Demonstrativo das Variações Patrimoniais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Demonstrativo das Variações Patrimoniais"

Transcrição

1 RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA ,55 RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA ,27 RECEITAS ,40 ORÇAMENTÁRIA ,40 DESPESA ORÇAMENTARIA ,65 RECEITAS CORRENTES ,33 DESPESAS CORRENTES ,22 Receita Tributária ,85 Pessoal e Encargos Sociais ,81 Receita de Contribuições 0,00 Juros e Encargos da Divida Publica ,48 Receita Patrimonial ,04 Outras Despesas Correntes ,93 Receita Agropecuaria 0,00 Receita Industrial 0,00 DESPESAS DE CAPITAL ,43 Receita de Serviços ,02 Investimentos ,39 Transferencias Correntes ,66 Inversões Financeiras ,49 Outras Receitas Correntes ,76 Amortização da Divida Publica ,55 RECEITAS DE CAPITAL ,07 COTAS CONCEDIDAS ,30 Operações de Credito ,66 COTAS DO TESOURO ESTADUAL ,84 Alienação de Bens ,60 DE OUTRAS ORIGENS ,46 Amortização de Emprestimos 0,00 Transferencias de Capital ,94 Outras Receitas de Capital ,87 COTAS RECEBIDAS ,15 COTAS DO TESOURO ESTADUAL ,70 DE OUTRAS ORIGENS ,45 MUTAÇÕES DA DESPESA ,00 MUTAÇÕES DA RECEITA ,32 AQUISIÇÃO E/OU CONSTRUÇÃO DE BENS ,18 Goiânia, 31 de Dezembro de SUSELOP - Página 1

2 Bens Moveis ,59 Bens Imoveis ,89 Bens de Natureza Industrial ,70 CONSTITUIÇÃO DE VALORES ,87 Constituição de Capital de Empresas ,76 Prov. Integralização de Capital de Empresas ,50 Constituição de Fundos 0,00 Aquisição de Materiais de Consumo e/ou Transformação ,61 Aquisição de Materiais /p Distribuição Gratuita ,00 Aquisição de Materiais para Outras Finalidades 0,00 Aquisição de Outros Valores 0,00 AMORTIZAÇÃO DA DIVIDA FUNDADA ,55 CONTRATAÇÃO DA DIVIDA FUNDADA ,66 Divida Consolidada ,55 Divida Consolidada ,66 Divida Mobiliaria 0,00 Divida Mobiliaria 0,00 QUITAÇÃO DA DIVIDA RECONHECIDA ,52 RECEBIMENTO DE CREDITOS TRANSITORIOS ,66 Precatorios ,52 Divida Ativa Tributária ,42 Encargos Patronais 0,00 Divida Ativa não Tributária ,24 Outras Obrigações 0,00 INSCRIÇÃO DE BENS E/OU VALORES A APROPRIAR ,88 BENS DE USO ESPECIAL A RECEBER ,03 Bens Moveis ,25 Bens Imoveis ,16 Bens de Natureza Industrial ,62 VALORES A APROPRIAR ,85 Goiânia, 31 de Dezembro de SUSELOP - Página 2

3 Materiais de Consumo ,85 Materiais p/ Distribuição Gratuita ,00 Materiais p/outras Finalidades 0,00 Outros Valores 0,00 INDEPENDENTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA ,33 INDEPENDENTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA ,45 RECEITAS DE CONVENIOS 2.923,00 DESPESAS DE CONVENIOS ,43 SUPERVENIENCIAS FINANCEIRAS ATIVAS ,21 SUPERVENIENCIAS FINANCEIRAS PASSIVAS ,47 ENCAMPAÇÃO DE CREDITOS REALIZAVEIS ,03 ENCAMPAÇÃO DA DIVIDA FLUTUANTE ,59 Pagamentos Indevidos 0,00 RESTOS A PAGAR ,54 Créditos a Receber 0,00 Processados ,50 Debitos de Agentes Arrecadadores 0,00 Não Processados ,04 Entidades Estatais Devedoras 0,00 Creditos de Plano de Saude 0,00 DEPOSITOS E GARANTIAS DIVERSAS 2.112,30 Creditos de Contribuições Previdenciarias 0,00 Depositos de Caução 2.112,30 Devedores por Anulação de Despesa 0,00 Depositos para Fianças 0,00 Outros Devedores ,03 Depositos para Recursos 0,00 Depositos Extra Judiciais 0,00 Depositos Ingressos não Identificados 0,00 Depositos Judiciais 0,00 ENCAMPAÇÃO DE DESEMBOLSOS A APROPRIAR ,18 Outros Depositos 0,00 Responsáveis por Suprimento de Fundos 0,00 Despesas a Apropriar ,18 INSUBSISTENCIAS FINANCEIRAS PASSIVAS ,14 OUTRAS EXIGIBILDADES ,75 Goiânia, 31 de Dezembro de SUSELOP - Página 3

4 CANCELAMENTO DA DIVIDA FLUTUANTE ,73 Creditos de Agentes Arrecadadores 0,00 RESTOS A PAGAR ,65 Entidades Estatais Credoras 0,00 Processados ,25 Ordens de Pagamento em Transito 0,00 Não Processados ,40 Créditos Previdenciarios a Apropriar 0,00 Exercícios Anteriores 0,00 Outros Credores ,75 DEPOSITOS E GARANTIAS DIVERSAS 7.290,24 ENCAMPAÇÃO DE RECEBIMENTOS A CLASSIFICAR ,88 Depositos de Caução 7.290,24 Arrecadação em Transito 0,00 Depositos para Fianças 0,00 Depósitos de OP Estornadas ,08 Depositos para Recursos 0,00 Outros Recebimentos ,80 Depositos Extra Judiciais 0,00 Ingressos não Identificados 0,00 Depósitos Judiciais 0,00 Outros Depositos 0,00 INSUBSISTENCIAS FINANCEIRAS ATIVAS ,54 CANCELAMENTO DE CREDITOS REALIZAVEIS ,18 Pagamentos Indevidos 0,00 Créditos a Receber 0,00 OUTRAS EXIGIBILIDADES ,84 Debitos de Agentes Arrecadadores 0,00 Creditos de Agentes Arrecadadores 0,00 Entidades Estatais Devedoras 0,00 Entidades Estatais Credoras 0,00 Creditos de Plano de Saude 0,00 Ordens de Pagamento em Transito 0,00 Creditos de Contribuições Previdenciarias 0,00 Créditos Previdenciarios a Apropriar 0,00 Devedores por Anulação de Despesa 0,00 Outros Credores ,84 Outros Devedores ,18 CANCELAMENTO DE RECEBIMENTOS A CLASSIFICAR ,41 CANCELAMENTO DE DESEMBOLSOS A APROPRIAR ,36 Goiânia, 31 de Dezembro de SUSELOP - Página 4

