ANTI D IgM +IgG Monoclonal (Humano)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANTI D IgM +IgG Monoclonal (Humano)"

Transcrição

1 ANTI D IgM +IgG Monoclonal (Humano) PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. Reagente para classificação do fator Rh PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO Somente para Uso Diagnóstico IN VITRO Conservar entre: 2-8 C Não congelar Conservante: Azida de Sódio 0,1% Responsável Técnico: Janaína Martins CRF:

2 O SISTEMA Rh O sistema Rh, inclui mais de 40 diferentes antígenos. O antígeno D (Rho) descoberto em 1939 é o mais importante de todos e por ser altamente imunogênico, estimula a produção de anticorpos Anti-D em até 75% dos indivíduos D negativos expostos a sangue D positivo. A produção de anticorpos Anti-D por um indivíduo pode acarretar sérias reações hemolíticas transfusionais e a Doença Hemolítica do Recém-Nascido. Na seleção rotineira de sangue para transfusão deve-se sempre pesquisar a presença do antígeno D e de suas variantes Du que embora fracamente reativas podem apresentar características imunogênicas. PRINCÍPIO BIOLÓGICO DO TESTE Os anticorpos monoclonais IgM presentes no reagente causam aglutinação direta macroscópica das hemácias portadoras do antígeno D e da grande maioria de suas variantes (chamadas genericamente de Du). As formas mais fracas das variantes D são detectadas pelos anticorpos IgG do reagente, quando se leva o teste até a fase de Antiglobulina Humana. O resultado positivo obtido com o uso do reagente Anti-D, seja pelo teste em lâmina, em tubo ou técnica para pesquisa de Du é validado pela realização de um controle negativo do teste, onde adiciona-se 1 (uma) gota do reagente Controle Rh no lugar do reagente Anti-D. O reagente Controle Rh Prothemo possui formulação idêntica à do reagente Anti-D exceto no que se refere à presença do anticorpo, possibilitando a detecção de reações falsopositivas causadas por rouleaux, aglutininas frias ou autoanticorpos. DESCRIÇÃO DO PRODUTO O reagente é preparado utilizando-se anticorpos monoclonais de origem humana reativos em lâmina e tubo, fornecendo um teste específico para a identificação do antígeno D e de suas variantes nas hemácias humanas. O diluente dos reagentes contém: Cloreto de Sódio, Albumina Bovina, Tampão Fosfato, Potencializadores e Azida de Sódio a 0,1%. Os reagentes foram otimizados para serem usados como fornecidos sem adições ou diluições.

3 O produto é fornecido em frascos de 10 ml, acompanhados de conta-gotas. Cada gota equivale a 50 μl. ANTI-D IgM +IgG MONOCLONAL PROTHEMO Código Embalagem ml x 10 ml MATERIAIS NECESSÁRIOS NÃO FORNECIDOS Teste em Lâmina: lâminas de vidro, pipetas Pasteur e solução salina à 0,9%. Teste em Tubo: tubos de vidro (10 x 75 mm ou 12 x 75 mm), pipetas Pasteur, Banho-Maria a 37 C, centrífuga e solução salina a 0,9%. Outros: Controle Rh PROTHEMO e Soro Anti-IgG PROTHEMO. ARMAZENAMENTO E PRECAUÇÕES Conservar em geladeira entre 2 e 8 C. Não congelar ou expor o produto a temperaturas elevadas. Não utilizar após o vencimento. Não utilizar o produto se observar nítida turvação, o que pode indicar contaminação bacteriana ou deterioração do produto. Evitar a contaminação do reagente. Não reutilizar os frascos vazios. SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO. Os materiais de origem biológica devem ser considerados como se fossem potencialmente infectantes. Devem ser estabelecidos métodos adequados para o manuseio e descarte equivalentes aos utilizados para as amostras de sangue. O não seguimento das instruções de uso pode resultar em diminuição da performance ótima do produto. COLETA DA AMOSTRA O sangue deve ser coletado por procedimento asséptico aprovado, com ou sem adição de anticoagulante. As hemácias obtidas de coágulo podem ser tipadas em até 5 dias após a sangria. As amostras coletadas em EDTA ou Heparina devem ser tipadas em até 48 horas. Se a demora para execução do

4 teste for inevitável, hemácias de sangue coagulado e as colhidas em EDTA ou Heparina devem ser separadas do soro/plasma, lavadas e ressuspendidas em solução preservativa de glóbulos e estocadas a 2-8 C por no máximo 20 dias. O sangue coletado em anticoagulante ACD, CPD e CPDA-l pode ser tipado até a data de expiração, se armazenado entre 2 e 8 C. O armazenamento prolongado de hemácias antes da execução do teste pode causar deterioração de antígenos e resultar em reações mais fracas. PROCEDIMENTO DO TESTE Teste em Lâmina: 1. Preparar uma suspensão a 40% das hemácias a serem tipadas no próprio soro, plasma ou solução salina à 0,9%. 2. Colocar em uma lâmina uma gota do reagente Anti-D IgM + IgG Prothemo. Em uma segunda lâmina colocar uma gota do Controle Rh Prothemo. O emprego de aglutinoscópio, embora não obrigatório, facilita a observação de reações fracas pelo efeito de iluminação e contraste. O aquecimento excessivo da lâmina pode ser evitado ligando-se o aparelho apenas ao efetuar a leitura (20 a 35 C). 3. A cada uma das lâminas adicionar 2 gotas da suspensão de glóbulos. 4. Misturar a suspensão com o reagente em uma área de 2 x 3 cm. 5. Promover a mistura através de movimentos oscilantes da lâmina e observar a presença ou não de aglutinação macroscópica. Não observar a lâmina por mais de 2 minutos. Não interpretar secagem periférica como aglutinação. 6. Se o resultado do teste for negativo (ou duvidoso), executar os procedimentos descritos para o teste em tubo. Teste em Tubo: 1. Preparar uma suspensão a 5% das hemácias a serem tipadas em solução salina à 0,9%. 2. Colocar uma gota do reagente Anti-D IgM + IgG Prothemo em um tubo devidamente identificado. Em um segundo tubo (controle negativo), colocar uma gota do Controle Rh Prothemo. 3. A cada tubo acrescentar uma gota da suspensão de glóbulos. Misturar bem o conteúdo.

