PLANO DE ENSINO Análise de Investimento e Capital de Giro Módulo C Carga Horária: 47 h. Ementa da disciplina:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE ENSINO 2015-1 Análise de Investimento e Capital de Giro Módulo C Carga Horária: 47 h. Ementa da disciplina:"

Transcrição

1 PLANO DE ENSINO Análise de Investimento e Capital de Giro Módulo C Carga Horária: 47 h. Ementa da disciplina: Conteúdo Programático: Estudar as técnicas de análise de investimentos para analisar sua viabilidade econômico-financeira. Explorar os aspectos quantitativos do Capital de Giro de uma empresa, mensurando suas necessidades. Introdução à Administração do Capital de Giro: Natureza e definições; Ciclo operacional; Conflito risco x retorno; Equilíbrio financeiro; Estrutura das taxas de juros; Alternativas de financiamento do capital de giro; Indicadores de liquidez. Fluxos de caixa: Metodologias de apuração do fluxo de caixa; Fluxo do CCL; Fluxo de caixa operacional; Fluxos de caixa incrementais e residuais. Análise e dimensionamento dos investimentos em capital de giro: O método de Fleuriet; ativos e passivos operacionais, financeiros e permanentes; Necessidades de investimento em capital de giro e saldo de disponível; Necessidade de investimento em capital de giro e capital de giro líquido; Volatilidade e financiamento do investimento necessário em capital de giro; Necessidades de investimento em capital de giro a partir do ciclo financeiro; Administração do caixa: Razões para demanda de caixa; Modelos de administração de caixa. Administração de valores a receber: Política de crédito; Análise da alteração da política de credito; Mudança da política de crédito: valor presente líquido; Análise multiperíodo; Custo da informação. Análise e controle de valores a receber: Créditos duvidosos e cronologia dos valores a receber; Valores a receber em dias de vendas; Cronologia dos valores a receber e o DVR; Causas das movimentações na carteira de valores a receber. Administração financeira de estoques: Lote econômico de compra; Situações especiais; Estoque de segurança. Avaliação da decisão de estocagem: Retorno sobre investimento em estoque; Retorno sobre o ciclo financeiro. DFC Direto e Indireto. Referências Básicas: Referências Complementares: ASSAF NETO, Alexandre e SILVA, César Augusto Tibúrcio, Administração do Capital de Giro; 4ª. Ed - São Paulo: Ed. Atlas, SOUZA, Alceu, Ademir Clemente, Decisões Financeiras e Análise de Investimento: Fundamentos técnicos e aplicações. 6ª Ed. São Paulo: Atlas, GITMAN, Lawrence J. Princípios de Administração Financeira; 12ª. Ed. São Paulo: Pearson, TITMAN, Sheridan; MARTIN, John D. Avaliação de Projetos e Investimentos, Pearson, disponível em: An%C3%A1lise%20de%20Investimentos%20e%20Capital%20de%20Giro&hl =ptbr&pg=pr3#v=onepage&q=an%c3%a1lise%20de%20investimentos%20e%2 0Capital%20de%20Giro&f=false IUDICIBUS, Sergio; MARTIN, Eliseu; GELBCKE, Ernesto Rubens, PADOVEZE, Clóvis Luis, Contabilidade Empresarial e Societária. Curitiba: IESDE, Disponível em: 3lVODTH9yNoC&printsec=frontcover&dq=Contabilidade+Empresarial&hl=ptBR&sa =X&ei=3Q0yUYqFPPPW0gGw1oCgCQ&ved=0CDwQ6AEwAA PADOVEZE, Clóvis Luís; BENEDICTO, Gideon Carvalho de, Análise das demonstrações financeiras; 3ª. ed - São Paulo: Ed. Atlas,

2 Critérios de Avaliação MATARAZZO, Dante C.. Análise Financeira de Balanços 7. ed. São Paulo: Atlas, MORANTE, Antonio Salvador; JORGE, Fauzi Timaco. Administração Financeira: Decisões de Curto Prazo, Decisões de Longo Prazo, Indicadores. São Paulo: Atlas, AGUIAR, Andson Braga de et al. Análise dos direcionadores de valor em empresas brasileiras. RAM, Rev. Adm. Mackenzie (Online), São Paulo, v. 12, n. 2, Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s &lng=en&nrm=iso>.http://dx.doi.org/ /s DAMODARAN, Aswath. Finanças Corporativas: Teoria e Prática. Bookman, disponível em: =An%C3%A1lise%20de%20Investimentos%20e%20Capital%20de%20Giro&hl=pt- BR&pg=PP1#v=onepage&q=An%C3%A1lise%20de%20Investimentos%20e%20 Capital%20de%20Giro&f=false Primeiro Bimestre: avaliação individual valendo 6 pontos, prova qualis valendo 2 pontos e avaliações (exercício, trabalho, saída técnico pedagógica) valendo 2 pontos. Segundo Bimestre: avaliação individual valendo 6 pontos e avaliações (exercício, trabalho, saída técnico pedagógica) valendo 4 pontos Substitutiva: na hipótese de ausência na avaliação individual e Recuperação nas vistas das provas e no último encontro. Programação Aula a Aula 1 a Aula: 2 a Aula: Apresentar a missão da Instituição; Apresentar o campo de formação e atuação do professor e dos discentes; Expor a importância da disciplina no mercado de trabalho; Avaliar a expectativa dos discentes em relação a disciplina e ao mercado de trabalho; Apresentar o plano de ensino; Expor a metodologia que será empregada nas aulas e os critérios de avaliação. Apresentação os objetivos da disciplina; Exposição do conteúdo programático que será abordado ao longo do semestre; Apresentação dos mecanismos e sistemas de avaliação dos discentes para o 1º e 2º bimestre; Abordagem da estrutura básica do sistema financeiro nacional. Compreender em que contexto este inserido o Capital de Giro; Definir o que é Capital de Giro; Explicar qual a necessidade do Capital de Giro Entender a importância de uma boa Gestão de Capital de Giro Compreender conceitos como Capitais de Giro Líquido e Necessidade de Capital de Giro. 3 a Aula: Continuar a apresentação da importância da Administração do Capital de Giro. Estrutura das taxas de Juros; Alternativas de financiamento do Capital de Giro; Indicadores de liquidez; 2

