POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS HOSPEDEIRAS EM LAVOURAS DE ARROZ IRRIGADO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS HOSPEDEIRAS EM LAVOURAS DE ARROZ IRRIGADO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL"

Transcrição

1 POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS HOSPEDEIRAS EM LAVOURAS DE ARROZ IRRIGADO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PASINI, Mauricio Paulo Batistella Pasini 1 ; LINK, Dionisio 1, SCHAICH, Gabriel 1, RAFAEL, Motta 1 1 Universidade Federal de Santa Maria RESUMO Este trabalho teve por objetivo determinar a diversidade de percevejos pentatomídeos em diferentes plantas hospedeiras em lavouras de arroz irrigado. Em duas regiões produtoras de arroz irrigado, em julho de 2011, no estado do Rio Grande do Sul, foram efetuados levantamentos das populações de percevejos pentatomídeos em diferentes plantas hospedeiras. O primeiro local situado no município de São Borja, Fronteira Oeste. O Segundo na região central do estado no Município de Santa Maria. Tibraca limbativentris (Hemiptera: Pentatomidae) foi à espécie mais abundante nas diferentes espécies de plantas hospedeiras e nas regiões avaliadas. Capim rabo de burro apresentou a maior diversidade de espécies. Palavras-chave: Ecologia de populações; Comportamento; Entomofauna, Hemiptera. 1. INTRODUÇÃO A modificação dos ambientes naturais, gerada pela implantação de lavouras, tende a influenciar a entomofauna local ao alterar a relação existente entre inseto e ambiente que, pela ação antrópica de manejo, altera o equilíbrio populacional e o comportamento das espécies, uma vez que reduz o número de predadores e parasitoides naturais (THUM, 1991). Muitas são as espécies de insetos associados a cultivos inundados, entretanto, sua classificação como praga depende de fatores comportamentais que determinam características como regularidade de ocorrência, preferência alimentar e amplitude geográfica de atuação (ÁVILA et al., 1997), variáveis que por sua vez influenciam o potencial do inseto em causar danos econômicos significativos as culturas. Os pentatomídeos fitófagos (Hemiptera: Pentatomidae) são denominados comumente como percevejos e se alimentam succionando a seiva dos vasos condutores via picadas (GALLO, 2002). Além do dano direto causado pela sucção, a perfuração do limbo foliar pelo aparelho bucal do inseto facilita a penetração de microrganismos saprogênicos ou 1

2 patogênicos, bem como pode causar reações no local da picada em virtude da ação tóxica ou infectante da saliva quando esta contenha toxinas ou esteja contaminada por agentes patogênicos (CARTER, 1939). Nos principais cultivos existentes no Rio Grande do Sul, os percevejos consistem em pragas chave, causadoras de grandes perdas. No caso da cultura do arroz irrigado, que faz uso de inundação da lavoura, destacam-se as espécies Oebalus poecilus (Dallas, 1851) e O. ypsilongriseus (De Geer, 1773), que atacam principalmente as panículas em formação, reduzindo a produtividade e qualidade de grãos e sementes (LINK et al., 1987; FERREIRA, 1999). O percevejo-do-colmo (Tibraca limbativentris) é o segundo inseto de importância econômica da cultura do arroz irrigado no Sul do Brasil. Pode ser encontrado nas fases vegetativas e reprodutiva acultura, quando provoca os sintomas conhecidos por coraçãomorto e panícula-branca, respectivamente. O inseto preferencialmente infesta plantas situadas nos pontos da lavoura não atingidos pela lâmina de água, como o topo das taipas, e em plantas próximas aos sítios de hibernação. Por esse motivo, no Rio Grande do Sul, a incidência é maior em lavouras (PANIZZI, 1997; GRAZIA, 1999). Os adultos entram em diapausa reprodutiva durante o inverno deslocando-se para sítios de hibernação e assim sobrevivendo por um período de até seis meses (CHOCOROSQUI, 2001), quando as condições do meio se tornam favoráveis e o mesmo encontra alimento adequado, inicia o processo de reprodução. Deste modo que o estudo da entomofauna pode fornecer informações importantes sobre a situação do ecossistema. Segundo Link & Grazia (1987), ao se conhecer a fonte de alimento utilizada durante o ciclo de vida deste grupo de insetos, é possível entender de forma mais clara a ecologia, dinâmica populacional, alternância de hospedeiros e previsão de surgimento de espécies nocivas às plantas cultivadas, fatores que permitem prevenir perdas e conduzir a produção de alimentos de uma forma mais racional e sustentável. Este trabalho teve por objetivo efetuar levantamentos da população de percevejos pentatomídeos em plantas hospedeiras em lavouras de arroz irrigado em suas regiões produtoras no estado do Rio Grande do Sul. 2. METODOLOGIA Em duas regiões produtoras de arroz irrigado, em julho de 2011, no estado do Rio Grande do Sul, efetuaram-se levantamentos das populações de percevejos pentatomídeos em diferentes plantas hospedeiras no entorno das lavouras de arroz irrigado. O primeiro 2

3 local situado no município de São Borja, Fronteira Oeste. O Segundo na região central do estado no Município de Santa Maria. Em ambos os locais, com clima da região é do tipo Cfa (Classificação de KÖPPEN) (BURIOL et al.,1979). As espécies botânicas foram coletas, levadas para laboratório e identificadas. As plantas eram escolhidas aleatoriamente conforme o local de coleta. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso, considerando para blocos as diferentes espécies botânicas e pontos de coleta. Cada planta foi considerada uma unidade experimental. Foram coletaras 46 plantas, 25 em Santa Maria, destas 10 Schizachyrium sp (Capim rabo de burro) (Poaceae), 10 Cyperus sp (Junco) (Cyperaceae) e 5 Eryngium eburneum (Gravatá) (Apiaceae); 21 plantas em São Borja, 8 Schizachyrium sp, 5 Cyperus sp e 8 Panicum sp (Capim do banhado) (Poaceae). Após escolha das plantas, estas eram arrancadas e podadas com auxílio de tesoura de poda após sofriam triagem para a retirada dos indivíduos. Os insetos encontrados foram coletados e levados para laboratório para identificação, triagem e identificação das espécies de percevejos pentatomídeos. Os dados obtidos foram tabulados e submetidos à análise estatística e separação das médias pelo teste de Scott-Knott a 5% de probabilidade. Os índices de diversidade e dominância foram tablados e obtidos no programa DivEs - Diversidade de Espécies. 3. RESULTADOS E DISCUSSÕES Num total de 42 plantas levantadas houve a coleta de 2264 indivíduos adultos de percevejos pentatomídeos, destes a espécie que obteve a maior abundância foi T. limbativentris, com 1676 indivíduos adultos, para esta espécie não houve registros de ninfas nos pontos levantados. Para E. meditabunda coletou-se um total de 588 indivíduos, nestes não houve registros de ninfas. Outras espécies foram encontradas, porém em quantidades inferiores as anteriores, sendo elas: E. rufomarginata, E. heros, D. furcatus. O somatório de indivíduos capturados por espécie esta representado na figura 1. A diversidade de espécies nas diferentes plantas amostradas variou em fução do diâmetro da touceira e espécie botânica, os indices obtidos estáo representados na tabela 1. Capim rabo de burro e capim do banhado apresentaram as maiores diversidades de espécies de percevejos, isto devido às condições que a planta oferece, como aspecto 3

