A INDISPENSABILIDADE DO ESTUDO DA CRIMINALÍSTICA E DA MEDICINA LEGAL NO CURSO DE DIREITO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A INDISPENSABILIDADE DO ESTUDO DA CRIMINALÍSTICA E DA MEDICINA LEGAL NO CURSO DE DIREITO"

Transcrição

1 1 A INDISPENSABILIDADE DO ESTUDO DA CRIMINALÍSTICA E DA MEDICINA LEGAL NO CURSO DE DIREITO Valquíria Belomo 1 RESUMO Com o fito do esclarecimento dos fatos e a demonstração da verdade, as provas periciais tem sido de grande auxílio ao direito e à elucidação das causas. Mediante as novas tecnologias o êxito na revelação dos acontecimentos tem aumentado, e a importância das ciências técnicas torna a perícia fundamental para a maior parte das causas. Palavras-chave: exames medicina legal - criminalística. INTRODUÇÃO Não raras vezes a demonstração do direito depende de PROVA, ou seja, a simples alegação não possui o condão de atribuir direitos; deve-se expor a verdade alegada através de elementos probatórios materiais que necessitarão de profissionais habilitados para opinar sobre o assunto. 1 CONCEITO DE PROVA Prova é a demonstração dos fatos e do modo como eles ocorreram. 1 Bacharel em Direito, Especialista em Direito Penal, Professora Do Curso de Direito do CEUNSP Salto.

2 2 Conforme Tourinho Filho, É o elemento demonstrativo da autenticidade ou da veracidade de um fato. Seu objetivo é formar a convicção do juiz sobe os elementos necessários para a decisão da causa. (TOURINHO FILHO, 1999). Para que o juiz declare a existência da responsabilidade criminal e imponha sanção penal a uma determinada pessoa, é necessário que adquira a certeza de que foi cometido um ilícito penal e que seja ela a autora. Para isso deve convencer-se de que são verdadeiros determinados fatos, chegando à verdade quando a idéia que forma em sua mente se ajusta perfeitamente com a realidade dos fatos. Da apuração dessa verdade trata a instrução, fase do processo em que as partes procuram demonstrar o que objetivam, sobretudo para demonstrar ao juiz a veracidade ou falsidade da imputação feita ao réu e das circunstancias que possam influir no julgamento da responsabilidade e na individualização das penas. Essa demonstração que deve gerar ao juiz a convicção de que necessita para o seu pronunciamento é o que constitui a prova (MIRABETE, 2006, p. 249). As provas são comuns em todas as áreas do direito e visam expor a realidade tornando mais fácil ao julgador atribuir a razão a uma das partes. Prova é todo elemento que pode levar o conhecimento de um fato a alguém. No processo, a prova é todo meio destinado a convencer o juiz a respeito da verdade de uma situação de fato. A palavra prova é originária do latim probatio, que por sua vez emana do verbo probare, com o significado de examinar, persuadir, demonstrar (GRECO FILHO, 1999, p. 196). 1.1 Espécies de prova Em relação à forma ou aparência, a prova pode ser classificada como: Testemunhal: resultante do depoimento prestado por sujeito estranho ao processo sobre fatos de seu conhecimento pertinentes ao litígio; Documental: produzida por meio de documentos; Material: obtida por meio químico, físico ou biológico (ex: exames, vistorias, corpo de delito, etc). O doutrinador Vicente Grecco Filho (1999), classifica as provas segundo vários critérios, a saber: 1. - Quanto ao objeto elas podem ser: 1.1. Diretas: Aquelas que são destinadas a demonstrar o próprio fato principal da demanda e este se comprovado

3 3 determinara a conseqüência jurídica pretendida, é a prova que traz ao conhecimento do juiz o próprio fato previsto pela lei como necessário; exemplo testemunha que viu um acidente é prova direta Indiretas: Elas demonstram os fatos secundários, ou circunstanciais, dos quais pode se chegar à conclusão da convicção da existência do fato principal, ou seja, são os indícios; 2. Quanto ao sujeito: 2.1. Pessoais: São os depoimentos de testemunhas e das partes Reais: São os objetos ou coisas apresentadas. 3. Quanto à preparação: 3.1. Casuais ou simples 3.2. Pré-constituídas A título ilustrativo, nosso CPP disciplina os meio de provas legais, previstos nos artigos 158 ao artigo 250, como segue: Art. 158 a 184 Art. 185 a 196 Art. 197 a 200 Art. 201 Art. 202 a 225 Art. 226 a 228 Art. 229 a 230 Art. 231 a 238 Art. 239 Art. 240 a Do exame de corpo de delito e das perícias em geral - Do interrogatório do acusado - Da confissão - Do ofendido - Das testemunhas - Do reconhecimento de pessoas e coisas - Da acareação - Dos documentos - Dos indícios - Da Busca e da apreensão Outras provas são admitidas, respeitados os valores da pessoa humana e a racionalidade, a exemplo a inspeção judicial que, embora não prevista no Código de Processo Penal, é aceita. Após decisões reiteradas dos tribunais houve a alteração no Código de Processo Penal, que, da redação anterior em seu artigo 157 (o juiz formará sua convicção pela livre apreciação da prova), e baseada na lei de 2008 trouxe como nova redação do artigo 155:

4 4 O Juiz formará sua convicção pela livre apreciação da prova produzida em contraditório judicial, não podendo fundamentar sua decisão exclusivamente nos elementos informativos colhidos na investigação, ressalvadas as provas cautelares, não repetíveis e antecipadas. 2 PRINCÍPIOS ATINENTES À PROVA Insere-se como princípio constitucional o direito ao devido processo legal (art. 5º. LIV), em que ninguém será provado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal. São ainda garantias o contraditório e a ampla defesa (art. 5º., LV); a inadmissibilidade das provas obtidas por meios ilícitos (art. 5º., LVI). Portanto, como PROVA, todos os meios legais e moralmente legítimos são aptos a provar a verdade dos fatos. Em síntese, são os princípios constitucionais atinentes às provas: LIBERDADE; IGUALDADE ; LEGALIDADE; DEVIDO PROCESSO LEGAL; CONTRADITÓRIO E AMPLA DEFESA; PROVA OBTIDA POR MEIOS LÍCITOS; PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA, RESPEITO AOS DIREITOS HUMANOS, PROTEÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ERROS JUDICIÁRIOS. EMENTA: RHC Constitucional. Processo penal. Prova. Meio Ilícito de obtenção. Nulidade. A produção de provas precisa obedecer o procedimento legal. Daí a Constituição da Republica expressar a inadimissibilidade de provas obtidas por meios ilícitos (art. 5, LVI). Não produzem efeito confissão e testemunho resultantes de tortura física e psicológica. Decorre Nulidade. Não acarreta absolvição. Enquanto não incidente a prescrição, e admissível a produção da prova (RHC 2.132/BA, Rel. Ministro LUIZ VICENTE CERNICCHIARO, SEXTA TURMA, julgado em 31/08/1992, DJ 21/09/1992 p ) 3 PERÍCIAS CARACTERES GERAIS Perícia é exame apurado, técnico; conjunto de procedimentos técnicos com a finalidade de esclarecer um fato de interesse da Justiça, para conhecer-se, por meios científicos, a dinâmica dos acontecimentos e de circunstâncias capazes de interferir na decisão de questões jurídicas. A prova pericial pode ser exame, vistoria ou avaliação para aclarar matéria técnica. Os peritos são experts ou especialistas; profissionais tecnicamente capacitados, indicados pela autoridade competente, para esclarecer pontos de

