GNT 1268/01 MANUAL DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA EMPRESAS GUERRA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GNT 1268/01 MANUAL DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA EMPRESAS GUERRA"

Transcrição

1 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA EMPRESAS GUERRA

2 Página 2 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO OBJETIVO VALORES DAS EMPRESAS GUERRA NEGÓCIO MISSÃO SELEÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO FORNECEDOR E PRESTADOR DE SERVIÇOS REQUISITOS DE QUALIDADE DE FORNECIMENTO ALTERAÇÕES DE PRODUTOS E PROCESSOS APROVADOS OU DESVIO DE MATERIAL NÃO CONFORME AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DO DESEMPENHO DO FORNECEDOR CÁLCULO DO IQF ÍNDICE DE QUALIDADE DO FORNECEDOR ÍNDICE DO SISTEMA DE QUALIDADE - ISQ MEMÓRIA PARA DETERMINAÇÃO DO CONCEITO DO IQR ÍNDICE DE PERFORMANCE DE ENTREGA IPE RESULTADO DO IQF REUNIÕES DE IQG ÍNDICE DE QUALIDADE GUERRA QUALIDADE ASSEGURADA QA SISTEMÁTICA DE SELEÇÃO, DESENVOLVIMENTO, AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE FORNECEDORES INSPEÇÃO DE RECEBIMENTO AÇÃO CORRETIVA VERIFICAÇÃO DA EFICÁCIA DAS AÇÕES CORRETIVAS AUDITORIA DE FORNECEDOR COMUNICAÇÃO COM FORNECEDORES CURSOS RECOMENDADOS HISTÓRICO DAS REVISÕES ANEXOS... 15

3 Página 3 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 1. INTRODUÇÃO ESCOPO O conteúdo deste contempla os pré-requisitos obrigatórios para fornecedores de materiais e serviços qualificados para as empresas GUERRA. As empresas GUERRA buscam produzir e comercializar produtos e serviços para o transporte, com qualidade e inovação contínuas, ratificam seu compromisso com a qualidade, em conformidade aos requisitos da norma ISO 9001:2008. Alinhados ao seu Negócio, Missão e Valores, as empresas GUERRA esperam que os materiais e serviços recebidos de seus fornecedores, agreguem valor aos seus produtos, e para tal reconhece o papel importante desempenhado por fornecedores que sejam inovadores e confiáveis. 2. OBJETIVO Este tem por objetivo demonstrar os requisitos da GUERRA para as empresas que lhe fornecem produtos e serviços. As empresas GUERRA requerem que seus fornecedores de materiais produtivos, montagem, tratamento térmico, solda, pintura ou outros serviços de acabamento superficial, aplicados ao produto final, busquem a adequação e/ou conformidade à norma NBR ISO 9001:2008. Os laboratórios dos fornecedores de serviços de inspeção, teste e calibração (laboratórios externos) devem atender aos requisitos da NBR ISO/IEC 17025:2005 ou equivalente, incluindo o uso de um escopo de laboratório. Todos os fornecedores devem ter conhecimento das legislações aplicáveis à sua empresa/ramo de atividades e atendê-las de forma satisfatória. O fornecedor deve manter a Licença de Funcionamento/Operação, atualizada e controlada. 3. VALORES DAS EMPRESAS GUERRA Clientes como sustentação do negócio Lucro para perpetuação da empresa Ética e transparência nas relações Ser humano valorizado e desenvolvido Qualidade e melhoria contínua Inovação antecipando as soluções Sustentabilidade com ações responsáveis 4. NEGÓCIO Soluções para movimentação e transporte.

4 Página 4 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 5. MISSÃO Oferecer soluções para movimentação e transporte, com geração de valor para todos os envolvidos no negócio. 6. SELEÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO FORNECEDOR E PRESTADOR DE SERVIÇOS As empresas GUERRA interagem com seus fornecedores e prestadores de serviços conforme as metodologias mencionadas abaixo. Para maiores informações procure seu contato na área de Compras ou Engenharia da Qualidade de Fornecedores. Auto-Avaliação; Avaliações de caráter técnico, nos sistemas de gestão e garantia da qualidade através de visitas técnicas e auditorias; Reuniões técnicas e administrativas, onde são discutidas e analisadas as especificações do produto, do processo e do negócio envolvido; Visitas dos fornecedores às instalações das empresas GUERRA, apresentando a aplicação de seus produtos e possibilidades de melhorias; Oportunidade de participação em equipes multidisciplinares de novos projetos; Suporte na utilização das ferramentas da qualidade. O detalhamento da Sistemática de Seleção, Desenvolvimento, Avaliação e Monitoramento de Fornecedores são apresentados no item 14 deste Manual. 6.1 AMOSTRAS INICIAIS Sempre que for solicitada amostra para o fornecedor, o comprador deve encaminhar a Ordem de Compra acompanhada da Solicitação de Amostra GGQ 0499, anexo 1. As amostras iniciais devem estar acompanhadas dos documentos exigidos pelo GGQ 0499, nos padrões GUERRA ou do próprio fornecedor, quando apropriado. As amostras devem ser acondicionadas em embalagens adequadas e identificadas conforme etiqueta de Identificação de Amostra a ser destacada do GGQ 0499, anexo 1. Caso o fornecedor não tenha atingido o valor mínimo de 50 para o Índice de Auto-Avaliação, resultante do preenchimento dos questionários de Auto-Avaliação, o mesmo não pode enviar amostra para desenvolvimento sem a autorização dos departamentos de Engenharia da Qualidade de Fornecedores e Compras. 6.2 LOTE PILOTO Após a aprovação das amostras iniciais pela Engenharia da Qualidade de Fornecedores, a área de Compras poderá solicitar um lote piloto, o qual deve ser avaliado a conformidade do item em desenvolvimento, bem como a identificação, entrega e embalagem.

5 Página 5 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 6.3 TESTE DE CAMPO Em caso específico, pode ser desenvolvido teste de campo por períodos pré-determinados em função da aplicação do item em desenvolvimento. O teste tem por objetivo determinar a performance do componente nas diversas formas de aplicação. 6.4 GARANTIA O fornecedor é responsável pelo bom desempenho dos bens e serviços fornecidos, e eventuais solicitações de garantia abertas dos componentes que fornece, da entrega ao término do período de garantia do produto no cliente final, serão de sua responsabilidade quando devidamente evidenciado. O fornecedor tem um prazo máximo de 20 dias da emissão da nota fiscal ou do envio do relatório de garantia do fornecedor (RGF) para retorno dos laudos de análise de garantia. Caso este prazo não seja cumprido, será considerada procedente a garantia, será cobrado o ressarcimento dos valores de garantia ao fornecedor. O ressarcimento referente à garantia concedida deverá compreender o valor das peças e demais valores gastos com a garantia (ex.: mão de obra, frete, etc.). O ressarcimento acontecerá através de desconto em duplicata aberta ou através de nota de débito. Caso não seja caracterizada como defeito de fabricação, o fornecedor deverá devolver as peças devidamente identificadas com o número do relatório de garantia do fornecedor (RGF) e a nota fiscal de envio. Em alguns casos, a Guerra poderá autorizar o sucateamento do material, desde que previamente autorizado pelo setor de Pós Vendas. Quando aceito o relatório de garantia ou quando autorizado o sucateamento, deverá ser feito o retorno da nota fiscal eletrônica para a finalização da operação fiscal. Obs.: O fornecedor deve avaliar a necessidade da contratação de um seguro, para eventuais coberturas de custos de garantia. 7. REQUISITOS DE QUALIDADE DE FORNECIMENTO A GUERRA possui requisitos que devem ser atendidos pelos seus fornecedores, quais sejam: a) Análise Crítica de Contrato (Ordem de compra): o fornecedor deve analisar criticamente todos os requisitos da ordem de compra antes da aceitação do pedido (especificações, prazo de entrega, quantidade, horário de recebimento, etc.). Qualquer divergência deve ser comunicada e acordada com a área de Compras. b) Embalagem: é de responsabilidade do fornecedor o desenvolvimento de embalagens, em conjunto com as empresas GUERRA, que garantam a integridade do produto fornecido, facilitando o manuseio e estocagem. É aconselhável o uso de materiais retornáveis e recicláveis. As embalagens retornáveis de fornecedor devem ser identificadas permanentemente, constando sempre o nome do fornecedor. c) Transporte: os documentos de compra definem qual a modalidade de frete a ser utilizado e a transportadora indicada.

6 Página 6 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA d) Entrega: os fornecedores devem entregar todos os produtos dentro dos prazos estabelecidos nos Documentos de Compra. A meta de atendimento ao prazo de entrega é de 100% na data estabelecida em ordem de compra. e) Certificações: Certificados de Sistema de Qualidade e/ou Meio Ambiente e suas atualizações devem ser enviados para as empresas GUERRA através do endereço eletrônico f) Identificação: É imprescindível para o processo de recebimento e acompanhamento de todos os materiais, a correta identificação do item com o código das empresas GUERRA (na parte externa da embalagem e marcada na própria peça quando especificado em desenho), nome do fornecedor e quantidade de peças fornecidas. Mediante acordo prévio as informações abaixo podem ser requeridas: Data de fabricação; Data de expedição; Ordem de produção, serviço, fabricação ou manufatura; Número de peças produzidas por ordem de produção, serviço, fabricação ou manufatura; Código ou número de rastreabilidade do lote produzido por ordem; Resultado de inspeção final ou de liberação. OBS.: Qualquer dificuldade no atendimento aos requisitos ou modificações nos processos aprovados pela GUERRA deve ser comunicada antecipadamente e quando cabível, uma solicitação de desvio deve ser solicitada para aprovação. Pode ser utilizado para solicitação de desvio o formulário do fornecedor ou modelo GGQ 0516, anexo ALTERAÇÕES DE PRODUTOS E PROCESSOS APROVADOS OU DESVIO DE MATERIAL NÃO CONFORME É política das empresas GUERRA não aceitar produtos que não atendam os requisitos do desenho e especificações técnicas aplicáveis. As solicitações de alterações de produto e/ou processo devem ser encaminhadas ao responsável pela Engenharia da Qualidade de Fornecedores. As alterações ou aceites somente poderão ser implementadas após aprovação por escrito da Engenharia do Produto da GUERRA. Qualquer solicitação deve ser acompanhada por uma explicação detalhada da causa raiz da NÃO CONFORMIDADE, das medidas tomadas para eliminar essa causa, para evitar a reincidência, e da data de disponibilidade de produtos conformes, juntamente com uma confirmação de sua rastreabilidade e forma de identificação. Instruções específicas podem ser obtidas com o responsável pela Engenharia da Qualidade de Fornecedores 9. AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DO DESEMPENHO DO FORNECEDOR O acompanhamento e monitoramento de fornecedores é realizado através do IQF ÍNDICE DE QUALIDADE DO FORNECEDOR, o qual classifica os fornecedores em quatro níveis distintos: Classe A, B, C e D.

