BANDES BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S.A CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BANDES BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S.A CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014"

Transcrição

1 BANDES BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S.A CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 Técnico Bancário Engenharia da Computação, Ciência da Computação ou Sistemas de Informação MANHÃ

2 CARGO: TÉCNICO BANCÁRIO ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO, CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO OU SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Texto O convescote dos inconfiáveis O grande convescote da elite global começa amanhã em Davos, com uma péssima notícia para esse público, em especial para os governantes: a maioria da sociedade (56%) não confia nos governos. Mas, atenção, tampouco tem grande confiança nas corporações, justamente as que sustentam o Fórum Econômico Mundial. São dados do Barômetro Elderman de Confiança, pesquisa feita anualmente e que desta vez ouviu 33 mil pessoas em 27 países, Brasil inclusive. Por falar em Brasil, o governo até que se sai bem: 57% confiam nele, dois pontos acima de O dado mais chocante para o empresariado é o fato de que, embora o nível geral de confiança no business permaneça firme em 58%, a pesquisa mostrou que dos oito grupos de cidadãos monitorados, só funcionários governamentais são menos confiáveis que os CEOs (executivos-chefes), a palavra que mais se ouve em Davos. Ganham as pessoas comuns, especialmente os acadêmicos, seguidos pelos peritos técnicos e por empregados normais. Talvez ainda mais chocante seja o fato de que, em muitos países, em situação de crise, os pesquisados preferem a informação de um empregado em vez da de um CEO. Na Espanha, por exemplo, o placar é de 41% a 13% em favor dos mortais comuns contra os big bosses. Mesmo nos EUA, em que o sucesso se mede geralmente pela ascensão na carreira, há um virtual empate entre os que preferem informações dos executivos (31%) e o que recorreriam, na crise, a um empregado (29%). Não são dados que me surpreendam. Frequentador de Davos há 22 anos, fui testemunha ocular do tratamento que os CEOs (e o próprio Fórum) davam a Nouriel Roubini, tido como o único mago capaz de ter previsto a grande crise de 2008/09. Até a eclosão da crise, ele era o profeta do apocalipse, ano após ano, mas ninguém lhe dava bola. Ficava no mesmo hotel que um mero jornalista de país emergente (eu), um três estrelas familiar. No café da manhã, Roubini estava sempre só, lendo seu Financial Times. O que concluir dessas cenas? Que os executivos não tinham a mais leve noção de que Roubini poderia estar certo. Depois que caiu o raio em um céu que a elite via azul, Roubini mudou de hotel e sua agenda ficou sobrecarregada. Passou a ser tratado como adivinho, coisa que não é, mesmo porque em economia é impossível adivinhar. Por falar nisso, em Davos como em outras plateias, os últimos anos foram marcados pela sensação de que a ascensão dos emergentes era imparável. Neste ano, o humor está mudando, como constata Ruchir Sharma, chefe de mercados emergentes e de macroeconomia global da Morgan Stanley: no meio da década passada, a taxa média de crescimento dos mercados emergentes bateu em 7% ao ano pela primeira vez na história e levou os que fazem previsões a bombar as implicações. Acontece que, em 2013, o crescimento médio caiu de volta para 4%. Só falta agora acreditar que essa queda é para sempre e que a moda dos emergentes acabou. Será ou apenas entrou no modo pausa? A ver. (Clóvis Rossi. Disponível em: 01 O principal objetivo do texto é A) relatar a falácia da ascensão econômica dos países emergentes, prevista no Fórum. B) discutir a incapacidade do Fórum Econômico Mundial de debater temas mundialmente relevantes. C) descrever os percentuais de confiabilidade das pessoas nos governantes e líderes do setor empresarial. D) explicar quem são as pessoas que integram o Fórum Econômico Mundial, que acontece em Davos, na Suíça. E) argumentar em favor da tese de que os participantes do Fórum Econômico Mundial não gozam de grande credibilidade. 02 De acordo com o texto, é INCORRETO afirmar que A) o crescimento econômico dos países emergentes se tratava de uma grande falácia. B) surpreende o fato de os cidadãos comuns terem maior credibilidade do que os grandes executivos. C) o governo brasileiro é uma exceção, dentre os demais, no que diz respeito à confiança de seus cidadãos. D) os membros de governos são as pessoas com menor credibilidade dentre os grupos de cidadãos monitorados. E) na Espanha, há a diferença mais discrepante entre aqueles que dão maior credibilidade às pessoas comuns em relação àqueles que confiam primariamente nos CEOs

3 03 O termo convescote não é dos mais frequentes na Língua Portuguesa, no entanto, não dominar plenamente o sentido desse termo não impede o entendimento do texto, uma vez que é possível apreendê-lo através da forma como se articula no texto. Considerando esse aspecto, assinale a alternativa cujo conteúdo remete à ideia que essa palavra assume no texto. A) Fraude. B) Afluência. C) Apartação. D) Divergência. E) Picaretagem. 04 Analisando o trecho... os pesquisados preferem a informação de um empregado em vez da de um CEO. (6º ), é correto afirmar que houve A) elipse. B) silepse. C) anacoluto. D) hipérbato. E) pleonasmo. 05 A palavra imparável, presente no trecho Por falar nisso, em Davos como em outras plateias, os últimos anos foram marcados pela sensação de que a ascensão dos emergentes era imparável. (11º ), é formada por qual(is) processo(s) morfológico(s)? A) Derivação sufixal, apenas. D) Composição por aglutinação. B) Derivação prefixal, apenas. E) Composição por justaposição. C) Derivação sufixal e prefixal. 06 Analise o trecho a seguir: Só falta agora acreditar que essa queda é para sempre e que a moda dos emergentes acabou (13º ). Assinale a alternativa que apresenta a classificação correta das orações destacadas. A) Oração subordinada adverbial causal. D) Oração subordinada substantiva predicativa. B) Oração subordinada substantiva subjetiva. E) Oração subordinada substantiva objetiva direta. C) Oração subordinada adverbial consecutiva. 07 Dos períodos exibidos a seguir, assinale aquele que NÃO apresenta uma ou mais palavras com problemas de ortografia e/ou acentuação. A) A cerca de três anos não como glúten. B) O humus é um excelente fertilizante para agricultura. C) Precisamos ter censo para tomarmos decisões importantes. D) Não sei o porquê de tanta rigidez com crianças tão pequenas. E) As roupas que estavam no varal ficaram enxarcadas depois da tempestade. 08 Assinale a alternativa em que a frase apresenta problema na aplicação do acento indicativo de crase. A) Corta-se cabelo à Neymar. B) Vou à Florianópolis semana que vem. C) Andamos à toa sempre que podemos. D) Informei àquela senhora que as inscrições já haviam terminado. E) Nas cidades pequenas, as pessoas sentam-se à porta ao anoitecer. MATEMÁTICA 09 Em 13 de agosto de 2013, Pedro pegou emprestada a quantia de R$ ,00, das mãos de Paulo, à taxa composta de 5% ao mês. Em 13 de novembro do mesmo ano, Pedro pagou a Paulo a quantia de R$ ,00. O valor que Pedro desembolsou, em 13 de dezembro de 2013, para liquidar sua dívida junto a Paulo, foi de A) R$ ,75. B) R$ ,00. C) R$ ,25. D) R$ ,00. E) R$ , João aplicou R$ ,00 e, após determinado período, recebeu R$ ,00. Assinale o seu ganho real, em termos percentuais, sabendo-se que a inflação do período foi de 10%. A) 17,17%. B) 18,18%. C) 20,80%. D) 40,16%. E) 43,15%

