FUNCHAL 500 Maiores e Melhores Prémio de Responsabilidade Social REGULAMENTO. Preâmbulo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNCHAL 500 Maiores e Melhores Prémio de Responsabilidade Social REGULAMENTO. Preâmbulo"

Transcrição

1 FUNCHAL 500 Maiores e Melhores Prémio de Responsabilidade Social REGULAMENTO Preâmbulo Num mercado cada vez mais globalizado, a iniciativa das 500 Maiores e Melhores pretende dinamizar e enaltecer o núcleo empresarial da Região Autónoma da Madeira, fazendo eco da importância das suas empresas no crescimento da economia regional, na vida social da região e ainda no desenvolvimento de uma sociedade solidária e responsável. Nesse sentido, no âmbito do concurso geral 500 Maiores e Melhores, é criado o Prémio Responsabilidade Social, que visa enfatizar as empresas madeirenses que no seu dia-a-dia ou em determinadas iniciativas transpareçam a responsabilidade social. O presente regulamento é elaborado com base nos princípios da colaboração empresarial, rigor de informação, e confidencialidade de dados. Artigo 1º (Objectivo) O prémio visa reconhecer publicamente as empresas com sede na Região Autónoma da Madeira, que tenham desenvolvido a sua actividade ou iniciativas específicas de acordo com o paradigma da Responsabilidade Social. Artigo 2º (Atribuição) 1 - A atribuição será efectuada em função do contributo das empresas, ou das suas iniciativas, ao longo do ano em avaliação no evento 500 Maiores e Melhores, para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa, e ou para um ambiente mais limpo, nomeadamente através de: a) Acções e práticas em alguma(s) das diferentes dimensões da Responsabilidade social: Governo da organização; Direitos Humanos; Práticas de trabalho; Meio Ambiente; Práticas operacionais justas; Preocupações dos consumidores; Envolvimento e desenvolvimento na e da comunidade. b) E pelo respeito pelos princípios da responsabilidade social: Responsabilidade: a organização deve ser responsável pelo impacto que tem na sociedade, na economia e no ambiente.

2 Transparência: a organização deve ser transparente nas decisões que toma e actividades que desenvolve, com impacto na sociedade e ambiente. Comportamento ético: a organização deve-se guiar, e ter comportamentos de acordo com os padrões éticos da sociedade. Respeito pelos interesses de todos os stakeholders (todas as partes interessadas ou intervenientes): a organização deve respeitar, considerar e responder aos interesses de todos os intervenientes na vida da organização (accionistas, donos, investidores, empregados, clientes, fornecedores, sindicatos, associações empresariais, industriais ou profissionais, comunidades onde a empresa tem operações, associações de vizinhos, grupos normativos, governos autárquicos, governos regionais, governo nacional, ONGs, concorrentes, etc.). Respeito pela lei: a organização deve aceitar que o respeito pela lei é obrigatório. Respeito pelas normas internacionais de comportamento: Em complemento ao respeito pela lei a que está sujeita a organização deve respeitar, e cumprir as regras das normas internacionais de comportamento. Respeito pelos direitos humanos: a organização deve respeitar e reconhecer a importância e universalidade dos direitos humanos. Artigo 3º (Condições de acesso) 1 - Poderão concorrer ao Prémio de Responsabilidade Social, as empresas com sede na Região Autónoma da Madeira, que participem na iniciativa 500 Maiores e Melhores. 2 As empresas candidatas, deverão respeitar os princípios referidos na alínea b) do artigo anterior, e agir em pelo menos uma das dimensões referidas na alínea a) do artigo 2º. Artigo 4º (Candidaturas) 1 - As entidades candidatas ao Prémio de Responsabilidade Social enviarão para as entidades receptoras que, entretanto, vierem a ser designadas, a informação relativa às iniciativas que pretendam apresentar a concurso, juntamente com o formulário de candidatura às 500 Maiores e Melhores. 2 - A informação, mencionada na alínea anterior, não pode exceder as duas páginas A4, sendo o tipo de letra Arial 11 e o espaçamento entre linhas de 1,5, excepto se o excesso corresponder a imagens, ou fotografias. Pode ainda ser anexa informação que se considere pertinente, sem prejuízo de esta poder não ser considerada. Caso seja disponibilizado um formulário próprio, as regras aplicáveis à informação, serão as definidas no formulário. 3 - O trabalho de tratamento da informação é assumido pela organização do evento 100 Maiores e Melhores. 4 A informação remetida para a entidade receptora, será aceite desde que:

3 a) Seja recebida dentro do prazo que vier a ser estabelecido para o efeito; b) Seja remetida por , fax, carta ou em mão, sendo que nestas duas últimas hipóteses, a entidade candidata disponibilizará uma cópia que será assinada pela entidade receptora e devolvida àquela, funcionando como comprovativo de entrada do processo de candidatura. 5 A entidade receptora das candidaturas, e dentro do prazo que entretanto vier a ser fixado para o efeito, submeterá o respectivo processo de informação à comissão de selecção. Artigo 5º (Responsabilidade) É da inteira responsabilidade da entidade candidata a veracidade das informações remetidas, sendo que a prestação de falsas declarações constituem motivo de exclusão daquela na participação no evento das 500 Maiores e Melhores. Artigo 6º (Divulgação da Informação) 1 - As entidades candidatas autorizam a utilização da informação remetida, para efeitos de análise e tratamento, com vista à definição da classificação da candidatura, e posterior publicação dos respectivos resultados. 2 - A entidade receptora garante a confidencialidade de toda a informação que lhe é fornecida pelas entidades candidatas, nunca a utilizando para fins alheios aos referidos no ponto anterior. Artigo 7º (Prémios) 1 - O Prémio Responsabilidade Social consiste na atribuição à empresa seleccionada de um Diploma e / ou de um troféu produzidos para o efeito, com a indicação do ano em causa, podendo os mesmos fazer referência a mais de uma distinção obtida pela mesma entidade. 3 - As empresas premiadas poderão utilizar a distinção recebida em qualquer situação, desde que façam referência ao ano em que a mesma lhes foi atribuída. 4 Às empresas que concorram e demonstrem ter práticas socialmente responsáveis, às quais não seja atribuído o primeiro lugar do prémio, será atribuída menção honrosa. Artigo 8º (Constituição e Funcionamento da Comissão de Selecção) 1 Compete à Comissão de Selecção, pré-seleccionar as candidaturas, de acordo com as condições de elegibilidade previstas no presente regulamento. 2 A Comissão de Selecção será constituída por membros designados pela comissão organizadora do evento 500 Maiores e Melhores. Artigo 9º

