UMA QUESTÃODE VIDA OU DE MORTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UMA QUESTÃODE VIDA OU DE MORTE"

Transcrição

1 UMA QUESTÃODE VIDA OU DE MORTE A situação que será descrita baseia-se em CASOS VERÍDICOS sobre homens e mulheres, cuja sobrevivência ou morte decorreu das decisões que tomaram. A vossa vida, ou morte, dependerá do modo como o vosso grupo partilhar os seus conhecimentos actuais sobre um problema relativamente desconhecido, com vista à tomada de decisões que conduzam à vossa sobrevivência. SITUAÇÃO São aproximadamente 14 h 30 min. Estamos no dia 21 de Novembro. O hidroavião em que viajavam acaba de fazer uma aterragem de emergência, na margem Leste do Lago Laura, na região árctica do Norte do Canadá, próximo da fronteira entre Quebec e Terra Nova. Figura 1. Localização do Quebec. Figura 2. Localização de Schefferville. O piloto morreu no desastre, pese embora todos passageiros terem ficado ilesos. Todos ficaram molhados dos pés até à cintura, e transpiraram muito. Pouco depois da aterragem, o avião deslizou para as águas profundas do lago, levando consigo o corpo do piloto. O piloto não teve tempo de enviar uma mensagem pela rádio antes do avião se despenhar. Mesmo assim, de acordo com os pontos de referência geográficos que estão à sua volta, parece que se desviaram cerca de 50 km da sua rota, estando aproximadamente a cerca de 35 km a Este de Schefferville, o vosso destino original e a localidade mais próxima. (O

2 acampamento de mineiros no Lago Hollinger foi abandonado anos atrás depois de um incêndio que destruiu o edifício) Programa Meteorológico em 21.NOV.05 Pancadas de neve Índice UV: mínimo Temperatura máxima: - 6º C Temperatura mínima: - 12º C Programa Meteorológico para os dias seguintes Idêntico Schefferville, é uma pequena vila com 240 habitantes, na Província de Quebeque, onde existe uma antiga mina de ferro (Lat. 54º N; Long. 62º W, altitude de 521 m). Está situada aproximadamente a: Figura 3. Vista aérea de Schefferville. Figura 4. Brasão da vida de Schefferville.

3 Figura 6. Monumento de homenagem ao mineiro de Schefferville. Figuras 4 e 5. Antiga mina de ferro em Schefferville. Está situada aproximadamente a: 500 km ao Norte do Rio e rota marítima de Saint Lawrence, 700 km a Leste da zona das Baías James e Hudson km a Sul do Círculo Ártico 500 km a Oeste do Atlântico. Figura 7. Mapa da região de Schefferville. Figura 8. Mapa da região de Schefferville.

4 As únicas vias de acesso a Schefferville são o avião ou o caminho-de-ferro. Todas as estradas acabam poucos quilómetros à saída da vila. Figura 9. Mapa da região de Schefferville. Figura 10. Aeroporto de Schefferville. * O vosso grupo tinha planeado regressar a Schefferville depois de uma viagem ao Noroeste do Labrador, o mais tardar no dia 5 de Dezembro, e assim o piloto tinha enviado um plano de voo ao Departamento de Transportes, via rádio de Schefferville. A zona imediatamente em volta do local do desastre é coberta com pequenos Pinus sylvestris, com diâmetros de 4-10 cm. Numerosos pequenos montes, com cumes rochosos e desnudados, espalham-se pelas redondezas. Os vales são de tundra (pântanos árcticos) e cobertos unicamente por pequenos arbustos. Aproximadamente 25% da região nesta área é coberta por lagos estreitos e cumpridos que correm de Noroeste para Sudeste. Numerosas ribeiras e riachos ligam os vários lagos. Todos vestem: Roupa interior térmica Camisas de lã grossas Calças Luvas de malha Blusões de couro forrados com pele de carneiro Bonés de malha

5 Botas de caça grossas Em termos colectivos, os bens pessoais incluem: 150 em notas 1 moeda de 2 1 moeda de 1 2 moedas de 50 cêntimo 4 moedas de 20 cêntimo 2 moedas de 10 cêntimo 1 moeda de 5 cêntimo 3 moedas de 1 cêntimo 1 canivete (2 lâminas e 1 furador que se assemelha a um cinzel para cortar gelo 1 lápis de grafite 1 mapa aéreo PROBLEMA Antes do hidroavião se ter afundado, conseguiram salvar 15 ARTIGOS. A vossa tarefa é classificar esses artigos de acordo com a sua importância para a vossa sobrevivência, sendo o mais importante representado por UM (1), e o menos importante por QUINZE (15). LISTA DE ARTIGOS RECUPERADOS DO HIDROAVIÃO 1 Bidão de 4 l com mel 1 Saco-cama para cada pessoa, indicado para baixas temperaturas (composto por penas de ganso e com forro protector) 1 Lona industrial com a dimensão de 6 m x 6 m 1 Machado para cortar gelo 13 Fósforos em madeira, dentro de uma caixa de metal, com fecho de rosca, e à prova de água. 3 Pares de snowshoes 75 m de corda de nylon trançada de 75 mm, com uma resistência de 23 kgf 1 Câmara-de-ar de 35 cm, furada, para um pneumático de avião 1 Kit de barbear com lâminas de barbear de segurança e um espelho 1 Lanterna com 4 pilhas, a funcionar 1 Relógio despertador com corda

6 1 Garrafa de 2,5 dl de Rum Bacardi, com teor alcoólico de 40º 3 Garrafa grande de comprimidos para purificar a água 1 Livro Como Navegar Utilizando a Estrela do Norte 1 Bússola magnética Devem assumir: O número de sobreviventes é igual ao número de participantes na sua equipa São vocês os sobreviventes Todos concordam em ficarem juntos Todos os artigos estão secos e em boas condições 1.ª FASE Individualmente, sem discutir nem a situação nem os artigos com qualquer outra pessoa, CLASSIFIQUE cada artigo de acordo com a sua importância para a sua sobrevivência 2.ª FASE Após fazer a classificação individual, repetir a operação, mas desta vez em grupo. ARTIGO Bidão de 4 l PONT IND PONT GRUPO PONT PERITO PONT IND PER P GR - PER Saco Cama Lona industrial Machado Fósforos Snowshoes Corda de nylon Câmara-de-ar Kit de barbear Lanterna Relógio Garrafa de 25 cl Compridos para H 2 O Livro Bússola

