Algarve Digital um projecto único, para uma sociedade global.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Algarve Digital um projecto único, para uma sociedade global."

Transcrição

1

2 2 Algarve Digital um projecto único, para uma sociedade global.

3 Projectar o Algarve no Futuro ALGARVE DIGITAL UM PROJECTO ÚNICO, PARA UMA SOCIEDADE GLOBAL. Contribuir para consolidação da identidade regional, disponibilizando aos cidadãos as ferramentas necessárias para a utilização das tecnologias de informação e conhecimento (TIC) é um dos valores defendidos pelo Projecto Algarve Digital. Ao dotar a região das necessárias infra-estruturas tecnológicas, como o Centro de Dados Regional e as Redes Camarárias, o Projecto Algarve Digital assumiu ainda um impacto na economia regional e local, que se pretende cada vez mais determinante. Distinguido pela Microsoft como um dos projectos tecnológicos que implementou as melhores práticas de utilização de tecnologia na Administração Local, o Algarve Digital criou de raiz 12 sites camarários onde os munícipes têm a possibilidade de aceder online a diversos serviços, ligou mais de 150 edifícios, por banda larga, nos 16 municípios algarvios e instalou quiosques de acesso à Internet e pontos de acesso gratuitos (Hotspots) em todos os concelhos algarvios. Considerado um dos maiores sucessos do Projecto Algarve Digital, o Portal Regional funciona como um portal agregador de serviços de âmbito regional e disponibiliza informação georreferenciada de milhares de pontos de interesse, acompanhados de conteúdos e fotografias. O centro de dados, uma das mais modernas estruturas informáticas do sul do país, posiciona-se como Centro de Incubação Tecnológica, alojando para além do Portal regional, o portal de Turismo, os sítios autárquicos os 27 sites da sociedade civil e o sub-projecto da Diocese. O portal de Turismo, o único portal estruturado para esse sector no Algarve, pelos seus conteúdos relevantes para a descoberta da região, natureza bilingue e serviços que oferece é uma mais valia para o sector turístico (e não só). Por estas e muitas outras medidas implementadas, o Algarve Digital não é um projecto Passado e dado como concluído, mas ainda necessário no Presente e desejado no Futuro.

4 índice FICHA TÉCNICA: Propriedade e Coordenação Editorial: Globalgarve, Cooperação e Desenvolvimento, SA Conteúdos: CNA, Produtos de Comunicação, Lda Design e paginação: CMDesign/CNA Fotografia: Arquivo CNA, F32 Impressão: Gráfica Comercial

5 Algarve Digital MAPA DE INVESTIMENTOS Vertentes Sub-Projectos Valor Dinamização Regional Descobrir e Divulgar a região ,91 Participar na Região ,55 Gov. Electrónico Local em Banda Larga Sítios Internet Autárquicos Serviços online Intranet autárquica Document Flow Piloto Portal de Compras On-Line ,23 Acessibilidades Pontos de Acesso de Banda Larga ,51 Infra-estruturas Plataforma tecnológica Regional (Centro de Dados) ,46 Rede Camarária em Banda Larga ,67 Sectoriais e Locais Projectos RTA ,24 Projecto Pólo Geográfico Regional ,63 Projecto Diocese do Algarve ,42 Dinamização Sub-Projecto de animação e divulgação ,69 Estrutura central Despesas de funcionamento ,53 TOTAL ,84 3

6 4

7 Dinamizar o Algarve O OBJECTIVO ERA PARTILHAR INTERESSES E CRIAR UMA IDENTIDADE REGIONAL GLOBAL Com o sub-projecto Dinamização Regional pretendia-se elaborar um conjunto de conteúdos e serviços acessíveis digitalmente, devidamente categorizados, através de um portal regional. Com o sub-projecto Dinamização O objectivo principal Regional era pretendia-se fomentar a elaborar interactividade e serviços entre os acessíveis promotores digitalmente, do projecto devidamen- e os seus um conjunto de conteúdos te categorizados, através utilizadores, de um portal no sentido regional. de partilhar interesses e O objectivo principal era criar fomentar uma identidade a interactividade regional entre global. os promotores do projecto e os seus Para utilizadores, tal, era imprescindível no sentido de disponibilizar partilhar interesses e criar uma identidade mações regional sobre global. o Algarve e a vida local e simul- infor- Para tal, era imprescindível taneamente disponibilizar prover a informações região de um sobre conjunto o Algarve e a vida local e simultaneamente serviços on-line prover que permitissem a região de à um comunidade conjunto de de serviços on-line que participar permitissem na vida à comunidade pública local. participar na vida pública local. O Projecto Algarve Digital obedeceu a estes O Projecto Algarve Digital pressupostos obedeceu e a criou estes o pressupostos Portal Regional e criou www. o Portal Regional considerado um dos maiores sucessos do Programa. sucessos Paralelamente, do Programa. criou e Paralelamente, desenvolveu projectos criou e Web destinados à sociedade desenvolveu civil, apoiando projectos um Web total destinados 27 sites. à sociedade civil, e acessível apoiando pela um Internet: total de sites 26 sites. com conte- O resultado final está visível údos relevantes e actualizados, O resultado estruturação final está visível apelativa, e acessível simples pela e coerente, sempre com a possibilidade ternet: sites com de realizar conteúdos operações relevantes on-line. e In- actu- 5

8 Uma porta sempre aberta O PORTAL POSSUI UM DESIGN LEVE E FUNCIONAL QUE VAI DE ENCONTRO ÀS EXPECTATIVAS DOS VISITANTES Um dos maiores sucessos do Projecto Algarve Digital, o Portal Regional funciona como um portal agregador de serviços de âmbito regional, disponibilizando informação relacionada com as farmácias de serviço e condições meteorológicas, assim como a localização interactiva dos pontos de acesso à banda larga. Como porta de entrada para o Algarve, o Portal dedica especial relevância aos conteúdos sobre a região, actualizando constantemente notícias sobre acontecimentos estruturantes, roteiros de visita e mapas interactivos e cuja natureza bilingue permite que sejam consultados não só pelos residentes como pelos turistas que desejem visitar o Sul do país. Concebido para ser visualmente atractivo, o Portal Algarve Digital possui um design leve e funcional que vai de encontro às expectativas do crescente número de visitantes. A escolha por esta imagem gráfica assentou nos requisitos da web 2.0., com headers grandes, cores fortes e linhas arredondadas. Ao nível da promoção, o desenvolvimento do Portal Regional fundamentou-se ainda numa série de funcionalidades que permitissem, em tempo real, uma correcta divulgação dos produtos na Web, através de uma estratégia concertada de marketing tecnológico, nomeadamente Keyword Research, Optimização do Código do Site e Web Analytics. Procedeu-se assim à indexação do Portal e dos mapas interactivos no Google, o motor de busca mais utilizado a nível mundial. Palavras como Algarve, mapas Algarve, Mapas, hotspots Algarve ou Bob Sinclair Algarve aparecem sempre em lugares de topo, muitas vezes à frente de sites institucionais e de comunicação com grande tradição e peso na região. O Portal oferece ainda aos seus utilizadores um conjunto de serviços com vista à promoção da região e do próprio Portal, como directório com links, destaques culturais, notícias e vídeo sobre o projecto Algarve Digital, enviando mensalmente para mais de 1700 subscritores uma newsletter sobre o projecto e os acontecimentos da região. 6

