Apresentação Intercultura. Introdução Missão História da Organização Estrutura da Organização Programas da Intercultura

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação Intercultura. Introdução Missão História da Organização Estrutura da Organização Programas da Intercultura"

Transcrição

1 Apresentação Intercultura Introdução Missão História da Organização Estrutura da Organização Programas da Intercultura

2 Introdução A Intercultura é uma Associação de Juventude e de Voluntariado; É uma organização não governamental (ONG) sem fins lucrativos; Não tem filiações partidárias, religiosas ou outras; Tem estatuto de Instituição de Utilidade Pública.

3 Missão A Intercultura e o AFS a nível mundial têm como principal missão: proporcionar oportunidades de Aprendizagem Intercultural e de Educação Global, no sentido de ajudar a desenvolver os conhecimentos, capacidades e compreensão necessários à criação de um mundo mais justo e mais pacífico.

4 História Durante a I Guerra Mundial, voluntários Norte-americanos, no sentido de ajudar o exército francês no transporte de feridos em ambulâncias, criam a organização American Field Service AFS Com o início da II Guerra Mundial, foi reactivado o serviço de ambulâncias dos voluntários do AFS.

5 Continuação Após a II Guerra Mundial os voluntários do AFS promovem o primeiro intercâmbio de jovens da Europa para os E.U.A. com o fim de promover a Paz e a Compreensão entre os povos, por via da imersão destes jovens noutra cultura que passam a conhecer profundamente O primeiro grupo de jovens portugueses participa no programa de intercâmbio anual AFS. Actualmente mais de jovens de todo o mundo participam anualmente nos programas AFS.

6 Estrutura da Organização Cons. Fiscal 1. Assembleia Geral Rep. Dir. CNJ G. Plan. Estr. 4. Sede 2. Direcção G. Formação 3. Órgãos Locais Sócios Voluntários

7 Programas da Intercultura AFS - Estudar um Ano no Estrangeiro Para jovens dos 15 aos 18 anos Com o 10º ano completo no momento da partida Estadia num país à escolha durante um ano Colocação numa escola no 11º ou 12º ano - com equivalências Estadia numa família de acolhimento Aprendizagem de uma nova língua, de uma nova cultura e amizades para toda a vida

8 AFS - Famílias de Acolhimento Acolhimento de jovens de várias nacionalidades, com idades entre os 16 e os 18 anos, no seio de famílias portuguesas O jovem frequenta o 11º ou 12º ano numa Escola Secundária da comunidade de acolhimento O jovem aprende a língua e cultura portuguesas A Família de Acolhimento aprende mais sobre a cultura, língua e realidade do país de proveniência do jovem Estabelecem-se relações de amizade que duram toda uma vida

9 ESSSE Secondary School Students Exchange Programa promovido pelo Conselho da Europa que pretende ser mais uma ponte entre as duas Europas. Jovens portugueses com idades entre os 15 e os 18 poderão estudar durante 3 meses de Setembro a Dezembro - na Rússia, Eslováquia e República Checa. Pretende-se que, em contrapartida, a família de envio possa acolher um jovem vindo da Eslováquia, Letónia ou Bulgária. Este programa não tem qualquer custo de inscrição ou participação.

10 Outra Escola Novos Amigos Intercâmbios de Escolas Secundárias (e Profissionais) e do 3º Ciclo do Ensino Básico Os intercâmbios podem ser continentais e com as ilhas Os grupos devem ter de 20 a 25 alunos com idades entre os 13 e os 18 anos. O intercâmbio deve durar um mínimo de 5 dias e o acolhimento deve ser feito em famílias É objectivo do programa proporcionar aos jovens um maior conhecimento das diferentes realidades do seu país e do mundo em que vive.

11 Serviço Voluntário Europeu Programa de Voluntariado Juvenil promovido pela Comissão Europeia e dinamizado pela Intercultura com o apoio do Instituto Português da Juventude Tem como objectivo proporcionar aos jovens uma experiência educacional de Aprendizagem Intercultural em projectos de solidariedade e desenvolvimento de comunidades locais, através de intercâmbios internacionais Destina-se a jovens com idades entre os 18 e os 25 anos Tem como duração projectos de seis meses a um ano

12 Programa de Serviço Comunitário Os participantes prestam o seu contributo voluntário junto de organizações que dão apoio a comunidades locais. Existem projectos em todos os países ligados à rede A.F.S. É o participante que cria o seu projecto e que escolhe o destino. O programa fortalece as capacidades e a competência dos jovens para trabalhar com organizações que servem a comunidade. Este programa é pago pelo voluntário.

Deixe o Mundo entrar em sua casa. Faça parte da maior família do mundo, A FAMÍLIA AFS!