3 Duration e liquidez. 4 a Aula: 5 a Aula: 6 a Aula: 7 a Aula: 8 a Aula: Instrumento Conteúdo Critérios 9 a Aula: Apresentar a abrangência e metodologia de apuração e análise do Fluxo de Caixa; Apuração de fluxo de Caixa por Balanços consecutivos; Fluxo de caixa no sentido restrito e amplo; Fluxo de caixa efetivo; Fluxo de caixa indireto Apresentar os índices tradicionais de análise financeira. Fluxo do Capital Circulante Líquido; Fluxo de Caixa Operacional; Fluxo de Caixa incrementais (marginais) e residuais; Análise do Fluxo de Caixa. Apresentar a análise e Dimensionamento dos investimentos em Capital de Giro. Ativos e passivos operacionais (cíclicos), financeiros e permanentes; Necessidade de investimentos em capital de giro e saldo de disponível; Necessidade de investimentos em capital de giro capital de giro (circulante) líquido. Aplicar atividade avaliativa complementar 01. Volatilidade e financiamento do investimento necessário em capital de giro; Calculo de necessidades de investimento em capital de giro a partir do ciclo financeiro. Overtrading superexpansão das vendas. Aplicar prova bimestral. Elaboração de Fluxo de Caixa. Nota: 6,00(oito) Devolutiva da prova bimestral. Correção, comentários e considerações sobre a prova bimestral; Vistas das provas; e Fechamento das médias bimestrais. 10 a Aula: Abordar quantidade de dias em média, a empresa terá de esperar para receber suas duplicatas; Abordar quantidade de dias em média, a empresa negocia seus pagamentos com os fornecedores; Abordar quantidade de dias em média, a empresa renova seus estoques. Prazo Médio de Recebimento de Vendas Prazo Médio de Pagamento de Compras Prazo Médio de Renovação de Estoque Ciclo Operacional Ciclo Financeiro 3

4 Ciclo Econômico 11 a Aula: 12 a Aula: 13 a Aula: 14 a Aula: 15 a Aula: 16 a Aula: 17 a Aula: 18 a Aula: Atividade de Prazos Médios Ciclos Financeiro e Operacional Abordagem das Demonstrações Financeiras. Balanço Patrimonial; Demonstrativo do Resultado; Capital Circulante Líquido. Atividade prática de Demonstrações Financeiras Abordagem aos Indicadores de Liquidez. Índice de Liquidez Corrente; Índice de Liquidez Seca; Índice de Liquidez Imediata; Índice de Liquidez Geral. Demonstrar o Fluxo de Caixa Direto, onde evidência a modificações ocorridas nas disponibilidades das entidades (Caixa e Bancos Conta Movimento principalmente). A importância da informação sobre o Fluxo de Caixa da empresa Ampliando o conceito de Fluxo de Caixa Formas de Apresentação do Fluxo de Caixa Histórico O Método Direto Demonstração do Fluxo de Caixa Direta Complementação da aula anterior de demonstração de fluxo de caixa A importância da informação sobre o Fluxo de Caixa da empresa Ampliando o conceito de Fluxo de Caixa Formas de Apresentação do Fluxo de Caixa Histórico O Método Direto Demonstração do Fluxo de Caixa Direta Aplicação de atividade prática Demonstração de Fluxo de Caixa Método Direto. Aplicar prova bimestral. Matéria do segundo bimestre. Observações: Nota: 6,0(oito) 4

5 19 a Aula: Devolutiva da prova bimestral. Correção, comentários e considerações sobre a prova bimestral; Vistas das provas; e Fechamento das médias bimestrais. 20 a. Aula: Avaliação de Recuperação. Revisão dos principais pontos do semestre. 5

PLANO DE ENSINO 2015-1

PLANO DE ENSINO 2015-1 Mercado Financeiro de Capitais Módulo B Ementa da disciplina: Conteúdo Programático: PLANO DE ENSINO 2015-1 Carga Horária: 50 h Estudar os principais conceitos que fundamentam o funcionamento do mercado

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso GESTÃO FINANCEIRA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: ESTRUTURA E ANÁLISE

