DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa"

Transcrição

1 Prof. Marcelo de Sá Barbosa

2 MÓDULO 6: Sistemas distribuídos baseados em coordenação. Coordenação de serviços Web

3 Coordenação de serviços Web A infraestrutura SOAP suporta interações requisiçãoresposta entre clientes e serviços web. Entretanto, muitas aplicações úteis envolvem várias requisições que precisam ser executadas em uma ordem em particular. Por exemplo, ao se fazer reservas para um vôo, são reunidas as informações sobre preço e disponibilidade, antes que as reservas sejam feitas. Quando o usuário interage com páginas web por intermédio de um navegador para fazer reserva em um vôo ou para dar um lance em um leilão, a interface fornecida pela navegador controla a sequência em que as operações são executadas.

4 Transações distribuidas planas e aninhadas Uma transação cliente se torna distribuída se ativa operações em vários servidores diferentes. Existem duas maneiras distintas pelas quais as transações distribuídas podem se estruturadas: como transações planas e transações aninhadas. Em uma transação plana, um cliente faz pedidos para mais de um servidor. Em uma transação aninhada, a transação de nível superior pode abrir subtransações e assim sucessivamente em qualquer profundidade de aninhamento.

5 Transações distribuídas planas e aninhadas X T 11 M X T T Y Client T T 1 T 12 T 21 N Client Z T 2 Y P T 22 (a) Flat transaction (b) Nested transactions

6 Coordenação de uma transação distribuida Os servidores que executam pedidos como parte de uma transação distribuida precisam se comunicar uns com os outros para coordenar suas ações quando a transação é efetivada Client T T 1 X A a.withdraw(10) T = opentransaction Y opensubtransaction a.withdraw(10); opensubtransaction b.withdraw(20); opensubtransaction c.deposit(10); opensubtransaction d.deposit(20); closetransaction T 2 T 3 T 4 Z B C D b.withdraw(20) c. deposit(10) d.deposit(20)

7 Tem-se trabalhado em um modelo geral para a coordenação de serviços web, o qual é semelhante ao modelo de transação distribuida descrito anteriormente pois têm funções de coordenador e participante que são capazes de atuar em protocolos específicos, por exemplo, para executar uma transação distribuida. Esse trabalho, que é chamado WS-Coordination é descrito por Langworthy[2004]. Requisitos de coreografia: se destina a suportar interações entre serviços web que geralmente são gerenciadas por diferentes empresas e organizações.

8 MÓDULO 8: Introdução ao SOA Serviços Gerenciamento de Processos de Negócios MODULO 9: SOA e Desempenho; SOA e Segurança;

9 SOA SERVICE ORIENTED ARCHITECTURE Process management facilitates organizational change supporting innovation. SOA é uma abordagem arquitetural corporativa que permite a criação de serviços de negócio interoperáveis que podem facilmente ser reutilizados e compartilhados entre aplicações e empresas. Gartner Group Businesses want change at the speed of business. Is yours an innovation-driven business?

10

11

12

13

14 BPM Business process management BAM Business activity monitoring KPI Key performance indicator Organization, business, company, corporation, and enterprise will be used interchangeably Free-form process layout in WebSphere Business Modeler The traditional flowchart layout with object attributes Swimlane process layout in Modeler Emphasis is on the handoffs between performers Governance Implementing standards, controls, and ownership of processes throughout the enterprise

15 Service Web service: integration of machine-to-machine interaction over the Web SOA Service-oriented architecture J2EE (Java 2 Platform, Enterprise Edition) A programming platform Eclipse An open source platform-independent software framework Business object A set of attributes that represents a business entity Relationships (data cross-referencing) An association between two or more data entities WSDL Web Services Description Language BPEL Business Process Execution Language Process choreography The order in which services will be invoked

16

17

18

19

20

21

22

23 Simple things do not necessarily need a model. The solution is relatively easy to construct. Few people collaborate or use the solution (often only one). The scope of future needs is unlikely to grow substantially. Certain complex systems must begin with a design or another abstract representation. Construction of an office building needs architectural plans and a mock-up for visualization. Modeling provides visualization of the entire system. Allows assessment of various options Communicates design risks before actual construction

24 A model serves as an abstraction of the item being built. Business analysts, engineers, scientists, and other professionals who build complex structures or systems create models. Sometimes the models are physical. Scaled mock-ups of airplanes, houses, or autos Sometimes the models are less tangible. Financial models, market trading simulations, electrical circuit diagrams Traditional flow charts are a common method for representing the paths of a process. Structure charts, or simple block diagrams with arrows, are often used on whiteboards.

