CURSO DE IMERSÃO DE MEDICINA LEGAL CONCURSO PARA DELEGADO DE POLÍCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO DE IMERSÃO DE MEDICINA LEGAL CONCURSO PARA DELEGADO DE POLÍCIA"

Transcrição

1 1 CURSO DE IMERSÃO DE MEDICINA LEGAL CONCURSO PARA DELEGADO DE POLÍCIA

2 2 MÓDULO I 1 MEDICINA LEGAL E SUA APLICAÇÃO NO DIREITO 1.1 DEFINIÇÃO DIVISÃO A MEDICINA LEGAL GERAL 1 DEONTOLOGIA MÉDICO LEGAL 2 DICEOLOGIA MÉDICO LEGAL B MEDICINA LEGAL ESPECIAL: 1 ANTROPOLOGIA MÉDICO LEGAL 2 TRAUMATOLOGIA MÉDICO LEGAL 3 TANATOLOGIA MÉDICO LEGAL 4 ASFIXIOLOGIA MÉDICO LEGAL 5 SEXOLOGIA MÉDICO LEGAL 6 TOXICOLOGIA MÉDICO LEGAL 7 CRIMINOLOGIA 8 PSIQUIATRIA MÉDICO LEGAL 9 PSICOLOGIA MÉDICO LEGAL 10 POLICIOLOGIA 11 INFORTUNÍSTICA 12 GENÉTICA MÉDICO LEGAL

3 3 2 PERITOS E PERÍCIAS PERÍCIAS: MÓDULO II CONJUNTO DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS E PARAMÉDICOS QUE TEM COMO FINALIDADE O ESCLARECIMENTO DE UM FATO DE INTERESSE DA JUSTIÇA. 1-DIRETAS 2-INDIRETAS PERITOS: OFICIAIS LOUVADO ASSISTENTES TÉCNICOS 3 DOCUMENTOS MÉDICOS LEGAIS 3.1 ATESTADO MÉDICO 3.2 RELATÓRIO: LAUDO 3.3 PARECER 3.4 DEPOIMENTO ORAL

4 4 MÓDULO III 4 TRAUMATOLOGIA 4.1 AGENTES MECÂNICOS AGENTE FERIMENTO INSTRUMENTOS PERFURANTE PUNCTÓRIO AGULHA; FURADOR DE GELO; COMPASSO; ESTILETE; ETC CORTANTE INCISO NAVALHA; LÂMINA DE BARBEAR; BISTURI CONTUDENTE CONTUSO MARTELO; PAU; PEDRA; BASTÃO; CORONHA; PARA - CHOQUE PÉRFURO PÉRFURO PEIXEIRA ; CANIVETE; CORTANTE PÉRFURO - CONTUNDENTE CORTO CONTUNDENTE OBSERVAÇÕES: INCISO PÉRFURO CONTUSO CORTO CONTUSO 1 LESÕES PRODUZIDAS POR AÇÃO CORTANTE ESGOJAMENTO DEGOLAMENTO DECAPTAÇÃO PUNHAL; LIMA PROJÉTIL DE ARMA DE FOGO; FLECHA; PONTA DE GUARDA CHUVA FACÃO; MACHADO; ENXADA; RODAS DE TREM; UNHAS; DENTES

5 5 2 LESÕES PRODUZIDAS POR AÇÃO CONTUNDENTE 2.1 RUBEFAÇÃO. 2.2 ESCORIAÇÃO. 2.3 EQUIMOSE: SUGILAÇÃO; VIBICES. 2.4 HEMATOMA. 2.5 BOSSA SANGUÍNEA. 2.6 FERIDA CONTUSA. 2.7 FRATURA. 2.8 LUXAÇÃO. 2.9 ENTORSE ROTURA DE VÍCERAS ENCRAVAMENTO 2.12 EMPALAMENTO PROLAPSO 2.14 EVISCERAÇÃO 4.2 AGENTES FÍSICOS I CALOR 1 QUEIMADURAS 1º GRAU: ERITEMA 2º GRAU: FLICTENA 3º GRAU: ESCARA 4º GRAU: CARBONIZAÇÃO 2 INSOLAÇÃO 3-INTERMAÇÃO

6 6 II ELETRICIDADE III FRIO 1 ELETROPLESSÃO MARCAS DE JELLINECK 2 FULGURAÇÃO OU FULMINAÇÃO: MARCAS DE LICHTENBERG 3 ELETROCUÇÃO: EXECUÇÃO JUDICIAL (CADEIRA ELÉTRICA) 1 GELADURA 1º GRAU: ERITEMA 2º GRAU: FLICTENA 3º GRAU: NECROSE 4º GRAU: GANGRENA OBSERVAÇÃO: PÉS DE TRINCHEIRA IV - PRESSÃO AMBIENTAL 1 MAL DAS MONTANHAS 2 MAL DOS CAIXÕES V - RADIOATIVIDADE 1 RAIO X 2 RAIOS ALFA, BETA E GAMA OBSERVAÇÃO: RADIODERMITE

