MANUAL DE BOAS PRÁTICAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE BOAS PRÁTICAS"

Transcrição

1 MANUAL DE BOAS PRÁTICAS A SINALMIG e seus colaboradores prezam pela condução ética, legal, profissional, transparente e adequada de seus trabalhos. Estes são os pilares de suas relações internas e externas, inclusive perante as leis anticorrupção. Este Manual, que funciona como um desdobramento do Código de Ética, que se encontra disponível em seu site (www.sinalmig.com.br) e na intranet (http://intramig.com.br), aprofunda as diretrizes de conduta especificamente visando atender à legislação anticorrupção do Brasil e de outros países. Ele visa levar aos colaboradores diretos e indiretos, com as quais a SINALMIG mantenha relação ou que estejam agindo em nome desta, a adotarem conduta de respeito às normas anticorrupção, em especial à Lei /2013, e à Lei sobre Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA Foreign Corrupt Practices Act), de autoria dos Estados Unidos da América. É importante dizer que o presente Manual não traz regras necessariamente novas, pois a preocupação com a adoção de uma conduta reta e transparente é algo que antecede a própria criação da empresa, pois já fazia parte do agir de seus fundadores. As Pessoas devem ler, entender, discutir e assimilar as disposições deste Manual, aceitando-as por escrito, mediante assinatura do Termo de Compromisso, e se obrigando a praticá-las de forma efetiva e incontestável no dia-a-dia. Além da ciência, a assinatura do mencionado Termo ou do contrato faz com que o colaborador ou parceiro comercial ou institucional se comprometa a cumprir o disposto no Manual, sendo, portanto, mais uma peça nesta engrenagem dedicada à construção de um ambiente corporativo mais justo para todos. O descumprimento das disposições deste documento, por ação ou omissão, pode redundar em ferimento às Leis e causar sérios danos, de diversas naturezas, especialmente criminal, com repercussão para as pessoas físicas e jurídicas envolvidas no episódio. Todas as Pessoas deverão adotar as medidas necessárias para que outras Pessoas ajam dentro das normas aqui previstas, independentemente de sua colocação ou hierarquia, sendo que os gestores de cada área deverão apresentar esse Manual, esclarecer as dúvidas eventualmente existentes, colher a assinatura de cada Pessoa e exigir o cumprimento por todos. 1

2 Todas as pessoas poderão pedir esclarecimentos sobre o conteúdo deste Manual, inclusive para o Comitê de Ética e para setor jurídico da SINALMIG. Este Manual estará sempre disponível no site da empresa (www.sinalmig.com.br) e na intranet (http://intramig.com.br), bem como no setor de Recursos Humanos, estabelecido na sede, para a entrega de uma versão física ou por meio eletrônico a quem desejar. A SINALMIG aproveita o ensejo para reiterar a sua crença na lisura do comportamento de seus colaboradores e parceiros, bem como para reafirmar sua convicção na cooperação que receberá para a implementação efetiva do conteúdo de seu Código de Ética e deste Manual de Boas Práticas. Definições Para fins deste Manual, os termos listados abaixo terão as seguintes definições: PESSOA São os sócios, colaboradores, mandatários, prepostos, clientes, diretores e demais pessoas, físicas e jurídicas, da iniciativa pública ou privada, incluindo-se seus familiares, com as quais a SINALMIG mantenha relação ou que estejam agindo em nome da SINALMIG. CORRUPÇÃO É o ato de corromper alguém, com a finalidade de obter Vantagem para si ou terceiros. SUBORNO É apenas uma das formas de se praticar corrupção. É a prática de prometer, oferecer ou pagar a uma autoridade, governante, funcionário público ou profissional da iniciativa privada qualquer quantidade de dinheiro ou quaisquer outros favores (desde uma garrafa de bebidas, jóias, propriedades ou até hotel e avião em viagem de férias) para que a pessoa em questão deixe de se portar eticamente com seus deveres profissionais. FUNCIONÁRIO PÚBLICO Considera-se funcionário público, para os efeitos penais, quem exerce cargo, emprego ou função pública, mesmo que transitoriamente ou sem remuneração. 2

3 Também são considerados funcionários públicos aqueles que exercem cargo, emprego ou função em entidade paraestatal e quem trabalha para empresa prestadora de serviço contratada ou conveniada para a execução de atividade típica da Administração Pública. ENTIDADE PARAESTATAL Entidade paraestatal é uma pessoa jurídica de direito privado criada por lei para, atuando sem submissão à Administração Pública, promover o atendimento de necessidades assistenciais e educacionais de certas atividades ou categorias profissionais, que arcam com sua manutenção mediante contribuições compulsórias. São exemplos: o SESI, o SESC, o SENAI e o SENAC. LAVAGEM DE DINHEIRO É o procedimento usado para disfarçar a origem de recursos ilegais. VANTAGEM Oferecimento ou entrega, diretamente ou através de terceiros, de vantagem, facilitação, presente, dinheiro ou benefício de qualquer espécie, tangível ou intangível, para influenciar ou recompensar Pessoas. BRINDE Brinde é um presente dado a alguém. Pode ser uma caneta, uma roupa, uma viagem etc. Exposição preliminar: Ainda que algumas leis somente considerem suborno o indevido oferecimento de Vantagem a funcionário público, para a SINALMIG a vedação de prática desta natureza será sempre a mais ampla possível, sendo proibido o indevido oferecimento de Vantagem a qualquer Pessoa, independentemente se física ou jurídica, se da iniciativa pública ou privada. LEI ANTICORRUPÇÃO BRASILEIRA A lei /2013 (Lei Anticorrupção) dispõe sobre a responsabilização de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a Administração Pública, nacional ou estrangeira. Tal Lei responsabiliza a pessoa jurídica de forma objetiva pelos atos lesivos que praticar em seu interesse ou benefício, exclusivo ou não. Tal responsabilização não exclui a responsabilidade individual da pessoa física que participar do ato ilícito, desde que tenham agido com culpa. 3

