A clínica da anorexia no hospital, um caso. Aline Martins 1. Selma Correia da Silva 2

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A clínica da anorexia no hospital, um caso. Aline Martins 1. Selma Correia da Silva 2"

Transcrição

1 A clínica da anorexia no hospital, um caso. Aline Martins 1 Selma Correia da Silva 2 Neste trabalho pretendemos discutir a articulação do discurso da Psicanálise com o discurso da Medicina, destacando a necessidade da interseção entre psicanalistas e psiquiatras em um caso que se fez necessária a intervenção desses profissionais. A instituição hospitalar conta com a Medicina em seu eixo principal, enquanto outras especialidades ocupam um campo periférico, e não é diferente no Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE), onde o caso da adolescente que discutiremos é atendido. O discurso médico disseminado no espaço hospitalar foi construído a partir de normas, de protocolos e saberes universais. A Psicanálise, por propiciar o resgate do sujeito, não trabalha com um saber prévio, ou seja, interroga justamente o saber de especialista, tão comum na prática hospitalar. O discurso analítico não é normativo, ele visa o surgimento do desejo e do sujeito do inconsciente, e discutir as diferenças entre os discursos médico e psicanalítico é importante para entendermos as dificuldades encontradas pela Psicanálise para se fazer efetiva na instituição hospitalar. Enquanto a Medicina impõe aos seus profissionais a necessidade de proteger-se do erro, para a confecção do diagnóstico e da terapêutica quanto ao tratamento, Freud (1913) propõe a escuta sob atenção flutuante, não valorizando a priori nenhum elemento do discurso do sujeito. Tendo em vista essas diferenças entre o discurso da Psicanálise e o da Medicina, iremos discutir o caso de Nathália 3, no qual há a necessidade de articulação contínua entre psicanalistas e psiquiatras. Nathália é uma adolescente de 17 anos que chega ao 1 Psicóloga, residente em Psicologia Clínica Institucional no Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. 2 Psicóloga do Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente (NESA) e Coordenadora do Setor de Psicanálise e Saúde Mental. Mestre em Pesquisa e Clínica em Psicanálise UERJ. 3 Nome fictício utilizado para preservar a identidade da paciente.

2 ambulatório do Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente (NESA/HUPE) em julho de 2013 através de um pedido de encaminhamento feito pelo INCA (Instituto Nacional de Câncer), onde é acompanhada anualmente devido a um osteossarcoma 4 operado em No encaminhamento consta que a paciente está com significativa perda de peso e de apetite há mais ou menos seis meses e pede-se avaliação da equipe multidisciplinar do Programa de Transtornos Alimentares do NESA, composta por psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, médicos e nutricionistas. Neste Programa, o primeiro acolhimento é sempre realizado pela Saúde Mental, então Nathália foi recebida pela coordenadora do Setor de Psicanálise e Saúde Mental do NESA. Nesse atendimento a psicóloga identificou questões psíquicas graves no discurso da adolescente, apontando para uma distorção na imagem corporal, segundo os critérios psiquiátricos do DSM-V (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders). No atendimento médico e nutricional verificou-se que a paciente estava em grave desnutrição e com alterações na frequência cardíaca e respiratória, e foi indicada a internação imediata na enfermaria do NESA. Na chegada à enfermaria, a residente de Psicologia recebe Nathália e sua mãe bem assustadas com a necessidade de internação, e pede que contem o motivo de terem sido encaminhadas para o HUPE. A adolescente permanece com a cabeça baixa sobre a mesa durante todo o atendimento, chorando e pedindo para ir embora, dizendo que não ficará internada. A mãe de Nathália conta que desde dezembro de 2012 sua filha decidiu iniciar uma dieta para emagrecer, porém agora estava muito magra e muito fraca, e há aproximadamente um mês ela identificou que havia problemas nessa dieta. A imagem de Nathália era impactante. Primeiro porque, devido à operação do osteossarcoma, teve seu membro inferior esquerdo amputado e andava com a ajuda de muletas. Segundo porque seus ossos estavam bem marcados por uma fina camada de pele, de tão emagrecida que estava. Olheiras e olhos fundos expressavam cansaço e davam a impressão de tristeza a qualquer um que a olhasse. Ao ser questionada sobre a dieta da filha, Maria não sabia explicar muito bem os pormenores da rotina alimentar de Nathália. Dizia que ela se recusava a comer e que havia 4 Tumor ósseo maligno primário mais comum em crianças e adolescentes (Fonte: - Acesso em agosto de 2014).

3 descoberto há pouco tempo que a filha estava induzindo vômitos após as refeições. Nathália estava muito irritada, dizendo que não poderiam obrigá-la a comer e afirmando ainda desejar emagrecer mais. A residente pede para Maria deixá-la a sós com sua filha e ambas concordam. Nathália consegue contar sobre sua dieta restritiva. Sua meta era ingerir apenas 250 kcal por dia, e mesmo com esse valor mínimo ainda estimular o vômito após as refeições e usar medicamentos laxantes e diuréticos como métodos purgativos. Conta sobre uma voz que está em sua cabeça e que é quem a manda fazer tudo isso e que, se ficar internada e comer, será punida, a voz irá brigar com ela e chamá-la de gorda. A residente diz que irá atendê-la durante a internação e que ela também será acompanhada por uma equipe multidisciplinar que poderá lhe dar suporte e tirar as suas dúvidas. Em consequência de sua anorexia, a psiquiatria entrou no caso, o que também nos deixou mais tranquilos, tendo em vista o relato da voz em sua cabeça. Sem sabermos ainda a que exatamente se referia quando a designava, era necessário fazer um diagnóstico diferencial. Por um mês e meio Nathália ficou internada na enfermaria do NESA sendo acompanhada por uma equipe de enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais, médicos e fisioterapeuta. Precisou se alimentar por sonda nasogástrica para sair da zona de risco e de desnutrição, experiência esta que foi vivida pela adolescente como uma extrema invasão de seu corpo, visto que ela havia dito que ninguém poderia obrigá-la a comer, o que não pode ser respeitado. O NESA não conta com um psiquiatra fixo na equipe, portanto quando é necessária a avaliação psiquiátrica é feito um pedido de parecer ao Serviço de Psiquiatria do HUPE. Assim que a adolescente foi admitida na enfermaria do NESA passou a ser acompanhada por uma residente da psiquiatria. Por ser um profissional fora do cotidiano da equipe multidisciplinar da enfermaria, o diálogo e a troca de informações sobre o acompanhamento da paciente ficaram bastante comprometidos. Esses impasses no diálogo entre a equipe do NESA e da Psiquiatria ficaram muito claros durante a internação de Nathália. Como já mencionado anteriormente, o momento em que ela necessitou ser sondada para se alimentar foi vivido de forma bastante invasiva