4 11 Um determinado projeto prevê investimento inicial de R$ ,00 e entradas de R$ ,00 após um ano, R$ ,00 após dois anos e R$ ,00 após 3 anos. Os tempos de 1 ano, 2 anos e 3 anos são contados a partir da data do investimento de R$ ,00. Considerando a capitalização anual, a Taxa Interna de Retorno (TIR) desse projeto é A) 2% a.a. B) 3% a.a. C) 5% a.a. D) 8% a.a. E) 10% a.a. 12 O número de capitalizações para um capital quadruplicar se aplicado à taxa de 18% ao ano, capitalizado mensalmente, é dado pela expressão log1,5 log4 log4 log1,015 log1,15 A) n=. B) n=. C) n=. D) n=. E) n=. log4 log1,015 log1,5 log4 log4 13 Pedro viajou com sua família para a praia à velocidade média de 50 km/h e gastou 12 horas de efetiva direção, ou seja, descontando as paradas para lanche, abastecimento e outros. Se Pedro tivesse desenvolvido a velocidade média de 80 km/h, nas mesmas condições, desconsiderando as paradas para lanche, abastecimento e outros, gastaria A) 7 horas. D) 7 horas e 40 minutos. B) 7 horas e 20 minutos. E) 7 horas e 50 minutos. C) 7 horas e 30 minutos. 14 Um apartamento, no valor de R$ ,00, é adquirido com entrada de 20% de seu valor e restante financiado em vinte anos, com prestações mensais e consecutivas, à taxa nominal de 12% ao ano pelo Sistema de Amortização Constante (SAC). O valor da centésima primeira prestação será de A) R$ 2.390,00. B) R$ 2.400,00. C) R$ 2.720,00. D) R$ 2.990,00. E) R$ 3.000, A taxa de juros bimestral proporcional a 48% ao ano é A) 4%. B) 6%. C) 8%. D) 9%. E) 10%. 16 Um veículo zero quilômetro é vendido à vista por R$ ,00. Um cliente oferece como entrada seu veículo usado, que foi prontamente aceito pela concessionária pelo valor de R$ ,00. O valor restante, ou seja, R$ ,00, foi financiado à taxa de 24% ao ano, em dez prestações mensais, segundo a Tabela Price. Considerando que (1 + 0,02) 10 0,82, o saldo devedor desse financiamento, imediatamente após o pagamento da terceira prestação, desconsiderando-se os centavos, é de A) R$ ,00. B) R$ ,00. C) R$ ,00. D) R$ ,00. E) R$ ,00. CONHECIMENTOS DE INFORMÁTICA 17 Marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) Hardware é a parte física do computador. Exemplos: monitor, processador e firmware. ( ) Software é a parte lógica do computador. Exemplos: editores de texto, planilhas eletrônicas e sistemas operacionais. ( ) O teclado, o mouse e o scanner são considerados periféricos de entrada em um computador. ( ) O monitor, a impressora e o modem são periféricos somente de saída em um computador. ( ) Os dispositivos de entrada e saída são aqueles capazes de fornecer dados ao usuário e ao sistema no mesmo hardware. Exemplos: pendrive e monitor TouchScreen. A) F, F, V, V, F. B) F, V, V, F, V. C) F, V, V, V, F. D) V, V, F, F, F. E) V, F, V, V, F

5 18 Considere as seguintes afirmativas sobre os procedimentos a serem executados no Sistema Operacional Microsoft Windows 7 (configuração padrão). I. Para criar uma nova pasta na área de trabalho, é necessário clicar com o botão direito do mouse, apontar para Novo e, em seguida, clicar na opção Novo Diretório. II. Para renomear um arquivo, é necessário clicar com o botão direito do mouse no arquivo a ser renomeado e clicar na opção Alterar Nome do Arquivo. III. Para excluir um arquivo é necessário clicar com o botão direito do mouse no arquivo e clicar em Excluir. Está(ão) correta(s) apenas a(s) afirmativa(s) A) I. B) II. C) III. D) I e II. E) II e III. 19 Considere a imagem a seguir extraída de um diretório do Sistema Operacional Microsoft Windows 7 (configuração padrão). Para criar um atalho da pasta Paraguai e Cataratas na área de trabalho, o usuário deverá clicar com o botão direito do mouse sobre esta pasta, A) apontar para Ferramentas e clicar em Criar Atalho na área de trabalho. B) apontar para Ferramentas e clicar em Enviar Atalho na área de trabalho. C) clicar em Criar Atalho. Após a criação do atalho, basta arrastá-lo para a área de trabalho. D) clicar em Gerar Atalho. Após a criação do atalho, basta arrastá-lo para a área de trabalho. E) apontar para Ferramentas e clicar em Gerar Atalho. Após a criação do atalho, basta arrastá-lo para a área de trabalho. 20 Considere o fragmento de texto produzido com a ferramenta Microsoft Office Word 2003 (configuração padrão). A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou nesta quinta-feira (16) que autorizou pedidos de novos voos em 25 aeroportos do país no período da Copa do Mundo, entre 6 de junho e 20 de julho, uma semana antes e uma semana depois da competição. Para realçar o texto anterior, deve-se clicar, na barra de ferramentas Formatação, em A) Pincel e selecionar o texto. D) copiar especial e selecionar o texto. B) Realçar e selecionar o texto. E) marcar/realçar e selecionar o texto. C) Cor da Fonte e selecionar o texto

6 21 Considere as afirmativas sobre a ferramenta Microsoft Office PowerPoint 2007 (configuração padrão idioma Português Brasil). I. Para iniciar a apresentação, a partir do primeiro slide, deve-se pressionar a tecla F9. II. Para iniciar a apresentação, a partir do slide atual, deve-se pressionar simultaneamente as teclas SHIFT e F5. III. Na visualização de impressão não é possível organizar o conteúdo para visualizar como será impresso. Está(ão) correta(s) apenas a(s) afirmativa(s) A) I. B) II. C) III. D) I e II. E) II e III. 22 Considere a planilha produzida com a ferramenta Microsoft Office Excel 2007 (configuração padrão). Com base nos dados apresentados na planilha anterior, é INCORRETO afirmar que, para obter o(a) A) total de pontos do Grupo C no campeonato, é necessário aplicar a função =SOMA(F2:F5). B) total de pontos do Grupo A no campeonato, é necessário aplicar a função =SOMA(B2:B5). C) média de pontos do Grupo D no campeonato, é necessário aplicar a função =MÉDIA(H2:H5). D) maior pontuação do Grupo C no campeonato, é necessário aplicar a função =MÁXIMO(F2:F5). E) menor pontuação do Grupo B no campeonato, é necessário aplicar a função =MÍNIMO(B2:B5). CONHECIMENTOS GERAIS 23 Acerca das Sociedades Civis, de acordo com a Lei Federal nº 6.404/76 e suas alterações, é INCORRETO afirmar que A) a companhia ou sociedade anônima terá o capital dividido em ações, e a responsabilidade dos sócios ou acionistas será ilimitada ao preço de emissão das ações subscritas ou adquiridas. B) pode ser objeto da companhia qualquer empresa de fim lucrativo, não contrário à lei, à ordem pública e aos bons costumes. Qualquer que seja o objeto, a companhia é mercantil e se rege pelas leis e usos do comércio. C) consideram-se ações em circulação no mercado todas as ações do capital da companhia aberta, exceto as de propriedade do acionista controlador, de diretores, de conselheiros de administração e as em tesouraria. D) os acionistas que requererem a realização de nova avaliação e aqueles que votarem a seu favor deverão ressarcir a companhia pelos custos incorridos, caso o novo valor seja inferior ou igual ao valor inicial da oferta pública. E) para os efeitos desta Lei, a companhia é aberta ou fechada conforme os valores mobiliários de sua emissão estejam ou não admitidos à negociação no mercado de valores mobiliários. Nenhuma distribuição pública de valores mobiliários será efetivada no mercado sem prévio registro na Comissão de Valores Mobiliários. 24 O Conselho Monetário Nacional (CMN) é o órgão responsável por expedir diretrizes gerais para o bom funcionamento do Sistema Financeiro Nacional. São funções desempenhadas pelo CMN, EXCETO: A) Adaptar o volume dos meios de pagamento às reais necessidades da economia. B) Regular o valor interno e externo da moeda e o equilíbrio do balanço de pagamentos. C) Receber os recolhimentos compulsórios dos bancos comerciais e regular a execução dos serviços de compensação de cheques e outros papéis. D) Orientar a aplicação dos recursos das instituições financeiras e propiciar o aperfeiçoamento das instituições e dos instrumentos financeiros. E) Zelar pela liquidez e solvência das instituições financeiras e coordenar as políticas monetária, creditícia, orçamentária e das dívidas públicas interna e externa

