Fernando Salla (NEV-USP/USF) Maria Gabriela S. M. C. Marinho (Museu Histórico-FMUSP/USF)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fernando Salla (NEV-USP/USF) Maria Gabriela S. M. C. Marinho (Museu Histórico-FMUSP/USF)"

Transcrição

1 Medicina Legal e perícias médicas em processos criminais. Constituição de saberes e aplicação de procedimentos médico-legais. Campo, personagens e práticas periciais: São Paulo e Bragança. ( ) Fernando Salla (NEV-USP/USF) Maria Gabriela S. M. C. Marinho (Museu Histórico-FMUSP/USF) 1. Instituições, saberes e personagens: aproximações O artigo procura analisar a constituição da Medicina Legal em São Paulo como especialidade médica 1 e identifica como dimensão relevante deste processo a instalação da cadeira de Medicina Legal em 1918, na então recém-criada Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo. Ao mesmo tempo, procura analisar como se organizavam, no campo jurídico, práticas periciais legitimadas pelo saber médico-legal, em um contexto no qual a institucionalização da especialidade encontrava-se em processo de afirmação em São Paulo. As análises fundamentam-se na documentação coletada em duas fontes distintas: processos oriundos do sistema de justiça criminal do Fundo do Poder Judiciário da Comarca de Bragança e do acervo do Museu Histórico (FMUSP) 2. A periodização proposta, de 1890 a 1940, articula-se a um conjunto de elementos. Além de recortar o período de vigência do primeiro Código Penal Republicano 3, considera também que a Medicina Legal como especialidade médica estará madura e plenamente constituída em São Paulo na década de A periodização acompanha também a trajetória de Flamínio Favero, personagem-chave no processo de institucionalização dessa especialidade a partir da Faculdade de Medicina. 1 A disciplina de Medicina Legal compunha o currículo do curso de Direito e foi ministrada, entre outros, pelo bacharel em direito Alcântara Machado e pelo médico Antônio Almeida Prado. 2 As informações das perícias médicas resultam de coleta realizada no projeto de pesquisa A Modernização do Sistema de Justiça Criminal da Região de Bragança Paulista ( ) financiado pelo CNPq-USF (Processo: CNPq /2006-2). A documentação, proveniente do Fundo do Arquivo do Poder Judiciário da Comarca de Bragança, encontra-se depositado no Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa em História e História da Educação da Universidade São Francisco (CDAPH-USF), localizado no campus de Bragança Paulista. No Museu Histórico da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) encontra-se documentação diversificada proveniente de arquivos pessoais e institucionais do campo médico. 3 Sobre o Código Penal de 1890, consultar ALVAREZ, SALLA e SOUZA (2003) Cd-Rom.

2 Diplomado pela primeira turma da Faculdade de Medicina, Flamínio permaneceu vinculado à escola, a partir de 1919, como preparador, primeiro grau da carreira docente. Logo depois, mediante concurso, foi nomeado professor substituto 4. Em 1923, com a morte de Oscar Freire, assumiu a vaga de catedrático, posição que ocupou por 32 anos, até 1955, quando foi jubilado. Em 1923, a Cadeira de Medicina Legal seria desmembrada da Cadeira de Higiene. Logo depois, a Higiene tornaria-se autônoma em relação à Faculdade de Medicina, com a criação do Instituto de Higiene em Mais tarde, em 1931, Favero organizou o Instituto Oscar Freire (IOF), que reuniu as cadeiras de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social e do Trabalho A formação do campo: parâmetros de análise e circulação dos saberes A institucionalização da disciplina e do campo da Medicina Legal é considerada a partir de dois parâmetros de análise. Primeiro, como especialidade médica, em seu viés acadêmico e científico, toma como referência a instalação da Cadeira de Medicina Legal em O segundo parâmetro desloca a análise para a consolidação do campo científico em sua expressão institucional, ou seja, pela criação de associações e sociedades, edição de publicações específicas e realização de eventos na área. Nessa perspectiva, verifica-se ao longo da década de 1920 uma intensa atividade organizacional. A criação de associações científicas, publicações especializadas e realização de eventos dedicados ao tema tornaram-se freqüentes no período. Em 1921, por 4 Diplomado pela primeira turma da Faculdade de Medicina, em fevereiro de 1919, Flaminio Favero foi nomeado Preparador da Cadeira de Medicina Legal no mês seguinte, em março. No mesmo ano, 1919, em novembro, após concurso, tornou-se professor substituto de Higiene e Medicina Legal. Cf. Acervo Museu Histórico (FMUSP) 5 Conferir: FARIA (1994 e 2003), ROCHA (2003) e CAMPOS (2002). 6 Flamínio Favero assumiu várias funções de relevo no campo médico. Na Faculdade de Medicina, foi vicediretor em 1930 e diretor em 1937 e Foi também presidente da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo, quando realizou a Primeira Semana Paulista de Medicina Legal. Subseqüentemente, tornou-se presidente da Sociedade de Medicina Legal e Criminologia de São Paulo, diretor da Penitenciária do Estado e membro do Conselho Penitenciário. Autor do clássico Tratado de Medicina Legal, em três volumes, cujas edições se sucederam entre 1938, data da primeira edição, até 1980, 11 a edição, quando ainda continuava utilizado por alunos de Medicina e de Direito, além de médicos e advogados em suas práticas profissionais. Orientou cerca de 200 teses e formou professores na área da Medicina Legal. Ainda assim, o culto a Oscar Freire prevaleceu, mesmo o médico baiano tendo exercido sua cátedra em São Paulo por apenas cinco anos. Para detalhes da trajetória de Flamínio Favero, conferir Acervo Museu Histórico-FMUSP Cd-Rom.

3 exemplo, professores da Faculdade de Direito e da Faculdade de Medicina instalaram a Sociedade de Medicina Legal e Criminologia de São Paulo. Subseqüentemente, criaram a revista Archivos da Sociedade de Medicina Legal e Criminologia de São Paulo, cujo primeiro número circulou entre 1922 e Mais tarde, em 1929, a publicação ampliou seu espectro institucional e editorial. Sob a denominação de Revista de Criminologia e Medicina Legal incorporou novas seções e novos colaboradores. Ampliaram-se também as entidades responsáveis por sua edição, entre elas a Penitenciária do Estado, órgão que se tornou co-editor da publicação. A partir da consolidação de um campo institucional propício à produção, reprodução e disseminação de conhecimentos na área médico-legal, evidente na capital na década de 1920, é possível buscar elementos para compreender como se processavam as práticas periciais realizadas no interior do estado de São Paulo. No caso da documentação coletada no Fundo do Poder Judiciário de Bragança, encontram-se registros da atuação de peritos locais e das condições de realização das respectivas perícias. A análise de oito processos criminais contendo exames de corpo de delito, relativos a casos de defloramento, aborto, tentativa de suicídio e lesões corporais, 7 indica as condições precárias de atuação dos peritos locais, seja pela inexistência de espaços ou qualificação adequados, seja pela irrelevância dos laudos no julgamento dos processos ou no andamento dos inquéritos. Um dos elementos mais evidentes dessa precariedade referese ao perfil dos peritos designados para a realização das perícias, procedentes em sua grande maioria de ocupações distintas ou apenas correlatas ao campo específico da medicina, tais como coronéis ou farmacêuticos. Mais tarde, médicos de formação clínica serão convocados a participar das perícias. 7 Relação dos processos examinados 1. Processo Crime 1899: Defloramento (Delfim Bueno de Camargo: réu, Ana Maria de Jesus: ofendida) 2. Processo Criminal 1902: Defloramento (Antônio Manoel Gonçalves Junior: réu, Fausta Maria da Conceição: vítima) 3. Sumário de Culpa 1903: Defloramento (Benedito Salgado: réu, Sebastiana Felisbina Moreira: vítima) 4. Sumário de Culpa 1907: Tentativa de homicídio (Maria Joana, ré) 5. Processo Crime 1912: Defloramento (João Evangelista: réu) 6. Sumário de Culpa 1915 Ferimento (Major Francisco de Assis Gonçalves: réu) 7. Inquérito Policial 1915: Abortamento (Francisco de Assis Durvalim: indiciado, Aurora Maria de Jesus: ofendida) 8. Inquérito Policial 1937: Tentativa de Suicídio (Claro Franco e Ernesto de Oliveira: vítimas) Cd-Rom.