25

26

27

28 Web Services Description Language (WSDL) is the XMLbased file that describes the Web service. The Web service request uses this file to bind to the service. SOAP is the XML-based protocol that the Web service request uses to invoke the service. Universal Description Discovery and Integration protocol is the registry that hosts the service broker. UDDI is similar to the Yellow Pages in a phone book.

29

30 MODULO 9: SOA e Desempenho. SOA e Segurança. 30

31 SOA O seu serviço está seguro? 31

32 ATAQUE x DEFESA 32

33 FOOTPRINT 33

34 SNIFFING, DATA TAMPERING, REPLAY-ATTACK, MITM Man-in-the-middle-attack 34

35 SOLUÇÕES 35

36 ATAQUES DE FORÇA BRUTA XDOS XML denial of service 36

37 SOLUÇÕES 37

38 CODE INJECTION - XML 38

39 SOLUÇÕES 39

40 PARSING ATTACKS 40

41 SOLUÇÕES XML Schema é uma linguagem baseada no formato XML para definição de regras de validação ("esquemas") em documentos no formato XML 41

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Integração Orientada a Serviços

Integração Orientada a Serviços Integração Orientada a Serviços Porto Alegre, Agosto de 2006 Agenda Sobre a e-core SOA O que é? Web Services x SOA Principal Motivação - Integração SOI ESB BPEL JBI ServiceMix Solução Proposta A Empresa

Leia mais

Web Services. (Introdução)

Web Services. (Introdução) Web Services (Introdução) Agenda Introdução SOA (Service Oriented Architecture) Web Services Arquitetura XML SOAP WSDL UDDI Conclusão Introdução Comunicação distribuída Estratégias que permitem a comunicação

Leia mais

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes Microsoft.NET Lirisnei Gomes de Sousa lirisnei@hotmail.com Jair C Leite jair@dimap.ufrn.br Desenvolvimento Baseado em Componentes Resolução de problemas específicos, mas que podem ser re-utilizados em

Leia mais

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição 15 2 Conceitos relativos a Web services e sua composição A necessidade de flexibilidade na arquitetura das aplicações levou ao modelo orientado a objetos, onde os processos de negócios podem ser representados

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços ADILSON FERREIRA DA SILVA Centro Paula Souza São Paulo Brasil afs.software@gmail.com Prof.a. Dr.a. MARILIA MACORIN DE AZEVEDO Centro

Leia mais

Introdução a Web Services

Introdução a Web Services Introdução a Web Services Mário Meireles Teixeira DEINF/UFMA O que é um Web Service? Web Service / Serviço Web É uma aplicação, identificada por um URI, cujas interfaces podem ser definidas, descritas

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 2 Computação em Nuvem Desafios e Oportunidades A Computação em Nuvem

Leia mais

PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto. O Produto Internet e suas Aplicações

PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto. O Produto Internet e suas Aplicações Universidade de São Paulo Escola Politécnica Programa de Educação Continuada em Engenharia PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto O Produto Internet e suas Aplicações Tecnologias de Informação

Leia mais

SOA - Service Oriented Architecture. Marcelo Canevello Ferreira

SOA - Service Oriented Architecture. Marcelo Canevello Ferreira SOA - Service Oriented Architecture Marcelo Canevello Ferreira Índice Arquitetura baseada em componentes Introdução a SOA Principais conceitos de SOA SOA Framework Abordagem de integração Conclusões Evolução

Leia mais

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS WORKFLOW Mapeamento de Processos de Negócio Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É proibido a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio sem a expressa autorização

Leia mais

Roadmap e Arquitetura SOA

Roadmap e Arquitetura SOA Roadmap e Arquitetura SOA São Paulo, Setembro de 2006 0000 2006 Accenture Todos os direitos reservados. Accenture, seu logotipo e Accenture Resultado Alta Performance são marcas registradas da Accenture.

Leia mais

11/20/10. Resoluções: Teste de Áudio. Não suporto esses malucos de TI. Só inventam despesas. Não acredito que teremos que pagar por mais softwares.