7 CLASSIFICAÇÃO DOS PERITOS 1. Treze Fósforos em madeira dentro de uma caixa de metal com fecho de rosca e à prova de água Considerado pelos peritos como sendo o artigo mais importe de todos. A protecção do frio e uma fonte de fogo é um dos problemas chave que tem de ser resolvido. Enquanto é possível fazer fogo por outros meios, são de pouca confiança em mão de pessoas não peritas na matéria. Uma fogueira à noite pode servir de sinal e neste caso, visto que o terreno neste local é alto, poderia ser visto pelos aviões que aterram e deslocam do aeroporto de Schefferville. 2. O machado O abastecimento contínuo de madeira cortada é necessário para manter a fogueira. Este artigo pode ser o mais utilizado de todos. É útil para abrir uma clareira e limpar a área do acampamento, para cortar ramos de árvore para isolar o solo e/ou para construir a armação de um abrigo, e para talhar carne no caso em que se mata um caribu, um urso, ou um alce. 3. A lona industrial com a dimensão de 6 m x 6 m. Os ventos predominantemente fortes (13-15 nós) que se fazem sentir nesta zona requerem algum tipo de protecção. A lona pode servir para proteger dos elementos chuva, neve, queda de chuva com neve. Esticada numa armação de ramos e atada como uma corda funciona como uma tenda ou um bom cobertor do solo. Como para-vento, retém o calor. Esticada, o seu tamanho faz um excelente contraste com o terreno envolvente e facilita a sua detecção pelos meios aéreos de socorro. 4. Um saco-cama por pessoa (típico árctico, recheado de penas de ganso e com forro protector) A possibilidade de ter que ficar 14 noites na região árctica faz deste tipo de saco-cama (garantido para temperaturas até -30º C) um elemento chave para a sobrevivência. Deve-se tomar o cuidado de manter os sacos sempre secos.

8 5. Um bidão metálico com 4 litros de mel Este artigo representa dois elementos da sobrevivência. O mel é uma fonte de energia rápida e de alimento. O bidão, sendo utilizado para cozinhar e para buscar água, pode ser um elemento crítico. Visto que a comida será um problema e limitará as deslocações, qualquer fonte de alimento é de valor. Visto que a maioria das plantas nas regiões árcticas são comestíveis (evitar a cicuta e os cogumelos), especialmente depois de fervidas, o depósito também é importante. ~ m de corda de nylon trançada de 75 m, com uma resistência de 23 kgf. A corda de nylon pode ser utilizada para atar troncos em apoio ao abrigo ou para atar a lona entre árvores. Fios de corda podem servir como linha de pesca. Com a corda, constroem-se vários tipos de armadilhas para animais. Também pode ser utilizada num arco ou para pendurar carne e peixe dos ramos, fora do alcance de predadores (ursos ou lobos árcticos). Também serve para construir uma rede de pesca. 7. Três pares de snowshoes A capacidade de viajar no árctico está relacionada com o equipamento disponível para atravessar a neve, visto que rios e lagos cobertos de gelo constituem obstáculos sérios. No início, os snowshoes são úteis para viajar em volta do acampamento em busca de caça. Embora não haja pares suficientes para todos, snowshoes improvisadas podem ser feitas de corda e ramos para as deslocações depois da vinda do grande gelo (aproximadamente 1 de Dezembro). Os rios são as autoestradas do Norte, tanto de Verão como no Inverno, mas não na Primavera nem no Outono. Para viajar, a neve deve estar coberta de uma pequena camada de neve gelada, caso contrário, é demasiadamente macia e fisicamente desgastante. 8. Uma câmara-de-ar de 35 cm para um pneumático de avião (furada) Qualquer pessoa no grupo pode fabricar uma fisga com um bocado da câmara-de-ar. Muitos são os pássaros na zona durante o longo Inverno, mesmo corujas, corvos, e ptármigas dos rochedos e matá-las com pedras ou com uma fisga. Tiras desta câmara-de-ar de borracha na fogueira produzem um fumo preto, denso, para criar um sinal imediato e eficaz. Tiras desta também podem servir para fazer molas para as armadilhas.

9 9. Kit de barbear com lâminas de barbear de segurança e um espelho O espelho é o artigo mais potente que têm para comunicar a vossa presença, sempre que há Sol. Na luz do Sol, um pequeno espelho pode ter um poder luminoso equivalente a 5-7 milhões de velas. Nesta zona, contudo, em ¾ do tempo, o céu está encoberto com nuvens grossas, com uma média de 1 dia em 10 com Sol. As lâminas de barbear podem ser utilizadas, tal como o canivete, para cortar. 10. Lanterna com 4 pilhas, funcional Devido ao provável longo período de tempo antes da chegada dos socorros, a lanterna será necessária como fonte de luz de emergência, juntamente com a fogueira. Caso contrário, pode ser mantido em reserva como sinal de presença durante a noite. A eficácia das pilhas será reduzida com a queda da temperatura ambiente. 11. Garrafa de 250 cc. de Rum Bacardi (40º de teor alcoólico) O rum pode ser utilizado com fins medicinais, como anestésico, ou desinfectante. O seu conteúdo em álcool pode ajudar em acender uma fogueira. A garrafa pode ser útil para levar água. O seu maior valor, provavelmente, seria como um estimulante da moral do grupo um pequeno golo de rum no fim do dia, quando o grupo se junta para rever os acontecimentos do dia findo e fazer planos para o dia seguintes. 12. Relógio despertador de corda O relógio despertador pode ser utilizado com vários fins, embora alguns contradigam outros. Se mantido como marcador de tempo, é utilizado para determinar o Norte (às 14 h 50 min, coloca-se o ponteiro dos minutos em linha com o Sol, marca-se esta posição com um pau, e o Norte situa-se entre as 7 e 8 horas na face do relógio, nesta zona do Canadá). O vidro que cobre a face, intacto, pode ser utilizado para assinalar. Utilizem o relógio para estabelecer uma rotina no acampamento, para assinalar, por turnos (alimentar a fogueira). Se for desmantelado, as suas peças podem servir como anzóis ou iscas para pescar. 13. Bússola magnética Este tipo de bússola é pouco fiável nesta zona visto a sua proximidade com o pólo magnético. Também os depósitos subterrâneos de ferro produzem grandes variações na sua leitura. Um perito, muito conhecedor desta zona, diz que aqui é impossível andar 100 m e regressar ao ponto de partida com a ajuda deste tipo de bússola.

