Atividades Sociais / Relatório Sintético / w w w. a c o m u n i t a r i a. o r g. b r. Relatório Sintético

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atividades Sociais / Relatório Sintético / 2009. w w w. a c o m u n i t a r i a. o r g. b r. Relatório Sintético"

Transcrição

1 w w w. a c o m u n i t a r i a. o r g. b r 1 Atividades Sociais Relatório Sintético

2 2 Atividades Sociais / Relatório Sintético / 2009 ÍNDICE Índice, expediente e dados cadastrais 2 Uma Reflexão sobre Educação e Desenvolvimento 3 Educação É a Nossa Causa 4 Presença 6 Performance 8 Programa Primeiras Letras 10 Programa Crê-Ser 12 Programa Preparação para o Trabalho 14 Projeto Inserção de Jovens no Mercado de Trabalho 16 Núcleo de Cultura e Lazer 18 Comunidade em Ação 20 Programa Formação Continuada de Educadores Sociais 22 Tacada Social 24 Prestando Contas 25 Invista Socialmente 26 Conhecimento em Eco 28 Parceiros 30 Agradecemos Diretoria e Conselhos Voluntariados 34 EXPEDIENTE Sede Social R. Amacás, 243, Campo Limpo, São Paulo-SP CEP: Tel.: Fax: Site: Decretos com declaração de Utilidade Pública Federal Estadual Municipal Secretaria Estadual de Assistência de Desenvolvimento Social - SEADS Secretaria Municipal de Assistência Social - SAS Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente Conselho Municipal de Assistência Social - COMAS Federação de Obras Sociais - FOS CNPJ: / Inscrição Estadual: / / / /73 510/CMDCA/95 148/ /82 Criação: ARBO - Inteligência para a marca Textos: KB Comunicação Nossos programas estão alinhados aos Ojetivos do Milênio ( Auditores externos: Directa Fotos: Marco Antonio Sá e Roberto Kakazu Edição: Relacionamento e Mobilização de Recursos

3 Uma reflexão sobre educação e desenvolvimento O Instituto Paulo Montenegro é uma organização sem fins lucrativos, vinculada ao IBOPE, que tem por objetivo desenvolver e executar projetos na área da educação. Um desses projetos consiste na apuração periódica do INAF Indicador de Alfabetismo Funcional, índice que mede as habilidades e práticas de leitura, escrita e matemática dos brasileiros entre 15 e 64 anos de idade, de modo a fomentar o debate público, estimular iniciativas da sociedade civil e subsidiar a formulação de políticas nas áreas de educação e cultura, segundo a definição do próprio Instituto ( O gráfico abaixo mostra a evolução do INAF para a população de jovens brasileiros de 15 a 24 anos, a partir de 2001, ano em que começou a ser apurado, até Funcionalmente alfabetizados Pleno Básico Os resultados são preocupantes. Ainda que tenha havido no período uma redução do percentual de analfabetos funcionais (de 22% em 2001/2002 para 15% em 2009), a parcela de jovens que podem ser considerados plenamente alfabetizados involuiu de 35% para 33%. Em seus 43 anos de existência, a Ação Comunitária tem lutado contra essa realidade. Por suas salas de aula, passaram nesse período mais de alunos (um número pequeno em relação às proporções do problema, tão pequeno quanto os recursos de que dispõe a Entidade), pessoas que certamente adquiriram melhores condições para enfrentar a vida. É por isso que nosso Relatório de Atividades deste ano fala de Vidas em Ação. Vidas como a de Arquimedes Paiva, hoje professor universitário e mestre em Sociologia pela Universidade Nacional de Brasília, que, na década de 80, foi educando da Ação Comunitária; ou de Edirléia Souza, hoje funcionária da Bayer, prestes a se formar em Farmácia, ex-aluna dos nossos programas Primeiras Letras e Preparação para o Trabalho; ou ainda de Gustavo Analfabetos funcionais *Indicadores apurados pelo SAMIS Sistema de Avaliação de Mudanças e Impactos Sociais da Ação Comunitária Rudimentar Analfabeto 46 52% % 13% 2% Loronha, hoje colaborador da TAM Linhas Aéreas, que frequentou o Crê-Ser e o PPT, assim como tantos outros que fizeram e fazem a Ação Comunitária. Nossos programas socioeducativos investem intensamente no desenvolvimento cognitivo, físico e social dos alunos. Na faixa de 4 a 5 anos, 59% de nossas crianças já atingiram o estágio de alfabetização. Nossos educandos que estão cursando o ensino fundamental conseguem um desempenho escolar 10% superior à média obtida por seus colegas de classe na escola pública. Dos jovens que frequentam o nosso Programa de Preparação para o Trabalho, 58% conseguem colocação no mercado nos primeiros 12 meses após a conclusão do curso.(*) Foi por isso que, em 2009, mesmo com a crise mundial que provocou o afastamento de várias das empresas que nos davam apoio financeiro, decidimos manter nosso atendimento a crianças, adolescentes e jovens, sabendo que isso nos levaria a um resultado deficitário no exercício. A cada passo, temos a certeza de que rumamos no caminho certo: preparando pessoas, como Arquimedes, Edirléia e Gustavo, de fato para a vida. No momento em que nosso país começa a ser visto como um ator de peso na cena internacional, fica a dúvida sobre quanto o nível educacional de nossa população pode comprometer nossa capacidade de desenvolvimento econômico e social. Esse é um desafio para toda a sociedade brasileira e não apenas para o poder público. Apoiar um trabalho como o desenvolvido pela Ação Comunitária não é um gesto de caridade, é um investimento social com alta taxa de retorno. Paulo S.Bravo de Souza Diretor-Presidente Voluntário 3

4 educação governança corporativa é a nossa causa 4 Gerência de Mobilização de Recursos Conselho Deliberativo nossa missão Conselho Fiscal Conselho Diretor Presidente do Conselho Diretor Superintendente Gerência Adm./Finan. e Produtos Gerência de Programas Sociais Contribuir de forma contínua e integrada para inclusão social educação, cultura, empregabilidade e cidadania de crianças, adolescentes e jovens, em parceria com lideranças comunitárias formalmente organizadas. A Ação dava muita importância a tudo o que eu fazia, cada texto, cada desenho, era como se um artista tivesse terminado sua obra. Gustavo Loronha, ex-educando, hoje colaborador da TAM A dinâmica do conhecimento no 3º Setor A Ação Comunitária, presente em 41 bairros da zona sul de São Paulo, classificados como áreas de alta vulnerabilidade pelo mapa social da cidade, coloca no centro de sua missão crianças, adolescentes e jovens, reconhecendo, valorizando e formando educadores sociais, gestores de programas, famílias e lideranças comunitárias em torno do desenvolvimento pessoal, social e cognitivo dos educandos. Esse trabalho tem comprovadamente forte impacto na melhoria da educação brasileira e no desenvolvimento econômico e sustentável, como apresentam os principais estudos mundiais sobre educação. Em um setor de grande amplitude de conhecimento e ricas experiências, nos perguntamos a cada dia: o valor da nossa ação no contexto social. Qual o real impacto de nossa atuação e contribuição para a educação e a sociedade? Cada vez mais, temos nos articulado e mobilizado corações e mentes para melhor responder aos desafios que a questão social da educação apresenta em nosso país. Em 2009, a Ação Comunitária empreendeu como uma de suas principais iniciativas a implantação da Gerência de Desenvolvimento Comunitário, com a contratação de uma nova equipe de profissionais. Essa decisão foi de vital importância dada a crescente demanda por atendimento das organizações sociais conveniadas às secretarias municipais de Educação e de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo e a necessidade de aprimoramento dos dirigentes de organizações ainda não conveniados ao poder público municipal, fortalecendo-os para autonomia, articulação, mobilização de recursos e talentos locais para o sucesso da gestão de suas organizações.

5 Produção de conhecimento No campo do estudo e da promoção de conhecimento, outras ações relevantes foram realizadas com grande impacto para a qualidade dos programas socioeducativos, como o Crê-Ser: Estudo Adolescências Estudo dos Eixos: Artes, Leitura e Escrita e Raciocínio Lógico Mapeamento das organizações sociais conveniadas e melhor divisão das turmas por faixa etária. 5 Preparando para o futuro É nosso papel a contínua busca pela consolidação ou ampliação de parcerias e diálogo com os diversos setores da sociedade, instituições privadas, públicas e civis, para o desenvolvimento social, educacional e cultural das comunidades em que atuamos. Acreditamos nesse caminho para o encontro das melhores soluções e práticas no campo da educação e da redução de índices educacionais e sociais ainda alarmantes no Brasil. È daí também que nasce nossa outra grande motivação: mobilizar a sociedade, preparando cada vez mais pessoas, como algumas das que voluntariamente dão seus depoimentos nas páginas deste relatório, para falar de um trabalho socioeducacional e de parceria com famílias, que beneficia anualmente crianças, jovens e adolescentes diretamente e a famílias indiretamente.

