COMPARAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RADIOGRÁFICO DE ANÁLISES CEFALOMÉTRICAS DISTINTAS *Luciano Sampaio Marques; **Luiz Fernando Eto

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPARAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RADIOGRÁFICO DE ANÁLISES CEFALOMÉTRICAS DISTINTAS *Luciano Sampaio Marques; **Luiz Fernando Eto"

Transcrição

1 1 COMPARAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RADIOGRÁFICO DE ANÁLISES CEFALOMÉTRICAS DISTINTAS *Luciano Sampaio Marques; **Luiz Fernando Eto Resumo da monografia apresentada no curso de especilização em Ortodontia da Universidade de Itaúna MG. *Luciano Sampaio Marques: Especialista em ortodontia e ortopedia facial pela Universidade de Itaúna MG. **Especialista e Mestre em ortodontia pela PUC-Minas, Professor do curso de especialização em ortodontia da Universidade de Itaúna. Orientador do trabalho. RESUMO A radiografia cefalométrica é um instrumento de grande valor no diagnóstico, planejamento, avaliação do tratamento, bem como em estudos de crescimento e desenvolvimento do complexo crânio-facial. Este trabalho teve por objetivo confrontar os resultados diagnósticos das análises de TWEED (1946), STEINER (1953), SASSOUNI (1955), RICKETTS (1960) e McNAMARA (1984); para avaliar a sua confiabilidade diante de uma mesma radiografia e se as mesmas apresentam compatibilidade de resultados quanto às alterações esqueléticas e dentárias encontradas entre si. Tais análises foram escolhidas por serem bastante difundidas e utilizadas por profissionais de ortodontia de todo o mundo. Palavras Chaves: cefalometria, análise cefalométrica, comparação de análises. ABSTRACT The cefalometric x-ray is an instrument of great value in the diagnosis, planning, evaluation of the treatment, as well as in growth studies and development of the cranium-facial compound. The chosen of a specific analysis is established in the capacity of show skeletal and dental changes in patient s face and in the ability of professional understood. As all of analysis aim orthodontic diagnosis it hopes that the same x-ray analysis show the same dento-facial changes when this compared of each ones. The aim of the study was to confront the results diagnoses of the analyses of TWEED (1946), STEINER (1953), SASSOUNI (1955), RICKETTS (1960) and McNAMARA (1984); and evaluate your reliability in the same x-ray and if the same ones present compatibility of results with relationship to the skeletal and dental alterations found to each other. Such analyses were chosen for they be quite spread and used by many orthodontists around the world.

2 2 Keywords: (4), cefalometric, cefalometrics analysis, comparison analysis Introdução Um dos métodos auxiliares de diagnóstico ortodôntico mais aplicados no mundo baseia-se nos traçados de telerradiografias para análise dos dados esqueléticos e dentários do paciente. Existem profissionais que se tornaram resistentes a esses métodos de análises diagnósticas, pela gama de técnicas difundidas e pelas possibilidades de resultados às vezes controversos entre estas análises. A radiografia cefalométrica é um instrumento de grande valor no diagnóstico, planejamento e avaliação do tratamento, bem como em estudos de crescimento e desenvolvimento do complexo crânio-facial. Sendo a radiografia cefalométrica de grande importância para a ortodontia clínica, técnicas de traçados e as principais análises do complexo crânio-facial, com seus respectivos padrões de normalidade, funcionam como guias importantes na análise das maloclusões de pacientes ortodônticos. Este trabalho tem por objetivo confrontar os resultados diagnósticos das análises de TWEED (1946), STEINER (1953), SASSOUNI (1955), RICKETTS (1960) e McNAMARA (1984); para avaliar a sua confiabilidade diante de uma mesma radiografia e se as mesmas apresentam compatibilidade de resultados quanto às alterações esqueléticas e dentárias encontradas entre si. Estas análises foram escolhidas por serem bastante difundidas e utilizadas por profissionais de ortodontia de todo o mundo. Materiais: Foram selecionadas dez radiografias cefalométricas laterais de pacientes da clínica de Especialização em Ortodontia e Ortopedia Facial da Universidade de Itaúna. Todos os pacientes eram adultos, com idade variando entre dezesseis e trinta e seis anos e média de idade de 24,6 anos; sendo oito pacientes do sexo feminino e dois do sexo masculino. Na amostra as radiografias dos indivíduos foram numeradas e classificadas de acordo com a classificação de Angle (análise facial e de modelos): - Indivíduo número 1, sexo feminino, mesofacial e classe II de Angle - Indivíduo número 2, sexo feminino, braquifacial e classe III de Angle - Indivíduo número 3, sexo feminino, mesofacial e classe III de Angle - Indivíduo número 4, sexo feminino, mesofacial e classe I de Angle - Indivíduo número 5, sexo feminino, dolicofacial e classe II de Angle - Indivíduo número 6, sexo feminino, braquifacial e classe II de Angle - Indivíduo número 7, sexo masculino, braquifacial e classe I de Angle - Indivíduo número 8, sexo masculino, dolicofacial e classe III de Angle - Indivíduo número 9, sexo feminino, dolicofacial e classe III de Angle - Indivíduo número 10, sexo feminino, mesofacial e classe II de Angle

3 3 - Métodos Método de registro: Cada radiografia foi traçada manualmente pelo mesmo operador, em um ambiente escuro, sobre um negatoscópio de luz branca, em folhas de papel de acetato, utilizando uma lapiseira com ponta de 0.5 mm de diâmetro. Método de medida De acordo com as análises cefalométricas de Tweed-Steiner, de Sassouni, de Ricketts e de McNamara, as medidas cefalométricas utilizadas foram confrontadas entre si para a verificação da confiabilidade dos seus resultados analisados isoladamente. As medidas avaliadas de cada análise cefalométrica foram: -Relação esquelética da maxila com a base do crânio -Relação esquelética da mandíbula com a base do crânio -Relação esquelética entre a maxila e a mandíbula -Altura facial ântero inferior (AFAI) -Relação dos incisivos superiores com sua base esquelética - Relação dos incisivos inferiores com sua base esquelética -Direção do crescimento facial. As medidas cefalométricas que em determinados quesitos não apresentavam dados para avaliação foram desconsideradas no item em questão. Para os dados utilizados foram seguidos os parâmetros de avaliação e desvio padrão das medidas propostas por cada autor. Como meio de tornar estes dados estatisticamente reproduzíveis devido algumas análises apresentarem medidas em graus e outras em milímetros, padronizou-se a forma de avaliação das medidas consideradas normais ou dentro de seu desvio padrão como 0 (zero), medidas cujos valores fossem acima de até dois níveis da média levando-se em conta o desvio padrão o valor seria +1 ( indicando um valor acima do normal) e medidas cujo valor fosse abaixo de até dois níveis da média considerando-se o desvio padrão o valor seria 1 (indicando um valor abaixo do normal), a medida que variasse acima de dois níveis além do desvio padrão receberia o valor +2 ( indicando um valor muito acima do normal) e abaixo de dois níveis além do desvio padrão o valor seria 2 ( indicando um valor muito abaixo do normal). Método de análise A análise estatística deste estudo teve por finalidade avaliar a concordância entre os métodos de análises cefalométricas distintas em relação aos parâmetros ortodônticos de interesse. O índice de concordância de Kappa (k) é um teste não-paramétrico utilizado para avaliar o nível de concordância entre exames / avaliadores/ métodos etc... O valor de Kappa varia entre e Onde, um Kappa igual a 1.00 indica perfeita concordância e um valor de zero significa que a concordância não é melhor do que aquela que se esperaria com base na sorte; um valor negativo indica que o nível de discordância é maior do que aquele esperado com base na sorte.

