Dia 8. Século XI - Ano 1016 XILB Recebe o Governador Ibn Mozaine

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dia 8. Século XI - Ano 1016 XILB Recebe o Governador Ibn Mozaine"

Transcrição

1 FEIRA MEDIEVAL DE SILVES Dia 8 Século XI - Ano 1016 XILB Recebe o Governador Ibn Mozaine No início do Séc. XI, Silves, designada por XILB, integrava o Gharbe Al-Andalus nome dado à Península Ibérica pelos conquistadores Islâmicos no Séc. VIII. Em 1016, a capital do califado estava sediada em Córdova. Suleimão II, senhor de Córdova, nomeia chefes para o Gharbe o território a Ocidente, dividido-o em duas regiões. Ibne Harum, para Santa Maria do Ocidente Faro e Abu Becr Ibn Mozaine e para XILB Silves. 18h00 Desfile pela Cidade Tambores anunciam a chegada de Ibn Mozaine 18h30 Chegada de Ibn Mozaine Cais das Oliveiras 18h45 Cortejo pelas Ruas e Praças do Burgo 19h30 Festejo e Folguedos com os Goliardos Largo do Bispo 20h00 Arruada com o Grupo Sons da Serra Largo do Pelourinho 20h15 - Torneio de Armas a Cavalo Liça Largo do Rossio 20h15 - Espectáculo de Dança do Ventre com os "Mozarabes" Largo Hamman 20h30 Espectáculo Musical com os "Cornalusa" Largo da Mata 21h00 O Ataque do Saltimbanco da Charneca Largo da Sé 21h30 Passeio de Burro Acampamento Militar Castrense - Largo Al Mutamid 22h00 Torneio de Armas com os Alota del Tinto e Scalabitanos - Largo da Colegiada 22h30 Teatralização A aclamação de Ibn Mozaine - A festa sarracena com danças orientais e a arte do encantador de serpentes Largo Al-Xilbiya 23h00 Grupo Percutunes Páteo Albarran 23h30 Concerto Musical com a companhia La Giostra Largo da Sé Dia 9 Século XI - Ano 1028 XILB - Escola de grandes pensadores e cientistas A nomeação do governador Ibn Mozaine para Xilb Silves, trouxe consigo uma pequena corte que apadrinhou a arte e a cultura. MADINAT XILB torna-se uma referência como Escola. Silves acolheu importantes figuras do Gharbe, que aí fizeram os seus estudos. Das letras às ciências Silves tornou-se o lugar do conhecimento Filólogos, polígrafos, matemáticos, geógrafos que ali estudaram ligaram esta cidade desde cedo a uma referência cultural. 1

2 19h30 Chamada para a oração Torreão 19h45 Arruada musical pelas Ruas e Ruelas do Burgo 20h00 Espectáculo de Bandeiras Sbandieratori de Faenza Largo da Colegiada 20h15 - Torneio de Armas a Cavalo - Liça Largo do Rossio 20h30 Exercícios de Falcoaria Largo do Bispo 21h00 Torneio de Armas com A Milícia de Geraldo Geraldes - Portas da Cidade 21h30 Mostra de Armas na Praça do Burgo 22h00 Espectáculo Musical com a Companhia La Giostra Largo Xilbiya 22h30 Teatralização A Lenda da Moura Encantada Largo Hamman 23h00 Concerto de Música das Três Culturas com os Al Ibi - Largo da Colegiada 23h30 Espectáculo de Dança Sufi Largo da Sé Dia 10 Século XI - Ano 1031 Início das Taifas - O cobiçado Reino de Xilb O aumento dos impostos e o empobrecimento da população conduz a uma revolta que alastra a todas as cidades do Gharbe. Os governos locais proclamam a sua independência. O Al-Andalus acabará retalhado em inúmeras unidades políticas os Reinos de Taifas. Al-Mutadid, senhor de Sevilha manda o seu filho Al-Mutamid conquistar Xilb. Após prolongado assédio, Ibn Mozaine entrega a cidade a Al-Mutamid que o manda embarcar com destino a África. 19h00 Teatralização - Cobrança de Impostos. Decisão de Revolta e Afirmação como Governo independente Portas da Cidade 20h00 Danças e Folguedos com Os Cornalusa - Largo da Mata 20h15 - Torneio de Armas a Cavalo - Liça Largo do Rossio 20h30 Exercícios de Falcoaria Largo Hamman 21h00 Passeio de Burro Acampamento Praça Al-Mutamid 21h30 Torneio de Armas com A Hoste do Magriço - Largo da Colegiada 22h00 Concerto Musical com a Companhia La Giostra - Largo da Sé 22h15 Teatralização A aclamação de Al-Mutamid e a Retirada de Ibn Mozaine - Festa Árabe com os Allambra Largo Al-Xilbiya 23h00 Espectáculo Musical com os Al Ibi Largo da Sé 23h30 - Festas da Dança do Ventre com as Bailarinas Zambra e Al-Andaluz - Largo Hamman 2

3 Dia 11 Século XI- Ano 1060 A Evocação a Silves Al-Mutamid estabelece nova ordem na cidade e trava conhecimento com Ibn Ammar com quem fará grande amizade perpetuada nos seus poemas. Al-Mutadid conquista todo o Ocidente do Al-Andaluz e nomeia seu filho Al-Mutamid, Vali (governador) do Gharbe, enobrecido com o cargo, parte à conquista de novas terras, a fim de ampliar o seu poder. Regressa a Silves triunfante e é aclamado pela população. Com a morte de seu pai em 1069, Al-Mutamid, parte com a sua corte para ocupar o trono de Sevilha, oferecendo ao seu amigo Ibn Ammar o vali do Algarve... Por esta altura escreve ao amigo uma carta poema, Evocação a Silves, que este manda gravar em lápide monumental e expõe na mais importante praça da cidade. Teatralização Aclamação de Al-Mutamid, Vali do Gharbe 19h30 Chamada para a Oração Torreão 19h30 Passeios de Burro Acampamento Militar Castrense Praça Al-Mutamid 20h00 Concerto de Música Árabe com os Gnawa Al Barak - Largo Hamman 20h15 Torneio de Armas a Cavalo - Liça Largo do Rossio 20h30 Arruada musical com os Sons da Serra 21h00 Concerto de Música Árabe com os Allambra - Largo do Vali 21h30 Exercícios de Falcoaria Largo Colegiada 22h00 Animação de Rua com os Anymamundy 22h15 Teatralização Saída de Al-Mutamid com a sua Corte Zona Ribeirinha 22h30 Torneio de Amas - Largo da Colegiada 23h00 Teatralização A Evocação a Silves Ibn Ammar recebe uma Carta Poema de Al-Mutamid Torreão 23h30 O Rejubilo Sarraceno com Danças do Ventre, Dança Sufi e Encantadores de Serpentes - Largo Hamman 24h00 Espectáculo Musical com Os Cornalusa - Largo do Chá Dia 12 Século XII - Ano 1144 Ibn Qasi é feito Governador pelos Álmoadas Iniciam-se as primeiras revoltas contra o poder Almorávida. Em Xilb surge Ibn Qasi, que se autoproclama Mahdi (O Messias que há-de vir no fim do mundo para salvação dos homens). Em 1146 Ibn Qasi é feito governador da cidade pelos Almóadas, com quem se desentende. Alia-se a Afonso Henriques de Portugal, que lhe enviou uma embaixada e como presentes uma lança, uma armadura e um cavalo. Esta aliança origina uma conspiração por parte dos muçulmanos de Silves 3

