PROGRAMA DE DISCIPLINA NUTRIÇÃO 2013 EMENTA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE DISCIPLINA NUTRIÇÃO 2013 EMENTA"

Transcrição

1 Faculdade Anísio Teixeira Portaria nº 552 de 22 de março de 2001 D.O.U. de 26/03/2001. Curso de Enfermagem Autorização: Portaria nº 888 de 18 de outubro de D.O.U. de 19/10/2007 CURSO PROGRAMA DE DISCIPLINA ANO LETIVO NUTRIÇÃO 2013 CÓDIGO CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA TEÓRICA: 72h CARGA HORÁRIA PRÁTICA: EMENTA DISCIPLINA Antropologia e Sociologia SEMESTRE DE OFERTA Análise da saúde como um fenômeno social condicionado historicamente e estudo dos determinantes sociais da saúde com ênfase na sociedade brasileira. Construção social do corpo e relação entre cultura, sociedade e processo doença/saúde, relação entre comunicação, sociedade e processo saúde/doença. Unidade biológica e diversidade cultural humana; as respostas culturais dos diferentes grupos humanos para uma necessidade básica de sobrevivência humana; diversidade de práticas alimentares a partir de diferentes sistemas de classificação dos alimentos. Fatores sócio-econômicos e culturais em que influenciam as escolhas alimentares. 2º OBJETIVOS Estudar e conhecer os conceitos da Antropologia e da Sociologia; Discutir as políticas de saúde tomando como referência o conceito de pluralidade, alteridade, socialização, interação e traduzibilidade. Compreender as relações simbólicas acerca da alimentação e nutrição. Discutir o papel do (a) nutricionista (o) na perspectiva de compreender e as pluralidades sócio-culturais ligadas à atuação profissional. PERFIL DO EGRESSO

2 2 O Nutricionista a ser habilitado pela Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana (FAT) terá uma formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, qualificado para o exercício do cuidar/cuidado e da docência na área da Nutrição, com base no rigor científico e intelectual e pautado em princípios éticos. Capaz de conhecer e intervir sobre os problemas/situações de saúde-doença de acordo com o perfil epidemiológico nacional, com ênfase na região do semiárido baiano, identificando as dimensões bio-psico-sociais dos seus determinantes. Capacitado a atuar como integrante de uma equipe multidisciplinar, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano. Deverá em sua ação profissional ser capaz de: Compreender a Nutrição como prática social, historicamente determinada e reconhecer as marcas do processo de trabalho em Nutrição na atualidade. Construir, tanto individual como coletivamente, soluções para os problemas de saúde da comunidade avaliando seu impacto e resolubilidade Atuar de modo sistemático nos diversos campos de trabalho do nutricionista estabelecendo prioridades. Adotar postura coerente com um compromisso ético político para com a melhoria das condições de saúde da população Assumir condutas éticas no desenvolvimento de suas ações profissionais, manter elevado o nome da profissão participando ativamente para sua maior visibilidade social Comprometer-se com a educação permanente e com a produção de conhecimento socialmente relevante. Efetuar leituras críticas e contextualizadas da realidade do país comprometendo-se com a reconstrução da sociedade e o resgate de valores éticos e humanos. Estabelecer relações de trabalho produtivas regidas pelo respeito mútuo e pelo princípio da pluralidade de idéias Comprometer-se com a educação permanente de sua equipe de trabalho com vistas a desenvolver a competência técnica e ética para o cuidado humano e solidário. Interferir na dinâmica de trabalho institucional, reconhecendo seu papel de sujeito histórico e de mudança. Usar com criticidade a tecnologia em função da qualidade de assistência de Enfermagem

3 3 Planejar, implementar, supervisionar e avaliar programas de educação e promoção à saúde, considerando a especificidade dos diferentes grupos sociais e dos distintos processos de vida, saúde, trabalho e adoecimento, no âmbito local; Intervir no processo de saúde/doença responsabilizando-se pela qualidade do cuidar/cuidado de enfermagem ao ser humano nos seus diferentes níveis de atenção à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência; Prestar cuidados de enfermagem compatíveis com as diferentes necessidades apresentadas pelo indivíduo, pela família e pelos diferentes grupos da comunidade; Participar no planejamento e avaliação dos programas de assistência à saúde da instituição de atuação; Participar das associações de classe e organizações sociais. Participar e aplicar pesquisas e /ou outras formas de produção de conhecimento que objetivem a qualificação da prática profissional. Contribuir para a consolidação do Sistema Único de Saúde, garantindo à população o acesso a serviços de forma integral, universal e equânime. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO I UNIDADE 1. Introdução à Antropologia 2. Conceito de Cultura. Concepção de diversidade, alteridade e pluralidade cultural. 3. Conceito de Antropologia da Saúde; 4. Etnografia e Saúde. II UNIDADE 5. Alimentação e sistemas culturais 6. História da alimentação; 7. O papel social do nutricionista 8. Serviços de saúde e as dinâmicas sociais. III UNIDADE 9. Introdução à Sociologia 10. Conceito de Socialização, fato social e interação. 11. Concepção de diversidade, alteridade e pluralidade cultural. 12. Conceito de Sociologia da Saúde;