10 14. Um livro intitulado Como Navegar Utilizando a Estrela do Norte Pode ser útil para começar uma fogueira, como passatempo, ou para limpar o rabo. Visto que as instruções dadas pelo livro só podem ser seguidas de noite, seria perigoso utilizá-lo como ferramenta de navegação. A navegação pela Estrela do Norte no árctico não é fiável. Essa estrela encontra-se tão alta no céu, que é difícil determinar as direcções. 15. Uma garrafa grande de comprimidos para purificar a água A água nesta zona é tão fresca e pura como a mais pura neste mundo. A garrafa, contudo, poderia servir para algo. De um modo geral, a água nos lagos tem um teor de calcário ligeiramente inferior ao da água dos rios.

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA Ficha Técnica no. 5.2 Atividade Principal no. 5.2 PREPARAÇÃO PARA UM DESASTRE Objetivo da : 5 Os escoteiros estão trabalhando para um mundo onde as pessoas estejam preparadas para responder aos perigos

Leia mais

Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso!

Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso! Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso! Os restos de comida, as folhas do jardim ou as plantas secas do quintal ganham vida nova através de um processo

Leia mais

Cartilha de cuidados em situações de desastre

Cartilha de cuidados em situações de desastre Cartilha de cuidados em situações de desastre Essa cartilha tem por finalidade trazer conselhos úteis para que as pessoas se previnam da melhor forma diante de desastres naturais. Não possui qualquer vínculo

Leia mais

Artigos Técnicos v.out/2009

Artigos Técnicos v.out/2009 Artigos Técnicos Sendo a MONTANHA o meio onde desenvolvemos as nossas actividades, não podemos ignorar que o montanhismo, devido ao ambiente onde decorre, apresenta uma série de riscos que devemos conhecer,

Leia mais

VII Lean Six Sigma Summit 2012 - IQPC Equipes Lean Six Sigma de Alto Desempenho Conseguindo o máximo de desempenho das equipes

VII Lean Six Sigma Summit 2012 - IQPC Equipes Lean Six Sigma de Alto Desempenho Conseguindo o máximo de desempenho das equipes VII Lean Six Sigma Summit 2012 - IQPC Equipes Lean Six Sigma de Alto Desempenho Conseguindo o máximo de desempenho das equipes Alberto Pezeiro Sócio Fundador & CEO pezeiro@setadg.com.br (11) 8110-0026

Leia mais

BIOMAS DO MUNDO TUNDRA, TAIGA E FLORESTAS TEMPERADAS. Aula III

BIOMAS DO MUNDO TUNDRA, TAIGA E FLORESTAS TEMPERADAS. Aula III B I O G E O G R A F I A BIOMAS DO MUNDO TUNDRA, TAIGA E FLORESTAS TEMPERADAS 2011 Aula III AS PRINCIPAIS FORMAÇÕES VEGETAIS DO PLANETA TUNDRA O termo Tundra deriva da palavra finlandesa Tunturia, que significa

Leia mais

Fogão Foguete. Funcionamento

Fogão Foguete. Funcionamento Circular: ACAREG/ERP 001 13-06-2015 Assunto: Material de Equipa / Individual Caros Pioneiros! Aproxima-se a passos largos a chegada da grande actividade o ACAREG, por isso, convidámo-vos a serem guerreiros

Leia mais

Como podes realizar um acampamento na tua escola

Como podes realizar um acampamento na tua escola A Educação Física está intimamente ligada com a Natureza. São bem exemplo desta afirmação modalidades como a canoagem, a vela, a escalada, o montanhismo, o campismo, entre outras. O campismo é uma forma

Leia mais

Hoje vamos falar de... ENERGIA

Hoje vamos falar de... ENERGIA Hoje vamos falar de... ENERGIA A ENERGIA ESTÁ EM TODO O LADO. OS CARROS ANDAM COM A ENERGIA ARMAZENADA NA GASOLINA MUITOS BRINQUEDOS SÃO MOVIDOS COM A ENERGIA ARMAZENADA NAS PILHAS. OS BARCOS À VELA SÃO

Leia mais

A QUEDA DO AVIÃO. Reunião de Seção. Área de Desenvolvimento enfatizada: FÍSICO. Ramo: Sênior. Mês recomendado para desenvolver a reunião: Qualquer mês

A QUEDA DO AVIÃO. Reunião de Seção. Área de Desenvolvimento enfatizada: FÍSICO. Ramo: Sênior. Mês recomendado para desenvolver a reunião: Qualquer mês Reunião 01 Reunião de Seção A QUEDA DO AVIÃO Área de Desenvolvimento enfatizada: FÍSICO Ramo: Sênior Mês recomendado para desenvolver a reunião: Qualquer mês Explicação sobre o tema: O fundo motivador

Leia mais

Volodymyr Goinyk/ Shutterstock. Regiões polares. Homens navegam nas águas geladas da Antártida.

Volodymyr Goinyk/ Shutterstock. Regiões polares. Homens navegam nas águas geladas da Antártida. Volodymyr Goinyk/ Shutterstock Regiões polares Homens navegam nas águas geladas da Antártida. Localização das regiões polares Localizam-se nas extremidades norte e sul da Terra, entre os polos e os círculos

Leia mais

Clima e Formação Vegetal. O clima e seus fatores interferentes

Clima e Formação Vegetal. O clima e seus fatores interferentes Clima e Formação Vegetal O clima e seus fatores interferentes O aquecimento desigual da Terra A Circulação atmosférica global (transferência de calor, por ventos, entre as diferentes zonas térmicas do

Leia mais

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.:

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= TEMPO ATMOSFÉRICO

Leia mais

Exercícios Tipos de Chuvas e Circulação Atmosférica

Exercícios Tipos de Chuvas e Circulação Atmosférica Exercícios Tipos de Chuvas e Circulação Atmosférica 1. De acordo com as condições atmosféricas, a precipitação pode ocorrer de várias formas: chuva, neve e granizo. Nas regiões de clima tropical ocorrem

Leia mais

MEDIDAS DE PREVENÇÃO E AUTOPROTECÇÃO

MEDIDAS DE PREVENÇÃO E AUTOPROTECÇÃO MEDIDAS DE PREVENÇÃO E AUTOPROTECÇÃO Os sismos são fenómenos naturais que não se podem prever nem evitar. Os seus efeitos podem ser minimizados com comportamentos adequados. Há que saber agir correctamente.

Leia mais

Meio Ambiente: Piloto Automático O Piloto Automático é uma ótima opção e pode economizar gasolina, mas você tem que usá-lo de forma segura.

