FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008"

Transcrição

1 FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Revisão 00 12/03/2013 Edição inicial Revisão 01 17/06/2013 Alteração do item Referências Atualizações de datas das NBR 6023/2003 e NBR 6027/2012, inclusão da NBR 6027/2012. Alterações de datas das NBR 6027/2003 e NBR 12225/2004 na nota rodapé 1 pág.8. Adequação do dimensionamento da ficha catalográfica para 7,5cm x 12,5 cm. Alteração na Estrutura Organizacional, páginas do Sumário e as relacionadas a ele. Inserções de orientações que diferenciam o Projeto de Pesquisa a ser avaliado pela Banca de Qualificação e a Monografia a ser avaliada pela Banca Examinadora. Adequações ortográficas e nos quadros. Revisão 02 Atualização da redação da Apresentação. Alteração na numeração, redação e paginação do Sumário Alteração na apresentação do modelo sugerido para Estrutura dos Projetos de Pesquisa a serem apresentados à Banca de Qualificação inserção de outros itens e o detalhamento. Inserções complementares de orientações e quadros, tanto na estrutura do Projeto de pesquisa, quanto na Monografia propriamente dita. Detalhamento do dimensionamento da Ficha Catalográfica na Estrutura da Monografia e inserção de informações sobre o CDU e o Número de Cutter. Inserção de informações sobre as Bancas de Qualificação neste novo modelo de avaliação. Observações sobre formatações para Projetos e Monografias, com Inserção de modelo de quadro de espaçamento e outras orientações. Os direitos de reprodução deste documento pertencem à Faculdade de Direito do Sul de Minas, Pouso Alegre/MG. É proibida a reprodução no todo ou em parte, sob qualquer motivo, sem a prévia autorização por escrito. AN 21 IT 003 PQ 03

2 Página 2 de 65 FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS Manual de Orientação para Apresentação de Trabalhos Acadêmicos POUSO ALEGRE-MG 2014

3 Página 3 de 65 Estrutura Organizacional Faculdade de Direito do Sul de Minas Diretor Prof. Rafael Tadeu Simões Vice-Diretor Prof. Carlos Abel Guersoni Rezende Coordenação Financeira e de Apoio Prof. Luiz Otávio de Oliveira Rezende Coordenação de Graduação Prof. Leonardo de Oliveira Rezende Gestão do Núcleo de Monografias Profª. Fafina Vilela de Souza Coordenação Administrativa Prof. Carlos Alberto Conti Pereira

4 Página 4 de 65 Sumário APRESENTAÇÃO... 6 INTRODUÇÃO DEFINIÇÕES DE ACORDO COM A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT) ESTRUTURA SUGERIDA PARA PROJETOS DE PESQUISA A SEREM APRESENTADOS À BANCA DE QUALIFICAÇÃO: Sugestão de modelo para estrutura do projeto de pesquisa a ser analisado pela Banca de Qualificação Detalhando o modelo sugerido de estrutura do projeto de pesquisa a ser analisado pela Banca de Qualificação ESTRUTURA DA MONOGRAFIA A SER APRESENTADA À BANCA EXAMINADORA Estrutura do trabalho acadêmico Monografia- desenvolvido a partir do Projeto de Pesquisa aprovado pela Banca de Qualificação Observações sobre formatações para Projetos e Monografias Margens - no modo justificado, dentro dos limites padronizados ( margem direita na vertical), com as seguintes medidas: Alinhamento Capítulos e sub-capítulos Citações e Títulos: observar as normas da NBR em vigor Espaçamento e Notas de Rodapé Paginação Numeração Progressiva e Alíneas Elementos pré-textuais (externos e internos) Capa Folha de rosto Ficha Catalográfica Folha de aprovação Dedicatória Agradecimentos Resumo Abstract Lista de Ilustrações (gráficos, quadros, lâminas, fotos, etc.) Lista de tabelas Lista de abreviações e siglas Sumário Elementos textuais parte interna Introdução Desenvolvimento Conclusão ou Considerações Finais Pesquisa de Campo Elementos pós-textuais Referências Exemplos de Referências Informações Gerais sobre Referências Anexos e/ou Apêndices Apêndices... 45

5 Página 5 de Anexos Índice Remissivo INSTRUÇÕES GERAIS DE APRESENTAÇÃO Redação científica Citações Citações no texto Citações em notas de rodapé Destaques e diferenciação de palavras Aspas Porcentagens Ordinais Algarismos romanos Datas REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO GRÁFICA Formato Fontes Margens Espaçamento Títulos sem indicativo numérico Paginação Siglas e/ou abreviações Ilustrações Tabelas Quadros Figura Numeração Progressiva Encadernação Lombada REFERÊNCIAS... 65

6 Página 6 de 65 APRESENTAÇÃO Apresenta-se, a seguir, nova versão das Normas para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos (NETA) da Faculdade de Direito do Sul de Minas (FDSM). Objetivando a padronização necessária aos trabalhos acadêmicos desenvolvidos na FDSM, são indicadas regras básicas, com fundamento na ABNT, para apresentação de trabalhos avaliativos em todos os níveis acadêmicos, inclusive aqueles necessários aos processos de finalização de cursos, tais como: Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), Monografias de Especialização e Dissertação de Mestrado. A finalidade deste documento é estabelecer diretrizes para estruturação de projetos e trabalhos de conclusão de curso, dissertações de mestrado e de outros tipos de trabalhos monográficos, pois a pesquisa jurídica é vista como a produção de conhecimento, interpretação e explicação dos fenômenos jurídicos para encontrar respostas a problemas que se apresentam e permitem propostas de soluções. O propósito é reconhecer na atividade investigativa possibilidades de desenvolvimento, pois resulta de investigação, levantamento de dados, realização de diagnósticos, sistematização dos dados visando uma análise rigorosa para o aperfeiçoamento do direito como um processo de construção do saber e contribuição para a sociedade científica do direito. A realização de pesquisa está vinculada à melhoria do processo de aprender, fomenta a reflexão, propicia o alargamento da compreensão das ciências e seus princípios, torna possível qualificar o acadêmico e pesquisador e capacita-o a contribuir no entendimento dos fenômenos jurídicos. As normas que se seguem contêm os princípios que orientam a apresentação de trabalhos e são fundamentadas nas Normas para Documentação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) em vigor e das recomendações de vários autores com as adaptações julgadas apropriadas para a FDSM. Evidencia, principalmente, os aspectos formais de apresentação, não tratando dos aspectos subjetivos tais como estilo, concisão, clareza e outros que são encargos do Orientando, sob a supervisão do seu Orientador.

7 Página 7 de 65 INTRODUÇÃO Todo e qualquer trabalho acadêmico deve se revestir de cientificidade, o que implica na necessidade de seguir padrões e regras. É esta a finalidade deste Manual. As regras científicas, éticas e de moralidade exigem que tudo o que não foi diretamente produzido pelo autor do texto seja acompanhado de Referência, apontando-se as fontes das informações. Além disso, é sempre relevante destacar que, plágio é crime, previsto na legislação. Os trabalhos acadêmicos, sejam os de conclusão de curso ou de titulação, sejam os apresentados nas matérias são partes necessárias e relevantes do processo de aprendizagem e de construção das habilidades e competências dos futuros profissionais. Em face disso, é importante encará-los com seriedade e afinco; para que o resultado concreto (e disponível para futuras consultas) do processo de educação seja adequado. As normas ora apresentadas visam auxiliar os acadêmicos na consecução de seus trabalhos acadêmicos de pesquisa. Elas apontam as regras a serem seguidas, e sempre que possível trazem exemplos e modelos a fim de facilitar a sua aplicação. Também sempre que existam várias possibilidades de regras, todas elas são apresentadas para que o acadêmico (em conjunto com seu orientador) possa optar. Os objetivos das normas aqui expostas não são assim engessar o conhecimento e a criatividade dos acadêmicos, mas sim colaborar para que estes possam ser transmitidos de maneira científica, ética, legal e padronizada.

8 Página 8 de DEFINIÇÕES DE ACORDO COM A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT)1 Trabalhos acadêmicos similares (trabalho de conclusão de curso TCC na modalidade de Monografia, trabalho de graduação interdisciplinar TGI trabalho de conclusão de curso especialização e/ou aperfeiçoamento e outros): são documentos que representam o resultado de estudo, após aprovação do Projeto em Banca de Qualificação e Banca Examinadora. Devem expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso, programa e outros ministrados. Deve ser elaborado sob a coordenação de um professor orientador, podendo haver a figura do co-orientador. O TCC Monografia - é componente obrigatório para a colação de grau em bacharel em Direito na FDSM. Dissertação: Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem delimitado em sua extensão, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar informações. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do candidato. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor), visando à obtenção do título de mestre. Tese: Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico de tema único e bem delimitado. Deve ser elaborado com base em investigação original, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor) e visa à obtenção do título de doutor ou similar. 1 As normas complementares relacionadas à elaboração dos trabalhos são: NBR 14724/2011 (Apresentação de Trabalho Acadêmicos) - Informação e documentação - Referências Elaboração; NBR 6023/2003: Informação e documentação - Numeração progressiva das seções de um documento escrito Apresentação; NBR 6027/2012: Informação e documentação - Sumário Apresentação; NBR 6027/2012: Informação e documentação - Resumo e Abstract NBR 6028 Apresentação; NBR 10520/2002: Informação e documentação - Citações em documentos - Apresentação; NBR 12225/2004: Informação e documentação - Lombada Apresentação; Código de catalogação anglo-americano. 2.ed. rev. 2002; IBGE - Normas de apresentação tabular. 3. ed. 1993

9 Página 9 de ESTRUTURA SUGERIDA PARA PROJETOS DE PESQUISA A SEREM APRESENTADOS À BANCA DE QUALIFICAÇÃO: Os Projetos de Pesquisa são submetidos à Banca de Qualificação da FDSM, composta por dois docentes, e têm como objetivo a avaliação da proposta com vistas à autorização da continuidade da sua orientação no âmbito do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC Monografia). Preferencialmente, devem conter os seguintes dados de identificação em sua estrutura: Sugestão de modelo para estrutura do projeto de pesquisa a ser analisado pela Banca de Qualificação. 1 Capa 2 Folha de rosto 3 - Sumário 4 Lista de abreviaturas e siglas. 5 Área do conhecimento ou Área de concentração 6 - Tema do projeto 7 Título provisório 8 - Justificativa 9 Problematização 10 Hipóteses 11 Objetivos 12 Metodologia ou procedimentos metodológicos 13 Fundamentação teórica 14 Cronograma 15 Bibliografia 16 Apêndices 17 Anexos