4 4 O índice de Kappa é interpretado conforme o quadro abaixo: Intervalo QUADRO 1 Interpretação da estatística Kappa Interpretação < 0,40 Concordância fraca 0,40 0,75 Concordância de razoável a boa 0,75 Concordância excelente Todos os resultados foram considerados significativos para uma probabilidade de significância inferior a 5% (p < 0,05). Tendo, portanto, pelo menos 95% de confiança nas conclusões apresentadas. Resultados TABELA 1 Análise do Índice de Concordância de Kappa entre 4 métodos de análise quanto à avaliação da Maxila em relação à base do crânio Nº do caso Tweed Steiner Sassouni Ricketts McNamara Nota: Kappa 0,20 ; (p = 0,0272) Os valores na tabela acima representam o resultado obtido segundo o método utilizado na avaliação da Maxila em relação à base do crânio. De acordo com os dados obtidos, o indivíduo 3 e 8 apresentaram resultados compatíveis pelos quatro métodos utilizados, havendo uma discordância de resultados no indivíduo 3 apenas na análise de Ricketts.

5 5 TABELA 2 Análise do Índice de Concordância de Kappa entre 4 métodos de análise quanto à avaliação da Mandíbula em relação à base do crânio Nº do caso Tweed Steiner Sassouni Ricketts McNamara Nota: Kappa 0,14 ; (p = 0,0434) Os dados na tabela acima representam o resultado obtido segundo o método utilizado na avaliação da Mandíbula em relação à base do crânio. Onde o indivíduo1 apresentou resultado discordante apenas na análise de Ricketts. Na mesma tabela o indivíduo 4 apresentou resultados semelhantes entre as análises de Sassouni,Ricketts e McNamara; discordando apenas da análise de Tweed- Steiner. TABELA 3 Análise do Índice de Concordância de Kappa entre 3 métodos de análise quanto à avaliação da razão maxila/mandíbula Nº do caso Tweed Steiner Sassouni McNamara Nota: Kappa 0,05 ; (p = 0,6456)

6 6 Os valores na tabela acima representam o resultado obtido segundo o método utilizado na avaliação da razão Maxila/Mandíbula. Este item não pode ser avaliado pelo método de Ricketts, por esta análise não apresentar dados do relacionamento maxilo-mandibular. Nos indivíduos 3, 4 e 5, houve uma concordância dos resultados das análises de Sassouni e McNamara, ao passo que as mesmas discordaram dos resultados da análise de Tweed-Steiner para os mesmos indivíduos. Nos indivíduos 6 e 7 os resultados são compatíveis entre as análises de Tweed-Steiner e Sassouni, havendo discordância dos resultados da análise de McNamara. TABELA 4 Análise do Índice de Concordância de Kappa entre 3 métodos de análise quanto à avaliação da AFAI Nº do caso Sassouni Ricketts McNamara Nota: Kappa 0,05 ; (p = 0,6312) Os valores na tabela representam o resultado obtido segundo o método utilizado na avaliação da AFAI. A análise de Tweed-Steiner não apresentou dados para a avaliação da AFAI. Ao avaliar o indivíduo 3 os três métodos discordaram quanto aos resultados apresentados. Já o indivíduo 5 apresentou resultados semelhantes pelos três métodos avaliados.

7 7 TABELA 5 Análise do Índice de Concordância de Kappa entre 3 métodos de análise quanto à avaliação dos incisivos superiores Nº do caso Tweed Steiner Sassouni McNamara Nota: Kappa 0,31 ; (p = 0,0376) Os valores na tabela representam o resultado obtido segundo o método utilizado na avaliação dos incisivos superiores. Para os indivíduos 2, 4 e 7 os resultados foram coincidentes. Entretanto os valores apresentados para os indivíduo 9 foram contraditórios. Oito indivíduos apresentaram resultados coincidentes em pelo menos dois métodos de análises. TABELA 6 Análise do Índice de Concordância de Kappa entre 4 métodos de análise quanto à avaliação dos incisivos inferiores Nº do caso Tweed Steiner Sassouni Ricketts McNamara Nota: Kappa 0,18 ; (p = 0,0286)

8 8 Os valores na tabela representam o resultado obtido segundo o método utilizado na avaliação dos incisivos inferiores. Os indivíduos 2 e 5 apresentaram concordância nos resultados das quatro análises.o indivíduo 8 teve os resultados discordantes nos quatro métodos de análises. TABELA 7 Análise do Índice de Concordância de Kappa entre 4 métodos de análise quanto à avaliação da Direção do crescimento facial Nº do caso Tweed Steiner Sassouni Ricketts McNamara Nota: Kappa -0,05 ; (p = 0,5222) As TAB. 1 a 7 mostram que existe um índice de concordância significativo (p < 0,05) em relação às variáveis que avaliam a maxila em relação à base do crânio, a mandíbula em relação à base do crânio, os Incisivos superiores em relação à sua base esquelética e os Incisivos inferiores em relação à sua base esquelética no que tangem os métodos de análise utilizados, porém, para todos esses casos, o índice de concordância é fraco (k < 0,40). Portanto, pode-se dizer que entre os métodos utilizados não existe um consenso no diagnóstico dos parâmetros ortodônticos avaliados. Para as demais variáveis avaliadas não foi observado um índice de concordância significativo (p > 0,05) entre os métodos. Discussão Na avaliação do índice de concordância, sobre o posicionamento da maxila, entre as análises de Tweed-Steiner, Sassouni, Ricketts e McNamara os valores encontrados foram de baixa significância estatística (K= 0.20) (P= ). Cada método de análise utiliza um ponto de referência diferenciado para a localização da maxila. Na análise de Tweed Steiner a referência se faz através de SNA; Sassouni utiliza a individualização do centro O para a localização anterior da Maxila tendo como referência a espinha nasal anterior; Ricketts utiliza o relacionamento do eixo facial para a localização da maxila medida em milímetros e McNamara utiliza a medida que relaciona o plano de Frankfurt perpendicular ao Násion para avaliar a projeção da espinha nasal anterior. Em virtude da não padronização, os dados que avaliam o posicionamento da Maxila apresentam uma discordância alta.