4 (Constituição e Funcionamento da Comissão de Avaliação) 1 Compete à Comissão de Avaliação, classificar as candidaturas de acordo com os critérios definidos no presente regulamento, e proceder ao apuramento do vencedor. 2 A Comissão de Avaliação será constituída por numero impar de membros e / ou representantes de entidades independentes, convidados(as) pela comissão organizadora o evento 500 Maiores e Melhores. 3 - Cada membro da Comissão tem direito a um voto. 4 - A Comissão é autónoma nas suas deliberações, as quais são tomadas por maioria simples. 5 Da decisão da Comissão não haverá recurso. Artigo 10º (Decisão Final) 1 - A Comissão de Avaliação delibera, com base nos termos definidos no presente regulamento, e nos prazos fixados pela organização, o vencedor anual do Prémio Responsabilidade Social, comunicando posteriormente à comissão organizadora do evento 500 Maiores e Melhores. 2 Compete à Comissão de Selecção a resolução de qualquer caso omisso no presente regulamento. Artigo 11º (Critérios de selecção) 1 - As empresas distinguidas serão seleccionadas com base nos seguintes critérios: a) Práticas de Responsabilidade Social que a organização leva a cabo: Iniciativas de apoio à comunidade (actividades e projectos de cariz social realizados); Acções e práticas de integração da responsabilidade social em todos os sectores da organização: o Práticas de trabalho; o Práticas operacionais justas. o Práticas ambientais; b) Impacto e dimensão das Práticas de Responsabilidade Social: Contributo para a qualificação da sociedade. Formação, qualificação e empowerment (delegação de autoridade) quer dos membros da organização, quer dos restantes stakeholders. Identificação e compromisso com os stakeholders; Incorporação da dimensão da Igualdade de Oportunidades; Utilização de tecnologias e / ou técnicas de gestão amigas do ambiente. Contributo para o desenvolvimento social local; Contributo para o desenvolvimento económico local; Contributo para a inserção social. Através da criação liquida de postos de trabalho, acolhimento de estagiários etc.;

5 Originalidade e transmissibilidade das iniciativas; 2 Compete à Comissão de Avaliação proceder à classificação das empresas candidatas tendo em conta, o preceituado no presente regulamento, segundo a seguinte fórmula de ponderação: [0,4 x a)] + [0,6 x b)] Onde a) corresponde a: Compromisso com os princípios da responsabilidade social, e b) corresponde a: Práticas de integração de Responsabilidade Social. 3 As pontuações dos critérios de apreciação estabelecidos nos números anteriores, são atribuídas numa escala entre 1 a 5, sendo a pontuação final estabelecida com duas casas decimais. Artigo 12º (Publicação) 1 A informação remetida pelas entidades candidatas, após respectiva análise e tratamento e transformação, poderá ser publicada no Diário de Notícias da Madeira e disponibilizada na página Web A mesma informação poderá ainda ser disponibilizada nas páginas Web dos restantes parceiros, através de interligação com a primeira. 2 - A publicação da informação remetida pelas entidades candidatas, e publicada nos termos do número anterior, será concretizada segundo o projecto editorial definido para cada edição das 500 Maiores e Melhores. Artigo 13º (Reclamações) 1 - As entidades candidatas poderão reclamar, por escrito, no prazo de quinze dias, após a publicação dos resultados. 2 - As reclamações deverão ser dirigidas à entidade receptora. 3 - Tendo a reclamação apresentada merecido deferimento, as alterações serão devidamente publicitadas. Artigo 14º (Entrega do Prémio) O prémio será entregue no evento anual de entrega de prémios 500 Maiores e Melhores. Artigo 15º (Entrada em vigor) O presente regulamento entra em vigor no dia 01 de Julho de 2015.

Regulamento do Prémio para as Ciências Sociais e Humanas - Maria Cândida da Cunha

Regulamento do Prémio para as Ciências Sociais e Humanas - Maria Cândida da Cunha Regulamento do Prémio para as Ciências Sociais e Humanas - Maria Cândida da Cunha Artigo 1.º Âmbito do Prémio O Instituto Nacional para a Reabilitação, INR, I.P., no âmbito das suas competências, promove

Leia mais

melhoria e inovação da contratação colectiva; dignificação e melhoria das condições de trabalho.

melhoria e inovação da contratação colectiva; dignificação e melhoria das condições de trabalho. REGULAMENTO O Prémio Manuel Lopes foi instituído 1 pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade no sentido de homenagear Manuel Lopes considerando a sua dedicação à implementação da contratação colectiva

