1. APRESENTAÇÃO 2. CONTEXTUALIZAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. APRESENTAÇÃO 2. CONTEXTUALIZAÇÃO"

Transcrição

1 TÍTULO: PREVENÇÃO DE ACIDENTES E CAPACITAÇÃO PARA EXECUÇÃO DE PRIMEIROS-SOCORROS EM ESCOLAS PÚBLICAS (RECIFE-PE). INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE NÚCLEO DE SAÚDE PÚBLICA 1. APRESENTAÇÃO Este Programa/Projeto constitui uma ação inter-setorial, pois envolve a participação de instituições do nível federal (Universidade Federal de Pernambuco), do nível estadual (Secretaria de Educação) e do nível municipal (Secretaria de Educação), e interdisciplinar, pois contempla alunos de várias áreas (saúde, serviço social e educação). O alvo deste Programa/Projeto recai nas escolas públicas das redes municipal e estadual de educação da cidade do Recife, pois lá se encontra uma energia potencial de exercício da plena cidadania que poderá dar impacto na redução dos acidentes que constitui um significativo problema de saúde em nosso meio. O desenvolvimento deste Programa/Projeto prevê a sua sustentabilidade, quando houver o afastamento, após dez meses, dos agentes que o fomentaram, pois pretende criar estruturas que permaneçam (com a finalidade de prevenir acidentes e prestar primeiros-socorros) na próprio escola como as Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e a criação dos Sistemas de Informação. 2. CONTEXTUALIZAÇÃO O Programa/Projeto se insere no ideário da promoção da saúde, vinculado ao movimento difundido mundialmente de Cidades Saudáveis. Segundo Hancock & Duhl (1988), uma cidade saudável é uma cidade que aperfeiçoa continuamente o seu ambiente físico e social e que utiliza os recursos da comunidade a fim de tornar seus cidadãos aptos a se ajudarem mutuamente na realização de suas atividades correntes e a desenvolver o seu pleno potencial. Os acidentes e a violência cada vez mais constituem objeto de preocupação para os órgãos públicos. Através da Portaria n.º 737/GM 16 de maio de 2001, o Ministro de Estado

2 2 da Saúde, interino, no uso de suas atribuições, expressa a necessidade de definição, no setor saúde, de uma política decisiva no sentido da redução da morbimortalidade por Acidentes e Violências que inclui a difusão de conhecimentos e recomendações sobre práticas, hábitos e estilos saudáveis por parte dos munícipes, mobilizando, para tanto, os diferentes segmentos sociais locais. No contexto do movimento Cidades Saudáveis, a escola constitui um parceiro imprescindível para que as metas que em última instância fortalecem a cidadania e elevam a qualidade de vida sejam cumpridas. 3. JUSTIFICATIVA O acidente é um evento não intencional e evitável, causador de lesões físicas e ou emocionais no âmbito doméstico ou nos outros ambientes sociais, como o do trabalho, do trânsito, da escola, de esportes e o de lazer. Os acidentes e as violências configuram, assim, um conjunto de agravos à saúde, que pode ou não levar a óbito, no qual se incluem as causas ditas acidentais - devidas ao trânsito, trabalho, quedas, envenenamentos, afogamentos e outros tipos de acidentes - e as causas intencionais (agressões e lesões autoprovocadas). Esse conjunto de eventos consta na Classificação Internacional de Doenças - CID (OMS, 1985 e OMS, 1995) - sob a denominação de causas externas. Quanto à natureza da lesão, tais eventos e ou agravos englobam todos os tipos de lesões e envenenamentos, como ferimentos, fraturas, queimaduras, intoxicações, afogamentos, entre outros. Entre 1996 e 1998, a mortalidade proporcional por causas externas em relação ao total de óbitos, em Pernambuco, cresceu de 12,88% para 14,36%. Em 1998, Pernambuco ocupou MORTALIDADE PROPORCIONAL. a 11a posição em relação à magnitude da mortalidade proporcional por causas externas, Pernambuco quando se compararam todos os estados brasileiros. 14% 86% Causas Externas Demais Causas

3 3 Em 1998, a mortalidade proporcional por agressões em relação ao total de óbitos por causas externas, em Pernambuco, foi de 59%, constituindo a primeira causa. Em segunda posição encontram-se os acidentes de transportes (21%); em terceira, os afogamentos e as submersões acidentais (13%); em quarta, as lesões autoprovocadas voluntariamente. MORTALIDADE PROPORCIONAL POR CAUSAS EXTERNAS. Pernambuco % 59% 21% 3% 4% Acidentes de transporte Afogamento e submersões acidentais Lesões autoprovocadas voluntariamente Agressões Demais causas externas Infelizmente, não se dispõe de dados sobre a magnitude dos acidentes não fatais, mas se sabe que é significativa. Os indicadores apresentados anteriormente poderiam ser diferentes, caso a prática de execução de primeiros-socorros fosse incorporada no pleno exercício da cidadania, pois a sobrevida das pessoas que sofrem algum tipo de acidente ou trauma depende fundamentalmente das ações realizadas nas primeiras horas. Os primeiros socorros são procedimentos simples, porém muito efetivos, que podem oferecer à vítima o suporte de vida básico para aliviar-lhe o sofrimento, diminuir o tempo de invalidez e, sobretudo, salvar sua vida. Apesar de serem simples, as técnicas de primeiros-socorros são desconhecidas da maioria das pessoas. Além de efetivos, os primeiros socorros são também