6 Presença A Ação Comunitária atua em 43 Associações Comunitárias localizadas nos distritos de Butantã, Campo Limpo, Capela do Socorro, Cidade Ademar, M Boi Mirim e Parelheiros, além dos municípios de Itapecerica da Serra e Embu-Guaçu. Regiões classificadas como de Muito Alta, Alta e Média vulnerabilidade social pelo Mapa de Vulnerabilidade Social do município de São Paulo (*) *Dados: Departamento de Estatística e Produção de Informação da Sempla www9.prefeitura.sp.gov.br/sempla/mm/mapas/indice5_1.pdf organizações de base comunitária 43 atendidas crianças, jovens e adolescentes beneficiados Organizações comunitárias conveniadas em Subprefeitura: Butantã 01. União de Moradores da favela do Jd. Colombo - CEI Girassol 02. União de Moradores da favela do Jd. Colombo - CEI Primavera Subprefeitura: Campo Limpo 01. Ação Comunitária 02. Associação Cidadania Ativa do Macedonia - ACAM 03. Movimento Comunitário Estrela Nova 04. Associação dos Moradores do Jardim Magdalena 05. Associação dos Moradores do Jardim Rosana 06. Associação Beneficente Provisão 07. Instituto Cuore Subprefeitura: M Boi Mirim 01. Movimento Comunitário do Jardim São Joaquim 02. Associação dos Moradores do Jardim Boa Sorte 03. Associação de Apoio à Criança e ao Adolescente Bom Pastor Subprefeitura: Parelheiros 01. Associação Social e Cultural Letras Mágicas - Jd. S. Norberto 02. Associação Social e Cultural Letras Mágicas - Jd. Almeida 03. Centro Social de Parelheiros - Creche Sagrada Família 04. Centro Social de Parelheiros - CEI Paulinoeva 05. Centro Social de Parelheiros Núcleo - CEI São Norberto 06. Centro Social de Parelheiros Creche Nossa Senhora das Graças 07. Centro Social de Parelheiros - Núcleo CEI Santa Terezinha

7 Subprefeitura: Capela do Socorro Subprefeitura: Cidade Ademar 01. Centro de Assistência Social Reino da Criança 02. Centro Comunitário Castelinho São Paulo Woman`s Club 03. União dos Moradores da Cidade Julia 04. Associação do Parque Santa Amélia e Balneário São Francisco 05. Seara Bendita Instituição Espírita 06. Centro de Formação Irmã Rita Cavenaghi 07. Centro Popular de Defesa dos Direitos Humanos Frei Tito de Alencar Lima 08. Centro de Promoção Humana Nossa Senhora Aparecida e Comunidade Meu Abacateiro 09. Centro de Promoção Humana Nossa Senhora Aparecida 10. Centro de Promoção Humana São Joaquim Santana VILLA 11. Centro de Promoção Humana São Joaquim Santana Joca 01. Associação à Criança, ao Adolescente e Jovem do Icaraí ACAJI 02. Grupo Unido pela Reintegração Infantil GURI 03. TUCCA - Trabalho Unificado Com Carinho e Amor 04. Centro Social São José - CEI Jardim Manacás 05. Centro Social São José - CEI Ana de Fátima 06. Centro Social São José CCA Barro Branco Município: Embu-Guaçu 01. Movimento Renovador Paulo VI Lar Irmã Inês 02. Movimento Renovador Paulo VI Lar Irmã Inês / Creche dos Pequeninos / Núcleo Profissionalizante 03. Comunidade Missionária de Villaregia Município: Itapecerica da Serra 01. Associação Promocional Kolping NS dos Prazeres 02. Movimento Comunitário de Assistência e Promoção Humana MOCAPH Sta Terezinha Centro de Promoção Humana São Joaquim Santana - CEI Vereador Miguel Franchini Neto 03. Movimento Comunitário de Assistência e Promoção Humana MOCAPH - Creche Santa Ana

8 8 Atividades Sociais / Relatório Sintético / 2009

9 performance Tecnologia social O Sistema de Avaliação de Mudança e Impactos Sociais SAMIS é uma tecnologia social inovadora que permite a avaliação dos impactos gerados pelos Programas socioeducativos da Ação Comunitária. Seus indicadores contemplam, além da evolução escolar dos alunos, outros aspectos importantes que influenciam diretamente em seu desempenho educacional, como a saúde e a participação da família. Em gestão social, é considerado hoje uma das grandes ferramentas de mensuração de resultados. Foi desenvolvido pela professora Maria Cecília Roxo Nobre Barreira, junto com a equipe Pedagógica da Ação Comunitária do Brasil. Reconhecimento da sociedade Em 2007, a convite da Saint Paul Editora, foi lançado o livro Eficácia no Terceiro Setor que reconhece o SAMIS como uma importante ferramenta de mensuração para programas socioeducativos. O livro tem prefácio assinado pelo professor Antonio Carlos Gomes da Costa, conselheiro da Ação Comunitária e um dos grandes pedagogos do país. Constantemente, a equipe da Ação Comunitária é convidada a participar de fóruns, relatando a experiência e a importância da construção do SAMIS. SAMIS SISTEMA de avaliação de mudanças e impactos sociais Transparência nos resultados Representa uma prestação de contas à sociedade dos resultados dos programas da Ação Comunitária para comprovação de sua eficiência, novas análises e proposições. Os patrocinadores das turmas dos programas Primeiras Letras, Crê-Ser e Preparação para o Trabalho (PPT) recebem o relatório do Programa Empresa Cidadã (PEC) com os principais indicadores de desempenho das turmas patrocinadas. 2ª Edição do Livro Eficácia no 3º Setor Semifinalista do Prêmio Itaú-Unicef Programa Crê-Ser Prêmio Bem Eficiente, Kanitz e Associados 9

10 PROGRAMA O Programa Primeiras Letras tem como princípio garantir o direito da criança de 2 a 5 anos a uma educação formal, sistemática, intencional e de qualidade. Acredita na criança como um ser ativo, agente do seu desenvolvimento, com capacidade para perceber e atuar no ambiente em que vive, sendo sujeito do seu conhecimento. Tem o compromisso de contribuir para o desenvolvimento físico, afetivo e cognitivo, propiciando brincadeiras organizadas, aprendizagens orientadas e atividades extraclasse que favoreçam vivências de cunho cultural. 10 Faixa etária: Turmas: Crianças e adolescentes: Educadores: Organizações parceiras: Empresas apoiadoras

11 PRIMEIRAS LETRAS educação infantil Quando entrei, tinha medo de não dar conta porque a turma era grande, mas no final do ano me surpreendi quando vi todos saírem lendo. O que mais me marcou foi a primeira aluna a começar a ler. Patricia Santos, educadora do PL do CEI Ana de Fátima 2 a 5 anos Resultados De acordo com uma pesquisa realizada pelo projeto Geres(*), os alunos que ingressam nas escolas particulares chegam à primeira série já com larga vantagem em relação às crianças de escolas públicas. Essa desigualdade nas médias pouco se altera até o final da quarta série do ensino fundamental. É para garantir a qualidade no desenvolvimento dessas crianças que a Ação Comunitária vem investindo constantemente na educação de qualidade e na formação contínua do educador, seja em escolas comunitárias ou CEIS conveniadas à prefeitura. Em 2009, o Programa Primeiras Letras desenvolveu junto aos educandos propostas dirigidas para o desenvolvimento do raciocínio lógico através de jogos simbólicos e jogos de regras, estimulando a capacidade de pensar por conta própria em busca de soluções. Em Linguagem Oral e Escrita, foram oportunizadas situações em que as crianças estabelecessem relação entre o que é falado e o que é escrito. A Maleta Viajante propiciou aos educandos e familiares momentos de ludicidade, conhecimento e integração, ao ser proposto ao responsável que lesse uma vez por semana uma história infantil escolhida e levada pela criança para o ambiente familiar. Para contemplar o eixo de Artes e Movimento, os educadores reproduziram materiais a partir da exposição do artista italiano Bruno Munari, com objetos que estimulassem a percepção sensorial, visual e motora. Para trabalhar o eixo de Música, foram oferecidas às crianças oportunidades de entrar em contato com a cultura e tradição musical. A presença de um educador cultural, com formação específica, contribuiu para que os educandos fossem capazes de produzir, apreciar e refletir sobre produtos e produtores musicais. O eixo de Natureza e Sociedade reuniu temas do mundo social e natural e foi trabalhado através de projetos integrados a outros eixos e relacionados a animais, como os dinossauros, contos de fada, entre outros, instigando a observação de fenômenos, relatos, acontecimentos e formulação de hipóteses. A ida dos educandos ao teatro para que assistissem à peça Cocoricó trouxe momentos de descontração, alegria, sonhos e fantasias, oportunizando a ampliação do universo cultural. *O projeto Geres é um projeto de pesquisa longitudinal, que focaliza a aprendizagem nas primeiras fases do ensino fundamental Parceiros Pessoa Física Ana Maria Levy Villela Igel Claudio Regina Paulo S. Bravo de Souza Alexandre Campos de Souza Marianne Nicklas de Souza Osmar Elias Zogbi samis 7,7 a 7,9 a foi o resultado final alcançado pelas crianças na avaliação das aprendizagens Aprender Conhecer e a Fazer foi o resultado final alcançado pelas crianças na avaliação das aprendizagens Aprender Conviver e a Ser 86% das famílias participam e estão comprometidas com a educação de seus filhos 89% das crianças têm acompanhamento médico sistemático 59% das crianças chegam alfabetizadas à 1ª série do ensino fundamental 8,9 é a nota dada pelas famílias ao Programa 11

12 Atividades Sociais / Relatório Sintético / 2009 programa Uma das atividades que mais me encantaram foram as visitas ao zoológico. Nunca tinha ido ao zoológico ou a um museu. Em uma dessas visitas, ao brincar em um escorregador, aprendi alguns dos maiores valores da minha vida: a igualdade e a solidariedade. Enquanto escorregava, outra criança disse que o equipamento pertencia à sua escola. Relatei à educadora que, em seguida, me levou ao escorregador e - com uma doçura que jamais esquecerei - disse: Este parquinho é público, qualquer criança pode escorregar, inclusive vocês dois ao mesmo tempo, mas com cuidado. 12 Faixa etária: Turmas: Crianças e adolescentes: Educadores: Organizações parceiras: Empresas apoiadoras