4 4 METODOLOGIA Os conteúdos serão trabalhados de forma interativa, em que a relação professor/aluno estará em consonância com a produção e divulgação do conhecimento. Neste sentido compete: Ao professor: A mediação do conteúdo através de exposição dialogada, a coordenação das atividades em sala de aula e em campo, a utilização de técnicas de dinâmica de grupo de sensibilização, assim com estimulando a ludicidade pedagógica. Ao aluno: Participar de trabalhos em grupo e individuais, realizar as atividades em sala, assim as atividade de campo, buscar ampliar as referências bibliográficas utilizadas na disciplina. AVALIAÇÃO A disciplina tem como propósito desenvolver além de uma ação individual, uma ação coletiva e integrada, logo, a avaliação como substrato do processo ensino-aprendizagem é entendida mediante o compromisso e a participação dos educandos nas atividades realizadas, levando-se em consideração a fundamentação teórica, o nível de abstração, o poder de relação e análise frente aos conteúdos trabalhados. Assim, propomos: Prova escrita Apresentação de trabalhos Participação em sala de aula Seminários BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALVES, P. C.; MINAYO, M. C. S. Saúde e doença: um olhar antropológico. Rio de Janeiro: Fiocruz, ALVES, Paulo Cesar. Saúde e Doença: um olhar antropológico. Rio de Janeiro, FIOCRUZ, CANESQUI, Ana Maria (org.). Ciências sociais e Saúde. HUCITEC/ABRASCO, São Paulo Rio de Janeiro, CASTELLS, M. A sociedade em rede. 2 a ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999, 617p. COSTA, M. C. C. Sociologia: uma introdução à ciência da sociedade. São Paulo: Moderna, LAPLANTINE, F. Antropologia da doença. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

5 5 LAPLANTINE, F. Aprender antropologia. São Paulo: Brasiliense, LARAIA. Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro, Jorge Zahar editor, 1986 OLIVEIRA, P. S. Introdução à sociologia. São Paulo: Ática, PINTO, L. CHAMPAGNE, P., LENCIN, R. Iniciação à prática sociológica. Petrópolis: Vozes, 1996, 243p. ZANCHI, M. T. & ZUGNO, P. L. Sociologia da saúde. Rio Grande do Sul: EDUCS, BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ARENDT, H. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense, BARBOSA, Regina Maria. Interfaces: gênero, sexualidade e saúde reprodutiva. Campinas, SP, Editora da Unicamp, BASTIDE, R. Antropologia aplicada. São Paulo: Perspectiva, BOLTANSKI, L. As classes sociais e o corpo. Rio de Janeiro: Graal, BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 5ª Edição, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, CANESQUI, A. M. A dietética popular: comida de pobre; comida de rico. In: Saúde em debate, n.º 3, CANESQUI, Ana Maria (org.). Ciências sociais e Saúde. HUCITEC/ABRASCO, São Paulo Rio de Janeiro, CANESQUI, Ana Maria (org.). Dilemas e Desafios das Ciências sociais na Saúde Coletiva. HUCITEC/ABRASCO, São Paulo Rio de Janeiro, CARDOSO, Maria Helena Cabral de Almeida and GOMES, Romeu. Representações sociais e história: referenciais teórico-metodológicos para o campo da saúde coletiva. Cad. Saúde Pública [online]. 2000, vol.16, n.2, pp ISSN X COSTA, M. C. C. Sociologia: uma introdução à ciência da sociedade. São Paulo: Moderna, FERREIRA, Francisco Romão. A produção de sentidos sobre a imagem do corpo. In: Interface comunicação, saúde e educação, V. 12, n. 26, p , jul./set FORACCHI, Marialice Mancarini e MARTINS, José de Souza. Sociologia e Socidedade. LTC editora, Rio de Janeiro, GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. LTC editora, Rio de Janeiro, GIL, Laura Pérez. Políticas de Saúde, Pluralidade Terapêutica e Identidade na Amazônia. In: Saúde Sociedade. São Paulo, V. 16, n.2, 2007, PP

