Data Sessão Nº Sessão Nome Tipo Ordem Título Autor/Instituição Co-autores Instituição 5/8 1 Emoção e diversidade religiosa na sociedade contemporânea

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Data Sessão Nº Sessão Nome Tipo Ordem Título Autor/Instituição Co-autores Instituição 5/8 1 Emoção e diversidade religiosa na sociedade contemporânea"

Transcrição

1 Lila Cristina Xavier Luz 2 5/8 1 Emoção e diversidade religiosa na sociedade contemporânea Poster 1 Crioula vem dançar, crioula! Um estudo etnográfico sobre performance e ritual no Tambor de Crioula no Maranhão. Calliandra Sousa Ramos Prof. DR. Sérgio Ferretti Universidade Federal do Maranhão Resumo: Iniciado no final de 2012, a partir dos estudos em religião e cultura popular do grupo de pesquisa GPMINA vinculado ao departamento de Antropologia da UFMA,o trabalho apresenta uma descrição etnográfica da dança no tambor de crioula no Maranhão, manifestação da cultura popular do estado que possui grande destaque e que recentemente tornou-se patrimônio imaterial pelo IPHAN. O tambor de crioula tem como um de seus principais elementos a dança e esta é imersa numa rede de significados,técnicas corporais e rituais os quais a pesquisa pretende identificar analisando a dança das coreiras no tambor a partir das categorias performance e ritual.a partir de um levantamento histórico e de um estudo sobre a origem e atualidade do tambor de crioula, faz-se um trabalho etnográfico realizado a partir das pesquisas de campo(entrevistas, observação participante) e de análise de acervo imagético contido em várias fontes.o artigo estrutura-se na análise empírica que parte da etnografia, analisando categorias antropológicas que se inserem nesse contexto da dança como manifestação cultural de um grupo social. Pretende-se perceber a dança no tambor de crioula e seus elementos físicos, psicológicos e sociológicos questionando as influências do meio, técnicas corporais e a importância da dança nessa expressão popular compreendendo relações com categorias tais como performance, noção de pessoa e ritual. Num contexto dicotômico entre sagrado e profano no qual se insere o tambor de crioula é de grande valia perceber quais as configurações do mesmo em seus diferentes espaços e identificar a dança, seus elementos e sua tradição como aspecto fundamental para compreensão dessa dicotomia que resiste ao tempo.

2 Lila Cristina Xavier Luz 2 5/8 1 Emoção e diversidade religiosa na sociedade contemporânea Poster 2 O Charpi em Teresina: sujeitos, práticas e processos. John Wedson dos Santos Silva Universidade Federal do Piaui -. Resumo: O presente artigo tem como foco o charpi, um tipo de pichação presente na cultura urbana da juventude teresinense. A investigação apresenta um histórico da prática na cidade. Retrata desde sua origem, passando pelos primeiros e principais grupos, as técnicas utilizadas, e descreve o ponto de encontro dos pichadores na cidade. A entrevista semi-estruturada e o registro fotográfico compuseram a escolha metodológica. Vimos que o desenvolvimento de novas técnicas lançou tendências e acirrou ainda mais a prática juvenil do charpi em Teresina. As informações recolhidas evidenciaram que a prática da pichação de muros é um meio dos jovens teresinenses se inserirem e vivenciarem a cidade. Apuramos que os praticantes entendem, e sentem, o charpi como uma forma de lazer.

3 Lila Cristina Xavier Luz 2 5/8 1 Emoção e diversidade religiosa na sociedade contemporânea Oral 3 Uma cidade, um santo, uma festa: a construção do São João em Ipupiara (BA) Marcel Schmitz Gutia UFSC Resumo: O comércio e a escola param, as casas, as ruas e as pessoas se enfeitam em homenagem ao santo.isso dá indícios de que algo no cotidiano daquele lugar está acontecendo e alterando o cotidiano. No nordeste brasileiro, um território marcado pela realização de inúmeras festas, muitas delas já fixas no calendário de muitas cidade,não seria difícil delimitar um campo de pesquisa. No entanto, quando "o santo" é responsável pela a maior festa da cidade essa particularidade se um ingrediente a mais no "tempero festivo" nordestino. Este trabalho se volta para a festa de São João, na cidade de Ipupiara, sertão da Bahia. Reisados, fogueiras, quadrilhas, forró e bandeirolas, histórias e personagens aparecem. As pessoas transformam a festa no seu cotidiano diferenciado e construído. São histórias que são marcadas por situações onde a fé, festa e cidade se intercruzam e são permeadas de emoções particulares e coletivas. O que se pretende é apresentar algumas questões referentes as motivações e significados envolvidos na construção desta festa em homenagem ao santo, atentando para maneiras distintas, da realização de uma festa que afeta praticamente a cidade inteira.

4 Lila Cristina Xavier Luz 2 5/8 1 Emoção e diversidade religiosa na sociedade contemporânea Poster 4 Jovens evangélicos moradores de favelas: pertencimento religioso e redes de sociabilidade na cidade Naiana de Freitas Bertoli Wania Amélia Belchior Mesquita Universidade Estadual Norte Fluminense Darcy Ribeiro Resumo: O trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa que analisa as vivências urbanas de jovens evangélicos moradores de favelas da cidade de Campos Goytacazes-RJ. A pesquisa tem como base empírica entrevistas semiestruturadas com jovens de 15 a 25 anos e relatos cotidiano elaborados por eles com uso de netbook. Em seus relatos identifica-se o estigma pelo lugar de moradia, especialmente pela associação desses lugares como a criminalidade violenta dos bandos de traficantes de drogas. Isso atinge os jovens que buscam evitar fazer referência ao lugar de moradia em espaços comercias como shopping e casas de shows por considerarem possíveis preconceitos, que se acentuam no caso dos jovens negros. Quando necessitam frequentar espaços públicos como escola, hospital e cemitério evitam identificar o lugar de moradia, por temerem represálias associadas aos grupos ligados a criminalidade violenta que demarcam os espaços da cidade a partir da proximidade a determinadas favelas. Em suas vivências religiosas com grupos de pares configura uma das redes de sociabilidades que possibilitam a circulação urbana relacionada a eventos religiosos e viagens, atenuando o sentimento de insegurança e medo. Outras redes são igualmente valorizadas como aquelas que possibilitam a frequência a casa dos shows, bares com consumo de bebidas alcóolicas ou ambientes relacionados a paqueras e namoros com jovens não evangélicos. Essas situações são omitidas dos pais e responsáveis por proibirem a ida aos lugares considerados perigosos pela violência decorrentes das facções do tráfico

5 Lila Cristina Xavier Luz 2 5/8 1 Emoção e diversidade religiosa na sociedade contemporânea Poster 5 Envelhecimento e lazer: à Associação Clube do Choro da Paraíba como espaço de socialização da terceira idade Evelynne Tamara Tavares Universidade Federal da Paraíba Resumo: Percebendo que o curso da vida é dado através de processos que são interpretados socialmente pela construção das identidades e das imagens do corpo, fica evidente que o envelhecimento, assim como outras categorias relacionadas à idade e ao tempo, deve ser relativizado. Esta fase da vida constitui fato social, cultural, econômico e histórico, e por isso mesmo, tais aspectos devem ser considerados e contextualizados dadas as suas distinções. Escolhendo como campo à Associação Clube do Choro da Paraíba para captação de informações relativas ao envelhecimento, tive a oportunidade de observar, conversar e entrevistar muitas pessoas idosas cheias de alegria e vontade de viver. À Associação Clube do Choro é um espaço privilegiado para estudos sobre categorias de idade, não por que uma das categorias tem maior participação que outras, mas, porque é um ambiente que demonstra de maneira singular as manifestações das mudanças que ocorrem nas relações sociais de indivíduos da chamada "Terceira Idade". Procurei perceber através da observação participante, como essas pessoas vivenciam o espaço do Clube do Choro, e qual o significado deste em suas vidas, especialmente para as mulheres, que historicamente são marcadas pelo machismo e opressão impostos pela sociedade ocidental que se coloca a serviço do capital, as colocando, muitas vezes, a margem de seus grupos sociais. A ACCP não só se configura como um espaço de lazer para os/as seus/uas freqüentadores/as, mas também como uma comunidade que se identifica enquanto idosa ativa, ou seja, a maioria das pessoas que vão a ACCP, sejam associados/as ou não, estão em busca de diversão, relacionamentos de amizade ou amorosos. E mais, que a chegada da velhice em suas vidas não representa a sua morte social.

