FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM MARKETING. Gledson da Graça Gonçalves

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM MARKETING. Gledson da Graça Gonçalves"

Transcrição

1 FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM MARKETING Gledson da Graça Gonçalves UMA ANÁLISE DA APLICAÇÃO DO MARKETING DIRETO ATRAVÉS DO VAREJO ON-LINE COMO FERRAMENTA DE ATRAÇÃO E FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES NA LOJA VIRTUAL SUBMARINO.COM Paulo Afonso BA Dezembro/2009

2 Gledson da Graça Gonçalves UMA ANÁLISE DA APLICAÇÃO DO MARKETING DIRETO ATRAVÉS DO VAREJO ON-LINE COMO FERRAMENTA DE ATRAÇÃO E FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES NA LOJA VIRTUAL SUBMARINO.COM Monografia apresentada ao curso de Bacharelado em Administração com Habilitação em MARKETING da Faculdade Sete de Setembro FASETE, como pré-requisito para obtenção do título de Bacharel em Administração. Sob a orientação do Professor Esp. Luíz Valdélio Lins. Paulo Afonso BA Dezembro/2009

3 FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE. Curso de Bacharelado de Administração com Habilitação em Marketing. UMA ANÁLISE DA APLICAÇÃO DO MARKETING DIRETO ATRAVÉS DO VAREJO ON-LINE COMO FERRAMENTA DE ATRAÇÃO E FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES NA LOJA VIRTUAL SUBMARINO.COM Monografia apresentada ao curso de Bacharelado em Administração com Habilitação em Marketing da Faculdade Sete de Setembro FASETE, como pré-requisito para obtenção do título de Bacharel em Administração. Sob a orientação do Professor Esp. Luíz Valdélio Lins. Aprovado em: / / BANCA EXAMINADORA

4 Dedico este trabalho aos meus Pais, irmão, esposa, minha avó e toda família, os quais foram muito importantes para a realização deste sonho e sempre estiveram do meu lado, me dando forças em todos os momentos difíceis, contribuindo assim, para vencer os obstáculos enfrentados no decorrer desta caminhada. Essa vitoria também é de vocês!

5 AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente a Deus por ter me dado o dom da vida, sabedoria, saúde e forças para chegar à concretização deste sonho e objetivo. A meus pais, João Batista Gonçalves, Maria Lucia Gonçalves, e o meu irmão Gleyton Gonçalves os quais foram de grande importância para minha formação tanto pessoal como acadêmica e acreditaram sempre na minha vitoria. A minha esposa Fabíola Queiroz que esteve sempre do meu lado me dando força em vários momentos não me deixando desanimar, contribuindo para que eu conseguisse vencer os obstáculos enfrentados. Ao meu orientador e amigo Luiz Valdélio Lins, o qual foi de grande importância para a efetivação deste trabalho, contribuindo com seus ensinamentos e experiência e, em todo o momento, esteve presente e disposto a ajudar-me. Por ultimo não poderia deixar de agradecer a todos os outros professores em especial, Renivaldo Ferraz e Poliana Pionório, e amigos entre eles Nilton Cesar e Ana Isabelly os quais contribuíram para este objetivo. A todos, meus eternos agradecimentos e Obrigado por existirem!

6 "O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis". (Fernando Pessoa)

7 GONÇALVES, Gledson da Graça. Uma Análise da Aplicação do Marketing Direto Através do Varejo on-line como Ferramenta de Atração e Fidelização de Cliente na Loja Virtual Submarino.com p. Monografia (Bacharelado em Administração em marketing). FASETE Faculdade Sete de Setembro, Paulo Afonso-BA. RESUMO O presente trabalho teve como objetivo central analisar a aplicação do marketing direto através do varejo online como uma ferramenta para atrair e fidelizar clientes, tendo como objeto de estudo, a loja virtual Submarino.com. O marketing direto é uma ferramenta de comunicação, capaz de promover uma maior interação entre a empresa e seus clientes de forma customizada e, em alguns casos, personalizada. Assim, torna-se uma alternativa eficaz na busca de maior aproximação do cliente, melhor conhecimento do seu perfil e comportamento, objetivando a sua fidelização. Para o alcance dos objetivos propostos, realizou-se pesquisa bibliográfica, exploratória e descritiva, analisando-se métodos quantitativos e qualitativos, através de uma pesquisa de campo com 52 alunos e professores do curso de administração da FASETE, clientes da Submarino.com e que conhecem tecnicamente os conceitos de comércio eletrônico. Conclui-se, com a análise, que a loja Submarino.com tem conseguido êxito nas suas ações de marketing direto, mas esta não é ainda a variável que mais influencia a decisão de compra dos seus clientes. O marketing viral (boca a boca) tem sido mais decisivo. Assim, fica evidente o potencial para estratégias customizadas, buscando-se personalizar as ações na busca de novos clientes e a fidelização dos já existentes. Palavras chaves: Comércio eletrônico, MARKETING direto, interatividade com o consumidor.