Meio Ambiente: Piloto Automático O Piloto Automático é uma ótima opção e pode economizar gasolina, mas você tem que usá-lo de forma segura. Visão Geral Família e Passageiros: Roupas Reflexivas Quanto mais claro e brilhante, melhor! É isso mesmo, quanto mais brilhante e clara for sua roupa, melhor são suas chances de ser visto. Segurança Pessoal:

Leia mais

COLÉGIO SÃO JOSÉ PROF. JOÃO PAULO PACHECO GEOGRAFIA 1 EM 2011

COLÉGIO SÃO JOSÉ PROF. JOÃO PAULO PACHECO GEOGRAFIA 1 EM 2011 COLÉGIO SÃO JOSÉ PROF. JOÃO PAULO PACHECO GEOGRAFIA 1 EM 2011 O Sol e a dinâmica da natureza. O Sol e a dinâmica da natureza. Cap. II - Os climas do planeta Tempo e Clima são a mesma coisa ou não? O que

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCANDO PARA UM AMBIENTE MELHOR Apresentação A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte SEMARH produziu esta

Leia mais

Separar as peças susceptíveis de serem oxidadas (rebites,gutos, botões) e eliminar manchas de óxido com tira nódoas adequado antes de lavar.

Separar as peças susceptíveis de serem oxidadas (rebites,gutos, botões) e eliminar manchas de óxido com tira nódoas adequado antes de lavar. CUIDADOS GERAIS Leia atentamente as etiquetas da roupa. Respeite sempre as indicações dos fabricantes das máquinas de lavar. Dissolva bem os detergentes para que não causem nódoas e utilize detergentes

Leia mais

Téc. Caminhada, Graduação / Classificações, Acampamento, Logística e Ética

Téc. Caminhada, Graduação / Classificações, Acampamento, Logística e Ética Téc. Caminhada, Graduação / Classificações, Acampamento, Logística e Ética CLASSIFICAÇÃO - MODELO AMERICANO Classe 1 * Caminhada. Uso de trilhas simples e demarcadas, pode haver inclinação mas não há a

Leia mais

GEOGRAFIA. Professora Bianca

GEOGRAFIA. Professora Bianca GEOGRAFIA Professora Bianca TERRA E LUA MOVIMENTO DA LUA MOVIMENTOS DA TERRA TEMPO E CLIMA Tempo é o estado da atmosfera de um lugar num determinado momento. Ele muda constantemente. Clima é o conjunto

Leia mais

Inundações. Autoprotecção

Inundações. Autoprotecção Qualidade Vida C Â M A R A M U N I C I P A L Inundações Autoprotecção Inundações AUTOPROTECÇÃO Algumas inundações podem prever-se através da análise das condições meteorológicas, níveis de água nos rios

Leia mais

Informações aos Utentes

Informações aos Utentes Informações aos Utentes Informações aos Utentes Nos distritos de Bragança, Guarda, Vila Real e Viseu, o Inverno é um desafio para os condutores. A segurança é uma prioridade da Estradas de Portugal, na

Leia mais

O Canadá é um país de contraste: uma extensa área (9.976.139 km 2 ) e um pequeno número de habitantes pouco mais de 30 milhões.

O Canadá é um país de contraste: uma extensa área (9.976.139 km 2 ) e um pequeno número de habitantes pouco mais de 30 milhões. Canadá O Canadá é um país de contraste: uma extensa área (9.976.139 km 2 ) e um pequeno número de habitantes pouco mais de 30 milhões. 1 A ocupação é dificultada principalmente no norte do país devido

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume II Locais e Postos de trabalho um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. BOLETIM INFORMATIVO DO VIGIAR/RS VIGIAR/NVRAnB/DVAS/CEVS/SES-RS (nº 08/2013 de 05/03/2013)

CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. BOLETIM INFORMATIVO DO VIGIAR/RS VIGIAR/NVRAnB/DVAS/CEVS/SES-RS (nº 08/2013 de 05/03/2013) Objetivo do Boletim CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE BOLETIM INFORMATIVO DO VIGIAR/RS VIGIAR/NVRAnB/DVAS/CEVS/SES-RS (nº 08/2013 de 05/03/2013) Disponibilizar informações do Instituto Nacional de

Leia mais

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO.

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO E DESIGN DISCIPLINA: CONFORTO AMBIENTAL 1 ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. ARQUITETOS: KAZUYO SEJIMA E

Leia mais

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA AS ÁGUAS DE SUPERFÍCIE Os rios são cursos naturais de água doce. Eles podem se originar a partir do derretimento de neve e de geleiras, de um lago ou das águas das

Leia mais

1º Boletim : Informação sobre os métodos de avaliação e material de estudo para os eventos

1º Boletim : Informação sobre os métodos de avaliação e material de estudo para os eventos 1º Boletim : Informação sobre os métodos de avaliação e material de estudo para os eventos COMO SERÃO FEITAS AS AVALIAÇÃOES Os requisitos gerais, espirituais, área de acampamento e disciplina, serão avaliados

Leia mais

Caixa d Água. Materiais necessários. Anotações. 0800 771 0001 odebrechtambiental.com odebrecht.amb

Caixa d Água. Materiais necessários. Anotações. 0800 771 0001 odebrechtambiental.com odebrecht.amb Materiais necessários Separe todo o material que será utilizado para a limpeza do seu reservatório. Anotações Papai, precisamos separar o material de limpeza. Claro, filha! Caixa d Água SAIBA COMO LIMPAR

Leia mais

A dinâmica do relevo terrestre e A hidrografia terrestre

A dinâmica do relevo terrestre e A hidrografia terrestre 1 O relevo terrestre é formado e modelado pela ação de diversos agentes internos (movimentos tectônicos, vulcanismo, terremoto) e externos (ação das águas, do vento e do próprio homem). Explique de que

Leia mais

Floresta Temperada é um bioma típico do hemisfério norte situado abaixo da Taiga, mais precisamente no leste da América do Norte, Europa, leste da

Floresta Temperada é um bioma típico do hemisfério norte situado abaixo da Taiga, mais precisamente no leste da América do Norte, Europa, leste da Floresta Temperada é um bioma típico do hemisfério norte situado abaixo da Taiga, mais precisamente no leste da América do Norte, Europa, leste da Ásia (Coreia, Japão, e partes da China), sul da Austrália

Leia mais

ATPS. Exercícios resolvidos. Engenharia de Controle e Automação Fenômenos de Transporte I

ATPS. Exercícios resolvidos. Engenharia de Controle e Automação Fenômenos de Transporte I ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Engenharia de Controle e Automação Fenômenos de Transporte I ATPS Exercícios resolvidos DESAFIO II Julio Cesar Moreira Jonatan Wemerson Andre Alexandre de Barros Célio

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE FELGUEIRAS Matemática para a Vida EFA Nível B3. Tema de vida: Armando Jorge Cunha Página 1

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE FELGUEIRAS Matemática para a Vida EFA Nível B3. Tema de vida: Armando Jorge Cunha Página 1 Tema de vida: Nome do Formando: Data: / / Armando Jorge Cunha Página 1 EXERCÍCIOS: 1. Calcule a área dos quadrados e rectângulos representados na figura: 2. As figuras seguintes representam terrenos agrícolas.