6 Lila Cristina Xavier Luz 2 5/8 1 Emoção e diversidade religiosa na sociedade contemporânea Poster 6 A BUSCA DA EXCITAÇÃO NA CIDADE DE TERESINA: PROBLEMATIZANDO O LAZER NA CIDADE Tâmara Feitosa Oliveira Universidade Federal do Piauí Resumo: O presente estudo é fruto de inquietações advindas de pesquisa sobre o lazer de jovens trabalhadores em espaços de lazer na cidade de Teresina, a qual se encontra ainda em andamento. Entretanto, neste artigo nossa preocupação se volta para os espaços públicos de lazer desta cidade, os quais são visivelmente escassos e precários. O mesmo não acontece com bares, pubs, boites, chama atenção a grande quantidade desses espaços o que se potencializa com o anúncio da chegada de mais três shoppings. Diante dessa constatação e partindo do conceito de lazer trazido por Norbert Elias e Eric Dunning na obra "A Busca da excitação" (1992), na qual o lazer é apontando pelos autores como o tempo em que é possível exteriorizarmos nossas emoções, ainda que de forma controlada nas sociedades industrializadas, porém pouca, quando comparada a outros momentos da vida como o trabalho profissional, além disto, é o momento em que a rotina não está presente, na verdade é o momento em que podemos nos livrarmos da tensão do auto controle tão bem adquirido quando adultos, já civilizados. Mesmo compartilhando dessa concepção de lazer, também compreendemos, a partir de Nelson Marcellino, Victor Melo e Christianne Gomes que o momento do lazer possibilita também questionarmos nossa realidade, expressar nossas identidades, revelar criações, nos articularmos, entre outras possibilidades diante da diminuição do controle e da permissão de realizar escolhas. Diante disso desejamos problematizar sobre: em que medida o lazer oferecido pela a cidade de Teresina aparece APENAS como espaço/tempo de excitação, de menor controle para "suportarmos" a rotina de um cotidiano no qual o auto-controle já foi incorporado? O lazer oferecido pela cidade tem atendido e favorecido quem? Aos sujeitos? Ao capital? Ao Estado?

7 Lila Cristina Xavier Luz 2 6/8 2 Emoção e a experiência do lazer em diferentes espaços e gerações Oral 1 Vivência astrológica como expressão do "eterno tornar-se". Camila Simões Pires Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais UERJ Resumo: A presente apresentação aborda a astrologia dentro de um contexto das religiosidades contemporâneas, apresentando as reflexões sobre a Nova Era no Brasil. Através da etnografia de um grupo de estudos de astrologia em Porto Alegre, RS, objetiva-se investigar como este conhecimento milenar vem sendo resgatado e re-significado no contexto dos agentes que o produzem e reproduzem, levando em conta processos de individualização e reflexividade. As representações do grupo em torno do arquétipo astrológico Kíron nos permitem pensar as subjetividades construídas a partir de traumas, emoções, experiências de cura que levam ao aperfeiçoamento do Self. Ao problematizar as diferenças do grupo pesquisado em relação ao formato tradicional da consulta astrológica, vemos que o processo de incorporação pelo grupo pesquisado de tradições religiosas orientais como a meditação mostra-se como fator que contribui para a expressão de uma espiritualidade errante, provisória, sugerindo assim uma ênfase na própria busca e que permite "a experimentação da diversidade". Esta apresentação é uma adaptação e constitui parte integrante do Trabalho de Conclusão de curso de Ciências Sociais, apresentado em 2011/2 à banca examinadora do departamento de Antropologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Palavras Chave: astrologia, individualismo, religiosidades pós-tradicionais.

8 Lila Cristina Xavier Luz 2 6/8 2 Emoção e a experiência do lazer em diferentes espaços e gerações Poster 2 Rituais da contemporaneidade: possíveis diálogos com a antropologia da religião Fabiana Maria Gama Pereira Resumo: Este trabalho, fruto de uma tese de doutorado em antropologia, tem como ponto de partida a análise de alguns rituais praticados por jovens que utilizam seus corpos como meio de superação de limites. São homens e mulheres que fazem uso de práticas em que o corpo é rasgado, perfurado ou pendurado e através das mesmas, alcançam estados alterados de consciência similares ao que se denomina por "êxtase" ou "transe". Georges Batalle (1973), estabelece uma analogia entre estes fenômenos da contemporaneidade com a experiência mística e, segundo ele, o gozo ou o êxtase funcionam num ambiente religioso, podendo ter consequências mais complexas nos casos em que estão fora de contexto. Nos êxtases místicos se ascende, se transcende a condição humana e se chega a um estado de perfeição através da união com Deus. Um exemplo é Santa Tereza de Ávila que no século XVI se tornou conhecida por seus atos de mortificações corporais. Muito devota e fascinada pelos santos penitentes, tanto se castigava quanto ordenava que suas seguidoras se exercitassem em atos de martírio, com o objetivo de domar as paixões castigando o próprio corpo. Por meio desses atos e de oração contemplativa também atingia episódios de êxtases nos quais referia ter contato com santos através da transcendência a um plano divino. Muitos líderes religiosos para afirmarem sua autoridade recorriam ao êxtase, alguns eram inclusive incentivados por influências populares da época e da cultura. Partindo destes exemplos, se pode questionar: o que se pode dizer a respeito de certas práticas realizadas fora de um contexto religioso? O que comunicam? A que e a quem servem? Qual o papel do corpo nestas experiências? Estes são alguns dos questionamentos levantados para tentar estabelecer um diálogo com a antropologia da religião. UFPE

9 Lila Cristina Xavier Luz 2 6/8 2 Emoção e a experiência do lazer em diferentes espaços e gerações Oral 3 "Combater o inimigo para estabelecer a conquista": projetos sociais e religiosos e para uma cidade pacificada. Felipe Magalhaes Lins UFRRJ Resumo: Esse trabalho se propõe a analisar a forma como o universo das lutas marciais de combate tem se entrelaçado com o campo religioso nas periferias da cidade do Rio de Janeiro. A partir da construção de um projeto social político-religioso na zona oeste da cidade, esse fenômeno tem agenciado diferentes atores sociais que se articulam, gerem e regulam processos midiáticos em seus territórios. Há dezoito anos surgiu no Rio de Janeiro o projeto social Lutando por Vidas (LPV), atividade com o objetivo de oferecer aulas de artes marciais mistas (Mixed Martial Arts, ou somente MMA) para jovens em "situação de vulnerabilidade social". A iniciativa é de Jorge Turco, 42 anos, pastor evangélico que resolveu utilizar a arte da luta marcial como uma ferramenta de ação social. Ser jovem também é, sem dúvida, um marcador de diferença muito valorizado nesse campo. A grande "promessa" para aqueles jovens que decidem ingressar nessa profissionalização reside na esperança de seu uso como via de ascensão socioeconômica. Diferentes "projetos sociais" imbuem-se dessa responsabilidade de salvar os jovens da cidade do perigo do crime, colocando em ação algumas ferramentas típicas como a "cultura", o "esporte", a "educação" como estratégias preventivas à violência. Neste sentido, o atual estudo pretende analisar como articulam-se as categorias do "religioso" e do "secular" no projeto social ministério Lutando por Vidas, entendo a partir desta experiência específica aspectos relevantes da relação no Rio de Janeiro hoje entre projetos sociais e religiosos, violência e cultura da paz, secularismos e religião, corpo e salvação, virilidade, luta e redenção.