9 Sociedade civil na Web OS APOIOS À SOCIEDADE CIVIL SÃO UM MARCO IMPORTANTE NO DESENVOLVIMENTO DO ALGARVE DIGITAL E, NO TOTAL, FORAM 27 OS PROJECTOS APOIADOS Os apoios à sociedade civil são um marco importante no desenvolvimento do Algarve Digital e, no total, foram 27 os projectos apoiados. No intuito de reforçar a implementação e reformulação da sua presença na Web, o Projecto procedeu à criação ou reformulação dos apoios solicitados, mediante o levantamento das necessidades de cada um. Com vista à simplificação dos procedimentos de gestão e uma maior eficácia na passagem da informação, os sites disponibilizam aos seus utilizadores dados diversos sobre a organização, bem como várias funcionalidades, como campo de pesquisa, contactos e mapa do site. De realçar que o alojamento destes sites é feito no Centro de Dados Regional do Algarve Digital. Apoios à Sociedade Civil Mar Algarvio, da responsabilidade da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (www.maralgarve.com) ACRAL Associação dos Comerciantes da Região do Algarve (www.acral.pt) Alcance Associação para o Desenvolvimento do Nordeste Algarvio (www.alcance-alcoutim.com) ASA Associação do Sotavento Algarvio (www.eastalgarve.com) CASCD Centro de Acção Social Cultura e Desporto dos Trabalhadores da Saúde e Segurança Social do Distrito de Faro (www.cascdalgarve.org) CIMAAL Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Consumo do Algarve (www.cimaal.pt) Globalgarve, S.A. Agência de Desenvolvimento Regional (www.globalgarve.pt) Odiana Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana (www.odiana.pt) RUA FM Rádio Universitária do Algarve (www.rua.pt) AMAL Grande Área Metropolitana do Algarve (www.amal.pt) AmbiFaro Agência para o Desenvolvimento Económico de Faro, S.A. (www.ambifaro.org) Casa dos Rapazes Instituto D. Francisco Gomes (www.casadosrapazes.com) Associação de Comerciantes da Baixa de Faro (www.baixafaro.com) Vicentina Associação para o desenvolvimento do Sudoeste (www.vicentina.org) INUAF Instituto Superior Dom Afonso III (www.inuaf-studia.pt) APEXA Associação de Apoio à Pessoa Excepcional do Algarve (www.apexa.org) Governo Civil Faro (www.gov-civil-faro.pt) Associação dos Amigos da Cortelha (www.amigosdacortelha.pt) Tertúlia Algarvia Centro de Conhecimento em Cultura e Alimentação Tradicional do Algarve (www.tertulia-algarvia.pt) Algarve Film Comission (www.algarvefilm.com) AIRA Associação da Imprensa Regionalista Algarvia (www.aira.pt) Associação In Loco (www.in-loco.pt/site/) Cumeadas Associação de Proprietários florestais (www.cumeadas.pt) ATBG Associação Terras do Baixo Guadiana (www.atbaixoguadiana.pt) ASMAL Associação de Saúde Mental do Algarve (www.asmal.org.pt) Solidus (www.solidus.pt) Ecovias do Algarve 2ª fase (www.ecoviasalgarve.org) 7

10

11 Governo Electrónico PARALELAMENTE, PRETENDE-SE ESTIMULAR E REFORÇAR A CONFIANÇA DA COMUNIDADE ALGARVIA E MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA As acções desenvolvidas no sub-projecto Governo Electrónico Local em Banda Larga visam, em larga medida, a implementação das novas tecnologias de informação e a sua utilização pela Administração Pública local. Paralelamente, pretende-se reforçar o atendimento prestado pelas autarquias aos cidadãos, ao dotar as Câmaras Municipais de páginas na Internet, devidamente estruturadas e com conteúdos de interesse, e disponibilizar aos cidadãos o download de impressos, formulários e outros serviços de natureza autárquica. Só assim será possível garantir a qualidade, modernização e optimização dos serviços prestados pela Administração Pública e estimular a confiança da comunidade algarvia nestes serviços. 9

12 Autarquias de portas abertas O ALGARVE DIGITAL PROCEDEU À RENOVAÇÃO DOS SITES AUTÁRQUICOS ALGARVIOS, CRIANDO INCLUSIVE DE RAIZ 12 PORTAIS A renovação dos sites autárquicos era essencial para atingir os objectivos a que o Projecto Algarve Digital se propunha. Era necessário que os sites fossem de acesso rápido e fácil, com conteúdos e serviços de interesse para os munícipes e para quem visita os concelhos. Pretendia-se a transparência da informação, a oferta de um vasto leque de serviços online e ferramentas de administração mais eficazes. Assim, procedeu-se à renovação dos sites autárquicos algarvios, criando inclusive de raiz 12 portais. Actualmente, as 16 autarquias algarvias têm presença na Web e disponibilizam diversas funcionalidades, como contactos telefónicos e endereços de , envio de sugestões ou reclamações e diversa informação (formulários, actas ou deliberações) para consulta ou download. Ao navegar nos sites, o utilizador terá acesso a agenda completa da autarquia, soluções de alojamento ou gastronomia, previsão meteorológica ou horário das farmácias de serviço, sendo que todos os conteúdos estão em constante actualização na expectativa de ir ao encontro das necessidades e interesses de quem os consulta/utiliza. Alojados no Centro de Dados regional, os sites autárquicos desenvolvidos pelo Algarve Digital mereceram diversas provas de reconhecimento. Destaque-se o estudo promovido pelo Instituto Superior de Economia e Gestão que avaliou parâmetros como a navegação e informação disponibilizada nas páginas das 308 autarquias nacionais e classificou os sites dos Municípios de Faro, Vila Real de Santo António e Albufeira nas 2ª, 4ª e 12ª posições, respectivamente. Este ranking levou em consideração cinco critérios fundamentais para classificar a maturidade dos serviços de informação das autarquias: a presença na Internet, a informação sobre o concelho, a navegação, a informação sobre os eleitos, informação municipal e a abertura ao munícipe. De salientar que, segundo este estudo, os municípios algarvios tiveram a maior subida a nível nacional na maturidade dos sites, com uma melhoria de aproximadamente 44%. 10

13 11

14 Serviços on-line OS WEBSERVICES PERMITEM O ACESSO DO UTILIZADOR, MEDIANTE REGISTO E ACESSO A ÁREA RESERVADA, A DIVERSOS SERVIÇOS ONLINE No âmbito da agilização e modernização tecnológica dos serviços de Administração Pública, o Algarve Digital, através do sub-projecto de Serviços Online, disponibilizou um conjunto de serviços nos sites autárquicos das respectivas câmaras municipais. Compatíveis com o software de gestão autárquica, os webservices permitem o acesso do utilizador, mediante registo e acesso a área reservada, a diversos serviços online, dos quais se destacam: -Preenchimento e submissão on-line de formulários/requerimentos para instrução de processos de vários tipos (obras particulares, serviços de fornecimento de água, taxas e licenças, pedidos de certidões, etc.); - Consultas de Processos/Requerimentos no que diz respeito à sua circulação, ao seu estado, aos seus despachos, deliberações e notificações; - Consulta de agendas e pedido de agendamento de marcações; - Consulta de dados pessoais e possibilidade de solicitar a sua alteração (como por exemplo a alteração de morada) - Subscrição de boletins electrónicos e alertas; - Mapas Interactivos dos Concelhos; - Meteorologia e Farmácias de Serviços em cada concelho; - Pagamentos de Serviços (Emissão de Plantas de Localização, Compra de Cadernos de Encargos). Como aceder aos serviços Online: Para aceder à ferramenta, o utilizador deverá indicar o e- mail e password desejada e registar-se no site autárquico. O registo inicial é de nível um, o que permite, entre outros serviços, participar ocorrências, enviar leituras do contador de água e subscrever alertas e boletins. Para acesso a outros serviços, nomeadamente consulta de processos ou entrega de formulários e requerimentos, é necessário um registo nível dois, que o utilizador poderá realizar ao dirigir-se à autarquia respectiva e facultando os documentos de identificação. De referir que o registo possibilita o acesso a todos os sites autárquicos desenvolvidos no âmbito do projecto Algarve Digital. 12