10 Página 10 de Detalhando o modelo sugerido de estrutura do projeto de pesquisa a ser analisado pela Banca de Qualificação. 1 Capa Nome da faculdade; nome do autor; título provisório; local; ano de entrega. 2 Folha de rosto nome do autor; título provisório; natureza do trabalho, objetivo, nome da faculdade, área de concentração, nome do orientador; sigla da Faculdade, da UF e ano de entrega. 3 Sumário apresenta todas as partes que compõem do trabalho acadêmico e a respectiva paginação. 4 Lista de abreviaturas e siglas. 5 Área do conhecimento - área de concentração na qual se enquadra o assunto do trabalho. 6 - Tema do projeto - Objeto do trabalho / seu núcleo principal da pesquisa dentro da Área de conhecimento. 7 Título provisório - surge do recorte no Tema do projeto e deve expressar o conteúdo temático do trabalho. São as portas de entrada do trabalho acadêmico, portanto, deve ser estratégico, bem elaborado e quando o autor já tiver uma ideia compatível com a redação final, relacionada ao direcionamento que deu ao tema. 8 - Justificativa - a contribuição da pesquisa, a inovação na forma de interpretar e/ou aplicar o Direito. Necessário realizar conexões do tema com possíveis contribuições futuras em pesquisas ligadas ao mundo jurídico. Descreve as razões em defesa do estudo a ser realizado e ainda demonstra em que âmbito a pesquisa será realizada, ou seja, local, regional, nacional ou internacional. 9 Problematização - a pergunta principal que deve ser respondida ao final do trabalho, por isso, delimita a proposta da pesquisa e contribui para a elaboração das hipóteses e os objetivos. O problema normalmente envolve uma situação teórica ou prática para a qual o pesquisador busca respostas ou soluções. Algumas condições se impõem para que se determine o problema: a) O problema deve ser concreto e apresentado de forma clara e precisa;

11 Página 11 de 65 b) Deve ser representativo sendo ainda possível de ser generalizado; c) Deve apresentar certa originalidade; d) A população a ser pesquisada deve ser delimitada; e) Deve ser formulado de forma interrogativa. 10 Hipóteses são os questionamentos levantados para a pesquisa. Eles poderão ser respondidos, aceitos ou rejeitados nas Considerações Finais. 11 Objetivos definem, de forma breve o que o pesquisador pretende atingir com sua pesquisa. São apresentados em forma de tópicos com verbos no infinitivo, tais como: analisar, avaliar, averiguar, comparar, compreender, conhecer, demonstrar, desenvolver, distinguir, estudar, expor, identificar, interpretar, observar, pesquisar, testar e outros. Não se deve fazer uso de verbos que deverão ser praticados a partir dos resultados (pois neste momento do trabalho ainda não são conhecidos) como: conscientizar, melhorar, inovar e outros. Podem ser: a - Geral - a meta a ser atingida; o que se pretende alcançar com a realização da pesquisa. Os verbos de ação podem ser: Exploratórios (conhecer, identificar, levantar, descobrir, testar) Descritivos (caracterizar, descrever, traçar, determinar) Explicativos (analisar, avaliar, verificar, explicar) b Específicos - definem as outras ações para o alcance do Objetivo Geral. Eles definem os aspectos que se pretende. Apresentam as ações e etapas, planejadas, para que se possa atingir o objetivo geral. Também devem ser iniciados com verbos de ação no infinitivo. 12 Metodologia ou procedimentos metodológicos - o conjunto detalhado de métodos e técnicas de pesquisa utilizadas no desenvolvimento do trabalho acadêmico.. 13 Fundamentação teórica é a revisão de literatura afim ao tema. Objetiva a comparação com pontos doutrinários já pesquisados por autores de renome e que motivam novos recortes /enfoques de estudos na temática. É absolutamente necessária a utilização das fontes para evitar o Plágio. Antes de escrever o projeto, procure conhecer o que já foi publicado sobre o tema. Isso permite que o autor molde seu trabalho acadêmico de forma a preencher lacunas não exploradas, tornando-o

12 Página 12 de 65 mais interessante e relevante. Também ajuda a evitar acusações de plágio, já que o autor irá deixar de candidatar à publicação um trabalho muito semelhante a outro já publicado. Ademais, citando à literatura anterior o texto será enriquecido e ainda servirá como subsídio para situar o leitor sobre a conjuntura atual da pesquisa sobre o tema. É complexo abordar um tema sem avaliar e citar o que já se conhece sobre ele. Mencionando à literatura existente, o autor pode demonstrar qual o nível contribuição que seu trabalho acadêmico trará. 14 Cronograma calendário das etapas da pesquisa - datas de previsão para sua execução. Deve ser flexível e possível de ajustes. 15 Bibliografia a relação preliminar, as referências bibliográficas dos títulos a serem pesquisados para a redação do trabalho acadêmico. Pode receber diferentes designações, como: fundamentação teórica, marco teórico, quadro referencial, quadro teórico, embasamento teórico, revisão conceitual ou aporte teórico. É a partir dela que se constrói o arcabouço teórico que explicará o significado dos fatos que se pretende investigar. 16 Apêndices - complementam o projeto. São elaborados pelo próprio orientando / pesquisador. São os questionários, formulários ou fotografias que a pesquisa exigirá. São opcionais e identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Se as pesquisas desenvolverem estudos invasivos, que envolvam casos que requeiram o sigilo da identidade dos envolvidos (sujeitos da pesquisa) é necessário o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, que deve ser apresentado anexo ao Projeto (verificar as normas no Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da FDSM) 17 Anexos - mapas, fotografias e outros documentos que serão utilizados. As Bancas de Qualificação do Projeto de Pesquisa utilizam critérios para a avaliação que o consideram SUFICIENTE ou INSUFICIENTE, com pontuação variada conforme determinado no Manual de Orientação para Apresentação de Trabalhos Acadêmicos em vigor.

13 Página 13 de ESTRUTURA DA MONOGRAFIA A SER APRESENTADA À BANCA EXAMINADORA O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é uma das modalidades do trabalho acadêmico - chamada Monografia - e divide-se em três partes: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. Essas partes estão distribuídas em elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais, conforme a NBR 14724/2011. Diferentemente de um artigo científico, que pode ter de 12 a 20 laudas, sugere-se que a Monografia compreenda um mínimo de 45 páginas Estrutura do trabalho acadêmico Monografia- desenvolvido a partir do Projeto de Pesquisa aprovado pela Banca de Qualificação Caso haja correções/ alterações a serem feitas, essa devem ser providenciadas antes de iniciar-se o desenvolvimento da Monografia. Para tornar-se Monografia, o Projeto desenvolvido deve apresentar os elementos distribuídos em pré-textuais; textuais e pós-textuais, conforme diretrizes da ABNT em vigor. Eles devem ser apresentados na seguinte ordem, conforme as necessidades:

14 Página 14 de 65 ESTRUTURA (Externa e interna) PRÉ-TEXTUAL EXTERNA PRÉ-TEXTUAL INTERNA ELEMENTOS Capa (obrigatório) Lombada (opcional) Folha de rosto (obrigatório) Errata (opcional) Folha catalográfica (obrigatório, no verso da Folha de rosto) Folha de aprovação (obrigatório) Dedicatória(s) (opcional) Agradecimento(s) (opcional) Epígrafe (opcional) Resumo em Português (obrigatório) Resumo em Inglês (obrigatório) Lista de Ilustrações (opcional) Lista de Tabelas (opcional) Lista de abreviaturas e siglas (opcional) Lista de símbolos (opcional) Sumário (obrigatório) TEXTUAIS Introdução (obrigatório) Desenvolvimento (obrigatório) Conclusão (obrigatório) Referências (obrigatório) PÓS-TEXTUAIS Apêndice(s) (opcional) Anexo(s) (opcional) Índice Remissivo (opcional)

15 Página 15 de 65 De acordo com a NBR 14724/2011 a estrutura dos trabalhos acadêmicos segue a sequência abaixo: ÍNDICE REMISSIVO ANEXOS(S) APÊNDICE(S) GLOSSÁRIO(S) REFERÊNCIAS CONCLUSÃO Pós-textuais São numerados e seguem a sequência do texto. Textuais A numeração é colocada a partir da primeira folha da parte textual, em algarismo arábico. DESENVOLVIMENTO INTRODUÇÃO SUMÁRIO SÍBOLOS ABREVIATURAS TABELAS ILUSTRAÇÕES ABSTRACT RESUMO EPÍGRAFE AGRADECIMENTOS Pré-textuais Não numerados, porém contados. Não aparecem no sumário DEDICATÓRIA FOLHA DE APROVAÇÃO ERRATA Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas sequencialmente, mas não numeradas. No verso da Folha de rosto deve ser anexada a Ficha Catalográfica dados no Núcleo de Monografias ou Biblioteca. FICHA CATALOGRÁFICA FOLHA DE ROSTO CAPA * Em folhas separadas, listas de: ilustrações, tabelas, abreviaturas e siglas, símbolos.

16 Página 16 de Observações sobre formatações para Projetos e Monografias Margens - no modo justificado, dentro dos limites padronizados ( margem direita na vertical), com as seguintes medidas: Superior: 3,0 cm da borda superior da folha Esquerda: 3,0 cm da borda esquerda da folha Direita: 2,0 cm da borda direita da folha Inferior: 2,0 cm da borda inferior da folha Alinhamento O texto deve ser justificado e o espaço entre capítulos de ter no máximo 3 x 1,5 cm entre subtítulo e texto; 2 x 1,5 cm entre as linhas do texto; 1 x 1,5 cm e 1,5 cm no inicio do parágrafo Capítulos e sub-capítulos Nos capítulos principais deve-se utilizar fonte 14, alinhada à esquerda em caixa alta em negrito, e os sub-capítulos sem negrito em caixa alta e baixa utilizando fonte 12. Títulos sem indicativo numérico, tais como: errata, agradecimentos, lista de ilustrações, lista de abreviaturas e siglas, lista de símbolos, resumos, sumário, referências, glossário, apêndices, anexos, índices e outros devem ser centralizados. Devem ser separados do texto que os precedem por espaço de 1,5 cm Exemplo: INTRODUÇÃO - fonte 14 em Arial ou Times New Roman 2 - DIREITO INTERNACIONAL - fonte 14 em Arial ou Times New Roman 2.1. Direito das organizações internacionais - fonte 12 em Arial ou Times New Roman

17 Página 17 de Citações e Títulos: observar as normas da NBR em vigor. Citação longa: Deve constituir um parágrafo distinto, a 4 cm da margem esquerda terminando na margem direita. Se for mais de3 linhas: espaço simples entre as linhas e espaço 1,5 entre as citações e os parágrafos anterior e posterior. Título das seções: deve obedecer a margem esquerda; Títulos sem indicativo numérico devem ser centralizados (errata, agradecimento, listas de ilustrações, listas de abreviaturas e siglas, listas de símbolos, resumo, sumário, referências, glossário, apêndices, anexos, índices) Espaçamento e Notas de Rodapé O espaçamento entre as linhas no corpo do texto regular é de 1,5cm, separadas do texto por uma linha de 5 cm, alinhada à margem esquerda do documento. As notas de rodapé são digitadas em espaço simples de margem de parágrafo (a partir da margem esquerda) sem espaço entre elas. Elas aparecem no pé das páginas em que são mencionadas. Servem para abordar pontos que não devem ser incluídos no texto para não sobrecarregá-lo. Podem ser de referência ou explicativas. Utiliza-se a margem de parágrafo. O resumo, as notas de rodapé, as citações textuais de mais de três linhas, as referências, as tabelas e as legendas de ilustrações devem ser digitadas em espaço simples de entrelinhas. duplo. As Referências arroladas após as Considerações Finais devem ser separadas por espaço Paginação Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas sequencialmente, mas não numeradas.