11/20/10. Resoluções: Teste de Áudio. Não suporto esses malucos de TI. Só inventam despesas. Não acredito que teremos que pagar por mais softwares. Não suporto esses malucos de TI. Só inventam despesas. Não acredito que teremos que pagar por mais softwares. Teste de Áudio Quero adaptar os softs que já temos e você não sabe como faz e diz que não é

Leia mais

Juliano Sulzbach. Consultor de Vendas Oracle Regional Sul

Juliano Sulzbach. Consultor de Vendas Oracle Regional Sul Juliano Sulzbach Consultor de Vendas Oracle Regional Sul GUO-RS Oracle BPEL Process Manager Agenda Introdução Oracle BPEL Process Manager Rápida revisão Demonstrações Agenda Introdução Oracle BPEL Process

Leia mais

acoplamento Exprime o grau de conexão entre os módulos; os módulos de um software devemapresentar um baixo coeficiente de acoplamento.

acoplamento Exprime o grau de conexão entre os módulos; os módulos de um software devemapresentar um baixo coeficiente de acoplamento. SOA Arquitetura Orientada a Serviços Conceitos e Aplicações Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com/ http://edilms.eti.br Gestão de TI Conceitode SOA SOA - Service OrientedArchitecture (Arquitetura

Leia mais

REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos

REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos Márcio Alves de Araújo¹, Mauro Antônio Correia Júnior¹ 1 Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Monte Carmelo MG Brasil

Leia mais

soluções transversais SOLUÇÕES middleware

soluções transversais SOLUÇÕES middleware soluções transversais SOLUÇÕES middleware RESUMO DA SOLUÇÃO ITbank framework 4g performance orquestração interoperabilidade O Middleware SOA ITBank framework 4g implementa uma arquitetura SOA com orquestração

Leia mais

Linha de Produto para BPM

Linha de Produto para BPM Linha de Produto para BPM Prof. Dr. Marcelo Fantinato m.fantinato@usp.br Sistemas de Informação, EACH/USP Agenda Fundamentos LP para BPM Estabelecimento de Contratos Exemplo de Aplicação Trabalhos em Andamento/Próximos

Leia mais

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Serviço Service Requisitante Consumer Service Serviço Provider Provedor consumidores processos business e processes negócios Coreografia process choreography

Leia mais

Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio

Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio Rodrigo C. Macedo, Vasco Mesquita, Artur Caetano, André Vasconcelos, José Tribolet Centro de Engenharia Organizacional, INESC INOV e Departamento

Leia mais

DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES. Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES. Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos Explicar as vantagens e desvantagens das arquiteturas de sistemas distribuídos

Leia mais

Web services. Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML.

Web services. Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML. Web services Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML. XML é utilizado para codificar toda a comunicação de/para um web service. Web services

Leia mais

Combinação de serviços já existentes para criar um novo serviço. jcd@cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. Composição de Serviços Com WS-BPEL

Combinação de serviços já existentes para criar um novo serviço. jcd@cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. Composição de Serviços Com WS-BPEL Introdução à Composição de serviços Web Júlio César Damasceno jcd@ Agenda Definição Motivação Background Arquitetura Orientada a Serviço (SOA) Computação Orientada a Serviço (SOC) Web Services Composição

Leia mais

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos Web Services Integração de aplicações na Web Integração de Aplicações na Web Interoperação entre ambientes heterogêneos desafios diversidade de componentes: EJB, CORBA, DCOM... diversidade de linguagens:

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROTÓTIPO PARA INTEGRAÇÃO ORIENTADA A SERVIÇOS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CEFET-AL

IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROTÓTIPO PARA INTEGRAÇÃO ORIENTADA A SERVIÇOS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CEFET-AL IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROTÓTIPO PARA INTEGRAÇÃO ORIENTADA A SERVIÇOS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CEFET-AL Marcilio SOUZA JÚNIOR (1); Mônica CUNHA (2); João Gabriel CAMPOS NETO (3); Heitor SANTOS BARROS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa. versão draft

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa. versão draft Prof. Marcelo de Sá Barbosa 1 data Comentários 03/08/2011 Início do semestre. Entrega da ementa e comentários sobres os assuntos. Recomendação da bibliografia. Períodos de provas. Limite de faltas para

Leia mais

Serviços Web: Introdução

Serviços Web: Introdução Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Objetivos Nesta aula

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services Web Services Existem diferentes tipos de comunicação em um sistema distribuído: Sockets Invocação

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE 1. Kellen Kristine Perazzoli 2 ; Manassés Ribeiro 3