15 Ferramentas de Intranet O OBJECTIVO É FACILITAR A COMUNICAÇÃO ENTRE OS DIVERSOS SERVIÇOS DAS AUTARQUIAS E PROMOVER UMA MELHORIA NO ATENDIMENTO AOS MUNÍCIPES Com vista a uma solução de intranet autárquica, o Algarve Digital dotou as Câmaras Municipais de uma poderosa ferramenta comunicacional com front-end Web, que disponibiliza funcionalidades de difusão de informação e mecanismos de colaboração para os funcionários. O objectivo é facilitar a comunicação entre os diversos serviços das autarquias e, consequentemente, promover uma melhoria no atendimento aos munícipes. De forma prática e simples com recurso aos browsers Internet considerados actualmente como um ambiente universal -, a ferramenta possibilitou a integração dos mais comuns canais de comunicação electrónica numa plataforma simples (SMS, e- mail, voic , entre outros). Entre outras funcionalidades, os funcionários autárquicos têm agora ao seu dispor serviços de groupware, como gestão de tarefas, calendário e fóruns, e a sua interacção com as aplicações autárquicas de backoffice. 13

16 Document Flow O OBJECTIVO É FACILITAR A GESTÃO E O ACESSO DE TODOS OS DOCUMENTOS INTERNOS ATRAVÉS DE UM SISTEMA INFORMATIZADO Com vista a facilitar a gestão e o acesso de todos os documentos internos através de um sistema informatizado, o Algarve Digital desenvolveu uma solução de Gestão Documental e de Workflow. Facilmente integrada nas soluções de backoffice autárquicas disponíveis, a ferramenta foi implementada nos municípios de Albufeira, Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Monchique, Olhão, S. Brás de Alportel, Silves, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António. De referir que, nalguns Municipios, o Algarve Digital apoiou inclusive a aquisição de equipamentos de digitalização (scanners). Entre outras funcionalidades, as autarquias dispõem actualmente de sistema completo de Gestão Documental que permite: - Registar e controlar a circulação dos documentos (entre os diversos departamentos da autarquia e o exterior) - Controlar o percurso dos documentos bem como as respostas a esses documentos; - Digitalizar e classificar os documentos (diversos mapeamentos por assuntos e tipos de processos). 14

17 Central de Compras On-line O PRIMEIRO LEILÃO INFORMÁTICO GEROU UMA POUPANÇA DE 98 MIL EUROS No âmbito do projecto Algarve Digital e com a colaboração da Junta Metropolitana do Algarve (AMAL), realizou-se um projecto piloto que visou, entre outros, avaliar os benefícios económicos potenciados pela racionalização da estrutura de custos e pela agregação de compras em determinadas categorias. De realçar que este projecto-piloto culminou com a realização do primeiro leilão informático onde foi possível obter uma poupança de ,00 em material de escritório para as autarquias algarvias. Esta poupança justifica-se na medida em que foi possível ajustar em tempo real os preços consoante a disponibilidade dos fornecedores. O leilão decorre sobre a forma de negociação dinâmica através de um sistema de leilões inversos onde as autarquias anunciam uma intenção de compra conjunta e os fornecedores competem para oferecer os produtos aos melhores preços. As vantagens são inúmeras: - Aumentar a eficiência no processo aquisitivo permitindo o acréscimo de poupanças; - Aprofundar o conhecimento da estrutura de custos e dos processos aquisitivos actuais; - Desenvolver competências internas nas entidades envolvidas; - Construir uma base de conhecimento de melhores práticas de compras e adequar o enquadramento legal a incorporar no modelo operacional; Por todos estes benefícios, as autarquias, em sede da AMAL, decidiram em conjunto avançar para a segunda fase deste projecto e passar à concretização da plataforma de compras agregadas on-line para os próximos anos. 15

18 16

19 Internet para todos UMA FERRAMENTA INDISPENSÁVEL PARA FACILITAR O ACESSO À WEB E PROMOVER A COESÃO DIGITAL Dirigido à comunidade em geral, o sub-projecto Acessibilidades pretendeu generalizar o acesso à Internet de Banda Larga e criar uma maior predisposição para a utilização das TIC Tecnologias de Informação e Comunicação. Ao dispor de todos os cidadãos, gratuitamente, estes acessos à Internet foram uma ferramenta indispensável para facilitar o acesso à Web, e simultaneamente promover a coesão digital e combater a info-exclusão. 17

20 Rede Regional de Hotspots ALGUNS LOCAIS ULTRAPASSARAM AS EXPECTATIVAS DE UTILIZAÇÃO (ODECEIXE, ALTURA ) E EXISTEM INÚMEROS PEDIDOS DE APOIO TÉCNICO Como um dos sub-projectos mais relevantes do Algarve Digital, pelo forte impacto junto do público, os hotspots são locais de acesso gratuito à Internet de banda larga através da tecnologia wireless (rede sem fios), permitindo o acesso à Internet a qualquer pessoa que possua um computador portátil ou PDA, no raio de influência de 300m. Os pontos de acesso em Banda Larga estão localizados nos 16 concelhos do Algarve - Albufeira, Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Monchique, Olhão, Portimão, S. Brás de Alportel, Silves, Tavira, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António e estão assinalados através de totens informativos. Alguns locais ultrapassaram as expectativas de utilização (Odeceixe, Altura ) e existem inúmeros pedidos de apoio técnico, desde autarquias a zonas comerciais e hoteleiras, para alargar nº de zonas Wi-Fi, o que é revelador do grande impacto que este serviço possui. 18

21 -227,850.2 Quiosques Públicos OS QUIOSQUES PÚBLICOS SÃO UM MODELO ACTUALIZADO DE MOBILIÁRIO URBANO, VISUALMENTE ATRAENTE E QUE GARANTEM O CONFORTO DOS UTILIZADORES -79,919.2 O sub-projecto Acessibilidades visou também a instalação de quiosques públicos, -317,157.5 dotados de computadores, e que possuem a dupla função de facilitar o acesso ao Mapas do Algarve Escala:1: utilizador e ainda, sinalizar a localização dos hotspots. Titulo: No acto de instalação, a Globalgarve revelou preocupações estéticas e ergonómicas, pelo que os quiosques públicos são um modelo actualizado de mobiliário urbano, visualmente atraente e que garantem o conforto dos utilizadores. O Portal Regional disponibiliza para consulta e download a localização de todos os pontos de acesso à Internet no Algarve, permitindo aos utilizadores a escolha do concelho ou uma pesquisa directa global por termos e localização. Listados os resultados, o utilizador pode consultar outros detalhes de um determinado ponto de acesso ao efectuar uma pesquisa avançada, de forma a filtrar os resultados de acordo com as suas preferências. Actualmente, estão identificados 125 locais onde existe acesso à Internet através do sistema Wi-Fi em toda a região (gratuitos e não gratuitos) e a lista está disponível para ser descarregada de forma a facilitar a localização aos cibernautas, tanto residentes como visitantes e turistas (www.algarvedigital.pt). 64,

22 20

23 A base do Projecto Algarve Digital AS INFRA-ESTRUTURAS SÃO ESSENCIAIS PARA LEVAR A CABO AS INICIATIVAS DE MODERNIZAÇÃO TECNOLÓGICA A base do projecto Algarve Digital é, sem dúvida, as infra-estruturas, essenciais para levar a cabo as iniciativas de modernização tecnológica a que o programa se dispunha. Para tal, foi criada uma infra-estrutura tecnológica central que serviu de base a todos os outros sub-projectos o Centro de Dados. O Centro de Dados assegurou a flexibilidade de crescimento necessária e permitiu o avanço dos sub-projectos de dinamização regional e locais. A complementar esta estrutura, o Algarve Digital procedeu à ligação, por banda larga, de edifícios municipais de todos os concelhos da região. Mais de 150 edifícios estão agora ligados entre si, tendo sido garantido o primeiro patamar para a agilização dos serviços de Administração Pública. 21