10 Lila Cristina Xavier Luz 2 6/8 2 Emoção e a experiência do lazer em diferentes espaços e gerações Oral 4 Percursos dinâmicos: Memórias e representações sobre o Padre Cícero Itamerson Macell de Oliveira Costa da Silva Domingos Sávio de Almeida Cordeiro Universidade Regional do Cariri Resumo: Este trabalho tem como objeto de estudo a análise de como se processa os elementos simbólicos identificadores do sentido de localização do mito de origem presente nas falas de moradores de Juazeiro do Norte sobre o Padre Cícero. Tendo em vista, que no contexto juazeirense se tem embutido uma forte presença simbólica do santo popular, a localidade é conhecida por muitos devotos como a "terra do Padim Ciço". Buscamos por meio dessa investigação, compreender o sentido de memória coletiva presente nas representações dos moradores da cidade sobre o Padre Cícero de acordo com sua faixa etária. A metodologia se dá por meio de entrevistas com indivíduos nativos da cidade e pertencentes a várias gerações sociais. Os informantes são: estudantes, atletas, professores, servidores públicos, etc. Os locais escolhidos para aplicação das entrevistas foram: o Centro social urbano, órgão da prefeitura que dispõe serviços assistenciais, educacionais e de lazer, onde entrevistamos idosos na coorte acima de 60 anos; duas escolas de ensino médio situadas na cidade, onde entrevistamos jovens entre 15 a 29 anos e o SESC - Juazeiro, onde ouvimos pessoas de 30 a 59 anos. Verificamos a partir dessa pesquisa que as diversas falas revelam também reflexos de um sentido de identidade individual pautado na construção da memória coletiva juazeirense em torno de histórias sobre o Padre Cícero.

11 Lila Cristina Xavier Luz 2 6/8 2 Emoção e a experiência do lazer em diferentes espaços e gerações Oral 5 Indígenas de Piripiri-PI e suas manifestações de religiosidades KLEB LEITE DA SILVA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI- Resumo: A comunicação é parte da pesquisa em andamento no mestrado em antropologia da, sobre indígenas de Piripiri-PI e suas religiosidades. O objetivo é procurar entender como se dão as relações cotidianas dos indígenas na cidade de Piripiri-PI, no que diz respeito as suas religiosidades. A religiosidade dos indígenas de Piripiri-PI, é compreendida aqui como parte simbólica da interação humana, esta, imbuída de valores sociais e políticos que, pode ser compreendida como valores construídos a partir da convivência com pessoas de valores também socialmente construídos. A religiosidade dos indígenas de Piripiri-PI, para mim, se tornou uma novidade, uma vez que em ida ao campo, pude observar que dentre o grupo, há uma mesclagem religiosa, pois observei que a maioria deles são católicos e neopetencostais e alguns são umbandistas, porém, entre eles, se mantem total respeito em relação a tolerância religiosa, pois todos se juntam em suas manifestações deixando de lado suas diferenças religiosas e cultuando afim de um objetivo comum para todos, que é cultuar Deus, não importando a diferença religiosa. A fundamentação teórica é construída a partir dos seguintes autores: Barth(2000), Bourdieu(2002), Brandão(1994), Carvalho(1994), Durkheim(1996), Freston(1994), May(2004), Melatti(1993), João Pacheco de Oliveira(1999) dentre outros. A metodologia conta com observação participante, caderno de campo, recolhimento de entrevistas semiestruturadas e imagens fotográficas e fílmicas.

12 Lila Cristina Xavier Luz 2 6/8 2 Emoção e a experiência do lazer em diferentes espaços e gerações Oral 6 TERRITÓRIO DOMÉSTICO É TERRITÓRIO SAGRADO: O CASO DOS QUINTAIS DE TERREIROS AFRO-RELIGIOSOS DE CURUÇÁ-PA. Lorena Alves Mendes UFPA Resumo: O presente trabalho pretende discutir o uso social dos territórios domésticos, no caso os quintais, enquanto também territórios sagrados. Isto porque foi possível identificarmos em um município do Nordeste Paraense, Curuçá, a existência de barracões de terreiros afro-religiosos de Umbanda presentes nos quintais. O quintal no contexto aqui apresentado diversifica a vida prática e simbólico-religiosa, a partir das vivências que os grupos domésticos empregam nele, o sagrado é adquirido a partir do ritualmente construído naquele lugar de práticas diversas. As sociabilidades variadas que envolvem o território doméstico mesclam as atividades cotidianas às atividades pertinentes ao barracão do terreiro. A casa do grupo doméstico e o barracão dividindo o mesmo território dão predominância hora ou outra à uma das duas atividades, isso quando não se misturam. Considerar a importância da casa, e nela o quintal, enquanto significantes para a cultura de seus usuários fez-se necessário para entendermos a religião como parte constante da vida de quem as pratica e nesse sentido entender a religião como integrante do sistema cultural de grupos afro-religiosos.a região Amazônica apresenta formas de afro-religiosidade ainda hoje pouco conhecidas pela maioria de sua população. A contribuição do povo negro nessas religiões é de total importância para sua recriação em terras amazônicas bem como para sua manutenção. Conhecer, no sentido de valorizá-las, torna-se fundamental para que continuem vivas e a desempenhar os variados papéis e funções na vida de seus usuários e de pessoas outras que as procuram atrás das mais variadas finalidades.

13 Lila Cristina Xavier Luz 2 6/8 2 Emoção e a experiência do lazer em diferentes espaços e gerações Poster 7 DO AYÈ AO ORUN - O Culto aos Orixás de nação Ketu e Suas Influências na Preservação do Meio Ambiente. Michele Sueli de Fontes Monteiro Resumo: Atualmente há uma grande preocupação com a preservação da natureza a fim da conservação do planeta e melhoria do habitat humano, esta mesma incógnita já é fundamentada entre os povos e comunidades tradicionais, não apenas para melhorar o espaço de vivência como também para garantir as bênçãos e providências de seus Deuses. Esta dependência entre o homem e o mito, traz à tona a reflexão sobre o regresso ao primitivo. No momento em que o mundo volta-se para as questões ambientais, o tema entra em conformidade com o diálogo da preservação dos povos de terreiro, bem como a conservação tradicional e cultural dos mesmos. Um tema de grande importância no aprofundamento de alguns conhecimentos a cerca de como se dá a formação do sujeito coletivo, dentro de um terreiro de candomblé para então compreender as relações dos seus membros com o meio ambiente e a necessidade de preservá-lo, observando estas interações no âmago de sua formação religiosa. Este trabalho busca apresentar O Culto aos Orixás de nação Ketu e Suas Influências na Preservação do Meio Ambiente, com ênfase na conservação da tradição do candomblé, explorando a definição de Orixá e meio ambiente, bem como suas importâncias para a realização do culto nos Ylèt's (casas de candomblé), buscando na ideia do mito yorubano, uma fonte de conservação da cultura e tradição dessas comunidades. UFRRJ

14 Lila Cristina Xavier Luz 2 7/8 3 Emoções: a obrigatoriedade dos sentimentos Oral 1 Fronteiras entre compulsão e modos de vida no cenário jovem underground: o caso da automutilação João Paulo Braga Cavalcante Peregrina Fátima Capelo Cavalcante Universidade Federal do Ceará Resumo: Esta trabalho investiga os limites entre saúde mental e modos de vida por trás da automutilação (ato de causar danos ao próprio corpo como mecanismo de aliviar tensões de cunho emocionais). A pesquisa restringe-se à automatização no âmbito adolescente, entre aqueles que possuem estilos considerados alternativos ou underground, em relação ao padrão social comumente observado. Vários indícios (notícias, reportagens, sites ou estudos científicos) têm apontado para o crescimento deste fenômeno ainda pouco conhecido, sobretudo entre a população mais jovem. Tem ganhado popularidade nos últimos anos, muitas vezes associado à subcultura juvenil emocore, um estilo depressivo ligado a um subgênero de hardcore punk com letras que tratam de conflitos internos e emocionais. A investigação foi baseada em estudo empírico extenso, boa parte em locais de encontro, previamente estabelecidos, por serem pontos que aglutinavam uma quantidade significativa de interações e de diversidade social. Os dados consistiram em registro de conversações, fotografias, vídeos, depoimentos, tanto face-a-face como via Internet ou SMS. A perspectiva analítica foi baseada no interacionismo simbólico, aliada a métodos etnográficos, de tal modo que o estudo obtivesse, substancialmente, um conhecimento sistemático da dimensão emocional de uma relação social, mas mais importante, das condições do contexto interpessoal das relações, tomando-se por base o ponto de vista dos sujeitos da pesquisa. Porquanto a automulitação tem sido avaliada mais sob o olhar da medicina e da psicologia, esta estratégia de investigação tem possibilitado uma perspectiva menos clínica ou controlada, buscando imprimir uma visão sistêmica da complexa fronteira entre doença, compulsão e modo de vida, sendo este o foco da presente proposta.