4 Contudo, a perspectiva de uma intervenção social mais direta, legitimada pelo saber médico-científico, havia encontrado espaço no ambiente social de Bragança desde o início do século XX. Em 1906, por exemplo, o delegado de Polícia, Euclides da Silva, dirigiu um ofício à Câmara de Vereadores no qual solicitava a instalação na cidade de um gabinete antropométrico, conforme publicação do jornal A Notícia (apud, Bueno, 2007:57), trecho transcrito a seguir. Na Polícia, Gabinete antropometrico Um officio No louvável intento de dotar nossa cidade de uma delegacia de polícia que, mais ou menos, satisfaça às complexas exigências duma repartição, o sr. Dr. Euclides Silva, como delegado, dirigiu a câmara municipal desta cidade um officio solicitando um auxilio para a fundação de um gabinete antropometrico. Esta medida fará, si for levaa a effeito, que a nossa cidade, exceptuando a capital, seja a única do Estado dotada de tal melhoramento... Delegacia de Policia de Bragança, em 12 de abril de Illustres cidadãos Desejando, na medida de minhas forças, contribuir como Delegado de Policia para o engrandecimento dessa localidade, já tao prospera de vida graças aos esforços ingentes de honrados cidadãos sobretudo de vós, resolvi endereçar-vos o presente officio, comunicando que tenho o desejo de installar, na repartiçao de Policia dessa cidade, um pequeno gabinete antropometrico. As vantagens que advêm de tal melhoramento, não só para o serviço de identificação de criminosos, como também para as notações chromaticas e as observações antropometricas sobre os vagabundos e desordeiros que forem presos, são de muito alcance assas consideraveis; não contando com o auxilio que prestara as pessoas que desejarem passaportes para se ausentarem, as quaes, com sua respectiva fixas, poderão ser reconhecidas em qualquer parte do mundo. Accresce que, si o meu plano for coroado de êxito, como espero, ficará esta cidade como a primeira que, no Estado de São Paulo, afora a capital, ficará possuindo o gabinete de antropometria [...] O Delegado de Policia Cd-Rom.

5 Dr. Euclides Silva (A Noticia, 21/04/1906, ano I, nº 53, p.1) 3. A Medicina Legal como especialidade médica: disputas na formação do campo Como assinalado acima., a criação da Cadeira de Medicina Legal compôs em 1918 a última etapa de implantação do curso médico da Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo e sua instalação ocorreu em conjunto com a Cadeira de Higiene, para a qual haviam sido destinados os primeiros recursos provenientes dos acordos assinados com Fundação Rockefeller 8 a partir de A instalação de um curso de medicina às expensas do poder público estadual tivera início no final de 1912 com as primeiras aulas no início do ano seguinte, O processo era resultado da recomposição política promovida pela recondução de Rodrigues Alves ao governo do Estado. A primeira legislação em torno da criação do ensino médico oficial em São Paulo havia sido promulgada por Américo Brasiliense em 1891, em meio a um conturbado cenário político que levou à sua deposição cerca de um mês depois da assinatura do decreto 9. Instalado por etapas a partir de 1913, o funcionamento provisório da escola sucedia-se em locais adaptados: inicialmente as aulas teóricas eram promovidas na Escola de Comércio Alvares Penteado no Largo São Francisco, posteriormente na Escola Politécnica, por ultimo no casarão de número 45 da rua Brigadeiro Tobias, no centro da cidade de São Paulo. O ensino clínico realizado por cerca de três décadas na Santa Casa de Misericórdia reforçava, na crônica destes tempos iniciais, o registro direto e indireto da precariedade do curso 10. Contudo, ao quadro de instabilidade dos anos iniciais, serão agregadas novas circunstâncias que contribuiriam para redefinir as diretrizes da Faculdade de Medicina e da Cadeira de Medicina Legal. Num intervalo de apenas três anos morreram sucessivamente Arnaldo Vieira de Carvalho, em 1920, e Oscar Freire em Para detalhes do acordo, consultar MARINHO (2003) 9 Entre a primeira e a segunda legislação, um curso médico chegou a funcionar em condições adversas na cidade na Universidade Livre de São Paulo, criada em 1911 e cujas atividades foram encerradas em Uma produção memorialística consagradora em torno da Faculdade de Medicina vem sendo substituída nos últimos anos por uma produção acadêmica consistente. Ver, por exemplo, NADAI (1987), MARINHO (2003), MOTA (2005), SILVA ( 2003) Cd-Rom.

6 Imersos numa conjuntura social e política em que as relações individuais e o prestígio pessoal assumiam um peso preponderante na construção das instituições e dos espaços de poder, ambos haviam sido escolhas muito bem demarcadas no projeto de instalação da Faculdade de Medicina. Arnaldo, por exemplo, provinha da cidade de Campinas, e era filho do vice-presidente da Província, José Joaquim Vieira de Carvalho, advogado e antigo diretor da Faculdade de Direito. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, Arnaldo desde cedo ocupou um leque de posições proeminentes: Vacinogênico, Hospedaria, Policlínica. A condução ao cargo de direção da Faculdade de Medicina, portanto, cercava-se grande legitimidade entre os contemporâneos. A morte de Arnaldo em 1920, aos 54 anos, por outro lado produziu um culto à sua memória que, embora mitigado pelo tempo, permanece, mesmo difuso, nos dias atuais. A documentação disponível aponta a indicação de Oscar Freire para a Cadeira de Medicina Legal como objeto de disputa em São Paulo, mas resultado da escolha pessoal de Arnaldo, como de resto, aparentemente, teria ocorrido na montagem do corpo docente da Faculdade de Medicina, desde Um elemento esclarecedor dos componentes pessoais presentes nos arranjos institucionais pode ser verificado pela troca de correspondência entre Arnaldo Vieira de Carvalho e Luiz Fellipe Jardim, antigo colega de turma no Rio de Janeiro que pleiteou insistentemente a vaga de professor de Medicina Legal. Na correspondência enviada, o timbre do papel registra: Dr. Luiz F. Jardim - Médico Operador Especialista em Moléstias de Senhoras Telephone 487 São Paulo. Como se trata de um material bastante elucidativo, alguns trechos desta correspondência encontram-se transcritos a seguir. Na primeira carta, enviada em1917, Luiz Jardim dirigese a Arnaldo nos seguintes termos: S. Paulo, 7 de Fevereiro Distinto collega dr. Arnaldo Vieira de Carvalho. Saudações 11 O documento original manuscrito encontra-se no acervo do Museu Histórico FMUSP. Manteve-se, para todas as transcrições, a grafia original da época e a pontuação, conforme constante nos originais Cd-Rom.

7 Acreditando ser digno de aspirar uma cadeira de professor de medicina legal ou de hygiene da Faculdade de Medicina de S. Paulo, da qual o illustre collega é muito digno Director. Não venho pedir, porque lugar de professor cathedratico ou substituto não se pede, más, sim apresentar-me candidato ao lugar de lente cathedratico ou substituto de uma das referidas matérias, para as quaes já tive occazião de inscrever-me em 1915 no concurso d Academia de Direito de S. Paulo. Devido à uma arbitrariedade que redundou em benefício e proteção ao único bacharél em sciencias jurídicas e sociaes, que havia à aquella occazião. Um simples aviso do Ministro do Interior do governo Prudente de Moraes, prohibiu a entrada no concurso de médicos. Porém, logo depois, que o bacharel foi approvado simplesmente em concurso e nomeado lente de medicina legal e hygiene, o mesmo ministro baixou outro aviso declarando, que d aquella data em diante os medicos terião direito de apresentarem-se em concurso para os lugares de lentes de medicina legal e hygiene das Academias de Direito do Brazil. Facto esse simplesmente edificante! Não sei se serei digno ou não de ser escolhido pelo respeitavel collega, para professor da Faculdade de Medicina de S. Paulo. Apresento-me candidato, porque além de sêr paulista, e medico clinico no hospital haverá muitos annos, tenho prestado muitos serviços ao Estado, e quanto a minha habilitação e capacidade, já que não posso manifestal-a em concurso, pessoa alguma melhor do que a meu distincto collega poderá avaliar, porque o nosso conhecimento vêm de longa data, tive a honra de diplomar-me em Medicina juntamente com o collega em Esperando uma avaliação da minha justa pretensão, agradecido subscrevo-me Do collega, amigo e admirador Luiz Felippe Jardim Rua, 15 de novembro 29 A resposta de Arnaldo Vieira é prontamente encaminhada. Depois dela, a polêmica será instalada no ano seguinte, conforme exposto mais adiante. Em 9 de fevreiro de Meu caro collega. De posse de sua presada carta, onde se declara candidato a cadeira de lente de medicina legal na Faculdade que, por mal cabida confiança do Governo, dirijo, me apresso a Cd-Rom.