7 25 Em relação a modalidade, limites e dispensa, segundo a Lei nº 8.666/93 e suas alterações, assinale a afirmativa INCORRETA. A) Concorrência é a modalidade de licitação entre interessados devidamente cadastrados ou que atenderem a todas as condições exigidas para cadastramento até o terceiro dia anterior à data do recebimento das propostas, observada a necessária qualificação. B) Quando, por limitações do mercado ou manifesto desinteresse dos convidados, for impossível a obtenção do número mínimo de licitantes exigidos na modalidade convite, as circunstâncias deverão ser devidamente justificadas no processo, sob pena de repetição do convite. C) Leilão é a modalidade de licitação entre quaisquer interessados para a venda de bens móveis inservíveis para a administração ou de produtos legalmente apreendidos ou penhorados, ou para a alienação de bens imóveis prevista no art. 19, a quem oferecer o maior lance, igual ou superior ao valor da avaliação. D) É dispensável a licitação para a aquisição, por pessoa jurídica de direito público interno, de bens produzidos ou serviços prestados por órgão ou entidade que integre a Administração Pública e que tenha sido criado para esse fim específico em data anterior à vigência desta Lei, desde que o preço contratado seja compatível com o praticado no mercado. E) Convite é a modalidade de licitação entre interessados do ramo pertinente ao seu objeto, cadastrados ou não, escolhidos e convidados em número mínimo de três pela unidade administrativa, a qual afixará, em local apropriado, cópia do instrumento convocatório e o estenderá aos demais cadastrados na correspondente especialidade que manifestarem seu interesse com antecedência de até vinte e quatro horas da apresentação das propostas. 26 De acordo com a Lei nº /2002, que instituiu no âmbito da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, nos termos do art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, a modalidade de licitação denominada pregão, é INCORRETO afirmar que A) o prazo fixado para a apresentação das propostas, contado a partir da publicação do aviso, não será inferior a cinco dias úteis. B) ainda na fase preparatória não há formação de comissão, sendo designado somente um servidor público, o qual assumirá o cargo de pregoeiro. C) o ato de designação do pregoeiro poderá ser realizado por meio de Decreto, Resolução, Portaria ou Ato da Superintendência ou da Diretoria, dependendo da natureza da entidade. D) a medida provisória nº 2.026/00, art. 2º, define o pregão como modalidade de licitação para aquisição de bens e serviços comuns, promovida exclusivamente no âmbito da União, qualquer que seja o valor estimado da contratação, em que a disputa pelo fornecimento é feita por meio de propostas e lances em sessão pública. E) a fase preparatória compreende o processo pelo qual será justificada a necessidade da contratação do serviço ou aquisição do bem por parte da Administração, definindo todas as regras do procedimento, como: objeto do certame, especificação das exigências para habilitação, critério de aceitação, prazos, sanções por inadimplemento, entre outros pontos que o administrador julgar importante. 27 O Banco Central do Brasil, através da Resolução nº 394/76, definiu a competência e disciplinou a constituição e o funcionamento dos Bancos de Desenvolvimento. Com base no regulamento anexo à Resolução nº 394/76, assinale a afirmativa INCORRETA. A) Incrementar a produção rural por meio de projetos integrados de investimentos destinados à formação de capital fixo ou semifixo. B) Os Bancos de Desenvolvimento são instituições financeiras públicas não federais, constituídas sob a forma de sociedade anônima, com sede na Capital do Estado da Federação que detiver seu controle acionário. C) Considera-se capital semifixo as inversões para aquisição de animais destinados a criação, recriação, engorda ou serviços; máquinas, implementos, veículos, equipamentos e instalações de desgaste a curto e médio prazos, utilizáveis nessas atividades. D) Os Bancos de Desenvolvimento não integram o Sistema Financeiro Nacional, embora sejam regidos pelas normas: legais pertinentes; baixadas pelo Banco Central, com base em deliberações do Conselho Monetário Nacional; e, regulamentares baixadas pelo Banco Central. E) O objetivo precípuo dos Bancos de Desenvolvimento é proporcionar o suprimento oportuno e adequado dos recursos necessários ao financiamento, a médio e longo prazos, de programas e projetos que visem a promover o desenvolvimento econômico e social dos respectivos Estados da Federação onde tenham sede, cabendo-lhes apoiar prioritariamente o setor privado

8 28 Sobre o investimento em coligadas e controladas, assinale a alternativa que encontra-se em DESACORDO com a Lei nº 6.404/76. A) Considera-se relevante o investimento em cada sociedade coligada ou controlada, se o valor contábil for igual ou superior a 10% do valor do patrimônio líquido da companhia. B) Considera-se relevante o investimento no conjunto das sociedades coligadas e controladas, se o valor contábil for inferior ou igual a 15% do valor do patrimônio líquido da companhia. C) No balanço patrimonial da companhia, os investimentos em coligadas, controladas e outras sociedades que façam parte de um mesmo grupo ou estejam sob controle comum serão avaliados pelo método da equivalência patrimonial. D) O valor do patrimônio líquido da coligada ou da controlada será determinado com base em balanço patrimonial ou balancete de verificação levantado, com observância das normas desta Lei, na mesma data, ou até sessenta dias, no máximo, antes da data do balanço da companhia; no valor de patrimônio líquido não serão computados os resultados não realizados decorrentes de negócios com a companhia, ou com outras sociedades coligadas à companhia, ou por ela controladas. E) As notas explicativas dos investimentos em coligadas e controladas devem conter informações precisas sobre as sociedades coligadas e controladas e suas relações com a companhia, indicando a denominação da sociedade, seu capital social e patrimônio líquido; o número, espécies e classes das ações ou quotas de propriedade da companhia, e o preço de mercado das ações, se houver; o lucro líquido do exercício; os créditos e obrigações, além do montante das receitas e despesas em operações, entre a companhia e as sociedades coligadas e controladas. 29 Sobre os ativos intangíveis, é INCORRETO afirmar que A) a IAS 38 (International Accounting Standards) define ativo intangível como um ativo não monetário identificável e sem substância física. A definição de ativo pela norma é a mesma da estrutura conceitual, visto que um ativo é um recurso controlado pela entidade como resultado de eventos passados e do qual são esperados benefícios futuros para a entidade. B) no caso, por exemplo, de um software, a entidade deve tratar o item todo como um imobilizado e seguir a IAS 16 (Imobilizado). Por outro lado, softwares instalados em um computador, como programas para geração de relatórios ou antivírus, que não são essenciais para o funcionamento do computador, devem ser tratados como um ativo intangível, de acordo com a IAS 38. C) um item pode ser reconhecido como ativo intangível se satisfizer as condições estabelecidas na definição de tal ativo (ser um item não monetário sem substância física, separável, controlável e que gere benefícios econômicos) e se, adicionalmente, atender aos seguintes critérios de reconhecimento: probabilidade de que os benefícios econômicos futuros atribuíveis ao ativo fluirão para a entidade; e, mensuração confiável dos custos do ativo. D) um ativo intangível adquirido separadamente (ou seja, não por meio de uma combinação de negócios) deve ser mensurado inicialmente ao custo. Esse custo compreende: preço de compra, incluindo os impostos de importação e os não recuperáveis, após deduzidos os descontos comerciais e os abatimentos; e, qualquer custo atribuível diretamente à preparação do ativo para uso (por exemplo, custos de benefícios de empregados, honorários profissionais e custos com testes). E) são exemplos de gastos que fazem parte do custo de um ativo intangível: custos de lançamentos de novos produtos ou serviços, como os de propaganda e de atividades promocionais; custos de conduzir os negócios em outro local ou para outra categoria de clientes, incluindo os custos de treinamentos do pessoal envolvido nesses processos; despesas administrativas e outros custos indiretos; custos incorridos quando o ativo se encontra nas condições planejadas pela entidade, mas está aguardando pelo uso; e, perdas operacionais iniciais, tais como aquelas incorridas enquanto a demanda para os produtos do ativo está aumentando gradualmente. 30 Uma das grandes novidades trazidas pela nova legislação contábil é a criação da conta Ajustes de Avaliação Patrimonial, cuja função é receber os valores pertencentes ao patrimônio da entidade e que tiveram seus valores revistos. Na prática, o ajuste de avaliação patrimonial pode ser entendido como uma espécie de correção dos valores de ativos e passivos em relação ao valor justo, conceito que acompanha a nova rubrica contábil. Essa conta contábil deverá ser registrada no subgrupo do Balanço Patrimonial denominado A) Receitas. D) Patrimônio Líquido. B) Ativo Circulante. E) Ativo Não Circulante. C) Passivo Circulante