4 compacto, para a proteção destes insetos, além de serem as plantas de maior abundância presentes nos limites das lavouras de arroz irrigado estudadas. Houve diferença significativa entre os diâmetros amostrados, havendo correlação positiva em função da diversidade de espécies. Figura 1: Somatório de indivíduos de percevejos pentatomídeos capturados em diferentes plantas hospedeiras na região central do estado e fornteira oeste em lavouras de arroz irrigado no Rio Grande do Sul, Brasil. A maior diversidade de espécies foi encontrada em Schizachyrium sp, indicando esta espécie não ser exclusiva de T. limbativentris e haver preferência de outras espécies de percevejos. Panicum sp, também obteve valores altos de diversidade, porém nesta espécie T. limbativentris e E. metitabunda encontravam-se em maior quantidade. Nas demais espécies houve dominância do percevejo do colmo. Isto mostra que o diâmetro das plantas hospedeiras não é fator determinante para a diversidade de espécies, havendo em grande parte a influências dos fatores externos, no caso o tipo de cultivo que antecedeu a área e os tipos de tratos culturais que esta área foi submetida, promovendo assim as variações na diversidade de espécies encontradas (GRAZIA et al., 1999). Outro fator que se pode relacionar a ocorrência de percevejos é a propensão da área para inundações, situação esta presente em lavouras próximas a rios existentes na região central do Rio Grande do Sul, como o Ibicuí Mirim e Jacuí, as cheiras desses rios, seguidas pelo transbordo e alagamento de áreas cultivadas por arroz irrigado atuam na eliminação de espécies de pentatomídeos abrigadas em plantas hospedeiras, promovendo assim uma 4

5 varredura nas populações presentes nestes locais (LINK et al., 1987; LINK & GRAZIA, 1987; FERREIRA, 1999). As frequências de percevejos T. limbativentris e E. meditabunda estão representadas na tabela 2. As maiores médias de coletas de insetos foram obtidas em capim rabo de burro, o que indica esta espécie botânica como preferencial para estas espécies se hospedarem. Outras espécies não foram citadas na tabela, devido seus baixos níveis nas diferentes espécies botânicas. Tabela 1: Indice de diversidade e dominância sobre populações de pentatomideos encontrados em diferentes plantas hospedeiras em lavouras de arroz irrigado na região central e fronteira Oeste do Rio Brande do Sul, Brasil, Diâmetro planta Espécie botânica n Diversidade Dominância <Ø >Ø <Ø >Ø Santa Maria - RS Cyperus sp * * Schizachyrium sp Eryngium eburneum São Borja - RS Schizachyrium sp Cyperus sp Panicum sp *Índice de diversidade e dominância de Simpson. Tabela 2: Frequência de percevejos pentatomídeos em diferentes plantas hospedeiras na região central e fronteira oeste do estado do Rio Grande do Sul, Brasil, Espécie botânica n 3 T. limbativentris 1 E. meditabunda 2 Amplitude Média Amplitude Média Cyperus sp ,83b* a Schizachyrium sp a a Eryngium eburneum a Panicum sp a b *Médias seguiras por letras diferentes diferem estatisticamente pelo teste estatístico Scott-Knott a 5% de probabilidade. 1 Tibraca limbativentris; 2 Edessa meditabunda. n 3 : número de plantas amostradas. 5

6 Em Eryngium eburneum não houve registros da presença de E, meditabundo indicando para esta espécie uma especificidade hospedeira para T. limbativentris. Em Cyperus sp, para as duas espécies houve registros, porém seus valores comparados com as demais plantas são inferiores. Nas diferentes espécies houve diferença estatística apenas para junco, apresentando menores médias de indivíduos diferindo das demais. 5. CONCLUSÃO T. limbativentris é a espécie mais abundante nas diferentes espécies de plantas hospedeiras que circindam lavouras de arroz irrigado na região central e fronteira oeste no estado do Rio Grande do Sul. Schizachyrium sp, foi a espécie botânica com maior número de percevejos encontrados. REFERÊNCIAS ÁVILA, C.J.; DEGRANDE, P.E.; GOMEZ, S.A. Insetos pragas: Reconhecimento, comportamento, danos e controle. In: Milho, informações técnicas. Dourados: Embrapa-CPAO, Circular Técnica, 5, p , BURIOL, G.A.; ESTEFANEL V.; FERREIRA M.; SACCOL A. V.; SCHNEIDER M.; HELDWEIN A.B. Cartas mensais e anuais das temperaturas médias, das médias das temperaturas máximas e das médias das temperaturas mínimas do estado do RS. Revista do Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, v.9, Suplemento, np.,1979. CARTER, W. Injuries to plants caused by insect toxins. Botanical Review, 5: , CHOCOROSQUI, V. R. Bioecologia de Dichelops (Diceraeus) melacanthus (Dallas, 1851) (Heteroptera: Pentatomidae), danos e controle em soja, milho e trigo no norte do Paraná. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 160 p, FERREIRA, E. Pragas e seu controle, p In VIEIRA, N. R.; A. B. DOS SANTOS; E. P. DE SANT'ANA (Ed.). A cultura do arroz no Brasil. Embrapa Arroz e Feijão, Santo Antônio de Goiás. 633 p,