5 5 dúvida em relação a casos de interesse da Justiça. Há dois tipos: I) Peritos oficiais; II) Peritos nomeados ou ad hoc. A atuação consiste numa função oficial, limitada, pois não exerce julgamento nem defesa, nem acusação é uma posição imparcial. Apenas aponta às autoridades solicitantes o observado no local, nos objetos ou nas pessoas (lesões e sintomas no vivo) o que observou. VISUM ET REPERTUM (examina e relata). Conceitua-se a expressão CORPO DE DELITO como o conjunto de vestígios deixados pelo fato criminosos ou suspeito. Conforme já exposto, consta no Art. 158 do CPP que há necessidade de exame se a infração deixar vestígios. Dentre as disposições gerais sobre perícias, encontra-se a indicação de obrigatoriedade e a nomeação de peritos oficiais conforme o Código de Processo Penal: Art Quando a infração deixar vestígios, será indispensável o exame de corpo de delito, direto ou indireto, não podendo supri-lo a confissão do acusado. Art O exame de corpo de delito e outras perícias serão realizados por perito oficial, portador de diploma de curso superior. 1 o Na falta de perito oficial, o exame será realizado por 2 (duas) pessoas idôneas, portadoras de diploma de curso superior preferencialmente na área específica, dentre as que tiverem habilitação técnica relacionada com a natureza do exame. 2 o Os peritos não oficiais prestarão o compromisso de bem e fielmente desempenhar o encargo. A título de comparação, enuncie-se sob o ângulo do Processo Civil: Art A prova pericial consiste em exame, vistoria ou avaliação. Parágrafo único. O juiz indeferirá a perícia quando: I - a prova do fato não depender do conhecimento especial de técnico; II - for desnecessária em vista de outras provas produzidas; III - a verificação for impraticável. Art O juiz nomeará o perito, fixando de imediato o prazo para a entrega do laudo 1 o Incumbe às partes, dentro em 5 (cinco) dias, contados da intimação do despacho de nomeação do perito: I - indicar o assistente técnico; II - apresentar quesitos. 2 o Quando a natureza do fato o permitir, a perícia poderá consistir apenas na inquirição pelo juiz do perito e dos assistentes, por ocasião da audiência de instrução e julgamento a respeito das coisas que houverem informalmente examinado ou avaliado. 4 CIÊNCIAS AUXILIARES DO DIREITO CRIMINALÍSTICA E MEDICINA LEGAL Quando os juízes deparam com questões altamente técnicas nos processos e, embora possam ter conhecimento vasto, não tem a obrigatoriedade de conhecer

6 6 todas as inumeráveis matérias elencadas, havendo necessidade de obter informações de profissionais da área para aclarar dúvidas e exercer imparcialmente exames acerca de tais assuntos. Surge então a função pericial que, na área penal e civil, é exercida através de várias instituições públicas, através de duas áreas: a Criminalística, responsável pelo exame de locais e objetos do crime; e a Medicina Legal, esta que trabalha com as perícias em pessoas e materiais biológicos, órgãos e cadáveres CRIMINALÍSTICA Várias são as funções da Criminalística, entre elas examinar as marcas deixadas em locais de crime para apontar como o fato ocorreu, os objetos utilizados, os danos produzidos, as causas e os prováveis causadores de acidentes de trânsito ou de trabalho, a extensão dos danos, a natureza das substâncias encontradas, os métodos usados, mediante várias áreas como a Balística, a Engenharia Forense, a Química, a Física, a Documentoscopia, a Informática, a Identificação Criminal, a Infortunística etc. A perícia criminal é um dos grandes exemplos da união entre capacidade humana e os recursos tecnológicos. O papel do perito ganha força a cada ano. Antes coadjuvantes em investigações, agora ganham destaque por sua participação fundamental na resolução das mais complexas investigações. Há 13 anos, a segurança pública de São Paulo apostou na criação de uma entidade equivalente às polícias Civil e Militar: a Polícia Técnico Cientifica, entidade que é dividida em dois setores; o Instituto Médico Legal (IML), onde são realizadas autopsias, exames de corpo de delito; e o Instituto de Criminalística (IC), onde são feitos exames para fornecer provas técnicas para uma investigação. Ambos os setores contam com profissionais especializados para desempenhar as funções já estabelecidas. O IC tem papel fundamental para municiar o poder jurídico com provas que muitas vezes não se obtêm com uma simples investigação. É função do perito criminal encontrar evidências na cena de um crime. Há cerca de dois meses, peritos paulistas estão utilizando a maleta de campo, um conjunto de aparelhos e ferramentas que auxiliam na perícia. O investimento de R$ 1,9 milhão é resultado de um convênio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) para aperfeiçoar o trabalho forense. O kit especial contém luzes forenses, reagentes químicos para identificar drogas ou vestígios de sangue, máquinas digitais com alta capacidade para registrar o local periciado, GPS, notebook com programas forenses, material para coleta de vestígios, clinômetros (instrumento para se medir inclinações ou ângulos) e paquímetro (instrumento usado para medir as dimensões lineares internas, externas e de profundidade de uma peça). Hoje em dia, a

7 7 pela perícia. iniciativa da Senasp é aplicada em estados como Amazonas, Goiás, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Para a sua atuação interna, o IC conta com aparelhos de última geração. Segundo o diretor do IC, Adilson Pereira, a estrutura do local é divida em diversos núcleos; perícia segmentada (Acidentes de Trânsito, Crimes Contábeis, Crimes Contra o Patrimônio, Crimes Contra a Pessoa, Documentoscopia, Engenharia, Perícias Especiais, Identificação Criminal e Perícias de Informática) e a parte que realiza exames, e pesquisas (Análise Instrumental, Balística, Biologia e Bioquímica, Física, Química e Exames de Entorpecentes). Fonte: ncia/sa%fade&tipoeditoria= São inúmeros os casos apontados pela mídia com esclarecimento auxiliado Perícia em destaque Dois casos mostraram a importância do Instituto de Criminalística para São Paulo, segundo o diretor do IC, Adilson Pereira. O IML juntamente com o IC, foi responsável por amenizar a dor de dezenas de familiares das vítimas do acidente com uma aeronave da TAM que se chocou contra um depósito da carga da empresa. No total, foram 199 mortos, sendo que 90% dos corpos foram identificados graças ao trabalho da Polícia Técnico Científica. Desataca-se ainda o caso Isabella Nardoni, crime cometido supostamente pelo pai e pela madrasta da menina, que foi arremessada do sexto andar do edifício onde morava. Nesse caso coube à perícia o papel de apontar e reunir provas que evidenciassem os responsáveis pelo crime. Simulações cronometradas, manchas de sangue latente (não visível) foram a base para o laudo que confirmaria a responsabilidade do casal Nardoni na morte da pequena Isabella. A importância das provas técnicas no caso consolidou ainda mais o trabalho de peritos em todo país. %FAde&tipoEditoria= 4.2 MEDICINA LEGAL A Medicina legal tem a função de realizar estudos ao examinar pessoas, descrevendo a natureza de ferimentos, as lesões produzidas, os objetos utilizados; substâncias orgânicas, o exame de órgãos e vísceras para detectar substâncias; o exame cadavérico para determinar a causa mortis, entre outras. Cite-se como áreas da Medicina Legal: a Asfixiologia, a Toxicologia, a Psiquiatria Forense, a Sexologia Forense, a Biologia, a Papiloscopia etc.