8 responder, nenhuma objecção fazer a essa sua pretensão. Reconheço no velho companheiro de estudos todas as qualidades e requisitos para ser um professor brilhante e perfeito, capaz de hombrear com os mais reputados médicos legistas, levantar bem alta a reputação dos paulistas no desempenho do professorado. Executo, porém, ordens no posto de confiança em que estou e a escolha dos professores não é minha e sim do Governo. Minha intervenção como seu orientador, nestes casos, obedece sempre as injunções do desenrolar dos acontecimentos e, por isso, não posso nem devo assumir compromissos prévios na questão. Depende do amigo e Collega sua nomeação. Imponha-se ao Governo pelos títulos que possue e pelos muitos que conquistará em pesquisas scientificas de que é e será capaz até o momento de se tratar do provimento das cadeiras em questão. E então o Governo do Estado, como sempre acontece, obdecerá às indicações da opinião publica e indicações da classe medica. Será para mim, creia, immenso prazer dar ao velho amigo e companheiro de estudos posse da cadeira de medicina legal. Do amigo e Collega 12 No dia seguinte, Luiz Jardim responde nos seguintes termos: S. Paulo, 10 de Fevereiro 1917 Prezadissimo amigo e distincto collega Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho Penhoradissimo pela elevada e criteriosa linguagem do egregio collega, que sempre mereceu-me toda consideração e admiração, acabo de receber a sua gentillissima carta. Agradecendo de coração os elevados conceitos que bondosamente faz da minha humildade personalidade, acceito o seu conselho. Apresentar-me-hei candidato ao lugar de professor de medicina legal da Faculdade de Medicina de S. Paulo, 12 Sem assinatura no documento original que foi datilografado Cd-Rom.

9 procurarei em occazião opportuna, reunir dados e documentos para facilitar tal aspiração. Porém, se não for escolhido e nomeado lente, jamais procederei como um despeitado, deixando de reconhcêr o inquestionavel mérito e valor do meu distincto collega, cuja bella reputação de que goza, é principalmente oriunda de seu reconhecido talento, do seu brilhantismo no exercício da cirurgia e da medicina, da nobreza indiscutível do seu caracter por todos os homens de bem respeitado e acatado. Mais de uma vez, com a devida independência e franqueza, que sempre me caracterizou, tenho-lhe dfendido de mesquinhas e malcabidas censuras. Sou de opinião e serei sempre, que a Faculdade de Medicina e Cirurgia de S. Paulo, não podia ter um Director mais digno e mais abalisado, nenhuma das escolas de Medicinas do Brazil, possue um Director superior à de S. Paulo, creio poder affirmar, que as escolas de Medicina e Cirurgia estrangeiras possuirão excellentes directôres, porém jamais superiores em qualidades Moraes, em illustração e habilitação ao meu respeitavel collega. Veritas super ominia. Com todo respeito e estima subscrevo-me: Do collega e amigo grato Luiz Felippe Jardim Rua 15 de Novembro, 29 Em 1918, Oscar Freire, proveniente da Faculdade de Medicina da Bahia, discípulo de Nina Rodrigues, foi nomeado para a Cadeira de Medicina Legal e chegou a São Paulo cercado de prestígio. Diante da nomeação, Luiz Jardim dirigiu-se novamente a Arnaldo, dessa vez de modo formal, ácido e contundente: São Paulo, 15 de Janeiro de Exmo. Senhor Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho, Digno Director Faculdade de medicina e cirurgia de S. Paulo Respeitosos cumprimentos. Acreditando de accordo, com a noticia do Diário Popular de 12 do corrente mez, que já 13 Ao contrário das duas cartas anteriores, essa e as demais foram datilografadas Cd-Rom.

10 foi nomeado um medico da Bahia, para reger a cadeira de medicina legal da Faculdade de S. Paulo. Em carta que lhe escrevi em principios do anno de 1917, apresentei-me candidato a essa cadeira, de accordo com o direito, com a razão de ser dos factos e da justiça, Sendo suplantado, e despresado sem conhecer qual o motivo? Peço-lhe o favor de declarar-me quaes as causas que concorreram para que não fosse noméado professor de medicina legal da referida Faculdade. Somente deante de uma explicação justa e razoavel, não terei necessidade de explicar aos meus collegas, amigos e conterranéos, porque motivo deixei de ser nomeado para o lugar de lente de medicina, apesar contar com todos requisitos necessários; desde que a nomeação fosse feita com o direito e a justiça. Com a estima e consideração, sou: De Vexa. collega e admirador Luz Fellipe Jardim A resposta de Arnaldo, enviada no dia seguinte, retoma os argumentos do ano anterior e transfere a responsabilidade pela nomeação para uma órbita alheia a seu âmbito de decisões: 16 Janeiro 8 Ilmo Snr. Dr. Luiz Felippe Jardim Respeitosos cumprimentos, Em resposta ao favor de V.S. de 15 do corrente, me apresso em dizer que como affirmei em carta anterior, as indicações por mim feitas ao Governo obedeceram sempre a suggestao da classe medica. É ella quem me aponta as competências a escolher. Ora, no caso em questão, entre múltiplas consultas, nem uma só vez foi V. S. designado pelos nossos pares para o cargo a preencher. E por esse motivo não foi V. S indicado para a cadeira de Medicina Legal. Não queria dizer isto com franqueza, mas a carta de V.S. a tanto me obriga. Não fosse isso e immenso seria o meu prazer em distinguir um companheiro de Academia Cd-Rom.

11 A réplica de Luiz Jardim revela a percepção de um jogo político que o discurso de Arnaldo Vieira de Carvalho tentava dissimular e do qual ele próprio, Jardim, afinal quisera participar. São Paulo, 15 de janeiro, de 1918 Senhor Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho, Digno Director da Faculdade de Medicina e de Cirurgia de S. PAULO. Saúdações. Respondendo a carta de Vsa. de 16 do corrente, fico sciente do conteudo, e em tempo, approveitando a opportunidade, discutirei o assumpto. Não sei o que Vsa. entende por classe medica, constituirão a classe medica sómente os seus collégas e amigos dedicados, ou todos os medicos rezidentes no Brazil e principalmente em S. Paulo. Innumeros collégas nas minhas condições estão convencidos de accordo com a opinião geral per toto Orbe et pertoto Urbe, que a Faculdade de Medicina de S. PAULO, não é propriedade do glorioso Estado de S. Paulo, más, sim de alguns politicos, e [por] esse motivo aboliram o concurso, unico meio de reconhecer devidamente a capacidade dos candidatos à professor de uma Faculdade. Consegui o que desejava; prova cathegorica de facto[s] consummados, e consummar-se [?]... Não desejava fallar com tanta altivez e independencia, más, a sua carta assim obrigou-me à proceder. Desculpe incommodar-lhe. D Vsa. CDo e OBdo Luiz Felippe Jardim Na Cadeira de Medicina Legal, Freire contou inicialmente com dois assistentes: Pedro Dias da Silva, pelo período de um ano, e Flamínio Favero. Internamente, a morte de Arnaldo provocou uma conjuntura de crise e instabilidade que só seria contida pela ascensão à posição de diretor da Faculdade justamente pela figura de Pedro Dias da Silva. Ele, por sua vez, que desempenharia um papel crucial na consecução dos acordos com a Fundação Rockefeller, inclusive na imposição da reforma curricular prescrita pelos moldes norte-americanos Detalhes dos acordos e da figura de Pedro Dias da Silva podem ser encontrados em MARINHO (2003) Cd-Rom.