7 Página 7 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 9.1 CLASSIFICAÇÃO DO FORNECEDOR O fornecedor é classificado mensalmente no IQF alcançado: 90,35 IQF 100 Fornecedor Classe A; (prioridade em novos desenvolvimentos) 80 IQF< 90,35 Fornecedor Classe B, ainda requer acompanhamento dos lotes e/ou Ações Corretivas; (recomendado em novos desenvolvimentos) 60 IQF < 80 Fornecedor Classe C, mantém-se o fornecedor e faz-se o acompanhamento dos lotes e/ou Ações Corretivas; (não recomendado em novos desenvolvimentos) IQF < 60 Fornecedor Classe D; (recomenda-se desenvolver novo fornecedor) NOTA 1: A classificação acima é válida desde que seja alcançada no mínimo a seguinte pontuação para cada indicador abaixo citado. ISQ = 70 IQR = 99,7 ISC = 95 IPE = 80 NOTA 2: Caso o fornecedor alcance um valor alto de IQF, porém não satisfaça ao valor mínimo para cada um dos indicadores ISQ, IQR, ISC, IPE citados na Nota 1, o fornecedor deve enviar a empresa GUERRA S.A através do um plano de ação no item que estiver abaixo da pontuação mínima. 10. CÁLCULO DO IQF ÍNDICE DE QUALIDADE DO FORNECEDOR IQF = (ISQ x 0.1) + (IQR x 0.5) + (ISC x 0.1) + (IPE x 0.3) Sendo: ISQ = Índice do Sistema de Qualidade IQR = Índice de Qualidade no Recebimento ISC = Índice do Sistema de Compras IPE = Índice de Performance de Entrega 11. ÍNDICE DO SISTEMA DE QUALIDADE - ISQ Peso = 10 ISQ = (IAA x 0.5) + (IED x 0.5) Sendo: IAA Índice de Auto-Avaliação (nota máxima 100) IED Índice de Entrega de Documentos (nota máxima 100)

8 Página 8 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 11.1 ÍNDICE DE AUTO-AVALIAÇÃO - IAA O fornecedor responde o questionário de auto-avaliação através do formulário GGQ 0670 (anexo 5) e encaminha ao setor de Compras. NOTA 3: Após o resultado do IAA do fornecedor, o mesmo permanece com esse índice até que este solicite um novo IAA ao Inspetor da Qualidade ou Comprador. Esta solicitação do fornecedor pode ser feita quando o mesmo alterar o sistema de qualidade ou implantar uma ferramenta nova de Gestão. NOTA 4: Caso a GUERRA julgar necessário, o IAA é realizado in loco pela Engenharia da Qualidade de Fornecedores e/ou Departamento de Compras nas instalações do fornecedor por meio de Auditoria. NOTA 5: Caso o IAA < 70, o fornecedor deve enviar ao responsável da Engenharia da Qualidade de Fornecedores, um Plano de Ação para melhoria do seu Sistema da Qualidade. Poderá ser utilizado formulário do próprio fornecedor ou o formulário GGQ 0005 Relatório de Não Conformidade Fornecedor, anexo ÍNDICE DE ENTREGA DE DOCUMENTOS - IED A Engenharia da Qualidade de Fornecedores avalia o comprometimento do fornecedor, relacionado com a entrega de documentos através do preenchimento do questionário abaixo: Quando solicitado, o fornecedor responde no prazo os Relatórios de Não-Conformidade Fornecedores GGQ 0005? Quando solicitado o fornecedor entrega os certificados/laudos acompanhados dos lotes fornecidos? As amostras, quando enviadas, estão acompanhadas da ficha de identificação GGQ 0499? As amostras enviadas estão acompanhadas da documentação conforme exigido no GGQ 0499? Quando da existência de produtos fora das especificações o fornecedor envia solicitação de desvio? Esta avaliação deve ser realizada a cada 6 meses. Sempre que necessário, poderá ser reduzido o intervalo de tempo entre as avaliações. NOTA 6: Caso o IED seja menor que 70, o fornecedor deve enviar a Engenharia da Qualidade de Fornecedores um Plano de Ação para melhoria do respectivo índice de entrega de documentos ÍNDICE DE QUALIDADE NO RECEBIMENTO - IQR Peso = 50 O índice de qualidade no recebimento IQR é determinado através do resultado da inspeção de recebimento realizada pelos inspetores de qualidade que registram no sistema as não-conformidades existentes. O sistema informatizado calcula o IQR da seguinte forma: Total de Peças Aprovadas IQR = X 100 Total de Peças Fornecidas

9 Página 9 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA NOTA 7: Caso o IQR do mês for menor que 99,7 (IQR < 99,7) ou existir tendência negativa do IQR em 03 meses consecutivos, o fornecedor deve enviar a Engenharia da Qualidade de Fornecedores um Plano de Ação para Melhoria da Qualidade Técnica do produto fornecido. Caso o Plano de Ação para Melhoria não demonstre ser eficaz, a Engenharia da Qualidade poderá autorizar o cancelamento do fornecimento. NOTA 8: Peças liberadas condicionalmente com desvio de engenharia no recebimento ou retrabalhadas internamente, para efeito de pontuação serão consideradas como peças não conformes. 12. MEMÓRIA PARA DETERMINAÇÃO DO CONCEITO DO IQR a) Cpk = 1,0 probabilidade até 0,3% de defeituosos: 0,3% = 0,3 defeituosos em 100 peças = 3 defeituosos em peças = PPM. (partes por milhão) IQR= 99,7 100 x 100 = 99,7 Então IQR para 3% de defeituosos = 99, ÍNDICE DO SISTEMA DE COMPRAS - ISC Peso = 10 O Departamento de Compras e Logística avaliam o relacionamento comercial através do preenchimento do questionário abaixo. Esta avaliação deve ser realizada a cada seis meses. Sempre que necessário, poderá ser reduzido o intervalo de tempo entre as avaliações. O fornecedor é flexível na negociação comercial? O fornecedor possui descontos progressivos de acordo com a quantidade adquirida? O reajuste de preços é feito a partir de planilha de custos aberta/transparente? As notas fiscais emitidas pelo fornecedor estão de acordo com a ordem de compra? O fornecedor possui flexibilidade nas quantidades a serem programadas? O fornecedor mantém um estoque intermediário para atender as necessidades à pronta entrega/extra? O fornecedor tem as empresas GUERRA como um cliente preferencial? O fornecedor proporciona diversos canais de comunicação com a fábrica? O fornecedor atende ao lead-time acordado entre as empresas? A embalagem preserva a integridade do material? O fornecedor cumpre com o prometido em relação aos embarques?

10 Página 10 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA NOTA 9: Caso o ISC seja menor que 95, o fornecedor deve enviar ao Comprador através do um Plano de Ação para melhoria do respectivo índice do sistema de compras. 13. ÍNDICE DE PERFORMANCE DE ENTREGA IPE Peso = 30 Pontuação é atribuída conforme o desempenho na entrega dos itens dentro do mês, esta avaliação é realizada no momento da entrada da nota, confrontando a data de faturamento especificada na ordem de compra em relação à data de emissão da nota fiscal do fornecedor. IPE = Nr. Lotes de Entradas Nota Lote 1 Nota Lote 2 Nota Lote n... Entrada da NF com Entregas Realizadas Pontuação Obtida POR ENTRADA No prazo ou até dois dias de antecedência 100 Entre três e cinco dias de antecedência 75 Acima de cinco dias de antecedência ou até 3 dias de atraso 30 Atraso superior a três dias 10 NOTA 10: Os fornecedores que possuem o sistema de entregas continuadas (ordens de compra abertas, Kanban, JIT), serão avaliados conforme abaixo: Produto em linha = 100 pontos; Parada de linha por falta de componentes = 10 pontos. NOTA 11: Caso o IPE seja menor que 80, o fornecedor deve enviar a Engenharia da Qualidade um Plano de Ação para melhoria do respectivo Índice de Performance de Entrega. NOTA 12: Fica subentendido que somente será considerada a pontuação plena para lotes completos conforme programado pela Guerra. Lotes fracionados entregues, que não tenham sido solicitados pela Guerra serão considerados como não entregues. 14. RESULTADO DO IQF Semestralmente será encaminhado por o resultado do IQF aos fornecedores que constam na Relação de Fornecedores Avaliados pelo IQF e que tiveram fornecimento neste período. Caso o fornecedor não alcance pontuação mínima no ISQ, IQR, ISC e IPE, este deve enviar para as empresas GUERRA através do um Plano de Ação para Melhorias, priorizando ações corretivas nos itens que estão ocasionando baixa pontuação. As empresas GUERRA poderão solicitar uma auditoria de processo e/ou Sistema da Qualidade junto ao fornecedor, resultando em novos valores do IAA. As empresas GUERRA poderão decidir pela suspensão de fornecimento, para fornecedores não aprovados no atendimento dos requisitos deste Manual.

