III FÓRUM DE VIGILÂNCIA DE DOENÇAS E AGRAVOS NÃO TRANSMISSÍVEIS - MSP. Supervisão de Vigilância em Saúde Coordenadoria Regional de Saúde Leste

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "III FÓRUM DE VIGILÂNCIA DE DOENÇAS E AGRAVOS NÃO TRANSMISSÍVEIS - MSP. Supervisão de Vigilância em Saúde Coordenadoria Regional de Saúde Leste"

Transcrição

1 III FÓRUM DE VIGILÂNCIA DE DOENÇAS E AGRAVOS NÃO TRANSMISSÍVEIS - MSP Supervisão de Vigilância em Saúde Coordenadoria Regional de Saúde Leste PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE LESTE SUPERVISÃO TÉCNICA DE SAÚDE SUPERVISÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

2 Coordenadoria Regional de Saúde Leste Área: 194 Km 2 Sete Subprefeituras 17 Distritos Administrativos População: habitantes Taxa de crescimento populacional : 1,9% Fontes: Portal Prefeitura de São Paulo acessado em 15/09/10. Portal Ceinfo/SMS acessado em 15/09/10.

3 EQUIPAMENTOS QUANTIDADE Unidades Básicas de Saúde modelo tradicional 57 UBS - Modelo PSF (Programa de Saúde da Família) 55 Assistência Médica Ambulatorial AMA ( 29 em UBS e 2 hospitalares ) 31 Ambulatório de Especialidade AE 06 CEO - Centro de Especialidade Odontológica 07 NIR/NISA 12 CPN - Centro de Praticas Naturais de São Mateus e de Guaianases 02 Casa SER 01 Serviço de Assistência Especializada - SAE - DST/AIDS 02 Centro de Testagem e Aconselhamento DST/AIDS - CTA 05 Centro de Atenção Psicossocial - CAPS 14 Centro de Convivência e Cooperativa - CECCO 04 Pronto Socorro Municipal / PA 04 Hospitais Municipais HM / O. S. 04 Hospitais Estaduais / O.S. 03 Hospitais Filantrópico / Conveniado 02 SUVIS 07 CRI - Centro de Referência do Idoso 01 Total 217

4 Enfrentamento Violência e Acidentes Realização de atividades de capacitação e sensibilização envolvendo profissionais, especialmente da Atenção Básica com o propósito de fortalecimento de todas as Unidades da rede de Saúde. Implementação do SIVVA - Sistema de Informação de Vigilância de Violências e Acidentes - apropriação das informações para o planejamento e execução das ações de controle da violência. Qualificação dos serviços para o acolhimento e atendimento humanizado das vítimas de violências. Organização de protocolos, fluxos, sistema de referência e contra-referência de atenção integral às vítimas de violências com o intuito de otimizar o atendimento dos casos. Articulação de ações intersetoriais e intersecretariais visando garantir a integralidade na atenção e na promoção da saúde (vítimas de violências ou em situação de violência). Formação de redes de atenção e de proteção (Redes de Proteção articuladas e integradas com os Serviços de Saúde). Estímulo à organização de Fóruns de Prevenção e Combate à Violência com a proposta de disseminação da Cultura de Paz.

5 Coordenadoria Regional de Saúde Leste Notificações segundo ano de atendimento CRS Leste Fonte: Tabnet SIVVA SMS PMSP Acessado em 21/09/2010.

6 Coordenadoria Regional de Saúde Leste Notificações segundo Coordenadoria de atendimento Coord de Saúde LESTE SUDESTE SUL NORTE CENTRO-OESTE TOTAL Notificações Fonte: Tabnet SIVVA SMS PMSP Acessado em 20/09/2010.

7 Ações desenvolvidas pela STS/SUVIS Cidade Tiradentes: Implementação do SIVVA - Hospital Tiradentes. Sensibilização (Atenção Básica). SAÚDE STS/SUVIS Projeto Ile de France. 16 dias de ativismo do fim da violência contra a mulher distribuição material informativo (serviços de atendimento as mulheres vitimas de violência e da Cartilha Maria da Penha). Patrulha do Silêncio; REDE (ações em parceria) Projeto Elas por Elas; Baile Permitidão Fórum Tecendo Redes de Paz (reuniões mensais).

8 Projeto Île de France Cidade Tiradentes É uma iniciativa que nasceu da parceria entre a PMSP e o Governo da região Île de France França, envolvendo várias áreas e profissionais da SMS. Capacitação do curso de Prevenção da Violência e Cultura de Paz dirigido às equipes de profissionais do PSF da Cid. Tiradentes sobretudo dos ACS. Em 2009 houve o lançamento do guia Rede de Apoio às Pessoas em situação ou Risco de Violência Cidade Tiradentes material de apoio pedagógico.

9 Cidade Tiradentes Desde 2008, a Supervisão Técnica de Saúde em parceria com a Subprefeitura da Cidade Tiradentes tem discutido o alto índice de acidentes e casos de violência neste território. Os dados foram obtidos através do SIVVA, Painel de Monitoramento e Planilha do Hospital Municipal Cidade Tiradentes, e com base nos mesmos foram desenvolvidas ações de impacto sobre a violência e os acidentes. Principais ações para o enfrentamento da violência e redução de acidentes: Patrulha do Silêncio; Projeto Elas por Elas; Baile Permitidão Praça Multiuso - localizada na Avenida dos Metalúrgicos, ao lado do supermercado Compre Bem, foi construída para abrigar shows, apresentações teatrais e até casamentos. Atividades acontecem aos finais de semana.