5 4. Centrifugar* os tubos. 5. Ressuspender delicadamente o botão de hemácias e observar a presença ou não de aglutinação. Anotar o resultado. Se o teste for negativo ou duvidoso: 6. Incubar os tubos em Banho-Maria a 37 C por 15 a 30 minutos. 7. Repetir os passos 4 e Caso a leitura permaneça negativa, proceder a pesquisa para D fraco. Técnica para pesquisa das formas fracas do antígeno D (Du) 9. Lavar imediatamente as hemácias com resultado negativo (ou duvidoso) por 3 vezes com solução salina à 0,9%. Remover completamente a solução salina à 0,9% após a última lavagem. 10. A cada tubo adicionar 2 gotas do Soro Anti-IgG Prothemo. Misturar bem. 11. Centrifugar* os tubos. 12. Ressuspender delicadamente o botão de hemácias e observar a presença ou não de aglutinação. *Centrifugação sugerida: 15 segundos a r.p.m. A força centrífuga aplicada deve ser a mínima necessária para se obter um sobrenadante claro e um botão nitidamente delineado que possa ser ressuspendido facilmente. As centrífugas devem ser calibradas individualmente para se obter o tempo e velocidade ótimos de centrifugação. INTERPRETAÇÃO DO RESULTADO POSITIVO: Excluindo-se as limitações do teste, a aglutinação dos glóbulos pelo reagente indica a presença do antígeno D. NEGATIVO: Excluindo-se as limitações do teste, a ausência de aglutinação no teste indica a ausência do antígeno correspondente.

6 Controle Rh Teste em lâmina/ tubo + Pesquisa do antígeno D fraco Não Testado Fator Rh Positivo Negativo 0 + Positivo Controle Rh 0 Teste prejudicado. 0 Negativo Positivo Resolver utilizando hemácias lavadas, Teste de Coombs Direto, Soro Anti-D Salino, etc... LIMITACÕES DO TESTE As hemácias com teste de antiglobulina direto positivo terão a pesquisa das formas fracas do antígeno D prejudicada. Tratandose de sangue de doador, o mesmo não deverá ser utilizado para fins transfusionais. Resultado falso-positivo pode ocorrer em hemácias com teste de antiglobulina direto positivo ou decorrente de rouleaux, autoanticorpos e aglutininas frias. Resultado falso-negativo ou reações fracas podem ocorrer com glóbulos submetidos à estocagem prolongada ou condições impróprias. As variáveis relativas ao procedimento técnico, tais como técnica, suspensões muito concentradas ou diluídas, centrifugação ou incubação inadequada, solução salina à 0,9% contaminada ou vidraria suja podem causar falsas reações positivas ou negativas. O reagente foi otimizado para as técnicas descritas. Outros procedimentos devem ser validados pelo usuário. CONTROLES 1. A reação positiva obtida com o reagente Anti-D só é válida quando a reação com o Controle Rh é negativa. O uso rotineiro de hemácias lavadas reduz a incidência de reações falso-positivas. 2. É importante que a reatividade e especificidade do reagente seja confirmada a cada dia de uso utilizando-se um controle positivo (células Ror ou R1r) e um controle negativo (células rr).

7 DESEMPENHO Cada lote produzido é analisado segundo os métodos adotados pelo FDA, assegurando potência, especificidade, reatividade e avidez iguais ou superiores aos Padrões de Referência Internacionais. O reagente Anti-D IgM + IgG Prothemo aglutina especificamente hemácias humanas portadoras do antígeno D. A especificidade do produto é determinada através da inclusão de um painel de hemácias, representando os antígenos com freqüência igual ou superior a 1% na população. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. Walker Rh, ed. Technical Manual. 11th Edition. Bethesda: AABB, Race R. R. and Sanger R. Blood Groups in Man, 6th Edition Oxford Blackwell Scientific Publishers, Mollison P. L. Blood Transfusion in Clinical Medicine. 7th Edition. Oxford: Blackwell Scientific, Guidelines for the Blood Transfusion Service H.M.S.O. GARANTIA Este produto é garantido por Prothemo Produtos Hemoterápicos Ltda. durante o prazo de validade indicado no rótulo se conservado e utilizado segundo as instruções recomendadas. PROTHEMO PRODUTOS HEMOTERÁPICOS LTDA. C.N.P.J: / Rua Augusto Ferreira de Morais, Socorro CEP: São Paulo - SP - Brasil Atendimento ao Consumidor: Fone: (11) / Fax: (11) Data de edição: Nov/2009

ANTI-A ANTI-B ANTI-AB

ANTI-A ANTI-B ANTI-AB ANTI-A ANTI-B ANTI-AB Monoclonal Murino IgM PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. Reagentes para classificação do sistema sangüíneo ABO PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO Somente para Uso Diagnóstico IN VITRO

Leia mais

ANTI IgG (Soro de Coombs)

ANTI IgG (Soro de Coombs) ANTI IgG (Soro de Coombs) Soro Anti Gamaglobulinas Humanas PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre: 2º e 8ºC Não congelar

Leia mais

ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO. Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO

ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO. Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre: 2º e 8ºC Não congelar Conservante: Azida de Sódio 0,1 % Responsável

Leia mais

ANTI HUMANO. Anti IgG Anti C 3 d Poliespecífico

ANTI HUMANO. Anti IgG Anti C 3 d Poliespecífico ANTI HUMANO Anti IgG Anti C 3 d Poliespecífico PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre: 2º e 8ºC Não congelar Conservante:

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema Elaboradora TESTE DE ANTIGLOBULINA E SUA APLICAÇÃO EM LABORATÓRIOS Margarida de Oliveira Pinho, Bióloga, Responsável pelo Setor de Imunohematologia e Coordenação da equipe técnica do Serviço de Hemoterapia

Leia mais

ANTI CDE (Anti Rho, rh e rh ) (Humano)

