ISBN:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISBN: 978-85-66196-04-7"

Transcrição

1 ISBN:

2 Vanda Lucia de Souza Cleber Vicente Gonçalves MANUAL PARA PADRONIZAÇÃO E NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DO UGB 3ª. edição revista e ampliada Volta Redonda/RJ FERP 2013

3 Expediente FUNDAÇÃO EDUCACIONAL ROSEMAR PIMENTEL Chanceler: Geraldo Di Biase (in memorian) Presidente: Geraldo Di Biase Filho CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE Reitor: Geraldo Di Biase Filho Adjunto do Reitor: Letícia Soares de Vasconcelos Sampaio Suñé Pró-Reitora de Assuntos Acadêmicos: Elisa Ferreira Silva de Alcântara Pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão: Francisco José Barcellos Sampaio Pró-Reitor Administrativo: Osvaldir Geraldo Denadai Ficha Técnica Revisor Textual: Alexandre Batista da Silva Diagramação e Tratamento de Imagens: Júlio César Gama Dias da Silva Capa: Júnior Ernesto Ficha Catalográfica Biblioteca Central UGB/FERP S713m Souza, Vanda Lucia de Manual para padronização e normalização de trabalhos acadêmicos do UGB/ Vanda Lucia de Souza, Cleber Vicente Gonçalves; Revisão Alexandre Batista da Silva. Volta Redonda/RJ: FERP, p. ; 30 cm ISBN: Trabalhos Acadêmicos 2. Metodologia 3. Gonçalves, Cleber Vicente I. Titulo CDD

4 Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina

5 AGRADECIMENTOS Ao UGB - Centro Universitário Geraldo Di Biase que acompanha e contribui para mudanças sociais positivas por meio da educação. Aos alunos do UGB por fazer refletir sobre a missão de ensinar, aliada ao seu empenho em aprender, haja vista a realidade da grande maioria dos discentes serem trabalhadores, o que permite que o conhecimento teórico-empírico se faça presente cotidianamente. Aos professores do UGB pela dedicação, por acreditarem que educar e formar é possível, e que este é o maior e melhor legado que se pode deixar para a sociedade.

6 Apresentação O ensino superior se alicerça no tripé ensino, pesquisa e extensão e objetiva desenvolver no acadêmico o espírito inquiridor que permita a busca de novas ideias e conceitos para as questões e problemas de nosso tempo. Desta forma, a produção do conhecimento se apresenta cada vez mais dinâmica. Este manual foi elaborado tomando-se como premissa básica a necessidade de padronizar os procedimentos acadêmicos em torno da produção científica. Seu objetivo principal é orientar acerca dos procedimentos acadêmicos relativos à organização dos registros das informações. Além disso, ele foi estruturado de forma a facilitar seu manuseio e entendimento por parte de todos os usuários, seja ele aluno ou professor. Como resultado, espera-se imprimir mais rigor e qualidade aos trabalhos acadêmicos produzidos na instituição, de modo a torná-los adequados, do ponto de vista técnico e formal, como preconiza a ABNT, aos procedimentos que norteiam a estrutura dos trabalhos acadêmicos. Neste sentido, esperemos que os trabalhos acadêmicos produzidos no UGB possam resultar em documentos que contribuam com a formação acadêmica e profissional de seus autores. Um abraço e bom trabalho a todos! Elisa Alcântara Pró-Reitora de Assuntos Acadêmicos

7 Apresentação Em nossa cultura, o processo de conhecer está profundamente vinculado à Escola, componente básico do sistema educacional em nosso país. Diante do sistema educacional como um todo e da Escola de nível superior, pretendemos que esta não seja uma mera consumidora e repetidora de informações para profissionalizar, e sim um recanto privilegiado onde se cultive a reflexão crítica sobre a realidade e se criem conhecimentos com bases científicas. O Centro Universitário Geraldo Di Biase UGB, com 45 anos de existência, vem acompanhando a evolução da sociedade contemporânea tendo muito a oferecer no aprendizado, na experiência profissional, na cultura, no campo de ensino, na investigação científica e na extensão. Este manual representa o alinhamento da filosofia institucional às normas nacionais e internacionais na construção de uma identidade e unificação de procedimentos acadêmicos científicos. Desejamos que a sua vivência acadêmica seja de sucesso, fruto de aprendizagem com responsabilidade, suscitando um marco de crescimento pessoal e profissional. Saudações! Francisco José Barcellos Sampaio Pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