7 7 4.3 AGENTES QUÍMICOS 1 CAÚSTICOS (VITRIOLAGEM) 2 VENENOS OBSERVAÇÕES: A ODORES DE AMÊNDOAS AMARGAS: CIANETO. B ODORES DE ALHO AMARGO: FÓSFORO OU ÁCIDO OXÁLICO

8 8 MÓDULO IV 5 - DROGAS PSICOATIVAS I ESTIMULANTES DO SNC 1 CAFEÍNA 2 NICOTINA 3 COCAÍNA 4 ANFETAMINAS DEPRESSORAS DO SNC 1 ÁLCOOL 2 HIPNÓTICOS 3 ANSIOLÍTICOS 4 - INALANTES 5 NARCÓTICOS (ÓPIO E DERIVADOS) 6 ANESTÉSICOS PERTUBADORES DO SNC 1 MACONHA E DERIVADOS 2 COGUMELOS E PLANTAS 3 ANTICOLINÉRGICOS 4 LSD 5 ECSTASY

9 9 MÓDULO V 6 ASFIXIOLOGIA 6.1 DEFINIÇÃO 6.2 CARACTERÍSTICAS: SINAIS EXTERNOS: 1 MANCHAS DE HIPOSTASE. 2 CIANOSE DA FACE. 3 EQUIMOSES DA PELE E DAS MUCOSAS. SINAIS INTERNOS: 1 EQUIMOSES VICERAIS (MANCHAS DE TARDIEU). 2 ASPECTO DO SANGUE (ESCURO E LIQUIDO). 3 CONGESTAO POLIVICERAL.

10 CLASSIFICAÇAO: 1 ASFIXIA POR CONFINAMENTO. 2 ASFIXIA POR MONÓXIDO DE CABORNO. 3 ASFIXIAS POR OUTROS GASES: ESGOTO, FOSSAS, PÂNTANO, ETC. 4 SUFOCAÇÃO o DIRETA. o INDIRETA. 5 SOTERRAMENTO. 6 AFOGAMENTO: SINAIS EXTERNOS o SUBMERSÃO. o IMERSÃO. o MORTE INIBITORIA. 1 CIANOSE DA FACE. 2 PELE ANSERINA. 3 MACERAÇAO DA PELE. 4 IMPUREZAS NAS MAOS. 5 ESCORIAÇOES.

11 11 SINAIS INTERNOS 1 - DILUIÇAO DO SANGUE. 2 - COGUMELO DE ESPUMA. 3 - ENFISEMA AQUOSO. 4 - MANCHAS DE PALTAUF. 5 - PLÂNCTON NAS VIAS RESPIRATÓRIAS. 6 - ÁGUA NO APARELHO DIGESTIVO. 7 ENFORCAMENTO. 8 ENTRANGULAMENTO. 9 ESGANADURA.

12 12 MÓDULO VI 7 - TANATOLOGIA FENÔMENOS CADAVÉRICOS A. ABIÓTICOS: AVITAIS, VITAIS NEGATIVOS. A.1 IMEDIATOS INCONSCIÊNCIA INSENSIBILIDADE IMOBILIDADE AMOLECIMENTO RELAXAMENTO DE ESFINCTERES INEXCITABILIDADE CESSAÇÃO DA RESPIRAÇÃO CESSAÇÃO DA CIRCULAÇÃO A.2 MEDIATOS, TARDIOS OU CONSECUTIVOS DESIDRATAÇÃO RESFRIAMENTO DO CORPO HIPOSTASES RIGIDEZ CADAVÉRICA B TRANSFORMATIVOS B1 DESTRUTIVOS I - AUTÓLISE II - PUTREFAÇÃO: _FASE CROMÁTICA (VERDE NEGRA) _FASE GASOSA (CIRCULAÇÃO PÓSTUMA DE BROVARDEL) _FASE COLIQUATIVA (TECIDOS SE LIQUEFASEM/1 MÊS) _FASE ESQUELETIZAÇÃO

13 13 III - MACERAÇÃO B2 CONSERVADORES I - MUMIFICAÇÃO QUENTE E SECO. II - SAPONIFICAÇÃO: ÚMIDO, ARGILOSO, MAL VENTILADO.

14 14 8- SEXOLOGIA FORENSE MÓDULO VII 1 PROVAS DE CERTEZA DE CONJUNÇÃO CARNAL RUPTURA DO HÍMEN ESPERMA NA VAGINA GRAVIDEZ 2 - IMPOTÊNCIAS NO HOMEM: 1-IMPOTÊNCIA COEÚNDI - INCAPACIDADE PARA O ATO (INSTRUMENTAL E FUNCIONAL) 2-IMPOTÊNCIA GENERANDI INCAPACIDADE DE PROCRIAÇÃO (ESTERELIDADE) NA MULHER: 1-IMPOTÊNCIA COEUNDI INCAPACIDADE PARA O ATO (INSTRUMENTAL E FUNCIONAL) 2-IMPOTÊNCIA CONCIPIENDI INCAPACIDADE DE PROCRIAÇÃO (ESTERELIDADE) 3 DISTÚRBIOS DO INSTINTO SEXUAL ANAFRODISIA: DIMINUIÇÃO DO INSTINTO SEXUAL DO HOMEM. FRIGIDEZ: DIMINUIÇÃO DO INSTINTO SEXUAL NA MULHER. EROTISMO: AUMENTO DO INSTINTO SEXUAL ABUSIVAMENTE. NO HOMEM: SATIRÍASE, E NA MULHER: NINFOMANIA. AUTO EROTISMO: COITO SEM PARCEIRO (PSÍQUICO).

