Relatório da prática/proposta

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório da prática/proposta"

Transcrição

1 Relatório da prática/proposta 1.Nome da pratica/ proposta inovadora: Projeto Amigos da Cegonha em parceria com o Rotary Integração 2.Caracterização da situação anterior: O Hospital Municipal de Navirai- Antonio Augusto dos Santos Virote, é um hospital geral, de gestão municipal, com 84 leitos, sendo estes 14 distribuídos na maternidade, onde 12 são alojamento conjunto, e 2 pré-partos. Possui um centro cirúrgico com 3 salas cirúrgicas, sendo 2 para cirurgia geral, e 1 sala de parto. Os 12 leitos de alojamento conjunto são distribuídos em 4 enfermarias, ficando cada enfermaria com 3 leitos. O espaço das enfermarias é pequeno, pois agrega ainda o acompanhante e o bebe, o que tira a privacidade da gestante. A sala de pré-parto possuía 2 leitos, também num espaço pequeno. O município de Naviraí está inserido no Programa do Ministério da Saúde: Rede Cegonha, porém ainda está em fase de liberação. Na ânsia de buscar melhorias na assistência ao parto e nos cuidados com a puérpera e o recém-nascido, em consonância com as Diretrizes do Programa de Humanização do Pré- Natal e nascimento, buscou-se parceiros que pudessem colaborar na mudança do ambiente que recebe a gestante, especificamente as salas de pré-parto. Após a 1ª. Oficina de Sensibilização ao Parto Humanizado, destinada a toda equipe da maternidade e centro cirúrgico, abrangendo obstetras, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, ministrada pela apoiadora do Ministério da Saúde para Rede Cegonha, houve um engajamento de toda equipe em tentar mudar práticas e ambiente relacionado ao parto, adequando-as para a Humanização do Parto, resultando num acolhimento adequado a gestante e ao recém nascido. Assim, a oficina possibilitou pequenas mudanças na estrutura hospitalar, com a implantação das salas PPP, através de medidas simples que priorizam o acolhimento e privacidade da gestante, a presença do acompanhante e espaço deambulação.

2 3.Descrição da prática/ proposta inovadora: Projeto Amigos da Cegonha em parceria com Rotary Integração- Implantação das Salas PPPs Objetivos que se propõe e resultados visados: Adequar o ambiente hospitalar; Implantar as salas PPP Garantir a gestante, acolhimento e privacidade; Espaço para deambulação e para exercícios que contribuam na evolução do parto; 3.2.Público-alvo da prática/proposta inovadora: Gestantes do município de Naviraí e região. 3.3.Concepção e trabalho em equipe: As enfermeiras da maternidade e centro cirúrgico propuseram a busca pela parceria com entidades para conseguirmos os materiais necessários. A idéia foi logo aceita pela entidade Rotary Integração, que foi responsável pela doação dos materiais: adesivos decorativos das salas PPP; cadeira para acompanhante; cortina divisória para garantir a privacidade da gestante; som ambiente; banco de cócoras; colchonetes; bolas de pilates para exercícios; quadros ilustrativos; cortina para banheiro. A Prefeitura ficou responsável pela pintura da sala de cor rosa e camas novas adaptadas para o quarto PPP. As mudanças foram ocorrendo devido ao trabalho de toda equipe, que decoraram as salas, instalaram cortinas, adaptaram mobiliário Ações e etapas da implementação: Mobilização de toda equipe nas mudanças do processo de trabalho; Aceitação e empenho do Rotary Integração, que não só doou os materiais, mas ajudou efetivamente na decoração das salas PPPs; Aquisição dos materiais necessários;

3 Pintura das Salas; Adequação da altura das camas para melhor locomoção da gestante; Adaptação de camisolas com a abertura para frente, garantindo privacidade a gestante durante o trabalho de parto; Confecção de toucas para o recém nascido ; Criação de uma enfermaria para abrigar a sala PPP; Adequação da ambiência das salas de PPP; 4.Recursos utilizados: 4.1. Descrição dos recursos humanos, financeiros, materiais, tecnológicos, entre outros Recursos Humanos Foram mobilizada toda equipe da maternidade: Técnicos de Enfermagem; Auxiliares de Enfermagem; Obstétras; Anestesistas; Recursos Financeiros Os recursos financeiros foram empregados em parceria com o Rotary Integração. O município não teve despesas com o projeto Recursos Materiais e Tecnológicos Materiais fornecidos pela Rotary Integração: Adesivos decorativos; Banco de cócoras;

4 Cadeira para acompanhante; Cortinas divisórias; Cortina para banheiro; Bola de pilates para exercícios; Colchonetes; Som ambiente; 4.2. Por que considera que houve utilização eficiente dos recursos na prática\proposta A implantação das Salas PPPs, permitiram um acolhimento adequado a gestante e ao acompanhante, maior privacidade durante o trabalho de parto, espaço para deambulação e para exercícios. Verificou-se que as medidas adotadas influenciaram no bem estar das parturientes, fazendo com que se sintam mais seguras e amparadas, resultando num parto mais tranqüilo e com uma evolução melhor. A mudança resultou também num maior comprometimento do acompanhante, sendo este participativo durante toda evolução do parto. 5. Caracterização da situação atual: 5.1. Mecanismos ou métodos de monitoramento e avaliação de resultados e indicadores utilizados: O processo de avaliação das Salas PPPs será contínuo e sistemático, envolvendo a participação de toda equipe, auxiliares, técnicos de enfermagem, enfermeiros, obstetras, bem como a própria gestante e o acompanhante Resultados quantitativos e qualitativos concretamente mensurados: Aprimoramento da assistência ao pré-parto, parto e pós-parto;