8 GONÇALVES, Gledson da Graça. Uma Análise da Aplicação do Marketing Direto Através do Varejo on-line como Ferramenta de Atração e Fidelização de Cliente na Loja Virtual Submarino.com p. Monografia (Bacharelado em Administração em Marketing). FASETE Faculdade Sete de Setembro, Paulo Afonso-BA. ABSTRACT The present work had like central objective analyze the application of the straight marketing through the retail trade online as a tool for attract and idolizer clients, having like object of study, the shop Submarino.com. The straight marketing is a tool of communication, capable of promote a bigger interaction between the company and his clients of form customized and, in some cases, personalized. Like this, becomesitself an efficient alternative in the search of bigger approach of the client, better knowledge of his profile and behavior, planning to its idolization. For the reach of the objectives proposed, carried out researches bibliographical, exploratory and descriptive, analyzing itself qualitative and quantitative approaches, through a field work with 52 students and professors of the course of administration of the FASETE, clients of the Submarino.com and that know technical the concepts of e-business. I concluded, with the analysis, that the shop Submarino.com has obtained success in his actions of straight marketing, but this is not still the variable that more influences the decision of purchase of the his clients. The marketing viral (mouth the mouth) has been more decisive. Like this, it stayed evident the potential for strategies customized, seeking itself personalize the actions in the search of new clients and to idolization of the already existing one. Keywords: E-business, straight marketing, interactivity with the consumer.

9 LISTA DE GRÁFICOS E ILUSTRAÇÕES Figura Promoção Natal Submarino Via Figura Agenda Pessoal Cliente da Submarino.com Gráfico 2-1 Evolução do Comércio Virtual Brasileiro Gráfico A freqüência com que os pesquisados compram na loja Submarino.com Gráfico Estratégias de maior influência para as compras realizadas pelos pesquisados Gráfico Recebimento de com descontos e ofertas especiais posterior a desistência de compras pelos pesquisados Gráfico Decepções dos usuários em relação à submarino.com Gráfico Motivo das decepções dos pesquisados Gráfico Atribuição de notas aos produtos e serviços da submarino.com e seu marketing direto Tabela Satisfação dos pesquisados em relação às variáveis que compõe a loja Submarino.com... 56

10 SUMÁRIO 1 CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO Considerações Iniciais Definição do Problema Objetivos Geral Específicos Justificativa CAPÍTULO II - REFERENCIAL TEÓRICO Marketing Conceitos de Marketing Marketing de Varejo Tipos de Varejo Varejo com loja alimentício Varejo com loja não alimentício Varejo sem Loja Venda direta Varejo on-line Crescimento do Marketing Direto e da Compra Eletrônica Satisfação e Fidelização do Cliente Construindo a Satisfação do Cliente Fidelização de clientes no varejo on-line Benefícios do marketing on-line Marketing Direto Benefícios do marketing direto Principais canais de marketing direto Venda Face-a-Face Marketing de Mala Direta Marketing de Catálogo Telemarketing... 39

11 3 CAPÍTULO III ASPECTOS METODOLÓGICOS Metodologia Tipos e Pesquisa Pesquisa bibliográfica Pesquisa descritiva Pesquisa exploratória Pesquisa quantitativa e qualitativa População e Amostra Coleta de Dados Instrumentos de Coleta de Dados Tabulação, Análises e Interpretação dos Resultados Tabulação CAPÍTULO IV - ANÁLISE DOS RESULTADOS CAPÍTULO V CONCLUSÃO Considerações Finais Limitações do Estudo Sugestões para as próximas pesquisas REFERÊNCIAS APÊNDICE ANEXOS ANEXO A OFERTA CARTÃO DA SUBMARINO.COM ANEXO B OFERTAS DE COMPRAS NA SUBMARINO.COM ANEXO C OFERTAS DE INFORMÁTICA NA SUBMARINO.COM... 73

12 CAPÍTULO I Introdução

13 Capítulo I Introdução 12 1 CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO 1.1 Considerações Iniciais Com o avanço tecnológico, novos modelos administrativos e novas ferramentas mercadológicas estão sendo exploradas e incorporadas por grandes organizações, as quais vêem as antigas e tradicionais formas administrativas ultrapassadas e incompatíveis com o atual cenário econômico. Atrelada a essa nova tecnologia, veio também à globalização que está mudando a rotina das grandes corporações e conseqüentemente, as atitudes dos consumidores. Torna-se imprescindível que os gestores se adaptem rapidamente a este novo cenário, levando em consideração as mudanças econômicas e tecnológicas, monitorando-as diariamente. A tentativa é de prolongar o ciclo de vida da empresa, ampliar sua área de atuação, aumentando sua fatia de mercado (Market Share), encontrando novos nichos de mercados e tornando-a mais competitiva e abrangente. Com a modernização tecnológica as empresas estão buscando alternativas que venham a facilitar sua vida e a dos seus clientes. O corre-corre diário vivido pelas pessoas e a falta de tempo levam as empresas a buscarem soluções, que ajudem o consumidor a ter acesso a produtos e/ou serviços com maior rapidez e comodidade, onde quer que esteja, sem precisar sair de casa; isso torna-se possível através da internet. A internet é uma ferramenta que veio para proporcionar mais rapidez e comodidade não só para as empresas, como também, para o consumidor. Através dela o cliente pode pesquisar várias empresas em poucos minutos, comparando preço, diversos tipos de produtos e serviços. É notório a imensa gama de empresas existentes hoje no Brasil que estão vendendo através do varejo on-line.

