Bovespa começa a atrair compras, mas investidor ainda é cauteloso

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bovespa começa a atrair compras, mas investidor ainda é cauteloso"

Transcrição

1 Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Venda Paralelo 1,93 1,15 Comercial 2,025 2,027 Turismo 1,93 2,15 Euro / BC 2,5287 2,5297 Ouro (R$) Grama 105,520 Variação + 0,5% Blue Chips % Ult. cotação BMF Bov. ON R$ 10,00 +5,04 Bradesco PN R$ 29,80 +4,01 Gerdau PN R$ 16,87 +5,77 Itaú Unib. PN R$ 28,88 +4,18 Petrobras PN R$ 19,09 +1,54 Sid Nac. PN R$ 12,60 +0,39 Vale PNA R$ 37,01 +2,94 País O Ministério da Previdência apresentou nesta quartafeira um cadastro que vai reunir dados de todos os servidores públicos. Segundo o ministério, o banco de dados vai evitar fraudes e irregularidades, como pagamentos indevidos de benefícios da Previdência. PÁGINA 5 Justiça 1ª FASE 1875 A RIO DE JANEIRO, QUINTA-FEIRA, 7, A SEGUNDA-FEIRA 11 JUNHO DE 2012 R$ 1,00 Mantega comemora IPCA de 0,36% - é muito bom - Significa que a anualizada está abaixo de 5% A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), veio menor do que o esperado em maio. A alta de preços recuou de 0,64% em abril para 0,36%. Economistas refizeram suas previsões para a inflação no ano, mas também para os novos cortes na taxa básica de juros, Selic. Segundo as avaliações atualizadas, a Selic pode cair para 6% ao ano IPCA ainda em A expectativa por uma taxa menor também se refletiu nas apostas em juros no mercado futuro. O corte nos juros é meio que necessário, porque as medidas que o governo tomou precisam de complementaridade da política monetária. O cenário externo piorou muito e a atividade doméstica ainda está muito fraca, disse André Perfeito, economista-chefe da 2ª FASE ANO III EDIÇÃO Nº 613 Gradual Investimentos, que aposta em mais cinco cortes da Selic de 0,5 ponto cada, para uma taxa de 6% ao ano. Mantega, disse que o IPCA medido em maio é muito bom. Significa que a inflação anualizada em 12 meses está abaixo de 5%. Está caindo em relação ao ano passado. E isso nos dá grau de liberdade para ter uma política monetária mais flexível. PÁGINA 3 Os ministros do STF marcaram para o dia 1º de agosto o início do julgamento do mensalão. Confirmado o cronograma, o veredicto deverá sair às vésperas da eleição. Mas o início do julgamento depende do revisor do processo, Ricardo Lewandowski. PÁGINA 6 Justiça O ex-prefeito do Rio, César Maia, a Rio-Urbe e seu ex-presidente Jorge Roberto Fortes, foram condenados a restituir, solidariamente, aos cofres públicos o valor de R$ ,40, bem como a pagarem, individualmente, multa civil no mesmo valor. PÁGINA 6 Renato Araújo / ABr A restituição poderá ter efeitos positivos na economia, diz Zayda O governo vai injetar R$ 2,5 bilhões na economia. Os recursos são do primeiro lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física deste ano, que devolverá ao contribuinte no próximo dia 15 (sexta-feira) o dinheiro pago a mais ao Fisco. O montante é o maior já feito na primeira parcela de devolução. Sem dúvida (a restituição) poderá ter efeitos positivos na economia, admitiu a secretária adjunta da Receita Federal, Zayda Bastos Manatta. Ela negou, porém, que o valor expressivo tenha sido uma determinação do Palácio do Planalto para dar um impulso extra ao consumo. Não recebemos orientação (da Presidência da República) para fazer esse formato (de injetar recursos para incentivar a economia), acrescentou Zayda. A Receita já tinha processado esse volume de declarações, conforme a secretária, e por isso decidiu ampliar o primeiro lote. Já havia disponibilidade de recursos, disse ela. PÁGINA 4 Ana Cristina von Jess Franquia & Negócios Franquia é pura ética. Sim, pois investir em uma atividade onde o modo de conduzir os negócios depende em grande escala da outra parte contratante, sem dúvida, exige ética. Exige ética para fazer valer o conceito de parceria. Exige ética permanente. PÁGINA 6 Bovespa começa a atrair compras, mas investidor ainda é cauteloso A aposta em uma melhora do mercado acionário em junho sustenta-se em dados atualizados da BM&FBovespa. O ambiente de aversão ao risco ainda resiste em junho, mas os investidores, principalmente os estrangeiros, estão retomando as compras de ações brasileiras e os analistas acreditam que o fraco desempenho da Bovespa em maio não vá se repetir neste mês. Ainda assim, ponderam que será preciso uma ajuda do cenário externo, e que o próprio mercado financeiro se convença dos passos do governo brasileiro para estimular a economia, para que a renda variável tire proveito disso. Os números mostram que os investidores não-residentes ingressaram com R$ 445,479 milhões nos últimos quatro dias de maio (de 28 a 31), apesar de terem efetuado, no mês passado, o maior resgate mensal de recursos externos desde dezembro de 2011, totalizando R$ 2,34 bilhões. O início de junho também se mostra mais favorável. PÁGINA 2 Sérgio Cabral, Lula e Eduardo Paes durante a cerimônia de inauguração A prefeitura do Rio inaugurou nesta quarta-feira a Transoeste, primeiro corredor expresso de Bus Rapid Transit (BRT) da cidade, que liga a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande. Os investimentos da prefeitura em mobilidade urbana incluem ainda os outros três BRTs. A Transcarioca, que vai ligar a Barra da Tijuca ao Galeão, já está Carlos Magno / Governo do Estado com obras bem adiantadas, a Transolímpica, entre a Barra e Deodoro, já começando, e a Transbrasil, do centro até a zona oeste pela Avenida Brasil, está em processo de licitação. Além do prefeito Eduardo Paes, participaram da solenidade o governador Sérgio Cabral, o ex-presidente Lula e o vice-governador Luiz Fernando Pezão. PÁGINA 5

2 2 ECONOMIA Quinta-feira, 7, a segunda-feira 11 junho de 2012 MERCADO Bom humor domina e Bolsa volta a 54 mil pontos Com o ganho do dia, Bolsa quase anulou a perda no mês, de -0,61% Alessandra Taraborelli, Silvana Rocha e Márcio Rodrigues O cenário externo mais tranquilo da quarta feira alavancou um movimento de recuperação para os ativos de risco e conduziu a Bovespa de volta para os 54 mil pontos, pela primeira vez este mês. A alta das blue chips - Petrobras e Vale - e também de alguns setores com peso relevante no índice ajudaram na recomposição. Além disso, o início da disputa entre comprados e vendidos em índice futuro ajudou a puxar a Bolsa para o azul. No exterior, o tão esperado Livro Bege dos EUA, divulgado na tarde de quarta, não trouxe nenhuma novidade e não fez preço. Com isso, o Ibovespa encerrou a véspera de feriado com valorização de 3,19%, aos ,04 pontos. Com o ganho do dia, a Bolsa quase anulou a perda no mês (-0,61%). Na ano, a queda ainda é de 4,58%. Na máxima, o índice atingiu pontos (+3,26%) e, na mínima, pontos (+0,01%). O giro financeiro ficou em R$ 6,964 bilhões - o maior do mês. O operador institucional Luiz Roberto Monteiro, da Renascença Corretora, ressaltou que na véspera houve uma queda exagerada em razão de uma disputa que envolve o Ibovespa futuro que irá vencer na próxima quarta-feira, dia 13. Uma disputa entre comprados e vendidos em opção de índice futuro acabou contribuindo para a Bolsa perder os 53 mil pontos na terça feira, disse Monteiro. Petrobras e Vale acompanharam as commodities no exterior e fecharam com ganhos. O papel ON da petroleira subiu 2,04% e o PN, +1,54%. Já a ação ON da mineradora avançou 2,90% e a PNA, +2,95%. As metalúrgicas também tiveram dia de valorização. Gerdau PN (+5,83%), Gerdau Metalúrgica (+4,43%) e CSN (+0,40%). Bancos e construtoras, que ontem também caíram, hoje fizeram bonito. Bradesco (+4,01%), Itaú Unibanco (+4,18%), Banco do Brasil (+2,13%) e Units do Santander (+2,83%). Entre as construtoras, Brookfield (+6,44%), Rossi Residencial (+8,06%) e Cyrela (+7,44%) figuraram como destaques de alta do índice. No dia cresceram as expectativas de que os bancos centrais na Europa irão adotar novos estímulos monetários e isso animou os investidores. na manhã de quarta, o Banco Central Europeu (BCE) informou que manteve a taxa básica de juros inalterada em 1,0% pelo sexto mês seguido, resistindo à pressão para fornecer mais alívio diante da crise bancária da Espanha e da possibilidade de saída da Grécia da zona do euro. Embora o mercado tenha ficado um pouco decepcionado com a falta de ação do BCE, as palavras do presidente da instituição, Mario Draghi, após a divulgação da taxa juros animou os investidores. Draghi voltou a afirmar que nós estamos prontos para agir se a situação se deteriorar. Em Nova York, o índice Dow Jones havia subido 2,37%, o S&P 500 ganhou 2,30% e o Nasdaq, +2,40%. ANÁLISE Bovespa já atrai compras, mas investidor ainda tem cautela Olívia Bulla e Renata Pedini O ambiente de aversão ao risco ainda resiste em junho, mas os investidores, principalmente os estrangeiros, estão retomando as compras de ações brasileiras e os analistas acreditam que o fraco desempenho da Bovespa em maio não vá se repetir neste mês. Ainda assim, ponderam que será preciso uma ajuda do cenário externo, e que o próprio mercado financeiro se convença dos passos do governo brasileiro para estimular a economia, para que a renda variável tire proveito disso. A aposta em uma melhora do mercado acionário em junho sustenta-se em dados atualizados da BM&FBovespa. Esses números mostram que os investidores não-residentes ingressaram com R$ 445,479 milhões nos últimos quatro dias de maio (de 28 a 31), apesar de terem efetuado, no mês passado, o maior resgate mensal de recursos externos desde dezembro de 2011, totalizando R$ 2,34 bilhões. O início de junho também se mostra mais favorável às compras, com aportes estrangeiros de R$ 446,342 milhões apenas nos dois primeiros dias úteis do mês. A Bolsa está em um ponto maravilhoso de compra, comenta o diretor de produtos e estratégias da Infinity Asset, André Paes, lembrando que o Ibovespa está sendo negociado nos níveis mais baixos de Para ele, depois de três meses seguidos de queda, cujo ápice do período foi em maio (-11,9%), é factível acreditar em uma recuperação técnica do mercado acionário doméstico. O estrategista-chefe do Votorantim Private Bank, Odair Abate, enumera três fatores que sugerem bons motivos para que a Bolsa presencie uma recuperação parcial em junho: a desvalorização do Ibovespa em dólar, que gira em torno de 15% no acumulado do ano até o fim do mês passado; o ciclo de abrandamento monetário no Brasil; e os preços das ações, que estão atraentes em relação aos pares internacionais. Ainda assim, pairam incertezas no cenário econômico, que influenciarão no desempenho da Bolsa. Especialmente no ambiente internacional. As inquietações com a situação na Europa bem como com os dados econômicos aquém do desejável nos Estados Unidos e na China reduzem o apetite do investidor. O exterior ruim não se resume à questão grega, lembra Abate, referindo-se às eleições no próximo dia 17, que podem definir o futuro da Grécia na zona do euro. E tudo isso é acompanhado de números frágeis referentes ao Brasil. Para o diretor de pesquisa do HSBC, Alexandre Gartner, a alta modesta de 0,2% do PIB do País no primeiro trimestre, em relação ao último trimestre de 2011, reforça a falta de vigor da economia brasileira e indica que a recuperação está demorando a acontecer. Isso ajuda a justificar o atual patamar descontado da Bolsa, avalia. A intervenção do governo em setores específicos também tem sido apontada como fator que inibe o interesse dos investidores estrangeiros no mercado acionário brasileiro. Porém, isso não é consenso. O estrategistachefe do Votorantim Private Bank considera equivocada a ideia. Não corroboro a avaliação de quem fala que o governo está intervindo muito na economia e por isso a Bolsa está caindo. Abate lembra que vários governos têm feito ingerências na economia em resposta à crise atual. Por isso, continua, há certo exagero na visão negativa dos investidores estrangeiros sobre a intromissão na economia. Cedo ou tarde isso pode mudar, afirma. Estímulos - Apesar da expectativa de melhora em comparação ao desempenho negativo de maio, o fim das reticências nas POSIÇÃO pela primeira vez em 2012 Fernando Nakagawa Pela primeira vez em 2012, o fluxo de dólares foi negativo no Brasil. Ou seja, recursos saíram do País rumo a outros mercados. Dados divulgados na quarta-feira pelo Banco Central (BC) mostram que o fluxo cambial encerrou o mês de maio com saldo líquido negativo de US$ 2,691 bilhões. O resultado mostra a primeira queda desde dezembro de 2011 e revela reversão do movimento observado de janeiro a abril, quando US$ 25,3 bilhões ingressaram no País. A saída de dólares em maio foi concentrada exclusivamente no segmento financeiro, responsável pelo saldo negativo de US$ 6,327 bilhões. O valor foi gerado porque as transferências para o exterior alcançaram US$ 34,784 bilhões e superaram com folga o ingresso de US$ 28,457 bilhões no acumulado do mês. Nesses valores estão as operações de câmbio relacionadas a transações como venda de ações e títulos de renda fixa, remessa de lucros e dividendos, pagamento de empréstimos e investimentos produtivos, entre outros. O mês não terminou pior porque o segmento comercial segue estimativas para o desempenho da Bovespa passa por uma menor preocupação com o ambiente internacional, acompanhada de estabilização dos preços das commodities e de uma reversão do sentimento negativo dos estrangeiros em relação ao País. Por enquanto, a adoção de uma nova rodada de estímulo monetário por parte dos bancos centrais da Europa e dos Estados Unidos tem sido vista como a salvação, ainda que temporária, para os problemas internacionais. Mas Paes, da Infinity Asset, avalia que os dados econômicos norte-americanos não justificam, por exemplo, uma terceira fase de afrouxamento quantitativo (denominado de QE3) nos EUA. Abate considera, porém, que a falta de novos recursos representaria um fator psicológico negativo. A ausência do QE3 pode resultar em quedas mais intensas no mercado acionário pelo mundo afora. No Brasil, os cortes na taxa básica de juros (Selic), que estão renovando as mínimas históricas, só serão benéficos à Bolsa quando esse estímulo monetário representar crescimento econômico, diz Gartner. Por enquanto, a Selic em queda é para limitar o efeito da crise internacional, pondera o diretor de pesquisa do HSBC. com números positivos. No mês, o setor trouxe US$ 3,636 bilhões, já que as exportações alcançaram US$ 22,180 bilhões e superaram as importações de US$ 18,544 bilhões em maio. No jargão do mercado, estar comprado na moeda estrangeira sinaliza que as cotações do dólar podem subir. Estar vendido representa expectativa de queda do preço da moeda. RELATÓRIO Corrupção alimenta crise na Zona do Euro A Transparência Internacional (TI) divulgou na última quarta-feira um relatório no qual afirma que o fracasso de alguns governos da Europa em combater a corrupção ajudou a alimentar a crise da dívida na zona do euro. A organização aponta para uma forte correlação entre fraudes e déficits fiscais, citando países como Grécia, Portugal e Espanha como o mais corruptos na Europa Ocidental. As razões para a crise diferem de país para país, mas os países mais afetados pela crise também são aqueles onde a corrupção é mais difundida e onde existe uma falta de integridade no sistema público, afirma Finn Heinrich, diretor de pesquisa da TI. O relatório, intitulado Dinheiro, Política e Poder: os Riscos da Corrupção na Europa investiga mais de 300 instituições nacionais em 25 países para avaliar sua capacidade de combater a corrupção. Partidos políticos, empresas e os serviços públicos tiveram o pior desempenho, diz o documento, e muitos governos não são suficientemente responsáveis com as finanças e os contratos públicos. Esses contratos EXPECTATIVA totalizam 1,8 trilhão de euros por ano na União Europeia. A Grécia, que está no centro da crise da dívida e sofre intensa pressão de seus credores internacionais para reformar suas instituições e sua economia, ficou em primeiro lugar no quesito de prevalência de subornos, o que alimenta problemas fiscais mais amplos, como a evasão tributária, por exemplo. A Transparência Internacional também alertou para a falta de transparência no financiamento de grupos políticos e na questão de lobby. A organização afirma que 19 dos 25 países analisados ainda precisam regulamentar o lobby, enquanto muitas das regras em vigor são fracas e não obrigatórias. Em toda a Europa, muitas instituições que definem uma democracia e permitem que um país detenha a corrupção são mais fracas do que o geralmente imaginado. Esse relatório levanta questões problemáticas, em um período no qual uma liderança transparente é necessária, enquanto a Europa tenta resolver sua crise econômica, afirma Cobus de Swardt, diretor-gerente da TI. eleições na Grécia Daniela Milanese O Banco Central Europeu (BCE) só deve voltar a agir após as definições das eleições da Grécia e da cúpula da União Europeia (UE), ao longo deste mês. Essa foi a impressão deixada pela autoridade monetária, ao manter a pressão sobre as lideranças políticas do bloco e deixar os juros estáveis no piso histórico de 1%. Além das expectativas dos mercados, alguns poucos analistas acreditam na possibilidade de redução da taxa, para 0,75%, diante do agravamento da turbulência na região. Entretanto, o presidente do BCE, Mario Draghi, reforçou a percepção de que primeiro aguarda compromissos das autoridades para o fortalecimento da zona do euro antes de adotar novas medidas de alívio. O posicionamento mais duro do BCE vem sendo percebido pela ausência de compras de títulos soberanos no mercado secundário, interrompidas há 12 semanas. Analistas continuam acreditando que a autoridade terá de atuar futuramente, por meio da retomada de aquisições de papéis, redução dos juros ou novos financiamentos de longo prazo - na quarta-feira foram C U R T A anunciadas somente operações de curto prazo (três meses). As possíveis intervenções, entretanto, não virão tão rápido como os mercados gostariam. O problema é que o bloco está preso a indefinições políticas trazidas pelas eleições na Grécia em 17 de junho e a cúpula da UE, em 28 e 29 de junho. Para Ken Wattret, analista do BNP Paribas, a postura de hoje reflete a preferência do BCE por aguardar os desdobramentos desses eventos políticos importantes na região. Vemos a decisão apenas como um adiamento do inevitável, avalia Wattret, um dos poucos que esperavam um corte de juros nesta quarta-feira. Em julho, após as eleições gregas, a reunião da UE e novos dados macroeconômicos, o banco central certamente terá mais informações para refinar sua avaliação, concorda Marco Valli, analista do UniCredit. Para o Danske Bank, outra instituição que contava com redução da taxa hoje, o corte de 0,25 ponto porcentual, para 0,75%, virá na reunião do dia 5 de julho. Além disso, o banco acredita que a intensificação do estresse nos mercados deve trazer novas medidas não convencionais ao longo do verão no hemisfério norte. Governo espanhol e UE não chegam a acordo sobre ajuda aos bancos O ministro de Finanças da Espanha, Luís de Guindos, tentou minimizar comentários feitos pelo ministro do Orçamento do país, Cristóbal Montoro, na terça feira e disse que um resgate imediato para os bancos espanhóis não tem sido discutido. De Guindos disse que um plano amplo para o setor bancário está sendo preparado dentro da União Europeia e incluirá opções para recapitalizar os bancos. Paralelamente, no entando, a Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, afirmou que não recebeu nenhum pedido de ajuda da Espanha. Nós não recebemos nenhum pedido das autoridades espanholas por ajuda, disse o porta-voz do comissário de Assuntos Econômicos e Monetários, Olli Rehn. Publicação da empresa JGN Editora Ltda. Departamento Comercial e Administração Rua Debret, 23 Sobreloja 116 e 117 Centro - Rio de Janeiro CEP Diretora Geral Elizabeth Campos Comercial: PABX (21) Conselho Editorial: Des. José Geraldo da Fonseca Des. Sidney Hartung Mônica de Cavalcanti Gusmão Redação: (21) / Projeto Gráfico:dtiriba design gráfico Impressão: Gráfica Monitor Mercantil Rua Marcílio Dias, 26 - Centro - RJ Editor- chefe: Celso Gorga Subeditora: Rafaela Pereira Diagramação: Felipe Ribeiro Rodrigo Gurski Artigos & Colunas: Filiado à Preços de Assinatura Trimestral...R$ 60,00 Semestral...R$ 110,00 Anual...R$ 210,00 Serviço Noticioso Agências Brasil e Estado As matérias e artigos são de responsabilidade dos autores e não representam, necessariamente, a opinião deste jornal