24 O coração do Algarve Digital O CENTRO DE DADOS REGIONAL É CONSIDERADO COMO O PONTO NEVRÁLGICO DO ALGARVE DIGITAL Considerado como o ponto nevrálgico do Algarve Digital, o Centro de Dados regional funciona como a estrutura técnica central e suporta toda a recolha, gestão e armazenamento da informação relativa ao Algarve Digital e os projectos que este apoia. Arquitectado com os equipamentos mais actuais do mercado, o Centro de Dados é constituído por três partes: o espaço físico - um ambiente controlado com sistema de alimentação ininterrupta, extinção de incêndios, entre outras funcionalidades; uma infra-estrutura de comunicações - Routing, Switching e Firewall; e a infra-estrutura de equipamentos servidor e de armazenamento de dados o coração do Algarve Digital. Esta é a estrutura mais moderna a Sul do Tejo e posiciona-se como parceiro na criação de um Centro de Inteligência Tecnológica/Centros de Incubação Tecnológica, permitindo a prestação de serviços neste âmbito, como por exemplo, housing, DNS e . Alvo de sistemáticas actualizações, quer na capacidade de processamento e de armazenamento, quer na conectividade com a Internet, por força do desenvolvimento do projecto, a plataforma tecnológica assegura deste modo a flexibilidade de crescimento necessária e a independência em relação ao equipamento terminal e aos suportes físicos de informação. Dadas as condições tecnológicas, o Centro de Dados do Algarve Digital aloja cerca de 50 portais, entre os quais o portal regional Algarve Digital, o portal de turismo VisitAlgarve, os sites autárquicos, os projectos apoiados da sociedade civil e os projectos da Diocese do Algarve. DIAGRAMA DO CENTRO DE DADOS 22

25 Redes Camarárias O PROJECTO REDES CAMARÁRIAS OBTEVE UM ENORME SUCESSO E O SEU DESENVOLVIMENTO EXCEDEU AS EXPECTATIVAS Ligar em banda larga os edifícios municipais das 16 autarquias do Algarve - este era o objectivo do projecto Redes Camarárias. O projecto obteve um enorme sucesso e o seu desenvolvimento excedeu as expectativas: foram ligadas por banda larga mais de 150 edifícios dos diversos concelhos, tendo sido a previsão inicial do número de estruturas a interligar largamente ultrapassada. Para além do aumento da largura de banda de acesso à internet e conectividade entre sistemas de informação nos diferentes edifícios autárquicos, as vantagens são imensas, com destaque para a diminuição de custos de comunicações de voz e dados, aumento da eficácia de processos administrativos internos e maior velocidade de transmissão de dados. O desenvolvimento desta iniciativa permitiu a implementação de um conjunto alargado de serviços e de que são exemplo os projectos Intranet Autárquica e Gestão Documental, bem como a implementação de Voz sobre IP e soluções integradas de backups. De referir que encontra-se em estudo a criação de uma rede regional de dados, utilizando para isso a rede de fibra óptica pertencente à empresa Águas do Algarve, o que irá permitir em larga escala a partilha de informação, salvaguardar dados e potenciar as relações entre municípios. DIAGRAMA DE LIGAÇÕES DE REDE 23

26 24

27 Sub-Projectos Sectoriais e Locais O PORTAL DE TURISMO DO ALGARVE E O PÓLO GEOGRÁFICO FORAM UM CONTRIBUTO INCONTESTÁVEL PARA O DESENVOLVIMENTO DIGITAL DA REGIÃO Numa perspectiva integrada e no sentido de complementar e dar coerência aos objectivos que regem o Algarve Digital, foram desenvolvidos diversos projectos, que pelo seu elevado interesse para a região, não poderiam deixar de ter o apoio do Projecto. O Portal de Turismo do Algarve e os sub-projectos Pólo Geográfico e Diocese do Algarve são apenas alguns exemplos das iniciativas abrangidas pelo Algarve Digital e que foram consideradas como um contributo incontestável para o desenvolvimento digital do sul do país. Contudo, não é suficiente dotar as instituições de condições tecnológicas, é também primordial participar activamente na sua divulgação. Atendendo a este pressuposto, o Algarve Digital recorreu a diversos suportes comunicacionais e, sob o mote aproximar a população das tecnologias de informação e conhecimento, procurou constantemente promover a sua utilização. 25

28 26

29 no Algarve O PORTAL DE TURISMO FOI UM DOS PROJECTOS APOIADOS DESDE O INÍCIO PELO ALGARVE DIGITAL O Algarve é um ponto de atracção turística por excelência. A qualidade das praias, dos serviços e a variedade de oferta que a região pode proporcionar deve estar sempre acessível à distância de um clique, daí a aposta num portal onde as várias potencialidades do sul de Portugal estão reunidas. O desenvolvimento de um Portal de Turismo foi um dos projectos apoiados desde o início pelo Algarve Digital, com vista à promoção da região e da sua oferta turística. O VisitAlgarve (www.visitalgarve.pt) proporciona aos visitantes a comodidade de poder alcançar toda a informação sobre o destino Algarve num único local. Alojado no Centro de Dados regional, o VisitAlgarve disponibiliza informação bilingue, em português e inglês, organizada em sete temas: Sol e Praia, Golfe, Turismo Activo, Natureza, Cultura, Animação e Congressos. Os utilizadores podem ainda descobrir a região através da História, Demografia e Geografia ou Roteiros. A agenda do que acontece no Algarve apresenta-se em actualização constante, sem esquecer os guias de contactos, serviços e alojamento. Para aqueles que querem espreitar a capital algarvia, está acessível uma webcam, cuja função é visualizar, em tempo real, os pontos estratégicos de Faro. O portal dispõe também de uma estação meteorológica com actualizações constantes sobre a temperatura da água do mar e do ar, humidade, pressão atmosférica, velocidade do vento e índice de precipitação. No sector turístico, o Algarve Digital apoiou ainda a criação do sítio institucional da RTA Região de Turismo do Algarve. O site engloba os dados mais relevantes sobre a instituição, desde indicações sobre a evolução do sistema de identidade e marca Algarve ou as competências da RTA e seu organograma, possuindo ainda uma secção dedicada aos antigos presidentes do organismo. O portal inclui igualmente uma secção relativa aos projectos e parcerias da RTA e uma área de informação turística sobre a região.. 27

30 GEO - Pólo Geográfico TORNOU-SE POSSÍVEL FAZER VISITAS VIRTUAIS AO ALGARVE E EXPLORAR A CARTOGRAFIA DA REGIÃO DE MODO ACESSÍVEL O sub-projecto Pólo Geográfico permitiu o desenvolvimento de diversas soluções ao nível dos SIG Sistemas de Informação Geográficos, tornando-se possível, por exemplo, fazer visitas virtuais ao Algarve. Tendo como base variada informação geográfica, com destaque para a ortofotocartografia à escala 1: (Instituto Geográfico Português), base de dados de topónimos (Instituto Geográfico do Exército) e cobertura de eixos de via da NavTeq (edição do quarto trimestre de 2005), e uma base de dados de pontos de interesse regionais, optou-se por desenvolver a plataforma sob um sistema de software aberto, cujas vantagens ao nível do desempenho e maturidade são inquestionáveis. A face mais visível desta plataforma é sem dúvida a aplicação de Mapas Interactivos que pode ser acedida através do Portal regional Algarve Digital ou directamente em A ferramenta dispõe de uma interface amigável que permite explorar a cartografia da região de modo acessível e disponibiliza uma panóplia de funcionalidades interactivas em constante evolução, não apenas ao nível da plataforma, como no que diz respeito aos conteúdos nela inseridos. O utilizador pode pesquisar através de pontos de interesse, como hotéis, serviços públicos, centros de saúde, etc, e definir a escala de visualização, consultar as coordenadas, verificar medidas de área, ou ainda criar mapas em formato PDF e imprimi-los ou enviá-los para amigos. Esta ferramenta disponibiliza também cartografia, com limites administrativos, estradas, caminhos-de-ferro, localidades e a rede hidrográfica principal, bem como o traçado da Ciclovia do Algarve, informação meteorológica e fotografias aéreas actualizadas de todo o Algarve. O sistema foi desenvolvido de forma a ser facilmente alargado para soluções a serem utilizadas para cada autarquia, e de que são exemplo a Câmara Municipal de Albufeira ou Lagoa, estando actualmente disponível também na língua inglesa. 28