7 GALLO, D. et al. Manual de Entomologia Agrícola. São Paulo: Agronômica Ceres, GRAZIA, J.; FORTES, N. D. F.; CAMPOS, L. A. Pentatomoidea. In: JOLY, C. B.; BICUDO, C. E. DE M. (Eds). Biodiversidade do Estado de São Paulo, Brasil: Síntese do conhecimento ao final do século XX. Invertebrados terrestres. v.5. FAPESP, São Paulo, Brasil, p , LINK, D., COSTA, E. C.; MARCHEZAN, E. Avaliação preliminar de diferentes densidades de Oebalus poecilus (Dalla 1851) sobre o rendimento do arroz LINK, D.; GRAZIA, J. Pentatomídeos da região central do Rio Grande do Sul (Heteroptera). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, 16 (1): , PANIZZI, A. R. Wild hosts of Pentatomids: Ecological significance and role in their pest status on crops. Revista de Entomologia, 42 (1): , THUM, A. B. Entomofauna associada à copa de algumas essências florestais nativas. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Maria, Brasil, 90pp,

POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS HOSPEDEIRAS EM LAVOURAS DE SEQUEIRO NA REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS HOSPEDEIRAS EM LAVOURAS DE SEQUEIRO NA REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS HOSPEDEIRAS EM LAVOURAS DE SEQUEIRO NA REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PASINI, Mauricio Paulo Batistella Pasini 1 ; LINK, Dionisio 1, SCAICH,

Leia mais

POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS DE CAPIM RABO DE BURRO EM SANTA MARIA, RS

POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS DE CAPIM RABO DE BURRO EM SANTA MARIA, RS POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS DE CAPIM RABO DE BURRO EM SANTA MARIA, RS SCHAICH, Gabriel 1 ; PASINI, Mauricio Paulo Batistella 1 ; LINK, Dionisio 1 ; RAFAEL, Motta 1 1 Universidade Federal

Leia mais

POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS DE Panicum sp, EM SANTA MARIA, RS

POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS DE Panicum sp, EM SANTA MARIA, RS POPULAÇÃO DE PERCEVEJOS PENTATOMÍDEOS EM PLANTAS DE Panicum sp, EM SANTA MARIA, RS SCHAICH, Gabriel 1 ; PASINI, Mauricio Paulo Batistella 1 ; LINK, Dionisio 1 ; RAFAEL, Motta 1 1 Universidade Federal de

Leia mais

Injúria causada por percevejos fitófagos na fase inicial de desenvolvimento de plantas de milho e trigo

Injúria causada por percevejos fitófagos na fase inicial de desenvolvimento de plantas de milho e trigo Injúria causada por percevejos fitófagos na fase inicial de desenvolvimento de plantas de milho e trigo CANTONE, W. ; PISOLATO, R. 2 ; MARTINS, G.V. 2 ; HUTH, C. 3 ; CORRÊA-FERREIRA, B.S. 4 ; ROGGIA, S.

Leia mais

ATRATIVIDADE DE CULTIVARES DE FEIJÃO-CAUPI PARA ALIMENTAÇÃO DE MOSCA-BRANCA

ATRATIVIDADE DE CULTIVARES DE FEIJÃO-CAUPI PARA ALIMENTAÇÃO DE MOSCA-BRANCA Área: Fitossanidade ATRATIVIDADE DE CULTIVARES DE FEIJÃO-CAUPI PARA ALIMENTAÇÃO DE MOSCA-BRANCA Márcia Patrícia Paula Nascimento 1 ; Laysa Luna de Moura Carvalho 2 ; Paulo Henrique Soares da Silva 3. 1

Leia mais

Avaliação de Redução de Estande em Milho por Cupim.

Avaliação de Redução de Estande em Milho por Cupim. Avaliação de Redução de Estande em Milho por Cupim. WINDER, A. R. S. da. 1, COUTO, L. P. P. 1, SILVA A. R. da. 2, BELLIZZI, N. C. 1 BARBOSA. E. S 1. 1 Docente e acadêmicos do Curso de Agronomia da Universidade

Leia mais

COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE FEIJOEIRO AO ATAQUE DE Bemisia tabaci (Genn.) BIÓTIPO B (HEMIPTERA: ALEYRODIDAE)

COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE FEIJOEIRO AO ATAQUE DE Bemisia tabaci (Genn.) BIÓTIPO B (HEMIPTERA: ALEYRODIDAE) COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE FEIJOEIRO AO ATAQUE DE Bemisia tabaci (Genn.) BIÓTIPO B (HEMIPTERA: ALEYRODIDAE) B.C. Martins 1 ; F.S. Rocha 1,4 ; L.A. Ferreira 1,4 ; J.C.M.R. Silva 1,4 ; R.R. Guimarães

Leia mais

Biodiversidade como bioindicadora da qualidade do solo no Paraná

Biodiversidade como bioindicadora da qualidade do solo no Paraná Biodiversidade como bioindicadora da qualidade do solo no Paraná George G. Brown Lenita J. Oliveira Vanesca Korasaki Antônio A. dos Santos Macroprograma 2: Competitividade e Sustentabilidade Número do

Leia mais

LEVANTAMENTO DE PRAGAS E INIMIGOS NATURAIS OCORRENTES EM LAVOURA DE ARROZ NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRINHA, RIO GRANDE DO SUL

LEVANTAMENTO DE PRAGAS E INIMIGOS NATURAIS OCORRENTES EM LAVOURA DE ARROZ NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRINHA, RIO GRANDE DO SUL LEVANTAMENTO DE PRAGAS E INIMIGOS NATURAIS OCORRENTES EM LAVOURA DE ARROZ NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRINHA, RIO GRANDE DO SUL Rita de Cássia de Melo Machado 1 Flávio Roberto Mello Garcia 2 RESUMO O arroz (Oryza

Leia mais

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com Teores de óleo e proteína em grãos de soja, com diferentes manejos de percevejo, da colheita ao armazenamento, utilizando a espectroscopia no infravermelho próximo (NIR) 59 Marcelo Alvares de Oliveira

Leia mais

Docente do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás, Rua S7, s/n, Setor Sul, Palmeiras de Goiás GO. E-mail.: nilton.cezar@ueg.br.