4 Além das punições administrativas, a pessoa jurídica que descumprir a Lei Anticorrupção poderá sofrer as inúmeras sanções, que poderão ser aplicadas de forma isolada ou cumulativa, tais como, mas não se limitando, perdimento de bens, direitos ou valores, suspensão das atividades e dissolução compulsória da pessoa jurídica. LEI ANTICORRUPÇÃO AMERICANA A Lei sobre Práticas de Corrupção no Exterior dos Estados Unidos (FCPA Foreign Corrupt Practices Act), foi aprovada em 1977 e é considerada a mais importante Lei anticorrupção daquele país. Além disso, serve de inspiração para diversas legislações ao redor do planeta. Regras e Procedimentos Anticorrupção REGRAS GERAIS Visando o atendimento à Lei Anticorrupção Brasileira (Lei /13) e à FCPA, todas as Pessoas relacionadas à SINALMIG são proibidas de: a) praticar atos lesivos à Administração Pública, nacional ou estrangeira; b) prometer, oferecer ou dar, direta ou indiretamente, vantagem indevida a agente público ou privado, ou a terceira pessoa a estes relacionada; c) financiar, custear, patrocinar ou de qualquer modo subvencionar a prática de atos ilícitos; d) utilizar-se de interposta pessoa física ou jurídica para ocultar ou dissimular seus reais interesses ou a identidade dos beneficiários dos atos praticados; e) Cooperar, estimular, aprovar, retransmitir instruções ou efetuar pagamento de Suborno ou oferecimento de Vantagem indevida de qualquer espécie, a qualquer Pessoa; f) Quando ocorrerem as hipóteses acima, dissimular ou ocultar o ocorrido; g) Fornecer ou aceitar faturas falsas. CONCORRÊNCIAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Em processos de licitação, concorrência ou atendimento a contratos, todas as Pessoas relacionadas à SINALMIG são proibidas de: a) frustrar ou fraudar o caráter competitivo de procedimento licitatório público; 4

5 b) impedir, perturbar ou fraudar a realização de qualquer ato de procedimento licitatório público; c) afastar ou procurar afastar licitante, por meio de fraude ou oferecimento de vantagem de qualquer tipo; d) fraudar licitação pública ou contrato dela decorrente; e) criar, de modo fraudulento ou irregular, pessoa jurídica para participar de licitação pública ou celebrar contrato administrativo; f) obter vantagem ou benefício indevido, de modo fraudulento, de modificações ou prorrogações de contratos celebrados com a Administração Pública, sem autorização em lei, no ato convocatório da licitação pública ou nos respectivos instrumentos contratuais; g) manipular ou fraudar o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos celebrados com a Administração Pública; h) dificultar atividade de investigação ou fiscalização de órgãos, entidades ou agentes públicos, ou intervir em sua atuação, inclusive no âmbito das agências reguladoras e dos órgãos de fiscalização do sistema financeiro nacional. RELACIONAMENTO COM TERCEIROS As disposições deste Manual devem ser aplicadas e ter a sua aplicação exigida por todas as Pessoas com as quais a SINALMIG se relaciona, incluindo prestadores externos de serviços, como consultores, advogados, auditores, clientes, fornecedores, dentre outros. Assim, parceiros que estejam inseridos em práticas dissociadas dos dispositivos deste Manual não poderão manter qualquer espécie de relacionamento com Pessoa ligada à SINALMIG, exceto se fundamentadamente autorizado pelo responsável do setor, sendo que o fato deverá ser comunicado ao Comitê de Ética que deliberará a respeito, tudo para que o previsto neste Manual não seja descumprido e a imagem da SINALMIG e das Pessoas a ela relacionadas seja preservada. Os contratos firmados a partir da redação deste Manual deverão conter cláusula que expresse o compromisso de quem o assina de cumprir adequadamente a legislação anticorrupção. CONTRIBUIÇÕES A CAUSAS BENEFICENTES Em nenhuma hipótese serão realizadas contribuições ou troca de favores, com qualquer Pessoa, mesmo que o beneficiário da Vantagem seja uma instituição iminentemente beneficente, de 5

6 caridade, culturais educacionais ou terceiros a estas relacionados, sem a observação das condições a seguir, sendo que as mesmas devem acontecer mediante aprovação do Comitê de Ética, sempre revestidas de transparência. PATROCÍNIOS A SINALMIG poderá patrocinar pessoas e eventos sempre que verificada a idoneidade do patrocinado, a razoabilidade entre o valor envolvido e o retorno para a doadora, a transparência da operação e deverá sempre haver a prévia aprovação do Comitê de Ética. REGISTROS CONTÁBEIS As Pessoas responsáveis pelos registros contábeis da SINALMIG deverão zelar pela fidedignidade de todos os lançamentos, incluindo faturas, demonstrativos de despesas, comprovantes de pagamento, dentre outros, que devem espelhar exata e exclusivamente as operações realizadas, sempre de acordo com as normas contábeis vigentes do Brasil e, se for o caso, com a de outros países com os quais a empresa mantenha relação comercial. A identificação de documento falso ou suspeito deve ser levada de imediato ao conhecimento do Comitê de Ética, sob pena de responsabilização solidária da Pessoa omissa. PONTOS DE ATENÇÃO Alguns pontos podem nortear o objetivo maior da SINALMIG, que é o desenvolvimento de suas atividades, com responsabilidade, inclusive social, e pautada em jamais praticar ilegalidades. Assim, todas as Pessoas alcançadas por este Manual devem ficar atentas, dentre outras, às seguintes situações: a) Operações em que há benefício, direto ou indireto, a determinada pessoa, principalmente se esta é um funcionário público ou se o beneficiado é vinculado a um funcionário público. b) Qualquer pedido, de qualquer Pessoa, de contrapartida pela prática de algum ato. c) Oferecimento ou pedido de qualquer Vantagem. d) Pedidos de pagamentos em dinheiro. e) Relação com Pessoa que tem fama ou já esteve envolvida em casos de suborno. f) Pedidos de encontro com Pessoa, da iniciativa pública ou privada, que possa influenciar no fechamento de contratos e sem que esse encontro se revista das características convencionais, especialmente quanto a horário, data e local. 6