9 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 31 Um endereço IPv6 é formado por 8 grupos de 16 bits cada, totalizando 128 bits, bem mais que os 32 bits do IPv4, proporcionando uma quantidade muito grande de endereços na Internet. Há uma forma de abreviação em que se suprime os 0 (zeros) do endereço, desde que estejam contínuos, substituindo-os por :: (dois pontos, dois pontos). Observe o seguinte endereço IPv6: 2001:0db8:0000:0000:0000:00b1:0000:bd1a Com base na informação apresentada, assinale a alternativa em que se aplica corretamente as regras de abreviação do endereço anterior. A) 2001:db8::b1:0:bd1a. D) 2001:0db8::00b1:0000:bd1a. B) 2001:0db8::00b1:bd1a. E) 2001:0db8:0:0:0:00b1:0:bd1a. C) 2001:0db8:0::00b1::bd1a. 32 São reservados exclusivamente para comunicação local em nível de enlace e são fundamentais para assegurar a operacionalização de várias funcionalidades inerentes ao protocolo IPv6, como, por exemplo, a autoconfiguração, descoberta de vizinhança, protocolos de roteamento etc. A afirmativa anterior, com base na estrutura do endereço IPv6, refere-se a A) Link-Local. D) Endereços multicast. B) Global Unicast. E) Unique-Local Address (ULA). C) Endereços anycast. 33 Desde a origem do IPv4, a fronteira entre os bits do prefixo da rede e do sufixo de host foi dividida em três classes: A, B e C com 8, 16 e 24 bits, respectivamente, reservados para o prefixo identificado da rede. Assinale a alternativa que representa um endereço de rede de classe B, sem considerar a máscara de rede. A) D) B) E) C) A camada de transporte se localiza entre a camada de rede e a camada de aplicação. A camada de transporte é responsável por prestar serviços à camada de aplicação e recebe serviços da camada de rede. São serviços prestados pela camada de transporte, EXCETO: A) Controle de fluxo. D) Comunicação processo a processo. B) Qualidade de serviço. E) Endereçamento: números de porta. C) Controle de congestionamento. 35 O gerenciamento de escopo do projeto inclui os processos necessários para assegurar que o projeto contenha todo o trabalho necessário, e apenas o necessário, para terminar o projeto com sucesso. Relacione os processos de gerenciamento do escopo às respectivas características. 1. Coletar os requisitos. 2. Definir o escopo. 3. Criar a EAP. ( ) Processo de subdivisão das entregas e do trabalho do projeto em componentes menores e mais facilmente gerenciáveis. ( ) Processo de definição e documentação das necessidades das partes interessadas para alcançar os objetivos do projeto. ( ) Processo de formalização da aceitação das entregas terminadas do projeto. 4. Verificar o escopo. ( ) Processo de monitoramento do progresso do escopo do projeto e escopo do produto 5. Controlar o escopo. e gerenciamento das mudanças feitas na linha de base do escopo. ( ) Processo de desenvolvimento de uma descrição detalhada do projeto e do produto. A) 3, 1, 4, 5, 2. B) 5, 3, 1, 2, 4. C) 2, 4, 5, 3, 1. D) 4, 2, 3, 1, 5. E) 1, 5, 4, 3,

10 36 O cabeçalho do protocolo IPv6 tem algumas diferenças em relação ao cabeçalho do protocolo IPv4, como alguns campos renomeados para melhor representarem suas atribuições. Relacione adequadamente os nomes dos campos no IPv4 ao respectivo nome no IPv6. IPv4 (Nome do campo) 1. Tipo de serviço. 2. Tamanho total. 3. Protocolo. 4. Tempo de vida (TTL). IPv6 (Nome do campo) ( ) Próximo cabeçalho. ( ) Classe de tráfego (TC). ( ) Limite de hops. ( ) Tamanho do Payload de dados. A) 4, 1, 2, 3. B) 3, 1, 4, 2. C) 3, 2, 4, 1. D) 2, 4, 3, 1. E) 1, 4, 2, Um escritório de projetos (Project Management Office PMO) é um corpo, ou entidade organizacional, ao qual são atribuídas várias responsabilidades relacionadas ao gerenciamento centralizado e coordenado dos projetos sob seu domínio. Os Gerentes de Projeto e os PMOs buscam objetivos distintos, por isso, são orientados por requisitos diferentes. Acerca das funções, marque G para as do Gerente de Projeto e O para as do PMO. ( ) Gerencia as principais mudanças do escopo do programa que podem ser vistas como possíveis oportunidades para melhor alcançar os objetivos de negócios. ( ) Concentra-se nos objetivos especificados do projeto. ( ) Controla os recursos atribuídos ao projeto para atender da melhor forma possível aos objetivos do projeto. ( ) Otimiza o uso dos recursos organizacionais compartilhados entre todos os projetos. ( ) Gerencia as restrições (escopo, cronograma, custo, qualidade etc.) dos projetos individuais. ( ) Gerencia as metodologias, os padrões, o risco/oportunidade global e as interdependências entre os projetos no nível da empresa. A) O, G, G, O, G, O. D) O, O, G, O, G, G. B) G, G, O, G, O, O. E) O, G, O, O, G, G. C) G, O, G, O, O, G. 38 O gerenciamento de projetos é a aplicação de conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de atender aos seus requisitos. Realiza-se através de aplicação e integração apropriadas dos 42 processos agrupados logicamente, abrangendo 5 grupos. São grupos de processos, EXCETO: A) Iniciação. D) Encerramento. B) Execução. E) Identificação dos requisitos. C) Planejamento. 39 Estimar os recursos das atividades é o processo de estimativa dos tipos e quantidades de material, pessoas, equipamentos ou suprimentos que serão necessários para realizar cada atividade. Algumas ferramentas e técnicas, de acordo com o PMBOK, são: opinião especializada; análise das alternativas; dados publicados para auxílio a estimativas; estimativa Bottom-up; e, software de gerenciamento de projetos. Acerca da estimativa Botton-up, assinale a afirmativa correta. A) Qualquer grupo ou pessoa, com conhecimento especializado em planejamento e estimativa de recursos, poderá fornecer tal opinião. B) Tem a capacidade de auxiliar no planejamento, organização e gerenciamento do pool de recursos e no desenvolvimento de estimativa dos recursos. C) Quando uma atividade não pode ser estimada com um grau razoável de confiança, o trabalho dentro da atividade será decomposto em mais detalhes. D) Inclui o uso de vários níveis de capacidade ou habilidades dos recursos; tamanhos ou tipos diferentes de máquinas; ferramentas diferentes (manuais versus automatizados); e, decisões de fazer ou comprar a respeito dos recursos. E) Muitas firmas publicam rotineiramente índices de produção atualizados e custos unitários de recursos para um abrangente conjunto de negócios de mão de obra, material e equipamento para diferentes países e localizações geográficas dentro dos mesmos

11 40 O ITIL (Information Technology Infraestructure Library), conjunto de orientações que descreve as melhores práticas para um processo integrado do gerenciamento de serviços de TI, foi desenvolvido pela OGC (United Kingdom s Office of Government Commerce), no final dos anos 1980, para melhorar o gerenciamento dos serviços de TI do governo da Inglaterra. A biblioteca do ITIL é composta por 5 livros. Acerca desses livros, marque o INCORRETO. A) Desenho de serviço. D) Melhoria de serviço continuada. B) Transição de serviço. E) Gerenciamento do catálogo de serviço. C) Operação de serviço. 41 Em geral, o gerenciamento dos serviços de TI trata tanto dos serviços quanto do gerenciamento da infraestrutura de TI. O IT Service Support e o IT Service Delivery descrevem os processos-chave para melhorar a qualidade dos serviços de TI. Em relação às competências, marque T para as táticas e O para as operacionais. ( ) Availability Management. ( ) Incident Management. ( ) Service Level Management. ( ) Problem Management. ( ) Release Management. ( ) Capacity Management. A) T, O, T, O, O, T. B) O, T, O, O, T, T. C) T, T, O, T, O, T. D) O, O, T, O, T, O. E) T, O, T, T, O, O. 42 Relacione adequadamente os processos da biblioteca do ITIL às respectivas características. 1. Gerenciamento de Mudanças. 2. Gerenciamento de Ativos de Serviço e da Configuração. 3. Gerenciamento da Liberação e da Distribuição. 4. Validação e Teste do Serviço. 5. Avaliação. 6. Gerenciamento do Conhecimento. ( ) Relaciona-se à garantia da qualidade de uma liberação, incluindo todos os seus componentes de serviço, os serviços resultantes e a capacitação do serviço por ela viabilizada. ( ) Visa assegurar o tratamento sistemático e padronizado de todas as mudanças ocorridas no ambiente operacional, minimizando, assim, os impactos decorrentes de incidentes/problemas relacionados a estas mudanças na qualidade do serviço. ( ) Visa garantir que a informação correta seja entregue no local apropriado para uma pessoa que tenha competência para atuar no tempo certo, habilitando a tomada de decisões informadas. ( ) Visa criar meios padronizados e consistentes para avaliar o desempenho de uma mudança no contexto de uma infraestrutura de TI e serviços já existentes, confrontando-o com as metas previstas, registrando e gerenciando os desvios encontrados. ( ) Abrange o gerenciamento do tratamento de um conjunto de mudanças em um serviço de TI, devidamente autorizadas (incluindo atividades de planejamento, desenho, construção, configuração e teste de itens de software e hardware). ( ) Abrange identificação, registro, controle e verificação de ativos de serviços e itens de configuração (componentes de TI, tais como hardware, software e documentação relacionada, incluindo suas versões, componentes e interfaces), dentro de um repositório centralizado. A) 2, 3, 5, 6, 1, 4. B) 4, 1, 6, 5, 3, 2. C) 6, 4, 1, 2, 3, 5. D) 5, 2, 3, 4, 1, 6. E) 3, 5, 4, 1, 6, Existem duas formas de se atribuir endereços IPv4 a um dispositivo na rede. Uma delas é designar o endereço IP de forma manual e a outra é deixar que o servidor faça esse serviço, considerando aleatoriamente um IP disponível para qualquer dispositivo que ingresse na rede, desde que seja permitido. Assinale a alternativa que apresenta o protocolo responsável por atribuir, automaticamente, um endereço IP a um dispositivo na rede. A) DNS. B) TFTP. C) DHCP. D) ICMP. E) IGMP