5 Privacidade á gestante durante o pré-parto e pós-parto; Evolução do parto, mais rápida e mais tranqüila; 6. Lições aprendidas: 6.1. Soluções adotadas para a superação dos principais obstáculos encontrados: Não foram encontrados obstáculos para execução do projeto. Este foi bem aceito por todos os envolvidos, administração, equipe da maternidade, gestantes e acompanhantes, resultando de forma rápida e resolutiva as mudanças nos processos de trabalhos Fatores críticos de sucesso: Fatores que contribuíram para o sucesso da prática foram: Comprometimento de toda equipe nas mudanças dos processos de trabalhos; Parceria eficiente com o Rotary Integração; A 1ª. Oficina de Sensibilização ao Parto Normal, foi o ponto de partida do projeto, o que nos impulsionou a buscar mudanças; A aceitação e empenho da administração do Hospital; 6.3. Por que a prática pode ser considerada uma inovação? A prática da implantação das salas PPPs no Hospital Municipal em parceria com o Rotary Integração é considerada inovadora, pois possibilita a participação efetiva da sociedade nos processos de trabalho, resultando mudanças qualitativas e quantitativas no acolhimento a gestante durante o pré-parto, parto, pós-parto, influenciando na qualidade do parto normal ou natural, diminuindo assim as intervenções cirúrgicas.

6

PROJETO CONSULTA ÚNICA: METODOLOGIA PAUTADA NA RESOLUTIVIDADE.

PROJETO CONSULTA ÚNICA: METODOLOGIA PAUTADA NA RESOLUTIVIDADE. PROJETO CONSULTA ÚNICA: METODOLOGIA PAUTADA NA RESOLUTIVIDADE. Caracterização da situação anterior Em 2013, a Secretaria de Saúde Pública de Campo Grande (SESAU) detectou déficit de profissionais ginecologistas/obstetras

Leia mais

Elementos para suporte na Decisão Clínica e organização da atenção na Área de Saúde da Mulher

Elementos para suporte na Decisão Clínica e organização da atenção na Área de Saúde da Mulher PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE 1 Identificação Título Implantação da linha de cuidado em Saúde da Mulher na USF Hidrolândia Área temática Elementos para suporte na Decisão Clínica e organização da atenção

Leia mais

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DO SERVIDOR DO IPAMV: COMPROMISSO COM A VIDA

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DO SERVIDOR DO IPAMV: COMPROMISSO COM A VIDA 5.1 Nome da Iniciativa ou Projeto PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DO SERVIDOR DO IPAMV: COMPROMISSO COM A VIDA 5.2 Caracterização da Situação Anterior A partir de 2005, houve início uma

Leia mais

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR PROMOÇÃO DO PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR Ações já realizadas pela ANS desde 2004 Sensibilização do setor, promoção e participação ii em eventos para discussão com especialistas nacionais e internacionais

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de elaboração de meios para a integração da assistência à gestação, parto, puerpério e puericultura

Mostra de Projetos 2011. Projeto de elaboração de meios para a integração da assistência à gestação, parto, puerpério e puericultura Mostra de Projetos 2011 Projeto de elaboração de meios para a integração da assistência à gestação, parto, puerpério e puericultura Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação,

Leia mais

considerando a necessidade de diminuir o risco de infecção hospitalar, evitar as complicações maternas e do recém-nascido;

considerando a necessidade de diminuir o risco de infecção hospitalar, evitar as complicações maternas e do recém-nascido; PORTARIA Nº 1.016, DE 26 DE AGOSTO DE 1993 O Ministério de Estado da Saúde, Interino no uso das atribuições legais, e. considerando a necessidade de incentivar a lactação e o aleitamento materno, favorecendo

Leia mais

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS Atualização da Minuta de portaria para a Assembleia do CONASS em 21/03/2012 1. Contextualização Pessoas com deficiência são

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Brasília - DF 2014 Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO

Leia mais

São as atividades e procedimentos necessários à admissão e acolhimento da paciente na instituição.

São as atividades e procedimentos necessários à admissão e acolhimento da paciente na instituição. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Título: Recepção de Pacientes na Emergência Obstétrica Responsável pela prescrição do POP Responsável pela execução do POP POP N 07 Área de Aplicação: Obstetrícia Setor:

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da Iniciativa ou Projeto Jornal Mural Taruíra: fortalecendo a comunicação com os servidores 5.2 Caracterização da Situação Anterior Historicamente, a comunicação interna

Leia mais

Seleção de Projetos para os Programas do Instituto Ronald McDonald Edital 2015/Carteira de Projetos 2016 Anexo 1 Tipos de Projeto

Seleção de Projetos para os Programas do Instituto Ronald McDonald Edital 2015/Carteira de Projetos 2016 Anexo 1 Tipos de Projeto Anexo 1 A - Apoio à qualificação e humanização da assistência de média e de alta complexidade. Apoiar os serviços habilitados a prestar tratamento oncopediátrico com progressiva qualificação de suas ações,

Leia mais

Boletim Eletrônico Casa Abrigo Betel

Boletim Eletrônico Casa Abrigo Betel Boletim Eletrônico Casa Abrigo Betel Nesta edição: 5ª edição Agosto de 2011 Palavra da Presidente Palavra da Presidente 1 Conheça a Casa Abrigo Betel A importância do trabalho da enfermagem. A parceria

Leia mais

Integrando saberes para um novo fazer em saúde, a experiência do PET- SAUDE-Natal-RN.