10 Patrulha do Silêncio Proposta de redução dos acidentes de trânsito; A Patrulha do Silêncio, trata-se de uma campanha para orientar os comerciantes sobre a importância do cumprimento da lei nº /99, bem como incentivar os moradores da região a denunciar os bares que incomodam com o barulho. Nos estabelecimentos visitados são afixados cartazes com informações sobre o horário de funcionamento dos bares, que não podem exceder uma hora da manhã. Cidade Tiradentes reduziu em 17,45% a média mensal de acidentes de trânsito, a partir do Programa Patrulha do Silêncio que completou dois anos (março/2010). A revelação dos dados é comprovada no levantamento realizado pelo Hospital Cidade Tiradentes que mostrou uma queda registra, no período entre março de 2009 e fevereiro de 2010, uma média mensal de 93,25 de atendimentos contra a média de 110,7 entre os meses de setembro de 2008 e fevereiro de Em relação às reclamações por barulho, o PSIU revela houve uma redução de 33% quanto ao número de denúncias.

11 Baile Permitidão Festival Funk CD só Permitidão é FUNK Baile Permitidão Objetivo: valorizar o jovem, proporcionando opções de lazer para diminuição do uso de alcool e drogas, e consequentemente da violência.

12 Projeto Elas por Elas - combate a violência doméstica através da música Levando mensagens de combate a violência contra a mulher, jovens cantoras de Cidade Tiradentes que frequentam a Estação da Juventude, lançam o projeto Cidade Tiradentes Elas por Elas, com o apoio da Subprefeitura Cidade Tiradentes. A obra é uma releitura de músicas consagradas na voz de grandes cantoras, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher O objetivo do projeto é combater a violência contra a mulher, levando mensagens, por meio da música, para que os casos sejam denunciados e nenhuma mulher aceite esse tipo de agressão de maneira impune.

13 Estação da Juventude Um espaço destinado aos jovens entre 15 e 24 anos residentes em Cidade Tiradentes, nos bairros de média, alta ou altíssima vulnerabilidade social, com o propósito de propiciar a formação dos jovens em conceitos de cidadania, apoio educacional e capacitação com habilidades profissionais e repertório cultural nas áreas de produção musical, comunicação e expressão. Atividades: DJ e Produção Musical; CLAP Comunicação, Leitura, Análise e Produção Inglês/ Português; Cidadania e Orientação Profissional; Capoeira e Teatro; Estúdio de Música; Oficina de Dança.

14 Grife COHAB WEAR A Estação da Juventude, com apoio da Subprefeitura Cidade Tiradentes lançou, em abril deste ano, a grife CT COHAB Wear no conceituado Mercado Mundo Mix. O projeto CT COHAB Wear, que nasceu na Estação de Juventude em Cidade Tiradentes, visa combater dois problemas: a influência da criminalidade sobre os jovens e o desemprego entre a população da região que chega quase a 20%. Mais de 10 estampas foram criadas, por oito jovens que participam da Oficina de Grafite. Em suas artes eles se associaram aos modos e os costumes do cotidiano do jovem na periferia. A marca foi apreciada por mais de 6 mil visitantes durante os dois dias no Mercado Mundo Mix, no Clube Homes, na Avenida Paulista.

15 Ações desenvolvidas pela STS/SUVIS Guaianases: Implementação SIVVA - Hospital Geral de Guaianases (Fase articulação inicial). Capacitação e sensibilização CAPS AD. SAÚDE STS/SUVIS Abordagem do tema violência em grupos de usuários (Atenção Primária): Saúde da Mulher, Puericultura, entre outros. Rede de Proteção à Infância e Adolescência de Guaianases (com DRE, CRAS, Sociedade Civil Organizada e ONGs) Fase de formação. REDE (ações em parceria) Articulação com a Casa Viviane dos Santos para fortalecer a referência e contra-referência do atendimento de mulheres vítimas de violência.

16 Ações desenvolvidas pela STS/SUVIS Itaquera: STS Discussão/orientação permanente de casos e encaminhamentos específicos. Criação de Protocolo/Fluxo para notificação e atendimento de casos. SAÚDE STS/SUVIS Projeto Segurança Humana. Trabalho intersetorial com a Delegacia da Mulher, Conselho Tutelar, Vara de Infância e Juventude para melhor acolhimento e encaminhamento dos casos. REDE (ações em parceria) Rede de enfrentamento à violência contra a mulher - CCMI (Centro de Cidadania da Mulher) encontros mensais. Rede articulada por CAS Leste (Coordenadoria de Assistência Social) sobre criança e adolescentes situação de vulnerabilidade social (abrigos).

17 Projeto Segurança Humana Itaquera Uma proposta de trabalho que propõe a integração de quatro Agências ONU: OPAS/OMS, UNICEF, UNESCO e UNFPA de maneira sinérgica com três Secretarias da PMSP: Saúde, Educação e Assistência e Desenvolvimento Social. Essa iniciativa tem como objetivo contribuir para a redução da violência e a promoção da cultura de paz na região leste da cidade de São Paulo. Com duração de três anos (agosto/2208 a julho/2011) o projeto conta com o financiamento do Fundo das Nações Unidas para Segurança Humana, com recursos do governo japonês. No primeiro ano o PSH foi desenvolvido no distrito de José Bonifácio e no segundo ano (agosto/2009) foi ampliado para toda a STS Itaquera, abrangendo os D.A de José Bonifácio, Itaquera, Parque do Carmo e Cidade Líder. Entre as principais ações da OPAS e SMS para a Fase II (2009/2010) está a humanização e qualificação dos serviços públicos para o enfrentamento da violência.