As perguntas mais frequentes

As perguntas mais frequentes As perguntas mais frequentes Quais são os objectivos? www.algarvedigital.pt: Ponto de encontro entre os utilizadores a Administração Central e Administração Autárquica Modernização, desenvolvimento e afirmação

Leia mais

Algarve Digital Sessão de trabalho. Janeiro de 2006. Algarve Digital

Algarve Digital Sessão de trabalho. Janeiro de 2006. Algarve Digital Algarve Digital Sessão de trabalho Janeiro de 2006 Agenda Sessão Informativa Ponto de Situação geral do Projecto Algarve Digital Lançamento do Projecto Redes Camarárias Lançamento dos Projectos Intranet

Leia mais

Projectar o Algarve no Futuro

Projectar o Algarve no Futuro Projectar o Algarve no Futuro Os Novos Desafios do Algarve Região Digital paulo.bernardo@globalgarve.pt 25 Maio 2007 Auditório Portimão Arena Um mundo em profunda mudança O Mundo enfrenta hoje um processo

Leia mais

ONLINE. www.leiriareg iaodig ital.p t. Serviços on-line para cidadãos e empresas. Nerlei

ONLINE. www.leiriareg iaodig ital.p t. Serviços on-line para cidadãos e empresas. Nerlei www.leiriareg iaodig ital.p t U M ONLINE COM A R E G I Ã O A VIDA Leiria Região Digital Serviços on-line para cidadãos e empresas Nerlei Sumário Parceiros do Leiria Região Digital (LRD) Zona de abrangência

Leia mais

Leiria Região Digital

Leiria Região Digital U M A R E G I Ã O ONLINE COM A VIDA Leiria Região Digital Resultados 15 de Julho de 2008 Nerlei 1 Agenda Parceiros do Leiria Região Digital (LRD) Zona de abrangência Objectivos do LRD Resultados do projecto

Leia mais

Câmaras Municipais 2004

Câmaras Municipais 2004 Câmaras Municipais 2004 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação (Resultados Provisórios) Dezembro de 2004 BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência: Câmaras Municipais

Leia mais

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE SANTARÉM - R EVOLUÇÃO ADMINISTRATIVA A Autarquia de Santarém, em parceria com a PT Prime, desenvolveu um sistema de soluções integradas e inter-operantes que lhe possibilitaram operacionalizar

Leia mais

Os Sistemas de Informação Regionais das Cidades e Regiões Digitais na vertente Infraestrutural

Os Sistemas de Informação Regionais das Cidades e Regiões Digitais na vertente Infraestrutural Os Sistemas de Informação Regionais das na vertente Infraestrutural 1, 2 1 Instituto Politécnico de Tomar Tomar, Portugal 2 Centre of Human Language Tecnnology and Bioinformatics Universidade da Beira

Leia mais

» apresentação. WORKFLOW que significa?

» apresentação. WORKFLOW que significa? » apresentação WORKFLOW que significa? WORKFLOW não é mais que uma solução que permite sistematizar de forma consistente os processos ou fluxos de trabalho e informação de uma empresa, de forma a torná-los

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais

DISPONIBILIZAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO NA INTERNET. Investimento Elegível: 52.031,42 Comparticipação FEDER: 31.

DISPONIBILIZAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO NA INTERNET. Investimento Elegível: 52.031,42 Comparticipação FEDER: 31. DISPONIBILIZAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO NA INTERNET Tipologia 01.0526 Sistema de Apoio à Modernização Administrativa Beneficiário: Globalgarve, Cooperação e desenvolvimento,

Leia mais

O e-gov em Portugal. Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008

O e-gov em Portugal. Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008 O e-gov em Portugal Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008 O Plano Tecnológico é uma estratégia de mudança da base competitiva através do conhecimento, tecnologia e inovação 2 Conhecimento

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

SIMPLEX AUTARQUICO DO VALE DO MINHO

SIMPLEX AUTARQUICO DO VALE DO MINHO SIMPLEX AUTARQUICO DO VALE DO MINHO 2009 2010 MEDIDAS INTERSECTORIAIS: LICENÇAS, AUTORIZAÇÕES PRÉVIAS E OUTROS CONDICIONAMENTOS ADMINISTR ATIVOS SIMILARES Identificar e inventariar todas as licenças, autorizações

Leia mais

CONCURSO ESCOLAS DA NOVA GERAÇÃO REGULAMENTO

CONCURSO ESCOLAS DA NOVA GERAÇÃO REGULAMENTO CONCURSO ESCOLAS DA NOVA GERAÇÃO REGULAMENTO Enquadramento geral Um dos principais desafios que se colocam à sociedade portuguesa é o do desenvolvimento de uma Sociedade de Informação, voltada para o uso

Leia mais

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt Paulo Alves / CEO paulo.alves@proside.pt Sistemas Integrados de Atendimento O que fazemos A Empresa Concepção, Arquitectura e Implementação de Sistemas de Informação; Consultoria Tecnológica de Sistemas

Leia mais

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt Paulo Alves / CEO paulo.alves@proside.pt Sistemas Integrados de Atendimento O que fazemos A Empresa Concepção, Arquitectura e Implementação de Sistemas de Informação; Consultoria Tecnológica de Sistemas

Leia mais

Dados de Inquéritos sobre a Utilização de TIC na Administração Pública em 2011-12/01/2012

Dados de Inquéritos sobre a Utilização de TIC na Administração Pública em 2011-12/01/2012 Dados de Inquéritos sobre a Utilização de TIC na Administração Pública em 2011-12/01/2012 Todos os Organismos da Administração Pública Central e Regional e as Câmaras Municipais dispõem de ligações à Internet.

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS 2006

RELATÓRIO E CONTAS 2006 RELATÓRIO E CONTAS 2006 PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2007 Índice Geral 1. INTRODUÇÃO...3 2. ACTIVIDADE DESENVOLVIDA EM 2006...5 DINAMIZAÇÃO REGIONAL PORTAL REGIONAL... 5 SÍTIOS INTERNET AUTÁRQUICOS... 6 SERVIÇOS

Leia mais

ANEXO TURISMO SUSTENTÁVEL BASES PARA A DEFINIÇÃO DE UM PROGRAMA DE VER PLANTA CASAS E MONTES AGRÍCOLAS ESTRATÉGIA DE TURISMO SUSTENTÁVEL -

ANEXO TURISMO SUSTENTÁVEL BASES PARA A DEFINIÇÃO DE UM PROGRAMA DE VER PLANTA CASAS E MONTES AGRÍCOLAS ESTRATÉGIA DE TURISMO SUSTENTÁVEL - ANEXO BASES PARA A DEFINIÇÃO DE UM PROGRAMA DE TURISMO SUSTENTÁVEL VER PLANTA CASAS E MONTES AGRÍCOLAS ESTRATÉGIA DE TURISMO SUSTENTÁVEL - ANEXO AO RELATÓRIO 3 ANEXO AO RELATÓRIO 3_ PROGRAMA DE EXECUÇÃO

Leia mais

Resumo. 1. Enquadramento e antecedentes. Rui Pedro Julião*

Resumo. 1. Enquadramento e antecedentes. Rui Pedro Julião* Inforgeo, 2009, 17-25 INTERVENÇÕES RECENTES NO SNIG E DESAFIOS PARA O MERCADO DE IG Rui Pedro Julião* Resumo Com a entrada em vigor da Directiva INS- PIRE em Maio de 2007 veio consolidar-se a importância