8 8 A mais conhecida das funções do IML é a necropsia, vulgarmente chamada de autópsia, que é o exame do indivíduo após sua morte. Porém, este tipo de exame constitui apenas 30% do movimento do Instituto. A maior parte do atendimento (70%) é dada a indivíduos vivos, pessoas que foram vítimas de acidentes de trânsito, agressões, acidentes de trabalho etc.. O IML, assim como o Instituto de Criminalística, é estruturado por núcleos de perícia na Grande São Paulo e no Interior. Além disso, o Instituto também conta com núcleos que realizam perícias especializadas (Clínica Médica, Tanatologia Forense, Radiologia, Odontologia Legal) e aqueles responsáveis por exames, análises e pesquisas (Anatomia Patológica, Toxicologia Forense e Antropologia). Todos estão sediados na Capital, junto à sede do IML. 5 DA RESPONSABILIDADE DA PERÍCIA Os peritos têm um compromisso com a verdade e assumem o encargo mediante responsabilização em caso de falsidade. Assim como a testemunha, que obriga-se e compromete-se a falar a verdade, o perito é instado a relatar de acordo com a sua exposição, visando não inclinar-se às partes, mas apresentar um laudo imparcial e verídico. Em caso de não respeitar esse princípio da verdade, o perito seja oficial ou nomeado, pode incorrer no delito descrito no art. 342 do Código Penal. FALSO TESTEMUNHO OU FALSA PERÍCIA art. 342 do CP: Art Fazer afirmação falsa, ou negar ou calar a verdade como testemunha, perito, contador, tradutor ou intérprete em processo judicial, ou administrativo, inquérito policial, ou em juízo arbitral: (Redação dada pela Lei nº , de ) 1o As penas aumentam-se de um sexto a um terço, se o crime é praticado mediante suborno ou se cometido com o fim de obter prova destinada a produzir efeito em processo penal, ou em processo civil em que for parte entidade da administração pública direta ou indireta.(redação dada pela Lei nº , de ) 2o O fato deixa de ser punível se, antes da sentença no processo em que ocorreu o ilícito, o agente se retrata ou declara a verdade. (Redação dada pela Lei nº , de ) CONSIDERAÇÕES FINAIS

9 9 A prova pericial, um dos meios de prova elencados no Direito Processual brasileiro, torna-se importante à medida que é oriunda de um minucioso exame técnico-científico que se materializa através do laudo pericial. O Juiz não fica adstrito ao laudo para exercer o seu julgamento, em razão do livre convencimento motivado. Porém, o que se observa é que, o laudo pericial, apresentando um estudo condizente com as demais espécies de prova, auxilia no esclarecimento do fato de forma a expor cientificamente a dinâmica dos acontecimentos. Na atualidade o avanço da tecnologia torna os resultados dos exames periciasi mais preciso e seguros, com maior confiabilidade e possibilidade de revelação de alto nível. É comum em todas as espécies de processos (criminais, cíveis, trabalhistas etc) a atuação pericial, uma vez o estudo por profissionais especializados torna mais seguras as apreciações, inclusive porque a atividade se reveste de grande responsabilidade e possibilidade de penalização no descumprimento dos deveres. REFERÊNCIAS CROCE, Delton; CROCE JÚNIOR, Delton. Manual de Medicina Legal, São Paulo: Saraiva, DIAS, Fábio Coelho. A prova pericial no Direito Processual Penal brasileiro. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, 80, 01/09/2010 [Internet]. Disponível em Acesso em 17/01/2012. FRANÇA, Genival Veloso de. Medicina Legal. 7ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 2004.

10 10 GRECO, Rogério. Curso de Direito Penal, vol II, Niterói: Impetus, GRECO FILHO. Vicente. Manual do Processo Penal. São Paulo: Saraiva, MIRABETE, Julio Fabbrini. Manual de Direito Penal. 18ª ed. São Paulo: Atlas, O ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Disponível em poeditoria= Acesso em 14.janeiro TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal, 1 vol., 21ª. Edição : Saraiva, 1999.

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS Prof. Dr. Eduardo Daruge Titular de Odontologia Legal e Deontologia da FOP-UNICAMP Prof. Medicina Legal da Faculdade de Direito da UNIMEP DEFINIÇÃO: PERÍCIAS

Leia mais

ADRIANA PONCE COELHO CERÂNTOLA

ADRIANA PONCE COELHO CERÂNTOLA CURSO DE PERÍCIA JUDICIAL AMBIENTAL Curso Perito Judicial Ambiental PALESTRANTE ADRIANA PONCE COELHO CERÂNTOLA Advogada Especialista em Biossegurança pela UFSC-SC Mestre em Tecnologia Ambiental pelo IPT-SP

Leia mais

PARECER CREMEC nº 19/2013 20/09/2013

PARECER CREMEC nº 19/2013 20/09/2013 PARECER CREMEC nº 19/2013 20/09/2013 PROCESSO-CONSULTA Protocolo CREMEC nº 6924/2013 INTERESSADO: Médico Perito Legista ASSUNTO: CAUSA MORTIS INDETERMINADA PARECERISTA: DR. HELVÉCIO NEVES FEITOSA DA CONSULTA

Leia mais

Aula VII de Processo Civil II Provas continuação. Prova pericial e inspeção judicial.

Aula VII de Processo Civil II Provas continuação. Prova pericial e inspeção judicial. Aula VII de Processo Civil II Provas continuação. Prova pericial e inspeção judicial. Perícia: na falta do conhecimento especializado ao juiz, este indica um técnico que possa fazer o exame dos fatos objeto

Leia mais

TÍTULO VII DA PROVA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

TÍTULO VII DA PROVA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS TÍTULO VII DA PROVA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 155. No juízo penal, somente quanto ao estado das pessoas, serão observadas as restrições à prova estabelecidas na lei civil. Art. 156. A prova da

Leia mais

Aspectos Éticos da Perícia do Erro Médico

Aspectos Éticos da Perícia do Erro Médico Aspectos Éticos da Perícia do Erro Médico Prof. Dr. Hermes de Freitas Barbosa Centro de Medicina Legal Departamento de Patologia e Medicina Legal Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de

Leia mais

PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROCESSO PENAL

PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROCESSO PENAL PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROCESSO PENAL Carlos Antonio da Silva 1 Sandro Marcos Godoy 2 RESUMO: O Direito Penal é considerado o ramo jurídico mais incisivo, uma vez que restringe um dos maiores bens do

Leia mais

Inicialmente, apresentamos os dispositivos da legislação pertinente ao assunto:

Inicialmente, apresentamos os dispositivos da legislação pertinente ao assunto: P rezados concursandos, Neste encontro, vamos estudar alguns itens de um ponto que tem provocado grande apreensão nos candidatos que participarão do concurso do ICMS do Estado do Ceará. Trata se do tópico

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução.