Deixe o Mundo entrar em sua casa. Faça parte da maior família do mundo, A FAMÍLIA AFS! PROGRAMA AFS O que é a Intercultura - AFS Portugal? A Intercultura AFS Portugal é uma Associação de Voluntariado Jovem sem fins lucrativos. Não tem filiações partidárias, religiosas ou outras e tem estatuto

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Despacho Normativo Nº 30/2002 de 23 de Maio

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Despacho Normativo Nº 30/2002 de 23 de Maio S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho Normativo Nº 30/2002 de 23 de Maio Ao abrigo do disposto no n.º 6 da Resolução nº 76/2002, de 2 de Maio determino: É aprovado o Regulamento do programa Mobilidade e

Leia mais

ANO INTERNACIONAL DA JUVENTUDE

ANO INTERNACIONAL DA JUVENTUDE Os Jovens merecem um grande compromisso da nossa parte: acesso pleno à educação, atenção adequada na saúde, oportunidades de emprego e participação plena na vida pública. Ban Ki-moon Secretário Geral das

Leia mais

Gabinete de Apoio à Família

Gabinete de Apoio à Família Gabinete de Apoio à Família 1- Enquadramento do Projecto A freguesia de São Julião do Tojal, no concelho de Loures, é caracterizada por uma complexidade de problemas inerentes ao funcionamento da família.

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 Redação do vencido, para o turno suplementar, do Substitutivo do Senado ao Projeto de Lei da Câmara nº 90, de 2013 (nº 757, de 2011, na Casa de origem). A Comissão

Leia mais

A Eurodesk é uma rede com acesso à informação europeia para os jovens e para os profissionais da área de juventude.

A Eurodesk é uma rede com acesso à informação europeia para os jovens e para os profissionais da área de juventude. www.eurodesk.eu O que é? A Eurodesk é uma rede com acesso à informação europeia para os jovens e para os profissionais da área de juventude. No sítio da rede Eurodesk podes aceder às tuas oportunidades.

Leia mais

1096 portugueses participam em acções de voluntariado missionário

1096 portugueses participam em acções de voluntariado missionário FEC - FUNDAÇÃO FÉ E COOPERAÇÃO COMUNICADO DE IMPRENSA (2012_009) 1096 portugueses participam em acções de voluntariado missionário Voluntariado internacional de inspiração cristã regista um aumento de

Leia mais

Forum Regional dos Vinhos do Alentejo Borba, 19 de Abril 2013 Pavilhão de Eventos

Forum Regional dos Vinhos do Alentejo Borba, 19 de Abril 2013 Pavilhão de Eventos Forum Regional dos Vinhos do Alentejo Borba, 19 de Abril 2013 Pavilhão de Eventos Oscar Gato, Escanção Mor da Confraria Estatutos Os estatutos constam em anexo à escritura notarial de constituição da Confraria,

Leia mais

ASOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL DOS PROFESSORES

ASOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL DOS PROFESSORES Estatuto - Art.1º (Identidade da Associação) 1. A Associação de Solidariedade Social dos Professores, referida neste Estatuto pela sigla ASSP ou apenas por Associação, é uma pessoa colectiva de direito

Leia mais

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66 OTA de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações n.º doc. ant.: 14061/1/11 REV 1 SOC 759

Leia mais

PROPOSTA DE REVISÃO CURRICULAR APRESENTADA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA POSIÇÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL PORTUGAL

PROPOSTA DE REVISÃO CURRICULAR APRESENTADA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA POSIÇÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL PORTUGAL PROPOSTA DE REVISÃO CURRICULAR APRESENTADA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA POSIÇÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL PORTUGAL A Amnistia Internacional Portugal defende a manutenção Formação Cívica nos 2.º

Leia mais

INICIATIVA EMPREGO 2009

INICIATIVA EMPREGO 2009 INICIATIVA EMPREGO 2009 SUPORTE LEGAL: Portaria 129/2009 de 30 de Janeiro CONCEITO DE ESTÁGIO Formação prática em contexto laboral, que visa a inserção ou reconversão de desempregados para a vida activa,

Leia mais

Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA )

Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA ) Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA ) Preâmbulo O regulamento da Universidade Sénior de Almada (USALMA) foi aprovado pela Associação de Professores do Concelho de Almada (APCA) em reunião

Leia mais

Regulamento de Apoio à Mobilidade e Intercâmbio Cultural

Regulamento de Apoio à Mobilidade e Intercâmbio Cultural Regulamento de Apoio à Mobilidade e Intercâmbio Cultural Preâmbulo A Câmara Municipal de Nordeste tem vindo a apoiar ao longo dos anos de forma directa e organizada toda a actividade cultural no concelho

Leia mais

1130 portugueses espalham se pelo mundo em projectos de Voluntariado Missionário

1130 portugueses espalham se pelo mundo em projectos de Voluntariado Missionário FUNDAÇÃO EVANGELIZAÇÃO E CULTURAS COMUNICADO DE IMPRENSA (2011_004) 1130portuguesesespalham sepelo mundoemprojectosdevoluntariado Missionário Emtempodefestivaiseviagensdelazer,jovenseadultos preferemdedicarasfériasaovoluntariado

Leia mais

O que é Rotary? Tourigo, 22.10.2011 - R.C. Tondela 1

O que é Rotary? Tourigo, 22.10.2011 - R.C. Tondela 1 O que é Rotary? Rotary é uma organização de Líderes de negócios e profissionais que prestam serviços humanitários, fomentam elevado padrão de Ética em todas as Profissões e ajudam a estabelecer a Paz e

Leia mais

Regulamento Normativo para a Concessão de Apoios a entidades e organismos que prossigam na Freguesia, fins de interesse público