Docente do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás, Rua S7, s/n, Setor Sul, Palmeiras de Goiás GO. E-mail.: nilton.cezar@ueg.br. Avaliação de Pragas em uma Cultura de Milho para Produção de Sementes. BELLIZZI, N. C. 1, WINDER, A. R. S. 2, PEREIRA JUNIOR, R. D. 2 e BARROS, H. A. V. 2. 1 Docente do Curso de Agronomia da Universidade

Leia mais

Manual de identificação de percevejos da soja

Manual de identificação de percevejos da soja Manual de identificação de percevejos da soja Autor: Paulo Edimar Saran Paulo Edimar Saran Manual de identificação de percevejos da soja Paulo Edimar Saran Suas atividades profissionais tiveram início

Leia mais

VANTAGENS ECOLÓGICAS E ECONÔMICAS DE REFLORESTAMENTOS EM PROPRIEDADES RURAIS NO SUL DO BRASIL RESUMO

VANTAGENS ECOLÓGICAS E ECONÔMICAS DE REFLORESTAMENTOS EM PROPRIEDADES RURAIS NO SUL DO BRASIL RESUMO VANTAGENS ECOLÓGICAS E ECONÔMICAS DE REFLORESTAMENTOS EM PROPRIEDADES RURAIS NO SUL DO BRASIL RESUMO Honorino Roque Rodigheri * Este estudo tem o objetivo de comparar os indicadores ecológicos (uso de

Leia mais

Novos problemas de pragas

Novos problemas de pragas Novos problemas de pragas Pragas da parte aérea José Ednilson Miranda Embrapa Algodão Núcleo do Cerrado Sistema de Produção Novos problemas de pragas Cochonilha do algodoeiro Phenacoccus solenopsis Fotos:

Leia mais

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 Questão 1) Abaixo representa uma experiência com crisântemo, em que a planta foi iluminada, conforme mostra o esquema. Com base no esquema e seus conhecimentos,

Leia mais

Nematóides: Manejo e Controle a Nível de Grandes Áreas do Cerrado no Sistema Algodão-Soja- Milho

Nematóides: Manejo e Controle a Nível de Grandes Áreas do Cerrado no Sistema Algodão-Soja- Milho Nematóides: Manejo e Controle a Nível de Grandes Áreas do Cerrado no Sistema Algodão-Soja- Milho Evaldo Kazushi Takizawa Engenheiro Agrônomo Ceres Consultoria Agronômica /GBCA 1 Temas Considerações iniciais.

Leia mais

Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí

Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí Levantamento de pragas na cultura da laranja do pomar do IFMG- campus Bambuí Luan Cruvinel Miranda (1) ; Mateus Murilo Rosa (1) ; Ricardo Monteiro Corrêa (2) (1) Estudante de Agronomia. Instituto Federal

Leia mais

Ameaças fitossanitárias a soja no Mercosul. Marcelo Lopes da Silva Laboratório de Quarentena Vegetal Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

Ameaças fitossanitárias a soja no Mercosul. Marcelo Lopes da Silva Laboratório de Quarentena Vegetal Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Ameaças fitossanitárias a soja no Mercosul Marcelo Lopes da Silva Laboratório de Quarentena Vegetal Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Conteúdo Introdução Caracterização dos riscos fitossanitários

Leia mais

& ' ( ( ) * +,-./ & 0* * 0 * 12-3 $""4

& ' ( ( ) * +,-./ & 0* * 0 * 12-3 $4 ! "#$""$% & ' ( ( ) * +,-./ & 0* * 0 * 12-3 $""4 1. INTRODUÇÃO As vespinhas pertencentes ao gênero Trichogramma são insetos diminutos (tamanho médio entre 0,2 a 1,5 mm) pertencentes à ordem Hymenoptera

Leia mais

CONTROLE DO TOMBAMENTO DAS MUDAS DE MAMOEIRO CAUSADO POR Rhizoctonia solani J.G. Kühn

CONTROLE DO TOMBAMENTO DAS MUDAS DE MAMOEIRO CAUSADO POR Rhizoctonia solani J.G. Kühn CONTROLE DO TOMBAMENTO DAS MUDAS DE MAMOEIRO CAUSADO POR Rhizoctonia solani J.G. Kühn Sheila Cristina Prucoli Posse 1, Silvaldo Felipe da Silveira 1, Roberto Ferreira da Silva 1 e Gabriela Neves Martins

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DANOS DO PERCEVEJO MARROM Euschistus heros (F.) (HEMIPTERA: PENTATOMIDAE) EM SOJA WANESSA

Leia mais

Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho.

Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho. Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho. XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo - 01 a 05 de setembro de 2002 - Florianópolis - SC Magalhães, P. C.1, Durães,

Leia mais

EFEITO DO ATAQUE DE Dichelops melacanthus (HEMIPTERA: PENTATOMIDAE) EM HÍBRIDOS CONVENCIONAIS E TRANSGÊNICOS DE MILHO

EFEITO DO ATAQUE DE Dichelops melacanthus (HEMIPTERA: PENTATOMIDAE) EM HÍBRIDOS CONVENCIONAIS E TRANSGÊNICOS DE MILHO EFEITO DO ATAQUE DE Dichelops melacanthus (HEMIPTERA: PENTATOMIDAE) EM HÍBRIDOS CONVENCIONAIS E TRANSGÊNICOS DE MILHO Jonas Henrique Gatti 1a, Jacob Crosariol Netto 2c, Tamiris Marion de Souza 3c, Melina

Leia mais

ANÁLISE DA TOLERÂNCIA DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI AO CARUNCHO

ANÁLISE DA TOLERÂNCIA DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI AO CARUNCHO Área: Fitossanidade. ANÁLISE DA TOLERÂNCIA DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI AO CARUNCHO Leite, N. G. A. 1 ; Oliveira, G. R. L. 2 ; Ramos, C. S. A. 3 ; Oliveira, L. G. 4 ; Santos, V. F. 4 ; Souza, M. C. M.

Leia mais

PLANTIOS FLORESTAIS E SISTEMAS AGROFLORESTAIS: ALTERNATIVAS PARA O AUMENTO O DE EMPREGO E RENDA NA PROPRIEDADE RURAL RESUMO

PLANTIOS FLORESTAIS E SISTEMAS AGROFLORESTAIS: ALTERNATIVAS PARA O AUMENTO O DE EMPREGO E RENDA NA PROPRIEDADE RURAL RESUMO PLANTIOS FLORESTAIS E SISTEMAS AGROFLORESTAIS: ALTERNATIVAS PARA O AUMENTO O DE EMPREGO E RENDA NA PROPRIEDADE RURAL RESUMO Honorino Roque Rodigheri * Este trabalho tem por objetivo apresentar indicadores

Leia mais

IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO. (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera*

IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO. (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera* IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera* A história do algodão tecnificado no oeste da Bahia,

Leia mais

DINÂMICA DAS INFESTAÇÕES E ESTRATÉGIAS NO CONTROLE DE PRAGAS MAURO T B SILVA

DINÂMICA DAS INFESTAÇÕES E ESTRATÉGIAS NO CONTROLE DE PRAGAS MAURO T B SILVA DINÂMICA DAS INFESTAÇÕES E ESTRATÉGIAS NO CONTROLE DE PRAGAS MAURO T B SILVA O AMBIENTE AGRÍCOLA Fatores climáticos Plantas hospedeiras Pragas Práticas culturais MUDANÇA NAS PRÁTICAS CULTURAIS 1977 1987