Integrando saberes para um novo fazer em saúde, a experiência do PET- SAUDE-Natal-RN. Integrando saberes para um novo fazer em saúde, a experiência do PET- SAUDE-Natal-RN. Autores: Antonio Medeiros Júnior, Jonia Cybelle Santos Lima, Francisca Nazaré Líberalino, Nilma Dias Leão Costa, Maria

Leia mais

Oficina de Ambiência para o Parto e Nascimento

Oficina de Ambiência para o Parto e Nascimento Mirela Pilon Pessatti Consultora PNH/DAPES/SAS Oficina de Ambiência para o Parto e Nascimento Maternidades de Belo Horizonte Local: Hospital Sofia Feldman/ BH 03/04/2012 Ambiência na PNH Uma das diretrizes

Leia mais

O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ

O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ RESPEITO AO MEIO AMBIENTE: Programa de Incentivo ao Plantio de Mudas e Manutenção de Vias Públicas e Escolas Municipais Para a franquia O Boticário de São Gonçalo

Leia mais

Recepção e acolhimento da puérpera na unidade, associados à prestação dos cuidados de enfermagem voltados à segurança, conforto e avaliação.

Recepção e acolhimento da puérpera na unidade, associados à prestação dos cuidados de enfermagem voltados à segurança, conforto e avaliação. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Título: Admissão da Puérpera no Pós-Parto Vaginal Responsável pela prescrição do POP Responsável pela execução do POP POP N 04 Área de Aplicação: Obstetrícia Setor: Alojamento

Leia mais

Instrumento de Coleta Sistematizado para Visita Domiciliar

Instrumento de Coleta Sistematizado para Visita Domiciliar 236 Instrumento de Coleta Sistematizado para Visita Domiciliar (Systematic collection tool for Home Visit) Gisleangela Rodrigues Lima Carrara 1 ; Priscila de Martini Alves 2 ; Gabriela Bernal Salvador

Leia mais

VI PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE GESTÃO PÚBLICA

VI PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE GESTÃO PÚBLICA VI PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE GESTÃO PÚBLICA CATEGORIA PRÁTICA INOVADORA SERVIÇO DE MALOTE (DENTRO DO PROTOCOLO GERAL DA SEMED- SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO) ROSIMEIRE LEAL DE OLIVA ANEXO II VI PRÊMIO

Leia mais

NASCER COM QUALIDADE

NASCER COM QUALIDADE HOSPITAL DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, EPE - BARREIRO NASCER COM QUALIDADE Em 2007 registámos 1900 partos. Crescemos relativamente a 2006. Prestamos cuidados diferenciados de excelência à grávida e à puérpera.

Leia mais

1) Nome do Projeto Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos do Município de Vitória

1) Nome do Projeto Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos do Município de Vitória 1) Nome do Projeto Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos do Município de Vitória 2) Caracterização da Situação Anterior O Plano de Cargos e Carreira é um estímulo para o servidor. O último plano de Cargos,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO SEBASTIÃO DO OESTE ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO SEBASTIÃO DO OESTE ESTADO DE MINAS GERAIS O MUNICÍPIO DE SÃO SEBASTIÃO DO OESTE MG, torna público a retificação do Anexo I e Anexo II do Edital do Processo Seletivo Simplificado para formação de quadro de reserva para contratação futura de pessoal

Leia mais

A gestão regionalizada das Redes de Atenção Luís s Carlos Casarin Ministério da Saúde Secretaria de Atenção àsaúde -SAS

A gestão regionalizada das Redes de Atenção Luís s Carlos Casarin Ministério da Saúde Secretaria de Atenção àsaúde -SAS A gestão regionalizada das Redes de Atenção Luís s Carlos Casarin Ministério da Saúde Secretaria de Atenção àsaúde -SAS DESAFIO DESAFIO Extensão: 8.547.403,5 Km² (dimensão continental) População: 190.732.694

Leia mais

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1

Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Programa Mato-grossense de Municípios Sustentáveis Registro de Experiências municipais 1 Conceito de Tecnologia Social aplicada a Municípios Sustentáveis: "Compreende técnicas, metodologias e experiências

Leia mais

10º Encontro de Higienização e Lavanderia Hospitalar da Região Sul. Gestão de Desempenho Fernando Andreatta Torelly Superintendente Administrativo

10º Encontro de Higienização e Lavanderia Hospitalar da Região Sul. Gestão de Desempenho Fernando Andreatta Torelly Superintendente Administrativo 10º Encontro de Higienização e Lavanderia Hospitalar da Região Sul Gestão de Desempenho Fernando Andreatta Torelly Superintendente Administrativo Perfil do Hospital Hospital Geral Alta complexidade Tecnologia