4 19h30 Arruada Musical com os Ganda Gandulos 20h00 Exercícios de Falcoaria Largo da Mata 20h15 Torneio de Armas a Cavalo Liça Largo do Rossio 20h30 Passeio de Burro - Acampamento Militar Castrense - Largo Al-Mutamid 21h00 Torneios de Armas - Torreão 21h30 Espectáculo de Música com os Barbarian Pipe Band - Largo do Vali 22h00 Concerto Musical com os Mozarabes - Largo do Chá 22h15 Teatralização Ibn Quasi e a doutrina Sufi Largo Al-Xilbiya 22h30 Espectáculo de Música com a Companhia La Giostra - Largo da Sé 23h30 A Arte do Encantador de Serpentes - Largo do Bispo 24h00 Concerto Musical com os Al Ibi - Largo Hamman Dia 13 Século XII ano 1189 A efémera Conquista de Silves Xilb continua a ser uma importante e cobiçada cidade do Gharbe Al- Andalus. D. Sancho I acompanhado de cruzados em trânsito para a Terra Santa, sobe o Rio Arade e monta cerco à cidade. Foi um empreendimento bélico de grande envergadura em que participaram alemães, ingleses e flamengos. Os sacerdotes celebram uma missa a que todos assistem com grande devoção, sucedem-se investidas cristãs sem grande sucesso. Uma luta que se prolongou e foi ganha quando a população se rende pela sede. D. Sancho passa a intitular-se Rei de Portugal e de Silves. 20h00 Concerto de Música com Os Allambra - Largo da Mata 20h15 Torneio de Armas a Cavalo Liça Largo do Rossio 20h30 Dança do Ventre com Zambra e Al Andaluz Largo do Vali 21h00 Concerto Medieval com os Ganda Gândulos - Largo Hamman 21h30 O Som Árabe com os Gwana Al Barak - Largo da Colegiada 22h00 Animação de Rua com La Puchoneta - Largo do Bispo 22h15 Teatralização D. Sancho I chega a Silves com os Cruzados e planeia o ataque às Portas da Cidade Cais das Oliveiras 22h30 Teatralização D. Sancho I Rei de Portugal e de Silves Largo da Sé 22h30 A Festa Sarracena com Dança Sufi Emad Selim - Largo do Vali 23h00 Espectáculo Musical com Os Cornalusa - Largo da Sé 24h00 Espectáculo de Música com os Barbarian Pipe Band - Largo do Vali 4

5 Dia 14 Século XIII - Ano 1249 Silves deixa definitivamente o domínio árabe... D.Paio Peres Correa e os cavaleiros de Santiago de Espada conquistam-na A conquista de Silves por D.Sancho I durou um ano e meio. De novo no domínio muçulmano, é em 1249, governada por Ibn Mafot ou Aben Afan que tenta a todo o custo resistir às investidas cristãs. D. Paio Peres Correia entra na cidade e expulsa Ibn Mafot que se refugia em Niebla Danças árabes pelo CEIP Don Walabonso de Niebla - Largo Hamman 19h00 - Eucaristia em Latim com Canto Gregoriano Labore omnia vincit - Igreja dos Mártires da Pátria Ibn Mafot retratado em D. Branca de Almeida Garret Portas da Cidade 19h30 Trovadores cantam Cantigas de Santa Maria - Largo da Colegiada 20h00 Exercícios de Falcoaria Largo do Vali 20h15 Torneio de Armas a Cavalo Liça Largo do Rossio 21h00 Danças e Folguedos com os Bailias e Folias - Largo da Mata 22h00 Animação de Rua com os Anymamundy 22h00 O Ataque do Saltimbanco da Charneca - Largo do Chá 22h15 Teatralização A Entrada dos Cavaleiros de Santiago de Espada e a Expulsão de Ibn Mafot Largo Al - Xilbiya 22h30 Torneio de Armas no Acampamento Militar Castrense 23h00 Actuação do Grupo de Canto Gregoriano Labore Omnia Vincit - Largo da Sé 23h30 Concerto Musical com os Djebel Musa - Largo Hamman Dia 15 Século XIII - Ano 1254 Silves, o poder Politico, Religioso e Administrativo D. Afonso III de Portugal tem o domínio do Algarve e dá a Silves o poder eclesiástico, com a nomeação do Bispo D. Garcia e ainda o poder administrativo com a atribuição dos Forais. O regresso ao cristianismo tê-lo-á decidido a iniciar a construção de uma Catedral. Do seu casamento com D. Beatriz, filha de Afonso X de Castela, nasce D. Dinis. 19h00 Leitura do Edital - Portas da Cidade 19h30 Chamamento para a Oração Torreão 20h00 - Espectáculo de Música com os Alambra - Largo da Colegiada 5