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: ESTRUTURA E ANÁLISE

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: ESTRUTURA E ANÁLISE

Leia mais

UNIDADE I INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 1.1 NATUREZA E DEFINIÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO

UNIDADE I INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 1.1 NATUREZA E DEFINIÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO Resumo: UNIDADE I INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 1.1 NATUREZA E DEFINIÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO Capital de giro refere-se aos recursos correntes (curto prazo) da empresa,

Leia mais

O EFEITO DE DIFERENTES CRITÉRIOS DE DEPRECIAÇÃO DE ATIVOS OPERACIONAIS NA ANÁLISE DO FLUXO DE CAIXA GERADO POR UM PROJETO

O EFEITO DE DIFERENTES CRITÉRIOS DE DEPRECIAÇÃO DE ATIVOS OPERACIONAIS NA ANÁLISE DO FLUXO DE CAIXA GERADO POR UM PROJETO O EFEITO DE DIFERENTES CRITÉRIOS DE DEPRECIAÇÃO DE ATIVOS OPERACIONAIS NA ANÁLISE DO FLUXO DE CAIXA GERADO POR UM PROJETO Ricardo Zerinto Martins 1, Paulo César Ribeiro Quintairos 2 1 Mestrando em Gestão

Leia mais

ANÁLISE DA ESTRUTURA DE LIQUIDEZ PROPOSTA POR FLEURIET: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA LOCALIZA RENT A CAR

ANÁLISE DA ESTRUTURA DE LIQUIDEZ PROPOSTA POR FLEURIET: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA LOCALIZA RENT A CAR 0 ANÁLISE DA ESTRUTURA DE LIQUIDEZ PROPOSTA POR FLEURIET: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA LOCALIZA RENT A CAR Gabriela de Castro Gaudêncio Cassimiro 1 Thiago Moura de Carvalho 2 Rosália Gonçalves Costa Santos

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A.

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A. ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A. KOMATSU, Solange Akemy (TCC Ciências Contábeis) FECILCAM,

Leia mais

Faculdades Integradas Teresa D Ávila

Faculdades Integradas Teresa D Ávila Faculdades Integradas Teresa D Ávila CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecido pela Portaria Ministerial nº. 4.571 de 28/12/05 e publicado no DOU em 29/12/05. Componente Curricular: Administração Financeira de

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Administração Geral

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Identificação Disciplina: CONTABILIDADE COMERCIAL E INDUSTRIAL Corpo Docente:

Leia mais

/ 2012 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT

/ 2012 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT Disciplina: Administração Financeira / 2012 Carga horária: 68h Curso/Semestre: 6 ( x ) ADM ( x ) ADM COMEX ( x ) ADM MKT Data de atualização: Janeiro/2012 Núcleo: Finanças Nucleador: Prof. Francisco Santana

Leia mais

Índices econômico Financeiros

Índices econômico Financeiros Índices econômico Financeiros ADMNISTRAÇÃO Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com Objetivos da aula Apresentar a importância de calcular os indicadores financeiros em uma empresa.

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado plea Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado plea Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado plea Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Administração Financeira Orçamentária I Código: ADM 353 Pré-Requisito: Contabilidade de Custos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Claudio Barbosa Cardoso Orientador: Benedito Giovani Martins de Paula Linha de Pesquisa: Demonstrações Financeiras Universidade

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 06/2000

RESOLUÇÃO CONSEPE 06/2000 RESOLUÇÃO CONSEPE 06/2000 CRIA O CURSO SUPERIOR DE COMPLEMENTAÇÃO DE ESTUDOS, COM DESTINAÇÃO COLETIVA, EM CONTROLADORIA E ORÇAMENTO, NO CCSJA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de

Leia mais

I - FUNDAMENTOS BÁSICOS DE FINANÇAS CORPORATIVAS, 1 1 O

I - FUNDAMENTOS BÁSICOS DE FINANÇAS CORPORATIVAS, 1 1 O Sumário Prefácio, xiii Parte I - FUNDAMENTOS BÁSICOS DE FINANÇAS CORPORATIVAS, 1 1 O que são Finanças Corporativas?, 3 1 Introdução, 3 2 Objetivos empresariais, 4 3 Estratégias operacionais, 5 4 Estrutura

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ORÇAMENTÁRIA I Código: ADM 353 Pré-Requisito: Contabilidade

Leia mais

Ao se analisar o comportamento do fluxo de recursos provenientes das operações mercantis das empresas, é possível retratar tal como a figura a seguir:

Ao se analisar o comportamento do fluxo de recursos provenientes das operações mercantis das empresas, é possível retratar tal como a figura a seguir: Modelo Fleuriet Ao se analisar o comportamento do fluxo de recursos provenientes das operações mercantis das empresas, é possível retratar tal como a figura a seguir: COMPRAS PRODUÇÃO E ESTOCAGEM CAIXA

Leia mais

Boa sorte, vcs estão de parabéns muito bem estruturado o trabalho de vcs...