11 Página 11 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 15. REUNIÕES DE IQG ÍNDICE DE QUALIDADE GUERRA Fornecedores que não atenderem às expectativas de desempenho das Empresas Guerra podem ser convidados a participar de uma reunião de IQG (Índice de Qualidade Guerra). Os critérios nos quais um fornecedor poderá ser solicitado a participar de uma reunião de IQG incluem: Desempenho de performance da Qualidade (Rejeições); Desempenho de Entrega; Análise de resposta a Não-Conformidades; Desempenho na solução de problemas; Inconsistência nos laudos enviados; Desempenho em Auditorias das Empresas Guerra; Índice de Qualidade do Fornecedor - IQF. Nesta reunião, o fornecedor deverá apresentar as ações que venham solucionar o assunto abordado. O resultado esperado de uma reunião de IQG é a concordância mútua em relação a um plano de ação com objetivos e metas robustas, no qual o fornecedor é monitorado até o encerramento do assunto. A necessidade de submissão às reuniões de IQG é analisada criticamente pelas áreas de Engenharia da Qualidade e Compras. 16. QUALIDADE ASSEGURADA QA O fornecedor recebe a classificação de Qualidade Assegurada no item fornecido quando o mesmo estiver com o IQF entre 90,35 a 100, bem como os índices ISQ >= 70, IQR >= 99,7, ISC >= 95 e IPE >=80, e o item fornecido passar pelas inspeções de recebimento determinadas no skip lote. O mesmo perde esta condição sempre que for identificada uma não conformidade na inspeção de recebimento ou no processo produtivo Skip Lote para Qualidade Assegurada: 10 entradas consecutivas 05 entradas intercaladas (inspeciona uma entrada e outra não) 05 entradas intercaladas (inspeciona uma entrada e duas não) A condição do fornecedor com a Qualidade Assegurada implicará num tratamento diferenciado dos produtos e/ou serviços fornecidos para as empresas GUERRA. Esses itens serão destinados diretamente ao processo, sem inspeção de recebimento. Salientamos que todo o ônus oriundo de qualquer problema nos fornecimentos que vier a causar parada de produção, processo e ou reclamação do cliente, será repassado ao fornecedor, desde que comprovado, conforme sistemática prevista nesse manual.

12 Página 12 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 17. SISTEMÁTICA DE SELEÇÃO, DESENVOLVIMENTO, AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE FORNECEDORES. INÍCIO Comprador apresenta oportunidades / necessidades de desenvolvimento no Sourcing Committee Comitê aprova a proposta? SIM Comprador emite ECR - Solicitação de Alteração de Engenharia SELEÇÃO Fase 1 NÃO FIM MONITORAMENTO Fase 2 NÃO É novo fornecedor? SIM ANÁLISE CRÍTICA Fase 3 Comprador solicita o preenchimento do questionário Índice de Auto-Avaliação e solicita certificado da qualidade Reunião interna com Departamento de Compras e Qualidade Continuar desenvolvimento/ fornecimento? NÃO IQF >=70%? SIM NÃO SIM Compras e qualidade verificam: IAA maior que 70%? NÃO Plano de ação FIM Fase 3 SIM Cadastrar fornecedor no sistema GUERRA Fase 2 SIM Plano de ação OK? NÃO Compras solicita Amostra com ordem de compra e GGQ 0499 Depende da fase em que se encontra o SIM desenvolvimento Fase 1 Necessita auditoria de processo? SIM NÃO Aprovar Amostra? NÃO Fase 3 SIM Realizar Auditoria conforme GGQ SIM SIM Comprador emite ECO - Ordem de Alteração de Engenharia Monitorar IQF >=70%? NÃO Fase 3 NÃO Auditoria OK SIM Fornecedor extrangeiro? SIM Solicita certificados conforme definido pela Engª da Qualidade Fornecedores Início de fornecimento Fase 3 Avaliar amostras NÃO

13 Página 13 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 18. INSPEÇÃO DE RECEBIMENTO A inspeção de recebimento tem por objetivo evidenciar a conformidade do item em análise frente as especificações, sendo realizada com base nos planos de amostragem e procedimentos para inspeção por atributos conforme NBR 5426, onde adotamos o nível geral de inspeção I e o plano de amostragem simples Normal. O nível de qualidade aceitável NQA adotado é igual a 0,010, onde não são admissíveis peças defeituosas AC= 0. Ao serem encontradas peças defeituosas considera-se o lote rejeitado Re= 1. Para tintas a inspeção de recebimento é realizada com tamanho de amostra fixa, aproximadamente 0,9 litros por lote fabricado. Os fornecedores de tintas não entrarão na sistemática de Qualidade Assegurada, sendo 100% de seus fornecimentos inspecionados. 19. AÇÃO CORRETIVA O fornecedor receberá o informe da ocorrência de não conformidade através do GGQ 0005 Relatório de Não Conformidade Fornecedor, o qual é utilizado para informar e monitorar as ações corretivas a serem implementadas pelo fornecedor. Ao receber este documento, o fornecedor deve analisá-lo e responder a ação de contenção no prazo de 24 horas e a ação corretiva no prazo de 30 dias. As ações corretivas serão geradas sempre que: Ocorrer um problema sistêmico cuja gravidade afete alguma característica de segurança, interface de montagem ou processo de fabricação interna; Ocorrer devoluções físicas ou retrabalho de materiais com defeito, que requeira tal tratamento; A eficiência do fornecedor no IQF e demais índices apresentarem resultados insatisfatórios; Ocorrer reincidência do problema 20. VERIFICAÇÃO DA EFICÁCIA DAS AÇÕES CORRETIVAS A verificação da eficácia é realizada através do acompanhamento do número mínimo de cinco lotes fornecidos consecutivamente ou pelo prazo mínimo de 60 dias. Essa avaliação refere-se à reincidência do problema relatado na respectiva ação corretiva. 21. AUDITORIA DE FORNECEDOR A auditoria de segunda parte tem por finalidade fazer uma avaliação do fornecedor sob os aspectos do Sistema de Gestão da qualidade e ou do processo de fabricação. O principal objetivo é evidenciar a conformidade do sistema de gestão da qualidade e dos processos de fabricação, sendo uma ferramenta de apoio para melhorar a qualidade dos produtos e serviços, podendo trazer benefícios para o fornecedor e, conseqüentemente, melhorar o relacionamento entre as partes. Poderá ser realizada auditoria no fornecedor nos seguintes casos: Quando os índices de qualidade do fornecedor apresentar valores abaixo do especificado; Quando não-conformidades relevantes forem detectadas em componentes ou matérias-primas;

14 Página 14 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA Para avaliação de novos fornecedores; Nota 12: Fornecedores prestadores de serviço sofrerão auditoria periodicamente, conforme cronograma previamente definido com o fornecedor. A auditoria será conduzida com base no formulário GGQ 0503 Auditoria em Fornecedores, anexo COMUNICAÇÃO COM FORNECEDORES A GUERRA estimula seus fornecedores a utilizarem os meios de comunicação eletrônicos para facilitar a troca de informações. Os meios utilizados atualmente são: / e contatos telefônicos; Avaliações e/ou auditorias em fornecedores; 23. CURSOS RECOMENDADOS Dentro do processo de Melhoria Contínua, sugerimos aos nossos fornecedores a busca de conhecimento nas fontes seguintes e sua implementação onde aplicável: ISO/TS (ISO Automotiva); Fundamentos e Ferramentas da Qualidade; TPM Manutenção Produtiva Total; 5 S s; Administração Financeira e Custos; Poka Yoke (à prova de erros); Mapeamento de Processos; FMEA de projeto e processo. CEP PPAP MASP / 8D 24. HISTÓRICO DAS REVISÕES REVISÃO DATA DESCRIÇÃO DAS ALTERAÇÕES 01 20/12/2010 Ajustes Gerais

15 Página 15 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 24. ANEXOS ANEXO 1 SOLICITAÇÃO DE AMOSTRA / REQUEST SAMPLE GGQ 0499 REV.01 Nome / Name: Fone / Phone: / DADOS DO SOLICITANTE / APPLICANT'S DATA Nível / Level: OBS.: Ensaios necessários / Tests Needed: Estudos Iniciais de Processo / Initial studies of process Pp/Ppk esperado / Pp/Ppk expected: Cp/Cpk esperado / Cp / Cpk expected: QUADRO DE REQUISITOS / TABLE OF REQUIREMENTS REQUISITO / REQUIREMENTS Certificado de Submissão de peça (PSW) / Certified of submission of piece (PSW) Registro de Projeto (desenho marcado) / Project register (market drawing) Documentos de Alteração de Engenharia / Engineering Change Documents Aprovação pela Engenharia de Cliente / Client Engineering Approval Diagrama do Fluxo do Processo / Process flow diagram FMEA de Projeto / Project FMEA FMEA de Processo / FMEA of process Plano de Controle / Control plan MSA Análise do Sistema de Medição / Analysis of the Measurement System Resultados Dimensionais / Dimensionals results Quantidade de Peças / quantity of parts: Resultado de Ensaios de Material / Desempenho / Result of Material Test / Performance Quantidade de Peças / quantity of parts: Documentação do Laboratório Qualificado / Documentation of qualified laboratory Relatório de Aprovação de Aparência - RAA / Report for Approval Appearance Amostra do Produto / Sample of product Quantidade de Amostras / quantity of Samples: Amostra Padrão / Standard Sample Quantidade de Amostras / quantity of Samples: Auxílio de Verificação / Aid Verification Registro de Conformidade com Requisitos Específicos do Cliente / Record of Compliance with Customer-Specific Requirements R S N/A Legenda / Legend: R = Reter / Retain S = Submeter / Submit N/A = Não Aplicável / Not applicable IDENTIFICAÇÃO DE AMOSTRA / IDENTIFICATION OF SAMPLES Código / PN: Quantidade / Quantity: Descrição / Description: Nº NF das Amostras / Invoice number: Comprador Guerra / Guerra's buyer: Fornecedor / Supplier: Responsável Fornecedor / Supplier responsible: Observação / observation: NOTAS / NOTES: 1) Todas as peças solicitadas, exceto normalizadas, devem estar acompanhadas dos documentos solicitados, no quadro de requisitos. / All the requested parts, except normalized, must be documents in the table of requirements sent along with showed. 2) Identificação deve ser rigorosamente preenchida com os dados que constam neste formulário. Deverá ser impressa uma identificação para cada embalagem a qual será enviada juntamente com a peça. / This label must be filled and attached in each package 3) Esta embalagem deve garantir e proteger a peça, impossibilitando qualquer dano ou avarias. The packing must secure and protect the part, protecting against damages. 4) É permitido que peças diferentes venham em um mesmo pallet, porém identificadas. Diferent parts can be sent in a same pallet, but it must be identificated.