Leia mais

MÉTODOS DE PROTEÇÃO CONTRA GEADAS EM CAFEZAIS EM FORMAÇÃO

MÉTODOS DE PROTEÇÃO CONTRA GEADAS EM CAFEZAIS EM FORMAÇÃO MÉTODOS DE PROTEÇÃO CONTRA GEADAS EM CAFEZAIS EM FORMAÇÃO Paulo Henrique Caramori, Armando Androcioli Filho, Francisco Carneiro Filho, Dalziza de Oliveira, Heverly Morais, Alex Carneiro Leal e Jonas Galdino.

Leia mais

REVISÃO PARA AV1 Unidade 1 Cap. 1

REVISÃO PARA AV1 Unidade 1 Cap. 1 REVISÃO PARA AV1 Unidade 1 Cap. 1 Continente Americano Prof. Ivanei Rodrigues Teoria sobre a formação dos continentes Transformação da crosta terrestre desde a Pangeia até os dias atuais. A Teoria da

Leia mais

A água. Alexandra Daniela

A água. Alexandra Daniela A água Novembro de 2007 Alexandra Daniela Luciana 12 1 Essa água poluída pode matar peixes e outros animais que a bebem e provocar doenças nas pessoas. Também faz com que as reservas de água potável (que

Leia mais

BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES

BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES Nome: Data: / / 2015 ENSINO FUNDAMENTAL Visto: Disciplina: Natureza e Cultura Ano: 1º Lista de Exercícios de VC Nota: BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES QUANDO OS PORTUGUESES CHEGARAM AO BRASIL, COMANDADOS

Leia mais

A importância do continente europeu reside no fato de este ter

A importância do continente europeu reside no fato de este ter Conhecido como velho mundo, o continente europeu limitase a oeste com o Oceano Atlântico, ao sul com o Mediterrâneo, ao norte com o oceano Glacial Ártico e a leste com a Ásia, sendo que os Montes Urais

Leia mais

vegetação massas líquidas latitude altitude maritimidade

vegetação massas líquidas latitude altitude maritimidade Fatores Climáticos: vegetação massas líquidas latitude altitude maritimidade correntes marítimas disposição do relevo. CORRENTES MARÍTIMAS Radiação Solar TIPOS DE CHUVAS 1- Massa de Ar Equatorial Amazônica:

Leia mais

Dia da Conservação do Solo - 15 de Abril

Dia da Conservação do Solo - 15 de Abril Dia da Conservação do Solo - 15 de Abril Tema: Comemoração do Dia da Conservação do Solo Destinatários: Crianças dos 6 aos 10 anos - 1º ciclo Objectivo: Pretende-se que no final das actividades as crianças

Leia mais

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Curso: EF II Ano: 9º ano A/B Componente Curricular: Ciências Naturais Professor: Mario

Leia mais

COLÉGIO SÃO JOSÉ PROF. JOÃO PAULO PACHECO GEOGRAFIA 1 EM 2011. Correntes marítimas

COLÉGIO SÃO JOSÉ PROF. JOÃO PAULO PACHECO GEOGRAFIA 1 EM 2011. Correntes marítimas COLÉGIO SÃO JOSÉ PROF. JOÃO PAULO PACHECO GEOGRAFIA 1 EM 2011 Correntes marítimas Correntes marítimas Nas aulas anteriores aprendemos sobre a importância do Sol em nossas vidas. Revimos os movimentos da

Leia mais

Importância do ar para os seres vivos

Importância do ar para os seres vivos Importância do ar para os seres vivos A ATMOSFERA A atmosfera éconstituída por várias camadas. Cada camada tem características próprias: TROPOSFERA: Éa camada mais próxima da terra. Éconstituída por uma

Leia mais

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos.

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos. Óptica Os fenômenos ópticos que observamos através do nosso aparelho de visão (Olho Humano) são todos devidos às propriedades da luz. Para estudarmos a óptica, ou seja, os efeitos sofridos pela luz, utilizaremos

Leia mais

Disciplina de Tecnologia Pós-colheita Mestrado em Ciência e Tecnologia Pós-colheita Faculdade de Ciências, Universidade do Porto

Disciplina de Tecnologia Pós-colheita Mestrado em Ciência e Tecnologia Pós-colheita Faculdade de Ciências, Universidade do Porto 1 Transporte Disciplina de Tecnologia Pós-colheita Mestrado em Ciência e Tecnologia Pós-colheita Faculdade de Ciências, Universidade do Porto Domingos Almeida Transporte terrestre 2 Paletização (Thompson

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA AS ONDAS DE CALOR 2008 RECOMENDAÇÕES SOBRE VESTUÁRIO APROPRIADO EM PERÍODOS DE TEMPERATURAS ELEVADAS Nº: 21/DA DATA: 07/08/08 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos

Leia mais

CAPÍTULO 4 DESASTRES NATURAIS

CAPÍTULO 4 DESASTRES NATURAIS CAPÍTULO 4 DESASTRES NATURAIS Quando vimos na TV o acontecimento do Tsunami, em 2004, pensamos: O mundo está acabando! Mas por que esses desastres naturais estão, cada vez mais, assolando nosso planeta?