Leia mais

CRIAR 2008 Regulamento. Capítulo I Disposições gerais

CRIAR 2008 Regulamento. Capítulo I Disposições gerais CRIAR 2008 Regulamento Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Organização 1. O CRIAR 2008 é uma iniciativa da Liberty Seguros, S.A., com o objectivo de identificar e apoiar ideias de negócio inovadoras

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE OURÉM - CLASO -

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE OURÉM - CLASO - CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE OURÉM - CLASO - CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objecto O presente regulamento interno destina-se a definir e dar a conhecer os princípios a que obedece a constituição,

Leia mais

Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento

Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico Regulamento Considerando que se mostra da maior relevância: a) Reconhecer e premiar a excelência de trabalhos jornalísticos

Leia mais

Critérios de Atribuição

Critérios de Atribuição PRÉMIO MUNICIPAL JOVENS EMPRESÁRIOS DO CONCELHO DE MOURA Critérios de Atribuição Preâmbulo Os Jovens Empresários têm um papel muito importante no Concelho de Moura, pois são o futuro deste Concelho e desempenham

Leia mais

Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.)

Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) É atribuição do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) no sector da

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS Nota Justificativa A Lei n.º 18/97, de 11 de Junho, concedeu ao Governo autorização para legislar no

Leia mais

Festival do Sol. Maratona Fotográfica Fotografar de Sol a Sol. Normas de Participação

Festival do Sol. Maratona Fotográfica Fotografar de Sol a Sol. Normas de Participação Festival do Sol Maratona Fotográfica Fotografar de Sol a Sol Normas de Participação Normas de Participação na Maratona Fotográfica Fotografar de Sol a Sol Art.º 1º Objecto 1. O presente Projecto de Regulamento

Leia mais

CONCURSO "IDEIA BRILHANTE"

CONCURSO IDEIA BRILHANTE CONCURSO "IDEIA BRILHANTE" REGULAMENTO DO CONCURSO Concorrentes 1ª Fase 2ª Fase 3ª Fase Vencedores Avaliação de ideias Avaliação de planos de negócio Apresentação do plano de negócios REGULAMENTO DE CONCURSO

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS E NÃO FINANCEIROS. Nota justificativa

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS E NÃO FINANCEIROS. Nota justificativa PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS E NÃO FINANCEIROS Nota justificativa A prossecução do interesse público municipal nas áreas da cultura, da acção social, das actividades

Leia mais

Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos Sociais

Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos Sociais Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos Sociais Aviso Apresentação de Candidaturas Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos

Leia mais

PRÉMIO MELHOR JOVEM ADVOGADO

PRÉMIO MELHOR JOVEM ADVOGADO PRÉMIO MELHOR JOVEM ADVOGADO Regulamento Artigo 1.º ( Promotores ) O Prémio Melhor Jovem Advogado em direito de negócios, adiante designado por PRÉMIO e instituído pela Simmons & Simmons Rebelo de Sousa,

Leia mais

REGULAMENTO DO COLÉGIO DA ESPECIALIDADE DE URBANISMO

REGULAMENTO DO COLÉGIO DA ESPECIALIDADE DE URBANISMO REGULAMENTO DO COLÉGIO DA ESPECIALIDADE DE URBANISMO PREÂMBULO CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objecto Artigo 2.º Princípios Artigo 3.º Finalidades Artigo 4.º Atribuições Artigo 5.º Relações

Leia mais

Envie-nos os seus trabalhos jornalísticos sobre o sector rodoviário, publicados em 2011. Participe entre 1 de Novembro de 2011 e 31 de Janeiro de

Envie-nos os seus trabalhos jornalísticos sobre o sector rodoviário, publicados em 2011. Participe entre 1 de Novembro de 2011 e 31 de Janeiro de Envie-nos os seus trabalhos jornalísticos sobre o sector rodoviário, publicados em 2011. Participe entre 1 de Novembro de 2011 e 31 de Janeiro de 2012. ENQUADRAMENTO 2ºs PRÉMIOS DE JORNALISMO CEPSA ESTRADAS

Leia mais

REGULAMENTO DE MOBILIDADE DE DIPLOMADOS Leonardo da Vinci

REGULAMENTO DE MOBILIDADE DE DIPLOMADOS Leonardo da Vinci REGULAMENTO DE MOBILIDADE DE DIPLOMADOS Leonardo da Vinci Tendo a Coordenação em colaboração com o DGA RI, elaborado e submetido uma candidatura ao Programa Leonardo da Vinci, foi esta aprovada pela Agência

Leia mais

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Ao abrigo do disposto no n.º 5 do artigo 9.º, no n.º 2 do artigo 10.º, nos artigos 11.º e

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCURSO LOGOTIPO SÍMBOLO LETTERING

REGULAMENTO PARA CONCURSO LOGOTIPO SÍMBOLO LETTERING REGULAMENTO PARA CONCURSO LOGOTIPO SÍMBOLO LETTERING A Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. (ARSN) desafia o talento dos alunos de design para a concepção de logótipo, símbolo institucional a

Leia mais

Projecto de Avaliação do Desempenho Docente. Preâmbulo. Artigo 1.º. Objecto. Básico e Secundário, adiante abreviadamente designado por ECD. Artigo 2.