6 20h15 Torneio de Armas a Cavalo Liça Praça Al-Mutamid 20h30 Animação com os Sons da Serra - Largo do Vali 21h00 Trovadores cantam Cantigas de Santa Maria - Largo da Mata 21h30 Animação de Rua com La Puchoneta 22h00 Torneio de Armas com os Guardas do Alcaide - Acampamento Militar Castrense - Largo Al-Mutamid 22h15 Teatralização O Reinado de D. Afonso III em Silves - Largo da Sé 22h30 Danças e Folias com Saltimbancos e Menestreis - Largo do Bispo 23h30 Concerto de Música com os Al Ibi - Largo do Chá 24h00 Espectáculo de Bandeiras com os Sbandieratori de Faenza - Largo Hamman Dia 16 Século XIII - Ano 1282 D. Dinis visita Silves D. Dinis foi essencialmente um rei administrador e não guerreiro, letrado como nenhum o fora até à data, foi também poeta e trovador. A sua prioridade foi a organização do Reino, continuando a vertente legisladora de seu pai Afonso III. Revoga as doações feitas no início do seu reinado. Aquando da sua visita a Silves, recebeu os homens bons da cidade e outorgou uma petição. 19h30 Chamamento para a Oração Mesquita 19h30 Exercícios de Falcoaria- Largo Hamman 20h15 Torneio de Armas a Cavalo Liça Praça Al-Mutamid 20h30 Danças e Bailias nos Terreiros do Mercado - Largo da Colegiada 21h00 Saltimbancos e Bufons pelas Ruas e Praças do Burgo 21h30 Festejos Populares com os Sons da Serra - Largo do Vali 22h00 Mostra de Armas no Acampamento Militar Castrense - Largo Al-Mutamid 22h15 Teatralização D. Dinis outorga petição do Concelho e Homens Bons de Silves - Largo Xilbiya 22h30 Música com os Gwana Al Barak - Largo da Sé- 24h00 Cantigas de Amor e Cantigas de Amigo Espectáculo de Poesia, Música e Fogo - Largo da Sé 01h00 Cerimónia de Encerramento 6

28 DE AGOSTO QUINTA-FEIRA

28 DE AGOSTO QUINTA-FEIRA 28 DE AGOSTO QUINTA-FEIRA 17.00 Recepção aos convidados no Adro da Igreja Matriz Desfile Medieval pelas ruas da Vila de Castro Marim Abertura da Festa, Feira e Mercado aos visitantes com jogos e actividades

Leia mais

Há quase 900 anos atrás, nos momentos conturbados do alicerçar da nacionalidade portuguesa, os condes portucalenses (pais daquele que viria ser o

Há quase 900 anos atrás, nos momentos conturbados do alicerçar da nacionalidade portuguesa, os condes portucalenses (pais daquele que viria ser o Há quase 900 anos atrás, nos momentos conturbados do alicerçar da nacionalidade portuguesa, os condes portucalenses (pais daquele que viria ser o primeiro rei de Portugal) convidaram os Cavaleiros da Ordem

Leia mais

Alvalade prepara-se para comemorar 500 anos do foral Manuelino

Alvalade prepara-se para comemorar 500 anos do foral Manuelino NOTA DE IMPRENSA Alvalade prepara-se para comemorar 500 anos do foral Manuelino Vila de Alvalade regressa a 1510 A vila de Alvalade prepara-se para comemorar os 500 anos do foral Manuelino e para regressar

Leia mais

Esperadas milhares de pessoas na 7ª edição. Os Hospitalários no Caminho de Santiago. De 6 a 9 de Setembro. Feira Medieval. Mosteiro de Leça do Balio

Esperadas milhares de pessoas na 7ª edição. Os Hospitalários no Caminho de Santiago. De 6 a 9 de Setembro. Feira Medieval. Mosteiro de Leça do Balio Esperadas milhares de pessoas na 7ª edição Os Hospitalários no Caminho de Santiago De 6 a 9 de Setembro Feira Medieval Mosteiro de Leça do Balio Ao longo de quatro dias, o Mosteiro de Leça do Balio transforma-se

Leia mais

Guilherme Pinto Presidente da Câmara Municipal

Guilherme Pinto Presidente da Câmara Municipal Em maio de 1372 a igreja do Mosteiro de Leça do Balio era palco daquele que se tornaria num dos mais famosos casamentos da História de Portugal: o do rei D. Fernando com Dona Leonor Telles. Matrimónio

Leia mais

Guilherme Pinto, presidente da Câmara Municipal de Matosinhos. Fernando Rocha, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Matosinhos

Guilherme Pinto, presidente da Câmara Municipal de Matosinhos. Fernando Rocha, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Matosinhos O Mosteiro de Leça do Balio é, desde há muito, ponto de passagem obrigatória da História de Portugal e da Península Ibérica. Com uma localização privilegiada junto de uma das principais vias de comunicação

Leia mais

HISTORIA DE PORTUGAL

HISTORIA DE PORTUGAL A. H. DE OLIVEIRA MARQUES HISTORIA DE PORTUGAL Manual para uso de estudantes e outros curiosos de assuntos do passado pátrio EDITORIAL PRESENÇA ÍNDICE GERAL PREFACIO 11 INTRODUÇÃO AS RAÍZES DE UMA NAÇÃO

Leia mais

Dias Templários de Castelo Branco

Dias Templários de Castelo Branco Dias Templários de Castelo Branco 4,5,6 e 7 de Julho de 2013 Castelo Branco será, a partir desta data (1215), a única possessão templária de que os Mestres e os membros mais importantes da Ordem fizeram

Leia mais

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de História e Geografia de Portugal 6º Ano de Escolaridade Prova 05 / 2.ª Fase 12 Páginas Duração da Prova: 90 minutos.

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professor: Claudia S. N. Vieira Disciplina: LPO Série: 1ª Tema da aula: O Trovadorismo Objetivo da aula: Trabalhar as principais características do estilo

Leia mais

15 DE MARÇO _ 5ª FEIRA

15 DE MARÇO _ 5ª FEIRA FESTAS DE S. JOSÉ - COMEMORAÇÕES DO FERIADO MUNICIPAL 2012 DE 15 A 19 DE MARÇO PROGRAMA 15 DE MARÇO _ 5ª FEIRA 10H00 ÀS 16H00 - CELEBRAÇÃO DOS 865 ANOS DA RECONQUISTA CRISTÃ DE SANTARÉM POR D. AFONSO HENRIQUES

Leia mais

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 UNIDADE DIDÁTICA: TEMA A: DOS PRIMEIROS POVOS À FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL.