13 crê-ser educação complementar Arquimedes Paiva, 31 anos, mestre em Sociologia pela Universidade Federal de Goiás e Universidade de Brasília, ex-aluno do antigo Prézinho 6 a 15 anos Programa de educação complementar dirigido a crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 15 anos, o Crê-Ser tem como princípio básico a integração de propósitos e ações educativas com a família, escola e a comunidade. Seu compromisso é a garantia de uma educação integral, articulando saberes e desenvolvendo competências cognitivas, pessoais, sociais e produtivas, a partir de projetos interdisciplinares nas áreas de Artes, Comunicação, Participação na Vida Pública, Cultura e Raciocínio Lógico, estabelecendo interlocução com as famílias, escolas, bibliotecas, museus e outros espaços de aprendizagem da cidade de São Paulo. O Crê-Ser tem enquanto objetivo proporcionar às crianças e aos adolescentes condições necessárias para que vivenciem de forma plena a infância e adolescência, usufruindo de seus direitos à educação, lazer e cultura declarados no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). As diversas atividades realizadas pelo programa objetivam também contribuir para que os educandos desenvolvam competências, atitudes e valores necessários para uma participação ativa nas comunidades onde estão inseridos e na sociedade em geral Em 2009, o tema trabalhado foi cidadania, contribuindo para que crianças e adolescentes se desenvolvessem enquanto sujeitos autônomos e críticos e atuassem de forma ativa e responsável nas comunidades onde estão inseridos. Atividades nos diversos campos do conhecimento do Crê-Ser foram realizadas, visando conscientizar educadores, educandos e familiares sobre seus direitos e sobre a responsabilidade de cada um com as questões sociais. Dentro do campo do conhecimento de Artes, por exemplo, foi trabalhado o tema a importância da mulher na sociedade atual, utilizando a vida e obra da artista plástica Beatriz Milhazes. Essa formação possibilitou às crianças, adolescentes, educadores e familiares conhecer a contribuição da mulher na arte brasileira e mundial, além de fomentar uma reflexão sobre as 8% 9% Resultados samis de melhoria no desempenho do aprendizado da língua portuguesa de melhoria no desempenho em matemática conquistas femininas e a igualdade de direitos para ambos os sexos. Acreditando no potencial criativo e transformador da juventude, os encontros de formação dos educadores trabalharam conceitos e metodologias do Protagonismo Juvenil. O trabalho teve como objetivo instigar uma reflexão sobre a concepção de juventude de nossos educadores, familiares e lideranças e instrumentalizá-los para a realização de práticas que levassem ao reconhecimento dos jovens, de suas habilidades, desejos e à capacidade de fazer escolhas, contribuindo para a melhoria de suas comunidades. Os adolescentes realizaram projetos nas áreas de incentivo à leitura, pinturas de muros e esportes nas escolas públicas das comunidades onde residem, demonstrando o comprometimento com a construção de uma sociedade melhor e mais justa para todos. 74% 70% das crianças e adolescentes com domínio da leitura e escrita das crianças e adolescentes com acompanhamento médico periódico 13 9,0 como nota atribuída pela família ao programa Parceiros Pessoa Física Alpha 3 Ana Maria Levy Villela Igel Gustavo Razzo Neto José Eduardo Matarazzo Kalil Luis Felipe Pedreira Dutra Leite Oscar Vicente Ferro Wilson Dissenha

14 PROGRAMA 14 O Programa Preparação para o Trabalho tem como objetivo o desenvolvimento do jovem como pessoa, profissional e cidadão. A partir da concepção dos Quatro Pilares da Educação do Relatório UNESCO para o século XXI, propõe ações educativas que possibilitem o desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes, para que os jovens atendidos sejam capazes de Conhecer, Ser, Conviver e Fazer no mundo que os cerca. Estruturado em três eixos pedagógicos (Autogestão, Trabalho e Cultura), o Programa dispõe de estratégias e projetos diversificados para desenvolver os conteúdos propostos. Faixa etária: Turmas: Crianças e adolescentes: Educadores: Organizações parceiras:

15 preparação capacitação profissional para o trabalho 2009 Os principais conteúdos trabalhados na formação dos educadores foram: concepção de juventude, o papel da cultura no mundo jovem, projeto de vida, interdisciplinaridade, planejamento, critérios de avaliação e educomunicação. Como destaque do ano, podem ser mencionados os resultados alcançados por meio dos projetos Eu, Tu, Nós e Mudando a História, que contribuíram de forma positiva no desenvolvimento da escrita, oralidade e autonomia dos educandos. Além disso, as estratégias desses projetos foram fundamentais para a formação de jovens mais críticos e politizados. Em especial, cabe ressaltar que devido ao projeto Eu, Tu, Nós, os educadores puderam contar com laboratórios de informática de alta tecnologia e com o uso de internet banda larga (Wireless) em suas aulas. O apoio das empresas (Makro, M.Cassab, A.T. Kearney, Bloomberg, Drogasil, Pinheiro Neto, Abbott, Promon, Value Partners, TecBan) às atividades do Programa também foi muito importante para o alcance de resultados positivos. Foram organizadas por esses parceiros 22 visitas de jovens às empresas, com foco nos seguintes conteúdos: empregabilidade, processo seletivo, postura profissional e sexualidade. A parceria do Programa Preparação para o Trabalho com os setores público e privado foi fundamental para a oferta dessas oportunidades aos jovens e para o aperfeiçoamento da qualidade das ações socioeducativas propostas a 21 anos Uma coisa que me marcou foi arrecadar doações para um orfanato. O outro grupo arrecadou coisas para doar a um hospital de crianças com câncer. Esse foi o momento mais marcante para mim, aprender com essas crianças e ajudá-las. Resultados samis 51% 9,5 de evolução na comunicação oral e escrita é a nota atribuída pelos educandos ao programa 30 Empresas apoiadoras 10 Ana Paula Severo, aluna do PPT 2º semestre de 2008

16 Projeto inserção de jovens no mercado de trabalho 16 Vinícius Santos, 24 anos, ex-aluno PPT, atual colaborador da Ação Comunitária Meu primeiro emprego foi em 2003, como atendente de um Call Center. Durante a dinâmica de grupo, eu relembrei o que havia aprendido no PPT e isso foi fundamental para que conquistasse a vaga. Falei sobre experiência profissional, atendimento ao cliente, como se portar em uma empresa e trabalho em equipe. Percebi que a selecionadora gostou, fez uma expressão positiva e anotou tudo. O PPT foi muito importante na entrevista. Quando comecei a trabalhar, me ajudou a realizar todas as atividades. O Projeto Captação de vagas e Inserção de Jovens no Mercado de Trabalho foi criado em 2005 e tem como objetivo principal auxiliar os jovens formados no Programa Preparação para o Trabalho (PPT) em seu ingresso no Mercado de Trabalho. Por meio de parcerias com empresas, busca-se propiciar aos jovens a oportunidade do primeiro emprego de acordo com suas competências e habilidades, viabilizando assim a empregabilidade nas funções de estagiário, jovem aprendiz, temporário e efetivo. O processo de recrutamento não tem nenhum custo para a empresa, e a pré-seleção é feita através dos indicadores de desenvolvimento dos jovens durante o programa, sistematizados no SAMIS Sistema de Avaliação de Mudanças e Impactos Sociais. O Programa Preparação para o Trabalho tem como principal desafio o desenvolvimento de conhecimento, habilidades e atitudes que contribuam para a empregabilidade e inclusão social desses jovens, bem como atividades de comunicação e expressão, informática, teatro, iniciação para o trabalho, práticas comerciais e administrativas, focadas no atendimento às principais necessidades e aspirações do jovem. Resultados jovens conseguiram posições no mercado de trabalho Diferenciais empresariais: Recrutamento e pré-seleção para o perfil do candidato Intermediação de contratos de estágio com auxílio do Projeto 167espontaneamente Acompanhamento dos estagiários com avaliação de resultados

17 o 1º emprego Os desafios em 2009 Nos últimos dois anos, o Projeto Captação de vagas e Inserção de Jovens no Mercado de Trabalho conseguiu inserir no mercado uma média de 400 jovens por ano. Em 2009, a crise mundial e a mudança da lei do estágio impactaram os processos de contratações nas empresas, mesmo diante de todos os esforços de sensibilização e incentivos governamentais. O mercado só voltou a aquecer novamente com abertura de vagas a partir de setembro e com forte demanda de profissionais e prestadores de serviços por tempo determinado. Sua empresa parceira Todas as empresas podem contratar os jovens formados pelo PPT, basta entrar em contato com a Coordenação do Projeto de Inserção através do telefone (11) /2916 ou por 17

18 Núcleo 18 A declaração do jornalista Maurício Kubrusly sobre o CD Tchibun, produzido em 2009 com músicas cantadas por 250 crianças atendidas pelos programas socioeducativos da Ação Comunitária, é um dos muitos resultados positivos alcançados pelo Núcleo de Cultura & Lazer. O núcleo enriquece os programas socioeducacionais da Ação Comunitária, proporcionando atividades culturais e de lazer, com o objetivo de ampliar o universo sociocultural das crianças, adolescentes e jovens dos programas Primeiras Letras, Crê-Ser e Preparação Para o Trabalho. Com o uso da lei de incentivo à Cultura (Rouanet), o Projeto Som, Ritmo e Movimento viabiliza a promoção de atividades culturais sistemáticas de Dança, Teatro, Musicalização, Capoeira e Práticas Desportivas sob o acompanhamento e assessoria dos Orientadores Pedagógicos de cada programa. Para a Ação Comunitária, é estreita a relação entre educação e cultura nos processos de formação da cidadania, sendo indispensáveis ações de integração das manifestações intelectuais e artísticas às práticas pedagógicas.