Projecto de Avaliação do Desempenho Docente. Preâmbulo. Artigo 1.º. Objecto. Básico e Secundário, adiante abreviadamente designado por ECD. Artigo 2. Projecto de Avaliação do Desempenho Docente Preâmbulo ( ) Artigo 1.º Objecto O presente diploma regulamenta o sistema de avaliação do desempenho do pessoal docente estabelecido no Estatuto da Carreira

Leia mais

Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento

Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico Regulamento Considerando que se mostra da maior relevância: a) Reconhecer e premiar a excelência de trabalhos jornalísticos

Leia mais

Código de Ética e Conduta Profissional

Código de Ética e Conduta Profissional Código de Ética e Conduta Profissional ÍNDICE DISPOSIÇÕES INTRODUTÓRIAS 1 ARTIGO 1º. - Âmbito de Aplicação 1 ARTIGO 2º. Princípios Aplicáveis 2 ARTIGO 3º. Relação com os clientes/consumidores 3 ARTIGO

Leia mais

Concurso Tecnologia e Inovação Portuguesa

Concurso Tecnologia e Inovação Portuguesa Concurso Tecnologia e Inovação Portuguesa Artigo 1.º - Enquadramento A Mundiventos Consultoria e Organização de Eventos Lda, tem vindo a desenvolver um ambicioso e cada vez mais inadiável projeto para

Leia mais

MANUAL DA INCUBADORA DO TAGUSPARK

MANUAL DA INCUBADORA DO TAGUSPARK MANUAL DA INCUBADORA DO TAGUSPARK Data: Outubro de 2013 Índice 1. Introdução... 1 2. Âmbito... 1 3. Modelo de incubação... 2 3.1 Pré-Incubação... 2 3.2 Incubação... 3 3.3 Desenvolvimento Empresarial...

Leia mais

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Decreto Regulamentar Regional n.º 26/2007/A de 19 de Novembro de 2007 Regulamenta o Subsistema de Apoio ao Desenvolvimento da Qualidade e Inovação O Decreto Legislativo Regional

Leia mais

Prémios da Gala dos Eventos 2017 Regulamento

Prémios da Gala dos Eventos 2017 Regulamento Prémios da Gala dos Eventos 2017 Regulamento 1. Os Prémios da Gala dos Eventos são organizados pelo Gabinete da ExpoEventos, com o apoio de Parceiros de referência e o aconselhamento de uma Comissão de

Leia mais

Concurso de Ideias promovido pela OTIC UTL

Concurso de Ideias promovido pela OTIC UTL Concurso de Ideias promovido pela OTIC UTL 2010 Patrocinadores: Preâmbulo A Oficina de Transferência de Tecnologia e de Conhecimento da Universidade Técnica de Lisboa (OTIC UTL) com o lançamento do concurso

Leia mais

Prémio Secil Engenharia Civil 2014. Regulamento

Prémio Secil Engenharia Civil 2014. Regulamento Prémio Secil Engenharia Civil 2014 Regulamento I Prémio 1. O Prémio Secil de Engenharia Civil, atribuído através de um concurso nacional, tem como objectivo incentivar e promover o reconhecimento público

Leia mais

Código de Ética. 1. Apresentação

Código de Ética. 1. Apresentação Código de Ética 1. Apresentação A Missão, a Visão, os Princípios Gerais, os Valores e as Normas de Conduta constantes do Código de Ética integram a Cultura da Lusa, a qual deve presidir à conduta profissional

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS. Reforçar a Competitividade das Empresas

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS. Reforçar a Competitividade das Empresas AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL DA 2014-2020 (MADEIRA 14-20) EIXO PRIORITÁRIO 3 Reforçar a Competitividade das Empresas PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI) 3.b Desenvolvimento

Leia mais

Regulamento de Acesso à Medida 7.1 - Desenvolvimento de Centros de Competências em TIC" Programa Operacional Sociedade do Conhecimento

Regulamento de Acesso à Medida 7.1 - Desenvolvimento de Centros de Competências em TIC Programa Operacional Sociedade do Conhecimento Regulamento de Acesso à Medida 7.1 - Desenvolvimento de Centros de Competências em TIC" Programa Operacional Sociedade do Conhecimento PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Despacho Sob proposta do Gestor

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO TÉCNICA ELETROTÉCNICA CTE 79

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO TÉCNICA ELETROTÉCNICA CTE 79 Artigo 1º Preâmbulo O presente documento estabelece as regras de funcionamento interno da Comissão Técnica Eletrotécnica 79 (CTE 79), respetivas Subcomissões (SC) e Grupos de Trabalho (GT), com base nos

Leia mais

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora»

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora» Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora» 1. Disposições Gerais A Câmara Municipal de Almada promove o «Concurso Jovens Talentos 2012 - Almada, Cidade Educadora» com

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012 O Decreto Regulamentar n.º 84-A/2007, de 10 de dezembro, alterado pelos Decretos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010 O Programa Estagiar, nas suas vertentes L, T e U, dirigido a recém-licenciados e mestres, recém-formados

Leia mais

Artigo 1.º. Âmbito e objeto

Artigo 1.º. Âmbito e objeto PROJETO DE REGULAMENTO DO CONCURSO PÚBLICO PARA A SELEÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DE INVESTIGAÇÃO E SUA INTEGRAÇÃO NO ROTEIRO NACIONAL DE INFRAESTRUTURAS DE INVESTIGAÇÃO DE INTERESSE ESTRATÉGICO Artigo 1.º

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA PROFISSONAL da

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA PROFISSONAL da CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA PROFISSONAL da INDICE Página 1 Objectivos do Código de Ética..3 2 Missão e valores.3 3 Âmbito de aplicação 3 4 Publicação e actualizações..3 5 - Normas de conduta 3 5.1 - Lealdade

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA. Nota justificativa

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA. Nota justificativa REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA Nota justificativa A prossecução do interesse público municipal concretizado, designadamente através de políticas de desenvolvimento cultural,

Leia mais

PRÉMIO DE EMPREENDEDORISMO FCSH-NOVA/SANTANDER-UNIVERSIDADES. Melhores Ideias de Negócio