Leia mais

FESTAS EM HONRA DE NOSSA SENHORA DA ATALAIA 2011

FESTAS EM HONRA DE NOSSA SENHORA DA ATALAIA 2011 FESTAS EM HONRA DE NOSSA SENHORA DA ATALAIA 2011 Programa SEXTA-FEIRA, 26 DE AGOSTO 19.00 horas Abertura da FESTA GRANDE com uma salva de 21 morteiros, na presença das entidades oficiais convidadas, com

Leia mais

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo Aprimoramento 3 parte 2 Prof. Osvaldo 03. (UFPR) Leia os seguintes excertos da Magna Carta inglesa de 1215. 12 Nenhum imposto ou pedido será estabelecido no nosso reino sem o consenso geral. [...] que

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

Caderno Imagens e Sugestões Comerciantes

Caderno Imagens e Sugestões Comerciantes Caderno Imagens e Sugestões Comerciantes Nas imagens superiores temos os exemplos de como colocar panejamentos pelo interior dos painéis de vidro das montras. São colocados tecidos de cor vermelha, amarelo

Leia mais

A presença árabo-muçulmana

A presença árabo-muçulmana A presença árabo-muçulmana Corão - Surāt al-fathia (Abertura) Os textos árabes não falam de Torres Vedras, assim como silenciaram o espaço litoral entre Lisboa e Sintra e Coimbra. Sem estas fontes, restam-nos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Distribuição dos tempos letivos disponíveis para o 5 º ano de escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período *Início:15-21 de setembro 2015 *Fim:17 dezembro 2015 *Início:4

Leia mais

O Hino Nacional Hino nacional 19

O Hino Nacional Hino nacional 19 O Hino Nacional 19 ANTECEDENTES Se a Bandeira Nacional é um símbolo visível, o Hino Nacional constitui a exteriorização musical que proclama e simboliza a Nação. Só a partir do século XIX os povos da Europa

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

Festas, Feiras e Romarias

Festas, Feiras e Romarias Festas, Feiras e Romarias Feira de Velharias Feira de Velharias de Olhos de Água Data: 1.º domingo de cada mês Local: Junto ao Mercado Municipal de Olhos de Água Contato: Junta de Freguesia de Albufeira

Leia mais

18 de Junho. Quinta-feira. 21h30. 22h00. 23h30. 24h00. Praça da República. CORtejOS De AbeRtuRA. AbeRtuRA DA FeIRA 1258 - Foral de D.

18 de Junho. Quinta-feira. 21h30. 22h00. 23h30. 24h00. Praça da República. CORtejOS De AbeRtuRA. AbeRtuRA DA FeIRA 1258 - Foral de D. Quinta-feira 18 de Junho 21h30 CORtejOS De AbeRtuRA PONtOS De PARtIDA Passeio das Mordomas Rua da Picota Rua da Bandeira 22h00 AbeRtuRA DA FeIRA 1258 - Foral de D. Afonso III Teatro do Noroeste CDV 23h30

Leia mais

Dia 15 > quinta. Dia 16 > sexta

Dia 15 > quinta. Dia 16 > sexta Dia 15 > quinta >10H00 às 16H00 Celebração dos 865 Anos da Reconquista Cristã de Santarém por D. Afonso Henriques Jardim das Portas do Sol Para as crianças do pré-escolar e do 1.ºciclo do ensino básico

Leia mais

Os participantes da Congada cantam e dançam, homenageando de forma especial, São Benedito. E é uma festa que cumpre também um papel auxiliar no

Os participantes da Congada cantam e dançam, homenageando de forma especial, São Benedito. E é uma festa que cumpre também um papel auxiliar no Congada Congada É um misto de tradições cristãs, pagãs e africanas, onde os participantes, cantando e dançando numa mistura religiosa e profana tão típicas deste país homenageiam de forma especial São

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro As festas juninas fazem parte da tradição católica, mas em muitos lugares essas festas perderam essa característica.

Leia mais

A História de azzeittum

A História de azzeittum A História de azzeittum Azeitão é palavra derivada de azzeittum, vocábulo de origem árabe, que refere os extensos olivais encontrados quando aquele povo chegou a esta região. A primeira delimitação que

Leia mais

Conteúdos/conceitos Metas curriculares Atividades Calendarização

Conteúdos/conceitos Metas curriculares Atividades Calendarização (200) Programa de História e Geografia de Portugal - 2º ciclo Conteúdos/conceitos - Metas curriculares - Atividades a dinamizar na escola com os alunos Conteúdos/conceitos Metas curriculares Atividades

Leia mais

O Foral e a Organização Municipal Torriense

O Foral e a Organização Municipal Torriense O Foral e a Organização Municipal Torriense Foral Medieval de Torres Vedras, 1250 In O Foral Medieval da vila de Torres Vedras: 15 de Agosto de 1250. VICENTE, António Balcão, [et al.] - O foral medieval

Leia mais

História da Música Ocidental

História da Música Ocidental História da Música Ocidental A Música na Idade Média e no Renascimento Música medieval é o nome dado à música típica do período da Idade Média. Essas práticas musicais aconteceram há quase 1500 anos atrás.

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 6 o ano 4 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : Observe a imagem e responda às questões 1 e 2. REPRODUÇÃO 1. Cite dois elementos presentes na imagem que representam a Igreja católica.

Leia mais

Prof. Alexandre Goicochea História

Prof. Alexandre Goicochea História FRANCO Merovíngia Carolíngio ISLÂMICO Maomé Xiitas (alcorão) e Sunitas (suna e alcorão) BIZÂNTINO Justiniano Igreja Santa Sofia Iconoclastia Monoticismo (Jesus Cristo só espírito) Corpus Juris Civilis

Leia mais

EDITAL N.º 60/2013. ENGENHEIRO FRANCISCO SOARES MESQUITA MACHADO, Presidente da Câmara Municipal

EDITAL N.º 60/2013. ENGENHEIRO FRANCISCO SOARES MESQUITA MACHADO, Presidente da Câmara Municipal EDITAL N.º 60/2013 de Braga: ENGENHEIRO FRANCISCO SOARES MESQUITA MACHADO, Presidente da Câmara Municipal FAZ SABER QUE, em cumprimento do disposto no artº. 91º. da Lei nº. 169/99, de 18 de setembro, alterado

Leia mais

Rota dos 3 Castelos. 2.ºAbrantes. 3.º Belver. 1.ºAlmourol. Monte da Várzea Almourol. 38 km. Almourol Abrantes. 20 Km. Abrantes Belver.