7 g) Recusa de inclusão da cláusula anticorrupção nos contratos comerciais firmados com alguma Pessoa. h) Pedidos de pagamentos em contas bancárias de titularidade diferente da Pessoa com a qual se firmou o contrato ou em conta no exterior. REGISTRO DE CONVERSA A SINALMIG estimula firmemente que todas as conversas mantidas com Pessoas relacionadas ao seu objeto social sejam registradas, por meio eletrônico (e.mail), para fins de registro do histórico que levou a cada operação, contratação, recebimento, pagamento, patrocínio, etc. INFORMAÇÕES SOBRE O DESCUMPRIMENTO DESTE MANUAL Todas as Pessoas DEVEM, verbalmente ou por escrito, informar ao Comitê de Ética ou ao responsável do setor, de imediato, a suspeita ou identificação de violação às normas legais, especialmente, mas não se limitando, à legislação anticorrupção. Tais denúncias podem ser feitas anonimamente ou com a identificação do informante, que terá sua identidade preservada pelo receptor. Em todos os casos deve-se apresentar o maior número possível de indícios ou provas, de modo a permitir o aprofundamento das investigações e a identificação do delito e de seu autor. SANÇÕES PELO DESCUMPRIMENTO DESTE MANUAL A SINALMIG poderá rescindir o contrato comercial, com aplicação de multa prevista em cada instrumento. Também poderá romper o contrato de trabalho, fazendo-o por justa causa. Outras medidas poderão ser adotadas alternativamente ou em acréscimo às aqui mencionadas, como exemplo a denúncia ao Poder Público. BENEFÍCIOS DO CUMPRIMENTO DESTE MANUAL A SINALMIG deseja prosseguir sendo uma referência positiva e seguir gerando emprego, renda e arrecadação tributária, cumprindo, portanto, a sua função social, como um agente transformador positivo nos contextos em que se encontra. A colaboração de cada Pessoa é fundamental para que a SINALMIG alcance os referidos objetivos, o que propiciará benefícios a inúmeras Pessoas, direta e indiretamente. A SINALMIG conta com você! 7

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO COMBRASCAN

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO COMBRASCAN O CONTEÚDO DESTA POLÍTICA É DE PROPRIEDADE DA COMBRASCAN E DESTINADO AO USO E DIVULGAÇÃO INTERNA, NÃO SENDO PERMITIDA A REPRODUÇÃO POR MEIO ELETRÔNICO OU FÍSICO, SEM PRÉVIA A AUTORIZAÇÃO DO DEPARTAMENTO

Leia mais

NORMATIVOS INTERNOS DO GRUPO - NIG

NORMATIVOS INTERNOS DO GRUPO - NIG 1. OBJETIVO A presente política tem como principal objetivo assegurar que os Colaboradores do Rendimento (GRUPOBRSA) observem os requisitos da Lei nº 12.846, de 1º de agosto de 2013 conhecida como Lei

Leia mais

manual anticorrupção

manual anticorrupção manual anticorrupção ÍNDICE Introdução 4 Histórico 4 O Código de Conduta da Klabin 5 Por que um Manual Anticorrupção se já há um Código de Conduta? 5 Conceitos e Esclarecimentos 6 O que é corrupção? Práticas

Leia mais

GUIA ANTICORRUPÇÃO WILSON SONS

GUIA ANTICORRUPÇÃO WILSON SONS GUIA ANTICORRUPÇÃO WILSON SONS A Wilson Sons, por meio deste Guia Anticorrupção, pretende disseminar os valores morais e éticos que norteiam seus diversos negócios, reiterando seu princípio de combate

Leia mais

São Paulo - SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar (55 11) 3254 0050 www.porto.adv.br

São Paulo - SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar (55 11) 3254 0050 www.porto.adv.br São Paulo - SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar (55 11) 3254 0050 www.porto.adv.br Associação Brasileira de Engenharia Industrial ABEMI Lei Anticorrupção Lei nº 12.846, de 01/08/2013 PORTO ADVOGADOS www.porto.adv.br

Leia mais

Legislação Anticorrupção

Legislação Anticorrupção O que muda com a Lei nº 12.846/2013 e com o Decreto nº 8.420/2015 gsga.com.br São Paulo Rio de Janeiro Curitiba Belo Horizonte Brasília Introdução 2 oooa partir da edição da chamada Lei Anticorrupção (Lei

Leia mais

Manual Anticorrupção GDC Alimentos S.A.

Manual Anticorrupção GDC Alimentos S.A. Manual Anticorrupção GDC ALIMENTOS S.A. SUMÁRIO MENSAGEM DO PRESIDENTE... 5 1. INTRODUÇÃO... 6 2. APLICAÇÃO... 6 3. DEFINIÇÕES... 6 4. O QUE ESTABELECE A LEI 12.846/13?... 8 4.1 Atos lesivos segundo a

Leia mais

1 Apresentação. 2 Relacionamento com o Setor Público

1 Apresentação. 2 Relacionamento com o Setor Público Índice 1 Apresentação... 2 2 Relacionamento com o Setor Público... 2 2.1 Regra de Relacionamento... 3 2.2 Brindes, presentes, dinheiro, viagens e convites de entretenimento e refeições de negócio 3 2.2.1

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO DO BANRISUL A Política de Prevenção à Corrupção tem como objetivo dar visibilidade e registrar os princípios e valores éticos que devem nortear a atuação dos empregados,

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL ANTICORRUPÇÃO

POLÍTICA INSTITUCIONAL ANTICORRUPÇÃO POLÍTICA INSTITUCIONAL ANTICORRUPÇÃO Belo Horizonte, Fevereiro de 2016. Diretoria Executiva de Controladoria, Compliance, PLD e Riscos Diretoria de Compliance, PLD e Riscos ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2.

Leia mais

ÍNDICE POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO 1. OBJETIVO...3 2. APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIA...3 4. CONCEITOS...3 5. CONDIÇÕES GERAIS...3

ÍNDICE POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO 1. OBJETIVO...3 2. APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIA...3 4. CONCEITOS...3 5. CONDIÇÕES GERAIS...3 ÍNDICE POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO 1. OBJETIVO...3 2. APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIA...3 4. CONCEITOS...3 5. CONDIÇÕES GERAIS...3 5.1. Corrupção de Agentes Públicos...4 5.2. Corrupção Privada...5 6. POLÍTICAS...5

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Dispõe sobre a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a administração pública, nacional ou estrangeira, e dá outras providências. O CONGRESSO

Leia mais

Prevenção a Corrupção

Prevenção a Corrupção Prevenção a Corrupção São Paulo Novembro de 2013 2012 Deloitte Touche Tohmatsu no ambiente corporativo Gustavo Lucena gustavolucena@deloitte.com Consultoria Riscos Empresariais da Deloitte 2012 Deloitte

Leia mais

I - Legislação aplicável antes do advento da Lei 12.846/13

I - Legislação aplicável antes do advento da Lei 12.846/13 I - Legislação aplicável antes do advento da Lei 12.846/13 Código Penal - arts. 317, 333, 337 B, 337 - C: Corrupção Ativa e Passiva, Corrupção Ativa e Passiva em Transação Comercial Internacional e Tráfico

Leia mais

A implementação da Lei Anticorrupção no Brasil

A implementação da Lei Anticorrupção no Brasil A implementação da Lei Anticorrupção no Brasil Ricardo Villas Bôas Cueva Ministro do Superior Tribunal de Justiça Encontro Brasil-Reino Unido: Gestão e Imagem da Justiça Superior Tribunal de Justiça, 18

Leia mais

CONTADOR JOSE LUIZ VAILATTI. Lei 12. 846/2013 LEI ANTI CORRUPÇÃO EMPRESARIAL

CONTADOR JOSE LUIZ VAILATTI. Lei 12. 846/2013 LEI ANTI CORRUPÇÃO EMPRESARIAL CONTADOR JOSE LUIZ VAILATTI Lei 12. 846/2013 LEI ANTI CORRUPÇÃO EMPRESARIAL Atender às exigências internacionais de combate a corrupção Estimular a prática do compliance. Ética corporativa na administração.

