Análise de Viabilidade Hoteleira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise de Viabilidade Hoteleira"

Transcrição

1 Análise de Viabilidade Hoteleira Novotel Praça São Paulo, São Paulo - SP Elaborado para Odebrecht Realizações Imobiliárias 31 de Março de 2015 Em associação com: - 1 -

2 São Paulo, 31 de março de Ref: Estudo de Viabilidade Novotel Praça São Paulo São Paulo, São Paulo Apresentamos a seguir a análise simplificada para inserção de um empreendimento hoteleiro na cidade de São Paulo. O estudo oferece um diagnóstico da propriedade indicada e do mercado de hospedagem local. O relatório foi preparado seguindo as normas estabelecidas pela Appraisal Foundation, que constam no documento Uniform Standards of Professional Appraisal Practice (USPAP). A HVS certifica que não tem qualquer interesse na propriedade e que sua contratação e remuneração não são vinculadas aos resultados apresentados neste relatório. O empreendimento proposto é o objeto dos comentários desenvolvidos neste relatório e de todos os pressupostos e condições limitantes aqui apontados. Atenciosamente, HVS South America Rebecca Ribeiro, Assistente Pedro Cypriano, Gerente Cristiano Vasques, Sócio - 2 -

3 ÍNDICE 1. Introdução 2. O Projeto Hoteleiro 3. Tendências e Perspectivas Macroeconômicas 4. Mensuração de Oferta e Demanda 5. Projeção de Desempenho do Mercado 6. DRE Sintético do Hotel Proposto 7. Análise de Rentabilidade 8. Considerações Finais 9. Condições Restritivas 10. Consultores Envolvidos no Estudo 11. Glossário - 3 -

4 1. INTRODUÇÃO - 4 -

5 1. INTRODUÇÃO A empresa HVS é líder mundial em consultoria e serviços especializados em hotelaria. Na América do Sul, é representada pela área de consultoria da HotelInvest fundada em 1999, referência em assessoria de investimento hoteleiro na região. A HVS/HotelInvest foi contratada para elaborar um Estudo de Mercado e de Viabilidade Econômica para o Novotel Praça São Paulo, empreendimento hoteleiro de categoria midscale, a ser implantado na cidade de São Paulo. O grupo empreendedor é a Odebrecht Realizações Imobiliárias, construtora e incorporadora, que atua no segmento de empreendimentos residenciais, hoteleiros e comerciais, com presença nas principais regiões do Brasil e fora do país, como em Angola e no Peru. O objetivo deste relatório é apresentar as principais conclusões do estudo, o qual oferece um diagnóstico do projeto em desenvolvimento e do mercado de hospedagem na cidade de São Paulo. O relatório foi preparado seguindo as normas estabelecidas pela Appraisal Foundation, que constam no documento Uniform Standards of Professional Appraisal Practice (USPAP). Todo o trabalho presente neste relatório foi desenvolvido entre 08 de março de 2015 e 31 de março de As perspectivas de rentabilidade indicadas referem-se ao cenário de ocorrência mais provável projetado no período

6 1. INTRODUÇÃO Metodologia A metodologia utilizada para desenvolver esse estudo é baseada em pesquisas de mercado e em técnicas de avaliação adotadas pelo American Institute of Real Estate Appraisers e pelo Appraisal Institute, contida em diversas publicações de Stephen Rushmore, entre as quais: The Valuation of Hotels and Motels (Chicago: American Institute of Real Estate Appraisers, 1978); Hotels, Motels and Restaurants: Valuations and Market Studies (Chicago: American Institute of Real Estate Appraisers, 1983); The Computerized Income Approach to Hotel/Motel Market Studies and Valuations (Chicago: American Institute of Real Estate Appraisers, 1990); Hotels and Motels: A Guide to Market Analysis, Investment Analysis, and Valuations (Chicago: Appraisal Institute, 1992); Hotels and Motels Valuations and Market Studies (Chicago: Appraisal Institute, 2001). As principais etapas relacionadas ao estudo são apresentadas esquematicamente no fluxograma ao lado. Economia e Turismo Regional Coleta dos Dados e Análise das Informações Avaliação do Terreno do Hotel Posicionamento Mercadológico do Hotel Proposto Projeções Operacionais do Hotel Proposto Análise Financeira do Hotel Proposto Avaliação da Oferta Hoteleira Avaliação de Demanda Hoteleira Metodologia internacionalmente aceita, conforme as normas estabelecidas pela entidade norte-americana Appraisal Institute

