ALIRIO BATISTA DE SOUZA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ALIRIO BATISTA DE SOUZA"

Transcrição

1 ALIRIO BATISTA DE SOUZA RESUMO DAS AULAS DE MEDICINA LEGAL JOÃO PESSOA 2008

2 2 ATIVIDADES PROFISSIONAIS Cursos de graduação Médico CRM 579 Advogado OAB 2325 Professor de Medicina Legal Cursos de Medicina e Direito da UFPB. Curso de Direito do UNIPE. Professor de Deontologia Médica Curso de Medicina da UFPB. Ex Professor História da Medicina da UFPB. Obstetrícia da E.E. Sta Emília de Rodat J. Pessoa - PB. Ex Médico Legista da Paraíba Ex Médico da Previdência Social Ex Diretor Departamento de Medicina Legal João Pessoa PB. Departamento de Polícia Científica da Paraíba Maternidade Cândida Vargas da LBA Hospital Geral da Cidade de Cabedelo Ex Perito Justiça do Trabalho João Pessoa PB. Instituto Nacional da Previdência Social Rio Tinto PB. Cursos de Especialização Ciências Criminais Ciências Obstétricas Ginecologia Medicina Legal Medicina do Trabalho

3 3 AGRADECIMENTOS A Deus, senhor supremo do universo, pela proteção das iniciativas boas da vida. À minha esposa, Maria do Socorro Madruga Batista, exemplo de amizade, companheirismo e cumplicidade, pela compreensão, estímulos, entusiasmos e encorajamentos por meu progresso na vida profissional. Aos meus filhos Alyrio Segundo (Vanina), Giuliana (Alexandre) e Ana Carolina (Jarley), modelos de amor, alegria, dedicação, seriedade e razão do meu viver. Ao alunato, pelas exigências, cobranças, dedicação, firmeza e atenção na elaboração do projeto e na conclusão deste trabalho. A todos que, de alguma forma, contribuíram para a redação desta apostila.

4 4 APRESENTAÇÃO Por quatro décadas ministro aulas de Medicina Legal e Deontologia para os alunos de direito e medicina. Sempre recomendo livros de autores famosos e até festejados. Todavia, nunca deixei de observar que o alunato gosta mesmo é de anotar nos seus cadernos, o que o professor diz na sala de aula. Lendo algumas destas anotações cadernais, testemunhei que os assuntos didáticos expostos estavam ali transcritas tais quais foram conversados e discutidos. Não vacilei. Resolvi organizar todos estes rascunhos estudantis, melhorar ou piorar alguns e transformá-los em APOSTILA. Se você conseguiu esta apostila e é meu aluno, ótimo faça bom proveito, lembrando-se que na pós-graduação deverá melhorar seus conhecimentos lendo livros de autores consagrados. Se for apenas um estranho ou admirador e casualmente adquiriu, grato pela preferência, porém, se não gostar, nada diga, não fale e nem reclame, passe para alguém que queira consultá-la. Cordialmente O AUTOR João Pessoa maio

5 5 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO CAPÍTULO 1: A Medicina Legal. Importância. Valor. Dados históricos. Classificação. Relação com as ciências médicas, jurídicas e Sociais CAPÍTULO 2: Perícias e peritos. Documentos médico legais. Decálogo dos peritos...11 CAPÍTULO 3: Identificação médico legal e judiciária...16 CAPÍTULO 4: Lesões por energias mecânicas. Instrumentos causadores dos danos. Lesões típicas e atípicas...21 CAPÍTULO 5: Lesões por energias físicas. Temperaturas. Pressão atmosférica. Eletricidades. Radioatividades. Luz. Som...25 CAPITULO 6: Lesões por energias químicas. Cáusticos. Venenos. Tóxicos...28 CAPÍTULO 7: Asfixias. Energias físico-químicas...32 CAPÍTULO 8: Energias bioquímicas, biodinâmicas e mistas...35 CAPÍTULO 9: Infortunísticas. Acidentes e Doenças profissionais...37 CAPÍTULO 10: As Lesões corporais. Discussão de um laudo médico-legal...40 CAPÍTULO 11: Crimes contra a liberdade sexual: Sedução. Estupro. Fraude sexual. Atentado violento ao pudor. Ultraje ao pudor. Prostituição. Rapto. Corrupção de menores...42

6 6 CAPÍTULO 12: Casamento. Esterilização humana. Medidas anti natalistas...47 CAPÍTULO 13: Gravidez. Parto. Puerpério. Simulação, dissimulação metassimulação. Reprodução assistida...50 CAPÍTULO 14: O Crime de Aborto. Aborto legal e criminoso...54 CAPÍTULO 15: Infanticídio. Exames periciais. Conceitos de docimasia...58 CAPÍTULO 16: Investigação do vínculo genético. Provas sangüíneas e não sangüíneas. Noções de DNA (Ácido desoxirribonucléico)...62 CAPÍTULO 17: Anomalias sexuais. Desvios, aberrações e defeitos congênitos. Causas e índices de criminalidade. Diagnóstico e prognóstico...64 CAPÍTULO 18: Psiquiatria forense. Relacionamento com a sociedade e a justiça...68 CAPITULO 19: Psicopatologia forense. Fatores biológicos, mesológicos, patológicos, psiquiátricos e legais...70 CAPÍTULO 20: Tanatologia. Fenômenos cadavéricos. Tipos de morte. Destino dos cadáveres. Noções de necropsia. Exumação. Termos tanatológicos...74 CAPÍTULO 21: Deontologia e Diceologia Médica. Ética médica. Exercício legal e ilegal da medicina. Charlatanismos consciente e inconsciente. Exemplos de exercício legal e ilegal da medicina...82 CAPÍTULO 22: Deontologia e Diceologia Médica II. Responsabilidades e irresponsabilidades médicas. Segredo e Honorários médicos. Publicidades e Publicações médicas...86 ANEXO I: Modelos de Quesitos Oficiais...90 ANEXO II: Quesitos formulados pelo professor em provas de graduação...93 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...109

7 7 1ª CAPÍTULO: A Medicina Legal: Importância Valor - Dados históricos - Classificação. Relação com as ciências médicas, jurídicas e sociais. PREÂMBULO Quando se fala em Medicina Legal, a primeira idéia que se tem é que existe uma medicina ilegal, e que uma surgiu para combater a outra. Todavia, esta idéia é errada. Medicina Legal significa Medicina da Lei. CONCEITO OU DEFINIÇÃO Existem conceitos e muitas definições. Vou transcrever três que admiro. 1. Medicina Legal é a arte de relatar em juízo Ambroise Paré. 2. É a medicina a serviço das ciências jurídicas e sociais Genival Veloso de França. 3. É a ciência a serviço da sociedade e da justiça. Prefiro assim dizer. SINÔNIMOS Variam de país para país: Medicina da Lei * Medicina Pericial * Medicina dos Tribunais * Medicina da Justiça * Medicina Policial * Medicina Jurisprudencial * Medicina Política e Social * Bioscopia Forense. Todo dia surge um novo apelido, pois o nome autêntico, mais bonito e usado em todo território brasileiro é Medicina Legal. IMPORTÂNCIA É tão importante que passou ser disciplina obrigatória nos cursos Médicos e de Ciências Jurídicas. 1. O Médico precisa da Medicina legal para ver os limites de suas atribuições profissionais e saber respeitar a lei; 2. O Jurista (Juiz, Ministério Público e Advogados) dela precisa para saber. executar, interpretar e aplicar as leis. QUALIFICAÇÃO A Medicina Legal é conhecida por ser Ciência e Arte 1. Ciência: O perito vê a lesão, avalia detalhadamente e firma um diagnóstico com o prognóstico de suas periculosidades; 2. Arte: Descreve esta lesão em todos os seus pormenores, observando a região anatômica, os limites, profundidades, coloração e posição. O perito faz com palavras, uma verdadeira fotografia do ferimento. RELAÇÃO COM A MEDICINA Relaciona-se com todas as ciências médicas: Psiquiatria * Obstetrícia * Cirurgia * Clinica Médica * Pediatria * Reumatologia * Hematologia * Medicina do Trabalho * Traumatologia * Ginecologia e outras. Não é admissível um bom médico em qualquer uma destas especialidades sem os conhecimentos básicos da Medicina Legal.