9 Na avaliação do índice de concordância sobre o posicionamento mandíbula entre as análises de Tweed-Steiner, Sassouni, Ricketts e McNamara os valores encontrados foram de baixa significância estatística (K= 0.14) (P= ). Para a avaliação do posicionamento da mandíbula existe também uma falta de padronização para a coleta dos dados com relação às análises investigadas; se o padrão facial for considerado, um paciente classe II braquifacial e um paciente classe II dolicofacial irá também somar variáveis devido ao posicionamento das estruturas craniofaciais. Na avaliação do índice de concordância, sobre o posicionamento da maxila em relação à mandíbula, entre as análises de Tweed-Steiner, Sassouni e McNamara os valores encontrados foram de baixa significância estatística (K= 0.05) (P= ). Neste item a análise de Ricketts não apresentava dado para a avaliação. Os valores das análises de Tweed Steiner e Sassouni mostraram concordância de resultados para os indivíduos 6 e7 que coincidentemente apresentam um padrão cefálico braquifacial e discordância para a análise de McNamara. Para os indivíduos 8 e 9 cujo padrão facial é dolico, apresentaram resultados coincidentes entre os métodos de análises de Sassouni e McNamara; discordando dos resultados da análise de Tweed-Steiner Na avaliação do índice de concordância, sobre a altura facial ântero-inferior (AFAI), entre as análises de Sassouni, Ricketts e McNamara os valores encontrados foram de baixa significância estatística (K= 0.05) (P= ). Neste item a análise de Tweed-Steiner não apresentava dado para a avaliação. Poucos dados apresentados coincidem na forma de avaliação da Altura Facial Inferior (AFAI). Para o indivíduo 5 cujo padrão é dolicofacial e a maloclusão é classe II de Angle e o indivíduo 7 cujo padrão é braquifacial e a classificação da maloclusão é classe I de Angle os resultados das análises em questão são coincidentes. Na avaliação do índice de concordância, sobre o posicionamento dos incisivos superiores em relação à sua base óssea, entre as análises de Tweed-Steiner, Sassouni e McNamara os valores encontrados foram de baixa significância estatística (K= 0.31) (P= ). Neste item a análise de Ricketts não apresentava dado para a avaliação. Os dados avaliados mostraram uma maior concordância dos resultados de modo geral. Na avaliação do índice de concordância, sobre o posicionamento dos incisivos inferiores em relação a sua base óssea, entre as análises de Tweed-Steiner, Sassouni, Ricketts e McNamara os valores encontrados foram de baixa significância estatística (K= 0.18) (P= ). Neste item também houve uma maior concordância quanto aos resultados encontrados. Na avaliação do índice de concordância, sobre a avaliação da direção do crescimento facial, entre as análises de Tweed-Steiner, Sassouni, Ricketts e McNamara os valores encontrados foram de baixa significância estatística (K= 0.05) (P= ). Os métodos empregados para a avaliação da direção do crescimento facial tomam estruturas e parâmetros individualizados entre si. 9

10 10 Conclusão Os métodos de análises cefalométricas investigados neste trabalho que são utilizados como meio de diagnóstico ortodôntico para o tratamento de pacientes, demonstraram não apresentar concordância nos seus resultados. Depois de confrontados os resultados diagnósticos das análises de Tweed-Steiner, Sassouni, Ricketts e McNamara podemos concluir que: _ Não existe coincidência de resultados de alterações esqueléticas e dentárias de análises cefalométricas feitas de uma mesma radiografia; _ Seus resultados não são confiáveis quando confrontados entre si; _ Não se deve utilizar o resultado de uma análise como única referência para o diagnóstico ortodôntico; _ A cefalometria deve ser analisada somente como um auxílio de diagnóstico que deve ser completado com outros exames. Referências Bibliográficas 1. DOWNS, W. B. Variations in facial relationships: their significance in treatment and prognosis. Amer. J. Orthodont., 34:812-40, McNAMARA, J.A, JR. A method of cephalometric evaluation. Am. J. Orthod., St. Louis, MO, 86(6): , RICKETTS, R. M. A fundation for cephalometric communication. Am. J. Orthodont., 46(5): , may, Cephalometric analysis and synthesis. Angle Orthod., 31(3):141-56, July,l SASSOUNI, V. - A roentgenographic cephalometric analysis of cephalo-facial-dental relationships. Am. J. Orthod., 41 (10): Oct., SOARES, R. L. Avaliação cefalométrica através de um Wigglegram : Uma nova proposta. Belo Horizonte, MG, Dissertação (Especialização em Ortodontia). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. 7. STEINER, C. C. Cephalometric for you and me. Am J. Orthod., 39 (10): , Oct., The use of cephalometrics as an aid to planning and assessing orthodontic treatment. Am. J. Orthod., 46(10): , Oct., TWEED, C. H. - A philosophy of orthodontic treatment. Am. J. Orthod., 31 (2): , Feb., The Frankfort - Mandibular plane angle in orthodontic diagnosis, classification, treatment planning and prognosis. Am. J. Orthod. & Oral Surgery, 32 (4): , Apr., The Frankfurt mandibular incisor angle (FMIA) in orthodontic diagnosis, treatment planning and prognosis. Angle Orthod., 24(3): , july, Frankfort mandibular incisor angle in diagnosis, treatment, planning and prognosis. Angle Orthod., 24 (2): , Apr., The diagnostic facial triangle in the control of treatment objectives. Am. J. Orthod., 55:651-67,1969.

Padrões cefalométricos de Ricketts aplicados a indivíduos brasileiros com oclusão excelente

Padrões cefalométricos de Ricketts aplicados a indivíduos brasileiros com oclusão excelente T ÓPICO ESPECIAL Padrões cefalométricos de Ricketts aplicados a indivíduos brasileiros com oclusão excelente Masato Nobuyasu**, Minol Myahara***, Tieo Takahashi****, Adélqui Attizzani****, Hiroshi Maruo*****,

Leia mais

ConScientiae Saúde ISSN: 1677-1028 conscientiaesaude@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil

ConScientiae Saúde ISSN: 1677-1028 conscientiaesaude@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil ConScientiae Saúde ISSN: 1677-1028 conscientiaesaude@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil Maia de Oliveira Junior, Wilson; Vigorito, Julio Wilson Determinação dos valores cefalométricos em amazonenses

Leia mais

MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA

MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA Em um amostra, quando se têm os valores de uma certa característica, é fácil constatar que os dados normalmente não se distribuem uniformemente, havendo uma

Leia mais

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA 1 ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA INTRODUÇÃO O período da dentição mista inicia-se por volta dos 6 anos de idade com a erupção dos primeiros molares permanentes, e termina ao redor dos 12 anos de idade, com

Leia mais

AVALIAÇÃO DO POSICIONAMENTO DO PONTO CEFALOMÉTRICO NÁSIO EM PACIENTES PADRÃO III COM DEFICIÊNCIA HORIZONTAL DA MAXILA

AVALIAÇÃO DO POSICIONAMENTO DO PONTO CEFALOMÉTRICO NÁSIO EM PACIENTES PADRÃO III COM DEFICIÊNCIA HORIZONTAL DA MAXILA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE FUNORTE Higo Keynes Brito AVALIAÇÃO DO POSICIONAMENTO DO PONTO CEFALOMÉTRICO NÁSIO EM PACIENTES PADRÃO III COM DEFICIÊNCIA HORIZONTAL DA MAXILA Salvador (BA) 2011 Higo Keynes

Leia mais

Extração Seriada, uma Alternativa

Extração Seriada, uma Alternativa Artigo de Divulgação Extração Seriada, uma Alternativa Serial Extraction, an Alternative Procedure Evandro Bronzi Resumo A extração seriada é um procedimento ortodôntico que visa harmonizar

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA REABILITAÇÃO PROCESSO SELETIVO 2013 Nome: PARTE 1 BIOESTATÍSTICA, BIOÉTICA E METODOLOGIA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA REABILITAÇÃO PROCESSO SELETIVO 2013 Nome: PARTE 1 BIOESTATÍSTICA, BIOÉTICA E METODOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA REABILITAÇÃO PROCESSO SELETIVO 2013 Nome: PARTE 1 BIOESTATÍSTICA, BIOÉTICA E METODOLOGIA 1) Um histograma construído a partir de informações amostrais de uma variável