Leia mais

FENOLOGIA REPRODUTIVA DE SCHINUS TEREBINTHIFOLIUS RADDI EM ÁREA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL

FENOLOGIA REPRODUTIVA DE SCHINUS TEREBINTHIFOLIUS RADDI EM ÁREA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL FENOLOGIA REPRODUTIVA DE SCHINUS TEREBINTHIFOLIUS RADDI EM ÁREA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL Azevedo, Cláudia P.M.F.; Ferreira, Paulo C.; Pasin, Liliana A.A.P. UNIVAP/Ciências Biológicas, claumariotto@hotmail.com

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas

Manejo Integrado de Pragas Universidade Federal de Viçosa Departamento de Biologia Animal BAN 160 Entomologia Geral Manejo Integrado de Pragas Prof. Eliseu José G. Pereira eliseu.pereira@ufv.br O que é? Exemplos Organismo Praga

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR 1 DELAI, Lucas da Silva; 1 ALVES Victor Michelon; 1 GREJIANIN, Gustavo; 1 PIRANHA, Michelle Marques

Leia mais

Aplicação de Nitrogênio em Cobertura no Feijoeiro Irrigado*

Aplicação de Nitrogênio em Cobertura no Feijoeiro Irrigado* ISSN 1678-9636 Aplicação de Nitrogênio em Cobertura no Feijoeiro Irrigado* 49 O feijoeiro é uma das principais culturas plantadas na entressafra em sistemas irrigados nas regiões Central e Sudeste do Brasil.

Leia mais

ECOLOGIA GERAL ECOLOGIA DE POPULAÇÕES (DINÂMICA POPULACIONAL E DISPERSÃO)

ECOLOGIA GERAL ECOLOGIA DE POPULAÇÕES (DINÂMICA POPULACIONAL E DISPERSÃO) Aula de hoje: ECOLOGIA GERAL ECOLOGIA DE POPULAÇÕES (DINÂMICA POPULACIONAL E DISPERSÃO) Aula 07 Antes de iniciarmos os estudos sobre populações e seus componentes precisamos conhecer e conceituar as estruturas

Leia mais

Presença indesejável no Brasil

Presença indesejável no Brasil Presença indesejável no Brasil Lucas Tadeu Ferreira e Maria Fernanda Diniz Avidos mosca-branca (Bemisia argentifolii) é uma velha conhecida da comunidade científica. Os problemas que causa à agricultura

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Época de Aplicação de N em Cobertura no Milho em Sucessão ao Consórcio Ervilhaca/Aveia Preta Laís Corrêa Miozzo 1,

Leia mais

Levantamento populacional de percevejos e da incidência de parasitóides de ovos em cultivos orgânicos de soja

Levantamento populacional de percevejos e da incidência de parasitóides de ovos em cultivos orgânicos de soja Levantamento populacional de percevejos e da incidência de parasitóides de ovos em cultivos orgânicos de soja Régis Sivori Silva dos Santos 1 Resumo - O presente estudo tem como objetivos identificar as

Leia mais

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 A evolução da produção de milho no Mato Grosso: a importância da safrinha Jason de Oliveira Duarte 1 José Carlos Cruz 2 João Carlos Garcia 3 Introdução

Leia mais

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NO CULTIVO DA CANOLA NO BRASIL E IMPACTOS NO CUSTO DE PRODUÇÃO E NA RENTABILIDADE.

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NO CULTIVO DA CANOLA NO BRASIL E IMPACTOS NO CUSTO DE PRODUÇÃO E NA RENTABILIDADE. INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NO CULTIVO DA CANOLA NO BRASIL E IMPACTOS NO CUSTO DE PRODUÇÃO E NA RENTABILIDADE. Cláudia De Mori 1 ; Gilberto Omar Tomm 1 ; Paulo Ernani Peres Ferreira 1 ; Vladirene MacedoVieira

Leia mais

DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO

DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO Cícero José da Silva¹; Benjamim de Melo²; César Antônio da Silva³; Carlos Eduardo Mesquita Pode 4 ;

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS PRÉ BROTADAS (MPB) DE CANA-DE-AÇUCAR EM DIFERENTE ESTRATÉGIAS DE IRRIGAÇÃO

PRODUÇÃO DE MUDAS PRÉ BROTADAS (MPB) DE CANA-DE-AÇUCAR EM DIFERENTE ESTRATÉGIAS DE IRRIGAÇÃO PRODUÇÃO DE MUDAS PRÉ BROTADAS (MPB) DE CANA-DE-AÇUCAR EM DIFERENTE ESTRATÉGIAS DE IRRIGAÇÃO L. G. Silva 1 ; E. F. Fraga Júnior 2 ; R. A. Santos 3 RESUMO: O Brasil é o maior produtor mundial de cana-de-açúcar,

Leia mais

O uso de pó de rocha fosfática para o desenvolvimento da agricultura familiar no Semi-Árido brasileiro.

O uso de pó de rocha fosfática para o desenvolvimento da agricultura familiar no Semi-Árido brasileiro. O uso de pó de rocha fosfática para o desenvolvimento da agricultura familiar no Semi-Árido brasileiro. Maíra Leão da Silveira Bolsista de Iniciação Científica, Geografia, UFRJ Francisco Mariano da Rocha

Leia mais

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG - No Brasil o Sistema de Integração Lavoura Pecuária, sempre foi bastante utilizado,

Leia mais

MANEJO DE INSETOS E ÁCAROS NAS CULTURAS DA SOJA E DO MILHO. MAURO BRAGA Pesquisador

MANEJO DE INSETOS E ÁCAROS NAS CULTURAS DA SOJA E DO MILHO. MAURO BRAGA Pesquisador MANEJO DE INSETOS E ÁCAROS NAS CULTURAS DA SOJA E DO MILHO MAURO BRAGA Pesquisador Sistemas agrícolas Insetos e ácaros na soja Insetos no milho Inseticidas: manejo melhor Sistemas agrícolas Sistemas agrícolas

Leia mais

PRODUÇÃO DO MORANGUEIRO A PARTIR DE MUDAS COM DIFERENTES ORIGENS

PRODUÇÃO DO MORANGUEIRO A PARTIR DE MUDAS COM DIFERENTES ORIGENS PRODUÇÃO DO MORANGUEIRO A PARTIR DE MUDAS COM DIFERENTES ORIGENS MICHEL ALDRIGHI GONÇALVES 1 ; CARINE COCCO 1 ; LUCIANO PICOLOTTO 2 ; LETICIA VANNI FERREIRA 1 ; SARAH FIORELLI DE CARVALHO 3 ; LUIS EDUARDO

