Rio Grande do Norte, 24 de Março de 2015 Ano VI Nº 1374

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rio Grande do Norte, 24 de Março de 2015 Ano VI Nº 1374"

Transcrição

1 CÂMARA MUNICIPAL DE APODI CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 014/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadã de Apodi a Ilustríssima Senhora Eleusa Moreira Gurgel Fernandes. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadã de Apodi a ilustríssima Senhora Eleusa Moreira Gurgel Fernandes. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 6B38BB2D CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 015/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Ângelo Shigueyuri Morita. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Ângelo Shigueyuri Morita. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 3E71388E CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 016/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Smith de Azevedo Cirne. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Smith de Azevedo Cirne. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 465C4566 CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 017/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Pedro Terceiro de Melo. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Pedro Terceiro de Melo. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 64EC4658 CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 018/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Francisco Suassuna Carneiro. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Francisco Suassuna Carneiro. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 6C69871B CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 019/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Danillo Linhares Barros. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Danillo Linhares Barros. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 58F8DE7E CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 020/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Thiago Capistrano Andrade. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Thiago Capistrano Andrade. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 7590BB0F CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 021/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Ismael Simão da Silva. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Ismael Simão da Silva. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 5EE6F6F2 CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 022/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015

2 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Marcos Antônio de Oliveira. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Marcos Antônio de Oliveira. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 5A91E22E CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 023/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Solimar Regalado de Medeiros. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Solimar Regalado de Medeiros. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 55692F8B CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 024/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Solon Regalado de Medeiros. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Solon Regalado de Medeiros. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 3BDB CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 025/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor João Sabino de Moura. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor João Sabino de Moura. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 41E52AC5 CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 026/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Fernando Henrique Magalhães de Lacerda. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Fernando Henrique Magalhães de Lacerda. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 5B076DAF CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 027/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor Gustavo Régio Torquato Fernandes. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor Gustavo Régio Torquato Fernandes. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: D CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 028/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadão de Apodi ao Ilustríssimo Senhor João Mendes de Freitas. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadão de Apodi ao ilustríssimo Senhor João Mendes de Freitas. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 61143D59 CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 029/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 Concede titulo de Cidadã de Apodi a Ilustríssima Senhora Maria das Graças Mariz de Medeiros Freire. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede o Titulo de Cidadã de Apodi a ilustríssima Senhora Maria das Graças Mariz de Medeiros Freire. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: CAMARA MUNICIPAL DE APODI RESOLUÇÃO Nº. 030/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015 O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE APODI, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições e com amparo na letra h do inciso II, 1º, do artigo 43 do Regimento Interno, bem como na Resolução N.º 186-A/2010, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e Ele promulga a seguinte Resolução: Art. 1º A Câmara Municipal de Apodi concede Medalha de Honra ao Mérito Walter de Brito Guerra aos seguintes contemplados pelos relevantes serviços prestados ao nosso município: Arnaldo João da Costa Elson Marinho de Paiva Flaviano Moreira Monteiro Grupo Florescer de Teatro Apodi-RN João Dehon de Sousa Lúcia Maria Tavares Maria Auxiliadora da Silva Maia

3 Raimundo Marinho Pinto Sebastião Pereira Tôrres Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Apodi/RN - Sala das Sessões, em 23 de março de 2015 João Evangelista de Menezes Filho Presidente Raimundo Nonato Carlos Júnior Vice-Presidente José Pereira Filho Neto 1º Secretário Maria Soneth da Silva Ferreira Gomes 2ª Secretária ANTONIO MARCOS DOS SANTOS MAIA Código Identificador: 4539D0B0 CÂMARA MUNICIPAL DE CARAÚBAS GABINETE DA PRESIDÊNCIA EXTRATO DE CONTRATO CONTRATO Nº...: ORIGEM...: PREGÃO Nº 001/2015 CONTRATANTE...: CÂMARA MUNICIPAL DE CARAÚBAS CONTRATADA(O)...: FUNDAÇÃO ELIZABETE ELITA DE LIMA OBJETO...: Contratação de emissora de rádio com sede em Caraúbas, para transmissão das sessões ordinárias, extra-ordinárias e divulgação de atos e avisos da Câmara Municipal de Caraúbas VALOR TOTAL...: R$ (trinta mil reais) PROGRAMA DE TRABALHO...: Exercício 2015 Atividade Manutenção das Atividades da Câmara Municipal, Classificação econômica Outros Serv. de Terc. Pessoa Jurídica, Subelemento , no valor de R$ VIGÊNCIA...: 10 de Março de 2015 a 31 de Dezembro de 2015 DATA DA ASSINATURA...: 10 de Março de 2015 MANOEL LÚCIO FERNANDES Código Identificador: 624A8063 GABINETE DA PRESIDÊNCIA RESULTADO DE JULGAMENTO DA LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 001/2015 A(O) CÂMARA MUNICIPAL DE CARAÚBAS, por intermédio do(a) Pregoeiro(a), torna público o resultado do Pregão nº 001/2015. Foi adjudicado o(s) objeto(s) desta licitação à(s) seguintes licitant(s): RESULTADO DA ADJUDICAÇÃO Item: CONTRATAÇÃO DE EMISSORA DE RÁDIO COM SEDE EM CARAÚBAS Quantidade: 10 Unidade de fornecimento: MÊS Situação: ADJUDICADO em 10/03/2015 Adjudicado para: FUNDAÇÃO ELIZABETE ELITA DE LIMA, pelo menor lance de R$ (Três Mil Reais). A licitação foi realizada pelo critério de menor preço, sendo o presente certame homologado pelo(a) Sr.(a) EDSON MORAES, autoridade competente do(a) CÂMARA MUNICIPAL DE CARAÚBAS, conforme resultado indicado no quadro abaixo: RESULTADO DA HOMOLOGAÇÃO Item: CONTRATAÇÃO DE EMISSORA DE RÁDIO COM SEDE EM CARAÚBAS Quantidade: 10 Unidade de fornecimento: MÊS Situação: HOMOLOGADO em 10/03/2015 Homologado para: FUNDAÇÃO ELIZABETE ELITA DE LIMA, C.N.P.J. nº / , pelo menor preço unitário, no valor de R$ (Três Mil Reais). O(A) pregoeiro(a) informa ainda, que os autos do Processo encontram-se com vistas franqueadas aos interessados a partir da data desta publicação, nos dias úteis no horário de expediente do(a) CÂMARA MUNICIPAL DE CARAÚBAS. 3 CARAÚBAS - RN, 10 de Março de 2015 MANOEL LUCIO FERNANDES FILHO Pregoeiro(a) MANOEL LÚCIO FERNANDES Código Identificador: 55116EFE CÂMARA MUNICIPAL DE CRUZETA CÂMARA MUNICIPAL DE CRUZETA PORTARIA Nº 19/2015 Concessão de Diária Vereador Caio - Selo Unicef A PRESIDENTA DA CÂMARA MUNICIPAL DE CRUZÊTA, no uso das atribuições legais que lhe são conferidas pela Resolução nº 70, de 02 de maio de 2013, R E S O L V E: Art. 1º - Conceder ao Vereador abaixo indicado, a diária correspondente para pagamento de despesas com viagem e alimentação quando em deslocamento a serviço desta Câmara no período citado. Beneficiário - Sebastião Caio dos Santos Dantas Função - Vereador Quantidade - ¹/² Destino - Natal - RN Data de Afastamento: 24 de março de 2015 Hora de Saída: 05:00 horas Hora de Chegada: 21:00 horas Roteiro: Escola de Governo Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales, no Centro Administrativo do RN, BR 101, Km 0, Lagoa Nova- Natal-RN, para participar do 5º Ciclo de Capacitação do Selo UNICEF Edição Plataforma do Selo Unicef, Avaliação das Ações Estratégicas, NUCA e Esporte Inclusivo, na condição de Articulador. Art. 2º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. Gabinete da Presidência da Câmara Municipal de Cruzêta-RN, em 23 de março de Sara Mac Line da Silva Presidenta LUANNA FERREIRA DA SILVA ALMEIDA Código Identificador: 45A106AD CÂMARA MUNICIPAL DE GOIANINHA PRESIDENCIA EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO O Presidente da Comissão de licitação do Município de Goianinha, através da CÂMARA MUNICIPAL DE GOIANINHA, em cumprimento à ratificação procedida pelo Sr. CÁUDIO JOSÉ FREIRE, Presidente da CÂMARA MUNICIPAL DE GOIANINHA, faz publicar o extrato resumido do processo de DISPENSA DE LICITAÇÃO a seguir: OBJETO: Prestação de serviços no fornecimento de energia elétrica, destinado ao prédio da câmara municipal deste município durante o ano de FAVORECIDO: COMPANHIA ENERGÉTICA DO RN. VALOR: R$ 7.50 (Sete mil e quinhentos reais). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: art.24, inciso XXII da Lei nº8.666/93 e suas alterações. DECLARAÇÃO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO: emitida pela Comissão de Licitação e ratificada pelo Sr. CLÁUDIO JOSÉ FREIRE, na qualidade de Presidente da Câmara. GOIANINHA-RN, 05 de janeiro de (a.a) EDNA MARIA FERREIRA LEONEZ LIMA Comissão de Licitação Presidente ETHYANE DAS NEVES DE LIMA Código Identificador: 40BE6DA7 PRESIDENCIA EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO O Presidente da Comissão de licitação do Município de Goianinha, através da CÂMARA MUNICIPAL DE GOIANINHA, em cumprimento da ratificação procedida pelo Gestor da CÂMARA MUNICIPAL DE GOIANINHA, faz publicar o extrato resumido do processo de INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO a seguir: OBJETO: Prestação de serviços de telefonia fixa, destinado ao prédio da câmara municipal deste município durante o ano de FAVORECIDO: TELEMAR NORTE LESTA S/A. VALOR: R$ 7.50 (Sete mil e quinhentos reais). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: art.13, inciso III c/c art. 25, inciso II da Lei nº8.666/93 e suas alterações. DECLARAÇÃO DE INEXIGIBILIDADE: emitida pelo Presidente da Comissão de Licitação e ratificada pelo Sr., na qualidade de ordenador de despesas. GOIANINHA-RN, 05 de janeiro de (a.a) EDNA MARIA FERREIRA LEONEZ LIMA Comissão de Licitação Presidente ETHYANE DAS NEVES DE LIMA Código Identificador: 75FA5D82 PRESIDENCIA EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO O Presidente da Comissão de licitação do Município de Goianinha, através da CÂMARA MUNICIPAL DE GOIANINHA, em cumprimento da ratificação procedida pelo Gestor da CÂMARA MUNICIPAL DE GOIANINHA, faz publicar o extrato resumido do processo de INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO a seguir: OBJETO: Prestação de serviços no fornecimento de água potável, destinado ao prédio da Câmara municipal deste município durante o ano de FAVORECIDO: COMPANHIA DE ÁGUAS E ESGOTOS DO RN. VALOR: R$ 2.10 (Dois mil e cem reais). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: art.13, inciso III c/c art. 25, inciso II da Lei nº8.666/93 e suas alterações. DECLARAÇÃO DE INEXIGIBILIDADE: emitida pelo Presidente da Comissão de Licitação e ratificada pelo Sr., na qualidade de ordenador de despesas. GOIANINHA-RN, 05 de janeiro de (a.a) EDNA MARIA FERREIRA LEONEZ LIMA Comissão de Licitação Presidente ETHYANE DAS NEVES DE LIMA Código Identificador: 6B0AA8F3 CÂMARA MUNICIPAL DE JANDUÍS CÂMARA MUNICIPAL DE JANDUÍS PORTARIA Nº. 9/2015. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE JANDUÍS, Estado do Rio Grande do Norte, considerando o disposto no Art. 16, 6º, I, da Resolução nº. 004/2013 TCE e tendo em vista a solicitação de diária pelo Vereador ANTONIO GOMES BATISTA, no uso de suas atribuições legais; R E S O L V E: Art. 1º. Conceder 01 (uma) diária, no valor de R$ 36 (trezentos e sessenta reais), ao Vereador ANTONIO GOMES BATISTA, para custear as despesas com deslocamento e alimentação até a cidade de Natal/RN, dia 20/03/2015, a fim de participar do 1º. Encontro de Prefeitos e Vereadores do Rio Grande do Norte, promovido pela FECAMRN e FEMURN, que será realizado na Escola de Governo. Art. 2º. Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Janduís/RN, 19 de março de REGISTRE-SE. PUBLIQUE-SE. E CUMPRA-SE. Vereador LEANDRO TOMÉ Presidente LEANDRO FERREIRA TOMé Código Identificador: 47248DA8 CÂMARA MUNICIPAL DE JANDUÍS PORTARIA Nº. 10/2015. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE JANDUÍS, Estado do Rio Grande do Norte, considerando o disposto no Art. 16, 6º, I, da Resolução nº. 004/2013 TCE e tendo em vista a

4 solicitação de diária pelo Vereador ARTHUR BARBOSA DE LIMA, no uso de suas atribuições legais; R E S O L V E: Art. 1º. Conceder 01 (uma) diária, no valor de R$ 36 (trezentos e sessenta reais), ao Vereador ARTHUR BARBOSA DE LIMA, para custear as despesas com deslocamento e alimentação até a cidade de Natal/RN, dia 20/03/2015, a fim de participar do 1º. Encontro de Prefeitos e Vereadores do Rio Grande do Norte, promovido pela FECAMRN e FEMURN, que será realizado na Escola de Governo. Art. 2º. Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Janduís/RN, 19 de março de REGISTRE-SE. PUBLIQUE-SE. E CUMPRA-SE. Vereador LEANDRO TOMÉ Presidente LEANDRO FERREIRA TOMé Código Identificador: 4B164B8D CÂMARA MUNICIPAL DE JANDUÍS EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO A Comissão de Licitação do Município de JANDUIS, através do(a) CÂMARA MUNICIPAL DE JANDUIS, em cumprimento à ratificação procedida pelo(a) Sr(a) LEANDRO FERREIRA TOMÉ, PRESIDENTE, faz publicar o extrato resumido do processo de dispensa de licitação a seguir: Objeto: Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de gravação das sessões realizadas pela Câmara Municipal de Janduís/RN Contratado: ALEX SANDRO FERREIRA DE MEDEIROS Fundamento Legal: art. 24, inciso II, da Lei nº 8.666/93 e suas alterações posteriores. Declaração de Dispensa de Licitação emitida pela Comissão de Licitação e ratificado pelo(a) Sr(a) LEANDRO FERREIRA TOMÉ, PRESIDENTE. JANDUIS - RN, 02 de Março de 2015 VERA LUCIA DE ALMEIDA Comissão de Licitação Presidente LEANDRO FERREIRA TOMé Código Identificador: 42C16823 CÂMARA MUNICIPAL DE JANDUÍS EXTRATO DE CONTRATO - CONTRATO Nº.: ORIGEM: DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 0002/2015. CONTRATANTE: CÂMARA MUNICIPAL DE JANDUIS. CONTRATADA(O): ALEX SANDRO FERREIRA DE MEDEIROS OBJETO: Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de gravação das sessões realizadas pela Câmara Municipal de Janduís/RN. VALOR TOTAL: R$ 4.80 (quatro mil, oitocentos reais). PROGRAMA DE TRABALHO: Exercício 2015 Atividade Manutenção das Atividades da Câmara Municipal de Janduis, Classificação econômica Outros Serv. de Terc. Pessoa Jurídica, Subelemento , no valor de R$ VIGÊNCIA: 02 de Março de 2015 a 31 de Dezembro de DATA DA ASSINATURA: 02 de Março de LEANDRO FERREIRA TOMé Código Identificador: 481D7244 CÂMARA MUNICIPAL DE JARDIM DE PIRANHAS TESOURARIA TERMO DE ADJUDICAÇÃO PROCESSO/CMJP/RN n.º 011/2015 Depois de cumpridas as exigências e condições estipuladas pelo ato convocatório e renunciado o direito aos prazos para recursos administrativos, como preceitua as disposições constantes da Lei nº 8.666/93, de e legislação complementar, de conformidade com o julgamento emitido pela Comissão Permanente de Licitação, ADJUDICO o objeto do presente pleito, qual seja a contratação dos serviços de locação de veículo de passeio a ser utilizado na execução das atividades próprias desta Casa Legislativa, em favor da seguinte: 4. FRANCISCO SOARES DOS SANTOS, CPF: , RG: SSP RN locação de veículo VW/POLO SEDAN 1.6, ANO 2012, MODELO 2013, PRETO, PLACA OJV 2341, CHASSI 9BWDB49NODPO15540 com o valor global de R$ (vinte e oito mil reais); Jardim de Piranhas/RN, 17 de março de FRANCISCO JÚNIOR ALVES PRESIDENTE ATHOS ORDELY DE ARAÚJO DUTRA Código Identificador: TESOURARIA ATO DE HOMOLOGAÇÃO PROCESSO/CMJP/RN n.º 011/2015 De acordo com os atos da Comissão Permanente de Licitação, consubstanciado no que fundamenta a Lei nº 8.666/93 e legislação complementar, HOMOLOGO o presente certame em favor da pessoa abaixo relacionada por ter apresentado a proposta mais vantajosa para esta Edilidade:. FRANCISCO SOARES DOS SANTOS, CPF: , RG: SSP RN locação de veículo VW/POLO SEDAN 1.6, ANO 2012, MODELO 2013, PRETO, PLACA OJV 2341, CHASSI 9BWDB49NODPO15540 com o valor global de R$ (vinte e oito mil reais); Jardim de Piranhas/RN, 17 de março de FRANCISCO JÚNIOR ALVES PRESIDENTE ATHOS ORDELY DE ARAÚJO DUTRA Código Identificador: 4FAA7F66 TESOURARIA EXTRATO DE CONTRATO ADMINISTRATIVO PROCESSO/CMJP/RN n.º 011/2015 CONTRATANTE: Câmara Municipal de Jardim de Piranhas/RN; CONTRATADO: FRANCISCO SOARES DOS SANTOS, OBJETO: Serviços de locação de veículo de passeio; DATA DE ASSINATURA: 17 de março de 2015; VIGÊNCIA: 17 de março de 2015 a 31 de dezembro de 2015; VALOR GLOBAL: R$ (vinte e oito mil reais); SUBSCRITORES: Francisco Júnior Alves pela Contratante e Francisco Soares dos Santos pela Contratada. Jardim de Piranhas/RN, 17 de março de FRANCISCO JÚNIOR ALVES PRESIDENTE ATHOS ORDELY DE ARAÚJO DUTRA Código Identificador: 5147D9B4 CÂMARA MUNICIPAL DE PATU GABINETE DA PRESIDENCIA RESULTADO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2015 A Pregoeira da Câmara Municipal de Patu/RN, no uso de suas atribuições legais torna público que o Pregão Presencial nº 005/2015, que teve por objeto a Contratação de Serviços de Assessoria Contábil nas Áreas Financeiras e RH e no Acompanhamento dos Processos Juntos aos Órgãos Fiscalizadores, realizado no dia 18 de março de 2015, as 15h00min,com a participação do licitante credenciado: JOSE JEFFESON DELFINO - CPF Nº , com residência na Avenida Lauro Maia, 617 centro Patu/RN, CEP Procedido com as formalidades legais, previstas no Edital de Licitação, observando o critério da compatibilidade dos valores finais ofertados com a pesquisa mercadológica realizada, após negociações individuais estabelecidas com a licitante, obteve-se o seguinte resultado: JOSE JEFFESON DELFINO - CPF Nº , com residência na Avenida Lauro Maia, 617 centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ (trinta mil reais),sendo declarada vencedora a licitante: JOSE JEFFESON DELFINO - CPF Nº , com residência na Avenida Lauro Maia, 617 centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ (trinta mil reais). Patu/RN, em 18 de março de ALYANE BENIGNO OLIVEIRA MOURA, CPF nº Pregoeira da Câmara Municipal. MARTA MARIA DANTAS PINHEIRO Código Identificador: 5B2E15A6 GABINETE DA PRESIDENCIA ADJUDICAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2015 Aos 18 (dezoito) dias do mês de março de 2015, na Sala da Comissão Permanente de Licitação, a Pregoeira da Câmara Municipal ALYANE BENIGNO OLIVEIRA MOURA, com base no resultado obtido no Pregão Presencial nº 005/2015, Tipo Menor Preço global, da Câmara Municipal de Patu/RN, cumprindo as formalidades do inciso XXI, do art. 4 da Lei n /02, ADJUDICA o objeto do presente processo licitatório em favor da licitante: JOSE JEFFESON DELFINO - CPF Nº , com residência na Avenida Lauro Maia, 617 centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ (trinta mil reais). Patu/RN, em 18 de março de ALYANE BENIGNO OLIVEIRA MOURA, CPF nº Pregoeira da Câmara Municipal. MARTA MARIA DANTAS PINHEIRO Código Identificador: 6336F125 GABINETE DA PRESIDENCIA HOMOLOGAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2015 Considerando a análise efetuada no PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2015, atendido o interesse público e no uso das atribuições de Gestor Público desta Câmara Municipal de Patu/RN, cumprindo as formalidades do inciso XXII, do art. 4 da Lei n /02, HOMOLOGO o julgamento proferido pela Pregoeira, em 18 de março de 2015, em favor da licitante: JOSE JEFFESON DELFINO - CPF Nº , com residência na Avenida Lauro Maia, 617 centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ (trinta mil reais). Patu/RN, em 19 de março de Suetoneo Oliveira Moura, CPF n Presidente da Câmara Municipal. MARTA MARIA DANTAS PINHEIRO Código Identificador: 55FC244C GABINETE DA PRESIDENCIA EXTRATO DE CONTRATO PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2015 CONTRATANTE: Câmara Municipal de Patu, CNPJ/MF Nº / , com sede a Rua. Dr. José Augusto, 90, Centro, Patu/RN, CEP CONTRATADA: JOSE JEFFESON DELFINO - CPF Nº , com residência na Avenida Lauro Maia, 617 centro Patu/RN. OBJETO: Contratação de Serviços de Assessoria Contábil nas Áreas Financeiras e RH e no Acompanhamento dos Processos Juntos aos Órgãos Fiscalizadores. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei /2002, subsidiada a Lei 8.666/1993 e alterações posteriores. VIGÊNCIA: Da assinatura até 31/12/2015. VALOR GLOBAL: R$ (trinta mil reais). LOCAL E DATA: Patu/RN, em 20 de março de ASSINATURAS: Pela CONTRATANTE: Suetoneo Oliveira Moura, CPF n Presidente da Câmara Municipal / Pelo CONTRATADO: José Jeffeson Delifno, CPF nº , Titular. MARTA MARIA DANTAS PINHEIRO Código Identificador: 5A581DE6 CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ GABINETE DA PRESIDÊNCIA PORTARIA N 024/2015 DE 23 DE MARÇO DE O PRESIDENTE DA CAMARA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ-RN, no uso de suas atribuições legais e de acordo com a resolução n 02/2009, de 21 de dezembro de R E S O L V E: Conceder ao Sr. LEODÔNIO MEDEIROS DANTAS PRESIDENTE, desta Câmara Municipal, 01 (UMA) diária, no valor de 30 (TREZENTOS REAIS), ficando o referido presidente autorizado a deslocar-se até a cidade de Natal/RN, no dia 18 de março de 2015, para resolver assuntos de interesse desta casa Legislativa junto ao Departamento Estadual de Estradas e Rodagens DER, de acordo com o Ofício nº 013/2015, na Secretária de Segurança Pública e Defesa Social de acordo com o oficio n 021/2015 e na Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte de acordo com o oficio n 019/ REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. Gabinete do Presidente da Câmara Municipal de São José do Seridó/RN, 23 de março de LEODÔNIO MEDEIROS DANTAS PRESIDENTE DA CÂMARA ADILSON DE AZEVEDO ARAUJO Código Identificador: 3C CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PEDRO CAMARA MUNICIPAL DE SÃO PEDRO Portaria nº 007/2015 O Presidente da Câmara Municipal de São Pedro-RN, no uso de suas atribuições legais. Resolve: Art. 1º - Nomear LASARO LUCIVAN PEREIRA DA SILVA, CPF para exercer o cargo comissionado de CONTADOR (Resolução nº ) do quadro de pessoal desta Câmara Municipal. Art. 2º - Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Câmara Municipal de São Pedro-RN, 02 de março de Registre-se, Publique-se e Cumpra-se.

5 JOSÉ COSTA DE ANDRADE PRESIDENTE JOSÉ COSTA DE ANDRADE Código Identificador: 653B5CFE CAMARA MUNICIPAL DE SÃO PEDRO Portaria nº 008/2015 O Presidente da Câmara Municipal de São Pedro-RN, no uso de suas atribuições legais. Resolve: Art. 1º - Nomear ALDAIR LEITE DA SILVA FILHO, CPF para exercer o cargo comissionado de CONTROLADOR (Resolução nº ) do quadro de pessoal desta Câmara Municipal. Art. 2º - Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Câmara Municipal de São Pedro-RN, 02 de março de Registre-se, Publique-se e Cumpra-se. JOSÉ COSTA DE ANDRADE PRESIDENTE JOSÉ COSTA DE ANDRADE Código Identificador: 3DE2ED23 CÂMARA MUNICIPAL DE UMARIZAL PRESIDÊNCIA PREGÃO PRESENCIAL Nº 003/2015-SRP O Pregoeiro no uso de suas atribuições legais e o que determina a Lei nº /2003 e Lei 8.666/93 e suas alterações posteriores torna pública para o conhecimento dos interessados que realizará, licitação na modalidade Pregão Presencia-SRP nº 003/2015, objetivando REGISTRO DE PREÇOS para futura aquisição de Material de Limpeza e Higiene, para atender as necessidades da Câmara Municipal de Umarizal-RN, a ser realizado no dia 06/04/2015, ás 08h00min. O Edital contendo maiores informações encontra-se a disposição dos interessados na sede da CMU, sito a Rua Rua Jocelin Vilar, 395 Centro, Umarizal/RN, no horário de 7:30 h ás 11:30 hs. Umarizal-RN, 23 de Março de 2015 Suêldo Maia Pinheiro Pregoeiro WILKER ALEXANDRE OLIVEIRA DOS SANTOS Código Identificador: 595ACF7F PRESIDÊNCIA PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2015-SRP O Pregoeiro no uso de suas atribuições legais e o que determina a Lei nº /2004 e Lei 8.666/93 e suas alterações posteriores torna pública para o conhecimento dos interessados que realizará, licitação na modalidade Pregão Presencia-SRP nº 004/2015, objetivando REGISTRO DE PREÇOS para futura aquisição de Gêneros Alimentícios, para atender as necessidades da Câmara Municipal de Umarizal/RN, a ser realizado no dia 06/04/2015, ás 13h00min. O Edital contendo maiores informações encontra-se a disposição dos interessados na sede da CMU, sito a Rua Rua Jocelin Vilar, 395 Centro, Umarizal/RN, no horário de 7:30 h ás 11:30 hs. Umarizal-RN, 23 de Março de 2015 Suêldo Maia Pinheiro Pregoeiro WILKER ALEXANDRE OLIVEIRA DOS SANTOS Código Identificador: 740FBA72 PREFEITURA MUNICIPAL DE ACARI LEI MUNICIPAL N Dispõe sobre a concessão de reajuste salarial aos Professores e Diretores da Rede de Ensino Municipal de Acari e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ACARI RN, no uso de suas atribuições legais; Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1.º - Fica concedido aos servidores do Município de Acari Rio Grande do Norte, pertencentes ao Quadro de Funcionários do Magistério Público Municipal regido pela Lei Municipal nº. 918, de 09 de dezembro de 2009, que dispõe sobre o Estatuto e o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério Público Municipal, reajuste no salário base no percentual 5 equivalente a 13,01 % (treze vírgula zero um por cento), para adequar-se assim ao percentual dado ao valor do novo piso nacional da categoria. Art. 2.º - Fica concedido aos vencimentos dos Cargos em Comissão, Símbolo CCDE-1 e CCDE-2, regidos pela Lei Municipal nº. 845, de 03 de junho de 2006, reajuste salarial equivalente a 13,01 % (treze vírgula zero um por cento). Art. 3.º - O Anexo II da Lei Municipal nº. 918, de 09 de dezembro de 2009, e o anexo da Lei Municipal nº. 845, de 03 de junho de 2006, passará a vigorar com os valores contidos nos anexos desta Lei. Art. 4º. Esta Lei entrará em vigor na data da sua publicação, retroagindo seus efeitos a 02 de janeiro de 2015, revogadas as disposições em contrário. Acari/RN, 23 de março de 2015 ISAÍAS DE MEDEIROS CABRAL Prefeito Municipal RÚBIA KÁTIA AZEVEDO MONTENEGRO Código Identificador: 660FC5B9 LEI MUNICIPAL N.1012 Autoriza a formulação de Convênio com a Associação Cultural Maestro Felinto Lucio Dantas e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ACARI RN, no uso de suas atribuições legais; Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1.º - Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a formular Convênio entre o MUNICIPIO DE ACARI e a ASSOCIAÇÃO CULTURAL MAESTRO FELINTO LUCIO DANTAS, inscrita no CNPJ nº / , com sede a Rua Cipriano Pereira s/n Centro Acari/RN, reconhecida como entidade de Utilidade Pública através da Lei Municipal nº. 584, de 03 de dezembro de 1991, com o objetivo de incentivar ações culturais, sociais, educacionais e apoiar os Programas desenvolvidos pela referida Associação. Art. 2.º - O montante financeiro despendido pelo Município de Acari para execução do convênio será de R$ 9.00 (nove mil reais), pagos integralmente no exercício financeiro de 2015, mediante desembolso de 05 (cinco) parcelas iguais de R$ 1.80 (mil e oitocentos reais), com prévia requisição pela Associação Cultural Maestro Felinto Lúcio Dantas com interstício mínimo de 20 (vinte) dias entre uma parcela e outra. 1º Após a liberação da 1ª (primeira) parcela do convênio firmado, as demais subsequentes só serão liberadas quando da apresentação da Prestação de Contas parcial da parcela anterior que após devidamente analisada pela Controladoria do Município será autorizada pelo Prefeito Municipal. 2º- A apresentação da prestação de contas final deverá ser entregue ao Município no prazo máximo de 60 (sessenta) dias após a liberação da última parcela, devendo a referida prestação de contas ser analisada pela Controladoria do Município de Acari quanto a sua regularidade e boa aplicação. Art. 3º. Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a celebrar em instrumento próprio o Convênio de que trata a presente lei, devendo firmar cláusulas que, atendidos os parâmetros gerais já estabelecidos, regulamentem em dados melhor circunstanciados o ajuste entre as partes, cuja cópia obrigatoriamente deve ser publicada nos locais de costume do Município de Acari/RN. Art. 4º. As despesas decorrentes da presente Lei correrão à conta do orçamento geral do município vigente, Lei nº. 1010, 23 de dezembro de 2014, (Especificação Manutenção dos Serviços Culturais - Despesa Subvenções Sociais). Art. 5º. Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Acari/RN, 23 de março de ISAÍAS DE MEDEIROS CABRAL Prefeito Municipal RÚBIA KÁTIA AZEVEDO MONTENEGRO Código Identificador: 4854A234 LEI MUNICIPAL N.1013 Autoriza a formulação de Convênio com a Associação Caminhos da Cidadania (Polícia Mirim), e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ACARI RN, no uso de suas atribuições legais; Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1.º - Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a formular Convênio entre o MUNICIPIO DE ACARI e a ASSOCIAÇÃO CAMINHOS DA CIDADANIA (Polícia Mirim), inscrita no CNPJ nº / , com sede a Rua da Matriz, nº. 309, Centro, Acari/RN, CEP: , reconhecida como entidade de Utilidade Pública através da Lei Municipal nº. 981, de 01 de abril de 2013, com o objetivo de incentivar ações sociais, educacionais e apoiar os Programas desenvolvidos pela referida Associação. Art. 2.º - O montante financeiro despendido pelo Município de Acari para execução do convênio será de R$ 6.00 (seis mil reais), pagos integralmente no exercício financeiro de 2015, mediante desembolso de 05 (cinco) parcelas iguais de R$ 1.20 (mil e duzentos reais), com prévia requisição pela Associação Caminhos da Cidadania (Polícia Mirim)com interstício mínimo de 20 (vinte) dias entre uma parcela e outra. 1º Após a liberação da 1ª (primeira) parcela do convênio firmado, as demais subsequentes só serão liberadas quando da apresentação da Prestação de Contas parcial da parcela anterior que após devidamente analisada pela Controladoria do Município será autorizada pelo Prefeito Municipal. 2º- A apresentação da prestação de contas final deverá ser entregue ao Município no prazo máximo de 60 (sessenta) dias após a liberação da última parcela, devendo a referida prestação de contas ser analisada pela Controladoria do Município de Acari quanto a sua regularidade e boa aplicação. Art. 3º. Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a celebrar em instrumento próprio o Convênio de que trata a presente lei, devendo firmar cláusulas que, atendidos os parâmetros gerais já estabelecidos, regulamentem em dados melhor circunstanciados o ajuste entre as partes, cuja cópia obrigatoriamente deve ser publicada nos locais de costume do Município de Acari/RN. Art. 4º. As despesas decorrentes da presente Lei correrão à conta do orçamento geral do município vigente, Lei nº. 1010, 23 de dezembro de 2014, (Especificação Manutenção dos Serviços Culturais - Despesa Subvenções Sociais). Art. 5º. Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Acari/RN, 23 de março de ISAÍAS DE MEDEIROS CABRAL Prefeito Municipal RÚBIA KÁTIA AZEVEDO MONTENEGRO Código Identificador: 579BEDF3 LEI MUNICIPAL Nº Autoriza ao Poder Executivo Municipal a formulação de Convênio com a SOCIEDADE DE PROTEÇÃO A MATERNIDADE E À INFÂNCIA DE ACARI HOSPITAL MATERNIDADE DE ACARIe dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ACARI/RN, no uso de suas atribuições legais; Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º. Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a formalizar Convênio com a SOCIEDADE DE PROTEÇÃO A MATERNIDADE E À INFÂNCIA DE ACARI HOSPITAL MATERNIDADE DE ACARI, com inscrição no CNPJ nº / , sediada àrua Luiz Freire da Costa s/n Centro Acari/RN, com o objetivo de implementar ações de atenção básica à saúde e apoio a serviços de atendimento médico, ambulatorial, urgência e emergência à população local e de assistência obstétrica a infância do Município de Acari, em parâmetros aceitos de acordo com as normas do Sistema Único de Saúde SUS, compreendendo, dentre outros: I Assistência médica-ambulatorial; II Serviços auxiliares de diagnose e terapia (SADT) atos de pequenas cirurgias; 1º. Os serviços contratados compreendem as áreas de: Clínica Médica, Clínica Obstétrica e Pediátrica. 2º. Os serviços conveniados estão referidos a uma base territorial populacional conforme Plano Municipal de Saúde do Município de Acari/RN, com vista à sua distribuição, e serão ofertados com base nas indicações técnicas do planejamento da saúde mediante contabilização das necessidades da demanda. Art. 2º. O montante financeiro despendido pelo Município de Acari para execução do Convênio será de R$ (oitenta e quatro mil reais), pagos integralmente no exercício financeiro de 2015, mediante desembolso de 12 (doze) parcelas iguais de R$ 7.00 (sete mil reais), com prévia requisição pela Sociedade de Proteção à Maternidade e a Infância de Acari/RN, com interstício mínimo de 20 (vinte) dias entre uma parcela e outra. 1º Após a liberação da 1ª parcela do convênio firmado, asdemais subsequentes só serão liberadas quando da apresentação da prestação de contas parcial da parcela anterior que, após devidamente analisada pela Controladoria do Município será autorizada pelo Prefeito Municipal. 2º- A apresentação da prestação de contas final deverá ser entregue ao Município no prazo máximo de 60 (sessenta) dias após a liberação da última parcela, devendo a referida prestação de contas ser analisada pela Controladoria e pelo Conselho Municipal de Saúde. Art. 4º. Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a celebrar em instrumento próprio o Convênio de que trata a presente lei, devendo firmar cláusulas que, atendidos os parâmetros gerais já estabelecidos, regulamentem, em dados melhor circunstanciados, o ajuste entre as partes, cuja cópia obrigatoriamente deve ser publicada nos locais de costume do Município de Acari/RN. Art. 5º. As despesas decorrentes da presente Lei correrão à conta do Orçamento Geral do Município vigente, Lei Municipal nº. 1010, 23 de dezembro de 2014, (Especificação

6 Despesa Contribuições). Em, 20 de março de ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Art. 6º. Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário. Acari/RN, 23 de março de ISAÍAS DE MEDEIROS CABRAL Prefeito RÚBIA KÁTIA AZEVEDO MONTENEGRO Código Identificador: 4566A4AC PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA NOVA GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 08/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à ANA MARIA PEREIRA DA SILVA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora ANA MARIA PEREIRA DA SILVA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 653F6A22 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 09/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à ANTONIA NEIDE DA SILVA BARBOSA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora ANTONIA NEIDE DA SILVA BARBOSA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 3C6E5ED8 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 10/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à ANTONIA VANEÇA DA SILVA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora ANTONIA VANEÇA DA SILVA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 62ABE75C GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 11/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à ANTONIO MÁRCIO DE LIMA MATIAS, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, ao servidor ANTONIO MÁRCIO DE LIMA MATIAS, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 605B8872 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 12/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à FRANCISCA CILENE DE SOUZA SANTOS, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora FRANCISCA CILENE DE SOUZA SANTOS, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 58CF5BAD GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 13/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à FRANCISCA ELIZÂNGELA FELIPE DE LIMA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora FRANCISCA ELIZÂNGELA FELIPE DE LIMA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração

7 OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 3BD8CC64 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 14/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à FRANCISCO ALTENIR BEZERRA DE LIMA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, ao servidor FRANCISCO ALTENIR BEZERRA DE LIMA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 526BCBD7 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 15/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à FRANCISCO JADIELSON FERNANDES, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, ao servidor FRANCISCO JADIELSON FERNANDES, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 40963DFA 7 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 16/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à JOSÉ EDIGLÊ FERREIRA DE CARVALHO, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, ao servidor JOSÉ EDIGLÊ FERREIRA DE CARVALHO, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: C9 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 17/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MÁRCIO GLEICK DE QUEIROZ FERNANDES, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, ao servidor MÁRCIO GLEICK DE QUEIROZ FERNANDES, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 400F8BE5 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 18/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA DALVANI DE SOUZA DIAS, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA DALVANI DE SOUZA DIAS, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 5BB1D3FE GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 19/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA DE FÁTIMA BEZERRA FERREIRA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA DE FÁTIMA BEZERRA FERREIRA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO -Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 43177A4A GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 20/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA ENECI DE SOUZA SANTOS, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande

8 do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA ENECI DE SOUZA SANTOS, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 6AF299B6 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 21/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à NEUJÂNIA TEREZA DE CARVALHO SOUZA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora NEUJÂNIA TEREZA DE CARVALHO SOUZA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 478E8E09 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 22/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à ALVANI MARIA DE SOUZA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita 8 Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora ALVANI MARIA DE SOUZA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 5BAB722C GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 23/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à ANTONIA ELIANA BESSA FERREIRA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora ANTONIA ELIANA BESSA FERREIRA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 546CB8A4 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 24/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à ELENILDA BEZERRA DE LIMA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora ELENILDA BEZERRA DE LIMA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 4BE6F227 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 25/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à FRANCISCO FABIO DE ARAÚJO, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, ao servidor FRANCISCO FÁBIO DE ARAÚJO, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 4B7DAF7F GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 26/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à FRANCISCO ZIVANILSON FERNANDES, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água

9 Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, ao servidor FRANCISCO ZIVANILSON FERNANDES, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 6E2EDF31 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 27/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à GIZELDA FERREIRA DA SILVA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora GIZELDA FERREIRA DA SILVA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 44B4A8B6 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 28/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à JAÍDE MARIA SOARES ALMEIDA NUNES, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei 9 Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora JAÍDE MARIA SOARES ALMEIDA NUNES, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 66AF907B GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 29/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à JOSÉ JOSAFÁ DE LIMA MONTE, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, ao servidor JOSÉ JOSAFÁ DE LIMA MONTE, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 6D0DAF12 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 30/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à JOSEFA JALDENI MONTE BEZERRA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora JOSEFA JALDENI MONTE BEZERRA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 446C9E9C GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 31/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à LENILDA ALMEIDA OLIVEIRA DO NASCIMENTO, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora LENILDA ALMEIDA OLIVEIRA DO NASCIMENTO, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 678BC267 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 32/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA ALBETIZA BEZERRA NASCIMENTO, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA ALBETIZA BEZERRA NASCIMENTO, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se,

10 Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: B6 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 33/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA CONSUEIDE NUNES CANDIDO, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA CONSUEIDE NUNES CANDIDO, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: C GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 34/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA GIZÉLIA DA COSTA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA GIZÉLIA DA COSTA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 35/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA IMACULADA CONCEIÇÃO FERREIRA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA IMACULADA CONCEIÇÃO FERREIRA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 55D5BE90 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 36/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA JOSEANDRA DE SOUZA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA JOSEANDRA DE SOUZA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 6B41EB15 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 37/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA ROSINEIDE DO NASCIMENTO, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA ROSINEIDE DO NASCIMENTO, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 4B4F9C01 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 38/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à MARIA VANSILDA DA SILVA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora MARIA VANSILDA DA SILVA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 76E0B112

11 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 39/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à ROSÂNGELA FERREIRA DE LIMA SOUZA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora ROSÂNGELA FERREIRA DE LIMA SOUZA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 49103BF5 GABINETE DA PREFEITA Portaria n.º 40/2015 Dispõe sobre a concessão de vantagem salarial à SÉDIMA FERREIRA FRANÇA VIANA, Profissional de Educação, e dá outras providências. A Prefeita Municipal de Água Nova/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, com base no Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município, Lei nº 137/2010; Considerando, as atribuições inerentes ao cargo de Prefeita Municipal, atribuídas pela Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica do Município de Água Nova/RN; Considerando, as atribuições do Art. 7º, e o previsto no art. 40, ambos da Lei Municipal n 137/2010, assim como o requerimento administrativo; Considerando, enfim, que foram preenchidos todos os requisitos previstos na Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN. R E S O L V E: Art. 1º - Conceder a vantagem salarial prevista no art. 40, da Lei Municipal n 137/2010, que instituiu o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração do Município de Água Nova/RN, à servidora SÉDIMA FERREIRA FRANÇA VIANA, Profissional de Educação do município de Água Nova/RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Cumpre-se e Arquive-se. Em, 20 de março de IOMÁRIA RAFAELA LIMA DE SOUZA CARVALHO Prefeita Municipal ANTONIO PEREIRA SOBRINHO Secretário Municipal de Administração OSVALDO HENRIQUE BEZERRA Código Identificador: 6D19FC64 PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGICOS 11 PORTARIA Nº: 028/2015 de 18 de março de Dispõe sobre Substituição temporária pelo período 17/03/2015 a 15/04/2015 e dá outras providencias. O Exm Sr. Expedito Edilson Chimbinha Júnior, Prefeito de Angicos/RN, no uso de suas atribuições conferidas pelo art. 74, inciso XII, da Lei Orgânica do município de Angicos, RESOLVE: Art. 1º- Em conformidade com o 4º do art. 38 do Regime Jurídico Único, NOMEAR a senhora Carlineide Justina da Silva Almeida, Servidora Pública Municipal para assumir as funções, de Secretário Municipal de Assistência Social e Ação Comunitária, desta Prefeitura Municipal, sem prejuízo da função do seu cargo e sem ônus para os cofres públicos. Art. 2º Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação, com efeitos retroativos em 17 de março de Publique-se. Cumpra-se. Palácio Prefeito Espedito Alves, Gabinete do Prefeito Municipal de Angicos/RN, 18 de março de Expedito Edilson Chimbinha Junior PREFEITO MUNICIPAL CARLOS HENRIQUE DA SILVA Código Identificador: 3DEB18BC PORTARIA DE DIÁRIA Nº 004/2015, de 23 de março de Concede diária a servidor que especifica e dá outras providências. A Secretária Municipal de Administração da Prefeitura Municipal de Angicos/RN, no uso de suas atribuições legais de conformidade com o Decreto Executivo Municipal nº 349/2012, de 10/05/2012. R E S O L V E: Conceder a Servidora CINARA RIBEIRO DAMASCENO DANTAS, Mat. 456, ocupante do cargo de SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 02 (duas) diárias e ½ (meia) para custear despesas com alimentação e transporte, durante seu deslocamento à cidade de NATAL/RN no dia 25, 26 e 27 de março de 2015, cuja saída está programada ás 06h00min do dia 25 de março, com retorno previsto para 18h00min do dia 27 de março, com objetivo de Participar do III Seminário Internacional Diálogos com Paulo Freire. O valor unitário de uma diária R$ 15 (cento e cinquenta reais) totalizado o valor concedido de R$ 375,00 (trezentos e setenta e cinco reais). Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogada as disposições em contrário. Publique-se. Cumpra-se. MARIA IVONETE LOPES DE ARAUJO Secretária Municipal de Administração CARLOS HENRIQUE DA SILVA Código Identificador: 555FE05A PREFEITURA MUNICIPAL DE AREIA BRANCA GABINETE DA PREFEITA LEI MUNICIPAL Nº 1.262/ 2015 DISPÕE SOBRE REGULAMENTAÇÃO DA VERBA INDENIZATÓRIA DO EXERCÍCIO PARLAMENTAR NO GABINETE DE VEREADOR, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA CONSTITUCIONAL DO MUNICÍPIO DE AREIA BRANCA/RN, no uso das atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º. Fica instituída, no âmbito da Câmara Municipal de Areia Branca/RN, a verba indenizatória, de caráter ressarci tória, do exercício parlamentar. 1º. A verba indenizatória é destinada exclusivamente ao ressarcimento das despesas relacionadas e utilizadas para o exercício do mandato parlamentar, tendo como teto máximo, o valor de R$ 2.40 (Dois Mil e Quatrocentos Reais) por mês. 2º. O dispêndio e a aplicação da verba de que trata o caput deste artigo, deverão obedecer às exigências contidas nesta Lei, sendo vedado o pagamento de despesa que não esteja relacionada com as atribuições da atividade parlamentar. 3º. Fica vedado a cumulatividade de ressarcimento da respectiva verba indenizatória. Art. 2º. O ressarcimento das despesas relacionadas com o exercício parlamentar será efetivado mediante requerimento formulado pelo Vereador, dirigido à Comissão de Controle Interno, ou Comissão designada que venha a ser instituída pela Mesa da Câmara, para exercer o controle da respectiva verba. Parágrafo Único. A Comissão de Controle Interno tem a atribuição de auditoria, podendo promover verificações, conferências, e demais providências pertinentes para o regular processamento da documentação comprobatória apresentada, inclusive, podendo glosar no todo ou parcialmente, a despesa, se a mesma não atender as normas desta Lei. Art. 3º. Somente serão ressarcidas as despesas efetivamente pagas pelo parlamentar e relativas à: I locomoção do parlamentar, compreendendo passagens, hospedagem e locação de meios de transporte (táxi), além de estacionamento e pedágio, quando em viagem em veículo próprio? II combustíveis e lubrificantes, até o limite de 30% (trinta por cento) do total da verba indenizatória, devendo a quantidade de combustível ser compatível com a quilometragem realizada, tendo como parâmetro, 10(dez) km por litro usado? III - contratação, para fins de apoio à atividade parlamentar, de consultoria, assessorias, pesquisas e trabalhos técnicos, até o limite mensal de 30% (trinta por cento) do total da verba indenizatória; IV aquisição do material de expediente não fornecido pela Câmara Municipal? V aquisição de assinaturas de jornais, revistas e publicações? VI alimentação, exclusivamente para e em nome do Vereador, quando em viagem no exercício da atividade parlamentar? VII cópias reprográficas de documentos de interesse do gabinete exclusivas em viagens destinadas ao exercício da atividade parlamentar? VIII correspondência, registros postais, aéreos, telegramas e radiogramas destinados ao exercício da atividade parlamentar e não fornecidos pela Câmara Municipal? IX Serviços de telecomunicações em geral, compreendendo contas de telefone convencionais, desde que o parlamentar seja o seu titular e contas de telefones celulares do parlamentar e de seus assessores. X - Aquisição ou locação de software, TV a cabo ou similar, acesso à Internet e manutenção de site; XI - A divulgação da atividade parlamentar, com exceção nos 180(cento e Oitenta) dias de pleito eleitoral e desde que não caracterize gastos com campanhas eleitorais. Parágrafo Único. É permitido o reembolso de pagamento realizado à pessoa física. Art. 4º. A solicitação realizada pelo Vereador, no intuído de ser ressarcido, terá que apresentar nota fiscal de prestação de serviços, assinado, com os respectivos valores a serem ressarcidos. 1º. Os documentos a que se refere este artigo deverão ser idôneos, estarem isentos de rasuras, acréscimos, emendas ou entrelinhas, datado e discriminado por item de serviço prestado ou material fornecido, não se admitindo generalizações ou abreviaturas que impossibilitem a identificação da despesa 2º. Os documentos inidôneos serão considerados como ato de improbidade administrativa, na forma da Lei nº 8.429, de 02 de julho de 1.992, ensejando o responsável às sanções da respectiva Lei, cominado com o respectivo processo de cassação disposto em legislação própria. 3. Os documentos inidôneos, inaptos ou que estejam em desacordo com as normas da presente Lei serão devolvidos ao parlamentar para as devidas correções ou substituições. 4º. Os documentos relativos ao mês de competência que tiverem que sofrer correções e não forem reapresentados, não poderão ser mais objeto de ressarcimento. Art. 5 - A solicitação de reembolso deverá ser efetuada até o 5 dia útil do mês subseqüente por meio de requerimento padrão, do qual constará atestado do parlamentar de que o serviço foi prestado ou o material recebido, e de que assume a inteira responsabilidade pela veracidade, legitimidade e autenticidade da documentação apresentada. 1º. De posse dos documentos comprobatórios das despesas, apresentados na forma prescrita nesta Lei, a Comissão de Controle Interno, no prazo de 05 (cinco) dias, contados do seu recebimento, após examiná-los sob os aspectos fiscais e contábeis, emitirá relatório de liberação, remetendo-o diretamente à Primeira Secretaria, para processar e efetuar o respectivo ressarcimento, em até 03 (três) dias. 2º. As contratações, serviços e aquisições realizadas com os recursos de que trata esta Lei, serão de exclusiva responsabilidade do parlamentar, sendo que a inadimplência do contratante com referência a estas despesas, em especial, com referência a encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais, não transferem à Câmara Municipal ou ao Município a responsabilidade pelo seu pagamento. 3º. O reembolso das despesas não implica manifestação da Câmara Municipal quanto à observância de normas eleitorais relativamente à tipicidade ou ilicitude. Art. 6º. Não serão objeto de ressarcimento, as despesas: I. efetuadas com aquisição de equipamentos; II. cujos documentos, em especial, os adquiridos com cupons fiscais emitidos por máquinas registradoras, que não constem todos os elementos que possam identificar a origem, natureza e discriminação da despesa, devendo neste caso, ser observado o que determina o artigo 4º, 1º; III. Não serão ressarcidas, as despesas cuja natureza advinde de aplicações em mercado financeiro ou a realização de obras; Art. 7º. O parlamentar titular do mandato perderá o direito à respectiva verba quando: I. investido em cargo previsto na Lei Orgânica Municipal, mesmo quando tenha optado pela remuneração do mandato? II. afastado para tratar de interesse particular, sem

12 remuneração? III. o respectivo suplente encontrar-se no respectivo mandato. Art. 8º. As despesas decorrentes desta Lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias e especificas, alocadas ao orçamento da Câmara, observadas as normas da legislação financeira quanto aos créditos necessários. Art. 9º. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, retroagindo-se os seus efeitos 1º de Março de Art. 10º. Revoga-se as disposições em contrário, Palacete Cel. Fausto,20 de Março de LUANA PEDROSA BRUNO MOURA Prefeita Municipal MARCOS AVELINO DE MENDONÇA JÚNIOR Código Identificador: 5F382CF9 PREFEITURA MUNICIPAL DE AREZ CONVOCAÇÃO A Prefeitura Municipal de Arez/RN, por intermédio da Secretária Municipal de Administração e Recursos Humanos, Sra. Bruna Kelly de Santana Silva, no uso de suas atribuições legais, CONVOCA o servidor: ROBERTA XABREGAS FERREIRA BRINGEL, inscrito no CPF (MF) nº , ocupante do cargo Médico (a), matrícula , lotado na Secretaria Municipal de Saúde; À comparecer pessoalmente no prazo de 03 (três) dias a contar da publicação desta convocação, na sede da Secretaria Municipal de Administração, localizada na Praça Getúlio Vargas, 270, Arez/RN. O não comparecimento injustificado na data acima aprazada implicará na abertura de processo administrativo disciplinar. Arez/RN, 23 de março de BRUNA KELLY DE SANTANA SILVA Secretária Municipal de Administração e Recursos Humanos ADRIANO LINS GALVÃO Código Identificador: 64F15AC5 PORTARIA N º 081/2015 GP O PREFEITO DO MUNICIPIO DE AREZ, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais que lhe confere o Art. 57, V da Lei Orgânica do Município LOM. RESOLVE: Art. 1º Conceder, ao servidor REGINALDO DO AMARAL MODESTO, matrícula , cargo efetivo de médico, lotado na Secretaria Municipal de Saúde, a Gratificação de Representação de Gabinete - AS-1 para o exercício de Diretor Técnico da Unidade Básica de Saúde do Povoado de Urucará. Art. 2º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. Arez/RN, 05 de março de ERÇO DE OLIVEIRA PAIVA CPF nº Prefeito Constitucional ADRIANO LINS GALVÃO Código Identificador: 67BE79FF PREFEITURA MUNICIPAL DE BARAÚNA UNIDADE SETORIAL DE PREGÕES TERMO DE HOMOLOGAÇÃO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 004/ PROCESSO ADMINISTRATIVO N 006/2015 * A Prefeitura Municipal de Baraúna/RN, no uso de suas atribuições legais, de acordo com as atribuições que lhe são conferidas, com base no que determina as Leis nº 8666/93 (LEI DAS LICITAÇÕES) e /02 (LEI DO PREGÃO), e, de acordo com a apuração da licitação em epígrafe, conforme ata da sessão pública realizada no dia 19 de março de 2015, torna público a HOMOLOGAÇÃO do procedimento licitatório Pregão Presencial nº 004/2015, Processo Administrativo nº 006/2015, o qual teve por objeto o REGISTRO DE PREÇOS PARA EVENTUAL CONTRATAÇÃO DE PESSOA JURÍDICA VISANDO A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS TIPO: ÔNIBUS ODONTOLÓGICO, SPRINTER, CAMINHÃO BAÚ, ÔNIBUS, MICRO-ÔNIBUS E PICK UP, DESTINADOS À EXECUÇÃO TRANSPORTE DE PESSOAL E CARGAS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BARAÚNA E DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E DESPORTO, DA SECRETARIA DE SAÚDE E DA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA DESTA MUNICIPALIDADE, e de acordo com as especificações contidas no TERMO DE REFERÊNCIA, de acordo com o Termo de Referência e seus anexos, cujo certame teve como 12 vencedora a empresa: RENT A CAR LOCADORA - CNPJ: / , nos itens: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9; totalizando o Valor global: R$ ,00 (Dois milhões quinhentos mil e cento e quatro reais). Baraúna/RN, 20 de março de ANTÔNIA LUCIANA DA COSTA OLIVEIRA Prefeita do Município de Baraúna/RN * Republicado por incorreção. MADSON FERREIRA DE MELO Código Identificador: 47C852FD UNIDADE SETORIAL DE PREGÕES TERMO DE CONTRATO Nº 001/ PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 004/ PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 006/2015 Contratante: PREFEITURA MUNICIPAL DE BARAÚNA/RN. Contratado: RENT A CAR LOCADORA LTDA, CNPJ/MF nº / OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA EVENTUAL CONTRATAÇÃO DE PESSOA JURÍDICA VISANDO A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS TIPO: ÔNIBUS ODONTOLÓGICO, SPRINTER, CAMINHÃO BAÚ, ÔNIBUS, MICRO-ÔNIBUS E PICK UP, DESTINADOS À EXECUÇÃO TRANSPORTE DE PESSOAL E CARGAS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BARAÚNA E DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E DESPORTO, DA SECRETARIA DE SAÚDE E DA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA DESTA MUNICIPALIDADE. Fundamentação Legal Lei 8.666/93. Valor global: R$ ,00 (Dois milhões quinhentos mil e cento e quatro reais). Vigência: de 20 de março de 2015 a 20 de março de PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 004/ PROCESSO ADMINISTRATIVO N 006/2015. Baraúna/RN, 20 de março de 2015 ANTÔNIA LUCIANA DA COSTA OLIVEIRA Prefeita do Município de Baraúna/RN P/ Contratante. FRANCISCO QUEDES JÚNIOR RENT A CAR LOCADORA LTDA P/ Contratado. MADSON FERREIRA DE MELO Código Identificador: 67E39CA7 PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA SAÚDE FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL DE BOA SAÚDE EDITAL DE CONVOCAÇÃO A PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA SAÚDE, pelo presente edital, faz publicar na sede da Prefeitura e em jornal de ampla circulação na região, considerando que foram envidados todos os esforços e empreendidas todas as diligências dos técnicos sociais desse Município para localização e regularização da situação do(s) beneficiário(s) do Programa Minha Casa Minha Vida PMCMV destinado a municípios com população limitada a cinqüenta mil habitantes, convoca as pessoas abaixo relacionadas a comparecerem à sede da Secretaria Municipal de Assistência Social localizada na Rua Dr. Mário Câmara, nº 154, Centro, Boa Saúde/RN para atualização de seus dados pessoais, no prazo de 30 (trinta) dias corridos, contados a partir da data desta publicação sob pena de terem suas inscrições declaradas SEM EFEITO, SEUS CONTRATOS RESCINDIDOS, sendo assim substituídos por outras pessoas. Informamos, ainda, que o não comparecimento dos convocados no prazo de trinta dias implicará no cancelamento/rescisão imediata dos contratos firmados com a esta PREFEITURA MUNICIPAL e a COMPANHIA HIPOTECÁRIA BRASILEIRA CHB. Devem comparecer ao endereço supracitado: Cláudia Maria de Souza CPF: NIS: Dogivan Targino de Oliveira CPF: NIS: Jamile Ferreira da Silva CPF: NIS: José Zacarias da Silva CPF: NIS: Maria Pereira de Lima CPF: NIS: Wilson Nattan Targino Freire CPF: NIS: Boa Saúde/RN, 19 de Março de PAULO DE SOUZA SEGUNDO PREFEITO MUNICIPAL DE BOA SAÚDE/RN DEBORA DANIELA SILVA DA CRUZ Código Identificador: 7155AC02 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAICÓ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO Extrato de Contrato Administrativo n. 044/ Dispensa n. 013/ Processo Licitatório n. 2040/2015 CONTRATANTE: Município de Caicó/RN - Prefeitura Municipal; OBJETO: Contratação de empresa para licença de serviços de utilização de Software de Recursos Humanos e serviços de implantação, customização e treinamento; DATA DA ASSINATURA: 11 de março de 2015; VIGÊNCIA: 11 de março de 2015 a 11 de junho de 2015; MODALIDADE LICITATÓRIA: Dispensa; CONTRATADA: TOP DOWN CONSULTORIA LTDA EPP; VALOR DO CONTRATO ADMINISTRATIVO: R$ (Treze mil reais); Roberto Medeiros Germano pelo CONTRATANTE. Caicó/RN, 23 de março de JOHN MAYCON ALEXANDRE VALE Código Identificador: 4D4667D0 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EXTRATO DA ORDEM DE SERVIÇO DISPENSA N 015/2015 PROCESSO LICITATÓRIO PMC/ RN N CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CAICÓ; CONTRATADO: DANILO BEZERRA ARAÚJO ME; OBJETO: Inscrição de servidores para participarem de seminário de formação no SUAs Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo; PRAZO PARA EXECUÇÃO: em até 24 (vinte e quatro) horas do recebimento da OS; VALOR GLOBAL: R$ 1.50 (mil e quinhentos reais); Dotação Orçamentária: Serviços de Apoio à Gestão Descent. Assist. Social IGD-SUAS; Elemento de Despesa: Outros Serviços Terceiros (PJ); Fonte: 140; FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: artigo art. 24, II, da Lei N 8.666/93. Caicó/ RN, 20 de março de Roberto Medeiros Germano Prefeito Municipal JOHN MAYCON ALEXANDRE VALE Código Identificador: 4825B958 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO TERMO DE ADJUDICAÇÃO Depois de cumpridas as exigências e condições estipuladas pelo ato convocatório, como preceitua as disposições constantes da Lei nº 8.666/93, de e legislação complementar, de conformidade com o julgamento emitido pela Comissão Permanente de Licitação, resolvo ADJUDICAR o objeto do presente pleito, qual seja, O registro de preços para possível aquisição de material de expediente às empresas: SANTO ANTÔNIO LIVRARIA E PAPELARIA LTDA, L & S COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA e CASA DA EMBALAGEM LTDA EPP, por ter ficado com preços compatíveis com a pesquisa de mercado e registro de preço para o ano de 2015.Caicó/RN, 18 de março de 2015.Bárbara Camila Miguel do Amaral - Pregoeira da CPL BÁRBARA CAMILA MIGUEL DO AMARAL Código Identificador: 748F2CCB COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ATO DE HOMOLOGAÇÃO De acordo com os atos da Comissão Permanente de Licitação, consubstanciado no que fundamenta a Lei nº 8.666/93 e legislação complementar, HOMOLOGO o presente certame em favor da empresa SANTO ANTÔNIO LIVRARIA E PAPELARIA LTDA, L & S COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA e CASA DA EMBALAGEM LTDA EPP, por ter apresentado propostas mais vantajosas para a Administração Municipal. Neste ato, CONVOCO a empresa licitante acima descrita a fim de comparecer à Sala de Licitações da Prefeitura Municipal de Caicó/RN para a devida assinatura da Ata de Registro de Preços e Contrato Administrativo referente ao Processo Administrativo supracitado, no prazo de 05 (cinco) dias úteis.caicó/rn, 18 de março de 2015.ROBERTO MEDEIROS GERMANO -Prefeito Municipal BÁRBARA CAMILA MIGUEL DO AMARAL Código Identificador: 3CC44838 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO REDONDO COMISSÃO PERMANETE DE LICITAÇÃO PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TOMADA DE PREÇO N 3/2014

13 CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Campo Redondo/RN. CONTRATADA: CONSTRUTORA ALICERCE LTDA EPP, inscrita no CNPJ (MF) de n / OBJETO: O presente Aditivo tem como objetivo prorrogar em mais 08 (oito) meses o prazo de vigência do Contrato celebrado em 16/06/2014, entre as partes acima mencionadas, oriundo da Licitação TOMADA DE PREÇO N 3/2014. DA RATIFICAÇÃO: As demais Cláusulas do Contrato em referência permanecem inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, I e Art. 65 1º da Lei 8.666/93 e suas alterações posteriores. Campo Redondo/RN, 18 de fevereiro de Alessandru Emmanuel Pinheiro e Alves Prefeito Municipal Contratante e Bento Josue de Medeiros Fernandes p/contratada ELIAS ANTONIO DA SILVA NETO Código Identificador: 74695BDD PORTARIA Nº 037/2015 O PREFEITO MUNICIPAL DE CAMPO REDONDO, no uso de suas atribuições legais, com fundamento no Artigo 54, Inciso V, da Lei Orgânica Municipal, R E S O L V E: EXONERAR, a pedido, a senhora JAFFIA SDENA PEREIRA DO NASCIMENTO SILVA, matrícula nº , ocupante do cargo efetivo de COORDENADORA PEDAGÓGICA-III-B do Quadro de Pessoal da Prefeitura Municipal de Campo Redondo, a partir desta data. Gabinete do Prefeito Municipal de Campo Redondo, Palácio MANOEL NORBERTO DA COSTA, em 23 de março de ALESSANDRU EMMANUEL PINHEIRO E ALVES Prefeito MARCOS JOSE DE OLIVEIRA ALEXANDRE Código Identificador: 3D6A723B PORTARIA Nº 038/2015 O PREFEITO MUNICIPAL DE CAMPO REDONDO, no uso de suas atribuições legais, com fundamento no Artigo 54, Inciso V, da Lei Orgânica Municipal, R E S O L V E: EXONERAR, a pedido, a senhora ANDREZA CRISTINA DE OLIVEIRA RICARDINO DE PONTES, matrícula nº , ocupante do cargo efetivo de PROFESSORA LICENCIATURA- III-B do Quadro de Pessoal da Prefeitura Municipal de Campo Redondo, a partir desta data. Gabinete do Prefeito Municipal de Campo Redondo, Palácio MANOEL NORBERTO DA COSTA, em 23 de março de ALESSANDRU EMMANUEL PINHEIRO E ALVES Prefeito MARCOS JOSE DE OLIVEIRA ALEXANDRE Código Identificador: 68A9F72D PREFEITURA MUNICIPAL DE CARNAÚBA DOS DANTAS PORTARIA DE DIARIA 006/15/FMAS A GESTORA DO FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE CARNAÚBA DOS DANTAS/RN, conforme Portarias nº 110/13 e nº 112/ GP, no uso de suas atribuições legais e de acordo com o Decreto 003/2015 de 03 de Março de 2015 do Poder Executivo Municipal. AUTORIZA: Conceder a Sra. JUCILENE DA COSTA BARBOSA DA SILVA, lotada na Secretaria Municipal de Assistência Social, conforme Portaria nº 110/13, ocupante do cargo de Secretária Municipal de Assistência Social, ½ (meia) diária no valor de R$ 65,00 (Sessenta e Cinco Reais). Dessa forma, fica a servidora autorizada a viajar a cidade de Natal/RN, no dia 20 de Março/2015, com o objetivo de participar de Capacitação realizada pelo Centro de Apoio às Promotorias da Infância e Juventude do Ministério Público do Rio Grande do Norte CAOP Infância e pela Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social SETHAS para se inteirar a respeito do Plano Municipal de Atendimento Socioeducativo nos municípios e do Plano Estadual de Atendimento Socioeducativo. DÊ-SE CIÊNCIA E CUMPRA-SE C. dos Dantas/RN, 18 de Março de Jucilene da Costa Barbosa da Silva GESTORA DO FMAS Portarias nº 110/13 e nº 112/ GP JUÇARA MEDEIROS Código Identificador: 4623E SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE HOMOLOGAÇÃO - LICITAÇÃO N. º 008/2015 OBJETO: AQUISIÇÃO PARCELADA DE MATERIAL PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO PARA ATENDER AS NECESSIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS, SERVIÇOS URBANOS E TRANSPORTES PÚBLICOS. MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL. Considerando, os atos praticados pela Pregoeira do Município, conjuntamente com a Equipe de Apoio, inclusive a expedição do ato adjudicatório. Considerando, o que prevê o texto legal elencado no inciso XXII, do artigo 4º da Lei Federal nº , de 17 de julho de HOMOLOGO o procedimento em favor das licitantes: ELETROCENTER MATERIAL ELETRICO E DE CONSTRUÇÃO CAICÓ LTDA, inscrita no CNPJ sob o n / , saiu vencedora nos itens: 01, 04, 06, 08, 09, 11, 12, 14, 16, 18, 19, 24, 25, 26, 27, 29, 31, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 47, 51, 52, 53, 54, 57 e 58, com valor de R$ ,70 (cinquenta e oito mil, oitocentos e trinta e seis reais e setenta centavos). LUMINOZA COMERCIO DE MATERIAL ELÉTRICO, HIDRÁULICO E TELEFONIA LTDA, inscrita no CNPJ sob o n / , saiu vencedora nos itens: 02, 03, 05, 07, 10, 13,15, 17, 20, 21, 22, 23, 28, 30, 32, 33, 35, 46, 48, 49, 50, 55 e 56 com valor de R$ ,30 (oitenta e quatro mil, novecentos e noventa reais e trinta centavos). CONVOQUE-SE as empresas acima mencionada para a assinatura da ata de registro de preços/contrato. Carnaúba dos Dantas/RN, 23 de março de Sérgio Eduardo Medeiros de Oliveira Prefeito JUÇARA MEDEIROS Código Identificador: 5F9E5D98 PREFEITURA MUNICIPAL DE CEARÁ-MIRIM INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE CEARÁ- MIRIM PREGÃO PRESENCIAL RESULTADO FINAL O Pregoeiro do Instituto da Previdência Municipal de Ceará- Mirim/RN, torna público que as empresas vencedoras do Pregão Presencial com Registro de Preços nº 001/2015, objetivando a aquisição de equipamentos e material permanente para atender as necessidades do Instituto de Previdência Municipal de Ceará-Mirim, foram as Licitante A - ALVES & COSTA LTDA ME, Lotes 01 e 02; B ESCOLA & ESCRITÓRIO LIVRARIA E PAPELARIA LTDA, Lote 03. JAIRO CAVALCANTI DE CASTRO PREGOEIRO ROSALLYNNY MORAIS DE SOUZA Código Identificador: 5BCF76F8 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE CEARÁ- MIRIM PREGÃO PRESENCIAL RESULTADO FINAL O Pregoeiro do Instituto da Previdência Municipal de Ceará- Mirim/RN, torna público que a empresa vencedora do Pregão Presencial com Registro de Preços nº 002/2015, objetivando a contratação de pessoa jurídica para cessão de direito de uso de Sistemas Integrados de Orçamento, Finanças e Contabilidade Pública e Previdenciária, Licitação, Compras e Contratos, Diárias e Passagens Aéreas, Recursos Humanos e Folha de Pagamento, Previdência Própria e Patrimônio, Almoxarifado, Portal da Transparência, Protocolo Geral e Digitalização, voltados para atender as necessidades e atividades do Instituto de Previdência Municipal de Ceará-Mirim- CEARÁ-MIRIM PREVI, bem como a prestação de serviços técnicos especializados de manutenção preventiva, corretiva, evolutiva e adaptativa dos softwares, foi a Licitante Única TOP DOW CONSULTORIA LTDA. JAIRO CAVALCANTI DE CASTRO PREGOEIRO ROSALLYNNY MORAIS DE SOUZA Código Identificador: 525F301E SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA n.º 187 de 18 de março de O Prefeito Municipal de Ceará-Mirim, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições e de conformidade com a Lei Orgânica Municipal, Capítulo III, Seção II, Artigo 39, Inciso II e a Lei nº 1.438/2005: RESOLVE: Conceder a Ana Marília Avelino Bento (Secretária Municipal de Tributação), diárias para atender as despesas de viagem à cidade de Belém/PA, para participar do curso Presencial do SICONV, no período de 24 a 27 de março de Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário. Publique-se, Registre-se e Cumpra-se. Palácio Municipal Antunes Pereira em Ceará-Mirim/RN, 18 de março de Antonio Marcos de Abreu Peixoto PREFEITO MUNICIPAL JOSÉ WALTER DE OLIVEIRA FILHO Código Identificador: 4BB0A54C SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA n.º 186 de 18 de março de O Prefeito Municipal de Ceará-Mirim, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições e de conformidade com a Lei Orgânica Municipal, Capítulo III, Seção II, Artigo 39, Inciso II e a Lei nº 1.438/2005: RESOLVE: Conceder a Rosângela Silva de Sá (Assessora do Gabinete do Prefeito), diárias para atender as despesas de viagem à cidade de Belém/PA, para participar do curso Presencial do SICONV, no período de 24 a 27 de março de Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário. Publique-se, Registre-se e Cumpra-se. Palácio Municipal Antunes Pereira em Ceará-Mirim/RN, 18 de março de Antonio Marcos de Abreu Peixoto PREFEITO MUNICIPAL JOSÉ WALTER DE OLIVEIRA FILHO Código Identificador: 5E4E7041 SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA n.º 185 de 18 de março de O Prefeito Municipal de Ceará-Mirim, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições e de conformidade com a Lei Orgânica Municipal, Capítulo III, Seção II, Artigo 39, Inciso II e a Lei nº 1.438/2005: RESOLVE: Conceder a Antonio Marcos de Abreu Peixoto, (Prefeito Municipal), diárias para atender as despesas de viagem à cidade de Belém/PA, para participar do curso Presencial do SICONV, no período de 24 a 27 de março de Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário. Publique-se, Registre-se e Cumpra-se. Palácio Municipal Antunes Pereira em Ceará-Mirim/RN, 18 de março de Glauciane Tavares Costa da Silva Secretária Municipal de Administração JOSÉ WALTER DE OLIVEIRA FILHO Código Identificador: SECRETARIA DE FINANÇAS E PLANEJAMENTO RESULTADO DE AMOSTRAS - GÊNEROS ALIMENTÍCIOS O Município de Ceará-Mirim/RN, através de seu Pregoeiro, torna público que mediante Parecer do Setor Nutricional conjuntamente com o Conselho de Alimentar Escolar, referente ao Pregão Presencial com Registro de Preços nº 014/2015, objetivando aquisição de gêneros alimentícios, para atender as diversas secretarias deste Município, o Fundo Municipal de Saúde e ao Fundo Municipal de Assistência Social, bem como as Escolas Municipais, para confecção de Merenda Escolar no ano letivo de 2015, informa que as licitantes KM DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS LTDA e AW NUNES DOS SANTOS ME, tiveram todas as suas amostras aprovadas. Jairo Cavalcanti de Castro Pregoeiro JAIRO CAVALCANTI DE CASTRO Código Identificador: 711D0CB3 PREFEITURA MUNICIPAL DE CERRO-CORÁ EXTRATO DE CONTRATO 065/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 007/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº /

14 CONTRATADA: A2L LATICINIOS INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS para atender as necessidades da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 27 de fevereiro de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ ,00 (Vinte e dois mil setecentos e oitenta e oito reais). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 007/2015 (Processo/PMCC/RN nº 064/2015). DATA DA ASSINATURA: 02 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e JOSÉ AURELIANO BEZERRA pela Contratada. Cerro Corá/RN, 02 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 45A521EA EXTRATO DE CONTRATO 066/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 007/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº / CONTRATADA: C CAROLINE FERNANDES DE QUEIROZ OLIVEIRA, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS para atender as necessidades da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 27 de fevereiro de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ ,20 (Cinquenta e nove mil seiscentos e quatro reais e vinte centavos). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 007/2015 (Processo/PMCC/RN nº 064/2015). DATA DA ASSINATURA: 02 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e FRANCISCO GILBERTO DE OLIVEIRA FERNANDES pela Contratada. Cerro Corá/RN, 02 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 56DE16D1 EXTRATO DE CONTRATO 067/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 007/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº / CONTRATADA: E MARIA DA SILVA ME, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS para atender as necessidades da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 27 de fevereiro de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ ,00 (Trinta e sete mil oitocentos e oitenta e sete reais). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 007/2015 (Processo/PMCC/RN nº 064/2015). DATA DA ASSINATURA: 02 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e JOSE ARISTEU PINHEIRO DE ARAUJO pela Contratada. Cerro Corá/RN, 02 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 53AC5DC9 EXTRATO DE CONTRATO 068/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 007/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº / CONTRATADA: FD COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA EPP, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS para atender as necessidades da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 27 de fevereiro de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ ,68 (Quinhentos e dez mil quatrocentos e setenta e cinco reais e sessenta e oito centavos). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 007/2015 (Processo/PMCC/RN nº 064/2015). DATA DA ASSINATURA: 02 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, 14 com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e FLAVIO CARVALHO DANTAS WANDERLEY pela Contratada. Cerro Corá/RN, 02 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 562BF620 EXTRATO DE CONTRATO 069/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 008/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº / CONTRATADA: A2L LATICINIOS INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE HORTIFRUTIGRANJEIROS para atender as necessidades da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 27 de fevereiro de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ ,00 (Dezenove mil seiscentos e sessenta e dois reais). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 008/2015 (Processo/PMCC/RN nº 065/2015). DATA DA ASSINATURA: 02 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e JOSÉ AURELIANO BEZERRA pela Contratada. Cerro Corá/RN, 02 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: EXTRATO DE CONTRATO 070/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 008/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº / CONTRATADA: C CAROLINE FERNANDES DE QUEIROZ OLIVEIRA, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE HORTIFRUTIGRANJEIROS para atender as necessidades da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 27 de fevereiro de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ ,20 (Duzentos e quarenta e um mil quatrocentos e um reais e vinte centavos). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 008/2015 (Processo/PMCC/RN nº 065/2015). DATA DA ASSINATURA: 02 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e FRANCISCO GILBERTO DE OLIVEIRA FERNANDES pela Contratada. Cerro Corá/RN, 02 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 4B8FC23A EXTRATO DE CONTRATO 071/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 008/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº / CONTRATADA: FD COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA EPP, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE HORTIFRUTIGRANJEIROS para atender as necessidades da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 27 de fevereiro de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ ,00 (Cento e setenta mil seiscentos e vinte e um reais). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 008/2015 (Processo/PMCC/RN nº 065/2015). DATA DA ASSINATURA: 02 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e FLAVIO CARVALHO DANTAS WANDERLEY pela Contratada. Cerro Corá/RN, 02 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 68FBB51F AVISO DE ADJUDICAÇÃO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 009/2015 A Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, no uso de suas atribuições legais, de acordo com as atribuições que lhe são conferidas, com base no que determina as Leis nº 8666/93 (LEI DAS LICITAÇÕES) e /02 (LEI DO PREGÃO), e, de acordo com a apuração da licitação em epígrafe, conforme ata da sessão pública realizada no dia 10 de março de 2015, torna público a ADJUDICAÇÃO do procedimento licitatório Pregão Presencial 009/2015, Processo Administrativo 067/2015, o qual teve por objeto a AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE LIMPEZA E ACESSÓRIOS para atender as necessidades das Secretarias Municipais da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, de acordo com o termo de referência e seus anexos, cujo certame teve como vencedoras às empresas: CAVALCANTE & CIA LTDA ME, CNPJ / , para os itens 02, 05, 06, 13, 18, 19, 20, 23, 30, 35, 39, 45, 53, 54, 56, 57, 59, 62, 63, 64, 65, 66, 67, 68, 72, 76, 80 e 83 no valor de R$ ,05 (Setenta mil cento e sessenta e dois reais e cinco centavos), GEOMAGNO SANTOS BEZERRA EPP, CNPJ / , para os itens 17, 77, 78 e 79, no valor de R$ 2.691,50 (Dois mil seiscentos e noventa e um reais e cinquenta centavos) e C CAROLINE FERNANDES DE QUEIROZ OLIVEIRA ME, CNPJ / , para os itens 01, 03, 04, 07, 08, 09, 10, 11, 12, 14, 15, 16, 21, 22, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 31, 32, 33, 34, 36, 37, 38, 40, 41, 42, 43, 44, 46, 47, 48, 49, 50, 51, 52, 55, 58, 60, 61, 69, 70, 71, 73, 74, 75, 81, 82 e 84, no valor total de R$ ,68 (Vinte e oito mil trezentos e dois reais e sessenta e oito centavos), ficando o Processo no valor total de R$ ,23 (Cento e um mil cento e cinquenta e seis reais e vinte e três centavos). Cerro Corá/RN, 10 de março de RAIMUNDO OZAIR TENAN Pregoeiro RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 7624E9BE AVISO DE HOMOLOGAÇÃO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 009/2015 A Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, no uso de suas atribuições legais, de acordo com as atribuições que lhe são conferidas, com base no que determina as Leis nº 8666/93 (LEI DAS LICITAÇÕES) e /02 (LEI DO PREGÃO), e, de acordo com a apuração da licitação em epígrafe, conforme ata da sessão pública realizada no dia 10 de março de 2015, torna público à HOMOLOGAÇÃO do procedimento licitatório Pregão Presencial 009/2015, Processo Administrativo 067/2015, o qual teve por objeto a AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE LIMPEZA E ACESSÓRIOS para atender as necessidades das Secretarias Municipais da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, de acordo com o termo de referência e seus anexos, cujo certame teve como vencedoras às empresas: CAVALCANTE & CIA LTDA ME, CNPJ / , para os itens 02, 05, 06, 13, 18, 19, 20, 23, 30, 35, 39, 45, 53, 54, 56, 57, 59, 62, 63, 64, 65, 66, 67, 68, 72, 76, 80 e 83 no valor de R$ ,05 (Setenta mil cento e sessenta e dois reais e cinco centavos), GEOMAGNO SANTOS BEZERRA EPP, CNPJ / , para os itens 17, 77, 78 e 79, no valor de R$ 2.691,50 (Dois mil seiscentos e noventa e um reais e cinquenta centavos) e C CAROLINE FERNANDES DE QUEIROZ OLIVEIRA ME, CNPJ / , para os itens 01, 03, 04, 07, 08, 09, 10, 11, 12, 14, 15, 16, 21, 22, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 31, 32, 33, 34, 36, 37, 38, 40, 41, 42, 43, 44, 46, 47, 48, 49, 50, 51, 52, 55, 58, 60, 61, 69, 70, 71, 73, 74, 75, 81, 82 e 84, no valor total de R$ ,68 (Vinte e oito mil trezentos e dois reais e sessenta e oito centavos), ficando o Processo no valor total de R$ ,23 (Cento e um mil cento e cinquenta e seis reais e vinte e três centavos). Cerro Corá/RN, 11 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 5FDDE4C9 EXTRATO DE CONTRATO 150/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 009/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº / CONTRATADA: CAVALCANTE & CIA LTDA ME, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE LIMPEZA E ACESSÓRIOS para atender as necessidades das Secretarias Municipais da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 10 de março de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ ,05 (Setenta mil cento e sessenta e dois reais). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 009/2015 (Processo/PMCC/RN nº 067/2015). DATA DA ASSINATURA: 12 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e FAUSTO CAVALCANTE DA SILVA JUNIOR pela Contratada. Cerro Corá/RN, 12 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES

15 Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 6560E67A EXTRATO DE CONTRATO 151/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 009/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº / CONTRATADA: GEOMAGNO SANTOS BEZERRA ME, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE LIMPEZA E ACESSÓRIOS para atender as necessidades das Secretarias Municipais da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 10 de março de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ 2.691,50 (Dois mil seiscentos e noventa e um real e cinquenta centavos). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 009/2015 (Processo/PMCC/RN nº 067/2015). DATA DA ASSINATURA: 12 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e GEOMAGNO SANTOS BEZERRA pela Contratada. Cerro Corá/RN, 12 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: D1 EXTRATO DE CONTRATO 152/2015 LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 009/2015 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE CERRO CORÁ/RN PREFEITURA MUNICIPAL, CNPJ (MF) nº / CONTRATADA: C CAROLINE FERNANDES DE QUEIROZ OLIVEIRA ME, CNPJ / OBJETO: AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE LIMPEZA E ACESSÓRIOS para atender as necessidades das Secretarias Municipais da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, tudo de acordo com os produtos, condições e valores constantes na proposta da CONTRATADA e ata da sessão pública realizada no dia 10 de março de 2015, que ficam fazendo parte integrante deste instrumento. VALOR TOTAL DO CONTRATO: R$ ,68 (Vinte e oito mil trezentos e dois reais e sessenta e oito centavos). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº 8.666/93 e Lei /2002, com suas alterações. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 009/2015 (Processo/PMCC/RN nº 067/2015). DATA DA ASSINATURA: 12 de março de VIGÊNCIA: Até 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: RAIMUNDO MARCELINO BORGES pelo Contratante, e FRANCISCO GILBERTO DE OLIVEIRA FERNANDES pela Contratada. Cerro Corá/RN, 12 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: AVISO DE ADJUDICAÇÃO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 010/2015 A Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, no uso de suas atribuições legais, de acordo com as atribuições que lhe são conferidas, com base no que determina as Leis nº 8666/93 (LEI DAS LICITAÇÕES) e /02 (LEI DO PREGÃO), e, de acordo com a apuração da licitação em epígrafe, conforme ata da sessão pública realizada no dia 18 de março de 2015, torna público a ADJUDICAÇÃO do procedimento licitatório Pregão Presencial 010/2015, Processo Administrativo 070/2015, o qual teve por objeto a AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS para atender as necessidades da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, de acordo com o termo de referência e seus anexos, cujo certame teve como vencedoras à empresa: FD COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA EPP, CNPJ / , no valor total de R$ ,80 (Cinquenta e dois mil trezentos e noventa e um real e oitenta centavos). Cerro Corá/RN, 18 de março de RAIMUNDO OZAIR TENAN Pregoeiro Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 51FA05D1 AVISO DE HOMOLOGAÇÃO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 010/2015 A Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, no uso de suas atribuições legais, de acordo com as atribuições que lhe são conferidas, com base no que determina as Leis nº 8666/93 (LEI 15 DAS LICITAÇÕES) e /02 (LEI DO PREGÃO), e, de acordo com a apuração da licitação em epígrafe, conforme ata da sessão pública realizada no dia 18 de março de 2015, torna público à HOMOLOGAÇÃO do procedimento licitatório Pregão Presencial 010/2015, Processo Administrativo 070/2015, o qual teve por objeto a AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS para atender as necessidades da Prefeitura Municipal de Cerro Corá/RN, de acordo com o termo de referência e seus anexos, cujo certame teve como vencedoras à empresa: FD COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA EPP, CNPJ / , no valor total de R$ ,80 (Cinquenta e dois mil trezentos e noventa e um real e oitenta centavos). Cerro Corá/RN, 19 de março de RAIMUNDO MARCELINO BORGES Prefeito Municipal RAIMUNDO OZAIR TENAN Código Identificador: 70696B67 PREFEITURA MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA PREFEITURA MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA PORTARIA Nº 078/2015 GP* Nomeia a senhora Ernestina Oliveira Brito Neta Pereira no cargo de Chefe do Departamento de Farmácia da Secretaria Municipal de Saúde do Município de Felipe Guerra - RN e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA-RN, no uso de suas atribuições legais e conforme o Inciso XI do art. 45, da Lei Orgânica do Município de Felipe Guerra - RN, promulgada em 03 de abril de RESOLVE: Art. 1º. Nomear a senhora Ernestina Oliveira Brito Neta Pereira no cargo de Chefe do Departamento de Farmácia da Secretaria Municipal de Saúde do Município de Felipe Guerra RN. Art. 2º. Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogando as disposições em contrário, tendo seus efeitos retroativos ao dia 02 de março de REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE, CUMPRA-SE. Felipe Guerra - RN, 12 de março de HAROLDO FERREIRA DE MORAIS Prefeito *REPUBLICADA PARA CORREÇÃO LUIZ AGNALDO DE SOUZA Código Identificador: 5ED82B1A PREFEITURA MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA PORTARIA Nº 079/2015 GP* Nomeia a senhora Iara Rodrigues Leite no cargo de Subcoordenadora de Tributação da Secretaria Municipal de Tributação do Município de Felipe Guerra - RN e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA-RN, no uso de suas atribuições legais e conforme o Inciso XI do art. 45, da Lei Orgânica do Município de Felipe Guerra - RN, promulgada em 03 de abril de RESOLVE: Art. 1º. Nomear a senhora Iara Rodrigues Leite no cargo de Subcoordenadora de Tributação da Secretaria Municipal de Tributação do Município de Felipe Guerra RN. Art. 2º. Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogando as disposições em contrário, tendo seus efeitos retroativos ao dia 02 de março de REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE, CUMPRA-SE. Felipe Guerra - RN, 12 de março de HAROLDO FERREIRA DE MORAIS Prefeito *REPUBLICADA PARA CORREÇÃO LUIZ AGNALDO DE SOUZA Código Identificador: 4167B9DB PREFEITURA MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA PORTARIA Nº 077/2015 GP* Exonera a senhora Erineuma de Santana do cargo de Coordenadoria de Pessoal e Recursos Humanos da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos do Município de Felipe Guerra - RN e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA-RN, no uso de suas atribuições legais e conforme o Inciso XI do art. 45, da Lei Orgânica do Município de Felipe Guerra - RN, promulgada em 03 de abril de RESOLVE: Art. 1º. Exonerar, a senhora Erineuma de Santana do cargo de Coordenadoria de Pessoal e Recursos Humanos da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos do Município de Felipe Guerra RN. Art. 2º. Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogando as disposições em contrário. REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE, CUMPRA-SE. Felipe Guerra - RN, 16 de março de HAROLDO FERREIRA DE MORAIS Prefeito *REPUBLICADA PARA CORREÇÃO LUIZ AGNALDO DE SOUZA Código Identificador: 4F9F8723 PREFEITURA MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA Portaria nº 006-A/2015-GP em 12 de janeiro de Nomeia o senhor Francisco Noberto de Andrade Lima no cargo de Assistente de Comunicação da Prefeitura Municipal de Felipe Guerra RN e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA-RN, no uso de suas obrigações legais e conforme o Inciso XI do art. 45, da Lei Orgânica do Município de Felipe Guerra - RN, promulgada em 03 de abril de RESOLVE: Art. 1º - Nomear Francisco Noberto de Andrade Lima no cargo de Assistente de Comunicação da Prefeitura Municipal de Felipe Guerra RN. Art. 2º - Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário, tendo efeito retroativo ao dia 02 de janeiro de REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE e CUMPRA-SE. Felipe Guerra - RN, 12 de janeiro de Haroldo Ferreira de Morais Prefeito Municipal LUIZ AGNALDO DE SOUZA Código Identificador: PREFEITURA MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA AVISO DE RESULTADO DE LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL REGISTRO DE PREÇO n. 002/2015. Prefeitura Municipal de Felipe Guerra RN, através do Pregoeiro Oficial, torna público o RESULTADO do PREGÃO PRESENCIAL 002/2015, cujo objeto é: Registro de Preço, para realizações de aquisição futura de materiais elétricos e ferramentas, para atender as necessidades da Secretaria Municipal de Infraestruturas e Obras Públicas da Prefeitura Municipal de Felipe Guerra - RN, de acordo com os quantitativos e especificações constantes no Anexo I(Termo de Referencia), onde se sagrou vencedora as empresas: SOL COMERCIAL E DISTRIBUIDORA LTDA - CNPJ: / , vencedora dos itens 02, 03, 04, 06, 07, 08, 09, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 23 E 24 totalizando o valor global R$ ,00(Cinqüenta e cinco mil trezentos e dezessete reais); JUAREZ FERNANDES DE QUEIROZ EPP - CNPJ: / , vencedora dos itens 01, 05, 16, 17, 18, 19, 20, 21 E 22, totalizando o valor global R$ ,40(Sessenta e oito mil setecentos e setenta reais e quarenta centavos), conforme Ata de Julgamento de Registro de Preço anexa aos autos do processo. Felipe Guerra/RN, 23 de março de Andrè Mick Ferreira Cardoso Pregoeiro. ANTONIO FRANCISCO DE OLIVEIRA Código Identificador: 6497A614 PREFEITURA MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA EXTRATO DE RATIFICAÇÃO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO Nº O Prefeito Municipal, no uso de suas atribuições legais determinada em lei, considerado a imperiosa necessidade de contratar do setor artístico de grupos musicais de forró, para realização de apresentações pública no dia 23 de março de 2015, na realização da VI - Edição da Feira da Agricultura Familiar, através do artística local Luizinho do Acordeon e Forró Pé de Serra., no atendimento ao memorando da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura de Felipe Guerra/RN, Ratifico a Inexigibilidade de

16 licitação de nº , e que contrate os serviços de LUIZ GONZAGA DE FRANÇA FILHO - CPF: 430.***.***-30, com o valor global de R$ 50(Quinhentos reais). Com base fundamentada no Art 25, Inciso III da Lei N 8.666/93, em sua redação atual, as despesas decorrentes desta contratação correm a conta da Dotação Orçamentária: Órgão: 07 - Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente; Unidade Orçamentária: 0701 Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Projeto Atividade: Apoio ao Programa da Agricultura Familiar e pelo Elemento Despesas: Outros Serviços de Terceiros - Pessoas Físicas. Felipe Guerra-RN, 17 de março de Haroldo Ferreira de Morais. Prefeito Municipal. ANTONIO FRANCISCO DE OLIVEIRA Código Identificador: 6608E5D8 PREFEITURA MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA EXTRATO DE CONTRATO - INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO Nº CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Felipe Guerra/RN. CNPJ: / : Contratado: LUIZ GONZAGA DE FRANÇA FILHO - CPF: 430. ***.***-30, Objeto: Contratação de Grupos Musicais de Forró, para apresentações pública no dia 23 de março de 2015, na realização da VI - Edição da Feira da Agricultura Familiar, através do artística local Luizinho do Acordeon e Forró Pé de Serra. VALOR: R$ 50(Quinhentos reais). LEGALIDADE: Art 25, Inciso III da Lei 8.666/93, DOTAÇÃO: As despesas decorrentes do objeto desta licitação serão custeados pela Dotação Orçamentária do município de Felipe Guerra/RN, no exercício de Vigência: O presente contrato vigorará até a plena execução dos serviços contratados, independente de notificação ou aviso judicial/extrajudicial. LOCAL E DATA: Felipe Guerra-RN, 17 de março de Haroldo Ferreira de Morais. Prefeito Municipal. ANTONIO FRANCISCO DE OLIVEIRA Código Identificador: 42F03B9F PREFEITURA MUNICIPAL DE FELIPE GUERRA EXTRATO DE RATIFICAÇÃO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO Nº O Prefeito Municipal, no uso de suas atribuições legais determinada em lei, considerado a imperiosa necessidade de contratar os Serviços de Assistencia Técnica na Liebherr L 538 Série , no atendimento ao memorando da Secretaria Municipal de Infraestruturas e Obras da Prefeitura de Felipe Guerra/RN, Ratifico a Inexigibilidade de licitação de nº , e que contrate os serviços de SO TRATORES COM. DE PEÇAS E IMPLEM. AGRICOLAS LTDA - CNPJ: / , com o valor global de R$ 45(Quatrocentos e cinqüenta reais). Com base fundamentada no Art 25, Inciso II da Lei N 8.666/93, em sua redação atual, as despesas decorrentes desta contratação correm a conta da Dotação Orçamentária: Órgão: 06 - Secretaria Municipal de Infraestruturas e Obras Pública; Unidade Orçamentária: 0601 Secretaria Municipal de Infraestruturas e Obras Pública, Projeto Atividade: Manutenção da Secretaria de Infraestruturas e Obras Pública e pelo Elemento Despesas: Outros Serviços de Terceiros - Pessoas Jurídica. Felipe Guerra-RN, 17 de março de Haroldo Ferreira de Morais. Prefeito Municipal. ANTONIO FRANCISCO DE OLIVEIRA Código Identificador: 65ACAE87 PREFEITURA MUNICIPAL DE FERNANDO PEDROZA PORTARIA DE DIÁRIA Nº Concede diária ao servidor que especifica e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Fernando Pedroza, Estado do Rio Grande do Norte, no uso das atribuições legais e de conformidade com o Decreto nº. 013 de 09 de setembro de 2013, R e s o l v e : 1 Conceder a Servidora ROSENEIDE BATISTA XAVIER, ocupante do Cargo de Conselheira Tutelar, matrícula 035, 1 (uma diária), valor unitário da diária R$ 10 (Cem Reais), totalizando o valor a ser pago em R$ 10 (Cem Reais) para custear despesas, quando a mesma se deslocará à cidade de NATAL/RN, no dia 23 de Março de 2015, para Participar do 5º Ciclo de Capacitação do Selo UNICEF edição Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se. Pague-se. Fernando Pedroza/RN, em 23 de Março de Daniel Pereira dos Santos Prefeito Municipal JOSÉ JESSÉ LOPES Código Identificador: F8 16 PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORÂNIA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EXTRATO DE ADESÃO À ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 032/2014 Processo Originário nº: 9559/ PP nº 021/2014 ARP nº 032/2014 Órgão Gerenciador: Prefeitura Municipal de Ceará-mirim. Vigência/Ata:16/07/2014 a 16/07/2015 Órgão Aderente: Prefeitura Municipal de Florânia/RN. Objeto:Contratação de empresa para fornecimento e instalação de SISTEMA DE CONTROLE DE PONTO ELETRÔNICO, com fornecimento de todos os materiais para execução de instalação, nas dependências das diversas secretarias do município. Fundamentação: Lei nº de 17 de julho de 2002 e subsidiariamente a Lei nº de 21 de junho de 1993 (com posteriores alterações) e Decretos Federais nºs de 23 de janeiro de 2013 e de 23 de maio de Valor: R$ ,20 (setenta e quatro mil, oitenta e um reais e vinte centavos) Fornecedor: DIMEP Comércio e Assistência Ltda/ / Data: 23 de março de 2015 Signatários: Januncio de Araujo Junior - Prefeito do Município de Florânia/RN, Graça Alexandra Nobre de Araújo - Secretária Municipal de Saúde; Raimundo Toscano de Araújo - Secretário Municipal de Administração e Planejamento; Julineide Araújo de Medeiros - Secretária Municipal de Educação, Cultura e Desporto; Gerson Medeiros de Araújo - DIMEP Comércio e Assistência Técnica Ltda - Representante Legal da Empresa. SAULO EVERTON SILVA JUVENCIO Código Identificador: 46B0B4FD COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE ABERTURA DAS PROPOSTAS DE PREÇOS DA TOMADA DE PREÇO Nº 001/2015 A Comissão Permanente de Licitação da Prefeitura Municipal de Florânia/RN, torna público a convocação das empresasrn CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA ME inscrita no CNPJ sob nº / ,HAUS ENGENHARIA E INVESTIMENTOS LTDA - MEinscrita no CNPJ sob nº / , PELICANO COMÉRCIO, CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS - LTDA inscrita no CNPJ sob nº / e LC CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA inscrita no CNPJ sob nº / , para sessão de abertura dos envelopes de PROPOSTA DE PREÇO das habilitadas na Tomada de Preço nº 001/2015 cujo objeto é a execução das obras de reforma das Unidades Escolares Danças, Santa Rita, São Bento, Clemente Francisco, Severino Oliveira, São José, escola Domingas Francelina e Macária Giffoni de Medeiros, e ampliação da creche padrão e escola Francisca Leonísia, a sessão realizar-se-á no dia 26 de março de 2015, ás 09h na Sede da Prefeitura Municipal de Florânia. Florânia/RN, 23 de março de AYRTON ROOSEVELT AZEVEDO DE MEDEIROS Presidente da CPL AYRTON ROOSEVELT AZEVEDO DE MEDEIROS Código Identificador: 4457D0E9 EDITAL DE CONVOCAÇÃO? 001/2015 O Prefeito Municipal de Florânia, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições e considerando o disposto no item X e subitens do Edital do Concurso Público realizado aos 08 de fevereiro de 2014, destinados ao provimento de cargos efetivos e para formação de cadastro reserva e com a homologação do Resultado Final do mesmo, através do Decreto nº 008 de 13 de Março de 2015, publicado na edição nº 1369 do Diário Oficial dos Municípios do Rio Grande do Norte em 17 de março de 2015, RESOLVE: 1. CONVOCAR os seguintes candidatos para os respectivos cargos: CARGOS DE NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO/INCOMPLETO Cargo: Auxiliar de Serviços Gerais: Insc. Nº NUBIANA SOARES DA COSTA Classificado em 1º lugar. Cargo: Auxiliar de Serviços Gerais: Insc. Nº WILMA DE SOUZA Classificado em 2º lugar. Cargo: Motorista: Insc. Nº ALYSSON GOMES SOARES BRITO Classificado em 1º lugar. Cargo: Motorista: Insc. Nº MARCOS FERNANDES NEVES Classificado em 2º lugar. Cargo: Motorista: Insc. Nº JOSÉ GLEYDSON BARBOSA DE MEDEIROS Classificado em 3º lugar. Cargo: Motorista: Insc. Nº RODRIGO MEDEIROS CLEMENTINO Classificado em 4º lugar. Cargo: Operador de Máquinas Pesadas: Insc. Nº HÉLIO ALVES DE ARAÚJO FILHO Classificado em 1º lugar. Cargo: Pedreiro: Insc. Nº MANOEL UMBELINO DE ARAÚJO FILHO Classificado em 1º lugar. Cargo: Vigia: Insc. Nº JÚLIO CÉZAR GOMES FONSECA Classificado em 1º lugar. Cargo: Vigia: Insc. Nº RERIVALDO ALVES BRAZÃO Classificado em 2º lugar. CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR Cargo: Assistente Social: Insc. Nº VALDEILMA DE BRITO SANTOS MIRANDA Classificado em 1º lugar. Cargo: Enfermeira: Insc. Nº GIOVANNA KARINNY PEREIRA CRUZ Classificado em 1º lugar. Cargo: Farmacêutico: Insc. Nº BRENO MAGELA BEZERRA DA COSTA Classificado em 1º lugar. Cargo: Fonoaudiólogo: Insc. Nº TERCIANO BEZERRA DE ARAÚJO Classificado em 1º lugar. Cargo: Médico (Clínico Geral ESF): Insc. Nº ARTUR NÓBREGA DE OLIVEIRA Classificado em 1º lugar. Cargo: Médico (Clínico Geral ESF): Insc. Nº SANDRO ALEX PEREIRA ROLIM DE ARAÚJO Classificado em 2º lugar. Cargo: Médico (Clínico Geral ESF): Insc. Nº THAISA GEOVANINE DE CARVALHO Classificado em 3º lugar. Cargo: Nutricionista: Insc. Nº FRANCIALISON ALMEIDA DOS SANTOS Classificado em 1º lugar. Cargo: Professor de Educação Física: Insc. Nº SAMUEL DA SILVA ARAÚJO Classificado em 1º lugar. Cargo: Professor de Ciências: Insc. Nº FRANCISCO CANINDÉ DA SILVA Classificado em 1º lugar. Cargo: Professor de Matemática: Insc. Nº NEILSON FÁBIO MOURA DE OLIVEIRA Classificado em 1º lugar. Cargo: Professor de Artes: Insc. Nº FRANCISCA SELMA NOBRE KOBAYASHI Classificado em 1º lugar. Cargo: Psicóloga: Insc. Nº VALDILENE DE LIMA RODRIGUES MOURA Classificado em 1º lugar O candidato ora convocado devera providenciar, às suas expensas, os exames laboratoriais e complementares a seguir relacionados: a) para todos os candidatos: Raio X de Tórax, com laudo do radiologista; Teste alérgico com parecer do alergologista; Audiometria, com parecer do otorrinolaringologista; Eletroencefalograma, com parecer do neurologista; Hemograma completo; Glicemia de jejum; Colesterol, total e frações; Triglicérides; TGO; TGP; VDRL; Ácido úrico; EAS; EPF; Exame oftalmológico completo (acuidade visual). b) para candidatas do sexo feminino: Preventivo ginecológico; c) para candidatas do sexo feminino (acima de 40 anos): Mamografia; d) para candidatos do sexo masculino (acima de 40 anos): PSA; e) para todos os candidatos acima de 40 anos: ECG; Somente serão aceitos exames realizados até 30 dias imediatamente anteriores à data do comparecimento à Coordenação de Pessoal Durante a avaliação de capacidade física e mental, poderão ser solicitados outros exames complementares, a depender da necessidade de esclarecimento de diagnóstico, a critério da equipe de avaliação médica Em todos os exames deverá constar além do nome, o número da carteira de identidade do candidato, sendo motivo de inautenticidade do documento a inobservância e/ou omissão do referido número A avaliação de sanidade e capacidade física e mental declarará o candidato apto ou inapto para o exercício do cargo público, tendo, portanto, caráter eliminatório Os candidatos aptos ao exercício devem comparecer a Secretaria Municipal de Administração, localizada à Rua Teônia Amaral, Centro, no período de 5 (cinco) dias úteis podendo ser prorrogado por igual período, munido dos originais e respectivas cópias dos seguintes documentos:? Certificado de conclusão de curso equivalente ao cargo concorrido;? Cédula de identidade;? CPF;? 01 (uma) foto 3x4 recente;? Laudo Médico da Avaliação de Sanidade e Capacidade Física e Mental;? Título de eleitor e comprovante de quitação eleitoral;? Cartão PIS/PASEP (se for o caso);? Certidão de casamento (se for o caso);? Certidão de nascimento de filho(s) (se for o caso);? Comprovante de residência;? Carteira Nacional de Habilitação categoria D (para o cargo de Motorista)

17 ? Carteira Nacional de Habilitação categoria C, D ou E (para o cargo de Operador de Máquinas Pesadas)? Certificado de Curso Técnico Profissionalizante para operar máquinas agrícolas, tratores, retroescavadeira (para o cargo de Operador de Máquinas Pesadas)? Certificado de reservista ou comprovante de alistamento militar, se do sexo masculino;? Certidão negativa de antecedentes criminais fornecida pela Polícia Federal;? Certidão negativa de antecedentes criminais fornecida pela Justiça Estadual;? Declaração de bens ou negativa de bens; (Anexo I e II)? Declaração de Imposto de Renda do último exercício;? Declaração de não acumulação de cargo consoante o inciso XVI, art. 37 da CF/88; (Anexo III)? Comprovante do Registro no Conselho de Classe específico com a devida quitação; Caso o candidato convocado não compareça dentro do prazo estipulado nesta convocação, será imediatamente desclassificado. 1.8 O candidato poderá solicitar os modelos de formulários em anexo por meio do endereço eletrônico Palácio das Flores Prefeitura Municipal de Florânia Em 23 de março de JANUNCIO DE ARAÚJO JUNIOR Prefeito do Município MODELO (ANEXO I) DECLARAÇÃO DE BENS DECLARAÇÃO DE PATRIMÔNIO Eu,_ domiciliado na Rua: _, cidade:_, UF:_, declaro sob as penas da lei que meu patrimônio é composto dos seguintes bens e respectivos valores atuais de mercado: 1._Valor:_ 2._Valor:_ 3._Valor:_ 4._Valor:_ 5._Valor:_ 6._Valor:_ 7._Valor:_ 8._Valor:_ 9._Valor:_ Declaro ainda que o(s) valor(es) acima apresentado(s) é(são) verdadeiro(s) e estou ciente de que a omissão de informações ou a apresentação de dados ou documentos falsos e/ou divergentes implicam no cumprimento das medidas judiciais cabíveis. Autorizo a confirmação e averiguação das informações acima. Nome:_ CPF: _ Assinatura do Declarante MODELO (ANEXO II) DECLARAÇÃO DE BENS Eu,_,portador(a) do CPF/MF Nº_e da Cédula de Identidade Nº_, residente e domiciliado, à Rua _, declaro para os devidos fins que até a presente data não possuo bens a declarar. Por ser expressão da verdade, firmo a presente DECLARAÇÃO. Declarante MODELO (ANEXO III) DECLARAÇÃO DE NÃO ACUMULAÇÃO DE CARGOS, EMPREGOS OU FUNÇÕES PÚBLICAS Eu, _, portador do RG nº_ e CPF nº _, DECLARO para fins de posse no cargo de_, na Prefeitura Municipal de Florânia, Estado do Rio Grande do Norte, QUE NÃO EXERÇO qualquer cargo, emprego, ou função pública junto à administração pública direta, autarquias, fundações, empresas públicas, sociedade de economia mista, suas subsidiárias e sociedades controladas direta ou indiretamente pelo poder público, que seja inacumulável com a carreira em que tomarei posse, em consonância com os incisos XVI e XVII do art. 37, da Constituição Federal. DECLARO, outrossim, QUE NÃO PERCEBO proventos de aposentadoria decorrente do art. 40 ou dos arts. 42 e 142 da Constituição Federal, que seja inacumulável com a carreira em que tomarei posse. DECLARO, também, estar ciente de que devo comunicar a esse Órgão qualquer alteração que venha a ocorrer em minha vida funcional que não atenda às determinações legais vigentes relativamente à acumulação de cargos, sob pena de instaurarse o processo administrativo disciplinar de que trata a Lei 17 Municipal nº 440/1997 que dispõe sobre o Estatuto dos Servidores Municipais de Florânia/RN. DECLARO, ainda, estar ciente de que prestar declaração falsa é crime previsto no art. 299 do Código Penal Brasileiro, sujeitando o declarante às suas penas, sem prejuízo de outras sanções cabíveis. DECLARO, por fim, que tomo ciência de toda a legislação supra referida. Declarante SÁVIO ALYNSON SILVA JUVENCIO Código Identificador: 42B330F8 SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EXTRATO DE CONTRATO Nº 008/2015 PMF/SEMAS Contratante: PREFEITURAMUNICIPAL DE FLORÂNIA-RN. Contratado:SUÊMIA MARIA PEREIRA Objeto: Contratação de 01 (uma) Orientadora Social, substituindo a servidora Maria Zilma de Vasconcelos Nunes, licença por motivo de doença em pessoa da família por um período de 03 (três) meses. Valor Mensal:R$ 788,00 (setecentos e oitenta e oito reais), Dotação Orçamentária:elemento de despesa outros serviços de terceiros - pessoa física. Vigência: 09 de março de 2015 a 09 de junho de Data da Assinatura: 09 de março de Florânia/RN, 09 de março de Maria Iracilda de Azevedo Medeiros Secretária Municipal de Assistência Social Ilm. Sr. SÁVIO ALYNSON SILVA JUVENCIO Código Identificador: 46D4243E PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIANINHA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CARTA CONVITE DE RETORNO AO TRABALHO PEDRO FILIPE DOS SANTOS GERMANO. Goianinha RN, CONVITE DE RETORNO AO TRABALHO Prezado Senhor, Com o presente, convidamos V. Sª. a comparecer Quinta Feira, dia 29 de Janeiro de 2015, á Secretaria de Administração e RH, de 08 ás 14 horas, para tratar de suas faltas injustificadas desde Dezembro de Sem mais somos Atenciosamente, Goianinha/RN, 20 de Janeiro IRENALDO JOSE DE MEDEIROS SECRETARIO DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS EDJA MÁRCIA FERREIRA LEONEZ Código Identificador: 4880B774 PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAMARÉ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 002/2015 A COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAMARÉ/RN CPL/PMG, objetivando o grau de competitividade preconizado pela administração pública, torna público que estará realizando a(s) licitação(ões) abaixo descrita(s), a ver: - CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 002/ Processo Administrativo nº 5.122/2014, que tem por objeto a CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES E DE IMPLANTAÇÃO DE PORTAL EDUCACIONAL VOLTADO PARA O ENSINO BÁSICO, QUE CONSOLIDE O USO DA TECNOLOGIA COMO FERRAMENTA COMPLEMENTAR DO ENSINO PRESENCIAL E QUE PROMOVA A INSERÇÃO DIGITAL DE DOCENTES E ALUNOS DAS ESCOLAS ATENDIDAS PELO PROJETO, conforme especificações e condições descritas nos autos, cuja sessão inicial está marcada para o dia 12 DE MAIO DE 2015, pelas 10:30h. A(s) referida(s) sessão(ões) será(ão) realizada(s) no Setor de Licitações, localizado no térreo do prédio sede da Prefeitura Municipal de Guamaré/RN, situado na Rua Luiz de Souza Miranda, 116, Centro, Guamaré/RN. O(s) Edital(is) e seus anexos, com as condições e especificações, encontra(m)-se à disposição dos interessados no Setor de Licitações, no endereço acima indicado, das 08:00h às 12:00h, de segunda a sexta-feira, em dias de expediente. O(s) Edital(is) poderão ser requeridos por meio do através de solicitação contendo o timbrado da requerente e assinado por representante habilitado. Quaisquer esclarecimentos poderão ser prestados no endereço indicado ou através dos telefones: (84) / / Guamaré(RN), 20 de Março de Clênio Cley Cunha Maciel Presidente da CPL/PMG ALDENOR GONDIM DE AQUINO JUNIOR Código Identificador: 73A573FF SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL PORTARIA Nº 220/2015 Diária: 04 (quatro) diárias referentes à alimentação e estada na cidade de Belém/PA, nos dias 24 a 27 de Março de 2015, com o objetivo de participar de capacitação do SINCOV, As diárias têm o valor de R$ 40 (quatro centos reais), perfazendo as diárias solicitadas o valor total de R$ 1.60 (um mil e seiscentos reais). Portaria:220 /2015 Fundamentação Legal: Decreto Municipal nº 027/2010 C/C nº 005/2009. Origem: Guamaré/RN Destino: Belém/PA Guamaré, 24 de Março JOÃO BATISTA DE SOUZA JUNIOR Servidor HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Ordenador TAIANE MIRANDA DOS SANTOS MORAIS Código Identificador: 4A515D1F SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL PORTARIA Nº 221/2015 Diária: 1 1/2 diária referente à alimentação e estada na cidade do Natal/RN, nos dias 24 e 25 de Março de 2015, com o objetivo de participar da 7º Turma de Capacitação do Sistema de Benefícios ao Cidadão-SIBEC, as diárias tem o valor de R$ 18 (cento e oitenta reais), perfazendo as diárias solicitadas o valor total de R$ 27 (duzentos e setenta reais). Portaria: 221/2015 Fundamentação Legal: Decreto Municipal nº 027/2010 C/C nº 005/2009. Origem: Guamaré/RN Destino: Natal/RN Guamaré, 24 de Março ELENILSON GASPAR DA SILVA Servidor HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Ordenador TAIANE MIRANDA DOS SANTOS MORAIS Código Identificador: 53027B56 SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL PORTARIA Nº 222/2015 Diária: 1 1/2 diária referente à alimentação e estada na cidade do Natal/RN, nos dias 24 e 25 de Março de 2015, com o objetivo de participar da 7º Turma de Capacitação do Sistema de Benefícios ao Cidadão-SIBEC, as diárias tem o valor de R$ 18 (cento e oitenta reais), perfazendo as diárias solicitadas o valor total de R$ 27 (duzentos e setenta reais). Portaria: 222/2015 Fundamentação Legal: Decreto Municipal nº 027/2010 C/C nº 005/2009. Origem: Guamaré/RN Destino: Natal/RN Guamaré, 24 de Março CHRISTIANNE FIRMINO BRAZÃO Servidor HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Ordenador TAIANE MIRANDA DOS SANTOS MORAIS Código Identificador: 543D1DE7

18 SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 066/2015 Dadas as informações constantes do processo administrativo abaixo discriminado, reconheço a dispensa de licitação, nos termos do art. 24, inc. X, da Lei Federal nº /93 e suas alterações posteriores, e em consonância com o parecer jurídico acostado aos autos, exigência do art. 38, inciso VI, do mesmo diploma legal. PROCESSO Nº: 1682/15. CONTRATANTE: Município de Guamaré. CONTRATADA: MANOEL VARELA DOS SANTOS, CPF: OBJETO: Autorização para locação de imóvel pela Administração, especificamente, pela Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude, para o funcionamento do Projeto Bem Estar II em Baixa do Meio, Guamaré/RN. VIGÊNCIA: a partir da publicação deste termo de dispensa. VALOR TOTAL GLOBAL: R$ (VINTE E QUATRO MIL REAIS). DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: Órgão: 02 PODER EXECUTIVO; Unidade: SECRETARIA MUN. DE ESPORTE E LAZER; Função: 27 DESPORTO E LAZER; Subfunção: 813 LAZER; Programa: 0108 Gestão Pública Integrada do Esporte e Lazer; Projeto/Atividade: 2036 APOIAR AS ATIVIDADES DA SEC. ESPORTE E LAZER; Elemento de Despesa: OUTROS SERV. TERC. P. FÍSICA. BASE LEGAL: artigo 24, inciso X, da Lei Federal nº 8.666/93. Guamaré/RN, 23 de Março de HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Prefeito Municipal MAYRON SILVEIRA SILVA Código Identificador: 6B87C10A SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 062/2015 Dadas as informações constantes do processo administrativo abaixo discriminado, reconheço a dispensa de licitação, nos termos do art. 24, inc. IV, da Lei Federal nº /93 e suas alterações posteriores, e em consonância com o parecer jurídico acostado aos autos, exigência do art. 38, inciso VI, do mesmo diploma legal. PROCESSO Nº: 1407/2015. CONTRATANTE: Município de Guamaré. CONTRATADA: VISÃO CLÍNICA DE OLHOS DE LTDA, CNPJ: 03, / OBJETO: Solicitação de Contratação Emergencial de Equipe Médica e Clínica especializada para realização de vitrectomia vias oars plana em olho direito. VIGÊNCIA: 30 (trinta) dias a partir de 23 de março de VALOR TOTAL: R$ (dez mil reais). DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: Órgão: 03 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE; Unidade: FUNDO DE SAÚDE DE GUAMARÉ; Função: 10 SAÚDE; Subfunção: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL; Programa: 0325 MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE; Projeto/Atividade: 2279 ATENDIMENTO HOSPITALAR E AMBULATORIAL SUPLEMENTAR; Elemento de Despesa: OUTROS SERV. TERC. P. JURÍDICA. BASE LEGAL: artigo 24, inciso IV, da Lei Federal nº 8.666/93. Guamaré/RN, 23 de março de HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Prefeito Municipal MAYRON SILVEIRA SILVA Código Identificador: 5A9B952C SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 067/2015 Dadas as informações constantes do processo administrativo abaixo discriminado, reconheço a dispensa de licitação, nos termos do art. 24, inc. IV, da Lei Federal nº /93 e suas alterações posteriores, e em consonância com o parecer jurídico acostado aos autos, exigência do art. 38, inciso VI, do mesmo diploma legal. PROCESSO Nº: 1748/2015. CONTRATANTE: Município de Guamaré. CONTRATADA: LIGA NORTE RIO GRANDENSE CONTRA O CÂNCER, CNPJ: / OBJETO: Solicitação de Contratação Emergencial de Hospital 18 para realização de PROCEDIMENTO CIRÚRGICO DE VARIZES BILATERAL. VIGÊNCIA: 30 (trinta) dias a partir de 23 de março de VALOR TOTAL: R$ 85 (oitocentos e cinquenta reais). DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: Órgão: 03 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE; Unidade: FUNDO DE SAÚDE DE GUAMARÉ; Função: 10 SAÚDE; Subfunção: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL; Programa: 0325 MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE; Projeto/Atividade: 2279 ATENDIMENTO HOSPITALAR E AMBULATORIAL SUPLEMENTAR; Elemento de Despesa: OUTROS SERV. TERC. P. JURÍDICA. BASE LEGAL: artigo 24, inciso IV, da Lei Federal nº 8.666/93. Guamaré/RN, 23 de março de HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Prefeito Municipal MAYRON SILVEIRA SILVA Código Identificador: 577CFC3F SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 063/2015 Dadas as informações constantes do processo administrativo abaixo discriminado, reconheço a dispensa de licitação, nos termos do art. 24, inc. IV, da Lei Federal nº /93 e suas alterações posteriores, e em consonância com o parecer jurídico acostado aos autos, exigência do art. 38, inciso VI, do mesmo diploma legal. PROCESSO Nº: 1749/2015. CONTRATANTE: Município de Guamaré. CONTRATADA: CIRURGÕES VASCULARES ASSOCIADOS DE NATAL S/S LTDA - ME, CNPJ: / OBJETO: Solicitação de Contratação Emergencial de Equipe Médica para realização DE PROCEDIMENTO CIRÚRGICO DE VARIZES BILATERAL. VIGÊNCIA: 30 (trinta) dias a partir de 23 de março de VALOR TOTAL: R$ 6.00 (seis mil reais). DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: Órgão: 03 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE; Unidade: FUNDO DE SAÚDE DE GUAMARÉ; Função: 10 SAÚDE; Subfunção: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL; Programa: 0325 MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE; Projeto/Atividade: 2279 ATENDIMENTO HOSPITALAR E AMBULATORIAL SUPLEMENTAR; Elemento de Despesa: OUTROS SERV. TERC. P. JURÍDICA. BASE LEGAL: artigo 24, inciso IV, da Lei Federal nº 8.666/93. Guamaré/RN, 23 de março de HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Prefeito Municipal MAYRON SILVEIRA SILVA Código Identificador: 5AF7912A SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 064/2015 Dadas as informações constantes do processo administrativo abaixo discriminado, reconheço a dispensa de licitação, nos termos do art. 24, inc. IV, da Lei Federal nº /93 e suas alterações posteriores, e em consonância com o parecer jurídico acostado aos autos, exigência do art. 38, inciso VI, do mesmo diploma legal. PROCESSO Nº: 1750/2015. CONTRATANTE: Município de Guamaré. CONTRATADA: CIRURGÕES VASCULARES ASSOCIADOS DE NATAL S/S LTDA - ME, CNPJ: / OBJETO: Solicitação de Contratação Emergencial de Equipe Médica para realização DE PROCEDIMENTO CIRÚRGICO DE VARIZES BILATERAL. VIGÊNCIA: 30 (trinta) dias a partir de 23 de março de VALOR TOTAL: R$ 6.00 (seis mil reais). DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: Órgão: 03 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE; Unidade: FUNDO DE SAÚDE DE GUAMARÉ; Função: 10 SAÚDE; Subfunção: 302 ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL; Programa: 0325 MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE; Projeto/Atividade: 2279 ATENDIMENTO HOSPITALAR E AMBULATORIAL SUPLEMENTAR; Elemento de Despesa: OUTROS SERV. TERC. P. JURÍDICA. BASE LEGAL: artigo 24, inciso IV, da Lei Federal nº 8.666/93. Guamaré/RN, 23 de março de HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Prefeito Municipal MAYRON SILVEIRA SILVA Código Identificador: 5BD62EDE SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 065/2015 Dadas as informações constantes do processo administrativo abaixo discriminado, reconheço a dispensa de licitação, nos termos do art. 24, inc. II, da Lei Federal nº /93 e suas alterações posteriores, e em consonância com o parecer jurídico acostado aos autos, exigência do art. 38, inciso VI, do mesmo diploma legal. PROCESSO Nº: 1782/2015. CONTRATANTE: Município de Guamaré. CONTRATADA: J R V BARBOSA ME (MOVEQUIP) CNPJ: / OBJETO: Autorização para contratação de pessoa jurídica para aquisição de mobília (MESA PARA REUNIÃO E CADEIRAS). VIGÊNCIA: 60 (sessenta) dias a partir de 23 de março de VALOR TOTAL: R$ 5.163,00 (cinco mil, cento e sessenta e três reais). DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: Órgão: 02 PODER EXECUTIVO; Unidade: SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL; Função: 04 - ADMINISTRAÇÃO; Subfunção: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL; Programa: 0101 GESTÃO PUBLICA INTEGRADA DO GABINETE CIVIL Projeto/Atividade: 2002 APOIAR AS ATIVIDADES DA SECRETARIA DO GABINETE CIVIL Elemento de Despesa: EQUIPAMENTOS E MATERIAIS PERMANENTE. BASE LEGAL: artigo 24, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. Guamaré/RN, 23 de março de HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Prefeito Municipal MAYRON SILVEIRA SILVA Código Identificador: 43B9895D SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL EXTRATO DO PRIMEIRO TERMO DE ADITIVO AO CONTRATO Nº. 043/2014, ORIUNDO DA TOMADA DE PREÇO Nº 020/2014 Processo nº: 1551/2015; Contratante: Município de Guamaré/RN; Contratada: CONSTRUTORA DANTAS LTDA, CNPJ / ; Objeto do Aditivo: O presente termo aditivo tem por objeto o aditivo de prazo e o acréscimo ao contrato, com percentual de 37,65% (trinta e sete virgula sessenta e cinco por cento), aprovado através do Cálculo de Reajustamento de Medições realizado pela Secretaria Municipal de Obras Públicas e Serviços Urbanos, para a conclusão da Reforma e Ampliação do Centro Administrativo, localizado na praia de Aratuá localizada no Município de Guamaré/RN, conforme Processo nº. 1551/2015; Do valor do Aditivo: O valor total estimativo deste aditivo para a conclusão da Reforma e Ampliação do Centro Administrativo, localizado na praia de Aratuá localizada no Município de Guamaré/RN, ensejará um reflexo financeiro de 37,65% do valor inicial da obra, que corresponde ao montante de R$ ,06 (cento e cinquenta e dois mil duzentos e trinta e oito reais e seis centavos). Da Vigência do Aditivo: O presente contrato fica prorrogado por mais 150 (cento e cinquenta) dias, no período compreendido entre os dias 11 de março de 2015 até o dia 08 de agosto de DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: Órgão: 02 PODER EXECUTIVO; Unidade: SECRETARIA MUN. DE OBRAS E SERVIÇOS URBANOS; Função: 15 URBANISMO; Subfunção: 451 INFRA- ESTRUTURA URBANA; Programa: 0113 GESTÃO PÚBLICA INTEGRADA DAS OBRAS E DA URBANIZAÇÃO; Projeto/Atividade: 2038 APOIAR AS ATIVIDADES DA SECRETARIA DE OBRAS E SERVIÇOS URBANOS; Elemento de Despesa: OBRAS E INSTALAÇÕES. Fundamento Legal: artigos 57, inc. II e 65, inc. II, d, 1o, ambos da Lei nº 8.666/1993; Assinaturas: Hélio Willamy Miranda da Fonseca, Prefeito Municipal (Contratante)

19 EMPRESA CONSTRUTORA DANTAS LTDA, CNPJ / , sendo representada neste ato pelo Sr. RAFAEL MOREIRA DANTAS, (Contratada). Guamaré/RN, 10 de março de HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA Prefeito Municipal MAYRON SILVEIRA SILVA Código Identificador: 486C0031 SECRETARIA MUNICIPAL DA CHEFIA DO GABINETE CIVIL EXTRATO DO CONTRATO Nº 019/2015 EXTRATO DE CONTRATO - ESPÉCIE: CONTRATO N.º 019/2015, FIRMADO EM 23/03/2015, ENTRE O CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAMARÉ/RN E A CONTRATADA: NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - CNPJ: / OBJETO: CONTRATAÇÃO DE PESSOA JURÍDICA ESPECIALIZADA DO RAMO PERTINENTE PARA REALIZAÇÃO DE ASSESSORAMENTO, FORMATAÇÃO E EXECUÇÃO DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE DOCENTES, POR TEMPO DETERMINADO, PARA ANO LETIVO DE 2015, DE ACORDO COM AS CONDIÇÕES DESCRITAS NO EDITAL DO PREGÃO PRESENCIAL N. 012/2015, PARTES INTEGRANTES DESTE CONTRATO, INDEPENDENTEMENTE DE QUALQUER TRANSCRIÇÃO. FUNDAMENTO LEGAL: LEI Nº 8.666/93, LEI /02 E LEI COMPLEMENTAR 123/2006; PROCESSO: 0704/2015; VIGÊNCIA: DE 30 (TRINTA) DIAS, A CONTAR DA SUA ASSINATURA. CLASSIFICAÇÃO DA DESPESA: ÓRGÃO: 05 FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - UNIDADE: 001 FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - FUNÇÃO: 12 EDUCAÇÃO - SUBFUNÇÃO: 361 ENSINO FUNDAMENTAL - PROGRAMA: 0106 GESTÃO PÚBLICA INTEGRADA DA EDUCAÇÃO E CULTURA - PROJETO/ATIVIDADE: 2021 APOIAR AS ATIVIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - ELEMENTO DE DESPESAS: OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA; ÓRGÃO: 05 FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - UNIDADE: 001 FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - FUNÇÃO: 12 EDUCAÇÃO - SUBFUNÇÃO: 365 ENSINO INFANTIL - PROGRAMA: 0106 GESTÃO PÚBLICA INTEGRADA DA EDUCAÇÃO E CULTURA - PROJETO/ATIVIDADE: 2313 MANUT. DAS ATIVID. DO ENSINO INFANTIL (CRECHE) - ELEMENTO DE DESPESAS: OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA; ÓRGÃO: 05 FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - UNIDADE: 001 FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FUNÇÃO: 12 EDUCAÇÃO - SUBFUNÇÃO: 365 ENSINO INFANTIL - PROGRAMA: 0106 GESTÃO PÚBLICA INTEGRADA DA EDUCAÇÃO E CULTURA - PROJETO/ATIVIDADE: 2314 MANUT. DAS ATIVID. DO ENSINO INFANTIL (PRÉ - ESCOLA) - ELEMENTO DE DESPESAS: OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA; ÓRGÃO: 05 FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - UNIDADE: 001 FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - FUNÇÃO: 12 EDUCAÇÃO - SUBFUNÇÃO: 366 EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - PROGRAMA: 0219 ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EJA - PROJETO/ATIVIDADE: 2312 MANUT. DAS ATIVID. DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - ELEMENTO DE DESPESAS: OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA - VALOR GLOBAL: R$ (TRINTA E OITO MIL REAIS), SIGNATÁRIOS: PELO CONTRATANTE: HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA/PREFEITO- CPF Nº E PELO CONTRATADA: LINDINALVA MARIA FRANÇA DA SILVA - CPF Nº ANGELUS VINICIUS DE ARAÚJO MENDES Código Identificador: 53936FCA PREFEITURA MUNICIPAL DE IELMO MARINHO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL - SRP Nº 006/2015 PMIM - REPETIÇÃO O Pregoeiro do Município de Ielmo Marinho, no uso de suas atribuições legais, Torna público a REPETIÇÃO com ALTERAÇÃO no Edital do Pregão Presencial - SRP Nº 006/2015, do tipo menor preço, objetivando O REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURAS AQUISIÇÕES DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS PARA COMPOR O PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - MERENDA EM CASA. A seção pública será realizada no dia 08/04/2015 às 09h00min. O Edital na íntegra encontra-se a disposição dos interessados na sede da Prefeitura na sala de Licitações, de segunda a sexta feira, das 08h00min às 13h00min. Ielmo Marinho/RN, 23 de março de DANIEL ANSELMO SOARES Pregoeiro JOSÉ JONAS PAIXÃO DA SILVA Código Identificador: 606AD046 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO RESULTADO DA TOMADA DE PREÇO Nº 003/2015-PMIM A CLP da Prefeitura Municipal de Ielmo Marinho/RN, torna público o resultado referente à Tomada de Preço Nº 003/2015- PMIM, que teve como vencedora a empresa E. CLEMENTINO CONSTRUÇÕES E COMERCIO DE PREMOLDADOS LTDA, Inscrita no CNPJ N / Nada mais havendo, segue o resultado para conhecimento de todos, ficando desde já aberto o prazo de (05) cinco dias úteis para apresentação de 19 recursos de acordo a Lei 8.666/93. Os autos do processo estão franqueados aos interessados no Setor de Licitações da Prefeitura Municipal de Ielmo Marinho. Ielmo Marinho/RN, 23 de março de DANIEL ANSELMO SOARES Presidente JOSÉ JONAS PAIXÃO DA SILVA Código Identificador: 5B COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO RESULTADO DA TOMADA DE PREÇO Nº 001/2015-PMIM A CLP da Prefeitura Municipal de Ielmo Marinho/RN, torna público o resultado referente à Tomada de Preço Nº 001/2015- PMIM, que teve como vencedora a empresa E. CLEMENTINO CONSTRUÇÕES E COMERCIO DE PREMOLDADOS LTDA, Inscrita no CNPJ N / Nada mais havendo, segue o resultado para conhecimento de todos, ficando desde já aberto o prazo de (05) cinco dias úteis para apresentação de recursos de acordo a Lei 8.666/93. Os autos do processo estão franqueados aos interessados no Setor de Licitações da Prefeitura Municipal de Ielmo Marinho. Ielmo Marinho/RN, 23 de março de DANIEL ANSELMO SOARES Presidente JOSÉ JONAS PAIXÃO DA SILVA Código Identificador: 40CDB6E1 Portaria Nº 066/2015 Exoneração do Senhor, FLAVIO DOMINGOS DA SILVA. O PREFEITO MUNICIPAL DE IELMO MARINHO, Estado do Rio Grande do Norte, no uso das atribuições legais, de conformidade com a lei Orgânica do Município datada de e o inciso I do art. 18 da Lei Complementar n. 002/2008 de ; R E S O L V E: Art. 1º - Exonerar o Senhor, FLAVIO DOMINGOS DA SILVA, ocupante do cargo comissionado de ASSESSOR TÉCNICO JURÍDICO, lotado na PROCURADORIA GERAL, deste município. Art. 2º Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se, registre-se e cumpra-se. Bruno Patriota Medeiros Prefeito Municipal JOSÉ JONAS PAIXÃO DA SILVA Código Identificador: 481D98D6 PREFEITURA MUNICIPAL DE JAÇANÃ DECRETO Nº 002/2015. DECRETA ESTADO DE CALAMIDADE FINANCEIRA E ADMINISTRATIVA NO AMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO CONSTITUCIONAL DE JAÇANÃ, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais que lhe confere, CONSIDERANDO: I As constantes reduções dos repasses do FPM Fundo de Participação dos Municípios; II O sequestro administrativo da totalidade dos valores da primeira e segunda cota do FPM Fundo de Participação dos Municípios, relativos aos débitos para com a Receita Federal, bem como diversos parcelamentos de débitos não honrados perante a Previdência Social, relativos a períodos anteriores ao exercício de 2013; III que a redução de jornada de trabalho sem a correspondente redução proporcional de salários ou quando não comprovado o interesse público e social, atenta contra a isonomia e ofende o princípio da moralidade administrativa; IV a dificuldade em adimplir obrigações pecuniárias com os fornecedores dessa municipalidade; D E C R E T A: Artigo 1º. Fica decretado estado de calamidade financeira e administrativa no âmbito da Administração Pública Municipal de Jaçanã, pelo período de 90(noventa) dias, podendo ser prorrogado por igual período caso a situação se mantenha inalterada. Artigo 2º. A partir da entrada em vigor deste Decreto, o Governo Municipal poderá tomar as seguintes providencias: 1. Determinar a todos os servidores que cumprem jornada de 8(oito) horas a cumprir uma jornada de trabalho de 6(seis) horas corridas, para efeito de economia administrativa; 2. Promover a exoneração de Cargos em Comissão e/ou rescindir contratos temporários de prestação de serviços ou de outras natureza, por força de interesse público, ressalvando a permanência do mínimo necessário e essencial ao funcionamento dos atendimentos essenciais a população; 3. Suspender, total ou parcial, mediante negociações, o pagamento dos débitos com fornecedores, desde que não tenha vinculação direta com as necessidades fundamentais para manutenção dos atendimentos essenciais à população do município. 4. Suspender concessão de diária, ajuda de custa e outras vantagens, ressalvando aquelas necessárias a manutenção das atividades do ensino e saúde no município. Artigo 3º. Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Jaçanã-RN, 20 de março de ESDRAS FERNANDES DE FARIAS. Prefeito VANDERLEI DE ARAÚJO LAURENTINO Código Identificador: 42410EBB DECRETO nº 03 de 23 de março de Dispõe sobre a transferência das comemorações inerentes à Emancipação Política do Município de Jaçanã/RN, do dia 26 para o dia 27 março de O Prefeito do Município de Jaçanã, Estado do Rio Grande do Norte, no uso da atribuição que lhe confere o art. 72, VI, da Lei Orgânica do Município, Considerando que o dia em que se comemora a Emancipação Política do Município de Jaçanã/RN, 26 de março, feriado municipal, neste ano recai na quinta-feira; e Considerando que as aludidas comemorações de emancipação, se realizadas na quinta-feira, revelam-se inconvenientes ao interesse público. DECRETA: Art. 1º Ficam transferidas, em caráter excepcional, para o dia 27 de março (sexta-feira) do ano em curso, as comemorações inerentes à Emancipação Política do Município de Jaçanã/RN. Art. 2º A data considerada no artigo anterior, no que tange a preservação e o funcionamento dos serviços essenciais, será administrada no âmbito de cada Unidade Administrativa responsável, para que os atendimentos públicos afetos às respectivas áreas de competência não sofram descontinuidade. Art. 3º O disposto no artigo 1º não se aplica aos setores da administração pública municipal que, por sua natureza, exijam plantão permanente. Art. 4º Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Jaçanã/RN, 23 de março de ESDRAS FERNANDES FARIAS Prefeito de Jaçanã/RN VANDERLEI DE ARAÚJO LAURENTINO Código Identificador: 7027B6A4 PREFEITURA MUNICIPAL DE JANDAÍRA PORTARIA Nº 63/2015. Concede diária ao servidor que especifica e dá outras providências. O Secretario de Finanças Municipal de Jandaíra, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais. RESOLVE: Art. 1º - Cancelar as 3 (três) diarias da Srª. PATRICIA CRISTINA COSTA, Coordenadora Administrativo, para custear despesas com alimentação, locomoção e estadias, durante sua permanência na cidade de VITORIA/ES, nos dias 23 e 26 de Março de 2015, para Participar do VI DIALOGOS EDP SOLIDÁRIA. Art. 2º Determinar a Tesouraria Municipal. Publique-se, Registre-se. Jandaíra/RN, 23 de Março de FRANCISCO HUMBERTO FERNANDES Secretário de Administração ALCINDA UBERACYRA DE MESQUITA CAVALCANTE Código Identificador: 51C68858

20 PREFEITURA MUNICIPAL DE JANDUÍS SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS AVISO TERMO DE ADJUDICAÇÃO PP Nº 009/2015 Ato contínuo, consultado, o Licitante declinou do direito de interpor recurso e o Pregoeiro adjudicou os lotes: de nº 01 com o valor de R$ (cento e seis mil, trezentos e setenta reais) lote nº 02 com o valor de R$ ,00 (cem mil, novecentos e vinte e cinco reais) Lote nº 03, com o valor de R$ 7.99 (sete mil, novecentos e noventa reais) e lote n 04 com o valor de R$ 10.00(dez mil reais) em favor da Empresa: VITTOR M S DE MELO ME, CNPJ Nº / , Rua Vereador José Satiro de Brito, 14, Centro, Campo Grande RN, do objeto deste Pregão (Registro de preços para uma possível futura aquisição de forma parcelada de material gráfico para manutenção das atividades das secretarias municipais). Janduís, 23 de março de 2015 Pregoeiro Oficial Daniel J. Roberto DANIEL JOAQUIM ROBERTO Código Identificador: 3EE57DB6 SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS AVISO TERMO DE HOMOLOGAÇÃO CC Nº 001/2015 A Prefeita de Janduís - RN, faz saber que, após renuncia dos licitantes presente quanto a interposição de recursos, Homologa resultado Carta Convite nº 001/2015 objeto: contratação de empresa especializada de engenharia Serviços de Manutenção nas Escolas Municipais Aluízio Gurgel, Leonel Cícero, Creche Tia Alice, Antônia Eurli de Brito, José Tomaz Duarte e Prisco Serafim Em favor da Pessoa Jurídica: S & L EMPREENDIMENTOS LTDA - EPP Rua Bento Bandeira, 107, Centro, CEP Patu RN, CNPJ nº / , apresentou o menor preço no valor de R$ ,44 (cento e vinte e um mil, trezentos e sete reais e quarenta e quatro centavos). Para Adjudicação nele referida, produza seus jurídicos e legais efeitos, fica convocado no prazo de 05 dias úteis para assinatura de contrato de prestação de serviços, nos termos do art. 64, Lei 8.666/93. Janduís, 19 de fevereiro de 2015, Lígia de Souza Félix PREFEITA MUNICIPAL DANIEL JOAQUIM ROBERTO Código Identificador: 50CD690C SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS AVISO TERMO EXTRATO DE CONTRATO CC Nº 001/2015 Contratante: Prefeitura Municipal de Janduis; Empresa contratada: S & L EMPREENDIMENTOS LTDA - EPP Rua Bento Bandeira, 107, Centro, CEP Patu RN, CNPJ nº / , Valor global, valor de R$ ,44 (cento e vinte e um mil, trezentos e sete reais e quarenta e quatro centavos); objeto: CONTRATAÇÃO EMPRESAS PARA PRESTAR SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO NA ESCOLA MUNICIPAL ALUÍZIO GURGEL, ESCOLA MUNICIPAL PROF. LEONEL CÍCERO, ESCOLA E CRECHE TIA ALICE, ESCOLA MUNICIPAL ANTÔNIA EURLI DE BRITO, ESCOLA MUNICIPAL JOSÉ TOMAZ DUARTE E ESCOLA; de recursos alocados FUNDEB 11%, FPM, BRASIL CARINHOSO e recursos próprios da Prefeitura Municipal de Janduís RN Const/Ampliação/Reforma Unid. Ensino Infantil, Secretaria Municipal de Infra Estrutura, Outras e Instalações Orçamento 2015, vigência: 365 dias, assinatura: 20 de fevereiro de Janduis, 20 de fevereiro de 2015 Lígia de Souza Félix PREFEITA MUNICIPAL DANIEL JOAQUIM ROBERTO Código Identificador: 40EE8510 SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS AVISO REPUBLICAÇÃO PP Nº 008/2015 A Comissão Permanente de Licitações da Prefeitura Municipal de Janduís-RN, considerando que foi fracassada, torna público a quem interessar que estará promovendo o recebimento de documentos de Habilitação e Proposta, através da Pregão Presencial nº 008/2015, no dia 06 de abril de 2015, às 08 horas, no prédio sede da Prefeitura Municipal de Janduís-RN, sediada à Avenida Santa Terezinha, 21, Centro Janduís RN, Sala de Licitações, Visando a Contratação de empresa para prestação de serviços no transporte de alunos, professores e de merenda escolar, conforme especificações contidas no Edital. Janduis, 20 de março de Pregoeiro Oficial DANIEL JOAQUIM ROBERTO Código Identificador: 66F4091C 20 SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO AVISO PP Nº 013/2015 A Comissão Permanente de Licitações da Prefeitura Municipal de Janduís, torna público a quem interessar que estará promovendo o recebimento de documentos de Habilitação e Proposta, através da Pregão Presencial nº 013/2015, no dia 06 de abril de 2015, às 13:30 horas, no prédio sede da Prefeitura Municipal de Janduís-RN, sediada à Avenida Santa Terezinha, 21, Centro Janduís RN, Sala de Licitações, Objeto: Serviços prestados na Assessoria Técnica na elaboração de projetos; tramitação e acompanhamentos dos projetos, prestações de contas dos convênios junto a CAIXA ECONOMICA FEDEREAL e Estado do RN. As despesas decorrentes da presente licitação correrão por conta dos recursos específicos consignados no Orçamento da PMJ/RN, conforme especificações contidas no Edital. Janduís, 23 de março de DANIEL J. ROBERTO Pregoeiro DANIEL JOAQUIM ROBERTO Código Identificador: 676BD4AA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E SANEAMENTO BÁSICO AVISO PP Nº 012/2015 A Comissão Permanente de Licitações da Prefeitura Municipal de Janduís, torna público a quem interessar que estará promovendo o recebimento de documentos de Habilitação e Proposta, através da Pregão Presencial nº 012/2015, no dia 06 de abril de 2015, às 11:30 horas, no prédio sede da Prefeitura Municipal de Janduís-RN, sediada à Avenida Santa Terezinha, 21, Centro Janduís RN, Sala de Licitações, Objeto: Contratação de pessoa física ou jurídica para Prestação de serviços de assessoria e Consultoria na área da Saúde. As despesas decorrentes da presente licitação correrão por conta dos recursos específicos consignados no Orçamento da PMJ/RN, conforme especificações contidas no Edital. Janduís, 23 de março de DANIEL J. ROBERTO Pregoeiro DANIEL JOAQUIM ROBERTO Código Identificador: 4E68BB96 PREFEITURA MUNICIPAL DE JARDIM DE ANGICOS GABINETE DA PREFEITA PORTARIA GP Nº. 030/ Exclusão de participante do Programa Emergencial Auxilio Desemprego - Lei n 382/2013 e dá outras providências. Exclusão de participante do Programa Emergencial Auxilio Desemprego - Lei n 382/2013 e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE JARDIM DE ANGICOS/RN, no uso das atribuições que lhes são conferidas pela Lei Orgânica deste Município, RESOLVE: Art. 1º - Tendo sido identificado através de relatório social que a SR (a). CARLA CILÂNIA CÂMARA, consegui sair da condição de desemprego, sendo nomeada pela gestão municipal deste município para assumir cargo comissionado, Não mais atendendo aos critérios para participação do PROGRAMA EMERGENCIAL AUXILIO DESEMPREGO LEI N 382/2013, a mesma será substituído legalmente. Art. 2º - Tendo sido identificado através de relatório social que a Sr.(a). MARCOS CICERO DA SILVA, não executou os serviço comunitário exigido pelo programa. Não mais atendendo aos critérios para participação do PROGRAMA EMERGENCIAL AUXILIO DESEMPREGO LEI N 382/2013, o mesmo será substituída legalmente. Art. 3º - Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação, com efeitos retroativos a 02 de março de Jardim de Angicos/RN, 23 de março de Suely Fonseca Bezerra de Lima Prefeita Municipal MARIA LUÍZA MARINHO Código Identificador: 6AAF88EC PREFEITURA MUNICIPAL DE JARDIM DE PIRANHAS COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EXTRATO DE ATA DE REGISTRO DE PREÇO/CONTRATO PREGÃO PRESENCIAL Nº 012/2015 PROCESSO LICITATÓRIO PMJP/RN N 071/2015 PROMITENTE CONTRATANTE: Município de Jardim de Piranhas - RN/ Prefeitura Municipal; OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA POSSÍVEL AQUISIÇÃO GRADATIVA DE HORTIFRUTIGRANJEIRO; VIGÊNCIA: termo inicial a data de sua subscrição e termo final em 19 de março de 2016; MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial; PROMITENTE CONTRATADA: JEANE JOCELI DE ARAÚJO ME, CNPJ: / ; VALOR DO CONTRATO: R$ ,00 ; ELÍDIO ARAÚJO DE QUEIROZ pelo Contratante. TARSO DE ARAUJO FERNANDES Código Identificador: 4C59839D COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EXTRATO DE ATA DE REGISTRO DE PREÇO/CONTRATO PREGÃO PRESENCIAL Nº 012/2015 PROCESSO LICITATÓRIO PMJP/RN N 071/2015 PROMITENTE CONTRATANTE: Município de Jardim de Piranhas - RN/ Prefeitura Municipal; OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA POSSÍVEL AQUISIÇÃO GRADATIVA DE HORTIFRUTIGRANJEIRO; VIGÊNCIA: termo inicial a data de sua subscrição e termo final em 19 de março de 2016; MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial; PROMITENTE CONTRATADA: MAYARA DA COSTA SANTOS ME, CNPJ: /000-33; VALOR DO CONTRATO: R$ ,00 ; ELÍDIO ARAÚJO DE QUEIROZ pelo Contratante. TARSO DE ARAUJO FERNANDES Código Identificador: D0 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 019/2015 PROCESSO N 093/ PMJP A Prefeitura Municipal de Jardim de Piranhas/RN, através do seu Pregoeiro Oficial, devidamente instituído pelo Sr Prefeito Municipal através da Portaria Municipal, torna público que realizará certame licitatório na modalidade Pregão Presencial nº 019/2015, tipo Menor preço: OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE MATERIAL PEDAGÓGICO. DATA DE RECEBIMENTO E ABERTURA DE PROPOSTAS E DOCUMENTAÇÃO: 03 de abril de 2015, às 10:00 horas (horário local). LOCAL: Na Sala de Licitações do Palácio Amaro Cavalcante, Av. Gov. Dix-Sept Rosado, 144, Centro, Jardim de Piranhas/RN, CEP: INFORMAÇÕES: Comissão Permanente de Licitação, de 08:00 às 12:00 horas, no endereço acima mencionado. Jardim de Piranhas/RN, 23 de março de Tarso de Araújo Fernandes -Pregoeiro/ Presidente da CPL. TARSO DE ARAUJO FERNANDES Código Identificador: 3E PREFEITURA MUNICIPAL DE JARDIM DO SERIDÓ PORTARIA Nº 065, DE 23 DE MARÇO DE 2015 O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE JARDIM DO SERIDÓ,, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 32, da Lei nº 593, de 22 de junho de Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos da Prefeitura Municipal de Jardim do Seridó, Estado do Rio Grande do Norte e tendo em vista o que consta no Requerimento datado de 23 de março de 2015, RESOLVE exonerar a pedido, o Servidor Municipal MAGNA AZEVEDO DA CUNHA, matrícula nº 1329, ocupante do cargo efetivo de Técnico de Enfermagem PD.II, lotada na Secretaria Municipal de Saúde. CUMPRA-SE. PUBLIQUE-SE E REGISTRE-SE. Sobrado Solar Padre Justino, em Jardim do Seridó/RN, 23 de março de 2015, 127º da República. Pe. JOCIMAR DANTAS DE ARAÚJO Prefeito Municipal JOÃO EUDES DOS ANJOS Código Identificador: 4762EED7 PREFEITURA MUNICIPAL DE JUCURUTU COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO TERMO DE ADJUDICAÇÃO LICITAÇÃO do Pregão Presencial Nº 002/2015 ADJUDICO, o vencedor do Pregão Presencial nº 002/2015, realizada em 23/03/2015, a saber: Objeto: Contratação de Empresa Especializada para Fornecimento de OXIGÊNIO MEDICINAL. R DE MEDEIROS COMERCIO E SERVIÇOS EPP- CNPJ: / , saiu vencedor (a) no(s) item (ns):1, 2; totalizando o valor de R$ (Setenta e dois mil, duzentos reais). Jucurutu/RN, em 23 de março de Joelma de Fátima Lopes de Medeiros Pregoeira

21 JOELMA DE FÁTIMA LOPES DE MEDEIROS Código Identificador: 4E COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO TERMO DE HOMOLOGAÇÃO LICITAÇÃO Pregão Presencial Nº 002/2015. HOMOLOGO pelo presente Termo, para que surta os seus efeitos legais, o julgamento da Comissão Permanente de Licitação - CPL, referente à licitação Pregão Presencial nº 002/2015 com início 11 de março de 2015, realizada em 23 de março de 2015 (segunda-feira), nos termos do artigo 43, inciso VI, da Lei Federal nº 8.666, de 21 de Junho de 1993, com redação dada pela Lei nº 8.883, de 08 de junho de 1994, alterada pela Lei nº , de 27 de maio de 1998, mantendo a Adjudicação exarada no processo licitatório proveniente da licitação supra mencionada, em favor da(s) empresa(s) relacionadas a seguir: R DE MEDEIROS COMERCIO E SERVIÇOS EPP- CNPJ: / ,saiu vencedor(a) no(s) item(ns): 1, 2; totalizando o valor de R$ (setenta e dois mil, duzentos reais). Jucurutu/RN, 23 de março de George Retlen Costa Queiroz Prefeito Municipal JOELMA DE FÁTIMA LOPES DE MEDEIROS Código Identificador: 3DD20308 PREFEITURA MUNICIPAL DE JUNDIÁ FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO CONTRATADO (A): LIGA NORTE RIOGRANDENSE CONTRA O CÂNCER. CNPJ: / OBJETO: Exame a ser realizado na paciente MARIA OTACIANA DE LIMA, residente neste município. VALOR: R$ 64 (Seiscentos e quarenta reais). ORIGEM DOS RECURSOS: Orçamento Geral do Município 2015; Projeto Atividade: , Elemento de Despesa: Outros Serviços de Terceiros - PJ. FUNDAMENTO LEGAL: de acordo com o que preceitua a Lei Federal nº 8.666/93 de 21/06/93 e suas alterações posteriores, em seu Art. 24, Inciso II. Jundiá/RN, 23 de março de JOSÉ GERALDO BARBOSA DE MEDEIROS Secretário Municipal LUIZ EDUARDO FERNANDES Código Identificador: 666E1488 PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de LAGOA DE VELHOS, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Praça Fabião das Queimadas Nº700, representado por IGOR COSTA ARAUJO, Prefeito, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Rua Projetda, S/N Lote 03 Quadra 11, Lot Nova Alvora, São Gonçalo do Amarante-RN, CEP , representada por MANUEL DA SILVA FERREIRA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 17 de Janeiro de 2014, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2013 Projeto Construção/Reforma/Ampliação do Complexo esportivo, Classificação econômica Obras e Instalações CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. 21 E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. LAGOA DE VELHOS - RN, 17 de Outubro de 2013 PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS CNPJ(MF) / CONTRATANTE M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: JOSÉ EDMILSON DE ARAÚJO Código Identificador: 5E36F71D SEGUNDO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de LAGOA DE VELHOS, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Praça Fabião das Queimadas Nº700, representado por IGOR COSTA ARAUJO, Prefeito, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Rua Projetda, S/N Lote 03 Quadra 11, Lot Nova Alvora, São Gonçalo do Amarante-RN, CEP , representada por MANUEL DA SILVA FERREIRA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 17 de Abril de 2014, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2013 Projeto Construção/Reforma/Ampliação do Complexo esportivo, Classificação econômica Obras e Instalações CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. LAGOA DE VELHOS - RN, 17 de Janeiro de 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS CNPJ(MF) / CONTRATANTE M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: JOSÉ EDMILSON DE ARAÚJO Código Identificador: 746B229C TERCEIRO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de LAGOA DE VELHOS, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Praça Fabião das Queimadas Nº700, representado por IGOR COSTA ARAUJO, Prefeito, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Rua Projetda, S/N Lote 03 Quadra 11, Lot Nova Alvora, São Gonçalo do Amarante-RN, CEP , representada por MANUEL DA SILVA FERREIRA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 17 de Julho de 2014, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2013 Projeto Construção/Reforma/Ampliação do Complexo esportivo, Classificação econômica Obras e Instalações CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. LAGOA DE VELHOS - RN, 17 de Abril de 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS CNPJ(MF) / CONTRATANTE M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: JOSÉ EDMILSON DE ARAÚJO Código Identificador: 57A59FE3 QUARTO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de LAGOA DE VELHOS, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Praça Fabião das Queimadas Nº700, representado por IGOR COSTA ARAUJO, Prefeito, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Rua Projetda, S/N Lote 03 Quadra 11, Lot Nova Alvora, São Gonçalo do Amarante-RN, CEP , representada por MANUEL DA SILVA FERREIRA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 17 de Outubro de 2014, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2013 Projeto Construção/Reforma/Ampliação do Complexo esportivo, Classificação econômica Obras e Instalações CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. LAGOA DE VELHOS - RN, 17 de Julho de 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS CNPJ(MF) / CONTRATANTE M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: JOSÉ EDMILSON DE ARAÚJO Código Identificador: 52918B94 QUINTO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de LAGOA DE VELHOS, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Praça Fabião das Queimadas Nº700, representado por IGOR COSTA ARAUJO, Prefeito, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Rua Projetda, S/N Lote 03 Quadra 11, Lot Nova Alvora, São Gonçalo do Amarante-RN, CEP , representada por MANUEL DA SILVA FERREIRA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de

22 vigência do contrato até 16 de Janeiro de 2015, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2013 Projeto Construção/Reforma/Ampliação do Complexo esportivo, Classificação econômica Obras e Instalações CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. LAGOA DE VELHOS - RN, 17 de Outubro de 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS CNPJ(MF) / CONTRATANTE M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: JOSÉ EDMILSON DE ARAÚJO Código Identificador: 57F1D8EB SEXTO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de LAGOA DE VELHOS, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Praça Fabião das Queimadas Nº700, representado por IGOR COSTA ARAUJO, Prefeito, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Rua Projetda, S/N Lote 03 Quadra 11, Lot Nova Alvora, São Gonçalo do Amarante-RN, CEP , representada por MANUEL DA SILVA FERREIRA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 17 de Abril de 2015, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2013 Projeto Construção/Reforma/Ampliação do Complexo esportivo, Classificação econômica Obras e Instalações CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. LAGOA DE VELHOS - RN, 16 de Janeiro de 2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA DE VELHOS CNPJ(MF) / CONTRATANTE M DA S FERREIRA REFORMAS E CONSTRUÇÕES ME CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: JOSÉ EDMILSON DE ARAÚJO Código Identificador: 6CB79E84 PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de LAGOA DE VELHOS, através do(a) FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na PRAÇA FABIÃO DAS QUEIMADAS, 700, representado por ERTALICE VANIA SOUZA, Secretaria de Saude, doravante denominado(a) 22 CONTRATANTE, e MENDONÇA CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Av. Xavier da Silveira, 1190, Lagoa Nova, Natal- RN, CEP , representada por MICHELL KAIO DE OLIVEIRA MENDONÇA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 12 de Setembro de 2014, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2013 Projeto Construção/ Ampliação/ Reforma Unidade Saúde, Classificação econômica Obras e Instalações CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. LAGOA DE VELHOS - RN, 12 de Maio de 2014 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE CNPJ(MF) / CONTRATANTE MENDONÇA CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA ME CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: JOSÉ EDMILSON DE ARAÚJO Código Identificador: 4D0AED41 SEGUNDO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de LAGOA DE VELHOS, através do(a) FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na PRAÇA FABIÃO DAS QUEIMADAS, 700, representado por ERTALICE VANIA SOUZA, Secretaria de Saude, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e MENDONÇA CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Av. Xavier da Silveira, 1190, Lagoa Nova, Natal- RN, CEP , representada por MICHELL KAIO DE OLIVEIRA MENDONÇA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 12 de Janeiro de 2015, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2013 Projeto Construção/ Ampliação/ Reforma Unidade Saúde, Classificação econômica Obras e Instalações CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. LAGOA DE VELHOS - RN, 12 de Setembro de 2014 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE CNPJ(MF) / CONTRATANTE MENDONÇA CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA ME CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: JOSÉ EDMILSON DE ARAÚJO Código Identificador: 425DDE5A TERCEIRO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de LAGOA DE VELHOS, através do(a) FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na PRAÇA FABIÃO DAS QUEIMADAS, 700, representado por ERTALICE VANIA SOUZA, Secretaria de Saude, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e MENDONÇA CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Av. Xavier da Silveira, 1190, Lagoa Nova, Natal- RN, CEP , representada por MICHELL KAIO DE OLIVEIRA MENDONÇA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 12 de Maio de 2015, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2013 Projeto Construção/ Ampliação/ Reforma Unidade Saúde, Classificação econômica Obras e Instalações CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. LAGOA DE VELHOS - RN, 12 de Janeiro de 2015 FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE CNPJ(MF) / CONTRATANTE MENDONÇA CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA ME CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: JOSÉ EDMILSON DE ARAÚJO Código Identificador: 553A0C57 PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJES PINTADAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO EXTRATO DE CONTRATO 1º ADITIVO PE Nº 002/2014 CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Lajes Pintadas/RN. CONTRATADA: A MORENO INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº / OBJETO: Prorrogar em mais 120 (cento e vinte) dias a vigência do contrato celebrado em , oriundo da Licitação PREGÃO ELETRONICO Nº 002/2014. BASE LEGAL: Artigo 57, Parágrafo 1º, da Lei Federal nº 8.666/93 DEMAIS CLÁUSULAS: Ficam mantidas as demais condições contidas no Contrato de Fornecimento de Mercadorias, celebrado em , inclusive as condições de pagamento. DATA: 26/12/2014. ASSINATURA: NIVALDO ALVES DA SILVA/Prefeito. JOSÉ EDSON GOMES Código Identificador: 50DA0ABE PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHAS PORTARIA Nº 264/2015 O PREFEITO MUNICIPAL DE MONTANHAS/RN, no uso de suas atribuições que lhe são conferidas, R E S O L V E: Art. 1º. Conceder Licença sem vencimentos ou remuneração para tratar de interesses particulares de acordo com a Lei Complementar Nº247/98, De 14 de Julho de 1998 Capítulo V

23 Artigo 101: - MÁRCIO BONIFÁCIO DA SILVA RG: , Servidor público, Pedreiro Matrícula: 10049, durante o período de 23 de Março de 2015 a 23 de Dezembro de Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º. Revogam-se as disposições em contrário. Montanhas /RN, em 23 de Março de ALGACIR ANTONIO DE LIMA JANUARIO Prefeito Municipal JOSÉ CARLOS DA SILVA Código Identificador: 64BAA3E1 PORTARIA 265/2015 O PREFEITO MUNICIPAL DE MONTANHAS/RN, no uso de suas atribuições que lhe são conferidas, R E S O L V E: Art. 1º. Fica Exonerada como Secretaria de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer da Prefeitura Municipal de Montanhas, a Senhora: Otemia Maria de Lima e Silva, CPF: Art. 4º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Art. 5º. Revogam-se as disposições em contrário. Montanhas/RN, em 20 de Março de ALGACIR ANTONIO DE LIMA JANUARIO Prefeito Municipal JOSÉ CARLOS DA SILVA Código Identificador: 716EF0A8 PREFEITURA MUNICIPAL DE OLHO D'ÁGUA DO BORGES DECRETO Nº 014/2015 REGULAMENTA A LEI MUNICIPAL N 493/2013, QUE INSTITUI O SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNICIPAL DE OLHO D ÁGUA DO BORGES. O Prefeito do Olho d Água do Borges, Estado do Rio Grande do Norte, no uso das atribuições que lhe confere, decreta: TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O Serviço de Inspeção Municipal, instituído pela Lei nº XXX seguirá as normas e procedimentos estabelecidos neste Regulamento. Art. 2º O Serviço de Inspeção Municipal - S.I.M., subordinado à Secretaria Municipal da Infraestrutura, tem por finalidade a inspeção industrial e sanitária dos produtos de origem animal, comestíveis e não comestíveis sejam ou não adicionados de produtos vegetais, preparados, transformados, manipulados, fracionados, recebidos, acondicionados, depositados e em trânsito no Município de XXXXXX, conforme normas estabelecidas na Lei n XXX e neste Regulamento. Art. 3º - A Secretaria Municipal de Saúde, através da Vigilância Sanitária, continuará fiscalizando e inspecionando todos os alimentos na área de comercialização, em consonância com a legislação sanitária em vigor. Art. 4º A fiscalização será feita com estrita observância à competência privativa estadual ou federal nos seguintes locais: Art. 5º A inspeção de que trata o presente Regulamento será realizada: I - nos estabelecimentos industriais especializados e nas propriedades rurais com instalações adequadas para a matança de animais e seu preparo ou industrialização, sob qualquer forma de consumo; II - nos entrepostos de recebimento e distribuição do pescado e nas fábricas que o industrializarem; III - nas usinas de beneficiamento do leite nas fábricas de laticínios, nos postos de recebimento, refrigeração e manipulação dos seus derivados e nos respectivos entrepostos; IV - nos entrepostos de ovos e fábricas de produtos derivados; V - nos entrepostos que, de modo geral, recebam, manipulem, armazenem, conservem ou acondicionem produtos de origem animal; VI - nas propriedades rurais. 23 Art. 6º - Entende-se por estabelecimento de produtos de origem animal, para efeito desta lei, qualquer instalação ou local nos quais são abatidos ou industrializados animais produtores de carnes, bem como onde são recebidos, manipulados, fracionados, elaborados, transformados, preparados, conservados, armazenados, depositados, acondicionados, rotulados e embalados com finalidade industrial ou comercial, a carne e seus derivados, a caça e seus derivados, o pescado e seus derivados, o mel e seus derivados, a cera de abelhas e seus derivados e o leite e seus derivados. Art. 7 - Por carne de açougue entendem-se as massas musculares maturadas e demais tecidos que as acompanham, incluindo ou não a base óssea correspondente, procedentes de animais abatidos sob inspeção veterinária. 1º - Quando destinado à elaboração de conservas em geral, por carne (matériaprima) devem-se entender as massas musculares, despojadas de gordura aponeuroses, vasos, gânglios, tendões e ossos. 2º - Consideram-se miúdos os órgãos e vísceras dos animais de açougue, usados na alimentação humana (miolos, língua, coração, fígado, rins, rúmen, retículo) além dos mocotós e rabada. Art. 8 - O animal abatido, formado das massas musculares e ossos, desprovido de cabeça, mocotós, cauda, couro, órgãos e vísceras torácicas e abdominais, tecnicamente preparado, constituem a carcaça. 1º - Nos suínos a carcaça pode ou não incluir o couro, a cabeça e pés. 2º - A carcaça dividida ao longo da coluna vertebral dá as meias carcaças que subdivididas por corte entre duas costelas, variável segundo hábitos regionais, dão os quartos anteriores ou dianteiros e posteriores ou traseiros. Art. 9 - A simples designação produto, subproduto, mercadoria ou gênero significa, para efeito do presente regulamento, que se trata de produto de origem animal ou suas matérias primas. TÍTULO II CLASSIFICAÇÃO DOS ESTABELECIMENTOS Art. 10 Quanto a classificação dos estabelecimentos de produtos de origem animal será observado o disposto nos artigos 20 a 31 de Decreto nº , de 29/03/52 e posteriores alterações. TÍTULO III DOS ESTABELECIMENTOS CAPÍTULO I FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS Art Não será autorizado o funcionamento de estabelecimentos de produtos de origem animal, sem as instalações e equipamentos que compreendem as dependências mínimas, maquinário e utensílios diversos, para a finalidade a que se destine, face à capacidade de produção de cada estabelecimento. Art Os estabelecimentos de produtos de origem animal, de que trata o artigo 3º da Lei nº 493/2013, devem satisfazer às seguintes condições básicas e comuns: I - dispor de área suficiente para a construção do edifício ou edifícios principais e demais dependências; II - dispor de luz natural e artificial abundantes, bem como de ventilação suficientes em todas as dependências, respeitadas as peculiaridades de ordem tecnológica cabíveis; III - possuir pisos e paredes de cor clara, impermeabilizados de maneira a facilitar a limpeza e higienização; IV - ter paredes e separações revestidas ou impermeabilizadas, como regra geral, até 2 m (dois metros) de altura no mínimo e, total ou parcialmente quando necessário, com azulejos brancos vidrados ou outro material adequado;a parte restante será convenientemente rebocada, caiada ou pintada; V - possuir forro de material adequado em todas as dependências onde se realizem trabalhos de recebimento, manipulação e preparo da matériaprima e produtos comestíveis, de fácil limpeza e higienização; VI - dispor de dependências e instalações mínimas para industrialização, conservação, embalagem e depósito de produtos comestíveis, separadas por meio de paredes totais das destinadas ao preparo de produtos não comestíveis; VII - dispor de mesas de aço inoxidável para os trabalhos de manipulação e preparo de matérias primas e produtos comestíveis; VIII - dispor de caixas, bandejas, gamelas, tabuleiros e quaisquer outros recipientes, em aço inoxidável ou material plástico. Os tanques segundo sua finalidade, podem ser em alvenaria, convenientemente revestidos de azulejo branco; IX - dispor de rede de abastecimento de água para atender suficientemente às necessidades do trabalho industrial e às dependências sanitárias e, quando for o caso, de instalações para tratamento de água; X - dispor de água fria e quente abundante, em todas as dependências de manipulação e preparo, não só de produtos, como de subprodutos não comestíveis; XI - dispor de rede de esgoto com ralos dotados de sifão, em todas as dependências, ligadas a tubos coletores e estes ao sistema geral de escoamento, dotada de canalizações amplas de instalações para retenção e aproveitamento de gordura, resíduos e corpos flutuantes, bem como para depuração artificial, e sistema adequado de tratamento de resíduos efluentes compatíveis com a solução escolhida para destinação final; XII - dispor de rouparia, vestiários, banheiros e demais dependências necessárias, em número proporcional ao pessoal; instalados separadamente para cada sexo, completamente isolados e afastados das dependências onde são beneficiados produtos destinados à alimentação humana; XIII - possuir pátios e ruas pavimentadas, bem como as áreas destinadas a secagem de produtos; XIV - dispor de sede para a Inspeção Municipal que, compreenderá salas de trabalho, laboratórios, arquivos, vestiários, banheiros e instalações sanitárias quando necessário; XV - dispor de janelas basculantes e portas de fácil abertura, de modo a ficarem livres os corredores e passagens providas de telas móveis à prova de insetos quando for o caso; XVI - possuir instalações de frios com câmara e antecâmara que se fizerem necessárias, em número e área suficientes segundo a capacidade do estabelecimento; XVII - possuir escadas que apresentem condições de solidez e segurança construídas de concreto armado, de alvenaria ou metal, providas de corrimão e patamares após cada lance de 20 (vinte) degraus e inclinação de 50 (cinqüenta) graus em qualquer dos seus pontos; as escadas em caracol só serão toleradas como escadas de emergência; XVIII - dispor de equipamento necessário e adequado aos trabalhos, obedecidos aos princípios da técnica industrial, inclusive para aproveitamento e preparo de produtos não comestíveis; XIX - serão evitadas as transmissões, porém quando isso não for possível, devem ser instalações de forma a não prejudicarem os trabalhos de dependência exigindo-se, conforme o caso, que sejam embutidas; XX - possuir canalização em tubos próprios para a água destinada exclusivamente a serviços de lavagem de paredes e pisos, e a ser utilizada por meio de mangueiras de cor vermelha; a água destinada a limpeza do equipamento empregado na manipulação de matérias-primas e produtos comestíveis, será usada por meio de mangueiras de cor branca ou preta; XXI - só possuir telhados de meia água quando puder ser mantido o pé direito a altura mínima da dependência ou dependências correspondentes; XXII - dispor de dependências para armazenamento do combustível usado na produção de vapor; XXIII - dispor de dependências para administração, oficinas, depósitos diversos, embalagem, rotulagem, expedição e outras necessárias; Art Tratando-se de estabelecimentos de carnes e derivados devem ainda satisfazer às seguintes condições: I - ser construído em centro de terreno afastado dos limites das vias públicas preferentemente 05 (cinco) metros na frente, e com entradas laterais que permitam a movimentação de veículos de transporte, exceto para aqueles já instalados e que não disponham de afastamento em relação às vias públicas, que poderão funcionar desde que as operações de recepção e expedição se apresentem interiorizadas; II - ter os seguintes pés-direitos: sala de matança de bovinos 07 (sete) metros de sangria à linha da esfola, e daí por diante no mínimo 04 (quatro) metros; nas demais dependências o pé direito será fixado por ocasião do exame dos projetos apresentados à Secretaria Municipal de Infra-Estrutura; III - dispor de currais, bretes, banheiros, chuveiros, pedilúvios e demais instalações para recebimento, estacionamento e circulação de animais, convenientemente pavimentados ou impermeabilizados, com declive para a rede de esgoto, providos de bebedouros e comedouros; IV - dispor de dependências e instalações adequadas para necropsia, com forno crematório anexo, designada, para efeito deste regulamento,

24 Departamento de Necropsia ; na falta deste, os produtos condenados ou impróprios para o consumo alimentar humano, serão inutilizados com desinfetantes a base de creosóis (creolina) e destinados ao aterro sanitário; V - dispor de locais apropriados para separação e isolamento de animais doentes; VI - localizar os currais de recebimento de animais, cocheiras, pocilgas, apriscos e outras dependências, que por sua natureza produzam mau cheiro, o mais distante possível dos locais onde são recebidos, manipulados ou preparados produtos utilizados na alimentação humana; VII - dispor de acordo com a classificação do estabelecimento e sua capacidade, de dependências de matança, conforme o caso, separadas para as várias espécies: de triparia, graxaria para o preparo de produtos gordurosos comestíveis e não comestíveis, salsicharia em geral, conserva, depósito e salga de couros, salga, ressalga e secagem de carnes, seção de subprodutos não comestíveis e de depósitos diversos, bem como de câmaras frias, proporcionais à capacidade do estabelecimento; VIII - dispor de aparelhagem industrial completa e adequada, como sejam máquinas, caminhões, vagonetas, carros, caixas, mesas, truques, tabuleiros e outros utilizados em quaisquer das fases do recebimento e industrialização da matéria-prima e do preparo de produtos, em número e qualidade que satisfaçam a finalidade da indústria; IX - dispor de recipientes metálicos apropriados, pintados de vermelho, destinados unicamente ao transporte de matérias-primas e produtos condenados dos quais constem em caracteres bem visíveis, a palavra condenados ; X - possuir instalações adequadas para o preparo de subprodutos não comestíveis; XI possuir, de acordo com a natureza do estabelecimento, depósito para chifres, cascos, ossos, adubos, crinas, alimentos para animais e outros produtos e subprodutos não comestíveis, localizados em ponto afastados dos edifícios onde são manipulados ou preparados produtos destinados à alimentação humana; XII - possuir digestores em número e capacidade suficiente para as necessidades do estabelecimento, na falta deste, os produtos serão inutilizados com desinfetantes a base de creosóis (creolina) e destinados ao aterro sanitário; XIII - dispor de caldeiras com capacidade suficiente para as necessidades do estabelecimento; XIV - dispor de instalações de vapor e água em todas as dependências de manipulação e industrialização; XV - dispor de dependências de industrialização de área mínima com 20 m2 (vinte metros quadrados); Art Os estabelecimentos destinados ao abate de aves e coelhos devem ainda satisfazer às seguintes condições: I - dispor de plataforma coberta para recepção dos animais, protegida dos ventos dominantes e da incidência direta dos raios solares; II - dispor de mecanismo que permita realizar as operações de sangria, esfola, evisceração e preparo da carcaça (toalete) com as aves, ou coelhos suspensos pelos pés e/ou cabeças; III - dispor de dependência exclusiva para a operação de sangria; IV - dispor de dependência exclusiva para as operações de escaldagem e depenagem ou de esfola, no caso de coelhos; V - dispor de dependências exclusivas para as operações de evisceração, toalete, pré-resfriamento, gotejamento, classificação e embalagem; VI - dispor, quando for o caso, de dependência para a realização de cortes de carcaça. Art Os estabelecimentos de leite e derivados devem satisfazer mais às seguintes condições: I - estar localizados em pontos distantes de fontes produtoras de mau cheiro; II - construir as dependências de maneira a se observar, se for o caso, desníveis na 24 seqüência dos trabalhos de recebimento, manipulação, fabricação e maturação dos produtos; III - ter as dependências principais do estabelecimento, como as de recebimento de matéria-prima, desnatação, beneficiamento, salga, cura, envasilhamento e depósitos de produtos utilizados na alimentação humana, separadas por paredes inteiras das que se destinam a lavagem e esterilização dos latões ou ao preparo de produtos não comestíveis; IV - ser construído no centro de terreno, afastado dos limites das vias públicas, preferentemente 05 (cinco) metros na frente e dispondo de entradas laterais que permitam a movimentação dos veículos de transporte; V - ter pé-direito mínimo de 3,50 m (três metros e cinqüenta centímetros) nas dependências de trabalho, 03 (três) metros nas plataformas, laboratórios e lavagem do vasilhame, 2,80 m (dois metros e oitenta centímetros) nos vestiários e instalações sanitárias; VI - ter as dependências orientadas de tal modo que os raios solares não prejudiquem os trabalhos de fabricação ou maturação dos produtos; VII - dispor de aparelhagem industrial completa e adequada para a realização de trabalhos de beneficiamento e industrialização, utilizando maquinário preferentemente conjugado; VIII - dispor de dependência ou local apropriado e convenientemente aparelhado para a lavagem e esterilização do vasilhame; Art Os estabelecimentos destinados ao mel, cera de abelhas e seus derivados devem: I - dispor de dependências de recebimento; II - dispor de dependências de manipulação, preparo, classificação e embalagem do produto. Art Os ângulos entre paredes e pisos serão arredondados com o mesmo material de hipermeabialização. Parágrafo Único - É proibido o emprego de utensílios em geral (gamelas, bandejas, mesas, carros, tanques e outros) com angulosidades ou frestas. Art Nos entrepostos que recebem tripas, bem como nos estabelecimentos industriais, as seções destinadas a salga, maceração ou fermentação desse produto, só podem ser instaladas em lugares afastados das dependências onde forem manipuladas matérias-primas ou fabricados produtos utilizados na alimentação humana. Art Nenhum estabelecimento de produto de origem animal pode ultrapassar a capacidade de suas instalações e equipamentos. Art A construção dos estabelecimentos deve obedecer as exigências que estejam previstas no Código Municipal de Obras, na legislação federal e estadual e as de ordem sanitária ou industrial, previstas neste regulamento. Art Qualquer estabelecimento que interrompa seu funcionamento por espaço superior a um ano, só pode reiniciar os trabalhos mediante inspeção prévia de todas as dependências, instalações e equipamentos. CAPÍTULO II REGISTRO E RELACIONAMENTO DE ESTABELECIMENTOS Art Nenhum estabelecimento pode realizar comércio municipal com produtos de origem animal sem estar registrado na Secretaria de Infraestrutura. Art Estão sujeitos a registro os seguintes estabelecimentos: I - matadouros-frigoríficos, matadouros de aves e pequenos animais, charqueadas, fábricas de produtos suínos, fábricas de conservas, fábricas de produtos gordurosos, entrepostos de carnes e derivados não comestíveis; II - usinas de beneficiamento, fábricas de laticínios, postos de recebimento, refrigeração, manipulação do leite e seus derivados; III - entrepostos de pescados e fábricas de conserva de pescados; IV - entrepostos de ovos e fábricas de conserva de ovos. Art O registro no Serviço de Inspeção Municipal S.I.M., será requerido na Secretaria de Infraestrutura e endereçado ao, instruindo-se o processo com os seguintes documentos: I - Requerimento ANEXO 1 II - Dados do proprietário ANEXO 2 III - Dados do estabelecimento ANEXO 3 IV- Declaração de responsabilidade ANEXO 4 V - Parecer técnico e laudo de inspeção feito pelo técnico do Serviço de Inspeção Municipal. XXII - Certidão Negativa de Débito CND. XXIII - Apresentação do croqui dos rótulos para aprovação pelo Departamento do Serviço de Inspeção Municipal. Art Não será registrado o estabelecimento destinado à produção de alimentos para consumo humano, quando situado nas proximidades de outro que, por sua natureza, possa prejudicá-lo. Art As autoridades municipais não permitirão a construção de estabelecimentos que por sua natureza possa prejudicar outros que elaborem produtos utilizados na alimentação humana. Art Apresentados os documentos exigidos neste regulamento, o Departamento do Serviço de Inspeção Municipal mandará vistoriar o estabelecimento para apresentação do competente laudo. Art Autorizado o registro, uma das vias das plantas e dos memoriais descritivos será arquivada no Departamento de Serviço de Inspeção Municipal e a outra entregue ao interessado. Art Satisfeita as exigências fixadas no presente regulamento, o Departamento de Serviço de Inspeção Municipal autorizará a expedição de TÍTULO DE REGISTRO, constando do mesmo o número do registro, nome da firma e outros detalhes necessários. CAPÍTULO III HIGIENE DOS ESTABELECIMENTOS Art Todas as dependências e equipamentos dos estabelecimentos devem ser mantidos em condições de higiene, antes, durante e após a realização dos trabalhos industriais. Art Todos os equipamentos e utensílios serão convenientemente marcados de modo a evitar qualquer confusão entre os destinados a produtos comestíveis e os usados no transporte ou depósito de produtos não comestíveis ou ainda utilizados na alimentação de animais usando-se denominações COMESTÍVEIS e NÃO COMESTÍVEIS. Art Os pisos e paredes, assim como os equipamentos e utensílios usados na indústria devem ser lavados diariamente e convenientemente desinfetados, neste caso, pelo emprego de substâncias previamente aprovadas. Art Os estabelecimentos devem ser mantidos livres de moscas, mosquitos, baratas, ratos, camundongos e quaisquer outros animais, agindo-se cautelosamente quanto ao emprego de venenos, cujo uso só é permitido nas dependências não destinadas a manipulação ou depósito de produtos comestíveis e mediante conhecimento da Inspeção Municipal. 1º - Não é permitido para os fins deste artigo, o emprego de produtos biológicos. 2º - É proibida a permanência de cães, gatos e de outros animais no recinto dos estabelecimentos. Art Todo o pessoal que trabalha com produtos comestíveis, desde o recebimento até a embalagem, deve usar uniformes próprios e limpos, inclusive os gorros, não sendo permitido o uso de barba, unhas compridas, esmalte, brincos, anéis, ou qualquer tipo de adereço que venha prejudicar o produto final. Art O pessoal que manipula produtos condenados ou trabalha em necropsia, fica obrigado a desinfetar as mãos, instrumentos e vestuários com antisépticos apropriados. Art É proibido fazer refeições nos locais onde se realizam trabalhos industriais, bem como depositar produtos, objetos e material estranho à finalidade da dependência ou ainda guardar roupas de qualquer

25 natureza. Art É proibido fumar em qualquer dependência dos estabelecimentos. Art Todas as vezes que for necessário, a Inspeção Municipal deve determinar a substituição, raspagem, pintura e reforma, em pisos, paredes, tetos e equipamentos. Parágrafo Único - A critério do Departamento de Serviço de Inspeção Municipal pode ser dispensada a impermeabilização de paredes em dependências onde se trabalha com equipamento fechado. Art As instalações próprias para guarda, pouso e contenção de animais vivos ou depósitos de resíduos industriais, devem ser lavadas e desinfetadas tantas vezes quantas necessárias. Art As caixas de sedimentação de substâncias residuais devem ser freqüentemente inspecionadas e convenientemente limpas. Art Durante a fabricação, no embarque ou no transporte, os produtos devem ser conservados ao abrigo de contaminação de qualquer natureza. Art É proibido empregar na coleta, embalagem, transporte ou conservação de matérias-primas e produtos usados na alimentação humana, vasilhame de cobre, latão de zinco, barro, ferro estanhado, com liga que contenha mais de 2% (dois por cento) de chumbo ou apresente estanhagem defeituosa ou de qualquer utensílio que, pela sua forma e composição, possa prejudicar as matérias primas ou produtos. Art Os operários que trabalham na indústria de produtos de origem animal serão portadores de carteira de saúde fornecida por autoridade sanitária oficial, com a expressão apto a manipular alimentos, devem apresentar condições de saúde e ter hábitos higiênicos, sendo que anualmente serão submetidos a exame em repartição da saúde pública, apresentando à Inspeção Municipal as anotações competentes em sua carteira, pelas quais se verifique que não sofrem de doenças que o incompatibilizem com os trabalhos de fabricação de gêneros alimentícios. 1º - A inspeção médica é exigida, tantas vezes quantas necessárias, para qualquer empregado do estabelecimento, inclusive seus proprietários se exercerem atividade industrial. 2º - Sempre que fique comprovada a existência de dermatoses, de doenças infectocontagiosas ou repugnantes e de portadores indiferentes de salmonelas, em qualquer pessoa que exerça atividade industrial no estabelecimento, ela será imediatamente afastada do trabalho, cabendo à Inspeção Municipal comunicar o fato à autoridade de Saúde Pública. Art Os continentes já usados, quando destinados ao acondicionamento de produtos utilizados na alimentação humana, devem ser previamente inspecionados, condenando-se os que, após terem sidos limpos e desinfetados por meio de vapor e substâncias permitidas, não forem julgados em condições de aproveitamento. Parágrafo Único - Em caso algum é permitido o acondicionamento de matérias primas e produtos destinados à alimentação humana em carros, recipientes ou continentes que tenham servido a produtos não comestíveis. Art É proibido manter em estoque, nos depósitos de produtos, nas salas de recebimento, de manipulação, de fabricação e nas câmaras frias ou de cura, material estranho aos trabalhos de dependência. Art Não é permitido residir nos edifícios onde são realizados trabalhos industriais de produtos de origem animal. Art Serão diariamente limpos e devidamente desinfetados os instrumentos de trabalho. Parágrafo Único - Os estabelecimentos devem ter em estoque, desinfetantes aprovados para uso nos trabalhos de higienização de dependências e equipamentos. Art As câmaras frias devem corresponder às mais rigorosas condições de higiene, iluminação e ventilação, e deverão ser limpas e desinfetadas pelo menos uma vez por ano. Art Nos estabelecimentos de leite e derivados é obrigatória rigorosa lavagem e 25 esterilização do vasilhame antes do seu retorno aos postos de origem. Art Nas salas de matança e em outras dependências, a juízo da Secretaria de Desenvolvimento Rural, é obrigatória a existência de vários depósitos de água com descarga de vapor para esterilização de facas, ganchos e outros utensílios. CAPÍTULO IV OBRIGAÇÕES DAS EMPRESAS Art Ficam os proprietários de estabelecimentos obrigados a: I - observar e fazer observar todas as exigências deste regulamento; II - fornecer pessoal necessário e habilitado, bem como material adequado para os trabalhos do serviço de inspeção; III - fornecer mensalmente os dados estatísticos de interesse da fiscalização para o controle da produção, industrialização, transporte e comércio de produtos de origem animal; IV - dar aviso antecipado sobre a realização dos trabalhos, mencionando sua natureza, hora de início e provável conclusão; V - todo material fornecido pela firma ficará à disposição e responsabilidade do Departamento de Serviço de Inspeção Municipal, sendo entregue a firma caso haja cancelamento do registro; VI - manter registro diário de entrada de animais e matérias primas especificando procedência, quantidade, qualidade dos produtos fabricados, saída e destino. Art O responsável técnico dos estabelecimentos que lidam com produtos de origem animal deverão ser graduados em cursos de medicina veterinária. Art Os estabelecimentos de leite e derivados ficam obrigados a fornecer relação atualizada de fornecedores de matéria-prima com os respectivos endereços, quantidade e nome das propriedades rurais. TÍTULO IV INSPEÇÃO INDÚSTRIAL E SANITÁRIA DE CARNES E DERIVADOS CAPÍTULO I INSPEÇÃO ANTE-MORTEM Art Nos estabelecimentos subordinados a Inspeção Municipal é permitido o abate de animais bovinos, eqüinos, suínos, ovinos, caprinos e coelhos, bem como das diferentes aves domésticas e de caça, usadas na alimentação humana. Art A inspeção ante-mortem será controlada mediante livro de registro de entrada de animais, que deverá conter páginas numeradas, termos de abertura e encerramento devidamente assinados pelo contador responsável pelo estabelecimento, do qual constarão: I - data e hora de entrada; II - espécie do animal; III - número de cabeças; IV - estado dos animais; V - certificado de vacinas; VI - nome e endereço do proprietário; VI - observações técnicas. VII Guia de Trânsito Animal (GTA). Art É vedado o abate de animais sem prévio exame sanitário, que será realizado pelo médico veterinário credenciado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural, encarregado pela inspeção final. 1º - Quando da realização do exame acima referido, a suspeita de enfermidade determina a rejeição do animal, que deve constar do Livro de Registro de Entrada de Animais, após o que, deverá o mesmo ser retirado imediatamente do estabelecimento. 2º - Qualquer animal reconhecido pelo médico veterinário como inadequado para o abate deverá ser condenado à graxaria ou à incineração. Art Todo e qualquer abate de animais será precedido de um descanso mínimo previsto no art. 110 do Decreto Federal /52, jejum e dieta hídrica nos depósitos dos estabelecimentos. Parágrafo Único - A critério do médico veterinário responsável pela inspeção municipal, o período de descanso poderá ser ampliado quando julgar necessário. Art É proibido o abate de: I - animais que não haja repousado pelo período estabelecido dentro do estabelecimento; II - animais caquéticos ou extremamente magros, devendo proceder como determina o RIISPOA. III - animais fadigados; IV - fêmeas em estado adiantado de gestação; V - fêmeas com sinal de parto recente. Art Para o início do abate de animais é necessária a prévia autorização da inspeção municipal. Art Serão condenados os bovinos que no exame antemortem revelem temperatura retal igual ou superior a 40,5ºC e aves igual ou superior a 43ºC, bem como os anormais com hipotermia. Art É da competência privativa do médico-veterinário, conforme dispõe o artigo 5 da Lei Federal n 5.517/68, o exercício das seguintes atividades e funções, a cargo da união, dos Estados, dos Municípios, dos Territórios Federais, entidades autárquicas, paraestatais e de economia mista e particular: I - a direção técnica sanitária dos estabelecimentos industriais de produtos de origem animal; II - a inspeção e a fiscalização sob o ponto-de-vista sanitário, higiênico e tecnológico dos matadouros, frigoríficos, fábricas de conservas de carne e de pescado, fábricas de banha e gorduras em que se empregam produtos de origem animal, usinas e fábricas de laticínios, entrepostos de carne, leite, peixe, ovos, mel, cera e demais derivados da indústria pecuária e, de um modo geral, quando possível, de todos os produtos de origem animal nos locais de produção, manipulação, armazenagem e comercialização. CAPÍTULO II MATANÇA Seção I MATANÇA DE EMERGÊNCIA Art Matança de emergência é o sacrifício imediato de animais apresentando condições que indiquem essa providência. Parágrafo Único - Devem ser abatidos com emergência animais doentes, agonizantes, com fraturas, contusões generalizadas, hemorragia, decúbito forçado, sintomas nervosos e outros estados que dificultem o abate normal. Art É proibida a matança de emergência na ausência de funcionário da Inspeção Municipal. Art A matança de emergência deverá ser feita em local próprio. Parágrafo Único - Caso sejam utilizadas as instalações destinadas ao abate normal, as mesmas deverão, após o uso, serem limpas e desinfetadas para reutilização. Seção II MATANÇA NORMAL Art O processo de abate normal de animais adotado pela Inspeção Municipal é o de insensibilização, seguida de imediata sangria. Art A sangria deve ser completa, realizada com o animal suspenso pelos membros traseiros. Art Nenhuma manipulação pode ser iniciada antes que o sangue tenha escoado o máximo possível. Art É obrigatória a pelagem e raspagem de toda carcaça de suíno pelo prévio

26 escaldamento em água quente, em conformidade com a legislação federal. Art A evisceração deve ser realizada sob as vistas de funcionários da Inspeção Municipal em local que permita o pronto exame das vísceras, com identificação perfeita entre estas e as carcaças. 1º - Sob pretexto algum pode ser retardada a evisceração. 2º - A Inspeção Municipal agirá com rigor no caso de carcaças contaminadas por fezes e/ou conteúdo ruminal no momento da evisceração, aplicando as medidas preconizadas no capítulo Inspeção postmortem. Art A cabeça antes de destacada do corpo deve ser marcada para permitir fácil identificação com a respectiva carcaça, procedendo-se do mesmo modo relativamente às vísceras. Art Para a divisão de carcaças bovinas ou suínas deve-se usar serra metálica própria para o fim. Parágrafo Único - É proibido o uso de machadinha ou qualquer outro tipo de instrumental. CAPÍTULO III INSPEÇÃO POST-MORTEM Art A Inspeção post-mortem consiste no exame de todos os órgãos e tecidos, abrangendo a observação e apreciação de seus caracteres externos, sua palpação e abertura dos gânglios linfáticos, correspondentes, além de cortes sobre o parênquima dos órgãos quando necessário. Art A inspeção post-mortem de rotina deve obedecer a seguinte seriação: I - observação dos caracteres organolépticos e físicos do sangue por ocasião da sangria e durante o exame de todos os órgãos; II - exame da cabeça, músculos mastigadores, língua, glândulas salivares e gânglios linfáticos correspondentes; III exame geral da cavidade abdominal, órgãos e gânglios linfáticos correspondentes; IV - exame geral da carcaça, serosas e gânglios linfáticos cavitários, infra-musculares, superficiais e profundos acessíveis, além da avaliação das condições de nutrição e engorda do animal. Art Sempre que a Inspeção Municipal julgar conveniente as carcaças de suínos serão reexaminadas por outro funcionário, antes de darem entrada nas câmaras frigoríficas ou serem destinadas ao tendal. Art Todos os órgãos inclusive os rins, serão examinados na sala de matança, imediatamente depois de removidos das carcaças, assegurada sempre a identificação entre órgãos e carcaças. Art Toda a carcaça, parte da carcaça, ou mesmo órgãos com lesões ou anormalidades que possa torná-la imprópria para o consumo, devem ser convenientemente assinalados, pela Inspeção Municipal e diretamente conduzidos ao Departamento de Inspeção Final, onde serão julgados após exame completo. 1º - Tais carcaças ou partes de carcaças não podem ser subdivididas ou removidas para outro local, sem autorização expressa da Inspeção Municipal. 2º - Todo material condenado fica sob custódia da Inspeção Municipal no Departamento de Seqüestro quando não possa ser inutilizado no próprio dia de matança. Art As carcaças julgadas em condições de consumo são assinaladas com os carimbos previstos neste regulamento, por funcionário da Inspeção Municipal. Art Em hipótese alguma é permitida a remoção, raspagem ou qualquer prática que possa mascarar lesões, antes do exame pela Inspeção Municipal. Art Depois de aberta a carcaça ao meio deverão ser examinados o externo, as costelas, as vértebras e a medula espinhal. Art Para se determinar a destinação de carcaças, dos órgãos e das vísceras serão observados os critérios estabelecidos pelo RIISPOA. 26 Art Entende-se por aproveitamento condicional, os produtos submetidos a uma das seguintes operações de beneficiamento: I - esterilização ou fusão pelo calor; II - tratamento pelo frio; III - salgamento; IV - rebeneficiamento. Art As carcaças ou partes das carcaças deverão ser penduradas nas câmaras com espaço suficiente entre cada peça e entre elas e paredes. Art Todas as instalações que manipulem matéria-prima por qualquer forma, deverão ser providas por recipientes para recolhimento de restos ou recortes que venham a cair no piso, material esse que será condenado e destinado a preparação de produtos não comestíveis. Art Sempre que necessário o Serviço de Inspeção providenciará a desinfecção de salas e equipamentos, bem como, determinará os cuidados a serem dispensados aos operários que tenham manipulado animais atingidos por doenças infecciosas, transmissíveis ao homem. Art Os casos não previstos neste regulamento, serão observados pelo médico veterinário, responsável pela Inspeção Municipal, ou ainda, pelo preposto, e imediatamente encaminhados ao Departamento de Serviço de Inspeção Municipal. CAPÍTULO IV GRAXARIA Art Graxaria é a seção destinada ao aproveitamento de matérias primas gordurosas e de subprodutos não comestíveis. Parágrafo Único - A Graxaria compreende: I - Seção de Produtos Gordurosos Comestíveis; II - Seção de Produtos Gordurosos não Comestíveis; III - Seção de Subprodutos não Comestíveis. Art As dependências e equipamentos destinados a produtos gordurosos comestíveis são privativos para esses produtos, sendo proibida sua utilização para manipulação de produtos ou subprodutos não comestíveis. Art Ficam em poder da Inspeção Municipal plantas e diagramas com a descrição e percurso dos condutos, torneiras, válvulas, uniões e outros detalhes referentes à instalação. 1º - Todos os encanamentos, torneiras, válvulas e recipientes que servem à condução e depósito de gorduras comestíveis, devem ser pintados em branco, e os reservados a gorduras não comestíveis, em azul. 2º - Nenhuma modificação nessas instalações pode ser feita sem prévia autorização da Inspeção Municipal. Art Entende-se por produtos gordurosos os que resultam do aproveitamento de tecidos de animais, por fusão ou por outros processos. 1º - Os produtos gordurosos, segundo a espécie animal de que procedem se distinguem em produtos gordurosos de bovino, de ovino, de caprino, de suíno, de aves, ovos e de pescado. 2º - Os produtos gordurosos segundo o emprego a que se destinem e suas características compreendem: I - Comestíveis; II - Não comestíveis. Seção I PRODUTOS GORDUROSOS COMESTÍVEIS Art Os produtos gordurosos comestíveis são genericamente denominados gorduras, com exceção da banha e da manteiga. Seção II PRODUTOS GORDUROSOS NÃO COMESTÍVEIS Art Entende-se por produtos gordurosos não comestíveis, todos aqueles obtidos pela fusão de partes e tecidos não empregados na alimentação humana, bem como de carcaças, partes de carcaça, órgãos e vísceras, que forem rejeitados pela Inspeção Municipal. Parágrafo Único - São também considerados produtos gordurosos não comestíveis os obtidos em estabelecimento que não dispõem de instalações e equipamentos para elaboração de gorduras comestíveis. Art Os produtos não comestíveis são genericamente denominados Sebo, seguindo-se a especificação da espécie animal de que procedem, exceto, quando procedente de suínos que serão designados Graxa Branca. Seção III SUBPRODUTOS NÃO COMESTÍVEIS Art Entende-se por subproduto não comestível todo e qualquer resíduo devidamente elaborado, que se enquadre nas denominações e especificações deste Regulamento. Parágrafo Único - Fica permitida a utilização das denominações de fantasia, mediante declaração nos rótulos dos componentes do produto, qualitativa e quantitativamente. Art Entende-se por alimento para animais todo e qualquer subproduto usado na alimentação de animais, tais como: I - farinha de carne; II - farinha de sangue; III - sangue em pó; IV - farinha de ossos cru; V - farinha de ossos autoclavados; VI - farinha de ossos degelatinizados; VII - farinha de fígado; VIII - farinha de pulmão; IX - farinha de carne e ossos; X - rações preparadas. Art Entende-se por farinha de carne o subproduto obtido pelo cozimento em digestores a seco de restos de carne de todas as seções, de recortes e aparas diversas que não se prestem a outro aproveitamento, bem como de carcaças, partes de carcaças e órgãos rejeitados pela Inspeção Municipal, a seguir desengordurados por prensagem ou centrifugação e finalmente triturados. 1º - O subproduto de que trata este artigo deve conter no mínimo 65% (sessenta e cinco por cento) de proteína, no máximo 10% (dez por cento) de umidade e no máximo 10% (dez por cento) de gordura. 2º - É proibida a mistura de pelos, cerdas, cascos, chifres, sangue, fezes e conteúdo estomacal à matéria prima destinada ao preparo de farinha de carne. Art Entende-se por farinha de sangue o subproduto industrial obtido pelo cozimento a seco do sangue dos animais de açougue, submetido ou não a uma prévia prensagem ou centrifugação e posteriormente triturado. Parágrafo Único - A farinha de sangue deve conter no mínimo 80% (oitenta por cento) de proteína e no máximo 8% (oito por cento) de umidade. Art Entende-se por sangue em pó o subproduto industrial obtido pela desidratação do sangue por processos especiais. 1º - Permite-se quando necessário, a adição de anticoagulantes, mediante aprovação prévia pela Secretaria de de Infraestrutura. 2º - O subproduto referido no presente artigo deve conter no mínimo 85% (oitenta e cinco por cento) de proteína e no máximo 8% (oito por cento) umidade. Art Entende-se por farinha de ossos crus o subproduto seco e triturado, resultante do cozimento em água em tanques abertos, de ossos inteiros após a remoção de gordura e do excesso de outros tecidos. Parágrafo Único - A farinha de ossos crus deve conter no mínimo 20% (vinte por cento) de proteína e 40% (quarenta por cento) de fosfatos.

27 Art Entende-se por farinha de ossos autoclavados o subproduto obtido pelo cozimento de ossos em vapor sob pressão, secado e triturado. Parágrafo Único - O subproduto de que trata este artigo deve conter no máximo 25% (vinte e cinco por cento) de proteína e no mínimo 55% (cinqüenta e cinco por cento) de cinzas. Art Entende-se por farinha de ossos degelatinizados o subproduto seco e triturado, obtido pelo cozimento de ossos, após a remoção de gordura e outros tecidos, em vapor sob pressão, resultante do processamento para obtenção de cola ou gelatina. Parágrafo Único - A farinha de ossos degelatinizados deve conter no máximo 10% (dez por cento) de proteína e 5% (cinco por cento) de gordura e no mínimo 65% (sessenta e cinco por cento) de fosfato de cálcio. Art Entende-se por farinha de fígado o subproduto seco e triturado obtido pelo cozimento a seco de fígado, rins, pulmões, baços e corações, previamente desengordurados. Parágrafo Único - O subproduto de que trata este artigo, deve conter no mínimo 65% (sessenta e cinco por cento) de proteína e no máximo 10% (dez por cento de umidade) Art Entende-se por farinha de pulmão o subproduto seco triturado e obtido pelo cozimento a seco de pulmões. Parágrafo Único - O subproduto de que trata este artigo deve conter no mínimo 65% (sessenta e cinco por cento) de proteína e no máximo 10% (dez por cento) de umidade e 10% (dez por cento) de gordura. Art Entende-se por farinha de carne e ossos o subproduto seco e triturado, obtido pelo cozimento a seco de recortes em geral, aparas, resíduos e limpeza decorrentes das operações nas diversas seções, ligamentos, mucosas, fetos e placentas, orelhas e pontas de caudas, órgãos não comestíveis ou órgãos em carnes rejeitados pela Inspeção Municipal, além de ossos diversos. 1º - A farinha de carne de ossos deve conter no mínimo 40% (quarenta por cento) de proteína e no máximo 10% (dez por cento) de umidade, no máximo 10% (dez por cento) de gordura. 2º - É proibida a mistura de pelos, cerdas, cascos, chifres, sangue, fezes e conteúdo estomacal à matéria-prima, destinada ao preparo de farinha de carne e ossos. Art Considera-se ração preparada toda e qualquer mistura em proporções adequadas de produtos diversos destinados à alimentação de animais, que tenha também em sua composição subprodutos designados neste regulamento como alimento para animais. Parágrafo Único - A juízo da Secretaria de Desenvolvimento Rural poderá ser permitido o aproveitamento de outras matérias primas (vísceras, cerdas, penas, conteúdo do estômago) na elaboração de subprodutos destinados a rações preparadas. Art Quando a composição do alimento para animais não se enquadrar nas especificações ou fórmulas aprovadas, permite-se sua correção pela mistura com outras partidas e após homogeneização perfeita. Art Entende-se por adubo todo e qualquer subproduto que se preste como fertilizantes, depois de cozido, secado e triturado. Parágrafo Único - Estes subprodutos devem ser sempre submetidos a uma temperatura mínima de 115 a 125 C (cento e quinze a cento e vinte cinco graus centígrados), pelo menos por uma hora, quando elaborados por aquecimento a vapor e a uma temperatura mínima de 105 C (cento e cinco graus centígrados), pelo menos por quatro horas, quando pelo tratamento a seco. Art Entende-se por adubo de sangues com superfosfato o subproduto resultante do aproveitamento de sangue, integral ou não, por adição de superfosfato em quantidade conveniente. Parágrafo Único - Este subproduto deve ter declarado no rótulo sua composição qualitativa e quantitativa. Art Entende-se por cinzas de ossos o subproduto resultante da queima de 27 ossos em recipiente aberto, devidamente triturados, contendo no mínimo, 15% (quinze por cento) de fósforo. Art Permite-se o aproveitamento de matéria fecal oriunda da limpeza dos currais e dos veículos de transportes, desde que o estabelecimento disponha de instalações adequadas para esse aproveitamento. Parágrafo Único - Em tal caso o conteúdo do aparelho digestivo dos animais abatidos deve receber o mesmo tratamento. Art Entende-se por tancage o resíduo do cozimento de matérias-primas em autoclaves sob pressão, seco e triturado. Art Entende-se por crackling o resíduo da matéria-prima trabalhada em digestores a seco, antes de sua passagem pelo moinho. Art Entende-se por água residual de cozimento a parte líquida obtida pelo tratamento de matérias primas em autoclaves sob pressão. 1º - Permite-se seu aproveitamento depois de escoimado da gordura, evaporado e concentrado, secado ou não, como matéria-prima a ser incorporada a alimentos para animais ou para fins industriais. 2º - Este produto, quando seco, deve conter no máximo 3% (três por cento) de gordura, no máximo 10% (dez por cento) de umidade e no mínimo 75% (setenta e cinco por cento) de proteínas. Art Permite-se a adição de conservadores a bile, depois de filtrada, quando o estabelecimento não tenha interesse de concentrá-la. 1º - Entende-se por bile concentrada o subproduto resultante da evaporação parcial da bile fresca. 2º - A bile concentrada deve conter no máximo 25% (vinte e cinco por cento) de umidade e no mínimo 40% (quarenta por cento) de ácidos biliares totais. Art Entende-se por óleo de mocotó o subproduto extraído das extremidades ósseas dos membros de bovinos, depois de retirados os cascos, após o cozimento em tanques abertos ou em autoclaves sob pressão, separado por decantação e posteriormente filtrado ou centrifugado em condições adequadas. Parágrafo Único - O óleo de mocotó deve satisfazer às seguintes características: I - cor amarela claro ou amarela âmbar; II - menos de 1% (um por cento) entre impurezas e umidades III - acidez em s.n % de 5 ml (cinco mililitros) no máximo; IV - ausência de ranço; V - ligeira turvação; VI - não conter substâncias estranhas, outros óleos animais ou vegetais. Art As cerdas, crinas e pêlos serão lavados em água corrente, submetidos a tratamento em água quente e a seguir devidamente secados. Art Entende-se por chifre a camada córnea dos chifres dos bovinos. 1º - Os chifres devem ser deslocados de sua base de inserção depois de previamente mergulhados em água quente pelo tempo necessário (em média 30 minutos, a setenta graus centígrados), para melhor facilidade de sua retirada. 2º - Os chifres devem ser mantidos em depósitos não muito quentes, secos e bem ventilados. 3º - A base de inserção da camada córnea será designada sabugo de chifre. 4º - Os sabugos de chifres constituem matéria-prima para fabricação de cola e de outros produtos. Art Entende-se por casco a camada córnea que recobre a extremidade dos membros. Parágrafo Único - Os chifres e cascos depois de dessecados pelo calor e triturados constituem a farinha de chifres ou a farinha de cascos ou ainda a farinha de chifres e de cascos quando misturados. Art Os tendões e vergas tão prontamente quando possível, devem ser submetidos ao congelamento, dessecados ou convenientemente tratados por água de cal ou ainda por processo aprovado. CAPÍTULO V CONSERVAS Art É proibido o emprego de anti-sépticos, corantes, produtos químicos, extratos e infusões de plantas ou tinturas a menos que constem deste Regulamento. Art Só podem ser adicionados aos produtos cárneos, sal (cloreto de sódio), açúcar (sacarose), dextrose (açúcar de milho), vinagre de vinho, condimentos puros de origem vegetal, nitrato e nitrito de sódio, nitrato de potássio,(salitre) e nitrito de potássio. Parágrafo Único - Tolera-se nos produtos prontos a presença de nitritos na proporção máxima de 200 (duzentas) partes por milhão e de nitratos até 1 (uma) parte por mil, separadamente. Art É permitido o emprego de substâncias farináceas alimentícias com as restrições previstas neste Regulamento. Art Entende-se por condimento substâncias aromáticas, rápidas, com ou sem valor alimentício, empregadas com a finalidade de temperar as conservas. Parágrafo Único - São condimentos que podem ser utilizados: I - aipo (Celeri graveolens e Apium graveolens); II - alho (Allium sativum); III - aneto (Anethum graveolens); IV - aniz (Pimpinela anizum); V - baunilha (Vanilla planifolia Andrews); VI - canela (Cinamonum ceylanicum Breyre); VII - cardomono (Ellecteria cardomonum); VIII - cebola (Allum Cepa); IX - cravo (Caryophillus maticus L); X - cominho (Cuminum cyminum, L.); XI - coentro ( Coriandrum savitum, L.); XII - gengibre (Zinziber officionalis Roscoe); XIII - louro (Laurus nobílis, L.); XIV - macis (O envoltório da noz moscada); XV - maiorana (Majorana hortensis); XVI - mangerona (Origanum majorana, L.); XVII - menta (Menta viridis, Menta rotundifolia e Menta piperita); XVIII - mostarda (Brassiva nigra, Koen, Bassiva junca, Hooker e Sinapis); XIX - noz moscada (Myristica fragans Mant); XX - pimentos: a) preta (Piper nigrum, L); b) branca (é o mesmo fruto, porém descortinado); c) vermelha ou p. de caiana (Capsicum baccatum, L); d) malagueta (Capsicum pendulum Velloso). XXI - pimento (Pimenta officionalis Lindi, sinon, allspice pimenta de jamaica, pimenta inglesa ou condimento de quatro espécies); XXII - pimentão (Páprica) - (Capsicum annuum, L); XXIII - salva (Sálvia) - (Salvia officionallis, L); XXIV - tomilho (Thymes vulgaris, L). Art Entende-se por corantes as substâncias que proporcionam um melhor e mais sugestivo aspecto, às conservas ao mesmo tempo em que se preste a uniformidade de sua colaboração. 1º - São corantes permitidos os de origem vegetal, como o açafrão (Crocus sativus L.), a curcuma (Curcuma longa L. e Curcuma tinctoria), a cenoura (Daucus carota L) o urucum (Bixa orelana). 2º - É proibido o emprego de qualquer corante derivado da hulha em qualquer

28 produto de origem animal, mesmo para colorir externamente produtos cárneos. Art O emprego de corantes e condimentos não especificados neste Regulamento depende de prévia autorização da Secretaria de Infraestrutura, bem como o emprego de misturas ou de produtos prontos, contendo condimentos ou corantes. Art Nos estabelecimentos sob Inspeção Municipal é proibida a entrada de produtos que não constem deste Regulamento. Art É permitido o emprego de produtos que realcem o sabor das conservas, desde que aprovados e mediante declaração nos rótulos. Art O emprego dos nitratos de sódio ou de potássio ou de qualquer combinação entre eles, só pode ser feito em quantidades tais, que no produto pronto para consumo, o teor em nitrito não ultrapasse duzentas partes por milhão. Art Os nitritos de sódio ou de potássio só podem ser empregados isoladamente ou combinadamente, nas seguintes proporções máximas: I g (duzentos e quarentas gramas) para cada 100 l (cem litros) de salmoura; II - 60 g (sessenta gramas) para 100 kg (cem quilogramas) de carne na cura a seco, de mistura como o sal (cloreto de sódio); III - 15 g (quinze gramas) para cada 100 kg (cem quilogramas) de carne picada ou triturada, de mistura com sal (cloreto de sódio). 1º - Os estoques de nitritos, bem como os de misturas prontas que as contenham ficarão sob guarda e responsabilidade da administração do estabelecimento. 2º - A Inspeção Municipal fará verificar, sempre que julgar necessário, o teor do nitrito em produtos ou misturas prontas, bem como nas produzidas no próprio estabelecimento. 3º - É permitido o emprego de produtos ou misturas prontas para cura desde que aprovadas pela Secretaria de Infraestrutura. Art O sal (cloreto de sódio) empregado no preparo de produtos cárneos comestíveis deve-se enquadrar nas especificações previstas neste Regulamento. Art Não é permitido o emprego de salmouras turvas, sujas, alcalinas, com cheiro amoniacal, fermentadas ou inadequadas por qualquer outra razão Parágrafo Único - Permite-se, todavia, a recuperação de salmouras por fervura e filtração, para subseqüente aproveitamento, a juízo da Inspeção Municipal. Art No preparo de embutidos não submetido a cozimento, é permitida a adição de água ou gelo na proporção máxima de 3% (três por cento), calculados sobre o total dos componentes e com finalidade de facilitar a trituração e homogeneização da massa. Art É permitido preparo de produtos devidamente esterilizados e destinados à alimentação de animais (cães). 1º - A elaboração desses produtos não interferirá de modo algum com a manipulação e preparo de produtos alimentícios de uso humano. 2º - A elaboração de tais produtos será feita em equipamento exclusivamente destinado a esta finalidade. 3º - Esses produtos e equipamentos estão sujeitos aos mesmos cuidados fixados neste Regulamento. Art Entende-se por embutido todo produto elaborado com carne ou órgãos comestíveis curados ou não, condimentado, cozido ou não, defumado e dessecado ou não, tendo como envoltório tripa, bexiga ou outra membrana animal. Parágrafo Único - É permitido o emprego de película artificial no preparo de embutidos, desde que aprovados pela Secretaria de Infraestrutura. 28 Art As tripas e membranas animais empregadas como envoltório devem estar rigorosamente limpas e sofrer outra lavagem, imediatamente antes de seu uso. Art Os embutidos não podem conter mais de 5% (cinco por cento) de amido ou felícula, adicionados para dar maior liga à massa. Art Segundo o tipo de embutidos e suas peculiaridades, podem entrar em sua composição tendões e cartilagens. Art Entende-se por morcela o embutido contendo principalmente sangue, adicionado de toucinho moído ou não, condimentado e convenientemente cozido. Art A Inspeção Municipal só permitirá o preparo de embutidos de sangue quando a matéria-prima seja colhida isoladamente de cada animal e em recipiente separado rejeitando o sangue procedente dos que venham a ser considerados impróprios para o consumo. Parágrafo Único - É proibido desfibrar o sangue a mão, quando destinado à alimentação humana. Art Permite-se o aproveitamento do plasma sanguíneo no preparo de embutidos, desde que obtidos em condições adequadas. Art Os embutidos preparados em óleo devem ser cozidos em temperatura não inferior a 72 C (setenta e dois graus centígrados) no mínimo por 30 (trinta) minutos. Art É permitido dar um banho de parafina purificada e isenta de odores, na membrana que envolve os embutidos. 1º - É permitido, ainda, o emprego de cera ou de misturas, desde que não prejudiquem o produto, a juízo da Inspeção Municipal. 2 - O emprego de vernizes na produção de embutidos depende de aprovação prévia da Secretaria de Infraestrutura. Art Os embutidos são considerados fraudados quando: I - forem empregadas carnes e matérias primas de qualidade, ou em proporção diferente da fórmula aprovada; II - forem empregados conservadores e corantes não permitidos neste Regulamento; III - houver adição de água ou de gelo, com o intuito de aumentar o volume e o peso do produto e em proporção superior a permitida neste Regulamento; IV - forem adicionados tecidos inferiores. Art Os embutidos serão considerados alterados e impróprios para o consumo quando: I - a superfície estiver úmida, pegajosa ou exudando líquido; II - verificadas partes ou áreas flácidas ou consistência anormal; III - houver indícios de fermentação pútrida; IV - a massa apresenta manchas esverdeadas, pardacentas ou coloração sem uniformidade; V - a gordura estiver rançosa; VI - o envoltório estiver perfurado por parasitas que atingirem também a massa; VII - o odor e o sabor apresentarem-se anormais; VIII - forem constatados germes patogênicos; IX - manipulados em más condições de higiene. Art Entende-se por salgados os produtos preparados com carne ou órgãos comestíveis tratados pelo sal (cloreto de sódio) ou misturas de sal, açúcar, nitratos, nitritos e condimentos, como agentes de conservação e caracterização organolépticas. Art Entende-se por defumados os produtos que após o processo e cura são submetidos a defumação, para lhes dar cheiro e sabor característico, além de maior prazo de vida comercial, por desidratação parcial. 1º - Permite-se a defumação a quente ou a frio. 2º - A defumação deve ser feita em estufas construídas para esta finalidade e realizada com a queima de madeiras não resinosas, secas e duras. Art Entende-se por bacon e por barriga defumada o corte da parte torácico abdominal do porco que inicia nos extremos até o púbis, com ou sem costelas, com músculos, tecido adiposo e pele, convenientemente curado e defumado. Parágrafo Único - O bacon e a barriga defumada podem ser preparados em fatias, acondicionados em papel impermeável. Art Entende-se por charque, sem qualquer outra especificação, a carne bovina salgada e dessecada. 1º - Quando a carne empregada não for de bovino, depois de designação charque deve-se esclarecer a espécie de procedência. 2º - Permite-se na elaboração do charque a pulverização do sal com soluções contendo substâncias aprovadas pela Inspeção Municipal, que se destine a evitar alterações de origem microbiana segundo técnica e proporções indicadas. Art O charque não deve conter mais de 45% (quarenta e cinco por cento) de umidade na porção muscular, nem mais de 15% (quinze por cento) de resíduo mineral fixo total, tolerando-se até 5% (cinco por cento) de variação. Parágrafo Único - O charque deve ser considerado alterado quando: I - o odor e o sabor estiverem desagradáveis e anormais; II - a gordura estiver rançosa; III - estiver amolecido, úmido e pegajoso; IV - apresentar áreas de coloração anormal; V - estiver seboso ; VI - apresentar larvas ou parasitas; VII - verificado outras anormalidades pela Inspeção Municipal. TÍTULO V INSPEÇÃO INDUSTRIAL E SANITÁRIA DO LEITE E DERIVADOS CAPÍTULO I LEITE EM NATUREZA Art Denomina-se leite, sem outra especificação, o produto normal fresco, integral oriundo da ordenha completa e ininterrupta de vacas, ovelhas e outras espécies que estiverem sadias. CAPÍTULO II DOS ESTABELECIMENTOS Art Os estabelecimentos de leite e derivados são classificados em: I - estâncias leiteiras; II - estabelecimentos industriais; 1º - Entende-se por estâncias leiteiras, propriedades rurais equipadas com instalações adequadas para o processamento de leite destinado ao abastecimento local. 2º - Entende-se por estabelecimentos industriais, os destinados ao recebimento de leite e derivados, para pasteurização, manipulação, conservação, fabricação, maturação, embalagem e expedição. Art O controle sanitário do rebanho será obrigatório e permanente, abrangendo as seguintes ações: I - vacinação contra brucelose, em todas as fêmeas bovinas na faixa etária de 03 a 08 meses; II - exame de brucelose com periodicidade semestral em todo rebanho com eliminação dos reagentes positivos; III - exame semestral de tuberculose para todos os animais do

29 rebanho bovino; IV - vacinação contra febre aftosa conforme calendário oficial; V - controle de mastite, incluindo o uso diário e individual de recipiente adequado, de fundo escuro para coleta e exame dos primeiros jatos de leite de cada teta e execução mensal do CMT (California Mastitis Test); VI - manutenção dos animais livres de parasitas e outras manifestações patológicas que comprometam a saúde do rebanho ou a qualidade do leite; Art É obrigatória a contratação de um médico veterinário para os estabelecimentos de leite e derivados. 1º - Ao responsável técnico compete a execução do programa de defesa sanitária e o controle de qualidade na fase de manipulação de produto. 2º - O controle de qualidade poderá ser executado por tecnólogo em laticínios ou técnico de nível médio habilitado. Art Os estabelecimentos produtores deverão manter o controle de qualidade do produto a ser comercializado, cabendo ao responsável técnico a coleta, acondicionamento e encaminhamento das amostras ao laboratório. 1º - As provas de acidez e fosfatase deverão ser realizadas rotineiramente. 2º - O órgão de inspeção realizará, a seu critério, coleta de amostras e as análises que julgar necessárias. Art Os animais deverão ser mantidos sobre rigoroso controle veterinário. Art É proibido o aproveitamento do leite de retenção e do colostro para fins de alimentação humana. Art É vedada a mistura de leite de espécies diferentes. Art É obrigatória a produção de leite em condições higiênicas desde a fonte de origem, seja qual for a quantidade produzida e o seu aproveitamento. Parágrafo Único - Esta obrigatoriedade se estende ao trato dos animais, à ordenha, ao vasilhame e ao transporte. Art Só se permite o aproveitamento do leite, quando as fêmeas: I - se apresentarem clinicamente sãs e em bom estado de nutrição; II - não estejam no período final de gestação, nem em fase de colostral; III - não apresentem reação positiva às provas biológicas do diagnóstico da brucelose, obedecidos aos dispositivos da legislação em vigor. 1º - Qualquer alteração no estado de saúde dos animais, capaz de modificar a qualidade do leite, justifica a condenação do produto para fins alimentícios. 2º - As fêmeas em tais condições devem ser afastadas do rebanho, em caráter definitivo ou provisório. 3º - Será interditada a propriedade rural, para efeito de aproveitamento do leite destinado à alimentação humana, quando se verificar qualquer surto de zoonoses. 4º - Durante a interdição da propriedade, poderá o leite ser empregado na alimentação de animais depois de submetido a fervura. 5º - A suspensão da interdição só poderá ser determinada após a constatação do restabelecimento completo dos animais. Art É obrigatório o afastamento da produção leiteira das fêmeas que: I - apresentem em estado de magreza extrema ou caquéticas; II - sejam suspeitas ou portadoras de doenças infectocontagiosas; III - se apresentam febris com mamites, diarreia, corrimento vaginal ou qualquer 29 manifestação patológica, a juízo da autoridade sanitária. Parágrafo Único - Os animais submetidos a tratamento com antibióticos ou químicoterápicos, ficarão afastados da produção por período a ser estipulado pelo técnico responsável, de forma a assegurar a ausência da droga no leite. Procedimento idêntico deve ser observado quando da utilização de vermífugos e carrapaticidas de uso sistêmico. Art É proibido ministrar alimentos que possam prejudicar os animais lactantes ou a qualidade do leite, incluindo-se nesta proibição substâncias estimulantes de qualquer natureza, capaz de provocarem aumento da secreção láctea. Higiene, devendo ser efetuada de forma total e ininterrupta com esgotamento total dos tetos, observando-se as seguintes condições: I - locais limpos e secos dentro das instalações ou em locais contíguos; II - animais limpos descansados, com úberes e tetos desinfetados; III - ordenhador asseado com roupas limpas, mãos e braços lavados e unhas cortadas, nos termos da legislação vigente; IV - a rejeição dos primeiros jatos de leite deve ser passado para outro vasilhame, previamente higienizado, através de tela milimétrica, convenientemente limpa momentos antes do uso. Art Todo vasilhame empregado no acondicionamento do leite, na ordenha ou para manutenção em depósito, devem atender ao seguinte: I - ser de aço inoxidável, alumínio, ferro estanhado ou plástico aprovado, de perfeito acabamento e sem falhas com formato que facilite sua lavagem e esterilização; II - estar convenientemente limpo no momento da ordenha, sendo devidamente lavado e higienizado após a utilização; III - possuir tampa de modo a evitar vazamento ou contaminações; IV - ser destinado exclusivamente ao transporte e depósito de leite; V - trazer identificação de procedência. 1º - Em se tratando da mistura de leite proveniente de diversos criadores é obrigatória a retirada prévia de amostras de cada produto para fins de análise individual. 2º - É proibido medir ou transvasar o leite em ambiente que o exponha a contaminação. CAPÍTULO III TRANSPORTE Art No transporte de leite das propriedades rurais aos locais de beneficiamento deverá ser observado a Instrução Normativa 62/11 do Ministério da Agricultura. Art O leite da vaca, cabra, ovelha e outras espécies só poderão ser enviados ao estabelecimento de comercialização, após a pasteurização. Art O leite somente poderá ser retido na propriedade quando pasteurizado e refrigerado. CAPÍTULO IV BENEFICIAMENTO Art Entende-se por beneficiamento do leite, seu tratamento desde a seleção, por ocasião da entrada em qualquer estabelecimento, até o acondicionamento final compreendendo uma ou mais das seguintes operações: I - filtração; II - pré-aquecimento; III - pasteurização; IV - refrigeração; V congelamento apenas para o leite de cabra; VI - acondicionamento; VII - outras práticas tecnicamente aceitáveis. Art É proibido o emprego de substâncias químicas na conservação do leite. Art O leite deve ser analisado na sua chegada, devendo apresentar acidez entre 15º a 18º Dornic, o que equivalerá ao teste álcool e alizarol negativo; em caso positivo, o leite deverá ter outro fim que não sejam a pasteurização e o envase, de acordo com a Instrução Normativa 51/02 do Ministério da Agricultura. Art Entende-se por filtração, a retirada das impurezas do leite, mediante centrifugação ou passagem por tela milimétrica, ou ainda tecido filtrante próprio. Art Todo leite destinado ao consumo deve ser filtrado, antes de qualquer operação de beneficiamento. Parágrafo Único - O filtro deve ser de fácil desmontagem para uma completa higienização. Art Entende-se por envazamento, a operação pela qual o leite é envasado higienicamente, de modo a evitar a contaminação, facilitar sua distribuição e excluir a possibilidade de fraude. Art Somente o leite de cabra poderá ser envasado manualmente em processos de pasteurização lenta, nas propriedades de produção própria. CAPÍTULO V EMBALAGEM DO PRODUTO FINAL Art O material para a embalagem do produto final deve ser armazenado e utilizado em condições satisfatórias, não podendo, em hipótese alguma, interferir com as características do produto, devendo ainda ser inviolável e garantir total integridade e conservação. Parágrafo Único - Os recipientes para embalagem deverão ser de uso único e descartável, não sendo permitido sua reutilização. Art O acondicionamento deverá ser efetuado de forma a impedir a contaminação do produto. Art Em atendimento às creches, escolas, hospitais, poderão ser aceitos recipientes que se destinem ao acondicionamento de volumes não convencionais de leite, desde que ofereçam total garantia de inviolabilidade. Art Os dizeres nas embalagens e na rotulagem, além das normas previstas na ANVISA e no INMETRO, devem conter I - prazo de validade; II - número de registro no rótulo; III - nome do produtor e endereço completo; IV - número de autorização; V - o rótulo com os dizeres leite de _ (o nome da espécie em questão); VI - a cor deverá ser de acordo com a padronização federal, ou seja: a) leite tipo A : cor azul; b) leite tipo B : cor verde; c) leite tipo C : cor cinza. VII - tipo de beneficiamento. Art O transporte do leite envasado deve ser feito em condições higiênicas que mantenham o leite à temperatura de estocagem. Art Não é permitida para fins de consumo in natura, a mistura de leite de espécies diferentes. CAPÍTULO VI PASTEURIZAÇÃO Art São permitidos os seguintes processos de pasteurização: I - pasteurização lenta: que consiste no aquecimento do leite de 62ºC a 65ºC por 30 (trinta) minutos, com a utilização de equipamento com agitador. II - pasteurização de curta duração ou rápida: que consiste no aquecimento do leite em camada laminar de 72ºC A 75ºC por 15 a 20 segundos em

30 aparelhagem própria. II - Análise Biológica: 30 VI - apresente mistura com qualquer outro tipo de leite. Art É proibida a repasteurização ao leite para fins de consumo. Art Admitem-se os processos de pasteurização lenta, de acordo com a Instrução Normativa 62/11 do Ministério da Agricultura Art Beneficiamento coletivo é aquele onde se processa o leite oriundo de mais de uma propriedade rural. Art Todo leite a ser transportado para o beneficiamento deverá ser imediatamente resfriado a temperatura máxima de 5ºC a partir do início da ordenha. Art Em se tratando da mistura de leite proveniente de diversos criadores é obrigatória a retirada prévia de amostras de cada produtor para fins de análises individuais de densidade e acidez. Parágrafo Único - Este processo de beneficiamento só poderá ser feito através do pasteurizador de placas. CAPÍTULO VII ARMAZENAGEM E COMERCIALIZAÇÃO Art A armazenagem deverá ser feita sob condições que evitem contaminação ou desenvolvimento de microrganismos, e que proteja de deteriorização o produto alimentar ou seu invólucro. Art A temperatura de armazenagem deve ser de 4ºC até sua expedição e atingir o estabelecimento comercial em temperatura não superior a 7ºC. Art A comercialização do leite deverá ser feita no prazo de 24 horas após sua pasteurização. CAPÍTULO VIII DA ANÁLISE Art Considera-se leite normal o produto que apresente: I - características normais: a) teor de gordura mínima de 3%; b) acidez em graus Dornic entre 15D e 18D; c) extrato seco total mínimo de 11,5%; d) densidade a 15ºC e 1033; e) índice crioscópio: mínimo - 0,55ºC; II - considera-se leite impróprio para o consumo aquele que: a) revele acidez inferior a 15ºD e superior a 18ºD; b) contenha colostro ou elementos figurados em excesso; c) o número total de germes for superior a UFC/ml na indústria após pasteurização; d) o número de germes termófilos e psicotróficos for superior a 10% (dez por cento) ao número de mesófilos; e) apresente elemento estranho a sua composição normal; f) revele presença de nitratos e nitritos; g) revele quaisquer alterações que o torne impróprio ao consumo, inclusive corpos estranhos de qualquer natureza; h) apresente mistura com qualquer outro tipo de leite. Art A análise do leite, seja qualquer o fim a que se destine, deve seguir a Instrução Normativa 62/11 do Ministério da Agricultura Art O leite pasteurizado para ser exposto ao consumo deve apresentar: I - Análise Físico-Química: a) crioscópica: - 0,54 a - 0,56 +/- (-0,55); b) densidade: a g/lt; c) acidez: 15ºD a 18º D; d) gordura: 3,0%; e) enzimafosfatase: negativa; f) peroxidade: positiva. a) contagem global de mesófilas: máxima UFC/ml; b) coliformes totais: tolerância de até 5 UFC/ml; c) coliformes fecais ausentes; d) bactérias patogênicas: ausentes. CAPÍTULO IX DA FRAUDE Art Considera-se fraudado, adulterado ou falsificado o leite que: I - sofrer adição de água ou leite de qualquer outra espécie animal; II - tiver sofrido subtração de qualquer dos seus componentes, inclusive a gordura; III - sofrer adição de substâncias conservadoras ou qualquer outro elemento estranho a sua composição; IV - estiver cru e for vendido como pasteurizado; V - for exposto ao consumo sem as devidas garantias de inviolabilidade. Art Só pode ser inutilizado o leite considerado impróprio para consumo ou fraudado, que a juízo dos fiscais, não possa ter aproveitamento condicional. Parágrafo Único - Considera-se aproveitamento condicional para: I - alimentação animal; II - fabricação de creme para manteiga. Art Não será permitida a exposição à venda de leite e seus derivados nos estabelecimentos comerciais que não disponham de sistema de frio exclusivo a sua conservação ou com uma seção para este fim, condicionada às peculiaridades da tecnologia especificada para cada produto. Art Só poderá ser beneficiado o leite considerado normal, proibindo-se beneficiamento do leite que: I - provenha de propriedades interditadas; II - revele presença de germes patogênicos; III - esteja adulterado ou fraudado, revele presença de colostro ou leite de retenção; IV - apresente modificações em suas propriedades organolépticas, inclusive impurezas de qualquer natureza e acidez inferior a 15ºD ou superior a 18ºD; V - revele na prova de redutase, contaminação excessiva, com descoramento em tempo inferior a 2 horas e meia; VI - não coagule pela prova do álcool e do alizarol. Art Para determinação do padrão bacteriológico e das enzimas do leite serão realizadas as seguintes análises: I - redutase; II - fosfatase; III - peroxidase; IV - contagem microbiana; V - teste de presença de coliformes. Art Para o leite pasteurizado a prova de fosfatase deve ser negativa e a de peroxidade positiva. Art Considera-se leite impróprio para o consumo innatura, o que não satisfaça as exigências previstas para sua produção e, ainda que: I - apresente acidez inferior a 14ºD e superior a 18º D; II - contenha colostro ou elementos figurados em excesso; III - o número total de germes for superior a antes e depois de pasteurizado; IV - apresente modificações de suas propriedades organolépticas normais. V - apresente quaisquer alterações que o torne impróprio ao consumo, inclusive corpos estranhos de qualquer natureza; Art É proibida a abertura de leite para venda fracionária do produto, salvo quando se destine ao consumo imediato nas leiterias, cafés, bares, restaurantes e outros estabelecimentos que sirvam refeições. TÍTULO VI EMBALAGEM E ROTULAGEM CAPÍTULO I EMBALAGEM Art Os produtos de origem animal destinados à alimentação humana só podem ser acondicionados ou embalados em recipientes ou continentes previstos neste Regulamento ou que venham a ser aprovados. Parágrafo Único - Quando houver interesse comercial, industrial ou sanitário, de acordo com a natureza do produto, poderá ser exigida embalagem ou acondicionamento estandartizado em formato, dimensão e peso. Art Recipientes anteriormente usados só podem ser aproveitados para o envasamento de produtos e matérias-primas utilizadas na alimentação humana, quando absolutamente íntegros, perfeitos e higienizados. Parágrafo Único - Em hipótese alguma podem ser utilizados, se anteriormente tenham sido empregados no acondicionamento de produtos e matérias-primas de uso não comestível. Art São permitidos como acondicionamentos, envoltórios e embalagens de matérias-primas de produtos de origem animal, de acordo com sua natureza: I - estoquinetes internamente e sacos de aniagem ou junta externamente, como envoltório de carnes frigoríficas destinadas ao consumo em natureza, bem como órgãos e vísceras; II - sacaria própria para carnes dessecadas; III - sacarias de aniagem, juta ou outros produtos destinados à lavoura, à indústria e à alimentação de animais; IV - tecidos próprios devidamente higienizados conforme a natureza do produto; V - tripas, bexigas e outras membranas animais para produtos embutidos; VI - películas artificiais aprovadas pela Secretaria de Infraestrutura; VII - lata de folhas de flandes para produtos em geral, de acordo com as especificações previstas neste Regulamento; VIII - vasilhame de aço inoxidável, permitindo-se, conforme o caso, ferro galvanizado ou estanhado; IX - recipientes de madeira ou de papelão; X - papel metálico, papel apergaminhado e outros aprovados; XI - recipientes de vidros; XII - caixas de madeira ou engradados de madeira conforme o caso; XIII - barricas, quartolas, bordalezas e similares; XIV - outros recipientes, vasilhames, continentes, ou embalagens autorizadas pela Secretaria de Infraestrutura. CAPÍTULO II ROTULAGEM Art Todos os produtos de origem animal entregues ao comércio devem estar identificados por meio de rótulos registrados, de acordo com o disposto neste Decreto e em conformidade com as Normas da ANVISA e do INMETRO. CAPÍTULO III CARIMBO DE INSPEÇÃO E SEU USO Art Os carimbos do Serviço de Inspeção Municipal,

31 representam a marca oficial usada exclusivamente nos estabelecimentos cadastrados na Secretaria de Infraestrutura, e a garantia de que o produto provém de estabelecimentos pela autoridade competente. Art O número do registro do Estabelecimento, as iniciais S.I.M, e a palavra INSPECIONADO tendo na parte superior a palavra OLHO D ÁGUA DO BORGES - RN, representam os elementos básicos que identificam a autenticidade do Carimbo Oficial da Inspeção Municipal. Art As iniciais S.I.M - traduzem SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNICIPAL. Art O Carimbo Oficial da Inspeção Municipal é representado pelos modelos a seguir discriminados, com os respectivos usos: I - Modelo 1: a) forma: elíptica no sentido horizontal; b) dizeres: Número do Registro do Estabelecimento em cima do da palavra INSPECIONADO, colocada Horizontalmente que acompanha a curva superior da Elipse, logo abaixo do número as iniciais S.I.M. acompanhando a curva inferior; c) dimensões e uso: 1. sete por cinco centímetros para uso em carcaças ou quartos de grandes animais sem condições de consumo em natureza, aplicado externamente sobre as massas musculares; 2. cinco por três centímetros para uso em carcaças de pequenos e médios animais e em cortes de carnes frescas ou frigoríficas de qualquer espécie de açougue. II - Modelo 2: a) forma: circular; b) dizeres: idem ao modelo anterior; c) dimensões e uso: o diâmetro varia de dois a trinta centímetros. Esse modelo cujas dimensões são escolhidas considerando-se a proporcionalidade com o tamanho da embalagem, compõe o rótulo registrado de produtos comestíveis de origem animal, manipulados e ou industrializados, inclusive caixas ou engradados contendo ovos, pescado, mel e cera de abelhas, podendo ser aplicado, conforme o caso, sob a forma de selo adesivo. III - Modelo 3: a) forma: quadrada, permitindo-se ângulos arredondados quando cravados em recipientes metálicos; b) dizeres: idênticos e na mesma ordem dos modelos anteriores e dispostos no sentido horizontal; c) dimensões e uso: os lados terão a dimensão variando de três a quinze centímetros. Esse modelo, cujas dimensões serão escolhidas considerandose a proporcionalidade com o tamanho da embalagem, comporá o rótulo registrado de produtos não comestíveis ou destinado à alimentação de animais. IV - Modelo 4: a) forma elíptica, no sentido vertical; b) dizeres: Número de Registro de Estabelecimento, isolado e encimado das iniciais S.I.M e da palavra OLHO D ÁGUA DO BORGES - RN, colocados no sentido horizontal e logo abaixo a palavra CONDENADO acompanhando a curva inferior da elipse; c) dimensões de uso: sete por seis centímetros para uso em carcaças, cortes e produtos diversos quando condenados pela Inspeção. V - Modelo 5: a) forma: circular; b) dizeres: Número de Registro do Estabelecimento isolado e encimado das iniciais S.I.M, colocadas horizontalmente e da palavra OLHO D ÁGUA DO BORGES - RN, acompanhando a curva superior do círculo e logo abaixo do número a palavra REINSPECIONADO, acompanhando a curva inferior do círculo; c) dimensões e uso: o diâmetro varia de dois a trinta centímetros para o uso em produtos de origem animal comestíveis após a reinspeção e usando-se as dimensões proporcionais ao volume do produto a ser carimbado. 31 Art A carimbagem deve ser acompanhada por um funcionário do S.I.M. Art A tinta utilizada na carimbagem deve ser a base de violeta de metila. Art O carimbo e a tinta quando fora dos trabalhos deverão ficar sob guarda e responsabilidade do S.I.M. TÍTULO VII REINSPEÇÃO INDUSTRIAL E SANITÁRIA DOS PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL Art Os produtos de origem animal devem ser reinspecionados tantas vezes quanto necessário, antes de serem expedidos pela fábrica para o consumo. 1º - Os produtos e matérias-primas que nessa reinspeção forem julgados impróprios para o consumo devem ser destinados ao aproveitamento como subprodutos industriais derivados não comestíveis a alimentação animal, depois de retiradas as marcas oficiais e submetidos a desnaturação se for o caso. 2º - Quando os produtos e matérias-primas ainda permitam aproveitamento condicional ou beneficiamento, a Inspeção Municipal deve autorizar que sejam submetidos aos processos apropriados, reinspecionandos-os antes da liberação. Art Nenhum produto de origem animal pode ter entrada em estabelecimento sob Inspeção Municipal, sem que seja claramente identificado como oriundo de outro estabelecimento inspecionado. Parágrafo Único - É proibido o retorno ao estabelecimento de origem dos produtos que, na reinspeção sejam considerados impróprios para o consumo devendo-se promover sua transformação ou inutilização. Art Na reinspeção de carne em natureza ou conservada pelo frio, deve ser condenada a que apresente qualquer alteração que faça suspeitar processo de putrefação, contaminação biológica, química ou indícios de zoonoses. 1º - Sempre que necessário a Inspeção verificará o ph sobre o extrato aquoso da carne. 2º - Sem prejuízo da apreciação dos caracteres organolépticos e de outras provas, a Inspeção adotará ph entre 6,0 e 6,4 (seis e seis quatro décimos) para considerar a carne ainda em condições de consumo. Art Nos entrepostos onde se encontrem depositados produtos de origem animal procedentes de estabelecimentos sob Inspeção Municipal ou S.I.F, bem como nos demais locais, a reinspeção deve especialmente visar: I - sempre que possível conferir o certificado da sanidade que acompanha o produto; II - identificar os rótulos com a composição e marcas oficiais dos produtos, bem como a data de fabricação prazo de validade, número de lote e informações sobre a conservação do produto; III - verificar as condições de integridade dos envoltórios, recipientes e sua padronização; IV - verificar os caracteres organolépticos sobre uma ou mais amostras, conforme o caso; V - coletar amostras para o exame físico-químico e microbiológico. 1º - A amostra deve receber uma fita envoltória aprovada pela Secretaria de Infraestrutura, claramente preenchida em todos os seus itens e assinada pelo interessado e pelo funcionário que coleta a amostra. 2º - Sempre que o interessado desejar, a amostra pode ser coletada em triplicata com os mesmos cuidados de identificação assinalados no parágrafo anterior representando uma delas a contra prova que permanecerá em poder do interessado, lavrando-se um termo de coleta de duas vias, uma das quais será entregue ao interessado. 3º - Tanto a amostra como a contra prova devem ser colocadas em envelopes apropriados aprovados pela Secretaria de Infraestrutura, serem fechados, lacrados e rubricados pelo interessado e pelo funcionário. 4º - Em todos os casos de reinspeção as amostras terão preferência para exame. 5º - Quando o interessado divergir do resultado do exame pode requerer dentro do prazo de 48 (quarenta e oito) horas, a análise de contra prova. 6º - O requerimento será dirigido ao Diretor do Departamento de Serviço de Inspeção Municipal. 7º - O exame da contra prova pode ser realizado em qualquer laboratório oficial com a presença de um representante da respectiva Inspetoria Municipal. 8º - Além de escolher o laboratório oficial para exame de contra prova o interessado pode fazer-se representar por um técnico de sua preferência e confiança. 9º - Confirmada a condenação do produto ou partida a Inspetoria Municipal determinará sua destinação. TÍTULO VIII EXAMES DE LABORATÓRIO Art Os produtos de origem animal prontos para consumo, bem como toda e qualquer substância que entre em sua elaboração, estão sujeitos a exames tecnológicos, químicos e microbiológicos. Art As técnicas de exames e a orientação analítica serão padronizadas de acordo com a Legislação Federal. Art Os exames de caráter tecnológico visarão a técnica da elaboração dos produtos de origem animal em qualquer de suas fases. Parágrafo Único - Sempre que houver necessidade o laboratório pedirá informações, a Inspeção Municipal junto ao estabelecimento produtor. Art O exame químico compreende: I - os caracteres organolépticos; II - princípios básicos ou composição centesimal; III - índices físicos e químicos; IV corantes, conservantes ou outros aditivos; V - provas especiais de caracterização e verificação de qualidade; VI - exame químico da água que abastece os estabelecimentos sob Inspeção Municipal. Parágrafo Único - Os caracteres organolépticos, a composição centesimal e os índices físico-químicos serão nos padrões normais aprovados. Art A orientação analítica obedecerá a seguinte seriação: I - caracteres organolépticos; II - pesquisa de corante e conservante; III - determinação de fraudes, falsificação e alterações; IV - verificação dos mínimos e máximos constantes deste Regulamento, louvando-se no conjunto de provas e nos elementos que constam das técnicas analíticas que acompanham este Regulamento. Parágrafo Único - A variação anormal de qualquer índice (iodo, refração, saponificação e outros) será convenientemente pesquisada, para apuração das causas. Art O exame microbiológico deve verificar: I - presença de germes, quando se tratar de conservas submetidas à esterilização; II - presença de produtos de metabolismo bacteriano, quando necessário; III - contagem global de germes sobre produtos de origem animal; IV - pesquisa de contagem da flora de contaminação; V - pesquisa da flora patogênica; VI - exame bacteriológico de água que abastece os estabelecimentos sob Inspeção Municipal; VII - exame bacteriológico de matérias primas e produtos afins empregados na elaboração de produtos de origem animal. Art Quando necessário, os laboratórios podem recorrer a outras técnicas de exame, além das adotadas oficialmente pelo Serviço de

32 Inspeção mencionando-as obrigatoriamente nos respectivos laudos. TÍTULO VIII DISPOSIÇÕES GERAIS Art As carnes que, mediante avaliação técnica constatada por laudo veterinário, não ofereçam segurança à saúde dos usuários serão inutilizados, após lavrado o auto de apreensão e inutilização. 1º - A inutilização deverá se acompanhada pelo proprietário do estabelecimento ou representante legal. 2º - Caso o proprietário ou seu representante legal estiver impossibilitado de acompanhar o processo de inutilização do produto apreendido, o fato deverá constar por escrito no auto de apreensão e inutilização. Art Os servidores das Secretarias de Infraestrutura e da Saúde/Vigilância Sanitária, a serviço da Inspeção Municipal têm livre acesso, em qualquer dia ou hora, em qualquer estabelecimento abrangido por este decreto. Art Nos estabelecimentos sob Inspeção Municipal, a fabricação dos produtos não padronizados somente será permitida depois de previamente aprovada a respectiva fórmula pela Secretaria de Infraestrutura e/ou do Departamento de Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde. Art O exame do leite será realizado de forma individual ou coletiva, observando-se os seguintes procedimentos: I - para amostras individuais serão colhidas em cada latão, por procedência; II - as amostras para exame coletivo serão colhidas na proporção de 10% (dez por cento) dos latões, por procedência e devidamente homogeneizadas. Art No caso de suspeita ou verificação de moléstia infectocontagiosa, infecciosa e parasitária, indicadas por provas biológicas, em animais nas propriedades rurais, sob fiscalização Municipal ficarão sob o controle veterinário, não podendo seu proprietário ou responsável movimentá-los sem autorização. Art Para identificação dos queijos, demais derivados do leite e produtos artesanais, os produtores serão cadastrados na Secretaria de Infraestrutura, mediante decreto do Prefeito Municipal, que baixará as instruções necessárias, obedecida à legislação sanitária vigente. Art Poderão existir nas propriedades rurais, estabelecimentos destinados ao processamento artesanal de produtos de origem animal, que deverão atender a todas as exigências técnico-sanitárias regulamentares. Art Os estabelecimentos oficiais e paraestatais do Município de OLHO D ÁGUA DO BORGES RN se equiparam aos estabelecimentos particulares, em se tratando da observância das disposições deste regulamento. Art Serão solicitadas às autoridades de saúde pública estadual o federal, as medidas necessárias visando a uniformidade nos trabalhos de fiscalização sanitária e industrial estabelecidas neste regulamento. Art Os casos omissos a este regulamento serão resolvidos de acordo com a Legislação Federal vigente. Art Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Prefeitura do Olho d Água do Borges RN, 23 de março de BRENNO OLIVEIRA QUEIROGA DE MORAIS CPF Nº Prefeito BRENO TAVARES NUNES Código Identificador: 5D0F6DCF PORTARIA Nº 100/2015 O Sr. Prefeito do Olho d Água do Borges, no uso de suas atribuições, resolve: 32 Art. 1º Nomear o THIAGO ESCOLÁSTICO PAULINO LEITE, CPF nº , como Técnico Administrativo do Serviço de Inspeção Municipal S.I.M., delegando-lhe todas as competências inerentes ao cargo. Art. 2º A presente Portaria entrará em vigor na data de sua publicação. Publique-se, e Cumpra-se Olho d Água do Borges RN, 23 de março de BRENNO OLIVEIRA QUEIROGA DE MORAIS CPF Nº Prefeito BRENO TAVARES NUNES Código Identificador: 544D62D9 PORTARIA Nº 101/2015 O Sr. Prefeito do Olho d Água do Borges, no uso de suas atribuições, resolve: Art. 1º Nomear o Sr. IENILTON ALVES GURGEL, CPF nº , como Auxiliar de Inspeção do Serviço de Inspeção Municipal S.I.M., delegando-lhe todas as competências inerentes ao cargo. Art. 2º A presente Portaria entrará em vigor na data de sua publicação. Publique-se, e Cumpra-se Olho d Água do Borges RN, 23 de março de BRENNO OLIVEIRA QUEIROGA DE MORAIS CPF Nº Prefeito BRENO TAVARES NUNES Código Identificador: 6BD05BA3 PORTARIA Nº 102/2015 O Sr. Prefeito do Olho d Água do Borges, no uso de suas atribuições, resolve: Art. 1º Nomear o Sr. ANTÔNIO LEANDRO FERREIRA DA COSTA, CPF nº , como Médico Veterinário do Serviço de Inspeção Municipal S.I.M., delegando-lhe todas as competências inerentes ao cargo. Art. 2º A presente Portaria entrará em vigor na data de sua publicação. Publique-se, e Cumpra-se Olho d Água do Borges RN, 23 de março de BRENNO OLIVEIRA QUEIROGA DE MORAIS CPF Nº Prefeito BRENO TAVARES NUNES Código Identificador: 48186B6D PREFEITURA MUNICIPAL DE PARELHAS FUNDO DE SAÚDE DO MUNICIPIO DE PARELHAS PROCESSO Nº 0061/2014 PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/ FUSAM - CONTRATO Nº 001/2015 CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM O FUNDO DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE PARELHAS/RN - FUSAM E SERQUIP TRATAMENTO DE RESÍDUOS RN LTDA, PARA A EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS DE COLETA, TRANSPORTE, TRATAMENTO POR DESTRUIÇÃO TÉRMICA (INCINERAÇÃO), E DESTINAÇÃO FINAL DO LIXO HOSPITALAR. De um lado o FUNDO DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE PARELHAS/RN-FUSAM, inscrito no CNPJ/MF sob n / , com sede a Rua Manoel de Azevedo, nº 231, Bairro Centro, Parelhas/RN, CEP: , aqui denominada de CONTRATANTE, neste ato representado por seu Secretário Municipal de Saúde, Gestor do Fundo, TARCÍSIO DA COSTA CLEMENTINO, brasileiro, casado, DI nº SSP/RN, CPF nº , residente e domiciliado a Rua Manoel de Azevedo, nº 82, Bairro Centro, Parelhas/RN, CEP nº , aqui denominados ambos de CONTRATANTE, e do outro a empresa SERQUIP TRATAMENTO DE RESÍDUOS RN LTDA, inscrita no CNPJ/CPF sob nº / , com endereço à Rodovia RN, Loteamento Jardim, Quadra 21, S/N, Distrito Industrial, São Gonçalo do Amarante/RN, CEP , aqui denominada de CONTRATADA, neste ato representada pelo seu procurador, o Senhor Ricardo Dantas de Araújo Junior, brasileiro, divorciado, CPF nº: /53, DI nº: SSP/RN, residente e domiciliado a Av. Maria Lacerda, nº Cond. Residencial Santa Cecilia, Apto. 302, Nova Parnamirim/RN, CEP , acordam e ajustam firmar o presente Contrato, decorrente do resultado da licitação, modalidade PREGÃO PRESENCIAL, do tipo MENOR PREÇO POR ITEM, nos termos da Lei n.º 8.666/93 e suas alterações, Lei nº /2002, Decreto Municipal n 003/2007 e suas alterações, assim como pelas condições do Edital de PREGÃO PRESENCIAL N 016/2014, conforme cláusulas a seguir expressas, definidoras dos direitos, obrigações e responsabilidades das partes. CLÁUSULA PRIMEIRA: DO OBJETO E EXECUÇÃO 1. - O presente Contrato tem por objeto os SERVIÇOS DE COLETA, TRANSPORTE, TRATAMENTO POR DESTRUIÇÃO TÉRMICA (INCINERAÇÃO), E DESTINAÇÃO FINAL DO LIXO HOSPITALAR. CLÁUSULA SEGUNDA - LEGISLAÇÃO APLICÁVEL E DA VINCULAÇÃO DO CONTRATO A legislação aplicável a este Contrato é a constante da Lei Federal nº /2002, Lei Federal nº 8.666/1993 e suas alterações, Decreto Municipal n 003/2007, Edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/2014 e demais disposições aplicáveis a Licitação e Contratos Administrativos, bem como as Cláusulas deste instrumento e, supletivamente, os princípios da teoria geral dos contratos e as disposições de direito privado Os casos omissos que se tornarem controvertidos em face das cláusulas do presente contrato serão resolvidos segundo os princípios jurídicos aplicáveis, por despacho fundamentado por assessor jurídico desta municipalidade. CLÁUSULA TERCEIRA - SUBORDINAÇÃO ÀS NORMAS LEGAIS E CONTRATUAIS As partes se declaram sujeitas às normas previstas à Lei Federal nº /2002, Lei Federal nº 8.666/93 e alterações, Decreto Municipal nº 003/2007 e ao Edital de PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/2014 e às cláusulas expressas neste Contrato. CLÁUSULA QUARTA - OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA Constituem obrigações da CONTRATADA, além das demais previstas neste Contrato: Executar os serviços, conforme Termo de Referência; Responsabilizar-se por todos e quaisquer prejuízos causados ao CONTRATANTE ou a terceiros durante a vigência do presente contrato, bem como os relativos à omissão pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais, comerciais e quaisquer outras exigências legais inerentes a este instrumento; Cumprir todas as especificações previstas no Edital de PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/2014 que deu origem ao presente instrumento Reparar, corrigir, remover ou substituir, às suas expensas, no total ou em parte, os serviços em que se verifiquem vícios, defeitos ou incorreções resultantes da execução. CLÁUSULA QUINTA - OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE Constituem obrigações da CONTRATANTE além das demais previstas neste Contrato: Cumprir todos os compromissos financeiros assumidos com a CONTRATADA, efetuando os pagamentos de acordo com a Cláusula Nona; Fornecer e colocar à disposição da CONTRATADA todos os elementos e informações que se fizerem necessários à execução deste contrato; Notificar, formal e tempestivamente, a CONTRATADA sobre as irregularidades observadas no cumprimento deste contrato; Notificar a CONTRATADA, por escrito e com antecedência, sobre multas, penalidades e quaisquer débitos de sua responsabilidade; Fiscalizar a execução do presente contrato; A fiscalização de que trata o subitem acima não exclui nem reduz a responsabilidade da CONTRATADA pelos danos causados diretamente à CONTRATANTE ou a terceiros, decorrentes de sua culpa ou dolo na execução deste contrato em conformidade com o Artigo 70, da Lei Federal nº 8.666/93 e alterações Enviar os arquivos de Nota Fiscal Eletrônica com extensão XML para o CLÁUSULA SEXTA - DA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS A Execução dos serviços deverão ser realizados a partir do 1º dia útil a partir da data de assinatura do contrato em conformidade com o Edital do Pregão Presencial nº 016/2014, sem quaisquer ônus adicionais para as contratantes Os serviços deverão ser executados nos locais indicados pela Contratante. A execução do objeto do presente Contrato deverá ser efetuada de acordo com as solicitações do(s) órgão(s) participante(s). CLÁUSULA SÉTIMA - FISCALIZAÇÃO No desempenho de suas atividades, é assegurado ao órgão fiscalizador o direito de verificar a perfeita execução do presente ajuste em todos os termos e condições A ação ou omissão total ou parcial do órgão fiscalizador não eximirá a CONTRATADA da responsabilidade de executar os serviços com toda cautela e boa técnica Verificada a ocorrência de irregularidade no cumprimento do contrato, a fiscalização tomará as providências legais e contratuais cabíveis, inclusive quanto à aplicação das penalidades previstas no presente contrato, na Lei Federal nº

33 8.666/93 e alterações, Lei Federal nº /2002 e suas alterações posteriores e no Decreto Municipal nº 003/ A fiscalização por parte da CONTRATANTE não eximirá ou reduzirá em nenhuma hipótese, as responsabilidades da empresa contratada em eventual falta que venha a cometer, mesmo que não indicada pela fiscalização. CLAUSULA OITAVA - DOS RECURSOS FINANCEIROS E ORÇAMENTÁRIOS A fonte de recursos financeira para pagamento das despesas do presente contrato será oriunda de: Recursos Próprios do Município Recursos do Fundo Municipal de Saúde; As despesas referentes ao objeto deste contrato, correrão à conta dos recursos do Orçamento Geral do Município, Exercício 2015, na(s) seguinte(s) dotação (ões): PROJETO/ATIVIDADE: e e NATUREZA DE DESPESA: CLÁUSULA NONA - VALOR, CONDIÇÕES DE PAGAMENTO E REAJUSTE O valor do presente contrato é da importância de R$ (Setenta e seis mil e quinhentos reais) O pagamento será efetuado em até 30 (trinta) dias, contados a partir da apresentação da nota fiscal/recibo fatura de serviços, e após comprovado o efetivo recebimento e aceitação. Devendo ser anexada a nota fiscal/recibo fatura de serviços os seguintes documentos: Certidão Conjunta Negativa de Débitos relativa a Tributos Federais e à Dívida Ativa da União Certidão Conjunta Negativa de Débitos relativos a Tributos Estaduais e à Dívida Ativa do Estado, para as empresas com sede no Rio Grande do Norte Para as empresas sediadas em outros estados apresentar certidão ou outro documento que a substitua, comprovando a mesma está com a situação regular perante a fazenda estadual; Certidão negativa ou positiva com efeitos de negativa junto a fazenda municipal; Prova de regularidade relativa à Seguridade Social, expedida pelo Instituto Nacional da Seguridade Social-INSS; Prova de regularidade do Fundo de Garantia por tempo de serviço - FGTS (Certificado de Regularidade do FGTS - CRF), emitida pela Caixa Econômica Federal Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas O pagamento será feito mediante crédito em conta corrente em nome da Contratada ou através de Cheque Nominal à mesma Não serão efetivados pagamentos em relação às Notas Fiscais enviadas através de boletos bancários, uma vez que o município não atua com essa modalidade de pagamento Não será admitido reajuste de preços no valor do presente contrato Nas hipóteses previstas no Artigo 65, inciso II, alínea d da Lei nº 8.666/93, a Contratante poderá promover o equilíbrio econômico-financeiro do contrato, mediante solicitação fundamentada e aceita pela Administração No caso de solicitação de revisão de preço por parte da Contratada, a mesma deverá demonstrar de forma clara, por intermédio de planilhas de custo, a composição do novo preço Na análise da solicitação, dentre outros critérios, o Contratante adotará, além de ampla pesquisa de preços em empresas de reconhecido porte mercantil, índices setoriais adotados pelo Governo Federal Conforme permite a legislação em vigor o presente contrato poderá sofrer acréscimos ou supressões de até 25% (vinte e cinco por cento) do seu valor. CLÁUSULA DÉCIMA - VIGÊNCIA O contrato em apreço terá vigência de 24 (vinte e quatro) meses, contados a partir da data de sua assinatura. CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - SANÇÕES ADMINISTRATIVAS O licitante que se recusar a assinar o Contrato injustificadamente, falhar ou fraudar a sua execução, fizer declaração falsa ou cometer fraude fiscal, garantido o direito prévio da citação e ampla defesa, ficará impedido de licitar e contratar com a Administração Pública pelo prazo de até 05 (cinco) anos, enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até que seja proferida a reabilitação perante a própria autoridade que aplicou a penalidade, sem prejuízo das multas previstas neste edital, além de outras cominações legais, nos termos do Art. 7º, caput, da Lei nº / Atrasar injustificadamente o início do fornecimento dos produtos após o prazo preestabelecido no sub item 6.2, deste contrato, sujeitará a contratada a multa sobre o valor do contrato, na forma estabelecida a seguir: % (um por cento) por dia de atraso, até 5 (cinco) dias; ,5 % (dois e meio por cento) a partir do 5º (quinto) dia, configurando-se após esse prazo a inexecução do contrato As multas a que se refere o item acima incidem sobre o valor do contrato e serão descontadas dos pagamentos eventualmente devidos pelo Município de Parelhas ou quando for o caso, cobradas judicialmente Pela inexecução total ou parcial do contrato a Administração poderá aplicar as seguintes sanções: Advertência Multa por inexecução contratual no percentual de 20% (vinte por cento), calculada sobre o valor do contrato; Suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de contratar com a Administração por período não superior a (05) cinco anos; e Declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública. CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA - RESCISÃO O presente contrato poderá ser rescindido pelos motivos previstos nos art. 77, 78 e 79, da Lei n.º 8.666/93 e suas alterações A rescisão acarretará, independentemente de qualquer procedimento judicial ou extrajudicial por parte da CONTRATANTE, a retenção dos créditos decorrentes deste contrato, limitada ao valor dos prejuízos causados, além das sanções previstas neste ajuste, até a completa indenização dos danos Fica expressamente acordado que, em caso de rescisão, nenhuma remuneração será cabível, a não ser o ressarcimento de despesas autorizadas pela CONTRATANTE e, comprovadamente realizadas pela CONTRATADA, previstas no presente contrato. CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - ALTERAÇÕES O presente Contrato poderá ser alterado para ajuste de condições supervenientes que impliquem em modificações nos casos previstos nos Diplomas Legais pertinentes à matéria. CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - FORO Fica eleito o foro da Comarca de Parelhas, Estado do Rio Grande do Norte, para dirimir dúvidas ou questões oriundas do presente Contrato E por estarem justas e contratadas, as partes assinam o presente Instrumento Contratual em 02 (duas) vias iguais e rubricadas para todos os fins de direito, na presença das testemunhas abaixo. Parelhas/RN, 20 de fevereiro de Tarcísio da Costa Clementino FUNDO DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE PARELHAS/RN- FUSAM Contratante Ricardo Dantas de Araújo Junior SERQUIP TRATAMENTO DE RESÍDUOS RN LTDA Contratada Testemunhas: ITAMAR PEREIRA DANTAS Código Identificador: 4A78FC2C SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS PROCESSO Nº 020/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº 001/2015-FUSAM REGISTRO DE PREÇOS Ata de Registro de Preços nº 005/ FUSAM De um lado o FUNDO DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE PARELHAS/RN-FUSAM, inscrito no CNPJ/MF sob n / , com sede a Rua Manoel de Azevedo, nº 231, Bairro Centro, Parelhas/RN, CEP: , aqui denominada de CONTRATANTE, neste ato representada pelo seu Gestor o Sr. TARCÍSIO DA COSTA CLEMENTINO, brasileiro, casado, DI nº SSP/RN, CPF nº , residente e domiciliado a Rua Manoel de Azevedo, nº 82, Bairro Centro, Parelhas/RN, CEP nº , doravante denominado CONTRATANTE e do outro a empresa NORDESTE TURISMO LTDA, inscrita no CNPJ sob nº / , com endereço à Rua Irene Bezerra Duarte, n 112, Bairro Cruz do Monte, Parelhas/RN, representada neste ato pelo Sr. Samuel Vasconcelos da Silva, CPF: , RG: SSP/RN, residente e domiciliado à Rua Irene Bezerra Duarte, n 112, Bairro Cruz do Monte, Parelhas/RN, doravante denominada CONTRATADA, de acordo com a Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993 e suas alterações, o Decreto Municipal nº 014/2013, Decreto Municipal nº 003/2007 e alterações, têm entre si justo e contratado o que se segue: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O objeto desta Ata é o REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA E EVENTUAL CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CONDUÇÃO DE PACIENTES, com destino a cidade de Natal/RN, devidamente quantificados e especificados na proposta comercial de preços apresentada no Pregão Presencial nº 001/2015-REGISTRO DE PREÇOS, a qual passa a fazer parte deste documento Os preços da CONTRATADA, constantes desta Ata de Registro de Preços, ficam declarados registrados para fins de cumprimento deste instrumento A existência de preços registrados não obriga os órgãos participantes a firmarem as contratações que deles poderão advir, ficando-lhes facultado a utilização de outras licitações, sendo assegurado ao beneficiário do registro preferência em igualdade de condições Fica a CONTRATADA obrigada a aceitar, nas mesmas condições licitadas os acréscimos que se fizerem necessários nas aquisições, até 25% (vinte e cinco por cento) do valor inicial. CLÁUSULA SEGUNDA - DA VALIDADE DO REGISTRO DE PREÇOS 2.1- O registro de preços formalizado na presente Ata terá validade de 1 (um) ano, cujo termo inicial será a data de sua assinatura, permanecendo em vigor os mesmos preços e condições observados no Pregão Presencial nº 001/2015- REGISTRO DE PREÇOS. CLÁUSULA TERCEIRA - DOS ÓRGÃOS INTEGRANTES 3.1- Integram o presente Registro de Preços o Fundo de Saúde do Município de Parelhas onde o órgão gerenciador será a Coordenadoria de Compras e Serviços da Secretaria Municipal de Administração. Respeitadas as disposições legais vigentes, poderão também integrar extraordinariamente, outras Prefeituras e Câmaras Municipais, desde que solicitado e devidamente protocolado em processo administrativo. CLÁUSULA QUARTA - DOS PREÇOS E CONDIÇÕES DE PAGAMENTO O valor da presente Ata perfaz a quantia total de R$ ,80 (Quatrocentos e trinta e seis mil, quatrocentos e noventa e oito reais e oitenta centavos), conforme valores constantes na proposta comercial de preços apresentada pela CONTRATADA no Pregão Presencial nº 001/2015-REGISTRO DE PREÇOS, reproduzidos no mapa de apuração Os preços registrados manter-se-ão fixos e irreajustáveis durante a validade desta Ata Nas hipóteses previstas no Artigo 65, inciso II, alínea d da Lei nº 8.666/93, o órgão gerenciador poderá promover o equilíbrio econômico-financeiro do contrato, mediante solicitação fundamentada e aceita pela Administração No caso de solicitação de revisão de preço por parte do prestador dos serviços, o mesmo deverá demonstrar de forma clara, por intermédio de planilhas de custo, a composição do novo preço. Na análise da solicitação, dentre outros critérios, o Órgão Gerenciador adotará, além de ampla pesquisa de preços em empresas de reconhecido porte mercantil, índices setoriais adotados pelo Governo Federal Não serão concedidas revisões de preços sobre as parcelas do objeto já adquiridas ou empenhadas Sendo julgada procedente a revisão, será mantido o mesmo percentual diferencial entre os preços de mercado e os propostos pelo licitante à época da realização deste certame licitatório A deliberação de deferimento ou indeferimento do pedido será divulgada em até 15 (quinze) dias. Nesse período, é vedado à contratada interromper o fornecimento enquanto aguarda o trâmite do processo de revisão de preços O pagamento será efetuado de acordo com o previsto no item 13 do Edital do Pregão Presencial nº 001/2015-FUSAM- REGISTRO DE PREÇOS. CLÁUSULA QUINTA - DA CONTRATAÇÃO Durante a validade do registro, a CONTRATADA poderá ser convidada pelos órgãos integrantes a firmar contratações de prestação dos serviços do objeto licitado A efetivação da contratação dos serviços se caracterizará pela assinatura de termo de contrato ou pelo simples recebimento pelo prestador dos serviços da Nota de Empenho/Ordem de Serviço emitida pelo órgão requisitante do objeto A recusa em assinar o contrato ou em receber a Nota de Empenho correspondente, implicará na inexecução total do compromisso assumido, sujeitando-se o contratado à aplicação das sanções previstas nesta Ata e no Edital do Pregão Presencial nº 001/2015-REGISTRO DE PREÇOS Os compromissos contratuais firmados entre as empresas vencedoras e os órgãos integrantes do Registro de Preços serão: o Edital e seus anexos, a documentação apresentada pelo Licitante, a Ata de Registro de Preços e a Nota de Empenho emitida em favor do mesmo, independentemente de outras transcrições. CLÁUSULA SEXTA DA EXECUÇÃO 6.1- A execução do objeto da presente ata deverá ser efetuada de acordo com as solicitações do(s) órgão(s) participante(s), em conformidade com o Anexo I ao Edital do Pregão Presencial nº 001/2015-REGISTRO DE PREÇOS, sem quaisquer ônus adicionais para as contratantes, incluindo-se nos preços registrados todos os custos de transportes, carga e descarga, seguro de transporte dos veículos até o local de entrega, bem como testes de campo, leis sociais, tributos e quaisquer outros encargos que incidam sobre os bens O objeto desta licitação será executado a partir do 1º dia útil subseqüente a data de recebimento da ordem de serviço, conforme solicitações da CONTRATANTE O horário para execução será de acordo com os determinados pela parte CONTRATANTE. CLÁUSULA SÉTIMA - DO CANCELAMENTO DA ATA A presente Ata poderá, a critério da Administração, ser parcial ou totalmente cancelada quando o prestador dos serviços descumprir as condições da mesma, não retirar a nota de empenho no prazo estipulado, não reduzir o preço registrado quando este se tornar superior aos de mercado, ou ainda, por razões de interesse público, sem que lhe seja devida nenhuma indenização Quando os preços de mercado se tornarem superiores aos

34 preços registrados e o prestador dos serviços, mediante requerimento devidamente comprovado pela Administração, não puder cumprir o compromisso assumido, o órgão gerenciador poderá revogar o registro do prestados dos serviços, convocando os demais prestadores visando igual oportunidade de negociação. 7.3 A Presente Ata será cancelada conforme disposições no Decreto Municipal nº 014/2013. CLÁUSULA OITAVA - DAS SANÇÕES Quem, convocado dentro do prazo de validade de sua proposta, não celebrar o contrato, deixar de entregar ou apresentar documentação falsa exigida para o certame, ensejar o retardamento da execução de seu objeto, não mantiver a proposta, falhar ou fraudar na execução do contrato, comportarse de modo inidôneo ou cometer fraude fiscal, ficará impedido de licitar e contratar com a União, Estados, Distrito Federal e Municípios, ou nos sistemas de cadastramento de fornecedores/prestadores de serviços a que se refere o inciso XIV do Artigo 4º da Lei nº , de 17 de julho de 2002, pelo prazo de 05 (cinco) anos, sem prejuízo das multas previstas no Edital do Pregão Presencial nº 001/2015-REGISTRO DE PREÇOS e no contrato e das demais cominações legais, garantido o direito prévio da citação e da ampla defesa As penalidades serão, obrigatoriamente, registradas no(s) órgão(s) participante(s), no caso de suspensão de licitar, o licitante deverá ser descredenciado por igual período, sem prejuízo das multas previstas no edital e no contrato e das demais cominações legais. A Administração poderá aplicar as seguintes penalidades, garantidas a prévia defesa: No Atraso injustificado o início do fornecimento dos produtos após o prazo preestabelecido no sub item 6.2, da ata de registro de preços, sujeitará a contratada a multa sobre o valor da ata, na forma estabelecida a seguir: % (um por cento) por dia de atraso, até 5 (cinco) dias; ,5 % (dois e meio por cento) a partir do 5º (quinto) dia até o 15º (décimo quinto) dia, configurando-se após esse prazo a inexecução do contrato As multas a que se refere o item acima incidem sobre o valor do contrato e serão descontadas dos pagamentos eventualmente devidos pelo Fundo de Saúde do Município de Parelhas ou quando for o caso, cobradas judicialmente Pela inexecução total ou parcial da ata de registro de preços a Administração poderá aplicar as seguintes sanções: Advertência Multa por inexecução no percentual de 20% (vinte por cento), calculada sobre o valor da ata; Suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de contratar com a Administração por período não superior a (05) cinco anos; e Declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública. CLÁUSULA NONA - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Integram esta Ata, o Edital do Pregão Presencial nº 001/2015-REGISTRO DE PREÇOS e a proposta comercial de preços da parte CONTRATADA. CLÁUSULA DECIMA - DO FORO Fica eleito o foro da Comarca de Parelhas (RN), como competente para dirimir questões decorrentes do cumprimento desta Ata de Registro de Preços, renunciando as partes a qualquer outro, por mais privilegiado que seja. Parelhas (RN), 12 de Março de Tarcísio da Costa Clementino Fundo de Saúde do Município de Parelhas CONTRATANTE Samuel Vasconcelos da Silva Nordeste Turismo LTDA. CONTRATADA Testemunhas: REGIA GARCIA DE MEDEIROS Código Identificador: 4DC129C3 PREFEITURA MUNICIPAL DE PATU GABINETE DA PREFEITA RESULTADO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0002/2015 PROCESSO Nº 0023/2015 O Pregoeiro Municipal de Patu/RN, no uso de suas atribuições legais torna público que o Processo nº 0023/2015, Pregão Presencial nº 002/2015, que teve por objeto a aquisição de material de higiene e limpeza para manutenção das atividades das Secretarias Municipais de Administração e Finanças e da Educação e Desporto, realizado no dia 18 de março de 2015, as 09h00min,com a participação da licitante credenciada: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes,116 Centro Patu/RN, CEP Procedido com as formalidades legais, previstas no Edital de Licitação, observando o critério da compatibilidade dos valores finais 34 ofertados com a pesquisa mercadológica realizada, após negociações individuais estabelecidas com as licitantes, obtevese o seguinte resultado: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,88 (cinquenta e um mil quinhentos e noventa e oito reais e oitenta e oito centavos), sendo declarada vencedora a licitante: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,88 (cinquenta e um mil quinhentos e noventa e oito reais e oitenta e oito centavos). Patu/RN, em 18 de março de Kleriston Magnus de Araújo Dantas, CPF nº Pregoeiro Municipal. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: D GABINETE DA PREFEITA ADJUDICAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 0002/2015 PROCESSO Nº 0023/2015 Aos 18 (dezoito dias) dias do mês de março de 2015, na Sala da Comissão Permanente de Licitação, o Pregoeiro Municipal KLERISTON MAGNUS DE ARAÚJO DANTAS, com base no resultado obtido no Pregão Presencial nº 0002/2015 e Processo nº 0023/2015, Tipo Menor Preço global, do Município de Patu/RN, cumprindo as formalidades do inciso XXI, do art. 4 da Lei n /02, ADJUDICA o objeto do presente processo licitatório em favor da licitante: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,88 (cinquenta e um mil quinhentos e noventa e oito reais e oitenta e oito centavos). Patu/RN, em 18 de março de Kleriston Magnus de Araújo Dantas, CPF nº Pregoeiro Municipal. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 55C6967F GABINETE DA PREFEITA HOMOLOGAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 0002/2015 PROCESSO Nº 0023/2015 Considerando a análise efetuada no processo licitatório nº 0023/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº 0002/2015, atendido o interesse público e no uso das atribuições de Gestora Pública deste Município de Patu/RN, cumprindo as formalidades do inciso XXII, do art. 4 da Lei n /02, HOMOLOGO o julgamento proferido pelo Pregoeiro, em 18 de março de 2015, em favor da licitante: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,88 (cinquenta e um mil quinhentos e noventa e oito reais e oitenta e oito centavos). Patu/RN, em 19 de março de Evilásia Gildenia de Oliveira, CPF n Prefeita Municipal. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 4152E686 GABINETE DA PREFEITA EXTRATO DE CONTRATO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0002/2015 PROCESSO Nº 023/2015 NUMERO CONTRATO: 035/2015 CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Patu/RN CNPJ Nº / , com endereço a Rua Antônio Suassuna, nº 54, Centro, Patu/RN, CEP CONTRATADA(S): LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP OBJETO: aquisição de material de higiene e limpeza para manutenção das atividades das Secretarias Municipais de Administração e Finanças e da Educação e Desporto. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei /2002, subsidiada a Lei 8.666/1993 e alterações posteriores. VIGÊNCIA: Da assinatura até 31/12/2015. VALOR GLOBAL: R$ ,88 (cinquenta e um mil quinhentos e noventa e oito reais e oitenta e oito centavos). LOCAL E DATA: Patu/RN, em 20 de março de ASSINATURAS: Pela CONTRATANTE: Evilásia Gildênia de Oliveira, CPF n , Prefeita Municipal / Pelo CONTRATADO: Lenilson Pereira de Sousa CPF: , Titular. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 3D882D88 GABINETE DA PREFEITA RESULTADO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0004/2015 PROCESSO Nº 0025/2015 O Pregoeiro Municipal de Patu/RN, no uso de suas atribuições legais torna público que o Processo nº 0025/2015, Pregão Presencial nº 0004/2015, que teve por objeto aquisição de material de Higiene e Limpeza para manutenção das atividades e funcionamento da Secretaria de Assistência, Trabalho e Habitação, IGDF, Programa Leite, CREAS, CRAS e Fortalecimento de Vínculos deste município de Patu/RN, realizada no dia 19 de março de 2015, as 09:00 hs, com a participação da licitante credenciada: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes,116 Centro Patu/RN, CEP Procedido com as formalidades legais, previstas no Edital de Licitação, observando o critério da compatibilidade dos valores finais ofertados com a pesquisa mercadológica realizada, após negociações individuais estabelecidas com as licitantes, obtevese o seguinte resultado: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,00 (vinte e cinco mil cento oitocentos e setenta e dois reais), sendo declarada vencedora a licitante: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,00 (vinte e cinco mil cento oitocentos e setenta e dois reais). Patu/RN, em 19 de março de Kleriston Magnus de Araújo Dantas - CPF nº Pregoeiro Municipal. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 74ACE39F GABINETE DA PREFEITA ADJUDICAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 0004/2015 PROCESSO Nº 0025/2015 Aos 19 (dezenove) dias do mês de março de 2015, na Sala da Comissão Permanente de Licitação, o Pregoeiro Municipal KLERISTON MAGNUS DE ARAÚJO DANTAS, com base no resultado obtido no Pregão Presencial nº 0004/2015 e Processo nº 0025/2015, Tipo Menor Preço Global, do Fundo Municipal de Assistência Social de Patu/RN, cumprindo as formalidades do inciso XXI, do art. 4 da Lei n /02, ADJUDICA o objeto do presente processo licitatório em favor da licitante: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,00 (vinte e cinco mil cento oitocentos e setenta e dois reais). Patu/RN, em 19 de março de Kleriston Magnus de Araújo Dantas - CPF nº Pregoeiro Municipal. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 44774A6E GABINETE DA PREFEITA HOMOLOGAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 0004/2015 PROCESSO Nº 0025/2015 Considerando a análise efetuada no processo licitatório nº 0025/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº 0004/2015, atendido o interesse público e no uso das atribuições de Gestora Pública do Fundo Municipal de Assistência Social deste Município de Patu/RN, cumprindo as formalidades do inciso XXII, do art. 4 da Lei n /02, HOMOLOGO o julgamento proferido pelo Pregoeiro, em 19 de março de 2015, em favor da licitante: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,00 (vinte e cinco mil cento oitocentos e setenta e dois reais). Patu/RN, em 20 de março de Evilásia Gildenia de Oliveira, CPF n Gestora Municipal. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 70166A69 GABINETE DA PREFEITA RESULTADO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0005/2015 PROCESSO Nº 0026/2015 O Pregoeiro do Fundo Municipal de Saúde de Patu/RN, no uso de suas atribuições legais torna público que o Processo nº 0026/2015, Pregão Presencial nº 005/2015, que teve por objeto a aquisição de gêneros alimentícios para manutenção das atividades e funcionamento Hospital Municipal Dr. Henderson Josino Bandeira de Moura e do Centro de Apoio Psicossocial - CAPS neste município de Patu/RN, realizado no dia 19 de março de 2015, as 15:00 hs, com a participação das licitantes credenciadas: LENILSON PEREIRA DE SOUZA ME CNPJ: / , com sede na Rua. Alfredo Fernandes, 116 Bairro Estação - Patu/RN, CEP , VANDA SIMÃO DO NASCIMENTO PAIVA CNPJ Nº / , com sede a Rua Etelvino Leite, 56 Loja Centro Patu/RN, CEP e JONY F.A DANTAS ME CNPJ: / , com sede na Rua. Boa Vista, 632 Santa Terezinha Patu/RN CEP: Procedido com as formalidades legais, previstas no Edital de Licitação, observando o critério da compatibilidade dos valores finais ofertados com a pesquisa mercadológica realizada, após negociações individuais estabelecidas com as licitantes, obtevese o seguinte resultado: LOTE 01: LENILSON PEREIRA DE SOUZA ME CNPJ: / , com sede na Rua. Alfredo Fernandes, 116 Bairro Estação - Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,10 (sessenta e sete mil trezentos e cinquenta e sete reais e dez centavos), LOTE: 02 JONY F.A DANTAS ME CNPJ: / , com sede na Rua. Boa Vista, 632 Santa Terezinha Patu/RN CEP: , no Valor Final de R$ 3.60 (três mil e seiscentos reais). LOTE: 03 considerado diserto e LOTE: 04: VANDA SIMÃO DO NASCIMENTO PAIVA CNPJ Nº / , com sede a Rua Etelvino Leite, 56 Loja Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,00 (quarenta e cinco mil e oitenta e sete reais), sendo declarados vencedores as licitantes: LOTE 01: LENILSON PEREIRA DE SOUZA ME CNPJ: / , com sede na Rua. Alfredo Fernandes, 116 Bairro Estação - Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,10 (sessenta e sete mil trezentos e cinquenta e sete reais e dez centavos), LOTE: 02 JONY F.A DANTAS ME CNPJ: / , com sede na Rua. Boa Vista, 632 Santa Terezinha Patu/RN CEP: , no Valor Final de R$ 3.60 (três mil e seiscentos reais). LOTE: 03 considerado diserto e LOTE: 04: VANDA SIMÃO DO NASCIMENTO PAIVA CNPJ Nº / , com sede a Rua Etelvino Leite, 56 Loja Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,00 (quarenta e cinco mil e oitenta e sete reais). Patu/RN, em 19 de março de Kleriston Magnus de Araújo Dantas - CPF nº Pregoeiro Municipal. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 767E7369 GABINETE DA PREFEITA ADJUDICAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 0005/2015 PROCESSO Nº 0026/2015

35 Aos 19 (dezenove) dias do mês de março de 2015, na Sala da Comissão Permanente de Licitação, o Pregoeiro Municipal KLERISTON MAGUNS DE ARAÚJO DANTAS ELIANA DE ARAÚJO ROCHA, com base no resultado obtido no Pregão Presencial nº 0005/2015 e Processo nº 0026/2015, Tipo Menor Preço por lote, do Fundo Municipal de Saúde de Patu/RN, cumprindo as formalidades do inciso XXI, do art. 4 da Lei n /02, ADJUDICA o objeto do presente processo licitatório em favor das licitantes: LOTE 01: LENILSON PEREIRA DE SOUZA ME CNPJ: / , com sede na Rua. Alfredo Fernandes, 116 Bairro Estação - Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,10 (sessenta e sete mil trezentos e cinquenta e sete reais e dez centavos). LOTE: 02 JONY F.A DANTAS ME CNPJ: / , com sede na Rua. Boa Vista, 632 Santa Terezinha Patu/RN CEP: , no Valor Final de R$ 3.60 (três mil e seiscentos reais). LOTE: 03 considerado diserto e LOTE: 04: VANDA SIMÃO DO NASCIMENTO PAIVA CNPJ Nº / , com sede a Rua Etelvino Leite, 56 Loja Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,00 (quarenta e cinco mil e oitenta e sete reais). Patu/RN, em 19 de março de Kleriston Magnus de Araújo Dantas - CPF nº Pregoeiro Municipal. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 75BCC9B8 GABINETE DA PREFEITA HOMOLOGAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 0005/2015 PROCESSO Nº 0026/2015 Considerando a análise efetuada no processo licitatório nº 0026/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº 0005/2015, atendido o interesse público e no uso das atribuições da Gestora Pública deste Fundo Municipal de Saúde de Patu/RN, cumprindo as formalidades do inciso XXII, do art. 4 da Lei n /02, HOMOLOGO o julgamento proferido pela Pregoeira, em 19 de março de 2015, em favor das licitantes: LOTE 01: LENILSON PEREIRA DE SOUZA ME CNPJ: / , com sede na Rua. Alfredo Fernandes, 116 Bairro Estação - Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,10 (sessenta e sete mil trezentos e cinquenta e sete reais e dez centavos), LOTE: 02 JONY F.A DANTAS ME CNPJ: / , com sede na Rua. Boa Vista, 632 Santa Terezinha Patu/RN CEP: , no Valor Final de R$ 3.60 (três mil e seiscentos reais). LOTE: 03 considerado diserto e LOTE: 04: VANDA SIMÃO DO NASCIMENTO PAIVA CNPJ Nº / , com sede a Rua Etelvino Leite, 56 Loja Centro Patu/RN, CEP , no Valor Final de R$ ,00 (quarenta e cinco mil e oitenta e sete reais). Patu/RN, em 20 de março de Evilásia Gildenia de Oliveira, CPF n Gestora do Fundo Municipal. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: GABINETE DA PREFEITA EXTRATO DE CONTRATO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0004/2015 PROCESSO Nº 0025/2015 NUMERO CONTRATO: 036/2015 CONTRATANTE: Fundo Municipal de Assistência Social de Patu/RN CNPJ Nº / , com endereço a Rua Antônio Suassuna, nº 54, Centro, Patu/RN, CEP CONTRATADA: LENILSON PEREIRA DE SOUZA - ME CNPJ Nº / , com sede a Rua Alfredo Fernandes, 116 Centro Patu/RN, CEP : aquisição de material de Higiene e Limpeza para manutenção das atividades e funcionamento da Secretaria de Assistência, Trabalho e Habitação, IGDF, Programa Leite, CREAS, CRAS e Fortalecimento de Vínculos deste município de Patu/RN. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei /2002, subsidiada a Lei 8.666/1993 e alterações posteriores. VIGÊNCIA: Da assinatura até 31/12/2015. VALOR GLOBAL: R$ ,00 (vinte e cinco mil cento oitocentos e setenta e dois reais). LOCAL E DATA: Patu/RN, em 23 de março de ASSINATURAS: Pela CONTRATANTE: Evilásia Gildênia de Oliveira, CPF n , Gestora Municipal / Pelo CONTRATADO: Lenilson Pereira de Sousa CPF: , Titular. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 479AF475 GABINETE DA PREFEITA EXTRATO DE CONTRATO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0005/2015 PROCESSO Nº 026/2015 NUMERO CONTRATO: 037/2015 CONTRATANTE: Fundo Municipal de Saúde de Patu/RN CNPJ Nº / , com endereço a Rua Capitão Jose Severino, nº 179, Centro, Patu/RN, CEP CONTRATADO: LENILSON PEREIRA DE SOUZA ME CNPJ: / , com sede na Rua. Alfredo Fernandes, 116 Bairro Estação - Patu/RN, CEP OBJETO: aquisição de gêneros alimentícios para manutenção das atividades e funcionamento Hospital Municipal Dr. Henderson Josino Bandeira de Moura e do Centro de Apoio Psicossocial - CAPS neste município de Patu/RN. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei /2002, subsidiada a Lei 8.666/1993 e alterações posteriores. VIGÊNCIA: Da assinatura até 31/12/2015. VALOR GLOBAL: R$ ,10 (sessenta e sete mil trezentos e cinquenta e sete reais e dez centavos). LOCAL E DATA: Patu/RN, em 23 de março de ASSINATURAS: Pela CONTRATANTE: Evilásia Gildênia de Oliveira, CPF n , Gestora Municipal / Pelo CONTRATADO: Lenilson Pereira de Souza, CPF nº , Titular. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 6D35096D 35 GABINETE DA PREFEITA EXTRATO DE CONTRATO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0005/2015 PROCESSO Nº 026/2015 NUMERO CONTRATO: 038/2015 CONTRATANTE: Fundo Municipal de Saúde de Patu/RN CNPJ Nº / , com endereço a Rua Capitão Jose Severino,nº 179, Centro, Patu/RN, CEP CONTRATADO: VANDA SIMÃO DO NASCIMENTO PAIVA CNPJ Nº / , com sede a Rua Etelvino Leite, 56 Loja Centro Patu/RN, CEP OBJETO: aquisição de gêneros alimentícios para manutenção das atividades e funcionamento Hospital Municipal Dr. Henderson Josino Bandeira de Moura e do Centro de Apoio Psicossocial - CAPS neste município de Patu/RN. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei /2002, subsidiada a Lei 8.666/1993 e alterações posteriores. VIGÊNCIA: Da assinatura até 31/12/2015. VALOR GLOBAL: R$ ,00 (quarenta e cinco mil e oitenta e sete reais). LOCAL E DATA: Patu/RN, em 23 de março de ASSINATURAS: Pela CONTRATANTE: Evilásia Gildênia de Oliveira, CPF n , Gestora Municipal / Pelo CONTRATADO: Vanda Simão do Nascimento, CPF nº , Titular. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 6C49D340 GABINETE DA PREFEITA EXTRATO DE CONTRATO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0005/2015 PROCESSO Nº 026/2015 NUMERO CONTRATO: 039/2015 CONTRATANTE: Fundo Municipal de Saúde de Patu/RN CNPJ Nº / , com endereço a Rua Capitão Jose Severino,nº 179, Centro, Patu/RN, CEP CONTRATADO: JONY F.A DANTAS ME CNPJ: / , com sede na Rua. Boa Vista, 632 Santa Terezinha Patu/RN CEP: OBJETO: aquisição de gêneros alimentícios para manutenção das atividades e funcionamento Hospital Municipal Dr. Henderson Josino Bandeira de Moura e do Centro de Apoio Psicossocial - CAPS neste município de Patu/RN. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei /2002, subsidiada a Lei 8.666/1993 e alterações posteriores. VIGÊNCIA: Da assinatura até 31/12/2015. VALOR GLOBAL: R$ 3.60 (três mil e seiscentos reais). LOCAL E DATA: Patu/RN, em 23 de março de ASSINATURAS: Pela CONTRATANTE: Evilásia Gildênia de Oliveira, CPF n , Gestora Municipal / Pelo CONTRATADO: Vanda Simão do Nascimento, CPF nº , Titular. FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 62BF668A GABINETE DA PREFEITA AVISO INDEFERIMENTO DA LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº013/2015 PP O Município de PATU, através do FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE por intermédio do Pregoeiro, torna público o INDEFERIMENTO do pedido de impugnação do edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº 013/2015-PP, tipo menor preço global, para aquisição de um veiculo automotor, tipo Ambulância, destinado ao uso nas ações de saúde pública desenvolvidas pelos serviços municipais de saúde deste município de Patu/RN, feito pela empresa: JMJ COMERCIO DE VEICULOS E PEÇAS LTDA. PATU - RN, 23 de Março de KLERISTON MAGNUS DE ARAUJO DANTAS Pregoeiro FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 54B20BC9 GABINETE DA PREFEITA AVISO DE CANCELAMENTO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº014/2015 PP O Município de PATU, através da PREFEITURA MUNICIPAL DE PATU por intermédio do Pregoeiro, torna público o acatamento do pedido de impugnação do presente certame que seria realizado às 15:00 horas do dia 25 de Março de 2015, feito pela empresa JMJ COMERCIO DE VEICULOS E PEÇAS LTDA, CANCELANDO a licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL Nº 014/2015-PP, tipo menor preço por global, para aquisição de um veiculo automotor, tipo Van, destinados ao uso nas ações desenvolvidas pela secretaria Municipal de Educação e do Desporto deste município de Patu/RN, de acordo com o que determina a legislação vigente, a realizar-se na sala da Comissão de Licitação da PREFEITURA MUNICIPAL DE PATU. PATU - RN, 23 de Março de KLERISTON MAGNUS DE ARAUJO DANTAS Pregoeiro FRANCISCO EDNO AZEVEDO Código Identificador: 5B PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRA GRANDE PREFEITURA MUNICIPAL DE EDA GRANDE EXTRATO DO TERMO DE ADJUDICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 003/2015-SRP O Pregoeiro da Prefeitura Municipal de Pedra Grande/RN, balizado pelo Parecer de Julgamento datado de 20 de fevereiro de 2015, vem ADJUDICAR o resultado da Licitação PREGÃO PRESENCIAL Nº 003/2015-SRP, à empresa UNILUZ MATERIAL ELÉTRICO LTDA EPP, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº / , em todos os lotes licitados, objetivando a aquisição futura e parcelada de material elétrico para atendimento às necessidades das diversas Secretarias, órgãos e setores produtivos da Administração Municipal. Pedra Grande/RN, em 23 de fevereiro de Pregoeiro Municipal FRANCISCO ALTINO DE PAIVA NETO Código Identificador: 5569C4AD PREFEITURA MUNICIPAL DE EDA GRANDE EXTRATO DO TERMO DE HOMOLOGAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 003/2015-SRP Circunstanciado pelo Parecer de Julgamento apresentado pelo Pregoeiro desta Prefeitura Municipal, datado do dia 20 de fevereiro de 2015, venho HOMOLOGAR o resultado da Licitação PREGÃO PRESENCIAL Nº 003/2015-SRP, à empresa UNILUZ MATERIAL ELÉTRICO LTDA EPP, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº / , em todos os lotes licitados, objetivando a aquisição futura e parcelada de material elétrico para atendimento às necessidades das diversas Secretarias, órgãos e setores produtivos da Administração Municipal, haja visto que foi a única proposta apresentada à Edilidade, estando de acordo com os preços praticados no mercado e especificações do Edital. Pedra Grande/RN, em 23 de fevereiro de Joelson Dantas Pereira Prefeito Municipal Interino FRANCISCO ALTINO DE PAIVA NETO Código Identificador: 6B48DC0C PREFEITURA MUNICIPAL DE EDA GRANDE PREGÃO PRESENCIAL Nº 003/2015-SRP EXTRATO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ADMINISTRAÇÃO: Prefeitura Municipal de Pedra Grande/RN. ADJUDICATÁRIO(S): Empresa UNILUZ MATERIAL ELÉTRICO LTDA EPP, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº / OBJETO: Registro de Preços para aquisição de material elétrico, em conformidade com as especificações contidas na Licitação PREGÃO PRESENCIAL Nº 003/2015-SRP. LOTE(S) VENCIDO(S) COM RESPECTIVO(S) VALOR(ES) FINAL(IS) OFETADO(S): Lote 01 R$ 6.42 / Lote 02 R$ / Lote 03 R$ / Lote 04 R$ 1.34 / Lote 05 R$ e Lote 06 R$ TOTAL GLOBAL: R$ (Cento e oitenta mil seiscentos e vinte reais). PREÇO(S) REGISTRADO(S): Em conformidade com os valores constantes na Proposta Final apresentada pelo(s) ADJUDICATÁRIO(S), a qual é parte integrante da Ata de Registro de Preços celebrada. FONTE DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS: A despesa será consignada à dotação orçamentária prevista no OGM Orçamento Geral do Município, conforme o caso. FONTE DE RECURSOS FINANCEIROS: A despesa será consignada ao(s) recursos(s) orçamentário(s) previsto(s) no OGM Orçamento Geral do Município, conforme o caso. DATA: 23 de fevereiro de ASSINATURA: JOELSON DANTAS PEREIRA/Prefeito Municipal Interino. FRANCISCO ALTINO DE PAIVA NETO Código Identificador: 4296C6DD PREFEITURA MUNICIPAL DE EDA GRANDE EXTRATO DO TERMO DE ADJUDICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2015-SRP O Pregoeiro da Prefeitura Municipal de Pedra Grande/RN, balizado pelo Parecer de Julgamento datado de 19 de fevereiro de 2015, vem ADJUDICAR o resultado da Licitação PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2015-SRP, à empresa POSTO CENTRAL COMBUSTÍVEIS PARAZINHO LTDA EPP, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº / , no único item licitado, objetivando a aquisição futura e parcelada de combustível diesel S10 destinado a veículos da frota municipal, de forma que encaminhamos o presente processo para deliberação do Exmo. Sr. Prefeito quando então poderá homologar o resultado final obtido. Pedra Grande/RN, em 23 de fevereiro de Pregoeiro Municipal FRANCISCO ALTINO DE PAIVA NETO Código Identificador: 5B589C7B

36 PREFEITURA MUNICIPAL DE EDA GRANDE EXTRATO DO TERMO DE HOMOLOGAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2015-SRP Circunstanciado pelo Parecer de Julgamento apresentado pelo Pregoeiro desta Prefeitura Municipal, datado do dia 19 de fevereiro de 2015, venho HOMOLOGAR o resultado da Licitação PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2015-SRP, à empresa POSTO CENTRAL COMBUSTÍVEIS PARAZINHO LTDA EPP, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº / , no único item licitado, objetivando a aquisição futura e parcelada de combustível diesel S10 destinado a veículos da frota municipal, haja visto que foi a única proposta apresentada à Edilidade, estando de acordo com os preços praticados no mercado e especificações do Edital. Pedra Grande/RN, em 23 de fevereiro de Joelson Dantas Pereira Prefeito Municipal Interino FRANCISCO ALTINO DE PAIVA NETO Código Identificador: 58ECE26E PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES EXTRATO DE CONTRATO Extrato de Contrato. Convite Nº 005/2015. Partes: o Município de Pilões, através da PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES e KELSON SOSTENES DE LIMA OLIVEIRA. Objeto: Contratação dos Serviços de Transporte de Pessoas Carentes do Município de Pilões - RN para receberem tratamento médico especializado na cidade de Natal-RN, conforme especificações constantes no Edital Convocatório. Valor Total do Contrato: R$ (Quarenta mil reais). Vigência Contratual: 16/03/2015 a 31/12/2015. Signatários: FRANCISCO DAS CHAGAS DE OLIVEIRA SILVA e KELSON SOSTENES DE LIMA OLIVEIRA. Data de Assinatura do Contrato: 16 de Março de Francisco das Chagas de Oliveira Silva PREFEITO MUNICIPAL GERALDO DE OLIVEIRA SILVA Código Identificador: 5BE0A6B8 PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES EXTRATO DE CONTRATO Extrato de Contrato. Convite Nº CC 003/2015. Partes: o Município de Pilões, através da PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES e a empresa JM OLIVEIRA MORAIS - PLAYBOY SPORT. Objeto: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA O FORNECIMENTO PARCIAL DE MATERIAIS ESPORTIVOS DESTINADOS AS ATIVIDADES DESPORTIVAS NO MUNICIPIO DE PILÕES-RN., conforme especificações constantes no Edital Convocatório. Valor Total do Contrato: R$ ,00 (Vinte e Nove Mil, Quinhentos e Quatorze Reais). Vigência Contratual: 20/01/2015 a 31/12/2015. Signatários: FRANCISCO DAS CHAGAS DE OLIVEIRA SILVA e JM OLIVEIRA MORAIS PLAYBOY SPORT Data de Assinatura do Contrato: 20 de Janeiro de 2015 Francisco das Chagas de Oliveira Silva PREFEITO MUNICIPA GERALDO DE OLIVEIRA SILVA Código Identificador: 4D93A9E2 PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES AVISO DE ANULAÇÃO (PREGÃO PRESENCIAL n 010/2015) O Município de Pilões/RN faz saber a todos os interessados, que o Pregão presencial nº 010/2015, que seria realizado no dia 23/03/2015 às 14:00h (quatorze horas), foi ANULADO, por incorreção nos quantitativos. Informações na Sala da CPL situada na Rua Maria Delfina, 22, Centro, Pilões RN, das 08:00 às 12:00 horas ou pelo telefone: Pilões/RN, 23 de março de GEORGE MATIAS DE FREITAS Pregoeiro Oficial GERALDO DE OLIVEIRA SILVA Código Identificador: 74148CE8 PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES AVISO DE ANULAÇÃO (PREGÃO PRESENCIAL n 011/2015) O Município de Pilões/RN faz saber a todos os interessados, que o Pregão presencial nº 011/2015, que seria realizado no dia 23/03/2015 às 09:45h (nove horas e quarenta e cinco minutos), foi ANULADO, por incorreção nos quantitativos. Informações na Sala da CPL situada na Rua Maria Delfina, 22, Centro, Pilões RN, das 08:00 às 12:00 horas ou pelo telefone: Pilões/RN, 23 de março de GEORGE MATIAS DE FREITAS Pregoeiro Oficial GERALDO DE OLIVEIRA SILVA Código Identificador: 6403B214 PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES AVISO DE ANULAÇÃO (PREGÃO PRESENCIAL n 012/2015) O Município de Pilões/RN faz saber a todos os interessados, que o Pregão presencial nº 012/2015, que seria realizado no dia 24/03/2015 às 08:30h (oito horas e trinta minutos), foi ANULADO, por incorreção nos quantitativos. Informações na Sala da CPL situada na Rua Maria Delfina, 22, Centro, Pilões RN, das 08:00 às 12:00 horas ou pelo telefone: Pilões/RN, 23 de março de GEORGE MATIAS DE FREITAS Pregoeiro Oficial GERALDO DE OLIVEIRA SILVA Código Identificador: 45C3758F PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES AVISO DE ANULAÇÃO (PREGÃO PRESENCIAL n 013/2015) O Município de Pilões/RN faz saber a todos os interessados, que o Pregão presencial nº 013/2015, que seria realizado no dia 24/03/2015 às 10:30h (dez horas e trinta minutos), foi ANULADO, por incorreção nos quantitativos. Informações na Sala da CPL situada na Rua Maria Delfina, 22, Centro, Pilões RN, das 08:00 às 12:00 horas ou pelo telefone: Pilões/RN, 23 de março de GEORGE MATIAS DE FREITAS Pregoeiro Oficial GERALDO DE OLIVEIRA SILVA Código Identificador: 62879BD4 PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES AVISO DE ANULAÇÃO (PREGÃO PRESENCIAL n 014/2015) O Município de Pilões/RN faz saber a todos os interessados, que o Pregão presencial nº 014/2015, que seria realizado no dia 24/03/2015 às 14:00h (quatorze horas), foi ANULADO, por incorreção nos quantitativos. Informações na Sala da CPL situada na Rua Maria Delfina, 22, Centro, Pilões RN, das 08:00 às 12:00 horas ou pelo telefone: Pilões/RN, 23 de março de GEORGE MATIAS DE FREITAS Pregoeiro Oficial GERALDO DE OLIVEIRA SILVA Código Identificador: 45BCC39B PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES AVISO DE ANULAÇÃO (PREGÃO PRESENCIAL n 015/2015) O Município de Pilões/RN faz saber a todos os interessados, que o Pregão presencial nº 015/2015, que seria realizado no dia 26/03/2015 às 08:30h (oito horas e trinta minutos), foi ANULADO, por incorreção nos quantitativos. Informações na Sala da CPL situada na Rua Maria Delfina, 22, Centro, Pilões RN, das 08:00 às 12:00 horas ou pelo telefone: Pilões/RN, 23 de março de GEORGE MATIAS DE FREITAS Pregoeiro Oficial GERALDO DE OLIVEIRA SILVA Código Identificador: 72F7C09E PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES AVISO DE ANULAÇÃO (PREGÃO PRESENCIAL n 016/2015) O Município de Pilões/RN faz saber a todos os interessados, que o Pregão presencial nº 016/2015, que seria realizado no dia 26/03/2015 às 10:30h (dez horas e trinta minutos), foi ANULADO, por incorreção nos quantitativos. Informações na Sala da CPL situada na Rua Maria Delfina, 22, Centro, Pilões RN, das 08:00 às 12:00 horas ou pelo telefone: Pilões/RN, 23 de março de GEORGE MATIAS DE FREITAS Pregoeiro Oficial GERALDO DE OLIVEIRA SILVA Código Identificador: 66CCAF34 PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTALEGRE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO - PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTALEGRE - COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE CONCESSÃO DE CREDENCIAMENTO CHAMAMENTO PÚBLICO Nº001/2015 A CPL concede credenciamento a empresa: CEUP Centro Urológico Potiguar LTDA - ME, inscrita no CNPJ: / , sediada na Rua Doutor João Marcelino Centro Mossoró - RN, por preencher todos os requisitos estabelecidos no instrumento convocatório do objeto de credenciamento de pessoas jurídicas ou físicas para prestação de serviços médicos, exames laboratoriais e outros procedimentos de saúde. Portalegre/RN, 23 de março de 2015 MANOEL DE FREITAS NETO Ordenador(a) de Despesa RAILHES MACIEL BARBOZA LUCENA Código Identificador: 64113BD6 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE CONCESSÃO DE CREDENCIAMENTO CHAMAMENTO PÚBLICO Nº001/2015 A CPL concede credenciamento a empresa: Clínica de Radiologia Alto Oeste LTDA, inscrita no CNPJ: / , sediada na Rua 13 de Maio Centro Pau do Ferros - RN, por preencher todos os requisitos estabelecidos no instrumento convocatório do objeto de credenciamento de pessoas jurídicas ou físicas para prestação de serviços médicos, exames laboratoriais e outros procedimentos de saúde. Portalegre/RN, 23 de março de 2015 MANOEL DE FREITAS NETO Ordenador(a) de Despesa RAILHES MACIEL BARBOZA LUCENA Código Identificador: 65EAA707 PREFEITURA MUNICIPAL DE PUREZA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO RESULTADO FINAL DO PREGÃO PRESENCIAL SRP - Nº O Pregoeiro Municipal de Pureza/RN torna público que o Pregão Presencial Com Sistema de Registro de Preços N.º 002/2015, objetivando o registro de preços para aquisição futura e de forma parcelada de gás de cozinha (botijão de 13 k) e vasilhames (botijão vazio) para suprir as demandas das secretarias do município de Pureza/RN, que estava marcado para ser realizado em 2ª (segunda chamada) no dia 23 de março as 09:00 (nove horas) não houve licitantes interessados em participar da sessão, motivo pelo qual o mesmo foi declarado deserto. Sendo esta a 2ª (segunda chamada) e mais uma vez sem licitantes interessados em participar do referido certame, os autos do processo serão encaminhados a autoridade superior para que sejam tomadas as medidas cabíveis. Pureza/RN Em 23 de março de 2015 Antônio Lopes Neto Pregoeiro. ANTÔNIO LOPES NETO Código Identificador: 6818C67D SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO RESULTADO FINAL DO PREGÃO PRESENCIAL SRP - Nº O Pregoeiro Municipal de Pureza/RN torna público que o Pregão Presencial Com Sistema de Registro de Preços N.º 003/2015, objetivando o registro de preços para aquisição futura e de forma parcelada de produtos e serviços funerários para atendimento a população carente do município de Pureza/RN, que estava marcado para ser realizado em 2ª (segunda chamada) no dia 23 de março as 11:00 (onze horas) não houve licitantes interessados em participar da sessão, motivo pelo qual o mesmo foi declarado deserto. Sendo esta a 2ª (segunda chamada) e mais uma vez sem licitantes interessados em participar do referido certame, os autos do processo serão encaminhados a autoridade superior para que sejam tomadas as medidas cabíveis. Pureza/RN Em 23 de março de 2015 Antônio Lopes Neto Pregoeiro.

37 ANTÔNIO LOPES NETO Código Identificador: 592EF324 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de SANTA MARIA, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Rua Presidente Juscelino, Nº 461, representado por CELINA AMELIA CAMARA DE MOURA, PREFEITA MUNICIPAL, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e ADRIANA AMARO MEDEIROS, inscrito(a) no CPF , com sede na RUA PROJETADA, CENTRO, Santa Maria-RN, CEP , representada por ADRIANA AMARO MEDEIROS, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 30 de Novembro de 2015, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2014 Atividade Man.Sec.Obras e Urbanismo, Classificação econômica Outros Serv. de Terceiros Pessoa Física CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. SANTA MARIA - RN, 30 de Dezembro de 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA CNPJ(MF) / CONTRATANTE ADRIANA AMARO MEDEIROS CPF CONTRATADO(A) Testemunhas: CLECIO VALDEVINO MOREIRA Código Identificador: 584E675F COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES TERMO DE ADJUDICAÇÃO N. 002/2015 PROCEDIMENTO DE LICITAÇÃO Nº 002/2015 OBJETO: REGISTRO DE PREÇO PARA FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO DE COMBUSTÍVEIS PARA ABASTECIMENTO DOS VEÍCULOS DA FROTA MUNICIPAL DE DIVERSAS SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SANTA MARIA/RN MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL/SRP ATO DE ADJUDICAÇÃO Considerando, o resultado do procedimento de licitação, em tela, configurado na ata que integra os autos deste certame. Considerando, que não houve fase de lances e sim fase de negociação direta com o Pregoeiro, foram conseguidos valores de acordo com a prática do mercado. Considerando, ainda que foi realizada a análise da documentação de habilitação da empresa vencedora, quando se constatou que a mesma atendeu a todos os ditames editalícios. Considerando, que não houve qualquer manifestação no que concerne à interposição de recursos, estando, portanto, precluso o direito de contrapor as decisões proferidas, por parte das licitantes. Considerando, finalmente o que preconizado o inciso XX, do artigo 4º, da Lei Federal nº /2002. ADJUDICO, em favor das licitantes: FRANCISCO DE SALES DANTAS-ME (vencedora dos itens 1, 2, 3 e 4), o certame licitatorio Pregão Presencial nº 002/2015 para FUTURA AQUISIÇÃO DE COMBUSTÍVEIS PARA ABASTECIMENTO DOS VEÍCULOS DA FROTA MUNICIPAL DE DIVERSAS SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SANTA MARIA/RN. Santa Maria/RN, 23 de Março de Clécio Valdevino Moreira Pregoeiro 37 CLECIO VALDEVINO MOREIRA Código Identificador: 4FBA0965 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES TERMO DE HOMOLOGAÇÃO N. 002/2015 PROCEDIMENTO DE LICITAÇÃO Nº 002/2015 OBJETO: REGISTRO DE PREÇO PARA FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO DE COMBUSTÍVEIS PARA ABASTECIMENTO DOS VEÍCULOS DA FROTA MUNICIPAL DE DIVERSAS SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SANTA MARIA/RN MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL/SRP ATO DE HOMOLOGAÇÃO Considerando, os atos praticados pelo Pregoeiro do Município, conjuntamente com a Equipe de Apoio, inclusive a expedição do Ato Adjudicatório. Considerando, o que prevê o texto legal elencado no inciso XXII, do artigo 4º da Lei Federal nº , de 17 de julho de HOMOLOGO em favor da licitante: FRANCISCO DE SALES DANTAS-ME (vencedora dos itens 1, 2, 3 e 4), assim CONVOQUE-SE a empresa acima mencionada para a assinatura da Ata de Registro de Preços e/ou recebimento da ordem de compras. Santa Maria/RN, 23 de Março de CELINA AMELIA CÂMARA DE MOURA Prefeita Municipal CLECIO VALDEVINO MOREIRA Código Identificador: 6766E31F COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de SANTA MARIA, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Rua Presidente Juscelino, Nº 461, representado por CELINA AMELIA CAMARA DE MOURA, PREFEITA MUNICIPAL, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e ETECONP - ESCRITORIO TECNICO DE CONTABILIDADE PUBLICA, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na Rua Vereador Orlando Garcia, 1479, Lagoa Nova, Natal-RN, CEP , representada por JOAO PAULINO DOS SANTOS NETO, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 30 de Novembro de 2015, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2014 Atividade Manutenção das Ativ.da Sec.de Finanças, Classificação econômica Outros Serv. de Terc. Pessoa Jurídica CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. SANTA MARIA - RN, 30 de Dezembro de 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA CNPJ(MF) / CONTRATANTE ETECONP - ESCRITORIO TECNICO DE CONTABILIDADE PUBLICA CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: CLECIO VALDEVINO MOREIRA Código Identificador: 44FC7EBE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de SANTA MARIA, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Rua Presidente Juscelino, Nº 461, representado por CELINA AMELIA CAMARA DE MOURA, PREFEITA MUNICIPAL, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e CENTRO DE ACAO COMUNITARIA DE ENTIDADES ORGANIZACIONAIS, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na RUA CORONEL NORTON CHAVES, Nº 59, LAGOA NOVA, Natal-RN, CEP , representada por MARIA DE DEUS DO NASCIMENTO CARDOSO, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 30 de Novembro de 2015, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2014 Atividade Manutenção da Ativ.da Sec.Administração, Classificação econômica Serviços de Consultoria CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. SANTA MARIA - RN, 30 de Dezembro de 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA CNPJ(MF) / CONTRATANTE CENTRO DE ACAO COMUNITARIA DE ENTIDADES ORGANIZACIONAIS CNPJ / CONTRATADO(A) Testemunhas: CLECIO VALDEVINO MOREIRA Código Identificador: 5B0BCEED COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de SANTA MARIA, através do(a) PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na Rua Presidente Juscelino, Nº 461, representado por CELINA AMELIA CAMARA DE MOURA, PREFEITA MUNICIPAL, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e DIEGO HENRIQUE GALVÃO DA COSTA ME, inscrito(a) no CNPJ / , com sede na rua 03 pan, Macaíba-RN, CEP , representada por DIEGO HENRIQUE GALVÃO DA COSTA, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 31 de Dezembro de 2015, nos termo do art. 65, I, 'a' c/c art. 57, $ 1º, I, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2014 Atividade Manutenção das Ativ.da Sec. Agricultura, Classificação econômica Outros Serv. de Terc. Pessoa Jurídica CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. SANTA MARIA - RN, 29 de Dezembro de 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA CNPJ(MF) / CONTRATANTE DIEGO HENRIQUE GALVÃO DA COSTA ME CNPJ / CONTRATADO(A)

38 Testemunhas: CLECIO VALDEVINO MOREIRA Código Identificador: 5DD00278 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO MATOS GABINETE DA PREFEITA PORTARIA DE DIÁRIA Nº /2015* Concede diária a servidor que especifica e dá outras providencias A Prefeita Municipal, no uso de suas atribuições legais em conformidade com o Decreto nº 213 de 04 de junho de 2014, Resolve: 1 Conceder 01 (uma) diária ao Sr. José Etelvino Sobrinho, servidor deste município, ocupante do cargo de Secretário da Junta Militar, com matricula nº 149. Valor unitário da diária R$ 8 (oitenta reais), totalizando o valor a ser pago em R$ 8 (oitenta reais). Para custear despesas durante uma viagem realizada da cidade de Santana do Matos para a cidade de Natal/RN. Com o objetivo de fazer a prestação de contas referente ao mês de março de 2015 e tentar resolver pendências junto a Delegacia Regional do Trabalho, no dia 23 de março de Publique-se, Cumpra-se, Registre-se. Santana do Matos, 20 de março de LARDJANE CIRIACO DE ARAÚJO MACÊDO PREFEITA MUNICIPAL *REPUBLICADO POR INCORREÇÃO ABEL LAMEQUE SILVA DAMASCENO Código Identificador: GABINETE DA PREFEITA PORTARIA DE DIÁRIA Nº /2015 Concede diária a servidor que especifica e dá outras providências. A Prefeita Municipal, no uso de suas atribuições legais em conformidade com o Decreto nº 213 de 04 de junho de 2014, Resolve: Conceder 1/2 (meia) diária a Sra. Maria Edilza Neres, servidora deste município, ocupante do cargo de Enfermeira. Valor unitário da diária R$ 6(sessenta reais), totalizando o valor a ser pago em R$ 3 (trinta reais). Para custear despesas durante uma viagem a ser realizada da cidade de Santana do Matos para a cidade de Caicó/RN, com o objetivo de participar de Montar estratégia para realização do monitoramento rápido de cobertura pós Campanha de Vacinação contra Poliomielite em crianças de 06 meses a menores de 05 anos de idade e Tríplice Viral em crianças de 01 ano a menores de 05 anos, no dia 09 de março de Publique-se, Registre-se e Cumpra-se Santana do Matos, em 09 de março de 2015 LARDJANE CIRIACO DE ARAÚJO MACEDO PREFEITA ABEL LAMEQUE SILVA DAMASCENO Código Identificador: 593C9133 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO SERIDÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO HOMOLOGAÇÃO PPSRP 004/2015 De acordo com os atos da Comissão Permanente de Licitação e o que fundamenta a Lei Nº /93 e legislação complementar e, ainda de conformidade com o resultado do presente certame, usando das atribuições que nos são conferidas, em função de terem sido cumpridos os ditames inerentes e interposição de recursos decorrentes dos atos relacionados com o pleito ora chancelado que teve como objeto a AQUISIÇÃO DE MATERIAL E PEÇAS DE REPOSIÇÃO PARA CATAVENTO, homologo o presente evento que teve como vencedora a METALURGICA ESCOL LTDA - CNPJ: / , a qual apresentou os melhores preços e condições, inclusive em se considerando a avaliação constante dos autos. Dê-se ciência e cumpra-se. Santana do Seridó (RN), 13 de Março de Adriano Gomes de Oliveira / Prefeito LIGIA SANTOS DE MORAIS Código Identificador: 4D9D68AE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO HOMOLOGAÇÃO PP 005/ De acordo com os atos da Comissão Permanente de Licitação e o que fundamenta a Lei Nº /93 e legislação complementar e, ainda de conformidade com o resultado do presente certame, usando das atribuições que nos são conferidas, em função de terem sido cumpridos os ditames inerentes e interposição de recursos decorrentes dos atos relacionados com o pleito ora chancelado que teve como objeto a REFORMA DE ESTRUTURA METÁLICA, COM O INTUITO DE PRESERVAR E MANTER BENS PÚBLICOS, homologo o presente evento que teve como vencedora a K & M COMERCIAL AGROPECUÁRIA LTDA - CNPJ: / , a qual apresentou os melhores preços e condições, inclusive em se considerando a avaliação constante dos autos. Dê-se ciência e cumpra-se. Santana do Seridó (RN), 23 de Março de Adriano Gomes de Oliveira/ Prefeito LIGIA SANTOS DE MORAIS Código Identificador: 4077DA0B SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE CONTRATAÇÃO PP 004/2015 Objeto: AQUISIÇÃO DE MATERIAL E PEÇAS DE REPOSIÇÃO DE CATA-VENTO. Contratado: METALÚRGICA ESCOL LTDA - CNPJ: / Valor: R$ ,00 (trinta e oito mil trezentos e setenta e quatro reais) Vigência 90 dias ; OGM 2015 Adriano Gomes de Oliveira - Prefeito. LIGIA SANTOS DE MORAIS Código Identificador: B SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE CONTRATO PP 005/2015 Objeto: AQUISIÇÃO DE BOMBAS SUBMERSAS DESTINADAS A MANUTENÇÃO DES REDES HIDRÁULICAS. Contratado: K & M COMERCIAL AGROPECUÁRIA LTDA - CNPJ: / Valor: R$ 9.97 (nove mil novecentos e setenta reais) Vigência 90 dias ; OGM 2015 Adriano Gomes de Oliveira - Prefeito. LIGIA SANTOS DE MORAIS Código Identificador: 6F74959A PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO Lei Municipal Nº 1.374/2015 Altera o artigo 3º da Lei nº 1.245/2009 que Criou o Conselho Municipal do Idoso - CMI do Município de Santo Antônio-RN. O PREFEITO CONSTITUCIONAL DO MUNICÍPIO DE SANTO ANTÔNIO/RN, LUIZ FRANCO RIBEIRO, no uso das suas prerrogativas constitucionais com fulcro nos artigos 29 e 30 da CF/88, e atribuições legais, e combinando com o inciso III do artigo 44 da Lei Orgânica Municipal, faz saber, que a Câmara Municipal de Vereadores aprova e ele sanciona e promulga a seguinte Lei: Art. 1º - O Artigo 3º da Lei nº 1.245/2009 passa a vigorar com a seguinte redação: (...) Art. 3º - O Conselho Municipal do Idoso - CMI, é composto de 8 (oito) conselheiros Titulares e seus respectivos suplentes, os quais representam paritariamente instituições governamentais e são governamentais, sendo: I - Área Governamental: a - Um representante da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania; b - Um representante da Secretaria Municipal de Saúde; c - Um representante da Secretaria Municipal de Educação; d - Um representante da Secretaria Municipal de Cultura. II - Área Não Governamental a - Um representante de entidades e associações municipais; b - Um representante dos seguimentos religiosos; c - Um representante dos sindicatos municipais; d - Um representante dos usuários dos serviços. (...) Art. 2º - Esta lei entrará em vigor a partir da data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Gabinete do Prefeito do Município de Santo Antônio/RN, em 23 de Março de Luiz Franco Ribeiro Prefeito Constitucional ORLANDO BEZERRA CAVALCANTE FILHO Código Identificador: 5E365DD1 TERMO DE SANÇÃO Aos 23 dias do mês de Março do ano de 2015, na sede da Prefeitura Municipal de Santo Antônio/RN, o Sr. Prefeito Municipal, no uso de suas prerrogativas constitucionais e atribuições legais, combinando com a Lei Orgânica Municipal, SANCIONOU a Lei Municipal de nº 1.374/2015 de iniciativa do Poder Executivo Municipal e em simetria ao disposto no artigo 61, parágrafo 1º, alínea a, da Constituição Federal/88, declara que depois de aprovada em única discussão e votação em 18/03/2015 pelo Poder Legislativo Municipal. LUIZ FRANCO RIBEIRO Prefeito Constitucional ORLANDO BEZERRA CAVALCANTE FILHO Código Identificador: 4F55FC2D PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO BENTO DO NORTE PORTARIA N. 017, DE 16 DE MARÇO DE 2015 O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO BENTO DO NORTE/RN, no uso de suas atribuições legais,considerando as disposições contidas no art. 37, II, da Constituição Federal, ressaltando ser de livre nomeação e exoneração a investidura em cargo em comissão perante esta Municipalidade;CONSIDERANDO os termos da Lei Municipal n. 451/2013, a qual revogou disposições anteriores e redefiniu a organização básica da estrutura administrativa do Poder Executivo Municipal de São Bento do Norte/RN; econsiderando ainda a necessidade de readequar a organização e a estrutura administrativa da Prefeitura Municipal de São Bento do Norte/RN à realidade imposta pela lei em vigor. RESOLVE: Art. 1º - NOMEAR a Sra. ZUILA DE MELO MIRANDA FARIAS, inscrita no CPF/MF sob o n.º , para exercer o cargo, bem como as respectivas funções de CONSULTORA CONTÁBIL, vinculada ao Gabinete Civil da Prefeitura Municipal de São Bento do Norte/RN, de simbologia CC1.1. Art. 2º - A presente Portaria entra em vigor nesta data, retroagindo seus efeitos a 1 de março de 2015, revogando-se toda e qualquer disposição em contrário. Registre-se; publique-se; e cumpra-se! Palácio José Olímpio do Nascimento, em 16 de março de CLAUDIO HENRIQUE GOMES PEREIRA Prefeito Municipal de São Bento do Norte/RN JAIRIVALDO NUNES CACHO JÚNIOR Código Identificador: 68D890F9 PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO FERNANDO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL N.º 045/2015 O Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de São Fernando/RN, nomeado por intermédio da Portaria n. 034, de 02 de março de 2015, torna público, para conhecimento dos interessados, que no próximo dia 02 de abril de 2015, às 09:00 horas, fará licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, objetivando a contratação de pessoa física ou jurídica que se disponha a realizar serviços de locação de um veículo automóvel em bom estado de conservação, com condutor devidamente habilitado, para atender as necessidades dos agentes públicos da Secretaria Municipal de Planejamento e Administração, em seus deslocamentos diários seja na circunscrição do município ou em outras localidades, conforme as especificações constantes do Termo de Referência, Anexo I do Edital de convocação deste procedimento. Os interessados em adquirir cópia integral dos respectivos Edital, Termo de Referência e minuta do Contrato Administrativo poderão acessar o site: onde encontram-se publicados integralmente ou comparecer a sede da Prefeitura Municipal, localizado à Rua Capitão João Florêncio, n. 45, Centro, São Fernando/RN, no horário de expediente normal da Prefeitura Municipal. São Fernando/RN, 23 de março de CIRO DANTAS DE MEDEIROS Pregoeiro Oficial

39 FRANCISCO CARLOS DE MEDEIROS Código Identificador: 56FDA387 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL N.º 046/2015 O Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de São Fernando/RN, nomeado por intermédio da Portaria n. 034, de 02 de março de 2015, torna público, para conhecimento dos interessados, que no próximo dia 02 de abril de 2015, às 10:00 horas, fará licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, objetivando o REGISTRO DE PREÇOS POR PARTE DE PESSOA FÍSICA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENSINAMENTO DE ARTES ARTESANAIS, ESPECIALMENTE DE BORDADOS A MÁQUINA E A MÃO, E TAMBÉM NA ELABORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS PARA AUXILIAR OS ARTESÃOS A PROMOVEREM A INSERÇÃO DE SEUS PRODUTOS NO MERCADO REGIONAL, conforme as especificações constantes do Termo de Referência, Anexo I do Edital de convocação deste procedimento, com a finalidade atender as demandas da Secretaria Municipal de Assistência Social, especialmente na perspectiva de promover a geração de trabalho e renda. Os interessados em adquirir cópia integral dos respectivos Edital, Termo de Referência e minuta do Contrato Administrativo poderão acessar o site: onde encontram-se publicados integralmente ou comparecer a sede da Prefeitura Municipal, localizado à Rua Capitão João Florêncio, n. 45, Centro, São Fernando/RN, no horário de expediente normal da Prefeitura Municipal. São Fernando/RN, 23 de março de Município de São Fernando/RN Prefeitura Municipal IRO DANTAS DE MEDEIROS Pregoeiro Oficial FRANCISCO CARLOS DE MEDEIROS Código Identificador: 3EE29568 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DO SERIDÓ OCIDENTAL - PREÃO PRESENCIAL N.º 001/2015 A Pregoeira Oficial da AMS Associação dos Municípios do Seridó, nomeado por intermédio da Portaria n. 001, de 02 de março de 2015, torna público, para conhecimento dos interessados, que no próximo dia 09 de abril de 2015, às 10:00 horas, fará licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, objetivando a contratação de empresa(s) que se disponha(m) a realizar serviços mecânicos em máquinas pesadas e a vender peças, conforme as especificações constantes do Termo de Referência, Anexo I do Edital, com o escopo de facilitar o funcionamento mecânico das máquinas: Retroescavadeira, Par Enchedeira e Motoniveladora pertencentes a Associação dos Municípios do Seridó Ocidental. Os interessados em adquirir cópia integral dos respectivos Edital, Termo de Referência e minuta do Contrato Administrativo poderão comparecer a sede da Associação, localizada à Avenida Renato Dantas, n.º 519, Centro, Caicó/RN, no horário de expediente normal da Edilidade. Caicó/RN, 12 de março de IVÂNIA MARTINS DOS SANTOS Pregoeira Oficial FRANCISCO CARLOS DE MEDEIROS Código Identificador: 5969E398 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EXTRATO DE CONTRATO ADMINISTRATIVO DECORRENTE DO PREGÃO PRESENCIAL N 020/2015 CONTRATANTE: Município de São Fernando/RN - Prefeitura Municipal, CNPJ nº / CONTRATADA: PHOSPODONT LTDA, CNPJ nº / OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA A AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS DE USO ESPECIAL (PSICOTRÓPICOS) PARA FINS MÉDICO-FARMACOLÓGICOS, conforme as especificações constantes do Termo de Referência, Anexo I deste Edital, com a finalidade de atender as necessidades e demandas da Rede Municipal de Saúde deste Município originária das unidades de saúde municipais. VALOR GLOBAL DO CONTRATO: R$ ,00 (Quarenta e Três Mil, Oitocentos e Vinte e Um Reais). FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei Federal nº /2002. MODALIDADE LICITATÓRIA: Pregão Presencial nº 020/2015 (Processo/PMSF/RN nº 036/2015). DATA DA ASSINATURA: 10 de fevereiro de VIGÊNCIA: Até o dia 31 de dezembro de 2015, com início a partir da data de sua assinatura. SIGNATÁRIOS: GENILSON MEDEIROS MAIA pelo Contratante, e Valdemário Pinheiro de Araújo pela Contratada. São Fernando/RN, 10 de fevereiro de GENILSON MEDEIROS MAIA Prefeito Municipal FRANCISCO CARLOS DE MEDEIROS Código Identificador: 3E8197F5 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL N.º 047/2015 AVISO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL N. 047/2015 O Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de São Fernando/RN, nomeado por intermédio da Portaria n. 034, de de março de 2015, torna público, para conhecimento dos interessados, que no próximo dia 06 de abril de 2015, às 09:00 horas, fará licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, objetivando o registro de preços para a contratação de estação de rádio comercial AM ou FM com alcance das ondas radiofônicas em toda a região do Seridó Ocidental, visando a inserção na sua grade de programação de programa independente para a divulgação institucional das ações governamentais com duração de trinta minutos uma vez por semana, preferencialmente a partir das 14:00 horas no corrente ano. Os interessados em adquirir cópia integral dos respectivos Edital, Termo de Referência e minuta do Contrato Administrativo poderão acessar o site: onde encontram-se publicados integralmente ou comparecer a sede da Prefeitura Municipal, localizado à Rua Capitão João Florêncio, n. 45, Centro, São Fernando/RN, no horário de expediente normal da Prefeitura Municipal. São Fernando/RN, 23 de março de Município de São Fernando/RN Prefeitura Municipal CIRO DANTAS DE MEDEIROS Pregoeiro Oficial FRANCISCO CARLOS DE MEDEIROS Código Identificador: 4897B009 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL N.º 048/2015 O Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de São Fernando/RN, nomeado por intermédio da Portaria n. 034, de 02 de março de 2015, torna público, para conhecimento dos interessados, que no próximo dia 06 de abril de 2015, às 10:00 horas, fará licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, objetivando a contratação de pessoa jurídica que se disponha a REGISTRAR PREÇOS PARA POSSÍVEL AQUISIÇÃO DE MATERIAIS DESCARTÁVEIS, conforme as especificações constantes do Termo de Referência, Anexo I do Edital de convocação deste procedimento, com a finalidade de atender as necessidades da Secretaria Municipal de Assistência Social deste Município durante o exercício de 2015, e em especial os programas federais. Os interessados em adquirir cópia integral dos respectivos Edital, Termo de Referência e minuta do Contrato Administrativo poderão acessar o site: onde encontram-se publicados integralmente ou comparecer a sede da Prefeitura Municipal, localizado à Rua Capitão João Florêncio, n. 45, Centro, São Fernando/RN, no horário de expediente normal da Prefeitura Municipal. São Fernando/RN, 23 de março de Município de São Fernando/RN Prefeitura Municipal CIRO DANTAS DE MEDEIROS Pregoeiro Oficial FRANCISCO CARLOS DE MEDEIROS Código Identificador: D COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL N.º 049/2015 O Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de São Fernando/RN, nomeado por intermédio da Portaria n. 034, de 02 de março de 2015, torna público, para conhecimento dos interessados, que no próximo dia 06 de abril de 2015, às 14:00 horas, fará licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, objetivando a contratação de pessoa jurídica que se disponha a REGISTRAR PREÇOS PARA POSSÍVEL AQUISIÇÃO DE CAMISETAS PERSONIFICADAS CONFECCIONADAS EM MALHA PARA FARDAMENTO, conforme as especificações constantes do Termo de Referência, Anexo I do Edital de convocação deste procedimento, com a finalidade de atender as necessidades da Secretaria Municipal de Assistência Social deste Município durante o exercício de 2015, e em especial os programas federais. Os interessados em adquirir cópia integral dos respectivos Edital, Termo de Referência e minuta do Contrato Administrativo poderão acessar o site: onde encontram-se publicados integralmente ou comparecer a sede da Prefeitura Municipal, localizado à Rua Capitão João Florêncio, n. 45, Centro, São Fernando/RN, no horário de expediente normal da Prefeitura Municipal. São Fernando/RN, 23 de março de Município de São Fernando/RN Prefeitura Municipal CIRO DANTAS DE MEDEIROS Pregoeiro Oficial FRANCISCO CARLOS DE MEDEIROS Código Identificador: 4B1DE3DD PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DO SABUGI CONTROLADORIA GERAL EXTRATO TERMO ADITIVO I TERMO ADITIVO- Processo MSJS/RN Nº 0029/2014, -Pregão Presencial 009/2014- São João do Sabugi/RN. CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SABUGI/RN, CONTRATADO (A) FERNANDES & MEDEIROS VAREJISTA LTDA ME, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF) Sob nº / OBJETO: O Presente termo Aditivo tem como objeto a prorrogação da Ata de Registro de Preços até o dia 31 de dezembro de Da RATIFICAÇÂO: As demais Cláusulas do Contrato referencia permanente inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, 1º, Inciso II, da lei Federal 8.666/93 e suas alterações posteriores. São João do Sabugi/RN, 31 de dezembro de 2014 ANÍBAL PEREIRA DE ARAÚJO Prefeito Municipal FRANCISCO RAFAEL DE MORAIS FERNANDES Código Identificador: 6EF7AD2C SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE TERMO ADITIVO I TERMO ADITIVO- Processo MSJS/RN Nº 0029/2014, Pregão Presencial 009/2014- São João do Sabugi/RN. CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SABUGI/RN, CONTRATADO (A) ISLEY FONSECA DAMASCENO DE ARAUJO EPP, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF) Sob nº / OBJETO: O Presente termo Aditivo tem como objeto a prorrogação da Ata de Registro de Preços até o dia 30 de junho de Da RATIFICAÇÂO: As demais Cláusulas do Contrato referencia permanente inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, 1º, Inciso II, da lei Federal 8.666/93 e suas alterações posteriores. São João do Sabugi/RN, 31 de dezembro de 2014 ANÍBAL PEREIRA DE ARAÚJO Prefeito Municipal FRANCISCO RAFAEL DE MORAIS FERNANDES Código Identificador: 660E9BA2 SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE TERMO ADITIVO I TERMO ADITIVO- Processo MSJS/RN Nº 0029/2014-Pregão Presencial 009/2014- São João do Sabugi/RN. CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SABUGI/RN, CONTRATADO (A) J.R. ELETRODOMESTICOS LTDA, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF) Sob nº / OBJETO: O Presente termo Aditivo tem como objeto a prorrogação da Ata de Registro de Preços até o dia 30 de junho de Da RATIFICAÇÂO: As demais Cláusulas do Contrato referencia permanente inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, 1º, Inciso II, da lei Federal 8.666/93 e suas alterações posteriores. São João do Sabugi/RN, 31 de dezembro de 2014 ANÍBAL PEREIRA DE ARAÚJO Prefeito Municipal FRANCISCO RAFAEL DE MORAIS FERNANDES Código Identificador: 628C78EE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO TERMO ADITIVO I TERMO ADITIVO- Processo MSJS/RN Nº 0029/2014, -Pregão Presencial 009/2014- São João do Sabugi/RN. CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SABUGI/RN, CONTRATADO (A) KALCULU S- COM. DE MÓVEIS E MAQUINAS PARA ESCRITÓRIO LTDA, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF) Sob nº / OBJETO: O Presente termo Aditivo tem como objeto a prorrogação da Ata de Registro de Preços até o dia 30 de junho de Da RATIFICAÇÂO: As demais Cláusulas do Contrato referencia permanente inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, 1º, Inciso II, da lei Federal 8.666/93 e suas alterações posteriores. São João do Sabugi/RN, 31 de dezembro de 2014 ANÍBAL PEREIRA DE ARAÚJO Prefeito Municipal FRANCISCO RAFAEL DE MORAIS FERNANDES Código Identificador: 6220DAAC SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE TERMO ADITIVO I TERMO ADITIVO- Processo MSJS/RN Nº 0029/2014-Pregão Presencial 009/2014- São João do Sabugi/RN. CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SABUGI/RN, CONTRATADO (A) HEITOR WANDERLEY MEIRELLES DE FREITAS, inscrito no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF) Sob nº / OBJETO: O Presente termo Aditivo tem como objeto a prorrogação da Ata de Registro de Preços até o dia 31 de dezembro de Da RATIFICAÇÂO: As demais Cláusulas do Contrato referencia permanente inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, 1º, Inciso II, da lei Federal 8.666/93 e suas alterações posteriores. São João do Sabugi/RN, 31 de dezembro de 2014 ANÍBAL PEREIRA DE ARAÚJO Prefeito Municipal FRANCISCO RAFAEL DE MORAIS FERNANDES Código Identificador: F

40 SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE TERMO ADITIVO I TERMO ADITIVO- Processo MSJS/RN Nº 0029/2014-Pregão Presencial 009/2014- São João do Sabugi/RN. CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SABUGI/RN, CONTRATADO (A) L.P. LATICINIOS ME, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF) Sob nº / OBJETO: O Presente termo Aditivo tem como objeto a prorrogação da Ata de Registro de Preços até o dia 30 de junho de Da RATIFICAÇÂO: As demais Cláusulas do Contrato referencia permanente inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, 1º, Inciso II, da lei Federal 8.666/93 e suas alterações posteriores. São João do Sabugi/RN, 31 de dezembro de 2014 ANÍBAL PEREIRA DE ARAÚJO Prefeito Municipal FRANCISCO RAFAEL DE MORAIS FERNANDES Código Identificador: 539C0502 SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE TERMO ADITIVO I TERMO ADITIVO- Processo MSJS/RN Nº 0029/2014-Pregão Presencial 009/2014- São João do Sabugi/RN. CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SABUGI/RN, CONTRATADO (A) SANTO ANTÔNIO LIVRARIA E PAPELARIA LTDA EPP, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF) Sob nº / OBJETO: O Presente termo Aditivo tem como objeto a prorrogação da Ata de Registro de Preços até o dia 30 de junho de Da RATIFICAÇÂO: As demais Cláusulas do Contrato referencia permanente inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, 1º, Inciso II, da lei Federal 8.666/93 e suas alterações posteriores. São João do Sabugi/RN, 31 de dezembro de 2014 ANÍBAL PEREIRA DE ARAÚJO Prefeito Municipal FRANCISCO RAFAEL DE MORAIS FERNANDES Código Identificador: 47A334ED SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE TERMO ADITIVO I TERMO ADITIVO- Processo MSJS/RN Nº 0029/2014-Pregão Presencial 009/2014- São João do Sabugi/RN. CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SABUGI/RN, CONTRATADO (A) ARMAZEM ZEZÃO LTDA, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF) Sob nº OBJETO: O Presente termo Aditivo tem como objeto a prorrogação da Ata de Registro de Preços até o dia 31 de dezembro de Da RATIFICAÇÂO: As demais Cláusulas do Contrato referencia permanente inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, 1º, Inciso II, da lei Federal 8.666/93 e suas alterações posteriores. São João do Sabugi/RN, 31 de dezembro de 2014 ANÍBAL PEREIRA DE ARAÚJO Prefeito Municipal FRANCISCO RAFAEL DE MORAIS FERNANDES Código Identificador: 4216C029 SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EXTRATO DE TERMO ADITIVO I TERMO ADITIVO- Processo MSJS/RN Nº 0029/2014-Pregão Presencial 009/2014- São João do Sabugi/RN. CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SABUGI/RN, CONTRATADO (A) ELETROCENTER MATERIAL ELETRICO E CONSTRUÇÃO CAICÓ LTDA ME, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ/MF) Sob nº / OBJETO: O Presente termo Aditivo tem como objeto a prorrogação da Ata de Registro de Preços até o dia 31 de dezembro de Da RATIFICAÇÂO: As demais Cláusulas do Contrato referencia permanente inalteradas pelo presente Termo Aditivo. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, 1º, Inciso II, da lei Federal 8.666/93 e suas alterações posteriores. São João do Sabugi/RN, 31 de dezembro de 2014 ANÍBAL PEREIRA DE ARAÚJO Prefeito Municipal FRANCISCO RAFAEL DE MORAIS FERNANDES Código Identificador: 51AD1285 PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ EXTRATO DO TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO ADMINISTRATIVO POR PRAZO DETERMINADO Nº 024/2014 CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de São José do Seridó/RN- Secretaria Municipal de Educação e Cultura- SEMEC 40 CONTRATADO: ROSEMARIA SANTOS DA COSTA OBJETO: Rescisão do Contrato de Prestação de Serviço, celebrado em 06 de maio de BASE LEGAL: Lei Municipal nº 294, de 06 de julho de 2009, e do Edital nº 001/2014, que Institui o Processo Seletivo Simplificado DATA DA ASSINATURA: 20 de março de 2014 LOCAL E DATA: São José do Seridó- RN,20 de março de 2014 JACKSON DANTAS. Prefeito Municipal MARIA FRANCINETE DE MEDEIROS Código Identificador: 6BA7EC67 EXTRATO DO TERMO DE ADITAMENTO 003/2015 DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS POR PRAZO DETERMINADO Nº 024/2014 CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de São José do Seridó/RN-Secretaria Municipal de Educação e Cultura. CONTRATADO: Rosemaria Santos da Costa CLAUSULA OITAVA: A remuneração bruta total do CONTRATADO será de R$ 1654,09 (mil seiscentos e cinquenta e quatro reais e nove centavos) por mês BASE LEGAL: Do artigo 37, inciso IX, da Constituição da República que se regerá pelas normas da Lei Municipal nº 294/09,de 06 de julho de 2009, e do Edital nº 001/2014 que institui o Processo Seletivo Simplificado DATA DAASSINATURA: 12 de março de VIGÊNCIA: 31 de maio de 2015 local E DATA: São José do Seridó-RN, 12 de março de 2015 JACKSON DANTAS. Prefeito Municipal MARIA FRANCINETE DE MEDEIROS Código Identificador: 7676F2D7 EXTRATO DO TERMO DE ADITAMENTO Nº 002/2015 DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS POR PRAZO DETERMINADO Nº 039/2014 CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de São José do Seridó/RN-Secretaria Municipal de Educação e Cultura. CONTRATADO: ANALILIAN VIANA DA COSTA CLAUSULA OITAVA: A remuneração bruta total do CONTRATADO será de R$ 1654,09 (mil seiscentos e cinquenta e quatro reais e nove centavos) por mês BASE LEGAL: Do artigo 37, inciso IX, da Constituição da República que se regerá pelas normas da Lei Municipal nº 294/09,de 06 de julho de 2009, e do Edital nº 001/2014 que institui o Processo Seletivo Simplificado DATA DA ASSINATURA: 12 de março de VIGÊNCIA: 31 de maio de 2015 LOCAL E DATA: São José do Seridó-RN, 12 de março de 2015 JACKSON DANTAS. Prefeito Municipal MARIA FRANCINETE DE MEDEIROS Código Identificador: 56BC0F44 PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL COMISSÃO DE LICITAÇÃO - PMSM EXTRATO DE EDITAL Nº. 026/2015 PREGÃO PRESENCIAL SRP OBJETO: Registro de preço para futura aquisição fracionada de material esportivo e demais artigos, conforme termo de referência. TIPO: Menor preço por item. ABERTURA: Dia 06 de maio de 2015, às 09h00min, na Sala da Comissão de Licitações, situada na Rua Padre Tertuliano Fernandes, 46, Centro São Miguel/RN, CEP: INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES: O Edital e demais informações encontram-se à disposição dos interessados na Sala da Comissão de Licitações, no endereço citado, no horário das 07h00min às 12h00min, de segunda à sexta-feira, exceto feriados ou através do site São Miguel/RN, 24 de março de Walkei Paulo Pessoa Freitas RESPONSÁVEL PELA PUBLICAÇÃO WALKEI PAULO PESSOA FREITAS Código Identificador: 56D1B8B9 COMISSÃO DE LICITAÇÃO - PMSM EXTRATO DE EDITAL Nº. 027/2015 PREGÃO PRESENCIAL SRP OBJETO: Registro de preço para futura contratação dos serviços de manutenção com reposição de peças de equipamentos permanente, conforme termo de referência. TIPO: Menor preço por item. ABERTURA: Dia 06 de maio de 2015, às 14h30min, na Sala da Comissão de Licitações, situada na Rua Padre Tertuliano Fernandes, 46, Centro São Miguel/RN, CEP: INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES: O Edital e demais informações encontram-se à disposição dos interessados na Sala da Comissão de Licitações, no endereço citado, no horário das 07h00min às 12h00min, de segunda à sexta-feira, exceto feriados ou através do site São Miguel/RN, 24 de março de Walkei Paulo Pessoa Freitas RESPONSÁVEL PELA PUBLICAÇÃO WALKEI PAULO PESSOA FREITAS Código Identificador: 62D144F4 COMISSÃO DE LICITAÇÃO - PMSM EXTRATO DE EDITAL Nº. 028/2015 PREGÃO PRESENCIAL SRP OBJETO: Registro de preço para futura contratação dos serviços de pessoa física e/ou jurídica especializado em otorrinolaringologia, urologia e procedimentos laboratorial, conforme termo de referência. TIPO: Menor preço por item. ABERTURA: Dia 07 de maio de 2015, às 09h00min, na Sala da Comissão de Licitações, situada na Rua Padre Tertuliano Fernandes, 46, Centro São Miguel/RN, CEP: INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES: O Edital e demais informações encontram-se à disposição dos interessados na Sala da Comissão de Licitações, no endereço citado, no horário das 07h00min às 12h00min, de segunda à sexta-feira, exceto feriados ou através do site São Miguel/RN, 24 de março de Walkei Paulo Pessoa Freitas RESPONSÁVEL PELA PUBLICAÇÃO WALKEI PAULO PESSOA FREITAS Código Identificador: 771ED116 COMISSÃO DE LICITAÇÃO - PMSM PREGÃO PRESENCIAL Nº. 010/2015 SRP - RESULTADO DE HABILITAÇÃO APÓS RECURSOS ORGÃO:Prefeitura Municipal De São Miguel/RN MODALIDADE: Pregão Presencial nº 015/2015. OBJETO: Aquisição de equipamentos permanente para unidades básica de saúde do Município de São Miguel-RN, referente ao Convênio nº /2009. EMPRESAS HABILITADAS: MANOEL EDIVALDO DE LIMA ME, INSCRITA NO CNPJ Nº / GQS ELETROS E EQUIPAMENTOS LTDA EPP, INSCRITA NO CNPJ Nº / RDF DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS PARA SAUDE LTDA, INSCRITA NO CNPJ Nº / W. S. COMERCIO E SERVIÇOS LTDA, INSCRITA NO CNPJ Nº / DENTALMED COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA, INSCRITA NO CNPJ Nº / EMPRESAS NÃO HABILITADAS: CRM COMERCIAL LTDA ME, INSCRITA NO CNPJ Nº / , DESCUMPRIMENTO AO ITEM 4.5 a.15, b.6 e b.8 E BETANIAMED COMERCIAL EIRELI EPP, INSCRITA NO CNPJ Nº / , DESCUMPRIMENTO AO ITEM 4.5 b.5, c.1. WALKEI PAULO PESSOA FREITAS Código Identificador: 6BDA6A89 COMISSÃO DE LICITAÇÃO - PMSM AVISO DE CONVOCAÇÃO PARA ASSINATURA DE ATA DE REGISTRO DE PREÇO - PREGÃO PRESENCIAL Nº. 015/2015 SRP A PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL - RN, através de seu Pregoeiro, torna público que em face da não habilitação das empresas CRM COMERCIAL LTDA ME, INSCRITA NO CNPJ Nº / e BETANIAMED COMERCIAL EIRELI EPP, INSCRITA NO CNPJ Nº / , CONVOCA a empresa RDF - DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS PARA SAUDE LTDA, segunda colocada nos itens APARELHO RAIO-X ODONTOLÓGICO, CADEIRA PARA

41 COLETA ESTOFADA, ESCADA COM 02 DEGRAUS, GLICOSIMETRO e MOCHO GIRATÓRIO ESTOFADO, a empresa DENTALMED COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA, segunda colocada nos itens CADEIRA ODONTOLÓGICA, BALANÇA ANTROPOMÉTRICA ADULTA MESA ATENDIMENTO MÉDICO COM 02 GAVETAS a empresa W.S.COMERCIO E SERVICOS LTDA-ME, segunda colocada no item COMPRESSOR COM VÁLVULA CAPACIDADE MÍNIMA 30LTS, para que no dia 30 de março de 2015 às 09:00, na sede desta prefeitura, para que seja procedida a negociação. A contratação se dará nas mesmas condições propostas pelo primeiro classificado, inclusive quanto aos preços atualizados de conformidade com o ato convocatório. Caso não aceite será convocado o terceiro classificado e assim sucessivamente até que seja efetivada a contratação, ou seja, decidida pela revogação da licitação. WALKEI PAULO PESSOA FREITAS Código Identificador: 75BD533B SETOR DE FINANÇAS TERMO DE DISPENSA Nº. 0148/2015 A PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer Técnico, juntamente com o Parecer Jurídico, devidamente fundamentado com base na Lei: Reconheço e autorizo a dispensa de licitação, correspondente ao processo citado, em favor: CARLOS WASHINGTON DE OLIVEIRA BARBOSA ME CNPJ/CPF: / VALOR: R$ 2.052,60 (Dois mil e cinquenta e dois reais e sessenta centavos). A despesa do órgão PROJOVEM será consignada à seguinte dotação orçamentária: -Unidade Orçamentária: Projetos de Atividade RECURSOS FNAS PROJOVEM/ADOLESCENTE, Elemento de Despesa Fonte: 129. A despesa do órgão Programa Bols Família será consignada à seguinte dotação orçamentária: -Unidade Orçamentária: Projetos de Atividade RECURSOS FNAS IGDBF BOLSA FAMILIA, Elemento de Despesa Fonte: 129. Encaminho o presente processo para o Setor de Contabilidade para emissão de nota de Empenho. SÃO MIGUEL-RN, 02 de Março de Daniel Vieira de Almeida Secretário de Administração, Finanças, Planejamento e Orçamento. FRANCISCO TIAGO PESSOA DANTAS Código Identificador: SETOR DE FINANÇAS TERMO DE DISPENSA Nº. 0149/2015 A PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer Técnico, juntamente com o Parecer Jurídico, devidamente fundamentado com base na Lei: Reconheço e autorizo a dispensa de licitação, correspondente ao processo citado, em favor: CARLOS WASHINGTON DE OLIVEIRA BARBOSA ME CNPJ/CPF: / VALOR: R$ 5.922,20 (Cinco mil, Novecentos e vinte e dois reais e vinte centavos). A despesa será consignada à seguinte dotação orçamentária: -Unidade Orçamentária: Projetos de Atividade APLIAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO DO SALÁRIO EDUCAÇÃO, Elemento de Despesa Fonte: 129. Encaminho o presente processo para o Setor de Contabilidade para emissão de nota de Empenho. SÃO MIGUEL-RN, 02 de Março de Daniel Vieira de Almeida Secretário de Administração, Finanças, Planejamento e Orçamento. FRANCISCO TIAGO PESSOA DANTAS Código Identificador: 74E87623 SETOR DE FINANÇAS TERMO DE DISPENSA Nº. 0150/2015 A PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer Técnico, juntamente com o Parecer Jurídico, devidamente fundamentado com base na Lei: Reconheço e autorizo a dispensa de licitação, correspondente ao processo citado, em favor: 41 OK COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA ME CNPJ: / VALOR: R$ 7.40 (Sete mil e quatrocentos reais) A despesa será através da dotação orçamentária: -Unidade Orçamentária: Projetos de Atividade MANUT. DAS ATIVIDADES DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, Elemento de Despesa Fonte: 100. Encaminho o presente processo para o Setor de Contabilidade para emissão de nota de Empenho. SÃO MIGUEL-RN, 02 de Março de Daniel Vieira de Almeida Secretário de Administração, Finanças, Planejamento e Orçamento. FRANCISCO TIAGO PESSOA DANTAS Código Identificador: 68A0A8C4 SETOR DE FINANÇAS TERMO DE DISPENSA Nº. 0151/2015 A PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer Técnico, juntamente com o Parecer Jurídico, devidamente fundamentado com base na Lei: Reconheço e autorizo a dispensa de licitação, correspondente ao processo citado, em favor: OK COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA ME CNPJ: / VALOR: R$ 7.20 (Sete mil e duzentos reais) A despesa será através da dotação orçamentária: -Unidade Orçamentária: Projetos de Atividade MANUT. DAS ATIVIDADES DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, Elemento de Despesa Fonte: 100. Encaminho o presente processo para o Setor de Contabilidade para emissão de nota de Empenho. SÃO MIGUEL-RN, 02 de Março de Daniel Vieira de Almeida Secretário de Administração, Finanças, Planejamento e Orçamento. FRANCISCO TIAGO PESSOA DANTAS Código Identificador: D9 PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PEDRO PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN RESULTADO DA LICITAÇÃO A Prefeitura Municipal de São Pedro/RN, através da Pregoeira Oficial do Município, torna público o resultado do Processo nº /15 na modalidade Pregão Presencial nº /15, cujo objeto é o REGISTRO DE PREÇOS PARA EVENTUAL CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE OPERACIONALIZAÇÃO DOS CONTRATOS E CONVÊNIOS FEDERAIS E ESTADUAIS FIRMADOS PELO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO/RN, na qual a empresa M. GUEDES DUARTE (CNPJ: / ), saiu vencedora do certame com valor global de R$ (trinta e seis mil reais).são Pedro/RN, 20 de março de 2015.PRISCILA MABEL ARAÚJO BRÁZ -Pregoeira Oficial do Município ROBERTO PEDRO DA SILVA Código Identificador: D5 PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN Aos quatro dias do mês de março do ano de 2015, a PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PEDRO/RN, inscrita no CNPJ/MF sob nº / , sediada na Rua Monsenhor Expedito, nº. 161, Centro, São Pedro/RN, CEP: , neste ato representada pela Prefeita Municipal, a Sra. MARIA ROBENICE RIBEIRO, residente e domiciliada no Município de São Pedro/RN, nos termos da nos termos da Lei nº /02; Decreto Municipal nº. 002/13; e subsidiariamente as normas constantes na Lei nº /93 (com suas posteriores alterações); conforme a classificação das propostas apresentadas no PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN, homologado em 27 de fevereiro de 2015, resolve registrar o preço oferecido pelas empresas, como segue: Empresa: A. A. DE S. WANDERLEY - ME CNPJ: / Telefone: Endereço: AV CAP MOR GOUVEIA - CANDELARIA II CPF: Natal-RN. Representante: Adriano Alberto de Souza Wanderley CPF: MATERIAL HOSPITALAR LOTE I - CONSUMO ITEM-1-ABAIXADOR DE LINGUA PCT C/100 -THEOTO- PCT-120-R$ 5,00-R$ 60-2-ÁGUA PARA INJEÇÃO 10ML - FARMECE-UNID-5000-R$ 0,22-R$ AGULHA DESC. 13X4,5 CX C/100 -LABOR IMPORT-CX-40-R$ 5,00-R$ 20-4-AGULHA DESC. 20X5,5 CX C/100 -DESCARPACK- CX-40-R$ 5,00-R$ 20-5-AGULHA DESC. 25X7 CX C/100 - EMBRAMAC-CX-200-R$ 5,00-R$ AGULHA DESC. 25X8 CX C/100 -DESCARPACK-CX-150-R$ 5,00-R$ AGULHA DESC. 40X12 CX C/100 -DESCARPACK-CX-50-R$ 5,00-R$ 25-8-ATADURA DE CREPOM 10CM X 3M -REAL MINAS-RL-5000-R$ 1,20-R$ ATADURA DE CREPOM 15CM X 3M -REAL MINAS-RL-5000-R$ 1,00-R$ ATADURA DE CREPOM 20CM X 3M -REAL MINAS-RL-5000-R$ 0,20-R$ EQUIPO MACRO GOTAS -DESCARPACK-UNID-2400-R$ 1,20-R$ ESCOVA CERVICAL PCT C/ 100 UNID -VAGISPEC-PCT-60- R$ 45,00-R$ ESPARADRAPO IMPERMEAVEL 10CM X 4,5M -MISSNER-RL-360-R$ 1-R$ ESPARADRAPO MICROPORE G-MISSNER-RL-240-R$ 8,50- R$ ESPATULA DE AYRES PCT C/100 -THEOTO- PCT-40-R$ 6,20-R$ 248,00-16-FITA ADESIVA HOSPITALAR 19M X 50M -MISSNER-RL-240-R$ 2,90-R$ 696,00-17-FITA P/AUTOCLAVE 19MM X 30M -MISSNER-RL-240-R$ 6,30-R$ 1.512,00-18-GAZE COMPRESSA 7,5CMX7,5CM PCT C/500 - REAL MINAS-PCT-600-R$ 19,70-R$ GAZE HIDROFILA 91CM -REAL MINAS-RL-400-R$ 36,50-R$ LAMINA DE BISTURI Nº 21 CX C/100 - EMBRAMAC-CX-10-R$ 12,00-R$ LAMINA DE BISTURI Nº 23 CX C/100 -LABOR IMPORT-CX-10-R$ 2-R$ LUVA CIRURGICA ESTERIL Nº 7,0 -SUPERMAX- PAR-1000-R$ 1,40-R$ LUVA CIRURGICA ESTERIL Nº 7,5 -SUPERMAX-PAR-1400-R$ 1,40-R$ LUVA CIRURGICA ESTERIL Nº 8,0 - LEMGRUBER-PAR-1400-R$ 1,40-R$ LUVA PROCEDIMENTO TAM G CX C/100 -EMBRAMAC-CX-300-R$ 19,00-R$ LUVA PROCEDIMENTO TAM M CX C/100 -EMBRAMAC-CX-600-R$ 19,00-R$ LUVA PROCEDIMENTO TAM P CX C/100 -EMBRAMAC-CX-600-R$ 19,00-R$ LUVA PROCEDIMENTO TAM PP CX C/100 -LAGROTA-CX-200-R$ 19,00-R$ MÁSCARA DESC. TRIPLA C/ELASTICO CX C/50 UNID - DESCARPACK-CX-150-R$ 7,00-R$ POVIDINE TÓPICO 1000ML -RIOQUIMICA-LT-120-R$ 16,00-R$ SCALP Nº 21 -LABOR IMPORT-UNID-3600-R$ 0,10-R$ SCALP Nº 23 -LABOR IMPORT-UNID R$ 0,20-R$ SCALP Nº 25 -LABOR IMPORT- UNID-3600-R$ 0,20-R$ SERINGA DESC. 1ML C/AG. 13 X4,5-DESCARPACK-UNID R$ 0,35-R$ SERINGA DESC. 3ML C/AG. 25X7 -SR-UNID-6000-R$ 0,14-R$ SERINGA DESC. 5ML C/AG. 25X7-SR-UNID R$ 0,15-R$ SERINGA DESC. 10ML C/AG. 25X7 - DESCARPACK-UNID-6000-R$ 0,25-R$ SERINGA DESC. 20ML C/AG. 25X7 -DESCARPACK-UNID-3000-R$ 0,70- R$ SORO FISIOLOGICO 0,9% 500ML - FARMACE-UNID-2400-R$ 3,00-R$ SORO FIOSIOLÓGICO 0,9% 250ML -FARMACE-UNID-1200-R$ 1,25- R$ SORO FISIOLOGICO 0,9% 100ML -FRESENIUS-UNID-800- R$ 2,30-R$ SONDA URETRAL N. 08 -MARK MED- UNID-3600-R$ 0,90-R$ SONDA URETRAL N MARK MED-UNID-3600-R$ 0,90-R$ SONDA URETRAL N. 12 -MARK MED-UNID-3600-R$ 0,90-R$ SONDA DE FOLEY Nº 16 2 VIAS -SOLIDOR- UNID-100-R$ 3,00-R$ SONDA DE FOLEY Nº 18 2 VIAS -SOLIDOR-UNID-100-R$ 3,00-R$ TERMOMETRO CLINICO -G-TECH- UNID-120-R$ 7,00-R$ TERMOMETRO CLINICO DIGITAL - G -G-TECH-UNID-30-R$ 5,00-R$ TOUCA DESC. GRAMATURA 20 PCT C/100 -DESCARPACK-PCT-120- R$ 6,00-R$ SORO RINGER C/ LACTATO 500ML- FARMACE-UNID-1200-R$ 3,00-R$ SORO RINGER SIMPLES 500ML-FARMACE-UNID-2000-R$ 3,00-R$ SORO GLICOSADO 250 ML-FARMACE- UNID-2000-R$ 2,70-R$ SORO GLICOSADO 500ML-FARMACE-UNID-3000-R$ 3,00-R$ ALGODÃO ROLO GRANDE-NEVOA-RL-400-R$ 13,00-R$ ÁLCOOL A 70%-RICIE-UNID-700-R$ 5,00-R$ ÁLCOOL GEL G-QUALITY-UNID-500-R$ 1,20-R$ ESPÉCULO P-KOLPLAST-UNID-700-R$ 1,30-R$ ESPÉCULO M-KOLPLAST-UNID-1200-R$ 1,30-R$ ESPÉCULO G-KOLPLAST-UNID-1200-R$ 0,50-R$ POLIFIX-EMBRAMAC-UNID-500-R$ 0,20-R$ JELCO N. 22-SOLIDOR-UNID-500-R$ 0,50-R$ JELCO N. 24-SOLIDOR-UNID-500-R$ 1,20-R$ JELCO N. 20-SOLIDOR-UNID-500-R$ 1,20-R$ MÁSCARA DE VENTURE ADULTO-PROTEC- UNID-100-R$ 5,00-R$ MÁSCARA DE VENTURE INFANTIL-PROTEC-UNID-50-R$ 5,00-R$ FRASCO PARA MÁSCARA DE VENTURE-PROTEC-UNID-100-R$ 2,00- R$ MÁSCARA DE NEBULIZAÇÃO ADULTO- PROTEC-UNID-50-R$ 5,00-R$ MÁSCARA DE NEBULIZAÇÃO INFANTIL-DARU-UNID-50-R$ 5,00-R$ LÂMINA DE VIDRO FOSCO CX C/25-PRECISION- CX-100-R$ 4,00-R$ LÂMINA DE VIDRO LISA CX C/25-BIO SLIDE-CX-100-R$ 4,00-R$ FRASCO PORTA LÂMINA-CRAL-UNID-400-R$ 0,70-R$ ÁLCOOL ABSOLUTO LITRO-RICIE-UNID-400-R$ 1-R$ FITA TESTE PARA HGT CX C/50-ACON-CX-36- R$ 4-R$ LANCETA PARA HGT CX 150- MEDLEVENSOHN-CX-30-R$ 12,60-R$ 378,00-75-ÁGUA DESTILADA LITRO-ASFER-UNID-240-R$ 4,00-R$ ÁGUA DESTILADA 5 LITROS-ASFER-UNID-120-R$ 2,10-R$ 252,00-77-TORNIQUETE-ZIBLOK-UNID-100-R$ 2,04-R$ 204,00-VALOR GLOBAL DO LOTE I-R$ MATERIAL HOSPITALAR LOTE II PERMANENTE-ITEM-64- TENSIOMÊTRO-PREMIUM-UNID-50-R$ 6-R$ ESTETOSCÓPIO-PREMIUM-UNID-50-R$ 2-R$ BALANÇA PORTÁTIL-CAMRY-UNID-40-R$ 45,00- R$ NEBULIZADOR 1 SAÍDA-G TECH-UNID-4-R$ 16-R$ NEBULIZADOR 3 SAÍDAS-INALAMED-

42 UNID-4-R$ 60-R$ FLUXOMETRO-PROTEC- UNID-10-R$ 55,00-R$ RELÓGIO DO OXIGÊNIO ( MANOMETRO)-MEDITEC-UNID-10-R$ 2-R$ CAIXA TÉRMICA P/ VACINA E MEDICAMENTO G-INICTA- UNID-8-R$ 3-R$ ASPIRADOR PORTÁTIL-NS- UNID-2-R$ 1.39-R$ GLICOSIMETRO-ACON- UNID-8-R$ 55,00-R$ 44-VALOR GLOBAL DO LOTE II-R$ CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO E DAS CONDIÇÕES 1.1 FORNECIMENTO DE MATERIAL HOSPITALAR, conforme quantidades estimadas no Anexo I do Edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN e de acordo com as requisições dos diversos órgãos da Administração Pública Municipal As quantidades de que trata o item anterior poderão sofrer acréscimos ou supressões de até 25% (VINTE E CINCO POR CENTO), do valor inicial constante nesta Ata de Registro de Preços, nos termos do art. 65, 1º., da Lei nº /93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA VALIDADE DOS PREÇOS A presente Ata de Registro de Preços terá a validade de 12 (DOZE) MESES, contados a partir da data de sua assinatura Durante o prazo de validade desta Ata de Registro de Preço, a Prefeitura Municipal de São Pedro/RN não será obrigada a firmar as contratações que dela poderão advir, facultando-se a realização de licitação específica para a aquisição pretendida, sendo assegurado ao beneficiário do registro preferência no fornecimento em igualdade de condições. CLÁUSULA TERCEIRA - DOS PREÇOS REGISTRADOS Os preços registrados manter-se-ão fixos e irreajustáveis durante a validade desta ARP Nas hipóteses previstas no art. 65, inciso II, alínea d da Lei nº /93, o Órgão Gerenciador poderá promover o equilíbrio econômico-financeiro desta ARP, mediante solicitação fundamentada e aceita pela Prefeita Municipal Caso a empresa registrada solicite a revisão de preço, a mesma deverá demonstrar de forma clara a composição do novo preço, através de planilhas de custo ou apresentação de nota(s) fiscal(is) do seu fornecedor, datada(s) do período da licitação e da solicitação do reajustamento. Para análise da solicitação, ao Órgão Gerenciador adotará ampla pesquisa de preços em empresas do ramo de atividade pertinente ao objeto desta ARP Não serão concedidas revisões de preço sobre as parcelas do objeto já contratadas ou empenhadas Sendo julgada procedente a revisão, será mantido o mesmo percentual diferencial entre os preços de mercado, apurados pela Prefeitura Municipal de São Pedro/RN, e os propostos pela empresa à época da realização do certame licitatório Fica vedado à empresa registrada interromper o fornecimento enquanto aguarda o trâmite do processo de revisão de preços. CLÁUSULA QUARTA - DA UTILIZAÇÃO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS A presente Ata de Registro de Preço poderá ser usada por qualquer órgão ou entidade da Administração Pública, independente da participação ou não da licitação, desde que autorizados pela Prefeitura Municipal de São Pedro/RN e em comum acordo com a empresa registrada. Parágrafo único - Caberá ao fornecedor beneficiário da Ata de Registro de Preços, observadas as condições nela estabelecidas, optar pela aceitação ou não do fornecimento, desde que não prejudique as obrigações anteriormente assumidas O preço ofertado pela(s) empresa(s) signatária(s) da presente Ata de Registro de Preços é o especificado no preâmbulo desta ARP, de acordo com a respectiva classificação no PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN Em cada fornecimento decorrente desta Ata, serão observadas, quanto ao preço, as cláusulas e condições constantes do Edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN, que a precedeu e integra o presente instrumento de compromisso A cada a fornecimento, o preço unitário a ser pago será o valor constante da proposta apresentada ou do lance que a tenha consagrado vencedora, no PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN, pela(s) empresa(s) detentora(s) da presente Ata. CLÁUSULA QUINTA - DO PRAZO E CONDIÇÕES DE ENTREGA A entrega do objeto desta ARP deverá ser feita no prazo máximo de 03 (TRÊS) DIAS ÚTEIS, no horário das 7:00hs às 11:00hs e das 13:00 às 17:00hs, a contar do recebimento da Ordem de Compra. 5.2 As despesas com seguros, transporte, fretes, tributos, encargos trabalhistas e previdenciários e demais despesas envolvidas na entrega correrão por conta da contratada Os produtos, objeto do presente Certame, serão recebidos, obedecendo-se aos seguintes procedimentos: a) Provisoriamente: assim que forem entregues, para efeito de posterior verificação de conformidade com as especificações exigidas no TERMO DE REFERÊNCIA (ANEXO I), deste Edital, bem como, com as especificações constantes da proposta apresentada pela licitante vencedora; b) Definitivamente: após verificação da conformidade dos 42 produtos com as referidas especificações, no prazo máximo de 03 (TRÊS) DIAS ÚTEIS, contado da lavratura do termo de recebimento provisório Se, após o recebimento provisório, constatar-se que os materiais fornecidos foram entregues em desacordo com a correspondente proposta de preços, fora das especificações fixadas ou incompletas, depois da licitante contratada ter sido regularmente notificado, este terá o prazo de mais 03 (TRÊS) DIAS ÚTEIS para entregá-los dentro das referidas especificações, ficando estabelecido que a PMSP/RN aceitará apenas uma única substituição O recebimento definitivo dos produtos, objeto deste certame, não exclui a responsabilidade da licitante contratada quanto aos vícios ocultos, ou seja, só manifestados quando da sua normal utilização pela PMSP/RN, nos termos do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº /90). CLÁUSULA SEXTA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA As despesas decorrentes desta ARP correrão por conta dos recursos do Orçamento Geral do Município, conforme descrito abaixo: Unidade: 0210 Fundo Municipal de Saúde Ação: Manutenção do Fundo Municipal de Saúde Natureza da Despesa: Material de Consumo Fonte: Unidade: 0210 Fundo Municipal de Saúde Ação: Manutenção da Secretaria Municipal de Saúde Natureza da Despesa: Material de Consumo Fonte: Unidade: 0210 Fundo Municipal de Saúde Ação: Manutenção do PAB FIXO Natureza da Despesa: Material de Consumo Fonte: Unidade: 0210 Fundo Municipal de Saúde Ação: Programa Municipal Assist. Hospitalar e Ambulatorial Natureza da Despesa: Material de Consumo Fonte: CLÁUSULA SÉTIMA - DO PAGAMENTO O pagamento será efetuado no prazo máximo de 30 (TRINTA) DIAS contados a partir da data em que for apresentada a Nota Fiscal/Fatura, devidamente conferida e atestada pelo setor competente da Prefeitura Municipal de São Pedro/RN, comprovando o recebimento do objeto A adjudicatária não poderá apresentar nota fiscal/fatura com CNPJ diverso do registrado na Ata de Registro de Preços A Prefeitura Municipal de São Pedro/RN poderá deduzir do montante a pagar os valores correspondentes a multas devidas pela licitante vencedora, nos termos do Edital É condição para o pagamento do valor constante da Nota Fiscal/Fatura, a apresentação de prova de regularidade com o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (Certidão de Regularidade do FGTS - CRF), com a Fazenda Federal (Certidão Conjunta Negativa de Débitos relativos aos TRIBUTOS FEDERAIS e à DÍVIDA ATIVA DA UNIÃO), Estadual (Certidão Negativa de DÉBITO DO ESTADO e quanto à DÍVIDA ATIVA DO ESTADO, para as empresas inscritas no Estado Rio Grande do Norte), Municipal (Certidão Negativa de DÉBITO DO MUNICÍPIO) e Trabalhista (Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas CNDT, emitida pela Tribunal Superior do Trabalho TST). CLÁUSULA OITAVA - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Integram está ARP, o edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN e seus anexos, e as propostas das empresas: A. A. DE S. WANDERLEY ME CNPJ: / , classificadas, respectivamente, no certame supra numerado Os casos omissos serão resolvidos de acordo com os Decreto Municipal nº. 002/2013; e subsidiariamente as normas constantes na Lei nº / Fica eleito o foro da Comarca de São Paulo do Potengi/RN, para dirimir quaisquer dúvidas decorrentes desta Ata com exclusão de qualquer outro, por mais privilegiado que seja. PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PEDRO MARIA ROBENICE RIBEIRO Prefeita Municipal A. A. DE S. WANDERLEY - ME CNPJ: / Empresa Registrada ROBERTO PEDRO DA SILVA Código Identificador: 73011C9D PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN Aos quatro dias do mês de março do ano de 2015, a PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PEDRO/RN, inscrita no CNPJ/MF sob nº / , sediada na Rua Monsenhor Expedito, nº. 161, Centro, São Pedro/RN, CEP: , neste ato representada pela Prefeita Municipal, a Sra. MARIA ROBENICE RIBEIRO, residente e domiciliada no Município de São Pedro/RN, nos termos da nos termos da Lei nº /02; Decreto Municipal nº. 002/13; e subsidiariamente as normas constantes na Lei nº /93 (com suas posteriores alterações); conforme a classificação das propostas apresentadas no PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN, homologado em 27 de fevereiro de 2015, resolve registrar o preço oferecido pelas empresas, como segue: Empresa: A. A. DE S. WANDERLEY - ME CNPJ: / Telefone: Endereço: AV CAP MOR GOUVEIA - CANDELARIA II CPF: Natal-RN. Representante: Adriano Alberto de Souza Wanderley CPF: LOTE ÚNICO - LABORATORIAIS ITEM-1-ACIDO ÚRICO CINETICA -EBRAM-KIT-36-R$ 70- R$ ALBUMINA-EBRAM-KIT-24-R$ 20-R$ 48-3-AMILASE CINETICA -LABTEST-KIT-40-R$ 32,200-R$ 1.288,00-4-BILIRRUBINA TOTAL CINETICA -LABTEST-KIT-30- R$ 45,000-R$ BILIRRUBINA DIRETA CINETICA - LABTEST-KIT-30-R$ 45,000-R$ COLESTEROL HDL-BIOCLIN-KIT-50-R$ 45,000-R$ CK CINETICA- EBRAM- KIT-50-R$ 22,350-R$ 1.117,50-8-CKMB CINETICA- EBRAM-KIT-50-R$ 27,200-R$ COLESTEROL TOTAL CINETICA-LABTEST-KIT-50-R$ 80-R$ DESIDROGENASE LACTICA-LABTEST-KIT-30-R$ 20-R$ FOSFOTASE ALCALINA -KATAL-KIT-30- R$ 19,550-R$ 586,50-12-GAMA GT CINETICA -LABTEST- KIT-40-R$ 18,500-R$ PROTEINAS TOTAIS- BIOCLIN-KIT-24-R$ 15,250-R$ 366,00-14-TGO CINETICA- LABTEST-KIT-50-R$ 45,000-R$ TGP CINETICA- LABTEST-KIT-50-R$ 45,000-R$ TRIGLICERIDIOS CINETICA-LABTEST-KIT-50-R$ 170-R$ UREIA CINETICA-LABTEST-KIT-50-R$ 80-R$ TROPONINA-LABTEST-KIT-40-R$ 15,200-R$ 608, CREATINA CINETICA-LABORCLIN-KIT-50-R$ 45,000-R$ FITA DE URINA-LABOR IMPORT-TUBO-100-R$ 50-R$ PCR KIT-LABORCLIN-KIT-24-R$ 50-R$ ASLO KIT-LABORCLIN-KIT-24-R$ 50-R$ LATEX KIT-LABORCLIN-KIT-24-R$ 40-R$ ANT- A -BIOCLIN-KIT-24-R$ 42,000-R$ 1.008,00-25-ANT- B -BIOCLIN-KIT-24-R$ 42,000-R$ 1.008,00-26-ANT-AB -BIOCLIN-KIT-24-R$ 42,000-R$ 1.008,00-27-ANT-RH-BIOCLIN-KIT-24-R$ 50-R$ BOMBONA DE ÁGUA DESTILADA 5 LITROS- SANAFARMA-UND-72-R$ 4,200-R$ 302,40-29-ANT-HIV- BIOEASY-KIT-30-R$ 110-R$ VDRL- LABORCLIN-KIT-40-R$ 45,000-R$ PONÓTOCO- LABORCLIN-KIT-12-R$ 60-R$ TUBO PARA HEMOLISE 5ML-LABOR IMPORT-UND-6000-R$ 0,100-R$ COLETOR DE URINA INFANTIL FEMININO-MARK MED-KIT-36-R$ 5,000-R$ COLETOR DE URINA INFANTIL MASCULINO-MARK MED- KIT-36-R$ 5,000-R$ ANT - COAGULANTE EDTA - BIOCLIN-UND-80-R$ 6,000-R$ FLUORETO DE POTASSIO-BIOCLIN-UND-50-R$ 7,000-R$ PAPEL DE FILTRO-PAPERMIX-KIT-24-R$ 3,000-R$ 72, COLETOR ESTÉRIO PARA CULTURA -CRAL-UND-2000-R$ 0,500-R$ CELLPACK DE 20 LITROS-ROCHE- UND-3-R$ 45,000-R$ 135,00-40-STROMATOLYSER DE 1500ML-ROCHE-UND-3-R$ 62,000-R$ 186,00-41-PAPEL TERMICO-PAPERMIX-BOBINA-3-R$ 20-R$ EIGHTCHECK SANGUE CONTROLE-EBRAM-KIT-1-R$ 48,600-R$ 48,60-43-REAGENTE HI EM PÓ PARA 300 TESTES (CLORO LIVRE) -EBRAM-KIT-10-R$ 20-R$ SOLUÇÃO DE LIMPEZA DE CUBETAS HI COM 230ML -EBRAM-UND-10-R$ 20-R$ TERMÔMETRO EM BASTÃO PARA ALIMENTOS-INCOTERM- UND-10-R$ 5,000-R$ 5-46-GLICOSE CINÉTICA - LABTEST-UNID-30-R$ 112,000-R$ BHCG- LABORCLIN-UNID-50-R$ 98,000-R$ CÂMARA DE NEWBAUER-LABOR IMPORT-UNID-5-R$ 50-R$ PIPETA DE VIDRO 5ML-CRAL-UNID-30-R$ 4,000- R$ PIPETA DE VIDRO 10ML-CRAL-UNID-30-R$ 4,000-R$ PÊRA PLÁSTICA-SOLIDOR-UNID-10-R$ 4,100-R$ 41,00-52-PONTEIRA AMARELA - PCT C/1000-LABOR IMPORT-PCT-10-R$ 25,000-R$ PONTEIRA AZUL - PCT C/1000-LABOR IMPORT-PCT-10- R$ 40-R$ PIPETA AUTOMÁTICA 10ML-KACIL- UNID-5-R$ 65,000-R$ 325,00-55-PIPETA AUTOMÁTICA 20ML- KACIL-UNID-5-R$ 50-R$ PIPETA AUTOMÁTICA 05ML-KACIL-UNID-5-R$ 50-R$ PIPETA AUTOMÁTICA 100ML-KACIL-UNID-5-R$ 50-R$ PIPETA AUTOMÁTICA 200ML-KACIL-UNID-5-R$ 50-R$ PIPETA AUTOMÁTICA 50ML-KACIL-UNID-5-R$ 45,000-R$ 225,00-60-PIPETA AUTOMÁTICA 1ML-KACIL-UNID-5-R$ 70-R$ PLACA DE KLINER-CRAL-UNID-5-R$ 15,000-R$ 75,00-62-PAPEL FILTRO PC-PAPERMIX-PCT-30- R$ 3,000-R$ 9-63-TUBO A VACUO 5ML-LABOR IMPORT- UNID-2000-R$ 0,500-R$ TUBO A VACUO 10ML- LABOR IMPORT-UNID-2000-R$ 0,400-R$ DILUIDOR DE TURK 1LITRO-QEEL-UNID-12-R$ 65,000-R$ 78-VALOR GLOBAL DO LOTE-R$ CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO E DAS CONDIÇÕES 1.1 FORNECIMENTO DE MATERIAL LABORATORIAL, conforme quantidades estimadas no Anexo I do Edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN e de acordo com as requisições dos diversos órgãos da Administração Pública Municipal As quantidades de que trata o item anterior poderão sofrer acréscimos ou supressões de até 25% (VINTE E CINCO POR

43 CENTO), do valor inicial constante nesta Ata de Registro de Preços, nos termos do art. 65, 1º., da Lei nº /93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA VALIDADE DOS PREÇOS A presente Ata de Registro de Preços terá a validade de 12 (DOZE) MESES, contados a partir da data de sua assinatura Durante o prazo de validade desta Ata de Registro de Preço, a Prefeitura Municipal de São Pedro/RN não será obrigada a firmar as contratações que dela poderão advir, facultando-se a realização de licitação específica para a aquisição pretendida, sendo assegurado ao beneficiário do registro preferência no fornecimento em igualdade de condições. CLÁUSULA TERCEIRA - DOS PREÇOS REGISTRADOS Os preços registrados manter-se-ão fixos e irreajustáveis durante a validade desta ARP Nas hipóteses previstas no art. 65, inciso II, alínea d da Lei nº /93, o Órgão Gerenciador poderá promover o equilíbrio econômico-financeiro desta ARP, mediante solicitação fundamentada e aceita pela Prefeita Municipal Caso a empresa registrada solicite a revisão de preço, a mesma deverá demonstrar de forma clara a composição do novo preço, através de planilhas de custo ou apresentação de nota(s) fiscal(is) do seu fornecedor, datada(s) do período da licitação e da solicitação do reajustamento. Para análise da solicitação, ao Órgão Gerenciador adotará ampla pesquisa de preços em empresas do ramo de atividade pertinente ao objeto desta ARP Não serão concedidas revisões de preço sobre as parcelas do objeto já contratadas ou empenhadas Sendo julgada procedente a revisão, será mantido o mesmo percentual diferencial entre os preços de mercado, apurados pela Prefeitura Municipal de São Pedro/RN, e os propostos pela empresa à época da realização do certame licitatório Fica vedado à empresa registrada interromper o fornecimento enquanto aguarda o trâmite do processo de revisão de preços. CLÁUSULA QUARTA - DA UTILIZAÇÃO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS A presente Ata de Registro de Preço poderá ser usada por qualquer órgão ou entidade da Administração Pública, independente da participação ou não da licitação, desde que autorizados pela Prefeitura Municipal de São Pedro/RN e em comum acordo com a empresa registrada. Parágrafo único - Caberá ao fornecedor beneficiário da Ata de Registro de Preços, observadas as condições nela estabelecidas, optar pela aceitação ou não do fornecimento, desde que não prejudique as obrigações anteriormente assumidas O preço ofertado pela(s) empresa(s) signatária(s) da presente Ata de Registro de Preços é o especificado no preâmbulo desta ARP, de acordo com a respectiva classificação no PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN Em cada fornecimento decorrente desta Ata, serão observadas, quanto ao preço, as cláusulas e condições constantes do Edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN, que a precedeu e integra o presente instrumento de compromisso A cada a fornecimento, o preço unitário a ser pago será o valor constante da proposta apresentada ou do lance que a tenha consagrado vencedora, no PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN, pela(s) empresa(s) detentora(s) da presente Ata. CLÁUSULA QUINTA - DO PRAZO E CONDIÇÕES DE ENTREGA A entrega do objeto desta ARP deverá ser feita no prazo máximo de 03 (TRÊS) DIAS ÚTEIS, no horário das 7:00hs às 11:00hs e das 13:00 às 17:00hs, a contar do recebimento da Ordem de Compra. 5.2 As despesas com seguros, transporte, fretes, tributos, encargos trabalhistas e previdenciários e demais despesas envolvidas na entrega correrão por conta da contratada Os produtos, objeto do presente Certame, serão recebidos, obedecendo-se aos seguintes procedimentos: a) Provisoriamente: assim que forem entregues, para efeito de posterior verificação de conformidade com as especificações exigidas no TERMO DE REFERÊNCIA (ANEXO I), deste Edital, bem como, com as especificações constantes da proposta apresentada pela licitante vencedora; b) Definitivamente: após verificação da conformidade dos produtos com as referidas especificações, no prazo máximo de 03 (TRÊS) DIAS ÚTEIS, contado da lavratura do termo de recebimento provisório Se, após o recebimento provisório, constatar-se que os materiais fornecidos foram entregues em desacordo com a correspondente proposta de preços, fora das especificações fixadas ou incompletas, depois da licitante contratada ter sido regularmente notificado, este terá o prazo de mais 03 (TRÊS) DIAS ÚTEIS para entregá-los dentro das referidas especificações, ficando estabelecido que a PMSP/RN aceitará apenas uma única substituição O recebimento definitivo dos produtos, objeto deste certame, não exclui a responsabilidade da licitante contratada quanto aos vícios ocultos, ou seja, só manifestados quando da sua normal utilização pela PMSP/RN, nos termos do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº /90). 43 CLÁUSULA SEXTA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA As despesas decorrentes desta ARP correrão por conta dos recursos do Orçamento Geral do Município, conforme descrito abaixo: Unidade: 0210 Fundo Municipal de Saúde Ação: Manutenção do Fundo Municipal de Saúde Natureza da Despesa: Material de Consumo Fonte: Unidade: 0210 Fundo Municipal de Saúde Ação: Manutenção da Secretaria Municipal de Saúde Natureza da Despesa: Material de Consumo Fonte: Unidade: 0210 Fundo Municipal de Saúde Ação: Manutenção do PAB Fixo Natureza da Despesa: Material de Consumo Fonte: Unidade: 0210 Fundo Municipal de Saúde Ação: Manutenção de outros Programa Fundo a Fundo Natureza da Despesa: Material de Consumo Fonte: CLÁUSULA SÉTIMA - DO PAGAMENTO O pagamento será efetuado no prazo máximo de 30 (TRINTA) DIAS contados a partir da data em que for apresentada a Nota Fiscal/Fatura, devidamente conferida e atestada pelo setor competente da Prefeitura Municipal de São Pedro/RN, comprovando o recebimento do objeto A adjudicatária não poderá apresentar nota fiscal/fatura com CNPJ diverso do registrado na Ata de Registro de Preços A Prefeitura Municipal de São Pedro/RN poderá deduzir do montante a pagar os valores correspondentes a multas devidas pela licitante vencedora, nos termos do Edital É condição para o pagamento do valor constante da Nota Fiscal/Fatura, a apresentação de prova de regularidade com o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (Certidão de Regularidade do FGTS - CRF),, com a Fazenda Federal (Certidão Conjunta Negativa de Débitos relativos aos TRIBUTOS FEDERAIS e à DÍVIDA ATIVA DA UNIÃO), Estadual (Certidão Negativa de DÉBITO DO ESTADO e quanto à DÍVIDA ATIVA DO ESTADO, para as empresas inscritas no Estado Rio Grande do Norte), Municipal (Certidão Negativa de DÉBITO DO MUNICÍPIO) e Trabalhista (Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas CNDT, emitida pela Tribunal Superior do Trabalho TST). CLÁUSULA OITAVA - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Integram esta ARP, o edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN e seus anexos, e as propostas das empresas: A. A. DE S. WANDERLEY ME CNPJ: / , classificadas, respectivamente, no certame supra numerado Os casos omissos serão resolvidos de acordo com o Decreto Municipal nº. 002/2013; e subsidiariamente as normas constantes na Lei nº / Fica eleito o foro da Comarca de São Paulo do Potengi/RN, para dirimir quaisquer dúvidas decorrentes desta Ata com exclusão de qualquer outro, por mais privilegiado que seja. PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PEDRO -MARIA ROBENICE RIBEIRO - Prefeita Municipal /A. A. DE S. WANDERLEY - ME -CNPJ: / Empresa Registrada ROBERTO PEDRO DA SILVA Código Identificador: 4F3F8666 PREGÃO PRESENCIAL Nº /15 PMSP/RN - AVISO DE LICITAÇÃO DESERTA E NOVA CONVOCAÇÃO A Pregoeira, designada pela Portaria nº. 007/2015/GP, no uso de suas atribuições, torna público para conhecimento dos interessados que a Sessão Pública para recebimento e abertura dos envelopes realizada às 10:00HS do dia 20 DE MARÇO DE 2015, visando o REGISTRO DE PREÇOS PARA EVENTUAL CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NO FORNECIMENTO DE MOTOCICLETAS, foi declarada DESERTA, uma vez que não acudiram interessados a presente licitação. Comunica aos interessados que a NOVA SESSÃO de Abertura do Pregão Presencial nº /15, Processo nº /15, para recebimento das propostas de preços e da documentação de habilitação realizar-se-á no dia 10 DE ABRIL DE 2015, às 09:30HS. O Edital completo poderá ser adquirido na sede da Prefeitura Municipal de São Pedro/RN, situada na Rua Monsenhor Expedito, nº. 161, Centro, São Pedro/RN, CEP: , no horário das 07:00hs às 11:00hs e das 13:00hs às 17:00hs (de segunda à sexta-feira), em dias úteis. Qualquer informação poderá ser obtida no endereço e horário supracitados, bem como através do fone/fax (84) São Pedro/RN, 20 de março de 2015.PRISCILA MABEL ARAÚJO BRÁZ -Pregoeira Oficial do Município ROBERTO PEDRO DA SILVA Código Identificador: 7113ECBE PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO TOMÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE TRIBUTAÇÃO E ARRECADAÇÃO - REPUBLICADO PARA EFEITO DE RERRATIFICAÇÃO - DECRETO MUNICIPAL Nº 001, de 19 de fevereiro de 2014 Na publicação do DECRETO MUNICIPAL Nº 001, de 19 de fevereiro de 2014, matéria esta, publicada em tempo no dia 09 de janeiro de 2015, Edição 1323 Código Identificador: 10643A02. ONDE SE LER: Iranilda Bernardino Lopes LEIA-SE: IVANILDA BERNARDINO LOPES São Tomé/RN, em, 23 de março de GUTEMBERG PEREIRA DA ROCHA Prefeito Constitucional/São Tomé/RN JOSÉ JOSIVALDO DA SILVA Código Identificador: 57941AFB PREFEITURA MUNICIPAL DE SENADOR ELÓI DE SOUZA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE CONVOCAÇÂO Ao BANCO PAULISTA S/A e o Prefeito KERGINALDO MEDEIROS DE ARAÚJO por meio da SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HABITAÇÃO de Senador Elói de Souza/RN, pelo representante edital, que faz publicar em jornal de ampla circulação na região, convoca os beneficiários abaixo relacionados do Programa Minha Casa Minha Vida PMCMV I, que se encontram em local incerto e não sabido, os quais apesar de todos os esforços enviados não foram localizados, a comparecerem a sede da Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação, localizada na Av. Governador José Agripino, nº 17 Centro no município de Senador Elói de Souza/RN, no prazo de 30 (trinta) dias corridos, a partir da data publicada sob pena de terem suas inscrições declaradas SEM EFEITO, sendo assim substituído por outra pessoa. Informamos, ainda, o não comparecimento dos convocados implicará no cancelamento do contrato firmado com a instituição acima referida. BENEFICIÁRIOS: Rita de Cassia França de Lima- CPF: Senador Elói de Souza(RN), 23 de março de Zoraide Fernandes de Araújo Secretária Municipal de Assistência Social e Habitação GENIEL PEREIRA DE OLIVEIRA Código Identificador: 53C66AE0 PREFEITURA MUNICIPAL DE SENADOR GEORGINO AVELINO PORTARIA 07/2015-GABINETE DA PRESIDENCIA. O PRESIDENTE DA Câmara Municipal de Senador Georgino Avelino/RN, no uso de suas atribuições legais conferidas pela Lei Orgânica do Município e pelo Regimento Interno desta casa. RESOLVE: Art. 1º - Nomear para o cargo de Controlador Geral da Câmara Municipal de Senador Georgino Avelino, o Senhor SERGIO ALESSANDRO DE ALMEIDA BEZERRA, portadora do CPF/MF nº Art. 2º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º - Revogam-se as disposições em contrário. Publique-se e cumpra-se. Sen. Georgino Avelino, 01 de Março de 2015 VALDIR PATRICIO DE LIMA Presidente ÍTALO GABRIEL BESERRA DE OLIVEIRA Código Identificador: 4AEAC12F

44 PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA DE SÃO BENTO CPL ADESÃO Nº 002/2015 A ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº. 010/2014 A PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA DE SÃO BENTO/RN, por intermédio do seu gestor, torna pública a ADESÃO Nº. 002/2015 à ATA DE REGISTRO DE PREÇO n 010/2014, referente ao Pregão Presencial de nº 010/ SRP, realizado pelo município de JAPI/RN, tipo menor preço, para REGISTRO DE PREÇOS PARA FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS E MATERIAL DE USO HOSPITALAR PARA ATENDER AS NECESSIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS. VIGENCIA: 31 de dezembro de Tendo como vencedora dos LOTES 06; 09 e 12 do ANEXO I no valor total de R$ ,00 (Sessenta e quatro mil e sessenta e seis reais) do certame já citado a empresa AWC COMERCIO E REPRESENTAÇÕES - CNPJ: / Tendo como vencedora dos Lotes 01 a 05; 07; 08; 10 e 11 do ANEXO I no valor total de R$ ,00 (trezentos e sessenta mil, cento e dezessete reais) e dos LOTES 01; 03; 04; 05; 07 a 18 do ANEXO II no valor total de R$ ,80 (Duzentos e trinta e nove mil, setecentos e três reais e oitenta centavos) do certame já citado a empresa MAXIMA COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES NECY G. DA SILVA CNPJ: / Serra de São Bentos/RN, 16 de março de EMANUEL FAUSTINO DA SILVA Prefeito Municipal GISéLIA MARIA DE FREITAS Código Identificador: 4D1C2102 CPL EXTRATO DE CONTRATO ADESÃO Nº. 002/ AWC COMERCIO E REPRESENTAÇÕES CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA DE SÃO BENTO CONTRATADA: AWC COMERCIO E REPRESENTAÇÕES - CNPJ: / OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS E MATERIAL DE USO HOSPITALAR PARA ATENDER AS NECESSIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS VALOR TOTAL: R$ ,00 (Sessenta e quatro mil e sessenta e seis reais) referentes aos LOTES 06; 09 e 12 do ANEXO I. DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE; MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DA ASSISTÊNCIA AMBULATORIAL E HOSPITALAR MAC; MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DA ASSISTÊNCIA FARMACEUTICA. ELEM. DESPESA MATERIAL DE CONSUMO. VIGÊNCIA: 17 de março a 31 de dezembro de FUNDAMENTO LEGAL: Art. 15, Inc. II da Lei nº /93 e suas alterações posteriores, Decreto Federal Nº /2013 e Decreto Municipal Nº. 007/2013. DATA DE ASSINATURA: 17 de março de SIGNATÁRIOS: Emanuel Faustino da Silva pela contratante e Antônio Willian Costa pela contratada. Serra de São Bento/RN, Em 17 de março de GISéLIA MARIA DE FREITAS Código Identificador: 53FA76EB CPL EXTRATO DE CONTRATO ADESÃO Nº. 002/2015 MAXIMA COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA DE SÃO BENTO CONTRATADA: MAXIMA COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES NECY G. DA SILVA CNPJ: / OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS E MATERIAL DE USO HOSPITALAR PARA ATENDER AS NECESSIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS VALOR TOTAL: R$ ,80 (Seiscentos e trinta e nove mil e oitocentos e vinte reais e oitenta centavos); referentes aos Lotes 01 a 05; 07; 08; 10 e 11 do ANEXO I e aos LOTES 01; 03; 04; 05; 07 a 18 do ANEXO II. DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE; MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DA ASSISTÊNCIA AMBULATORIAL E HOSPITALAR MAC; MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DA ASSISTÊNCIA FARMACEUTICA. ELEM. DESPESA MATERIAL DE CONSUMO. VIGÊNCIA: 17 de março a 31 de dezembro de FUNDAMENTO LEGAL: Art. 15, Inc. II da Lei nº /93 e suas alterações posteriores, Decreto Federal Nº /2013 e Decreto Municipal Nº. 007/2013. DATA DE ASSINATURA: 17 de março de SIGNATÁRIOS: Emanuel Faustino da Silva pela contratante e Necy G. da Silva pela contratada. Serra de São Bento/RN, Em 17 de março de GISéLIA MARIA DE FREITAS Código Identificador: F CPL ADESÃO Nº 001/2015 A ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº. 009/2014. A PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA DE SÃO BENTO/RN, por intermédio do seu gestor, torna pública a ADESÃO Nº. 001/2015 à ATA DE REGISTRO DE PREÇO n 009/2014, referente ao Pregão Presencial de nº 009/ SRP, realizado pelo município de JAPI/RN, tipo menor preço, para REGISTRO DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE USO ODONTOLOGICO, LABORATORIAL E DE LIMPEZA HOSPITALAR DESTINADO AO ATENDIMENTO DAS NECESSIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS. VIGENCIA: 31 de dezembro de Tendo como vencedora dos LOTES 01 a 05 do ANEXO I no valor total de R$ ,40 (Oitenta e sete mil e setecentos e quarenta e nove reais e quarenta centavos); dos LOTES 03; 05 e 06 do ANEXO II no valor total de R$ ,00 (Trinta e dois mil e dezenove reais) e dos LOTES 01 e 05 do ANEXO III no valor de R$ ,00 (vinte mil seiscentos e oitenta e cinco reais) do certame já citado a empresa MAXIMA COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES NECY G. DA SILVA CNPJ: / Tendo como vencedora dos Lotes 01 e 02 do ANEXO II no valor total de R$ ,80 (Dezoito mil, duzentos e cinquenta e nove reais e oitenta centavos) e dos LOTES 03 e 06; do ANEXO III no valor total de R$ (Treze mil e novecentos reais) do certame já citado a empresa AWC COMERCIO E REPRESENTAÇÕES - CNPJ: / Tendo como vencedora dos Lotes 04 do ANEXO II no valor total de R$ ,00 (vinte mil oitocentos e quarenta e oito reais) e dos LOTES 02 e 04; do ANEXO III no valor de (dezesseis mil e seiscentos reais) do certame já citado a empresa DENTALMED COMERCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA CNPJ: / Serra de São Bentos/RN, 16 de março de EMANUEL FAUSTINO DA SILVA Prefeito Municipal GISéLIA MARIA DE FREITAS Código Identificador: 48E96195 CPL EXTRATO DE CONTRATO ADESÃO Nº. 001/ AWC CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA DE SÃO BENTO CONTRATADA: AWC COMERCIO E REPRESENTAÇÕES - CNPJ: / OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE USO ODONTOLOGICO, LABORATORIAL E DE LIMPEZA HOSPITALAR DESTINADO AO ATENDIMENTO DAS NECESSIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS VALOR TOTAL: R$ ,80 (Trinta e dois mil e cento cinquenta e nove reais e oitenta centavos) referentes aos Lotes 01 e 02 do ANEXO II e dos LOTES 03 e 06; do ANEXO III. DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE; MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DA ASSISTÊNCIA AMBULATORIAL E HOSPITALAR MAC; MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DA ASSISTÊNCIA FARMACEUTICA. ELEM. DESPESA MATERIAL DE CONSUMO. VIGÊNCIA: 17 de março a 31 de dezembro de FUNDAMENTO LEGAL: Art. 15, Inc. II da Lei nº /93 e suas alterações posteriores, Decreto Federal Nº /2013 e Decreto Municipal Nº. 007/2013. DATA DE ASSINATURA: 17 de março de SIGNATÁRIOS: Emanuel Faustino da Silva pela contratante e Antônio Willian Costa pela contratada. Serra de São Bento/RN, Em 17 de março de GISéLIA MARIA DE FREITAS Código Identificador: 6F50BFC8 CPL ADESÃO Nº. 001/2015 A ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 009/2014 MAXIMA COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA DE SÃO BENTO CONTRATADA: MAXIMA COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES NECY G. DA SILVA CNPJ: / OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE USO ODONTOLOGICO, LABORATORIAL E DE LIMPEZA HOSPITALAR DESTINADO AO ATENDIMENTO DAS NECESSIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS VALOR TOTAL: R$ ,40 (Cento e quarenta mil e quatrocentos e cinquenta e três reais e quarenta centavos); referentes aos LOTES 01 a 05 do ANEXO I; aos LOTES 03; 05 e 06 do ANEXO II e aos LOTES 01 e 05 do ANEXO III. DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE; MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DA ASSISTÊNCIA AMBULATORIAL E HOSPITALAR MAC; MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES DA ASSISTÊNCIA FARMACEUTICA. ELEM. DESPESA MATERIAL DE CONSUMO. VIGÊNCIA: 17 de março a 31 de dezembro de FUNDAMENTO LEGAL: Art. 15, Inc. II da Lei nº /93 e suas alterações posteriores, Decreto Federal Nº /2013 e Decreto Municipal Nº. 007/2013. DATA DE ASSINATURA: 17 de março de SIGNATÁRIOS: Emanuel Faustino da Silva pela contratante e Necy G. da Silva pela contratada. Serra de São Bento/RN, Em 17 de março de GISéLIA MARIA DE FREITAS Código Identificador: 4DDCF1D5 PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA NEGRA DO NORTE GABINETE CIVIL PORTARIA Nº 0035/2015 DISPÕE SOBRE A EXONERAÇÃO DE SERVIDOR PÚBLICO DO QUADRO EFETIVO DO MUNICÍPIO DE SERRA NEGRA DO NORTE/RN E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE SERRA NEGRA DO NORTE/RN, no uso das atribuições legais, notadamente o que lhe confere a Lei Orgânica Municipal, RESOLVE: Art. 1º. Exonerar, a pedido, a servidora pública do Quadro Efetivo do Município de Serra Negra do Norte/RN, DIANA DARC DE BRITO, matrícula nº 596, inscrita no Cadastro de Pessoas Físicas/CPF nº , portadora da Cédula de Identidade/CI nº SSP/RN, do cargo de PROFESSORA DE ENSINO INFANTIL, lotada na Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Art. 2º. Esta portaria entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. Publique-se. Registre-se. Cumpra-se. Gabinete Civil, Serra Negra do Norte/RN, 23 de Março de ALYSSON MOISÉS DE MEDEIROS Prefeito Municipal JANNY LAURA ARAÚJO DE MEDEIROS Código Identificador: 62AD7999 PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRINHA DOS PINTOS PORTARIA Nº. 077/2015. Concede Férias 30 (trinta) dias a servidor Público Municipal, e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE SERRINHA DOS PINTOS RN, usando de suas atribuições legais, que lhes são conferidas pelo Artigo 53 inciso V da Lei Orgânica Municipal (LOM) e Artigo 100, em consonância com o Art. 101, 102 e artigo 105, inciso I, do Estatuto dos Servidores Público Municipal. RESOLVE: Art. 1ºConceder Férias de 30 (trinta) dias a servidora pública Municipal JOÃO ANTÔNIO DA SILVA, Cargo de Gari Padrão Nível IV, Matrícula nº , lotado na Secretaria de Obras, Urbanismo e Meio Ambiente, relativas ao período de 2014/2015, que serão gozadas a partir de 02 (dois) de março a 31 (trinta e um) de março de Art. 2º - Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos a data 02 de março de Art. 3º - Revogam-se as disposições em contrário. Publique-se e cumpra-se. Gabinete da Prefeita Municipal de Serrinha dos Pintos-RN, em 18 de Março de Rosânia Maria Teixeira Ferreira Prefeita Municipal CLEY HENRIQUE CAMPOS Código Identificador: 6C8936ED PREFEITURA MUNICIPAL DE SEVERIANO MELO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 004/2015 SEMAP O PREFEITO MUNICIPAL DE SEVERIANO MELO, Estado do Rio Grande do Norte, no uso da atribuição legal que lhe confere o art. 178, Seção III, da Lei Orgânica Municipal, considerando a Lei Municipal, considerando o disposto no art. 16, 6º, I, da Resolução nº 004/2013 TCE e tendo em vista a solicitação de diárias ao Gestor (a) DAGOBERTO BESSA CAVALCANTE R E S O L V E

45 Art. 1º - Conceder 05 (cinco) Diárias, no valor unitário de R$ 1.00 (Mil Reais), totalizando R$ 5.00 (Cinco Mil Reais), ao Prefeito Municipal: DAGOBERTO BESSA CAVALCANTE, para fazer face às despesas com locomoção e pousada na cidade do Brasília/DF, conforme a seguir: Objeto do Deslocamento: Liberar Recursos de Emendas Parlamentares já empenhadas e visitar os Ministérios em busca de mais recursos para o Município. Local de destino: Brasília/DF Período do Afastamento: Cinco (05) dias Art. 2º - O (a) servidor (a) beneficiário (a) de que trata o art. 1º, desta Portaria, fica obrigado a prestação de contas nos termos do art. 16, 6º, III, da Resolução nº 004/2013 TCE, de 31 de janeiro de Art. 3º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Severiano Melo/RN, em 20 de Março de 2015 Francisca Dimarilac Bessa Secretária Municipal de Administração e Planejamento LIBÉRIO ÉRICO LIMA MAIA DANTAS Código Identificador: 6F85600F SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 066/2015 GP O PREFEITO MUNICIPAL DE SEVERIANO MELO, Estado do Rio Grande do Norte, no uso da atribuição legal que lhe confere o art. 178, Seção III da Lei Orgânica Municipal, considerando a Lei Municipal considerando o disposto no art. 16, 6º, I, da Resolução nº 004/2013 TCE e tendo em vista a solicitação de diária do servidor LIBÉRIO ÉRICO DE LIMA MAIA DANTAS, ocupante do Cargo de Secretário de Assuntos Especiais, Severiano Melo/RN R E S O L V E Art. 1º - Conceder 05 (cinco) diárias, no valor unitário de R$ 30 (Trezentos Reais), totalizando R$ 1.50 (Mil e Quinhentos Reais), ao Servidor LIBÉRIO ÉRICO DE LIMA MAIA DANTAS, ocupante do Cargo de Secretário de Assuntos Especiais, para fazer face às despesas com locomoção e pousada na cidade de Brasília/DF, conforme a seguir: Objeto do Deslocamento: Liberar Recursos de Emendas Parlamentares já empenhadas e visitar os Ministérios em busca de mais recursos para o Município. Local de destino: Brasília/DF Período do Afastamento: Cinco (05) dias Art. 2º - O (a) servidor (a) beneficiário (a) de que trata o art. 1º, desta Portaria, fica obrigado a prestação de contas nos termos do art. 16, 6º, III, da Resolução nº 004/2013 TCE, de 31 de janeiro de Art. 3º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Severiano Melo/RN, em 20 de Março de 2015 DAGOBERTO BESSA CAVALCANTE PREFEITO MUNICIPAL LIBÉRIO ÉRICO LIMA MAIA DANTAS Código Identificador: 6CBE53D0 SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DECRETO Nº 068/2015 "Dispõe sobre o horário de expediente no âmbito da Administração Direta, da Prefeitura Municipal de Severiano Melo, Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências." O Senhor Dagoberto Bessa Cavalcante, Prefeito do município de Severiano Melo, no Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, conferidas pelo Art. 150, incisos II e VII da Lei Orgânica Municipal e demais leis pertinentes, CONSIDERANDO: I Que os constantes cortes no fornecimento de energia elétrica, o que causou a necessidade de redução do expediente, no dia 20/03/2015, que perdurou por quase todo o período vespertino no território do município, em especial na sede onde funciona a administração municipal; II- Que em decorrência das quedas constantes no fornecimento de energia elétrica, provocando a paralização dos equipamentos eletro eletrônicos (em especial computadores) na sede da Prefeitura impedia o andamento dos trabalhos e o perigo de danificação dos equipamentos; III Que no período vespertino o expediente geralmente é interno, não causando nenhum dano a população, tampouco aos serviços administrativos. DECRETA: Art. 1º. Fica regulamentado o expediente corrido no âmbito da Administração Direta, da Prefeitura Municipal de Severiano Melo/RN, no horário das 07:00 h às 13:00h 1º. O horário descrito no caput deste artigo aplica-se aos servidores públicos ocupantes de cargos de provimento efetivo, 45 e contratados, que exerçam cargo em comissão ou função gratificada, no âmbito da sede da Prefeitura Municipal. Art. 2º. Este Decreto entra em vigor da data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário. Gabinete do Prefeito Municipal de Severiano Melo/RN, em 20 de março de Dagoberto Bessa Cavalcante Prefeito Municipal LIBÉRIO ÉRICO LIMA MAIA DANTAS Código Identificador: AE SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO Nº O Município de SEVERIANO MELO, através do(a) FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE SEVERIANO MELO, inscrito(a) no CNPJ sob o nº / , com sede na rua castelo branco, s/n, representado por ANTONIA IZADORA DA COSTA PAIVA, SECRETÁRIA MUNICIPAL, doravante denominado(a) CONTRATANTE, e FRANCISCA JANETE SILVA CARVALHO, inscrito(a) no CPF , com sede na PO. Boa Vista, zona rural, Severiano Melo-RN, CEP , representada por FRANCISCA JANETE SILVA CARVALHO, já qualificados no contrato inicial, determinaram por meio deste, alterar o referido contrato, consubstanciado nas seguintes cláusulas: CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO O presente Termo Aditivo objetiva a prorrogação do prazo de vigência do contrato até 31 de Março de 2015, nos termo do art. 57, inciso II, da Lei Federal nº 8.666/93. CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA A despesa decorrente da presente alteração correrá à conta da seguinte Dotação Orçamentária: Exercício 2015 Atividade Manutenção das Atividades do Fundo Municipal de Saúde, Classificação econômica Outros Serv. de Terceiros Pessoa Física CLÁUSULA TERCEIRA - DO PRAZO DE VIGÊNCIA O presente Termo Aditivo entra em vigor a partir da data de sua publicação. CLÁUSULA QUARTA - DA RATIFICAÇÃO Permanecem inalteradas as demais cláusulas do Contrato a que se refere o presente Termo Aditivo. E por estarem justos e contratados, firmam o presente aditivo, em 3 (três) vias de igual teor e forma, para que surtam os seus efeitos legais. SEVERIANO MELO - RN, 27 de Fevereiro de FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE SEVERIANO MELO - CNPJ(MF) / CONTRATANTE - FRANCISCA JANETE SILVA CARVALHO -CPF CONTRATADO(A). ANTONIA IZADORA DA COSTA PAIVA SECRETÁRIA MUNICIPAL LIBÉRIO ÉRICO LIMA MAIA DANTAS Código Identificador: 53F793B1 SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO O Município de SEVERIANO MELO, através da(o) PREFEITURA MUNICIPAL DE SEVERIANO MELO e FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE SEVERIANO MELO por intermédio do(a) Pregoeiro(a), torna público que às 08:30 horas do dia 06 de Abril de 2015, fará realizar licitação na modalidade PREGÃO, tipo menor preço, para Aquisição de material laboratorial para realização de exames laboratoriais com a finalidade de atender as necessidades dos diversos programas da área de Saúde (PSF,Hospital) de Severiano Melo/RN, de acordo com o que determina a legislação vigente, a realizar-se na sala da Comissão de Licitação da PREFEITURA MUNICIPAL DE SEVERIANO MELO. O procediemtno licitatório obedecerá ao disposto na Lei Federal nº /2002, Lei Federal nº de 21 de junho de 1993, e suas alterações posteriores que lhe foram introduzidas. O Edital e seus anexos encontram-se à disposição dos interessados na sala da Comissão de Licitação, na AV. BEVENUTO HOLANDA, 209, a partir da publicação deste Aviso, no horário de expediente. SEVERIANO MELO - RN, 24 de Março de 2015 FRANCISCO AYLTON FREITAS DE CARVALHO Pregoeiro(a) LIBÉRIO ÉRICO LIMA MAIA DANTAS Código Identificador: 5B5FC97D SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 063/2015 GP O Prefeito Municipal de Severiano Melo no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo Art. 150, Incisos II e VII da Lei Orgânica Municipal, e demais normas constitucionais. RESOLVE Art. 1 - Exonerar a Srª. MAIRTHES FERNANDA DE MEDEIROS FREITAS, do cargo de DIRETORA DO HOSPITAL MATERNIDADE MUNICIPAL DE SEVERIANO MELO CC2, Secretaria Municipal de Saúde, cargo comissionado nos termos da Lei n 240/94 de 05 de abril de Art.2 - Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação, com efeitos retroativos a 16 de março de 2015, ficando revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Comunique-se e Cumpra-se. Severiano Melo RN, 16 de Março de 2015 DAGOBERTO BESSA CAVALCANTE PREFEITO MUNICIPAL LIBÉRIO ÉRICO LIMA MAIA DANTAS Código Identificador: 51D67370 SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 064/2015 GP O Prefeito Municipal de Severiano Melo no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo Art. 150, Incisos II e VII da Lei Orgânica Municipal, e demais normas constitucionais. RESOLVE Art. 1 - Nomear a Srª. MYRTHES FABIANE DE MEDEIROS FREITAS, para o cargo de DIRETORA DO HOSPITAL MATERNIDADE MUNICIPAL DE SEVERIANO MELO CC2, Secretaria Municipal de Saúde, cargo comissionado nos termos da Lei n 240/94 de 05 de abril de Art.2 - Esta portaria entrará em vigor na data de sua publicação, com efeitos retroativos a 16 de março de 2015, ficando revogadas as disposições em contrário. Publique-se, Comunique-se e Cumpra-se. Severiano Melo RN, 16 de Março de 2015 DAGOBERTO BESSA CAVALCANTE PREFEITO MUNICIPAL LIBÉRIO ÉRICO LIMA MAIA DANTAS Código Identificador: 6AD87DC5 PREFEITURA MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO TOMADA DE PREÇOS N /2013 TOMADA DE PREÇOS CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Sítio Novo/RN, inscrita no CNPJ sob n / CONTRATADA: Priscila Mabel Araújo Bráz, inscrita no CPF sob nº OBJETO: Prorrogar a vigência do Contrato VIGÊNCIA DO CONTRATO: 12 de abril de 2013 à 30 de abril de 2015 FUNDAMENTO LEGAL: art. 57, inciso II da Lei nº /93 Sítio Novo/RN, 23 de março de PREFEITURA MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO/RN RICHARDSON XAVIER CUNHA Prefeito Municipal e PRISCILA MABEL ARAÚJO BRÁZ CPF: Contratada DAYANE DA SILVA GONçALO Código Identificador: 58EC5033 SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº /2015 PMSN/RN ATA DE REGISTRO DE PREÇO Aos dezenove dias do mês de março do ano de 2015, a PREFEITURA MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO/RN, com sede à Rua José Ferreira de Lima, nº. 30, Centro, Sítio Novo/RN, inscrita no CNPJ/MF nº / , neste ato representada pela PREFEITO MUNICIPAL, RICHARDSON XAVIER CUNHA, residente e domiciliado no Município de Sítio Novo/RN, nos termos da Lei nº /93; Decretos Municipais nºs. 008/2013 e 009/2013; conforme a classificação das propostas apresentadas no PREGÃO PRESENCIAL Nº /2015 PMSN/RN, homologado em 23 de fevereiro de 2015, resolve registrar o preço oferecido pelas empresas, como segue: Empresa: T. DE S. C. CARVALHO - ME CNPJ: / Endereço: Rua Vinte e Quatro de Junho, nº. 1012, Sala 05, Centro, Assú/RN, CEP: Representante Legal: Delzieli Francisco Medeiros de Carvalho CPF: Item 1-PRÓTESE TOTAL MANDIBULAR MUCO- SUPORTADA, INDICADA PARA REABILITAR PACIENTES TOTALMENTE DESDENTADOS NA MANDÍBULA. ESTAS PRÓTESES ODONTOLÓGICAS DEVERÃO SER CONFECCIONADAS COM DENTES ARTIFICIAIS DE RESINA ACRÍLICA, UNIDOS A BASE INDIVIDUAIS CONFECCIONADAS EM RESINA ACRÍLICA TERMOPOLIMERIZÁVEL, OBTIDAS A PARTIR DE MODELOS DE GESSO TIPO III QUE REPRODUZ OS REBORDOS RESIDUAIS DOS PACIENTES-UNID.-90-R$ 148,00-R$ / Item 2-PROTESE TOTAL MAXILAR - MUCO-

46 SUPORTADA, INDICADA PARA REABILITAR PACIENTES DESDENTADOS NO MAXILAR. ESTAS PRÓTESES ODONTOLÓGICAS DEVERÃO SER CONFECCIONADAS COM DENTES ARTIFICIAIS DE RESINA ACRÍLICA, UNIDOS A BASE INDIVIDUAIS CONFECCIONADAS EM RESINA ACRÍLICA TERMOPOLIMERIZÁVEL, OBTIDAS A PARTIR DE MODELOS DE GESSO TIPO III QUE REPRODUZ OS REBORDOS RESIDUAIS DOS PACIENTES.-UNID.-90-R$ 148,00-R$ / Item 3-PROTESE PARCIAL MANDIBULAR PRÓTESE PARCIAL REMOVÍVEL INTRA- ORAL EM LIGA DE CROMOCOBALTO, DENTO-MUCO- SUPORTADA OU DENTO-SUPORTADA, INDICADA PARA REABILITAR PACIENTES PARCIALMENTE DESDENTADOS NA MANDÍBULA, CONFECCIONADOS EM ESTRUTURA METÁLICA DO REFERIDO METAL, COM DENTES ARTIFICIAIS DE RESINA ACRÍLICA UNIDOS A BASES, CONFECCIONADAS EM RESINA CONFECCIONADAS COM DENTES ARTIFICIAIS DE RESINA ACRÍLICA, UNIDOS A BASE INDIVIDUAIS CONFECCIONADAS EM RESINA ACRÍLICA TERMOPOLIMERIZÁVEL, OBTIDAS A PARTIR DE MODELOS DE GESSO TIPO III QUE REPRODUZ OS REBORDOS RESIDUAIS DOS PACIENTES-UNID.-90-R$ 15-R$ / Item 4-PROTESE PARCIAL MAXILAR - PRÓTESE PARCIAL REMOVÍVEL INTRA-ORAL EM LIGA DE CROMOCOBALTO, DENTO-MUCO-SUPORTADA OU DENTO- SUPORTADA, INDICADA PARA REABILITAR PACIENTES PARCIALMENTE DESDENTADOS NA MAXILA, CONFECCIONADOS EM ESTRUTURA METÁLICA DO REFERIDO METAL, COM DENTES ARTIFICIAIS DE RESINA ACRÍLICA UNIDOS A BASES, CONFECCIONADAS EM RESINA CONFECCIONADAS COM DENTES ARTIFICIAIS DE RESINA ACRÍLICA, UNIDOS A BASE INDIVIDUAIS CONFECCIONADAS EM RESINA ACRÍLICA TERMOPOLIMERIZÁVEL, OBTIDAS A PARTIR DE MODELOS DE GESSO TIPO III QUE REPRODUZ OS REBORDOS RESIDUAIS DOS PACIENTES.-UNID.-90-R$ 15-R$ / Item 5-MOLDAGEM DENTO GENGIVAL PARA CONSTRUÇÃO DE PRÓTESE DENTÁRIA -UNID.-360-R$ 3-R$ / Item 6-ADAPTAÇÃO DE PRÓTESE- UNID.-360-R$ 3-R$ Item 7-AJUSTE OCLUSAL DE PRÓTESE-UNID.-360-R$ 3-R$ / Item 8- INSTALAÇÃO DE PRÓTESE-UNID.-360-R$ 3-R$ / VALOR GLOBAL-R$ CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO 1.1 REGISTRO DE PREÇOS PARA POSTERIOR CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAR SERVIÇOS DE REABILITAÇÃO ORAL, PARA ATENDER A POPULAÇÃO CARENTE DO MUNICÍPIO DE SÍTIO NOVO/RN, conforme especificações no Anexo I do Edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº /2015 PMSN/RN. CLÁUSULA SEGUNDA - DA VALIDADE DOS PREÇOS A presente Ata de Registro de Preços terá a validade de 12 (DOZE) MESES, contados a partir da data de sua assinatura, incluindo nesse prazo de validade as eventuais prorrogações Durante o prazo de validade desta Ata de Registro de Preço, a Prefeitura Municipal de Sítio Novo/RN não será obrigada a firmar as contratações que dela poderão advir, facultando-se a realização de licitação específica para a aquisição pretendida, sendo assegurado ao beneficiário do registro preferência na prestação de serviços em igualdade de condições. CLÁUSULA TERCEIRA DOS PREÇOS REGISTRADOS Os preços registrados manter-se-ão fixos e irreajustáveis durante a validade desta Ata de Registro de Preço Nas hipóteses previstas no art. 65, inciso II, alínea d da Lei n.º 8.666/93, o Município de Sítio Novo/RN, poderá promover o equilíbrio econômico-financeiro desta Ata de Registro de Preço, mediante solicitação fundamentada e aceita pelo Prefeito Municipal Caso a empresa registrada solicite a revisão de preço, a mesma deverá demonstrar de forma clara a composição do novo preço, através de planilhas de custo ou apresentação de nota(s) fiscal(is) do seu fornecedor, datada(s) do período da licitação e da solicitação do reajustamento Não serão concedidas revisões de preço sobre as parcelas do objeto já contratadas ou empenhadas Sendo julgada procedente a revisão, será mantido o mesmo percentual diferencial entre os preços de mercado, apurados pela Prefeitura Municipal de Sítio Novo/RN, e os propostos pela empresa à época da realização do certame licitatório Fica vedado à empresa registrada interromper a prestação de serviços enquanto aguarda o trâmite do processo de revisão de preços. CLÁUSULA QUARTA - DA UTILIZAÇÃO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS A presente Ata de Registro de Preço poderá ser usada por qualquer órgão ou entidade da Administração Pública, independente da participação ou não da licitação, desde que autorizados pelo Prefeito Municipal de Sítio Novo/RN e em comum acordo com a empresa registrada. Parágrafo Único - Caberá ao fornecedor beneficiário da Ata de Registro de Preços, observadas as condições nela estabelecidas, optar pela aceitação ou não da prestação de serviços, desde que não prejudique as obrigações anteriormente assumidas O preço ofertado pela(s) empresa(s) signatária(s) da presente Ata de Registro de Preços é o especificado no preâmbulo desta, de acordo com a respectiva classificação no PREGÃO PRESENCIAL Nº /2015 PMSN/RN. CLÁUSULA QUINTA DO PRAZO E CONDIÇÕES PARA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS 5.1. Quando da requisição dos serviços licitados, a PMSN/RN convocará oficialmente o primeiro colocado nos ITENS deste 46 certame para no prazo máximo de até 08 (OITO) DIAS ÚTEIS, retirar a Nota de Empenho e/ou assinar o respectivo contrato (ou instrumento equivalente), na sede da Prefeitura Municipal, sob pena de decair do direito à contratação, sem prejuízo das sanções previstas neste Edital Retirada à nota de empenho e assinado o respectivo contrato ou a Ordem de Serviços, ou ainda, instrumento equivalente, a licitante contratada terá, após a Ordem de Serviços, que deverá ser feita pela PMSN/RN, iniciar a prestação de serviços no prazo de até 08 (OITO) DIAS ÚTEIS Se, após o início da execução dos serviços, constatar-se que os serviços estão sendo realizados em desacordo com a correspondente proposta de preços, fora das especificações fixadas, depois da licitante contratada ter sido regularmente notificado, este terá o prazo de mais 08 (OITO) DIAS ÚTEIS para corrigir as falhas ou omissões. CLÁUSULA SEXTA - DO PAGAMENTO O pagamento constante da solicitação de prestação de serviços, será efetuado no prazo máximo de 30 (TRINTA) DIAS contados a partir da data em que for apresentada a Nota Fiscal/Fatura, devidamente conferida e atestada, comprovando a prestação de serviços A adjudicatária não poderá apresentar nota fiscal/fatura com CNPJ diverso do registrado na Ata de Registro de Preços. No corpo da Nota Fiscal/Fatura a Adjudicatária deverá constar OBRIGATORIAMENTE o número da licitação no qual saiu vencedora A Prefeitura Municipal de Sítio Novo/RN poderá deduzir do montante a pagar os valores correspondentes a multas devidas pela licitante vencedora, nos termos deste Edital É condição para o pagamento do valor constante da Nota Fiscal/Fatura, a apresentação de prova de regularidade com o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (Certidão de Regularidade do FGTS - CRF), com a Fazenda Federal (Certidão Conjunta Negativa de Débitos relativos aos TRIBUTOS FEDERAIS e à DÍVIDA ATIVA DA UNIÃO), Estadual (Certidão Negativa de DÉBITO DO ESTADO e quanto à DÍVIDA ATIVA DO ESTADO), Municipal (Certidão Negativa de DÉBITO DO MUNICÍPIO) e Trabalhista (Certidão Negativa de DÉBITOS TRABALHISTAS CNDT, emitida pelo Tribunal Superior do Trabalho) É condição para pagamento o fato da adjudicatária constar na Nota Fiscal/Fatura OBRIGATORIAMENTE o número da licitação de referência (Ex.: Referente ao PREGÃO PRESENCIAL Nº /2015-PMSN/RN). CLÁUSULA SÉTIMA PENALIDADES Nos termos do art. 11, XXIII c/c art. 14 do Decreto Municipal nº. 008/2013 e art. 7º da Lei nº /02, ficará impedida de licitar e contratar com a Prefeitura Municipal de Sítio Novo/RN, pelo prazo de até 05 (CINCO) ANOS, sem prejuízo das multas previstas neste Edital e das demais penalidades legais, a licitante que: a) Não assinar a Ata de Registro de Preços, quando convocada dentro do prazo de validade de sua proposta. b) Não retirar assinar o contrato e não retirar a Ordem de Serviços, quando convocada dentro do prazo de vigência Ata de Registro de Preços. c) Apresentar documentação falsa. d) Deixar de entregar os documentos exigidos para o certame. e) Ensejar o retardamento, falhar ou fraudar a execução da obrigação assumida. f) Não mantiver a proposta. g) Comportar-se de modo inidôneo ou cometer fraude fiscal. 7.2 O disposto no item anterior não se aplica às licitantes convocadas nos termos do art. 11, inciso XXII, do Decreto nº. 008/09, que não aceitarem a contratação, nas mesmas condições propostas pela adjudicatária, inclusive quanto ao prazo e preço. 7.3 O atraso injustificado na execução do contrato sujeitará o licitante vencedor à multa de mora de 0,2% (DOIS DÉCIMOS POR CENTO) por dia de atraso, até o máximo de 5% (CINCO POR CENTO), sobre o valor dos serviços não executados. 7.4 A multa a que se refere esta cláusula será descontada do pagamento eventualmente devido pela Prefeitura Municipal de Sítio Novo/RN ou, quando for o caso, cobradas judicialmente. 7.5 Pela inexecução total ou parcial do contrato, a Prefeitura Municipal de Sítio Novo/RN poderá, garantida a prévia defesa, aplicar ao contratado as seguintes sanções: a) Advertência. b) Multa no percentual de 10% (DEZ POR CENTO), calculada sobre o valor dos serviços não executados. c) Suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de contratar com Administração, por prazo não superior a 02 (DOIS) ANOS. d) Declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública, facultada a defesa do interessado no prazo de 05 (CINCO) DIAS ÚTEIS. Parágrafo Único - A aplicação da sanção prevista na alínea a não prejudica a incidência cumulativa das penalidades das alíneas b e c, principalmente, sem prejuízo de outras hipóteses, em caso de reincidência de atraso na entrega do objeto licitado ou caso haja cumulação de inadimplemento de eventuais cotas mensais, expressamente previstas, facultada a defesa prévia do interessado, no prazo de 05 (CINCO) DIAS ÚTEIS As sanções previstas nas alíneas a, c e d do ITEM 7.5, poderão ser aplicadas conjuntamente com alínea b, facultada a defesa prévia do interessado, no prazo de 05 (CINCO) DIAS ÚTEIS. CLÁUSULA OITAVA DO CANCELAMENTO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇO O Fornecedor terá seu registro cancelado quando: a) Não cumprir as obrigações decorrentes da Ata de Registro de Preço. b) O fornecedor que não aceitar reduzir o preço registrado, na hipótese deste se tornar superior àqueles praticados no mercado. c) Por presentes razões de interesse público, devidamente motivado e justificado. d) Perder qualquer condição de habilitação ou qualificação técnica exigida no processo licitatório. e) For declarado inidôneo para licitar ou contratar com a Administração nos termos da Lei nº /93. f) Comprovar estar impossibilitado de cumprir as exigências da Ata de Registro de Preços, por ocorrência de caso fortuito ou de força maior. g) For impedido de licitar e contratar com a Administração A Ata de Registro de Preço será cancelada automaticamente: a) Por decurso de prazo de vigência. b) Quando não restarem fornecedores registrados O cancelamento de registro nas hipóteses previstas nesta cláusula, assegurado o contraditório e a ampla defesa, será formalizado por despacho do Prefeito Municipal. CLÁUSULA NONA DO CONTRATO 9.1. O contrato decorrente desta licitação bem assim os casos nele omissos regular-se-ão pelas cláusulas contratuais e pelos preceitos de direito público, aplicando-se, supletivamente, os princípios de teoria geral dos contratos e as disposições de direito privado, na forma dos arts. 54 e 55, da Lei nº / Quando da requisição dos serviços licitados, a PMSN/RN convocará oficialmente o primeiro colocado no certame para no prazo máximo de até 08 (OITO) DIAS ÚTEIS, retirar a Nota de Empenho e/ou assinar o respectivo contrato (ou instrumento equivalente), na sede da Prefeitura Municipal, sob pena de decair do direito à contratação, sem prejuízo das sanções previstas neste Edital É facultado a PMSN/RN, quando o primeiro licitante convocado não retirar a Nota de Empenho e nem assinar o respectivo contrato, no prazo e condições estabelecidos no subitem 9.2, deste Edital, chamar o segundo colocado para fazê-lo em igual prazo, sem prejuízo das multas previstas neste Edital e das demais cominações legais Retirada à nota de empenho e assinado o respectivo contrato ou a Ordem de Serviços, ou ainda, instrumento equivalente, a licitante contratada terá, após a Ordem de Serviços, que deverá ser feita pela PMSN/RN, iniciar a prestação de serviços no prazo de até 08 (OITO) DIAS ÚTEIS Se, após o início da execução dos serviços, constatar-se que os serviços estão sendo realizados em desacordo com a correspondente proposta de preços, fora das especificações fixadas, depois da licitante contratada ter sido regularmente notificado, este terá o prazo de mais 08 (OITO) DIAS ÚTEIS para corrigir as falhas ou omissões. CLÁUSULA DÉCIMA - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Integram esta Ata de Registro de Preços, o edital do PREGÃO PRESENCIAL Nº /2015 PMSN/RN e seus anexos, e a proposta da empresa: T. DE S. C. CARVALHO ME, CNPJ: / , classificada, respectivamente, no certame supra numerado Os casos omissos serão resolvidos de acordo com os Decretos Municipais nºs. 008/2013 e 009/2013; e subsidiariamente as normas constantes na Lei nº / Fica eleito o foro da Comarca de Tangará/RN, para dirimir quaisquer dúvidas decorrentes desta Ata com exclusão de qualquer outro, por mais privilegiado que seja. PREFEITURA MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO RICHARDSON XAVIER CUNHA Prefeito Municipal T. DE S. C. CARVALHO ME DELZIELI FRANCISCO MEDEIROS DE CARVALHO Representante Legal DAYANE DA SILVA GONçALO Código Identificador: A7 SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL N /2015 EXTRATO DO CONTRATO N. 003/2015 PREGÃO PRESENCIAL CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO/RN, inscrita no CNPJ sob n / CONTRATADA: T DE S C CARVALHO ME, inscrita no CNPJ/MF sob nº / OBJETO: CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REABILITAÇÃO ORAL, PARA ATENDER A POPULAÇÃO

47 CARENTE DO MUNICÍPIO DE SÍTIO NOVO/RN PERÍODO: 19 DE MARÇO DE 2015 à 19 DE MARÇO DE 2016 VALOR: R$ (noventa e seis mil oitocentos e quarenta reais) ORIGEM DOS RECURSOS: Fundo Municipal de Saúde FUNDAMENTO LEGAL: Decreto Municipal nº. 008/2013, Decreto Municipal nº. 009/2013 e a Lei nº /93. Sítio Novo/RN, 19 de março de PREFEITURA MUNICIPAL DE SÍTIO NOVO - RICHARDSON XAVIER CUNHA - Prefeito Municipal / T. DE S. C. CARVALHO ME - DELZIELI FRANCISCO MEDEIROS DE CARVALHO - Representante Legal DAYANE DA SILVA GONçALO Código Identificador: 420A1D1C PREFEITURA MUNICIPAL DE TENENTE LAURENTINO CRUZ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 20/ PROCESSO Nº 33/2015 Objeto: LOCAÇÃO DE ESPAÇO DE LAZER COM PISCINA E RESTAURANTE. CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE TENENTE LAURENTINO CRUZ, com sede Av. Manoel Nascimento, 828, Centro, Tenente Laurentino Cruz/RN, CEP: , CNPJ/MF: / CONTRATADA: GILBERTO GOMES DE MEDEIROS - ME, com sede SIT SANTA RITA, 0, ZONA RURAL, LAGOA NOVA/RN, CEP: , CNPJ/MF: / VALOR: R$ 3.325,00 (três mil, trezentos e vinte e cinco reais). DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: Unidade Orçamentária: FUNDO MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL Ação: SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS Função: 08 - ASSISTÊNCIA SOCIAL Sub-Função: ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE Programa: INCLUSÃO SOCIAL DO CIDADÃO Natureza: OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA Fonte de Recurso: TRANSFERÊNCIAS VINCULADAS Região: TENENTE LAURENTINO CRUZ BASE LEGAL: Art. 24, II, da Lei federal 8.666/93 Tenente Laurentino Cruz/RN, 19 de fevereiro de LUCIANA CONCEIÇÃO DE ARAÚJO DANTAS Código Identificador: 6AC0ACEC PREFEITURA MUNICIPAL DE TIBAU COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO - CPL RESULTADO DA LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL - SRP Nº 5/2015 O Pregoeiro da Prefeitura Municipal de Tibau, faz saber a todos os interessados que o VENCEDOR do PROCESSO nº 5/2015, Pregão Presencial SRP nº 5/2015, foram a (s) empresa(s): DINAMICA SPORTS FITNESS LTDA- CNPJ: / , saiu vencedor(a) no(s) item(ns): 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 42, 43; totalizando o valor de R$ ,50 (cento e vinte e dois mil, quatrocentos e cinquenta reais e cinquenta centavos). Sendo-lhe adjudicado o objeto, nos termos da Legislação atinente. Tibau/RN, 23 de março de 2015 (segunda-feira). Almir Rodrigues Noia Pregoeiro LUIZ NAZARENO DE SOUZA Código Identificador: 3D COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO - CPL RESULTADO DA LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL - SRP Nº4/2015 O Pregoeiro da Prefeitura Municipal de Tibau, faz saber a todos os interessados que o VENCEDOR do PROCESSO nº 4/2015, Pregão Presencial SRP nº 4/2015, foram a (s) empresa(s): A. C. ALVES - ME- CNPJ: / , saiu vencedor(a) no(s) item(ns): 1, 8, 9, 12, 15, 17, 25, 27, 48, 54, 56; totalizando o valor de R$ ,60 (vinte e seis mil, quatrocentos e quinze reais e sessenta centavos). SUPERMERCADO SERRANO LTDA.- CNPJ: / , saiu vencedor(a) no(s) item(ns): 2, 3, 4, 5, 6, 7, 10, 11, 13, 14, 16, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 26, 28, 29, 30, 47 31, 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47, 49, 50, 51, 52, 53, 55, 57; totalizando o valor de R$ ,24 (cento e sessenta e oito mil, seiscentos e setenta e dois reais e vinte e quatro centavos). Sendo-lhe adjudicado o objeto, nos termos da Legislação atinente. Tibau/RN,11 de março de 2015 (quarta-feira). Almir Rodrigues Noia Pregoeiro LUIZ NAZARENO DE SOUZA Código Identificador: 453BBAF3 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO - CPL TERMO DE HOMOLOGAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL - SRP Nº 4/2015 O Prefeito Municipal de Tibau no uso de suas atribuições legais faz saber a todos interessados que, homologa o resultado do PROCESSO nº 4/2015, Pregão Presencial - SRP nº 4/2015 proferido pelo pregoeiro, para que produza seus jurídicos legais efeitos, ficando convocada(s) a(s) empresa(s), abaixo relacionada(s), para assinatura do contrato nos termos do artigo 64, da lei 8666/93, no prazo de 03 (três) dias úteis, a contar desta publicação. A. C. ALVES - ME- CNPJ: / , saiu vencedor(a) no(s) item(ns): 1, 8, 9, 12, 15, 17, 25, 27, 48, 54, 56; totalizando o valor de R$ ,60 (vinte e seis mil, quatrocentos e quinze reais e sessenta centavos). SUPERMERCADO SERRANO LTDA.- CNPJ: / , saiu vencedor(a) no(s) item(ns): 2, 3, 4, 5, 6, 7, 10, 11, 13, 14, 16, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 26, 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47, 49, 50, 51, 52, 53, 55, 57; totalizando o valor de R$ ,24 (cento e sessenta e oito mil, seiscentos e setenta e dois reais e vinte e quatro centavos). Tibau/RN, 13 de março de Josinaldo Marcos de Souza Prefeito Municipal LUIZ NAZARENO DE SOUZA Código Identificador: 612D77B8 PREFEITURA MUNICIPAL DE TIBAU DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO, PLANEJAMENTO E FINANÇAS 2ª CONVOCAÇÃO A Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Finanças do Município de Tibau do Sul/RN, CONVOCA o representante da empresa COMERCIAL BRASIL ALIMENTOS E LIMPEZA EIRELLI, inscrita no CNPJ: / , para comparecer na administração municipal/setor de Compras, no prazo de 24 (vinte e quatro) hora contadas a partir da data da publicação desta, para tratar de assuntos relacionados a regularização das entregas dos produtos do Pregão Presencial nº 036/2014. O descumprimento desta convocação no prazo acima mencionado fica o Município autorizado a aplicar a penalidade constantes na Ata de Registro de Preço e determinada por Lei. Tibau do Sul/RN, 23 de março de Emanuelle C. Costa M. da Silva Secretária ABRAÃO AZEVEDO LOPES Código Identificador: 6751D78A PREFEITURA MUNICIPAL DE UMARIZAL CPL AVISO DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇO Nº001/ TP O Município de UMARIZAL, através da(o) PREFEITURA MUNICIPAL DE UMARIZAL por intermédio da Comissão de Licitação, torna público que às 09:00 horas do dia 09 de Abril de 2015, fará realizar licitação na modalidade TOMADA DE PREÇO 0001/2015-TP, tipo menor preço, para contratação de empresa especializada para construção de 01 (uma) sala de aula na Creche Dina de Brito neste município de Umarizal/RN (Programa Brasil Carinhoso/FNDE), de acordo com o que determina a legislação vigente, a realizar-se na sala da Comissão de Licitação da PREFEITURA MUNICIPAL DE UMARIZAL. O procedimento licitatório obedecerá ao disposto na Lei nº de 21 de junho de 1993, com as alterações posteriores que lhe foram introduzidas. O Edital e seus anexos encontram-se à disposição dos interessados na sala da Comissão de Licitação, na AV. GAVIÃO, Nº 19 - CENTRO - UMARIZAL/RN, a partir da publicação deste Aviso, no horário de expediente. UMARIZAL - RN, 23 de Março de JARLENE BARBOSA DE MENEZES Comissão de Licitação Presidente MAYKON RICARD CAVALCANTE NUNES Código Identificador: 74F8EE2C PORTARIA Nº029/2015 de 11 de março de EMENTA: Concede Licença Prêmio por Assiduidade a servidora e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE UMARIZAL, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, R E S O L V E Art. 1º - Fica concedido Licença Prêmio por assiduidade a servidora ANTÔNIA ALVES DA SILVA, matrícula , por 90 (noventa dias), sendo seu período de gozo contando de: 02/03/2015 a 30/05/2015. Art. 2º - Esta PORTARIA entrará em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos a 02 de março do corrente ano. Registre-se, Publique-se e Cumpra-se. Gabinete do Prefeito, Umarizal-RN, em 11 de março de CARLÍNDSON ONOFRE PEREIRA DE MELO PREFEITO MUNICIPAL MAYKON RICARD CAVALCANTE NUNES Código Identificador: 45CAEA47 PORTARIA Nº030/2015 de 18 de março de EMENTA: Dispõe sobre a nomeação do Médico veterinário do Serviço de Inspeção Municipal - SIM e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE UMARIZAL, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, e nos termos do art. 5º da Lei nº 534/2014 de 30 de março, e do Art. 4º do Decreto nº 007/2014 de 22 de outubro, pela presente. R E S O L V E Art. 1º - Nomear o Sr. ADAUCIDES CÂMARA como Médico Veterinário do Serviço de Inspeção Municipal S.I.M., delegando-lhe todas as competências inerentes ao cargo. Art. 2º - A presente PORTARIA entrará em vigor na data de sua publicação, Revogando-se as disposições em contrário. Registre-se, Publique-se e Cumpra-se. Gabinete do Prefeito, Umarizal-RN, em 18 de março de CARLÍNDSON ONOFRE PEREIRA DE MELO PREFEITO MUNICIPAL MAYKON RICARD CAVALCANTE NUNES Código Identificador: 5D70C140 PORTARIA Nº031/2015 de 18 de março de EMENTA: Dispõe sobre a nomeação do Técnico Administrativo do Serviço de Inspeção Municipal - SIM e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE UMARIZAL, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, e nos termos do art. 5º da Lei nº 534/2014 de 30 de março, e do Art. 4º do Decreto nº 007/2014 de 22 de outubro, pela presente. R E S O L V E Art. 1º - Nomear o Sr. PEDRO LUCENA DE MEDEIROS como Técnico Administrativo do Serviço de Inspeção Municipal S.I.M., delegando-lhe todas as competências inerentes ao cargo. Art. 2º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogam-se as disposições em contrário. Registre-se, Publique-se e Cumpra-se. Gabinete do Prefeito, Umarizal-RN, em 18 de março de CARLÍNDSON ONOFRE PEREIRA DE MELO PREFEITO MUNICIPAL MAYKON RICARD CAVALCANTE NUNES Código Identificador: 6F PORTARIA Nº032/2015 de 18 de março de EMENTA: Dispõe sobre a nomeação do Auxiliar de Inspeção do Serviço de Inspeção Municipal - SIM e dá outras providências.

48 O PREFEITO MUNICIPAL DE UMARIZAL, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, e nos termos do art. 5º da Lei nº 534/2014 de 30 de março, e do Art. 4º do Decreto nº 007/2014 de 22 de outubro, pela presente. R E S O L V E Art. 1º - Nomear o Sr. ANTONIO LUZIVAN DE OLIVEIRA SILVA como Auxiliar de Inspeção do Serviço de Inspeção Municipal S.I.M., delegando-lhe todas as competências inerentes ao cargo. Art. 2º - Esta PORTARIA entrará em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos a 02 de março do corrente ano Registre-se, Publique-se e Cumpra-se. Gabinete do Prefeito, Umarizal-RN, em 18 de março de CARLÍNDSON ONOFRE PEREIRA DE MELO PREFEITO MUNICIPAL MAYKON RICARD CAVALCANTE NUNES Código Identificador: 6A8F95CD PORTARIA Nº033/2015 de 18 de março de EMENTA: Concede Licença Prêmio por Assiduidade a servidora e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE UMARIZAL, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, R E S O L V E Art. 1º - Fica concedido Licença Prêmio por assiduidade a servidora MARIA JOSÉ DE FREITAS, matrícula , por 90 (noventa dias), sendo seu período de gozo contando de: 02/03/2015 a 30/05/2015. Art. 2º - A presente PORTARIA entrará em vigor na data de sua publicação, Revogando-se as disposições em contrário. Registre-se, Publique-se e Cumpra-se. Gabinete do Prefeito, Umarizal-RN, em 18 de março de CARLÍNDSON ONOFRE PEREIRA DE MELO PREFEITO MUNICIPAL MAYKON RICARD CAVALCANTE NUNES Código Identificador: 4A66E0DC PREFEITURA MUNICIPAL DE UPANEMA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO TERMO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO 003/ PROCESSO: 028/2015 OBJETO: AQUISIÇÃO DE LIVROS PARA EDUCAÇÃO INFANTIL O presidente da Comissão de Licitação do município de UPANEMA, no uso de suas atribuições legais e considerando tudo que consta no presente processo administrativo, vem emitir o presente TERMO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO, fundamentado no art. 25, da Lei Federal n 8.666/93 e suas alterações, para contratação da empresa BRASIL DISTRIBUIDORA DE LIVROS LTDA, inscrita no CNPJ: / para a aquisição de livros para Educação Infantil, no valor global de R$ ,00 (dezenove mil quinhentos e setenta e cinco reais); Assim, nos termos do art. 25 da Lei Federal n 8.666/93 e suas alterações, venho comunicar ao Gestor da PREFEITURA MUNICIPAL DE UPANEMA a presente inexigibilidade de Licitação, para que seja processada a devida ratificação, caso esteja de acordo. Upanema/RN, 18 de março de FÁBIO MAXCIMILIANO DIOGENES DE SOUSA Presidente da CPL 48 ISAIAS MENDONÇA COSTA Código Identificador: 64F222E9 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO RATIFICAÇÃO REFERENTE AO TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 003/2015 O Prefeito Constitucional de Upanema/RN, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município e ainda, ancorada na norma inscrita no Art. 26, caput, da Lei Regente, considerando o incomensurável interesse público; considerando também, as conclusões formalmente motivadas no Parecer Jurídico, HOMOLOGA e RATIFICA o ATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO, junto a BRASIL DISTRIBUIDORA DE LIVROS CNPJ: / , para a aquisição de livros para Educação Infantil, no valor global de R$ ,00 (dezenove mil, quinhentos e setenta e cinco reais), ancorado no Artigo 25 da Lei Federal nº 8.666/93. Upanema/RN, 19 de março de 2015 LUIZ JAIRO BEZERRA DE MENDONÇA Prefeito municipal ISAIAS MENDONÇA COSTA Código Identificador: 6E347DDB COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO Nº 003/ PROCESSO Nº 28/2015 Objeto: Aquisição de livros para Educação Infantil. CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE UPANEMA, com sede Rua João Francisco, 90, Centro, Upanema/RN, CEP: , CNPJ/MF: / CONTRATADA: BRASIL DISTRIBUIDORA DE LIVROS, com sede RUA DOS CAICÓS, 1533, ALEGRIM, NATAL/RN, CEP: , CNPJ/MF: / VALOR: R$ ,00 (dezenove mil, quinhentos e setenta e cinco reais). DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: Unidade Orçamentária: SECRETARIA MUN. DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO Ação: FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DO ENSINO INFANTIL Função: 12 - EDUCAÇÃO Sub-Função: EDUCAÇÃO INFATIL Programa: EDUCAÇÃO BÁSICA Natureza: MATERIAL DE DISTRIBUIÇÕES GRATUITA Fonte de Recurso: Recursos do Fundo Nacional de Desenv. da Educação - FNDE Região: Upanema BASE LEGAL: Artigo 25 da Lei Federal nº 8.666/93 Upanema/RN, 19 de março de 2015 FÁBIO MAXCIMILIANO DIOGENES DE SOUSA Presidente da CPL ISAIAS MENDONÇA COSTA Código Identificador: 715B8E67 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO RATIFICAÇÃO REFERENTE AO TERMO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO 003/2015 O Prefeito Constitucional de Upanema/RN, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município e ainda, ancorada na norma inscrita no Art. 26, caput, da Lei Regente, considerando o incomensurável interesse público; considerando também, as conclusões formalmente motivadas no Parecer Jurídico, HOMOLOGA e RATIFICA o ATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO, junto a BRASIL DISTRIBUIDORA DE LIVROS CNPJ: / , para a aquisição de livros para Educação Infantil, no valor global de R$ ,00 (dezenove mil, quinhentos e setenta e cinco reais), ancorado no Artigo 25 da Lei Federal nº 8.666/9 Upanema/RN, 19 de março de 2015 LUIZ JAIRO BEZERRA DE MENDONÇA Prefeito municipal ISAIAS MENDONÇA COSTA Código Identificador: 60D1C25D PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO / PREGOEIRO AVISO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 017/2015 O Município de Várzea, por intermédio do Pregoeiro, torna público que às 09h00min do dia 08 de Abril de 2015, fará realizar licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, sob o numero 017/2015, TIPO MENOR PREÇO POR LOTE, Objeto: Registro de preços para eventual CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM RECUPERAÇÃO DE MOVEIS DIVERSOS, VISANDO ATENDER ÀS NECESSIDADES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA, de acordo com o que determina a legislação vigente. O procedimento licitatório obedecerá ao disposto na Lei Federal nº /2002, Lei Federal nº de 21 de junho de 1993, e suas alterações posteriores que lhe foram introduzidas. O Edital e seus anexos encontram-se à disposição dos interessados a partir da publicação deste aviso, no horário de expediente de segunda a Sexta-Feira das 08h00minh as 14h00minh. A realização do certame acontecera na Prefeitura Municipal de Várzea/RN, situada na Rua Coronel Felipe Jorge, nº 20, Centro CEP , na sala da CPL. Várzea - RN 23 de março de 2015 Diego Avelino Ferreira Pregoeiro Municipal. DIEGO AVELINO FERREIRA Código Identificador: C PREFEITURA MUNICIPAL DE VENHA-VER AVISO DE LICITAÇÃO - TOMADA DE PREÇO Nº 002/2015 PMVV A PREFEITURA DE VENHA-VER/RN, através de sua Comissão Permanente de Licitação, torna público para o conhecimento de quem possa interessar, que às 14 horas do dia 08 de março de 2015, na sala de licitações, na rua José Bernardo de Aquino 53, Centro, estará reunida para o recebimento dos envelopes nº 01 e nº 02, relativos a TOMADA DE PREÇO nº 002/2015, em regime de empreitada por preços unitários do tipo menor preço, cujo objeto é a Modernização e Adequação do Ginásio Poliesportivo RECONSTRUÇÃO, no Município de Venha- Ver/RN. Os interessados poderão adquirir o Edital na sala de Licitações, na sede da Prefeitura das segundas as sextas feiras, das 08h00min as 12h00min horas. Maiores informações poderão ser obtidas pelo telefone (84) Venha- Ver/RN, de 23 de Março José Fernandes Vieira Presidente da CPL. JOSE FERNANDES VIEIRA Código Identificador: 4D5AFCB3 PREFEITURA MUNICIPAL DE ACARI ANEXO II LEI Nº 918, de 09 de dezembro de Proposta Percentual de 13,01% ANEXO II LEI Nº 918 de 09 de dezembro de 2009 TABELAS DE VENCIMENTOS DO MAGISTÉRIO (em reais) - 30 horas Tabela I - PROFESSOR e PEDAGOGO Parte Permanente CATEGORIA FUNCIONAL PROFESSOR e PEDAGOGO CLASSES NÍVEIS A B C D E F G H I J I 1.582, , , , , , , , ,16 II 1.726, , , , , , , , , ,45

49 PERCENTUAL ENTRE AS CLASSES = 1,5% PERCENTUAL ENTRE OS NÍVEIS I e II = 10% Tabela II PROFESSOR Parte Suplementar 49 CATEGORIA FUNCIONAL PROFESSOR CLASSES NÍVEIS ESPECIAIS A B C D E F G H I J I 1.027, , , , , , , , , ,33 SEM DOCÊNCIA II 1.130, , , , , , , , , ,97 III 1.233, , , , , , , , , ,59 DOCÊNCIA IV 1.438, , , , , , , , , ,86 PERCENTUAL ENTRE AS CLASSES = 1,5% PERCENTUAL ENTRE OS NÍVEIS I e II = 10% PERCENTUAL ENTRE OS NÍVEIS I E III = 20% PERCENTUAL ENTRE OS NÍVEIS I E IV = 40% ANEXO DA LEI N 845/2006 DENOMINAÇÃO SÍMBOLO VENCIMENTO Diretor de Escola CCDE-1 R$ 1.583,99 Diretor do Centro de Ensino Rural CCDE-1 R$ 1.583,99 Vice-diretor de Escola CCDE-2 R$ 1.258,17 RÚBIA KÁTIA AZEVEDO MONTENEGRO Código Identificador: 661E4A42 PREFEITURA MUNICIPAL DE BARAÚNA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EXTRATO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 001/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 006/2015. A Prefeitura Municipal de Baraúna/RN torna público a Ata de Registro de Preços da Prefeitura Municipal Baraúna/RN com base no que determina as Leis nº 8666/93 (LEI DAS LICITAÇÕES) e /02 (LEI DO PREGÃO), Lei Federal nº 7892/2013 (LEI DO SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS), Decreto Municipal nº 006/2014 (DECRETO DO SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS NO MUNICÍPIO) da Lei 8.666/93, e suas alterações posteriores e demais normas em vigor, conforme especificado abaixo: Pregão Presencial SRP nº 004/2015 Ata de Registro de Preços n 001/2015 Órgão Gerenciador: Prefeitura Municipal Baraúna/RN, inscrita no CNPJ: / OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA EVENTUAL CONTRATAÇÃO DE PESSOA JURÍDICA VISANDO A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS TIPO: ÔNIBUS ODONTOLÓGICO, SPRINTER, CAMINHÃO BAÚ, ÔNIBUS, MICRO-ÔNIBUS E PICK UP, DESTINADOS À EXECUÇÃO TRANSPORTE DE PESSOAL E CARGAS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BARAÚNA E DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E DESPORTO, DA SECRETARIA DE SAÚDE E DA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA DESTA MUNICIPALIDADE Fornecedor Registrado: RENT A CAR LOCADORA LTDA, INSCRITA NO CNPJ/MF nº / ITEM ESPECIFICAÇÃO DO VEÍCULO UNID QTD Veículo automotor de passeio, com no máximo 05 (cinco) anos de fabricação, capacidade para no mínimo 05 (cinco) passageiros incluindo o condutor, motor de no mínimo cilindradas, combustível flex, álcool e ou gasolina, 04 (quatro) cilindros, 08 (oito) válvulas, potência mínima de 60 (sessenta) CV, 04 (quatro) portas, transmissão mecânica manual com 05 (cinco) marchas sincronizadas à frente e 01 (uma) a ré, ar condicionado, tapetes, retrovisores laterais, e demais equipamentos/assessórios de segurança e sinalização exigidos pelo CONTRAN. COM MOTORISTA. Quilometragem livre. Combustível não incluso no valor pago. Veículo tipo ônibus odontológico, ano de fabricação 2010 ou mais recente, COM MOTORISTA, conforme as seguintes especificações: Veículo composto de 03 (três) consultórios destinados ao atendimento odontológico, médico e de enfermagem. Possuir em seu interior mobiliário de madeira e plástico, bem como macas, mesas, cadeiras e banquetas. Ônibus com ar condicionado e banheiro - seguro total (inclusive para os para-brisas dos veículos) sem franquia para o locatário com cobertura dos riscos derivados de circulação de serviços correspondentes, quando for o caso; - substituição do veículo locado em qualquer local que esteja operando no ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE; - com isenção de lucro cessante para o locatário, em caso de sinistro de qualquer natureza; - Quilometragem livre. Combustível não incluso no valor pago. Veículo tipo ônibus, ano de fabricação 2010 ou mais recente, COM MOTORISTA, conforme as seguintes especificações: Capacidade de transportar 50 (cinquenta) passageiros sentados. Ônibus com ar condicionado e banheiro - seguro total (inclusive para os para-brisas dos veículos) sem franquia para o locatário com cobertura dos riscos derivados de circulação de serviços correspondentes, quando for o caso; - DIÁRIA substituição do veículo locado em qualquer local que esteja operando no Município de Baraúna/RN; - com isenção de lucro cessante para o locatário, em caso de sinistro de qualquer natureza; - Quilometragem livre. Combustível não incluso no valor pago. A SOLICITAÇÃO DO VEÍCULO(S) SERÁ FEITA ALEATORIAMENTE. Veículo tipo micro-ônibus, ano de fabricação 2010 ou mais recente, COM MOTORISTA, conforme as seguintes especificações: - Capacidade de transportar 20 (vinte), passageiros sentados, micro-ônibus com ar condicionado. - seguro total (inclusive para os para-brisas dos veículos) sem franquia para o locatário com cobertura dos riscos derivados de circulação de serviços correspondentes, quando for o DIÁRIA caso; - substituição do veículo locado em qualquer local que esteja operando no ; - com isenção de lucro cessante para o locatário, em caso de sinistro de qualquer natureza; - Quilometragem livre. Combustível não incluso no valor pago. A SOLICITAÇÃO DO VEÍCULO(S) SERÁ FEITA ALEATORIAMENTE. 14 Veículos MENSAL X 12 meses MENSAL 2 Veículos X 12 meses VALOR UNITÁRIO (MÉDIA) R$ VALOR TOTAL (ESTIMADO) R$ R$ 2.518,00 R$ ,00 R$ R$ Veículos X R$ 1.045,00 R$ dias= Veículos X R$ 55 R$ dias= 140 Veículo tipo van, ano de fabricação 2010 ou mais recente, COM MOTORISTA, conforme as seguintes especificações: - Capacidade mínima de 15 (quinze) passageiros, a gasolina ou diesel, com ar condicionado e som automotivo; - Quilometragem livre. Combustível incluso no MENSAL 4 Veículos X R$ 7.75 R$ meses valor pago. Veículo automotor utilitário tipo Pick up, ano de fabricação 2010 ou mais recente, COM MOTORISTA, capacidade para no mínimo 05 (cinco) passageiros, incluindo o condutor, cabine dupla, potência do motor mínima de 171 (cento e setenta e um) CV, 16 (dezesseis) válvulas, 04 (quatro) portas, combustível diesel/biodiesel, transmissão mecânica manual com 05 (cinco) marchas sincronizadas à frente e 01 (uma) a ré, com tração nas 04 (quatro) rodas (4x2, 4x4 e 4x4 reduzida), Freios ABS, ar condicionado, direção hidráulica, capota marítima, tapetes, retrovisores, laterais, Airbag duplo e demais equipamentos /assessórios de segurança e sinalização exigidos pelo, CONTRAN. SIMILIAR A HILUX (toyota), L200 Triton (mitsubishi). Quilometragem livre. Combustível não incluso no valor pago. Veículo tipo Caminhão baú, fabricado em 2010 ou mais recente; COM MOTORISTA, destinado à execução de transporte de carnes do matadouro público para o mercado público. Com as seguintes características: motor movido a diesel, capacidade para transportar, no mínimo, Kg (seis mil quilos); em bom estado de conservação; equipado com todos os equipamentos de série não especificados e exigidos pelo CONTRAN. Quilometragem livre. Combustível não incluso no valor pago. MENSAL 4 Veículos X 12 meses MENSAL 1 Veículo X 12 meses R$ 7.12 R$ R$ 8.15 R$ Veículo tipo Caminhão baú, COM MOTORISTA, com capacidade mínima de 11 toneladas, fabricado em 2010 ou mais recente; em bom estado de conservação para transportar móveis nas reformas e construções, materiais didáticos, bens inservíveis, retirando das unidades e MENSAL 2 Veículos X R$ R$ levando para outras Unidades/Órgãos e galpões indicados pelo Poder Executivo Municipal. Veículo equipado com todos os equipamentos 12 meses de série não especificados e exigidos pelo CONTRAN. Quilometragem livre. Combustível não incluso no valor pago. Veículo tipo Caminhão baú, REFRIGERADO, COM MOTORISTA, com capacidade de carga mínima de kg, transmissão manual de 6 marchas, movido à diesel, fabricado em 2011 ou mais recente; em bom estado de conservação para transportar leite/ frios e congelados no MENSAL 2 Veículos X R$ 8.58 R$ Município de Baraúna/RN. Veículo equipado com todos os equipamentos de série não especificados e exigidos pelo CONTRAN. 12 meses Quilometragem livre. Combustível por conta da Contratante.

50 50 Valor: O valor global estimado para o objeto: R$ ,00 (Dois milhões quinhentos mil e cento e quatro reais)., conforme Ata de Registro de Preços ARP Vigência da Ata: 20/03/2015 à 20/03/2015 Baraúna/RN, 20 de março de PREFEITURA MUNICIPAL DE BARAÚNA/RN Órgão Gerenciador Contratante RENT A CAR LOCADORA LTDA Fornecedor Contratada MADSON FERREIRA DE MELO Código Identificador: 5523C0A6 PREFEITURA MUNICIPAL DE CORONEL EZEQUIEL EXTRATO DE ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - PREGÃO PRESENCIAL Nº. 003/2015 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES PROMITENTE CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE CORONEL EZEQUIEL/RN, CNPJ: / ; PROMITENTE CONTRATADO: JOSE PAULO DE MEDEIROS - ME, CNPJ: / ; OBJETO: Registro de Preços para futura e eventual aquisição de frutas e verduras destinados às necessidades das Secretarias Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Assistência Social e Secretaria Municipal de Educação. ITENS E VALORES REGISTRADOS: EMPRESA JOSE PAULO DE MEDEIROS ME CNPJ / ITEM QUANT UNID. ESPECIFICAÇÕES V. UNIT. V. TOTAL KG BATATINHA 1ª Qualidade, tamanho médio, nova. R$ 3,30 R$ KG CENOURA FESCA - Boa qualidade, firme e, casca limpa. R$ 3,00 R$ KG CEBOLA 1ª Qualidade, sem restia, seca, nova, tamanho médio, com casca sã, sem rupturas. R$ 3,00 R$ KG TOMATE 1ª Qualidade, grau médio de amadurecimento, tamanho médio, com casca sã, sem rupturas. R$ 2,60 R$ KG PIMENTÃO - Coloração verde e/ou vermelha de 1ª. qualidade. R$ 2,40 R$ KG JERIMUM 1ª Qualidade. R$ 2,00 R$ UNID ALFACE - 1ª Qualidade e tamanho médio R$ 1,50 R$ MOLHO COENTRO FRESCO - 1ª Qualidade e tamanho médio. R$ 0,70 R$ KG BETERRABA - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 2,30 R$ KG MACAXEIRA Tipo branca ou amarela, de 1ª qualidade para consumo humano, raízes grandes, no grau normal de evolução, tamanho uniforme, fresca, com casca inteira, sem rupturas, não fibrosa, livre de terra e corpos estranhos. R$ 1,80 R$ KG BATATA DOCE - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 1,70 R$ UND CHUCHU - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 1,20 R$ KG REPOLHO - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 2,30 R$ 345, KG GOIABA - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 2,60 R$ UND BANANA Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 0,30 R$ KG MELANCIA Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 1,30 R$ KG MAÇÃ - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 4,50 R$ KG MELÃO - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 1,90 R$ KG MARACUJÁ NATURAL - 1ª Qualidade. R$ 2,90 R$ KG MAMÃO - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 1,30 R$ KG MANGA - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 2,30 R$ KG UVA - Em boas condições de consumo, com casca sã, sem rupturas. R$ 4,90 R$ 1.96 VALOR TOTAL: R$ ,00 DATA DA ASSINATURA: 23 de março de PELO PROMITENTE CONTRATANTE: ADAILTON TAVARES DA FONSECA Prefeito de Coronel Ezequiel/RN; PELO PROMITENTE CONTRATADO: JOSÉ PAULO DE MEDEIROS - empresário ALEXSANDRO DA SILVA Código Identificador: 47F64FC4 PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIANINHA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 032/2015 O Secretário Municipal de Administração de Goianinha, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições e tendo em vista a homologação do Resultado Final do Concurso Público de Goianinha/RN, através do Decreto Nº363/2013. RESOLVE: Art.1º - Convocar os candidatos abaixo discriminados e aprovados no concurso público realizado para Goianinha/RN, a comparecerem na Sede da Prefeitura Municipal localizada na Rod. RN003, KM 53, nº.96 Centro CEP: Goianinha- RN, munidos dos seguintes documentos: 1. Certidão de Quitação com a Justiça Eleitoral. 2.Quitação com o Serviço Militar, se do sexo masculino; 3.Documento de comprovação da escolaridade exigida no Edital. 4.Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) 5.Declaração de acumulação lícita ou de não ocupação de cargo público. 6.Declaração de Bens e Valores Patrimoniais; 7.Certidão Negativa de antecedentes criminais impeditivos do exercício de função pública, achando-se no pleno gozo de seus direitos civis e políticos da Justiça Estadual e Federal. 8.Declaração que não recebe proventos de aposentadoria ou remuneração de cargos, emprego ou função pública, ressalvados os casos previstos na Constituição Federal; 9. Cópia do CPF 10. Cópia do RG Comprovante de Endereço atualizado Foto 3x4 Número de inscrição no PIS/PASEP; Carteira de Habilitação (se motorista)

51 51 Art.2º- Os candidatos convocados terão até 30 (trinta) dias contados a partir da publicação deste Edital a comparecerem no endereço acima. 1. O candidato que não comparecer dentro do prazo estipulado será deslocado ex-ofício para a última colocação do cargo. 1. O candidato que se declarar impossibilitado de tomar posse no prazo estipulado acima deverá enviar comunicação à Secretaria Municipal de Administração com a devida justificativa, solicitando adiantamento de posse, o qual será deslocado para a última colocação entre os aprovados do cargo. Art.3º- Relação dos candidatos por ordem de classificação: VIGIAS 71º ABINOAN DE CARVALHO 72º FABIO PEREIRA GOMES 73º FABIO AZEVEDO DE LIMA 74º CLECIUS LAPA FILHO 75º THIAGO LUIS OLIVEIRA DE LIMA 76º ERIVALDO DE SOUZA REGIO FISCAL AMBIENTAL 5º JUNIA KIZZY AZEVEDO DE MEDEIROS GOIANINHA-RN, 23 DE MARÇO DE 2015 IRENALDO JOSÉ DE MEDEIROS SILVA SECRETÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO EDJA MÁRCIA FERREIRA LEONEZ Código Identificador: 678B7A5D COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 030/2015 * O Secretário Municipal de Administração de Goianinha, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições e tendo em vista a homologação do Resultado Final do Concurso Público de Goianinha/RN, através do Decreto Nº363/2013. RESOLVE: Art.1º - Convocar os candidatos abaixo discriminados e aprovados no concurso público realizado para Goianinha/RN, a comparecerem na Sede da Prefeitura Municipal localizada na Rod. RN003, KM 53, nº.96 Centro CEP: Goianinha- RN, munidos dos seguintes documentos: 1. Certidão de Quitação com a Justiça Eleitoral. 2.Quitação com o Serviço Militar, se do sexo masculino; 3.Documento de comprovação da escolaridade exigida no Edital. 4.Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) 5.Declaração de acumulação lícita ou de não ocupação de cargo público. 6.Declaração de Bens e Valores Patrimoniais; 7.Certidão Negativa de antecedentes criminais impeditivos do exercício de função pública, achando-se no pleno gozo de seus direitos civis e políticos da Justiça Estadual e Federal. 8.Declaração que não recebe proventos de aposentadoria ou remuneração de cargos, emprego ou função pública, ressalvados os casos previstos na Constituição Federal; 9. Cópia do CPF 10. Cópia do RG. Comprovante de Endereço atualizado.foto 3x4.Número de inscrição no PIS/PASEP;.Carteira de Habilitação (se motorista) Art.2º- Os candidatos convocados terão até 30 (trinta) dias contados a partir da publicação deste Edital a comparecerem no endereço acima. 1. O candidato que não comparecer dentro do prazo estipulado será deslocado ex-ofício para a última colocação do cargo. 1. O candidato que se declarar impossibilitado de tomar posse no prazo estipulado acima deverá enviar comunicação à Secretaria Municipal de Administração com a devida justificativa, solicitando adiantamento de posse, o qual será deslocado para a última colocação entre os aprovados do cargo. Art.3º- Relação dos candidatos por ordem de classificação: PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA - MICRORREGIÃO 5 10º SAGE RAONI ARAUJO DE SOUZA BATISTA PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL - MICRORREGIÃO 4 27º KADJA MARIA ASSIS DE FREITAS ASSISTENTE SOCIAL 10º VANESSA ALESSANDRA ALVES VARELA PORTEIRO 40º VANESSA MARIA BARBOSA 41º ROGÉRIO LUIZ DE LIMA GOIANINHA-RN, 20 DE MARÇO DE 2015 IRENALDO JOSÉ DE MEDEIROS SILVA SECRETÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO *REPUBLICADO POR INCORREÇÃO EDJA MÁRCIA FERREIRA LEONEZ Código Identificador: 772CDE8B PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA NOVA SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO

52 52 EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 001/ Edital de Convocação de Classificados - Aprovados no Concurso Público Municipal nº 001/2014 da Prefeitura Municipal de Lagoa Nova - RN O Município de Lagoa Nova - RN, através da Secretaria Municipal de Administração, tendo em vista a homologação do resultado do Concurso Público ao provimento de cargos do quadro de pessoal efetivo do município, através do Decreto Municipal Nº 453/2015 de 17 de Março de 2015, publicada na edição nº 1370 do Diário oficial dos Municípios do Rio Grande do Norte, em 18 de Março de 2015, e em conformidade com a Resolução 008/2012 do TCE. RESOLVE: 1 CONVOCAR os candidatos relacionados no ANEXO I deste edital, no prazo de 10 (Dez) dias úteis a contar do recebimento da convocação por correspondência. Deverá comparecer junto a Secretaria Municipal de Administração localizada na Av. Dr. Silvio Bezerra de Melo, 363, Centro - horário de 08:00 às 12:00h, munido da convocação expedida por correspondência, documento de identidade original com foto, documentação exigida no item 7, exames exigidos no item 8 deste edital e deverá ainda apresentar declaração, por escrito, se aceita ou não tomar posse no cargo para o qual concorreu no Concurso Público 001/ O não pronunciamento do convocado no prazo de 10 (Dez) dias úteis, contando do recebimento da convocação por correspondência, permitira a Prefeitura Municipal de Lagoa Nova/RN convocar o próximo candidato habilitado. 3 Os documentos que comprovem os requisitos básicos para a investidura do cargo serão exigidos diante da apresentação da declaração de interesse para assumir o cargo pretendido. 4 A posse dar-se- a pela assinatura do respectivo termo, no prazo de até 30 (dias) contado da publicação da nomeação do Diário Oficial dos Municípios do RN FEMURN. 5 Será tornado sem efeito o ato de nomeação se a posse não ocorrer neste prazo, exigido como também a não apresentação de todos os documentos solicitados a Prefeitura Municipal de Lagoa Nova RN, convocar o próximo candidato aprovado. 6 - Os documentos acima nominados deverão ser apresentados em 02 (duas) vias autenticadas ou em copias a serem autenticadas pela Secretaria Municipal de Administração mediante apresentação dos originais. 7 - Documentos a serem apresentados O candidato nomeado deverá apresentar cópia dos seguintes documentos como condição para sua posse: CPF - Comprovante de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas; Cédula de identidade; Certidão de nascimento ou casamento; PIS PASEP; Carteira de Trabalho e Previdência Social; Título de eleitor, com o comprovante de votação na última eleição ou certidão de quitação eleitoral fornecida pelo cartório eleitoral; Certificado de reservista ou de Dispensa de Incorporação, para os candidatos do sexo masculino; Última Declaração de Imposto de Renda apresentada à Secretaria da Receita Federal, com as devidas atualizações e/ou complementações ou, no caso de o nomeado não ser declarante, declaração firmada por ele próprio, nos Termos da Lei nº /92, caso tenha feito tal declaração; Duas fotografias 3x4 recente (colorida com fundo branco);?declaração de não acumulação de cargo e emprego público assinado pelo Servidor; Certidão de nascimento de filhos com idade de até 14 (catorze) anos; Carteira do conselho da categoria Profissional se for o caso; Comprovante de curso técnico profissionalizante na área específica com registro no conselho de classe específico para os cargos exigido; Comprovante de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de acordo com a categoria exigida para o respectivo cargo; Comprovante de quitação com o conselho da categoria Profissional (se for o caso); Comprovante de endereço atualizado (agua, luz, telefone etc); Certificado de residência médica (quando for o caso); Comprovante de Escolaridade exigido para o exercício do cargo, conforme os requisitos especificados no Edital; Certidão de Ações e Execuções Cíveis e Fiscais; Certidão de Antecedentes Criminais; Certidão Negativa de Débitos Trabalhista; Certidão Negativa dos Tributos Federais; Certidão Negativa dos Tributos Estaduais; Certidão Negativa dos Tributos Municipais; Dados Bancários (Conta corrente no Banco do Brasil); Declaração de bens. 8- EXAMES GERAIS PARA TODOS OS CARGOS/FUNÇOES RADIOGRAFIA DO TORAX EM PA E PERFIL (Laudo e assinatura do profissional Responsável); ELETROCARDIOGRAMA (Laudo e assinatura do profissional Responsável) ; HEMOGRAMA COMPLETO; TIPAGEM SANGUINEA; URANÁLISE; GLICEMIA jejum; UREIA; CREATININA; VDRL; ATESTADO DE SANIDADE MENTAL ASSINADO POR UM MÉDICO COM CRM. Joagra Raianny Damasceno Galvão Secretária Municipal de Administração Lagoa Nova/RN, 23 de Março de ANEXO I NÍVEL FUNDAMENTAL OPÇÃO AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO CARLOS ANTONIO FERNANDES ANDERSON DIEGO DE MENESES JABISAEL ALBINO RIBEIRO DA SILVA SEBASTIANA JARLENE GOMES DE SOUZA DEANGELIS BOB FERNANDES DA COSTA MAGNO SERGIO SILVA DOS SANTOS ANA CAMILA DA SILVA SOARES ROBSON AZEVEDO DE LIMA GILDENIO CANDIDO DE MACEDO DIOGENES FAGNER DE LIMA FRANCISCO CELSO DE OLIVEIRA SILVA MARIA APARECIDA DA SILVA MARIA ELIZABETE DA SILVA GALVAO EDMILSON DA COSTA FRANCA KATHYWSY LOHANNA DA COSTA COUTINHO MOISES DE ARAUJO IPUA MARINALVO VICENTE DA SILVA LIMA ELIEL MACEDO BEZERRA SILVA DIOGO FELIPE BASILIO DE MORAIS LUCIANO DE ASSIS SILVA DE ALBUQUERQUE GILSON DE FRANCA ALVES MARCOS LEANDRO DANTAS JULIANA REGINA DOS SANTOS LUANA JAQUILEIDE DOS SANTOS ALVES JANIELSON HONORATO MARSAL DA SILVA MARIA DA GUIA NOBERTO ALVES 01 PNE

53 VICKTOR HENRIQUE ROCHA DE CARVALHO 02 - PNE NÍVEL MÉDIO OPÇÃO AUXILIAR ADMINISTRATIVO INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO MARTHA JUSSARA SEVERIANO DA SILVA FRANCISCO EDILSON LOPES DE OLIVEIRA FRANCISCO DAS CHAGAS SILVESTRE JUNIOR JAEDSON BRUNO DE OLIVEIRA ARAUJO GILMAR JACINTO DA SILVA ADRIANA MARIA DOS SANTOS 06 NÍVEL MÉDIO OPÇÃO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO DAIANNA DE MEDEIROS DANTAS TIAGO DIOJENE FERREIRA WELLISON PEREIRA DE ARAUJO 03 NÍVEL MÉDIO OPÇÃO AGENTE DE ENDEMIAS INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO JADSON BORGES DE OLIVEIRA 01 NÍVEL MÉDIO OPÇÃO AGENTE ADMINISTRATIVO INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO MATEUS LEANDRO DANTAS RODRIGUES PEDRO GABRIEL DE MACEDO MOURA JAYZON INACIO DO NASCIMENTO 03 NÍVEL MÉDIO OPÇÃO ORIENTADOR SOCIAL INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO JOSINEIDE MARIA DE SOUZA 01 NÍVEL MÉDIO OPÇÃO FISCAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO JAMYLE GRAZYELLA DA SILVA ARAUJO 01 NÍVEL MÉDIO OPÇÃO AUXILIAR DE CONSULTÓRIO DENTARIO INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO FRANCISCO DAS CHAGAS NUNES DOS REIS RANIELY CARLA AZEVEDO LAIZ FERREIRA TARGINO 03 NÍVEL MÉDIO OPÇÃO TÉCNICO DE ENFERMAGEM INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO RAIANNE XAVIER BATISTA DA SILVA JOSE ISRAEL EMANUEL DE MDEIROS DONATA DULCE SILVA HERIKA MURIELLY PEREIRA DE ARAUJO 04 NÍVEL MÉDIO OPÇÃO MOTORISTA INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO JAILSON DOS SANTOS DAMASCENO LUIZ CARLOS DANTAS DE PONTES GEDEAN GOMES DA SILVA JOSE CARLOS DA SILVA BARROS FRANCIELIO FERNANDES DA SILVA OLIVEIRA 05 NÍVEL SUPERIOR OPÇÃO ENFERMEIRO INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO THEONIA RAQUEL DOS SANTOS FERNANDA KAMILA SOUZA DE OLIVEIRA 02

54 SANDRA ALVES DO NASCIMENTO RANIELLY BATISTA DOS SANTOS CARLOS WILKER DANTAS PEREIRA 05 NÍVEL SUPERIOR OPÇÃO ADVOGADO INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO JOSE MIGUEL DOS SANTOS JUNIOR 01 NÍVEL SUPERIOR OPÇÃO ASSISTENTE SOCIAL INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO JANETE ANSELMO GUIMARAES LAIANA DE QUEIROZ PEREIRA ANDREZZA SORAYA MOURA FONSECA JOSEFA ENEIDE SABINO DE BRITO 04 NÍVEL SUPERIOR OPÇÃO NUTRICIONISTA INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO AMANDA ALICE FERREIRA BEZERRA DIAS 01 NÍVEL SUPERIOR OPÇÃO FARMACÊUTICO INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO DECIO MEDEIROS VALE NETO 01 NÍVEL SUPERIOR OPÇÃO FISIOTERAPEUTA INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO ANDRE AUGUSTO DE OLIVEIRA SEVERIANO 01 NÍVEL SUPERIOR OPÇÃO FONOAUDIÓLOGO INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO KATARINA TAVARES DE SOUZA 01 NÍVEL SUPERIOR OPÇÃO CIRURGIÃO DENTISTA INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO ANNIE KAROLINE BEZERRA DE MEDEIROS PAULYANA PRYSCILLA DE MELO FREIRE ANA PAULA DE ARAUJO ALBUQUERQUE MAURILIA RAQUEL DE SOUTO MEDEIROS RONILSON BATISTA DE SOUZA 05 NÍVEL SUPERIOR OPÇÃO PROFESSOR DE CIÊNCIAS INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO JOSE JEFFERSON DE OLIVEIRA CONFESSOR 01 OPÇÃO PROFESSOR DE GEOGRAFIA INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO JOSEFA CUNHA DE MEDEIROS 01 OPÇÃO PROFESSOR DE HISTÓRIA INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO ISAAC ANTUNES BRAGA DE CARVALHO 01 OPÇÃO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVA 01 OPÇÃO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO JAECIA LARISSE SANTOS FERREIRA DE LIMA 01 OPÇÃO PROFESSOR NÍVEL I

55 55 INSCRIÇÃO NOME CLASSIFICAÇÃO FRANCISCO DAS CHAGAS DE SENA LUCICLELIA TOMAZ DE AQUINO FRANCISCO JUCIER SOARES DA SILVA ROBERTO MACEDO FERREIRA PEDRO ANTONIONY ARAUJO DA SILVA LEILLA DAYANNE DOS SANTOS MACEDO MARIA ROSANGELA GUIMARAES DOS SANTOS ASSIS JEANE GALVAO LOPES SILVA 08 Joagra Raianny Damasceno Galvão Secretária Municipal de Administração Lagoa Nova/RN, 23 de Março de JOAGRA RAIANNY DAMASCENO GALVãO Código Identificador: 4FFA3295 PREFEITURA MUNICIPAL DE MESSIAS TARGINO GERENCIA EXECUTIVA DE LICITAÇÕES E COMPRAS EXTRATO DE HOMOLOGAÇÃO LEILÃO Nº. 0001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 011/2015 O Prefeito Constitucional Do Município De MESSIAS TARGINO RN, No Uso De Suas Atribuições Legais Que Lhe São Conferidas Pela Legislação Pertinente. RESOLVE: HOMOLOGAR o resultado das propostas apresentadas na licitação, sob a modalidade de LEILÃO Nº 0001/2015, para: ALIENAÇÃO DE BÉNS MOVEIS. Com base no relatório apresentado pela COMISSÃO DE LEILÃO, o qual aponta como proponente (s) vencedor: -MARCOS ANTONIO ARAUJO, conforme descrito abaixo; Em Nome do Produto/Obras ou Serviço Preço Base Unidade Quantidade Valor Total Resultado 1. VEICULO DE PLACA: NNO 6649, CLASSI: 9BD17350A , ESPECIE/TIPO: PASSAGEIRO/AUTOMOVEL/NÃO APLICAVEL, COMBUSTIVEL: ALCOOL-GASOLINA, MARCA/MODELO: FIAT/PALIO WEEK TREKKINH, ANO FAB: 2009 ANO MODELO: MARCOS ANTONIO ARAUJO UND VENCEDOR 1. VEICULO DE PLACA: NYZ7756, CLASSI: 936ZBPMFA , ESPECIE/TIPO:PASSAGEIRO/CAMINHÃO/FURGÃO, COMBUSTIVEL: DIESEL, MARCA/MODELO: PEUGEOT/BOXER F330C HDT, ANO FAB: 2007, ANO MODELO:2008, CATEGORI MARCOS ATONIO ARAUJO UND VENCEDOR Onde o mesmo foi vencedor do certame em epigrafe, com o valor de R$ (Dezesseis Mil Reais). Publica-Se E Cumpra-Se; MESSIAS TARGINO 18 De MARÇO De 2014 ARTHUR DE OLIVEIRA TARGINO Prefeito Constitucional JOÃO ANTÔNIO DE LIMA JÚNIOR Código Identificador: 3E94CECF Legislação aplicável: GERENCIA EXECUTIVA DE LICITAÇÕES E COMPRAS EXTRATO DE ADJUDICAÇÃO LEILÃO Nº. 0001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 011/2015. Art. 38, VII, combinado com o art.. 43, VI, ambos da Lei nº 8.666/93, de , atualizada pela Lei nº 8.883/94, de e 9.648/98 de , publicada no D.O.U. em : Após Cumpridas as exigências e condições estipuladas pelo ato convocatório e vencidos os prazos Para Recursos administrativos, como preceitua disposições constantes da Lei nº , de de Licitação Complementar, de conformidade com julgamento emitido pela comissão permanente de licitação e com base no parecer da acessória jurídica desta prefeitura adjudico o objeto do presente pleito, o qual vem discriminado abaixo, a pessoa física: -MARCOS ANTONIO ARAUJO vencendo nos seguintes itens: Em Nome do Produto/Obras ou Serviço Preço Base Unidade Quantidade Valor Total Resultado 1. VEICULO DE PLACA: NNO 6649, CLASSI: 9BD17350A , ESPECIE/TIPO: PASSAGEIRO/AUTOMOVEL/NÃO APLICAVEL, COMBUSTIVEL: ALCOOL-GASOLINA, MARCA/MODELO: FIAT/PALIO WEEK TREKKINH, ANO FAB: 2009 ANO MODELO: MARCOS ANTONIO ARAUJO UND VENCEDOR 1. VEICULO DE PLACA: NYZ7756, CLASSI: 936ZBPMFA , ESPECIE/TIPO:PASSAGEIRO/CAMINHÃO/FURGÃO, COMBUSTIVEL: DIESEL, MARCA/MODELO: PEUGEOT/BOXER F330C HDT, ANO FAB: 2007, ANO MODELO:2008, CATEGORI MARCOS ATONIO ARAUJO UND VENCEDOR Onde o mesmo foi vencedor do certame em epigrafe, com o valor de R$ (Dezesseis Mil Reais). MESSIAS TARGINO 18 de março de 2015 Publica-Se E Cumpra-Se ARTHUR DE OLIVEIRA TARGINO Prefeito Constitucional JOÃO ANTÔNIO DE LIMA JÚNIOR Código Identificador: 6E PREFEITURA MUNICIPAL DE PARAZINHO

56 56 ANEXO 22 Relatório Resumido da Execução Orçamentária RREO 1. BIMESTRE DE 2015 PODER: Prefeitura Municipal de Parazinho Bimestre 1. bimestre/2015 LRF, Art. 48 ANEXO XXII - RREO BALANÇO ORÇAMENTÁRIO DA RECEITA No Bimestre Até o Bimestre Previsão Inicial da Receita Previsão Atualizada da receita Receitas Realizadas , ,40 Saldo de Exercício Anterior Déficit Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO DA DESPESA No Bimestre Até o Bimestre Dotação Inicial Dotação Atualizada Despesas Empenhadas , ,02 Despesas Liquidadas , ,59 Superávit Orçamentário ,81 DESPESAS POR FUNÇÃO / SUBFUNÇÃO No Bimestre Até o Bimestre Despesa Empenhada , ,02 Despesa Liquidada , ,59 RECEITA CORRENTE LÍQUIDA Até o Bimestre Receita Corrente Líquida ,29 RECEITA/DESPESAS DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA No Bimestre Até o Bimestre Regime Geral de Previdência Social Receita Previdenciária (I) Despesas Previdenciárias (II) Resultado Previdenciário (I-II) RESULTADO NOMINAL E PRIMÁRIO No Bimestre Até o Bimestre Resultado Nominal Resultado Primário ,94 DESPESA COM MANUTENÇÃO E DESENV DO ENSINO Até o Bimestre % Aplicado até bimestre Minimo Anual dos Impostos na Manutenção do Ensino-MDE ,45 28,35% Minimo Anual de 60% das Despesas com MDE no Ensino Fundamental ,27 60,40% Minimo Anual de 60% do FUNDEF na Remuner dos Prof do Ens Fund DESPESA COM AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE Até o Bimestre % Aplicado até bimestre Despesas Próprias com ações e Serviços de Saúde ,44 31,3 RECEITA DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO E DESPESA DE CAPITAL Até o Bimestre Receita de Operações de Créditos Despesa de Capital Líquida ,98 Parazinho, 28 de fevereiro de MARCOS ANTONIO DE OLIVEIRA PREFEITO MUNICIPAL WAGNER GODZICKI CPF FRANCISCO CANINDE DE ANDRADE CONTADOR CRC-RN /0-2 RUTEMBERG DE MELO GONZAGA Código Identificador: 5F795D97 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARELHAS FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL-FMAS PORTARIA Nº 043/2015, DE 16 DE MARÇO DE O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PARELHAS, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO as disposições contidas na Portaria n 055/2015, de 27 de fevereiro de 2015; RESOLVE: FAZER CONCESSÃO de 01 (uma) diária sem pernoite a (o): SERVIDOR (A): Alexandre Carlo de Medeiros Dantas CARGO: Secretário Municipal de Assistência Social e da Habitação. MATRÍCULA: DOCUMENTOS CPF: RG: LOTADO (A): Secretaria da Assistência Social e da Habitação HORARIO DE SAÍDA: 06h TIPO DE TRANSPORTE: Veículo próprio. OBJETIVO DA VIAGEM Participar reunião ordinária da CIB/RN Conforme solicitação da Secretaria: ASSISTÊNCIA SOCIAL E DA HABITAÇÃO QUANT. DESTINO DATA V. UNIT. R$ V. TOTAL 01 NATAL/RN 16/03/2015 R$ 15 R$ 15 Importa a quantia de R$ 15 (Cento e cinquenta reais) PUBLIQUE-SE E CUMPRE-SE Francisco Assis de Medeiros Prefeito Municipal

57 57 MARIA VITORIA DE ARAUJO Código Identificador: 41B0C9DC FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL-FMAS PORTARIA Nº 044/2015, DE 19 DE MARÇO DE O SECRETÁRIO MUNICIPAL DA ASSISTÊNCIA SOCIAL E DA HABITAÇÃO, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO as disposições contidas na Portaria n 055/2015, de 22 de fevereiro de 2015; RESOLVE: FAZER CONCESSÃO de 01 (uma) diária sem pernoite ao (a): SERVIDOR (A): Jordania Najara Domingos Félix CARGO: Auxiliar de Serviços Gerais MATRÍCULA: DOCUMENTOS CPF: RG: LOTADO (A): Secretaria da Assistência Social e da Habitação HORARIO DE SAÍDA: 11h TIPO DE TRANSPORTE: Veiculo da Secretaria de Assistência Social OBJETIVO: Conduzir a Subcoordenadora do Programa Bolsa Família, Francicleide Maria de Souza, e o digitador do Cadastro Único, Jean Carlos da Silva, para participarem de capacitação sobre o Sistema de Gestão de Benefícios SIBEC e Sistema Cadastro único Versão 7 QUANT. DESTINO DATA V. UNIT. R$ V. TOTAL 01 NATAL/RN 20/03/2015 R$ 75,00 R$ 75,00 Importa a quantia de R$ 75,00 (setenta e cinco reais) PUBLIQUE-SE E CUMPRE-SE ALEXANDRE CARLO DE MEDEIROS DANTAS Secretário Municipal de Assistência Social e da habitação MARIA VITORIA DE ARAUJO Código Identificador: D0 FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL-FMAS PORTARIA Nº 045/2015, DE 19 DE MARÇO DE O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PARELHAS, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO as disposições contidas na Portaria n 055/2015, de 27 de fevereiro de 2015; RESOLVE: FAZER CONCESSÃO de 01 (uma) diária sem pernoite a (o): SERVIDOR (A): Alexandre Carlo de Medeiros Dantas CARGO: Secretário Municipal de Assistência Social e da Habitação. MATRÍCULA: DOCUMENTOS CPF: RG: LOTADO (A): Secretaria da Assistência Social e da Habitação HORARIO DE SAÍDA: 06h TIPO DE TRANSPORTE: Veículo da Secretaria de Assistência Social. OBJETIVO DA VIAGEM Participar da capacitação de Elaboração do Plano Municipal de Atendimento Socioeducativo, realizada pela CAOP Infância, Juventude e Família e a Secretaria Estadual do Trabalho, Habitação e Assistência Social. Conforme solicitação da Secretaria: ASSISTÊNCIA SOCIAL E DA HABITAÇÃO QUANT. DESTINO DATA V. UNIT. R$ V. TOTAL 01 NATAL/RN 20/03/2015 R$ 15 R$ 15 Importa a quantia de R$ 15 (Cento e cinquenta reais) PUBLIQUE-SE E CUMPRE-SE Francisco Assis de Medeiros Prefeito Municipal MARIA VITORIA DE ARAUJO Código Identificador: 6C97278D FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL-FMAS PORTARIA Nº 046/2014, DE 19 DE MARÇO DE O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DA HABITAÇÃO, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO as disposições contidas na Portaria n 055/2015, de 27 de fevereiro de 2015; RESOLVE: FAZER CONCESSÃO de 01 (uma) diária sem pernoite a (o): SERVIDOR (A): Maria das Graças Diniz Lima CARGO: Coordenadora do CREAS MATRÍCULA: DOCUMENTOS CPF: RG: LOTADO(A): Secretaria da Assistência Social e da Habitação HORARIO DE SAÍDA: 06 h TIPO DE TRANSPORTE: Veículo da Secretaria de Assistência Social. OBJETIVO DA VIAGEM Participar da capacitação de Elaboração do Plano Municipal de Atendimento Socioeducativo, realizada pela CAOP Infância, Juventude e Família e a Secretaria Estadual do Trabalho, Habitação e Assistência Social. Conforme solicitação da Secretaria: ASSISTÊNCIA SOCIAL E DA HABITAÇÃO

58 58 QUANT. DESTINO DATA V. UNIT. R$ V. TOTAL 01 NATAL/RN 20/03/2015 R$ 125,00 R$ 125,00 Importa a quantia de R$ 125,00 (cento e vinte e cinco reais) PUBLIQUE-SE E CUMPRE-SE Alexandre Carlo de Medeiros Dantas Secretário Municipal de Assistência Social e da Habitação MARIA VITORIA DE ARAUJO Código Identificador: 42F8247D FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL-FMAS PORTARIA Nº 047/2015, DE 23 DE MARÇO DE O SECRETÁRIO MUNICIPAL DA ASSISTÊNCIA SOCIAL E DA HABITAÇÃO, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO as disposições contidas na Portaria n 055/2015, de 27 de fevereiro de 2015; RESOLVE: FAZER CONCESSÃO de 01 (uma) diária sem pernoite a (o): SERVIDOR (A): Jordania Najara Domingos Félix CARGO: Auxiliar de Serviços Gerais MATRÍCULA: DOCUMENTOS CPF: RG: LOTADO (A): Secretaria da Assistência Social e da Habitação HORARIO DE SAÍDA:12h TIPO DE TRANSPORTE: Veiculo da Secretaria de Assistência Social OBJETIVO DA VIAGEM Realizar revisão no veículo de placa OWA 9105 Fiat Strada, pertencente a Secretaria de Assistência Social e da Habitação, junto a concessionária Autobráz. Conforme solicitação da Secretaria: ASSISTÊNCIA SOCIAL E DA HABITAÇÃO QUANT. DESTINO DATA V. UNIT. R$ V. TOTAL 01 CAICÓ/RN 23/03/2015 R$ 35,00 R$ 35,00 Importa a quantia de R$ 35,00 (trinta e cinco reais) PUBLIQUE-SE E CUMPRE-SE ALEXANDRE CARLO DE MEDEIROS DANTAS Secretário Municipal de Assistência Social e da habitação MARIA VITORIA DE ARAUJO Código Identificador: 4146E46C PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRA GRANDE ÓRGÃO GERENCIADOR: Prefeitura Municipal de Pedra Grande/RN. PREFEITURA MUNICIPAL DE EDA GRANDE PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2015-SRP EXTRATO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS FORNECEDOR: Empresa POSTO CENTRAL COMBUSTÍVEIS PARAZINHO LTDA EPP, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº / ÓRGÃO(S) PARTICIPANTE(S): Fundo Municipal de Saúde de Pedra Grande/RN, inscrito no CNPJ (MF) sob o nº / ; e Fundo Municipal de Assistência Social de Pedra Grande/RN, inscrito no CNPJ (MF) sob o nº / OBJETO: Registro de Preços para aquisição futura e parcelada de combustível diesel S10 destinado a veículos da frota municipal, em conformidade com as especificações contidas na Licitação PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2015-SRP. ITEM(NS), QUANTIDADE(S) E PREÇO(S) REGISTRADO(S): Item Descrição dos Produtos Unid. Quant. 1 ÓLEO S10 Especificações: Combustível comum, norma CNPQ, aspecto límpido e isento de impurezas Preço Unitário (R$) Total (R$) Litro , ,00 TOTAL GLOBAL: R$ ,00(Cento e trinta e cinco mil centos e trinta e cinco reais). FONTE DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS: A despesa será consignada à dotação orçamentária prevista no OGM Orçamento Geral do Município, conforme o caso. FONTE DE RECURSOS FINANCEIROS: A despesa será consignada ao(s) recursos(s) orçamentário(s) previsto(s) no OGM Orçamento Geral do Município, conforme o caso. DATA: 23 de fevereiro de ASSINATURA: JOELSON DANTAS PEREIRA/Prefeito Municipal Interino. FRANCISCO ALTINO DE PAIVA NETO Código Identificador: 723BE4FE PREFEITURA MUNICIPAL DE RIACHUELO GABINETE DA PREFEITA PORTARIA Nº 006/ AVISO DE CONVOCAÇÃO N 01 A PREFEITA CONSTITUCIONAL DE RIACHUELO, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições e prerrogativas que lhe confere a Lei Orgânica do Município, por meio da Secretaria de Administração e Recursos Humanos, RESOLVE: CONVOCAR os CANDIDATOS APROVADOS em Concurso Público, abaixo relacionados, após observância rigorosa da ordem de classificação, a comparecerem na Sede do Poder Executivo Municipal, Palácio Amélio Azevedo, situado na Avenida Pte. Getúlio Vargas, nº 346, no horário das 07:00 as 13:00 horas, no prazo máximo de 05 dias úteis para DECLARAR DE FORMA ESCRITA, se aceita ou

59 não tomar posse no cargo que concorreu. 59 INSCRIÇÃO NOME CARGO CLASSIFICAÇÃO NOTA FINAL Adelina da Silva 101-Ag. Comunitário de saúde Cachoeira do Sapo Karizia Kihara de Souza Pereira 102-Ag. Comunitário de saúde - Centro Luiz Felipe Silva de Moura 103-Ag. Comunitário de saúde Bairro Nossa Sra. Da Conceição Maria Das Graças Da Silva 103-Ag. Comunitário de saúde Bairro Nossa Sra. Da Conceição Maria de Lourdes Inácio 104 Auxiliar de Serviços Gerais Maria José Ferreira 104 Auxiliar de Serviços Gerais Brenda Marayza do Nascimento Souza 104 Auxiliar de Serviços Gerais Luana Florêncio da Silva 104 Auxiliar de Serviços Gerais Joseane Soares Pereira 104 Auxiliar de Serviços Gerais Maria das Dores da Silva 104 Auxiliar de Serviços Gerais Betenimra Teixeira da Silva 104 Auxiliar de Serviços Gerais Rivanalda Soares Paiva 105- Merendeira Nízia Maria do Nascimento Silva 105- Merendeira Maria Ione Pereira dos Santos 105- Merendeira Adria Ramony Amaro da Costa 105- Merendeira Nayara Maria Ferreira de Souza 105- Merendeira Jorge Luiz dos Santos Araújo 106- Motorista Jeová de Paulo Rosendo 106- Motorista Daylson Francisco da Silva 106- Motorista Manoel de Freitas Bezerra Neto 106- Motorista Wéscley Alves Catão 106- Motorista Jakson Andrade de Medeiros 107-Operador de Máquinas (Retroescavadeira e Motoniveladora Jefferson Rodrigo Pereira Inácio 109- Vigia Francisco Clementino da Silva 109- Vigia Gelúcio de Melo 109- Vigia Marcos Daniel de Araújo 202- Ag. de Endemias Israel Feitosa 202- Ag. de Endemias Severino Tiago Medeiros do Vale 202- Ag. de Endemias Bruno Renie da Silva Lima 202- Ag. de Endemias José Eliésio Alves de Souza 204- Eletricista Tabita Torres Freire 205- Técnico de Enfermagem Alexandra Garcia da Silva 205- Técnico de Enfermagem Glaucy Grazielle Amaro Pereira 205- Técnico de Enfermagem Larissa Tatiane Rodrigues de Melo 205- Técnico de Enfermagem Josivan Felix Da Silva 205- Técnico de Enfermagem Francisco Garrido do Nascimento 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Rivaldo Bevenuto de Oliveira Neto 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Marilene Ambrosio da Silva 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Juliana Cristiane Câmara 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Bruna Kelly da Costa 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Cleoneide Aciole da Silva 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Lúcia de Fátima da Silva Souza Araújo 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Ednalva Targino de Souza Melo 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Michely Barbosa Lira da Silva 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Patrícia Silva de Araújo 307- Professor Pedagogo Fundamental 1º ao 5º ano Riachuelo, RN 24 de Março de Mara Lourdes Cavalcanti Prefeita ANDERSON DE VASCONCELOS LIMA Código Identificador: 46FB1FE5 PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DE MIPIBU Dispõe sobre o reajuste salarial do piso dos profissionais do magistério público da educação básica. DECRETO EXECUTIVO nº 004/2015-GP/PMSJM, DE 20 DE MARÇO DE O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DE MIPIBU/RN, Estado do Rio Grande do Norte, no uso das atribuições que lhe confere a Lei Orgânica do Município, CONSIDERANDO que o artigo 5º da Lei Federal n.º /2008 prevê o reajuste do piso salarial profissional do magistério público, anualmente; CONSIDERANDO que o índice do reajuste aplicado pelo Governo Federal em 2015 foi da ordem de 13,01% (Treze vírgula zero um por cento) CONSIDERANDO que o município esta envidando esforços para a implantação de reajuste a todos os professores em todos os níveis e classes. D E C R E T A: Art. 1º. Fica reajustado o piso salarial do magistério público da educação básica, em 13,01% (Treze vírgula zero um por cento), passando o PNI-A a ter salário base de R$ R$ 1.290,54 (Um mil duzentos e noventa reais e cinqüenta e quatro centavos) no exercício financeiro do corrente ano, conforme tabela do Anexo I, deste Decreto; Art. 2º. O presente Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º. Revogam-se as disposições em contrário. São José de Mipibu/RN, 20 de março de ARLINDO DUARTE DANTAS Prefeito Municipal ANEXO I DO DECRETO 004/2015 CLASSE NÍVEL I ANOS % A R$ 1.290,54 0 a 4 3 B R$ 1.329,26 5 a 7 3

60 60 C R$ 1.369,14 8 a 10 3 D R$ 1.410,22 11 a 13 3 E R$ 1.452,52 14 a 16 3 F R$ 1.496,09 17 a 19 3 G R$ 1.540,98 20 a 22 3 H R$ 1.587,20 23 a 25 3 I R$ 1.634,83 26 a 28 3 J R$ 1.683,87 29 a 31 3 K R$ 1.734,39 Acima de 31 3 São José de Mipibu/RN, 20 de março de ARLINDO DUARTE DANTAS Prefeito Municipal ODETE FERREIRA DE SOUZA Código Identificador: 3FB54DD1 SECRETARIA GERAL DO MUNICÍPIO PORTARIA Nº 001/2015- GS/SEMUT O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO E O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTE E TRÂNSITO no uso de suas atribuições legais, e em cumprimento ao disposto na Cláusula Terceira do Termo de Ajuste de Conduta firmado entre o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte, através da Promotoria de Justiça da Comarca de São José de Mipibu, e o Município de São José de Mipibu, no IC nº ; RESOLVE: Art. 1º - Determinar o cancelamento da permissão do serviço de táxi com a baixa imediata da inscrição no Cadastro Mobiliário dos seguintes servidores públicos municipais, com fulcro no art.9º, III da Lei 8.666/93: NOME CPF ANTÔNIO RODRIGUES ALVES JUNIOR CARLOS MORAIS GOSMES DA SILVA ELINETE RIBEIRO PINHEIRO DA SILVA JAQUELINE EUGÊNIO RONDINELLE FIQUEREDO RANGEL JOAQUIM TOMÉ RIBEIRO ELIZABETE ALVES BEZERRA MICARLA MELO DE MORAIS SUELY FELIPE DE SOUZA SILVA MANOEL CRISTIANO GOMES ANTÔNIO EDUARDO LEÃO DE MACÊCO MARIA APARECIDA TARGINO DA SILVA MILENA MELO DE MORAIS MARIA LEANDRA PEREIRA FERNANDES LEONARDO NASCIMENTO SANTANA JOÃO LUIZ SANTOS FILHO GILBERTO LOURENÇO DA SILVA Art. 2º - Esta Portaria entra em vigor da data de sua publicação. Art. 3º - Revogam-se as disposições em contrário. São José de Mipibu, 16 de março de Mirabeau Batista de Morais Júnior Secretario Municipal de Finanças e Tributação Evandro Calafange de Carvalho Secretário Municipal de Transporte e Trânsito ODETE FERREIRA DE SOUZA Código Identificador: 406EDECB PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ EDITAL DE CONVOCAÇÃO. PROCESSO SELETIVO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ-RN EDITAL Nº 011/2015, DE 23 DE MARÇO DE O Prefeito Municipal de São José do Seridó, Estado do Rio Grande do Norte, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista a publicação do Edital nº 001/2015 que visa a contratação de pessoal com fundamento no artigo 37, IX, da Constituição Federal, convoca os candidatos aprovados no Processo Seletivo Simplificado, Anexo I, para comparecer à Secretaria Municipal de Administração e Gestão de Pessoas SEAGEP, localizada na Rua Vicente Pereira, 87, Centro, impreterivelmente no período de 24 de março a 06 de abril de 2015, das 8:00 às 13:00 horas, para apresentarem os originais e as cópias dos documentos exigidos, no Anexo II, para o ingresso no cargo indicado no Anexo I. De acordo com a Lei Municipal Nº 294/2009, de 06 de julho de Os candidatos que, por qualquer motivo, não apresentar no prazo determinado a documentação constante no Anexo II, será desclassificado em definitivo e perderá o direito a ser contratado ao cargo. Palácio José do Carmo Dantas, São José do Seridó-RN, 23 de março de JACKSON DANTAS Prefeito Municipal ANEXO I LISTA DE CONVOCADOS Secretaria Municipal de Educação e Cultura SEMEC Cargo Auxiliar de Serviços Gerais Ordem NOME MATRÍCULA CLASSIFICAÇÃO 1 Paulo Eloi de Medeiros 185 4º Cargo Agente de Biblioteca

61 61 1 Maerli Maria Da Silva Dantas 172 1º ANEXO II DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA. a) comprovação dos pré-requisitos/escolaridade constantes do Edital nº 001/2015; b) certidão de nascimento ou casamento (conforme o respectivo estado civil); c) certidão de nascimento dos filhos menores de 14 anos; d) comprovante de residência com bairro e CEP; e) título de eleitor com o comprovante de votação da última eleição; f) certificado de reservista, para os candidatos do sexo masculino; g) cédula de identidade; h) carteira de trabalho CTPS; i) cadastro de pessoa física CPF; j) documento de inscrição de PIS ou PASEP, se houver; l) uma foto 3x4 recente com fundo branco; m) declaração de que não exerce cargo ou função pública não acumulável na administração pública federal, estadual ou municipal, conforme vedação constante das normas do artigo 37, incisos XVI e XVII, e 10 da Constituição Federal. São José do Seridó-RN, 23 de março de JACKSON DANTAS Prefeito Municipal MARIA JOSICLEA SANTOS DA COSTA Código Identificador: F2 Dispõe sobre a concessão de diárias e dá outras providências. PORTARIA CONJUNTA Nº 057/2015, 20 DE MARÇO DE A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS e O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ, nos termos do Decreto nº 73/2013, de 13de agosto de 2013, RESOLVEM: Art. 1º Conceder a(s) diária(s) abaixo discriminada(s), destinada(s) à cobertura de despesas de alimentação e hospedagem do agente político/servidor, durante o deslocamento, a serviço desta entidade, a saber: Agente Político/Servidor: JACKSON DANTAS Cargo/Função: Prefeito QUANT DESTINO DATA VALOR UNITÁRIO (R$) VALOR TOTAL (R$) 01 de 100 % Natal/RN 20 DE MARÇO DE ( ) 100% ( x ) 50% ( ) 35% TOTAL 25 Descrição do Objetivo/ Serviços do deslocamento Viagem a Natal/RN, no dia 20 de março de 2015 com o objetivo de resolver assuntos de interesse do Município de São José do Seridó na cidade de Natal/RN, conforme anexos. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Palácio José do Carmo Dantas, em São José do Seridó, 20 de março de MARIA JOSICLÉA SANTOS DA COSTA Secretária Municipal de Administração e Gestão de Pessoas JACKSON DANTAS Prefeito Municipal MARIA FRANCINETE DE MEDEIROS Código Identificador: 41E0B8C7 Dispõe sobre a concessão de diárias e dá outras providências. PORTARIA CONJUNTA Nº 058/2015, 23 DE MARÇO DE A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS e O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ, nos termos do Decreto nº 73/2013, de 13 de agosto de 2013, RESOLVEM: Art. 1º Conceder a(s) diária(s) abaixo discriminada(s), destinada(s) à cobertura de despesas de alimentação e hospedagem do agente político/servidor, durante o deslocamento, a serviço desta entidade, a saber: Agente Político/Servidor: FRANCISCO ASSIS DOS SANTOS JUNIOR Cargo/Função: Secretário Municipal do Trabalho, Habitação e Assistência Social QUANT DESTINO DATA VALOR UNITÁRIO (R$) VALOR TOTAL (R$) 01 de 100 % Natal/RN 23 DE MARÇO DE ( ) 100% ( x ) 50% ( ) 35% TOTAL 15 Descrição do Objetivo/ Serviços do deslocamento Viagem a Natal/RN, no dia 25 de março de 2015, com o objetivo de resolver assuntos de interesse da Secretaria Municipal do Trabalho, Habitação e Assistência Social na cidade de Natal/RN, conforme anexos. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Palácio José do Carmo Dantas, em São José do Seridó, 23 de março de MARIA JOSICLÉA SANTOS DA COSTA Secretária Municipal de Administração e Gestão de Pessoas

62 62 JACKSON DANTAS Prefeito Municipal MARIA FRANCINETE DE MEDEIROS Código Identificador: 70DD0235 PORTARIA CONJUNTA Nº 059/2015, 23 DE MARÇO DE Dispõe sobre a concessão de diárias e dá outras providências. A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS e O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ, nos termos do Decreto nº 73/2013, de 13de agosto de 2013, RESOLVEM: Art. 1º Conceder a(s) diária(s) abaixo discriminada(s), destinada(s) à cobertura de despesas de alimentação e hospedagem do agente político/servidor, durante o deslocamento, a serviço desta entidade, a saber: Agente Político/Servidor: JACKSON DANTAS Cargo/Função: Prefeito QUANT DESTINO DATA VALOR UNITÁRIO (R$) VALOR TOTAL (R$) 01 de 100 % Natal/RN 23 DE MARÇO DE ( x ) 100% ( x ) 50% ( ) 35% TOTAL 2.80 Descrição do Objetivo/ Serviços do deslocamento Viagem a Brasília/DF, nos dias 23,24,25 e 26 de março de 2015 com o objetivo de resolver assuntos de interesse do Município de São José do Seridó na cidade de Brasília/DF, conforme anexos. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Palácio José do Carmo Dantas, em São José do Seridó, 23 de março de MARIA JOSICLÉA SANTOS DA COSTA Secretária Municipal de Administração e Gestão de Pessoas JACKSON DANTAS Prefeito Municipal MARIA FRANCINETE DE MEDEIROS Código Identificador: 46CE89CF Dispõe sobre a concessão de diárias e dá outras providências. PORTARIA CONJUNTA Nº 060/2015, 23 DE MARÇO DE A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS e O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ, nos termos do Decreto nº 73/2013, de 13 de agosto de 2013, RESOLVEM: Art. 1º Conceder a(s) diária(s) abaixo discriminada(s), destinada(s) à cobertura de despesas de alimentação e hospedagem do agente político/servidor, durante o deslocamento, a serviço desta entidade, a saber: Agente Político/Servidor: RUBINALDO ALFREDO DA COSTA Cargo/Função: Motorista QUANT DESTINO DATA VALOR UNITÁRIO (R$) VALOR TOTAL (R$) 01 de 100 % Natal/RN 23 DE MARÇO DE ,00 62,50 ( ) 100% ( x ) 50% ( ) 35% TOTAL 62,50 Descrição do Objetivo/ Serviços do deslocamento Viagem a Natal/RN, no dia 23 de março de 2015, com o objetivo de resolver assuntos de interesse da Secretaria Municipal de saúde na cidade Natal/RN, conforme anexos. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Palácio José do Carmo Dantas, em São José do Seridó, 23 de março de MARIA JOSICLÉA SANTOS DA COSTA Secretária Municipal de Administração e Gestão de Pessoas JACKSON DANTAS Prefeito Municipal MARIA FRANCINETE DE MEDEIROS Código Identificador: 493EAC79 Dispõe sobre a concessão de diárias e dá outras providências. PORTARIA CONJUNTA Nº 061/2015, 23 DE MARÇO DE A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS e O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO SERIDÓ, nos termos do Decreto nº 73/2013, de 13 de agosto de 2013, RESOLVEM: Art. 1º Conceder a(s) diária(s) abaixo discriminada(s), destinada(s) à cobertura de despesas de alimentação e hospedagem do agente político/servidor, durante o deslocamento, a serviço desta entidade, a saber: Agente Político/Servidor: FELIX FRANCISCO ALVES JUNIOR Cargo/Função: Coordenador QUANT DESTINO DATA VALOR UNITÁRIO (R$) VALOR TOTAL (R$) 01 de 100 % Natal/RN 23 DE MARÇO DE

63 63 ( ) 100% ( x ) 50% ( ) 35% TOTAL 10 Descrição do Objetivo/ Serviços do deslocamento Viagem a Natal/RN, no dia 23 de março de 2015, com o objetivo de resolver assuntos de interesse da Secretaria Municipal de Saúde na cidade de Natal/RN, conforme anexos. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Palácio José do Carmo Dantas, em São José do Seridó, 23 de março de MARIA JOSICLÉA SANTOS DA COSTA JACKSON DANTAS Secretária Municipal de Administração e Gestão de Pessoas Prefeito Municipal MARIA FRANCINETE DE MEDEIROS Código Identificador: 60D405CB PREFEITURA MUNICIPAL DE SENADOR ELÓI DE SOUZA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº. 002/2015 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº002/2015 Aos 06 (Seis) dias de Março do ano de dois mil e quinze, o MUNICÍPIO DE SENADOR ELOI DE SOUZA/RN, CNPJ nº / , neste ato representado pelo seu Prefeito Municipal, KERGINALDO MEDEIROS DE ARAÚJO, brasileiro, casado, CPF nº , residente na Rua Miguel Costa, nº 15 - CENTRO - SENADOR ELOI DE SOUZA/RN, doravante denominado ÓRGÃO GERENCIADOR, institui Ata de Registro de Preços (ARP), decorrente da licitação na modalidade de PREGÃO PRESENCIAL, sob o número 002/2015, cujo objetivo fora a formalização de Registro de preço, CONTRAÇÃO DE EMPRESA PARA OS SERVIÇOS DE ASSESSORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA JUNTO AOS CONVÊNIOS DESTE MUNICÍPIO, a qual constitui-se em documento vinculativo e obrigacional às partes, à luz da permissão inserta no art. 15, da Lei nº /93, regulamentado pelo Decreto nº /2013, segundo as cláusulas e condições seguintes: Art. 1º. A presente Ata de Registro de Preços estabelece as cláusulas e condições gerais para o Registro de Preços referente à Registro de preço, CONTRAÇÃO DE EMPRESA PARA OS SERVIÇOS DE ASSESSORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA JUNTO AOS CONVÊNIOS DESTE MUNICÍPIO, cujas especificações, preço(s), quantitativo(s) e fornecedor(es) foram previamente definidos através do procedimento licitatório supracitado. Art. 2º. Integra a presente ARP, a Secretaria Municipal de Administração, localizada em Senador Eloi de Souza/RN na qualidade de ÓRGÃO GERENCIADOR. Parágrafo único. Qualquer órgão ou entidade da Administração Pública poderá solicitar a utilização da presente ARP, independentemente da participação ou não na licitação sobredita, observadas as exigências insertas no art. 22º, do Decreto nº 7.897/2013. Art. 3º - O ÓRGÃO GERENCIADOR, através da Comissão Permanente de Licitação, obriga-se a: a) gerenciar a presente ARP, indicando, sempre que solicitado, o nome do fornecedor, o preço, os quantitativos disponíveis e as especificações dos materiais registrados, observada a ordem de classificação indicada na licitação; b) convocar o particular, via fax ou telefone, para retirada da nota de empenho; c) observar para que, durante a vigência da presente ata, sejam mantidas todas as condições de habilitação e qualificação exigidas na licitação, bem assim a compatibilidade com as obrigações assumidas, inclusive com solicitação de novas certidões ou documentos vencidos; d) conduzir eventuais procedimentos administrativos de renegociação de preços registrados, para fins de adequação às novas condições de mercado e de aplicação de penalidades; e) realizar, quando necessário, prévia reunião com os licitantes objetivando a familiarização das peculiaridades do Sistema de Registro de Preços; f) comunicar aos gestores dos órgãos participantes possíveis alterações ocorridas na presente ARP; g) coordenar a qualificação mínima dos respectivos gestores dos órgãos participantes; e, h) acompanhar e fiscalizar o cumprimento das condições ajustadas no edital da licitação e na presente ARP. Art. 4º. O ÓRGÃO PARTICIPANTE, através de gestor próprio indicado, obriga-se a: a) tomar conhecimento da presente ARP, inclusive às respectivas alterações, para fins de utilização de forma correta da mesma; b) consultar, previamente, o ÓRGÃO GERENCIADOR objetivando a obtenção das informações necessárias aos serviços pretendidos; c) verificar a conformidade das condições registradas na presente ARP junto ao mercado local, informando ao ÓRGÃO GERENCIADOR eventuais desvantagens verificadas; d) encaminhar ao ÓRGÃO GERENCIADOR a respectiva Autorização de ordem de serviços; e) enviar, no prazo máximo de 05 (cinco) dias corridos, as informações sobre a contratação efetivamente realizada; e f) acompanhar e fiscalizar o fiel cumprimento das obrigações contidas no edital da licitação e na presente ARP, informando ao ÓRGÃO GERENCIADOR qualquer irregularidade ou inadimplemento do particular. Art. 5º. O FORNECEDOR obriga-se a: a) Assinar o respectivo Contrato, no prazo máximo de 08 (oito) dias corridos, contados da convocação; b) informar, no prazo máximo de 05 (cinco) dias corridos, quanto à aceitação ou não do fornecimento dos serviços a outro órgão da Administração Pública (não participante) que venha a manifestar o interesse de utilizar a presente ARP; c) apresentar os serviços no prazo máximo definido na proposta de preços apresentada na licitação, contado da data de assinatura do contrato; d) prestar os serviços conforme especificações e preço registrados na presente ARP; e) providenciar a imediata correção de deficiências, falhas ou irregularidades constatadas pelo ÓRGÃO GERENCIADOR referentes às condições firmadas na presente ARP; f) fornecer, sempre que solicitado, no prazo máximo de 05 (cinco) dias corridos, documentação de habilitação e qualificação cujas validades encontrem-se vencidas; g) prover condições que possibilitem o atendimento das condições firmadas a partir da data da assinatura da presente ARP; i) ressarcir os eventuais prejuízos causados aos órgãos gerenciador e participante(s) e/ou a terceiros, provocados por ineficiência ou irregularidades cometidas na execução das obrigações assumidas na presente ARP; j) pagar, pontualmente, aos fornecedores e cumprir com as obrigações fiscais, relativos ao serviços entregue, com base na presente ARP, exonerando a Administração Pública de responsabilidade solidária ou subsidiária por tal pagamento; l) manter, durante a vigência da presente ata, em compatibilidade com as obrigações assumidas, todas as condições de habilitação e qualificação exigidas na licitação. Art. 6. A presente Ata de Registro de Preços vigorará por 12 (doze) meses, a partir de sua assinatura, podendo o fornecedor solicitar, a qualquer tempo, a desobrigação do fornecimento. Parágrafo Único. Caso o fornecedor não tenha mais interesse em manter registrado o preço no período de vigência da ARP, terá que se manifestar por escrito, por meio de requerimento, e apresentar documentação que comprove a impossibilidade de cumprir com os compromissos assumidos, os quais serão analisados pela Administração. Art. 7. O preço, a quantidade, o fornecedor e as especificações dos materiais registrados nesta Ata, encontram-se indicados na tabela abaixo: EMPRESA: RJ ASSESSORIA A MUNICÍPIOS LTDA CNPJ: / Telefone: CEP: Endereço: rua Lauro de Medeiros,1775- lagoa nova- Natal/RN DESCRIÇAO QUANT UND PREÇO (R$) GLOBAL

64 64 SERVIÇOS DE ASSESSORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA JUNTO AOS CONVÊNIOS DESTE MUNICÍPIO 10 MESES R$ (VINTE E NOVE MIL REAIS) Art. 8º. O pagamento será efetuado na Secretaria Municipal de Finanças, em até 30 (trinta) dias após a liquidação da despesa: 1º O pagamento está condicionado, ainda, a apresentação pela contratada dos seguintes documentos: a) Nota Fiscal devidamente preenchida; b) Certidão Negativa de Débito (CND), fornecida pelo Instituto Nacional de Seguro Social; c) Certidão Conjunta Negativa de Débitos Relativos a Tributos Federais e à Dívida Ativa da União; d) Certificado de Regularidade de Situação - CRS, relativo ao FGTS, expedido pela Caixa Econômica Federal; e) Certidão Negativa conjunta de Débito do Estado e Dívida Ativa do Estado do domicílio ou sede do licitante; f) Certidão Negativa de Tributos do Município, do domicílio ou sede do licitante; g) Certidão Negativa de Débitos Trabalhista (CNDT), expedida gratuita e eletronicamente pelo tribunal superior do trabalho; h) Indicação do banco, agência e conta bancária na qual será realizado o crédito. 2º O pagamento será condicionado ao cumprimento das obrigações fixadas na presente ARP. 3º Nenhum pagamento será efetuado enquanto pendente de liquidação qualquer obrigação, por parte da CONTRATADA, sem que isso gere direito a alteração de preços ou compensação financeira. 4º A não indicação da situação do particular quanto à opção pelo SIMPLES implicará no desconto, por ocasião do pagamento, dos tributos e contribuições estabelecidas pela Secretaria da Receita Federal para empresas NÃO optantes do SIMPLES. Art. 9. A existência desta Ata de Registro de Preços não obriga os órgãos a firmar a futura prestação de serviço, sendo-lhe facultada a realização de procedimento específico para determinada contratação, assegurado ao particular cujo preço foi registrado, a preferência, em igualdade de condições. Art. 10. O preço, o quantitativo, o fornecedor e as especificações resumidas do objeto, como também suas possíveis alterações, serão publicados, em forma de extrato, no Diário Oficial do Estado. Art. 11. A qualquer tempo, o preço registrado poderá ser revisto em decorrência de eventual redução ocorrida no mercado, cabendo ao ÓRGÃO GERENCIADOR providenciar a convocação do fornecedor registrado para negociar o novo valor compatível ao mercado. Art. 12. O recebimento e aceitação dos itens registrados nesta ARP seguirão as seguintes condições: a) O recebimento dos serviços deverá ser efetuado pelo servidor ou comissão responsável pela aceitação dos itens desta ARP. b) Constatada irregularidades no objeto contratual, a Secretaria de Administração poderá: b.1) determinar sua complementação ou rescindir a contratação, sem prejuízo das penalidades cabíveis. b.2) rejeitá-lo no todo ou em parte, determinando sua substituição ou rescindindo a contratação, sem prejuízo das penalidades cabíveis. c) Nas hipóteses previstas na alínea anterior, a contratada terá o prazo máximo de 10 (dez) dias corridos, contados a partir da data da notificação, para cumprir a determinação exarada pela Administração. Art. 14. São sanções passíveis de aplicação aos licitantes participantes desta ARP, sem prejuízo de outras sanções previstas em legislação pertinente, da responsabilidade civil e criminal que seus atos ensejarem: a) advertência, nos casos de infrações de menor gravidade que não ensejem prejuízos a Administração; b) multa de 1% (um por cento) calculada sobre o valor total do contrato; c) multa de 0,3% (três décimos percentuais) por dia de atraso, até o máximo de 9% (nove por cento) sobre o valor total do Contrato; d) multa de 10% (dez por cento) calculada sobre o valor total do contrato; e) suspensão temporária do direito de participar de licitação e contratar com a Administração Pública pelo prazo de até 05 (cinco) anos, nos termos do art. 7º, caput, da Lei /2002. Parágrafo Primeiro - A licitante estará sujeita às sanções do item anterior nas seguintes hipóteses: a) Não apresentação de situação regular, no ato da assinatura e no decorrer do contrato, bem como a recusa de assinar o Contrato ou documento equivalente no prazo determinado nesta ARP: aplicação das sanções previstas nas alíneas a, d e e. b) Descumprimento dos prazos, inclusive os de prestação dos serviços, e condições previstas nesta ARP, bem como o descumprimento das determinações da Administração: aplicação das sanções previstas nas alíneas b e c. Caso a situação perdure pelo prazo superior a 30 (trinta) dias, ensejará a aplicação das sanções previstas nas alíneas d e e. Parágrafo segundo - Em caso de ocorrência de inadimplemento de termos da presente ARP não contemplado nas hipóteses anteriores, a Administração procederá à apuração do dano para aplicação da sanção apropriada ao caso concreto, observado o princípio da proporcionalidade. Parágrafo Terceiro - Comprovado impedimento ou reconhecida força maior, devidamente justificado e aceito pela Administração, em relação a um dos eventos arrolados no Parágrafo Primeiro deste Artigo, a licitante ficará isenta das penalidades mencionadas. Parágrafo Quarto - As sanções de advertência e de suspensão temporária de licitar e contratar com a Administração poderão ser aplicadas à licitante juntamente com a multa. Parágrafo Quinto - As penalidades fixadas nesta cláusula serão aplicadas através de Processo Administrativo a cargo da Secretaria Administrativa deste Órgão, no qual serão assegurados à empresa o contraditório e a ampla defesa. Art. 15. O prestador de serviço terá seu registro cancelado: I - Por iniciativa da Administração, quando: a) não cumprir as exigências do instrumento convocatório e as condições da presente ARP. b) recusar-se a retirar a nota de empenho no prazo estabelecido, salvo por motivo devidamente justificado e aceito pela Administração; c) der causa à rescisão administrativa decorrente desta ARP; d) em qualquer das hipóteses de inexecução total ou parcial relativo ao presente Registro de Preços; e) não manutenção das condições de habilitação; f) não aceitar a redução do preço registrado, na hipótese prevista na legislação; e g) em razões de interesse público, devidamente justificadas. II - Por iniciativa do próprio prestador de serviço, desde que apresente solicitação por escrito e comprove impossibilidade de cumprimento das exigências insertas neste Registro de Preços, tendo em vista fato superveniente, aceito pelo ÓRGÃO GERENCIADOR, que comprovadamente venha a comprometer a perfeita execução contratual. Parágrafo Primeiro - Na ocorrência de rescisão administrativa, nos termos do art. 79, inc. I, da Lei nº 8.666/93, ficam assegurados os direitos da Administração contidos no art. 80 da mesma lei, no que couber. Parágrafo Segundo - O cancelamento de registro, assegurados o contraditório e a ampla defesa, deverá ser formalizado mediante competente processo administrativo com despacho fundamentado do Prefeito municipal. Art. 16. Os casos omissos desta ARP serão resolvidos de acordo com os termos da Lei nº /93 e do Decreto nº /2013, ou legislação vigente à época do fato ocorrido. Art. 17. Para dirimir questões oriundas da presente ARP será competente o Foro da Comarca de Tangará, Estado do Rio Grande do Norte. Nada mais havendo a tratar, lavrei _ CÍCERO ANTONIO BEZERRA JUNIOR, Pregoeiro, a presente Ata de Registro de Preços que lida e achada conforme vai assinada pelo ÓRGÃO GERENCIADOR e pelo(s) particular(es) fornecedor(es).

65 65 KERGINALDO MEDEIROS DE ARAÚJO Prefeito Municipal RJ ASSESSORIA A MUNICÍPIOS LTDA CNPJ: / GENIEL PEREIRA DE OLIVEIRA Código Identificador: 6668B79D PREFEITURA MUNICIPAL DE SENADOR GEORGINO AVELINO Lei Municipal n 126 Modifica o Anexo I Tabela de Vencimentos 30 horasda Lei Municipal nº 061/2009 e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE SENADOR GEORGINO AVELINO, EDVAL BEZERRA DE LIMA, faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º- Modifica o anexo I da Tabela de Vencimentos, conforme determina o Artigo 5º da lei de 16 de Junho de Art. 2º- Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. EDVAL BEZERRA DE LIMA Prefeito Municipal ANEXO I TABELA VIGENTE DOS VENCIMENTOS 30 HORAS CATEGORIA FUNCIONAL PROFEESOR CLASSE NÍVEL A B C D E F G H I J PI 1.433, , , , , , , , , ,52 PII 1.791, , , , , , , , , ,42 PIII 2.060, , , , , , , , , ,34 Observações: 1- O valor do percentual de aumento dado pelo Governo Federal para o ano letivo de 2015 de 13,01%. 2- Esta tabela entra em vigor a partir de 1º de Janeiro do corrente ano. de, 27 de fevereiro de EDVAL BEZERRA DE LIMA Prefeito Municipal ÍTALO GABRIEL BESERRA DE OLIVEIRA Código Identificador: 48A6D030 Aprova o Código Tributário do Município de Senador Georgino Avelino e dá outras providências LEI Nº 121/2014 A PREFEITA MUNICIPAL DE SENADOR GEORGINO AVELINO, Estado do Rio Grande do Norte, com fundamento no disposto nos arts. 30, I e II, 145 e 156 da Constituição da Republica Federativa do Brasil, e na Lei Organica do Municipio, no uso de suas atribuições legais; Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a presente Lei: Título I Do Código Tributário do Município de Senador Georgino Avelino Capitulo I Normas Gerais Art.1 - O Código Tributário do Município de Senador Georgino Avelino se constitui desta Lei, obedecidos os dispositivos da Constituição Federal e de suas leis complementares. Capítulo II Da Competência Tributária Art.2º - São tributos de competência do Município de Senador Georgino Avelino: a) a propriedade predial e territorial urbana; b) a transmissão inter vivos, a qualquer título, por ato oneroso, de bens imóveis, por natureza ou acessão física, e de direito reais sobre imóveis, exceto os de garantia, bem como cessão de direito a sua aquisição; c) os serviços de qualquer natureza, não compreendidos na competência tributária dos Estados e do Distrito Federal. II taxas: a) em razão do exercício do Poder de Polícia; e b) pela utilização, efetiva ou potencial, de serviços públicos específicos e divisíveis prestados ao contribuinte ou postos à sua disposição; III contribuição: a) de melhoria, decorrente de obras públicas; e b) para o custeio do serviço de iluminação pública - COSIP Capítulo III Das Imunidades Art.3º - São imunes dos impostos municipais: I- o patrimônio e serviços da União, dos Estados, do Distrito Federal e Municípios; II- os templos de qualquer culto; III- o patrimônio e serviços dos partidos políticos, inclusive suas fundações, entidades sindicais dos trabalhadores, das instituições de educação e de assistência social sem fins lucrativos, atendidos os requisitos da lei;

66 IV- os livros, jornais, periódicos e o papel destinado à sua impressão. 66 1º- A imunidade prevista no inciso I é extensiva às autarquias e às fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público, no que se refere ao patrimônio e aos serviços vinculados às suas finalidades essenciais ou delas decorrentes. 2º- As imunidades previstas no inciso I e no parágrafo anterior não se aplicam ao patrimônio e aos serviços relacionados com a exploração de atividades econômicas regidas pelas normas aplicáveis a empreendimentos privados, ou em que haja contraprestação ou pagamento de preços ou tarifas pelo usuário, nem exonera o promitente-comprador da obrigação de pagar o imposto relativamente ao bem imóvel. 3º- As imunidades expressas nos incisos II e III compreendem somente o patrimônio e os serviços, relacionados com as finalidades essenciais das entidades nelas mencionadas. 4º- Os requisitos condicionadores da imunidade devem ser comprovados perante a Fazenda Municipal quando da solicitação do reconhecimento de imunidade, na forma estabelecida pelo Poder Executivo. 5º- O disposto neste artigo não exclui a atribuição às entidades nele referidas da condição de responsáveis pelos tributos que lhes caibam reter na fonte e não as dispensa da prática de atos assecuratórios do cumprimento de obrigações tributárias por terceiros. Capítulo IV Das Infrações e das Penalidades Art.4º - Constitui infração toda ação ou omissão que importe na inobservância, por parte do sujeito passivo ou terceiro, de norma estabelecida na legislação tributária do Município. Art.5º - Respondem pela infração, conjunta ou isoladamente, todos os que concorrerem para a sua prática ou dela se beneficiarem. Parágrafo Único - Salvo expressa disposição em contrário, a responsabilidade por infração independe da intenção do agente ou do responsável, e da efetividade, natureza, extensão e efeitos do ato. Art.6º - O regulamento e os atos administrativos não podem definir infrações ou cominar penalidades que não estejam autorizadas ou previstas em lei. Art.7º - Os que, antes do início de qualquer procedimento fiscal administrativo, procurem espontaneamente a repartição fiscal competente, para sanar irregularidades, são atendidos independentemente de penalidades, salvo quando se trate de lançamento ou recolhimento de tributos. Art.8º - As infrações à legislação tributária são punidas, separada ou cumulativamente, com as seguintes penalidades: I- multa; II- proibição de transacionar com as repartições da administração pública municipal direta e indireta; III- sujeição a regime especial de fiscalização; IV- suspensão ou cancelamento de benefícios fiscais; V- apreensão de documentos e interdição do estabelecimento; VI- suspensão e/ou cancelamento da inscrição de contribuinte. 1º- A aplicação de penalidade de qualquer natureza, inclusive por inobservância de obrigação tributária acessória, em caso algum dispensa o pagamento do tributo, dos juros, da atualização monetária, e da reparação do dano resultante da infração, na forma da legislação aplicável. 2º- A responsabilidade é excluída pela denúncia espontânea da infração, acompanhada, se for o caso, do pagamento do tributo devido e dos acréscimos cabíveis, ou o depósito da importância arbitrada pela autoridade administrativa, quando o montante do tributo dependa de apuração. 3º- Não se considera espontânea a denúncia apresentada após o início de qualquer procedimento fiscal administrativo relacionado com a infração. Art.9º - Na reincidência, a infração é punida com o 20% da penalidade, e a cada reincidência subseqüente, aplica-se multa correspondente à reincidência anterior acrescida de dez por cento (5%) sobre o seu valor. Parágrafo Único - Entende-se por reincidência a nova infração violando a mesma norma tributária, cometida pelo mesmo infrator, dentro do prazo de cinco (5) anos, contados da data em que se torne definitiva a decisão que a julgou procedente. Art.10 - Quando não recolhidos no prazo legal, os tributos municipais ficam sujeitos a atualização monetária, além de multas de mora, juros de mora e multa por infração, quando for o caso. 1º - A multa de mora, calculada sobre o valor do tributo atualizado monetariamente, é de cento e sessenta e sete milésimos percentuais (0,167%) por dia de atraso, contado a partir do primeiro dia subseqüente ao do vencimento, limitada a quinze por cento (15%). 2º - Os juros de mora calculados sobre o valor do tributo atualizado monetariamente são de um por cento (1%) ao mês, ou fração, contados a partir do primeiro dia do mês seguinte ao do vencimento do prazo até o mês do efetivo pagamento. 3º - A multa por infração é aplicada quando for apurada ação ou omissão que importe em inobservância às disposições da legislação tributária. 4º - A multa de mora, atualização monetária e juros de mora são exigidos independentemente de qualquer ação da Fazenda Municipal. 5º - Fica o Poder Executivo autorizado a reduzir, em caráter geral, em cinqüenta por cento (50%) as multas de mora, sendo facultado o uso do cálculo "pro rata" para atrasos de até trinta (30) dias. Art.11 - São passíveis de multa por infração, para todo e qualquer tributo previsto neste código, quando não imposta em capítulo próprio: I- de dez por cento (10%) sobre o valor do tributo devido pela falta de pagamento total ou parcial de tributo lançado; II- de cinquenta por cento (50%) do valor do tributo devido o início ou prática de atos sujeitos à Taxa de Licença sem o respectivo pagamento e pelo não recolhimento de tributo devido que não se enquadre na multa prevista no inciso anterior; III- de quarenta reais (R$ 4) a falta de apresentação ao fisco municipal de quaisquer documentos solicitados no prazo de dez (10) dias úteis; IV- de cem (R$ 10) ao contribuinte que embaraçar, dificultar propositadamente, desacatar ou impedir, por qualquer meio, a ação do fisco municipal; Capítulo V Da Apuração e do Recolhimento Art.12 - A apuração e o recolhimento dos tributos fazem-se na forma e prazos fixados pelo Poder Executivo. Parágrafo Único - O Poder Executivo pode conceder redução de até cinquenta por cento (50%) do valor do tributo, quando o contribuinte efetuar o pagamento antes do vencimento, na forma e prazos que disponha o regulamento. Art.13 - Na hipótese de lançamento para recolhimento em prestações, após o vencimento da última parcela, somente é admitido o recolhimento total das parcelas não pagas, e o vencimento, para esse efeito, é o da primeira parcela. Art.14 - O crédito vencido é inscrito em Dívida Ativa decorridos cento e oitenta (180) dias de sua constituição. Art.15 - Os contribuintes ou responsáveis, ainda que imunes ou isentos, estão obrigados, salvo norma em contrário, ao cumprimento das obrigações previstas na legislação tributária. Capítulo VI Da Fiscalização Art.16 - A fiscalização tributária é exercida pelos servidores municipais lotados na Secretaria Municipal de Tributação sobre todas as pessoas físicas ou jurídicas localizadas no Município de Senador Georgino Avelino, ainda que imunes ou isentas dos tributos municipais e poderá estender-se além dos limites do Município, nos termos de convênio. Parágrafo Único - Antes de qualquer ação fiscal, o agente do Fisco exibirá ao contribuinte ou ao seu preposto, identidade funcional e o ato designatório que o credencia a prática do ato administrativo. Art.17 - As pessoas mencionadas no artigo anterior devem exibir aos funcionários fiscais, sempre que exigido, no prazo de cinco (30) dias úteis, os livros fiscais obrigatórios, os livros e registros contábeis, e todos os documentos ou papéis comerciais ou fiscais, em uso ou em arquivo, que forem necessários aos procedimentos fiscais, bem como proporcionar-lhes meios necessários para seu exame. 1º- Para os efeitos deste Código, não têm aplicação quaisquer disposições legais excludentes ou limitativas do direito de examinar mercadorias, livros, arquivos, documentos, papéis e efeitos comerciais ou fiscais dos comerciantes, industriais, produtores ou prestadores de serviços ou da obrigação desses de exibi-los. 2º- Os livros obrigatórios de escrituração fiscal e os comprovantes dos lançamentos neles efetuados são conservados até que ocorra a prescrição dos créditos tributários decorrentes das operações a que se refiram.

67 67 3º- Excetuam-se do disposto no caput deste artigo, os documentos de apresentação imediata definidas em legislação. 4 - A reincidência de não exibição da documentação mencionada no caput deste artigo, quando exigida, caracteriza embaraço à Fiscalização, sujeita às penalidades legais. Art.18 - Quando vítimas de embaraço ou desacato no exercício de suas funções, ou quando seja necessária efetivação de medidas de precaução na defesa dos interesses do Fisco, ainda que não se configure fato definido como crime, os agentes fiscalizadores, diretamente ou por intermédio das repartições a que pertencerem, podem requerer auxílio das autoridades policiais. Art.19 - A administração fazendária pode estabelecer regime especial de fiscalização sempre que sejam julgados insatisfatórios os elementos constantes dos documentos, livros fiscais e comerciais. Parágrafo Único - Os regimes especiais concedidos aos contribuintes para o cumprimento de suas obrigações podem ser cancelados, se os beneficiários procederem em desacordo com as normas fixadas para sua concessão. Art.20 - Havendo comprovação de infração à legislação municipal ou na hipótese de embaraço à ação fiscal, ainda que não se configure crime ou contravenção penal, pode a autoridade fiscal, sem prejuízo de outras ações cabíveis: I- apreender livros, talões, relatórios, documentos contábeis ou fiscais, inclusive os armazenados em meio magnético ou já arquivados, que estejam em poder do sujeito passivo ou de terceiros; II- apreender bens em trânsito ou em poder do sujeito passivo ou de terceiros; III- lacrar armários, arquivos, depósitos e outros móveis onde presumivelmente estejam os itens citados nos incisos anteriores; IV- promover a interdição de estabelecimento; V- suspender a licença para localização e funcionamento; VI- alterar, cancelar ou estabelecer regimes especiais de fiscalização ou de cumprimento de obrigações tributárias. Parágrafo Único - É vedado à autoridade fiscal utilizar-se de coação física ou moral para levar a efeito as medidas descritas nesta seção. Seção I Do Sigilo Fiscal Art.21- Sem prejuízo do disposto na legislação criminal, é vedada a divulgação, por parte da Fazenda Pública Municipal, de seus agentes, de informação obtida em razão do ofício sobre a situação econômica ou financeira do sujeito passivo ou de terceiros e sobre a natureza e o estado de seus negócios ou atividades. 1º - As informações referidas no caput deste artigo podem ser disponibilizadas nos seguintes casos: I- intercâmbio de informações com a Fazenda Pública da União, Estados, Distrito Federal e outros Municípios, nos termos de lei ou convênio; II- requisição de autoridade judiciária no interesse da justiça; III- solicitações de autoridade administrativa no interesse da Administração Pública, desde que seja comprovada a instauração regular de processo administrativo, no órgão ou na entidade respectiva, com o objetivo de investigar o sujeito passivo a que se refere a informação, por prática de infração administrativa. 2º- No fornecimento ou intercâmbio de informações protegidas por sigilo fiscal a órgãos, entidades e autoridades requisitantes ou solicitantes, os servidores públicos devem observar procedimentos que assegurem a preservação do caráter sigiloso da informação. 3º- O envio de informação sigilosa, requisitada no âmbito da Administração Pública, é realizado mediante processo regularmente instaurado, e a entrega é feita pessoalmente à autoridade solicitante, mediante recibo, que formalize a transferência e assegure a preservação do sigilo. 4º- Não é vedada a divulgação de informações relativas a: I- representações fiscais para fins penais; II- inscrições na Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal; III- parcelamento ou moratória. Art.22 - A Fazenda Pública Municipal presta assistência aos demais entes da federação para a fiscalização dos tributos respectivos e permuta informações, na forma estabelecida, em caráter geral ou específico, por lei ou convênio. Capítulo VII Do Crédito Tributário Seção I Disposições Gerais Art.23 - O crédito tributário regularmente constituído somente se modifica ou extingue, ou tem sua exigibilidade suspensa ou excluída, nos casos previstos nesta Lei, fora dos quais não podem ser dispensadas a sua efetivação ou as respectivas garantias, sob pena de responsabilidade funcional na forma da lei. Capítulo VIII Da Suspensão do Crédito Tributário Seção II Modalidades de Suspensão Art.24 - Suspendem a exigibilidade do crédito tributário: I- a moratória; II- o depósito do seu montante integral e em dinheiro; III- as reclamações e os recursos, nos termos da legislação reguladora do processo tributário administrativo; IV- o parcelamento; V- a concessão de tutela antecipada ou cautelar em ação judicial. 1º- A suspensão da exigibilidade impede a Administração apenas de praticar atos de cobrança, tais como inscrição em dívida, execução e penhora, mas fica sempre assegurada a possibilidade de fiscalizar e constituir o crédito tributário, a fim de evitar a decadência do direito de lançar. 2º- Salvo disposição expressa em contrário, o disposto neste artigo: I- não dispensa o cumprimento das obrigações assessórias; II- não suspende a fluência de juros e atualização monetária relativos ao crédito tributário. Subseção I Da Moratória Art.25 - A moratória somente pode ser concedida: I- em caráter geral, por Lei; II- em caráter individual, por despacho da autoridade administrativa, desde que autorizada por lei nas condições do inciso anterior. Parágrafo Único - A lei concessiva de moratória pode circunscrever expressamente a sua aplicabilidade à determinada região do Município, ou a determinada classe ou categoria de sujeitos passivos. Art.26 - A lei que conceda moratória em caráter geral ou autorize a concessão em caráter individual deve especificar, sem prejuízo de outros requisitos: I- o prazo de duração do favor;

68 II- as condições da concessão do favor em caráter individual; III- sendo o caso: a) os tributos a que se aplica; 68 b) o número de prestações e seus vencimentos, dentro do prazo a que se refere o inciso I, podendo atribuir a fixação de uns e de outros à autoridade administrativa, para cada caso de concessão em caráter individual; c) as garantias que devem ser fornecidas pelo beneficiado no caso de concessão em caráter individual. Art.27 - Salvo disposição de lei em contrário, a moratória somente abrange os créditos definitivamente constituídos à data da lei ou do despacho que a conceder, ou cujo lançamento já tenha sido iniciado àquela data por ato regularmente notificado ao sujeito passivo. Parágrafo Único - A moratória não aproveita aos casos de dolo, fraude ou simulação do sujeito passivo ou do terceiro em benefício daquele. Art.28 - A concessão da moratória em caráter individual não gera direito adquirido e é revogado de ofício, sempre que se apure que o beneficiado não satisfazia ou deixou de satisfazer as condições ou não cumprira ou deixou de cumprir os requisitos para a concessão do favor, cobrando-se o crédito acrescido de juros de mora: I- com imposição da penalidade cabível, nos casos de dolo ou simulação do beneficiado, ou de terceiro em benefício daquele; II- sem imposição de penalidade, nos demais casos. Parágrafo Único - No caso do inciso I deste artigo, o tempo decorrido entre a concessão da moratória e sua revogação não se computa para efeito da prescrição do direito à cobrança do crédito; no caso do inciso II deste artigo, a revogação só pode ocorrer antes de prescrito o referido direito. Subseção II Do Depósito do Crédito Tributário Art.29 - Para fins do disposto no inciso II do artigo 24, considerar-se-á montante integral, a importância referente ao valor originário e seus acréscimos, na forma da lei. Art.30 - O depósito do montante integral do crédito tributário: I- obedece à forma e às condições estabelecidas em Regulamento; II- pode ser determinado pela autoridade administrativa como garantia prestada pelo sujeito passivo, nos casos de transação. Art.31 - Considerar-se-ão operantes os efeitos decorrentes do depósito a partir da data da sua efetivação nos órgãos arrecadadores municipais ou nos estabelecimentos credenciados pela Secretaria de Municipal de Tributação Subseção III Do Parcelamento Art.32 - A Fazenda Municipal pode conceder parcelamento de créditos tributários e não tributários, em qualquer fase da cobrança, na forma que dispuser a legislação tributária. 1º- Os créditos sob cobrança judicial podem ser parcelados até a fase anterior à destinação do bem à hasta pública. 2º- Excluem-se do disposto no caput deste artigo os créditos provenientes de substituição tributária, em que houve a retenção e o não recolhimento do tributo. 3º- O parcelamento a que se refere o caput deste artigo somente aproveita os créditos não tributários, se regularmente inscritos em Dívida Ativa, ficando o parcelamento daqueles não inscritos regulados por legislação própria. Capitulo IX Da Extinção do Credito Tributário Seção I Modalidades de Extinção Art.33 - Extinguem o crédito tributário: I- o pagamento; II- a compensação; III- a transação; IV- remissão; V- a prescrição e a decadência; VI- a conversão de depósito em renda; VII- o pagamento antecipado e a homologação do lançamento; VIII- a consignação em pagamento; IX- a decisão irreformável das instâncias julgadoras da Secretaria de Municipal de Tributação, quando não mais possa ser objeto de ação anulatória; [X- a decisão judicial passada em julgado; XI- a dação em pagamento em bens imóveis, observadas as condições estabelecidas nesta lei. Subseção I Do Pagamento Art.34 - O pagamento de um crédito não importa em presunção de pagamento: I- quando parcial, das prestações em que se decomponha; II- quando total, de outros créditos referentes ao mesmo ou a outros tributos. Art.35 - A dação em pagamento em bens imóveis é admitida quando, na forma do Regulamento: a) o devedor não tenha meios de efetuar o pagamento em dinheiro; b) a Administração declare interesse no bem oferecido em pagamento, com publicação do ato por meio de publicidade oficial cujo município de Senador Georgino Avelino possua convênio. c) o devedor concorde com a avaliação feita pela Fazenda Municipal; d) o valor do bem seja igual ao crédito tributário, ou, sendo inferior, o devedor ofereça imediata complementação em dinheiro; e e) o imóvel dado em pagamento esteja livre e desembaraçado de qualquer ônus, e o devedor apresente certidões negativas de débitos federais e estaduais e outros documentos que lhe sejam exigidos. Subseção II Da Compensação Art.36 - Fica a Administração Municipal autorizada a proceder à compensação de créditos tributários ou não tributários vencidos, com créditos líquidos e certos do sujeito passivo contra a Fazenda Municipal. 1º- Apenas são objetos de compensação: I- créditos tributários e não tributários vencidos com precatórios cujo titular seja o sujeito passivo em mora;

69 II- créditos tributários e não tributários vencidos com créditos licitados do sujeito passivo em mora; 69 III- créditos tributários e não tributários vencidos com precatórios de terceiros, transmitidos através de termo próprio ao sujeito passivo em mora; IV- créditos tributários ou não tributários com outros créditos não compreendidos nos incisos anteriores, ouvidas a Controladoria Geral do Município e a Procuradoria Geral do Município; V- créditos tributários vencidos com créditos decorrentes de indébitos tributários, apurados através de processo fiscal administrativo, do mesmo sujeito passivo. 2º- Os precatórios mencionados nos incisos anteriores são aqueles constituídos contra o Município de Senador Georgino Avelino. 3º- Considera-se o crédito: I- certo, quando a existência formal e material da obrigação está demonstrada; II- líquido, quando o objeto da obrigação está determinado; III- exigível, quando o cumprimento da obrigação não se encontra sujeito a qualquer condição ou termo suspensivo. 4º- Uma vez deferida a compensação, mediante créditos de precatórios, eventual saldo apurado em favor do sujeito passivo é pago na forma originalmente constituída, sempre observada a ordem de precatórios. 5º- Os créditos de natureza não tributária somente podem ser objeto de compensação, na forma desta lei, se regularmente inscritos em Dívida Ativa. 6º- É vedada a compensação mediante o aproveitamento de tributo, objeto de contestação judicial pelo sujeito passivo, antes do trânsito em julgado da respectiva decisão judicial. 7º- Os pedidos de compensação de créditos, instruídos na forma que dispuser a legislação, são analisados pela Secretaria de Municipal de Tributação. Subseção III Da Transação Art.37 - Fica o Chefe do Poder Executivo autorizado a celebrar transações que importem em terminação de litígio judicial quando: I- o montante do tributo tenha sido fixado por arbitramento; II- ocorrer conflito de competência tributária; III- houver necessidade de elastecimento do número de parcelas, além do máximo admitido na via administrativa pela legislação em vigor, limitado, sempre, a sessenta (60) meses e não sendo permitidos quaisquer descontos; IV- constatada a tributação de fatos não sujeitos à incidência de tributos municipais, limitada a transação ao montante considerado indevido e aos acréscimos dele decorrentes. Art.38 - A transação de que trata este artigo é proposta pelo interessado à Secretaria de Municipal de Tributação, quanto ao crédito não inscrito em Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal e a Procuradoria Geral do Município a partir da sua inscrição em Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal, que após seu exame e parecer a submetem ao Chefe do Poder Executivo. Parágrafo único - A competência descrita neste artigo pode ser exercida conjuntamente pelos respectivos órgãos, nos termos de ato do Poder Executivo Municipal. Art.39 - Em qualquer das hipóteses previstas neste artigo, é obrigatoriamente exigida do sujeito passivo, garantia real que fica gravada até o efetivo cumprimento do avençado. 1º- A garantia é constituída, de forma preferencial, sobre imóveis localizados neste Município; 2º- No caso de o bem ofertado vir a ser gravado por outro crédito que tenha preferência sobre o do Município, deve o mesmo ser substituído, observado o critério estabelecido no parágrafo anterior. Art.40 - A transação permite apenas a dispensa parcial ou total de acréscimos legais, sendo vedada a dispensa ou redução das parcelas referentes ao valor originário do tributo ou da atualização monetária. Art.41 - A eficácia das concessões é subordinada ao aceite dos termos da transação pelo sujeito passivo da obrigação tributária, que deve: I- reconhecer como devido o crédito ajustado; e II- renunciar ao direito em que se funda o recurso ou discussão administrativa ou judicial. Art.42 - A transação deve, em qualquer das hipóteses, ser homologada judicialmente. Subseção IV Da Remissão Art.43 - O Poder Executivo pode conceder por despacho fundamentado, remissão total ou parcial do crédito tributário, atendendo: I- à situação econômica do sujeito passivo; II- ao erro ou ignorância escusável do sujeito passivo, quanto à matéria de fato; III- à diminuta importância do crédito tributário; IV- à consideração de eqüidade, em relação com as características pessoais do caso; V- às condições peculiares a determinada região do território do município de Senador Georgino Avelino. 1º- A remissão de que trata este artigo não pode ser superior a cem reais (10), nem ser concedida mais de uma vez num mesmo exercício ao sujeito passivo. 2º- Fica o Poder Executivo autorizado a conceder remissão parcial ou total, nos casos de desmembramento de imóvel, para fins de regularização fiscal, independente do valor, observando o período decadencial, e considerando o que prevêem os incisos I a V, deste artigo. Subseção V Da Prescrição Art.44 - A ação para cobrança do crédito tributário prescreve em 5 (cinco) anos, contados da data da sua constituição definitiva. 1º- A prescrição se interrompe: I- pelo despacho do juiz que ordenar a citação em execução fiscal; II- pelo protesto judicial; III- por qualquer ato judicial que constitua em mora o devedor; IV- por qualquer ato inequívoco ainda que extrajudicial que importe em reconhecimento do débito pelo devedor. 2º- A prescrição se suspende: I- enquanto pender causa de suspensão da exigibilidade do crédito tributário; II- a partir da inscrição do débito em Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal, por 180 (cento e oitenta) dias ou até a distribuição da execução fiscal se esta ocorrer antes de findo aquele prazo; III- enquanto o processo de cobrança executiva do crédito tributário esteja: a) suspenso, em face de o sujeito passivo ou devedor não houver sido localizado ou não tiverem sido encontrados bens sobre os quais possa recair a penhora; ou b) arquivado, em face do decurso do prazo de 1 (um) ano, após a determinação da suspensão prevista na alínea anterior, sem que seja localizado o devedor ou encontrados bens sobre os quais possa recair a penhora. Capitulo X Da Exclusão do Crédito Tributário

70 Seção I Modalidades de Exclusão Art.45 - Excluem o crédito tributário: I- a isenção; II- a anistia. 70 Parágrafo Único - A exclusão do crédito tributário não dispensa o cumprimento das obrigações acessórias, dependentes da obrigação principal, cujo crédito seja excluído ou dela conseqüente. SubSeção I Da Isenção Art.46 - Ainda quando prevista em protocolo de intenções, termo de parceria, contrato ou outros atos, a isenção é sempre decorrente de lei que especifique as condições e requisitos exigidos para a sua concessão, os tributos a que se aplica e, sendo caso, o prazo de sua duração. Parágrafo Único - A isenção pode ser restrita a determinada região do território do Município de Senador Georgino Avelino, em função de condições a ela peculiares. Art.47 - A isenção restringe-se ao(s) tributo(s) expressamente referido(s) na norma que a instituir, não se estendendo a outros impostos, taxas ou contribuições. Art.48 - A isenção, salvo se concedida por prazo certo e em função de determinadas condições, pode ser revogada ou modificada por lei, a qualquer tempo. Art.49 - A isenção, quando não concedida em caráter geral, é efetivada, em cada caso, após despacho da autoridade administrativa, em requerimento com o qual o interessado faça prova do preenchimento das condições e do cumprimento dos requisitos previstos em lei ou contrato para concessão. 1º- Tratando-se de tributo lançado por período certo de tempo, o despacho referido neste artigo é renovado antes da expiração de cada período, cessando automaticamente os seus efeitos a partir do primeiro dia do período para o qual o interessado deixar de promover a continuidade do reconhecimento da isenção. 2º- A concessão da isenção em caráter individual não gera direito adquirido e é revogado de ofício, sempre que se apure que o beneficiado não satisfazia ou deixou de satisfazer as condições ou não cumprira ou deixou de cumprir os requisitos para a concessão do favor, cobrando-se o crédito acrescido de juros de mora: I- com imposição da penalidade cabível, nos casos de dolo ou simulação do beneficiado, ou de terceiro em benefício daquele; II- sem imposição de penalidade, nos demais casos. Subseção II Da Anistia Art.50 - A anistia abrange exclusivamente as infrações cometidas anteriormente à vigência da lei que a concede, não se aplicando: I- aos atos qualificados em lei como crimes ou contravenções e aos que, mesmo sem essa qualificação, sejam praticados com dolo, fraude ou simulação pelo sujeito passivo ou por terceiro em benefício daquele; II- salvo disposição em contrário, às infrações resultantes de conluio entre duas ou mais pessoas naturais ou jurídicas. Art.51 - A anistia pode ser concedida: I- em caráter geral; II- limitadamente: a) às infrações da legislação relativa a determinado tributo; b) às infrações punidas com penalidades pecuniárias até determinado montante, conjugadas ou não com penalidades de outra natureza; c) a determinada região do território do Município de Senador Georgino Avelino, em função de condições a ele peculiares; d) sob condição do pagamento de tributo no prazo fixado pela lei que a conceder ou cuja fixação seja atribuída pela mesma lei à autoridade administrativa. Art.52 - A anistia, quando não concedida em caráter geral, é efetivada, em cada caso, por despacho da autoridade administrativa, em requerimento com a qual o interessado faça prova do preenchimento das condições e do cumprimento dos requisitos previstos em lei para sua concessão. Parágrafo Único - A concessão da anistia em caráter individual não gera direito adquirido e é revogado de ofício, sempre que se apure que o beneficiado não satisfazia ou deixou de satisfazer as condições ou não cumprira ou deixou de cumprir os requisitos para a concessão do favor, cobrando-se o crédito acrescido de juros de mora: I- com imposição da penalidade cabível, nos casos de dolo ou simulação do beneficiado, ou de terceiro em benefício daquele; II- sem imposição de penalidade, nos demais casos. Titulo II Dos Impostos de Competência Municipal Capitulo I Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana Seção I Do Fato Gerador Art.53 - O Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana - IPTU tem como fato gerador a propriedade, o domínio útil ou a posse de bem imóvel por natureza ou acessão física, como definido na lei civil, localizada na zona urbana do Município de Senador Georgino Avelino, independente de sua forma, estrutura ou destinação. 1º- Para os efeitos deste imposto, entende-se como zona urbana toda área em que existam melhoramentos indicados em pelo menos dois (2) dos incisos seguintes, construídos ou mantidos pelo Poder Publico: I- meio-fio ou calçamento, com canalização de águas pluviais; II- abastecimento d'água; III- sistema de esgotos sanitários; IV- rede de iluminação pública, com ou sem posteamento, para distribuição domiciliar; V- escola primária ou posto de saúde a uma distância máxima de três (3) quilômetros do imóvel considerado. 2º- Considera-se, também, zona urbana, a área urbanizável ou de expansão urbana, constante de loteamento, destinada à habitação, indústria ou comércio, mesmo que localizada fora das zonas definidas nos termos do parágrafo anterior. 3º- A incidência do imposto independe do cumprimento de quaisquer exigências legais, regulamentares ou administrativas, sem prejuízo das penalidades cabíveis e do cumprimento das obrigações acessórias. Art.54-0 imposto é anual e a obrigação de pagá-lo se transmite ao adquirente da propriedade do imóvel ou dos direitos a ele relativos, salvo quando conste do título a prova de sua quitação. Art.55 - Considera-se ocorrido o fato gerador a primeiro (lº) de janeiro de cada ano, ressalvados os prédios construídos durante o exercício, cujo fato gerador, da parte construída, ocorre, inicialmente, na data da concessão do habite-se ou de sua efetiva ocupação, se anterior. Seção II Do Contribuinte Art.56 - Contribuinte do imposto é o proprietário do imóvel, o titular do domínio útil ou o seu possuidor a qualquer título.

71 71 Art.57 - É considerado responsável pelo imposto, quando do lançamento, qualquer dos possuidores, diretos ou indiretos, sem prejuízo da responsabilidade solidária dos demais. 1º- O espólio é responsável pelo pagamento do imposto relativo aos imóveis que pertenciam ao de cujus até a data da abertura da sucessão. 2º- A massa falida é responsável pelo pagamento do imposto relativo aos imóveis de propriedade do falido. Seção III Da Base de Cálculo Art.58 - A base de cálculo do imposto é o valor venal do imóvel. Parágrafo Único - Na determinação da base de cálculo, não se considera o valor dos bens móveis mantidos, em caráter permanente ou temporário, no imóvel, para efeito de sua utilização, exploração, aformoseamento ou comodidade. Art.59 - A avaliação dos imóveis, para efeito de apuração do valor venal, é determinada, anualmente, pelo Poder Executivo, de conformidade com os critérios estabelecidos neste Código, através da Planta Genérica de Valores de Terrenos e da Tabela de Preços de Construção que estabelecem os valores unitários do metro quadrado de terreno por setores e por tipo de construção, respectivamente. 1º - A Planta Genérica de Valores de Terrenos e a Tabela de Preços de Construção são definidos pelo Poder Executivo, até o dia 31 de dezembro de cada exercício, para vigorar de 1º de janeiro a 31 de dezembro do exercício seguinte. 2º- A Fazenda Municipal realiza o lançamento do IPTU com base na Planta Genérica de Valores de Terrenos e Tabela de Preços de Construção vigentes no exercício anterior, atualizadas monetariamente quando essas não forem definidas até a data prevista no parágrafo anterior. 3º- Os valores unitários de metro quadrado de construção e de terreno são determinados em função dos seguintes critérios, tomados em conjunto ou separadamente: I- preços correntes das transações e das ofertas a venda no mercado imobiliário; II- custos de reprodução; III- locações correntes; IV- características da região em que se situa o imóvel; V- características do terreno, especialmente área, topografia, forma e acessibilidade; VI- características da construção, notadamente área, qualidade, tipo, ocupação e idade; VII- outros dados informativos tecnicamente reconhecidos. 4º- Os valores unitários, definidos como valores médios para os locais e construções, são atribuídos: I- às faces de quadras, às quadras ou quarteirões, aos logradouros ou às regiões determinadas, relativamente aos terrenos; II- a cada um dos padrões dos tipos de edificações definidos pelo Poder Executivo, relativamente às construções. Art.60 - O valor venal do imóvel é determinado: I- para imóvel não edificado, pelo valor de m2 de terreno constante da Planta Genérica de Valores de Terreno (Tabela I), multiplicado pelos valores constantes do Fator de Correção de Pedologia do Terreno (Tabela II), do Fator de Correção de Topografia do Terreno (Tabela III), do Fator de Correção de Situação do Terreno (Tabela IV) e do Fator de Gleba (Tabela V), todas em anexo; II- para imóvel edificado, através do somatório do valor encontrado no inciso I, deste artigo, com o resultado obtido da multiplicação dos valores de m² de Preços de Construção (Tabela V), pelo Fator de Correção de Qualidade de Construção (Tabela VI), pelo Fator de Correção de Utilização de Imóvel para cálculo do Valor Venal da Unidade Imobiliária (Tabela VII), pelo Fator de Correção de Estrutura, (Tabela VIII), todas em anexo. Art.61 - Na avaliação de terrenos de esquina é aplicado o fator cumulativo de um inteiro e quinze centésimos (1,15) sobre o valor venal para cada frente, até o limite de três (3). Art.62 - Na avaliação de terrenos encravados, terrenos de fundo e terrenos internos são aplicados os fatores de correção constantes da Tabela IV, em anexo. Parágrafo Único - Os fatores relativos a terreno encravado e terreno de fundo serão aplicados de forma singular. Art.63 - Para os efeitos do disposto neste Código consideram-se: I- excesso de área ou área de terreno não incorporada, aquela que exceder a cinco (5) vezes a área ocupada pelas edificações; II- terreno de duas ou mais frentes, aquele que possua mais de uma testada para logradouros públicos, sem estar localizado na sua confluência; III- terreno encravado, aquele que não se comunica com a via pública, exceto por servidão de passagem por outro imóvel; IV- terreno de fundo, aquele que, situado no interior da quadra, se comunica com a via pública por um corredor de acesso com largura igual ou inferior a quatro (4) metros; V- terreno interno, aquele localizado em vila, passagem, travessa ou local assemelhado, acessório da malha viária do Município, ou de propriedade de particulares, não relacionados na Planta Genérica de Valores de Terreno. Parágrafo Único - Para os fins do inciso I deste artigo só é considerado o terreno cuja área total for superior a quinhentos metros quadrados (500 m2). Art.64 - O excesso de área, definido no inciso I do artigo anterior, fica sujeito ao imposto calculado de acordo com a alíquota aplicável ao imóvel não edificado. Parágrafo Único - Quando a área total do terreno for representada por número que contenha fração de metro quadrado, é feito o arredondamento para a unidade imediatamente inferior. Art.65 - No cálculo do valor venal de terreno, no qual exista prédio em condomínio, além dos fatores de correção aplicáveis, é utilizada, como fator, a fração ideal correspondente a cada unidade autônoma. Art.66 - A área construída bruta é obtida através da medição dos contornos externos das paredes ou pilares, computando-se, também, a superfície das sacadas cobertas ou descobertas, de cada pavimento. 1º - No caso de coberturas de postos de serviço e assemelhadas, é considerada como área construída a sua projeção vertical sobre o terreno. 2º - No caso de piscina, a área construída é obtida através da medição dos contornos internos de suas paredes. 3º - Quando a área construída bruta for representada por número que contenha fração de metro quadrado, é feito o arredondamento para a unidade imediatamente inferior. Art.67 - No cálculo da área construída bruta das unidades autônomas de prédios em condomínio, é acrescentada, à área privada de cada unidade, a parte correspondente às áreas comuns proporcionalmente a fração ideal do terreno. Art.68 - Para os efeitos deste Código, as obras paralisadas ou em andamento, as edificações condenadas ou em ruínas, as construções de natureza temporária não são consideradas como área Construída. Art.69 - O valor unitário de metro quadrado de construção é obtido pelo enquadramento da construção num dos tipos e padrões definidos pelo Poder Executivo, em função de sua área predominante, e das características que mais se assemelhem às suas. 1º - Nos casos em que a área predominante não corresponde à destinação principal da edificação, ou das edificações, pode ser adotado critério diverso, a juízo da Fazenda Municipal. 2º - Para fins de enquadramento de unidades autônomas de prédio em condomínio em um dos tipos e padrões de construção é considerada a área construída correspondente à área bruta da unidade autônoma acrescida da respectiva área da garagem, ainda que esta seja objeto de lançamento em separado. 3º - A unidade autônoma pode ser enquadrada em padrão diverso daquele atribuído ao conjunto a que pertence desde que apresente benfeitoria que a distingua, de forma significativa, das demais unidades autônomas. Art.70 - Os valores unitários de metro quadrado de terreno e de metro quadrado de construção são expressos em moeda corrente e, no processo de cálculo para obtenção do valor venal do imóvel, o valor do terreno e o da construção são sempre arredondados, até a segunda casa decimal. Art.71 - As disposições constantes desta Seção são extensivas aos imóveis localizados nas áreas urbanizáveis e de expansão urbana, referidas no artigo 53, 2º, desta Lei. Art.72 - O valor venal do imóvel pode ser arbitrado: I- se forem omissas as declarações, os esclarecimentos e os documentos apresentados pelo sujeito passivo;

72 72 II- se o contribuinte impedir a ação fiscal para levantamento de elementos necessários à fixação do valor venal do imóvel; II- o prédio se encontrar fechado por período superior a trinta dias, impossibilitando o levantamento dos elementos necessários à fixação do citado valor. Parágrafo Único - Para os efeitos deste artigo, entendem-se como elementos necessários à fixação do valor venal a localização, a área e a destinação da construção, bem como as características do imóvel assim definidas em regulamento. Art. 72-A - Fica o Poder Executivo autorizado a reduzir a base de cálculo do Imposto sobre a Propriedade Territorial Urbana (IPTU), para os imóveis com destinação exclusivamente residencial em: I até setenta por cento (70%) para os imóveis cujo valor seja inferior ou igual a trinta mil reais (R$ 30.00); II até cinquenta por cento (50%) para os imóveis cujo valor venal seja superior a trinta mil e um real (R$ ,00) e inferior ou igual a sessenta mil reais (R$ 60.00); III até quarenta por cento (40%) para os imóveis com valor venal superior a sessenta mil e um real (R$ ,00) e inferior ou igual a noventa mil reais (R$ 90.00). 1º - O presente benefício fica condicionado a situação do proprietário, titular do domínio útil, ou o possuidor á qualquer título,e seu cônjuge e não possua outro imóvel no município e nele resida. Art. 73 A base de cálculo do Imposto Predial e Territorial Urbano IPTU dos imóveis implantados em condomínios horizontais residenciais e loteamentos, com alvará de construção devidamente autorizado pelo órgão competente do Município de Senador Georgino Avelino pode ser reduzido em até cinquenta por cento (50%). 1º- Nos condomínios horizontais residenciais e loteamentos a redução será concedida por um prazo de dois (02) anos contados a partir da disponibilização do lote ao promitente comprador. Seção IV Do Cadastro Imobiliário Fiscal Art.74 - Todos os imóveis, construídos ou não, situados na zona urbana, urbanizável ou em área de expansão do Município, inclusive os que gozem de imunidade ou isenção, devem ser inscritos no Cadastro Imobiliário Fiscal - CIF, na forma e prazos que dispuser o regulamento. Art.75 - A inscrição e respectivas atualizações são promovidas pelo sujeito passivo, nas hipóteses de: I- ocorrência de circunstância que determine a inclusão do imóvel no CIF, nos termos do artigo anterior; II- convocação, por edital, no prazo nele fixado; III- intimação pessoal, pelo agente fiscal, na forma e prazo regulamentares; IV- modificação de quaisquer dos dados constantes do CIF. 1º- A inscrição e respectivas atualizações podem ser promovidas, de ofício, pela Fazenda Municipal. 2º- A inscrição e respectivas atualizações promovidas pela Fazenda Municipal não exoneram o sujeito passivo do cumprimento da obrigação prevista no caput deste artigo. 3º- A prestação de informação relativa a inscrição ou atualização não faz presumir a aceitação pela Fazenda Municipal dos dados declarados. Art.76 - A inscrição e respectivas atualizações promovidas de ofício podem ser impugnadas pelo sujeito passivo, total ou parcialmente, no prazo de trinta (30) dias contados de sua notificação. Art.77 - Consideram-se sonegados à inscrição os imóveis cuja informação inicial e respectivas atualizações não forem promovidas na forma que dispuser o regulamento e aqueles que apresentem falsidade, erro ou omissão, quanto a qualquer elemento de declaração obrigatória. Parágrafo Único - Na hipótese prevista neste artigo, o lançamento dos tributos imobiliários é efetivado com base nos elementos de que dispuser a Fazenda Municipal. Art.78 - As áreas de terreno e/ou construção podem ser arbitradas pela Fazenda Municipal quando: I- o sujeito passivo ou o ocupante negar acesso ao imóvel de agente da Fazenda Municipal para fins de proceder ao cadastramento ou a sua atualização; II- o sujeito passivo não atender a solicitação de informação dessa natureza. Seção V Das Multas Art.79 - As infrações às normas relativas aos tributos imobiliários sujeitam o infrator às seguintes penalidades: I- infrações relativas à inscrição e atualizações cadastrais: a) multa de vinte reais (R$ 2), aos que deixarem de efetuar, na forma e prazos estabelecidos de 30 dias, a inscrição imobiliária e respectivas atualizações; II- infrações relativas à ação fiscal: a) de trinta reais (R$ 3) a falta de apresentação ao fisco municipal de quaisquer documentos solicitados no prazo de trinta (30) dias úteis; b) de cinquenta reais (R$ 5) ao contribuinte que embaraçar, dificultar propositadamente, desacatar ou impedir, por qualquer meio, a ação do fisco municipal. Art.80 - Os responsáveis por loteamento são obrigados a remeter à Secretaria Municipal de Tributação relação dos lotes que tenham sido alienados definitivamente ou mediante compromisso de compra e venda, mencionando o adquirente e seu endereço, a quadra e o valor da transação, na forma e prazos que dispuser o regulamento. Seção VI Das Alíquotas Art.81 - O imposto é calculado sobre o valor venal do imóvel, a uma alíquota de: I- um por cento (1%) para os imóveis edificados com destinação não exclusivamente residencial e área construída superior a um mil metros quadrados (1.000 m2); II- seis décimos por cento (0,6%) para os demais imóveis edificados; III- um por cento (1%) para os imóveis não edificados. 1º- Considera-se imóvel não edificado, aquele que não possua área construída. 2º- Equipara-se a imóvel não edificado aquele com edificação em andamento ou edificação cuja obra esteja interditada ou embargada, paralisada, condenada, em ruínas, em demolição. 3º- Considera-se imóvel edificado aquele cuja área construída possa ser utilizada para habitação ou para o exercício de qualquer atividade, seja qual for a denominação, forma ou destino. 4º- Fica sujeito à maior alíquota o imóvel de uso misto cuja inscrição no Cadastro Imobiliário Fiscal não tenha sido desmembrada. Art.82 - Fica o Poder Executivo autorizado a reduzir a alíquota do imposto até zero por cento (0%), em relação aos imóveis encravados em áreas non edificandi, de conservação e preservação ambiental, definidas pelo Plano Diretor do Município, enquanto perdure tal condição. Seção VII Do Lançamento e do Recolhimento Art.83 - O lançamento do imposto é anual, considerando-se regularmente notificado o sujeito passivo, desde que tenha sido feita publicação, em Edital, por meio de publicidade oficial do município. Parágrafo Único - Enquanto não extinto o direito da Fazenda Municipal de constituir o crédito tributário, podem ser efetuados lançamentos complementares, desde que decorrentes de erro de fato. Art.84 - O pagamento do imposto pode ser efetuado de uma só vez ou em parcelas mensais, na forma regulamentar, respeitado o máximo de doze (12) parcelas. Parágrafo Único - o recolhimento do imposto não importa em presunção, por parte da Fazenda Municipal, para quaisquer fins, da legitimidade da propriedade, do domínio útil ou da posse do imóvel. Seção VIII Das Isenções Art.85 - São isentos do imposto:

73 73 I- o imóvel edificado que tenha destinação residencial unifamiliar e possua área construída de até cinquenta metros quadrados (50 m²) com as seguintes e conjuntas condições: a) ser encravado em terreno da área igual ou inferior a duzentos metros quadrados (200 m² ) b) quando resida no imóvel o proprietário ou titular do domínio útil; c) não possua, o proprietário ou titular do domínio útil ou seu cônjuge, outro imóvel no Município; II- o imóvel edificado pertencente a clube de mães, associação de moradores ou instituição de assistência ou beneficência que obedeçam conjuntamente às seguintes condições: a) sua utilização esteja relacionada com a finalidade essencial da entidade; b) não tenha fins lucrativos; c) não possua atividade produtiva geradora de receita idêntica à de empreendimentos privados e que não haja contraprestação ou pagamento de preços ou tarifas pelo usuário; III- o imóvel privado quando cedido por comodato ao Município, Estado ou União, para fins exclusivamente educacionais ou de saúde, durante o prazo do comodato; IV- o imóvel edificado pertencente à agremiação desportiva; V- o imóvel pertencente a autarquias, a fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista, instituídas e mantidas pela Prefeitura Municipal de Senador Georgino Avelino. 1º- As isenções de que tratam o caput deste artigo são requeridas pelo interessado a Secretaria de Municipal de Tributação. 2º- As isenções previstas nos incisos I e II, deste artigo, podem ser concedidas de ofício, se existentes no cadastro imobiliário, os elementos necessários à aferição do atendimento aos requisitos legais. Capitulo II Imposto sobre a Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis Seção I Do Fato Gerador Art.86 - O Imposto sobre Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis - ITIV, por ato oneroso, tem como fato gerador: I- a transmissão, a qualquer título, da propriedade ou do domínio útil de bens imóveis, por natureza ou acessão física; II- a transmissão, a qualquer título, de direitos reais sobre imóveis, exceto os de garantia; III- a cessão de direitos relativos às transmissões referidas nos incisos anteriores. 1º- Constitui transmissão tributável a rescisão ou o distrato de cessão de promessa de compra e venda, ou de promessa de cessão. 2º- Inexiste transferência de direito na desistência ou na renúncia à herança ou legado, desde que, cumulativamente: I- seja feita em ressalva, em benefício do monte; e, II- não tenha o desistente ou renunciante praticado qualquer ato que mostre a intenção de aceitar a herança ou legado. Art.87 - O imposto não incide nas seguintes hipóteses: I- incorporação de bens e direitos ao patrimônio de pessoa jurídica em realização de capital; II- transmissão de bens e direitos decorrente de fusão, incorporação, cisão ou extinção de pessoa jurídica; III- transmissão de direitos reais de garantia; IV- transmissão causa mortis; V- transmissão decorrente de atos não onerosos. 1º- O disposto neste artigo não se aplica quando a pessoa jurídica adquirente tiver como atividade preponderante, a compra e venda de bens imóveis e seus direitos reais, a locação de bens ou arrendamento mercantil. 2º- Considera-se caracterizada a atividade preponderante quando mais de cinqüenta por cento (50%) da receita operacional da pessoa jurídica adquirente, nos vinte e quatro (24) meses anteriores ou posteriores a aquisição, decorrer das transações mencionadas no parágrafo anterior. 3º- Se a pessoa jurídica adquirente iniciar suas atividades após a aquisição, ou menos de vinte e quatro (24) meses dessa, apura-se a preponderância referida no parágrafo anterior, levando-se em conta os trinta e seis (36) meses seguintes à data da aquisição. 4º- Verificada a preponderância referida no 1º, o imposto é devido, nos termos da lei vigente à data da aquisição, calculado sobre o bem ou direito, naquela data, corrigida a expressão monetária real da base de cálculo para o dia do efetivo pagamento do crédito tributário, e sobre ele incidentes os acréscimos e penalidades legais. Seção II Da Base de Cálculo Art.88 - A base de cálculo do imposto é o valor do mercado do bem ou dos direitos transmitidos ou cedidos, apurados no momento da transmissão ou cessão, desde que este valor, não seja inferior ao consignado pela Secretaria de Municipal de Tributação para obtenção do valor do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana - IPTU. 1 - A autoridade fiscal pode arbitrar a base de cálculo sempre que constatar que o valor declarado pelo contribuinte é menor do que os previstos no caput deste artigo. 2º- O valor da base de cálculo arbitrada será fixado com base nos seguintes elementos: I- localização, área, características e destinação da construção; II- valores correntes das alienações de imóveis no mercado imobiliário; III- situação do imóvel em relação aos equipamentos urbanos existentes no logradouro; IV- declaração do contribuinte, desde que ratificada pelo fisco, ressalvada a possibilidade de revisão, se comprovada a existência de erro; V- outros dados tecnicamente reconhecidos para efetivação do lançamento do imposto. Art.89 - A base de cálculo do imposto, nos casos de arrematação em hasta pública é o valor da arrematação, atualizado, anualmente, com base no IPCA, apurado pelo IBGE, de conformidade com o Artigo 266 desta Lei, desde que não seja inferior ao consignado para a obtenção do valor do IPTU, no momento da transmissão. Seção III Do Contribuinte Art.90 - O contribuinte do imposto é o adquirente, o cessionário ou os permutantes do bem ou direitos transmitidos. Art.91 - Respondem solidariamente pelo pagamento do imposto: I- o transmitente; II- o cedente; III- o tabelião, escrivão, oficiais de registro de imóveis e demais serventuários de ofício, relativamente aos atos por eles, ou perante eles praticados, em razão de seu ofício ou pelas omissões de sua responsabilidade. Seção IV Da Alíquota e do Recolhimento

74 Art.92 - A alíquota do imposto é de três por cento (3%) sobre sua base de cálculo. 74 1º- Quando se trata de aquisição, através do Sistema Financeiro da Habitação, a alíquota é cinco décimos por cento (0,5%) sobre o valor financiado, mantendo-se em três por cento (3%) sobre o saldo remanescente. 2º- O cálculo do imposto na forma prevista no 1º está condicionado à apresentação de documento declaratório expedido pelo agente financeiro responsável pelo financiamento referido, que comprove que a transmissão está efetivamente compreendida no Sistema Financeiro de Habitação. Art.93 - O recolhimento do imposto é efetuado nas formas e prazos conforme dispuser o Regulamento. Seção V Da Isenção Art.94 - É isenta do imposto a primeira transmissão de habitação popular destinada à residência do adquirente de baixa renda, desde que outra não possua em seu nome ou no do cônjuge. Parágrafo Único - Para os fins deste artigo entende-se, como popular, a habitação residencial unifamiliar de até quarenta metros quadrados (50 m2) de área construída encravada em terreno de até duzentos metros quadrados (200 m2) de área total. Seção VI Das Multas por Infração Art.95 - São passíveis de multa de cem por cento (100%) do valor do imposto os tabeliães, escrivães e oficiais de registro de imóveis quando lavrarem registro ou averbação de atas, escrituras, contratos ou títulos de qualquer natureza, sem a prova do pagamento do imposto ou certidão de isenção, imunidade ou não incidência. Parágrafo Único - O pagamento da multa respectiva não exime o infrator de cumprir a obrigação inobservada. Seção VII Das Obrigações dos Serventuários de Ofício Art.96 - Relativamente aos tabeliães, escrivães e demais serventuários de ofício, são obrigações: I- não praticar qualquer ato que importe em transmissão de bem ou direito sujeito ao imposto, sem o Documento de Arrecadação Municipal original, que é transcrito no instrumento respectivo; II- facultar a qualquer agente da Fazenda Municipal o exame, em cartório, de livros, registros e outros documentos relacionados com o imposto, assim como fornecer, gratuitamente, certidões que lhes forem solicitadas para fins de fiscalização; III- transcrever nos casos de isenção, imunidade (ou não incidência), a certidão do ato que a reconhecer, passada pela autoridade competente da Fazenda Municipal. IV- Secretaria de Municipal de Tributação, nos prazos e formas definidos pelo Poder Executivo, informações sobre as transmissões escrituradas e/ou registradas. Capitulo III Imposto Sobre Serviços Seção I Do Fato Gerador Art.97 - Constitui fato gerador do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza ISS a prestação de serviços, por pessoa física ou jurídica, com ou sem estabelecimento fixo, ainda que esses serviços não se constituam como atividade preponderante do prestador e, especialmente, a prestação dos seguintes serviços: 1- Serviços de informática e congêneres Análise e desenvolvimento de sistemas Programação Processamento de dados e congêneres Elaboração de programas de computadores, inclusive de jogos eletrônicos Licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação Assessoria e consultoria em informática Suporte técnico em informática, inclusive instalação, configuração e manutenção de programas de computação e bancos de dados Planejamento, confecção, manutenção e atualização de páginas eletrônicas. 2- Serviços de pesquisas e desenvolvimento de qualquer natureza Serviços de pesquisas e desenvolvimento de qualquer natureza. 3- Serviços prestados mediante locação, cessão de direito de uso e congêneres Cessão de direito de uso de marcas e de sinais de propaganda Exploração de salões de festas, centro de convenções, escritórios virtuais, stands, quadras esportivas, estádios, ginásios, auditórios, casas de espetáculos, parques de diversões, canchas e congêneres, para realização de eventos ou negócios de qualquer natureza Locação, sublocação, arrendamento, direito de passagem ou permissão de uso, compartilhado ou não, de ferrovia, rodovia, postes, cabos, dutos e condutos de qualquer natureza Cessão de andaimes, palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário. 4- Serviços de saúde, assistência médica e congêneres Medicina e biomedicina Análises clínicas, patologia, eletricidade médica, radioterapia, quimioterapia, ultrasonografia, ressonância magnética, radiologia, tomografia e congêneres Hospitais, clínicas, laboratórios, sanatórios, manicômios, casas de saúde, prontos socorros, ambulatórios e congêneres Instrumentação cirúrgica Acupuntura Enfermagem, inclusive serviços auxiliares Serviços farmacêuticos Terapia ocupacional, fisioterapia e fonoaudiologia Terapias de qualquer espécie destinadas ao tratamento físico, orgânico e mental Nutrição Obstetrícia Odontologia Ortóptica Próteses sob encomenda Psicanálise.

75 4.16- Psicologia Casas de repouso e de recuperação, creches, asilos e congêneres Inseminação artificial, fertilização in vitro e congêneres Bancos de sangue, leite, pele, olhos, óvulos, sêmen e congêneres Coleta de sangue, leite, tecidos, sêmen, órgãos e materiais biológicos de qualquer espécie Unidade de atendimento, assistência ou tratamento móvel e congêneres Planos de medicina de grupo ou individual e convênios para prestação de assistência médica, hospitalar, odontológica e congêneres Outros planos de saúde que se cumpram através de serviços de terceiros contratados, credenciados, cooperados ou apenas pagos pelo operador do plano mediante indicação do beneficiário. 5- Serviços de medicina e assistência veterinária e congêneres Medicina veterinária e zootecnia Hospitais, clínicas, ambulatórios, prontos-socorros e congêneres, na área veterinária Laboratórios de análise na área veterinária Inseminação artificial, fertilização in vitro e congêneres Bancos de sangue e de órgãos e congêneres Coleta de sangue, leite, tecidos, sêmen, órgãos e materiais biológicos de qualquer espécie Unidade de atendimento, assistência ou tratamento móvel e congêneres Guarda, tratamento, amestramento, embelezamento, alojamento e congêneres Planos de atendimento e assistência médico-veterinária. 6- Serviços de cuidados pessoais, estética, atividades físicas e congêneres Barbearia, cabeleireiros, manicuros, pedicuros e congêneres Esteticistas, tratamento de pele, depilação e congêneres Banhos, duchas, sauna, massagens e congêneres Ginástica, dança, esportes, natação, artes marciais e demais atividades físicas Centros de emagrecimento, spa e congêneres. 7- Serviços relativos a engenharia, arquitetura, geologia, urbanismo, construção civil, manutenção, limpeza, meio ambiente, saneamento e congêneres Engenharia, agronomia, agrimensura, arquitetura, geologia, urbanismo, paisagismo e congêneres Execução, por administração, empreitada ou subempreitada, de obras de construção civil, hidráulica ou elétrica e de outras obras semelhantes, inclusive sondagem, perfuração de poços, escavação, drenagem e irrigação, terraplanagem, pavimentação, concretagem e a instalação e montagem de produtos, peças e equipamentos (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador de serviços fora do local da prestação dos serviços, que fica sujeito ao ICMS) Elaboração de planos diretores, estudos de viabilidade, estudos organizacionais e outros, relacionados com obras e serviços de engenharia; elaboração de anteprojetos, projetos básicos e projetos executivos para trabalhos de engenharia Demolição Reparação, conservação e reforma de edifícios, estradas, pontes, portos e congêneres (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador dos serviços, fora do local da prestação dos serviços, que fica sujeito ao ICMS) Colocação e instalação de tapetes, carpetes, assoalhos, cortinas, revestimentos de parede, vidros, divisórias, placas de gesso e congêneres, com material fornecido pelo tomador do serviço Recuperação, raspagem, polimento e lustração de pisos e congêneres Calafetação Varrição, coleta, remoção, incineração, tratamento, reciclagem, separação e destinação final de lixo, rejeitos e outros resíduos quaisquer Limpeza, manutenção e conservação de vias e logradouros públicos, imóveis, chaminés, piscinas, parques, jardins e congêneres Decoração e jardinagem inclusive cortem e poda de árvores Controle e tratamento de efluentes de qualquer natureza e de agentes físicos, químicos e biológicos Dedetização, desinfecção, desinsetização, imunização, higienização, desratização, pulverização e congêneres Florestamento, reflorestamento, semeadura, adubação e congêneres Escoramento, contenção de encostas e serviços congêneres Limpeza e dragagem de rios, portos, canais, baías, lagos, lagoas, represas, açudes e congêneres Acompanhamento e fiscalização da execução de obras de engenharia, arquitetura e urbanismo Aerofotogrametria (inclusive interpretação), cartografia, mapeamento, levantamentos topográficos, batimétricos, geográficos, geodésicos, geológicos, geofísicos e congêneres Pesquisa, perfuração, cimentação, mergulho, perfilagem, concretação, testemunhagem, pescaria, estimulação e outros serviços relacionados com a exploração e explotação de petróleo, gás natural e de outros recursos minerais Nucleação e bombardeamento de nuvens e congêneres. 8- Serviços de educação, ensino, orientação pedagógica e educacional, instrução, treinamento e avaliação pessoal de qualquer grau ou natureza Ensino regular pré-escolar, fundamental, médio e superior Instrução, treinamento, orientação pedagógica e educacional, avaliação de conhecimentos de qualquer natureza. 9- Serviços relativos a hospedagem, turismo, viagens e congêneres Hospedagem de qualquer natureza em hotéis, apart-service condominiais, flat, apart-hotéis, hotéis residência, residence-service, suite service, hotelaria marítima, motéis, pensões e congêneres; ocupação por temporada com fornecimento de serviço (o valor da alimentação e gorjeta, quando incluído no preço da diária, fica sujeito ao Imposto Sobre Serviços) Agenciamento, organização, promoção, intermediação e execução de programas de turismo, passeios, viagens, excursões, hospedagens e congêneres Guias de turismo. 10- Serviços de intermediação e congêneres Agenciamento, corretagem ou intermediação de câmbio, de seguros, de cartões de crédito, de planos de saúde e de planos de previdência privada Agenciamento, corretagem ou intermediação de títulos em geral, valores mobiliários e contratos quaisquer.

76 Agenciamento, corretagem ou intermediação de direitos de propriedade industrial, artística ou literária Agenciamento, corretagem ou intermediação de contratos de arrendamento mercantil (leasing), de franquia (franchising) e de faturização (factoring) Agenciamento, corretagem ou intermediação de bens móveis ou imóveis, não abrangidos em outros itens ou subitens, inclusive aqueles realizados no âmbito de Bolsas de Mercadorias e Futuros, por quaisquer meios Agenciamento marítimo Agenciamento de notícias Agenciamento de publicidade e propaganda, inclusive o agenciamento de veiculação por quaisquer meios Representação de qualquer natureza, inclusive comercial Distribuição de bens de terceiros. 11- Serviços de guarda, estacionamento, armazenamento, vigilância e congêneres Guarda e estacionamento de veículos terrestres automotores, de aeronaves e de embarcações Vigilância, segurança ou monitoramento de bens e pessoas Escolta, inclusive de veículos e cargas Armazenamento, depósito, carga, descarga, arrumação e guarda de bens de qualquer espécie. 12- Serviços de diversões, lazer, entretenimento e congêneres Espetáculos teatrais Exibições cinematográficas Espetáculos circenses Programas de auditório Parques de diversões, centros de lazer e congêneres Boates, taxi-dancing e congêneres Shows, ballet, danças, desfiles, bailes, óperas, concertos, recitais, festivais e congêneres Feiras, exposições, congressos e congêneres Bilhares, boliches e diversões eletrônicas ou não Corridas e competições de animais Competições esportivas ou de destreza física ou intelectual, com ou sem a participação do espectador Execução de música Produção, mediante ou sem encomenda prévia, de eventos, espetáculos, entrevistas, shows, ballet, danças, desfiles, bailes, teatros, óperas, concertos, recitais, festivais e congêneres Fornecimento de música para ambientes fechados ou não, mediante transmissão por qualquer processo Desfiles de blocos carnavalescos ou folclóricos, trios elétricos e congêneres Exibição de filmes, entrevistas, musicais, espetáculos, shows, concertos, desfiles, óperas, competições esportivas, de destreza intelectual ou congêneres Recreação e animação, inclusive em festas e eventos de qualquer natureza. 13- Serviços relativos a fonografia, fotografia, cinematografia e reprografia Fonografia ou gravação de sons, inclusive trucagem, dublagem, mixagem e congêneres Fotografia e cinematografia, inclusive revelação, ampliação, cópia, reprodução, trucagem e congêneres Reprografia, microfilmagem e digitalização Composição gráfica, fotocomposição, clicheria, zincografia, litografia, fotolitografia. 14- Serviços relativos a bens de terceiros Lubrificação, limpeza, lustração, revisão, carga e recarga, conserto, restauração, blindagem, manutenção e conservação de máquinas, veículos, aparelhos, equipamentos, motores, elevadores ou de qualquer objeto (exceto peças e partes empregadas, que ficam sujeitas ao ICMS) Assistência técnica Recondicionamento de motores (exceto peças e partes empregadas, que ficam sujeitas ao ICMS) Recauchutagem ou regeneração de pneus Restauração, recondicionamento, acondicionamento, pintura, beneficiamento, lavagem, secagem, tingimento, galvanoplastia, anodização, corte, recorte, polimento, plastificação e congêneres, de objetos quaisquer Instalação e montagem de aparelhos, máquinas e equipamentos, inclusive montagem industrial, prestados ao usuário final, exclusivamente com material por ele fornecido Colocação de molduras e congêneres Encadernação, gravação e douração de livros, revistas e congêneres Alfaiataria e costura, quando o material for fornecido pelo usuário final, exceto aviamento Tinturaria e lavanderia Tapeçaria e reforma de estofamentos em geral Funilaria e lanternagem Carpintaria e serralheria. 15- Serviços relacionados ao setor bancário ou financeiro, inclusive aqueles prestados por instituições financeiras autorizadas a funcionar pela União ou por quem de direito Administração de fundos quaisquer, de consórcio, de cartão de crédito ou débito e congêneres, de carteira de clientes, de cheques pré-datados e congêneres Abertura de contas em geral, inclusive conta-corrente, conta de investimentos e aplicação e caderneta de poupança, no País e no exterior, bem como a manutenção das referidas contas ativas e inativas Locação e manutenção de cofres particulares, de terminais eletrônicos, de terminais de atendimento e de bens e equipamentos em geral Fornecimento ou emissão de atestados em geral, inclusive atestado de idoneidade, atestado de capacidade financeira e congêneres Cadastro, elaboração de ficha cadastral, renovação cadastral e congêneres, inclusão ou exclusão no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos CCF ou em quaisquer outros bancos cadastrais Emissão, reemissão e fornecimento de avisos, comprovantes e documentos em geral; abono de firmas; coleta e entrega de documentos, bens e valores; comunicação com outra agência ou com

77 77 a administração central; licenciamento eletrônico de veículos; transferência de veículos; agenciamento fiduciário ou depositário; devolução de bens em custódia Acesso, movimentação, atendimento e consulta a contas em geral, por qualquer meio ou processo, inclusive por telefone, fac-símile, internet e telex, acesso a terminais de atendimento, inclusive vinte e quatro horas; acesso a outro banco e a rede compartilhada; fornecimento de saldo, extrato e demais informações relativas a contas em geral, por qualquer meio ou processo Emissão, reemissão, alteração, cessão, substituição, cancelamento e registro de contrato de crédito; estudo, análise e avaliação de operações de crédito; emissão, concessão, alteração ou contratação de aval, fiança, anuência e congêneres; serviços relativos a abertura de crédito, para quaisquer fins Arrendamento mercantil (leasing) de quaisquer bens, inclusive cessão de direitos e obrigações, substituição de garantia, alteração, cancelamento e registro de contrato, e demais serviços relacionados ao arrendamento mercantil (leasing) Serviços relacionados a cobranças, recebimentos ou pagamentos em geral, de títulos quaisquer, de contas ou carnês, de câmbio, de tributos e por conta de terceiros, inclusive os efetuados por meio eletrônico, automático ou por máquinas de atendimento; fornecimento de posição de cobrança, recebimento ou pagamento; emissão de carnês, fichas de compensação, impressos e documentos em geral Devolução de títulos, protesto de títulos, sustação de protesto, manutenção de títulos, reapresentação de títulos, e demais serviços a eles relacionados Custódia em geral, inclusive de títulos e valores mobiliários Serviços relacionados a operações de câmbio em geral, edição, alteração, prorrogação, cancelamento e baixa de contrato de câmbio; emissão de registro de exportação ou de crédito; cobrança ou depósito no exterior; emissão, fornecimento e cancelamento de cheques de viagem; fornecimento, transferência, cancelamento e demais serviços relativos a carta de crédito de importação, exportação e garantias recebidas; envio e recebimento de mensagens em geral relacionadas a operações de câmbio Fornecimento, emissão, reemissão, renovação e manutenção de cartão magnético, cartão de crédito, cartão de débito, cartão salário e congêneres Compensação de cheques e títulos quaisquer; serviços relacionados a depósito, inclusive depósito identificado, a saque de contas quaisquer, por qualquer meio ou processo, inclusive em terminais eletrônicos e de atendimento Emissão, reemissão, liquidação, alteração, cancelamento e baixa de ordens de pagamento, ordens de crédito e similares, por qualquer meio ou processo; serviços relacionados à transferência de valores, dados, fundos, pagamentos e similares, inclusive entre contas em geral Emissão, fornecimento, devolução, sustação, cancelamento e oposição de cheques quaisquer, avulso ou por talão Serviços relacionados a crédito imobiliário, avaliação e vistoria de imóvel ou obra, análise técnica e jurídica, emissão, reemissão, alteração, transferência e renegociação de contrato, emissão e reemissão do termo de quitação e demais serviços relacionados a crédito imobiliário. 16- Serviços de transporte de natureza municipal Serviços de transporte de natureza municipal. 17- Serviços de apoio técnico, administrativo, jurídico, contábil, comercial e congêneres Assessoria ou consultoria de qualquer natureza, não contida em outros itens desta lista; análise, exame, pesquisa, coleta, compilação e fornecimento de dados e informações de qualquer natureza, inclusive cadastro e similares Datilografia, digitação, estenografia, expediente, secretaria em geral, resposta audível, redação, edição, interpretação, revisão, tradução, apoio e infra-estrutura administrativa e congêneres Planejamento, coordenação, programação ou organização técnica, financeira ou administrativa Recrutamento, agenciamento, seleção e colocação de mão-de-obra Fornecimento de mão-de-obra, mesmo em caráter temporário, inclusive de empregados ou trabalhadores, avulsos ou temporários, contratados pelo prestador de serviço Propaganda e publicidade, inclusive promoção de vendas, planejamento de campanhas ou sistemas de publicidade, elaboração de desenhos, textos e demais materiais publicitários Franquias (franchising) Perícias, laudos, exames técnicos e análises técnicas Planejamento, organização e administração de feiras, exposições, congressos e congêneres Organização de festas e recepções; bufê (exceto o fornecimento de alimentação e bebidas, que fica sujeito ao ICMS) Administração em geral, inclusive de bens e negócios de terceiros Leilão e congêneres Advocacia Arbitragem de qualquer espécie, inclusive jurídica Auditoria Análise de Organização e Métodos Atuária e cálculos técnicos de qualquer natureza Contabilidade, inclusive serviços técnicos e auxiliares Consultoria e assessoria econômica ou financeira Estatística Cobrança em geral Assessoria, análise, avaliação, atendimento, consulta, cadastro, seleção, gerenciamento de informações, administração de contas a receber ou a pagar e em geral, relacionados a operações de faturização (factoring) Apresentação de palestras, conferências, seminários e congêneres. 18- Serviços de regulação de sinistros vinculados a contratos de seguros; inspeção e avaliação de riscos para cobertura de contratos de seguros; prevenção e gerência de riscos seguráveis e congêneres Serviços de regulação de sinistros vinculados a contratos de seguros; inspeção e avaliação de riscos para cobertura de contratos de seguros; prevenção e gerência de riscos seguráveis e congêneres. 19- Serviços de distribuição e venda de bilhetes e demais produtos de loteria, bingos, cartões, pules ou cupons de apostas, sorteios, prêmios, inclusive os decorrentes de títulos de capitalização e congêneres Serviços de distribuição e venda de bilhetes e demais produtos de loteria, bingos, cartões, pules ou cupons de apostas, sorteios, prêmios, inclusive os decorrentes de títulos de capitalização e congêneres. 20- Serviços portuários, aeroportuários, ferroportuários, de terminais rodoviários, ferroviários e metroviários Serviços portuários, ferroportuários, utilização de porto, movimentação de passageiros, reboque de embarcações, rebocador escoteiro, atracação, desatracação, serviços de praticagem, capatazia, armazenagem de qualquer natureza, serviços acessórios, movimentação de mercadorias, serviços de apoio marítimo, de movimentação ao largo, serviços de armadores, estiva, conferência, logística e congêneres Serviços aeroportuários, utilização de aeroporto, movimentação de passageiros, armazenagem de qualquer natureza, capatazia, movimentação de aeronaves, serviços de apoio aeroportuários, serviços acessórios, movimentação de mercadorias, logística e congêneres Serviços de terminais rodoviários, ferroviários, metroviários, movimentação de passageiros, mercadorias, inclusive suas operações, logística e congêneres. 21- Serviços de registros públicos, cartorários e notariais Serviços de registros públicos, cartorários e notariais.

78 22- Serviços de exploração de rodovia Serviços de exploração de rodovia mediante cobrança de preço ou pedágio dos usuários, envolvendo execução de serviços de conservação, manutenção, melhoramentos para adequação de capacidade e segurança de trânsito, operação, monitoração, assistência aos usuários e outros serviços definidos em contratos, atos de concessão ou de permissão ou em normas oficiais. 23- Serviços de programação e comunicação visual, desenho industrial e congêneres Serviços de programação e comunicação visual, desenho industrial e congêneres. 24- Serviços de chaveiros, confecção de carimbos, placas, sinalização visual, banners, adesivos e congêneres Serviços de chaveiros, confecção de carimbos, placas, sinalização visual, banners, adesivos e congêneres. 25- Serviços funerários Funerais, inclusive fornecimento de caixão, urna ou esquifes; aluguel de capela; transporte do corpo cadavérico; fornecimento de flores, coroas e outros paramentos; desembaraço de certidão de óbito; fornecimento de véu, essa e outros adornos; embalsamento, embelezamento, conservação ou restauração de cadáveres Cremação de corpos e partes de corpos cadavéricos Planos ou convênio funerários Manutenção e conservação de jazigos e cemitérios. 26- Serviços de coleta, remessa ou entrega de correspondências, documentos, objetos, bens ou valores, inclusive pelos correios e suas agências franqueadas; courrier e congêneres Serviços de coleta, remessa ou entrega de correspondências, documentos, objetos, bens ou valores, inclusive pelos correios e suas agências franqueadas; courrier e congêneres. 27- Serviços de assistência social Serviços de assistência social. 28- Serviços de avaliação de bens e serviços de qualquer natureza Serviços de avaliação de bens e serviços de qualquer natureza. 29- Serviços de biblioteconomia Serviços de biblioteconomia. 30- Serviços de biologia, biotecnologia e química Serviços de biologia, biotecnologia e química. 31- Serviços técnicos em edificações, eletrônica, eletrotécnica, mecânica, telecomunicações e congêneres Serviços técnicos em edificações, eletrônica, eletrotécnica, mecânica, telecomunicações e congêneres. 32- Serviços de desenhos técnicos Serviços de desenhos técnicos. 33- Serviços de desembaraço aduaneiro, comissários, despachantes e congêneres Serviços de desembaraço aduaneiro, comissários, despachantes e congêneres. 34- Serviços de investigações particulares, detetives e congêneres Serviços de investigações particulares, detetives e congêneres. 35- Serviços de reportagem, assessoria de imprensa, jornalismo e relações públicas Serviços de reportagem, assessoria de imprensa, jornalismo e relações públicas. 36- Serviços de meteorologia Serviços de meteorologia. 37- Serviços de artistas, atletas, modelos e manequins Serviços de artistas, atletas, modelos e manequins. 38- Serviços de museologia Serviços de museologia. 39- Serviços de ourivesaria e lapidação Serviços de ourivesaria e lapidação (quando o material for fornecido pelo tomador do serviço). 40- Serviços relativos a obras de arte sob encomenda Obras de arte sob encomenda. 1º - O imposto incide também sobre o serviço proveniente do exterior do País ou cuja prestação se tenha iniciado no exterior do País. 2º - Ressalvadas as exceções expressas na lista de serviços de que trata o artigo 60, os serviços nela mencionados não ficam sujeitos ao Imposto Sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação ICMS, ainda que sua prestação envolva fornecimento de mercadorias. 3º - O imposto incide ainda sobre os serviços prestados mediante a utilização de bens e serviços públicos explorados economicamente mediante autorização, permissão ou concessão, com o pagamento de tarifa, preço ou pedágio pelo usuário final do serviço. 4º - A incidência do imposto não depende da denominação dada ao serviço prestado. Seção II Do Local da Prestação Art.98 - O serviço considera-se prestado e o imposto devido no local do estabelecimento prestador ou, na falta do estabelecimento, no local do domicílio do prestador, exceto nas hipóteses previstas nos incisos I a XX, quando o imposto é devido no local: I- do estabelecimento do tomador ou intermediário do serviço ou, na falta de estabelecimento, onde ele estiver domiciliado, na hipótese do 1º do artigo 97; II- da instalação dos andaimes, palcos, coberturas e outras estruturas, no caso dos serviços descritos no subitem 3.04 do artigo 97; III- da execução da obra, no caso dos serviços descritos no subitem 7.02 e 7.17 do artigo 97; IV- da demolição, no caso dos serviços descritos no subitem 7.04 do artigo 97; V- das edificações em geral, estradas, pontes, portos e congêneres, no caso dos serviços descritos no subitem 7.05 do artigo 97; VI- da execução da varrição, coleta, remoção, incineração, tratamento, reciclagem, separação e destinação final de lixo, rejeitos e outros resíduos quaisquer, no caso dos serviços descritos no subitem 7.09 do artigo 97; VII- da execução da limpeza, manutenção e conservação de vias e logradouros públicos, imóveis, chaminés, piscinas, parques, jardins e congêneres, no caso dos serviços descritos no subitem 7.10 do artigo 97; VIII- da execução da decoração e jardinagem, do corte e poda de árvores, no caso dos serviços descritos no subitem 7.11 do artigo 97;

79 79 IX- do controle e tratamento do efluente de qualquer natureza e de agentes físicos, químicos e biológicos, no caso dos serviços descritos no subitem 7.12 do artigo 97; X- do florestamento, reflorestamento, semeadura, adubação e congêneres, no caso dos serviços descritos no subitem 7.14 do artigo 97; XI- da execução dos serviços de escoramento, contenção de encostas e congêneres, no caso dos serviços descritos no subitem 7.15 do artigo 97; XII- da limpeza e dragagem, no caso dos serviços descritos no subitem 7.16 do artigo 97; XIII- onde o bem estiver guardado ou estacionado, no caso dos serviços descritos no subitem 11.01do artigo 97; XIV- dos bens ou do domicílio das pessoas vigiados, segurados ou monitorados, no caso dos serviços descritos no subitem do artigo 97; XV- do armazenamento, depósito, carga, descarga, arrumação e guarda do bem, no caso dos serviços descritos no subitem do artigo 97; XVI- da execução dos serviços de diversão, lazer, entretenimento e congêneres, no caso dos serviços descritos nos subitens do item 12, exceto o 12.13, do artigo 97; XVII- do Município onde está sendo executado o transporte, no caso dos serviços descritos pelo subitem do artigo 97; XVIII- do estabelecimento do tomador da mão-de-obra ou, na falta de estabelecimento, onde ele estiver domiciliado, no caso dos serviços descritos pelo subitem do artigo 97; XIX- da feira, exposição, congresso ou congênere a que se referir o planejamento, organização e administração, no caso dos serviços descritos pelo subitem do artigo 97; XX- do porto, aeroporto, ferroporto, terminal rodoviário, ferroviário ou metroviário, no caso dos serviços descritos pelo item 20 do artigo 97. 1º- No caso dos serviços a que se refere o subitem 3.03 do artigo 97, considera-se ocorrido o fato gerador e devido o imposto ao Município de Senador Georgino Avelino, uma vez localizada a extensão de ferrovia, rodovia, postes, cabos, dutos e condutos de qualquer natureza, objetos de locação, sublocação, arrendamento, direito de passagem ou permissão de uso, compartilhado ou não. 2º- Considera-se estabelecimento prestador o local onde o contribuinte desenvolva a atividade de prestar serviços, de modo permanente ou temporário, e que configure unidade econômica ou profissional, sendo irrelevantes para caracterizá-lo as denominações de sede, filial, agência, posto de atendimento, sucursal, escritório de representação ou contato ou quaisquer outras que venham a ser utilizadas. 3º- A existência do estabelecimento prestador é indicada pela conjugação, parcial ou total, dos seguintes elementos: I- manutenção de pessoal, material, máquinas, instrumentos e de equipamentos necessários à execução dos serviços; II- estrutura organizacional ou administrativa; III- inscrição nos órgãos previdenciários; IV- indicação como domicílio fiscal para efeito de outros tributos; V- permanência ou ânimo de permanecer no local, para a exploração econômica de atividade de prestação de serviços, exteriorizada através da indicação do endereço em impressos, formulários ou correspondência, contrato de locação do imóvel, propaganda ou publicidade, ou em contas de telefone, de fornecimento de energia elétrica, água ou gás, em nome do prestador, seu representante ou preposto. 4º - No caso dos serviços a que se refere o subitem do artigo 97, considera-se ocorrido o fato gerador e devido o imposto ao município de Senador Georgino Avelino, com relação aos fatos ocorridos na extensão de rodovia explorada localizada neste município. 5º - Considera-se ocorrido o fato gerador do imposto no local do estabelecimento prestador nos serviços executados em águas marítimas, excetuados os serviços descritos no subitem do artigo 97. Art.99 - A incidência independe: I- da existência de estabelecimento fixo; II- do cumprimento de quaisquer exigências legais, regulamentares ou administrativas, relativas à atividade, sem prejuízo das cominações cabíveis; III- do resultado financeiro obtido. Art O imposto não incide sobre: I- as exportações de serviços para o exterior do País; II- a prestação de serviços em relação de emprego, dos trabalhadores avulsos, dos diretores e membros de conselho consultivo ou de conselho fiscal de sociedades e fundações, bem como dos sóciosgerentes e dos gerentes-delegados; III- o valor intermediado no mercado de títulos e valores mobiliários, o valor dos depósitos bancários, o principal, juros e acréscimos moratórios relativos a operações de crédito realizadas por instituições financeiras. Parágrafo Único - Não se enquadram no disposto no inciso I os serviços desenvolvidos no Brasil, cujo resultado aqui se verifique, ainda que o pagamento seja feito por residente no exterior. Seção III Do Contribuinte e Responsáveis Art Contribuinte do imposto é o prestador do serviço. Art São responsáveis, pela retenção e pelo recolhimento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza ISS: I- o tomador ou intermediário de serviço proveniente do exterior do país ou cuja prestação se tenha iniciado no exterior do país; II- a pessoa jurídica, ainda que imune ou isenta, tomadora ou intermediária dos serviços descritos nos subitens 3.04, 7.02, 7.04, 7.05, 7.09, 7.10, 7.12, 7.14, 7.15, 7.17, 11.02, e do artigo 97; III- os titulares dos estabelecimentos onde se instalem máquinas, aparelhos e equipamentos, pelo imposto devido pelos respectivos proprietários não estabelecidos no Município, e relativo à exploração desses bens; IV- os que permitam em seus estabelecimentos ou domicílios, exploração de atividade tributável sem estar o prestador do serviço inscrito no órgão fiscal competente, pelo imposto devido sobre essa atividade; V- os que efetuem pagamento de serviços a terceiros não inscritos no Cadastro Mercantil de Contribuintes do Município de Senador Georgino Avelino, pelo imposto cabível nas operações; VI- os que utilizam serviços de empresas, pelo imposto incidente sobre as operações, se não for fornecido pelos prestadores documento fiscal idôneo; VII- os que utilizam serviços de profissionais autônomos, pelo imposto incidente sobre as operações, quando não comprovadas, pelos prestadores, inscrição no Cadastro Mercantil de Contribuintes e regularidade quanto ao recolhimento do imposto; VIII- as companhias de aviação e seus representantes comerciais em relação às comissões pagas pelas vendas de passagens aéreas e de transportes de cargas; IX- as incorporadoras e construtoras em relação às comissões pagas pelas corretagens de imóveis; X- as empresas seguradoras e de capitalização, em relação às comissões pagas pelas corretagens de seguros e de capitalização e sobre os pagamentos de serviços de consertos de bens sinistrados; XI- as empresas e entidades que explorem loterias e outros jogos, inclusive apostas, em relação às comissões pagas aos seus agentes revendedores ou concessionários; XII- as instituições financeiras, em relação aos serviços que lhe forem prestados; XIII- as empresas que explorem serviços de planos de saúde ou de assistência médica, hospitalar e congêneres, seguro-saúde, planos de medicina de grupo e convênios, em relação aos serviços, remoção de doentes, serviços de hospitais, clínicas, sanatórios, laboratórios de análise, ambulatórios, prontos-socorros, manicômios, casa de saúde, de repouso e de recuperação, clínicas de radioterapia, eletricidade médica, ultra-sonografia, radiologia, tomografia e congêneres; XIV- aos órgãos da Administração Direta e Indireta como autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista, do Município de Senador Georgino Avelino, do Estado do Rio Grande do Norte e da União e os serviços sociais autônomos localizados neste Município, em relação aos serviços que lhes forem prestados; XV- as empresas permissionárias e concessionárias de serviços públicos de qualquer natureza em relação aos serviços que lhes forem prestados; XVI- as agências de publicidade, pelos serviços que lhes forem prestados; XVII- as entidades públicas ou privadas, pelo imposto incidente sobre o preço dos serviços de diversões públicas, prestados por terceiros em locais de que sejam proprietárias, administradoras ou possuidoras, a qualquer título, a exceção daqueles realizados em bens de uso comum do povo;

80 XVIII- o condomínio, pelos serviços que lhes forem prestados. 80 1º- A responsabilidade de que trata este artigo é satisfeita mediante o recolhimento do imposto retido das pessoas físicas ou jurídicas à alíquota cabível, sobre o preço do serviço prestado. 2º- O responsável, ao efetuar a retenção do imposto, deve fornecer comprovante de retenção ao prestador do serviço, na forma que dispuser a legislação tributária. 3º- Os responsáveis a que se refere este artigo estão obrigados ao recolhimento integral do imposto devido, multas e demais encargos, independentemente de ter sido efetuada sua retenção na fonte. 4º- O recolhimento do ISS, quando da substituição tributária por Órgãos da Administração Direta Federal, Estadual e Municipal é efetuado utilizando o regime contábil de caixa. Art Cada estabelecimento do mesmo sujeito passivo é considerado autônomo para o efeito exclusivo de manutenção de livros e documentos fiscais e para recolhimento do deles, imposto relativo aos serviços nele prestados, respondendo a empresa pelos créditos tributários, acréscimos e multas referentes a quaisquer um dos estabelecimentos. Seção IV Dos Livros e Documentos Fiscais Art Os livros, notas fiscais, e demais documentos fiscais utilizados pelo prestador de serviços para controle do imposto são os instituídos e previstos em regulamento. Art Compete ao Poder Executivo definir os modelos de livros, e documentos fiscais a serem utilizados pelos contribuintes, cabendo-lhe, ainda, estabelecer as normas relativas: I- à obrigatoriedade ou dispensa de emissão de documento ou registro em livro fiscal; II- ao conteúdo, utilização e meio de emissão; III- à autenticação; IV- à impressão; V- a quaisquer outras condições. Art É sempre exigida a apresentação do livro anterior a ser encerrado, exceto no caso de início de atividade ou, quando se tarar de emissão por meio eletrônico. Art É indispensável a escrituração do Livro Diário, que pode ser substituído por fichas no caso de escrituração mecanizada ou eletrônica, nos termos da lei civil. Parágrafo Único - Fica desobrigado ao disposto do caput deste artigo o contribuinte sujeito a escrituração através do Sistema Público de Escrituração Digital SPED. Art Nos casos de pedido de baixa de inscrição, os livros e documentos fiscais devem ser apresentados à administração tributária, para exame e lavratura dos termos de encerramento de livros fiscais e, apreensão e inutilização das notas fiscais não emitidas, exceto, aqueles documentos processados eletronicamente. Art O extravio ou inutilização de livro ou documento fiscal é comunicado pelo sujeito passivo à Administração Tributária, no prazo máximo de até 30 (trinta) dias, a contar da data da ocorrência, devendo a comunicação ser instruída com a prova da publicação, em jornal de grande circulação de âmbito municipal, de nota comunicando o fato à população em geral, exceto, aqueles documentos processados eletronicamente. Art O sujeito passivo fica obrigado, em qualquer hipótese, a comprovar, no prazo máximo de até 30 (trinta) dias, contados da data da publicação a que se refere o parágrafo anterior, os valores das operações a que se reportavam os livros ou documentos extraviados ou inutilizados, para efeito de verificação do pagamento do ISS, exceto aqueles documentos processados eletronicamente, sujeitos a procedimentos próprios. Art Os contribuintes que possuírem mais de um estabelecimento mantêm escrituração fiscal distinta em cada um deles, podendo ser autorizada, a critério da Administração Tributária, a centralização da escrita fiscal. Art Os livros fiscais devem ser apresentados para autenticação na repartição competente no prazo máximo de 30(trinta) dias contados da data de inscrição junto a Administração Tributária, quando é autorizada a efetiva utilização. Art Os livros e documentos devem permanecer no estabelecimento daqueles que estejam obrigados a possuí-los, à disposição da fiscalização, e deles só podem ser retirados para os escritórios de contabilidade registrados, ou para atender à requisição das autoridades competentes. Art Os livros obrigatórios de escrituração comercial e fiscal e os comprovantes dos lançamentos neles efetuados devem ser conservados, pelo sujeito passivo, pelo prazo de cinco anos. Art As pessoas jurídicas, inclusive as imunes ou isentas do imposto, inscritas no Cadastro Mercantil de Contribuintes ou os a elas equiparados devem apresentar, mensalmente, declaração contendo informações econômico-fiscais, na forma e prazos estabelecidos em regulamento. Parágrafo Único - A obrigação prevista no caput deste artigo também se aplica aos condomínios. Seção V Da Base de Cálculo Art A base de cálculo do imposto é o preço do serviço. 1º- Quando os serviços descritos pelos subitens 3.03 e do artigo 97 forem prestados no território deste Município e também no de um ou mais outros Municípios, a base de cálculo é a proporção do preço do serviço que corresponder à proporção, em relação ao total, conforme o caso, da extensão da ferrovia, da rodovia, das pontes, dos túneis, dos dutos e dos condutos de qualquer natureza, dos cabos de qualquer natureza, ou ao número de postes, existentes neste Município. 2º- Não se inclui na base de cálculo do imposto o valor dos materiais fornecidos pelo prestador dos serviços previstos nos subitens 7.02 e 7.05 do artigo 97 que fica sujeita ao ICMS. 3º- Em relação aos serviços previstos no subitem 7.02 do art. 97, quando estes forem prestados sob regime de incorporação imobiliária, a base de cálculo do imposto é o valor compromissado de aquisição das unidades deduzido do valor correspondente às respectivas frações ideais do terreno. 4º- Em relação à prestação dos serviços previstos nos subitens 4.22 e 4.23 do art. 97 não são considerados na base de cálculo os valores efetivamente repassados aos serviços de saúde contratados pelas operadoras de planos de saúde e assemelhados para atendimento e assistência a seus associados e a seus dependentes. Art Considera-se preço do serviço, para efeito de cálculo do imposto, tudo o que for cobrado em virtude da prestação do serviço, seja na conta ou não. 1 - Incorporam-se ao preço do serviço os valores acrescidos e os encargos de qualquer natureza, ainda que da responsabilidade de terceiros, inclusive a título de reembolso, reajustamento ou dispêndios de qualquer natureza. 2 - Quando a contraprestação se verificar através de troca de serviços ou o seu pagamento for realizado mediante o fornecimento de mercadorias, o preço do serviço, para base de cálculo do imposto é o preço corrente na praça. 3 - No caso de concessão de desconto ou abatimento sujeito à condição, o preço base de cálculo é o preço normal, sem levar em conta essa concessão. 4 - No caso de prestação de serviços a crédito, sob qualquer modalidade, incluem-se na base de cálculo os ônus relativos à concessão do crédito, ainda que cobrados em separado. Seção VI Do Arbitramento Art O valor da base de cálculo do imposto é objeto de arbitramento quando constatada pela fiscalização qualquer das seguintes hipóteses: I- se o contribuinte ou responsável, nos casos previstos por lei, não possuir ou deixar de exibir, aos agentes do Fisco, os elementos necessários à comprovação da exatidão do valor das operações realizadas; II- nos casos de perda, extravio ou inutilização de livros ou documentos fiscais, quando não for possível a reconstituição da documentação fiscal no prazo fixado pela autoridade competente; III- serem omissos, ou, pela inobservância das formalidades extrínsecas ou intrínsecas, não merecerem fé os livros ou os documentos fiscais ou comerciais exibidos ou emitidos pelos sujeitos passivos ou terceiros legalmente obrigados; IV- não prestar o contribuinte ou responsável, nos casos previstos por lei, após regularmente intimado, os esclarecimentos exigidos pela fiscalização ou prestar esclarecimentos insuficientes ou que não mereçam fé, por inverossímeis ou falsos; V- existência de atos qualificados em lei como crimes ou contravenções ou que, mesmo sem essa qualificação, sejam praticados com dolo, fraude ou simulação, atos esses evidenciados pelo exame de livros e documentos do contribuinte ou responsável, nos casos previstos por lei, ou apurados por quaisquer meios diretos ou indiretos de verificação; VI- exercício de qualquer atividade que implique realização de operação tributável, sem se encontrar o contribuinte devidamente inscrito na repartição fiscal competente; VII- prática de subfaturamento ou contratação de serviços por valores abaixo dos preços de mercado; VIII - flagrante insuficiência do imposto pago face ao volume dos serviços prestados;

81 IX- serviços prestados sem determinação de preços ou a título de cortesia; O arbitramento referir-se-á, exclusivamente, aos fatos geradores ocorridos no período em que se verifiquem os pressupostos mencionados nos incisos deste artigo, e cessam após o contribuinte sanar as irregularidades que motivaram a aplicação do mesmo. 2 - É aplicada à base de cálculo apurada a alíquota correspondente à atividade de prestação de serviços exercida pelo contribuinte. 3 - No caso de serem exercidas pelo contribuinte, atividades sujeitas a alíquotas diferentes, é aplicada a alíquota maior à base de cálculo apurada no arbitramento. Art O arbitramento tem sempre por base representação circunstanciada, oferecida pela autoridade fiscal competente, na qual se estabelece a base de cálculo do imposto, considerando-se os seguintes elementos: I- a média aritmética das receitas apuradas pelo mesmo ou por outros contribuintes que exerçam a mesma atividade em condições semelhantes, em períodos anteriores ou posteriores àquele a ser arbitrado; II- as condições peculiares ao contribuinte; III- os elementos que exteriorizem a situação econômico-financeira do contribuinte; IV- o preço corrente dos serviços, à época a que se referir a apuração; V- a média mensal das despesas apuradas, por exercício, referentes ao período objeto do arbitramento. 1º- Para o cálculo da média mensal referida no inciso V deste artigo são considerados os valores dos materiais empregados na prestação dos serviços, salários e encargos, retiradas dos sócios, honorários, aluguéis, taxas condominiais, água, telefone, energia elétrica, encargos tributários e sociais e outras despesas necessárias à realização das atividades do contribuinte. 2º- O valor total resultante do cômputo dos valores referidos no 1º deve ser acrescido de 20% (vinte por cento), a título de lucro presumido, para que se chegue ao valor arbitrado da base de cálculo do imposto. Seção VII Da Estimativa Art O contribuinte pode recolher o imposto por estimativa, a critério da autoridade competente, quando: I- se tratar de atividade exercida em caráter provisório; II- o contribuinte não tiver condições de emitir documentos fiscais; III- se tratar de contribuinte ou grupo de contribuintes cuja espécie, modalidade ou volume de negócio ou atividade aconselhe tratamento fiscal específico. Parágrafo Único - Considera-se atividade exercida em caráter provisório, aquela cujo exercício seja de natureza temporária e esteja vinculada a fatores ou acontecimentos ocasionais ou excepcionais. Art Na fixação da base de cálculo do imposto por estimativa levar-se-á em conta os seguintes elementos: I- o preço corrente do serviço, na praça; II- o tempo de duração e a natureza específica da atividade; III- o valor das despesas gerais do contribuinte, durante o período considerado para cálculo da estimativa. Parágrafo Único - Nos casos de enquadramento do contribuinte com atividade de caráter provisório ou no exercício de seu primeiro ano de atividade, considerar-se-á apenas o preço do serviço. Art Os contribuintes enquadrados no regime de estimativa podem reclamar do valor estimado no prazo máximo de 30 (trinta) dias, contados da data da notificação do lançamento. Art O enquadramento do contribuinte no regime de estimativa pode, a critério do Secretaria de Municipal de Tributação, ser feito individualmente, por categoria de contribuintes ou grupos de atividades econômicas. 1º- A autoridade referida no caput deste artigo pode, a qualquer tempo, suspender a aplicação do sistema previsto nesta Seção, de modo individual ou geral, bem como rever os valores estimados para determinado período e, se for o caso, reajustar as parcelas mensais subseqüentes à revisão. 2º- Quando do enquadramento do contribuinte ou do grupo de contribuintes de uma mesma atividade, no regime de estimativa, é fixado o prazo de sua aplicação. Seção VIII Das Alíquotas Art O imposto é calculado à alíquota de cinco por cento (5%) da base de cálculo para os todos os serviços. 1º- A prestação de serviços por pessoa física, sob a forma de trabalho pessoal do próprio contribuinte e com o auxílio de, no máximo, dois empregados que não possuam a mesma habilitação profissional do empregador, é tributada, em qualquer hipótese, com o valor anual de: I-Valor de R$ 20 (duzentos reais), quando os serviços prestados necessitem, por força de lei, de qualificação profissional obtida através de titulação dada por instituição de nível superior; II - Valor de R$ 10 (Cem reais), quando os serviços prestados dispensem a qualificação profissional mencionada no inciso I. 2º- Não se considera serviço pessoal do próprio contribuinte o serviço prestado por empresário conforme definição dada pela Lei Civil. 3º- Quando não atendidas às condições fixadas nos 1º e 2º, o imposto é calculado com base no preço do serviço mediante a aplicação da alíquota cabível. Art O valor do imposto devido, na forma do 1º do artigo anterior, para quem promova sua primeira inscrição junto ao Cadastro Mercantil de Contribuintes, dentro dos prazos e formas regulamentares é reduzido: I- relativamente aos profissionais estabelecidos, no seguinte percentual: - cinquenta por cento (50%) no primeiro exercício tributável; - quarenta por cento (40%) no segundo exercício tributável; - trinta por cento (30%), no terceiro exercício tributável; - vinte por cento (20%), no quarto exercício tributável; - dez por cento (10%), no quinto exercício tributável. II- relativamente aos profissionais não estabelecidos, em cinqüenta por cento (50%). Art As sociedades de profissionais, instituídas para a prestação dos serviços constantes nos itens 4.01, 4.02, 4.03 (apenas clínicas e laboratórios ), 4.06, 4.08, 4.11, 4.12, 4.13, 4.14, 4.15, 4.16, 5.01, 7.01(exceto paisagismo ), 10.03, 17.14, 17.16, e da lista constante do artigo 97 desta lei, podem optar por recolher o imposto mensalmente calculado com base em alíquotas fixas, na forma deste artigo. 1º - O imposto é calculado considerando-se o número total de profissionais habilitados, sejam sócios, contratados, terceirizados, empregados ou não, que prestem serviços em nome da sociedade, à razão de setecentos e vinte reais (R$ 72) por profissional, mensalmente. 2º - A opção referida no caput deste artigo somente pode ser feita em relação à sociedade que preencher os seguintes requisitos: I - todos os profissionais, ainda que sócios, devem possuir a mesma habilitação profissional, com registro no órgão de classe; II - não pode haver sócio pessoa jurídica; III - a sociedade deve explorar apenas a atividade relacionada à habilitação profissional dos sócios, e constante de seus atos constitutivos; IV - a prestação deve ser realizada pessoalmente pelo profissional habilitado, assumindo responsabilidade direta pelo serviço; V - aquela que, na forma das leis comerciais específicas, não seja constituída como sociedade anônima ou sociedade comercial de qualquer tipo, ou que a estas se equipare, e ainda, não pode o estatuto prever sócio eminentemente capitalista ou cláusula que limite a responsabilidade do profissional, seja sócio ou não; VI - a sociedade deve cumprir regularmente suas obrigações tributárias.

82 3º - É admissível que a sociedade possua empregados não habilitado, desde que: I- possuam nível de escolaridade inferior à dos demais profissionais; 82 II- sejam contratados para atividades auxiliares de atendimento, secretaria, limpeza, vigilância ou congêneres; III- não exercitem a atividade-fim para a qual a sociedade foi constituída. 4º - A opção de que trata o caput deste artigo é definitiva em relação a todo o exercício, sendo incabível complementação ou restituição de tributo. 5º - Cabe aos servidores fiscais, em quaisquer casos, a fiscalização dos recolhimentos e a revisão periódica do atendimento dos requisitos fáticos e documentais do regime referido neste artigo. 6º - O recolhimento mensal de qualquer entidade que calcule o ISS com base em alíquotas fixas não é inferior ao equivalente a um mil reais (R$ 1.00). Seção IX Do Cadastro Mercantil de Contribuintes Art O Cadastro Mercantil de Contribuinte - CMC é constituído pelos dados de inscrição e respectivas alterações promovidas pelo sujeito passivo, além dos elementos obtidos pela Fazenda Municipal. Art Os contribuintes do imposto e os responsáveis, nos casos previstos em lei, ainda que imunes ou isentos devem inscrever-se na repartição fiscal competente antes do início de quaisquer atividades. Parágrafo Único - O contribuinte á identificado, para efeitos fiscais, pelo respectivo número do CMC, o qual deve constar de quaisquer documentos pertinentes à prestação de serviço. Art.129 São inscritos em caráter provisório, caso não possam se inscrever definitivamente, os prestadores de serviços previstos nos subitens 7.02, 7.04 e 7.05 do artigo 97. Art A inscrição far-se-á: I- através de solicitação do contribuinte ou do seu representante legal; e II- de ofício. Art Os dados constantes da inscrição devem ser permanentemente atualizados, ficando o contribuinte obrigado a comunicar qualquer alteração dentro do prazo máximo de 30 (trinta) dias a contar da data de sua ocorrência. Art O contribuinte é obrigado a comunicar a cessação de atividades à repartição fiscal competente, no prazo máximo de 30 (trinta dias) contados da data do fato. Parágrafo Único - A anotação de cessação de atividade do sujeito passivo não implica a quitação de quaisquer débitos existentes de sua responsabilidade. Art O titular da repartição competente pode cancelar de ofício a inscrição caso fique constatado o término das atividades do contribuinte, na forma prevista em regulamento. Art A inscrição, o cancelamento e as alterações dos dados devem ser promovidos pelo contribuinte, nas formas e prazos que dispuser o regulamento. 1º- O contribuinte deve promover tantas inscrições quantos forem os seus estabelecimentos ou locais de atividade, salvo os que prestem serviços sob forma de trabalho pessoal, que ficam sujeitos a inscrição única. 2 - Na inexistência de estabelecimento fixo, a inscrição é única pelo local do domicilio do prestador de serviço. Seção X Das Isenções Art São isentos do imposto: I- os pequenos artífices, como tais considerados aqueles que, não estabelecidos, sem porta aberta para via pública, trabalhando por conta própria, sem empregados, sejam designados em regulamento; II- o motorista profissional, proprietário de uma única viatura, por ele próprio dirigida; III- as empresas públicas ou sociedades de economia mista deste Município. Parágrafo Único - As isenções de que trata o inciso III deste artigo não exclui os contribuintes beneficiados da condição de responsáveis pelos tributos que lhes caibam reter na fonte, sob pena de perda dos benefícios e sem prejuízos das cominações legais. Seção XI Das Multas Art As infrações apuradas por meio de procedimento fiscal ficam sujeitas às seguintes multas: I- de quinze por cento (15%) sobre o imposto devido, pela falta de pagamento total ou parcial do imposto escriturado nos livros fiscais e falta de recolhimento de imposto lançado em valores fixos; II- de vinte por cento (20%) do imposto devido quando houver erro na determinação da base de cálculo ou identificação da alíquota aplicável; pela falta de recolhimento de tributo por suposta isenção ou imunidade; quando não realizada retenção obrigatória e quando os documentos fiscais que consignem operação sujeita ao imposto não forem escriturados nos livros próprios; III- de quarenta por cento (40%) do imposto devido quando não houver emissão de competente documento fiscal, mesmo para operações isentas e quando os valores forem apurados por arbitramento; IV- de oitenta cento (80%) do valor do tributo devido para o imposto retido na fonte e não recolhido; para o contribuinte que exercer atividade sem inscrição no CMC ou quando ficar caracterizado crime contra a ordem tributária nos termos da lei aplicável; V- cem reais (R$ 10) pela falta de apresentação ao fisco municipal de quaisquer documentos solicitados no prazo de trinta (30) dias úteis; VI- duzentos reais (R$ 20) ao contribuinte que embaraçar, dificultar propositadamente, desacatar ou impedir, por qualquer meio a ação do fisco municipal; VII- quarenta reais (R$ 4): a) pela emissão de cada documento que consigne declaração falsa ou evidencie irregularidades como duplicidade de numeração, preços diferentes em vias de mesmo número ou subfaturamento; b) pela impressão, sem autorização, ou uso sem autenticação, de cada documento fiscal, aplicável ao impressor e ao usuário; c) pela impressão de cada documento em desacordo com o modelo autorizado, aplicável ao impressor; d) pela impressão, fornecimento, posse ou guarda de documentos fiscais falsos, aplicável a cada infrator por cada documento; e) por cada registro em duplicidade de documentos que sirvam para redução da base de cálculo ou por cada registro adulterado ou com outros vícios que reduzem o valor do crédito fiscal; f) pela inexistência de documentos ou livros fiscais, pela inexistência de documentos ou livros contábeis obrigatórios conforme legislação aplicável, por mês ou fração a partir da sua obrigatoriedade. g) pela emissão de documento fiscal ou escrituração em livro fiscal em desacordo com os requisitos regulamentares por cada ato; h) pelo atraso de escrituração de livro fiscal, por livro, mês ou fração; i) por cada documento fiscal inutilizado ou extraviado, até que ocorra a decadência ou prescrição quanto aos eventos neles registrados; j) por cada tipo de documento ou livro fiscal que permaneça em local não autorizado; l) pela falta de comunicação de quaisquer modificações nas informações que compõem o CMC, por mês ou fração, contados da ocorrência do fato; m) pela não emissão de cada documento de retenção, instituído na forma da legislação tributária, por cada documento não emitido. VIII- quinze reais (R$ 15,00) pela entrega de declarações ou retificação fora do prazo de declaração exigida pela legislação tributária municipal, por cada infração; IX- vinte reais (R$ 2) pela falta de entrega de informações ou declarações exigidas pela legislação tributária municipal, por cada documento; X- quatrocentos reais (R$ 40) pela comercialização de bilhetes, ingressos, cartões, convites ou outras formas assemelhadas de acesso a eventos ou locais de diversões públicas sem a devida autenticação, conforme disposto na legislação tributária.

83 83 1º- A aplicação das multas previstas nos incisos V a X deste artigo é feita sem prejuízo da exigência do imposto devido ou de outras penalidades de caráter geral fixadas neste Código. 2º- O pagamento de multa não exime o infrator do cumprimento das exigências legais ou regulamentares que a tiverem determinado. 3º- As multas previstas nos incisos VII a IX do caput deste artigo têm como limite máximo o valor de dois mil reais (R$ 2.00) para cada tipo de infração. 4º- As multas previstas neste artigo são reduzidas, desde que o contribuinte liquide o crédito tributário de uma só vez, em: I- cinqüenta por cento (50%), se o crédito tributário for pago até quinze dias após a ciência do Auto de Infração; II- quarenta por cento (40%), se o crédito tributário for pago entre o décimo sexto e trigésimo dia, contados a partir da ciência do Auto de Infração; III- trinta por cento (30%), se o crédito tributário for pago após o trigésimo dia contado a partir da ciência do Auto de Infração e antes do julgamento do processo fiscal administrativo em primeira instância; IV- vinte por cento (20%), se o crédito tributário for pago no prazo de trinta dias, contados da ciência da decisão condenatória de primeira instância em processo fiscal administrativo; V- dez por cento (10%), se o crédito tributário for pago após o julgamento de primeira instância e antes do ajuizamento de respectiva execução. 5º- Aplica-se, também, a redução de que trata o inciso I do parágrafo anterior deste artigo aos casos de pagamento de crédito tributário proveniente de multa decorrente do descumprimento de obrigação acessória, excetuando-se aquelas caracterizadas como crime contra a ordem tributária. Título III Taxas Subtitulo I Das Espécies de Taxas Art As taxas têm como fato gerador o exercício regular do Poder de Polícia ou a utilização, efetiva ou potencial, de serviços públicos específicos e divisíveis, prestados ao contribuinte ou postos a sua disposição. Art São devidas ao Município as Taxas de: I- Licença em razão do poder de polícia; II- Coleta, Remoção, Transporte e Destinação do Lixo (Taxa de Lixo); III- Serviços Diversos Capítulo I Das Taxas de Licença em razão do Poder de Polícia Art O exercício regular do poder de polícia municipal dá origem às seguintes taxas: I- Taxa de Fiscalização para Localização e Funcionamento de Atividades; II- Taxa de Fiscalização para Execução de Obras, Remanejamento e Parcelamento do Solo; III- Taxa de Fiscalização para Utilização dos Meios de Publicidade; IV - Taxa de Ocupação de Áreas Públicas; 1º- Considera-se poder de polícia a atividade da administração pública municipal que, limitando ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou a abstenção de fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades econômicas dependentes de concessão ou autorização do Poder Público, à tranqüilidade pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais ou coletivos. 2º- Ainda quando haja pagamento por parte do interessado, o exercício das atividades administrativas observa o princípio da supremacia do interesse público. Art A incidência e o lançamento das taxas em razão do poder de polícia municipal não produzem efeitos licenciatórios, e independem: a) da denominação da atividade desempenhada; b) da existência de estabelecimento fixo; c) do cumprimento de quaisquer exigências legais, regulamentares ou administrativas relativas à atividade, sem prejuízo das cominações cabíveis; d) do resultado financeiro da atividade ou do pagamento pelo serviço prestado, pela mercadoria vendida ou pelo produto industrializado ou extraído. Art São isentos das taxas em razão do poder de polícia municipal: I- órgãos, entes e entidades da Administração Direta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, inclusive aqueles integrantes do Poder Executivo, Poder Legislativo, Poder Judiciário e Ministério Público; II- as Autarquias e Fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, no que se refere às atividades vinculadas às suas finalidades essenciais ou às delas decorrentes; III - Fica concedida isenção de até sessenta por cento (60%) da Taxa de Fiscalização para Localização e Funcionamento de Atividades para as empresas inscritas ou que venham a se inscrever no Cadastro Mercantil de Contribuintes CMC deste município, e que sejam optantes do Super Simples nos termos da legislação federal. 1º- A hipótese prevista no inciso II deste artigo não se aplica às atividades relacionadas com exploração de atividades econômicas regidas pelas normas aplicáveis a empreendimentos privados, ou em que haja contraprestação ou pagamento de preço ou tarifas pelo usuário, nem exonera o promitente comprador da obrigação de pagar as taxas relativas ao bem imóvel. 2º - As licenças referidas nos incisos I, III e IV, do artigo 139 são válidas para o exercício em que forem concedidas, ficando sujeitas à renovação nos exercícios seguintes, calculando se a taxa proporcionalmente ao número de meses de sua validade, desprezadas as frações no caso do licenciamento inicial. 3º - A isenção referida no inciso III do caput deste artigo deve ser requerida ao Secretário do órgão competente, mediante comprovação do enquadramento como optante do Super Simples. Subcapitulo I Da Taxa de Fiscalização para Localização e Funcionamento de Atividades Seção I Da Incidência Art A Taxa de Fiscalização para Localização e Funcionamento de Atividades tem como fato gerador o exercício regular do poder de polícia sobre o disciplinamento e ordenamento das atividades econômicas ou não-econômicas exercidas no território do Município. 1º- Considera-se ocorrido o fato gerador no momento em que o órgão municipal competente executa ato tendente a verificar a adequação da atividade às normas da legislação municipal. 2º- Os órgãos envolvidos na fiscalização podem realizar o ato referido no 1º exclusivamente por meio eletrônico, em se tratando de renovação de licenciamento, nos casos em que a visita física ao estabelecimento for julgada dispensável. Seção II Do Contribuinte Art Contribuinte da Taxa de Fiscalização para Localização e Funcionamento de Atividades é o responsável pela unidade econômica ou não-econômica, requerente da respectiva licença. Seção III Da Solidariedade

84 84 Art É solidariamente responsável pela Taxa de Fiscalização para Localização e Funcionamento de Atividades o proprietário, o titular do domínio útil ou o possuidor a qualquer título do imóvel onde se encontra instalada a atividade sujeita ao exercício do poder de polícia municipal. Seção IV Da Base de Cálculo Art A base de cálculo da Taxa de Fiscalização para Localização e Funcionamento de Atividades é o custo de execução do ato tendente a verificar a adequação da atividade às normas da legislação municipal. Parágrafo Único - A taxa é cobrada conforme alíquotas fixas e calculada na forma estabelecida na Tabela IX, anexa a esta Lei. Seção V Do Lançamento Art O lançamento da Taxa de Fiscalização para Localização e Funcionamento de Atividade dar-se-á por declaração do sujeito passivo e, em caso de renovação, por iniciativa de ofício da autoridade administrativa. Parágrafo Único - A declaração do sujeito passivo: I- é efetuada antes do início das atividades sujeitas ao exercício do poder de polícia municipal, ou no prazo estipulado na legislação municipal, quando se tratar da comunicação de alteração em quaisquer das características do licenciamento anteriormente concedido; II- não vincula a autoridade administrativa responsável pelo lançamento. Subcapítulo II Da Taxa de Fiscalização para Execução de Obras, Remanejamento e Parcelamento do Solo Seção I Da Incidência Art A Taxa de Fiscalização para Execução de Obras, Remanejamento e Parcelamento do Solo tem como fato gerador o exercício regular do poder de polícia sobre o disciplinamento e ordenamento do uso, aproveitamento, remanejamento e parcelamento do solo do Município. Parágrafo Único - Considera-se ocorrido o fato gerador sempre que o órgão municipal competente executar ato tendente a verificar a adequação do uso, aproveitamento, remanejamento ou parcelamento relativo a determinada fatia de solo às normas da legislação municipal. Seção II Do Contribuinte Art Contribuinte da Taxa de Fiscalização para Execução de Obras, Remanejamento e Parcelamento do Solo, é o proprietário, o titular do domínio útil ou o possuidor a qualquer título do imóvel cujo uso, aproveitamento, remanejamento ou parcelamento encontra-se sujeito ao exercício do poder de polícia municipal. Seção III Da Solidariedade Art É solidariamente responsável pela Taxa de Fiscalização para Execução de Obras, Remanejamento e Parcelamento do Solo o responsável pela promoção do uso, aproveitamento, remanejamento ou parcelamento relativo a determinada fatia do solo. Seção IV Da Base de Cálculo Art A base de cálculo da Taxa de Fiscalização para Execução de Obras, Remanejamento e Parcelamento do Solo é o custo de execução do ato tendente a verificar a adequação do uso, aproveitamento, remanejamento ou parcelamento relativo à determinada fatia de solo às normas da legislação municipal. Parágrafo Único - A taxa é cobrad a em moeda corrente e calculada na forma estabelecida na Tabela X, anexa a esta Lei. Seção V Do Lançamento Art O lançamento da Taxa de Fiscalização para Execução de Obras, Remanejamento e Parcelamento do Solo dar-se-á por declaração do sujeito passivo. Parágrafo Único - A declaração do sujeito passivo: I- é efetuada antes da execução da obra, do remanejamento, do parcelamento do solo ou da alteração em quaisquer características do imóvel sujeito ao exercício do poder de polícia municipal; II- não vincula a autoridade administrativa responsável pelo lançamento. Subcapítulo III Da Taxa de Fiscalização para Utilização dos Meios de Publicidade Seção I Da Incidência Art A Taxa de Fiscalização para Utilização dos Meios de Publicidade tem como fato gerador o exercício regular do poder de polícia sobre o disciplinamento e ordenamento da veiculação, por qualquer meio, de publicidade, no território do Município, em: I- espaço público; II- local visível a partir de espaço público; III- local acessível ao público. Art Considera-se ocorrido o fato gerador sempre que o órgão municipal competente executar ato tendente a verificar a adequação da veiculação da publicidade às normas da legislação municipal. Seção II Da Não Incidência Art A Taxa de Fiscalização para Utilização dos Meios de Publicidade não incide sobre: I- publicidade veiculada por radiodifusão, jornal e televisão; II- dísticos ou denominações de estabelecimentos apostos nas paredes e vitrines, obedecidos aos recuos estabelecidos na legislação municipal; III- propaganda eleitoral de partidos, coligações e candidatos, durante o período autorizado pela Justiça Eleitoral. Seção III Do Contribuinte Art Contribuinte da Taxa de Fiscalização para Utilização dos Meios de Publicidade é o requerente da respectiva licença. Seção IV Da Solidariedade

85 85 Art É solidariamente responsável pela Taxa de Fiscalização para Utilização dos Meios de Publicidade: I- aquele que explora o meio utilizado para veiculação da publicidade sujeita ao exercício do poder de polícia municipal; II- o proprietário, o titular do domínio útil ou o possuidor a qualquer título do imóvel de onde se veicula a publicidade sujeita ao exercício do poder de polícia municipal. Seção V Da Base de Cálculo Art A base de cálculo da Taxa de Fiscalização para Utilização dos Meios de Publicidade é o custo de execução do ato tendente a verificar a adequação da veiculação da publicidade às normas da legislação municipal. Parágrafo Único - A taxa é cobrada em moeda corrente e calculada na forma estabelecida na Tabela XI, anexa a esta Lei. Seção VI Do Lançamento Art O lançamento da Taxa de Fiscalização para Utilização dos Meios de Publicidade dar-se-á por declaração do sujeito passivo. Parágrafo Único - A declaração do sujeito passivo: I- é efetuada antes da veiculação da publicidade sujeita ao exercício do poder de polícia municipal, ou antes, da alteração em quaisquer das características do licenciamento anteriormente concedido; II- não vincula a autoridade administrativa responsável pelo lançamento. Subcapítulo IV Da Taxa de Ocupação de Áreas Públicas Seção I Da Incidência Art A taxa tem como fato gerador o exercício regular, pelo Poder Público Municipal, do poder de polícia, através de ações de controle, vigilância e fiscalização visando disciplinar a ocupação de vias e logradouros públicos para a prática de qualquer atividade. 1º- Considera-se ocorrido o fato gerador da taxa no momento em que acontecer a ocupação previamente autorizada em vias e logradouros públicos. 2º- Na hipótese de ocupação permanente, o lançamento pode ser parcelado de acordo com o que dispuser o regulamento. Seção II Do Contribuinte Art Contribuinte da taxa é o proprietário ou responsável pelas instalações, veículos ou mercadorias que ocupem os logradouros públicos. Seção III Da Base de Cálculo Art A base de cálculo da Taxa de Ocupação de Áreas Públicas é o custo de execução do ato tendente a verificar a adequação do uso e disciplinamento de áreas públicas às normas da legislação municipal. Parágrafo Único - A taxa é cobrada em moeda corrente, e calculada de acordo com a natureza da ocupação na forma estabelecida na Tabela XII, anexa a esta Lei. Capitulo II Das Taxas em razão da Prestação de Serviços Públicos Subcapitulo Único Taxa de Coleta, Remoção, Transporte e Destinação do Lixo (Taxa de Lixo) Seção I Da Incidência Art A Taxa de Coleta, Remoção, Transporte e Destinação do Lixo (Taxa de Lixo) tem como fato gerador a utilização efetiva ou potencial, do serviço público municipal de coleta, transporte e destinação final dos resíduos relativos ao imóvel, prestado ao contribuinte ou posto à sua disposição. Parágrafo Único - A incidência independe: I- da forma, estrutura, superfície, destinação ou utilização do imóvel; II- do atendimento a quaisquer exigências legais ou regulamentares relativas ao uso ou aproveitamento do imóvel, sem prejuízo das penalidades cabíveis. Art Considera-se: I- ocorrido o fato gerador da Taxa de Lixo no primeiro dia do exercício em que é efetivamente prestado, ou posto à disposição do contribuinte, o serviço de coleta, transporte e destinação final de resíduos; II- devida a Taxa de Lixo ao Município de Senador Georgino Avelino quando o imóvel que se utilizou, efetiva ou potencialmente do serviço público municipal de coleta, transporte e destinação final dos resíduos estiver inserido dentro dos seus limites territoriais. Seção II Da Não Incidência Art A Taxa de Lixo não incide sobre os serviços de coleta, transporte e destinação final de resíduos sólidos: I- decorrentes de varrição; II- depositados em urnas de captação, recolhidos por meio de polinguindastes; III- classificados como hospitalares ou industriais de interesse publico, segundo ato normativo específico do Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA; IV- decorrentes de entulhos e metralhas; V- realizado em horário especial por solicitação do interessado; VI- considerados como excedentes, nos termos do Regulamento; 1º- O serviço de coleta, transporte e destinação final de resíduos descritos nos incisos III a VI é considerado especial e fica igualmente sujeito à cobrança de preço público. 2º- O pagamento de preço público não exime o contribuinte da incidência da Taxa de Lixo sobre a utilização efetiva ou potencial do serviço público municipal de coleta, transporte e destinação final dos resíduos sólidos comuns, em relação ao mesmo imóvel. Seção III Do Contribuinte Art Contribuinte da Taxa de Lixo é o proprietário, o titular do domínio útil ou o possuidor, a qualquer título, do imóvel que se utilize, efetiva ou potencialmente, do serviço público municipal de coleta, transporte e destinação final dos resíduos. Seção IV

86 Da Solidariedade Art São solidariamente responsáveis pela Taxa de Lixo: I- o proprietário em relação: a) aos demais co-proprietários; b) ao titular do domínio útil; c) ao possuidor a qualquer título; II- o titular do domínio útil em relação: a) aos demais co-titulares do domínio útil; b) ao possuidor a qualquer título; III- os co-possuidores a qualquer título. Seção V Da Base de Cálculo 86 Art A base de cálculo da Taxa de Lixo é o custo do serviço público municipal de coleta, transporte e destinação final de resíduos relativo ao imóvel. 1º- A Taxa de Lixo é individualmente lançada em moeda corrente de acordo com os seguintes critérios: I - para os imóveis edificados: TLP = Ui x R$ 8,57 x Ac (onde: Ui = fator de utilização do imóvel conforme especificado na Tabela XIII, anexa a esta Lei, Ac = área construída); II - para imóveis não edificados: TLP = At x 0,03 x R$ 8,57; onde: AT = área do terreno. 1º- Na hipótese de utilização diversificada do imóvel, é aplicado o maior fator de utilização do imóvel (Ui), da Taxa de Lixo; 2º- A Taxa de Lixo é cobrada em dobro para os imóveis não edificados e desprovidos de muro. 3º- Para os imóveis edificados, não atendidos pelo serviço de coleta, remoção ou transporte, a Taxa de Lixo é cobrada em razão da destinação final do lixo, equivalente a sessenta e cinco centavos (R$ 0,65) por cada metro quadrado de área construída. 4º- A Taxa de Lixo tem como valor mínimo o equivalente a dois (2,00) reais. 5º- É facultado ao Poder Executivo recuperar valor inferior ao custo total do serviço público municipal de coleta, transporte e destinação final. 6º - A Taxa de Lixo para os imóveis cadastrados tem como teto o valor correspondente a oitenta por cento (80%) do valor atribuído ao IPTU do respectivo imóvel. Seção VI Do Lançamento e Recolhimento Art O lançamento da Taxa de Lixo dar-se-á: I- de ofício, através de procedimento interno, com base nas informações constantes do Cadastro Imobiliário Fiscal, ou mediante ação fiscal; II- por declaração do sujeito passivo, para imóveis não inscritos no Cadastro Imobiliário Fiscal. Art O lançamento, notificação e recolhimento podem ser efetuados conjuntamente com o IPTU ou através de convênio com empresa concessionária de serviços públicos neste Município. Parágrafo Único - Fica vedado o lançamento de parcela com prazo de recolhimento a ser efetuado no exercício seguinte aquele em que ocorreu o fato gerador. Seção VII Das Isenções Art São isentos da taxa: I- os imóveis alcançados pelas isenções do IPTU de que tratam os incisos I a V do artigo 85, desta lei; II- os templos de qualquer culto imunes na forma do artigo 150, insiso VI, alínea b, da Constituição Federal. Capitulo III Da Taxa de Expediente e Serviços Diversos Seção I Da Incidência Art A Taxa de Expediente e Serviços Diversos tem como fato gerador: I- o exercício de direito de petição perante a Prefeitura; II- a expedição de traslado, certificado, carta de aforamento, alvará, identidade estudantil e laudo; III- a lavratura de termo, contrato e registro de qualquer natureza, inclusive averbação; IV- a permissão ou sua renovação para exploração de serviços municipais; V- a realização de vistoria ou qualquer tipo de fiscalização; VI- a emissão de documento de arrecadação municipal; VII- a inscrição em concurso público; VIII- o fornecimento de fotocópia ou similar; IX- a realização de curso extracurricular; X- o sepultamento, a exumação, a remoção ou admissão de ossos e velório em cemitério público municipal; XI- a prestação de qualquer outro serviço de interesse do contribuinte. Seção II Do Contribuinte Art O contribuinte da Taxa é o usuário de qualquer dos serviços previstos no artigo anterior. Seção III Da Base Cálculo e Lançamento Art A base de cálculo da Taxa de Expediente e Serviços Diversos é o custo do serviço público municipal na forma e valores definidos na Tabela XIV, desta Lei, por cada evento lançado. Seção IV

87 Da Isenção 87 Art São isentos da Taxa de Expediente e Serviços Diversos os contribuintes substitutos do Imposto sobre Serviços quando da emissão do Documento de Arrecadação Municipal. Título IV Das Contribuições Capítulo I Da Contribuição de Melhoria Seção I Do Fato Gerador Art A Contribuição de Melhoria - CM tem como fato gerador a valorização de bem imóvel, decorrente de obra pública municipal. 1º- Para efeito de incidência da Contribuição de Melhoria, é considerada a obra de: I - urbanização e reurbanização; II- construção ou ampliação de sistema de trânsito rápido, inclusive obras, edificações e equipamentos necessários ao funcionamento do sistema; III- construção ou ampliação de parques, pontes, túneis e viadutos; IV- proteção contra inundação, erosão e obras de saneamento e drenagem em geral, retificação, regularização e canalização de curso de água; V- abertura, alargamento, iluminação, arborização, canalização de águas pluviais e outros melhoramentos de logradouro público; VI- pavimentação e respectivos serviços preparatórios. 2º- A contribuição não incide nos casos de: I- simples reparação e/ou recapeamento de pavimentação; II- alteração do traçado geométrico de vias e logradouros públicos; III- colocação de guias e sarjetas. Seção II Do Contribuinte Art Contribuinte da Contribuição de Melhoria é o proprietário, o titular do domínio útil ou possuidor, a qualquer título, de imóvel valorizado pela obra pública. Seção III Da Base de Cálculo Art A contribuição é calculada sobre a valorização do imóvel, decorrente da obra pública, obtida em função do valor venal do imóvel, sua localização na zona de influência e respectivo índice cadastral de valorização. Parágrafo Único - Para efeito deste artigo, o Poder Executivo pode considerar: I- pesquisa de valores de mercado; II- valores de transações correntes; III- declarações dos contribuintes; IV- Planta Genérica de Valores de Terreno; V- outros dados informativos, tecnicamente reconhecidos. Art Compete ao Poder Executivo identificar as zonas de influência da obra, e fixar, para efeito da Contribuição, os índices cadastrais de valorização de cada uma delas, levando em conta a absorção da valorização, a distância e a acessibilidade do imóvel em relação a obra. Seção IV Do Lançamento e Recolhimento Art Constatada, em qualquer etapa da obra, a valorização prevista no artigo 175, é efetuado o lançamento da Contribuição, precedido da publicação de edital contendo: I- descrição e finalidade da obra; II- memorial descritivo do projeto; III- orçamento do custo da obra, que pode abranger as despesas estimadas com estudos, projetos, fiscalização, desapropriações, indenizações, administração, execução, financiamento e demais investimentos imprescindíveis à obra pública; IV- delimitação das zonas de influência e respectivos índices cadastrais de valorização. Art Comprovado o legítimo interesse, podem ser impugnados quaisquer elementos constantes do edital referido no artigo anterior, dentro do prazo máximo de trinta (30) dias, contados da sua publicação, na forma prevista em regulamento. Parágrafo Único - A impugnação não obsta o início ou o prosseguimento da obra ou a prática dos atos necessários à arrecadação do tributo e sua decisão somente tem efeito para o recorrente. Art A Contribuição é lançada em nome do sujeito passivo, com base nos dados constantes do Cadastro Imobiliário Fiscal CIF. Art O sujeito passivo é notificado do lançamento da contribuição pela entrega do aviso, no local indicado para entrega dos documentos de arrecadação relativos ao IPTU. Art A Contribuição de Melhoria pode ser paga em parcelas mensais, nas formas, prazos e condições regulamentares. Capítulo II Da Contribuição para o Custeio do Sistema de Iluminação Publica COSIP Seção I Do Fato Gerador Art A contribuição é cobrada pelo Município para fazer face ao custeio dos serviços públicos de iluminação, incluindo instalação, manutenção, melhoramento, operação e fiscalização do sistema de iluminação das vias, logradouros e demais bens públicos contidos nos limites territoriais do Município, constituindo-se o produto arrecadado em receita vinculada à consecução daqueles objetivos. Art A incidência independe: I- da forma, estrutura, superfície, destinação ou utilização do imóvel; II- da inexistência de edificação no imóvel; III- da edificação existente no imóvel encontrar-se interditada, paralisada, condenada, em desuso, em ruínas ou em demolição; IV- do atendimento a quaisquer exigências legais ou regulamentares relativas ao uso ou aproveitamento do imóvel, sem prejuízo das penalidades cabíveis; V- da existência de luminária no lado da via, logradouro, praça ou outro bem público onde se encontra localizado o imóvel;

88 88 VI- do cadastramento do imóvel junto à concessionária distribuidora de energia elétrica titular da concessão no território municipal. Seção II Do Contribuinte e Responsável Art O contribuinte da COSIP é o proprietário, o titular do domínio útil ou o possuidor a qualquer título do imóvel edificado ou não. Parágrafo Único - É responsável pelo pagamento da contribuição, resguardando-se a responsabilidade subsidiaria do contribuinte, o locatário, pela contribuição incidente sobre o respectivo imóvel objeto do contrato de locação e a pessoa física ou jurídica pela contribuição incidente sobre o imóvel de que se utilize. Seção III Da Solidariedade Art São solidariamente responsáveis pela COSIP: I- o proprietário em relação: a) aos demais co-proprietários; b) ao titular do domínio útil; c) ao possuidor a qualquer título; II- o titular do domínio útil em relação: a) aos demais co-titulares do domínio útil; b) ao possuidor a qualquer título; III- os compossuidores a qualquer título. Seção IV Da Base de Cálculo Art A base de cálculo da COSIP é: I- para os imóveis de uso residencial, mensalmente, à razão de um real (R$ 1,00) ; II- para os imóveis de uso não residencial, mensalmente, à razão de dois reais (R$ 2,00); III- para os imóveis não edificados, anualmente, à razão de quinze reais (R$ 15,00). Parágrafo Único - Em qualquer hipotese, o valor da contribuição limita-se: I- a quinze por cento (15%) do valor do importe do consumo de energia elétrica para os imóveis edificados. II- a quinze por cento ( 15%) do valor do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana IPTU para os imóveis não edificados. Seção V Do Lançamento e Recolhimento Art O lançamento da COSIP dar-se-á: I- de ofício, através de procedimento interno; através de banco de dados do agente conveniado ou contratado; ou mediante ação fiscal; II- por declaração do sujeito passivo, para o imóvel não cadastrado junto à concessionária distribuidora de energia elétrica e não inscrito no Cadastro Imobiliário Fiscal. 1º- O lançamento dar-se-á mensalmente para os imóveis edificados e anualmente para os imóveis não cadastrados junto à concessionária distribuidora de energia elétrica; 2º- Fica o Poder Executivo autorizado a firmar convênio com a concessionária de energia elétrica, para fins do disposto no parágrafo único do Art. 149-A da Constituição Federal. Seção VI Da Isenção Art São isentos da contribuição: I - o imóvel edificado que tenha destinação residencial unifamiliar, cujo consumo mensal seja inferior a cinqüenta quilowatts hora (50 KWh). II- os imóveis públicos municipais; Título V Dos Preços Públicos Art O preço público remunera os serviços públicos prestados pelo Município para os quais não foi instituída a respectiva taxa; a utilização ou exploração de bens públicos municipais e a coleta de resíduos, em hipóteses não custeadas por taxa. Art O Poder Executivo Municipal define os serviços, usos e fruições a serem remunerados mediante preço público e sua forma de cálculo. 1º- Os critérios para o cálculo dos preços públicos considera o custo do serviço público municipal e a remuneração equivalente à utilização ou exploração de bens privados semelhantes aos bens públicos cujo uso ou fruição foi cedido. 2º- O custo do serviço compreende o custo de produção, manutenção corretiva, manutenção preventiva e administração do serviço, acrescido das reservas para recuperação de equipamentos e expansão do serviço. Art A utilização de qualquer bem público municipal é remunerada, exceto para munícipe. 1º- O disposto neste artigo abrange a utilização de prédios públicos, logradouros, obras de engenharia, vias públicas, passeios públicos, seja em solo ou subsolo, bem como a utilização da via aérea com ponto de apoio nos postes, ou na parte inferior da via ou leitos, com poços de visita ou não, inclusive nos casos de redes de infraestrutura. 2º- Também é remunerada a utilização do mobiliário urbano, dos espaços utilizados pelas estações de rádio base de telefonia e similares. Art Quando não for possível a obtenção do custo unitário para fixação do preço, considera-se o custo total do serviço verificado no último exercício, a flutuação nos preços de aquisição dos fatores de produção do serviço e o volume de serviços prestados e a prestar. 1º- O volume do serviço é medido, conforme o caso, pelo número de utilidades produzidas ou fornecidas, pela média de usuários atendidos e por outros elementos pelos quais se possa apurá-lo. 2º- O custo total compreende: I- o custo de produção; II- a manutenção e administração do serviço; III- as reservas para recuperação dos equipamentos; IV- a extensão do serviço. Art Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a fixar preços: I- de serviços, até o limite da recuperação do custo total; II- pela utilização de área pertencente ao Município, edificada ou não, até o limite de dez por cento (10%), sobre o valor venal do imóvel, mensalmente.