Copyright Proibida Reprodução. PROCEDIMENTO PADRÃO PERÍCIA AMBIENTAL Prof. Éder Responsabilidade Clementino dos civil Santos INTRODUÇÃO BRASIL: Perícia Ambiental É um procedimento utilizado como meio de prova; Fornecimento de subsídios

Leia mais

GUIA PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO DE LAUDOS PERICIAIS EM MEDICINA DO TRABALHO

GUIA PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO DE LAUDOS PERICIAIS EM MEDICINA DO TRABALHO GUIA PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO DE LAUDOS PERICIAIS EM MEDICINA DO TRABALHO 1ª edição 2002 2ª edição 2011 3ª edição 2014 ANTONIO BUONO NETO Médico Especialista em Medicina do Trabalho pela AMB. Ex-Presidente

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 ( )Fundamental I ( )Médio Profissionalizante ( X )Graduação ( )Fundamental II ( )Profissionalizante ( )Pós-graduação ( )Médio I. Dados Identificadores Curso DIREITO Disciplina MEDICINA

Leia mais

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL AÇÃO PENAL PÚBLICA tem início através de uma peça que se chama denúncia. Essa é a petição inicial dos crimes

Leia mais

PERÍCIA AMBIENTAL CONCEITOS

PERÍCIA AMBIENTAL CONCEITOS PERÍCIA AMBIENTAL CONCEITOS PERÍCIA Exame realizado por técnico, ou pessoa de comprovada aptidão e idoneidade profissional, para verificar e esclarecer um fato, ou estado ou a estimação da coisa que é

Leia mais

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM?

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? A Justiça Militar Estadual por força de expressa vedação contida no art. 125, 4º, da CF/88, não tem competência

Leia mais

Espelho Penal Peça. Endereçamento correto da interposição 1ª Vara Criminal do Município X 0 / 0,25

Espelho Penal Peça. Endereçamento correto da interposição 1ª Vara Criminal do Município X 0 / 0,25 Espelho Penal Peça O examinando deve redigir uma apelação, com fundamento no artigo 593, I, do Código de Processo Penal. A petição de interposição deve ser endereçada ao juiz de direito da 1ª vara criminal

Leia mais

O ÔNUS DA PROVA NO PROCESSO PENAL

O ÔNUS DA PROVA NO PROCESSO PENAL O ÔNUS DA PROVA NO PROCESSO PENAL Gustavo de Oliveira Santos Estudante do 7º período do curso de Direito do CCJS-UFCG. Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/4207706822648428 Desde que o Estado apossou-se

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL JOSÉ MARIA LUCENA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL JOSÉ MARIA LUCENA IMPTTE IMPTDO PACTE ORIGEM RELATOR : CLÁUDIO PIO DE SALES CHAVES E OUTRO : JUÍZO DA 12ª VARA FEDERAL DA PARAÍBA (GUARABIRA) : SAULO GONÇALVES COELHO : 12ª VARA FEDERAL DA PARAíBA (GUARABIRA - PB) : DESEMBARGADOR

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO 2015

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO 2015 FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO 2015 2-INFORMAÇÕES GERAIS CURSO DE DIREITO 2.1-DISCIPLINA : MEDICINA LEGAL.FUNDAMENTOS MÉDICO- PSICOLÓGICOS DO DIREITO. 2.2-DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS COMPLEMENTARES

Leia mais

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014

PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PARECER CREMEC N.º 19/2014 24/11/2014 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC nº 7331/2014 ASSUNTO: ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO PERITO E DO AUXILIAR DE NECROPSIA. PARECERISTA: CONSELHEIRO JOSÉ AJAX NOGUEIRA QUEIROZ

Leia mais

Arbitral Foi regulamentada através da lei 9.307/96 e refere-se a perícia realizada no juízo arbitral- instancia criada pela vontade das partes.

Arbitral Foi regulamentada através da lei 9.307/96 e refere-se a perícia realizada no juízo arbitral- instancia criada pela vontade das partes. 1. O que significa a sigla CPC? Código Processo Civil (determina normas da Perícia) 2. Como definir a perícia? A perícia é a prova pericial que demonstra um conjunto de procedimentos técnicos e científicos

Leia mais

PROVAS (Arts. 155 ao 250 do CPP)

PROVAS (Arts. 155 ao 250 do CPP) PROVAS (Arts. 155 ao 250 do CPP) Professor Gladson Miranda www.gladsonmiranda.jur.adv.br Objeto O objeto das provas abrange o fato criminoso e sua autoria, todas as circunstâncias objetivas e subjetivas

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: Direito Processual Penal I Curso: Direito Carga Horária: 64 Departamento: Direito Público Área: Direito Penal e Processo Penal PLANO DE ENSINO EMENTA Direito

Leia mais

ASPCETOS POLÊMICOS DA PROVA EMPRESTADA NO PROCESSO DO TRABALHO

ASPCETOS POLÊMICOS DA PROVA EMPRESTADA NO PROCESSO DO TRABALHO ASPCETOS POLÊMICOS DA PROVA EMPRESTADA NO PROCESSO DO TRABALHO Mauro Schiavi 1 DA PROVA Francisco Carnelutti 2 define prova como demonstração da verdade de um fato dada com os meios legais (por legítimos

Leia mais

SISTEMÁTICA DA PERÍCIA NO PROCESSO CIVIL

SISTEMÁTICA DA PERÍCIA NO PROCESSO CIVIL SISTEMÁTICA DA PERÍCIA NO PROCESSO CIVIL SISTEMÁTICA DA PERÍCIA NO PROCESSO CIVIL FASE INICIAL DA PERÍCIA FASE INICIAL DA PERÍCIA DEFERIMENTO DA PROVA PERICIAL N Ã O NOMEAÇÃO DO PERITO SIM A C E I T A

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO N.º 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006. (Alterada pela Res. 111/2014) Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar 75/93 e o art. 26 da Lei n.º 8.625/93, disciplinando, no âmbito do Ministério Público,

Leia mais

Karoline Cardoso Villaça 1 Cristian Kiefer da Silva 2 Banca Examinadora 3

Karoline Cardoso Villaça 1 Cristian Kiefer da Silva 2 Banca Examinadora 3 CAPACITAÇÃO TÉCNICA DE POLICIAIS SEM CURSO SUPERIOR PARA PERÍCIA DE POTENCIALIDADE DE ARMA DE FOGO:flexibilização do artigo 159 1º do Código e Processo Penal Karoline Cardoso Villaça 1 Cristian Kiefer

Leia mais

LEGISLAÇÃO PERTINENTE

LEGISLAÇÃO PERTINENTE PERÍCIAS E PERITOS O processo penal regula a intervenção do Estado e garante a execução da justiça por meios eficientes para isso. No processo se reúnem os meios para verificar e sanar uma lesão do direito.