15 15 EROTOMANIA: HIPÉRBOLE DO AMOR PLATÔNICO. EXIBICIONISMO: PRAZER IMPULSIVO DE MOSTRAR OS ORGÃOS SEXUAIS. NARCISISMO: CULTO EXAGERADO AO PRÓPRIO CORPO OU PERSONALIDADE, COM INDIFERENÇA PARA COM O OUTRO SEXO. MIXOSCOPIA (VOYEURISMO): PRAZER SEXUAL EM PRESENCIAR O COITO DE TERCEIROS. FEITICHISMO: PRAZER SEXUAL DESPERTADO POR UMA PARTE DO CORPO OU POR OBJETOS DA PESSOA AMADA. LUBRICIDADE SENIL: GERALMENTE EM IDOSOS, SATISFAZEM-SE PELOS TOQUES OBSCENOS, EXIBIÇÃO DOS ÓRGÃOS GENITAIS, ESFREGAÇÃO LUXURIOSA EM CRIANÇAS. PLURALISMO (TROILISMO); MENÁGE A TROIS, SURUBA: PRÁTICA SEXUAL COM 03 OU MAIS PESSOAS. GERONTOFILIA (CRONO INVERSÃO): ATRAÇÃO ERÓTICA POR PESSOAS DE EXCESSIVA IDADE. CROMO INVERSÃO: ATRAÇÃO ERÓTICA POR PESSOAS DE COR DIFERENTE. ETNO INVERSÃO: ATRAÇÃO ERÓTICA POR PESSOAS DE RAÇA DIFERENTE. RIPAROFILIA: ATRAÇÃO ERÓTICA POR MULHERES DESASSEADAS; EM ÉPOCA DE MENSTRUAÇÃO. UROLAGNIA: PRAZER SEXUAL EM OBSERVAR ALGUÉM NO ATO DE MICÇÃO OU EM OUVIR O RUÍDO DA URINA. UROFILIA (UROFAGIA): PRAZER ERÓTICO AO TOMAR A URINA DA MULHER.

16 16 COPROFAGIA: PRAZER ERÓTICO AO COMER FEZES DO SEXO OPOSTO. COPROLALIA: PRAZER ERÓTICO EM OUVIR OU FALAR PALAVRAS OBSCENAS. EDIPISMO: ATRAÇÃO SEXUAL AO INCESTO (PARENTES PRÓXIMOS). BESTIALISMO (ZOOFILIA): PRAZER SEXUAL COM ANIMAIS. ONANISMO: COITOS INTERRUPTOS. OBCESSÃO À MASTURBAÇÃO. NECROFILIA (VAMPIRISMO): ATRAÇÃO SEXUAL POR CADÁVERES E VARIANTES. SADISMO: PRAZER SEXUAL AO SOFRIMENTO DO PARCEIRO. MASOQUISMO: PRAZER SEXUAL AO PRÓPRIO SOFRIMENTO. PGMALIANISMO: ATRAÇÃO SEXUAL POR ESTÁTUAS. PEDOFILIA: ATRAÇÃO SEXUAL POR CRIANÇAS. PRÁTICAS ECTÓPIAS: FELAÇÃO: SUCÇÃO DO PENIS. CUNILÍNGUA: SUCÇÃO DA VAGINA. SODOMIA: COITO ANAL.

17 17 HOMOSEXUALISMO: NA MULHER (LESBIANISMO OU LESBISMO): SUCÇÃO: SAFISMO ATRITO: TRIBADISMO NO HOMEM PEDERASTIA: QUANDO HABITUAL URANISMO: QUANDO EVENTUAL INTERSEXUALISMO (PSEUDO HERMAFRODITISMO - MORFOLÓGICO) EX: HOMEM COM HIPOSPÁDIA ÀS VEZES CRIADO COMO MULHER. TRANSEXUALISMO (PSICOLÓGICO): INCONFORMADO COM O SEU SEXO, GERALMENTE NÃO ADMITE O HOMOSEXUALISMO. EX: NEO VAGINA. TRAVESTISMO (CULTURAL): SATISFAÇÃO COM VESTES, MANEIRISMOS E ATITUDES DO SEXO OPOSTO. ACEITA O HOMOSEXUALISMO.