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE 1. Kellen Kristine Perazzoli 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE 1 Kellen Kristine Perazzoli 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTRODUÇÃO Atualmente empresas de diversos portes estão encontrando nos web services soluções para seus

Leia mais

Transações no Mundo SOA. Luciano Oliveira Solution Consultant

Transações no Mundo SOA. Luciano Oliveira Solution Consultant Transações no Mundo SOA Luciano Oliveira Solution Consultant Agenda Definição Através do Tempo Transações com Bancos Distribuídos Transações em SOA Compensação Coordenador Gerenciado vs. Não-Gerenciado

Leia mais

Tolerância a Faltas nos Web Services

Tolerância a Faltas nos Web Services Tolerância a Faltas nos Web Services Reliable Messaging Protocol - RMP RMP Tolerar faltas temporárias na comunicação Garantir a semântica da invocação do Web Service independentemente do protocolo de transporte

Leia mais

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com. Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.br 08/2014 Agenda Introdução Conceitos Web Service Por que utilizar

Leia mais

PROJELER. Componentes da Solução Intalio BPMS 5.2. Maurício Bitencourt 51 21171872 / 51 84087798 mauricio.bitencourt@projeler.com.

PROJELER. Componentes da Solução Intalio BPMS 5.2. Maurício Bitencourt 51 21171872 / 51 84087798 mauricio.bitencourt@projeler.com. Componentes da Solução Intalio BPMS 5.2 Maurício Bitencourt 51 21171872 / 51 84087798 mauricio.bitencourt@projeler.com.br Platinum Implementation Partner 1 Enterprise Edition Software de Código Aberto

Leia mais

Modelagem de Sistemas Web. Ferramentas e metodologias para projeto de sistemas web

Modelagem de Sistemas Web. Ferramentas e metodologias para projeto de sistemas web Modelagem de Sistemas Web Aula 4 Ferramentas e metodologias para projeto de sistemas web Ferramentas e metodologias para projeto de sistemas web Ferramentas CASE Fontes: Sarajane e Marques Peres Introdução

Leia mais

Tendências da Arquitetura na Produção de Software

Tendências da Arquitetura na Produção de Software Tendências da Arquitetura na Produção de Software Prof. Dr. Ivanir Costa icosta11@terra.com.br mai-08 IC TECNOLOGIA EM SOFTWARE LTDA 1 Prof. Dr. Ivanir Costa Bacharel em Física pela USP Pós-Graduado em

Leia mais

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425 CMDB no ITIL v3 Miguel Mira da Silva mms@ist.utl.pt 919.671.425 1 CMDB v2 Configuration Management IT components and the services provided with them are known as CI (Configuration Items) Hardware, software,

Leia mais

The Open Source Business Process Platform Company. Proposta Comercial. Plataforma Intalio BPP

The Open Source Business Process Platform Company. Proposta Comercial. Plataforma Intalio BPP Proposta Comercial Plataforma Intalio BPP 2 É com grande prazer que apresentamos nossa Proposta Comercial, com o objetivo de fornecer total visibilidade da plataforma Intalio BPP (Business Process Platform),

Leia mais

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas BPM e SOA Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Como funcionam as organizações? O que ébpm Business Process Management (BPM)

Leia mais

Sistemas Distribuídos Arquiteturas Middlewares

Sistemas Distribuídos Arquiteturas Middlewares Sistemas Distribuídos Arquiteturas s Arquitetura Arquitetura de um sistema é sua estrutura em termos dos componentes e seus relacionamentos Objetivo: garantir que a estrutura satisfará as demandas presentes

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

Kassius Vargas Prestes

Kassius Vargas Prestes Kassius Vargas Prestes Agenda 1. Introdução Web Services 2. XML, SOAP 3. Apache Tomcat 4. Axis 5. Instalação Tomcat e Axis 6. Criação de um Web Service 7. Criação de um cliente Baixar http://www.inf.ufrgs.br/~kvprestes/webservices/

Leia mais

UNIMINAS TRABALHO DE FINAL DE CURSO PROPOSTA DE UM MODELO DE TROCA DE INFORMAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS TELEFÔNICAS UTILIZANDO SOA E BPEL

UNIMINAS TRABALHO DE FINAL DE CURSO PROPOSTA DE UM MODELO DE TROCA DE INFORMAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS TELEFÔNICAS UTILIZANDO SOA E BPEL UNIÃO EDUCACIONAL MINAS GERAIS S/C LTDA. FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DE MINAS Autorizada pela Portaria nº. 577/2000 MEC, de 03/05/2000 BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TRABALHO DE FINAL DE CURSO

