Atos do Poder Executivo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atos do Poder Executivo"

Transcrição

1 <!ID > <!ID > DECRETO <!ID > <!ID > <!ID > ISSN Ano CXLII N o Brasília - DF, quinta-feira, 18 de agosto de Sumário. Atos do Poder Executivo. Presidência da República PÁGINA Atos do Congresso Nacional... 1 Atos do Poder Executivo... 1 Presidência da República... 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento... 1 Ministério da Ciência e Tecnologia... 7 Ministério da Cultura... 8 Ministério da Educação... 9 Ministério da Fazenda Ministério da Integração Nacional Ministério da Justiça Ministério da Saúde Ministério das Comunicações Ministério das Relações Exteriores Ministério de Minas e Energia Ministério do Desenvolvimento Agrário Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério do Trabalho e Emprego Ministério dos Transportes Ministério Público da União Tribunal de Contas da União Poder Judiciário Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais Atos do Congresso Nacional ATO DO PRESIDENTE DA MESA DO CONGRESSO NACIONAL N o - 30, DE 2005 O PRESIDENTE DA MESA DO CONGRESSO NACIO- NAL, cumprindo o que dispõe o 1º do art. 10 da Resolução nº 1, de 2002-CN, faz saber que, nos termos do 7º do art. 62 da Constituição Federal, com a redação dada pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001, a Medida Provisória nº 254, de 29 de junho de 2005, que revoga a Medida Provisória n o 249, de 4 de maio de 2005, que dispõe sobre a instituição de concurso de prognóstico destinado ao desenvolvimento da prática desportiva, a participação de entidades desportivas da modalidade futebol nesse concurso, o parcelamento de débitos tributários e para com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS, terá sua vigência prorrogada pelo período de sessenta dias, a partir de 28 de agosto de 2005, tendo em vista que sua votação não foi encerrada nas duas Casas do Congresso Nacional. Congresso Nacional, 17 de agosto de 2005 Senador RENAN CALHEIROS Presidente da Mesa do Congresso Nacional N o , DE 17 DE AGOSTO DE 2005 Aprova os percentuais e valores máximos da subvenção ao prêmio do seguro rural, de que tratam o inciso IV do art. 3 o da Lei n o , de 19 de dezembro de 2003, e os incisos II e III do art. 7 o do Decreto n o 5.121, de 29 de junho de O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista o disposto no inciso IV do art. 3 o da Lei n o , de 19 de dezembro de 2003, D E C R E T A : Art. 1 o Ficam aprovados os percentuais da subvenção ao prêmio do seguro rural, de que tratam o inciso IV do art. 3 o da Lei n o , de 19 de dezembro de 2003, e os incisos II e III do art. 7 o do Decreto n o 5.121, de 29 de junho de 2004, na forma do Anexo deste Decreto. Art. 2 o Os valores máximos da subvenção econômica por beneficiário, pessoa física ou jurídica, ficam estabelecidos da seguinte forma: I - para as culturas de milho segunda safra, trigo, algodão, arroz irrigado, feijão, milho e soja fica fixado o limite de até R$ 7.000,00 (sete mil reais) por ano civil; e II - para as culturas de maçã, uva de mesa e uva para vinho fica fixado o limite de até R$ ,00 (doze mil reais) por ano civil. Parágrafo único. Os limites de subvenção estabelecidos nos incisos do caput são independentes, podendo o produtor rural, pessoa física ou jurídica, receber o benefício cumulativamente. Art. 3 o Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Brasília, 17 de agosto de 2005; 184 o da Independência e 117 o da República. LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Roberto Rodrigues ANEXO Culturas Beneficiárias e Percentagem de Subvenção ao Prêmio para as Safras Agrícolas dos anos 2005 e 2006 Cultura Percentagem de Subvenção Aplicável em cada Ano Algodão Arroz Irrigado Feijão Maçã Milho Milho Segunda Safra 40 Soja Tr i g o 40 Uva de mesa Uva para vinho CASA CIVIL INSTITUTO NACIONAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DESPACHO DO DIRETOR-PRESIDENTE SUBSTITUTO Entidade:AR CERTISIGN DATTA IMAGEM Processo nº: / Acolhe-se o memorando apresentado pela Diretoria de Auditoria, Fiscalização e Normalização, que manifesta a sua concordância com os termos do relatório preliminar de auditoria, e opina pela intimação da Autoridade de Registro VS DATTA IMAGEM LTDA para, no prazo de 60 dias, nos termos do art. nº 3, da Resolução nº 12, de 14 de fevereiro de 2002, regularizar as não-conformidades apontadas no referido relatório. Intime-se. Em 18 de agosto de RENATO DA SILVEIRA MARTINI CONSELHO DE GOVERNO CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR RETIFICAÇÃO No artigo 1º da Resolução CAMEX nº 23, de 11 de agosto de 2005, publicada no D.O.U. nº 156, de 15 de agosto de 2005, Seção 1, página 11, onde se lê: NCM , leia-se: NCM Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento COMISSÃO ESPECIAL DE RECURSOS SECRETARIA EXECUTIVA 68, DE 15 DE AGOSTO DE 2005 O SECRETÁRIO EXECUTIVO DA SECRETARIA DA COMISSÃO ESPECIAL DE RECURSOS, no uso de sua competência estabelecidas pela Portaria nº 3, de 04 de fevereiro de 2005, da Secretaria de Política Agrícola, publicada no Diário Oficial da União de 10 de fevereiro de 2005, resolve: Art. 1º - Aprovar o Zoneamento Agrícola para a cultura de Banana no Estado de São Paulo, ano safra 2005/2006. Art. 2º - Esta Portaria tem vigência específica para o ano safra definido no Art. 1º e entra em vigor na data de sua publicação. FRANCISCO JOSÉ MITIDIERI

2 2 ISSN Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de 2005 ANEXO 1. NOTA TÉCNICA A bananeira, planta tipicamente tropical, exige calor constante, precipitações bem distribuídas ao longo do ano e elevada umidade para o seu bom desenvolvimento e produção. Os elementos climáticos delimitam direta ou indiretamente as zonas produtoras e, a partir desses elementos, podem ser definidas as regiões aptas, marginais ou inaptas. Seus principais componentes tais como a temperatura, precipitação, umidade relativa e luminosidade, permitem o estabelecimento e desenvolvimento do cultivo, bem como favorecem a incidência ou a severidade de ataques de doenças e pragas, prejudicando a produtividade e a qualidade do fruto. A temperatura é de suma importância no cultivo da bananeira, influindo diretamente nos processos respiratório e fotossintético da planta. Para obtenção de altos rendimentos e melhor qualidade, são necessárias temperaturas altas e uniformes, da ordem de 28 0 C, com mínimas não inferiores a 18 0 C e máximas não superiores a 34 0 C. Abaixo de 150 C a atividade da planta é paralisada e acima dos 35 0 C, o desenvolvimento é inibido, principalmente devido à desidratação dos tecidos, especialmente das folhas. As temperaturas baixas são prejudiciais ao desenvolvimento e qualidade da banana. Temperaturas inferiores a 12 0 C provocam uma perturbação fisiológica nos frutos, conhecida como chilling ou friagem, que prejudica os tecidos, principalmente os da casca e fruto. O chilling pode ocorrer nas regiões subtropicais onde a temperatura mínima noturna atinge a faixa de 4,5 a 10,0 0 C. Normalmente esse fenômeno ocorre no campo podendo, no entanto, se manifestar também durante o transporte do cacho, na câmara de climatização ou então logo após a banana tornarse amarela. As bananas afetadas têm o processo de maturação bastante perturbado, influenciando na qualidade final do produto. No Estado de São Paulo, regiões de maiores altitudes, principalmente fora da faixa intertropical, como as regiões do Vale do Ribeira e Sul do Planalto Paulista, estão sujeitas durante o inverno, as freqüentes invasões de massas de ar frio de origem polar, provocando intensos abaixamentos das temperaturas. Com relação à precipitação pluvial (chuva), a bananeira requer uma grande e permanente disponibilidade de umidade no solo. Em regiões ou zonas produtoras com estação seca prolongada ou mesmo medianamente acentuada, faz-se necessário o uso de irrigação suplementar. O consumo de água pela planta é elevado e constante, em função de sua morfologia e da hidratação de seus tecidos. As maiores produções de banana estão associadas a uma boa distribuição de umidade durante todo o ciclo da cultura. Quando a deficiência hídrica anual ou a seca, com base em um balanço hídrico, é superior a 80 mm anual, a cultura não se desenvolve satisfatoriamente, afetando conseqüentemente a produção, a produtividade e a qualidade do produto. A deficiência hídrica ou a ausência de chuvas é mais grave nas fases de diferenciação floral (período floral) e no início da frutificação. A luminosidade, a ocorrência de ventos e a umidade relativa do ar são fatores fundamentais para o desenvolvimento da bananeira. A banana requer alta luminosidade, sendo que o fotoperíodo parece não influir no seu crescimento e frutificação. O vento, em função da freqüência e intensidade, pode causar desde pequenos danos até a destruição de um bananal. As áreas sujeitas a ventos, devem ser evitadas ou protegidas com quebraventos. As regiões com umidade relativa do ar elevada, acima de 80% como média anual, são as mais favoráveis à bananicultura. Esta alta umidade acelera a emissão de folhas, prolonga sua longevidade, favorece o lançamento da inflorescência e uniformiza a coloração da fruta. Contudo quando associada a chuvas e variações de temperatura, provoca condições favoráveis ao aparecimento de doenças fúngicas, deteriorando o produto final. Os parâmetros climáticos selecionados e analisados para a delimitação das áreas com menor risco na produção de banana no Estado de São Paulo foram os seguintes: a) temperatura média do mês mais frio igual a 18 0 C, indicando o limite inferior da faixa térmica favorável, sendo que abaixo desse limite começam a aparecer problemas com a friagem, nos frutos; b) temperatura média do mês mais frio igual a 15 0 C, indicando o limite abaixo do qual a bananicultura sofre deficiência térmica, problemas graves com incidência de geadas, tornando a área inapta à cultura comercial; c) deficiência hídrica anual igual zero mm, indicando ausência de estação seca; e d) deficiência hídrica anual igual a 80 mm, limite abaixo do qual a área apresenta uma estação seca moderada e oferece aptidão climática para todos os cultivares de banana, exceto para as variedades da banana ouro que é pouco tolerante à seca. Acima desse limite, a estação seca se apresenta com problemas à bananicultura, sendo indicado à irrigação suplementar nos períodos mais críticos da planta. A bananeira se adapta em vários tipos de solos sendo, no entanto, os areno-argilosos, férteis, profundos, ricos em matéria orgânica, cálcio e magnésio, bem drenados e com boa capacidade de retenção de água, os mais adequados. 2. TIPOS DE SOLOS APTOS AO PLANTIO O zoneamento de risco climático para o Estado de São Paulo contempla como aptos ao cultivo da banana os solos TIPO 2 e TIPO 3, especificados na Instrução Normativa nº 10, de 14 de junho de 2005, publicada no DOU de 16 de junho de 2005, Seção 1, página 12, alterada para Instrução Normativa nº. 12, através de retificação publicada no DOU de 17 de junho de 2005, Seção 1, página.6, que apresentam as seguintes características: Tipo 2: solos com teor de argila entre 15 e 35% e menos de 70% de areia, com profundidade igual ou superior a 50 cm e Tipo 3: a) solos com teor de argila maior que 35%, com profundidade igual ou superior a 50 cm; e b) solos com menos de 35% de argila e menos de 15% de areia (textura siltosa), com profundidade igual ou superior a 50 cm. Nota - áreas/solos não indicados para o plantio: áreas de preservação obrigatória, de acordo com a Lei do Código Florestal; solos que apresentem teor de argila inferior a 10% nos primeiros 50 cm de solo; solos que apresentem profundidade inferior a 50 cm; solos que se encontram em áreas com declividade superior a 45%; e solos muito pedregosos, isto é, solos nos quais calhaus e matacões (diâmetro superior a 2 mm) ocupam mais de 15% da massa e/ou da superfície do terreno. 3. PERÍODOS FAVORÁVEIS AO PLANTIO Em lavouras não irrigadas, o plantio deve ser realizado no início da estação chuvosa, que no Estado de São Paulo corresponde aos meses de: outubro, novembro, dezembro e janeiro. 4. CULTIVARES HABILITADAS Ficam habilitadas no Zoneamento de Risco Climático do Estado de São Paulo, para o ano safra 2005/2006 as cultivares de Banana (Musa spp) registradas no Registro Nacional de Cultivares (RNC) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, atendidas as indicações das regiões de adaptação, em conformidade com as recomendações dos respectivos obtentores/detentores (mantenedores). 5. RELAÇÃO DE MUNICIPIOS DO ESTADO DE SÃO PAU- LO FAVORÁVEIS AO CULTIVO A relação de municípios do Estado de São Paulo aptos ao cultivo, suprimidos todos os outros onde a cultura não é recomendada, foi calcada em dados disponíveis por ocasião da sua elaboração. Se algum município mudou de nome ou foi criado um novo em razão de emancipação de um daqueles da listagem abaixo, todas as recomendações são idênticas às do município de origem até que nova relação o inclua formalmente. Municípios aptos ao cultivo: Adamantina, Alfredo Marcondes, Alto Alegre, Álvares Machado, Andradina, Anhumas, Apiaí, Araçatuba, Arco Íris, Assis, Avanhandava, Barra do Chapéu, Barra do Turvo, Bastos, Bertioga, Bilac, Birigui, Borá, Braúna, Cafelândia, Caiabú, Caiuá, Cajatí, Cananéia, Candido Mota, Caraguatatuba, Castilho, Clementina, Coroados, Cruzália, Cubatão, Dracena, Eldorado, Emilianóplois, Euclides da Cunha Paulista, Estrela do Norte, Flora Rica, Florida Paulista, Florínia, Gabriel Monteiro, Getulina, Guaiçara, Guaimbé, Guaraçaí, Guarujá, Gurarapes, Herculândia, Iacri, Ibiúna, Iepê, Iguape, Ilha Bela, Ilha Comprida, Indiana, Inúbia Paulista, Irapuru, Itanhaém, Itaóca, Itapirapuã Paulista, Itaporanga, Itariri, Jacupiranga, João Ramalho, Junqueirópolis, Juquiá, Juquitiba, Lavínia, Lins, Lucélia, Lutecia, Luiziânia, Marabá Paulista, Maracaí, Mariápolis, Marília, Martinópolis, Miracatu, Mirandópolis, Mirante do Paranapanema, Mogaguá, Monte Castelo, Murutinga do Sul, Nantes, Narandiba, Natividade da Serra, Nova Guataporanga, Nova Independência, Oriente, Oscar Bressane, Osvaldo Cruz, Ouro Verde, Pacaembu, Panorama, Paraguaçu Paulista, Parapuã, Pariquera-Açú, Paulicéia, Pedrinhas Paulista, Pedro de Toledo, Penápolis, Peruíbe, Piacatu, Piedade, Piquerobi, Pirapozinho, Pompéia, Pracinha, Praia Grande, Presidente Bernardes, Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Promissão, Quatá, Queiroz, Quintana, Rancharia, Regente Feijó, Registro, Ribeira, Ribeirão dos Índios, Rinópolis, Rosana, Rubiácea, Sagres, Salmourão, Sandovalina, Santa Mercedes, Santo Anastácio, Santo Expedito, Santópolis do Aguapeí, Santos, Bento de Abreu, São José do Pau D alho, São Luis do Paraitinga, São Sebastião, São Vicente, Sete Barras, Taciba, Tapiraí, Tarabai, Tarumã, Teodoro Sampaio, Tupã, Tupi Paulista, Ubatuba e Valparaíso. <!ID > 69, DE 15 DE AGOSTO DE 2005 O SECRETÁRIO EXECUTIVO DA SECRETARIA DA COMISSÃO ESPECIAL DE RECURSOS, no uso de sua competência estabelecidas pela Portaria nº 3, de 04 de fevereiro de 2005, da Secretaria de Política Agrícola, publicada no Diário Oficial da União de 10 de fevereiro de 2005, resolve: Art. 1º - Aprovar o Zoneamento Agrícola para a cultura de Banana no Estado do Rio de Janeiro, ano safra 2005/2006. Art. 2º - Esta Portaria tem vigência específica para o ano safra definido no Art. 1º e entra em vigor na data de sua publicação. FRANCISCO JOSÉ MITIDIERI ANEXO 1. NOTA TÉCNICA A bananeira, planta tipicamente tropical, exige calor constante, precipitações bem distribuídas ao longo do ano e elevada umidade para o seu bom desenvolvimento e produção. Os elementos climáticos delimitam direta ou indiretamente as zonas produtoras e, a partir desses elementos, podem ser definidas as regiões aptas, marginais ou inaptas. Seus principais componentes tais como a temperatura, precipitação, umidade relativa e luminosidade, permitem o estabelecimento e desenvolvimento do cultivo, bem como favorecem a incidência ou a severidade de ataques de doenças e pragas, prejudicando a produtividade e a qualidade do fruto. A temperatura é de suma importância no cultivo da bananeira, influindo diretamente nos processos respiratório e fotossintético da planta. Para obtenção de altos rendimentos e melhor qualidade, são necessárias temperaturas altas e uniformes, da ordem de 28 0 C, com mínimas não inferiores a 18 0 C e máximas não superiores a 34 0 C. Abaixo de 15 0 C a atividade da planta é paralisada e acima dos 35 0 C, o desenvolvimento é inibido, principalmente devido à desidratação dos tecidos, especialmente das folhas. As temperaturas baixas são prejudiciais ao desenvolvimento e qualidade da banana. Temperaturas inferiores a 12 0 C provocam uma perturbação fisiológica nos frutos, conhecida como chilling ou friagem, que prejudica os tecidos, principalmente os da casca e fruto O chilling pode ocorrer nas regiões subtropicais onde a temperatura mínima noturna atinge a faixa de 4,5 a 10,0 0 C. Normalmente esse fenômeno ocorre no campo podendo, no entanto, se manifestar também durante o transporte do cacho, na câmara de climatização ou então logo após a banana tornarse amarela. As bananas afetadas têm o processo de maturação bastante perturbado, influenciando na qualidade final do produto. No Estado do Rio de Janeiro, as regiões de maiores altitudes, como as regiões abrangidas pela Serra dos Órgãos, estão sujeitas, durante o inverno, as freqüentes invasões de massas de ar frio de origem polar, provocando intensos abaixamentos das temperaturas. Com relação à precipitação pluvial (chuva), a bananeira requer uma grande e permanente disponibilidade de umidade no solo. Em regiões ou zonas produtoras com estação seca prolongada ou mesmo medianamente acentuada, faz-se necessário o uso de irrigação suplementar. O consumo de água pela planta é elevado e constante, em função de sua morfologia e da hidratação de seus tecidos. As maiores produções de banana estão associadas a uma boa distribuição de umidade durante todo o ciclo da cultura. Quando a deficiência hídrica anual ou a seca, com base em um balanço hídrico, é superior a 80 mm anual, a cultura não se desenvolve satisfatoriamente, afetando conseqüentemente a produção, a produtividade e a qualidade do produto. A deficiência hídrica ou a ausência de chuvas é mais grave nas fases de diferenciação floral (período floral) e no início da frutificação. A luminosidade, a ocorrência de ventos e a umidade relativa do ar são fatores fundamentais para o desenvolvimento da bananeira. A banana requer alta luminosidade, sendo que o fotoperíodo parece não influir no seu crescimento e frutificação.

3 <!ID > Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ISSN O vento, em função da freqüência e intensidade, pode causar desde pequenos danos até a destruição de um bananal. Os prejuízos mais comuns relativos à incidência dos ventos são: a) se ventos frios, provocam o chilling, com perda de qualidade do fruto; b) desidratação da planta devido à grande evapotranspiração; c) fendilhamento das nervuras secundárias, abrindo portas de entrada para patógenos de doenças; d) diminuição da área foliar; e) rompimento de raízes; e f) quebra da planta e tombamento.as áreas sujeitas a ventos, devem ser evitadas ou protegidas com quebra-ventos. As regiões com umidade relativa do ar elevada, acima de 80% como média anual, são as mais favoráveis à bananicultura. Esta alta umidade acelera a emissão de folhas, prolonga sua longevidade, favorece o lançamento da inflorescência e uniformiza a coloração da fruta. Contudo quando associada a chuvas e variações de temperatura, provoca condições favoráveis ao aparecimento de doenças fúngicas, deteriorando o produto final. Os parâmetros climáticos selecionados e analisados para a delimitação das áreas com menor risco na produção de banana no Estado do Rio de Janeiro foram os seguintes: a) temperatura média do mês mais frio igual a 18 0 C, indicando o limite inferior da faixa térmica favorável, sendo que abaixo desse limite começam a aparecer problemas com a friagem, nos frutos; b) temperatura média do mês mais frio igual a 15 0 C, indicando o limite abaixo do qual a bananicultura sofre deficiência térmica, problemas graves com incidência de geadas, tornando a área inapta à cultura comercial; c) deficiência hídrica anual igual a 0 mm, indicando ausência de estação seca; e d) deficiência hídrica anual igual a 80 mm, limite abaixo do qual a área apresenta uma estação seca moderada e oferece aptidão climática para todos os cultivares de banana, exceto para as variedades da banana ouro que é pouco tolerante à seca. Acima desse limite, a estação seca se apresenta com problemas à bananicultura, sendo indicado à irrigação suplementar nos períodos mais críticos da planta. Solos: A bananeira se adapta em vários tipos de solos sendo, no entanto, os areno-argilosos, férteis, profundos, ricos em matéria orgânica, cálcio e magnésio, bem drenado e com boa capacidade de retenção de água, os mais adequados. 2. TIPOS DE SOLOS APTOS AO PLANTIO O zoneamento de risco climático para o Estado do Rio de Janeiro contempla como aptos ao plantio de banana os solos TIPO 2 e TIPO 3, especificados na Instrução Normativa nº 10, de 14 de junho de 2005, publicada no DOU de 16 de junho de 2005, Seção 1, página 12, alterada para Instrução Normativa nº. 12, através de retificação publicada no DOU de 17 de junho de 2005, Seção 1, página.6, que apresentam as seguintes características: Tipo 2: solos com teor de argila entre 15 e 35% e menos de 70% de areia, com profundidade igual ou superior a 50 cm e Tipo 3: a) solos com teor de argila maior que 35%, com profundidade igual ou superior a 50 cm; e b) solos com menos de 35% de argila e menos de 15% de areia (textura siltosa), com profundidade igual ou superior a 50 cm. Nota - áreas/solos não indicados para o plantio: áreas de preservação obrigatória, de acordo com a Lei do Código Florestal; solos que apresentem teor de argila inferior a 10% nos primeiros 50 cm de solo; solos que apresentem profundidade inferior a 50 cm; solos que se encontram em áreas com declividade superior a 45%; e solos muito pedregosos, isto é, solos nos quais calhaus e matacões (diâmetro superior a 2 mm) ocupam mais de 15% da massa e/ou da superfície do terreno. 3. PERÍODO FAVORÁVEL AO PLANTIO Em lavouras não irrigadas, o plantio deve ser realizado no início da estação chuvosa, que para o Estado do Rio de Janeiro corresponde ao período de 01 de outubro a 31 de janeiro. 4. CULTIVARES HABILITADAS Ficam habilitadas no Zoneamento de Risco Climático do Estado do Rio de Janeiro, para o ano safra 2005/2006 as cultivares de Banana (Musa spp) registradas no Registro Nacional de Cultivares (RNC) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, atendidas as indicações das regiões de adaptação, em conformidade com as recomendações dos respectivos obtentores/detentores (mantenedores). 5. MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APTOS AO CULTIVO A relação de municípios do Estado do Rio de Janeiro aptos ao cultivo, suprimidos todos os outros onde a cultura não é recomendada, foi calcada em dados disponíveis por ocasião da sua elaboração. Se algum município mudou de nome ou foi criado um novo em razão de emancipação de um daqueles da listagem abaixo, todas as recomendações são idênticas às do município de origem até que nova relação o inclua formalmente. Municípios aptos ao cultivo: Angra dos Reis, Areal, Barra do Pirai, Barra Mansa, Bom Jardim, Cachoeiras de Macacu, Cantagalo, Carmo, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Cordeiro, Duas Barras, Duque de Caxias, Engenheiro Paulo de Guapimirim, Itaboraí, Itaguaí, Itatiaia, Macaé, Macuco, Magé, Mangaratiba, Marica, Mendes, Miguel Pereira, Natividade, Niterói, Nova Friburgo, Paracambi, Paraíba do Sul, Parati, Paty do Alferes, Petrópolis, Pinheiral, Pirai, Porciúncula, Porto Real, Quatis, Resende, Rio Bonito, Rio Claro, Rio das Flores, Rio das Ostras, Rio de Janeiro, Santa Maria Madalena, São Gonçalo, São José do Vale do Rio Preto, São Sebastião do Alto, Sapucaia, Saquarema, Seropedica, Silva Jardim, Sumidouro, Tangua, Trajano de Morais, Três Rios, Valença, Varre-Sai, Vassouras e Volta Redonda. 70, DE 15 DE AGOSTO DE 2005 O SECRETÁRIO EXECUTIVO DA SECRETARIA DA COMISSÃO ESPECIAL DE RECURSOS, no uso de sua competência e das atribuições estabelecidas pela Portaria nº 3, de 04 de fevereiro de 2005, da Secretaria de Política Agrícola, publicada no Diário Oficial da União de 10 de fevereiro de 2005, resolve: Art. 1º - Aprovar o Zoneamento Agrícola para a cultura de Banana no Estado da Bahia, ano safra 2005/2006. Art. 2º - Esta Portaria tem vigência específica para o ano safra definido no Art. 1º e entra em vigor na data de sua publicação. FRANCISCO JOSÉ MITIDIERI ANEXO 1. NOTA TÉCNICA Natural da Zona Tropical úmida, a bananeira (família Musaceæ) é cultivada entre 30 o N e 30 o S, normalmente em altitudes não superiores a 1500 m. Em se tratando de planta tipicamente tropical, exige temperaturas médias elevadas, alta umidade relativa do ar e, simultaneamente, solo úmido. Especificamente no que concerne à temperatura, a bananeira vegeta bem na faixa de temperaturas médias mensais compreendidas entre 18 o C e 35 o C. A abundância e a uniformidade da precipitação é requerida para manter o solo úmido e assegurar umidade relativa do ar elevada. O vento é prejudicial à cultura da bananeira por fragmentar o limbo foliar, reduzindo a taxa fotossintética. No estabelecimento dos riscos climáticos foram realizados os balanços hídricos climáticos, ano a ano, para 439 postos pluviométricos com 18 ou mais anos completos de dados. Para esses balanços tomou-se 200 mm como capacidade máxima de retenção de água pelo solo, já que a bananeira requer solos medianamente férteis e ricos em argila (tipos 2 e 3) com bastante umidade. Os riscos climáticos para o cultivo da bananeira, em condições naturais (sem irrigação), foram obtidos determinando-se, para cada posto pluviométrico, a freqüência de ocorrência de deficiência hídrica anual igual ou inferior a 350 mm. 2. TIPOS DE SOLOS APTOS AO PLANTIO O zoneamento de risco climático para o Estado da Bahia contempla como aptos ao plantio de banana os solos TIPO 2 e TIPO 3, especificados na Instrução Normativa nº 10, de 14 de junho de 2005, publicada no DOU de 16 de junho de 2005, Seção 1, página 12, alterada para Instrução Normativa nº. 12, através de retificação publicada no DOU de 17 de junho de 2005, Seção 1, página.6, que apresentam as seguintes características: Tipo 2: solos com teor de argila entre 15 e 35% e menos de 70% de areia, com profundidade igual ou superior a 50 cm e Tipo 3: a) solos com teor de argila maior que 35%, com profundidade igual ou superior a 50 cm; e b) solos com menos de 35% de argila e menos de 15% de areia (textura siltosa), com profundidade igual ou superior a 50 cm. Nota - áreas/solos não indicados para o plantio: áreas de preservação obrigatória, de acordo com a Lei do Código Florestal; solos que apresentem teor de argila inferior a 10% nos primeiros 50 cm de solo; solos que apresentem profundidade inferior a 50 cm; solos que se encontram em áreas com declividade superior a 45%; e solos muito pedregosos, isto é, solos nos quais calhaus e matacões (diâmetro superior a 2 mm) ocupam mais de 15% da massa e/ou da superfície do terreno. 3. PERÍODOS FAVORÁVEIS AO PLANTIO Os municípios com baixo risco climático ao cultivo da bananeira não irrigada, no Estado da Bahia, estão situados na Região Sudeste do Estado. Nos municípios com risco médio e alto, o cultivo da bananeira, exige, irrigação complementar ou total, respectivamente. Devido à grande variabilidade interanual da chuva, a época indicada para plantio corresponde à maior probabilidade de ocorrência dos três meses consecutivos mais chuvosos. Quando essa probabilidade revelou-se baixa, foram indicados os quatro meses consecutivos mais chuvosos. 4. CULTIVARES HABILITADAS Ficam habilitadas no Zoneamento de Risco Climático do Estado da Bahia, para o ano safra 2005/2006 as cultivares de Banana (Musa spp) registradas no Registro Nacional de Cultivares (RNC) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, atendidas as indicações das regiões de adaptação, em conformidade com as recomendações dos respectivos obtentores/detentores (mantenedores). 5. RELAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA APTOS AO CULTIVO Os municípios do Estado da Bahia, com indicação do risco climático associado ao cultivo não irrigado e com irrigação da bananeira estão listados a seguir. Nos municípios com risco baixo, o cultivo pode ser realizado sem irrigação. Nos demais (com médio e alto risco) pode ser praticado o cultivo sob irrigação. Municípios com risco climático alto e médio onde o cultivo sob irrigação é indicado MUNICIPIO Risco climático Período mais indicado Abaíra A LTO out-dez Abaré A LTO fev-abr Acajutiba A LTO mai-jul Adustina A LTO mai-jul Água Fria A LTO abr-jun Aiquara A LTO nov-jan Alagoinhas A LTO jan-mar Alcobaça A LTO abr-jul Almadina A LTO out-dez A m a rg o s a A LTO nov-jan Amélia Rodrigues A LTO dez-mar América Dourada A LTO abr-jul Anagé A LTO out-dez Andaraí A LTO dez-mar Andorinha A LTO nov-jan Angical A LTO jan-abr Anguera A LTO nov-jan Antas A LTO abr-jun Antônio Cardoso A LTO jun-ago Antônio Gonçalves A LTO abr-jul Aporá A LTO mar-jun Araças A LTO mai-ago Aracatu A LTO out-jan Araci A LTO mai-jul Aramari A LTO fev-mai Arataca A LTO abr-jun Aratuípe MÉDIO out-dez Aurelino Leal A LTO abr-jun Baianópolis A LTO fev-mai Baixa Grande A LTO nov-jan Banzaê A LTO nov-fev Barra A LTO mai-jul Barra da Estiva A LTO nov-fev Barra do Choça A LTO out-dez Barra do Mendes A LTO out-dez Barra do Rocha A LTO nov-jan Barreiras A LTO nov-fev Barro Alto A LTO nov-jan Barrocas A LTO nov-fev Belmonte A LTO nov-fev Belo Campo A LTO dez-fev Biritinga A LTO nov-fev Boa Nova A LTO nov-jan Boa Vista do Tupim A LTO mar-mai Bom Jesus da Lapa A LTO nov-jan Bom Jesus da Serra A LTO out-dez Boninal A LTO nov-jan Bonito A LTO out-dez Boquira A LTO out-jan Botuporã A LTO nov-jan Brejões A LTO nov-jan Brejolândia A LTO nov-fev Brotas de Macaúbas A LTO dez-mar Brumado A LTO nov-fev Buerarema A LTO nov-jan Buritirama A LTO out-jan Caatiba A LTO out-dez Cabaceiras do Paraguaçu A LTO nov-fev Cachoeira A LTO out-dez Caculé A LTO abr-jul Caém A LTO abr-jun Caetanos A LTO nov-jan Caetité A LTO nov-fev Cafarnaum A LTO out-jan Caldeirão Grande A LTO nov-jan Camacan A LTO mai-jul Camaçari A LTO dez-mar Campo Alegre de Lourdes A LTO abr-jun Campo Formoso A LTO mai-jul Canápolis A LTO jan-abr Canarana A LTO jan-abr Candeal A LTO dez-fev Candeias A LTO out-jan Candiba A LTO fev-mai Cândido Sales A LTO abr-jun Cansanção A LTO nov-jan Canudos A LTO nov-jan Capela do Alto Alegre A LTO nov-fev Capim Grosso A LTO jan-abr Caraíbas A LTO dez-fev Caravelas A LTO nov-jan Cardeal da Silva A LTO nov-jan Carinhanha A LTO out-dez Casa Nova A LTO mai-jul