5 Arrecadação em Transito 0,00 Responsáveis por Suprimento de Fundos 0,00 Depósitos de OP Estornadas ,74 Despesas a Apropriar ,36 Outros Recebimentos ,67 SUPERVENIENCIAS PATRIMONIAIS ATIVAS ,16 SUPERVENIENCIAS PATRIMONIAS PASSIVAS ,76 INCORPORAÇÃO DE BENS DE USO ESPECIAL ,42 ENCAMPAÇÃO DA DIVIDA FUNDADA ,90 Bens Moveis ,73 Divida Consolidada ,90 Bens Imoveis ,64 Divida Mobiliaria 0,00 Bens de Natureza Industrial ,05 REAVALIAÇÃO DE BENS DE USO ESPECIAL ,53 ATUALIZAÇÃO MONETARIA E/OU CAMBIAL DA DIVIDA FUNDADA ,00 Bens Moveis ,44 Divida Consolidada ,00 Bens Imoveis ,69 Divida Mobiliaria 0,00 Bens de Natureza Industrial ,40 INSCRIÇÃO E/OU ENCAMPAÇÃO DE DIVIDAS RECONHECIDAS ,86 Precatorios ,86 Encargos Patronais 0,00 Outras Obrigações 0,00 APROPRIAÇÃO E/OU ATUALIZAÇÃO DE VALORES ,37 Capital de Empresas ,65 Prov. Integralização de Capital de Empresas 0,00 INSUBSISTENCIAS PATRIMONAIS ATIVAS ,25 Atualização de Fundos ,00 Materiais de Consumo e/ou Transformação ,67 DESINCORPORAÇÃO DE BENS DE USO ESPECIAL ,51 Materiais p/ Distribuição Gratuita ,15 Bens Moveis ,05 Materiais para Outras Finalidades ,90 Bens Imoveis ,93 Outros Valores 0,00 Bens de Natureza Industrial ,53 Goiânia, 31 de Dezembro de SUSELOP - Página 5

6 ENCAMPAÇÃO DE BENS E/OU VALORES A APROPRIAR ,84 BENS DE USO ESPECIAL A RECEBER ,01 Bens Moveis ,14 Bens Imoveis ,13 Bens de Natureza Industrial 117,74 Bens a Receber Até ,00 VALORES A APROPRIAR ,29 Materiais de Consumo ,19 Materiais p/ Distribuição Gratuita 3.967,10 Materiais p/ Outras Finalidades 0,00 BAIXA DE VALORES ,46 Outros Valores 0,00 Capital de Empresas 3,50 Prov. Integralização de Capital de Empresas ,00 INSCRIÇÃO DE CREDITOS TRANSITORIOS ,95 Baixa de Fundos 0,00 Divida Ativa Tributária ,95 Materiais de Consumo e/ou Transformação ,96 Divida Ativa não Tributária 0,00 Materiais p/ Distribuição Gratuita ,00 Materiais para Outras Finalidades 0,00 ATUALIZAÇÃO MONETARIA DE CREDITOS TRANSITORIOS ,59 Outros Valores 0,00 Divida Ativa Tributária ,59 Divida Ativa não Tributária 0,00 BAIXA DE BENS VALORES A APROPRIAR ,28 BENS DE USO ESPECIAL A RECEBER ,46 Bens Moveis ,68 Bens Imoveis ,50 Bens de Natureza Industrial ,28 VALORES A APROPRIAR ,94 Goiânia, 31 de Dezembro de SUSELOP - Página 6

7 Materiais de Consumo ,24 INSUBSISTENCIAS PATRIMONAIS PASSIVAS ,82 Materiais p/ Distribuição Gratuita ,70 Materiais p/ Outras Finalidades 0,00 CANCELAMENTO DA DIVIDA FUNDADA ,01 Outros Valores 0,00 Divida Consolidada ,01 Divida Mobiliaria 0,00 CANCELAMENTO DE CREDITOS TRANSITORIOS ,88 CANCELAMENTO DA DIVIDA RECONHECIDA ,81 Divida Ativa Tributária ,88 Precatorios ,81 Divida Ativa não Tributária 0,00 Encargos Patronais 0,00 Outras Obrigações 0,00 TOTAL DAS ,88 TOTAL DAS ,72 RESULTADO PATRIMONIAL DO EXERCÍCIO ,16 SUPERAVIT DO EXERCICIO ,16 RESULTADO FINANCEIRO ,51 RESULTADO DO PATRIMONIO PERMANENTE ,13 RESULTADO DO PATRIMONIO TRANSITORIO ,78 RESULTADO DO PATRIMONIO COMUNITARIO 0,00 Goiânia, 31 de Dezembro de SUSELOP - Página 7

8 TOTAL ,88 TOTAL ,88 Goiânia, 31 de Dezembro de SUSELOP - Página 8

Demonstrativo das Variações Patrimoniais

Demonstrativo das Variações Patrimoniais RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 3.953.236.822,66 RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 3.320.180.698,63 RECEITAS 1.684.972.053,82 ORÇAMENTÁRIA 1.684.972.053,82 DESPESA ORÇAMENTARIA 3.044.151.183,85

Leia mais

Total 420.044.577,42 Total 420.044.577,42

Total 420.044.577,42 Total 420.044.577,42 Anexo 01 Demonstrativo da Receita e Despesa Segundo as Categorias Econômicas RECEITA DESPESA RECEITAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES RECEITA PATRIMONIAL 1.324.567,17 JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA 0,00 RECEITA

Leia mais

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC.

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC. 1 ANEXO III - PT/MPS Nº 95, DE 06 DE MARÇO DE 2007 DOU DE 07.03.07 MODELOS E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS SÃO AS EXTRAÍDAS DOS LIVROS, REGISTROS E

Leia mais

VOLUME II ANEXOS DA LEI 4.320/64

VOLUME II ANEXOS DA LEI 4.320/64 VOLUME II ANEXOS DA LEI 4.320/64 Apresentação Este volume compõe o Balanço Geral do Estado do exercício financeiro 2010. Nele são apresentados os anexos exigidos na LEI 4.320/64. LUIZ MARCOS DE LIMA SUPERINTENDENTE

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO 11º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO 1 Professor João Eudes Bezerra

Leia mais

Este Plano de Contas será atualizado pela Gerência de Normas da Diretoria da Contabilidade Pública Genor/Dicop.