18 Página 18 de 65 A numeração deve figurar na folha apenas após a primeira folha da parte textual, ou seja, após a Introdução. Deve ser colocada a 2 cm da borda superior, no canto superior da folha, em algarismos arábicos. Não se coloca o número da página de capítulo, mas o mesmo é contado para a continuidade. No caso da utilização de apêndices e anexos, as folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal. Se o trabalho possuir mais de um volume, deve-se manter a sequência numérica das páginas em todos os volumes. Vide exemplo adiante:

19 Página 19 de 65

20 Página 20 de Numeração Progressiva e Alíneas Recomenda-se usar numeração progressiva para as seções do texto, destacando-se os títulos das seções, utilizando os recursos de negrito, itálico ou grifo ou caixa alta. O título das seções (primárias, secundárias etc.) deve ser colocado após sua numeração, dele separado por um espaço. O texto deve iniciar-se em outra linha. Para enumerar os diversos assuntos de uma seção que não possuem título, deve ser subdividido em alíneas. O texto que antecede a alínea deve terminar com dois pontos. A partir daí, usar alíneas, caracterizadas por letras minúsculas, seguidas de parênteses e ordenadas alfabeticamente. A disposição gráfica das alíneas obedece às seguintes regras: a a alínea começa com o recuo de parágrafo (1,5cm), e a partir da segunda e as seguintes linhas começam sob a primeira letra do texto da própria alínea; b - o texto da alínea começa por letra minúscula e termina em ponto e vírgula, exceto a última que termina em ponto. 3.3 Elementos pré-textuais (externos e internos) São os elementos que antecedem o texto: capa, folha de rosto, ficha catalográfica (verso da página de rosto), termo de aprovação, as páginas preliminares e o sumário. As características de cada um deles são apresentadas a seguir. A impressão final da monografia, com capa dura, comporta a lombada que é elemento prétextual externo opcional Capa Elemento obrigatório, segundo a NBR 14724/2011, Com os itens na seguinte ordem: a) Nome da Instituição (opcional) fonte 12 em negrito; b) Nome do autor; c) Título do trabalho em negrito, posicionado na 13ª. linha; d) Subtítulo se houver; e) Número de volumes (se houver mais de um, deve constar em cada capa a especificação do respectivo volume); f) Local (CIDADE) em caixa alta;

21 Página 21 de 65 g) Ano de depósito (da entrega). Elemento obrigatório, em que as informações são transcritas na seguinte ordem: nome da instituição, nome do autor, título, subtítulo (se houver), local, ano de entrega: FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº 16 caixa alta MARIA APARECIDA SILVA MARIOSA Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº16 caixa alta A VISÃO DE CONCLUINTES DO CURSO DE DIREITO SOBRE SEU PROCESSO DE FORMAÇÃO: DILEMAS, DESAFIOS E EXPECTATIVAS Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº18 caixa alta. Posicionado na 13ª linha POUSO ALEGRE MG 2014 Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta Ano de depósito ( é o da entrega).

22 Página 22 de Folha de rosto MARIA APARECIDA SILVA MARIOSA Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº16 caixa alta Fonte: ARIAL OU TIMES NEW A VISÃO DE CONCLUINTES DO CURSO DE DIREITO ROMAN nº18 caixa alta SOBRE O SEU PROCESSO DE FORMAÇÃO: DILEMAS, DESAFIOS E EXPECTATIVAS Modelo para Trabalho de Conclusão de Curso Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº11 caixa alta e baixa Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº18 caixa alta Trabalho de conclusão Fonte: de ARIAL curso, apresentado OU TIMES como NEW requisito para obtenção do grau ROMAN de Bacharel nº11 caixa em alta Direito e baixa no Curso de Direito da Faculdade de Direito do Sul de Minas. Orientador: Prof.(a) Co-Orientador: Prof.(a) OU Modelo para Pós-Graduação Especialização e Mestrado Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº11 caixa alta e baixa Dissertação, Tese e (Monografia para especialização) apresentada como exigência parcial para obtenção do Título de Mestre em (...), Titulo de Doutor em (...) Especialista em (...) ao Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Direito do Sul de Minas. Orientador: Prof.(a) Co-Orientador: Prof.(a) FDSM MG 2014 Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta

23 Página 23 de 65 Elemento obrigatório cuja finalidade é apresentar os elementos essenciais à identificação do trabalho acadêmico, como segue: a - na primeira linha da folha A4 o nome do(s) autor (es) em negrito, maiúsculos, centralizados e fonte normal; b -Título centralizado a partir da 13ª linha após o(s) nome(s) do(s) autores, maiúsculo, negrito e fonte normal. O Título deve contemplar os conceitos principais a que o tema escolhido remete. c - nota indicando a natureza acadêmica do trabalho (Monografia, Trabalho de Conclusão de Curso), o objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros), o nome da instituição e área de concentração; d - o nome do professor Orientador e/ou co-orientador é separado por uma linha em branco; e - local (cidade) da instituição onde o trabalho será apresentado; f - ano (algarismo arábico, centralizado na última linha). É no verso da Folha de rosto que é colocada a Ficha Catalográfica, necessariamente Ficha Catalográfica Elemento obrigatório. A Ficha Catalográfica é a representação de um cartão, colocado na parte de baixo da folha, que traz as informações bibliográficas fundamentais do documento: autor, título, local, assunto, tamanho, número de páginas, e outros. 1. O tamanho padrão da Ficha Catalográfica é 12,5cm X 7,5cm, 2. Observar a Classificação Decimal Universal (CDU) que foi adotada pela Biblioteca da FDSM Ela deve ficar embaixo do lado direito, depois da última informação das palavras-chave. A CDU, que corresponde à área de Direito em geral e que deve ser colocada na Ficha Catalográfica, é Para a identificação do número de Cutter, que também é colocado na Ficha Catalográfica, bastam apenas duas informações: o último sobrenome do graduando e a primeira palavra do título de sua monografia. Poderá ser fornecido pela Biblioteca ou pelo próprio Núcleo de Monografias.

24 Página 24 de 65 Vide exemplo adiante que deve ser colocada no pé da página do verso da Folha de rosto. FICHA CATALOGRÁFICA Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta Z61u Moutinho, Marcelo Rezende. Salário maternidade: a concessão do benefício aos homens/ Marcelo Rezende Moutinho. Pouso Alegre MG: FDSM, p. Orientador: Prof. Amauri Ludovico dos Santos. Monografia (graduação) Faculdade de Direito do Sul de Minas, Graduação em Direito. 1. Igualdade. 2. Isonomia. 3. Previdência Social. I. Santos, Amauri Ludovico. II. Faculdade de Direito do Sul de Minas. Graduação em Direito. III. Título. CDU 340 Legenda Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº9 caixa alta e baixa Z61u - Número de Cutter - ver na Biblioteca ou no Núcleo de Monografias referem-se a todas as Palavras-chave do trabalho CDU Classificação Decimal Universal Folha de aprovação Elemento obrigatório, colocado logo após a folha de rosto, constituído: pelo nome do autor do trabalho, título do trabalho e subtítulo (se houver), nome da instituição a que é submetido, área de concentração, data de aprovação, nome e assinatura dos componentes da Banca Examinadora e instituições a que pertencem. A data de aprovação e assinaturas dos membros componentes são colocados após a aprovação do trabalho. Vide exemplo a seguir.

25 Página 25 de 65 MARIA APARECIDA SILVA MARIOSA Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta A VISÃO DE CONCLUINTES DO CURSO DE DIREITO SOBRE O SEU PROCESSO DE FORMAÇÃO: DILEMAS, DESAFIOS E EXPECTATIVAS Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta DEDICATÓRIA Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta e baixa Data da Aprovação / / Banca Examinadora Prof.(a) Orientador Instituição Prof.(a) Instituição Prof.(a) Instituição Pouso Alegre - MG 2014

26 Página 26 de Dedicatória Elemento opcional, colocado após a folha de aprovação. A dedicatória é um texto curto, no qual o autor presta uma homenagem ou dedica seu trabalho a alguém, conforme o exemplo abaixo. Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta e baixa A minha querida mãe, exemplo de vida e força, que sempre esteve ao meu lado, em todos os momentos de minha vida, e foi responsável por tornar meus sonhos uma realidade.

27 Página 27 de Agradecimentos Elemento opcional, colocado após a dedicatória. Os agradecimentos, que não são numerados, devem vir em ordem de importância acadêmica e não pessoal. Vide exemplo abaixo. Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº18 caixa alta AGRADECIMENTOS Ao Prof. Dr. xxxx, incentivador, guia e mestre sempre atento e aplicado na minha formação profissional e amigo sincero em todos os momentos. Ao Prof. Dr. xxxx, orientador e incentivador do meu trabalho de pós-graduação ou graduação na Faculdade de Direito do Sul de Minas, pelo apoio, atenção e amizade. Aos Profs. Drs. Xxxx e Xxxx, pelo estímulo e importantes sugestões. Ao Dr. xxxx, pelo apoio e colaboração. A Sra. xxxx, pela análise estatística. Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta e baixa A Sra. xxxx, pela revisão de vernáculo. A Sra. xxxx, pela execução dos desenhos. A Sra. xxxx e à Sra. xxxx, pela atenção e auxílio nas leis.

28 Página 28 de Epígrafe Elemento opcional, colocado após os agradecimentos. É uma frase, uma citação que se relacione com o trabalho e seu espírito. Não se deve escrever a palavra epígrafe antes da frase citada. abaixo. Deve vir seguida de referência sintetizada (nome do autor e obra), conforme exemplo Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº12 caixa alta O que sabemos é uma gota. O que ignoramos é um oceano. Frase de Isaac Newton ( )

29 Página 29 de Resumo Elemento obrigatório, em língua portuguesa, é constituído de uma seqüência de frases concisas e objetivas, fornecendo uma visão rápida e clara do conteúdo do estudo, os objetivos, a metodologia e os resultados alcançados, contendo não menos de 150 (cento e cinquenta), nem ultrapassando 500 (quinhentas) palavras. Não deve conter citações, nem ser uma simples enumeração de tópicos. Deve ser antecedido pela referência do estudo e os verbos na terceira pessoa do singular, na voz ativa. O resumo deve ser redigido em parágrafo único, espaçamento simples e seguido das palavras representativas do conteúdo do estudo, isto é, palavras-chave, em número de três a cinco. As palavras-chave devem ser precedidas da expressão Palavras-chave e separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto. Devem compor a Ficha Catalográfica, para indexar o trabalho acadêmico..trabalho de Conclusão de Curso (Graduação). Monografia (Especialização). Dissertação (Mestrado) RESUMO Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº18 caixa alta em negrito. Tese (Doutorado) MARIOSA, Maria Aparecida da Silva. A visão de concluintes do curso de direito sobre o seu processo de formação: dilemas, desafios e expectativas f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Programa de Pós-Graduação em Educação, Campinas, Este trabalho está inserido na linha de pesquisa Avaliação Institucional e teve por objetivo conhecer como o concluinte da Faculdade de Direito do Sul de Minas avalia o seu processo de formação, e identificar os dilemas desafios e expectativas que o curso promove em seu projeto de vida pessoal e profissional. O estudo foi realizado por meio de pesquisa qualiquantitativa, com 97 alunos concluintes de 2002, da Faculdade de Direito do Sul de Minas. Os alunos sinalizam na direção de um curso de Direito bem estruturado, com visíveis avanços no seu percurso de qualidade, embora reconheçam dificuldades de acompanhamento, frente às suas condições de vida. Destacam que o papel do advogado é fundamental para implementação da justiça. Sentem que têm de continuar estudando para conseguir ingressar na carreira pública, bastante competitiva, sendo este o seu maior desejo. Sobre as expectativas quanto ao futuro, nos próximos cinco anos, a maioria dos concluintes demonstra insegurança e falta de perspectiva. Atribuem a si a responsabilidade de superar estas dificuldades, não revelando criticidade em relação a outros determinantes que interferem em sua possibilidade de inclusão no mundo do trabalho. Palavras-chave: Avaliação Institucional. Ensino do Direito. Expectativa do Concluinte. Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº 12, texto sem parágrafo, espaço simples