Leia mais

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Avaliação Econômica como instrumento para o aprimoramento da gestão das ações sociais 26/09/2013 Fundação

Leia mais

CUIDANDO DA NOSSA CASA: AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE EM UM HOSPITAL PÚBLICO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

CUIDANDO DA NOSSA CASA: AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE EM UM HOSPITAL PÚBLICO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO HOSPITAL ESTADUAL CENTRAL BENÍCIO TAVARES PEREIRA GERENCIAMENTO: ASSOCIAÇÃO CONGREGAÇÃO DE SANTA CATARINA CUIDANDO DA NOSSA CASA: AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE EM UM HOSPITAL PÚBLICO DO ESTADO DO ESPÍRITO

Leia mais

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários MININSTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários Programa: Urbanização Regularização

Leia mais

Relatório da prática/proposta

Relatório da prática/proposta Relatório da prática/proposta 1.Nome da pratica/ proposta inovadora: Projeto de Digitalização de Imagens Radiológicas na Rede Pública de Saúde de Naviraí 2.Caracterização da situação anterior: O município

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 Institui a Unidade de Acolhimento para pessoas

Leia mais

COMUNICAÇÃO NA LINHA ASSISTENCIAL

COMUNICAÇÃO NA LINHA ASSISTENCIAL COMUNICAÇÃO NA LINHA ASSISTENCIAL Ministério da Saúde QUALIHOSP 2011 São Paulo, abril de 2011 A Secretaria de Atenção à Saúde/MS e a Construção das Redes de Atenção à Saúde (RAS) As Redes de Atenção à

Leia mais

Edição XI Ano IV Novembro de 2015. Pela. infância

Edição XI Ano IV Novembro de 2015. Pela. infância Edição XI Ano IV Novembro de 2015 Pela infância 1 editorial Por Misael Elias, integrante do CDC O ano de 2015 vai chegando ao fim e demonstra o quanto foi produtivo para o CDC de Pedro Leopoldo. O investimento

Leia mais

PARECER CRM/MS N 15/2014 PROCESSO CONSULTA CRM MS: INTERESSADO

PARECER CRM/MS N 15/2014 PROCESSO CONSULTA CRM MS: INTERESSADO PARECER CRM/MS N 15/2014 PROCESSO CONSULTA CRM MS: 09/2014 INTERESSADO: ASSOCIAÇÃO BENEFICIENTE DE CAMPO GRANDE PARECERISTA: Eliana Patrícia S. Maldonado Pires PALAVRA CHAVE: Doulas; Parto dentro d agua.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE-SPAIS Goiânia Agosto/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE - SPAIS 7. GERÊNCIA DE

Leia mais

FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES

FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES 13º AUDHOSP Congresso Nacional de Auditoria em Saúde e Qualidade da Gestão e Assistência Hospitalar FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES Setembro/2014

Leia mais

Parcerias Público-Privadas (PPP) Acadêmicos no fornecimento de desenvolvimento da primeira infância

Parcerias Público-Privadas (PPP) Acadêmicos no fornecimento de desenvolvimento da primeira infância Parcerias Público-Privadas (PPP) Acadêmicos no fornecimento de desenvolvimento da primeira infância CONFERÊNCIA GLOBAL SOBRE DESENVOLVIMENTO NA PRIMEIRA INFÂNCIA Fundação Maria Cecília Souto Vidigal FMCSV

Leia mais

UNESP FACULDADE DE MEDICINA

UNESP FACULDADE DE MEDICINA Estabelecimento de competências essenciais e avaliação de perfil e potencial dos servidores da Diretoria Administrativa da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) - UNESP Sandra Aparecida Andrades Silva

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES MARIÁ BARBALHO NARDI Orientadora: Prof.ª Drª Isabel Cristina Echer

Leia mais

1ª Adequação do Regimento do Serviço de Enfermagem do Consórcio Intermunicipal de Saúde Centro Oeste do Paraná INTRODUÇÃO

1ª Adequação do Regimento do Serviço de Enfermagem do Consórcio Intermunicipal de Saúde Centro Oeste do Paraná INTRODUÇÃO 1ª Adequação do Regimento do Serviço de Enfermagem do Consórcio Intermunicipal de Saúde Centro Oeste do Paraná INTRODUÇÃO A assistência de enfermagem com qualidade está diretamente ligada à organização

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PARATY INSTITUTO C&A DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CASA AZUL

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PARATY INSTITUTO C&A DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CASA AZUL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PARATY INSTITUTO C&A DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CASA AZUL EDITAL CONCURSO ESCOLA DE LEITORES PARATY - RJ 2009/2010 OBJETO: Seleção de projetos para o Concurso

Leia mais

SAÚDE DA MULHER, MORTALIDADE MATERNA E REDUÇÃO DE DANOS. Novembro de 2008

SAÚDE DA MULHER, MORTALIDADE MATERNA E REDUÇÃO DE DANOS. Novembro de 2008 PARAÍBA NEGO SAÚDE DA MULHER, MORTALIDADE MATERNA E REDUÇÃO DE DANOS Novembro de 2008 Atenção Básica Conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrangem a promoção e a proteção da