4 4 eficientes, pois reduzem os custos com serviços e procedimentos de alta complexidade, uma vez que diminuem as complicações. O ambiente escolar constitui um locus onde ocorrem com muita freqüência acidentes que implicam prejuízos no desempenho do aluno, mas por outro lado, contém um potencial humano, alunos, professores e pessoal de apoio, que pode ser utilizado, após capacitação adequada, na prevenção e prestação de primeiros-socorros às vítimas de acidentes, tenham eles ou não ocorrido no âmbito da escola. O estabelecimento da parceria Universidade-Escola contribui efetivamente com a qualidade de vida dos cidadãos, caminhando em consonância com o ideário das Cidades Saudáveis, pois a Escola tornar-se-ia um amplificador de hábitos e atitudes saudáveis, e mais: despertaria virtudes como a compaixão que necessariamente traz consigo o cuidado com os seres humanos. 4. OBJETIVOS GERAL: Implantar um Programa de Prevenção de Acidentes e Execução de Primeiros-Socorros em escolas públicas da rede estadual de educação, vinculadas ao DERE Sul, na cidade do Recife. ESPECÍFICOS Qualificar, através de capacitação técnica, professores e alunos para identificar, abordar e agir em relação às vítimas que necessitam de primeiros socorros ou cuidados imediatos, seja prevenindo complicações, seja prestando tratamento imediato, tendo como meta fundamental a salvação de vidas. Despertar a necessidade para que todos se tornem agentes multiplicadores dos conhecimentos e atitudes que salvam vidas, ampliando assim a cidadania, dentro e fora da escola;

5 5 Construir em cada uma das escolas um sistema de informação sobre acidentes, construindo os instrumentos de coleta, o processamento e análise das informações; Contribuir com a formação em cada escola das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes CIPA. 5. METODOLOGIA / ESTRATÉGIA DE AÇÃO 5.1. ÁREA DE ATUAÇÃO O Programa será desenvolvido em escolas públicas das redes estadual e municipal de educação, pertencentes à Diretoria Executiva Regional de Educação (DERE-Sul) e localizadas no Distrito Sanitário IV da Cidade do Recife: Olinto Victor Rua Afonso Olindense,153 - Várzea Fone: Senador Novaes Filho Rua Maria Lacerda, s/n - Várzea Fone: Escola Lions João Prutchansky Rua João Sales de Menezes, 04 - Brasilit Fone: Escola Padre Dehon Av. Caxangá, 3560 Fone: Escola Barros Carvalho Rua Honório Correia, Cordeiro Fone: Escola Joaquim Távora Rua Real da Torre, s/n - Madalena Fone: Escola Leal Barros Rua Antônio Borges Uchoa, s/n - Engenho do Meio

6 6 Fone: Fernanda Vieira Av. Caxangá, 3995 Fone: ESTRATÉGIAS a) Primeiro Momento: Abordagem de natureza exploratória realizada mediante observação e entrevistas com diretor, professores, alunos e funcionários de cada uma das 8 escolas visando explicar a importância do Programa, selecionar os multiplicadores que farão parte do curso de capacitação e realizar um primeiro levantamento sobre a ocorrência de acidentes nos referidos locais. b) Segundo Momento: A segunda etapa compreende a realização de oficinas teórico-práticas. Nas aulas teóricas do curso, serão utilizados recursos audiovisuais, incluindo cartazes, transparências e vídeos e a parte prática será realizada mediante simulação envolvendo os próprios alunos e modelos anatômicos (manequins). Conteúdo Programático: Módulo 1 Fundamentos dos primeiros socorros Qualidades do socorrista Abordagem da vítima e avaliação primária do trauma Seqüência das principais atividades a serem realizadas Ressuscitação cardiorrespiratória Transporte da vítima Comunicação do acidente à família, aos serviços de saúde, corpo de bombeiros e polícia

7 7 Módulo 2 Panorâmica dos principais eventos que envolvem primeiros-socorros Condutas frente aos eventos: Hemorragia e choque; Fraturas, entorses, luxações e contusões Queimaduras, incluindo choque elétrico; Afogamento (água doce e salgada) Crise convulsiva; Asfixia; Ferimentos (prevenção do tétano) Agressões de animais (prevenção da raiva humana ); Intoxicações Outros Detalhamento Módulo 1 1.Fundamentos dos primeiros socorros Objetivo: Compreender a necessidade da realização dos primeiros socorros como etapa imprescindível em relação à salvação de vidas. Atividade: Aula expositiva; Discussão em grupos 2. Qualidades do socorrista Objetivo: Descrever as principais características e atitudes da pessoa que presta os primeiros-socorros Atividade: Aula expositiva 3. Abordagem da vítima e avaliação primária do trauma Objetivo: Compreender as principais técnicas de abordagem da vítima e aprender a fazer uma avaliação inicial da situação em que a vítima se encontra (história e exame) Atividade: Aula expositiva e prática simulada 4. Seqüência das principais atividades a serem realizadas Objetivo: Realizar na seqüência correta de atividades que ajudem a preservar a vida da vítima ou a evitar ou minimizar as seqüelas. Atividade: Aula expositiva e prática simulada 5.Ressuscitação cardiorrespiratória Objetivo: Compreender e realizar as técnicas de respiração boca-a-boca e massagem cardíaca. Atividade: Aula expositiva e prática simulada 6.Transporte da vítima Objetivo: Compreender e realizar corretamente a imobilização e o transporte da vítima Atividade: Aula expositiva e prática simulada.