16 Página 16 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA ANEXO 2 SOLICITANTE Nome do solicitante / APPLICANT NAME: Cargo / FUNCTION: Setor / SECTOR: Telefone / PHONE: Data / DATE: SOLICITAÇÃO DE DESVIO DE ENGENHARIA / REQUEST FOR ENGINEERING DEVIATION Nº GGQ 0516 Obs.: O solicitante deve enviar da solicitação para Engª Produto. / OBSERVATION: THE APPLICANT MUST SEND AN TO PRODUCT ENGINEERING. IDENTIFICAÇÃO DO COMPONENTE /PRODUTO NÃO CONFORME (Preenchimento pelo solicitante) / COMPONENT IDENTIFICATION / PRODUCT WITH NON COMPLIANCE (FILLING BY THE APPLICANT) Código da Peça / Produto / PARTS CODE / PRODUCT : Nº chassi / Pedido / CHASSI NUMBER / REQUEST: Denominação / NAME: Quantidade / QUANTITY: DESCRIÇÃO DA NÃO CONFORMIDADE (Preenchimento pelo solicitante) / DESCRIPTION ABOUT THE NON COMPLIANCE (FILLING BY THE APPLICANT) DESCRIÇÃO DA CAUSA FUNDAMENTAL (Preenchimento pelo solicitante) / DESCRIPTION ABOUT FUNDAMENTAL CAUSE (FILLING BY THE APPLICANT) CORREÇÃO / AÇÃO IMEDIATA / DISPOSIÇÃO (Preenchimento pela Engª Produto) / ADJUSTMENT / IMMEDIATE ACTION / DISPOSITION (FILLING BY PRODUCT ENGINEERING) Responsável / RESPONSIBLE: Prazo / TERM: AÇÃO CORRETIVA / AÇÃO PARA ELIMINAR A CAUSA FUNDAMENTAL / CORRECTIVE ACTION / ACTION TO ELIMINATE THE FUNDAMENTAL CAUSE Não Aplicável / NOT Ação Externa - Fornecedor / EXTERNAL Ação Interna / GGQ 0370 Nº / APPLICABLE ACTION - SUPPLIER INTERNAL ACTION Responsável / RESPONSIBLE: Prazo / DEADLINE:

17 Página 17 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA DECISÃO DA ENGª DO PRODUTO / DECISION FROM PRODUCT ENGINEERING Aprovado / APPROVED Descrição da aprovação condicional, validade/ DESCRIPTION OF CONDITIONAL APPROVAL, DEADLINE Aprovado Condicional/ CONDITIONALLY APPROVED Reprovado / DISAPPROVED Outros / OTHER RESPONSÁVEL ENGª PRODUTO / RESPONSIBLE BY PRODUCT ENGINEERING Nome / NAME: Assinatura / SIGNATURE: Data / DATE: 1ª Via para Engª Produto / Arquiva conforme GNT ª Via para Engª Qualidade / Anexar ao checklist do produto e/ou enviar ao fornecedor / FIRST COPY TO PRODUCT ENGINEERING / ARCHIVE AS GNT SECOND COPY TO QUALITY ENGINEERING / ATTACH TO PRODUCT CHECKLIST AND OR SEND TO THE SUPPLIER.

18 Página 18 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA ANEXO 3 FORNECEDOR: SUPPLIER ITEM: ITEM: ORIGEM: ORIGIN: LOTE OU CORRIDA: LOT: TIPO DE RELATÓRIO: REPORT TYPE: RELATÓRIO DE NÃO-CONFORMIDADE FORNECEDOR NON-COMPLIANCE / ALERT REPORT - SUPPLIER INSPETOR: INSPECTOR: QUANT. REJEITADA: QUANTITY REJECTED 1- DESCRIÇÃO DA NÃO-CONFORMIDADE / DESCRIPTION OF NON-COMPLIANCE GGQ 0005 Rev. 00 CONTATO: CONTACT: CÓDIGO: CODE: Nº RNCF / ano e Letra Inicial do nome do inspetor: RNCF / year and Initial letter of the name of the inpector: Devolver Material? RETURN THE MATERIAL? Peso Weigth DATA: DATE: Informações complementares sobre a não-conformidade / Complementary informations about non-compliance fone ramal 2) AÇÃO DE CONTENÇÃO / CONTAINMENT ACTION: AÇÃO DE CONTENÇÃO É APLICÁVEL? DISPOSIÇÃO: Provision: Estoque / Storage GUERRA Estoque Fornecedor / Supplier Storage Produção / Storage GUERRA Trânsito / Transit 3) EQUIPE DE TRABALHO / WORK TEAM: (Nome e Função ou Área / Name and Funcion or Area) LÍDER DA EQUIPE / TEAM LEADER:

19 Página 19 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 4) INVESTIGAÇÃO DA CAUSA / ROOT CAUSE: 5) AÇÃO CORRETIVA (Retornar em até 30 dias para a GUERRA) / CORRECTIVE ACTION: (Return in 30 days) O que / Como Fazer / What / How do? Quem / Who? Quando / When? Ponto de corte Cut-off point: 6) IMPACTO DA(S) AÇÃO(ÕES) CORRETIVA(S) / IMPACT OF CORRECTIVE ACTION: A ação corretiva abrange outros processos ou produtos similares? The corrective action includes other processes or products? SIM YES NÃO NO 7) FECHAMENTO DA(S) AÇÃO(ÕES) CORRETIVA(S) / CLOSING OF CORRECTIVE ACTION: Ação corretiva implantada no prazo / Corrective action implemented in time? SIM / YES NÃO / NO Nova Data / New Date Data do fechamento/ Date of closing: Ação(ões) Eficaz(es) / Action effective? Descrição da Evidência / Description of evidence: Responsável/ Responsable: 8) VERIFICAÇÃO DA EFICÁCIA DA(S) AÇÃO(ÕES) CORRETIVA(S): SIM / YES NÃO / NO Data da verificação / Date of verification: Responsável/ Responsable:

20 Página 20 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA ANEXO 4 AUDITORIA EM FORNECEDORES GGQ 0503 Rev. 00 Auditoria Nº: Fornecedor: Contato / Assinatura: Avaliador(res): Área: Data: Fone: Fone: Fone: Fone: Processo: NOTA ITEM AUDITADO Pontos da Auditoria Pontos Possíveis Pontuação % 10 8 Exigência totalmente cumprida, efetivamente Exigência cumprida na maioria das vezes (pelo menos 3/4 1- Sistema de Gestão da Qualidade 3- Monitoramento do Processo ,0% 0,0% implementada e totalmente documentada. de todas as exigências atendidas) 2- Desenvolvimento do Produto/Processo 4- Controle de Equipamentos de Monitoramento e Medição ,0% 0,0% 5 Exigência cumprida em parte (divergências maiores) 5- Controle de Produto Não-Conforme ,0% 2 0 NA DADOS GERAIS DA EMPRESA CRITÉRIO Exigência cumprida insatisfatoriamente (há grande inconsistência na implementação) Exigência não cumprida (Não há evidência de documentação ou implementação) Item não aplicável (não considerado na pontuação) 6- Ação Corretiva e Preventiva ,0% 7- Armazenamento, Embalagem e Manuseio ,0% 8- Manutenção Preventiva / Corretiva ,0% 0,00% - 1- SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS ATENDE? NOTA REQUER AÇÃO? 1.1 O fornecedor possui um Sistema de Gestão da Qualidade implementado? Listar as certificações do fornecedor, o órgão certificador e a validade do certificado 1.2 O fornecedor possui procedimento documentado para o controle e revisão de documentos? 1.3 O fornecedor possui procedimento documentado para o controle de registros da qualidade? 1.4 O fornecedor possui um programa de auditoria interna do sistema de gestão da qualidade? 1.5 O fornecedor possui o Manual de Fornecedores Guerra? 2- DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO / PROCESSO OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS ATENDE? NOTA REQUER AÇÃO? 2.1 Existe um plano de desenvolvimento do produto/processo, onde são apresentados, compreendidos e satisfeitos as exigências relativas ao produto/processo (especificações técnicas requisitos específicos do cliente, requisitos regulamentares, especificações internas, etc)? 2.2 É elaborada FMEA de processo? Os dados da FMEA estão atualizados e refletindo o processo atual e a última revisão de desenho do cliente? É realizada atualização do FMEA sempre que necessário? 2.3 Foi elaborado Plano de Controle ou documento equivalente? O plano de controle está atualizado e coerente com as informações da FMEA e do desenho ou especificação?