6 6 HELMAn, Cecil G. / Buchweitz, Claúdia/ Garcez, Pedro m. Cultura, saúde e doença. ARTMED, 4ed. Porto Alegre, HOMEM DE MELLO, F. O problema alimentar no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, IRIART, J.A. Bernstein. Concepções e representações da saúde e da doença. Texto didático. Salvador: ISC-UFBA, LANGDON, Esther Jean. Diversidade Cultural e os desafios da Política Brasileira de Saúde do Índio. In: Saúde Sociedade. São Paulo, V. 16, n.2, 2007, PP LAPLANTINE, François (1996) Aprender Antropologia. 9ª edição. São Paulo, Editora Brasiliense. LAPLATINE, Francois. Antropologia da doença. Martins Fontes. 1ª Ed. 1991, São Paulo. LARAIA. Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro, Jorge Zahar editor, MARCELINO, N. C. Introdução às ciências sociais. Campinas: Papirus, OLIVEIRA, Francisco Arsego de. Antropologia nos serviços de saúde: integralidade, cultura e comunicação. In: Interface comunicação, saúde e educação, V. 6, n. 10, p , fev OLIVEIRA, P. S. Introdução à sociologia. São Paulo: Ática, SCLIAR, Moacyr. História do conceito de saúde. Physis [online]. 2007, vol.17, n.1, pp ISSN SPINOLA, A. W. P. Pesquisa social em saúde. São Paulo: Cortez, VALLA, Victor Vincent e STOTZ, Eduardo Navarro. Educação, Saúde e sociedade. Petropolis, RJ: Vozes, VELLOSO, Marta Pimenta. Os restos na história: percepções sobre resíduos. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2008, vol.13, n.6, pp ISSN Professor (a) responsável pela disciplina: Prof. Msc. Luiz Alberto da Silva Lima Coordenador do Curso de Enfermagem Prof. Msc. Jalyne Malheiro Direção Acadêmica Prof. Dr. José Maria Dias Filho Direção Geral Prof. Antonio Walter Moraes Lima

Curso de Graduação em Medicina

Curso de Graduação em Medicina Curso de Graduação em Medicina 1. Disciplina: Humanização da Atenção à Saúde 2. Coordenador: Profa. Vice-Coordenador: Profa. MS. Maria das 3. Carga Horária: 24 horas 4. Justificativa: As Diretrizes Nacionais

Leia mais

ANTROPOLOGIA. CIÊNCIAS SOCIAIS - Licenciatura LADY SELMA FERREIRA ALBERNAZ MONITOR RICARDO BANDEIRA DE MELO

ANTROPOLOGIA. CIÊNCIAS SOCIAIS - Licenciatura LADY SELMA FERREIRA ALBERNAZ MONITOR RICARDO BANDEIRA DE MELO UFPE PROACAD DCA PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA PERÍODO LETIVO: 2012.2 DEPARTAMENTO: Antropologia e Museologia DISCIPLINA CÓDIGO AM076 ANTROPOLOGIA CARGA HORÁRIA TEÓRICA 60 H PRÁTICA CRÉD 04 TURMA IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE Credenciada pela Portaria/MEC nº 206/2002 D.O.U. 29/01/2002 ORGANIZAÇÃO SETE DE SETEMBRO DE CULTURA E ENSINO LTDA CNPJ: 03.866.544/0001-29 e Inscrição Municipal nº 005.312-3

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA SANTOS *, Josiane Gonçalves SME/CTBA josiane_2104@hotmail.com Resumo Os tempos mudaram, a escola mudou. Refletir sobre a escola na contemporaneidade

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Problematização das práticas educativas na escola. A História nas propostas curriculares do ensino médio. A relação entre métodos, metodologias, técnicas e a prática do professor de História

Leia mais

Componente Curricular: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I PLANO DE CURSO

Componente Curricular: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I Código: ENF - 225 Pré-requisito: Disciplinas

Leia mais

PUB025. 36 5 o PROGRAMA DE DISCIPLINA ANO LETIVO CURSO 2015.2. Comunicação Publicidade & Propaganda DISCIPLINA CÓDIGO

PUB025. 36 5 o PROGRAMA DE DISCIPLINA ANO LETIVO CURSO 2015.2. Comunicação Publicidade & Propaganda DISCIPLINA CÓDIGO Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA EMBED CorelDRAW.Graphic.12 Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001.