12 44 A meta deste processo é melhorar a operação do dia a dia de TI. Assegura o uso correto de padrões e processos para um rápido e eficiente atendimento das mudanças através de planejamento, controle e suporte das implantações das mudanças e pela identificação dos riscos e impactos. A descrição anterior, com base nas competências táticas e operacionais no ITIL, refere-se a A) Change Management. D) Configuration Management. B) Financial Management. E) IT Service Continuity Management. C) IT System Management. 45 Um pacote no TCP denomina-se segmento. Segmentação é a divisão de uma mensagem em vários pacotes, geralmente realizada na camada de transporte. O segmento é formado por um cabeçalho de 20 a 60 bytes, seguido pelos dados do programa da camada de aplicação. Sobre o cabeçalho do segmento, analise as afirmativas. I. O cabeçalho tem 20 bytes se não houver opções e pode chegar a 60 bytes se contiver opções. II. O endereço de porta de origem e porta de destino possuem, cada um, 32 bits. III. O número de sequência e o número de confirmação possuem, cada um, 16 bits. IV. Comprimento do cabeçalho (HLEN) é um campo de 4 bits que indica o número de palavras de 4 bytes no cabeçalho TCP. Está(ão) correta(s) apenas a(s) afirmativa(s) A) I. B) III. C) IV. D) I e IV. E) II e III. 46 É a documentação do produto SQL Server Abrange todos os recursos desse produto, como o Database Engine, Analysys Services, Integration Services, Replication, Reporting Services, Notification Services, Service Broker e Full-Text Search. Trata-se do SQL Server A) Profiler. D) Configuration Manager. B) Books Online. E) Surface Area Configuration. C) Management Studio. 47 Nem sempre é possível conseguir todos os dados que se precisa em uma mesma tabela, porque os bancos de dados bem projetados são normalizados seguindo certas regras de projeto. Existem algumas instruções em SQL Server que podem recuperar informações a partir de múltiplas tabelas. A operação que permite especificar na cláusula FROM a maneira como duas tabelas devem ser unidas denomina-se A) LEFT JOIN. B) FULL JOIN. C) INNER JOIN. D) RIGHT JOIN. E) OUTER JOIN. 48 O SQL Server 2005 permite configurar visões usando atributos na instrução CREATE VIEW. Existem vários atributos de visão, dentre eles, o atributo Schemabinding, sobre o qual é correto afirmar que A) criptografa as entradas dentro do sys.sql_modules que contêm o texto da definição de visão. B) permite vincular a definição de visão com o esquema das tabelas de base consultado na visão. C) quando se modifica uma linha por uma visão, essa opção assegura que os dados sejam visíveis depois que a modificação é confirmada. D) especificando essa opção, o mecanismo de bancos de dados força todas as instruções de modificação executadas na visão para seguir os critérios da instrução SELECT. E) as interfaces de programação de aplicativos (Application Programming Interface APIs) do lado do cliente têm a opção de solicitar uma consulta no modo de navegação para permitir que as APIs do lado do cliente implementem cursores atualizáveis. 49 Estrutura de dados para manter um conjunto S de elementos, cada qual com um valor associado denominado chave. Trata-se de(a) A) Decrease-Key. D) Fila de prioridades. B) Increase-Key. E) Heap-Increase-Key. C) Heap-Extract-Max

13 50 Programas maliciosos podem ser distribuídos de várias formas. Com o crescimento da Internet, originou-se uma série de novos programas maliciosos, ou malwares, que não precisam ser transmitidos pelo compartilhamento de mídia para se disseminar. Relacione adequadamente os seguintes programas maliciosos às respectivas características. 1. Cavalo de Troia. ( ) Tipo especialmente furtivo de malware. Geralmente, altera utilitários do sistema ou do próprio sistema operacional para evitar detecção. 2. Verme de computador. ( ) Explora uma vulnerabilidade previamente desconhecida, mesmo pelos projetistas de software que criaram o sistema contendo essa vulnerabilidade. 3. Rootkit. 4. Ataque de dia zero. 5. Botnet. ( ) Programa malware que aparenta realizar alguma tarefa útil, mas faz algo com consequências negativas. ( ) Controlado centralmente por um proprietário conhecido como controlador de parasitas. ( ) Programa malicioso que espalha cópias de si mesmo sem a necessidade de se injetar em outros programas e, geralmente, sem interação humana. A) 4, 5, 3, 2, 1. B) 3, 4, 1, 5, 2. C) 5, 3, 2, 1, 4. D) 2, 1, 4, 3, 5. E) 1, 5, 2, 4, Acerca dos Firewalls, analise as afirmativas. I. Uma implementação simples de firewall é conhecida como firewall sem estado. II. Numa lista negra ou política de default-rejeita, os pacotes são descartados ou rejeitados, a menos que sejam especificamente permitidos pelo firewall. III. Numa lista branca ou política de defaul-aceita, todos os pacotes podem passar, exceto aqueles que se enquadram nas regras definidas especificamente em uma lista branca. Está(ão) correta(s) apenas a(s) afirmativa(s) A) I. B) II. C) I e II. D) I e III. E) II e III. 52 Permite a um atacante acessar, ou mesmo modificar, a informação arbitrária de um banco de dados através da inserção de seus próprios comandos SQL em um fluxo de dados passado para o banco de dados por um servidor web. A afirmativa anterior refere-se a A) Injeção SQL. D) Cross-Site Request Forgery. B) Cross-Site Scripting. E) Inclusão de arquivo remoto. C) Inclusão de arquivo local. 53 Relacione adequadamente os modelos de controle de acesso, que foram desenvolvidos para formalizar mecanismos, a fim de proteger a confidencialidade e a integridade de documentos armazenados em um sistema de computação, às respectivas características. 1. Modelo Bell La Padula. 2. Modelo Biba. 3. Modelo Low-watermark. 4. Modelo Clark-Wilson. 5. Modelo Muralha da China. ( ) Os níveis de integridade nesse modelo indicam graus de fidelidade, ou precisão, de objetos e usuários, em vez de níveis para determinar a confidencialidade. ( ) Concebido para ser usado no setor comercial, a fim de eliminar a possibilidade de conflitos de interesse. Para conseguir isso, o modelo agrupa recursos em classes de conflito de interesses. ( ) Usuários com níveis de integridade mais altos podem ler objetos com níveis de integridade mais baixos. ( ) Derivado do paradigma militar de segurança multinível que tem sido tradicionalmente utilizado em organizações militares para classificação de documentos e autorização pessoal. ( ) Lida com sistemas que realizam transações, descrevendo mecanismos para assegurar que a integridade de tais sistemas seja preservada ao longo da execução de uma transação. A) 5, 3, 1, 4, 2. B) 4, 2, 5, 3, 1. C) 2, 5, 3, 1, 4. D) 3, 1, 4, 2, 5. E) 1, 4, 2, 5,