Este Plano de Contas será atualizado pela Gerência de Normas da Diretoria da Contabilidade Pública Genor/Dicop. Governo do Estado da Bahia Secretaria da Fazenda P l a n o d e C o n t a s 1 /3 Apresentação Este Plano de Contas tem o propósito de atender, de maneira uniforme e sistematizada, ao registro contábil dos

Leia mais

Governo do Estado da Bahia Secretaria da Fazenda Plano de Contas 1 /44. Apresentação

Governo do Estado da Bahia Secretaria da Fazenda Plano de Contas 1 /44. Apresentação Governo do Estado da Bahia Secretaria da Fazenda Plano de Contas 1 /44 Apresentação Este Plano de Contas tem o propósito de atender, de maneira uniforme e sistematizada, ao registro contábil dos atos e

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

II - QUADROS ORÇAMENTÁRIOS CONSOLIDADOS

II - QUADROS ORÇAMENTÁRIOS CONSOLIDADOS II - QUADROS ORÇAMENTÁRIOS CONSOLIDADOS 1 - QUADROS CONSOLIDADOS DA RECEITA E DA DESPESA Receita e Despesa dos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social segundo Categorias Econômicas Quadro 1A - Receita

Leia mais

RECEITAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES 379.374,45 PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS JUROS E ENCARGOS DA DIVIDA

RECEITAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES 379.374,45 PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS JUROS E ENCARGOS DA DIVIDA ANEXO 1 da Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964 DEMONSTRAÇÃO DA RECEITA E DESPESA SEGUNDO AS CATEGORIAS ECONÔMICAS Agosto / 2011 Orçamento Fiscal, da Seguridade Social e de Investimentos. Adendo II à Portaria

Leia mais

20/07/2015. Receitas. Receitas. Receitas

20/07/2015. Receitas. Receitas. Receitas Em sentido amplo, os ingressos de recursos financeiros nos cofres do Estado denominam-se receitas públicas, registradas como receitas orçamentárias, quando representam disponibilidades de recursos financeiros

Leia mais

QUADRO DEMONSTRATIVO DA RECEITA CREA- MÊS: ANEXO I ANO:

QUADRO DEMONSTRATIVO DA RECEITA CREA- MÊS: ANEXO I ANO: QUADRO DEMONSTRATIVO DA RECEITA CREA- MÊS: ANEXO I ANO: CÓDIGO DISCRIMINAÇÃO VALORES 1.000.00.00 RECEITAS CORRENTES 1.200.00.00 RECEITAS DE CONTRIBUIÇÕES 1.210.00.00 CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS 1.210.40.00 Contribuições

Leia mais

Prefeitura Municipal de São José da Lapa

Prefeitura Municipal de São José da Lapa Estado de Minas Gerais Demostração das Variações Patrimoniais - Anexo 15 - Lei 4.320/64 ENTIDADE: 000 - CONSOLIDADO lilian@sonner.com.br 30-03-2015 13:44:25 400000000 VARIAÇÃO PATRIMONIAL AUMENTATIVA 300000000

Leia mais

NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE

NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE CENÁRIO ANTERIOR Gestão Dívida Financeira Pública ORÇAMENTO PUBLICO Contabilidade Receita e Despesa Demonstrativos Contábeis:

Leia mais

Secretaria Municipal do Desenvolvimento Urbano, Meio Ambiente e Habitação

Secretaria Municipal do Desenvolvimento Urbano, Meio Ambiente e Habitação Secretaria Municipal do Desenvolvimento Urbano, Meio Ambiente e Habitação Secretaria Municipal do Desenvolvimento Urbano, Meio Ambiente e Habitação SECRETARIA MUNICIPAL DO DESENVOLVIMENTO URBANO, MEIO

Leia mais

Balanço Geral Fundo Municipal de Previdência de Palmas

Balanço Geral Fundo Municipal de Previdência de Palmas Fundo Municipal de Previdência de Palmas Contabilidade Geral do Município Balanço Geral Fundo Municipal de Previdência de Palmas Exercício 2008 MARLY COUTINHO AGUIAR PRESIDENTE DO PREVIPALMAS MIGUEL ANGELO

Leia mais

TCE-TCE Auditoria Governamental

TCE-TCE Auditoria Governamental TCE-TCE Auditoria Governamental Pessoal, vou comentar as questões da prova. 61. Considere as informações extraídas do Balanço Orçamentário, referentes ao exercício financeiro de 2014, de uma entidade pública:

Leia mais

1 - DIRETA MOVIMENTO DO EXERCICIO ATUALIZACAO NEGATIVA DA DIVIDA FUNDADA CANCELAMENTO DE RESTOS A PAGAR

1 - DIRETA MOVIMENTO DO EXERCICIO ATUALIZACAO NEGATIVA DA DIVIDA FUNDADA CANCELAMENTO DE RESTOS A PAGAR FOLHA : 1 1 - DIRETA 5.926.047.343, 06 VARIACOES PASSIVAS 4.000.704.988,43 5.926.047.343,06 3.588.078.954,30 2.874.279.889,42 3.167.717.668,63 2.256.034.042,77 1.943.069.122,44 RECEITA DE CONTRIBUICOES

Leia mais

Anexo 14 - BALANÇO PATRIMONIAL

Anexo 14 - BALANÇO PATRIMONIAL Página 1 de 3 CIRCULANTE 17.957.906,23 13.781.064,25 CIRCULANTE 2.918.670,71 3.459.718,41 Caixa e Equivalentes de Caixa 11.326.508,18 CRÉDITOS A CURTO PRAZO Clientes Crédito Tributário a Receber Dívida

Leia mais

SANTA CATARINA INST. DE PREV. DOS SERV.PUB. DO MUNIC. DE JOACABA

SANTA CATARINA INST. DE PREV. DOS SERV.PUB. DO MUNIC. DE JOACABA Balanço Patrimonial - Anexo 14 Administração Indireta - Ativo Passivo Títulos Valor R$ Títulos Valor R$ ATIVO FINANCEIRO 6.481.282,92 DISPONIVEL 65.938,04 BANCO C/ MOVIMENTO 65.938,04 APLICACOES FINANCEIRAS