8 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura1 Tela de Configuração de Página 16 Figura 2 Tela de Formação do Parágrafo/Espaçamento entre linhas 16 Figura 3 Modelo de Formatação 17 Figura 4 Exemplo de Identificação de Ilustrações 18 Figura 5 Modelo de Configuração de Seções Primárias 22 Figura 6 Modelo de Citação Direta com até de Três Linhas 23 Figura 7 Modelo de Citação Direta com mais de Três Linhas 24 Figura 8 Modelo de Citação Indireta 24 Figura 9 Modelo de Citação de Citação 25 Figura 10 Modelo de Capa 29 Figura 11 Modelo de Folha de Rosto 31 Figura 12 Modelo de Folha de Aprovação com Banca Examinadora 33 Figura 13 Modelo de Folha de Dedicatória (opcional) 34 Figura 14 Modelo de Folha de Agradecimento (estendido) 36 Figura 15 Modelos de Folha de Agradecimento (curto) 37 Figura 16 Modelo de Folha de Epígrafe (opcional) 38 Figura 17 Modelo de Folha de Resumo em Monografias, Dissertações e Teses 40 Figura 18 Modelo de Lista de Ilustrações 42 Figura 19 Modelo de Lista de Tabelas 43 Figura 20 Modelo de Lista de Siglas e Abreviaturas 44 Figura 21 Modelo de Sumário 46 Figura 22 Modelo da 1ª Folha de Apêndice 60 Figura 23 Modelo de Folha de Apêndice 61 Figura 24 Modelo da 1ª Folha de Anexo 62 Figura 25 Modelo de Folha de Anexo 63 Figura 26 Modelo de Resumo Informativo em pesquisa teórico-empírica. 70 Figura 27 Modelo de Resumo Informativo em pesquisas de Análise Teórica 71 Figura 28 Modelo de Formatação da 1ª Folha do Artigo 90 Quadro 1 - Estrutura do Trabalho Acadêmico 27

9 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Numeração Progressiva 21 Tabela 2 Exemplos de Formatação de Citações 25 Tabela 3 Critérios para Formatação da Capa 28 Tabela 4 Critérios para Formatação da Folha de Rosto 30 Tabela 5 Critérios para Formatação da Folha de Aprovação 32 Tabela 6 Critérios para Formatação da Folha de Dedicatória 34 Tabela 7 Critérios para Formatação de Folha de Agradecimento (estendido) 35 Tabela 8 Critérios para Formatação de Folha de Agradecimento (curto) 35 Tabela 9 Critérios para Formatação da Folha de Resumo 39 Tabela 10 Critérios para Formatação de Lista de Ilustrações 41 Tabela 11 Critérios para Formatação de Lista de Tabela 43 Tabela 12 Critérios para Formatação da Lista de Siglas e Abreviaturas 44 Tabela 13 Critérios para Formatação de Sumário 45 Tabela 14 Exemplos de Formas de Registro de Obras de Autor Pessoal 49 Tabela 15 Exemplos de Formas de Registros de Obras de Autor Entidade 50 Tabela 16 Exemplos de Formas de Registros de Obras de Autor Desconhecido 51 Tabela 17 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Livros) 51 Tabela 18 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Periódicos) 52 Tabela 19 Modelo de referências e sua respectiva citação (Eventos) 54 Tabela 20 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Monografia) 55 Tabela 21 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Dissertação) 55 Tabela 22 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Tese) 56 Tabela 23 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Documento Jurídico) 56 Tabela 24 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Documento Iconográfico) 57 Tabela 25 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Documento Audiovisual) 58 Tabela 26 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Documento Tridimensional) 58 Tabela 27 Modelo de Referências e sua respectiva Citação (Documento Eletrônico) 59 Tabela 28 Caracterização da Pesquisa 65 Tabela 29 Tipos de Fichamentos 67 Tabela 30 Modelo de Planilha de Custos 81 Tabela 31 Modelo de Cronograma 82 Tabela 32 Critérios para Formatação da 1ª Folha do Artigo 89

10 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas FERP Fundação Educacional Rosemar Pimentel NBRs Normas Brasileiras TCC Trabalho de Conclusão de Curso UGB Centro Universitário Geraldo Di Biase

11 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 12 2 DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CRITÉRIOS GRÁFICOS Formatação ILUSTRAÇÕES RECURSOS LINGUÍSTICOS Siglas e Abreviaturas: Equações e Fórmulas: Memória de Cálculo Tomada de Decisão Sistema de Unidades de Valores Recursos Computacionais NUMERAÇÃO PROGRESSIVA CITAÇÃO Tipos de Citações Formatação de Citações ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Folhas Pré-Textuais Folhas Textuais Elementos Pós-Textuais 48 3 TRABALHOS ACADÊMICOS E CIÊNTÍFICOS PESQUISA TRABALHO ACADÊMICO TRABALHO CIENTÍFICO FICHAMENTO 67

12 3.5 RESUMO COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA RESENHA RELATÓRIO Relatório de Estágio Relatório de Viagem Relatório de Visita ENSAIO PROJETO DE PESQUISA 77 4 TCC TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA ARTIGO TÉCNICO-CIENTÍFICO Elementos que compõem o Artigo Técnico-Científico: DISSERTAÇÃO TESE 91 REFERÊNCIAS 93