14 54 Árvore binária cheia que representa as comparações entre elementos executadas por um determinado algoritmo de ordenação aplicado a uma entrada de dado tamanho. A afirmativa anterior refere-se à árvore A) B. D) geradora mínima. B) de decisão. E) de Van Emde Boas. C) de intervalo. 55 Deve descrever a informação que o sistema irá gerenciar. Trata-se de um artefato do domínio do problema e não do domínio da solução. A afirmativa anterior refere-se ao modelo A) físico. B) lógico. C) de dados. D) relacional. E) conceitual. 56 Um diagrama de relacionamento de entidades é um retrato que mostra as informações criadas, armazenadas e usadas pelo sistema de uma empresa. São elementos que compõem um Diagrama de Relacionamento de Entidades, EXCETO: A) Atributo. B) Entidade. C) Normalização. D) Cardinalidade. E) Relacionamento. 57 O Diagrama de tem como elementos as instâncias de atores, representados por figuras humanas esquematizadas, e as instâncias de objetos constituintes do sistema. Assinale a alternativa que completa corretamente a afirmativa anterior. A) Classes B) Estados C) Sequência D) Caso de Uso E) Colaboração 58 São executados em computadores que controlam dispositivos que geralmente não são considerados computadores e que não aceitam softwares instalados por usuários. Trata-se de sistemas operacionais A) embarcados. D) de nós sensores (sensor node). B) de tempo real. E) de computadores de grande porte. C) de multiprocessadores. 59 O ato de designar um processador ao primeiro processo da lista de prontos denomina-se despacho. Os sistemas operacionais usam um temporizador de intervalo para permitir que um processo seja executado durante um intervalo de tempo específico ou quantum. Os processos transitam de um estado para o outro. Sobre os estados de transição de um processo, é INCORRETO afirmar que, quando A) um evento ocorre, ele transita de bloqueado para pronto. B) ocorre uma intervenção, ele transita de bloqueado para execução. C) um processo é despachado, ele transita de pronto para em execução. D) um processo é bloqueado, ele transita de em execução para bloqueado. E) o quantum de um processo expira, ele transita de em execução para pronto. 60 Para implementar o modelo de processos, o sistema operacional mantém uma tabela (um arranjo de estruturas) denominada tabela de processos, com uma entrada para cada processo. Alguns autores chamam essas entradas de PCB (Process Control Blocks Blocos de Controle de Processo). Os PCBs mantêm as informações que o sistema operacional precisa para gerenciar o processo e incluem algumas informações acerca dos processos. Acerca dos processos, analise. I. Um processo não pode gerar um novo processo. II. O sistema operacional mantém ponteiros para cada PCB do processo em uma tabela de processos somente por usuário. III. O acesso aos PCBs é mais lento. IV. Quando um processo é encerrado, a tabela de processos retira o processo da tabela e disponibiliza todos os seus recursos. Está(ão) correta(s) apenas a(s) afirmativa(s) A) I. B) II. C) IV. D) I e III. E) III e IV

15 INSTRUÇÕES 1. Material a ser utilizado: caneta esferográfica de tinta azul ou preta. Os objetos restantes devem ser colocados em local indicado pelo fiscal da sala, inclusive aparelho celular desligado e devidamente identificado. 2. Não é permitida, durante a realização das provas, a utilização de máquinas calculadoras e/ou similares, livros, anotações, impressos ou qualquer outro material de consulta, protetor auricular, lápis, borracha, corretivo. Especificamente, não é permitido que o candidato ingresse na sala de provas sem o devido recolhimento, com respectiva identificação, dos seguintes equipamentos: bip, telefone celular, walkman, agenda eletrônica, notebook, palmtop, ipad, ipod, tablet, smartphone, mp3, mp4, receptor, gravador, calculadora, câmera fotográfica, controle de alarme de carro, relógio de qualquer modelo etc. 3. Durante a prova, o candidato não deve levantar-se, comunicar-se com outros candidatos e nem fumar. 4. A duração da prova é de 04 (quatro) horas, já incluindo o tempo destinado à entrega do Caderno de Provas e à identificação que será feita no decorrer da prova e ao preenchimento do Cartão de Respostas (Gabarito). 5. Somente em caso de urgência pedir ao fiscal para ir ao sanitário, devendo no percurso permanecer absolutamente calado, podendo antes e depois da entrada sofrer revista através de detector de metais. Ao sair da sala no término da prova, o candidato não poderá utilizar o sanitário. Caso ocorra uma emergência, o fiscal deverá ser comunicado. 6. O Caderno de Provas consta de 60 (sessenta) questões de múltipla escolha. Leia-o atentamente. 7. As questões das provas objetivas são do tipo múltipla escolha, com 05 (cinco) alternativas (A a E) e uma única resposta correta. 8. Ao receber o material de realização das provas, o candidato deverá conferir atentamente se o Caderno de Provas corresponde ao cargo a que está concorrendo, bem como se os dados constantes no Cartão de Respostas (Gabarito) que lhe foi fornecido estão corretos. Caso os dados estejam incorretos, ou o material esteja incompleto, ou tenha qualquer imperfeição, o candidato deverá informar tal ocorrência ao fiscal. 9. Os fiscais não estão autorizados a emitir opinião e prestar esclarecimentos sobre o conteúdo das provas. Cabe única e exclusivamente ao candidato interpretar e decidir. 10. O candidato poderá retirar-se do local de provas somente a partir dos 90 (noventa) minutos após o início de sua realização, contudo não poderá levar consigo o Caderno de Provas, sendo permitida essa conduta apenas no decurso dos últimos 30 (trinta) minutos anteriores ao horário previsto para o seu término. 11. Os 3 (três) últimos candidatos de cada sala somente poderão sair juntos. Caso o candidato insista em sair do local de aplicação das provas, deverá assinar um termo desistindo do Concurso Público e, caso se negue, deverá ser lavrado Termo de Ocorrência, testemunhado pelos 2 (dois) outros candidatos, pelo fiscal da sala e pelo coordenador da unidade. RESULTADOS E RECURSOS - As provas aplicadas, assim como os gabaritos preliminares das provas objetivas serão divulgados na Internet, no site a partir das 16h00min do dia subsequente ao da realização das provas. - O candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas disporá de 02 (dois) dias úteis, a partir do dia subsequente à divulgação, em requerimento próprio disponibilizado no link correlato ao Concurso Público no site - A interposição de recursos poderá ser feita via Internet, através do Sistema Eletrônico de Interposição de Recursos, com acesso pelo candidato ao fornecer dados referentes à sua inscrição apenas no prazo recursal, ao IDECAN, conforme disposições contidas no site no link correspondente ao Concurso Público.

ANEXO I - EDITAL Nº 9/2013

ANEXO I - EDITAL Nº 9/2013 Página 1 de 5 ANEXO I - EDITAL Nº 9/2013 O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC/RN, representado por sua Administração Regional no Estado do Rio Grande do Norte, torna público, para o conhecimento de quantos

Leia mais

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com 1 Information Technology Infrastructure Library 2 O que é o? Information Technology Infrastructure Library é uma biblioteca composta por sete livros

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

BANDES. Técnico Bancário Engenharia Civil MANHÃ CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S.A

BANDES. Técnico Bancário Engenharia Civil MANHÃ CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S.A BANDES BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S.A CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 Técnico Bancário Engenharia Civil MANHÃ CARGO: TÉCNICO BANCÁRIO ENGENHARIA CIVIL Texto O convescote dos inconfiáveis O

Leia mais

CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito

CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2006 e 1 o semestre letivo de 2007 CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito INSTRUÇÕES AO CANDIDATO Verifique se este caderno contém:

Leia mais

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT IC) ORIENTAÇÕES GERAIS

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT IC) ORIENTAÇÕES GERAIS PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT IC) ORIENTAÇÕES GERAIS 1 - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 O Programa Bolsa Jovens Talentos para a Ciência (PJT- IC) tem como objetivo proporcionar a formação

Leia mais

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 No dia 3 de dezembro de 2008, foi editada a Medida Provisória nº 449,

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS No uso das atribuições legais, e mediantes as condições estipuladas nos Editais e Comunicados oficiais publicados no site www.selecao.uneb.br/dpe2012, CONVOCA os Candidatos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO REMUNERADO EM CIÊNCIAS

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Roteiro (1) Método para Modelagem de Casos De Uso Estudo de Caso: Sistema de Controle para Videolocadora Levantamento Inicial dos Casos de Uso Identificação dos Casos

Leia mais

PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL

PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL Ordem dos Advogados do Brasil V EXAME DE ORDEM UNIFICADO DIREITO EMPRESARIAL PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL Leia com atenção as instruções a seguir: Você está recebendo do fiscal de sala, além deste caderno

Leia mais

TEF Transferência Eletrônica de Fundos

TEF Transferência Eletrônica de Fundos 1. VISÃO GERAL 1.1 OBJETIVOS: O TEF é uma solução eficiente e robusta para atender as necessidades do dia a dia de empresas que buscam maior comodidade e segurança nas transações com cartões, adequação

Leia mais

Prova - Segunda Fase do Processo de Exame de Admissão ao curso do Projeto Jovem Digital do Instituto UFC Virtual, para o período 2011/2012

Prova - Segunda Fase do Processo de Exame de Admissão ao curso do Projeto Jovem Digital do Instituto UFC Virtual, para o período 2011/2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO INSTITUTO UFC VIRTUAL PROJETO JOVEM DIGITAL Prova - Segunda Fase do Processo de Exame de Admissão ao curso do Projeto Jovem Digital do Instituto UFC

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL 2015 Sabemos que as empresas atualmente utilizam uma variedade muito grande de sistemas de informação. Se você analisar qualquer empresa que conheça, constatará que existem

Leia mais

TUTORIAL ACESSO AO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA DE RESERVAS STR. Dezembro/2014

TUTORIAL ACESSO AO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA DE RESERVAS STR. Dezembro/2014 TUTORIAL ACESSO AO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA DE RESERVAS STR Dezembro/2014 1. Introdução... 2 2. Estrutura de contas no BC... 2 3. Formas de acesso ao STR... 3 Acesso via RSFN... 3 Acesso via Internet...