4 4 ISSN Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de 2005 Castro Alves A LTO nov-jan Catolândia A LTO fev-abr Catu A LTO mar-jun Caturama A LTO out-jan Central A LTO abr-jul Chorrochó A LTO nov-jan Cícero Dantas A LTO nov-jan Cipó A LTO jan-abr Coaraci A LTO mai-jul Cocos A LTO abr-jun Conceição da Feira A LTO nov-fev Conceição do Almeida A LTO nov-jan Conceição do Coité A LTO abr-jul Conceição do Jacuípe A LTO abr-jul Conde A LTO nov-jan Condeúba A LTO mar-jun Contendas do Sincorá A LTO abr-jul Coração de Maria A LTO out-jan Cordeiros A LTO out-jan Coribe A LTO abr-jun Coronel João Sá A LTO nov-jan Correntina A LTO nov-jan Cotegipe A LTO mai-jul Cravolândia A LTO out-jan Crisópolis A LTO nov-jan Cristópolis A LTO dez-mar Cruz das Almas A LTO abr-jun Curaçá A LTO nov-jan Dário Meira A LTO mai-jul Dias d'ávila A LTO jan-abr Dom Basílio A LTO out-jan Dom Macedo Costa A LTO abr-jun Elísio Medrado A LTO nov-jan Encruzilhada A LTO abr-jun Entre Rios A LTO nov-fev Érico Cardoso A LTO out-jan Esplanada A LTO mai-jul Euclides da Cunha A LTO abr-jul Eunápolis A LTO abr-jul Fátima A LTO nov-jan Feira da Mata A LTO mai-jul Feira de Santana A LTO nov-jan Filadélfia A LTO abr-jun Firmino Alves A LTO mar-jun Floresta Azul A LTO out-dez Formosa do Rio Preto A LTO out-dez Gandu A LTO nov-jan Gavião A LTO fev-mai Gentio do Ouro A LTO nov-jan Glória A LTO nov-fev Gongogi A LTO jan-abr Gov. Lomanto Júnior A LTO nov-fev Gov. Mangabeira A LTO mai-jul Guajeru A LTO nov-jan Guanambi A LTO nov-jan Guaratinga A LTO out-dez Heliópolis A LTO abr-jun Iaçu A LTO nov-fev Ibiassucê A LTO out-dez Ibicaraí A LTO nov-jan Ibicoara A LTO out-dez Ibicuí A LTO out-dez Ibipeba A LTO nov-jan Ibipitanga A LTO out-jan Ibiquera A LTO nov-jan Ibirapitanga A LTO abr-jul Ibirapuã A LTO out-dez Ibirataia A LTO nov-fev Ibitiara A LTO out-jan Ibititá A LTO nov-jan Ibotirama A LTO nov-jan Ichu A LTO mar-jun Igaporã A LTO nov-jan Iguaí A LTO out-jan Ilhéus A LTO dez-mar Inhambupe A LTO abr-jul Ipecaetá A LTO abr-jul Ipiaú A LTO nov-jan Ipirá A LTO abr-jul Ipupiara A LTO nov-jan Irajuba A LTO abr-jul Iramaia A LTO out-dez Iraquara A LTO dez-mar Irará A LTO abr-jun Irecê A LTO nov-jan Itabela A LTO out-dez Itaberaba A LTO nov-fev Itabuna A LTO out-jan Itaeté A LTO out-jan Itagi A LTO dez-mar Itagibá A LTO nov-jan Itagimirim A LTO nov-jan Itaguaçu da Bahia A LTO nov-fev Itaju do Colônia A LTO out-dez Itajuípe A LTO dez-mar Itamaraju A LTO out-dez Itambé A LTO out-dez Itanagra A LTO mai-jul Itanhém A LTO nov-jan Itaparica MÉDIO abr-jun Itapé A LTO out-jan Itapebi A LTO nov-jan Itapetinga A LTO out-dez Itapicuru A LTO abr-jul Itapitanga A LTO dez-mar Itaquara A LTO dez-fev Itarantim A LTO out-dez Itatim A LTO out-jan Itiruçu A LTO dez-fev Itiúba A LTO fev-mai Itororó A LTO out-dez Ituaçu A LTO out-jan Iuiú A LTO nov-jan Jaborandi A LTO nov-jan Jacaraci A LTO nov-jan Jacobina A LTO nov-fev Jaguarari A LTO fev-mai Jaguaripe MÉDIO abr-jun Jandaíra A LTO abr-jul Jequié A LTO out-jan Jeremoabo A LTO fev-mai Jiquiriçá A LTO jan-mar Jitaúna A LTO dez-mar João Dourado A LTO out-jan Juazeiro A LTO jan-abr Jucuruçu A LTO out-dez Jussara A LTO out-jan Jussari A LTO out-dez Jussiape A LTO out-dez Lafaiete Coutinho A LTO out-dez Lagoa Real A LTO out-jan Laje A LTO dez-mar Lajedão A LTO out-jan Lajedinho A LTO nov-jan Lajedo do Tabocal A LTO nov-fev Lamarão A LTO abr-jul Lapão A LTO nov-fev Lauro de Freitas MÉDIO abr-jun Lençóis A LTO nov-fev Licínio de Almeida A LTO nov-jan Livramento de N. Senhora A LTO out-jan Luís Eduardo Magalhães A LTO nov-jan Macajuba A LTO jan-abr Macarani A LTO nov-jan Macaúbas A LTO nov-fev Macururé A LTO jan-abr Madre de Deus A LTO abr-jun Maetinga A LTO out-jan Maiquinique A LTO out-jan Mairi A LTO nov-fev Malhada A LTO nov-fev Malhada de Pedras A LTO nov-jan Manoel Vitorino A LTO out-dez Mansidão A LTO nov-jan Maracás A LTO out-dez Maragogipe A LTO abr-jul Marcionílio Souza A LTO nov-fev Mata de São João A LTO abr-jun Matina A LTO nov-jan Medeiros Neto A LTO nov-jan Miguel Calmon A LTO jan-abr Milagres A LTO nov-fev Mirangaba A LTO nov-fev Mirante A LTO nov-fev Monte Santo A LTO dez-mar Morpará A LTO nov-jan Morro do Chapéu A LTO nov-fev Mortugaba A LTO nov-jan Mucugê A LTO nov-jan Mucuri A LTO out-dez Mulungu do Morro A LTO dez-mar Mundo Novo A LTO mar-jun Muniz Ferreira MÉDIO abr-jun Muquém de S. Francisco A LTO nov-fev Muritiba A LTO mai-jul Mutuípe A LTO jan-mar Nazaré MÉDIO abr-jun Nordestina A LTO abr-jul Nova Canaã A LTO out-dez Nova Fátima A LTO nov-fev Nova Itarana A LTO out-jan Nova Redenção A LTO nov-fev Nova Soure A LTO mar-jun Nova Viçosa A LTO out-dez Novo Horizonte A LTO nov-jan Novo Triunfo A LTO jun-ago Olindina A LTO abr-jun Oliveira dos Brejinhos A LTO nov-jan Ouriçangas A LTO abr-jun Ourolândia A LTO dez-fev Palmas de Monte Alto A LTO nov-jan Palmeiras A LTO nov-jan Paramirim A LTO out-jan Paratinga A LTO nov-jan Paripiranga A LTO mai-jul Pau Brasil A LTO out-dez Paulo Afonso A LTO mar-jun Pé de Serra A LTO dez-mar Pedrão A LTO abr-jun Pedro Alexandre A LTO mai-jul Pilão Arcado A LTO jan-abr Pindaí A LTO nov-jan Pindobaçu A LTO mar-mai Pintadas A LTO jan-mar Piraí do Norte MÉDIO mar-jun Piripá A LTO nov-jan Piritiba A LTO jan-abr Planaltino A LTO dez-mar Planalto A LTO out-dez Poções A LTO out-jan Pojuca A LTO abr-jul Ponto Novo A LTO mar-jun Porto Seguro A LTO out-jan Potiraguá A LTO out-dez Prado A LTO out-dez Presidente Dutra A LTO nov-jan Presidente Jânio Quadros A LTO out-dez Presidente Tancredo Neves A LTO jan-mar Queimadas A LTO nov-jan Quijingue A LTO jan-abr Quixabeira A LTO nov-jan Rafael Jambeiro A LTO fev-mai Remanso A LTO jan-abr Retirolândia A LTO nov-jan Riachão das Neves A LTO nov-jan Riachão do Jacuípe A LTO nov-fev Riacho de Santana A LTO nov-fev Ribeira do Amparo A LTO abr-jul Ribeira do Pombal A LTO abr-jul Ribeirão do Largo A LTO out-jan Rio de Contas A LTO nov-jan Rio do Antônio A LTO nov-jan Rio do Pires A LTO nov-jan Rio Real A LTO mai-jul Rodelas A LTO fev-mai Ruy Barbosa A LTO nov-fev Salinas da Margarida A LTO abr-jun Salvador MÉDIO abr-jun Santa Bárbara A LTO abr-jun Santa Brígida A LTO jan-abr Santa Cruz Cabrália A LTO nov-fev Santa Cruz da Vitória A LTO out-dez Santa Inês A LTO jan-mar Santa Maria da Vitória A LTO out-dez Santa Rita de Cássia A LTO nov-jan Santa Teresinha A LTO nov-jan Santaluz A LTO abr-jun Santana A LTO nov-fev Santanópolis A LTO nov-fev Santo Amaro A LTO abr-jul Santo Antônio de Jesus A LTO abr-jun Santo Estêvão A LTO mai-jul São Desidério A LTO nov-jan São Domingos A LTO nov-jan São Felipe A LTO mai-jul São Félix A LTO nov-jan São Félix do Coribe A LTO abr-jul São Francisco do Conde A LTO abr-jun São Gabriel A LTO nov-fev São Gonçalo dos Campos A LTO dez-mar São José da Vitória A LTO out-dez São José do Jacuípe A LTO nov-jan São Miguel das Matas A LTO nov-jan São Sebastião do Passé A LTO abr-jul Sapeaçu A LTO mai-jul Sátiro Dias A LTO mar-mai Saubara A LTO abr-jun

5 <!ID > Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ISSN Saúde A LTO mar-mai Seabra A LTO out-jan Sebastião Laranjeiras A LTO nov-jan Senhor do Bonfim A LTO fev-mai Sento Sé A LTO nov-jan Serra do Ramalho A LTO jan-abr Serra Dourada A LTO nov-jan Serra Preta A LTO abr-jun Serrinha A LTO abr-jul Serrolândia A LTO nov-fev Simões Filho MÉDIO abr-jun Sítio do Mato A LTO nov-jan Sítio do Quinto A LTO mai-jul Sobradinho A LTO jan-abr Souto Soares A LTO nov-fev Tabocas do Brejo Velho A LTO nov-jan Ta n h a ç u A LTO out-dez Tanque Novo A LTO out-dez Ta n q u i n h o A LTO mar-jun Ta p i r a m u t á A LTO fev-mai Teixeira de Freitas A LTO out-dez Teodoro Sampaio A LTO abr-jun Te o f i l â n d i a A LTO mar-jun Te o l â n d i a A LTO jan-mar Terra Nova A LTO abr-jul Tr e m e d a l A LTO nov-jan Tu c a n o A LTO mar-jun Uauá A LTO jan-abr Ubaíra A LTO jan-mar Ubaitaba A LTO mar-mai Ubatã A LTO fev-mai Uibaí A LTO nov-jan Umburanas A LTO out-jan Una A LTO out-jan Urandi A LTO nov-jan Utinga A LTO nov-jan Va l e n t e A LTO nov-jan Várzea da Roça A LTO nov-fev Várzea do Poço A LTO jan-abr Várzea Nova A LTO dez-mar Va r z e d o A LTO nov-fev Vera Cruz MÉDIO abr-jun Ve r e d a A LTO out-dez Vitória da Conquista A LTO out-jan Wa g n e r A LTO nov-jan Wa n d e r l e y A LTO nov-jan Xique-Xique A LTO dez-mar Municípios com baixo risco climático onde o cultivo pode ser praticado sem irrigação MUNICIPIO Risco climático Período mais indicado Apuarema BAIXO abr-jul Cairu BAIXO out-jan Camamu BAIXO out-dez Canavieiras BAIXO nov-jan Igrapiúna BAIXO mai-jul Itacaré BAIXO mar-mai Itamari BAIXO mai-ago Ituberá BAIXO mai-jul Jaguaquara BAIXO dez-mar Maraú BAIXO mar-jun Mascote BAIXO out-dez Nilo Peçanha BAIXO mai-ago Nova Ibiá BAIXO mar-jun Piatã BAIXO out-jan Santa Luzia BAIXO nov-jan Ta p e r o á BAIXO abr-jul Uruçuca BAIXO fev-mai Va l e n ç a BAIXO abr-jul Wenceslau Guimarães BAIXO jan-abr 73, DE 15 DE AGOSTO DE 2005 O SECRETÁRIO EXECUTIVO DA SECRETARIA DA COMISSÃO ESPECIAL DE RECURSOS, no uso de sua competência estabelecidas pela Portaria nº 3, de 04 de fevereiro de 2005, da Secretaria de Política Agrícola, publicada no Diário Oficial da União de 10 de fevereiro de 2005, e observado, no que couber, o contido na Instrução Normativa nº. 2/2000, resolve: Art. 1º - Aprovar o Zoneamento Agrícola para a cultura de Arroz de sequeiro no Estado do Piauí, ano safra 2005/2006. Art. 2º - Esta Portaria tem vigência específica para o ano safra definido no Art. 1º e entra em vigor na data de sua publicação. FRANCISCO JOSÉ MITIDIERI ANEXO 1. NOTA TÉCNICA A identificação dos períodos favoráveis de semeadura para o cultivo de arroz no Piauí foi realizada com base em cálculos de balanço hídrico diário, considerando a interação entre local (clima) x ciclo das cultivares x período de semeadura x tipo de solo; complementado pelo zoneamento de aptidão ora vigente no Estado. Para os cálculos do balanço hídrico diário utilizou-se um conjunto de 168 estações pluviométricas do Piauí, com séries históricas de dados diários entre 15 e 93 anos considerando-se simulações de semeaduras centradas nos dias 5, 15 e 25 de cada mês; entre julho e janeiro. Os ciclos das cultivares de arroz (precoce e normal) variam em função da época de semeadura e local, em média 100 dias para atingir a fase de maturação fisiológica no Piauí;. Desta maneira, para as simulações de balanço hídrico consideraram-se ciclos de 130, 140 e 150 dias, entre como os mais representativos nas diversas regiões do Estado.A diferença entre os ciclos de 140 dias e 150 dias não foi significativa. Quanto à capacidade de água disponível (CAD), para os cálculos de balanço hídrico, consideraram-se três tipos de solo com capacidade de retenção de água de: 20 mm, 40m e 60 mm, correspondendo aos solos Tipo1, Tipo 2 e Tipo 3; respectivamente. Usou-se o Índice de Satisfação das Necessidades de Água (ISNA) do subperíodo 3 do desenvolvimento do arroz (floração e enchimento de grãos) como principal índice de zoneamento. Os valores de ISNA, calculados para uma freqüência mínima de 80 %, foram espacializados, definindo-se três categorias: favorável (ISNA > 0,55), intermediária (ISNA entre 0,45 e 0,55) e desfavorável (ISNA < 0,45). A numeração referente aos períodos decendiais no curso do ano, tem inicio em 1 de janeiro até 31 de dezembro. Portanto o decêndio 1 seria de 1 a 10 de janeiro e o 36 de 21 a 31 de dezembro. 2. TIPOS DE SOLOS APTOS Á SEMEADURA O zoneamento de risco climático para o Estado do Piauí contempla como aptos à semeadura de arroz de sequeiro os solos TIPO 1, TIPO 2 e TIPO 3, especificados na Instrução Normativa nº 10, de 14 de junho de 2005, publicada no DOU de 16 de junho de 2005, Seção 1, página 12, alterada para Instrução Normativa nº. 12, através de retificação publicada no DOU de 17 de junho de 2005, Seção 1, página.6, que apresentam as seguintes características: Tipo 1: a) solos com teor de argila maior que 10% e menor ou igual a 15%, com profundidade igual ou superior a 50 cm; e b) solos com teor de argila entre 15 e 35% e com menos de 70% de areia, que apresentam diferença de textura ao longo dos primeiros 50 cm de solo, e com profundidade igual ou superior a 50 cm, Tipo 2: solos com teor de argila entre 15 e 35% e menos de 70% de areia, com profundidade igual ou superior a 50 cm e Tipo 3: a) solos com teor de argila maior que 35%, com profundidade igual ou superior a 50 cm; e b) solos com menos de 35% de argila e menos de 15% de areia (textura siltosa), com profundidade igual ou superior a 50 cm. Nota - áreas/solos não indicados para o plantio: áreas de preservação obrigatória, de acordo com a Lei do Código Florestal; solos que apresentem teor de argila inferior a 10% nos primeiros 50 cm de solo; solos que apresentem profundidade inferior a 50 cm; solos que se encontram em áreas com declividade superior a 45%; e solos muito pedregosos, isto é, solos nos quais calhaus e matacões (diâmetro superior a 2 mm) ocupam mais de 15% da massa e/ou da superfície do terreno. 3. PERÍODOS FAVORÁVEIS Á SEMEADURA A época de semeadura indicada para cada município, não será prorrogada ou antecipada. No caso de ocorrer algum evento atípico que impeça o plantio nas épocas indicadas, recomenda-se aos produtores não efetivarem a implantação da lavoura nesta safra. Períodos Dias 21 a a a a a a a a a a 31 Meses Julho Agosto Setembro Outubro a a a a a a a a 20 Novembro Dezembro Janeiro Nota: caso exista mais de um período de plantio, por exemplo, 27 a a 33, significa que nos períodos intermediários ausentes da indicação (31, no exemplo), o plantio não é recomendado. 4. CULTIVARES HABILITADAS CICLO CURTO: AGRONORTE - ANSB SUCUPIRA; e EMBRAPA: BRS AIMORE, BRS BONANÇA, BRS AROMA, BRS COLOSSO, BRS LIDERANÇA, BRS VENCEDORA, CARAJÁS e BRS PRI- MAVERA. CICLO MÉDIO: AGRONORTE - BEST 200O e CIRADI 141; e EMBRAPA - BRS CURINGA, BRS TALENTO, CAIAPÓ e CANASTRA. 5. RELAÇÃO DE MUNICIPIOS DO ESTADO DO PIAUÍ AP- TOS Á SEMEADURA A relação de municípios do Estado do Piauí aptos à semeadura, suprimidos todos os outros onde a cultura não é recomendada, foi calcada em dados disponíveis por ocasião da sua elaboração. Se algum município mudou de nome ou foi criado um novo em razão de emancipação de um daqueles da listagem abaixo, todas as recomendações são idênticas às do município de origem até que nova relação o inclua formalmente. MUNICÍPIOS CICLO PRECOCE PERÍODOS DE SEMEADURA SOLO TIPO 1 SOLO TIPO 2 SOLO TIPO 3 Agricolandia 27 a a 34 Agua Branca 29 a a a 33 Alto Longa a 33 Altos a a a 34 Alvorada do Gurguéia 29 Amarante 27 a a 30 Angical do Piauí a a Antonio Almeida 26 a a 30 Aroazes 29 a a 33 Arraial 27 a 30 Baixa G. do Ribeiro 27 a a 29 Barra D'alcantara 26 a 30 Barras a a a 35 Barreiras do Piaui 27 a a 29 Barro Duro a a a 33 Batalha 29 a a a 35 Beneditinos a a a 34 Bertolinia a 28 Betania do Piauí Boa Hora a a 35 Bom Jesus 28 Bom Princípio do Piauí 31 a 34 Boqueirão do Piauí a a 35 Brasileira 30 a a 35 Buriti dos Lopes 31 a a a 35 Buriti dos Montes 32 Cabeceiras do Piauí 28 a a a 35 Cajazeiras do Piauí 27 a 29 Cajueiro da Praia a 34 Campo Alegre do Fidalgo 31 Campo Largo do Piauí 28 a a a 35 Campo Maior 28 a a a 34 Canavieira 26 a a 30 Capitão de Campos a a 34 Caraubas do Piauí 31 a a 34 Castelo do Piauí 32 a 33 Caxingo a 32 Cocal 32 a a 35 Cocal de Telha a a 34 Cocal dos Alves a 34 Coivaras 28 a a a a 33 Corrente 27 a a 29 Cristalândia do Piauí 27 a a 29 Cristino Castro 28 Currais 27 a 28 Curralinhos 32 a a a 34 Demerval Lobão a a a 34 Domingos Mourão a 32 Elesbão Veloso 28 a a 33 Esperantina 29 a a a 35 Floriano 26 a 27 Francinopolis a Francisco Ayres 27 a 30 Gilbues 27 a a 30 Guadalupe 27 Hugo Napoleão 29 a a a 33 Ilha Grande a 35 Inhuma 27 a 28 Ipiranga do Piauí 28 Itaueira 30 Jardim do Mulato a a 33 Jatobá do Piaui a a a 33 Jerumenha 26 a a 30 Joaquim Pires a a 35 Joca Marques 28 a a a a 35