Leia mais

Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares

Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Enfermagem THAÍLA TANCCINI Relatório de Conclusão do Estágio Curricular III Serviços Hospitalares Porto Alegre 2011 2 THAÍLA TANCCINI Relatório de

Leia mais

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar Histórico 2005: Início dos trabalhos com financiamento da prefeitura municipal de Cascavel. 2008: ampliação dos serviços para 2 equipes de

Leia mais

Caderneta da Gestante

Caderneta da Gestante Caderneta da Gestante * A assistência pré-natal se constitui em cuidados e condutas que visam o bom desenvolvimento da gestação e o parto de um recém-nascido saudável. Entre as ações para qualificação

Leia mais

Política Municipal para o Desenvolvimento Integral da Primeira Infância na Cidade de São Paulo

Política Municipal para o Desenvolvimento Integral da Primeira Infância na Cidade de São Paulo VIVER A CIDADE QUE A GENTE AMA. FAZER A SÃO PAULO QUE A GENTE QUER. Política Municipal para o Desenvolvimento Integral da Primeira Infância na Cidade de São Paulo A importância da primeira infância O desenvolvimento

Leia mais

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA GLOSSÁRIO DE TERMOS DO MARCO ANALÍTICO Avaliação de Projetos de Cooperação Sul-Sul: exercício fundamental que pretende (i ) aferir a eficácia, a eficiência e o potencial

Leia mais

Experiência: Modelo de Gestão de Capacitação da Presidência da República - Pool de Capacitação

Experiência: Modelo de Gestão de Capacitação da Presidência da República - Pool de Capacitação Experiência: Modelo de Gestão de Capacitação da Presidência da República - Pool de Capacitação Casa Civil Diretoria de Recursos Humanos Responsável: Selma Teresa de Castro Roller Quintella, Diretora de

Leia mais

TELEPED-TELEMEDICINA COMO ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: RELATO DE EXPERIÊNCIA

TELEPED-TELEMEDICINA COMO ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: RELATO DE EXPERIÊNCIA TELEPED-TELEMEDICINA COMO ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO E PROMOÇÃO DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: RELATO DE EXPERIÊNCIA Sandhara Ribeiro Rodrigues 1 Maria Auxiliadora Ferreira Brito 2 1 Introdução/ Desenvolvimento

Leia mais

PARECER CEE/PE Nº 82/2005-CEB APROVADO PELO PLENÁRIO EM 17/11/2005 I RELATÓRIO:

PARECER CEE/PE Nº 82/2005-CEB APROVADO PELO PLENÁRIO EM 17/11/2005 I RELATÓRIO: INTERESSADA: ESCOLA TÉCNICA DE ENFERMAGEM IRMÃ DULCE ASSUNTO: RENOVAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM E ESPECIALIZAÇÕES EM INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA, ENFERMAGEM DO TRABALHO E ENFERMAGEM

Leia mais

TOP SER HUMANO ABRH-RS 2016 Categoria Organização. TABELA DE AVALIAÇÃO 1ª Etapa Leitura do case

TOP SER HUMANO ABRH-RS 2016 Categoria Organização. TABELA DE AVALIAÇÃO 1ª Etapa Leitura do case TOP SER HUMANO ABRH-RS 2016 Categoria Organização TABELA DE AVALIAÇÃO 1ª Etapa Leitura do case Critérios e Itens de Avaliação máxima 1 APRESENTAÇÃO peso 2 20 1.1 Estruturação geral do case 20 2 APLICABILIDADE

Leia mais

Objetivos da SMAM 2013

Objetivos da SMAM 2013 Objetivos da SMAM 2013 1. Conscientizar da importância dos Grupos de Mães (ou do Aconselhamento em Amamentação) no apoio às mães para iniciarem e manterem a amamentação. 2. Informar ao público sobre os

Leia mais

ANEXO 14 -NORMAS PARA PROJETOS FÍSICOS DEESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DESAÚDE DEFINIÇÕES IM PORTANTES PARA O CADASTRAM ENTO

ANEXO 14 -NORMAS PARA PROJETOS FÍSICOS DEESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DESAÚDE DEFINIÇÕES IM PORTANTES PARA O CADASTRAM ENTO ANEXO 14 -NORMAS PARA PROJETOS FÍSICOS DEESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DESAÚDE Resolução - RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002 Substitui a Portaria MS nº1.884,de 11/11/1994 Este glossário se complementa

Leia mais

O HOSPITAL DO SNS NO FUTURO. Francisco Ramos Presidente do Conselho de Administração do IPOLFG

O HOSPITAL DO SNS NO FUTURO. Francisco Ramos Presidente do Conselho de Administração do IPOLFG O HOSPITAL DO SNS NO FUTURO Francisco Ramos Presidente do Conselho de Administração do IPOLFG 22-06-2016 1. O PASSADO Os problemas A urgência como forma de acesso em primeira linha A combinação público-privado

Leia mais

Trajetória do INTO nos Programas de Qualidade Julho / 2010

Trajetória do INTO nos Programas de Qualidade Julho / 2010 Trajetória do INTO nos Programas de Qualidade Julho / 2010 INTO - Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Instituição Pública do Ministério da Saúde ligada diretamente à Secretaria de Atenção à