Regulamento Normativo para a Concessão de Apoios a entidades e organismos que prossigam na Freguesia, fins de interesse público Proposta Regulamento Normativo para a Concessão de Apoios a entidades e organismos que prossigam na Freguesia, fins de interesse público Junta de Freguesia de Águas LivresIncumbe ao Estado, em colaboração

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 468/XI/2ª CRIA A REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS

PROJECTO DE LEI N.º 468/XI/2ª CRIA A REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 468/XI/2ª CRIA A REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS Exposição de motivos A importância das Bibliotecas Públicas As Bibliotecas Públicas são um serviço público essencial

Leia mais

Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul. Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5

Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul. Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5 Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5 Introdução Este trabalho foi-nos proposto na aula de Área de Projecto pela Professora. Pretendemos

Leia mais

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS:

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: Art. 3º - A Escola oferece os seguintes níveis de ensino: I. Educação Infantil: de 0 a 05 anos de idade. Educação Precoce de 0 a 03 anos Educação

Leia mais

Terceiro Setor Novos Tempos, Novas Atitudes

Terceiro Setor Novos Tempos, Novas Atitudes Terceiro Setor Novos Tempos, Novas Atitudes Rafael Vargas Lara Empreendedor Social Gestor de Projetos Sociais & Captador de Recursos Terceiro Setor É uma terminologia sociológica que dá significado a todas

Leia mais

Freguesia de Gouveia

Freguesia de Gouveia PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DE TEMPOS LIVRES DA FREGUESIA REGULAMENTO 1º Objecto O Programa de Ocupação de Tempos Livres promovido pela Junta de Freguesia, tem por objectivo proporcionar a ocupação saudável dos

Leia mais

Associação de Jovens Empresários Madeirenses (AJEM) Estatutos

Associação de Jovens Empresários Madeirenses (AJEM) Estatutos Associação de Jovens Empresários Madeirenses (AJEM) Estatutos Artigo 1º. (Denominação, Sede, Duração) A Associação adopta a denominação de Associação de Jovens Empresários Madeirenses A.J.E.M., (designada

Leia mais

Tax News Flash nº1/2012 Os impostos peça a peça

Tax News Flash nº1/2012 Os impostos peça a peça 3 de Fevereiro de 2012 Tax News Flash nº1/2012 Os impostos peça a peça Lei do Mecenato Foi aprovada, no passado dia 18 de Janeiro, pela Assembleia Nacional, a Lei do Mecenato. A Lei do Mecenato, agora

Leia mais

ENCONTRO TEATRO ESCOLA

ENCONTRO TEATRO ESCOLA PROJECTO: XXIX ENCONTRO TEATRO ESCOLA PROMOTOR: IDENTIFICAÇÃO Nome da entidade: Escola Básica D. José I Endereço (rua, n.º, C.P.): Rua Santo António de Arenilha, 24, 8900-275 Vila Real de St. António Telef:

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010 O Programa Estagiar, nas suas vertentes L, T e U, dirigido a recém-licenciados e mestres, recém-formados

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE VOZES & FESTIVAL REVELAÇÃO DE VOZES DA DIÁSPORA. Concurso. Nacional de Vozes & Revelação de Vozes da Diáspora - Projecto

CONCURSO NACIONAL DE VOZES & FESTIVAL REVELAÇÃO DE VOZES DA DIÁSPORA. Concurso. Nacional de Vozes & Revelação de Vozes da Diáspora - Projecto Nacional de Vozes & Revelação de Vozes da Diáspora - Projecto Concurso 2015 CONCURSO NACIONAL DE VOZES & FESTIVAL REVELAÇÃO DE VOZES DA DIÁSPORA PROJECTO APRESENTADO PARA EFEITO DE APRECIAÇÃO E RESPECTIVO

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO Preâmbulo O Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo tem por objetivo definir a metodologia e os critérios de apoio da Câmara Municipal da Nazaré

Leia mais

Rua Fernão Lopes Nº 9 3º Dto 1000-132 Lisboa Portugal Tlm.: (+351) 932 614 288 Email: ricardo.madeira@lisboa2013.org

Rua Fernão Lopes Nº 9 3º Dto 1000-132 Lisboa Portugal Tlm.: (+351) 932 614 288 Email: ricardo.madeira@lisboa2013.org Comissão Local da Convenção de Rotary International Lisboa 2013 Rua Fernão Lopes Nº 9 3º Dto 1000-132 Lisboa Portugal Tlm.: (+351) 932 614 288 Email: ricardo.madeira@lisboa2013.org w w w. l i s b o a 2

Leia mais

Passe Jovem no SVE KIT INFORMATIVO PARTE 2 PASSE JOVEM NO SVE. Programa Juventude em Acção

Passe Jovem no SVE KIT INFORMATIVO PARTE 2 PASSE JOVEM NO SVE. Programa Juventude em Acção PASSE JOVEM NO SVE Programa Juventude em Acção KIT INFORMATIVO Parte 2 Maio de 2011 1. O SVE como experiência de aprendizagem Ser um voluntário do SVE é uma valiosa experiência pessoal, social e cultural,

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011

PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011 PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011 INDICE: Quem somos? Oferta formativa Curso Acções Formativas CURSO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES ESTES MIÚDOS SÃO IMPOSSÍVEIS!!! - GESTÃO DE COMPORTAMENTOS

Leia mais

CARTA INTERNACIONAL. Indice:

CARTA INTERNACIONAL. Indice: CARTA INTERNACIONAL Indice: Introdução. I. Equipas de Jovens de Nossa Senhora II. A equipa III. As funções na equipa IV. A vida em equipa V. Abertura ao mundo, compromisso VI. O Movimento das E.J.N.S.