6 6 ISSN Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de 2005 Jose de Freitas 31 a a a 35 Juazeiro do Piauí a 33 Lagoa Alegre 28 a a a 35 Lagoa de São Francisco a a 35 Lagoa do Piauí a a a 34 Lagoa do Sitio 27 a 28 Lagoinha do Piaui 29 a a 34 Landri Sales 26 a a 30 Luis Correia a 34 Luzilandia 29 a a a a 35 Madeiro 28 a a a a 35 Marcos Parente a 28 Matias Olimpio 28 a a a 35 Miguel Alves 28 a a a 35 Miguel Leao a a 34 Milton Brandao 30 a a Monsenhor Gil a a a 34 Monte Alegre do Piaui Morro do Chapeu do Piaui 29 a a a 35 Murici dos Portelas a Nazaré do Piaui 27 a 28 Nossa Senhora de Nazare 28 a a a a 35 Nossa Senhora dos Remedios a a a 35 Novo Oriente do Piaui 27 a 28 Novo Santo Antonio a 33 Olho D Agua do Piaui 29 a a a 33 Palmeira do Piaui a 29 Palmeirais a a 34 Parnagua 28 Parnaiba a 35 Passagem Franca do Piaui a a a 33 Pau D'arco do Piaui 32 a a a 33 Pedro Ii 30 a a Piracuruca 32 a a 35 Piripiri a a 35 Porto 27 a a a 35 Porto Alegre do Piaui a 28 Prata do Piaui 32 a a a 34 Regeneracao 27 a 30 Ribeiro Goncalves 26 a a 29 Santa Filomena 26 a a a 30 Santa Luz 27 a 29 Santo Antonio dos Milagres 30 a a 34 Sao Felix do Piaui a 33 Sao Goncalo do Gurgueia 27 a a 29 Sao Goncalo do Piaui 30 a a 34 Sao Joao da Fronteira 31 a Sao Joao do Arraial 28 a a a 35 São Jose do Divino a a 35 Sao Miguel da Baixa Grande 31 a a a 33 Sao Pedro do Piaui a a 34 Sebastiao Barros a 29 Sebastiao Leal a 28 Sigefredo Pacheco 28 a a 33 Tanque do Piaui 26 a 30 Te r e s i n a 32 a a a 34 União 29 a a a 35 Urucui a 29 Valenca do Piaui 27 a 30 Várzea Grande a a MUNICÍPIOS CICLO MÉDIO PERÍODOS DE SEMEADURA SOLO TIPO 1 SOLO TIPO 2 SOLO TIPO 3 Agricolandia 26 a a 32 Agua Branca a a 32 Alto Longa a 31 Altos a a a 32 Alvorada do Gurguéia 27 Amarante a Angical do Piaui 29 a a 31 Antonio Almeida 25 a a 29 Aroazes 27 a 30 Arraial 25 a Baixa G. do Ribeiro 25 a a 27 Barra D'alcântara a Barras 26 a a a 35 Barreiras do Piauí 25 a a 27 Barro Duro a 32 Batalha 27 a a a 34 Beneditinos a 31 26a27+30a32 Bertolinia 24 a 26 Boa Hora a a 34 Bom Jesus 26 Bom Princípio do Piauí 30 Boqueirão do Piauí a a 32 Brasileira 28 a a 33 Buriti dos Lopes 29 a a 34 Buriti dos Montes 29 a 30 Cabeceiras do Piauí 26 a a a 35 Cajazeiras do Piauí Cajueiro da Praia 31 Campo Largo do Piauí 26 a a a 35 Campo Maior 26 a a 30 Canavieira a Capitão de Campos 28 a a 30 Caraubas do Piauí a 32 Castelo do Piauí 28 a 31 Caxingó 30 Cocal 30 a a 34 Cocal de Telha 28 a a 30 Cocal dos Alves a 34 Coivaras 26 a a a 31 Corrente a 27 Cristalândia do Piauí 25 a a 27 Cristino Castro 26 Currais 25 a 27 Curralinhos 29 a a a 32 Demerval Lobão a a a a 32 Domingos Mourão a 30 Elesbão Veloso a 30 Esperantina 27 a a a 35 Floriano 25 Francinopolis a 29 Francisco Ayres Gilbues 25 a a 28 Guadalupe 25 Hugo Napoleão a 32 Ilha Grande 32 a 33 Inhuma 25 Jardim do Mulato a 31 Jatoba do Piauí 28 a a 30 Jerumenha a26+28a29 Joaquim Pires 28 a a a 32 Joca Marques 27 a a a a 35 Jose de Freitas 29 a a a 34 Juazeiro do Piauí 28 a 31 Lagoa Alegre 26 a a a 35 Lagoa de São Francisco 28 a a a 33 Lagoa do Piauí a a a a 32 Lagoa do Sitio 25 a 26 Lagoinha do Piauí 27 a a 32 Landri Sales 24 a a 29 Luis Correia 31 Luzilandia 27a28+30 a a a 35 Madeiro 27a28+30a34 26 a a 35 Marcos Parente a 26 Matias Olimpio 26 a a a 35 Miguel Alves 26 a a a 35 Miguel Leão 30 a a a 32 Milton Brandão 28 a a 30 Monsenhor Gil a a a 32 Monte Alegre do Piauí Morro do Chapéu do Piauí 27 a a a 35 Murici dos Portelas 26 a 30 Nazaré do Piauí 25 a 26 Nossa Senhora de Nazaré 26 a a 30 24a30+32a34 Nossa Senhora dos Remédios 26 a a a 35 Novo Oriente do Piauí 25 a Novo Santo Antonio a 31 Olho D Água do Piauí a 32 Palmeira do Piauí a 27 Palmeirais a a 32 Parnaíba 32 a 33 Passagem Franca do Piauí a a 32 Pau D'arco do Piauí 29 a 30 26a27+30a32 Pedro Ii 28 a 30 Piracuruca 30 a a 34 Piripiri 28 a a a 32 Porto 25 a a a 35 Porto Alegre do Piauí a 26 Prata do Piauí 30 a a a 32 Regeneração 25 a 29 Ribeiro Gonçalves 25 a a 28 Santa Filomena 25 a a a 29 Santa Luz 26 a 27 Santo Antonio dos Milagres a a 31 São Felix do Piauí 28 a 31 São Gonçalo do Gurgueia a 27 São Gonçalo do Piauí 27 a a 31 São João da Fronteira 29 a 30 São João do Arraial 27 a a a 35 São Jose do Divino 28 a a a 34 São Miguel da Baixa Grande 29 a a 32 São Pedro do Piauí a a 32 Sebastião Barros a 27 Sebastião Leal a 26 Sigefredo Pacheco a 31 Tanque do Piauí Te r e s i n a 30 a a a 32 União 27 a a a 33 Urucui a 27 Valença do Piauí 25 a Várzea Grande 27 a a 30 Nota: informações complementares sobre as características agronômicas, região de adaptação, reação a fatores adversos e disponibilidade de sementes das cultivares estão especificadas e disponibilizadas na Coordenação Geral de Zoneamento Agropecuário localizada na Esplanada dos Ministérios, Bloco D, 6º andar, sala 646, CEP Brasília - DF e no site

7 <!ID > PORTARIA <!ID > PORTARIA <!ID > PORTARIA Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ISSN Ministério da Ciência e Tecnologia GABINETE DO MINISTRO Nº 523, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Ciência e Tecnologia, no uso de suas atribuições, e considerando o que consta da Declaração Final da II Reunião Ministerial de Ciência e Tecnologia da comunidade dos países de língua portuguesa, considerando os Programas de Trabalho firmados em 2003 entre Brasil e Angola e Brasil e Moçambique, Considerando o Memorando de Entendimento entre Brasil e Moçambique sobre Tecnologias da Informação e Comunicação, resolve: Art. 1º Aprovar o anexo Documento Básico Brasileiro para o Programa de Cooperação Temática em matéria de Ciência e Tecnologia (PROÁFRICA). Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. SÉRGIO MACHADO REZENDE ANEXO PROÁFRICA - PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TEMÁ- TICA EM MATÉRIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 1. Introdução - Instrumento Normativo O Documento Básico Brasileiro do PROÁFRICA é transcrito a seguir: 2. Objetivo O PROÁFRICA tem por objetivo contribuir para a elevação da capacidade científico-tecnológica dos países africanos, por meio do financiamento da mobilidade de cientistas e pesquisadores com atuação em projetos nas áreas selecionadas por sua relevância estratégica e interesse prioritário para a cooperação científico-tecnológica. Entre outros resultados, espera-se que a criação de uma plataforma comum de iniciativas regionais em C&T, apoiada pelo Programa, venha a fortalecer eventuais projetos conjuntos de cooperação que possam, no futuro, ser submetidos às instâncias nacionais e multilaterais de fomento, além de favorecer parcerias com as comunidades empresarial e industrial africanas. O PROÁFRICA estimulará iniciativas convergentes e contrapartidas dos demais países da região às atividades previstas, o que levará à adequação de sua organização institucional. Os documentos normativos brasileiros do PROÁFRICA são o Documento Básico do PROÁFRICA, a Declaração Final da II Reunião Ministerial de Ciência e Tecnologia dos países da comunidade dos países de língua portuguesa e o Manual do Usuário do PROÁFRICA. 3. Histórico O Programa foi objeto de proposta brasileira apresentada na II Reunião Ministerial de Ciência e Tecnologia dos países da comunidade dos países de língua portuguesa, realizada em 5 de dezembro de 2003, na cidade do Rio de Janeiro. Em que pese a importância de iniciativas vigentes, o PROÁ- FRICA, ao aportar novos recursos para a região, vem ampliar a cooperação entre os países signatários para sua capacitação científica e tecnológica, por meio de mecanismos como:. intensificação dos esforços cooperativos de pesquisa científica e tecnológica;. a crescente articulação entre os organismos multilaterais e os projetos de cooperação que eventualmente apoiam; O Programa tem por objetivo dotar o sistema de Ciência e Tecnologia de instrumento que permita a formulação de uma estratégia regional própria nesta área. 4. Estratégias O Programa deverá: a) promover a criação de mecanismos ágeis que identifiquem linhas de cooperação científica e tecnológica, principalmente no que respeita as ciências humanas e sociais, em especial estudos sobre Estados Nacionais, Políticas Públicas, Relações de Poder, Estudo de Comunidades, Planejamento Econômico, Religiosidade, Laços de Identidade, Línguas e Multiculturalidade; b) elaborar programas e projetos nacionais na área de ciência e tecnologia; e c) promover o desenvolvimento na área de recursos hídricos, mineração e petróleo, saúde, com especial enfoque as doenças tropicais, aquacultura e biotecnologia. 5. Modalidades de Fomento 5.1 Atividades continuadas de cooperação em C&T. Missões exploratórias. Realização de eventos. Reuniões de trabalho / elaboração de documentos. Visitas técnicas. Especialistas Visitantes. Outras atividades pertinentes 5.2 Apoio a projetos cooperativos. Redes Cooperativas. Realização de eventos 6. Resultados Esperados Com o objetivo último de melhorar a qualidade de vida na região e aumentar a competitividade das empresas africanas, o PROÁFRICA deverá buscar os seguintes resultados imediatos:. Identificação adequada de demandas e oportunidades de cooperação regional em C&T;. Participação significativamente crescente do número de países e de recursos aplicados ao financiamento e à execução de atividades cooperativas de pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico nas regiões apoiadas pelo PROÁFRICA;. Aumento percentual no desenvolvimento de projetos cooperativos, apoiados pelo PROÁFRICA;. Maior número de instituições beneficiadas nas regiões;. Maior e melhor capacitação de recursos humanos para a C&T das regiões. 7. Organização e Competências A estrutura do Programa é composta por:. Comitê Gestor do PROÁFRICA;. Secretaria do Comitê Gestor;. Agência de Implementação e Apoio (CNPq);. Instituições Executoras Comitê Gestor do PROÁFRICA As funções de supervisão e coordenação superior do Programa serão exercidas por seu Comitê Gestor, criado por Portaria do Ministro da Ciência e Tecnologia, com as seguintes competências:. decidir sobre a alocação de recursos e sua distribuição para atuar de forma integrada com outros programas nacionais e internacionais de apoio às atividades de cooperação internacional em ciência e tecnologia, bem como para atender à demanda específica do PROÁFRICA;. aprovar e dar prioridade a propostas de atividades e projetos no âmbito do PROÁFRICA.. aprovar parcerias institucionais e propor formas de operação cooperativa para implementação do PROÁFRICA;. aprovar o Manual do Usuário e suas modificações, bem como sugerir eventuais emendas ao Documento Básico;. coordenar o processo de avaliação e acompanhamento de atividades e projetos, que poderá incluir a nomeação de consultores "ad hoc" ou comitês assessores;. acompanhar e avaliar a implementação do PROÁFRICA, em consonância com as estratégias definidas pelo Documento Básico, aprovando para tanto Planos Anuais e Relatórios de Desempenho; O Presidente do Comitê Gestor poderá, em casos de urgência, tomar decisões ad referendum do Comitê Composição do Comitê Gestor: a) Membros natos:. Presidente do Conselho, indicado pelo MCT;. Um representante da Assessoria de Assuntos Internacionais do MCT, como substituto eventual do Presidente;. Um representante da Assessoria de Cooperação Internacional do CNPq;. Um representante da Diretoria da FINEP;. Um representante do MRE. b) Representantes da comunidade científica, tecnológica e empresarial:. Quatro membros da comunidade científica, tecnológica e empresarial, indicados pelo Ministro de C&T, com mandato de três anos. 7.2 Secretaria do Comitê Gestor O Comitê Gestor contará com uma Secretaria de Apoio, subordinada ao Presidente e encarregada de:. apoiar ou atender diretamente o Presidente;. secretariar o Comitê Gestor;. fazer a interface do Comitê Gestor com o CNPq;. tomar as medidas necessárias à viabilização das ações continuadas de cooperação. 7.3 Agência de Implementação e Apoio A Agência de Implementação e Apoio às atividades aprovadas pelo Comitê Gestor do PROÁFRICA será o CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, que realizará as atividades que estiverem sob sua responsabilidade, em coordenação com a Secretaria do Comitê Gestor, de acordo com as seguintes competências:. elaborar, em coordenação com a Assessoria de Assuntos Internacionais do MCT os termos de referência para divulgação do Programa;. elaborar, em coordenação com a Assessoria de Assuntos Internacionais do MCT o Manual do Usuário do PROÁFRICA;. elaborar relatórios de demanda (projetos em carteira) para subsidiar a análise de projetos no âmbito do Comitê Gestor;. apoiar a atividade de Avaliação e Acompanhamento;. cumprir e fazer cumprir as decisões do Comitê Gestor do PROÁFRICA;. repassar os recursos e viabilizar os projetos aprovados pelo Comitê Gestor;. assistir às instituições executoras para elaboração de propostas e implementação dos projetos;. submeter ao Comitê Gestor proposta de termos de referência para os variados formatos de chamada de projetos, em articulação com outras instituições nacionais de C&T e organismos internacionais;. Manter o Comitê Gestor informado sobre o andamento de programas de cooperação internacional e seus respectivos recursos, com vistas a subsidiar a discussão do interesse de aplicar recursos do PROÁFRICA para apoiá-los Instituições Executoras. Instituições governamentais brasileiras e dos demais países signatários;. Instituições de ensino superior, institutos de pesquisa e desenvolvimento e organizações de cunho científico e tecnológico, públicos e privados, sem fins lucrativos dos signatários;. Organismos, redes e consórcios multilaterais de cooperação científica e tecnológica, públicos e privados, sem fins lucrativos. 8. Avaliação e Acompanhamento de Atividades e Projetos As funções de avaliação e acompanhamento das atividades e projetos do PROÁFRICA serão exercidas por Assessores Ad Hoc ou Comitês Assessores indicados pelo Comitê Gestor com o objetivo específico de:. examinar no mérito o conjunto de projetos em carteira, com base nos relatórios de demanda elaborados pelo CNPq e pela Assessoria de Assuntos Internacionais do MCT e recomendar para execução ao Comitê Gestor;. realizar o acompanhamento e avaliação das atividades desenvolvidas. As atividades de acompanhamento e avaliação serão implementadas de acordo com as normas estabelecias pelo Comitê Gestor e constantes do Manual do Usuário. Os processos de acompanhamento e avaliação do PROÁ- FRICA serão orientados para o seu planejamento e gestão estratégica, complementando as instruções a serem obtidas como resultado de estudos prospectivos para possibilitar intervenções recomendadas pela experiência no sentido de melhorar sua eficiência e aumentar sua eficácia. 9. Normas e Procedimentos As normas e procedimentos necessários à implementação do PROÁFRICA estão contidos no Manual do Usuário. SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO N o - 113, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração da Secretaria Executiva do Ministério da Ciência e Tecnologia, no uso da delegação de competência conferida pelo art. 1, da Portaria MCT n 146, de 16 de março de 2005, e tendo em vista o disposto no art. 64, inc. II, da Lei N , de 11 de agosto de 2004, Lei de Diretrizes Orçamentárias, LDO/2005, e considerando a necessidade de ajustar o detalhamento da despesa de dotação orçamentária consignada à Administração Direta, com o fim de disponibilizar recursos em aplicação direta, resolve: Art. 1º - Promover, na forma do anexo a esta Portaria, alteração da modalidade de aplicação de dotação orçamentária consignada pela Lei N , de 25 de janeiro de 2005, Lei Orçamentária Anual, LOA/2005, e em seus créditos adicionais. Art. 2 - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. DJALMO DE OLIVEIRA LEÃO ANEXO Fiscal R$ 1,00 Código/Especificação Redução Acréscimo Fonte Modalidade Va l o r Modalidade Va l o r Ministério da Ciência e Tecnologia Difusão e Popularização de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social - Nacional TO TA L AGÊNCIA ESPACIAL BRASILEIRA N o - 53, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O PRESIDENTE DA AGENCIA ESPACIAL BRASILEI- RA, no uso das atribuições que lhe confere o Artigo 7º. da Lei 8.854, de 10 de fevereiro de 1994, resolve: Art. 1º Aprovar estrutura operacional do Programa de Participação Brasileira na Estação Espacial Internacional, ISS-Br, estabelecido no PPA 2004/2007 sob a Ação: 3488 Participação Brasileira na Estação Espacial Internacional - ISS, conforme documento em anexo, com objetivo de coordenar a atuação de instituições brasileiras, executar as ações necessárias para cumprir os compromissos assumidos e utilizá-la para realização de experimentos de interesse nacional. Art. 2º Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação. SÉRGIO MAURICIO BRITO GAUDENZI

8 <!ID > <!ID > <!ID > 8 ISSN Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de 2005 ANEXO Programa de Participação Brasileira na Estação Espacial Internacional ISS-BR Documento Base 1.0. Antecedentes A Estação Espacial Internacional - ISS é um empreendimento internacional, liderado pelos Estados Unidos da América, sendo a NASA sua entidade executora, do qual são partícipes a Agência Espacial Européia - ESA e os Governos do Japão, Canadá e da Rússia, por meio de suas agências espaciais. A ISS é uma espaçonave tripulada, em órbita à terra a uma distância de 408 Km e com uma inclinação de 51,6º, destinada a realização de experimentos científicos e tecnológicos sob condições de microgravidade, em ambientes pressurizados e não pressurizados. A participação brasileira na ISS foi estabelecida em decorrência de convite formulado pelo Governo dos Estados Unidos da América ao Governo brasileiro, por cessão parcial da cota norteamericana no empreendimento, e formalizada por Acordo Complementar firmado entre os dois Governos, em 10 de outubro de 1997, pelo qual a NASA e a AEB são designadas como Agências Responsáveis Objetivo O objetivo do Programa de Participação Brasileira na Estação Espacial Internacional, ISS-BR é coordenar a atuação de instituições brasileiras na ISS, executando as ações necessárias para cumprir os compromissos assumidos e utilizá-la para realização de experimentos de interesse nacional Linhas de Ação O ISS-BR atuará segundo quatro linhas de ação: a) instrumentos legais e administrativos; b) contribuição brasileira; c) astronauta brasileiro; e d) realização de experimentos Instrumentos legais e administrativos Acompanhamento da documentação legal e administrativa relativa à participação brasileira na ISS, incluindo: a) atos internacionais, em articulação com a Assessoria de Cooperação Internacional; b) documentos nacionais de planejamento, programação, orçamentários e financeiros; e c) acordos, contratos e outros instrumentos similares com as instituições participantes Contribuição brasileira Provimento dos componentes da ISS de responsabilidade do Governo brasileiro, especificamente: a) verificando a viabilidade de fabricação pelo setor industrial brasileiro; b) obtendo os projetos de fabricação; c) estabelecendo cronogramas de entrega; d) contratando e acompanhando a fabricação; e) exercendo a verificação da qualidade; e f) procedendo a entrega Astronauta brasileiro Realização de, pelo menos, um vôo espacial de astronauta brasileiro, incluindo: a) treinamento e preparação; e b).definição do vôo; As ações desta linha de atuação serão executadas coordenadamente com o Comando da Aeronáutica - ComAer/MD Realização de experimentos Aproveitamento das disponibilidades laboratoriais na ISS para a realização de experimentos científicos e tecnológicos, compreendendo: a) estabelecer normas e procedimentos para a seleção de experimentos; b) definir em coordenação com a NASA, calendários e requisitos técnicos para a execução dos experimentos; c) selecionar os experimentos; e d) apoiar e acompanhar a realização dos experimentos. As ações desta linha de atuação serão executadas dentro do Programa Microgravidade Instrumentos de Atuação O ISS-BR atuará diretamente ou por meio de entidades do Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais - SINDAE, segundo Plano de Ação estabelecido Estrutura A estrutura do ISS-BR é composta por uma Gerência - GER, Instituições Participantes - PAR, Assessores - ASS e Usuários - USU Gerência - GER A Gerência do ISS-BR será exercida por um Gerente, designado pelo Presidente da AEB Atribuições Compete ao Gerente a condução das ações do ISS-BR, cabendo-lhe especificamente: a) proceder a execução do Plano de Ação, inclusive financeira, propondo as alterações que julgar conveniente; b) supervisionar a atuação das Instituições participantes; c) encaminhar propostas de ações de utilização da ISS ao Programa Microgravidade, analisando-as previamente; d) coordenar as ações necessárias para fornecimento de componentes da ISS e para a execução de experimentos; e) acompanhar o treinamento e vôo do astronauta brasileiro; AEB. f) elaborar relatórios da execução do ISS-BR; e g) executar outras ações estabelecidas pelo Presidente da 5.5. Instituições Participantes Instituições às quais sejam delegadas ações relativas ao ISS- BR Assessores - ASS Técnicos, que auxiliem o Gerente, no exercício de suas atribuições Usuários - USU Pessoas físicas ou jurídicas responsáveis por experimentos selecionados para serem executados na ISS Plano de Ação A atuação do ISS-BR será orientada por um Plano de Ação, aprovado pelo Presidente da AEB e revisto, pelo menos, uma vez por ano.. Ministério da Cultura GABINETE DO MINISTRO 175, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA CULTURA, no uso de suas atribuições legais, e em cumprimento ao disposto na Lei 8.313, de 23 de dezembro de 1991, Decreto n.º 1.494, de 17 de maio de 1995, Medida Provisória nº , de 06 de setembro de 2001, alterada pela Lei nº de 13 de maio de 2002 e Portaria n.º 500 de 18 de dezembro de 1998, resolve: Art. 1º Prorrogar o prazo de captação dos projetos audiovisuais, relacionado abaixo a essa portaria, para o qual o proponente fica autorizado a captar recursos, mediante doações ou patrocínios, nos termos do Art. 26 da Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. GILBERTO GIL MOREIRA ANEXO Legado Da Psicologia Para O Desenvolvimento Humano (O) Academia Paulista de Psicologia CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Período de captação:01/01/2005a31/12/ Favela tem Memória Viva Rio CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Período de captação:01/01/2005a31/12/ Rede Viva Favela Viva Rio CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Período de captação:01/01/2005a31/12/ Viva Favela Brasil Viva Rio CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Período de captação:01/01/2005a31/12/2005 AGÊNCIA NACIONAL DO CINEMA DELIBERAÇÃO N o - 194, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O DIRETOR-PRESIDENTE da ANCINE, no uso das atribuições legais conferidas pela Resolução de Diretoria Colegiada nº 04, de 25 de fevereiro de 2003, e em cumprimento ao disposto na Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de 1991, Lei nº 8.685, de 20 de julho de 1993, Medida Provisória nº , de 06 de setembro de 2001, alterada pela Lei nº , de 13 de maio de 2002, e Decreto nº 4.456, de 04 de novembro de 2002, delibera: Art. 1º Aprovar o projeto audiovisual relacionado abaixo, para o qual a proponente fica autorizada a captar recursos através da comercialização de Certificados de Investimento nos termos do Art. 1º da Lei nº 8.685, de 20 de julho de 1993, e mediante doações ou patrocínios na forma prevista nos Arts. 25 e 26 da Lei nº 8.313/ Eu Prefiro a Maré. Processo: / Proponente: Taiga Filmes e Vídeo Ltda. Cidade / UF: Rio de Janeiro / RJ. CNPJ: / Valor total do orçamento aprovado: R$ ,15. Valor Aprovado no Artigo 1º da Lei nº 8.685/93: R$ , 8 8. Banco: Agência: Conta Corrente: X. Valor Aprovado na Lei nº 8.313/91: R$ ,76. Banco: Agência: Conta Corrente: Período de captação: até 31/12/2005. Aprovado na RDC nº. 134, realizada em 09/08/2005. Art. 2º - Esta Deliberação entra em vigor na data de sua publicação GUSTAVO DAHL <!ID > DELIBERAÇÃO N o - 195, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O DIRETOR-PRESIDENTE da ANCINE, no uso das atribuições legais conferidas pela Resolução de Diretoria Colegiada nº 04/2003, e em cumprimento ao disposto na Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de 1991, Lei nº 8.685, de 20 de julho de 1993, Medida Provisória nº , de 06 de setembro de 2001, alterada pela Lei nº , de 13 de maio de 2002, e Decreto nº 4.456, de 04 de novembro de 2002, delibera: Art. 1º Prorrogar o prazo de captação do projeto audiovisual relacionado abaixo, para o qual a proponente fica autorizada a captar recursos através da comercialização de Certificados de Investimento e da formalização de contratos de co-produção nos termos dos Arts. 1º e 3º da Lei nº 8.685, de 20 de julho de Concerto Campestre Processo: /98-76 e /99-07 Proponente: Empresa Cinematográfica Pampeana Ltda Cidade/UF: Porto Alegre / RS CNPJ: / Aprovado na RDC nº 136, de 16/08/2005 Período de captação: de 01/01/2005 até 31/12/2005 Art. 2º Prorrogar o prazo de captação do projeto audiovisual relacionado abaixo, para o qual a proponente fica autorizada a captar recursos através da comercialização de Certificados de Investimento e da formalização de contratos de co-produção nos termos dos Arts. 1º e 3º da Lei nº 8.685, de 20 de julho de 1993, e mediante doações ou patrocínios na forma prevista nos Arts. 25 e 26 da Lei nº 8.313/ O Diabo a Quatro. Processo: / Proponente: Ravina Produções e Comunicações Ltda Cidade/UF: Rio de Janeiro/RJ CNPJ: / Aprovado na RDC nº 136, de 16/08/2005 Período de captação: de 01/01/2005 até 31/12/2005 Art. 3º Esta Deliberação entra em vigor na data de sua publicação. GUSTAVO DAHL INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL DEPARTAMENTO DO PATRIMÔNIO MATERIAL E FISCALIZAÇÃO GERÊNCIA DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO E N AT U R A L 190, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 Dispõe sobre a permissão para realizar a complementação do levantamento e monitoramento arqueológico na área de implantação do loteamento Canto da Mata - Orla Norte, no município de Porto Seguro, no Estado da Bahia. O GERENTE DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO E NA- TURAL DO DEPARTAMENTO DO PATRIMÔNIO MATERIAL E FISCALIZAÇÃO DO INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL - IPHAN, nos termos da Portaria IPHAN nº 207, de , publicada no D.O.U., Seção 2, de e de acordo com o disposto no Anexo I, do Decreto nº 5.040, de 07 de abril de 2004, na Lei nº 3.924, de , na Portaria SPHAN nº 7, de , e ainda do que consta do processo administrativo nº / , resolve: Expedir a presente PERMISSÃO, sem prejuízo das demais licenças exigíveis por diferentes órgãos e entidades da Administração Pública, ao arqueólogo Dorival Tadeu Cardoso para, com o apoio institucional do IPARQ - Instituto de Pesquisas em Arqueologia da Universidade Católica de Santos, realizar as atividades da complementação do levantamento e monitoramento arqueológico na área de implantação do loteamento Canto da Mata - Orla Norte, no município de Porto Seguro, no Estado da Bahia. I -Reconhecer como coordenador dos trabalhos de que trata o item anterior o arqueólogo detentor da presente permissão, cujo projeto se intitula Complementação do Levantamento e Monitoramento Arqueológico na Área de Implantação do Loteamento Canto da Mata - Orla Norte Porto Seguro / Bahia. II -Reconhecer o arqueólogo designado coordenador dos trabalhos como fiel depositário, durante a realização das etapas de campo, do eventual material arqueológico recolhido ou de estudo que lhes tenha sido confiado. III -Determinar à 7ª Superintendência Regional do IPHAN, o acompanhamento e a fiscalização da execução dos trabalhos, inclusive no que diz respeito à destinação e à guarda do material coletado, assim como das ações de preservação e valorização dos remanescentes.