Leia mais

SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços

SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços Sérgio Larentis Jr (Unisinos) Andrêsa Larentis (Unisinos) Jorge Barbosa (Unisinos) Sérgio Crespo C. S. Pinto (Unisinos) SBSI 2008 Roteiro

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 14 SOA e ESB Service-Oriented

Leia mais

Web Services. Tópicos. Motivação. Tecnologias Web Service. Passo a passo Business Web Conclusão. Integração de aplicações SOAP, WSDL, UDDI, WSFL

Web Services. Tópicos. Motivação. Tecnologias Web Service. Passo a passo Business Web Conclusão. Integração de aplicações SOAP, WSDL, UDDI, WSFL Web Services Antonio Dirceu adrvf@cin.ufpe.br Tópicos Motivação Integração de aplicações Tecnologias Web Service SOAP, WSDL, UDDI, WSFL Passo a passo Business Web Conclusão Motivação Integração de Aplicações

Leia mais

Obtendo Qualidade com SOA

Obtendo Qualidade com SOA Obtendo Qualidade com SOA Daniel Garcia Gerente de Prática BPM/SOA daniel.garcia@kaizen.com.br 11 de Novembro de 2009 Copyright 2009 Kaizen Consultoria e Serviços. All rights reserved Agenda Sobre a Kaizen

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB

CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB Deusa Cesconeti e Jean Eduardo Glazar Departamento de Ciência da Computação Faculdade de Aracruz UNIARACRUZ {dcescone, jean}@fsjb.edu.br RESUMO

Leia mais

Transacções Atómicas em Web Services

Transacções Atómicas em Web Services Transacções Atómicas em Web Services Transacções conceito básico As transacções são um padrão de base na construção de aplicações distribuídas fiáveis As actividades podem ter um espectro muito diversificado

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE. Kellen Kristine Perazzoli 1, Manassés Ribeiro 2 RESUMO

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE. Kellen Kristine Perazzoli 1, Manassés Ribeiro 2 RESUMO INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE Kellen Kristine Perazzoli, Manassés Ribeiro RESUMO O grande avanço tecnológico vivenciado nos últimos anos, os web services vem sendo utilizados trazendo

Leia mais

Estruturação da Arquitetura Estadual de Sistemas de Informação por Meio da Orientação a Serviços

Estruturação da Arquitetura Estadual de Sistemas de Informação por Meio da Orientação a Serviços Estruturação da Arquitetura Estadual de Sistemas de Informação por Meio da Orientação a Serviços Relato de Experiência da ATI-PE WCGE 2010 20/07/2010 1 Introdução 2 Sobre a ATI Agência Estadual de Tecnologia

Leia mais

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB WEBSERVICES Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Compreender o que é um WebService e sua utilidade Compreender a lógica de funcionamento de um WebService Capacitar

Leia mais

Princípios de Sistemas Distribuídos. Tecnologias utilizadas em sistemas distribuídos Aula 5

Princípios de Sistemas Distribuídos. Tecnologias utilizadas em sistemas distribuídos Aula 5 Princípios de Sistemas Distribuídos Tecnologias utilizadas em sistemas distribuídos Aula 5 Conceitos de comunicação entre processos Interprocess Communication (IPC) Sistemas distribuídos são construídos

Leia mais

AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA.

AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA. AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA. Uma significativa parcela dos sistemas de automação de grandes empresas são legados de tecnologias de gerações anteriores,

Leia mais

www.mpl.com.br C o n t a b i l i d a d e C o n t a s a P a g a r C o n t a s a R e c e b e r O r ç a m e n t o

www.mpl.com.br C o n t a b i l i d a d e C o n t a s a P a g a r C o n t a s a R e c e b e r O r ç a m e n t o A MPL Corporate Software, em parceria com a Oracle e a Amazon WebServices(AWS),lançouasolução ERPOracleInTheCloud,uma implantação SaaS (Software as a Service) do JD Edwards EnterpriseOne. A solução compreende

Leia mais

Emails: ajdsouza@dca.ufrn.br, salesfilho@cefetrn.br, adauto6@netscape.net, lipecouto@gmail.com, rodrigop@dca.ufrn.br, affonso@dca.ufrn.