18 18 MÓDULO VIII 9 IDENTIFICAÇÃO POLICIAL E ANTROPOLÓGICA 1 - ANTROPOLOGIA FORENSE IDENTIDADE IDENTIFICAÇÃO MÉDICO-LEGAL: ESPÉCIE, RAÇA, SEXO, IDADE, ESTATURA, SINAIS INDIVIDUAIS, TATUAGENS, CICATRIZES, IDENTIFICAÇÃO PELOS DENTES, IMPRESSÃO DIGITAL GENÉTICA DO DNA, IDENTIFICAÇÃO PELO REGISTRO DA VOZ, ETC. 2 IDENTIFICAÇÃO POLICIAL (OU JUDICIÁRIA). SISTEMA DACTILOSCÓPICO DE VUCETICH. 1. ARCO - A OU 1 - SEM DELTA. 2. PRESILHA INTERNA - I OU 2 DELTA À DIREITA. 3. PRESILHA EXTERNA E OU 3 DELTA Á ESQUERDA. 4. VERTICILO V OU 4 DOIS DELTAS. FD= E1432 (DIR.) V2341 (ESQ.) PONTOS CARACTERÍSTICOS: (MÍNIMO 12) 1 - ILHOTA 2 - CORTADA 3 - BIFURCAÇÃO 4 - FORQUILHA 5 - ENCERRO

19 19 MÓDULO IX 10 PSICOPATOLOGIA FORENSE 1 PSICOSES (PSICÓTICOS) QUADRO PSICÓTICO 2 PERSONALIDADES PSICOPÁTICAS (PSICOPATAS) PRINCIPAIS TRAÇOS DA PERSONALIDADE PSICOPÁTICA: 1 INCAPACIDADE DE AMAR. 2 AUSÊNCIA DE SENTIMENTO DE CULPA. 3 BOA INTELIGÊNCIA. 4 AUSÊNCIA DE DELÍRIOS E DE OUTROS SINAIS DE PENSAMENTOS ILÓGICOS. 5 AUSÊNCIA DE MANIFESTAÇÕES PSICONEURÓTICAS. 6 INCONSTÂNCIA, INSINCERIDADE. 7 FALTA DE VERGONHA OU REMORSO. 8 INCAPACIDADE DE APRENDER PELA EXPERIÊNCIA. 9 CONDUTA SOCIAL INADEQUADAMENTE MOTIVADA. 10 EGOCENTRISMO, IRRESPONSABILIDADE E AGRESSIVIDADE. 11 SUICIDA-SE RARAMENTE. 12 VIDA SEXUAL POBREMENTE INTEGRADA NÃO CONSEGUE PERSISTIR NUM PLANO DE VIDA. 3 DELINQUÊNCIA ESSENCIAL (FAMÍLIA DESAGREGADA, INTERRUPÇÃO DO APRENDIZADO, INÍCIO PRECOSE DA AUTO MANUTENÇÃO, INTERNAÇÃO EM ABRIGOS, ORFANATOS, ETC.). O SUPEREGO NÃO É DEVIDAMENTE TRABALHADO, O INDIVÍDUO NÃO SE CONTROLA CONVENIENTEMENTE, SURGEM FENÔMENOS DEFENSIVOS E OCORRE SUBORDINAÇÃO TOTAL AO PRINCÍPIO DE PRAZER.

Medicina Veterinária Legal

Medicina Veterinária Legal Situar os peritos no mundo jurídico. Medicina Legal: é o estudo e a aplicação dos conhecimentos médicos e afins que devem ser utilizados para o esclarecimento de fatos e negócios jurídicos, bem como para

Leia mais

Plano de Ensino, Conceitos, Tipos de Acidentes e Prevenções

Plano de Ensino, Conceitos, Tipos de Acidentes e Prevenções Plano de Ensino, Conceitos, Tipos de Acidentes e Prevenções Prof. Dr. Gleber Pereira Quem sou eu? 1 Conceitos: Urgência vs. Emergência Define- se por "emergência" a constatação médica de condições de agravo

Leia mais

DROGAS LÍCITAS E ILÍCITAS. Vulnerabilidades, riscos e formas de prevenção

DROGAS LÍCITAS E ILÍCITAS. Vulnerabilidades, riscos e formas de prevenção DROGAS LÍCITAS E ILÍCITAS Vulnerabilidades, riscos e formas de prevenção DROGAS LÍCITAS E ILÍCITAS DROGAS qualquer substância capaz de modificar a função dos organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas

Leia mais

1. SEXOLOGIA FORENSE D A N I E L L E T O S T E 5 AN 2010 W W W. D A N I T O S T E. C O M

1. SEXOLOGIA FORENSE D A N I E L L E T O S T E 5 AN 2010 W W W. D A N I T O S T E. C O M 1. SEXOLOGIA FORENSE Evolução da sociedade e atividade sexual (família/sociedade) Os seres humanos são uma espécie na qual a fêmea aceita a copula para a satisfação da libido, independente da procriação.

Leia mais

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS Prof. Dr. Eduardo Daruge Titular de Odontologia Legal e Deontologia da FOP-UNICAMP Prof. Medicina Legal da Faculdade de Direito da UNIMEP DEFINIÇÃO: PERÍCIAS

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO AMAZONAS DEPARTAMENTO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA SETOR DE CRIMES CONTRA A VIDA

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO AMAZONAS DEPARTAMENTO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA SETOR DE CRIMES CONTRA A VIDA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO AMAZONAS DEPARTAMENTO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA SETOR DE CRIMES CONTRA A VIDA FORMULÁRIO DE LOCAL DE CRIME CONTRA A VIDA / ENCONTRO DE CADÁVER DATA: / /