Leia mais

GEOGRAFIA DO RIO GRANDE DO SUL

GEOGRAFIA DO RIO GRANDE DO SUL GEOGRAFIA DO RIO GRANDE DO SUL 1. Posição e situação geográfica. O Rio Grande do Sul é o estado mais meridional do Brasil, localiza-se no extremo sul do país. Tem um território de 282.062 km 2, ou seja,

Leia mais

Prof. Janderson Barros

Prof. Janderson Barros A palavra deriva do grego árktos, que significa ursa, usada para denominar as constelações da Ursa, no hemisfério norte. Como o continente está no hemisfério sul, acrescentou-se o prefixo anti. Antártida

Leia mais

ANEXO NOTIFICAÇÃO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL SOLICITAÇÃO DE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL

ANEXO NOTIFICAÇÃO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL SOLICITAÇÃO DE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL ANEXO NOTIFICAÇÃO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL SOLICITAÇÃO DE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL A: Tel:( ) Em caso de emergência somente: ( ) Fax: ( )...ou (...)... Correio eletrônico: Internet: http://www. De: Nome:

Leia mais

Traçando os caminhos

Traçando os caminhos A UU L AL A Traçando os caminhos Hoje vamos aprender a traçar o caminho entre dois lugares. Já sabemos como encontrar no mapa um lugar que procuramos. Agora, é preciso decidir qual a melhor maneira de

Leia mais

Intro. O Banco BiG decidiu proteger cada um dos 95 bombeiros voluntários de Carregal do Sal, adquirindo equipamentos de combate a fogos que incluem:

Intro. O Banco BiG decidiu proteger cada um dos 95 bombeiros voluntários de Carregal do Sal, adquirindo equipamentos de combate a fogos que incluem: Intro. O Banco BiG decidiu proteger cada um dos 95 bombeiros voluntários de Carregal do Sal, adquirindo equipamentos de combate a fogos que incluem: _Casaco _Calças _Botas _Luvas _Cógula Estes equipamentos

Leia mais

MEDIDAS E CONTRAMEDIDAS CONTRA DESASTRES

MEDIDAS E CONTRAMEDIDAS CONTRA DESASTRES Os três irmãos Tasuke MEDIDAS E CONTRAMEDIDAS CONTRA DESASTRES Este material foi confeccionado com a subvenção do Conselho de Órgãos Autônomos Locais para a Internacionalização 1. Preparativos para a evacuação

Leia mais

A estrutura do nosso corpo foi "projetada" para suportar o nosso peso. A mochila é, portanto, uma carga extra.

A estrutura do nosso corpo foi projetada para suportar o nosso peso. A mochila é, portanto, uma carga extra. Arrumar a Mochila Corpo Nacional de Escutas Agrupamento 143 S. Mamede de Infesta A estrutura do nosso corpo foi "projetada" para suportar o nosso peso. A mochila é, portanto, uma carga extra. Graças à

Leia mais

Aquecedor Solar Tubos de Vácuo.

Aquecedor Solar Tubos de Vácuo. Aquecedor Solar Tubos de Vácuo. Manual de instalação Ultrasolar Tel: (11) 3361 3328 Fax: (11) 3361 5810 www.ultrasolar.com.br Aquecedor Solar de Agua. Os aquecedores solares de água a vácuo Ultrasolar,

Leia mais

TERMO DE CIÊNCIA. Declaro também que tenho ciência sobre os seguintes pontos: Acomodação

TERMO DE CIÊNCIA. Declaro também que tenho ciência sobre os seguintes pontos: Acomodação TERMO DE CIÊNCIA Declaro, estar ciente de que se trata de atividade de esporte de aventura no exterior e que será realizada em ambientes naturais, muitas vezes isolados e de difícil acesso para resgate,

Leia mais

2. ESTADO DE CONSERVAÇÃO DA ESTRADA

2. ESTADO DE CONSERVAÇÃO DA ESTRADA Relatório do Reconhecimento de Campo da BR-319, Voltado à Elaboração dos Planos de Manejo das Unidades de Conservação Federal do Interflúvio Purus-Madeira 1. INTRODUÇÃO Entre os dias 4 e 8 de novembro

Leia mais

A brisa do mar está ótima!

A brisa do mar está ótima! A brisa do mar está ótima! Mais um fim de semana. Cristiana e Roberto vão à praia e convidam Maristela para tomar um pouco de ar fresco e de sol, e tirar o mofo! É verão e o sol já está bem quente. Mas

Leia mais

Linha de transmissão. O caminho da energia elétrica

Linha de transmissão. O caminho da energia elétrica Linha de transmissão O caminho da energia elétrica Olá! Nós somos a Anglo American, uma empresa global de mineração com mais de 100 anos de história. Aqui no Brasil, nos estados de Minas Gerais e do Rio

Leia mais

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS P O U P A R AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO Caso tenha ar condicionado nos quartos ou áreas comuns do empreendimento,

Leia mais

Como fazer o seu próprio escudo medieval

Como fazer o seu próprio escudo medieval Dark Ages - idade média www.sec11.cjb.net goshinryukempo@hotmail.com Idade média Como fazer o seu próprio escudo medieval Existem dois métodos, um simples e o outro bem mais elaboro. 1. O método simples:

Leia mais

Frio» Recomendações gerais

Frio» Recomendações gerais No domicílio Antes do Inverno, verifique os equipamentos de aquecimento da sua casa; Se tiver lareira mande limpar a chaminé, se necessário; Mantenha a casa arejada, abrindo um pouco a janela/porta para

Leia mais

Situado na: Rua Cruz de Portugal, Edifício Avenida, loja C

Situado na: Rua Cruz de Portugal, Edifício Avenida, loja C Designação do estabelecimento: MegaExpansão LDA. Situado na: Rua Cruz de Portugal, Edifício Avenida, loja C 8300-135 Silves Telefone: 282441111 Localização geográfica Sul Estrada Nacional 124 Norte Este

Leia mais

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu 5 L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu subir monte, pés d Eu molhados em erva fria. Não haver erva em cima em monte. Só haver terra, em volta, monte como cabeça de homem sem cabelo.