Leia mais

Perfil do Emprego nas Fundações de Belo Horizonte/MG - 1999*

Perfil do Emprego nas Fundações de Belo Horizonte/MG - 1999* Perfil do Emprego nas Fundações de Belo Horizonte/MG - 1999* Eduardo Marcondes Filinto da Silva Secretário Executivo e Pesquisador FIPE Marianne Thamm de Aguiar Graduanda em Economia pela FEA/USP O objetivo

Leia mais

FMEA (Failure Model and Effect Analysis)

FMEA (Failure Model and Effect Analysis) Definição FMEA (Failure Model and Effect Analysis) Conceitos Básicos A metodologia de Análise do Tipo e Efeito de Falha, conhecida como FMEA (do inglês Failure Mode and Effect Analysis), é uma ferramenta

Leia mais

PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM VOLEIBOL

PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM VOLEIBOL PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM VOLEIBOL Gabriel Weiss Maciel Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil Henrique Cabral Faraco Universidade do Estado de Santa Catarina,

Leia mais

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa o superiores e splint removível vel inferior MORO, A.; et al. Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de aço superiores

Leia mais

Contabilidade Gerencial PROFESSOR: Salomão Soares VPL E TIR

Contabilidade Gerencial PROFESSOR: Salomão Soares VPL E TIR Contabilidade Gerencial PROFESSOR: Salomão Soares VPL E TIR Data: VPL(VAL) Valor Presente Líquido ou Valor Atual Líquido O valor presente líquido (VPL), também conhecido como valor atual líquido (VAL)

Leia mais

C.P.B. AZEVEDO* Leme / Tractebel Brasil

C.P.B. AZEVEDO* Leme / Tractebel Brasil AVALIAÇÃO DOS ESTADOS LIMITES DE SERVIÇO: DESLOCAMENTOS MÁXIMOS E RESIDUAIS ATRAVÉS DO ESTUDO PROBABILÍSTICO DE RESULTADOS DE ENSAIOS DE CAMPO EM FUNDAÇÕES DE LINHAS DE TRANSMISSÃO C.P.B. AZEVEDO* Leme

Leia mais

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1)

Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Artigo de Divulgação Tratamento Ortodôntico da Classe III, Subdivisão: Apresentação de um Caso Clínico (Parte 1) Treatment of a Class III, Subdivision Malocclusion: A Case Report (Part 1) Guilherme R.

Leia mais

"SISTEMAS DE COTAGEM"

SISTEMAS DE COTAGEM AULA 6T "SISTEMAS DE COTAGEM" Embora não existam regras fixas de cotagem, a escolha da maneira de dispor as cotas no desenho técnico depende de alguns critérios. A cotagem do desenho técnico deve tornar

Leia mais

ANÁLISE FACIAL DE ARNETT E BERGMAN COMPARADA A PERCEPÇÃO ESTÉTICA DE LEIGOS E CIRURGIÕES-DENTISTAS (CLÍNICOS GERAIS E ORTODONTISTAS)

ANÁLISE FACIAL DE ARNETT E BERGMAN COMPARADA A PERCEPÇÃO ESTÉTICA DE LEIGOS E CIRURGIÕES-DENTISTAS (CLÍNICOS GERAIS E ORTODONTISTAS) Original Article 297 ANÁLISE FACIAL DE ARNETT E BERGMAN COMPARADA A PERCEPÇÃO ESTÉTICA DE LEIGOS E CIRURGIÕES-DENTISTAS (CLÍNICOS GERAIS E ORTODONTISTAS) ARNETT AND BERGMAN FACIAL ANALYSIS COMPARED WITH

Leia mais

Solução do Conjunto de Problemas 2

Solução do Conjunto de Problemas 2 Solução do Conjunto de Problemas 2 Parte A. Capítulo 3. 1. 66 & 71.999 2. Veja anexo (a) idade 1 : 8/5 = 1,6% idade 11 : 13/9 = 1,444% Portanto, há mais crianças na idade 1. (b) idade 21 : 10/7 = 1,4%

Leia mais

Análise de Tendências de Extremos para o Planalto Central

Análise de Tendências de Extremos para o Planalto Central Análise de Tendências de Extremos para o Planalto Central Luiz André R. dos Santos 1, Fábio Cunha Conde 1, Danielle Barros Ferreira 1, Andrea Malheiros Ramos 1 1 Instituto Nacional de Meteorologia INMET

Leia mais

Análise cefalométrica Padrão Unesp Araraquara

Análise cefalométrica Padrão Unesp Araraquara T ÓPICO ESPECIAL Análise cefalométrica Padrão Unesp Araraquara Luiz G. Gandini Jr.*, Ary dos Santos-Pinto**, Dirceu Barnabé Raveli**, Maurício Tatsuei Sakima*, Lidia Parsekian Martins*, Tatsuko Sakima***,

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE MATEMÁTICA

COMENTÁRIO DA PROVA DE MATEMÁTICA COMENTÁRIO DA PROA DE MATEMÁTICA Quanto ao nível: A prova apresentou questões simples, médias e de melhor nível, o que traduz uma virtude num processo de seleção. Quanto à abrangência: Uma prova com 9

Leia mais

PLANO DE CARREIRA PROPOSTAS PARA ENVIO A ALMG E SECRETÁRIO

PLANO DE CARREIRA PROPOSTAS PARA ENVIO A ALMG E SECRETÁRIO PLANO DE CARREIRA PROPOSTAS PARA ENVIO A ALMG E SECRETÁRIO Após a compilação das contribuições apresentadas pelos servidores, o Grupo de Trabalho e a ASSEMA sistematizaram as ideias centrais, que serão

Leia mais

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria The importance of early diagnosis and intervention in the treatment of malocclusion in pediatric dentistry

Leia mais

Breve Panorama Histórico

Breve Panorama Histórico Análise Facial Breve Panorama Histórico Norman Kingsley Kingsley (final do séc.xix): s a articulação dos dentes secundária à aparência facial. Breve Panorama Histórico Edward Angle (in (início séc. s XX)

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE O DESEMPENHO NO VESTIBULAR E O RENDIMENTO ACADÊMICO DOS ESTUDANTES NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE MATERIAIS DA UFSCAR

RELAÇÕES ENTRE O DESEMPENHO NO VESTIBULAR E O RENDIMENTO ACADÊMICO DOS ESTUDANTES NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE MATERIAIS DA UFSCAR RELAÇÕES ENTRE O DESEMPENHO NO VESTIBULAR E O RENDIMENTO ACADÊMICO DOS ESTUDANTES NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE MATERIAIS DA UFSCAR Walter Libardi libardi@power.ufscar.br Pedro Ferreira Filho

Leia mais

Eng Civil Washington Peres Núñez Dr. em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Eng Civil Washington Peres Núñez Dr. em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul PESQUISA ANÁLISE DE CARACTERÍSTICAS DE QUALIDADE DE MISTURAS ASFÁLTICAS PRODUZIDAS NA ATUALIDADE NO SUL DO BRASIL E IMPACTOS NO DESEMPENHO DE PAVIMENTOS FLEXÍVEIS. MANUAL DE OPERAÇÃO DO BANCO DE DADOS

Leia mais

ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO

ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO ATIVADOR FIXO BIOPEDIC: INDICAÇÕES E INSTALAÇÃO Luiz Fernando Eto*; Eneida Guimarães de Menezes Venuto**; Paula Moura Nagem** Luiz Fernando Eto - Especialista e Mestre em Ortodontia pelo COP-PUCMG; Professor