3 IPCA Houve redução nos aumentos de aluguel, médico, dentista, serviços pessoais... Daniela Amorim A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), veio menor do que o esperado em maio. A alta de preços recuou de 0,64% em abril para 0,36%, o que foi comemorado pela equipe econômica do governo. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou que a taxa de inflação em queda abre espaço para uma taxa de juros menor. Economistas refizeram suas previsões para a inflação no ano, mas também para os novos cortes na taxa básica de juros, Selic. Segundo as avaliações atualizadas, a Selic pode cair para 6% ao ano ainda em A expectativa por uma taxa menor também se refletiu nas apostas em juros no mercado futuro. O corte nos juros é meio que ECONOMIAQuinta-feira, 7, a segunda-feira 11 junho de necessário, porque as medidas que o governo tomou precisam de complementaridade da política monetária. O cenário externo piorou muito e a atividade doméstica ainda está muito fraca, disse André Perfeito, economistachefe da Gradual Investimentos, que aposta em mais cinco cortes da Selic de 0,5 ponto cada, para uma taxa de 6% ao ano. Deflação - A forte redução no IPCA foi provocada por aumentos mais modestos no cigarro, nos remédios e nas despesas com empregados domésticos, mas também pela deflação em itens como as passagens aéreas, de 10,85%. Como resultado, a inflação acumulada em 12 meses caiu para 4,99%, mantendo a trajetória de convergência para o centro da meta estipulada pelo governo, de 4,5%. O resultado de hoje reforça a visão do Banco Central brasileiro de uma inflação convergente para o centro da meta. Isso, combinado aos dados fracos da atividade econômica e o alto nível de incerteza global apontam na direção de maior afrouxamento monetário, avalia o chefe de economia e estratégia para o Brasil do Bank of America Merrill Lynch, David Beker. Serviços - Outra surpresa foi o freio na inflação dos serviços, que teve a menor alta desde outubro de 2009, ao cair de 0,76% em abril para 0,21% em maio. O IBGE acredita que a desaceleração possa ter sido causada por um esgotamento no ritmo de alta dos preços, ou pelo comprometimento da renda. Há muito tempo a gente não observava uma redução dessa nos serviços. Pode ser consequência ou de saturação do preço, que já avançou tanto que não consegue aumentar mais, aliado a um processo de inadimplência, Célia Froufe e Renata Veríssimo O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quarta-feira que o índice de preço ao Consumidor Amplo (IPCA) medido em maio, de 0,36%, é muito bom. Significa que a inflação anualizada em 12 meses está abaixo de 5%. Portanto, está caindo em relação ao ano passado. E isso nos dá grau de liberdade para ter uma política monetária mais flexível, ou seja, redução de taxas de juros e aumento do crédito, afirmou Mantega ao chegar ao Ministério da Fazenda. Mantega disse que já foi detectado o aumento do crédito no mês de maio e avaliou que este movimento, junto com a redução das taxas de juros, continuará em junho. Isto já está estimulando o consumo e o investimento. De forma que já temos resultados positivos inclusive de maio, afirmou. De acordo com o ministro, o crescimento do País em maio e junho terá taxas muito maiores do que foi visto em abril e também ficará acima do verificado no primeiro trimestre deste ano. Ele salientou que as vendas do setor automobilístico cresceram muito, 10,8%. E isso antes ainda de entrarem as ações de estímulos. Na verdade, apenas na última semana de maio é que houve a redução do IPI sobre os preços dos automóveis. Isso significa que vai crescer mais, disse Mantega. Para o ministro, a economia já está em uma rota positiva. Teremos crescimento do PIB e da produção industrial. O setor que cresceu menos no primeiro trimestre foi o automobilístico, que tem grande peso no PIB, e agora vai crescer mais do que outros setores. Portanto, estaremos reconstituindo um crescimento maior, argumentou. Mantega ressaltou que o setor de varejo também deu uma recuperada boa, com crescimento mais elevado. Com isso, nós deveremos ter nesse segundo trimestre um crescimento do PIB bem maior. O ministro também defendeu os investimentos do governo que, segundo ele, estão crescendo 30% mais que em igual período de Ele criticou os analistas que querem retirar da conta o programa Minha Casa, Minha Vida. Mas isso é investimento. O governo está contratando a construção habitacional, argumentou. Segundo Mantega, as empresas estatais também estão fazendo investimento maior em 2012 do que no ano passado. A Petrobras estará com investimento maior. Nós vamos anunciar na semana que vem o Plano de Negócios e estaremos, portanto, com o investimento crescendo também nesse período. Empresas privadas - O ministro da Fazenda reconheceu ou de transferência de gastos a outros setores, como a compra de um automóvel, disse Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE. Houve redução nos aumentos de aluguel, condomínio, conserto de automóvel, médico, dentista e serviços pessoais. Além disso, ficaram mais baratos os serviços de mudança, transporte escolar, clube e motel. Os transportes contribuíram, com deflação de 0,58% em maio. Além das passagens aéreas, houve queda nos carros usados (1,4%), etanol (1,34%) e gasolina (0,52%). Na direção oposta, os aumentos de alguns importantes itens da cesta básica impediram que a inflação desacelerasse mais. Em maio, ficaram mais caros o feijão mulatinho, o feijão carioca e o arroz, mas também o óleo de soja, o café moído, o tomate, a cebola, o alho e a cerveja. que o setor privado está um pouco assustado com a situação internacional, o que deixa os empresários temerosos para aumentar investimentos. Como nós estamos mostrando que a economia brasileira pode crescer, mesmo com uma crise muito forte lá fora, o setor privado começa a se animar. E nós estamos dando estímulo ao setor privado para ele poder investir a custos mais baixos - custos tributários, custos financeiros mais baixos, destacou. Mantega citou que as linhas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estão aí e que o governo também disponibilizou agora linhas de capital de giro com taxas menores Isso é bom para as empresas. As condições todas estão dadas para que também o investimento privado possa se recuperar e ter um bom desempenho este ano, afirmou. CAPTAÇÃO Fernando Nakagawa O primeiro mês com as novas regras de funcionamento das cadernetas de poupança teve recorde no volume de depósitos. Dados divulgados na quarta-feira pelo Banco Central mostram que em maio as contas registraram captação líquida positiva de R$ 6,262 bilhões, resultado 252% maior que o observado em abril e recorde para os meses de maio desde o início da série histórica em Na comparação com todos os outros meses, maio teve o melhor desempenho desde dezembro de Segundo o Banco Central, os depósitos no acumulado do mês passado alcançaram R$ 105,776 bilhões, valor maior que os saques, que somaram R$ 99,514 bilhões. Além de as aplicações terem superado as retiradas, as contas existentes tiveram rendimento de R$ 2,138 bilhões no mês passado. Dessa maneira, no fim de maio, a soma de todas as cadernetas existentes atingiu R$ 441,721 bilhões. Anunciada em 3 de maio, as novas regras das cadernetas não desanimaram investidores - como muitos economistas e parte do governo temiam. Entre o dia 4, primeiro dia com a mudança, e 31 de maio a captação líquida das cadernetas ficou em R$ 4,456 bilhões. Com a mudança de regra, sempre que o juro básico da economia estiver em 8,5% anuais ou menos, o rendimento das cadernetas passa a ser 70% da Selic mais a Taxa Referencial. Há uma semana, em 30 de maio, o juro básico caiu para 8,5%, o que fez com que passasse a vigorar a nova regra de cálculo do rendimento. Depósitos feitos até dia 3 de maio têm garantido o juro antigo - de 0,50% ao mês mais a TR - até o saque. Em caso de retirada a partir de agora, os recursos sairão prioritariamente do saldo da nova poupança, que têm rendimento menor. Depois que esse valor for esgotado, as retiradas começam a ser debitadas do saldo antigo. ESTIMATIVA Os economistas do Itaú Unibanco reduziram a estimativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 2012 para 2,00%, alta inferior à registrada em 2011, quando atingiu 2,70%. O argumento para tal expectativa são os resultados pouco animadores da economia no primeiro trimestre deste ano e da produção industrial no quarto mês do ano, segundo relatório da instituição enviado na quarta-feira à imprensa e a clientes. O PIB mais fraco no primeiro trimestre e a queda da produção industrial em abril (que aponta para um período mais longo de ajuste de estoques) nos levaram a revisar para baixo a projeção de crescimento do PIB para este ano, de 3,1% para 2,0%. Projetamos uma alta de 0,8% no segundo trimestre, com uma aceleração para 1,0% no terceiro e 1,4% no quarto, escreveu a equipe econômica. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a economia brasileira apresentou avanço de apenas 0,2% entre os meses de janeiro e março de 2012 em relação ao quarto trimestre de Já a produção industrial, conforme o IBGE, teve queda de 0,20% em abril frente a março. Para que o PIB cresça acima de 2,00% este ano, os economistas calcularam que seria preciso haver uma surpresa positiva entre os meses de abril e junho e a sustentação de ritmo de expansão no terceiro e no quarto trimestres. Se isso se confirmar, o banco acredita que a economia poderia registrar avanço de 2,70%. Por exemplo, crescimento de 1,50% (no segundo trimestre) em vez de 0,80% que projetamos, afirmaram. Os principais riscos ao avanço da economia nos próximos meses apontados pelos profissionais do Itaú Unibanco são a deterioração do cenário internacional e a contaminação rápida do emprego em consequência de um período mais prolongado de baixo crescimento econômico. Uma piora do mercado de trabalho neste momento reduziria ainda mais as perspectivas de expansão da economia, aponta o relatório. INFLAÇÃO Glauber Gonçalves ANFAVEA A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) desacelerou no mês de maio ao registrar taxa de 0,91%, após subir 1,02% em abril, informou na quartafeira a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa ficou dentro das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE-Projeções, que esperavam uma alta entre 0,79% e 1,14%, e abaixo da mediana de 0,95%. Embora não seja mais usada para reajustar a tarifa de telefone, a taxa acumulada do IGP-DI ainda é utilizada como indexador das dívidas dos Estados com a União. Com o resultado divulgado nesta quarta-feira o indicador acumula altas de 2,89% no ano e de 4,80% em 12 meses. A FGV também informou o resultado dos três indicadores que compõem o IGP-DI: O IPA- DI, que representa o atacado, também subiu 0,91% no mês passado, após registrar alta de 1,25% em abril; o IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, teve aumento de 0,52% em maio, mesma variação verificada no mês anterior; e o INCC-DI, que mede o impacto de preços na construção, que apresentou elevação de 1,88% no mês passado, em comparação com a taxa de 0,75% de abril. O período de coleta de preços para o IGP-DI de fevereiro foi de 1º a 31 de maio. Francisco Carlos de Assis e Wladimir D Andrade O total de veículos licenciados em maio, o equivalente a 287,5 mil unidades, não reflete ainda as vendas feitas nos últimos feirões das montadoras com a nova alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), disse na quarta-feira o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Cledorvino Belini. Segundo ele, os efeitos das vendas realizadas nos feirões são esperados para junho. Pesquisa feita pelas montadoras depois das promoções realizadas há duas semanas mostra que após os eventos o fluxo de pessoas nas lojas das concessionárias cresceu 70% em relações aos feirões feitos anteriormente. O número de feiras realizadas aumentou 120% sobre antes da medida e as fichas aprovadas dobraram. Mas ainda não há reflexos do IPI sobre as vendas de maio. O efeito deve aparecer no mês de junho, disse Belini. Ele explicou que, como o IPI foi reduzido no dia 21 de maio, nos dias 23 e 24 as concessionárias começaram a devolver as notas fiscais para as montadoras realizarem novo faturamento. Muitas montadoras ainda estão refaturando suas notas, disse o presidente da Anfavea. No dia 25 de maio, de acordo com Belini, é que começaram as vendas com o IPI reduzido. Só a partir dos dias 26 e 27 do mês passado que os consumidores começaram a comprar, disse Belini. Capacidade instalada - De acordo com Belini, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) da indústria automotiva encontra-se entre 70% e 75%. De acordo com ele, a indústria tem capacidade para produzir de 4,3 milhões a 4,5 milhões de unidades por ano. Para 2012, ele estima que o resultado fique na faixa de 3,6 milhões a 3,8 milhões unidades. Mas já produzimos com 100% da nossa capacidade ocupada, afirmou o presidente da Anfavea. Embora não faça projeções para o fechamento de 2012, ele se disse otimista com relação ao desempenho do setor a partir do segundo semestre, mesmo sem uma eventual prorrogação da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Perguntado de onde vem este otimismo diante de previsões de que o Produto Interno Bruto (PIB) neste ano poderá crescer abaixo dos 2,7% de 2011, o presidente da Anfavea explicou que, para cada um ponto porcentual de crescimento da economia, o setor automotivo cresce dois. Se o PIB crescer 2%, nosso setor crescerá 4%, afirmou. COMARCA DA CAPITAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO JUÍZO DE DIREITO DA 36ª VARA CÍVEL EXTRATO DO EDITAL DE 1ª E 2ª PRAÇA E INTIMAÇÃO aos devedores, na pessoa de seus advogados, Dr. Luiz Carlos Santiago de Souza OAB/ RJ ; Dr. Vinicius Machado de Souza OAB/RJ e Dra. Fernanda Maciel da Rocha Lins OAB/RJ , com o prazo de 05 (cinco) dias, extraído dos Autos da Ação de Cobrança, ora em fase de Execução, movida por CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO OPEN 44 em face de REVIL CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA E ESPÓLIO DE ISY CHONCHOL, processo nº ( ), na forma abaixo: O DOUTOR ROSSIDÉLIO LOPES DA FONTE, Juiz de Direito Titular da Vara acima, FAZ SABER, por este edital, aos interessados e aos devedores, que no dia 18 DE JUNHO de 2012, às 13:30 horas, no Átrio do Fórum da Comarca da Capital/RJ, sito na Av. Erasmo Braga, 115 Térreo (hall dos Elevadores) Centro - RJ, pelo Leiloeiro Público LEANDRO DIAS BRAME, será apregoado e vendido a quem mais der acima da avaliação, ou no dia 28 DE JUNHO DE 2012, no mesmo horário e local, a quem mais der independente da avaliação, o imóvel penhorado Descrição: SALA 706, do prédio à Av. 28 de Setembro, nº 44, distrito do Andaraí, com direito a 01 vaga localizada na 1ª, 2ª ou 3ª garagem, indistintamente, e o condomínio tem 9 vagas destinadas à visitas, localizadas na 1ª garagem, e 9/1000 do terreno que se encontra devidamente caracterizado, dimensionado e registrado sob a matrícula nº do Cartório do 10º RGI (Capital). Inscrição no FRE nº AVALIAÇÃO: R$ ,00 (duzentos e trinta mil reais). O imóvel encontra-se registrado em nome da executada, apresentando os seguintes gravames: R-5: PENHORA , movido pelo MRJ; R-6: PENHORA por determinação 4, movido pelo MRJ; R-7: PENHORA - por determinação do juízo da 12ª MRJ; Débitos do imóvel: IPTU - R$ ,44, mais acréscimos legais, referentes aos exercícios de 1991 a 2012; Taxa de Incêndio (Funesbom) R$ 306,03, mais acréscimos legais, referentes aos exercícios de 2006 a OBS: O imóvel será vendido livre de débitos de IPTU e taxas, de acordo com o Art. 130 do CTN, desde que o produto da venda comporte, após satisfeito o crédito do exequendo. arrematante que arcará com os mesmos. A arrematação far-se-á mediante o pagamento imediato do preço pelo arrematante, ou no prazo de até 15 (quinze) dias mediante caução, acrescida de 5% de comissão ao Leiloeiro, 0,25% de ISS e custas de Cartório de 1% até o máximo permitido. As certidões encontram-se nos autos. Para conhecimento geral Fórum e nos autos acima. RJ, 15/05/2012. Eu, Cristina Mourão Heredia