8 8 7. Comunicação do acidente à família, aos serviços de saúde, corpo de bombeiros e polícia Objetivo: Informar corretamente o acidente às autoridades e/ ou serviços de saúde Atividade: Aula expositiva Módulo 2. 1.Panorâmica dos principais eventos que envolvem primeiros-socorros Objetivo: Identificar e agir corretamente frente aos eventos que envolvem primeirossocorros Atividade: Aula expositiva e prática simulada 2.Condutas frente aos eventos: 2.1 Hemorragia e choque 2.2 Fraturas, Entorses, Luxações e contusões 2.3 Queimaduras, incluindo choque elétrico 2.4 Afogamento (água doce e salgada) 2.5 Crise convulsiva; 2.6 Asfixia; 2.7 Ferimentos (prevenção do tétano) 2.8 Agressões de animais (prevenção da raiva humana ) 2.9 Intoxicações 2.10 Outros Objetivo: Identificar, abordar e agir corretamente, mediante a utilização de técnicas ou condutas adequadas, frente aos principais eventos. Atividade: Aula expositiva e prática simulada As oficinas acontecerão durante o período de um mês em cada turma, com duração de 1h30min cada aula, com periodicidade de duas vezes por semana. c) Terceiro Momento Após a realização da capacitação serão realizadas reuniões no sentido de criar a Comissão Internas de Prevenção de Acidentes, composta por representantes de professores, alunos e funcionários, além de estruturar o Sistema de Informação sobre Acidentes.

9 9 6. RESULTADOS ESPERADOS Realização de 8 cursos de capacitação em primeiros-socorros; Implantação de 8 Comissões Internas de Prevenção de Acidentes; Criação de 8 bancos de dados sobre acidentes; Mudança no nível de conhecimento e nas atitudes dos 160 multiplicadores capacitados; 7. PÚBLICO BENEFICIADO (DIRETA E INDIRETAMENTE) O público-alvo será constituído pelos professores, alunos e funcionários das escolas. Em cada uma delas se espera que sejam selecionados 20 participantes (multiplicadores) entre as três categorias elencadas (total = 160). Indiretamente, serão beneficiadas as pessoas de outros ambientes que tenham contato com o multiplicador (ambiente doméstico, amigos, transeuntes, idosos, áreas de lazer etc.) 8. PARCERIAS EXTERNAS À UFPE Prefeitura do Recife Secretaria de Educação Secretaria de Saúde (Distrito Sanitário IV) Governo de Pernambuco Secretaria de Educação (DERE Sul) 9. INDICADORES / MEIOS DE VERIFICAÇÃO Quantitativos: Número de cursos de primeiros-socorros realizados; Número de Comissões Internas de Prevenção de Acidentes implantadas; Número de pessoas capacitadas na prestação de primeiros-socorros; Número de bancos de dados implantados sobre ocorrência de acidentes; Número de pessoas capacitadas que apresentam conhecimento e conduta adequada frentes a acidentes;

10 10 Qualitativos: Análise de depoimentos das pessoas capacitadas sobre mudança de atitude frente a ocorrência de acidentes em diversos ambientes 10. SISTEMÁTICA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO O Programa será desenvolvido em 10 meses. Com freqüência trimestral, serão realizadas reuniões com representantes das instituições envolvidas no sentido de monitorar o cronograma de atividades e o desempenho do público-alvo, também ali incluído. 11. CRONOGRAMA EXECUTIVO Atividade Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Levantamento X X Bibliográfico; Participação em Reuniões de X X Professores e direção da escola; Levantamento de dados de X X acidentes no distrito IV; Cursos de capacitação X X X X X X X X Criação das CIPA X X X X X X X X Criação dos Bancos de Dados X X X X X X X X Processo de Avaliação do Programa X X X

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

DAS ORIENTAÇÕES E MODELO DE PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL- PAES IFAM

DAS ORIENTAÇÕES E MODELO DE PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL- PAES IFAM . DAS ORIENTAÇÕES E MODELO DE PROJETO DE INTERVENÇÃO PARA ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL- PAES IFAM 1 CAPA Título do projeto de intervenção, linha de ação dos Programas Integrais da PAES- IFAM contemplada, campus

Leia mais

ANEXOS: ANEXO 1: AÇÕES A SEREM DESENVOLVIDAS NO PROJETO DE COOPERAÇÃO BILATERAL BRASIL FRANÇA.

ANEXOS: ANEXO 1: AÇÕES A SEREM DESENVOLVIDAS NO PROJETO DE COOPERAÇÃO BILATERAL BRASIL FRANÇA. ANEXOS: ANEXO 1: AÇÕES A SEREM DESENVOLVIDAS NO PROJETO DE COOPERAÇÃO BILATERAL BRASIL FRANÇA. 1. Estudo comparativo entre o Curso Técnico em Enfermagem ofertado no IFPR e Ecole d'infirmière. Louise Michel

Leia mais

III CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: TRABALHO, CULTURA E INCLUSÃO SOCIAL NA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL.

III CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: TRABALHO, CULTURA E INCLUSÃO SOCIAL NA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Área Técnica de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas III CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE REABILITAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Avaliação Econômica como instrumento para o aprimoramento da gestão das ações sociais 26/09/2013 Fundação

Leia mais

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS MG. SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOCIAIS

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS MG. SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOCIAIS PORTARIA N 035, 10 DE JUNHO DE 2008 DISPÕE SOBRE O EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS DA REDE EXECUTORA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS 2.008 O Secretário Municipal de Políticas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DELONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto:

Leia mais

TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS

TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS AUTOR(ES):

Leia mais

I RELATÓRIO: II ANÁLISE:

I RELATÓRIO: II ANÁLISE: INTERESSADO: ASSUNTO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL JOAQUIM NABUCO - RECIFE/PE AUTORIZAÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA EM INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA, EM ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

Leia mais

Projeto: I Seminário para formação dos servidores da saúde em temas relacionados à política nacional de saúde do trabalhador/ Betim (MG)

Projeto: I Seminário para formação dos servidores da saúde em temas relacionados à política nacional de saúde do trabalhador/ Betim (MG) CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Projeto: I Seminário para formação dos servidores da saúde em temas relacionados à política nacional de saúde do