14 Capítulo I Introdução 13 Segundo Gardbem (2009, p.5) mesmo com algumas observações, o mercado de compras online cresce a um ritmo frenético. As vendas cresceram em 43% em 2007 em relação a Foram movimentados R$ 6,3 bilhões em compras online no ano de Segundo Petry (2009) o segmento do comércio eletrônico deve apresentar um crescimento de 20% a 25% em 2009, com um faturamento de R$ 10 bilhões. Diante das afirmações, observa-se que o varejo online vem crescendo muito nos últimos anos; Grandes empresas estão apostando nesse novo segmento de negócio, visando expandir suas atividades empresariais, através de novas estratégias, buscando facilitar as negociações entre a empresa e o cliente. Segundo Petry (2009) a Casas Bahia maior rede varejista de eletrodoméstico, eletroeletrônicos e móveis do Brasil está atuando no varejo online. Com a adesão ao E-commerce a empresa espera conseguir obter um faturamento atingindo os R$ 280 milhões já no primeiro ano de suas operações. A expectativa é de que nos próximos 10 anos a rede consiga movimentar 20% do mercado eletrônico. Diante das informações, percebe-se que grandes empresas estão vendo o varejo on-line como uma nova e grande oportunidade de negócio. Dentro desse cenário virtual, surgem ferramentas de diferenciação, estratégias administrativas e mercadológicas usadas para aperfeiçoar a comunicação e interação entre as empresas e clientes, através do varejo eletrônico. As empresas se utilizam de mecanismos para se comunicar de forma eficiente com seu público-alvo, informando sua existência, e o que está tem a oferecer. Surge então, o uso da comunicação a qual é utilizada diariamente pelas organizações na busca de desenvolver um excelente relacionamento com o cliente. Segundo Cobra (2003, p. 21), A comunicação é o momento da sedução que visa a empolgar o cliente a comprar o produto ou serviço [...].

15 Capítulo I Introdução 14 A comunicação é um fator primordial, onde a empresa passa a interagir com o mercado como forma de persuasão, divulgando a sua existência, tornando-a pública, através de vários canais, sejam eles de massa ou canais mais personalizado e segmentado. A mídia de massa ainda vem sendo bastante explorada, mas, acredita-se que, esteja se tornando bastante saturada, devido à grande quantidade de informação que são veiculadas diariamente, correndo o risco de passarem despercebidas pelas pessoas, devido sua grande utilização. Assim, o seu uso, corre o risco de se tornar commodities, (produtos que são produzidos de forma semelhante, comum, oferecidos por quaisquer pessoas ou empresas). As organizações estão em busca de novas alternativas como, mídias mais diretas e fechadas como forma de diferencial competitivo, tornando o diálogo com o cliente mais íntimo e menos disperso. Falando-se em mídias mais segmentadas e personalizadas, dar-se ênfase ao uso do marketing direto, utilizado através do varejo eletrônico, como ferramenta de comunicação que é abordado neste trabalho. O intuito é de evidenciar sua capacidade de atrair clientes, criando um relacionamento e interatividade da empresa diretamente com o consumidor, analisando sua satisfação em relação aos produtos e serviços oferecidos através de canais diretos. O objetivo deste trabalho é demonstrar como são desenvolvidas as estratégias de marketing direto utilizadas através do comercio eletrônico na loja Submarino.com, como estratégia de atrair e manter um excelente relacionamento com seus clientes. De acordo com Kotler e Keller (2006, p. 606): Marketing direto é o uso de canais diretos para chegar ao consumidor e oferecer produtos e serviços sem intermediários de marketing. Entre esses canais incluem-se mala direta, catálogos, telemarketing, TV interativa, quiosques, sites e telefone e outros dispositivos móveis. Diante da afirmação, percebe-se que com o marketing direto, elimina a presença do intermediário, o que facilita num relacionamento mais íntimo entre a empresa e o cliente. Através desta ferramenta, a empresa pode descobrir melhor as reais

16 Capítulo I Introdução 15 necessidades dos seus consumidores, desenvolvendo um relacionamento direto com o mesmo, além de personalizar melhor a mensagem, o produto e/ou serviço. Através do marketing direto a empresa pode selecionar seus principais clientes, ou seja, aqueles que compram com maior freqüência e são mais rentáveis, oferecendo a eles uma comunicação mais customizada e eficiente. Para tanto, deverá a empresa, classificar os seus clientes por perfil de gosto e preferência, oferecendo o produto certo, no momento certo, direcionado para cada grupo de consumidores. O marketing direto apresenta vantagens por ser um canal interativo, onde a empresa manda suas ofertas e promoções diariamente, através da mala direta para cada cliente. Se a mensagem tiver um conteúdo que proporcione desejo, ofereça exatamente o que ele está procurando, provavelmente, estes irão interagir de alguma forma com a empresa, seja com perguntas, visitando o site ou efetuando compras por telefone, catálogos ou outro canal direto, tornando a comunicação mais dinâmica. O tema em destaque despertou interesse ao pesquisador devido o aumento e utilização do marketing direto por grandes empresas de sucesso, bem como, seu desejo em entender melhor os benefícios desta ferramenta, a qual será comentada no decorrer deste trabalho. Assim, surgiu à curiosidade em desvendar como a empresa Submarino.com, se utiliza do marketing direto para interagir e atrair seus clientes, como diferencial competitivo, analisando a satisfação dos seus clientes em relação aos seus produtos ofertados através da mala direta na comunicação com o cliente.

17 Capítulo I Introdução Definição do Problema Diante de um mercado bastante saturado, as empresas estão buscando novas maneiras de se posicionarem no mercado, operando com novos formatos de negócios que sejam mais eficientes e mais lucrativos. As organizações estão deixando de operar apenas de forma física e tradicional, como no varejo com loja e estão passando a investir em novos modelos de negócios, inovadores, dinâmicos e com um custo de investimento mais baixo em relação às formas tradicionais de varejo. Neste contexto, o varejo on-line, surge como forma de expansão da empresa através do uso da internet. A tecnologia da informação modificou completamente os hábitos dos consumidores, proporcionando maior poder de compra e uma grande conveniência, pois, através do varejo on-line o consumidor pode acessar sites de compras em qualquer lugar que estiver e comparar diversos produtos e serviços em diferentes lojas, disponíveis na WEB (world wide web) com maior rapidez e comodidade. Até mesmo as classes sócio-econômicas baixas começam a migrar para esta modalidade de varejo. De acordo com Gardbem (2009) os consumidores da classe C estão tendo o privilégio de poder usufruir do varejo virtual, o qual antes só era utilizado por pessoas de classes mais altas como a A e B. Devido às facilidades como preço baixo e facilidade de pagamento. As pessoas de classes mais baixas estão tendo condições em adquirir um computador, o que contribui para o aumento de novos internautas. O crescimento também se dá pelo aumento de lan houses, espalhadas no Brasil. Assim, várias empresas estão buscando posicionar-se para esses novos clientes o que constitui em um novo mercado promissor, ofertando produtos de acordo com os padrões de cada público. Segundo dados publicados no jornal folha Online (2005, p.1) Mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo terão acesso à internet até o final do ano [...]. Em 2010, o valor deve chegar a 1,8 bilhão.

