LEI Nº , DE 4 DE ABRIL DE O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:"

Transcrição

1 LEI Nº , DE 4 DE ABRIL DE 2014 Concede reajuste remuneratório, altera as leis n os 7.227/96, 8.690/03, 9.240/06, 9.303/07 e /11, e dá outras providências. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º - Ficam reajustados, a partir de 1º de janeiro de 2014, os vencimentos-base do cargo público de provimento efetivo de Auditor, previstos na Tabela do Plano de Carreira da Área de Atividades de Administração Geral da Prefeitura de Belo Horizonte, instituído pela Lei nº 8.690, de 19 de novembro de 2003, nos seguintes termos: AUDITOR NÍVEL JORNADA DE 6 HORAS JORNADA DE 8 HORAS , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,27 Art. 2º - Fica reajustado, a partir de 1º de janeiro de 2014, para R$0,96 (noventa e seis centavos de real) o valor unitário do ponto da Gratificação de Desempenho de Auditoria GDA, instituída pela Lei nº 7.227, de 23 de dezembro de Art. 3º - O caput do art. 1º da Lei nº 7.227/96 passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 1º - Fica instituída a Gratificação de Desempenho de Auditoria GDA, a ser paga aos ocupantes do cargo público de provimento efetivo de Auditor, integrante do Plano de Carreira dos Servidores da Área de Administração Geral da Prefeitura de Belo Horizonte, instituído pela Lei nº 8.690, de 19 de novembro de 2003, que, designados para o exercício das funções específicas de seu cargo, efetivamente contribuírem para o aumento da eficiência administrativa e financeira do Município.. (NR) Art. 4º - O item X do Anexo II da Lei nº 8.690/03 passa a vigorar com a seguinte redação: ANEXO II DESCRIÇÃO DOS CARGOS DE PROVIMENTO EFETIVO DA ÁREA DE ATIVIDADES DE ADMINISTRAÇÃO GERAL DA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE

2 [...] X - AUDITOR HABILITAÇÃO: Curso de graduação completo de nível superior, em nível de bacharelado, reconhecido pelo Ministério da Educação, com habilitação legal para o exercício da profissão, conforme a hipótese, podendo constar do edital de concurso público respectivo o requisito de experiência comprovada no exercício da profissão, nas áreas de Administração, Ciência da Computação, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Direito, Engenharia Civil ou Tecnologia da Informação, de acordo com o interesse e a necessidade do serviço público e conforme dispuser o edital do concurso público respectivo, que também definirá o número de vagas vinculadas às habilitações que forem necessárias a cada certame. CARGA HORÁRIA: 8 (oito) horas diárias. ÁREA DE ATUAÇÃO: Controladoria-Geral do Município, Auditoria-Geral do Município, Secretaria Especial de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas e unidades administrativas dos órgãos e entidades da Administração Direta e Indireta do Poder Executivo, bem como outros locais para os quais for designado para o cumprimento de suas atribuições institucionais.. (NR) Art. 5º - Ficam alterados os 5º, 12, 13 e 15-D do art. 4º da Lei nº 9.240, de 28 de julho de 2006, e ficam acrescidos ao referido artigo os 12-A, 13-A e 14-A, nos seguintes termos: Art. 4º - [...] [...] 5º - Dos valores arrecadados e contabilizados pelo Tesouro Municipal, em virtude do disposto nos 13 e 14 deste artigo, a título de honorários advocatícios, 15% (quinze por cento) serão repassados, mês a mês, ao Fundo da Procuradoria-Geral do Município, de acordo e para os fins previstos no art. 16 desta Lei. [...] 12 - Fica instituída a Gratificação por Êxito Judicial GEJ, cujo valor, variável e não incorporável, em qualquer hipótese, à remuneração do servidor, inclusive para os fins do cálculo do adicional por tempo de serviço, será rateado exclusivamente entre os procuradores municipais: I - integrantes deste Plano de Carreira e em efetivo exercício na Procuradoria-Geral do Município ou em outros órgãos e entidades da Administração Municipal, desenvolvendo atividades institucionais; II - que venham a requerer a aposentadoria no prazo de até 30 (trinta) dias, a contar da data de preenchimento dos requisitos previstos nos arts. 30, 39, 40 e 41 da Lei nº , de 29 de dezembro de 2011, ou da data em que completarem a idade mínima de 60 (sessenta) anos, se homem, ou 55 (cinquenta e cinco) anos, se mulher, o que ocorrer por último. 12-A - O Procurador Municipal que se aposentar por invalidez permanente fará jus ao rateio da GEJ referido no caput do 12 deste artigo A partir de janeiro de 2014, o valor global da GEJ corresponderá a 70% (setenta por cento) da importância mensal arrecadada a título de receita dos honorários sucumbenciais. 13-A - O valor excedente da GEJ, descontado em cumprimento ao art. 37, XI, da Constituição da República, comporá o saldo para apuração do montante da referida gratificação em períodos subsequentes, nos termos e condições previstos no regulamento desta Lei. [...]

3 14-A - É vedado ao Município a renúncia ou a remissão a honorários já fixados em processo judicial. [...] 15-D - A importância mensal apurada com fundamento nos 13, 14 e 15-C deste artigo não servirá de base para o cálculo de qualquer outra parcela remuneratória, inclusive para o cálculo do adicional por tempo de serviço, nem se incorporará à remuneração do servidor em qualquer hipótese, exceto para fins de dedução do Imposto de Renda.. (NR) Art. 6º - A Lei nº 9.240/06 passa a vigorar acrescida dos arts. 4º-A e 4º-B, nos seguintes termos: Art. 4º-A - Fica criado, no âmbito da Procuradoria-Geral do Município, o Conselho de Procuradores, de caráter permanente, presidido pelo Procurador-Geral do Município e composto por este e por mais 6 (seis) procuradores municipais, sendo 3 (três) escolhidos pelo titular do referido órgão e 3 (três) escolhidos por eleição direta entre os procuradores municipais em efetivo exercício, para mandato de 2 (dois) anos. Parágrafo único - O Conselho de Procuradores terá como atribuição propor as metas jurídicas a serem submetidas para aprovação pelo Prefeito Municipal ou a quem este delegar. Art. 4º-B - Fica instituída a Gratificação de Metas Jurídicas Coletivas - GMJC, no valor integral de R$7.804,69 (sete mil oitocentos e quatro reais e sessenta e nove centavos), a ser paga aos procuradores municipais em efetivo exercício na Procuradoria-Geral do Município ou em outros órgãos e entidades da Administração Municipal, quando e na proporção do desempenho coletivo resultante do alcance das metas jurídicas fixadas. 1º - As metas jurídicas serão fixadas por decreto do Prefeito, mediante proposta do Conselho de Procuradores, no exercício da competência prevista no parágrafo único do art. 4º-A desta Lei. 2º - GMJC integrará a base de cálculo da contribuição previdenciária e será incorporada à remuneração, à razão de 1/30 para as mulheres e 1/35 para os homens, por ano de efetivo exercício no cargo de procurador municipal, a partir da publicação desta Lei.. (NR) Art. 7º - Fica alterada a redação do inciso I do 2º e a do 3º do art. 6º da Lei nº 9.303, de 9 de janeiro de 2007, e ficam acrescidos ao referido artigo os seguintes 8º, 9º e 10: Art. 6º - [...] [...] 2º - [...] I - os créditos tributários extintos em decorrência de dação em pagamento, transação e compensação, inclusive com utilização de precatórios judiciais; [...] 3º - As metas tributárias estabelecidas em cada exercício financeiro, a partir de 2015, não poderão exceder em mais de 5% (cinco por cento) o valor da previsão da receita orçamentária a que se refere o inciso V do art. 2º desta Lei. [...] 8º - De modo a estimular o crescimento real da arrecadação municipal, as metas tributárias poderão ser acrescidas trimestralmente, no curso do exercício financeiro a que se referem, por ato do Prefeito, do incremento percentual verificado nas avaliações de comportamento da economia em relação à produção e ao preço, quando comparados aos valores que serviram de base para a fixação das referidas metas.