Leia mais

A Estratégia de Lisboa. Plano Tecnológico. e o. Évora, SI@P 17 de Outubro de 2008

A Estratégia de Lisboa. Plano Tecnológico. e o. Évora, SI@P 17 de Outubro de 2008 A Estratégia de Lisboa e o Plano Tecnológico Évora, SI@P 17 de Outubro de 2008 1. Estratégia de Lisboa Estratégia de Lisboa : uma resposta a novos desafios A Globalização e a emergência de novas potências

Leia mais

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas & 1 Índice 2 Introdução...3 3 A Plataforma de Curricula DeGóis...3 3.1 É utilizada porque...3 3.2 Com a utilização do DeGóis ganho...4 3.1

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2008

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2008 Sociedade da Informação e do Conhecimento 04 de Novembro 2008 Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2008 Banda larga presente em 86% dos agregados domésticos

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação SABE 12-11-2007 2 Apresentação O conceito de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) que se

Leia mais

Vale do Minho Região Digital

Vale do Minho Região Digital Vale do Minho Região Digital A região digital do Vale do Minho é constituída pelos municípios de Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova de Cerveira e abrange uma área territorial de 813,6

Leia mais

CARTA DE QUALIDADE EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA DAS CASAS BRANCAS DO LITORAL ALENTEJANO E COSTA VICENTINA

CARTA DE QUALIDADE EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA DAS CASAS BRANCAS DO LITORAL ALENTEJANO E COSTA VICENTINA CARTA DE QUALIDADE EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA DAS CASAS BRANCAS DO LITORAL ALENTEJANO E COSTA VICENTINA I. CRITÉRIOS IMPERATIVOS Comprometo me a cumprir todos os critérios aqui descritos como imperativos,

Leia mais

Simplificação nas PMEs

Simplificação nas PMEs Simplificação nas PMEs Aproveitamento das Novas Tecnologias DGITA Portal Declarações Electrónicas Dezembro 2007 Simplificação nas PMEs - Aproveitamento das Novas Tecnologias 1 Agenda O que é a DGITA? Estratégia

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE POSTOS DE TURISMO

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE POSTOS DE TURISMO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE POSTOS DE TURISMO 8 PRINCÍPIOS DA QUALIDADE Focalização no cliente Relações com fornecedores mutuamente benéficas Liderança Decisão baseada em factos Princípios da Qualidade

Leia mais

2010 Unidade: % Total 98,7 94,9 88,1

2010 Unidade: % Total 98,7 94,9 88,1 03 de Novembro 2010 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Hospitais 2010 96% dos Hospitais que utilizam a Internet dispõem de

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

O Sistema de Compras Electrónicas

O Sistema de Compras Electrónicas Seminário Novas Perspectivas na Contratação Pública Tribunal de Contas, INA, CCSCI 20-21 Nov 2006 O Sistema de Compras Electrónicas Luis Magalhães Programa Nacional de Compras Electrónicas (PNCE) Aprovado

Leia mais

Câmaras Municipais 2003 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação

Câmaras Municipais 2003 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Câmaras Municipais 2003 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Estudo realizado pelo CIES/Universidade do Minho Agosto de 2004 BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência:

Leia mais

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDOC Sistema de Gestão Documental Dossier de Produto DP10.02 02.01.2009 www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDoc Sistema de Gestão Documental A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais,

Leia mais

capítulo 7 Relacionamento com o consumidor de seguros e de fundos de pensões

capítulo 7 Relacionamento com o consumidor de seguros e de fundos de pensões capítulo 7 Relacionamento com o consumidor de seguros e de fundos de pensões 147 Relacionamento com o consumidor de seguros e de fundos de pensões 7.1 Considerações gerais Com vista a fomentar e facilitar

Leia mais

Concurso público para aquisição de plataforma de facturação electrónica. Resposta aos pedidos de esclarecimentos. Julho de 2009

Concurso público para aquisição de plataforma de facturação electrónica. Resposta aos pedidos de esclarecimentos. Julho de 2009 GLOBALGARVE COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO, SA Concurso público para aquisição de plataforma de facturação electrónica Resposta aos pedidos de esclarecimentos Julho de 2009 Página 1 de 7 No seguimento do

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos

Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos 27 LEADERSHIP AGENDA a inovação na gestão do relacionamento compensa Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos A participação activa dos cidadãos é vital para a promoção

Leia mais

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO

PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO CONSIDERANDO QUE: PROTOCOLO SIMPLEX AUTÁRQUICO A simplificação administrativa e a administração electrónica são hoje reconhecidas como instrumentos fundamentais para a melhoria da competitividade e da

Leia mais

Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana

Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana A Associação Odiana Esta Associação, sem fins lucrativos, fundada pelos municípios de Alcoutim, Castro Marim e Vila Real de Santo António em Dezembro

Leia mais

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Relatório de Estágio Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Rui Neves Lisboa, 21 de Junho de 2011 Índice Introdução... 3 Caracterização da Base de Dados... 4 Recolha e validação

Leia mais

21º Congresso Quantificar o Futuro. Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL

21º Congresso Quantificar o Futuro. Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL 21º Congresso Quantificar o Futuro Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL Programa Data Hora Actividade 23/Nov. 11:30 Inauguração Oficial Innovation Lounge Visita efectuada ao Venture Lounge por Sua

Leia mais

Case Study. Câmara Municipal de Águeda. Implementação de uma infra-estrutura de WiMAX

Case Study. Câmara Municipal de Águeda. Implementação de uma infra-estrutura de WiMAX Câmara Municipal de Águeda Implementação de uma infra-estrutura de WiMAX A Wavecom, empresa portuguesa de engenharia de comunicações, implementou com sucesso no Município de Águeda o primeiro projecto

Leia mais

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Planeamento de Campanha de E-Marketing Cada variável, a nível de marketing tem normas próprias, em função dos meios de comunicação através dos quais se veiculam

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE

SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE SILiAmb Felisbina Quadrado (binaq@apambiente.pt) Manuel Lacerda (manuel.lacerda@apambiente.pt) XIII CONFERENCIA DE DIRECTORES IBEROAMERICANOS DEL AGUA Foz

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação As políticas nacionais para a Sociedade do Conhecimento: literacia/competências digitais e inclusão social Graça Simões Agência para a Sociedade do Conhecimento UMIC Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro

Leia mais

Licenciatura em Ciências da Comunicação, Vertente Jornalismo, pela Universidade Autónoma de Lisboa, completada com média final de 13 valores

Licenciatura em Ciências da Comunicação, Vertente Jornalismo, pela Universidade Autónoma de Lisboa, completada com média final de 13 valores Informação Pessoal Nome Nuno Miguel Fernandes Aires Data de Nascimento 24 de Julho de 1971 Morada Avenida 5 Outubro, 25 6º andar 8000 Faro Nacionalidade Portuguesa Telemóvel 915 333 112 E-mail naires@msn.com

Leia mais

Comunicação através das novas tecnologias

Comunicação através das novas tecnologias Comunicação através das novas tecnologias d o ss i e r 1 A INTERNET COMO FORMA DE REDUZIR CUSTOS DE COMUNICAÇÃO http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 INTRODUÇÃO 2 E-MAIL 3 SMS 4 SKYPE 5 MSN 6 VOIP 7

Leia mais

GESTÃO DE CONTEÚDOS WEB

GESTÃO DE CONTEÚDOS WEB Plataforma Visioncast - SigmaContents GESTÃO DE CONTEÚDOS WEB Visioncast - SigmaContents - Sistema de Gestão de Conteúdos Web 1 2 IT Web Soluções / Visioncast.net Plataforma Visioncast - SigmaContents

Leia mais

Big enough to do the job small enough to do it better!