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com BIOMAS É um conjunto de vários ecossistemas, que possuem certo nível de homogeneidade. Composto pelo fatores bióticos

Leia mais

Incêndio. quilómetros, devido aos seus fumos negros e densos

Incêndio. quilómetros, devido aos seus fumos negros e densos Incêndio A propagação de um incêndio depende das condições meteorológicas (direcção e intensidade do vento, humidade relativa do ar, temperatura), do grau de secura e do tipo do coberto vegetal, orografia

Leia mais

CAPÍTULO 13 OS CLIMAS DO E DO MUNDOBRASIL

CAPÍTULO 13 OS CLIMAS DO E DO MUNDOBRASIL CAPÍTULO 13 OS CLIMAS DO E DO MUNDOBRASIL 1.0. Clima no Mundo A grande diversidade verificada na conjugação dos fatores climáticos pela superfície do planeta dá origem a vários tipos de clima. Os principais

Leia mais

Reciclagem de Lixo. 38 Introdução a Reciclagem. Saneamento ecológico. Reciclagem 38 - Introdução a Reciclagem

Reciclagem de Lixo. 38 Introdução a Reciclagem. Saneamento ecológico. Reciclagem 38 - Introdução a Reciclagem Reciclagem 38 - Introdução a Reciclagem 99 5 Reciclagem de Lixo 38 Introdução a Reciclagem Neste capítulo vamos tratar dois tipos de reciclagem: a reciclagem de nutrientes através de saneamento ecológico,

Leia mais

Dicas de Segurança II

Dicas de Segurança II Dicas de Segurança II Ao Viajar Casa ou apartamento Não comente sua viagem com pessoas estranhas por perto. Avise a um vizinho de confiança sobre a sua viagem. Se possível, deixe um número de telefone

Leia mais

Para que possam oferecer a protecção adequada os produtos deverão ser:

Para que possam oferecer a protecção adequada os produtos deverão ser: proteção facial Proteção Facial Porquê o uso de viseiras? As viseiras são concebidas para proteger os olhos e o rosto. A protecção pode ser conferida através de uma rede metálica de malha fina ou em material

Leia mais

Rovaniemi. Ponte de Dezembro, Natal e Reveillon. www.viagenstempo.pt

Rovaniemi. Ponte de Dezembro, Natal e Reveillon. www.viagenstempo.pt Ponte de Dezembro, Natal e Reveillon www.viagenstempo.pt Informação importante Ponte de Dezembro, Natal e Fim de Ano na Finlândia Se existe um lugar na terra onde o inverno é vida pura, é na Finlândia.

Leia mais

Tsunamis INTERNATIONAL CENTRE FOR COASTAL ECOHYDROLOGY. Oficina da Prevenção das Catástrofes Naturais Departamento Educacional do ICCE

Tsunamis INTERNATIONAL CENTRE FOR COASTAL ECOHYDROLOGY. Oficina da Prevenção das Catástrofes Naturais Departamento Educacional do ICCE Tsunamis Um tsunami caracteriza-se por uma série de ondas destruidoras e poderosas. Ocorrem após perturbações abruptas que deslocam verticalmente a coluna de água, tais como um sismo, atividade vulcânica,

Leia mais

GRANDES BIOMAS DO MUNDO

GRANDES BIOMAS DO MUNDO GRANDES BIOMAS DO MUNDO O que é bioma? É um conjunto de ecossistemas terrestres com vegetação característica e fisionomia típica, onde predomina certo tipo de clima. Regiões da Terra com latitudes coincidentes,

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM FÍSICA TÉRMICA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM FÍSICA TÉRMICA http://www.labfis.net FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM FÍSICA TÉRMICA Texto completo de Física Térmica encontra-se disponível no endereço: http://www.if.ufrgs.br/public/tapf/v20n5_marques_araujo.pdf

Leia mais

Lâmpadas. Ar Condicionado. Como racionalizar energia eléctrica

Lâmpadas. Ar Condicionado. Como racionalizar energia eléctrica Como racionalizar energia eléctrica Combater o desperdício de energia eléctrica não significa abrir mão do conforto. Pode-se aproveitar todos os benefícios que a energia oferece na medida certa, sem desperdiçar.

Leia mais

7 fornos solares ÍNDICE

7 fornos solares ÍNDICE ÍNDICE constituição e tipologias -2 materiais -3 orientação do forno -4 concentração da radiação e armazenamento de calor -5 avaliação de desempenho -6 experiência 1 - experiência 2-8 experiência 3-9 para

Leia mais

Metro-light. toldos de fachada manual de instalação

Metro-light. toldos de fachada manual de instalação Metro-light toldos de fachada manual de instalação Metro-light toldos de fachada manual de instalação Instruções gerais e de segurança Leia as instruções de montagem Apesar dos produtos Stobag serem de

Leia mais

INTERNATIONAL ORIENTEERING FEDERATION. Sinalética IOF 2004

INTERNATIONAL ORIENTEERING FEDERATION. Sinalética IOF 2004 INTERNATIONAL ORIENTEERING FEDERATION Sinalética IOF 2004 Sinalética IOF Em vigor a partir de 1 Janeiro 2004 Principais alterações à versão de 1990: 1) Nomes e descrições tornados compatíveis com a terminologia

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ESCOLA NÁUTICA FABIO REIS METEOROLOGIA

FUNDAMENTOS DE ESCOLA NÁUTICA FABIO REIS METEOROLOGIA FUNDAMENTOS DE ESCOLA NÁUTICA FABIO REIS METEOROLOGIA Prof. Fabio Reis 2004 FUNDAMENTOS BÁSICOS DA METEOROLOGIA ATMOSFERA E AQUECIMENTO DA TERRA pg.- 02 VAPOR DE ÁGUA - NUVENS pg.- 20 PRESSÃO CARTA SINÓTICA

Leia mais

PROGNÓSTICO CLIMÁTICO. (Fevereiro, Março e Abril de 2002).

PROGNÓSTICO CLIMÁTICO. (Fevereiro, Março e Abril de 2002). 1 PROGNÓSTICO CLIMÁTICO (Fevereiro, Março e Abril de 2002). O Instituto Nacional de Meteorologia, órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com base nas informações de análise e prognósticos

Leia mais

Visita de Estudo ao Perímetro Florestal da Serra do Marão. Março de 2010 UTAD. Desenvolvimento Rural

Visita de Estudo ao Perímetro Florestal da Serra do Marão. Março de 2010 UTAD. Desenvolvimento Rural Março de 2010 UTAD Visita de Estudo ao Perímetro Florestal da Serra do Marão Desenvolvimento Rural Nuno Novais nº34001 Cláudio Lourenço nº 33999 André Ferreira nº34842 Luís Resende nº35462 Introdução O

Leia mais

AMÉRICA: ASPECTOS NATURAIS E TERRITORIAIS

AMÉRICA: ASPECTOS NATURAIS E TERRITORIAIS AMÉRICA: ASPECTOS NATURAIS E TERRITORIAIS Tema 1: A América no mundo 1. Um continente diversificado A América possui grande extensão latitudinal e, por isso, nela encontramos diversas paisagens. 2. Fatores

Leia mais

física EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014

física EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 física Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Leia mais

Pacote Seringueira (02 dias / 01 noite)

Pacote Seringueira (02 dias / 01 noite) Pacote Seringueira (02 dias / 01 noite) / cinza, e pesca de piranha. Jantar às 19h00. Após o Jantar focagem de jacarés e observação de animais noturnos. 2º dia: 05h30 - Observação do nascer do sol e pássaros.