4 para a paciente, e eu, como a residente de Psicologia que acompanhava Nathália durante a internação, fui convocada pela equipe para estar ao lado da paciente quando lhe dessem a informação de que ela precisaria passar por esse procedimento. A partir desse momento, Nathália transferiu para mim a responsabilidade por ter sido obrigada a comer, passando a não querer mais me ver. Freud (1912) afirma que, na transferência, é perfeitamente normal e inteligível que a catexia libidinal de alguém que está parcialmente insatisfeito, uma catexia que se acha pronta por antecipação, dirija-se também para a figura do médico. Na situação da colocação da sonda nasogástrica, Nathália demonstra sua insatisfação direcionada para a psicóloga. O residente de psiquiatria escutou suas queixas sobre a psicóloga de uma forma bem diferente e fez a seguinte pergunta: Você quer que eu troque a sua psicóloga?, pergunta que Nathália prontamente respondeu com um Não. Não se tratava disso. Nathália apenas queria falar de sua insatisfação e desagrado, e isso era com esta psicóloga que, então, se dispôs a suportar os destinos da transferência, a partir do que a psicanálise permite articular na clínica, diferentemente do que é a clínica psiquiátrica. No caso da Psicanálise, trata-se de um impossível de suportar para o sujeito; no caso da Psiquiatria, trata-se do impossível de suportar para o corpo social (Miller, 1987). Após a alta clínica da enfermaria do NESA, Nathália passou a ser acompanhada pela residente de psicologia no ambulatório, e cada vez mais levantava a possibilidade de Nathália ser histérica com um quadro anoréxico, decorrente das dificuldades do sujeito de significar o vivido em função do câncer e de seu tratamento. Na Psiquiatria, a paciente foi atendida por outra profissional, não mais por quem a acompanhou durante a internação. Em um dos atendimentos com a psicóloga, mais de seis meses após sua alta, a adolescente chega de cadeira de rodas, acompanhada por sua mãe, por conta de uma paralisia aguda que havia acometido repentinamente seus membros superiores, impedindo-a de andar, já que necessitava da ajuda de muletas devido à amputação. Fala de pensamentos suicidas, tendo já havido duas tentativas: em uma delas, Nathália se jogou de uma escada consideravelmente alta e, em outro, mais recente, lançou-se na frente de um ônibus em movimento, tendo sido necessário que o motorista a encaminhasse para casa.

5 Ao final do atendimento, a clínica médica foi imediatamente acionada para avaliá-la. Era preciso verificar se a paralisia tinha uma razão orgânica ou era uma conversão histérica. O exame clínico foi realizado, confirmando que não havia nenhum motivo orgânico para a paralisia. A residente em psicologia entra em contato com a residente de psiquiatria que acompanha Nathália e pede que a atenda imediatamente para poderem discutir a melhor intervenção para o caso. A residente em psicologia, em conjunto com suas supervisoras, sustentou a necessidade de uma internação imediata na enfermaria do NESA, tendo em vista os relatos de recentes tentativas de suicídio e agora uma possível conversão histérica, a paralisia, como um apelo ao Outro, no caso, o NESA. Mas essa não é a opinião da residente em psiquiatria, que acredita que, se a internássemos, iríamos fazer o que ela quer e isso iria intensificar os seus sintomas. Decide medicá-la imediatamente com um ansiolítico, orientando-a ir para casa e conversar com seus braços, pedindo-lhes que melhorem logo. Passados poucos minutos da saída da adolescente do hospital, ela e sua mãe retornam à enfermaria procurando a residente de psicologia, com a queixa de que agora todo o corpo de Nathália estava paralisado. A equipe médica do NESA, familiarizada com o discurso da Psicanálise, pode então escutar a residente em psicologia e foi solicitada a internação de Nathália. Comunicada dessa decisão, a residente de psiquiatria, um pouco contrariada, retorna à enfermaria para ver a adolescente. Ao chegar, encontra Nathália aos prantos, gritando que quer ir embora e ameaçando se cortar com uma tesoura. Diante desse estado da paciente, a decisão da médica é a de contê-la, para evitar que machuque a si mesma, e então um braço e sua perna são amarrados ao leito. A psicóloga se aproxima de Nathália e ela expressa estar mais calma, porém não quer falar, pede que vá embora demonstrando, mais uma vez, a transferência já estabelecida. No dia seguinte, Nathália já havia sido desamarrada e não apresentava mais nenhum sinal de paralisia. A residente em psicologia apenas sentou a seu lado e ela prontamente disse: Obrigada, tá? Eu precisava disso. Após a discussão do caso com toda a equipe da

6 enfermaria do NESA, em conjunto com a psiquiatra, decidiu-se dar a alta para Nathália, já que durante o dia a adolescente permaneceu mais calma e não apresentou mais conversões. A interlocução entre o discurso da Psicanálise e o discurso da Psiquiatria sofreu impasses desde o início dos atendimentos de Nathália. Enquanto os psiquiatras inseridos no caso se utilizaram de regras e saberes prévios sobre os fenômenos da histeria, a psicóloga pautada no discurso psicanalista privilegiou a singularidade da adolescente e, ao invés de se apresentar com um saber fechado, optou por nada saber sobre o sujeito, o que Lacan chama de douta ignorância. Segundo Lacan (1966), quando o doente é enviado ao médico ele não espera pura e simplesmente a cura, ele põe o médico à prova de tirá-lo de sua condição de doente, e isso pode implicar que o sujeito está totalmente preso à ideia de conservar sua doença. Quando a psiquiatra medica a adolescente e a orienta a pedir para seus braços que melhorem, Nathália retorna demonstrando que não é a cura que estava desejando, apesar de demandá-la em seu discurso. No momento em que o sujeito demanda alguma coisa, isto pode não ser idêntico àquilo que ele deseja, ou seja, existe uma falha entre a demanda e o desejo. E é quando essa falha vem à tona na intervenção média, que o psicanalista é convocado a trabalhar, especialmente em um contexto hospitalar, onde o doente precisa ser tratado e ter alta o mais breve possível.

