Plano TIC EB1/PE do Paul do Mar - ETI

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano TIC EB1/PE do Paul do Mar - ETI"

Transcrição

1 Plano TIC EB1/PE do Paul do Mar - ETI Documento de suporte às funções do Coordenador TIC para o ano lectivo 2007/2008. Objectivos, recursos existentes, necessidades ao nível das TIC, actividades a dinamizar, formação do pessoal docente, regras de utilização dos recursos, avaliação. [Escrever o nome da empresa] Confidencial Sérgio Pedro Flores

2 Índice Parte I Enquadramento do Plano TIC Introdução Objectivos... 5 Parte II Optimização da estrutura tecnológica Recursos existentes Recursos subaproveitados Necessidade dos recursos TIC Mapas de disponibilização de recursos... 8 a. Disponibilidade da sala de informática.8 b. Mapa de requisição da sala de informática...8 c. Regulamento de utilização dos computadores quando ligados à internet....9 Parte III Promoção do desenvolvimento pessoal, profissional e organizacional Plano de actividades para a integração das TIC nos projectos e actividades da escola Formação do pessoal docente Resultado esperados Avaliação P l a n o T I C Página 2

3 PARTE I ENQUADRAMENTO DO PLANO TIC 1. INTRODUÇÃO Actualmente quando implementamos o uso das novas tecnologias de informação e comunicação dentro da sala de aula, surgem uma série de mudanças que teremos de enfrentar. Poderia mencionar exemplos como a própria concepção que temos da escola, a planificação e organização das aulas, a forma como os alunos obtêm a informação e até mesmo as competências e habilidades dos estudantes. Outra questão tem a ver com o facto de os professores actualmente terem de desenvolver competências não incluídas na sua formação inicial. Assim por vezes colocámos a nós próprios as questões: Conseguirá o professor acompanhar da melhor forma a rapidez com que as TIC penetraram no seio da sua aula? Terá o professor capacidade de acompanhar os entendedores desta nova realidade ao introduzirem esta mudança no modelo de ensino aprendizagem ao qual já estavam familiarizados? No que concerne ao sucesso da aprendizagem do aluno existem vários factores que teremos que ter em conta. Uma criança desde os seus primeiros anos de vida toma contacto com um sem número de novas tecnologias. Quando estes atingem a idade escolar já dominam algumas delas. Contudo, não há igualdade neste último ponto, por motivos económicos ou até por dificuldades de acesso a essas tecnologias no meio em que estão inseridos. Existem actualmente inúmeros recursos tecnológicos quer sejam multimédia, videojogos e até a realidade virtual. Perante estes recursos o professor vê-se obrigado a gerir a melhor forma de colaborar com os alunos na exploração das TIC de forma principiante, moderada e avançada. Os resultados nas aprendizagens por parte dos alunos estão a mudar. Só o tempo nos dará a capacidade de decidir se estamos no bom caminho ou estaremos a perder valores intocáveis nas relações que todos os dias temos com os nossos alunos e com a sociedade em geral. A comunidade escolar da escola Básica de 1º Ciclo do Paul do Mar está sensibilizada para o uso das TIC, nomeadamente os seus alunos. Por parte dos docentes, vão P l a n o T I C Página 3

4 surgindo alguns projectos onde as tecnologias fazem parte integral da sua execução. Ao nível das condições de trabalho a escola está dotada com boas condições, nomeadamente na sala de informática, havendo no entanto algumas lacunas a serem colmatadas após fazer um levantamento das necessidades que irei apresentar mais adiante. Este plano terá como principal finalidade dotar a comunidade escolar dos conhecimentos necessários em relação à implementação das TIC de uma forma gradual, através de actividades, estratégias e acções que promovam o seu uso pedagógico e a sua transversalidade. P l a n o T I C Página 4

5 2. OBJECTIVOS - Aumentar o acesso e o uso da tecnologia pela comunidade educativa; - Potenciar o uso das TIC no seio da comunidade escolar; - Combater a infoexclusão aumentando o tempo de acesso aos computadores para os alunos com esta carência; - Promover a utilização das TIC nos processos de: planificação, organização das aulas, e nas tarefas administrativas e de gestão escolar; - Perspectivar o uso das TIC como ferramentas potenciadoras e geradoras de novas situações de aprendizagem e de novas metodologias de trabalho; - Proporcionar aos professores actividades que promovam a utilização das diversas aplicações informáticas; - Dotar a comunidade escolar de ferramentas que facilitem a comunicação e a troca de informação; - Disponibilizar aos professores recursos necessários à planificação e elaboração de projectos numa área de trabalho virtual; - Desenvolver nos alunos hábitos de trabalho e competências de pesquisa, selecção e tratamento da informação, tendo em vista a produção de conhecimentos; - Promover a selecção e organização de recursos educativos e materiais de apoio já existentes e a produção de outros, tendo em vista apoiar o trabalho de alunos e professores; - Incentivar as funcionárias da escola a utilizarem as tecnologias com o fim de facilitar as suas tarefas e a comunicação com o resto da comunidade escolar; - Promover a utilização do como forma de comunicação com os encarregados de educação; - Efectuar um levantamento de necessidades em termos de equipamento e de formação necessárias à execução do plano; P l a n o T I C Página 5