Leia mais

ACIDENTES NAS ESCOLAS: UM OLHAR SOBRE OS PROCEDIMENTOS ADOTADOS

ACIDENTES NAS ESCOLAS: UM OLHAR SOBRE OS PROCEDIMENTOS ADOTADOS ACIDENTES NAS ESCOLAS: UM OLHAR SOBRE OS PROCEDIMENTOS ADOTADOS ANDRADE *, Eliete Aparecida dos Santos - UEPG - PR. enfeliete@gmail.com OLIVEIRA**, Rita de Cássia da Silva UEPG - PR soliviera13@uol.com.br

Leia mais

Projeto de Capacitação de Crianças e Adolescentes sobre Socorrismo, prevenção de acidentes, Defesa Civil e Cidadania

Projeto de Capacitação de Crianças e Adolescentes sobre Socorrismo, prevenção de acidentes, Defesa Civil e Cidadania R e s g a t e M i r i m Comunitário Projeto de Capacitação de Crianças e Adolescentes sobre Socorrismo, prevenção de acidentes, Defesa Civil e Cidadania 1 B E L O H O R I Z O N T E, S A N T A L U Z I A

Leia mais

ANEXO I PROJETO BÁSICO. 2.IDENTIFICAÇÃO DA INSTUIÇÃO PROPONENTE Proponente: GOVERNO DO ESTADO DO ACRE

ANEXO I PROJETO BÁSICO. 2.IDENTIFICAÇÃO DA INSTUIÇÃO PROPONENTE Proponente: GOVERNO DO ESTADO DO ACRE ANEXO I PROJETO BÁSICO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título: Música, Comunidade, Polícia e Família Início (mês/ano): Término (mês/ano): Dezembro/2008 Dezembro/2009 2.IDENTIFICAÇÃO DA INSTUIÇÃO PROPONENTE

Leia mais

PROJETO: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA NA FATE IMPLANTAÇÃO E APLICAÇÃO DAS ATIVIDADES DE FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO

PROJETO: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA NA FATE IMPLANTAÇÃO E APLICAÇÃO DAS ATIVIDADES DE FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO PROJETO: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA NA FATE IMPLANTAÇÃO E APLICAÇÃO DAS ATIVIDADES DE FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO Fortaleza - Ceará Novembro/2012 1 - Introdução A história da Faculdade Ateneu está alicerçada

Leia mais

Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas

Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas Estruturar e organizar a rede de serviços de prevenção, tratamento e acolhimento do município de São Paulo destinadas aos cuidados

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2011 PROGRAMA DE ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL

PLANO DE TRABALHO 2011 PROGRAMA DE ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL PLANO DE TRABALHO 2011 PROGRAMA DE ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL COLATINA 2011 ÍNDICE 1) INTRODUÇÃO 2) DESCRIÇÃO DA CLIENTELA 3) OBJETIVOS 4) CARGA HORÁRIA 5) DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES 6) CRONOGRAMA 7) PREVISÃO

Leia mais

PLANO ANUAL DE CAPACITAÇÃO 2012

PLANO ANUAL DE CAPACITAÇÃO 2012 PLANO ANUAL DE CAPACITAÇÃO 2012 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 3 CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO 5 CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO 7 CAPACITAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DELONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto:

Leia mais

http://sigproj1.mec.gov.br/projetos/imprimir.php?modalidade=1&projeto_id=126773...

http://sigproj1.mec.gov.br/projetos/imprimir.php?modalidade=1&projeto_id=126773... Página 1 de 7 Imprimir Fechar 1. Introdução 1.1 Identificação da Ação Título: A Melhor Idade na Era Digital 2013 Coordenador: Tipo da Ação: / Docente Projeto Edital: EDITAL PAEX 04/2012 Vinculada à Programa

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1)

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1) Prezado(a) Professor(a), Visando orientar e otimizar as informações que deverão constar no projeto, elencamos, abaixo, os itens imprescindíveis para compreensão e apresentação da sua proposta ao Prêmio

Leia mais

CRI R AN A ÇA Ç SEGURA R Safe Kids Bras B il il 2009

CRI R AN A ÇA Ç SEGURA R Safe Kids Bras B il il 2009 CRIANÇA SEGURA Safe Kids Brasil 2009 CRIANÇA SEGURA Organização sem fins lucrativos presente no Brasil desde 2001, com atuação nacional. Missão: Promover a prevenção de acidentes com crianças e adolescentes

Leia mais

Prefeitura Municipal do Natal

Prefeitura Municipal do Natal Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Finanças Plano Plurianual 2010/2013 Programa Horizonte Público Objetivo: 3 Vivendo com Cidadania Contínuo População do município

Leia mais

PROJETO DA CRIAÇÃO DA COMPANHIA DE DANÇA

PROJETO DA CRIAÇÃO DA COMPANHIA DE DANÇA INSTITUTO SÓCIO CULTURAL E ARTÍSTITICO SONS & SORRISOS PROJETO DA CRIAÇÃO DA COMPANHIA DE DANÇA Por Rodrigo de Queiroz Martins Silva DANÇA AO ALCANCE DE TODOS 1 JUSTIFICATIVA A capacidade de se expressar

Leia mais

Televisando o Futuro

Televisando o Futuro Televisando o Futuro Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: II Projetos Finalizados (projetos encerrados) Nome da Instituição/Empresa: Instituto GRPCOM Cidade: Maringá Contato: rafaelam@grpcom.com.br

Leia mais

Análise da Formação Continuada em Educação Ambiental dos Professores da Rede Municipal de Ensino de Jahu

Análise da Formação Continuada em Educação Ambiental dos Professores da Rede Municipal de Ensino de Jahu Análise da Formação Continuada em Educação Ambiental dos Professores da Rede Municipal de Ensino de Jahu Fábio Leonardo Romano FRAGNAN¹ Yanina Micaela SAMMARCO² Resumo Este trabalho apresenta um estudo