ANTI CDE (Anti Rho, rh e rh ) (Humano) ANTI CDE (Anti Rho, rh e rh ) (Humano) PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. REAGENTE para classificação do fator Rh PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre:

Leia mais

GRUPO SANGUÍNEO e FATOR RH, RH e GRUPO. Mnemônico: GSF

GRUPO SANGUÍNEO e FATOR RH, RH e GRUPO. Mnemônico: GSF POP n.º: B93 Página 1 de 7 1. Sinonímia: GRUPO SANGUÍNEO e FATOR RH, RH e GRUPO. Mnemônico: GSF 2. Aplicabilidade: Bioquímicos do setor de bioquímica do LAC-HNSC. 3. Aplicação clínica: Determinação do

Leia mais

ScanGel ABO Complete/RH/K Duo 86719 2 x 24 cards 86709 2 x 144 cards Cards ScanGel ABO Complete/RH1 Duo e ScanGel Monoclonal RH/K Phenotypes Duo

ScanGel ABO Complete/RH/K Duo 86719 2 x 24 cards 86709 2 x 144 cards Cards ScanGel ABO Complete/RH1 Duo e ScanGel Monoclonal RH/K Phenotypes Duo ScanGel ABO Complete/RH/K Duo 86719 2 x 24 cards 86709 2 x 144 cards Cards ScanGel ABO Complete/RH1 Duo e ScanGel Monoclonal RH/K Phenotypes Duo GEL FORMULADO COM REAGENTES MONOCLONAIS DE ORIGEM MURINA

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL FÊMINA LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA TIPAGEM ABO/Rh EM GEL CENTRIFUGAÇÃO

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL FÊMINA LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA TIPAGEM ABO/Rh EM GEL CENTRIFUGAÇÃO 1. Sinonímia: POP n.º: B21 Página 1 de 12 GRUPO SANGÜÍNEO e FATOR RH, RH e GRUPO. Mnemônico: AB 2. Aplicabilidade: Bioquímicos do setor de bioquímica do LAC-HF. 3. Aplicação clínica: Determinação do grupo

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS POP n.º: I 29 Página 1 de 5 1. Sinonímia Pesquisa de anticorpos frios. 2. Aplicabilidade Bioquímicos e auxiliares de laboratório do setor de Imunologia. 3. Aplicação clínica As Crioaglutininas são anticorpos

Leia mais

HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO DE REAGENTES VISÃO DO CLIENTE

HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO DE REAGENTES VISÃO DO CLIENTE HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO DE REAGENTES VISÃO DO CLIENTE Rodrigo Spessotto Morais Toledo Qual a importância do controle da qualidade dos reagentes imunohematológicos? O

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema Elaboradora Texto Introdutório TESTES IMUNO-HEMATOLÓGICOS E TRANSFUSÃO EM ANEMIA HEMOLÍTICA AUTO-IMUNE A FRIO Margarida de Oliveira Pinho. Bióloga, Responsável pelo Laboratório de Imunohematologia

Leia mais

Testes pré-transfusionais. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br

Testes pré-transfusionais. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Testes pré-transfusionais Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Imunohematologia Antígenos eritrocitários Importância do estudo dos antígenos Incompatibilidades transfusionais

Leia mais

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia.

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. POP n.º: I70 Página 1 de 5 1. Sinonímia Teste rápido Anti-, VIKIA Biomeriéux. 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. 3. Aplicação

Leia mais

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia.

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia. POP-I 67 Página 1 de 5 1. Sinonímia Teste rápido Anti-½ - OraQuick ADVANCE 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia. 3. Aplicação clínica O ensaio

Leia mais

A finalidade do referido método é determinar a classificação sanguínea do paciente quanto aos sistemas ABO e Rh.

A finalidade do referido método é determinar a classificação sanguínea do paciente quanto aos sistemas ABO e Rh. 1/7 1. INTRODUÇÃO / FINALIDADE DO MÉTODO A finalidade do referido método é determinar a classificação sanguínea do paciente quanto aos sistemas ABO e Rh. 2. NOME DO TESTE E SINONÍMIAS Grupo Sanguíneo,

Leia mais

ScanGel ScanBrom 86445 12 ml

ScanGel ScanBrom 86445 12 ml ScanGel ScanBrom 86445 12 ml BROMELINA PARA TESTE DE COMPATIBILIDADE IVD Todos os produtos fabricados e comercializados pela empresa Bio-Rad são submetidos a um sistema de garantia de qualidade, desde

Leia mais

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO V AGÊNCIA TRANSFUSIONAL, TERAPIA TRANSFUSIONAL E OUTROS PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO V AGÊNCIA TRANSFUSIONAL, TERAPIA TRANSFUSIONAL E OUTROS PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS MÓDULO V AGÊNCIA TRANSFUSIONAL, TERAPIA TRANSFUSIONAL E OUTROS PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS Nome do responsável: Formação profissional: Registro no conselho de classe: Contato: 1. Atividades avaliadas Nível

Leia mais

FENOTIPAGENS ABO e RhD

FENOTIPAGENS ABO e RhD FENOTIPAGENS ABO e RhD DISCREPÂNCIAS Maria do Carmo Valgueiro Costa de Oliveira FUNDAÇÃO HEMOPE Substância precursora GLc GAL GLcNAc GAL Gene H 2α-L-fucosil-transferase Fuc Antígeno H GLc GAL GLcNAc GAL

Leia mais

Texto: Discrepâncias na fenotipagem ABO AUTORAS Ana Lúcia Girello Telma Ingrid Borges de Bellis Kühn

Texto: Discrepâncias na fenotipagem ABO AUTORAS Ana Lúcia Girello Telma Ingrid Borges de Bellis Kühn Texto: Discrepâncias na fenotipagem ABO AUTORAS Ana Lúcia Girello Telma Ingrid Borges de Bellis Kühn 1 Discrepâncias na fenotipagem ABO Introdução Quando realizamos a fenotipagem ABO dos indivíduos utilizamos

Leia mais

TÉCNICA EM LABORATÓRIO/HEMOTERAPIA

TÉCNICA EM LABORATÓRIO/HEMOTERAPIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO TÉCNICA EM LABORATÓRIO/HEMOTERAPIA Parte I: Múltipla Escolha 01 Quanto à classificação do grupo