21 Página 21 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 3- MONITORAMENTO DO PROCESSO A empresa possui uma sistemática de avaliação e seleção de fornecedores com base na sua capacidade de fornecer produto de acordo com os requisitos da organização? A empresa possui uma sistemática para aprovação do produto adquirido? Descrever a sistemática utilizada. A empresa realiza a verificação do produto adquirido? Descrever como funciona. OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS ATENDE? NOTA REQUER AÇÃO? 3.4 Os parâmetros de controle de processo estão definidos e são verificados de acordo com o plano de controle ou documento equivalente? 3.5 O Plano de controle contempla a execução de setup de primeira peça, para cada lote de peças? São verificadas as características de controle em uma frequência apropriada e com equipamentos adequados? 3.6 Estão disponíveis instruções de trabalho para todas as operações do processo ou para as operações importantes? 3.7 O fornecedor mantém registros que forneçam evidências que o produto foi inspecionado e/ou testado e aprovado antes de sua liberação? 3.8 O fornecedor usa as ferramentas apropriadas de estatística para estabelecer, controlar e verificar a qualidade do produto? 3.9 São realizadas auditorias do produto e/ou processo a intervalos planejados? 3.10 A organização possui uma política de housekeeping (5S's), a fim de manter a limpeza, organização e condições ambientais e de trabalho favoráveis? São determinadas as competências e treinamentos necessários para execução de atividades que afetem a qualidade do produto/serviço? Foram cumpridas as necessidades básicas de treinamento do operador para o trabalho que está sendo executado? 4- CONTROLE DE EQUIPAMENTOS DE MONITORAMENTO E MEDIÇÃO Os equipamentos de monitoramento e medição estão disponíveis e são adequados para a avaliação do produto? OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS ATENDE? NOTA REQUER AÇÃO? 4.2 São realizadas periodicamente a calibração dos dispositivos e equipamentos de controle? Estão devidamente identificados? A calibração está em dia? 4.3 É realizada Análise do Sistema de Medição (MSA) para os equipamentos descritos no Plano de Controle? 5- CONTROLE DE PRODUTO NÃO-CONFORME OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS ATENDE? NOTA REQUER AÇÃO? 5.1 A organização possui uma sistemática para a tratativa de produto não-conforme, que inclua a identificação, segregação, avaliação e disposição final do produto não-conforme? O fornecedor identifica claramente os produtos não-conformes ou duvidosos e as áreas de não-conformes são devidamente identificadas? 5.2 Os produtos consertados ou retrabalhados são re-inspecionados e/ou testados de acordo com o plano de controle? AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA 6.1 O fornecedor solicita autorização prévia ao cliente, antes do embarque, sempre que o produto ou processo estiver com alguma característica fora do especificado ou diferente da aprovação do PPAP? O fornecedor utiliza um método para análise e resolução de problemas para nãoconformidades internas e externas? O método utilizado possibilita a análise da causa raiz e a tomada de ações com verificação da sua eficácia, bem como a consideração do impacto da ação em outros produtos ou processos similares? OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS ATENDE? NOTA REQUER AÇÃO?

22 Página 22 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA 7- ARMAZENAMENTO, EMBALAGEM E MANUSEIO 7.1 A movimentação, manuseio, armazenamento e processo de embalagem são adequados para preservar a qualidade do produto? OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS ATENDE? NOTA REQUER AÇÃO? 7.2 A identificação exigida do produto é mantida durante todos os estágios de produção, montagem e entrega? 8- MANUTENÇÃO PREVENTIVA / CORRETIVA OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS ATENDE? NOTA REQUER AÇÃO? 8.1 Existe um programa de manutenção preventiva? Os dados de manutenção são analisados? 8.2 Foi desenvolvida uma lista de peças de reposição críticas e estas peças estão disponíveis para minimizar interrupções na produção? OBSERVAÇÕES:

23 Página 23 de 26 DA QUALIDADE DO FORNECEDOR GUERRA ANEXO 5 QUESTIONÁRIO DE AUTO AVALIAÇÃO SELF-ASSESSMENT QUESTIONNAIRE GGQ 0670 Rev. 01 Auto Avaliação Nº: Self-Assessment Nº: Fornecedor: Supplier: Endereço: Address: Data: Date: Cidade: City: CONTATOS / CONTACT: NOME / NAME DEPARTAMENTO / DEPARTMENT TELEFONE / FONE Processo(s): Manufacturing Processes: As questões descritas no item 1. Dados Gerais da Empresa são questões objetivas e não serão pontuadas. As questões descritas nos itens 2 a 4 serão pontuadas de acordo com o resultado escolhido na coluna "RESPOSTA". Respostas N/A (Não Aplicável) deverão ser escolhidas quando a questão não for aplicável ao fornecedor. Neste caso, não serão consideradas na pontuação geral. Evidências ou observações a respeito das questões devem ser informadas, quando apropriado. INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO / FILL INSTRUCTION The questions described in 1. General Data Company are objective questions and not be scored. The questions described in 2-4 are scored according to the result selected in the column "ANSWER." Responses N/A (Not Applicable) should be chosen when the question is not applicable to the supplier. In this case, will not be considered in the overall score. Evidence or observations about the questions should be informed, when appropriate. 1. DADOS GERAIS DA EMPRESA / 1. GENERAL DATA COMPANY Qual é o número de colaboradores diretos que trabalham na empresa? 1.1 What is the number of direct employees working in the company? Qual é o faturamento médio anual em R$? 1.2 What is the average annual turnover in $? Qual é o número de unidades industriais da empresa? 1.3 What is the number of industrial units of the company? Qual é a área total construída (m²)? 1.4 What is the total area built (m²)? A estrutura física é própria ou alugada? 1.5 Does the physical structure is it owned or rented? Qual é o número atual de turnos de trabalho? 1.6 What is the current number of work shifts? Descreva os principais produtos da empresa: 1.7 Describe the company's main products: Relacionar seus principais fornecedores (nome / telefone): 1.8 Relate their major suppliers (name / phone): Relacionar seus principais clientes (nome / telefone): 1.9 Relate their main customers (name / phone): Com base em sua capacidade produtiva, qual é o percentual destinado a Guerra? 1.10 Based on their productive capacity, which is it the percentage for the Guerra? 2- SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE / 2. QUALITY MANANGEMENT SYSTEM 2.1 A empresa possui certificação do Sistema de Gestão da Qualidade baseada nas normas ISO/TS ou ISO 9001? Se possui certificação, descrever o orgão certificador e o prazo de validade do certificado. Does the company has certification of Quality Management System based on ISO / TS or ISO 9001? If you have certification, describe the certifying body and the period of validity. Orgão Certificador: Certifying body: OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS / OBSERVATIONS / EVIDENCE OBSERVAÇÕES / EVIDÊNCIAS / OBSERVATIONS / EVIDENCE Prazo de Validade: Period of validity: RESPOSTA / ANSWER Se não possui certificação, pretende certificar? Se pretende certificar, descreva a certificação, o órgão certificador, o prazo e anexar o cronograma de implementação. If it doesn't have certification, does it want to certify? Describe the certification, the certifying body the time and attach the implementation schedule. A empresa possui outras certificações? Se possui, descrever o(s) orgão(s) certificador(es) e o(s) prazo(s) de validade do(s) certificado(s). Does the company has other certifications? Describe certifying officer and validity of the certificate. O fornecedor possui procedimento documentado para o controle e revisão de documentos? 2.4 Does supplier has a documented procedure for monitoring and review documents? O fornecedor possui procedimento documentado para o controle de registros da qualidade? 2.5 Does supplier has a documented procedure for control of quality records? O fornecedor possui procedimento documentado para controle de produto não-conforme? 2.6 Does supplier has a documented procedure to control non-compliance product? O fornecedor possui procedimento documentado para ação corretiva? 2.7 Does supplier has a documented procedure for corrective action? O fornecedor possui procedimento documentado para ação preventiva? 2.8 Does supplier has a documented procedure for preventive action? O fornecedor possui um programa de auditoria interna do sistema de gestão da qualidade? 2.9 Does supplier has an internal audit program of quality management system? O fornecedor possui o Manual de Fornecedores Guerra e possui entendimento sobre todos os requisitos? 2.10 Does the supplier has the Guerra's Supplier Quality Manual, and has understanding of all requirements? Cerfificação / Orgão Certificador: Certification / Certifying body: Cerfificação / Orgão Certificador: Certification / Certifying body: Prazo de Validade: Period of validity: Prazo de Validade: Period of validity:

Manual da Qualidade Fornecedores 2007

Manual da Qualidade Fornecedores 2007 Manual da Qualidade Fornecedores 2007 www.metalurgicanunes.com.br 2 ÍNDICE 01 Introdução. 3 02 Filosofia da Qualidade 3 03 Políticas da Metalúrgica Nunes 4 04 Requisitos de Qualidade para fornecimento

Leia mais

Manual de Fornecedores

Manual de Fornecedores Manual de Fornecedores Fornecedores (Responsável pela Qualidade) Carimbo, Assinatura e data. 00 2 de 10 Índice 1. MANUAL DO FORNECEDOR... 3 1.1 INTRODUÇÃO... 3 1.2 OBJETIVO... 3 2. RELAÇÃO DE FORNECEDORES...

Leia mais

MQ-02 Manual de Desenvolvimento de Fornecedores

MQ-02 Manual de Desenvolvimento de Fornecedores MQ-02 Manual de Desenvolvimento de Fornecedores Este Manual é de propriedade da Martiaço Indústria Ltda. Sem autorização não pode ser distribuído ou copiado. SUMÁRIO 1. A EMPRESA... 3 2. OBJETIVO... 4

Leia mais

MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECEDORES

MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECEDORES MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECEDORES Requisitos e diretrizes para o sistema de gestão da qualidade e ambiental Página 1 de 9 1. REQUISITOS ESPECÍFICOS... 3 1.1 Objetivo... 3 1.2 Geral... 3 1.3 Documentos

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DE FORNECEDORES SULTÉCNICA INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA

MANUAL DA QUALIDADE DE FORNECEDORES SULTÉCNICA INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA MANUAL DA QUALIDADE DE FORNECEDORES INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA Agosto de 2009 Revisão 05 INDICE 1. Apresentação... 03 2. Política da Qualidade e Ambiental da Sultécnica... 03 3. Expectativa para Fornecedores...