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS PARA TRABALHADORES DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA COM ÊNFASE EM REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR: UMA DISCUSSÃO. RESUMO

PRIMEIROS SOCORROS PARA TRABALHADORES DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA COM ÊNFASE EM REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR: UMA DISCUSSÃO. RESUMO PRIMEIROS SOCORROS PARA TRABALHADORES DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA COM ÊNFASE EM REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR: UMA DISCUSSÃO. Maria Luiza Guzzo Vist 1 Telma Picheth 2 RESUMO O artigo avalia o modelo de ensino de

Leia mais

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários MININSTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários Programa: Urbanização Regularização

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Curso Gestão Administrativa e Captação de Recursos Módulo III - Junho - 2013

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Curso Gestão Administrativa e Captação de Recursos Módulo III - Junho - 2013 P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Curso Gestão Administrativa e Captação de Recursos Módulo III - Junho - 2013 Planejamento Estratégico Municipal Atividade prática Pensar em problemas e soluções.

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO TÍTULO DO PROJETO:

PROJETO DE EXTENSÃO TÍTULO DO PROJETO: PROJETO DE ETENSÃO TÍTULO DO PROJETO: Educação nutricional para promoção de uma alimentação saudável NATUREZA: ( ) Pesquisa ( x) Extensão / Local: Fundação Metodista DOCENTES: Titular: ( ) Doutor ( x )

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

RELATO DA PRÁTICA INOVADORA NA ASSISTÊNCIA SOCIAL

RELATO DA PRÁTICA INOVADORA NA ASSISTÊNCIA SOCIAL RELATO DA PRÁTICA INOVADORA NA ASSISTÊNCIA SOCIAL 1. NOME DA PRÁTICA OU IDÉIA INOVADORA Projeto De Volta Pra Casa - Linha de Cuidado Aplicada à Assistência Social - Fortalecendo a Convivência Familiar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - UEPI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO. Chamada Pública nº 01, de 27 de janeiro de 2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - UEPI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO. Chamada Pública nº 01, de 27 de janeiro de 2016 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - UEPI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO Chamada Pública nº 01, de 27 de janeiro de 2016 Processo Seletivo para Apoio Técnico, Acadêmico e Operacional

Leia mais

PDG da Área Administrativa 2013/2014

PDG da Área Administrativa 2013/2014 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL O Programa de Desenvolvimento Gerencial PDG do TRT9 para a área administrativa, no biênio 2013-2014, terá como foco a Gestão de Pessoas por Competências - GPC. A capacitação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DO ESTADO DE SAÚDE PROJETO DE AÇÃO: IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DE SAÚDE DO ADOLESCENTE

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DO ESTADO DE SAÚDE PROJETO DE AÇÃO: IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DE SAÚDE DO ADOLESCENTE GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DO ESTADO DE SAÚDE PROJETO DE AÇÃO: IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DE SAÚDE DO ADOLESCENTE Curitiba Outubro/2010 DADOS INSTITUCIONAIS SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE: Carlos

Leia mais

O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula

O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula Título: Uso do jornal na sala de aula: uma análise do ponto de vista do aluno do ensino fundamental II Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e

Leia mais

ANEXO I. PROJETO DE -- Selecione --

ANEXO I. PROJETO DE -- Selecione -- MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE -- Selecione -- 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO ESPECIAL 1.2 Câmpus de Origem: Júlio

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA RITA DO SAPUCAÍ PROJETO DE EDUCAÇÃO PATRIMONIAL OFICINAS DE EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA RITA DO SAPUCAÍ PROJETO DE EDUCAÇÃO PATRIMONIAL OFICINAS DE EDUCAÇÃO PATRIMONIAL PROJETO DE EDUCAÇÃO PATRIMONIAL OFICINAS DE EDUCAÇÃO PATRIMONIAL 2 de 7 SUMÁRIO Apresentação...03 Justificativa...03 Público Alvo...03 Objetivos...04 Metodologia...04 Cronograma...06 Orçamento...06 Produtos...06

Leia mais

Realização: FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS

Realização: FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS Núcleos de Defesa Civil (NUDECs): estruturação, atribuições e funcionamento Regina Panceri Gerente Capacitação, Pesquisa e Projetos SDC 3 O que é, o que é????? O que

Leia mais

PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Ações de educação sanitária e ambiental e de mobilização social

PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Ações de educação sanitária e ambiental e de mobilização social PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Ações de educação sanitária e ambiental e de mobilização social PROPOSTA DE REESTRUTURAÇÃO DE ATIVIDADES Detalhamento de ações Convênio Caixa Econômica Federal nº189201-11

Leia mais

COMPANHIA DE HABITAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS ABC E FNSHDU S E LO D E M É R I TO 2 0 1 3 PROGRAMA GESTÃO

COMPANHIA DE HABITAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS ABC E FNSHDU S E LO D E M É R I TO 2 0 1 3 PROGRAMA GESTÃO COMPANHIA DE HABITAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS ABC E FNSHDU S E LO D E M É R I TO 2 0 1 3 PROGRAMA GESTÃO pós-morar Apresentação Geral Em 2011 o Governo de Minas, por meio da Companhia de Habitação do

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS NA PLANTA E/OU EM CONSTRUÇÃO - RECURSOS FGTS PROGRAMA DE SUBSÍDIO À HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PSH

TERMO DE REFERÊNCIA FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS NA PLANTA E/OU EM CONSTRUÇÃO - RECURSOS FGTS PROGRAMA DE SUBSÍDIO À HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PSH Informações sobre o Programa de Financiamento de Imóveis na Planta e/ou em Construção Recursos FGTS - PSH 1 O Programa O Programa acima foi instituído por intermédio da Medida Provisória 2212 de 30 / 0