4 4 ECONOMIA Quinta-feira, 7, a segunda-feira 11 junho de 2012 IMPOSTO DE RENDA Restituição de R$ 2,5 bi irriga a economia 1,8 milhão de contribuintes receberão os depósitos em conta na próxima sexta-feira Célia Froufe Num momento em que a atividade doméstica está fraca, o governo vai injetar R$ 2,5 bilhões na economia. Os recursos são do primeiro lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física deste ano, que devolverá ao contribuinte no próximo dia 15 o dinheiro pago a mais ao Fisco. O montante é o maior já feito na primeira parcela de devolução. Sem dúvida (a restituição) poderá ter efeitos positivos na economia, admitiu a secretária adjunta da Receita Federal, Zayda Bastos Manatta. Ela negou, porém, que o valor expressivo tenha sido uma determinação do Palácio do Planalto para dar um impulso extra ao consumo. Não recebemos orientação (da Presidência da República) para fazer esse formato (de injetar recursos para incentivar a economia), acrescentou Zayda. A Receita já tinha processado esse volume de declarações, conforme a secretária, e por isso decidiu ampliar o primeiro lote. Já havia disponibilidade de recursos e foi negociado com outros órgãos da Fazenda sua liberação, justificou. O procedimento é regular, habitual e ordinário da Receita. Em outubro do ano passado, a Receita liberou montante semelhante de recursos, quando incidiu sobre o dinheiro devolvido uma correção maior da taxa básica de juros, a Selic. Os R$ 2,5 bilhões incluem não apenas os idosos - a lei determina que eles tenham preferência -, mas também o pagamento de pendências de exercícios anteriores e outros contribuintes com menos de 60 anos. CONSTRUÇÃO Sem dúvida (a restituição) pode ter efeitos positivos na economia, admitiu Zayda Referente apenas ao primeiro lote, são R$ 2,401 bilhões, já corrigidos em 1,74% pela Selic de maio e junho. No total, 1,885 milhão de contribuintes receberão os depósitos em seus bancos na sexta-feira da semana que vem. Consulta - A consulta ao lote pode ser feita a partir desta sexta-feira na internet ou por telefone (146). Agora, o contribuinte que quiser informações sobre liberação das restituições ou verificar a situação cadastral de uma inscrição no CPF poderá também usar smartphones ou tablets. Isso porque a Receita Federal lançou um aplicativo, que atenderá apenas a pessoas físicas, destinado aos equipamentos que têm sistema operacional Android e ios (Apple iphone). O nome do aplicativo, que é gratuito, é Pessoa Física. O download pode ser feito no Android market (Google Play) ou obras públicas preocupam O Índice de Confiança da Construção (ICST) medido pela Fundação Getúlio Vargas registrou queda pelo segundo mês consecutivo em maio na comparação com o mesmo período de Em maio, o indicador trimestral recuou 7,8% sobre o intervalo de março a maio do ano passado. Este é o pior resultado desde fevereiro, quando a retração foi de 8,4% em igual comparação. Já o indicador de fevereiro a abril teve recuo de 6,8% ante mesmo período do ano anterior. O resultado geral sinaliza que o momento de desaceleração mais geral da economia vem influenciando as avaliações do setor, particularmente em relação às variáveis associadas ao momento atual, diz o relatório da Sondagem da Construção de maio, divulgado na quarta-feira. Os segmentos que puxaram a piora na comparação interanual foram os de Obras de Instalações, com variação negativa de 7,6% ante variação, também negativa, de 5,3% no trimestre encerrado em abril; e o segmento de Obras de Infraestrutura para Engenharia Elétrica e de Telecomunicações, que fechou o mês de maio em queda de 15%, frente a uma variação negativa de 13,1% do trimestre terminado em abril. A melhora foi registrada no segmento Obras de Acabamento, com variação negativa de 2,9% contra uma variação negativa de 4,5% em abril; e no segmento Aluguel de Equipamentos de Construção e Demolição, com operador, que subiu de 3,4% em abril para 6,1% em maio. A piora da confiança do empresário da construção foi vista também nas avaliações em relação ao futuro. No trimestre findo em maio, o Índice de Expectativas (IE-CST) caiu 6,5%, ao passo que era de -5,3% em abril. Nesse indicador, o quesito sobre demanda prevista para os próximos três meses caiu de uma variação negativa de 5,9% em abril para uma variação negativa de 7,4% em maio. Os empresários que preveem melhora na demanda estão em menor número: eram 45,1% em maio de 2011 e agora são 36,3%. Já os que esperam piora cresceram de 3,8% para 5,5% do total. O Índice da Situação Atual (ISA-CST) ficou negativo em 9,3% em maio, contra -8,6% em abril. Nesse índice, o item sobre situação atual dos negócios piorou, saindo de uma variação negativa de 10,2% em abril para -11,1% em maio. Das 731 empresas consultadas, 30,9% avaliam a situação atual como boa, na média do trimestre findo em maio, ante 42,4% no mesmo período de 2011; e 10,2% a consideram ruim (contra 6,5%). Obras públicas - O andamento das obras públicas foi o principal responsável pela queda na confiança dos empresários da construção diante da situação atual dos negócios e também em relação às expectativas sobre o nível de atividade futura. Havia uma expectativa de retomada dos investimentos públicos, mas isso não está acontecendo no ritmo esperado pelos empresários da construção, observou Ana Maria Castelo, coordenadora de estudos de construção da FGV. O Índice de Confiança da Construção caiu 7,8% na média trimestral encerrada em maio. O recuo ocorreu nos seus dois componentes. No período, o Índice da Situação Atual (ISA) caiu 9,3%, enquanto o Índice de Expectativas (IE) baixou 6,5%. Em maio, o recuo do Índice da Situação Atual foi puxado principalmente pela piora na confiança nas obras de infraestrutura, com variação negativa de 17,5%. No quesito de obras de edificações e obras de engenharia civil, houve recuo de 9,6%. Nessa categoria, o subcomponente obras viárias (estradas) caiu 19,3%, uma queda bem maior que o de edificações (-6,1%) e obras de arte (pontes e viadutos -4,0%). Dentro do Índice de Expectativas, o comportamento foi semelhante, com a confiança nas obras de infraestrutura recuando 12,7% em maio. No mesmo mês, as obras de edificações e engenharia civil perderam 6,1%, contando também com o fraco desempenho do subcomponente obras viárias (-4,1%). Ainda em relação ao Índice de Expectativas, Ana Maria chamou atenção para o recuo de 5,7% na preparação de terreno. É uma sinalização ruim, pois esse é um indicador das atividades futuras. Mostra que podemos ter uma acomodação no volume de obras, apontou a pesquisadora. Ana Maria lembrou que a maioria dos empresários ainda está otimista. Em maio o índice ficou em 126,1 pontos. Quando acima de 100 pontos, o indicador sinaliza otimismo. O que temos é uma situação ainda boa, mas com sinal amarelo, já que a demanda do setor de infraestrutura está gerando uma dúvida no mercado, explicou. Da redação, com agências Valter Campanato / ABr na Apple Store. Zayda salientou que os aplicativos são apenas para consultas e que as operações devem ser feitas no site ou em outros meios oferecidos pela Receita. A expectativa é oferecer novos serviços a partir dos smartphones e também dos tablets. Este é o primeiro passo. Temos de mensurar isso com a segurança ao cidadão, comentou a secretária adjunta da Receita. MICRO E PEQUENAS BB tem nova redução de juros O Banco do Brasil anunciou na quarta-feira nova redução dos juros da linha de crédito BNDES Capital de Giro Progeren. Para as micro e pequenas empresas, a taxa mínima passa de 0,89% para 0,64% ao mês e a taxa máxima de 1,25% para 0,80% ao mês, redução de 28% e 36% nos juros mínimos e máximos, respectivamente, informa comunicado à imprensa do banco. Segundo o BB, desde o lançamento do Bompratodos, em 12 de abril, até o último dia 2, as liberações de crédito para as micro e pequenas empresas ultrapassam R$ 12,5 bilhões. Foram mais de 1,4 milhão de liberações de crédito nas linhas para pessoas jurídicas priorizadas na estratégia de corte de juros. O resultado corresponde a crescimento de 21,8% de desembolso de crédito médio por dia no período, comparado com março de 2012, mês imediatamente anterior à vigência das medidas. A linha que teve juros reduzidos conta com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). os. A medida acompanha a última redução anunciada pelo BNDES, que cortou os juros do programa de 9,5% para 6% ao ano para as micro e pequenas empresas, para 6,5% anuais para as médias empresas, e de 10% para 8% ao ano para as grandes empresas. No BB, o prazo de pagamento da linha permanece em até 36 meses. O piso da linha é de R$ 20 mil e o teto, R$ 20 milhões. Para as grandes empresas, o teto chega a R$ 50 milhões. O programa do BNDES tem vigência até 31 de dezembro de 2012 com orçamento disponível de R$ 14 bilhões, sendo R$ 11 bilhões destinados às micro e pequenas empresas e R$ 3 bilhões às médias e grandes empresas. FALÊNCIA Pedidos crescem 7,6% em maio e 17,9% em 2012 O número de pedidos de falência no País cresceu 7,6% em maio na comparação com abril, informou na quarta-feira a Boa Vista, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). Em relação a maio de 2011, o aumento foi de 22,5%. Nos primeiros cinco meses de 2012, os pedidos feitos por empresas acumulam alta de 17,9% ante o mesmo período de As falências decretadas caíram 2,9% em maio e acumulam crescimento de 3,4% nos primeiros cinco meses do ano, ante o mesmo período de Na comparação com maio de 2011, o aumento foi de 17,5%. Os pedidos de recuperação judicial têm alta de 182,9% no acumulado até maio, em relação ao mesmo período de Em maio, esses pedidos cresceram 30% sobre abril e 103,1% na comparação com o mesmo mês CITRICULTURA do ano passado. Já o deferimento dos pedidos de recuperação repetiu os números de abril, mas cresceu 53,6% sobre maio de 2011 e 83,1% no acumulado dos primeiros cinco meses do ano, ante o mesmo período de Em nota, a Boa Vista avalia que a tendência de queda nos pedidos de falência no primeiro trimestre foi revertida e agora os pedidos vêm aumentando. A elevação da inadimplência de consumidores e empresas ao longo de 2011 causou pouco efeito sobre os indicadores de solvência das empresas naquele ano e parecem se refletir em 2012, analisa a empresa. Para a Boa Vista, o cenário favorável do mercado de trabalho manteve a demanda interna aquecida e o consumo em alta em 2011, mas o recuo da atividade econômica nos últimos meses vem prejudicando o desempenho financeiro das empresas. Segmento discute perdas com governo Gustavo Porto e Venilson Ferreira O setor produtivo de laranja e de suco discutirá na próxima terça-feira, às 14h, na superintendência do Ministério da Agricultura em São Paulo, uma proposta para tentar minimizar as perdas com a safra 2012/2013 por excesso de oferta, estimadas em 83 milhões de caixas de 40,8 quilos. Segundo o presidente da Câmara Setorial da Citricultura, Marco Antonio Santos, a proposta do setor produtivo ao governo é ampliar o processamento pelas indústrias e buscar, principalmente na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), uma ajuda para o destino da fruta que sobrar, bem como tentar discutir os preços pagos ao citricultor pela indústria. Ele não quis dar mais detalhes sobre a proposta a ser apresentada. Segundo fontes da indústria as processadoras poderiam se PRODUÇÃO INDUSTRIAL comprometer a diminuir a eficiência do processamento de laranja para, assim, comprar mais fruta na safra 2012/13. O processo é simples: em vez de a laranja passar por três fases de extração do caldo, passaria apenas por uma. Com isso, as companhias ampliariam a previsão de recebimento e processamento total de laranja de 247 milhões de caixas para até 280 milhões de caixas na safra. Já o excedente da fruta seria reduzido de 83 milhões de caixas para entre 40 milhões e 50 milhões de caixas. O setor produtivo aposta que o excedente da fruta será menor, por causa das perdas causadas por doenças e pela redução no processamento da variedade precoce hamlin, já pronta para ser colhida. Citricultores que estão sem contratos com as indústrias e que produzem laranjas dessa variedade já enfrentam problemas para escoamento da fruta, justamente pela redução no ritmo de processamento das companhias. Queda em 12 de 14 regiões, em abril Mariana Durão Na passagem de março para abril, a produção regional, com ajuste sazonal, mostrou taxas negativas em 12 dos 14 locais que compõem a Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física, conduzida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados foram divulgados quarta-feira pelo instituto. As maiores perdas foram registradas em Goiás (-7,6%) e no Paraná (-7,0%), que praticamente eliminaram os avanços registrados no mês anterior (de 7,7% e 7,3%, respectivamente). Amazonas (-5,8%), Ceará (-4,7%), Rio de Janeiro (-2,9%) e Rio Grande do Sul (-2,4%) também apresentaram recuos bem acima da média nacional (-0,2%). Os demais resultados negativos foram verificados na região Nordeste (-0,7%), em Pernambuco (-0,6%), em São Paulo (-0,4%), na Bahia (-0,3%), no Espírito Santo (-0,2%) e em Minas Gerais (-0,1%). Por outro lado, Pará (4,3%) e Santa Catarina (0,3%) assinalaram os dois resultados positivos em abril. Na comparação com o mesmo mês de 2011, 10 dos 14 locais mostraram queda na produção em abril de As perdas mais intensas foram verificadas no Amazonas (-11,8%) e no Rio de Janeiro (-9,4%). Os resultados foram provocados, em grande parte, pelo comportamento negativo do segmento de bens de consumo duráveis, com destaque, no Amazonas, para a redução na produção de motos, aparelhos de ar condicionado, micro-ondas, celulares, televisores e relógios e, no Rio de Janeiro, de automóveis. Espírito Santo (-4,4%), São Paulo (-3,8%) e Ceará (-3,2%) também apontaram recuo acima da média nacional (-2,9%) na comparação com abril de Os demais resultados negativos foram observados em Santa Catarina (-2,3%), no Rio Grande do Sul (-1,7%), na Bahia (-1,4%), na região Nordeste (-0,8%) e em Minas Gerais (-0,7%). A expansão mais acentuada foi vista em Goiás (15,1%), o que reflete não só a baixa base de comparação (em abril do ano passado, o recuo da produção industrial do Estado foi de 9,8%), mas também o incremento na produção de medicamentos em abril de Pernambuco (3,9%), Pará (3,0%) e Paraná (2,4%) também registraram aumentos no período.