Boa sorte, vcs estão de parabéns muito bem estruturado o trabalho de vcs... 1. Aplicar tudo em primeira pessoa (verbos); 2. Aproveitar o maximo do autor de livros finaneceiros, Gitmam ; 3. No item Problema alterar na primeira linha uma àrea para algo como recurso ou instrumento,

Leia mais

Neste contexto, o Fluxo de Caixa torna-se ferramenta indispensável para planejamento e controle dos recursos financeiros de uma organização.

Neste contexto, o Fluxo de Caixa torna-se ferramenta indispensável para planejamento e controle dos recursos financeiros de uma organização. UNIDADE II FLUXOS DE CAIXA Em um mercado competitivo, a gestão eficiente dos recursos financeiros, torna-se imprescindível para o sucesso da organização. Um bom planejamento do uso dos recursos aliado

Leia mais

A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO RESUMO

A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO RESUMO A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO Flávio Augusto da Silva Dias flavinhokaf@hotmail.com Julio Cesar Sgarbi Julio.uru@hotmail.com RESUMO Com a busca de melhores resultados e maximização dos lucros

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO. Período:

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO. Período: FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: (curso/habilitação) Ciências Contábeis Disciplina: Administração Sistemas de Informação. Carga Horária: (horas/semestre) 50 aulas Semestre Letivo / Turno: 6º Semestre

Leia mais

PALAVRAS-CHEVE: Capital de giro, saldo de tesouraria, necessidade de capital de giro.

PALAVRAS-CHEVE: Capital de giro, saldo de tesouraria, necessidade de capital de giro. TÍTULO: ANÁLISE AVANÇADA DE EMPRESAS AUTOR: JOSÉ A MOURA ARANHA CREDENCIAIS: Graduado em Ciências Contábeis com pós-graduação em Perícia Contábil, Financeira e Empresarial, professor na Faculdade Estácio

Leia mais

Faculdades Integradas Teresa D Ávila

Faculdades Integradas Teresa D Ávila Faculdades Integradas Teresa D Ávila CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecido pela Portaria Ministerial nº. 4.571 de 28/12/05 e publicado no DOU em 29/12/05. Componente Curricular: Gerencial Carga-horária: 80

Leia mais

Oficina Técnica. Demonstração de Fluxo de Caixa (Resolução CFC 1296/2010) Agosto 2012. Elaborado por: Walter Luiz Quaglio

Oficina Técnica. Demonstração de Fluxo de Caixa (Resolução CFC 1296/2010) Agosto 2012. Elaborado por: Walter Luiz Quaglio Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Administração Financeira Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceitos gerais e uso atual

Leia mais

Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: 04 aulas Créditos: 04 Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo pelas DCN: Formação Profissional

Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: 04 aulas Créditos: 04 Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo pelas DCN: Formação Profissional DISCIPLINA: Contabilidade Gerencial CÓDIGO: 2ADM.0 VALIDADE: a partir de agosto de 200 TÉRMINO: Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: aulas Créditos: Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo

Leia mais

CÁLCULO DO CAPITAL DE GIRO 1 RESUMO 1.0 INTRODUÇÃO. Pâmela Marcelino Araújo 2 Eurípedes Bastos Siqueira 3

CÁLCULO DO CAPITAL DE GIRO 1 RESUMO 1.0 INTRODUÇÃO. Pâmela Marcelino Araújo 2 Eurípedes Bastos Siqueira 3 CÁLCULO DO CAPITAL DE GIRO 1 Pâmela Marcelino Araújo 2 Eurípedes Bastos Siqueira 3 RESUMO O mercado apresenta alto nível de competitividade e inovações. Segundo dados do Sebrae (2011) uma das principais

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PROGRAMA DE DISCIPLINA

CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PROGRAMA DE DISCIPLINA CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Identificação: Disciplina: TEORIA DA CONTABILIDADE Departamento: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Corpo Docente : Renato Felipe Cobo Professor Regente:

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 8: ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO Administrar o capital de giro pode ser sinônimo de administrar o ativo circulante, composto das disponibilidades, das contas a receber,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Janilson Laane Maio/2011 Objetivos 1. Apresentar o conceito e em que contexto está

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2014.2

PLANO DE ENSINO 2014.2 Gestão de Estoque Semestre: 2º Ementa Conteúdo Bibliografia Básica: Bibliografia Complementar: Critério de Avaliação PLANO DE ENSINO 2014.2 Carga Horária: 50h Introdução ao conceito, objetivos e controles

Leia mais

Análise do ciclo operacional e financeiro: um estudo de caso em uma empresa do ramo moveleiro de São Bento do Sul SC

Análise do ciclo operacional e financeiro: um estudo de caso em uma empresa do ramo moveleiro de São Bento do Sul SC Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Análise do ciclo operacional e financeiro: um estudo de caso em uma empresa do ramo moveleiro de São Bento do Sul SC Carla Baldissera (UnC) - karllinhah_sbs@hotmail.com

Leia mais

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Administração Financeira II. 6º semestre

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Administração Financeira II. 6º semestre Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 10: ADMINISTRAÇÃO DOS ESTOQUES Os estoques têm grande importância dentro do grupo do ativo circulante. Apesar da moderna administração dos estoques, pela aplicação contínua

Leia mais

Unidade IV. A necessidade de capital de giro é a chave para a administração financeira de uma empresa (Matarazzo, 2008).