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS 1. Sinonímia VIDAS DUO 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos do setor de imunologia. 3. Aplicação clínica POP n.º: I 56 Página 1 de 7 O vírus da imunodeficiência humana () é um retrovírus RNA, transmitido

Leia mais

Anti HBc Ref. 414. Controle Negativo

Anti HBc Ref. 414. Controle Negativo Anti HBc Ref. 414 Sistema para a determinação qualitativa de anticorpos totais contra o antígeno core do vírus da hepatite B (anti-hbc) em soro ou plasma. ELISA - Competição PREPARO DA SOLUÇÃO DE LAVAGEM

Leia mais

1. INTRODUÇÃO / FINALIDADE DO MÉTODO

1. INTRODUÇÃO / FINALIDADE DO MÉTODO 1/6 1. INTRODUÇÃO / FINALIDADE DO MÉTODO A sífilis é uma doença venérea causada pelo Treponema pallidum, que possui a capacidade de invadir as mucosas inatas ou a pele em áreas de abrasão. O contato sexual

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PADRÃO SETOR DE IMUNOHEMATOLOGIA

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PADRÃO SETOR DE IMUNOHEMATOLOGIA PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PADRÃO NO SETOR DE IMUNOHEMATOLOGIA Versão: 05 Código: ImunoHem 07 paginação: 1 de 21 Elaborado: Hildenete Monteiro Fortes Assinatura: Data da Elaboração: 08.06.2004 Aprovado

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA POP n.º: B111 Página 1 de 8 1. Sinonímina: Eletroforese de Hemoglobina em ph ácido. 2. Aplicabilidade: Bioquímicos do setor de Bioquímica do LAC-HNSC. 3. Aplicação Clínica: A eletroforese de hemoglobina

Leia mais

INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014

INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014 INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014 Imuno-Hematologia Conceito: é o estudo relacionado com imunologia de grupos sanguíneos presentes nas hemácias, e imunologia de plaquetas e leucócitos. É

Leia mais

Elaborado por: Karina Salvador Revisado por: Hilda Helena Wolff Aprovado por: Andréa Cauduro

Elaborado por: Karina Salvador Revisado por: Hilda Helena Wolff Aprovado por: Andréa Cauduro ANTI- 1 Manual CAMBRIDGE BIOTECH -1 POP: BM 05 Página 1 de 7 1. Sinonímia ANTI, TESTE CONFIRMATÓRIO. 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos e técnicos do setor de imunologia. 3. Aplicação clínica Os testes

Leia mais

Etapa complementar para o diagnóstico da infecção pelo HIV princípios metodológicos

Etapa complementar para o diagnóstico da infecção pelo HIV princípios metodológicos Aula 11 Etapa complementar para o diagnóstico da infecção pelo HIV princípios metodológicos As amostras com resultados reagentes, na etapa de triagem, devem ser submetidas à etapa complementar. Nessa etapa,

Leia mais

* Verificar item 9 Preparo dos Reagentes e item 8 - Reagentes e Equipamentos necessários, mas não fornecidos.

* Verificar item 9 Preparo dos Reagentes e item 8 - Reagentes e Equipamentos necessários, mas não fornecidos. KIT DE EXTRAÇÃO MINI VAC AUTOMAÇÃO DE 96 AMOSTRAS Instruções de Uso 1. USO PRETENDIDO O BIOPUR Kit de Extração Mini VAC Automação 96 Amostras é a ferramenta ideal para extração automática rápida e confiável

Leia mais

Determinação quantitativa in vitro da atividade catalítica da CKMB em soro e plasma humano.

Determinação quantitativa in vitro da atividade catalítica da CKMB em soro e plasma humano. POP n.º: B07 Página 1 de 5 1. Sinonímia: CKMB, MB. Mnemônico: MB 2. Aplicabilidade: Bioquímicos do setor de bioquímica do LAC-HNSC. 3. Aplicação clínica: Determinação quantitativa in vitro da atividade

Leia mais

ÁREA/ESPECIALIDADE: TÉCNICO EM LABORATÓRIO / HEMOTERAPIA

ÁREA/ESPECIALIDADE: TÉCNICO EM LABORATÓRIO / HEMOTERAPIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO ÁREA/ESPECIALIDADE: TÉCNICO EM LABORATÓRIO / HEMOTERAPIA 258

Leia mais

Para utilizar na preparação e isolamento de linfócitos purificados directamente a partir de sangue total FOLHETO INFORMATIVO

Para utilizar na preparação e isolamento de linfócitos purificados directamente a partir de sangue total FOLHETO INFORMATIVO Para utilizar na preparação e isolamento de linfócitos purificados directamente a partir de sangue total FOLHETO INFORMATIVO Para Utilizar no Diagnóstico In Vitro PI-TT.610-PT-V5 Informação sobre o produto

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Imuno-Hematologia

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Imuno-Hematologia MINISTÉRIO DA SAÚDE Imuno-Hematologia L A B O R AT O R I A L Brasília DF 2014 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência Imuno Hematologia l a b

Leia mais

DUTOS E CHAMINÉS DE FONTES ESTACIONÁRIAS DETERMINAÇÃO DE DIÓXIDO DE ENXOFRE. Método de ensaio

DUTOS E CHAMINÉS DE FONTES ESTACIONÁRIAS DETERMINAÇÃO DE DIÓXIDO DE ENXOFRE. Método de ensaio CETESB DUTOS E CHAMINÉS DE FONTES ESTACIONÁRIAS DETERMINAÇÃO DE DIÓXIDO DE ENXOFRE Método de ensaio L9.226 MAR/92 SUMÁRIO Pág. 1 Objetivo...1 2 Documentos complementares...1 3 Aparelhagem...1 4 Execução

Leia mais

Instruções de Uso. ImmunoComb CANINE EHRLICHIA. N Cat. do Produto: 50CEH201/50CEH210 USO VETERINÁRIO - PRODUTO IMPORTADO