30 Página 30 de Abstract Elemento obrigatório. É a versão do Resumo em português para o idioma de divulgação internacional e localiza-se logo após o resumo da língua original. Seguem as mesmas regras de apresentação do Resumo. Normalmente não utilizado em projetos. É elemento obrigatório em língua inglesa: em tese, dissertação, monografia de final de curso e monografia de especialização. Deve ser antecedido pela referência do estudo, como no Resumo Deve aparecer em folha distinta do Resumo e seguido das Palavras-chave. Monograph (Graduação). Course Conclusion (Graduação). Monograph (Especialização). Dissertation (Mestrado). Thesis (Doutorado ) ABSTRACT Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº18 caixa alta em negrito MARIOSA, Maria Aparecida Silva. The law school graduating students view about their formation: dilemmas, challenges and expectations f. Dissertation (Master in Education) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Programa de Pós-Graduação em Educação, Campinas, This paper inserts itself in a research line called Institutional Evaluation ad aimed to know how the graduating student of Faculdade de Direito do Sul de Minas evaluates his formation process and to identify the dilemmas, challenges and expectancies that the course promotes in their personal in their personal and Professional life Project. This study was performed by a qualiquantitative research, with 97/2002 graduating students of Faculdade de Direito do Sul de Minas. The students sign toward a well structured law course, with visible advances in their quality path although they recognize following difficulties, in face of their life conditions. They highlight that the role of lawyer is fundamental in order to implement justice. They feel that they need to keep on order to get into public career highly competitive, as this is their greatest wish. About the future expectancies, in the next five years, most of them sum to be insecure and with no perspectives. They get to themselves the responsibility of overcoming these difficulties, without showing criticism regarding to other determinants that interfere in their possibility of including themselves in the working world Key-words: Institutional Evaluation. Law Teaching, Graduating Expectancies Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº 12, em itálico, texto sem parágrafo, espaço simples

31 Página 31 de Lista de Ilustrações (gráficos, quadros, lâminas, fotos, etc.) Elemento opcional que deve ser elaborado com a ordem apresentado por seu nome específico, acompanhado do respectivo número da página. Vide exemplo abaixo. Gráfico 1 - Percentagem, por sexo dos alunos...20 Gráfico 2 - Alunos que exercem alguma atividade remunerada...26 Gráfico 3 - Recomendação dos concluintes do curso de Direito...34

32 Página 32 de Lista de tabelas Elemento opcional, elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, acompanhado com o respectivo número da folha. Vide exemplo abaixo. Tabela 1 - Meios usados pelos alunos, para se manterem informados Tabela 2 - Justificativas apresentadas pelos concluintes de 2002 de Direito...32 Tabela 3 - Atributos que melhor qualificam o curso de Direito...40

33 Página 33 de Lista de abreviações e siglas Elemento opcional que consiste na relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas das palavras e expressões correspondentes grafadas por extenso. Vide exemplo abaixo: ABNT CC CF CLT CP CPC CPP CTN OAB Associação Brasileira de Normas Técnicas Código Civil Constituição Federal Consolidação das Leis do Trabalho Código Penal Código de Processo Civil Código de Processo Penal Código Tributário Nacional Ordem dos Advogados Brasil

34 Página 34 de Sumário Elemento obrigatório. Deve estar localizado como último elemento pré-textual interno. Ele é "a enumeração das divisões, seções e outras partes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que aparecem no corpo do texto. Não é sinônimo de índice ou lista. A palavra Sumário deve ser centralizada e com a mesma tipologia da fonte utilizada para as seções primárias. Deve incluir apenas as partes do trabalho que lhe sucedem exatamente com a mesma grafia e número de página em que aparecem no texto. Aconselha-se usar letras maiúsculas negritadas para indicar títulos de partes ou capítulos (seções primárias) e apenas a inicial maiúscula para os títulos das divisões dos capítulos (demais seções). A indicação das seções deve iniciar junto à margem esquerda, e a paginação obedece a margem direita. O espaço vago entre as seções e a indicação de paginação pode ser pontilhado para melhor visualização. Os títulos de cada seção utilizando recursos de negrito, itálico e/ou caixa alta Havendo mais de um volume, em cada um deve constar o sumário completo do trabalho Vide modelo adiante:

35 Página 35 de 65 SUMÁRIO Fonte: ARIAL ou TIMES NEW ROMAN nº18 caixa alta em negrito INTRODUÇÃO ENSINO DO DIREITO 1.1. Breve histórico sobre o Ensino do Direito no Brasil A década de Problematizando o ensino do Direito Condições para solucionar Objetivo geral MÉTODOS Participantes Instituição Instrumentos Procedimento Coleta dos dados RESULTADOS Análise das entrevistas Elementos textuais O curso de direito sob visão do aluno Da biblioteca...48 Apresentam a exposição do conteúdo efetivo do trabalho. Um trabalho acadêmico possui Da qualidade do ensino ministrado...50 três partes fundamentais: introdução, desenvolvimento e conclusão Da frequência Das formas da aprendizagem DISCUSSÃO Das Atividades Complementares Do Estagio de Prática Jurídica Da Monografia Jurídica...68 CONCLUSÃO E/OU CONSIDERAÇÕES FINAIS...72 REFERÊNCIAS...74 APÊNDICE...76 ANEXOS...78

36 Página 36 de Elementos textuais parte interna Introdução Elemento obrigatório. Parte inicial do texto tem como objetivo situar o leitor no contexto do tema pesquisado. Ela deve criar uma expectativa positiva e o interesse do leitor ao oferecer uma visão global do estudo feito e levá-lo à continuação da análise do trabalho. Apresenta o assunto e esclarece as delimitações estabelecidas no projeto, base para o título. Analisa a problemática investigada e aponta as questões para as quais buscará as respostas. Define os conceitos, especifica termos adotados para esclarecer o assunto e ressalta a metodologia utilizada. Enfim, explana qual o problema de estudo a ser tratado e os objetivos da pesquisa. Traz, desta forma, a justificativa do trabalho, ou seja, o propósito da pesquisa e a forma como o mesmo será apresentado (metodologia). Pode apresentar a divisão do trabalho, mas não é dividida em seções, nem é numerada Desenvolvimento Parte do texto que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. É composta de revisão de literatura (novos pontos de vista a partir dos recortes da leitura dos autores mencionados), dividida em seções e subseções, material e método(s) e/ou metodologia e resultados, agora descritos detalhadamente. Cada seção ou subseção deverá ter um título apropriado ao conteúdo. Não se deve escrever a palavra desenvolvimento para designar este elemento textual no corpo texto do trabalho. Deve-se utilizar sempre a terceira pessoa do singular, mantendo-se a forma impessoal no mesmo Conclusão ou Considerações Finais Elemento obrigatório. Parte em que o pesquisador fecha a pesquisa feita naquele momento, respondendo às hipóteses e aos objetivos constantes na Introdução. Por ser a parte final, apresenta os pontos de vista a que chegou depois da análise, discussão de resultados obtidos no decorrer da pesquisa e redação do texto. Refere-se às diversas idéias desenvolvidas ao longo da redação do texto, quando elas são sintetizadas, com os comentários do pesquisador, incluindo aí as contribuições trazidas pelo trabalho acadêmico. Dados que não foram tratados no corpo do texto não devem ser incluídos nesta seção.

37 Página 37 de 65 A expressão mais utilizada é Considerações Finais, por dar a conotação da possibilidade de continuidade da pesquisa sobre o tema Pesquisa de Campo Caso o trabalho acadêmico vá apresentar coleta e análise de dados por meio de pesquisas de campo, normas específicas devem ser seguidas, conforme Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da FDSM em vigor. Caso a pesquisa desenvolva estudo de caso que envolva seres humanos ou animais; envolva aplicação de questionários em entrevistas, observar as normas referentes ao Termo de Consentimento Livre e Esclarecido no Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da FDSM em vigor. Desde a apresentação do Projeto de Pesquisa deve-se destacar no item relativo à Metodologia que se pretende fazer uso de pesquisa de campo. Da mesma forma, na Introdução do mesmo deve-se apontar que se utilizará pesquisa de campo e por qual motivo. No desenvolvimento do texto da Monografia, a pesquisa de campo deve ser registrada da seguinte maneira: - Na Introdução - deve-se apontar seu uso explicando o porquê da mesma; - No desenvolvimento do texto - devem-se apontar os dados coletados e trazer a análise dos mesmos; podendo-se inserir figuras, quadros, tabelas ou outros recursos para tal; - As figuras, os quadros, as tabelas e outros também podem vir como elementos póstextuais do texto, caso se entenda que tal apresentação é a mais adequada; - De toda forma as figuras, os quadros e as tabelas devem ser identificados tanto no desenvolvimento quanto no sumário; - Os questionários, relatórios e outros que auxiliaram na coleta dos dados podem e, preferencialmente, devem ser incluídos como apêndices no trabalho.

38 Página 38 de Elementos pós-textuais Referências Elemento obrigatório elaborado conforme normas da ABNT em vigor por tratar-se de listagem de livros, artigos e outros elementos de autores efetivamente utilizados no corpo do texto. Elas permitem, portanto, a identificação de publicações mencionadas no corpo do texto da Monografia. A fim de facilitar a elaboração de referências, seguem exemplos comuns em trabalhos jurídicos. Nas referências devem constar todas as fontes consultadas Exemplos de Referências a - Livros: AUTOR, Título. Edição. Local: Editora (não é necessário escrever editora mas apenas colocar o nome da mesma), ano de publicação. Páginas/volumes. Série (se houver). O prenome do autor pode vir escrito por extenso ou apenas com as suas iniciais; ficando a escolha a critério do autor do trabalho. O sobrenome do autor deve sempre vir por extenso. Exemplos: ALVES, R. de B. Ciências criminais. Rio de Janeiro: Forense, JUBILUT, Liliana Lyra. O direito internacional dos refugiados e sua aplicação no ordenamento jurídico brasileiro. São Paulo: Método, DAMIÃO, R. T.; HENRIQUES, A. Curso de direito jurídico. São Paulo: Atlas, Nas referências com até três autores, citam-se todos eles, separados por ponto e vírgula. Acima de três autores, cita-se o primeiro autor seguido de et al. Os títulos dos periódicos citados deverão estar por extenso. Exemplos: TÁVORA, N.; ALENCAR. R. R. Curso de direito processual penal. 3. ed. Salvador: Jus Podivm, p CINTRA, A. C. de A.; GRINOVER, A. P.; DINAMARCO, C. R. Teoria geral do processo. 24. ed. São Paulo: Malheiros Editores, p. 384.