13 12 1 INTRODUÇÃO Entende-se que fazer pesquisa exige determinada postura acadêmica, como rigor teórico e cuidado com a linguagem técnica e a formatação. A padronização de trabalhos acadêmicos apóia-se em normativas que definem o formato do trabalho escrito, ou seja, a forma em que este produto (documento) é apresentado à comunidade acadêmica. A referida padronização é definida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT, órgão responsável pela normalização em âmbito nacional, por meio de suas NBRs Normas Brasileiras. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é um Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB) e dos Organismos de Normalização Setorial (ABNT/ONS), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros). (ASSOCIAÇÃO, 2011) No que se refere ao trabalho escrito, existe um conjunto de normas, NBRs Normas Brasileiras, que estabelecem critérios quanto a formatação de documentos escritos, das quais pode-se citar: NBR: 6023-Referências; Numeração Progressiva; Sumário; 6028 Resumo; Citações; Trabalhos Acadêmicos Apresentação. Ao se pensar neste conjunto de normas identificou-se a relevância de concentrá-las em um único documento. Ao avaliar que os manuais têm por característica apresentar informações essenciais sobre um conteúdo, optou-se por elaborar este manual cujo objetivo é contribuir com a comunidade acadêmica, do UGB, no que diz respeito a padronização e normalização dos trabalhos acadêmicos de modo a facilitar o leitor que estiver preparando ou corrigindo trabalhos desta natureza. Conforme enunciado da folha de rosto, estamos na 3ª edição deste manual. Sua 1ª edição foi lançada em 2004, a 2ª edição revista e ampliada teve seu lançamento em 2007 e a 3ª edição passa a vigorar a partir 2013, com atualizações da NBR 14724/2011. Durante todo o período

14 13 entre 2007 e 2012 o corpo docente e discente do UGB teceu contribuições a este manual, queremos destacar em especial os discentes, pois ao apresentarem em sala de aula e durante a elaboração de seus TCCs, vários questionamentos, despertaram-nos para a necessidade de aumentar o detalhamento e a quantidade de exemplos ao texto, o que contribuiu significativamente com esta edição. Fato este que deixamos registrado os nossos agradecimentos. Este manual divide-se em quatro seções, a primeira denominada introdução, em que é apresentado a que este manual se propõe, ou seja, de que se trata, porque da relevância da elaboração e seu objetivo; na segunda, são apresentadas as diretrizes para apresentação dos trabalhos acadêmicos, cujas orientações são apoiadas na ABNT/NBRs; na terceira e algumas modalidades de trabalhos acadêmicos que os alunos estarão realizando durante a trajetória acadêmica e na quarta seção optou-se por identificar alguns tipos de trabalho de conclusão de curso tais como monografias, artigos técnicos, dissertações e teses.

15 14 2 DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Neste capítulo serão apresentadas orientações que dizem respeito a formatação dos trabalhos acadêmicos lembrando que estas estão apoiadas nas NBRs, normas brasileiras para apresentação da documentação escrita, elaborada por um comitê nomeado pela ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas. 2.1 CRITÉRIOS GRÁFICOS Os critérios gráficos relacionam-se ao tipo de papel, fonte e margens a serem utilizadas no processo de elaboração do trabalho acadêmico, cujo objetivo é sua padronização Formatação Para apresentação dos trabalhos acadêmicos produzidos no UGB, no que diz respeito ao seu aspecto extrínseco, deverão ser considerados os seguintes parâmetros: a) papel branco, formato A4 (21 cm x 29,7 cm) na posição vertical; b) digitação na cor preta, exceto para ilustrações; c) a fonte utilizada será Times New Roman (Times), tamanho 12 para todo o corpo do texto, observando as exceções específicas apresentadas no decorrer deste manual (folhas prétextuais, as citações com mais que 3 linhas e notas explicativas);

16 15 d) margens conforme orientação da ABNT NBR /2011, p. 10, as margens estabelecidas para elaboração de trabalhos acadêmicos são: Superior: 3 cm Esquerda: 3 cm Inferior: 2 cm Direita: 2 cm Dicas de como programar o seu Word para as margens inferiores: Margem inferior - para ajustar a margem inferior, posicione o botão esquerdo do mouse à régua situada à esquerda da tela do monitor de modo a confirmar se a última linha do texto está a 2 cm da margem inferior. Aparecerá um pontilhado que permitirá a confirmação. Caso não esteja, posicione com o mouse o cursor na linha imediatamente acima e pressione as teclas Ctrl + a tecla (fechar chaves e fechar colchetes }]) para descer a informação, até que alcance os 2 cm da margem inferior. Para subir a informação pressione as teclas Ctrl + a tecla (abrir chave e abrir colchete { [ ), as teclas devem ser pressionadas quantas vezes forem necessárias para o alinhamento a 2 cm, observe a posição das chaves e dos colchetes para cada operação. Obs: Para os trabalhos a serem apresentados pelos alunos do Curso de Direito, e de Letras, o início do parágrafo poderá constar recuo de 2 cm da margem esquerda, e apenas 1 enter separando um parágrafo do outro. Espaçamentos: a) Entrelinhas 1,5 exceto citações diretas com mais de três linhas e referências cujo o espaçamento deverá ser simples (1,0); b) Entre os parágrafos: um espaçamento, ou seja, uma linha não utilizada, c) Entre itens (seções): primários, secundários, terciários e etc. dois espaçamentos (número de linhas não utilizadas), d) Entre o item e o texto 1 espaçamento (número de linhas não utilizada)

17 16 Figura1 Tela de Configuração de Página Fonte: Microsoft Word 2007 Figura 2 Tela de Formação do Parágrafo/Espaçamento entre linhas Fonte: Microsoft Word 2007