Leia mais

Manual da Qualidade para Fornecedores

Manual da Qualidade para Fornecedores Manual da Qualidade para Fornecedores Elaborado por: Indústrias Romi S.A. Departamento de Suprimentos Santa Bárbara d'oeste - SP 09 de Fevereiro de 2009 Edição C N.O.: 26-02 1 0019.C 2 SUMÁRIO GLOSSÁRIO...

Leia mais

MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECIMENTO

MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECIMENTO Página: 1/15 MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECIMENTO Página: 2/15 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 5 1.1 Missão da empresa... 5 1.2 Política da Qualidade e Ambiental...5 1.3 Glossário... 6 2. DISPOSIÇÕES GERAIS...

Leia mais

REQUISITOS ESPECÍFICOS

REQUISITOS ESPECÍFICOS REQUISITOS ESPECÍFICOS ALPINO Indústria Metalúrgica Ltda. Página 1 de 18; Revisado em Março/ 2014 ÍNDICE 1. Introdução 2. Política do Sistema de Gestão Integrado 3. Código de Conduta 4. Meio Ambiente 5.

Leia mais

Manual do Fornecedor Revisão 02-19/08/2011

Manual do Fornecedor Revisão 02-19/08/2011 Distribuidor: Associado: ISO 9001:2008 Manual do Fornecedor Revisão 02-19/08/2011 02 03 03 03 04 05 05 06 06 06 07 08 08 08 09 09 10 10 12 12 13 14 14 15 Índice Missão, visão, valores 1. O manual do fornecedor

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DO FORNECEDOR

MANUAL DA QUALIDADE DO FORNECEDOR MANUAL DA QUALIDADE DO FORNECEDOR METALÚRGICA KNIF LTDA Junho/2013 1 REGISTRO DAS MODIFICAÇÕES REVISÃO DATA MOTIVO 00 02/04/09 Emissão do documento 01 05/08/09 Modificação dos itens 5.5 e 7.5 02 27/07/10

Leia mais

2.1 Fornecedores...04. 2.2 Abrangência...05. 3.1 Homologação...05. 3.2 Documentos Obrigatórios...06. 4.1 Fornecedor de Tratamento Superficial...

2.1 Fornecedores...04. 2.2 Abrangência...05. 3.1 Homologação...05. 3.2 Documentos Obrigatórios...06. 4.1 Fornecedor de Tratamento Superficial... SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...04 2. OBJETIVO...04 2.1 Fornecedores...04 2.2 Abrangência...05 3. REQUISITOS...05 3.1 Homologação...05 3.2 Documentos Obrigatórios...06 4. SUBMISSÃO DE PPAP...07 4.1 Fornecedor

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Gestão da Qualidade TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Interpretação / Implantação da ISO 9001:2008 Compreender a filosofia

Leia mais

Acordo de Qualidade Assegurada com Fornecedores de Materiais de Produção Aprovação de modificação / Liberação especial

Acordo de Qualidade Assegurada com Fornecedores de Materiais de Produção Aprovação de modificação / Liberação especial pt Gruppenstandard Acordo de Qualidade Assegurada com es de Materiais de Produção Aprovação de modificação / Liberação especial S 296001-3 ICS 03.120.00; 03.120.10 2010-07-21 Descritores: Aprovação de

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DE FORNECEDORES MANN HUMMEL

MANUAL DA QUALIDADE DE FORNECEDORES MANN HUMMEL MANUAL DA QUALIDADE DE FORNECEDORES MANN HUMMEL Publicado:Fevereiro 2012 ESCLARECIMENTO REFERENTE À ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ISO/TS 16949:2009 APLICÁVEL A MHBR BRASIL LTDA 1-Generalidade Este anexo da Qualidade

Leia mais

Módulo 4 O FMEA como parte integrante da Norma ISO/TS 16949, do APQP e do PPAP.

Módulo 4 O FMEA como parte integrante da Norma ISO/TS 16949, do APQP e do PPAP. Módulo 4 O FMEA como parte integrante da Norma ISO/TS 16949, do APQP e do PPAP. FMEA, ISO/TS, APQP, PPAP Pretendemos, neste módulo, mostrar todas as ligações e vínculos existentes entre a ferramenta do

Leia mais

Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP

Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP Planejamento Avançado da Qualidade Elementos APQP São descritos a seguir objetivos, expectativas e requisitos relativos à documentação dos elementos individuais do APQP Status Report (ver QSV / S 296001

Leia mais

MANUAL PARA FORNECEDORES

MANUAL PARA FORNECEDORES Página 1 de 11 SUMÁRIO: 1 VISÃO...3 2 MISSÃO...3 3 PRINCÍPIOS...3 4 POLÍTICA DE GESTÃO INOVA...4 5 - MENSAGEM AO FORNECEDOR...4 6 - OBJETIVO DO MANUAL...5 7 - REQUISITOS BÁSICOS DO SGQ...5 8 - AVALIAÇÃO

Leia mais

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações Raquel Silva 02 Outubro 2014 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 PUBLICAÇÃO DIS: - Draft International Standard

Leia mais

Requisitos Específicos do Cliente Mercedes-Benz do Brasil Ltda.

Requisitos Específicos do Cliente Mercedes-Benz do Brasil Ltda. Requisitos Específicos do Cliente Mercedes-Benz do Brasil Ltda. Requisitos relacionados aos itens da ISO TS 16949:2009 Para uso conjunto com ISO TS 16949 (edição 2009 / 06 / 15) Situação de modificação

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01

MANUAL DA QUALIDADE MQ-01 Sumário 1 Objetivo 2 Últimas Alterações 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão de qualidade 5 Responsabilidade da direção 6 Gestão de recursos 7 Realização do produto 8 Medição, análise e melhoria.

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

Manual de Requisitos. Específicos. Para Fornecedores MANUAL DE REQUISITOS ESPECIFICOS

Manual de Requisitos. Específicos. Para Fornecedores MANUAL DE REQUISITOS ESPECIFICOS Manual de Requisitos Específicos Para Fornecedores Elaborado por: Carlos Nascimento Aprovado por: Océlio Paggiatto Sistema da Qualidade Carlos Nascimento Océlio 02 2 SUMÁRIO: 1.0 Termo de Recebimento e

Leia mais

CARTA DE REQUISITOS E ESCLARECIMENTOS REFERENTES AO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADAS APLICÁVEL AOS FORNECEDORES DA MANGELS REF.

CARTA DE REQUISITOS E ESCLARECIMENTOS REFERENTES AO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADAS APLICÁVEL AOS FORNECEDORES DA MANGELS REF. Três Corações, 12 de janeiro de 2015. CARTA DE REQUISITOS E ESCLARECIMENTOS REFERENTES AO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADAS APLICÁVEL AOS FORNECEDORES DA MANGELS REF. 01/2015 Este documento pode ser utilizado

Leia mais

REQUISITOS ESPECÍFICOS - NGK do BRASIL Guia para Fornecedores Segmento Automotivo

REQUISITOS ESPECÍFICOS - NGK do BRASIL Guia para Fornecedores Segmento Automotivo REQUISITOS ESPECÍFICOS - NGK do BRASIL Guia para Fornecedores Segmento Automotivo 1. Objetivo Este documento tem por objetivo comunicar os requisitos mínimos a todos os fornecedores de componentes, matérias

Leia mais

REQUISITOS ESPECÍFICOS Página 2 de 8

REQUISITOS ESPECÍFICOS Página 2 de 8 REQUISITOS ESPECÍFICOS Página 2 de 8 Sumário 1. Introdução... 3 2. Objetivo... 3 3. Aplicação... 3 4. Documentos de Referência... 3 5. Sistema de Gestão... 3 6. Requisitos Gerais... 4 7. Requisitos Automotivos...

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR PSQ 27 REVISÃO 00 Histórico da Emissão Inicial Data da Revisão 0 Data da Última Revisão Número de Página 15/01/14 15/01/14 1/14 2/14 1 - Objetivo 1.1 Escopo O conteúdo deste Manual contempla os requisitos

Leia mais

Manual de Fornecedores

Manual de Fornecedores Revisão03 Maio,2011 ThyssenKrupp ManualdeFornecedores ThyssenKruppMetalúrgicaCampoLimpo ThyssenKruppMetalúrgicaCampoLimpo PREFÁCIO O acirramento da competição global pela liderança e conquista de novos

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais

Indústria. SIQ - Qualidade que traz Resultados!

Indústria. SIQ - Qualidade que traz Resultados! Indústria SIQ - Qualidade que traz Resultados! Panorama atual Modelo de gestão não estruturada Como as soluções atuam Onde atuam Soluções SIQ Modelo de Gestão Estruturada Todas as Suítes Fluxos Estimativa

Leia mais

Comparação das normas ISO 9001 e ISO 20000

Comparação das normas ISO 9001 e ISO 20000 Comparação das normas ISO 9001 e ISO 20000 1 Whoi am RESUME OF THE PRESENTER Coordenador de processos de Certificação na APCER Auditor ISO 9001 / ISO 27001 / ISO 20000 / SA 8000 Assessor Qweb e IQNET 9004

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? BUROCRACIA? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

I S O ISO? NORMA ISO 9002 NORMA ISO 9002 ISO SÉRIE 9000? GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE ISO? ITÁLIA CANADÁ ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL, NÃO GOVERNAMENTAL, QUE ELABORA NORMAS. FAZEM PARTE DA ISO ENTIDADES DE NORMALIZAÇÃO DE MAIS DE UMA CENTENA DE PAÍSES. JAPÃO EUA I S O INGLATERRA ALEMANHA BRASIL

Leia mais

Requisitos Específicos do Cliente Mercedes-Benz do Brasil Ltda.