Leia mais

O CNPV. e as Estruturas Locais de Voluntariado. 4 de Dezembro de 2009 Cláudia Amanajás

O CNPV. e as Estruturas Locais de Voluntariado. 4 de Dezembro de 2009 Cláudia Amanajás O CNPV e as Estruturas Locais de Voluntariado 4 de Dezembro de 2009 Cláudia Amanajás As Origens do Voluntariado O Voluntariado sempre existiu. Nuns casos, de maneira difusa, noutros de forma organizada.

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES. Decreto Legislativo Regional Nº 18/2000/A de 8 de Agosto

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES. Decreto Legislativo Regional Nº 18/2000/A de 8 de Agosto ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES Decreto Legislativo Regional Nº 18/2000/A de 8 de Agosto Planeamento Familiar e Educação Afectivo-sexual No quadro normativo nacional, aplicável à Região Autónoma

Leia mais

Marcela Soares Marcia Hodson

Marcela Soares Marcia Hodson Marcela Soares Marcia Hodson A história do AFS começou bem antes da sua chegada ao Brasil em 1956. O AFS foi fundado na França em 1914 por A. Piatt Andrew, imediatamente após a manifestação da 1ª Guerra

Leia mais

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade Programa 1377 Educação para a Diversidade e Cidadania Objetivo Combater as desigualdades étnico-racial, de gênero, orientação sexual, geracional, regional e cultural no espaço escolar. Justificativa Público

Leia mais

Centro de Informação Europeia Jacques Delors. Oferta formativa

Centro de Informação Europeia Jacques Delors. Oferta formativa Oferta formativa 2009/2010 Centro de Informação Europeia Jacques Delors DGAE / Ministério dos Negócios Estrangeiros Curso de Formação «A Cidadania Europeia e a Dimensão Europeia na Educação» Formação acreditada,

Leia mais

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS Acção 1 1 AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS A B Parcerias Estratégicas na área da Educação, Formação

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO DA ENTIDADE PROJETO VOLUNTARIADO NÍVEL

FICHA DE INSCRIÇÃO DA ENTIDADE PROJETO VOLUNTARIADO NÍVEL Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada Venho solicitar a inserção do presente projeto no Núcleo Interventivo de Voluntariado e Esforço Local. Declaro tomar conhecimento e aceitar

Leia mais

Regulamento para a Concessão de Subsídios a Entidades e Organismos que Prossigam Fins de Interesse Público da Freguesia de Areeiro CAPÍTULO I

Regulamento para a Concessão de Subsídios a Entidades e Organismos que Prossigam Fins de Interesse Público da Freguesia de Areeiro CAPÍTULO I Regulamento para a Concessão de Subsídios a Entidades e Organismos que Prossigam Fins de Interesse Público da Freguesia de Areeiro CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Objecto O presente regulamento

Leia mais

Intervenção Psicossocial na Freguesia de São Julião do Tojal, especificamente no Bairro CAR

Intervenção Psicossocial na Freguesia de São Julião do Tojal, especificamente no Bairro CAR Comissão Social de Freguesia de São Julião do Tojal Intervenção Psicossocial na Freguesia de São Julião do Tojal, especificamente no Bairro CAR 1- Enquadramento do Projecto A freguesia de São Julião do

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O PROJETO DE FORMAÇÂO HUMANA E PROFISSIONAL PARA O ADOLESCENTE APRENDIZ

REFLEXÕES SOBRE O PROJETO DE FORMAÇÂO HUMANA E PROFISSIONAL PARA O ADOLESCENTE APRENDIZ 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( x ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA REFLEXÕES

Leia mais

REDE SOCIAL L DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.1: Equipamentos Sociais e Respostas da Acção por Freguesia

REDE SOCIAL L DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.1: Equipamentos Sociais e Respostas da Acção por Freguesia REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BRAGANÇA Parte VI.1: Equipamentos Sociais e Respostas da Acção por Freguesia Parte 6.1 Equipamentos sociais e respostas da acção por freguesia Acção Social A acção social é um

Leia mais

DONATIVOS RECEBIDOS IRS - IRC. DECLARAÇÃO (Art. 66.º, n.º 1, al. c) do EBF e Art. 11.º-A, n.º 1, al. c) do Estatuto do Mecenato Científico) MODELO 25

DONATIVOS RECEBIDOS IRS - IRC. DECLARAÇÃO (Art. 66.º, n.º 1, al. c) do EBF e Art. 11.º-A, n.º 1, al. c) do Estatuto do Mecenato Científico) MODELO 25 MODELO EM VIGOR A PARTIR DE JANEIRO DE 2009 DECLARAÇÃO (Art. 66.º, n.º 1, al. c) do EBF e Art. 11.º-A, n.º 1, al. c) do Estatuto do Mecenato Científico) NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO 1 2 FISCAL DO DECLARANTE