19 de cultura e lazer acesso à cultura Depoimentos Que surpresa boa este CD! Muito bom saber que ainda existe um time interessado em realizar alguma coisa bem longe do óbvio e do previsível. Parabéns! Maurício Kubrusly jornalista Demorou um pouco pra gravar o CD. Sabe o que eu queria fazer? Eu queria cantar mais uma vez pra ver se tá bonito mesmo... Giovana Vitoria Aluna do Primeiras Letras Guri, sobre a gravação do CD Ouvi o CD e confesso a vocês que foi delicioso! Ouvi repetidas vezes! Aquelas canções praticamente desconhecidas do universo da maioria das crianças, cantadas com aquelas vozes delicadas, com acompanhamento impecável, me emocionaram profundamente. Adelaide Barbosa Fonseca Consultora especialista em Desenvolvimento Comunitário com Base em Talentos e Recursos Locais Além das atividades em sala de aula, os educandos realizam visitas monitoradas a espaços culturais como museus, teatros, casas de espetáculos, salas de concertos, circos, exposições e outros centros culturais da cidade, com o objetivo de ampliar o repertório pessoal e conhecer os equipamentos culturais. A conclusão do projeto Som, Ritmo e Movimento acontece em uma grande Mostra Cultural realizada no final do ano, com a apresentação do repertório cultural dos educandos e exposições de projetos trabalhados durante o ano. Em 2009, a Mostra Cultural aconteceu na Casa das Caldeiras, com a proposta de utilização dos seus vários espaços para as apresentações dos educandos. O resultado foi uma maior interação do público com os projetos que foram apresentados: danças, contação de histórias, apresentações teatrais e musicais, exposição de fotos, de artes e máscaras, além de um show de Antonio Nóbrega. O projeto proporcionou também a gravação do CD Tchibum!, em um estúdio profissional! Foi a primeira vez que 250 crianças e adolescentes entraram em um estúdio para gravar canções do imaginário popular. O CD foi concebido para ser o registro musical das crianças e adolescentes que integraram as aulas de Musicalização do Projeto Som, Ritmo e Movimento de O principal objetivo foi estimular a vontade de fazer música coletivamente, usando tanto instrumentos convencionais como flautas, violão, tamborins, pandeiros e caxixis quanto objetos inusitados como conduítes, sementes, conchas e chaves. Das cópias prensadas, foram distribuídas para todas as crianças participantes do projeto, possibilitando sessões de autógrafos com as crianças que gravaram o disco, em eventos que também contaram com a participação dos familiares. O Núcleo conta também com o Centro Multimídia, espaço destinado à complementação da formação de educadores, gestores e lideranças. Seu acervo dispõe de livros, DVDs, VHS e CDs, além de computadores com acesso à internet. O espaço também disponibiliza por uma Agenda Cultural que é distribuída periodicamente às lideranças e educadores cadastrados. Hoje fechamos a apresentação com chave de ouro. O espetáculo foi muito gostoso de se fazer, as crianças aplaudiram cinco vezes em cena aberta. Elas ficaram atentos, prestaram atenção e participaram ativamente nas horas exatas, tanto os pequenos como os maiores. Dê os meus parabéns mais uma vez para todos os educadores, que vêm fazendo um trabalho exemplar com essas crianças. Valeu! Chico Cabrera Diretor e ator do Espetáculo Panos e Lendas O museu é muito interessante porque lá não se fala apenas do futebol; eles também abrangem temas como torcidas organizadas, comunicação audiovisual da época do início da globalização, a chegada dos imigrantes ao Brasil... Os alunos ficaram muito surpresos e empolgados com o que viram. Conheceram o estádio de futebol e ficaram emocionados, além de impressionados com o tamanho do campo. Samuel Costa Educador Cultural Capoeira e Práticas Desportivas, ao visitar o Museu do Futebol Oferecer essa visita é dar oportunidade de acesso à cultura. Como professora de música e artista, considero que é de suma importância, pois não adianta apenas conviver com atividades musicais nas quatro paredes da sala de aula, é preciso mais. É preciso vivenciar tanto como espectador como sendo o próprio artista; e, como espectador, as visitas são fundamentais. Carla Rampim Educadora Cultural de Musicalização, em visita à Osesp 19

20 programa de 20 A criação, em 2009, da área de Desenvolvimento Comunitário pode ser considerada um dos grandes pontos para o aprimoramento e favorecimento do trabalho com as organizações sociais conveniadas à Ação Comunitária. Posicionada na estrutura organizacional da gerência de Programas Sociais, a área atuará na articulação e fortalecimento do trabalho com as lideranças e gestores das organizações. Os primeiros resultados já começaram a aparecer. Para os gestores dos programas, deu-se continuidade aos conteúdos sobre trabalho de parceria com a família e equipe. Eles passaram a utilizar os conceitos e organizaram encontros com famílias, promovendo a sua participação e envolvimento nas atividades das instituições sob sua gestão. A mudança no olhar das Lideranças Comunitárias foi outro ponto trabalhado durante o ano. As oficinas de Desenvolvimento Comunitário com Base em Talentos e Recursos Locais desenvolveram temáticas como a importância da mudança de olhar para as comunidades e valorização dos talentos de pessoas e na conexão dos recursos locais. Cursos Gestão: Técnicas de Apresentação, Elaboração de Projeto, Gestão de Projeto, Comunicação de Projetos, Indicadores Gestão de Programas: Trabalho com Famílias, Trabalho em Equipe, Parcerias, Orientação Familiar Desenvolvimento Comunitário: Abordagem Colaborativa 126 horas é a carga horária total da formação desenvolviment números *média por encontro Plataformas dos Centros Urbanos UNICEF Com a intenção de participar de políticas públicas para a Infância e Adolescência, a Ação Comunitária passou a fazer parte de um dos Grupos Articuladores, proposta do UNICEF de mobilizar toda a sociedade para mudanças que visam à qualidade de vida de crianças, adolescentes e jovens de nossa cidade. Gestores participantes Líderes comunitários participantes Encontros de formação de gestores Encontros de formação de líderes 21* 29* 9 12 Em 2009 foram empreendidas as seguintes ações: Aparecida Maria Neves (Cida), liderança Centro de Promoção Humana São Joaquim Santana Mapa com informações sobre locais onde circulam crianças, adolescentes e jovens Atividades de capacitação oferecidas pelo UNICEF Consulta participativa com adultos, crianças e jovens da comunidade Participação no encontro Intercomunitário Coordenação do 1º Fórum Comunitário

21 o de lideranças comunidade EM AÇÃO Eu sou uma pessoa elétrica; às vezes quero que as pessoas corram no mesmo ritmo que eu. Aliás, isso é uma coisa que eu aprendi muito dentro da Ação, que é você aprender a respeitar o ritmo dos outros. É difícil isso. São coisas que estou aprendendo. Nem tudo tem que ser no meu tempo, cada um tem o seu tempo e tenho que respeitar isso. O curso que fiz de gestão de pessoas me ensinou muito essa questão de respeitar o tempo de todos. De um modo geral, avalio o papel do líder com extrema importância, pois temos que saber conduzir nossa equipe e familiares. 21

22 programa formação continuada de educadores sociais impacto na qualidade do ensino 22 O papel do educador O Programa de Formação Continuada de Educadores Sociais da Ação Comunitária é o agente disseminador de conhecimentos e do acompanhamento da qualidade dos programas Primeiras Letras, Crê-Ser e Preparação para o Trabalho. Consiste em encontros de formação mensal que ocorrem na sede da Ação Comunitária e em visitas da equipe técnica às organizações conveniadas para acompanhamento in loco do trabalho do educador com grupos regionais. As capacitações propiciam o desenvolvimento de competências profissionais e pessoais nos educadores de acordo com as concepções sustentadoras de cada programa; incentivam e orientam para o estabelecimento de parcerias com a família, escola e demais recursos da comunidade; propiciam condições para monitorar, avaliar e renovar as suas práticas educativas, usando como ferramenta de trabalho o Sistema de Avaliação de Mudanças e Impactos Sociais SAMIS, além de promoverem espaços de reflexão que asseguram o compromisso e o envolvimento dos educadores sociais e culturais com a organização de bairro e a Ação Comunitária. O Programa de Formação Continuada de Educadores Sociais é um instrumento essencial para a qualificação contínua do profissional da educação que, infelizmente, ainda tem sido formado deficitariamente em muitas universidades. Nossos educadores valorizam muito a oportunidade de adquirir repertórios práticos e de ter uma supervisão constante e presente em sala de aula, aumentando sua segurança e o desenvolvimento de inúmeras competências. Ana Maria Silva, educadora do Crê- Ser no Santa Amélia, formada em Pedagogia, Matemática e Letras A área da educação é fascinante; você percebe que está formando cidadãos melhores. O Crê-Ser não é reforço, é uma complementação de vida. Sou uma ponte entre o futuro deles e o hoje. Podemos modificar lá na frente, basta acreditar. Essa é a ponte do hoje e do futuro deles. Como educadora, você percebe que não só ensina, mas aprende muito em todos os sentidos.

23 2009 Contribuição à política pública Há cerca de cinco anos, a demanda pelo trabalho de assessoria pedagógica da Ação Comunitária vem aumentando, tanto por parte das organizações da sociedade civil quanto das esferas públicas, representadas pelas Secretarias Municipais de Educação e de Assistência e Desenvolvimento Social. Os impactos na qualificação do educador têm efeito direto sobre os alunos, que apresentam melhor preparo no ensino fundamental e também em suas famílias, que percebem a importância de sua participação no processo de formação dos filhos. Em 2009, os programas Primeiras Letras e Crê-Ser tiveram como diretriz o aumento da parceria com organizações conveniadas à Secretaria da Educação e de Assistência e Desenvolvimento Social, visando ao apoio, principalmente, no que se refere à qualificação dos educadores. Com essa aproximação das políticas públicas e de seus agentes, a Ação Comunitária vem se especializando mais em meios de intervenção social e influência para a melhoria dos equipamentos, principalmente os que se localizam em áreas de grande vulnerabilidade social, como CEIs Centro de Educação Infantil ou CCAs Centro de Criança e Adolescente. Em virtude dessa demanda, conseguimos aprovação no CMDCA do Projeto Assessoria Pedagógica via recursos do FUNCAD Fundo Municipal da Criança e Adolescente, com perspectivas de início em Também houve uma grande novidade neste ano em relação à sistematização da matriz avaliativa do programa, para compor um sistema de avaliação de competências do educador acoplado ao SAMIS. Dessa forma, em breve, uma plataforma informatizada apresentará os resultados quantitativos e qualitativos de forma organizada. Os destaques temáticos na formação de educadores deste ano para o programa Primeiras Letras tiveram como foco conteúdos do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil e aos eixos de conhecimento: identidade, autonomia, movimento, natureza e sociedade, matemática, linguagem oral e escrita, música e artes. Neste ano, os educadores tiveram três encontros de formação em ambiente externo: uma visita cultural ao Parque Caminhos do Mar, ao SESC Pinheiros e outra à exposição É proibido não tocar, do artista plástico Bruno Munari. No programa Crê-Ser, o foco foi o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes de acordo com as quatro faixas etárias: 6 a 7, 8 a 10, 11 a 12 e 13 a 15 anos, priorizando o protagonismo juvenil de acordo com cinco campos do conhecimento: Artes, Participação na Vida Pública, Comunicação, Cultura e Raciocínio Lógico, priorizando o desenvolvimento da cidadania crítica e participativa. O programa Preparação para o Trabalho teve como foco temas como: concepção de jovem, projeto de vida, novo acordo ortográfico, avaliação, sexualidade, drogas e cultura. Um merecido destaque é feito para as formações do Projeto Jornal, com apoio da Revista Viração, que trouxeram reflexões acerca do uso educativo das ferramentas midiáticas como propulsoras de desenvolvimento crítico e criativo, colaborando para o protagonismo do juvenil. 23 Programa Formação Supervisão Encontros Carga horária Participantes Observação Individual Primeiras Letras Crê-Ser Preparação para o Trabalho