5 PROTÓGENES Relatório pede processo por quebra de decoro O deputado Amauri Teixeira (PT-BA) protocolou nesta quartafeira seu relatório junto ao Conselho de Ética pedindo a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra o deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP). Protógenes foi flagrado em telefonemas com Idalberto Matias Araújo, o Dadá, um dos integrantes do esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira. Cabe agora ao Conselho decidir pela abertura ou não de processo contra o deputado do PCdoB. A representação contra Protógenes foi protocolada diretamente no Conselho de Ética pelo PSDB, e Amauri é o relator do caso. O deputado baiano diz ser necessária a DEPUTADO E VEREADOR RIO PAÍSQuinta-feira, 7, a segunda-feira 11 junho de TRANSPORTE Transoeste é inaugurada Com o primeiro BRT, circulando por 56 km, prefeitura calcula que 120 mil pessoas serão beneficiadas por dia A prefeitura do Rio inaugurou nesta quarta-feira a Transoeste, primeiro corredor expresso de Bus Rapid Transit (BRT) da cidade. Além do prefeito Eduardo Paes, participaram da solenidade o governador Sérgio Cabral, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o vice-governador e coordenador de Infraestrutura, Luiz Fernando Pezão. A Transoeste liga a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande, numa extensão de 56 quilômetros. O percurso será feito de maneira ágil e confortável, reduzindo em uma hora, pelo menos, o tempo de viagem. Criado em Curitiba, o sistema consiste num sistema de transporte público com ônibus biarticulados que circulam em faixas segregadas e, portanto, em velocidade maior do que as linhas convencionais. Lula, Cabral, Paes e Pezão, além de outras autoridades e convidados, embarcaram em um ônibus na estação Magarça, em Guaratiba, e seguiram para o Centro Operacional da Transoeste, que fica na entrada do Túnel abertura de investigação. Um parlamentar não pode agir como tudo indica tenha agido o deputado Protógenes Queiroz, mantendo relacionamento próximo com um notório contraventor e, pior, o auxiliando diante das investigações levadas a cabo pela Polícia Federal, diz o petista. Ele destaca ainda que o deputado do PCdoB é acusado de mentir sobre suas relações com Dadá. O jornal O Estado de S. Paulo revelou em abril que Protógenes aparece em grampos da PF em conversas com Dadá. Numa delas, os dois fazem combinação sobre depoimento que prestarão à justiça. Nos áudios divulgados, Dadá chama o deputado de professor e presidente. Adiado debate sobre as coligações A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado adiou para a próxima semana a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que acaba com a possibilidade de coligações partidárias nas eleições proporcionais deputado federal, estadual e vereador. De acordo com a PEC, as coligações seriam mantidas somente nas disputas por cargos majoritários, ou seja, senador, prefeito, governador e presidente da República. O senador José Sarney (PMDB-AP), autor da PEC, argumenta que a experiência brasileira demonstra que as coligações nas eleições proporcionais, de forma geral, constituem uniões passageiras, efêmeras, estabelecidas durante o período eleitoral por mera conveniência. Ele frisou, ainda, que as candidaturas proporcionarão são feitas por partidos diversos que se unem sem qualquer compromisso com programas de governo ou afinidade ideológica. Lula: empenho para eleger Paes Luciana Nunes Leal Na segunda viagem ao Rio em um mês, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu fazer campanha para o prefeito Eduardo Paes (PMDB), candidato à reeleição, com muito mais convicção que em 2008, quando o exadversário e agora aliado foi eleito pela primeira vez. Ao lado do prefeito e do governador Sérgio Cabral (PMDB), Lula participou da inauguração de 40 quilômetros Vice-Presidente José de Alencar (Grota Funda) para a cerimônia de inauguração, que recebeu a bênção do arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta. Depois de elogiar os projetos viários em andamento no município, o governador disse que o estado e a prefeitura estão promovendo uma BANCO DE DADOS Previdência cria cadastro único de servidores Na fase de testes, sistema detectou pagamento para pessoas que estavam mortas O Ministério da Previdência apresentou nesta quarta-feira um cadastro que vai reunir dados de todos os servidores públicos. Segundo o ministério, o banco de dados vai evitar fraudes e possíveis irregularidades, como pagamentos indevidos de benefícios da Previdência. O cadastro entrará em vigor em 1ª de setembro e está em fase de testes. Os estados que estão usando o sistema são a Paraíba, o Amapá, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal. As cidades de Fortaleza, Maceió e Cabo de Santo Agostinho (PE) também já aderiram ao sistema. De acordo com o Ministério da Previdência, o cadastro poderá rastrear se um servidor têm vários vínculos funcionais, se ele tem mais de um benefício previdenciário em regimes diferentes ou se um servidor que já morreu recebe benefício. O sistema poderá ainda do BRT (Bus Rapid Transit) Transoeste, corredor viário que ligará os bairros de Santa Cruz e Barra da Tijuca, na zona oeste. Em 2008, eu era presidente da República, o Sérgio Cabral chegou com um cidadão que eu pouco conhecia pedindo para apoiá-lo. Eu confesso, por não conhecer, tinha dúvida, mas fui convencido pelo Sérgio Cabral que eu deveria apostar na figura. Hoje posso dizer para vocês que valeu a pena pedir votos para o Eduardo Paes. Farei isto outra transformação nas áreas de transporte e de mobilidade urbana no Rio de Janeiro. Somando os quatro BRTs que o município está implantando Transoeste, Transcarioca, Transolímpica e Transbrasil com a Linha 4 do metrô e o aumento das frotas de trens da SuperVia e do próprio metrô, todos equipados verificar se, no momento da contratação, o servidor já tem algum vínculo contratual no serviço público. Segundo o secretário de Políticas de Previdência do Ministério da Previdência, Leonardo Rolim, na fase de testes, o sistema pôde detectar pagamentos de benefícios para pessoas que estavam mortas. Fizemos um censo no Distrito Federal que deu uma economia de R$ 27 milhões por ano. Na Paraíba, ainda não temos o dado definitivo, mas a estimativa preliminar é R$ 25 milhões de economia por ano. A União não fez o censo, mas faz o cruzamento de óbitos, e a estimativa é uma economia de R$ 150 milhões por ano com esses cruzamentos, disse. Rolim acrescentou que os ministérios da Previdência e do Planejamento estão fazendo contato com os estados e as maiores capitais e municípios para que possam aderir ao cadastro. vez agora em 2012 com muito mais convicção, discursou Lula. Entre 2005 e 2006, Paes era deputado do PSDB e foi um dos mais duros críticos de Lula e do PT, durante a CPI dos Correios, que investigou o mensalão. Cabral se aproximou do ex-presidente somente no segundo turno de 2006, quando foi eleito governador e apoiou a reeleição de Lula. Em 2008, promoveu a aliança Lula-Paes. O presidente, o governador e o prefeito repetiram o discurso com ar-condicionado, o percentual de pessoas que usará o transporte de massa nos próximos anos na cidade subirá de 18% para 63%. Parcial - A inauguração do BRT é parcial. Até o dia 23, a implantação do serviço será de adaptação. Onze ônibus biarticulados, todos equipados com ar Rolim: Objetivo é evitar possíveis fraudes ELEIÇÕES EM SÃO PAULO Marta Suplicy nega saída do PT Vera Rosa Alvo de críticas no próprio PT por não participar até agora da campanha de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo, a senadora Marta Suplicy negou nesta quarta-feira que pretenda deixar o partido. Estou onde sempre estive, disse ela. É bobagem tudo isso. As pessoas não têm o que falar e ficam inventando história. Desde o último sábado, quando faltou ao lançamento da candidatura de Haddad, Marta tem recebido telefonemas de dirigentes do PT, mas se recusa a atendêlos. A partir daí, começaram os boatos, dentro do próprio partido, de que ela poderia abandonar a legenda e se filiar ao PMDB. Nos corredores do Senado, Marta chegou a rir dos rumores, alimentados por petistas de seu antigo grupo político. Apesar de insatisfeita com o método empregado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para tirá-la da disputa e com os rumos da da parceria entre União, estado e município que sustentou a eleição de Paes e a reeleição de Cabral, em O prefeito disse ter seguido a recomendação de Lula de governar para todos, mas especialmente para o povo mais pobre, trabalhador. Acabou a humilhação com o povo pobre dessa cidade ao se locomover, disse o prefeito, citando um trecho da via expressa inaugurada nesta quarta, o túnel José de Alencar, em homenagem ao vice de Lula, já falecido. condicionado e televisores e com capacidade para transportar 140 passageiros, só vão percorrer nove estações (Pingo D Água, Pontal, Recreio Shopping, Nova Barra, Gelson Fonseca, Pedra de Itaúna, Riomar, Novo Leblon e Alvorada), das 10h às 15h, portanto, fora dos horários de pico. A partir do dia Elza fiúza / ABr campanha de Haddad, ela não planeja sair do PT. Questionada por jornalistas se ajudará o candidato do PT em São Paulo, a senadora manteve o mistério. Eu falei o que tinha de falar com o meu gesto. Há tempo para falar e tempo para silenciar, desconversou. Estou tranquila. 23, o sistema entra em operação em 31 estações e, a cada 15 dias, uma nova etapa será implantada até meados de agosto, quando a Transoeste chegará a Campo Grande e bairros próximos, num total de 64 estações. A linha irá desafogar o trânsito na Zona Oeste da cidade. A prefeitura calcula que 120 mil pessoas serão beneficiadas por dia, quando o sistema estiver funcionamento plenamente. A obra vai custar à prefeitura R$ 900 milhões. O projeto incluiu a construção de um túnel na Grota Funda, também inaugurado hoje, com 1,1 mil metros de extensão em cada sentido, ligando o Recreio dos Bandeirantes a Guaratiba. Os investimentos da prefeitura em mobilidade urbana incluem ainda os outros três BRTs. A Transcarioca, que vai ligar a Barra da Tijuca ao Galeão, já está com obras bem adiantadas, a Transolímpica, entre a Barra e Deodoro, já começando, e a Transbrasil, do Centro da cidade até a Zona Oeste pela Avenida Brasil, está em processo de licitação.