Leia mais

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA Valter de Oliveira Neves Júnior 1 ; Zélio de Lima Vieira 1 ; Tiago Trevizam de Freitas 1 ; Edgar Rodrigues Marques 1 ; Paulo César

Leia mais

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro

VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG- campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro Potencial da Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) no controle da Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae). Willian Sabino RODRIGUES¹; Gabriel de Castro JACQUES²;

Leia mais

Palavras-Chave: Adubação nitrogenada, massa fresca, área foliar. Nitrogen in Cotton

Palavras-Chave: Adubação nitrogenada, massa fresca, área foliar. Nitrogen in Cotton 64 Nitrogênio na cultura do Algodão Helton Aparecido Rosa 1, Reginaldo Ferreira Santos 1, Maycon Daniel Vieira 1, Onóbio Vicente Werner 1, Josefa Moreno Delai 1, Marines Rute de Oliveira 1 1 Universidade

Leia mais

Até quando uma população pode crescer?

Até quando uma população pode crescer? A U A UL LA Até quando uma população pode crescer? Seu José é dono de um sítio. Cultiva milho em suas terras, além de frutas e legumes que servem para a subsistência da família. Certa vez, a colheita do

Leia mais

Código de Boas Práticas. para a Prevenção e Redução. de Micotoxinas em Cereais

Código de Boas Práticas. para a Prevenção e Redução. de Micotoxinas em Cereais Código de Boas Práticas para a Prevenção e Redução de Micotoxinas em Cereais Índice: Introdução... 3 I. Práticas recomendadas com base nas Boas Práticas Agrícolas (BPA) e nas Boas Práticas de Fabrico (BPF)...

Leia mais

Janeiro de 2013 Volume 01

Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 2 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Companhia Nacional de Abastecimento - Conab Dipai - Diretoria de Política Agrícola e Informações

Leia mais

Cíntia Graciele da Silva 1 Simone Santos de Oliveira 2 Universidade Estadual de Mato Grosso Tangará da Serra MT, junho 2009

Cíntia Graciele da Silva 1 Simone Santos de Oliveira 2 Universidade Estadual de Mato Grosso Tangará da Serra MT, junho 2009 LEVANTAMENTO DA ARTROPODOFAUNA DE UM FRAGMENTO DE MATA E DE UMA PASTAGEM, LOCALIZADOS PRÓXIMO AO CAMPUS DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO, TANGARÁ DA SERRA MT Cíntia Graciele da Silva 1 Simone Santos

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 6 a 0 de Agosto de 0 Qualidade de Sementes Híbridas de Milho Processadas em Separador por Cor Cibele Aparecida Teixeira da Silva, João Almir

Leia mais

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI PROF. DR. MÁRCIO CLEBER DE MEDEIROS CORRÊA Departamento de Fitotecnia Centro de Ciências Agrárias Universidade Federal do Ceará Fortaleza - CE III Simpósio

Leia mais

Recomendações para o Controle Químico da Mancha Branca do Milho

Recomendações para o Controle Químico da Mancha Branca do Milho ISSN 1679-1150 Recomendações para o Controle Químico da Mancha Branca do Milho 167 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2011 A mancha branca (Pantoea ananatis) é considerada, atualmente, uma das principais doenças

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS DO AMENDOINZEIRO COM PRODUTOS ALTENATIVOS E CONVENCIONAIS

MANEJO DE PRAGAS DO AMENDOINZEIRO COM PRODUTOS ALTENATIVOS E CONVENCIONAIS Página 1014 MANEJO DE PRAGAS DO AMENDOINZEIRO COM PRODUTOS ALTENATIVOS E CONVENCIONAIS Raul Porfirio de Almeida 1 ; Aderdilânia Iane Barbosa de Azevedo 2 ; 1Embrapa Algodão, C.P. 174, 58.428-095, Campina

Leia mais

Utilização de jato de água e ar no controle de cochonilhas farinhentas em videira

Utilização de jato de água e ar no controle de cochonilhas farinhentas em videira 243 Utilização de jato de água e ar no controle de cochonilhas farinhentas em videira Utilização de jato de água e ar no controle de cochonilhas farinhentas em videira Use of water and air to control mealybugs

Leia mais

PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE SOJA NO NORDESTE

PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE SOJA NO NORDESTE Ano V Agosto de 2011 Nº 13 INFORME RURAL ETENE Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste - ETENE Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliação - AEPA PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE SOJA NO NORDESTE

Leia mais

REDUÇAO POPULACIONAL DO BICUDO DO ALGODEIRO (ANTHONOMUS GRANDIS) AO ADOTAR O PLANO ESTRATÉGICO DE CONTROLE

REDUÇAO POPULACIONAL DO BICUDO DO ALGODEIRO (ANTHONOMUS GRANDIS) AO ADOTAR O PLANO ESTRATÉGICO DE CONTROLE Página 256 REDUÇAO POPULACIONAL DO BICUDO DO ALGODEIRO (ANTHONOMUS GRANDIS) AO ADOTAR O PLANO ESTRATÉGICO DE CONTROLE Adriano Moraes Rezende¹ (Fundação Goiás /adrianomoares@fundacaogo.com.br), José Ednilson

Leia mais

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA - ISSN 1678-3867 PUBLICAÇÃO CI ENTÍFICA DA FACULDADE DE AGRONOMIA E ENGENHARIA FLORESTAL DE GARÇA/FAEF ANO V, NÚMERO, 09, JUNHO DE 2006. PERIODICIDADE: SEMESTRAL

Leia mais

Avaliação agronômica de variedades de cana-de-açúcar, cultivadas na região de Bambuí em Minas Gerais

Avaliação agronômica de variedades de cana-de-açúcar, cultivadas na região de Bambuí em Minas Gerais Avaliação agronômica de variedades de cana-de-açúcar, cultivadas na região de Bambuí em Minas Gerais César Ferreira Santos¹; Antônio Augusto Rocha Athayde²; Geann Costa Dias 1 ; Patrícia Fernades Lourenço¹

Leia mais

Redação científica. Português

Redação científica. Português Redação científica Português Frases Uma idéia uma frase A hipótese do distúrbio intermediário prediz que o pico da biodiversidade ocorre sob regimes de distúrbios intermediários sendo que locais com distúrbios

Leia mais

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP.