7 Referências Bibliográficas FREUD, S. (1912). A dinâmica da transferência. Rio de Janeiro: Imago, (1913). Sobre o início do tratamento. Rio de Janeiro: Imago, LACAN, J. (1966). O lugar da psicanálise na medicina. Opção Lacaniana. Revista Brasileira Internacional de Psicanálise, n. 32, dezembro de (1956). O Seminário. Livro 4: A relação de objeto. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, (1969). O seminário. Livro 17: o avesso da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, MILLER, J. A. (1999). Psicanálise e psiquiatria. In: Lacan elucidado. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Do Sofrimento ao Sintoma nas Doenças Crônicas

Do Sofrimento ao Sintoma nas Doenças Crônicas Do Sofrimento ao Sintoma nas Doenças Crônicas Selma Correia da Silva Damiana Avila Carvalho Moema dos Santos Duberley Introdução O presente trabalho tem como ponto de partida a nossa experiência clínica

Leia mais

Almoço trinta gramas de brócolis (Anorexia Nervosa)

Almoço trinta gramas de brócolis (Anorexia Nervosa) Edson Saggese Almoço trinta gramas de brócolis (Anorexia Nervosa) Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Psiquiatria. Doutor em Ciências da Saúde pelo IPUB/UFRJ, psiquiatra, psicanalista,

Leia mais

Considerações acerca da transferência em Lacan

Considerações acerca da transferência em Lacan Considerações acerca da transferência em Lacan Introdução Este trabalho é o resultado um projeto de iniciação científica iniciado em agosto de 2013, no Serviço de Psicologia Aplicada do Instituto de Psicologia

Leia mais

ença grave, provavelmente do cérebro, com poucas perspetivas de recuperação e que poderá mesmo, num breve espaço de tempo, levar à morte da paciente.

ença grave, provavelmente do cérebro, com poucas perspetivas de recuperação e que poderá mesmo, num breve espaço de tempo, levar à morte da paciente. I Minhas senhoras e meus senhores! É para mim uma experiência nova e desconcertante apresentar me como conferencista no Novo Mundo diante de um público interessado. Parto do princípio de que esta honra

Leia mais

Introdução. instituição. 1 Dados publicados no livro Lugar de Palavra (2003) e registro posterior no banco de dados da

Introdução. instituição. 1 Dados publicados no livro Lugar de Palavra (2003) e registro posterior no banco de dados da Introdução O interesse em abordar a complexidade da questão do pai para o sujeito surgiu em minha experiência no Núcleo de Atenção à Violência (NAV), instituição que oferece atendimento psicanalítico a

Leia mais

Mentiras, roubos e pichações (Transtorno de conduta)

Mentiras, roubos e pichações (Transtorno de conduta) Mentiras, roubos e pichações (Transtorno de conduta) Leila Maria Amaral Ribeiro 1, Marina Janzen Kassab 2, Samantha Lemos Ferreira da Silva 2 Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Psiquiatria.

Leia mais

Clínica Psicanalítica e Ambulatório de Saúde Mental

Clínica Psicanalítica e Ambulatório de Saúde Mental Clínica Psicanalítica e Ambulatório de Saúde Mental Trabalho apresentado na IV Jornada de Saúde Mental e Psicanálise na PUCPR em 21/11/2009. A prática da psicanálise em ambulatório de saúde mental pode

Leia mais

Estudo de Caso na Abordagem do Psicodrama

Estudo de Caso na Abordagem do Psicodrama Estudo de Caso na Abordagem do Psicodrama Júlia Linéia Schapuiz Acadêmica e Estagiária de Psicologia Ms. Evandir Bueno Barasuol Professora e Orientadora O presente estudo trata-se de um caso clínico do

Leia mais

A fala freada Bernard Seynhaeve

A fala freada Bernard Seynhaeve Opção Lacaniana online nova série Ano 1 Número 2 Julho 2010 ISSN 2177-2673 Bernard Seynhaeve Uma análise é uma experiência de solidão subjetiva. Ela pode ser levada suficientemente longe para que o analisante

Leia mais

O TEMPO NO ABRIGO: PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, GARANTIA DE SINGULARIDADE

O TEMPO NO ABRIGO: PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, GARANTIA DE SINGULARIDADE Cuidando de quem cuida Instituto de Capacitação e Intervenção Psicossocial pelos Direitos da Criança e Adolescente em Situação de Risco O TEMPO NO ABRIGO: PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, GARANTIA DE SINGULARIDADE

Leia mais

A DOENÇA O REAL PARA O SUJEITO

A DOENÇA O REAL PARA O SUJEITO A DOENÇA O REAL PARA O SUJEITO 2014 Olga Cristina de Oliveira Vieira Graduada em Psicologia pela Universidade Presidente Antônio Carlos. Docente no Centro Técnico de Ensino Profissional (CENTEP). Especialização

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE SE TRABALHAR OS VALORES NA EDUCAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DE SE TRABALHAR OS VALORES NA EDUCAÇÃO A IMPORTÂNCIA DE SE TRABALHAR OS VALORES NA EDUCAÇÃO Eliane Alves Leite Email: li.phn.louvoregloria@hotmail.com Fernanda Cristina Sanches Email: fer_cristina2007@hotmail.com Helena Aparecida Gica Arantes

Leia mais

APO TAME TOS SOBRE A A GÚSTIA EM LACA 1

APO TAME TOS SOBRE A A GÚSTIA EM LACA 1 APO TAME TOS SOBRE A A GÚSTIA EM LACA 1 Elza Macedo Instituto da Psicanálise Lacaniana IPLA São Paulo, 2008 A angústia é um afeto Lacan (2005) dedica o Seminário de 1962-1963 à angústia. Toma a experiência

Leia mais

TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA

TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO 38 Rosa está com 56 anos de idade e vive em um hospital psiquiátrico desde os 28 anos de idade. Em seu prontuário, encontra-se que ela é doente mental desde

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Conhecendo e compartilhando com Rosário e a rede de saúde

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Conhecendo e compartilhando com Rosário e a rede de saúde UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Faculdade de Ciências Médicas Departamento de Saúde Coletiva Residência Multiprofissional em Saúde Mental e Coletiva Relatório Referente à experiência de Estágio Eletivo

Leia mais

Clínica psicanalítica com crianças

Clínica psicanalítica com crianças Clínica psicanalítica com crianças Ana Marta Meira* A reflexão sobre a clínica psicanalítica com crianças aponta para múltiplos eixos que se encontram em jogo no tratamento, entre estes, questões referentes

Leia mais

MOURA, Marisa Decat de (ORG). Psicanálise e hospital 3 Tempo e morte: da urgência ao ato analítico. Revinter: Rio de Janeiro, 2003.