39 Página 39 de 65 Quando houver mais de três autores, indica-se apenas o primeiro, acrescentando-se a expressão et al. Quando houver organizadores deve-se colocar a abreviação (Orgs.) após os nomes. O mesmo é necessário caso haja coordenadores, com a abreviação (Coord.) LEMOS FILHO, A. et al. (Orgs.). Sociologia geral e o direito. 3. ed. Campinas: Alínea, p. 4 DELMANTO. C. et al. Código penal comentado. 7. ed. atual. ampl. Rio de Janeiro: Renovar, p b - Capítulo de livros: AUTOR do capítulo. Título do capítulo. In: AUTOR DA OBRA. Título da obra. Edição. Local: Editor, ano. Páginas/volumes. Série (se houver). A palavra página se abrevia como p. e não como pg. O símbolo p. é utilizado tanto para o singular ( página ) quanto para o plural ( páginas ). Não se utiliza pp. Exemplos: GOUVÊA, C. P. Democracia material e direitos humanos. In: AMARAL JUNIOR, A. do; JUBILUT, L. L. (Org.). O STF e o direito internacional dos direitos humanos. São Paulo: Quartier Latin, p MADRUGA, A. A possibilidade de renúncia à imunidade de jurisdição pelo estado brasileiro. In: TIBURCIO. C.; BARROSO, L. R. (Org.). O direito internacional contemporâneo: estudos em homenagem ao professor Jacob Dolinger. Rio de janeiro: Renovar, p c - Livro online: Inclui os mesmos itens dos indicados em 1 e 2, acrescidos das informações sobre o endereço eletrônico, apresentado entre os sinais < >, precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso, precedida da expressão Acesso em: Quando a referência for em inglês, recomenda-se que os termos Disponível em e acesso em sejam compatíveis com o idioma da referência: Available from: < >. e Cited: Exemplo: VERÍSSIMO, R. Levantar requisitos e mapear processos. Disponível em: <http://webinsider.uol.com.br/index.php/2007/11/20/levantamento-de-requisitos-emapeamento-deprocessos/>. Acesso em: 3 dez

40 Página 40 de 65 d - Periódicos (Artigos): AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título da Revista, local de publicação, volume, número do fascículo, páginas e ano. Nota indicativa do fascículo, quando houver (suplemento, número especial etc.). Exemplo: PANZAROLA, A. Fatto Notoro. Revista da Faculdade do Sul de Minas, Pouso Alegre, v.25, n.1, jan./jun. p.15-26, e - Periódico online: Inclui os mesmos itens dos indicados em 4, acrescidos das informações sobre o endereço eletrônico, apresentado entre os sinais < >, precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso, precedida da expressão Acesso em: Quando a referência for em inglês, recomenda-se que os termos Disponível em e acesso em sejam compatíveis com o idioma da referência: Available from: < >. e Cited: Exemplo: GOUVÊA. C. P. Presidential supremacy and democracy in latin America: introducing the problem of social inequality in institutional design. Revista da faculdade de Direito do Sul de Minas, Pouso Alegre, v.28 n.1 p.5-17, jan./jun Disponível em: <http://www.fdsm.edu.br/revista/volume28.asp>. Acesso em: 18 jun f - Trabalhos de Congressos, Simpósios, Encontros e outros: AUTOR. Título do trabalho. In: TÍTULO DO CONGRESSO, número, ano, local. Anais... Local: Quem promoveu o evento, ano. Páginas. Exemplo: FISCHER, R. M. B. Cinema e TV na formação ético-estética docente. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 30., 2007, Caxambu-MG. Anais... Rio de Janeiro: ANPED, v.1. p g - Dissertações e Teses: AUTOR. Título da tese ou dissertação. Ano. Folhas. Tese (Doutorado em [preencher a área de conhecimento]) - Instituição, local, ano. Exemplo: MARIOSA, M. A. S. A visão de concluintes do curso de direito sobre o seu processo de formação: dilemas, desafios e expectativas f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, h - Dissertações e Teses online: Inclui os mesmos itens dos indicados em 7, acrescidos das informações sobre o endereço a data de acesso, precedida da expressão Acesso em: Quando a

41 Página 41 de 65 referência for em inglês, recomenda-se que os termos Disponível em e acesso em sejam compatíveis com o idioma da referência: Available from: < >. e Cited: i - Verbete: Verbete (primeira palavra em maiúscula). In: Fonte de onde se retirou a definição do termo. Local de publicação (cidade): Editora, ano. Página. Exemplo: MORFOLOGIA dos artrópodes. In: ENCICLOPÉDIA Mirador Internacional. São Paulo: Enciclopédia Britânica do Brasil, v. 6. p j- Documento Jurídico: Inclui legislação, jurisprudência (decisões judiciais) j1- Leis e Decretos: PAÍS, Estado ou Município. Lei ou Decreto, número da Lei e data (dia, mês, ano). Ementa. Publicação, Local de publicação, data (dia, mês, ano). Seção, página. Exemplos: BRASIL. Lei nº 7.000, de 20 de dezembro de Dispõe sobre a proibição da pesca. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 21 jan Seção 1, p. 51. BRASIL. Congresso. Senado. Resolução nº 17, de Coleção de Leis da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, v. 183, p , maio/jun SÃO PAULO (Estado). Decreto nº de 20 de janeiro de Dispõe sobre a desativação de unidades administrativas de órgãos da administração direta e das autarquias do Estado e dá providências correlatas. Lex: Coletânea de legislação e jurisprudência, São Paulo, v. 62 n. 3 p , 1998 BRASIL. Medida provisória nº , de dezembro de Estabelece multa em operações de importação, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo. Brasília, DF, 14 dez Seção 1, p j2 - Emenda constitucional: PAÍS. Constituição (ano). Emenda constitucional n., data. Título (natureza da decisão ou emenda). Título da Publicação, volume, páginas, mês e ano. Exemplo: BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional nº 9, de 9 de novembro de Dá nova redação ao art. 177 da Constituição Federal, alterando e inserindo parágrafos. Lex: legislação federal e marginália, São Paulo, v.59, p.1966, out./dez

42 Página 42 de 65 j3 - Medida provisória: PAÍS. Medida provisória n., data. A decisão da Medida. Publicação, local, data (dia, mês e ano). Seção, página. Exemplo: BRASIL. Medida provisória nº , de 11 de dezembro de Estabelece multa em operações de importação, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 14 dez Seção 1, p j4 - Portarias, Deliberações e Resoluções: AUTORIA. (Entidade Coletiva). Ementa. Tipo de documento, número e data (dia, mês, ano). Título da Publicação, Local volume, página, mês e ano. Exemplo: BRASIL. Secretaria da Receita Federal. Desliga a Empresa de Correios e Telégrafos - ECT do sistema de arrecadação. Portaria nº 12, 21 de março de Lex: coletânea de legislação e jurisprudência, São Paulo, p , mar./abr., 2. Trim j5 - Consolidação de leis: PAÍS. Título (dados), número, data. Título da Publicação: subtítulo. Edição, Local, volume, páginas, ano. Exemplo: BRASIL. Consolidação das Leis do Trabalho. Decreto lei nº 5.452, de 1 de maio de Aprova a consolidação das leis do trabalho. Lex: coletânea de legislação: edição federal, São Paulo, v.7, Suplemento. j6 - Jurisprudência: Jurisdição e órgão judiciário competente, título (natureza da decisão ou ementa) e número, partes envolvidas (se houver) relator, local, data e dados da publicação.inclui súmulas, acórdãos, sentenças e demais decisões judiciais. Exemplos: BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula nº 14. In:. Súmulas. São Paulo: Associação dos Advogados do Brasil, p.16. BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Processual Penal. Habeas-corpus. Constrangimento ilegal. Habeas-corpus nº , da 6ª Câmara Cívil do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Brasília, DF, 6 de dezembro de Lex: jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais, São Paulo, v. 10, n. 103, p , mar

43 Página 43 de 65 BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário /RR. Recorrentes: João Pereira de Morias ou João Pereira de Morais, Juvenal Silva, Eliésio Monteiro Neri ou Eliézio Monteiro Neri, Pedro Emiliano Garcia. Recorrente: Ministério Público Federal. Recorrido: Os Mesmos. Assist.: Fundação Nacional do Índio FUNAI. Assist.: Davi Kopenawa Yanomami Relator: Min. Cezar Peluso. Brasília, 03/08/2006. Publicado em 10/11/2006. j7 - Documento Jurídico online: Inclui os mesmos itens dos indicados para documento jurídico, acrescidos das informações sobre o endereço eletrônico, apresentado entre os sinais < >, precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso, precedida da expressão Acesso em: Exemplos: LEGISLAÇÃO brasileira: normas jurídicas federais, bibliografia brasileira de Direito. 7. Ed. Brasília, DF: Senado Federal, CD-ROM. Inclui resumos padronizados das normas jurídicas editadas entre janeiro de 1946 e agosto de 1999, assim como textos integrais de diversas normas. BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula n.14. Não é admissível, por ato administrativo, restringir, em razão de idade, inscrição em concurso para cargo público. Disponível em: <http://www.truenetm.com.br/jurisnet/sumusstf.html>. Acesso em: 29 nov BRASIL. Lei n.9.887, de 7 de dezembro de Altera a legislação tributária federal. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 8 dez Disponível em: <http://www.in.gov.br/mp_leis/leis_texto.asp?id+lei%209887>. Acesso em: 22 dez Informações Gerais sobre Referências a - Quando houver referências com autores e datas coincidentes, usa-se o título da obra ou artigo para ordenação (tomando como critério a ordem alfabética) e acrescenta-se letra minúscula do alfabeto após a data, sem espaçamento. Exemplos: GOUVÊA, C. P. Presidential supremacy and democracy in Latin America: introducing the problem of social inequality in institutional design. Revista da Faculdade de Direito do Sul de Minas, Pouso Alegre, v.28, n.1, p.27-56, 2009a. GOUVÊA, C. P. Supremacia presidencial e democracia na América Latina: introduzindo o tema da desigualdade social do desenho institucional. Revista da Faculdade de Direito do Sul de Minas, Pouso Alegre, v.28, n.1, p , 2009b. b - Quando houver mais de uma referência de mesmo autor usa-se o ano de publicação e ordem cronológica crescente para ordenação. A partir da segunda referência substitui-se o nome por um travessão equivalente a cinco espaços. Exemplos:

44 Página 44 de 65 SILVA. E. V. A sedução do sistema inquisitorial no sistema penal. Revista da faculdade de Direito do Sul de Minas. São Paulo, v.25, n.2, p.67-82, Os direitos fundamentais a partir de uma perspectiva pós-moderna e neo-constitucionalista: uma abordagem feita no paradigma do Estado Democrático de Direito do Brasil contemporâneo. Revista da faculdade de Direito do Sul de Minas. São Paulo, v.26, n.2, p , Quando as indicações de parentesco, como: Neto, Filho, Júnior, Sobrinho etc., fazem parte do nome e devem ser mencionados por extenso, sempre acompanhados pelo último Exemplos: sobrenome. CRETELLA JÚNIOR, José SANTOS NETO, Pedro THEODORO JÚNIOR, Humberto Caso o sobrenome pelo qual o autor é mais conhecido for um termo composto, cite-o por inteiro. Exemplos: COSTA GAMA, Pedro PONTES DE MIRANDA, Francisco c - A edição somente é indicada a partir da segunda, com abreviatura dos numerais ordinais, na forma adotada no documento. Exemplos: 2. ed. rev. (segunda edição revista) 3. ed. rev. e aum. (terceira edição revista e aumentada) 3. ed. rev. e atual. (terceira edição revista e atualizada) 4. ed. reimp. (quarta edição reimpressa) 2. ed. (segunda edição) 2nd ed. (Edição em Inglês) 3rd (Edição em Espanhol) 3ème (Edição em Francês) As ementas e eventuais acréscimos à edição original são indicados de forma abreviada d - Quando o local e a editora não puderem ser identificados, utilizar as expressões latinas, abreviadas e entre colchetes [s.i.: s.n.]. Se nenhuma data puder ser determinada, registra-se uma data aproximada entre colchetes.