4 9º - As comparações serão feitas em relação aos mesmos índices e o ajuste mencionado no 8º deste artigo deverá ocorrer até o último dia do primeiro mês de cada trimestre de apuração das metas tributárias, em relação a este e aos trimestres posteriores O ajuste das metas tributárias somente produzirá efeitos a partir do trimestre alterado, sem qualquer modificação de valores, inclusive índices e unidades, apurados ou apuráveis, relativos ao desempenho de trimestres anteriores.. (NR) Art. 8º - O art. 8º da Lei nº 9.303/07 passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 8º - Os ocupantes dos cargos públicos de Auditor Fiscal de Tributos Municipais e de Auditor Técnico de Tributos Municipais, em efetivo exercício das atribuições de seus cargos públicos e cujo desempenho coletivo resulte no alcance mínimo de 90% (noventa por cento) das metas tributárias fixadas com base no art. 6º desta Lei, farão jus a acréscimo na Gratificação por Atividade de Auditoria Fazendária - GAAF, instituída pela Lei nº 7.645, de 12 de fevereiro de 1999, e suas alterações, em cada um dos meses do trimestre a que corresponderem as metas, de 52,35 (cinquenta e dois inteiros e trinta e cinco centésimos) Unidades de Auditoria Fazendária UAFs, medida de valor e parâmetro de atualização da referida gratificação, observando-se, quanto aos servidores públicos, inativos e pensionistas, cujos benefícios previdenciários sejam oriundos dos cargos acima mencionados, o disposto no artigo 7º da Lei nº 7.101, de 29 de maio de Parágrafo único - O número de UAFs mencionado no caput deste artigo passa a ser de 53,30 (cinquenta e três inteiros e trinta centésimos) a partir de 1º de janeiro de 2015, e de 58,47 (cinquenta e oito inteiros e quarenta e sete centésimos) a partir de 1º de janeiro de (NR) Art. 9º - O art. 9º da Lei nº 9.303/07 passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 9º - Fica instituída a Gratificação por Esforço Fiscal Tributário - GEFT, a ser paga aos Auditores Fiscais de Tributos Municipais e Auditores Técnicos de Tributos Municipais em efetivo exercício das atribuições de seus cargos públicos, e cujo desempenho coletivo resulte no alcance das faixas percentuais das metas tributárias definidas com base no art. 6º desta Lei. Parágrafo único - A GEFT terá como medida de valor e parâmetro de atualização a Unidade de Referência de Esforço Fiscal Tributário - UREFT.. (NR) Art O art. 10 da Lei nº 9.303/07 passa a vigorar com a seguinte redação: Art Para efeito de atribuição e pagamento da GEFT, as faixas percentuais das metas tributárias serão consideradas alcançadas mediante o aumento da arrecadação estipulada para o trimestre a que corresponderem as metas, por trimestre de apuração, verificado através da progressão dessas faixas percentuais, na forma estabelecida nas tabelas previstas nos Anexos I, II e III desta Lei. Parágrafo único - A GEFT será paga na mesma proporção da média aritmética da GAAF alcançada individualmente pelo servidor público a que se refere o art. 9º desta Lei no trimestre considerado para apuração das metas tributárias.. (NR) Art O art. 12 da Lei nº 9.303/07 passa a vigorar com a seguinte redação: Art Fica instituída a Gratificação de Apoio ao Esforço Fiscal Tributário - GAEFT, a ser paga aos Agentes s, Técnicos s de Nível Médio, Tesoureiros e Analistas s pelo desempenho de atividades coletivas de apoio ao alcance das faixas percentuais das metas tributárias. Parágrafo único - A GAEFT terá como medida de valor e parâmetro de atualização a Unidade de Referência de Apoio ao Esforço Fiscal Tributário - URAEFT.. (NR)

5 Art O art. 13 da Lei nº 9.303/07 passa a vigorar com a seguinte redação: Art Para efeito de atribuição e pagamento da GAEFT, serão adotados os critérios de alcance das faixas percentuais das metas tributárias. 1º - Os ocupantes dos cargos públicos de Agente, Técnico de Nível Médio e Tesoureiro, em efetivo exercício das atribuições de seus cargos públicos, cujo desempenho coletivo resulte no alcance mínimo de 90% (noventa por cento) das metas tributárias, fixadas com base no art. 6º desta Lei, farão jus, conforme a sua jornada de trabalho, a 36,45 (trinta e seis inteiros e quarenta e cinco centésimos) URAEFTs mensais, limitadas a 109,35 (cento e nove inteiros e trinta e cinco centésimos) unidades por trimestre a que corresponderem as metas, e os ocupantes do cargo público de Analista, em efetivo exercício das atribuições de seus cargos públicos, cujo desempenho coletivo resulte no alcance mínimo de 90% (noventa por cento) das metas tributárias, farão jus, conforme a sua jornada de trabalho, a 75,94 (setenta e cinco inteiros e noventa e quatro centésimos) URAEFTs mensais, limitadas a 227,82 (duzentos e vinte e sete inteiros e oitenta e dois centésimos) unidades por trimestre a que corresponderem as metas, sendo o número de unidades reajustado na forma a seguir: I - a partir de 1º de janeiro de 2015, a quantidade de URAEFTs prevista no caput deste parágrafo passa a ser de 40,51 (quarenta inteiros e cinquenta e um centésimos) unidades mensais, limitadas a 121,53 (cento e vinte e um inteiros e cinquenta e três centésimos) unidades por trimestre para os ocupantes dos cargos públicos de Agente, Técnico de Nível Médio e Tesoureiro, e de 84,39 (oitenta e quatro inteiros e trinta e nove centésimos) unidades mensais, limitadas a 253,17 (duzentos e cinquenta e três inteiros e dezessete centésimos) unidades por trimestre para os ocupantes do cargo público de Analista ; II - a partir de 1º de janeiro de 2016, os números de URAEFTs previstas no caput deste parágrafo passa a ser de 45,72 (quarenta e cinco inteiros e setenta e dois centésimos) unidades mensais, limitadas a 137,16 (cento e trinta e sete inteiros e dezesseis centésimos) unidades por trimestre para os ocupantes dos cargos públicos de Agente, Técnico de Nível Médio e Tesoureiro, e de 95,26 (noventa e cinco inteiros e vinte e seis centésimos) unidades mensais, limitadas a 285,78 (duzentos e oitenta e cinco inteiros e setenta e oito centésimos) unidades por trimestre para os ocupantes do cargo público de Analista. 2º - Os ocupantes dos cargos públicos de Analista, Agente, Técnico de Nível Médio e Tesoureiro, em efetivo exercício das atribuições de seus cargos públicos, cujo desempenho coletivo resulte no alcance das faixas percentuais das metas tributárias, fixadas com base no art. 6º desta Lei, farão jus, conforme a sua jornada de trabalho, às URAEFTs definidas para cada faixa de arrecadação e devidas por trimestre de apuração, na forma das tabelas previstas nos Anexos IV, V e VI desta Lei. 3º - Para os ocupantes dos cargos públicos previstos nos 1º e 2º deste artigo, que cumpram jornada de 6 (seis) horas diárias, a GAEFT e a URAEFT serão calculadas diferenciadamente em relação à jornada de trabalho de 8 (oito) horas diárias, conforme os seguintes percentuais: I - para os cargos de Agente, Técnico de Nível Médio e Tesoureiro em cumprimento da jornada de 6 horas diárias, a GAEFT e a URAEFT serão calculadas à razão de 57,32% (cinquenta e sete vírgula trinta e dois por cento) da pontuação atribuída aos ocupantes dos mesmos cargos públicos com jornada diária de 8 (oito) horas; II - para o cargo de Analista, a GAEFT e a URAEFT serão calculadas à razão de 58,61% (cinquenta e oito vírgula sessenta e um por cento) da pontuação a que fazem jus os ocupantes do mesmo cargo, que cumpram jornada diária de 8 (oito) horas.. (NR) Art O art. 15 da Lei nº 9.303/07 passa a vigorar com a seguinte redação: Art O pagamento da GEFT e da GAEFT, apuradas nos termos do art. 7º desta Lei, será efetuado em três parcelas mensais iguais, a partir do mês subsequente ao da apuração das metas trimestrais.