8 8 RELAÇÃO COM AS CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS Relaciona-se com todos os ramos do direito: Penal * Civil * Administrativo * Trabalhista * Constitucional * Penitenciário * Internacional Público * Internacional Privado * Processual Civil * Processual Penal * Previdenciário * Agrário * demais outras. Não é admissível um bom jurista, sem os conhecimentos técnicos, sociais e filosóficos desta disciplina, quer seja Juiz, Promotor de Justiça ou Advogado. DETALHANDO POR DISCIPLINAS: 01-Direito Penal: Lesões corporais, sedução, estupro, necrópsias, etc; 02-Direito Civil: Identificação da paternidade, anulação de casamento, perícias nas separações judiciais, etc.; 03-Direito Administrativo: Licenças para tratamento de saúde e aposentadorias; 04-Direito Trabalhista: Acidentes e doenças do trabalho, insalubridades, periculosidades, simulações, dissimulações, etc.; 05-Direito Constitucional: Na proteção a família e ao casamento; 06-Direito Penitenciário: Torturas nas penitenciárias, greves de presidiários, promiscuidades, etc; 07-Direito Internacional Público: Proteção a infância, a velhice, etc.; 08-Direito Internacional Privado: Na aplicação das leis estrangeiras no Brasil; 09-Direito Processual Civil e Penal: Análises dos jurados, réus e testemunhas; 10-Direito Previdenciário: Simulação e dissimulação de doenças, gestações, etc.; 11-Direito Agrário: Análise de aposentadoria de camponeses; 12-Direito dos Desportos: Dopping, simulações de contusões, etc.; 13-Direito Canônico: Quando analisa o casamento religioso e seus aspectos; 14-Direito Comercial: Nas perícias de bens de consumo; 15-Lei das contravenções Penais: Ao tratar da embriaguez, tóxicos, etc.; 16-Direito Eleitoral: Nas simulações de doenças de mesários; 17-Com as Ciências Sociais: Sociologia, filosofia, economia, psicologia, etc). DADOS HISTÓRICOS: 1 NO MUNDO: 1.1.Período Antigo: (? até 527 a.c.) Temos como fontes principais: 1) O povo Hebreu - com a lei Mosaica (Ler os Levíticos); 2) O Egito - com a Lei de Menés e os embalsamamentos; 3) A Babilônia - com o Código de Hammurábi; 4) A Índia - com o Código de Manu; 5) A Grécia - com as teorias de Aristóteles e as contribuições de Hipócrates (o pai da medicina). Neste período os cadáveres eram considerados sagrados. Todavia, as fontes citadas confirmam que os casos de aborto, parto, mortalidade infantil e outros crimes eram examinados pelos sacerdotes, mistos na época de médicos sacerdotes e juizes. As necrópsias não eram realizadas por serem os cadáveres considerados sagrados. 1.2.Período Romano: (527 a.c. ao Século IX) A Lex Regia ou de Numa Pompílio instituindo a cesariana post mortem; o exame do cadáver de Júlio César por um médico de nome Antístio e o Código de Justiniano orientando que as perícias deveriam ser executadas por profissionais categorizados em medicina, destacaram esta época.

9 9 1.3.Período Medieval: (Século IX ao Século XIII) A Lei Sálica, a Lei Germânica e as Capitulares de Carlos Magno influenciaram este período. Todas estas leis, em suas respectivas origens orientavam perícias técnicas e médicas nos principais tipos de crime; 1.4.Período Canônico: (do Ano de l.200 a 1.600) Recebeu uma grande influência da igreja. O Código Carolino promulgado na Assembléia de Ratisbonna na Alemanha por Carlos V e os surgimentos dos estudiosos como Ambroise Paré na França e Fortunato Fidelis na Itália coroaram esta fase; 1.5.Período Moderno: (1.600 até?) Surgiram na Itália, Paulo Zacchias (O pai da Medicina Legal) e em outros países como França, Inglaterra, Itália, Alemanha, grandes e dedicados estudiosos que no passado prestigiaram esta ciência. Atualmente em todas as partes do mundo, valorosos mestres prestigiam a justiça e o ensino com elaborações de perícias técnicas científicas em todas as plenitudes e alcances da Medicina Legal. 2 NO BRASIL: 2.1.Brasil Colônia: A história cita somente alguns relatórios sem cunhos científicos, feitos por médicos portugueses baseados em tratados franceses. Apenas um médico mineiro de nome Gonçalves Gomide se destacou revendo e contestando um exame cadavérico que julgavam ser de uma santa; 2.2.Brasil Império: Surgiram as primeiras escolas médicas e jurídicas, o Código Criminal de l830 e a obrigatoriedade em 1834 do ensino da Medicina Legal nas escolas de medicina e direito. Um grande mestre, sem dúvida alguma nesta época foi o professor Agostinho José de Souza Lima; 2.3.Brasil República: Aparecem os verdadeiros Titãs da Medicina Legal brasileira. Bahia: - Raimundo Nina Rodrigues; Rio de Janeiro: - Agostinho Souza Lima e Júlio Afrânio Peixoto; São Paulo: - Oscar Freire. Surgem também nos outros Estados da Federação, verdadeiros mestres com conhecimentos técnicos e ousadias, tanto nos Institutos Médicos Legais realizando perícias, como ministrando aulas nas Faculdades de Medicina e de Direito. Hoje, a Medicina Legal brasileira, engrandece o mundo inteiro. 3 NA PARAÍBA: 3.1.Paraíba Província: As primeiras autópsias e exumações foram autorizadas pelo Presidente Ambrósio Leitão da Cunha no ano de 1859 (Ver lei de número 26). As primeiras perícias que se tem noticia foram realizadas pelos médicos João José Inocêncio Poggi e Henri Krause. 3.2.Paraíba Estado da Federação: Em 1.918, no governo do Médico e General Francisco Camilo de Holanda foi criado o Instituto Médico Legal, tendo como seu primeiro diretor o Dr. José Dias Júnior. Percorreu várias ruas e prédios da Capital, contudo, atualmente está fincado em definitivo no bairro do Cristo Redentor de João Pessoa. Por algum tempo dirigimos esta instituição; 3.3.Paraíba Universitária: Na década de 1950 foi criada nossa Universidade já com as escolas de Medicina e de Direito. O Primeiro professor da disciplina foi o Dr. Oscar de Oliveira Castro. Ingressamos por concurso público como professor no ano de 1975.

10 10 CLASSIFICAÇÃO DA MEDICINA LEGAL 1. MEDICINA LEGAL GERAL: Estuda a Deontologia e Diceologia Médica, ou seja, os Deveres e Direitos do médico. Exemplificando: Ética Médica; Exercício Legal e Ilegal da Medicina; Responsabilidades Médicas; Segredos Médicos; Honorários Médicos; Publicidades e Publicações Médicas; (Vide Capítulos dedicados a Deontologia e a Diceologia médica). 2. MEDICINA LEGAL ESPECIAL: Estuda a realização e a documentação de todos os exames periciais ao seu alcance, quando solicitados pela justiça. Exemplificando: Antropologia médico legal: Estuda a identificação Médico Legal e Judiciária; Traumatologia médico legal: Estuda as lesões corporais provocadas por energias físicas químicas, mecânicas, etc. Infortunística: Estudas os Acidentes e as Doenças profissionais; Asfixologia médico legal: Estuda o enforcamento, estrangulamento, esganadura, sufocação, soterramento, afogagamento, gases irrespiráveis e confinamento; Toxicologia médico legal: Estudo os efeitos dos cáusticos, venenos e tóxicos; Sexologia médico legal: Estuda os crimes contra os costumes, gravidez parto e puerpério, aborto, infanticídio, casamento, esterilização humana, identificação da paternidade e maternidade, fecundação artificial e as anomalias sexuais; Tanatologia médico legal: Estuda a morte, as necrópsias, as exumações, os destinos do cadávere, os tipos de morte e a cronotanatognose; Criminalística e Criminologia médico legal: Estuda os motivos e locais dos crimes, as perícias técnicas em busca de criminosos e a criminogênese; Psiquiatria/Psicologia/Psicopatologia Forense: Estuda as doenças fisicas e mentais e seus relacionamentos com a justiça; Vitimologia: Estuda a vítima e a sua participação no crime; Genética médico legal: Estuda os exames de DNA, os tipos de fecundação artificial e as possíveis clonagens.

11 11 2ª CAPÍTULO: Perícias e Peritos. Documentos Médicos Legais. Decálogos dos Peritos. I - PERÍCIAS E PERITOS CONCEITO DE PERICIAS: Perícias Médicas Legais são todos os exames ou procedimentos técnicos científicos, realizados nas pessoas, nos animais e nas coisas com finalidades de auxiliar a justiça. 1. Nas pessoas: Lesões corporais, atentados violentos ao pudor, exames de sedução, estupros, acidentes do trabalho, etc.; 2. Nos animais: Há necessidade de se examinar animais para se saber se motivaram lesões corporais nas pessoas ou se sofreram lesões como os cavalos e cães policiais; 3. Nas coisas: Todos os tipos de objetos como projétil, pedras, facas, armas de fogo, lençóis, paus, cassetetes, chicotes, tesouras, etc. Não esquecer que o cadáver é coisa, e coisa indesejável. Não estou cometendo nenhum sacrilégio ao fazer esta afirmativa, uma vez que pessoa alguma deseja guarda-lo em casa. A maior perícia feita em uma coisa, é sem dúvida a Necropsia. LEGISLAÇÃO SOBRE PERÍCIAS E PERITOS l. Código de Processo Penal 2. Código de Processo Civil 3. Código de Ética Médica 4. Outras legislações. TIPOS DE PERÍCIA: 1. No vivo: Todos os exames de lesões corporais, sedução, atos libidinosos, simulação ou dissimulação de doenças e acidentes, estupros, etc; 2. No morto: Necrópsias, exumações, exames de ossada, etc.; 3. De laboratórios: Sangue, fezes, urina, sêmen, pêlos, DNA, e muitos outros. 4. De Local do Crime: São muitas vezes vasculhados e examinados pelos peritos em medicina legal. HORÁRIO E PRAZO DA PERÍCIA 1. Horário das perícias: Poderão ser realizadas todos os dias da semana e em qualquer horário (diurno ou noturno) desde que exista condições e boa iluminação. Prazo: O perito terá prazo para a conclusão, de acordo com o Código de Processo Penal de 10 dias, podendo por motivos justos ser prorrogado. CORPO DE DELITO CONCEITO: É o exame do conjunto de lesões encontradas na superfície corporal da vítima. Não devemos confundir com a expressão popular corpo da vítima, que é simplesmente a estrutura anatômica e corporal.