Unidade IV. A necessidade de capital de giro é a chave para a administração financeira de uma empresa (Matarazzo, 2008). AVALIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade IV 7 ANÁLISE DO CAPITAL DE GIRO A necessidade de capital de giro é a chave para a administração financeira de uma empresa (Matarazzo, 2008). A administração

Leia mais

AULA 3 Assunto: ORIGENS DOS RECURSOS PARA INVESTIMENTOS

AULA 3 Assunto: ORIGENS DOS RECURSOS PARA INVESTIMENTOS AULA 3 Assunto: ORIGENS DOS RECURSOS PARA INVESTIMENTOS Professora Keilla Lopes Graduada em Administração pela UEFS Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Mestre em Administração pela UFBA Origem

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I 1 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I 2 CELSO ABREU DE ARAUJO Administrador - FACIG MBA Gestão Empresarial - FGV Mestrando Adm. Empresas - UDELMAR Telefone: 33-8432-3939 e- mail: celsoaaraujo@gmail.com

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO 1.1. Capital de Giro O Capita de Giro refere-se aos recursos correntes de curto prazo pertencentes à empresa. Dessa forma, o capital de giro corresponde aos recursos

Leia mais

Capital de giro. Capital de giro. Administração. Índices Financeiros e Capital de Giro. Prof: Marcelo dos Santos

Capital de giro. Capital de giro. Administração. Índices Financeiros e Capital de Giro. Prof: Marcelo dos Santos Administração Prof: Marcelo dos Santos Índices Financeiros e Capital de Giro A administração do capital de giro envolve basicamente as decisões de compra e venda tomadas pela empresa, assim como suas atividades

Leia mais

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A AUTOR ANTONIA TASSILA FARIAS DE ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ RESUMO O presente

Leia mais

A Importância da Análise das Demonstrações Contábeis na Concessão de Crédito

A Importância da Análise das Demonstrações Contábeis na Concessão de Crédito A Importância da Análise das Demonstrações Contábeis na Concessão de Crédito Kairo William de Carvalho kairo-william@hotmail.com IPTAN Milena de Paula Melo milenamelo15@hotmail.com IPTAN Carla Agostini

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO DO CAPITAL DE GIRO. Isabele Cristine e Vivian Vasconcelos

FUNDAMENTOS DA GESTÃO DO CAPITAL DE GIRO. Isabele Cristine e Vivian Vasconcelos FUNDAMENTOS DA GESTÃO DO CAPITAL DE GIRO Isabele Cristine e Vivian Vasconcelos Objetivos Apresentar o conceito e em que contexto está inserido o capital de giro; Explicar a importância do capital de giro;

Leia mais

Análise Dinâmica do.capital de Giro

Análise Dinâmica do.capital de Giro Análise Dinâmica do.capital de Giro Questões 12.1 O que são contas cíclicas do giro? Dê exemplos de contas ativas e passivas. 12.2 Desenvolva uma análise comparativa entre as medidas do capital circulante

Leia mais

Previsão da Necessidade de Capital de Giro utilizando os preceitos do Modelo de Entrada- Saída de Leontief

Previsão da Necessidade de Capital de Giro utilizando os preceitos do Modelo de Entrada- Saída de Leontief Previsão da Necessidade de Capital de Giro utilizando os preceitos do Modelo de Entrada- Saída de Leontief Adriano Antonio Nuintin Andréa Salvi Carlos Alberto Grespan Bonacim Evandro Marcos Saidel Ribeiro

Leia mais

Administração Financeira II

Administração Financeira II Administração Financeira II Introdução as Finanças Corporativas Professor: Roberto César INTRODUÇÃO AS FINANÇAS CORPORATIVAS Administrar é um processo de tomada de decisões. A continuidade das organizações

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DO LUCRO 1

DISTRIBUIÇÃO DO LUCRO 1 DISTRIBUIÇÃO DO LUCRO 1 Gillene da Silva Sanses 2 O artigo apresenta a nova realidade em que se inserem, sob a perspectiva de critério para cálculo, deliberação e distribuição aos sócios, dos lucros. O

Leia mais

Faculdade Alves Faria

Faculdade Alves Faria Apresentação Discente e Docente. Apresentação e Entrega do Plano de Ensino, 1 2 3 4 5 6 7 1. Introdução às Finanças Corporativas: Agrupamento das áreas básicas de finanças relacionadas às empresas. Evolução

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS PROF. Msc. JOSÉ VICENTE CAMPINAS - SP 2009 2 ANÁLISE

Leia mais

INSTRUMENTOS FINANCEIROS

INSTRUMENTOS FINANCEIROS INSTRUMENTOS FINANCEIROS Afonso Henrique Carvalho França* DEFINIÇÕES O Comitê de Pronunciamento Contábil emitiu durante o ano de 2009 os seguintes pronunciamentos sobre os instrumentos financeiros: CPC

Leia mais

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO 1 Fundamentos sobre Capital de Giro O objetivo da Administração Financeira de Curto

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis

Análise das Demonstrações Contábeis CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS AUTORIZAÇÃO 1393 PORT. MEC, D.O.U. 09/07/2001 DADOS SOBRE COMPONENTE CURRICULAR CÓDIGO: CBT - 352 NOME: Administração Financeira PROFESSOR: Edvaldo Pedreira Gama Filho C.H. SEMESTRAL

Leia mais

Análise Avançada das Demonstrações Financeiras

Análise Avançada das Demonstrações Financeiras Análise Avançada das Demonstrações Financeiras Como enxergar a realidade financeira e patrimonial da empresa através das análises estática e dinâmica das demonstrações financeiras Durante décadas as empresas

Leia mais

Necessidade de Capital de Giro, Compras, Vendas e Regressão Linear.