7 2. O PROJETO HOTELEIRO - 7 -

8 2. O PROJETO HOTELEIRO Conceito e características principais Hotel de padrão midscale. Inauguração prevista: janeiro/ UHs, com cerca de 27m² de área útil cada. A&B: restaurante aberto em todas as refeições, além de room service 24h. Área de eventos de aproximadamente 230m², sendo a maior sala para 200 pessoas em auditório. Lobby com área para leitura, business center, lavanderia, fitness center e sauna. Afiliação à bandeira Novotel da rede Accor, que é a maior operadora de hotéis no Brasil, com 181 empreendimentos, totalizando mais de 30 mil quartos. A marca Novotel é a principal bandeira padronizada do segmento midscale da rede Accor e possui grande reconhecimento internacional. No Brasil, a marca possui doze unidades, as quais se situam em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, entre outras cidades. Novotel está presente nas principais cidades brasileiras. Conceito do produto adequado ao mercado em análise

9 2. O PROJETO HOTELEIRO Análise da localização Rua Henri Dunant, 792. Complexo imobiliário: o hotel estará localizado em um complexo que contará com três torres corporativas e três residenciais, além de uma torre de uso misto (salas comerciais, unidades residenciais, unidades hoteleiras e lojas). Boa acessibilidade: localizado próximo a importantes vias de São Paulo, como a Marginal Pinheiros e a Avenida Roque Petroni Júnior. Boa visibilidade: por não haver construções elevadas ao seu redor, a visibilidade do Novotel Praça São Paulo deverá ser beneficiada. Entorno expandido beneficiado pela proximidade a importantes shoppings da região (Market Place e Shopping Morumbi). Perspectivas de qualificação da região Operação Urbana Água Espraiada. Os lançamentos imobiliários previstos até 2020 contemplam aproximadamente 650 mil m² de área locável corporativa, no novo eixo de desenvolvimentos que vem sendo chamado de Nova Berrini. Os principais geradores de demanda locais encontram-se na região. Exemplos: Consulado Geral Estados Unidos, multinacionais farmacêuticas, do ramo alimentício, de tecnologia e de consultoria. Localização adequada para a implantação de um hotel midscale. Boas perspectivas de qualificação do entorno

10 3. TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS MACROECONÔMICAS

11 3. TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS MACROECONÔMICAS Cenário nacional PIB: Média de crescimento de 4,4% a.a. entre 2003 e A partir de 2011, a média anual caiu para 1,55% a.a., patamar que deve permanecer ao menos em médio prazo caso reformas estruturais não sejam realizadas. INFLAÇÃO (IPCA): Aumento das pressões inflacionárias desde A manutenção da inflação próxima ao centro da meta estipulada pelo Banco Central (4,5%) dependerá principalmente de investimentos em melhoria de produtividade no país. CÂMBIO: O país vive um período de valorização do dólar desde 2012, tendência que pode se acentuar em razão dos sinais de recuperação da economia dos EUA e conseguinte redirecionamento do fluxo futuro de capitais. JUROS (SELIC): A taxa básica de juros SELIC, que foi reduzida sistematicamente desde agosto de 2011, chegou ao patamar de 7,25% em novembro de 2012, porém voltou a subir e hoje está em 12,75%. A perspectiva é de que até o fim de 2015 os juros cheguem a 13,03% na média do ano (Boletim Focus, 20 de março de 2015). DADOS SOCIOECONÔMICOS NACIONAIS Ano PIB 1 Inflação (IPCA) Câmbio (R$/ US$) 2 Taxa de Juros (SELIC) 3 Fonte: Banco Central do Brasil / Boletim Focus (20/03/2015) Evolução histórica favorável, porém com recente arrefecimento econômico e pressão inflacionária Risco Brasil 4 Balança Comercial ,1% 9,3% 3,08 23,2% , ,7% 7,6% 2,93 16,2% , ,2% 5,7% 2,43 19,0% , ,0% 3,1% 2,17 15,5% , ,1% 4,5% 1,95 12,0% , ,2% 5,9% 1,83 12,4% , ,3% 4,3% 1,99 10,0% , ,5% 5,9% 1,75 9,8% , ,7% 6,5% 1,67 11,7% , ,9% 5,8% 1,95 8,53% , ,5% 5,9% 2,09 8,19% 194 6, ,1% 6,4% 2,36 10,94% 230-2,0 2015e -0,8% 8,1% 3,10 13,03% 308 3,5 2016e 1,2% 5,6% 3,11 11,83% - 11,0 1 - PIB Real - Variação percentual sobre o mesmo período do ano anterior 2 - Câmbio comercial para compra: (R$) / (US$) - média anual 3 - Média anual 4 - Média anual 5- Saldo (R$ Bilhões - Nominais)