12 12 TIPOS DE CORPO DE DELITO: 1. Direto: Quando as lesões são encontradas na vítima e descritas pelo perito; 2. Indireto: Quando os dados são fornecidos pelos hospitais ou provas testemunhais. PERITO EM MEDICINA LEGAL CONCEITO: É todo médico especializado e com conhecimentos técnicos científicos em Medicina Legal. É um profissional gabaritado em perícias, porém dotado de humildade, capaz de solicitar opiniões quando se fizer necessário. 1. Peritos oficiais: Médicos Legistas ou Legisperitos; 2. Peritos não oficiais: (Peritos louvados) Qualquer médico, desde que assine o termo de compromisso para a justiça. IMPEDIMENTOS DO PERITO: 1. Parentescos ou influências com a pessoa examinada; 2. Parte interessada no resultado do exame pericial. ATUAÇÃO DOS PERITOS: 1. No inquérito: Em todos os exames de corpo de delito; 2. No sumário: Exames das testemunhas, réus. etc.; 3. No julgamento: Tirando as dúvidas existentes no laudo ou surgidas no evoluir do processo; 4. No pós-julgamento: Nos casos supervenientes de insanidades mentais. HONESTIDADE DOS PERITOS: 1. É obrigatória, inclusive são fiscalizados pela sociedade; 2. São observados, vigiados e denunciados pelas partes; 3. Por dever de oficio deverão ser profissionais responsáveis, sérios e capazes. Uma perícia bem feita fará justiça. Todavia, quando mal elaborada ou tendenciosa poderá colocar um criminoso perigoso nas ruas e um inocente por trás das grades de uma prisão. DEVERES DO PERITO: Honestidade - Ciência Conhecimentos - Técnica - Consciência. Lembrete pericial: É preferível não fazer uma perícia a fazê-la mal feita. QUESITOS OU INDAGAÇÕES 1. Elaboração dos Quesitos: Os peritos não elaboram quesitos, estes deverão ser bem redigidos pelo Juiz ou pelas partes para não dificultar as respostas. 2. Respostas aos quesitos: Cabem ao perito e deverão ser claras, honestas e explicitas. Redigidas em linguajar simples para facilitar as interpretações. PERÍCIAS CONTRADITÓRIAS Conceito: São as perícias que provocam divergências inconciliáveis entre os peritos, obrigando a elaboração de laudos diferentes e independentes. 1. Foro Penal: Divergências entre o relator e o revisor. Cada um terá de redigir o seu próprio laudo, ficando deste modo duas perícias diferentes. 2. Foro Civil e Trabalhista: Divergências entre o perito do Juiz e os assistentes técnicos indicados pelas partes.

13 13 3. Perito desempatador: Diante de divergências inconciliáveis entre peritos, o Juiz nomeará um terceiro perito, com finalidades de resolver os conflitos criados ou já existentes, devido à perícia ter se tornada contraditória. 4. O que diz o Código de Processo Penal: Se as divergências entre os peritos persistirem e o perito conciliador nada resolver, o Juiz (Perito dos peritos) poderá proferir a sentença por conta própria. O Art. 182 do referido código diz textualmente: o juiz não está adstrito ao laudo, podendo aceitar ou recusar no todo ou em parte. Todavia, dificilmente o Juiz chama para si tamanha responsabilidade. Obrigação de submeter-se a Perícia: Inexiste Ninguém está obrigado a fornecer provas contra si próprias. QUESITOS DUVIDOSOS OU MAL REDIGIDOS Quando o perito não tiver condições de responder um quesito, por este não possuir lógica, deverá colocar a palavra - PREJUDICADO ou a frase SEM ELEMENTOS. Jamais deverá fazer qualquer critica. Quem quer ser respeitado, respeita. REQUISIÇÃO DOS EXAMES PERICIAIS As Perícias serão solicitadas pelo foro competente: 1. No foro Penal: Dois peritos: (Relator e Revisor). É o foro que mais solicita exames médicos legais; 1.1.Aceitação do exame pericial: No Foro Penal, para que o laudo seja aceito pela justiça terá de ser obrigatoriamente elaborado e assinado por dois peritos. 2. No foro Civil e Trabalhista: Perito único (perito do juiz). As partes poderão indicar assistentes técnicos. LOCAIS PRÓPRIOS PARA AS PERÍCIAS: 1. Institutos Médico Legais: Na Paraíba dispomos de dois institutos, um em João Pessoa e outro em Campina Grande. 2. Hospitais: Quando as vítimas se encontrarem internas ou nas cidades interioranas por não disporem de institutos; 3. Consultórios: Nos ambulatórios públicos e ou particulares; 4. Cemitérios: Necrópsias, exumações e exames de ossada; 5. Outros locais: Quando determinados pela justiça, todas as vezes que fizer necessária a presença da Medicina Legal. LOCAIS IMPRÓPRIOS PARA AS PERÍCIAS: 1. Delegacias de policia: Há possibilidades de coação por parte de policiais; 2. No domicílio da vítima. O perito poderá ser ameaçado ou chantageado. II - DOCUMENTOS MÉDICO LEGAIS CONCEITO: São todas as anotações escritas e detalhadas que provem a existência de alguma coisa ou fato relacionados com a justiça. TIPOS DE DOCUMENTO MÉDICO-LEGAIS: Notificações * Atestados * Laudos (Relatórios e Autos) * Pareceres * Depoimentos Orais * Consultas.

14 14 1-NOTIFICAÇÃO: É a denúncia por escrito feita por um médico a uma autoridade de saúde pública, comunicando a existência de doenças infecto contagiosas (sarampo, varicela, lepra, aids, etc). 2-ATESTADO: É a confirmação por escrito de um fato médico existente e suas conseqüências (Souza Lima). Classificam-se em: 2.1.Oficiosos: São os atestados simples que abonam faltas de estudantes e ou servidores. Pode ser emitido no próprio receituário do médico; 2.2.Administrativos: São as licenças que ficam anotadas nas fichas individuais dos servidores e ou submetidos a juntas médicas. Exemplos: Aposentadorias por invalidez, licenças de gestação, comprovação de sanidade física, atestados de óbito, de vacina, de saúde, etc. 2.3.Judiciais: São os exigidos quando da ausência do réu, jurados ou das partes. Estes atestados irão fazer parte do Processo Judicial. A exigência do diagnóstico médico no Atestado é questionada. Todavia, poderá aparecer em forma de código (CID - Código internacional das doenças). O Atestado Gracioso é criminoso e ridículo. Médico algum deve emitir. 3-RELATÓRIO MÉDICO LEGAL CONCEITO: É a descrição detalhada de um fato médico legal para a justiça todas as vezes que se fizer necessário. Pode ser denominado de Auto ou de Laudo. 3.1.Auto: Quando ditado pelo perito ao escrivão na presença de testemunhas; 3.2.Laudo: Quando elaborado cautelosamente pelo perito. É o mais usado. Requisitos necessários ao Relatório (Laudo ou Auto) Médico Legal: Preâmbulo É o começo do laudo, quase sempre em forma de ata; Quesitos São as indagações elaboradas ou redigidas e oferecidas pelo Juiz ou pelas partes; Histórico É uma pequena narrativa contada pela vítima ou por seu representante; Descrição É o retrato da lesão. Deverá ser pormenorizada e bem feita. É a parte mais importante do Laudo. É o visum et repertum. Discussão É o raciocínio do perito sobre a lesão e a análise detalhada dos agentes que provocou. É o confronto das hipóteses técnicas. Conclusão É o diagnóstico e o prognóstico da lesão; Respostas aos quesitos São as soluções encontradas para as perguntas oferecidas pelo juiz ou partes. 4-PARECER: É a opinião de um perito a uma dúvida do Juiz, sobre algum item duvidoso ou incompreensível do laudo. A sua credibilidade depende do prestígio de quem o elabora, uma vez que não é exigido o compromisso legal. Está composto de Preâmbulo, Quesitos, Histórico, Discussão, Conclusão e Resposta aos quesitos. As partes mais importantes no Parecer passam a ser a DISCUSSÃO (detalhada e minuciosa) e a CONCLUSÃO (clara e circunstanciada). 5-DEPOIMENTO ORAL: É uma explicação verbal dada a justiça por um perito, para esclarecer as dúvidas existentes no laudo. É tomado a termo pelo escrivão e em seguida assinado. Fará parte do processo.

15 15 6-CONSULTA: É uma pergunta que interessa ao processo feita pelo juiz ou partes, a uma autoridade em exames periciais. Tem valor informal. DECÁLOGOS DOS PERITOS (Nério Rojas) 1 O perito deve atuar com a ciência do médico, a veracidade do testemunho e a equanidade do juiz; 2 É necessário abrir os olhos e fechar os ouvidos; 3 A exceção pode ter tanto valor quanto à regra; 4 Desconfiar dos sinais patognomônicos; 5 Deve seguir o método Cartesiano; 6 Não se fiar na memória; 7 Uma autópsia não pode refazer-se; 8 Pensar com claridade para escrever com precisão; 9 A arte das conclusões consiste na medida;. 10 A vantagem da Medicina Legal está em não formar uma inteligência exclusiva e estreitamente especializada. RESUMO DOS DECÁLOGOS: Ciência - Consciência - Técnica. OBSERVAÇÃO: Vide discussão de um Laudo Médico Legal durante as aulas do curso de graduação.