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Edificações Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física

EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Edificações Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Matutino Educação III CARGA

PLANO DE ENSINO. Matutino Educação III CARGA 1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO FAED PLANO DE ENSINO DEPARTAMENTO: Pedagogia ANO/SEMESTRE: 2012/2 CURSO: Pedagogia FASE: 5ª DISCIPLINA: Pesquisa

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde 040 Curso: Psicologia Núcleo Temático: Avaliação Psicológica Disciplina: Instrumentos de Avaliação Psicológica V Professor(es): Izabella

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Móveis Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física

EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Móveis Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: PEDAGOGIA Disciplina: TECNOLOGIA NA SALA DE AULA I Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Histórico da informática,

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: PLANO DE CURSO Curso: Bacharelado em Psicologia Disciplina: Teorias Psicogenéticas Professora: Camila Vasconcelos Carnaúba Lima Código: PSI06 Carga Horária: 40h Créditos: - Pré-requisito(s):

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO FORMAÇÃO CONTINUADA EM GESTÃO ESCOLAR

CURSO DE EXTENSÃO FORMAÇÃO CONTINUADA EM GESTÃO ESCOLAR 1 PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROPPEX PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PROENG CURSO DE PEDAGOGIA CURSO DE EXTENSÃO FORMAÇÃO CONTINUADA EM GESTÃO ESCOLAR Brusque, Dezembro de 2014

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Coordenação Pedagógica Carga Horária Semestral: 40 h/a Semestre do Curso: 7º 1 - Ementa (sumário, resumo) A escola como organização

Leia mais

Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20. Componente Curricular: SAÚDE DA FAMÍLIA. Pré-requisito: Nenhum

Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20. Componente Curricular: SAÚDE DA FAMÍLIA. Pré-requisito: Nenhum C U R S O D E E N F E R M A G E M Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: SAÚDE DA FAMÍLIA Código: ENF - 204 CH Total: 60 horas Pré-requisito:

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional em Saúde Mestrado em Educação Profissional em Saúde

Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional em Saúde Mestrado em Educação Profissional em Saúde Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional em Saúde Mestrado em Educação Profissional em Saúde 2015 Disciplina eletiva: Concepções de Currículo, Trabalho Docente e Educação Profissional Professores

Leia mais

PLANO DE ENSINO SÚMULA/EMENTA

PLANO DE ENSINO SÚMULA/EMENTA PLANO DE ENSINO Código: ENS0007 Nome da Disciplina: Prática Educativa em Saúde I Professor Responsável: Waldomiro Carlos Manfroi e Carmen Lucia Bezerra Machado Número de Créditos (Carga Horária): 02 (30h/a)

Leia mais

EDUCAÇÃO E INCLUSÃO - DESAFIOS DA ESCOLA NA CONTEMPORANEIDADE

EDUCAÇÃO E INCLUSÃO - DESAFIOS DA ESCOLA NA CONTEMPORANEIDADE EDUCAÇÃO E INCLUSÃO - DESAFIOS DA ESCOLA NA CONTEMPORANEIDADE 1. OBJETIVOS OBJETIVOS GERAIS: O curso de pós-graduação em Educação e Inclusão - desafios da escola na contemporaneidade tem por objetivo ampliar

Leia mais

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2014.1. Organização, Sistemas e Métodos (OSM) ADM 028.

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2014.1. Organização, Sistemas e Métodos (OSM) ADM 028. Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia. Manual de Estágios Currículo 2009.02

Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia. Manual de Estágios Currículo 2009.02 Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia Manual de Estágios Currículo 2009.02 Belo Horizonte Dezembro de 2009 1 FICHA TÉCNICA CORPO ADMINISTRATIVO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA Presidente

Leia mais

EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA DE DISCIPLINAS OFERTADAS EM TERESINA/2015.1

EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA DE DISCIPLINAS OFERTADAS EM TERESINA/2015.1 EDITAL Nº 30/2015 PREG: RELATIVO AO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROFESSOR FORMADOR, PROFESSOR ORIENTADOR E SUPERVISOR DE ESTÁGIO PARA O PARFOR/UFPI PRESENCIAL. EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA DE DISCIPLINAS

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR Minuta de Projeto de Resolução para audiência pública de 11/12/2015 Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Educação

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Saúde Coletiva Código: FAR - 307 Pré-requisito: - Período Letivo: 2013.2 Professor:

Leia mais

Procedimentos e Habilidades Atitudes, Normas e Valores Desenvolver habilidades de

Procedimentos e Habilidades Atitudes, Normas e Valores Desenvolver habilidades de Unidade Universitária CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE - 040 Curso PSICOLOGIA Disciplina Psicologia do Desenvolvimento Infantil Professor(es) e DRTs Priscila Palermo Felipini 113088-8 Santuza Fernandes

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: EDUCAÇÃO, MEIO AMBIENTE E SAÚDE Código: ENF - 301 Pré-requisito: Nenhum Período

Leia mais

COMBINADOS, COMPORTAMENTO E REGRAS DE CONVIVÊNCIA : O PROCESSO DE CIVILIDADE PARA CRIAÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

COMBINADOS, COMPORTAMENTO E REGRAS DE CONVIVÊNCIA : O PROCESSO DE CIVILIDADE PARA CRIAÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL COMBINADOS, COMPORTAMENTO E REGRAS DE CONVIVÊNCIA : O PROCESSO DE CIVILIDADE PARA CRIAÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Orientanda: Daniéle de Matos Machado Orientadora: Prof.ª Dr.ª Magda Sarat Co-orientadora:

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I DA ESCOLA ESTADUAL BIJAMIM TAVARES DA SILVA DO 3º ANO.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I DA ESCOLA ESTADUAL BIJAMIM TAVARES DA SILVA DO 3º ANO. EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO FUNDAMENTAL I DA ESCOLA ESTADUAL BIJAMIM TAVARES DA SILVA DO 3º ANO. Eliete Alves Barcelo 1 Priscylla Karoline Menezes 2 Introdução A utilização dos recursos naturais de forma

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE Resumo O estudo objetiva discutir os desafios dos cursos de formação de professores frente à inserção

Leia mais

7 Referências Bibliográficas

7 Referências Bibliográficas 7 Referências Bibliográficas AMORIM, Carlos. Comando Vermelho: a história secreta do crime organizado. 3ª edição. Rio de Janeiro, Record, 1993. ANTUNES, Ricardo. As mutações no mundo do trabalho na era

Leia mais

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CÓDIGO: EDU348 DISCIPLINA: ENSINO-APRENDIZAGEM DE HISTÓRIA CARGA HORÁRIA: 45h EMENTA: Docência

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA

CURSO DE FISIOTERAPIA CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Gestão e Planejamento de Saúde Código: Fisio 119 Pré-requisito: --------- Período

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA Reconhecimento: Portaria MEC nº 1919, de 03/06/2005. E d i t a l d o E x a m e d e S e l e ç ã o p a r a o 1 º s e m e s t r e d e 2 0 0 8 A Coordenação do,

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Pedagogia Tempo de Integralização: Mínimo: 8 semestres Máximo: 14 semestres Nome da Mantida: Centro Universitário

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: VIGILÂNCIA EM SAÚDE Código: ENF-224 Pré-requisito: - Nenhum Período Letivo:

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 07/2009 Aprova a estrutura curricular do Curso de do Centro de Educação e Saúde

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior COLEGIADO CES PARECER CNE/CES 1133/2001 - HOMOLOGADO Despacho do Ministro em 1/10/2001, publicado no Diário Oficial da União de 3/10/2001, Seção 1E, p. 131. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO:

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL. Universidade Estadual de Londrina. Criação Resolução n.º 100, de 25.05.72. Implantação do Curso na UEL 16.02.73

SERVIÇO SOCIAL. Universidade Estadual de Londrina. Criação Resolução n.º 100, de 25.05.72. Implantação do Curso na UEL 16.02.73 SERVIÇO SOCIAL Criação Resolução n.º 100, de 25.05.72 Implantação do Curso na UEL 16.02.73 Reconhecimento Decreto Federal n.º 81.727, de 24.05.78 Grau Assistente Social Matutino: 32 Noturno: 72 Turno Matutino

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DIPLOMA CONFERIDO: BACHAREL NÚMERO DE VAGAS: 100 VAGAS ANUAIS NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA: 50 ALUNOS TURNOS

Leia mais

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL Larissa dos Santos Gomes Resumo O presente artigo refere-se ao trabalho de conclusão

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS DESENVOLVIMENTO HUMANO E SOCIAL DIVISÃO DE APOIO AO DOCENTE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS DESENVOLVIMENTO HUMANO E SOCIAL DIVISÃO DE APOIO AO DOCENTE NORMAS COMPLEMENTARES EDITAL Nº. 003/2012 Processo Seletivo Simplificado para contratação de professores substitutos da Universidade Federal de Uberlândia UFU. 1. Informações Gerais 1.1. Área: Serviço

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Disciplina: Educação de Jovens e Adultos Professor: LUIZ FERNANDO PINTO BAHIA Carga horária: 1h30 Ementa: Teórica

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011.