6 Parágrafo único - A GEFT e a GAEFT não se incorporarão à remuneração do servidor público em qualquer hipótese ou para qualquer fim, exceto para o cálculo do desconto do imposto de renda, e não integrará o pagamento de férias regulamentares ou da gratificação natalina.. (NR) Art O art. 16 da Lei nº 9.303/07 passa a vigorar com a seguinte redação: Art Somente fará jus ao recebimento da GEFT e da GAEFT o servidor público lotado e em efetivo cumprimento das atribuições de seu cargo público nas unidades da Secretaria Municipal de Finanças durante, no mínimo, 2/3 (dois terços) do trimestre considerado para a sua apuração.. (NR) Art O art. 17 da Lei nº 9.303/17 passa a vigorar com a seguinte redação: Art O servidor ocupante de cargo público de provimento efetivo da Área de Atividades de Tributação, em exercício de cargo em comissão ou função de gerência, chefia, direção, coordenação, assistência, assessoramento ou de designação especial no âmbito da Secretaria Municipal de Finanças, além das vantagens específicas do comissionato, fará jus à GEFT ou à GAEFT, conforme o cargo público de provimento efetivo de que for detentor, considerada nessa hipótese a jornada de 8 (oito) horas diárias.. (NR) Art Fica alterado o caput do art. 19 da Lei nº 9.303/07 e fica acrescido ao referido artigo o seguinte 2º, renumerando-se o atual parágrafo único como 1º: Art Serão repassados trimestralmente ao FMAATM 22,242 (vinte e dois inteiros e duzentos e quarenta e dois milésimos) vezes o número de URSMTs devidas em cada trimestre aos ocupantes dos cargos de Auditor Fiscal de Tributos Municipais e Auditor Técnico de Tributos Municipais, na forma do caput do art. 10 desta Lei, limitado ao valor correspondente a (onze mil, trezentas e noventa e cinco) URSMTs por trimestre. [...] 2º - Fica o Executivo autorizado a abrir crédito especial no valor de R$ ,00 (um milhão e quinhentos mil reais), a fim de atender aos compromissos administrativos, orçamentários, contábeis e patrimoniais assumidos pelo Fundo de Modernização e Aprimoramento da Administração Tributária do Município FMAATM, com fulcro nas alterações promovidas pela Lei nº /14 para o exercício de (NR) Art A Lei nº 9.303/07 passa a vigorar acrescida dos seguintes Anexos I a VI: ANEXO I TABELA DE PAGAMENTO DA GRATIFICAÇÃO POR ESFORÇO FISCAL TRIBUTÁRIO GEFT, DEVIDA PELO ALCANCE DAS FAIXAS PERCENTUAIS DAS METAS TRIBUTÁRIAS, A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2014 Faixa de Arrecadação Auditor Fiscal de Tributos Municipais e Auditor Técnico de Tributos Municipais A partir de 90% e abaixo de 92% 320,94 A partir de 92% e abaixo de 94% 348,46 A partir de 94% e abaixo de 96% 381,76 A partir de 96% e abaixo de 98% 422,05 A partir de 98% e abaixo de 99% 462,90 A partir de 99% e abaixo de 100% 486,44 Quantidade de UREFTs por Trimestre

7 A partir de 100% e abaixo de 101% 512,33 A partir de 101% e abaixo de 102% 538,22 A partir de 102% e abaixo de 103% 591,15 A partir de 103% e abaixo de 104% 649,37 A partir de 104% e abaixo de 105% 713,41 A partir de 105% e abaixo de 106% 783,86 A partir de 106% e abaixo de 107% 861,35 A partir de 107% e abaixo de 108% 946,60 A partir de 108% e abaixo de 109% 1.040,36 A partir de 109% e abaixo de 110% 1.143,51 A partir de 110% 1.256,96 ANEXO II TABELA DE PAGAMENTO DA GRATIFICAÇÃO POR ESFORÇO FISCAL TRIBUTÁRIO GEFT, DEVIDA PELO ALCANCE DAS FAIXAS PERCENTUAIS DAS METAS TRIBUTÁRIAS, A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 Faixa de Arrecadação Auditor Fiscal de Tributos Municipais e Auditor Técnico de Tributos Municipais A partir de 90% e abaixo de 92% 348,77 A partir de 92% e abaixo de 94% 378,67 A partir de 94% e abaixo de 96% 414,86 A partir de 96% e abaixo de 98% 458,64 A partir de 98% e abaixo de 99% 503,03 A partir de 99% e abaixo de 100% 528,61 A partir de 100% e abaixo de 101% 556,75 A partir de 101% e abaixo de 102% 584,88 A partir de 102% e abaixo de 103% 642,40 A partir de 103% e abaixo de 104% 705,67 A partir de 104% e abaixo de 105% 775,26 A partir de 105% e abaixo de 106% 851,82 A partir de 106% e abaixo de 107% 936,03 A partir de 107% e abaixo de 108% 1.028,67 A partir de 108% e abaixo de 109% 1.130,56 A partir de 109% e abaixo de 110% 1.242,65 A partir de 110% 1.365,94 Quantidade de UREFTs por Trimestre ANEXO III

8 TABELA DE PAGAMENTO DA GRATIFICAÇÃO POR ESFORÇO FISCAL TRIBUTÁRIO GEFT, DEVIDA PELO ALCANCE DAS FAIXAS PERCENTUAIS DAS METAS TRIBUTÁRIAS, A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2016 Faixa de Arrecadação Auditor Fiscal de Tributos Municipais e Auditor Técnico de Tributos Municipais A partir de 90% e abaixo de 92% 357,45 A partir de 92% e abaixo de 94% 388,10 A partir de 94% e abaixo de 96% 425,19 A partir de 96% e abaixo de 98% 470,06 A partir de 98% e abaixo de 99% 515,56 A partir de 99% e abaixo de 100% 541,78 A partir de 100% e abaixo de 101% 570,61 A partir de 101% e abaixo de 102% 599,45 A partir de 102% e abaixo de 103% 658,40 A partir de 103% e abaixo de 104% 723,24 A partir de 104% e abaixo de 105% 794,57 A partir de 105% e abaixo de 106% 873,03 A partir de 106% e abaixo de 107% 959,34 A partir de 107% e abaixo de 108% 1.054,28 A partir de 108% e abaixo de 109% 1.158,71 A partir de 109% e abaixo de 110% 1.273,59 A partir de 110% 1.399,95 Quantidade de UREFTs por Trimestre ANEXO IV TABELA DE PAGAMENTO DA GRATIFICAÇÃO DE APOIO AO ESFORÇO FISCAL TRIBUTÁRIO GAEFT, DEVIDA PELO ALCANCE DAS FAIXAS PERCENTUAIS DAS METAS TRIBUTÁRIAS, A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2014 Faixa de Arrecadação Quantidade de URAEFTs por Trimestre A partir de 90% e abaixo de 92% A partir de 92% e abaixo de 94% A partir de 94% e abaixo de 96% Analista Agente Técnico de Nível Médio Tesoureiro 160,47 80,23 80,23 80,23 174,23 87,11 87,11 87,11 190,88 95,44 95,44 95,44 A partir de 96% e 211,03 105,51 105,51 105,51

9 abaixo de 98% A partir de 98% e abaixo de 99% A partir de 99% e abaixo de 100% A partir de 100% e abaixo de 101% A partir de 101% e abaixo de 102% A partir de 102% e abaixo de 103% A partir de 103% e abaixo de 104% A partir de 104% e abaixo de 105% A partir de 105% e abaixo de 106% A partir de 106% e abaixo de 107% A partir de 107% e abaixo de 108% A partir de 108% e abaixo de 109% A partir de 109% e abaixo de 110% 231,45 115,72 115,72 115,72 243,22 121,61 121,61 121,61 256,17 128,08 128,08 128,08 269,11 134,56 134,56 134,56 295,58 147,79 147,79 147,79 324,69 162,34 162,34 162,34 356,71 178,35 178,35 178,35 391,93 195,97 195,97 195,97 430,68 215,34 215,34 215,34 473,30 236,65 236,65 236,65 520,18 260,09 260,09 260,09 571,76 285,88 285,88 285,88 A partir de 110% 628,48 314,24 314,24 314,24 ANEXO V TABELA DE PAGAMENTO DA GRATIFICAÇÃO DE APOIO AO ESFORÇO FISCAL TRIBUTÁRIO GAEFT, DEVIDA PELO ALCANCE DAS FAIXAS PERCENTUAIS DAS METAS TRIBUTÁRIAS, A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 Faixa de Arrecadação Quantidade de URAEFTs por Trimestre A partir de 90% e abaixo de 92% A partir de 92% e abaixo de 94% A partir de 94% e abaixo de 96% A partir de 96% e abaixo de 98% A partir de 98% e abaixo de 99% Analista Agente Técnico de Nível Médio Tesoureiro 174,38 87,19 87,19 87,19 189,33 94,67 94,67 94,67 207,43 103,72 103,72 103,72 229,32 114,66 114,66 114,66 251,51 125,76 125,76 125,76

10 A partir de 99% e abaixo de 100% A partir de 100% e abaixo de 101% A partir de 101% e abaixo de 102% A partir de 102% e abaixo de 103% A partir de 103% e abaixo de 104% A partir de 104% e abaixo de 105% A partir de 105% e abaixo de 106% A partir de 106% e abaixo de 107% A partir de 107% e abaixo de 108% A partir de 108% e abaixo de 109% A partir de 109% e abaixo de 110% 264,30 132,16 132,16 132,16 278,37 139,19 139,19 139,19 292,44 146,22 146,22 146,22 321,20 160,60 160,60 160,60 352,84 176,42 176,42 176,42 387,63 193,82 193,82 193,82 425,91 212,96 212,96 212,96 468,01 234,01 234,01 234,01 514,34 257,17 257,17 257,17 565,28 282,64 282,64 282,64 621,33 310,66 310,66 310,66 A partir de 110% 682,97 341,48 341,48 341,48 ANEXO VI TABELA DE PAGAMENTO DA GRATIFICAÇÃO DE APOIO AO ESFORÇO FISCAL TRIBUTÁRIO GAEFT, DEVIDA PELO ALCANCE DAS FAIXAS PERCENTUAIS DAS METAS TRIBUTÁRIAS, A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2016 Faixa de Arrecadação Quantidade de URAEFTs por Trimestre A partir de 90% e abaixo de 92% A partir de 92% e abaixo de 94% A partir de 94% e abaixo de 96% A partir de 96% e abaixo de 98% A partir de 98% e abaixo de 99% A partir de 99% e abaixo de 100% Analista Agente Técnico Fazendári o de Nível Médio 8 horas Tesoureiro 178,73 89,36 89,36 89,36 194,05 97,02 97,02 97,02 212,60 106,29 106,29 106,29 235,03 117,51 117,51 117,51 257,78 128,89 128,89 128,89 270,89 135,44 135,44 135,44 A partir de 100% e 285,31 142,65 142,65 142,65