18 17 Figura 3 Modelo de Formatação 3 cm 5 cm 2 A ARTE DE ESCREVER Times, 12, negrito, maiúscula 2 espaçamentos de 1,5 entre os itens primário e secundário 2.1 SOBRE A ERUDIÇÃO E OS ERUDITOS Times,12, maiúscula 3 cm 1 espaçamento de 1,5 entre o item e o texto Schopenhauer no séc.xix, traduzido por Sussekind (2006), discorre sobre questões relacionadas a quantidade de informações disseminadas para os estudantes e a capacidade de assimilação e elaboração de conhecimento para a formação destes indivíduos: Times,12, maiúscula / minúscula 2 cm 4 cm Quando Observamos a quantidade e variedade dos estabelecimentos de ensino e aprendizado, assim como o grande número de alunos e professores, é possível acreditar que a espécie humana dá muita importância à instrução e a verdade. Entretanto, nesse caso, as aparências também enganam ( 2006). Times,11, maiúscula / minúscula Espaçamento entrelinhas simples (1,0) Espaçamento entrelinhas de 1,5 2 cm

19 18 Paginação - com relação à paginação, só serão numeradas as páginas textuais a partir da 2ª (segunda) folha da introdução até as páginas que constarem as referências. As páginas prétextuais (exceto capa) serão apenas contadas, mas não numeradas. A localização da numeração será na margem superior à direita. 2.2 ILUSTRAÇÕES Como define a NBR /2011. p.11, em qualquer tipo de ilustração, sua identificação aparece na parte superior, precedida da palavra designativa (figura, gráfico, mapa, organograma, planta, quadro, tabela, entre outros), seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, travessão e do respectivo título em letra maiúsculo-minúscula. Após a ilustração, na parte inferior, indicar a fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção própria do autor), legenda, notas e outras informações necessárias à sua compreensão (se houver). A ilustração deve ser citada no texto e inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere. Para efeito de identificação, considerar para quadro uma única célula, para tabela a partir de 2 células. As ilustrações que ultrapassem o tamanho correspondente a ½ A4 que comprometam a estética do trabalho deverão ser colocadas em apêndice ou anexo. Figura 4 Exemplo de Identificação de Ilustrações Mapa 1 Vale Histórico do Café Fonte: Inventário Turístico da Região do Vale do Café - Trabalho realizado por Acadêmicos de Turismo UGB sob orientação da professora Ana Maria Bastos Seraphin. Desenho: Anco Márcio

20 RECURSOS LINGUÍSTICOS Durante a elaboração do trabalho técnico lança-se mão de expedientes linguísticos que contribuem para eliminar repetições desnecessárias no texto - uso de siglas e abreviaturas, equações e fórmulas, memória de cálculo e tomada de decisão, Sistemas Internacionais de Unidades e recursos computacionais. Todos estes procedimentos estarão elencados, com suas devidas especificações Siglas e Abreviaturas: Quando aparece pela primeira vez deve-se descrever o seu significado por extenso, posteriormente deve-se mencionar apenas a sigla. Ao concluir o trabalho incluir uma folha pré- textual com as siglas e abreviaturas utilizadas no trabalho. Ver exemplo no item (j) Folhas Pré Textuais, lista de Siglas e Abreviaturas. (NBR /2011) Equações e Fórmulas: A NBR 14724/2011 orienta que para facilitar a leitura de textos que contenham equações e fórmulas, deve-se destacada-las do texto, alinhando-as à direita, obedecendo a sequencia do texto. É permitido o uso de uma entrelinha maior que comporte seu expoente, índices, dentre outros. Exemplos: X² + y² = z² (1) X² + y² /5 = n (2) Execução As fórmulas devem ser apresentadas na forma literal, com indicação do significado de cada parâmetro e valores com respectivas unidades de valor. (ASSOCIAÇÃO..., p.11)

21 Memória de Cálculo Deve reproduzir os cálculos necessários à elaboração do trabalho, em uma sequência lógica Tomada de Decisão Sempre que uma etapa de cálculo envolver tomada de decisão, como por exemplo, a seleção de um material, a adoção de um fator qualquer, ela deverá vir obrigatoriamente acompanhada de explicação Sistema de Unidades de Valores É obrigatório o uso de Sistemas Internacionais de Unidades (SI). Casos especiais deverão ser claramente destacados ou convertidos para o SI (Dólar) Recursos Computacionais As simulações, layout, programas e outros, caracterizados como recursos computacionais constituem parte integrante do trabalho, devendo as mídias acompanhar o trabalho enquanto anexos. 2.4 NUMERAÇÃO PROGRESSIVA A numeração progressiva deve ser adotada enquanto recurso complementar e essencial presente no texto, cujas diretrizes são estabelecidas pela NBR, 6024, deve evidenciar a sistematização do conteúdo do trabalho. Destacam-se gradativamente os títulos das seções, utilizando-se os recursos de negrito, itálico ou sublinhado e outros, no sumário e de forma idêntica no texto (grifos nossos). Para a enumeração dos capítulos ou seções do trabalho, adotar o seguinte critério:

22 21 Tabela 1 Numeração Progressiva Partes Elementos Grafia Partes Principais ou Primárias Exemplo: Introdução, desenvolvimento e Conclusão Deverão ser escritos em maiúsculo, negrito, alinhados à margem esquerda, precedidos de numeração arábica, devendo iniciar-se em folha distinta, guardando um espaço de 8 cm da margem superior (3cm da formatação padrão mais 7 cm para identificação de parte principal). Obs: Entre o título do capítulo e o texto, aplicam-se 2 (dois) espaços entre linhas (considerando espaçamento 1,5) Partes Secundárias Exemplo: Subseções Devem ser escritas em maiúscula, sem negrito, alinhadas à margem esquerda, precedidas de numeração decimal e separadas por ponto (1.1; 1.2; ), seguindo a sequencia do capítulo na mesma página 2.2 Partes Terciárias Subseções Descrever em letra maiúsculominúscula, Exemplo: Ex ; 1.1.2; negrito, alinhada à margem esquerda, precedida de numeração centesimal separada por ponto etc. Partes Quaternárias Subseções Descreve-se em letra maiúsculominúsculas, sem negrito, alinhadas à Exemplo: margem esquerda, precedida de ; ; numeração milesimal separada por ponto ; etc.

23 22 Obs: Na leitura oral não se pronunciam os pontos e não se utilizam ponto, hífen, travessão ou qualquer sinal após o indicativo de seção ou de seu título. (NBR 6024, 2002, p.20) ABNT, NBR 14724/11, o projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho. (2011, p.3). Desta forma, no que se refere à formatação de monografias, dissertações e teses terão em suas seções primárias a seguinte configuração: Margem superior 3 cm + 6 marcações de parágrafo, considerando espaçamento entre linhas 1,5, conforme exemplo a seguir. No entanto, o artigo técnico-científico não se insere nesta regra. Figura 5 Modelo de Configuração de Seções Primárias Fonte: Microsoft Office 2007 Word. Obs: Esta formação não se aplica em artigos técnicos científicos, ver item CITAÇÃO Citação é um conjunto de elementos que identifica fontes utilizadas para se escrever um texto. Os elementos são: autor(es), ano, e o número da página quando é possível identificar.

24 23 Há casos em que o autor não é identificado, quando isto ocorrer, poder-se-á citar entre parênteses, a primeira palavra do título, em letras maiúscula, seguida de três pontinhos, vírgula e o ano em que a obra foi publicada. Ao se escrever sobre determinado tema/assunto, lança-se mão da produção intelectual de alguns autores, sejam estas informações textual ou ilustrativa. Citar a fonte consultada é condição obrigatória no processo de produção do trabalho técnico científico, pois, valida o texto do ponto de vista teórico e evita acusações de plágio. Portanto, lançou-se mão da NBR /02, para apresentar as tipos de citações Tipos de Citações a) Citação Direta: cópia literal do texto. Há no entanto, critérios diferenciados quanto a forma de se fazer a citação dependendo do número de linhas contidas no texto. (a1) Citações diretas com até 3 (três) linhas: abre-se aspas, escreve-se o trecho no corpo do texto, fecha-se aspas e cita-se a fonte; Figura 6 Modelo de Citação Direta com até de Três Linhas A comunicação científica é um documento elaborado quando o estudante/pesquisador submete seu objeto de investigação em eventos: congressos, encontros, jornadas, reuniões, simpósios e etc. e 3 cm que posteriormente são publicados em anais e revistas. A 2 cm comunicação deve trazer informações científicas novas, com certa frequência ser limitada em sua extensão, isto é não ser longa.(lakatos, 2010, p 236). Espaçamento entrelinhas simples (1,5) Times,12, maiúscula / minúscula

25 24 (a2) Citações diretas com mais de 3 (três) linhas, deve-se considerar a margem esquerda regular de 3cm, fazer um recuo de 4 cm a partir da margem esquerda, estabelecer espaçamento linhas simples e fonte 11, conforme exemplo a seguir. Figura 7 Modelo de Citação Direta com mais de Três Linhas 3 cm 4 cm Cada ciência se torna então uma ciência particular, no sentido de ter um campo delimitado de pesquisa e um método próprio. As ciências são particulares na medida em que cada uma privilegia setores distintos da realidade: a física trata do movimento dos corpos; a química da sua transformação; a biologia do ser vivo, etc. (ARANHA; MARTINS, 2000, p.129) 2 cm Espaçamento entrelinhas simples (1,0) Times,11, maiúscula / minúscula b) Citação Indireta: apóiam-se na ideia do autor, os parágrafos são formulados com base na leitura realizada, elabora-se considerações, mas não a cópia da informação, deve-se citar a fonte, ou seja, o autor da obra consultada e o ano em que foi escrita. Figura 8 Modelo de Citação Indireta Schopenhauer destaca a relevância de se escrever com zelo para nossos leitores, pois a maneira displicente confessa que o autor não 3 cm deu o devido valor a produção do seu texto. (Schopenhauer, 2006) 2 cm Espaçamento entrelinhas simples (1,5) Times,12, maiúscula / minúscula