Leia mais

INTOXICAÇÃO POR NOVAS DROGAS

INTOXICAÇÃO POR NOVAS DROGAS Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro Grupamento de Socorro de Emergência Seção de Desastres INTOXICAÇÃO POR NOVAS DROGAS Edna Maria de Queiroz Capitão Médica CBMERJ Médica HUAP / UFF

Leia mais

Dr. Eduardo Henrique Teixeira

Dr. Eduardo Henrique Teixeira Dr. Eduardo Henrique Teixeira CONCEITO Personalidade normal: Maneira (única) de cada indivíduo de reagir e de se relacionar com outros e com o ambiente. CONCEITO Personalidade anormal: Disposição, inata,

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Residência Médica em Medicina Legal

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Residência Médica em Medicina Legal Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Programa de Residência Médica em Medicina Legal 1) Objetivos do programa O principal objetivo da Residência em Medicina Legal é a formação de especialistas

Leia mais

Criança com deficiência

Criança com deficiência Criança com deficiência Não espero pelos outros. Começo eu mesmo. Como toda criança, a criança com deficiência precisa de muito amor, atenção, cuidados e proteção. Precisa também brincar com outras crianças

Leia mais

Roger Ancillotti. Considerações médico-legais sobre os crimes contra a liberdade sexual

Roger Ancillotti. Considerações médico-legais sobre os crimes contra a liberdade sexual Considerações médico-legais sobre os crimes contra a liberdade sexual Médico. Perito Legista, Professor de Medicina Legal. Ex-Diretor Geral do Instituto Médico Legal Afrânio Peixoto (RJ). Autor do livro

Leia mais

Centro de Combate à Violência Infantil. O amor por princípio, a defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes por vocação

Centro de Combate à Violência Infantil. O amor por princípio, a defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes por vocação Centro de Combate à Violência Infantil O amor por princípio, a defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes por vocação Centro de Combate à Violência Infantil Violência Física contra Crianças e

Leia mais

A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira

A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira Revisão Continente Psiquiátrico Neurótico (Patologia da experiência ) (TOC Transtorno

Leia mais

QUEIMADURAS. Profª Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com

QUEIMADURAS. Profª Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com QUEIMADURAS Profª Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Problemática da queimadura no Brasil São lesões frequentes em acidentes de trabalho. Considera-se a quarta causa de óbitos

Leia mais

PLANO INSTRUCIONAL. Carga Horária 1:00

PLANO INSTRUCIONAL. Carga Horária 1:00 PLANO INSTRUCIONAL Ação/Atividade: PROMOÇÃO SOCIAL/ PRIMEIROS SOCORROS Carga Horária: 20 HORAS Nº MÍNIMO DE PESSOAS: 12 PESSOAS Nº MÁXIMO: 15 PESSOAS IDADE MINIMA: 16 ANOS Objetivo Geral: PROPORCIONAR

Leia mais

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT APOIO: Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD Casa de Cultura da Beira/CCB CERjovem ATENÇAÕ MULHER MENINA! Fundação Portugal - África RESPOSTAS

Leia mais

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Messiano Ladislau Nogueira de Sousa Médico Psiquiatra com aperfeiçoamento em terapia psicanalítica Abril, 2014 Sumário Conceitos

Leia mais

cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA

cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA 1 O que é VIH? É o vírus que causa a SIDA. Vírus é um microbio muito pequeno, que não se consegue ver a olho nu, ou seja, é preciso ajuda de um microscópio. VIH significa:

Leia mais

A violência doméstica é um problema universal que atinge milhares de pessoas, em grande número de vezes de forma silenciosa e dissimuladamente.

A violência doméstica é um problema universal que atinge milhares de pessoas, em grande número de vezes de forma silenciosa e dissimuladamente. A violência doméstica é um problema universal que atinge milhares de pessoas, em grande número de vezes de forma silenciosa e dissimuladamente. Trata-se de um problema que acontece em ambos os sexos e

Leia mais

Vamos Combater o Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes

Vamos Combater o Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes Vamos Combater o Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes A violência sexual contra crianças e adolescentes acontece em todo o mundo, em diversas famílias e classes sociais. O QUE É A

Leia mais

Traumatologia forense

Traumatologia forense Traumatologia forense CAPÍTULO 7 Traumatologia forense Trauma é a atuação de uma energia externa (exógena) sobre o indivíduo, suficientemente intensa para provocar desvio perceptível da normalidade ou

Leia mais

FICHA DE EMERGÊNCIA EM CASO DE ACIDENTES

FICHA DE EMERGÊNCIA EM CASO DE ACIDENTES Rua Soluções do Lar, 155 CEP. 06700-000 Cotia SP Tel./ Fax: (11) 4612-2014 Nome do Produto: PRIMER PRODUTO NÃO ENQUADRADO NA PORTARIA EM VIGOR SOBRE VIGOR SOBRE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Líquido

Leia mais

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS 1 O que são ITS? São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros micróbios, que se transmitem de pessoas infectadas para outras, através das relações

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - 6º ANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - 6º ANO Livro adotado: Ciências da natureza 6 Satillana Ano Letivo 2012/2013 UNIDADE DIDÁCTICA CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS Nº DE AULAS (1ºP) Preparação do ano escolar.