24 tacada social IV torneio de golfe 24 Pelo quarto ano consecutivo, a Ação Comunitária realizou o IV Torneio Beneficente de Golfe. O objetivo do evento é a arrecadação de fundos para a manutenção do número de atendimento de crianças, jovens e adolescentes em turmas dos programas socioeducativos da organização. Único evento nesse segmento, o torneio acontece sempre na última semana do mês de setembro e conta com a participação de empresas com quotas de patrocínio e de exposição. Sua empresa também pode realizar essa grande Tacada Social. Patrocínio Master: Patrocínio Ouro: Patrocínio Expositor: Apoio:

25 prestando contas Origem dos recursos arrecadados A Ação Comunitária arrecadou, no exercício findo em 31/12/2009, o montante líquido de R$ 5.228,1 mil, sendo: Mobilização de Recursos R$ 2.009,2 mil 38,4% sustentabilidade financeira A Ação Comunitária mobiliza empresas e pessoas físicas no esforço de captação de recursos, seja por contribuições diretas, seja pela comercialização de cartões de Natal e de brindes. Essas formas de apoio possibilitam que a Ação Comunitária ofereça infra-estrutura adequada e insumos para o funcionamento dos Programas, tais como: alimentação, material pedagógico, equipamentos para laboratórios de informática e mobiliário para as salas de aula. Além disso, garante o suporte pedagógico para orientação e formação continuada dos educadores sociais e líderes comunitários. Cartões de Natal e Brindes R$ 676,9 mil Recursos de Incentivados 2.017,7 mil 38,6% R$ 5.228,10 mil 13% 10% Outras Receitas R$ 524,1 mil 25 Aplicação de recursos (*) Os Programas receberam R$ 5.512,5 mil, sendo R$ 4.688,6 em sua operação direta, R$ 683,1 em investimentos e despesas administrativas e R$ 140,8 em despesas com depreciação, beneficiando crianças, adolescentes e jovens, desta forma: Programa Preparação para o Trabalho R$ mil Projeto Som, Ritmo e Movimento R$ 1.024,20 mil Programa Crê-Ser R$ 1.274,90 mil Programa Primeiras Letras R$ 802 mil 14,5% 23,1% 18,8% 10% R$ 5.512,50 mil 18,6% 12,4% 2,6% Projetos Complementares R$ 550,50 mil Despesas Administrativas R$ 683,10 mil Despesas com Depreciação R$ 140,80 mil *O déficit na operação no valor de (R$ 284,40) foi suportado pelas reservas patrimoniais da organização

26 invista socialmente Acreditar na causa educação e seus efeitos transformadores na sociedade. Estes são os principais ingredientes para sua empresa e você contribuírem para o trabalho da Ação Comunitária. Conheça as diversas formas de parceria e contate a equipe de Relacionamento e Mobilização de Recursos. Para obter mais informações: LEIS DE INCENTIVO Rouanet (Lei 8313/91- de Incentivo à Cultura) Por meio da Lei Rouanet de incentivo à Cultura (Rouanet), empresas e pessoas físicas podem utilizar-se da renúncia fiscal, abatendo 100% do investimento social no imposto de renda. A cultura é tema intrínseco aos programas educacionais da Ação Comunitária. Ao apoiar os projetos culturais da Ação Comunitária, o patrocinador viabiliza as atividades de dança, musicalização, teatro e capoeira ao universo infanto-juvenil atendido nos programas socioeducacionais. Saiba mais sobre o projeto Som, Ritmo e Movimento no INVESTIMENTO SOCIAL DIRETO Projeto Empresa Cidadã Patrocine turmas dos programas socioeducativos Primeiras Letras, Cre-Ser e Preparação para o Trabalho, investindo socialmente na melhoria da qualidade educacional de crianças, adolescentes e jovens. Mais de 50 empresas e pessoas físicas integram a Rede Empresarial de Cidadania, recebendo relatórios SAMIS com os principais indicadores de evolução das turmas patrocinadas, assim como a prestação de contas do uso dos recursos financeiros nos programas. Seja mais um a integrar esta rede. Programa Turma de alunos Investimento mensal 2010 Custo por aluno Primeiras Letras 25 crianças, de 2 a 6 anos R$ R$ 61,82 Crê-Ser 28 crianças, de 6 a 14 anos R$ R$ 62,88 Preparação para o Trabalho 25 jovens, de 15 a 21 anos R$ R$ 150,02 Fundo Municipal da Criança e do Adolescente de São Paulo (Lei 8.069) O Fundo Municipal da Criança e do Adolescente é um importante recurso para o enriquecimento de ações nos programas socioeducativos da Ação Comunitária. Pessoas físicas e pessoas jurídicas podem utilizar-se do benefício da renúncia fiscal. Para empresas, a legislação permite a dedução às que apurem o imposto de renda com base no lucro real. O valor limite de dedução direta do imposto de renda devido é de 1%, aplicável sobre o valor devido à alíquota de 15%. As contribuições de pessoas físicas são consideradas deduções diretas do Imposto de Renda até o limite de 6% e devem ser feitas até o último dia útil do ano-calendário, sem nenhum ônus para o contribuinte. Saiba mais, entre em contato.

27 MARKETING RELACIONADO À CAUSA (Produtos e Serviços) A força da marca em benefício da educação Empresas podem criar mais valor social a seus produtos e serviços, fortalecendo a causa social que acreditam por meio da força de sua marca. As ações de marketing social vinculam a imagem do produto a uma causa, utilizando seus principais canais de venda, mobilizando consumidores e toda a sociedade em torno de uma causa social. Parte da receita da venda dos produtos e serviços é direcionada aos programas socioeducativos da Ação Comunitária. Saiba mais, contate a equipe de Relacionamento e Mobilização de Recursos. DATAS TEMÁTICAS & EVENTOS Em eventos e datas festivas, como a Páscoa, Natal, Dia da Criança, do Meio Ambiente e Dia do Voluntariado Mundial, a Ação Comunitária recebe doações que são direcionadas às crianças, adolescentes e jovens das comunidades. DOAÇÃO Por meio das doações de equipamentos, mobiliários, produtos e serviços, empresas e pessoas físicas contribuem para o sucesso da gestão de 41 organizações comunitárias conveniadas. Após a doação, os doadores recebem uma prestação de contas com informações do direcionamento e uso dos produtos pelas organizações. 27 COMÉRCIO SOLIDÁRIO Compra de Brindes e Cartões de Natal Ao escolher os cartões de Natal e brindes da Ação Comunitária, empresas presenteiam seus clientes com produtos exclusivos e de grande valor social. Com o conceito de comércio solidário, grandes fabricantes do segmento tornam-se parceiros da Ação Comunitária, produzindo brindes exclusivos, elaborados por meio da criação artística das crianças e jovens atendidos nos programas, além de contar com uma ampla linha de produtos de materiais recicláveis. Solicite um catálogo ou acesse PESSOA FÍSICA Torne-se um sócio regular Por meio de contribuições regulares mensais, trimestrais, semestrais ou anuais, pessoas físicas e jurídicas tornam-se parceiros mantenedores dos programas da Ação Comunitária, contribuindo com a qualidade educacional de crianças, adolescentes e jovens residentes de áreas de grande vulnerabilidade social. O valor doado é convertido em material pedagógico, alimentação e outros itens utilizados nas atividades e o sócio regular recebe anualmente a prestação de contas do uso dos recursos direcionados à Ação, por meio do relatório de atividades. Voluntariado A Ação Comunitária aceita a prestação de serviços de voluntários para suas áreas de gestão por meio da inclusão do currículo do voluntário em seu banco de currículos e, mediante à necessidade das organizações conveniadas, os voluntários são contatados para prestação de serviços nas comunidades.

28 conhecimento em eco publicações 2ª Edição do Livro Eficácia no Terceiro Setor Editora Saint Paul 28 CD Tchibum! Jornal Jovem F5 Matizes Uma experiência urbana de Arte Comunitária Inserções na Mídia Matérias jornalísticas 92 Mídia Impressa 14 Coletânea Som, Ritmo e Movimento Mídia Digital 72 Mídia Rádio e TV 5

29 VOLUNTARIADO CORPORATIVO Visitas às Empresas Cidadania Empresarial Palestras PESSOA FÍSICA Abbot Laboratórios do Brasil AT Kearney Consultoria de Gestão Empresarial Bloomberg do Brasil Drogasil M. Cassab Comércio e Indústria Pinheiro Neto Advogados Promon Engenharia Makro Atacadista TecBan Tecnologias Bancárias AT Kearney Tema: Profissões Universidades, Planejamento Financeiro (PPT) Abbott Tema: Doenças sexualmente transmissíveis (PPT) Bloomberg do Brasil Tema: Profissões Mercado de Trabalho, Planos e Metas (PPT) Drogasil Tema: Oportunidades no Mercado de Trabalho (PPT) Makro Tema: Oportunidades de trabalho, dicas de processo seletivo e entrevistas (PPT) Promon Tema: Profissões e Mercado de Trabalho (PPT) Tecban Tema: Processo seletivo, primeiro emprego e profissões (PPT) Simulados do Processo Seletivo Doações M. Cassab Pinheiro Neto Advogados Value Partners Visitas a Teatros M. Cassab (Teatro Centro Cultural Jacob peça: O Cravo e a Rosa para os educandos do Programa Crê-Ser, da Cidade Júlia) Visitas a Museus Ambev Kit de Natal às crianças dos Programas PL e CS na comunidade Boa Sorte Brindes Tip Agendas Cia. Ultragaz S/A Doação de alimentos do Natal para as organizações parceiras Laboratórios Pfizer Equipamentos de informática Procter&Gamble Computadores Marco Antônio Sá Prestação de Serviços de Fotografia Pellegrino Roberto Kakazu Prestação de Serviços de Fotografia Santher Papel higiênico, guardanapo e papel toalha Sarrat & Associados Prestação de Serviços em Advogacia 29 Magliano Corretora S/A (Museu do Futebol Visita dos educandos do Programa Crê-Ser do VillaRegia) Hedging-Griffo Doação de mobiliário Kit Higiene Pinheiro Neto Advogados Spicy Talheres Idas ao cinema Cia. Ultragaz S/A (Ginásio do Ibirapuera - Ultragaz Cultural Sessões de Cinema aos educandos do Crê-Ser e PPT das comunidades Seara Bendita, Rita Cavenaghi e CCA) Intel 30 horas de curso Projeto Intel Aprender Kimberly-Clark Produtos de Higiene Ovos de Páscoa Festa do Dia das Crianças Razzo Sabonetes Symantec Licenças de antivírus Sociedade Brasileira de Cultura Inglesa Bolsa integral curso de idiomas