Leia mais

O impacto da Lei Anticorrupção no universo das entidades sem fins lucrativos. Abril/2016

O impacto da Lei Anticorrupção no universo das entidades sem fins lucrativos. Abril/2016 O impacto da Lei Anticorrupção no universo das entidades sem fins lucrativos Abril/2016 Panorama Nacional Lei n.º 12.846 de 1 de agosto de 2013 ( Lei Anticorrupção ) Decorrência, em grande medida, de compromissos

Leia mais

Guia de Prevenção e Combate à Corrupção

Guia de Prevenção e Combate à Corrupção Guia de Prevenção e Combate à Corrupção Objetivo Estabelecer diretrizes e definir o que são práticas de corrupção, bem como reiterar qual é a conduta e a postura da Brasil Kirin frente a este tema, reafirmando

Leia mais

CARTILHA DA LEI ANTICORRUPÇÃO 12.846/13. Principais tópicos e orientações de ações a serem adotadas

CARTILHA DA LEI ANTICORRUPÇÃO 12.846/13. Principais tópicos e orientações de ações a serem adotadas CARTILHA DA LEI ANTICORRUPÇÃO 12.846/13 Principais tópicos e orientações de ações a serem adotadas SUMÁRIO [04]... Introdução [05]... Apresentação [07]... Lei Anticorrupção [09]... Responsabilização Administrativa

Leia mais

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO Jereissati Participações S.A. Jereissati Telecom S.A. Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A. Shopping Center Iguatemi São Paulo Market Place Shopping Center Shopping Center JK

Leia mais

AGEOS Associação Gaúcha de Obras de Saneamento. Giovani Agostini Saavedra Saavedra & Gottschefsky Advogados Associados

AGEOS Associação Gaúcha de Obras de Saneamento. Giovani Agostini Saavedra Saavedra & Gottschefsky Advogados Associados AGEOS Associação Gaúcha de Obras de Saneamento Giovani Agostini Saavedra Saavedra & Gottschefsky Advogados Associados Breve panorama sobre a nova Lei Anticorrupção Giovani Agostini Saavedra Contexto da

Leia mais

MANUAL SOBRE A LEI ANTICORRUPÇÃO

MANUAL SOBRE A LEI ANTICORRUPÇÃO MANUAL SOBRE A LEI ANTICORRUPÇÃO I. Objetivo: Apresentar aos colaboradores, diretos e indiretos, os conceitos e responsabilidades da Lei Anticorrupção 12.846/2013. II. Área Tutora: Elaborado por: Gerência

Leia mais

Código de Ética e Conduta Sabesp

Código de Ética e Conduta Sabesp Código de Ética e Conduta Sabesp 1 MENSAGEM DA ALTA ADMINISTRAÇÃO Aos Empregados, Gerentes, Clientes, Acionistas, Investidores, Fornecedores, Parceiros, Terceiros, Governo, Comunidade e toda sociedade,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGRAS PARA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGRAS PARA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS 1. INTRODUÇÃO MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGRAS PARA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS Em atendimento à Instrução CVM nº 497, de 03 de junho de 2011], o presente Manual dispõe sobre os procedimentos e regras

Leia mais

CÓDIGO ÉTICA E CONDUTA FRANCO ADVOGADOS

CÓDIGO ÉTICA E CONDUTA FRANCO ADVOGADOS CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DE FRANCO ADVOGADOS ÍNDICE CAPÍTULO I - DEFINIÇÕES 1 CAPÍTULO II OBJETIVO 2 CAPÍTULO III AMBIENTE DE TRABALHO 2 CAPÍTULO IV - REGRAS E PROCEDIMENTOS 2 CAPÍTULO V - VANTAGEM INDEVIDA

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E INTEGRIDADE DE FORNECEDORES

CÓDIGO DE CONDUTA E INTEGRIDADE DE FORNECEDORES SUMÁRIO 1. Introdução... 04 2. Abrangência... 04 3. Objetivo... 04 4. Princípios Éticos... 05 5. Preconceitos e Discriminação... 05 6. Respeito à Legislação e Integridade nos Negócios... 05 7. Documentos,

Leia mais

Política Anticorrupção e Suborno Potássio do Brasil

Política Anticorrupção e Suborno Potássio do Brasil Política Anticorrupção e Suborno Potássio do Brasil Novembro de 2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. PÚBLICO ALVO... 3 4. DEFINIÇÃO DE CORRUPÇÃO... 4 4.1. Corrupção Pública... 4 4.2. Corrupção

Leia mais

Lei 12.846/13 Lei Anticorrupção - Aplicação para casos tributários. Camila Abrunhosa Tapias ctapias@tozzinifreire.com.

Lei 12.846/13 Lei Anticorrupção - Aplicação para casos tributários. Camila Abrunhosa Tapias ctapias@tozzinifreire.com. Lei 12.846/13 Lei Anticorrupção - Aplicação para casos tributários Camila Abrunhosa Tapias ctapias@tozzinifreire.com.br Setembro, 2013 Introdução Nova Lei Anticorrupção se estende aos ilícitos tributários?