6 PARTE II OPTIMIZAÇÃO DA ESTRUTURA TECNOLÓGICA 1. RECURSOS EXISTENTES Salas Gabinete do director da escola 1º ano 2º ano 3º ano 4º ano Sala do Pré-escolar Material informático 2 computadores 2 monitores 2 teclados 2 ratos 1 impressora HP Laserjet câmara digital Sony DSC P megapixeis 13 computadores 13 monitores 13 teclados 13 ratos 1 impressora HP PSC Multifunções 1 gravador de DVDs 1 Hub de rede 1 access point wireless 1 computador 1 monitor 1 teclado 1 rato 1 access point wireless 1 computador 1 monitor 1 teclado 1 rato 1 computador 1 monitor 1 teclado 1 rato 1 computador 1 monitor 1 teclado 1 rato 1 computador 1 monitor 1 teclado 1 rato 1 impressora HP 960c 1 Televisão 1 aparelhagem sonora 1 leitor de DVD Actividades de dinamização Partilha da impressora a laser na rede para imprimir determinados trabalhos de forma a economizar tinteiros. Regulamentar a utilização da câmara digital para uma utilização eficiente. Criação de um mapa de disponibilidade da sala à comunidade escolar. Criação de um regulamento da utilização dos computadores da sala de. Criação de um mapa de registo da utilização da sala de Disponibilizar no computador, jogos educativos. Configurar o acesso à internet e disponibilizar um conjunto de sites recomendáveis nos favoritos. Disponibilizar no computador, jogos educativos. Configurar o acesso à internet e disponibilizar um conjunto de sites recomendáveis nos favoritos. Disponibilizar no computador, jogos educativos. Configurar o acesso à internet e disponibilizar um conjunto de sites recomendáveis nos favoritos. Disponibilizar no computador, jogos educativos. Configurar o acesso à internet e disponibilizar um conjunto de sites recomendáveis nos favoritos. Rentabilização dos recursos audiovisuais ao nível da visualização de filmes, apresentações e jogos educativos. Aproveitamento dos restantes recursos para criação de trabalhos para a aula e para a comunidade. P l a n o T I C Página 6

7 Arrecadação Biblioteca da escola Música e Expressão Plástica 4 computadores 4 monitores 4 teclados 8 ratos 2 impressoras a jacto de tinta Avariadas 1 scanner HP 3300c avariado 1 televisão 1 leitor de DVD 1 leitor VHS 1 aparelhagem sonora 1 radio-leitor de cds portátil Fazer um levantamento de material que pode ser recuperado para substituição nos outros computadores Utilização deste espaço para visualização de trabalhos editados em programas de vídeo realizados na escola. Dar uma utilidade mais efectiva a estes recursos por todos os professores nesta sala através de actividades que envolvam estes recursos. 2. RECURSOS SUB-APROVEITADOS Câmara fotográfica Pouca utilização aliada à escassa divulgação e tratamento das fotos obtidas Pouca utilização de todos os recursos existentes na sala de informática 3. NECESSIDADE DE RECURSOS TIC Recursos necessários Projector multimédia Computador portátil Optimização de recursos TIC Este recurso serviria para utilizar nas aulas, para formação dos professores, para visualização de trabalhos nas propostas do plano anual de actividades. Para poder utilizar em conjunto com o projector nas actividades anteriores. P l a n o T I C Página 7

8 4. MAPAS DE DISPONIBILIZAÇÃO DOS RECURSOS a. DISPONIBILIDADE DA SALA DE INFORMÁTICA 2007/2008 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 8:30 9:00 O.T.L. 4º O.T.L. 3º4º OTL 9:00 10:00 Inf 4º E I 3º OTL 10:00 10:30 10:30 11:30 Inf 3º Inf. 3º 11:30 12:30 E I 4º Inf. 4º 12:30 13:30 13:30 14:30 14:30 15:30 Inf 2º Inf. 1º 15:30 16:30 Inf 1º Inf. 2º 16:30 17:00 Lanche Lanche 17:00 18:00 OTL OTL 18:00 18:30 OTL OTL Legenda: - Horas em que a sala está ocupada. - Horas em que professores, alunos, auxiliares podem utilizar a sala de informática. b. MAPA DE REQUISIÇÃO DA SALA DE INFORMÁTICA Professor / Disciplina ou Actividade Data (mencionar o dia da semana) Horas (indicar inicio e término P l a n o T I C Página 8

9 c. REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS COMPUTADORES QUANDO LIGADOS À INTERNET Não dês os teus dados ou os dos teus familiares a ninguém. Não envies fotografias tuas para desconhecidos. Não marques encontros com pessoas que conheceste na Internet. Mantém em segredo as tuas palavras-chave. Não entres em sítios desconhecidos ou recomendados por estranhos. Não faças download de software sem autorização. Nunca abras mensagens de desconhecidas. Conselhos Sempre que encontres alguma informação ou alguém que te incomode, deves mudar de página ou mesmo desligar o acesso à Internet Não deves responder a provocações. As regras da boa educação também se aplicam na Internet. Não deves usar nem responder a linguagem agressiva ou ofensiva. Sempre que tenhas alguma dúvida fala com os teus professores. Eles podem sempre ajudar-te. Nota: O mapa de requisição da sala, o horário de disponibilidade, assim como as regras e conselhos estão expostos na sala de. As restantes regras da sala são expostas num cartaz ilustrado. P l a n o T I C Página 9

10 PARTE III PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO PESSOAL, PROFISSIONAL E ORGANIZACIONAL 1. PLANO DE ACTIVIDADES PARA A INTEGRAÇÃO DAS TIC NOS PROJECTOS E ACTIVIDADES DA ESCOLA Projectos e actividades Calendarização Intervenientes Integração das TIC Recursos TIC Blogues Escolares Anual Natal 14/12 /2007 Dia de Reis 04/01/2008 Dia de S. Amaro 15/01/2008 Carnaval 01/02/2008 São Valentim 14/02/2008 Dia do pai 14/03/2008 Professoras de Inglês, 1º ano e 4º ano Professora de Expressão Plástica e Educadora Professoras de 1º e 2º anos Professora de Inglês Técnica da Biblioteca Construção de blogues educativos e de exposição de trabalhos escolares Reportagem com recolha fotográfica para posterior publicação nos blogues Registo em vídeo e fotografia do desfile de Carnaval pelos professores da curricular e realização de uma apresentação vídeofotográfica no moviemaker; Criação de postais alusivos ao São Valentim e troca dos postais entre os alunos através de correio electrónico; Elaboração de um diploma do Dia do Pai em formato digital. Computadores das salas e recursos da sala de Máquina fotográfica e recursos da sala de Câmara de vídeo Câmara fotográfica Computadores da sala de Computadores das salas e recursos da sala de Máquina fotográfica e recursos da sala de P l a n o T I C Página 10