Necessidade de Capital de Giro, Compras, Vendas e Regressão Linear. Necessidade de Capital de Giro, Compras, Vendas e Regressão Linear. MAXIMILLIANO DA SILVA MARINHO Graduando Do Curso De Ciências Contábeis Da UFPA maxi_marinho@yahoo.com.br Heber Lavor Moreira Prof Orientador

Leia mais

ANÁLISE DE INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS PARA FINS DE TOMADA DE DECISÕES: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA NATURA COSMÉTICOS S/A

ANÁLISE DE INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS PARA FINS DE TOMADA DE DECISÕES: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA NATURA COSMÉTICOS S/A ANÁLISE DE INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS PARA FINS DE TOMADA DE DECISÕES: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA NATURA COSMÉTICOS S/A José Jonas Alves Correia 4, Jucilene da Silva Ferreira¹, Cícera Edna da

Leia mais

Ciclo Operacional. Venda

Ciclo Operacional. Venda Sumário 1 Introdução... 1 2 Dinâmica dos Fluxos de Caixa... 2 3 Capital Circulante Líquido (CCL) e Conceitos Correlatos... 4 4 Necessidade de capital de giro (NCG)... 6 5 Saldo em Tesouraria (ST)... 9

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 6: DECISÕES DE FINANCIAMENTO A CURTO PRAZO Nossa experiência, após centenas de demonstrações financeiras examinadas, sinaliza que as empresas entram num cenário de dificuldades

Leia mais

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Home page: www.crc.org.br - E-mail: cursos@crcrj.org.br Notas Explicativas Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com (Rio de Janeiro)

Leia mais

DISCIPLINA: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

DISCIPLINA: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA - EDITAL Nº08/2013.2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO Conteúdo Programático: UNIDADE I: O Universo Organizacional

Leia mais

PLANO DE CURSO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: CONTABILIDADE PARA ADMINISTRAÇÃO

PLANO DE CURSO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: CONTABILIDADE PARA ADMINISTRAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS 1 PLANO DE CURSO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: CONTABILIDADE PARA ADMINISTRAÇÃO CÓDIGO: NÚMERO DE HORAS SEMANAIS:

Leia mais

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES.

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO

Leia mais

OS INDICADORES DE ATIVIDADES COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EMPRESARIAL Um estudo do caso de uma empresa do setor madeireiro da Região Norte.

OS INDICADORES DE ATIVIDADES COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EMPRESARIAL Um estudo do caso de uma empresa do setor madeireiro da Região Norte. OS INDICADORES DE ATIVIDADES COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EMPRESARIAL Um estudo do caso de uma empresa do setor madeireiro da Região Norte. LUIZ PAULO FARIAS GUEDES Graduando do Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (SIGE)

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (SIGE) Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (SIGE) Por José Luís Carneiro - www.jlcarneiro.com - Sistemas de Apoio às Operações Sistemas de Informações Operacionais. Ligados ao aspecto físico-operacional.

Leia mais

PLANO DE ENSINO. CARGA HORÁRIA TOTAL: 72hs TEORIA: 72hs PRÁTICA: PRÉ-REQUISITOS: ADF

PLANO DE ENSINO. CARGA HORÁRIA TOTAL: 72hs TEORIA: 72hs PRÁTICA: PRÉ-REQUISITOS: ADF UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: DCC PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: MERCADO DE CAPITAIS SIGLA: MCP

Leia mais

capítulo 5 O CONTROLE FINANCEIRO DA ORGANIZAÇÃO Senhores, aqui estão os relatórios financeiros do ano passado. Podemos pagar nossas dívidas?

capítulo 5 O CONTROLE FINANCEIRO DA ORGANIZAÇÃO Senhores, aqui estão os relatórios financeiros do ano passado. Podemos pagar nossas dívidas? 22 capítulo 5 O CONTROLE FINANCEIRO DA ORGANIZAÇÃO A Contabilidade é o instrumento que as empresas usam para controlar suas finanças e operações. E os demonstrativos contábeis balanço patrimonial e demonstração

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: CONTABILIDADE GERAL PLANO DE CURSO

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: CONTABILIDADE GERAL PLANO DE CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: CONTABILIDADE GERAL Código: CTB 100 Pré-requisito: Não há Período Letivo: 2015.2 Professor:

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2 1 ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1 Moisés Araújo Guarda 2 Sara Alexssandra Gusmão França 3 RESUMO Este artigo versa

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISRAÇÃO FINANCEIRA

Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISRAÇÃO FINANCEIRA C U R S O D E C I Ê N C I A S C O N T Á B E I S Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISRAÇÃO FINANCEIRA Código: CNB CH Total: 72H Pré-Requisito: Período