18 Capítulo I Introdução 17 Ainda segundo a folha online (2005) O Brasil ocupa a décima terceira posição no ranking com 3 milhões de pessoas que são assinantes. Observa-se que o Brasil encontra-se em um processo de acessão em relação ao número de usuários que possuem acesso à internet. Mas ainda há problemas que afetam as compras pela internet, fatores que causam certo medo e resistências no consumidor e acabam distanciando e atrapalhando o relacionamento entre empresa e cliente no uso do varejo virtual e no que se refere ao marketing direto como: resistência das pessoas, medo de serem lesadas através de spams (mensagens eletrônicas não solicitadas e que às vezes agem como espião); recebimento de vírus que fica alojado no computador capturando dados pessoais e a falta de segurança que a internet ainda não oferece completamente aos usuários. Mesmo com o crescimento ainda tímido, em relação às pessoas que possuem computadores e as resistências enfrentadas pelas mesmas com relação há compras na internet, observa-se que grandes lojas ainda conseguem obter resultados favoráveis com relação ao varejo virtual, bem como o uso do marketing como, por exemplo, a loja Submarino.com que vem se destacando em vendas através da internet. Diante deste cenário, este trabalho busca investigar o seguinte questionamento: Qual é o nível de eficiência das estratégias de marketing direto utilizadas pela loja virtual Submarino.com com vistas à atração e retenção de clientes? 1.3 Objetivos Geral Analisar a aplicação do marketing direto pela loja virtual Submarino.com, como ferramenta de atração e fidelização de clientes.

19 Capítulo I Introdução Específicos Analisar como a empresa objeto de estudo, reage diante da desistência de compra do consumidor; Verificar a influência da mala direta eletrônica comparada a outras ferramentas de comunicação, na decisão de compra dos respondentes; Pesquisar a percepção dos consumidores em relação aos s marketing que são enviados pela Submarino.com através da internet; Fazer uma análise de forma geral da satisfação dos clientes da submarino.com em relação ao seu site, produtos e serviços complementados e ofertados pelo uso de marketing através do varejo on-line. 1.4 Justificativa O presente trabalho justifica-se por se tratar de um tema bastante interessante e que vem sendo muito discutido e difundido no Brasil por grandes organizações. Pretende-se através deste, discutir sobre o que vem a ser o marketing direto e o seu uso relacionado ao varejo Online E-commerce - mercado eletrônico, o qual vem sendo introduzido nas estratégias de grandes empresas, proporcionando um diferencial e aumentando sua atuação num mercado cada vez mais dinâmico e incerto, quanto ao sucesso empresarial. Para Gardbem (2009, p.4): Em 2007, o total de internautas no Brasil avançou 21%, chegando a 40 milhões. Este crescimento foi ocasionado pelas vendas de computadores, que somaram 10,5 milhões e ultrapassaram, pela primeira vez, o total de aparelhos de televisão vendidos no País. Para este ano de 2008, o número de internautas deve crescer ainda mais - a expectativa da indústria é de um crescimento de 15%. Neste ritmo, poderemos ter, no final deste ano, algo em torno de 45 milhões de usuários de internet no país. Observa-se um grande crescimento na venda de computadores o que contribui positivamente para o aumento de investimentos no varejo online, colaborando para

20 Capítulo I Introdução 19 as empresa oferecerem seus produtos através do marketing direto que é o foco de pesquisa deste trabalho. Assim, pretende-se levantar informações referentes às estratégias de marketing direto, desenvolvidas pela empresa Submarino.com, informações estas de grande relevância e que foram pertinentes para elaboração deste trabalho. Espera-se mostrar, através deste case, como as teorias são postas em prática e quais os resultados obtidos por esta organização. Analisando a opinião de seus clientes, quanto aos fatores como: mix de produtos, preço, formas de pagamento, layout do site, entre outros atributos que são utilizados através da interatividade com o cliente os quais complementam a empresa, bem como o uso da mala direta eletrônica e sua influência na decisão e freqüência de compras dos pesquisados. Espera-se que a temática possa servir de embasamento teórico para outros possíveis trabalhos acadêmicos que possam vir a surgir, servindo de base para outros colegas que despertem interesse pela mesma temática, contribuindo para elucidar dúvidas, relacionada ao marketing direto, contribuindo de forma positiva com informações à cerca do tema, ampliando o conhecimento em relação a essas novas técnicas de administração mercadológica, que são diariamente desenvolvidas e postas em prática por empresas na tentativa se sobressaírem diante das demais concorrentes.