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

PROGRAMA RADIOFÔNICO INFANTIL

PROGRAMA RADIOFÔNICO INFANTIL PROGRAMA RADIOFÔNICO INFANTIL A FORMAÇÃO DO LEITOR E O PROTAGONISMO INFANTO-JUVENIL ATRAVÉS DO RÁDIO Área de implantação: Rádio comunidade Friburgo 104,9FM Responsável: Fernanda de Azevedo milanez Telefone:

Leia mais

PROPOSTA DE INVESTIMENTO SOCIAL. Lei Federal de Incentivo ao Esporte FUNDAÇÃO GOL DE LETRA INSTITUTO EQUIPAV

PROPOSTA DE INVESTIMENTO SOCIAL. Lei Federal de Incentivo ao Esporte FUNDAÇÃO GOL DE LETRA INSTITUTO EQUIPAV 1 PROPOSTA DE INVESTIMENTO SOCIAL Lei Federal de Incentivo ao Esporte FUNDAÇÃO GOL DE LETRA & INSTITUTO EQUIPAV e 1 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL A Fundação Gol de Letra é uma organização sem fins lucrativos,

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE TELEMARKETING ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo

Leia mais

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 INTRODUÇÃO A Fundação Tide Setubal nasce em 2005 para ressignificar e inovar o trabalho pioneiro

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

Política Municipal para o Desenvolvimento Integral da Primeira Infância na Cidade de São Paulo

Política Municipal para o Desenvolvimento Integral da Primeira Infância na Cidade de São Paulo VIVER A CIDADE QUE A GENTE AMA. FAZER A SÃO PAULO QUE A GENTE QUER. Política Municipal para o Desenvolvimento Integral da Primeira Infância na Cidade de São Paulo A importância da primeira infância O desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

Informações gerais Colégio Decisão

Informações gerais Colégio Decisão 1 Informações gerais Colégio Decisão 2 Carta da Diretora Colégio Decisão Venha, que estamos de portas abertas para você. Carta da Direção Prezados país e responsáveis, A Organização de uma escola pede

Leia mais

20 Anos de Tradição Carinho, Amor e Educação.

20 Anos de Tradição Carinho, Amor e Educação. Colégio Tutto Amore Colégio Sapience Carinho, Amor e Educação. Trabalhamos com meio-período e integral em todos os níveis de ensino. www.tuttoamore.com.br Nossa História No ano de 1993 deu-se o ponto de

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ASSISTENTE SOCIAL NOS PROJETOS SOCIAIS E NA EDUCAÇÃO - UMA BREVE ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO PROJETO DEGRAUS CRIANÇA

A IMPORTÂNCIA DO ASSISTENTE SOCIAL NOS PROJETOS SOCIAIS E NA EDUCAÇÃO - UMA BREVE ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO PROJETO DEGRAUS CRIANÇA A IMPORTÂNCIA DO ASSISTENTE SOCIAL NOS PROJETOS SOCIAIS E NA EDUCAÇÃO - UMA BREVE ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO PROJETO DEGRAUS CRIANÇA Tamara Nomura NOZAWA 1 Telma Lúcia Aglio GARCIA 2 Edmárcia Fidelis ROCHA

Leia mais

4h diárias - 16 meses

4h diárias - 16 meses 4h diárias - 16 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM RECEPCIONISTA ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral: 4 -

Leia mais

ESTATUDO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ESTATUDO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ESTATUDO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (*) ANGELA GUADAGNIN A sociedade de forma organizada conquistou na constituição que os direitos das crianças e adolescentes fossem um dever a ser implantado e respeitado

Leia mais

1. Dados da Organização

1. Dados da Organização 1. Dados da Organização Nome: Obra Social da Paróquia São Mateus Apóstolo Presidente: Raquel Morgante Lima. Vice Presidente: José Porfírio Sobrinho CNPJ - 43.623.693/0001-81 Endereço: Rua Antonio Previato,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 GABINETE DO PREFEITO LEI Nº. 277/2007. CEP: 5.50-000 Institui o Programa Casa da Família e dá outras providências. A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Pilões, sanciono e promulgo a seguinte lei: Art.

Leia mais

METAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

METAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL METAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Meta 01. Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de 04 a 5 anos de idade e ampliar, a oferta de educação infantil em creches de forma a atender a 50% da população

Leia mais

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE Stella Maris Pissaia 1 Giseli Dionize Bobato 2 RESUMO: Neste resumo apresentamos uma descrição compreensiva das experiências vivenciadas a partir do contato teórico durante

Leia mais

Apresentação socioassistenciais. 18 Programa Primeiras Letras. 20 Programa Crê-Ser. 26 Projeto Restaurante Escola. 28 Programa Cultura e Lazer

Apresentação socioassistenciais. 18 Programa Primeiras Letras. 20 Programa Crê-Ser. 26 Projeto Restaurante Escola. 28 Programa Cultura e Lazer Atividades Sociais Relatório 2011 Índice 04 16 34 42 Apresentação programas socioassistenciais Programas complementares sustentabilidade e resultados 04 Carta do Presidente 18 Programa Primeiras Letras

Leia mais

1. Garantir a educação de qualidade

1. Garantir a educação de qualidade 1 Histórico O Pacto pela Juventude é uma proposição das organizações da sociedade civil, que compõem o Conselho Nacional de Juventude, para que os governos federal, estaduais e municipais se comprometam

Leia mais

Projeto educacional para empresas turbinarem a leitura na vida de muitas crianças!

Projeto educacional para empresas turbinarem a leitura na vida de muitas crianças! Projeto educacional para empresas turbinarem a leitura na vida de muitas crianças! Incentivo à leitura com o objetivo de formar cidadãos capazes de mudar o mundo. O que é o projeto Oferecemos uma solução

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PARATY INSTITUTO C&A DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CASA AZUL

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PARATY INSTITUTO C&A DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CASA AZUL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PARATY INSTITUTO C&A DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CASA AZUL EDITAL CONCURSO ESCOLA DE LEITORES PARATY - RJ 2009/2010 OBJETO: Seleção de projetos para o Concurso

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Resumo Gisele Gomes Avelar Bernardes- UEG 1 Compreendendo que a educação é o ponto chave

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ATO DE AMOR E AFETIVIDADE

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ATO DE AMOR E AFETIVIDADE EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ATO DE AMOR E AFETIVIDADE Vera Lucia Conrado de Oliveira¹; Maria Zildaneide Gonzaga²; Elda Cristiane de Souza Lima³ ESCOLA SENADOR PAULO GUERRA/CABROBÓ-PE lucinhaconrado.77@gmail.com;

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Conversando sobre a REALIDADE social do BRASIL Propostas Educação Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Partido da Social Democracia Brasileira Presidente: Senador Aécio Neves Instituto Teotônio Vilela Presidente: José

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2009 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2009 Transição de marca O Centro de Ação Voluntária de Curitiba completou 10 anos em março de 2008 e depois de ver consolidada uma etapa de vida da organização, iniciou um processo

Leia mais

Tipo OCA. Subação. 1-Ações de Infraestrutura da Gestão Superior NEX. 2-Participação da Fundação em Eventos Locais, Nacionais e Internacionais NEX

Tipo OCA. Subação. 1-Ações de Infraestrutura da Gestão Superior NEX. 2-Participação da Fundação em Eventos Locais, Nacionais e Internacionais NEX Relatório do Criança e Adolescente ( ) Página 1 de 42 EIXO: ACESSO À EDUCAÇÃO DE QUALIDADE SUB-EIXO: CULTURA (b) (c) 13-Cultura 122-Administração Geral 146-Gestão da Política Cultural 2338-Gestão Superior

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santos

Prefeitura Municipal de Santos Prefeitura Municipal de Santos Estância Balneária SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO Seção de Suplência/ SESUPLE Parceiros do Saber Projeto de alfabetização de Jovens e Adultos Justificativa

Leia mais

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE Martyhellen Maria Monteiro da Silva - Acadêmica do 8º período do Curso de Pedagogia-UVA, Bolsista do PIBID/UVA-Pedagogia

Leia mais

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL Larissa dos Santos Gomes Resumo O presente artigo refere-se ao trabalho de conclusão

Leia mais

2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES

2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, desenvolvimento da comunidade e formação de jovens fazem parte da história do Instituto.