16 16 3º CAPÍTULO: Identificação Médico Legal e Judiciária. O que Identificar e como Identificar? CONCEITO: IDENTIFICAÇÃO é a pesquisa dos sinais e caracteres permanentes existentes em uma pessoa, distinguindo-a das demais. 1. Dados históricos: A identificação mais antiga é a marca que o Criador colocou em Caim para ser reconhecido aonde chegasse. Na velha Grécia e Roma havia um costume de se marcar criminosos e ladrões com o ferro quente ou cortando uma orelha. O Brasil celebrizou-se pela crueldade com que marcava os escravos com ferro incandescente. 2. Os sósias: Algumas personalidades de prestigio mundial se apresentam com vários sósias confundindo assim as autoridades, daí as exigências cada vez mais crescentes do valor e aperfeiçoamento da identificação. DIVISÃO DA IDENTIFICAÇÃO: 1. Médico Legal: É a que nos interessa e é de competência médica pericial; 2. Judiciária: É realizada através das impressões digitais e ou outros métodos. É pesquisada por dactiloscopistas e criminalistas experientes. I - IDENTIFICAÇÃO MÉDICO LEGAL Perguntas obrigatórias: O que identificar? Como identificar? O QUE IDENTIFICAR? 1. Espécie: Fazer a diferença entre os seres humanos e outros animais. A conformação anatômica da pele, das vísceras e dos ossos faz logo esta diferença; 2. Estatura: É a distancia que vai da planta dos pés a calvária. No esqueleto levamos em consideração as medidas de extensão dos ossos longos, avaliadas através da Constante de Brocas, de Lacassagne-Martin e da Escala de Etienne- Rollet; 3. Envergadura: É a distância que vai da polpa digital do 3º dedo da mão direita a polpa digital do 3º dedo da mão esquerda. A pessoa é avaliada com os braços abertos. Serve para identificar alguns tipos de raça. 4. Peso: É a avaliação em gramas. Tem pouco valor, porém é utilizado; 5. Sexo: Masculino e Feminino (homem e mulher); 5.1.Homens: Exames das genitálias externas (pênis e saco escrotal) e genitálias internas (próstata e vesícula seminal). São também levadas em consideração as conformações anatômicas, distribuição de pêlos, musculatura, formato do tórax e muitos outros fatores masculinos. 5.2.Mulheres: Exames das genitálias externas (monte de venus, vulva e vagina) e genitálias internas (útero, trompas e ovários). Pesquisa-se também o desenvolvimento das mamas, a silhueta anatômica, o formato da bacia e muitos outros requisitos femininos. 5.3.Dosagens hormonais: Alguns hormônios são diferenciados em cada sexo possibilitando assim o estudo comparativo entre o homem e a mulher.

17 5.4.DIVERSIFICAÇÃO DO SEXO: Há quem diga existir 08 (oito) tipos de sexo. Vejamos as teorias de estudiosos que desejam aparecer: Sexo Cromossomial: O homem tem 46 pares de cromossomas XY e a mulher têm 46 pares de cromossomas XX: Sexo Gonadal: Os homens têm testículos e a mulheres têm ovários; Sexo Cromatínico: Somente as mulheres têm os corpúsculos de Barr; Sexo da genitália externa: O homem apresenta saco escrotal e pênis e a mulher tem vulva e vagina; Sexo da genitália interna: Homens têm ductos de Wolff e as Mulheres têm ductos de Muller; Sexo jurídico: O Juiz determina o tipo de sexo para se fazer o registro civil; Sexo de comportamento: Cada pessoa aparenta o sexo que lhe convier; Sexo Médico Legal: Nos sexos dúbios (intersexualismo) a averiguação científica é da medicina, através de seus especialistas. 6. Idade: Pode ser avaliada em dias, meses e anos. Vida intra e extra uterina: 6.1.Vida intra-uterina: * Ovo: 07 dias * Embrião: dois meses * Feto: três a nove meses. 6.2.Vida extra uterina: * Infante nascido até 24 horas * Recém nascido até 7 dias * Primeira infância de 7 dias a 7 anos * Segunda infância de 7 a 14 anos * Adolescência de 14 a 18 anos * Juventude de 18 a 21 anos * Fase adulta de 21 a 70 anos * Velhice de 70 a 90 anos * Decrepitude acima de 90 anos. Antigamente só quem negava a idade era a mulher. Hoje todo mundo não deseja envelhecer e esconde a idade, inclusive este professor. Em se tratando de criminoso ou cadáver desconhecido, deve-se observar cautelosamente a distribuição dos dentes e fazer o estudo dos ossos e cartilagens. Ver os detalhes das suturas cranianas, as rugas, a cor dos pêlos do couro cabeludo e do tórax. Visualizar e estudar o arco senil e muitas outras particularidades que determinem, pelo menos, aproximadamente a idade. 7. Raças: Existem cinco tipos de raça: Caucásica (branca), Mongólica (amarela), Negróide (negra), Indiana (vermelha) e Australóide (trigueira). No nosso Brasil é diferente: O negro cruzou com o índio e deu o CAFUSO. O branco cruzou com o negro e deu o MULATO. O branco cruzou com o índio e deu o MAMELUCO. De forma que temos uma mistura fantástica de raça determinada pela cor da pigmentação da pele em BRANCA NEGRA PARDA. 8. Profissão: Determinados trabalhos deixam marcas permanentes. Sapateiros, Carvoeiros, Músicos, Sopradores de vidros, etc. 9. Andar: O claudicante ou aleijado anda de maneira diferente. É identificado de longe por suas passadas desengonçadas; 10.Caligrafia: A letra manuscrita ou dactilografada quando comparada tecnicamente pode identificar o autor; 11. Pegadas: Os rastros poderão ser identificados pelas impressões plantares; 12. Voz: Há estudos sobre a sonorização da voz nas fitas gravadas, em que se identifica o tipo de voz (rouca, aguda, fanhosa, velocidade de pronúncia, etc) e através destes e outros sinais chega-se à pessoa almejada; 17

18 Pêlos: Deve-se fazer a diferença entre os pêlos dos animais e de seres humanos. No último caso, tentar também identificar suas localizações na superfície corporal (Pubianos, axilares, cefálicos, etc.). 14. Sangue: Fazer a diferença entre o sangue humano e de outros animais. COMO IDENTIFICAR? Resposta: Através dos sinais permanentes. Malformações Congênitas * Cicatrizes * Alterações dentárias * Calos de fratura óssea * Fotografias de frente e perfil * Tatuagens * Nevos * Palatoscopia * Queiloscopia * Pavilhão Auricular * Globo Ocular * Dorso e palma das mãos * Cicatriz umbilical * Radiografias * Superposição de fotografias * Ácido Desoxirribonucléico (DNA). Há muitos outros sinais ou marcas que carimbam uma pessoa diferenciando das outras. 1. Malformações Congênitas: Deve-se ver a existência de lábios leporinos, defeitos físicos, mamas supranumerárias, anomalias dos dedos, pés tortos, etc.; 2. Cicatrizes: As marcas desenhadas e os queloides deixados por ferimentos em qualquer parte do corpo identificam as pessoas; 3. Alterações Dentárias: Deve-se observar as marcas de extração dentárias, obturações e próteses. Fazer a comparação com a ficha odontológica, copiada pelos dentistas, de seus clientes. Por serem resistentes os dentes têm grande valor na identificação dos carbonizados e dos esqueletos antigos; 4. Calos de fratura óssea: Após as fraturas formam calos ósseos. Os portadores poderão ser identificados por radiografias ou através do exame de necropsia; 5. Fotografias: Identificam desde que estas sejam recentes, principalmente os fotos estampados da face em projeção de perfil; 6. Tatuagens: São desenhos feitos na superfície corporal com infiltrações de tinta, colorindo assim a pele. Existe atualmente todo tipo de tatuagem. Há quem sugira tatuar todos os habitantes da terra para melhor identificá-los; 7. Nevos: As manchas, verrugas e os enchumaços de pêlos deverão ser anotados em todos os seus detalhes; 8. Palatoscopia: É o exame das pregas palatinas existentes na abóbada da boca; 9. Queiloscopia: É o exame da estrutura anatômica dos lábios; 10. Pavilhão Auricular: As características individuais persistem a vida inteira; 11. Globo Ocular: Há detalhes diferentes na Íris para cada pessoa; 12. Dorso e palma das mãos: Estuda os desenhos venosos do dorso e as configurações ou linhas das palmas das mãos; 13. Cicatriz Umbilical: É o estudo da forma, profundidade, diâmetro e estética; 14. Radiografias: Faz-se a comparação das radiografias antigas com as recentes de algumas estruturas ósseas do identificado; 15. Superposição de imagens fotográficas: Superpõe a negativa tirada em vida com os ângulos cranianos do indivíduo que se quer identificar. Os detalhes dos pontos principais coincidem com a fotografia; 16. Ácido desoxirribonucleico ou DNA: É um método moderno. É pesquisado no sangue, pêlo, pele, ossos, dentes, sêmen, etc. É o que existe de melhor para a identificação através do rastreamento entre os parentes próximos de quem se quer identificar. Ver sempre se o laboratório escolhido tem competência para a realização desta importante perícia. 17. Outros sinais: Tiques nervosos, odores, risadas, brutalidades, etc.