21 CAPÍTULO II Referencial Teórico

22 Capítulo II Referencial Teórico 21 2 CAPÍTULO II - REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 Marketing Para Kotler (1998, p. 27) Marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros. O marketing é uma ferramenta que busca compreender quais as reais necessidades e desejos dos clientes para assim, oferecer exatamente o que as pessoas necessitam. Através do marketing as empresas buscam atender as necessidades e desejos dos consumidores de forma eficiente, o que contribui para aumentar seus lucros através de um excelente relacionamento com o consumidor e proporcionar às pessoas os produtos certos no lugar certo, para o público certo. O marketing é usado diariamente por grandes, médias e até pequenas empresas que buscam persuadir o cliente, atraí-lo até a loja e induzí-lo a comprar. Sendo assim, torna-se imprescindível uma boa administração mercadológica para que a empresa possa atrair, encantar e manter um excelente relacionamento com o cliente. Segundo Kotler (1998, p. 32) ADMINISTRÇÃO DE MARKETING é o processo de planejamento e execução da concepção, preço, promoção e distribuição de idéias, bens e serviços para criar trocas que satisfaçam metas individuais e organizacionais. Diante desta afirmação, Percebe-se que a administração de marketing visa criar uma relação positiva entre os P`s (produto, preço, praça e promoção) do marketing na tentativa de satisfazer as necessidades, seja do cliente e/ou da empresa. Uma troca de valor entre as duas partes envolvidas no processo, onde a empresa obtém

23 Capítulo II Referencial Teórico 22 o lucro proveniente das vendas e o cliente por sua vez, satisfaz suas necessidades adquirindo o produto ou serviço. Se naquele momento a experiência com a empresa atender as suas expectativas, poderá ela ter ganho um cliente fiel aos seus produtos ou/e serviços. 2.2 Conceitos de Marketing Segundo Kotler (1998) os conceitos centrais de marketing baseiam-se através das necessidades humanas, desejos e a demanda de produtos sejam eles: bens, serviços e idéias, o valor, o custo, a satisfação, troca de transações, relacionamentos e redes, mercados, empresas e consumidores potenciais. Sendo assim, há a presença de vários fatores que contribuem para criar necessidades nas pessoas o que influencia nos seus comportamentos. De acordo com Kotler (1998) Todo mundo possui suas necessidades, desde as mais simples como: alimentos, ar, água, roupas uma casa para morar, até as mais especificas ou mais exigentes como: diversão, educação, a posse de objetos caros ou desejo por uma marca cara. Há certa distinção entre necessidade, desejo e demandas. Para Kotler (1998) A necessidade humana acontece quando um individuo é privado das suas necessidades básicas as quais não são criadas pela sociedade ou por empresas, mas são inerentes de cada ser humano. Ainda segundo o autor os desejos são carências por produtos específicos os quais podem ser de grande importância para uns e não ser tão relevante para outros. No que se refere à demanda, é a procura por produtos. O marketing desperta o interesse de produtos para os indivíduos os quais sentem a necessidade de adquirí-los, mesmo que não seja importante naquele momento, mas, o marketing tem a capacidade de influenciá-lo. Assim, a empresa deve ter

24 Capítulo II Referencial Teórico 23 cuidados não somente em analisar o tamanho da demanda, mas analisar se as pessoas têm condições financeiras de adquirir o produto ofertado. 2.3 Marketing de Varejo Segundo Kotler (1998, P.493): O VAREJO inclui todas as atividades envolvidas na venda de bens e serviços diretamente aos consumidores finais para uso pessoal. Um VAREJO ou LOJA DE VAREJO é qualquer empresa cujo volume de vendas decorre, principalmente, do fornecimento por unidade ou pequenos lotes. De acordo com Parente (2000) o varejo são as atividades desenvolvidas para a venda de produtos e serviços para atender uma necessidade e que seja oferecido ao consumidor final. Percebe-se uma coerência entre as definições dos autores, os quais defendem que, para que a transação seja considerada como varejo é importante que a venda de produtos ou serviços seja oferecido e entregue diretamente ao consumidor final, sem a interferência de intermediários. Para Cobra (2003) no varejo tradicional o objetivo é vender a mercadoria com o objetivo de ganhar dinheiro, o que não leva em consideração as necessidades dos clientes, mas apenas tenta induzí-los a comprar, pois a venda de produtos a preços baixos não significa que a empresa está atendendo a necessidade do cliente e sim provocando uma saída rápida nas mercadorias. De acordo Cobra (2003, p.277) O novo varejista é um especialista no tipo de cliente que atende. Procura comprar mercadorias que satisfaçam seus clientes. Seu foco é proporcionar a satisfação de seus clientes [...]. Procura oferecer exatamente o que o cliente quer, propondo soluções que o surpreenda.

25 Capítulo II Referencial Teórico 24 A cada dia, novas empresas são criadas o que aumenta bastante a concorrência devido à grande quantidade de estabelecimentos. Muitas são criadas na tentativa de se adequarem ao novo cenário econômico e competitivo. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano de 2006 de acordo com a PAC (pesquisa anual do comércio) só no Brasil já estimavase 1,6 milhão de estabelecimentos os quais 1,5 milhão de empresas comerciais, juntas resultaram cerca de R$ 1,1 trilhão de receita proveniente de suas operações as quais foram responsáveis por empregar 7,6 milhões de pessoas. No ano de 2006 ainda segundo o IBGE o comercio varejista já possuía 1,3 milhões de empresas (83,6%), empregando cerca de 5,8 milhões de pessoas. O que resultou em uma arrecadação de receita operacional de R$ 443,9 bilhões. Observa-se que o comercio varejista é responsável por empregar um grande numero de pessoas, contribuindo para geração de emprego e renda para população. 2.4 Tipos de Varejo Segundo Parente (2000) no segmento varejista existem atividades que são desempenhadas de forma física, onde as empresa oferecem os produtos em pequenos lotes diretamente ao consumidor final. Esses tipos de negócios são classificados como varejo com loja o que podem ser alimentício ou varejo com loja não alimentício. Também destaca o varejo sem loja onde, encontra-se a venda porta a porta, vendas por catálogos e o varejo virtual o qual foi bastante comentado neste trabalho cientifico Varejo com loja alimentício Segundo Parente (2000) os tipos de varejo com lojas alimentícios são Bares, mercearia, padarias, lojas de conveniência e supermercados. Bares podem ser classificados também por botecos, botequins ou cafés. Sua importância é devido à oferta de produtos como: bebidas alcoólicas, não alcoólicas, lanches, cigarros, balas, chocolates e salgados.