Rota dos 3 Castelos. 2.ºAbrantes. 3.º Belver. 1.ºAlmourol. Monte da Várzea Almourol. 38 km. Almourol Abrantes. 20 Km. Abrantes Belver. 2.ºAbrantes 1.ºAlmourol 3.º Belver Monte da Várzea Almourol 38 km Rota dos 3 Castelos Almourol Abrantes 20 Km Abrantes Belver 30 Km Belver Monte da Várzea 11 Km Partida: Casa Branca, Monte da Várzea 2

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA código 171608 Escola Básica D. Domingos Jardo MANUAL ADOPTADO: HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - HGP AUTORES: ANA OLIVEIRA/ FRANCISCO CANTANHEDE/ MARÍLIA GAGO

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 7 o ano 1 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. Leia o texto e responda. A formação da sociedade medieval foi um processo longo e complexo, que reuniu durante séculos características

Leia mais

CRISTÃOS E MUÇULMANOS NA PENÍNSULA IBÉRICA VIAGEM NA HISTÓRIA. Joana Cirne Marília Henriques. Joana Cirne Marília Henriques

CRISTÃOS E MUÇULMANOS NA PENÍNSULA IBÉRICA VIAGEM NA HISTÓRIA. Joana Cirne Marília Henriques. Joana Cirne Marília Henriques VIAGEM NA HISTÓRIA então os cristãos e os muçulmanos partilharam o território da Península Ibérica por cerca de 700 anos! Quem diria Vocês sabiam disto! Aposto que os meus amigos ainda não sabem. Vou já

Leia mais

A Iconografia e o Culto dos Santos Peregrinos e Guerreiros no Alentejo Meridional

A Iconografia e o Culto dos Santos Peregrinos e Guerreiros no Alentejo Meridional A Iconografia e o Culto dos Santos Peregrinos e Guerreiros no Alentejo Meridional JoséAntónio Falcão (Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja) Santiago combatendo os Mouros

Leia mais

Estatuto Jurídico dos Judeus e Mouros na Idade Média Portuguesa

Estatuto Jurídico dos Judeus e Mouros na Idade Média Portuguesa A/490020 JOAQUIM DE ASSUNÇÃO FERREIRA Estatuto Jurídico dos Judeus e Mouros na Idade Média Portuguesa (Luzes e Sombras, na convivência entre as três religiões) UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA LISBOA 2006

Leia mais

Eventos Religiosos. Festa em honra de S. Luís (Festa das Chouriças) - Alte. Entre Janeiro e princípios de Fevereiro. Semana Santa - Alte

Eventos Religiosos. Festa em honra de S. Luís (Festa das Chouriças) - Alte. Entre Janeiro e princípios de Fevereiro. Semana Santa - Alte O Carnaval, a Semana Cultural de Alte e a Festa do 1º de Maio são, sem dúvida, os momentos mais Eventos Religiosos Festa em honra de S. Luís (Festa das Chouriças) Alte Entre Janeiro e princípios de Fevereiro

Leia mais

BANDEIRA DA FUNDAÇÃO. D. Afonso Henriques. (1128-1185) Fundador de Portugal

BANDEIRA DA FUNDAÇÃO. D. Afonso Henriques. (1128-1185) Fundador de Portugal BANDEIRA DA FUNDAÇÃO D. Afonso Henriques (1128-1185) Fundador de Portugal ÍNDICE Origem de Portugal Península Ibérica 8 Primeiros habitantes da Península Ibérica (Iberos-Celtas)... 8 Lusitanos 9 Lusitânia

Leia mais

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1 Profª Viviane Jordão O que é Nação? Nação é um contrato político. Os integrantes de uma nação compartilham os mesmos direitos e uma mesma história. Ser brasileiro

Leia mais

Todos os eventos são de entrada livre excepto em espectáculos de sala

Todos os eventos são de entrada livre excepto em espectáculos de sala Todos os eventos são de entrada livre excepto em espectáculos de sala 29 de Setembro Desfraldar da Bandeira Nacional Praça do Comércio, Arco da Rua Augusta O Balão da República Passeio inaugural Decoração

Leia mais

Non Nobis Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo ad Gloriam! ( Não por nós Senhor, não por nós, mas para a glória de Teu nome! )

Non Nobis Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo ad Gloriam! ( Não por nós Senhor, não por nós, mas para a glória de Teu nome! ) TEMPLÁRIOS Non Nobis Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo ad Gloriam! ( Não por nós Senhor, não por nós, mas para a glória de Teu nome! ) No ano 1071 os turcos mulçumanos tomaram Jerusalém. Na Europa, a Igreja

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2º CICLO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO Documento(s) Orientador(es): Programa de História e Geografia de Portugal

Leia mais

Igreja!de! Nossa!Senhora!do!Carmo! Da!Antiga!Sé!

Igreja!de! Nossa!Senhora!do!Carmo! Da!Antiga!Sé! AtransferênciadaCorteeainstalaçãodaFamíliaRealno Rio de Janeiro, em 1808, marcam uma nova etapa na história do País. A capital do ViceMReino passa a ser a sededogovernoedaadministraçãodoimpériolusoe experimentará

Leia mais

SÃO JOÃO/CAÔ: FESTA RELIGIOSA DOS XUKURU DO ORORUBÁ (PESQUEIRA-PE) Edson Silva

SÃO JOÃO/CAÔ: FESTA RELIGIOSA DOS XUKURU DO ORORUBÁ (PESQUEIRA-PE) Edson Silva 1 SÃO JOÃO/CAÔ: FESTA RELIGIOSA DOS XUKURU DO ORORUBÁ (PESQUEIRA-PE) Edson Silva Mulheres, crianças, jovens e homens xukurus, muitas pessoas curiosas se concentram por volta da três horas da tarde do dia

Leia mais

IGREJA NA BAIXA IDADE MÉDIA

IGREJA NA BAIXA IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA -Características: *Grandes transformações no sistema feudal; *aumento da produção agrícola; *aparecimento da burguesia; *crise de poder da nobreza feudal. IGREJA NA

Leia mais

Memória de um Letrado. Daniel Vinícius Ferreira Ronque

Memória de um Letrado. Daniel Vinícius Ferreira Ronque Memória de um Letrado Daniel Vinícius Ferreira Ronque Memórias de um Letrado Homo sum humani a me nihil alienum puto Publio Terêncio Afro Dedicatória Dedico esse livro a todos que ajudaram-me para elaboração

Leia mais

Reforma Religiosa. Contra-Reforma. Crise da Igreja no séc. XVI. Crise da Igreja no séc. XVI. O Movimento Reformista - Início 30/01/2015

Reforma Religiosa. Contra-Reforma. Crise da Igreja no séc. XVI. Crise da Igreja no séc. XVI. O Movimento Reformista - Início 30/01/2015 Crise da Igreja no séc. XVI Reforma Religiosa e Contra-Reforma Muitos Humanistas criticaram a Igreja de então devido ao comportamento dos seus membros: Os Papas estavam mais interessados no luxo e no seu

Leia mais

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan João Paulo I O NORDESTE COLONIAL Professor Felipe Klovan A ECONOMIA AÇUCAREIRA Prof. Felipe Klovan Portugal já possuía experiência no plantio da cana-de-açúcar nas Ilhas Atlânticas. Portugal possuía banqueiros

Leia mais

Uma cidade que passou de nível médio nacional, a médio europeu, fruto da coragem e determinação de quem tomou as decisões da época.

