individual Aspectos Tributários

Microempreendedor Individual Aspectos Tributários Microempreendedor Individual Aspectos Tributários SILAS SANTIAGO Vitória, 28 de julho de 2009. Gestão do Simples Nacional Gestão do Simples Nacional Comitê-Gestor do Simples Nacional (CGSN) órgão colegiado

Leia mais

ALTERAÇÕES NA LEI GERAL DAS MICROEMPRESAS, EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

ALTERAÇÕES NA LEI GERAL DAS MICROEMPRESAS, EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL ALTERAÇÕES NA LEI GERAL DAS MICROEMPRESAS, EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Porto Alegre 26 de Julho de 2010 CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO presidencia.cft@camara.gov.br

Leia mais

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2013

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2013 AO XXIV - 2013-4ª EMAA DE JAEIRO DE 2013 BOLETIM IFORMARE º 04/2013 IMPLE ACIOAL ITEMA DE RECOLHIMETO EM VALORE FIXO MEAI DO TRIBUTO ABRAGIDO PELO IMPLE ACIOAL - IMEI ORMA GERAI... Pág. 86 IMPOTO DE REDA

Leia mais

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2. ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.0 AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA AGRICULTURA,

Leia mais

EI, VOCÊ AÍ! Tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do MEI - Microempreendedor Individual

EI, VOCÊ AÍ! Tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do MEI - Microempreendedor Individual EI, VOCÊ AÍ! Regularize a situação da sua empresa com as dicas do Sebrae-SP e aproveite todos os benefícios da formalização. Tributos, taxas e contribuições de responsabilidade do MEI - Microempreendedor

Leia mais

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA Tendo em vista a implantação das Áreas de Livre Comércio de Brasiléia,

Leia mais

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 20/08/2014. Sumário: 1 - Introdução 2 - Conceito 3 - Opção

Leia mais

IBRATEF Instituto Brasileiro de Tecnologia Fiscal Manual do Microempreendedor Individual MANUAL DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

IBRATEF Instituto Brasileiro de Tecnologia Fiscal Manual do Microempreendedor Individual MANUAL DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL IBRATEF Instituto Brasileiro de Tecnologia Fiscal 1 MANUAL DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL 2 Flávio Carvalho Costa IBRATEF Instituto Brasileiro de Tecnologia Fiscal 3 FLÁVIO CARVALHO COSTA MANUAL DO MICROEMPREENDEDOR

Leia mais

Econ. Paulo Nascimento CORECON 31.880. Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Econ. Paulo Nascimento CORECON 31.880. Secretaria de Desenvolvimento Econômico Econ. Paulo Nascimento CORECON 31.880 Econ. Paulo Nascimento CORECON 31.880 O que é o Empreendedor Individual? O Empreendedor Individual (EI) é uma oportunidade para quem trabalha, por conta própria, conquistar

Leia mais

TABELA 1 RESI D4 (?) ICM S³ (?) ISS² (?) SEQ SUBCLASSE CNAE 2.0 DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES¹

TABELA 1 RESI D4 (?) ICM S³ (?) ISS² (?) SEQ SUBCLASSE CNAE 2.0 DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES¹ TABELA 1 SEQ SUBCLASSE CNAE 2.0 DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES¹ 1 0161-0/02 Serviço de poda de árvores para lavouras 2 0161-0/03 Serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita 3 0162-8/02 Serviço de tosquiamento

Leia mais

Manual. Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual DASN - SIMEI

Manual. Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual DASN - SIMEI Manual Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual DASN - SIMEI Sumário DASN-SIMEI 1. Definições...2 2. Acesso à Declaração...3 3. Apresentação do Programa...3 4. Requisitos Tecnológicos...4

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 21 DE JANEIRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 21 DE JANEIRO DE 2014. REGULAMENTA O REQUERIMENTO DE ADESÃO AO PROGRAMA DE DOMICÍLIO FISCAL, QUE SE REFERE À LEI COMPLEMENTAR Nº 66, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2013. JOHN KENNEDY

Leia mais

MANUAL DO PROCESSO ELETRÔNICO DE INSCRIÇÃO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI)

MANUAL DO PROCESSO ELETRÔNICO DE INSCRIÇÃO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) MANUAL DO PROCESSO ELETRÔNICO DE INSCRIÇÃO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Organização: Patrícia Bianchi Machado, membro da Secretaria Executiva do Comitê Gestor do Simples Nacional V 3.0 06.12.2012

Leia mais

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae)

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Metodologia Entrevistas por telefone com 9.657 Microempreendedores Individuais feitas em abril de 2015. Análise da base de dados do Microempreendedor Individual

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Eliana Souza de O. Guerrize

SIMPLES NACIONAL. Eliana Souza de O. Guerrize SIMPLES NACIONAL Eliana Souza de O. Guerrize OBJETIVO DO ENCONTRO Breve explanação da legislação Demonstrar alguns procedimentos SIMPLES NACIONAL SIMPLES NACIONAL Regime Especial Unificado de Arrecadação

Leia mais

Anexo Único da Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009 - Códigos previstos na CNAE permitidos para opção pelo SIMEI.

Anexo Único da Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009 - Códigos previstos na CNAE permitidos para opção pelo SIMEI. Anexo Único da Resolução CG nº 58, de 27 de abril de 2009 - Códigos previstos na CAE permitidos para opção pelo IMEI. LEGEDA: () = significa que o imposto será considerado para fins do disposto no 5º do

Leia mais

Simples Nacional: Histórico e Perspectivas

Simples Nacional: Histórico e Perspectivas Simples Nacional: Histórico e Perspectivas Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional SIMPLES NACIONAL GESTÃO COMPARTILHADA Comitê Gestor do Simples Nacional, órgão colegiado

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DA BARRA DO QUARAÍ SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA

PREFEITURA MUNICIPAL DA BARRA DO QUARAÍ SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA SIMPLES MUNICIPAL (LEI MUNICIPAL Nº 1.273/2010) SUMÁRIO Apresentação 03 O que é o Simples Municipal 03 Quem coordena o Simples Municipal 03 Do Registro e Legalização de Empresas 04 Do Alvará 04 Da Sala

Leia mais