Leia mais

ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR EDUCAÇÃO CÍVICA E PORTUGUÊS. 3.º Período - Abril

ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR EDUCAÇÃO CÍVICA E PORTUGUÊS. 3.º Período - Abril ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR EDUCAÇÃO CÍVICA E PORTUGUÊS 3.º Período - Abril Ano/ Turma: 7.º B Diretora de Turma e Professora de Português: Ana Cruz Alunos: N.º 1 Alexandrina Fonseca Na minha opinião, se

Leia mais

Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço

Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço Este ponto é aqui. É a nossa casa. Somos nós, numa imagem tirada a partir de 6 mil milhões de quilómetros da Terra pela sonda Voyager

Leia mais

INTERNATIONAL ORIEENTERING FEDERATION. Sinalética IOF 2004. (Português - Brasil)

INTERNATIONAL ORIEENTERING FEDERATION. Sinalética IOF 2004. (Português - Brasil) INTERNATIONAL ORIEENTERING FEDERATION Sinalética IOF 2004 (Português - Brasil) Sinalética IOF Em vigor a partir de 1º de janeiro de 2004. PRINCIPAIS ALTERAÇÕES À VERSÃO DE 1990: 1) Nomes e descrições tornados

Leia mais

MANUAL DA PRÁTICA DA COMPOSTAGEM DOMÉSTICA

MANUAL DA PRÁTICA DA COMPOSTAGEM DOMÉSTICA MANUAL DA PRÁTICA DA COMPOSTAGEM DOMÉSTICA Maria Inês de Sousa Carmo i Índice 1. Introdução... 2 2. O que é a Compostagem?... 3 2.1. Porquê fazer a compostagem?... 3 2.2. Quais as suas vantagens?... 4

Leia mais

Cerrado em foco. Ecossistema. Pequi

Cerrado em foco. Ecossistema. Pequi Cerrado em foco Ecossistema Pequi O Ecossistema é o conjunto formado por dois grandes grupos, os seres que tem vida e os que não tem. Tudo o que tem vida, é chamado de ser biótico. São as plantas, os animais,

Leia mais

R E L E V O RELEVO ASPECTOS FÍSICOS COMO DIVIDE-SE A AMÉRICA 27/05/2014. 1 - montanhas 2 - planícies. 3 - planaltos. Setentrional Ocidental.

R E L E V O RELEVO ASPECTOS FÍSICOS COMO DIVIDE-SE A AMÉRICA 27/05/2014. 1 - montanhas 2 - planícies. 3 - planaltos. Setentrional Ocidental. Alaska Havaí Canadá Estados Unidos Setentrional Ocidental COMO DIVIDE-SE A AMÉRICA ASPECTOS FÍSICOS 1 - montanhas 2 - planícies 3 - planaltos 1 2 3 R E L E V O RELEVO 1 1) Bacia do Ártico: sofre limitação

Leia mais

ECOFOGÃO MODELO CAMPESTRE 3. Manual de instalação, uso e manutenção.

ECOFOGÃO MODELO CAMPESTRE 3. Manual de instalação, uso e manutenção. ECOFOGÃO MODELO CAMPESTRE 3 Manual de instalação, uso e manutenção. Parabéns, ao adquirir o Ecofogão, você tem em mãos uma das tecnologias mais simples, eficiente e limpa atualmente disponível, para o

Leia mais

Floresta Mediterrânea Europeia. Falésias

Floresta Mediterrânea Europeia. Falésias Floresta Mediterrânea Europeia A4 Sombreiros na Floresta Mediterrânea. Foto: Algefoto/Shutterstock.com O clima mediterrâneo é caracterizado por verões secos e invernos chuvosos, com uma média anual de

Leia mais

Compostagem doméstica

Compostagem doméstica Compostagem doméstica Na Natureza tudo se transforma 1 2 3 Este guia vai ser-lhe útil! Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo e sentir-se bem por isso! Os restos de comida, as

Leia mais

D) As planícies brasileiras terminam, na sua grande maioria, em frentes de cuestas nome que se dá às áreas planas das praias.

D) As planícies brasileiras terminam, na sua grande maioria, em frentes de cuestas nome que se dá às áreas planas das praias. 01 - (UDESC 2008) Para classificar o relevo, deve-se considerar a atuação conjunta de todos fatores analisados a influência interna, representada pelo tectonismo, e a atuação do clima, nos diferentes tipos

Leia mais

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular.

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular. Irradiação térmica È o processo de troca de calor que ocorre através da radiação eletromagnética, que não necessitam de um meio material para isso. Ondas eletromagnéticas é uma mistura de campo elétrico

Leia mais

Mudanças de estado da água: fusão, solidificação, evaporação, ebulição, condensação...

Mudanças de estado da água: fusão, solidificação, evaporação, ebulição, condensação... PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= Mudanças de estado

Leia mais

Prof. Franco Augusto

Prof. Franco Augusto Prof. Franco Augusto Astros São corpos que giram no espaço, classificados de acordo com a luminosidade. Iluminados ou opacos não possuem luz própria, recebendo luz das estrelas. São os planetas, asteroides,

Leia mais

O CLIMA PORTUGUÊS: Noções básicas e fatores geográficos Regiões climáticas portuguesas

O CLIMA PORTUGUÊS: Noções básicas e fatores geográficos Regiões climáticas portuguesas UC História e Geografia de Portugal II Geografia de Portugal 3. O CLIMA PORTUGUÊS: Noções básicas e fatores geográficos Regiões climáticas portuguesas IPS-ESE ME12C André Silva O Clima Português: Elementos

Leia mais

BMW Motorrad. Pelo prazer de conduzir. www.bmwmotorrad.pt NSTOPPABLE ACELERE ANTES QUE ESGOTE. DO QUE ESTÁ À ESPERA? EQUIPE-SE JÁ!

BMW Motorrad. Pelo prazer de conduzir. www.bmwmotorrad.pt NSTOPPABLE ACELERE ANTES QUE ESGOTE. DO QUE ESTÁ À ESPERA? EQUIPE-SE JÁ! BMW Motorrad www.bmwmotorrad.pt Pelo prazer de conduzir NSTOPPABLE ACELERE ANTES QUE ESGOTE. DO QUE ESTÁ À ESPERA? EQUIPE-SE JÁ! 204,90 Boa circulação contínua do ar Tela em aço inoxidável de grande superfície

Leia mais