Leia mais

Licitações de Agências de Publicidade Lei nº 12.232/2010

Licitações de Agências de Publicidade Lei nº 12.232/2010 Licitações de Agências de Publicidade Lei nº 12.232/2010 * Rodrigo Corrêa da Costa Oliveira 1. INTRODUÇÃO A contratação de Agências de Propaganda pela Administração Pública sempre se pautou pela Lei Geral

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS [Digite texto] INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS LEVANTAMENTO DOS VALORES CEFALOMÉTRICOS CONSULTADOS POR PROFESSORES DE ORTODONTIA PARA ESCLARECER O DIAGNÓSTICO E O PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO

Leia mais

Grupo A - 1 o semestre de 2014 Gabarito Lista de exercícios 11 - Teste Qhi-quadrado C A S A

Grupo A - 1 o semestre de 2014 Gabarito Lista de exercícios 11 - Teste Qhi-quadrado C A S A Exercício 1. (2,0 pontos). Em um estudo que está sendo realizado por uma pesquisadora da Escola de Educação Física da USP, deseja-se avaliar características das lutas de judô em diferentes categorias.

Leia mais

Cap. 12 Testes Qui- Quadrados e Testes Não-Paramétricos. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Prentice-Hall, Inc.

Cap. 12 Testes Qui- Quadrados e Testes Não-Paramétricos. Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 2008 Prentice-Hall, Inc. Cap. 1 Testes Qui- Quadrados e Testes Não-Paramétricos Statistics for Managers Using Microsoft Excel, 5e 008 Prentice-Hall, Inc. Chap 1-1 Final de curso... tempo de recordar : ) Cap. 9 Fundamentos de testes

Leia mais

Aplicação das ferramentas da Ergonomia no setor de atendimento de uma agência bancária

Aplicação das ferramentas da Ergonomia no setor de atendimento de uma agência bancária Aplicação das ferramentas da Ergonomia no setor de atendimento de uma agência bancária Fádua Maria do Amaral SAMPAIO 1 ; Fernando Salomé JORGE 1 ; Wemerton Luís EVANGELISTA 2 1 Estudante de Engenharia

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA WEB PARA A REALIZAÇÃO DE TRAÇADOS CEFALOMÉTRICOS

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA WEB PARA A REALIZAÇÃO DE TRAÇADOS CEFALOMÉTRICOS 706 DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA WEB PARA A REALIZAÇÃO DE TRAÇADOS CEFALOMÉTRICOS Igor Leonardo O. Bastos 1 ; Michele Fúlvia Angelo 2 1. Bolsista PIBIC/CNPq, Graduando em Engenharia de Computação, Universidade

Leia mais

UTILIZANDO O HISTOGRAMA COMO UMA FERRAMENTA ESTATÍSTICA DE ANÁLISE DA PRODUÇÃO DE ÁGUA TRATADA DE GOIÂNIA

UTILIZANDO O HISTOGRAMA COMO UMA FERRAMENTA ESTATÍSTICA DE ANÁLISE DA PRODUÇÃO DE ÁGUA TRATADA DE GOIÂNIA UTILIZANDO O HISTOGRAMA COMO UMA FERRAMENTA ESTATÍSTICA DE ANÁLISE DA PRODUÇÃO DE ÁGUA TRATADA DE GOIÂNIA Edson Kurokawa (*) Engenheiro Civil pela UFG e Mestre em Engenharia de Produção pela UFSC. Trabalha

Leia mais

ÍNDICE DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR DA INDÚSTRIA - SESI/SC

ÍNDICE DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR DA INDÚSTRIA - SESI/SC ÍNDICE DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR DA INDÚSTRIA - SESI/SC SUMÁRIO EXECUTIVO 2015 Apresentação Integrando a agenda mundial para a promoção da saúde e produtividade, o SESI Santa Catarina realizou

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE AS SATISFAÇÕES NAS RELAÇÕES HOMOSSEXUAIS: ESTUDO DE CASOS

UM ESTUDO SOBRE AS SATISFAÇÕES NAS RELAÇÕES HOMOSSEXUAIS: ESTUDO DE CASOS UM ESTUDO SOBRE AS SATISFAÇÕES NAS RELAÇÕES HOMOSSEXUAIS: ESTUDO DE CASOS Mário Pereira da Costa Júnior Universidade Luterana do Brasil- Ulbra Campus Guaíba-RS Orientadora: Ms. Kléria Isolde Hirschfeld

Leia mais

SISTEMA DE PROGRAMAÇÃO E PLANEJAMENTO DE INSPEÇÃO DE

SISTEMA DE PROGRAMAÇÃO E PLANEJAMENTO DE INSPEÇÃO DE SISTEMA DE PROGRAMAÇÃO E PLANEJAMENTO DE INSPEÇÃO DE TUBULAÇÃO Romildo Rudek Junior Petrobras S.A. UN-REPAR Tadeu dos Santos Bastos Petrobras S.A. UN-REVAP Rui Fernando Costacurta Petrobras S.A. UN-REPAR

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE RELIGIÃO A B R I L D E 2 0 0 6 O P P 0 7 1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL - Levantar com a população da área em estudo opiniões relacionadas a religião.

Leia mais

Roteiro para Instrumentação da Técnica de Parafuso de Compressão

Roteiro para Instrumentação da Técnica de Parafuso de Compressão Roteiro para Instrumentação da Técnica de Parafuso de Compressão Roteiro para Instrumentação da Técnica de Parafuso de Compressão O tipo de compressão gerada por um parafuso é designado compressão interfragmentária

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias A escolha dos casos a serem apresentados deverá seguir

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DA APLICAÇÃO ISOLADA E SIMULTÂNEA DAS ANÁLISES ESPECTROGRÁFICA E PERCEPTIVO-AUDITIVA NA CONFIABILIDADE DA AVALIAÇÃO DA VOZ

ESTUDO COMPARATIVO DA APLICAÇÃO ISOLADA E SIMULTÂNEA DAS ANÁLISES ESPECTROGRÁFICA E PERCEPTIVO-AUDITIVA NA CONFIABILIDADE DA AVALIAÇÃO DA VOZ ESTUDO COMPARATIVO DA APLICAÇÃO ISOLADA E SIMULTÂNEA DAS ANÁLISES ESPECTROGRÁFICA E PERCEPTIVO-AUDITIVA NA CONFIABILIDADE DA AVALIAÇÃO DA VOZ Introdução: A voz é produzida no trato vocal e é resultado

Leia mais

Aula 4 Conceitos Básicos de Estatística. Aula 4 Conceitos básicos de estatística

Aula 4 Conceitos Básicos de Estatística. Aula 4 Conceitos básicos de estatística Aula 4 Conceitos Básicos de Estatística Aula 4 Conceitos básicos de estatística A Estatística é a ciência de aprendizagem a partir de dados. Trata-se de uma disciplina estratégica, que coleta, analisa

Leia mais

Imagem Corporal de adolescentes estudantes do IF Sudeste MG Câmpus Barbacena

Imagem Corporal de adolescentes estudantes do IF Sudeste MG Câmpus Barbacena Imagem Corporal de adolescentes estudantes do IF Sudeste MG Câmpus Barbacena Tassiana Aparecida Hudson 1, Ana Carolina Soares Amaral 2 ¹Acadêmica do Curso Superior de Licenciatura em Educação Física, Instituto

Leia mais

Critérios para Cadastro no Gemini da Rede de Distribuição Subterrânea (RDS) - Savassi Belo Horizonte - MG

Critérios para Cadastro no Gemini da Rede de Distribuição Subterrânea (RDS) - Savassi Belo Horizonte - MG 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Critérios para Cadastro no Gemini da Rede de Distribuição Subterrânea (RDS) - Savassi Belo Horizonte - MG Ivan da Costa e Silva Pontes Júnior Ricardo Luiz

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Versão Julho de 2015 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (Política e procedimentos relacionados à responsabilidade socioambiental da Gávea DTVM nos termos da Resolução BCB no 4.327, de 25 de abril

Leia mais

PRINCIPAIS SECAS OCORRIDAS NESTE SÉCULO NO ESTADO DO CEARÁ: UMA AVALIAÇÃO PLUVIOMÉTRICA

PRINCIPAIS SECAS OCORRIDAS NESTE SÉCULO NO ESTADO DO CEARÁ: UMA AVALIAÇÃO PLUVIOMÉTRICA PRINCIPAIS SECAS OCORRIDAS NESTE SÉCULO NO ESTADO DO CEARÁ: UMA AVALIAÇÃO PLUVIOMÉTRICA José M. Brabo Alves; Rubenaldo A. Silva; Everaldo B. Souza; Carlos A. Repelli Departamento de Meteorologia -Divisão

Leia mais

ATO CONVOCATÓRIO 008 2014. OBJETO: Credenciamento de Examinadores

ATO CONVOCATÓRIO 008 2014. OBJETO: Credenciamento de Examinadores ATO CONVOCATÓRIO 008 2014 OBJETO: Credenciamento de Examinadores O INSTITUTO QUALIDADE MINAS, pessoa jurídica de Direito privado sem fins lucrativos, qualificada como Organização da Sociedade Civil de

Leia mais

A presente seção apresenta e especifica as hipótese que se buscou testar com o experimento. A seção 5 vai detalhar o desenho do experimento.

A presente seção apresenta e especifica as hipótese que se buscou testar com o experimento. A seção 5 vai detalhar o desenho do experimento. 4 Plano de Análise O desenho do experimento realizado foi elaborado de forma a identificar o quão relevantes para a explicação do fenômeno de overbidding são os fatores mencionados na literatura em questão

Leia mais

Curso de Formação A Abordagem do Atletismo na Educação Física. (Data de início: 22/05/2015 - Data de fim: 13/06/2015)

Curso de Formação A Abordagem do Atletismo na Educação Física. (Data de início: 22/05/2015 - Data de fim: 13/06/2015) Curso de Formação A Abordagem do Atletismo na Educação Física (Data de início: 22/05/2015 - Data de fim: 13/06/2015) I - Autoavaliação (realizada pelos formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS Faculdade de Mantena

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS Faculdade de Mantena PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS Faculdade de Mantena MANTENA - MG OBJETIVO GERAL O Programa de Acompanhamento de Egressos da FAMA tem o objetivo geral de criar mecanismos que permitam a contínua

Leia mais

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB ALVES, Giorvan Ânderson dos santos Alves LOPES SOBRINHO, Paulo Naati LUNA, Anibal Henrique Barbosa

Leia mais

Class III groups showed a closed sela angle indicating a more vertical position

Class III groups showed a closed sela angle indicating a more vertical position have normal occlusion and the other four of patients with malocclusions, according to Angle s concepts (1899); these groups were equally divided in relation to the patient s sex. After the analysis of

Leia mais

Artigo de Divulgação. Neste trabalho, buscou-se trazer alguma

Artigo de Divulgação. Neste trabalho, buscou-se trazer alguma Artigo de Divulgação Estudo Comparativo Cefalométrico Radiográfico dos Padrões de Crescimento Facial, por meio da Avaliação do Ângulo Sela e Ângulo Goníaco da Análise de Jarabak, em Pacientes Portadores

Leia mais

Os efeitos do controle farmacológico no comportamento futuro de pacientes menores de três anos no consultório odontológico

Os efeitos do controle farmacológico no comportamento futuro de pacientes menores de três anos no consultório odontológico Os efeitos do controle farmacológico no comportamento futuro de pacientes menores de três anos no consultório odontológico Denise Espíndola ANTUNES; Luciane Ribeiro de Rezende Sucasas da COSTA; Cristiana

Leia mais

III. Projeto Conceitual de Banco de Dados. Pg. 1 Parte III (Projeto Conceitual de Banco de Dados)

III. Projeto Conceitual de Banco de Dados. Pg. 1 Parte III (Projeto Conceitual de Banco de Dados) III Projeto Conceitual de Banco de Dados 16 páginas INTRODUÇÃO CONCEITOS BÁSICOS ENTIDADES E TIPOS DE ENTIDADES RELACIONAMENTOS E TIPOS DE RELACIONAMENTOS ATRIBUTOS E TIPOS DE ATRIBUTOS ABSTRAÇÕES DE DADOS

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL Montagem das Pastas As pastas devem estar organizadas na seguinte ordem: I- Externo Página Título: colocar na capa frontal da pasta (a capa tem um envelope plástico para esta finalidade). BOARD BRASILEIRO

Leia mais

MANUAL PARA CONFECÇÃO DE PAINÉIS CIENTÍFICOS*

MANUAL PARA CONFECÇÃO DE PAINÉIS CIENTÍFICOS* MANUAL PARA CONFECÇÃO DE PAINÉIS CIENTÍFICOS* Segundo Carlos Estrela (2001), o painel científico constitui uma discussão informal de um grupo de pessoas conhecedoras de um assunto em análise, apresentando

Leia mais

Características cefalométricas do padrão face longa*

Características cefalométricas do padrão face longa* A r t i g o I n é d i t o Características cefalométricas do padrão face longa* Mauricio de Almeida Cardoso**, Francisco Antonio Bertoz***, Leopoldino Capelozza Filho****, Sílvia Augusta Braga Reis*****

Leia mais

MÓDULO 1. I - Estatística Básica

MÓDULO 1. I - Estatística Básica MÓDULO 1 I - 1 - Conceito de Estatística Estatística Técnicas destinadas ao estudo quantitativo de fenômenos coletivos e empíricamente observáveis. Unidade Estatística nome dado a cada observação de um

Leia mais

Análise de regressão linear simples. Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Viseu

Análise de regressão linear simples. Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Viseu Análise de regressão linear simples Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Viseu Introdução A análise de regressão estuda o relacionamento entre uma variável chamada a variável dependente

Leia mais

Relatório Simplificado

Relatório Simplificado Relatório Simplificado Pesquisa de opinião entre Secretários(as) de Comissões Seção de Assessoramento Temático Diretoria Legislativa A presente pesquisa é resultado de demanda derivada de discussão realizada

Leia mais

INFORMAÇÃO SEI Nº 0168361/2015 - SAP.UPR. PREGÃO PRESENCIAL nº 245/2015

INFORMAÇÃO SEI Nº 0168361/2015 - SAP.UPR. PREGÃO PRESENCIAL nº 245/2015 1 de 6 25/09/2015 13:27 INFORMAÇÃO SEI Nº 0168361/2015 - SAP.UPR Joinville, 25 de setembro de 2015. PREGÃO PRESENCIAL nº 245/2015 Contratação da utilização de programas de informática para compor a Solução