11 abaixo de 101% A partir de 101% e abaixo de 102% A partir de 102% e abaixo de 103% A partir de 103% e abaixo de 104% A partir de 104% e abaixo de 105% A partir de 105% e abaixo de 106% A partir de 106% e abaixo de 107% A partir de 107% e abaixo de 108% A partir de 108% e abaixo de 109% A partir de 109% e abaixo de 110% 299,72 149,86 149,86 149,86 329,20 164,60 164,60 164,60 361,62 180,81 180,81 180,81 397,28 198,64 198,64 198,64 436,52 218,26 218,26 218,26 479,67 239,83 239,83 239,83 527,14 263,57 263,57 263,57 579,36 289,68 289,68 289,68 636,80 318,40 318,40 318,40 A partir de 110% 699,98 349,99 349,99 349,99 Art O 2º do art. 6º da Lei nº , de 9 de junho de 2011, passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 6º - [...] [...] 2º - O limite máximo de pontos da GDA para o servidor em cumprimento de jornada de 40 (quarenta) horas semanais, previsto no 1º deste artigo, será devido ao Auditor no desempenho de cargo comissionado no âmbito da Controladoria-Geral do Município, da Auditoria-Geral do Município ou da Secretaria Especial de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas, bem como no exercício de Gerência de 1º nível hierárquico ou correlato em qualquer órgão da Administração Direta do Poder Executivo, independentemente do exercício da opção prevista no 4º do art. 2º da Lei nº 9.469/07, enquanto perdurar o comissionato.. (NR) Art O art. 9º da Lei nº /11 passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 9º - O Auditor será lotado exclusivamente nas unidades da Controladoria-Geral do Município, da Auditoria-Geral do Município ou da Secretaria Especial de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas, exceto para o exercício dos seguintes cargos: I - Secretário Municipal ou Secretário Municipal Adjunto de órgão da Administração Direta do Poder Executivo ou correlatos; II - Gerente de 1º nível em qualquer órgão da Administração Direta do Poder Executivo. 1º - O Auditor poderá ser lotado nos órgãos e entidades da Administração Direta e Indireta do Poder Executivo quando for designado pelo Auditor-Geral para atuar como referência de controle interno. 2º - A apuração, a fiscalização e o controle da Gratificação de Desempenho GDA paga ao ocupante do cargo público efetivo de Auditor lotado na Controladoria-Geral do Município ou na Secretaria Especial de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas serão efetuados pelos titulares dos respectivos órgãos de lotação desse servidor.. (NR)

12 Art Fará jus ao rateio da Gratificação por Êxito Judicial GEJ, previsto no caput do 12 do art. 4º da Lei nº 9.240/06, com a alteração efetuada pela presente lei, o procurador municipal que, preenchendo os requisitos previstos nos arts. 30, 39, 40 e 41 da Lei nº , de 29 de dezembro de 2011, requerer a aposentadoria no prazo de até 30 (trinta) dias, contados da publicação desta lei. Art A partir de 1º de janeiro de 2014, os vencimentos-base atribuídos na Tabela de Vencimentos do Plano de Carreira da Área de Atividades de Tributação, instituído pela Lei nº 7.645, de 12 de fevereiro de 1999, e suas alterações, aos ocupantes dos cargos públicos de Auditor Técnico de Tributos Municipais e Auditor Fiscal de Tributos Municipais, inclusive para os servidores inativos e pensionistas cujos benefícios previdenciários sejam oriundos desses cargos, cujos ocupantes tenham exercido as opções previstas no 3º do art. 1º da Lei nº 8.577, de 29 de maio de 2003, e no caput do art. 4º da Lei nº 8.766, de 19 de janeiro de 2004, são os constantes dos anexos I, II e III desta lei. Art A partir de 1º de janeiro de 2014, os vencimentos-base atribuídos na Tabela de Vencimentos do Plano de Carreira da Área de Atividades de Tributação, instituído pela Lei nº 7.645/99 e suas alterações, aos ocupantes dos cargos públicos de Tesoureiro, Agente, Técnico de Nível Médio e Analista, inclusive para os servidores inativos e pensionistas cujos benefícios previdenciários sejam oriundos desses cargos, em cumprimento das jornadas de 8 (oito) e de 6 (seis) horas diárias, são os constantes das tabelas A e B dos anexos IV, V e VI desta lei, respectivamente. Art Para os servidores públicos ocupantes dos cargos de Auditor Técnico de Tributos Municipais e Auditor Fiscal de Tributos Municipais, inclusive para os servidores inativos e pensionistas cujos benefícios previdenciários sejam oriundos desses cargos, que tenham exercido as opções previstas no 3º do art. 1º da Lei nº 8.577/03 e no caput do art. 4º da Lei nº 8.766/04, a Unidade de Auditoria Fazendária UAF passa a ter o valor unitário de R$44,54 (quarenta e quatro reais e cinquenta e quatro centavos) a partir de 1º de janeiro de Parágrafo único - A UAF mencionada no caput deste artigo passa a ter o valor unitário de R$48,61 (quarenta e oito reais e sessenta e um centavos) a partir de 1º de janeiro de 2015, e de R$50,02 (cinquenta reais e dois centavos) a partir de 1º de janeiro de Art A partir de 1º de janeiro de 2014, os valores das unidades utilizadas para o cálculo das gratificações previstas nos artigos 9º e 12 da Lei nº 9.303/07 e do adicional previsto no art. 25 desta lei são os seguintes: I - a Unidade de Referência de Esforço Fiscal Tributário UREFT passa a ter o valor unitário de R$32,92 (trinta e dois reais e noventa e dois centavos); II - a Unidade de Referência de Apoio ao Esforço Fiscal Tributário URAEFT passa a ter o valor unitário de R$32,92 (trinta e dois reais e noventa e dois centavos). Art Quando o desempenho coletivo resultar no alcance de 90% (noventa por cento) das metas tributárias, o Auditor Técnico de Tributos Municipais, o Auditor Fiscal de Tributos Municipais, o Analista, o Tesoureiro, o Agente ou o Técnico de Nível Médio que encontrar-se em efetivo exercício de cargo de provimento em comissão na Secretaria Municipal de Finanças fará jus, a partir de 1º de janeiro de 2014, à percepção dos seguintes adicionais indexados pela UREFT: I - 19,60 (dezenove inteiros e sessenta centésimos) UREFTs, quando estiver no efetivo exercício do cargo de provimento em comissão de Coordenador de Fiscalização e correlatos; II - 23,53 (vinte e três inteiros e cinquenta e três centésimos) UREFTs, quando estiver no efetivo exercício do cargo de provimento em comissão de Gerente de 4º Nível e correlatos; III - 27,45 (vinte e sete inteiros e quarenta e cinco centésimos) UREFTs, quando estiver no efetivo exercício do cargo de provimento em comissão de Gerente de 3º Nível e correlatos; IV - 31,37 (trinta e um inteiros e trinta e sete centésimos) UREFTs, quando estiver no efetivo exercício do cargo de provimento em comissão de Gerente de 2º Nível e correlatos; V - 35,29 (trinta e cinco inteiros e vinte e nove centésimos) UREFTs, quando estiver no efetivo exercício do cargo de provimento em comissão de Gerente de 1º Nível - Classe C e correlatos; VI - 39,21 (trinta e nove inteiros e vinte e um centésimos) UREFTs, quando estiver no efetivo exercício do cargo de provimento em comissão de Gerente de 1º Nível - Classe B e correlatos; VII - 43,13 (quarenta e três inteiros e treze centésimos) UREFTs, quando estiver no efetivo exercício do cargo de provimento em comissão de Gerente de 1º Nível - Classe A e correlatos. Parágrafo único - Os servidores mencionados no caput deste artigo que estiverem em efetivo exercício de cargo de provimento em comissão de Secretário Municipal Adjunto e correlatos, bem

