DEAMB DIVISÃO DE EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEAMB DIVISÃO DE EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS"

Transcrição

1 DIVISÃO DE INFORMAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO DEAMB DIVISÃO DE EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS MANUAL DO LICENCIAMENTO ON-LINE DE FONTES MÓVEIS DE POLUIÇÃO TRANSPORTE DE PRODUTOS E/OU RESÍDUOS PERIGOSOS VERSÃO 2015

2 INTRODUÇÃO A Fundação Estadual de Proteção Ambiental FEPAM, com a finalidade de agilizar o processo de licenciamento ambiental de Fontes Móveis de Poluição Transporte Rodoviário de Produtos e Resíduos Perigosos coloca a disposição das empresas transportadoras o licenciamento on-line via Internet. O licenciamento e a fiscalização ambiental do transporte de produtos perigosos pela FEPAM são realizados com base na Lei Federal n 6938 de 31 de agosto de 1981, Regulamentada pelo Decreto n , de 06/06/1990, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus Fins e Mecanismos de Formulação e Aplicação, e dá outras Providências; a Resolução CONAMA n.º 237/97, de 19/12/97, que dispõe sobre a exigência de licenciamento ambiental para inúmeras atividades, entre elas o transporte de produtos perigosos, e fundamentalmente na Lei Estadual n.º 7.877, de 28/12/83. A Lei Estadual nº 7.877, de 28/12/1983, que dispõe sobre o transporte de cargas perigosas no Estado do Rio Grande do Sul e dá outras providências, determina: Art. 3º - As empresas que realizam o transporte de cargas perigosas nos território do Estado do Rio Grande do Sul deverão, atendidas às exigências da legislação federal pertinente, cadastrar-se perante o Departamento do Meio Ambiente, da Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente licenciar-se junto à Fundação Estadual de Proteção Ambiental FEPAM. Art O cadastro, a que se refere o artigo 3º da presente Lei é um conjunto de informações, que tem por objetivo a formação de um banco de dados e liberação das rotas de trânsito, possibilitando o conhecimento dos riscos sobre a saúde pública e meio ambiente decorrente, desta atividade, de modo a facilitar a adoção de medidas de prevenção e controle. 1º - Mediante requerimento dirigido ao Secretário de Estado da Saúde e do Meio Ambiente, a empresa postulante ao cadastro A empresa requerente deverá apresentar as seguintes informações, além de outras que venham a ser posteriormente solicitadas: 1ª - prova de constituição da empresa; 2ª - ramo de atividade; 3ª - produtos transportados; 4ª - rotas; 5ª - informações técnicas sobre os produtos transportados; 6ª - prova de contratação de responsável técnico, químico ou engenheiro químico devidamente registrado nos respectivos Conselhos Regional de Classe; 7ª - prova de instalações fixas; 8ª - prova de adequação do veículo. 2º - O cadastro será obrigatoriamente atualizado sempre que ocorrer qualquer alteração dos dados inicialmente fornecidos. Art Fica instituído o Certificado de Registro de Transportador de Cargas Perigosas - CERCAP, como comprovante do cadastro, junto à Secretaria da Saúde e do Meio Ambiente - Departamento do Meio Ambiente. Segundo a Lei Estadual, o CERCAP - Certificado de Registro de Transportador de Cargas Perigosas é formado por partes interdependentes, a Transportadora, o Responsável Técnico e o veículo (este com prova de adequação). Logo, um veículo, 2

3 mesmo agregado 1 na frota de uma transportadora, não possui CERCAP, quem o possui é a transportadora. A Licença de Operação, com base na Lei Federal nº 6.938/81 e Resolução CONAMA nº 237/97, é emitida para a Transportadora e, como documento comprobatório do CERCAP, agregou conceitos deste, informando o nome do responsável técnico e seus telefones em caso de emergência e a frota licenciada. Repetindo, a Licença de Operação para Fontes Móveis de Poluição dada pela FEPAM é para a TRANSPORTADORA. Logo, um veículo (placa) está vinculado a uma transportadora. Um agregado pode estar na Licença de Operação de várias transportadoras. Em caso de acidente, com este agregado, a FEPAM acionará a transportadora que consta na Nota Fiscal da respectiva viagem. Os EXPEDIDORES de PRODUTOS PERIGOSOS devem verificar se a TRANSPORTADORA que consta na Nota Fiscal tem Licença de Operação EM VIGOR da FEPAM e se a placa do veículo (cavalo trator/carreta) está associada à Transportadora licenciada. 1 agregado: veículo de terceiro que a transportadora assume como seu, responsabilizando-se, perante a FEPAM, em caso de eventuais acidentes 3

4 Quem tem acesso ao Sistema O Sistema on-line de licenciamento de Fontes Móveis de Poluição Transporte de Produtos e/ou Resíduos Perigosos será acessado exclusivamente pelos Responsáveis Técnicos Químicos ou Engenheiros Químicos responsáveis pelo transporte, conforme Lei Estadual nº 7.877, de 28/12/1983. NÃO FORNEÇA SUA SENHA PARA TERCEIROS! É importante que o responsável técnico não forneça para terceiros seu nome de usuário e senha de acesso à FEPAM, pois toda a movimentação no Banco de Dados será de sua exclusiva responsabilidade. Qualquer modificação, como por exemplo: alteração de frota, somente poderá ser realizada pelo responsável técnico. O empreendedor (empresa) não terá acesso ao sistema informatizado da FEPAM para alterações, apenas para consultas, via site. Lembrete: São atividades mínimas a serem executadas pelo Responsável Técnico RT - pelo transporte de produtos e/ou resíduos perigosos: 1. Orientar quanto aos produtos transportados: a) compatibilidade: quais produtos podem ser transportados em conjunto (num mesmo equipamento). b) proibições de transporte conjunto. c) toxicidade: orientação quanto aos riscos que o produto oferece com relação ao embarque, desembarque, transporte e situações de emergência (acidentes: na empresa ou no transporte). 2. Orientar quanto às exigências legais de: a) simbologia: a utilização correta da simbologia exigida em legislação e nas normas brasileiras (rótulos de risco e painéis de segurança), tanto nos veículos (equipamentos), quanto nas embalagens de produtos fracionados. b) uso de ficha e envelope de emergência. c) uso de equipamentos individuais (EPI s) e de emergência. 3. Orientar o treinamento periódico dos motoristas: os motoristas, mesmo possuindo o curso legal de Movimentação de Produtos Perigosos, devem ser constantemente reciclados. 4. Situações emergenciais: atender e orientar de forma presencial sempre que demandado pelo órgão ambiental, a empresa e seus empregados em qualquer situação de emergência, dentro ou fora da empresa, visando evitar, minimizar e recuperar eventuais danos às populações, e ao meio ambiente, etc. 4

5 Usuário e Senha Para fazer uso das funções do Sistema on-line de licenciamento de Fontes Móveis de Poluição e de Transporte de Produtos ou Resíduos Perigosos, é necessário seguir os passos dos exemplos a seguir. Figura 1 5

6 Primeiro acesso No primeiro acesso, é necessário criar usuário e senha para efetuar o cadastro. Clique na opção destacada. Figura 2 Figura 3 Após o cadastro de usuário e senha, o sistema retorna automaticamente para a tela inicial (Figura 2), onde o usuário poderá efetuar o login. 6

7 Cadastro de Responsável Técnico - RT No primeiro acesso com usuário e senha, através da tela inicial (Figura 2), o sistema informará que o responsável técnico não possui cadastro e solicitará o preenchimento dos campos para conclusão do cadastro de Responsável Técnico - RT. Figura 4 7

8 Figura 5 Ao finalizar o cadastro do Responsável Técnico, o sistema informará que não existe empreendedor vinculado e solicitará o cadastro. Figura 6 8

9 A partir da tela de cadastro de Responsável Técnico, deverão ser seguidos os seguintes passos: 1. Cadastro de Empreendedor 2. Cadastro de Empreendimentos 3. Vínculo do Responsável Técnico com Empreendimento 4. Cadastro de Classes/Resíduos, Rotas e Frota 5. Cadastro da Solicitação 6. Inclusão dos documentos digitalizados 7. Geração do boleto bancário Atenção: é importante que seja respeitada a sequência dos passos abaixo, evitando assim transtornos como pagamento indevido de boletos, problemas na emissão do documento solicitado, indeferimento da solicitação, etc. Lembre-se: este sistema de licenciamento é automático. O sistema irá gerar o que lhe for solicitado. 9

10 Cadastro de empreendedor / empreendimento Para cadastro de empreendedor, é necessário consultar primeiramente o sistema para confirmar se o mesmo ainda não existe. O sistema já abrirá a página para verificação através de consulta pelo CNPJ. Figura 7 Não existindo empreendedor cadastrado com o CNPJ em questão, o sistema avisará que deverá ser efetuado o cadastro. Se o empreendedor já existir, consulte o empreendimento desejado para confirmar se o mesmo ainda não existe. Figura 8 10

11 Na sequência, deverão ser preenchidos os campos para conclusão do cadastro de Empreendedor: Figura 9 Após salvar as informações no Cadastro de Empreendedor, o sistema abrirá a página onde deverá ser feito o Cadastro de Empreendimento. Com isso, a associação entre empreendedor e empreendimento é automática. Observação: empreendedor é a pessoa jurídica (que possui CNPJ), empreendimento é a atividade que nestes casos pode ser: Transporte RODOVIÁRIO; Transporte FERROVIÁRIO, Transporte HIDROVIÁRIO, Coleta e Transporte de Óleo Lubrificante Usado - OLUC ATENÇÃO: não são aceitos CNPJs com a descrição "EXCETO PRODUTOS PERIGOSOS". 11

12 Cadastro de Empreendimentos Para cadastro de empreendimento, selecione o ramo de atividade adequado e preencha as demais informações do empreendimento. Observação: Tipo de Cercap: Classes: quando transporta Produtos Perigosos de Classes 1 a 9 da Resolução nº 420/2004 da ANTT; Resíduos: quando transporta Resíduos Classe I, conforme norma da ABNT NBR nº ; Classes e Resíduos: quando transporta produtos perigosos e resíduos perigosos; OLUC somente para o ramo de atividade 4710,11 Coleta e Transporte de óleo Lubrificante Usado ou Contaminado. Figura 10 Após finalizar o cadastro do empreendimento e salvar, serão gerados os números de empreendedor e de empreendimento e será necessário realizar o registro como Responsável Técnico - RT. 12

13 Figura 11 Para registrar como Responsável Técnico - RT do empreendimento, basta clicar no botão apropriado ao pé da página e após, é necessário preencher as informações da ART 2 já em vigor, ligada ao empreendimento (transportadora). Figura 12 2 Anotação de Responsabilidade Técnica Observação Importante: a FEPAM, periodicamente, enviará a relação de ART s aos respectivos Conselhos Profissionais para averiguação de sua autenticidade. Informações inverídicas serão enviadas ao Ministério Público para as providências criminais cabíveis. 13

14 Após salvar, aparecerá uma tela onde é possível verificar as informações relativas ao RT e abaixo, é possível consultar, através do CNPJ do empreendedor, quais os empreendimentos já vinculados ao RT. Se clicar em Listar Todos, o sistema irá listar todos os empreendimentos já vinculados. Figura 13 Após a consulta, aparecerá uma tela resumo, onde é possível verificar os dados do RT e dos empreendimentos consultados. O próximo passo consiste em completar o cadastro de classes de produtos, resíduos, rotas e frota para o empreendimento em questão. Para isto, clique no botão Licenças localizado abaixo do empreendimento desejado. Figura 14 14

15 A tela abrirá conforme a fig. 15 abaixo. Figura 15 Caso haja necessidade de realizar alguma correção nos dados cadastrais do empreendedor, clique em alterar dados cadastrais. Para dar continuidade ao cadastro, clique em (Expandir) e cadastre as classes/subclasses e/ou resíduos, conforme o caso, e na sequência, cadastre as rotas preferenciais e depois a frota. No caso de ramo de atividade 4710,11 Coleta e Transporte de Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado a Classe não precisa ser cadastrada, pois já está automaticamente classificada como Classe 9 para fins de transporte. Atenção: no cadastro das subclasses e resíduos, marque apenas aqueles que serão efetivamente utilizados. A solicitação de classe não compatível com os tipos de veículos cadastrados poderá acarretar em indeferimento de licença. Atenção: no cadastro das rotas, preencha todos os campos de modo que as informações representem ao máximo a situação real dos trechos mais percorridos pelos veículos cadastrados. O cadastro correto e atualizado das rotas é importante. Com relação ao cadastro da frota, observe o seguinte: Na primeira solicitação de Licença, cadastrar toda a frota existente na transportadora. Alterações futuras na frota deverão ser solicitadas posteriormente. Deverão ser incluídos somente os veículos já existentes; Caso o proprietário do veículo seja a própria transportadora (não-agregado) basta marcar o Box do EMPREENDEDOR (figura 19); O sistema calculará automaticamente a quantidade de veículos, não havendo necessidade de retorno à tela de cadastro de empreendimento para correção; Inserir PLACA no formato XXX 0000 (com letra maiúscula e um espaço entre letras e número); 15

16 Citar o modelo do veículo. Caso desconheça, informar apenas se é TRACIONADO (com propulsão própria, tipo cavalo) ou NÃO TRACIONADO (sem propulsão própria, tipo carreta). Escolher o tipo de veículo, conforme definições constantes na página do cadastro de veículos. CADASTRAR TODA A FROTA. Observação: No caso de Licença de Operação já em vigor, toda a alteração de frota deverá ser feita através de uma SOLICITAÇÃO DE ALTERAÇÃO DE FROTA (este tópico será abordado mais adiante - pág. 24), com a necessidade de pagamento de custo de licenciamento e eventual reenquadramento de acordo com a nova quantidade de veículos. Aqui ainda está sendo realizado o primeiro cadastro de frota. Figura 16 16

17 Cadastro de Classes e Resíduos Figura 17 17

18 Cadastro de Rotas Figura 18 Cadastro da Frota Figura 19 18

19 Após finalizar o cadastro da frota e salvar, clicar em Voltar. O sistema retornará à página anterior, de Cadastro de Licença. Figura 20 O próximo passo é Cadastrar a Solicitação. 19

20 CADASTRO DA SOLICITAÇÃO Na tela de Cadastro de Licenças, clicar na Aba Solicitação. Será gerado o número da Solicitação e a descrição do Tipo de Solicitação. Atenção: não gere o boleto antes de finalizar a inserção de todos os documentos, pois após a geração do boleto, o sistema não permitirá mais alterações. A situação da solicitação consta como pendente de documentos licenciatórios e deverão ser incluídos os documentos digitalizados - preferencialmente no formato PDF, ou imagem no formato JPG. Documentos enviados em outro formato podem não ser visualizados, podendo gerar pendências na análise do processo. A inserção dos documentos é obrigatória. Os documentos solicitados consistem na cópia do cartão de CNPJ (lembrando que não são aceitos cartões de CNPJ com a descrição "EXCETO PRODUTOS PERIGOSOS"), do Alvará de Localização e da ART do Responsável Técnico (Fig. 21). No caso do ramo de atividade 4710,11 COLETA E TRANSPORTE DE ÓLEO LUBRIFICANTE USADO OU CONTAMINADO, será solicitada ainda, cópia da Autorização emitida pela ANP para exercer a atividade de coletor de óleos lubrificantes usados ou contaminados, contendo o Número de Registro (Fig.22). Figura 21 20

21 Figura 22 Após inserir corretamente os documentos obrigatórios, clicar na parte inferior da tela em criar boleto. Sugere-se observar a data de geração do boleto, pois após a criação, ele é gerado com 15 dias para pagamento. Após o pagamento do boleto e confirmação pelo sistema do Banrisul, a solicitação é automaticamente enviada para a FEPAM e ficará disponível para avaliação. Caso haja alguma pendência, a mesma será informada através dos endereços de cadastrados. Por isso, é importante que os mesmos estejam corretos e atualizados. Não havendo pendências, a Licença de Operação será emitida e um informando o número do documento e que o mesmo está disponível no site da FEPAM será enviado para o endereço de cadastrado. Após a emissão do documento, o RT poderá fazer o download da Licença e dos Anexos contendo as placas cadastradas na aba Licença. 21

22 Figura 23 INFORMAÇÃO DE PENDÊNCIAS Ao receber por um aviso de pendência, o RT deverá acessar o sistema de licenciamento on-line com nome de usuário e senha e entrar no empreendimento em questão através da consulta pelo CNPJ, ou clicando em Listar Todos (Fig.13). Clicar no botão Licenças do empreendimento em questão e após, na Aba Solicitação, para visualizar no pé da página a Descrição do Problema constatado e as providências necessárias solicitadas por . 22

23 Figura 24 Somente após atender ao solicitado no , clicar no botão Reportar Solucionado para que a correção seja enviada on-line para nova avaliação. 23

24 ALTERAÇÃO DE FROTA Para solicitar alteração de frota, o RT deverá acessar o sistema e consultar o empreendimento em questão (conforme Fig.13) e clicar no botão ALTERAR FROTA. Esta alteração somente será permitida se não existirem pendências de solicitações. Figura 25 Para inclusão de novos veículos, o RT deverá preencher todos os campos de cadastro do veículo e gravar. Após, deverá clicar no botão Gerar Solicitação de Alteração de Frota. Para excluir um veículo já existente, clicar no box de Excluir (fig.26) do referido veículo e após clicar em Gerar Solicitação de Alteração de Frota. O sistema avisará que a solicitação foi cadastrada com sucesso e voltará para a página de Cadastro de Licenças. Figura 26 24

25 Na página do Cadastro de Licenças, na aba Solicitação (fig. 27), poderá ser visualizado o número e o status da solicitação, a qual se encontrará com pendência de pagamento. Estará disponível o botão Criar Boleto. Dependendo do PORTE do empreendimento, poderá ser exigido o upload do Plano de Emergência. Neste caso, a inserção do documento é obrigatória e deverá ser feita antes da geração do boleto. Figura 27 Após o pagamento do boleto e confirmação pelo sistema do Banrisul, a solicitação é automaticamente enviada para a FEPAM e ficará disponível para avaliação. Caso haja alguma nova pendência, a mesma será informada através dos endereços de cadastrados. Por isso, é importante que os mesmos estejam corretos e atualizados. Não havendo pendências, a Licença de Operação será emitida e o empreendedor receberá um informando o número do documento e que o mesmo está disponível no site da FEPAM ( em Licenciamento Ambiental/ Licenciamento Ambiental/ Empreendedor Cadastrado) onde pode ser consultado através do CNPJ do empreendedor em questão. 25

26 Atualização de Dados Cadastrais É possível alterar os dados cadastrais do RESPONSÁVEL TÉCNICO RT na tela inicial do RT, no botão Alterar meus dados cadastrais. Figura 28 Para alterar os dados cadastrais do EMPREENDIMENTO (menos CNPJ e Razão Social), acessar a tela inicial do empreendimento (Figura 14) e clicar no botão Alterar Dados Cadastrais. Para solicitar renovação de Licença de Operação, porém com alteração da razão social e CNPJ, solicite primeiramente a renovação e após altere os dados cadastrais. Nessa ordem. 26

27 Figura 29 RENOVAÇÃO DE LICENÇA Observe que o botão de renovação, somente estará disponível a partir de 20 dias antes do vencimento da licença. Estando a menos de 20 dias do vencimento da Licença de Operação, o sistema habilita a opção de Renovar a Licença de Operação em vigor. Para tanto, é necessário entrar no empreendimento em questão, clicar no botão Licença e após, na aba Licença, onde estará disponível o botão Renovar Licença. 27

28 Figura 30 Após clicar no botão Renovar Licença, o sistema informará que a solicitação foi cadastrada com sucesso e informa o número da solicitação, que se encontra com situação pendente de documentos licenciatórios e abrirá a janela para a inclusão dos documentos necessários, conforme Ramo de Atividade em questão. Após a inclusão correta dos documentos, o sistema irá disponibilizar o botão de geração de boleto. Antes da geração do boleto, ainda é possível cancelar a solicitação. No caso de troca de CNPJ ou Razão Social, siga os passos e orientações constantes no capítulo ALTERAÇÃO DE RAZÃO SOCIAL OU CNPJ. Após inserir corretamente os documentos obrigatórios, clicar na parte inferior da tela em criar boleto. Após o pagamento do boleto e liberação do sistema Banrisul, a solicitação é automaticamente enviada para a FEPAM e ficará disponível para avaliação. Caso haja alguma pendência, a mesma será informada através dos endereços de cadastrados. Não havendo pendências, a Licença de Operação será emitida. 28

29 ALTERAÇÃO DE RAZÃO SOCIAL E/OU CNPJ RAZÃO SOCIAL Para solicitação de alteração de Razão Social, o Responsável Técnico deverá enviar um para solicitando que o cadastro seja atualizado, informando a Razão Social anterior e a nova Razão Social requerida, acompanhado de cópia do cartão de CNPJ atualizado. O será analisado e estando com a documentação adequada, o cadastro no banco de dados da FEPAM será atualizado e após, será enviado um ao RT informando que a atualização já foi realizada e que deverá ser solicitada uma ATUALIZAÇÃO DE DOCUMENTO LICENCIATÓRIO, com o devido pagamento para que essa alteração se efetive. CNPJ No caso de alteração no CNPJ, o RT deverá cadastrar novo Empreendedor e Empreendimento. Após, deverá solicitar a REVOGAÇÃO da Licença de Operação em vigor com o CNPJ antigo. Após, deverá solicitar nova Licença de Operação com o CNPJ atualizado, seguindo os passos do licenciamento on-line. RENOVAÇÃO DA ART A Renovação da ART somente será permitida quando o prazo da anterior estiver vencido. Para renová-la, entre no empreendimento em questão e clique no botão de renovar ART. Figura 31 29

30 LIBERAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA No caso de liberação da responsabilidade técnica por um determinado empreendimento, deverá ser previsto pelo empreendedor, com a devida antecedência (da forma como achar devida, seja via cláusula de contrato de aviso prévio, ou de outra forma que julgar eficiente), a contratação de novo Responsável Técnico, de modo que na mesma data de baixa da atual Anotação de Responsabilidade Técnica ART junto à FEPAM, seja informada a nova ART em vigor, devendo ser solicitada a ATUALIZAÇÃO DE DOCUMENTO LICENCIATÓRIO, sob pena de REVOGAÇÃO da Licença em vigor. Para a liberação da responsabilidade técnica, o RT deverá acessar o empreendimento em questão e clicar no botão LIBERAR RESPONSABILIDADE TÉCNICA. Ao liberar essa responsabilidade, o empreendedor receberá um enviado para o endereço cadastrado, notificando a liberação. ASSUMIR RESPONSABILIDADE TÉCNICA DE EMPREENDIMENTO JÁ CADASTRADO Para assumir a responsabilidade de um empreendimento já cadastrado, clicar no botão selecionar empreendimento. Se já houver um Responsável Técnico pelo empreendimento, irá aparecer um aviso que o empreendimento já possui Responsável Técnico cadastrado. Para assumir a responsabilidade técnica, clicar no botão registrar responsável técnico e seguir a sequência de procedimentos. 30

Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I.

Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I. Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I. MILI S.A. - D.T.I. Índice 1 ACESSANDO O PORTAL IPEDIDOS... 3 1.1 Login...5 1.2 Tela Principal, Mensagens e Atendimento On-line...6 2 CADASTRAR... 10 2.1 Pedido...10

Leia mais

- Nota Fiscal Eletrônica -

- Nota Fiscal Eletrônica - Manual Portal de Clientes e Transportadores - Nota Fiscal Eletrônica - ÍNDICE. INTRODUÇÃO 3. OBJETIVO 3.2 ABRANGÊNCIA 3 2. FUNCIONALIDADES 3 2. CADASTRO DE CLIENTES NO PORTAL 3 2.2 CONSULTA NOTAS FISCAIS

Leia mais

Manual de inscrições VI ENIEDUC

Manual de inscrições VI ENIEDUC Manual de inscrições VI ENIEDUC Como se inscrever para o VI ENIEDUC Como emitir o boleto para pagamento Para se inscrever no VI ENIEDUC siga rigorosamente os seguintes procedimentos: 1) Na página inicial

Leia mais

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Manual CeC

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Manual CeC CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Manual CeC Atualizado em 21/02/2013 APRESENTAÇÃO Este manual apresenta a estrutura e a forma de utilização do módulo Cadastro eletrônico de Contribuintes CeC, o

Leia mais

DIVISÃO DE INFORMAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO

DIVISÃO DE INFORMAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO DIVISÃO DE INFORMAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO SEAMB MANUAL DO LICENCIAMENTO DE FONTES MÓVEIS DE POLUIÇÃO TRANSPORTE DE PRODUTOS E RESÍDUOS PERIGOSOS PELA INTERNET Outubro 2008 MANUAL DO LICENCIAMENTO DE FONTES

Leia mais

As pessoas jurídicas deverão promover a solicitação de mais de um cadastramento. O qual deverá ser realizado em duas etapas:

As pessoas jurídicas deverão promover a solicitação de mais de um cadastramento. O qual deverá ser realizado em duas etapas: CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Versão 1.0 Atualizado em 16/01/2012 APRESENTAÇÃO Este manual apresenta a estrutura e a forma de utilização do módulo Cadastro eletrônico de Contribuintes CeC, o

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL DO PROFESSOR

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL DO PROFESSOR MANUAL DO USUÁRIO PORTAL DO PROFESSOR ACESSANDO O PORTAL DO PROFESSOR Para acessar o portal do professor, acesse o endereço que você recebeu através da instituição de ensino ou acesse diretamente o endereço:

Leia mais

Passo a Passo para Rematrícula Online 2015

Passo a Passo para Rematrícula Online 2015 1. Entrar no site do Colégio: www.riobranco.org.br a) Digitar o Login, que é o número da Matrícula do Aluno (Seta 1) Dica: O número da matrícula pode ser localizado na carteirinha, boletim do aluno, ou

Leia mais

Índice. 1. Registro de Usuários. 2. Acesso ao Sistema. 3. Logar no Sistema. 4. Esquecimento de Senha. 5. Alteração de Senha

Índice. 1. Registro de Usuários. 2. Acesso ao Sistema. 3. Logar no Sistema. 4. Esquecimento de Senha. 5. Alteração de Senha Índice 1. Registro de Usuários 2. Acesso ao Sistema 3. Logar no Sistema 4. Esquecimento de Senha 5. Alteração de Senha 6. Sistema SISAUTO - Sistema de Automonitoramento de Efluentes Líquidos Industriais

Leia mais

Manual do Usuário - Cliente Externo

Manual do Usuário - Cliente Externo Versão 3.0 SGCL - Sistema de Gestão de Conteúdo Local SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 1.1. Referências... 4 2. COMO ESTÁ ORGANIZADO O MANUAL... 4 3. FUNCIONALIDADES GERAIS DO SISTEMA... 5 3.1. Acessar a Central

Leia mais

DIVISÃO DE LICENCIAMENTO E CONTROLE DA POLUIÇÃO DO PETRÓLEO E PETROQUÍMICOS DPP

DIVISÃO DE LICENCIAMENTO E CONTROLE DA POLUIÇÃO DO PETRÓLEO E PETROQUÍMICOS DPP DIVISÃO DE LICENCIAMENTO E CONTROLE DA POLUIÇÃO DO PETRÓLEO E PETROQUÍMICOS DPP MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ON LINE PARA RENOVAÇÃO DE LICENÇAS DE OPERAÇÃO PARA COMÉRCIO VAREJISTA DE COMBUSTÍVEIS

Leia mais

PASSO A PASSO PARA HABILITAÇÃO COMPLETA NO CADASTRO DE FORNECEDORES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Revisão 01 em 12/01/2015

PASSO A PASSO PARA HABILITAÇÃO COMPLETA NO CADASTRO DE FORNECEDORES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Revisão 01 em 12/01/2015 GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS SEGER SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL SUBAD GERÊNCIA DE LICITAÇÕES GELIC SUBGERÊNCIA DE CADASTRO DE FORNECEDORES

Leia mais

Manual do Portal do Fornecedor. isupplier

Manual do Portal do Fornecedor. isupplier isupplier Revisão 01 Setembro 2011 Sumário 1 Acesso ao portal isupplier... 03 2 Home Funções da Tela Inicial... 05 3 Ordens de Compra Consultar Ordens de Compra... 07 4 Entregas Consultar Entregas... 13

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física Acesso ao Sistema - Pessoa Física Página 2 de 37 Índice ÍNDICE... 2 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 4 1.1. DEFINIÇÃO... 4 1.2. OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DA NFS-E... 4 1.3. CONTRIBUINTES IMPEDIDOS DA EMISSÃO

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO AMBIENTAL SIGAM

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO AMBIENTAL SIGAM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO AMBIENTAL SIGAM MANUAL REQUERIMENTO ON LINE 2009 Fundação Instituto de Administração FIA Página Inicial Ao acessar a tela inicial, clique sobre a frase: Inicie o Requerimento

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO Acesse o site www.teubilhete.com.br, selecione a opção Teu Online, e clique no botão, preencha o formulário com os dados de sua empresa. Reúna duas vias impressas do Contrato

Leia mais

SIGECORS. Sistema de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Industriais

SIGECORS. Sistema de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Industriais SIGECORS Sistema de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Industriais Outubro 2008 Índice 1. Registrando Usuários 2. Acesso ao Sistema 3. Logar no Sistema 4. Esquecimento de Senha 5. Alteração de Senha 6.

Leia mais

Medical Office 2015 Instruções de Instalação e Configuração

Medical Office 2015 Instruções de Instalação e Configuração Medical Office 2015 Instruções de Instalação e Configuração 1) Faça o download do Medica Office através do nosso site www.medicaloffice.com.br opção do Download; 2) Após realizado o download do arquivo

Leia mais

MANUAL SISTEMA NFS-e

MANUAL SISTEMA NFS-e MANUAL SISTEMA NFS-e SUMARIO Tela Inicial NFe 03 Efetuar Login 1º Acesso Caso não possua Usuário e/ou Senha 03 Efetuar Login 1º Acesso Possuindo o Usuário e Senha 04 Primeira Tela 05 Menu de Opções 05

Leia mais

MANUAL PORTAL DO CLIENTE LIVING

MANUAL PORTAL DO CLIENTE LIVING MANUAL PORTAL DO CLIENTE LIVING ÍNDICE 3 Introdução 4 Primeiro acesso 6 Informações financeiras 8 Boletos 10 Fotos INTRODUÇÃO Queremos ficar cada vez mais próximos de você. O Portal do Cliente Living foi

Leia mais

Guia Rápido do Usuário

Guia Rápido do Usuário CERTIDÕES UNIFICADAS Guia Rápido do Usuário CERTUNI Versão 1.0.0 CASA DA MOEDA DO BRASIL Conteúdo Acessando o Sistema... 3 Alterando Senhas... 3 Encerrando sua Sessão... 4 Gerando Pedido... 4 Alterando

Leia mais

Manual de Treinamento Serviços de Manutenção Ticket Car. Operações via POS/TEF

Manual de Treinamento Serviços de Manutenção Ticket Car. Operações via POS/TEF Manual de Treinamento Serviços de Manutenção Ticket Car Operações via POS/TEF Cartão Ticket Car CIU - Cartão de Identificação do Usuário ÍNDICE Operações com o Cartão Ticket Car... 04 POS Ticket Car :

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO PORTAL DE ATENDIMENTO AO PRESTADOR

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO PORTAL DE ATENDIMENTO AO PRESTADOR MANUAL DE PREENCHIMENTO DO PORTAL DE ATENDIMENTO AO PRESTADOR Este Manual tem por finalidade orientar o preenchimento do Novo Portal de Serviços de Atendimento ao Prestador no atendimento aos beneficiários

Leia mais

Guia Rápido. Sistema de Cobrança - Beneficiário

Guia Rápido. Sistema de Cobrança - Beneficiário GuiaRápido SistemadeCobrança-Beneficiário GR SistemadeCobrança Beneficiário Índice 1 Introdução... 4 2 Público Alvo... 4 3 Pré-Requisitos... 4 4 Acessando o Sistema de Cobrança... 5 5 Cadastro... 6 5.1

Leia mais

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office Treinamento Módulo Escritório Virtual Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office 1. Atualização do sistema Para que este novo módulo seja ativado,

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO

SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO Manual passo-a-passo para obtenção do Auto de Licença de Funcionamento/ Auto de Licença de Funcionamento Condicionado Eletrônico

Leia mais

Manual SERVIRTUAL (Usuário externo)

Manual SERVIRTUAL (Usuário externo) Manual SERVIRTUAL (Usuário externo) SER - SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA - PARAIBA GOIEF Gerencia Operacional de Informações Econômico Fiscais NAPDF Núcleo de Análise e Planejamento de Documentos Fiscais

Leia mais

CeC. Cadastro Eletrônico de Contribuintes

CeC. Cadastro Eletrônico de Contribuintes CeC Cadastro Eletrônico de Contribuintes Versão 1.0 Usuário Externo Março/2010 Índice 1. Apresentação... 3 2. Objetivos... 3 3. Solicitação de CeC... 4 3.1. Cadastro de pessoas físicas... 5 3.1.1. Cadastro

Leia mais

Cadastro de Usuários e Agendamento de Consultas

Cadastro de Usuários e Agendamento de Consultas 2013 Cadastro de Usuários e Agendamento de Consultas Cris Podologia 1 Conteúdo 1) Cadastro... 3 2) Agendamento... 8 3) Atualização e Complemento do Cadastro... 13 a) Perfil... 15 b) Endereço... 15 4) Recuperação

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES AO USO DE SERVIÇOS DISPONIVEIS NO SITE DA ALIANÇA ADMINISTRADORA

MANUAL DE ORIENTAÇÕES AO USO DE SERVIÇOS DISPONIVEIS NO SITE DA ALIANÇA ADMINISTRADORA MANUAL DE ORIENTAÇÕES AO USO DE SERVIÇOS DISPONIVEIS NO SITE DA ALIANÇA ADMINISTRADORA SERVIÇOS AO CLIENTE DISPONIVÉIS NO SITE Este material serve para orientar os parceiros da Aliança sobre os serviços

Leia mais

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML Observação: O arquivo XML da nota fiscal deve estar salvo em seu computador. Se o seu fornecedor não enviou o arquivo por e-mail, você pode obter o arquivo pela internet,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE EMISSÃO DE PARECER TÉCNICO

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE EMISSÃO DE PARECER TÉCNICO MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE EMISSÃO DE PARECER TÉCNICO CADASTRO NO SISTEMA 1 INÍCIO Para dar início ao cadastro de solicitação, digite o número do CNPJ da

Leia mais

O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 MANUAL DE USO DO SISTEMA GOVERNO DIGITAL ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 2.0. SOLICITAÇÕES DE AIDF E AUTORIZAÇÃO DE EMISSÃO DE NOTA

Leia mais

Nota Fiscal Cidadã Manual do Registro de Reclamações

Nota Fiscal Cidadã Manual do Registro de Reclamações Nota Fiscal Cidadã Manual do Registro de Reclamações Versão 6 Objetivo do Manual Orientar sobre os procedimentos necessários para comunicação à SEFA da ocorrência de infrações à legislação do Programa

Leia mais

Escritório Virtual - Apresentação. Acesso ao Portal do Escritório Virtual

Escritório Virtual - Apresentação. Acesso ao Portal do Escritório Virtual Página2 Escritório Virtual - Apresentação O escritório Virtual visa uma aproximação entre o escritório e seus clientes, possibilitando encurtar caminhos para envio e recebimento de arquivos e informações

Leia mais

Acompanhamento e Execução de Projetos

Acompanhamento e Execução de Projetos Acompanhamento e Execução de Projetos Manual do Usuário Atualizado em: 28/11/2013 Página 1/24 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ABRANGÊNCIA DO SISTEMA... 3 3. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 4. COMO ACESSAR O SISTEMA...

Leia mais

SRP Sistema de Controle de Ata de Registro de Preço. Passo a Passo Gestor de Compras

SRP Sistema de Controle de Ata de Registro de Preço. Passo a Passo Gestor de Compras SRP Sistema de Controle de Ata de Registro de Preço Passo a Passo Gestor de Compras Como acessar Como Acessar O acesso ao Sistema se faz através da página da SEPLAG Clicando no Link destacado Como Acessar

Leia mais

PARA REALIZAR SUA INSCRIÇÃO É NECESSÁRIO QUE VOCÊ TENHA EM MÃOS DOCUMENTO DE IDENTIDADE, CPF E UMA CONTA DE E-MAIL.

PARA REALIZAR SUA INSCRIÇÃO É NECESSÁRIO QUE VOCÊ TENHA EM MÃOS DOCUMENTO DE IDENTIDADE, CPF E UMA CONTA DE E-MAIL. PASSO A PASSO PARA REALIZAR INSCRIÇÃO CURSOS SUPERIORES PARA REALIZAR SUA INSCRIÇÃO É NECESSÁRIO QUE VOCÊ TENHA EM MÃOS DOCUMENTO DE IDENTIDADE, CPF E UMA CONTA DE E-MAIL. LEIA ATENTAMENTE O EDITAL ANTES

Leia mais

Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP FAQ PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES

Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP FAQ PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP FAQ PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Operacionalização - Solicitação de Viagem 1 CADASTRAMENTO DE VIAGEM 1.1 Como reativar uma PCDP já cancelada? 1.2 -

Leia mais

Manual Operacional do Sistema de Concessão de Diárias e Passagens - SCDP Fevereiro de 2008

Manual Operacional do Sistema de Concessão de Diárias e Passagens - SCDP Fevereiro de 2008 Manual Operacional do Sistema de Concessão de Diárias e Passagens - SCDP Fevereiro de 2008 Índice 1. Acesso ao Sistema Página 3 1.1 Acessar o Sistema de Concessão de Diárias e Passagens SCDP com Login

Leia mais

Manual de solicitação para envio de equipamento em garantia. Bosch Sistemas de Segurança

Manual de solicitação para envio de equipamento em garantia. Bosch Sistemas de Segurança Manual de solicitação para envio de equipamento em garantia Bosch Sistemas de Segurança 2 Manual Sistema de Garantia Bosch Sistemas de Segurança Acesso ao Sistema Para acessar o sistema, entre no site

Leia mais

Informações inerentes à renovação de matrícula para o ano letivo de 2016.

Informações inerentes à renovação de matrícula para o ano letivo de 2016. Vitória/ES, 02 de outubro de 2015. Informações inerentes à renovação de matrícula para o ano letivo de 2016. Senhores Pais ou Responsáveis, Informamos que o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais

Leia mais

1. Panorama inicial do sistema... 2 2. Como criar um Ato Concessório Integrado Isenção... 7 2.1. Cadastrando Nota Fiscal de Insumo... 8 2.2.

1. Panorama inicial do sistema... 2 2. Como criar um Ato Concessório Integrado Isenção... 7 2.1. Cadastrando Nota Fiscal de Insumo... 8 2.2. 1. Panorama inicial do sistema... 2 2. Como criar um Ato Concessório Integrado Isenção... 7 2.1. Cadastrando Nota Fiscal de Insumo... 8 2.2. Cadastrando Declaração de Importação (DI)... 9 2.3. Vinculando

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: PROPOSTAS VERSÃO 1.1 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 10/11/2011 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 07/01/2013 1.1 Atualização do

Leia mais

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0)

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0) Parte:Manual Atualização: OriginalPágina 1 Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária () Instalação Se houver alguma versão do FireBird Instalada na máquina desinstale antes de

Leia mais

www.aluminiocba.com.br Manual do Usuário Fornecedor

www.aluminiocba.com.br Manual do Usuário Fornecedor Manual do Usuário Fornecedor Manual do Usuário - Fornecedor Versão 1.2 Página 2 CBA Online Manual do Usuário Fornecedor Versão 1.2 3 de agosto de 2004 Companhia Brasileira de Alumínio Departamento de Tecnologia

Leia mais

Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro

Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro Painel de recebíveis e Painel de linhas de crédito Versão 1.0 1 As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis

Leia mais

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8 Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 O QUE É GISSONLINE?... 6 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 6 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Sistema de Recolhimentos

Sistema de Recolhimentos Divisão de Arrecadação DIAR/CFI/PRAD Sistema de Recolhimentos Manual do Usuário Contribuinte NTI Núcleo de Tecnologia da Informação 1. Sistema de Recolhimentos A Guia de Recolhimentos da União, ou GRU,

Leia mais

Gestão de Formação CURSOS/EVENTOS

Gestão de Formação CURSOS/EVENTOS Gestão de Formação CURSOS/EVENTOS Página 1 de 21 SUMÁRIO Sumário... 2 Acesso ao GFO / Cursos & Eventos... 6 Página 2 de 21 PRÉ-CONDIÇÕES PARA REALIZAR A INSCRIÇÃO DE CANDIDATO A DIRETOR: O processo de

Leia mais

Sistema Serviço de Valet

Sistema Serviço de Valet Sistema Serviço de Valet Manual do Usuário Página 1 Sistema Serviço de Valet Manual do Usuário Versão 1.0.0 Sistema Serviço de Valet Manual do Usuário Página 2 Índice 1. Informações gerais... 3 2. Passo-a-passo...

Leia mais

MANUAL PARA INSCRIÇÃO online EM EDITAIS

MANUAL PARA INSCRIÇÃO online EM EDITAIS MANUAL PARA INSCRIÇÃO online EM EDITAIS Siga cuidadosamente todas as orientações deste Manual durante o processo de inscrição online. 1º PASSO: Acessar o SalicWeb Para inscrever a sua iniciativa cultural

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Estadual de Informações Ambientais e de Recursos Hídricos VERSÃO 2.0

Manual do Usuário. Sistema Estadual de Informações Ambientais e de Recursos Hídricos VERSÃO 2.0 Manual do Usuário Sistema Estadual de Informações Ambientais e de Recursos Hídricos VERSÃO 2.0 1 Apresentação O SEIA Sistema Estadual de Informações Ambientais e de Recursos Hídricos é uma ferramenta fundamentada

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.0

Manual SAGe Versão 1.0 Manual SAGe Versão 1.0 Emissão de Parecer de Assessoria (após a versão 12.14.00) Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Recebimento do e-mail de solicitação de parecer... 3 3. Operações no sistema SAGe... 4 3.1

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - DIAT GERÊNCIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÕES TRIBUTÁRIAS - GESIT

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - DIAT GERÊNCIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÕES TRIBUTÁRIAS - GESIT SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - DIAT GERÊNCIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÕES TRIBUTÁRIAS - GESIT Atualizado em 03/04/14 MANUAL DOS APLICATIVOS: SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

Ambiente de Pagamentos

Ambiente de Pagamentos GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃOTRIBUTÁRIA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES Ambiente de Pagamentos Manual do Contribuinte Versão 26/09/2011 Índice Analítico 1.

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA FINANX

MANUAL DO SISTEMA FINANX MANUAL DO SISTEMA FINANX www.meusoft.com.br Indice Item Descrição Pg 1. Objetivo e Principais Funcionalidades 3 2. Para acessar e instalar a aplicação 4 3. Conhecendo o FinanX 6 3.0 Tela inicial de LOGIN

Leia mais

Manual sistema Laundry 4.0

Manual sistema Laundry 4.0 Manual sistema Laundry 4.0 Sistema para serviços de Lavanderia Comércios Empresa responsável Novacorp informática Fone (41) 3013-1006 E-mail marcio@novacorp.com.br WWW.novacorp.com.br Sumario 1 Este manual

Leia mais

idcorreios idcorreios Segurança de Acesso ao Portal dos Correios

idcorreios idcorreios Segurança de Acesso ao Portal dos Correios 1 Segurança de Acesso ao Portal dos Correios MANUAL DO USUÁRIO 2015 2 Apresentação: O é um mecanismo de autenticação e autorização única de usuários para acesso ao Portal Correios e seus serviços. O serviço

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso Supervisão de Informática Departamento de Desenvolvimento Sistema Declaração On Line. Declaração On Line

Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso Supervisão de Informática Departamento de Desenvolvimento Sistema Declaração On Line. Declaração On Line Declaração On Line Manual de Apoio à Utilização do Sistema Manual do Usuário Versão 1.0 INTRODUÇÃO... 4 AUTENTICANDO-SE NO SISTEMA... 4 EM CASO DE ESQUECIMENTO DA SENHA... 5 ALTERANDO A SENHA DE ACESSO

Leia mais

Dúvidas Em caso de dúvidas, entre em contato conosco: UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Unidade Acadêmica de Graduação

Dúvidas Em caso de dúvidas, entre em contato conosco: UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Unidade Acadêmica de Graduação 2º Período de Matrículas - Inclusão de disciplinas 1. Apresentação...2 2. Iniciando sua inclusão...4 3. Selecionando o contexto...6 1. Selecionando disciplina(s) - (atividades acadêmicas)...7 2. Plano

Leia mais

ACESSO ALUNO (exclusivo para o Passe Escolar Gratuito)

ACESSO ALUNO (exclusivo para o Passe Escolar Gratuito) ACESSO ALUNO (exclusivo para o Passe Escolar Gratuito) Primeiro Acesso O aluno deve acessar o endereço http://s2.aesanet.net/cades e clicar no botão Cadastre-se como mostra a figura abaixo; Em seguida

Leia mais

Integração da Digitação de Eventos

Integração da Digitação de Eventos Integração da Digitação de Eventos Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 1.1. Primeiro Acesso... 1 1.2. Conhecendo a Plataforma... 3 1.2.1. Seleção da Empresa... 3 1.2.2. Sair do sistema/minhas Configurações...

Leia mais

Manual do Módulo de PC Online

Manual do Módulo de PC Online do Módulo de PC Online Agilis Conteúdo Introdução... 4 Acesso à Funcionalidade... 5 1. Internet Explorer 6.x... 7 2. Internet Explorer 7.x... 9 3. Netscape Navigator 7.x... 10 4. Netscape Navigator 7.2x...

Leia mais

Orientações para os procedimentos de cadastro e inscrição em nosso site.

Orientações para os procedimentos de cadastro e inscrição em nosso site. Orientações para os procedimentos de cadastro e inscrição em nosso site. Atenção: Os dados que aparecem nas imagens abaixo, são meramente ilustrativos, naturalmente os dados que devem ser visualizados,

Leia mais

Apresentação... 01 Menu Inicial... 03 Pesquisa de Documentos... 04 Configuração do Sistema... 05 Cadastro Corretor... 06 Automóvel...

Apresentação... 01 Menu Inicial... 03 Pesquisa de Documentos... 04 Configuração do Sistema... 05 Cadastro Corretor... 06 Automóvel... 1 Apresentação... 01 Menu Inicial... 03 Pesquisa de Documentos... 04 Configuração do Sistema... 05 Cadastro Corretor... 06 Automóvel... 07 Cores e Contrastes na tela... 14 Renovação... 15 Solicitação de

Leia mais

MANUAL DE INSCRIÇÃO ONLINE

MANUAL DE INSCRIÇÃO ONLINE MANUAL DE INSCRIÇÃO ONLINE 1 / 10 PASSO A PASSO Acesso ao site Feira do Empreendedor 2014... 2 PASSO 1 O que quero fazer na Feira?... 4 PASSO 2 Quero buscar e selecionar atividades... 5 PASSO 3 Meu Cadastro

Leia mais

Manual Protocolo Virtual Versão 1.2. Sumário

Manual Protocolo Virtual Versão 1.2. Sumário Sumário 1. Informações Iniciais 1.1. Sobre o sistema Protocolo Virtual Segunda chamada 1.2 Sobre o sistema Protocolo Virtual Trancamento 2. Procedimento do pedido de segunda chamada de Avaliação 3. Aluno

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO DE SOLICITAÇÃO DE FORMULÁRIOS (SASF) USUÁRIOS MUNICIPAIS VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DO ISSQN

SISTEMA INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DO ISSQN SISTEMA INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DO ISSQN MIGRAÇÃO DAS INFORMACOES DO ATUAL SISTEMA PARA O SIGISSWEB 1ª FASE: Em 1º de Maio de 2015, o sistema SIGISSWEB deverá estar carregado com todos os cadastros

Leia mais

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Usuário Anônimo Versão 1.2 13/10/2010 Sumário Apresentação... 3 Objetivo... 3 1. Solicitação de CeC... 4 1.1. Cadastro de Pessoas Físicas... 6 1.1.1 Cadastro de

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL DO SISTEMA ESTADUAL DE CONTROLE DE PESCA

MANUAL OPERACIONAL DO SISTEMA ESTADUAL DE CONTROLE DE PESCA SISTEMA IMASUL DE REGISTROS E INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS DO MEIO AMBIENTE MANUAL OPERACIONAL DO SISTEMA ESTADUAL DE CONTROLE DE PESCA Manual Operacional para uso exclusivo do módulo do Sistema Estadual de

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE REFERÊNCIA DE CUSTOS Orientações para cadastro de fornecedores

MANUAL DO SISTEMA DE REFERÊNCIA DE CUSTOS Orientações para cadastro de fornecedores SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MANUAL DO SISTEMA DE REFERÊNCIA DE CUSTOS Orientações para cadastro de fornecedores Secretaria de Gestão, Controles e Normas Departamento de

Leia mais

Unidade Gestora de Integração de Sistemas Tributários

Unidade Gestora de Integração de Sistemas Tributários Secretaria De Estado de Fazenda Superintendência de Gestão da Informação Unidade Gestora de Integração de Sistemas Tributários Unidade Gestora de Integração de Sistemas Tributários DECLARAÇÃO DE COMPRA

Leia mais

MANUAL OFICINAS HDI - AUDATEX WEB

MANUAL OFICINAS HDI - AUDATEX WEB MANUAL OFICINAS HDI - AUDATEX WEB Audatex Web Oficinas HDI Nível Usuário (Versão 2.8) Gerência de Suporte Técnico Departamento de Treinamento Resp.: Equipe de Treinamento Versão 1.0 Revisão 1 Data 13/5/2008

Leia mais

Pd@Net Financeiro. Manual do Fornecedor

Pd@Net Financeiro. Manual do Fornecedor Pd@Net Financeiro Manual do Fornecedor Ao formularmos este manual, pensamos em você, nosso fornecedor, que necessita de um suporte a qualquer horário. Aqui você vai saber como acessar as seguintes informações:

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sete Lagoas Secretaria de Planejamento Orçamento e Tecnologia Subsecretaria de Tecnologia da Informação

Prefeitura Municipal de Sete Lagoas Secretaria de Planejamento Orçamento e Tecnologia Subsecretaria de Tecnologia da Informação Tutorial para abertura de chamado Este sistema foi personalizado, instalado e configurado pela equipe da. O objetivo desta implantação é informatizar os registros de atendimento de suporte técnico para

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÃO. 1- Para acessar o sistema é necessário seguir os passos abaixo:

GUIA DE ORIENTAÇÃO. 1- Para acessar o sistema é necessário seguir os passos abaixo: GUIA DE ORIENTAÇÃO 1- Para acessar o sistema é necessário seguir os passos abaixo: 1.1 - ACESSAR O SITE DA PREFEITURA: 1.2 - CLICAR NA OPÇÃO: SERVIÇOS >> NOTA FISCAAL ELETRÔNICA 1.3 - Aguarde carregar

Leia mais

Busca Por Nome da Empresa:

Busca Por Nome da Empresa: CERTIDÃO ESPECÍFICA Ao escolher o Tipo de Certidão Específica, será exibida uma breve definição da certidão simplificada e a tabela de preços. Após escolher o tipo de certidão desejada, clique no botão.

Leia mais

ROTEIRO PARA RECADASTRAMENTO DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

ROTEIRO PARA RECADASTRAMENTO DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS CONTATOS PARA ESCLARECIMENTO DE DÚVIDAS OU SOLUÇÃO DE DIFICULDADES COM O SISTEMA: IBAMA/Brasília: (61) 3316 1677 IBAMA/Vitória: (27) 3089 1190 / 1191 ROTEIRO PARA RECADASTRAMENTO DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

UnionWeb Condominium

UnionWeb Condominium UnionWeb Condominium Esse manual contém explicações técnicas de configuração e manutenção administrativa. Não deve ser repassado para moradores, é para utilização da Administradora ou responsável para

Leia mais

M A N U A L D O C I D A D Ã O

M A N U A L D O C I D A D Ã O M A N U A L D O C I D A D Ã O O Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão (e-sic) servirá de auxílio ao SIC (setor físico), para consulta via internet. E-SIC Versão 1.05 Sumário Introdução

Leia mais

FS133.1. Sistema: Futura Server. Caminho: Contas a Receber>Boleto>Boleto Baixa. Referência: FS133.1. Versão: 2016.07.04

FS133.1. Sistema: Futura Server. Caminho: Contas a Receber>Boleto>Boleto Baixa. Referência: FS133.1. Versão: 2016.07.04 Como Baixar FS133.1 Boletos? Sistema: Futura Server Caminho: Contas a Receber>Boleto>Boleto Baixa Referência: FS133.1 Versão: 2016.07.04 Como Funciona: Esta tela é utilizada para gerar arquivos que informarão

Leia mais

SAV - SISTEMA DE AGENDAMENTO DE VEÍCULOS

SAV - SISTEMA DE AGENDAMENTO DE VEÍCULOS SAV - SISTEMA DE AGENDAMENTO DE VEÍCULOS Introdução ao SAV Prezado Cliente SAV - Sistema de Agendamento de Veículos visa prover as empresas de transporte de um rápido, eficiente e consistente nível de

Leia mais

MANUAL Inclusão de Proposta para licitação" Operando o Portal do Cidadão

MANUAL Inclusão de Proposta para licitação Operando o Portal do Cidadão MANUAL Inclusão de Proposta para licitação" Operando o Portal do Cidadão Para efetuar esta operação o usuário deverá acessar o portal guaramirim.atende.net rolar a página até o final, clicando na aba Enviar

Leia mais

MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento

MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento SEBRAE-GO 1 Sumário Introdução... 3 1) Acesso ao Sistema... 4 1.1. LOGIN... 4 1.2. ALTERAR SENHA... 7 1.3. RECUPERAR SENHA...

Leia mais

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1 2 Índice 1. Escritório Virtual... 5 1.1. Atualização do sistema...5 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1.3. Cadastro do Escritório...5 1.4. Logo Marca do Escritório...6...6 1.5. Cadastro

Leia mais

Roteiro elaborado com o objetivo de auxiliar os convenentes no registro das prestações de contas no SIGPC Contas Online.

Roteiro elaborado com o objetivo de auxiliar os convenentes no registro das prestações de contas no SIGPC Contas Online. FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FNDE Roteiro de orientações ao convenente para prestação de contas do Programa Caminho da Escola no SiGPC Contas Online Roteiro elaborado com o objetivo de

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA GESTÃO DO TRABALHO FRENQUENTLY ANSWER QUESTIONS (FAQ S) ATIVIDADES PARA FORMAÇÃO

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA GESTÃO DO TRABALHO FRENQUENTLY ANSWER QUESTIONS (FAQ S) ATIVIDADES PARA FORMAÇÃO PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA GESTÃO DO TRABALHO FRENQUENTLY ANSWER QUESTIONS (FAQ S) ATIVIDADES PARA FORMAÇÃO 1 FORMAÇÃO 1.1 O que é formação? Todas atividades relacionadas ao processo de educação, que

Leia mais

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Versão Fevereiro/2013 Índice PCS - Módulo de Prestação de Contas...3 Acesso ao Módulo PCS...3 1. Contas financeiras...5 1.1. Cadastro de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA. Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (SISTEC) GUIA SISTEC

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA. Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (SISTEC) GUIA SISTEC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (SISTEC) GUIA SISTEC FEVEREIRO / 2010 GUIA SISTEC INTRODUÇÃO...03 PRÉ-CADASTRO

Leia mais

Manual para Envio de Petição Inicial

Manual para Envio de Petição Inicial Manual para Envio de Petição Inicial 1. Após abrir a página do PROJUDI, digite seu usuário e senha 1.1. Para advogados o usuário é o cpf.adv (ex: 12345678900.adv) 1.2. Após digitar os dados (login e senha),

Leia mais

GOIEF Gerencia Operacional de Informações Econômico-Fiscais. NAPDF Núcleo de Análise e Planejamento de Documentos Fiscais

GOIEF Gerencia Operacional de Informações Econômico-Fiscais. NAPDF Núcleo de Análise e Planejamento de Documentos Fiscais Manual SERVIRTUAL (Usuário Interno) SER - SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA - PARAÍBA GOIEF Gerencia Operacional de Informações Econômico-Fiscais NAPDF Núcleo de Análise e Planejamento de Documentos Fiscais

Leia mais

Monitor de Comercialização - Proponente MT-212-00056-2

Monitor de Comercialização - Proponente MT-212-00056-2 Monitor de Comercialização - Proponente MT-212-00056-2 Última Atualização: 08/01/2015 Índice I Como acessar um Leilão II Informações básicas III Anexos IV Painel de Lances V Envio de Lances VI Prorrogação

Leia mais

Resposta penhora Online. Passo 1: Acesse ao site www.oficioeletronico.com.br Passo 2: Clique em "Autenticação com certificado digital"

Resposta penhora Online. Passo 1: Acesse ao site www.oficioeletronico.com.br Passo 2: Clique em Autenticação com certificado digital Resposta penhora Online Passo 1: Acesse ao site www.oficioeletronico.com.br Passo 2: Clique em "Autenticação com certificado digital" 1 Passo 3: Clique em "Autenticar. Deve constar o nome do usuário do

Leia mais

Manual do SeCI. Sistema Eletrônico de Prevenção de Conflitos de Interesses. Guia do Administrador

Manual do SeCI. Sistema Eletrônico de Prevenção de Conflitos de Interesses. Guia do Administrador Manual do SeCI Sistema Eletrônico de Prevenção de Conflitos de Interesses Guia do Administrador CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO CGU SAS, Quadra 01, Bloco A, Edifício Darcy Ribeiro 70070-905 Brasília-DF cgu@cgu.gov.br

Leia mais