12 3. TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS MACROECONÔMICAS Cenário local Cidade de São Paulo Crescimento histórico abaixo da média nacional, principalmente em razão de São Paulo ser uma economia madura. Houve crescimento na criação de empregos desde Já a partir de 2011, esta taxa vem caindo devido ao baixo desempenho da economia nacional. Apesar da perda de fôlego no ritmo de criação de empregos, o saldo entre admitidos e desligados é positivo e deverá crescer mais rápido quando a economia retomar o crescimento. Perspectiva de crescimento moderado da economia local. Fonte: IPEADATA EMPREGOS FORMAIS DE SÃO PAULO (2007/2014) Admitidos Desligados Taxa de criação de empregos 7,65% 7,08% 3,58% 7,13% 5,12% 2,84% 1,91% 1,13% DADOS ECONÔMICOS DE SÃO PAULO População Crescimento Médio Anual 0,81% PIB - R$ de 2010 (mil) % do PIB Estadual 17,1% 16,0% 16,7% 16,4% 15,7% 15,9% 16,3% 15,9% Crescimento Real do PIB (%) -2,0% -0,5% 8,3% 1,9% 7,9% 2,0% 1,7% 5,3% Crescimento Médio Anual 3,75% Estrutura do Setor Produtivo Agropecuária (%) 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% Indústria (%) 20,6% 22,1% 20,4% 19,2% 18,5% 17,6% 17,2% 16,7% Serviços(%) 62,6% 60,3% 62,8% 64,1% 65,4% 64,3% 65,7% 65,4% Impostos (%) 16,8% 17,6% 16,7% 16,7% 16,1% 18,1% 17,1% 17,9% Fonte: IPEADATA 9,00% 7,20% 5,40% 3,60% 1,80% 0,00%

13 3. TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS MACROECONÔMICAS Fluxo aéreo de passageiros Os Aeroportos de Guarulhos, Congonhas e Viracopos, entre 2004 e 2014, tiveram uma taxa média anual de crescimento de passageiros de aproximadamente 9,5%. No início de 2012, os aeroportos de Guarulhos e de Viracopos passaram por privatização (período de concessão: 30 anos) para execução de obras de ampliação. A primeira fase dos investimentos foi entregue em Expectativa de crescimento do fluxo de passageiros destes aeroportos nos próximos anos em médio e longo prazo, devido à expansão de Viracopos e do GRU Airport. FLUXO DE PASSAGEIROS AEROPORTO DE GUARULHOS, AEROPORTO DE Ano Fonte: INFRAERO, GRUAirport, Viracopos CONGONHAS E AEROPORTO DE VIRACOPOS Tráfego de Variação Variação Passageiros Percentual* Percentual** ,9 % 23,9 % ,7 28, ,1 28, ,3 28, ,3 42, ,2 75, ,7 99, ,5 114, ,8 128, ,2 147,6 *Variação percentual anual, em relação ao ano anterior **Variação percentual acumulada, em relação a 2004 Crescimento médio de demanda próximo a 9,5% ao ano. Investimentos aumentarão a capacidade operacional dos aeroportos em médio prazo