Requisitos Específicos do Cliente Mercedes-Benz do Brasil Ltda. Requisitos Específicos do Cliente Mercedes-Benz do Brasil Ltda. Requisitos relacionados aos itens da ISO TS 16949:2009 Para uso conjunto com ISO TS 16949 (edição 2009 / 06 / 15) Situação de modificação

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

MANUAL DE FORNECEDORES

MANUAL DE FORNECEDORES ÍNDICE 1. O MANUAL DO FORNECEDOR... 3 1.1 Introdução... 3 1.2 Objetivo... 3 1.3 Relações com Fornecedores... 3 1.4 Política do Sistema Integrado de Gestão (Qualidade e Meio Ambiente)... 4 2. DESENVOLVENDO

Leia mais

METALÚRGICA NAKAYONE LTDA

METALÚRGICA NAKAYONE LTDA METALÚRGICA NAKAYONE LTDA Manual de Instruções Para Revisão JULHO/2015 CONTROLE DE REVISÃO Código Capítulo Índice Pág. De M.DIR. 02-01 Instruções Preliminares 01 17 M.DIR. 02-02 Premissa 02 17 M.DIR. 02-03

Leia mais

METALÚRGICA NAKAYONE LTDA

METALÚRGICA NAKAYONE LTDA METALÚRGICA NAKAYONE LTDA Manual de Instruções Para Fornecedores Revisão Maio/2010 Código Capítulo CONTROLE DE REVISÃO Índice Pág. De M.DIR. 02-01 Instruções Preliminares 01 50 M.DIR. 02-02 Premissa 02

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO ARQUIVO SQ SIGLA DA UO SULOG RUBRICA SIGLA DA UO G-SCQ RUBRICA 1 OBJETIVO Definir os requisitos e procedimentos mínimos para avaliação e seleção de fornecedores, assegurando fontes

Leia mais

Manual da Qualidade e Desenvolvimento de Fornecedores Dana Holding Corporation LLC

Manual da Qualidade e Desenvolvimento de Fornecedores Dana Holding Corporation LLC Manual da Qualidade e Desenvolvimento de Fornecedores Dana Holding Corporation LLC Supplier Development Dana Holding Corporation LLC Agosto 2012 SUMÁRIO i. INTRODUÇÃO... 4 ii. CONDUTA EMPRESARIAL... 5

Leia mais

Manual da Qualidade para Fornecedores MANUAL DA QUALIDADE PARA FORNECEDORES

Manual da Qualidade para Fornecedores MANUAL DA QUALIDADE PARA FORNECEDORES MANUAL DA QUALIDADE PARA FORNECEDORES SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 APLICAÇÃO... 3 3 SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES... 3 3.1 Empresas Certificadas... 4 3.2 Empresas não Certificadas... 4 3.3 Avaliação

Leia mais

Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) A Experiência Cargill ( Cargill s Experience)

Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) A Experiência Cargill ( Cargill s Experience) Gerenciando a Cadeia de Suprimentos (Managing the Supply Chain) A Experiência Cargill ( Cargill s Experience) 1 Jose de Ribamar, Ger Qualidade e Food Safety Cargill Amidos e Adoçantes América do Sul jose_ribamar@cargill.com

Leia mais

Manual de Fornecedores Blitz Rev. 7

Manual de Fornecedores Blitz Rev. 7 Sumário 1. Mensagem ao Fornecedor...- 2-2. Política da Qualidade...- 2-3. Objetivo do manual...- 2-4. Aplicação...- 3-5. Definições...- 3-6. Confidencialidade...- 3-7. Requisitos Gerais...- 4-8. Verificação

Leia mais

CARTA DE REQUISITOS ESPECÍFICOS REFERENTES À ISO/TS 16949 APLICÁVEIS AOS FORNECEDORES FIASA/FPT

CARTA DE REQUISITOS ESPECÍFICOS REFERENTES À ISO/TS 16949 APLICÁVEIS AOS FORNECEDORES FIASA/FPT Betim, 25 de Março de 2011 CARTA DE REQUISITOS ESPECÍFICOS REFERENTES À ISO/TS 16949 APLICÁVEIS AOS FORNECEDORES FIASA/FPT Atualiza e substitui, a partir de 11/04/2011, a CARTA DE REQUISITOS ESPECÍFICOS

Leia mais

Anexo 61 Manual de Fornecedores STIHL MANUAL DE FORNECEDORES

Anexo 61 Manual de Fornecedores STIHL MANUAL DE FORNECEDORES MANUAL DE FORNECEDORES LS 0082 Manual de Fornecedores 1 de 50 04.12.2013 Sumário INTRODUÇÃO... 5 DIRETRIZES DO FORNECEDOR... 6 CONTRATOS STIHL... 6 OBJETIVOS... 7 GESTÃO DA QUALIDADE... 8 1. SISTEMA DE

Leia mais

www.megacursos.com.br O QUE É ISO?

www.megacursos.com.br O QUE É ISO? 1 O QUE É ISO? ISO significa International Organization for Standardization (Organização Internacional de Normalização), seu objetivo é promover o desenvolvimento de normas, testes e certificação, com

Leia mais

Rossini Murta Industria Metálurgica Ltda. Manual Do Fornecedor

Rossini Murta Industria Metálurgica Ltda. Manual Do Fornecedor Rossini Murta Industria Metálurgica Ltda Manual Do Fornecedor Revisão 08 21/03/2014 1 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Generalidades... 5 3. Processo de Aprovação de Peça de Produção (PAPP)... 5 3.1 - Definição...

Leia mais

Gestão da qualidade do software

Gestão da qualidade do software Gestão da qualidade do software Empenhada em assegurar que o nível de qualidade requerido de um produto de software é atingido Envolve a definição de normas e procedimentos de qualidade apropriados, e

Leia mais

ISO 17025 Versão 2005

ISO 17025 Versão 2005 1º Fórum Regional de Química - ES ISO 17025 Versão 2005 Rev. 14 Samuel Vieira JUN/2010 1 Terminologia e Siglas ABNT NBR ISO 9000:2000 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e Vocabulário ABNT NBR

Leia mais

FR.ITC.04-03 Revisão: 16 de 19/01/2015. Requisitos específicos Bepo. Manual para Fornecedores. www.bepo.com.br

FR.ITC.04-03 Revisão: 16 de 19/01/2015. Requisitos específicos Bepo. Manual para Fornecedores. www.bepo.com.br FR.ITC.04-03 Revisão: 16 de 19/01/2015 Requisitos específicos Bepo Manual para Fornecedores Índice: 1) Apresentação da Empresa ---------------------------------------------------------------------------pg.03

Leia mais

REQUISITOS ESPECÍFICOS

REQUISITOS ESPECÍFICOS REQUISITOS ESPECÍFICOS ALPINO Indústria Metalúrgica Ltda. Página 1 de 21; Revisado em Dezembro/ 2015 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE PARA FORNECEDORES 1. Introdução 2. Política do Sistema de Gestão Integrado

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE CONTROLE DE SUBSTÂNCIAS NOCIVAS 1 - OBJETIVO

GESTÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE CONTROLE DE SUBSTÂNCIAS NOCIVAS 1 - OBJETIVO ITEM PÁGINA 1 OBJETIVO 1 2 DEFINIÇÃO DOS TERMOS 2 3 REFERÊNCIAS (NORMAS/ LEGISLAÇÃO/ REQUISITOS APLICÁVEIS). 2 4 RESPONSABILIDADES E ATIVIDADES PARA CONTROLE DE SUBSTÂNCIAS. 3 5 ANÁLISE LABORATORIAL 4

Leia mais

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account)

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Português - Portuguese Siga os passos que se seguem para vender as ações da sua empresa.* Antes de fazer a sua transação Recomendamos

Leia mais

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva Joel Alves da Silva, Diretor Técnico JAS-METRO Soluções e Treinamentos

Leia mais

INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS

INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS DOCUMENTAÇÃO A APRESENTAR PELOS CANDIDATOS PARA AVALIAÇÃO Os candidatos devem apresentar para avaliação da candidatura a seguinte documentação: a) Prova da nacionalidade (BI, passaporte.);

Leia mais

MANUAL FORNECEDORES. Santo Ângelo (RS) 16/09/2015 REV.02

MANUAL FORNECEDORES. Santo Ângelo (RS) 16/09/2015 REV.02 Santo Ângelo (RS) 16/09/2015 REV.02 MANUAL FORNECEDORES A Fundimisa Fundição e Usinagem Ltda pretende com este Manual aprimorar a relação com seus fornecedores e padronizar informações entre as partes.

Leia mais

Requisitos Específicos. Sampel Peças Automotivas

Requisitos Específicos. Sampel Peças Automotivas Requisitos Específicos Sampel Peças Automotivas REQUISITOS ESPECÍFICOS Página 2 de 7 Sumário 1. Introdução... 3 2. Objetivo... 3 3. Aplicação... 3 4. Documentos de Referência... 3 5. Sistema de Gestão...