19 19 II - IDENTIFICAÇÃO JUDICIÁRIA CONCEITO: É a pesquisa dos sinais individuais que destinguem as pessoas das demais. É realizada por peritos especializados em Dactiloscopia. METODOS IDEAIS PARA A IDENTIFICAÇÃO JUDICIÁRIA: 1. Unicidade: Todos os caracteres deverão estar juntos; 2. Imutabilidade: Os elementos da identificação não se alterem; 3. Praticabilidade: Tudo deve ser obtido com facilidade; 4. Classificabilidade: Fáceis de arquivamento e manuseio; 5. Perenidade: Os elementos encontrados deverão persistir o tempo todo. 1. PROCESSOS ANTIGOS: 1.1.Ferro Quente: Marcas com o ferrete encandecente em qualquer parte do corpo principalmente na face e nas nádegas; 1.2.Mutilações: Amputações de orelhas, da ponta do nariz, de dedos das mãos, da ponta da língua, castrações e outros métodos desumanos; 1.3.Sistema Antropométrico de Bertillon: Consistia em medir todos os detalhes de algumas estruturas ou partes anatômicas. 2. PROCESSOS MODERNOS: 2.1.Retrato falado: A testemunha descreve o perfil anatômico do agressor que é desenhado ou pintado por um especialista. É falho. 2.2.Poroscopia: É o estudo dos poros existentes nas regiões digitais; 2.3.Papiloscopia (cristas e sulcos papilares): É o estudo das impressões plantares, palmares e principalmente digitais. IMPRESSÕES DIGITAIS: CONCEITO: É o estudo ou análise detalhada dos desenhos das cristas e sulcos papilares existentes nas polpas dos dedos. Surgem na 13ª semana de vida intrauterina e continuam até depois da morte. É o que existe de melhor para a identificação e reúne todos os itens relacionados pelo método ideal. DADOS HISTÓRICOS: São conhecidas desde o começo dos tempos. Pôs Deus um selo nas mãos dos homens para distinguir seus atos (trecho Bíblico). O seu estudo só foi aperfeiçoado no início do século vinte. CLASSIFICAÇÃO de Juan VUCETICH Tem como base o Delta. 1. Arco Não tem Delta; 2. Presilha Externa O Delta está à esquerda do observador; 3. Presilha Interna O Delta está à direita do observador; 4. Verticilo É composto de dois Deltas, um à direita e outro à esquerda do observador. Estes símbolos são anotados em letras maiúsculas ou em números: Verticilo (V-4) * Presilha Externa (E-3) * Presilha Interna (I-2) * Arco (A-1). Formam a palavra «VEIA» ou 4321.

20 20 INDIVIDUAL DACTILOSCÓPICA No sistema deca dactilar (dez dedos) está representada em forma de fração: Numerador e Denominador. 1. Numerador ou Série (mão direita). Fica na parte superior do formulário. 2. Denominador ou Secção (mão esquerda). Fica na parte inferior do formulário. ALTERAÇÕES NAS CRISTAS E SULCOS PAPILARES: 1. Cicatrizes por doenças ou acidentes: Estão representadas por um X (xis); 2. Amputações de dedos: Estão representadas por um 0 (zero). LOCALIZAÇÃO: As Impressões Digitais são deixadas nas superfícies planas e lisas dos objetos. Na maioria das vezes estão invisíveis, todavia, coloca-se um pó fino apropriado no local suspeito e faz-se à retirada com uma fita adesiva da possível marca digital encontrada. Amplia-se e realiza-se cautelosamente o seu estudo comparativo ao microscópio. A NOSSA CARTEIRA DE IDENTIDADE: Consta somente o polegar da mão direita conhecido com o nome de Fundamental Dactiloscópica. IDENTIFICAÇÃO DE RECÉM NASCIDO: De acordo com a Lei de n.º.069/90 toda maternidade tem obrigação de colher no prontuário de internamento hospitalar, a impressão digital da mãe e a impressão palmar (quiroscopia) ou plantar (podoscopia) do recém nascido. DADOS CIENTÍFICOS: Jamais foram encontradas impressões digitais iguais, mesmo em gêmeos univitelinos. OBSERVAÇÃO: Vide projeção de slides sobre Identificação.

LESÃO CORPORAL: é todo e qualquer dano ocasionado a normalidade do corpo humano, quer do ponto de vista anatômico, fisiológico ou mental.

LESÃO CORPORAL: é todo e qualquer dano ocasionado a normalidade do corpo humano, quer do ponto de vista anatômico, fisiológico ou mental. TRAUMATOLOGIA LESÃO CORPORAL: é todo e qualquer dano ocasionado a normalidade do corpo humano, quer do ponto de vista anatômico, fisiológico ou mental. CLASSIFICAÇÃO DAS LESÕES CORPORAIS (conforme o dano):

Leia mais

FACULDADE DE IMPERATRIZ FACIMP

FACULDADE DE IMPERATRIZ FACIMP PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso DIREITO Disciplina MEDICINA LEGAL Área: Ciências Sociais Ano: 2013.1 Período: 7º Sétimo Carga horaria: 36 horas créditos 02 Pré-Requisito Turno: MATUTINO/NOTURNO Ementa DIREITO

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Curso DIREITO. Disciplina MEDICINA LEGAL. Área: Ciências Sociais Período: 7º PERÍODO Turno: MATUTINO/NOTURNO.

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Curso DIREITO. Disciplina MEDICINA LEGAL. Área: Ciências Sociais Período: 7º PERÍODO Turno: MATUTINO/NOTURNO. PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso DIREITO Disciplina MEDICINA LEGAL Área: Ciências Sociais Período: 7º PERÍODO Turno: MATUTINO/NOTURNO Pré-Requisito DIREITO PENAL III D- 26 Ementa Medicina Legal. Estudo dos

Leia mais

10/7/2012. EXAME DE DNA Núcleo das células = cromossomos ( 46 ), sendo: 23 do pai e 23 da mãe 1 cromossomo possui cerca de 100 000 genes Gen = DNA

10/7/2012. EXAME DE DNA Núcleo das células = cromossomos ( 46 ), sendo: 23 do pai e 23 da mãe 1 cromossomo possui cerca de 100 000 genes Gen = DNA EXAME DE DNA Núcleo das células = cromossomos ( 46 ), sendo: 23 do pai e 23 da mãe 1 cromossomo possui cerca de 100 000 genes Gen = DNA DNA é composto por polímeros (fileira dupla de unidades básicas,

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO 2015

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO 2015 FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO 2015 2-INFORMAÇÕES GERAIS CURSO DE DIREITO 2.1-DISCIPLINA : MEDICINA LEGAL.FUNDAMENTOS MÉDICO- PSICOLÓGICOS DO DIREITO. 2.2-DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS COMPLEMENTARES

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 ( )Fundamental I ( )Médio Profissionalizante ( X )Graduação ( )Fundamental II ( )Profissionalizante ( )Pós-graduação ( )Médio I. Dados Identificadores Curso DIREITO Disciplina MEDICINA

Leia mais

POLÍCIA CIVIL ACADEMIA DE POLÍCIA CIVIL DE MINAS GERAIS CURSO: FORMAÇÃO POLICIAL

POLÍCIA CIVIL ACADEMIA DE POLÍCIA CIVIL DE MINAS GERAIS CURSO: FORMAÇÃO POLICIAL POLÍCIA CIVIL ACADEMIA DE POLÍCIA CIVIL DE MINAS GERAIS CURSO: FORMAÇÃO POLICIAL CARREIRA MÉDICO LEGISTA PROVA FINAL ESPECÍFICA 17/ 03/ 2014 De 08h às 12h ORIENTAÇÃO 1. CONFIRA O SEU CADERNO DE PROVAS.

Leia mais

2 Relatório Médico-legal

2 Relatório Médico-legal 2 Relatório Médico-legal Carlos Ehlke Braga Filho-médico legista O relatório médico-legal é a narração escrita e minuciosa de todas as operações de uma perícia médica, determinada por autoridade policial

Leia mais

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS Prof. Dr. Eduardo Daruge Titular de Odontologia Legal e Deontologia da FOP-UNICAMP Prof. Medicina Legal da Faculdade de Direito da UNIMEP DEFINIÇÃO: PERÍCIAS

Leia mais

10/7/2012. Parecer médico legal

10/7/2012. Parecer médico legal Parecer médico legal São pareceres emitidos por médicos de reconhecido renome na área médica ou médico forense, mediante consulta, que serão utilizados para dirimir dúvidas Relatório médico legal É o documento

Leia mais

Sobre a autora SUMÁRIO PREFÁCIO... 15

Sobre a autora SUMÁRIO PREFÁCIO... 15 SUMÁRIO PREFÁCIO... 15 APRESENTAÇÃO... 19 CAPÍTULO 1 O ESTUDO DA MEDICINA LEGAL... 21 1. Histórico... 21 2. Medicina Legal no Brasil... 22 3. Áreas de atuação... 23 CAPÍTULO 2 PERÍCIA MÉDICO-LEGAL E SEUS

Leia mais

Medicina Veterinária Legal

Medicina Veterinária Legal Situar os peritos no mundo jurídico. Medicina Legal: é o estudo e a aplicação dos conhecimentos médicos e afins que devem ser utilizados para o esclarecimento de fatos e negócios jurídicos, bem como para

Leia mais

ENERGIAS DE ORDEM MECÂNICA 1 CONCEITO

ENERGIAS DE ORDEM MECÂNICA 1 CONCEITO ENERGIAS DE ORDEM MECÂNICA ENERGIAS DE ORDEM MECÂNICA 1 CONCEITO São as energias que, atuando mecanicamente sobre o corpo, modificam, completa ou parcialmente, o seu estado de repouso ou de movimento.