MOURA, Marisa Decat de (ORG). Psicanálise e hospital 3 Tempo e morte: da urgência ao ato analítico. Revinter: Rio de Janeiro, 2003. MOURA, Marisa Decat de (ORG). Psicanálise e hospital 3 Tempo e morte: da urgência ao ato analítico. Revinter: Rio de Janeiro, 2003. Prefácio Interessante pensar em um tempo de começo. Início do tempo de

Leia mais

A atuação do Residente de Psicologia nos Grupos de Pré-consulta *

A atuação do Residente de Psicologia nos Grupos de Pré-consulta * ARTIGOS A atuação do Residente de Psicologia nos Grupos de Pré-consulta * Raquel Moreira Pádova ** Introdução A questão que analiso neste trabalho, se refere à atuação do psicólogo nos grupos de pré-consulta

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM. Raissa Ribeiro Saraiva de Carvalho

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM. Raissa Ribeiro Saraiva de Carvalho 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM Raissa Ribeiro Saraiva de Carvalho UNIDADE DE INTERNAÇÃO PSIQUIÁTRICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE: relatório de estágio curricular

Leia mais

UM APELO À HUMANIZAÇÃO NOS HOSPITAIS: um grito a mais. Resumo: Hoje presenciamos a inserção do Programa Nacional de Humanização nos

UM APELO À HUMANIZAÇÃO NOS HOSPITAIS: um grito a mais. Resumo: Hoje presenciamos a inserção do Programa Nacional de Humanização nos 1 UM APELO À HUMANIZAÇÃO NOS HOSPITAIS: um grito a mais Maíla do Val Machado 1 Cláudia Amarante 2 Elaine Maria C. Zanolla Dias de Souza 3 Resumo: Hoje presenciamos a inserção do Programa Nacional de Humanização

Leia mais

A Urgência Subjetiva na Saúde Mental 1 (Uma introdução)

A Urgência Subjetiva na Saúde Mental 1 (Uma introdução) A Urgência Subjetiva na Saúde Mental 1 (Uma introdução) Palavras-chave: Urgência; Saúde Mental; Fragmentos clínicos Francisco Paes Barreto Para introduzir a questão da urgência no campo da saúde mental

Leia mais

Tratamento do TCAP. Psicologia: como os processos mentais interferem na vida do sujeito. História individual, singularidade.

Tratamento do TCAP. Psicologia: como os processos mentais interferem na vida do sujeito. História individual, singularidade. Tratamento do TCAP Psicologia: como os processos mentais interferem na vida do sujeito História individual, singularidade Psicoterapia: Tratamento: multidisciplinar Equipe coesa Importância de entender

Leia mais

O corpo para a psicanálise: notas sobre inibição e psicossomática. 1

O corpo para a psicanálise: notas sobre inibição e psicossomática. 1 O corpo para a psicanálise: notas sobre inibição e psicossomática. 1 Miriam A. Nogueira Lima 2 1ª - O corpo para a psicanálise é o corpo afetado pela linguagem. Corpo das trocas, das negociações. Corpo

Leia mais

MONITORIA: EXPERIENCIA DA PESQUISA EM SALA DE AULA NO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Resumo

MONITORIA: EXPERIENCIA DA PESQUISA EM SALA DE AULA NO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Resumo 1 MONITORIA: EXPERIENCIA DA PESQUISA EM SALA DE AULA NO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Resumo Patricia Santos de Barros/UFRJ A nossa vivência pedagógica situa-se no âmbito do curso de Licenciatura

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

Presidir à Sociedade Portuguesa de Hipertensão «é uma experiência muito interessante»

Presidir à Sociedade Portuguesa de Hipertensão «é uma experiência muito interessante» 2015-11-30 19:57:39 http://justnews.pt/noticias/presidir-a-sociedade-portuguesa-de-hipertensao-e-uma-experiencia-muito-interessante Presidir à Sociedade Portuguesa de Hipertensão «é uma experiência muito

Leia mais

Dedicados à coluna. unidade da coluna

Dedicados à coluna. unidade da coluna Dedicados à coluna A nova Unidade da Coluna do Hospital Beatriz Ângelo reúne médicos de várias especialidades com o objetivo de dar a resposta mais rápida e adequada às pessoas com doenças graves da coluna.

Leia mais

Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos

Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos Fernanda Diniz de Sá 1, Leonildo Santos do Nascimento Júnior, Daniele Nascimento dos Santos, Magdalena Muryelle Silva Brilhante (UFRN

Leia mais

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida 1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida O Que Determina o Sucesso de Uma Dieta? Você vê o bolo acima e pensa: Nunca poderei comer um doce se estiver de dieta. Esse é o principal fator que levam

Leia mais

Encontros de vida que se faz vivendo.

Encontros de vida que se faz vivendo. Encontros de vida que se faz vivendo. Thatiane Veiga Siqueira 1 A menina do coração de chocolate. Juliana tem nove anos, é uma menina de olhos esbugalhados, com sorriso fácil, ao primeiro olhar já se vê

Leia mais

2- Ruptura com o Gozo Fálico: como Pensar a Neurose e a Psicose em Relação à Toxicomania?

2- Ruptura com o Gozo Fálico: como Pensar a Neurose e a Psicose em Relação à Toxicomania? 2- Ruptura com o Gozo Fálico: como Pensar a Neurose e a Psicose em Relação à Toxicomania? Giselle Fleury(IP/UERJ), Heloisa Caldas(IP/UERJ) Para pensar, neste trabalho, a neurose e a psicose em relação

Leia mais

Caso da Maria. História Clínica Cognitivo-Comportamental. Joana Gonçalves. 7 de Março de 2008

Caso da Maria. História Clínica Cognitivo-Comportamental. Joana Gonçalves. 7 de Março de 2008 Estágio no Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do centro Hospitalar Cova da Beira História Clínica Cognitivo-Comportamental Caso da Maria 7 de Março de 2008 Joana Gonçalves Dados Biográficos: Nome:

Leia mais

Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 1ª edição - 1 de agosto de 2015. w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r

Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 1ª edição - 1 de agosto de 2015. w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r EUSPELHO Marcelo Ferrari 1 f i c i n a 1ª edição - 1 de agosto de 2015 w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r EUSPELHO Este livro explica como você pode usar sua realidade para obter autoconhecimento. Boa leitura!