Leia mais

HUMANAS. Página na web: www.fea.ufjf.br CIÊNCIAS ECONÔMICAS. Apresentação:

HUMANAS. Página na web: www.fea.ufjf.br CIÊNCIAS ECONÔMICAS. Apresentação: HUMANAS ADMINISTRAÇÃO Os alunos de Administração da UFJF graduam-se na modalidade Bacharelado e podem escolher entre as opções de especialização: Administração de Empresas e Administração Pública. O curso

Leia mais

Voluntariado Empresarial

Voluntariado Empresarial Voluntariado Empresarial Agenda 09:00-09:10 Abertura e Introdução ao tema Voluntariado Empresarial 09:10 09:30 Jogo de Palavras conceito trabalho em grupos 09:30 10:15 Apresentação dos grupos e síntese

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.375, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.375, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.375, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2013 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

Maiêutica - Serviço Social

Maiêutica - Serviço Social A CIDADANIA NO PROCESSO DE EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES INTEGRADOS NO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL PETI: ABORDANDO A COOPERAÇÃO, RESPEITO, DIÁLOGO E SOLIDARIEDADE NA CONVIVÊNCIA

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANO SETORIAL DO LIVRO E LEITURA

PLANO ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANO SETORIAL DO LIVRO E LEITURA PLANO ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANO SETORIAL DO LIVRO E LEITURA Introdução O Plano Setorial da Superintendência da Leitura e do Conhecimento do Estado do Rio de Janeiro é fruto

Leia mais

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR Robson Rogaciano Fernandes da Silva (Mestrando-Universidade Federal de Campina Grande) Ailanti de Melo Costa Lima (Graduanda-Universidade Estadual

Leia mais

CULTURA OBJETIVOS E METAS

CULTURA OBJETIVOS E METAS CULTURA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração das políticas públicas na área de cultura com a participação de mais entidades e partidos políticos, via projetos e via mobilização

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Sheila Valéria Pereira da Silva (UFPB Campus-IV) sheilavaleria88@yahoo.com.br

Leia mais

Aprender para além dos muros escolares

Aprender para além dos muros escolares Aprender para além dos muros escolares Aline Verardo Corrêa e Simone de Oliveira Emer 1 Resumo O presente artigo quer de forma fiel e sucinta apresentar esboços de sonhos e realidades sobre a educação

Leia mais

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio ODM: Responsabilidade Social, Cidadania e Solidariedade

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio ODM: Responsabilidade Social, Cidadania e Solidariedade Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio ODM: Responsabilidade Social, Cidadania e Solidariedade NÓS, VOCÊ, VOCÊS, EU,...SOMOS SERES VIVOS Colaboração COLABORAÇÃO Domínio das condutas relacionais,

Leia mais

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR Este projeto visa investir na melhoria da infraestrutura escolar, por meio de construção, ampliação e reforma, bem como dotá-las com equipamentos e mobiliários

Leia mais

RELATÓRIO de ATIVIDADES

RELATÓRIO de ATIVIDADES RELATÓRIO de ATIVIDADES 2005 SUMÁRIO Declaração da Equipe Missão Visão 1. Objetivo do relatório 2. Modelo Operacional em 2005 Captação de recursos Atividades Geradoras de Recursos Financeiros (Fund Raising)

Leia mais

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional Fundação ArcelorMittal ArcelorMittal Maior produtora de aço do mundo com mais de 222.000 empregados

Leia mais

MANUAL DE INSCRIÇÕES. Ministério da Cultura, Fundação Abrinq, Novelis do Brasil, Reckitt Benckiser e Consigaz apresentam

MANUAL DE INSCRIÇÕES. Ministério da Cultura, Fundação Abrinq, Novelis do Brasil, Reckitt Benckiser e Consigaz apresentam Ministério da Cultura, Fundação Abrinq, Novelis do Brasil, Reckitt Benckiser e Consigaz apresentam Orquestra e Fundação Abrinq III MANUAL DE INSCRIÇÕES Patrocínio Realização A Fundação Abrinq Criada em

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 "AGENTES DA ALEGRIA"

Mostra de Projetos 2011 AGENTES DA ALEGRIA Mostra de Projetos 2011 "AGENTES DA ALEGRIA" Mostra Local de: Guarapuava Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Fundação Proteger Cidade: Guarapuava Contato: (42) 3623-6417

Leia mais

CARTA ABERTA EM DEFESA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA

CARTA ABERTA EM DEFESA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA CARTA ABERTA EM DEFESA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA O Fórum das universidades públicas participantes do PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA vem, por meio desta, defender

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2007

PLANO DE TRABALHO 2007 PLANO DE TRABALHO 2007 1. INTRODUÇÃO A Fundação Stickel por decisão de seu Conselho Curador e em conformidade à sua atualização estatutária, iniciou em 2004 o redirecionamento e focalização de sua atuação.

Leia mais

FASCÍCULO INTRODUTÓRIO PROGRAMA ELEITOR DO FUTURO FORMAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO POLÍTICA

FASCÍCULO INTRODUTÓRIO PROGRAMA ELEITOR DO FUTURO FORMAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO POLÍTICA FASCÍCULO INTRODUTÓRIO PROGRAMA ELEITOR DO FUTURO FORMAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO POLÍTICA Introdução A Escola e outros espaços educativos, como ONGs, movimentos sociais, pastorais e sindicatos vêm, através de

Leia mais

Projeto Copa Gothia. Festa de abertura da Copa Gothia Estádio Ullevi Gotemburgo, Suécia.

Projeto Copa Gothia. Festa de abertura da Copa Gothia Estádio Ullevi Gotemburgo, Suécia. Projeto Copa Gothia A Copa Gothia é realizada anualmente em Gotemburgo, Suécia, onde foi criada em 1975. Em mais de três décadas, o evento já recebeu 840 mil jovens de 133 países diferentes. Mesmo não

Leia mais

Projeto Leitura Viva na Vila Rubi Realizado pela Biblioteca do Centro Educacional Unificado CEU Vila Rubi

Projeto Leitura Viva na Vila Rubi Realizado pela Biblioteca do Centro Educacional Unificado CEU Vila Rubi 50 Relato de experiência Projeto Leitura Viva na Vila Rubi Realizado pela Biblioteca do Centro Educacional Unificado CEU Vila Rubi Anselina Oliveira Soares Coordenadora da Biblioteca - Biblioteca CEU Vila

Leia mais

RELATÓRIO 2012 REALIZAÇÃO:

RELATÓRIO 2012 REALIZAÇÃO: RELATÓRIO 2012 REALIZAÇÃO: Durante os últimos 4 meses de 2012, nós tivemos o prazer de conduzir o projeto Cidadão do Futuro nas comunidades de Antônio Pereira (Ouro Preto/MG), Condados (Guarapari/ES),

Leia mais

Ao longo deste 2 semestre, a turma dos 1 anos vivenciaram novas experiências e aprendizados que contemplaram suas primeiras conquistas do semestre

Ao longo deste 2 semestre, a turma dos 1 anos vivenciaram novas experiências e aprendizados que contemplaram suas primeiras conquistas do semestre Ao longo deste 2 semestre, a turma dos 1 anos vivenciaram novas experiências e aprendizados que contemplaram suas primeiras conquistas do semestre anterior, dentro de contextos que buscavam enfatizar o

Leia mais

MANUAL DO CEPED CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS- CURSO DE PEDAGOGIA

MANUAL DO CEPED CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS- CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO CEPED CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS- CURSO DE PEDAGOGIA Professora Eliane Maria Freitas Monken (org) Belo Horizonte 2013 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 03 2 OBJETIVOS... 04 2.1 Objetivo

Leia mais

Novas Formas de Aprender e Empreender

Novas Formas de Aprender e Empreender Novas Formas de Aprender e Empreender DÚVIDAS FREQUENTES 1. Sobre o Prêmio Instituto Claro, Novas Formas de Aprender e Empreender 1.1. O que é o Prêmio? O Prêmio Instituto Claro Novas Formas de Aprender

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7 5. Propostas

Leia mais

PROPOSTA DE TRABALHO ENSINO MÉDIO 2010. Pais e Alunos

PROPOSTA DE TRABALHO ENSINO MÉDIO 2010. Pais e Alunos PROPOSTA DE TRABALHO ENSINO MÉDIO 2010 Pais e Alunos Proposta de Trabalho Ensino Médio 2010 A partir de 2010 o nosso projeto pedagógico do Ensino Médio estará ainda mais comprometido com a formação integral

Leia mais

PREFEITURA DE NOVA VENÉCIA-ES SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015.

PREFEITURA DE NOVA VENÉCIA-ES SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015. PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015. DISPÕE SOBRE O FUNCIONAMENTO E ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DAS UNIDADES DE ENSINO DA EDUCAÇÃO INFANTIL EM TEMPO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE NOVA VENÉCIA-ES

Leia mais

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS Daiana Rodrigues dos Santos Prado¹; Francine de Paulo Martins² Estudante do Curso de Pedagogia; e-mail:

Leia mais

ANEXO 1. Programas e Ações do Ministério da Educação - MEC. 1. Programas e Ações da Secretaria da Educação Básica SEB/2015

ANEXO 1. Programas e Ações do Ministério da Educação - MEC. 1. Programas e Ações da Secretaria da Educação Básica SEB/2015 ANEXO 1 Programas e Ações do Ministério da Educação - MEC 1. Programas e Ações da Secretaria da Educação Básica SEB/2015 Docência em Educação Infantil A oferta de curso integra a política nacional de formação

Leia mais

Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual:

Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual: Inclusão Social da Pessoa com Deficiência Intelectual: Educação Especial no Espaço da Escola Especial Trabalho, Emprego e Renda Autogestão, Autodefesa e Família APAE : INTEGRALIDADE DAS AÇÕES NO CICLO

Leia mais

ações de cidadania Atendimento direto ECE-SP recebe a comunidade com equipe qualificada e atividades orientadas Revista Linha Direta

ações de cidadania Atendimento direto ECE-SP recebe a comunidade com equipe qualificada e atividades orientadas Revista Linha Direta ações de cidadania Atendimento direto ECE-SP recebe a comunidade com equipe qualificada e atividades orientadas Valéria Araújo Quando crianças, adolescentes, jovens e familiares do distrito da Brasilândia

Leia mais

Planejamento estratégico 2016-2019

Planejamento estratégico 2016-2019 Planejamento estratégico 2016-2019 Fortalecer as instituições e a qualidade dos serviços públicos para fortalecer a democracia e a competitividade. www.agendapublica.org.br 2 GOVERNANÇA PARA UM FUTURO

Leia mais

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário: Ubiratan de Brito Fonseca e Mariana Oliveira marianap@mh1.com.