Big enough to do the job small enough to do it better! Big enough to do the job small enough to do it better! Conteúdos 1 Competências 2 Case studies 3 Quero mais Competências > Assistência Informática > Outsourcing > Web ' ' Webdesign Hosting Email ' Webmarketing

Leia mais

Fototeca Municipal. Regulamento

Fototeca Municipal. Regulamento Fototeca Municipal Regulamento Índice 1. Norma Habilitante 2. Definição 3. Objectivos 4. Cedência de Fotografias 5. Condições de Utilização 6. Direito de Propriedade 7. Acesso Requisitos e Contactos 8.

Leia mais

Retirado de: www.globaz.pt

Retirado de: www.globaz.pt Retirado de: www.globaz.pt Designação: Intranet de Comunicação Interna Cliente: Fólio - Edições e Publicidade, Lda Objectivos:. : Aumentar a eficácia das comunicações internas. : Baixar os custos de comunicação

Leia mais

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE . Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete . Objectivos e Princípios Orientadores O Sistema de Informação e Comunicação (SIC) da Rede Social de Alcochete tem como objectivo geral

Leia mais

GIBDQA: GESTÃO INTEGRADA DE BASES DE DADOS DA QUALIDADE DA ÁGUA

GIBDQA: GESTÃO INTEGRADA DE BASES DE DADOS DA QUALIDADE DA ÁGUA GIBDQA: GESTÃO INTEGRADA DE BASES DE DADOS DA QUALIDADE DA ÁGUA Sandra CARVALHO 1, Pedro GALVÃO 2, Cátia ALVES 3, Luís ALMEIDA 4 e Adélio SILVA 5 RESUMO As empresas de abastecimento de água gerem diariamente

Leia mais

GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES

GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES FICHA TÉCNICA Organização: Câmara Municipal da Amadora, Gabinete de Acção Social Equipa Técnica: Ana Costa, Rute Gonçalves e Sandra Pereira Design/Paginação: Estrelas

Leia mais

Competitividade e Inovação

Competitividade e Inovação Competitividade e Inovação Evento SIAP 8 de Outubro de 2010 Um mundo em profunda mudança Vivemos um momento de transformação global que não podemos ignorar. Nos últimos anos crise nos mercados financeiros,

Leia mais

OS SISTEMAS GEOGRÁFICA DE INFORMAÇÃO NOS NEGÓCIOS INFRA-ESTRUTURA DE INFORMAÇÃO PARA A TERCEIRA GERAÇÃO DE APLICAÇÕES NO INÍCIO DO TERCEIRO MILÉNIO

OS SISTEMAS GEOGRÁFICA DE INFORMAÇÃO NOS NEGÓCIOS INFRA-ESTRUTURA DE INFORMAÇÃO PARA A TERCEIRA GERAÇÃO DE APLICAÇÕES NO INÍCIO DO TERCEIRO MILÉNIO 22 B&S DOSSIER SIG Por Marco Painho, Professor Associado, Director do Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação da Universidade Nova de Lisboa. OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NOS NEGÓCIOS

Leia mais

DOSSIER FRANCHISING 3iNFOR

DOSSIER FRANCHISING 3iNFOR DOSSIER FRANCHISING 3iNFOR Rua Henrique Bravo, 6929 e 6967 4465-167 S. Mamede de Infesta Portugal 1 Filosofia/Historial A 3infor é uma empresa especializada em software profissional, com um produto inovador

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 O Coordenador TIC João Teiga Peixe Índice Índice...2 1. Introdução... 3 2. Objectivos... 3 3. Sectores Afectos... 4 1. Salas de Aulas... 4 2. Administrativo... 4 3. Outras

Leia mais

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Francisco Correia Departamento de Difusão e Promoção Instituto Nacional de Estatística Avenida António José de Almeida 1000-043 Lisboa Tel: 218426143

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação

Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação ANEXO AO CADERNO DE ENCARGOS MÉTODO DE AVALIAÇÃO DOS WEB SITES DA ADMINISTRAÇÃO DIRECTA E INDIRECTA DO ESTADO Documento disponível em www.si.mct.pt

Leia mais

Sessão de Encerramento da Conferência Internacional da. Entidade Reguladora Para a Comunicação Social (ERC) Média e Cidadania Velhas e Novas Questões

Sessão de Encerramento da Conferência Internacional da. Entidade Reguladora Para a Comunicação Social (ERC) Média e Cidadania Velhas e Novas Questões Sessão de Encerramento da Conferência Internacional da Entidade Reguladora Para a Comunicação Social (ERC) Por uma cultura de regulação Média e Cidadania Velhas e Novas Questões Fundação Calouste Gulbenkian,

Leia mais

A actualidade da distribuição automática. MEDIA KIT 2012 Hostelvending Portugal

A actualidade da distribuição automática. MEDIA KIT 2012 Hostelvending Portugal A actualidade da distribuição automática MEDIA KIT 2012 Hostelvending Portugal Quem é a Hostel Vending Portugal? 3 Vantagens na utilização da Hostel Vending Portugal 4 Evolução do website 6 Perfil dos

Leia mais

XX Foro Iberoamericano de Sistemas de Garantía y Financiación para las Pymes

XX Foro Iberoamericano de Sistemas de Garantía y Financiación para las Pymes XX Foro Iberoamericano de Sistemas de Garantía y Financiación para las Pymes PLATAFORMAS/HERRAMIENTAS TECNOLOGICAS PARA LA GESTION Y COMUNICACION DE LOS SISTEMAS DE GARANTIA NEWSLETTER NORGARANTE Presentado

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE EDUCAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMÁTICA EDUCACIONAL Internet e Educação Ensaio: A Web 2.0 como ferramenta pedagógica

Leia mais

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis,

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis, VIII Legislatura II Sessão Plenária Horta, 26 de Janeiro de 2005 Grupo Parlamentar do Partido Socialista Deputada Ana Isabel Moniz Assunto: Bolsa de Turismo de Lisboa Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras

Leia mais

HÁ NORTE! ACREDITAR E MOBILIZAR

HÁ NORTE! ACREDITAR E MOBILIZAR HÁ NORTE! ACREDITAR E MOBILIZAR Programa da lista candidata à eleição para os órgãos regionais do Norte da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas Triénio 2011-2013 25 de

Leia mais

MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural

MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural I Seminário sobre Turismo Rural e Natureza Diferenciar o Produto, Qualificar a Oferta, Internacionalizar o Sector MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural TÂNIA

Leia mais

7º CONGRESSO NACIONAL DOS CORRETORES E AGENTES DE SEGUROS. Feira Internacional de Lisboa Parque das Nações. 15 de Outubro de 2010

7º CONGRESSO NACIONAL DOS CORRETORES E AGENTES DE SEGUROS. Feira Internacional de Lisboa Parque das Nações. 15 de Outubro de 2010 7º CONGRESSO NACIONAL DOS CORRETORES E AGENTES DE SEGUROS Feira Internacional de Lisboa Parque das Nações 15 de Outubro de 2010 Sessão Solene de Abertura Gostaria de começar por felicitar a APROSE pela

Leia mais

Aprova a Iniciativa Internet e adopta o respectivo plano de acção

Aprova a Iniciativa Internet e adopta o respectivo plano de acção Aprova a Iniciativa Internet e adopta o respectivo plano de acção O Governo tem vindo a desenvolver de forma consistente, desde 1995, uma política de desenvolvimento da sociedade da informação em Portugal

Leia mais

Vantagem Garantida PHC

Vantagem Garantida PHC Vantagem Garantida PHC O Vantagem Garantida PHC é um aliado para tirar maior partido das aplicações PHC A solução que permite à empresa rentabilizar o seu investimento, obtendo software actualizado, formação