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO E-COMMERCE NAS PEQUENAS EMPRESAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA

Leia mais

MARKETING NA INTERNET

MARKETING NA INTERNET MARKETING NA INTERNET HUGO HOCH CONSULTOR DE MARKETING ER. BAURU SEBRAE-SP hugoh@sebraesp.com.br Marketing na Internet O que é? o Marketing na Internet, também referido como: i-marketing, web marketing,

Leia mais

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico Apostila Comércio Eletrônico e-commerce Professor: Edson Almeida Junior Material compilado por Edson Almeida Junior Disponível em http://www.edsonalmeidajunior.com.br MSN: eajr@hotmail.com E-Mail: eajr@hotmail.com

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

Estratégias de marketing digital como diferencial competitivo para pequenas empresas

Estratégias de marketing digital como diferencial competitivo para pequenas empresas IX WORKSHOP DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DO CENTRO PAULA SOUZA São Paulo, 15 e 16 de outubro de 2014 Estratégias Globais e Sistemas Produtivos Brasileiros ISSN: 2175-1897 Estratégias de marketing digital

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$!

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$! FOZDOIGUAÇU,2015 XXVIENANGRAD ESTUDO DO PERFIL DE ESTUDANTES EM ADMINISTRAÇÃO E SUA FAMILIARIDADE COM O E-COMMERCE. Osmar Meira de Souza Junior José Mauro de Sousa Balbino Rafaela Módolo de Pinho 1" ESTUDODOPERFILDEESTUDANTESEMADMINISTRAÇÃOESUAFAMILIARIDADECOMO

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Aula 03 Gestão de Marketing

Aula 03 Gestão de Marketing Aula 03 Gestão de Marketing Análise SWOT, Segmentação de Mercado e Mix de Marketing Prof. Marcopolo Marinho Prof. Esp. Marcopolo Marinho Segmentação é a identificação sistemática de conjuntos e subconjuntos

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

Mais informações sobre e-commerce em: www.portalgerenciais.com.br

Mais informações sobre e-commerce em: www.portalgerenciais.com.br Mais informações sobre e-commerce em: www.portalgerenciais.com.br Extra, Extra notícias fresquinhas Você pode ter uma loja que funciona 24hs, inclusive aos domingos e feriados, não paga aluguel e nem condomínio

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

whitepaper PRECIFICAÇÃO DINÂMICA

whitepaper PRECIFICAÇÃO DINÂMICA whitepaper PRECIFICAÇÃO DINÂMICA INTRODUÇÃO Quando se fala em precificar um produto, a primeira coisa que vem em mente é que essa é uma tarefa muito óbvia - são somados ao preço da mercadoria: os custos,

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce;

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce; Objetivos Administração Profª Natacha Pouget Módulo: Gestão de Inovação e Ativos Intangíveis Tema da Aula: E-Business e Tecnologia da Informação I Entender as definições de e-business e e- commerce; Conhecer

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO

MARKETING DE RELACIONAMENTO MARKETING DE RELACIONAMENTO 1 O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica

Leia mais

Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como:

Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como: TENDÊNCIAS 1. Globalização Empresas que atuavam fora do Brasil, começam a olhar para o nosso mercado e investem na busca de crescer a sua base de clientes, tais como: Grupo Casino Carrefour Wal-Mart C&A

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Professor Wagner Luiz Aula - Como obter sucesso em uma implementação de CRM e o Processo da Comunicação. Março de 2014 São Paulo -SP Call Center & CRM 2007 CRM: do

Leia mais

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade I MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino O que é varejo Setor do comércio que vende diretamente para os consumidores finais. Fabricantes e atacadistas quando vendem para o consumidor

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING MÓDULO I 304101 FUNDAMENTOS DE MARKETING Fundamentos do Marketing. Processo de Marketing.

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

Estratégias de Comunicação para Micro e Pequenas Empresas

Estratégias de Comunicação para Micro e Pequenas Empresas Estratégias de Comunicação para Micro e Pequenas Empresas SEGMENTOS DE ATUAÇÃO Encomendas Mensagens Financeiro Digital Logística Integrada Conveniência Marketing Direto Serviços Internacionais SEGMENTOS

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

Personalização na Internet Como Descobrir os Hábitos de Consumo de seus Usuários, Fidelizá-los e Aumentar o Lucro de seu Negócio

Personalização na Internet Como Descobrir os Hábitos de Consumo de seus Usuários, Fidelizá-los e Aumentar o Lucro de seu Negócio Personalização na Internet Como Descobrir os Hábitos de Consumo de seus Usuários, Fidelizá-los e Aumentar o Lucro de seu Negócio Roberto Torres Novatec Editora 23 Capítulo 1 O que é Personalização? Este

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof. Odilon Zappe Jr Vantagens e Desvantagens do Comércio Eletrônico Vantagens Aumento do número de contatos da empresa com fornecedores e com outras empresas do mesmo ramo, e