15 Lila Cristina Xavier Luz 2 7/8 3 Emoções: a obrigatoriedade dos sentimentos Oral 2 Sociabilidades juvenis: sentidos e significados do lazer em Teresina Lila Cristina Xavier Luz Resumo: O objetivo deste trabalho é configurar os lazeres juvenis, entendendo-os no contexto das sociabilidades dos jovens e a partir dos sentidos por eles atribuídos, considerando as diferenciações de gênero e classe. Para tanto, foi desenvolvido pesquisa de campo para conhecer as práticas de lazer dos jovens na cidade. Portanto, percorremos bares, campos esportivos, clubes recreativos, boates, praças, quitandas, shopping centers, dentre outros, acompanhando o itinerário dos jovens, para conhecer seus circuitos e espaços de lazer. Nesses espaços participei dos mais diversos acontecimentos ali realizados: rodas de pagode, apresentações musicais, shows, festas, festivais (de música, de bebida, de dança), encontros de jovens, dentre outros. As saídas serviram também para nos familiarizarmos com o universo juvenil, no sentido de estabelecer contatos com os futuros entrevistados. Também realizamos entrevistas como jovens do sexo masculino e do sexo feminino, com idade entre 15 e 29 anos. Tendo como suporte teórico as reflexões de Abramo (2005), Brenner et al (2005), Magnani (2004), Carrano (2003), Machado Pais (2001), Elias, N. e Dunning, E. (1992), sobre juventudes, lazer e sociabilidades juvenis. O modo como os jovens as atividades, interferem, constituem e determinam suas práticas de lazer. A pesquisa evidenciou que as condições sociais e econômicas, bem como, as relações de gênero e de classe, são determinantes importantes na definição das práticas de lazer dos jovens. Neste sentido, as sociabilidades constituídas e vividas por meio das práticas de lazeres juvenis são por demais diversas e complexas, tendo em visto, dentre outros aspectos: a importância que os jovens atribuem às saídas para lazer; as companhias escolhidas; o que costumam consumir; o que costuma acontecer quan

16 Lila Cristina Xavier Luz 2 7/8 3 Emoções: a obrigatoriedade dos sentimentos Poster 3 Como sofrem as crianças?: A penitência infantil no Morro da Conceição e a representação do sofrimento Paula Neves Cisneiros Universidade Federal de Pernambuco Resumo: A "Festa do Morro", como é popularmente conhecido o evento anual que se realiza no Morro da Conceição, em Recife-PE - Brasil, em homenagem à Nossa Senhora da Conceição, é uma das grandes celebrações atuais do Catolicismo Popular, diversamente abordada como manifestação religiosa e cultural local. Em todas as festas, é possível observar uma grande peregrinação à imagem da santa, no ponto mais alto do morro. O pagamento de promessas é uma demonstração de fé e/ou agradecimento por pedidos (futuramente) alcançados. É comum ver crianças de várias idades seguindo a procissão acompanhadas de seus responsáveis muitas vestindo as cores da santa, rezando junto com os demais fieis, enfim, participando ativamente da penitência na Festa do Morro. Kleinman & Lock (1997) tratam do sofrimento como uma experiência social: "Uma vez que o sofrimento ganha significado através de representações culturais, ele é ao mesmo tempo performance e representação da realidade. Portanto, o modo como o sofrimento é descrito nos leva a uma forma particular de como ele é vivenciado" (p. 118). Campos (2002) nos lembra que a forma de expressão varia de acordo com o grupo, pois as formas de apropriação cultural variam. Sendo as crianças um grupo específico que pode desenvolver sua forma única de expressão e representação do sofrimento e, por que não, da penitência, este trabalho visa compreender como as crianças experienciam, performam e compreendem o sofrimento, traduzido em forma de penitência durante a "Festa do Morro".

17 Lila Cristina Xavier Luz 2 7/8 3 Emoções: a obrigatoriedade dos sentimentos Poster 4 MORTE E LUTO NAS LINHAS DO ALÉM: AS CARTAS PSICOGRAFADAS EM TERESINA Patricia Carvalho Moreira Francisca Verônica Cavalcante Resumo: Trata-se de uma dissertação desenvolvida no PPGAArq/ que problematizou a importância de cartas psicografadas para a vivência do processo do luto, segundo enlutados, médiuns e presidentes dos centros espíritas pesquisados. Teve por objetivo compreender o significado de cartas psicografadas para a vivência do processo de luto, em Centros Espíritas de Teresina. Como objetivo específico: conhecer o significado de morte e do luto para médiuns psicógrafos e buscadores enlutados, antes e depois de receberem as mensagens psicografadas; analisar a influência da experiência da sessão mediúnica psicografia para a vivência do processo de luto. A metodologia desta pesquisa é constituída por um campo etnográfico formado por participantes de três centros espíritas médiuns. Com o método antropológico da observação participante utilizei os seguintes procedimentos: registro em diário de campo, aplicação de questionário e entrevista semiestruturada, com captação de imagens, gravação de áudio e escaneamento das cartas psicografadas. A morte tem sido parte integral da existência humana desde épocas antigas o homem parece ter refletir sobre sua finitude. A consciência de que tudo que é vivo irá morrer é vista por diversos pesquisadores como uma característica universal da humanidade e, por esta razão, é um assunto que traz preocupação para alguns seres humanos que se debruçam sobre a experiência do luto ou da morte e do morrer. O referencial teórico é constituído por autores que discutem morte, luto, emoções e religiosidade, como: Durkheim (1971), Weber (1971), Geertz (2008), Van Gennep (2010), Turner, (2004), Ariès (1977), Morin (1988), Ziegler (1977), Koury (2003), Rodrigues (1983) dentre outros e as cinco obras espíritas de Allan Kardec, dentre outros expoentes do Kardecismo. O estud

18 Lila Cristina Xavier Luz 2 7/8 3 Emoções: a obrigatoriedade dos sentimentos Poster 5 Gira gira criancinha: um olhar antropológico sobre as crianças do Santo Daime no espaço "Céu de Todos os Santos" em Teresina Piauí. Theresa Jaynna de Sousa Feijão Universidade Federal do Piauí Resumo: A pesquisa "Gira, gira criancinha: um olhar antropológico sobre as crianças do Santo Daime no espaço religioso 'Céu de Todos os Santos - CTS' em Teresina Piauí" em andamento é uma investigação qualitativa que busca identificar o lugar das crianças na doutrina do Santo Daime - religião que contempla o crescimento do fenômeno religioso Nova Era - fenômeno que se caracteriza por uma miscelânea de diversas culturas e tradições, calcado na intenção de proporcionar uma integração holística do homem; a vivência da espiritualidade na religiosidade Nova Era é voltada para o autoconhecimento e prioriza as experiências místicas e as transformações do corpo-mente-espírito. Objetivamos identificar a relação saúde-doença-cura experienciada pelas crianças no referido espaço, bem como conhecer o ethos e a visão de mundo da criança constituída ou incorporada ao contexto daimista. O diálogo teórico com Amaral, Cavalcante, Geertz, Le Breton, norteará nosso estudo. A metodologia utilizada é a observação participante, caderno de campo, imagens fotográficas e entrevista. O meu campo etnográfico atualmente possui 15 (quinze) famílias com 20 crianças que participam do Santo Daime em Teresina e é marcado por uma "nova" maneira de lidar com a saúde e a doença e se expressa na ingestão da bebida sagrada e os sentimentos e emoções dos adeptos onde a relação cura e religião se destacam.