6 JUSTIÇA 6 Quinta-feira, 7, a segunda-feira 11 junho de 2012 STF Julgamento do mensalão começa dia 1º de agosto Decisão contraria interesses das lideranças do PT, que não querem expor o partido Mariângela Gallucci Durante uma sessão administrativa realizada nesta quarta, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) marcaram para 1º. de agosto o início do julgamento do processo do mensalão. Se o cronograma for confirmado, o veredicto deverá sair às vésperas da eleição municipal. Até 14 de agosto, a Corte realizará sessões diárias de cinco horas para ouvir a acusação do Ministério Público Federal e as defesas dos 38 acusados de envolvimento no principal escândalo de corrupção do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A partir do dia 15 começarão a ser revelados os votos dos ministros do STF. Mas o início do julgamento em 1º. de agosto depende do revisor do processo, Ricardo Lewandowski. Atualmente, o ministro estuda a ação e a expectativa é de que libere o processo para votação até o final deste mês, conforme adiantou ao jornal O Estado de S Paulo. Lewandowski não participou da sessão administrativa desta quarta. Mas a assessoria do ministro confirmou que ele devolverá a ação em junho. Se essa previsão realmente se confirmar, o julgamento poderá ocorrer em agosto. PT - A decisão do STF de marcar o julgamento para agosto contraria os interesses das lideranças petistas, entre as quais Lula, que não queriam expor o partido durante a campanha eleitoral. Recentemente, o ex-presidente envolveuse numa polêmica após se reunir com o ministro Gilmar Mendes, do MANDADO DE SEGURANÇA Ministros do STF durante sessão que definiu data do julgamento em agosto STF, e o ex-ministro Nelson Jobim. Mendes disse que Lula tentou intimidá-lo para garantir que o processo não fosse julgado durante o período eleitoral. Segundo o ministro do STF, Lula seria a central de divulgação de boatos que teriam o objetivo de melar o julgamento do mensalão. Se o julgamento de fato começar em agosto, a expectativa é de que somente seja concluído em setembro. Após as sessões diárias nas quais serão ouvidas a acusação e as defesas, o tribunal passará a se reunir a partir de 15 de agosto três vezes por semana (segunda, quartas e quintas-feiras) para ouvir os votos de seus ministros. Carlos Humberto / SCO-STF Não é possível precisar quando o tribunal concluirá o julgamento e definirá se os 38 acusados ou parte deles serão ou não condenados. Os ministros da Corte não têm limite de tempo para dar seus votos e eventuais incidentes poderão ocorrer. O começo do julgamento em agosto poderá fazer com o processo seja apreciado por um tribunal incompleto. No início de setembro, o ministro Cezar Peluso terá de se aposentar compulsoriamente aos 70 anos. Mas no tribunal há a expectativa de que ele deixe a Corte durante o recesso de julho. Normalmente, depois de surgida uma vaga no Supremo, o Executivo demora meses para indicar um ministro para o tribunal. Após a indicação, o escolhido tem de ser sabatinado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Em seguida, o plenário do Senado também tem de votar a indicação. Somente depois disso a posse pode ser marcada. Outra dúvida no julgamento é o ministro Dias Toffoli. Ex-advogado do PT, o ministro enfrenta pressões dos dois lados (de quem é a favor da sua participação e de quem é contra). Recentemente ele disse que somente vai decidir se participará do julgamento quando o processo for liberado para votação. Caiado pede suspensão dos efeitos da MP do Código Florestal Ivan Richard Da Agência Brasil O vice-líder do DEM na Câmara deputado Ronaldo Caiado (GO), representando a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), protocolou nesta quarta-feira no Supremo Tribunal Federal (STF) mandado de segurança em que pede a suspensão imediata dos efeitos da Medida Provisória (MP) 571, que altera o Código Florestal. O documento, com 19 páginas, sustenta que a MP é inconstitucional porque dispõe sobre tema já aprovado pelo Congresso Nacional. O governo não pode editar medida provisória sobre tema que já foi deliberado e aprovado por ampla maioria nesta Casa antes de analisarmos os vetos definidos pela presidente Dilma (Rousseff). Isso é uma afronta e um desrespeito ao Congresso Nacional, ponderou Caiado por meio de nota. Para o deputado, a medida provisória fere os artigos 62 e 67 da Constituição. O primeiro disciplina as regras para edição de medidas provisórias. O Inciso 4 do Parágrafo 1º diz que é vedada a edição de MP sobre tema já disciplinado em projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional e pendente de sanção ou veto do presidente da República. Na terça, o presidente da comissão especial mista criada para analisar a admissibilidade da MP 571, deputado Bohn Gass (PT-RS), argumentou que esse dispositivo foi respeito pela presidenta na edição da MP. Isso porque a Lei do Código Florestal já foi sancionada, o que contraria o entendimento dos ruralistas. APOSENTADO Seguradoras querem derrubar norma da ANS A Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) entrou na Justiça pedindo a suspensão da Resolução Normativa 279, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que entrou em vigor no dia 1º. A resolução estabelece novas regras para aposentados e demitidos sem justa causa permanecerem no plano de saúde empresarial. O primeiro embate, entretanto, não foi favorável à FenaSaúde, porque a 29ª Vara Federal no Rio de Janeiro negou o pedido de medida cautelar do processo, iniciado na semana passada. O advogado Sergio Bermudes, que representa a entidade, disse que o processo está apenas no início e que a FenaSaúde espera que a decisão seja revista, em benefício do próprio trabalhador. Segundo alega a FenaSaúde, a mudança é prejudicial ao próprio beneficiário porque, conforme sustenta o advogado Sergio Bermudes, o empregado inativo vai pagar mais caro pela assistência médica. A entidade representa os interesses de empresas seguradoras especializadas em saúde e de operadoras de medicina de grupo, entre outras. Antes dessa resolução, o cálculo do valor da contribuição era feito pela média ponderada, somando a contribuição dos empregados ativos e dos empregados inativos, para extrair a média, afirmou o advogado. A resolução que entrou em vigor determina a separação dos grupos, estabelecendo um plano para os empregados ativos e outro para os inativos da empresa, com consequência para o custo pago pelos inativos, segundo garante Bermudes. O resultado é que os empregados inativos pagarão sozinhos muito mais do que se pagassem pela média ponderada do grupo todo, já que o empregado inativo, idoso, demanda mais serviços médicos do que o empregado ativo, que na esmagadora maioria tem menos idade. De acordo com a ANS, as novas regras trazem avanços para o beneficiários, com a possibilidade de se manter os inativos no mesmo plano dos ativos, a critério do empregador. A agência também cita a mudança no cálculo do valor pelo conjunto de aposentados atendidos pela prestadora de serviço, e não mais pelas características individuais do beneficiário, o que garantiria reajustes mais baixos. A resolução da ANS estabelece que o aposentado que contribuir por mais de dez anos pode manter o plano pelo tempo que desejar. Quando o período for menor, cada ano de contribuição dá direito a um ano no plano coletivo, depois da aposentadoria. Já o Artigo 67 determina que a matéria constante de projeto de lei rejeitado pelo Congresso somente poderá constituir objeto de novo projeto, na mesma sessão legislativa, mediante proposta da maioria absoluta dos membros de qualquer das Casas legislativas. Segundo o mandado de segurança, a MP viola o processo legislativo constitucional, pois não só restaurou, via medida provisória, texto da lei do Senado descartado pela Câmara, como alterou aquilo que não vetou. TJ-RJ Cesar Maia e Rio-Urbe são condenados O ex-prefeito César Maia, a Empresa Municipal de Urbanização (Rio-Urbe) e seu ex-presidente Jorge Roberto Fortes, Gerônimo de Oliveira Lopes e Lourenço Cunha Lana, respectivamente diretor de administração financeira e assessor jurídico da Rio-Urbe, a empresa Studio G Construtora Ltda e a Mitra Arquiepiscopal do Rio de Janeiro foram condenados a restituir, solidariamente, aos cofres públicos o valor de R$ ,40, bem como a pagarem, individualmente, multa civil no mesmo valor. Em 2004, o então prefeito do Rio César Maia autorizou a liberação da verba para a empresa de urbanismo contratar a construção da Igreja de São Jorge em Santa Cruz. Na sentença, o juiz Ricardo Starling Barcellos também determinou a suspensão dos direitos políticos dos réus pelo prazo de cinco anos, bem como a proibição de todos os réus de contratarem com o poder público. Ana Cristina von Jess Franquia & Negócios Ainda falando de relacionamento R ecebi esta semana em meu escritório um casal de candidatos à aquisição de uma franquia da qual represento o departamento jurídico e, como sempre, no início de tudo, minha preocupação é aproveitar esse primeiro encontro para extrair ao máximo informações e percepções que me permitam criar algum tipo de convicção a respeito daqueles que acabei de conhecer. Difícil missão essa. Definir quem não se conhece. Determinar pelo breve contato se aquele perfil condiz com a proposta do franqueador que represento, se aquele tipo de pessoa (como se fosse possível em um breve encontro definir isso) se adequará ao tipo de negócio que é desenvolvido pela rede de franquias a que pretende se unir. Sem dúvida é difícil, mas a experiência de anos desenvolvendo este tipo de trabalho, desenvolvendo critérios que aguçam de alguma forma este tipo de percepção, nos faz ir direto ao ponto e buscar no cerne das pessoas que se apresentam, exatamente aquilo que precisamos extrair delas nesse primeiro encontro. Logicamente, não há receita de bolo e erros acontecem. Alguns de fato aparentam o que não são. Alguns se tornam grandes decepções e, na mesma proporção, outros são gratas surpresas. Entretanto, conversando com esse casal que, nem de longe, corresponde ao perfil normal dos candidatos que normalmente se apresentam interessados em adquirir um negócio e o know how de outrem, encontrei duas pessoas bem formadas e profundas conhecedoras do mercado que pretendem ingressar. Não necessariamente do segmento da rede que estão se candidatando, mas sim do mercado de franquia como um todo. A certa altura me confidenciaram já terem se aventurado na condição de master franqueados regionais de uma rede que, infelizmente, passou longe de ser uma experiência de sucesso. Fora toda a conversa que foi muito agradável e extremamente proveitosa para o feedback que a franqueadora espera de mim, não pude deixar de aproveitar também a experiência que aquelas pessoas tinham a me oferecer. Aliás, diariamente procuro fazer isso. Procuro extrair de todas as oportunidades que se apresentam algum tipo de experiência, seja ela boa ou ruim. E nesse mercado de franquias se lida com vários tipos de pessoas, com vivências e pensamentos diferentes e, obviamente, sempre se tem muito a aprender. Em especial nesse encontro, o que me chamou a atenção foi o conceito que eles têm de negócios. Segundo eles, existem atividades que são investimento intenso. Ou seja, atividades nas quais o cerne do sucesso está no investimento, no capital, dinheiro aplicado e no retorno que ele pode dar. Só se contabiliza isso, só se conta com isso. São as atividades que independem da qualidade dos seres humanos envolvidos e que têm a ver com mercado, com oferta e procura, com variações de moeda etc. Outros negócios, com os quais confesso que me identifico mais, até pelo trabalho que desenvolvo, eles denominaram como ética intensa, onde ao contrário do outro, é ela que vai determinar, no fim das contas, o sucesso ou não do investimento. Ou seja, embora da mesma forma haja a necessidade de aporte financeiro e claro expectativa de seu retorno, é a ética da contratação que fará toda a diferença. Segundo eles, um bom contrato sem ética nada vale. E franquia é pura ética. Sim, pois, investir em uma atividade onde o modo de conduzir os negócios depende em grande escala da outra parte contratante, sem dúvida, exige ética. Exige ética para cumprir as obrigações contratadas. Exige ética para perceber o desequilíbrio da relação caso venha a ocorrer. Exige ética para fazer valer o conceito de parceria que, no fundo, é o que se está contratando ao assinar um contrato de franquia. Exige ética para manter uma correta e constante avaliação quanto aos rumos da rede e o retorno de seus franqueados. Exige ética permanente. Do outro lado também não é diferente. Da mesma forma que o franqueador, espera-se ética do franqueado. Para cumprir suas obrigações e, sobretudo, para bem representar na ponta, a marca que irá ostentar durante todo o relacionamento contratual. A bem da verdade, depois do investimento inicial e maturação do negócio, com a formação da clientela e reconhecimento do público local, o que mais importará será a qualidade da contratação efetuada. Assim, se o negócio é bom e o ponto foi bem escolhido, só resta às partes seguirem os conceitos que nortearam a união entre elas durante todo o prazo do contrato para que tudo corra como esperado. Portanto, num relacionamento de franquia, ética intensa nunca será demais. Franquia é pura ética. Sim, pois, investir em uma atividade onde o modo de conduzir os negócios depende em grande escala da outra parte contratante, sem dúvida, exige ética Ana Cristina von Jess é advogada, sócia do escritório Von Jess & Advogados, especialista em Direito Empresarial, pós-graduada em Responsabilidade Civil, diretora Jurídica Adjunta da Associação Brasileira de Franchising seccional Rio de Janeiro.