Uma cidade que passou de nível médio nacional, a médio europeu, fruto da coragem e determinação de quem tomou as decisões da época. Senhor presidente da assembleia e restantes membros da mesa, Senhoras vereadoras, senhores vereadores, Senhoras e senhores deputados, Público aqui presente, Corria o segundo ano, da segunda década do século

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Elabore um texto utilizando as palavras do quadro. rei burguesia senhor feudal leis centralização política moeda feudos 2.

Leia mais

MUDANÇAS NO FEUDALISMO. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG

MUDANÇAS NO FEUDALISMO. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MUDANÇAS NO FEUDALISMO Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MUDANÇAS NO FEUDALISMO A partir do século XI Expansão das áreas de cultivo, as inovações técnicas.

Leia mais

Amares Caniçada Júnias - Régua Pinhão Foz Côa - Amarante

Amares Caniçada Júnias - Régua Pinhão Foz Côa - Amarante Amares Caniçada Júnias - Régua Pinhão Foz Côa - Amarante INTRODUÇÃO Algumas maravilhas de Portugal! Uma viagem ao interior de Portugal. A sua genuinidade, as suas tradições. Uma viagem por duas regiões

Leia mais

LOURINHÃ 2015 NATAL. é no COMÉRCIO TRADICIONAL

LOURINHÃ 2015 NATAL. é no COMÉRCIO TRADICIONAL LOURINHÃ 2015 NATAL é no COMÉRCIO TRADICIONAL 4 de dez. (SEXTA) Musical A Branca de Neve e os Sete Anões (10h00 e 14h00) AMAL Dinamização: Grupo Spirit Público alvo: Pré- escolar e 1º ciclo Custo: 3,00

Leia mais

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV)

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV) 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS: Decadência do feudalismo. Estruturação do modo de produção capitalista. Transformações básicas: auto-suficiência para economia de mercado; novo grupo social: burguesia; formação

Leia mais

EURO TOUR PORTUGAL (10 dias) MAIO / 2016 antar com Fado no Velho Páteo de Santana INCLUSO NO PACOTE) Museu Nacional dos Coches

EURO TOUR PORTUGAL (10 dias) MAIO / 2016 antar com Fado no Velho Páteo de Santana INCLUSO NO PACOTE) Museu Nacional dos Coches EURO TOUR PORTUGAL MAIO / 2016 (10 dias) Dia 24/Mai.- Grupo 1 Saída Guarulhos - Vôo TAP 0082-15:45h (3ª Feira) - Grupo 2 Saída Viracopos - Vôo TAP 0096-21:05h ========= Dia 25/Mai. - Grupo 1 Chegada à

Leia mais

TROVADORISMO. Contexto histórico e características do Trovadorismo, uma escola literária que ocorreu durante o feudalismo. Imagem: Reprodução

TROVADORISMO. Contexto histórico e características do Trovadorismo, uma escola literária que ocorreu durante o feudalismo. Imagem: Reprodução TROVADORISMO Contexto histórico e características do Trovadorismo, uma escola literária que ocorreu durante o feudalismo. Imagem: Reprodução 1 Introdução Podemos dizer que o trovadorismo foi a primeira

Leia mais

A não perder em Portimão...

A não perder em Portimão... A/c de Agenda N.º de Pág. 5 Para divulgação Data 01/09/2008 A não perder em Portimão... DE 5 A 14 DE SETEMBRO O destaque vai para os Desfiles Look Fashion da Semana de Comércio em Festa, o Festival do

Leia mais

Professora: Holanda Maria

Professora: Holanda Maria Professora: Holanda Maria Com a crise dos séculos III e IV a escassez de mão-obra escrava levou os grandes proprietários a abandonarem as cidades e rumar para as villae (latifúndios) onde exploravam o

Leia mais

Crise no Império Romano. Capítulo 6

Crise no Império Romano. Capítulo 6 Crise no Império Romano Capítulo 6 A falta de escravos leva ao aparecimento do sistema do colonato. Corte nas verbas do exército, gera revolta e briga entre os generais. Os generais passam a não obedecer

Leia mais

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO

O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA PARA O HISTORIADOR GREGO HERÓDOTO: O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO DÁDIVA = PRESENTE SIGNIFICADO = Sem as cheias do Nilo, o Egito seria um grande deserto PARA O HISTORIADOR FRANCÊS JEAN

Leia mais

COMEMORAÇÕES DO 1º DE MAIO DE 2016

COMEMORAÇÕES DO 1º DE MAIO DE 2016 DISTRITO DIA HORA INICIATIVA LOCAL AÇORES Angra do Heroísmo 1/05 10,00 Banca com Materiais Alusivos ao dia. Distribuição à população de documentos alusivos ao 1º Maio Musica Exposição / Concurso de MAIOS

Leia mais

Versão em galego-português Ai eu, coitada, como vivo en gran cuidado por meu amigo, que hei alongado! Muito me tarda o meu amigo na Guarda!

Versão em galego-português Ai eu, coitada, como vivo en gran cuidado por meu amigo, que hei alongado! Muito me tarda o meu amigo na Guarda! Uma representação comum da Idade Média remete à existência de reis e rainhas, príncipes e princesas, em seus castelos. Nobres cavaleiros lutando por sua honra em torneios de bravura, impressionando belas

Leia mais

Índice. 1 O Nascimento do Porto...30

Índice. 1 O Nascimento do Porto...30 Índice Parte I O Porto da Penaventosa...15 1 Introdução...16 2 O Portuense...18 3 A Cidade e as suas Mensagens...22 4 As Armas da Cidade...23 5 O Solo e os Recursos Hídricos do Porto...24 Capítulo I Da

Leia mais

Portugal e Espanha. de Mota Grandes Eventos pelo caminho... O Mercado Medieval no Castelo de Obidos.