Leia mais

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores?

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Noemi: É a velha história, uma andorinha não faz verão,

Leia mais

ESTUDO DE CASO PSICOPEDAGÓGICO

ESTUDO DE CASO PSICOPEDAGÓGICO ESTUDO DE CASO PSICOPEDAGÓGICO Autora: Suellen Viviane Lemos Fernandes Co-autora: Maria Irene Miranda Bernardes Universidade Federal de Uberlândia suellenped65@hotmail.com Introdução O presente trabalho

Leia mais

PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62

PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62 PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62 E, virando- se o Senhor, olhou para Pedro, e Pedro lembrou- se da palavra do Senhor, como lhe havia

Leia mais

Entrevista 01. Colaborador: Prof. Dr Ysao Yamamura

Entrevista 01. Colaborador: Prof. Dr Ysao Yamamura 1 Entrevista 01 Colaborador: Prof. Dr Ysao Yamamura Para o SUS, eu acredito que seria um bom investimento! Pela economia e pela satisfação que o doente tem... Doutor Ysao é Professor Associado Livre Docente

Leia mais

36. DÚVIDAS NA ESCOLHA DE UMA NOVA RESIDÊNCIA. DECIDIR É DIFÍCIL. UMA LUTA DA CONVENIÊNCIA COM O CORAÇÃO

36. DÚVIDAS NA ESCOLHA DE UMA NOVA RESIDÊNCIA. DECIDIR É DIFÍCIL. UMA LUTA DA CONVENIÊNCIA COM O CORAÇÃO 36. DÚVIDAS NA ESCOLHA DE UMA NOVA RESIDÊNCIA. DECIDIR É DIFÍCIL. UMA LUTA DA CONVENIÊNCIA COM O CORAÇÃO AQUI TEM UM FATO INUSITADO. QUE PASSA DESPERCEBIDO PELA MAIORIA DAS PESSOAS, NÃO TREINADAS NA ARTE

Leia mais

Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria,

Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria, O Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria, preocupada, pois nunca tinha visto o primo assim tão mal

Leia mais

Um pro logo que ha de fazer algum sentido mais a frente

Um pro logo que ha de fazer algum sentido mais a frente Um pro logo que ha de fazer algum sentido mais a frente De entre todas as coisas que podem entupir os canos lá em casa, um mamífero do Ártico com excesso de peso é provavelmente a pior. Isto porque, embora

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

2 o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão. Um paciente muito especial: retrato da saúde do adolescente no Brasil.

2 o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão. Um paciente muito especial: retrato da saúde do adolescente no Brasil. 2 o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão Um paciente muito especial: retrato da saúde do adolescente no Brasil. Sumário Pauta...2 Justificativa...2 Objetivos...3 Metodologia...3 Potencial de

Leia mais

Pesquisa de Satisfação da Qualidade de Atendimento dos serviços oferecidos aos prestadores da operadora

Pesquisa de Satisfação da Qualidade de Atendimento dos serviços oferecidos aos prestadores da operadora Pesquisa de Satisfação da Qualidade de Atendimento dos serviços oferecidos aos prestadores da operadora Julho de 2011 OBJETIVO Avaliar a satisfação da qualidade do atendimento dos serviços oferecidos aos

Leia mais

PROCESSO DE TRABALHO DO ENFERMEIRO QUE ATUA EM UNIDADE DE INTERNAÇÃO PSIQUIÁTRICA.

PROCESSO DE TRABALHO DO ENFERMEIRO QUE ATUA EM UNIDADE DE INTERNAÇÃO PSIQUIÁTRICA. PROCESSO DE TRABALHO DO ENFERMEIRO QUE ATUA EM UNIDADE DE INTERNAÇÃO PSIQUIÁTRICA. Alan Cristian Rodrigues Jorge¹ Ana Claudia Soares de Lima² Romaldo Bomfim Medina Junior³ Thiana Sebben Pasa² O presente

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

Um elefante incomoda muita gente, dois elefantes... Sandra Luiza Nunes Caseiro 1

Um elefante incomoda muita gente, dois elefantes... Sandra Luiza Nunes Caseiro 1 Um elefante incomoda muita gente, dois elefantes... Sandra Luiza Nunes Caseiro 1 Estive pensando sobre os conflitos e as frustrações na Vida em Família, e a primeira consideração que me ocorreu foi: precisamos

Leia mais

Jornada Comemorativa dos 45 anos da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática (ABMP)

Jornada Comemorativa dos 45 anos da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática (ABMP) Jornada Comemorativa dos 45 anos da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática (ABMP) São Paulo, abril/2010 Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia

Leia mais

O que é câncer? Grupo de doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo.

O que é câncer? Grupo de doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo. CÂNCER EM CRIANÇAS O que é câncer? Grupo de doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo. O câncer é comum em crianças? Nos

Leia mais

Megalomania: amor a si mesmo Raquel Coelho Briggs de Albuquerque 1

Megalomania: amor a si mesmo Raquel Coelho Briggs de Albuquerque 1 Megalomania: amor a si mesmo Raquel Coelho Briggs de Albuquerque 1 Alfredo estava na casa dos 30 anos. Trabalhava com gesso. Era usuário de drogas: maconha e cocaína. Psicótico, contava casos persecutórios,

Leia mais

Curso de Pós-Graduação em Psicopedagogia Lato Sensu a Distância. Atividade Avaliativa A2_FH. Alicia Fernandez: Vida, Obra e Atuação psicopedagógica.

