PROJETO BDA. Coordenador: Hanumant S. Sawant

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO BDA. Coordenador: Hanumant S. Sawant"

Transcrição

1 PROJETO BDA Coordenador: Hanumant S. Sawant

2 DESCRIÇÃO DO BDA O BDA, em desenvolvimento, é um rádio telescópio de custo otimizado que emprega modernas técnicas em rádio interferometria com: Alta resolução espacial < 10 segundos de arco em 5.6 GHz Alta resolução temporal: 100 ms. Capacidade de observar fenômenos solares e não-solares nas faixas protegidas de freqüência: 1,2-1,7 GHz, 2,8 e 5,6 GHz. Sensibilidade estimada: da ordem de 3 mjy em 21 cm para uma temperatura de sistema de 50 K, utilizando amplificadores de baixo ruído.

3 Prof. G. Swarup - Diretor GMRT - India, Dr. H.S. Sawant - INPE e Dr. Hari Om Vats - PRL India, definindo junto com o engenheiro civil a área em Cachoeira Paulista o sítio para o arranjo em T do BDA, em 13 de Setembro de 1997.

4 OBJETIVOS DO BDA Produzir imagens de rádio-fontes com alta resolução espacial e temporal, numa grande faixa dinâmica. Produzir imagens em rádio da baixa coroa onde ocorre a liberação de energia durante os flares solares, análise permitirá um melhor entendimento dos problemas fundamentais da física solar. Utilizar técnicas de tomografia espectral que estão sendo desenvolvidas para aplicações em previsão do Clima Espacial. Além disso, o BDA também servirá para efetuar investigações das emissões de rádio galácticas e extragalácticas do céu do hemisfério sul, o qual não é acessível para investigações do VLA.

5 FÍSICA SOLAR Hanumant Shankar Sawant Joaquim E. R. Costa José Roberto Cecatto Reinaldo Roberto Rosa Adriana Válio Silva Francisco C.R. Fernandes

6 CAPACIDADE DA IMAGEM SOLAR Nobeyama 17 GHz BDA Dirty Image BDA Clean Image ILWS - International Living With Star

7 GALÁCTICA E EXTRAGALÁCTICAS José Williams Vilas Boas Luis Claudio L. Botti Carlos Alexandre Wuensch Thyrso Vilela Neto Camilo Tello Zulema Abraham

8 DISTRIBUIÇÃO DOS RADIOTELESCÓPIOS NO MUNDO.

9 EQUIPE ATUAL DO BDA PROF. SAWANT, H.S. DAS/INPE DR. SANDEEP SIROTHIA, GMRT-NCRA-TIFR-INDIA DR.FRANCISCO CARLOS ROCHA FERNANDES, UNIVAP DR. CESAR STRAUSS, DAS/INPE KHRISTIANO SOUZA, TÉCNICO SENIOR, DAS/INPE ENG. NARLI BAESSO LISBOA, DAS/INPE TIAGO NUNES VIEIRA, TÉCNICO LUIZ ANTONIO REITANO, TÉCNICO, DAS/INPE ALAN BRAGA CASSIANO, TÉCNICO, DAS/INPE EDSON RODRIGUES DA SILVA, TÉCNICO, DAS/INPE

10 PROTÓTIPO DE 5 ANTENAS DO BDA NO INPE-SJC. AO FUNDO, A SALA DE CONTROLE (CONTAINER).

11 AS 5 ANTENAS APÓS SUA MONTAGEM NO SÍTIO DO BDA NO INPE-CP

12 VISTA DE TODAS AS 26 ANTENAS DO BDA LESTE-OESTE E SUL

13 LINHA DE BASE LESTE/OESTE COMPLETA COM 17 ANTENAS DO BDA

14 LINHA DE BASE SUL COMPLETA COM 9 ANTENAS DO BDA

15 AGRADECIMENTO

16 Institutos: 1 - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE: 2 - Divisão de Astrofísica (DAS) 3 - Laboratório de Computação Aplicada (LAC) 4 - Divisão Eletrônica Aeroespacial (DEA) 5 - Laboratório de Integração e Teste (LIT) 6 - Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) 7 - Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) 8 - Centro de Radio Astronomia Mackenzie (CRAAM) INPE INSTITUIÇÕES PARTICIPANTES Instituiçôes Internacionais 1 - Tata Institute of Fundamental Research (TIFR) GMRT NCRA - India 2 - Indian Institute of Astrophysics (IIA) Bangalore, India 3 - University of California - Berkeley (UCB), Dept. of Radioastrophysics, USA 4 - New Jersey Institute of Technology (NJIT), USA 5 - GSFC NASA Washington - USA Indústrias/Empresas: 1 - Intelligent Motion Technology, IMT- LTd. Pune India 2 - Centro de Pesquisa Renato Archer - CENPRA - Campinas 3 - Neuron Ltd. - São José dos Campos - Brasil 4 - UC-GRAÇA São José dos Campos - Brasil. 5 - F4R FIBRA PARA RADIO Campinas 6 - Duas micro-empresas Elétrica-Eletronica

17 Indian Scien*sts visited during the development of BDA and more will be con*nue to visit to finalize the BDA project in The table shows the Indian ins*tutes and funding ins*tutes 1.Prof. Govind Swarup TIFR - FAPESP 2.Prof. Anantha Krishnan TIFR - FAPESP 3.Prof. A.Prameshrao TIFR - FAPESP 4 Prof. Jayram Chengalur TIFR - FAPESP 5.Prof. P.K.Manoharan TIFR - TIFR 6.Eng. Shankararaman TIFR - FAPESP 7.Dr.Sandeep Kumar Siro*a - TIFR - FAPESP 8.Prof. Siraj Hasan IIA - IIA 9.Prof. K.R.Subramanian IIA CNPq, FAPESP 10.Prof. Vinod Krishan IIA - FAPESP 11.Eng. M.S.Sundararajan IIA - FAPESP 12.Prof. R.Ramesh IIA - FAPESP 13.Dr. Ebenezer Chellasamy FAPESP, CNPq 14.Prof.Som Krishan IISC - IISC 15.Prof. Hariom Vats PRL - CNPq 16.Prof. Janardhan PRL - FAPESP 17.Dr. Umesh Joshi PRL - PRL 18.Dr. Nanditha Srivatsav - CNPq 19.Eng. Abhay Joshi IM - FAPESP 20.Eng. Shrijkanth Bhanu IM IM 21.A.V. Sonder IM - IM

18 Scien*sts from other coun*res visited during the development of BDA and Space Science projects and more will be con*nue to visit to finalize the BDA project in The table shows the ins*tutes, country of origin and funding ins*tutes 1. Prof. S. R. Kane SSL - Berkley - FAPESP 2. Prof. M.R.Kundu Uni Maryland FAPESP 3. Prof. Brian Denis GFSC - NASA NASA 4. Prof. Dele Garry NJIT FAPESP 5. Dr. Gordon Hurford SSL Berkley FAPESP 6. Dr. N. Gopalswamy GFSC NASA FAPESP 7. Dr. Hana Meszarosova AUS - Rep. Checa - FAPESP 8. Prof. M. Karlicky AUS - Rep. Checa FAPESP 9. Dr. Robert Sych SSRT FAPESP 10. Prof. T. Kosugi Nobeyama RH - Japan Japan 11. Dr. Wei Wang RHG- China FAPESP

19

20 252 m 9m 9m 18m 36m CONFIGURAÇÃO DO BDA 162m 9m 18m 18m 18m 36m W S N E FASE II E FASE III 252 m 252 m 252 m 2268 m 36m 252 m 252 m 252 m 1170 m 252 m 252 m 252 m

21 RESOLUÇÃO ANGULAR DE RADIOHELIÓGRAFOS SOLARES EXISTENTES ILWS - International Living With Star

22 OBJETIVOS CIENTÍFICOS q Gerar imagens em alta resolução temporal e espacial de rádio fontes em intervalos dinâmicos. q Fornecer imagens solares em radio da mais baixa coroa onde acontece a liberação de energia dos flares ; q Análise de flares e CME s vão produzir um melhor entendimento dos problemas fundamentais na física solar; q A técnica de tomografia espectral está sendo desenvolvida para aplicação na previsão do Clima Espacial. q BDA será muito útil para investigações galácticas e extragalácticas no sul do céu não acessível ao VLA.

23 Normalmente, em observações com coronógrafos óticos o disco solar é ocultado e consequentemente somente são observadas propagação dos CME s perpendiculares à linha de visada. Já nas observações em radio, o disco solar não fica oculto e portanto os CME s também podem ser observados no disco pelos radio heliógrafos, tais como o BDA. Para o Clima Espacial os CME s direcionados a Terra são os mais importantes. Tais CME s podem ser detectados no seu estágio inicial, antes que eles apareçam no campo de visada do coronógrafo, ajudando a identificar as fontes solares dos tais CME s. Os CME s geram impactos, aceleração de partículas, e produzem tempestades geomagnéticas.

24 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA CONFIGURAÇÃO FASE II DO BDA Número de antenas 26 Número de linhas de base 325 Configuração Forma de T Faixa de freqüências 1,2-1,7, 2,8 e 5,6 GHz Resolução temporal ~100 ms Diâmetro da antena vazada montagem alt-az 4 m Resolução angular ~2,8, ~1,4 e ~0,8 Máxima linha de base 252 m Mínima linha de base 9 m Campo de visada de arco Sensibilidade (em 5,6 GHz com Δt = 1 s) ~285 Jy/feixe (Sol) e ~1,8 Jy/feixe (outras) Cobertura de rastreio em azimute e em elevação Precisão de apontamento e rastreio < 3 min. de arco

25 FORMATO FINAL DO BDA 38 antenas de 4 metros de diâmetro dispostas em forma de T ; Linhas de base máximas de: 2268 m na direção Leste-Oeste e 1170 m na direção Sul. Braço central do T será na direção Sul. A porção central será constituída de 26 antenas distribuídas num T compacto, com linhas de base máxima de 252 metros na direção Leste- Oeste e 162 metros na direção Sul. As demais 12 antenas serão distribuídas, igualmente espaçadas de 252 metros, sendo 4 antenas em cada um dos braços do T. O telescópio vai operar em Cachoeira Paulista (Latitude Oeste e Longitude Sul).

26

27 CONFIGURAÇÃO DAS 26 ANTENAS PARA A FASE II DO BDA. AS ANTENAS EM AMARELO SÃO AS JÁ EXISTENTES (FASE I), A VERDE ESTÁ EM INSTALAÇÃO E AS 20 PRETAS SERÃO ADICIONADAS NA FASEII. 27

28 Métodos: O desenvolvimento da fase II do BDA envolve a participação de várias empresas locais nacionais e institutos internacionais. Fabrication ands test of the wide-band feeder (1-6 GHz) - INPE Feeder U. C. Berkeley Amplifier Neuron (Brazilian company) 1 6 GHz FAPESP Mechanical structure and electronic control of the tracking system Mechanical structure Brazilian company Electrics/ Electronics GMRT IntelteK INDIA Transport and mounting the towers on bases INPE Receiver (1-6 GHz) Brazilian company - Neuron Adjustable attenuators, Boxes, Printed Circuits INPE Digital system of the A/D Converter Digital Correlator Presently, solar images from other Observatories are used Parallel machine Data acquisition system UFSCAR / INPE FINEP Development and installation by IIA Donation for the BDA Japan / India Visualization and analysis of solar images in real-time LAC / INPE NUSASC* FAPESP Fabrication of the RF 70 MHz and 10 MHz cables, with identical dimensions and linking the cables from the control room to the antennas INPE FAPESP FINEP/ CNPq DONATION Astrophysics research and Space weather forecast Whole scientific community and scientists from the participating institutes * (Proc. 97/ )

29

30

31 Clima Espacial - Projeto MCT Previsão de Vento solar, injeção de CME s e consequências do Clima Espacial na Terra. Utilização de instrumentação de Física Solar e outros para previsão do Clima Espacial. Oportunidades de emprego como CLT.

PROJETO BRAZILIAN DECIMETRIC ARRAY: Francisco C. R. Fernandes

PROJETO BRAZILIAN DECIMETRIC ARRAY: Francisco C. R. Fernandes PROJETO BRAZILIAN DECIMETRIC ARRAY: Francisco C. R. Fernandes UNIVAP/2007 CONTEÚDO R MOTIVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO R RÁDIO-INTERFEROMETRIA R O INSTRUMENTO BDA R MARCOS DO DESENVOLVIMENTO R FASES DO

Leia mais

SOBRE O FUTURO DA FÍSICA SOLAR NO BRASIL

SOBRE O FUTURO DA FÍSICA SOLAR NO BRASIL SOBRE O FUTURO DA FÍSICA SOLAR NO BRASIL Joaquim E. R. Costa (INPE), Adriana Válio (CRAAM/UPM), C. Guillermo Giménez de Castro (CRAAM/UPM), Paulo J. A. Simões (CRAAM-FAPESP), Fernando Bertoni(CRAAM/UPM),

Leia mais

Adriana Valio. (Adriana Silva, Adriana Silva-Valio) Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie Universidade Presbiteriana Mackenzie

Adriana Valio. (Adriana Silva, Adriana Silva-Valio) Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie Universidade Presbiteriana Mackenzie Adriana Valio (Adriana Silva, Adriana Silva-Valio) Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie Universidade Presbiteriana Mackenzie Workshop DAS INPE 08/04/2014 Áreas de Pesquisa Física solar: Observações:

Leia mais

EDUARDO MENA BARRETO ALONSO ANÁLISE DOS ERROS DE RASTREIO E APONTAMENTO DAS ANTENAS DO BRAZILIAN DECIMETRIC ARRAY (BDA)

EDUARDO MENA BARRETO ALONSO ANÁLISE DOS ERROS DE RASTREIO E APONTAMENTO DAS ANTENAS DO BRAZILIAN DECIMETRIC ARRAY (BDA) EDUARDO MENA BARRETO ALONSO ANÁLISE DOS ERROS DE RASTREIO E APONTAMENTO DAS ANTENAS DO BRAZILIAN DECIMETRIC ARRAY (BDA) Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Física e Astronomia

Leia mais

ESTUDO DA EVOLUÇÃO ESPECTRAL DE RADIOFONTES

ESTUDO DA EVOLUÇÃO ESPECTRAL DE RADIOFONTES INPE-12986-PRE/8263 ESTUDO DA EVOLUÇÃO ESPECTRAL DE RADIOFONTES Eduardo Henrique Moretti Marques Relatório Final de Projeto de Iniciação Científica (PIBIC/CNPq/INPE), orientado pelo Dr. Luiz Cláudio Lima

Leia mais

MCT / INPE / CEA LAC DSS - Programa EMBRACE 2

MCT / INPE / CEA LAC DSS - Programa EMBRACE 2 Apoio Colaboração Atualizações Programa Embrace Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE Coordenação de Ciências Espaciais e Atmosféricas - CEA Laboratório Associado de Computação e Matemática

Leia mais

A pós-graduação na Divisão de Astrofísica do INPE

A pós-graduação na Divisão de Astrofísica do INPE A pós-graduação na Divisão de Astrofísica do INPE Carlos Alexandre Wuensche alex@das.inpe.br http://www.das.inpe.br Pessoal da Divisão de Astrofísica 21 pesquisadores (20 doutores e 1 ( mestre - SJC 3

Leia mais

do software Brasileiro

do software Brasileiro Projeto mps Br: melhoria de processo do software Brasileiro SUMÁRIO 1. Introdução 2. O Projeto mps Br 3. Conclusão Project: Bspi Brazilian software process improvement 1 Percepção da Qualidade dos Processos

Leia mais

Comissão Especial de Astronomia do Ministério da Ciência e Tecnologia MCT. Relatório da Subcomissão de Radioastronomia

Comissão Especial de Astronomia do Ministério da Ciência e Tecnologia MCT. Relatório da Subcomissão de Radioastronomia Comissão Especial de Astronomia do Ministério da Ciência e Tecnologia MCT Relatório da Subcomissão de Radioastronomia elaborado por: Carlos Alexandre Wuensche de Souza INPE Carlos Guillermo Giménez de

Leia mais

Atividades vinculadas à Linha Radiofísica e ao Radio Observatório do Itapetinga

Atividades vinculadas à Linha Radiofísica e ao Radio Observatório do Itapetinga WORKSHOP da DAS (25/04/2013) Atividades vinculadas à Linha Radiofísica e ao Radio Observatório do Itapetinga Por que radioastronomia? Grandes Vantagens da Radio Astronomia: Observar dia e noite Interferometria

Leia mais

A Experiência do LIT / INPE

A Experiência do LIT / INPE A Experiência do LIT / INPE Elaborado por Heyder Hey & Geilson Loureiro 1 O INPE e o MCT MCT Ministério da Ciência e Tecnologia Órgãos da Assistência Direta (Secretaria Executiva, Gabinete, Assessoria

Leia mais

Antenas Parabólicas -- Apostila Básica

Antenas Parabólicas -- Apostila Básica Antenas Parabólicas -- Apostila Básica Antenas parabólicas são usadas em UHF e Microondas. Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possuem um alto ganho. Uma antena receptora de satélites

Leia mais

Prof. Dr. Arismar Cerqueira Sodré Junior Prof. Dr. Arismar Cerqueira S. Jr. arismar@inatel.br

Prof. Dr. Arismar Cerqueira Sodré Junior Prof. Dr. Arismar Cerqueira S. Jr. arismar@inatel.br Rádio sobre Fibra: Tecnologia Chave para Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016 Prof. Dr. Arismar Cerqueira Sodré Junior 1 Contexto Tecnológico 2 Sumário da apresentação I. Contexto Tecnológico II.

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE BANCO DE DADOS E ANÁLISE DE SÉRIES TEMPORAIS PARA ESTUDO DO CLIMA ESPACIAL

ORGANIZAÇÃO DE BANCO DE DADOS E ANÁLISE DE SÉRIES TEMPORAIS PARA ESTUDO DO CLIMA ESPACIAL ORGANIZAÇÃO DE BANCO DE DADOS E ANÁLISE DE SÉRIES TEMPORAIS PARA ESTUDO DO CLIMA ESPACIAL RELATÓRIO FINAL DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIBIC/CNPq/INPE) Stephanie Anne Liles (FÍSICA/UNITAU, Bolsista

Leia mais

Antenas Parabólicas. - Tela de alumínio; - Fibra de vidro; - Alumínio.

Antenas Parabólicas. - Tela de alumínio; - Fibra de vidro; - Alumínio. Antenas Parabólicas Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possui um alto ganho. Uma antena receptora de satélites de 3 metros de diâmetro, por exemplo, tem um ganho de 33dB, ou seja,

Leia mais

Área limpa para o setor aeroespacial

Área limpa para o setor aeroespacial Área limpa para o setor aeroespacial Equatorial Sistemas inaugura 95 metros quadrados de área limpa, para desenvolver, fabricar, montar e integrar hardwares para aplicações aeroespaciais Alberto Sarmento

Leia mais

Luiz Bertini. Antenas Parabólicas

Luiz Bertini. Antenas Parabólicas Antenas Parabólicas Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possui um alto ganho. Uma antena receptora de satélites de 3 metros de diâmetro, por exemplo, tem um ganho de 33dB, ou seja,

Leia mais

O Radar Meteorológico

O Radar Meteorológico O Radar Meteorológico Demilson Quintão PY2UEP Bauru, 2014 1 Previsão Meteorológica 1-Climática: indica tendência das estações em escalas regionais, continentais, globais. 2-Previsão Meteorológica comum

Leia mais

RADIO OBSERVATÓRIO DO ITAPETINGA, ATIBAIA, SP ZONA DE SILÊNCIO ELÉTRICO.

RADIO OBSERVATÓRIO DO ITAPETINGA, ATIBAIA, SP ZONA DE SILÊNCIO ELÉTRICO. RADIO OBSERVATÓRIO DO ITAPETINGA, ATIBAIA, SP ZONA DE SILÊNCIO ELÉTRICO. PROTEÇÃO DO RÁDIO-OBSERVATÓRIO DO ITAPETINGA CONTRA INTERFERÊNCIAS ELETROMAGNÉTICAS INDESEJÁVEIS. PROTEÇÃO ZONA DOS DE RADIOTELESCÓPIOS

Leia mais

INPE-7177-PUD/38 INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA

INPE-7177-PUD/38 INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA INPE-7177-PUD/38 INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA André de Castro Milone Carlos Alexandre Wuensche Cláudia Vilega Rodrigues Francisco José Jablonski Hugo Vicente Capelato José Williams Vilas-Boas

Leia mais

www.omnisys.com.br Importância da FAPESP na história da Omnisys

www.omnisys.com.br Importância da FAPESP na história da Omnisys www.omnisys.com.br Importância da FAPESP na história da Omnisys 1 / Sumário 1. Quem somos nós? 2. Nossas instalações 3. Distribuição de receita 4. Áreas de atuação 5. A importância da FAPESP 6. Conclusão

Leia mais

Comunicações a longas distâncias

Comunicações a longas distâncias Comunicações a longas distâncias Ondas sonoras Ondas electromagnéticas - para se propagarem exigem a presença de um meio material; - propagam-se em sólidos, líquidos e gases embora com diferente velocidade;

Leia mais

VIII Workshop da Pós-graduação em Astrofísica - DAS/INPE São José dos Campos, 7-8 Abril 2015. Propagação de Ondas MHD na Atmosfera Solar

VIII Workshop da Pós-graduação em Astrofísica - DAS/INPE São José dos Campos, 7-8 Abril 2015. Propagação de Ondas MHD na Atmosfera Solar VIII Workshop da Pós-graduação em Astrofísica - DAS/INPE São José dos Campos, 7-8 Abril 2015 Propagação de Ondas MHD na Atmosfera Solar Sandra M. Conde C. Dr. Joaquim E. Rezende C. Conteúdo I - Equilíbrio

Leia mais

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses FIS02010 Professora Ana Chies Santos IF/UFRGS https://anachiessantos.wordpress.com/ensino/fis02010/ Facebook #AstroUFRGS Relembrando... Sistemas de Coordenadas

Leia mais

Técnicas de Geodésia Espacial: Princípios e Aplicações. Antonio Macilio Pereira de Lucena

Técnicas de Geodésia Espacial: Princípios e Aplicações. Antonio Macilio Pereira de Lucena Técnicas de Geodésia Espacial: Princípios e Aplicações Antonio Macilio Pereira de Lucena VLBI Very Long Baseline Interferometry; GNSS- Global Navegation Satellite System; SLR- Satellite Laser Range; DORIS-

Leia mais

Introdução à Astrofísica. Telescópios. Rogemar A. Riffel

Introdução à Astrofísica. Telescópios. Rogemar A. Riffel Introdução à Astrofísica Telescópios Rogemar A. Riffel Telescópios Função: coletar a luz dos objetos, tornando possível o estudo de fontes muito fracas. Parâmetros fundamentais: Abertura da superfície

Leia mais

Procura de Planetas Extra-Solares

Procura de Planetas Extra-Solares Objectivos* Observação através do método de fotometria, planetas extra-solares. Público-alvo * Alunos do 12º Ano do ramo Científico-Natural. Introdução Este projecto foi levado a cabo por um grupo de 6

Leia mais

Custo de montagem de uma unidade com de 2 telessalas

Custo de montagem de uma unidade com de 2 telessalas Custo de montagem de uma unidade com de 2 telessalas Investimento em Equipamentos Equipamentos Quantidades Modelo Sugerido Preço Medio Unitário Total Antena 1 Lero SAT 2,20m Fibra R$ 680.00 R$ 680.00 LNB

Leia mais

COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE. Prof. MSc. Sandro M Malta

COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE. Prof. MSc. Sandro M Malta COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE Prof. MSc. Sandro M Malta Satélite Definição É chamado de satélite todo objeto que gira em torno de outro objeto. Ele é classificado em dois tipos: satélite natural satélite artificial.

Leia mais

RESUMO O trabalho apresenta resultados de um estudo sobre o texto A Geometria do Globo Terrestre

RESUMO O trabalho apresenta resultados de um estudo sobre o texto A Geometria do Globo Terrestre Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 43 O ÂNGULO DE ELEVAÇÃO DO SOL E A ENERGIA SOLAR Antonio da Silva Gomes Júnior 1, José Paulo Rodrigues da Silveira,

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Comunicação sem fios 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Satélites Satélite é o elemento comum de interligação das estações terrenas, atuando como estação repetidora. Devido a sua altitude,

Leia mais

CANSAT PORTUGAL 2015

CANSAT PORTUGAL 2015 CANSAT PORTUGAL 2015 WORKSHOP INICIAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES 10 e 11 de Janeiro de 2015 PROGRAMA CANSAT PORTUGAL 2015 WORKSHOP INICIAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES 2015 Programa de formação ÍNDICE 1-

Leia mais

Introdução ao Sensoriamento Remoto

Introdução ao Sensoriamento Remoto Introdução ao Sensoriamento Remoto Cachoeira Paulista, 24 a 28 novembro de 2008 Bernardo Rudorff Pesquisador da Divisão de Sensoriamento Remoto Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE Sensoriamento

Leia mais

Grupo de trabalho: OBJECTIVOS. Realizar actividades em parceria com outras escolas.

Grupo de trabalho: OBJECTIVOS. Realizar actividades em parceria com outras escolas. FAZER HISTÓRIA: descobrir o valor do raio da Terra e estimar a distância à Lua Data: / / Grupo de trabalho: OBJECTIVOS Relacionar a sombra projectada pelo Sol em lugares com diferentes latitudes, para

Leia mais

INSCRIÇÃO Bolsas de Estudo MEXT (Monbukagakusho)

INSCRIÇÃO Bolsas de Estudo MEXT (Monbukagakusho) INSCRIÇÃO Bolsas de Estudo MEXT (Monbukagakusho) ESCOLA TÉCNICA 2014 Atenção!! - Este Consulado recebe inscrição somente dos candidatos residentes nos Estados de Rio de Janeiro, Minas Gerais (exceto Triângulo

Leia mais

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL Baseados em nossa experiência em aplicações de GPS e Telemetria, e devido às pequenas dimensões (70x40x20 mm) do GT PERSONAL GPS este dispositivo portátil executa o

Leia mais

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00. COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS Especificações Técnicas Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.058 Cod.

Leia mais

Implantação de sistema computacional aplicado a informações meteorológicas para internet.

Implantação de sistema computacional aplicado a informações meteorológicas para internet. Autor: Irene Cristina Pereira Corrêa Orientador(a): Júlia Clarinda Paiva Cohen Co-orientador: Paulo Afonso Fischer Kuhn Filiação: Curso de Meteorologia / Universidade Federal do Pará E-mail: irenecristinacorrea@hotmail.com

Leia mais

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 Eng. João Marcos Castro Soares (Diretor de P&D) São Paulo, 29 de abril de 2015 REIVAX

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 1 ESFERA CELESTE E O SISTEMA DE COORDENADAS Esfera Celeste. Sistema de Coordenadas. Coordenadas Astronómicas. Sistema Horizontal. Sistema Equatorial Celeste. Sistema Equatorial Horário. Tempo

Leia mais

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2010.2 ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno!

Leia mais

Qualificação de Dados Meteorológicos das PCDs Plataforma de Coleta de Dados

Qualificação de Dados Meteorológicos das PCDs Plataforma de Coleta de Dados Qualificação de Dados Meteorológicos das PCDs Plataforma de Coleta de Dados MSc. Asiel Bomfin Jr. 1 asiel.bomfin@cptec.inpe.br T. Eletrônica Silvia Garcia de Castro 2 Silvia.garcia@cptec.inpe.br 1\2 Instituto

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC.

RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC. RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC.) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Chamada Pública Universal

Leia mais

De estagiário ESA a empreendedor

De estagiário ESA a empreendedor De estagiário ESA a empreendedor Fabrice Brito Terradue Srl Estágios Tecnológicos no CERN, ESA, ESO 30 de Abril 2010 - Pavilhão do Conhecimento Ciência Viva O meu percurso Percurso académico Licenciado

Leia mais

Guia de instalação rápida

Guia de instalação rápida 1 Wireless IP Camera Guia de instalação rápida www.mundialsul.com.br (48) 3343-0108 2 Conteúdo da Caixa 1X Camera IP 1X Fonte 5V 2A 1X CD com Programa 1X Certificado de Garantia 1X Suporte para Fixação

Leia mais

Astronomia no Brasil. astronomia/a rtigos. João E. Steiner

Astronomia no Brasil. astronomia/a rtigos. João E. Steiner Astronomia no Brasil João E. Steiner Aspectos históricos A astronomia brasileira, enquanto ciência institucionalizada e produtiva, é uma atividade recente. Ela se desenvolveu a partir da implantação da

Leia mais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais Sensoriamento Remoto Características das Imagens Orbitais 1 - RESOLUÇÃO: O termo resolução em sensoriamento remoto pode ser atribuído a quatro diferentes parâmetros: resolução espacial resolução espectral

Leia mais

Satélites http://www.acssjr.hpg.ig.com.br/brasilsat.htm

Satélites http://www.acssjr.hpg.ig.com.br/brasilsat.htm Satélites http://www.acssjr.hpg.ig.com.br/brasilsat.htm Histórico no Brasil -Os primeiros estudos para implantação de um satélite doméstico, no Brasil, datam de 1968, com o Projeto SACI, no âmbito do Instituto

Leia mais

ASTRONOMIA, O CÉU EM NOSSAS MÃOS UTILIZANDO O DS9

ASTRONOMIA, O CÉU EM NOSSAS MÃOS UTILIZANDO O DS9 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE DEPARTAMENTO DE FÍSICA ASTRONOMIA, O CÉU EM NOSSAS MÃOS UTILIZANDO O DS9 São Cristóvão SE 2013 Pré-requisitos Conhecimentos de informática básica. Objetivos Obter arquivos

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Informação (PPgSI)

Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Informação (PPgSI) Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Informação () Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo Universidade de São Paulo -Brasil Universidade de São Paulo -Brasil UniversityofSão

Leia mais

Introdução ao Sensoriamento Remoto. Sensoriamento Remoto

Introdução ao Sensoriamento Remoto. Sensoriamento Remoto Introdução ao Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto Definição; Breve Histórico; Princípios do SR; Espectro Eletromagnético; Interação Energia com a Terra; Sensores & Satélites; O que é Sensoriamento

Leia mais

CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE

CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE José Fernandes; José Silva; Nuno Vieira; Paulo Sequeira Gonçalves Curso de Engenharia Industrial Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco Av. do Empresário,

Leia mais

Workshop com Usuários 2015

Workshop com Usuários 2015 Workshop com Usuários 2015 apresentado por Dr. Clezio Marcos De Nardin Gerente do Programa Embrace (INPE/CEA-LAC-DSS) A Pasta do Evento MCT / INPE / CEA LAC DSS - Programa EMBRACE 2 Programa do Evento

Leia mais

ANÁLISE E PREVISÃO DO TEMPO

ANÁLISE E PREVISÃO DO TEMPO ANÁLISE E PREVISÃO DO TEMPO Observações Meteorológicas Em latitudes médias, o tempo está quase sempre associado a frentes que se deslocam para leste. Assim, se fôr conhecido o comportamento dessas frentes,

Leia mais

Tabela 1 - Atributos e necessidades por grupos. ID Descrição. Local Aplicação Arq. Tráfego. WWW geral TCP/IP BE WWW S1. E-mail TCP/IP BE Email S2

Tabela 1 - Atributos e necessidades por grupos. ID Descrição. Local Aplicação Arq. Tráfego. WWW geral TCP/IP BE WWW S1. E-mail TCP/IP BE Email S2 Planeamento Tabela 1 - Atributos e necessidades por grupos ID Descrição Nº de Utilizad. Local Arq. Tráfego Dest. tráfeg ID Dest. G1 Instituições Sociais, Culturais e Desportivas 150 G2 Empresas 500 G3

Leia mais

ENLACE DE MICRO-ONDAS RELACIONADO A ATENUAÇÃO DEVIDO À CHUVA

ENLACE DE MICRO-ONDAS RELACIONADO A ATENUAÇÃO DEVIDO À CHUVA ENLACE DE MICRO-ONDAS RELACIONADO A ATENUAÇÃO DEVIDO À CHUVA Caio Matheus Pereira Braga, Diego de Brito Piau, Heitor Ferreira Camargos Silva, Rafael Resende Moraes Dias, Yago Gomes Dos Santos Universidade

Leia mais

MEDIDAS MAGNÉTICAS DE PINTURAS EM CERÂMICA E PINTURAS RUPESTRES

MEDIDAS MAGNÉTICAS DE PINTURAS EM CERÂMICA E PINTURAS RUPESTRES MEDIDAS MAGNÉTICAS DE PINTURAS EM CERÂMICA E PINTURAS RUPESTRES Aluno: Fernando Cardoso Emiliano Ribeiro Orientador: Paulo Costa Ribeiro Introdução Realizamos no campo de medidas magnéticas de vasos e

Leia mais

Adriana Valio. (Adriana Silva, Adriana Silva-Valio) Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie Universidade Presbiteriana Mackenzie

Adriana Valio. (Adriana Silva, Adriana Silva-Valio) Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie Universidade Presbiteriana Mackenzie Adriana Valio (Adriana Silva, Adriana Silva-Valio) Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie Universidade Presbiteriana Mackenzie Workshop DAS INPE 04/05/2016 Áreas de pesquisa Exoplanetas Estrelas

Leia mais

Prof. Reinaldo Castro Souza (PhD) Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) reinaldo@ele.puc-rio.br

Prof. Reinaldo Castro Souza (PhD) Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) reinaldo@ele.puc-rio.br Prof. Reinaldo Castro Souza (PhD) Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) reinaldo@ele.puc-rio.br A geração eólica depende diretamente da velocidade do vento. A velocidade do vento

Leia mais

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE

Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE Julho 2010 Aumento da Capacidade de Armazenamento do SPRACE São Paulo Regional Analysis Center Sergio Ferraz Novaes Sumário I. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA... 3 II. QUALIFICAÇÃO DO PROBLEMA... 3 III. OBJETIVOS

Leia mais

5 VIATURA DE MEDIDAS, PLANEJAMENTO E OS TESTES DE CAMPO

5 VIATURA DE MEDIDAS, PLANEJAMENTO E OS TESTES DE CAMPO 5 VIATURA DE MEDIDAS, PLANEJAMENTO E OS TESTES DE CAMPO A viatura de medidas é equipada para o levantamento com mastro retrátil de até 10 m de altura, um conjunto de instrumentos de medida e de armazenamento

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Departamento de Engenharia - Universidade Federal de Lavras

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Departamento de Engenharia - Universidade Federal de Lavras Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e Automação Histórico Início 2007 com foco em modelagem biológica (Engenharias IV Capes) e característica multidisciplinar com professores da área de

Leia mais

Laboratório Nacional de Luz Síncrotron Aberto e Multiusuário. ANTONIO JOSÉ ROQUE DA SILVA Diretor do LNLS jose.roque@lnls.br

Laboratório Nacional de Luz Síncrotron Aberto e Multiusuário. ANTONIO JOSÉ ROQUE DA SILVA Diretor do LNLS jose.roque@lnls.br Laboratório Nacional de Luz Síncrotron Aberto e Multiusuário ANTONIO JOSÉ ROQUE DA SILVA Diretor do LNLS jose.roque@lnls.br História 1988 - Prédio provisório no bairro Santa Cândida, com 2 mil metros quadrados

Leia mais

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF A Engenharia e o Desenvolvimento Regional A Engenharia e o Desenvolvimento Regional Resumo A importância da qualidade e diversidade na formação do corpo de engenheiros regionais e a integração da indústria

Leia mais

Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação

Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação Saulo Finco Chefe da DCSH saulo.finco@cti.gov.br Tel.: (19) 3746-6246 - Fax: (19) 3746-6028 www.cti.gov.br Projeto CITAR Circuitos Integrados Tolerantes

Leia mais

Gustavo Noronha Silva. Projeto de Pesquisa: Impactos do Software Livre na Inclusão Digital

Gustavo Noronha Silva. Projeto de Pesquisa: Impactos do Software Livre na Inclusão Digital Gustavo Noronha Silva Projeto de Pesquisa: Impactos do Software Livre na Inclusão Digital Universidade Estadual de Montes Claros / UNIMONTES junho / 2003 Gustavo Noronha Silva Projeto de Pesquisa: Impactos

Leia mais

WinCAP 3. Software para previsão de propagação by KU5S James L. Tabor. Apresentação: PY2YP

WinCAP 3. Software para previsão de propagação by KU5S James L. Tabor. Apresentação: PY2YP WinCAP 3 Software para previsão de propagação by KU5S James L. Tabor Apresentação: PY2YP WinCAP 3 Introdução Conceitos Fundamentais Configuração Análise dos Circuitos Interpretação dos Resultados Modelos

Leia mais

Radar Multiparamétrico e X-Net

Radar Multiparamétrico e X-Net Matéria Especial: Visando a Previsão de Desastres Causados por Fortes Chuvas Repentinas Radar Multiparamétrico e X-Net Novo Sistema de Observação que Capta Fortes Chuvas Repentinas (chamadas no Japão de

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DOS TRANSDUTORES DA ANTENA SCHENBERG MOLAS DE GÁS PARA O SISTEMA DE PÊNDULOS MULTI-ANINHADOS

DESENVOLVIMENTO DOS TRANSDUTORES DA ANTENA SCHENBERG MOLAS DE GÁS PARA O SISTEMA DE PÊNDULOS MULTI-ANINHADOS GRUPO GRAVITON GRÁVITON GROUP DESENVOLVIMENTO DOS TRANSDUTORES DA ANTENA SCHENBERG MOLAS DE GÁS PARA O SISTEMA DE PÊNDULOS MULTI-ANINHADOS Elvis Camilo Ferreira (Doutorado) Orientador: Dr. Odylio Denys

Leia mais

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA 2015 CONSTITUIÇÃO DO JÚRI Joaquim Sérvulo Rodrigues Membro da Direcção da COTEC Portugal, Presidente do Júri; Carlos Brazão Director Sénior de Vendas

Leia mais

BDG - BANCO DE DADOS DE GRADES UMA FERRAMENTA PARA DISPONIBILIZAR DADOS DE PREVISÃO DE MODELOS NUMÉRICOS DE TEMPO E CLIMA

BDG - BANCO DE DADOS DE GRADES UMA FERRAMENTA PARA DISPONIBILIZAR DADOS DE PREVISÃO DE MODELOS NUMÉRICOS DE TEMPO E CLIMA BDG - BANCO DE DADOS DE GRADES UMA FERRAMENTA PARA DISPONIBILIZAR DADOS DE PREVISÃO DE MODELOS NUMÉRICOS DE TEMPO E CLIMA Antonio Carlos Fernandes da Silva 1, Luciana Santos Machado Carvalho 2, Denise

Leia mais

Photograph courtesy Shawn Malone. MCTi / INPE - AEB / CEA LAC DSS - Programa EMBRACE 2

Photograph courtesy Shawn Malone. MCTi / INPE - AEB / CEA LAC DSS - Programa EMBRACE 2 Apoio Colaboração Clima Espacial? Programa Embrace Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE Coordenação de Ciências Espaciais e Atmosféricas - CEA Laboratório Associado de Computação e Matemática

Leia mais

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVAS E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVAS E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVAS E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO 1.1 - INTRODUÇÃO Com o aumento da demanda de serviços de tecnologia e também buscando atender às necessidades atuais do progresso

Leia mais

Autores: Roberto Okabe (1) e Debora S. Carvalho (2)

Autores: Roberto Okabe (1) e Debora S. Carvalho (2) A UTILIZAÇÃO DO GEORADAR (GPR) COMO FERRAMENTA DE ENSAIO NÃO DESTRUTIVO (END) PARA LOCALIZAÇÃO DA MANTA DE IMPERMEABILIZAÇÃO E VERIFICAÇÃO DA ESPESSURA DO CONCRETO NUM BLOCO TESTE Autores: Roberto Okabe

Leia mais

Sistema de Detecção de Raios

Sistema de Detecção de Raios Tela do Sistema Apresentação Fig A O "Sistema de Detecção de Raios é um sistema de computador desenvolvido em conjunto com um sensor que mede o campo elétrico das descargas atmosféricas e tem a finalidade

Leia mais

Gerenciamento Eletrônico de Documentos. Resumo. Palavras-chave. Summary. Word-key

Gerenciamento Eletrônico de Documentos. Resumo. Palavras-chave. Summary. Word-key Gerenciamento Eletrônico de Documentos Alexandra Holanda Jaber 1 Marina Vaz Cunha da Silva 1 Rogério Rodrigues de Andrade 1 Pedro Nogueira de Souza 1 Resumo O GED é um Sistema desenvolvido para agilizar

Leia mais

DETECÇÃO E ESTUDO DE EVENTOS SOLARES TRANSIENTES E VARIAÇÃO CLIMÁTICA

DETECÇÃO E ESTUDO DE EVENTOS SOLARES TRANSIENTES E VARIAÇÃO CLIMÁTICA DETECÇÃO E ESTUDO DE EVENTOS SOLARES TRANSIENTES Colaboração UNICAMP, UFF, UMSA, UFABC Apresentação: Edmilson Manganote Sumário A Colaboração Introdução Os Objetivos Um pouco da Física... O Experimento

Leia mais

Estrutura Curricular do 2º Ciclo do Mestrado integrado em Engenharia Eletrotécnica e Computadores (MIEEC)

Estrutura Curricular do 2º Ciclo do Mestrado integrado em Engenharia Eletrotécnica e Computadores (MIEEC) Estrutura Curricular do 2º Ciclo do Mestrado integrado em Engenharia Eletrotécnica e Computadores (MIEEC) No segundo Ciclo do Mestrado em Engenharia Eletrotécnica e Computadores (MIEEC), i.e, 7º a 10º

Leia mais

Sistemas Sensores. Introdução

Sistemas Sensores. Introdução Sistemas Sensores 5ª Aulas Introdução O sol foi citado como sendo uma fonte de energia ou radiação. O sol é uma fonte muito consistente de energia para o sensoriamento remoto (REM). REM interage com os

Leia mais

LOCALIZADORES AVANÇADOS DE CABOS E CONDUTAS SUBTERRADAS SISTEMA ULTRA

LOCALIZADORES AVANÇADOS DE CABOS E CONDUTAS SUBTERRADAS SISTEMA ULTRA LOCALIZADORES AVANÇADOS DE CABOS E CONDUTAS SUBTERRADAS SISTEMA ULTRA A complexidade de serviços subterrados, tais como cabos elétricas, condutas de água, cabos de telecomunicações, etc. aumenta cada vez

Leia mais

Teste da eficiencia da película protetora (insulfilm) em veículos automotores

Teste da eficiencia da película protetora (insulfilm) em veículos automotores F 609A Tópicos de Ensino de Física Teste da eficiencia da película protetora (insulfilm) em veículos automotores Aluno: Bruno Gomes Ribeiro RA: 059341 onurbrj@hotmail.com Orientador: Professor Doutor Flavio

Leia mais

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

Leis e Modelos Científicos

Leis e Modelos Científicos Leis e Modelos Científicos Pág 2 Antes de existir meios para desenvolver pesquisas em relação à Ciência, a maior parte dos seres humanos tinham a ideia de que o mundo apareceu devido a uma obra divina.

Leia mais

Caso de sucesso. Impacto no Negócio. A Empresa

Caso de sucesso. Impacto no Negócio. A Empresa Escola disponibiliza acesso wireless de qualidade para alunos, funcionários e visitantes, e contribui para um aprendizado cada vez mais dinâmico. Com o objetivo de aperfeiçoar a iniciativa BYOD (Bring

Leia mais

Saber Ciência - Um novo recurso on-line

Saber Ciência - Um novo recurso on-line Saber Ciência - Um novo recurso on-line N.P. Barradas Centro de Ciências e Tecnologias Nucleares Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa E.N. 10 ao km 139,7, 2695-066 Bobadela LRS, Portugal

Leia mais

802.11n + NV2 TDMA. Desempenho e Acesso Múltiplo em Redes Wireless com RouterOS

802.11n + NV2 TDMA. Desempenho e Acesso Múltiplo em Redes Wireless com RouterOS 802.11n + NV2 TDMA Desempenho e Acesso Múltiplo em Redes Wireless com RouterOS Nicola Sanchez Engenheiro de Telecomunicações Mikrotik Certified Trainer CENTRO DE TREINAMENTO OFICIAL MIKROTIK CENTRO DE

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Comunicação sem fios Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Mestrado em Fisica 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes WIFI 1 Introdução Nos sistemas de comunicações

Leia mais

Telescópios. Características Tipos Funcionamento. João F. C. Santos Jr. v1

Telescópios. Características Tipos Funcionamento. João F. C. Santos Jr. v1 Telescópios Características Tipos Funcionamento João F. C. Santos Jr. v1 História do telescópio Observatórios pré-telescópio: Astrolábio posição dos astros, determinação do tempo e latitude Quadrante altitude

Leia mais

O MCT e suas Unidades de Pesquisa

O MCT e suas Unidades de Pesquisa Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria-Executiva Subsecretaria de Coordenação das Unidades de Pesquisa O MCT e suas Unidades de Pesquisa LABORATÓRIO NACIONAL DE ASTROFÍSICA Luiz Fernando Schettino

Leia mais

Manual de Operação do Simulador EONSim - Elastic Optical Networks Simulator

Manual de Operação do Simulador EONSim - Elastic Optical Networks Simulator Manual de Operação do Simulador EONSim - Elastic Optical Networks Simulator Autores: Paulo César Barreto da Silva e Marcelo Luís Francisco Abbade Dezembro de 2012 Versão 1 1. Como executa-lo O EONSim foi

Leia mais

INSCRIÇÃO Bolsas de Estudo MEXT (Monbukagakusho)

INSCRIÇÃO Bolsas de Estudo MEXT (Monbukagakusho) INSCRIÇÃO Bolsas de Estudo MEXT (Monbukagakusho) ESCOLA TÉCNICA 2015 Atenção!! - Este Consulado recebe inscrição somente dos candidatos residentes nos Estados de Rio de Janeiro, Minas Gerais (exceto Triângulo

Leia mais

Site surveying para um rádio-telescópio VLBI na Madeira

Site surveying para um rádio-telescópio VLBI na Madeira Site surveying para um rádio-telescópio VLBI na Madeira Dep. Matemática e Engenharias, Universidade da Madeira Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa 1 1 Rádio Astronomia 1932 Karl

Leia mais

Fundamentos de Hardware

Fundamentos de Hardware Fundamentos de Hardware Curso Técnico em Informática SUMÁRIO PLACAS DE EXPANSÃO... 3 PLACAS DE VÍDEO... 3 Conectores de Vídeo... 4 PLACAS DE SOM... 6 Canais de Áudio... 7 Resolução das Placas de Som...

Leia mais

FAQ FREQUENT ASKED QUESTION (PERGUNTAS FREQUENTES)

FAQ FREQUENT ASKED QUESTION (PERGUNTAS FREQUENTES) FREQUENT ASKED QUESTION (PERGUNTAS FREQUENTES) PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O SISTEMA DE DETECÇÃO DE VAZAMENTO EM DUTOS. SUMÁRIO Introdução...4 1. Qual é a distância entre os sensores?...5 2. O RLDS/I-RLDS

Leia mais

Comunicação sem fio - antenas

Comunicação sem fio - antenas Comunicação sem fio - antenas Antena é um condutor elétrico ou um sistema de condutores Necessário para a transmissão e a recepção de sinais através do ar Na transmissão Antena converte energia elétrica

Leia mais

RELATÓRIO DE EMI/EMC E TELECOMUNICAÇÕES

RELATÓRIO DE EMI/EMC E TELECOMUNICAÇÕES RELATÓRIO DE EMI/EMC E TELECOMUNICAÇÕES SOLICITANTE: EQUIPAMENTO: Desotec Comércio e Indústria de Equipamento Eletrônicos Ltda. Diversos MODELO: # 1 Nº DO RELATÓRIO: VERSÃO: 01 INPE/LIT.OT.031/11 SIGNATÁRIO

Leia mais

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP - LABTOP Topografia 1. Sistema de Posicionamento por Satélite

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP - LABTOP Topografia 1. Sistema de Posicionamento por Satélite UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP - LABTOP Topografia 1 Sistema de Posicionamento por Satélite Recife, 2014 Sistema de Coordenadas Geográficas O globo é dividido

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004)

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004) Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

Coerência temporal: Uma característica importante

Coerência temporal: Uma característica importante Coerência temporal: Uma característica importante A coerência temporal de uma fonte de luz é determinada pela sua largura de banda espectral e descreve a forma como os trens de ondas emitidas interfererem

Leia mais