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Avaliação da Estratégia de Saúde da Família

Sistema de Monitoramento e Avaliação da Estratégia de Saúde da Família Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde Sistema de Monitoramento e Avaliação da Estratégia de Saúde da Família Conceitos, metodologia de cálculo e metas de acompanhamento Patrícia

Leia mais

Experiência: PROGRAMA DE RACIONALIZAÇÃO DE PROCESSOS COM BASE NA APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL PRPAO

Experiência: PROGRAMA DE RACIONALIZAÇÃO DE PROCESSOS COM BASE NA APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL PRPAO Experiência: PROGRAMA DE RACIONALIZAÇÃO DE PROCESSOS COM BASE NA APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL PRPAO Exército Brasileiro - Hospital de Guarnição de Marabá Ministério da Defesa Responsável: Alexssandro da

Leia mais

Preparação para a cirurgia da criança, jovem / família, enquanto Programa de Melhoria Contínua da Qualidade dos Cuidados de Enfermagem

Preparação para a cirurgia da criança, jovem / família, enquanto Programa de Melhoria Contínua da Qualidade dos Cuidados de Enfermagem Preparação para a cirurgia da criança, jovem / família, enquanto Programa de Melhoria Contínua da Qualidade dos Cuidados de Enfermagem Luísa Bandola Sandra Faleiro Arminda Monteiro Âmbito: Consulta realizada

Leia mais

COMUNICAÇÃO TERAPÊUTICA ENTRE ENFERMEIRO E PACIENTE IDOSO EM PÓS-OPERATÓRIO

COMUNICAÇÃO TERAPÊUTICA ENTRE ENFERMEIRO E PACIENTE IDOSO EM PÓS-OPERATÓRIO COMUNICAÇÃO TERAPÊUTICA ENTRE ENFERMEIRO E PACIENTE IDOSO EM PÓS-OPERATÓRIO Kaisy Pereira Martins - UFPB kaisyjp@hotmail.com Kátia Neyla de Freitas Macêdo Costa UFPB katianeyla@yahoo.com.br Tatiana Ferreira

Leia mais

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*):

3. EIXOS DE DESENVOLVIMENTO (*): PAC UFSCar 2016 1.INTRODUÇÃO A Política de Capacitação da UFSCar estabelece as diretrizes para capacitação de servidores com vistas ao desenvolvimento de um processo de educação continuada e permanente

Leia mais

Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas

Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas Estruturar e organizar a rede de serviços de prevenção, tratamento e acolhimento do município de São Paulo destinadas aos cuidados

Leia mais

Caderno Virtual de Turismo E-ISSN: 1677-6976 caderno@ivt-rj.net Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil

Caderno Virtual de Turismo E-ISSN: 1677-6976 caderno@ivt-rj.net Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil E-ISSN: 1677-6976 caderno@ivt-rj.net Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil Siems Forte, Ana Maria A C, vol. 3, núm. 3, 2003, pp. 7-13 Universidade Federal do Rio de Janeiro Río de Janeiro, Brasil

Leia mais

ANEXO II VIII PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE GESTÃO PÚBLICA CATEGORIA PRÁTICAS INOVADORAS NA GESTÃO ESTADUAL RELATO DA PRÁTICA

ANEXO II VIII PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE GESTÃO PÚBLICA CATEGORIA PRÁTICAS INOVADORAS NA GESTÃO ESTADUAL RELATO DA PRÁTICA ANEXO II VIII PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE GESTÃO PÚBLICA CATEGORIA PRÁTICAS INOVADORAS NA GESTÃO ESTADUAL RELATO DA PRÁTICA 1. Nome da Prática inovadora: - Programa de Educação Ambiental Saneamento Básico

Leia mais

Experiência: PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL - GESTÃO DE PESSOAS BUSCANDO RESULTADOS E O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA

Experiência: PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL - GESTÃO DE PESSOAS BUSCANDO RESULTADOS E O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA Experiência: PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL - GESTÃO DE PESSOAS BUSCANDO RESULTADOS E O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio

Leia mais

Como o HGIS cuida da saúde do meio ambiente. Fernanda Dei Svaldi Pamplona Coordenadora de Enfermagem

Como o HGIS cuida da saúde do meio ambiente. Fernanda Dei Svaldi Pamplona Coordenadora de Enfermagem Como o HGIS cuida da saúde do meio ambiente Fernanda Dei Svaldi Pamplona Coordenadora de Enfermagem 12 de setembro de 2012 2 VISÃO Ser reconhecido pela excelência em gestão de serviços de saúde. MISSÃO

Leia mais

Experiência: Cartão do Cidadão. Caixa Econômica Federal CAIXA Ministério da Fazenda. Responsável: Ana Lucia Amorim de Brito

Experiência: Cartão do Cidadão. Caixa Econômica Federal CAIXA Ministério da Fazenda. Responsável: Ana Lucia Amorim de Brito Experiência: Cartão do Cidadão Caixa Econômica Federal CAIXA Ministério da Fazenda Responsável: Ana Lucia Amorim de Brito Equipe: Adalgisa Torres de Castro, Cristina dos Santos Almeida, Maria Ignez Costa

Leia mais

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP 2 ª Reunião do GT de Indicadores Hospitalares 09/04/2012 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Comparação

Leia mais

ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE

ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE O MODELO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO SUS A FRAGMENTAÇÃO DO SISTEMA A CONCEPÇÃO HIERÁRQUICA DO SISTEMA O DESALINHAMENTO DOS INCENTIVOS ECONÔMICOS A INEFICIÊNCIA

Leia mais

Prova Objetiva/Discursiva Cargo ou opção A - TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Tipo gabarito 1 001 - E 011 - D 021 - C 031 - B 041 - E 051 - E

Prova Objetiva/Discursiva Cargo ou opção A - TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Tipo gabarito 1 001 - E 011 - D 021 - C 031 - B 041 - E 051 - E TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Cargo ou opção A - TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Tipo gabarito 1 001 - E 011 - D 021 - C 031 - B 041 - E 051 - E 002 - A 012 - A 022 - A 032 - C 042 - D 052 - B 003

Leia mais

S A D SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR SMS CAMPINAS

S A D SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR SMS CAMPINAS S A D SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR SMS CAMPINAS Mônica R. P. T. Macedo Nunes monica.nunes@campinas.sp.gov.br ATENÇÃO DOMICILIAR A atenção domiciliar consiste numa modalidade de atenção à saúde substitutiva

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS MINISTÉRIO DA SAÚDE FACULDADE DE ODONTOLOGIA RESUMO DAS ATIVIDADES DO PRÓ-SAÚDE NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA UFG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS MINISTÉRIO DA SAÚDE FACULDADE DE ODONTOLOGIA RESUMO DAS ATIVIDADES DO PRÓ-SAÚDE NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA UFG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS MINISTÉRIO DA SAÚDE FACULDADE DE ODONTOLOGIA RESUMO DAS ATIVIDADES DO PRÓ-SAÚDE NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA UFG As atividades do Pró-Saúde para o primeiro ano de desenvolvimento

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Atenção primária às gestantes de baixo risco

Mostra de Projetos 2011. Atenção primária às gestantes de baixo risco Mostra de Projetos 2011 Atenção primária às gestantes de baixo risco Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: (Campo

Leia mais

Diretor técnico: JULIANA CRISTINE FRANKENBERGER ROMANZEIRA (CRM: 14.656)

Diretor técnico: JULIANA CRISTINE FRANKENBERGER ROMANZEIRA (CRM: 14.656) Relatório de Fiscalização Diretor técnico: JULIANA CRISTINE FRANKENBERGER ROMANZEIRA (CRM: 14.656) Por determinação deste Conselho fomos ao estabelecimento acima citado verificar suas condições de funcionamento.

Leia mais

Projecto de SCIE e medidas de autoprotecção em lares de idosos e edifícios hospitalares

Projecto de SCIE e medidas de autoprotecção em lares de idosos e edifícios hospitalares Título 1 Projecto de SCIE e medidas de autoprotecção em lares de idosos e edifícios hospitalares 2 Sumário Breve caracterização do risco de incêndio Medidas de segurança de natureza física Projecto de

Leia mais

Curso de Aperfeiçoamento em Medicina Oral e Odontologia Hospitalar

Curso de Aperfeiçoamento em Medicina Oral e Odontologia Hospitalar MINISTÉRIO DA SAÚDE HOSPITAL FEDERAL DOS SERVIDORES DO ESTADO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA Curso de Aperfeiçoamento em Medicina Oral e Odontologia Hospitalar JUSTIFICATIVA A Promoção de saúde só será completa

Leia mais

Monitoramento e Gestão de Riscos A experiência de parceiros da Vigilância Sanitária Hospital Getúlio Vargas PE

Monitoramento e Gestão de Riscos A experiência de parceiros da Vigilância Sanitária Hospital Getúlio Vargas PE 15º Encontro Nacional da Rede Sentinela Fórum Internacional de Monitoramento e Gestão de Risco Sanitário Monitoramento e Gestão de Riscos A experiência de parceiros da Vigilância Sanitária Hospital Getúlio

Leia mais

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE

Leia mais

Sigla do Indicador. TDIHCVC UTI Adulto. TDIHCVC UTI Pediátrica. TDIHCVC UTI Neonatal. TCVC UTI Adulto

Sigla do Indicador. TDIHCVC UTI Adulto. TDIHCVC UTI Pediátrica. TDIHCVC UTI Neonatal. TCVC UTI Adulto Sigla do Indicador Domínio do Indicador Taxa de densidade de incidência de infecção de corrente sanguínea associada a cateter venoso central (CVC) na UTI Adulto TDIHCVC UTI Adulto SEGURANÇA Taxa de densidade

Leia mais

Marli Elisa Nascimento Fernandes

Marli Elisa Nascimento Fernandes PROJETO ATENDIMENTO PRIORITÁRIO AOS USUÁRIOS IDOSOS COM ALTA HOSPITALAR DO HC-UNICAMP Marli Elisa Nascimento Fernandes Assistente Social /Mestre em Saúde Doutoranda FCM-UNICAMP O PROCESSO DE ALTA ERA ASSIM

Leia mais

Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS SÃO BERNARDO DO CAMPO

Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS SÃO BERNARDO DO CAMPO Plano ESTADUAL DE HABITAÇÃO PEH - SP 8 º Encontro Regional Região Metropolitana de São Paulo Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS SÃO BERNARDO DO CAMPO ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1- O planejamento

Leia mais

RELATO DA PRÁTICA INOVADORA NA ASSISTÊNCIA SOCIAL

RELATO DA PRÁTICA INOVADORA NA ASSISTÊNCIA SOCIAL RELATO DA PRÁTICA INOVADORA NA ASSISTÊNCIA SOCIAL 1. NOME DA PRÁTICA OU IDÉIA INOVADORA Projeto De Volta Pra Casa - Linha de Cuidado Aplicada à Assistência Social - Fortalecendo a Convivência Familiar

Leia mais

A operacionalização da Rede Cegonha agrega conhecimento e metodologias para mudanças nos processos de trabalho e investimentos para incorporação de

A operacionalização da Rede Cegonha agrega conhecimento e metodologias para mudanças nos processos de trabalho e investimentos para incorporação de A operacionalização da Rede Cegonha agrega conhecimento e metodologias para mudanças nos processos de trabalho e investimentos para incorporação de equipamentos, reformas, ampliações e construção de novas

Leia mais

Planetree O cuidado humanizado no centro cirúrgico: eu devo, eu posso. Alzira Machado Teixeira 24/09/2015

Planetree O cuidado humanizado no centro cirúrgico: eu devo, eu posso. Alzira Machado Teixeira 24/09/2015 Planetree O cuidado humanizado no centro cirúrgico: eu devo, eu posso Alzira Machado Teixeira 24/09/2015 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO, RECUPERAÇÃO ANESTÉSICA E CENTRO DE MATERIAL

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

COMUNICAÇÃO ENTRE ENFERMEIROS E IDOSOS SUBMETIDOS À PROSTATECTOMIA

COMUNICAÇÃO ENTRE ENFERMEIROS E IDOSOS SUBMETIDOS À PROSTATECTOMIA COMUNICAÇÃO ENTRE ENFERMEIROS E IDOSOS SUBMETIDOS À PROSTATECTOMIA Kamila Nethielly Souza Leite (UFPB), e-mail: ka_mila.n@hotmail.com Joana D arc Lyra Batista (UEPB), e-mail: jdlb16@hotmail.com Tatiana

Leia mais

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Débora Noronha¹; Jasmin Lemke¹; Carolina Vergnano¹ ¹Concremat Engenharia e Tecnologia S/A, Diretoria Técnica de Estudos, Projetos

Leia mais

Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos

Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos Fernanda Diniz de Sá 1, Leonildo Santos do Nascimento Júnior, Daniele Nascimento dos Santos, Magdalena Muryelle Silva Brilhante (UFRN

Leia mais

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. O núcleo de projetos sociais unaerp campus Guarujá

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. O núcleo de projetos sociais unaerp campus Guarujá I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ O núcleo de projetos sociais unaerp campus Guarujá Sandra Lia Rodrigues Franco Responsável pelo Núcleo de Projetos Sociais Unaerp

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 20 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 569/GM, de 1º de junho

Leia mais

NOTA TÉCNICA 55 2011

NOTA TÉCNICA 55 2011 Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com transtornos mentais e com necessidades decorrentes do uso prejudicial de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do SUS. Minuta de portaria: Institui a Rede

Leia mais

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A partir dos esforços para melhorar a saúde materno-infantil, tais como: Programa de Humanização do Parto e Nascimento

Leia mais

SÍNTESE DA 6ª REUNIÃO Página 1de 5

SÍNTESE DA 6ª REUNIÃO Página 1de 5 SÍNTESE DA 6ª REUNIÃO Página 1de 5 Unidade: SEEJ Assuntos: Centro de Treinamento Esportivo Local: EEFFTO Data: 14/06/2012 Início: 15:30 H Término: 17:30 H PARTICIPANTE ÓRGÃO/UNIDADE PARTICIPANTE ÓRGÃO/UNIDADE

Leia mais

Implantação de Unidade de Coleta de Leite Humano no Centro de Saúde Venda Nova/Paraúnas Do Desafio à Implementação

Implantação de Unidade de Coleta de Leite Humano no Centro de Saúde Venda Nova/Paraúnas Do Desafio à Implementação Implantação de Unidade de Coleta de Leite Humano no Centro de Saúde Venda Nova/Paraúnas Do Desafio à Implementação Resumo: Como é de conhecimento, o primeiro banco de leite humano foi instituído no Brasil

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Paranavaí Acolher Seu Filho com Amor / 2011

Mostra de Projetos 2011. Paranavaí Acolher Seu Filho com Amor / 2011 Mostra de Projetos 2011 Paranavaí Acolher Seu Filho com Amor / 2011 Mostra Local de: Paranavaí Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Secretaria

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais A partir de setembro de 2008 o cenário econômico mundial e o brasileiro mudaram e com eles se reverteu a tendência

Leia mais

HOSPITAL ESTADUAL AMÉRICO BRASILIENSE

HOSPITAL ESTADUAL AMÉRICO BRASILIENSE HOSPITAL ESTADUAL AMÉRICO BRASILIENSE Localização Município de Américo Brasiliense, situado no Centro Oeste Paulista; DRS III Araraquara; Abrangência: 24 municípios. Contexto Político Institucional Prestador

Leia mais