Leia mais

O futuro da Banda Larga em Portugal

O futuro da Banda Larga em Portugal O futuro da Banda Larga em Portugal Dr. Miguel Horta e Costa Presidente Executivo da Portugal Telecom Lisboa, 5 de Fevereiro de 2004 Quadro 1 Portugal encontra-se hoje particularmente bem posicionado para

Leia mais

DIGITALMAISTV DIGITALMAISTV

DIGITALMAISTV DIGITALMAISTV DIGITALMAISTV A DIGITALMAISTV é um canal de televisão online que procura divulgar a região do Algarve no país e no mundo através da Internet, apostando na diversidade de conteúdos e numa vasta oferta de

Leia mais

AGA - Associação de Guitarra do Algarve

AGA - Associação de Guitarra do Algarve Página 1 de 10 AGA - Associação de Guitarra do Algarve Plano de atividades e orçamento Página 2 de 10 Prefácio Dando cumprimento à alínea b) do artigo 22º dos nossos estatutos, a Direcção da Associação

Leia mais

Coimbra: 16 e 17 de Abril. Faro: 14 e 15 de Maio. Faro: 16 de Maio. Faro: 17 de Maio. Faro: 18 de Maio

Coimbra: 16 e 17 de Abril. Faro: 14 e 15 de Maio. Faro: 16 de Maio. Faro: 17 de Maio. Faro: 18 de Maio 27 de Fevereiro 19 e 20 de Março 16 e 17 de Abril 14 e 15 de Maio 18 e 19 de Junho 9 e 10 de Julho 28 de Fevereiro 21 de Março 18 de Abril 16 de Maio 20 de Junho 11 de Julho 1 de Março 22 de Março 19 de

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO PARA A SENSIBILIZAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO GEOLÓGICO E AMBIENTAL E PARA PROMOVER O TURISMO NA REGIÃO

PLANO DE COMUNICAÇÃO PARA A SENSIBILIZAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO GEOLÓGICO E AMBIENTAL E PARA PROMOVER O TURISMO NA REGIÃO PARQUE NATURAL DAS SERRAS DE AIRE E CANDEEIROS 2014-2020 PLANO DE COMUNICAÇÃO PARA A SENSIBILIZAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO GEOLÓGICO E AMBIENTAL E PARA PROMOVER O TURISMO NA REGIÃO Sistema de Apoio

Leia mais

BREVE MANUAL WIRELESS

BREVE MANUAL WIRELESS BREVE MANUAL WIRELESS Introdução O Projecto Municipal Seixal Digital pretende dotar o município do Seixal de equipamentos e infraestruturas que permitam o acesso às tecnologias de informação e comunicação.

Leia mais

Plano Plurianual de Investimentos

Plano Plurianual de Investimentos O Orçamento da (Vale do Minho-CI), irá concentrar os seus recursos para o ano 2009 na implementação dos projectos aprovados no QCAIII que se encontram em fase de conclusão, bem como nos projectos já aprovados

Leia mais

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira Inclusão Financeira Inclusão Financeira Ao longo da última década, Angola tem dado importantes passos na construção dos pilares que hoje sustentam o caminho do desenvolvimento económico, melhoria das

Leia mais

Uma ferramenta de apoio à reflexão continuada

Uma ferramenta de apoio à reflexão continuada portefólio Uma ferramenta de apoio à reflexão continuada Destinado a professores Aqui encontrará um conjunto de sugestões de trabalho para a utilização da metodologia dos portefólios no apoio ao desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DEPENDENTES DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO (MINUTA) VOLUNTARIADO NOS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO DE MONUMENTOS,

Leia mais

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública 2011 DESIGNAÇÃO A inscrição poderá DO CURSO ser efectuada Nº através DE do PREÇO site POR www.significado.pt Para mais informações, por favor contacte

Leia mais

A solução ideal para a empresa do futuro, que necessita de comunicar de modo eficaz com os seus colaboradores.

A solução ideal para a empresa do futuro, que necessita de comunicar de modo eficaz com os seus colaboradores. Descritivo completo dintranet 3 A solução ideal para a empresa do futuro, que necessita de comunicar de modo eficaz com os seus colaboradores. Benefícios Aumento da produtividade dos colaboradores da empresa;

Leia mais

novo portal de turismo Instituto de Turismo de Portugal

novo portal de turismo Instituto de Turismo de Portugal o portal de turismo à conquista de mais e melhores turistas novo portal de turismo ú novo portal de turismo ú o projecto enquadramento www.portugalinsite.pt envelhecimento natural, 7 anos depois do seu

Leia mais

4. ACTIVIDADES DE COMUNICAÇÃO, TRATAMENTO DE SOLICITAÇÕES E ATENDIMENTO

4. ACTIVIDADES DE COMUNICAÇÃO, TRATAMENTO DE SOLICITAÇÕES E ATENDIMENTO 4. ACTIVIDADES DE COMUNICAÇÃO, TRATAMENTO DE SOLICITAÇÕES E ATENDIMENTO 4.1 Comunicação externa A publicação e divulgação de informação relevante sobre o sector das comunicações, o mercado e os seus intervenientes

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007 03 de Dezembro de 2007 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007 77% DOS AGREGADOS DOMÉSTICOS COM LIGAÇÃO À INTERNET

Leia mais

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP Entidade interlocutora: Identificação do Projecto AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça Nº do projecto: 2001/EQUAL/A2/AD/139 Designação do projecto: Área

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA)

Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA) Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA) Definições O Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades irá conter um programa das intenções necessárias para assegurar a acessibilidade física

Leia mais

melhor e mais inovador

melhor e mais inovador Conheça o melhor e mais inovador de Portugal. Prime TI s Mais de 2000 m2 850 Bastidores 4 Salas de alojamento 2 Salas networking Salas de staging Salas UPS Sala de clientes Sala bandoteca Serviços de storage,

Leia mais

Introdução ao projecto Gaia Global

Introdução ao projecto Gaia Global Introdução ao projecto Gaia Global Autarquia de Vila Nova de Gaia Luís BorgesGouveia A sociedade da informação A Sociedade da Informação é uma sociedade que predominantemente utiliza o recurso às tecnologias

Leia mais

SIARL / Sistema de Administração do recurso Litoral. ajherdeiro@dgterritorio.pt mota.lopes@apambiente.pt

SIARL / Sistema de Administração do recurso Litoral. ajherdeiro@dgterritorio.pt mota.lopes@apambiente.pt SIARL / Sistema de Administração do recurso Litoral Uma Plataforma Colaborativa para apoiar a Gestão do Litoral ajherdeiro@dgterritorio.pt j @ g p mota.lopes@apambiente.pt Lugares comuns de quem lida com

Leia mais

MATRÍCULA ELECTRÓNICA. Manual do Utilizador

MATRÍCULA ELECTRÓNICA. Manual do Utilizador MATRÍCULA ELECTRÓNICA Manual do Utilizador ÍNDICE 1 PREÂMBULO... 2 2 UTILIZAÇÃO PELOS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO... 3 2.1 Matrícula Electrónica - Acesso através do Portal das Escolas... 3 2.2 Registo de

Leia mais

SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria. guião de exploração dos. serviços SIG na web AM RIA. Associação de Municípios da Ria

SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria. guião de exploração dos. serviços SIG na web AM RIA. Associação de Municípios da Ria SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria guião de exploração dos serviços SIG na web Associação de Municípios da Ria 02 GUIA WEB ÍNDICE Introdução O que é um SIG? 03 O que é SIGRia?

Leia mais

Agenda Norte Região Digital: Diagnóstico, Estratégia e Plano de Acção

Agenda Norte Região Digital: Diagnóstico, Estratégia e Plano de Acção : Diagnóstico, Estratégia e Plano de Acção Mário Jorge Leitão INESC Porto / FEUP Sumário Enquadramento e-governo Local e Regional Cartão do Cidadão e Plataforma de Serviços Comuns da Administração Pública

Leia mais