Leia mais

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais SDL Campaign Management & Analytics Introdução Prezado profissional de marketing, A ideia de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 2 CLIENTES: DEFINIÇÕES E ENTENDIMENTOS Objetivo: Ao final desse módulo, você estará capacitado a termos, como: cliente, comprador, cliente final, consumidor,

Leia mais

EMPREENDIMENTO COMERCIAL: QUAL O MELHOR CAMINHO A SEGUIR EM SEUS MOMENTOS INICIAIS? RESUMO

EMPREENDIMENTO COMERCIAL: QUAL O MELHOR CAMINHO A SEGUIR EM SEUS MOMENTOS INICIAIS? RESUMO FÁBIO RODRIGO DE ARAÚJO VALOIS Discente do Curso de Ciências Contábeis - UFPA RESUMO Não é de uma hora pra outra que um comerciante abre as portas de seu empreendimento. Se fizer deste modo, com certeza

Leia mais

Utilização do comércio eletrônico como elemento facilitador da sociedade

Utilização do comércio eletrônico como elemento facilitador da sociedade Utilização do comércio eletrônico como elemento facilitador da sociedade Prof. Esp. Lângesson Lopes da Silva. Professor da Faculdade José Augusto Vieira. e-mail: prof_langesson@yahoo.com.br Cleide Ane

Leia mais

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL DICAS PARA DIVULGAR SUA EMPRESA E AUMENTAR AS VENDAS NO FIM DE ANO 7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL Sumário Apresentação Capítulo 1 - Crie conteúdo de alta

Leia mais

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Sistemas web e comércio eletrônico Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Tópicos abordados Arquitetura do e-commerce Aspectos importantes do e-commerce Modelos de negócios Identificação do modelo

Leia mais

A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL

A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL Victor Nassar 1 O advento da internet e o consequente aumento da participação do consumidor nos websites, representou uma transformação

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013 CONVÊNIO UCDB-ACICG 20/09/2013 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013 CONVÊNIO UCDB-ACICG Professores

Leia mais

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes Capítulo 16 e administração de comunicações integradas de marketing Objetivos Aprender quais são as principais etapas no desenvolvimento de um programa eficaz de comunicações integradas de marketing. Entender

Leia mais

Nas áreas urbanas, 44% da população está conectada à internet. 97% das empresas e 23,8% dos domicílios brasileiros estão conectados à internet.

Nas áreas urbanas, 44% da população está conectada à internet. 97% das empresas e 23,8% dos domicílios brasileiros estão conectados à internet. Algumas pesquisa realizada recentemente, revelaram resultados surpreendentes sobre o uso da Internet nas empresas no Brasil. Neste artigo interpreta alguns dados e lhe revela as soluções que podem ajudar

Leia mais

Gestão do Atendimento e Relacionamento com o Cliente. Prof. Fernando Paixão UCB 2012 Unidade 02 e 03

Gestão do Atendimento e Relacionamento com o Cliente. Prof. Fernando Paixão UCB 2012 Unidade 02 e 03 Prof. Fernando Paixão UCB 2012 Unidade 02 e 03 Marketing de Relacionamento C.R.M. Custumer Relationship Management Marketing de Assiduidade Programa de milhagens Benefício financeiro Brinde por utilização

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL

A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL 1 A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL Jaqueline Kelly Stipp 1 Jéssica Galindo de Souza 2 Luana Alves dos Santos Lemos 3 Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Esse artigo tem como objetivo

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM

BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM Introdução ÍNDICE Boas práticas no dia a dia das clínicas de imagem A Importância de se estar conectado às tendências As melhores práticas no mercado de

Leia mais

VAREJO. Os principais setores varejistas brasileiros são:

VAREJO. Os principais setores varejistas brasileiros são: O que é? São todas as atividades envolvidas na venda de bens ou serviços diretamente a consumidores finais para seu uso pessoal, e não empresarial. (Philip Kotler) Não importa como os produtos são vendidos

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Fonte: TAKAHASHI, 2000; VEJA ONLINE, 2006 Definições de comércio eletrônico/e-business E - BUSINESS, acrônimo do termo em

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II Atividades Gerenciais de MKT Produto Testar Novos Produtos; Modificar Atuais; Eliminar; Política de Marcas; Criar Satisfação e Valor; Embalagem. 2 1 Atividades Gerenciais

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

Especialização em Marketing Digital - NOVO

Especialização em Marketing Digital - NOVO Especialização em Marketing Digital - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O ambiente de negócios tem sido modificado pelas Novas Tecnologias da

Leia mais

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD!

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! SocialSuite Rua Claudio Soares, 72-16 andar +55 11 3032 1982 São Paulo - SP Brasil Introdução Esse material foi desenvolvido pela equipe

Leia mais

PARA QUE SERVE O CRM?

PARA QUE SERVE O CRM? Neste mês, nós aqui da Wiki fomos convidados para dar uma entrevista para uma publicação de grande referência no setor de varejo, então resolvemos transcrever parte da entrevista e apresentar as 09 coisas

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA João Antonio Jardim Silveira 1 Amilto Muller ¹ Luciano Fagundes da Silva ¹ Luis Rodrigo Freitas ¹ Marines Costa ¹ RESUMO O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

Comércio Eletrônico em Números

Comércio Eletrônico em Números Comércio Eletrônico em Números Evolução do E-commerce no Brasil 23 milhões é um grande número. 78 milhões 23 milhões Enorme potencial de crescimento no Brasil Mas fica pequeno se comprarmos com o número

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL FACULDADES INTEGRADAS DO PLANALTO CENTRAL Aprovadas pela Portaria SESu/MEC Nº. 368/08 (DOU 20/05/2008) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA

Leia mais

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes?