Curso de Pós-Graduação em Psicopedagogia Lato Sensu a Distância. Atividade Avaliativa A2_FH. Alicia Fernandez: Vida, Obra e Atuação psicopedagógica. Curso de Pós-Graduação em Psicopedagogia Lato Sensu a Distância Pós graduando: Elizeu Antonio da Silva Disciplina: Psicopedagogia: Histórico, Fundamentos e Atuação Atividade Avaliativa A2_FH Alicia Fernandez:

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

Posso conviver com meus pares? Acolhimento e construção de uma rede de atenção psicossocial

Posso conviver com meus pares? Acolhimento e construção de uma rede de atenção psicossocial Posso conviver com meus pares? Acolhimento e construção de uma rede de atenção psicossocial Maria Esther Delgado Leite Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Psiquiatria. Mestre em Ciências

Leia mais

ANAMNESE PSIQUIÁTRICA

ANAMNESE PSIQUIÁTRICA ANAMNESE PSIQUIÁTRICA I) INTRODUÇÃO A anamnese psiquiátrica é o principal instrumento que o psiquiatra clínico tem para conhecer seu paciente, colher sua história de doença, estabelecer um diagnóstico

Leia mais

TESTE DE ELENCO COM UMA CENA. Por VINICIUS MOURA

TESTE DE ELENCO COM UMA CENA. Por VINICIUS MOURA TESTE DE ELENCO COM UMA CENA Por VINICIUS MOURA * Embora seja uma cena que contenha dois atores os candidatos serão avaliados individualmente. Os critérios de avaliação se darão a partir da performace

Leia mais

Rafael Saliba Regis Fundação de Assistência Especializada de Nova Lima - FAENOL

Rafael Saliba Regis Fundação de Assistência Especializada de Nova Lima - FAENOL QUANDO A CLÍNICA ENCONTRA A ESCOLA: O TRATAMENTO DO AUTISMO E AS SAÍDAS POSSÍVEIS DE UMA INCLUSÃO Rafael Saliba Regis Fundação de Assistência Especializada de Nova Lima - FAENOL Rua Divinópolis, 318/201,

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

A CAPES : quais ambições para a pesquisa em Letras e Linguística?

A CAPES : quais ambições para a pesquisa em Letras e Linguística? A CAPES : quais ambições para a pesquisa em Letras e Linguística? Universidade de São Paulo benjamin@usp.br Synergies-Brésil O Sr. foi o representante da Letras junto à CAPES. O Sr. poderia explicar qual

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA ACERCA DA AVALIAÇÃO E TRATAMENTO COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DE UM CASO DE TRANSTORNO ALIMENTAR

RELATO DE EXPERIÊNCIA ACERCA DA AVALIAÇÃO E TRATAMENTO COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DE UM CASO DE TRANSTORNO ALIMENTAR 178 RELATO DE EXPERIÊNCIA ACERCA DA AVALIAÇÃO E TRATAMENTO COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DE UM CASO DE TRANSTORNO ALIMENTAR Renan Meirelles da Silva Luciano Haussen Pinto Centro Universitário Franciscano Resumo

Leia mais

Entrevista 1.02 - Brenda

Entrevista 1.02 - Brenda Entrevista 1.02 - Brenda (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

ALVES, Fernanda de O. 2 VIERO, Francieli C. 2 ; GONÇALVES, Camila dos S. 3

ALVES, Fernanda de O. 2 VIERO, Francieli C. 2 ; GONÇALVES, Camila dos S. 3 A IMAGINOTECA HOSPITALAR COMO UM ESPAÇO DE (DES)ENVOLVIMENTO ALVES, Fernanda de O. 2 VIERO, Francieli C. 2 ; GONÇALVES, Camila dos S. 3 1 Trabalho de Projeto de Extensão _UNIFRA 2 Acadêmicas do Curso de

Leia mais

ATENDIMENTO A MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

ATENDIMENTO A MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA ATENDIMENTO A MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA Nadirlene P. Gomes 1 Paula Sampaio 2 Talita Garcia 3 Clarissa Conceição 2 Vanessa Almeida 3 Normélia Maria Diniz 1 1 Enfermeira Profa. Dra. da

Leia mais

Eixo Temático: Educação

Eixo Temático: Educação Título: ESTAGIÁRIO NA ESCOLA: TECENDO LAÇOS E CONSTRUINDO SAÚDE Nome do Autor: Maria Isabel Ramos da Silva. Instituição: ONG Tempo de Crescer TCER E-mail: isabelrs76@gmail.com Resumo A Tempo de Crescer

Leia mais

RELATÓRIO DA ENQUETE SOBRE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

RELATÓRIO DA ENQUETE SOBRE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES RELATÓRIO DA ENQUETE SOBRE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES Você realizou ou tentou realizar algumas das possibilidades abaixo, desde 11 de agosto, no seu serviço de telefonia fixa, móvel, internet ou TV por

Leia mais

5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet

5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet 5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet Uma das verdades absolutas sobre Produtividade que você precisa saber antes de seguir é entender que se ocupar não é produzir. Não sei se é o

Leia mais

A CURA DE UM MENINO Lição 31

A CURA DE UM MENINO Lição 31 A CURA DE UM MENINO Lição 31 1 1. Objetivos: Mostrar o poder da fé. Mostrar que Deus tem todo o poder. 2. Lição Bíblica: Mateus 17.14-21; Marcos 9.14-29; Lucas 9.37-43 (Leitura bíblica para o professor)

Leia mais

São Paulo, 28 e 29 de novembro de 2008. Oficina 6

São Paulo, 28 e 29 de novembro de 2008. Oficina 6 Palestrante: Vera Lúcia Zaher Seminário Nacional de Saúde Mental e Trabalho São Paulo, 28 e 29 de novembro de 2008 Oficina 6 LEGISLACÃO E PERÍCIA EM SAÚDE MENTAL 29 de Novembro de 2008 Médica do trabalho

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

PROFISSIONAIS DO SEXO UMA PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA DO ESTIGMA DA PROSTITUIÇÃO. Vanessa Petró* 1. Introdução. Comportamento Desviante e Estigma

PROFISSIONAIS DO SEXO UMA PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA DO ESTIGMA DA PROSTITUIÇÃO. Vanessa Petró* 1. Introdução. Comportamento Desviante e Estigma PROFISSIONAIS DO SEXO UMA PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA DO ESTIGMA DA PROSTITUIÇÃO Vanessa Petró* 1 Introdução O presente artigo tem o intuito de desenvolver algumas idéias acerca de comportamentos desviantes

Leia mais

Sistema de Ouvidoria em Saúde Pública do Estado

Sistema de Ouvidoria em Saúde Pública do Estado No Ceará, as queixas de quem procura o sistema de saúde são atendidas, encaminhadas e respondidas, ajudando a melhorar os serviços SAÚDE Sistema de Ouvidoria em Saúde Pública do Estado (ESTADO DO CEARÁ)