Leia mais

GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES

GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES Art. 1º 1. GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA

Leia mais

A mudança para as Bahamas

A mudança para as Bahamas www.switzerland-family-office.com/br/servicos-do-family-office/relocacao/relocacao-para-bahamas.html A mudança para as Bahamas As Bahamas são um conhecido paraíso tropical e um destino que conta com eficiência

Leia mais

Lei n.º 21/2008 de 12 de Maio

Lei n.º 21/2008 de 12 de Maio Lei n.º 21/2008 de 12 de Maio Primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de Janeiro, que define os apoios especializados a prestar na educação pré-escolar e nos ensinos

Leia mais

Loja Social da Junta de Freguesia de Olivais

Loja Social da Junta de Freguesia de Olivais Capítulo 88 Loja Social da Junta de Freguesia de Olivais MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 11 Conteúdo Preâmbulo... 3 Disposições Gerais... 4 Artigo 1.º Âmbito... 4 Artigo 2.º Objetivos... 4 Artigo 3.º

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Maio 2015 Ficha Técnica Autor Direção-Geral da Segurança Social (DGSS) - Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação (DSIA) Edição e propriedade

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO NOTA JUSTIFICATIVA O associativismo seja de carácter desportivo, cultural ou juvenil, apresenta-se como uma importante dimensão da vida das comunidades

Leia mais

REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO

REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO Reunião de Câmara (aprovação do projecto) 01/03/2010 Edital (apreciação pública) 19/03/2010 Publicado (projecto) no DR II Série, n.º

Leia mais

!!!!!!!!! !!!!!!!!! Educação inclusiva para Refugiados - Uma responsabilidade compartilhada. Artigo de Opinião - Diplomacia Civil.

!!!!!!!!! !!!!!!!!! Educação inclusiva para Refugiados - Uma responsabilidade compartilhada. Artigo de Opinião - Diplomacia Civil. Educação inclusiva para Refugiados - Uma responsabilidade compartilhada Artigo de Opinião - Diplomacia Civil Ariela Halpern O Ministério da Justiça demora em média oito meses para avaliar um pedido de

Leia mais

CULTURSOL Apresentação e Plano de Actividades 2012

CULTURSOL Apresentação e Plano de Actividades 2012 CULTURSOL Apresentação e Plano de Actividades 2012 I. APRESENTAÇÃO 2 Objectivos...2 Âmbito de Actuação.3 Projectos para 2012..4 II. PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2012.. 5 Actividades de Carácter Cultural (ACC)...

Leia mais

MEDIDAS DE APOIO À CONTRATAÇÃO

MEDIDAS DE APOIO À CONTRATAÇÃO Medida Estímulo 2013 CONTACTOS: Porto Gold Finance, Lda. Tel/Fax: 22 986 24 00 e-mail: comercial@pgf.pt MEDIDAS DE APOIO À CONTRATAÇÃO Se pretende dinamizar o seu negócio não perca esta oportunidade. Sem

Leia mais

Estrada do Arraial, 3108 Casa Amarela, Recife-PE Fones: 81 3183 3258 / 3259 www.todoscomanotasolidario.sedsdh.pe.gov.br 1

Estrada do Arraial, 3108 Casa Amarela, Recife-PE Fones: 81 3183 3258 / 3259 www.todoscomanotasolidario.sedsdh.pe.gov.br 1 1 Sumário APRESENTAÇÃO... 03 OBJETIVO... 04 ATIVIDADES TÉCNICAS... 04 SISTEMÁTICA DO PROGRAMA... 06 ESTRATÉGIAS DE MOBILIZAÇÃO... 07 PREMIAÇÃO... 08 RESULTADOS... 09 GRÁFICOS... 10 RELAÇÃO DOS PARTICIPANTES...

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano lectivo 2014/2015 EBI João Gonçalves Zarco

PROJETO PEDAGÓGICO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano lectivo 2014/2015 EBI João Gonçalves Zarco PROJETO PEDAGÓGICO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano lectivo 2014/2015 EBI João Gonçalves Zarco Objectivos pedagógicos e gerais do projecto VITAMINA: Proporcionar um espaço onde as famílias, por razões profissionais

Leia mais

Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P. Olhar e Pensar a Deficiência Encontros Temáticos da Rede Social

Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P. Olhar e Pensar a Deficiência Encontros Temáticos da Rede Social Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P. Olhar e Pensar a Deficiência Encontros Temáticos da Rede Social O INR O INR, I.P.