Leia mais

PARECER APROVADO PELO PLENO DO CFESS EM 09/09/2010

PARECER APROVADO PELO PLENO DO CFESS EM 09/09/2010 ASSUNTO: Relação do Assistente Social com autoridades do Sistema Judiciário/ Determinações ou exigências emanadas, que não se coadunam com o Código de Ética do Assistente Social e com as normas previstas

Leia mais

ENUNCIADOS. Suspensão Condicional do Processo. Lei Maria da Penha e Contravenções Penais

ENUNCIADOS. Suspensão Condicional do Processo. Lei Maria da Penha e Contravenções Penais ENUNCIADOS Suspensão Condicional do Processo Enunciado nº 01 (001/2011): Nos casos de crimes de violência doméstica e familiar contra a mulher não se aplica a suspensão condicional do processo. (Aprovado

Leia mais

XIº FEMESC Fraiburgo JUDICIAL ÉTICOS ASPECTOS. Cons. JOSÉ FRANCISCO BERNARDES. Maio 2008

XIº FEMESC Fraiburgo JUDICIAL ÉTICOS ASPECTOS. Cons. JOSÉ FRANCISCO BERNARDES. Maio 2008 XIº FEMESC Fraiburgo PERÍCIA MÉDICA M ASPECTOS ÉTICOS Cons. JOSÉ FRANCISCO BERNARDES Maio 2008 OU COMO EVITAR PROBLEMAS COM O CRM NA REALIZAÇÃO DE UMA PERICIA MÉDICA PERÍCIA MÉDICAM PERÍCIA MÉDICA M Do

Leia mais

PERÍCIA CONTÁBIL. Paulo Cordeiro de Mello. Economista e Contador Perito Judicial Professor Universitário

PERÍCIA CONTÁBIL. Paulo Cordeiro de Mello. Economista e Contador Perito Judicial Professor Universitário PERÍCIA CONTÁBIL Paulo Cordeiro de Mello Economista e Contador Perito Judicial Professor Universitário O que é Perícia Contábil? É o trabalho técnico, realizado por profissional com formação e conhecimento

Leia mais

SUJEITOS PROCESSUAIS: JUIZ E MINISTÉRIO PÚBLICO

SUJEITOS PROCESSUAIS: JUIZ E MINISTÉRIO PÚBLICO SUJEITOS PROCESSUAIS: JUIZ E MINISTÉRIO PÚBLICO Sujeitos processuais são as pessoas que atuam no processo, ou seja, autor, réu e juiz, existem outros sujeitos processuais, que podem ou não integrar o processo,

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Petição inicial: Queixa-crime. Endereçamento: Vara Criminal da Comarca de São Paulo SP. Vara criminal comum, visto que as penas máximas abstratas, somadas, ultrapassam dois anos. Como

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS Órgão : Segunda Turma Criminal Classe : Apelação Criminal Nº Processo : 1999 04 1 000829-4 Apelante : JOÃO AMARO FERNANDES Apelada : A JUSTIÇA PÚBLICA Relator : Des or GETULIO PINHEIRO Delito de trânsito.

Leia mais

PC-SE. Polícia Civil do Estado do Sergipe. Agente de Polícia Judiciária Substituto - Escrivão Substituto ÍNDICE VOLUME 1

PC-SE. Polícia Civil do Estado do Sergipe. Agente de Polícia Judiciária Substituto - Escrivão Substituto ÍNDICE VOLUME 1 Polícia Civil do Estado do Sergipe PC-SE Agente de Polícia Judiciária Substituto - Escrivão Substituto ÍNDICE VOLUME 1 CONHECIMENTOS GERAIS LINGUA PORTUGUESA 1 Compreensão de textos. 2 Denotação e conotação...

Leia mais

CURSO DE PERÍCIA CONTÁBIL. 3ª Edição

CURSO DE PERÍCIA CONTÁBIL. 3ª Edição CURSO DE PERÍCIA CONTÁBIL 3ª Edição 1 2 ANTÔNIO GOMES DAS NEVES Contador, Perito, Professor de Legislação Trabalhista e Perícia Contábil na graduação e pós-graduação. CURSO DE PERÍCIA CONTÁBIL 3ª Edição

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR PRISÃO REALIZADA PELA GUARDA MUNICIPAL Denis Schlang Rodrigues Alves - Delegado de Polícia do Estado de Santa Catarina. Pós- Graduado em Direito Penal pela Universidade Paulista. Professor de Direito Penal

Leia mais

IV Seminário Paulista de Perícias Judiciais

IV Seminário Paulista de Perícias Judiciais IV Seminário Paulista de Perícias Judiciais 26 de agosto de 2011 / IBAPE-SP Painel 1: O Perito Judicial e a Justiça Gratuita Dr. Sandro Rafael Barbosa Pacheco I Disposições Gerais. Dispositivos aplicados

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DA CARREIRA DE POLÍCIA FEDERAL

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DA CARREIRA DE POLÍCIA FEDERAL ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DA CARREIRA DE POLÍCIA FEDERAL Art. 1º Os cargos da Carreira de Polícia Federal, Delegado de Polícia Federal, Perito Criminal Federal, Agente de Polícia Federal, Escrivão de Polícia

Leia mais

No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação do artigo 2º, da lei nº 8.072, de 28 de julho de 1990.

No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação do artigo 2º, da lei nº 8.072, de 28 de julho de 1990. A NOVA DISCIPLINA DA PROGRESSÃO DE REGIME TRAZIDA PELA LEI Nº 11.464/07. MAURICIO MAGNUS FERREIRA JUIZ DE DIREITO DO TJ/RJ No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Dos Srs. Paulo Teixeira, Fábio Trad, Delegado Protógenes e Miro Teixeira)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Dos Srs. Paulo Teixeira, Fábio Trad, Delegado Protógenes e Miro Teixeira) PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Dos Srs. Paulo Teixeira, Fábio Trad, Delegado Protógenes e Miro Teixeira) Altera os arts. 161, 162, 164, 165, 169 e 292 do Decreto-Lei n o 3.689, de 3 de outubro de 1941- Código

Leia mais

MATERIAL DE APOIO. *segundo o STF o MP tem poder de investigação, ou seja, pode o MP investigar além da polícia.

MATERIAL DE APOIO. *segundo o STF o MP tem poder de investigação, ou seja, pode o MP investigar além da polícia. Escrivao P.F Nível Superior DISCIPLINA:D.Proc.Penal Professor: Guilherme Madeira Aula 01 MATERIAL DE APOIO Processo Penal Professor Madeira Dicas: -Apenas caderno e lei na reta final! -Fazer uma prova

Leia mais

inciso II e IV, do Código Penal contra a vítima Cristiane Monteiro da Silva.

inciso II e IV, do Código Penal contra a vítima Cristiane Monteiro da Silva. Processo nº 201402509884 Natureza: Ação Penal Réu: Jhones Milton Soares do Nascimento S E N T E N Ç A O Representante do Ministério Público do Estado de Goiás, com atribuição nesta Comarca, denunciou Jhones

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR Análise da obra Homicídio sem Cadáver: o caso Denise Lafetá Alexandre Schappo 1 Suzana Moraes 2 INTRODUÇÃO Compreender a importância no mundo jurídico, bem como os efeitos resultantes de um caso sui generis,