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário: Ubiratan de Brito Fonseca e Mariana Oliveira marianap@mh1.com. PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado Dados da empresa Razão Social: Instituto Amapaense de Línguas Ltda. Nome Fantasia: Instituto Amapaense de Línguas

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores VIVENCIANDO A PRÁTICA ESCOLAR DE MATEMÁTICA NA EJA Larissa De Jesus Cabral, Ana Paula Perovano

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FEATI

RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FEATI RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FEATI A responsabilidade social, para esta IES, representa um compromisso constante com o comportamento ético e consciente em favor da sociedade. Nesse sentido o ensino superior,

Leia mais

Projeto: Trocando Ideias com a Direção. 10º Prêmio SINEPE/RS de Destaque em Comunicação Categoria: Gestão de Comunicação e Relacionamento

Projeto: Trocando Ideias com a Direção. 10º Prêmio SINEPE/RS de Destaque em Comunicação Categoria: Gestão de Comunicação e Relacionamento Projeto: Trocando Ideias com a Direção 10º Prêmio SINEPE/RS de Destaque em Comunicação Categoria: Gestão de Comunicação e Relacionamento Apresentação da Instituição Educacional Em 26 de setembro de 1988,

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA

FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ARTE-EDUCAÇÃO 1. Nome do Curso e Área do Conhecimento Curso de Especialização Lato Sensu

Leia mais

RESOLUÇÃO CEB Nº 3, DE 26 DE JUNHO DE 1998

RESOLUÇÃO CEB Nº 3, DE 26 DE JUNHO DE 1998 RESOLUÇÃO CEB Nº 3, DE 26 DE JUNHO DE 1998 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio O Presidente da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação, de conformidade

Leia mais

ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DA INFANCIA E JUVENTUDE

ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DA INFANCIA E JUVENTUDE 1 1. TÍTULO: Programa de Estágio para Alunos do Ensino Médio nas Promotorias de Justiça do Ministério Público do Estado do Pará. 2. IDENTIFICAÇÃO Ministério Público do Estado do Pará, CNPJ 05054960/0001-58,

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina Universidade Estadual de Londrina Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Londrina 2010 1 Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Relatório final

Leia mais

RELATÓRIO FINAL ALFABETIZAÇÃO 2010

RELATÓRIO FINAL ALFABETIZAÇÃO 2010 RELATÓRIO FINAL ALFABETIZAÇÃO 2010 Débora Rana Introdução Participar da seleção do Prêmio Victor Civita, pela segunda vez, é uma experiência bastante interessante, pois permite estabelecer relações entre

Leia mais

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3;

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3; COMO ESTUDAR SE NÃO TENHO COM QUEM DEIXAR MEUS FILHOS? UM ESTUDO SOBRE AS SALAS DE ACOLHIMENTO DO PROJOVEM URBANO Rosilaine Gonçalves da Fonseca Ferreira UNIRIO Direcionado ao atendimento de parcela significativa

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA Avaliação Da Prática Docente A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA PRÁTICA DOCENTE Autora: Maria Peregrina de Fátima Rotta Furlanetti Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Estadual

Leia mais

A DINÂMICA DOS ATELIÊS DO CAIC/UEPG CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (PERÍODO INTEGRAL): PROJETO EM AÇÃO/REFLEXÃO/AÇÃO

A DINÂMICA DOS ATELIÊS DO CAIC/UEPG CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (PERÍODO INTEGRAL): PROJETO EM AÇÃO/REFLEXÃO/AÇÃO 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A DINÂMICA

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE RESOLUÇÃO 099/2014. Dispõe sobre o registro das entidades nãogovernamentais sem fins lucrativos que tenham por objetivo a assistência ao adolescente e à educação profissional e a inscrição de programas

Leia mais

Conhecendo O. História. Aprender com emoção, aprender para sempre. Nesta Edição:

Conhecendo O. História. Aprender com emoção, aprender para sempre. Nesta Edição: Página 1 Conhecendo O Nesta Edição: História 1 Corpo Docente Visita à Sabesp 2 Visita à Prefeitura Feira de Ciências 3 Festa Junina Festa do dia das mães 4 Visita ao Lar Irmã Julia Visita ao Viveiro Projeto

Leia mais

GARANTIR ÀS NOSSAS CRIANÇAS MARANHENSES O DIREITO DE APRENDER IMPLICA TRABALHAR PARA UMA POLITICA DE GESTAO EFICAZ

GARANTIR ÀS NOSSAS CRIANÇAS MARANHENSES O DIREITO DE APRENDER IMPLICA TRABALHAR PARA UMA POLITICA DE GESTAO EFICAZ Experiências de Gestão: Educação e Direitos Humanos GARANTIR ÀS NOSSAS CRIANÇAS MARANHENSES O DIREITO DE APRENDER IMPLICA TRABALHAR PARA UMA POLITICA DE GESTAO EFICAZ Ana Karolina Salomão Estado do Maranhão

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

REALIZAÇÃO: PARCEIROS: APOIO:

REALIZAÇÃO: PARCEIROS: APOIO: REALIZAÇÃO: PARCEIROS: APOIO: PROJETO VIVA A SOLIDARIEDADE! 1. Dados de identificação do projeto 1.1 Título do projeto: Viva a Solidariedade! 1.2 Nome da entidade proponente: Conferência dos Religiosos

Leia mais

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013 META NACIONAL 11 - Educação Profissional- Triplicar as matrículas da Educação Profissional Técnica de nível médio, assegurando a qualidade da oferta e pelo menos 50% da expansão no segmento público. Contexto

Leia mais

EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL

EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL PROPOSTAS PRIORITÁRIAS EIXO1: PRODUÇÃO SIMBÓLICA E DIVERSIDADE CULTURAL SUB EIXO 1.1 - Produção de Arte e Bens Simbólicos - Implementar políticas de intercâmbio em nível regional, nacional e internacional,

Leia mais

Minha Casa Minha Vida PROJETO DE TRABALHO SOCIAL-PTS RELATÓRIO DAS AÇÕES DO PTS NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA AGOSTO-2015

Minha Casa Minha Vida PROJETO DE TRABALHO SOCIAL-PTS RELATÓRIO DAS AÇÕES DO PTS NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA AGOSTO-2015 Minha Casa Minha Vida PROJETO DE TRABALHO SOCIAL-PTS RELATÓRIO DAS AÇÕES DO PTS NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA AGOSTO-2015 SENHOR DO BONFIM - BAHIA 2015 1 ATIVIDADES: DESCRIÇÃO A correta utilização

Leia mais

POSSIBILIDADE DE ACESSO A EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DO PROGRAMA MULHERES MIL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

POSSIBILIDADE DE ACESSO A EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DO PROGRAMA MULHERES MIL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA POSSIBILIDADE DE ACESSO A EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DO PROGRAMA MULHERES MIL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Albertina Marília Alves Guedes¹ Elisa Angélica Alves Guedes² Maria Nizete de Menezes Gomes

Leia mais

Projeto: PEQUENOS OLHARES, GRANDES CAMINHOS

Projeto: PEQUENOS OLHARES, GRANDES CAMINHOS Projeto: PEQUENOS OLHARES, GRANDES CAMINHOS FLORIANÓPOLIS, 2014 1 Identificação: Nome: AEBAS ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Início das Atividades: 1955 CNPJ: 83.932.608/0001-81

Leia mais

PROJETO CIRANDA DAS ARTES

PROJETO CIRANDA DAS ARTES Prefeitura Municipal de Petrópolis Conselho Municipal de Cultura Fundação de Cultura e Turismo PROJETO CIRANDA DAS ARTES APRESENTAÇÃO A arte é uma forma de expressão produzida pelo homem para manifestar

Leia mais

Avaliação-Pibid-Metas

Avaliação-Pibid-Metas Bolsista ID: Claines kremer Avaliação-Pibid-Metas A Inserção Este ano o reingresso na escola foi diferente, pois já estávamos inseridas na mesma há praticamente um ano. Fomos bem recepcionadas por toda

Leia mais

Programa de Formação Cultural Fundo para a Infância e Adolescência

Programa de Formação Cultural Fundo para a Infância e Adolescência Programa de Formação Cultural Fundo para a Infância e Adolescência FIA - Fundo para a Infância e Adolescência O que é? É um instrumento legal, que permite à sociedade ajudar as crianças e adolescentes

Leia mais

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO. 01. Especialização Técnica de Nível Médio em Contabilidade Financeira

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO. 01. Especialização Técnica de Nível Médio em Contabilidade Financeira Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 07 de agosto de 2006 Número do Plano: 94 Área do Plano: Gestão Plano de Curso para: 01. Especialização

Leia mais

Pesquisa. A participação dos pais na Educação de seus filhos

Pesquisa. A participação dos pais na Educação de seus filhos Pesquisa A participação dos pais na Educação de seus filhos 1 Objetivos do movimento Todos Pela Educação Ampliar os conhecimentos do Todos Pela Educação, da Fundação SM, de nossos parceiros e da sociedade

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

Caracterização da Escola

Caracterização da Escola 28 O CORDEL DOS TIRADENTES Flávia Helena Pontes Carneiro* helena.flavia@gmail.com *Graduada em Pedagogia, Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Professora

Leia mais

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PIRACICABA Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS

Leia mais

3.1 Ampliar o número de escolas de Ensino Médio de forma a atender a demanda dos bairros.

3.1 Ampliar o número de escolas de Ensino Médio de forma a atender a demanda dos bairros. Meta 1 - Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de quatro e cinco anos, e ampliar, até 2025, a oferta de Educação Infantil de forma a atender a 50% da população de até 3 anos. Estratégias:

Leia mais

LETRA VIVA. Informe. VISÃO: Ser referência no estado de Mato Grosso em cuidar e educar crianças da Educação Infantil e Ensino Fundamental I.

LETRA VIVA. Informe. VISÃO: Ser referência no estado de Mato Grosso em cuidar e educar crianças da Educação Infantil e Ensino Fundamental I. Ed. 01 Ano 01 Janeiro 2016 Atuando no "Cuidar e Educar" há 19 anos, a ESCOLA e a LETRA VIVA BABY oferecem diversas vantagens para quem quiser fazer parte do seu time, eis algumas: Espaço físico cuidado

Leia mais

CONCERTOS BANRISUL PARA JUVENTUDE

CONCERTOS BANRISUL PARA JUVENTUDE APRESENTAÇÃO O Banrisul é agente viabilizador de iniciativas comunitárias, valorizando e apoiando atitudes que impactam sobre a qualidade de vida da comunidade gaúcha. Confirmando o seu compromisso histórico

Leia mais

Orientações Curriculares Nacionais para a Educação Infantil

Orientações Curriculares Nacionais para a Educação Infantil Orientações Curriculares Nacionais para a Educação Infantil Secretaria de Educação Básica Ministério da Educação Processo de revisão DCNEI Encontros Nacionais Reuniões Seminários Audiências Parcerias Perspectivas

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais