Principais características:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Principais características:"

Transcrição

1 Cubismo Definição Movimento artístico cuja origem remonta à Paris e a 1907, ano do célebre quadro de Pablo Picasso, Les Demoiselles d'avignon. Considerado um divisor de águas na história da arte ocidental, o cubismo recusa a idéia de arte como imitação da natureza, afastando noções como perspectiva e modelagem, assim como qualquer tipo de efeito ilusório. "Não se imita aquilo que se quer criar", diz Georges Braque, outro expoente do movimento. A realidade plástica anunciada nas composições de Braque leva o crítico Louis Vauxcelles a falar em realidade construída com "cubos", no jornal Gil Blas, 1908, o que batiza a nova corrente. Cubos, volumes e planos geométricos entrecortados reconstroem formas que se apresentam, simultaneamente, em vários ângulos nas telas. O espaço do quadro - plano sobre o qual a realidade é recriada - rejeita distinções entre forma e fundo ou qualquer noção de profundidade. Nele, corpos, paisagens e, sobretudo, objetos como garrafas, instrumentos musicais e frutas têm sua estrutura cuidadosamente investigada nos trabalhos de Braque e Picasso, tão afinados em termos de projeto plástico que não é fácil distinguir as telas de um e de outro. Mesmo assim, nota-se uma ênfase de Braque nos elementos cromáticos e, de Picasso, em aspectos plásticos. A ruptura empreendida pelo cubismo encontra suas fontes primeiras na obra de Paul Cézanne - e em sua forma de construção de espaços por meio de volumes e da decomposição de planos - e também na arte africana, máscaras, fotografias e objetos. Alguns críticos chamam atenção para o débito do movimento em relação a Henri Rousseau, um dos primeiros a subverter as técnicas tradicionais de representação: perspectiva, relevo e relações tonais. O cubismo se divide em duas grandes fases. Até 1912, no chamado cubismo analítico, observa-se uma preocupação predominante com as pesquisas estruturais, por meio da decomposição dos objetos e do estilhaçamento dos planos, e forte tendência ao monocromatismo. Entre 1912 e 1913, as cores se acentuam e a ênfase dos experimentos é colocada sobre a recomposição dos objetos. No momento do cubismo sintético, elementos heterogêneos - recortes de jornais, pedaços madeira, cartas de baralho, caracteres tipográficos, entre outros - são agregados à superfície das telas, dando origem às famosas colagens, amplamente utilizadas a partir de então. O nome do espanhol Juan Gris liga-se a essa última fase e o uso do papel-colado torna-se parte fundamental de seu método. Outros pintores como Fernand Léger, Robert Delaunay, Sonia Delaunay-Terk, Albert Gleizes, Jean Metzinger, Roger de la Fresnaye se associam ao movimento. Na escultura, por sua vez, a pauta cubista marca as obras de Alexander Archipenko, Pablo Gargallo, Raymond Duchamp-Villon, Jacques Lipchitz, Constantin Brancusi, entre outros. O ano de 1914 remete ao fim da colaboração entre Picasso e Braque e à uma atenuação das inovações cubistas, embora os procedimentos introduzidos pelo movimento estejam na base de experimentos posteriores como os do futurismo, construtivismo, purismoe vorticismo. Desdobramentos do léxico cubista alcançam não apenas as artes visuais, mas também a poesia, com Guillaume Apollinaire, e a música, nas criações de Stravinsky. O cubismo pode ser considerado uma das principais fontes da arte abstrata e suas pesquisas encontram adeptos no mundo todo. No Brasil, influências do cubismo podem ser observadas em parte dos artistas reunidos no modernismo de 1922, em alguns trabalhos de Vicente do Rego Monteiro, Antonio Gomide e sobretudo na obra de Tarsila do Amaral. O aprendizado com André Lhote, Gleizes e, principalmente, com Léger reverbera nas tendências construtivas da obra de Tarsila, em especial na fase pau-brasil. A pintora vai encontrar em Léger, especialmente em suas "paisagens animadas", motivos ligados ao espaço da vida moderna - máquinas, engrenagens, operários das fábricas etc. - e o aprendizado de formas curvilíneas. Emblemáticas do contato com o mestre francês são as telas criadas em 1924, como Estrada de Ferro Central do Brasil e Carnaval em Madureira.

2 Principais características: geometrização das formas e volumes renúncia à perspectiva o claro-escuro perde sua função representação do volume colorido sobre superfícies planas sensação de pintura escultórica cores austeras, do branco ao negro passando pelo cinza, por um ocre apagado ou um castanho suave Principais artistas: Pablo Picasso e Georges Braque Em 1907, com a obra Les Demoiselles d Avignon começa a elaborar a estética cubista que, como vimos anteriormente, se fundamenta na destruição de harmonia clássica das figuras e na decomposição da realidade, essa tela subverteu o sentido da arte moderna com a declaração de guerra em 1914, chega ao fim a aventura cubista.

3 Podemos destacar, também o mural Guernica, que representa, com veemente indignação, o bombardeio da cidade espanhola de Guernica pelos aliados alemães de Franco, em abril de 1937, responsável pela morte de grande parte da população civil formada por crianças, mulheres e trabalhadores. Algumas das frases de Pablo Picasso: "A obra de um artista é uma espécie de diário. Quando o pintor, por ocasião de uma mostra, vê algumas de suas telas antigas novamente, é como se ele estivesse reencontrando filhos pródigos - só que vestidos com túnica de ouro. "A Arte não é a verdade. A Arte é uma mentira que nos ensina a compreender a verdade". Braque sempre disse que na pintura só conta a intenção. É verdade. O que conta é aquilo que se faz. É isso o importante. O que era afinal o mais importante no cubismo, era aquilo que se queria fazer, a intenção que se tinha. E isso não se pode pintar. Nada pode ser criado sem a solidão. Criei em meu redor uma solidão que ninguém calcula. É muito difícil hoje em dia estar-se sozinho, pois existem relógios. Já alguma vez se viu um santo com relógio? Não sou nenhum pessimista, não detesto a arte, pois não poderia viver sem lhe dedicar todo meu tempo. Amo-a como a minha única razão de ser. Tudo que faço relacionado com a arte dá-me a maior alegria. Mas por isso mesmo não vejo por que razão todo o mundo pretende interrogar a arte, exigindo-lhe certificados, deixando correr livremente sua estupidez em relação a este

4 ALGUMAS OBRAS:

5

6

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL ARTES 9 ANO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª GABRIELA DACIO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia - Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula

Leia mais

Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através

Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através de formas irreconhecíveis. O formato tradicional (paisagens

Leia mais

Vanguardas Históricas I

Vanguardas Históricas I Vanguardas Históricas I As transformações do início do século XX e as vanguardas históricas Os avanços da ciência realizados a partir do século XIX mudaram a percepção da realidade e conduziram, no campo

Leia mais

Curso: Estudos Diversificados 1 História da Arte Visual - Turma: 04 Professora: Dária Aluno: Wagner Kimura n USP: 6891465

Curso: Estudos Diversificados 1 História da Arte Visual - Turma: 04 Professora: Dária Aluno: Wagner Kimura n USP: 6891465 Curso: Estudos Diversificados 1 História da Arte Visual - Turma: 04 Professora: Dária Aluno: Wagner Kimura n USP: 6891465 Uma análise pessoal sobre obras abstracionistas Obras em observadas: Obra 1 Namorados

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Habilidades: - Conhecer e distinguir diferentes momentos

Leia mais

Os principais produtos artísticos da África tropical são máscaras e esculturas em madeira. Esses objetos têm forma angulosa, assimétrica e

Os principais produtos artísticos da África tropical são máscaras e esculturas em madeira. Esses objetos têm forma angulosa, assimétrica e Os principais produtos artísticos da África tropical são máscaras e esculturas em madeira. Esses objetos têm forma angulosa, assimétrica e distorcida. Para os membros da sociedade africana, eram objetos

Leia mais

Quem Foi Pablo Picasso?

Quem Foi Pablo Picasso? FICHA Nº3 Pablo PICASSO Quem Foi Pablo Picasso? Você está para conhecer como surgiram os desenhos, pinturas e esculturas de Picasso. Quem foi esse homem? Picasso era um homem baixinho, gordo e muito inteligente.

Leia mais

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA Em seu sentido literal, vanguarda (vem do francês Avant Garde, guarda avante ) faz referência ao batalhão militar que precede as tropas em ataque durante

Leia mais

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX História da Arte Profª Natalia Pieroni IDADE CONTEMPORÂNEA LINHA DO TEMPO - HISTORIOGRAFIA Período PRÉ-HISTÓRIA Origens do homem até 40000 a. C IDADE ANTIGA 40000

Leia mais

SURREALISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012)

SURREALISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) SURREALISMO História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) SURREALISMO Dadaísmo: - fundado durante a 1ª Guerra Mundial. Surgiu na Europa (Zurique) no ano de 1916. Características: - Objetos

Leia mais

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil Português 3º ano Wilton Vanguardas na Europa e no Brasil Roberson de Oliveira 1 Vanguardas na Europa e no Brasil No dia 20 de dezembro de 1917, o jornal O Estado de S. Paulo publicou o artigo Paranoia

Leia mais

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Freud, que mostram a importância do inconsciente na

Leia mais

Cubismo. 9º Ano 2015 1º Bimestre Artes Prof. Juventino

Cubismo. 9º Ano 2015 1º Bimestre Artes Prof. Juventino Cubismo 9º Ano 2015 1º Bimestre Artes Prof. Juventino Guernica Cidade... Loucura... Ou...Arte? Pablo Picasso Nome: Pablo Picasso Nascimento : Andaluzia 1881 Filho de: José Ruiz Blasco E de: Maria Picasso

Leia mais

Dadaísmo 1916-1925. Impacto causado pelo Dadaísmo justifica-se plenamente pela atmosfera de confusão e desafio à lógica por ele desencadeado

Dadaísmo 1916-1925. Impacto causado pelo Dadaísmo justifica-se plenamente pela atmosfera de confusão e desafio à lógica por ele desencadeado "Eu redijo um manifesto e não quero nada, eu digo portanto certas coisas e sou por princípios contra manifestos (...). Eu redijo este manifesto para mostrar que é possível fazer as ações opostas simultaneamente,

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO INFANTIL E JUVENIL INVERNO, LONDRINA, DE. NOME: 8ºANO TEMPO INÍCIO: TÉRMINO: TOTAL:

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO INFANTIL E JUVENIL INVERNO, LONDRINA, DE. NOME: 8ºANO TEMPO INÍCIO: TÉRMINO: TOTAL: INSTITUTO DE EDUCAÇÃO INFANTIL E JUVENIL INVERNO, 2017. LONDRINA, DE. NOME: 8ºANO TEMPO INÍCIO: TÉRMINO: TOTAL: CUBISMO O Cubismo é um movimento artístico do século que utilizou as formas geométricas principalmente

Leia mais

Cubismo. A origem do cubismo

Cubismo. A origem do cubismo Cubismo Definitivamente, no século XX todas as coisas mudaram mais rapidamente do que qualquer época da história da humanidade. Essas mudanças também são sentidas e refletidas na arte. A quantidade de

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES REVISÃO. Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II

CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES REVISÃO. Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II 1 Habilidades: Revisar os Conteúdos da Unidade II para realizar avaliação II. 2 Revisão 1 Barroco: expressão, do português homônimo, tem o sentido pérola imperfeita,

Leia mais

MOVIMENTOS DE VANGUARDA IMPORTANTES:

MOVIMENTOS DE VANGUARDA IMPORTANTES: ARTES PROFESSORA: NATÁLIA Fauvismo: MOVIMENTOS DE VANGUARDA IMPORTANTES: Fauvismo é o nome dado à tendência estética na pintura que buscou explorar ao máximo a expressividade das cores na representação

Leia mais

TURMA 601. Aula 07. Formas Geométricas

TURMA 601. Aula 07. Formas Geométricas TURMA 601 Aula 07 Formas Geométricas As figuras geométricas sempre chamaram a atenção dos artistas plásticos. As composições com figuras geométricas é um trabalho de buscar o equilíbrio entre as formas.

Leia mais

Arte Cristã Primitiva

Arte Cristã Primitiva Arte Cristã Primitiva 1º Ano 1º Bimestre 2015 A clandestinidade Dois Momentos 1º - Clandestino e perseguidos pelos romanos 2 - Aceitação da religião cristã Os primeiros cristãos de origem humilde, reuniam-se

Leia mais

APOSTILAS DO QUARTO BIMESTRE 8 ANO. TURMA 801 4º Bimestre. Aula 13

APOSTILAS DO QUARTO BIMESTRE 8 ANO. TURMA 801 4º Bimestre. Aula 13 APOSTILAS DO QUARTO BIMESTRE 8 ANO. TURMA 801 4º Bimestre Aula 13 Identidade Visual Embora você possa nunca ter ouvido falar em identidade visual, todos nós estamos sempre sendo bombardeados pelas identidades

Leia mais

Daniel Senise Fernando Cocchiarale

Daniel Senise Fernando Cocchiarale Texto publicado no catálogo da exposição do artista na XX Bienal de São Paulo, em 1989 Fundada na necessidade essencial de marcar sua diferença em relação à representação naturalista, elaborada pelo Renascimento,

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes Aluno (a): 5º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Prezado(a)

Leia mais

06. Explique o método de pintura impressionista. Neste texto, correlacione a escolha da cor com o formato da pincelada?

06. Explique o método de pintura impressionista. Neste texto, correlacione a escolha da cor com o formato da pincelada? Estudo dirigido para o segundo ano do ensino médio, Artes Milton Gomes Coelho A arte do Impressionismo 01. Liste fatos que modificaram o ritmo das cidades no século XIX. Resposta: pág. 223 02. Relacione,

Leia mais

Tyll, o mestre das artes

Tyll, o mestre das artes Nome: Ensino: F undamental 5 o ano urma: T ata: D 10/8/09 Língua Por ortuguesa Tyll, o mestre das artes Tyll era um herói malandro que viajava pela antiga Alemanha inventando golpes para ganhar dinheiro

Leia mais

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957.

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. FORMAÇÃO

Leia mais

Semana de Arte Moderna

Semana de Arte Moderna Semana de Arte Moderna 8º Ano 4º Bimestre 2015 Professor Juventino Introdução Ano foi marcado de 1922 por grandes mudanças na política e na cultura. Transformações no mundo. 1º centenário da independência.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca CERIMÔNIA NO MUSEU DO PAÇO IMPERIAL

Leia mais

definição de tendências e percepção da arte

definição de tendências e percepção da arte JOSEPH BEUYS definição de tendências e percepção da arte JOSEPH BEUYS DEFINIÇÃO DE TENDÊNCIAS E PERCEPÇÃO DA ARTE JOÃO GASPAR TEORIA E HISTÓRIA DA CRÍTICA DE ARTE II CIÊNCIAS DA ARTE E DO PATRIMÓNIO 2014-15

Leia mais

pesquisa Cultura no Brasil

pesquisa Cultura no Brasil pesquisa Cultura no Brasil I NTRODUÇÃO No senso comum a palavra cultura é usada como sinônimo de conhecimento e erudição. Porém, é um termo com várias acepções e diferentes níveis de profundidade e especificidade.

Leia mais

Movimentos da Arte Moderna. Surrealismo. III Trimestre: turmas 181, 182 e 183

Movimentos da Arte Moderna. Surrealismo. III Trimestre: turmas 181, 182 e 183 Movimentos da Arte Moderna Surrealismo III Trimestre: turmas 181, 182 e 183 Professora: Caroline Bonilha Componente Curricular: Artes O surrealismo foi o movimento da arte moderna que representou o irracional

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS John Dewey (1859-1952) FERRARI, Márcio. John Dewey: o pensador que pôs a prática em foco. Nova Escola, São Paulo, jul. 2008. Edição especial grandes pensadores. Disponível

Leia mais

Concurso Arte na Capa 2011

Concurso Arte na Capa 2011 Concurso Arte na Capa 2011 Roteiro de participação O Concurso Arte na Capa 2011 terá como atividade principal o exercício de releitura dos grandes movimentos artísticos, tendo como tema paisagens naturais

Leia mais

Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY

Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY Georges Braque, Homenagem à Bach, 1912 FrankLoyd Wright, Robie House, 1909. Chicago. Frank kloyd dwi Wright, Fallingwater house, 1936. Pensilvânia. i O art nouveau (arte

Leia mais

6) - D A D A I S M O VANGUARDAS PROFESSORA CABRIELLA NOVELLO

6) - D A D A I S M O VANGUARDAS PROFESSORA CABRIELLA NOVELLO 6) - D A D A I S M O 1916 VANGUARDAS PROFESSORA CABRIELLA NOVELLO DADAISMO Dadaísmo Movimento de contestação artística que recusa todos os modelos plásticos e a própria ideia de arte. Nascido na Suiça,

Leia mais

RE-ENCONTRANDO COM O ENSINO DA ARTE EM UMA ESCOLA ESTADUAL DO ENSINO FUNDAMENTAL

RE-ENCONTRANDO COM O ENSINO DA ARTE EM UMA ESCOLA ESTADUAL DO ENSINO FUNDAMENTAL RE-ENCONTRANDO COM O ENSINO DA ARTE EM UMA ESCOLA ESTADUAL DO ENSINO FUNDAMENTAL Joelma Cellin Escola Estadual de Ensino Fundamental Eliseu Lofego, Cachoeiro de Itapemirim-ES 1 INTRODUÇÃO Após um período

Leia mais

É possível conjugar uma sessão de cinema com uma oficina.

É possível conjugar uma sessão de cinema com uma oficina. 7 12 Anos ESTAS IMAGENS SÃO UM RODOPIO!///////////////////// 3 CINEMA EM CASA!//////////////////////////////////////////////////// 4 QUE FEITIÇO É ESTE?/////////////////////////////////////////////////

Leia mais

Pré-Escola 4 e 5 anos

Pré-Escola 4 e 5 anos PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC DIÁRIO DE CLASSE Educação Infantil Pré-Escola 4 e 5 anos DIÁRIO DE CLASSE ESCOLA: CRE: ATO DE CRIAÇÃO DIÁRIO OFICIAL / /

Leia mais

O MUNDO É A CASA DO HOMEM

O MUNDO É A CASA DO HOMEM O MUNDO É A CASA DO HOMEM Nichan Dichtchekenian Há dois motivos principais que me levam a fazer esta apresentação: O primeiro é fazer um esclarecimento e uma defesa da Fenomenologia, buscando, este esclarecimento,

Leia mais

Fraturas e dissonâncias das imagens no regime estético das artes

Fraturas e dissonâncias das imagens no regime estético das artes Fraturas e dissonâncias das imagens no regime estético das artes Raquel do Monte 1 RESENHA RANCIÈRE, Jacques. O destino das imagens. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012. 1. Doutoranda em Comunicação, PPGCOM-UFPE.

Leia mais

NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE

NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE ARTE RUPESTRE Arte rupestre é o nome da mais antiga representação artística da história do homem. Os mais antigos indícios dessa arte são

Leia mais

trata de um problema com a cor. Se você examinar cuidadosamente as 24 peças, verá que as quatro reconstruídas têm outro tipo de madeira.

trata de um problema com a cor. Se você examinar cuidadosamente as 24 peças, verá que as quatro reconstruídas têm outro tipo de madeira. js Isso aconteceu quando comecei a sentir necessidade de introduzir o espaço real. O Muro blanco, de 1952-53, por exemplo [17], que ainda é uma construção serial, pode ser associado a Rotación, de 1952.

Leia mais

Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.

Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. PRIMEIRA LEI ESPIRITUAL: O AMOR DE DEUS TEXTO: João 3:16 Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Jo 3:16 1 Qual

Leia mais

Sistema de signos socializado. Remete à função de comunicação da linguagem. Sistema de signos: conjunto de elementos que se determinam em suas inter-

Sistema de signos socializado. Remete à função de comunicação da linguagem. Sistema de signos: conjunto de elementos que se determinam em suas inter- Algumas definições Sistema de signos socializado. Remete à função de comunicação da linguagem. Sistema de signos: conjunto de elementos que se determinam em suas inter- relações. O sentido de um termo

Leia mais

SÉRIE 7: Trabalho. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Jean-François Millet As respigadeiras 1857 Óleo sobre tela.

SÉRIE 7: Trabalho. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Jean-François Millet As respigadeiras 1857 Óleo sobre tela. 27 The Bridgeman Art Library SÉRIE 7: Trabalho Jean-François Millet As respigadeiras 1857 Óleo sobre tela. 28 Ministério da Cultura e Endesa Brasil apresentam: Arteteca:lendo imagens (PRONAC 09-7945).

Leia mais

Introdução. instituição. 1 Dados publicados no livro Lugar de Palavra (2003) e registro posterior no banco de dados da

Introdução. instituição. 1 Dados publicados no livro Lugar de Palavra (2003) e registro posterior no banco de dados da Introdução O interesse em abordar a complexidade da questão do pai para o sujeito surgiu em minha experiência no Núcleo de Atenção à Violência (NAV), instituição que oferece atendimento psicanalítico a

Leia mais

Manoel Pastana na Amazônia do início do século XX

Manoel Pastana na Amazônia do início do século XX Manoel Pastana na Amazônia do início do século XX Maryclea Carmona Maués Neves 1 Quando, onde e quem No início do século XX, a região Amazônica ainda vivia um relativo isolamento do restante do país, reflexo

Leia mais

ARTES PLÁSTICAS (BACHARELADO)

ARTES PLÁSTICAS (BACHARELADO) assinatura do(a) candidato(a) Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 ARTES PLÁSTICAS (BACHARELADO) Segunda Etapa Prova Dissertativa LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Leia mais

PLANEJAMENTO 1º TRIMESTRE/2014 Professor(a): Karine Peters Disciplina: Língua Portuguesa Turma: 4º Ano

PLANEJAMENTO 1º TRIMESTRE/2014 Professor(a): Karine Peters Disciplina: Língua Portuguesa Turma: 4º Ano Professor(a): Karine Peters Disciplina: Língua Portuguesa Turma: 4º Ano *Reconhecer a função informativa do texto; *Estabelecer relação entre comparação e conhecimentos prévios; *Leitura / Compreensão

Leia mais

Violações das regras do ordenamento do território Habitação não licenciada num parque natural. 11-07-2011 EFA S13 Pedro Pires

Violações das regras do ordenamento do território Habitação não licenciada num parque natural. 11-07-2011 EFA S13 Pedro Pires Violações das regras do ordenamento do território Habitação não licenciada num parque natural 11-07-2011 EFA S13 Pedro Pires CLC UFCD6 Pedro Pires Processo nº21359 EFA S13 Violações das regras do ordenamento

Leia mais

Anexo F Grelha de Categorização da Entrevista à Educadora Cooperante

Anexo F Grelha de Categorização da Entrevista à Educadora Cooperante Anexo F Grelha de Categorização da Entrevista à Educadora Cooperante CATEGORIAS SUBCATEGORIAS INDICADORES 1.1. Tempo de serviço docente ( ) 29 anos (1) 1.2. Motivações pela vertente artística ( ) porque

Leia mais

Estética, Filosofia, Cultura e outras Linguagens. Felipe Szyszka Karasek

Estética, Filosofia, Cultura e outras Linguagens. Felipe Szyszka Karasek Estética, Filosofia, Cultura e outras Linguagens Felipe Szyszka Karasek Arte x obras de arte. Como distinguir obras de arte de outras coisas que não são arte? Para estar em um terreno artístico é necessário

Leia mais

EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar

EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar Acho que criatividade não é uma qualidade exclusiva dos artistas. Viver é um exercício de criatividade. Por Marialba

Leia mais

Façamos o bem, sempre!

Façamos o bem, sempre! Façamos o bem, sempre! Gl 6:9,10 "E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, mas principalmente

Leia mais

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL DISCIPLINA: ARTE PROFESSORA: Cristiana de Souza DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 8º ANO TURMA: A e B ALUNO (A): Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO RELAÇÃO DOCONTEÚDO

Leia mais

É possível conjugar uma sessão de cinema com uma oficina.

É possível conjugar uma sessão de cinema com uma oficina. 12 18 Anos ESTAS IMAGENS SÃO UM RODOPIO!/////////////////////////////////////// 3 CINEMA EM CASA!////////////////////////////////////////////////////////////////////// 4 BRINQUEDOS ÓPTICOS///////////////////////////////////////////////////////////////

Leia mais

ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE EDITH STEIN. Prof. Helder Salvador

ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE EDITH STEIN. Prof. Helder Salvador ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE EDITH STEIN Prof. Helder Salvador 3 - A ANTROPOLOGIA COMO FUNDAMENTO DA PEDAGOGIA. Para Edith Stein existe uma profunda relação entre os termos metafísica, antropologia e pedagogia

Leia mais

Capítulo II O QUE REALMENTE QUEREMOS

Capítulo II O QUE REALMENTE QUEREMOS Capítulo II O QUE REALMENTE QUEREMOS Neste inicio de curso de Formação em Coaching e Mentoring do Sistema ISOR, eu quero fazer a seguinte pergunta: o que vocês mais querem da vida hoje? Alguém pode começar?

Leia mais

QUESTÃO 1. 1. a Certificação de Habilidade Específica de 2011 Prova de Habilidades Específicas Artes Plásticas (Bacharelado e Licenciatura) 1

QUESTÃO 1. 1. a Certificação de Habilidade Específica de 2011 Prova de Habilidades Específicas Artes Plásticas (Bacharelado e Licenciatura) 1 QUESTÃO 1 Eugène Delacroix (1798-1863). A Liberdade Guiando o Povo. 260 cm 325 cm, óleo sobre tela, 1830, Museu do Louvre, Paris. Lorenzo Bernini (1598-1680). Êxtase de Santa Teresa D'Ávila. Altura = 350

Leia mais

A origem dos filósofos e suas filosofias

A origem dos filósofos e suas filosofias A Grécia e o nascimento da filosofia A origem dos filósofos e suas filosofias Você certamente já ouviu falar de algo chamado Filosofia. Talvez conheça alguém com fama de filósofo, ou quem sabe a expressão

Leia mais

Clínica Psicanalítica e Ambulatório de Saúde Mental

Clínica Psicanalítica e Ambulatório de Saúde Mental Clínica Psicanalítica e Ambulatório de Saúde Mental Trabalho apresentado na IV Jornada de Saúde Mental e Psicanálise na PUCPR em 21/11/2009. A prática da psicanálise em ambulatório de saúde mental pode

Leia mais

Mensagem de Prem Rawat

Mensagem de Prem Rawat Mensagem de Prem Rawat na Conferência de Paz Nórdica 2012 Conf. Nórdica, Página 1 Gostaria de falar-vos sobre paz. Eu sei que quase toda a gente tem a sua interpretação do que é a paz. Para mim, a paz

Leia mais

CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA. A educação artística como arte de educar os sentidos

CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA. A educação artística como arte de educar os sentidos CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA Porto, Casa da Música, 29-31 de Outubro de 2007 A educação artística como arte de educar os sentidos Yolanda Espiña (Escola das Artes Universidade Católica Portuguesa)

Leia mais

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 A maior Ambição do Homem é querer Colher aquilo que Não Semeou. Hebert Schiavelli (Empreendedor) Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade

Leia mais

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO Aluno (a): Série: Nº. Data: / /2012 Professor (a): Rosilene Ardengui 8º Ano Conceito de Arte A arte

Leia mais

CUBISMO ANALÍTICO E SINTÉTICO

CUBISMO ANALÍTICO E SINTÉTICO CUBISMO ANALÍTICO E SINTÉTICO O Cubismo Surgiu no século XX, sendo que o marco inicial foi em 1907 com a obra Les Demoiselles d Avignon de Picasso. Principais fundadores foram Pablo Picasso e Georges Braque,

Leia mais

Conselho Municipal de Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Cultural de Uberlândia

Conselho Municipal de Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Cultural de Uberlândia 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 ATA DA 1ª (PRIMERIA) REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO DELIBERATIVO E CONSULTIVO MUNICIPAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO,

Leia mais

Jefté era de Mizpá, em Gileade, terra de Jó e Elias. Seu nome (hebraico/aramaico - יפתח Yiftach / Yipthaχ). Foi um dos Juízes de

Jefté era de Mizpá, em Gileade, terra de Jó e Elias. Seu nome (hebraico/aramaico - יפתח Yiftach / Yipthaχ). Foi um dos Juízes de Jefté era de Mizpá, em Gileade, terra de Jó e Elias. Seu nome (hebraico/aramaico - יפתח Yiftach / Yipthaχ). Foi um dos Juízes de Israel por um período de seis anos (Jz 2:7 ). Jefté viveu em Gileade e foi

Leia mais

O que a Postura Consultiva tem a ver com Você

O que a Postura Consultiva tem a ver com Você O que a Postura Consultiva tem a ver com Você Marcelo Egéa M* O que é postura consultiva Criar e sustentar uma marca é um trabalho que exige o máximo de todos na empresa. Alguns têm contato direto com

Leia mais

ANEXOS 3º CICLO O OUTRO EM MIRA

ANEXOS 3º CICLO O OUTRO EM MIRA ANEXOS 3º CICLO O OUTRO O VALOR DE MAIS UM Anexo 01 Um pássaro perguntou a uma pomba quanto pesava um floco de neve. A pomba respondeu: Nada. Mesmo nada. Foi então que o pássaro contou esta história à

Leia mais

Colorindo Missões. Para obter este recurso em português e em outras línguas, visite: www.colorindomissoes.blogspot.com.br

Colorindo Missões. Para obter este recurso em português e em outras línguas, visite: www.colorindomissoes.blogspot.com.br Colorindo Missões Olá irmãos! É com felicidade que apresentamos a vocês a revista Colorindo Missões, uma revista totalmente gratuita de atividades para crianças, que tem como objetivo ensiná-las, de forma

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Por que foca?

APRESENTAÇÃO. Por que foca? APRESENTAÇÃO Por que foca? O foca, jornalista iniciante, tem grande dificuldade de encontrar um guia entre os textos técnicos publicados no Brasil. Com a pauta lhe queimando as mãos, ele se inquieta: por

Leia mais

PÚBLICO ALVO DO PROJETO ESTRUTURA E GÊNERO DRAMÁTICO

PÚBLICO ALVO DO PROJETO ESTRUTURA E GÊNERO DRAMÁTICO APRESENTAÇÃO A aparência é um manifesto de nossa personalidade. Através das roupas, penteados, acessórios, tatuagens etc. comunicamos ao resto do mundo uma infinidade de informações: do lugar social até

Leia mais

O Princípio da Complementaridade e o papel do observador na Mecânica Quântica

O Princípio da Complementaridade e o papel do observador na Mecânica Quântica O Princípio da Complementaridade e o papel do observador na Mecânica Quântica A U L A 3 Metas da aula Descrever a experiência de interferência por uma fenda dupla com elétrons, na qual a trajetória destes

Leia mais

RETIRO DOS JOVENS - JUNHO DE 2010 - TEMA: RELACIONAMENTOS

RETIRO DOS JOVENS - JUNHO DE 2010 - TEMA: RELACIONAMENTOS corpo desta morte? (Rm7:24). Como precisamos chorar e lamentar nossos pecados! Que o Senhor nos leve ao desespero com o nosso ego. Esse tipo de desespero, quando acompanhado da fé no grande amor de Deus,

Leia mais

O uso correto do texto alternativo

O uso correto do texto alternativo O uso correto do texto alternativo Tradução livre do texto Appropriate Use of Alternative Text [http://webaim.org/techniques/alttext/] O texto alternativo é, como o nome diz, uma alternativa aos elementos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 43 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica 0 O que é Filosofia? Essa pergunta permite muitas respostas... Alguns podem apontar que a Filosofia é o estudo de tudo ou o nada que pretende abarcar tudo.

Leia mais

PEDAGOGIA EM AÇÃO: O USO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS COMO ELEMENTO INDISPENSÁVEL PARA A TRANSFORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

PEDAGOGIA EM AÇÃO: O USO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS COMO ELEMENTO INDISPENSÁVEL PARA A TRANSFORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL PEDAGOGIA EM AÇÃO: O USO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS COMO ELEMENTO INDISPENSÁVEL PARA A TRANSFORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL Kelly Cristina Costa de Lima, UEPA Aline Marques Sousa, UEPA Cassia Regina Rosa

Leia mais

JANEIRO PABLO PICASSO

JANEIRO PABLO PICASSO Foi um pintor espanhol que passou grande parte de sua vida na França. Considerado um dos maiores gênios e grandes inovadores da arte no século 20. Experimentou muitos estilos, mas é especialmente lembrado

Leia mais

UMC POS Gestão Equipes e Desenvolvimento de Pessoas GEDPB04 Maio / 2013 Professora: Maria Luísa Dias MATERIAL DE APOIO AULA 1. Equipes Dão Certo!

UMC POS Gestão Equipes e Desenvolvimento de Pessoas GEDPB04 Maio / 2013 Professora: Maria Luísa Dias MATERIAL DE APOIO AULA 1. Equipes Dão Certo! Equipes Dão Certo! Um grupo é um conjunto de pessoas que possuem o mesmo objetivo comum ou que compartilham alguma característica. Já uma equipe, é um conjunto de pessoas que se unem para alcançar o mesmo

Leia mais

Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio

Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio 1. Substitua as palavras destacadas (ou mesmo aquelas que não estejam), de forma que os fragmentos abaixo fiquem mais elegantes, conforme à língua

Leia mais

Sticker Art: Uma ferramenta de inclusão e conscientização do valor da arte

Sticker Art: Uma ferramenta de inclusão e conscientização do valor da arte Sticker Art: Uma ferramenta de inclusão e conscientização do valor da arte Priscila de Macedo Pereira e Souza Resumo: Uma experiência numa escola pública de Goiânia, usando da técnica Sticker Art para

Leia mais

Sistema de Recuperação

Sistema de Recuperação Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I - 2º ano 2011 Sistema de Recuperação ATIVIDADES EXTRAS DE RECUPERAÇÃO PARALELA E CONTÍNUA FAÇA UMA CAPA PERSONALIZADA PARA SUA APOSTILA DE ESTUDOS Nome: Classe:

Leia mais

COACHING: PARCERIA PARA O SUCESSO COM VINÍCIUS MATOS

COACHING: PARCERIA PARA O SUCESSO COM VINÍCIUS MATOS COACHING: PARCERIA PARA O SUCESSO COM VINÍCIUS MATOS Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes. Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz e não nossa escuridão, que

Leia mais

Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki

Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki Jamer Guterres de Mello 1 Resumo Este trabalho pretende demonstrar de que forma as imagens digitais produzem

Leia mais

Estratégias adotadas pelas empresas para motivar seus funcionários e suas conseqüências no ambiente produtivo

Estratégias adotadas pelas empresas para motivar seus funcionários e suas conseqüências no ambiente produtivo Estratégias adotadas pelas empresas para motivar seus funcionários e suas conseqüências no ambiente produtivo Camila Lopes Ferreir a (UTFPR) camila@pg.cefetpr.br Dr. Luiz Alberto Pilatti (UTFPR) lapilatti@pg.cefetpr.br

Leia mais

TURMA 801. Aula 07 PERSPECTIVA LINEAR

TURMA 801. Aula 07 PERSPECTIVA LINEAR TURMA 801 Aula 07 PERSPECTIVA LINEAR Nós habitamos um mundo tridimensional. Ou seja, vemos o mundo em três dimensões: a altura, a largura e a profundidade. É por conta da profundidade que dizemos a árvore

Leia mais

Agora é só com você. Geografia - 131

Agora é só com você. Geografia - 131 Geografia - 131 3 Complete: O espaço da sala de aula é um domínio delimitado por um(a)..., que é sua fronteira. Ainda em grupo faça o seguinte: usando objetos como lápis, palitos, folhas e outros, delimite

Leia mais

ABSTRACT. Diagnóstico e situação das cooperativas de produção no Paraguai

ABSTRACT. Diagnóstico e situação das cooperativas de produção no Paraguai ABSTRACT Diagnóstico e situação das cooperativas de produção no Paraguai No Paraguai, o associativismo se origina de práticas seculares de sua população original: os guaranis. Para eles, a organização

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE QUADRINHOS ATRELADOS A EPISÓDIOS HISTÓRICOS PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA RESUMO

CONSTRUÇÃO DE QUADRINHOS ATRELADOS A EPISÓDIOS HISTÓRICOS PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA RESUMO XXII Semana de Educação da Universidade Estadual do Ceará 31 de agosto a 04 de setembro de 2015 CONSTRUÇÃO DE QUADRINHOS ATRELADOS A EPISÓDIOS HISTÓRICOS PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA Laura Andrade Santiago

Leia mais

POSSIBILIDADES DE TRABALHO COM JOGOS NO COMPONENTE CURRICULAR DE HISTÓRIA DO ENSINO FUNDAMENTAL

POSSIBILIDADES DE TRABALHO COM JOGOS NO COMPONENTE CURRICULAR DE HISTÓRIA DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 POSSIBILIDADES DE TRABALHO COM JOGOS NO COMPONENTE CURRICULAR DE HISTÓRIA DO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO Alexandre José Krul Rubia Emmel Este estudo tem por objetivo refletir acerca do trabalho com jogos

Leia mais

Considerações sobre a elaboração de projeto de pesquisa em psicanálise

Considerações sobre a elaboração de projeto de pesquisa em psicanálise Considerações sobre a elaboração de projeto de pesquisa em psicanálise Manoel Tosta Berlinck Um projeto de pesquisa é um objeto escrito que resulta de um processo de elaboração, esclarecimento e precisão.

Leia mais

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula Jardim. Título: Allan Kardec: o codificador da doutrina espírita

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula Jardim. Título: Allan Kardec: o codificador da doutrina espírita Plano de Aula 23 Centro Espírita Ismênia de Jesus Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula Jardim Educadora: Priscila e Camila Dia: 17/08/2015 Horário: 20h as 21h Título: Allan Kardec: o codificador

Leia mais

Trabalhando em equipes e resolvendo problemas: a aplicação do PBL em sala de aula

Trabalhando em equipes e resolvendo problemas: a aplicação do PBL em sala de aula Trabalhando em equipes e resolvendo problemas: a aplicação do PBL em sala de aula Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul São Paulo, 17 de junho de 2015. Agenda Introdução

Leia mais

estética carlos joão correia 2015 2ºSemestre

estética carlos joão correia 2015 2ºSemestre estética carlos joão correia 2015 2ºSemestre Vanessa Bell: The Memoir Club (1943) Dir-se-á que os objectos que provocam esta emoção variam de indivíduo para indivíduo e que, por isso, um sistema de estética

Leia mais

A Filosofia A origem da Filosofia 1

A Filosofia A origem da Filosofia 1 A Filosofia A origem da Filosofia 1 A PALAVRA FILOSOFIA A palavra filosofia é grega. É composta por duas outras: philo e sophia. Philo deriva-se de philia, que significa amizade, amor fraterno, respeito

Leia mais

E-MAIL: alexandre@medfibicuitinga.com.br

E-MAIL: alexandre@medfibicuitinga.com.br Escola de Ensino Médio Professora Maria Edilce Dias Fernandes Rua Capitão Manuel Antônio 1044 Centro - C.E.P.: 62.955-000 - Ibicuitinga Ceará Telefone: (88) 3425-1000 BANCO DE QUESTÕES - ARTE PROF.: ALEXANDRE

Leia mais