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Roberto Andreani Junior 1 Pedro Galbiati Neto 1 UNICASTELO-Faculdade de Ciências

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA

COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA A prova de Biologia do Vestibular da UFPR/2014 se destacou pelo cuidado com que foi elaborada. Nesse aspecto, podemos afirmar que apresentou um alto nível de precisão e

Leia mais

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE A Fundação Pró-Sementes aponta que um dos grandes problemas encontrados nos arrozais é a forte atuação de plantas invasoras, que são de difícil controle, prejudicando

Leia mais

Solução Comentada Prova de Biologia

Solução Comentada Prova de Biologia 11. Em relação à importância dos organismos autotróficos na modificação da atmosfera na Terra primitiva, analise as proposições abaixo e marque com V as verdadeiras e com F as falsas. 1 ( ) Com a liberação

Leia mais

Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão

Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão The Efficiency of Diatomaceous Earth in Control of Bean Weevil Acanthoscelides

Leia mais

EFICIÊNCIA DO INSETICIDA ACTARA MIX 110 + 220 CE (THIAMETHOXAM + CIPERMETRINA) NO CONTROLE DE PERCEVEJOS-PRAGAS DA SOJA

EFICIÊNCIA DO INSETICIDA ACTARA MIX 110 + 220 CE (THIAMETHOXAM + CIPERMETRINA) NO CONTROLE DE PERCEVEJOS-PRAGAS DA SOJA 239 EFICIÊNCIA DO INSETICIDA ACTARA MIX 110 + 220 CE (THIAMETHOXAM + CIPERMETRINA) NO CONTROLE DE PERCEVEJOS-PRAGAS DA SOJA Z.A. Ramiro, A. Batista Filho, E.R.R. Cintra Instituto Biológico, Centro Experimental

Leia mais

Utilização e Formas de Aproveitamento de espécies do Cerrado no Município de Anápolis, Goiás

Utilização e Formas de Aproveitamento de espécies do Cerrado no Município de Anápolis, Goiás Utilização e Formas de Aproveitamento de espécies do Cerrado no Município de Anápolis, Goiás SANTOS, Mariângela Sousa Rodrigues¹ ROSA, Patrícia Cristiane Lins e Freitas 1,3 MENEZES, Andréia Ribeiro Teles

Leia mais

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas Controle Biológico Postura no coleto Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br Posturas nas folhas Proteção Ambiental: Controle Biológico Agrotóxicos Produtividade x Saúde do Trabalhador Rural Fonte:

Leia mais

Relato da situação da ferrugem e do vazio sanitário na região Sul (PR, SC e RS) e Sudeste (MG, SP)

Relato da situação da ferrugem e do vazio sanitário na região Sul (PR, SC e RS) e Sudeste (MG, SP) Reunião do Consórcio Antiferrugem 26 de junho de 2008. Londrina, PR. Relato da situação da ferrugem e do vazio sanitário na região Sul (PR, SC e RS) e Sudeste (MG, SP) Dulândula S. M. Wruck - Epamig Leila

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE SEGURO, PROAGRO E RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS

ORIENTAÇÕES SOBRE SEGURO, PROAGRO E RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS ORIENTAÇÕES SOBRE SEGURO, PROAGRO E RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS Por: Maria Silvia C. Digiovani, engenheira agrônoma do DTE/FAEP,Tânia Moreira, economista do DTR/FAEP e Pedro Loyola, economista e Coordenador

Leia mais

Índices de perdas do plantio à pré-colheita dos principais grãos cultivados no País 1996-2002 Introdução

Índices de perdas do plantio à pré-colheita dos principais grãos cultivados no País 1996-2002 Introdução Índices de perdas do plantio à pré-colheita dos principais grãos cultivados no País 1996-2002 Introdução O presente estudo trata da construção de um modelo de quantificação das perdas de grãos do plantio

Leia mais

Pesquisas em Andamento pelas Fundações e Embrapa sobre os Temas Indicados pelo Fórum do Ano Passado

Pesquisas em Andamento pelas Fundações e Embrapa sobre os Temas Indicados pelo Fórum do Ano Passado II Fórum Nacional de Produtividade De Soja CESB Pesquisas em Andamento pelas Fundações e Embrapa sobre os Temas Indicados pelo Fórum do Ano Passado Leandro Zancanaro Brasília Agosto de 2011 Temas Indicados

Leia mais

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO AMARAL, Kevin Bossoni do 1 ; CAMPOS, Ben-Hur Costa de 2 ; BIANCHI, Mario Antonio 3 Palavras-Chave:

Leia mais

Preparados homeopáticos no controle da pinta preta do tomateiro.

Preparados homeopáticos no controle da pinta preta do tomateiro. Preparados homeopáticos no controle da pinta preta do tomateiro. Palmira R.Righetto Rolim 1 ; Jesus G.Töfoli 1 ; Ricardo J.Domingues 1 ; Fabrício Rossi 2. 1 Instituto Biológico, CP 12.898, 04010-970, São

Leia mais

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015)

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Gráfico 1 Evolução da produção de grãos (Em milhões de toneladas) A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas cresceu, em

Leia mais

Tipos de Sistema de Produção

Tipos de Sistema de Produção Tipos de Sistema de Produção Os sistemas de cultura dominantes conjunto de plantas cultivadas, forma como estas se associam e técnicas utilizadas no seu cultivo apresentam grandes contrastes entre o Norte

Leia mais

ENSAIO COMPARATIVO AVANÇADO DE ARROZ DE VÁRZEAS EM MINAS GERAIS: ANO AGRÍCOLA 2004/2005

ENSAIO COMPARATIVO AVANÇADO DE ARROZ DE VÁRZEAS EM MINAS GERAIS: ANO AGRÍCOLA 2004/2005 37 ENSAIO COMPARATIVO AVANÇADO DE ARROZ DE VÁRZEAS EM MINAS GERAIS: ANO AGRÍCOLA 2004/2005 Edilene Valente Alves (1), Joyce Cristina Costa (1), David Carlos Ferreira Baffa (2), Plínio César Soares (3),

Leia mais

REQUERIMENTO. (Do Sr. Carlos Bezerra) Senhor Presidente:

REQUERIMENTO. (Do Sr. Carlos Bezerra) Senhor Presidente: REQUERIMENTO (Do Sr. Carlos Bezerra) Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo, sugerindo a criação de unidade de pesquisa agropecuária da EMBRAPA na região do Vale do Araguaia, em Mato Grosso. Senhor