Leia mais

VARIAÇÕES DE PREÇOS NOS ESTOQUES E SEUS IMPACTOS NO FLUXO DE CAIXA DE EMPRESAS COMERCIAIS

VARIAÇÕES DE PREÇOS NOS ESTOQUES E SEUS IMPACTOS NO FLUXO DE CAIXA DE EMPRESAS COMERCIAIS VARIAÇÕES DE PREÇOS NOS ESTOQUES E SEUS IMPACTOS NO FLUXO DE CAIXA DE EMPRESAS COMERCIAIS Barbieri, Geraldo* Kume, Ricardo* Seidel, André* *Faculdade de Economia e Administração. Universidade de São Paulo

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária: Escola de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Contabilidade Geral Professor Dr. Osvaldo Ramos Tsan Hu Carga horária: 4 Ementa: Código da Disciplina: 330.1601.1 Etapa:

Leia mais

ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS ÍNDICES DE LIQUIDEZ 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2

ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS ÍNDICES DE LIQUIDEZ 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 1 ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS ÍNDICES DE LIQUIDEZ 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 RESUMO Os índices de liquidez visam fornecer um indicador da capacidade da empresa de pagar suas dívidas,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA E TÍTULOS NEGOCIÁVEIS

ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA E TÍTULOS NEGOCIÁVEIS Administração Financeira e Orçamentária Prof. Ms.Onivaldo Izidoro Pereira ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA E TÍTULOS NEGOCIÁVEIS 16 de setembro 2015 É uma importante área da Administração do Capital de Giro, uma

Leia mais

Plano de Ensino 2014.2

Plano de Ensino 2014.2 Plano de Ensino Marketing Eletrônico Módulo E Ementa Bibliografia Básica: Carga Horária: 47h Introdução, conceito e aplicação prática do comércio eletrônico. Estudos estratégicos, táticos e operacionais

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA - EDITAL Nº08/2013.2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA - EDITAL Nº08/2013.2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: DIRETORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE APOIO DIDÁTICO PEDAGÓGICO COMISSÃO PRÓPRIA DE MONITORIA PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA - EDITAL Nº08/2013.2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CONTABILIDADE

Leia mais

ORÇAMENTO EMPRESARIAL

ORÇAMENTO EMPRESARIAL ORÇAMENTO EMPRESARIAL PROCESSO ORÇAMENTÁRIO 2 PROCESSO ORÇAMENTÁRIO Em linhas gerais o processo orçamentário consta de três grandes fases: Previsão (Planejamento); Execução; Controle. PROCESSO ORÇAMENTÁRIO

Leia mais

Código Créditos Período Pré-requisitos CSA 1404 4 3º CSA 1011

Código Créditos Período Pré-requisitos CSA 1404 4 3º CSA 1011 EMENTA Taxa interna de retorno; cálculo do valor líquido presente; pay back; taxa média de juros de mercado; método de amortização a juros simples MAJS; vida econômica de ativos; analise linear do equilíbrio;

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS 6.02.00.00-6 ADMINISTRAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS ADONILTON ALMEIDA DE SOUZA Curso

Leia mais

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Correção da Prova Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Questão 7 Uma sociedade empresária mantém no seu estoque de mercadorias para revenda três tipos de mercadorias: I, II e III. O valor total

Leia mais

FERRAMENTAS DE GERENCIAMENTO FINANCEIRO PARA MICROEMPRESAS RESUMO

FERRAMENTAS DE GERENCIAMENTO FINANCEIRO PARA MICROEMPRESAS RESUMO FERRAMENTAS DE GERENCIAMENTO FINANCEIRO PARA MICROEMPRESAS RESUMO Lucas de Oliveira COSTA 1 Rafael de Araújo SHUMAHER² Fabiano Martin TIOSSI³ Este trabalho tem como objetivo apresentar ferramentas contábeis

Leia mais

MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO 1. APRESENTAÇÃO O curso de MBA em Controladoria, Finanças e Planejamento Tributário desenvolvido pela FAACZ visa oferecer aos participantes instrumentais

Leia mais

Unidade III. Existe uma técnica própria para a construção de padrões para a Análise de Balanços, e tal se encontra neste capítulo.

Unidade III. Existe uma técnica própria para a construção de padrões para a Análise de Balanços, e tal se encontra neste capítulo. Unidade III FIXAÇÃO DOS ÍNDICES PADRÕES Matarazzo (08) afirma: A Análise de Balanços através de índices só adquire consistência e objetividade quando os índices são comparados com padrões, pois, do contrário,

Leia mais

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS 1. CONCEITOS A Demonstração do Fluxo de Caixa demonstra a origem e a aplicação de todo o dinheiro que transitou pelo Caixa em um determinado período e o resultado desse fluxo (Iudícibus e Marion, 1999).