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração da NBC T 1 citada nesta Norma para NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL. RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.213/09 Aprova a NBC TA 320 Materialidade no Planejamento e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: MONITOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: MONITOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

Introdução. Escritório de projetos

Introdução. Escritório de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é um documento formal que descreve normas,

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. Não efetue qualquer marcação nos campos destinados à atribuição de notas.

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. Não efetue qualquer marcação nos campos destinados à atribuição de notas. INSTRUÇÕES Verifique, com muita atenção, este Caderno de QUESTÕES que deverá conter 14 (treze) questões de múltipla escolha, sendo 10 (dez) de Conhecimentos Específicos de Técnico de Informática e 4 (quatro)

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Concurso Público n.º 01/2015. Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE IOMERÊ

MANUAL DO CANDIDATO. Concurso Público n.º 01/2015. Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE IOMERÊ MANUAL DO CANDIDATO Concurso Público n.º 01/2015 Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE IOMERÊ Orientações e Instruções para a Realização das Provas 1. Do horário de comparecimento para a realização das

Leia mais

Certificação Profissional de Análise e Aprovação de Crédito - CERT.FBB-200

Certificação Profissional de Análise e Aprovação de Crédito - CERT.FBB-200 MANUAL DE CANDIDATURA da Abril de 2012 Versão 2.0 A Federação Brasileira de Bancos FEBRABAN vem, neste Manual de Candidatura, divulgar as regras e informações necessárias para a realização dos exames pertinentes

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 Escreva seu Número de Inscrição neste retângulo: 2 3 4 5 6 7 8 9 Este Caderno contém 40 questões de múltipla escolha, assim distribuídas: 01 a 30 Conhecimentos Específicos; 31

Leia mais

2. Acerca do conteúdo das Demonstrações Contábeis, julgue os itens abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA.

2. Acerca do conteúdo das Demonstrações Contábeis, julgue os itens abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA. 1. Considerando os conceitos de passivos e provisões, julgue os itens abaixo como Verdadeiros (V) ou Falsos (F) e, em seguida, assinale a opção CORRETA. I. Provisões são passivos com prazo ou valor incertos.

Leia mais

Informática para Concursos 1 leitejuniorbr@yahoo.com.br

Informática para Concursos 1 leitejuniorbr@yahoo.com.br QUESTÕES TRE / TJ FCC 2007 CARGO: TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA QUESTÃO 11 -. Com relação a hardware, é correto afirmar que: (A) Computadores com placas-mãe alimentadas por fontes ATX suportam o uso do comando

Leia mais

A Camada de Rede. A Camada de Rede

A Camada de Rede. A Camada de Rede Revisão Parte 5 2011 Modelo de Referência TCP/IP Camada de Aplicação Camada de Transporte Camada de Rede Camada de Enlace de Dados Camada de Física Funções Principais 1. Prestar serviços à Camada de Transporte.

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA SITA SOCIEDADE CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S/A

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA SITA SOCIEDADE CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S/A REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA SOCIEDADE CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S/A Esta Sociedade Corretora, em atenção ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03 da CVM, define através deste

Leia mais

REGULAÇÃO E COMPOSIÇÃO TARIFÁRIA II. Profº Alex Barborsa

REGULAÇÃO E COMPOSIÇÃO TARIFÁRIA II. Profº Alex Barborsa REGULAÇÃO E COMPOSIÇÃO TARIFÁRIA II Profº Alex Barborsa Natal, 15 de abril de 2014 Ativo intangível IAS 38 CPC 04 Principais Pontos tratados pela IAS 38 1. Natureza; 2. Reconhecimento; 3. Mensuração; 4.

Leia mais

PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 06 (R1) Operações de Arrendamento Mercantil. CVM - Deliberação nº. 645/10; CFC - NBC TG 06 - Resolução nº. 1.

PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 06 (R1) Operações de Arrendamento Mercantil. CVM - Deliberação nº. 645/10; CFC - NBC TG 06 - Resolução nº. 1. PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 06 (R1) Operações de Arrendamento Mercantil CVM - Deliberação nº. 645/10; CFC - NBC TG 06 - Resolução nº. 1.304/10; 1 OBJETIVO O objetivo deste Pronunciamento é estabelecer,

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO A UMUARAMA S/A C.T.V.M, denominada simplesmente Corretora, em atenção ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03 da CVM, define através deste documento, suas regras e

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

Sequência da Apresentação

Sequência da Apresentação Fernando Welter Orientador: Paulo Roberto Dias Sequência da Apresentação Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento do sistema Operacionalidade da implementação Resultados e discussões

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ALCANCE 1.... estabelece critérios e procedimentos específicos a serem observados pelas entidades

Leia mais

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL MARÇO, 2015 ÍNDICE OBJETIVO 3 ESCOPO 3 DEFINIÇÕES Risco Inerente 4 DEFINIÇÕES Risco Operacional 4 DEFINIÇÕES Evento de Risco Operacional 4 FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro 1 2 O que é o Mercado de Capitais A importância do Mercado de Capitais para a Economia A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro O que é Conselho Monetário Nacional (CNM) O que é Banco Central (BC)

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO M3

MANUAL DO USUÁRIO DO M3 MANUAL DO USUÁRIO DO M3 1 CADASTROS 1.1 Clientes Abre uma tela de busca na qual o usuário poderá localizar o cadastro dos clientes da empresa. Preencha o campo de busca com o nome, ou parte do nome, e

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DOS ESTADOS DE RONDÔNIA E ACRE -CRF-RO/AC

CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DOS ESTADOS DE RONDÔNIA E ACRE -CRF-RO/AC Edital nº02/2008 DO PROCESSO SELETIVO 02/2008 CRF/RO-AC DE 07 DE NOVEMBRO DE 2008 ABERTURA. A Presidente do Conselho Regional de Farmácia dos Estados de Rondônia e Acre, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Outubro de 2007 Resumo Este white paper explica a função do Forefront Server

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.638, DE 28 DEZEMBRO DE 2007. Mensagem de veto Altera e revoga dispositivos da Lei n o 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA LOTE ITEM UN DESCRIÇÃO QUANTIDADE ENVIO DE MENSAGENS SHORT MESSAGE. no N

TERMO DE REFERÊNCIA LOTE ITEM UN DESCRIÇÃO QUANTIDADE ENVIO DE MENSAGENS SHORT MESSAGE. no N TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ENVIO DE MENSAGENS SMS SHORT MESSAGE SERVICE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Responsável: Superintendência Central de Governança Eletrônica Objeto LOTE ITEM

Leia mais

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0 G-Bar Software para Gerenciamento de Centrais de Corte e Dobra de Aço Módulo Básico Versão 4.0 Pedidos de Vendas Manual do Usuário 1 As informações contidas neste documento, incluindo links, telas e funcionamento

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - ESCOLA DE ATIVISMO. 31 de dezembro de 2012 SUMÁRIO

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - ESCOLA DE ATIVISMO. 31 de dezembro de 2012 SUMÁRIO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - ESCOLA DE ATIVISMO 31 de dezembro de 2012 SUMÁRIO BALANÇO PATRIMONIAL 02 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO PERÍODO 03 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 04 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Versão 30/06/2014 FOR Segurança Eletrônica Rua dos Lírios, 75 - Chácara Primavera Campinas, SP (19) 3256-0768 1 de 12 Conteúdo A cópia total ou parcial

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Roteiro (1) Método para Modelagem de Casos De Uso Estudo de Caso: Sistema de Controle para Videolocadora Levantamento Inicial dos Casos de Uso Identificação dos Casos

Leia mais

CORRETORA DE CÂMBIO TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S/A REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO

CORRETORA DE CÂMBIO TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S/A REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO Esta Sociedade Corretora, em atenção ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03 da CVM, define através deste documento, suas regras e parâmetros relativos ao recebimento,

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE SOFTWARE HOUSES COM PRODUTOS E APLICAÇÕES DE EDI NO PADRÃO DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA BRASILEIRA

PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE SOFTWARE HOUSES COM PRODUTOS E APLICAÇÕES DE EDI NO PADRÃO DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA BRASILEIRA PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE SOFTWARE HOUSES COM PRODUTOS E APLICAÇÕES DE EDI NO PADRÃO DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA BRASILEIRA Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho da Comissão de Normas

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Simulado ITIL V3 Português Sicoob

Simulado ITIL V3 Português Sicoob Simulado ITIL V3 Português Sicoob Dezembro 2009 1 de 40 A Implementação do Gerenciamento de Serviços Baseados na ITIL requer preparação e planejamento do uso eficaz e eficiente de quais dos seguintes?