89 III- pela transferência do domínio útil, até o limite do valor do imóvel, praticado pelo mercado. Art Os preços se constituem: 89 I- dos serviços de natureza industrial, comercial e civil, prestados pelo Município e suscetíveis de exploração por empresa privada a saber: a) execução de muros ou passeios; b) roçagem e limpeza, inclusive extinção de formigueiros e retirada de entulhos de terrenos; c) escavações, aterros e terraplanagem, inclusive destinados a regularização de terreno; II- da utilização de serviço público municipal como contraprestação de caráter individual, ou de unidade de fornecimento, tais como: a) fornecimento de planta, projeto ou placa; b) transporte, alimentação ou vacina a animais apreendidos ou não; III- do uso de bem ou serviço público, a qualquer título, os que utilizarem: a) áreas pertencentes ao Município; b) áreas do domínio público; c) espaços em próprios municipais para guarda de objetos, mercadorias, veículos ou animais; IV- da transferência do domínio útil de bem imóvel. Parágrafo Único - A enumeração referida neste artigo é meramente exemplificativa, podendo ser incluídos no sistema de preços públicos quaisquer outros serviços de natureza semelhante aos enumerados, ficando o Poder Executivo autorizado a determinar seu valor, observados os limites deste Título. Art Para possibilitar a utilização dos bens municipais por terceiros, o Município deve firmar concessão, permissão ou autorização de uso. Art O não pagamento do preço público decorrente de uso ou fruição de bens públicos municipais ou, ainda, decorrente de serviço prestado acarreta a suspensão dos mesmos. Art Aplicam-se aos preços públicos, no tocante a lançamento, pagamento, restituição, fiscalização, domicílio, obrigações acessórias, penalidades, inscrição em dívida ativa, cobrança, e modalidades de suspensão e extinção do crédito, as disposições concernentes às taxas. Titulo VI Da Justiça Fiscal Administrativa Capítulo I Disposições Preliminares Art Ato do Poder Executivo Municipal dispõe sobre a composição dos órgãos julgadores da Secretaria de Municipal de Tributação e regula o processo administrativo tributário, observando os princípios da ampla defesa, do contraditório, do livre convencimento do julgador, da instrumentalidade das formas, da lealdade processual, da economia processual e da publicidade dos atos processuais. Parágrafo Único - Das decisões em Primeira Instância cabe recurso voluntário e reexame de ofício. Art A justiça fiscal administrativa da Prefeitura Municipal de Senador Georgino Avelino cabe Secretaria de Municipal de Tributação, com competência para julgamento de todos os processos administrativos fiscais, sendo suas decisões definitivas irreformáveis administrativamente. 1º- São irrecorríveis as decisões de indeferimento, salvo quando o requerimento verse sobre imposição de penalidades ou lançamento de ofício. 2º- O disposto no parágrafo anterior não obsta ao interessado promover novo pedido com base em outros fundamentos. 3º- A competência para o julgamento administrativo termina com a inscrição do débito em dívida ativa. Art Não se inclui na competência referida no artigo anterior: I- a aplicação de eqüidade; II- a apreciação da inconstitucionalidade de lei ou ato normativo, ressalvado quando haja decisão em controle abstrato promovido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte ou pelo Supremo Tribunal Federal. Capitulo II Dos Prazos Art Os prazos são contínuos, excluindo-se, em sua contagem, o dia do início e incluindo-se, o do vencimento. Parágrafo Único - Os prazos só se iniciam ou se vencem em dia de expediente normal na repartição em que tramita o processo ou deva ser praticado o ato. Art Os prazos são de trinta (30) dias, para apresentação de defesa, interposição de recursos e reclamação contra lançamento e quinze (15) para conclusão de diligência e esclarecimento. 1º- A defesa e o recurso, apresentados fora do prazo previsto no caput deste artigo, não são apreciados por intempestivos. 2º- O prazo máximo para conclusão de diligência ou esclarecimento é determinado pela autoridade julgadora e não pode ser superior a quinze (15) dias, podendo ser renovado por igual período. Art A autoridade fiscal ou o funcionário que inobservar os prazos previstos em lei ou regulamento ficam sujeitos à pena de suspensão, se o fato não constituir falta maior, salvo nos casos justificados. Capitulo III Da Comunicação dos Atos Art A parte interessada é intimada dos atos processuais: I- por funcionário fiscal, provada mediante ciência do sujeito passivo, de seu representante legal ou preposto na inicial, da qual recebe a cópia; ou, II- através de comunicação escrita, com provado recebimento; ou, III- através de publicação por meio de publicidade oficial do município, quando resultarem improfícuos os meios referidos nos incisos I e II. Parágrafo Único - Faz-se a intimação através de uma única publicação por meio de publicidade oficial do município, nos casos em que existam dúvidas ou irregularidades nas formas previstas nos incisos I e II, ou quando para a intimação não se exija forma especial. Art Considera-se feita a comunicação dos atos: I- na data da ciência do intimado, se pessoal; ou, II- na data aposta no aviso de recebimento pelo destinatário ou por quem, em seu nome, receba a intimação, se por via postal ou telegráfica; ou, III- na data da publicação do edital. Art Prescinde de assinatura a intimação emitida por processo eletrônico. Capitulo IV Das Nulidades Art São nulos: I- os atos e termos lavrados por autoridade incompetente;

90 90 II - os despachos e decisões proferidos por autoridades incompetentes ou com preterição do direito de defesa. 1º- A nulidade do ato somente prejudica os posteriores dele dependentes ou que lhe sejam consequentes. 2º- Na declaração de nulidade, a autoridade julgadora fiscal competente declara quais os atos alcançados e determina as providências necessárias ao prosseguimento do processo. 3º- As irregularidades não previstas neste artigo são sanadas de ofício ou a requerimento da parte interessada, não importando, em nenhuma hipótese, em nulidade. Capitulo V Do Procedimento de Ofício Seção I Do Auto de Infração Art As ações ou omissões contrárias a legislação tributária municipal, inclusive o não pagamento dos tributos nos prazos legais são apurados, de ofício, através de auto de infração, para fins de determinar o responsável pela infração apontada, o dano causado ao Município e o respectivo valor, propondo-se a aplicação da sanção correspondente. Parágrafo Único - Considera-se infração o descumprimento de qualquer obrigação, principal ou acessória, prevista na legislação tributária. Art Considera-se iniciado o procedimento fiscal de ofício para apuração das infrações com o fim de excluir a espontaneidade do sujeito passivo da obrigação tributária; I- com a lavratura do termo de início de fiscalização ou intimação escrita para apresentar livros fiscais ou contábeis, e outros documentos solicitados pela fiscalização; II- com qualquer ato escrito de autoridade fiscal que caracterize o início do procedimento, com o conhecimento prévio do sujeito passivo. Parágrafo Único - Os atos de que tratam este artigo são lavrados em termo próprio, do qual se deve dar ciência ao contribuinte, entregando-lhe cópia. Art O auto de infração é lavrado em formulário próprio por funcionário fiscal, não podendo ter rasuras, emendas ou entrelinhas, exceto as ressalvadas e contendo, ainda: I- a descrição minuciosa da infração; II- a referência aos dispositivos legais infringidos; III- a penalidade aplicável ea referência aos dispositivos legais respectivos; IV- o local, data e hora de sua lavratura; V- o nome e endereço do sujeito passivo e testemunhas, se houver; VI- os livros e outros documentos que serviram de base à apuração da infração; VII- a inscrição municipal e a inscrição no cadastro do Ministério da Fazenda; VIII- determinação da exigência e a intimação para cumpri-la ou impugná-la no prazo máximo de trinta (30) dias; IX- cálculo dos tributos devidos; X- a assinatura do autuante e a indicação de seu cargo ou função e o número da matrícula, exceto nos procedimentos lavrados por meio eletrônico; 1º- Além dos elementos descritos neste artigo, o auto de infração pode conter outros para maior clareza na descrição da infração e identificação do infrator. 2º- As incorreções ou omissões, verificadas no auto de infração, não constituem motivo de nulidade do processo, desde que do mesmo constem elementos suficientes para determinar a infração e o infrator. 3º- A cada infração a este Código corresponde, obrigatoriamente, uma autuação específica. Art Após a lavratura do auto de infração, a autoridade fiscal apresenta-o ao órgão competente da Secretaria de Municipal de Tributação, no prazo máximo de quarenta e oito (48) horas. Art Não pode ser lavrado auto de infração na primeira fiscalização, desde que realizada no decurso dos primeiros seis (6) meses, após a inscrição inicial do sujeito passivo da obrigação tributária no CMC. 1º- Na fiscalização procedida de acordo com o disposto neste artigo, a autoridade fiscal orienta o sujeito passivo do seu procedimento, intimando-o, por escrito, se for o caso, para recolher o tributo devido, no prazo máximo de trinta (30) dias, sob pena de, não o fazendo, ser lavrado o auto de infração. 2º- O disposto neste artigo não se aplica nos casos em que: I- o contribuinte não esteja regulamente inscrito; II- quando ficar caracterizado crime de sonegação fiscal, nos termos da lei aplicável; III- nos casos em que houver qualquer embaraço a fiscalização ou qualquer ato fraudulento praticado pelo sujeito passivo e constatado pela autoridade fiscal. Art Não é passível de penalidade aquele que proceder em conformidade com decisão de autoridade competente, nem aquele que se encontrar na pendência de consulta regularmente apresentada, enquanto não terminar o prazo para o cumprimento da decisão proferida no processo de consulta. Art A denúncia espontânea da infração exclui a aplicação da multa quando acompanhada do pagamento do valor do tributo atualizado e dos respectivos acréscimos legais. 1º- O disposto neste artigo abrange as multas decorrentes de descumprimento de obrigações acessórias, desde que o sujeito passivo, no mesmo ato ou no prazo cominado pela autoridade, regularize a situação. 2º- Não se considera espontânea a denúncia apresentada após o início de qualquer procedimento administrativo ou medida de fiscalização relacionada com a infração. Art As penalidades estabelecidas neste capítulo não excluem a aplicação de outras de caráter geral, previstas em lei. Seção II Da Defesa Art É assegurado ao sujeito passivo o direito de ampla defesa, sendo-lhe permitido o reconhecimento de parte do crédito apurado no procedimento de ofício, defendendo-se, apenas, quanto à parte não reconhecida. Art A defesa é dirigida à Secretaria de Municipal de Tributação, devidamente datada e assinada pelo sujeito passivo ou seu representante legal, acompanhada de todos os elementos e documentos que lhe sirvam de base. Art.220- Findo o prazo, sem apresentação de defesa, é o processo julgado à revelia, sendo o mesmo encaminhado à autoridade administrativa competente para inscrição do crédito em Dívida Ativa. Art Apresentada a defesa dentro do prazo legal, e esta, após a juntada ao processo fiscal administrativo, enviada ao autuante ou seu substituto legal para contestação. 1º- A contestação de que trata este artigo é apresentada no prazo máximo de dez (10) dias, podendo ser prorrogado por igual período pelo órgão julgador. 2º- A alteração, de ofício, da denúncia contida no procedimento fiscal, após a intimação do sujeito passivo, importa na reabertura do prazo de defesa. 3º- Juntamente com a defesa, pode o autuado solicitar a realização de perícia e outras diligências, indicando, desde logo, nome, profissão e endereço da pessoa que deve acompanhá-las. Art Quando o auto de infração lavrado tiver como fundamento a falta de recolhimento de tributo apurado em dados fornecidos pelo próprio sujeito passivo em declaração de informações econômico-fiscais nos termos do artigo 115, desta lei, o crédito é inscrito em Dívida Ativa e remetido o processo diretamente ao órgão competente para ajuizamento. Parágrafo Único - A constatação da revelia do autuado, na hipótese de que trata este artigo, importa no reconhecimento da obrigação tributária e produz efeito de decisão final no processo fiscal administrativo. Capítulo VI Do Procedimento Voluntário Seção I

91 Pedido de Restituição 91 Art O sujeito passivo tem direito, independentemente de prévio protesto, à restituição total ou parcial do crédito tributário pago, nos seguintes casos: I- cobrança ou pagamento espontâneo de tributo indevido ou maior que o devido em face da legislação tributária aplicável, ou da natureza ou circunstâncias materiais do fato gerador efetivamente ocorrido; II- erro na identificação do sujeito passivo, na determinação da alíquota aplicável, no cálculo do montante do débito ou na elaboração ou conferência de qualquer documento relativo ao pagamento; III- reforma, anulação, revogação ou rescisão de decisão condenatória. Art A restituição depende de requerimento dirigido a Secretaria de Municipal de Tributação, e deve ser instruído com os seguintes documentos: I- fotocópia do Documento de Arrecadação Municipal que comprove o pagamento indevido, ou II- certidão lavrada por serventuário público, em cujo cartório estiver arquivado o documento. Parágrafo Único - Havendo dúvidas por parte da autoridade julgadora fiscal, quanto aos documentos que fundamentam o pedido, são os mesmos confrontados com as vias existentes no arquivo da repartição competente, fazendo-se menção do fato no documento instrutivo e nos arquivos. Art O direito de pleitear a restituição extingue-se em cinco (5) anos, contados da data do recolhimento ou da data em que se tornar definitiva a decisão administrativa ou passar em julgado a decisão judicial que tenha alterado a decisão administrativa. Art O pedido de restituição referente a processo fiscal não tem efeito suspensivo quanto ao pagamento do crédito tributário. Art A autoridade julgadora, obrigatoriamente, ouve o órgão competente pelo lançamento do tributo ou sua homologação. Art Após o trânsito em julgado do deferimento do pedido de restituição, o processo é encaminhado ao órgão competente para anotação do fato nos documentos originais correspondentes, em posse do sujeito passivo. Art A restituição é atualizada monetariamente com base nos mesmos índices aplicáveis aos créditos fiscais. Parágrafo Único - A incidência da atualização observa como termo inicial, para fins de cálculo, a data de ingresso do pedido de restituição na Secretaria de Municipal de Tributação Art A restituição de crédito tributário que comporte, por sua natureza, transferência do respectivo encargo financeiro, somente será feita a quem prove haver assumido o referido encargo, ou, no caso de tê-lo transferido a terceiro, está por este expressamente autorizado a recebê-la. Art Prescreve em 2 (dois) anos a ação anulatória da decisão administrativa que denegar a restituição. Seção II Da Consulta Art É assegurado o direito de consulta sobre a interpretação e aplicação da legislação relativa aos tributos municipais. Art A consulta é formulada em petição assinada pelo consulente ou seu representante legal, dirigida a Secretaria de Municipal de Tributação, indicando o caso concreto, e esclarecendo se versa sobre hipótese em relação à qual já se verificou o fato gerador da obrigação tributária. Parágrafo Único - A consulta somente pode versar sobre uma situação específica e determinada, claramente explicitada no requerimento, não podendo abranger mais de um assunto. Art O órgão julgador tem o prazo máximo de trinta (30) dias para responder a consulta formulada. 1º- O prazo referido interrompe-se com a solicitação de qualquer diligência, recomeçando a fluir no dia em que o resultado da diligência for recebido. 2º- Enquanto não julgada definitivamente a consulta, não pode o consulente sofrer qualquer ação fiscal que tenha por objeto o fato consultado ou o esclarecimento pedido. Art Não produz efeito a consulta formulada: I- em desacordo com o artigo 233, desta lei; II-por quem tiver sido intimado a cumprir obrigação relativa ao fato objeto da consulta; III- por quem estiver sob procedimento fiscal, iniciado para fatos que se relacionem com a matéria consultada; IV- quando o fato já houver sido objeto de decisão anterior, ainda não modificada, proferida em consulta ou litígio em que tenha sido parte o consulente; V- quando o fato estiver disciplinado em ato normativo, publicado antes de sua apresentação; VI - quando o fato estiver definido ou declarado em disposição literal; VII- quando o fato for definido como crime ou contravenção penal; VIII- quando não descrever, completa e exatamente, a hipótese a que se referir ou não contiver os elementos necessários a sua solução, salvo se a inexatidão ou omissão for escusável, a critério da autoridade julgadora. Art Da decisão do órgão julgador em primeira instância, no processo de consulta, cientifica-se, por comunicação escrita o consulente, que tem o prazo máximo de trinta (30) dias para adotar a solução dada, ou dela recorrer para o órgão de segunda instância administrativa. Seção III Da Reclamação Contra Lançamento Art O contribuinte pode oferecer reclamação contra lançamento até a data do vencimento do tributo ou da primeira de suas parcelas, não podendo esse prazo ser superior a trinta (30) dias da notificação do contribuinte. Paragrafo Único - As reclamações apresentadas tempestivamente têm efeito suspensivo quanto à exigibilidade do crédito tributário até a decisão final. Art Apresentada a reclamação, o órgão responsável pelo lançamento contesta-a no prazo máximo de dez (10) dias, a contar da data do recebimento do processo. Art As reclamações não são decididas sem a informação do órgão responsável pelo lançamento, sob pena de nulidade. Seção IV Da Representação Art Qualquer ato que importe em violação à legislação tributária pode ser objeto de representação ao Secretaria de Municipal de Tributação, por qualquer interessado. Art A representação pode ser verbal ou por escrito, devendo satisfazer aos seguintes requisitos: I- nome do interessado e do infrator, bem como os respectivos domicílios e endereços; II- fundamentos da representação sempre que possível com documentos probantes ou testemunhas. Parágrafo Único - A representação, quando procedida verbalmente, é tomada por termo e assinada por duas testemunhas. Capítulo VII Do Julgamento em Primeira Instância Seção I Da Instrução e do Julgamento Art O julgamento do processo fiscal administrativo compete, em primeira instância administrativa, a Assessoria Técnica e Jurídica da Secretaria Municipal de Tributação. Parágrafo Único - A instrução e julgamento do processo fiscal administrativo se dá no prazo máximo de trinta (30) dias, suspendendo-se em casos de diligências e recomeçando a fluir na data do retorno do processo.

92 92 Art O julgador administrativo decide favoravelmente quanto ao pedido de perícias ou diligências quaisquer, solicitadas pelo contribuinte, sempre que não as considere prescindíveis ou impraticáveis. 1 - O pedido deve ser fundamentado sob pena de indeferimento sem análise do mérito; 2º- Se deferido o pedido o julgador administrativo designa perito, de preferência servidor, sendo facultado às partes apresentar assistentes; 3º- O prazo para realização de perícia ou diligência é fixado em atendimento ao grau de complexidade da matéria em questão; 4º- As despesas decorrentes da realização de perícias são custeadas pelo autuado, quando por ele requeridas e realizadas por profissional não servidor municipal. Art O sujeito passivo é cientificado da decisão nos autos do processo, ou por via postal através de aviso de recebimento, ou ainda, nos casos de recusa, por intimação publicada por meio de publicidade oficial do município. Parágrafo Único - Após o trânsito em julgado da decisão proferida em procedimento de ofício, o processo é encaminhado ao órgão competente para inscrição em Dívida Ativa. Seção II Dos Recursos para Segunda Instância Art Da decisão de primeira instância cabe recurso, voluntário e de ofício, para o órgão de segunda instância administrativa. Parágrafo Único - O recurso pode ser interposto contra toda a decisão ou parte dela. Art A autoridade julgadora administrativa recorre de ofício: I- das decisões que desobriguem o sujeito passivo do cumprimento de obrigação tributária principal e/ou acessória de valor superior a um mil reais (R$ 1.00); II- das decisões que autorizem restituição de valor superior ao previsto no inciso anterior; Parágrafo Único - Independente de valor não há recurso de ofício em se tratando de restituição por pagamento em duplicidade. Art O recurso de ofício é interposto no próprio ato da decisão pelo prolator. Parágrafo Único - Enquanto não decidido o recurso de ofício, a decisão não produz efeito. Art O recurso voluntário é interposto pela parte interessada em petição dirigida ao Secretaria Municipal de Tributação. Capítulo VIII Do Julgamento em Segunda Instância Art Ao órgão julgador de segunda instância compete julgar os recursos voluntários e de ofício interpostos relativamente às decisões prolatadas em processos fiscais administrativos. Art Em segunda instância, o órgão competente, julga os recursos que lhe forem submetidos na forma prevista em seu Regimento Interno. Art O recorrente é cientificado da decisão do órgão de segunda instância por uma das seguintes formas: I- publicação do acórdão por meio de publicidade oficial do município; ou, II- ciência nos autos; ou, III- comunicação escrita com prova de recebimento. Art As decisões finais do Órgão Julgador de Segunda Instância, condenatórias ou desfavoráveis aos contribuintes, são obrigatoriamente, cumpridas: I- pela conversão em renda de depósito efetuado em espécie, com a intenção de excluir a atualização monetária; II- pela imediata inscrição do crédito na Dívida Ativa, se não satisfeito o pagamento pelo contribuinte no prazo máximo de trinta (30) dias, da data em que a decisão transitou em julgado. Capítulo IX Da Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal Seção I Disposições Gerais Art Constitui Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal aquela definida em lei como tributária ou não tributária, regularmente inscrita no registro destinado a tal fim, depois de esgotado o prazo fixado para pagamento pela Lei, por contrato ou por decisão final proferida em processo administrativo regular. 1º- Qualquer valor, cuja cobrança seja atribuída por lei ao Município, pode ser objeto de Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal. 2º- A Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal, definida como tributária ou não tributária, abrange a atualização monetária, juros, multa de mora e demais acréscimos ou encargos definidos em lei ou contrato. 3º- A inscrição, que se constitui em ato de ofício para o controle administrativo da legalidade, será feita no órgão competente da Secretaria Municipal de Tributação para apurar a liquidez e certeza do crédito. Art O Termo de Inscrição na Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal, autenticado pela autoridade competente, contem: I- o nome do devedor, e, sendo o caso, dos co-responsáveis e, sempre que conhecido, o domicílio ou a residência de um ou de outros; II- a quantia devida, o valor originário da dívida, bem como o termo inicial e a forma de calcular os juros de mora e demais encargos previstos em lei ou contrato; III- a origem, a natureza e fundamento legal ou contratual da dívida; IV- a indicação, se for o caso, de está a dívida sujeita à atualização monetária, bem como o respectivo fundamento legal e o termo inicial para o cálculo; V- a data e o número da inscrição no registro de dívida ativa; e VI- o número do processo administrativo ou do auto de infração, se neles estiver apurado o valor da dívida. 1º- A Certidão da Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal, autenticada pela autoridade competente, deve conter, além dos elementos descritos neste artigo, a indicação do livro e da folha da inscrição. 2º- As autenticações e registros podem ser realizados de maneira eletrônica ou digital. Art A omissão de quaisquer dos requisitos previstos no artigo anterior, ou o erro a eles relativo, são causas de nulidade da inscrição e do processo de cobrança dela decorrente, podendo a nulidade ser sanada até a decisão de primeira instância, mediante substituição da certidão nula, devolvido ao sujeito passivo, acusado ou interessado o prazo para defesa, que somente poderá versar sobre a parte modificada. Art A dívida regularmente inscrita goza da presunção de certeza e liquidez e tem o efeito de prova pré-constituída. 1º- A presunção a que se refere este artigo é relativa e pode ser ilidida por prova inequívoca, a cargo do sujeito passivo ou do terceiro a que aproveite. 2º- A fluência de juros de mora não exclui a liquidez do crédito. Seção II Da Cobrança Art A execução, coordenação e fiscalização da cobrança dos débitos cabem a: I- Secretaria Municipal de Tributação, até a data de sua inscrição na Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal;

93 93 II- Procuradoria Geral do Município, após a data descrita no inciso anterior. Parágrafo Único - Os procedimentos referidos neste artigo obedecem à forma estabelecida em Regulamento. Capitulo X Das Certidões Negativas Art A prova de quitação de dívidas municipais tributárias e não tributárias, inscritas ou não na Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal, é feita por certidão negativa, expedida após requerimento do interessado. Art A certidão negativa é sempre expedida nos termos em que tenha sido requerida e é fornecida no prazo máximo de 10 (dez) dias, contados a partir da data do ingresso do requerimento. 1º- O prazo de validade da certidão negativa é de até 30 (trinta) dias, contados da data de sua emissão pela autoridade competente. 2º- A certidão negativa pode ser disponibilizada para expedição por meio digital ou através da Internet, no sítio oficial do Município de Senador Georgino Avelino. Art Tem os mesmos efeitos previstos no artigo 258 a certidão de que conste a existência de créditos não vencidos, em curso de cobrança executiva em que tenha sido efetivada a penhora ou cuja exigibilidade esteja suspensa. Art As certidões fornecidas não excluem o direito da Fazenda Pública Municipal cobrar, nos prazos legais, as dívidas tributárias ou não tributárias que venham a ser apuradas, nem aproveita aos casos em que constatado erro, dolo ou outra irregularidade. Art Será dispensada a prova de quitação de tributos ou o seu suprimento, quando se tratar de prática de ato indispensável para evitar a caducidade de direito, respondendo, porém, todos os participantes no ato pelo tributo porventura devido, atualização monetária, juros de mora e penalidades cabíveis, exceto as relativas às infrações cuja responsabilidade seja pessoal ao infrator. Art A certidão negativa expedida com dolo ou fraude, que contenha erro contra a Fazenda Pública Municipal, responsabiliza o servidor que a expedir, pelo crédito tributário atualizado e demais acréscimos e encargos legais. Parágrafo Único - O disposto neste artigo não exclui a responsabilidade criminal e funcional que no caso couber. Art A prova de quitação de dívidas municipais tributárias e não tributárias, inscritas ou não na Dívida Ativa da Fazenda Pública Municipal, é obrigatoriamente exigida: I- para a participação em qualquer modalidade de licitação ou coleta de preço; II- para a celebração de contratos ou termos de qualquer natureza, inclusive para a renovação destes, quando forem parte os órgãos, entes e entidades da Administração Direta ou Indireta do Município; III- para pleitear qualquer isenção, incentivo ou benefício fiscal; IV- para pleitear qualquer espécie de autorização de competência municipal; V- para pleitear a concessão de Habite-se; VI- para receber quantia ou crédito de qualquer natureza; VII- nos demais casos expressos em Lei. TÍTULO VII Das Disposições Gerais, Finais e Transitórias Art O Município de Senador Georgino Avelino pode firmar convênio que vise o controle, fiscalização e incremento da arrecadação dos tributos municipais, com: I- órgãos, entes e entidades da Administração Direta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, inclusive aqueles integrantes do Poder Executivo, Poder Legislativo, Poder Judiciário e Ministério Público; II- as Autarquias e Fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, no que se refere às atividades vinculadas às suas finalidades essenciais ou às delas decorrentes; Art Os tributos, multas e preços públicos previstos na legislação municipal, são estabelecidos e lançados em moeda corrente e reajustados anualmente a 1º de janeiro de cada exercício, através do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), apurado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE, nos últimos doze meses imediatamente anteriores disponíveis. Parágrafo Único - Na hipótese de extinção do IPCA ou se o IBGE deixar de divulgá-lo, o Poder Executivo pode substituí-lo por outro índice que for utilizado pela União para fixação das metas inflacionárias que sirvam de balizamento à política monetária nacional. Art O Poder Executivo fará publicar anualmente a atualização dos valores constantes nas tabelas anexas a esta lei de acordo com o índice de atualização monetária adotado pelo Município. Art Salvo disposição em contrário, todos os prazos fixados neste Código são contados por dias corridos, excluído o do início e incluído o do vencimento. Parágrafo Único - Quando o início ou o término do prazo recair em dia considerado não útil para o órgão administrativo, a contagem é prorrogada para o primeiro dia útil subseqüente. Art Compete à Secretaria Municipal de Tributação expedir todas as instruções e normas complementares que se façam necessárias à perfeita execução deste Código. Parágrafo Único - Enquanto não editados os atos normativos previstos nesta Lei, ficam mantidas a vigência e eficácia dos atuais decretos e portarias que tratem de matéria tributária, desde que não sejam incompatíveis com as normas veiculadas por esta Lei. Art Fica o Poder Executivo autorizado a conceder descontos, na forma e limites que dispuser o regulamento, de até noventa por cento (90%) da multa de mora, multa por infração em conseqüência de não pagamento de tributo e juros de mora, decorrentes de crédito tributário vencido, em qualquer fase de cobrança, cujo contribuinte esteja com sua situação tributária absolutamente regular no exercício da fruição deste benefício. Parágrafo Único Para o contribuinte que não estiver na condição especificada no caput deste artigo o desconto limitar-se-á a cinqüenta por cento (50%) sobre os juros e multa de mora. Art Ao contribuinte em débito para com a Fazenda Municipal fica vedado, em relação aos órgãos da Administração Municipal, Direta ou Indireta: I- receber quantias ou créditos de qualquer natureza; II- participar de licitações; III- usufruir de benefícios fiscais instituídos pela legislação tributária do Município; IV- locar imóveis próprios municipais, inclusive para realização de eventos de diversões públicas. Art Todas as receitas recebidas pela Administração Direta ou Indireta do Município de Senador Georgino Avelino, previstas ou não neste Código, são obrigatoriamente arrecadadas através de documento adotado pela Secretaria Municipal de Tributação, nas formas e prazos que dispuser o regulamento. Art O Poder Executivo pode determinar a eliminação das frações da moeda corrente do país no lançamento e no cálculo dos tributos. Art Ficam revogadas todas as isenções, benefícios e incentivos fiscais, exceto as ressalvadas por esta Lei e as concedidas, por prazo determinado, mediante a estipulação de condições, que permanecem mantidas até seu termo final. Art Esta Lei entra em vigor na data da sua publicação e produz seus efeitos a partir de 1º de janeiro de 2015, revogadas as disposições em contrário e, em especial a Lei nº 062/2002, de 18 de dezembro de EDVAL BEZERRA DE LIMA Prefeito Municipal ANEXO ÚNICO TABELA I PLANTA GENÉRICA DE VALORES DE TERRENO ESPECIE VALOR M2(R$) SETOR 1 MALEMBAR 1 SETOR 2 CENTRO PARTE BAIXA 15,00 SETOR 3 SETOR SUL 1

94 94 SETOR 4 EXPANSÃO URBANA 5,00 SETOR 5 CARNAUBA 1 SETOR 6 CENTRO PARTE ALTA 1 TABELA II FATOR DE CORREÇÃO DE PEDOLOGIA DO TERRENO ITEM FATOR Normal 1,0 Alagado Total 0,3 Alagado + 50% 0,4 Alagado 50% 0,5 TABELA III FATOR DE CORREÇÃO DE TOPOGRAFIA DO TERRENO ITEM FATOR Plano 1,0 Aclive/Declive 0,7 Redução de Capacitação 0,5 Formato que impede Construção 0,3 TABELA IV FATOR DE CORREÇÃO DE SITUAÇÃO DO TERRENO ITEM FATOR Meio de Quadra 1,00 Terreno Esquina (2 frentes) 1,05 Terreno Esquina (3frentes) 1,15 Encravado 0,50 Fundo 0,60 Interno 0,70 Gleba 0,30 TABELA V FATOR DE GLEBA METRAGEM FATOR DE GLEBA M² M² M² M² 0.5 ACIMA DE M² 0.4 TABELA VI VALOR M² DE PREÇOS DE OCNTRUÇÂO QUALIDADE Residencial Simples Regular Médio Superior Apartamento Simples Regular Médio - Superior Comercial/Loja e Sala p/escritorio Simples Regular Médio - Superior Galpão Simples Regular Médio - Superior Garagem Simples Regular Médio - Superior Hotel/Motel e Pousada Simples Regular Médio - Superior Shopping Simples Regular Médio - Superior Viveiro Camarão Simples Regular Médio - Superior VALOR M2 (R$) ,00 25,00 35, ,00 2,00 2,00 5,00 TABELA VII FATOR DE CORREÇÃO DE QUALIDADE DE CONSTRUÇÃO

95 95 QUALIDADE DA CONSTRUÇÃO FATOR Extra 1,4 Especial B 1,3 Especial A 1,2 Superior 1,1 Médio 1,0 Regular 0,9 Simples 0,6 TABELA VIII FATOR DE CORREÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE IMÓVEL PARA CÁLCULO DO VALOR VENAL DA UNIDADE IMOBILIÁRIA TIPO DE UTILIZAÇÃO FATOR Comercial 1,20 Industrial 1,10 Residencial 1,00 Prestação de Serviços 1,00 Hospitalar 0,90 TABELA IX FATOR DE CORREÇÃO DE ESTRUTURA TIPO DE ESTRUTURA FATOR Concreto 1,10 Mista 1,10 Alvenaria 1,00 Metálica 1,00 Madeira 1,00 Outras 0,70 Taipa/Adobe 0,50 TABELA X TAXA DE FISCALIZAÇÃO PARA LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE ATIVIDADES ITEM DISCRIMINAÇÃO DA ATIVIDADE VALOR EM R$ 01 Bancos, instituições financeiras, agentes ou representantes de entidade vinculadas ao sistema financeiro, corretores de títulos em geral, administradores e cartões de crédito, construção civil e atividades afins, planos de saúde em geral, indústrias, comércio atacadista, rádio, jornal e televisão, consórcios ou fundos mútuos em geral, concessionárias de 40 vendas de veículos e/ou máquinas, lojas de departamentos, empresas de transporte de cargas. Vigilância e transporte de valores, limpeza e/ou conservação, colocação de mão-de-obra, empresa de transporte de passageiros, locação de veículos, máquinas e equipamentos, 02 instalação e montagem de máquinas e equipamentos, montagem industrial, laboratórios de análises clínicas em geral, biópsia, eletricidade médica, clínicas em geral, 18 estabelecimentos hospitalares (hospitais, casas de saúde, de repouso), floresta mento e reflorestamento, clínicas veterinárias, assessoria e projetos técnicos em geral, propaganda e publicidade, hotéis, motéis e apart-hotéis, pousadas e pensões, informática e processamento de dados, instituições de ensino superior. 03 Agencia de automóvel, postos de lavagem e lubrificação e troca de óleo, serviços de higiene pessoal (salões de beleza, cabeleireiros, barbearia etc.), academia de ginástica e estética, estúdios fotográficos, fonográficos cinematográficos, casas lotéricas e vendas de bilhetes de loterias, postos bancários para pagamento ou recebimento inclusive caixas automáticos, outros estabelecimento de ensino (colégios, cursos preparatórios, etc.), diversões públicas (clubes, cinemas e boates, etc.), conserto e reparação de aparelhos, 20 equipamentos, veículos e peças, sucatas em geral, locação de bens móveis (fitas de vídeo, cartucho vídeo game CD s etc.), agenciamento e corretagem em geral, administradora de bens, comércio varejista, outras prestações de serviços. 04 Concessionária ou permissionária de serviços públicos, depósitos em geral Escritórios ou consultórios de profissional liberal de nível superior Estabelecimento de profissional liberal de nível médio ou técnico Estabelecimento de profissional liberal, artesanal Atividades não previstas nos itens acima 6 09 Torre e/ou antena de transmissão de sinal de telefonia móvel por unidade/anual Criação de camarões e similares (por hectare) 5 11 Embarcações com até 30 passageiros (excluindo-se a Tripulação) 12 Embarcações com até 60 passageiros (excluindo-se a Tripulação) 13 Comércio 14 Indústria Alvará tipo I Alvará tipo II Alvará tipo III Alvará tipo I Alvará tipo II Alvará tipo III De pequeno porte, por m2 (até 300 m2) limitando-se a R$ 10. De médio porte, por m2 (de 301 a 1000 m2) limitando-se a R$ 30. De grande porte, por m2 (acima de 1000 m2) limitando-se a R$ 60. De pequeno porte, por m2 (até 500 m2) limitando-se a R$ 30. De médio porte, por m2 (501 a 2000 m2) limitando-se a R$ 80. De grande porte, por m2 (acima de 2000 m2) limitando-se a R$ ,50 2,00 2,50 2,00 2,50 3,00 TABELA XI TAXA DE FISCALIZAÇÃO PARA EXECUÇÃO DE OBRAS, REMANEJAMENTO E PARCELAMENTO DO SOLO ITEM DISCRIMINAÇÃO VALOR EM R$ 01 CONSTRUÇÃO, RECONSTRUÇÃO E REFORMA I - Estrutura em concreto armado, ou alvenaria: A - De prédios residenciais, por metro quadrado de área total de construção a) Padrão baixo 0,40 b)normal 0,60

96 96 c) Alto 0,80 d) Luxo 1,20 B - Demais prédios (não residenciais) por metro quadrado de área total de construção a) Padrão baixo 0,40 b)normal 0,60 c) Alto 0,80 d) Luxo 1,20 II - Estrutura de madeira A - Prédios residenciais, por metro quadrado de área total de construção 0,80 B Demais prédios por metro quadrado de área total de construção 0,60 III - Ancoradouro, por metro quadrado de área total de piso 2,40 02 REGULARIZAÇÃO (OBRAS CLANDESTINAS) I - Estrutura em concreto, ou alvenaria: A - De prédios residenciais por metro quadrado de área total de construção: a) Padrão baixo 0,60 b)normal 0,80 c) Alto 1,60 d) Luxo 2,40 B - Demais prédios (não residenciais) por metro quadrado de área total de construção: a) Padrão baixo 0,60 b)normal 0,80 c) Alto 1,60 d) Luxo 2,40 II - Estrutura de madeira: A - De prédios residenciais, por metro quadrado de área total de construção 1,40 B - Demais prédios (não residenciais) por metro quadrado de área total de construção 1,40 III - Estrutura metálica de prédios, por metro quadrado de área total de construção 2,40 03 OUTRAS CONSTRUÇÕES a) Chaminés, por metro de altura 1 b) Forno, por metro quadrado 4,00 c) Piscina e caixa d água, por metro cúbico 2,00 d) Pérgulas, por metro quadrado 0,80 e) Marquises, por metro quadrado 1,20 f) Platibandas e beirais, por metro linear 0,40 g) Tapumes, por metro linear 6,00 h) Drenos, sarjetas e escavações na via pública, por metro linear 0,20 i) Substituição de coberta, por metro quadrado 0,20 j) Colocação ou substituição de bombas de combustíveis e lubrificação,inclusive tanques, por unidades 6 04 DEMOLIÇÃO DE PRÉDIOS, POR METRO QUADRADO R 0,08 TABELA XII TAXA DE FISCALIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO DOS MEIOS DE PUBLICIDADE ITEM DISCRIMINAÇÃO DO CUSTO VALOR EM R$ 01 Publicidade através de anúncios, letreiros, placas indicativas de profissão, arte ou ofício, distintivos, emblemas e assemelhados, por m2 0,40 02 Publicidade na parte externa de veículos, por m2 0,40 03 Publicidade conduzida por pessoa, por unidade 2 04 Publicidade em prospecto, por espécie distribuída 8 05 Exposição de produtos ou propaganda feita em estabelecimentos de terceiros ou em locais de freqüência pública, por espécie 4 06 Publicidade através de "out door", por exemplar 34,00 07 Publicidade através de alto-falante, por exemplar 6 TABELA XIII TAXA DE OCUPAÇÃO DE ÁREAS PÚBLICAS ITEM NATUREZA DA OCUPAÇÃO OCUPAÇÃO 1 Eventos em logradouros públicos, circos e parque de diversões, por m2 /anual 2,00 2 Barraca em feira livre, por m2/ anual 12,00 3 Banca de jornal, quiosque, estande de vendas, barraca em feira artesanal, barraca de ambulante por m2 /anual 18,00 4 Veículo motorizado ou não, de comércio eventual ou de ambulante, por veículo / anual 18,00 5 Mesas e Cadeiras por m2/ anual 36,00 6 Poste, torre e demais instalações em equipamentos destinados à distribuição de energia elétrica e serviços de telefônicas fixas, por unidade/ anual 8 7 Caixa eletrônicos bancários, por unidade /anual 40 8 Torre e/ou antena de transmissão de sinal de telefonia móvel por unidade/anual 5.00 TABELA XIV FATOR DE UTILIZAÇÃO DO IMÓVEL (CÁLCULO DA TAXA DE LIXO) TIPO DE USO FATOR (UI) Residencial 0,035 Não residencial 0,065 Industrial 0,100 Hospitalar 0,125 Militar 0,035 TABELA XV TAXA DE EXPEDIENTE E SERVIÇOS DIVERSOS SERVIÇO QUANT. (Reais) 1. Expedição de: 1.1 Certidão de sucessivos proprietários, por lauda 15, Certidão de característica Outras certidões, translados, atestados e alvarás (inclusive habite-se), por lauda 15,00

97 Carteiras estudantis 1, Laudos quaisquer, por lauda 5,00 2. Lavratura de termos, contratos e registros de qualquer natureza, inclusive averbações por lauda 5,00 3. Permissão ou renovação anual: 3.1 Pela exploração de transportes coletivo, por cada veículo Pela exploração de transportes em autos de aluguel, por cada veículo Pela exploração de quaisquer outros serviços municipais por autorização ou renovação 2 4. Vistorias: 4.1 Em veículos de aluguel 15, Em outros veículos quaisquer Em imóveis por cada 150 m2 ou fração vistoriado 7,00 5.Emissão de documentos municipais de arrecadação 1,00 6.Inscrição em concurso público, até 3 7.Fornecimento cópia: 7.1 Heliográfica por m Fotostática 0,15 8.Realização de cursos extracurriculares, por hora-aula até 1 9. exumação Demarcação de áreas por metro linear demarcado, até 1, Cordeamento, por m2 de acréscimo, até Outros serviços não especificados nesta Tabela, até 1 DE, 05 DE DEZEMBRO DE 2014 EDVAL BEZERRA DE LIMA Prefeito Municipal ÍTALO GABRIEL BESERRA DE OLIVEIRA Código Identificador: 6A18BBF7 PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA CAIADA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO-CPL EDITAL Nº. 003/ PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - RELAÇÃO DOS INSCRITOS A Prefeitura Municipal de Serra Caiada, através da Comissão Especial Executiva, com sede na Rua Nossa Senhora da Conceição, n CEP: Serra Caiada/RN, no uso de suas atribuições legais torna publico a relação de todos os inscritos no processo seletivo simplificado à epígrafe. 1. PROFESSOR DE INGLÊS: RELAÇÃO DOS INSCRITOS Nº NOME CPF 01 ILKA MARIA MOREIRA PINHEIRO JOSE VICENTE DA SILVA AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS: Nº NOME CPF 01 ADRIANA HERCULANO DA SILVA ADRIANA RICARDO DA SILVA ADJADSON SILVA DA COSTA ADEILSON PINHEIRO PINTO ANA PAULA SERAFIM DA SILVA ANA PAULA CONSTANTINO DE MELO ARIKELLY ALVES DA COSTA ALEXSON RIBEIRO ALVES BARBARA THAIZE DA SILVA SOUZA BRUNA MAYARA DA SILVA MOREIRA CARLOS RANIEL SILVA DANIELE BEZERRA DOS SANTOS DENIZIA CRISTINA SOARES LEITE EDVALDO LEANDRO DE OLIVEIRA ELENILDE LEANDRO DE OLIVEIRA ENEILDE LEANDRO DE OLIVEIRA ELIGENIA CARLA DA SILVA FABIANA FIDELIS DE VALENÇA SOUZA FABIANA DO NASCIMENTO SILVA FERNANDA VALERIA DE SOUZA FERNANDO ANDRE DA SILVA FRANCISCA EDINALVA DO NASCIMENTO FRANCISCA DAS CHAGAS DA SILVA FREITAS ROCHA FRANCISCO FABIO CORDEIRO DE BRITO GABRIELA ANGELO DA SILVA GABRIELA PEREIRA DE ANDRADE GEILZA VANEZIA AVELINO GLEICIANE PAIVA ANGELO GLICIA BERNARDINO RIBEIRO LIDIA NUNES DA SILVA JOYCE MAYARA ADELINO DA SILVA JEFERSON GALVAO DA SILVA JERSON FRANCISCO DOS SANTOS JOSE LEANDRO DE LIMA JOSEFA EDNA LEANDRO DA SILVA JOSE RANILSON COSME JULIA GRACIELA RIBEIRO DA SILVA

98 98 39 LARISSA EFIGENIA NASCIMENTO DA SILVA LIDIANE MEDEIROS DE SOUZA LUCIANA CAMPOS DA SILVA GONÇALVES LUCIMAR LIMA GOMES LUIZ ALVES DA SILVA FILHO MANOEL SERAFIM DA SILVA MARCIA COSTA ARAUJO GOMES MARCIA MARIA DA SILVA MARLUCE NUNES MAKSON CLEIDSON DE OLIVEIRA MARIA ANTONIA DA SILVA MARIA APARECIDA NUNES DA SILVA RAMOS MARIA DEMERCIA DO NASCIMENTO FRANCA MARIA ELIEGE COSTA SANTOS MARIA DE FATIMA NUNES DA SILVA MARIA DE FATIMA HERCULANO DA SILVA MARIA JOALICE AZEVEDO FAUSTINO MARIA DO SOCORRO DE MOURA SILVA MARIA DAS VITORIAS SANTANA MARINEIDE TERTO DA ROCHA BATISTA MARILENE SILVA DO NASCIMENTO MICARLA ANDRADE DE LIMA MICARLA PEREIRA DA SILVA MARCIO ROSSINE CLAUDINO NAIDIANY JAMILE DA SILVA BEZERRA NAILTOM CLAUDINO DA SILVA NAYARA DO NASCIMENTO SANTIAGO NELI PEREIRA DE LIMA NADJA MARCELLA PEREIRA GALVAO PATRICIA LARANJEIRA DA COSTA PAULO HENRIQUE MATEUS RAFAELA MICHELLE DA SILVA RAYSSA DA SILVA ALVES RENATO SOARES DA SILVA RITA DE CASSIA GOMES DE SOUZA ROSELI LEANDRO DA SILVA ROSIMERY GOMES DA SILVA NASCIMENTO SAMARA DO NASCIMENTO LOURENCO SEBASTIAO JOANDERSON SOUZA DA SILVA TARCIZIO MADRUGA CLEMENTINO NETO TELMA MARIA DA SILVA SOUZA TACIANA ANGELO DA SILVA WALISSON FERREIRA DO NASCIMENTO MERENDEIRA: Nº NOME CPF 01 CLENILDA AMARO SOUTO EDNALVA DE FREITAS ALEXANDRE FRANCISCA GILDENE DA SILVA FREITAS FRANCISCA ALIETE DE SOUZA OLIVEIRA GILMARA CABRAL DOS SANTOS DO NASCIMENTO HERTA ARAUJO DO NASCIMENTO MARIA JOSE PAIVA DE OLIVEIRA JOSEFA GEOVANA FERREIRA CABRAL DA SILVA MARIA DE LOURDES ALEXANDRE MARIA DAS DORES FERNANDES DE OLIVEIRA KATIANA BONFIM DA SILVA KALIANE PAULINO DA ROCHA KALINE SILVA RODRIGUES VANECIA HERCULANO DA SILVA VERONICA MOREIRA MOTORISTA: Nº NOME CPF 01 ANTONIO MARCOS ALVES DE SOUZA CLEONES PEREIRA DE FREITAS EDNEY PEREIRA MOREIRA EDSON ASTERIO DE MAGALHAES ISAAC PIERRE DE AZEVEDO JOSE ROBERTO VIEIRA JOSE RICARDO COSME DE MENDONÇA JONATAS FERREIRA INACIO DA SILVA JUSCELINO FIRME DA SILVA JOSE RONILSON ALVES DA SILVA LUIZ GONZAGA GOMES MOACIR COSME DE OLIVEIRA MARCIO ROBERTO CONSTANTINO DE ASSUNÇÃO MAURICIO COSME DE OLIVEIRA TRATORISTA SEM INSCRIÇÃO SERRA CAIADA/RN, 20 de março de MARIA DO SOCORRO DOS ANJOS FURTADO

99 99 Prefeita Municipal RUBENS SUASSUNA CARNEIRO Código Identificador: 74F4BB0F PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA NEGRA DO NORTE DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE DIÁRIAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PORTARIA Nº 0126/2015 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE DE SERRA NEGRA DO NORTE/RN, no uso de suas atribuições legais, notadamente o que lhe confere a Lei Orgânica do Município, RESOLVE: Art. 1º. Conceder a(s) diária(s) abaixo discriminada(s), destinada(s) à cobertura de custos de alimentação e pousada do respectivo servidor, durante o deslocamento, a serviço dessa entidade, a saber: Servidor: Cargo/Função: Jussiê Silva Lopes de Vasconcelos Motorista Quant. Destino Data Valor Unitário (R$) Valor Total (R$) 1/2 (Meia) Caicó/RN 23 de Março de ( ) Diárias com Pernoite (x) Diárias sem Pernoite TOTAL R$ 3 Descrição do Objetivo/Serviços do deslocamento Viagem a Caicó/RN, no(s) dia(s) 23 de Março de 2015, com o objetivo de: Conduzir os pacientes Rita Maria de Souza e Joaquim Florentino de Faria à Clínica do Rim, no Hospital Regional (SESP), no veículo Ducato (modelo Unidade Móvel), de placa MYV-3592, para sessão de hemodiálise, conforme anexos. Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se e cumpra-se. Serra Negra do Norte/RN, 20 de Março de EDVALDO DANTAS DE LUCENA Secretário Municipal de Saúde JANNY LAURA ARAÚJO DE MEDEIROS Código Identificador: 524FD577 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE DIÁRIAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PORTARIA Nº 0127/2015 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE DE SERRA NEGRA DO NORTE/RN, no uso de suas atribuições legais, notadamente o que lhe confere a Lei Orgânica do Município, RESOLVE: Art. 1º. Conceder a(s) diária(s) abaixo discriminada(s), destinada(s) à cobertura de custos de alimentação e pousada do respectivo servidor, durante o deslocamento, a serviço dessa entidade, a saber: Servidor: Cargo/Função: Epaminondas Belo dos Santos Motorista Quant. Destino Data Valor Unitário (R$) Valor Total (R$) 1/2 (Meia) Caicó/RN 21 de Março de ( ) Diárias com Pernoite (x) Diárias sem Pernoite TOTAL R$ 3 Descrição do Objetivo/Serviços do deslocamento Viagem a Caicó/RN, no(s) dia(s) 21 de Março de 2015, com o objetivo de: Ressarcimento por conduzir o paciente Raimundo Nicácio de Araújo ao Hospital Regional (SESP), no veículo Doblô (modelo Ambulância), de placa OJT-8346, para atendimento de URGÊNCIA, conforme anexos. Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se e cumpra-se. Serra Negra do Norte/RN, 23 de Março de EDVALDO DANTAS DE LUCENA Secretário Municipal de Saúde JANNY LAURA ARAÚJO DE MEDEIROS Código Identificador: 430E9650 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE DIÁRIAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PORTARIA Nº 0128/2015 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE DE SERRA NEGRA DO NORTE/RN, no uso de suas atribuições legais, notadamente o que lhe confere a Lei Orgânica do Município, RESOLVE: Art. 1º. Conceder a(s) diária(s) abaixo discriminada(s), destinada(s) à cobertura de custos de alimentação e pousada do respectivo servidor, durante o deslocamento, a serviço dessa entidade, a saber: Servidor: Cargo/Função: Epaminondas Belo dos Santos Motorista Quant. Destino Data Valor Unitário (R$) Valor Total (R$) 1/2 (Meia) Caicó/RN 22 de Março de ( ) Diárias com Pernoite (x) Diárias sem Pernoite TOTAL R$ 3

100 100 Descrição do Objetivo/Serviços do deslocamento Viagem a Caicó/RN, no(s) dia(s) 22 de Março de 2015, com o objetivo de: Ressarcimento por conduzir a paciente Maria Luiza Lucena Monteiro ao Hospital Regional (SESP), no veículo Doblô (modelo Ambulância), de placa OJT-8346, para atendimento de URGÊNCIA, conforme anexos. Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se e cumpra-se. Serra Negra do Norte/RN, 23 de Março de EDVALDO DANTAS DE LUCENA Secretário Municipal de Saúde JANNY LAURA ARAÚJO DE MEDEIROS Código Identificador: 6E58B6E7 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE DIÁRIAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE PORTARIA Nº 0129/2015 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE DE SERRA NEGRA DO NORTE/RN, no uso de suas atribuições legais, notadamente o que lhe confere a Lei Orgânica do Município, RESOLVE: Art. 1º. Conceder a(s) diária(s) abaixo discriminada(s), destinada(s) à cobertura de custos de alimentação e pousada do respectivo servidor, durante o deslocamento, a serviço dessa entidade, a saber: Servidor: Cargo/Função: José dos Santos Filho Coordenador de Núcleo Rural (Condição de Motorista) Quant. Destino Data Valor Unitário (R$) Valor Total (R$) 1/2 (Meia) Caicó/RN 24 de Março de ( ) Diárias com Pernoite (x) Diárias sem Pernoite TOTAL R$ 4 Descrição do Objetivo/Serviços do deslocamento Viagem a Caicó/RN, no(s) dia(s) 24 de Março de 2015, com o objetivo de: Conduzir a paciente Ivaneide Silva ao Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), no veículo Strada (modelo CD), de placa OVZ-8280, para acompanhamento psiquiátrico, conforme anexos. Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Publique-se e cumpra-se. Serra Negra do Norte/RN, 23 de Março de EDVALDO DANTAS DE LUCENA Secretário Municipal de Saúde JANNY LAURA ARAÚJO DE MEDEIROS Código Identificador: 53C45AD4 PREFEITURA MUNICIPAL DE UPANEMA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 04/2015 PP ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 22/2015 Aos 03 dias do mês de março do ano de 2015, no Departamento de Compras, localizado no Prédio da Prefeitura de Upanema/RN, o Município de Upanema/RN, em face da classificação das propostas apresentadas no Pregão Presencial nº 04/2015 PP, na Ata de julgamento de preços, homologada em 02/03/2015, RESOLVE registrar os preços da(s) empresas, nas quantidades estimadas, de acordo com a classificação por ela(s) alcançada(s), atendendo as condições previstas no Edital de Licitação e seus Anexos, e em conformidade com as disposições a seguir. 1. DO OBJETO 1.1 A presente Ata tem por objeto a Locação de veículos para o transporte escolar de alunos e professores da rede municipal de ensino, deste município de Upanema/RN para o exercício de 2015, conforme especificações constantes no Anexo I do Edital Pregão Presencial nº 04/2015 PP. 1.2 A licitante registrada para o serviço cotado é a seguinte: Fornecedor: JOSE BATISTA DA SILVA - MEI CNPJ: / Telefone: Endereço: ST BOM LUGAR, 90 - ZONA RURAL Upanema - RN. Representante: JOSE BATISTA DA SILVA - CPF: LOTE 23 - OUTRAS ROTAS 1 Item Descrição Marca Unidade Medida Quant. Preço Unit.(R$) Vlr. Total(R$) Locação de veículo, tipo passeio, com capacidade para 04, com combustível por conta da contratada e manutenção e 34 motorista por conta da contratante, para transporte de ALUNOS universitários de BOM LUGAR a cidade de MOSSORÓ, turno Km , matutino (130 km, ida e volta). VALOR GLOBAL LOTE 23 - OUTRAS ROTAS Este instrumento não obriga o Município a firmar contratações nas quantidades estimadas, podendo ocorrer licitações específicas para a prestação dos serviços, obedecida a legislação pertinente, sendo assegurada ao detentor do registro a preferência de fornecimento, em igualdade de condições, nos termos do art. 15, parágrafo 4º da lei 8.666/ Os preços registrados manter-se-ão inalterados pelo período de vigência da presente Ata, admitida a recomposição no caso de desequilíbrio da equação econômico-financeira inicial deste instrumento Os preços registrados que sofrerem recomposição não ultrapassarão os preços praticados no mercado, mantendo-se a diferença percentual apurada entre o valor originalmente constante da proposta e aquele vigente no mercado à época do registro O aumento decorrente de recomposição dos preços unitários em razão de desequilíbrio econômico-financeiro do Contrato somente poderá ser dado se a sua ocorrência era imprevisível no momento da contratação, e se houver a efetiva comprovação do aumento pela empresa registrada (requerimento, planilha de custos e documentação de suporte). 1.5 Caso o preço registrado se torne superior à média dos preços de mercado, o Município solicitará ao fornecedor, mediante correspondência, redução do preço registrado, de forma a adequá-lo na forma do item DOCUMENTOS INTEGRANTES 2.1 Para todos os efeitos legais, para melhor caracterização do objeto, bem como, para definir procedimentos e normas decorrentes das obrigações ora contraídas, integram esta Ata, como se nela estivesse transcrita, os seguintes documentos:

101 a) Edital de Pregão Presencial nº 04/2015 PP e seus anexos; b) Proposta da(s) Licitante(s). 3. VIGÊNCIA A presente Ata vigorará pelo período de 12 (doze) meses após a homologação da Autoridade Competente, nos termos do art. 15, parágrafo 3º, inciso III da lei 8.666/ DAS CONDIÇÕES DE ENTREGA E RECEBIMENTO 4.1 Os materiais deverão ser entregues conforme a necessidade da municipalidade, que procederá a solicitação do objeto nas quantidades que julgar necessárias. 4.2 Após efetuada a solicitação, os materiais deverão ser entregues no prazo máximo de até 2 (dois) dias após a solicitação do objeto, em horário de expediente, nas condições estipuladas no presente Edital e seus Anexos, nos locais de entrega dispostos no Anexo VII do Edital. 4.3 No ato da entrega dos materiais a proponente deverá apresentar Nota Fiscal/Fatura correspondente às quantias solicitadas, que será submetida à aprovação do órgão responsável pelo recebimento. 4.4 Fica aqui estabelecido que os materiais serão recebidos: a) provisoriamente, para efeito de posterior verificação da conformidade do material com a especificação; b) definitivamente, após a verificação da qualidade e quantidade do material e a consequente aceitação. 4.5 Observado qualquer tipo de não-atendimento das especificações dos objetos da licitação, a Fornecedora deverá substituí-los no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas contadas da data de notificação apresentada à Fornecedora, sem qualquer ônus para o Município. 4.6 Se os materiais não forem substituídos no prazo estipulado, a fornecedora estará sujeita às sanções previstas neste Edital e na Ata de Registro de Preços, podendo, ainda, ser determinada a suspensão dos pagamentos. 4.7 O recebimento dos materiais, mesmo que definitivo, não exclui a responsabilidade da empresa pela qualidade e características dos mesmos, cabendo-lhe sanar quaisquer irregularidades detectadas quando da utilização dos mesmos. 5. DA FORMA DE PAGAMENTO E DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 5.1 O pagamento será efetuado em até 15 (quinze) dias, contados a partir do recebimento dos materiais, mediante a apresentação da Nota Fiscal/Fatura datada e assinada por responsável da secretaria; através de depósito na conta corrente da fornecedora. 5.2 Para fazer jus ao pagamento, a empresa deverá apresentar, juntamente com o documento de cobrança, prova de regularidade perante o INSS e FGTS, observada a natureza jurídica da licitante. 5.3 Nenhum pagamento será efetuado à empresa, enquanto houver pendência de liquidação de obrigação financeira, em virtude de penalidade ou inadimplência contratual. 5.4 Não haverá, sob hipótese alguma, pagamento antecipado. 5.5 As despesas decorrentes de aquisição dos objetos correrão à conta dos recursos orçamentários, existentes nas dotações previstas na Lei Orçamentária Anual Vigente. 6 RESPONSABILIDADES 6.1 A fornecedora responde por todos os danos e prejuízos que, na execução das contratações, venha, direta ou indiretamente, a provocar ou causar para o Município ou à terceiros, independentemente da fiscalização exercida pelo Município. 6.2 A empresa fornecedora é responsável pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais resultantes da execução desta ata, nos termos do artigo 71 da Lei 8.666/ As contribuições sociais e os danos contra terceiros são de responsabilidade da fornecedora. 6.4 A empresa fornecedora é responsável também pela qualidade dos materiais fornecidos, cabendo-lhe verificar o atendimento das especificações, não se admitindo, em nenhuma hipótese, a alegação de que terceiros quaisquer, tenham comprometido os mesmos, fora dos padrões exigidos. 6.5 A empresa registrada autoriza o Município a descontar o valor correspondente aos referidos danos ou prejuízos diretamente das faturas pertinentes aos pagamentos que lhe forem devidos, independentemente de qualquer procedimento judicial, assegurada a prévia defesa. 7 OBRIGAÇÕES DAS FORNECEDORAS 7.1 Constituem obrigações das empresas fornecedoras: a) providenciar, no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas, o saneamento de qualquer irregularidade constatada nos materiais fornecidos; b) manter, durante a vigência da Ata, todas as exigências contidas no Edital de Licitação; c) Corrigir, reparar, remover, reconstruir ou substituir, às suas expensas, no total ou em parte, o objeto em que se verificar vícios, defeitos ou incorreções, ou, ainda, que estarem em desacordo com as especificações exigidas; 7.2 Observado qualquer tipo de não-atendimento das especificações dos serviços exigidos no contrato, a fornecedora deverá substituí-los no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, sem qualquer ônus para o Município A não substituição dos materiais no prazo estipulado, poderá acarretar a suspensão dos pagamentos, bem como na aplicação das sanções previstas no Edital, nesta Ata e na Lei. 8. DO CANCELAMENTO DO REGISTRO DA FORNECEDORA 8.1 O Município poderá cancelar o Registro de Preços da(s) fornecedora(s) nos casos a seguir especificados: a) quando descumprir as exigências do edital ou da respectiva ata; b) quando a empresa der causa a rescisão administrativa de contrato decorrente de registro de preços; c) quando não aceitar abaixar o preço registrado, na hipótese de este se tornar superior àqueles praticados no mercado; d) quando não comparecer ou deixar de fornecer, no prazo estabelecido, os materiais decorrentes da Ata de Registro de Preços e a Administração não aceitar a sua justificativa; e) em qualquer das hipóteses de inexecução total ou parcial dos serviços; f) perder qualquer condição de habilitação e qualificação técnica exigida no processo licitatório; g) por razões de interesse público devidamente demonstradas e justificadas pela Administração. 8.2 Em qualquer das hipóteses acima, concluído o processo, a Administração fará o devido apostilamento na Ata de Registro de Preços e informará aos demais fornecedores a nova ordem de registro. 9 PENALIDADES 9.1 Pela inexecução total ou parcial dos serviços estará a empresa fornecedora sujeita às seguintes penalidades: a) Advertência; b) Multa: 1- De 0,5% (meio por cento) por dia de atraso, no caso de não cumprimento do prazo de entrega ou de execução do serviço contratado, até o limite de 20% (vinte por cento) do valor global dos objetos registrados nesta Ata (do respectivo fornecedor); 2- De até 20% (vinte por cento) sobre o valor global dos objetos registrados nesta Ata (do respectivo fornecedor), no caso de descumprimento das disposições contidas nesta ata e no edital, ressalvado o disposto no item 01 (um) acima citado; c) Impedimento de participação em licitação e de contratar com a Administração Pública pelo período de até 05 (cinco) anos consecutivos. 9.2 As eventuais multas aplicadas por força do disposto nos subitens precedentes não terão caráter compensatório, mas simplesmente moratório e, portanto, não eximem a fornecedora da reparação de possíveis danos, perdas ou prejuízos que os seus atos venham a acarretar, nem impedem a declaração da rescisão do pacto em apreço. 10. DISPOSIÇÕES GERAIS 10.1 Elegem as partes contratantes o Foro desta cidade, para dirimir todas e quaisquer controvérsias oriundas desta Ata, renunciando expressamente a qualquer outro, por mais privilegiado que seja.

102 102 Prefeitura de Upanema/RN, 03 de março de LUIZ JAIRO BEZERRA DE MENDONÇA Prefeito Municipal FÁBIO MAXCIMILIANO DIOGENES DE SOUSA Pregoeiro EMPRESA DETENTORA DA ATA JOSE BATISTA DA SILVA - CPF: JOSE BATISTA DA SILVA - CNPJ: / ISAIAS MENDONÇA COSTA Código Identificador: 74C3E39F COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 04/2015 PP ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 23/2015 Aos 03 dias do mês de março do ano de 2015, no Departamento de Compras, localizado no Prédio da Prefeitura de Upanema/RN, o Município de Upanema/RN, em face da classificação das propostas apresentadas no Pregão Presencial nº 04/2015 PP, na Ata de julgamento de preços, homologada em 02/03/2015, RESOLVE registrar os preços da(s) empresas, nas quantidades estimadas, de acordo com a classificação por ela(s) alcançada(s), atendendo as condições previstas no Edital de Licitação e seus Anexos, e em conformidade com as disposições a seguir. 1. DO OBJETO 1.1 A presente Ata tem por objeto a Locação de veículos para o transporte escolar de alunos e professores da rede municipal de ensino, deste município de Upanema/RN para o exercício de 2015, conforme especificações constantes no Anexo I do Edital Pregão Presencial nº 04/2015 PP. 1.2 A licitante registrada para o serviço cotado é a seguinte: Fornecedor: JUCINEIDE MOURA DE BRITO MEDEIROS CNPJ: / Telefone: Endereço: R FRANCISCO AGUSTINHO, 26 - BEIRA RIO Upanema - RN. Representante: JUCINEIDE MOURA DE BRITO MEDEIROS - CPF: LOTE 15 - ROTA 15 Item Descrição Marca Unidade Medida Quant. Preço Unit.(R$) Vlr. Total(R$) TRECHO 15: POMBAS, UMARI, CAIÇARA, TAPERA, PEREIROS, CIDADE - Locação de veículo, tipo passeio, com combustível, manutenção e motorista por conta do contratado, com capacidade para 12, para transporte de alunos do ensino Dia , fundamental e médio, turnos matutino e vespertino (137 km diários). VALOR GLOBAL LOTE 15 - ROTA Este instrumento não obriga o Município a firmar contratações nas quantidades estimadas, podendo ocorrer licitações específicas para a prestação dos serviços, obedecida a legislação pertinente, sendo assegurada ao detentor do registro a preferência de fornecimento, em igualdade de condições, nos termos do art. 15, parágrafo 4º da lei 8.666/ Os preços registrados manter-se-ão inalterados pelo período de vigência da presente Ata, admitida a recomposição no caso de desequilíbrio da equação econômico-financeira inicial deste instrumento Os preços registrados que sofrerem recomposição não ultrapassarão os preços praticados no mercado, mantendo-se a diferença percentual apurada entre o valor originalmente constante da proposta e aquele vigente no mercado à época do registro O aumento decorrente de recomposição dos preços unitários em razão de desequilíbrio econômico-financeiro do Contrato somente poderá ser dado se a sua ocorrência era imprevisível no momento da contratação, e se houver a efetiva comprovação do aumento pela empresa registrada (requerimento, planilha de custos e documentação de suporte). 1.5 Caso o preço registrado se torne superior à média dos preços de mercado, o Município solicitará ao fornecedor, mediante correspondência, redução do preço registrado, de forma a adequá-lo na forma do item DOCUMENTOS INTEGRANTES 2.1 Para todos os efeitos legais, para melhor caracterização do objeto, bem como, para definir procedimentos e normas decorrentes das obrigações ora contraídas, integram esta Ata, como se nela estivesse transcrita, os seguintes documentos: a) Edital de Pregão Presencial nº 04/2015 PP e seus anexos; b) Proposta da(s) Licitante(s). 3. VIGÊNCIA 3.1 A presente Ata vigorará pelo período de 12 (doze) meses após a homologação da Autoridade Competente, nos termos do art. 15, parágrafo 3º, inciso III da lei 8.666/ DAS CONDIÇÕES DE ENTREGA E RECEBIMENTO 4.1 Os materiais deverão ser entregues conforme a necessidade da municipalidade, que procederá a solicitação do objeto nas quantidades que julgar necessárias. 4.2 Após efetuada a solicitação, os materiais deverão ser entregues no prazo máximo de até 2 (dois) dias após a solicitação do objeto, em horário de expediente, nas condições estipuladas no presente Edital e seus Anexos, nos locais de entrega dispostos no Anexo VII do Edital. 4.3 No ato da entrega dos materiais a proponente deverá apresentar Nota Fiscal/Fatura correspondente às quantias solicitadas, que será submetida à aprovação do órgão responsável pelo recebimento. 4.4 Fica aqui estabelecido que os materiais serão recebidos: a) provisoriamente, para efeito de posterior verificação da conformidade do material com a especificação; b) definitivamente, após a verificação da qualidade e quantidade do material e a consequente aceitação. 4.5 Observado qualquer tipo de não-atendimento das especificações dos objetos da licitação, a Fornecedora deverá substituí-los no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas contadas da data de notificação apresentada à Fornecedora, sem qualquer ônus para o Município. 4.6 Se os materiais não forem substituídos no prazo estipulado, a fornecedora estará sujeita às sanções previstas neste Edital e na Ata de Registro de Preços, podendo, ainda, ser determinada a suspensão dos pagamentos. 4.7 O recebimento dos materiais, mesmo que definitivo, não exclui a responsabilidade da empresa pela qualidade e características dos mesmos, cabendo-lhe sanar quaisquer irregularidades detectadas quando da utilização dos mesmos. 5. DA FORMA DE PAGAMENTO E DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 5.1 O pagamento será efetuado em até 15 (quinze) dias, contados a partir do recebimento dos materiais, mediante a apresentação da Nota Fiscal/Fatura datada e assinada por responsável da secretaria; através de depósito na conta corrente da fornecedora. 5.2 Para fazer jus ao pagamento, a empresa deverá apresentar, juntamente com o documento de cobrança, prova de regularidade perante o INSS e FGTS, observada a natureza jurídica da licitante. 5.3 Nenhum pagamento será efetuado à empresa, enquanto houver pendência de liquidação de obrigação financeira, em virtude de penalidade ou inadimplência contratual. 5.4 Não haverá, sob hipótese alguma, pagamento antecipado. 5.5 As despesas decorrentes de aquisição dos objetos correrão à conta dos recursos orçamentários, existentes nas dotações previstas na Lei Orçamentária Anual Vigente. 6 RESPONSABILIDADES

103 A fornecedora responde por todos os danos e prejuízos que, na execução das contratações, venha, direta ou indiretamente, a provocar ou causar para o Município ou à terceiros, independentemente da fiscalização exercida pelo Município. 6.2 A empresa fornecedora é responsável pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais resultantes da execução desta ata, nos termos do artigo 71 da Lei 8.666/ As contribuições sociais e os danos contra terceiros são de responsabilidade da fornecedora. 6.4 A empresa fornecedora é responsável também pela qualidade dos materiais fornecidos, cabendo-lhe verificar o atendimento das especificações, não se admitindo, em nenhuma hipótese, a alegação de que terceiros quaisquer, tenham comprometido os mesmos, fora dos padrões exigidos. 6.5 A empresa registrada autoriza o Município a descontar o valor correspondente aos referidos danos ou prejuízos diretamente das faturas pertinentes aos pagamentos que lhe forem devidos, independentemente de qualquer procedimento judicial, assegurada a prévia defesa. 7 OBRIGAÇÕES DAS FORNECEDORAS 7.1 Constituem obrigações das empresas fornecedoras: a) providenciar, no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas, o saneamento de qualquer irregularidade constatada nos materiais fornecidos; b) manter, durante a vigência da Ata, todas as exigências contidas no Edital de Licitação; c) Corrigir, reparar, remover, reconstruir ou substituir, às suas expensas, no total ou em parte, o objeto em que se verificar vícios, defeitos ou incorreções, ou, ainda, que estarem em desacordo com as especificações exigidas; 7.2 Observado qualquer tipo de não-atendimento das especificações dos serviços exigidos no contrato, a fornecedora deverá substituí-los no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, sem qualquer ônus para o Município A não substituição dos materiais no prazo estipulado, poderá acarretar a suspensão dos pagamentos, bem como na aplicação das sanções previstas no Edital, nesta Ata e na Lei. 8. DO CANCELAMENTO DO REGISTRO DA FORNECEDORA 8.1 O Município poderá cancelar o Registro de Preços da(s) fornecedora(s) nos casos a seguir especificados: a) quando descumprir as exigências do edital ou da respectiva ata; b) quando a empresa der causa a rescisão administrativa de contrato decorrente de registro de preços; c) quando não aceitar abaixar o preço registrado, na hipótese de este se tornar superior àqueles praticados no mercado; d) quando não comparecer ou deixar de fornecer, no prazo estabelecido, os materiais decorrentes da Ata de Registro de Preços e a Administração não aceitar a sua justificativa; e) em qualquer das hipóteses de inexecução total ou parcial dos serviços; f) perder qualquer condição de habilitação e qualificação técnica exigida no processo licitatório; g) por razões de interesse público devidamente demonstradas e justificadas pela Administração. 8.2 Em qualquer das hipóteses acima, concluído o processo, a Administração fará o devido apostilamento na Ata de Registro de Preços e informará aos demais fornecedores a nova ordem de registro. 9 PENALIDADES 9.1 Pela inexecução total ou parcial dos serviços estará a empresa fornecedora sujeita às seguintes penalidades: a) Advertência; b) Multa: 1- De 0,5% (meio por cento) por dia de atraso, no caso de não cumprimento do prazo de entrega ou de execução do serviço contratado, até o limite de 20% (vinte por cento) do valor global dos objetos registrados nesta Ata (do respectivo fornecedor); 2- De até 20% (vinte por cento) sobre o valor global dos objetos registrados nesta Ata (do respectivo fornecedor), no caso de descumprimento das disposições contidas nesta ata e no edital, ressalvado o disposto no item 01 (um) acima citado; c) Impedimento de participação em licitação e de contratar com a Administração Pública pelo período de até 05 (cinco) anos consecutivos. 9.2 As eventuais multas aplicadas por força do disposto nos subitens precedentes não terão caráter compensatório, mas simplesmente moratório e, portanto, não eximem a fornecedora da reparação de possíveis danos, perdas ou prejuízos que os seus atos venham a acarretar, nem impedem a declaração da rescisão do pacto em apreço. 10. DISPOSIÇÕES GERAIS 10.1 Elegem as partes contratantes o Foro desta cidade, para dirimir todas e quaisquer controvérsias oriundas desta Ata, renunciando expressamente a qualquer outro, por mais privilegiado que seja. Prefeitura de Upanema/RN, 03 de março de LUIZ JAIRO BEZERRA DE MENDONÇA Prefeito Municipal FÁBIO MAXCIMILIANO DIOGENES DE SOUSA Pregoeiro EMPRESA DETENTORA DA ATA JUCINEIDE MOURA DE BRITO MEDEIROS - CPF: JUCINEIDE MOURA DE BRITO MEDEIROS - CNPJ: / ISAIAS MENDONÇA COSTA Código Identificador: 5C212D4C COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 04/2015 PP ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 24/2015 Aos 03 dias do mês de março do ano de 2015, no Departamento de Compras, localizado no Prédio da Prefeitura de Upanema/RN, o Município de Upanema/RN, em face da classificação das propostas apresentadas no Pregão Presencial nº 04/2015 PP, na Ata de julgamento de preços, homologada em 02/03/2015, RESOLVE registrar os preços da(s) empresas, nas quantidades estimadas, de acordo com a classificação por ela(s) alcançada(s), atendendo as condições previstas no Edital de Licitação e seus Anexos, e em conformidade com as disposições a seguir. 1. DO OBJETO 1.1 A presente Ata tem por objeto a Locação de veículos para o transporte escolar de alunos e professores da rede municipal de ensino, deste município de Upanema/RN para o exercício de 2015, conforme especificações constantes no Anexo I do Edital Pregão Presencial nº 04/2015 PP. 1.2 A licitante registrada para o serviço cotado é a seguinte: Fornecedor: K D FRANCELINO - ME CNPJ: / Telefone: Endereço: RUA FRANCISCA LOPES CAVALCANTE, APTO SALA 03, 1 - ALUIZIO DIOGENES DE PESSOA PAU DOS FERROS - RN. Representante: KENNEDY DANTAS FRANCELINO - CPF: LOTE 24 - OUTRAS ROTAS 2 Item Descrição Marca Unidade Medida Quant. Preço Unit.(R$) Vlr. Total(R$)

104 Locação de veículo tipo passeio com manutenção e motorista por conta da contratante e combustível por conta da contratada, destinado as atividades administrativas da Secretaria Municipal de Educação deste município de Upanema/RN para o transporte de servidores para supervisão das escolas rurais, bem como capacitação e participação em congressos em outras Km , cidades do estado e/ou fora dele. VALOR GLOBAL LOTE 24 - OUTRAS ROTAS Este instrumento não obriga o Município a firmar contratações nas quantidades estimadas, podendo ocorrer licitações específicas para a prestação dos serviços, obedecida a legislação pertinente, sendo assegurada ao detentor do registro a preferência de fornecimento, em igualdade de condições, nos termos do art. 15, parágrafo 4º da lei 8.666/ Os preços registrados manter-se-ão inalterados pelo período de vigência da presente Ata, admitida a recomposição no caso de desequilíbrio da equação econômico-financeira inicial deste instrumento Os preços registrados que sofrerem recomposição não ultrapassarão os preços praticados no mercado, mantendo-se a diferença percentual apurada entre o valor originalmente constante da proposta e aquele vigente no mercado à época do registro O aumento decorrente de recomposição dos preços unitários em razão de desequilíbrio econômico-financeiro do Contrato somente poderá ser dado se a sua ocorrência era imprevisível no momento da contratação, e se houver a efetiva comprovação do aumento pela empresa registrada (requerimento, planilha de custos e documentação de suporte). 1.5 Caso o preço registrado se torne superior à média dos preços de mercado, o Município solicitará ao fornecedor, mediante correspondência, redução do preço registrado, de forma a adequá-lo na forma do item DOCUMENTOS INTEGRANTES 2.1 Para todos os efeitos legais, para melhor caracterização do objeto, bem como, para definir procedimentos e normas decorrentes das obrigações ora contraídas, integram esta Ata, como se nela estivesse transcrita, os seguintes documentos: a) Edital de Pregão Presencial nº 04/2015 PP e seus anexos; b) Proposta da(s) Licitante(s). 3. VIGÊNCIA 3.1 A presente Ata vigorará pelo período de 12 (doze) meses após a homologação da Autoridade Competente, nos termos do art. 15, parágrafo 3º, inciso III da lei 8.666/ DAS CONDIÇÕES DE ENTREGA E RECEBIMENTO 4.1 Os materiais deverão ser entregues conforme a necessidade da municipalidade, que procederá a solicitação do objeto nas quantidades que julgar necessárias. 4.2 Após efetuada a solicitação, os materiais deverão ser entregues no prazo máximo de até 2 (dois) dias após a solicitação do objeto, em horário de expediente, nas condições estipuladas no presente Edital e seus Anexos, nos locais de entrega dispostos no Anexo VII do Edital. 4.3 No ato da entrega dos materiais a proponente deverá apresentar Nota Fiscal/Fatura correspondente às quantias solicitadas, que será submetida à aprovação do órgão responsável pelo recebimento. 4.4 Fica aqui estabelecido que os materiais serão recebidos: a) provisoriamente, para efeito de posterior verificação da conformidade do material com a especificação; b) definitivamente, após a verificação da qualidade e quantidade do material e a consequente aceitação. 4.5 Observado qualquer tipo de não-atendimento das especificações dos objetos da licitação, a Fornecedora deverá substituí-los no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas contadas da data de notificação apresentada à Fornecedora, sem qualquer ônus para o Município. 4.6 Se os materiais não forem substituídos no prazo estipulado, a fornecedora estará sujeita às sanções previstas neste Edital e na Ata de Registro de Preços, podendo, ainda, ser determinada a suspensão dos pagamentos. 4.7 O recebimento dos materiais, mesmo que definitivo, não exclui a responsabilidade da empresa pela qualidade e características dos mesmos, cabendo-lhe sanar quaisquer irregularidades detectadas quando da utilização dos mesmos. 5. DA FORMA DE PAGAMENTO E DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 5.1 O pagamento será efetuado em até 15 (quinze) dias, contados a partir do recebimento dos materiais, mediante a apresentação da Nota Fiscal/Fatura datada e assinada por responsável da secretaria; através de depósito na conta corrente da fornecedora. 5.2 Para fazer jus ao pagamento, a empresa deverá apresentar, juntamente com o documento de cobrança, prova de regularidade perante o INSS e FGTS, observada a natureza jurídica da licitante. 5.3 Nenhum pagamento será efetuado à empresa, enquanto houver pendência de liquidação de obrigação financeira, em virtude de penalidade ou inadimplência contratual. 5.4 Não haverá, sob hipótese alguma, pagamento antecipado. 5.5 As despesas decorrentes de aquisição dos objetos correrão à conta dos recursos orçamentários, existentes nas dotações previstas na Lei Orçamentária Anual Vigente. 6 RESPONSABILIDADES 6.1 A fornecedora responde por todos os danos e prejuízos que, na execução das contratações, venha, direta ou indiretamente, a provocar ou causar para o Município ou à terceiros, independentemente da fiscalização exercida pelo Município. 6.2 A empresa fornecedora é responsável pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais resultantes da execução desta ata, nos termos do artigo 71 da Lei 8.666/ As contribuições sociais e os danos contra terceiros são de responsabilidade da fornecedora. 6.4 A empresa fornecedora é responsável também pela qualidade dos materiais fornecidos, cabendo-lhe verificar o atendimento das especificações, não se admitindo, em nenhuma hipótese, a alegação de que terceiros quaisquer, tenham comprometido os mesmos, fora dos padrões exigidos. 6.5 A empresa registrada autoriza o Município a descontar o valor correspondente aos referidos danos ou prejuízos diretamente das faturas pertinentes aos pagamentos que lhe forem devidos, independentemente de qualquer procedimento judicial, assegurada a prévia defesa. 7 OBRIGAÇÕES DAS FORNECEDORAS 7.1 Constituem obrigações das empresas fornecedoras: a) providenciar, no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas, o saneamento de qualquer irregularidade constatada nos materiais fornecidos; b) manter, durante a vigência da Ata, todas as exigências contidas no Edital de Licitação; c) Corrigir, reparar, remover, reconstruir ou substituir, às suas expensas, no total ou em parte, o objeto em que se verificar vícios, defeitos ou incorreções, ou, ainda, que estarem em desacordo com as especificações exigidas; 7.2 Observado qualquer tipo de não-atendimento das especificações dos serviços exigidos no contrato, a fornecedora deverá substituí-los no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, sem qualquer ônus para o Município A não substituição dos materiais no prazo estipulado, poderá acarretar a suspensão dos pagamentos, bem como na aplicação das sanções previstas no Edital, nesta Ata e na Lei. 8. DO CANCELAMENTO DO REGISTRO DA FORNECEDORA 8.1 O Município poderá cancelar o Registro de Preços da(s) fornecedora(s) nos casos a seguir especificados: a) quando descumprir as exigências do edital ou da respectiva ata; b) quando a empresa der causa a rescisão administrativa de contrato decorrente de registro de preços; c) quando não aceitar abaixar o preço registrado, na hipótese de este se tornar superior àqueles praticados no mercado; d) quando não comparecer ou deixar de fornecer, no prazo estabelecido, os materiais decorrentes da Ata de Registro de Preços e a Administração não aceitar a sua justificativa; e) em qualquer das hipóteses de inexecução total ou parcial dos serviços;

105 105 f) perder qualquer condição de habilitação e qualificação técnica exigida no processo licitatório; g) por razões de interesse público devidamente demonstradas e justificadas pela Administração. 8.2 Em qualquer das hipóteses acima, concluído o processo, a Administração fará o devido apostilamento na Ata de Registro de Preços e informará aos demais fornecedores a nova ordem de registro. 9 PENALIDADES 9.1 Pela inexecução total ou parcial dos serviços estará a empresa fornecedora sujeita às seguintes penalidades: a) Advertência; b) Multa: 1- De 0,5% (meio por cento) por dia de atraso, no caso de não cumprimento do prazo de entrega ou de execução do serviço contratado, até o limite de 20% (vinte por cento) do valor global dos objetos registrados nesta Ata (do respectivo fornecedor); 2- De até 20% (vinte por cento) sobre o valor global dos objetos registrados nesta Ata (do respectivo fornecedor), no caso de descumprimento das disposições contidas nesta ata e no edital, ressalvado o disposto no item 01 (um) acima citado; c) Impedimento de participação em licitação e de contratar com a Administração Pública pelo período de até 05 (cinco) anos consecutivos. 9.2 As eventuais multas aplicadas por força do disposto nos subitens precedentes não terão caráter compensatório, mas simplesmente moratório e, portanto, não eximem a fornecedora da reparação de possíveis danos, perdas ou prejuízos que os seus atos venham a acarretar, nem impedem a declaração da rescisão do pacto em apreço. 10. DISPOSIÇÕES GERAIS 10.1 Elegem as partes contratantes o Foro desta cidade, para dirimir todas e quaisquer controvérsias oriundas desta Ata, renunciando expressamente a qualquer outro, por mais privilegiado que seja. Prefeitura de Upanema/RN, 03 de março de LUIZ JAIRO BEZERRA DE MENDONÇA Prefeito Municipal FÁBIO MAXCIMILIANO DIOGENES DE SOUSA Pregoeiro EMPRESA DETENTORA DA ATA KENNEDY DANTAS FRANCELINO - CPF: KENNEDY DANTAS FRANCELINO - CNPJ: / ISAIAS MENDONÇA COSTA Código Identificador: 3F644A52 COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 04/2015 PP ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 25/2015 Aos 03 dias do mês de março do ano de 2015, no Departamento de Compras, localizado no Prédio da Prefeitura de Upanema/RN, o Município de Upanema/RN, em face da classificação das propostas apresentadas no Pregão Presencial nº 04/2015 PP, na Ata de julgamento de preços, homologada em 02/03/2015, RESOLVE registrar os preços da(s) empresas, nas quantidades estimadas, de acordo com a classificação por ela(s) alcançada(s), atendendo as condições previstas no Edital de Licitação e seus Anexos, e em conformidade com as disposições a seguir. 1. DO OBJETO 1.1 A presente Ata tem por objeto a Locação de veículos para o transporte escolar de alunos e professores da rede municipal de ensino, deste município de Upanema/RN para o exercício de 2015, conforme especificações constantes no Anexo I do Edital Pregão Presencial nº 04/2015 PP. 1.2 A licitante registrada para o serviço cotado é a seguinte: Fornecedor: MARCELO JOSE COSTA E SILVA - MEI CNPJ: / Telefone: Endereço: ST PEREIROS, 11 - ZONA RURAL Upanema - RN. Representante: MARCELO JOSE COSTA E SILVA - CPF: LOTE 14 - ROTA 14 Item Descrição Marca Unidade Medida Quant. Preço Unit.(R$) Vlr. Total(R$) TRECHO 14 - MATUTINO: CAJUEIRO, PEREIRO, RIACHO DAS CARNAÚBAS, BARRO BRANCO, CIDADE - Locação de veículo, tipo utilitário, com capacidade para 08 pessoas, com combustível, manutenção e motorista por conta do contratado, para Dia 20 7, transporte de alunos do ensino fundamental e médio, (56 km diários) TRECHO 14 - VESPERTINO: CAJUEIRO, PEREIRO, RIACHO DAS CARNAÚBAS, BARRO BRANCO, CIDADE - Locação de veículo, tipo utilitário, com capacidade para 08 pessoas, com combustível, manutenção e motorista por conta do contratado, para Dia 20 74, transporte de alunos do ensino fundamental e médio, (55 km diários). VALOR GLOBAL LOTE 14 - ROTA LOTE 16 - ROTA 16 Item Descrição Marca Unidade Medida Quant. Preço Unit.(R$) Vlr. Total(R$) TRECHO 16 - MATUTINO: PEREIROS, SÃO GERALDO, VERTENTE, DUTRA, FAZENDA NOVA, CIDADE - Locação de 26 veículo, tipo utilitário, com combustível, manutenção e motorista por conta do contratado, com capacidade para 12 pessoas, para Dia , transporte de alunos do ensino fundamental e médio, (73 km diários) TRECHO 16 - VESPERTINO: PEREIROS, SÃO GERALDO, VERTENTE, DUTRA, FAZENDA NOVA, CIDADE - Locação de veículo, tipo utilitário, com combustível, manutenção e motorista por conta do contratado, com capacidade para 12 pessoas, para Dia 20 95, transporte de alunos do ensino fundamental e médio, (68 km diários VALOR GLOBAL LOTE 16 - ROTA Este instrumento não obriga o Município a firmar contratações nas quantidades estimadas, podendo ocorrer licitações específicas para a prestação dos serviços, obedecida a legislação pertinente, sendo assegurada ao detentor do registro a preferência de fornecimento, em igualdade de condições, nos termos do art. 15, parágrafo 4º da lei 8.666/ Os preços registrados manter-se-ão inalterados pelo período de vigência da presente Ata, admitida a recomposição no caso de desequilíbrio da equação econômico-financeira inicial deste instrumento Os preços registrados que sofrerem recomposição não ultrapassarão os preços praticados no mercado, mantendo-se a diferença percentual apurada entre o valor originalmente constante da proposta e aquele vigente no mercado à época do registro O aumento decorrente de recomposição dos preços unitários em razão de desequilíbrio econômico-financeiro do Contrato somente poderá ser dado se a sua ocorrência era imprevisível no momento da contratação, e se houver a efetiva comprovação do aumento pela empresa registrada (requerimento, planilha de custos e documentação de suporte). 1.5 Caso o preço registrado se torne superior à média dos preços de mercado, o Município solicitará ao fornecedor, mediante correspondência, redução do preço registrado, de forma a adequá-lo na forma do item DOCUMENTOS INTEGRANTES 2.1 Para todos os efeitos legais, para melhor caracterização do objeto, bem como, para definir procedimentos e normas decorrentes das obrigações ora contraídas, integram esta Ata, como se nela estivesse transcrita, os seguintes documentos:

106 a) Edital de Pregão Presencial nº 04/2015 PP e seus anexos; b) Proposta da(s) Licitante(s). 3. VIGÊNCIA A presente Ata vigorará pelo período de 12 (doze) meses após a homologação da Autoridade Competente, nos termos do art. 15, parágrafo 3º, inciso III da lei 8.666/ DAS CONDIÇÕES DE ENTREGA E RECEBIMENTO 4.1 Os materiais deverão ser entregues conforme a necessidade da municipalidade, que procederá a solicitação do objeto nas quantidades que julgar necessárias. 4.2 Após efetuada a solicitação, os materiais deverão ser entregues no prazo máximo de até 2 (dois) dias após a solicitação do objeto, em horário de expediente, nas condições estipuladas no presente Edital e seus Anexos, nos locais de entrega dispostos no Anexo VII do Edital. 4.3 No ato da entrega dos materiais a proponente deverá apresentar Nota Fiscal/Fatura correspondente às quantias solicitadas, que será submetida à aprovação do órgão responsável pelo recebimento. 4.4 Fica aqui estabelecido que os materiais serão recebidos: a) provisoriamente, para efeito de posterior verificação da conformidade do material com a especificação; b) definitivamente, após a verificação da qualidade e quantidade do material e a consequente aceitação. 4.5 Observado qualquer tipo de não-atendimento das especificações dos objetos da licitação, a Fornecedora deverá substituí-los no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas contadas da data de notificação apresentada à Fornecedora, sem qualquer ônus para o Município. 4.6 Se os materiais não forem substituídos no prazo estipulado, a fornecedora estará sujeita às sanções previstas neste Edital e na Ata de Registro de Preços, podendo, ainda, ser determinada a suspensão dos pagamentos. 4.7 O recebimento dos materiais, mesmo que definitivo, não exclui a responsabilidade da empresa pela qualidade e características dos mesmos, cabendo-lhe sanar quaisquer irregularidades detectadas quando da utilização dos mesmos. 5. DA FORMA DE PAGAMENTO E DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA 5.1 O pagamento será efetuado em até 15 (quinze) dias, contados a partir do recebimento dos materiais, mediante a apresentação da Nota Fiscal/Fatura datada e assinada por responsável da secretaria; através de depósito na conta corrente da fornecedora. 5.2 Para fazer jus ao pagamento, a empresa deverá apresentar, juntamente com o documento de cobrança, prova de regularidade perante o INSS e FGTS, observada a natureza jurídica da licitante. 5.3 Nenhum pagamento será efetuado à empresa, enquanto houver pendência de liquidação de obrigação financeira, em virtude de penalidade ou inadimplência contratual. 5.4 Não haverá, sob hipótese alguma, pagamento antecipado. 5.5 As despesas decorrentes de aquisição dos objetos correrão à conta dos recursos orçamentários, existentes nas dotações previstas na Lei Orçamentária Anual Vigente. 6 RESPONSABILIDADES 6.1 A fornecedora responde por todos os danos e prejuízos que, na execução das contratações, venha, direta ou indiretamente, a provocar ou causar para o Município ou à terceiros, independentemente da fiscalização exercida pelo Município. 6.2 A empresa fornecedora é responsável pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais resultantes da execução desta ata, nos termos do artigo 71 da Lei 8.666/ As contribuições sociais e os danos contra terceiros são de responsabilidade da fornecedora. 6.4 A empresa fornecedora é responsável também pela qualidade dos materiais fornecidos, cabendo-lhe verificar o atendimento das especificações, não se admitindo, em nenhuma hipótese, a alegação de que terceiros quaisquer, tenham comprometido os mesmos, fora dos padrões exigidos. 6.5 A empresa registrada autoriza o Município a descontar o valor correspondente aos referidos danos ou prejuízos diretamente das faturas pertinentes aos pagamentos que lhe forem devidos, independentemente de qualquer procedimento judicial, assegurada a prévia defesa. 7 OBRIGAÇÕES DAS FORNECEDORAS 7.1 Constituem obrigações das empresas fornecedoras: a) providenciar, no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas, o saneamento de qualquer irregularidade constatada nos materiais fornecidos; b) manter, durante a vigência da Ata, todas as exigências contidas no Edital de Licitação; c) Corrigir, reparar, remover, reconstruir ou substituir, às suas expensas, no total ou em parte, o objeto em que se verificar vícios, defeitos ou incorreções, ou, ainda, que estarem em desacordo com as especificações exigidas; 7.2 Observado qualquer tipo de não-atendimento das especificações dos serviços exigidos no contrato, a fornecedora deverá substituí-los no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, sem qualquer ônus para o Município A não substituição dos materiais no prazo estipulado, poderá acarretar a suspensão dos pagamentos, bem como na aplicação das sanções previstas no Edital, nesta Ata e na Lei. 8. DO CANCELAMENTO DO REGISTRO DA FORNECEDORA 8.1 O Município poderá cancelar o Registro de Preços da(s) fornecedora(s) nos casos a seguir especificados: a) quando descumprir as exigências do edital ou da respectiva ata; b) quando a empresa der causa a rescisão administrativa de contrato decorrente de registro de preços; c) quando não aceitar abaixar o preço registrado, na hipótese de este se tornar superior àqueles praticados no mercado; d) quando não comparecer ou deixar de fornecer, no prazo estabelecido, os materiais decorrentes da Ata de Registro de Preços e a Administração não aceitar a sua justificativa; e) em qualquer das hipóteses de inexecução total ou parcial dos serviços; f) perder qualquer condição de habilitação e qualificação técnica exigida no processo licitatório; g) por razões de interesse público devidamente demonstradas e justificadas pela Administração. 8.2 Em qualquer das hipóteses acima, concluído o processo, a Administração fará o devido apostilamento na Ata de Registro de Preços e informará aos demais fornecedores a nova ordem de registro. 9 PENALIDADES 9.1 Pela inexecução total ou parcial dos serviços estará a empresa fornecedora sujeita às seguintes penalidades: a) Advertência; b) Multa: 1- De 0,5% (meio por cento) por dia de atraso, no caso de não cumprimento do prazo de entrega ou de execução do serviço contratado, até o limite de 20% (vinte por cento) do valor global dos objetos registrados nesta Ata (do respectivo fornecedor); 2- De até 20% (vinte por cento) sobre o valor global dos objetos registrados nesta Ata (do respectivo fornecedor), no caso de descumprimento das disposições contidas nesta ata e no edital, ressalvado o disposto no item 01 (um) acima citado; c) Impedimento de participação em licitação e de contratar com a Administração Pública pelo período de até 05 (cinco) anos consecutivos. 9.2 As eventuais multas aplicadas por força do disposto nos subitens precedentes não terão caráter compensatório, mas simplesmente moratório e, portanto, não eximem a fornecedora da reparação de possíveis danos, perdas ou prejuízos que os seus atos venham a acarretar, nem impedem a declaração da rescisão do pacto em apreço. 10. DISPOSIÇÕES GERAIS 10.1 Elegem as partes contratantes o Foro desta cidade, para dirimir todas e quaisquer controvérsias oriundas desta Ata, renunciando expressamente a qualquer outro, por mais privilegiado que seja.

107 107 Prefeitura de Upanema/RN, 03 de março de LUIZ JAIRO BEZERRA DE MENDONÇA Prefeito Municipal FÁBIO MAXCIMILIANO DIOGENES DE SOUSA Pregoeiro EMPRESA DETENTORA DA ATA MARCELO JOSE COSTA E SILVA - CPF: MARCELO JOSE COSTA E SILVA - CNPJ: / ISAIAS MENDONÇA COSTA Código Identificador: 5025C8DD COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 04/2015 PP ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 26/2015 Aos 03 dias do mês de março do ano de 2015, no Departamento de Compras, localizado no Prédio da Prefeitura de Upanema/RN, o Município de Upanema/RN, em face da classificação das propostas apresentadas no Pregão Presencial nº 04/2015 PP, na Ata de julgamento de preços, homologada em 02/03/2015, RESOLVE registrar os preços da(s) empresas, nas quantidades estimadas, de acordo com a classificação por ela(s) alcançada(s), atendendo as condições previstas no Edital de Licitação e seus Anexos, e em conformidade com as disposições a seguir. 1. DO OBJETO 1.1 A presente Ata tem por objeto a Locação de veículos para o transporte escolar de alunos e professores da rede municipal de ensino, deste município de Upanema/RN para o exercício de 2015, conforme especificações constantes no Anexo I do Edital Pregão Presencial nº 04/2015 PP. 1.2 A licitante registrada para o serviço cotado é a seguinte: Fornecedor: MARIA JUCIENE LOPES DA SILVA - MEI CNPJ: / Telefone: Endereço: ST PALHEIROS III, 96 - ZONA RURAL Upanema - RN. Representante: MARIA JUCIENE LOPES DA SILVA - CPF: LOTE 02 - ROTA 02 Item Descrição Marca Unidade Medida Quant. Preço Unit.(R$) Vlr. Total(R$) TRECHO 02 - MATUTINO: ROÇADO GRANDE, P. A. PALHEIROS III - Locação de veículo tipo passeio, com motorista, 3 manutenção e combustível por conta do contratado, com capacidade para 04 pessoas, para transporte de alunos do ensino Dia 20 49, fundamental e infantil, (39,2 km diários) TRECHO 02 - VESPERTINO: ROÇADO GRANDE, P. A. PALHEIROS III - Locação de veículo tipo passeio, com motorista, manutenção e combustível por conta do contratado, com capacidade para 04 pessoas, para transporte de alunos do ensino Dia 20 42, fundamental e infantil, (34 km diários). VALOR GLOBAL LOTE 02 - ROTA LOTE 11 - ROTA 11 Item Descrição Marca Unidade Medida Quant. Preço Unit.(R$) Vlr. Total(R$) TRECHO 11: CARASCO, BOÁGUA I, BOÁGUA II, CARRASCO, CIDADE - CIDADE, PEREIROS - CARASCO, CIDADE - Locação de veículo, tipo passeio, com combustível, manutenção e motorista por conta do contratado, com capacidade para 06, para Dia , o transporte de alunos e professores do ensino fundamental e médio, turnos matutino, vespertino e noturno (105 km diários). VALOR GLOBAL LOTE 11 - ROTA Este instrumento não obriga o Município a firmar contratações nas quantidades estimadas, podendo ocorrer licitações específicas para a prestação dos serviços, obedecida a legislação pertinente, sendo assegurada ao detentor do registro a preferência de fornecimento, em igualdade de condições, nos termos do art. 15, parágrafo 4º da lei 8.666/ Os preços registrados manter-se-ão inalterados pelo período de vigência da presente Ata, admitida a recomposição no caso de desequilíbrio da equação econômico-financeira inicial deste instrumento Os preços registrados que sofrerem recomposição não ultrapassarão os preços praticados no mercado, mantendo-se a diferença percentual apurada entre o valor originalmente constante da proposta e aquele vigente no mercado à época do registro O aumento decorrente de recomposição dos preços unitários em razão de desequilíbrio econômico-financeiro do Contrato somente poderá ser dado se a sua ocorrência era imprevisível no momento da contratação, e se houver a efetiva comprovação do aumento pela empresa registrada (requerimento, planilha de custos e documentação de suporte). 1.5 Caso o preço registrado se torne superior à média dos preços de mercado, o Município solicitará ao fornecedor, mediante correspondência, redução do preço registrado, de forma a adequá-lo na forma do item DOCUMENTOS INTEGRANTES 2.1 Para todos os efeitos legais, para melhor caracterização do objeto, bem como, para definir procedimentos e normas decorrentes das obrigações ora contraídas, integram esta Ata, como se nela estivesse transcrita, os seguintes documentos: a) Edital de Pregão Presencial nº 04/2015 PP e seus anexos; b) Proposta da(s) Licitante(s). 3. VIGÊNCIA 3.1 A presente Ata vigorará pelo período de 12 (doze) meses após a homologação da Autoridade Competente, nos termos do art. 15, parágrafo 3º, inciso III da lei 8.666/ DAS CONDIÇÕES DE ENTREGA E RECEBIMENTO 4.1 Os materiais deverão ser entregues conforme a necessidade da municipalidade, que procederá a solicitação do objeto nas quantidades que julgar necessárias. 4.2 Após efetuada a solicitação, os materiais deverão ser entregues no prazo máximo de até 2 (dois) dias após a solicitação do objeto, em horário de expediente, nas condições estipuladas no presente Edital e seus Anexos, nos locais de entrega dispostos no Anexo VII do Edital. 4.3 No ato da entrega dos materiais a proponente deverá apresentar Nota Fiscal/Fatura correspondente às quantias solicitadas, que será submetida à aprovação do órgão responsável pelo recebimento. 4.4 Fica aqui estabelecido que os materiais serão recebidos: a) provisoriamente, para efeito de posterior verificação da conformidade do material com a especificação; b) definitivamente, após a verificação da qualidade e quantidade do material e a consequente aceitação. 4.5 Observado qualquer tipo de não-atendimento das especificações dos objetos da licitação, a Fornecedora deverá substituí-los no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas contadas da data de notificação apresentada à Fornecedora, sem qualquer ônus para o Município. 4.6 Se os materiais não forem substituídos no prazo estipulado, a fornecedora estará sujeita às sanções previstas neste Edital e na Ata de Registro de Preços, podendo, ainda, ser determinada a suspensão dos pagamentos. 4.7 O recebimento dos materiais, mesmo que definitivo, não exclui a responsabilidade da empresa pela qualidade e características dos mesmos, cabendo-lhe sanar quaisquer irregularidades detectadas quando da utilização dos mesmos. 5. DA FORMA DE PAGAMENTO E DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA

108 O pagamento será efetuado em até 15 (quinze) dias, contados a partir do recebimento dos materiais, mediante a apresentaç&ati