Leia mais

Drogas de abuso. Maxwell Santana

Drogas de abuso. Maxwell Santana Drogas de abuso Maxwell Santana Drogas de abuso Qualquer substância ou preparação, com pouco uso médico usada primariamente pelos seus efeitos gratificantes! Englobam substância psicoativas e psicotrópicas!

Leia mais

Hepatite C Grupo Vontade de Viver

Hepatite C Grupo Vontade de Viver Hepatite C Grupo Vontade de Viver De apoio aos Portadores de Hepatite C Apresentação Data de Fundação : 19 Maio de 2002 Formação do Grupo: Portadores e ex-portadores do vírus C Trasplantados de fígado

Leia mais

Alienação das drogas

Alienação das drogas Alienação das drogas Que relação podemos fazer entre os personagens mortos-vivos da ficção e os usuários de drogas em geral. São substâncias, naturais ou sintéticas que, introduzidas no organismo, podem

Leia mais

TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS E DA PERSONALIDADE

TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS E DA PERSONALIDADE 1 TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS E DA PERSONALIDADE José Henrique Volpi A idéia de buscar fora da pessoa os elementos que explicassem seu comportamento e sua desenvoltura vivencial teve ênfase com as teorias

Leia mais

Tabela 3 AGENTE CAUSADOR DA DOENÇA PROFISSIONAL OU DO TRABALHO / DESCRIÇÃO DA SITUAÇÃO GERADORA DA DOENÇA

Tabela 3 AGENTE CAUSADOR DA DOENÇA PROFISSIONAL OU DO TRABALHO / DESCRIÇÃO DA SITUAÇÃO GERADORA DA DOENÇA Tabela 3 AGENTE CAUSADOR DA DOENÇA PROFISSIONAL OU DO TRABALHO / DESCRIÇÃO DA SITUAÇÃO GERADORA DA DOENÇA 20.00.04.300 IMPACTO DE PESSOA CONTRA OBJETO PARADO 20.00.04.600 IMPACTO DE PESSOA CONTRA OBJETO

Leia mais

I INTRODUÇÃO II HISTÓRICO II MENUS DO SISTEMA

I INTRODUÇÃO II HISTÓRICO II MENUS DO SISTEMA I INTRODUÇÃO O presente busca apresentar um guia referencial de passo a passo para a utilização do sistema de Odonto Legal, de forma simples, didática e auto-explicativa. O objetivo do guia é ilustrar

Leia mais

Sheyla Andrade: Masturbação

Sheyla Andrade: Masturbação Sheyla Andrade: Masturbação Ainda hoje a muita controvérsia em torno da masturbação, também chamado de auto-erotismo ou sexo solitário, e a muitos mitos e preconceitos em torno do assunto. A quem diga

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

Descubra quando você está ovulando

Descubra quando você está ovulando 1 Descubra quando você está ovulando O maior segredo para engravidar logo é saber exatamente quando você está ovulando, ou seja, quando um de seus dois ovários está liberando um óvulo. Pense neste óvulo

Leia mais

REICH E A ECONOMIA SEXUAL

REICH E A ECONOMIA SEXUAL 1 REICH E A ECONOMIA SEXUAL José Henrique Volpi Freud havia postulado que o sintoma neurótico é resultado da repressão de um trauma sexual ocorrido na infância. Mas não conseguia explicar o porque tal

Leia mais

A FORMAÇÃO DAS NEUROSES E SUA CONSTITUIÇÃO NA INFÂNCIA: IMPLICAÇÕES NA VIDA ESCOLAR

A FORMAÇÃO DAS NEUROSES E SUA CONSTITUIÇÃO NA INFÂNCIA: IMPLICAÇÕES NA VIDA ESCOLAR A FORMAÇÃO DAS NEUROSES E SUA CONSTITUIÇÃO NA INFÂNCIA: IMPLICAÇÕES NA VIDA ESCOLAR Jane Kelly de Freitas Santos (apresentador) 1 Maria Cecília Braz Ribeiro de Souza (orientador) 2 1 Curso de Pedagogia

Leia mais

DESENVOLVIMENTO PSICOSSEXUAL

DESENVOLVIMENTO PSICOSSEXUAL Professor Responsável: Mohamad A. A. Rahim Quadro sinóptico baseado na bibliografia sugerida em cada aula DESENVOLVIMENTO PSICOSSEXUAL 1. SEXUALIDADE E LIBIDO Libido : é uma fonte original de energia afetiva

Leia mais

CAPS ad GAPE RUA: SAGUARAGI-515 TELEFONE/FAX: 3256-5860 VILA OLIVEIRA ROLÂNDIA - PARANÁ CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL ÁLCOOL E DROGAS

CAPS ad GAPE RUA: SAGUARAGI-515 TELEFONE/FAX: 3256-5860 VILA OLIVEIRA ROLÂNDIA - PARANÁ CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL ÁLCOOL E DROGAS CAPS ad GAPE CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL ÁLCOOL E DROGAS RUA: SAGUARAGI-515 TELEFONE/FAX: 3256-5860 VILA OLIVEIRA ROLÂNDIA - PARANÁ PARCERIAS: GOVERNO FEDERAL 17ª REGIONAL DE SAÚDE SECRETARIA MUNICIPAL