9 <!ID > <!ID > Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ISSN IV -Condicionar a eficácia da presente permissão, à apresentação, por parte do arqueólogo coordenador, de relatório final ao término do prazo fixado nesta Portaria, contendo todas as informações previstas no artigo 12 da Portaria SPHAN nº 7, de V -Fixar o prazo de validade da presente permissão em 30 (trinta) dias, observada a disposição do item anterior. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. ROGÉRIO JOSÉ DIAS <!ID > 191, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 Dispõe sobre a permissão para realizar o levantamento e monitoramento arqueológico em área de loteamento a ser implantado na praia do Espelho, município de Porto Seguro, no Estado da Bahia. O GERENTE DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO E NA- TURAL DO DEPARTAMENTO DO PATRIMÔNIO MATERIAL E FISCALIZAÇÃO DO INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL - IPHAN, nos termos da Portaria IPHAN nº 207, de , publicada no D.O.U., Seção 2, de e de acordo com o disposto no Anexo I, do Decreto nº 5.040, de 07 de abril de 2004, na Lei nº 3.924, de , na Portaria SPHAN nº 7, de , e ainda do que consta do processo administrativo nº / , resolve: I -Expedir a presente PERMISSÃO, sem prejuízo das demais licenças exigíveis por diferentes órgãos e entidades da Administração Pública, ao arqueólogo Dorival Tadeu Cardoso para, com o apoio institucional do IPARQ - Instituto de Pesquisas em Arqueologia da Universidade Católica de Santos, realizar as atividades do programa de levantamento e monitoramento arqueológico na área de implantação de condomínio na Praia do Espelho, em Porto Seguro / BA. II -Reconhecer como coordenador dos trabalhos de que trata o item anterior o arqueólogo detentor da presente permissão, cujo projeto se intitula Levantamento e Monitoramento Arqueológico na Área de Implantação de Condomínio na Praia do Espelho Porto Seguro / Bahia. III -Reconhecer o arqueólogo designado coordenador dos trabalhos como fiel depositário, durante a realização das etapas de campo, do eventual material arqueológico recolhido ou de estudo que lhes tenha sido confiado. IV -Determinar à 7ª Superintendência Regional do IPHAN, o acompanhamento e a fiscalização da execução dos trabalhos, inclusive no que diz respeito à destinação e à guarda do material coletado, assim como das ações de preservação e valorização dos remanescentes. V -Condicionar a eficácia da presente permissão, à apresentação, por parte do arqueólogo coordenador, de relatório final ao término do prazo fixado nesta Portaria, contendo todas as informações previstas no artigo 12 da Portaria SPHAN nº 7, de VI -Fixar o prazo de validade da presente permissão em 30 (trinta) dias, observada a disposição do item anterior. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. ROGÉRIO JOSÉ DIAS. Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO 1.185, DE 21 DE MAIO DE 2003 (*) O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 173/2003, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta dos Processos nºs / e / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar o Regimento das Faculdades Network, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Nova Odessa, Estado de São Paulo, mantidas pelo Colégio Network S/C Ltda., com sede em Nova Odessa, Estado de São Paulo. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º O regimento aprovado pela presente portaria prevê, como unidade acadêmica específica das Faculdades Network, o Instituto Superior de Educação. Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD (*) Republicada por ter saído no DOU de 22/05/2003, Seção 1, página 12, com incorreção no original , DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 157/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar o Regimento da Faculdade Latino Americana de Educação, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Fortaleza, Estado do Ceará, mantida pela Fundação Escola de Gestão Pública, com sede em Pacatuba, Estado do Ceará. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º O regimento aprovado pela presente portaria prevê, como unidade acadêmica específica da Faculdade Latino Americana de Educação, o Instituto Superior de Educação. Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.768, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 158/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar o Regimento da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de SINOP, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Sinop, Estado de Mato Grosso, mantida pela União Cultural de Ensino Superior do Centro Oeste, com sede em Sinop, Estado de Mato Grosso. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º O regimento aprovado pela presente portaria prevê, como unidade acadêmica específica da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de SINOP, o Instituto Superior de Educação. Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.769, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 159/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar o Regimento das Faculdades Integradas Anglo-Americano, com limite territorial de atuação circunscrito ao município do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, mantidas pela Sociedade de Ensino Superior e Assessoria Técnica, com sede no Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º O regimento aprovado pela presente portaria prevê, como unidade acadêmica específica das Faculdades Integradas Anglo- Americano, o Instituto Superior de Educação. Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.770, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 160/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar as alterações do Regimento da Escola Superior da Amazônia, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Belém, Estado do Pará, mantida pela Associação de Educação e Cultura da Amazônia, com sede em Belém, Estado do Pará. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º O regimento aprovado pela presente portaria prevê, como unidade acadêmica específica da Escola Superior da Amazônia, o Instituto Superior de Educação. Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.771, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 161/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar as alterações do Regimento da Faculdade de Pedagogia de Vargem Grande Paulista, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Vargem Grande Paulista, Estado de São Paulo, mantida pelo Instituto Hoyler, com sede em Vargem Grande Paulista, Estado de São Paulo. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º O regimento aprovado pela presente portaria prevê, como unidade acadêmica específica da Faculdade de Pedagogia de Vargem Grande Paulista, o Instituto Superior de Educação. Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.772, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 162/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar as alterações do Regimento da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação de Salvador, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Salvador, Estado da Bahia, mantida pelo Instituto de Ensino Superior de Salvador Ltda., com sede em Salvador, Estado da Bahia. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.773, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 163/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar as alterações do Regimento da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação de Campinas, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Campinas, Estado de São Paulo, mantida pelo Centro de Estudos de Administração, Marketing e Comunicação CEAM ltda., com sede em Campinas, Estado de São Paulo. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.774, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 164/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar as alterações do Regimento da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação de Sorocaba, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Sorocaba, Estado de São Paulo, mantida pela Escola Superior de Gestão de Negócios Ltda., com sede em Sorocaba, Estado de São Paulo. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.775, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 165/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar as alterações do Regimento da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação de Santos, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Santos, Estado de São Paulo, mantida pela Escola Superior de Administração, Comunicação e Marketing S/C Ltda., com sede em Santos, Estado de São Paulo.

10 <!ID > 10 ISSN Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de 2005 Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.776, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Relatório nº 166/2005, aprovado pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar as alterações do Regimento da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação de Uberlândia, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Uberlândia, Estado de Minas Gerais, mantida pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional Avançado Ltda., com sede em Uberlândia, Estado de Minas Gerais. Art. 2º Os cursos ministrados pela instituição referida no artigo anterior serão ofertados nos endereços constantes das respectivas portarias de autorização de funcionamento. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.777, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Parecer nº 158/2005, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, homologado pelo despacho do Senhor Ministro, em 22/07/2005, publicado no D.O.U. de 25/07/2005, seção 1, página 9, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1º Aprovar as alterações do Estatuto do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de São Paulo, Estado de São Paulo, mantido pela FEBASP Associação Civil, com sede na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.778, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Parecer nº 188/2005, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, homologado pelo despacho do Senhor Ministro, em 22/07/2005, publicado no D.O.U. de 25/07/2005, seção 1, página 9, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1º Aprovar as alterações do Estatuto do Centro Universitário Cândido Rondon, com limite territorial de atuação circunscrito ao município de Cuiabá, Estado de Mato Grosso, mantido pela Associação Educacional Presidente Dutra, com sede em Cuiabá, Estado de Mato Grosso. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.779, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, resolve: Art.1º Revogar a Portaria Ministerial nº 618, de 28 de fevereiro de 2005, publicada no D.O.U. de 01/03/2005, seção I, página 11, que aprovou a Transferência de Mantença de cursos da Faculdade Christus, mantida pela Associação Desportiva e de Educação Juvenil. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.780, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista a Informação nº 07/2005 MEC/SESu/GAB/CGLNES, aprovada pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo SA- PIENS/MEC nº , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar a transferência de mantença dos cursos de Administração com habilitações em Administração, Comércio Exterior, Marketing, Gestão de Serviços, Gestão de Micro, Pequena e Média Empresa, Direito, Pedagogia, Sistemas de Informação, Fisioterapia e Ciências Contábeis da Faculdade Christus, atualmente mantidos pela Associação Desportiva e de Educação Juvenil, para o Instituto para o Desenvolvimento da Educação Ltda., ambos com sede em Fortaleza, Estado do Ceará. Art. 2º Os cursos da Faculdade Christus, código 887, passarão a ser ministrados pela Faculdade Christus, código 1895, mantida pelo Instituto para o Desenvolvimento da Educação Ltda. Art. 3º A Faculdade Christus, código 887, fica descredenciada neste ato. Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.781, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista a Informação nº 73/2005 MEC/SESu/GAB/CGLNES, aprovada pela Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo SA- PIENS/MEC nº , do Ministério da Educação, resolve: Art.1º Aprovar a transferência de mantença dos cursos de graduação: Administração, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Comunicação Social, habilitações em Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Direito, Educação Física, Enfermagem, Farmácia-Bioquímica, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Letras, habilitações em Português/Inglês e Respectivas Literaturas, Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa, Medicina, Nutrição, Odontologia, Pedagogia, habilitações, Magistério dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, Administração Escolar dos Ensinos Fundamental e Médio, Psicologia, Sistemas de Informação, Terapia Ocupacional e Turismo, e dos cursos tecnológicos: Tecnologia de Design de Interiores, Tecnologia em Controladoria e Informação Gerencial (Controller), Tecnologia em Gestão de Negócios e Telecomunicações, Tecnologia em Gestão de Representação Comercial, Tecnologia em Gestão de Turismo e Hotelaria, Tecnologia em Gestão Empresarial, Tecnologia em Gestão Hospitalar, Tecnologia em Gestão Industrial de Siderurgia, Tecnologia em Informática, Tecnologia em Marketing Estratégico, Tecnologia em Radiologia Médica, ministrados pelo Centro Universitário do Maranhão, atualmente mantido pelo Centro de Ensino Unificado do Maranhão S/C Ltda., com sede em São Luís, Estado do Maranhão, para a CEUMA - Associação de Ensino Superior, com sede na cidade de São Luís, Estado do Maranhão. Art. 2º A Instituição Centro Universitário do Maranhão passará a ser mantida pela CEUMA - Associação de Ensino Superior. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.782, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, com o respaldo do art. 4º da Portaria 2201/2005 de 22 de junho de 2005 bem como do relatório nº 710/2005-MEC/SE- Su/DESUP/ COSI, e tendo em vista o Despacho nº 795/2005 da Secretaria de Educação Superior, conforme consta dos Processos nº / (Registro SAPIENS nº ) / / (registro SAPIEnS nº ), do Ministério da Educação, resolve: Art. 1º Autorizar em caráter experimental, a oferta do Curso de Ciências Biológicas, licenciatura, a distância, ministrado pela Universidade de Pernambuco, mantida pelo Governo do estado de Pernambuco, ambas com sede na cidade de Recife, no Estado de Pernambuco. Art. 2º O processo de credenciamento para educação à distância e de autorização relativos ao curso de que trata esta Portaria terão assegurado a continuidade de sua tramitação, cujo relatório da comissão de verificação deverá instruir despachos da SESu, com vistas à expedição dos atos ministeriais de credenciamento definitivo do curso, que assegurem sua oferta regular, nos termos do art 80 da LDB. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.783, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, considerando o disposto na Portaria nº 4.363/2004, de 29 de dezembro de 2004, e considerando o Relatório nº 705/2005-MEC/SESu/DESUP/COSI, da Secretaria de Educação Superior, resolve: Art. 1º Reconhecer o Programa de cursos superiores de formação específica na área de Ciências Sociais Aplicadas, pelo prazo de 5 (cinco) anos, ministrado pela Pontifícia Universidade Ca- tólica de Campinas, mantida pela Sociedade Campineira de Educação e Instrução, ambas com sede na cidade de Campinas, estado de São Paulo, nos períodos noturno e diurno. Art. 2 O prazo de reconhecimento citado no artigo anterior abrange os cursos seqüenciais de formação específica que vierem a ser criados pela instituição na mesma área do conhecimento do Programa a que se refere esta Portaria. Art. 3 O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para os cursos ministrados na sede da Instituição, nos campi ou nas unidades legalmente autorizadas. Art. 4 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.784, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, considerando o disposto na Portaria nº 4.363/2004, de 29 de dezembro de 2004, e considerando o Relatório nº 705/2005-MEC/SESu/DESUP/COSI, da Secretaria de Educação Superior, resolve: Art. 1º Reconhecer o Programa de cursos superiores de formação específica na área de Engenharias e Tecnologias, pelo prazo de 5 (cinco) anos, ministrado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, mantida pela Sociedade Campineira de Educação e Instrução, ambas com sede na cidade de Campinas, estado de São Paulo, nos períodos noturno e diurno. Art. 2 O prazo de reconhecimento citado no artigo anterior abrange os cursos seqüenciais de formação específica que vierem a ser criados pela instituição na mesma área do conhecimento do Programa a que se refere esta Portaria. Art. 3 O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para os cursos ministrados na sede da Instituição, nos campi ou nas unidades legalmente autorizadas. Art. 4 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.785, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n.º 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, considerando o disposto na Portaria nº /2004, de 29 de dezembro de 2004, e considerando o Relatório nº. 706/2005-MEC/SESu/DESUP/COSI, da Secretaria de Educação Superior, resolve: Art. 1º Reconhecer o Programa de cursos superiores de formação específica na área de Ciências Sociais Aplicadas, pelo prazo de 4 (quatro) anos, ministrado pelo Centro Universitário Vila Velha, mantido pela Sociedade Educacional do Espírito Santo, ambos com sede na cidade de Vila Velha, no Estado do Espírito Santo, nos períodos noturno e diurno. Art. 2 O prazo de reconhecimento citado no artigo anterior abrange os cursos seqüenciais de formação específica que vierem a ser criados pela instituição na mesma área do conhecimento do Programa a que se refere esta Portaria. Art. 3 O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para os cursos ministrados na sede da Instituição, nos campi ou nas unidades legalmente autorizadas. Art. 4 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.786, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n.º 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, considerando o disposto na Portaria nº /2004, de 29 de dezembro de 2004, e considerando o Relatório nº. 709/2005-MEC/SESu/DESUP/CGSIES, da Secretaria de Educação Superior, resolve: Art. 1º Reconhecer o Programa de cursos superiores de formação específica na área de Ciências Biológicas e da Saúde, pelo prazo de 4 (quatro) anos, ministrado pelo Centro Universitário Monte Serrat, mantido pela Associação Educacional do Litoral Santista, ambos com sede na cidade de Santos, estado de São Paulo, nos períodos noturno e diurno. Art. 2 O prazo de reconhecimento citado no artigo anterior abrange os cursos seqüenciais de formação específica que vierem a ser criados pela instituição na mesma área do conhecimento do Programa a que se refere esta Portaria. Art. 3 O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para os cursos ministrados na sede da Instituição, nos campi ou nas unidades legalmente autorizadas. Art. 4 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD

11 <!ID > Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ISSN , DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista a Informação nº 54/2005- MEC/SESu/DESUP/COSI, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo n.º / , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1º Retificar o Artigo 1 o da Portaria MEC n. 655, de 17 de março de 2004, que passa a ter a seguinte redação: Credenciar, pelo prazo de 3 (três) anos, as Faculdades Associadas de Uberaba - FAZU, mantida pela Fundação Educacional para o Desenvolvimento das Ciências Agrárias, ambas com sede na cidade de Uberaba, estado de Minas Gerais, exclusivamente para a oferta de cursos e programas de pós-graduação lato sensu a distância, nas suas áreas de competência acadêmica. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.788, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, em cumprimento à liminar judicial deferida no Mandato de Segurança nº , e tendo em vista o Despacho nº 768/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / (Registro SAPIENS nº ), resolve: Art. 1º Reconhecer, pelo prazo de 3 (três) anos, o Curso Superior de Formação Específica em Gestão de Marketing, curso seqüencial, ministrado pela Universidade Guarulhos, mantida pela Associação Paulista de Educação e Cultura, ambas na cidade de Guarulhos, Estado de São Paulo, com 120 vagas anuais, no período noturno. Art. 2 O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado na sede da Instituição. Art. 3 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.789, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, em cumprimento à liminar judicial deferida no Mandato de Segurança n , e tendo em vista o Despacho nº 767 /2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / (Registro SA- PIENS nº ), resolve: Art. 1º Reconhecer, pelo prazo de 3 (três) anos, o Curso Superior de Formação Específica em Gestão da Tecnologia de Informação, curso seqüencial, ministrado pela Universidade Guarulhos, mantida pela Associação Paulista de Educação e Cultura, ambas na cidade de Guarulhos, Estado de São Paulo, com 120 vagas anuais, no período noturno. Art. 2 O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado na sede da Instituição. Art. 3 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.790, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, em cumprimento à liminar judicial deferida no Mandato de Segurança n , e tendo em vista o Despacho nº 769/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / (Registro SAPIENS nº ), resolve: Art. 1º Reconhecer, pelo prazo de 3 (três) anos, o Curso Superior de Formação Específica em Gestão de Pequenas e Médias Empresas, curso seqüencial, ministrado pela Universidade Guarulhos, mantida pela Associação Paulista de Educação e Cultura, ambas na cidade de Guarulhos, Estado de São Paulo, com 120 vagas anuais, no período noturno. Art. 2 O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado na sede da Instituição. Art. 3 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.791, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, tendo em vista o Parecer nº 205/2005 da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, e considerando a Portaria MEC nº 4.363/2004, de 29 de dezembro de 2004, conforme consta dos Processos nº / e / , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1º Reconhecer, pelo período de 5 (cinco) anos, o curso superior de formação específica em Tecnologia da Informação e o curso superior de formação específica em Gestão de Recursos e Produção, cursos seqüenciais, na modalidade a distância, ofertados pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, com sede na cidade de Campinas, Estado de São Paulo, mantida pela Sociedade Campineira de Educação e Instrução. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.792, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº de 9 de julho de 2001 alterado pelo Decreto nº de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Parecer nº 205/2005 da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1º Credenciar, pelo prazo de 5 (cinco) anos, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, com sede na cidade de Campinas, Estado de São Paulo, mantida pela Sociedade Campineira de Educação e Instrução, exclusivamente para a oferta de programas de pós-graduação lato sensu a distância nas suas áreas de competência acadêmica. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.793, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº 3.908, de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Parecer nº 177/2005, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS n , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1º Autorizar o funcionamento do curso de Psicologia, a ser ministrado no SGAN Quadra 916, Conjunto D, Asa Norte, na Região Administrativa I, Brasília, no Distrito Federal, pela Faculdade Alvorada de Educação Física e Desporto, mantida pela Sociedade de Ensino, Tecnologia, Educação e Cultura, com sede na Região Administrativa I, Brasília, no Distrito Federal. Art. 2 Aprovar, pelo prazo de cinco anos, o Plano de Desenvolvimento Institucional da Faculdade Alvorada de Educação Física e Desporto. Art. 3 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.794, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos nº 1.845, de 28 de março de 1996, e nº 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº 3.908, de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Parecer nº 203/2005, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1º Credenciar, pelo prazo de cinco anos, a Sociedade de Pesquisa e Ensino em Odontologia - SPEO, mantida pela Sociedade Educacional Herrero S/C Ltda, com sede à Rua Álvaro Andrade, Portão, na cidade de Curitiba, no Estado do Paraná, para oferta de curso de especialização, em regime presencial, exclusivamente na área de Odontologia. Art. 2 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.795, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 301/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta dos Processos nºs / e / , Registros SAPIEnS nºs e , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Pedagogia, bacharelado, habilitações em Administração Escolar e em Orientação Educacional, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno noturno, ministrado pelas Faculdades Integradas do ICESP, na QE 11, Área Especial C/D, s/nº, Região Administrativa X, Guará, Distrito Federal, mantidas pelo Instituto Científico de Ensino Superior e Pesquisa, com sede na Região Administrativa X, Guará, Distrito Federal. Parágrafo único. O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado neste artigo. Art. 2 o Estender o prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de 2005 Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.796, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 811/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta dos Processos nºs / , / e / , Registros SAPIEnS nºs , e , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Renovar o reconhecimento do curso de Pedagogia, licenciatura, habilitações em Administração Escolar do Ensino Fundamental e Médio, em Orientação Educacional do Ensino Fundamental e Médio, e em Magistério das Matérias Pedagógicas do Ensino Médio, e reconhecer a habilitação Supervisão Escolar, do mesmo do curso, com 180 (cento e oitenta) vagas totais anuais, no turno noturno, ministrado pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Dom Bosco, no âmbito do instituto superior de educação, na Estrada Resende-Riachuelo, nº 2.535, Bairro Campo da Aviação, na cidade de Resende, Estado do Rio de Janeiro, mantida pela Associação Educacional Dom Bosco, com sede na cidade de Resende, Estado do Rio de Janeiro. Art. 2 o O prazo de validade da renovação do reconhecimento do curso e habilitações, e do reconhecimento da habilitação, mencionados no artigo anterior, estende-se até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1 o da Portaria Ministerial nº 2.413, de 07 de julho de 2005 Art. 3 o A renovação do reconhecimento, e o reconhecimento aos quais se referem esta Portaria são válidos exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Artigo 1 o. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.797, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 814/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do Curso de Pedagogia, bacharelado, com 200 (duzentas) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pelo Instituto de Educação e Ensino Superior de Campinas, no âmbito do instituto superior de educação, na Rua Antônio Ferreira Laranja, nº 57, Bairro Jardim Garcia, na cidade de Campinas, Estado de São Paulo, mantido pela Sociedade de Educação e Cultura Raphael Di Santo S/C Ltda., com sede na cidade de Campinas, Estado de São Paulo. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.798, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, em cumprimento à liminar deferida no Processo nº /TRF 1ª Região, Agravo de Instrumento nº /DF e tendo em vista o Despacho nº 877/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS n.º , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Sistemas de Informação, bacharelado, ministrado pela Universidade Tuiuti do Paraná, na cidade de Curitiba, Estado do Paraná, mantida pela Sociedade Educacional Tuiuti Ltda, com sede na cidade de Curitiba, Estado do Paraná. Art. 2 o Estender o prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o Artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de 2005 Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.799, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, em