13 como de Secretário Municipal e correlatos, e que optarem pela remuneração correspondente ao seu cargo de provimento efetivo, farão jus aos adicionais previstos nos incisos VI e VII do caput deste artigo, respectivamente. Art Para atender ao disposto nesta lei, fica o Executivo autorizado, nos termos dos arts. 40 a 43, 45 e 46 da Lei Federal nº 4.320, de 17 de março de 1964, a abrir crédito adicional no valor de R$ ,75 (vinte milhões, cento e trinta e dois mil, oitocentos e quarenta e nove reais e setenta e cinco centavos), a ser incorporado ao orçamento do exercício financeiro estimado na Lei Orçamentária Anual para 2014, em conformidade com o disposto no 2º do art. 167 da Constituição da República. Art Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, ressalvados os dispositivos que contemplem data de vigência específica e os arts. 7º a 17, que entram em vigor a partir de 1º de janeiro de Art Ficam revogados: I - os incisos I, II, IV e V do 14 e os 15-A e 15-B do art. 4º da Lei nº 9.240/06; II - os arts. 11, 14, 14-A e 25-A da Lei nº 9.303/07; III - o art. 13 da Lei nº 9.985/10. Belo Horizonte, 4 de abril de 2014 Marcio Araujo de Lacerda Prefeito de Belo Horizonte (Originária do Projeto de Lei nº 995/14, de autoria do Executivo) ANEXO I TABELA DE VENCIMENTOS-BASE DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS OCUPANTES DOS CARGOS DE AUDITOR TÉCNICO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS E AUDITOR FISCAL DE TRIBUTOS MUNICIPAIS, INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, INSTITUÍDO PELA LEI Nº 7.645/99, CUJOS OCUPANTES TENHAM EXERCIDO AS OPÇÕES PREVISTAS NO 3º DO ART. 1º DA LEI Nº 8.577/03 E NO CAPUT DO ART. 4º DA LEI Nº 8.766/04, COM VIGÊNCIA A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2014 TABELA DE VENCIMENTOS-BASE (Valores em R$) NÍVEL AUDITOR TÉCNICO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS E AUDITOR FISCAL DE TRIBUTOS MUNICIPAIS , , , , , , , , , ,47

14 , , , , ,64 ANEXO II TABELA DE VENCIMENTOS-BASE DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS OCUPANTES DOS CARGOS DE AUDITOR TÉCNICO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS E AUDITOR FISCAL DE TRIBUTOS MUNICIPAIS, INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, INSTITUÍDO PELA LEI Nº 7.645/99, CUJOS OCUPANTES TENHAM EXERCIDO AS OPÇÕES PREVISTAS NO 3º DO ART. 1º DA LEI Nº 8.577/03 E NO CAPUT DO ART. 4º DA LEI Nº 8.766/04, COM VIGÊNCIA A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 TABELA DE VENCIMENTOS-BASE (Valores em R$) NÍVEL AUDITOR TÉCNICO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS E AUDITOR FISCAL DE TRIBUTOS MUNICIPAIS , , , , , , , , , , , , , , ,78 ANEXO III

15 TABELA DE VENCIMENTOS-BASE DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS OCUPANTES DOS CARGOS DE AUDITOR TÉCNICO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS E AUDITOR FISCAL DE TRIBUTOS MUNICIPAIS, INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, INSTITUÍDO PELA LEI Nº 7.645/99, CUJOS OCUPANTES TENHAM EXERCIDO AS OPÇÕES PREVISTAS NO 3º DO ART. 1º DA LEI Nº 8.577/03 E NO CAPUT DO ART. 4º DA LEI Nº 8.766/04, COM VIGÊNCIA A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2016 TABELA DE VENCIMENTOS-BASE (Valores em R$) NÍVEL AUDITOR TÉCNICO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS E AUDITOR FISCAL DE TRIBUTOS MUNICIPAIS , , , , , , , , , , , , , , ,93 ANEXO IV TABELAS DE VENCIMENTOS-BASE DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS OCUPANTES DOS CARGOS DE TESOUREIRO, AGENTE FAZENDÁRIO, TÉCNICO FAZENDÁRIO DE NÍVEL MÉDIO E ANALISTA FAZENDÁRIO, INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, INSTITUÍDO PELA LEI Nº 7.645/99, CUJOS OCUPANTES TENHAM EXERCIDO AS OPÇÕES PREVISTAS NO 3º DO ART. 1º DA LEI Nº 8.577/03 E NO CAPUT DO ART. 4º DA LEI Nº 8.766/04, COM VIGÊNCIA A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2014 A - Tabela de vencimentos-base dos seguintes servidores públicos, em cumprimento da jornada de diárias: Nível TABELA DE VENCIMENTOS-BASE (Valores em R$) / jornada de diárias Tesoureiro Agente Técnico de Nível Médio Analista , , , ,46

16 , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,04 B - Tabela de vencimentos-base dos seguintes servidores públicos, em cumprimento da jornada de 6 horas diárias: Nível TABELA DE VENCIMENTOS-BASE (Valores em R$) / jornada de 6 horas diárias Tesoureiro Agente Técnico de Nível Médio Analista , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,13 ANEXO V

17 TABELAS DE VENCIMENTOS-BASE DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS OCUPANTES DOS CARGOS DE TESOUREIRO, AGENTE FAZENDÁRIO, TÉCNICO FAZENDÁRIO DE NÍVEL MÉDIO E ANALISTA FAZENDÁRIO, INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, INSTITUÍDO PELA LEI Nº 7.645/99, CUJOS OCUPANTES TENHAM EXERCIDO AS OPÇÕES PREVISTAS NO 3º DO ART. 1º DA LEI Nº 8.577/03 E NO CAPUT DO ART. 4º DA LEI Nº 8.766/04, COM VIGÊNCIA A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 A - Tabela de vencimentos-base dos seguintes servidores públicos, em cumprimento da jornada de diárias: Nível TABELA DE VENCIMENTOS-BASE (Valores em R$) / jornada de diárias Tesoureiro Agente Técnico de Nível Médio Analista , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,20 B - Tabela de vencimentos-base dos seguintes servidores públicos, em cumprimento da jornada de 6 horas diárias: Nível TABELA DE VENCIMENTOS-BASE (Valores em R$) / jornada de 6 horas diárias Tesoureiro Agente Técnico de Nível Médio Analista , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,77

18 , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,07 ANEXO VI TABELAS DE VENCIMENTOS-BASE DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS OCUPANTES DOS CARGOS DE TESOUREIRO, AGENTE FAZENDÁRIO, TÉCNICO FAZENDÁRIO DE NÍVEL MÉDIO E ANALISTA FAZENDÁRIO, INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, INSTITUÍDO PELA LEI Nº 7.645/99, CUJOS OCUPANTES TENHAM EXERCIDO AS OPÇÕES PREVISTAS NO 3º DO ART. 1º DA LEI Nº 8.577/03 E NO CAPUT DO ART. 4º DA LEI Nº 8.766/04, COM VIGÊNCIA A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2016 A - Tabela de vencimentos-base dos seguintes servidores públicos, em cumprimento da jornada de diárias: Nível TABELA DE VENCIMENTOS-BASE (Valores em R$) / jornada de diárias Tesoureiro Agente Técnico de Nível Médio Analista , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,36 B - Tabela de vencimentos-base dos seguintes servidores públicos, em cumprimento da jornada de 6 horas diárias: Nível TABELA DE VENCIMENTOS-BASE (Valores em R$) / jornada de 6 horas diárias Tesoureiro Agente Técnico de Nível Médio Analista

19 , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,02

LEI Nº 8.690, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2003. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 8.690, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2003. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 8.690, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2003 Institui o Plano de Carreira dos Servidores da Área de Atividades de Administração Geral da Prefeitura de Belo Horizonte, estabelece a respectiva Tabela de Vencimentos

Leia mais

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999

Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 Lei 7645 de 12 de Fevereiro de 1999 INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA ÁREA DE ATIVIDADES DE TRIBUTAÇÃO, ESTABELECE A RESPECTIVA TABELA DE VENCIMENTO E DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.873-B, DE 2005 Dispõe sobre a criação da Gratificação de Desempenho de Atividade de Especialista Ambiental GDAEM e da Gratificação de Desempenho de Atividade Técnico-Administrativa

Leia mais

O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Lei 7238 de 30 de Dezembro de 1996 DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE, INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA SAÚDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE, ESTABELECE

Leia mais

Previdência 2011: Novos Valores do Salário de Contribuição e Salário- Família 2011 03/01/2011

Previdência 2011: Novos Valores do Salário de Contribuição e Salário- Família 2011 03/01/2011 Previdência 2011: Novos Valores do Salário de Contribuição e Salário- Família 2011 03/01/2011 A Portaria Interministerial 568 MPS-MF, de 31-12-2010, publicada no Diário Oficial de 3-1-2011, reajustou em

Leia mais

LEI Nº 9.241 DE 28 DE JULHO DE 2006. O POVO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.241 DE 28 DE JULHO DE 2006. O POVO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.241 DE 28 DE JULHO DE 2006 Institui o Plano de Carreira da Fundação Zôo-Botânica de Belo Horizonte e dá outras providências. O POVO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE, por seus representantes, decreta

Leia mais

LEI 20227 de 11/06/2012

LEI 20227 de 11/06/2012 LEI 20227 de 11/06/2012 Modifica a Lei n 13.770, de 6 de dezembro de 2000, que altera o plano de carreira dos servidores efetivos do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, institui o Adicional de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.871, DE 20 DE MAIO DE 2004. Conversão da MPv nº 155, de 2003 Texto compilado Dispõe sobre a criação de carreiras e organização

Leia mais

EMENTA: Dispõe sobre a reestruturação do Grupo Ocupacional Fisco de que trata a Lei nº 3.981/91, de 07 de janeiro de 1991, e dá outras providências.