Leia mais

LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA

LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA IDENTIFICAÇÃO HUMANA Identificação pelo DNA - Identificação Médico-Legal - Perícias Odontológicas VOLUME II Editora Millennium CAMPINAS/SP

Leia mais

TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE ( personalidades psicopáticas )

TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE ( personalidades psicopáticas ) 1 TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE ( personalidades psicopáticas ) I) DEFINIÇÃO A personalidade é a totalidade relativamente estável e previsível dos traços emocionais e comportamentais que caracterizam a

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Currículo Nacional do Ensino Básico Competências essenciais 2º CICLO CIÊNCIAS NATURAIS

Leia mais

ARTHUR TRIGUEIROS e WANDER GARCIA. Edição 2013. Coordenadores CONCURSOS POLICIAIS. 2 a Edição 2013 2.000 QUESTÕES COMENTADAS

ARTHUR TRIGUEIROS e WANDER GARCIA. Edição 2013. Coordenadores CONCURSOS POLICIAIS. 2 a Edição 2013 2.000 QUESTÕES COMENTADAS Edição 2013 ARTHUR TRIGUEIROS e WANDER GARCIA Coordenadores CONCURSOS POLICIAIS 2 a Edição 2013 2.000 QUESTÕES COMENTADAS SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Direito Constitucional 13 1. PODER CONSTITUINTE... 13 2. TEORIA

Leia mais

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente Carrefour Guarujá Bárbara Pereira Quaresma Enfermeira Docente Enfª Bárbara Pereira Quaresma 2 O que é DST? Toda doença transmitida através de relação sexual. Você sabe como se pega uma DST? SEXO VAGINAL

Leia mais

AIDS & DST s. Prevenção e controle para uma vida sexual segura.

AIDS & DST s. Prevenção e controle para uma vida sexual segura. AIDS & DST s Prevenção e controle para uma vida sexual segura. aids A aids é uma doença causada pelo HIV, vírus da imu-nodeficiência humana que destrói o sistema imunológico responsável pela defesa do

Leia mais

Criança com deficiência

Criança com deficiência Criança com deficiência Não espero pelos outros. Começo eu mesmo. Como toda criança, a criança com deficiência precisa de muito amor, atenção, cuidados e proteção. Precisa também brincar com outras crianças

Leia mais

ANEXO I REGRAS PARA COLETA, ACONDICIONAMENTO, PRESERVAÇÃO E ENCAMINHAMENTO DE MATERIAIS BIOLÓGICOS PARA ANÁLISE BIOLÓGICA.

ANEXO I REGRAS PARA COLETA, ACONDICIONAMENTO, PRESERVAÇÃO E ENCAMINHAMENTO DE MATERIAIS BIOLÓGICOS PARA ANÁLISE BIOLÓGICA. Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão Instituto Geral de Perícias Instituto de Análises Laboratoriais Laboratório de Genética Forense ANEXO I REGRAS PARA

Leia mais

DESPACHO SEJUR N.º 513/2015

DESPACHO SEJUR N.º 513/2015 DESPACHO SEJUR N.º 513/2015 (Aprovado em Reunião de Diretoria em 14/10/2015) Interessado: Dr. M. F. C. N Expedientes n.º 8771/2015 Assunto: Análise jurídica. Perícia médico-legal em vítimas de violência

Leia mais

DROGAS DE ABUSO. Profa. Dra. Eline Matheus

DROGAS DE ABUSO. Profa. Dra. Eline Matheus DROGAS DE ABUSO DROGAS QUE ATUAM NO SNC ESTIMULANTES DEPRESSORES DROGAS ESTIMULANTES COCAÍNA (CRACK & OXI) ANFETAMÍNICOS EFEDRINA ALUCINÓGENOS ANABOLIZANTES COCAÍNA Corte cerebral pós-mortem de um adicto

Leia mais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar - Ciências Naturais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar - Ciências Naturais Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar - Ciências Naturais A proposta Em sua organização teórico-metodológica, a proposta enfatiza a construção do pensamento científico acerca

Leia mais

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro O QUE É VIOLÊNCIA SEXUAL Todos os anos, estima-se que 500.000 70% Mulheres das vítimas sejam vítimas de estupro no Brasil, e que outros tantos milhões sofram com abusos e violências sexuais. de estupro

Leia mais

III SEMINÁRIO INTERNACIONAL ENLAÇANDO SEXUALIDADES 15 a 17 de Maio de 2013 Universidade do Estado da Bahia Campus I Salvador - BA

III SEMINÁRIO INTERNACIONAL ENLAÇANDO SEXUALIDADES 15 a 17 de Maio de 2013 Universidade do Estado da Bahia Campus I Salvador - BA TRANSTORNOS DA IDENTIDADE SEXUAL A MEDICINA LEGAL DEFINE A HOMOSSEXUALIDADE, LESBIANIDADE E TRANSGÊNEROS. SABRINA GUERRA GUIMARÃES 1 LINA MARIA BRANDÃO DE ARAS 2 RESUMO O presente artigo discute as terminologias

Leia mais

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO Presentemente, a infeçãovih/sida não tem cura e a prevenção é a única medida eficaz. A infeçãovih/sida tem uma história relativamente recente, mas já dramática