Leia mais

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ PÁGINA: 1 BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO - 2005 ANEXO 14 ATIVO ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL 450.323.096,72 CAIXA 47.294,31 BANCOS CONTA MOVIMENTO 210.194.091,20

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS MARCONI FERREIRA PERILLO JUNIOR GOVERNADOR DO ESTADO ANA CARLA ABRÃO COSTA SECRETÁRIA DE ESTADO DA FAZENDA

ESTADO DE GOIÁS MARCONI FERREIRA PERILLO JUNIOR GOVERNADOR DO ESTADO ANA CARLA ABRÃO COSTA SECRETÁRIA DE ESTADO DA FAZENDA ESTADO DE GOIÁS MARCONI FERREIRA PERILLO JUNIOR GOVERNADOR DO ESTADO ANA CARLA ABRÃO COSTA SECRETÁRIA DE ESTADO DA FAZENDA ESTADO DE GOIAS SECRETARIA DA FAZENDA SUPERINTENDENTE DE CONTABILIDADE GERAL SUSEL

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP Novas Demonstrações Contábeis do Setor Público DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO SETOR PÚBLICO Englobam todos os fatos contábeis e atos que interessam

Leia mais

5 Análise do Balanço Patrimonial

5 Análise do Balanço Patrimonial 5 Análise do Balanço Patrimonial Essa análise tem por finalidade confrontar os dados e valores que constituem o Balanço Patrimonial correspondente ao exercício de 2002, com os do mesmo período de 2001,

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO ATIVO R$ CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 Disponibilidades 1.222.288,96 946.849,34 Mensalidades a receber 4.704.565,74 4.433.742,86 Endosso para terceiros 1.094.384,84

Leia mais

RECEITA. Despesas Correntes, sob forma: Tributária Patrimonial Industrial Recursos financeiros Outras. Tributo: Definição: Receita derivada,

RECEITA. Despesas Correntes, sob forma: Tributária Patrimonial Industrial Recursos financeiros Outras. Tributo: Definição: Receita derivada, RECEITA Definição : receita recebida de pessoa de direito público Definição: Receita recebida de pessoas de direito público ou privado, ou privado, para atender despesas classificáveis em para atender

Leia mais

MUNICÍPIO DE SERRA DO NAVIO PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE SERRA DO NAVIO

MUNICÍPIO DE SERRA DO NAVIO PODER LEGISLATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE SERRA DO NAVIO Em cumprimento ao disposto na Legislação vigente, (Art.101 da Lei nº 4.320/64), os resultados gerais do exercício serão demonstrados no Balanço Orçamentário, Financeiro, Balanço Patrimonial, Demonstração

Leia mais

10.936.971,00 3.2.4.3.1.00.00 - Benefícios Eventuais por Situações de Vulnerabilidade Temporária - Consolidação

10.936.971,00 3.2.4.3.1.00.00 - Benefícios Eventuais por Situações de Vulnerabilidade Temporária - Consolidação PREFEITURA DO RECIFE SECRETARIA DE FINANÇAS GERÊNCIA GERAL DA CONTABILIDADE DO MUNICÍPIO DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS - CONSOLIDADO - 2013 Demonstrativo das Variações Patrimoniais e Resultado

Leia mais

perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público

perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público QUEM ATUALIZOU AS DEMONSTRAÇÕES?

Leia mais

115610000000 ALMOXARIFADO - CONSOLIDAÇÃO 115810000000 OUTROS ESTOQUES - CONSOLIDAÇÃO

115610000000 ALMOXARIFADO - CONSOLIDAÇÃO 115810000000 OUTROS ESTOQUES - CONSOLIDAÇÃO 100000000000 ATIVO 329.083,39 911.970,67 872.747,07 368.306,99 110000000000 ATIVO CIRCULANTE 3.073,50 898.201,87 872.747,07 28.528,30 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 111100000000 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

Balanço Patrimonial. Art. 105. O Balanço Patrimonial demonstrará: I o Ativo Financeiro

Balanço Patrimonial. Art. 105. O Balanço Patrimonial demonstrará: I o Ativo Financeiro Segundo o MCASP, o é a demonstração contábil que evidencia, qualitativa e quantitativamente, a situação patrimonial da entidade pública, por meio de contas representativas do patrimônio público, além das

Leia mais

Análise de Balanços. Flávia Moura

Análise de Balanços. Flávia Moura Análise de Balanços Flávia Moura 1 Tópicos para Reflexão O que é análise de balanços? A análise de balanços consiste em proceder a investigações dos fatos com base nos dados Para que serve a análise de

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - DEPARTAMENTO NACIONAL BALANÇO PATRIMONIAL ESPECIFICAÇÃO 2014 2013 ESPECIFICAÇÃO 2014 2013

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - DEPARTAMENTO NACIONAL BALANÇO PATRIMONIAL ESPECIFICAÇÃO 2014 2013 ESPECIFICAÇÃO 2014 2013 BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Ativo Circulante 1.149.479.180,77 989.839.743,43 Passivo Circulante 317.274.300,38 283.051.918,44 Caixa e Equiv. Caixa Moeda Nacional 800.954.874,69 676.326.925,34 Obrig.

Leia mais

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA ANEXO II VARIAÇÕES PATRIMONIAIS AUMENTATIVAS QDCC_Sistn A planilha abaixo ilustra a aplicação da metodologia simplificada descrita no item 10 da Nota Técnica nº 4/2015/CCONF/SUCON/STN/MFDF ao Plano de

Leia mais

SALDO (f)=(a+b-c-e) DESPESAS CORRENTES 8.201,60 4.051.439,12 3.861.681,23 25.087,21 172.872,28

SALDO (f)=(a+b-c-e) DESPESAS CORRENTES 8.201,60 4.051.439,12 3.861.681,23 25.087,21 172.872,28 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ANEXO I - DEMONSTRATIVO DE EXECUÇÃO DOS RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS : 2013 Data de Emissão: 29/03/2014 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ANEXO II - DEMONSTRATIVO DE EXECUÇÃO DOS RESTOS A PAGAR

Leia mais

BALANÇO GERAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE. Controladoria Geral do Estado Contabilidade Geral

BALANÇO GERAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE. Controladoria Geral do Estado Contabilidade Geral BALANÇO GERAL ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 2013 ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Controladoria Geral do Estado Contabilidade Geral GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Rosalba Ciarlini Rosado CONTROLADORIA

Leia mais

BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013

BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO LIVRAMENTO SECRETARIA DA FAZENDA BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013 Receita Despesa ORÇAMENTÁRIA (1) ORÇAMENTÁRIA (5) Receitas Orçamentárias Despesas