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011. 1 CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA Araras, maio de 2011. Fernando da Silva Pereira Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS SP fernandosilper@uniararas.br

Leia mais

FIOCRUZ Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Curso de Mestrado em Educação Profissional em Saúde

FIOCRUZ Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Curso de Mestrado em Educação Profissional em Saúde FIOCRUZ Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Curso de Mestrado em Educação Profissional em Saúde Epistemologia Carla Martins / Marco Antonio C. Santos / Virgínia Fontes 1º semestre 2015 3ªs feiras

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: SOCIOLOGIA Código: CTB - 111 Pré-requisito: ------- Período Letivo: 2013.1 Professor: Elton

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: PSICOLOGIA APLICADA À SAÚDE Código: ENF 305 Pré-requisito: Nenhum Período

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Pró-Reitoria de Graduação Departamento de Psicologia PLANO DE ENSINO

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Pró-Reitoria de Graduação Departamento de Psicologia PLANO DE ENSINO Pontifícia Universidade Católica de Goiás Pró-Reitoria de Graduação Departamento de Psicologia PLANO DE ENSINO Disciplina: Psicologia Social I Curso: Psicologia Professora Dra: Rosana Carneiro Tavares

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: GERENCIAMENTO EM ENFERMAGEM Código: ENF - 223 Pré-requisito: Nenhum Período

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: VIGILÂNCIA EM SAÚDE Código: ENF-224 Pré-requisito: - Nenhum Período Letivo:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE Martyhellen Maria Monteiro da Silva - Acadêmica do 8º período do Curso de Pedagogia-UVA, Bolsista do PIBID/UVA-Pedagogia

Leia mais

PROCESSO EDUCATIVO, DA SALA DE AULA À EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

PROCESSO EDUCATIVO, DA SALA DE AULA À EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 1 PROCESSO EDUCATIVO, DA SALA DE AULA À EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Ariana Aparecida Soares Leonel 1 Ana Paula Ferreira 2 Natália Pereira Inêz 3 Frank José Silvera Miranda 4 RESUMO

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC METODOLOGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC METODOLOGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFENCIA EM FORMAÇÃO E APOIO

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS 1 Ementa Visão epistemológica do conhecimento científico. Ciência e método: positivismo, fenomenologia, dialética. Limites da ciência e ética. Tipos de pesquisa e sua relação com os objetos de estudo da

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Edificações FORMA/GRAU: ( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA.

METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA. 1 METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA. Maio/2008 Mara Yáskara Nogueira Paiva Cardoso Uniararas, marayaskara@uniararas.br Ana Carolina Castelli

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SERVIÇO SOCIAL

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SERVIÇO SOCIAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL Identificação do Curso SERVIÇO SOCIAL Nome do Curso: Serviço Social Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial Carga horária

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA DE DISCIPLINAS OFERTADAS EM TERESINA/2015.1 HISTÓRIA

EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA DE DISCIPLINAS OFERTADAS EM TERESINA/2015.1 HISTÓRIA EDITAL Nº 30/2015 PREG: RELATIVO AO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROFESSOR FORMADOR, PROFESSOR ORIENTADOR E SUPERVISOR DE ESTÁGIO PARA O PARFOR/UFPI PRESENCIAL. EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA DE DISCIPLINAS

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE ALMEIDA, Rozelaine Rubia Bueno D 1 Resumo Este artigo tem como objetivo apresentar uma reflexão sobre as mudanças na legislação do Ensino

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Ética Empresarial Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceitos teóricos: Moral e Ética,

Leia mais

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS 31 ANEXO VI EMENTÁRIO EMENTAS: DISCIPLINAS POR PERÍODO RECOMENDADO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS PRIMEIRO PERÍODO HDI0123 HFC0065 HFC0067 HFE0068 HFE0051 HFE0054 INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS CIENTÍFICOS EM EDUCAÇÃO

Leia mais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Educação de Qualidade ao seu alcance EDUCAR PARA TRANSFORMAR O CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO: LICENCIATURA

Leia mais

Art. 1º Definir o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelecer diretrizes e normas para o seu funcionamento. DA NATUREZA

Art. 1º Definir o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelecer diretrizes e normas para o seu funcionamento. DA NATUREZA UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 07/04 Define o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelece diretrizes e normas para seu funcionamento.

Leia mais

Orientadora: Profª Drª Telma Ferraz Leal. 1 Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPE.

Orientadora: Profª Drª Telma Ferraz Leal. 1 Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPE. A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES SOCIAIS DOS AFRO-DESCENDENTES NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS IMPLICAÇÕES DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA MOURA, Dayse Cabral de 1 UFPE mouradayse@yahoo.com.br

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO RESOLUÇÃO CAS Nº 07 / 2007 De 05 de agosto de 2007 Reformula o Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia, a ser implantado a partir do 2º semestre do ano letivo de 2007. CONSIDERANDO

Leia mais

Eixo de Formação Eixo de Formação Fundamental Docente: Julio Cesar da Silva Tavares