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO UPA TORRÕES

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO UPA TORRÕES DIRETORIA GERAL DE MODERNIZAÇÃO E MONITORAMENTO DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE RELATÓRIO DE EXECUÇÃO UPA TORRÕES Período Junho a Agosto de 2013 Novembro 2013 2 INTRODUÇÃO O excesso de pacientes com problemas médicos

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão NÚCLEO UNIV BH CIÊNCIAS HUMANAS PROEX-2012/7321-1S

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão NÚCLEO UNIV BH CIÊNCIAS HUMANAS PROEX-2012/7321-1S Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão Direitos Humanos e Inclusão NÚCLEO UNIV BH CIÊNCIAS HUMANAS PROE-2012/7321-1S Mapeamento Colaborativo da diversidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Cultura de Paz e Justiça Restaurativa como forma alternativa de administração dos

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE EDUCACIONAL DE MEDIANEIRA MISSÃO: FORMAR PROFISSIONAIS CAPACITADOS, SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS E APTOS A PROMOVEREM AS TRANSFORMAÇÕES FUTURAS. ESTÁGIO SUPERVISIONADO LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA

Leia mais

Inclusão Social pelo Projeto de Educação: Saneamento Básico

Inclusão Social pelo Projeto de Educação: Saneamento Básico PREMIO NACIONAL DE QUALIDADE EM SANEAMENTO PNQS 2011 INOVAÇÃO DA GESTÃO EM SANEAMENTO - IGS Inclusão Social pelo Projeto de Educação: Saneamento Básico SETEMBRO/2011 A. OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a oportunidade

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO CONDUCENTE AO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR A REALIZAR NO BRASIL E A REALIZAR EM PORTUGAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO CONDUCENTE AO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR A REALIZAR NO BRASIL E A REALIZAR EM PORTUGAL FUNDAÇÃO SOUSÂNDRADE INSTITUTO UNIVERSITÁRIO ATLÂNTICO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO CONDUCENTE AO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR A REALIZAR NO BRASIL E A REALIZAR EM PORTUGAL INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Vamos fazer nossa parte!

Mostra de Projetos 2011. Vamos fazer nossa parte! Mostra de Projetos 2011 Vamos fazer nossa parte! Mostra Local de: Paranavaí Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Cidade: Mirador Contato: tassiambientalmirador@gmail.com

Leia mais

COSTRUINDO FÓRUM SOBRE VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS: REFLEXÃO E AÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA E QUALIDADE DE VIDA NAS ESCOLAS

COSTRUINDO FÓRUM SOBRE VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS: REFLEXÃO E AÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA E QUALIDADE DE VIDA NAS ESCOLAS COSTRUINDO FÓRUM SOBRE VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS: REFLEXÃO E AÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA E QUALIDADE DE VIDA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DO BAIRRO DA IPUTINGA Prof º Geraldo José Marques Pereira ( Coordenador Geral) Prof

Leia mais

Projeto Grêmio em Forma. relato de experiência

Projeto Grêmio em Forma. relato de experiência Projeto Grêmio em Forma relato de experiência Instituto Sou da Paz Organização fundada em 1999, a partir da campanha dos estudantes pelo desarmamento. Missão: Contribuir para a efetivação, no Brasil, de

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Edificações Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física

EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Edificações Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA MODALIDADE A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UFRPE

O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA MODALIDADE A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UFRPE 1 O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA MODALIDADE A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UFRPE Recife, maio/2010 Ana Paula Teixeira Bruno Silva Universidade Federal

Leia mais

I. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO. Título do projeto: Valorização da Cultura Afro e Indígena na Escola Data de cadastro: Situação: ( ) novo

I. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO. Título do projeto: Valorização da Cultura Afro e Indígena na Escola Data de cadastro: Situação: ( ) novo I. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título do projeto: Valorização da Cultura Afro e Indígena na Escola Data de cadastro: Situação: ( ) novo (x ) reoferta ( ) prorrogação Campus / curso de origem: São

Leia mais

Prefeitura Municipal de Senador José Porfírio Secretaria Municipal de Educação Coordenadoria de Ensino. PROJETO Prova Brasil na Escola

Prefeitura Municipal de Senador José Porfírio Secretaria Municipal de Educação Coordenadoria de Ensino. PROJETO Prova Brasil na Escola PROJETO Prova Brasil na Escola SENADOR JOSÉ PORFÍRIO PA 2015 Identificação Autor do Projeto: Luiz Pena Titulo do Projeto: Prova Brasil na Escola Unidade Executora: SEMED Equipe de Coordenação: Secretária

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 4º Semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 4º Semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: MATEMÁTICA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Superior em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO ARTIFAL FORMULÁRIO SIMPLIFICADO DE CANDIDATURA DA PROPOSTA DE ALUNOS NO CAMPUS ARAPIRACA SELEÇÃO 2016

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO ARTIFAL FORMULÁRIO SIMPLIFICADO DE CANDIDATURA DA PROPOSTA DE ALUNOS NO CAMPUS ARAPIRACA SELEÇÃO 2016 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO ARTIFAL FORMULÁRIO SIMPLIFICADO DE CANDIDATURA DA PROPOSTA DE ALUNOS NO CAMPUS ARAPIRACA SELEÇÃO 2016 A seleção dos alunos bolsistas para o grupo ArtVirus, do programa

Leia mais

Programa de Gestão Social (PGS) Educação para o Trânsito Julho/2009

Programa de Gestão Social (PGS) Educação para o Trânsito Julho/2009 Programa de Gestão Social (PGS) Educação para o Trânsito Julho/2009 O Plano de Gestão Social (PGS) é um conjunto de ações promovidas pela Concessionária Nascentes das Gerais que tem como principal objetivo