14 4. MENSURAÇÃO DE OFERTA E DEMANDA

15 4. MENSURAÇÃO DE OFERTA E DEMANDA Set competitivo DESEMPENHO DO SET COMPETITIVO DO HOTEL PROPOSTO Segmentação Estimada Estimativa 2014 Hotel Número de UHs Negócios Eventos / Grupos Outros Quantidade Ponderada de Quartos Occ. Diária Média RevPAR Penetraçã o da Ocupação Penetraç ão de Receita Concorrentes Primários % 26 % 10 % ,4 % R$ 251,90 R$ 147,00 96,4 % 91,4 % Concorrentes Secundários % 22 % 11 % ,7 % R$ 288,39 R$ 186,52 106,8 % 116,0 % Concorrentes - Geral % 24 % 10 % ,6 % R$ 265,49 R$ 160,78 100,0 % 100,0 % Fonte: HVS/HotelInvest O set competitivo é definido de acordo com o padrão de produto, o perfil da demanda, o posicionamento de mercado e a distância do Hotel Proposto. Como competidores primários foram considerados os hotéis que possuem o mesmo padrão de produto e que se localizam próximos ao Novotel Praça São Paulo. Já como competidores secundários foram considerados os produtos midscale de regiões mais distantes e os hotéis com produto mais desgastado ou de segmento econômico que se localizam próximos ao Novotel Praça São Paulo. Observação: a diária média dos hotéis analisados é expressa em valores reais de fevereiro de 2015, líquidas de taxas e impostos, como ISS, PIS, COFINS e as comissões de terceiros, sem café da manhã. Identificação de 16 competidores entre primários e secundários. Total de UHs competitivas e bom desempenho operacional

16 4. MENSURAÇÃO DE OFERTA E DEMANDA Set competitivo HOTÉIS DO SET COMPETITIVO DO HOTEL PROPOSTO Hotel UHs Categoria Localização Competidor Blue Tree Verbo Divino 380 Midscale Chácara Santo Antônio Primário Estanplaza International 140 Midscale Chácara Santo Antônio Primário Intercity Premium Nações Unid 166 Midscale Chácara Santo Antônio Primário Mercure Nações Unidas 144 Midscale Chácara Santo Antônio Primário Transamérica Executive 114 Midscale Chácara Santo Antônio Primário Tryp Nações Unidas 370 Midscale Chácara Santo Antônio Primário Blue Tree Premium Morumbi 400 Midscale Morumbi Secundário Novotel Morumbi 190 Midscale Morumbi Secundário Quality Berrini 197 Midscale Morumbi Secundário The Time Othon Flat 114 Midscale Berrini Secundário Estanplaza Berini 127 Midscale Berrini Secundário Estanplaza Nações Unidas 94 Midscale Berrini Secundário Ibis Morumbi 376 EconômicoBerrini Secundário Intercity Premium Berrini 127 Upscale Berrini Secundário Prodigy Berrini 180 Upscale Berrini Secundário Tryp Berrini 170 Midscale Berrini Secundário Fonte: HVS/HotelInvest Set competitivo distribuído entre Morumbi, Chácara Santo Antônio e Berrini

17 4. MENSURAÇÃO DE OFERTA E DEMANDA Segmentação da demanda SEGMENTAÇÃO DO MERCADO COMPETITIVO 10% 24% 65% Negócios Eventos / Grupos Outros Fonte: HVS/HotelInvest A maior parte da demanda por hospedagem do set competitivo é do segmento de negócios