12 12 ISSN Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de 2005 cumprimento à liminar deferida no Processo nº /TRF 1ª Região, Agravo de Instrumento nº /DF e tendo em vista o Despacho nº 878/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Renovar o reconhecimento do curso de Marketing, bacharelado, ministrado pela Universidade Tuiuti do Paraná, na cidade de Curitiba, Estado do Paraná, mantida pela Sociedade Educacional Tuiuti Ltda, com sede na cidade de Curitiba, Estado do Paraná. Art. 2 o Estender o prazo de validade da renovação do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o Artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de 2005 Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.800, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, em cumprimento à liminar deferida no Processo nº /TRF 1ª Região, Agravo de Instrumento nº /DF e tendo em vista o Despacho nº 884/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta dos Processos nºs / e / , Registros SA- PIEnS n.ºs e , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Renovar o reconhecimento do curso de Educação Física, bacharelado e licenciatura, ministrado pela Universidade Tuiuti do Paraná, na cidade de Curitiba, Estado do Paraná, mantido pela Sociedade Educacional Tuiuti Ltda, com sede na cidade de Curitiba, Estado do Paraná. Art. 2 o Estender o prazo de validade da renovação do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o Artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de 2005 Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.801, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.083/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Enfermagem, bacharelado, ministrado pelas Faculdades Integradas dos Campos Gerais, e licenciatura, ministrado no âmbito do instituto superior de educação da mesma Instituição, com 200 (duzentas) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, na Avenida General Carlos Cavalcanti, s/n, Bairro Uvaranas, na cidade de Ponta Grossa, Estado do Paraná, mantidas pelo Centro de Ensino Superior dos Campos Gerais Ltda., com sede na cidade de Ponta Grossa, Estado do Paraná. Art. 2 o O prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior se estende até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de 2005 Art. 3 o O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Artigo 1º. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.802, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.181/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta dos Processos nºs / , / , / e / , Registros SAPIEnS nº s , , e , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Renovar o reconhecimento do curso de Administração, bacharelado, habilitação em Recursos Humanos, com 80 (oitenta) vagas totais anuais, no turno noturno, e reconhecer, as habilitações Comércio Internacional, Hotelaria e Empreendedorismo e Negócios, do mesmo curso, com 100 (cem) vagas totais anuais para cada habilitação, nos turnos diurno e noturno, ministrado pela União das Faculdades dos Grandes Lagos, na Rua Eduardo Nielsen, nº 960, Bairro Jardim Aeroporto, na cidade de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo, mantida pela Associação Educacional de Ensino Superior, com sede na cidade de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo. Art. 2 o O prazo de validade da renovação do reconhecimento do curso e habilitação, e do reconhecimento das habilitações, mencionados no artigo anterior, estende-se até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1 o da Portaria Ministerial nº 2.413, de 07 de julho de 2005 Art. 3 o A renovação do reconhecimento e o reconhecimento aos quais se referem esta Portaria são válidos exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Artigo 1 o. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.803, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.233/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Retificar o Art. 1º da Portaria Ministerial nº 4.156, de 15 de dezembro de 2004, publicada no Diário Oficial da União de 16 de dezembro de 2004, seção 1, pág. 25, que passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 1 o Aprovar o remanejamento de 60 (sessenta) vagas anuais do turno diurno para o turno noturno, do curso de Fonoaudiologia, bacharelado, ministrado pela Faculdade Ingá, situada na Avenida Colombo, nº 9.727, Bairro Parque Industrial Bandeirantes, na cidade de Maringá, no Estado do Paraná, mantida pela Unidade de Ensino Superior Ingá S/C Ltda., com sede na cidade de Maringá, no Estado do Paraná. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.804, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1250/2005 da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SA- PIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Ciências Contábeis, bacharelado, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno noturno, ministrado pela Faculdade Editora Nacional, na Rua Conceição, nº 321, Bairro Santo Antônio, na cidade de São Caetano do Sul, Estado de São Paulo, mantida pela Sociedade Educacional Sulsancaetanense, com sede na cidade de São Caetano do Sul, Estado de São Paulo. Art. 2 o O prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior se estende até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de 2005 Art. 3 o O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Artigo 1º. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.805, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.262/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Biomedicina, bacharelado, com 200 (duzentas) vagas totais anuais, no turno noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade Santa Emília de Rodat, na Praça Caldas Brandão, s/nº, Bairro Tambiá, na cidade de João Pessoa, Estado da Paraíba, mantida pela Escola de Enfermagem Santa Emília de Rodat, com sede na cidade de João Pessoa, Estado da Paraíba. Art. 2 o Aprovar, pelo período de cinco anos, o Plano de Desenvolvimento Institucional da Faculdade Santa Emília de Rodat. Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.806, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.287/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registros SAPIEnS nºs , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Ciências Contábeis, bacharelado, com 150 (cento e cinqüenta) vagas totais anuais, no turno noturno, ministrado pela Faculdade de Roraima, na Avenida Luís Canuto Chaves, nº 293, Bairro Caçari, na cidade de Boa Vista, Estado de Roraima, mantida pelas Faculdades Cathedral de Ensino Superior, com sede na cidade de Boa Vista, Estado de Roraima. Art. 2 o O prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior se estende até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de 2005 Art. 3 o O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Artigo 1º. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.807, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1288/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIENS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Administração, bacharelado, habilitação em Sistema de Informação Gerencial, com 150 (cento e cinqüenta) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, ministrado pela Faculdade de Roraima, na Avenida Luis Canuto Chaves, nº 293, Bairro Caçari, na cidade de Boa Vista, Estado de Roraima, mantida pelas Faculdades Cathedral de Ensino Superior, com sede na cidade de Boa Vista, Estado de Roraima. Art. 2 o O prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior se estende até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de 2005 Art. 3 o O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Artigo 1º. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.808, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, considerando as Resoluções CNE/CES nº 1/199 e CNE/CP n 2/2002 e tendo em vista o Despacho n o 1343/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Pedagogia, licenciatura, habilitações Magistério dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, Magistério da Educação Infantil, Administração Escolar e Supervisão Escolar, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno noturno, ministrado pela Faculdade de Itápolis, no âmbito do instituto superior de educação, na Rua Mário de Souza Castro, nº 200, Bairro Santa Mônica, na cidade de Itápolis, Estado de São Paulo, mantida pela Associação Educacional e Cultural de Itápolis S/C Ltda. com sede na cidade de Itápolis, Estado de São Paulo. Parágrafo único. O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Artigo 1 o. Art. 2 o Estender o prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1 o da Portaria Ministerial nº 2.413, de 07 de julho de 2005 Art. 3 o Transformar as habilitações Magistério da Educação Infantil e Magistério dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, referida no artigo 1º, em Curso Normal Superior, licenciatura, habilitações em Magistério da Educação Infantil e em Magistério dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno noturno, em regime de autorização. Art. 4 o Determinar a continuidade da oferta do curso de Pedagogia, licenciatura, habilitações Administração Escolar e Supervisão Escolar, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno noturno. Art. 5 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.809, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.348/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Farmácia, bacharelado, com 160 (cento e sessenta) vagas totais anuais, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, nos turnos diurno e noturno, a ser ministrado pela Faculdade do Instituto Brasil, na Rodovia BR 060/153, Km 97, nº 3.400, Zona Urbana, Bairro São João, na cidade de Anápolis, Estado de Goiás, mantida pelo Instituto Brasil de Ciência e Tecnologia Ltda., com sede na cidade de Anápolis, Estado de Goiás. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD

13 <!ID > Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ISSN , DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.403/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SA- PIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Química, licenciatura, ministrado pela Universidade Federal de São João del Rei, na cidade de São João del Rei, Estado de Minas Gerais, mantida pela União. Art. 2 o Estender o prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o Artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 07 de julho de 2005 Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.811, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.449/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Credenciar a Faculdade do Seridó, a ser estabelecida na Rua Prefeito Alcindo Gomes, nº 679, Bairro Manoel Salustino, na cidade de Currais Novos, Estado do Rio Grande do Norte, mantida pela Associação Seridoense de Educação e Cultura S/C Ltda., com sede na cidade de Currais Novos, Estado do Rio Grande do Norte, aprovando neste ato o seu Plano de Desenvolvimento Institucional, pelo período de cinco anos. Art. 2 o Aprovar o regimento da Faculdade do Seridó, o qual prevê o instituto superior de educação como unidade acadêmica específica. Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.812, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.450/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Turismo, bacharelado, com 100 (cem) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade do Seridó, na Rua Prefeito Alcindo Gomes, nº 679, Bairro Manoel Salustino, na cidade de Currais Novos, Estado do Rio Grande do Norte, mantida pela Associação Seridoense de Educação e Cultura S/C Ltda., com sede na cidade de Currais Novos, Estado do Rio Grande do Norte. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.813, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.451/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Ciências Contábeis, bacharelado, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade do Seridó, na Rua Prefeito Alcindo Gomes, nº 679, Bairro Manoel Salustino, na cidade de Currais Novos, Estado do Rio Grande do Norte, mantida pela Associação Seridoense de Educação e Cultura S/C Ltda., com sede na cidade de Currais Novos, Estado do Rio Grande do Norte. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.814, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo n o 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1480/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SA- PIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Sistemas de Informação, bacharelado, com 90 (noventa) vagas totais anuais, turno noturno, ministrado pelas Faculdades Integradas Módulo, na Avenida Frei Pacífico Wagner, nº 653, Centro, na cidade de Caraguatatuba, Estado de São Paulo, mantida pela Sociedade Civil de Educação e Cultura do Litoral Norte Ltda., com sede na cidade de Caraguatatuba, Estado de São Paulo. Parágrafo único. O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço mencionado neste artigo. Art. 2 o Estender o prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1 da Portaria Ministerial n 2.413, de 07 de julho de 2005 Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.815, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1501/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta dos Processos nº s / e / , Registros SAPIEnS nº s e , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o Curso Normal Superior, habilitações Licenciatura para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental e Licenciatura para a Educação Infantil, com 300 (trezentas) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, ministrado pelas Faculdades Integradas Módulo, no âmbito do instituto superior de educação, na Avenida Frei Pacífico Wagner, nº 653, Centro, na cidade de Caraguatatuba, Estado de São Paulo, mantida pela Sociedade Civil de Educação e Cultura do Litoral Norte Ltda., com sede na cidade de Caraguatatuba, Estado de São Paulo. Art. 2 o O prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior se estende até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1 da Portaria Ministerial n 2.413, de 07 de julho de 2005 Art. 3 o O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Art. 1. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.816, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.508/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Renovar o reconhecimento do curso de Turismo, bacharelado, com 80 (oitenta) vagas totais anuais, no turno noturno, ministrado pela União das Faculdades dos Grandes Lagos, na Rua Eduardo Nielsen, nº 960, Bairro Jardim Aeroporto, na cidade de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo, mantida pela Associação Educacional de Ensino Superior, com sede na cidade de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo. Art. 2 o O prazo de validade da renovação do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior se estende até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1 o da Portaria Ministerial nº 2.413, de 07 de julho de 2005 Art. 3 o A renovação do reconhecimento a que se refere esta Portaria é válida exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Artigo 1 o. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.817, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.545/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Comunicação Social, bacharelado, habilitação em Jornalismo, com 200 (duzentas) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, ministrado pelas Faculdades Integradas do ICESP, na QE 11, Área Especial C/D/E, s/nº, Região Administrativa X, Guará, Distrito Federal, mantidas pelo Instituto Científico de Ensino Superior e Pesquisa - ICESP, com sede na Região Administrativa X, Guará, Distrito Federal. Parágrafo único. O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado neste artigo. Art. 2 o Estender o prazo de reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 07 de julho de 2005 Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.818, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelos Decretos n o 1.845, de 28 de março de 1996, e n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.569/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o Curso Normal Superior, licenciatura, habilitações em Magistério dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental e em Magistério da Educação Infantil, ministrado pelo Centro Universitário de Goiás, com sede na cidade de Goiânia, Estado de Goiás, mantido pela Associação Goiana de Ensino, com sede na cidade de Goiânia, Estado de Goiás. Art. 2 o Recomenda-se que o prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior estenda-se até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1 o da Portaria Ministerial nº 2.413, de 07 de julho de 2005 Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.819, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.570/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Credenciar a Faculdade Montserrat, a ser estabelecida na Rua Os 18 do Forte, nº 1.754, na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul, mantida pela Associação Educacional Jorge Andreazza, com sede na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul, aprovando neste ato o seu Plano de Desenvolvimento Institucional, pelo período de cinco anos. Art. 2 o Aprovar o regimento da Faculdade Montserrat, o qual prevê o instituto superior de educação como unidade acadêmica específica. Art. 3o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.820, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.571/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Design, bacharelado, com habilitação Interiores, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno diurno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade Montserrat, na Rua Os 18 do Forte, nº 1.754, na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul, mantida pela Associação Educacional Jorge Andreazza, com sede na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.821, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.572/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do Curso Normal Superior, licenciatura, habilitações em Magistério para a Educação Infantil e em Magistério para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental, com 100 (cem) vagas totais anuais para cada habilitação, no turno noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade Montserrat, na Rua Os 18 do Forte, nº 1.754, na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul, mantida pela Associação Educacional Jorge Andreazza, com sede na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD

14 <!ID > 14 ISSN Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de , DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.573/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Relações Internacionais, bacharelado, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade Montserrat, na Rua Os 18 do Forte, nº 1.754, na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul, mantida pela Associação Educacional Jorge Andreazza, com sede na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.823, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.574/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Ciências Econômicas, bacharelado, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade Montserrat, na Rua Os 18 do Forte, nº 1.754, na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul, mantida pela Associação Educacional Jorge Andreazza, com sede na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.824, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.575/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Ciência Política, bacharelado, com 100 (cem) vagas totais anuais, no turno noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade Montserrat, na Rua Os 18 do Forte, nº 1.754, na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul, mantida pela Associação Educacional Jorge Andreazza, com sede na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.825, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto nº 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.592/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Biomedicina, bacharelado, com 200 (duzentas) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade Cidade de Patos de Minas, na Rua Major Gote, nº 1408, Centro, na cidade de Patos de Minas, Estado de Minas Gerais, mantida pela Associação Educacional de Patos de Minas, com sede na cidade de Patos de Minas, Estado de Minas Gerais. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.826, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.595/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta o Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Pedagogia, bacharelado, habilitação em Gestão Escolar, ministrado pela Faculdade Católica de Uberlândia, com 200 (duzentas) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, na Rua Padre Pio, nº 300, Bairro Osvaldo Resende, na cidade de Uberlândia, Estado de Minas Gerais, mantida pela Sociedade Católica de Educação de Uberlândia, com sede na cidade de Uberlândia, Estado de Minas Gerais. Art. 2 o O prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior se estende até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1 o da Portaria Ministerial nº 2.413, de 07 de julho de Art. 3 o O reconhecimento a que se refere esta Portaria é válido exclusivamente para o curso ministrado no endereço citado no Artigo 1 o. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.827, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 9 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 4 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.609/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SA- PIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer a habilitação Orientação/Magistério das Séries Iniciais do Ensino Fundamental, do curso de Pedagogia, licenciatura, ministrado pelo Centro Universitário Anhanguera, na unidade descentralizada na cidade de Pirassununga, Estado de São Paulo, mantido pela Sociedade Educacional de Leme S.A., com sede na cidade de Leme, Estado de São Paulo. Art. 2 o Estender o prazo de validade do reconhecimento da habilitação mencionada no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o artigo 1 o da Portaria Ministerial nº 2.413, de 07 de julho de Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.828, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.615/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Engenharia Civil, bacharelado, com 160 (cento e sessenta) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade de Tecnologia e Ciências de Feira de Santana, na Estrada Velha de Jaíba, s/nº, na cidade de Feira de Santana, Estado da Bahia, mantida pela Sociedade Mantenedora de Educação Superior da Bahia S/C Ltda. - SOMESB, com sede na cidade de Salvador, Estado da Bahia. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.829, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.638/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do curso de Sistemas de Informação, bacharelado, com 100 (cem) vagas anuais, no turno noturno, em turmas de, no máximo, 50 (cinqüenta) alunos, a ser ministrado pela Faculdade Metodista de Santa Maria, na Rua Doutor Turi, nº 2.003, Centro, na cidade de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul, mantida pelo Instituto Metodista Centenário, com sede na cidade de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul. Art. 2 o Aprovar, pelo prazo de cinco anos, o Plano de Desenvolvimento Institucional da Faculdade Metodista de Santa Maria. Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.830, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, e tendo em vista o Despacho n o 1.659/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Autorizar o funcionamento do Curso Normal Superior, licenciatura, habilitações em Magistério para Educação Infantil, e em Magistério para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental, com 60 (sessenta) vagas totais anuais, nos turnos diurno e noturno, a ser ministrado pelo Instituto Nacional de Educação de Surdos - INES, no âmbito do instituto superior de educação, na Rua das Laranjeiras, nº 232, na cidade do Rio de janeiro, Estado do Rio de Janeiro, mantido pela União. Art. 2 o Aprovar o regimento do Instituto Nacional de Educação de Surdos - INES, o qual prevê o instituto superior de educação como unidade acadêmica específica. Art. 3 o Aprovar, pelo período de cinco anos, o Plano de Desenvolvimento Institucional do Instituto Nacional de Educação de Surdos - INES. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.831, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, em cumprimento à liminar deferida no Processo nº /TRF 1 a Região, Agravo de Instrumento nº /DF e tendo em vista o Despacho n o 1700/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Ciência da Computação, bacharelado, ministrado pela Universidade Tuiuti do Paraná, na cidade de Curitiba, Estado do Paraná, mantida pela Sociedade Educacional Tuiuti Ltda., com sede na cidade de Curitiba, Estado do Paraná. Art. 2 o Estender o prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o Artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.832, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, em cumprimento à liminar deferida no Processo nº /TRF 1 a Região, Agravo de Instrumento nº /DF e tendo em vista o Despacho n o 1706/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer a modalidade bacharelado, do curso de Ciências Biológicas, ministrado pela Universidade Tuiuti do Paraná, na cidade de Curitiba, Estado do Paraná, mantida pela Sociedade Educacional Tuiuti Ltda., com sede na cidade de Curitiba, Estado do Paraná. Art. 2 o Estender o prazo de validade do reconhecimento da modalidade do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o Artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD 2.833, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 O Ministro de Estado da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto n o 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Decreto n o 3.908, de 04 de setembro de 2001, em cumprimento à liminar deferida no Processo nº /TRF 1 a Região, Agravo de Instrumento nº /DF e tendo em vista o Despacho n o 1707/2005, da Secretaria de Educação Superior, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS nº , do Ministério da Educação, resolve: Art. 1 o Reconhecer o curso de Secretariado Executivo Trilíngüe, bacharelado, ministrado pela Universidade Tuiuti do Paraná, na cidade de Curitiba, Estado do Paraná, mantida pela Sociedade Educacional Tuiuti Ltda., com sede na cidade de Curitiba, Estado do Paraná. Art. 2 o Estender o prazo de validade do reconhecimento do curso mencionado no artigo anterior até a data de publicação da Portaria referente à avaliação de que trata o Artigo 1º da Portaria Ministerial nº 2.413, de 7 de julho de Art. 3 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. FERNANDO HADDAD DESPACHOS DO MINISTRO Em 16 de agosto de 2005 Nos termos do art. 2º da Lei nº 9.131, de 24 de novembro de 1995, o Ministro de Estado da Educação HOMOLOGA o Parecer nº 213/2005, da Câmara de Educação Superior, do Conselho Nacional de Educação, favorável à aprovação das alterações do Estatuto da Universidade Guarulhos, que passará a denominar-se Universidade Globo, com sede em Guarulhos e campi nos municípios de São Paulo e Itaquaquecetuba, Estado de São Paulo, mantida pela Associação Paulista de Educação e Cultura, com sede no município de Guarulhos, Estado de São Paulo, conforme consta do Processo nº / Nos termos do art. 2º da Lei nº 9.131, de 24 de novembro de 1995, o Ministro de Estado da Educação HOMOLOGA o Parecer nº 225/2005, da Câmara de Educação Superior, do Conselho Nacional de Educação, favorável à aprovação das alterações do Estatuto do Centro Universitário Luterano de Palmas, com limite territorial de

15 <!ID > <!ID > <!ID > <!ID > <!ID > PORTARIA <!ID > Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ISSN atuação circunscrito ao município de Palmas, Estado do Tocantins, mantido pela Comunidade Evangélica Luterana São Paulo, com sede em Canoas, Estado do Rio Grande do Sul, conforme consta do Processo nº / Em 17 de agosto de 2005 Nos termos do art. 2º da Lei nº 9.131, de 24 de novembro de 1995, o Ministro de Estado da Educação HOMOLOGA o Parecer nº 177/2005, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, favorável à autorização do curso de Psicologia, a ser ministrado no SGAN Quadra 916, Conjunto D, Asa Norte, na Região Administrativa I, Brasília, no Distrito Federal, pela Faculdade Alvorada de Educação Física e Desporto, mantida pela Sociedade de Ensino, Tecnologia, Educação e Cultura, com sede na Região Administrativa I, Brasília, no Distrito Federal. Autoriza o funcionamento do referido curso com cem vagas totais, distribuídas em duas turmas, uma no período matutino e outra no noturno, com turmas de vinte e cinco alunos para laboratórios, conforme consta do Processo nº / , Registro SAPIEnS n Nos termos do art. 2º da Lei nº 9.131, de 24 de novembro de 1995, o Ministro de Estado da Educação HOMOLOGA o Parecer nº 187/2005, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, de interesse de MARIA DO CARMO PEIXOTO, aluna do curso de Direito da Universidade Paulista, que solicitou ao Conselho Nacional de Educação dispensa das disciplinas Gestão Empresarial e Gestão de Grupos de Trabalho, por ter cursado a disciplina Administração, na AEUDF - Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal, esclarecendo-se que não cabe ao CNE manifestar-se sobre reconhecimento de créditos e adaptação de disciplinas, pois se trata de competência das instituições de ensino superior, respeitando-se, desta forma, sua autonomia didático-acadêmico-científica, conforme consta do Processo nº / Nos termos do art. 2º da Lei nº 9.131, de 24 de novembro de 1995, o Ministro de Estado da Educação HOMOLOGA o Parecer nº 203/2005, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, favorável ao credenciamento, pelo prazo de cinco anos, da Sociedade de Pesquisa e Ensino em Odontologia - SPEO, mantida pela Sociedade Educacional Herrero S/C Ltda, com sede à Rua Álvaro Andrade, Portão, na cidade de Curitiba, no Estado do Paraná, para oferta de curso de especialização, em regime presencial, exclusivamente na área de Odontologia, conforme consta do Processo nº / Nos termos do art. 2º da Lei nº 9.131, de 24 de novembro de 1995, o Ministro de Estado da Educação HOMOLOGA o Parecer nº 221/2005, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, referente à utilização dos termos modalidade ou habilitação nos diplomas dos concluintes do curso de Ciências Farmacêuticas, ministrado pela Pontifica Universidade Católica de Campinas, conforme consta do Processo nº / Nos termos do art. 2º da Lei nº 9.131, de 24 de novembro de 1995, o Ministro de Estado da Educação HOMOLOGA o Parecer nº 205/2005, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, de 6 de julho de 2005, favorável ao reconhecimento, pelo prazo de 5 (cinco) anos, dos cursos seqüenciais de formação específica em Tecnologia da Informação Aplicada a Instituição Financeira e de Gestão de Recursos e Produção, ambos na modalidade a distância, ofertados pela Pontifícia Universidade Católica de Cam- pinas, e favorável ao credenciamento da Pontifícia Universidade Católica de Campinas para oferta de cursos de pós-graduação lato sensu a distância, pelo período de 5 (cinco) anos, conforme consta dos Processos nº / ; / e / FERNANDO HADDAD CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SERGIPE 333, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDU- CAÇÃO TECNOLÓGICA DE SERGIPE, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 30 do Estatuto das Escolas Técnicas Federais, aprovado pelo Decreto nº 2.855, de 02 de dezembro de 1998, e em conformidade com o Decreto de 13 de novembro de 2002 e com a Portaria nº 1861, de 22 de agosto de 2001 do Ministério da Educação, e considerando: - o que dispõe o Art. 1º, parágrafo 1º do Decreto nº 4.175, de 27 de março de 2002, publicado no DOU de 28 de março de 2002, resolve: Prorrogar a partir de 16 de agosto de 2005, por igual período, a validade do concurso público de que trata o Edital nº 04, de 20 de fevereiro de 2004, publicado no Diário Oficial da União de 25 de fevereiro de CLEMISSON DA SILVA ARAUJO Em exercício SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR 54, DE 2 DE AGOSTO DE 2005 (Publicada no DOU de 4/8/2005) ANEXO I (*) Funcional Programática: Complementação para o Funcionamento das Instituições Federais de Ensino Superior - Nacional PTRES: Fonte: 100 Processo nº Instituição Objeto Nota Valor R$ beneficiada de Crédito / Universidade Federal de Lavras - UFLA Apoio para atender o Projeto de Reforma e Adaptação dos prédios do Departamento de Ciência dos Alimentos e Aquisição R$ ,00 de Material de Consumo / Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Apoio financeiro destinado ao pagamento de despesas de manutenção da UFPE R$ , / Universidade Federal de São João Del Rei - UFSJ Apoio financeiro destinado ao pagamento de despesas de manutenção do Campus Tancredo Neves da UFSJ R$ , / Universidade Federal do Amazonas - UFAM Apoio financeiro destinado à implantação e manutenção do Sistema de Informação do Ensino da UFAM R$ , / Universidade Federal do Ceará - UFCE Apoio financeiro destinado ao pagamento de despesas relativo à realização do Encontro Nacional dos Grupos PET R$ ,00 (*) Republicado por ter saído, no DOU Nº 149, de 4/8/2005, Seção 1, página 13/14, com incorreção no original. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA C ATA R I N A DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE POTENCIALIZAÇÃO DE PESSOAS 491, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 A Diretora do Departamento de Desenvolvimento de Potencialização de Pessoas da Universidade Federal de Santa Catarina no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o que consta do processo n / resolve: Homologar o resultado do Processo Seletivo Simplificado do Departamento de Enfermagem - NFR/CCS, instituído pelo Edital n 70/DDPP/2005, de 28 de julho de Campo de Conhecimento: O Cuidado no Processo de Viver Humano Regime de Trabalho: 20 (vinte) horas semanais N de Vagas: 01 (uma) Classificação Média Final 1.Michele Panosso Dotto 8,5 2.Sabrina da Silva de Souza 8,0 3.Renata da Silva Cardoso 7,5 CARLA CRISTINA DUTRA BURIGO 492, DE 17 DE AGOSTO DE 2005 A Diretora do Departamento de Desenvolvimento de Potencialização de Pessoas da Universidade Federal de Santa Catarina no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o que consta do processo n / resolve: Homologar o resultado do Processo Seletivo Simplificado do Departamento de Enfermagem - NFR/CCS, instituído pelo Edital n 70/DDPP/2005, de 28 de julho de Campo de Conhecimento: Enfermagem em Intercorrências Cirúrgicas e de Urgência Regime de Trabalho: 20 (vinte) horas semanais N de Vagas: 01 (uma) Classificação 1.Kéthlen Denise Archer da Silva Média Final 8,0 CARLA CRISTINA DUTRA BURIGO. Ministério da Fazenda GABINETE DO MINISTRO N o - 276, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA FAZENDA, no uso de suas atribuições, e tendo em vista o disposto no art. 12, inciso II, do Decreto n o 5.379, de 25 de fevereiro de 2005, alterado pelo Decreto n o 5.449, de 25 de maio de 2005, resolve: Art. 1 o Alterar os limites de que tratam os anexos I e II da Portaria Interministerial n o 39, de 29 de março de 2005, na forma dos Anexos I e II desta Portaria. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. ANTONIO PALOCCI FILHO ANEXO I REDUÇÃO AOS VALORES AUTORIZADOS PARA PAGAMENTO RELATIVOS A DOTAÇÕES CONSTANTES DA LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2005 E AOS RESTOS A PAGAR DE 2004, DE QUE TRATA O ANEXO I DA PORTA R I A INTERMINISTERIAL MF/MP Nº 39, DE 29 DE MARÇO DE REDUÇÃO R$Mil ÓRGÃOS E/OU UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS ATÉ AGO ATÉ SET ATÉ OUT ATÉ NOV ATÉ DEZ GABIN. DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Fontes:100,111,112,113,115,116,118,120,124,125,127,129,130,131,132,133,134,135,138,139,140,141, 142,147,148,149,151,153,155,157,158,159,162,164,166,168,172, 174,175,176,180,246,247,249,280,293,985 e suas correspondentes, resultantes da incorporação de saldos de exercícios anteriores. ANEXO II ACRÉSCIMO AOS VALORES AUTORIZADOS PARA PAGAMENTO RELATIVOS A DOTAÇÕES CONSTANTES DA LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2005 E AOS RESTOS A PAGAR DE 2004, DE QUE TRATA O ANEXO II DA PO RTA R I A INTERMINISTERIAL MF/MP Nº 39, DE 29 DE MARÇO DE ACRÉSCIMO R$Mil ÓRGÃOS E/OU UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS ATÉ AGO ATÉ SET ATÉ OUT ATÉ NOV ATÉ DEZ GABIN. DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Fontes:150, 181, 250, 281 e suas correspondentes, resultantes da incorporação de saldos de exercícios anteriores.

16 16 ISSN RECEITA FEDERAL DO BRASIL SUPERINTENDÊNCIAS REGIONAIS 2ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM MANAUS <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 154, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 067/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa AMMAC INDÚS- TRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO AIRTON ANGELO CLAUDINO EXECUTIVO Nº 155, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 068/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa AMMAC INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 157, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 52/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa SDA SI- LICONES DA AMAZÔNIA LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO AIRTON ANGELO CLAUDINO EXECUTIVO Nº 160, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 56/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa TECNO- KAWA DA AMAZÔNIA LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de 2005 EXECUTIVO Nº 161, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 57/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa TECNO- KAWA DA AMAZÔNIA LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO AIRTON ANGELO CLAUDINO EXECUTIVO Nº 162, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 58/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa TECNO- KAWA DA AMAZÔNIA LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. AIRTON ANGELO CLAUDINO AIRTON ANGELO CLAUDINO AIRTON ANGELO CLAUDINO

17 Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ISSN <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 163, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 089/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa NIPPON SEIKI DO BRASIL LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais nãorestituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO AIRTON ANGELO CLAUDINO EXECUTIVO Nº 164, DE 12 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de diversificação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 020/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa BDS CON- FECÇÕES LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de diversificação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do anocalendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 165, DE 12 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de diversificação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 064/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa INDÚSTRIAS ESPLANADA LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais nãorestituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de diversificação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 8 (oito) anos, a partir do anocalendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO AIRTON ANGELO CLAUDINO EXECUTIVO Nº 166, DE 12 DE AGOSTO DE 2005 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002, com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 203/2004 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa PINHEIRO & RODRIGUES LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais nãorestituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO N o - 167, DE 12 DE AGOSTO DE 2005 Declara inapta a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério da Fazenda da pessoa jurídica que menciona, por inexistência de fato. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso de suas atribuições regimentais e nos termos dos artigos: 29, inciso III; 37, inciso II; 38; 39; e 43, da Instrução Normativa nº 200, de 13 de Setembro de 2002, da Secretaria da Receita Federal e de acordo, ainda, com o que ficou apurado no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. INAPTA a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda, da pessoa jurídica GUTAY COMÉRCIO IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. - CNPJ nº / , por não possuir existência de fato, pois não foi localizada no endereço informado à Secretaria da Receita Federal e seus titulares também não o foram. Art. 2º. INIDÔNEOS e não produzindo efeitos tributários em favor de terceiros, os documentos emitidos por essa pessoa jurídica, a partir de 17/11/1998. AIRTON ÂNGELO CLAUDINO DIVISÃO DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA <!ID >SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 59, DE 8 DE AGOSTO DE 2005 ASSUNTO: Classificação de Mercadorias EMENTA: CÓDIGO TEC MERCADORIA Unidade Condensadora para Sistema de Ar Condicionado, do tipo unidades divididas ( split ), contendo compressor rotativo e condensador baseado na permutação de calor com sistema de arrefecimento via circulação do ar e capacidade de refrigeração inferior a frigorias/hora, marca Cônsul, nos modelos CBL07ABBNA, CBL09ABBNA, CBL12ABBNA, CBL18ABBNA, CBL22OBBNA, CBM07ABBNA, CBM09ABBNA, CBM12ABBNA, CBM18ABB- NA, CBM22OBBNA, fabricada pela Brastemp da Amazônia S/A, quando apresentada isoladamente, sem a presença de uma unidade evaporadora Unidade Evaporadora para Sistema de Ar Condicionado, do tipo unidades divididas ( split ), com ventilador motorizado para distribuição do ar, dispositivo de arrefecimento, capacidade de umidificação e desumidificação do ambiente, capacidade de refrigeração inferior a frigorias/hora e equipada com válvula de inversão do ciclo de refrigeração (modo aquecimento), marca Cônsul, nos modelos CBI07OBBNA, CBI09OBBNA, CBI12OBB- NA, CBI18OBBNA, CBI22OBBNA, fabricada pela Brastemp da Amazônia S/A, quando apresentada isoladamente, sem a presença de uma unidade condensadora Unidade Evaporadora para Sistema de Ar Condicionado, do tipo unidades divididas ( split ), com ventilador motorizado para distribuição do ar, dispositivo de arrefecimento, capacidade de umidificação e desumidificação do ambiente e capacidade de refrigeração inferior a frigorias/hora, marca Cônsul, nos modelos CBJ07OBBNA, CBJ09OBBNA, CBJ12OBBNA, CBJ18OBBNA, CBJ22OBBNA, fabricada pela Brastemp da Amazônia S/A, quando apresentada isoladamente, sem a presença de uma unidade condensadora. DISPOSITIVOS LEGAIS: 1ª RGI/SH (texto das posições 8415 e 8418), 6ª RGI/SH (texto das subposições , e ) e 1ª RGC (texto dos subitens , e ), da Tarifa Externa Comum, do Mercosul, aprovada pela Resolução Camex nº 42/2001, e suas alterações, com subsídios das Notas Explicativas do Sistema Harmonizado, aprovadas pela IN SRF nº 157/02. JEZEBEL DE PÁDUA FLEURY Chefe 4ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM MACEIÓ <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO N o - 43, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 Declara a inidoneidade dos recibos de tratamento psicológico emitidos em nome de DEBORAH SANTIAGO PINHEIRO CPF O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MACEIÓ - AL, no uso das atribuições previstas no art. 250, inciso IX, do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n 30, de 25/02/2005, declara: Art. 1 - Inidôneos, para todos os efeitos tributários, TODOS OS RECIBOS de tratamento psicológicos emitidos em nome de DE- BORAH SANTIAGO PINEHIRO CPF , com endereço à Rua Barão José Miguel n 199, Apto 601, Farol, Maceió (AL), no período de 01/01/2000 a 31/12/2002, haja vista serem ideologicamente falsos e, portanto, imprestáveis e ineficazes para dedução da base de cálculo do imposto de renda pessoa física a quaisquer usuários dos mesmos, tendo em vista o contido na Súmula Administrativa n / Art. 2 - Este ato entra em vigor na data de sua publicação, produzindo os efeitos legais desde 01/01/2000. AIRTON ANGELO CLAUDINO AIRTON ANGELO CLAUDINO FRANCISCO AUGUSTO CARLOS

18 18 ISSN Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de 2005 <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO N o - 44, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 Declara Inapta a empresa Rumo Construções e Projeto Ltda - CNPJ /0001/33. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MACEIÓ- AL, no uso da atribuição que lhe confere o art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF nº 30, de 25/02/2005, considerando que a empresa e seus sócios não se encontram no seu domicílio fiscal e seu paradeiro é desconhecido: Art. 1º Declara inapta para todos os efeitos, a empresa Rumo Construções e Projeto Ltda CNPJ sob o nº /0001/33 Art. 2º Este Ato Declaratório Executivo entra em vigor na data da sua publicação no Diário Oficial da União, produzindo efeitos desde o dia 06/03/2005. FRANCISCO AUGUSTO CARLOS 5ª REGIÃO FISCAL ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL NO PORTO DE SALVADOR <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 7, DE 15 DE AGOSTO DE 2005 O INSPETOR DA RECEITA FEDERAL NA ALFÂNDEGA DO PORTO DE SALVADOR, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Regimento Interno da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF nº 030, de 25 de fevereiro de 2005, publicada no Diário Oficial da União, de 04 de março de 2005 e no artigo 40, inciso I do Decreto 646, de 09 de setembro de 1992, tendo em vista o teor constante do processo administrativo no / resolve: Art. 1º Aplicar a penalidade de suspensão de credenciamento pelo prazo de 60 (sessenta) dias ao despachante JOAQUIM CLAU- DEMIRO DOS SANTOS, CPF nº , registro nº 5D.0032 por prática da conduta tipificada no artigo. 76, inciso II, alíneas d e e da Lei , de 29 de dezembro de 2003 c/c artigo 29, inciso II do Decreto 646, de Art. 2º Este ato entrará em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. MANUEL EUSTÁQUIO BRITTO RIBEIRO DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM SALVADOR <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO N o - 106, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM SALVADOR, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 250 do Regimento Interno da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF nº 030, de 25 de fevereiro de 2005, publicada no Diário Oficial da União de 04 de março de 2005, e com base no art. 26, inciso I e 1º, da Instrução Normativa nº 200, de 13/09/2002, declara: ANULADA, por multiplicidade, a inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ da pessoa jurídica abaixo discriminada: CNPJ RAZÃO SOCIAL PROCESSO / PETRA ENGENHARIA LTDA / TITO AUGUSTO CESAR PIRES DE VIVEIROS 6ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM CONTAGEM <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 41, DE 10 DE AGOSTO DE 2005 Declara excluído do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte (Simples) o contribuinte que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM CONTA- GEM-MG, no uso da competência que lhe confere o artigo 15, 3º, da Lei nº 9.317, de 05 de dezembro de l996, incluído pelo artigo 3º da Lei nº 9.732, de 11 de dezembro de 1998, declara: Art. 1º Excluída da opção pela sistemática de pagamento dos impostos e contribuições de que trata o artigo 3º da Lei 9.317, de 1996, denominada SIMPLES, a partir de 01/01/2004, a pessoa jurídica ORGANIZAÇÕES LISBOA LTDA., CNPJ nº / , em conformidade com o disposto no inciso II do art. 9º do referido diploma legal, e nos termos do que foi apurado no processo administrativo nº / Art. 2º Os efeitos da exclusão obedecem ao disposto no inciso IV do art. 24 da Instrução Normativa SRF nº 355, de Art. 3º A fim de assegurar o contraditório e a ampla defesa, é facultado à pessoa jurídica, por meio de seu representante legal ou procurador, dentro do prazo de 30 (trinta) dias contados da data da ciência deste Ato, manifestar por escrito, sua inconformidade com relação à exclusão, à Delegacia da Receita Federal de Julgamento em Belo Horizonte, nos termos do Decreto nº , de 7 de março de Parágrafo único. Não havendo manifestação de inconformidade no prazo mencionado no caput deste artigo, a exclusão tornarse-á definitiva. Art. 4º Este Ato Declaratório Executivo entra em vigor na data de sua publicação. MÁRIO HERMES SOARES CAMPOS Substituto DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM CURVELO SEÇÃO DE CONTROLE E ACOMPANHAMENTO TRIBUTÁRIO <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO N o - 23, DE 15 DE JULHO DE 2005 Torna sem efeito a declaração de inaptidão feita através do Ato Declaratório Executivo nº 22, de 14/06/2005. A CHEFE DA SEÇÃO DE CONTROLE E ACOMPANHA- MENTO TRIBUTÁRIO DA DELEGACIA DA RECEITA FEDE- RAL EM CURVELO/MG, no uso da competência que lhe é conferida pela Portaria n 21, de 08 de junho de 2005, declara: Artigo único. Sem efeito a declaração de inaptidão feita através do Ato Declaratório Executivo nº 22, de 14/06/2005, que declarava inapta a inscrição do CNPJ / da empresa SADA SIDERURGIA LTDA por inexistência de fato. VERA LÚCIA SANTOS FERNANDES 7ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA NO RIO DE JANEIRO <!ID >RETIFICAÇÃO No Ato Declaratório Executivo Derat/RJO n 68, de 3 de agosto de 2005, publicado no DOU de 5 de agosto de 2005, seção 1, página 12: Onde se lê: dos autos do Mandado de Segurança n Leia-se: dos autos da Ação Ordinária n DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM NITERÓI <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 23, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 Concede registro especial para engarrafador de bebida alcóolica - código TIPI , com base no Decreto-Lei 1.593, de 1977, com a redação dada pela Lei n o , de 2003 e a Instrução Normativa n o - 504, de O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DE NITERÓI, no uso da competência prevista na Portaria MF 30, de 04 de março de 2005 e nos termos do artigo 1º do Decreto-Lei nº 1593, de 1977, com a redação dada pela Lei no , de 29 de dezembro de 2003, no artigo 3º da IN SRF nº 504, de 3 de fevereiro de 2005,e tendo em vista o que consta do Processo Administrativo nº / , resolve: Art. 1 o - Conceder o Registro Especial no. 107, na atividade de Engarrafador de Bebida Alcoólica, código TIPI , discriminada no artigo 2º, parágrafo 1º, inciso II, da Instrução Normativa SRF nº 504/2005, de 3 de fevereiro de 2005, ao estabelecimento MARISE DE MELO GOMES VIANA, com sede na Rua José Pereira Ferro, nº 01, bairro Visconde de Imbé, no Município Trajano de Morais, RJ, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica sob o nº / Art. 2 o - A presente autorização será cassada em caso de descumprimento das normas de controle relativas a matéria. Art 3 o - Este Ato Declaratório somente terá validade após a sua publicação no Diário Oficial da União. MARCELO CRUZ PONTUAL <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 24, DE 11 DE AGOSTO DE 2005 Concede registro especial para produtor de bebida alcóolica - código TIPI , com base no Decreto-Lei 1.593, de 1977, com a redação dada pela Lei n o , de 2003 e a Instrução Normativa n o - 504, de O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DE NITERÓI, no uso da competência prevista na Portaria MF no. 30, de 04 de março de 2005 e nos termos do artigo 1º do Decreto-Lei nº 1593, de 1977, com a redação dada pela Lei no , de 29 de dezembro de 2003, no artigo 3º da IN SRF nº 504, de 3 de fevereiro de 2005, e tendo em vista o que consta do Processo Administrativo nº / , resolve: Art. 1 o - Conceder o Registro Especial no. 108, na atividade de Produtor de Bebida Alcoólica, código TIPI , discriminada no artigo 2º, parágrafo 1º, inciso II, da Instrução Normativa SRF nº 504/2005, de 3 de fevereiro de 2005, ao estabelecimento ENGENHO DA SERRA AGRO INDÚSTRIA LTDA, com sede na Estrada Municipal da Cascata, KM 02, Fazenda Boa Vista, bairro Primeiro Distrito, no Município de Sumidouro, RJ, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica sob o nº / Art. 2 o - A presente autorização será cassada em caso de descumprimento das normas de controle relativas a matéria. Art 3 o - Este Ato Declaratório somente terá validade após a sua publicação no Diário Oficial da União. MARCELO CRUZ PONTUAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM VITÓRIA <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 134, DE 15 DE AGOSTO DE 2005 Declara a inaptidão da empresa perante o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas e a inidoneidade dos documentos fiscais por ela emitidos. A DELEGADA DA RECEITA FEDERAL EM VITÓRIA - E.SANTO, no uso das atribuições que lhes são conferidas pelo Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria Ministerial nº 30, de 25 de fevereiro de 2005, publicada no DOU de 04 de março de 2005, com fundamento na informação de fls. 15/18, expedida nos autos do processo administrativo nº / , com base nos arts. 81 e 82 da Lei nº 9.430/96, nos arts. 28, inciso IV, 29 inciso I e III, 37, 38 e 39 da IN 200 de 13 de setembro de 2002, tendo em vista que não foram contrapostas as razões da representação apresentada nos autos do processo do administrativo acima, declara INAPTA a inscrição do contribuinte AMERIMEX INTERNACIONAL LTDA, inscrito no CNPJ - Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda nº / , com os efeitos previstos nos arts. 42 e 43 da mesma IN/SRF nº 200/2002, a partir de 24 de julho de Este Ato Declaratório só terá validade após sua publicação no Diário Oficial da União LAURA GADELHA XAVIER DIVISÃO DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA EXECUTIVO Nº 234, DE 15 DE AGOSTO DE 2005 <!ID >ATO DECLARATÓRIO A CHEFE SUBSTITUTA DA DIVISÃO DE ADMINIS- TRAÇÃO ADUANEIRA DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL NA 7ª REGIÃO FISCAL, no uso da competência delegada pela Portaria SRRF07 nº 170, de 27 de julho de 2004, publicada no D.O.U. de 30 de julho de 2004, atendendo o previsto no art. 7º da Instrução Normativa SRF nº 4, de 10 de janeiro de 2001, e tendo em vista o que consta do processo nº /00-93 declara: Art.1º- Fica a empresa SCHLUMBERGER SERVIÇOS DE PETRÓLEO LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o nº / , habilitada a utilizar o regime aduaneiro especial de exportação e de importação de bens destinados às atividades de pesquisa e de lavra das jazidas de petróleo e de gás natural - REPETRO, de que trata o caput e o 1º do art. 2º da IN SRF nº 4/2001, na execução dos contratos a seguir relacionados, até o termo final estabelecido nos mesmos. Art.2º-Sem prejuízo da aplicação de penalidade específica, a habilitação para utilizar o REPETRO poderá ser suspensa ou cancelada, na hipótese de ocorrência de situações previstas no art. 34 da IN SRF nº 4/2001. Art.3º- Eventuais prorrogações dos contratos especificados serão objeto de novo Ato Declaratório Executivo. Art.4º- Este Ato entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. Art.5º- Fica revogado o Ato Declaratório Executivo SRRF07 nº 212, de 25 de julho de 2005, publicado no DOU de 1 de agosto de ANGELA CHRISTINA P. C. O. SOUTO

19 Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ISSN ANEXO CONTRA- ÁREA DE CONCESSÃO Nº NO Nº DO TERMO TA N T E (ANP) CNPJ C O N T R ATO FINAL / / / prorrogação / / / Campos em Exploração: / Bacias Sedimentares: / Amazonas: BA-1 e / Ceará- Amazonas: BPOT-4, 10 e / prorrogação Sergipe-Alagoas: BM-SEAL-4, / SEAL-30 e 100, BT-SEAL / Camamu-Almada: BCAM-40 e / BM-CAL-1 Espírito Santo: BES-3, 100 e 200. Campos: BC-20, 30, 50, 60, 100, / , 400, 500, 600, BM-C-3 e Santos: BS-3,400, 500, BM-S-3, 7, 8, 9, 10 e / / / prorrogação / / / / retificação e / prorrogação Campos em Produção: / Agulha, Albacora, Albacora Leste, / Petróleo Anequim, Arabaiana, Aratum, / Brasileiro Área do CES-066, Atum, Badejo, / S.A. Bagre, Barracuda, Bicudo, Biquara / (RNS-134), Bonito, Caioba, Cangoá, / Carapeba, Caratinga, Caraúna, / Cherne, Cioba (RNS-035), Congro, / Coral, Corvina, Curimã, Dentão / novo (RNS-035), Dourado, Enchova, / contrato Enchova Oeste, Espada, Espadarte, / Estrela- do Mar, Garoupa, Garoupinha, Guaiuba (RNS-128), Guaricema, Linguado, Malhado, Marimbá, Marlim, Marlim Leste, Marlim Sul, Moréia, Namorado, Nordeste de Namorado, / Norte de Pescada (RNS-033), / Oeste de Urubarana (RNS-071), / Pampo, Parati, Pargo, Peroá, / Pescada, Piraúna, Roncador, / Termo de Serra (RNS-128),Trilha, Ubarana, / Cooperação Vermelho, Viola, Voador e Xaréu / / / / Campo em Exploração: Marítima Petróleo Bacia Sed. de Potiguar : s/nº de e Engenharia BT-POT-3 e BT-POT prorrogação Ltda. Bacia Sed. do Recôncavo: BT-REC-3 Campo em Exploração: P e t r o s y n e rg y Bacia Sed. de Potiguar: BT-POT-17 s/nº de Ltda. Campo em Produção: prorrogação Tabuleiro dos Martins Ordem de Serviço Chevron Campo em Exploração: nº. OK prorrogação Brasileira Bacia Sed.de Santos: de Petróleo BM-S-7 Ordem de Serviço Ltda. nº. OK prorrogação Ordem de Serviço nº. OK retificação prorrogação Campo em Exploração: BP Brasil Bacia Sed. da Foz do Amazonas: CON-BPB Ltda. Wi n t e r s h a l l BM-FZA-1 Campo em Exploração: WINT-CMT BM-S-14 Bacia Sed. de Santos: WINT-LOG Ltda. UNAP União Nacional de BM-S-14 Campo em Exploração: WINT-TEST- 001/ Perfuração Ltda. Bacia Sed. de Potiguar : s/nº de (Aurizônia BT- POT- 16 prorrogação Empreendimentos Ltda.) Campo em Exploração: Texaco Brasil Bacia Sed. de Campos: Ordem de Serviço BM-C-5 Ltda. BM-C-5 nº OK A Devon Energy do Campo em Exploração: Brasil Ltda. Bacia Sed. de Potiguar: BPOT-2 WO-RRS-219/ ( SFR Petróleo do Campo em Produção: Brasil Ltda) CARAÚNA Eni Oil do Brasil Campo em Exploração: n B S.A. (Agip Oil do Bacia Sed. de Santos: BM-S-4 (Projeto Belmonte) Brasil S.A.) n B EnCanBrasil Ltda. El Paso BM-S-13 Ltda. El Paso Óleo e Gás do Brasil Ltda. (Coastal Campo em Exploração: Bacia Sed. de Campos: BM-C-7 Campo em Exploração: Bacia Sed. de Santos: BM-S-13 Campo em Exploração: Bacia Sed. de Camamu-Almada: n 09 ECB3/4 CS n 010 ECB3/4 WL BM-CAL-4 Ltda.) BM-CAL-4 EPPC-MSA nova cessão Coastal Campo em Exploração: B M - PA M A - 1 Bacia Sed. do Pará - Maranhão: / Ltda. B M - PA M A / Campo em Exploração: / B PA R Bacia Sed. do Paraná: / Ltda. B PA R / El Paso Campo em Exploração: / BM-S-13 Ltda. El Paso Óleo e Gás do Brasil Bacia Sed. de Santos: BM-S-13 Campo em Exploração: Bacia Sed. de Camamu-Almada: Ltda BM-CAL-4 EPPC-MSA Coastal B M - PA M A - 1 Campo em Exploração: Ltda. B M - PA M A - 1 Bacia Sed. do Pará - Maranhão:

20 <!ID > <!ID > 20 ISSN Nº 159, quinta-feira, 18 de agosto de ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM FRANCA <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 15, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 Inscreve o contribuinte no Registro Especial de estabelecimentos que realizam operações de papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM FRAN- CA/SP, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI, do artigo 250, do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal - SRF, aprovado pela Portaria MF nº 30, de 25 de fevereiro de 2005, publicada no DOU de 04 de março de 2005 e ainda considerando o disposto no artigo 2º, da IN-SRF nº 71, de 24 de agosto de 2001, republicada no DOU de 13 de setembro de 2001, com nova redação dada pela IN-SRF nº 101, de 21 de dezembro de 2001 e, ainda, considerando os autos do processo nº / , declara: Art.1º Inscrito no Registro Especial de estabelecimentos que realizam operações de papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos, sob número UP-08123/022, o estabelecimento da empresa JORNAL E EDITORA O GUAÍRA LTDA ME, CNPJ nº / localizado à Rua 14, nº Centro, Cep em Guaíra /SP, na categoria de USUÁRIO (UP), conforme disposto no inciso II do parágrafo 1º do artigo 1º da IN SRF nr. 71/2001. Art.2º Este Ato Declaratório somente terá validade após sua publicação no Diário Oficial da União. JOSÉ CÉSAR AGOSTINHO COSTA DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM SANTOS <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO Nº 64, DE 16 DE AGOSTO DE 2005 Exclusão de pessoa jurídica do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte - SIMPLES O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM SANTOS, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 250, do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF nº 030, de 25/02/2005, publicada no DOU de 04/03/2005, e pelo 3º do artigo 15 da Lei nº 9317, de 05/12/1996 (incluído pelo artigo 3º da Lei nº 9732, de 11/12/1998), declara: Art. 1º Fica excluída da sistemática de pagamentos de tributos e contribuições federais denominada SIMPLES a pessoa jurídica RESTAURANTE FRUTOS DO MAR LTDA - CNPJ / , por incorrer na hipótese prevista no inciso V do artigo 14 da Lei nº 9317/96 (prática reiterada de infração à legislação tributária), conforme apurado no processo administrativo nº / Art. 2º A exclusão do Simples surtirá efeito a partir de 01/02/2003, conforme inciso V do artigo 15 da Lei 9317/96. Art. 3º A pessoa jurídica poderá manifestar sua inconformidade quanto à exclusão de ofício, no prazo de 30 dias, observada a legislação relativa ao processo tributário administrativo, e, não havendo manifestação, após o decurso deste prazo a exclusão tornar-se á definitiva. CARLOS VINICIO LACERDA NACIF BANCO DO BRASIL S/A BB-BANCO DE INVESTIMENTO S/A ATA DA ASSEMBLÉIA-GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 8 DE JULHO DE 2005 Em oito de julho de dois mil e cinco, às dezesseis horas e trinta minutos, realizou-se Assembléia Geral Extraordinária dos Acionistas do BB-Banco de Investimento S.A. (CNPJ / ; NIRE: ), na Sede Social da Empresa, em Brasília (DF), tendo comparecido o Banco do Brasil S.A., seu único acionista, representado pelo seu Presidente, Sr. Rossano Maranhão Pinto, o qual assinou o "Livro de Presença", observadas as prescrições legais. Assumiu a presidência dos trabalhos o Sr. Adézio de Almeida Lima, Diretor-Vice-Presidente do BB Investimento, que, ao instalar a Assembléia, registrou a presença do Sr. Eustáquio Wagner Guimarães Gomes, representando o Conselho Fiscal, e convidou a Sra. Regina Maria Santos Rodrigues para atuar como Secretária. Em seguida, o Sr. Presidente informou que o assunto constante da ordem do dia era a distribuição do saldo existente na conta Reserva de Lucros para Expansão. Iniciada a apreciação do assunto, foi aprovada a distribuição, na forma de dividendos, do saldo de R$ ,50 existente na conta Reserva de Lucros para Expansão do Patrimônio Líquido, registrando que o Conselho Fiscal emitiu parecer sobre o assunto em Nada mais havendo a tratar, o Sr. Presidente deu por encerrados os trabalhos da Assembléia Geral Extraordinária dos Acionistas do BB-Banco de Investimento S.A., da qual eu, ass.) Regina Maria Santos Rodrigues, Secretária, mandei lavrar esta Ata que, lida e achada conforme, é devidamente assinada. Ass.) Adézio de Almeida Lima, Diretor-Vice-Presidente do BB-Banco de Investimento S.A., Presidente da Assembléia; Rossano Maranhão Pinto, Representante do Banco do Brasil S.A. Este documento é cópia fiel transcrita do Livro Próprio. Junta Comercial do Distrito Federal: Certifico o registro em , sob número , Antonio Celson G. Mendes - Secretário-Geral. BB - ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS S/A C.N.P.J / RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Semestre encerrado em 30 de junho de 2005 Constituição, Implantação e Estruturação da Empresa A BB ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS S.A. iniciou suas operações em 2004, amparada na Lei nº , de , que autorizou o Banco do Brasil a criar uma subsidiária integral com o objetivo de administrar grupos de consórcio destinados a facilitar o acesso a bens duráveis e de consumo. No exercício de 2004, buscou-se implantar e estruturar a empresa, promover o treinamento da rede de agências, testar, desenvolver e adequar os sistemas de processamento de dados, e divulgar o produto em nível nacional por meio de campanha publicitária nos diversos canais de mídia. Em 2005, o foco foi direcionado para o incremento das vendas, para a ampliação dos convênios com fornecedores de bens e para a melhoria e automatização de todos processos relacionados ao produtobb Consórcio. Comercialização do Produto No primeiro semestre de 2005, o produto foi priorizado junto a rede de agências no período de janeiro e fevereiro, tendo como resultado uma venda expressiva de cotas e R$ 803,7 milhões em produtos comercializados. Com esse resultado a administradora de consórcios do Banco do Brasil ficou em segundo lugar em número de participantes ativos no ranking elaborado pelo BACEN. As vendas ficaram assim distribuídas: Outros Bens Móveis (Eletroeletrônicos) Motocicletas Automóveis Caminhões / Tratores A BB Consórcios é líder no segmento de eletroeletrônicos, está posicionada no 5º lugar no segmento de motocicletas e já aparece no ranking das 20 maiores administradoras de automóveis e caminhões/tratores. Cenário e Mercado O sistema de consórcios registrou um crescimento de 23,7% nas vendas de novas cotas no acumulado de janeiro a maio deste ano em relação ao mesmo período em O total superou 837,9 mil cotas, enquanto que há um ano eram 677,2 mil cotas. O segmento, que movimentou R$ 15 bilhões em 2004, deverá continuar crescendo, apesar da desaceleração do crescimento da economia brasileira, mostrando que o consumidor quer e pode continuar comprando veículos, motos, imóveis, eletroeletrônicos e outros bem móveis, bem como pacotes de turismo. Segundo a ABAC - Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio, projeta-se um crescimento de 20% nas vendas para Perspectivas No segundo semestre de 2005, pretendemos explorar a base de clientes do Banco do Brasil, para consolidar o 2º lugar em total de cotas ativas e aumentar a participação nos segmentos de automóveis até o final do semestre. (Em milhares de reais) Balanço Patrimonial AT I V O Demonstrações Contábeis CIRCULANTE Disponibilidades 1 -- Aplicações Interfinanceiras de Liquidez (Nota 10) Aplicações no mercado aberto Títulos e Valores Mobiliários e Instrumentos Financeiros Derivativos Instrumentos financeiros derivativos (Nota10) Outros Créditos Diversos (Nota 11) REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Outros Créditos Diversos (Nota 11) PERMANENTE Diferido (Nota 6) Gastos de organização e expansão (Amortização acumulada) (726) (70) To t a l PASSIVO/PATRIMÔNIO LÍQUIDO CIRCULANTE Outras Obrigações Fiscais e previdenciárias (Nota 11) Diversas (Nota 11) PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital: De domiciliados no País Lucros ou Prejuízos Acumulados (616) (2.704) To t a l As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. Demonstração do Resultado 1º Sem/2005 2º Sem/2004 RECEITAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA Resultado de operações com títulos e valores mobiliários Resultado com instrumentos financeiros derivativos RESULTADO BRUTO DA INTERMEDIAÇÃO FI- NANCEIRA OUTRAS RECEITAS/(DESPESAS) OPERACIONAIS (4.867) Receitas de prestação de serviços (Nota 11) Despesas de pessoal ( ) (628) Outras despesas administrativas (Nota 11) (4.777) (3.984) Despesas tributárias (1.410) (70) Outras receitas operacionais Outras despesas operacionais (Nota 11) (461) (584) RESULTADO OPERACIONAL (4.097) RESULTADO ANTES DA TRIBUTAÇÃO SOBRE O LUCRO (4.097) IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (1.058) (Nota 5) Provisão para imposto de renda (Nota 8) (539) -- Provisão para contribuição social (Nota 8) (198) -- Ativo fiscal diferido (321) LUCRO LÍQUIDO/(PREJUÍZO) DO SEMESTRE (2.704) Número de ações Lucro/(Prejuízo) por ação em (R$) 0,15 (0,19) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 1º Sem/2005 2º Sem/2004 ORIGEM DOS RECURSOS Lucro Líquido Ajustado Lucro líquido Amortização do diferido Recursos de Terceiros Originários de: Aumento dos Subgrupos do Passivo Outras obrigações Redução dos Subgrupos do Ativo Aplicações interfinanceiras de liquidez Títulos e valores mobiliários Outros créditos APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prejuízo Ajustado Prejuízo Amortização do diferido -- (70) Incremento do Diferido Gastos de organização e expansão Aumento dos Subgrupos do Ativo Aplicações interfinanceiras de liquidez Instrumentos financeiros derivativos Outros créditos Redução dos Subgrupos do Passivo Outras obrigações

Total de homens Total de mulheres

Total de homens Total de mulheres Nome do população população 2900108 Abaíra 9.067 4.088 4.236 3.744 4.580 8.324 2900207 Abaré 13.648 8.566 8.506 9.035 8.037 17.072 2900306 Acajutiba 14.322 7.300 7.530 12.786 2.044 14.830 2900355 Adustina

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À POBREZA - SEDES SUPERINTENDÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SAS

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À POBREZA - SEDES SUPERINTENDÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SAS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À POBREZA - SEDES SUPERINTENDÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - SAS G O E O R S MUNICÍPIOS R D T T P SERVIÇO DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO A FAMÍLIAS E INDIVÍDUO

Leia mais

DECRETO Nº 14.346 DE 08 DE MARÇO DE 2013

DECRETO Nº 14.346 DE 08 DE MARÇO DE 2013 DECRETO Nº 14.346 DE 08 DE MARÇO DE 2013 Declara Situação de Emergência nas áreas dos Municípios afetados por Estiagem - COBRADE 1.4.1.1.0, conforme IN/MI 01/2012. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM EMPREGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO EDITAL N.º 1 FESF, 04 DE FEVEREIRO DE 2010

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM EMPREGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO EDITAL N.º 1 FESF, 04 DE FEVEREIRO DE 2010 EDITAL N.º 1 FESF, 04 DE FEVEREIRO DE 2010 CIRURGIÃO DENTISTA MACRORREGIÃO MICRORREGIÃO MUNICÍPIO EUNAPOLIS PORTO SEGURO ITAGIMIRIM EXTREMO-SUL TEIXEIRA DE FREITAS ITANHEM JUCURUCU SUL SUDOESTE OESTE ILHÉUS

Leia mais

SECRETARIA DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, IRRIGAÇÃO, REFORMA AGRÁRIA, PESCA E AQUICULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICA DO AGRONEGÓCIO

SECRETARIA DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, IRRIGAÇÃO, REFORMA AGRÁRIA, PESCA E AQUICULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICA DO AGRONEGÓCIO CHAPADA DIAMANTINA BAIXO SUL e Crescimento % do - Em casca - Toneladas AratuÍpe 20 17 10 9 Cairu - - - - Camamu - - - - Gandu 8 5 12 10 Ibirapitanga - - - - Igrapiúna - - - - Ituberá - - - - Jaguaripe

Leia mais

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA - PROC. SELETIVO SIMPLIFICADO - 001/2009 - EDUCAÇÃO BÁSICA E TÉCNICOS CONCORRÊNCIA

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA - PROC. SELETIVO SIMPLIFICADO - 001/2009 - EDUCAÇÃO BÁSICA E TÉCNICOS CONCORRÊNCIA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA - PROC. SELETIVO SIMPLIFICADO - 001/2009 - EDUCAÇÃO BÁSICA E TÉCNICOS CONCORRÊNCIA COD FUNÇÃO LOCAL 1ªOPC VAGAS CONCOR. 301 NÍVEL FUNDAMENTAL - MOTORISTA ORGÃO

Leia mais

Governo federal lança Plano Safra para convivência com o Semiárido

Governo federal lança Plano Safra para convivência com o Semiárido Governo federal lança Plano Safra para convivência com o Semiárido O governo federal anuncia nesta quinta-feira (4) uma série de medidas especiais para o fortalecimento da produção agrícola e pecuária

Leia mais

CÓDIGOS DA BAHIA. Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001

CÓDIGOS DA BAHIA. Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001 CÓDIGOS DA BAHIA Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001 UF MUNICÍPIO CÓDIGO DE ÁREA BA ABAÍRA 77 BA ABARÉ 75 BA ACAJUTIBA 75 BA ADUSTINA 75 BA ÁGUA FRIA 75 BA AIQUARA 73 BA ALAGOINHAS 75 BA ALCOBAÇA

Leia mais

FORÇA TAREFA BA RELAÇÃO DE PROTOCOLOS DOS PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO PARA EXECUÇÃO DO SERVIÇO DE RETRANSMISSÃO DE TELEVISÃO, EM CARÁTER SECUNDÁRIO

FORÇA TAREFA BA RELAÇÃO DE PROTOCOLOS DOS PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO PARA EXECUÇÃO DO SERVIÇO DE RETRANSMISSÃO DE TELEVISÃO, EM CARÁTER SECUNDÁRIO FUNDACAO BRASIL ECOAR - - Legal L020 53000.018214/2014 FUNDACAO BRASIL ECOAR BA Alagoinhas Técnico T580 53900.001857/2014 FUNDACAO BRASIL ECOAR BA Barreiras Técnico T579 53900.001856/2014 FUNDACAO BRASIL

Leia mais

REGIÕES ECONÔMICAS DO ESTADO DA BAHIA

REGIÕES ECONÔMICAS DO ESTADO DA BAHIA REGIÃO ECONÔMICA 1 Metropolitana de Salvador 1 Camaçari 2 Candeias 3 Dias D'Ávila 4 Itaparica 5 Lauro de Freitas 6 Madre de Deus 7 Salvador 8 São Francisco do Conde 9 Simões Filho 10 Vera Cruz REGIÃO ECONÔMICA

Leia mais

NORTE CENTRO-NORTE CENTRO-LESTE SUDOESTE EXTREMO-SUL

NORTE CENTRO-NORTE CENTRO-LESTE SUDOESTE EXTREMO-SUL Juazeiro NORTE Paulo Afonso Senhor do Bonfim Irecê CENTRO-NORTE Jacobina Serrinha Ribeira do Pombal Alagoinhas NORDESTE Barreiras Ibotirama OESTE Santa Maria da Vitória Guanambi CENTRO-LESTE Seabra Itaberaba

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - BAHIA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 01/2009 EDUCAÇÃO BÁSICA E TÉCNICOS SÍNTESE DOS RECURSOS - ETAPA

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - BAHIA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 01/2009 EDUCAÇÃO BÁSICA E TÉCNICOS SÍNTESE DOS RECURSOS - ETAPA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - BAHIA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 01/2009 EDUCAÇÃO BÁSICA E TÉCNICOS SÍNTESE DOS RECURSOS - ETAPA Publicação das Notas Objetivas Inscrição Função Parecer 93238

Leia mais

CONVÊNIOS - AGÊNCIAS COMUNITARIAS - BA

CONVÊNIOS - AGÊNCIAS COMUNITARIAS - BA Orgão superior (1) Ministerio das Comunicações Item(5) Beneficiario (Razão Social) ou Conveniado(6) CNPJ conveniado(7) CONVÊNIOS - AGÊNCIAS COMUNITARIAS - BA Orgão subordinado (2) Empresa Brasileira de

Leia mais

ANEXO ÚNICO. ANEXO ÚNICO - RESOLUÇÃO Nº 10, de 21/09/2011. SEÇÃO JUDICIÁRIA ESTADO DA BAHIA

ANEXO ÚNICO. ANEXO ÚNICO - RESOLUÇÃO Nº 10, de 21/09/2011. SEÇÃO JUDICIÁRIA ESTADO DA BAHIA ANEXO ÚNICO - RESOLUÇÃO Nº 10, de 21/09/2011. SEÇÃO JUDICIÁRIA ESTADO DA BAHIA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA 1ª CENTRO-NORTE BAIANO REGIÃO CIRCUNSCRIÇÕES COMARCAS NÃO INSTALADAS FEIRA DE SANTANA Amélia Rodrigues

Leia mais

UF Município Micro-Região Classificação Tipo

UF Município Micro-Região Classificação Tipo BA Abaíra Seabra Baixa Renda Estagnada BA Abaré Paulo Afonso Média Renda Inferior Estagnada BA Acajutiba Alagoinhas Média Renda Inferior Estagnada BA Adustina Ribeira do Pombal Baixa Renda Dinâmica BA

Leia mais

NOVEMBRO 2008 Valor em R$ DENOMINAÇÃO I C M S ACUMUL I P I ACUMUL I P V A ACUMUL FIES ACUMUL FCBA ACUMUL No Mês Até o Mês ABAÍRA 87.030,40 931.

NOVEMBRO 2008 Valor em R$ DENOMINAÇÃO I C M S ACUMUL I P I ACUMUL I P V A ACUMUL FIES ACUMUL FCBA ACUMUL No Mês Até o Mês ABAÍRA 87.030,40 931. NOVEMBRO 2008 Valor em R$ DENOMINAÇÃO I C M S ACUMUL I P I ACUMUL I P V A ACUMUL FIES ACUMUL FCBA ACUMUL No Mês Até o Mês ABAÍRA 87.030,40 931.586,99 1.993,35 22.690,98 3.105,08 51.820,05 3.623,05 34.764,88

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO HOMOLOGATÓRIA N o, DE DE DE 2015 Homologa o resultado da Revisão do Plano de Universalização Rural da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia COELBA

Leia mais

ABARE 28.648,09 18.445,18 0,00 5.353,00 52.446,27 215.446,42 ACAJUTIBA 29.929,88 26.421,24 0,00

ABARE 28.648,09 18.445,18 0,00 5.353,00 52.446,27 215.446,42 ACAJUTIBA 29.929,88 26.421,24 0,00 2012 JUNHO MUNICÍPIOS ICMS IPVA ITD TAXAS NO MES ATÉ O MES ABAIRA 19.852,38 20.730,61 0,00 379,00 40.961,99 157.355,25 ABARE 28.648,09 18.445,18 0,00 5.353,00 52.446,27 215.446,42 ACAJUTIBA 29.929,88 26.421,24

Leia mais

331.652,84 ABARE 30.044,85 26.767,78 0,00 7.427,40 64.240,03 431.476,61 ACAJUTIBA 19.646,06 35.743,14 20,00 603,56 56.012,76

331.652,84 ABARE 30.044,85 26.767,78 0,00 7.427,40 64.240,03 431.476,61 ACAJUTIBA 19.646,06 35.743,14 20,00 603,56 56.012,76 2013 AGOSTO Valores em R$1,00 MUNICÍPIOS ICMS IPVA ITD TAXAS NO MES ATÉ O MES ABAIRA 19.170,53 23.097,95 0,00 83,00 42.351,48 331.652,84 ABARE 30.044,85 26.767,78 0,00 7.427,40 64.240,03 431.476,61 ACAJUTIBA

Leia mais

AGUA FRIA 9.407,37 27.156,09 0,00 770,60 37.334,06 ALMADINA 2.434,54 11.702,97 0,00 445,00 14.582,51

AGUA FRIA 9.407,37 27.156,09 0,00 770,60 37.334,06 ALMADINA 2.434,54 11.702,97 0,00 445,00 14.582,51 2013 JUNHO MUNICÍPIOS ICMS IPVA ITD TAXAS NO MES ATÉ O MES ABAIRA 18.548,91 25.876,38 0,00 5,40 44.430,69 221.534,15 ABARE 33.893,13 22.666,65 0,00 2.999,40 59.559,18 298.235,22 ACAJUTIBA 24.606,08 32.908,34

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 01/2012

NOTA TÉCNICA nº 01/2012 Salvador, 16 de janeiro de 2012 NOTA TÉCNICA nº 01/2012 Orienta sobre a utilização do recurso referente à Portaria GM/MS nº 2.815, de 29 de novembro de 2011 Telessaúde Brasil Redes - Bahia. O Telessaúde

Leia mais

Tarifas para telefones fixos no estado do Piauí

Tarifas para telefones fixos no estado do Piauí Acaua - PI R$ 0,12 Agricolandia - PI R$ 0,12 Agua Branca - PI R$ 0,12 Alagoinha do Piaui - PI R$ 0,12 Alegrete do Piaui - PI R$ 0,12 Alto Longa - PI R$ 0,12 Altos - PI R$ 0,12 Alvorada do Gurgueia - PI

Leia mais

CONVITE CURSO PPA M SEPLAN/ENAP

CONVITE CURSO PPA M SEPLAN/ENAP CONVITE CURSO PPA M SEPLAN/ENAP Módulo 2 Elaboração de Projetos do Programa de Capacitação para técnicos municipais. A Secretaria do Planejamento (SEPLAN), em parceria com a Secretaria de Relações Institucionais

Leia mais

Municípios que não enviaram documentação ou com pendências junto ao CEDRS

Municípios que não enviaram documentação ou com pendências junto ao CEDRS Municípios que não enviaram documentação ou com pendências junto ao CEDRS MUNICÍPIO TERRITÓRIO ABARÉ ADUSTINA ALAGOINHAS ALCOBAÇA ALMADINA AMARGOSA AMÉLIA RODRIGUES ANGUERA ANTAS ARAMARI ARACATU AURELINO

Leia mais

Infância e Adolescência.

Infância e Adolescência. l l SIPIA - Sistema de Informação Para Infância e Adolescência. l É um sistema nacional de registro e tratamento de informações sobre a garantia e defesa dos direitos fundamentais preconizados no Estatuto

Leia mais

Ministério do Esporte. Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social

Ministério do Esporte. Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social Ministério do Esporte Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social O que é a parceria entre o PST e o PME? É uma parceria entre o Ministério da Educação e o Ministério do Esporte,

Leia mais

Renda per capita (R$) - Agosto/2012

Renda per capita (R$) - Agosto/2012 Renda per capita (R$) - Agosto/2012 ACAUÃ 199,35 AGRICOLÂNDIA 245,68 ÁGUA BRANCA 335,63 ALAGOINHA DO PIAUÍ 222,87 ALEGRETE DO PIAUÍ 268,12 ALTO LONGÁ 272,28 ALTOS 314,48 ALVORADA DO GURGUÉIA 203,23 AMARANTE

Leia mais

Lista de municípios Bolsa Estiagem - 18 de junho de

Lista de municípios Bolsa Estiagem - 18 de junho de Nº COD. IBGE Município Reconhecidos pela Defesa Civil Lista de municípios Bolsa Estiagem - 18 de junho de UF Nº Decreto Data do Decreto Evento SE/ECP 1 2900108 ABAÍRA BA 219/12 12/3/2012 ESTIAGEM SE 2

Leia mais

UF Município Micro-Região Classificação Tipo

UF Município Micro-Região Classificação Tipo PI Acauã Alto Médio Canindé Baixa Renda Dinâmica PI Agricolândia Médio Parnaíba Piauiense Baixa Renda Estagnada PI Água Branca Médio Parnaíba Piauiense Baixa Renda Estagnada PI Alagoinha do Piauí Pio IX

Leia mais

Cidades e Vilas do Brasil

Cidades e Vilas do Brasil 1 gg mm ss gg mm ss UF Nome do Município Cat Lat Long PI Acauã Cidade -08 12 54 41 04 54 PI Agricolândia Cidade -05 47 56 42 40 08 PI Água Branca Cidade -05 53 32 42 38 10 PI Alagoinha do Piauí Cidade

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM BAHIA

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM BAHIA CDKM Soluções - Contabilidade, Assessoria, Consultoria e Tecnologia - ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM BAHIA, e de Coité, novembro de CDKM Soluções - Contabilidade, Assessoria, Consultoria e Tecnologia - s

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES REPUBLICADO POR TER SAÍDO COM INCORREÇÃO

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES REPUBLICADO POR TER SAÍDO COM INCORREÇÃO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES REPUBLICADO POR TER SAÍDO COM INCORREÇÃO Ref. Processo Seletivo de Ingresso no Programa de Formação de Professores 3º etapa, na modalidade presencial, na forma que indica.

Leia mais

MAPA DO FIM DA FOME: Metas Metas Sociais Contra Miséria nos Municípios B Baianos MAPA DO FIM DA FOME: Julho 2001. CPS Centro de Políticas Sociais

MAPA DO FIM DA FOME: Metas Metas Sociais Contra Miséria nos Municípios B Baianos MAPA DO FIM DA FOME: Julho 2001. CPS Centro de Políticas Sociais CPS Centro de Políticas Sociais MAPA DO FIM DA FOME: MAPA DO FIM DA FOME: Metas Metas Sociais Contra Miséria nos nos Municípios B Baianos Grande Salvador - PME 2000 Julho 2001 Estado da Bahia PNAD (1998-99)

Leia mais

FUNDAÇÃO LUÍS EDUARDO MAGALHÃES CNPJ - 03037070/0001-02

FUNDAÇÃO LUÍS EDUARDO MAGALHÃES CNPJ - 03037070/0001-02 Publicado no Diário Oficial do Estado da Bahia, em 25/26 de março de 2006, páginas 3 e 4, Caderno 4. FUNDAÇÃO LUÍS EDUARDO MAGALHÃES CNPJ - 03037070/0001-02 CONVOCAÇÃO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES DO 2º EXAME

Leia mais

FUNDAÇÃO LUÍS EDUARDO MAGALHÃES CNPJ - 03037070/0001-02

FUNDAÇÃO LUÍS EDUARDO MAGALHÃES CNPJ - 03037070/0001-02 Este Edital já contempla as alterações informadas na Errata da Convocação de abertura de Inscrições, publicada no Diário Oficial Nº. 18602, de 15 de julho de 2004 FUNDAÇÃO LUÍS EDUARDO MAGALHÃES CNPJ -

Leia mais

RÁDIOFÁCIL. Regiões. Irecê. Velho Chico

RÁDIOFÁCIL. Regiões. Irecê. Velho Chico FÁCIL FÁCIL Irecê AMÉRICA DOURADA BARRA DO MENDES BARRO ALTO CAFARNAUM CANARANA CENTRAL GENTIO DO OURO IBIPEBA IBITITÁ IPUPIARA IRECÊ ITAGUAÇU DA BAHIA JOÃO DOURADO JUSSARA LAPÃO MULUGUM DO MORRO PRESIDENTE

Leia mais

CÓDIGOS DO PIAUÍ. Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001

CÓDIGOS DO PIAUÍ. Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001 CÓDIGOS DO Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001 UF MUNICÍPIO CÓDIGO DE ÁREA PI ACAUÃ 89 PI AGRICOLÂNDIA 86 PI ÁGUA BRANCA 86 PI ALAGOINHA DO 89 PI ALEGRETE DO 89 PI ALTO LONGÁ 86 PI ALTOS 86 PI

Leia mais

PIAUÍ CIDADE UF DDD TELEFONE FIXO TELEFONE CELULAR

PIAUÍ CIDADE UF DDD TELEFONE FIXO TELEFONE CELULAR AUÍ Acauã Agricolândia Água Branca Alagoinha do Piauí Alegrete do Piauí Alto Longá Altos Alvorada do Gurguéia Amarante Angical do Piauí Anísio de Abreu Antônio Almeida Aroazes Aroeiras do Itaim Arraial

Leia mais

ELEITORADO PIAUÍ 2014

ELEITORADO PIAUÍ 2014 ELEITORADO PIAUÍ 2014 MUNICÍPIO QT % ACAUÃ 5.369 0,229 AGRICOLÂNDIA 4.843 0,206 ÁGUA BRANCA 13.123 0,559 ALAGOINHA DO PIAUÍ 6.178 0,263 ALEGRETE DO PIAUÍ 4.391 0,187 ALTO LONGÁ 11.708 0,499 ALTOS 30.415

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL

SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL RESOLUÇÃO CIB Nº. 343/2012 Aprova a alocação dos recursos financeiros referente ao exercício 2012 e 2013, do Componente I - Cirurgia de Catarata especifica da população de extrema pobreza dos Municípios

Leia mais

RELAÇÃO - DIREC S INTERIOR

RELAÇÃO - DIREC S INTERIOR RELAÇÃO - DIREC S INTERIOR Sigla: DIREC-02 Responsável: BELDES LUIS PEREIRA RAMOS Endereço: AV. PRESIDENTE DUTRA S/N - CENTRO / Feira de Santana - Cep: 44.016-615 Telefone: (75) 36231328 / (75) 36231181

