Introdução ao jseta (Sistema para o Estudo Técnico de Ações em JAVA) e ao estudo técnico de ações

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução ao jseta (Sistema para o Estudo Técnico de Ações em JAVA) e ao estudo técnico de ações"

Transcrição

1 Introdução ao jseta (Sistema para o Estudo Técnico de Ações em JAVA) e ao estudo técnico de ações José Tarcísio F. de Camargo Faculdade Municipal Professor Franco Montoro (2012)

2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 Mercado de ações:... 3 como interpretá-lo através do computador? FERRAMENTAS GRÁFICAS PARA A ANÁLISE TÉCNICA DE AÇÕES Velas (candles) e candelabros Ferramentas básicas para a análise técnica As médias móveis Sistema de negociação por canais (ou envelopes) Sistema de negociação por Bandas de Bollinger Convergência e divergência de médias móveis (MACD) Índice de força Índice de força relativa Estocástico Williams%R INSTALANDO E UTILIZANDO O jseta Instalando o jseta Iniciando o uso do jseta Visualização rápida dos dados diários de uma ação Fazendo o download de cotações de ações Realizando análises através do jseta Médias Móveis Envelopes Bandas de Bollinger MACD Índice de Força (IF) Índice de Força Relativa (IFR) Estocástico Williams%R (Wm%R) DICAS DE OPERAÇÃO EM BOLSA Médias móveis Canais MACD Índice de Força Índice de Força Relativa Estocástico Williams%R (Wm%R) Sistemas de negociação Sistema triple screen Sistema impulse CONSIDERAÇÕES FINAIS

3 1. INTRODUÇÃO Mercado de ações: como interpretá-lo através do computador? O acesso ao mercado de compra e venda de ações na bolsa de valores já é uma realidade bastante acessível a qualquer investidor, pessoa física inclusive, que deseje adquirir ações de uma determinada empresa. Basta ter uma conta de investimento em um determinado banco ou em uma corretora, além de um computador com acesso à internet, para operar via home broker" (sistema que permite ao investidor negociar, de sua própria casa, com o auxilio de um computador conectado à internet, ações na bolsa de valores). O investimento no mercado de ações é bastante interessante, até mesmo sob o ponto de vista tributário. As perspectivas de ganho são consideráveis, porém o risco de perda vem em igual dimensão. Trata-se, portanto, de uma opção de investimento muito atraente e com grande potencial, mas sujeita a resultados desastrosos caso o investidor não conheça razoavelmente o seu funcionamento e não disponha de ferramentas de análise das informações que o mesmo nos fornece. De forma bastante simplificada, o grande problema de qualquer investidor em ações é a tomada de decisão sobre qual ação comprar ou vender em uma certa ocasião. Para auxiliar o pequeno investidor neste aspecto, a Faculdade Municipal Professor Franco Montoro desenvolveu o jseta, um sistema computacional que analisa a evolução do mercado de ações ao longo do tempo, fornecendo "pistas" para auxiliar a tomada de decisão do investidor. Não se trata de um sistema automático, que toma decisões sozinho, mas de um conjunto de ferramentas computacionais gráficas através do qual o investidor pode embasar suas próprias decisões de compra e venda de ações em um determinado momento. De fato, qualquer sistema computacional que ofereça previsões certeiras, que forneça ordens do tipo compre agora ou venda agora sem a supervisão e o bom-senso do investidor, deve ser imediatamente descartado. No caso do software aqui apresentado, optou-se por uma característica que consideramos importante: plena gratuidade para o seu uso (de acordo com o modelo de software livre ). Embora já existam outros softwares com funções semelhantes, pensamos no diferencial de tornar este sistema "freeware", tornando-o acessível a qualquer investidor. Nossa proposta consiste, portanto, em desenvolver uma ferramenta de auxílio à tomada de decisões do investidor, capaz de fornecer subsídios às suas operações, preservando sua autonomia para decidir como gerenciar seus investimentos. Contudo, não basta apenas usar um programa de computador e dispor de uma certa quantia de dinheiro para se tornar um investidor em ações bem sucedido, é preciso, acima de tudo, conhecer a fundo o funcionamento 3

4 deste mercado e as armadilhas que o mesmo coloca no caminho do investidor despreparado. LEMBRE-SE: Nenhum programa de computador substitui a experiência e o bom senso do operador do mercado de ações. Portanto, não espere que algum software venha a tomar decisões importantes e de forma correta sobre o mercado de ações pois tal situação ainda é pura ficção. Um software pode oferecer bons indícios sobre um possível negócio, mas nunca deve ser utilizado como ferramenta absoluta para tomada de decisões. Veja que os diversos indicadores utilizados atualmente podem eventualmente ser contraditórios. Um software pode oferecer bons indícios sobre um possível negócio, mas nunca deve ser utilizado como ferramenta absoluta para tomada de decisões. Veja que os diversos indicadores utilizados atualmente podem eventualmente ser contraditórios. Antes de descrever propriamente o jseta, a seção seguinte irá apresentar alguns conceitos fundamentais sobre a análise técnica de ações, de forma a facilitar o uso deste software pelo usuário iniciante. 4

5 2. FERRAMENTAS GRÁFICAS PARA A ANÁLISE TÉCNICA DE AÇÕES A análise técnica de ações também é frequentemente chamada de análise gráfica, visto que os gráficos são as principais ferramentas deste tipo de análise. Esta seção irá descrever com alguns detalhes, algumas das ferramentas mais comuns para a análise técnica de ações. Antes, contudo, serão apresentados os principais parâmetros utilizados nestas ferramentas. A subseção seguinte apresenta os candles, que condensam as principais informações utilizadas na análise técnica. 2.1 Velas (candles) e candelabros Em cada dia de negociação na bolsa de valores, pelo menos cinco parâmetros são anotados para cada ação negociada. São eles: Preço de abertura: indica o valor inicial de negociação de uma ação qualquer em um determinado dia. Preço mínimo: indica o valor mínimo de negociação atingido por uma ação em um determinado dia. Preço máximo: indica o valor máximo de negociação atingido por uma ação em um determinado dia. Preço de fechamento: indica o último valor de negociação de uma ação qualquer em um determinado dia. Volume de negociação: indica a quantidade de ações de uma determinada empresa que foram negociadas em um determinado dia. Os quatro primeiros parâmetros citados acima podem ser agregados de uma forma gráfica, chamada de vela ou candle ou candlestick, conforme ilustrado na Figura 1. Figura 1: Representação gráfica para uma vela (ou candle). O candle à esquerda, de cor clara, representa uma ação cujo preço de fechamento é maior do que o preço de abertura no período considerado. Este candle é comumente chamado candle de alta. 5

6 Ao contrário, o candle à direita, de cor escura, representa uma ação cujo preço de fechamento é menor do que o preço de abertura no período considerado. Este candle é comumente chamado de candle de baixa. O corpo de um candle (parte retangular da figura) é determinado pelo intervalo entre os preços de abertura e fechamento (independente de se tratar de uma candle de alta ou de baixa ). Um candle pode apresentar até dois pavios : um que pode ir do topo do corpo até o valor máximo da ação no período e outro que pode ir da base do corpo até o valor mínimo da ação no período. Quando estudamos o comportamento de uma ação dentro de um certo intervalo de tempo (por exemplo, a variação do valor de uma ação a cada dia de negociação dentro de um mês), costumamos agregar um conjunto de candles que, dessa forma, formarão um candelabro. É através do estudo das informações condensadas sob a forma de um candelabro que são realizados inúmeros estudos sobre o comportamento de uma ação em um certo período. A Figura 2 ilustra um candelabro para a ação PETR4 (Petrobrás PN) em um determinado período de consideração. Figura 2: Gráfico de candelabro para a ação PETR4. Através da Figura 2 podemos observar que a informação sobre o volume de negociação desta ação foi agregada ao gráfico criado. Dessa forma, podemos inferir a relevância de um determinado candle no período em consideração. Nesta figura, um candle azul representa um candle de alta, enquanto um candle vermelho representa um candle de baixa. O gráfico de candelabro, por si só, permite a realização de diversas análises, tais como a determinação de suportes e resistências, e mesmo a identificação de padrões e figuras geométricas que podem apontar tendências de mercado para a ação do gráfico em questão. 6

7 O uso de gráficos para a análise de oscilações de mercado remonta ao século XVII, pelo menos, quando os comerciantes de arroz japoneses passaram a usar gráficos de candelabro para a verificação de tendências. Desde o mercado de arroz do Japão feudal, os candles são interpretados por seu formato, conjunto e local de aparição, visando antecipar reversões e perda de força em tendências. Embora diversos autores relatem a alta eficiência dos gráficos de candelabro para a previsão de tendências, isto não deve ser considerado um fato consumado. Um contra-ponto a este paradigma (e um dos maiores problemas dos gráficos) é o pensamento desejoso, ou wishful thinking, segundo o qual, ao observar um gráfico, um investidor com freqüência convence a si mesmo de que um padrão é de alta ou de baixa, dependendo de sua intenção de vender ou comprar um determinado ativo. Dessa forma, para racionalizar a análise de oscilação de preços de uma ação dentro de um certo período, serão apresentadas as ferramentas seguintes. 2.2 Ferramentas básicas para a análise técnica O acesso ao mercado de compra e venda de ações é, atualmente, uma realidade ao alcance de qualquer investidor em nosso país. Os atuais sistemas computacionais e redes de telecomunicações tornaram esse acesso viável e simples a qualquer pessoa, bastando que o investidor conte com o auxílio de um computador e uma linha de conexão com a internet para realizar, em tempo real, negociações de ativos em bolsa através de um sistema home broker. Por sua vez, o investidor informatizado que realiza operações em bolsa através da análise técnica pode dispor de diversos programas de computador que podem ser utilizados para a orientação do investimento pretendido. A caixa de ferramentas que apresentamos (o Sistema jseta) dispõe de alguns dos indicadores e osciladores de mercado mais utilizados atualmente na análise técnica. Previamente à apresentação do jseta, esta subseção apresenta os fundamentos teóricos dos indicadores e osciladores da análise técnica implementados neste sistema. Conforme mencionado previamente, serão apresentadas algumas das ferramentas mais comuns do estudo técnico, não sendo abordadas técnicas de estudo mais avançadas nesta área. Como este texto não tem a pretensão de ensinar de forma detalhada o funcionamento e as estratégias de uso dos indicadores e osciladores aqui descritos, pressupõe-se que o leitor já tenha algum conhecimento prévio sobre estes As médias móveis Uma média móvel caracteriza-se por indicar um valor médio de um intervalo de amostras sequenciais dentro de uma série temporal. A Figura 3 ilustra o conceito de média móvel para a variação dos preços de fechamento da ação VALE5. 7

8 Figura 3: Representação de uma média móvel aritmética para VALE5. Duas médias móveis bastante comuns em econometria são a aritmética e a exponencial. A média móvel aritmética (MMA) fornece pesos iguais para todas as amostras dentro do intervalo de observação. Por sua vez, uma média móvel exponencial (MME) caracteriza-se por conceder um maior peso às amostras mais recentes dentro do intervalo de observação. Cada uma delas apresenta implicações distintas para determinadas aplicações. A MMA de k amostras avaliada sobre uma série temporal S, onde: S = {s 1, s 2,..., s n } composta por n elementos, também é caracterizada por uma série temporal com (n-k+1) elementos, podendo ser definida na forma: MMA = {m 1, m 2,..., m i,..., m n-k+1 } onde: m i ( ik 1) s j ji k Dessa forma, convencionamos que a MMA de k amostras (dias, por exemplo) sobre uma série temporal S será representada por: MMA k (S) 8

9 A MME de k amostras, avaliada sobre a mesma série temporal S, também será caracterizada por uma série temporal com (n-k+1) elementos, sendo definida por: MME = {m 1, m 2,..., m i,..., m n-k+1 } onde, para i > 1: m s m (1 ) e: i ki1 i1 sendo m 1 calculado através de uma média na forma: k m 2 1 k j 1 1 k s j Dessa forma, convencionamos que a MME de k amostras (dias, por exemplo) sobre uma série temporal S será representada por: MME k (S) Sistema de negociação por canais (ou envelopes) O sistema de negociação por canais ou envelopes é constituído basicamente pela média móvel de uma série temporal (série de preços de fechamento de uma determinada ação, por exemplo), acrescida ou decrescida de um determinado percentual. A Figura 4 representa os canais que envolvem a MME da ação VALE5 ao longo de um determinado intervalo de tempo. Figura 4: Canais associados à MME da ação VALE5. 9

10 Como pode ser observado, acima e abaixo da linha que representa a média móvel temos linhas semelhantes a esta que representam os limites dos canais que envolvem esta média. Tais linhas representam os limites razoáveis de negociação desta ação e podem ser determinadas na forma: ls = MME k (S) + Ω MME k (S) ou ls = (1 + Ω ) MME k (S) e li = MME k (S) - Ω MME k (S) ou li = (1 - Ω ) MME k (S) onde: ls representa a linha limite do canal superior; li representa a linha limite do canal inferior; S é a série temporal contendo os preços de fechamento de uma determinada ação e Ω representa uma constante de proporcionalidade que deve ser escolhida tal que as linhas dos canais envolvam pelo menos 95% dos preços de fechamento indicados. As linhas superior e inferior dos canais tem como objetivo fornecer uma expectativa para a oscilação máxima e mínima do preço de fechamento dentro de um determinado período. Como estratégia de operação, sugere-se comprar próximo da média móvel ou abaixo desta e vender o mais próximo possível da linha limite do canal superior Sistema de negociação por Bandas de Bollinger O sistema de negociação por Bandas de Bollinger possui funcionamento bastante semelhante aos canais, com a diferença de que as larguras dos canais são determinadas pelo desvio padrão das amostras consideradas no cálculo da média móvel dos preços de fechamento. Assim, as Bandas de Bollinger são bastante sensíveis à volatilidade do ativo em estudo, sendo que, quanto maior a volatilidade, maior será a largura do canal. A Figura 5 representa as bandas que envolvem a MME da ação VALE5 ao longo de um determinado intervalo de tempo. 10

11 Figura 5: Bandas de Bollinger associadas à MME da ação VALE5. Como pode ser observado, ao contrário dos canais, as Bandas de Bollinger apresentam um contorno relativamente desforme, o qual depende do desvio padrão das amostras consideradas no cálculo de cada ponto da média móvel. As bandas podem ser formalmente definidas como: e bs = MME k (S) + 2 σ k bi = MME k (S) - 2 σ k onde: bs representa a linha limite da banda superior; bi representa a linha limite da banda inferior; S é a série temporal contendo os preços de fechamento de uma determinada ação e σ k representa o desvio padrão para um conjunto de k amostras consideradas na determinação de um elemento da média móvel. Assim como para os canais, a estratégia de operação consiste basicamente em comprar próximo da média móvel ou abaixo desta e vender o mais próximo possível da linha limite da banda superior Convergência e divergência de médias móveis (MACD) O MACD (Moving Average Convergence/Divergence) ou convergência e divergência de médias móveis é um indicador de tendências criado por Gerald Appel na década de 1960 e mostra a diferença entre dois sinais, denominados 11

12 rápido e lento, gerados a partir de MMEs de uma determinada série temporal. A Figura 6 representa o gráfico MACD da ação VALE5 ao longo de um determinado intervalo de tempo. Figura 6: Gráfico MACD para a ação VALE5. Este indicador é calculado a partir da diferença entre duas MMEs: uma de curto prazo (por exemplo de 12 dias) e outra de longo prazo (por exemplo de 26 dias) de uma série temporal. À diferença entre a MME de curto prazo e a MME de longo prazo damos o nome de linha rápida (lr): lr = MME 12 (S) MME 26 (S) Por sua vez, se aplicarmos uma MME mais curta (de 9 dias, por exemplo) sobre a linha rápida, estaremos criando a linha lenta (ll) deste indicador: ll = MME 9 (lr) Finalmente, o histograma do MACD pode ser construído através da diferença entre as linhas rápida e lenta : Histograma MACD = lr - ll A linha rápida do MACD reflete o consenso de curto prazo do ativo em análise, enquanto que a linha lenta do MACD reflete o consenso de longo prazo do mesmo. Ao representarmos estas duas linhas em um mesmo gráfico, quando a linha rápida desloca-se acima da linha lenta temos a indicação de uma tendência altista. Por sua vez, quando a linha rápida cai abaixo da linha lenta temos a indicação de uma tendência baixista. 12

13 Neste contexto, o histograma MACD reflete a diferença entre o consenso de curto prazo e o de longo prazo. Quando as barras do histograma MACD adquirem uma inclinação ascendente, observa-se uma tendência altista. Por sua vez, caso as barras do histograma adquiram uma inclinação descendente, há uma tendência de baixa para o ativo em análise Índice de força O Índice de Força (IF) é um oscilador desenvolvido por Alexander Elder na década de Este índice ajuda a identificar pontos de inflexão através da conjunção de três fatores: direção, extensão e volume do movimento de preços. onde: O IF de uma ação pode ser determinado através da seguinte equação: IF i = V i (S i S i-1 ) IF i é o valor do índice de força para o i-ésimo elemento da série temporal; V i é o volume de negociação para o i-ésimo elemento da série temporal; S i é o i-ésimo preço de fechamento da série temporal e S i-1 é o preço de fechamento anterior a S i. Pode ser facilmente verificado que, se os preços de fechamento formam uma série temporal de n períodos (dias ou semanas, por exemplo), então o IF também será uma série temporal, porém com n-1 elementos. Sob o ponto de vista gráfico, a série gerada pela equação anterior pode se apresentar extremamente denteada. Por este motivo, sugere-se que o IF seja filtrado através de uma MME de 2 dias, por exemplo: IF fitlrado = MME 2 (IF) O ajuste do IF através de uma MME de 2 dias é bastante interessante para a identificação de pontos de entrada e saída. Assim, quando for possível verificar uma tendência de alta através de uma MME dos preços de fechamento e a MME de 2 dias do IF cair abaixo de zero, temos um possível sinal de compra. Por outro lado, quando a tendência é de baixa e a MME de 2 dias do IF subir acima de zero, temos um possível sinal de venda. A Figura 7 apresenta uma representação gráfica para o IF. 13

14 Figura 7: Gráfico do IF para a ação VALE5. Quando a MME de 2 dias do IF forma um espigão para cima ou para baixo, ultrapassando em muito suas máximas e mínimas normais, isso indica um movimento de exaustão. De acordo com Alexander Elder, os espigões do IF identificam zonas de histeria em massa, onde se exaurem as tendências Índice de força relativa O índice de força relativa (IFR) é um oscilador desenvolvido por J. Welles Wilder Jr. que mede a aceleração do movimento dos preços de uma determinada ação, sinalizando possíveis reversões à medida em que o movimento diminui de velocidade em um sentido, desacelerando, tal que possa reverter seu sentido original. Assim, seu acompanhamento possibilita observar o enfraquecimento de uma tendência até a sua reversão. onde: Este oscilador pode ser calculado através da seguinte equação: 100 IFR D (1 U k k ) IFR é o índice força relativa da ação; D k é a média (em módulo) de todas as variações negativas no preço de fechamento de uma ação dentro de um período de k amostras (dias ou semanas, por exemplo) e 14

15 U k é a média de todas as variações positivas no preço de fechamento de uma ação dentro de um período com as mesmas k amostras. Para uma série temporal S com n amostras para o preço de fechamento de uma ação, o IFR também será caracterizado como uma série temporal, porém constituída por (n-k+1) amostras. A Figura 8 representa graficamente o IFR para a ação VALE5. Figura 8: Gráfico do IFR para a ação VALE5. O IFR é um oscilador proporcional, variado de 0 a 100%. De acordo com Alexander Elder, valores acima de 80% podem indicar um mercado sobrecomprado, ou seja, há um risco de tendência de baixa caso o índice cai a um valor abaixo de 80%. Por outro lado, ainda de acordo com Alexander Elder, valores abaixo de 20% podem indicar um mercado sobrevendido, ou seja, onde há uma perspectiva de tendência de alta caso o índice ultrapasse, para cima, este patamar de 20% Estocástico O estocástico é um oscilador criado por George Lane na década de Este oscilador, que também varia dentro da faixa de 0 a 100%, aponta a correlação entre o último preço de fechamento e a faixa mínimo-máximo dentro de um período de análise. Assim, caso o preço de fechamento se aproxime do valor máximo deste período em análise, o estocástico tenderá a 100%. Caso contrário, se o preço de fechamento se aproximar do valor mínimo no período, o estocástico tenderá a 0. 15

16 Existem duas classes de estocástico: a rápida e lenta, sendo a segunda uma derivação da primeira. O estocástico rápido é muito sensível às oscilações do mercado, resultado em gráficos relativamente serrilhados. Por sua vez, o estocástico lento, por ser basicamente um filtro para o estocástico rápido, apresenta menos ruídos nos gráficos gerados. Independente da classe a ser utilizada, as linhas %K e %D do estocástico rápido são as primeiras a serem determinadas através do equacionamento exposto a seguir. A linha %K do estocástico rápido é gerada na forma: onde: Satual Lk % K rapido 100 H L k k S atual é o preço de fechamento de hoje da ação; H k é o valor máximo atingido pela ação dentro do período de k amostras em análise e L k é o valor mínimo atingido pela ação dentro do período de k amostras em análise. Lembrando que S atual pertence a uma série temporal S com n elementos (preços de fechamento para um determinado ativo) e %K também será uma série temporal, porém com (n-k+1) elementos. Por sua vez, a linha %D do estocástico rápido será calculada através de uma MMA (geralmente de 3 dias) da linha %K: %D rápido = MMA 3 (%K rápido ) O estocástico lento, por sua vez, será construído fazendo a linha %K deste ser igual à linha %D do estocástico rápido: %K lento = %D rápido Finalmente, da mesma forma que para o estocástico rápido, a linha %D lento do estocástico lento é calculada como uma MMA (geralmente também de 3 dias) da linha %K do estocástico lento: %D lento = MMA 3 (%K lento ) A Figura 9 mostra uma representação gráfica para o estocástico (lento). 16

17 Figura 9: Gráfico do estocástico (lento) para a ação VALE5. Valores acima do patamar de 80% geralmente indicam mercados sobrecomprados, enquanto valores abaixo do patamar de 20% indicam mercados sobrevendidos. Assim, quando %K corta a linha %D de baixo para cima próximo ao patamar de 20% temos um possível sinal de compra. Por sua vez, quando %K corta a linha %D de cima para baixo próximo ao patamar de 80% temos um possível sinal de venda Williams%R O Williams%R (ou Wm%R ou simplesmente %R) é um oscilador desenvolvido por Larry Williams na década de 1970 que tem por objetivo fundamental indicar pontos de compra e venda. O Wm%R também é capaz de confirmar tendências e advertir quanto à iminência de reversões. onde: Este oscilador pode ser determinado na forma: H k Satual Wm % R 100 H L k k S atual é o preço de fechamento de hoje da ação; H k é o valor máximo atingido pela ação dentro do período de k amostras em análise e L k é o valor mínimo atingido pela ação dentro do período de k amostras em análise. 17

18 Lembrando que S atual pertence a uma série temporal S com n elementos (preços de fechamento para um determinado ativo) e Wm%R também será uma série temporal, porém com (n-k+1) elementos. Observe que o Wm%R possui grande semelhança com a linha %K do estocástico rápido. A Figura 10 mostra uma representação gráfica para o Wm%R. Figura 10: Gráfico do Wm%R para a ação VALE5. O Wm%R expressa a distância percentual entre o preço de fechamento atual e o topo da faixa máxima-mínima em k períodos (dias ou semanas, por exemplo). Quanto menor o valor do Wm%R, mais próximo do topo (ou seja, da máxima no período considerado). Deve ser lembrado que, no Wm%R, o topo vale 0% (de distância da máxima) e o fundo vale 100% (de distância da máxima). É comum considerar-se que valores entre 0 e 20% indicam mercados sobrecomprados e valores entre 80 e 100% indicam, por sua vez, mercados sobrevendidos. 18

19 3. INSTALANDO E UTILIZANDO O jseta Esta seção descreve o funcionamento do jseta. Uma vez que o usuário esteja familiarizado com os estudos (e seus respectivos parâmetros) apresentados na seção anterior, a utilização do jseta é bastante simples, bastando ajustar os parâmetros para cada análise desejada. IMPORTANTE: Para utilizar o jseta a máquina virtual JAVA (jvm) deve estar instalada no computador em que o programa será executado. Recomenda-se que o usuário vá até o site e verifique se o seu computador possui o JAVA ou se o mesmo está atualizado. 3.1 Instalando o jseta Simplesmente descompacte o arquivo que contem o jseta em uma pasta qualquer de seu computador e use-o. Na pasta em que estiver instalado o usuário deverá visualizar: o arquivo jseta.jar, a pasta lib, que por sua vez irá conter os arquivos jcommon jar e jfreechart jar e a pasta help, a qual irá conter este arquivo ( manual.pdf ) 3.2 Iniciando o uso do jseta Para iniciar o uso do jseta, clique duas vezes sobre o arquivo jseta.jar. Se a máquina virtual JAVA estiver instalada no computador em uso, então a tela de abertura do jseta será apresentada, conforme mostra a Figura 11. Figura 11: Tela de abertura do jseta. 19

20 Para dar andamento ao uso do jseta clique no botão continue. IMPORTANTE: Para utilizar o jseta, o computador onde o mesmo está instalado deve estar conectado à internet. Isto é necessário porque o jseta busca, na internet, em tempo real, os dados relativos a uma determinada ação. Estes dados são baixados do site Nem sempre os dados de todas as ações estarão disponíveis no Yahoo Finance. Neste caso (dados indisponíveis), uma mensagem de erro será apresentada pelo jseta. Ao clicar no botão continue, o módulo de carregamento do jseta (ou seja, a tela de seleção da ação para análise) será apresentado, conforme mostra a Figura 12. Figura 12: Tela de seleção de uma ação para análise. Através deste módulo, o usuário do jseta pode: Fazer o download de preços históricos diários de ações. Fazer o download de preços históricos semanais de ações. Visualizar gráficos do tipo candlestick das cotações e respectivos volumes diários e semanais de dados de ações do site Yahoo Finance. Visualizar o gráfico das cotações e volumes de hoje no site Yahoo Finance Visualização rápida dos dados diários de uma ação O jseta não está capacitado, no momento, a analisar ações em um período "intraday". Contudo, na janela do módulo de carregamento há um botão que irá direcionar o usuário para os gráficos "intraday" do Yahoo Finance. Para tanto, selecione uma ação disponível neste módulo e clique no 20

21 botão "Intraday". Como resultado, será aberto no navegador padrão do computador do usuário a página do site Yahoo Finance com os dados diários da ação selecionada. A Figura 13 apresenta uma versão para uma página diária deste site. Figura 13: Dados diários apresentados pelo site Yahoo Finance Fazendo o download de cotações de ações Os dados disponíveis no jseta para análise de ações são: preço de abertura, preço de fechamento, preço máximo, preço mínino e volume de negociação. Para fazer o download dos dados de uma determinada ação execute o seguinte procedimento: 1. Selecione a ação desejada através do quadro à direita. 2. Selecione o período dos dados desejados através dos campos Data inicial e Data final. 3. Selecione a periodicidade dos dados a serem carregados (dados diários ou semanais) através dos botões Diária ou Semanal. 4. Clique sobre o botão Carregar. 21

22 Em caso de falha neste procedimento, o jseta irá apresentar uma mensagem de erro. Caso isto ocorra, em alguns casos, basta aguardar um tempo e tentar fazer o download dos dados desta ação mais tarde. Se o download dos dados for bem sucedido, automaticamente após o carregamento destes será apresentado um gráfico de candelabro com as informações baixadas e, também, será apresentado o módulo para análise dos dados. A Figura 14 apresenta o gráfico de candelabro obtido após um download bem sucedido. Por sua vez, a Figura 15 apresenta o módulo de análise do jseta. Figura 14: Gráfico de candelabro e volume apresentado após download. IMPORTANTE: Caso queira visualizar os dados de abertura, fechamento, mínimo e máximo para um determinado candle, posicione o cursor do mouse sobre o candle desejado. 22

23 Figura 15: Módulo de análise do jseta. 3.3 Realizando análises através do jseta Após o download bem sucedido dos dados de uma determinada ação, é apresentado o módulo de análise do jseta. As análises que podem ser realizadas por este programa são: Médias móveis Envelopes (ou canais) Bandas de Bollinger MACD 23

24 Índice de Força Índice de Força Relativa Estocástico e Williams%R Antes de realizar uma análise propriamente, o usuário deverá escolher uma referência para a análise que deseja fazer. Esta referência nada mais é do que o conjunto dos dados baixados do site, formatado do modo desejado pelo usuário. É possível adotar uma das seguintes formatações de referência: Preços de fechamento Gráfico de candelabro Barras de mínimo e máximo Por padrão, a referência é, de início, automaticamente ajustada para o preço de fechamento. A referência será apresentada em todas as análises realizadas. Isto tem por objetivo facilitar a interpretação da análise, além de servir de comprovação para a mesma. IMPORTANTE: Como pode ser observado na Figura 15, o módulo de análise do jseta já possui todos os parâmetros de análise pré-configurados para a realização dos estudos. Assim, se você for um usuário iniciante, poderá utilizar os parâmetros sugeridos pelo software. À medida em que ganhar experiência e desejar realizar testes específicos, altere qualquer parâmetro pré-configurado da forma como achar conveniente. As subseções seguintes apresentam os estudos que podem ser realizados com o jseta Médias Móveis As médias móveis (MM) medem a tendência do mercado (alta, baixa ou aproximadamente constante). Elas podem ser calculas sob a forma aritmética (MMA) ou exponencial (MME). A MMA dá o mesmo peso a todas as barras do período em análise, enquanto a MME dá prioridade às barras mais recentes. Através do jseta você pode selecionar entre as médias móveis (MM) aritmética e exponencial para realizar a sua análise. Podem ser efetuados estudos simultâneos com até três MM. Selecione os períodos desejados nas respectivas caixas de entrada ( período da linha rápida, período da linha média e período da linha lenta ) e clique sobre o botão Analisar desta ferramenta. As figuras 16, 17 e 18 mostram a representação gráfica de uma MMA para a ação VALE5 tendo como referência o preço de fechamento, o gráfico de candelabro e as barras de mínimo-máximo, respectivamente. Por sua vez, as 24

25 figuras 19, 20 e 21 mostram a representação gráfica de uma MME para a ação VALE5 tendo como referência o preço de fechamento, o gráfico de candelabro e as barras de mínimo-máximo, respectivamente. Figura 16: MMA para VALE5 (referência: preço de fechamento). Figura 17: MMA para VALE5 (referência: gráfico de candelabro). 25

26 Figura 18: MMA para VALE5 (referência: barras de mínimo-máximo). Figura 19: MME para VALE5 (referência: preço de fechamento). 26

27 Figura 20: MME para VALE5 (referência: gráfico de candelabro). Figura 21: MME para VALE5 (referência: barras de mínimo-máximo). 27

28 3.3.2 Envelopes Os envelopes se caracterizam por envoltórias aproximadamente paralelas ao longo de uma MM. Os envelopes fornecem uma razoável indicação para eventuais oscilações no preço de uma ação. Através do jseta você pode definir uma MM (aritmética ou exponencial) e aplicar um canal (envelope) ao longo da mesma. Para tanto, selecione se deseja utilizar uma MMA ou uma MME sobre os seus dados, indique o período de análise da MM (número de barras, dias ou semanas) e determine a proporção percentual do canal. Após estes ajustes basta clicar no respectivo botão Analisar. As figuras 22, 23 e 24 apresentam uma análise de envelopes para a ação VALE5 utilizando uma MMA de 22 dias. Por sua vez, as figuras 25, 26 e 27 apresentam uma análise de envelopes para a mesma, porém tomando uma por base uma MME de 22 dias. Figura 22: Análise de envelopes para a ação VALE5 utilizando uma MMA (referência: preço de fechamento) 28

29 Figura 23: Análise de envelopes para a ação VALE5 utilizando uma MMA (referência: candelabro) Figura 24: Análise de envelopes para a ação VALE5 utilizando uma MMA (referência: preço barras de mínimo-máximo) 29

30 Figura 25: Análise de envelopes para a ação VALE5 utilizando uma MME (referência: preço de fechamento) Figura 26: Análise de envelopes para a ação VALE5 utilizando uma MME (referência: candelabro) 30

31 Figura 27: Análise de envelopes para a ação VALE5 utilizando uma MME (referência: preço barras de mínimo-máximo) Bandas de Bollinger As Bandas de Bollinger são, essencialmente, semelhantes aos envelopes, exceto pelo fato de que a largura do canal varia sensivelmente ao longo da MM dos dados. Isto se deve ao fato de que a largura do canal é calculada através do desvio padrão das barras de um período que compõe a MM. Esta ferramenta pode ser utilizada no jseta através da indicação do período de análise (número de barras, dias ou semanas) da MM (aritmética ou exponencial) a ser utilizada na análise. As figuras 28, 29 e 30 apresentam análises de Bandas de Bollinger para a ação VALE5 utilizando uma MMA de 22 dias. Por sua vez, as figuras 31, 32 e 33 apresentam análise semelhante para a mesma ação, porém utilizando uma MME de 22 dias. 31

32 Figura 28: Bandas de Bollinger para a ação VALE5 utilizando uma MMA (referência: preço de fechamento) Figura 29: Bandas de Bollinger para a ação VALE5 utilizando uma MMA (referência: candelabro) 32

33 Figura 30: Bandas de Bollinger para a ação VALE5 utilizando uma MMA (referência: barras de mínimo-máximo) Figura 31: Bandas de Bollinger para a ação VALE5 utilizando uma MME (referência: preço de fechamento) 33

34 Figura 32: Bandas de Bollinger para a ação VALE5 utilizando uma MME (referência: candelabro) Figura 33: Bandas de Bollinger para a ação VALE5 utilizando uma MME (referência: barras de mínimo-máximo) 34

35 3.3.4 MACD A ferramenta MACD (Moving Average Convergence/Divergence Convergência e Divergência de Médias Móveis) é um dos indicadores mais importantes na análise técnica. O MACD mostra a diferença entre dois sinais, um rápido e um lento, gerados a partir de MMEs da ação. Para usá-lo no jseta, indique nas respectivas caixas de entrada os períodos das MMEs curta (curto prazo, por padrão 12 dias ou semanas) e longa (longo prazo, por padrão 26 dias ou semanas) e, também, o período da linha lenta (9 dias, por padrão). Conforme mencionado previamente, lembre que: À diferença entre a MME de curto prazo e a MME de longo prazo damos o nome de linha rápida (lr). Ao aplicarmos uma MME de 9 dias ou semanas (este é o parâmetro denominado período da linha lenta ) sobre a linha rápida, estaremos criando a linha lenta (ll) deste indicador. O histograma do MACD é construído através da diferença entre as linhas rápida e lenta (lr ll). Este histograma reflete a diferença entre o consenso de curto prazo e o de longo prazo. A linha rápida do MACD reflete o consenso de curto prazo do ativo em análise, enquanto que a linha lenta do MACD reflete o consenso de longo prazo do mesmo. Ao representarmos estas duas linhas em um mesmo gráfico, quando a linha rápida desloca-se acima da linha lenta temos a indicação de uma tendência altista. Por sua vez, quando a linha rápida cai abaixo da linha lenta temos a indicação de uma tendência baixista. Quando as barras do histograma MACD adquirem uma inclinação ascendente, observa-se uma tendência altista. Por sua vez, caso as barras do histograma adquiram uma inclinação descendente, há uma tendência de baixa para o ativo em análise. As figuras 34, 35 e 36 apresentam um estudo MACD para as ações VALE5. 35

36 Figura 34: MACD para a ação VALE5 (referência: preço de fechamento) Figura 35: MACD para a ação VALE5 (referência: candelabro) 36

37 Figura 36: MACD para a ação VALE5 (referência: barras de mínimo-máximo) Índice de Força (IF) O índice de força ajuda a identificar pontos de inflexão, reunindo três informações básicas: direção, extensão e volume do movimento de preços. Os espigões do índice de força identificam zonas de histeria em massa, em que se exaurem as tendências. Para utilizá-lo indique o período de análise (número de barras, dias ou semanas) para a MME dos dados e o período de filtragem do índice gerado. As figuras 37, 38 e 39 apresentam estudos do índice de força da ação VALE5. 37

38 Figura 37: Índice de Força para a ação VALE5 (referência: preço de fechamento) Figura 38: Índice de Força para a ação VALE5 (referência: candelabro) 38

39 Figura 39: Índice de Força para a ação VALE5 (referência: barras de mínimo-máximo) Índice de Força Relativa (IFR) O IFR mede a força de qualquer veículo de negociação por meio do monitoramento de mudanças nos preços de fechamento. O IFR flutua entre 0 e 100%, indicando a valorização relativa da ação e apontando sinais potenciais de compra e venda. Seu acompanhamento permite acompanhar o enfraquecimento de uma tendência (de alta ou de baixa ) até a sua reversão. Valores acima de 80% podem indicar um mercado sobrecomprado, ou seja, onde há um risco de tendência de baixa caso o índice caia a um valor abaixo deste patamar. Por outro lado, valores abaixo de 20% podem indicar um mercado sobrevendido, ou seja, onde há uma perspectiva de tendência de alta caso o índice ultrapasse, para cima, este patamar. Defina o período de análise e o período de filtragem para utilizá-lo no jseta. As figuras 40, 41 e 42 apresentam análises do índice de força relativa para a ação VALE5. 39

40 Figura 40: Índice de Força Relativa para a ação VALE5 (referência: preço de fechamento) Figura 41: Índice de Força Relativa para a ação VALE5 (referência: candelabro) 40

41 Figura 42: Índice de Força Relativa para a ação VALE5 (referência: barras de mínimo-máximo) Estocástico O Estocástico nos mostra pontos potenciais de compra e venda através da interseção de duas linhas denominadas rápida e lenta. O estocástico oscila entre 0 e 100, sendo que os níveis baixos caracterizam mercados vendidos demais (muito baixo, prestes a subir) e os níveis mais altos caracterizam mercados comprados demais (muito alto, prestes a descer). O Estocástico é uma ferramenta bastante interessante, principalmente se utilizada em conjunto com o MACD. No jseta, defina o período da MME de análise, além dos períodos do oscilador rápido e do oscilador lento para utilizar esta ferramenta. As figuras 43, 44 e 45 apresentam estudos para o estocástico da ação VALE5. 41

42 Figura 43: Estocástico para a ação VALE5 (referência: preço de fechamento) Figura 44: Estocástico para a ação VALE5 (referência: candelabro) 42

43 Figura 45: Estocástico para a ação VALE5 (referência: barras de mínimo-máximo) Williams%R (Wm%R) Este oscilador mede a capacidade dos apostadores de alta e dos apostadores de baixa de fechar os preços a cada dia perto da borda da faixa recente. O Williams%R confirma as tendências de alta ou baixa e adverte quanto à iminência de possíveis reversões. O Wm%R expressa a distância entre a cotação atual e o topo da faixa máxima-mínima de n períodos (em percentual). Quanto menor, mais próximo do topo. Defina o período de análise e o período de filtragem para utilizar este oscilador no jseta. As figuras 46, 47 e 48 apresentam estudos deste oscilador para a ação VALE5. 43

44 Figura 46: Wm%R para a ação VALE5 (referência: preço de fechamento) Figura 47: Wm%R para a ação VALE5 (referência: preço candelabro) 44

45 Figura 48: Wm%R para a ação VALE5 (referência: barras de mínimo-máximo) 4. DICAS DE OPERAÇÃO EM BOLSA As ferramentas de estudo apresentadas neste texto podem ser classificadas como: Indicadores de acompanhamento de tendências: Médias móveis (aritmética e exponencial) Envelopes (canais) Bandas de Bollinger (canais) MACD Osciladores: Índice de Força Índice de Força Relativa Estocástico Williams%R As subseções seguintes apresentam algumas dicas de uso para estes indicadores e osciladores. 4.1 Médias móveis Para o uso das médias móveis considere que: 45

46 Média móvel em alta: multidão otimista Média móvel em baixa: multidão pessimista Janela temporal mais larga: mostra tendências mais duradouras Janela temporal mais estreita: mostra tendências menos duradouras Sugestão: utilizar como referência a MM sobre 22 períodos Quando a MM apontar para cima: comprar Quando a MM apontar para baixo: vender Se a MM oscilar: não utilizar métodos de acompanhamento de tendências Ao comprarmos perto da MM (preferencialmente abaixo) estamos adquirindo valor e podemos colocar um stop estreito pouco abaixo da MM. Se o mercado retomar a alta ganharemos dinheiro, mas se o mercado virar contra nós a perda será pequena. Comprar perto da MM ajuda a maximizar os ganhos e minimizar os riscos. Usar um sistema de MM duplas para identificar tendências e entrar nas posições: 22 períodos (longa) 11 períodos (curta) Usar a MM mais longa para indicar a tendência e a MM mais curta para indicar os pontos de entrada. Considere também que: MM curta corta de cima para baixo a MM longa: tendência de baixa MM curta corta de baixo para cima a MM longa: tendência de alta Caso especial Agulhada do Didi Utiliza MMs de 3, 8 e 20 períodos Indica reversão de tendência Funciona melhor em ativos de grande volume e boa liquidez Pode acontecer quando as três médias começam a correr juntas ou muito próximas Quando acontece, as três MMs passam por um mesmo candle e depois se separam, como se fossem linhas passando pelo buraco de uma agulha. Tendência de alta: MM 3 por cima, MM 8 no meio e MM 20 por baixo. Tendência de baixa: MM 20 por cima, MM 8 no meio e MM 3 por baixo. 4.2 Canais A operação através de canais pode ser realizada através de: 46

47 Envelopes Bandas de Bollinger (canais de desvio padrão) Nas Bandas de Bollinger a largura do canal muda o tempo todo em função da volatilidade: quanto maior a volatilidade, maior a largura do canal. Para os envelopes, ajuste o coeficiente do canal até o canal abranger 95% dos preços. Se você comprar perto de uma MM em alta, realize lucro nas proximidades da linha superior do canal. Se você vender a descoberto perto de uma MM em baixa, cubra a posição nas proximidades da linha inferior do canal. Quando os preços rompem um canal mas depois retornam à MM, opere na direção da inclinação desta MM, visando meta de lucro perto da linha superior do canal. As rupturas de canal nos dão confiança para operar novamente em sua direção. Se a média móvel apresentar firme tendência horizontal, opere comprado na linhas inferior do canal, venda a descoberto na linha superior do canal e realize lucro quando os preços voltarem à MM. Regra geral: comprar na MM ou próximo à borda inferior do canal; vender próximo à borda superior do canal. 4.3 MACD O MACD é um dos melhores recursos para captar reversões. Procedimento: Calcular a MME de 12 períodos Calcular a MME de 26 períodos Linha rápida = MME 12 MME 26 Calcular a MME de 9 períodos da Linha Rápida: esta é a Linha Lenta. Linha rápida do MACD: consenso de curto prazo. Linha lenta do MACD: consenso mais duradouro. Quando a linha rápida sobe acima da linha lenta: o tendência altista -> comprar Quando a linha rápida cai abaixo da linha lenta: o Tendência baixista -> vender O cruzamento das linhas marca a reversão de tendência 47

48 O histograma MACD reflete a diferença entre o consenso de curto prazo e o de longo prazo. Quando as barras do histograma MACD sobem, a multidão está ficando altista: comprar Quando as barras do histograma MACD descem, a multidão está ficando baixista: vender Histograma sobe: touros (apostadores de tendência altista) mais fortes Histograma desce: ursos (apostadores de tendência baixista) mais fortes O histograma MACD ajuda a apostar no grupo vencedor Opere comprado quando o histograma MACD traçar uma divergência de alta, ou seja, quando os preços caírem para uma nova mínima, menos profunda que a anterior, enquanto o histograma apontar para cima. Opere vendido quando o histograma MACD traçar uma divergência de baixa, ou seja, quando os preços subirem para uma nova máxima, menos alta do que a anterior, enquanto o histograma apontar para baixo. Quando o histograma MACD alcança um novo pico de vários meses, isso indica que os touros estão extremamente fortes e que o correspondente pico de preço tende a ser testado de novo ou mesmo superado. 4.4 Índice de Força O índice de força ajuda a identificar pontos de inflexão, reunindo três informações básicas: direção, extensão e volume do movimento de preços. Os espigões do índice de força identificam zonas de histeria em massa, em que se exaurem as tendências. Ajustar os preços com uma MME de 13 períodos ou mais medirá mudanças a longo prazo no equilíbrio de poder entre touros e ursos. Ajustar o IF com uma MME muito curta (2 períodos) para identificar pontos de entrada e saída: o Quando a tendência é de alta e a MME 2 cai abaixo de zero o sinal é de compra. o Quando a tendência é de baixa e a MME 2 sobe acima de zero o sinal é de venda. 48

49 Sugestão: combinar o índice de força com uma MME de 22 períodos do preço de fechamento. Quando a MME 22 do preço está em alta e a MME 2 do IF torna-se negativa: o Surto baixista de curto prazo dentro de uma tendência de alta: oportunidade de compra. o Venda quando o IF se tornar positivo ou espere que o preço se aproxime da linha do canal ou a MME fique na horizontal. Quando a MME 22 do preço está em baixa e a MME 2 do IF torna-se positiva: o Surto altista a curto prazo dentro de uma tendência de baixa: oportunidade de operar vendido. o Compre quando o IF se tornar negativo ou espere que o preço se aproxime da borda inferior do canal. Quando a MME 2 do IF formar um espigão para cima ou para baixo, ultrapassando em muito suas máximas e mínimas normais, isso indica um movimento de exaustão: sinal para realizar lucro. Quando a tendência for de alta e a MME 2 do IF traçar um espigão íngreme para cima (8x ou mais a sua altura normal nos últimos 2 meses), caracteriza-se pânico de compra: tendem a ocorrer nos estágios finais dos movimentos de alta. Quando a MME 2 do IF traça um espigão íngreme para baixo durante uma tendência de baixa (4x ou mais sua profundidade normal nos últimos 2 meses), caracteriza-se histeria no movimento decrescente: tendem a ocorrer nos estágios finais dos movimentos de baixa. As divergências entre a MME 2 do IF e os preços mostram que a tendência já está pronta para a reversão. IF positivo: touros no comando IF negativo: ursos no comando 4.5 Índice de Força Relativa Mede, proporcionalmente, quantos dias dentro de um determinado período foram de alta e quantos dias foram de baixa, mostrando o resultado em uma escala de 0 a 100%: 0% -> todos os dias foram de baixa 100% -> todos os dias foram de alta A aceleração desta escala monitora as mudanças nos preços de fechamento. 49

50 Seu acompanhamento possibilita ir observando o enfraquecimento de uma tendência até a sua reversão. IFR acima de 80%: mercado sobrecomprado -> risco de queda quando o IFR baixar para menos de 80%. IFR abaixo de 20%: mercado sobrevendido -> possibilidade de alta quando o IFR subir acima de 20%. As linhas de referência horizontais devem cortar os picos mais altos e os vales mais baixos do IFR. Geralmente são traçadas entre 20% e 80%. O IFR emite 3 tipos de sinais, pela ordem de importância: o divergências o padrões gráficos o nível do IFR Divergência de alta -> sinal de compra: Ocorre quando os preços caem até uma nova mínima, mas o IFR forma um fundo mais superficial do que na queda anterior. Compre assim que o IFR virar para cima a partir do segundo fundo e coloque um stop de proteção abaixo da mínima secundária mais recente. Divergência de baixa -> sinal de venda: Ocorre quando os preços sobem para um novo pico, mas o IFR forma um topo mais baixo do que durante a alta anterior. Venda a descoberto assim que o IFR inflectir para baixo a partir do 2º. Topo. As linhas de tendência do IFR geralmente são rompidas um ou dois dias antes das linhas de tendência dos preços. Quando o IFR romper a linha de tendência de baixa emita uma ordem de compra acima da linha de tendência dos preços. Quando o IFR romper a linha de tendência de alta, emita uma ordem de venda a descoberto abaixo da linha de tendência dos preços. Compre quando o IFR cair abaixo de sua linha de referência e depois subir acima dela. Venda a descoberto quando o IFR erguer-se acima de sua linha de referência superior e então cruzá-la para baixo. Sugestão: utilizar 7 períodos para o cálculo das MM do parâmetro RS. 4.6 Estocástico Dois tipos: o Rápido e o Lento Linha rápida: %K Linha lenta: %D 50

51 Varia de 0% a 100% Mostra o valor do último preço de fechamento em relação à faixa máximo-mínimo do período analisado. Quando os preços de fechamento ficam próximos ao valor máximo, o estocástico fica mais próximo de 100%. Quando os preços de fechamento ficam próximos ao valor mínimo, o estocástico se aproxima de 0%. Patamar de sobrecompra: acima de 80% Patamar de sobrevenda: abaixo de 20% Quando %K ultrapassa o valor de 20% de baixo para cima: sinal de compra Quando %K ultrapassa o valor de 80% de cima para baixo: sinal de venda Se usarmos um número pequeno de períodos (abaixo de 10), o estocástico se concentrará nos dias recentes e sinalizará pontos de inflexão menos acentuados. Se usarmos um número maior de períodos, o estocástico levará em conta mais dados e sinalizará viradas mais acentuadas. Janelas maiores são melhores para captar reversões. Usar de 5 a 7 períodos. O estocástico deve oscilar entre 0 e 100. Os níveis baixos caracterizam mercados vendidos demais (muito baixo, prestes a subir) e os níveis mais altos caracterizam mercados comprados demais (muito alto, prestes a descer). Procure oportunidades de compra quando o estocástico aproximar-se de sua linha de referência mais baixa. Quando o estocástico sobe para a sua linha de referência mais alta é sinal para buscar uma oportunidade de venda. O estocástico não deve ser utilizado sozinho. Opere comprado quando o estocástico traçar uma divergência de alta, ou seja, quando os preços declinarem até uma nova mínima, mas o indicador traçar uma mínima menos profunda do que a mínima anterior. Opere vendido quando o estocástico traçar uma divergência de baixa, ou seja, quando os preços chegarem a uma nova máxima, mas o indicador inflectir para baixo ao atingir um pico mais baixo do que durante a alta anterior. Os melhores sinais de venda ocorrem quando o 1º. topo do estocástico está acima e o 2º. abaixo da linha de referência superior. 51

Projeto de uma caixa de ferramentas computacionais aplicadas ao estudo técnico de ações

Projeto de uma caixa de ferramentas computacionais aplicadas ao estudo técnico de ações 2010 Projeto de uma caixa de ferramentas computacionais aplicadas ao estudo técnico de ações Mogi Guaçu/SP Projeto de uma caixa de ferramentas computacionais aplicadas ao estudo técnico de ações Equipe

Leia mais

FERRAMENTAS GRÁFICAS PARA O ENSINO DE TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES

FERRAMENTAS GRÁFICAS PARA O ENSINO DE TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES FERRAMENTAS GRÁFICAS PARA O ENSINO DE TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES José Tarcísio Franco de Camargo jtfc@bol.com.br Faculdade Municipal Prof. Franco Montoro (FMPFM) Rua dos Estudantes, s/n Cachoeira

Leia mais

MINICURSO SEMAT. Análise Técnica para Investimentos em Bolsa de Valores, Índices e Commodities. Lucas Guilherme Rigo Canevazzi

MINICURSO SEMAT. Análise Técnica para Investimentos em Bolsa de Valores, Índices e Commodities. Lucas Guilherme Rigo Canevazzi MINICURSO SEMAT Análise Técnica para Investimentos em Bolsa de Valores, Índices e Commodities Lucas Guilherme Rigo Canevazzi Matheus Furtado de Souza Popp Prof. Dr. Geraldo Nunes Silva Prof. Dr. Maurílio

Leia mais

Curso Análise Técnica 1

Curso Análise Técnica 1 Curso Análise Técnica 1 Módulo 2 de 4 Continuação do Módulo 1 www.tradernauta.com.br Médias Móveis Linhas contínuas utilizadas como Suporte e Resistência; Podem ser traçadas com qualquer média estatística,

Leia mais

SETA (SISTEMA PARA ESTUDO TÉCNICO DE AÇÕES) UMA CAIXA DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES

SETA (SISTEMA PARA ESTUDO TÉCNICO DE AÇÕES) UMA CAIXA DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES SETA (SISTEMA PARA ESTUDO TÉCNICO DE AÇÕES) UMA CAIXA DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES José Tarcísio Franco de Camargo jtfc@bol.com.br Faculdade Municipal

Leia mais

Osciladores Forex. www.ifcmarkets.com

Osciladores Forex. www.ifcmarkets.com Osciladores Forex O que é o oscilador e por que precisamos usa-lo? Esta é uma técnica de análise que é utilizado para previsão do mercado Forex. Os osciladores são calculados por meio de indicadores, usando

Leia mais

MAIS CONTROLE SOFTWARE Controle Financeiro / Fluxo de Caixa (MCS Versão 2.01.99) Índice

MAIS CONTROLE SOFTWARE Controle Financeiro / Fluxo de Caixa (MCS Versão 2.01.99) Índice Item MAIS CONTROLE SOFTWARE Controle Financeiro / Fluxo de Caixa (MCS Versão 2.01.99) Índice Página 1.Apresentação... 4 2.Funcionamento Básico... 4 3.Instalando o MCS... 4, 5, 6 4.Utilizando o MCS Identificando

Leia mais

VISUALIZAÇÃO DE TENDÊNCIAS DE MERCADO: DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA GRÁFICA A PARTIR DE SOFTWARE LIVRE

VISUALIZAÇÃO DE TENDÊNCIAS DE MERCADO: DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA GRÁFICA A PARTIR DE SOFTWARE LIVRE VISUALIZAÇÃO DE TENDÊNCIAS DE MERCADO: DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA GRÁFICA A PARTIR DE SOFTWARE LIVRE José Tarcísio Franco de Camargo jtfc@bol.com.br Faculdade Municipal Prof. Franco Montoro (FMPFM)

Leia mais

SCP Desktop Broker. Manual SCP Desktop Broker. 2010 - Todos os direitos reservados. Versão: 1.0

SCP Desktop Broker. Manual SCP Desktop Broker. 2010 - Todos os direitos reservados. Versão: 1.0 SCP Desktop Broker Manual SCP Desktop Broker 00 - Todos os direitos reservados Versão:.0 Índice.0. Instalação.0. Estrutura.. Operações - Compra e Venda.. Consulta - Histórico de ordens - Acompanhamento

Leia mais

I. Personalizando a Área de Trabalho

I. Personalizando a Área de Trabalho 1 I. Personalizando a Área de Trabalho Área de Trabalho (desktop) do Novo Painel de Negociação do Home broker: Existem quatro desktops disponíveis para uso. Para alternar entre um e outro, clique sobre

Leia mais

Manual do Usuário HOME BROKER 2.0

Manual do Usuário HOME BROKER 2.0 Manual do Usuário HOME BROKER 2.0 Introdução... 4 1. Cabeçalho... 5 2. Menu Lateral... 8 2.1 Menu Lateral Expandido... 11 3. Área de Trabalho... 13 3.1 Cotações... 15 3.2 Suas Ordens & Custódia... 18 3.2.1

Leia mais

MANUAL DA SECRETARIA

MANUAL DA SECRETARIA MANUAL DA SECRETARIA Conteúdo Tela de acesso... 2 Liberação de acesso ao sistema... 3 Funcionários... 3 Secretaria... 5 Tutores... 7 Autores... 8 Configuração dos cursos da Instituição de Ensino... 9 Novo

Leia mais

TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA LMS

TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA LMS TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA LMS Neste documento você encontrará um conjunto de orientações de como navegar na plataforma do MBA Gestão Empreendedora. Siga as instruções com atenção e salve este

Leia mais

Portal do Projeto Tempo de Ser

Portal do Projeto Tempo de Ser Sumário Portal do Projeto Tempo de Ser O que é um Wiki?...2 Documentos...2 Localizando documentos...3 Links...3 Criando um Documento...4 Criando um link...4 Editando um Documento...5 Sintaxe Básica...5

Leia mais

SISTEMA DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES POR IMPULSO: UMA IMPLEMENTAÇÃO DIDÁTICA EM SOFTWARE LIVRE

SISTEMA DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES POR IMPULSO: UMA IMPLEMENTAÇÃO DIDÁTICA EM SOFTWARE LIVRE SISTEMA DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES POR IMPULSO: UMA IMPLEMENTAÇÃO DIDÁTICA EM SOFTWARE LIVRE José Tarcísio Franco de Camargo jtfc@bol.com.br Faculdade Municipal Prof. Franco Montoro (FMPFM) Rua dos Estudantes,

Leia mais

MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25

MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25 MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25 1 Sumário 1.Objetivo...03 2.Suporte...03 3.Como instalar...03 4.Usando o PEP...09 2 1. Objetivo:

Leia mais

VERSÃO: 1.3 TÍTULO: GUIA DE INÍCIO RÁPIDO CLIENTE: FUNCEF

VERSÃO: 1.3 TÍTULO: GUIA DE INÍCIO RÁPIDO CLIENTE: FUNCEF Objetivo: Esse guia tem por objetivo auxiliar a instalação e configuração dos dispositivos a serem utilizados para monitoramento com o Olho Digital. Os acessos poderão ser feitos de 3 maneiras: 1- Por

Leia mais

9 (build 9.6) Guia do Usuário. Nota importante sobre o conteúdo deste guia

9 (build 9.6) Guia do Usuário. Nota importante sobre o conteúdo deste guia 9 (build 9.6) Guia do Usuário Nota importante sobre o conteúdo deste guia O guia do usuário completo do IRISPowerscan está disponível em inglês, francês e alemão. As versões deste guia do usuário em outros

Leia mais

Manual de instalação e utilização do programa Faróis Vinco Pedidos

Manual de instalação e utilização do programa Faróis Vinco Pedidos Página 1 de 23 SUMÁRIO 1. Pré-requisitos do computador para instalação do sistema Faróis Vinco Pedidos... 2 2. Instalação do... 3 3. Executando o sistema pela primeira vez... 5 4. Menus do sistema... 6

Leia mais

Guia Rápido - CMA Series 4 Premium/Start. Guia Rápido de Utilização do CMA Series 4 Premium/Start

Guia Rápido - CMA Series 4 Premium/Start. Guia Rápido de Utilização do CMA Series 4 Premium/Start Guia Rápido de Utilização do CMA Series 4 Premium/Start 1 Prezado Usuário (a), Seja bem vindo (a) ao Guia Rápido de Utilização do CMA Series 4 Premium/Start, um roteiro prático para iniciar as configurações

Leia mais

Manual PAINT.NET de imagens

Manual PAINT.NET de imagens Manual PAINT.NET de imagens 1. Instalação 1.1 - Para instalar o programa paint.net, o primeiro passo é baixá-lo do endereço a seguir e salvá-lo em seu computador. http://ww2.prefeitura.sp.gov.br/paint_net/paint.net.3.36.exe

Leia mais

Processo de download, Instalação e Configuração do CiberTrader.

Processo de download, Instalação e Configuração do CiberTrader. Processo de download, Instalação e Configuração do CiberTrader. Download e Instalação 1 Entre no site HTTP://www.fbnsistemas.com.br. 2 Clique no link Negócios da Bolsa. 3 Na próxima página selecione Registre-se

Leia mais

Tutorial para Atualização do Laboratório de Informática

Tutorial para Atualização do Laboratório de Informática Tutorial para Atualização do Laboratório de Informática Esse tutorial mostra os procedimentos a serem realizados para atualização correta do Laboratório de Informática. Leia atentamente o passo a passo

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Online WebOpinião

Manual do Teclado de Satisfação Online WebOpinião Manual do Teclado de Satisfação Online WebOpinião Versão 1.2.3 27 de novembro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação

Leia mais

Manual do Usuário do Produto EmiteNF-e. Manual do Usuário

Manual do Usuário do Produto EmiteNF-e. Manual do Usuário Manual do Usuário Produto: EmiteNF-e Versão: 1.2 Índice 1. Introdução... 2 2. Acesso ao EmiteNF-e... 2 3. Configurações Gerais... 4 3.1 Gerenciamento de Usuários... 4 3.2 Verificação de Disponibilidade

Leia mais

MinyScan Home. Leitor Manual de Código de Barras. Manual do Usuário Versão 2.0b. Data da Revisão: 26/08/05

MinyScan Home. Leitor Manual de Código de Barras. Manual do Usuário Versão 2.0b. Data da Revisão: 26/08/05 MinyScan Home Leitor Manual de Código de Barras Manual do Usuário Versão 2.0b Data da Revisão: 26/08/05 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. APRESENTANDO O MINYSCAN HOME... 4 2.1. COMPOSIÇÃO... 4 3. INSTALANDO

Leia mais

Manual de Instalação do RE

Manual de Instalação do RE Guia de Referência Manual de Instalação do RE Eficiência e agilidade nas solicitações de Inscrição de Empresário via Internet. www.jucergs.rs.gov.br Sumário Requerimento de Empresário 1 Como acesso o

Leia mais

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais.

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. MICROSOFT WINDOWS O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. Apresentaremos a seguir o Windows 7 (uma das versões do Windows)

Leia mais

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica Em certa época, a planilha era um pedaço de papel que os contadores e planejadores de empresas utilizavam para colocar

Leia mais

Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil Plataforma de Educação à Distância

Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil Plataforma de Educação à Distância Página1 Apresentação Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil Plataforma de Educação à Distância Olá Participante do Curso A Escola no Combate ao Trabalho Infantil (ECTI), Este tutorial pretende

Leia mais

Software RedeMB5 Manual do Usuário (Ver. 2)

Software RedeMB5 Manual do Usuário (Ver. 2) Manual do Usuário (Ver. 2) 1. Introdução O software RedeMB5 é uma ferramenta que permite monitorar em tempo real 247 medidores de energia ou multitransdutores digitais KRON em uma rede padrão RS-485 com

Leia mais

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS - MDA - SPOA - CGMI SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS MANUAL DO USUÁRIO Administrador do Sistema BRASÍLIA, AGOSTO DE 2007 Versão 1.0 SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS

Leia mais

Manual operacional Sistec for Windows

Manual operacional Sistec for Windows 1 Índice 1.Apresentação 2.Instalação 2.1.Instalando o programa 2.2.Executando o programa 2.3.Alterando o Logotipo 2.4.Alterando a Mensagem da tela Principal 3.Operações básicas 3.1.Cadastrando Contas Bancárias

Leia mais

A Famosa Agulhada do Didi. Figura 1 A Agulhada do Didi. Obs: linha azul média de 3 dias linha verde média de 8 dias linha roxa média de 20 dias

A Famosa Agulhada do Didi. Figura 1 A Agulhada do Didi. Obs: linha azul média de 3 dias linha verde média de 8 dias linha roxa média de 20 dias A Famosa Agulhada do Didi Figura 1 A Agulhada do Didi Obs: linha azul média de 3 dias linha verde média de 8 dias linha roxa média de 20 dias Na verdade o padrão aqui e 5 minutos e não dias. Como será

Leia mais

Documentação Trade Manager. Metarobôs.

Documentação Trade Manager. Metarobôs. Documentação Trade Manager Metarobôs. Gráfico Parâmetro declaração do ativo operado: Sempre utilize letras MAIÚSCULAS (números são padrões). Não deixe o nome do ativo em BRANCO. Só será permitido deixar

Leia mais

Tutorial - Orçamento. As aplicações Memo possuem a seguinte estrutura: 1 - Portais Portal: Orçame nto Pessoal. Painel: Resultad o Análises

Tutorial - Orçamento. As aplicações Memo possuem a seguinte estrutura: 1 - Portais Portal: Orçame nto Pessoal. Painel: Resultad o Análises Esta é uma aplicação exemplo, que também pode ser usada como um Modelo ou Template para que voce possa utilizá- la com os seus dados pessoais. Pode ser modificada ou customizada para melhor atender outras

Leia mais

CURSO DE ANÁLISE TÉCNICA APLICAÇÃO DE: FIBONACCI/CANDLESTICKS

CURSO DE ANÁLISE TÉCNICA APLICAÇÃO DE: FIBONACCI/CANDLESTICKS CURSO DE ANÁLISE TÉCNICA APLICAÇÃO DE: FIBONACCI/CANDLESTICKS Grafista de Bsb CURSO DE ANÁLISE TÉCNICA APLICAÇAO DE FIBONACCI E CANDLESTICK CONTEÚDO 1 - DEFINIÇÃO DE ANÁLISE TÉCNICA 2 A TÉCNICA 3 - OS

Leia mais

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO?

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO? Índice BlueControl... 3 1 - Efetuando o logon no Windows... 4 2 - Efetuando o login no BlueControl... 5 3 - A grade de horários... 9 3.1 - Trabalhando com o calendário... 9 3.2 - Cancelando uma atividade

Leia mais

Introdução ao icare 2

Introdução ao icare 2 Introdução ao icare 2 (Instrumentação para a Coleta Assistida de Resíduos Recicláveis V.2) Arthur Elídio da Silva Lucas Zenaro José Tarcísio F. de Camargo Unipinhal (2015) SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 O

Leia mais

C C P SUPORTE TÉCNICO EBS

C C P SUPORTE TÉCNICO EBS C C P SUPORTE TÉCNICO EBS Horário de atendimento: Das 08h30min às 18h, de Segunda a Sexta-feira. Formas de atendimento: E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@ebs.com.br. Suporte On-Line

Leia mais

Gerenciamento de cor. 7.2 Calibração do scanner utilizando a calibração IT8 de SilverFast

Gerenciamento de cor. 7.2 Calibração do scanner utilizando a calibração IT8 de SilverFast Botão para a abertura do diálogo de calibração IT8 colorido: A calibração IT8 está ativa cinza: A calibração IT8 está desativada O botão IT8 somente está visível, se a função estiver liberada!.2 Calibração

Leia mais

1. Introdução a Microsoft Excel

1. Introdução a Microsoft Excel Introdução a Microsoft Excel 1. Introdução a Microsoft Excel 1.1. O que é Microsoft Excel Microsoft Excel é um software de planilha eletrônica produzido pela Microsoft Corporation, para o sistema operacional

Leia mais

Para fazer a INSTALAÇÃO do Sistema ColREP, leia com atenção os Passos a seguir:

Para fazer a INSTALAÇÃO do Sistema ColREP, leia com atenção os Passos a seguir: ColREP Sistema Colore para Representantes Comerciais (INSTALAÇÃO). Pag. 1 Para fazer a INSTALAÇÃO do Sistema ColREP, leia com atenção os Passos a seguir: 1º Caso não esteja de posse od CD-Rom de instalação,

Leia mais

Apostila do estagiário MÓDULO I

Apostila do estagiário MÓDULO I Apostila do estagiário MÓDULO I Manual do Gerenciador da Sala de Internet BlueControl Programa Acessa Escola Apresentação O Programa Acessa Escola é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo,

Leia mais

As ações, em sua maioria, são negociadas a partir de códigos formados através de letras e números:

As ações, em sua maioria, são negociadas a partir de códigos formados através de letras e números: Como funciona o mercado de ações Conceitualmente, uma ação é um pedaço de uma empresa, ou seja, comprar uma ação significa ser sócio de uma companhia. No Brasil, as ações de empresas de capital aberto

Leia mais

Brasil. 5. Descrição da função dos principais ícones. A. Reproduzir o arquivo.avi.

Brasil. 5. Descrição da função dos principais ícones. A. Reproduzir o arquivo.avi. Aviso importante: Instale primeiro o driver e somente então conecte a VideoCAM ExpressII à porta USB Leia este importante aviso antes da instalação 1. Instalação do software VideoCAM ExpressII 1. Insira

Leia mais

TISSNet Instalando e Configurando Schemas

TISSNet Instalando e Configurando Schemas Objetivos Gerais: Este documento tem por objetivo, instruir os credenciados da C. S. ASSISTANCE no processo de instalação e configuração do aplicativo TISSNet, facilitando desta forma o controle e envio

Leia mais

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 1 Sumário 1. Instalando a Chave de Proteção 3 2. Novas características da versão 1.3.8 3 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 4. Executando o PhotoFacil Álbum 9 3.1. Verificação da Chave 9 3.1.1. Erro 0001-7

Leia mais

Manual do Aluno Moodle

Manual do Aluno Moodle Manual do Aluno Moodle Site: Moodle PUCRS Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Curso: Moodle PUCRS Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Livro: Manual do Aluno Moodle Impresso

Leia mais

Mapas Conceituais. Da Teoria à Prática. Pedro Hiago de Melo Freitas

Mapas Conceituais. Da Teoria à Prática. Pedro Hiago de Melo Freitas Mapas Conceituais Da Teoria à Prática Pedro Hiago de Melo Freitas pedrohiago.freitas@gmail.com Novembro de 2012 D Texto produzido com referência as ideias e escritos de Marco Antônio Moreira. O que são

Leia mais

Joseilton S. Correia

Joseilton S. Correia O P E R A N D O N A Bolsa de Valores U T I L I Z A N D O ANÁLISE TÉCNICA Aprenda a identificar o melhor momento para comprar e vender ações Joseilton S. Correia Novatec Sumário Agradecimentos... 13 Sobre

Leia mais

Papel de Parede Secreto

Papel de Parede Secreto USO DO WINDOWS o Windows XP finalmente está perdendo forças no mercado de sistemas operacionais. Na pesquisa mais recente feita pelo StatsCounter, com dados de novembro de 2014, a versão foi ultrapassada

Leia mais

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1 Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente Versão 1.1 Sumário Sistema de Relacionamento com Cliente 3 1 Introdução... ao Ambiente do Sistema 4 Acessando... o Sistema 4 Sobre a Tela... do Sistema

Leia mais

Trabalho com montagens grandes

Trabalho com montagens grandes Trabalho com montagens grandes Número da Publicação spse01650 Trabalho com montagens grandes Número da Publicação spse01650 Notificação de Direitos Limitados e de Propriedade Este software e a documentação

Leia mais

Análise Técnica Semanal

Análise Técnica Semanal Guia Semanal Análise Técnica Semanal 17 de fevereiro de 11 17 de fevereiro de 11 Cesar Crivelli, CNPI-P Rodrigo Takeuchi, CNPI-T Novidade! IFR Setorial Ações x Média Móvel Sumário Resumo... Ibovespa...

Leia mais

Tutorial Report Express. Como iniciar o uso dos serviços fazer a diferença.

Tutorial Report Express. Como iniciar o uso dos serviços fazer a diferença. Tutorial Report Express Como iniciar o uso dos serviços fazer a diferença. Índice Apresentação Pág. 3 Passo 1 Pág. 4 Instalação do MasterDirect Integrações Passo 2 Pág. 8 Exportar clientes Linha Contábil

Leia mais

Sistema Monitor Manual de Monitoramento das Ações de Controle Versão do Gestor

Sistema Monitor Manual de Monitoramento das Ações de Controle Versão do Gestor Página 1 de 25 10/09/2015 Versão 03-0915 Sistema Monitor Manual de Monitoramento das Ações de Controle Versão do Gestor Controladoria Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 7.1.1 7.1.2 7.1.3

Leia mais

Guia Site Empresarial

Guia Site Empresarial Guia Site Empresarial Índice 1 - Fazer Fatura... 2 1.1 - Fazer uma nova fatura por valores de crédito... 2 1.2 - Fazer fatura alterando limites dos cartões... 6 1.3 - Fazer fatura repetindo última solicitação

Leia mais

Manual do Usuário Publicador

Manual do Usuário Publicador Manual do Usuário Publicador Portal STN SERPRO Superintendência de Desenvolvimento SUPDE Setor de Desenvolvimento de Sítios e Portais DEDS2 Versão 1.1 Fevereiro 2014 Sumário Sobre o Manual... 3 Objetivo...

Leia mais

Guia do Usuário. idocs Content Server v.2.0-1 -

Guia do Usuário. idocs Content Server v.2.0-1 - Guia do Usuário idocs Content Server v.2.0-1 - 2013 BBPaper_Ds - 2 - Sumário Introdução... 4 Inicializando a aplicação... 6 Ambiente... 7 Alterando o ambiente... 8 Senhas... 10 Alterando senhas... 10 Elementos

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo

Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Núcleo de Tecnologia da Informação Gerenciamento do Conteúdo de Sítios Institucionais Versão 1.4 Atualizado em: 8/10/2015 Sumário Sumário................................................

Leia mais

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes 1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes Janelas são estruturas do software que guardam todo o conteúdo exibido de um programa, cada vez que um aplicativo é solicitado à janela do sistema

Leia mais

Manual do usuário. SIM 5 Lite Versão 1.0 - Português

Manual do usuário. SIM 5 Lite Versão 1.0 - Português Manual do usuário SIM 5 Lite Versão 1.0 - Português Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para a sua instalação e operação

Leia mais

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA Aula 7 SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA META Discutir a utilização de softwares no ensino de Química. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Através da utilização do software carbópolis,

Leia mais

e-nota E Módulo de Entrega do Documento Fiscal eletrônico

e-nota E Módulo de Entrega do Documento Fiscal eletrônico Página1 e-nota E Módulo de Entrega do Documento Fiscal eletrônico Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. Safeweb e-nota E... 03 2. O que é XML... 04 3. Acesso e-nota E...

Leia mais

Leitora Perto Smart. Guia de Instalação. Leitora Perto Smart Guia de Instalação. Janeiro/2010. Instalação da leitora Perto Smart.

Leitora Perto Smart. Guia de Instalação. Leitora Perto Smart Guia de Instalação. Janeiro/2010. Instalação da leitora Perto Smart. Leitora Perto Smart Guia de Instalação Página 1 de 14 Pré Requisitos para a instalação Dispositivos de Certificação Digital (Leitora Perto) Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Manual do Moodle- Sala virtual UNIFAP MACAPÁ-AP 2012 S U M Á R I O 1 Tela de Login...3 2 Tela Meus

Leia mais

Brasil. 5. Aspecto da câmera de vídeo. A. Modo de pré-visualização. B. Foto instantânea. C. Modo de videoclipe

Brasil. 5. Aspecto da câmera de vídeo. A. Modo de pré-visualização. B. Foto instantânea. C. Modo de videoclipe Aviso importante: Instale primeiro o driver e somente então conecte a VideoCAM Messenger à porta USB Leia este importante aviso antes da instalação 1. Instalação do software VideoCAM Messenger 1. Insira

Leia mais

Manual do Fornecedor Versão 7.3.1.0

Manual do Fornecedor Versão 7.3.1.0 Manual do Fornecedor Versão 7.3.1.0 Utilidades e Suporte REQUISITOS MÍNIMOSM Máquina com Processador 1 Núcleo, N 1 GHZ,, 2GB Memória. Link Internet: Mínimo: M 1Mbps. CONFIGURAÇÕES O Navegador precisa estar

Leia mais

LOGSOFT SISTEMAS. Manual do Usuário: Aplicativo LogFinanças versão 1.1.0. Compatível com Microsoft Excel 2007 com SP3 / 2010 / 2013

LOGSOFT SISTEMAS. Manual do Usuário: Aplicativo LogFinanças versão 1.1.0. Compatível com Microsoft Excel 2007 com SP3 / 2010 / 2013 LOGSOFT SISTEMAS Manual do Usuário: Aplicativo LogFinanças versão 1.1.0 Compatível com Microsoft Excel 2007 com SP3 / 2010 / 2013 Sistemas Operacionais Windows XP / Vista / 7 / 8 / 8.1 LOGFINANÇAS CONTROLE

Leia mais

Ajustes para o sistema de web conferências Adobe Connect

Ajustes para o sistema de web conferências Adobe Connect SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEaD Ajustes para o sistema de web conferências Adobe Connect Principais ajustes que melhoram

Leia mais

3 Metodologia 3.1. Tipo de pesquisa

3 Metodologia 3.1. Tipo de pesquisa 3 Metodologia 3.1. Tipo de pesquisa A definição do tipo de pesquisa é fundamental para a escolha da metodologia adequada, só assim será possível atingir os objetivos propostos. Esta pesquisa usará a classificação

Leia mais

SISTEMA DE ATENDIMENTO WEB MINIGUIA OPERACIONAL ÁREA: ATENDIMENTO PERFIL: PRESTADOR

SISTEMA DE ATENDIMENTO WEB MINIGUIA OPERACIONAL ÁREA: ATENDIMENTO PERFIL: PRESTADOR SISTEMA DE ATENDIMENTO WEB MINIGUIA OPERACIONAL ÁREA: ATENDIMENTO PERFIL: PRESTADOR SAW SISTEMA DE ATENDIMENTO WEB MINIGUIA OPERACIONAL Versão 1.0 ÁREA: ATENDIMENTO PERFIL: PRESTADOR 2015 Este miniguia

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Prefeitura de Volta Redonda Secretaria Municipal de Educação Departamento Pedagógico Núcleo de Tecnologia Educacional Volta Redonda NTM

Prefeitura de Volta Redonda Secretaria Municipal de Educação Departamento Pedagógico Núcleo de Tecnologia Educacional Volta Redonda NTM Prefeitura de Volta Redonda Departamento Pedagógico NTM Planilha Eletrônica Prefeitura de Volta Redonda Departamento Pedagógico NTM Prefeitura de Volta Redonda Departamento Pedagógico NTM Coloque seus

Leia mais

Projeto ECA na Escola - Plataforma de Educação à Distância

Projeto ECA na Escola - Plataforma de Educação à Distância Página1 Apresentação Projeto ECA na Escola - Plataforma de Educação à Distância Olá Participante do Projeto ECA na Escola, Este tutorial pretende auxiliá-lo na navegação na Plataforma de Educação à Distância

Leia mais

Microsoft PowerPoint XP. Módulo I I

Microsoft PowerPoint XP. Módulo I I FUNCICI MG ESCOLA TÉCNICA DE FORMAÇÃO GERENCIAL DE CONTAGEM CURSO TÉCNICO AMBIENTAL E DE SEGURANÇA APOSTILA BÁSICA: Microsoft PowerPoint XP Módulo I I Elaborada por: Walter Santos 2007 2 S U M Á R I O

Leia mais

Verifique se o Plugin do Flash Player está instalado no seu computador para a navegação adequada no portal.

Verifique se o Plugin do Flash Player está instalado no seu computador para a navegação adequada no portal. 1 Tutorial: Blogs no Clickideia Introdução Esse tutorial mostrará as funções básicas da ferramenta de Blog do Portal Educacional Clickideia. Ele foi elaborado pensando em diferentes níveis de usuários

Leia mais

0079 - Relatórios Protheus

0079 - Relatórios Protheus Relatórios Todos os direitos autorais reservados pela TOTVS S.A. Proibida a reprodução total ou parcial, bem como a armazenagem em sistema de recuperação e a transmissão, de qualquer modo ou por qualquer

Leia mais

CONSULTAS CUSTÓDIA DE AÇÕES FINANCEIRO BOVESPA EXTRATO NOTAS DE CORRETAGEM ORDENS DO DIA HISTÓRICO DE ORDENS ORDEM DE START/STOP

CONSULTAS CUSTÓDIA DE AÇÕES FINANCEIRO BOVESPA EXTRATO NOTAS DE CORRETAGEM ORDENS DO DIA HISTÓRICO DE ORDENS ORDEM DE START/STOP ÍNDICE FERRAMENTAS CONSULTAS COTAÇÃO RÁPIDA GRÁFICO HISTÓRICO DE NEGOCIAÇÃO NEGÓCIOS POR CORRETORA LIVRO DE OFERTAS COMPLETO LIVRO DE OFERTAS CONSOLIDADO LIVRO DE OFERTAS 8 RANKING DE ATIVOS RANKING DE

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA Núcleo de Educação a Distância UniEvangélica 2 ÍNDICE 1 Introdução à Informática... 3 1. O Computador... 3 Teclado... 3 Mouse... 5 Monitor...

Leia mais

Portal de Vendas Online

Portal de Vendas Online Portal de Vendas Online Manual do Representante Versão 1.0 Manual do Representante 2 Sumário Introdução ao Portal da Dorma... 3 Fluxo de Vendas... 3 Fluxo de Cadastro ou Alteração de Cliente... 4 Orientações

Leia mais

Guia de instalação e utilização Help&Go. Guia de instalação e utilização Help&Go

Guia de instalação e utilização Help&Go. Guia de instalação e utilização Help&Go Guia de instalação e utilização Help&Go Guia de instalação e utilização Help&Go Versão 2.0 / Agosto 2012 Índice Sobre este documento... 3 Sobre o Produto... 3 Objetivo... 3 Download do Help&Go... 4 Instalação

Leia mais

Freedom Software. Sistema de Representação. Freedom Software Sistema de Representação Página 1

Freedom Software. Sistema de Representação. Freedom Software Sistema de Representação Página 1 Freedom Software Sistema de Representação Freedom Software Sistema de Representação Página 1 FREEVENDMOBILE (Sistema de Vendas Mó vel) Sumário INSTALAÇÃO:... 3 O SISTEMA... 7 MENU E BARRAS DO SISTEMA...

Leia mais

Atualização, backup e recuperação de software

Atualização, backup e recuperação de software Atualização, backup e recuperação de software Guia do usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada nos Estados Unidos da Microsoft Corporation. As informações

Leia mais

BR DOT COM SISPON: MANUAL DO USUÁRIO

BR DOT COM SISPON: MANUAL DO USUÁRIO BR DOT COM SISPON: MANUAL DO USUÁRIO BAURU 2015 2 BR DOT COM SISPON: MANUAL DO USUÁRIO Manual do usuário apresentado para auxiliar no uso do sistema SisPon. BAURU 2015 3 SUMÁRIO 1 Instalação... 5 1.1 Sispon...

Leia mais

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal.

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal. MANUAL DO SISCOOP Sumário 1 Menu de Navegação... 3 2 Gerenciar País... 5 3- Gerenciamento de Registro... 8 3.1 Adicionar um registro... 8 3.2 Editar um registro... 10 3.3 Excluir um registro... 11 3.4

Leia mais

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário CADERNO DE INFORMÁTICA FACITA Faculdade de Itápolis Aplicativos Editores de Texto WORD 2007/2010 Sumário Editor de texto... 3 Iniciando Microsoft Word... 4 Fichários:... 4 Atalhos... 5 Área de Trabalho:

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE. Versão: 01.08

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE. Versão: 01.08 MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE Versão: 01.08 Índice Instalação do Sistema...03 Tela inicial do Sistema...10 Módulos...11 Conteúdo do Menu Arquivo...11 Finalizar...11 Inclusão

Leia mais

AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS

AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas SISTEMA AGHOS Versão 01.2011 ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 1. O SISTEMA...4 1.1 Acesso ao Sistema AGHOS:...4 1.2 Teclas de funções do Sistema:...5 1.3

Leia mais

Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro

Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro Painel de recebíveis e Painel de linhas de crédito Versão 1.0 1 As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis

Leia mais

AULA 2 Planos, Vistas e Temas

AULA 2 Planos, Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos, Vistas e Temas Essa aula apresenta os conceitos de Plano de Informação, Vista e Tema e suas manipulações no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1. Abra o

Leia mais

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Balanço Energético Nacional 2012 Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Fevereiro de 2012 Apresentação O Balanço Energético Nacional BEN é o documento tradicional do setor energético brasileiro,

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO DA WEBCAM HD DA HP

GUIA DO USUÁRIO DA WEBCAM HD DA HP GUIA DO USUÁRIO DA WEBCAM HD DA HP Copyright 2012 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft, Windows e Windows Vista são marcas comerciais da Microsoft Corporation registradas nos Estados Unidos.

Leia mais

Monitor de Comercialização - Proponente MT-212-00056-2

Monitor de Comercialização - Proponente MT-212-00056-2 Monitor de Comercialização - Proponente MT-212-00056-2 Última Atualização: 08/01/2015 Índice I Como acessar um Leilão II Informações básicas III Anexos IV Painel de Lances V Envio de Lances VI Prorrogação

Leia mais

Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client?

Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client? Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client? Assim que abrir o DVR Client, no canto superior direito há um grupo de opções denominado Login, preencha de acordo

Leia mais

Manual do Cliente. Alu Tracker Monitoramento Veicular

Manual do Cliente. Alu Tracker Monitoramento Veicular Alu Tracker Monitoramento Veicular Manual do cliente Manual do Cliente Alu Tracker Monitoramento Veicular Introdução Este manual faz parte do contrato de prestação de serviços. Obrigado por escolher a

Leia mais