Leia mais

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO NBR ISO 9001:2008 INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO 8 Princípios para gestão da qualidade Foco no cliente Liderança Envolvimento das pessoas Abordagem de processos Abordagem sistêmica para a gestão Melhoria

Leia mais

Lista de Verificação / Checklist

Lista de Verificação / Checklist Lista de Verificação / Checklist Avaliação NC / PC / C Departamentos Padrões de Referência /// Referências do MQ //// Referências Subjetivas A B C D E Cláusula Padrão Conforme/ Não C. 4 Sistema de Gestão

Leia mais

ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES GERÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E NUMERAÇÃO www.anatel.gov.br Visão geral do processo de certificação e homologação de produtos para telecomunicações no Brasil Lei

Leia mais

Requisitos Específicos para ISO TS 16949

Requisitos Específicos para ISO TS 16949 Requisitos Específicos para ISO TS 16949 Revisão 01 MWM INTERNATIONAL Motores 1 Requisitos Específicos da MWM INTERNATIONAL Motores Para uso em conjunto com a norma ISO/TS 16949 1. ESCOPO Este documento

Leia mais

MANUAL DA GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DA GESTÃO DA QUALIDADE Seção 1 Introdução / Escopo do Sistema de Gestão da Qualidade Seção 1 Introdução / Escopo do Sistema de Gestão da Qualidade Na busca contínua da melhoria da Qualidade, a SMIDDA preparou e aprovou este

Leia mais

M A N U A L DA Q U A L I D A D E D O F O R N E C E D O R

M A N U A L DA Q U A L I D A D E D O F O R N E C E D O R M A N U A L DA Q U A L I D A D E D O F O R N E C E D O R Sem controle após a impressão SUMÁRIO 1. Objetivo Webdesk\Manual da Qualidade\Subsistema I Logística Pág. - 1 - de 23 2. Responsabilidade do Fornecedor

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL (com abordagem para Itens de Segurança) Manual Informativo Para Fornecedores MIF 02 QAS

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL (com abordagem para Itens de Segurança) Manual Informativo Para Fornecedores MIF 02 QAS SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL (com abordagem para Itens de Segurança) Manual Informativo Para Fornecedores MIF 02 QAS Elaboração e Aprovação: Departamento de Gestão da Qualidade e

Leia mais

Aula 7 Elaboração do Plano de Gerenciamento da Qualidade

Aula 7 Elaboração do Plano de Gerenciamento da Qualidade Aula 7 Elaboração do Plano de Gerenciamento da Qualidade Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam definir termos e conceitos da qualidade. Para tal, pretende-se discutir a relação que se estabelece

Leia mais

MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECEDORES

MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECEDORES 7.431 Rev: 2 Data: 13/5/214 1 de 43 Elaborado por: Daiane Pandolfo Joana Correa SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. ESCOPO... 4 3. APLICABILIDADE... 4 4. OBJETIVO... 5 5. REQUISITOS AMBIENTAIS... 5 6. ÉTICA

Leia mais

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity Certificado emitido conforme requisitos da avaliação da conformidade de equipamentos elétricos para atmosferas explosivas, anexo à Portaria Inmetro nº. 179 de 18 de maio de 2010 Certificate issued in according

Leia mais

CARTA DE REQUISITOS ESPECÍFICOS REFERENTES À ISO/TS 16949 APLICÁVEIS AOS FORNECEDORES FIASA/Powertrain

CARTA DE REQUISITOS ESPECÍFICOS REFERENTES À ISO/TS 16949 APLICÁVEIS AOS FORNECEDORES FIASA/Powertrain Betim, 30 de Março de 2015 CARTA DE REQUISITOS ESPECÍFICOS REFERENTES À ISO/TS 16949 APLICÁVEIS AOS FORNECEDORES FIASA/Powertrain Esta carta atualiza e substitui, a partir de 15/04/2015, a CARTA DE REQUISITOS

Leia mais

Programa de Auditoria Única em Produtos para Saúde Medical Device Single Audit Program MDSAP Etapa Piloto Fernanda Maia

Programa de Auditoria Única em Produtos para Saúde Medical Device Single Audit Program MDSAP Etapa Piloto Fernanda Maia Programa de Auditoria Única em Produtos para Saúde Medical Device Single Audit Program MDSAP Etapa Piloto Fernanda Maia São Paulo, 22 de maio de 2014. Fórum Internacional de Reguladores em Produtos para

Leia mais

Sistema de Gestão de Medição: importante, mas nem sempre reconhecido

Sistema de Gestão de Medição: importante, mas nem sempre reconhecido Sistema de Gestão de Medição: importante, mas nem sempre reconhecido Nasario de S.F. Duarte Jr. (São Paulo, SP) Resumo: o objetivo deste artigo é ressaltar a importância de se estabelecer um sistema de

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

CHECKLIST DA RDC 16/2013

CHECKLIST DA RDC 16/2013 CHECKLIST DA RDC 16/2013 Checklist para a RDC 16 de 2013 Página 2 de 10 Checklist 1. 2.1 Disposições gerais Existe um manual da qualidade na empresa? 2. Existe uma política da qualidade na empresa? 3.

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

MANUAL DE REQUISITOS DE FORNECEDORES 3M DO BRASIL

MANUAL DE REQUISITOS DE FORNECEDORES 3M DO BRASIL MANUAL DE REQUISITOS DE FORNECEDORES 3M DO BRASIL ÍNDICE 1 Introdução... Erro! Indicador não definido. 2 Requisitos da Qualidade... Erro! Indicador não definido. 2.1 Definições... Erro! Indicador não definido.

Leia mais

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity Certificado emitido conforme requisitos da avaliação da conformidade de equipamentos elétricos para atmosferas explosivas, anexo à Portaria Inmetro nº. 179 de 18 de maio de 2010 Certificate issued in according

Leia mais

Certificado de Profissional em Gerenciamento de Serviços: Liberação & Controle (baseado em ITIL )

Certificado de Profissional em Gerenciamento de Serviços: Liberação & Controle (baseado em ITIL ) Requisitos do Exame Certificado de Profissional em Gerenciamento de Serviços: Liberação & Controle (baseado em ITIL ) Data da Publicação 21-8-2007 Data de Início 1-12-2004 Grupo Alvo O Exame para o Profissional

Leia mais

Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014

Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014 Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014 Agenda Agenda Futuro da produção farmacêutica Future of pharmaceutical production Compressão como principal ponto no processo de

Leia mais

ANNUAL REPORT 2011-12-13

ANNUAL REPORT 2011-12-13 ANNUAL REPORT 2011-12-13 Member organizationʼs name: Beraca Sabará Quimicos e Ingredientes - Divisão HPC Main address: Rua Emilia Marengo, 682 segundo andar Jardim Analia Franco, São Paulo SP Brasil CEP

Leia mais

ISO 9000 para produção de SOFTWARE

ISO 9000 para produção de SOFTWARE ISO 9000 para produção de SOFTWARE A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organizações em geral, qualquer que seja o seu tipo ou

Leia mais

FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025. Laboratório(s) avaliado(s): Nº

FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025. Laboratório(s) avaliado(s): Nº FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025 FORMULÁRIO REVISÃO: 04 NOV/2008 Laboratório(s) avaliado(s): Nº Período de Avaliação: Data inicial da avaliação: / / Data término

Leia mais

NBR ISO/IEC 17025:2005

NBR ISO/IEC 17025:2005 Competence Recognition Certificate Engequímica Assessoria Projetos e Engenharia Química Ltda Ensaios Químicos End Av. São João 1628 - Caxias do Sul/ RS O laboratório citado acima está conforme os critérios

Leia mais

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Sistema de Gestão do AR 2012 - ABIQUIM Responsible Care Management

Leia mais

MANUAL DE QUALIDADE PARA FORNECEDORES DA VS LIMA & PÓ KOLT PINTURAS

MANUAL DE QUALIDADE PARA FORNECEDORES DA VS LIMA & PÓ KOLT PINTURAS 1 de 17 UMA PARCERIA DE SUCESSO É O SEGREDO PARA A QUALIDADE TOTAL! DE QUALIDADE PARA FORNECEDORES DA VS LIMA & PÓ KOLT PINTURAS Elaborado por: N - Data da Revisão Data da Emissão Aprovado por: CARIMBO

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD)

Manual de Gestão da Qualidade MGQ Elaborado por: Representante da Direção (RD) 1/22 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Emissão do documento baseado nos requisitos da ISO 9001:2008 Vendas Gestão de Contratos Service Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável

Leia mais

Cirius Quality. A Consultoria que mais cresce no Brasil. Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP.

Cirius Quality. A Consultoria que mais cresce no Brasil. Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP. CQ Consultoria Cirius Quality e Treinamento 1º Edição Interpretação da NBR ISO 9001:2008 Cirius Quality Av. José Bonifácio Nº 1076 - Diadema-SP. CEP: 09980-150 i www.ciriusquality.com.br e contato@ciriusquality.com.br

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA Requisitos e diretrizes para o Sistema de Gestão da Qualidade e Meio Ambiente, conforme padrões definidos pelas normas NBR ISO 9001:2008, NBR ISO 14001:2004 e pela

Leia mais

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS 2012 Relevância: Impacta diretamente na saúde do paciente, na qualidade do produto e na integridade dos dados que devem provar que o sistema

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

01. A empresa e todos os seus funcionários têm a preocupação de atender as necessidades e expectativas dos clientes?

01. A empresa e todos os seus funcionários têm a preocupação de atender as necessidades e expectativas dos clientes? Questionário de auto-avaliação Nível 1 MÓDULO 1 - ADMINISTRAÇÃO 01. A empresa e todos os seus funcionários têm a preocupação de atender as necessidades e expectativas dos clientes? 02. A empresa tem definidos

Leia mais

OHSAS-18001:2007 Tradução livre

OHSAS-18001:2007 Tradução livre SISTEMAS DE GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL - REQUISITOS (OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY MANAGEMENT SYSTEMS - REQUIREMENTS) OHSAS 18001:2007 Diretrizes para o uso desta tradução Este documento

Leia mais

Implementação de CMMi SAM com Six Sigma

Implementação de CMMi SAM com Six Sigma Implementação de CMMi SAM com Six Sigma Caso de sucesso na Motorola Brasil Jose Mario Lima Gerente de Qualidade e Six Sigma Six Sigma Black Belt A Motorola no Brasil Definição do problema O Desafio A oportunidade

Leia mais

Gestão de Projetos CMMI e outros modelos de referência

Gestão de Projetos CMMI e outros modelos de referência Gestão de Projetos CMMI e outros modelos de referência Autora: Ivanise M. Gomes IO SEPG Manager Mercosur General Motors do Brasil, IS&S Agenda Ø Introdução Ø Visão Estratégica Ø Malcolm Baldrige Ø ISO

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PARTE 1 ESTRUTURA DO SGI Módulo SGI-1.0 - Introdução (04 horas) Apresentação da metodologia do Programa de Formação Manual do Aluno Critérios de aprovação e reposição de módulos Uso da plataforma do Ambiente

Leia mais

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity Certificado emitido conforme requisitos da avaliação da conformidade de equipamentos elétricos para atmosferas explosivas, anexo à Portaria Inmetro nº. 179 de 18 de maio de 2010 Certificate issued in according

Leia mais