Leia mais

Thasla Vanessa (Coordenação Macro Oeste)

Thasla Vanessa (Coordenação Macro Oeste) COORDENADORES REGIONAIS Aloma Galeano (Coordenação Macro Norte) aloma.galeano@cultura.ba.gov.br (75) 8105-4689/ 36224684/ 3612-4516/ 8279-9269 TERRITÓRIO REPRESENTANTE LOTAÇÃO DO REPRESENTANTE MUNICÍPIOS

Leia mais

SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO COORDENAÇÃO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO COORDENAÇÃO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO COORDENAÇÃO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL QUALIFICA BAHIA EXECUÇÃO 2014 TERRITÓRIO MUNICÍPIOS CADEIAS PRODUTIVAS

Leia mais

Alfabetização. Sistema de Avaliação Baiano da Educação - SABE. Revista do Sistema de Avaliação Rede MUNICIPAL SEÇÃO 5

Alfabetização. Sistema de Avaliação Baiano da Educação - SABE. Revista do Sistema de Avaliação Rede MUNICIPAL SEÇÃO 5 ISSN 2238-3077 AVALIE ALFA 2012 Sistema de Avaliação Baiano da Educação - SABE Revista do Sistema de Avaliação Rede MUNICIPAL Alfabetização SEÇÃO 1 A avaliação como meio para superar desafios EXPERIÊNCIA

Leia mais

N.º RESOLUÇÃO DATA DA REUNIÃO PUBLICAÇÃO NO D.O. ASSUNTO

N.º RESOLUÇÃO DATA DA REUNIÃO PUBLICAÇÃO NO D.O. ASSUNTO 001/95 02.02.95 14.02.95 Aprovar critérios para distribuição de AIH s nos municípios do Estado da Bahia. Tendo como critérios: Análise da capacidade instalada, potencialidade e indicadores de saúde; Sede

Leia mais

Relação dos municípios beneficiados com a entrega de retroescavadeiras Relação dos municípios beneficiados com a entrega de motoniveladoras

Relação dos municípios beneficiados com a entrega de retroescavadeiras Relação dos municípios beneficiados com a entrega de motoniveladoras Relação dos municípios beneficiados com a entrega de retroescavadeiras Baixa Grande do Ribeiro Barreiras do Piauí Gilbués Guadalupe Lagoinha do Piauí Landri Sales Porto Alegre do Piauí Ribeiro Gonçalves

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES EDITAL SUPROF / SEC Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO INTERNO DE SERVIDORES DA REDE ESTADUAL DE ENSINO PARA ATUAR NO PROJETO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL JUNTO A SECRETARIA DA EDUCAÇÃO-SEC/SUPERINTENDÊNCIA DE

Leia mais

EDITAL N º 001/2014 II PRÊMIO MELHOR ESCOLA PÚBLICA DO ANO

EDITAL N º 001/2014 II PRÊMIO MELHOR ESCOLA PÚBLICA DO ANO EDITAL N º 001/2014 II PRÊMIO MELHOR ESCOLA PÚBLICA DO ANO A FUNDAÇÃO JOSÉ SILVEIRA informa aos interessados que no período de 15/08/2014 a 23/09/2014 estará realizando inscrições para o II Prêmio Melhor

Leia mais

Anexo 6.4.1-9 Deslocamento dos Temas Saúde e Compras

Anexo 6.4.1-9 Deslocamento dos Temas Saúde e Compras Anexo 6.4.1-9 Deslocamento dos Temas e 2619-00-EIA-RL-0001-00 LT 500 KV MIRACEMA - SAPEAÇU E SUBESTAÇÕES ASSOCIADAS e 2 TOCANTINS Rio dos Bois Miranorte 1 1 3 3 3 Rio dos Bois Miracema do Tocantins 2

Leia mais

PARÁGRAFO ÚNICO - O programa deverá contemplar 03 (três) segmentos de intervenção:

PARÁGRAFO ÚNICO - O programa deverá contemplar 03 (três) segmentos de intervenção: Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária Protocolo: Mamona PROTOCOLO DE INTENÇÕES QUE ENTRE SI FAZEM O BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A., O GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA, ATRAVÉS DA SECRETARIA

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. 1 º Exame de Certificação Ocupacional para Dirigentes Escolares CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO

MANUAL DO CANDIDATO. 1 º Exame de Certificação Ocupacional para Dirigentes Escolares CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO MANUAL DO CANDIDATO 1 º Exame de Certificação Ocupacional para Dirigentes Escolares CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO Janeiro/2001 1 º EXAME DE CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL PARA DIRIGENTES ESCOLARES

Leia mais

UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA CONSTRUÍDAS E/OU REFORMADAS 2007/2008

UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA CONSTRUÍDAS E/OU REFORMADAS 2007/2008 328 APENDICE A UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA CONSTRUÍDAS E/OU REFORMADAS 2007/2008 Município Financiamento/ Execução Construídas (2007-2008) Reformadas (2007-2008) Construídas + Reformadas (2007-2008) Planaltino

Leia mais

CONSISAL CDS LITORAL SUL CDS VALE DO JIQUIRIÇÁ CDS PORTAL DO SERTÃO CONSTRUIR

CONSISAL CDS LITORAL SUL CDS VALE DO JIQUIRIÇÁ CDS PORTAL DO SERTÃO CONSTRUIR FECBAHIA: Fundação A Federação dos Consórcios Públicos da Bahia foi fundada em 28 de abril de 2015 por 16 consórcios públicos em assembleia e constituída como instituição de pessoa jurídica de direito

Leia mais

Panorama da Situação Epidemiológica na Bahia: Dengue, Febre Chikungunya e Doença Exantemática Indeterminada (ZIKA?) 25/06/2015

Panorama da Situação Epidemiológica na Bahia: Dengue, Febre Chikungunya e Doença Exantemática Indeterminada (ZIKA?) 25/06/2015 Panorama da Situação Epidemiológica na Bahia: Dengue, Febre Chikungunya e Doença Exantemática Indeterminada (ZIKA?) 25/06/2015 Dengue Casos notificados 1, coeficiente de incidência 2 e tendência linear

Leia mais

Programa Nacional de Controle Eletrônico de Velocidade - PNCV Equipamentos e Faixas em Operação

Programa Nacional de Controle Eletrônico de Velocidade - PNCV Equipamentos e Faixas em Operação Equipamentos e Faixas em Barreira Eletrônica AC 317 89,000 SENADOR GUIOMARD 19L 8877298 640896 ACB00303010 Crescente 1 50 50 11/03/2014 Barreira Eletrônica AC 317 89,000 SENADOR GUIOMARD 19L 8877297 640927

Leia mais

Parte do Edital PE 89/2012 ANEXOIV - Continuação RELAÇÃO DE UNIDADES CAIXA SR NORTE DA BAHIA

Parte do Edital PE 89/2012 ANEXOIV - Continuação RELAÇÃO DE UNIDADES CAIXA SR NORTE DA BAHIA Parte do Edital PE 89/2012 ANEXOIV - Continuação RELAÇÃO DE UNIDADES CAIXA SR NORTE DA BAHIA UNIDADE SQ CÓD. ENDEREÇO CONTATO CIDADE UF 1 3395 REMANSO 2 3586 VELHO CHICO AV. CORONEL JOSÉ CASTELO BRANCO,S/Nº-

Leia mais

Pronatec - 2º Semestre/2015 - Cursos e Vagas por Município

Pronatec - 2º Semestre/2015 - Cursos e Vagas por Município BA ABARÉ OPERADOR DE COMPUTADOR BA ABARÉ PROGRAMADOR DE SISTEMAS BA ACAJUTIBA ENCANADOR INSTALADOR PREDIAL BA ACAJUTIBA PEDREIRO DE ALVENARIA BA ÁGUA FRIA AMOSTRADOR DE MINÉRIOS 30 Presencial BA ÁGUA FRIA

Leia mais

APRESENTAÇÃO. O PAC cria um Brasil de oportunidades. Confira, nesse caderno, a evolução dos empreendimentos

APRESENTAÇÃO. O PAC cria um Brasil de oportunidades. Confira, nesse caderno, a evolução dos empreendimentos APRESENTAÇÃO A segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) chegou ao fim com mais de 40 mil empreendimentos em todas as regiões brasileiras. Até 31 de outubro deste ano, o montante investido

Leia mais

0,00% 0,00% 97,5% 100% 0,00% 0,00%

0,00% 0,00% 97,5% 100% 0,00% 0,00% Grau Percentual de Execução Física PRODUTO/SERVIÇO Aquisição de Imagens de satélite georreferenciadas de alta resolução (máximo 1,5 m) Serviço técnico especializado para desenvolver módulo de cadastro

Leia mais

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Construindo as Metas Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Região: Sudeste; UF: Mesorregião: Município: Angra dos Reis; Aperibé; Araruama; Areal; Armação dos Búzios; Arraial do Cabo;

Leia mais

Foro Internacional Medamerica 2011

Foro Internacional Medamerica 2011 Foro Internacional Medamerica 2011 EVIDÊNCIAS DE UMA CIDADE MÉDIA: O cenário regional de Vitória da Conquista diante da realidade econômica mundial Josenaldo de Souza Alves Rita Lima Objetivo Contribuir

Leia mais

PORTARIA Nº 13.776 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010

PORTARIA Nº 13.776 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 Salvador, Bahia Terça-feira 23 de novembro de 2010 Ano XCV N o 20.420 PORTARIA Nº 13.776 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 Dispõe sobre a inexigibilidade e dispensa de licenciamento ambiental para as atividades

Leia mais

Anexo 6.4.1-8 Origem dos Insumos para a Produção Agropecuária

Anexo 6.4.1-8 Origem dos Insumos para a Produção Agropecuária Anexo 6.4.1-8 Origem dos Insumos para a Produção Agropecuária 2619-00-EIA-RL-0001-00 LT 500 KV MIRACEMA - SAPEAÇU E SUBESTAÇÕES ASSOCIADAS TOCANTINS Centenário Centenário Bovinos Centenário Guaraí Bovinos

Leia mais

1 de 12 27/04/2015 08:14

1 de 12 27/04/2015 08:14 1 de 12 27/04/2015 08:14 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - PREFEITURA MUNICIPAL DE CARINHANHA / BA Prefeitura Municipal de Carinhanha - Bahia. são vagas para níveis fundamental, médio e superior. Informações

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. 1 º Exame de Certificação Ocupacional Professores Alfabetizadores - Alfabetização de Crianças-

MANUAL DO CANDIDATO. 1 º Exame de Certificação Ocupacional Professores Alfabetizadores - Alfabetização de Crianças- MANUAL DO CANDIDATO 1 º Exame de Certificação Ocupacional Professores Alfabetizadores - Alfabetização de Crianças- CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO Abril - 2003 CONVOCAÇÃO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES

Leia mais

LEI Nº 6.983 DE 25 DE JULHO DE 1996.

LEI Nº 6.983 DE 25 DE JULHO DE 1996. LEI Nº 6.983 DE 25 DE JULHO DE 1996. Autoriza o Poder Judiciário a alienar imóveis e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono

Leia mais

381.757,84 ABARE 36.485,69 15.893,38 0,00 6.853,20 59.232,27 490.708,88 ACAJUTIBA 19.866,48 21.363,88 0,00 2.764,80 43.995,16

381.757,84 ABARE 36.485,69 15.893,38 0,00 6.853,20 59.232,27 490.708,88 ACAJUTIBA 19.866,48 21.363,88 0,00 2.764,80 43.995,16 2013 SETEMBRO Valores em R$1,00 MUNICÍPIOS ICMS IPVA ITD TAXAS NO MES ATÉ O MES ABAIRA 30.798,16 19.299,64 0,00 7,20 50.105,00 381.757,84 ABARE 36.485,69 15.893,38 0,00 6.853,20 59.232,27 490.708,88 ACAJUTIBA

Leia mais

Redistribuição da Complementação da União (CRÉDITOS)

Redistribuição da Complementação da União (CRÉDITOS) PI ACAUA 7.739,10 PI AGRICOLANDIA 4.943,22 PI AGUA BRANCA 13.013,79 PI ALAGOINHA DO PIAUI 7.759,93 PI ALEGRETE DO PIAUI 6.649,90 PI ALTO LONGA 11.703,72 PI ALTOS 36.211,57 PI ALVORADA DO GURGUEIA 6.641,33

Leia mais

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UF Municipio RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Aperibé RJ Aperibé CNPJ Razão Social FUNDAÇÃO INSTITUTO DE DO ESTADO DO RIO DE

Leia mais

INCLUSÃO PRODUTIVA - TEMÁTICA OLEAGINOSAS

INCLUSÃO PRODUTIVA - TEMÁTICA OLEAGINOSAS Projeto Polos de 20 de Junho de 2011 volume 01, edição 01 BAHIA INCLUSÃO PRODUTIVA - TEMÁTICA OLEAGINOSAS - A Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária, do Estado da Bahia (SEAGRI/BA), através

Leia mais

NÚCLEO MATA ATLÂNTICA ORGANOGRAMA

NÚCLEO MATA ATLÂNTICA ORGANOGRAMA CADERNO DE METAS 2009 AMPEB NÚCLEO MATA ATLÂNTICA ORGANOGRAMA PROCURADORIA- GERAL DE JUSTIÇA CADERNO DE METAS 2009 ÁREA TÉCNICA COORDENAÇÃO GERAL Juliana de Sales Andrade Alencar Alves CONSULTORIA JURÍDICA

Leia mais

ANEXO 5 RELACAO DE LOCALIDADES ATENDIDAS - QUALIFICAÇÃO DO ATENDIMENTO - BAHIA

ANEXO 5 RELACAO DE LOCALIDADES ATENDIDAS - QUALIFICAÇÃO DO ATENDIMENTO - BAHIA ABAIRA ABAIRA INDIVIDUAL ABAIRA BARRA DE ABAIRA COLETIVO ABAIRA CATOLES INDIVIDUAL ABAIRA MALHADA COLETIVO ABAIRA OURO VERDE INDIVIDUAL ABAIRA RIBEIRAO BAIXO INDIVIDUAL ABAIRA TANQUE COLETIVO ABARE ABARE

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO RELACIONADOS AO TRABALHO. BAHIA, 2010. 1

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO RELACIONADOS AO TRABALHO. BAHIA, 2010. 1 GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia SESAB Superintendência de Vigilância e Proteção à Saúde SUVISA Documento Diretoria Técnico de nº. Vigilância 00 e Atenção à Saúde do Trabalhador

Leia mais

ENCONTROS ESTADUAIS - REDE DE ANCORAGEM TRILHAS QUADRO RESUMO SEMANA DE 28 DE MAIO A 01 DE JUNHO ESTADOS QTD TÉCNICOS DAS SECRETARIAS PARTICIPANTES

ENCONTROS ESTADUAIS - REDE DE ANCORAGEM TRILHAS QUADRO RESUMO SEMANA DE 28 DE MAIO A 01 DE JUNHO ESTADOS QTD TÉCNICOS DAS SECRETARIAS PARTICIPANTES ENCONTROS ESTADUAIS - REDE DE ANCORAGEM TRILHAS QUADRO RESUMO SEMANA DE 28 DE MAIO A 01 DE JUNHO ESTADOS QTD TÉCNICOS DAS SECRETARIAS PARTICIPANTES PARTICIPANTES QTD MUNICÍPIOS PARTICIPANTES LOCAL DO EVENTO

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.53A.0017A/RT-03-AA

Relatório de Consultoria PD.33.10.53A.0017A/RT-03-AA Relatório de Consultoria PD.33.10.53A.0017A/RT-03-AA PROPOSTA REMANEJAMENTO DOS CANAIS 6 DE RTV/VHF DO PBRTV NAS LOCALIDADES DO GRUPO B ESTADOS DE ALAGOAS, BAHIA, CEARÁ, PARAÍBA, PERNAMBUCO, RIO GRANDE

Leia mais

Resolução Normativa RN 259

Resolução Normativa RN 259 Resolução Normativa RN 259 (Publicada em 17/06/11, alterada pela RN 268 de 20/10/11 e complementada pela IN/DIPRO nº n 37 de 07/12/11) Gerência de Regulação 27 de janeiro de 2012 Apresentação da Norma

Leia mais

1 IBGE052009 FUNDAÇÃO CESGRANRIO INSCRITOS POR CIDADE/CARGO 13/01/2010

1 IBGE052009 FUNDAÇÃO CESGRANRIO INSCRITOS POR CIDADE/CARGO 13/01/2010 1 IBGE052009 AC ACRELÂNDIA AGENTE CENSITÁRIO MUNICIPAL (ACM) / SUPERVISOR (ACS) 37 AC ASSIS BRASIL AGENTE CENSITÁRIO MUNICIPAL (ACM) / SUPERVISOR (ACS) 54 AC BRASILÉIA AGENTE CENSITÁRIO DE INFORMÁTICA

Leia mais

ANALISE ESTATÍSTICA DE DADOS DE PRECIPITAÇÃO MÁXIMA NO ESTADO DA BAHIA. Jorge Eurico Ribeiro Matos Departamento de Engenharia Ambiental-UFBA

ANALISE ESTATÍSTICA DE DADOS DE PRECIPITAÇÃO MÁXIMA NO ESTADO DA BAHIA. Jorge Eurico Ribeiro Matos Departamento de Engenharia Ambiental-UFBA ANALISE ESTATÍSTICA DE DADOS DE PRECIPITAÇÃO MÁXIMA NO ESTADO DA BAHIA Jorge Eurico Ribeiro Matos Departamento de Engenharia Ambiental-UFBA Resultados encontrados para diferentes regiões microclimaticas

Leia mais

CONFIRA A LISTA COMPLETA DO TCM:

CONFIRA A LISTA COMPLETA DO TCM: CONFIRA A LISTA COMPLETA DO TCM: 1.Abaré, gestores Geraldo Rodrigues dos Santos e Delisio Oliveira da Silva; 2.Água Fria, Adailton Nunes de Souza Leão; Aiquara, Jutahy Souza Cosme; 3.Amélia Rodrigues,

Leia mais

ZONEAMENTO ECOLÓGICO-ECONÔMICO DA BAHIA

ZONEAMENTO ECOLÓGICO-ECONÔMICO DA BAHIA ZONEAMENTO ECOLÓGICO-ECONÔMICO DA BAHIA ZONA POTENCIALIDADES LIMITAÇÕES REGIÕES DA BAHIA (SISTEMA FIEB) POSSÍVEIS E POTENCIAIS IMPACTOS NO SETOR INDUSTRIAL (Diretrizes Gerais - DG / Diretrizes Específicas

Leia mais

HOSPITAIS DE REFERÊNCIA E LOCAIS DE APLICAÇÃO DE ANTIVENENOS BAHIA

HOSPITAIS DE REFERÊNCIA E LOCAIS DE APLICAÇÃO DE ANTIVENENOS BAHIA Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis Coordenação de Vigilância de Doenças Transmitidas por Vetores

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA BAHIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA BAHIA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA BAHIA Relação de Cartórios Eleitorais do Estado da Bahia MUNICÍPIO FÓRUM EDGAR GODOFREDO CARDOSO - LARGO DO ROSÁRIO, S/N, ABAÍRA 105 CENTRO - CEP: 46765-970, PIATÃ -BA 77

Leia mais

EVOLUÇÃO DO ELEITORADO DO PIAUÍ POR MUNICÍPIO 1º TRIMESTRE - 2014

EVOLUÇÃO DO ELEITORADO DO PIAUÍ POR MUNICÍPIO 1º TRIMESTRE - 2014 ACAUA 6.890 5.176 75,12 5.187 75,28 AGRICOLANDIA 5.097 4.727 92,74 4.721 92,62 AGUA BRANCA 16.869 12.806 75,91 12.777 75,74 ALAGOINHA DO PIAUÍ 7.467 6.080 81,42 6.065 81,22 ALEGRETE DO PIAUI 5.211 4.195

Leia mais

Manual TFD 1. Instruções para o Programa do Tratamento Fora do Domicilio 1

Manual TFD 1. Instruções para o Programa do Tratamento Fora do Domicilio 1 Manual TFD 1. Instruções para o Programa do Tratamento Fora do Domicilio 1 O QUE É TRATAMENTO FORA DO DOMICÍLIO TFD. O Tratamento Fora de Domicílio TFD, instituído pela Portaria nº. 55/99 da Secretaria

Leia mais

CONSULTA SITUAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PNATE

CONSULTA SITUAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PNATE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO SAPE - Sistema de Assistência a Programas e Projetos Educacionais CONSULTA SITUAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PNATE UF ENTIDADES CNPJ

Leia mais

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis Teresópolis a) R$ 500,00 (quinhentos reais): Porteiro,

Leia mais

Região. Nor deste. Catálogo do Sistema Universidade Aberta do Brasil

Região. Nor deste. Catálogo do Sistema Universidade Aberta do Brasil Região Nor deste alagoas Nome dos polos, número de cursos e vagas no estado do Alagoas VAGAS VAGAS VAGAS VAGAS TOTAIS MACEIÓ MARAGOGI OLHO D ÁGUA DAS FLORES SANTANA DO IPANEMA SÃO JOSÉ DA LAJE Fonte: DED/CAPES/MEC

Leia mais

22ª Região - Piauí. CEP: 64.001-490 Teresina/PI Tel: (86) 2106-9412 / Fax: (86)2106-9463 e-mail: 1vtt@trt22.gov.br Código atribuído pelo TRT: 001

22ª Região - Piauí. CEP: 64.001-490 Teresina/PI Tel: (86) 2106-9412 / Fax: (86)2106-9463 e-mail: 1vtt@trt22.gov.br Código atribuído pelo TRT: 001 22ª Região - Piauí CENTRAL DE DISTRIBUIÇÃO DAS VARAS DO TRABALHO DE TERESINA Teresina, Alto Longá, Altos, Barro Duro, Beneditinos, Buriti dos Montes, Castelo do Piauí, Coivaras, Curralinhos, Demerval Lobão,

Leia mais

JUIZ COMARCA VARA(S) GUSTAVO TELES VERAS NUNES BUERAREMA JURISDIÇÃO PLENA

JUIZ COMARCA VARA(S) GUSTAVO TELES VERAS NUNES BUERAREMA JURISDIÇÃO PLENA O PRESIDENTE DO TJBA, DES. MARIO ALBERTO HIRS, designa os Juízes Substitutos, abaixo relacionados, para, a partir de 29/10/2013 EXERCEREM SUAS ATIVIDADES, nas seguintes Comarcas/Varas e Juizados do Interior

Leia mais

E-mail: abare@mp.ba.gov.br. E-mail: acajutiba@mp.ba.gov.br. E-mail: alagoinhas@mp.ba.gov.br. E-mail: alcobaca@mp.ba.gov.br

E-mail: abare@mp.ba.gov.br. E-mail: acajutiba@mp.ba.gov.br. E-mail: alagoinhas@mp.ba.gov.br. E-mail: alcobaca@mp.ba.gov.br 57 ABARÉ Fórum Des. Mário Albiani, R. Cônego Pascoal, s/n, CEP 48.680-000 Promotoria: Fórum: (75) 3287-2229/2239 E-mail: abare@mp.ba.gov.br ACAJUTIBA Fórum Des. Mário Albiani, Pç. Aquinoel Borges, s/n,

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 16/2015 Rio de Janeiro, 16 de abril de 2015. Ref: Orientações para o Recolhimento da Contribuição Sindical Ilmo Provedor / Presidente / Diretor A contribuição sindical está prevista nos artigos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS INSTITUTO AGRONÔMICO IAC

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS INSTITUTO AGRONÔMICO IAC GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS INSTITUTO AGRONÔMICO IAC CENTRO DE MONITORAMENTO E MITIGAÇÃO DE SECA E ADVERSIDADES

Leia mais

Complementação da União ao Fundeb/2014 Portaria 19 de 27 de Dezembro de 2013

Complementação da União ao Fundeb/2014 Portaria 19 de 27 de Dezembro de 2013 1/5 da União ao Fundeb/2014 Acauã/PI PI 3.354.300,44 0,001683881146 40.542,18 85.854,03 572.360,17 Agricolândia/PI PI 2.166.490,45 0,001087592627 26.185,56 55.451,78 369.678,53 Água Branca/PI PI 7.790.017,66

Leia mais

Estimativa Fundeb 2016 Portaria nº 11 de 30/12/2015

Estimativa Fundeb 2016 Portaria nº 11 de 30/12/2015 Acauã/PI PI 3.647.584,72 50.517,31 106.977,84 Agricolândia/PI PI 2.514.923,77 34.830,50 73.758,70 Água Branca/PI PI 8.996.489,74 124.597,10 263.852,69 Alagoinha do Piauí/PI PI 3.732.520,59 51.693,63 109.468,87

Leia mais

Relatório. de SUSTENTABILIDADE

Relatório. de SUSTENTABILIDADE Relatório de SUSTENTABILIDADE 2013 Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretário de Desenvolvimento Urbano Manuel Ribeiro Filho CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Presidente Manuel Ribeiro Filho Vice-presidente

Leia mais

Empresa Baiana de Águas e Saneamento - Embasa

Empresa Baiana de Águas e Saneamento - Embasa Empresa Baiana de Águas e Saneamento S/A Empresa Baiana de Águas e Saneamento - Embasa Ações Ambientais na Bacia do Rio de Contas agosto / 2011 Política Ambiental A missão de executar a política estadual

Leia mais

ESTABELECIMENTOS HOSPITALARES

ESTABELECIMENTOS HOSPITALARES ESTABELECIMENTOS HOSPITALARES UF MUNICIPIO CNES NOME BA ALAGOINHAS 2487411 HOSPITAL MATERNIDADE DR JOAO CARLOS MEIRELES PAULILO BA ALAGOINHAS 2487438 HOSPITAL REGIONAL DANTAS BIAO BA AMARGOSA 2414244 HOSPITAL

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - SUPROF

SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - SUPROF SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - SUPROF T.I. Território DIREC Município Escola Endereço Contatos 1 IRECÊ 21 Irecê Centro Territorial de Educação Profissional de Irecê ESTRADA VELHA DA FAZENDA

Leia mais

EDITAL SUPED/SEC Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO PREPARATÓRIO UNIVERSIDADE PARA TODOS

EDITAL SUPED/SEC Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO PREPARATÓRIO UNIVERSIDADE PARA TODOS EDITAL SUPED/SEC Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO PREPARATÓRIO UNIVERSIDADE PARA TODOS O SECRETÁRIO DA DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições e considerando o que dispõe o Decreto nº

Leia mais