18 Ações desenvolvidas pela STS/SUVIS São Mateus: Capacitação e sensibilização (Atenção Básica) ênfase no CAPS Infantil. SAÚDE STS/SUVIS Implementação SIVVA - Hospital Geral de São Mateus *Núcleo de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica *Promotoras Legais Populares (atendimento violência intrafamiliar). * Setor de Queimados Reuniões com Conselho Tutelar de São Mateus (fase inicial de articulação - fluxo da informação/atendimento). Encontros de Humanização - Hospital Geral de São Mateus (tema abordado: Violência Doméstica). REDE (ações em parceria) Articulação com a Rede de proteção na Casa Cidinha Kopcak. Fórum de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Mateus.

19 Ações desenvolvidas pela STS/SUVIS E. Matarazzo: Implementação SIVVA - Hospital Alípio Correa Neto. SAÚDE STS/SUVIS Reunião Técnica com os funcionários do CCIH do Hospital ACN, com apresentação e discussão sobre questões referentes à Vigilância de Violência. REDE (ações em parceria) Reuniões bimensais na STS com enfoque na Cultura de Paz e discussão de casos Proposta de trabalho intersecretarial.

20 Ações desenvolvidas pela STS/SUVIS São Miguel: Hospital Municipal Tide Setubal = maior notificador do MSP. UBS - Vila Jacui é referência para o atendimento para vítima de violência da STS São Miguel. SAÚDE STS/SUVIS Reuniões bimensais com representantes de cada UBS juntamente com SUVIS/STS para discussão de casos e organização do fluxo de atendimento às vítimas de violência. * Apresentações de filmes, documentários ou textos que abordem a questão da violência. Encontro: Unidades Ensino /UBS Fórum Amb. Tito Lopes Articulação do Fórum Regional pela não Violência, com reuniões mensais toda última 6º do mês, no Anfiteatro da Sub-Prefeitura com participação da DRE, SAS, CRAS, STS, SUVIS, UBS,ONGs e GCM. REDE (ações em parceria) Parceria Projeto Recreio nas Férias - ONG Rede Fórum Subpref. São Miguel Criança de Combate a Exploração Sexual Infantil referência no atendimento vítimas violência.

21 Ações desenvolvidas pela STS/SUVIS Itaim Paulista: Capacitação e sensibilização (Atenção Básica) *01 Encontro (período manhã ou tarde) junto às 11 Unidades com Programa Saúde Família. SAÚDE STS/SUVIS (Re)Discussão do fluxo para notificação e atendimento de casos atendidos pela Casa se Isabel; SEMINÁRIOS REALIZADOS PELA CASA DE ISABEL AMZOL Associação de Mulheres da Zona Leste REDE (ações em parceria) Articulação com a Rede de Prevenção e Enfrentamento da Violência contra a Mulher da Zona Leste Centro de Cidadania da Mulher

22 Capacitação Vigilância Violência CRS Leste: Curso coordenado pela equipe de CCD/DANT/COVISA sendo oferecidas 200 vagas para o Município de São Paulos, e destas, 50 vagas destinadas aos profissionais da CRS Leste. OBJETIVO GERAL: Capacitar profissionais de saúde para atenção às pessoas em situação de violência, numa perspectiva mais ampliada para as ações de enfrentamento da violência, introduzindo conceitos da vigilância, promoção da saúde e garantia de direitos. Aula Profª Hilda OBJETIVOS ESPECÍFICOS Aula Profª Dagmar Aula Profª Hilda Reorientar a atuação profissional para o atendimento às pessoas em situação de violência na perspectiva da Vigilância em Saúde Pública. Qualificar o profissional para a melhor utilização do Sistema de Informação de Vigilância de Violências e Acidentes SIVVA. Subsidiar os profissionais para a discussão dos seguintes temas: 1. Violência e Saúde; 2. Construção da informação e vigilância de violência; 3. Tipificações da violência; 4.Ações de enfrentamento da violência. Aula Profª Dagmar CRONOGRAMA Turma CRS Leste Aula Prof. Marcelo A qualificação terá a duração de 16 semanas, com aulas e oficinas quinzenais, alternadas; Iniciada em junho e finalizada em setembro. Turma CRS Leste Aula Prof. Marcelo

23 Recomendações: Criar equipes de referência (Núcleo de Prevenção de Violência - NPV) em todas as unidades de saúde para o acolhimento, discussão, atendimento e acompanhamento dos casos de violência; Discutir e redefinir fluxos de notificação, atendimento, referência e contra referência das vítimas juntamente com os órgãos envolvidos na rede de proteção; Elaborar e divulgar boletim informativo eletrônico de ações relativas à DANT e de todo o trabalho em rede COVISA; Integrar atores envolvidos na prevenção e no atendimento às vítimas com a formação de uma rede de proteção integral, definindo-se obrigações e responsabilidades.

24 Programa Qualidade de Vida com Medicinas Tradicionais e Práticas Integrativas em Saúde

25 Atividades que integram o Programa: Acupuntura Homeopatia Plantas Medicinais e Fitoterápicos (instituído Programa de Produção de Fitoterápicos e Plantas Medicinais) Alimentação Saudável Práticas Corporais

26 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Desenvolvimento de ações para orientação e sensibilização da população sobre os benefícios de uma alimentação saudável; Capacitação dos serviços para o estímulo de ações que promovam escolhas alimentares saudáveis; Sensibilização dos profissionais de saúde para implementação de ações de promoção de alimentação saúdável nas Unidades Básicas; Qualificação dos serviços para a orientação e realização de ações de vigilância alimentar e nutricional para a prevenção e controle dos agravos e doenças decorrentes da má alimentação; Mobilização e capacitação dos profissionais de saúde da Atenção Básica para a promoção da alimentação saudável nas visitas domiciliares, atividades de grupo e nos atendimentos individuais como estratégia de prevenção, intervenção e controle de disturbios nutricionais e doenças associadas à alimentação e nutrição; Grupos Obesidade (Adulto e Gestantes), Acupuntura, Grupo de Aleitamento Materno, Grupo de Nutrição e Alimentação Saudável, Grupos Reeducação Alimentar (Gestantes, Idosos, Diabéticos);

27 UBS Nove de Julho STS SM GAAME Grupo de Apoio ao Aleitamento Materno Exclusivo Orientação e sensibilização da população usuária sobre os benefícios da amamentação.