45 Página 45 de 65 Exemplos: não indicada [2000] década certa [201-] década provável [2006-?] data provável [2008?] data aproximada [da. 2007] um ano ou outro [2007 ou 2008] e - Nome do local é a cidade de publicação e, no caso de homônimos de cidades, acrescenta-se o nome do estado. Exemplos: Viçosa, AL. Viçosa, MG. f - A regra geral sobre referências é incluir todos os dados que tornem possível a localização da obra mencionada. Assim, se destaca sempre (em itálico) o dado mais relevante para a localização (em geral o título do livro ou da revista no qual se localiza o artigo mencionado) Anexos e/ou Apêndices Apêndices Elemento opcional: textos produzidos pelo próprio autor do trabalho acadêmico, questionários, entrevistas, tabelas, gráficos, quadros e fotografias. Identificados por letras do alfabeto. Devem constar após o glossário, e os anexos após os apêndices, ambos devem ser incluídos no sumário, porém não acompanhando a numeração progressiva. Só deve ser incluído quando imprescindível. Apresentar da seguinte forma: a) Quando existir apenas um apêndice ou anexo: - Em página distinta; - Não deve ser numerado; - A palavra Apêndice ou Anexo, deve aparecer centralizado com letras maiúsculas negritadas. b) Quando houver mais de um apêndice ou anexo deve aparecer: - Em página distinta;

46 Página 46 de 65 - A palavra apêndice aparece centralizada, negritada com letras maiúsculas; - Os anexos ou apêndices devem ser identificados por meio de letras maiúsculas consecutivas, travessão e seus respectivos títulos. É aconselhável que quando os anexos ou apêndices forem citados no texto no final da frase, apareçam entre parênteses. Se inserido na redação, o termo "anexo" deve estar livre de parênteses. Exemplo no texto: Conforme Anexo A, os animais... Exemplo no texto:...os animais (ver Apêndice B). Exemplos: APÊNDICE A Tabela do número dos alunos matriculados ano de APÊNDICE B Média da idade dos alunos matriculados em Anexos Elemento opcional: textos não produzidos pelo autor do trabalho acadêmico, mas transcritos de leis, tabelas estatísticas transcritas de alguma publicação. Identificados por numerais romanos. Servem de fundamentação, comprovação ou ilustração, como mapas, leis, estatutos, entre outros. Os apêndices e anexos são textos complementares do trabalho, contêm documentos ilustrativos ou exposições que se tornaram inviáveis no interior dos capítulos. Exemplos: ANEXO I Representação gráfica dos cursos de Pós-Graduação elaborados pela CAPES. ANEXO II Representação Gráfica dos alunos e Docentes que recebem bolsa da CAPES

47 Página 47 de Índice Remissivo Elemento opcional. Traz a listagem dos tópicos mais relevantes apresentados no trabalho acadêmico, a fim de facilitar a consulta sobre um tema específico. Em geral, ao lado do tópico indicam-se a(s) páginas(s) na(s) qual(is) o mesmo se encontra, ou o número do respectivo parágrafo. É organizado em ordem alfabética. Exemplo: Acordo sede p. 10 Carta de São Francisco p. 10 Estados Unidos p. 8 ONU p.7 Pode, também, ] vir na forma de uma lista de casos/decisões. Exemplo: Organização Internacional p. 6 Caso das Reparações ou Caso Bernadotte (Corte Internacional de Justiça) p. 12 Caso de Certas Despesas (Corte Internacional de Justiça) p. 14

48 Página 48 de INSTRUÇÕES GERAIS DE APRESENTAÇÃO 4.1. Redação científica A redação científica deve ter uma linguagem técnica, acadêmica e didática. Visa à transmissão de conhecimentos. É informativa, dissertativa e tem como finalidade discutir opiniões, conhecimentos, informações. Argumenta, analisa e sintetiza, interpreta e conclui. Convence pela força de argumentação. Caracteriza-se pela precisão, objetividade, exatidão e sobriedade. A técnica de redação no trabalho científico requer a observância das seguintes normas: a) Exposição das idéias com clareza e objetividade; b) linguagem direta, precisa e acessível; c) respeito às regras gramaticais; d) evitar períodos longos e também frases curtas; e) uso de vocabulário técnico quando necessário; f) redação com simplicidade, enfocando a matéria e os pontos básicos para a comunicação; g) manutenção da unidade e o equilíbrio das partes; h) emprego do verbo na terceira pessoa do singular Citações A fim de evitar plágio, as citações têm destaque em qualquer trabalho científico. Em face disso, é importante defini-las: Citação: menção de uma informação extraída de outra fonte. Citação de citação: Citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original. Citação direta: transcrição textual de parte da obra do autor consultado. Citação indireta: texto baseado na obra do autor consultado ou parafraseado. As citações podem aparecer: No texto Notas de rodapé Citações no texto Em ambos os casos é indispensável a apresentação da fonte da citação. Para assegurar o crédito ao autor da pesquisa, há dois sistemas de apontar as referências de uma citação. O primeiro deles é o sistema autor-data, que é pouco utilizado em obras jurídicas.

49 Página 49 de 65 Nas citações autor-data, as chamadas pelo sobrenome do autor, pela instituição responsável ou título incluído na sentença devem ser em letras maiúsculas e minúsculas e, se estiverem entre parênteses, devem ser em letras maiúsculas. Nestas citações, deve-se especificar no texto a página volume, tomo ou seção da fonte consultada. Este deve seguir-se da data, separado por vírgula e precedido pelo termo, que o caracteriza, de forma abreviada. Este tipo de citação pode estar relacionado a uma citação direta ou indireta, conforme os exemplos abaixo. Exemplos: O direito, assim, de um lado, protege-nos do poder arbitrário, exercido a margem de toda regulamentação. (Ferraz Jr., 2007). O crime somente se consuma quando há efetivação de ato (RANGEL, 2009, p. 327) Di Pietro (2006, p. 133) diz que [...] como todo ato administrativo, a medida de polícia, ainda que seja discricionária, sempre esbarra em algumas limitações das leis. As obras jurídicas, em geral, utilizam o sistema de inclusão das referências das citações (diretas ou indiretas) em nota de rodapé, no chamado sistema numérico. A fim de obter mais informações sobre as notas de rodapé, verificar o item Qualquer que seja o método adotado (numérico ou autor-data) deve ser seguido consistentemente ao longo de todo o trabalho, permitindo sua correlação na lista de referência ou em notas de rodapé. Ainda sobre as citações, é importante destacar as regras para as citações diretas. As citações diretas de até três linhas devem estar contidas entre aspas duplas. As aspas simples são utilizadas para indicar citação no interior da citação. Exemplos: Pode-se dizer que [a] renúncia da herança, a exemplo da aceitação, é declarada unilateral [...] a vontade [...] Venosa (2008, p. 222) Nexo de causalidade entre o fato e o dano produzido. (DINIZ, 2008, p. 238) Segundo Diniz (2008, p. 239) [...] o caso fortuito e a força maior, portanto, nem sempre têm efeito extintivo do liame obrigacional [...]

50 Página 50 de 65 As citações diretas, no texto, com mais de três linhas, devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado, preferencialmente em tamanho 10. O tipo de letra deve ser o mesmo do texto e não utilizar itálico e/ou negrito, nem aspas. Exemplos: Desta forma, a prerrogativa dos membros do Ministério Público e da magistratura impede a prisão em flagrante de crime afiançável e a autoria somente por crime inafiançável ou, fora da situação de flagrante, se houver ordem escrita e fundamentada do Presidente do Tribunal de Justiça. (RANGEL, 2009, p. 145). OU Azevedo afirma que (2002, p. 269): No casamento de fato, os conviventes sentem-se casados, como esposos, porque são casados, tal como o casamento da common law, que existe hoje em 14 Estados americanos, [...] o da Escócia e o casamento de fato ou clandestino admitido pelas Ordenações Filipinas, até o advento do aludido Decreto nº 181, de 1980, que instituiu, entre nós, o casamento civil. seguinte modo: Devem ser indicadas as supressões, interpolações, comentários, ênfase ou destaques, do a- Supressões: [...] qualquer supressão do texto original deve ser indicada com três pontos entre colchetes b- Interpolações, acréscimos ou comentários: [ ] qualquer acréscimo ao texto original deve vir entre colchetes c- Alteração da letra entre [ ] se for necessário alterar uma letra maiúscula para minúscula ou viceversa em relação ao texto original, tal letra deve vir entre colchetes d- Ênfase ou destaque: grifo ou negrito em itálico. qualquer destaque acrescido ao texto original deve vir em negrito ou itálico. Deve-se apontar tal ênfase acrescendo-se ao final entre parênteses a frase (ênfase acrescida ao original ou grifo nosso). Se a ênfase já estiver no original deve ser mantida e acresce-se a frase (ênfase no original ou grifo do autor) Exemplo: [...] Os pontos de contato entre a filosofia e a filosofia do direito são tantos e interdependentes que qualquer tomada de decisão (grifo do autor). Quando o nome do autor, instituição, responsável estiver incluído na sentença, indica-se a data, entre parênteses, acrescida da página, se a citação for direta.

51 Página 51 de 65 Quando houver coincidência de sobrenomes de autores, acrescentam-se as iniciais de seus prenomes; se mesmo assim existir coincidência, colocam-se os prenomes por extenso. Exemplos: (DINIZ, H., 2007) (DINIZ, Helena, 2008) (DINIZ, M., 2008) (DINIZ, Maria, 2008) As citações de diversos documentos de um mesmo autor, publicados num mesmo ano, como visto, são distinguidas pelo acréscimo de letras minúsculas, em ordem alfabética, após a data e sem espacejamento, conforme a lista de referências. As citações indiretas de diversos documentos da mesma autoria, publicados em anos diferentes e mencionados simultaneamente, têm as suas datas separadas por vírgula. As citações indiretas de diversos documentos de vários autores, mencionados simultaneamente, devem ser separadas por ponto-e-vírgula, em ordem alfabética. Exemplos: (DI PIETRO, 2004, 2005, 2006) (FONSECA, 1997; PAIVA, 1997; SILVA 1997) Diversos autores salientam a importância do acontecimento desencadeador no início de um processo de aprendizagem, como por exemplo, CROSS, 1984; KNOX, 1986; MEZIROW, No caso de citação dentro da citação de outro autor, menciona-se o nome do autor citado seguido da expressão (apud), em seguida o nome do autor que estamos citando, depois inclui-se o ano e a página. Exemplos: (SOUZA apud SILVA, 1999, p. 15) Souza (apud SILVA, 1999, p. 23)

52 Página 52 de Citações em notas de rodapé As notas de rodapé devem ser alinhadas a partir da segunda linha da mesma nota, abaixo da primeira letra da primeira palavra, de forma a destacar o expoente e sem espaço entre elas e com fonte menor. As notas de rodapé nos trabalhos jurídicos apresentam três funções: 1- trazer as referências das citações diretas ou indiretas; 2- trazer informações interessantes, mas não essenciais ao texto, e 3- trazer explicações ao texto. O primeiro tipo de nota de rodapé é denominado de Notas de referência. É extremamente relevante uma vez que á a forma preferencial para a inclusão de referências para citações. Essas notas indicam fontes consultadas ou remetem a outras partes da obra onde o assunto foi abordado. Exemplo: 1 ICHIHARA, Yoshiaki. Imunidades tributárias. São Paulo: Atlas, CARRAZZA, Roque Antonio. Curso de direito constitucional tributário. 22. ed. rev. e atual. São Paulo: Editora Malheiros, AMARO, Luciano. Direito tributário brasileiro. São Paulo: Atlas, O segundo tipo de nota de rodapé traz indicações, observações ou aditamentos ao texto feitos pelo autor, tradutor ou editor. Tais informações podem vir a partir de um texto do autor do trabalho ou por meio da inclusão de uma citação na nota de rodapé. Neste caso, após a citação devese incluir a referência da mesma na própria nota de rodapé. Exemplo: 1 A existência desses limites pode ser comprovada pela existência da regra de que um Estado não pode invocar sua legislação interna como pretexto de violação a regras de direito internacional. Cf. BROWNLIE, I. Principles of Public International Law. 5. ed. 3. reprint. Oxford: Claredon Press, p. 294.

53 Página 53 de 65 O terceiro tipo de nota traz explicações interessantes ao texto e que podem ser de conhecimento geral. Exemplo: 1 Antes da criação da ONU já existiam normas de proteção aos seres humanos, como por exemplo as normas de Direito Internacional Humanitário, a proibição do tráfico de escravos e normas da Organização Internacional do Trabalho. Contudo, foi apenas com o estabelecimento daquela Organização que um esquema de proteção sistemática foi consagrado 2 Tal processo foi tão significativo que alguns autores, como Theodor Meron, têm advogado a idéia de humanization of international law, Cf. MERON, T. The humanization of international law. The Hague Academy of International Law, v. 3. Lieden/Boston: Martinus Nijhoff Publishers, É muito comum, em notas de rodapé, o uso de termos, e expressões e abreviaturas latinas. Elas só podem utilizadas quando fizerem referências às notas de uma mesma página ou em páginas confrontantes. O uso das expressões em latim visa despoluir o texto, evitando-se repetir informações já mencionadas. - Ibidem ou Ibid. = na mesma obra - Idem ou Id. = do mesmo autor - Opus citatum, opere citato ou op. cit. = na obra citada - Loco citado ou loc. cit. = no lugar citado - Et seq. = seguinte ou que se segue - Passim = aqui e ali; em vários trechos ou passagens - Cf. = confira, confronte - Apud = em Apesar de serem expressões em língua estrangeira as mesmas não vem em itálico. Exemplo: a) Ibidem ou Ibid. = na mesma obra Exemplo: 1 ICHIHARA, Yoshiaki. Imunidades tributárias. São Paulo: Atlas, Ibidem, p Ibid., p

54 Página 54 de 65 b) Idem ou Id. = do mesmo autor. É usada quando em notas de rodapé consecutivas (ou na mesma nota de rodapé) pretende-se citar obras diferentes do mesmo autor. Exemplo: 1 ICHIHARA, Yoshiaki. Imunidades tributárias. São Paulo: Atlas, Id., 2002, p Id, 2008, p c) Opus citatum, opere citato ou op. cit. = na obra citada Exemplo: 1 ICHIHARA, Yoshiaki. Imunidades tributárias. São Paulo: Atlas, CARRAZZA, 2006, p ICHIHARA, Y. Op. cit., p. 245 Pode haver situações em que mais de uma obra do mesmo autor será citada mais de uma vez. Neste caso, pode-se utilizar a abreviação op. cit., mas deve-se acrescentar o título da obra na sequência. Não se coloca, contudo, os demais elementos essenciais da citação. Exemplo: 1. FRANCK, T. Recourse to force- State action against threats and armed attacks. Hersch Lauterpacht Memorial Lectures. 6. printing. Cambridge, UK: Cambridge University Press, p FRANCK, T. Legitimacy in the international system. American Journal of International Law, v. 82, p FRANCK, T. Recourse to force- State action against threats and armed attacks. Op. cit., p d) Loco citado ou loc. cit. = no lugar citado Exemplo: 1 ICHIHARA, Yoshiaki. 2000, p ICHIHARA, Yoshiaki., loc. cit. e) Et seq. = seguinte ou que se segue Exemplo: 1 ICHIHARA, 2000, p. 17 et seq.

55 Página 55 de 65 f) Passim = aqui e ali; em vários trechos ou passagens Exemplo: 1 ICHIHARA, 2000, passim. g) Cf. = confira, confronte Exemplo: 1 Cf. ICHIHARA, h) Apud = em O apud é utilizado quando se cita uma referência de modo secundário, ou seja, quando não se cita diretamente da fonte na qual ela foi criada, mas sim de uma fonte que a reproduz (um artigo, um livro que cita um outro autor). Deve-se, sempre, buscar citar fontes diretas, mas quando isso não for possível, utiliza-se o apud, apresentado a referência da obra que realmente foi consultada de modo completo. Exemplo: HABERMAS, J, Communication and the evolution of society apud FRANCK, T. Legitimacy in the international system. American Journal of International Law, v. 82, p As expressões constantes nas letras a, b, e g só podem ser usadas na mesma página ou folha da citação a que se referem Destaques e diferenciação de palavras Nomes científicos, palavras e frases em língua estrangeira, títulos de obras (livros e periódicos), emprega-se itálico, sem aspas, para dar destaque a um termo, usar negrito; títulos de capítulos ou de poemas vêm entre aspas.

56 Página 56 de Aspas Vêm entre aspas duplas as citações de até três linhas, incorporadas ao texto. A citação de citação vem entre aspas simples. As citações longas, de mais de três linhas, são em bloco destacado do texto, sem aspas. Expressões e palavras não técnicas ou de uso coloquial podem vir entre aspas Porcentagens Sempre indicadas por algarismos, sucedidos do símbolo próprio (5%, 25%) Ordinais Escritos por extenso de primeiro a décimo, porém os demais na forma numérica (quinto, 15º) Algarismos romanos Usados normalmente nos seguintes casos: séculos, reis, imperadores, papas de mesmo nome; grandes divisões das forças armadas; reuniões, acontecimentos repetidos periodicamente e dinastias reais Datas Quando por extenso, a indicação dos milênios deve ser feita em ordinal e a dos séculos, em cardinal. Na indicação numérica, usam-se algarismos romanos antepostos no caso dos milênios, e pospostos, no caso de séculos. Exemplo: Segundo milênio antes da era cristã = II milênio a.c. Século vinte = século XX. O ano é indicado numericamente por todos os algarismos e não apenas pela dezena final. Os meses são indicados por extenso ou em algarismos arábicos ou, ainda, abreviados por meio das três primeiras letras, seguidas de ponto quando minúsculas, e sem ponto, quando maiúsculas, excetuando-se o mês de maio, que é escrito por extenso. Exemplo: 12 de abril de 1972; 12 abr. 1972; 12 ABR 1972.

57 Página 57 de As datas, quando indicadas numericamente, seguem o uso internacional: ano, mês, dia. Ex.: A indicação dos dias da semana pode ser feita abreviadamente, da seguinte forma: 2ª-feira, 3ª-feira, 4ª-feira, 5ª-feira, 6ª-feira, sab. e dom. 5. REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO GRÁFICA A uniformização gráfica, ou seja, a disposição consistente dos elementos básicos de um trabalho, independentemente da estética que oferece, ajuda ao leitor, dando-lhe direção e facilidade no encontro da matéria. Além disso, a padronização no tratamento gráfico do trabalho auxilia, não só o digitador, mas aquele que, pela primeira vez, vai elaborar um trabalho Formato Os trabalhos devem ser apresentados em papel branco, formato A-4 (21 cm x 29,7 cm), digitadas em uma só face da folha, com exceção da folha de rosto cujo o verso deve conter a ficha catalográfica Fontes As fontes devem ser de tamanho, médio e redondos, evitando-se a fonte itálica. Deve-se utilizar as fontes tipo Arial ou Times New Roman, em tamanho 12 para todo o texto. Os nomes dos autores devem ser apresentados em caixa alta (maiúsculas). Os nomes do orientador e, quando houver, do co-orientador, devem ser apresentados somente com as respectivas iniciais em caixa alta e as demais letras em caixa baixa.

58 Página 58 de Margens A folha deve apresentar as seguintes margens: Superior: 3,0cm Inferior: 2,0cm Esquerda: 3,0cm Direita: 2,0cm 5.4. Espaçamento Todo o texto deve ser digitado com espaço de 1,5cm, excetuando-se as citações de mais de três linhas, notas de rodapé, referências, legendas e das tabelas, ficha catalográfica Títulos sem indicativo numérico Os títulos sem indicativo numérico: errata, agradecimentos, lista de ilustrações, lista de abreviaturas e siglas, lista de símbolos, resumos, sumário, referências, glossário, apêndices, anexos, índices devem ser centralizados conforme a NBR Paginação Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas sequencialmente, mas não numeradas. A numeração é colocada, a partir da primeira folha da parte textual, em algarismos arábicos. Havendo apêndice e anexo, as folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento ao texto principal Siglas e/ou abreviações Quando aparece pela primeira vez no texto, a forma completa do nome precede a sigla, colocada entre parênteses. Nas próximas utilizações, deve-se apenas fazer uso da sigla. Exemplo: Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

59 Página 59 de Ilustrações As ilustrações aparecem no trabalho para explicar ou complementar o texto. Qualquer que seja seu tipo (desenhos, fotografias, gráficos, organogramas, quadros, relatos e outros) sua identificação aparece na parte inferior, precedida da palavra designativa. Deve ser seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, do respectivo título e/ou legenda explicativa de forma breve e clara, dispensando consulta ao texto, e da fonte. A ilustração deve ser inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere, conforme o projeto gráfico. Caso o autor não queira inserir as ilustrações no texto, estas poderão ser reunidas em um anexo e referenciadas pelo número do anexo e pelo seu próprio número Tabelas As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente, conforme IBGE (1993). Exemplos: Tabela 1- Inscrição em faculdades locais, 2005 Faculdade Novos alunos Alunos de graduação Alteração Universitário Universidade Cedar Faculdade Elm Academia Maple Faculdade Pine Instituto Oak Instituto Oak Total Fonte: Dados fictícios, apenas para fins ilustrativos

60 Página 60 de 65 Tabela 2 - Meios usados pelos alunos, para se manterem informados sobre a situação do país e do mundo Alternativas 1ª Opção (anos) 2ª Opção (anos) Nº % Nº % Conversas com amigos 8 8,24 5 5,15 Rádio 2 2,06 3 3,10 Leitura de jornais 15 15, ,50 Noticiário de TV 48 49,50 6 6,18 Revistas (Tipo Veja e Isto É) 12 12, ,52 Internet 12 12, ,55 Total , ,00 Fonte: Dissertação de mestrado profa. Maria Aparecida Mariosa Quadros É a apresentação de dados de forma organizada, para cuja compreensão não seria necessária qualquer elaboração matemática-estatística. Exemplos: Quadro 1 - Quadro das Operações de Paz da ONU 2 Sigla da Operação 3 Nome da Operação 4 Ano do Estabelecimento/ Duração UNTSO United Nations Truce Supervision Operation UNMOGIP United Nations Military Observer Group in India and Pakistan UNEFI First United Nations Novembro 1956-Junho UNOGIL Emergence Force United Nations Observation Group in Lebanon Fonte: Tese de Doutorado profa. Liliana Lyra Jubilut No. Resolução do Conselho de Segurança Localização Junho 1948-presente 50 Oriente Médio Janeiro 1949-presente 47 e 91 Índia e Paquistão (ES-1) e 1001 (ES-1) 5 Oriente Médio Junho- Dezembro Área da fronteira entre Líbano e Síria 2 Cf. dados disponíveis no site da ONU (http://www.un.org/depts/dpko/dpko/) e em MALONE, D.(ed). The UN Security Council : from the Cold War to the 21st century, A project of the International Peace Academy, Lynne Rienner Publishers, Appendix I, p As siglas seguem o nome original em inglês 4 Os nomes das operações seguem o original em inglês 5 Ambas as resoluções são da Assembléia Geral que atuou com base nas Resoluções Unidos pela Paz em virtude da paralisia do Conselho de Segurança durante a Guerra Fria