Eixo de Formação Eixo de Formação Fundamental Docente: Julio Cesar da Silva Tavares Página 1 de 6 Disciplina Curso Graduação DE GRADUACÃO Curso Semestral Código Economia I 60 Período Turma (s) Carga Horária 1º A, B e D 32 horas-aula relógio 39 horas-aula Ano 1º Semestre de 2016 Páginas

Leia mais

Plano de Ensino / Plano de Trabalho Docente

Plano de Ensino / Plano de Trabalho Docente Plano de Ensino / Plano de Trabalho Docente IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Licenciatura em Matemática CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado

Leia mais

PROGRAMA DE ENSINO. Área de Concentração EDUCAÇÃO. Professor Responsável: Prof. Dr. CRISTIANO AMARAL GARBOGGINI DI GIORGI

PROGRAMA DE ENSINO. Área de Concentração EDUCAÇÃO. Professor Responsável: Prof. Dr. CRISTIANO AMARAL GARBOGGINI DI GIORGI PROGRAMA DE ENSINO Disciplina Código A PEDAGOGIA DE PAULO FREIRE Semestre Ano Letivo Área de Concentração EDUCAÇÃO Curso: MESTRADO (X) DOUTORADO (X ) Número de créditos: 08 Carga Horária: 120 horas/aula

Leia mais

UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão

UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão Eva Simone de Oliveira (acadêmica) e-mail: UNESPAR/Campo Mourão e- mail: Claudia Priori (Orientadora) INTRODUÇÃO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. 2.3 Justificativa pela escolha da formação inicial e continuada / qualificação profissional:

PROJETO PEDAGÓGICO. 2.3 Justificativa pela escolha da formação inicial e continuada / qualificação profissional: PROJETO PEDAGÓGICO 1 Identificação: Curso de Extensão em Navegação Marítima Básica Contextualização da(s) localidade(s) onde ocorrerá o curso: O curso será oferecido no CRPNM ( Centro de Referência em

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CESUMAR SOB A ÓTICA DO SUS

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CESUMAR SOB A ÓTICA DO SUS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CESUMAR SOB A ÓTICA DO SUS Lizyanne Saldanha Soares 1, Natalia Máximo Souza Lima 2, Raquel Gusmão Oliveira

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde Curso de Psicologia Núcleo 2.1 Jung (2014)

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde Curso de Psicologia Núcleo 2.1 Jung (2014) NÚCLEO 2.1- ABORDAGEM JUNGUIANA: FUNDAMENTOS TEÓRICOS E INTERVENÇÃO. Departamentos envolvidos: Psicodinâmica, Psicologia Social e Métodos e Técnicas Professores: Eloisa Marques Damasco Penna Heloisa Dias

Leia mais

Currículo do Curso de Enfermagem

Currículo do Curso de Enfermagem ENFERMAGEM 142 Currículos dos Cursos do CCB UFV Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Graduação em Enfermagem da UFV apresenta como perfil do formando egresso/profissional o enfermeiro, com formação generalista,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito Curso de Direito Diurno PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito Curso de Direito Diurno PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito Curso de Direito Diurno PLANO DE ENSINO 1) Identificação Disciplina Direito e Política Código JUR 1010 Créditos

Leia mais

Práxis, Pré-vestibular Popular: Constante luta pela Educação Popular

Práxis, Pré-vestibular Popular: Constante luta pela Educação Popular Práxis, Pré-vestibular Popular: Constante luta pela Educação Popular Graziele Pissollatto da Costa, UFSM Ana Carolina Machado, UFSM Roberto Lopes do Nascimento Filho, UFSM Toni Pissollatto da Costa, UFSM

Leia mais

Algumas contribuições para a construção do projeto político pedagógico na escola 1

Algumas contribuições para a construção do projeto político pedagógico na escola 1 FALA PEDAGOGIA Algumas contribuições para a construção do projeto político pedagógico na escola 1 Daniela Erani Monteiro Will O Projeto Político Pedagógico (PPP), há alguns anos, está na pauta de discussões

Leia mais

REFERENCIAS. ALVES, Rubem Azevedo. A alegria de ensinar. 5 ed. São Paulo: Ars Poética, 1994.

REFERENCIAS. ALVES, Rubem Azevedo. A alegria de ensinar. 5 ed. São Paulo: Ars Poética, 1994. REFERENCIAS ALVES, Rubem Azevedo. A alegria de ensinar. 5 ed. São Paulo: Ars Poética, 1994.. Conversas com quem gosta de ensinar. (Mais Qualidade Total na Educação). 2 ed. São Paulo: Ars Poética, 1995.