Emails: ajdsouza@dca.ufrn.br, salesfilho@cefetrn.br, adauto6@netscape.net, lipecouto@gmail.com, rodrigop@dca.ufrn.br, affonso@dca.ufrn. SUPERVISÃO DE PROCESSOS INDUSTRIAIS USANDO WEB SERVICE Alessandro J. de Souza, Francisco Sales de L. Filho, Adauto L. T. B. da Fonseca, Felipe C. Alves do Couto, Rodrigo P. R. dos Santos, Luiz Affonso

Leia mais

Serviços Web: Arquitetura

Serviços Web: Arquitetura Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Objetivos Nesta aula

Leia mais

ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO : UMA ANÁLISE DAS PROPOSIÇÕES TECNOLÓGICAS COM FOCO NA AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO : UMA ANÁLISE DAS PROPOSIÇÕES TECNOLÓGICAS COM FOCO NA AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE EDUCAÇÃO SÃO JOSÉ CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO : UMA ANÁLISE DAS PROPOSIÇÕES TECNOLÓGICAS COM FOCO

Leia mais

Oracle BPM 11g. Análise à Plataforma

Oracle BPM 11g. Análise à Plataforma Oracle BPM 11g Análise à Plataforma Maio de 2010 Tive o privilégio de ser convidado a participar no "EMEA BPM 11g beta bootcamp" em Abril de 2010, no qual tive contacto mais próximo com a última versão

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação 1 Ruironaldi dos Santos Cruz ARTIGO ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO SOA SERVICE

Leia mais

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações 1 Introdução A Organização é a forma pela qual nós coordenamos nossos recursos de todos os tipos para realizar o trabalho que nos propusemos a fazer. A estrutura de nossas organizações manteve-se basicamente

Leia mais

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Licenciatura em Engenharia Informática Degree in Computer Science Engineering Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Performance analysis of large distributed

Leia mais

Gestão de Processos de Negócio

<Insert Picture Here> Gestão de Processos de Negócio Gestão de Processos de Negócio Susana Santos Principal Sales Consultant Agenda Quais os Desafios Business Process Management Modelação Execução Interacção Humana Monitorização Resumo

Leia mais

Web Services e SOAP. Alexandre Zua CaldeiraTecnologias de Middleware 2006/2007 20.10.2006. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Web Services e SOAP. Alexandre Zua CaldeiraTecnologias de Middleware 2006/2007 20.10.2006. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Alexandre Zua Caldeira Tecnologias de Middleware 2006/2007 Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa 20.10.2006 1 Introdução Definições Limitações do Middleware Estudado Integração com Web Services

Leia mais

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Carlos Henrique Pereira WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Florianópolis - SC 2007 / 2 Resumo O objetivo deste trabalho é especificar

Leia mais

PROJELER. Solução de código aberto para gerenciamento de processos de negócio

PROJELER. Solução de código aberto para gerenciamento de processos de negócio Otimização e Automação de Processos de Negócio Abril/2008 Solução de código aberto para gerenciamento de processos de negócio Maurício Bitencourt, PMP Diretor Executivo mauricio.bitencourt@projeler.com.br

Leia mais

IBM Business Process Manager Versão 8 Release 5. Visão Geral do IBM Business Process Manager

IBM Business Process Manager Versão 8 Release 5. Visão Geral do IBM Business Process Manager IBM Business Process Manager Versão 8 Release 5 Visão Geral do IBM Business Process Manager ii Visão Geral Manuais PDF e o Centro de Informações Os manuais PDF são fornecidos como uma conveniência para

Leia mais

SOA Service Oriented Architecture. Fabiano Oss fabiano.oss@gmail.com

SOA Service Oriented Architecture. Fabiano Oss fabiano.oss@gmail.com SOA Service Oriented Architecture Fabiano Oss fabiano.oss@gmail.com 1 Roteiro SOA Serviços Tecnologias para o desenvolvimento de serviços Modelagem de Negócios 2 O que é SOA É uma arquitetura de desenvolvimento

Leia mais

www.mpl.com.br ERPOracleInTheCloud.

www.mpl.com.br ERPOracleInTheCloud. A MPL Corporate Software, em parceria com a Oracle e a Amazon WebServices(AWS),lançouasolução ERPOracleInTheCloud,uma implantação SaaS (Software as a Service) do JD Edwards EnterpriseOne. A solução compreende