18 5. PROJEÇÃO DE DESEMPENHO DO MERCADO

19 5. PROJEÇÃO DE DESEMPENHO DO MERCADO DESEMPENHO HISTÓRICO SÃO PAULO Diária Média RevPAR Ocupação Oferta Demanda Ocupação R$ de % 80% 60% 40% 20% % 100% 80% 60% 40% 20% 0 0% 0 0% Pernoites (mil) Fonte: HVS/HotelInvest Fonte: HVS/HotelInvest Dados amostrais de aproximadamente unidades habitacionais de hotéis de padrão midscale e uppermidscale da cidade de São Paulo. Diária média em reais de 2014, sem café da manhã. Crescimento real acumulado de 23% entre 2010 e 2014 na receita por apartamento disponível (RevPAR)

20 5. PROJEÇÃO DE DESEMPENHO DO MERCADO Evolução de oferta NOVA OFERTA HOTELEIRA Hotéis Propostos Número de UHs Índice de Competitividade Data Estimada de Abertura Desenvolvedor Estágio de Desenvolvimento Novotel Praça São Paulo % 01/01/2017 Odebrecht Realizações Imobiliárias Em Construção Total 209 Fonte: HVS/HotelInvest Segundo a pesquisa de mercado realizada em março de 2015, além do Novotel Praça São Paulo, não há notícias de hotéis já lançados que deverão entrar em operação nos próximos anos no mercado em estudo. Baixa evolução da oferta, restrita apenas ao Novotel Praça São Paulo

21 5. PROJEÇÃO DE DESEMPENHO DO MERCADO Hotéis atuais e futuros Legenda Hotel Proposto Concorrentes Primários Concorrentes Secundários Fonte: HVS/HotelInvest

22 5. PROJEÇÃO DE DESEMPENHO DO MERCADO Projeção de demanda DEMANDA BASE DEMANDA INDUZIDA DEMANDA NÃO- ACOMODADA Demanda atualmente acomodada pelos hotéis do set competitivo em análise. A demanda base anual é igual ao total da oferta x 365 dias x ocupação média anual do mercado. Representa a demanda adicional que se espera atrair após a abertura de um novo gerador de demanda, como novas grandes empresas, centros de convenções ou megaeventos. Refere-se aos indivíduos que não puderam se hospedar na região, em razão da indisponibilidade de oferta em um determinado período. Com a abertura de novos hotéis, é de se esperar que parte dessa demanda venha a ser acomodada no mercado. DEMANDA POTENCIAL

23 5. PROJEÇÃO DE DESEMPENHO DO MERCADO Demanda potencial EVOLUÇÃO DA DEMANDA POTENCIAL 5,7% 2,9% 2,9% 1,9% 2,2% 1,8% 0,0% Fonte: HVS/HotelInvest Premissa de recuperação gradual do cenário econômico nacional e local a partir de Pico de crescimento de demanda em 2017, devido à abertura do Novotel Praça São Paulo e consequente acomodação da demanda não acomodada. Desaceleração do crescimento em longo prazo, devido às incertezas futuras. Evolução de 3,68% a.a. entre 2013 e

24 5. PROJEÇÃO DE DESEMPENHO DO MERCADO Evolução de oferta e demanda PROJEÇÃO DE OFERTA E DEMANDA DO MERCADO ,0% P E R N O I T E S ,0% 60,0% 40,0% 20,0% 0,0% O C U P A Ç Ã O Oferta Demanda Taxa de OCC Fonte: HVS/HotelInvest Espera-se que os índices de ocupação e de diária continuem em bons patamares ao longo dos próximos anos, pois a oferta futura é pouco expressiva e a demanda hoteleira crescerá. Apenas em 2017, com a abertura do Novotel Praça São Paulo, a ocupação deverá cair, porém com rápida recuperação nos anos seguintes. A permanência da taxa de ocupação em patamares saudáveis no período projetado deverá permitir aumentos reais de diária ao longo dos próximos anos