19 Lila Cristina Xavier Luz 2 7/8 3 Emoções: a obrigatoriedade dos sentimentos Poster 6 Tecnologias em Terapêuticas Neoesotéricas: religiosidades e cuidados paliativos em Teresina-PI. Francisca Verônica Cavalcante. Universidade Federal do Piauí Ianne Paulo Macêdo Resumo: As atividades desenvolvidas na pesquisa consistem em analise de revisões de bibliográficas, visitas aos espaços em que há ocorrência formação e práticas em Terapias Neoesotéricas em Teresina, particularmente aos que são direcionados aos cuidados paliativos. São eles: espaços holísticos, de religiões neoesotéricas, de outras religiões, hospitais, universidades e faculdades. Entrevistas com terapeutas e fruidores que desenvolvem ações voltadas para os cuidados paliativos em que estes são terapias neoesotéricas (integrativas e complementares); recolhimento de imagens fotográficas; pesquisas em livros e artigos; e levantamento de eventos e organizações relacionados à temática. Portanto ao final da pesquisa a partir da fundamentação teórica e experiência de campo, é pretendemos a realização de um mapeamento demarcando campos e estabelecendo as relações destes com o fenômeno da Nova Era e o quão está disseminada na cidade de Teresina, tendo como foco os espaços que oferecem terapias voltadas para os cuidados paliativos. Nesta direção, buscamos compreender as representações de morte, doença e saúde dos sujeitos pesquisados.

20 Lila Cristina Xavier Luz 2 7/8 3 Emoções: a obrigatoriedade dos sentimentos Oral 7 Domesticação das emoções na perda de si Francisca Verônica Cavalcante Universidade Federal do Piauí Resumo: "Suicídio em Idosos em Teresina" financiada pela FIOCRUZ, em 2011; e "Tecnologias em Cui-dados Paliativos: Terapêuticas Neoesotéricas em Teresina, Pibic-, Nos dois estudos são investigadas as representações de corpo, da morte, do morrer, da saúde e da do-ença. Os informantes da primeira são familiares de idosos que cometeram suicídio; eles narram situações em que o idoso suicida relata o seu desejo de morrer. Os sujeitos da segunda são terapêutas de fruidores de cuidados paliativos; trata-se de pessoas acometidas por doenças incuráveis em estado terminal que em um primeiro momento, vão em busca de terapias ou cuidados paliativos com uma esperança de cura e expressam, manifestam o desejo de não morte, posteriormente via o trabalho desenvolvido pela equipe de paliativistas juntamente com seus cuidadores (familiares) há uma domesticação do morrer em que são elaboradas ou buscadas a "boa morte" ou a "bela morte", a partir de cuidados da equipe e familiares que buscam atender os desejos, sentimentos e sonhos do adoecido, buscando resolver suas pen-dências de ordem afetivas, manter sua autonomia e dignidade. Referencial teórico: Foucault, Ariès, Ellias, Zigler, Durkheim, Simmel, Le Breton, Mauss, Minayo, Rodrigues, Koury, Menezes, Sontag. Metodologia: observação participante, entrevistas. São representações marcadas por "ambivalências", são maneiras de lidar com a morte paradoxais, em uns encontramos o desejo de morte em outros o desejo de não morrer.

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos:

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos: 1 INTRODUÇÃO Sobre o Sou da Paz: O Sou da Paz é uma organização que há mais de 10 anos trabalha para a prevenção da violência e promoção da cultura de paz no Brasil, atuando nas seguintes áreas complementares:

Leia mais

Divisor de águas : uma etnografia sobre as trajetórias de alunos sobreviventes ao. primeiro ano do ensino médio em uma escola estadual carioca.

Divisor de águas : uma etnografia sobre as trajetórias de alunos sobreviventes ao. primeiro ano do ensino médio em uma escola estadual carioca. Divisor de águas : uma etnografia sobre as trajetórias de alunos sobreviventes ao primeiro ano do ensino médio em uma escola estadual carioca. Mylena Gomes Curvello mylenagcurvello@hotmail.com 9 período

Leia mais

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança.

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. Jaquelaine SOUSA 1 Dalva Borges de SOUZA 2 Programa de Pós-Graduação em Sociologia/Faculdade de Ciências

Leia mais

Desnaturalização e estranhamento: experiência do PIBID em Sociologia. Anabelly Brederodes Cássio Tavares

Desnaturalização e estranhamento: experiência do PIBID em Sociologia. Anabelly Brederodes Cássio Tavares Desnaturalização e estranhamento: experiência do PIBID em Sociologia Anabelly Brederodes Cássio Tavares Resumo O trabalho tem como objetivo refletir sobre a prática de ensino e aprendizagem, como um processo

Leia mais

MATERNIDADE NA ADOLESCÊNCIA

MATERNIDADE NA ADOLESCÊNCIA MATERNIDADE NA ADOLESCÊNCIA Autor: Marusa Fernandes da Silva marusafs@gmail.com Orientadora: Profª. Ms. Mônica Mª N. da Trindade Siqueira Universidade de Taubaté monica.mnts@uol.com.br Comunicação oral:

Leia mais

A tecnologia e a ética

A tecnologia e a ética Escola Secundária de Oliveira do Douro A tecnologia e a ética Eutanásia João Manuel Monteiro dos Santos Nº11 11ºC Trabalho para a disciplina de Filosofia Oliveira do Douro, 14 de Maio de 2007 Sumário B

Leia mais

Tipo de atividade: Passeio/visita e redação. Objetivo: Conhecer alguns centros e templos religiosos existentes no bairro/cidade e desenvolver

Tipo de atividade: Passeio/visita e redação. Objetivo: Conhecer alguns centros e templos religiosos existentes no bairro/cidade e desenvolver A série Sagrado é composta por programas que, através de um recorte históricocultural, destacam diferentes pontos de vista das tradições religiosas. Dez representantes religiosos respondem aos questionamentos

Leia mais

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Ensino Médio Elaborar uma proposta curricular para implica considerar as concepções anteriores que orientaram, em diferentes momentos, os

Leia mais

Por uma pedagogia da juventude

Por uma pedagogia da juventude Por uma pedagogia da juventude Juarez Dayrell * Uma reflexão sobre a questão do projeto de vida no âmbito da juventude e o papel da escola nesse processo, exige primeiramente o esclarecimento do que se

Leia mais

A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS

A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS Prof. Lorena Silveira Cardoso Mestranda em Saúde Coletiva Profª. Drª. Marluce Miguel de Siqueira Orientadora VITÓRIA 2013 INTRODUÇÃO O consumo de substâncias

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO

IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO Eliane de Sousa Leite/Universidade Federal de Campina Grande/UFCG. E-mail: elianeleitesousa@yahoo.com.br Jeruzete Almeida de Menezes/ Universidade

Leia mais

Ao considerar e ao explicitar a representação feita, nota-se sua lógica e o que levou o aluno a tal escolha. A partir dela, o professor pode chegar a

Ao considerar e ao explicitar a representação feita, nota-se sua lógica e o que levou o aluno a tal escolha. A partir dela, o professor pode chegar a 37 Ao trabalhar questões socioambientais e o conceito de natureza, podemos estar investigando a noção de natureza que os alunos constroem ou construíram em suas experiências e vivências. Alguns alunos

Leia mais

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Departamento de Comunicação Social CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Aluno: Juliana Cintra Orientador: Everardo Rocha Introdução A publicidade

Leia mais

XIX Encontro Regional de História da ANPUH São Paulo

XIX Encontro Regional de História da ANPUH São Paulo XIX Encontro Regional de História da ANPUH São Paulo Autor: Profa Dra Sandra Leila de Paula Título do Trabalho: Análise Sociológica de Desenhos Infantis: uma nova perspectiva de análise para grupos de

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

Situando o uso da mídia em contextos educacionais

Situando o uso da mídia em contextos educacionais Situando o uso da mídia em contextos educacionais Maria Cecília Martinsi Dentre os pressupostos educacionais relevantes para a época atual, considera-se que as múltiplas dimensões do ser humano - intelectual,

Leia mais

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 337 DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM

Leia mais

CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS: UM OLHAR SOBRE O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO RAFAELA DA COSTA GOMES

CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS: UM OLHAR SOBRE O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO RAFAELA DA COSTA GOMES 1 CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS: UM OLHAR SOBRE O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO RAFAELA DA COSTA GOMES Introdução A discussão que vem sendo proposta por variados atores sociais na contemporaneidade

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

Analise histórica comparativa do relato de uma professora alagoana sobre sua formação docente e o ensino de matemática no primário durante o século XX

Analise histórica comparativa do relato de uma professora alagoana sobre sua formação docente e o ensino de matemática no primário durante o século XX Analise histórica comparativa do relato de uma professora alagoana sobre sua formação docente e o ensino de matemática no primário durante o século XX Miriam Correia da Silva¹ Mercedes Carvalho² RESUMO

Leia mais

Festa de Nossa Senhora da Abadia no município de Jataí/GO: uma expressão cultural

Festa de Nossa Senhora da Abadia no município de Jataí/GO: uma expressão cultural Festa de Nossa Senhora da Abadia no município de Jataí/GO: uma expressão cultural Marlene Flauzina OLIVEIRA Mestranda em Geografia - Programa de Pós-Graduação Campus Jataí/UFG mflauzina@hotmail.com Eguimar

Leia mais

Valéria Carrilho da Costa

Valéria Carrilho da Costa A FOLIA NA ESCOLA: ENTRE CORES E CANTOS Valéria Carrilho da Costa gmacala@netsite.com.br Prefeitura Municipal de Uberlândia E.M. Profª Maria Leonor de Freitas Barbosa Relato de Experiência Resumo O projeto

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES

RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES Kátia Hatsue Endo Unesp hatsueendo@yahoo.com.br Daniela Bittencourt Blum - UNIP danibittenc@bol.com.br Catarina Maria de Souza Thimóteo CEETEPS - catarinamst@netonne.com.br

Leia mais

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças PADILHA, Aparecida Arrais PMSP cidarrais@yahoo.com.br Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

CIDADANIA: o que é isso?

CIDADANIA: o que é isso? CIDADANIA: o que é isso? Autora: RAFAELA DA COSTA GOMES Introdução A questão da cidadania no Brasil é um tema em permanente discussão, embora muitos autores discutam a respeito, entre eles: Ferreira (1993);

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB (ASFORA, R. V. S.) - Raphaella Viana Silva Asfora/Autora ¹ Escola Superior da Magistratura

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

4 Metodologia. 4.1. Primeira parte

4 Metodologia. 4.1. Primeira parte 4 Metodologia [...] a metodologia inclui as concepções teóricas de abordagem, o conjunto de técnicas que possibilitam a apreensão da realidade e também o potencial criativo do pesquisador. (Minayo, 1993,

Leia mais

Coordenação: Profª Vera Rodrigues

Coordenação: Profª Vera Rodrigues III Oficina Técnica da Chamada CNPq/MDS - 24/2013 Seminário de Intercâmbio de pesquisas em Políticas Sociais, Combate à Fome e à Miséria no Brasil Projeto E agora falamos nós: mulheres beneficiárias do

Leia mais

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO Design & Saúde Financeira para maiores de 50 anos Vera Damazio Laboratório Design Memória Emoção :) labmemo (: O que Design tem a ver com Saúde Financeira para maiores de 50 anos? E o que faz um Laboratório

Leia mais

Projeto Meu Brasil Brasileiro

Projeto Meu Brasil Brasileiro 1 Projeto Meu Brasil Brasileiro 1.0 - APRESENTAÇÃO O presente projeto será realizado pelos estudantes da Escola Carpe Diem de forma transdisciplinar, sob a orientação do corpo docente como objeto de estudo

Leia mais

Informativo Fundos Solidários nº 13

Informativo Fundos Solidários nº 13 Informativo Fundos Solidários nº 13 Em dezembro de 2014, em Recife, Pernambuco, foi realizado o 2º seminário de Educação Popular e Economia Solidária. Na ocasião, discutiu-se sobre temas relevantes para

Leia mais

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema.

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema. Aquecimento Global e Danos no Manguezal Pernambucano SANDRA MARIA DE LIMA ALVES 1 - sandrali@bol.com.br RESUMO Este artigo procura enriquecer a discussão sobre o fenômeno do aumento da temperatura na terra

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA

PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA PROJETO MEIO AMBIENTE NA SALA DE AULA Conceito: PROJETO: -Proposta -Plano; Intento -Empreendimento -Plano Geral de Construção -Redação provisória de lei; Estatuto Referência:Minidicionário - Soares Amora

Leia mais

PESQUISA-AÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: DESAFIOS DA FORMAÇÃO ACADÊMICA QUE BUSCA TRANSFORMAR REALIDADES SOCIAIS

PESQUISA-AÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: DESAFIOS DA FORMAÇÃO ACADÊMICA QUE BUSCA TRANSFORMAR REALIDADES SOCIAIS PESQUISA-AÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: DESAFIOS DA FORMAÇÃO ACADÊMICA QUE BUSCA TRANSFORMAR REALIDADES SOCIAIS Adriana Do Amaral - Faculdade de Educação / Universidade Estadual de

Leia mais

O PERCURSO FORMATIVO DOS DOCENTES QUE ATUAM NO 1º. CICLO DE FORMAÇÃO HUMANA

O PERCURSO FORMATIVO DOS DOCENTES QUE ATUAM NO 1º. CICLO DE FORMAÇÃO HUMANA O PERCURSO FORMATIVO DOS DOCENTES QUE ATUAM NO 1º. CICLO DE FORMAÇÃO HUMANA Profª. Ms. Marilce da Costa Campos Rodrigues - Grupo de estudos e pesquisas em Política e Formação Docente: ensino fundamental

Leia mais

Paulo de Lima. Tema 04: Dimensão Sócio- Política- Ecológica (Processo de participação- conscientização. Qual a minha relação com a sociedade? ).

Paulo de Lima. Tema 04: Dimensão Sócio- Política- Ecológica (Processo de participação- conscientização. Qual a minha relação com a sociedade? ). Tema 04: Dimensão Sócio- Política- Ecológica (Processo de participação- conscientização. Qual a minha relação com a sociedade? ). Titulo 03: Droga, Álcool e cidadania Paulo de Lima (Mestrando em Educação

Leia mais

Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro

Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro A Campanha Nacional pela Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma colheita para o futuro, é uma ação estratégica do Movimento Sindical de Trabalhadores

Leia mais

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA JURUMENHA, Lindelma Taveira Ribeiro. 1 Universidade Regional do Cariri URCA lindelmafisica@gmail.com FERNANDES, Manuel José Pina 2 Universidade Regional do Cariri

Leia mais

TRABALHANDO A CULTURA ALAGOANA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA DO PIBID DE PEDAGOGIA

TRABALHANDO A CULTURA ALAGOANA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA DO PIBID DE PEDAGOGIA TRABALHANDO A CULTURA ALAGOANA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA DO PIBID DE PEDAGOGIA Pedro Henrique Santos da Silva - Bianca dos Santos Cristovão - Luciana Maria da Silva* - RESUMO O Programa Institucional

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Lygia de Assis Silva Sérgio Paulino Abranches Universidade Federal de Pernambuco lygia1@hotmail.com/ Este

Leia mais

CONTEÚDOS REFERENCIAIS PARA O ENSINO MÉDIO

CONTEÚDOS REFERENCIAIS PARA O ENSINO MÉDIO CONTEÚDOS REFERENCIAIS PARA O ENSINO MÉDIO Área de Conhecimento: Linguagens Componente Curricular: Educação Física Ementa A Educação Física no Ensino Médio tratará da cultura corporal, sistematicamente

Leia mais

VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA E DO CONTRÁRIO GENTILEZA GERA GENTILEZA

VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA E DO CONTRÁRIO GENTILEZA GERA GENTILEZA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL CALDAS JUNIOR SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE NOVO HAMBURGO VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA E DO CONTRÁRIO GENTILEZA GERA GENTILEZA Professoras: Jane Engel Correa Patrícia

Leia mais

Indisciplina escolar: um breve balanço da pesquisa em educação. Juliana Ap. M. Zechi FCT/UNESP