12 4. Referências bibliográficas ALVAREZ, Marcos; SALLA, Fernando A. e SOUZA,. in Justiça e História. Porto Alegre: 3 (6): 2003 ANTUNES, José Leopoldo Ferreira. Medicina, Leis e Moral: pensamento médico e comportamento no Brasil ( ), São Paulo: Unesp/Fapesp, 1999, 306 p. (Col. Prismas) BUENO, Maria de Fátima Guimarães. O Corpo e as Sensibilidades Modernas: Bragança ( ). [tese de doutorado]. Campinas: FE/Unicamp, 2007, 314p. CAMPOS, Cristina de. São Paulo pela Lente da Higiene: as propostas de Geraldo Horácio de Paula Souza para a cidade: São Carlos/SP: Rima, 2002, 274p. CORRÊA, Mariza. As Ilusões da Liberdade: a escola Nina Rodrigues e a antropologia no Brasil. Bragança Paulista: EDUSF/Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa em História da Educação (CDAPH)/Instituto Franciscano de Antropologia (IFAN)/Universidade São Francisco, 1998, 490p. ilus. (Col. Estante do IFAN) FARIA, Lina Rodrigues de. A Fase Pioneira da Reforma Sanitária no Brasil: a atuação da Fundação Rockefeller ( ). [dissertação de mestrado]. Rio de Janeiro: Instituto de Medicina Social/Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1994, 154p. FARIA, Lina Rodrigues de. Ciência, Ensino e Administração em Saúde: a Fundação Rockefeller e a criação do Instituto de Higiene de São Paulo. [tese de doutorado]. Rio de Janeiro: Departamento de Ciências Humanas e Saúde/Instituto de Medicina Social/Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2003, 219p. FAVERO, Flamínio. Medicina Legal, São Paulo: Martins, 1962, 3 vols. MARINHO, Maria Gabriela da Silva Martins da Cunha. Elites em Negociação: breve história dos acordos entre a Fundação Rockefeller e a Faculdade de Medicina de São Paulo: prefácio por Hebe Maria Cristina Vessuri. Bragança Paulista/SP: Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa em História da Educação (CDAPH)/Editora Universitária São Francisco (Edusf), 2003, 142p. (Col. Estudos CDAPH, série ciência, saúde e educação) MOTA, André. Tropeços da Medicina Bandeirante: medicina paulista, pref. por Tania Regina de Luca. São Paulo: Edusp, NADAI, Elza. Ideologia do Progresso e Ensino Superior: São Paulo pref. por Maria de Lourdes Monaco Janotti. São Paulo: Loyola, 1987, 280p. (Col. Educar, 6) ROCHA, Heloísa Helena Pimenta. A Higienização dos Costumes: educação escolar e saúde no projeto do Instituto de Hygiene de São Paulo: apres. por Marta Maria Chagas de Carvalho. 4ª capa por Maria Gabriela S. M. C. Marinho. Campinas/São Paulo: Mercado de Letras/Fapesp, 2003, 272p. SILVA, Márcia Regina Barros da. O Mundo Transformado em Laboratório: ensino médico e produção de conhecimento em São Paulo de [tese de doutorado]. São Paulo: História/FFLCH/USP, Cd-Rom.

Livro Hospital das Clínicas 65 anos

Livro Hospital das Clínicas 65 anos Plano de Patrocínio e Projeto Editorial Livro Hospital das Clínicas 65 anos Realização: Hospital das Clínicas Museu Histórico da Faculdade de Medicina da USP 1/7 Hospital das Clínicas 65 anos 1. Objetivos

Leia mais

O laudo médico legal e suas implicações nas sentenças dos processos-crime entre 1890 e 1940

O laudo médico legal e suas implicações nas sentenças dos processos-crime entre 1890 e 1940 O laudo médico legal e suas implicações nas sentenças dos processos-crime entre 1890 e 1940 Maíra Cunha Rosin Este excerto faz parte de uma pesquisa que está sendo desenvolvida desde 2007, através do grupo

Leia mais

Pronunciamento ao receber o título de Professor Honoris Causa 1 da Universidade Federal do Amazonas

Pronunciamento ao receber o título de Professor Honoris Causa 1 da Universidade Federal do Amazonas Pronunciamento ao receber o título de Professor Honoris Causa 1 da Universidade Federal do Amazonas Nelson Studart Filho Professor Aposentado Sênior da Universidade Federal de São Carlos Professor Visitante

Leia mais

Regulamento de 1890 e Provas de Concurso para Professores do Ensino Primário no Estado de Sergipe

Regulamento de 1890 e Provas de Concurso para Professores do Ensino Primário no Estado de Sergipe Regulamento de 1890 e Provas de Concurso para Professores do Ensino Primário no Estado de Sergipe Heloísa Helena Silva 1 Wilma Fernandes Rocha 2 RESUMO No presente artigo apresentamos o exame do Decreto

Leia mais

André Mota Maria Gabriela S. M. C.Marinho. Rockefeller na Universidade de São Paulo (1934-1952). Autores Associados/USF/FAPESP, 2001.

André Mota Maria Gabriela S. M. C.Marinho. Rockefeller na Universidade de São Paulo (1934-1952). Autores Associados/USF/FAPESP, 2001. Concepções de História e trajetórias institucionais. Museu Histórico da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo: análise e crítica de uma experiência (1977-2008) André Mota Maria Gabriela S.

Leia mais

Alfredo de Almeida Russell

Alfredo de Almeida Russell Diretoria-Geral de Comunicação e de Difusão do Conhecimento Acervo do Museu da Justiça Alfredo de Almeida Russell Natural da cidade do Rio de Janeiro, nasceu em 3 de agosto de 1875. Estudou no Colégio

Leia mais

RIBEIRO, Cândido Barata * pref. DF 1892-1893; min. STF 1893-1894; sen. DF 1900-1909.

RIBEIRO, Cândido Barata * pref. DF 1892-1893; min. STF 1893-1894; sen. DF 1900-1909. RIBEIRO, Cândido Barata * pref. DF 1892-1893; min. STF 1893-1894; sen. DF 1900-1909. Cândido Barata Ribeiro nasceu na cidade de Salvador, capital da província da Bahia, no dia 11 de março de 1843, filho

Leia mais

SAUDAÇÃO AO MINISTRO WALMIR OLIVEIRA DA COSTA ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO DO TRABALHO

SAUDAÇÃO AO MINISTRO WALMIR OLIVEIRA DA COSTA ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO DO TRABALHO SAUDAÇÃO AO MINISTRO WALMIR OLIVEIRA DA COSTA ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO DO TRABALHO Maria Cristina Irigoyen Peduzzi Dignas Autoridades, Senhores Magistrados, Senhores Acadêmicos, Senhoras e senhores,

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CONSELHO PENITENCIÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO

APRESENTAÇÃO DO CONSELHO PENITENCIÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DO CONSELHO PENITENCIÁRIO DO ESTADO DE SÃO PAULO Renato Ribeiro Velloso 1 Alexandre Tozini 2 Rubens da Silva 3 Sérgio Paulo Rigonatti 4 Quirino Cordeiro 5 --------------------------------------------------

Leia mais

TRANSMITINDO A PRESIDÊNCIA DA ANDT *

TRANSMITINDO A PRESIDÊNCIA DA ANDT * 1 TRANSMITINDO A PRESIDÊNCIA DA ANDT * Magnífico Reitor da Universidade de São Paulo, Senhor Diretor da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, Senhores Presidentes Honorários da Academia, Dignas

Leia mais

Serviço Social EDITAL Nº 016 / 2015 - PRORROGAÇÃO FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE BRAGANÇA PAULISTA

Serviço Social EDITAL Nº 016 / 2015 - PRORROGAÇÃO FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE BRAGANÇA PAULISTA Serviço Social EDITAL Nº 016 / 2015 - PRORROGAÇÃO FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE BRAGANÇA PAULISTA O Diretor Presidente da Fundação Municipal de Ensino Superior de Bragança Paulista, Adilson

Leia mais

Seminário Interno Anderson da Silva Ramos 24 de Março de 2009. Reformular a apresentacao para o envio do site

Seminário Interno Anderson da Silva Ramos 24 de Março de 2009. Reformular a apresentacao para o envio do site REBELO, Fernanda; CAPONI, Sandra. O gabinete do doutor Edelvito Campelo D Araújo: a Penitenciária Pedra Grande como espaço de construção de um saber (1933-1945) IN Revista História Ciências, Saúde - Manguinhos.