PRÉMIO DE EMPREENDEDORISMO FCSH-NOVA/SANTANDER-UNIVERSIDADES. Melhores Ideias de Negócio PRÉMIO DE EMPREENDEDORISMO FCSH-NOVA/SANTANDER-UNIVERSIDADES Melhores Ideias de Negócio 2016 GUIA DE CANDIDATURA Preâmbulo Consciente dos novos cenários económicos, que se observam à escala global, e atenta

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE CRIAÇÃO NAS ÁREAS DE CINEMA, DANÇA E TEATRO. Enquadramento

REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE CRIAÇÃO NAS ÁREAS DE CINEMA, DANÇA E TEATRO. Enquadramento REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE CRIAÇÃO NAS ÁREAS DE CINEMA, DANÇA E TEATRO 2016 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian concede, através do Programa de Língua e Cultura Portuguesas

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO (2º CICLO) EM MATEMÁTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO (2º CICLO) EM MATEMÁTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO (2º CICLO) EM MATEMÁTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Ao abrigo do Decreto-Lei nº 74/2006 de 24 de Março, e do disposto na Deliberação nº 1487/2006 da Reitoria da Universidade

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2016

Regulamento PAPSummer 2016 Regulamento PAPSummer 2016 Artigo 1º Objetivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses ( Estudante ) de desenvolver um

Leia mais

Empreendedorismo Negócios

Empreendedorismo Negócios CONCURSO DE IDEIAS Empreendedorismo Negócios Enquadramento O Concurso de Ideias apresenta como objetivo desenvolver o espírito empreendedor da população em geral, contribuindo desta forma para a promoção

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO INTERNO Preâmbulo A Rede Social assenta numa estratégia participada de planeamento, que procura racionalizar e conferir maior eficácia, quer à intervenção dos agentes na aplicação das medidas,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Despacho Nº4724/2005 Sob proposta do Gestor do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento e nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 29º do Decreto-Lei n.º 54-A/2000,

Leia mais

REGULAMENTO programa de apoio às pessoas colectivas de direito privado sem fins lucrativos do município de santa maria da feira

REGULAMENTO programa de apoio às pessoas colectivas de direito privado sem fins lucrativos do município de santa maria da feira REGULAMENTO programa de apoio às pessoas colectivas de direito privado sem fins lucrativos do município de santa maria da feira PG 02 NOTA JUSTIFICATIVA O presente regulamento promove a qualificação das

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO. CONCURSO DE VIDEO ON-LINE Curt ÁGUEDA

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO. CONCURSO DE VIDEO ON-LINE Curt ÁGUEDA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO CONCURSO DE VIDEO ON-LINE Curt ÁGUEDA PREAMBULO A edição do concurso de vídeo on-line de Águeda pretende mostrar e descobrir Águeda em todas as suas dimensões, sejam elas de cariz

Leia mais

Estatutos das Distinções Honoríficas da Nobre Casa de Cidadania

Estatutos das Distinções Honoríficas da Nobre Casa de Cidadania Estatutos das Distinções Honoríficas da Nobre Casa de Cidadania Enquadramento A Nobre Casa de Cidadania atua no âmbito da sensibilização e educação para a Cidadania promovendo o exemplo individual como

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO E FINANCIAMENTO DO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO E FINANCIAMENTO DO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO MUNICÍPIO DE S. PEDRO DO SUL GABINETE DE DESPORTO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO E FINANCIAMENTO DO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO E FINANCIAMENTO DO ASSOCIATIVISMO DESPORTIVO

Leia mais

Regulamento do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora (CIEP-UE)

Regulamento do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora (CIEP-UE) Regulamento do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora (CIEP-UE) Sob proposta da Directora do CIEP-UE, com parecer favorável da Assembleia de Representantes da Escola de

Leia mais

Ministério da Administração do Território

Ministério da Administração do Território Ministério da Administração do Território A Lei da Observação Eleitoral LEI N.º 4/05 De 4 de Julho Convindo regular a observação eleitoral quer por nacionais quer por estrangeiros; Nestes termos, ao abrigo

Leia mais

Concurso de Criação do Logótipo para a Freguesia de Coronado REGULAMENTO

Concurso de Criação do Logótipo para a Freguesia de Coronado REGULAMENTO Concurso de Criação do Logótipo para a Freguesia de Coronado REGULAMENTO Artigo 1.º Promotor 1. A Freguesia de Coronado organiza um Concurso Local, tendo em vista a criação do primeiro logótipo, isto é,

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE RIO MAIOR

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE RIO MAIOR Município de Rio Maior CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE RIO MAIOR Regimento Preâmbulo A Lei nº 159/99, de 14 de Setembro, estabelece na alínea b) do nº2, do seu artigo 19, a competência dos órgãos municipais

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado Regulamento para Atribuição do Título de Especialista na Escola Superior de Enfermagem Artigo 1º Objecto e âmbito 1. O Presente Regulamento titula as normas jurídicas aplicáveis ao procedimento de atribuição

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL O Município de Chaves tem entendido como de interesse municipal as iniciativas empresariais de natureza económica que contribuem

Leia mais

Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade

Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade Índice Nota Introdutória Legislação Conceitos/Glossário de termos Princípios Orientadores e finalidades Documentos Nota Introdutória:

Leia mais

CONCURSO DE CRIAÇÃO DE SPOT PROMOCIONAL

CONCURSO DE CRIAÇÃO DE SPOT PROMOCIONAL CONCURSO DE CRIAÇÃO DE SPOT PROMOCIONAL ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE PARA TODOS REGULAMENTO Artigo 1º OBJECTIVO O presente concurso tem como objectivo sensibilizar os alunos do Ensino Secundário e a comunidade