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes? Escola Superior de Gestão e Tecnologia Comércio eletrônico Mercados digitais, mercadorias digitais Prof. Marcelo Mar3ns da Silva Objetivos de estudo Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as

Leia mais

Projeto Cartão de Fidelidade. 1- Do Projeto:

Projeto Cartão de Fidelidade. 1- Do Projeto: 1- Do Projeto: O projeto visa dar acesso aos associados de associações comunitárias de Rio Pardo de Minas/MG à compra de produtos em uma rede credenciada local através de um cartão de compras que garanta

Leia mais

FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO.

FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO. FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO. São Paulo - SP 2016 RENAN ROCHA ALVES - RA: 6448758 E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO MRKETING DESENVOLVIMENTO HUMNO MRKETING rte de conquistar e manter clientes. DESENVOLVIMENTO HUMNO É a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos entre eles.

Leia mais

MAC5743 - Computação Móvel

MAC5743 - Computação Móvel Departamento de Ciência da Computação IME/USP MAC5743 - Computação Móvel Cássio Alexandre Paixão Silva Alkmin {cassiop@ime.usp.br} Tema da Monografia: Mobile Commerce 1 Introdução O constante aumento nas

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL Questão n o 1 a) O candidato deverá apresentar seis dentre as seguintes vantagens: Domínio de tecnologia capaz de produzir bens preferidos por certas classes de compradores Aumento dos índices de qualidade

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

A importância de personalizar a sua loja virtual

A importância de personalizar a sua loja virtual A importância de personalizar a sua loja virtual Ter uma loja virtual de sucesso é o sonho de muitos empresários que avançam por esse nicho econômico. Porém, como as lojas virtuais são mais baratas e mais

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO MBA GESTÃO DE VAREJO 1 - FORMAÇÃO DE PREÇO E ANÁLISE DE MARGEM NO VAREJO: Ementa: Conhecer o conceito de lucro na visão da precificação baseada no custo; demonstrar termos utilizados na formação de preço

Leia mais

Consumidor brasileiro e SMS Marketing: Uma relação de respeito!

Consumidor brasileiro e SMS Marketing: Uma relação de respeito! Consumidor brasileiro e SMS Marketing: Uma relação de respeito! Conteúdo Dar voz ao consumidor e levar em conta sua opinião é fundamental para a criação de regras que tornem o mercado de SMS Marketing

Leia mais

Mercado Pet Um Mar de Oportunidades

Mercado Pet Um Mar de Oportunidades Mercado Pet Um Mar de Oportunidades...para empresas e empresários buscam a diferenciação. Eduardo Maschka Lucas CRMV-6186 Cenário Pessoas Cada Vez mais envolvem-se com animais de estimação! Deixam de ter

Leia mais

Serviço de logística reversa em agência dos Correios

Serviço de logística reversa em agência dos Correios Serviço de logística reversa em agência dos Correios Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) Ministério das Comunicações (MCT) Ao oferecer o serviço de logística reversa em agência com a utilização

Leia mais

TAW Tópicos de Ambiente Web

TAW Tópicos de Ambiente Web TAW Tópicos de Ambiente Web Comércio Eletrônico rveras@unip.br Aula - 04 Agenda Comércio Eletrônico 2 Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico 3 O que é o comércio eletrônico Evolução Transações convencionais

Leia mais

Americanas.com x Lojas Americanas 1

Americanas.com x Lojas Americanas 1 Americanas.com x Lojas Americanas 1 Rayra Costa da SILVA 2 Gabriela Lima RIBEIRO 3 Hugo Osvaldo ACOSTA REINALDO 4 Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE RESUMO Mesmo que no site Americanas.com haja

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa]

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] 1 Sumário O Surgimento do Analista de Redes Sociais... 2 O que é um Analista de Redes Sociais?... 5 Qual é o Perfil do Analista

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

O VAREJO APLICADO AO MERCADO FARMACÊUTICO

O VAREJO APLICADO AO MERCADO FARMACÊUTICO O VAREJO APLICADO AO MERCADO FARMACÊUTICO Carla Cristina Silva Teles Jorge Bilenky Vítor Saturi Reis Professor Ms Orivaldo Donzelli Resumo O varejo vem assumindo uma importância crescente no âmbito dos

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Março/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Fevereiro/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Março/2015. Neste mês, 20,8% dos empresários conseguiram aumentar

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

O Varejo. Distinguir entre varejo com loja e sem loja. Definir as categorias básicas de varejistas.

O Varejo. Distinguir entre varejo com loja e sem loja. Definir as categorias básicas de varejistas. O Varejo 16 Aula 16/5/2008 Objetivos da aula Explicar como os varejistas podem contribuir para o processo de criar valor. Distinguir entre varejo com loja e sem loja. Definir as categorias básicas de varejistas.

Leia mais

Guia: da Loja Física para a. Experiência Multicanal

Guia: da Loja Física para a. Experiência Multicanal Guia: da Loja Física para a Experiência Multicanal Sumário: 01 02 03 04 05 Sobre este Guia O consumidor é Multicanal Muito mais E-commerce! Mobilidade faz parte do dia-a-dia Big Data: Informação a serviço

Leia mais

Como fazer marketing de relacionamento

Como fazer marketing de relacionamento Como fazer marketing de relacionamento O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma

Leia mais

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing Questão 01: (ENADE 2009): Um fabricante de sapatos pode usar a mesma marca em duas ou mais linhas de produtos com o objetivo de reduzir os custos de

Leia mais