Leia mais

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS DADOS DA ORGANIZAÇÃO PROPONENTE Razão Social CNPJ Endereço Completo Inscrição Telefone Email Representante Legal

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

MINUTA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS EDITAL PIP N 01/2014 PROJETO RN SUSTENTÁVEL PROJETOS DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA (PIP)

MINUTA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS EDITAL PIP N 01/2014 PROJETO RN SUSTENTÁVEL PROJETOS DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA (PIP) MINUTA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS EDITAL PIP N 01/2014 PROJETO RN SUSTENTÁVEL PROJETOS DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA (PIP) O Projeto RN Sustentável, Acordo de Empréstimo (8276-BR) firmado entre o Governo do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UFU RELATÓRIO FINAL DE AÇÕES EXTENSIONISTAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UFU RELATÓRIO FINAL DE AÇÕES EXTENSIONISTAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE ETENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UFU RELATÓRIO FINAL DE AÇÕES ETENSIONISTAS 1. IDENTIFICAÇÃO CAMPUS: FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL-

Leia mais

Projeto: PEQUENOS OLHARES, GRANDES CAMINHOS

Projeto: PEQUENOS OLHARES, GRANDES CAMINHOS Projeto: PEQUENOS OLHARES, GRANDES CAMINHOS FLORIANÓPOLIS, 2014 1 Identificação: Nome: AEBAS ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Início das Atividades: 1955 CNPJ: 83.932.608/0001-81

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE

A PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE A PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE SOARES, R.A. 1 ; FARIAS, C. C. 2 ; NASCIMENTO, J. D. 3 ; NASCIMENTO, J.M. 4 Raissa Alcantara Soares¹ (Universidade Estadual da

Leia mais

Rádio Escola Uma experiência de form(ação) de professores e alunos da educação básica

Rádio Escola Uma experiência de form(ação) de professores e alunos da educação básica Rádio Escola Uma experiência de form(ação) de professores e alunos da educação básica José Ruy Henderson Filho 1 Resumo Este trabalho apresenta relato de experiência da formação do Projeto Rádio Escola,

Leia mais

Sec. Executivo: Robson Richard Duvoisin cmdcajoinville@gmail.com Telefone: 47 3432 8544 Bola de meia, bola de gude, o ECA não pode parar!

Sec. Executivo: Robson Richard Duvoisin cmdcajoinville@gmail.com Telefone: 47 3432 8544 Bola de meia, bola de gude, o ECA não pode parar! Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Joinville Resumo do Projeto Entidade CMDCA Endereço Rua Afonso Penna Telefone (47) 34328544 Responsável Coordenador: Nome do Projeto Linha

Leia mais

Mostra de Projetos 2011

Mostra de Projetos 2011 Mostra de Projetos 2011 A enfermagem atuando na prevenção da saúde do adolescente propondo a redução das DST Doenças Sexualmente Transmissíveis e Minimizando os números de Gravidez na Adolescência. Mostra

Leia mais

PROJETO CIRANDA DAS ARTES

PROJETO CIRANDA DAS ARTES Prefeitura Municipal de Petrópolis Conselho Municipal de Cultura Fundação de Cultura e Turismo PROJETO CIRANDA DAS ARTES APRESENTAÇÃO A arte é uma forma de expressão produzida pelo homem para manifestar

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM 1.1. TÍTULO do PROGRAMA: Ética, Cidadania e Solidariedade: A UNIFEBE, Você e a Comunidade.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARULHOS SECRETARIA DE SAÚDE REGIÃO DE SAÚDE CANTAREIRA GERAÇÃO DE RENDA CAPACITAÇÃO JARDINAGEM & PAISAGISMO

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARULHOS SECRETARIA DE SAÚDE REGIÃO DE SAÚDE CANTAREIRA GERAÇÃO DE RENDA CAPACITAÇÃO JARDINAGEM & PAISAGISMO PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARULHOS SECRETARIA DE SAÚDE REGIÃO DE SAÚDE CANTAREIRA GERAÇÃO DE RENDA CAPACITAÇÃO JARDINAGEM & PAISAGISMO VIVEIRO DE MUDAS NATIVAS GUARULHOS/SP 2009 I APRESENTAÇÃO Em setembro

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ENFERMAGEM Qualificação:

Leia mais

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Conceito de Tecnologia Social aplicada a Municípios Sustentáveis: "Compreende técnicas, metodologias e experiências

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Ecocidadãos

Mostra de Projetos 2011. Ecocidadãos Mostra de Projetos 2011 Ecocidadãos Mostra Local de: Campo Mourão Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Cidade: Campo Mourão Contato: jaumnogarolli@hotmail.com Autor (es):

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santos

Prefeitura Municipal de Santos Prefeitura Municipal de Santos Estância Balneária SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO Seção de Suplência/ SESUPLE Parceiros do Saber Projeto de alfabetização de Jovens e Adultos Justificativa

Leia mais

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade Introdução Há cerca de 20 anos, a Secretaria de Saúde de um grande município começou a desenvolver e implantar iniciativas relacionadas à Alimentação

Leia mais

SUGESTÕES E AÇÕES PARA O PROGRAMA SEGUNDO TEMPO E ESPORTE DA ESCOLA. Equipe Pedagógica

SUGESTÕES E AÇÕES PARA O PROGRAMA SEGUNDO TEMPO E ESPORTE DA ESCOLA. Equipe Pedagógica SUGESTÕES E AÇÕES PARA O PROGRAMA SEGUNDO TEMPO E ESPORTE DA ESCOLA Equipe Pedagógica DIRETRIZES Retorno do técnico administrativo nos convênios, para melhor desenvolver as ações administrativas das parcerias

Leia mais

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE Adriele Albertina da Silva Universidade Federal de Pernambuco, adrielealbertina18@gmail.com Nathali Gomes

Leia mais

PROJETO ESCOLA SEGURA É A GENTE QUE FAZ PROESEG

PROJETO ESCOLA SEGURA É A GENTE QUE FAZ PROESEG PROJETO ESCOLA SEGURA É A GENTE QUE FAZ PROESEG Campo Grande MS 2011 01- JUSTIFICATIVA A Prefeitura Municipal de Campo Grande com sua Secretaria Municipal de Governo e Relações Institucionais e a Guarda

Leia mais

ANEXO I. PROJETO DECURTA DURAÇÃO

ANEXO I. PROJETO DECURTA DURAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DECURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Curso de Capacitação de Técnicos em Classificação de Produtos Vegetais

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 02/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL

EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 02/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 02/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL O Instituto Sócio Cultural, Ambiental e Tecnológico Arthur Andrade IAA, organização não governamental, sem fins lucrativos, fundado

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO PARA DESCENTRALIZAÇÃO DE CRÉDITO Nº 3 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012

TERMO DE COOPERAÇÃO PARA DESCENTRALIZAÇÃO DE CRÉDITO Nº 3 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 TERMO DE COOPERAÇÃO PARA DESCENTRALIZAÇÃO DE CRÉDITO Nº 3 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 I Identificação (Título/Objeto) IDENTIFICAÇÃO (Título/Objeto da Despesa) Colaboração em Atividades de Capacitação Básica

Leia mais

SEMANA ACADÊMICA 2014 Educação, Ciências e Inovações

SEMANA ACADÊMICA 2014 Educação, Ciências e Inovações SEMANA ACADÊMICA 2014 Educação, Ciências e Inovações APRESENTAÇÃO Com o objetivo de integrar e divulgar as ações diversas produzidas no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão universitária nos cursos

Leia mais

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013 META NACIONAL 11 - Educação Profissional- Triplicar as matrículas da Educação Profissional Técnica de nível médio, assegurando a qualidade da oferta e pelo menos 50% da expansão no segmento público. Contexto

Leia mais

Produtos do Inmetro - Metodologia dos Eixos Estruturantes do Grupo de Trabalho Permanente do Mdic (GTP APL)

Produtos do Inmetro - Metodologia dos Eixos Estruturantes do Grupo de Trabalho Permanente do Mdic (GTP APL) Produtos do - Metodologia dos Eixos Estruturantes do Grupo de Trabalho Permanente do Mdic (GTP APL) EIXO FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO Categoria Instituições Instrumento Descrição Como Acessar Formação (1) Formação

Leia mais

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO As Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e Educação

Leia mais

SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil

SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil ID 1676 SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil Dutra, Laís; Eugênio, Flávia; Camargo, Aline; Ferreira

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar de Farmácia

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar de Farmácia Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código:136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO 1. Identificação e caracterização Título do Projeto Nome do Prof(s) Coordenador(es) do Projeto Centro Laboratório Período Início Término Término previsto

Leia mais

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior CAPA 1 República Federativa do Brasil Ministério da Educação Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação

Leia mais

Responsável: Prof. Everton Crivoi do Carmo. LINHAS DE PESQUISA: Gestão e Educação em Saúde e Bem-estar Prevenção e Promoção para a Saúde e Bem-estar

Responsável: Prof. Everton Crivoi do Carmo. LINHAS DE PESQUISA: Gestão e Educação em Saúde e Bem-estar Prevenção e Promoção para a Saúde e Bem-estar GRUPO DE PESQUISA INSTITUCIONAL Responsável: Prof. Everton Crivoi do Carmo LINHAS DE PESQUISA: Gestão e Educação em Saúde e Bem-estar Prevenção e Promoção para a Saúde e Bem-estar DESCRIÇÃO: O grupo de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Vendas FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

Sumário Executivo. Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI

Sumário Executivo. Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Fundação Euclides da Cunha FEC/Data UFF Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação Ministério

Leia mais

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ AREA TEMÁTICA: TRABALHO LAIS SILVA SANTOS 1 CARLOS VINICIUS RODRIGUES 2 MARCELO FARID PEREIRA 3 NEUZA CORTE DE OLIVEIRA

Leia mais

II MOSTRA NACIONAL DO PSF

II MOSTRA NACIONAL DO PSF II MOSTRA NACIONAL DO PSF TEMÁRIO: SAÚDE BUCAL BRASILA-DF JUNHO / 2004 PROGRAMA DE INTERSETORIALIDADE NAS AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE BUCAL NAS ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DE ARACAJU O POR QUE? A HISTÓRIA.

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações e normas

Leia mais

PROJETO REDE URBANA DO BRASIL 2011-2014 RUBR 2012

PROJETO REDE URBANA DO BRASIL 2011-2014 RUBR 2012 PROJETO REDE URBANA DO BRASIL 2011-2014 RUBR 2012 Objetivos relacionados a CARACTERIZAÇÃO E TENDENCIAS DA REDE URBANA DO BRASIL 2012. 1. OBJETIVO FINAL A partir do projeto Dinâmica urbana dos estados,

Leia mais

1.3.3. Houve mudanças no comportamento dos professores? ( )sim ( )não 1.3.4. Quais?

1.3.3. Houve mudanças no comportamento dos professores? ( )sim ( )não 1.3.4. Quais? Este instrumento tem por objetivo o acompanhamento da execução e dos resultados dos Projetos Socioambientais apresentados para os Encontros Regionais de Agentes Prevencionistas do PEAC realizados nos municípios

Leia mais