Leia mais

DE ALTA VELOCIDADE. Pedro Henrique B. de Vasconcellos Serviço o de Cirurgia Geral Hospital Cardoso Fontes

DE ALTA VELOCIDADE. Pedro Henrique B. de Vasconcellos Serviço o de Cirurgia Geral Hospital Cardoso Fontes DE ALTA VELOCIDADE Pedro Henrique B. de Vasconcellos Serviço o de Cirurgia Geral Hospital Cardoso Fontes Para entendermos o que ocorre nas lesões por PAF, precisamos estudar a Balística envolvida, o armamento

Leia mais

PLANO DE ENSINO - Curso Semestral - 2015

PLANO DE ENSINO - Curso Semestral - 2015 21/02/2011 Página 1 de 5 PLANO DE ENSINO - Curso Semestral - 2015 Disciplina MEDICINA LEGAL Curso Graduação Período 7 º Período Eixo de Formação Eixo de Formação Complementar Turmas A,B e D Código 26 Carga

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Residência Médica em Medicina Legal

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Residência Médica em Medicina Legal Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Programa de Residência Médica em Medicina Legal 1) Objetivos do programa O principal objetivo da Residência em Medicina Legal é a formação de especialistas

Leia mais

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro O QUE É VIOLÊNCIA SEXUAL Todos os anos, estima-se que 500.000 70% Mulheres das vítimas sejam vítimas de estupro no Brasil, e que outros tantos milhões sofram com abusos e violências sexuais. de estupro

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS Acionamento do serviço de emergência Antes de iniciar qualquer procedimento, garanta sua segurança e acione o serviço de emergência. 193 192 Fonte:

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO SERIAÇÃ O DIR7501 MEDICINA LEGAL 5 ANO OBRIG/OP/EST. PRÉ E CO-REQUISITOS AN./SEM

IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO SERIAÇÃ O DIR7501 MEDICINA LEGAL 5 ANO OBRIG/OP/EST. PRÉ E CO-REQUISITOS AN./SEM P R O G R A M A D E E N S I N O CURSO ANO DIREITO HABILITAÇÃO BACHARELADO DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL DEPARTAMENTO DE DIREITO PÚBLICO DOCENTE IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO SERIAÇÃ O DIR7501 MEDICINA

Leia mais

NEUSA MARIA ESTEVES BITTAR

NEUSA MARIA ESTEVES BITTAR Sobre a autora Sobre a autora NEUSA MARIA ESTEVES BITTAR Médica, formada em 1973 pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos UNILUS CRM 20291. Advogada, formada em 2001 pela Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

LOCALÍSTICA FORENSE. Rogéria M. Ventura, Ph D FMU - 2011

LOCALÍSTICA FORENSE. Rogéria M. Ventura, Ph D FMU - 2011 LOCALÍSTICA FORENSE Rogéria M. Ventura, Ph D FMU - 2011 PERÍCIA CRIMINAL INVESTIGAÇÃO DO CRIME Chegada do perito investigador ao local do crime e certificação da preservação; Reconhecimento inicial da

Leia mais

PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA. Policial BM Espínola

PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA. Policial BM Espínola PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA Policial BM Espínola LEMBRE-SE Antes de administrar cuidados de emergência, é preciso garantir condições de SEGURANÇA primeiramente

Leia mais

Traumatologia forense

Traumatologia forense Traumatologia forense CAPÍTULO 7 Traumatologia forense Trauma é a atuação de uma energia externa (exógena) sobre o indivíduo, suficientemente intensa para provocar desvio perceptível da normalidade ou

Leia mais

LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA

LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA IDENTIFICAÇÃO HUMANA Identificação pelo DNA - Identificação Médico-Legal - Perícias Odontológicas VOLUME II Editora Millennium CAMPINAS/SP

Leia mais

FORENSIC Training Seminars

FORENSIC Training Seminars FORENSIC Training Seminars FORENSIC Training Seminars Temos o prazer de apresentar a nossa proposta comercial para um programa de treinamento abaixo discriminado, que julgamos pó ser útil à sua organização:

Leia mais

Reencarnação. Gilberto Schoereder

Reencarnação. Gilberto Schoereder Reencarnação Gilberto Schoereder O delegado João Alberto Fiorini vem fazendo um trabalho exemplar de pesquisa científica na área da reencarnação, coletando casos e evidências em todo o país, e submetendo-as

Leia mais

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Í N D I C E Código Disciplina Página DIR 05-00188 Direito Penal I 2 DIR 05-00361 Direito Penal II 3 DIR 05-00528 Direito Penal III 4 DIR 0-00684 Direito Penal IV 5 DIR 05-07407

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. RECURSOS HUMANOS - PH/PHA Data: 28/03/2000 PESSOAS: NOSSA MELHOR ENERGIA

PRIMEIROS SOCORROS. RECURSOS HUMANOS - PH/PHA Data: 28/03/2000 PESSOAS: NOSSA MELHOR ENERGIA PRIMEIROS SOCORROS CONCEITO TRATAMENTO IMEDIATO E PROVISÓRIO CARACTERÍSTICAS DO SOCORRISTA CONHECIMENTO INICATIVA CONFIANÇA CRIATIVIDADE CALMA SOLIDARIEDADE ESTADO DE CHOQUE HIPOTENSÃO COM ACENTUADA BAIXA

Leia mais

REPRODUÇÃO HUMANA. Profª Fernanda Biazin

REPRODUÇÃO HUMANA. Profª Fernanda Biazin REPRODUÇÃO HUMANA Profª Fernanda Biazin Puberdade: período de transição do desenvolvimento humano, correspondente à passagem da fase da infância para adolescência. Alterações morfológicas e fisiológicas

Leia mais

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC nº 7331/2014 ASSUNTO: ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO PERITO E DO AUXILIAR DE NECROPSIA. PARECERISTA: CONSELHEIRO JOSÉ AJAX NOGUEIRA QUEIROZ

Leia mais

R.: b) O que garante o funcionamento das funções vitais nos organismos vivos? R.:

R.: b) O que garante o funcionamento das funções vitais nos organismos vivos? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 5º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== CÉLULA, UNIDADE BÁSICA DOS SERES VIVOS.

Leia mais

Objetivos. Salvar a vida humana. Minimizar a dor. Evitar complicações

Objetivos. Salvar a vida humana. Minimizar a dor. Evitar complicações Primeiros Socorros Objetivos Salvar a vida humana Minimizar a dor Evitar complicações Abordagem na vítima Verificar Sinais Vitais Verificar se há sangramento, fraturas e etc. Informar-se,se possível o

Leia mais

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis tivessem mais orientações ou tomassem mais cuidado

Leia mais

Radiologia Forense: Aplicação das Radiações Ionizantes na ingestão de entorpecentes. TR. Dhiego Gumieri. http: www.tecnorad.kit.

Radiologia Forense: Aplicação das Radiações Ionizantes na ingestão de entorpecentes. TR. Dhiego Gumieri. http: www.tecnorad.kit. Radiologia Forense: Aplicação das Radiações Ionizantes na ingestão de entorpecentes TR. Dhiego Gumieri http: www.tecnorad.kit.net Medicina Legal Tanatologia Forense Radiologia Forense Drogas Ilícitas Virtópsia

Leia mais

O que são DSTs? Gonorréia e/ou Uretrites não Gonocócicas, Tricomoníase, Candidíase.

O que são DSTs? Gonorréia e/ou Uretrites não Gonocócicas, Tricomoníase, Candidíase. O que são DSTs? DSTs significa, doenças sexualmente transmissíveis, que são passadas nas relações sexuais com pessoas que estejam com essas doenças. São DSTs, a gonorréia, a sífilis, a clamídia, o herpes

Leia mais

Momento ético Prontuário Médico

Momento ético Prontuário Médico Momento ético Prontuário Médico Luiz Antonio da Costa Sardinha Conselheiro Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo PRONTUÁRIO MÉDICO Tem um morto no plantão. Por onde iniciar História Tudo

Leia mais

Será que estou grávida?

Será que estou grávida? A UU L AL A Será que estou grávida? - Alzira tá diferente... Tá com a cara redonda, inchada. Está com cara de grávida! - Não sei o que eu tenho. Toda manhã acordo enjoada e vomitando. - A Neide engordou

Leia mais

FERIMENTOS. Classificação dos ferimentos abertos

FERIMENTOS. Classificação dos ferimentos abertos FERIMENTOS Ferimentos são lesões resultantes de agressão sobre as partes moles, provocadas por um agente traumático, acarretando dano tecidual. Podem ser classificados em abertos ou fechados, superficiais

Leia mais

Criança com deficiência

Criança com deficiência Criança com deficiência Não espero pelos outros. Começo eu mesmo. Como toda criança, a criança com deficiência precisa de muito amor, atenção, cuidados e proteção. Precisa também brincar com outras crianças

Leia mais

Roger Ancillotti. Considerações médico-legais sobre os crimes contra a liberdade sexual

Roger Ancillotti. Considerações médico-legais sobre os crimes contra a liberdade sexual Considerações médico-legais sobre os crimes contra a liberdade sexual Médico. Perito Legista, Professor de Medicina Legal. Ex-Diretor Geral do Instituto Médico Legal Afrânio Peixoto (RJ). Autor do livro

Leia mais

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS FÉRIAS ESCOLARES X ACIDENTES DOMÉSTICOS As férias escolares exigem mais cuidados com os acidentes domésticos porque as crianças ficam mais tempo em casa e isso aumenta o risco de ocorrerem acidentes que

Leia mais

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani.