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

PORTARIA TC Nº 437, 23 DE SETEMBRO DE 2015

PORTARIA TC Nº 437, 23 DE SETEMBRO DE 2015 PORTARIA TC Nº 437, 23 DE SETEMBRO DE 2015 Disciplina os procedimentos para gestão de incidentes de segurança da informação e institui a equipe de tratamento e resposta a incidentes em redes computacionais

Leia mais

ITIL Overview. Gestão de Serviços de TI

ITIL Overview. Gestão de Serviços de TI ITIL Overview Gestão de Serviços de TI Sobre a ILUMNA Atuando na área Gerenciamento de Serviços em TI (ITSM) desde 1997, a ILUMNA presta serviços de Consultoria, Educação e Tecnologia, com o objetivo de

Leia mais

MUNICÍPIO DE I ENA RO CONCUR O P ICO N

MUNICÍPIO DE I ENA RO CONCUR O P ICO N MUNICÍPIO DE I ENA RO CONCUR O P ICO N TARDE CARGO: MECÂNICO GERAL Texto I para responder às questões de 01 a 08. Manifestações no Brasil: quais as razões? O início das manifestações populares no Brasil,

Leia mais

Guia para Comprovação de Investimentos

Guia para Comprovação de Investimentos Guia para Comprovação de Investimentos 1 2 4 5 Introdução Acompanhamento na Fase de Análise ETAPA 1 Comprovação Financeira ETAPA 2 Comprovação Física ETAPA Comprovação Jurídica ETAPA 4 Liberação Penalidades

Leia mais

Unidade IV CONTABILIDADE SOCIETÁRIA. Profa. Divane Silva

Unidade IV CONTABILIDADE SOCIETÁRIA. Profa. Divane Silva Unidade IV CONTABILIDADE SOCIETÁRIA Profa. Divane Silva A disciplina está dividida em 04 Unidades: Unidade I 1. Avaliação de Investimentos Permanentes Unidade II 2. A Técnica da Equivalência Patrimonial

Leia mais

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 04 NOVEMBRO / 2009 O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material:

Leia mais

ANEXO PE, EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010

ANEXO PE, EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010 ANEXO PE, EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010 1 Identificação da entidade 1.1 Designação da entidade APOTEC Associação Portuguesa de Técnicos de Contabilidade 1.2 Sede Rua Rodrigues Sampaio, 50-3º-Esq. 1169-029

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES WINDOWS 8

CADERNO DE QUESTÕES WINDOWS 8 CADERNO DE QUESTÕES WINDOWS 8 1) No sistema operacional Microsoft Windows 8, uma forma rápida de acessar o botão liga/desliga é através do atalho: a) Windows + A. b) ALT + C. c) Windows + I. d) CTRL +

Leia mais

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Suporte Técnico A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Horário de Atendimento De segunda-feira à sexta-feira das 09:00 ás 19:00

Leia mais

TELEFONES: (0XX11) 3175 5353 Mesa de Operações - FAX: (0XX11) 3283 5849

TELEFONES: (0XX11) 3175 5353 Mesa de Operações - FAX: (0XX11) 3283 5849 1 REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO BOVESPA TELEFONES: (0XX11) 3175 5353 Mesa de Operações - FAX: (0XX11) 3283 5849 ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. nº 4-3 com sede no Município de São

Leia mais

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini SI- Sistemas de Informação Professora: Mariana A. Fuini INTRODUÇÃO A informação é tudo na administração de uma organização. Mas para uma boa informação é necessário existir um conjunto de características

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 10. Pagamento Baseado em Ações

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 10. Pagamento Baseado em Ações COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 10 Pagamento Baseado em Ações Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IFRS 2 Descrição Item Objetivo 1 Escopo 2 6 Reconhecimento

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

Por que utilizar o modelo ITIL

Por que utilizar o modelo ITIL Por que utilizar o modelo ITIL... O que não é definido não pode ser controlado... O que não é controlado não pode ser medido... O que não é medido não pode ser melhorado Empregado para definir, controlar,

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. NÃO ESQUEÇA de assinar a LISTA DE PRESENÇA.

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. NÃO ESQUEÇA de assinar a LISTA DE PRESENÇA. INSTRUÇÕES Verifique, com muita atenção, este Caderno de QUESTÕES que deve conter 14 (quatorze) questões, sendo 03 (três) de Língua Portuguesa e 10 (dez) de Conhecimentos Específicos e 1 (uma) questão

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack Declaração do Escopo do Projeto SysTrack Nome do Projeto: SysTrack Versão do Documento: 1.0 Elaborado por: André Ricardo, André Luiz, Daniel Augusto, Diogo Henrique, João Ricardo e Roberto Depollo. Revisado

Leia mais

ANEXO III ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA.

ANEXO III ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA. EDITAL CONCORRÊNCIA 01/2015 ANEXO III ESPECIFICAÇÃO REQUERIDA DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA. Este Anexo apresenta as especificações requeridas para o Sistema de Bilhetagem Eletrônica SBE a ser implantado

Leia mais

IPC Concursos CEF 2014. Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas.

IPC Concursos CEF 2014. Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas. BRB 2011 Cespe Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas. A respeito da estrutura do Sistema Financeiro Nacional (SFN),julgue os itens a seguir. 1. Ao Conselho Monetário

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Capital

Estrutura de Gerenciamento de Capital Estrutura de Gerenciamento de Capital Estrutura de Gerenciamento de Capital Controle do documento Data Autor Versão Junho/2012 Compliance 001 Agosto/2013 Risk Management 002 Agosto/2014 Risk Management

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 02: BALANÇO PATRIMONIAL. É a apresentação padronizada dos saldos de todas as contas patrimoniais, ou seja, as que representam

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S.

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Disciplina: Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 4: Trilhas de Auditoria Existe a necessidade

Leia mais

PAINEL MANDIC CLOUD. Mandic. Somos Especialistas em Cloud. Manual do Usuário

PAINEL MANDIC CLOUD. Mandic. Somos Especialistas em Cloud. Manual do Usuário Mandic. Somos Especialistas em Cloud. PAINEL MANDIC CLOUD Manual do Usuário 1 BEM-VINDO AO SEU PAINEL DE CONTROLE ESTE MANUAL É DESTINADO AO USO DOS CLIENTES DA MANDIC CLOUD SOLUTIONS COM A CONTRATAÇÃO

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 02 Auditoria. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 02 Auditoria. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 02 Auditoria Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Evolução / Necessidade Empresas com Capital Fechado Aumento da concorrência Investimento em

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16. Estoques. Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 2 (IASB)

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16. Estoques. Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 2 (IASB) COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 Estoques Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 2 (IASB) Índice Item OBJETIVO 1 ALCANCE 2 5 DEFINIÇÕES 6 8 MENSURAÇÃO

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Desenvolvido por Hamilton Dias (31) 8829.9195 Belo Horizonte hamilton-dias@ig.com.br www.h-dias.cjb.net ÍNDICE Introdução...3 Implantação...3 Instalação...3

Leia mais

G-Bar IGV. Instalação Versão 4.0

G-Bar IGV. Instalação Versão 4.0 G-Bar Software para Gerenciamento de Centrais de Corte e Dobra de Aço IGV Software Interpretador/ Gerenciador/ Visualizador de dados digitais de projetos CAD-TQS Instalação Versão 4.0 Manual do Usuário

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais