Profª PEDRA SANTANA ALVES Reitora

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Profª PEDRA SANTANA ALVES Reitora"

Transcrição

1 0 PORTARIA Nº 11/11 APROVA AD REFERENDUM O REGULAMENTO PARA PROJETO FINAL DOS CURSOS DE ENGENHARIA DA UNERJ. A Reitora do Centro Universitário de Jaraguá do Sul UNERJ, e Presidente do Conselho Universitário CONSUNI, considerando o inciso XVII, artigo 7º do Regimento Geral e a alínea b, inciso I, artigo 8º do Estatuto da UNERJ, resolve: Art. 1º APROVAR ad referendum o Regulamento para Projeto Final dos Cursos de Engenharia do Centro Universitário de Jaraguá do Sul UNERJ. Portaria. Art. 2º O Regulamento supracitado consta anexo a esta Art. 3º Esta Portaria entra vigor nesta data. Jaraguá do Sul, 1º de abril de Profª PEDRA SANTANA ALVES Reitora

2 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JARAGUÁ DO SUL (UNERJ) REGULAMENTO PARA PROJETO FINAL DOS CURSOS DE ENGENHARIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JARAGUÁ DO SUL UNERJ Jaraguá do Sul, abril de 2011.

3 1 REGULAMENTO PARA PROJETO FINAL DOS CURSOS DE ENGENHARIA DA UNERJ CAPITULO I DA INTRODUÇÃO Art. 1º Este regulamento objetiva orientar a comunidade acadêmica dos Cursos de Engenharia da UNERJ no processo de desenvolvimento do Projeto Final que integra as Matrizes Curriculares dos acadêmicos matriculados até 2009/2. CAPÍTULO II DO CONCEITO Art. 2º O Projeto Final é uma atividade que visa à síntese, à integração e à sistematização de conhecimentos construídos ao longo do curso, por meio do desenvolvimento de um projeto de pesquisa, a partir de temas/problemas de interesse da comunidade acadêmica e da sociedade, resultando no desenvolvimento de um Relatório de Pesquisa realizado pelo acadêmico, sob a orientação de um professor do Curso de Engenharia, sintetizando a aprendizagem construída no processo de formação. CAPÍTULO III DOS OBJETIVOS Art. 3º São objetivos do Projeto Final: I desenvolver competências, habilidades e atitudes imprescindíveis ao desenvolvimento pessoal e profissional do engenheiro; II integrar conhecimentos construídos em diferentes disciplinas, no decorrer do curso; III adquirir atitude crítica mediante pesquisa científica, considerando sua área de formação; IV - aplicar conhecimentos na identificação e na solução de problemas, de interesse da comunidade acadêmica e da sociedade, de forma a propor projetos de intervenção na área de Engenharia; V elaborar projeto e relatório de pesquisa, à luz das teorias que embasam o currículo do curso de Engenharia; VI estabelecer articulação teórico-prática entre os conhecimentos da área da Engenharia, no desenvolvimento da pesquisa; VII apresentar pesquisa de acordo com a norma culta da Língua Portuguesa e com as normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT); VIII socializar conhecimentos construídos por meio da pesquisa junto à comunidade acadêmica.

4 2 CAPÍTULO IV DOS REQUISITOS Art. 4º São Requisitos para cumprimento do Projeto Final: I - estar regularmente matriculado na disciplina Projeto Final do curso; II - ter concluído, no mínimo, os créditos acadêmicos previstos como prérequisitos no Projeto Pedagógico (matriz curricular, operacionalização didáticopedagógica) do referido curso; III - ter o tema de pesquisa aprovado pelo Professor Responsável por Projeto Final e pelo Professor Orientador. CAPÍTULO V DA CARACTERIZAÇÃO GERAL Art. 5º A realização do Projeto Final corresponde à carga horária total estabelecida na matriz curricular do curso, respeitando-se as seguintes condições: I o acadêmico deverá cumprir, no mínimo, doze horas de orientação com o Professor Orientador; II - o prazo máximo para a conclusão do Projeto Final poderá ser de até dois semestres letivos. CAPÍTULO VI DA ESTRUTURA Art. 6º A estrutura organizacional será constituída por: I - um Professor Responsável por Projeto Final; II - um Professor Orientador com carga horária de orientação distribuída ao longo do semestre letivo de realização do projeto; III Banca Examinadora. CAPÍTULO VII DAS ATRIBUIÇÕES Art. 7º São atribuições do Professor Responsável por Projeto Final: I administrar e supervisionar de forma global as atividades relacionadas ao Projeto Final, de acordo com este Regulamento; II - fornecer orientações gerais sobre o Projeto Final aos professores orientadores e acadêmicos durante os semestres vinculados às etapas de sua elaboração;

5 III divulgar a relação dos orientadores, sempre que possível, de acordo com as linhas de pesquisa do curso, estimulando o compromisso dos acadêmicos e professores no desenvolvimento de Projetos Finais relacionados a tais linhas; IV avaliar e analisar a disponibilidade de horários dos professores orientadores; V orientar os acadêmicos quanto à escolha do tema e do professor, considerando a área de atuação e/ou pesquisa; VI - convocar reuniões com os professores orientadores e acadêmicos matriculados em Projeto Final, prestando assistência técnico-pedagógica que garanta o cumprimento dos objetivos do Projeto Final; VII - manter os registros atualizados, bem como qualquer outro documento relacionado ao componente curricular Projeto Final. Após o recebimento do Relatório de Pesquisa, tais registros e arquivos deverão ser eliminados; VIII - organizar, juntamente com os professores orientadores de Projeto Final, as bancas avaliadoras e os registros referentes aos procedimentos; IX participar, como avaliador, da Banca Examinadora; X - homologar o resultado da avaliação do Projeto Final pela Banca Examinadora; XI - providenciar o encaminhamento à biblioteca de (01) uma cópia em CD e em formato PDF dos Projetos Finais aprovados; XII - manter-se sempre informado quanto às atividades desenvolvidas durante o ano, irregularidades, dificuldades e necessidades dos professores envolvidos com Projeto Final; XIII - organizar e encaminhar à coordenação de curso um relatório, no final de cada semestre letivo, sobre as atividades desenvolvidas como Projeto Final. Art. 8º São atribuições do Professor Orientador: I prestar assistência, acompanhamento, orientação e esclarecimentos necessários aos acadêmicos, desde a elaboração do projeto até a entrega e socialização do Relatório de Pesquisa; II orientar os acadêmicos de acordo com os regulamentos e normas institucionalizadas; III - acompanhar os orientandos para o cumprimento das normas deste regulamento e a execução do cronograma apresentado pelo Professor Responsável por Projeto Final; IV participar das reuniões programadas pelo Professor Responsável por Projeto Final; V - indicar coorientador (professor da UNERJ) quando o tema do Projeto Final abranger outras áreas afins de conhecimento, e quando for conveniente ao bom andamento da pesquisa. A coorientação não acarreta ônus para a Instituição; VI - participar como membro da Banca Examinadora; VII - preencher e assinar os documentos inerentes ao processo, constantes nos apêndices. 1º O Professor Orientador deverá registrar o acompanhamento, as ausências, o assessoramento e a orientação prestada ao orientando de acordo com ficha de acompanhamento do Projeto Final e Relatório de Pesquisa (APÊNDICE A). 3

6 2º A troca de Professor Orientador só é permitida quando outro docente assumir formalmente a orientação, mediante aquiescência expressa do professor substituído, do Professor Responsável por Projeto Final e do Coordenador de Curso. 3º O Professor Orientador deverá zelar continuadamente pela originalidade dos trabalhos desenvolvidos. 4º Uma vez detectado e comprovado o plágio, a qualquer momento, o acadêmico poderá ser reprovado, atendendo ao disposto no regimento geral da UNERJ. 5º O Professor Orientador deverá comunicar a reprovação do orientando ao Professor Responsável por Projeto Final, se o orientando não comparecer ao mínimo de encontros estabelecidos. Art. 9º São atribuições do acadêmico: I definir, em conjunto com o Professor Orientador e/ou Professor Responsável por Projeto Final, o tema de pesquisa a ser abordado durante o desenvolvimento do Projeto Final; II - elaborar um projeto de pesquisa contendo as indicações constantes no apêndice B; III ser assíduo e pontual nas atividades programadas; IV recorrer ao Professor Orientador e/ou Professor Responsável por Projeto Final quando necessitar de esclarecimentos quanto às normas e aos procedimentos; V executar o cronograma do Projeto Final, respeitando os prazos estipulados pelo Professor Orientador e Professor Responsável por Projeto Final; VI realizar pesquisas bibliográficas, levantamento de dados, visitas e demais atividades necessárias para a elaboração do trabalho; VII submeter as atividades desenvolvidas à análise do Professor Orientador, procedendo os ajustes por ele recomendados; VIII elaborar o Relatório de Pesquisa de acordo com a norma culta da Língua Portuguesa, com as normas preconizadas pela Associação de Normas Técnicas (ABNT) e de acordo com o roteiro constante no apêndice C; IX obter autorização, por escrito, da entidade quando forem utilizados e mencionados dados internos não disponibilizados ao público; X - cumprir as datas de entrega do Projeto e do Relatório de Pesquisa; XI - apresentar ao orientador e à banca material autêntico, sob pena de reprovação, se for constatado plágio; XII - comparecer em dia, local e hora determinados pelo Professor Responsável por Projeto Final para defesa do Relatório de Pesquisa; XIII - entregar ao Professor Responsável por Projeto Final, em datas estipuladas, três cópias impressas e encadernadas do Relatório de Pesquisa; XIV defender o Relatório de Pesquisa em Banca Examinadora; XV - realizar alterações no Relatório de Pesquisa considerando as orientações/solicitações da Banca Examinadora e apresentá-lo ao professor orientador no prazo estipulado por ele; XVI - cumprir e fazer cumprir este regulamento. 4

7 5 CAPÍTULO VIII DO DESENVOLVIMENTO Art. 10. As etapas para elaboração do Projeto Final e Relatório de Pesquisa são as seguintes: I disponibilização e discussão deste Regulamento com os acadêmicos; II definição, por parte dos acadêmicos, do tema de pesquisa e do Professor Orientador; III - disponibilização do cronograma de atividades; IV elaboração do Projeto Final; V elaboração do Relatório de Pesquisa; VI defesa do Relatório de Pesquisa; VII entrega final do Relatório de Pesquisa, em CD e em formato PDF, com as alterações sugeridas pela Banca Examinadora. 1º O Projeto de Pesquisa deverá ser elaborado conforme as normas deste Regulamento, de acordo com Roteiro para Elaboração do Projeto Final (APÊNDICE B). 2º O Relatório de Pesquisa deverá ser elaborado conforme as normas deste Regulamento, de acordo com Roteiro para Elaboração do Relatório de Pesquisa (APÊNDICE C). 3º O acadêmico será avaliado por uma Banca Examinadora assim composta: a) Professor Orientador; b) Professor Responsável por Projeto Final; c) um professor convidado pelo Professor Responsável por Projeto Final, podendo ser de outros colegiados da UNERJ ou de outras Instituições de Ensino Superior. 4º As atividades relacionadas à Banca Examinadora deverão ser organizadas pelo Professor Responsável por Projeto Final. CAPÍTULO IX DO ACOMPANHAMENTO E DA AVALIAÇÃO Art. 11. A avaliação ocorrerá de forma contínua e processual e será composta das seguintes etapas e instrumentos: I elaboração e entrega do Projeto Final; II desenvolvimento da Pesquisa e entrega de três cópias impressas e encadernadas do Relatório de Pesquisa; III defesa do Relatório de Pesquisa, em Banca Examinadora; IV entrega final do Relatório de Pesquisa em CD e em formato PDF, com as alterações sugeridas pela Banca Examinadora.

8 Art. 12. O acadêmico será avaliado: I - pelo Professor Orientador, através do acompanhamento das atividades de pesquisa, constituindo a primeira nota (peso 1,5); II - pelo Professor Responsável por Projeto Final através do Relatório de Pesquisa elaborado pelo acadêmico, constituindo a segunda nota (peso 1,5). A segunda nota deverá atender aos critérios de avaliação propostos (APÊNDICE D); III - pelo Professor Orientador, através do Relatório de Pesquisa elaborado pelo acadêmico, constituindo a terceira nota (peso 1,5). A terceira nota deverá atender aos critérios de avaliação propostos (APÊNDICE D); IV pelos membros da Banca Examinadora, através dos instrumentos/critérios: nota do Relatório de Pesquisa, defesa do Relatório de Pesquisa, Argumentação fundamentada demonstrada na arguição frente aos membros da Banca Examinadora, constituindo a quarta nota (peso 5,5). 1º A exemplo do Professor Responsável por Projeto Final e Professor Orientador, o Professor convidado deverá avaliar o Relatório de Pesquisa atendendo aos critérios de avaliação propostos (APÊNDICE D). 2º A apuração do rendimento do acadêmico deve atender ao Regimento Geral do Centro Universitário de Jaraguá do Sul. 3º A ata de defesa do Relatório de pesquisa deve ser assinada por todos os membros da Banca Examinadora e, posteriormente, arquivada na Coordenação de Curso. Art. 13. Após apresentação e arguição, a Banca Examinadora chegará a uma média e essa constituirá a quarta nota. Concluído esse processo, o candidato receberá um dos seguintes pareceres: a) aprovado; b) aprovado com recomendações de reformulações; c) não aprovado. Parágrafo único. No caso da alínea b, o acadêmico terá um prazo de até dez dias letivos, a partir da data da defesa, para a entrega do Relatório de Pesquisa com as alterações sugeridas. Art. 14. Quando for entregue a nova cópia do Relatório de Pesquisa, incluídas as considerações da Banca Examinadora, em CD e em formato PDF, será ratificada e divulgada a nota atribuída pela banca, inexistindo nova defesa; Art.15. O acadêmico que não entregar o Relatório de Pesquisa nos prazos determinados pelo Professor Responsável por Projeto Final, ou que não se fizer presente para a defesa, sem justificativa na forma da legislação em vigor, estará automaticamente reprovado no componente curricular Projeto Final. 1º Ao acadêmico, cujo Relatório de Pesquisa tenha sido reprovado, é vedada a defesa de novo Projeto de Pesquisa, qualquer que seja a alegação, no semestre da reprovação, facultando-lhe a possibilidade de continuidade com o mesmo tema. 6

9 2º Em caso de mudança de tema e/ou orientador, o acadêmico deve reiniciar o processo de produção desde a elaboração do Projeto Final até a entrega do Relatório de Pesquisa. Art.16. Em caso de cursos de graduação que contenham etapas diferentes para Projeto Final e Relatório de Pesquisa, o acadêmico não poderá defendê-lo se não for cumprida a etapa inicial de acordo com a matriz curricular do Curso de Graduação. 7 CAPÍTULO X DA BANCA EXAMINADORA Art. 17. O Relatório de Pesquisa é apresentado pelo acadêmico perante Banca Examinadora composta pelo Professor Responsável por Projeto Final, pelo Professor Orientador (presidente da mesa) e por um professor convidado. Parágrafo único. A escolha das bancas examinadoras para defesa dos Relatórios de Pesquisa fica sob a responsabilidade do Professor Responsável por Projeto Final, que deve indicar a sua constituição de acordo com a área de afinidade aos temas. Art. 18. A Banca Examinadora somente poderá ocorrer com a presença dos membros designados. Parágrafo único. O coorientador tem sua permanência em banca permitida, mas é lhe vedada a participação na nota, bem como influência em relação aos outros membros componentes em suas avaliações. Art. 19. Todos os professores dos Cursos de Graduação da UNERJ podem participar de bancas examinadoras, de acordo com as áreas do conhecimento e disponibilidade de datas e horários. Art. 20. A qualificação do Relatório de Pesquisa para defesa junto à Banca Examinadora é dada pelo professor orientador, sem necessidade de banca específica. CAPÍTULO XI DA DEFESA PÚBLICA DE RELATÓRIO DE PESQUISA Art. 21. As defesas de relatório de pesquisa são públicas. Art. 22. O Professor Responsável por Projeto Final deve elaborar o calendário semestral fixando prazos para a entrega dos Relatórios de Pesquisa, designação das bancas examinadoras, horários e locais para as suas apresentações.

10 Art. 23. Os membros das bancas examinadoras, a contar da data de sua designação, têm o prazo de vinte dias letivos para procederem a leitura dos Relatórios de Pesquisa. Art. 24. Na defesa, o acadêmico tem até trinta minutos para exposição do seu trabalho. Art. 25. Ao término da data-limite para a entrega das cópias dos Relatórios de Pesquisa, o Professor Responsável por Projeto Final deve divulgar a composição das bancas examinadoras, os horários e os locais destinados às suas apresentações. Art. 26. A atribuição das notas dar-se-á após o encerramento das arguições e das suas respostas considerando-se os critérios de avaliação estabelecidos (APÊNDICE E). 1º Para cada critério avaliativo, cada membro da Banca Examinadora atribui uma nota de 0 (zero) a 10 (dez). 2º A nota final da defesa de Relatório de Pesquisa é o resultado da média aritmética das notas atribuídas pelos membros da Banca Examinadora em cada um dos critérios de avaliação. Art. 27. A Banca Examinadora poderá solicitar ao acadêmico que reformule aspectos do Relatório de Pesquisa, após a defesa. Parágrafo único. O Professor Orientador será responsável pelo acompanhamento das reformulações solicitadas pela banca. Art. 28. A Banca Examinadora poderá reunir-se antes da defesa pública e, se a maioria decidir, devolver o Relatório de Pesquisa para reformulações. Nesse caso, o acadêmico não realizará a defesa do relatório. Parágrafo único. Cabe ao Professor Responsável por Projeto Final determinar uma nova data de defesa do Relatório de Pesquisa. Art. 29. As fichas de avaliação dos Relatórios de Pesquisa (APÊNDICE E) e respectiva ata de defesa (APÊNDICE F) devem ser assinadas pelos membros da Banca Examinadora. Parágrafo único. O Professor Responsável por Projeto Final deverá preencher a Ata Final de Aprovação em Banca Examinadora, calcular a média da Banca Examinadora, bem como coletar as respectivas assinaturas dos membros participantes, imediatamente ao final dos trabalhos. 8

11 9 CAPÍTULO XII DA ENTREGA DO RELATÓRIO DE PESQUISA Art. 30. O Relatório de Pesquisa deverá ser encaminhado ao Professor Responsável por Projeto Final para os trâmites necessários à sua avaliação. 1º O Relatório de Pesquisa deverá estar de acordo com a estrutura e leiaute determinado e pelas normas padronizadas pela Instituição, atendendo às determinações essenciais da ABNT; 2º O acadêmico terá de entregar três cópias encadernadas em espiral transparente no prazo previamente estipulado e divulgado, anterior a banca, e, ao final, após realização da banca e atendimento das recomendações, uma cópia em CD e em formato PDF. 3º O prazo para entrega do Relatório de Pesquisa deverá obedecer ao calendário definido pelo Professor Responsável por Projeto Final. 4º Caso não haja a entrega do Relatório de Pesquisa respeitando-se o prazo estipulado e divulgado previamente, o acadêmico será considerado reprovado nessa etapa, devendo reiniciar o processo de acordo com os trâmites deste regulamento. 5º A entrega da versão definitiva do Relatório de Pesquisa em CD e em formato PDF é requisito para aprovação no componente curricular Projeto Final. CAPÍTULO XIII DA DISPOSIÇÃO GERAL Art. 31. Concluído o processo avaliativo, o Professor Responsável por Projeto Final deverá preencher o diário, calcular a média ponderada das quatro notas e publicar o resultado final de cada acadêmico. Art. 32. Os casos omissos serão apreciados e resolvidos nesta ordem: pelo Professor Responsável por Projeto Final, pelo Coordenador do Curso e pela Pró- Reitoria Acadêmica do Centro Universitário de Jaraguá do Sul UNERJ. Jaraguá do Sul, abril de 2011.

12 APÊNDICE A FICHA PARA ACOMPANHAMENTO DO PROJETO FINAL E DO RELATÓRIO DE PESQUISA 10 Acadêmico(a) Título do Projeto Final: Professor(a) Orientador(a): Data Horário Registro / Observações Prof. Assinatura Acadêmico Observação: Na Ficha para Acompanhamento do Projeto Final e do Relatório de Pesquisa deve constar o registro de: datas e horários de orientação tendo em vista o acompanhamento da frequência e da assiduidade do acadêmico, orientações diversas, dificuldades encontradas, procedimentos adotados, envolvimento do acadêmico, recomendações feitas pelo professor, entre outras observações. Os registros feitos pelo Professor Orientador servirão de subsídios para informar o acadêmico quanto ao seu desempenho durante o Projeto Final.

13 11 APÊNDICE B ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO FINAL CAPA Instituição; Nome do autor; Título do trabalho; Subtítulo (se houver); Local (nome da cidade onde será apresentado) e o ano (da defesa ou da entrega). FOLHA DE ROSTO Nome do autor (responsável intelectual do trabalho); Título principal do trabalho (deve ser claro e preciso, identificando o seu conteúdo); Subtítulo (se houver mais de um, deve ser evidenciada a sua subordinação ao título principal, precedido de dois pontos); Natureza (projeto, relatório, trabalho de conclusão de curso e/ou aperfeiçoamento) e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros); Nome da instituição a que é submetido; Nome do orientador e, se houver, do coorientador; Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado e o ano (da defesa ou entrega). SUMÁRIO 1 PROBLEMATIZAÇÃO 2 JUSTIFICATIVA 3 OBJETIVOS 3.1 OBJETIVO GERAL 3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS 4 METODOLOGIA 5 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 6 CRONOGRAMA REFERÊNCIAS APÊNDICES E/OU ANEXOS

14 APÊNDICE C ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE PESQUISA 1 12 CAPA Instituição; Nome do autor; Título do trabalho; Subtítulo (se houver); Local (nome da cidade onde será apresentado) e o ano (da defesa ou da entrega). FOLHA DE ROSTO Nome do autor (responsável intelectual do trabalho); Título principal do trabalho (deve ser claro e preciso, identificando o seu conteúdo); Subtítulo (se houver mais de um, deve ser evidenciada a sua subordinação ao título principal, precedido de dois pontos); Natureza (projeto, relatório, trabalho de conclusão de curso e/ou aperfeiçoamento) e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros); Nome da instituição a que é submetido; Nome do orientador e, se houver, do coorientador; Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado e o ano (da defesa ou entrega). DEDICATÓRIA, AGRADECIMENTOS E/OU EPÍGRAFE Dedicatória: Elemento opcional colocado após a folha de aprovação. É a folha na qual o autor presta homenagem ou dedica seu trabalho a alguém. Agradecimento(s): Elemento opcional colocado após a dedicatória. É a folha na qual o autor faz agradecimentos dirigidos àqueles que contribuíram de maneira relevante à elaboração do trabalho. Epígrafe: Elemento opcional colocado após os agradecimentos. Título ou frase que, colocada no início de um livro, de um capítulo, serve de tema ao assunto ou para resumir o sentido ou situar a motivação da obra. Podem também constar epígrafes nas folhas de abertura das seções primárias. LISTAS Listas de ilustrações: Elemento opcional, que deve ser elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, 1 Definição de termos da ABNT, de acordo com: GASCHO, Cristiane Lucht. Normalização de trabalhos técnico-científicos e trabalhos acadêmicos. Jaraguá do Sul: UNERJ, 2008.

15 13 acompanhado do respectivo número da página. Quando necessário, recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros, retratos, e outros). Lista de tabelas: Elemento opcional elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, acompanhado do respectivo número de página. Lista de abreviaturas e siglas: Elemento opcional que consiste na relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas das palavras ou expressões correspondentes grafadas por extenso. Recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo. Lista de símbolos: Elemento opcional que deve ser elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, com o devido significado. SUMÁRIO INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS GLOSSÁRIO, APÊNDICES E/OU ANEXOS Glossário: Elemento opcional, elaborado em ordem alfabética. Constituído por uma relação de termos usados no trabalho, seguido de seus significados. Apêndice (s): Elemento opcional identificado(s) por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos apêndices, quando esgotadas as 23 letras do alfabeto. Material de responsabilidade exclusiva do pesquisador. Anexo (s): Elemento opcional identificado por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos apêndices, quando esgotadas as 23 letras do alfabeto. Material cuja responsabilidade é exclusivamente de terceiros.

16 14 APÊNDICE D FICHA PARA AVALIAÇÃO DO RELATÓRIO DE PESQUISA Acadêmico: Título do Relatório de Pesquisa: BANCA EXAMINADORA: Examinador: Data: Horário: Local: CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO: A. Título criativo e adequado à pesquisa (0,5). B. Coerência e logicidade das ideias (2,0). C. Respeito às normas técnicas estabelecidas pela ABNT para fazer citações, referências,..., (1,0). D. Respeito à norma culta da Língua Portuguesa (1,0). E. Objetividade e clareza de linguagem para sistematização das ideias (1,0). F. Consistência e fundamentação das ideias (2,0). G. Relações justificadas entre os conceitos próprios e a respectiva fundamentação (1,5). H. Relevância (utilidade, necessidade e importância) da pesquisa realizada (1,0). Observações do Avaliador: NOTA DO RELATÓRIO DE PESQUISA:

17 15 APÊNDICE E FICHA DE AVALIAÇÃO A SER UTILIZADA PELA BANCA EXAMINADORA PARA AVALIAÇÃO DO RELATÓRIO DE PESQUISA Acadêmico: Título do Relatório de Pesquisa: BANCA EXAMINADORA: Examinador: Data: Horário: Local: CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO: 1. Nota do Relatório de Pesquisa (Apêndice D): (0 a 10,0) 2. Defesa do Relatório de Pesquisa: (0 a 10,0) 3. Argumentação fundamentada demonstrada na arguição: (0 a 10,0) Média Aritmética: Observações:

18 16 APÊNDICE F ATA DE DEFESA DO RELATÓRIO DE PESQUISA EM BANCA EXAMINADORA DO(A) ACADÊMICO(A)... Aos... dias do mês de.. de dois mil e..., às..h, na Sala nº.. do Bloco... do Centro Universitário de Jaraguá do Sul (UNERJ), realizou-se a sessão pública de defesa do Relatório de Pesquisa..., apresentado pelo(a) acadêmico(a)..., Bacharel em Engenharia..., pela UNERJ, segundo encaminhamentos do(a) professor(a) orientador(a).... Os trabalhos foram coordenados pelo(a) professor(a)..., Presidente da Banca Examinadora, que foi constituída pelos seguintes professores: Dr.... (UNERJ), MSc... (UNERJ) e... Dra... (Nome da Instituição). A Banca Examinadora tendo decidido aceitar o Relatório de Pesquisa, passou à arguição pública do candidato. Encerrados os trabalhos de arguição, os examinadores deram o parecer final sobre o Relatório de Pesquisa, tendo sido atribuída ao(à) candidato(a), notas expressas no quadro abaixo. Proclamados os resultados pelo(a) professor(a)..., Presidente da Banca Examinadora, foram encerrados os trabalhos e, para constar, eu,..., lavrei a presente ata que assino juntamente com os membros da Banca Examinadora. Professor(a) Nota Média Diante da avaliação expressa no quadro acima, o candidato foi considerado: aprovado ( ); aprovado com recomendações de reformulações ( ); não aprovado ( ). Jaraguá do Sul,... de... de Orientador(a) (Presidente da Banca Examinadora) Professor Responsável por Projeto Final Professor Convidado Secretário(a)

F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A

F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A 2 CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

ATO NORMATIVO N 001 NDE ENGENHARIA DE ALIMENTOS/2013

ATO NORMATIVO N 001 NDE ENGENHARIA DE ALIMENTOS/2013 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense Câmpus Concórdia Curso de Bacharelado em Engenharia de Alimentos

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE FISIOTERAPIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE FISIOTERAPIA 1 DIRETORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE FISIOTERAPIA CACOAL 2009 2 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 44/15, de 09/12/2015. CAPÍTULO I AS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

Regulamento Trabalho de Conclusão de Curso. Das Disposições Preliminares

Regulamento Trabalho de Conclusão de Curso. Das Disposições Preliminares Regulamento Trabalho de Conclusão de Curso Das Disposições Preliminares Art. 1. Respaldado pelo disposto nos termos do parágrafo terceiro do Artigo 65 do Regimento Unificado da Associação Educativa Evangélica

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso / TCC é uma atividade curricular acadêmica e regulamentada

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FACULDADE BIRIGUI (TCC FACULDADE BIRIGUI)

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FACULDADE BIRIGUI (TCC FACULDADE BIRIGUI) CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FACULDADE BIRIGUI (TCC FACULDADE BIRIGUI) FUNDAMENTO: O Trabalho de Conclusão de Curso é componente obrigatório da grade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Normatização nº 01/2010 - CCEF ESTABELECE NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC - DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO

Leia mais

Paulo Dinarte Tavares Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão RESOLUÇÃO Nº 12/2008

Paulo Dinarte Tavares Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão RESOLUÇÃO Nº 12/2008 RESOLUÇÃO Nº 12/2008 Regulamenta o Trabalho de Curso para conclusão do Curso de Direito. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Faculdade Campo Real, no uso de suas atribuições e, CONSIDERANDO a

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA (UNILA) COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO COSUEN N 027/2014, DE 01 DE SETEMBRO DE 2013. Aprova o Regulamento do Trabalho de

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso

Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ Campus Universitário Ministro Reis Velloso Curso de Biomedicina Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso Parnaíba PI 2010 SUMÁRIO I DO CONCEITO...

Leia mais

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Institui o Regulamento de Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) do Curso de Direito da Celer Faculdades

Leia mais

CAPÍTULO II DOS PRÉ-REQUISITOS DA DISCIPLINA CCG 110094 (TCC)

CAPÍTULO II DOS PRÉ-REQUISITOS DA DISCIPLINA CCG 110094 (TCC) 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Campus Universitário - Trindade - Caixa Postal 476 CEP 88010-910 - Florianópolis - Santa Catarina Centro Sócio-Econômico TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA COM HABILITAÇÃO EM SUPERVISÃO ESCOLAR

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA COM HABILITAÇÃO EM SUPERVISÃO ESCOLAR REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA COM HABILITAÇÃO EM SUPERVISÃO ESCOLAR E CURSO DE PEDAGOGIA COM HABILITAÇÃO EM PEDAGOGIA EMPRESARIAL CONTEMPORÂNEA CURITIBA

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as normas relativas à elaboração, acompanhamento,

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso do Bacharelado em Sistemas de Informação. Capítulo I Das Disposições Preliminares

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso do Bacharelado em Sistemas de Informação. Capítulo I Das Disposições Preliminares Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso do Bacharelado em Sistemas de Informação Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1. Este regulamento define as diretrizes técnicas, procedimentos de acompanhamento

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES - FACELI COLEGIADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACELI REGULAMENTO N 01, 26 DE MARÇO DE 2014

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES - FACELI COLEGIADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACELI REGULAMENTO N 01, 26 DE MARÇO DE 2014 1 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES - FACELI COLEGIADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACELI REGULAMENTO N 01, 26 DE MARÇO DE 2014 Estabelece procedimentos de elaboração e apresentação de Trabalhos

Leia mais

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA REGULAMENTO DA MONOGRAFIA CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA A Monografia Final consiste em pesquisa individual orientada, em qualquer área do conhecimento no âmbito do Curso de Graduação, constituindo atividade

Leia mais

RESOLUÇÃO N 019/2015 - CONSELHO SUPERIOR

RESOLUÇÃO N 019/2015 - CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 019/2015 - CONSELHO SUPERIOR Aprova o Regulamento dos Trabalhos de Conclusão dos Cursos de Licenciatura do IFPI. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso. Capítulo I Das disposições preliminares

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso. Capítulo I Das disposições preliminares Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Capítulo I Das disposições preliminares Art. 1º Este Regulamento tem por finalidade regulamentar as atividades de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Graduação

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ENFERMAGEM

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ENFERMAGEM 1 DIRETORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ENFERMAGEM CACOAL 2011 2 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

Leia mais

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Petrolina PE Julho de 2015 1 Capítulo I Da natureza do TCC Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é um componente obrigatório

Leia mais

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA FAPEPE FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA FAPEPE FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA FAPEPE FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE CAPITULO I INTRODUÇÃO Artigo 1 - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO (MONOGRAFIA) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO (MONOGRAFIA) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO (MONOGRAFIA) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relativas ao Trabalho de Curso do currículo

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Capítulo I Disposições Preliminares

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Capítulo I Disposições Preliminares REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Capítulo I Disposições Preliminares Art. 1º O presente regulamento estabelece as normas para a efetivação do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO TCC CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DOM BOSCO DE PORTO ALEGRE I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO TCC CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DOM BOSCO DE PORTO ALEGRE I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO TCC CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DOM BOSCO DE PORTO ALEGRE I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar as atividades do

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 01/2015

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 01/2015 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 01/2015 A Presidente do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE da Universidade Estadual de Santa Cruz UESC, no uso de suas atribuições, considerando o deliberado

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC Barretos SP 2016 APRESENTAÇÃO O Curso de Administração da Faculdade de Barretos prevê a realização de um Trabalho de Conclusão

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

REGULAMENTO DE TCC 2012

REGULAMENTO DE TCC 2012 REGULAMENTO DE TCC 2012 REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O presente regulamento normatiza o processo de elaboração, defesa e julgamento de Trabalho

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CURSO DE JORNALISMO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CURSO DE JORNALISMO Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá Normatiza a organização e funcionamento do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO Dispõe sobre a Orientação do Trabalho de Conclusão de Curso Superior de Tecnologia em Agronegócio da Faculdade

Leia mais

Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá

Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá Normatiza a organização e funcionamento do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DE CAMPINA GRANDE

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DE CAMPINA GRANDE ESCOLA SUPERIOR DE AVIAÇÃO CIVIL COORDENAÇÃO DE TCC TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio do Curso de Turismo da Universidade Estadual do Centro- Oeste, UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO:

Leia mais

FACULDADE GUARAPUAVA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS LICENCIATURA REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

FACULDADE GUARAPUAVA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS LICENCIATURA REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC FACULDADE GUARAPUAVA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS LICENCIATURA REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC Guarapuava - 2013 I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este Regulamento estabelece as regras

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Aprovado pela Resolução Consuni nº 26/10, de 08/09/2010. CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º O presente regulamento disciplina

Leia mais

REGIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DE PSICOLOGIA CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DE PSICOLOGIA CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DE PSICOLOGIA CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. O TCC é uma atividade acadêmica de natureza científica, técnica, filosófica e ou artística com

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PALMAS TO, NOVEMBRO 2015 A disciplina Trabalho de Conclusão de Curso, na Faculdade Católica do Tocantins, está organizada

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FLUXO DO TCC 6o SEM 7o SEM 8o SEM PESQUISA EM INFORMÁTICA Além da ementa da disciplina, o aluno desenvolverá uma proposta de pesquisa, que poderá ou não continuar a ser trabalhada nas disciplinas de TCC1,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 205 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 205 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 205 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior, na forma do ANEXO.

Art. 1º Aprovar o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior, na forma do ANEXO. RESOLUÇÃO Nº 77/2010, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2010 Aprova o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior, na forma do Anexo. O Reitor da Fundação Universidade

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) GARÇA 2011 INTRODUÇÃO O Trabalho de Conclusão de Curso é um componente curricular obrigatório para os cursos de Graduação, assim sendo a Direção da Faculdade

Leia mais

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONOGRAFIA Agosto/2011 2 CITAR SIM, COPIAR NÃO! Talvez fosse desnecessário adverti-los sobre o plágio. No entanto,

Leia mais

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO DE AGRÁRIAS

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO DE AGRÁRIAS MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO DE AGRÁRIAS PALMAS TO, 2015 1. Informações Gerais O presente Manual da Católica do Tocantins, mantida pela União Brasiliense de Educação e Cultura (UBEC)

Leia mais

APÊNDICE B: REGULAMENTO SOBRE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - UNIR CACOAL. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

APÊNDICE B: REGULAMENTO SOBRE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - UNIR CACOAL. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS APÊNDICE B: REGULAMENTO SOBRE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - UNIR CACOAL. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este regulamento tem por objetivo estabelecer as

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA UFMT TÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA UFMT TÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA UFMT TÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea da UFMT,

Leia mais

RESOLUÇÃO 001/2014 DA CONCEPÇÃO E DOS OBJETIVOS

RESOLUÇÃO 001/2014 DA CONCEPÇÃO E DOS OBJETIVOS RESOLUÇÃO 001/2014 Dispõe sobre o Estágio Curricular Supervisionado do curso em atendimento ao que prevê o Projeto Pedagógico do Curso de Administração. A Coordenação do Curso de Administração, no uso

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) - EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) - EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) - EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO O Trabalho de Conclusão de Curso é componente curricular obrigatório, enriquecedor e implementador do perfil do formando. É concebido

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES)

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES) REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES) SANTA MARIA - RS 2014 1 REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIREITO FACULDADE METODISTA

Leia mais

REGULAMENTO DO TCC DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE SÃO LOURENÇO

REGULAMENTO DO TCC DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE SÃO LOURENÇO REGULAMENTO DO TCC DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE SÃO LOURENÇO São Lourenço 2016 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O Trabalho de Conclusão do Curso TCC é atividade curricular obrigatória e

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC NO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC NO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL FACULDADE FRUTAL Rua Nova Ponte, 439 Jardim Laranjeiras Frutal MG CEP 38.200-000. CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Autorizado pela Portaria MEC 4583/2005 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC NO CURSO

Leia mais

REGIMENTO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO

REGIMENTO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO REGIMENTO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O

Leia mais

REGIMENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PARA O CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE/UFAC - CAMPUS FLORESTA

REGIMENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PARA O CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE/UFAC - CAMPUS FLORESTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CAMPUS FLORESTA CENTRO MULTIDISCIPLINAR CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA REGIMENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PARA O CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º O presente instrumento

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1.º O presente Regulamento dispõe sobre o Estágio Supervisionado

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. De acordo com a Resolução CNE/CES nº 10 de 16 de dezembro de 2004 que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO 1. DA DEFINIÇÃO a) O Trabalho de Graduação (TG) compreende o estudo de um problema em profundidade, requerendo

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1. INTRODUÇÃO Este documento estabelece normas para realização do Estágio Supervisionado (ES)do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (TADS)junto

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 2.2 São atribuídas à Coordenadoria de Estágios as seguintes funções:

ADMINISTRAÇÃO. 2.2 São atribuídas à Coordenadoria de Estágios as seguintes funções: ADMINISTRAÇÃO Das Disposições Preliminares 1.1 Esta resolução tem como objetivo normatizar as atividades relacionadas com o Estágio em Administração e com o funcionamento da Coordenadoria de Estágios em

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ENFERMAGEM

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ENFERMAGEM CAPÍTULO I Do Conceito, dos Princípios, das Finalidades e dos Objetivos Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso TCC, define-se

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 118/2004-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 118/2004-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 118/2004-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio Supervisionado de Graduação do Curso de Administração da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço

Leia mais

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia

Instituto de Economia. Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais. Regulamento para Monografia CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento visa normatizar as atividades relacionadas a Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) de Graduação - Bacharelado em Relações Internacionais

Leia mais

Regulamento da Monografia do Curso de Graduação em Direito

Regulamento da Monografia do Curso de Graduação em Direito Regulamento que disciplina a Monografia para os alunos do Curso de Direito do Centro Universitário Salesiano de São Paulo - UNISAL Unidade Universitária de Americana. Coordenação do Curso de Direito Coordenação

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Art. 1º - Este regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do Trabalho Final de Graduação (TFG) do curso de

Leia mais

ANEXO REGULAMENTO INTERNO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP

ANEXO REGULAMENTO INTERNO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP ANEXO REGULAMENTO INTERNO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP RESOLUÇÃO Nº 03, DE 27 DE JULHO DE 2004. Baixa o Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE PEDRO LEOPOLDO - FPL REGULAMENTO DO MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO - MPA

FACULDADES INTEGRADAS DE PEDRO LEOPOLDO - FPL REGULAMENTO DO MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO - MPA FACULDADES INTEGRADAS DE PEDRO LEOPOLDO - FPL REGULAMENTO DO MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO - MPA 2006 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Mestrado Profissional em Administração MPA, das Faculdades

Leia mais

Fundação Universidade do Tocantins - UNITINS Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Administração Acadêmica Curso de Serviço Social

Fundação Universidade do Tocantins - UNITINS Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Administração Acadêmica Curso de Serviço Social REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) EM SERVIÇO SOCIAL Elaboração e Organização Profª. Mestra Alessandra Ruita Santos Profª. Especialista Elizângela Glória Cardoso Profª. Especialista Eva

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO

PRÓ-REITORIA DE ENSINO PRÓ-REITORIA DE ENSINO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO Regulamento do Programa de Monitoria de Ensino aprovado pelo Conselho Superior do IFS através da Resolução nº 07/CS/2011. Aracaju/SE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPÍTULO

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MESTRADO EM FISIOTERAPIA NORMAS ESPECÍFICAS

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MESTRADO EM FISIOTERAPIA NORMAS ESPECÍFICAS FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MESTRADO EM FISIOTERAPIA NORMAS ESPECÍFICAS Res. Consun nº 005/12, de 28/03/12. CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º O Curso de Mestrado em Fisioterapia, regido pela

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO - TC (cursos 557 e 558 - currículos 1, 2 e 3)

CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO - TC (cursos 557 e 558 - currículos 1, 2 e 3) CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO - TC (cursos 557 e 558 - currículos 1, 2 e 3) Art. 1º O presente instrumento tem por finalidade normatizar as atividades do Trabalho de Curso (TC), do

Leia mais

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM DIREITO Sumário CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 1 CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...2 CAPÍTULO III DO CORPO DOCENTE,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE DIREITO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO GERAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE DIREITO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REDAÇÃO DO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO DA UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO RERRATIFICADO EM REUNIÃO ORDINÁRIA DO COLEGIADO DE ENSINO DIDÁTICO, REALIZADA AOS 16 DE MARÇO DE 2012: ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO 1. DA DEFINIÇÃO a) O Trabalho de Graduação (TG) compreende o estudo de um problema em profundidade, requerendo

Leia mais

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC);

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC); Regulamenta o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), fixados no Projeto Pedagógico dos cursos de graduação da Faculdade Sequencial, e dá outras providências: O COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO, no uso

Leia mais

Considerações Gerais. Da Disciplina de Projeto Final de Curso

Considerações Gerais. Da Disciplina de Projeto Final de Curso O Projeto de Final de Curso (PFC) constitui requisito parcial e obrigatório para conclusão dos cursos de Engenharia da Escola Politécnica de Pernambuco, Universidade de Pernambuco. O PFC constitui etapa

Leia mais

NORMAS DO PROJETO DE CONCLUSÃO DE CURSO TRABALHO DE GRADUAÇÃO

NORMAS DO PROJETO DE CONCLUSÃO DE CURSO TRABALHO DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE CARUARU - FACITEC BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: CINF0016 - TRABALHO DE GRADUAÇÃO NORMAS DO PROJETO DE CONCLUSÃO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE - CEFID RESOLUÇÃO 01/2008/CEFID

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE - CEFID RESOLUÇÃO 01/2008/CEFID UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE - CEFID RESOLUÇÃO 01/2008/CEFID Fixa normas para Elaboração, Qualificação e Apresentação dos Trabalhos de Conclusão

Leia mais

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE NUTRIÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Caracterização A elaboração do Trabalho de Curso fundamenta-se nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição,

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º- O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades relacionadas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA EM SAÚDE CURSO DE NUTRIÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA EM SAÚDE CURSO DE NUTRIÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA EM SAÚDE CURSO DE NUTRIÇÃO NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - NUTRIÇÃO/ CCS

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRÁTICAS EM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PPGPDS

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRÁTICAS EM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PPGPDS REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRÁTICAS EM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PPGPDS DOS OBJETIVOS Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Práticas em Desenvolvimento Sustentável (PPGPDS) destina-se

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO O DE CURSO PARA PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU MODALIDADE EAD

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO O DE CURSO PARA PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU MODALIDADE EAD REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO O DE CURSO PARA PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU MODALIDADE EAD O Conselho de Administração, Ensino, Pesquisa e Extensão Consaepe, considerando as suas atribuições RESOLVE

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA / UESC

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA / UESC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA / UESC CAPÍTULO I Disposições gerais Art. 1º. O presente regulamento tem por objetivo normatizar as atividades relacionadas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 - O curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO 2 Sumário 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS... 3 1.1 Atividade acadêmica... 3 1.2 Estruturação... 3 1.3 Localização

Leia mais

RESOLUÇÃO N 003/2012 CEFID

RESOLUÇÃO N 003/2012 CEFID RESOLUÇÃO N 003/2012 CEFID Fixa normas para Elaboração, Qualificação e Apresentação dos Trabalhos de Conclusão dos Cursos de Graduação em Licenciatura em Educação Física, Bacharelado em Educação Física

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. RESOLUÇÃO Nº 036/2012, DE 14 DE SETEMBRO DE 2012 Aprova as normas para concurso público de provimento de cargos de Professor de Nível Médio/Profissionalizante, Administrador Escolar, Supervisor Pedagógico

Leia mais

RESOLUÇÃO 04/2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1º - Fixar normas para o Funcionamento do Programa de Bolsas de Monitoria na UESB.

RESOLUÇÃO 04/2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1º - Fixar normas para o Funcionamento do Programa de Bolsas de Monitoria na UESB. Dispõe sobre o Programa de Bolsa de Monitoria da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB, revogando as disposições em contrário, em especial as Resoluções CONSEPE/UESB 18/94 e 48/97. O Conselho

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Curso de Ciências Contábeis REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Boa Vista, agosto de 2013. SUMÁRIO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 TÍTULO II DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO...

Leia mais

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PROJETOS EXPERIMENTAIS DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO CAPÍTULO I MODALIDADE DE TRABALHO

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PROJETOS EXPERIMENTAIS DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO CAPÍTULO I MODALIDADE DE TRABALHO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PROJETOS EXPERIMENTAIS DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO CAPÍTULO I MODALIDADE DE TRABALHO Art. 1º O presente Manual estabelece os princípios teórico-metodológicos

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - CONSEPE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - CONSEPE UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - CONSEPE RESOLUÇÃO Nº 622/2004 Aprova o Regulamento Geral do Trabalho de Conclusão de Curso -TCC, nos Cursos de Graduação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE BIOMEDICINA DA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA UNOESTE

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE BIOMEDICINA DA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA UNOESTE REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE BIOMEDICINA DA UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA UNOESTE Dispõe sobre o regimento interno da Comissão de Iniciação Científica da Faculdade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 119/2010/CONEPE

RESOLUÇÃO Nº 119/2010/CONEPE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 119/2010/CONEPE Aprova as Normas de Estágio Curricular Obrigatório

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE GOVERNADOR VALADARES FUNDAÇÃO FUPAC GOVERNADOR VALADARES 2010 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INTRODUÇÃO Todo aluno

Leia mais

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 31 de julho de 2014.

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 31 de julho de 2014. RESOLUÇÃO CAS Nº 10/2014 ALTERA A RESOLUÇÃO CAS 33/2013 E DISPÕE SOBRE O REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA. O CONSELHO

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROMOÇÃO DE SAÚDE CAPÍTULO I INTRODUÇÃO

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROMOÇÃO DE SAÚDE CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Texto Aprovado CONSU Resolução CONSU 2015-08 de 25/06/2015 REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROMOÇÃO DE SAÚDE CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Art. 1º Este regimento estabelece as atribuições, responsabilidades

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO)

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) Portaria FEPAGRO nº 154/2013. O Diretor-Presidente da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade normatizar

Leia mais