Leia mais

CARLOS VALDER DO NASCIMENTO. A Lei da Ficha Limpa. Ilhéus-Bahia

CARLOS VALDER DO NASCIMENTO. A Lei da Ficha Limpa. Ilhéus-Bahia CARLOS VALDER DO NASCIMENTO 02 A Lei da Ficha Limpa Ilhéus-Bahia 2014 Copyright 2014 by Carlos Valder do Nascimento Direitos desta edição reservados à EDITUS - EDITORA DA UESC A reprodução não autorizada

Leia mais

PLANO DE ENSINO - Curso Semestral - 2015

PLANO DE ENSINO - Curso Semestral - 2015 21/02/2011 Página 1 de 5 PLANO DE ENSINO - Curso Semestral - 2015 Disciplina MEDICINA LEGAL Curso Graduação Período 7 º Período Eixo de Formação Eixo de Formação Complementar Turmas A,B e D Código 26 Carga

Leia mais

Decreto n.º 301/72, de 14 de Agosto

Decreto n.º 301/72, de 14 de Agosto Decreto n.º 301/72, de 14 de Agosto O Decreto-Lei n.º 132/70, de 30 de Março, determina, no n.º 4 do artigo 23.º e no n.º 2 do artigo 27.º, que constará de regulamento a organização das provas do concurso

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I CURSO DE DIREITO FACULDADE DE DIREITO LAUDO DE CAMARGO NÚCLEO DE ENSINO PRÁTICO - N.E.P. ESTÁGIO SUPERVISIONADO I 5ª ETAPA 2 SEMESTRE / 2015 UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO FACULDADE DE DIREITO LAUDO DE

Leia mais

A PERÍCIA INDIRETA. Uma alternativa na regulação de benefícios em seguros de pessoas?

A PERÍCIA INDIRETA. Uma alternativa na regulação de benefícios em seguros de pessoas? A PERÍCIA INDIRETA. Uma alternativa na regulação de benefícios em seguros de pessoas? A consultoria médico-legal e as perícias em seguros de pessoas revestem-se de grande importância na regulação dos benefícios

Leia mais

Excelentíssima Senhora Desembargadora Maria Helena Mallmann, Digníssima Presidente do Egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região;

Excelentíssima Senhora Desembargadora Maria Helena Mallmann, Digníssima Presidente do Egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região; Discurso Sessão Solene de Ratificação de Posse das Desembargadoras Lucia Ehrenbrink e Tânia Regina Silva Reckziegel 30/11/2012 18 horas Plenário do TRT4 Excelentíssima Senhora Desembargadora Maria Helena

Leia mais

JORNAL OFICIAL Quinta-feira, 1 de agosto de 2013

JORNAL OFICIAL Quinta-feira, 1 de agosto de 2013 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quinta-feira, 1 de agosto de 2013 Série Sumário ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Aviso n.º 165/2013 Lista unitária de ordenação final do procedimento

Leia mais

Senado Federal COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS

Senado Federal COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS Senado Federal COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS COMISSÃO EXTERNA CRIADA PARA COLHER IN LOCO INFORMAÇÕES SOBRE O ACIDENTE OCORRIDO NA LINHA 4 DO METRÔ DE SÃO PAULO, INCLUSIVE AS MEDIDAS ADOTADAS NO ÂMBITO

Leia mais

FONTES PRIMÁRIAS SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: BOLETINS E CIRCULARES DO APOSTOLADO POSITIVISTA (1881-1927) APRESENTAÇÃO

FONTES PRIMÁRIAS SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: BOLETINS E CIRCULARES DO APOSTOLADO POSITIVISTA (1881-1927) APRESENTAÇÃO FONTES PRIMÁRIAS SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: BOLETINS E CIRCULARES DO APOSTOLADO POSITIVISTA (1881-1927) APRESENTAÇÃO João Carlos da Silva 1 A produção da IPB reúne uma farta publicação de

Leia mais

7 Congresso de Pós-Graduação O ENSINO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA EM DISSERTAÇÕES E TESES NO BANCO DE DADOS DA CAPES

7 Congresso de Pós-Graduação O ENSINO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA EM DISSERTAÇÕES E TESES NO BANCO DE DADOS DA CAPES 7 Congresso de Pós-Graduação O ENSINO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA EM DISSERTAÇÕES E TESES NO BANCO DE DADOS DA CAPES Autor(es) CHRISTINE BARBOSA BETTY Orientador(es) BRUNO PUCCI 1.

Leia mais

MEMÓRIAS DOS APOSENTADOS ANTÔNIO SÉRGIO CALDAS DE CAMARGO ARANHA. PROCURADOR DA JUSTIÇA APOSENTADO

MEMÓRIAS DOS APOSENTADOS ANTÔNIO SÉRGIO CALDAS DE CAMARGO ARANHA. PROCURADOR DA JUSTIÇA APOSENTADO MEMÓRIAS DOS APOSENTADOS ANTÔNIO SÉRGIO CALDAS DE CAMARGO ARANHA. PROCURADOR DA JUSTIÇA APOSENTADO ELEITO NO ÚLTIMO PLEITO UM DOS REPRESENTANTES DOS APOSENTADOS NA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DO MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS INTRODUÇÃO Com a constante e crescente evolução do sistema brasileiro de saúde, tem-se percebido um grande aumento da demanda por profissionais médicos mais qualificados, principalmente no que diz respeito

Leia mais

para, também homenagear o Acadêmico Renato C. Barnabe.

para, também homenagear o Acadêmico Renato C. Barnabe. 1 Pós-graduação em reprodução animal na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia / USP. No dia 28 de setembro de 2011, no Anfiteatro Professor Doutor Altino Antunes, da Paulistana Faculdade de Veterinária

Leia mais

DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE - PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS POSSE DO DESEMBARGADOR GUTEMBERG DA MOTA E SILVA

DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE - PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS POSSE DO DESEMBARGADOR GUTEMBERG DA MOTA E SILVA DISCURSO DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE - PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS POSSE DO DESEMBARGADOR GUTEMBERG DA MOTA E SILVA Auditório da Unidade da Raja Gabaglia - 16 de abril

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODALIDADE PRODUTO Número e Título do Projeto Função no Projeto: Resultado: Atividades: Antecedentes: (breve histórico justificando a contratação)

Leia mais

LEI N.º 10/91 ESTATUTO DOS MAGISTRADOS CAPÍTULO I ESTATUTO. Artigo l.º

LEI N.º 10/91 ESTATUTO DOS MAGISTRADOS CAPÍTULO I ESTATUTO. Artigo l.º LEI N.º 10/91 A Assembleia Nacional no uso das atribuições que lhe são conferidas ao abrigo da alínea d) do artigo 87º. Da Constituição, aprova a seguinte Lei: ESTATUTO DOS MAGISTRADOS CAPÍTULO I ESTATUTO

Leia mais

Monitoramento de mídia digital Tribunal de Justiça de Pernambuco. Assunto: Veículo: Jornal do Commercio Data: 27/11/2012

Monitoramento de mídia digital Tribunal de Justiça de Pernambuco. Assunto: Veículo: Jornal do Commercio Data: 27/11/2012 Assunto: Veículo: Jornal do Commercio Data: 27/11/2012 Editoria: Caderno C Dia a Dia Assunto: TJPE nomeia novos servidores Veículo: diariodepernambuco.com.br Data: 08/01/2013 Editoria: TJPE nomeia novos

Leia mais

LEI Nº 1.545, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004. Publicado no Diário Oficial nº 1.832

LEI Nº 1.545, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004. Publicado no Diário Oficial nº 1.832 LEI Nº 1.545, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004. Publicado no Diário Oficial nº 1.832 Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Subsídios dos Policiais Civis e adota outras providências. O Governador do Estado

Leia mais

A FORMAÇÃO MÉDICA EM SÃO PAULO NO INÍCIO DO SÉCULO XX

A FORMAÇÃO MÉDICA EM SÃO PAULO NO INÍCIO DO SÉCULO XX A FORMAÇÃO MÉDICA EM SÃO PAULO NO INÍCIO DO SÉCULO XX Márcia Regina Barros da Silva Pesquisadora do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde UNIFESP Mestre e Doutoranda - Departamento de História