Leia mais

Código de Conduta e Ética dos Parceiros Comerciais da Yamaha. Código de Conduta e Ética dos Parceiros Comerciais da Yamaha

Código de Conduta e Ética dos Parceiros Comerciais da Yamaha. Código de Conduta e Ética dos Parceiros Comerciais da Yamaha Código de Conduta e Ética dos Parceiros Comerciais da Yamaha Código de Conduta e Ética dos Parceiros Comerciais da Yamaha 1. INTRODUÇÃO 2. APLICAÇÃO 3. O COMPROMISSO DA YAMAHA 4. O QUE A YAMAHA ESPERA

Leia mais

Código de Ética. Julho / 2015

Código de Ética. Julho / 2015 Julho / 2015 ÍNDICE I II III IV V VI VII VIII IX X XI Introdução Propósito Valores Do respeito às leis, regulamentos e contratos Do relacionamento e negociação com Fornecedores, Clientes e terceiros Do

Leia mais

Política Antissuborno e Anticorrupção Combrascan Shopping Centers S.A

Política Antissuborno e Anticorrupção Combrascan Shopping Centers S.A Política Antissuborno e Anticorrupção Combrascan Shopping Centers S.A Versão (01-2016) Sumário 1. Objetivo... 3 2. Aplicações da Política... 3 3. Considerações Gerais... 3 4. Regulamentação Associada...

Leia mais

MANUAL ANTICORRUPÇÃO Revisão: 00

MANUAL ANTICORRUPÇÃO Revisão: 00 MANUAL ANTICORRUPÇÃO Revisão: 00 Data: 03//2016 Palavras chave: Anticorrupção 1. INTRODUÇÃO O presente Manual Anticorrupção tem por objetivo disseminar entre os seus colaboradores, fornecedores, parceiros,

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Estrutura do Código de Ética e Conduta 1. Introdução pág. 03 2. Mensagem da Diretoria pág. 04 3. Relações no Ambiente de Trabalho pág. 05 4. Relacionamento Externo pág. 07 5.

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO E OUTROS ATOS LESIVOS

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO E OUTROS ATOS LESIVOS POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO E OUTROS ATOS LESIVOS 1. Introdução A presente Política, aplicável à WEG S/A e todas as suas controladas, representa uma síntese das diretrizes existentes na

Leia mais

.1 Comportamentos esperados

.1 Comportamentos esperados Normas de Conduta Normas de Conduta Este documento contém normas de conduta que devem ser respeitadas pelos diretores, auditores, líderes e todos os empregados do Grupo Pirelli, e também por todos que

Leia mais

Código de Conduta 08/2014

Código de Conduta 08/2014 Código de Conduta 08/2014 Índice 1. Sobre o Código... 4 2. Relações com Clientes... 5 3. Relações com Acionistas... 5 3.1. Informações Privilegiadas... 6 4. Responsabilidades dos Integrantes...7 4.1. Oportunidade

Leia mais

Anticorrupção e Compliance Empresarial

Anticorrupção e Compliance Empresarial Anticorrupção e Compliance Empresarial Convenções Internacionais Convenção Interamericana contra a Corrupção (OEA, 1996) (Brasil, 2002) Convenção da OCDE contra Suborno Transnacional (OCDE, 1997) (Brasil,

Leia mais

Lei da Empresa Limpa (Lei 12.846/2013) Carlos Higino Ribeiro de Alencar Secretário- ExecuGvo CONTROLADORIA- GERAL DA UNIÃO

Lei da Empresa Limpa (Lei 12.846/2013) Carlos Higino Ribeiro de Alencar Secretário- ExecuGvo CONTROLADORIA- GERAL DA UNIÃO Lei da Empresa Limpa (Lei 12.846/2013) Carlos Higino Ribeiro de Alencar Secretário- ExecuGvo CONTROLADORIA- GERAL DA UNIÃO 1º Fórum de Licitações e Contratos Administrativos do Ministério do Meio Ambiente

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética SUMÁRIO 1 Objetivo... 03 2 Abrangência... 03 3 Valores... 03 4 - Conduta ética da PPL com os diversos públicos 4.1 - Cliente: Foco de nossa atuação... 03 4.2 - Relação e interação com fornecedores e parceiros...

Leia mais

Manual Anticorrupção

Manual Anticorrupção Manual Anticorrupção pág. 2 Estrutura do Manual Anticorrupção 1. Introdução pág. 04 2. Definições pág. 06 3. Regras e Procedimentos pág. 08 4. Violações e Sanções Aplicáveis pág. 16 pág. 3 1. Introdução

Leia mais

MANUAL DE CONDUTA ÉTICA E EMPRESARIAL GRUPO VIVO SABOR

MANUAL DE CONDUTA ÉTICA E EMPRESARIAL GRUPO VIVO SABOR MANUAL DE CONDUTA ÉTICA E EMPRESARIAL GRUPO VIVO SABOR INTRODUÇÃO Ciente de sua responsabilidade como fornecedora de refeições coletivas e prestadora de serviços, o Grupo Vivo Sabor divulga seu Manual

Leia mais

Política Anticorrupção

Política Anticorrupção Soluções que impulsionam e valorizam sua empresa. Política Anticorrupção Ano fiscal 2016 Política Anticorrupção Objetivo Definir procedimentos para assegurar que todos os colaboradores, funcionários, sócios

Leia mais

"FCPA e a Lei 12.846/2013 - Lei Anticorrupção" São Paulo, 05 de setembro de 2013. Fabyola Emilin Rodrigues Demarest Advogados

FCPA e a Lei 12.846/2013 - Lei Anticorrupção São Paulo, 05 de setembro de 2013. Fabyola Emilin Rodrigues Demarest Advogados "FCPA e a Lei 12.846/2013 - Lei Anticorrupção" São Paulo, 05 de setembro de 2013 Fabyola Emilin Rodrigues Demarest Advogados CORRUPÇÃO, O MALDOSÉCULO http://www.transparency.org/ http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/12/ranking-do-indice-de-percepcao-da-corrupcao-no-mundo.html

Leia mais

PROGRAMA DE COMPLIANCE

PROGRAMA DE COMPLIANCE PROGRAMA DE COMPLIANCE MANUAL DE COMPLIANCE REFERENTE ÀS LEIS ANTICORRUPÇÃO DEZEMBRO DE 2015 2ª Edição SPAULO-1-39844-v3-1 - OFFICE ÍNDICE - 2 - Páginas 1. APRESENTAÇÃO DA POLÍTICA DA COMPANHIA... 4 2.