26 25 c) Citação de Citação: citação direta ou indireta de um texto que não se teve acesso ao original. Utiliza-se o recurso do apud = citado por. Figura 9 Modelo de Citação de Citação Japiassu (1976) apud Libâneo (2001, p.31) aponta que a característica central da interdisciplinaridade como a possibilidade de incorporar os resultados de várias especialidades tomando-lhes de empréstimo 3 cm esquemas conceituais de análise, instrumentos e técnicas 2 cm metodológicas com a finalidade é integrá-los após compará-lo e julgá-lo. Espaçamento entrelinhas simples (1,5) Times,12, maiúscula / minúscula Formatação de Citações A formatação das citações podem se dar de mais de duas maneiras, autor/data ou em nota de rodapé. As quais podem ser identificadas na tabela 4. Tabela 2 Exemplos de Formatação de Citações FORMAS DE ELABORAR CITAÇÕES AUTOR/DATA NOTA DE RODAPÉ Neste tipo de citação, de acordo com a ABNT/NBR 6023/2002. O sobrenome do autor citado pode fazer parte do parágrafo, cf. exemplos abaixo: Exemplos: O autor fazendo parte do parágrafo: As notas de rodapé 1 como o nome informa, localiza-se no rodapé da folha. A numeração é aposta subscrita acima do nome que se quer referenciar o qual pode ser: SOBRENOME, Autor. Título, ed. e ano); crédito dos autores em se tratando de artigo científico, ou uma nota explicativa sobre o uso de determinada palavra ou expressão.

27 26 Schopenhauer, (2006), destaca a relevância de o autor ter afinidade com o tema e capricho ao produzir um texto, porque em sua opinião esta é a forma sublime de expressão que porá a prova todo o tipo de observação, que desvendará uma parte de quem o produziu. 1 A nota de rodapé terá o número sobrescrito e a informação estará contida literalmente no rodapé da página, como neste exemplo. Poderá também, ser uma nota de rodapé referencial, como exemplo abaixo: O autor após o parágrafo: Ao se tratar de liderança, abre-se uma discussão, por meio de exemplos relativos a situações que diferenciam o líder que pensa e o que processa, esta analogia impõe uma reflexão sobre o líder que se é e o que se pretende ser. (PERUZZO, WATANABE, 2008, p ) CARDOSO, Ciro Flamarion. América Pré- Colombiana. São Paulo: Brasiliense, Obs: A nota de rodapé também é utilizada como recurso para notas explicativas, ou seja, utilizadas para esclarecimentos, comentários, ou explanações de modo a permitir maiores esclarecimentos ao texto. 2.6 ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO A estrutura dos trabalhos acadêmicos como preconiza a NBR /2011, compreende os seguintes elementos: pré-textuais, textuais e pós-textuais.

28 27 Quadro 1 - Estrutura do Trabalho Acadêmico Capa (obrigatório) Folha de Rosto (obrigatório) Folha de Aprovação (obrigatório) Dedicatória (opcional) Agradecimento (opcional) Epígrafe (opcional) PRÉ-TEXTUAIS Resumo em língua vernácula (obrigatório) Resumo em língua estrangeira (obrigatório) Lista de ilustrações (opcional) Lista de tabelas (opcional) Lista de abreviaturas e siglas (opcional) Lista de Símbolos (opcional) Sumário (obrigatório) Introdução TEXTUAIS Desenvolvimento Conclusão ou Considerações Finais PÓS-TEXTUAIS Referências Apêndice(s) Anexo(s) Índice Folhas Pré-Textuais As Folhas Pré-textuais, é a parte que antecede o texto com informações que ajudam na identificação do trabalho. São contadas mas não numeradas. A contagem inicia-se a partir da folha de rosto.

29 28 a) Capa A capa deverá ser simples, incolor e não apresentar desenhos ou ilustrações. Segundo a ABNT, NBR , p. 2. A capa é uma proteção externa do trabalho, sobre a qual se imprimem as informações indispensáveis a sua identificação. Tabela 3 Critérios para Formatação da Capa ITEM FORMATAÇÃO Times New Roman (Times), maiúscula, sem negrito, tamanho Nome da Instituição 14 centralizado Instituto a que pertence Times, maiúscula, sem negrito, tamanho 14 centralizado Curso Título Subtítulo Autor Cidade/Unidade Federativa Ano Times, maiúscula, sem negrito, tamanho 14 centralizado Times, maiúscula, negrito, tamanho 16 centralizado Times, maiúscula/minúscula, negrito, tamanho 16 centralizado Times, maiúscula/minúscula, sem negrito, tamanho 14 centralizado Times, maiúscula/minúscula, sem negrito, tamanho 14 centralizado Times, maiúscula/minúscula, sem negrito, tamanho 14 centralizado

30 29 Figura 10 Modelo de Capa 3 cm CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE FUNDAÇÃO EDUCACIONAL ROSEMAR PIMENTEL INSTITUTO... CURSO... Times, 14, maiúscula 7 espaçamentos de 1,5 entre o cabeçalho e o título 3 cm Times, 16, negrito, maiúscula TÍTULO Subtítulos Times,16, negrito, maiúscula / minúscula 2 cm 2 espaçamentos de 1,5 entre o título e os autores Times,14, sem negrito maiúscula / minúscula 1º Autor (até 3) 2º Autor 3º Autor 9 espaçamentos de 1,5 entre o 3º autor e a cidade Espaçamento entrelinhas simples (1,0) 2 cm Cidade/RJ Ano Times,14, maiúscula / minúscula Monografias e Artigos Técnicos, que configurarem como TCC, após correção, os que obtiverem nota a partir de 9,0 (nove), o coordenador deverá entregar na biblioteca, 1 cópia na versão definitiva em arquivo pdf, salva em DVD, com etiqueta de identificação do conteúdo semelhante às informações contidas na capa, bem como o resumo do conteúdo no verso.

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15287 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação Information and documentation Research project Presentation

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1 ESTRUTURA A estrutura e a disposição dos elementos de um trabalho acadêmico são as

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Biblioteca Normas para elaboração do TCC O que é um Trabalho de Conclusão de Curso? O TCC, é um trabalho acadêmico feito sob a coordenação

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações 1ª edição Ilhéus BA 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA 1 DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho, ou seja, o que não consta no texto destas

Leia mais

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Manual de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Engenharia de Produção NATAL RN 2010 Apresentação O curso de Engenharia de Produção institui

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

PADRÃO PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS

PADRÃO PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS 1. ESTRUTURA DA MONOGRAFIA PADRÃO PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS A estrutura de uma monografia compreende as seguintes partes: a) elementos pré-textuais; b) elementos textuais; c) elementos pós-textuais.

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA APRESENTAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O trabalho deve ser digitado e impresso em papel

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS F A C UL DA DE DE P R E S I DE N T E V E N C E S L A U REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS APRESENTAÇÃO GRÁFICA - CONFIGURAÇÃO DAS MARGENS Ir ao menu Arquivo, escolher a opção Configurar

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011]

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] Professora Alcione Mazur 25/07/11 Cancela e substitui a edição anterior. ABNT NBR 14724: 2005 Não houve alterações na estrutura do trabalho, mas em uma

Leia mais

FKB Biblioteca Padre Lambert Prins Tutorial de formatação MS-Word Agary Veiga Graf CRB/8-3809

FKB Biblioteca Padre Lambert Prins Tutorial de formatação MS-Word Agary Veiga Graf CRB/8-3809 1 INTRODUÇÃO Tutorial é um programa ou texto, contendo ou não imagens, que ensina passo a passo, didaticamente, como um aplicativo funciona. Regra geral a maioria dos educandos já conhece o Microsoft Office

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= *

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= * Lombada* UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BIBLIOTECA GLÁDIS W. DO AMARAL ORIENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Elementos póstextuais INDICES * PARTE INTERNA ANEXOS * APENDICES * GLOSSARIO

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE QUÍMICA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC 1 APRESENTAÇÃO As recomendações a seguir resumem os princípios para a elaboração

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2 UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENAÇÃO ADJUNTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL AQUIDAUANA MS 2009 1. PAPEL E PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO O papel

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica 2012 2 Núcleo de Apoio à Pesquisa na Graduação- NAP/UNIMAR Projeto de Pesquisa; Apresentação gráfica TRABALHO ACADÊMICO Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas

Leia mais

Título do trabalho: subtítulo do trabalho

Título do trabalho: subtítulo do trabalho Título do trabalho: subtítulo do trabalho Resumo Este documento apresenta um modelo de formatação a ser utilizado em artigos e tem como objetivo esclarecer aos autores o formato a ser utilizado. Este documento

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT www.abnt.org.br Objetivos da normalização Comunicação Simplificação Níveis de normalização Menos exigente (Genérica) INTERNACIONAL REGIONAL

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO FACULDADE DOM BOSCO Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO CORNÉLIO PROCÓPIO 2012 Como elaborar um TC 1 Introdução Objetiva-se

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS Baseado nas obras de Júnia Lessa França e Ana Cristina de Vasconcellos; Rosy Mara Oliveira. Atualizado

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS 2013 1 ORIENTAÇÕES DE BASE As orientações apresentadas neste manual são baseadas na norma NBR 6022, da ABNT, a qual refere-se a apresentação de artigos científicos.

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná Sistema Integrado de Bibliotecas SIBI/PUCPR FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS WORD 2007

Pontifícia Universidade Católica do Paraná Sistema Integrado de Bibliotecas SIBI/PUCPR FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS WORD 2007 Pontifícia Universidade Católica do Paraná Sistema Integrado de Bibliotecas SIBI/PUCPR FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS WORD 2007 CONFIGURAR O FORMATO DA PÁGINA E AS MARGENS Escolher na barra de menu

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação AGO 2002 NBR 14724 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 2º andar CEP 20003-900 Caixa Postal

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS MANUAL PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS PIRENÓPOLIS 2012 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 39 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 1. MONOGRAFIA Monografias são exposições de um problema ou assunto específico, investigado cientificamente, assim, não exige originalidade,

Leia mais

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/ DE 30 DE MAIO DE 2011/ PRODEMA-UFS DE Estas normas de redação foram definidas como diretrizes básicas pelo Colegiado do Núcleo de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005)

ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Errata Folha de Rosto Capa ESTRUTURA DE UM TRABALHO MONOGRÁFICO (NBR 14724/2005) Epígrafe Resumo L. estrangeira Resumo Agradecimentos Dedicatória Folha de Aprovação Anexos Apêndices Glossário Referências

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Centro de Excelência em Turismo MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB Por: Jakeline V. de Pádua APRESENTAÇÃO As páginas que se seguem especificam os princípios gerais

Leia mais

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002)

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) DIRETOR: Profº. Daniel Jorge dos Santos Branco Borges COORDENADORA PEDAGÓGICA: Profª. Paloma Martinez Veiga Branco COORDENADORA

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL Estrutura formal do relatório Estrutura Elemento Capa Folha de Rosto Pré-textuais Folha de Identificação Sumário 1. Introdução Textuais 2. Atividades

Leia mais

FACULDADE SÃO GERALDO CURSO DE DIREITO NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA E ARTIGO CIENTÍFICO

FACULDADE SÃO GERALDO CURSO DE DIREITO NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA E ARTIGO CIENTÍFICO FACULDADE SÃO GERALDO CURSO DE DIREITO NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA E ARTIGO CIENTÍFICO CARIACICA(ES) 2014 2 1. FORMATAÇÃO DA MONOGRAFIA 1.1 PAPEL Deve ser utilizado

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO INSTITUTO FEDERAL MINAS GERAIS CAMPUS CONGONHAS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO Congonhas 2009 Caio Mário Bueno Silva Reitor do IFMG Eleonardo

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO OESTE DONA LINDU GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ DIVINÓPOLIS MG 2009 O Trabalho de

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Prezado(a) Aluno(a): Esta pequena orientação e o modelo de relatório em anexo foram produzidos com o objetivo de facilitar a elaboração do Relatório

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos Keina Cristina S. S. Silva, Bibª. Me. Marilene S. de Araújo, Bibª. Esp. Sale Mário Gaudêncio, Bibº. Esp. Vanessa Christiane A. S. Borba, Bibª. Esp. Vanessa Oliveira Pessoa, Bibª. Esp. Apresentação de Trabalhos

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS. Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos

REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS. Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Todo trabalho acadêmico deve ser elaborado segundo parâmetros determinados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. Assim,

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos Revisto e atualizado de acordo com a NBR 15287/2011 Brasília 2011 1 APRESENTAÇÃO De acordo

Leia mais

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA E AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS JUINA/MT JULHO/2009 SUMÁRIO Introdução...

Leia mais

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Mestrado Profissional em Metrologia e Qualidade Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial 2010 APRESENTAÇÃO

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1)

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV RESUMO Este

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espaçamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Nome do Estagiário 2 espaços 1,5 Fonte 14 Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA LOCAL ANO Fonte

Leia mais

ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO. Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros.

ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO. Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros. ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Dissertações, Teses e Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação, Especialização e outros. Estrutura Elementos Parte externa Capa (obrigatório) Lombada (opcional) Parte

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO São Carlos 2009 2 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO

Leia mais

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS ACADÊMICOS O texto a seguir tratará das seguintes normalizações: A. NBR 14724:2001 Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação Informações pré-textuais

Leia mais

Normas para Redação da Dissertação/Tese

Normas para Redação da Dissertação/Tese Normas para Redação da Dissertação/Tese Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou monografia compreende três partes fundamentais, de acordo com a ABNT (NBR 14724): elementos prétextuais, elementos

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS Caxias MA 2012 1. INTRODUÇÃO Conforme regulamento do núcleo de trabalho de conclusão de curso da

Leia mais

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO Nome Sobrenome 1 Nome Sobrenome 2 RESUMO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura do relato de experiência para o programa de apoio

Leia mais

Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT

Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT FACULDADE CRISTÃ DE CURITIBA Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT Elaborado pela bibliotecária Teresinha Teterycz - CRB 9 / 1171

Leia mais

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 1 Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Gepós Unidade de Gestão de Pós Graduação Como requisito obrigatório para a obtenção do certificado de pós-graduação, o TCC deve ser desenvolvido

Leia mais

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras

Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE LETRAS DIREÇÃO ADJUNTA DE GRADUAÇÃO SEÇÃO DE ENSINO Normas técnicas para a monografia de graduação da Faculdade de Letras 2 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS CENTRAL NATAL DIRETORIA DE ENSINO E TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO CIVIL NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE UM RELATÓRIO TÉCNICO Eurípedes de Medeiros Junior 1 Mara Matos

Leia mais

REGULAMENTO DA III MOSTRA CIENTÍFICA DA FACULDADE ESTÁCIO VILA VELHA ANEXO I

REGULAMENTO DA III MOSTRA CIENTÍFICA DA FACULDADE ESTÁCIO VILA VELHA ANEXO I Diretrizes para Autores das áreas de GESTÃO E FINANÇAS / LICENCIATURAS/ ENGENHARIAS: Os trabalhos deverão seguir a seguinte extensão: - artigos: entre 10 (dez) e 25 (vinte e cinco) páginas, incluindo as

Leia mais

Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos Conforme a NBR 14724:2005

Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos Conforme a NBR 14724:2005 Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos Conforme a NBR 14724:2005 Produzido pelos bibliotecários da Rede de Bibliotecas do Senac/RS com a finalidade de orientar os usuários na elaboração de seus trabalhos

Leia mais

Uma instituição qualificando a ação profissional

Uma instituição qualificando a ação profissional Uma instituição qualificando a ação profissional SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...03 2. FORMAÇÃO GERAL...05 2.1 TIPO DE PAPEL...05 2.2 MARGEM...05 2.3 ESPAÇAMENTO...05 2.4 TIPO E TAMANHO DA FONTE...06 2.5 PAGINAÇÃO...06

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIOS PARA QUALIFICAÇÃO (MESTRADO E DOUTORADO), TESES E TRABALHOS

Leia mais