Indisciplina escolar: um breve balanço da pesquisa em educação. Juliana Ap. M. Zechi FCT/UNESP Indisciplina escolar: um breve balanço da pesquisa em educação Juliana Ap. M. Zechi FCT/UNESP Complexidade do assunto e multiplicidade de interpretações que o tema encerra. Ações mais assemelhadas à indisciplina

Leia mais

Percursos da pesquisa de campo: as rodas de conversas e a caracterização dos jovens e seus contextos

Percursos da pesquisa de campo: as rodas de conversas e a caracterização dos jovens e seus contextos 44 5. Percursos da pesquisa de campo: as rodas de conversas e a caracterização dos jovens e seus contextos As rodas de conversa tiveram como proposta convidar os participantes a debater o tema da violência

Leia mais

O PETIANO E O RETORNO AS COMUNIDADES POPULARES: COMPARTILHAMENTO ENTRE SABERES POPULARES E ACADÊMICOS NO ESPAÇO DE PRÉ-UNIVERSITÁRIOS POPULARES

O PETIANO E O RETORNO AS COMUNIDADES POPULARES: COMPARTILHAMENTO ENTRE SABERES POPULARES E ACADÊMICOS NO ESPAÇO DE PRÉ-UNIVERSITÁRIOS POPULARES O PETIANO E O RETORNO AS COMUNIDADES POPULARES: COMPARTILHAMENTO ENTRE SABERES POPULARES E ACADÊMICOS NO ESPAÇO DE PRÉ-UNIVERSITÁRIOS POPULARES TIERRE OTIZ ANCHIETA 1 MÔNICA HEITLING 2 TAINAN SILVA DO

Leia mais

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte PPCAAM Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Secretaria de Direitos Humanos Presidência

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ

PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ TEMA PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES Educação para a Paz Aplicadores:

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA

ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA Cultura afro-brasileira é o resultado do desenvolvimento da cultura africana no Brasil, incluindo as influências recebidas das culturas portuguesa e indígena que se manifestam

Leia mais

Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção

Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção Silvia Christina Madrid Finck E-mail: scmfinck@ uol.com.br Resumo: Este artigo refere-se ao projeto de pesquisa

Leia mais

introdução Trecho final da Carta da Terra 1. O projeto contou com a colaboração da Rede Nossa São Paulo e Instituto de Fomento à Tecnologia do

introdução Trecho final da Carta da Terra 1. O projeto contou com a colaboração da Rede Nossa São Paulo e Instituto de Fomento à Tecnologia do sumário Introdução 9 Educação e sustentabilidade 12 Afinal, o que é sustentabilidade? 13 Práticas educativas 28 Conexões culturais e saberes populares 36 Almanaque 39 Diálogos com o território 42 Conhecimentos

Leia mais

DA UNIVERSIDADE AO TRABALHO DOCENTE OU DO MUNDO FICCIONAL AO REAL: EXPECTATIVAS DE FUTUROS PROFISSIONAIS DOCENTES

DA UNIVERSIDADE AO TRABALHO DOCENTE OU DO MUNDO FICCIONAL AO REAL: EXPECTATIVAS DE FUTUROS PROFISSIONAIS DOCENTES DA UNIVERSIDADE AO TRABALHO DOCENTE OU DO MUNDO FICCIONAL AO REAL: EXPECTATIVAS DE FUTUROS PROFISSIONAIS DOCENTES Karem Nacostielle EUFRÁSIO Campus Jataí karemnacostielle@gmail.com Sílvio Ribeiro DA SILVA

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: A literatura infantil: abertura para a formação de uma nova mentalidade

Resumo Aula-tema 01: A literatura infantil: abertura para a formação de uma nova mentalidade Resumo Aula-tema 01: A literatura infantil: abertura para a formação de uma nova mentalidade Pensar na realidade é pensar em transformações sociais. Atualmente, temos observado os avanços com relação à

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

O curso da Vida e a Pré-Aposentadoria: perspectivas antropológicas

O curso da Vida e a Pré-Aposentadoria: perspectivas antropológicas O curso da Vida e a Pré-Aposentadoria: perspectivas antropológicas FUNDACENTRO/SP Novembro 2013 Prof. Dr. Silas Guerriero Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião - PUC-SP silasg@pucsp.br O Ser

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO CONTEUDO DANÇA NA INTERFACE E FORMAÇÃO CULTURAL NA EDUCAÇÃO FÍSICA A PARTIR DAS INTERVENÇÕES DO PIBID UFG/CAC

A EXPERIÊNCIA DO CONTEUDO DANÇA NA INTERFACE E FORMAÇÃO CULTURAL NA EDUCAÇÃO FÍSICA A PARTIR DAS INTERVENÇÕES DO PIBID UFG/CAC A EXPERIÊNCIA DO CONTEUDO DANÇA NA INTERFACE E FORMAÇÃO CULTURAL NA EDUCAÇÃO FÍSICA A PARTIR DAS INTERVENÇÕES DO PIBID UFG/CAC Fernanda Costa SANTOS UFG/CAC- nandacostasantos@hotmail.com Karolina Santana

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

REFLETINDO SOBRE A ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL COM OS ESTUDANTES DA ESCOLA MARIA AMÉLIA

REFLETINDO SOBRE A ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL COM OS ESTUDANTES DA ESCOLA MARIA AMÉLIA REFLETINDO SOBRE A ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL COM OS ESTUDANTES DA ESCOLA MARIA AMÉLIA Yrismara Pereira da Cruz 3, Ana Raquel Holanda Barros¹, Indira Siebra Feitosa¹. Correspondência para: yrismaracruz@hotmail.com

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

TERCEIRA IDADE - CONSTRUINDO SABERES SOBRE SEUS DIREITOS PARA UM ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

TERCEIRA IDADE - CONSTRUINDO SABERES SOBRE SEUS DIREITOS PARA UM ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA TERCEIRA IDADE - CONSTRUINDO SABERES SOBRE SEUS DIREITOS PARA UM ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Gabriela Pereira Batista, graduanda em enfermagem (UNESC Faculdades) gabrielabio_gabi@hotmail.com

Leia mais

ANÁLISE DE VÍDEOS DOCUMENTAIS: PERSPECTIVAS PARA DISCUSSÕES ACERCA DO PROGRAMA ETNOMATEMÁTICA NEVES

ANÁLISE DE VÍDEOS DOCUMENTAIS: PERSPECTIVAS PARA DISCUSSÕES ACERCA DO PROGRAMA ETNOMATEMÁTICA NEVES ANÁLISE DE VÍDEOS DOCUMENTAIS: PERSPECTIVAS PARA DISCUSSÕES ACERCA DO PROGRAMA ETNOMATEMÁTICA Rouseleyne Mendonça de Souza NEVES Mestrado em Educação em Ciências e Matemática - UFG Órgão financiador: CAPES

Leia mais

A EDUCAÇÃO DO CAMPO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO ASSENTAMENTO SÃO FRANCISCO III.SOLÂNEA/PB.