Leia mais

JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 26 de abril de 2013

JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 26 de abril de 2013 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 26 de abril de 2013 Série Sumário VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL E SECRETARIA REGIONAL DO PLANO E FINANÇAS Despacho conjunto n.º 31/2013 Homologação

Leia mais

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito Instituto de Ensino Superior de Goiás Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito PLANO DE ENSINO 1. IDENTIFICAÇÃO: CURSO: Direito TURMA: 1º Semestre DISCIPLINA: Antropologia e Sociologia

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Direito Ambiental Internacional e Interno: Aspectos de sua Evolução Publicado na Gazeta Mercantil em 12 de dezembro de 2002 Paulo de Bessa Antunes Advogado Dannemann Siemsen Meio

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores CHRISTINE SANTINI (Presidente) e CLAUDIO GODOY.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores CHRISTINE SANTINI (Presidente) e CLAUDIO GODOY. fls. 133 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000597809 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2120157-80.2014.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante EMPRESA FOLHA DA

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015 As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do 3º do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional:

Leia mais

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL AÇÃO PENAL PÚBLICA tem início através de uma peça que se chama denúncia. Essa é a petição inicial dos crimes

Leia mais

DESPACHO SEJUR N.º 513/2015

DESPACHO SEJUR N.º 513/2015 DESPACHO SEJUR N.º 513/2015 (Aprovado em Reunião de Diretoria em 14/10/2015) Interessado: Dr. M. F. C. N Expedientes n.º 8771/2015 Assunto: Análise jurídica. Perícia médico-legal em vítimas de violência

Leia mais

MESTRADO EM DIREITO EMPRESARIAL Ênfase em Direito Penal Econômico

MESTRADO EM DIREITO EMPRESARIAL Ênfase em Direito Penal Econômico PROGRAMA INTERNACIONAL pós-graduação stricto sensu MESTRADO EM DIREITO EMPRESARIAL Ênfase em Direito Penal Econômico Programa Internacional PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU RESOLUÇÃO E RECONHECIMENTO DO MESTRADO

Leia mais

CONFLITOS RELIGIOSOS ENTRE A COLÔNIA BLUMENAU E A PARÓQUIA DE GASPAR NO SÉCULO XIX

CONFLITOS RELIGIOSOS ENTRE A COLÔNIA BLUMENAU E A PARÓQUIA DE GASPAR NO SÉCULO XIX CONFLITOS RELIGIOSOS ENTRE A COLÔNIA BLUMENAU E A PARÓQUIA DE GASPAR NO SÉCULO XIX A QUESTÃO DOS CEMITÉRIOS CATÓLICO E EVANGÉLICO-LUTERANO André Fabiano Voigt* O sepultamento de não-católicos no Brasil

Leia mais

CORRESPONDÊNCIA ENVIADA A CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE PALMAS PARANÁ, DATADA DE 8 DE AGOSTO DE 1882

CORRESPONDÊNCIA ENVIADA A CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE PALMAS PARANÁ, DATADA DE 8 DE AGOSTO DE 1882 CORRESPONDÊNCIA ENVIADA A CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE PALMAS PARANÁ, DATADA DE 8 DE AGOSTO DE 1882 Ronivon José Bazo 1 A relevância desse documento que traz toda uma ânsia por parte de um professor

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 Dispõe sobre as atribuições da Coordenação de Atendimento ao Preso Provisório da Defensoria Pública da Capital e dá outras providências.

Leia mais

Heitor Luz. Senhor Presidente, Senhores convencionais,

Heitor Luz. Senhor Presidente, Senhores convencionais, Heitor Luz Por ocasião da «XI Convenção Brasileira de Farmacêuticos», reunida em Florianópolis, de 17 a 24 de Janeiro de 1959, foi prestada uma homenagem póstuma ao grande farmacêutico brasileiro - Professor

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2014 (Do Sr. Moreira Mendes e outros)

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2014 (Do Sr. Moreira Mendes e outros) PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2014 (Do Sr. Moreira Mendes e outros) Altera o artigo 93, o artigo 129 e o artigo 144, da Constituição Federal, para exigir do bacharel em Direito, cumulativamente,

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL

RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL Brasília 2013 SUMÁRIO MOTIVAÇÃO DO RELATÓRIO... 3 INTRODUÇÃO... 3 INICIATIVAS DO SENADO FEDERAL PARA ADEQUAÇÃO À LEI DE

Leia mais

Curso de Perícia Médica

Curso de Perícia Médica Apresentação Este curso tem a finalidade de trazer aos profissionais de medicina os aspectos teóricos e práticos que envolvem a Perícia Médica Judicial e o Direito Médico, fornecendo aos participantes

Leia mais

BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES COLÔNIA IMPÉRIO PRIMEIRA REPÚBLICA

BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES COLÔNIA IMPÉRIO PRIMEIRA REPÚBLICA BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES COLÔNIA IMPÉRIO PRIMEIRA REPÚBLICA Tânia Regina Broeitti Mendonça 1 INTRODUÇÃO: Os espanhóis fundaram universidades em seus territórios na América desde

Leia mais

Como elaborar Memorial e Curriculum Vitae

Como elaborar Memorial e Curriculum Vitae Como elaborar Memorial e Curriculum Vitae Luciana Pizzani Rosemary Cristina da Silva Memorial Memorial é o relatório circunstanciado que se apresenta à comissão de progressão funcional, o qual inclui a

Leia mais

Espelho Penal Peça. Endereçamento correto da interposição 1ª Vara Criminal do Município X 0 / 0,25

Espelho Penal Peça. Endereçamento correto da interposição 1ª Vara Criminal do Município X 0 / 0,25 Espelho Penal Peça O examinando deve redigir uma apelação, com fundamento no artigo 593, I, do Código de Processo Penal. A petição de interposição deve ser endereçada ao juiz de direito da 1ª vara criminal

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Corregedoria Geral da Justiça

PODER JUDICIÁRIO Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Corregedoria Geral da Justiça Processo DEPE 1.1 Autuação Provisória s/nº fls. 1 EXCELENTÍSSIMO SENHOR CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA PSICÓLOGOS E ASSISTENTES SOCIAIS JUDICIÁRIOS - REALIZAÇÃO DE EXAMES CRIMINOLÓGICOS, ATENDIMENTO PSICOTERÁPICO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL AO ILUSTRÍSSIMO SENHOR SÉRGIO FRANKLIN QUINTELLA VICE-PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS RECOMENDAÇÃO 1. Considerando que a Constituição Federal de 1988 atribui ao Ministério Público, nos termos do

Leia mais

Assessoria de Comunicação & Marketing Assessoria de Imprensa e Divulgação

Assessoria de Comunicação & Marketing Assessoria de Imprensa e Divulgação Assessoria de Comunicação & Marketing Assessoria de Imprensa e Divulgação Monitoramento das Notícias da UNISUL Dia 29 de novembro de 2011 JORNAIS O fim da história Diário do Sul Prêmio Finep Notisul SITES

Leia mais

JURISPRUDÊNCIA / LEGISLAÇÃO LEIS DE AVALIAÇÕES TÉCNICAS

JURISPRUDÊNCIA / LEGISLAÇÃO LEIS DE AVALIAÇÕES TÉCNICAS JURISPRUDÊNCIA / LEGISLAÇÃO E LEIS DE AVALIAÇÕES TÉCNICAS JURISPRUDÊNCIA / LEGISLAÇÃO 1) Desapropriação - Perícia Avaliatória - Habilitação a Engenheiros A nomeação de perito para avaliação de imóvel deve

Leia mais

NOTAS SOBRE A ATUAÇÃO DOCENTE EM ESCOLAS NO ESPAÇO RURAL (SÃO PAULO, 1917-1947)

NOTAS SOBRE A ATUAÇÃO DOCENTE EM ESCOLAS NO ESPAÇO RURAL (SÃO PAULO, 1917-1947) NOTAS SOBRE A ATUAÇÃO DOCENTE EM ESCOLAS NO ESPAÇO RURAL (SÃO PAULO, 1917-1947) Angélica Pall ORIANI, FFC-UNESP-Marília Eixo 5 Políticas de formação de professores E-mail: angelicaoriani@hotmail.com 1

Leia mais

PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA

PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA Publicação: quarta-feira, 20 de abril de 2016 Ano: 7 Edição nº 071 página 1 PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA PORTARIA N 134/2016 - GAB/PGJ, de 11 de abril de 2016.

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR

ESTRUTURA CURRICULAR - GESTÃO DE PESSOAS ESTRUTURA CURRICULAR Metodologia da Pesquisa Científica Liderança, Equipe e Motivação Gestão de Pessoas e o Marketing de Serviços Planejamento Estratégico Aplicado à Gestão de Pessoas

Leia mais

Redescobrindo o Poder Judiciário Paranaense: o acervo do arquivo Público do Paraná Bruna Marina Portela 1

Redescobrindo o Poder Judiciário Paranaense: o acervo do arquivo Público do Paraná Bruna Marina Portela 1 Redescobrindo o Poder Judiciário Paranaense: o acervo do arquivo Público do Paraná Bruna Marina Portela 1 Um trabalho inovador No primeiro semestre de 2004, o Arquivo Público do Paraná inovou o trabalho

Leia mais

ACÓRDÃO Nº 06/2011 - CFA - Plenário

ACÓRDÃO Nº 06/2011 - CFA - Plenário ACÓRDÃO Nº 06/2011 - CFA - Plenário 1. PARECER TÉCNICO CETEF Nº 03/2011, de 20/07/2011. 2. EMENTA: Obrigatoriedade de registro das empresas prestadoras de serviços de Recrutamento e Seleção de Pessoal

Leia mais

ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA

ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA Ministra do Supremo Tribunal Federal, empossada em 19 de dezembro de 2011. Nascida em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 02 de outubro de 1948. Filha do médico José Júlio

Leia mais

ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito

ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito CRIMINALIDADE causas e soluções Juruá Editora Curitiba, 2006 CATALOGAÇÃO NA FONTE S237 Santos, Alberto Marques dos. Criminalidade: causas e soluções./ Alberto

Leia mais

Constituição da República Portuguesa. Artigo 65.º (Habitação e urbanismo)

Constituição da República Portuguesa. Artigo 65.º (Habitação e urbanismo) Constituição da República Portuguesa Artigo 65.º (Habitação e urbanismo) 1. Todos têm direito, para si e para a sua família, a uma habitação de dimensão adequada, em condições de higiene e conforto e que

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O Estatuto do idoso em Benefício do Réu. Roberto Dantes Schuman de Paula * DA NOVATIO LEGIS IN PEJUS Em outubro de 2003 a ordem jurídica foi inovada com o advento da lei 10741/03,

Leia mais

MEMÓRIAS DOS APOSENTADOS CARLOS EDSON MARTINS PROMOTOR DE JUSTIÇA APOSENTADO NA ENTRÂNCIA ESPECIAL

MEMÓRIAS DOS APOSENTADOS CARLOS EDSON MARTINS PROMOTOR DE JUSTIÇA APOSENTADO NA ENTRÂNCIA ESPECIAL MEMÓRIAS DOS APOSENTADOS CARLOS EDSON MARTINS PROMOTOR DE JUSTIÇA APOSENTADO NA ENTRÂNCIA ESPECIAL Início na carreira A bem da verdade nunca havia sonhado em ser promotor. Foi na faculdade, sob a influência

Leia mais

CURRICULUM VITAE EROS PICELI

CURRICULUM VITAE EROS PICELI CURRICULUM VITAE DESEMBARGADOR EROS PICELI Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo DGJUD 1.2 - Serviço de Publicações e Divulgação Dados Pessoais Desembargador EROS PICELI Filiação: José Piceli Maria

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Discurso na cerimónia de posse

Leia mais

Diário Oficial Estado de São Paulo

Diário Oficial Estado de São Paulo Diário Oficial Estado de São Paulo Diário da Assembléia Legislativa Poder Legislativo Palácio Nove de Julho Av. Pedro Álvares Cabral, 201 Ibirapuera - CEP: 04097-900 Fone: (011) 3886-6122 Nº 63 DOE de

Leia mais

PODER EXECUTIVO LUIZ FABRÍCIO DO RÊGO TORQUATO Prefeito Municipal ZÉLIA MARIA LEITE Vice-Prefeito

PODER EXECUTIVO LUIZ FABRÍCIO DO RÊGO TORQUATO Prefeito Municipal ZÉLIA MARIA LEITE Vice-Prefeito DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO Instituído pela Lei Municipal n 901, de 02 de julh o de 2002. ADMINISTRAÇÃO DO EXMO. SR. PREFEITO LUIZ FABRÍCIO DO REGO TORQUATO ANO X N 961 PAU DOS FERROS/RN, Segunda-feira,

Leia mais

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC nº 7331/2014 ASSUNTO: ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO PERITO E DO AUXILIAR DE NECROPSIA. PARECERISTA: CONSELHEIRO JOSÉ AJAX NOGUEIRA QUEIROZ

Leia mais

1 TEMA... 2 2 JUSTIFICATIVA... 2 3 PROBLEMA DA PESQUISA... 3 4 OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS...

1 TEMA... 2 2 JUSTIFICATIVA... 2 3 PROBLEMA DA PESQUISA... 3 4 OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS... SUMÁRIO 1 TEMA... 2 2 JUSTIFICATIVA... 2 3 PROBLEMA DA PESQUISA... 3 4 OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS... 3 4.1 OBJETIVO GERAL... 3 4.2 OBJETIVO ESPECÍFICO... 3 5 REFERENCIAL TEÓRICO... 4 6 METODOLOGIA

Leia mais

REDES PÚBLICAS DE ENSINO

REDES PÚBLICAS DE ENSINO REDES PÚBLICAS DE ENSINO Na atualidade, a expressão redes públicas de ensino é polêmica, pois o termo público, que as qualifica, teve suas fronteiras diluídas. Por sua vez, o termo redes remete à apreensão

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO AURÉLIO PIRES

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO AURÉLIO PIRES GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO AURÉLIO PIRES Revisão e Atualização Diretoria de Arquivos Permanentes Diretoria de Acesso à

Leia mais

PROJETO DE LEI, Nº 2007 (Do Sr. EDUARDO GOMES)

PROJETO DE LEI, Nº 2007 (Do Sr. EDUARDO GOMES) PROJETO DE LEI, Nº 2007 (Do Sr. EDUARDO GOMES) Regulamenta o exercício da atividade, define a atribuições do Perito Judicial e do Assistente Técnico e dá outras providências. O congresso nacional decreta:

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO. Decreto-Lei n.º 76/2012 de 26 de março

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO. Decreto-Lei n.º 76/2012 de 26 de março MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO Decreto-Lei n.º 76/2012 de 26 de março No âmbito do Compromisso Eficiência, o XIX Governo Constitucional determinou as linhas gerais do Plano de Redução e Melhoria da

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

625/2012 FOTOGRAFIA TÉCNICO PERICIAL

625/2012 FOTOGRAFIA TÉCNICO PERICIAL Processo Acadepol nº 625/2012. A Academia de Polícia Dr. Coriolano Nogueira Cobra, pela Comissão de seleção de professor de FOTOGRAFIA TÉCNICO PERICIAL, faz saber que se acha instaurado o processo seletivo

Leia mais

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA NO RIO DE JANEIRO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA NO RIO DE JANEIRO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA NO RIO DE JANEIRO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX Bruno Alves Dassie Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro Universidade Estácio de Sá O objetivo desta

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01/2014 A Defensora Pública-Geral do Estado de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Concurso, no uso de suas atribuições,

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01/2014 A Defensora Pública-Geral do Estado de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Concurso, no uso de suas atribuições, EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01/2014 A Defensora Pública-Geral do Estado de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Concurso, no uso de suas atribuições, informa que em virtude da publicação da Emenda Constitucional

Leia mais

O que deve fazer uma mulher vítima de agressão?