Leia mais

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você fazendo uma oração, com quem eu posso sempre falar e em quem eu posso confiar.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você fazendo uma oração, com quem eu posso sempre falar e em quem eu posso confiar. Coisas que com você aprendi Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você fazendo uma oração, e aprendi que existe um Deus com quem eu posso sempre falar e em quem eu posso confiar. Quando

Leia mais

Concurso Público Psicologia Clínica Caderno de Questões Prova Discursiva 2015

Concurso Público Psicologia Clínica Caderno de Questões Prova Discursiva 2015 Caderno de Questões Prova Discursiva 2015 01 Homem de 38 anos de idade chegou ao atendimento por pressão de amigos, pois está convencido de que em seu caso não se trata de doença. Lúcido, fala espontaneamente

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE

RELATÓRIO DE ATIVIDADE RELATÓRIO DE ATIVIDADE A IMPORTÂNCIA DE CADA ALIMENTO Coordenador da atividade: Thaís Canto Cury Integrantes da equipe: Manha: Bianca Domingues, Fernando Peixoto e Juliana Ravelli Tarde: Thaís Cury, Thalita

Leia mais

PACIENTES COM RISCO DE SUICÍDIO: A COMUNICAÇÃO ENTRE EQUIPE, PACIENTES E FAMILIARES NA UNIDADE DE EMERGÊNCIA

PACIENTES COM RISCO DE SUICÍDIO: A COMUNICAÇÃO ENTRE EQUIPE, PACIENTES E FAMILIARES NA UNIDADE DE EMERGÊNCIA PACIENTES COM RISCO DE SUICÍDIO: A COMUNICAÇÃO ENTRE EQUIPE, PACIENTES E FAMILIARES NA UNIDADE DE EMERGÊNCIA Ferreira CLB¹ 1 *, Gabarra LM². Hospital Universitário Profº Polydoro Ernani de São Thiago,

Leia mais

AMOR, TRANSFERÊNCIA E DESEJO

AMOR, TRANSFERÊNCIA E DESEJO AMOR, TRANSFERÊNCIA E DESEJO Lucia Serrano Pereira 1 Afirmo em nada mais ser entendido, senão nas questões do amor. Isso é o que está dito por Sócrates na obra de Platão O Banquete. O Banquete nos é indicado

Leia mais

Obesidade: um sintoma convertido no corpo. Os sentidos e os destinos do sintoma em indivíduos que se submeteram à cirurgia bariátrica.

Obesidade: um sintoma convertido no corpo. Os sentidos e os destinos do sintoma em indivíduos que se submeteram à cirurgia bariátrica. Obesidade: um sintoma convertido no corpo. Os sentidos e os destinos do sintoma em indivíduos que se submeteram à cirurgia bariátrica. REI, Vivian Anijar Fragoso [1] ; OLIVEIRA, Paula Batista Azêdo de

Leia mais

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso PADI Programa de Atenção Objetivos do programa Apesar dos benefícios óbvios da internação quando necessária, o paciente idoso afastado da rotina de casa e da família apresenta maior dificuldade de recuperação,

Leia mais

Leitura e Mediação Pedagógica

Leitura e Mediação Pedagógica Protocolo Colaborador: 12 Leitura e Mediação Pedagógica G. Pesquisador: Rosineide Magalhães de Sousa Corinthians(2) x Palestra(1)#Rosineide\cor_pal.jpg.jpg# Transcrição 80) P: Então Gabriel... eu vou pedir

Leia mais

SOCORRO! ONDE ESTÃO OS RELATÓRIOS? MARIANA DE SOUZA marianadesouza@hotmail.com Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUC-PR Curitiba PR, Brasil

SOCORRO! ONDE ESTÃO OS RELATÓRIOS? MARIANA DE SOUZA marianadesouza@hotmail.com Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUC-PR Curitiba PR, Brasil Volume 3 Número 1 Jan/Jun 2013 Doc. 2 Rev. Bras. de Casos de Ensino em Administração ISSN 2179-135X SOCORRO! ONDE ESTÃO OS RELATÓRIOS? MARIANA DE SOUZA marianadesouza@hotmail.com Pontifícia Universidade

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 14 Discurso: em encontro com professores

Leia mais

Palavras-chave Transtornos alimentares, anorexia nervosa, obesidade, ansiedade, reeducação alimentar.

Palavras-chave Transtornos alimentares, anorexia nervosa, obesidade, ansiedade, reeducação alimentar. Geração Saúde II Episódio 6 Anorexia, uma doença silenciosa Resumo A personagem central deste episódio é Leila, uma adolescente em vias de desenvolver um transtorno alimentar. Ao se olhar no espelho, Leila

Leia mais

FANTASIAS SEXUAIS INFANTIS, AS CRIANÇAS FALAM. A intenção deste trabalho foi escutar crianças pequenas a respeito da

FANTASIAS SEXUAIS INFANTIS, AS CRIANÇAS FALAM. A intenção deste trabalho foi escutar crianças pequenas a respeito da FANTASIAS SEXUAIS INFANTIS, AS CRIANÇAS FALAM Maria Elisa França Rocha A intenção deste trabalho foi escutar crianças pequenas a respeito da sexualidade, bem como conhecer suas fantasias e as teorias que

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR *

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * PSICODRAMA DA ÉTICA Local no. 107 - Adm. Regional do Ipiranga Diretora: Débora Oliveira Diogo Público: Servidor Coordenadora: Marisa Greeb São Paulo 21/03/2001 I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * Local...:

Leia mais

A sua revista eletrônica CONTEMPORANEIDADE E PSICANÁLISE 1

A sua revista eletrônica CONTEMPORANEIDADE E PSICANÁLISE 1 A sua revista eletrônica CONTEMPORANEIDADE E PSICANÁLISE 1 Patrícia Guedes 2 Comemorar 150 anos de Freud nos remete ao exercício de revisão da nossa prática clínica. O legado deixado por ele norteia a

Leia mais

00.035.096/0001-23 242 - - - SP

00.035.096/0001-23 242 - - - SP PAGINA 1 O CARÁTER CRISTÃO 7. O CRISTÃO DEVE TER UMA FÉ OPERANTE (Hebreus 11.1-3) Um leitor menos avisado, ao ler o texto pode chegar à conclusão de que a fé cria coisas pelas quais esperamos. A fé não