Leia mais

R/3 e SAP WAS. 8/28/2003 José Alves Marques. R/3 e SAP WAS(2)

R/3 e SAP WAS. 8/28/2003 José Alves Marques. R/3 e SAP WAS(2) R/3 e SAP WAS O R/3 é um ERP Enterprise Resource Planning Um ERP é o sistema empresarial que disponibiliza módulos para os processos de negócio - de uma empresa Um ERP permite aumentar a eficiência dos

Leia mais

Web Services. José Mocito. Web Services. Tecnologias de Middleware 2004/2005. Universidade de Lisboa. 11 de Novembro, 2004

Web Services. José Mocito. Web Services. Tecnologias de Middleware 2004/2005. Universidade de Lisboa. 11 de Novembro, 2004 Tecnologias de 2004/2005 Universidade de Lisboa 11 de Novembro, 2004 ? Parte I Porquê os?? Importantes em cenários de integração entre negócios (B2B - business to business) Necessidade de automatização

Leia mais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais Ambientes Visuais Inicialmente, apenas especialistas utilizavam os computadores, sendo que os primeiros desenvolvidos ocupavam grandes áreas e tinham um poder de processamento reduzido. Porém, a contínua

Leia mais

Porque adotar SOA. (Service Oriented Architecture) SOA. Por Ricardo de Castro Barbosa. Publicado Setembro/2008. 1 Portal BPM - www.portalbpm.com.

Porque adotar SOA. (Service Oriented Architecture) SOA. Por Ricardo de Castro Barbosa. Publicado Setembro/2008. 1 Portal BPM - www.portalbpm.com. SOA Porque adotar SOA (Service Oriented Architecture) Por Ricardo de Castro Barbosa Publicado Setembro/2008 Ricardo de Castro Barbosa é sócio da SOA- Savoir Faire (www.soa-savoirfaire.com.br) empresa dedicada

Leia mais

Integração de Sistemas: um estudo de caso do Sistema de Agendamento de Relatórios de uma Instituição Financeira RESUMO

Integração de Sistemas: um estudo de caso do Sistema de Agendamento de Relatórios de uma Instituição Financeira RESUMO Integração de Sistemas: um estudo de caso do Sistema de Agendamento de Relatórios de uma Instituição Financeira Luiz Henrique Santana 1 Leandro Libério da Silva 2 RESUMO Este artigo apresenta um estudo

Leia mais

Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST

Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST Jhonatan Wilson Aparecido Garbo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil jhowgarbo@gmail.com jaime@unipar.br

Leia mais

Projeto Demoiselle. Para perguntas e respostas, utilizem a lista de discussões de usuários da comunidade: demoiselle-users@lists.sourceforge.

Projeto Demoiselle. Para perguntas e respostas, utilizem a lista de discussões de usuários da comunidade: demoiselle-users@lists.sourceforge. Projeto Demoiselle Para perguntas e respostas, utilizem a lista de discussões de usuários da comunidade: demoiselle-users@lists.sourceforge.net Palestrantes: Antônio Carlos Tiboni Luciana Campos Mota 20/07/2009

Leia mais

Módulo de Monitoramento de Serviços Web em CWSMarts Utilizando Aspectos

Módulo de Monitoramento de Serviços Web em CWSMarts Utilizando Aspectos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO EDUARDO CASOTTI POSTAL Módulo de Monitoramento de Serviços Web em CWSMarts Utilizando Aspectos Trabalho

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) Copyright e-core LTDA, 2010. Todos os direitos reservados.

Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) Copyright e-core LTDA, 2010. Todos os direitos reservados. Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) Visão Geral e-coree Estabelecida em 1999 Escritórios rios no Brasil e EUA Aproximadamente 100 profissionais Atua em prestação de serviços offshore desde 2004 Roteiro

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Gerenciamento baseado na Web Prof. João Henrique Kleinschmidt Gerenciamento baseado na Web Web browser Acesso ubíquo Interface Web vs Gerenciamento baseado

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

Microsoft. Driving Better Business Performance. André Amaral aamaral@microsoft.com

Microsoft. Driving Better Business Performance. André Amaral aamaral@microsoft.com Microsoft Driving Better Business Performance André Amaral aamaral@microsoft.com Business Intelligence Improving business insight A broad category of applications and technologies for gathering, storing,