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Autorizado pela Portaria nº 960 de 25/11/08 DOU Nº 165 de 26/11/08 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Autorizado pela Portaria nº 960 de 25/11/08 DOU Nº 165 de 26/11/08 PLANO DE CURSO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Autorizado pela Portaria nº 960 de 25/11/08 DOU Nº 165 de 26/11/08 Componente Curricular: Sociologia Código: ENG - 000 Pré-requisito: ---- Período Letivo: 2013.1 Professor:

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA EM REGISTROS E PRODUÇÃO DAS INFORMAÇÕES EM SAÚDE

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA EM REGISTROS E PRODUÇÃO DAS INFORMAÇÕES EM SAÚDE Laboratório de Educação Profissional em Informações e Registros em Saúde LIRES CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA EM REGISTROS E PRODUÇÃO DAS INFORMAÇÕES EM SAÚDE Nome da Unidade: Escola Politécnica de Saúde

Leia mais

MESTRADO EM EDUCAÇÃO

MESTRADO EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÓPICOS DE ANTROPOLOGIA E SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Nível: Mestrado Área de concentração: Educação Linha de Pesquisa: Cultura e Processos Educativos Disciplina: Eletiva Código: 290029

Leia mais

PROJETO DO CURSO INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO

PROJETO DO CURSO INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense PROJETO DO CURSO INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO Pró-reitoria de Desenvolvimento Humano e Social - PRODHS

Leia mais

As informações sobre o processo seletivo são as seguintes: 1. DADOS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM EDUCAÇÃO

As informações sobre o processo seletivo são as seguintes: 1. DADOS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM EDUCAÇÃO EDITAL Nº 01/ 2011 PPGEd CHAMADA DE CANDIDATOS AO PROCESSO SELETIVO DE ALUNOS REGULARES DO PPGEd - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UNIV. FEDERAL DE SÃO CARLOS - CAMPUS SOROCABA - PARA O ANO DE

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA PARA FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO

CONTRIBUIÇÕES DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA PARA FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO CONTRIBUIÇÕES DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA PARA FORMAÇÃO DO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO Costa, Daiene de Cássia Souza da Email: daienecassia@hotmail.com Vasconcellos, Maura Maria Morita Email: mmorita@sercomtel.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA. Estrutura curricular ou matriz curricular

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA. Estrutura curricular ou matriz curricular UNIVERSIDADE IGUAÇU FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA Estrutura curricular ou matriz curricular O curso foi estruturado com base nas Diretrizes Curriculares para Fisioterapia

Leia mais

DIRETRIZES DE FORMAÇÃO DE PSICOPEDAGOGOS NO BRASIL

DIRETRIZES DE FORMAÇÃO DE PSICOPEDAGOGOS NO BRASIL DIRETRIZES DE FORMAÇÃO DE PSICOPEDAGOGOS NO BRASIL A Psicopedagogia é a área de conhecimento, atuação e pesquisa que lida com o processo de aprendizagem humana, visando o apoio aos indivíduos e aos grupos

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de TIDD

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de TIDD MÓDULO II TEÓRICO AVANÇADO Disciplina: P01070 - Teorias Avançadas na Aprendizagem em Ambientes Virtuais (TAAV) /Turma TIDD01TA Módulo II Área de Concentração: Processos Cognitivos e Ambientes Digitais

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS. Criação Resolução n.º 100, de 25.05.72. Implantação do Curso na UEL 16.02.73

SERVIÇO SOCIAL CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS. Criação Resolução n.º 100, de 25.05.72. Implantação do Curso na UEL 16.02.73 SERVIÇO SOCIAL CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS Criação Resolução n.º 100, de 25.05.72 Implantação do Curso na UEL 16.02.73 Reconhecimento Decreto Federal n.º 81.727, de 24.05.78 Grau Assistente Social

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 2º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 2º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: História da Educação Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 2º 1 - Ementa (sumário, resumo) A educação primitiva. A educação

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO 1 UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA COMPUTAÇÃO ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS (Orientações para a realização das APS dos Cursos de Engenharia

Leia mais

Projetos Interdisciplinares Por quê? Quando? Como?

Projetos Interdisciplinares Por quê? Quando? Como? Projetos Interdisciplinares Por quê? Quando? Como? Profª. Ms. Maria Cecília Nobrega de Almeida Augusto 26 e 27/10/2011 A aula de hoje: Situando a discussão sobre projetos interdisciplinares; O conceito

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:33

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 07/02/2012 19:33 7//1 19:33 Centro de Ciências da Educação Curso: 9 Pedagogia (Noturno) Currículo: 11/ 1 CNA.157.-3 Biologia Humana Ementa: Natureza Biológica e Visão Sistêmica do Ser humano. Sistemas do corpo humano.

Leia mais