Leia mais

ARTHUR TRIGUEIROS e WANDER GARCIA. Edição 2013. Coordenadores CONCURSOS POLICIAIS. 2 a Edição 2013 2.000 QUESTÕES COMENTADAS

ARTHUR TRIGUEIROS e WANDER GARCIA. Edição 2013. Coordenadores CONCURSOS POLICIAIS. 2 a Edição 2013 2.000 QUESTÕES COMENTADAS Edição 2013 ARTHUR TRIGUEIROS e WANDER GARCIA Coordenadores CONCURSOS POLICIAIS 2 a Edição 2013 2.000 QUESTÕES COMENTADAS SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Direito Constitucional 13 1. PODER CONSTITUINTE... 13 2. TEORIA

Leia mais

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados:

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados: PARECERES JURÍDICOS Partindo das diversas obras escritas pelo Prof.Dr. AURY LOPES JR., passamos a oferecer um produto diferenciado para os colegas Advogados de todo o Brasil: a elaboração de Pareceres

Leia mais

PROCESSO PENAL - DPU. PONTO 1: Inquérito policial. PONTO 2: Ação Penal

PROCESSO PENAL - DPU. PONTO 1: Inquérito policial. PONTO 2: Ação Penal PROCESSO PENAL aula I Professor: David Data: 20.01.1020 PONTO 1: Inquérito policial PONTO 2: Ação Penal Artigos 4º a 23º do CPP 1. CONCEITO/NATUREZA. Trata-se de espécie de procedimento administrativo,

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO - 2014. 1.4 Série: 3ª Turmas: A e B Turno: Diurno

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO - 2014. 1.4 Série: 3ª Turmas: A e B Turno: Diurno FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO - 2014 1. INFORMAÇÕES GERAIS: 1.1 Professor: Décio Antônio Piola 1.2 Departamento: Direito Público 1.3 Disciplina: Direito Processual Penal I 1.4 Série: 3ª

Leia mais

DIREITO PENAL Denunciação caluniosa Comunicação falsa de crime ou de contravenção Auto-acusação falsa Falso testemunho ou falsa perícia

DIREITO PENAL Denunciação caluniosa Comunicação falsa de crime ou de contravenção Auto-acusação falsa Falso testemunho ou falsa perícia Crimes contra a Administração da Justiça e Denunciação caluniosa Art. 339. Dar causa à instauração de investigação policial, de processo judicial, instauração de investigação administrativa, inquérito

Leia mais

12/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II

12/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II II 2ª -Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 II Acessem!!!!!! www.rubenscorreiajr.blogspot.com 2 1 O : É o conjunto de atos cronologicamente concatenados (procedimentos), submetido a princípios e regras

Leia mais

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II QUESTÕES E PROCESSOS INCIDENTES PARTE II INCOMPATIBILIDADES E IMPEDIMENTOS: ART. 112 CPP- DUAS HIPÓTESES: ABSTENÇÃO: ARGUIÇÃO PELA PARTE: PROCESSO ESTABELECIDO PARA EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO. ART. 252 E 253

Leia mais

AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA

AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA * Luis Fernando da Silva Arbêlaez Júnior ** Professora Vânia Maria Bemfica Guimarães Pinto Coelho Resumo A Constituição Federal

Leia mais

12/20/2010. Introdução - Criminalística. Perícia Federal. Perito Criminal. Treinamento & desenvolvimento. Gestão pericial.

12/20/2010. Introdução - Criminalística. Perícia Federal. Perito Criminal. Treinamento & desenvolvimento. Gestão pericial. Introdução - Criminalística Polícia Federal Diretoria Técnico-Científica Instituto Nacional de Criminalística Perícia Federal Perito Criminal Treinamento & desenvolvimento Gestão pericial Clênio Guimarães

Leia mais

Responsabilidade em saúde

Responsabilidade em saúde Responsabilidade em saúde Cível:obrigação de indenização indene de prejuízo Constituição Federal/Código civil/cdc Elementos de responsabilidade Autor Ato Culpa Dano Nexo causal CÓDIGO CIVIL Art. 186 Aquele

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DA CARREIRA DE POLÍCIA FEDERAL

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DA CARREIRA DE POLÍCIA FEDERAL ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DA CARREIRA DE POLÍCIA FEDERAL Art. 1º Os cargos da Carreira de Polícia Federal, Delegado de Polícia Federal, Perito Criminal Federal, Agente de Polícia Federal, Escrivão de Polícia

Leia mais

O PROCESSO JUDICIAL E A PERÍCIA - CONSIDERAÇÕES INICIAIS

O PROCESSO JUDICIAL E A PERÍCIA - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Curso de Avaliações Prof. Carlos Aurélio Nadal cnadal@ufpr.br AULA 01 O PROCESSO JUDICIAL E A PERÍCIA - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Conflito de interesses - duas pessoas possuem interesse sobre o mesmo bem

Leia mais

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES - Evasão de divisas e lavagem de capitais as alterações da Lei 12.683/12 - Investigação de crimes financeiros - Cooperação jurídica internacional

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.051/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.051/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.051/05 Aprova a NBC P 2.6 Responsabilidade e Zelo. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas Brasileiras

Leia mais

As interceptações telefônicas como prova cautelar e os princípios do contraditório e da ampla defesa

As interceptações telefônicas como prova cautelar e os princípios do contraditório e da ampla defesa As interceptações telefônicas como prova cautelar e os princípios do contraditório e da ampla defesa Evandro Dias Joaquim* José Roberto Martins Segalla** 1 INTRODUÇÃO A interceptação de conversas telefônicas

Leia mais

Instado à exibição dos documentos originais (f.193), o Autor esquivou-se de fazê-lo (f.194).

Instado à exibição dos documentos originais (f.193), o Autor esquivou-se de fazê-lo (f.194). SENTENÇA 0024.09.690410-7 25ª Vara Cível da Comarca de Belo Horizonte Vistos, etc. I - RELATÓRIO Nilton Antônio Monteiro ajuizou ação de indenização contra Samarco Mineração S/A, José Tadeu de Morais e

Leia mais

O contraditório e a ampla defesa no processo administrativo

O contraditório e a ampla defesa no processo administrativo SEM REVISÃO O contraditório e a ampla defesa no processo administrativo Ary César Hernandez (*) Promotor de Justiça SP SUMÁRIO: 1 Generalidades. 1.1 O poder disciplinar. 1.2 Requisitos da aplicação de

Leia mais

Hugo Nigro Mazzilli AD V OG AD O OAB - SP n. 28.656

Hugo Nigro Mazzilli AD V OG AD O OAB - SP n. 28.656 As investigações do Ministério Público para fins penais (Artigo publicado na Revista APMP em Reflexão Ano 1, n. 4, p. 12, São Paulo, APMP, 2005) Hugo Nigro Mazzilli Advogado e consultor jurídico Procurador

Leia mais

Perícia Criminal CONVERSÃO DO CURSO REGULAR PARA PÓS-GRADUAÇÃO

Perícia Criminal CONVERSÃO DO CURSO REGULAR PARA PÓS-GRADUAÇÃO O Grupo Verbo Jurídico figura hoje como uma das instituições mais completas quando se trata de preparação para Concursos Públicos, também atuando no segmento editorial e de ensino. No ramo de ensino, destaca-se

Leia mais

2ª AULA INQUÉRITO POLICIAL

2ª AULA INQUÉRITO POLICIAL 2ª AULA INQUÉRITO POLICIAL O inquérito policial é um procedimento (não é processo) que tem por escopo a produção de provas, tudo para abalizar a denúncia (se for o caso) do membro do Ministério Público.