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviço

Arquitetura Orientada a Serviço Arquitetura Orientada a Fabio Perez Marzullo IEEE Body of Knowledge on Services Computing Sponsored by Technical Committee on Services Computing, IEEE Computer Society 1 SOA e Web Services SOA é um modelo

Leia mais

COMUNICAÇÃO ENTRE SISTEMAS ATRAVÉS DE XML E WEB SERVICES

COMUNICAÇÃO ENTRE SISTEMAS ATRAVÉS DE XML E WEB SERVICES COMUNICAÇÃO ENTRE SISTEMAS ATRAVÉS DE XML E WEB SERVICES M.Sc. FERNANDO DE ANDRADE BASTOS¹(fbastos@unidavi.edu.br) GUILHERME AUGUSTO CAVILHA BUTZKE²(guibutzke@gmail.com) RESUMO Na área de sistemas de informação

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Mecanismos de Comunicação Protocolos de Aplicação Mecanismos de comunicação

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Graduação em Ciência da Computação. Proposta Trabalho de Graduação

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Graduação em Ciência da Computação. Proposta Trabalho de Graduação Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Graduação em Ciência da Computação Proposta Trabalho de Graduação Um Mecanismo de Monitoramento e Seleção de Serviços Baseado em Atributos de Qualidade

Leia mais

Extensões MIDP para Web Services

Extensões MIDP para Web Services Extensões MIDP para Web Services INF-655 Computação Móvel Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática MIDP Architecture MIDP = Mobile Information Device Profile Connection Framework HttpConnection

Leia mais

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Tópicos Motivação e Objetivos LP e SOA Processo ADESE

Leia mais

Infra estrutura da Tecnologia da Informação

Infra estrutura da Tecnologia da Informação Infra estrutura da Tecnologia da Informação Capítulo 3 Adaptado do material de apoio ao Livro Sistemas de Informação Gerenciais, 7ª ed., de K. Laudon e J. Laudon, Prentice Hall, 2005 CEA460 Gestão da Informação

Leia mais

Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br)

Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) DAS5316 - Integração de Sistemas Corporativos BPEL Business Process Execution Language Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) Responsável pela elaboração dos slides Alexandre Perin (perin@das.ufsc.br)

Leia mais

SOA na Prática Ricardo Limonta

SOA na Prática Ricardo Limonta SOA na Prática Ricardo Limonta Arquiteto JEE Objetivo Apresentar os conceitos de Arquiteturas Orientadas a Serviços; Entender a relação entre SOA e a tecnologia Web Services; Implementar SOA com Web Services

Leia mais

Arquitetura SOA SCP. Sistema de Controle Patrimonial. Pandora Tech Soluções em Software Livre. Versão Atual 1.0. Data Versão Descrição Autor

Arquitetura SOA SCP. Sistema de Controle Patrimonial. Pandora Tech Soluções em Software Livre. Versão Atual 1.0. Data Versão Descrição Autor SCP Pandora Tech Soluções em Software Livre Versão Atual 1.0 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 24/02/2010 1.0 Criação do Documento Fernando Anselmo Parte Conceito O uso de tecnologias

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Goiânia 12/2011 Versionamento 12/12/2011 Hugo Marciano... 1.0

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

Documento apresentado para discussão. II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais

Documento apresentado para discussão. II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais Documento apresentado para discussão II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais Rio de Janeiro, 21 a 25 de agosto de 2006 PID - Projeto de Interoperabilidade

Leia mais

OMA (Object Management Arquitecture): Application Interfaces. Domain Interfaces. Domain. Interfaces. Object Request Broker (ORB) Object Services

OMA (Object Management Arquitecture): Application Interfaces. Domain Interfaces. Domain. Interfaces. Object Request Broker (ORB) Object Services 1 Copyright 1998, 1999 Francisco Reverbel OMA (Object Management Arquitecture): Application Interfaces Domain Domain Interfaces Interfaces Object Request Broker (ORB) Object Services 2 Copyright 1998,

Leia mais

2. Gerar um arquivo XSD e referenciá-lo no WSDL, fazendo com que seja possível catalogar o XML Schema no catálogo de XML Schemas da e-ping;

2. Gerar um arquivo XSD e referenciá-lo no WSDL, fazendo com que seja possível catalogar o XML Schema no catálogo de XML Schemas da e-ping; Guia de Orientação para Implementação de Web Services Este documento apresenta alguns direcionamentos referentes à implementação de web services. É uma versão preliminar da construção do Guia de Orientação

Leia mais