Leia mais

Hipnose Tratando a Ansiedade e a Fobia Específica. Alexandra Melo Fernandes Psicóloga - Hipnoterapeuta

Hipnose Tratando a Ansiedade e a Fobia Específica. Alexandra Melo Fernandes Psicóloga - Hipnoterapeuta Hipnose Tratando a Ansiedade e a Fobia Específica Alexandra Melo Fernandes Psicóloga - Hipnoterapeuta Estudo de Caso Paciente M, mulher de 49 anos, casada, do lar, mãe de dois filhos (um adulto e outro

Leia mais

UNEC CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA HNSA HOSPITAL NOSSA SENHORA AUXILIADORA

UNEC CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA HNSA HOSPITAL NOSSA SENHORA AUXILIADORA UNEC CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA HNSA HOSPITAL NOSSA SENHORA AUXILIADORA NORMAS E ROTINAS PARA ACOMPANHANTES E VISITANTES DO HOSPITAL NOSSA SENHORA AUXILIADORA CARATINGA, 16 JANEIRO DE 2015 Objetivo:

Leia mais

A mobilização de conhecimentos matemáticos no ensino de Física

A mobilização de conhecimentos matemáticos no ensino de Física Cintia Ap. Bento dos Santos Universidade Cruzeiro do Sul Brasil cintiabento@ig.com.br Edda Curi Universidade Cruzeiro do Sul Brasil edda.curi@cruzeirodosul.edu.br Resumo Este artigo apresenta um recorte

Leia mais

TÍTULO: A VIVÊNCIA DO PSICÓLOGO HOSPITALAR DIANTE DA HOSPITALIZAÇÃO DA CRIANÇA COM CÂNCER

TÍTULO: A VIVÊNCIA DO PSICÓLOGO HOSPITALAR DIANTE DA HOSPITALIZAÇÃO DA CRIANÇA COM CÂNCER TÍTULO: A VIVÊNCIA DO PSICÓLOGO HOSPITALAR DIANTE DA HOSPITALIZAÇÃO DA CRIANÇA COM CÂNCER CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO

Leia mais

ADOLESCÊNCIA: PSICOPATOLOGIAS E CLÍNICA PSICANALÍTICA

ADOLESCÊNCIA: PSICOPATOLOGIAS E CLÍNICA PSICANALÍTICA ADOLESCÊNCIA: PSICOPATOLOGIAS E CLÍNICA PSICANALÍTICA MARIA DA GLORIA SCHWAB SADALA 1. BREVE CURRICULO PSICÓLOGA E PSICANALISTA DOUTORA, MESTRE E ESPECIALISTA PELA UFRJ COORDENADORA DO MESTRADO EM PSICANÁLISE

Leia mais

Estudo de Casos. Alexandre Pereira

Estudo de Casos. Alexandre Pereira Estudo de Casos Alexandre Pereira Caso 1 Cena 1: Dona Ivone de 54 anos é encaminhada pelo seu clínico para um serviço de psiquiatria no hospital universitário da cidade onde mora. A paciente é acolhida

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ESCUTA PSICANALÍTICA ASSOCIADA À ATENÇÃO MULTIDISCIPLINAR NA CONSTRUÇÃO DE UM PROCESSO TERAPÊUTICO SINGULAR

A IMPORTÂNCIA DA ESCUTA PSICANALÍTICA ASSOCIADA À ATENÇÃO MULTIDISCIPLINAR NA CONSTRUÇÃO DE UM PROCESSO TERAPÊUTICO SINGULAR A IMPORTÂNCIA DA ESCUTA PSICANALÍTICA ASSOCIADA À ATENÇÃO MULTIDISCIPLINAR NA CONSTRUÇÃO DE UM PROCESSO TERAPÊUTICO SINGULAR ANDRADE 1, Aline Mayara Bezerra; MACEDO FILHO 1, Francisco Teles de; SOUSA 1,

Leia mais

Objetivos Gerais. Psicólogo. Paciente. tratamento

Objetivos Gerais. Psicólogo. Paciente. tratamento Terapia Cognitivo-Comportamental Avaliação Inicial 1ª. Sessão Eliana Melcher Martins Doutoranda em Ciências pelo depto.psiquiatria da UNIFESP Mestre em Ciências pelo depto de Psicobiologia da UNIFESP Especialista

Leia mais

Janaina: muitas flores, uma estória. Me. Fernanda Kimie Tavares Mishima 1. Fernanda de Sousa Vieira 2. Profa. Dra. Maria Lucimar Fortes Paiva 3

Janaina: muitas flores, uma estória. Me. Fernanda Kimie Tavares Mishima 1. Fernanda de Sousa Vieira 2. Profa. Dra. Maria Lucimar Fortes Paiva 3 Janaina: muitas flores, uma estória Me. Fernanda Kimie Tavares Mishima 1 Fernanda de Sousa Vieira 2 Profa. Dra. Maria Lucimar Fortes Paiva 3 Resumo O presente trabalho traz contribuições acerca do atendimento

Leia mais

MÉDICO: ESSE REMÉDIO IGNORADO ABRAM EKSTERMAN

MÉDICO: ESSE REMÉDIO IGNORADO ABRAM EKSTERMAN MÉDICO: ESSE REMÉDIO IGNORADO ABRAM EKSTERMAN Centro de Medicina Psicossomática Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia, RJ Perguntas aos Cavaleiros do Conselho Federal de Medicina Perguntas ingênuas:

Leia mais

SALVAÇÃO não basta conhecer o endereço Atos 4:12

SALVAÇÃO não basta conhecer o endereço Atos 4:12 SALVAÇÃO não basta conhecer o endereço Atos 4:12 A SALVAÇÃO É A PRÓPRIA PESSOA DE JESUS CRISTO! VOCÊ SABE QUAL É O ENDEREÇO DE JESUS! MAS ISSO É SUFICIENTE? Conhecer o endereço de Jesus, não lhe garantirá

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA RELACIONADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA 1

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA RELACIONADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA 1 A UTILIZAÇÃO DE JOGOS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA RELACIONADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA 1 Ana Paula Martins Medeiros Castilho Cíntia de Melo Barbosa 1 Viviane Ap. Zacheu Viana 2 Terezinha Maia

Leia mais