Instruções de Uso. ImmunoComb CANINE EHRLICHIA. N Cat. do Produto: 50CEH201/50CEH210 USO VETERINÁRIO - PRODUTO IMPORTADO Instruções de Uso ImmunoComb CANINE EHRLICHIA Kit para a detecção de anticorpos IgG de Ehrlichia canis N Cat. do Produto: 50CEH201/50CEH210 USO VETERINÁRIO - PRODUTO IMPORTADO Instruction Cat. No: 63CEH511

Leia mais

Imunocromatografia e Dot-ELISA. Andréa Calado

Imunocromatografia e Dot-ELISA. Andréa Calado Imunocromatografia e Dot-ELISA Andréa Calado IMUNOCROMATOGRAFIA A imunocromatografia é uma técnica que começou a ser desenvolvida nos anos 60, sendo primeiro criada para o estudo das proteínas séricas;

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PREPARAO DE HEMOCOMPONENTES ESPECIAIS

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PREPARAO DE HEMOCOMPONENTES ESPECIAIS PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PREPARAO DE HEMOCOMPONENTES ESPECIAIS Versão atual: 05 Código: PHEsp-03 Paginação: 1 de 11 Elaborado: Hildenete Monteiro Fortes Assinatura: Data da Elaboração: 05/06/04

Leia mais

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO IV PROCESSAMENTO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO IV PROCESSAMENTO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO MÓDULO IV PROCESSAMENTO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO PROCESSAMENTO Nome do responsável: Formação profissional: Registro no conselho de classe: Contato: 1. Recursos Humanos Nível Sim Não NA 1.1. RH qualificado/capacitado

Leia mais

Quantikine IVD ELISA. Human Epo Protocolo do imunoensaio Quantikine IVD. Número de catálogo DEP00

Quantikine IVD ELISA. Human Epo Protocolo do imunoensaio Quantikine IVD. Número de catálogo DEP00 Quantikine IVD ELISA Human Epo Protocolo do imunoensaio Quantikine IVD Número de catálogo DEP00 Este suplemento contém o protocolo do ensaio e deve ser lido na íntegra antes da utilização deste produto.

Leia mais

Bioquímicos e auxiliares de laboratório do setor de hematologia do LAC-HNSC, bem como equipe médica do Serviço de Hematologia do HNSC.

Bioquímicos e auxiliares de laboratório do setor de hematologia do LAC-HNSC, bem como equipe médica do Serviço de Hematologia do HNSC. POP: H-20 Página 1 de 6 1. Sinonímia: Reação de Perls. Mnemônico: PFE 2. Aplicabilidade: Bioquímicos e auxiliares de laboratório do setor de hematologia do LAC-HNSC, bem como equipe médica do Serviço de

Leia mais

Ensaio LIFECODES QuikScreen

Ensaio LIFECODES QuikScreen INSTRUÇÕES DE USO Ensaio LIFECODES QuikScreen REF QS12G IVD SUMÁRIO UTILIZAÇÃO... 2 SUMÁRIO E EXPLICAÇÃO... 2 PRINCÍPIO... 2 REAGENTES... 2 PRECAUÇÕES... 3 ATENÇÃO... 3 COLHEITA DA AMOSTRA... 3 PROCEDIMENTO...

Leia mais

Ensaio LIFECODES Quik-ID Class I

Ensaio LIFECODES Quik-ID Class I INSTRUÇÕES DE USO Ensaio LIFECODES Quik-ID Class I REF QID IVD SUMÁRIO UTILIZAÇÃO... 2 SUMÁRIO E EXPLICAÇÃO... 2 PRINCÍPIO DO PROCEDIMENTO... 2 REAGENTES... 2 PRECAUÇÕES... 3 ATENÇÃO... 3 COLHEITA E ARMAZENAMENTO

Leia mais

TOXOPLASMOSE CONGÊNITA

TOXOPLASMOSE CONGÊNITA FLUXO DE ENCAMINHAMENTO SOLICITAR: exames de rotina (TOXOPLASMOSE, VDRL, HIV e FEZES) PREENCHER: Questionário epidemiológico (orientar sobre as medidas de prevenção da toxoplasmose), assinar o Termo de

Leia mais

OraQuick ADVANCE HIV-1/2 Teste Rápido para a Detecção de Anticorpos HIV-1/2. Plasma. Amostras HIV-1. Amostras HIV-1. Amostras

OraQuick ADVANCE HIV-1/2 Teste Rápido para a Detecção de Anticorpos HIV-1/2. Plasma. Amostras HIV-1. Amostras HIV-1. Amostras Dispositivo Médico para Diagnóstico In vitro Nome Mandatário Fabricante Distribuidor Tipo de Teste Teste rápido. OraQuick ADVANCE /2 Teste Rápido para a Detecção de Anticorpos /2 Aplicação Diagnóstica

Leia mais

NORMAS PARA CREDENCIAMENTO E MONITORAMENTO DE LABORATORIOS DE DIAGNÓSTICO DE ANEMIA INFECCIOSA EQÜINA

NORMAS PARA CREDENCIAMENTO E MONITORAMENTO DE LABORATORIOS DE DIAGNÓSTICO DE ANEMIA INFECCIOSA EQÜINA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 84, DE 19 DE OUTUBRO DE 1992. O SECRETÁRIO NACIONAL DE DEFESA AGROPECUÁRIA, no uso da atribuição

Leia mais

ANEXO I REGRAS PARA COLETA, ACONDICIONAMENTO, PRESERVAÇÃO E ENCAMINHAMENTO DE MATERIAIS BIOLÓGICOS PARA ANÁLISE BIOLÓGICA.

ANEXO I REGRAS PARA COLETA, ACONDICIONAMENTO, PRESERVAÇÃO E ENCAMINHAMENTO DE MATERIAIS BIOLÓGICOS PARA ANÁLISE BIOLÓGICA. Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão Instituto Geral de Perícias Instituto de Análises Laboratoriais Laboratório de Genética Forense ANEXO I REGRAS PARA

Leia mais

METODO PARA A DETERMINACAO DE ÓXIDOS DE NITROGENIO EM CHAMINE

METODO PARA A DETERMINACAO DE ÓXIDOS DE NITROGENIO EM CHAMINE ENERGÉTICA IND.E COM. LTDA. Rua Gravataí, 99 Rocha CEP 0975-030 Rio de Janeiro RJ CNPJ 9.341.583/0001-04 IE 8.846.190 Fone: (0xx1) 501-1998; Fax: (0xx1) 41-1354 www.energetica.ind.br METODO PARA A DETERMINACAO

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NAS PROVAS PRÉ - TRANSFUSIONAIS

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NAS PROVAS PRÉ - TRANSFUSIONAIS PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NAS PROVAS PRÉ - TRANSFUSIONAIS Versão atual: 06 Código: PPT 6 paginação: 1 de 39 Elaborado: Hildenete Monteiro Fortes Assinatura: Data da Elaboração: 02.02.2003 Aprovado

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO SOLICITAÇÃO DE TRANSFUSÃO: ROTINA E EMERGÊNCIA

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO SOLICITAÇÃO DE TRANSFUSÃO: ROTINA E EMERGÊNCIA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO SOLICITAÇÃO DE TRANSFUSÃO: ROTINA E EMERGÊNCIA Versão: 06 Código: STROEM 02 Paginação: 1 de 36 Elaborado: Hildenete Monteiro Fortes Assinatura: Aprovado e liberado por:

Leia mais

DENGUE IgG/IgM. Imuno-Rápido. WAMA Diagnóstica. CÓD. 626025-R: 25 determinações. 40 determinações

DENGUE IgG/IgM. Imuno-Rápido. WAMA Diagnóstica. CÓD. 626025-R: 25 determinações. 40 determinações MS 10310030096 Imuno-Rápido DENGUE IgG/IgM CÓD. 626010-R: 10 determinações CÓD. 626020-R: 20 determinações CÓD. 626025-R: 25 determinações CÓD. 626040-R: 40 determinações WAMA Diagnóstica Rua Aldo Germano

Leia mais

Bioquímicos e auxiliares de laboratório do setor de hematologia do LAC-HNSC.

Bioquímicos e auxiliares de laboratório do setor de hematologia do LAC-HNSC. POP: P-09 Página 1 de 6 1. Sinonímia: Pesquisa de sangue oculto nas fezes. Mnemônico SOF. 2. Aplicabilidade: Bioquímicos e auxiliares de laboratório do setor de hematologia do LAC-HNSC. 3. Aplicação clínica:

Leia mais

SEGURANÇA E TÉCNICA DE LABORATÓRIO AULA 01: ORGANIZANDO O LABORATÓRIO TÓPICO 03: ORGANIZAÇÃO LABORATORIAL O laboratório, seja de uma indústria, de um centro de pesquisa ou de uma instituição de ensino

Leia mais

Vírus linfotrópico das células T humanas, anticorpos anti-htlv-i e anti-htlv-ii.

Vírus linfotrópico das células T humanas, anticorpos anti-htlv-i e anti-htlv-ii. POP n.º: I 111 Página 1 de 8 1. Sinonímia Vírus linfotrópico das células T humanas, anticorpos anti-htlv-i e anti-htlv-ii. 2. Aplicabilidade Bioquímicos do setor de Imunologia. 3. Aplicação clínica O ensaio

Leia mais

Procedimento Operacional

Procedimento Operacional Procedimento Operacional QUANTIFICAÇÃO DAS SUBPOPULAÇÕES LINFOCITÁRIAS CD4/CD8/CD3/CD45 PATRICIA VIANNA BONINI PALMA Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto Centro de Terapia Celular, CRH-HCFMRP-USP Objetivo

Leia mais

Publicações Resumidas CFE. L. º M. ART. 98, 3º em 05/08/2008 Publicado em: 06/agosto/2008

Publicações Resumidas CFE. L. º M. ART. 98, 3º em 05/08/2008 Publicado em: 06/agosto/2008 Publicações Resumidas CFE. L. º M. ART. 98, 3º em 05/08/2008 Publicado em: 06/agosto/2008 Contrato nº 114/08 Prorrogação ao contrato 255/08 para construção civil do Ginásio de Esportes da Escola Municipal

Leia mais

3M TM Petrifilm TM Placa para Contagem de Leveduras e Bolores. Guia de. Interpretação

3M TM Petrifilm TM Placa para Contagem de Leveduras e Bolores. Guia de. Interpretação 3M TM TM Placa para Contagem de Leveduras e Bolores Guia de Interpretação 3M TM TM Placa para Contagem de Leveduras e Bolores Este guia apresenta resultados das placas 3M para Contagem de Leveduras e Bolores.

Leia mais

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PREPARO DE TRANSFUSÕES E LIBERAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES PARA TRANSFUSÃO

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PREPARO DE TRANSFUSÕES E LIBERAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES PARA TRANSFUSÃO Pagina 1 de 30 1. OBJETIVO Assegurar o procedimento de liberação e transfusão sangüínea. 2. APLICAÇÃO Receptores (Pacientes). 3. RESPONSABILIDADES Médicos Supervisora Técnica Coordenador de Imunohematologia

Leia mais

109 FOOD IGG MEDITERRANEAN

109 FOOD IGG MEDITERRANEAN Pagina 1 of 14 1. Identificação do Produto / Reagente e da empresa Nome Comercial do Produto: - MICROPLACA Fabricante: Genesis Diagnostics Ltd. Henry Crabb Road, Littleport, Cambridgeshire, CB6 1SE UK.

Leia mais

Curso Básico de Inspeção em Boas Práticas do Ciclo do Sangue Agência Transfusional

Curso Básico de Inspeção em Boas Práticas do Ciclo do Sangue Agência Transfusional Curso Básico de Inspeção em Boas Práticas do Ciclo do Sangue Gerência de Sangue, outros Tecidos, Células e Órgãos/GSTCO/GGPBS/Anvisa Christiane da Silva Costa Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária

Leia mais

Excipientes: albumina humana, cloreto de sódio, cloridrato de arginina, citrato de sódio.

Excipientes: albumina humana, cloreto de sódio, cloridrato de arginina, citrato de sódio. Haemocomplettan P fibrinogênio APRESENTAÇÃO Haemocomplettan P 1g: embalagem contendo 1 frasco-ampola com 1 g de pó liofilizado para solução injetável e infusão. VIA INTRAVENOSA USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO CARTUCHO-BULA. CLEARLENS SOLUÇÃO CONSERVADORA Solução Conservadora para Lentes de Contato

INSTRUÇÕES DE USO CARTUCHO-BULA. CLEARLENS SOLUÇÃO CONSERVADORA Solução Conservadora para Lentes de Contato INSTRUÇÕES DE USO CARTUCHO-BULA CLEARLENS SOLUÇÃO CONSERVADORA DESCRIÇÃO: CLEARLENS Solução Conservadora tem ação de desinfetar e conservar as lentes de contato sem irritar os olhos. Elimina microorganismos

Leia mais

SOP.BIO.001 PROCESSAMENTO DE SANGUE TOTAL PROCESSAMENTO DE SANGUE TOTAL

SOP.BIO.001 PROCESSAMENTO DE SANGUE TOTAL PROCESSAMENTO DE SANGUE TOTAL PROCESSAMENTO DE SANGUE PROCESSAMENTO DE SANGUE Responsável(is): -Joana Batuca ELABORADO: -Joana Batuca APROVADO: Sérgio Dias 16-05-2014 Pag. 1/5 PROCESSAMENTO DE SANGUE ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. INFORMAÇÃO

Leia mais

5 Preparação da suspensão de linfócitos:

5 Preparação da suspensão de linfócitos: 1 Introdução: Tabuleiros de classificação de HLA Instruções de utilização Para ser utilizado em procedimentos de diagnóstico in vitro Os tabuleiros de classificação de HLA da Invitrogen são produzidos

Leia mais

PROKITCHEN DETERGENTE DESINCRUSTANTE ALCALINO - LIMPA COIFA

PROKITCHEN DETERGENTE DESINCRUSTANTE ALCALINO - LIMPA COIFA PROKITCHEN DETERGENTE DESINCRUSTANTE ALCALINO - LIMPA COIFA 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1- FABRICANTE: Audax Química Ind. e Comércio de Produtos para Higiene e Limpeza Ltda. Rua José Ferragut

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS POP n.º: I 22 Página 1 de 5 1. Sinonímia Beta 2 Microglobulina, b2m 2. Aplicabilidade Aos técnicos e bioquímicos do setor de imunologia 3. Aplicação clínica A beta-2-microglobulina é uma proteína presente

Leia mais

Dengue NS1 Antígeno: Uma Nova Abordagem Diagnóstica

Dengue NS1 Antígeno: Uma Nova Abordagem Diagnóstica Dengue NS1 Antígeno: Uma Nova Abordagem Diagnóstica Dengue é uma doença endêmica que afeta mais de 100 países, incluindo as regiões de clima tropical e subtropical da África, Américas, Leste do Mediterrâneo,

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 02/02/2014

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 02/02/2014 Questão 1 Conhecimentos Específicos Técnico de Laboratório / Área: Química Que massa de sulfato de cobre pentahidratado é necessária para se preparar 500 ml de uma solução 1,0 x 10-2 mol L -1 de cobre?

Leia mais

ENSAIO DE ENDOTOXINAS BACTERIANAS

ENSAIO DE ENDOTOXINAS BACTERIANAS ENSAIO DE ENDOTOXINAS BACTERIANAS O ensaio de endotoxinas bacterianas (EEB) é um ensaio para detectar ou quantificar endotoxinas de bactérias gram negativas usando um lisado de amebócitos de caranguejo

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO CARTUCHO-BULA. CLEARLENS SOLUÇÃO MULTIUSO Solução Multiuso para Lentes de Contato

INSTRUÇÕES DE USO CARTUCHO-BULA. CLEARLENS SOLUÇÃO MULTIUSO Solução Multiuso para Lentes de Contato INSTRUÇÕES DE USO CARTUCHO-BULA CLEARLENS SOLUÇÃO MULTIUSO DESCRIÇÃO: CLEARLENS Solução Multiuso tem ação de limpar, desinfetar, enxaguar, lubrificar e conservar as lentes de contato sem irritar os olhos.

Leia mais

HAV Ab. do ensaio. O teste é realizado por etapas, movendo-se o Pente de fileira a fileira com incubação em cada etapa.

HAV Ab. do ensaio. O teste é realizado por etapas, movendo-se o Pente de fileira a fileira com incubação em cada etapa. HAV Ab P do ensaio. O teste é realizado por etapas, movendo-se o Pente de fileira a fileira com incubação em cada etapa. Antes de iniciar o teste, as amostras de soro ou plasma são prédiluídas a 1:50 e

Leia mais

Determinação de cloretos em produtos de origem animal por argentometria

Determinação de cloretos em produtos de origem animal por argentometria Página 1 de 9 1 Escopo Este método tem por objetivo determinar o teor de cloretos ou cloretos em NaCl de produtos de origem animal. 2 Fundamentos O ensaio fundamenta-se na reação do nitrato de prata com

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: CORANTE CARAMELO CER Página: (1 of 8) ATENçÃO: Leia atentamente esta Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico (FISPQ) antes

Leia mais

HemoCue. Fotômetro Plasma/Low Hb. Manual de Operação

HemoCue. Fotômetro Plasma/Low Hb. Manual de Operação HemoCue Fotômetro Plasma/Low Hb Manual de Operação 1 ATENÇÃO Este Manual contém informações básicas quanto à operação e manutenção do Fotômetro Plasma/Low Hb HemoCue. A eficácia do aparelho é assegurada

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2001 e 91/155 EC

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2001 e 91/155 EC Pág.1/4 1 Identificação do produto e da empresa Produto Fabricante JohnsonDiversey Brasil Ltda. Rua Nossa Senhora do Socorro, 125 Socorro São Paulo SP CEP 04764-020 Tel. 0XX11 5681-1300 / Fax 0XX11 5523-1923

Leia mais

Pesquisa de Fosfatase Alcalina em Leite Fluido por Colorimetria

Pesquisa de Fosfatase Alcalina em Leite Fluido por Colorimetria 1 Escopo MAPA/SDA/CGAL Página 1 de 5 Este método tem como objetivo descrever os procedimentos para o ensaio Pesquisa de Fosfatase Alcalina em Leite Fluido por Colorimetria. 2 Fundamentos O principal objetivo

Leia mais

Sífilis ELISA recombinante v.4.0

Sífilis ELISA recombinante v.4.0 C Sífilis ELISA recombinante v.4.0 Ensaio imunoenzimático (ELISA) para a detecção de anticorpos anti-treponema pallidum SIGNIFICADO CLÍNICO A sífilis é uma doença venérea causada pelo Treponema pallidum,

Leia mais

HEMATOLOGIA AUTOMAÇÃO

HEMATOLOGIA AUTOMAÇÃO CONTROLE INTERNO PARA HEMATOLOGIA AUTOMAÇÃO Lote Validade HHI 242 (Hemato III) 15 de Outubro de 2008 Volume 2,0 ml Temperatura 2 a 8 C (não congelar) ANVISA/REBLAS ANALI-036 CNPJ 29.511.607/0001-18 Rua

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO Determinação de Amido e Carboidratos Totais em Produtos de Origem Animal por Espectrofotometria UV/Vis

INSTRUÇÃO DE TRABALHO Determinação de Amido e Carboidratos Totais em Produtos de Origem Animal por Espectrofotometria UV/Vis Página: 1 de 5 Nome Função Assinatura Data Elaboração: Camila Cheker Brandão RQ Substituta Análise crítica: Rosana Aparecida de Freitas RQ Aprovação: Zelita de Oliveira Lopes Brasil RT 1. Objetivo Descrever

Leia mais

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem O Vírus da Hepatite C (HCV) é considerado o principal agente etiológico responsável por 90 a 95% dos casos de hepatite pós-transfusional não A e não

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Alburex 20 albumina humana

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Alburex 20 albumina humana IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Alburex 20 albumina humana APRESENTAÇÃO Alburex 20: embalagem contendo 1 frasco-ampola com 50 ml de solução hiperoncótica de albumina humana para infusão (20%). VIA INTRAVENOSA

Leia mais

FAMÍLIA HLA SOROLÓGICO DE CLASSE I

FAMÍLIA HLA SOROLÓGICO DE CLASSE I FAMÍLIA HLA SOROLÓGICO DE CLASSE I Instruções de Uso APRESENTAÇÃO E COMPOSIÇÃO DA FAMÍLIA Código LMB2701 LMB2703 LM 172 LM144 A LM144 B CABC5 CABC-50 CABC-1D AHG1 ATSG ATSM ATSMX AMSM AGSM ALSG ALSM NS

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código interno: 7500 (12 X 500 ml) Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 0800 014 8110 Aplicação: detergente para pré-lavagens.

Leia mais

CONTROLE DE COPIA: PT-LB-IM-006 DENGUE IGG E IGM 22/10/2015

CONTROLE DE COPIA: PT-LB-IM-006 DENGUE IGG E IGM 22/10/2015 1/5 1. INTRODUÇÃO / FINALIDADE DO MÉTODO A Dengue é uma arbovirose causada por um Flavivirus, pertencente à família Flaviviridae, e transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, apresentando quatro sorotipos

Leia mais

Prático Soft Care Saboex é dosado através da saboneteira exclusiva softcare, o que proporciona maior praticidade no manuseio.

Prático Soft Care Saboex é dosado através da saboneteira exclusiva softcare, o que proporciona maior praticidade no manuseio. JohnsonDiversey Soft Care Saboex Sabonete líquido dermo suave Eficiente Seu uso constante propicia a redução do número de microrganismos da flora bacteriana da pele. Possui efeito residual Contém triclosan

Leia mais

Abbott Laboratórios do Brasil Ltda Rua Michigan 735, Brooklin São Paulo - SP CEP: 04566-905

Abbott Laboratórios do Brasil Ltda Rua Michigan 735, Brooklin São Paulo - SP CEP: 04566-905 MODELO DE BULA PARA O PACIENTE SYNAGIS palivizumabe I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES Pó liófilo injetável de: - 100 mg em embalagem com 01 frasco-ampola para dose única contendo palivizumabe

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA DE PRODUTO LP(A) 21 FS CATÁLOGO 1 7139

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA DE PRODUTO LP(A) 21 FS CATÁLOGO 1 7139 1 Identificação do Produto / Reagente e da Empresa DETALHES DO PRODUTO Nome comercial: R1 Aplicação da substância / preparação: Química de Laboratório Diagnóstico in vitro Fabricante / Identificação do

Leia mais

MACE 1 (Modified Antigen Capture ELISA)

MACE 1 (Modified Antigen Capture ELISA) MACE 1 (Modified Antigen Capture ELISA) UTILIZAÇÃO MACE 1 é um imunoensaio enzimático de fase sólida (ELISA) qualitativo concebido para detectar anticorpos IgG para antigénios HLA classe I e para epitopos

Leia mais

Manual de Métodos de Análises de Bebidas e Vinagres

Manual de Métodos de Análises de Bebidas e Vinagres 1. MÉTODO Titulométrico (Método Eynon Lane) 2. PRINCÍPIO Os açúcares redutores reagem com os íons cúpricos da solução de Fehling, reduzindo-se a íons cuprosos, sob a ação do calor em meio alcalino. Ao

Leia mais

Produto para proteger e dar brilho em superfícies de plástico e borrachas

Produto para proteger e dar brilho em superfícies de plástico e borrachas JohnsonDiversey Solubex 20 Produto para proteger e dar brilho em superfícies de plástico e borrachas Não deixa resíduos nem mela os pneus A formulação balanceada de Solubex 20 permite a aplicação do produto

Leia mais

GUIA DE COLETA DE AMOSTRAS

GUIA DE COLETA DE AMOSTRAS Diretrizes para coleta da amostra As análises laboratoriais e seus resultados dependem da coleta adequada da amostra, como também, do armazenamento e transporte apropriados até o laboratório. A equipe

Leia mais