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO

REGULAMENTO DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO REGULAMENTO DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO Freguesia da Batalha REGULAMENTO DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO DA FREGUESIA DA BATALHA Introdução O associativismo desempenha um papel de importante valor na dinamização

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO CENTRO SOCIAL DE GUARDIZELA GUIMARÃES CONCURSO SISTEMA DE IDENTIDADE CENTRO SOCIAL DE GUARDIZELA APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO GUARDIZELA MARÇO 2012 Pag.1 1 QÊM SOMOS O Centro Social de Guardizela é uma

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE ALMADA

JUNTA DE FREGUESIA DE ALMADA JUNTA DE FREGUESIA DE ALMADA REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO DE APOIOS A ENTIDADES E ORGANISMOS QUE PROSSIGAM NA FREGUESIA FINS DE INTERESSE PÚBLICO 1 - Nota Justificativa A prossecução do interesse público

Leia mais

Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul ESTATUTOS

Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul ESTATUTOS Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul ESTATUTOS Os presentes Estatutos da APAESUL - Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul,

Leia mais

http://ec/europa/eu/portugal/pdf/guia_di_pt.pdf Ano Europeu do Diálogo Intercultural

http://ec/europa/eu/portugal/pdf/guia_di_pt.pdf Ano Europeu do Diálogo Intercultural http://ec/europa/eu/portugal/pdf/guia_di_pt.pdf Ano Europeu do Diálogo Intercultural Porquê este guia prático? A diversidade cultural e linguística constitui um recurso pedagógico de que dispõem muitas

Leia mais

Rotary. O que é? Porquê ser Ro Rotário? Rotário? José Coelho-Governador Rotary International-D1960-2011/12 06/04/13

Rotary. O que é? Porquê ser Ro Rotário? Rotário? José Coelho-Governador Rotary International-D1960-2011/12 06/04/13 Rotary O que é? Porquê ser Ro Rotário? Rotário? José Coelho-Governador Rotary International-D1960-2011/12 06/04/13 O que é o Rotary? O Rotary é uma associação de líderes de negócios e profissionais, unidos

Leia mais

O que esperar do SVE KIT INFORMATIVO PARTE 1 O QUE ESPERAR DO SVE. Programa Juventude em Acção

O que esperar do SVE KIT INFORMATIVO PARTE 1 O QUE ESPERAR DO SVE. Programa Juventude em Acção O QUE ESPERAR DO SVE Programa Juventude em Acção KIT INFORMATIVO Parte 1 Maio de 2011 Introdução Este documento destina-se a voluntários e promotores envolvidos no SVE. Fornece informações claras a voluntários

Leia mais

Educação Formação Avançada

Educação Formação Avançada ISEC Instituto Superior de Educação e Ciências Educação Formação Avançada ISEC Instituto Superior de Educação e Ciências Educação Formação Avançada Unidade Científico- Pedagógica de Ciências da Educação

Leia mais

Programa de Voluntariado FLL

Programa de Voluntariado FLL Programa de Voluntariado FLL VENHA VIVER UMA EXPERIÊNCIA PARA TODA VIDA O Instituto Aprender Fazendo oferece diversas possibilidades para que estudantes, pais, professores, profissionais e demais interessados

Leia mais

PROJECTO-LEI N.º 244/VIII ESTATUTO DO VOLUNTARIADO JOVEM. Exposição de motivos

PROJECTO-LEI N.º 244/VIII ESTATUTO DO VOLUNTARIADO JOVEM. Exposição de motivos PROJECTO-LEI N.º 244/VIII ESTATUTO DO VOLUNTARIADO JOVEM Exposição de motivos 1 A protecção dos direitos e liberdades fundamentais, individuais ou colectivos, a promoção dos direitos sociais, económicos

Leia mais

Guia do Voluntário a

Guia do Voluntário a Guia do Voluntário a 1. A AIDGLOBAL A AIDGLOBAL é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD), sem fins lucrativos, com sede em Loures, que promove Acções nos domínios da Integração

Leia mais

MOVE CULTURA FUNDO MUNICIPAL DO IDOSO

MOVE CULTURA FUNDO MUNICIPAL DO IDOSO MOVE CULTURA FUNDO MUNICIPAL DO IDOSO O QUE É Os recursos do Fundo são destinados ao atendimento de políticas, programas e ações voltadas à proteção especial da pessoa idosa. Objetiva também facilitar

Leia mais

A importância do animador sociocultural na Escola Agrupamento de Escolas de Matosinhos Sul

A importância do animador sociocultural na Escola Agrupamento de Escolas de Matosinhos Sul 1 A importância do animador sociocultural na Escola Agrupamento de Escolas de Matosinhos Sul Margarida Soares (*) O Agrupamento de Escolas Matosinhos Sul tem três animadores socioculturais afectos ao Projecto

Leia mais

Mobilidade de Alunos Associada a Motivações de Estudo

Mobilidade de Alunos Associada a Motivações de Estudo RT D Territórios, empresas e organizações 143 Vol. II (1), 143-147 (2005) Mobilidade de Alunos Associada a Motivações de Estudo Cristina Barroco Novais* Mestre em Gestão de Empresas WÊÊÊÊÊ Introdução A

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA Secretaria Municipal de Planejamento EXERCÍCIO: 20 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: Projeto/Atividade Objetivo Denominação da Meta Unid.

Leia mais

PÓVOA DE LANHOSO REGULAMENTO INTERNO

PÓVOA DE LANHOSO REGULAMENTO INTERNO PÓVOA DE LANHOSO REGULAMENTO INTERNO REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1. A Lei de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo, nº 147/99 de 1 de Setembro, regula a criação, competência

Leia mais

Telemóvel + 351 91 846 15 85

Telemóvel + 351 91 846 15 85 CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome RODRIGUES, MARTA ANDREIA SILVA Morada RUA DR. FRANCISCO SÁ CARNEIRO, Nº 752 CASAL DA SILVEIRA 1685 800 FAMÕES ODIVELAS PORTUGAL Telemóvel + 351 91 846 15 85 Correio

Leia mais

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã

Entidades Promotoras de Voluntariado Lourinhã Entidades Promotoras de Voluntariado Câmara Municipal da Casa do Povo da Casa Pia de Lisboa Centro Social e Paroquial da ADAPECIL Associação Juvenil Tá a Mexer GEAL Junta de Freguesia de Ribamar LOURAMBI

Leia mais

Atividades de Enriquecimento do Currículo (AEC)

Atividades de Enriquecimento do Currículo (AEC) Atividades de Enriquecimento do Currículo (AEC) INTRODUÇÃO: De acordo com o DL 91/2013, artº 14º e os despachos normativos da organização do ano letivo n.s 7 e 7-A/2013 e o recente despacho de organização

Leia mais

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 1. Participação, Cultura e Criatividade Existem diferentes formas de participação na democracia e várias formas de utilização do programa Juventude

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 289/IX ELEVAÇÃO DA VILA DE VILA NOVA DE SANTO ANDRÉ, NO CONCELHO DE SANTIAGO DO CACÉM, À CATEGORIA DE CIDADE.

PROJECTO DE LEI N.º 289/IX ELEVAÇÃO DA VILA DE VILA NOVA DE SANTO ANDRÉ, NO CONCELHO DE SANTIAGO DO CACÉM, À CATEGORIA DE CIDADE. PROJECTO DE LEI N.º 289/IX ELEVAÇÃO DA VILA DE VILA NOVA DE SANTO ANDRÉ, NO CONCELHO DE SANTIAGO DO CACÉM, À CATEGORIA DE CIDADE Caracterização Vila Nova de Santo André, actualmente com cerca de 12 mil

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO PT PT PT COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 23.11.2010 COM(2010) 683 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO O voluntariado como expressão da solidariedade dos cidadãos da UE: primeiras

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA. Nota justificativa

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA. Nota justificativa REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA Nota justificativa A prossecução do interesse público municipal concretizado, designadamente através de políticas de desenvolvimento cultural,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Artigo 2º. Natureza. Artigo 3º. Competência Territorial

REGULAMENTO INTERNO. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Artigo 2º. Natureza. Artigo 3º. Competência Territorial REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1. A Lei de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo, n.º 147/99 de 1 de Setembro, regula a criação, competência e funcionamento das Comissões

Leia mais

Plano Anual de Actividades, Conta de Exploração Previsional. Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos 2010

Plano Anual de Actividades, Conta de Exploração Previsional. Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos 2010 Plano Anual de Actividades, Conta de Exploração Previsional e Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos 2010 Nome: Centro Social de Cultura e Recreio da Silva Natureza Jurídica: Associação - Instituição

Leia mais

REGIMENTO DA CONFERÊNCIA DE MINISTROS RESPONSÁVEIS PELA JUVENTUDE E PELO DESPORTO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

REGIMENTO DA CONFERÊNCIA DE MINISTROS RESPONSÁVEIS PELA JUVENTUDE E PELO DESPORTO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA REGIMENTO DA CONFERÊNCIA DE MINISTROS RESPONSÁVEIS PELA JUVENTUDE E PELO DESPORTO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Aprovada na Reunião Extraordinária da Conferência de Ministros Responsáveis

Leia mais

I SÉRIE - N.º 16-18-4-2002

I SÉRIE - N.º 16-18-4-2002 466 Decreto Legislativo Regional n.º 13/2002/A de 12 de Abril Organização e funcionamento do sistema de reconhecimento e validação de competências e da educação e formação de adultos A Lei de Bases do

Leia mais

REGULAMENTO DA LOJA SOCIAL DA FREGUESIA DE OLIVAIS

REGULAMENTO DA LOJA SOCIAL DA FREGUESIA DE OLIVAIS REGULAMENTO DA LOJA SOCIAL DA FREGUESIA DE OLIVAIS Página 1 PREÂMBULO Num contexto marcado por uma profunda crise económica e social, que origina o crescente aumento de situações de pobreza e exclusão

Leia mais

ESTATUTO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS CAPÍTULO X. Benefícios fiscais relativos ao mecenato. Artigo 61.º. Noção de donativo. Artigo 62.º

ESTATUTO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS CAPÍTULO X. Benefícios fiscais relativos ao mecenato. Artigo 61.º. Noção de donativo. Artigo 62.º ESTATUTO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS CAPÍTULO X Benefícios fiscais relativos ao mecenato Artigo 61.º Noção de donativo Para efeitos fiscais, os donativos constituem entregas em dinheiro ou em espécie, concedidos,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES INSTITUTO CONFÚCIO NA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - 2014

REGULAMENTO GERAL DE MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES INSTITUTO CONFÚCIO NA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - 2014 2014 REGULAMENTO GERAL DE MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES INSTITUTO CONFÚCIO NA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - 2014 2014 REGULAMENTO GERAL DE MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES INSTITUTO CONFÚCIO NA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO

Leia mais

Regulamento Interno da PROMUNDO Associação de Educação, Solidariedade e Cooperação Internacional

Regulamento Interno da PROMUNDO Associação de Educação, Solidariedade e Cooperação Internacional Regulamento Interno da PROMUNDO Associação de Educação, Solidariedade e Cooperação Internacional Capítulo I Objecto e Âmbito do Regulamento Interno Artigo 1º O presente Regulamento tem como objecto a PROMUNDO

Leia mais

Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal

Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal A infância, adolescência e juventude são fases fundamentais no desenvolvimento humano e na formação futura dos cidadãos. No plano social,

Leia mais

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS TEMPO FORMATIVO JUVENIL

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS TEMPO FORMATIVO JUVENIL Superintendência de Educação Básica Diretoria de Educação Básica Coordenação de Educação de Jovens Adultos EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS TEMPO FORMATIVO JUVENIL Democratização e efetividade do processo

Leia mais

Índice 1. Introdução... 2 2. Objetivo e Âmbito do Manual do Voluntariado... 2 3. Definições... 2 3.1. Voluntariado... 2 3.2. Voluntário... 3 4.

Índice 1. Introdução... 2 2. Objetivo e Âmbito do Manual do Voluntariado... 2 3. Definições... 2 3.1. Voluntariado... 2 3.2. Voluntário... 3 4. Manual do Índice 1. Introdução... 2 2. Objetivo e Âmbito do Manual do Voluntariado... 2 3. Definições... 2 3.1. Voluntariado... 2 3.2. Voluntário... 3 4. Ser Voluntário da Liga... 3 5. Reflexões prévias...

Leia mais

PATRULHA JUVENIL DE GARÇA

PATRULHA JUVENIL DE GARÇA Rua Baden Powell, 451 Telefone: (14) 3471-1630 / 3471-1816 CEP 17400-000 Garça - S P Fundada em 26 de Setembro de 1972 CNPJ 47.645.809/0001-34 Isenta de Contribuições Sociais conforme Decreto nº 3.048

Leia mais

GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO E ALTERAÇÃO DE DADOS PESSOA COLECTIVA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO E ALTERAÇÃO DE DADOS PESSOA COLECTIVA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO E ALTERAÇÃO DE DADOS PESSOA COLECTIVA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Inscrição e Alteração de Dados Pessoa Colectiva (2001 v5.1) PROPRIEDADE

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES Inovação e Qualidade Plano de Ação Estratégico - 2012/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES PROJECTO DE INTERVENÇÃO PLANO DE ACÇÃO ESTRATÉGICO 2012/2013 Escola de Oportunidades e de Futuro Telmo

Leia mais

RECONHECIDA PELO GOVERNO DE CABO-VERDE, CONFORME O BOLETIM OFICIAL N.º 40 I SERIE, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2001

RECONHECIDA PELO GOVERNO DE CABO-VERDE, CONFORME O BOLETIM OFICIAL N.º 40 I SERIE, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2001 PROJECTO FORUM INTERNACIONAL JUVENTUDE (FIJ)- UMA FORMA DA CIDADANIA ENCURTAR A DISTÂNCIA, FORTALECER A CIDADANIA ILHA DO SAL, REPÚBLICA DE CABO-VERDE DE 11 A 16 DE MAIO DE 2009 ACM-BREVE HISTORIAL A Associação

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE

PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE Uma proposta educativa própria de uma instituição e a forma global como se organiza para proporcionar às crianças o desenvolvimento do seu potencial, a experienciá-lo e a vivenciá-lo.

Leia mais

ANEXO 1. Programas e Ações do Ministério da Educação - MEC. 1. Programas e Ações da Secretaria da Educação Básica SEB/2015

ANEXO 1. Programas e Ações do Ministério da Educação - MEC. 1. Programas e Ações da Secretaria da Educação Básica SEB/2015 ANEXO 1 Programas e Ações do Ministério da Educação - MEC 1. Programas e Ações da Secretaria da Educação Básica SEB/2015 Docência em Educação Infantil A oferta de curso integra a política nacional de formação

Leia mais

Casa do Direito, Abre essa porta!

Casa do Direito, Abre essa porta! Casa do Direito, Abre essa porta! Apresentação do Projecto Organização Actividades Decreto-lei nº62/2005 de 10 de Outubro Garantir a protecção e o exercício dos direitos do cidadão bem como a observância

Leia mais

Politicas Municipais de Apoio à Criança

Politicas Municipais de Apoio à Criança Politicas Municipais de Apoio à Criança MUNICIPIO DA MOITA DASC / Divisão de Assuntos Sociais Projectos Dirigidos à Comunidade em Geral Bibliotecas - Biblioteca Fora d Horas - Pé Direito Juventude - Férias

Leia mais

Recomendações Encontro Nacional de Juventude 2015

Recomendações Encontro Nacional de Juventude 2015 Recomendações Encontro Nacional de Juventude 2015 O Conselho Nacional de Juventude (CNJ) organizou, de 30 de outubro a 1 de novembro de 2015, em Cascais, na Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril, o

Leia mais