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. O que são DSTS? São as doenças sexualmente transmissíveis (DST), são transmitidas, principalmente, por contato

Leia mais

Palestra Depois do Abuso Sexual Como encaminhar e lidar com criança vítima de abuso sexual

Palestra Depois do Abuso Sexual Como encaminhar e lidar com criança vítima de abuso sexual Palestra Depois do Abuso Sexual Como encaminhar e lidar com criança vítima de abuso sexual Guilherme Schelb, Promotor de Justiça da Infância em Brasília (1992-1995), especialista em temas da infância e

Leia mais

PARECER CREMEC nº 19/2013 20/09/2013

PARECER CREMEC nº 19/2013 20/09/2013 PARECER CREMEC nº 19/2013 20/09/2013 PROCESSO-CONSULTA Protocolo CREMEC nº 6924/2013 INTERESSADO: Médico Perito Legista ASSUNTO: CAUSA MORTIS INDETERMINADA PARECERISTA: DR. HELVÉCIO NEVES FEITOSA DA CONSULTA

Leia mais

O que é Hemofilia? O que são os fatores de coagulação? A hemofilia tem cura?

O que é Hemofilia? O que são os fatores de coagulação? A hemofilia tem cura? Volume1 O que é? O que é Hemofilia? Hemofilia é uma alteração hereditária da coagulação do sangue que causa hemorragias e é provocada por uma deficiência na quantidade ou qualidade dos fatores VIII (oito)

Leia mais

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO Claudia de Lima Witzel SISTEMA MUSCULAR O tecido muscular é de origem mesodérmica (camada média, das três camadas germinativas primárias do embrião, da qual derivam

Leia mais

CADERNO DE RASCUNHO DIREITO PENAL

CADERNO DE RASCUNHO DIREITO PENAL Ordem dos Advogados do Brasil Exame de Ordem Unificado 2010.2 Prova Prático-profissional CADERNO DE RASCUNHO DIREITO PENAL Leia com atenção as instruções a seguir: 1. Você está recebendo do fiscal de sala,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 11.770, DE 5 DE ABRIL DE 2002. (publicada no DOE nº 065, de 8 de abril de 2002) (vide abaixo partes vetadas

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 11.770, DE 5 DE ABRIL DE 2002. (atualizada até a Lei n.º 14.519, de 8 de abril de 2014) Estabelece o Plano de Classificação de Cargos e Vencimentos do Instituto-Geral de Perícias e reorganiza o

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae.

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Chamado de HPV, aparece na forma de doenças como condiloma acuminado, verruga genital ou crista de galo. -Há mais de 200 subtipos do

Leia mais

Primeiros Socorros. O que fazer imediatamente após acontecer um acidente?

Primeiros Socorros. O que fazer imediatamente após acontecer um acidente? Primeiros Socorros Dicas de Primeiros Socorros Você não precisa ser um socorrista experiente para conseguir ajudar alguém que se machucou no meio da natureza. Mas algumas coisas são fundamentais ter em

Leia mais

Minha filha está ficando uma moça!

Minha filha está ficando uma moça! Minha filha está ficando uma moça! A UU L AL A O que faz as meninas se transformarem em mulheres? O que acontece com seu corpo? Em geral, todos nós, homens e mulheres, somos capazes de lembrar muito bem

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE PALOTINA HOSPITAL VETERINÁRIO RELATÓRIO DE EXAME NECROSCÓPICO Identificação do animal Nome/número RG do HV Espécie: Raça: Idade: Sexo: Peso: Cor: Data e hora do

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA

CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA CÓDIGO PENAL Artigo 154. Revelar alguém, sem justa causa, segredo, de que tem ciência em razão de função, ministério, ofício ou profissão, e cuja revelação possa produzir dano a outrem: Pena detenção,

Leia mais

DECLARAÇÃO DE ÓBITO Código de Ética Médica (CEM sendo o seu fornecimento direito inquestionável do paciente A Declaração de óbito (DO),

DECLARAÇÃO DE ÓBITO  Código de Ética Médica (CEM sendo o seu fornecimento direito inquestionável do paciente A Declaração de óbito (DO), 1 DECLARAÇÃO DE ÓBITO Atestado é qualquer declaração efetuada por alguém capacitado por lei, podendo ser documento público ou particular, oficial (requisitado por autoridade judicial) ou oficioso (solicitado

Leia mais

N DO. Bairro Distrito/ Povoado Telefone. mãe pai irmão(ã) outro. chás comprimidos sonda coquetéis injetáveis não sabe

N DO. Bairro Distrito/ Povoado Telefone. mãe pai irmão(ã) outro. chás comprimidos sonda coquetéis injetáveis não sabe MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Análise de Situação de Saúde Formulário 1 Autópsia verbal Criança menor de um ano AV1 Ficha de Investigação de Óbito Infantil Complemento

Leia mais

Capítulo 3 Úlceras Tróficas de Perna

Capítulo 3 Úlceras Tróficas de Perna 10 Capítulo 3 Úlceras Tróficas de Perna As úlceras tróficas de perna constituem uma doença mutilante comum, que surge geralmente a partir de um pequeno trauma ou de uma infecção secundária em regiões da

Leia mais

Frases R & S. Introdução

Frases R & S. Introdução Frases R & S Introdução As chamadas Frases-R fornecem dicas para riscos especiais que podem surgir com o manuseio de substâncias ou formulações perigosas. A letra R é a abreviatura de risco. Após a Ordinance

Leia mais

Dúvidas Frequentes 1) O que é o teste de paternidade por DNA?

Dúvidas Frequentes 1) O que é o teste de paternidade por DNA? Dúvidas Frequentes 1) O que é o teste de paternidade por DNA? A análise em DNA é o meio mais preciso disponível atualmente para a determinação de paternidades ou maternidades duvidosas. É a extrema sensibilidade

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA O trabalho se inicia com uma avaliação diagnóstica (aplicação de um questionário) a respeito dos conhecimentos que pretendemos introduzir nas aulas dos estudantes de física do ensino médio (público alvo)

Leia mais

Quando suspeitar de abuso sexual Mesa-redonda Infanto-puberal. Dr Tarcísio Crócomo

Quando suspeitar de abuso sexual Mesa-redonda Infanto-puberal. Dr Tarcísio Crócomo Tarcísio Crócomo Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico ou

Leia mais

Neoplasia Maligna Dos Dois Tercos Anteriores Da Lingua Parte Nao Especificada

Neoplasia Maligna Dos Dois Tercos Anteriores Da Lingua Parte Nao Especificada SÅo Paulo, 20 de setembro de 2011 Protocolo: 0115/2011 Informo que a partir de 20/09/2011 alguns protocolos de atendimento da especialidade Cirurgia PlÑstica do Hospital das ClÖnicas foram desativados,

Leia mais

QUEIMADURAS. Profª Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com

QUEIMADURAS. Profª Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com QUEIMADURAS Profª Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Problemática da queimadura no Brasil São lesões frequentes em acidentes de trabalho. Considera-se a quarta causa de óbitos

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO FORENSE DE RESTOS MORTAIS

IDENTIFICAÇÃO FORENSE DE RESTOS MORTAIS IDENTIFICAÇÃO FORENSE DE RESTOS MORTAIS FOLHETO Ed Ou/CICV INTRODUÇÃO A identificação de restos mortais é importante por motivos humanitários e de ordem jurídica. A presente publicação propicia aos leigos

Leia mais

Conteúdo: - Puberdade e adolescência: A maturidade sexual - Os sistemas genitais masculinos e femininos - O que é menstruação CIÊNCIAS DA NATUREZA

Conteúdo: - Puberdade e adolescência: A maturidade sexual - Os sistemas genitais masculinos e femininos - O que é menstruação CIÊNCIAS DA NATUREZA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdo: - Puberdade e adolescência: A maturidade sexual - Os sistemas genitais masculinos e femininos - O que é menstruação 2 CONTEÚDO E HABILIDADES

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Amarelado. Característico ph 10,00 11,50 g/cm3 ( 20ºC )

RELATÓRIO TÉCNICO. Amarelado. Característico ph 10,00 11,50 g/cm3 ( 20ºC ) RELATÓRIO TÉCNICO I - DADOS GERAIS: Nome do Produto: ÁGUA SANITÁRIA Estado Físico: Líquido Cuidados para conservação: Conservar o produto na embalagem original. Proteger do sol, do calor e da umidade.

Leia mais

Perícia Criminal CONVERSÃO DO CURSO REGULAR PARA PÓS-GRADUAÇÃO

Perícia Criminal CONVERSÃO DO CURSO REGULAR PARA PÓS-GRADUAÇÃO O Grupo Verbo Jurídico figura hoje como uma das instituições mais completas quando se trata de preparação para Concursos Públicos, também atuando no segmento editorial e de ensino. No ramo de ensino, destaca-se

Leia mais

21/6/2011. eduardoluizaph@yahoo.com.br

21/6/2011. eduardoluizaph@yahoo.com.br A imagem não pode ser exibida. Talvez o computador não tenha memória suficiente para abrir a imagem ou talvez ela esteja corrompida. Reinicie o computador e abra o arquivo novamente. Se ainda assim aparecer

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA, SIGILO E REGISTRO ELETRÔNICO DO PACIENTE. Curitiba, 21 de novembro de 2012

CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA, SIGILO E REGISTRO ELETRÔNICO DO PACIENTE. Curitiba, 21 de novembro de 2012 CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA, SIGILO E REGISTRO ELETRÔNICO DO PACIENTE Curitiba, 21 de novembro de 2012 CONFLITO DE INTERESSES Declaro não haver conflito de interesses na apresentação desta palestra, sendo que

Leia mais

CARTILHA DA GRÁVIDA 1

CARTILHA DA GRÁVIDA 1 CARTILHA DA GRÁVIDA 1 2 SUMÁRIO SOBRE A FEBRASGO 4 PRIMEIROS SINTOMAS 5 ETAPAS DA GESTAÇÃO 6 IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL 8 OBJETIVOS DO PRÉ-NATAL JUNTO À MÃE 9 OBJETIVOS DO PRÉ-NATAL JUNTO AO BEBÊ 10 OBJETIVOS

Leia mais

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO LIVRE E INFORMADO PARA PARTO

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO LIVRE E INFORMADO PARA PARTO TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO LIVRE E INFORMADO PARA PARTO O objetivo deste Termo de Esclarecimento e Consentimento Informado, utilizado pelo HOSPITAL E MATERNIDADE SANTA JOANA, é esclarecer

Leia mais

Perpetuando a vida - 2

Perpetuando a vida - 2 A U A UL LA Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Perpetuando a vida - 2 Atenção - Maria, olhe só o resultado do exame: positivo para gonadotrofina coriônica! Alberto e Maria olharam um para o outro, sem

Leia mais

Previdência Social: quem tem direito à aposentadoria?