A EDUCAÇÃO DO CAMPO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO ASSENTAMENTO SÃO FRANCISCO III.SOLÂNEA/PB. A EDUCAÇÃO DO CAMPO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO ASSENTAMENTO SÃO FRANCISCO III.SOLÂNEA/PB. Otaciana da Silva Romão (Aluna do curso de especialização em Fundamentos da Educação UEPB), Leandro

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

Mara Lucia da Silva 1 Marilene Parè ² Ruth Sabat.² RESUMO

Mara Lucia da Silva 1 Marilene Parè ² Ruth Sabat.² RESUMO PROREXT/PROJETO DE EXTENSÃO 2008/1 - TERRITÓRIO AFROSUL DESENVOLVENDO O DIÁLOGO ACADEMIA / ONG AFROSUL ATRAVÉS DE TRABALHO COM JOVENS DE COMUNIDADE POPULAR RESUMO Mara Lucia da Silva 1 Marilene Parè ²

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Serviço Social 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Serviço Social 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Serviço Social 2011-2 A INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO PROGRAMA PROJOVEM URBANO Alunos: VARGAS,

Leia mais

Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira

Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira Maria Lígia de Oliveira Barbosa Belo Horizonte, MG: Argvmentvm, 2009, 272 p. Maria Lígia de Oliveira Barbosa, que há algum tempo

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento;

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Objetivo geral Promover a igualdade no mundo do trabalho e a autonomia

Leia mais

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL Bruna Maria de Oliveira (¹) ; Elcione Trojan de Aguiar (2) ;Beleni Salete Grando (3) 1.Acadêmica

Leia mais

Relatos de Experiência Paraisópolis: relato do processo de transformação da Biblioteca Comunitária em rede do conhecimento

Relatos de Experiência Paraisópolis: relato do processo de transformação da Biblioteca Comunitária em rede do conhecimento S. M. R. Alberto 38 Relatos de Experiência Paraisópolis: relato do processo de transformação da Biblioteca Comunitária em rede do conhecimento Solange Maria Rodrigues Alberto Pedagoga Responsável pelo

Leia mais

Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault

Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault Eixo temático 2: Formação de Professores e Cultura Digital Vicentina Oliveira Santos Lima 1 A grande importância do pensamento de Rousseau na

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV SILVA, D. Pollyane¹ MORO, M. Silvana ² SOUSA, G. Cristiane³ Resumo Este trabalho tem o intuito de descrever a Prática Profissional

Leia mais

CUIDAR, EDUCAR E BRINCAR: REFLETINDO SOBRE A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CUIDAR, EDUCAR E BRINCAR: REFLETINDO SOBRE A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CUIDAR, EDUCAR E BRINCAR: REFLETINDO SOBRE A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Gislaine Franco de Moura (UEL) gislaine.franco.moura@gmail.com Gilmara Lupion Moreno (UEL) gilmaralupion@uel.br

Leia mais

Especificidades das mortes violentas no Brasil e suas lições. Maria Cecília de Souza Minayo

Especificidades das mortes violentas no Brasil e suas lições. Maria Cecília de Souza Minayo Especificidades das mortes violentas no Brasil e suas lições Maria Cecília de Souza Minayo 1ª. característica: elevadas e crescentes taxas de homicídios nos últimos 25 anos Persistência das causas externas

Leia mais

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: bortoletomatheus@yahoo.com.br Escola: Dr. José Ferreira

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: bortoletomatheus@yahoo.com.br Escola: Dr. José Ferreira Sociologia Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: bortoletomatheus@yahoo.com.br Escola: Dr. José Ferreira [...] tudo o que é real tem uma natureza definida que se impõe, com a qual é preciso contar,

Leia mais

EDUCAÇÃO E PROGRESSO: A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL ELOY PEREIRA NAS COMEMORAÇÕES DO SEU JUBILEU

EDUCAÇÃO E PROGRESSO: A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL ELOY PEREIRA NAS COMEMORAÇÕES DO SEU JUBILEU 1 EDUCAÇÃO E PROGRESSO: A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL ELOY PEREIRA NAS COMEMORAÇÕES DO SEU JUBILEU Resumo Rodrigo Rafael Pinheiro da Fonseca Universidade Estadual de Montes Claros digasmg@gmail.com

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

ENTRE O PASSADO E O PRESENTE: A CONSTRUÇÃO E AFIRMAÇÃO DA IDENTIDADE ÉTNICA DOS CIGANOS DA CIDADE ALTA, LIMOEIRO DO NORTE CE 1

ENTRE O PASSADO E O PRESENTE: A CONSTRUÇÃO E AFIRMAÇÃO DA IDENTIDADE ÉTNICA DOS CIGANOS DA CIDADE ALTA, LIMOEIRO DO NORTE CE 1 ENTRE O PASSADO E O PRESENTE: A CONSTRUÇÃO E AFIRMAÇÃO DA IDENTIDADE ÉTNICA DOS CIGANOS DA CIDADE ALTA, LIMOEIRO DO NORTE CE 1 BETWEEN THE PAST AND THE PRESENT: THE CONSTRUCTION AND AFFIRMATION OF ETHNIC

Leia mais

Metodologia e Prática de Ensino de Ciências Sociais

Metodologia e Prática de Ensino de Ciências Sociais Metodologia e Prática de Ensino de Ciências Sociais Metodologia I nvestigativa Escolha de uma situação inicial: Adequado ao plano de trabalho geral; Caráter produtivo (questionamentos); Recursos (materiais/

Leia mais

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA SAGRADA Nº 8 - Mar/15 PRESTA atenção RELIGIÃO! BÍBLIA Apresentação Esta nova edição da Coleção Presta Atenção! vai tratar de um assunto muito importante: Religião. A fé é uma questão muito pessoal e cada

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA: FIM DO MUNDO: MITO OU REALIDADE?

PROJETO DE PESQUISA: FIM DO MUNDO: MITO OU REALIDADE? UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO NOSSA ESCOLA PESQUISA SUA OPINIÃO - POLO RS CURSO ESCOLA E PESQUISA: UM ENCONTRO POSSÍVEL PROFESSORA MORGANA BOZZA ALUNAS DA TURMA 71 DA ESCOLA

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias O Programa Esporte e Lazer da Cidade e o seu processo formativo para egressos do curso de educação física da Universidade Federal

Leia mais

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Metodologia da Pesquisa Cientifica Metodologia Como se procederá a pesquisa? Caminhos para se

Leia mais

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE.

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE. TRABALHO DOCENTE: POR UMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA, TRANSFORMADORA E EMANCIPATÓRIA OLIVEIRA, Marinalva Luiz de Prefeitura da Cidade do Recife GT-22: Educação Ambiental Resumo Este trabalho tem o objetivo

Leia mais

O nosso jeito de falar, de gesticular, de cultuar e rezar, de ser e de viver, é profundamente marcado pela presença dos africanos no Brasil.

O nosso jeito de falar, de gesticular, de cultuar e rezar, de ser e de viver, é profundamente marcado pela presença dos africanos no Brasil. ATIVIDADE 01 MANIFESTAÇÕES DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA O nosso jeito de falar, de gesticular, de cultuar e rezar, de ser e de viver, é profundamente marcado pela presença dos africanos no Brasil. Com eles

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL SANTO ANTÔNIO VIVENCIANDO VALORES NA ESCOLA POR UMA CULTURA DE PAZ

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL SANTO ANTÔNIO VIVENCIANDO VALORES NA ESCOLA POR UMA CULTURA DE PAZ ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL SANTO ANTÔNIO VIVENCIANDO VALORES NA ESCOLA POR UMA CULTURA DE PAZ Passo Fundo, 2005 1-Justificativa Talvez não haja palavra mais falada, nos dias de hoje, que a

Leia mais

Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola.

Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola. Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola. Chico Poli Algumas vezes, fora da escola há até mais formação do que na própria escola. (M. G. Arroyo) É preciso toda uma

Leia mais

Orientação para Aposentadoria. Donália Cândida Nobre Assistente Social Suzana Pacheco F. de Melo Psicóloga

Orientação para Aposentadoria. Donália Cândida Nobre Assistente Social Suzana Pacheco F. de Melo Psicóloga Orientação para Aposentadoria Donália Cândida Nobre Assistente Social Suzana Pacheco F. de Melo Psicóloga Orientação para aposentadoria Entendendo a saúde na definição da Organização Mundial da Saúde:

Leia mais

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável Sustentabilidade Socioambiental Resistência à pobreza Desenvolvimento Saúde/Segurança alimentar Saneamento básico Educação Habitação Lazer Trabalho/

Leia mais

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA Júlio César Paula Neves Tânia Mayra Lopes de Melo Modalidade: Pôster Sessão Temática 5: Educação e

Leia mais

5 Conclusão e Considerações Finais

5 Conclusão e Considerações Finais 5 Conclusão e Considerações Finais Neste capítulo são apresentadas a conclusão e as considerações finais do estudo, bem como, um breve resumo do que foi apresentado e discutido nos capítulos anteriores,

Leia mais

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo:

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo: 3 METODOLOGIA Apresenta-se a seguir a descrição da metodologia utilizada neste trabalho com o objetivo de expor os caminhos que foram percorridos não só no levantamento dos dados do estudo como também

Leia mais