Leia mais

4.6 Análise estatística

4.6 Análise estatística 36 4.6 Análise estatística Na análise dos dados, foi utilizado o programa estatístico SPSS, versão 11.5 (Windows). Inicialmente, apresentou-se o resultado geral do grupo dos adolescentes obesos e de eutróficos,

Leia mais

Website:www.luckesi.com.br / e-mail:contato@luckesi.com.br

Website:www.luckesi.com.br / e-mail:contato@luckesi.com.br ENTREVISTA À REVISTA NOVA ESCOLA SOBRE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM (Esta entrevista subsidiou matéria que saiu na Revista Nova Escola de novembro de 2001) 1. O sr. considera as provas e exames instrumentos

Leia mais

9 Como o aluno (pré)adolescente vê o livro didático de inglês

9 Como o aluno (pré)adolescente vê o livro didático de inglês Cap. 9 Como o aluno (pré)adolescente vê o livro didático de inglês 92 9 Como o aluno (pré)adolescente vê o livro didático de inglês Nesta parte do trabalho, analisarei alguns resultados da análise dos

Leia mais

Avaliação dos Investimentos nos Programas de P&D e de Eficiência Energética das Grandes Empresas de Eletricidade no Brasil: Ciclos 2002-03 e 2003-04

Avaliação dos Investimentos nos Programas de P&D e de Eficiência Energética das Grandes Empresas de Eletricidade no Brasil: Ciclos 2002-03 e 2003-04 21 a 25 de Agosto de 6 Belo Horizonte - MG Avaliação dos Investimentos nos Programas de P&D e de Eficiência Energética das Grandes Empresas de Eletricidade no Brasil: Ciclos 2-3 e 3-4 Herivelto Tiago Marcondes

Leia mais

Modelagem Fuzzy para Predizer os Riscos de Recidiva e Progressão de Tumores Superficiais de Bexiga

Modelagem Fuzzy para Predizer os Riscos de Recidiva e Progressão de Tumores Superficiais de Bexiga Biomatemática 2 (2), ISSN 679-365X Uma Publicação do Grupo de Biomatemática IMECC UNICAMP Modelagem Fuzzy para Predizer os Riscos de Recidiva e Progressão de Tumores Superficiais de Bexiga Kenia D. Savergnini,

Leia mais

Project Management Body of Knowledge

Project Management Body of Knowledge PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS PUCMINAS (UNIDADE BARREIRO) CURSOS: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS / LOGÍSTICA Project Management Body of Knowledge Definição Também conhecido como PMBOK é um

Leia mais

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso Caso Clínico Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso José Euclides Nascimento* Luciano da Silva

Leia mais

RQ Edição Fevereiro 2014

RQ Edição Fevereiro 2014 RQ Edição Fevereiro 2014 18. Um noivo foi postar os convites de casamento nos Correios. Durante a pesagem das cartas, percebeu que todas tinham 0,045 kg, exceto uma, de 0,105 kg. Em um primeiro instante,

Leia mais

Gráficos estatísticos: histograma. Série Software ferramenta

Gráficos estatísticos: histograma. Série Software ferramenta Gráficos estatísticos: histograma Série Software ferramenta Funcionalidade Este software permite a construção de histogramas a partir de uma tabela de dados digitada pelo usuário. Gráficos estatísticos:

Leia mais

Soma. Paulo Roberto Guimarães Junior

Soma. Paulo Roberto Guimarães Junior Soma Paulo Roberto Guimarães Junior Observatório Nacional de Segurança Viária. Rua 9 de Julho, 1953 - Vila Georgina - Cep: 13.333-070 - Indaiatuba SP Telefone: (19) 3801.4500 E-mail: onsv@onsv.org.br SÍNTESE

Leia mais

Política de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Política de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Política de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC A FACULDADE DINÂMICA prevê mecanismos efetivos de acompanhamento e de cumprimento do Trabalho de Conclusão de Curso, que no momento da construção do seu

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 03/2010 - BNDES ANEXO III PROJETO BÁSICO: FATORES DE PONTUAÇÃO TÉCNICA

CONCORRÊNCIA AA Nº 03/2010 - BNDES ANEXO III PROJETO BÁSICO: FATORES DE PONTUAÇÃO TÉCNICA CONCORRÊNCIA AA Nº 03/2010 - BNDES ANEXO III PROJETO BÁSICO: FATORES DE PONTUAÇÃO TÉCNICA 1. INTRODUÇÃO Em virtude da intelectualidade manifesta dos serviços a serem licitados será adotado o tipo de licitação

Leia mais

Rodrigo Passoni Cléber Bidegain Pereira

Rodrigo Passoni Cléber Bidegain Pereira CUSTO BIOLÓGICO DA BOA INFORMAÇÃO Rodrigo Passoni Cléber Bidegain Pereira O custo-benefício das imagens em 3D é um dos pontos principais do SROOF-2012 e tema de justificado interesse da Odontologia. A

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos ESTUDO DE VIABILIDADE Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício

Leia mais

Planejamento e Gestão Estratégica

Planejamento e Gestão Estratégica Planejamento e Gestão Estratégica O Governo de Minas estabeleceu como um dos eixos norteadores da suas políticas públicas a eficiência na utilização dos recursos e a oferta de serviços com qualidade cada

Leia mais

A POLUIÇÃO DO AR NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO: IMPACTOS À SAÚDE HUMANA

A POLUIÇÃO DO AR NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO: IMPACTOS À SAÚDE HUMANA A POLUIÇÃO DO AR NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO: IMPACTOS À SAÚDE HUMANA Ana Carolina Rodrigues Teixeira 1, Luiz Felipe Silva 1, Vanessa S. Barreto Carvalho 1 ¹Instituto de Recursos Naturais

Leia mais

Lista de Eletromagnetismo. 1 Analise as afirmativas seguintes e marque a opção correta.

Lista de Eletromagnetismo. 1 Analise as afirmativas seguintes e marque a opção correta. Lista de Eletromagnetismo 1 Analise as afirmativas seguintes e marque a opção correta. I. Se duas barras de ferro sempre se atraem, podemos concluir que uma das duas não está magnetizada. II. Para conseguirmos

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEISDA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEISDA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEISDA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico

Leia mais

Imagens em 2D e 3D geradas pela TC Cone-Beam e radiografias convencionais: qual a mais confiável?

Imagens em 2D e 3D geradas pela TC Cone-Beam e radiografias convencionais: qual a mais confiável? A r t i g o O n l i n e * Imagens em 2D e 3D geradas pela TC Cone-Beam e radiografias convencionais: qual a mais confiável? Carolina Perez Couceiro**, Oswaldo de Vasconcellos Vilella*** Resumo Objetivo:

Leia mais

Controle de Qualidade em Equipamentos de Radiodiagnóstico

Controle de Qualidade em Equipamentos de Radiodiagnóstico III Congresso Nacional dos Profissionais das Técnicas Radiológicas Controle de Qualidade em Equipamentos de Radiodiagnóstico Luciano Santa Rita Oliveira http://www.lucianosantarita.pro.br tecnologo@lucianosantarita.pro.br

Leia mais

PROJETO CUIDANDO DO CUIDADOR âmbito regional

PROJETO CUIDANDO DO CUIDADOR âmbito regional PROJETO CUIDANDO DO CUIDADOR âmbito regional Ariel de Castro Alves Coordenador do GT Criança Prioridade 1 Adequação do projeto realizado no curso de formação da WCF-Brasil com o Consórcio Intermunicipal

Leia mais

PORTARIA N.º 19, DE 09 DE ABRIL DE 1998

PORTARIA N.º 19, DE 09 DE ABRIL DE 1998 PORTARIA N.º 19, DE 09 DE ABRIL DE 1998 O Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho, no uso de suas atribuições legais, considerando o disposto no artigo 168 da Consolidação das Leis do Trabalho, o disposto

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU)

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) 1 XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) MODELO DE INDICADORES PARA A BIBLIOTECA FCA/UNICAMP Modalidade da apresentação:

Leia mais

Quais são os critérios adotados pelo programa para o cálculo dos blocos de fundação?