Leia mais

MANUAL DE VENDAS SEGURO COLHEITA GARANTIDA

MANUAL DE VENDAS SEGURO COLHEITA GARANTIDA MANUAL DE VENDAS SEGURO COLHEITA GARANTIDA 1 Finalidade O setor Agropecuário é, e sempre foi, fundamental para a economia Brasileira, porém está sujeito aos riscos de produção por intempéries da Natureza

Leia mais

CURSOS Agronomia, Ciências Habilitação em Biologia, Educação Física, Farmácia, Fisioterapia e Zootecnia

CURSOS Agronomia, Ciências Habilitação em Biologia, Educação Física, Farmácia, Fisioterapia e Zootecnia PROCESSO SELETIVO 2004/1 BIOLOGIA CURSOS Agronomia, Ciências Habilitação em Biologia, Educação Física, Farmácia, Fisioterapia e Zootecnia Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente

Leia mais

AVIAÇÃO AGRÍCOLA E O MEIO AMBIENTE

AVIAÇÃO AGRÍCOLA E O MEIO AMBIENTE AVIAÇÃO AGRÍCOLA E O MEIO AMBIENTE. INTRODUÇÃO Eng. Agr. Eduardo C. de Araújo As discussões relacionadas à proteção ao meio ambiente, em que pese sua inquestionável importância, são, infelizmente, frequentemente

Leia mais

Amostragem e análises de qualidade em grãos

Amostragem e análises de qualidade em grãos Disciplina de Armazenamento e Conservação de Grãos 2015/02 Amostragem e análises de qualidade em grãos Prof. Nathan Levien Vanier Eng. Agrônomo, Dr. Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel Objetivos - Compreender

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO III / Nº 73 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes O plantio de algodão

Leia mais

Suporte técnico a pequenos e médios apicultores do município de Cassilandia-MS

Suporte técnico a pequenos e médios apicultores do município de Cassilandia-MS Suporte técnico a pequenos e médios apicultores do município de Cassilandia-MS Wagner da Paz Andrade 1 ; Gustavo Haralampidou da Costa Vieira 2 1 Estudante do Curso de Agronomia da UEMS, Unidade Universitária

Leia mais

CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA FLORESTAL EMENTAS DE DISCIPLINAS

CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA FLORESTAL EMENTAS DE DISCIPLINAS A MADEIRA NA CONSTRUÇÃO Ementa: Introdução ao material madeira. Potencialidades da madeira e o seu emprego na construção civil. Valor ecológico-ambiental das madeiras no ciclo do carbono. Aplicação como

Leia mais

PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011

PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011 Estado do Rio Grande do Sul CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011 Boletim de Informações

Leia mais

Questões ambientais do Brasil

Questões ambientais do Brasil Questões ambientais do Brasil Ao longo da história do Brasil, o desmatamento esteve presente em todos os ciclos econômicos responsáveis pela construção do país, o que reduziu bastante a biodiversidade

Leia mais

ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15

ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15 ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15 CONJUNTURA MENSAL ANO 1. Nº 4 O 12º Levantamento de Safras da Conab, divulgado em 11 de setembro de 2015, consolidou os dados sobre produção, área e produtividade de algodão

Leia mais

NIMF Nº. 16 PRAGAS NÃO QUARENTENÁRIAS REGULAMENTADAS: CONCEITO E APLICAÇÃO (2002)

NIMF Nº. 16 PRAGAS NÃO QUARENTENÁRIAS REGULAMENTADAS: CONCEITO E APLICAÇÃO (2002) NIMF Nº 16 NORMAS INTERNACIONAIS PARA MEDIDAS FITOSSANITÁRIAS NIMF Nº. 16 PRAGAS NÃO QUARENTENÁRIAS REGULAMENTADAS: CONCEITO E APLICAÇÃO (2002) Produzido pela Secretaria da Convenção Internacional para

Leia mais

do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), instituição mantida por produtores e indústrias de suco.

do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), instituição mantida por produtores e indústrias de suco. do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), instituição mantida por produtores e indústrias de suco. Energia absorvida - Para chegar ao detector de cancro cítrico, os professores Vanderlei Salvador

Leia mais

PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA ORDEM HEMIPTERA

PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA ORDEM HEMIPTERA Aula 04 A PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA Aula de hoje: Hemiptera de importância em Parasitologia Zootécnica ORDEM HEMIPTERA Insetos da ordem Hemiptera são divididos em três subordens, os Heteroptera (conhecidos

Leia mais

Monitoramento do comportamento territorialista e reprodutivo de capivaras: evitando eventos de superpopulações

Monitoramento do comportamento territorialista e reprodutivo de capivaras: evitando eventos de superpopulações Monitoramento do comportamento territorialista e reprodutivo de capivaras: evitando eventos de superpopulações Tiago Garcia PEREIRA 1 ; Eriks Tobias VARGAS 2 Cássia Maria Silva Noronha 2 Sylmara Silva

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ALTERNATIVAS TÉCNICAS PARA O MANEJO DA VEGETAÇÃO SOB AS LINHAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DA COPEL Autores: 1 CLAUDIO PURÍSSIMO; 1 LUIZ

Leia mais

Ações da UNEMAT no município de Alta Floresta. Prof. Dr. Luiz Fernando Caldeira Ribeiro Departamento de Agronomia

Ações da UNEMAT no município de Alta Floresta. Prof. Dr. Luiz Fernando Caldeira Ribeiro Departamento de Agronomia Ações da UNEMAT no município de Alta Floresta Prof. Dr. Luiz Fernando Caldeira Ribeiro Departamento de Agronomia INTRODUÇÃO Laboratório de Fitopatologia e a Clínica de Doenças de Plantas atuam em 4 áreas:

Leia mais

CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ATRAVÉS DE HERBICIDAS EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA

CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ATRAVÉS DE HERBICIDAS EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ATRAVÉS DE HERBICIDAS EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA Hugo de Almeida Dan 1, Alberto Leão de Lemos Barroso 2, Lilian Gomes de Moraes Dan 3, Alaeste Diniz da Silva Júnior 3, Cleriston

Leia mais

Avaliação do efeito de tipos de manejos de solo nos atributos físicos de solo, após seis safras

Avaliação do efeito de tipos de manejos de solo nos atributos físicos de solo, após seis safras Avaliação do efeito de tipos de manejos de solo nos atributos físicos de solo, após seis safras Silvio Tulio Spera 1, Henrique Pereira dos Santos 2, Renato Serena Fontaneli 3, Georgia Luiza Maldaner 4

Leia mais