7 CISJORDÂNIA Mais 300 casas serão construídas em assentamento O primeiro-ministro de Israel ordenou nesta quarta-feira a construção de mais 300 residências num assentamento na Cisjordânia, medida que tem como objetivo aplacar a raiva dos colonos após o veto parlamentar a uma lei que manteria em pé um assentamento ilegal. A decisão enfureceu os palestinos, que se recusam a realizar conversações de paz com Israel enquanto houver expansão nos assentamentos em territórios ocupados. A medida também pode resultar em reação internacional. Netanyahu está às voltas com uma crise doméstica sobre o assentamento no posto avançado de Ulpana. A Suprema Corte ordenou que os cinco prédios de apartamentos sejam demolidos até 1º de julho, após determinar que eles foram construídos em terras palestinas privadas. O premier disse que vai respeitar da decisão, mas colonos judeus e seus aliados no governo Netanyahu prometeram resistir à ordem judicial. A decisão de construir as novas residências foi anunciada pouco depois de o Parlamento ter rejeitado uma tentativa dos radicais de evitar a demolição de Ulpana. A proposta era uma tentativa de manter intactos os prédios, que abrigam 30 famílias, e indenizar os proprietários das terras. Mas, sob pressão de Netanyahu, o Parlamento vetou a medida por 69 votos a 22. Netanyahu se opôs ao projeto, afirmando que ele seria revogado pela Suprema Corte e geraria duras críticas internacionais. Para conter a ira dos colonos, Netanyahu apresentou uma outra solução. Em vez de demolir os prédios, ele planeja removêlos para o assentamento de Beit El, que fica nas proximidades, e também prometeu construir mais 300 casas em Beit El. Israel é uma democracia que respeita a lei e, como primeiroministro, eu sou obrigado a preservar a lei e os assentamentos e eu digo que não há contradição entre os dois, declarou o premiê. Esta fórmula fortalece os assentamentos, acrescentou ele. O tribunal tomou sua decisão e nós a respeitamos. Em paralelo, Beit El será expandido. As 30 famílias ficarão em Beit El e receberão a companhia de mais 300 novas famílias. Um funcionário do governo israelense, que falou em condição de anonimato, disse que não está claro quanto tempo a transferência vai levar ou quanto vai custar. Ele disse que o projeto é que as casas de Ulpana serem removidas de onde estão até 1º de julho. Provavelmente os moradores vão precisar de abrigos temporários até que os trabalhos tenham sido concluídos. O projeto de Netanyahu recebe críticas de todos os lados. Os que são contrários à remoção dizem que ela é desnecessariamente cara e complicada. Já os colonos rejeitam a transferência dos edifícios. O negociador-chefe palestino, Saeb Erekat, condenou as novas construções. Este é um acontecimento muito grave, que prejudica todos os esforços para a retomada do processo de paz entre os dois lados, disse ele. Israel rejeita tentativa de salvar posto avançado LÍBIA O Parlamento de Israel abriu caminho esta quarta-feira para a demolição de um posto avançado ilegal na Cisjordânia, ao rejeitar o projeto de legisladores radicais para evitar sua destruição. A votação poderia definir o cenário para um confronto entre o primeiroministro Benjamin Netanyahu e colonos judeus radicais e seus partidários no governo. A Suprema Corte afirmou que o posto avançado de Ulpana é ilegal porque foi construído em terras palestinas privadas e deve ser demolido até 1º de julho. Parlamentares radicais apresentaram a lei nesta quarta-feira numa tentativa de manter os cinco prédios de apartamentos, que abrigam cerca de 30 famílias, intactos e indenizar os proprietários palestinos. Mas a medida foi derrotada por 69 votos a 22. Netanyahu foi contrário à lei. Em vez disso, ele quer transportar os prédios e movê-los fisicamente para um assentamento próximo. Consulado dos EUA sofre ataque O consulado dos Estados Unidos na cidade de Benghazi, leste da Líbia, foi alvo de um ataque com granadas propelidas por foguete nesta quarta-feira, afirmou um comandante da milícia da região. Daqui a duas semanas o país realiza suas primeiras eleições parlamentares após a revolta que derrubou o governo de Muamar Kadafi. Abdel-Basit Haroun, comandante da milícia que coopera com o governo para restaurar a segurança em Benghazi, disse que o consulado foi atacado por volta das 9h da manhã (horário local), e que não houve vítimas. O Departamento de Estado americano ainda não se pronunciou. C U R T A O governo de transição sediado na capital do país, Trípoli, até agora não conseguiu impor sua autoridade na nação do norte da África, quase oito meses após Kadafi ter sido morto por rebeldes A instabilidade vêm aumentando, enquanto cidades, regiões, milícias e tribos agem por conta própria, criando centros de poder independentes. A Líbia prepara-se para eleições gerais no dia 19 de junho, quando serão escolhidos os 200 membros do Parlamento que vai escrever a nova Constituição e eleger um novo governo. Pedidos de boicote às eleições já começaram no leste do país, onde nasceu a revolta contra o ditador. Brasil prepara resposta ao pedido de asilo político de senador boliviano Há nove dias à espera da decisão do governo brasileiro sobre o pedido de asilo político, o senador boliviano Roger Pinto Molina, de 52 anos, líder da oposição no Congresso, deve receber a resposta até o próximo fim de semana. Negociadores brasileiros sinalizam que a tendência é conceder o asilo político. Se concedido o asilo ao senador, o Brasil passará a ser responsável pela segurança dele. Na prática, as autoridades brasileiras deverão garantir a saída de Molina, sem riscos da Bolívia, e a viagem dele até o Brasil. MUNDOQuinta-feira, 7, a segunda-feira 11 junho de SÍRIA EUA pede sanções à países responsáveis Caso mantenha a repressão, ONU poderá decretar o uso de força militar PERU Humala poderá sofrer com rebelião O presidente da região peruana de Cajamarca, Gregorio Santos - que tem liderado protestos contra os projeto Conga de mineração de cobre e ouro - convocou uma rebelião contra o governo do presidente Ollanta Humala. Em discurso realizado na terça-feira, Santos pediu aos peruanos que derrubem o governo de Humala por seu apoio ao desenvolvimento do projeto Minas Conga em Cajamarca, avaliado em US$ 4,8 bilhões. Na noite de terça, o presidente do Congresso pediu que o chefe da promotoria do país abra um processo contra Santos por incitamento à rebelião. Os protestos liderados por Santos surtiram efeito já que a empresa proprietária das Minas Conga, a Newmont Mining Corp., ainda não decidiu se vai levar o projeto adiante. As manifestações representam um dos mais significativos desafios à presidência de Humala desde que ele assumiu o governo, quase um ano atrás, e adotou políticas econômicas de centro-direita. O Peru é um dos principais produtores de metais básicos e preciosos do mundo. Mas integrantes do Executivo disseram que o governo vai manter suas políticas pró-mercado. O maior jornal do país, o El Comercio, informou nesta quarta-feira que o promotor chefe José Pelaez considerou as declarações de Santos sediciosas e disse que um promotor de Cajamarca examina o caso. O diário também citou Santos afirmando que está expressando sua opinião e não cometendo um crime. O primeiro-ministro Oscar Valdés disse, durante reunião com jornalistas estrangeiros na terçafeira, que espera que a Newmont decida em breve se vai seguir com o projeto. Ele também condenou as declarações de Santos. Segundo o presidente regional, o governo Humala não está cumprindo suas promessas de campanha. Três integrantes de esquerda da coalizão Gana Peru, de Humala, renunciaram nesta semana, afirmando que também discordam do apoio do governo ao projeto de mineração e das políticas econômicas do governo. Em meio à onda de violência, o presidente Bashar Assad indica o ex-ministro da agricultura Riad Farid Hijab como novo primeiro-ministro O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Timothy Geithner, pediu nesta quarta-feira que todos os países responsáveis apliquem sanções econômicas contra os governantes sírios e advertiu que a permanência do atual regime no poder pode levar a novas sanções da Organização das Nações Unidas (ONU). Pedimos àqueles países que ainda não adotaram sanções formais contra o regime sírio e seus partidários que o façam o mais rápido possível, disse Geithner, segundo texto preparado para a reunião do Grupo de Trabalho sobre Sanções dos Amigos do Povo Sírio. A reunião, da qual participam representantes de mais de 55 países, tem como objetivo aumentar a pressão sobre o regime do presidente Bashar Assad. Geithner vai pedir que os países exerçam a máxima pressão financeira contra o governo de Assad. De acordo com o texto do discurso distribuído para os meios de comunicação, ele afirmará que fortes sanções podem ajudar a adiantar o dia no qual o regime de Assad deixará o poder, mas também vai reconhecer que penalidades financeiras e diplomáticas sozinhas não devem produzir as mudanças políticas necessárias. Geithner disse nesta quarta que se a Síria mantiver a repressão contra os manifestantes, pode ser enquadrado do Capítulo 7 do Conselho de Segurança, que trata de ações em caso de ameaça à paz, ruptura da paz e ato de agressão, que incluem uso da força militar, embora Geithner tenha pedido apenas medida econômicas apropriadas. Na semana passada, a Liga Árabe pediu que o Conselho de Segurança considerasse as questões sírias de acordo com o Capítulo 7, embora não tenha pedido uma ação militar. Bloqueio - Rússia e China declararam, em comunicado conjunto divulgado nesta quartafeira, que se opõem fortemente a uma intervenção e à mudança de regime na Síria, após reunião entre o presidente russo Vladimir Putin e líderes chineses. Rússia e China são, decisivamente, contra tentativas de regular a crise síria com intervenção militar externa, assim como a imposição de...uma política de troca de regime, diz o documento. Os dois países também declararam que unirão forças pela implementação do plano de paz apresentado por Kofi Annan, enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe, afirmou o ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov. Nós confirmamos que coordenaremos nossas ações sobre a Síria e que a principal coisa neste momento é executar o plano de Annan e a resolução do Conselho de Segurança (da ONU), declarou Lavrov. Para ele, atender aos pedidos da oposição para uma mudança de regime na Síria, governada pelo presidente Bashar Assad, levaria a uma catástrofe. (Grupos opositores) fora da Síria fazem crescentes apelos à comunidade internacional para que ataquem o regime de Assad com bombas, disse Lavrov a jornalistas, em Berlim. Isto é muito arriscado. Eu chego mesmo a dizer que isso levaria a região a uma catástrofe. As informações são da Dow Jones. Novo ministro - Em meio à contínua violência no país, o presidente sírio Bashar Assad indicou o ex-ministro da agricultura Riad Farid Hijab, como o novo primeiro-ministro. Hijab, que é integrante do partido governista Baath, terá de formar um novo governo após as eleições parlamentares ocorridas no mês passado. Assad declarou as eleições de 7 de maio como um marco e prometeu reformas políticas. As eleições foram as primeiras após a promulgação da nova Constituição, que permite que outros partidos políticos disputem com o Baath. Mas a oposição boicotou o pleito e disse que ele foi orquestrado pelo regime para fortalecer o poder de Assad. Na Síria, o Parlamento é considerado como um organismo que aprova as leis apresentadas pelo presidente. OCX Putin quer fortalecer laços com a China AFEGANISTÃO Ataques do Talebã e da Otan deixam 37 mortos Três atentados desfechados por homens-bomba suicidas mataram 22 civis afegãos em Kandahar, maior cidade do sul do Afeganistão nesta quarta-feira, mesmo dia em que um bombardeio desfechado pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) matou pelo menos 15 civis, a maioria mulheres e crianças, que participavam de uma cerimônia da casamento na província de Logar, no leste do país. Dois soldados da Otan morreram em um suposto acidente de helicóptero. Funcionários do governo afegão disseram que um bombardeio da Otan, desfechado pouco antes do amanhecer e que tinha como alvo insurgentes, matou pelo menos 15 civis que comemoravam um casamento, incluindo mulheres e crianças. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, enfatizou nesta quartafeira os florescentes laços militares entre seu país e a China, no segundo dia de visita a Pequim, onde ocorre a cúpula da Organização para Cooperação de Xangai (OCX). Putin disse ao vice-presidente chinês Xi Jinping que ele e o presidente da China, Hu Jintao, se comprometeram em expandir a troca de informações militares e também realizar novas manobras militares navais no Mar Amarelo. Já o governo chinês elogiou a aproximação da Rússia, mas afirmou que um dos principais objetivos da OCX será a estabilidade do Afeganistão após a retirada das tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) do país centro asiático em Nós continuaremos a seguir o conceito de que os assuntos regionais deveriam ser administrados pelos países da região, então deveríamos nos proteger contra a turbulência que vem de fora da região. Por isso, deveríamos jogar um papel maior na reconstrução pacífica do Afeganistão, disse o presidente chinês Hu Jintao. A OCX também se manifestou sobre a Síria, com Rússia e China se opondo à interferência militar externa na Síria. Como a China e a OCX conseguirão estabilizar o Afeganistão não está claro, mas o governo chinês pretende explorar os recursos naturais afegãos. O Departamento de Defesa do governo dos EUA estima que existam reservas minerais no Afeganistão no valor de US$ 1 trilhão. Em dezembro, a estatal do petróleo chinês, China National Petroleum Corp., assinou um acordo com o governo afegão que lhe permitirá ser a primeira companhia estrangeira a prospectar petróleo e gás natural no país. A Rússia, que perdeu 15 mil soldados na guerra afegã entre 1979 e 1989, parece querer recuperar alguma influência no Afeganistão, mas não possui estratégia conjunta com a China para tal. A OCX é formada por Rússia, China, Quirguistão, Tajiquistão, Um porta-voz das forças da Otan disse não existirem relatos de civis mortos em um bombardeio durante a madrugada de quarta, que teve como objetivo capturar um suposto líder do Talebã. Também no leste afegão, dois soldados da Otan morreram em um acidente de helicóptero. Forças da Aliança Atlântica não deram informações sobre o desastre ou a nacionalidade dos soldados mortos, mas um funcionário do Pentágono disse que dois pilotos americanos foram mortos em um acidente na província de Gazni. O oficial, que falou sob anonimato, disse não haver indicação de que fogo inimigo tenha derrubado o aparelho, mas o porta-voz do grupo fundamentalista Talebã, Zabiullah Mujahid, reivindicou para o grupo a derrubada do helicóptero. Casaquistão e Usbequistão. Índia, Paquistão, Irã e Mongólia são países observadores na organização. Dominada pela Rússia e China, a OCX é vista como um entrave à influência dos Estados Unidos na Ásia Central. Após a fundação da OCX em 2001, os laços militares entre a Rússia e a China começaram a ser construídos, depois de décadas de desconfiança durante a Guerra Fria. A China costuma ser uma grande compradora de armamentos russos de alta tecnologia, como caças de combate, submarinos e fragatas. A visita de Putin à China foi a primeira viagem oficial do mandatário após ele ter assumido o cargo de presidente pela terceira vez no mês passado e precede uma visita que fará aos Estados Unidos. Em Pequim, Putin reafirmou os objetivos de aumentar o comercial bilateral de US$ 83,5 bilhões no ano passado para US$ 100 bilhões até 2015 e para US$ 200 bilhões até Os três ataques suicidas em Kandahar também foram reivindicados pelo Talebã, através de outro porta-voz do grupo, Qari Yousef Ahmadi. Em Kandahar, um homem-bomba suicida chegou em uma motocicleta com os explosivos, perto de uma base militar da Otan e de outra do exército afegão, e detonou a carga, disse Rahmatullah Atrafi, vice-chefe de polícia da província de Kandahar. Quando populares se aproximaram para ver o que aconteceu, dois homens-bomba caminharam para a cena com os explosivos e detonaram as bombas, disse Atrafi. Oito seguranças privados estão entre os 22 mortos, em uma avenida que corta a zona leste de Kandahar. Três lojas próximas ao local foram destruídas.