Leia mais

SISTEMA DE GESTAO DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA EM TEMPO REAL DE CONTRATOS ADMINISTRATIVOS

SISTEMA DE GESTAO DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA EM TEMPO REAL DE CONTRATOS ADMINISTRATIVOS SISTEMA DE GESTAO DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA EM TEMPO REAL DE CONTRATOS ADMINISTRATIVOS A Lei nº 12.846, de 5 de junho de 2013, dispõe sobre a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas

Leia mais

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos O código de ética DBA representa a necessidade de reforço aos valores e à cultura da empresa através da ética. Assim, é fundado nos valores essenciais da corporação e pode ser definido pelas normas padrões

Leia mais

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa Caro colaborador, A prática do Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa é tão importante que fazemos questão que cada colaborador tenha seu próprio

Leia mais

Política Mundial Anticorrupção

Política Mundial Anticorrupção Política Mundial Anticorrupção I. OBJETIVO A legislação da maioria dos países considera crime o pagamento, oferta de pagamento, ou mesmo o recebimento de suborno, propina, ou outro pagamento corrupto,

Leia mais

1 Introdução... 2. 2 Definições... 3. 3 Compromisso e adesão... 5. 4 Indícios que podem caracterizar corrupção... 6

1 Introdução... 2. 2 Definições... 3. 3 Compromisso e adesão... 5. 4 Indícios que podem caracterizar corrupção... 6 Manual Anticorrupção Versão 1 Abr/2015 SUMÁRIO 1 Introdução... 2 2 Definições... 3 3 Compromisso e adesão... 5 4 Indícios que podem caracterizar corrupção... 6 5 Violações e Sanções Aplicáveis... 6 6 Ações

Leia mais

BRASIL SALOMÃO E MATTHES ADVOCACIA

BRASIL SALOMÃO E MATTHES ADVOCACIA BRASIL SALOMÃO E MATTHES ADVOCACIA Fundação - 1.3.1969-46 anos Thiago Pena Advogado com atuação em contratos, societário e contencioso cível. 2º Panorama Econômico e Jurídico Painel Jurídico I Módulo:

Leia mais

Manual Anticorrupção & FCPA

Manual Anticorrupção & FCPA Manual Anticorrupção & FCPA pág. 1 Manual Anticorrupção & FCPA Índice 01. Introdução pág. 03 02. Abrangência pág. 07 03. Definições pág. 09 04. FCPA Informações Preliminares pág. 13 pág. 17 06. Sinais

Leia mais

Índice. 1. Princípios gerais. 2. Plano TCC: compromissos

Índice. 1. Princípios gerais. 2. Plano TCC: compromissos 1 Índice 1. Princípios gerais 2. Plano TCC: compromissos 2.1 Subornos 2.2 Doações a partidos políticos 2.3 Doações a organizações beneficentes e patrocínio 2.4 Tratamentos de favor 2.5 Presentes, alojamentos

Leia mais

BANCO DO BRASIL S.A. CESUP Licitações (SP) CREDENCIAMENTO 2011/0262 (7421) SL CREDENCIAMENTO Nº 2011/0262 (7421) SL

BANCO DO BRASIL S.A. CESUP Licitações (SP) CREDENCIAMENTO 2011/0262 (7421) SL CREDENCIAMENTO Nº 2011/0262 (7421) SL CREDENCIAMENTO Nº 2011/0262 (7421) SL OBJETO: Credenciamento de pessoa jurídica, inclusive empresa individual devidamente registrada no CREA ou CAU, cujo objeto social contemple atividades técnicas de

Leia mais

Porque devemos combater a corrupção?

Porque devemos combater a corrupção? Porque devemos combater a corrupção? Para garantir que os recursos públicos cheguem ao cidadãos? Para criar um ambiente organizacional e negocial favorável? Para deixarmos de ser bobós? Esforços anticorrupção

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. 1 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. Este código de ética e conduta foi aprovado pelo Conselho de Administração da INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. ( Companhia

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA, MANUAL DE CONDUTA E PROCEDIMENTOS

CÓDIGO DE ÉTICA, MANUAL DE CONDUTA E PROCEDIMENTOS CÓDIGO DE ÉTICA, MANUAL DE CONDUTA E PROCEDIMENTOS A quem se destina este Manual Este manual reúne o conjunto de normas e procedimentos a serem seguidos por TODOS aqueles que trabalham na S.C.C.V.M. S/A,

Leia mais

A Lei Anticorrupção: Panorama geral e visão de sua aplicação

A Lei Anticorrupção: Panorama geral e visão de sua aplicação 6º AUDITE Seminário Nacional de Auditoria das Empresas do Setor Energético A Lei Anticorrupção: Panorama geral e visão de sua aplicação Marcos Paulo Verissimo 11-08-2015 Roteiro Panorama geral da Lei n.

Leia mais

Como as instituições financeiras estão mitigando o risco de conduta? Giovanni Falcetta giovannifalcetta@aidarsbz.com

Como as instituições financeiras estão mitigando o risco de conduta? Giovanni Falcetta giovannifalcetta@aidarsbz.com Como as instituições financeiras estão mitigando o risco de conduta? Giovanni Falcetta giovannifalcetta@aidarsbz.com 03.10.2014 Lei Anticorrupção Responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas

Leia mais

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 Sumário 1 Introdução... 2 1.1 Finalidade do documento... 2 1.2 Abrangência... 2 2 Objetivos do código de conduta... 2 3 Princípios éticos... 3 4 Relações entre os Profissionais... 4 4.1 Oportunidade no

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 07/2014

CÓDIGO DE CONDUTA 07/2014 CÓDIGO DE CONDUTA 07/2014 CÓDIGO DE CONDUTA 07/2014 ÍNDICE ÍNDICE 1. Sobre o Código... 04 2. Relações com Clientes.... 05 3. Relações com os Acionistas... 05 3.1. Informações Privilegiadas... 05 4. Responsabilidades

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E CÓDIGO ANTICORRUPÇÃO

CÓDIGO DE CONDUTA E CÓDIGO ANTICORRUPÇÃO CÓDIGO DE CONDUTA E CÓDIGO ANTICORRUPÇÃO 2 ÍNDICE CÓDIGO DE CONDUTA Apresentação...7 Objetivo e Âmbito de Aplicação...7 Registros Comerciais e Financeiros...8 Uso de Ativos...8 Prevenção de Conflito de

Leia mais

Código de Ética ENGENHARIA AMBIENTAL

Código de Ética ENGENHARIA AMBIENTAL Código de Ética Índice Mensagem do Conselho de Administração... 3 Valores e Crenças... 5 Abrangência e Escopo... 7 Compromissos de conduta... 9 Ambiente de trabalho... 9 Bens da VITAL Utilização e Preservação...

Leia mais

Código de Ética. Fundação de Seguridade Social Braslight

Código de Ética. Fundação de Seguridade Social Braslight Código de Ética Fundação de Seguridade Social Braslight 1 2 ÍNDICE Apresentação... 4 Diretrizes Organizacionais... 5 Missão... 5 Visão... 5 Valores... 5 Abrangência... 6 Objetivo... 6 Diretrizes... 7 Legalidade...

Leia mais

DIRETRIZ GLOBAL ANTICORRUPÇÃO

DIRETRIZ GLOBAL ANTICORRUPÇÃO DIRETRIZ GLOBAL ANTICORRUPÇÃO I. Declaração da Diretriz. É a diretriz da Global Crossing Limited ( Global Crossing ou a Empresa ) conduzir todos os seus negócios de uma maneira honesta e ética. Ao fazer

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS

NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS Página 1 de 9 UL NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS Página 2 de 9 ÍNDICE 1.0 OBJETIVO... 4 2.0 ESCOPO... 4 3.0 DEFINIÇÕES... 4 4.0 PRÁTICAS DE CONTRATAÇÃO... 5 4.1 TRABALHO FORÇADO... 5 4.2 TRABALHO

Leia mais

MANUAL DE ÉTICA E COMPLIANCE

MANUAL DE ÉTICA E COMPLIANCE MANUAL DE ÉTICA E COMPLIANCE Rev. 01 - Set.14 1. INTRODUÇÃO A NÚCLEO ENGENHARIA CONSULTIVA S.A. e seus colaboradores, estão incondicionalmente comprometidos com a condução de seus negócios de acordo com

Leia mais

Manual Anticorrupção e Boas Práticas da Alpargatas

Manual Anticorrupção e Boas Práticas da Alpargatas Manual Anticorrupção e Boas Práticas da Alpargatas Índice 1 O que é o Manual Anticorrupção e Boas Práticas da Alpargatas? 2 Quem deve seguir o manual? 3 4 5 Entendendo o vocabulário do manual Quais são

Leia mais

Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos

Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos Conteúdo 1 Página Capítulo 2 1. Introdução 3 2. Nossos Compromissos 3! Compromissos com a sociedade 3! Compromissos para com os clientes 4! Compromissos para

Leia mais

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores 00 12/02/2015 Original Natalia Simões Araujo (Coordenadora Funções Corporativas e Compliance) Antonio Ferreira Martins (Vice- Presidente Jurídico e

Leia mais

Código de Conduta Fevereiro de 2014

Código de Conduta Fevereiro de 2014 Código de Conduta Fevereiro de 2014 Índice 1. Sobre o Código...03 2. Relações com Clientes... 04 3. Relações com os Acionistas... 04 3.1. Informações Privilegiadas... 05 4. Responsabilidades dos Integrantes...

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A. CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A. Versão: Maio 2013 Página 1 Introdução Alinhado com o disposto na Instrução CVM nº 497/11 ( ICVM 497/11 ), o Banco

Leia mais

CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL O CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL

CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL O CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL O CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL Março de 2015 1ª edição MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta da RIP ( Código ) é a declaração formal das expectativas que servem

Leia mais

Prezado colaborador, Receba estes Princípios Éticos e de Conduta, que resumem o que já somos e pregam o que nunca devemos deixar de ser.

Prezado colaborador, Receba estes Princípios Éticos e de Conduta, que resumem o que já somos e pregam o que nunca devemos deixar de ser. Prezado colaborador, Fazemos parte de empresas que já nasceram comprometidas com os princípios éticos do exercício da verdade, fundamentais para a nossa credibilidade. Uma identidade cristalina, que nos

Leia mais

Norma Permanente Assunto: Política de Combate à Corrupção Código da Norma: NAD-41 Data da publicação: 01/09/2015

Norma Permanente Assunto: Política de Combate à Corrupção Código da Norma: NAD-41 Data da publicação: 01/09/2015 Página 1 de 7 Resumo: Estabelecer os princípios de combate à corrupção no relacionamento da Organização com os agentes da Administração Pública, seguindo as diretrizes estabelecidas na Lei nº 12.846/13

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento SUMÁRIO 1. Conceito 2. Objetivo 3. Abrangência 4. Regras e Normas 4.1 Conceito de Ética. Ponto de vista empresarial 4.2 Princípios

Leia mais

Governança Corporativa Lei anticorrupção e compliance MARTA VIEGAS 31 DE AGOSTO DE 2015

Governança Corporativa Lei anticorrupção e compliance MARTA VIEGAS 31 DE AGOSTO DE 2015 Governança Corporativa Lei anticorrupção e compliance MARTA VIEGAS 31 DE AGOSTO DE 2015 GC: Definição do IBGC Sistema pelo qual as organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. Os princípios éticos que orientam nossa atuação também fundamentam nossa imagem de empresa sólida e confiável.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. Os princípios éticos que orientam nossa atuação também fundamentam nossa imagem de empresa sólida e confiável. CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA 1. Introdução Os princípios éticos que orientam nossa atuação também fundamentam nossa imagem de empresa sólida e confiável. Este Código de Ética e Conduta da UTC Participações

Leia mais

Sumário. 8. Relacionamento com a Comunidade e com o Meio Ambiente. 9. Relacionamento com os Lojistas. 10. Relacionamento com os Fornecedores

Sumário. 8. Relacionamento com a Comunidade e com o Meio Ambiente. 9. Relacionamento com os Lojistas. 10. Relacionamento com os Fornecedores Manual de Conduta ntrodução O Shopping Recife é um empreendimento imobiliário tipo shopping center, sendo primordial que nossos colaboradores atuem com base em valores e objetivos comuns. A postura ética

Leia mais

POL-002 Política Antissuborno e Anticorrupção

POL-002 Política Antissuborno e Anticorrupção POL-002 Política Antissuborno e Anticorrupção POL-002 Política Antissuborno e Anticorrupção (versão 01/2015) 1 de 15 Sumário 1. Objetivo... 1 2. Âmbito de Aplicação... 1 3. Considerações Gerais... 1 4.

Leia mais

Treinamento Anual Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Lei Anticorrupção

Treinamento Anual Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Lei Anticorrupção Treinamento Anual Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Lei Anticorrupção Dezembro de 2015 Agenda I Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Financiamento ao Terrorismo II Cadastro III Lei Anticorrupção 2 Agenda

Leia mais

FCPA, UK Bribery Act e Lei 12.846/13 Avanços e desafios AMCHAM Rio Novembro de 2013

FCPA, UK Bribery Act e Lei 12.846/13 Avanços e desafios AMCHAM Rio Novembro de 2013 www.pwc.com FCPA, UK Bribery Act e Lei 12.846/13 Avanços e desafios AMCHAM Rio Novembro de 2013 Contexto normativo 2 FCPA, OCDE, UK Bribery Act e Lei 12.846/13 Com base na FCPA (1977) 1997 - OCDE elaborou

Leia mais

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 2 Sumário 1. Introdução...3 2. Postura pessoal e profissional...4 3. Relacionamento com público interno...6 4. Relacionamento

Leia mais

Código de Ética Versão 1.0 Maio de 2015

Código de Ética Versão 1.0 Maio de 2015 Código de Ética Versão 1.0 Maio de 2015 Sumário 1 Introdução... 4 2 Condutas não toleradas nos princípios da empresa... 5 2.1 A transparência e ética fundamentam a sua relação com o mercado... 5 2.1.1

Leia mais

Manual do Fornecedor. Novembro 2012 Rio de Janeiro

Manual do Fornecedor. Novembro 2012 Rio de Janeiro Manual do Fornecedor Novembro 2012 Rio de Janeiro Caro parceiro, O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 trabalha para entregar Jogos excelentes, com celebrações memoráveis que

Leia mais

Miguel Ângelo Salles Manente

Miguel Ângelo Salles Manente A Responsabilização Objetiva Administrativa de Pessoas Jurídicas pela Prática de Atos contra a Administração Pública, Nacional ou Estrangeira (Lei nº 12.846, de 1º de agosto de 2013) Miguel Ângelo Salles

Leia mais

São Paulo - SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar (55 11) 3254 0050 www.porto.adv.br

São Paulo - SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar (55 11) 3254 0050 www.porto.adv.br São Paulo - SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar (55 11) 3254 0050 www.porto.adv.br 86º ENIC: 2014 Comissão de Obras Públicas - COP Lei Anticorrupção Lei nº 12.846, de 01/08/2013 PORTO ADVOGADOS www.porto.adv.br

Leia mais

Caro parceiro, Queremos fornecedores e parceiros que tenham nível de comprometimento com a sociedade tão amplo quanto o do Rio 2016.

Caro parceiro, Queremos fornecedores e parceiros que tenham nível de comprometimento com a sociedade tão amplo quanto o do Rio 2016. Caro parceiro, O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 trabalha para entregar Jogos excelentes, com celebrações memoráveis que irão promover a imagem global do Brasil, baseados

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta Ética das Empresas Concremat contempla os princípios que devem estar presentes nas relações da empresa com seus colaboradores, clientes,

Leia mais

PREÂMBULO TOV colaboradores, Compliance Outubro/2010

PREÂMBULO TOV colaboradores, Compliance Outubro/2010 PREÂMBULO A TOV, ciente da importância da ética nas relações profissionais nas comunidades onde atua e dos benefícios advindos do comprometimento e execução de diretrizes de conduta ética, divulga a todos

Leia mais

Política Antissuborno e anticorrupção

Política Antissuborno e anticorrupção Política Antissuborno e anticorrupção Data de entrada em vigor: 1 de janeiro de 2016 Para uso interno e externo. Índice Introdução... 2 Qual é a finalidade da Política ABC da Pearson?... 2 A quem se aplica

Leia mais

Manual de Diretrizes de Conduta Ética da BB Consórcios S.A

Manual de Diretrizes de Conduta Ética da BB Consórcios S.A Manual de Diretrizes de Conduta Ética da BB Consórcios S.A Versão Atualizada Outubro/2015 Introdução Este Manual define as diretrizes que obrigam e devem ser observadas por todos os colaboradores, em todos

Leia mais

LEI ANTICORRUPÇÃO - RESPONSABILIZAÇÃO CIVIL E ADMINISTRATIVA DAS PESSOAS JURÍDICAS.

LEI ANTICORRUPÇÃO - RESPONSABILIZAÇÃO CIVIL E ADMINISTRATIVA DAS PESSOAS JURÍDICAS. LEI ANTICORRUPÇÃO - RESPONSABILIZAÇÃO CIVIL E ADMINISTRATIVA DAS PESSOAS JURÍDICAS. LEI ANTICORRUPÇÃO LEI 12.846 de 1º de agosto de 2013 (publicada em 02/08/2013) LEI ANTICORRUPÇÃO BRASILEIRA LEI ANTICORRUPÇÃO

Leia mais

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para:

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para: Introdução A BRMALLS é uma empresa que atua em diversos estados e para manter unida nossa companhia, nossos funcionários devem agir com base em valores e objetivos comuns. Isso se reflete nas atitudes

Leia mais

GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1

GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1 GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1 07/12/15 17:39 GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 2 07/12/15 17:39 APRESENTAÇÃO Carta do Presidente do Conselho de Administração Pessoas e equipes são valorizadas na Concessionária

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANUNCIANTES

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANUNCIANTES ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANUNCIANTES MANUAL DE GOVERNANÇA 2015 ABA MANUAL DE GOVERNANÇA I. INTRODUÇÃO É norma e política da Associação Brasileira de Anunciantes ("ABA"), o estrito cumprimento de todas

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA LOGZ LOGÍSTICA BRASIL S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA LOGZ LOGÍSTICA BRASIL S.A. APRESENTAÇÃO A LOGZ Logística Brasil S.A. (a Companhia ou LOGZ ) é uma sociedade holding consolidadora de participações em ativos logísticos e tem como objetivo a expansão de suas atividades possibilitando

Leia mais

Adequação de Contratos Comerciais e Trabalhistas

Adequação de Contratos Comerciais e Trabalhistas Adequação de Contratos Comerciais e Trabalhistas As Cláusulas de Anticorrupção nos Contratos De modo a dar efetividade às normas de Compliance da Radix Engenharia & Software, bem como às da Controladoria-Geral

Leia mais

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO Escopo: Conselheiros, Diretores e Empregados da Apolo Tubulars S.A., e Terceiros DESCRIÇÃO DA POLÍTICA

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO Escopo: Conselheiros, Diretores e Empregados da Apolo Tubulars S.A., e Terceiros DESCRIÇÃO DA POLÍTICA POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO Escopo: Conselheiros, Diretores e Empregados da Apolo Tubulars S.A., e Terceiros DESCRIÇÃO DA POLÍTICA 1. A Apolo Tubulars S.A. ("Apolo ou "Empresa ) não tolera nenhuma forma de

Leia mais