Previdência Social: quem tem direito à aposentadoria? Previdência Social: quem tem direito à aposentadoria? Quando o assunto é aposentadoria, é comum surgir à questão: como se manter financeiramente após o término da idade ativa? A Previdência Social é um

Leia mais

LAUDO MÉDICO PERICIAL.

LAUDO MÉDICO PERICIAL. 1 LAUDO MÉDICO PERICIAL. Preâmbulo. Ao primeiro dia do mês de outubro do ano de 2008, o Perito Dr. OSCAR LUIZ DE LIMA E CIRNE NETO, designado pelo MM Juiz de Direito da 18ª Vara Cível da Comarca de São

Leia mais

Higiene e Segurança no Trabalho

Higiene e Segurança no Trabalho Curso Técnico em Mecânica Integrado ao Ensino Médio. Higiene e Segurança no Trabalho EPI & EPC Joinville, outubro de 2014 Medidas de Proteção no Trabalho Quando se fala em Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS SEXUAIS

ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS SEXUAIS ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS SEXUAIS As anomalias cromossômicas sexuais ocorrem em virtude de meioses atípicas durante o processo da gametogênese, isto é, a produção de gametas (espermatozoide e óvulo). Especificamente

Leia mais

Raios X. Riscos e Benefícios. Faculdade Novaunesc. Rosa de Hiroshima. Ney Matogrosso. Tecnologia em Radiologia. Turma: 2011.1

Raios X. Riscos e Benefícios. Faculdade Novaunesc. Rosa de Hiroshima. Ney Matogrosso. Tecnologia em Radiologia. Turma: 2011.1 Rosa de Hiroshima Ney Matogrosso Pensem nas crianças Mudas telepáticas Pensem nas meninas Cegas inexatas Pensem nas mulheres Rotas alteradas Pensem nas feridas Como rosas cálidas Mas, oh, não se esqueçam

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS

PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS 8º ANO PROFESSORA: LUCIANA PERES

Leia mais

QUESTÕES DE MEDICINA LEGAL

QUESTÕES DE MEDICINA LEGAL QUESTÕES DE MEDICINA LEGAL 1) A identificação de uma pessoa se define como um conjunto de características que individualiza a pessoa, tornando-a diferente das demais. Sob esta óptica, o exame de DNA, embora

Leia mais

Nome Nº Turma Data / /20. Avaliação NS S SB EX

Nome Nº Turma Data / /20. Avaliação NS S SB EX Teste Avaliação Ciências Naturais 9º Ano Nome Nº Turma Data / /20 Classificação Competências Conhecimento Raciocínio Comunicação (Língua Materna) Avaliação NS S SB EX Cotação % Professor(a) Enc. de Educação

Leia mais

Lei Maria da Penha. Pelo fim da violência. ulher. contra a

Lei Maria da Penha. Pelo fim da violência. ulher. contra a Lei Maria da Penha Pelo fim da violência ulher contra a Ligação gratuita, 24 horas, para informações sobre a Lei Maria da Penha e os serviços para o atendimento às mulheres em situação de violência. Lei

Leia mais

Principais formas de cancro na idade adulta

Principais formas de cancro na idade adulta Rastreio do cancro na idade adulta Principais formas de cancro na idade adulta Cancro do colo do útero Cancro da mama Cancro do cólon Cancro testicular Cancro da próstata SINAIS DE ALERTA O aparecimento

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO AMAZONAS DEPARTAMENTO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA SETOR DE CRIMES CONTRA A VIDA

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO AMAZONAS DEPARTAMENTO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA SETOR DE CRIMES CONTRA A VIDA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO AMAZONAS DEPARTAMENTO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA SETOR DE CRIMES CONTRA A VIDA FORMULÁRIO DE LOCAL DE CRIME CONTRA A VIDA / ENCONTRO DE CADÁVER DATA: / /

Leia mais

Perpetuando a vida - 1

Perpetuando a vida - 1 A U A UL LA Perpetuando a vida - 1 Atenção Exercícios Lineu chegou radiante à lanchonete. Finalmente tinha recebido a notícia do médico, a notícia que tanto esperava. Em vez do tradicional suco de laranja,

Leia mais

Pós Operatório. Cirurgias Torácicas

Pós Operatório. Cirurgias Torácicas Pós Operatório Cirurgias Torácicas Tipos de Lesão Lesões Diretas fratura de costelas, coluna vertebral ou da cintura escapular, hérnia diafragmática, ruptura do esôfago, contusão ou laceração pulmonar.

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA. Material organizado pelo Prof. Cristiano Alfredo. Rupp.

MANUAL DE NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA. Material organizado pelo Prof. Cristiano Alfredo. Rupp. MANUAL DE NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA Material organizado pelo Prof. Cristiano Alfredo. Rupp. NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO DE QUÍMICA Para um trabalho com segurança e com menores

Leia mais

Local: Escola Nossa Senhora do Carmo

Local: Escola Nossa Senhora do Carmo Assunto: Reunião/Palestra sobre saúde para orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as ações preventivas na área da saúde pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Eliane

Leia mais

A Experiência do IML de São Paulo em ACIDENTE DE MASSA

A Experiência do IML de São Paulo em ACIDENTE DE MASSA A Experiência do IML de São Paulo em ACIDENTE DE MASSA Shopping Center Osasco 11 de junho de 1996 Shopping Center Osasco VÍTIMAS Lesão Corporal 380 Óbitos Local Hospital 36 5 Shopping Center Osasco Reconhecimento

Leia mais

Inicie a disciplina apresentando o objetivo geral e os específicos para esta aula que estão no Plano de Aula Teórica da disciplina de Primeiros

Inicie a disciplina apresentando o objetivo geral e os específicos para esta aula que estão no Plano de Aula Teórica da disciplina de Primeiros Inicie a disciplina apresentando o objetivo geral e os específicos para esta aula que estão no Plano de Aula Teórica da disciplina de Primeiros Socorros 1, neste material. 93 Para iniciar uma discussão

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA Índice 1. Competência...3 1.1. Critérios Objetivos... 3 1.1.1. Critérios Subjetivos... 4 1.1.2. Competência Territorial... 4 2. Dos Processos...4

Leia mais

Professora: Ms Flávia

Professora: Ms Flávia Professora: Ms Flávia Sua principal função é: Transporte de nutrientes necessários à alimentação das células; Transporte de gás oxigênio necessário à respiração celular; Remoção de gás carbônico produzido

Leia mais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais Riscos Ambientais Riscos Ambientais São os agentes, elementos ou substâncias presentes nos locais de trabalho. A exposição dos trabalhadores a estes agentes pode causar acidentes com lesões ou danos à

Leia mais

A. Patologias vasculares B. Choque C. Hemostasia. 2 Letícia C. L. Moura

A. Patologias vasculares B. Choque C. Hemostasia. 2 Letícia C. L. Moura Alterações Circulatórias Edema, Hiperemiae e Congestão, Hemorragia, Choque e Hemostasia PhD Tópicos da Aula A. Patologias vasculares B. Choque C. Hemostasia 2 Patogenia Edema A. Patologias Vasculares Fisiopatogenia

Leia mais

Secretaria Nacional de Segurança Pública PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO (POP) PERÍCIA CRIMINAL

Secretaria Nacional de Segurança Pública PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO (POP) PERÍCIA CRIMINAL Ministério da Justiça Secretaria Nacional de Segurança Pública PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO (POP) PERÍCIA CRIMINAL POP nº 2.1 - GENÉTICA FORENSE Publicado em SET/2013 COLETA DE MATERIAL BIOLÓGICO REFERÊNCIA

Leia mais

CIÊNCIAS DA NATUREZA REVISÃO 1 REVISÃO 2 INTERATIVIDADE SISTEMA SOLAR

CIÊNCIAS DA NATUREZA REVISÃO 1 REVISÃO 2 INTERATIVIDADE SISTEMA SOLAR SISTEMA SOLAR 2 Aula de Revisão 1 Planeta terra Somos todos habitantes do planeta Terra. É nosso dever mantê-lo habitável. 3 Planeta Terra habitável 4 Planeta Terra não habitável 5 Dicas para cuidar melhor

Leia mais

GRUPO 10 Padrão FCI N o 269 29/11/2000

GRUPO 10 Padrão FCI N o 269 29/11/2000 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 10 Padrão FCI N o 269 29/11/2000 Padrão Oficial da Raça SALUKI 2 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada à Fédération

Leia mais

SISTEMA CIRCULATÓRIO

SISTEMA CIRCULATÓRIO SISTEMA CIRCULATÓRIO FUNÇÕES DO SISTEMA CIRCULATÓRIO: Transporte de substâncias : * Nutrientes para as células. * Resíduos vindos das células. *Gases respiratórios. * Hormônios. OBS: O sangue também pode

Leia mais