Portugal e Espanha. de Mota Grandes Eventos pelo caminho... O Mercado Medieval no Castelo de Obidos. 1 Portugal e Espanha de Mota Grandes Eventos pelo caminho... O Mercado Medieval no Castelo de Obidos. As Festas da Senhora del Carmen en Huelva ( Andaluzia ) E a maior concentração de motos da Europa em

Leia mais

Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma

Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma Ano Lectivo 2010/2011 HISTÓRIA Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso 8º Ano Apresentação nº 10 Renascimento e Reforma Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma

Leia mais

JESUS CRISTO PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO

JESUS CRISTO PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO JESUS CRISTO PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO 25-02-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze Como se deu a entrada messiânica em Jerusalém? No tempo estabelecido,

Leia mais

8 s U 10. genuín a alegria popular

8 s U 10. genuín a alegria popular 8 s U 10 2 8 Série, Número 13 Câmara Municipal Viana do Castelo Agosto 2008 \Yl~@)[JiJ@) (Q]@ ~@l~ü ~@ genuín a alegria popular Depois de U11l ano de intensa vivência dos 750 anos de hi uôria do município

Leia mais

Durante o reinado de Fernando I (1035-1063), os territórios cristãos já se estendiam até Coimbra e avançavam em direção ao sul

Durante o reinado de Fernando I (1035-1063), os territórios cristãos já se estendiam até Coimbra e avançavam em direção ao sul A DIVISÃO DO GALEGO-PORTUGUÊS EM PORTUGUÊS E GALEGO, DUAS LÍNGUAS COM A MESMA ORIGEM Nilsa Areán-García (USP) nilsa.arean@gmail.com / nilsa.garcia@usp.br RESUMO Na Alta Idade Média, de acordo com Silva

Leia mais

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

PROGRAMA. 21h30 Início da Novena em Honra de Nossa Senhora do Castelo. Colaboração do Grupo Coral de S. João Batista

PROGRAMA. 21h30 Início da Novena em Honra de Nossa Senhora do Castelo. Colaboração do Grupo Coral de S. João Batista PROGRAMA Dia 6 de agosto 21h00 Inauguração da Iluminação no Castelo 21h30 Início da Novena em Honra de Nossa Senhora do Castelo. Colaboração do Grupo Coral de S. João Batista Dia 7 de agosto Dia 8 de agosto

Leia mais

BANDA MILITAR DO PORTO ATUA NOS

BANDA MILITAR DO PORTO ATUA NOS MEALHADA MORTÁGUA PENACOVA COMEMORAÇÕES DOS 205 ANOS DA BATALHA DO BUSSACO BANDA MILITAR DO PORTO ATUA NOS JARDINS DO PALACE DIA 12 DE SETEMBRO O concerto da Banda Militar do Porto vai atuar ar livre,

Leia mais

Professor Sebastião Abiceu Colégio Marista São José Montes Claros MG 6º ano

Professor Sebastião Abiceu Colégio Marista São José Montes Claros MG 6º ano Professor Sebastião Abiceu Colégio Marista São José Montes Claros MG 6º ano A Bíblia, na parte denominada Antigo Testamento (Torá), é o principal documento da história dos hebreus. Foi escrita ao longo

Leia mais

HISTÓRIA REVISÃO 1. Unidade II Civilização Greco Romana e seu legado. Aula 9 Revisão e avaliação da unidade II

HISTÓRIA REVISÃO 1. Unidade II Civilização Greco Romana e seu legado. Aula 9 Revisão e avaliação da unidade II HISTÓRIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Unidade II Civilização Greco Romana e seu legado. Aula 9 Revisão e avaliação da unidade II HISTÓRIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Expansionismo Romano - Etapas 1ª.

Leia mais

PORTUGAL. 1º. DIA -Lisboa. 2º. Dia - Sintra, Cascais e Estoril

PORTUGAL. 1º. DIA -Lisboa. 2º. Dia - Sintra, Cascais e Estoril PORTUGAL 1º. DIA -Lisboa Saída do Hotel para visita da cidade de Lisboa. Visitaremos o centro da cidade como Praça do Rossio, Avenida da Liberdade, Praça do Marquês de Pombal, Parque Eduardo VII. Colina

Leia mais

Amone Inacia Alves Graduada em História - UESB Especialista em Ciência Política - IBPEX Mestre em Sociologia das Organizações - UFPR

Amone Inacia Alves Graduada em História - UESB Especialista em Ciência Política - IBPEX Mestre em Sociologia das Organizações - UFPR Folclore Mede-se a inteligência de um povo pela sua capacidade de não só ser gente. Nascemos gente ao acaso, ao natural e transformamos em povo na busca perfeita pelas formas, curvas e cores. São as cores

Leia mais

A palavra APOCALIPSE vem do grego e significa REVELAÇÃO. O livro não revela o fim do mundo, mas trata-se de um livro sobre as revelações de Jesus

A palavra APOCALIPSE vem do grego e significa REVELAÇÃO. O livro não revela o fim do mundo, mas trata-se de um livro sobre as revelações de Jesus - Oi, dona Jurema, como vai? - Tudo bem, e o senhor? - Dona Jurema, a senhora que lê a Bíblia, do que mais gosta? - Ah! Gosto do Apocalipse. O meu entendimento é fraco, mas, esse livro me traz conforto

Leia mais

Rota dos Descobrimentos Portugueses

Rota dos Descobrimentos Portugueses LAGOS CENTRO HISTÓRICO Rota dos Descobrimentos Portugueses A epopeia dos descobrimentos portugueses, e em especial a fase henriquina, constitui um dos marcos de maior relevância na história da cidade de

Leia mais

ClioTur Passagens do Mediterrâneo Andaluzia e Marrocos

ClioTur Passagens do Mediterrâneo Andaluzia e Marrocos ClioTur Passagens do Mediterrâneo Andaluzia e Marrocos De 1º a 17 de fevereiro de 2014 Na Antiguidade e na Idade Média um rico cenário de trocas culturais ligou latinos, germânicos e berberes no Magreb,

Leia mais

A matriz portuguesa encontra-se no povo lusitano para quem, tal como hoje, a liberdade era um bem maior, uma das suas grandes bandeiras.