Leia mais

LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS

LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS LATROCÍNIO COM PLURALIDADE DE VÍTIMAS ALESSANDRO CABRAL E SILVA COELHO - alessandrocoelho@jcbranco.adv.br JOSÉ CARLOS BRANCO JUNIOR - jcbrancoj@jcbranco.adv.br Palavras-chave: crime único Resumo O presente

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS REGISTROS E MANUTENÇÃO DOS LIVROS CONTÁBEIS PARA A PERÍCIA CRIMINAL RONALDO DE CASTRO

A IMPORTÂNCIA DOS REGISTROS E MANUTENÇÃO DOS LIVROS CONTÁBEIS PARA A PERÍCIA CRIMINAL RONALDO DE CASTRO A IMPORTÂNCIA DOS REGISTROS E MANUTENÇÃO DOS LIVROS CONTÁBEIS PARA A PERÍCIA CRIMINAL RONALDO DE CASTRO Perito Criminal Contador Rua Silveira Martins, nº 112 - conj. 73 CEP 01019-000 São Paulo/SP Fone:

Leia mais

2 Relatório Médico-legal

2 Relatório Médico-legal 2 Relatório Médico-legal Carlos Ehlke Braga Filho-médico legista O relatório médico-legal é a narração escrita e minuciosa de todas as operações de uma perícia médica, determinada por autoridade policial

Leia mais

OBJETO DA PERÍCIA INADMISSIBILIDADE DA PERÍCIA. artigo 145 do CPC:

OBJETO DA PERÍCIA INADMISSIBILIDADE DA PERÍCIA. artigo 145 do CPC: Aulas Completas a partir de 10 de Agosto 2011, a saber: 1 Perícia (Continuação) 2 Prova Pericial 3 Perito 4 Inspeção judicial OBJETO DA PERÍCIA artigo 145 do CPC: Quando a prova do fato depender de conhecimento

Leia mais

SUMÁRIO. UNIDADE 10 Prescrição ou ministração culposa de drogas; UNIDADE 11 Condução de embarcação ou aeronave sob o efeito de drogas;

SUMÁRIO. UNIDADE 10 Prescrição ou ministração culposa de drogas; UNIDADE 11 Condução de embarcação ou aeronave sob o efeito de drogas; SUMÁRIO LEI Nº 11.343/06 NOVA LEI DE DROGAS; UNIDADE 1 UNIDADE 2 UNIDADE 3 UNIDADE 4 Antinomia aparente de normas penais; Delito de posse de drogas ilícitas para consumo pessoal; Vedação da prisão em flagrante;

Leia mais

A INTIMAÇÃO DO ADVOGADO CONSTITUÍDO PELO RÉU DAS DECISÕES

A INTIMAÇÃO DO ADVOGADO CONSTITUÍDO PELO RÉU DAS DECISÕES A INTIMAÇÃO DO ADVOGADO CONSTITUÍDO PELO RÉU DAS DECISÕES NO PROCESSO PENAL ROGÉRIO TADEU ROMANO Procurador Regional da República aposentado e advogado I A INTIMAÇÃO DA SENTENÇA AO RÉU DISSONÂNCIA DA DOUTRINA

Leia mais

A PERÍCIA CONTÁBIL COMO IMPORTANTE MEIO DE PROVA JUDICIAL

A PERÍCIA CONTÁBIL COMO IMPORTANTE MEIO DE PROVA JUDICIAL 1 A PERÍCIA CONTÁBIL COMO IMPORTANTE MEIO DE PROVA JUDICIAL Jaqueline Neves Da Silva Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis das Faculdades Integradas de Três Lagoas. Jacqueline Yamaguti Ueda

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

PLANO DE ENSINO FICHA N o 2

PLANO DE ENSINO FICHA N o 2 PLANO DE ENSINO FICHA N o 2 Disciplina: Prática Jurídica Trabalhista Código:? Natureza: ( x ) obrigatória ( ) optativa Semestral ( ) Anual ( x ) Modular ( ) Pré-requisito: 3º ano completo Co-requisito:

Leia mais

DESPACHO SEJUR N.º 513/2015

DESPACHO SEJUR N.º 513/2015 DESPACHO SEJUR N.º 513/2015 (Aprovado em Reunião de Diretoria em 14/10/2015) Interessado: Dr. M. F. C. N Expedientes n.º 8771/2015 Assunto: Análise jurídica. Perícia médico-legal em vítimas de violência

Leia mais

A PERÍCIA INDIRETA. Uma alternativa na regulação de benefícios em seguros de pessoas?

A PERÍCIA INDIRETA. Uma alternativa na regulação de benefícios em seguros de pessoas? A PERÍCIA INDIRETA. Uma alternativa na regulação de benefícios em seguros de pessoas? A consultoria médico-legal e as perícias em seguros de pessoas revestem-se de grande importância na regulação dos benefícios

Leia mais

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO...

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO...19 DEDICATÓRIA...21 CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 23 1. Antecedentes históricos da função de advogado...23 2. O advogado na Constituição Federal...24 3. Lei de

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Curso DIREITO. Disciplina MEDICINA LEGAL. Área: Ciências Sociais Período: 7º PERÍODO Turno: MATUTINO/NOTURNO.

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Curso DIREITO. Disciplina MEDICINA LEGAL. Área: Ciências Sociais Período: 7º PERÍODO Turno: MATUTINO/NOTURNO. PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso DIREITO Disciplina MEDICINA LEGAL Área: Ciências Sociais Período: 7º PERÍODO Turno: MATUTINO/NOTURNO Pré-Requisito DIREITO PENAL III D- 26 Ementa Medicina Legal. Estudo dos

Leia mais

ATUALIZAÇÃO LEGISLATIVA - Lei n. 12.961/14

ATUALIZAÇÃO LEGISLATIVA - Lei n. 12.961/14 ATUALIZAÇÃO LEGISLATIVA - Lei n. 12.961/14 Livro: Legislação Criminal Comentada Edição: 2ª Autor: Renato Brasileiro de Lima Editora: Juspodivm Alteração da Lei de Drogas Antiga redação da Lei de Drogas

Leia mais

IMPOSSIBILIDADE DE RECOLHIMENTO DE PRESO CIVIL EM PRISÃO MILITAR

IMPOSSIBILIDADE DE RECOLHIMENTO DE PRESO CIVIL EM PRISÃO MILITAR ELBERT DA CRUZ HEUSELER Mestre em Direito da Administração Pública Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais Pós Graduado em Estratégia e Relações Internacionais Especialista em Globalização e Brasil

Leia mais

PROVIMENTO Nº 12/2011 CGJ

PROVIMENTO Nº 12/2011 CGJ PROVIMENTO Nº 12/2011 CGJ Modifica o Provimento nº 71/2008, estabelecendo novas regras para a gravação audiovisual de audiências. atribuições legais, O Corregedor-Geral da Justiça, no uso de suas Considerando