Quais são os critérios adotados pelo programa para o cálculo dos blocos de fundação? Assunto Quais são os critérios adotados pelo programa para o cálculo dos blocos de fundação? Artigo Segundo a NBR 6118, em seu item 22.5.1, blocos de fundação são elementos de volume através dos quais

Leia mais

Recibos à Parte. Nesta tela devem ser cadastrados os eventos que deseja emitir separadamente para o mês de referência.

Recibos à Parte. Nesta tela devem ser cadastrados os eventos que deseja emitir separadamente para o mês de referência. Recibos à Parte Seleção de Eventos para Recibo à Parte Procedimentos para que sejam selecionados eventos para impressão à parte de holerith, impressão da folha mensal, impressão da relação para crédito

Leia mais

MÓDULO 6 INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE

MÓDULO 6 INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE MÓDULO 6 INTRODUÇÃO À PROBBILIDDE Quando estudamos algum fenômeno através do método estatístico, na maior parte das vezes é preciso estabelecer uma distinção entre o modelo matemático que construímos para

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR. Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos

MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR. Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos 1 MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos LEGENDA: EXC NR INC - Quadrículas sombreadas referem-se a textos revogados na Lei - Textos com

Leia mais

A Meta-Analytic Review of Psychosocial Interventions for Substance Use Disorders

A Meta-Analytic Review of Psychosocial Interventions for Substance Use Disorders A Meta-Analytic Review of Psychosocial Interventions for Substance Use Disorders REVISÃO META-ANALÍTICA DO USO DE INTERVENÇÕES PSICOSSOCIAIS NO TRATAMENTO DE DEPENDÊNCIA QUÍMICA Publicado: Am J Psychiattry

Leia mais

JOSÉ LUIZ CINTRA JUNQUEIRA

JOSÉ LUIZ CINTRA JUNQUEIRA JOSÉ LUIZ CINTRA JUNQUEIRA AVALIAÇÃO COMPARATIVA ENTRE AS TELERRADIOGRAFIAS CEFALOMÉTRICAS LATERAIS CONVENCIONAL, DIGITAL E GERADAS POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA POR AQUISIÇÃO VOLUMÉTRICA - CONE BEAM

Leia mais

Legitimação dos conceitos face as práticas organizacionais; Oportunizar reflexão sobre as competências em desenvolvimento;

Legitimação dos conceitos face as práticas organizacionais; Oportunizar reflexão sobre as competências em desenvolvimento; 1 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS INTEGRADORES CURSO SUPERIORES DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA (LOGÍSTICA) SÃO PAULO 2009 2 Introdução A prática pedagógica dos Cursos Superiores de Graduação

Leia mais

PERFIL DOS EGRESSOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA FORMADOS ENTRE 2000 2009

PERFIL DOS EGRESSOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA FORMADOS ENTRE 2000 2009 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 PERFIL DOS EGRESSOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA FORMADOS ENTRE 2000 2009 Isabella Caroline Belem 1 ; Raphael de Oliveira Delfino 2 ; Valquíria Félix Rocha

Leia mais

Como anda a desigualdade de gênero no Brasil?

Como anda a desigualdade de gênero no Brasil? Como anda a desigualdade de gênero no Brasil? Luísa Cardoso Guedes de Souza 1 (14/11/2011) Desde 2006, o Fórum Econômico Mundial divulga anualmente o Global Gender Gap Index (GGI), que quantifica a magnitude

Leia mais

Roda Roda. Série Matemática na Escola. Objetivos 1. Introduzir o conceito de permutação circular; 2. Aplicar o conceito de permutação simples.

Roda Roda. Série Matemática na Escola. Objetivos 1. Introduzir o conceito de permutação circular; 2. Aplicar o conceito de permutação simples. Roda Roda Série Matemática na Escola Objetivos 1. Introduzir o conceito de permutação circular; 2. Aplicar o conceito de permutação simples. Roda Roda Série Matemática na Escola Conteúdos Permutações e

Leia mais

INCIDÊNCIA DE TROMBOEMBOLISMO VENOSO NO PÓS-OPERATÓRIO DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA ORTOPÉDICA DE QUADRIL E JOELHO EM UM HOSPITAL DE GOIÂNIA.

INCIDÊNCIA DE TROMBOEMBOLISMO VENOSO NO PÓS-OPERATÓRIO DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA ORTOPÉDICA DE QUADRIL E JOELHO EM UM HOSPITAL DE GOIÂNIA. INCIDÊNCIA DE TROMBOEMBOLISMO VENOSO NO PÓS-OPERATÓRIO DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA ORTOPÉDICA DE QUADRIL E JOELHO EM UM HOSPITAL DE GOIÂNIA. ASSIS, Thaís Rocha¹; SILVA, Mara Nunes da²; SANDOVAL,

Leia mais

Despesas com a Educação

Despesas com a Educação Despesas com a Educação Heraldo da Costa Reis Coordenador de ensino ENSUR/IBAM Prof. UFRJ Preliminarmente, veja-se o que dispõe o art. 212 da Constituição da República, a seguir transcrito: Art. 212 A

Leia mais

EFEITO DO TRATAMENTO ORTODÔNTICO COM E SEM EXTRAÇÃO DE QUATRO PRIMEIROS PRÉ-MOLARES NO PERFIL TEGUMENTAR

EFEITO DO TRATAMENTO ORTODÔNTICO COM E SEM EXTRAÇÃO DE QUATRO PRIMEIROS PRÉ-MOLARES NO PERFIL TEGUMENTAR 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA E ORTOPEDIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA Fábio Leivas Braga EFEITO DO TRATAMENTO ORTODÔNTICO COM E

Leia mais

O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico

O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico Caso Clínico O tipo facial e a morfologia do arco dentário no planejamento ortodôntico Alexandre de Almeida Ribeiro* Resumo A morfologia do arco dentário está relacionada diretamente com as demais partes

Leia mais

Estudo do perfil docente nos cursos de odontologia da região Sul

Estudo do perfil docente nos cursos de odontologia da região Sul Estudo do perfil docente nos cursos de odontologia da região Sul lu c a s Pr e u s s l e r d o s sa n T o s 1 da n i e l e si g a l li n h a r e s 1 Ta l ita ca r n i e l 2 ca r lo s al B e r T o Fe l

Leia mais

4 Aplicação: Modelo LOGIT para Avaliar o Risco de Crédito

4 Aplicação: Modelo LOGIT para Avaliar o Risco de Crédito 4 Aplicação: Modelo LOGIT para Avaliar o Risco de Crédito 4.1 Preparação de Dados Foi utilizada uma base de dados de 156 clientes que tiveram o vencimento de seus títulos compreendidos no período de abril

Leia mais