Leia mais

621.927,10 284.748,83 239.680,43 666.995,50 111115099000 F OUTRAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DE LIQUIDEZ IMEDIATA

621.927,10 284.748,83 239.680,43 666.995,50 111115099000 F OUTRAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DE LIQUIDEZ IMEDIATA Código BALANCETE ANALÍTICO CONTÁBIL SIMPLIFICADO BALANCETE - JANEIRO DE 2015 Saldo Inicial Débito Crédito Movimentação Débitos Créditos 111111901000 F BANCOS CONTA MOVIMENTO - DEMAIS CONTAS 621.927,10

Leia mais

6º Congresso Catarinense de. Controladores Internos Municipais. 17 e 18 de junho de 2010

6º Congresso Catarinense de. Controladores Internos Municipais. 17 e 18 de junho de 2010 6º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais 17 e 18 de junho de 2010 RECEITAS E DESPESAS PÚBLICAS: Enfoque Orçamentário X Enfoque Patrimonial

Leia mais

Demonstração da Receita e Despesa Segundo as Categorias Econômicas Adendo II a Portaria SOF nº 08, de 04/02/1985 Anexo I, da Lei nº 4.

Demonstração da Receita e Despesa Segundo as Categorias Econômicas Adendo II a Portaria SOF nº 08, de 04/02/1985 Anexo I, da Lei nº 4. PREVIDENCIA SOCIAL DO MUN. DE CAMPINA GRANDE DO SUL ESTADO DO PARANÁ Demonstração da Receita e Despesa Segundo as Categorias Econômicas Adendo II a Portaria SOF nº 08, de 04/02/1985 Anexo I, da Lei nº

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 334, DE 29 DE SETEMBRO DE 1989.

RESOLUÇÃO Nº 334, DE 29 DE SETEMBRO DE 1989. RESOLUÇÃO Nº 334, DE 29 DE SETEMBRO DE 1989. Dispõe sobre as Rendas dos Conselhos Federal e Regionais de Engenharia, Arquitetura e Agronomia e da Mútua de Assistência dos Profissionais da Engenharia, Arquitetura

Leia mais

Classificação por Categoria Econômica

Classificação por Categoria Econômica Classificação por Categoria Econômica 1. Classificação A classificação por categoria econômica é importante para o conhecimento do impacto das ações de governo na conjuntura econômica do país. Ela possibilita

Leia mais

Governo do Estado do Piauí Secretaria da Fazenda Unidade de Gestão Financeira e Contábil do Estado Gerência de Controle Contábil

Governo do Estado do Piauí Secretaria da Fazenda Unidade de Gestão Financeira e Contábil do Estado Gerência de Controle Contábil R I S C O S F I S C A I S (Artigo 4º, 3º da Lei Complementar nº 101/2000) A Lei Complementar n.º 101 de 2002 Lei de Responsabilidade Fiscal, estabelece que a Lei de Diretrizes Orçamentárias conterá o Anexo

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 4. Apresentação. Plano de Contas. Sistema de Contas e Demonstrativos Contábeis de Gestão. Sistemas Contábeis

Contabilidade Pública. Aula 4. Apresentação. Plano de Contas. Sistema de Contas e Demonstrativos Contábeis de Gestão. Sistemas Contábeis Contabilidade Pública Aula 4 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Plano de Contas Sistema de Contas e Demonstrativos Contábeis de Gestão Consiste em um rol ordenado de forma sistematizada de contas

Leia mais

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS [Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Qname siconfi-dca-anexo1abhi : BalancoPatrimonialAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoLineItems siconfi-cor :

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTÁRIA

CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTÁRIA CAPITULO III CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO DIRETA 31 3 CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTÁRIA - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 3.1 DOS BALANÇOS 3.1.1 - Resultado Financeiro do Exercício Considerando que a receita arrecadada

Leia mais

Balanço Geral Fundo de Manutenção da Iluminação Pública

Balanço Geral Fundo de Manutenção da Iluminação Pública Secretaria Municipal de Infra-Estrutura Contabilidade Geral do Município Balanço Geral Fundo de Manutenção da Iluminação Pública Exercício 2008 JÂNIO WASHINGTON BARBOSA DA CUNHA SECRETÁRIO DE INFRA-ESTRUTURA

Leia mais

WORKSHOP II Curso Básico de Contabilidade Pública, conforme a Lei 4.320/64. Marcus Vinicius P. de Oliveira e Equipe técnica da Pi Contabilidade

WORKSHOP II Curso Básico de Contabilidade Pública, conforme a Lei 4.320/64. Marcus Vinicius P. de Oliveira e Equipe técnica da Pi Contabilidade WORKSHOP II Curso Básico de Contabilidade Pública, conforme a Lei 4.320/64. Marcus Vinicius P. de Oliveira e Equipe técnica da Pi Contabilidade 1 Objetivo do Workshop Apresentar os principais conceitos

Leia mais

AULA 01: Sistemas de Contas.

AULA 01: Sistemas de Contas. AULA 01: Sistemas de Contas. Contabilidade Pública p/ SUMÁRIO PÁGINA 1. Apresentação 1 2. Cronologia dos sistemas/subsistemas 2 3. Características comuns dos sistemas e subsistemas 6 3.1. Sistemas contábeis

Leia mais

Página de Transparência Pública - Tabela de Natureza da Despesa Fonte: Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI

Página de Transparência Pública - Tabela de Natureza da Despesa Fonte: Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI Página de Transparência Pública - Tabela de Natureza da Despesa Fonte: Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI OBS: utilizar apenas a parte numérica dos códigos, desprezando

Leia mais

Estado de Alagoas FUNPREV - Fundo de Previdência Social do Município de Mar Vermelho Balancete Orçamentário da Despesa Exercício : 07/2015

Estado de Alagoas FUNPREV - Fundo de Previdência Social do Município de Mar Vermelho Balancete Orçamentário da Despesa Exercício : 07/2015 Pág. 1 Balancete Orçamentário da Despesa Correção Código Descrição da Despesa Orçado Orçamento Exp./Ext. Suplementação Anulação Rec.Autorizado Empenhado Cancelado Saldo Órgão : 06 02.195.968/0001-46 0000

Leia mais

01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03. 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 13. - Balanço Patrimonial...

01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03. 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 13. - Balanço Patrimonial... ÍNDICE 01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 13 - Balanço Patrimonial... 14 - Demonstração das Variações Patrimoniais... 17 -

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONSULTORIA E CAPACITAÇÃO ORIENTAÇÃO TÉCNICA FECHAMENTO DO BALANÇO GERAL

DEPARTAMENTO DE CONSULTORIA E CAPACITAÇÃO ORIENTAÇÃO TÉCNICA FECHAMENTO DO BALANÇO GERAL DEPARTAMENTO DE CONSULTORIA E CAPACITAÇÃO ORIENTAÇÃO TÉCNICA FECHAMENTO DO BALANÇO GERAL 012/2011 Elaborada em 28/12/2011 Este documento descreve os procedimentos que devem ser adotados para o fechamento

Leia mais

Tabela de Fatos - DCA 2014

Tabela de Fatos - DCA 2014 Tabela de Fatos - DCA 2014 Element siconfi-cor:p1.0.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.1.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.2.00.00

Leia mais

ANEXO DE RISCOS FISCAIS TABELA 1 - DEMONSTRATIVO DE RISCOS FISCAIS E PROVIDÊNCIAS 2013 ARF (LRF, art. 4º, 3º) PASSIVOS CONTINGENTES PROVIDÊNCIAS Descrição Valor Descrição Valor Abertura de créditos adicionais

Leia mais

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina BALANÇO PATRIMONIAL Em 31/12/2014 - Encerramento 9.817.136,65 40.159.587,34. Prazo 104.

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina BALANÇO PATRIMONIAL Em 31/12/2014 - Encerramento 9.817.136,65 40.159.587,34. Prazo 104. ATIVO PASSIVO Ativo Circulante Caixa e Equivalentes de Caixa - Bancos Conta Movimento - Demais Contas Rede Bancária - Arrecadação Aplicações Financeiras de Liquidez Imediata - Intra OFSS Recursos Liberados

Leia mais

RECEITAS INTRAORCAMENTARIAS CORRENTES RECEITAS INTRAORCAMENTAR 5.026.100,00 2.852.813,25 2.173.286,75

RECEITAS INTRAORCAMENTARIAS CORRENTES RECEITAS INTRAORCAMENTAR 5.026.100,00 2.852.813,25 2.173.286,75 A N E X O XII PREFEITURA MUNICIPAL DE EUSEBIO ANEXO 12, da Lei No. 4.320/64 BALANCO ORCAMENTARIO R E C E I T A PREVISTA ARRECADADA DIFERENCA RECEITAS CORRENTES RECEITA TRIBUTARIA 21.842.000,00 24.668.177,16-2.826.177,16

Leia mais

5.4 Balanço Patrimonial

5.4 Balanço Patrimonial IV - Quociente Financeiro de Execução Os números demonstram, nos três períodos, superávit orçamentário e financeiro, considerando-se também para as despesas em regime de caixa. V - Saldos Financeiros Os

Leia mais

CONTABILIDADE PÚBLICA JOSE CARLOS GARCIA DE MELLO

CONTABILIDADE PÚBLICA JOSE CARLOS GARCIA DE MELLO CONTABILIDADE PÚBLICA JOSE CARLOS GARCIA DE MELLO Existe conceito de Contabilidade como um todo. Contabilidade é a ciência que estuda e pratica as funções de orientação e controle relativas aos atos e

Leia mais

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1 Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1 1. CODIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA DA RECEITA Para melhor identificação da entrada dos recursos aos cofres públicos, as receitas são codificadas

Leia mais

01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03. 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 11. - Balanço Patrimonial...

01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03. 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 11. - Balanço Patrimonial... ÍNDICE 01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 11 - Balanço Patrimonial... 12 - Demonstração das Variações Patrimoniais... 15 -

Leia mais

Classificação das Contas

Classificação das Contas Código Descrição Totalizador 1.0.0.0.0.00.00 ATIVO S 1.1.0.0.0.00.00 ATIVO CIRCULANTE S 1.1.1.0.0.00.00 Disponível S 1.1.1.1.0.00.00 Disponível em Moeda Nacional S 1.1.1.1.1.00.00 Caixa N 1.1.1.1.2.00.00

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SFI SISTEMA FINANCEIRO Nº 004/2013, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2013.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SFI SISTEMA FINANCEIRO Nº 004/2013, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA SFI SISTEMA FINANCEIRO Nº 004/2013, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2013. DISPÕE SOBRE ESTABELECIMENTO DA PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Versão: 01 Aprovação em: 26 de fevereiro

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS DIVISÃO DE RECURSOS FINANCEIROS EXERCICIO 2013

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS DIVISÃO DE RECURSOS FINANCEIROS EXERCICIO 2013 BALANCO-FINANCEIRO RECEITA RECEITA 171.497.549,97 INGRESSOS ORCAMENTARIOS 129.298.464,81 INTERFERENCIAS ATIVAS 129.298.464,81 TRANSFERENCIAS FINANCEIRAS RECEBIDAS 129.298.464,81 REPASSE RECEBIDO 129.298.464,81

Leia mais

RECEITAS ORCAMENTARIAS PREVISAO INCIAL PREVISAO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS SALDO (a) (b) c=(b-a)

RECEITAS ORCAMENTARIAS PREVISAO INCIAL PREVISAO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS SALDO (a) (b) c=(b-a) FUNDACAO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUI BALANÇO ORÇAMENTÁRIO Exercício 2015 RECEITAS ORCAMENTARIAS PREVISAO INCIAL PREVISAO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS SALDO (a) (b) c=(b-a) RECEITAS CORRENTES 4.639.895,29

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012 Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta Analista-Contabilidade 1 Primeiramente, é necessário Apurar o Resultado pois, como

Leia mais

SERPREL INFORMÁTICA. Ápice Contábil - Fechamento de Balanço/2014

SERPREL INFORMÁTICA. Ápice Contábil - Fechamento de Balanço/2014 SERPREL INFORMÁTICA. Ápice Contábil - Fechamento de Balanço/2014 SUMÁRIO MANUAL DE ENCERRAMENTO DO EXERCICIO 1 Introdução 1 1.1 Recomendações 1 2. Procedimentos de Encerramento de Exercício 1 2.1.01 Lançamento

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 14 PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 QUESTÃO 31 O Ativo representa um conjunto de: a) bens intangíveis. b) dinheiro na empresa. c) bens para investimento. d) bens e direitos da empresa. QUESTÃO 32 Um pagamento

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ LEI Nº 5456, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Estima a receita e fixa a despesa do Município de Sumaré para o exercício financeiro de 2013, e dá outras providências.- O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ seguinte

Leia mais

XI Semana de d Adminis minis ação Orç Or amen amen ária , Financeira r e d e e d Contr Con a tr t a ações Públi Púb cas

XI Semana de d Adminis minis ação Orç Or amen amen ária , Financeira r e d e e d Contr Con a tr t a ações Públi Púb cas XI Semana de Administração Orçamentária, Financeira e de Contratações Públicas Oficina nº 63 Consultas às Demonstrações Contábeis no SIAFI ABOP Slide 1 XI Semana de Administração Orçamentária, Financeira

Leia mais

CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88

CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88 CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88 Balanço Financeiro Período: 01/01/2012 a 31/12/2012 INGRESSOS DISPÊNDIOS ESPECIFICAÇÃO Exercício Anterior

Leia mais

939.108,16 582.338,94 553.736,74 967.710,36 468.462,90 582.338,94 553.736,74 497.065,10 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA

939.108,16 582.338,94 553.736,74 967.710,36 468.462,90 582.338,94 553.736,74 497.065,10 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA s s 100000000000 ATIVO 939.108,16 582.338,94 553.736,74 967.710,36 110000000000 ATIVO CIRCULANTE 468.462,90 582.338,94 553.736,74 497.065,10 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 111100000000 CAIXA

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA IESP INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DA PARAÍBA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA DISCIPLINA: CONTABILIDADE E CONTROLADORIA

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU Alterações em relação ao arquivos publicados em 03/06/2014: Item alterado/incluído Motivo Regras de consolidação. b.8 Numeração errada. Regras de consistência, b Exclui-se as consignações do passivo financeiro

Leia mais

2. RECEITA DE OUTRAS FONTES 1.101.135.119,00 1.3 OUTRAS DESPESAS CORRENTES 1.546.004.708,00

2. RECEITA DE OUTRAS FONTES 1.101.135.119,00 1.3 OUTRAS DESPESAS CORRENTES 1.546.004.708,00 RELATÓRIO DA GESTÃO ORÇAMENTÁRIA, FINANCEIRA, PATRIMONIAL E FISCAL 6.1. DO ORÇAMENTO 6.1.1 ORÇAMENTO GERAL O Governo do Estado do Tocantins estabeleceu como bases orçamentárias de sua gestão para o exercício

Leia mais

* VER DETALHAMENTO NO SIA215A 09/09/2010 14:17:13 001526.FRR2410R

* VER DETALHAMENTO NO SIA215A 09/09/2010 14:17:13 001526.FRR2410R I B A L A N C E T E D E V E R I F I C A C A O I PAG. - 1 I 1000.0000 ORCAMENTO 0,00 144.582.324,00 144.582.324,00 0,00 1100.0000 ORCAMENTO DA RECEITA 0,00 0,00 23.230.001,00 23.230.001,00 C 1110.0000 RECEITA

Leia mais

1 R E C E I T A S C O R R E N T E S 192.402,43 204.602,53 C 1.2 RECEITA DE CONTRIBUIÇOES 181.650,41 190.868,02 C

1 R E C E I T A S C O R R E N T E S 192.402,43 204.602,53 C 1.2 RECEITA DE CONTRIBUIÇOES 181.650,41 190.868,02 C Balancete para Verificação - Receita - maio / 2014 Pág. : 1 1 R E C E I T A S C O R R E N T E S 192.402,43 204.602,53 C 1.2 RECEITA DE CONTRIBUIÇOES 181.650,41 190.868,02 C 1.2.1 CONTRIBUIÇOES SOCIAS 181.650,41

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS DIVISÃO DE RECURSOS FINANCEIROS EXERCICIO 2012

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS DIVISÃO DE RECURSOS FINANCEIROS EXERCICIO 2012 BALANCO-FINANCEIRO RECEITA RECEITA 12.255.327,67 INGRESSOS ORCAMENTARIOS 9.425.690,28 INTERFERENCIAS ATIVAS 9.425.690,28 TRANSFERENCIAS FINANCEIRAS RECEBIDAS 9.425.690,28 REPASSE RECEBIDO 9.425.690,28

Leia mais

RESUMÃO. Administração Direta dos entes públicos;

RESUMÃO. Administração Direta dos entes públicos; RESUMÃO CONTABILIDADE PÚBLICA A Contabilidade Pública é um ramo da ciência contábil e tem o objetivo de captar, registrar e interpretar os fenômenos que afetam as situações orçamentárias, financeiras e

Leia mais

Receita Orçamentária: conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: conceitos, codificação e classificação 1 Receita Orçamentária: conceitos, codificação e classificação 1 Para melhor identificação dos ingressos de recursos aos cofres públicos, as receitas são codificadas e desmembradas nos seguintes níveis:

Leia mais

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1 Para mais informações, acesse o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, Parte I Procedimentos Contábeis Orçamentários, 5ª edição. https://www.tesouro.fazenda.gov.br/images/arquivos/artigos/parte_i_-_pco.pdf

Leia mais

CREA/SC Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina CNPJ: 82.511.643/0001-64

CREA/SC Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina CNPJ: 82.511.643/0001-64 CREA/SC Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina CNPJ: 82.511.643/0001-64 Período: 01/01/2013 à 31/12/2013 INGRESSOS DISPÊNDIOS ESPECIFICAÇÃO Exercício Anterior ESPECIFICAÇÃO Exercício

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 3. Apresentação. Definição de Receita Pública. Receita Pública. Classificação da Receita Pública

Contabilidade Pública. Aula 3. Apresentação. Definição de Receita Pública. Receita Pública. Classificação da Receita Pública Contabilidade Pública Aula 3 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Definição de Receita Pública Um conjunto de ingressos financeiros com fonte e fatos geradores próprios e permanentes, oriundos da ação

Leia mais

10h40 às 12h - PALESTRA II TEMA: PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Palestrante: Fernando Freitas Melo

10h40 às 12h - PALESTRA II TEMA: PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Palestrante: Fernando Freitas Melo 10h40 às 12h - PALESTRA II TEMA: PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Palestrante: Fernando Freitas Melo Plano de Contas Aplicado ao Setor Público CH: 1:20 h Conteúdo: 1. Aspectos gerais do Plano

Leia mais

Despesa Total do Município de Juiz de Fora (Lei Complementar Nº. 131/2009) Fevereiro/2015

Despesa Total do Município de Juiz de Fora (Lei Complementar Nº. 131/2009) Fevereiro/2015 ABONO FAMÍLIA RPPS 235,80 471,60 ABONO FAMÍLIA TESOURO 1.194,98 3.764,22 ABONO FAMÍLIA TESOURO/SAÚDE 602,60 1.100,40 APOSENTADORIAS RPPS 6.137.503,82 12.205.831,12 AUXÍLIO FARDAMENTO TESOURO 658,08 658,08

Leia mais

Típicos da Administraçã. ção Pública. Agosto 2009

Típicos da Administraçã. ção Pública. Agosto 2009 Lançamentos amentos Contábeis Típicos da Administraçã ção Pública Agosto 2009 01. Previsão da Receita Orçamentária Lançamentos amentos TípicosT 02. Fixação da Despesa Orçamentária Lançamentos amentos TípicosT

Leia mais

AULA 02: Variações Patrimoniais: Variações Ativas e Passivas Orçamentárias e Extraorçamentárias.

AULA 02: Variações Patrimoniais: Variações Ativas e Passivas Orçamentárias e Extraorçamentárias. AULA 02: Variações Patrimoniais: Variações Ativas e Passivas Orçamentárias e Extraorçamentárias. SUMÁRIO PÁGINA 1. Apresentação 1 2. Variações Patrimoniais 2 2.1. Fatos modificativos e fatos permutativos

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 6. Apresentação. Demonstração do Balanço Patrimonial. Demonstração dos Fluxos de Caixa. Necessidade e Função

Contabilidade Pública. Aula 6. Apresentação. Demonstração do Balanço Patrimonial. Demonstração dos Fluxos de Caixa. Necessidade e Função Contabilidade Pública Aula 6 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Demonstração do Balanço Patrimonial Necessidade e Função Demonstração dos Fluxos de Caixa Demonstração do Resultado Econômico Contextualização

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO E ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As orientações constantes deste manual devem ser observadas pelas Unidades Gestoras para encerramento do exercício,

Leia mais

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008)

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) As Demonstrações Financeiras de 2007 do Berj foram publicadas no dia 22 de agosto de 2008, após serem auditadas PricewatershouseCoopers Auditores Independentes.

Leia mais

FUNDO DE PREVIDÊNCIA MUN. DE UMUARAMA - FPMU Estado do Paraná

FUNDO DE PREVIDÊNCIA MUN. DE UMUARAMA - FPMU Estado do Paraná FUNDO DE PREVIDÊNCIA MUN. DE UMUARAMA - FPMU Estado do Paraná CNPJ:09.122.645/0001-71 Exercício: 2014 Balanço Financeiro do Regime Próprio de Previdência Social Art. 103 da Lei 4.320/1964 no Período de

Leia mais

37.899.634,30 PASSIVO CIRCULANTE CRÉDITOS DE TRANSFERÊNCIAS A RECEBER EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTO CONCEDIDOS

37.899.634,30 PASSIVO CIRCULANTE CRÉDITOS DE TRANSFERÊNCIAS A RECEBER EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTO CONCEDIDOS MUNICÍPIO DE CALDAS NOVAS ESTADO DE GOIAS Balanço Financeiro Anexo 1 (Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público MCASP)Portaria STN nº 37/2012 5a edição BALANÇO GERAL DO EXERCICIO DE 201 PERÍODO(MÊS)

Leia mais

INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE PÚBLICA

INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE PÚBLICA Resumo de Contabilidade Pública Assunto: INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE PÚBLICA Autor: SÉRGIO LUIZ RAMOS 1 ÍNDICE: 1. NOÇÕES DE CONTABILIDADE PÚBLICA 1.2 SISTEMAS 1.3 RESTOS A PAGAR 1.4 VARIAÇÕES PATRIMONIAIS

Leia mais

MARCELO OLÍMPIO CARNEIRO TAVARES

MARCELO OLÍMPIO CARNEIRO TAVARES D E C L A R A Ç Ã O O Secretário da Fazenda, no uso das suas atribuições e consoante o disposto no artigo 42, 1º, incisos I e IV, da Constituição do Estado do Tocantins, DECLARA para fins de cumprimento

Leia mais

Olá, pessoal! Fraternal abraço! Prof. Alipio Filho

Olá, pessoal! Fraternal abraço! Prof. Alipio Filho Olá, pessoal! Comento neste toque as questões de Contabilidade Pública e Orçamento Público que caíram no concurso para conselheiro substituto do TCE-AM. A banca foi a Fundação Carlos Chagas. Aproveito

Leia mais

BALANÇO ORÇAMENTÁRIO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Créditos Orçamentários e Suplementares

<ESFERA DE GOVERNO> BALANÇO ORÇAMENTÁRIO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL <PERÍODO DE REFERÊNCIA> Créditos Orçamentários e Suplementares $1(;2,,,6(*81'2$370361ž$78$/,=$'$3(/$370361žH370361ž 02'(/26(,16758d (6'(35((1&+,0(172'$6'(021675$d (6&217È%(,6 Os Regimes Próprios de Previdência Social deverão elaborar, anualmente, as seguintes Demonstrações

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

DIÁRIO DA REPÚBLICA 24.º SUPLEMENTO SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE S U M Á R I O. Sexta Feira, 28 de Dezembro de 2012 Número 159 GOVERNO

DIÁRIO DA REPÚBLICA 24.º SUPLEMENTO SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE S U M Á R I O. Sexta Feira, 28 de Dezembro de 2012 Número 159 GOVERNO Sexta Feira, 28 de Dezembro de 2012 Número 159 SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE DIÁRIO DA REPÚBLICA 24.º SUPLEMENTO GOVERNO Decreto n.º42/2012. Define as regras, procedimentos e calendário para o exercício de prestação

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO INDIRETA

ADMINISTRAÇÃO INDIRETA GLOSSÁRIO A AÇÃO GOVERNAMENTAL: Conjunto de operações, cujos produtos contribuem para os objetivos do programa governamental. A ação pode ser um projeto, atividade ou operação especial. ADMINISTRAÇÃO DIRETA:

Leia mais

* VER DETALHAMENTO NO SIA215A 09/09/2010 14:19:54 001526.FRR2410R

* VER DETALHAMENTO NO SIA215A 09/09/2010 14:19:54 001526.FRR2410R I B A L A N C E T E D E V E R I F I C A C A O I PAG. - 1 I 1000.0000 ORCAMENTO 0,00 198.299.645,00 198.299.645,00 0,00 1100.0000 ORCAMENTO DA RECEITA 0,00 5.567.286,00 39.139.126,00 33.571.840,00 C 1110.0000

Leia mais