Leia mais

Prevenção ao abuso sexual infantil Pedofilia

Prevenção ao abuso sexual infantil Pedofilia Segurança contra a pedofilia Orientações aos pais 1 2 Prevenção ao abuso sexual infantil Pedofilia 3 4 1 Nunca Atitudes preventivas deixe seu filho dormir fora de casa ainda que seja em casa de parentes

Leia mais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais Riscos Ambientais Riscos Ambientais São os agentes, elementos ou substâncias presentes nos locais de trabalho. A exposição dos trabalhadores a estes agentes pode causar acidentes com lesões ou danos à

Leia mais

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO 1 O que quer dizer sexo seguro? Sexo seguro quer dizer, práticas sexuais responsáveis sem riscos de engravidar, ou de contrair uma infecção transmitida sexualmente,

Leia mais

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC nº 7331/2014 ASSUNTO: ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO PERITO E DO AUXILIAR DE NECROPSIA. PARECERISTA: CONSELHEIRO JOSÉ AJAX NOGUEIRA QUEIROZ

Leia mais

Organismos Vivos; Agentes Biológicos; Funções Vitais, Microbiologia Ambiental.

Organismos Vivos; Agentes Biológicos; Funções Vitais, Microbiologia Ambiental. Tecnólogo em Segurança do Trabalho DISCIPLINA: Biologia Aplicada à Saúde e Segurança no Trabalho Organismos Vivos; Agentes Biológicos; Funções Vitais, Microbiologia Ambiental. DISCIPLINA: Informática Aplicada

Leia mais

Abstinência sexual: acto de privar-se temporária ou permanentemente da actividade sexual.

Abstinência sexual: acto de privar-se temporária ou permanentemente da actividade sexual. Glossário A Abstinência sexual: acto de privar-se temporária ou permanentemente da actividade sexual. Afrodisíaco: substância que se acredita excitar o desejo sexual e aumentar a capacidade para a actividade

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Saúde e segurança do trabalho. Componente Curricular: Suporte Emergencial

Leia mais

Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians

Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians I. INTRODUÇÃO Durante uma pesquisa realizada exclusivamente com homens pelo Instituto Avon/Data Popular e lançada em novembro de 2013, alguns dados

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DA PERSONALIDADE

DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DA PERSONALIDADE Rede7 Mestrado em Ensino do Inglês e Francês no Ensino Básico ÁREAS DE DESENVOLVIMENTO: DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DA PERSONALIDADE Teorias Psicodinâmicas A Psicanálise de Sigmund Freud A perspectiva de

Leia mais

Essas drogas podem ser absorvidas de várias formas: por injecção, por inalação, via oral ou injeção intravenosa.

Essas drogas podem ser absorvidas de várias formas: por injecção, por inalação, via oral ou injeção intravenosa. Droga Droga (do francês drogue, provavelmente do neerlandês droog, "seco, coisa seca"), narcótico, entorpecente ou estupefaciente são termos que denominam substâncias químicas que produzem alterações dos

Leia mais

Capítulo 1 1. Capítulo 2 63

Capítulo 1 1. Capítulo 2 63 Índice Os Autores... Nota da Coordenadora... M. Fátima Pinheiro Prefácio... Manuel Simas Santos IX XIII XV Capítulo 1 1 Desafios Ético-jurídicos da Prova Pericial Artur Pereira Introdução... 1 Bases de

Leia mais

ADOLESCÊNCIA SEXUALIDADE

ADOLESCÊNCIA SEXUALIDADE ADOLESCÊNCIA E SEXUALIDADE Adolescência É o período de transição entre a infância e a idade adulta. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS),o período da adolescência situa-se entre os 10 e os 20 anos.

Leia mais

Revisão 15 Abril/13 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5

Revisão 15 Abril/13 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME COMERCIAL Thinner 2750 NOME DO FABRICANTE ANJO QUIMICA DO BRASIL LTDA Rodovia SC, 447 Km 02 Criciúma Santa Catarina CEP: 88.817-440

Leia mais

Álcool, Drogas e o Jovem

Álcool, Drogas e o Jovem Álcool, Drogas e o Jovem Sub-Secretaria de Políticas sobre Drogas do Estado de Minas Gerais Amadeu Roselli Cruz Primavera de 2012 1 Jovens e Conflitos com a Família 1. Escola 2. Limpeza do corpo 3. Limpeza

Leia mais

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Es>mulantes do SNC Obje>vos Conhecer as formas de apresentação e de uso Compreender o mecanismo de

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI Conforme Norma Regulamentadora nº.6, Equipamento de Proteção Individual EPI é todo dispositivo de uso individual utilizado pelo empregado, destinado à proteção de

Leia mais

O Câncer de Próstata. O que é a Próstata

O Câncer de Próstata. O que é a Próstata O Câncer de Próstata O câncer de próstata é o segundo tumor mais comum no sexo masculino, acometendo um em cada seis homens. Se descoberto no início, as chances de cura são de 95%. O que é a Próstata A

Leia mais

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Perturbadores do SNC ObjeDvos Conhecer as formas de apresentação e de uso Compreender o mecanismo de

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Sistema único de Assistência Social

Leia mais