EMENTA: Dispõe sobre a reestruturação do Grupo Ocupacional Fisco de que trata a Lei nº 3.981/91, de 07 de janeiro de 1991, e dá outras providências. LEI NÚMERO: 00035/01 TIPO: LEI COMPLEMENTAR AUTOR: CHEFE DO EXECUTIVO MUNICIPAL DATA: 12/7/2001 EMENTA: Dispõe sobre a reestruturação do Grupo Ocupacional Fisco de que trata a Lei nº 3.981/91, de 07 de

Leia mais

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS LEI COMPLEMENTAR MUNICIPAL N. 27/99 De 12 de Novembro de 1999 Aprova o Plano de Cargos dos Servidores do Poder Executivo Municipal e contém providências

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.697-C DE 2009 Dispõe sobre as carreiras dos servidores do Ministério Público da União e as carreiras dos servidores do Conselho Nacional do Ministério Público; fixa valores

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

O PREFEITO MUNICIPAL DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N.º 3629, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2003. (Com alterações impostas pelas leis n. os 3.636, de 17 de dezembro de 2003; 3.727, de 27 de janeiro de 2005; 3.816, de 27 de dezembro de 2005; 4.048, de 07 de março

Leia mais

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE 2015. Dispõe sobre a política remuneratória das carreiras do Grupo de Atividades de Educação Básica do Poder Executivo, altera a estrutura da carreira de Professor de Educação

Leia mais

* V. Instrução Normativa SRF 422/2004 (Incidência, apuração e exigência da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico).

* V. Instrução Normativa SRF 422/2004 (Incidência, apuração e exigência da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico). LEI 10.336, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2001 Institui Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a importação e a comercialização de petróleo e seus derivados, gás natural e seus derivados,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.482, DE 31 DE MAIO DE 2007. Mensagem de veto Conversão da Mpv nº 340, de 2006 Efetua alterações na tabela do imposto de renda

Leia mais

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 Federaliza a Universidade do Rio Grande do Norte, cria a Universidade de Santa Catarina e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

DECRETO N 28.662, DE 08 DE MARÇO DE 2007

DECRETO N 28.662, DE 08 DE MARÇO DE 2007 ESTADO DO CEARÁ DECRETO N 28.662, DE 08 DE MARÇO DE 2007 * Publicado no DOE em 12/03/2007. REGULAMENTA O ART.25 DA LEI COMPLEMENTAR Nº58, DE 31 DE MARÇO DE 2006 (DOE-CE DE 31.03.2006), QUE DISPÕE SOBRE

Leia mais

SEGUNDA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO DE 2014 CADERNO 1 5

SEGUNDA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO DE 2014 CADERNO 1 5 SEGUNDA-FEIRA, 08 DE SETEMBRO DE 2014 L E I N 8.037, DE 5 DE SETEMBRO DE 2014 Institui o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores do Tribunal de Contas do Estado do Pará e dá outras providências.

Leia mais

Lei nº 2990/1998 Data da Lei 06/23/1998

Lei nº 2990/1998 Data da Lei 06/23/1998 Lei nº 2990/1998 Data da Lei 06/23/1998 Texto da Lei [ Revogado ] LEI Nº 2990, DE 23 DE JUNHO DE 1998. DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO DO QUADRO PERMANENTE DA POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, DO

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte lei complementar:

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte lei complementar: ( ) LEI COMPLEMENTAR Nº 836, DE 30 DE DEZEMBRO DE 1997 Institui Plano de Carreira, Vencimentos e Salários para os integrantes do Quadro do Magistério da Secretaria da Educação e dá outras providências

Leia mais

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 Federaliza a Universidade do Rio Grande do Norte, cria a Universidade de Santa Catarina e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

DEPARTAMENTO JURÍDICO DO DE 18/06/2011 CADERNO LEGISLATIVO SEÇÃO l PÁGINA 22-23- 24

DEPARTAMENTO JURÍDICO DO DE 18/06/2011 CADERNO LEGISLATIVO SEÇÃO l PÁGINA 22-23- 24 DEPARTAMENTO JURÍDICO DO DE 18/06/2011 CADERNO LEGISLATIVO SEÇÃO l PÁGINA 22-23- 24 PROJETOS DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 38, DE 2011 Mensagem nº 41/2011, do Senhor Governador do

Leia mais

c Publicada no DOU de 16-12-2004.

c Publicada no DOU de 16-12-2004. LEI N o 10.999, de 15 DE DEZEMBRO DE 2004 Autoriza a revisão dos benefícios previdenciários concedidos com data de início posterior a fevereiro de 1994 e o pagamento dos valores atrasados nas condições

Leia mais

REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 613-A DE 2013 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 20 DE 2013

REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 613-A DE 2013 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 20 DE 2013 REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 613-A DE 2013 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 20 DE 2013 Institui crédito presumido da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins na venda de álcool, inclusive para fins

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA N o 2.187-12, DE 27 DE JULHO DE 2001. Dispõe sobre o reajuste dos benefícios mantidos pela Previdência Social, e

Leia mais

Subchefia de Assuntos Parlamentares PROJETO DE LEI

Subchefia de Assuntos Parlamentares PROJETO DE LEI Subchefia de Assuntos Parlamentares PROJETO DE LEI Cria, transforma e extingue cargos e funções, reestrutura cargos e carreiras, altera a remuneração de servidores, altera a remuneração de militares de

Leia mais

Exmo. Sr. Presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo Sr. Celso Giglio

Exmo. Sr. Presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo Sr. Celso Giglio São Paulo, 05 de fevereiro de 2013 Exmo. Sr. Presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo Sr. Celso Giglio Solicitamos a intercessão de Vossa Excelência no sentido da instituição de um plano de carreira

Leia mais

LEI Nº 10.753, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014

LEI Nº 10.753, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 LEI Nº 10.753, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 Concede reajustes remuneratórios aos servidores e empregados públicos da Administração Direta e Indireta do Poder Executivo e dá outras providências. O Povo do

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso de atribuição que lhe confere o inciso VII

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso de atribuição que lhe confere o inciso VII DECRETO 44503, DE 18/04/2007 - TEXTO ORIGINAL Regulamenta a concessão do Adicional de Desempenho - ADE, no âmbito da administração pública direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo. O GOVERNADOR

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sabará Rua Dom Pedro II, 200 CEP: 34505-000 Sabará MG Fones: (31) 3672-7672 - (31) 3674-2909

Prefeitura Municipal de Sabará Rua Dom Pedro II, 200 CEP: 34505-000 Sabará MG Fones: (31) 3672-7672 - (31) 3674-2909 LEI COMPLEMENTAR NÚMERO 015, de 10 de novembro de 2011. Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Profissionais da Educação Básica do Município de Sabará, estabelece normas de enquadramento,

Leia mais

I - Grupo ocupacional de controle externo, integrado pelas seguintes carreiras:

I - Grupo ocupacional de controle externo, integrado pelas seguintes carreiras: PROPOSTA PROJETO DE LEI Autor: Tribunal de Contas Dispõe sobre a reestruturação organizacional dos cargos e carreiras do quadro permanente, a criação de cargos de provimento em comissão e fixa o subsídio

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº... (Autoria: Poder Executivo) CAPÍTULO I DA CARREIRA

PROJETO DE LEI Nº... (Autoria: Poder Executivo) CAPÍTULO I DA CARREIRA PROJETO DE LEI Nº... (Autoria: Poder Executivo) Dispõe sobre a carreira Assistência à Educação do Distrito Federal e dá outras providências CAPÍTULO I DA CARREIRA Art. 1. Carreira Assistência à Educação

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 581/2007

PROJETO DE LEI Nº 581/2007 1 PUBLICADO DOC 09/02/2008, PÁG. 85 EMENDA Nº 01 AO PROJETO DE LEI Nº 581/2007 Altera-se redação do artigo 2º como segue Art. 2º. Ficam instituídas as carreiras dos servidores de nível superior da Prefeitura

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 6 12/9/2013 13:42 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.859, DE 10 DE SETEMBRO DE 2013. Mensagem de veto Conversão da Medida Provisória nº 613, de 2013 Institui

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS ESTADO DO PARANÁ 1 LEI Nº 2.879, DE 03 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre a estruturação do Plano de Cargos e Salários dos Servidores do Município de Arapongas, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAPONGAS, ESTADO

Leia mais

LEI FEDERAL DO VALE TRANSPORTE

LEI FEDERAL DO VALE TRANSPORTE LEI FEDERAL DO VALE TRANSPORTE A LEI FEDERAL NÃO SE APLICA AOS SERVIDORES MUNICIPAIS LEI 7418/ 1985 Art. 1º Fica instituído o vale-transporte, (Vetado) que o empregador, pessoa física ou jurídica, antecipará

Leia mais

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N o 11.306, DE 16 DE MAIO DE 2006 Estima a receita e fixa a despesa da União para o exercício financeiro de 2006. O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

LEI MUNICIPAL 563/73

LEI MUNICIPAL 563/73 LEI MUNICIPAL 563/73 Dispõe sobre a organização administrativa da PREFEITURA MUNICIPAL DE TAQUARA e dá outras providências. ALCEU MARTINS, Prefeito Municipal de Taquara: Faço saber que a Câmara Municipal,

Leia mais

LEI N 1021 DE 30 DE JUNHO DE 2010

LEI N 1021 DE 30 DE JUNHO DE 2010 LEI N 1021 DE 30 DE JUNHO DE 2010 Altera a Lei nº 256, de 30 de março de 2000, para aperfeiçoar as regras e procedimentos sobre o Plano de Carreira e Remuneração (PCR) do Grupo Ocupacional do Magistério

Leia mais

Altera e consolida o Plano de Cargos e Salários da Câmara Municipal de Córrego do Ouro, e dá outras providências.