Leia mais

Regulamento do GREEN PROJECT AWARDS Brasil

Regulamento do GREEN PROJECT AWARDS Brasil Regulamento do GREEN PROJECT AWARDS Brasil A GCI em parceria com o Instituto Nacional de Tecnologia (INT) institui um Prêmio de reconhecimento de boas práticas em projetos que promovam o desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL E DE DESIGNAÇÃO DOS DELEGADOS À ASSEMBLEIA GERAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BRIDGE I PARTE GERAL

REGULAMENTO ELEITORAL E DE DESIGNAÇÃO DOS DELEGADOS À ASSEMBLEIA GERAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BRIDGE I PARTE GERAL REGULAMENTO ELEITORAL E DE DESIGNAÇÃO DOS DELEGADOS À ASSEMBLEIA GERAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BRIDGE I PARTE GERAL 1. O presente Regulamento aplica-se às eleições de delegados como representantes dos

Leia mais

Fazer Acontecer a Regeneração Urbana. Plano de Regeneração Urbana. Alto de Beja Rua das Lojas e Praça da República AUSCULTAÇÃO PÚBLICA

Fazer Acontecer a Regeneração Urbana. Plano de Regeneração Urbana. Alto de Beja Rua das Lojas e Praça da República AUSCULTAÇÃO PÚBLICA Fazer Acontecer a Regeneração Urbana Plano de Regeneração Urbana Alto de Beja Rua das Lojas e Praça da República AUSCULTAÇÃO PÚBLICA Artigo 1º. Enquadramento REGENERAÇÃO URBANA UM NOVO IMPULSO, é uma iniciativa

Leia mais

Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências

Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências CICLO DE PALESTRAS DIRECÇÃO CIENTÍFICA E DE EXTENSÃO Departamento de Políticas de Investigação e Pós-Graduação Luanda, junho de 2015 Enquadramento

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:293146-2015:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:293146-2015:text:pt:html 1/7 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:293146-2015:text:pt:html Grécia-Tessalónica: Desenvolvimento de tecnologias de informação e informações sobre o mercado

Leia mais

Regulamento Municipal de Apoio às Actividades Desportivas

Regulamento Municipal de Apoio às Actividades Desportivas Regulamento Municipal de Apoio às Actividades Desportivas Preâmbulo A Câmara Municipal de Nordeste tem vindo a apoiar ao longo dos anos de forma directa e organizada toda a actividade desportiva no concelho

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho REGULAMENTO DE ALIENAÇÃO DE LOTES DE TERRENO PARA A FIXAÇÃO DE UNIDADES INDUSTRIAIS, COMERCIAIS E/OU DE SERVIÇOS NA ÁREA DO MUNICÍPIO DE VIEIRA DO MINHO Nos últimos anos a Câmara Municipal de Vieira do

Leia mais

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha Programa FINICIA Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha Anexo I ao protocolo financeiro e de cooperação Normas e Condições de Acesso Artigo 1º. (Objectivo) Pretende-se colocar

Leia mais

Versão Consolidada. Portaria n.º 482/2009, de 6 de Maio

Versão Consolidada. Portaria n.º 482/2009, de 6 de Maio Portaria n.º 482/2009, de 6 de Maio O Regulamento (CE) n.º 1698/2005, do Conselho, de 20 de Setembro, relativo ao apoio ao desenvolvimento rural pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER),

Leia mais

7 REGULAMENTO DE UNIDADES CURRICULARES DE DISSERTAÇÃO

7 REGULAMENTO DE UNIDADES CURRICULARES DE DISSERTAÇÃO 7 REGULAMENTO DE UNIDADES CURRICULARES DE DISSERTAÇÃO De acordo com o estipulado no artigo 20º do Decreto-Lei nº 74/2006 de 24 de Março, o ciclo de estudos conducente ao grau de mestre conferido pelo IST

Leia mais

Decreto-Lei nº 25/91, de 11 de Janeiro

Decreto-Lei nº 25/91, de 11 de Janeiro Decreto-Lei nº 25/91, de 11 de Janeiro O quadro legal das sociedades de desenvolvimento regional foi estabelecido pelo Decreto-Lei nºs 499/80, de 20 de Outubro. Desde a data da sua publicação, o sistema

Leia mais

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo.

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo. MESTRADOS REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO JORNALISMO Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo. Artigo 2.º Destinatários O Mestrado em Jornalismo

Leia mais

Introdução. Artigo 1.º Objecto e âmbito de aplicação

Introdução. Artigo 1.º Objecto e âmbito de aplicação 1 REGULAMENTO DA VENDA DE LOTES PARA CONSTRUÇÃO DE HABITAÇÃO EM LOTEAMENTOS MUNICIPAIS A JOVENS NATURAIS OU RESIDENTES NO CONCELHO DAS CALDAS DA RAINHA Introdução Com o objectivo de fixar jovens nas freguesias

Leia mais

PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO

PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO ETAPAS DO PROCESSO DE CANDIDATURA 1ª Etapa Candidaturas: 1 Out 2014 28 Fev 2015. O prémio Consumus Dixit é aberto a todos trabalhos profissionais, académicos, personalidades

Leia mais

Prémio Santander Totta / Universidade Nova de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento

Prémio Santander Totta / Universidade Nova de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento Prémio Santander Totta / Universidade Nova de Lisboa, de Jornalismo Económico Regulamento Considerando que se mostra da maior relevância: a) Reconhecer e premiar a excelência de trabalhos jornalísticos

Leia mais

Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006)

Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006) Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006) PREÂMBULO O presente regulamento define as normas relacionadas com a actividade financeira a observar

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOBAÇA REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS

CÂMARA MUNICIPAL DE ALCOBAÇA REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS Artigo 1º (OBJECTO E ÂMBITO) O presente regulamento tem por objecto a definição das regras aplicáveis à atribuição de apoios pela Câmara Municipal no exercício

Leia mais

Portaria n.º 129/2009, de 30 de Janeiro, Regulamenta o Programa Estágios Profissionais (JusNet 211/2009)

Portaria n.º 129/2009, de 30 de Janeiro, Regulamenta o Programa Estágios Profissionais (JusNet 211/2009) LEGISLAÇÃO Portaria n.º 129/2009, de 30 de Janeiro, Regulamenta o Programa Estágios Profissionais (JusNet 211/2009) ( DR N.º 21, Série I 30 Janeiro 2009 30 Janeiro 2009 ) Emissor: Ministério do Trabalho

Leia mais

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE ESPAÇOS DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE. Introdução

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE ESPAÇOS DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE. Introdução REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE ESPAÇOS DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE Introdução A Escola Superior de Saúde da Universidade do Algarve (ESSUAlg) dispõe de um auditório e de espaços

Leia mais

CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CUSTÓIAS REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO

CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CUSTÓIAS REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CUSTÓIAS REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO CAPÍTULO I Artigo 1º 1.A resposta Social de Apoio Domiciliário, doravante designado por S.A.D., está situado nas

Leia mais

Projecto de Decreto-lei

Projecto de Decreto-lei Projecto de Decreto-lei O Decreto Lei nº273/2003, de 29 de Outubro, sobre as regras gerais de planeamento, organização e coordenação para promover a segurança e saúde no trabalho em estaleiros da construção,

Leia mais

REGULAMENTO DE INCENTIVO À CRIAÇÃO DE EMPREGO Iniciativa Emprego Já

REGULAMENTO DE INCENTIVO À CRIAÇÃO DE EMPREGO Iniciativa Emprego Já REGULAMENTO DE INCENTIVO À CRIAÇÃO DE EMPREGO Iniciativa Emprego Já Nota Justificativa O combate ao flagelo do desemprego é uma das preocupações que deve nortear a gestão municipal, uma vez que é na criação

Leia mais

PROJECTO DE PORTARIA QUE REGULAMENTA O DECRETO-LEI N.º 134/2009, DE 2 DE JUNHO. Portaria n.º /09,

PROJECTO DE PORTARIA QUE REGULAMENTA O DECRETO-LEI N.º 134/2009, DE 2 DE JUNHO. Portaria n.º /09, PROJECTO DE PORTARIA QUE REGULAMENTA O DECRETO-LEI N.º 134/2009, DE 2 DE JUNHO Portaria n.º /09, de O Decreto-Lei n.º 134/2009, de 2 de Junho, estabeleceu o regime jurídico aplicável à prestação de serviços

Leia mais

- REGIMENTO - CAPITULO I (Disposições gerais) Artigo 1.º (Normas reguladoras)

- REGIMENTO - CAPITULO I (Disposições gerais) Artigo 1.º (Normas reguladoras) - REGIMENTO - Considerando que, a Lei 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos locais de educação; Considerando

Leia mais

PROPOSTA DE ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS DO CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DE SÃO JOSÉ, DA GUARDA

PROPOSTA DE ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS DO CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DE SÃO JOSÉ, DA GUARDA PROPOSTA DE ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS DO CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DE SÃO JOSÉ, DA GUARDA Capítulo I Da denominação, natureza e fins Artigo 1º Denominação A Associação de Pais e Encarregados de Educação

Leia mais

EDITAL. 2. Podem ser opositores ao concurso deste curso de mestrado:

EDITAL. 2. Podem ser opositores ao concurso deste curso de mestrado: EDITAL 1. Faz-se público que está aberto concurso para admissão ao Curso de Mestrado em Tecnologias de Informação e Comunicação em Educação, a iniciar no 1º semestre do ano letivo de 2015/2016 na Escola

Leia mais

PRÉMIO DAMIÃO DE GÓIS SOCIAL DE EMPREENDEDORISMO LISBOA, 2014 2.ª EDIÇÃO REGULAMENTO

PRÉMIO DAMIÃO DE GÓIS SOCIAL DE EMPREENDEDORISMO LISBOA, 2014 2.ª EDIÇÃO REGULAMENTO PRÉMIO DAMIÃO DE GÓIS DE EMPREENDEDORISMO SOCIAL LISBOA, 2014 2.ª EDIÇÃO REGULAMENTO Regulamento A Embaixada do Reino dos Países Baixos em Lisboa, o Instituto Português de Corporate Governance e a Câmara

Leia mais

Concurso de Ideias para a Criação do Novo Logótipo do Parque Ambiental do Montinho REGULAMENTO

Concurso de Ideias para a Criação do Novo Logótipo do Parque Ambiental do Montinho REGULAMENTO Concurso de Ideias para a Criação do Novo Logótipo do Parque Ambiental do Montinho REGULAMENTO 1. Promotor A RESIALENTEJO, EIM leva a efeito o concurso de ideias para apresentação de uma proposta de criação

Leia mais

Regulamento de Apoio à Mobilidade e Intercâmbio Cultural

Regulamento de Apoio à Mobilidade e Intercâmbio Cultural Regulamento de Apoio à Mobilidade e Intercâmbio Cultural Preâmbulo A Câmara Municipal de Nordeste tem vindo a apoiar ao longo dos anos de forma directa e organizada toda a actividade cultural no concelho

Leia mais

2.2. Podem, ainda, candidatar-se entidades agrupadas num projecto comum, devendo ser indicado o líder do mesmo.

2.2. Podem, ainda, candidatar-se entidades agrupadas num projecto comum, devendo ser indicado o líder do mesmo. 1. Do Programa EDP SOLIDÁRIA 1.1. A Fundação EDP, adiante designada por FEDP, no âmbito das suas actividades nas áreas da solidariedade e da inovação social, promove uma iniciativa anual o Programa EDP

Leia mais

Decreto-Lei n.º 478/99, de 9 de Novembro

Decreto-Lei n.º 478/99, de 9 de Novembro Decreto-Lei n.º 478/99, de 9 de Novembro Objecto... 2 Entidades competentes para a formação dos navegadores de recreio e para a realização dos respectivos exames... 2 Credenciação das entidades formadoras...