8 8 ARTES Quinta-feira, 7, a segunda-feira 11 junho de 2012 As aventuras de Gloria, Alex, Melman e Marty poderão ser vistas agora em 3D CINEMA Madagascar 3 volta com ambientação na Europa Além do território diferente, há também a presença da vilã Chantel DuBois Luiz Carlos Merten Lembram-se do homem de US$ 6 milhões? Pobre Lee Majors. No auge da sua série de TV, ele representava uma fortuna, mas o homem que entra agora na suíte do Hotel Carlton - em companhia de Chris Rock - vale muito mais. Os filmes de Ben Stiller arrecadaram mais de US$ 5 bilhões e ele tem usado sua popularidade para alavancar projetos de responsabilidade social. Stiller participa de várias ONGs, mas as meninas de seus olhos são a The Stiller Foundation e a Stiller Strong, que criou para se solidarizar com a campanha Save the Children, no Haiti, em Por tudo isso - pelo trabalho filantrópico, principalmente -, a revista Time o considera uma das 100 personalidades mais influentes do mundo. O homem de US$ 5 bilhões já está cansado quando chega à sala um grupo de jornalistas. Chris Rock e ele fazem algumas piadas, claro, mas Stiller é quem fala - Come on, guys, let s talk seriously. Vamos falar sério. Stiller faz a voz de Alex, o leão Eu amo os personagens de Madagascar, e não estou sozinho. Acho que o que as pessoas mais gostam em Alex, Marty, Gloria e Melman é a amizade. Eles estão sempre juntos, solidários uns com os outros. Possuem uma espécie de inocência. Atiram-se na vida sem saber exatamente como lidar com o mundo real. Estão em pleno processo de aprender, e aprendem juntos. ESPORTES Jada Pinkett Smith, a sra. Will Smith, é Gloria, a fêmea de hipopótamo. O que eu mais gosto na série é que, além de divertida, com um monte de humor, ela possui um coração. E trata de coisas essenciais - amizade e como os animais e as pessoas se relacionam entre si e com o mundo. É um tema que interessa a todos, não importa se você é adulto ou criança. Chris Rock, que faz Marty, a zebra, no original, destaca a importância do humor. O público responde muito bem à comédia, olha aí o sucesso dele (e aponta para o amigo Ben Stiller). Posso falar de cadeira. Meus filhos e seus amigos são grandes fãs da série. Entram no clima de camaradagem e curtem quando surgem novos personagens - estou Uruguai ultrapassa a Alemanha e vira vicelíder do ranking da Fifa. Brasil é o 5º colocado louco para ver como vão reagir a Chantel DuBois. Ela é ainda mais malvada e divertida que Cruela Cruel em Os 101 Dálmatas. Não apenas o território é diferente como a presença da vilã Chantel DuBois acrescenta o que Darnell e McGrath chamam de thrill. Frances McDormand fez um trabalho incrível. Ela acrescentou muito ao texto escrito e sua performance física, ao gravar as falas, deixou os animadores quase loucos pela quantidade de informações que ela fornecia para a composição da personagem. Darnell disse que a ideia de fazer o filme em 3D surgiu de forma muito natural. Revimos Madagascar 1 e 2 e chegamos à conclusão de que já estamos fazendo 3D em cópias planas. COPA DE 2014 Governo negociará com estados e municípios Objetivo é compatibilizar a Lei Geral da Copa às normas existentes em cada estado Nielmar de Oliveira Da Agência Brasil O governo federal vai negociar com os estados e municípios onde estão previstos jogos da Copa de 2014 para adequar as legislações das sedes do mundial de 2014 à Lei Geral da Copa. Nesta quarta-feira, na capital fluminense, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse que o objetivo é compatibilizar a Lei Geral da Copa, sancionada com vetos pela presidente Dilma, às normas existentes em cada estado. Repito: no acordo assinado pelo governo Lula com a Fifa (Federação Internacional de Futebol( está assegurado que o governo criará a norma nacional de acordo com o compromisso assumido e que, no caso dos estados e municípios onde houver incompatibilidade entre as normas, o governo agirá para que elas (as normas) sejam unificadas, declarou. Sobre os vetos da presidente, como o da retirada do texto do artigo que destinava 10% dos ingressos em jogos da seleção brasileira à categoria 4, o de menor custo, Rebelo declarou que os ingressos da categoria 4 são os mais baratos para a população. Os direitos da terceira idade à meia entrada e os direitos dos estudantes estão assegurados. Mas, a partir da primeira fase, não se pode saber quais os países classificados e onde eles vão jogar. Aí fica difícil a liberação da venda dos ingressos para os jogos da seleção brasileira, uma vez que não se pode saber com antecedência com quem e onde a nossa seleção irá jogar, disse. O ministro do Esporte também falou sobre a situação dos 30 dias para analisar vetos de Dilma Marcos Chagas Da Agência Brasil A Presidência da República tem, a contar desta quarta-feira, o prazo constitucional de 48 horas para encaminhar ao presidente do Congresso e do Senado, José Sarney (PMDB-AP), os dispositivos vetados no projeto da Lei Geral da Copa. De posse dos vetos, Sarney tem o limite constitucional de 72 horas para convocar uma sessão do Congresso e fazer a leitura dos dispositivos vetados. No total, o Congresso tem um prazo de 30 dias para votar os vetos presidenciais, de todo projeto ou de partes, a partir da leitura de recebimento da matéria. Entretanto, esses prazos constitucionais raramente foram cumpridos. Em 1988, os deputados e senadores constituintes estabeleceram as regras para o encaminhamento, análise e votação desses vetos. Na mesma sessão do Congresso, serão lidas as razões desses vetos feitos pela presidente Dilma Rousseff. A Constituição Federal determina que, na ocasião, o presidente do Senado tem que designar uma comissão mista, formada por três deputados e o mesmo número de senadores, para analisar os vetos. Essa comissão terá até 20 dias para encaminhar ao presidente do Senado um parecer com as recomendações de aprovação ou rejeição dos vetos. A partir daí, caberá a Sarney marcar a sessão conjunta Câmara e Senado que analisará os vetos. Pela Constituição, caso os vetos pendentes de análise não sejam apreciados nesse prazo, a pauta da sessão conjunta será obstruída. Assim, nada poderá ser votado nessas sessões antes dos vetos que tiveram o prazo constitucional vencido. Mesmo com o esforço de Sarney de votar em bloco uma série desses dispositivos nos últimos anos, atualmente estão na pauta do Congresso Nacional a análise de vetos em 166 projetos, dos quais 41 em sua totalidade e 121 de forma pontual. Todos esses vetos somam à espera de análise pelos congressistas. Além disso, na próxima sessão do Congresso Nacional, ainda sem data definida, devem entrar mais 17 Divulgação L Os árbitros poderão paralisar jogos desta temporada da Eurocopa em caso de atos racistas estádios para os jogos da Copa das Confederações em Rebelo garantiu que todos os seis estádios selecionados estarão prontos a tempo de sediar o evento. São doze estádios, seis ficarão prontos até o final de 2012 e início de 2013, para a Copa das Confederações. Os outros seis deverão ficar prontos no final de 2013 e início de 2014 para a Copa do Mundo, ressaltou. A Copa das Confederações tem jogos marcados para as cidades do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Fortaleza e Recife. projetos que estão à espera da comunicação oficial do presidente Sarney. Desses projetos, quatro foram vetados em sua totalidade e 13 tiveram 146 pontos da lei sancionada descartados pelo presidente. As informações foram passadas pela Secretaria da Mesa Diretora do Congresso. Praticamente todos os vetos pendentes referem-se a matérias sancionadas pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre 2007 e Segundo a secretaria, a votação dos vetos definidos pela Mesa Diretora do Congresso que serão apreciados na sessão convocada pelo presidente do Legislativo será secreta e todos incluídos em uma única cédula de papel. João Marcos Cavalcanti MPB & outras histórias João Marcos Cavalcanti de Albuquerque é advogado formado pela PUC, ex-secretário chefe do gabinete de Cesar Maia, escritor bissexto e estudioso da MPB. A surpresa do abade udovino desde muito jovem já demonstrava seu pendor em abraçar a vida eclesiástica. Ao completar 21 anos entrou para o mosteiro e aos 26 ordenava-se monge. Fizera todos os votos necessários para alcançar seu objetivo. Sendo muito estudioso e grande conhecedor de teologia foi nomeado pelo abade para tomar conta da biblioteca do monastério. Sua tarefa seria orientar os outros monges a transcrever antigos cânones e regras da religião que abraçara. Em pouco tempo reparou que os noviços faziam seus trabalhos a partir de cópias e não dos manuscritos originais. Foi até o abade e explicou o que ocorria. Ponderou: Se alguém fizer um erro na primeira cópia esse engano se propagará em todas as cópias. O abade por sua vez respondeu-lhe que C U R T A esse era o costume da ordem, mas que achava bem pertinente a observação. Resolveu portanto subir ao sótão do mosteiro onde eram conservados os pergaminhos e manuscritos originais, intocados há vários séculos. Passou-se a manhã, a tarde e depois a noite sem que o abade desse sinal de vida. Preocupado, Frei Ludovino decidiu subir e ver o que estava acontecendo. Encontrou o abade completamente descontrolado, com as vestes rasgadas, batendo a cabeça ensanguentada nos veneráveis muros do convento. Espantadíssimo, o jovem monge perguntou: Meu Deus! Abade, o que foi que aconteceu? Aaaaaaaahhhhhhhhhh meu filho, gritava o abade com os olhos esbugalhados, é caridade, caridade! Eram votos de caridade que tínhamos que fazer e não de castidade! Editora Contraponto lança livro de Celso Furtado sobre economia e cultura Quando sucedeu a seu amigo Darcy Ribeiro como ocupante da cadeira número 11 na Academia Brasileira de Letras, em 1997, Celso Furtado declarou que nunca pôde compreender a existência de um problema estritamente econômico. A evolução de seu pensamento sobre economia e cultura é explicitada no livro Ensaios sobre Cultura e o Ministério da Cultura, editado pela Contraponto. O corredor Liu Xiang chegará em Londres como um dos favoritos à medalha de ouro LIMINAR Flamengo perde a primeira para Ronaldinho Leonardo Maia Na primeira batalha contra Ronaldinho Gaúcho, o Flamengo foi derrotado. No fim da tarde desta quarta-feira, o juiz Alexandre Couce de Menezes, titular da 9.ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, manteve a liminar que rescindiu o contrato do jogador com o clube carioca e negou o recurso dos advogados rubronegros. Na mesma decisão, foi decretado segredo de justiça e nenhuma das partes pode mais se manifestar sobre o caso. No entendimento do juiz, não se poderia reatar o vínculo de Ronaldinho Gaúcho com o Flamengo uma vez que o clube rubro-negro não quer mais o jogador. Se a liminar concedida na semana passada fosse revogada, o atacante - que assinou na última segunda com o Atlético Mineiro - ficaria inativo. O juiz não quer impedir o jogador de exercer sua atividade. O objetivo é forçar um acordo entre flamenguistas e Ronaldinho Gaúcho. Na verdade, a Justiça já marcou para o dia 8 de novembro uma audiência entre o craque e os representantes do clube para tentar uma conciliação. Neste momento, um acordo não está nos planos da diretoria do Flamengo. Até a audiência, os dirigentes rubro-negros, apesar de obrigados a manter sigilo sobre os próximos passos, prosseguirão com a estratégia de desqualificar a conduta de Ronaldinho Gaúcho nos seus 17 meses no Clube não quer reaver Ronaldinho, mas sim evitar o pagamento dos mais de R$ 40 milhões cobrados pelo jogador, entre multas e atrasos de salários clube. Entre os argumentos, a visão de que os atos de indisciplina do atleta arranharam a sua imagem e impediram que o clube a explorasse com sucesso. Os cartolas da Gávea não querem reaver o jogador. A intenção do corpo jurídico rubro-negro é evitar o pagamento dos mais de R$ 40 milhões cobrados por Ronaldinho Gaúcho, entre atrasos de direitos de imagem, multas e os salários que ainda teria a receber até o fim do contrato, em dezembro de Na tarde desta quarta, os advogados rubro-negros tentaram atacar em outra frente, buscando um mandado de segurança que inviabilizasse a CBF de registrar o novo contrato de Ronaldinho Gaúcho com o Atlético, sem sucesso. A entidade já oficializou o novo vínculo do atacante no seu boletim diário de inscrições e o meia está livre para enfrentar o Palmeiras, neste sábado, no Pacaembu, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

1º a 15 de agosto de 2011

1º a 15 de agosto de 2011 1º a 15 de agosto de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

Informe Econômico N 3

Informe Econômico N 3 Conjuntura Econômica Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiário: Tharlen

Leia mais

1 a 15 de setembro de 2011

1 a 15 de setembro de 2011 1 a 15 de setembro de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão 16 a 31 de agosto de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

China: crise ou mudança permanente?

China: crise ou mudança permanente? INFORMATIVO n.º 36 AGOSTO de 2015 China: crise ou mudança permanente? Fabiana D Atri* Quatro grandes frustrações e incertezas com a China em pouco mais de um mês: forte correção da bolsa, depreciação do

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Cenário Macroeconômico

Cenário Macroeconômico INSTABILIDADE POLÍTICA E PIORA ECONÔMICA 24 de Março de 2015 Nas últimas semanas, a instabilidade política passou a impactar mais fortemente o risco soberano brasileiro e o Real teve forte desvalorização.