A matriz portuguesa encontra-se no povo lusitano para quem, tal como hoje, a liberdade era um bem maior, uma das suas grandes bandeiras. Na formação de Portugal existe um propósito divino. Desde os primórdios da nacionalidade que o povo português se intitulou um povo eleito para realizar grandes feitos. A matriz portuguesa encontra-se no

Leia mais

Visita ao Castelo de Silves

Visita ao Castelo de Silves Sábado, 5 outubro 2013 museu municipal de n.º 101 faro uma ponte para a comunidade m l a as fe s tó com rias Visita ao Castelo de Silves Olá amiguinhos! O Famílias com Estórias está de volta depois de

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

RIF Ensaio Fotográfico

RIF Ensaio Fotográfico RIF Ensaio Fotográfico Salve Jorge! Devoção popular em vermelho e branco... Em reza e samba Diego Dionísio 1 1 Graduado em Comunicação Social. Técnico de inventário do Patrimônio Imaterial na América Latina

Leia mais

Festas. Bragança. agosto

Festas. Bragança. agosto Festas de Bragança agosto 2014 Festa da História 14 a 17 de agosto 2014 Festas de Bragança 18 a 21 de agosto 2014 Depósito Legal: 379222/14 Festas de Bragança verão na praça 1 de agosto [sexta-feira] Associação

Leia mais

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM Página 1 TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM 01. Canto de Entrada 02. Saudação inicial do celebrante presidente 03. Leitura

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL 6 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP UNIDADE DE ESTUDO 06 OBJETIVOS - Localizar, na História, a Idade Média;

Leia mais

Unidade 1 O Período Medieval

Unidade 1 O Período Medieval Sugestões de atividades Unidade 1 O Período Medieval 7 HISTÓRIA Religião bizantina Assinale somente as afirmativas incorretas. 1. ( ) Embora a religião oficial bizantina fosse o cristianismo, em razão

Leia mais

1. Portugal no século XIV tempo de crise

1. Portugal no século XIV tempo de crise 1. Portugal no século XIV tempo de crise A situação que se viveu em Portugal no século XIV foi de uma situação de crise, e foram vários os fatores que contribuíram para isso: Crise agrária os Invernos

Leia mais

FRATERNIDADE TABAJARA

FRATERNIDADE TABAJARA 1. Hino Oficial da Linha de Ogum: Vamos saravá Ogum no Terreiro! bis Ogum de noite e no dia inteiro! bis Ogum quando chega lá de Aruanda! bis Vem de Humaitá, Ogum! Já venceu demanda! bis Ogum Naruê, Ogum,

Leia mais

A FESTA DOS MUSEUS. 18 de Maio DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS Os Museus e os Jovens. 20/21 de Maio NOITE DOS MUSEUS

A FESTA DOS MUSEUS. 18 de Maio DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS Os Museus e os Jovens. 20/21 de Maio NOITE DOS MUSEUS MUSEU NACIONAL DE ARQUEOLOGIA MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS, PRAÇA DO IMPÉRIO, 1400-206 LISBOA www.mnarqueologia-ipmuseus.pt; info@mnarqueologia-ipmuseus.pt A FESTA DOS MUSEUS 18 de Maio DIA INTERNACIONAL DOS

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 294/IX ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE SANTO ESTEVÃO, NO CONCELHO DE CHAVES, À CATEGORIA DE VILA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 294/IX ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE SANTO ESTEVÃO, NO CONCELHO DE CHAVES, À CATEGORIA DE VILA. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 294/IX ELEVAÇÃO DA POVOAÇÃO DE SANTO ESTEVÃO, NO CONCELHO DE CHAVES, À CATEGORIA DE VILA Exposição de motivos 1 - Contributos históricos A aldeia de Santo Estêvão foi outrora vila medieval

Leia mais

TRADUÇÃO DO FORAL DO CONDE D. HENRIQUE

TRADUÇÃO DO FORAL DO CONDE D. HENRIQUE Foral de Guimarães Tradução Aires Augusto do Nascimento Revista de Guimarães, n.º 106, 1996, pp. 35-41 TRADUÇÃO DO FORAL DO CONDE D. HENRIQUE Observação preliminar: A tradução do foral de Guimarães pretende

Leia mais

CavaleirosdeNosasenhora?

CavaleirosdeNosasenhora? O queéamilitiasanctaemariae- CavaleirosdeNosasenhora? 1 A MILITIA SANCTAE MARIAE NOTA DE ABERTURA Muitas pessoas se interrogam sobre o que é a Milícia de Santa Maria e que objetivos perseguem. Num dos

Leia mais

PASCOM. A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos,

PASCOM. A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos, PASCOM A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos, t e x t o s e i d é i a s p a r a a s matérias! Nossa Senhora da Penha, que sabe o nome de cada

Leia mais

197º Festa do Divino Espírito Santo 2015 Imperador: João Geraldo Costa Pina

197º Festa do Divino Espírito Santo 2015 Imperador: João Geraldo Costa Pina 197º Festa do Divino Espírito Santo 2015 Imperador: João Geraldo Costa Pina Programação: 05 de abril - Domingo de Páscoa 12h - Saída da Coroa e tocata com a Banda Phôenix na frente da Matriz 20h - Missa

Leia mais

Servidores da Caridade

Servidores da Caridade Homilia da Missa Crismal 2011 Servidores da Caridade António Marto Catedral de Leiria 21 de Abril de 2011 Cantarei eternamente a bondade do Senhor A liturgia da Missa Crismal encerra uma beleza espiritual

Leia mais

A música na Folia de Reis

A música na Folia de Reis A música na Folia de Reis A Folia de Reis, de maneira geral, é totalmente embasada em seus hinos, tendo a música uma importância central e indispensável ao ritual. Suas características e toques já são

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ LUIZ FILIPE ALVES GUIMARÃES COELHO PEDRO AFONSO E O HERÓIS DA RECONQUISTA: EL CID NA CRÔNICA GERAL DE ESPANHA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ LUIZ FILIPE ALVES GUIMARÃES COELHO PEDRO AFONSO E O HERÓIS DA RECONQUISTA: EL CID NA CRÔNICA GERAL DE ESPANHA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ LUIZ FILIPE ALVES GUIMARÃES COELHO PEDRO AFONSO E O HERÓIS DA RECONQUISTA: EL CID NA CRÔNICA GERAL DE ESPANHA CURITIBA 2009 Luiz Filipe Alves Guimarães Coelho Pedro Afonso

Leia mais