11 Dia da árvore Páscoa Dia Mundial do Livro 23/04/ de Abril 24/04/2008 Dia da Mãe 02/05/2008 Dia da Criança Dia do Ambiente 30/05/ /06/2008 Professoras de 3º e 4º anos Técnica da Biblioteca Professora do 1º ano Professoras do ensino curricular e professor de Professora do 2º ano Professora do Ensino recorrente Elaboração de uma reportagem sobre o Dia da Árvore. Os alunos irão efectuar o registo fotográfico deste dia e produzir um texto sobre o mesmo. A sua divulgação será feita em blogues escolares Reprodução de contos tradicionais com ilustração e posterior publicação nos blogues Elaboração de uma apresentação de diapositivos sobre o tema Visita das mães à escola para uma aula de TIC dada pelos seus filhos Criação de um livro ilustrado Letras e Tretas para apresentação neste dia Reportagem com recolha fotográfica para posterior publicação em blogue informática e todos os recursos a ela associados informática e todos os recursos a ela associados informática e todos os recursos a ela associados informática e todos os recursos a ela associados Máquina fotográfica Nota: Estas actividades serão planificadas através da utilização de um modelo próprio e anexadas ano final deste plano para posterior avaliação. P l a n o T I C Página 11

12 2. FORMAÇÃO DO PESSOAL DOCENTE Acções de formação Plataforma Dokeos Aplicativo de apresentação de diapositivos Aplicativo de criação de boletins, folhetos e panfletos Workshop das TIC Criação de um Blogue Calendarização Intervenientes Operacionalização Anual 15/11/ /03/ /11/ /01/2007 Professores Coordenador TIC Professores Coordenador TIC Professores Coordenador TIC Professores Coordenador TIC Comunidade escolar Professores Coordenador TIC Explicação individual do funcionamento deste recurso por parte do coordenador TIC. Utilização de exemplos concretos para demonstração Criação de uma apresentação Explicação das funcionalidades e das regras de construção de apresentações Utilização de exemplos concretos para demonstração Criação de alguns documentos Demonstração das funcionalidades de um conjunto de aplicativos no computador através da sua projecção Utilização de exemplos concretos para demonstração Criação de um blogue Explicação das funcionalidades e de algumas regras de construção de blogues Recursos Computador Projector Nota: Estas acções de formação são apenas uma proposta e foram escolhidas de acordo a consulta aos docentes da escola numa reunião pedagógica. A sua aplicabilidade resultará da aceitação dos formandos. Poderá haver também possíveis alterações de datas. P l a n o T I C Página 12

13 3. RESULTADOS ESPERADOS Atendendo a todas as questões que já foram tratadas ao longo do plano pretendo que sejam atingidos os seguintes resultados: Ao nível pedagógico Rentabilizar os meios informáticos disponíveis e generalizar a sua utilização a todos os elementos da comunidade educativa. Articular este plano com as actividades propostas no Plano anual de Actividades Cumprir um plano de formação adequado às necessidades dos docentes da escola, após a análise aos inquéritos. Promover a utilização efectiva do curso criado na plataforma Dokeos e de todos os seus recursos disponíveis. Fazer um balanço final da participação nas actividades propostas e dos materiais produzidos. Ao nível técnico Zelar pelo funcionamento dos computadores e das redes na escola. Actualizar e verificar com assiduidade o software existente. Continuar a política de segurança já implementada nos computadores existentes. Ser o interlocutor junto dos serviços centrais e regionais de educação para todas as questões relacionadas com os equipamentos, redes e conectividade, estando disponível para receber a formação necessária proposta por aqueles serviços. P l a n o T I C Página 13

14 4. AVALIAÇÃO A avaliação deste plano será feita ao longo do ano lectivo de forma indirecta, efectivando-a no final deste através de uma análise em reunião pedagógica para avaliar o grau de satisfação demonstrado e angariando novas sugestões para planos futuros. P l a n o T I C Página 14

PLANO TIC ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACHICO

PLANO TIC ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACHICO PLANO TIC ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACHICO 2010-2011 O Coordenador TIC Maria Jacinta Lopes IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR TIC Maria Jacinta Lopes 962937650 marijacinta@gmail.com CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA

Leia mais

C406. Ensino e aprendizagem com TIC na educação pré-escolar e no 1º ciclo do Ensino Básico

C406. Ensino e aprendizagem com TIC na educação pré-escolar e no 1º ciclo do Ensino Básico C406. Ensino e aprendizagem com TIC na educação pré-escolar e no 1º ciclo do Ensino Básico Formadores: Eunice Macedo e Carlos Moedas Formando: Irene do Rosário Beirão Marques Entidade formadora: Centro

Leia mais

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC 30 Dossier Tic Tac Tic Tac MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC Texto de Elsa de Barros Ilustração de Luís Lázaro Contribuir para o aumento do sucesso escolar dos alunos, equipando as escolas

Leia mais

PLANO TIC. O Coordenador TIC Egídia Fernandes Ferraz Gameiro [1] 2 0 0 9-2 0 1 0

PLANO TIC. O Coordenador TIC Egídia Fernandes Ferraz Gameiro [1] 2 0 0 9-2 0 1 0 PLANO TIC 2 0 0 9-2 0 1 0 O Coordenador TIC Egídia Fernandes Ferraz Gameiro [1] EB1/PE Santa Cruz http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pescruz eb1pescruz@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR TIC Egídia

Leia mais

MEDIATECA PLANO DE ACTIVIDADES 2009/2010

MEDIATECA PLANO DE ACTIVIDADES 2009/2010 Mediateca Plano de Actividades 2009/2010 pág. 1/6 Introdução MEDIATECA PLANO DE ACTIVIDADES 2009/2010 A Mediateca estrutura-se como um sector essencial do desenvolvimento do currículo escolar e as suas

Leia mais

Projecto de Acompanhamento do Uso Educativo da Internet nas Escolas Públicas do 1.º ciclo no distrito de Bragança

Projecto de Acompanhamento do Uso Educativo da Internet nas Escolas Públicas do 1.º ciclo no distrito de Bragança Seminário Contextualização SOCIEDADE DE CONHECIMENTO E NOVAS TECNOLOGIAS NAS ZONAS RURAIS as novas acessibilidades na procura da qualidade de vida Projecto de Acompanhamento do Uso Educativo da Internet

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS Artigo 1º - Definição A Biblioteca Escolar - Centro de Recursos Educativos da Escola Secundária Quinta

Leia mais

PLANO TIC. O Coordenador TIC. E g í d i a F e r n a n d e s F e r r a z G a m e i r o 2 0 0 8-2 0 0 9

PLANO TIC. O Coordenador TIC. E g í d i a F e r n a n d e s F e r r a z G a m e i r o 2 0 0 8-2 0 0 9 PLANO TIC 2 0 0 8-2 0 0 9 O Coordenador TIC E g í d i a F e r n a n d e s F e r r a z G a m e i r o [1] ESCOLA EB1/PE Santa Cruz http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pescruz eb1pescruz@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar de São Paulo PLANO ANUAL DE ESCOLA

Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar de São Paulo PLANO ANUAL DE ESCOLA Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar de São Paulo PLANO ANUAL DE ESCOLA Ano letivo: 2015/2016 INTRODUÇÃO Enquadramento legal Avaliação Aprovação EVENTOS 1.ºperíodo 2.ºperíodo 3.ºperíodo REUNIÕES

Leia mais

PLANO DE OCUPAÇÃO DOS TEMPOS ESCOLARES

PLANO DE OCUPAÇÃO DOS TEMPOS ESCOLARES 2012/2013 PLANO DE OCUPAÇÃO DOS TEMPOS ESCOLARES Pré-Escolar 1. Sempre que um educador falte por um período de curta duração, os alunos na componente curricular serão assegurados pela Assistente Operacional

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2013/2014

PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2013/2014 PLANO DE ATIVIDADES DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES 2013/2014 Pág.1 INTRODUÇÃO O Plano Anual de Atividades das s Escolares do Agrupamento de Escolas n.º 1 de Grândola atende à especificidade das bibliotecas

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão Índice Introdução Objectivos Metodologia de Trabalho Áreas de Trabalho/ Conclusões Estruturas Formais Estruturas FísicasF

Leia mais

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE PARTE A (a preencher pelo coordenador do departamento curricular ou pelo conselho executivo se o avaliado for coordenador de um departamento curricular)

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria 2015l2017 ÍNDICE ÍNDICE: INTRODUÇÃO... 3 ÁREAS DE AÇÃO DE MELHORIA.... 4 PLANOS DE AÇÃO DE MELHORIA.. 5 CONCLUSÃO...

Leia mais

Plano de Acção da Equipa do Plano Tecnológico da Educação

Plano de Acção da Equipa do Plano Tecnológico da Educação Ano Lectivo 2009/2010, 30 de Janeiro de 2010 Índice Introdução... 3 Caracterização do Agrupamento... 5 Equipa do... 6 Objectivos... 8 Actividades a Desenvolver... 10 Divulgação do plano PTE... 12 Avaliação

Leia mais

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM Ano Letivo 2011/2012 Marinha Grande, Setembro de 2011 1. Índice: Índice 2 1. Introdução 3 2. Caracterização

Leia mais

REGULAMENTO DO CRC GAIA SUL

REGULAMENTO DO CRC GAIA SUL REGULAMENTO DO CRC GAIA SUL I - Natureza e funções do Centro de Recursos em Conhecimento Gaia Sul 1. O Centro de Recursos em Conhecimento Gaia Sul (CRC Gaia Sul), é uma unidade organizacional da responsabilidade

Leia mais

Planificação das Atividades 2013/2014 Domínio Sub-domínio Atividades Objetivos Destinatários Dinamizadores Calendarização Recursos materiais

Planificação das Atividades 2013/2014 Domínio Sub-domínio Atividades Objetivos Destinatários Dinamizadores Calendarização Recursos materiais LEITURA E LITERACIAS Promoção Leitura BIBLIOTECA ESCOLAR MÁRIO CLÁUDIO / BIBLIOTECA ESCOLAR DA POUSA Planificação s Ativides 2013/2014 Domínio Sub-domínio Ativides Objetivos Destinatários Dinamizadores

Leia mais

2010/2011. Instituto de S. Tiago, Cooperativa de Ensino C.R.L.

2010/2011. Instituto de S. Tiago, Cooperativa de Ensino C.R.L. Plano de 2010/2011 Instituto de S. Tiago, Cooperativa de Ensino C.R.L. Plano de de Pessoal Docente e Não Docente 2010/11 INTRODUÇÃO O Plano de do Instituto de S. Tiago surge da cooperação entre todas as

Leia mais

5. Ler cuidadosamente as mensagens de correio electrónico;

5. Ler cuidadosamente as mensagens de correio electrónico; Segundo o Guia para ambientes de aprendizagem digitais quer alunos, quer professores, precisam de novas competências ao nível da literacia digital à medida que cada vez mais recursos estão presentes na

Leia mais

Mariela Sousa da Silva

Mariela Sousa da Silva Escolla Básiica e Secundáriia da Callheta Ano Lectivo 2007/2008 Mariela Sousa da Silva Escola Básica Secundária da Calheta Índice ENQUADRAMENTO DO PLANO TIC... 3 1. INTRODUÇÃO... 3 Apresentação da Escola...

Leia mais

PROJETO ANUAL DA LUDOTECA

PROJETO ANUAL DA LUDOTECA O FAZ DE CONTA PROJETO ANUAL DA LUDOTECA ANO LECTIVO 2014/2015 Inês Matos ÍNDICE I- INTRODUÇÃO 3 II- PROJETOS 5 2.1. Semana da Alimentação 4 2.2. Formação Técnica 6 2.3. Acompanhamento às famílias 6 2.4.

Leia mais

A E A B I B L I O T E C A GRIPE A

A E A B I B L I O T E C A GRIPE A A E A B I B L I O T E C A GRIPE A É fundamental que o Plano de Contingência da escola/agrupamento defina claramente o papel da biblioteca e as acções a realizar, quer em termos de informação e prevenção,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO SABUGAL. Relatório de AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO SABUGAL. Relatório de AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO SABUGAL * * * Relatório de AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE GRELHA DE OBJECTIVOS INDIVIDUAIS DO PESSOAL DOCENTE (Decreto Regulamentar Nº 2/2008, de 10 de Janeiro) Identificação

Leia mais

PLANO TIC 2009-2010. O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1]

PLANO TIC 2009-2010. O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1] PLANO TIC 2009-2010 O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1] ESCOLA EB1/PE Visconde Cacongo URL: http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pevcacongo Email: eb1pevcacongo@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Trofa. Plano de Melhoria e Desenvolvimento

Agrupamento de Escolas da Trofa. Plano de Melhoria e Desenvolvimento Agrupamento de Escolas da Trofa Plano de Melhoria e Desenvolvimento Biénio 2015/2017 INTRODUÇÃO A autoavaliação e a avaliação externa são procedimentos obrigatórios e enquadrados na Lei n.º 31/2002, de

Leia mais

REGULAMENTO DA ACTIVIDADE FORMATIVA

REGULAMENTO DA ACTIVIDADE FORMATIVA A CadSolid tem como missão contribuir para a modernização da indústria portuguesa, mediante o desenvolvimento e comercialização de produtos e serviços inovadores, personalizados e concebidos para satisfazer

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS INICIATIVA ESCOLAS, PROFESSORES E COMPUTADORES PORTÁTEIS EQUIPAMENTOS DO PROJECTO. Ano Lectivo 2006 / 07

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS INICIATIVA ESCOLAS, PROFESSORES E COMPUTADORES PORTÁTEIS EQUIPAMENTOS DO PROJECTO. Ano Lectivo 2006 / 07 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DO PROJECTO INICIATIVA ESCOLAS, PROFESSORES E COMPUTADORES PORTÁTEIS Ano Lectivo 2006 / 07 O equipamento informático afecto ao Projecto será partilhado por vários

Leia mais

António José Cardoso Pires da Silva

António José Cardoso Pires da Silva (PLANO DE INTERVENÇÃO APRESENTADO PELO DIRECTOR AO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO) Quadriénio 2010/2014 Director António José Cardoso Pires da Silva INTRODUÇÃO O conhecimento do Agrupamento Marquês de Pombal

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 2º E 3º CICLOS DE GIL VICENTE. CURSOS PROFISSIONAIS Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho (Proposta de trabalho)

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 2º E 3º CICLOS DE GIL VICENTE. CURSOS PROFISSIONAIS Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho (Proposta de trabalho) ESCOLA SECUNDÁRIA COM 2º E 3º CICLOS DE GIL VICENTE CURSOS PROFISSIONAIS Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho (Proposta de trabalho) Âmbito e Definição Artigo 1º 1. O presente documento regula

Leia mais

Akropole Catequista. Todos os Ficheiros no Akropole Catequista trabalham com uma simples barra de edição, com 4 botões:

Akropole Catequista. Todos os Ficheiros no Akropole Catequista trabalham com uma simples barra de edição, com 4 botões: Akropole Catequista O Akropole Catequista em três tempos... Este texto é um pequeno manual de introdução ao Akropole Catequista. Umas das características deste programa é o facto deste não necessitar de

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA ANEXO II DOMÍNIO: GESTÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Estudex PROJETOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS PARCERIAS CALENDARIZAÇÃO Sala de estudo para o

Leia mais

EB1/PE da Lourencinha Plano Anual de Actividades 2009/2010

EB1/PE da Lourencinha Plano Anual de Actividades 2009/2010 Introdução Enquadramento legal Plano Anual de Escola - o documento elaborado e aprovado pelos órgãos de administração e gestão da escola que define, em função do Projecto Educativo e Projecto Curricular

Leia mais

Bem-vindo ao nosso mundo virtual! Guia do Portal de Ensino à Distância da Get Training 1

Bem-vindo ao nosso mundo virtual! Guia do Portal de Ensino à Distância da Get Training 1 Após uma experiência formativa de mais de 20 anos em formação presencial, e tendo sempre como princípios a inovação e a satisfação do cliente, é com grande satisfação que a Get Training implementa este

Leia mais

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 O Coordenador TIC João Teiga Peixe Índice Índice...2 1. Introdução... 3 2. Objectivos... 3 3. Sectores Afectos... 4 1. Salas de Aulas... 4 2. Administrativo... 4 3. Outras

Leia mais

Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja. Regulamento Interno. Biblioteca Escolar

Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja. Regulamento Interno. Biblioteca Escolar Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja Regulamento Interno 2014 1. A 1.1. Definição de A é um recurso básico do processo educativo, cabendo-lhe um papel central em domínios tão importantes como: (i) a aprendizagem

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO Escola Secundária com 3º Ciclo da Quinta das Flores PLANO TIC 2007/2008 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO por Sílvio Freire (Coordenador TIC) Coimbra 2008 Índice 1- Introdução...2 2 - Objectivos do Plano TIC...3

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DO CONSELHO GERAL. Relatório de Avaliação do Projecto Educativo do Agrupamento, 2007 2010

COMISSÃO PERMANENTE DO CONSELHO GERAL. Relatório de Avaliação do Projecto Educativo do Agrupamento, 2007 2010 Relatório de Avaliação do Projecto Educativo do Agrupamento, 2007 2010 O presente relatório traduz a avaliação do Projecto Educativo do Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/Santa Cruz do

Leia mais

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE IDENTIFICAÇÃO Unidade Orgânica: Docente avaliado: Departamento

Leia mais

Regulamento da Biblioteca da EB1/JI da Cruz da Areia Agrupamento de escolas José Saraiva

Regulamento da Biblioteca da EB1/JI da Cruz da Areia Agrupamento de escolas José Saraiva Regulamento da Biblioteca da EB1/JI da Cruz da Areia Agrupamento de escolas José Saraiva Artigo 1º DEFINIÇÃO A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos da EB1/JI da Cruz da Areia é constituída

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA Plano Estratégico de Melhoria 2011-2012 Uma escola de valores, que educa para os valores Sustentabilidade, uma educação de, e para o Futuro 1. Plano Estratégico

Leia mais

KIT CICLO PEDAGÓGICO ESTUDO DO MEIO. Propostas para planeamento, exploração e avaliação de visitas a museus e centros de ciência.

KIT CICLO PEDAGÓGICO ESTUDO DO MEIO. Propostas para planeamento, exploração e avaliação de visitas a museus e centros de ciência. KIT_PEDA_EST_MEIO_5:FERIAS_5_6 09/12/28 15:07 Page 1 1. o CICLO KIT PEDAGÓGICO Pedro Reis ESTUDO DO MEIO 5 Propostas para planeamento, exploração e avaliação de visitas a museus e centros de ciência ISBN

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Cuba. Plano de Formação

Agrupamento de Escolas de Cuba. Plano de Formação Agrupamento de Escolas de Cuba Plano de Ano Letivo de 2012/2013 Índice Introdução... 3 1- Departamento curricular da educação pré-escolar... 6 2- Departamento curricular do 1º ciclo... 6 3- Departamento

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação em Contextos de Educação Inclusiva

Tecnologias da Informação e Comunicação em Contextos de Educação Inclusiva Tecnologias da Informação e Comunicação em Contextos de Educação Inclusiva O presente Diário de Bordo serve como parte da avaliação para a disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação em Contextos

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha - Fundão Ano Lectivo 2010/2011 Ensino Básico A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO ELABORAÇÃO ASSINATURA APROVAÇÃO ASSINATURA ÍNDICE CAPÍTULO 1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA/ÂMBITO... 3 1.1 POLÍTICA E ESTRATÉGIA DA ENTIDADE... 3 1.2 OBJECTIVO

Leia mais

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS INSTI INSTUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

Proposta para o Plano de Atividades - Biblioteca Escolar 14/15

Proposta para o Plano de Atividades - Biblioteca Escolar 14/15 Professor: Ana Maria Galveia Taveira Proposta para o Plano de Atividades - Biblioteca Escolar 14/15 O Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar divide-se em quatro grandes áreas de funcionamento/intervenção,

Leia mais

RELATÓRIO DA BIBLIOTECA sede 2012/2013

RELATÓRIO DA BIBLIOTECA sede 2012/2013 RELATÓRIO DA BIBLIOTECA sede 2012/2013 1. Introdução De acordo com as orientações do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares, do Ministério da Educação, a Biblioteca Escolar sede desenvolve o seu trabalho

Leia mais

Projecto de Actividades para a «Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis» Formulário de candidatura

Projecto de Actividades para a «Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis» Formulário de candidatura Projecto de Actividades para a «Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis» Formulário de candidatura (vide instruções no URL: http://www.crie.min-edu.pt/portateis/index.htm) 1. Identificação

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL Artigo 1.º Definição De acordo com o art.º 80 dos Estatutos da Escola Superior de Hotelaria (ESHTE) e Turismo do Estoril,

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

Escola Secundária da Ramada. Plano Plurianual de Atividades. Pro Qualitate (Pela Qualidade)

Escola Secundária da Ramada. Plano Plurianual de Atividades. Pro Qualitate (Pela Qualidade) Escola Secundária da Ramada Plano Plurianual de Atividades Pro Qualitate (Pela Qualidade) 2014 A Escola está ao serviço de um Projeto de aprendizagem (Nóvoa, 2006). ii ÍNDICE GERAL Pág. Introdução 1 Dimensões

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE EDUCAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMÁTICA EDUCACIONAL Internet e Educação Ensaio: A Web 2.0 como ferramenta pedagógica

Leia mais

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente Manual de Utilizador Junho de 2011 V6 Índice 1 ENQUADRAMENTO... 4 1.1 Aspectos gerais... 4 1.2 Normas importantes de acesso e utilização da aplicação... 4 1.3

Leia mais

Plano de Atividades. Ano letivo 2011 / 2012

Plano de Atividades. Ano letivo 2011 / 2012 Plano de Atividades Ano letivo 2011 / 2012 Plano de Atividades de Informática @ 2011-2012 Plano de Atividades Pretende-se com este plano promover o uso efetivo das tecnologias de informação e comunicação

Leia mais

Plano de ação da biblioteca escolar

Plano de ação da biblioteca escolar AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNÇÃO Plano de ação da biblioteca escolar 2013-2017 O plano de ação constitui-se como um documento orientador de linhas de ação estratégicas, a desenvolver num

Leia mais

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Saída(s) Profissional(is): Operador de Fotografia (nível 2)

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Saída(s) Profissional(is): Operador de Fotografia (nível 2) INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Área de Formação: 213. AUDIOVISUAIS E PRODUÇÃO DOS MÉDIA Itinerário de Qualificação: 21305. FOTOGRAFIA

Leia mais

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro DGEstE Direção de Serviços da Região Centro Bibliotecas Escolares - Plano Anual de Atividades (PAA) Ano letivo 2014/2015 Este PAA encontra-se estruturado em 4 domínios (seguindo as orientações da RBE)

Leia mais

Guia de Apoio ao Formando. Formação à distância

Guia de Apoio ao Formando. Formação à distância Regras&Sugestões- Formação e Consultoria, Lda. Guia de Apoio ao Formando Data de elaboração: abril de 2014 CONTACTOS Regras & Sugestões Formação e Consultoria, Lda. Av. General Vitorino laranjeira, Edifício

Leia mais

FREIXO MARCO DE CANAVESES

FREIXO MARCO DE CANAVESES PROJETO EDUCATIVO FREIXO MARCO DE CANAVESES TRIÉNIO 2012-2015 Conteúdo 1. Caracterização da Escola Profissional de Arqueologia... 2 1.1. Origem e meio envolvente... 2 1.2. População escolar... 2 1.3. Oferta

Leia mais

Normas de Funcionamento das CASAS DA JUVENTUDE

Normas de Funcionamento das CASAS DA JUVENTUDE Normas de Funcionamento das CASAS DA JUVENTUDE CJ Matosinhos: Av. D. Afonso Henriques 487 4450-014 Matosinhos / telef: 22 9398090 - fax: 22 9398099 CJ Santa Cruz do Bispo: Rua do Chouso, 277-301 4455 Santa

Leia mais

Resposta Social de Creche

Resposta Social de Creche Plano Anual de Avenida da Quinta da Prata, Edifício 2, 7150-154 Borba Telefone: 268 891 607 Telemóvel: 967 178 675 Fax: 268 891 608 Correio eletrónico: geral@scmborba.pt Facebook: www.facebook.com/scmborba

Leia mais

Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade

Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade Índice Nota Introdutória Legislação Conceitos/Glossário de termos Princípios Orientadores e finalidades Documentos Nota Introdutória:

Leia mais

Regulamento Interno IP

Regulamento Interno IP Regulamento Interno IP EQUIPA LOCAL DE INTERVENÇÃO DE ESTREMOZ DO SISTEMA NACIONAL DE INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (SNIPI) REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Natureza 1 - A

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 10ª e 11ª Classes

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 10ª e 11ª Classes república de angola ministério da educação PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 10ª e 11ª Classes Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário FASE DE EXPERIMENTAÇÃO Ficha Técnica Título Programa de

Leia mais

Escola Secundária de Alves Redol

Escola Secundária de Alves Redol Escola Secundária Alves Redol Activida (título) Responsáv el (eis) Interacção com os Departamentos /Apresentação actividas a senvolver pela no âmbito do currículo nacional/pce Elsa Oliveira com o Data

Leia mais

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico Relatório 008-009 Colecção Relatórios FICHA TÉCNICA Título Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar e no

Leia mais

Encontro Rede de Espaços Internet 3 e 4 de Novembro de 2006, FIL, Lisboa

Encontro Rede de Espaços Internet 3 e 4 de Novembro de 2006, FIL, Lisboa Encontro Rede de Espaços Internet 3 e 4 de Novembro de 2006, FIL, Lisboa O papel do Entre Douro e Vouga Digital no combate à info-exclusão e no estímulo à participação cívica electrónica luis.ferreira@edvdigital.pt

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RUY BELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RUY BELO PLANO DE FORMAÇÃO 1 PLANO DE FORMAÇÃO Índice Introdução 4 Pressupostos teóricos 5 Enquadramento legal 7 Âmbito da formação (objetivos) 9 Docentes Não docentes Pais e encarregados de educação Levantamento

Leia mais

Plano de Contingência

Plano de Contingência Plano de Contingência Gripe A (H1N1) Creche, Jardim-de-infância e ATL da ASSTAS Índice I INTRODUÇÃO... 2 II OBJECTIVOS... 3 III PREVENÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE A GRIPE A... 4 A) Quais os sintomas?... 4 B)

Leia mais

TEXTO DA COMUNICAÇÃO. Palmela THEKA: Aprender Partilhando, Partilhar Aprendendo

TEXTO DA COMUNICAÇÃO. Palmela THEKA: Aprender Partilhando, Partilhar Aprendendo TEXTO DA COMUNICAÇÃO Palmela THEKA: Aprender Partilhando, Partilhar Aprendendo Este projecto foi concebido no início do ano escolar de 2004/2005 quando decorria o segundo ano do processo de constituição

Leia mais

Agrupamento de Escolas Professor Noronha Feio

Agrupamento de Escolas Professor Noronha Feio Avaliação efectuada pelo Coordenador e Departamento de ducação special Grelha de Avaliação da Observação da Aula Avaliado: Avaliador: Disciplina/Área Data / / A Preparação e organização das actividades

Leia mais

AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR ANO LETIVO 2012-2013 Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora Instrumento essencial ao DESENVOLVIMENTO DO CURRÍCULO Uma estrutura ao SERVIÇO DA ESCOLA Recurso fundamental

Leia mais

Responsabilidade Ambiental do INOVINTER

Responsabilidade Ambiental do INOVINTER Título Do Documento Página 1 de 11 Responsabilidade Ambiental do INOVINTER Versão 1 Página 2 de 11 FICHA TÉCNICA Título Re sponsabilidade Ambie ntal do INOVINT ER Coordenação Direção (Álvaro Cartas) Autoria

Leia mais

Plano Anual de Atividades do Agrupamento de Escolas Sá de Miranda. Planificação de Atividades - Ano Letivo 2014/2015

Plano Anual de Atividades do Agrupamento de Escolas Sá de Miranda. Planificação de Atividades - Ano Letivo 2014/2015 Plano Anual de Atividades do de Escolas Sá de Miranda Planificação de Atividades - Ano Letivo 2014/2015 (devem ser indicadas as atividades que ultrapassem a dimensão do pequeno grupo ou da turma) Calendarizaç

Leia mais

A Ergonomia e os Sistemas de Informação. Ivo Gomes

A Ergonomia e os Sistemas de Informação. Ivo Gomes A Ergonomia e os Sistemas de Informação Ivo Gomes A Ergonomia e os Sistemas de Informação Para a maior parte das pessoas, a ergonomia serve para fazer cadeiras mais confortáveis, mobiliário de escritório

Leia mais

Biblioteca Virtual. BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007

Biblioteca Virtual. BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007 Biblioteca Virtual BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007 A. Introdução A Biblioteca Virtual da Universidade do Porto (BVUP) continuará no ano de 2007 com a sua missão

Leia mais

!!!!!!!! Escola!Profissional!Amar!Terra!Verde!!!!! REGULAMENTO!DA!FORMAÇÃO!PROFISSIONAL!!!!!!!!

!!!!!!!! Escola!Profissional!Amar!Terra!Verde!!!!! REGULAMENTO!DA!FORMAÇÃO!PROFISSIONAL!!!!!!!! EscolaProfissionalAmarTerraVerde REGULAMENTODAFORMAÇÃOPROFISSIONAL ÍNDICE 1. Âmbito... 4 2. PolíticaeEstratégiadaEntidade... 4 3. EstruturadosCursosdeFormaçãoProfissional... 7 3.1.FormaçãoSócioOCultural(BASE)...7

Leia mais

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO 1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO A actual transformação do mundo confere a cada um de nós professores, o dever de preparar os nossos alunos, proporcionando-lhes as qualificações básicas necessárias a indivíduos

Leia mais

Curso de Educação e Formação Tipo3, Nível II

Curso de Educação e Formação Tipo3, Nível II Curso de Educação e Formação Tipo3, Nível II REGULAMENTO DA PROVA DE AVALIAÇÃO FINAL (PAF) 1 Artigo 1º Enquadramento Legal O Despacho conjunto nº453/2004, dos Ministérios de Educação e da Segurança Social

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura ESPAÇO DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGRAS PARA UTILIZAÇÃO E GESTÃO DO ESPAÇO

Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura ESPAÇO DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGRAS PARA UTILIZAÇÃO E GESTÃO DO ESPAÇO Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura ESPAÇO DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGRAS PARA UTILIZAÇÃO E GESTÃO DO ESPAÇO 1. ÂMBITO O Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura (DECivil) dispõe

Leia mais

09/10. Projecto Plano Nacional de Leitura. Agrupamento de Escolas D. Nuno Álvares Pereira Tomar. Projecto PNL AEDNAP 09/10 1-9

09/10. Projecto Plano Nacional de Leitura. Agrupamento de Escolas D. Nuno Álvares Pereira Tomar. Projecto PNL AEDNAP 09/10 1-9 Projecto Plano Nacional de Leitura 09/10 Agrupamento de Escolas D. Nuno Álvares Pereira Tomar Projecto PNL AEDNAP 09/10 1-9 Índice 1. Introdução 3 2. Avaliação das actividades realizadas / Resultados alcançados

Leia mais

Concurso. Projecto de Actividades para a «Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis» Formulário de candidatura

Concurso. Projecto de Actividades para a «Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis» Formulário de candidatura Página Web 1 de 6 Concurso Projecto de Actividades para a «Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis» Formulário de candidatura (vide instruções no URL: http://www.crie.min-edu.pt/portateis/index.htm)

Leia mais

PLANO DE TRABALHO. Do Serviço de Psicologia e Orientação

PLANO DE TRABALHO. Do Serviço de Psicologia e Orientação ESCOLA SECUNDÁRIA DAS LARANJEIRAS Proposta de PLANO DE TRABALHO Do Serviço de Psicologia e Orientação A Psicóloga: Sara Quaresma ANO LECTIVO 2010/2011 PLANO DE TRABALHO Ao longo deste ano lectivo serão

Leia mais

Instituto Politécnico de Lisboa. Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) Gestão da Qualidade

Instituto Politécnico de Lisboa. Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) Gestão da Qualidade Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) Gestão da Qualidade Relatório da Implementação de Medidas para a melhoria da Qualidade Abril 2011 1 Relatório da

Leia mais

PROJECTO ESCOLA ACTIVA

PROJECTO ESCOLA ACTIVA PROJECTO ESCOLA ACTIVA INTRODUÇÃO A obesidade infantil tornou-se, desde os princípios dos anos 80 a doença nutricional pediátrica mais prevalente a nível mundial, não atingindo apenas os países desenvolvidos

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE EB2 GASPAR FRUTUOSO

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE EB2 GASPAR FRUTUOSO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE EB2 GASPAR FRUTUOSO REGULAMENTO DA MEDIATECA 2012/2013 ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE EB2 Gaspar frutuoso REGULAMENTO DA MEDIATECA ANO LETIVO 2012 /

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL Entrevista com Eng.º Victor Sá Carneiro N uma época de grandes transformações na economia dos países, em que a temática do Empreendedorismo assume uma grande relevância

Leia mais

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS ESTATUTO DO ALUNO DIREITOS E DEVERES - LEI 39/2010, DE 2 DE SETEMBRO Artigo 7.º Responsabilidade dos alunos 1. Os alunos são responsáveis, em termos adequados à sua idade e capacidade de discernimento,

Leia mais

PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016

PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016 Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Escola Básica Frei André da Veiga PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016 A. Currículo, literacias e aprendizagem Problemas identificados Falta

Leia mais

MATRÍCULA ELECTRÓNICA. Manual do Utilizador ESCOLAS / DRE

MATRÍCULA ELECTRÓNICA. Manual do Utilizador ESCOLAS / DRE MATRÍCULA ELECTRÓNICA Manual do Utilizador ESCOLAS / DRE ÍNDICE 1 PREÂMBULO... 2 2 UTILIZAÇÃO PELOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS DOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO... 3 2.1 Matrícula Electrónica - Acesso através

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DOS SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DOS SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO Artigo 1º Objectivo e Âmbito 1. Os (SPO) constituem um dos Serviços Técnico-Pedagógicos previsto no artigo 25º alínea a) do Regulamento Interno

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico Os conhecimentos e capacidades a adquirir e a desenvolver pelos alunos de cada nível e de cada ciclo de ensino têm como referência os programas

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2011

PLANO DE ACTIVIDADES 2011 PLANO DE ACTIVIDADES 2011 MARÇO DE 2011 Este documento apresenta os objectivos estratégicos e as acções programáticas consideradas prioritárias para o desenvolvimento da ESE no ano 2011. O Plano de Actividades

Leia mais

Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância

Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância 1. Enquadramento 1.1 Nota Introdutória Através da Organização Mundial de Saúde e das respectivas autoridades nacionais de Saúde, Ministério

Leia mais

Projecto de Intervenção 2010-2014

Projecto de Intervenção 2010-2014 Projecto de Intervenção 2010-2014 Desafios da Boa Água AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA BOA-ÁGUA QUINTA DO CONDE - SESIMBRA Nuno Mantas Maio de 2010 1. Introdução O Agrupamento de Escolas da Boa-Água foi criado

Leia mais

Manual de Procedimentos POSI-E3

Manual de Procedimentos POSI-E3 Manual de Procedimentos POSI-E3 13 de Abril de 2012 1 Índice 1. INTRODUÇÃO 3 2. COORDENAÇÃO GERAL 5 3. DOCENTES E DISCIPLINAS 7 3.1 INFORMAÇÃO AOS ALUNOS 7 3.2 RELAÇÕES ALUNOS / DOCENTES 8 4.1 ÁREA PEDAGÓGICA

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa

Universidade Católica Portuguesa Universidade Católica Portuguesa Direcção de Sistemas de Informação Serviços disponíveis aos Docentes 2012/2013 Índice Direcção de Sistemas de Informação Pré requisitos e modo de acesso aos sistemas Pré

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LEVANTE DA MAIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LEVANTE DA MAIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LEVANTE DA MAIA Escola Básica e Secundária do Levante da Maia PLANO DE OCUPAÇÃO PLENA DE TEMPOS ESCOLARES 2013-2017 Crescer, Saber e Ser Página 0 (Anexo I) ÍNDICE I. Nota Introdutória

Leia mais