28 UBS Thérsio Ventura STS MP GRUPO DE CHÁ DA TARDE : Os encontros são realizados na residência dos participantes (comunidade) mensalmente, todas ultima 4ª feira do mês, com duração em média de duas horas. GRUPO DE ALIMENTAÇAO SAUDÁVEL : Os encontros são realizados na UBS Dr. Thérsio Ventura, semanalmente, com duração de uma hora aproximadamente, toda sexta-feira. São realizadas discussões sobre os hábitos alimentares, plantas medicinais e ao final há degustação pelos participantes de alguma preparação saudável, acessível e de fácil reprodução além de orientações nutricionais e novas receitas. Os grupos tem como objetivos: Estimular o resgate de uma alimentação saudável através de alimentos naturais e regionais; Ensinar os benefícios de plantas medicinais, como utilizá-las, seus estudos e históricos; Apresentar receitas saudáveis, econômicas e criativas; Socialização.

29 Cursos e Oficinas Estão sendo organizados no Município de São Paulo cursos de Plantas Medicinais dirigidos a: servidores da PMSP e outros orgãos, entidades e público em geral com o objetivo de promover a Educação Ambiental para multiplicadores, visando o acesso seguro às plantas medicinais, com o uso adequado e manejo sustentável dos recursos ambientais e da biodiversidade bem como colaborar na elaboração de políticas públicas ambientais e de saúde.

30 Oficinas Culinária/Meio Ambiente CAPS STS SM Oficinas de Culinária/Oficina de Meio Ambiente (Hortaliças e Plantas Medicinais): As oficinas de culinária trabalham a questão da alimentação saudável através de receitas de fácil acesso, nutritivas, reaproveitáveis e didáticas, juntamente com a oficina de meio ambiente, que possui o papel de cultivo e colheita às hortaliças e leguminosas, sem agrotóxicos. UBS Nova Curuça STS IP Projeto chamado Viver Bem com o Melhor da Feira Projeto Minhocultura (parceira com a Subprefeitura do Itaim Paulista/Curuçá, Supervisão de Saúde, ABAST e SVMA, PAVS OSS Santa Marcelina visa a difusão de açõesde UBS Nova Curuça STS IP Educação Ambiental e a inclusão sócioambiental familiar a partir da criação de cooperativas de aagricultores familiares para a produção,consumo e comercialização do húmus de minhoca, bem como do aproveitamento máximo dos UBS resíduos Nova Curuça orgânicos - IPdas feiras livres da região do ItaimPaulista e Vila Curuça para realização de compostagem que subside o minhocário. CAPS STS SM CAPS STS SM UBS Nova Curuça - IP

31 PRÁTICAS CORPORAIS E ATIVIDADE FÍSICA Apoio à inserção de ações de práticas corporais/atividade física em 100% dos serviços de atenção básica; Ofertar aos usuários práticas corporais/atividade física como caminhadas, prescrição de exercícios, práticas lúdicas, esportivas e de lazer; Lian Gong (Crianças ) - UBS Thersio Ventura Caminhada Jd. Kemel Desenvolvimento de campanhas de estímulo aos modos saudáveis de viver com o propósito de reduzir fatores de risco para doenças não transmissíveis. Trabalhar o fortalecimento de ações já existentes no campo das práticas corporais em saúde na comunidade. Incentivar articulações intersetoriais e o estabelecimento de parcerias para a promoção projetos de práticas corporais e atividades físicas; Dança Circular, Grupos de alongamento e caminhada, Grupos de vivência corporal (Movimentação corpórea), Oficina de dança, Liang Gong em 18 terapias, Grupos de atividades esportivas recreativas, Ginástica localizada e aeróbica. Evento - Pq. Carmo Itaquera

32 Grupos de Práticas Corporais em MTC e Atividades Físicas CRS Leste FONTE: Fonte: TABWIN /Confere BPAMAG

33

34 Coordenadoria Regional de Saúde Leste Rodrigo Moreira de Sá Suvis/CRS Leste (011) / Ana Maria Rabaçal Assessoria Técnica/CRS Leste (011)

SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE SÃO PAULO

SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE SÃO PAULO A Secretaria Municipal da Saúde, gestora do Sistema Único de Saúde no Município, é responsável pela formulação e implantação de políticas, programas e projetos

Leia mais

Edital de Seleção. Edital de seleção PROGRAMA DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES para organizações da sociedade civil

Edital de Seleção. Edital de seleção PROGRAMA DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES para organizações da sociedade civil Edital de seleção PROGRAMA DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES para organizações da sociedade civil Início das inscrições: 22 de fevereiro de 2013 Final das inscrições: 20 de março de

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

A SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES AS AÇÕES SÃO DESENVOLVIDAS POR QUATRO ÁREAS ESTRATÉGICAS:

A SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES AS AÇÕES SÃO DESENVOLVIDAS POR QUATRO ÁREAS ESTRATÉGICAS: O QUE É QUE FAZ A SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES A Prefeitura de São Paulo, em maio de 2013, seguindo a política implementada nacionalmente e atendendo uma reivindicação histórica do movimento

Leia mais

PENHA. Distritos Administrativos. População: 474.565 hab. Cangaíba Penha Vila Matilde Artur Alvim

PENHA. Distritos Administrativos. População: 474.565 hab. Cangaíba Penha Vila Matilde Artur Alvim PENHA Distritos Administrativos Cangaíba Penha Vila Matilde Artur Alvim População: 474.565 hab. ERMELINO MATARAZZO Distritos Administrativos Ermelino Matarazzo Ponte Rasa População: 207.736 hab. PENHA

Leia mais

Possibilidades e limites da Vigilância em DANT com enfoque territorial e de redes no Município de São Paulo

Possibilidades e limites da Vigilância em DANT com enfoque territorial e de redes no Município de São Paulo Possibilidades e limites da Vigilância em DANT com enfoque territorial e de redes no Município de São Paulo Subgerência de Doenças e Agravos Não Transmissíveis CCD/COVISA Equipe DANT Carmen Helena Seoane

Leia mais

PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO

PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO ÓRGÃO RESPONSÁVEL: Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulher NOME: PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO Código Descrição FUNÇÃO: 14 Direitos

Leia mais

Projeto de Informatização. Como implantar um Sistema de Informação para a Saúde Pública em SP?

Projeto de Informatização. Como implantar um Sistema de Informação para a Saúde Pública em SP? Projeto de Informatização Como implantar um Sistema de Informação para a Saúde Pública em SP? Contato Cláudio Giulliano Alves da Costa, MD, MSc. Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo Assessoria Técnica

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE 2013 PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO PSE NO ANO DE 2013. Janeiro/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DO SURUBIM SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

Leia mais

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente

Leia mais

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTOÀ FEMINIZAÇÃO DA AIDS NO CEARÁ - 2009

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTOÀ FEMINIZAÇÃO DA AIDS NO CEARÁ - 2009 COORDENADORIA DE PROMOÇÃO E PROTEÇÃO À SAÚDE - COPROM NÚCLEO DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE DOENÇAS NUPREV PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTOÀ FEMINIZAÇÃO DA AIDS NO CEARÁ - 2009 Responsáveis pela elaboração:

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS DE GOIÁS

PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS DE GOIÁS PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS DE GOIÁS Diagnóstico Operacionalização do Plano Estadual Contexto de vulnerabilidade 1. Relações desiguais de gênero Ações governamentais

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE-SPAIS Goiânia Agosto/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE - SPAIS 6. GERÊNCIA DE

Leia mais

Seminário de Doenças Crônicas

Seminário de Doenças Crônicas Seminário de Doenças Crônicas LINHA DE CUIDADO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES EXPERIÊNCIA DE DIADEMA SP Dra Lidia Tobias Silveira Assistente Gabinete SMS Diadema Linha de cuidado de HAS e DM Experiência

Leia mais

Rede de Atenção à. Pessoa em Situação de Violência

Rede de Atenção à. Pessoa em Situação de Violência Rede de Atenção à Pessoa em Situação de Violência AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE Art. 198 da CF/ 1988: A ações e os serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DR. JOSÉ DE FILIPPI JR. COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE SUDESTE DRª KARINA BARROS CALIFE BATISTA SUPERVISÃO TÉCNICA DE

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DR. JOSÉ DE FILIPPI JR. COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE SUDESTE DRª KARINA BARROS CALIFE BATISTA SUPERVISÃO TÉCNICA DE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DR. JOSÉ DE FILIPPI JR. COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE SUDESTE DRª KARINA BARROS CALIFE BATISTA SUPERVISÃO TÉCNICA DE SAÚDE PENHA DR. CELSO GALHARDO MONTEIRO SAS SECONCI

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 Estabelece parâmetros para orientar a constituição, no âmbito dos Estados, Municípios e Distrito Federal, de Comissões Intersetoriais de Convivência

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas RESULTADOS Setembro 2010 Parcerias Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República; Casa Civil da Presidência da República; Secretaria-Geral

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto Exercitando Direitos do PELC - Programa de Esporte e Lazer da Cidade

Mostra de Projetos 2011. Projeto Exercitando Direitos do PELC - Programa de Esporte e Lazer da Cidade Mostra de Projetos 2011 Projeto Exercitando Direitos do PELC - Programa de Esporte e Lazer da Cidade Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais.

Leia mais

OFICINA DE ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE GAYS, HSH E TRAVESTIS METAS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS

OFICINA DE ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE GAYS, HSH E TRAVESTIS METAS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS OFICINA DE ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE GAYS, HSH E TRAVESTIS METAS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS 1 Estimular 80% da população de gays, HSH e travestis do

Leia mais

Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas

Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas Estruturar e organizar a rede de serviços de prevenção, tratamento e acolhimento do município de São Paulo destinadas aos cuidados

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE APRESENTAÇÃO: A violência sexual contra a criança e o adolescente tem sido um problema de difícil enfrentamento por

Leia mais

ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DE ALAGOAS

ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DE ALAGOAS ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DE ALAGOAS ENSINO BÁSICO Nomes das instituições representadas: SEE/AL, SEMED-Maceió, SEMED-Barra de Santo Antônio- Campestre e Novo Lino, Associação Clube

Leia mais

Projeto RI-VIDA Rede de Integração para a Vida Projeto de prevenção de DST s, HIV/AIDS e Hepatites

Projeto RI-VIDA Rede de Integração para a Vida Projeto de prevenção de DST s, HIV/AIDS e Hepatites Projeto RI-VIDA Rede de Integração para a Vida Projeto de prevenção de DST s, HIV/AIDS e Hepatites Apoio: Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS Secretaria de Estado da Saúde VULNERABILIDADE DA POPULAÇÃO

Leia mais

Mobilização Social. Núcleo de Mobilização Social da Assessoria de Comunicação Social - SES/MG

Mobilização Social. Núcleo de Mobilização Social da Assessoria de Comunicação Social - SES/MG Mobilização Social 2013 Núcleo de Mobilização Social da Assessoria de Comunicação Social - SES/MG Mobilizar é convocar vontades para atuar na busca de um propósito comum, sob uma interpretação e um sentido

Leia mais

PROGRAMA DE GOVERNO DUQUE BACELAR 2013/2016

PROGRAMA DE GOVERNO DUQUE BACELAR 2013/2016 PROGRAMA DE GOVERNO DUQUE BACELAR 2013/2016 UM DUQUE PARA TODOS SAÚDE Proposta de ação: - Estabelecer parceria com as redes de hospitais do SUS, para melhor atendimento da população Bacelarense. - Ampliar

Leia mais

2-Titulo: CUIDANDO DO TRABALHADOR DA SAÚDE UMA EXPERIÊNCIA NO DISTRITO DE SAÚDE LESTE

2-Titulo: CUIDANDO DO TRABALHADOR DA SAÚDE UMA EXPERIÊNCIA NO DISTRITO DE SAÚDE LESTE 2º SEMINÁRIO NACIONAL HUMANIZA SUS Em Resposta, envio os dados sobre nosso trabalho: 1- Diretriz Valorização do trabalho e do trabalhador da saúde. 2-Titulo: CUIDANDO DO TRABALHADOR DA SAÚDE UMA EXPERIÊNCIA

Leia mais

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016

COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 COLIGAÇÃO INOVAR É PRECISO PROPOSTA DE GOVERNO 2013/2016 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL Implantar o Plano Diretor. Implantar o Orçamento participativo. Valorização pessoal do funcionário público municipal. Implantação

Leia mais

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012 Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer SALVADOR/BA ABRIL de 2012 MARCOS HISTÓRICOS 1998: Adesão do Brasil aos princípios diretivos

Leia mais

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002 Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Ao Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Gestão da Educação na Saúde E-mail: deges@saude.gov.br - prosaude@saude.gov.br CARTA ACORDO Nº. 0600.103.002

Leia mais

O PETI e o Trabalho em Rede. Maria de Fátima Nassif Equipe Proteção Social Especial Coordenadoria de Ação Social Secretaria de Desenvolvimento Social

O PETI e o Trabalho em Rede. Maria de Fátima Nassif Equipe Proteção Social Especial Coordenadoria de Ação Social Secretaria de Desenvolvimento Social O PETI e o Trabalho em Rede Maria de Fátima Nassif Equipe Proteção Social Especial Coordenadoria de Ação Social Secretaria de Desenvolvimento Social Articulação da rede de serviços socioassistenciais Proteção

Leia mais

Comissão Municipal Interinstitucional de Enfrentamento à Violência contra Crianças e Adolescentes

Comissão Municipal Interinstitucional de Enfrentamento à Violência contra Crianças e Adolescentes 1 Comissão Municipal Interinstitucional de Enfrentamento à Violência contra Crianças e Adolescentes PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO ÀS VIOLÊNCIAS CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES Ponta Grossa Paraná 2013

Leia mais

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento;

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Objetivo geral Promover a igualdade no mundo do trabalho e a autonomia

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PARÁ

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PARÁ PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PARÁ Objetivo 1 - Garantir ações de enfrentamento do HIV/DST/aids para gays, outros HSH e travestis, do ponto

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de 2008 Apoio Matricial em Saúde Mental: a Iniciativa de

Leia mais

PROGRAMA TEMPO DE ESCOLAO

PROGRAMA TEMPO DE ESCOLAO PROGRAMA TEMPO DE ESCOLAO O Programa Tempo de Escola foi iniciado em junho de 2010, com a participação de Escolas Municipais e ONGs executoras. O Programa Tempo de Escola, que inclui o Programa Mais Educação

Leia mais

Coordenação Técnica. Iniciativa

Coordenação Técnica. Iniciativa Coordenação Técnica Iniciativa Características do programa Conjunto de ações de formação para jovens entre 16 a 21 anos moradores das periferias das grandes metrópoles. Objetivos compartilhados Coordenação

Leia mais

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Serviços técnicos do Serviço Social na área da família e infância nos processos do Fórum de União da Vitória O Serviço

Leia mais

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica A iniciativa O projeto Praças é uma iniciativa do Instituto Sou da Paz, em parceria com a SulAmérica, que promove a revitalização de praças públicas da periferia de São Paulo com a participação da comunidade

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014 Plano de Ação Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014 APRESENTAÇÃO Nosso O Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do município de Juruti apresenta, no

Leia mais

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto?

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto? Projetos Sociais da Faculdade Campo Real A promoção da cidadania é qualidade de toda instituição de ensino consciente de sua relevância e capacidade de atuação social. Considerando a importância da Faculdade

Leia mais

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DE REGIÕES DE SAÚDE CRS Política de Saúde para o Idoso no Estado de São Paulo Selo Hospital Amigo do Idoso Centro de Referência do Idoso Resolução

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 325/2013 Data: 04 de Novembro de 2013 SÚMULA: Dispõe sobre o Plano Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, que tem por finalidade fortalecer e estruturar o COMAD como órgão legítimo para coordenar,

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE SUDESTE

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE SUDESTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE SUDESTE Karina Barros Calife Batista Coordenadoria Regional de Saúde Sudeste MUNICIPIO DE SÃO PAULO 11.581.798 habitantes (SEADE

Leia mais

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor.

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor. PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO PRIMÁRIA E VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DE

Leia mais

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da política e do Plano Decenal

Leia mais

População total = 417 983 Censo 2000

População total = 417 983 Censo 2000 AS AÇÕES BEM SUCEDIDAS EM ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR NUTR. JULIANA C. F. DE OLIVEIRA CHEFE DA SEÇÃO DE AÇÕES PREVENTIVAS COORDENADORIA DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE SECRETARIA

Leia mais

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL -Principais serviços que a Assistência Social possui para atendimento de idosos: - Proteção Social Básica (atendimento preventivo) - Centro de Convivência do Idoso - atualmente

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Dra. Patrícia

Leia mais

Objetivo 2 Ampliar e qualificar o acesso integral e universal à prevenção das DST/HIV/aids para Gays, outros HSH e Travestis.

Objetivo 2 Ampliar e qualificar o acesso integral e universal à prevenção das DST/HIV/aids para Gays, outros HSH e Travestis. Histórico 1º semestre de 2008 Elaboração do Plano Nacional de Enfrentamento da Epidemia de Aids e das DST entre gays, hsh e travestis Agos/08 Oficina Macro Sudeste para apresentação do Plano Nacional Set/08

Leia mais

ITAQUERA CAPELA DO SOCORRO SANTO AMARO PARELHEIROS

ITAQUERA CAPELA DO SOCORRO SANTO AMARO PARELHEIROS ITAQUERA_NEWm 19.12.07 02:25 Page 3 CONHEÇA O CCM C ENTRO DE M C IDADANIA DA Mulher Os Centros de Cidadania da Mulher são os braços da Coordenadoria Especial da Mulher em ação, cuidando dos interesses

Leia mais

2º SEMINÁRIO DO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ E PREVENÇÃO DAS VIOLÊNCIAS

2º SEMINÁRIO DO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ E PREVENÇÃO DAS VIOLÊNCIAS 2º SEMINÁRIO DO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ E PREVENÇÃO DAS VIOLÊNCIAS Objetivo do PSE O Programa Saúde na Escola (PSE) vem contribuir para o fortalecimento de ações na perspectiva

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação da Rede de Proteção Social de Araucária

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação da Rede de Proteção Social de Araucária Mostra de Projetos 2011 Projeto de Implantação da Rede de Proteção Social de Araucária Mostra Local de: Araucária. Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral.

Articular o Conselho Escolar, os Grêmios Estudantis, os trabalhadores de educação, as Associações de Pais e Mestres e a comunidade em geral. EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente nos âmbitos federal, estadual,

Leia mais

desigual São Paulo uma cidade 10.886.518 milhões de habitantes muito 3,4 milhões São Paulo: maior concentração de pobreza das Américas

desigual São Paulo uma cidade 10.886.518 milhões de habitantes muito 3,4 milhões São Paulo: maior concentração de pobreza das Américas São Paulo São Paulo: maior concentração de pobreza das Américas uma cidade 10.886.518 milhões de habitantes muito Jornal Folha de São Paulo, 02/12/2007 3,4 milhões desigual de pessoas pobres (até ½ SM

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

FUNK CONSCIENTIZA. VAI 1 - música

FUNK CONSCIENTIZA. VAI 1 - música PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, fevereiro de 2010 FUNK CONSCIENTIZA VAI 1 - música Proponente Nome RG: CPF: Endereço Fone: E-mail: DADOS

Leia mais

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo.

REGIÃO SUL. Grupo 1 EXPLORAÇÃO SEXUAL Políticas Envolvidas. Assistência Social. Saúde. Segurança pública. Sistema de justiça. Turismo. REGIÃO SUL Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Realizar campanhas articuladas entre as políticas para prevenção do turismo sexual (agentes de saúde, professores

Leia mais

Juventude com Arte, Saúde e Cidadania Autores: Ellen da Silva Mourão; Giovanna Grasiane de Sousa; Preceptora de Serviço: Maria Regina de Paula Fagundes Netto; Preceptora Acadêmica: Lêda Maria Leal de Oliveira.

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL MEDIDAS CONCRETAS PARA O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ÂMBITO DOMÉSTICO/FAMILIAR A presente Matriz insere-se no

Leia mais

Política Municipal de Saúde Perinatal. Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte

Política Municipal de Saúde Perinatal. Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte Política Municipal de Saúde Perinatal Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte BH -REDE ASSISTENCIAL 9 Distritos Sanitários 147 Centros de Saúde 544 ESF 2.420 ACS CERSAM, UPA, outros 34 hospitais conveniados

Leia mais

Ministério da Saúde Área Técnica de Saúde Mental Álcool e outras Drogas Miriam Di Giovanni Curitiba/PR - 12/11/2010

Ministério da Saúde Área Técnica de Saúde Mental Álcool e outras Drogas Miriam Di Giovanni Curitiba/PR - 12/11/2010 Saúde da População em Situação de Rua, com foco em Saúde Mental Consultório de Rua Ministério da Saúde Área Técnica de Saúde Mental Álcool e outras Drogas Miriam Di Giovanni Curitiba/PR - 12/11/2010 Saúde

Leia mais

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA COORDENAÇÃO ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA Ministério Público - Procuradoria Regional dos Direitos

Leia mais

AÇÕES DE EXTENSÃO E CUTURA 2010 UNIDADE: FOP ÁREA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO REPRESENTANTE: CLEIDE RODRIGUES

AÇÕES DE EXTENSÃO E CUTURA 2010 UNIDADE: FOP ÁREA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO REPRESENTANTE: CLEIDE RODRIGUES AÇÕES DE EXTENSÃO E CUTURA 2010 UNIDADE: FOP ÁREA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO REPRESENTANTE: CLEIDE RODRIGUES PROJETO SALA DE ESPERA Equipe de trabalho: SERVIÇO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DA FOP Cleide Rodrigues e

Leia mais

Lions Clube Centro-São José dos Campos

Lions Clube Centro-São José dos Campos Lions Clube Centro-São José dos Campos Projeto Transformação BRASIL Transformação é um projeto que visa ampliar as oportunidades educativas, investindo no desenvolvimento do potencial de cada criança e

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas

Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas 1. APRESENTAÇÃO e JUSTIFICATIVA: O consumo de crack vem aumentando nas grandes metrópoles, constituindo hoje um problema

Leia mais

I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial

I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Coordenadoria de Proteção Social Especial Março/2014 CONSTITUIÇÃO FEDERAL

Leia mais

Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão

Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão OS RECURSOS FINANCEIROS DO ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA TV GLOBO realiza CAMPANHA CRIANÇA ESPERANÇA com programa na TV UNESCO recebe DOAÇÃO e apóia diferentes

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE Fazer laços é ligar, entrelaçar o que está separado. Literal e metaforicamente falando. A inclusão do trabalho sobre o tema da sexualidade

Leia mais

Quadro 28: Percentual de matrículas inclusivas no Brasil e no DF

Quadro 28: Percentual de matrículas inclusivas no Brasil e no DF META 4 Universalizar o atendimento educacional aos estudantes com deficiência, transtorno global do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, independente da idade, garantindo a inclusão na

Leia mais

BH - REDE ASSISTENCIAL

BH - REDE ASSISTENCIAL BH - REDE ASSISTENCIAL 2.300.000 habitantes 9 Distritos Sanitários 147 Centros de Saúde 544 ESF cobertura 80% 2.420 ACS CERSAM e UPA regionais 34 hospitais 7 maternidades SUS Assistência - Regulação -

Leia mais

O compromisso da Rede de Saúde Santa Marcelina com o Meio Ambiente

O compromisso da Rede de Saúde Santa Marcelina com o Meio Ambiente O compromisso da Rede de Saúde Santa Marcelina com o Meio Ambiente Rede de Saúde Santa Marcelina Abrangência e População de Referência População: 2.500.000 habitantes Hospital Universitário Principal referência

Leia mais

A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE NA APAM-ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA DE PONTA GROSSA.

A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE NA APAM-ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA DE PONTA GROSSA. A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE NA APAM-ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA DE PONTA GROSSA. SILVA, Jessica Da¹. NADAL, Isabela Martins². GOMES, R.C. Ana³. RESUMO: O presente trabalho é referente à prática

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE 9ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE RELATÓRIO FINAL

CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE 9ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE RELATÓRIO FINAL 9ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL RELATÓRIO FINAL TEMA CENTRAL Saúde e Qualidade de Vida: Política de Estado e Desenvolvimento DIRETRIZES PROPOSTAS PELAS OFICINAS TEMÁTICAS PARA COLOMBO, BIÊNIO 2007-2009, APROVADAS

Leia mais

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA,

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA, Carta de Campinas Nos dias 17 e 18 de junho de 2008, na cidade de Campinas (SP), gestores de saúde mental dos 22 maiores municípios do Brasil, e dos Estados-sede desses municípios, além de profissionais

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

O CUIDADO QUE EU PRECISO

O CUIDADO QUE EU PRECISO O CUIDADO QUE EU PRECISO GOVERNO FEDERAL GOVERNO ESTADUAL GOVERNO MUNICIPAL MOVIMENTOS SOCIAIS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O CUIDADO QUE EU PRECISO Serviço Hospitalar de Referência AD CAPS AD III Pronto Atendimento

Leia mais

A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM. Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007

A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM. Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007 A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007 A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Dimensão formativa do programa voltada à educação para a cidadania

Leia mais

Equipe de Saúde. Jeanine e Sarah

Equipe de Saúde. Jeanine e Sarah Equipe de Saúde Jeanine e Sarah Considerando o saber popular dos agentes comunitários, quais as atividades de educação e promoção do aleitamento materno e alimentação complementar saúdável podem ser realizadas

Leia mais

Programa Academia da Saúde

Programa Academia da Saúde Programa Academia da Saúde Política Nacional de Promoção da Saúde Objetivos: Promover a qualidade de vida Reduzir a vulnerabilidade e os riscos à saúde relativos aos seus determinantes e condicionantes

Leia mais

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNCIPAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNCIPAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO 1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 004/2014 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PESSOAL PARA ATENDER A RECENSEAMENTO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA E A DIVERSOS OUTROS PROGRAMAS E SERVIÇOS

Leia mais

Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo de Gênero Pró-Mulher

Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo de Gênero Pró-Mulher MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Ministério Público do Distrito Federal e Territórios Coordenação dos Núcleos de Direitos Humanos - CNDH Núcleo de Gênero Pró-Mulher Relatório de atividades 2011-2012 Núcleo

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-SUAS TRABALHANDO EM REDE

SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-SUAS TRABALHANDO EM REDE SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-SUAS TRABALHANDO EM REDE CONCEITO DE REDE Para as Ciências Sociais: conjunto de relações sociais entre um conjunto

Leia mais