O que deve fazer uma mulher vítima de agressão? PERGUNTAS FREQUENTES O que deve fazer uma mulher vítima de agressão? A mulher em situação de violência doméstica poderá comparecer a uma delegacia de Defesa da Mulher mais próxima à sua casa para registrar

Leia mais

O curso de especialização em higiene e saúde pública para médicos do Instituto de Higiene de São Paulo (1928)

O curso de especialização em higiene e saúde pública para médicos do Instituto de Higiene de São Paulo (1928) O curso de especialização em higiene e saúde pública para médicos do Instituto de Higiene de São Paulo (1928) Luciana Cristina Correia * O presente artigo tem como intuito apresentar resultados preliminares

Leia mais

O ACESSO À JUSTIÇA COMO DIREITO DA PERSONALIDADE NAS RELAÇÕES FAMILIARES

O ACESSO À JUSTIÇA COMO DIREITO DA PERSONALIDADE NAS RELAÇÕES FAMILIARES V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 O ACESSO À JUSTIÇA COMO DIREITO DA PERSONALIDADE NAS RELAÇÕES FAMILIARES Claudia Beatriz de Lima Ribeiro 1 ; Graziella

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ATA Nº 106

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ATA Nº 106 CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ATA Nº 106 (4ª Reunião Extraordinária 03/ Março / 2015) De acordo com a deliberação nº2 do Conselho de Gestão, de 28 de outubro de 2010, o Conselho Técnico-Científico da ESSA

Leia mais

DISCURSO DE HEITOR ROSA POR OCASIÃO DA OUTORGA DE PROFESSOR EMÉRITO DA UNIVERSIDADE FED DE GOIÁS, em 18 de janeiro de 2013.

DISCURSO DE HEITOR ROSA POR OCASIÃO DA OUTORGA DE PROFESSOR EMÉRITO DA UNIVERSIDADE FED DE GOIÁS, em 18 de janeiro de 2013. 1 DISCURSO DE HEITOR ROSA POR OCASIÃO DA OUTORGA DE PROFESSOR EMÉRITO DA UNIVERSIDADE FED DE GOIÁS, em 18 de janeiro de 2013. Na verdade, senhor reitor, não sei como trabalhar os meus sentimentos: o de

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO PÚBLICA DE ESTAGIÁRIOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO Nº 01/2015 15ª Promotoria de Justiça

EDITAL PARA SELEÇÃO PÚBLICA DE ESTAGIÁRIOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO Nº 01/2015 15ª Promotoria de Justiça EDITAL PARA SELEÇÃO PÚBLICA DE ESTAGIÁRIOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO Nº 01/2015 15ª Promotoria de Justiça EDITAL PARA EXAME DE SELEÇÃO PÚBLICA DE ACADÊMICOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DE INSTITUIÇÕES

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Urbanismo CONCURSO PÚBLICO DE TÍTULOS E PROVAS PARA PROVIMENTO DE UM CARGO DE PROFESSOR ADJUNTO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERENAMBUCO, ÁREA: TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA,

Leia mais

5. as JORNADAS NACIONAIS ÉTICO JURÍDICAS SOBRE A INFEÇÃO VIH/SIDA

5. as JORNADAS NACIONAIS ÉTICO JURÍDICAS SOBRE A INFEÇÃO VIH/SIDA FUNDAÇÃO PORTUGUESA A COMUNIDADE CONTRA A SIDA CENTRO DE DIREITO BIOMÉDICO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BIOÉTICA ORDEM DOS MÉDICOS SECÇÃO REGIONAL DO NORTE 5. as JORNADAS NACIONAIS ÉTICO JURÍDICAS SOBRE A

Leia mais

O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa "cidade". Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma

O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa cidade. Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma Bruno Oliveira O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa "cidade". Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma comunidade politicamente articulada um país

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO E M E N T A

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO E M E N T A (5ZF141Q7) PODER JUDICIÁRIO RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL JOSÉ AMILCAR MACHADO APELANTE : MARIA DAS GRACAS BITTENCOURT FERREIRA ADVOGADO : VANESSA DAVID SANTOS E OUTRO(A) APELADO : UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

EDITAL PPGEQ Nº. 01/2016 SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO MESTRADO EM ENGENHARIA QUÍMICA

EDITAL PPGEQ Nº. 01/2016 SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO MESTRADO EM ENGENHARIA QUÍMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA EDITAL PPGEQ Nº. 01/2016 SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO MESTRADO EM ENGENHARIA QUÍMICA (Aprovado na 3ª Reunião

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 145/2015 de 16 de Setembro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 145/2015 de 16 de Setembro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 145/2015 de 16 de Setembro de 2015 Considerando que José Christiano de Freitas Henrique Júnior foi um açoriano, nascido e criado nos Açores,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 81 Discurso na cerimónia de entrega

Leia mais

(6^_ê0â1R0) (D=:A5) - Nº Lote: 2013101705-2_1 - REEXAME NECESSÁRIO N. 2008.34.00.006506-3/DF - TR14403 V O T O RELATÓRIO

(6^_ê0â1R0) (D=:A5) - Nº Lote: 2013101705-2_1 - REEXAME NECESSÁRIO N. 2008.34.00.006506-3/DF - TR14403 V O T O RELATÓRIO (6^_ê0â1R0) PODER JUDICIÁRIO RELATÓRIO Trata-se de reexame necessário de sentença em que o magistrado da 9ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, em ação de mandado de segurança, concedeu

Leia mais

AS RECENTES MUDANÇAS NAS VAGAS DOS LEGISLATIVOS MUNICIPAIS DO BRASIL

AS RECENTES MUDANÇAS NAS VAGAS DOS LEGISLATIVOS MUNICIPAIS DO BRASIL Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 770 AS RECENTES MUDANÇAS NAS VAGAS DOS LEGISLATIVOS MUNICIPAIS DO BRASIL Tiago Valenciano Mestrando do Programa de

Leia mais

i iiiiii um mu um um um um mu mi mi

i iiiiii um mu um um um um mu mi mi PODER JUDICIÁRIO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N i iiiiii um mu um um um um mu mi mi Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento

Leia mais

PROGRAMAÇÃO III SEMANA JURÍDICA OS DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS DO DIREITO BRASILEIRO

PROGRAMAÇÃO III SEMANA JURÍDICA OS DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS DO DIREITO BRASILEIRO PROGRAMAÇÃO III SEMANA JURÍDICA OS DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS DO DIREITO BRASILEIRO DIAS E LOCAIS 23 de outubro de 2015 TURNO MATUTINO 7h30min - 11h30min CREDENCIAMENTO 9hs às 10hs 24 de outubro de 2015 MESA-REDONDA:

Leia mais

LEI Nº 3.848, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960

LEI Nº 3.848, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 LEI Nº 3.848, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 Cria a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, e dá outras providências. O Presidente da República, Faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a

Leia mais

Modelos de Gestão no setor público e intervenção política

Modelos de Gestão no setor público e intervenção política Modelos de Gestão no setor público e intervenção política Agnaldo dos Santos Observatório dos Direitos do Cidadão Participação Cidadã (Instituto Pólis) Apresentação O Observatório dos Direitos do Cidadão,

Leia mais

O campo científico e os conflitos e relações de poder no trabalho de professores de uma universidade pública

O campo científico e os conflitos e relações de poder no trabalho de professores de uma universidade pública 1 O campo científico e os conflitos e relações de poder no trabalho de professores de uma universidade pública Resumo Carla Fabiana Graetz Orientador Prof. Dr. Eduardo Pinto e Silva Mestrado Linha de Pesquisa:

Leia mais

MEMÓRIAS DE UM MÉDICO EDUCADOR EM SERGIPE. (1913-1935)

MEMÓRIAS DE UM MÉDICO EDUCADOR EM SERGIPE. (1913-1935) MEMÓRIAS DE UM MÉDICO EDUCADOR EM SERGIPE. (1913-1935) Cristina de Almeida Valença* A educação em Sergipe, nas primeiras décadas republicanas, é alvo de um efervescente movimento de idéias conhecidas como

Leia mais

a) identificação da unidade judiciária: Vara Criminal da Comarca de Montenegro/RS b) e-mail para contato e envio de informações: alat@tj.rs.gov.br.

a) identificação da unidade judiciária: Vara Criminal da Comarca de Montenegro/RS b) e-mail para contato e envio de informações: alat@tj.rs.gov.br. Apresentação a) identificação da unidade judiciária: Vara Criminal da Comarca de Montenegro/RS b) e-mail para contato e envio de informações: alat@tj.rs.gov.br. c) nome do trabalho/projeto: Sistema para

Leia mais