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: PIB e Juros... Pág.3 Europa: Recuperação e Grécia... Pág.4

Leia mais

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana #100 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Dólar sem freios Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana Festa no exterior Brasileiros continuam gastando cada vez mais fora

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas 1 O conturbado cenário nacional Economia em recessão: queda quase generalizada do PIB no 2º trimestre de 2015, com expectativa de

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano Mais um plano CONJUNTURA ECONÔMICA A chave da agenda positiva tão perseguida pelo governo federal em tempos de crise política e volta da inflação parece ser a preservação dos empregos. Na última terça-feira

Leia mais

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA OBSERVATÓRIO POLÍTICO DOS ESTADOS UNIDOS INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA ESTUDOS SOBRE OS ESTADOS UNIDOS INCT-INEU ISSN 2317-7977 VOL.

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 12 de janeiro de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Deflação na Europa reforça crença no QE (22/11); Pacote de U$1 trilhão em infraestrutura

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Preços. 2.1 Índices gerais

Preços. 2.1 Índices gerais Preços A inflação, considerada a evolução dos índices de preços ao consumidor e por atacado, apresentou contínua elevação ao longo do trimestre encerrado em maio. Esse movimento, embora tenha traduzido

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011. Análise CEPLAN Recife, 17 de agosto de 2011. Temas que serão discutidos na VI Análise Ceplan A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe sobre mão de obra qualificada.

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA O Índice de Preços ao Consumidor da Classe Média de Curitiba - IPC-FAE, medido

Leia mais

Argumentos Contra e a Favor da Valorização O que é o IOF Medidas Adotadas Resultados. Câmbio X IOF Resumo da Semana

Argumentos Contra e a Favor da Valorização O que é o IOF Medidas Adotadas Resultados. Câmbio X IOF Resumo da Semana Câmbio X IOF Nesta apresentação será exposto e discutido parte do debate sobre a valorização do real frente outras moedas, em especial o dólar. Ao final será apresentado um resumo das notícias da semana.

Leia mais

Carta Mensal Abr/Mai de 2013 nº 175

Carta Mensal Abr/Mai de 2013 nº 175 Carta Mensal Abr/Mai de 2013 nº 175 Destaques do mês - Preocupado com a inflação, mas também com as incertezas do cenário internacional, Copom inicia ciclo de aperto monetário com elevação de apenas 0,25%

Leia mais

ANO 1 NÚMERO 07 MAIO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 1 NÚMERO 07 MAIO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 1 NÚMERO 07 MAIO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 Considerações Iniciais A combinação juros, inflação e câmbio tem tomado maior tempo das análises e preocupações do governo

Leia mais

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa interrompe série de altas Dólar cai após seis altas com ação do BC Tesouro dá liquidez aos títulos Latam registra prejuízo líquido no 2º tri Itaú renova acordo com Fiat Faturamento da Minerva

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa encerra semana em alta Mercado aguarda IPCA para ajustar cenários Divisão Consumo da Hypermarcas cresce 10% M.Dias Branco tem lucro de R$108 mi Contax aprovou R$ 55,4 milhões em dividendos

Leia mais

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Agenda 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Cenário Internacional Cenário Internacional Mundo cresce, mas pouco. Preocupação com China 4 EUA

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Panorama Econômico Abril de 2014

Panorama Econômico Abril de 2014 1 Panorama Econômico Abril de 2014 Alerta Esta publicação faz referência a análises/avaliações de profissionais da equipe de economistas do Banco do Brasil, não refletindo necessariamente o posicionamento

Leia mais

Selic cai e poupança rende menos

Selic cai e poupança rende menos Selic cai e poupança rende menos Publicação: 30 de Agosto de 2012 às 00:00 São Paulo (AE) - O Banco Central anunciou ontem mais uma redução da taxa básica de juros, a Selic, de 8% para 7,5% ao ano. Um

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 Data: 29/04/2014 Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao nível de 2009 com tensão global CCR tem expectativa positiva de crescimento para o próximo ano Ações PNA da Vale fecham na menor cotação desde 2006 Corte de produção na China e

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa de juros Selic em 0,5 p.p., a 14,25% ao ano, conforme esperado pelo mercado. A decisão ocorreu após elevação de 0,5 p.p no último encontro.

Leia mais

Desempenho de vendas do setor segue forte

Desempenho de vendas do setor segue forte Macro Setorial segunda-feira, 20 de maio de 2013 Veículos Desempenho de vendas do setor segue forte Depois de obter recorde na venda de automóveis e comerciais leves em 2012, impulsionado por incentivos

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2015 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA. Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC

INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA. Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC FORTALEZA, Agosto de 2013 SUMÁRIO 1. Fundamentos da Análise de Conjuntura. 2. Tipos

Leia mais

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line Boletim 853/2015 Ano VII 15/10/2015 Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line O impacto das novas plataformas deve ser maior no médio e longo prazo, principalmente com a

Leia mais

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa perde 7,5% em janeiro Mercado eleva projeção para a Selic Petrobras terceiriza parte das refinarias BTG mira mercado de previdência Localiza tem lucro líquido de R$90 milhões Cade aprova

Leia mais

O desafio da competitividade. Maio 2012

O desafio da competitividade. Maio 2012 O desafio da competitividade Maio 2012 ECONOMY RESEARCH Roberto Padovani Economista-Chefe (55 11) 5171.5623 roberto.padovani@votorantimcorretora.com.br Rafael Espinoso Estrategista CNPI-T (55 11) 5171.5723

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional:

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional: Relatório Mensal Janeiro de 2015 Cenário Internacional: EUA O diagnóstico dos membros do Federal Open Market Comittee (Fomc) sobre a atividade econômica é positivo: os EUA estão crescendo mais que a previsão,

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Julho de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Inflação e Salários...Pág.3 Europa: Grexit foi Evitado,

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARAZINHO/RS. RELATÓRIO BIMESTRAL DA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS Fevereiro/15

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARAZINHO/RS. RELATÓRIO BIMESTRAL DA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS Fevereiro/15 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARAZINHO/RS RELATÓRIO BIMESTRAL DA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS Fevereiro/15 INTRODUÇÃO Informamos que o conteúdo deste relatório bem como

Leia mais

Relatório Mensal Agosto/2015

Relatório Mensal Agosto/2015 1. Cenário Econômico Relatório Mensal GLOBAL: A ata da reunião de julho do FOMC (Federal Open Market Committee) trouxe um tom mais conciliador. Embora a avaliação em relação à atividade econômica tenha

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

ANEXO VII OBJETIVOS DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS

ANEXO VII OBJETIVOS DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS ANEXO VII OBJETIVOS DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS - 2007 (Anexo específico de que trata o art. 4º, 4º, da Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000)

Leia mais

seu dinheiro Consórcio ou financiamento? #103 Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel

seu dinheiro Consórcio ou financiamento? #103 Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel #103 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel Consórcio ou financiamento? Poupança com ganho real Investimento volta a superar a inflação

Leia mais

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Associação Brasileira de Supermercados Nº51 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Abril de 2015 Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Crescimento moderado

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV São Paulo, 07 de março de 2012. CENÁRIO ECONÔMICO EM FEVEREIRO O mês de fevereiro foi marcado pela continuidade do movimento de alta dos mercados de ações em todo o mundo, ainda que em um ritmo bem menor

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junio 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013 Veículo: Exame.com Os melhores e os piores investimentos de setembro Ibovespa fecha o mês com a maior alta, seguido pelos fundos de ações small caps; na renda fixa, a LTN, título do Tesouro prefixado,

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) 07 de Junho de 2013 MERCADOS Bolsa A Bolsa segue influenciada pela fragilidade do cenário externo e somente conseguiu uma recuperação no final da tarde, com alta de 0,16%, aos 52.845 pontos. O giro financeiro

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA. BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012

X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA. BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012 X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012 CENÁRIO INTERNACIONAL ESTADOS UNIDOS Ø Abrandamento da política monetária para promover o crescimento sustentável. Ø Sinais

Leia mais

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012

RENDA FIXA TESOURO DIRETO 09/10/2012 DESTAQUES DO RELATÓRIO: Carteira Recomendada A nossa carteira para este mês de Outubro continua estruturada considerando a expectativa de aumento da taxa de juros a partir do próximo ano. Acreditamos que

Leia mais

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Após pesquisa, Ibovespa testa 62 mil pontos Produção industrial avança em julho Empresas do país têm valor comercial recorde Marcopolo entra na nova carteira do Ibovespa Óleo e Gás conclui etapa

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

MANTEGA ANUNCIA REDUÇÃO DE ICMS INTERESTADUAL

MANTEGA ANUNCIA REDUÇÃO DE ICMS INTERESTADUAL MANTEGA ANUNCIA REDUÇÃO DE ICMS INTERESTADUAL A unificação das alíquotas do ICMS para acabar com a guerra fiscal será gradual e levará oito anos, anunciou nesta quarta-feira (7/11) o ministro da Fazenda,

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

1 a 15 de setembro de 2015

1 a 15 de setembro de 2015 1 a 15 de setembro de 2015 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana INTRODUÇÃO Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas

Leia mais

PANORAMA INTERNACIONAL. Embora inibida pelos efeitos do câmbio valorizado, atividade segue forte

PANORAMA INTERNACIONAL. Embora inibida pelos efeitos do câmbio valorizado, atividade segue forte PANORAMA INTERNACIONAL EUA Grande revisão do PIB Performance do 2º trimestre (1,3%), pior do que esperada (1,8%)...e forte revisão do passado Recessão de 2008/2009 foi mais forte Mais modesta formação

Leia mais

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem queda, mas encerra mês em alta Mercado vê inflação maior e PIB baixo em 2015 Casino vai acelerar expansão do Pão de Açúcar Minério de ferro cai 48% e tem pior cenário Brokers fecha

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação Nesta 17ª Carta de Conjuntura da Saúde Suplementar, constam os principais indicadores econômicos de 2011 e uma a n á l i s e d o i m p a c t o d o crescimento da renda e do emprego sobre o

Leia mais

ANO 1 NÚMERO 03 NOVEMBRO 2011 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 1 NÚMERO 03 NOVEMBRO 2011 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 1 NÚMERO 03 NOVEMBRO 2011 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO CONSIDERAÇÕES INICIAIS Aos poucos as turbulências no mercado financeiro europeu e seus impactos nas atividades econômicas

Leia mais

ECONOMIA INTERNACIONAL

ECONOMIA INTERNACIONAL No mês de fevereiro foram divulgadas as estatísticas das principais economias mundiais. Cabe ressaltar ainda, o efeito negativo da crise na Ucrânia nos mercados internacionais, uma vez que o grau de tensão

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest SUMÁRIO PANORAMA 3 ATUAL CONTEXTO NACIONAL 3 ATUAL CONTEXTO INTERNACIONAL 6 CENÁRIO 2015 7 CONTEXTO INTERNACIONAL 7 CONTEXTO BRASIL 8 PROJEÇÕES 9 CÂMBIO 10

Leia mais

Carta Mensal Mauá Sekular

Carta Mensal Mauá Sekular Mauá Participações I e II www.mauasekular.com.br contato@mauasekular.com.br Carta Mensal Mauá Sekular Fundos Macro Maio 2015 Sumário (I) (II) (III) Cenário Internacional Cenário Doméstico Principais Estratégias

Leia mais

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao menor nível desde março de 2009 "Pedaladas" podem virar crédito IPCA subiu 10,78% em 2015 ADRs da Gerdau fecham cotados a US$ 1 Queda pode levar Petrobras a rever preço da gasolina

Leia mais

seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais

seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais #101 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais A volta do etanol Combustível já é competitivo em quase todo o País Fim das desonerações Móveis e eletrodomésticos perdem incentivos Internet sem fôlego

Leia mais

PARECER MENSAL - 6/2015 20/07/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO

PARECER MENSAL - 6/2015 20/07/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO PARECER MENSAL - 6/2015 20/07/2015 Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Adélio Dalmolin; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO Em tempos de retração econômica, as franquias surgem como opção de empreendimento rentável

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO Em tempos de retração econômica, as franquias surgem como opção de empreendimento rentável GESTÃO ORIENTADA A PROCESSOS 12 Edição 15 de Julho de 2015 INFLAÇÃO IBGE informou que a inflação acelerou, na maior alta em quase 20 anos EXTRA Saiba os fatores que causam a inflação www.procfit.com.br

Leia mais

GRUPO DE ECONOMIA / FUNDAP

GRUPO DE ECONOMIA / FUNDAP Ritmo da atividade econômica e mudança nas regras da poupança Grupo de Economia / Fundap Introdução A frustração com o ritmo de crescimento da economia brasileira é evidente. A produção industrial permaneceu,

Leia mais

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa reduz ganhos no fechamento, pressionada por Wall Street Petrobras amplia exigências à Sete Brasil Por Lucro das empresas de capital aberto no Brasil cresce no 2º trimestre FGV: Índice

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa já iniciou o ano novo indicando que será mais um período de muita volatilidade para as ações. Diante de um cenário de grandes incertezas do lado doméstico e de olho nos acontecimentos

Leia mais

Sexta-feira 06 de Fevereiro de 2015. DESTAQUES

Sexta-feira 06 de Fevereiro de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem pregão volátil Poupança tem em janeiro maior saque em duas décadas IPCA tem maior alta para o mês em 12 anos, aponta IBGE Planalto quer nome do mercado na Petrobras Cade marca data

Leia mais

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015 Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 SUMÁRIO 1. Economia Mundial e Impactos sobre o Brasil 2. A Economia Brasileira Atual 2.1. Desempenho Recente

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. Na pessoa física as taxas de juros tiveram uma pequena elevação sendo esta a décima quinta

Leia mais

São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015.

São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015. São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, na abertura do X Seminário Anual sobre Riscos, Estabilidade Financeira e Economia Bancária.

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 22 de maio de 2015

INFORME ECONÔMICO 22 de maio de 2015 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Setor de construção surpreende positivamente nos EUA. Cenário de atividade fraca no Brasil impacta o mercado de trabalho. Nos EUA, os indicadores do setor de construção registraram

Leia mais

1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio. 1.2. Sondagem do comércio

1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio. 1.2. Sondagem do comércio Nº 45- Maio/2015 1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio O volume de vendas do comércio varejista restrito do estado do Rio de Janeiro registrou, em fevereiro de 2015, alta de 0,8% em relação ao mesmo

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

Relatório Mensal - Junho de 2013

Relatório Mensal - Junho de 2013 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor Junho foi mais um mês bastante negativo para o Ibovespa. O índice fechou em queda pelo sexto mês consecutivo impactado pela forte saída de capital estrangeiro

Leia mais

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em maio/2014, sendo esta a décima segunda elevação seguida, quinta elevação no ano. Estas elevações podem ser atribuídas

Leia mais

RELATÓRIO 2º TRIMESTRE

RELATÓRIO 2º TRIMESTRE RELATÓRIO 2º TRIMESTRE FPMSMS FUNDO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO MATEUS DO SUL 2º TRIMESTRE 2014 ÍNDICE CENÁRIO MACROECONÔMICO ------------------------------------------------------------------ 4

Leia mais