Leia mais

REGULAMENTO. 2.1. Podem candidatar-se ao Reconhecimento Práticas RS organizações dos setores público e privado, com e sem fins lucrativos.

REGULAMENTO. 2.1. Podem candidatar-se ao Reconhecimento Práticas RS organizações dos setores público e privado, com e sem fins lucrativos. REGULAMENTO ARTIGO 1 Objeto 1.1. O Reconhecimento Práticas RS é uma iniciativa da APEE Associação Portuguesa de Ética Empresarial, que irá distinguir a implementação de políticas e modelos de boa governação

Leia mais

Artigo 4º - Categorias de Prémios

Artigo 4º - Categorias de Prémios 0 Artigo 1º - Prémios Inovação Design na Fileira do Calçado Os PRÉMIOS INOVAÇÃO DESIGN NA FILEIRA DO CALÇADO- 2012 são uma iniciativa conjunta do INPI Instituto Nacional da Propriedade Industrial, a APICCAPS

Leia mais

CIRCULAR. O período de candidaturas decorre entre 1 de dezembro de 2014 e 28 de fevereiro de 2015.

CIRCULAR. O período de candidaturas decorre entre 1 de dezembro de 2014 e 28 de fevereiro de 2015. CIRCULAR N/REFª: 08/2015 DATA: 09/01/2015 Assunto: Reconhecimento PRÁTICAS RS Exmos. Senhores, Pelo eventual interesse, informa-se que a Associação Portuguesa de Ética Empresarial (APEE) acaba de lançar

Leia mais

ANÚNCIO DE CONCURSO PARA CONTRATO DE FORNECIMENTOS ESPECIFICAÇÕES DO CONTRATO

ANÚNCIO DE CONCURSO PARA CONTRATO DE FORNECIMENTOS ESPECIFICAÇÕES DO CONTRATO Documento público a preencher pela Entidade Adjudicante ANÚNCIO DE CONCURSO PARA CONTRATO DE FORNECIMENTOS CONCURSO PARA O FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS ESCOLARES E HOSPITALARES Local Guiné-Bissau 1. Referência

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1/7 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:351310-2012:text:pt:html GR-Tessalónica: Prestação de serviços por parte de um organizador profissional de conferências

Leia mais

REGULAMENTO BOLSA DE IDEIAS. Preâmbulo

REGULAMENTO BOLSA DE IDEIAS. Preâmbulo REGULAMENTO Preâmbulo A Bolsa de Ideias CAIE (BI) é uma iniciativa desenvolvida pelo Projecto CAIE Centro de Apoio à Inovação e ao Empreendedorismo, financiado pela Iniciativa Comunitária EQUAL. Esta iniciativa

Leia mais

Mostra de Projetos Inovadores em Educação e Formação

Mostra de Projetos Inovadores em Educação e Formação Mostra de Projetos Inovadores em Educação e Formação Regulamento para Apresentação de Projetos Artigo 1º Enquadramento A Mostra de Projetos Inovadores em Educação e Formação insere-se no âmbito do Programa

Leia mais

Município de Oliveira do Hospital PROJETO DO REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS

Município de Oliveira do Hospital PROJETO DO REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS PROJETO DO REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS O Município de Oliveira do Hospital entende como de interesse municipal as iniciativas empresariais que contribuem para o desenvolvimento e dinamização

Leia mais

NORMAS DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO

NORMAS DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE ALJUSTREL Preâmbulo A Câmara Municipal de Aljustrel, reconhecendo a intervenção do Movimento Associativo, como um parceiro estratégico determinante na promoção e dinamização de atividades

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento dá cumprimento ao estabelecido no Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação

Leia mais

Decreto-Lei 187/2002, de 21 de Agosto-192 Série I-A

Decreto-Lei 187/2002, de 21 de Agosto-192 Série I-A Decreto-Lei 187/2002, de 21 de Agosto-192 Série I-A Procede à criação dos fundos de sindicação de capital de risco (FSCR) Decreto-Lei n.º 187/2002, de 21 de Agosto Nos termos da Resolução do Conselho de

Leia mais

TERMO DE ACEITAÇÃO DA DECISÃO DE APROVAÇÃO

TERMO DE ACEITAÇÃO DA DECISÃO DE APROVAÇÃO DA DECISÃO DE APROVAÇÃO Entidade Beneficiária Principal: Acrónimo e Designação do Projecto: Referência PAD 2003-2006: Considerando que, por despacho do Ministro Adjunto do Primeiro-Ministro, foi aprovada

Leia mais

PROTOCOLO ENERGIA POSITIVA CONTRA A OBESIDADE

PROTOCOLO ENERGIA POSITIVA CONTRA A OBESIDADE PROTOCOLO ENERGIA POSITIVA CONTRA A OBESIDADE A incidência e a prevalência quer da pré-obesidade quer da obesidade têm vindo a aumentar na União Europeia e, também, em Portugal, constituindo um importante

Leia mais