Leia mais

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira Aula 3 Gestão de capital de giro Introdução Entre as aplicações de fundos por uma empresa, uma parcela ponderável destina-se ao que, alternativamente, podemos chamar de ativos correntes, ativos circulantes,

Leia mais

MBA EXECUTIVO EM FINANÇAS CORPORATIVAS

MBA EXECUTIVO EM FINANÇAS CORPORATIVAS IDENTIFICAÇAO DO CURSO: Nome do curso: MBA Executivo em Finanças Corporativas Modalidade: a distância Área do conhecimento Ciências Sociais Aplicadas total/tempo de integralização: 420 h/a 18 meses ou

Leia mais

GILBERTO PRADO SILVANO ROSANGELA CRISTINA BARRETO SILVA JANETE APARECIDA DOS SANTOS SOLA

GILBERTO PRADO SILVANO ROSANGELA CRISTINA BARRETO SILVA JANETE APARECIDA DOS SANTOS SOLA 0 GILBERTO PRADO SILVANO ROSANGELA CRISTINA BARRETO SILVA JANETE APARECIDA DOS SANTOS SOLA O ORÇAMENTO E A DFC COMO INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E CONTROLE FINANCEIRO DAS ORGANIZAÇÕES Londrina

Leia mais

Elementos Operacionais e Não Operacionais nas Demonstrações Contábeis

Elementos Operacionais e Não Operacionais nas Demonstrações Contábeis Elementos Operacionais e Não Operacionais nas Demonstrações Contábeis Autoria: Clóvis Luís Padoveze Resumo As demonstrações publicadas de acordo com o formato aprovado pelos órgãos regulatórios, tanto

Leia mais

Modelo Teórico de Análise do Capital de Giro e de Demonstração dos Fluxos Operacionais de Caixa

Modelo Teórico de Análise do Capital de Giro e de Demonstração dos Fluxos Operacionais de Caixa Modelo Teórico de Análise do Capital de Giro e de Demonstração dos Fluxos Operacionais de Caixa Maurício Melo Dolabella (Universidade Federal de Minas Gerais) mmd@face.ufmg.br Resumo O objetivo deste trabalho

Leia mais

É expressamente proibido cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização

É expressamente proibido cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização É expressamente proibido cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização dos autores conforme legislação vigente. Janeiro/2008

Leia mais

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. 1 OBJETIVO: Objetivos Gerais: Atualizar e aprofundar

Leia mais

Princípios de Finanças

Princípios de Finanças Princípios de Finanças Apostila 01 Finanças e Empresas Professora: Djessica Karoline Matte 1 SUMÁRIO Finanças e Empresas... 3 1. Introdução a Administração Financeira... 3 2. Definições... 3 2.1. Empresas...

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONTRAÇÕES FINANCEIRAS DE UMA EMPRESA DO SETOR DE ELETRODOMÉSTICO PARA TOMADA DE DECISÕES NA GESTÃO EMPRESARIAL

ANÁLISE DAS DEMONTRAÇÕES FINANCEIRAS DE UMA EMPRESA DO SETOR DE ELETRODOMÉSTICO PARA TOMADA DE DECISÕES NA GESTÃO EMPRESARIAL ANÁLISE DAS DEMONTRAÇÕES FINANCEIRAS DE UMA EMPRESA DO SETOR DE ELETRODOMÉSTICO PARA TOMADA DE DECISÕES NA GESTÃO EMPRESARIAL Linha de Pesquisa: Gestão Empresarial Evânio Carvalho Cruz Univás -Pouso Alegre/MG

Leia mais

A LIQUIDEZ : UMA BOA REFERÊNCIA PARA A ANÁLISE DE CRÉDITO A LIQUIDEZ : UMA BOA REFERÊNCIA PARA A ANÁLISE DE CRÉDITO

A LIQUIDEZ : UMA BOA REFERÊNCIA PARA A ANÁLISE DE CRÉDITO A LIQUIDEZ : UMA BOA REFERÊNCIA PARA A ANÁLISE DE CRÉDITO A LIQUIDEZ : UMA BOA REFERÊNCIA PARA A ANÁLISE DE CRÉDITO GLEICE LUANA CARDOSO DE FARIAS Graduanda do Curso de Ciências Contábeis da UFPA Luana733@hotmail.com Héber Lavor Moreira Professor Orientador heber@peritocontador.com.br

Leia mais

2.1. Referencial Histórico sobre o Modelo Tradicional de Liquidez

2.1. Referencial Histórico sobre o Modelo Tradicional de Liquidez 18 2 Modelo de Liquidez Este capitulo tem por objetivo apresentar uma revisão bibliográfica do referencial histórico dos modelos de avaliação empresarial por meio da utilização dos indicadores de liquidez

Leia mais

MBA Executivo - Auditoria e Finanças

MBA Executivo - Auditoria e Finanças MBA Executivo - Auditoria e Finanças Proposta do curso: O curso de MBA Executivo em Auditoria e Finanças possibilita ao profissional conhecer os fundamentos e as ferramentas de auditoria e gestão financeira.

Leia mais

Código da Disciplina: ENEX01427. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015

Código da Disciplina: ENEX01427. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015 Unidade Universitária: FACULDADE DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA Curso: Sistemas de Informação Disciplina: SISTEMAS DE GESTÃO DE FINANÇAS E CUSTOS Etapa: 07 Carga horária: 68 Teóricas, 0 Práticas, 0 EaD Ementa:

Leia mais