Altera e consolida o Plano de Cargos e Salários da Câmara Municipal de Córrego do Ouro, e dá outras providências. LEI N o 0692/2012 Córrego do Ouro/GO.,06 de Dezembro de 2012. Altera e consolida o Plano de Cargos e Salários da Câmara Municipal de Córrego do Ouro, e dá outras providências. O Prefeito Municipal. Faço

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 669. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 669. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte LEI COMPLEMENTAR Nº 669 Institui a modalidade de remuneração por subsídio e o Plano de Carreira para os servidores ocupantes dos cargos de Músico de Orquestra Nível Superior, Músico A e Músico B e dá outras

Leia mais

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI N 2163/2015 Reformula o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos Servidores da Caixa de Assistência, Previdência e Pensões dos Servidores Públicos Municipais de Porciúncula CAPREM e estabelece normas

Leia mais

Diário Oficial Estado de São Paulo

Diário Oficial Estado de São Paulo Diário Oficial Estado de São Paulo Poder Executivo Seção I Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 227 DOE de 03/12/11 Seção 1 - p.1 LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.276, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009.

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.276, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.276, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Autoriza o Poder Executivo a conceder parcelamento de débitos fiscais relacionados com o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 1. NOVAS REGRAS PARA OS SERVIDORES QUE INGRESSAREM NO SERVIÇO PÚBLICO APÓS A PROMULGAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA EC Nº 41/03. a) Principais Características. - fim da paridade

Leia mais

Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 13.115 DE 20 DE ABRIL DE 2015 (publicada no DOU de 21/01/2014, Seção 1, página 1) Estima a receita e fixa a despesa da União

Leia mais

ORÇAMENTO 2014 QUADRO COMPARATIVO ENTRE A LEI Nº 9.979/13 E O PROJETO Nº 307/13

ORÇAMENTO 2014 QUADRO COMPARATIVO ENTRE A LEI Nº 9.979/13 E O PROJETO Nº 307/13 1 ORÇAMENTO 2014 QUADRO COMPARATIVO ENTRE A LEI Nº 9.979/13 E O PROJETO Nº 307/13 LEI Nº 9.979/13 Estima a receita e fixa a despesa do Estado para o exercício Financeiro de 2013. PROJETO DE LEI Nº 307/13

Leia mais

CRIA O ISNTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DE CAMPO GRANDE, REGULA O SEU FUNCIONAMENTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

CRIA O ISNTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DE CAMPO GRANDE, REGULA O SEU FUNCIONAMENTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 711, de 17 de fevereiro de 1961. CRIA O ISNTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DE CAMPO GRANDE, REGULA O SEU FUNCIONAMENTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE: Faço saber

Leia mais

Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 25/01/2012

Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 25/01/2012 Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 25/01/2012 LEI Nº 892 DE 25 DE JANEIRO DE 2013 Dispõe sobre a criação do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações dos Servidores da

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2.827. 1º Para efeito do disposto nesta Resolução entende-se: I - por órgãos e entidades do setor público:

RESOLUÇÃO Nº 2.827. 1º Para efeito do disposto nesta Resolução entende-se: I - por órgãos e entidades do setor público: RESOLUÇÃO Nº 2.827 Consolida e redefine as regras para o contingenciamento do crédito ao setor público. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº. 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte,

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte, LEI Nº 302/05 "DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS" O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MEDIDA PROVISÓRIA Nº 203, DE 31 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre as formas de cumprimento da jornada de trabalho e o banco de horas no âmbito da Polícia Civil do Estado de Santa Catarina e estabelece outras

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.270

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.270 DECRETO Nº 13.270 Regulamenta o parcelamento e pagamento de créditos do município de Vitória e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Vitória, Capital do, no uso de suas atribuições legais, e

Leia mais

http://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei%20complementar/2007/lei%20compl...

http://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei%20complementar/2007/lei%20compl... Page 1 of 6 LEI COMPLEMENTAR Nº 1.012, DE 05 DE JULHO DE 2007 Altera a Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978; a Lei nº 10.261, de 28 de outubro de 1968; a Lei Complementar nº 207, de 5 de janeiro

Leia mais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS UNIFORMES (LEI Nº 11.416/2006, ART. 26) DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO

PROPOSTA DE CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS UNIFORMES (LEI Nº 11.416/2006, ART. 26) DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO Poder Judiciário COMISSÃO INTERDISCIPLINAR Portaria nº 201, de 21 de dezembro de 2006 Supremo Tribunal Federal. VERSÃO: 11.01.2007 PROPOSTA DE CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS UNIFORMES (LEI Nº 11.416/2006, ART.

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 530. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 530. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 28/12/2009) LEI COMPLEMENTAR Nº 530 Altera dispositivos da Lei Complementar nº 16, de 09.01.1992; da Lei Complementar nº 353, de 06.01.2006; da

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MEDIDA PROVISÓRIA Nº 201, DE 31 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre as formas de cumprimento da jornada de trabalho e o banco de horas no âmbito do Instituto Geral de Perícias (IGP) e estabelece outras providências.

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO

DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO INSTITUÍDO PELA LEI Nº 030 DE 12 DE MAIO DE 2009 ADMINISTRAÇÃO DO EXCELENTÍSSIMO SR. PREFEITO MAURÍCIO MARQUES DOS SANTOS ANO IV Nº 1168 PARNAMIRIM, RN, 01 DE DEZEMBRO DE 2015

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988... TÍTULO V DA DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS... CAPÍTULO III DA SEGURANÇA PÚBLICA Art. 144. A segurança pública, dever do Estado,

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu DECRETO N o 20.437, DE 3 DE JUNHO DE 2011. Regulamenta jornada de trabalho, horas extraordinárias, tolerância de atraso e o banco de horas. O Prefeito Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, no uso

Leia mais

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO Instrução Normativa RFB Nº 1246 DE 03/02/2012 (Federal) Data D.O.: 06/02/2012 Dispõe sobre a apresentação da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente ao exercício de 2012, ano-calendário

Leia mais

ATO PGJ N.º 122/2013. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas atribuições legais, e

ATO PGJ N.º 122/2013. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas atribuições legais, e ATO PGJ N.º 122/2013 REGULAMENTA O ARTIGO 10, DA LEI Nº 2.708/2001, ALTERADO PELA LEI PROMULGADA Nº 89, DE 21 DE OUTUBRO DE 2010. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas atribuições

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS. A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná decretou e eu sanciono a seguinte lei:

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS. A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná decretou e eu sanciono a seguinte lei: MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS Súmula: Dispõe sobre a Carreira Técnica Universitária das Instituições de Ensino Superior do Estado do Paraná e adota outras providências.

Leia mais

disposto no presente Decreto. Art. 11 - Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

disposto no presente Decreto. Art. 11 - Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Á constar, dentre outros tópicos, seus objetivos, conceitos, estratégias, indicadores e metodologia de avaliação; II - relatórios mensais contendo dados consolidados das incidências criminais nas áreas

Leia mais

EMENTÁRIO LEI N.º 946, DE 20 DE JANEIRO DE 2006

EMENTÁRIO LEI N.º 946, DE 20 DE JANEIRO DE 2006 LEI N.º 946, DE 20 DE JANEIRO DE 2006 (D.O.M. 20.01.2006 Nº. 1406 Ano VII) DISPÕE sobre o Plano de Saúde dos Servidores Públicos do Município de Manaus SERVMED, institui o correspondente Fundo de Custeio

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 68, DE 26 DE MARÇO DE 2013.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 68, DE 26 DE MARÇO DE 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 68, DE 26 DE MARÇO DE 2013. (Texto compilado) Regulamenta os mecanismos de progressão e promoção para os titulares dos cargos de provimento efetivo de Especialista em Regulação de

Leia mais

LEI Nº 10.963 DE 16 DE ABRIL DE 2008

LEI Nº 10.963 DE 16 DE ABRIL DE 2008 LEI Nº 10.963 DE 16 DE ABRIL DE 2008 Reestrutura o Plano de Carreira e Vencimentos do Magistério Público do Ensino Fundamental e Médio do Estado da Bahia, na forma que indica, e dá outras providências.