61 Página 61 de 65 Quadro 2 - Demonstrativo dos Principais Casos de Intervenção por Estados 6 e respectiva Ação da ONU 7 Caso Reino Unido- Albânia (Estreito de Corfu) Data Fonte: Tese de Doutorado profa. Liliana Lyra Jubilut Breve Resumo dos Fatos 1946 Navios britânicos foram atingidos por minas quando passavam pelo Estreito de Corfu, em águas albanesas. Não era o primeiro incidente desse tipo. O Reino Unido resolveu proceder à limpeza do canal e avisou à Albânia que não concedeu autorização para que tal ação fosse feita em seu território. Mesmo assim, o Reino Unido continuou com a ação e desmontou mais 22 minas. Ação da ONU O caso foi para o Conselho de Segurança (CS) 8 que aprovou uma resolução orientando os Estados a leva-lo à Corte Internacional de Justiça. A Corte entendeu, por um lado, que a Albânia não cumpriu com suas obrigações após as explosões e, por outro lado, que houve violação da soberania albanesa e da norma de não-intervenção por parte do Reino Unido. A Corte decidiu que a sua declaração era suficiente como remédio. 6 Por se tratar de intervenções realizadas por Estados e não pela ONU, algumas crises humanitárias relevantes da década de 1990 não aparecem listadas, tais como a crise da Somália em 1992 e a continuação da situação conflituosa no Haiti 7 As informações desse apêndice se baseiam nas seguintes obras: FRANCK, T. Recourse to force. Op. cit; GOLD, D. Tower of Babbel- How the United Nations has fuelled global chaos. New York: Three Rivers Press, 2005; GRAY, C. International law and the use of force. Foundations of Public International Law. 2. ed. Oxford: Oxford University Press, 2004; e AMARAL JR. A. do. O direito de assistência humanitária, Op. cit. 8 Doravante referido pela sigla.

62 Página 62 de Figura São desenhos, fotografias, organogramas etc. com os respectivos títulos precedidos das palavras (Figura) e do número de ordem em algarismo arábico. Figura 1: Relação da idade dos alunos da 5ª série Fonte: Dissertação de mestrado profa. Maria Aparecida Mariosa Numeração Progressiva Deve-se adotar uma numeração progressiva para evidenciar a sistematização do conteúdo do trabalho. Também, deve-se adotar a numeração progressiva para as seções do texto. Os títulos das seções primárias divisões de um texto, devem iniciar em folha distinta no sumário e de forma idêntica no texto. Exemplo: Seção Indicativo numérico Primária 1 2 Secundária Terciária Quaternária Quinária

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA 1 DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho, ou seja, o que não consta no texto destas

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ Prof. Marat Guedes Barreiros GUARUJÁ 2º semestre de 2013 PROJETO MULDISCIPLINAR Curso superior de BACHAREL em

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT www.abnt.org.br Objetivos da normalização Comunicação Simplificação Níveis de normalização Menos exigente (Genérica) INTERNACIONAL REGIONAL

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e Análise de Práticas de Gestão Organizacional em uma Empresa. OBJETIVOS: Favorecer aos alunos ingressantes

Leia mais

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1 ESTRUTURA A estrutura e a disposição dos elementos de um trabalho acadêmico são as

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS F A C UL DA DE DE P R E S I DE N T E V E N C E S L A U REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS APRESENTAÇÃO GRÁFICA - CONFIGURAÇÃO DAS MARGENS Ir ao menu Arquivo, escolher a opção Configurar

Leia mais

Normas para Apresentação de Monografias

Normas para Apresentação de Monografias UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Normas para Apresentação de Monografias Campina Grande, dezembro 2010

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com as normas da ABNT

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com as normas da ABNT ESCOLA E FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ANTÔNIO ADOLPHO LOBBE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: de acordo com as normas da ABNT SÃO CARLOS 2010 MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS:

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Segundo a NBR 15287:2011

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

Normas para Redação da Dissertação/Tese

Normas para Redação da Dissertação/Tese Normas para Redação da Dissertação/Tese Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou monografia compreende três partes fundamentais, de acordo com a ABNT (NBR 14724): elementos prétextuais, elementos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações 1ª edição Ilhéus BA 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1)

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV RESUMO Este

Leia mais

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS

FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS FACULDADE ÚNICA DE CONTAGEM CLAUDIANE SANTANA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CIENTÍFICOS Baseado nas obras de Júnia Lessa França e Ana Cristina de Vasconcellos; Rosy Mara Oliveira. Atualizado

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO OESTE DONA LINDU GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ DIVINÓPOLIS MG 2009 O Trabalho de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= *

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= * Lombada* UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BIBLIOTECA GLÁDIS W. DO AMARAL ORIENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Elementos póstextuais INDICES * PARTE INTERNA ANEXOS * APENDICES * GLOSSARIO

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002)

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) DIRETOR: Profº. Daniel Jorge dos Santos Branco Borges COORDENADORA PEDAGÓGICA: Profª. Paloma Martinez Veiga Branco COORDENADORA

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Centro de Excelência em Turismo MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB Por: Jakeline V. de Pádua APRESENTAÇÃO As páginas que se seguem especificam os princípios gerais

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Faculdade de Jussara FAJ Curso de Direito Coordenação de Trabalho de Conclusão de Curso MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Jussara 2013 APRESENTAÇÃO Este manual

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS DOS TRABALHOS Formato: A4 Cor preta Espaçamento entre linhas: 1,5cm Fonte texto: Times New Roman, 12 ou Arial, 11 Margem superior

Leia mais

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Biblioteca Normas para elaboração do TCC O que é um Trabalho de Conclusão de Curso? O TCC, é um trabalho acadêmico feito sob a coordenação

Leia mais

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos Revisto e atualizado de acordo com a NBR 15287/2011 Brasília 2011 1 APRESENTAÇÃO De acordo

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Educação Artística Unifadra / Dracena SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Educação Artística

Leia mais

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO FACULDADE DOM BOSCO Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO CORNÉLIO PROCÓPIO 2012 Como elaborar um TC 1 Introdução Objetiva-se

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP FACULDADE (do aluno) CURSO TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO RELATÓRIO AUTOR(ES) DO RELATÓRIO SÃO PAULO 200_ NOTA PRÉVIA

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2 UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENAÇÃO ADJUNTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5. Formatação do Texto

TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5. Formatação do Texto TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5 Antes de iniciar a digitação de seu trabalho acadêmico configure seu documento com as especificações a seguir, facilitando a visualização e sua

Leia mais

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação AGO 2002 NBR 14724 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 2º andar CEP 20003-900 Caixa Postal

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica 2012 2 Núcleo de Apoio à Pesquisa na Graduação- NAP/UNIMAR Projeto de Pesquisa; Apresentação gráfica TRABALHO ACADÊMICO Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas

Leia mais

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011]

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] Professora Alcione Mazur 25/07/11 Cancela e substitui a edição anterior. ABNT NBR 14724: 2005 Não houve alterações na estrutura do trabalho, mas em uma

Leia mais

NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA APRESENTADA NO FINAL DO CURSO

NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA APRESENTADA NO FINAL DO CURSO U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E O U R O P R E T O - U F O P ESCOLA DE MINAS EM C O L E G I A D O C U R S O E N G E N H A R I A D E C O N T R O L E E A U T O M A Ç Ã O ( C E C A U ) NORMAS PARA

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL AQUIDAUANA MS 2009 1. PAPEL E PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO O papel

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA (UESB) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (DCE) CURSO DE MATÉMATICA VANÊIDE ROCHA DIAS RIBEIRO FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (FTA) VITÓRIA DA CONQUISTA BA 2009

Leia mais

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) GUIA PARA CONFECÇÃO DE PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Mestrado Profissional em Metrologia e Qualidade Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial 2010 APRESENTAÇÃO

Leia mais

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF)

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) 3ª edição Revisto e atualizado

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL Estrutura formal do relatório Estrutura Elemento Capa Folha de Rosto Pré-textuais Folha de Identificação Sumário 1. Introdução Textuais 2. Atividades

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA APRESENTAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O trabalho deve ser digitado e impresso em papel

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003)

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) Maio de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. 2 NORMAS

Leia mais

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS Elaborado por Prof. Dr. Rodrigo Sampaio Fernandes Um projeto de pesquisa consiste em um documento no qual

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 39 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 1. MONOGRAFIA Monografias são exposições de um problema ou assunto específico, investigado cientificamente, assim, não exige originalidade,

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE DOCUMENTO DE QUALIFICAÇÃO E DISSERTAÇÃO PARA O PROGRAMA

Leia mais

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica:

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Conforme NBR 6022:2003 Seção de atendimento ao usuário - SISBI Outubro 2013 Normas técnicas Norma técnica é um documento estabelecido

Leia mais

O que você deverá saber. Ao final do estudo do Tópico 2 você deverá:

O que você deverá saber. Ao final do estudo do Tópico 2 você deverá: Tópico 2 Trabalhos acadêmicos: monografias, dissertações, teses e memoriais n. O que você deverá saber Ao final do estudo do Tópico 2 você deverá: - saber identificar cada tipo de trabalho acadêmico, bem

Leia mais

Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT

Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT FACULDADE CRISTÃ DE CURITIBA Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT Elaborado pela bibliotecária Teresinha Teterycz - CRB 9 / 1171

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

CAPA elemento obrigatório.

CAPA elemento obrigatório. CAPA elemento obrigatório. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA NOME DO SETOR DO CURSO NOME DO DEPARTAMENTO OU COORDENAÇÃO NOME DO CURSO Nome da Instituição, do Setor, do Departamento e do Curso. Fonte

Leia mais

FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I

FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I Este manual atende todos os cursos de gestão 1º semestre, turmas ingressantes em fevereiro

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CAMPO GRANDE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO INTEGRADOR 2009.

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CAMPO GRANDE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO INTEGRADOR 2009. FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CAMPO GRANDE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO INTEGRADOR 2009.2 Campo Grande, outubro de 2009. Versão 2/2009 1/18 SUMÁRIO:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO ESCOLA DE MINAS COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO ESCOLA DE MINAS COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO ESCOLA DE MINAS COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO A SER APRESENTADO AO FINAL DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL

Leia mais

PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM III Projeto Integrado Multidisciplinar PIM III - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e análise de práticas de gestão em empresas hospitalares de médio porte. OBS: O Projeto deverá ser

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Propor a aplicação dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas do semestre na estratégia

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIOS PARA QUALIFICAÇÃO (MESTRADO E DOUTORADO), TESES E TRABALHOS

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1,5 espaçamento entre as linhas CURSO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Nome do Estagiário 2 espaços 1,5 Fonte 14 Fonte 14 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Fonte 16 COLOCADO NO CENTRO DA FOLHA LOCAL ANO Fonte

Leia mais

REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS. Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos

REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS. Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos REGRAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO/FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Todo trabalho acadêmico deve ser elaborado segundo parâmetros determinados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. Assim,

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É essencial o uso de normas técnicas para uma boa apresentação e compreensão da leitura de um trabalho acadêmico-científico.

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI GUIA PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: diretrizes para normalização Rosemeire Zambini Bibliotecária CRB5018

Leia mais