Leia mais

LEI Nº 4.898, DE 9 DE DEZEMBRO DE 1965

LEI Nº 4.898, DE 9 DE DEZEMBRO DE 1965 LEI Nº 4.898, DE 9 DE DEZEMBRO DE 1965 Regula o Direito de Representação e o Processo de Responsabilidade Administrativa Civil e Penal, nos casos de abuso de autoridade. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço

Leia mais

PERÍCIAS JUDICIAIS Legislação

PERÍCIAS JUDICIAIS Legislação PERÍCIAS JUDICIAIS Legislação Eduardo Assis Módulo IV Tema 2 Colaboração: EDUARDA DE MELO ASSIS OAB 127.502 1- Generalidades Quando a prova de determinados fatos alegados pelas partes depender de conhecimentos

Leia mais

ANÁLISE JURÍDICA SOBRE HONORÁRIOS PERICIAIS

ANÁLISE JURÍDICA SOBRE HONORÁRIOS PERICIAIS ANÁLISE JURÍDICA SOBRE HONORÁRIOS PERICIAIS EMENTA: ASSISTENTE SOCIAL. PERITO JUDICIAL. CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. HONORÁRIOS PERICIAIS. APLICAÇÃO EM PROCESSOS JUDICIAIS. BENEFÍCIO DA JUSTIÇA GRATUITA.

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 5. RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES Teoria Geral do Processo; Direito Penal I; Direito Penal II; Direito Constitucional II.

PLANO DE ENSINO. 5. RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES Teoria Geral do Processo; Direito Penal I; Direito Penal II; Direito Constitucional II. PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito Professora: Ms. Anna Karyne Turbay Palodetto anakaryne@uniarp.edu.br Período/ Fase: 6º Semestre:

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A iniciativa probatória do juiz Manuela Pazos Lorenzo 1.OBJETIVO O presente trabalho tem o objetivo de analisar criticamente o ponto de vista do autor José Roberto dos santos Bedaque

Leia mais

PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL

PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL 17ª Sessão DOS PRINCÍPIOS DA PROVA EM PROCESSO CIVIL Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio 2011 1 PROVA? FUNÇÃO DA PROVA: Demonstrar a realidade dos factos (artigo 341.º

Leia mais

GABARITO SIMULADO WEB 1

GABARITO SIMULADO WEB 1 GABARITO SIMULADO WEB 1 PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL No dia 10 de outubro de 2014, Caio, na condução de um ônibus, que fazia a linha Centro Capão Redondo, agindo com imprudência, realizou manobra

Leia mais

Ladir & Franco. RESPONSABILIDADE CRIMINAL DOS CONTABILISTAS O contabilista pode ser preso por atos praticados no exercício profissional?

Ladir & Franco. RESPONSABILIDADE CRIMINAL DOS CONTABILISTAS O contabilista pode ser preso por atos praticados no exercício profissional? L F Ladir & Franco A D V O G A D O S RESPONSABILIDADE CRIMINAL DOS CONTABILISTAS O contabilista pode ser preso por atos praticados no exercício profissional? Túlio Arantes Bozola Advogado - Ladir & Franco

Leia mais

A obrigatoriedade do Defensor em audiência criminal militar e a necessidade de não se prejudicar o ato processual *

A obrigatoriedade do Defensor em audiência criminal militar e a necessidade de não se prejudicar o ato processual * A obrigatoriedade do Defensor em audiência criminal militar e a necessidade de não se prejudicar o ato processual * Ronaldo João Roth Juiz de Direito da 1 a Auditoria Militar do Estado de São Paulo Aspectos

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Residência Médica em Medicina Legal

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Residência Médica em Medicina Legal Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Programa de Residência Médica em Medicina Legal 1) Objetivos do programa O principal objetivo da Residência em Medicina Legal é a formação de especialistas

Leia mais

Proteção do Sigilo de Informações e Marco Civil da Internet

Proteção do Sigilo de Informações e Marco Civil da Internet Proteção do Sigilo de Informações e Marco Civil da Internet 2 Não há lei brasileira que regule a atividade de navegação na internet ou traga disposições específicas e exclusivas sobre os dados que circulam

Leia mais

CARTILHA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS

CARTILHA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS CARTILHA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS Os Juizados Especiais foram criados para atender; de uma forma rápida e simples, problemas cujas soluções podem ser buscadas por qualquer cidadão. Antes deles,

Leia mais

DISCENTE: EFRAYN PEREIRA

DISCENTE: EFRAYN PEREIRA DISCENTE: EFRAYN PEREIRA CÂMARA BRASILEIRA DE MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM EMPRESARIAL - CBMAE ARBITRAGEM: MEDICINA VETERINÁRIA Trabalho de conclusão do Curso de Capacitação da CBMAE Campo Limpo Paulista, Tutor

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.850, DE 2 DE AGOSTO DE 2013. Vigência Define organização criminosa e dispõe sobre a investigação criminal, os meios de obtenção

Leia mais

SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE

SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE PROMOTOR DE JUSTIÇA ASSESSOR DO CENTRO DE APOIO OPERACIONAL CRIMINAL DO MINISTÉRIO PUBLICO

Leia mais

DA PROVA PERICIAL. Corpo delito, se adianta, é o conjunto dos elementos materiais e sensíveis do fato delituoso.

DA PROVA PERICIAL. Corpo delito, se adianta, é o conjunto dos elementos materiais e sensíveis do fato delituoso. DA PROVA PERICIAL ROGÉRIO TADEU ROMANO Procurador Regional da República aposentado e advogado I DO CONCEITO DE PERÍCIA E SUA REALIZAÇÃO A perícia, na lição de MARQUES 1, é a prova destinada a levar ao

Leia mais

A PERÍCIA CRIMINAL EM FACE DA LEGISLAÇÃO

A PERÍCIA CRIMINAL EM FACE DA LEGISLAÇÃO A PERÍCIA CRIMINAL EM FACE DA LEGISLAÇÃO Jean Pierre Sardá Vargas 1 Jorge Roberto Krieger 2 SUMÁRIO Introdução; 1 Histórico da perícia criminal e seus atuais mecanismos; 1.1 A perícia criminal ao longo

Leia mais

LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001.

LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Dispõe sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no âmbito da Justiça Federal. Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS PROCESSUAL CIVIL P/ TCU 3º SIMULADO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ TCU! PROFESSOR: RICARDO GOMES

PONTO DOS CONCURSOS PROCESSUAL CIVIL P/ TCU 3º SIMULADO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ TCU! PROFESSOR: RICARDO GOMES 3º SIMULADO DE DIREITO! AVISOS: Estamos ministrando os seguintes CURSOS: ORGANIZAÇÃO DO MPE/RJ DIREITO PROCESSUAL PARA O TCU TEORIA E EXERCÍCIOS REGIMENTO INTERNO DO TSE TODOS OS CARGOS (TEORIA E EXERCÍCIOS)

Leia mais

Peritos e perícias em Odontologia

Peritos e perícias em Odontologia Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo 2007 set-dez; 19(3):320-4 Peritos e perícias em Odontologia Expert and expertise in dentistry Arsênio Sales Peres * Sílvia Helena de Carvalho

Leia mais