Leia mais

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS:

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: Diário Oficial do Município de Boquira - Bahia Poder Executivo Ano VI Nº 870 11 de Novembro de 2014 RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: LEIS LEI Nº 623 DE 03 DE NOVEMBRO DE

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1.691, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2003. FLORISBALDO ANTONIO POLO, Prefeito Municipal de Santo Augusto, Estado do Rio Grande do Sul,

LEI MUNICIPAL Nº 1.691, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2003. FLORISBALDO ANTONIO POLO, Prefeito Municipal de Santo Augusto, Estado do Rio Grande do Sul, LEI MUNICIPAL Nº 1.691, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2003. Dispõe sobre o Plano de Carreira do Magistério Público Municipal. FLORISBALDO ANTONIO POLO, Prefeito Municipal de Santo Augusto, Estado do Rio Grande

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.707, DE 4 DE ABRIL DE 2006. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DA CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA AGÊNCIA DE DEFESA E INSPEÇÃO AGROPECUÁRIA DE ALAGOAS - ADEAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010 Dispõe

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA GP N. 2, DE 12 DE MARÇO DE 2013

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA GP N. 2, DE 12 DE MARÇO DE 2013 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA GP N. 2, DE 12 DE MARÇO DE 2013 Dispõe sobre o Adicional de Qualificação - AQ, instituído pela Lei n. 11.416, de 15 de dezembro de 2006, no

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA Alterada pelas Leis nºs: 1723, de 21.03.07 DOE Nº 0725, de 29.03.07; 1795, de 31.10.07 DOE Nº 0870, de 31.10.07; 1920, de 11.07.08 DOE Nº 1039, de 17.07.08; 2002, de 15.12.08 DOE Nº 1145, de 16.12.08;

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA LEI Nº. 209/12, DE 04 DE ABRIL DE 2012. INSTITUI O PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO

Leia mais

ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar:

ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Dispõe sobre normas gerais pertinentes à Administração Tributária, no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e regula sua integração e as carreiras

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI Nº 2264, DE 29 DE ABRIL DE 2004.

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI Nº 2264, DE 29 DE ABRIL DE 2004. LEI Nº 2264, DE 29 DE ABRIL DE 2004. Institui o Plano de Carreira do Magistério Público Municipal e dá outras providências. Grande do Sul. O PREFEITO MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA, Estado do Rio FAÇO SABER

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000572/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021807/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.005707/2015-00

Leia mais

LEI Nº 321 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI Nº 321 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI Nº 321 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2001 Dispõe sobre o Plano de Carreira, Remuneração e Valorização do Magistério Público Estadual e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA, no uso de suas

Leia mais

LEI Nº 9.639, DE 25 DE MAIO DE 1998. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.639, DE 25 DE MAIO DE 1998. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.639, DE 25 DE MAIO DE 1998. Dispõe sobre amortização e parcelamento de dívidas oriundas de contribuições sociais e outras importâncias devidas ao Instituto Nacional do Seguro Social INSS, altera

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BRUSQUE

PREFEITURA MUNICIPAL DE BRUSQUE LEI COMPLEMENTAR nº 146, DE 31 DE AGOSTO DE 2009 Dispõe sobre o Estatuto do Magistério Público Municipal de Brusque. O PREFEITO MUNICIPAL DE BRUSQUE Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 5 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.084, DE 26 DE AGOSTO DE 2013 A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, caput,

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 114, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 114, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 114, DE 2015 Altera a Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008, para instituir novo piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências.

LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências. LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER que

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO PUBLICADO EM PLACAR Em / / PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS LEI Nº 1529, DE 10 DE MARÇO DE 2008. Cria os cargos públicos de Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate às Endemias e institui o Plano

Leia mais

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23-09-2005 Altera dispositivos do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008 DIÁRIO OFICIAL Nº. 311 de 08/0/008 GABINETE DA GOVERNADORA L E I Nº 7.030, DE 30 DE JULHO DE 007* Cria o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará - IDESP, e dá outras providências.

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

LEI 8.620, DE 5 DE JANEIRO DE 1993 Altera as Leis 8.212 e 8.213, de 24 de julho de 1991, e dá outras providências. O Presidente da República: Faço

LEI 8.620, DE 5 DE JANEIRO DE 1993 Altera as Leis 8.212 e 8.213, de 24 de julho de 1991, e dá outras providências. O Presidente da República: Faço LEI 8.620, DE 5 DE JANEIRO DE 1993 Altera as Leis 8.212 e 8.213, de 24 de julho de 1991, e dá outras providências. O Presidente da República: Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a

Leia mais

ATENÇÃO! OS GRIFOS EM AZUL CORRESPONDEM ÀS NOVAS REDAÇÕES SUGERIDAS PELA APROJUS E/OU ACRÉSCIMOS NO TEXTO ORIGINAL. Capítulo I. Das Disposições Gerais

ATENÇÃO! OS GRIFOS EM AZUL CORRESPONDEM ÀS NOVAS REDAÇÕES SUGERIDAS PELA APROJUS E/OU ACRÉSCIMOS NO TEXTO ORIGINAL. Capítulo I. Das Disposições Gerais Dispõe sobre as Carreiras dos Servidores do Quadro de Pessoal de Provimento Efetivo dos Serviços Auxiliares do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul, fixa valores de vencimento básico; cria

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Secretaria de Estado da Casa Civil

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Secretaria de Estado da Casa Civil . Minuta de Lei n o de de de 2013 Dispõe sobre o Plano de Carreiras, Cargos e Remuneração dos servidores efetivos a Secretaria e Estado da Saúde SES-GO e dá outras providências. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

Leia mais

LEI Nº 8.088, DE 31 DE OUTUBRO DE 1990

LEI Nº 8.088, DE 31 DE OUTUBRO DE 1990 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação LEI Nº 8.088, DE 31 DE OUTUBRO DE 1990 Dispõe sobre a atualização do Bônus do Tesouro Nacional e dos depósitos de poupança e dá outras providências.

Leia mais

LEI Nº 11.516, DE 28 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 11.516, DE 28 DE AGOSTO DE 2007. ADVERTÊNCIA Informamos que os textos das normas deste sítio são digitados ou digitalizados, não sendo, portanto, "textos oficiais". São reproduções digitais de textos originais, publicados sem atualização

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 360/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 7 DE JULHO DE 2014

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 360/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 7 DE JULHO DE 2014 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 360/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 7 DE JULHO DE 2014 Institui o Programa de Incentivo à Participação de Servidores do Tribunal Superior do Trabalho em

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSULTORIA DE ORÇAMENTO E FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA Nota Técnica nº 13/2007 Medida Provisória nº 359/2007 NOTA TÉCNICA Nº 13/2007

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSULTORIA DE ORÇAMENTO E FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA Nota Técnica nº 13/2007 Medida Provisória nº 359/2007 NOTA TÉCNICA Nº 13/2007 NOTA TÉCNICA Nº 13/2007 SUBSÍDIOS À APRECIAÇÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 359, DE 16 DE MARÇO DE 2007, QUANTO À ADEQUAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Altera as Leis n os 10.355, de 26 de dezembro de 2001, 10.855,

Leia mais

LEI N 2.298/2002, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2002.

LEI N 2.298/2002, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2002. LEI N 2.298/2002, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2002. Dispõe sobre a política de incentivo ao desenvolvimento econômico e social do Município de Encantado, cria o Programa de Desenvolvimento Econômico e Social e

Leia mais

DECRETO No- 8.068, DE 14 DE AGOSTO DE 2013

DECRETO No- 8.068, DE 14 DE AGOSTO DE 2013 DECRETO No- 8.068, DE 14 DE AGOSTO DE 2013 Regulamenta os critérios e procedimentos gerais a serem observados para a realização das avaliações de desempenho individual e institucional e o pagamento da

Leia mais

Regime Próprio de Previdência Social

Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social RPPS é o regime de previdência, estabelecido no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios que assegura,

Leia mais

LEI Nº 7.169, DE 30 DE AGOSTO DE 1996 Republicada em 7/9/1996

LEI Nº 7.169, DE 30 DE AGOSTO DE 1996 Republicada em 7/9/1996 LEI Nº 7.169, DE 30 DE AGOSTO DE 1996 Republicada em 7/9/1996 Institui o Estatuto dos Servidores Públicos do Quadro Geral de Pessoal do Município de Belo Horizonte vinculados à administração direta, (VETADO)

Leia mais