25 5. PROJEÇÃO DE DESEMPENHO DO MERCADO Taxa de ocupação e diária média Anos Fonte: HVS/HotelInvest PREVISÃO DE DIÁRIA MÉDIA PARA O MERCADO E PARA O EMPREENDIMENTO (R$) Ocupação Região (ano fiscal) Evolução da Diária Média Diária Média Ocupação Empreendimento Proposto (ano fiscal) Evolução da Diária Média Diária Média Penetração da Diária Média Ano Base 60,6 % R$ 265,49 R$ 320,00 * ,6-3,0 % 257, ,7 0,0 257, ,1 3,0 265,25 53,0 % R$ 319,71 120,5 % ,8 5,0 278,51 60,0 5,0 % R$ 335,70 120, ,6 5,0 292,44 65,0 5,0 R$ 352,48 120, ,9 7,0 312,91 66,0 7,0 R$ 377,16 120, ,1 7,0 334,81 67,0 7,0 R$ 403,56 120,5 Desempenho do Hotel Proposto no ano estabilizado (2021): R$ 403,56 de diária média e 67% de ocupação. Foi considerado que a diária média do Novotel Praça São Paulo equivaleria a R$ 320,00 se ele estivesse operando no ano base das projeções (2014), acima de seus competidores primários e secundários, por ser um hotel mais moderno e possuir uma forte marca. Premissa de queda dos preços em 2015, devido à baixa pressão de demanda hoteleira gerada pelo arrefecimento da economia nacional e local. Perspectiva de aumento real de diária a partir de 2017 considerando-se uma melhoria do ambiente macroeconômico. Devido ao produto e à marca reconhecidos internacionalmente, o Novotel Praça São Paulo terá uma penetração de ocupação também acima de seus concorrentes. Projeções em valores reais de fevereiro de

26 6. DRE SINTÉTICO DO HOTEL PROPOSTO

27 6. DRE SINTÉTICO DO HOTEL PROPOSTO PREVISÃO RESUMIDA DE RECEITAS E DESPESAS (R$ MIL) Estabilizado Unidades Habitacionais: Ocupação: 53% 60% 65% 66% 67% Diária Média (R$): R$ 303,73 R$ 335,70 R$ 352,48 R$ 377,16 R$ 403,56 RevPAR (R$): R$ 160,97 R$ 201,42 R$ 229,11 R$ 248,92 R$ 270,38 Dias em Operação: Demanda Atendida: RECEITAS DESPESAS DEPARTAMENTAIS DESPESAS OPERACIONAIS LUCRO OPERACIONAL DESPESAS FIXAS RESULTADO OPERACIONAL R$3.037 R$4.812 R$5.779 R$6.435 R$7.159 Fonte: HVS/HotelInvest Desempenho crescente entre 2017 e 2021 em razão do período de penetração do Novotel Praça São Paulo. É natural que nos primeiros anos de operação um hotel não atinja seu potencial máximo de resultado operacional. Projeções em valores reais de fevereiro de Bom resultado operacional. EBTIDA próximo a 25% no ano estabilizado (2021)

28 6. DRE SINTÉTICO DO HOTEL PROPOSTO PRINCIPAIS FONTES DE RECEITA Hospedagem / Alimentos & Bebidas (café da manhã, almoço, jantar, frigobar, bar e refeições durante eventos) /Eventos (Locação de salas e equipamentos) /Outras receitas (lavanderia, telecomunicações, estacionamento, business center, no-show, taxa de turismo). DESPESAS DEPARTAMENTAIS Hospedagem (material de limpeza, enxoval, assinatura de tv a cabo e artigos para hóspedes) / Alimentos & Bebidas (alimentos, bebidas, louça e utensílios de cozinha) / Eventos (equipamentos) /(Outras fontes de receitas (lavanderia, telecomunicações, estacionamento, transporte de hóspede). DESPESAS OPERACIONAIS Administrativa e Geral (salários, encargos, rescisões, benefícios, uniforme, segurança, coleta de lixo, assessorias e consultoria, central administrativa financeira, RH e departamento pessoal, serviços de TI, comunicações, despesas com viagens, materiais de escritório, outros) / Marketing (impressos gráficos, programa de fidelização, promoção interna, anúncios e inserções na mídia, material de publicidade, central de reservas e fees da marca) / Manutenção (materiais e equipamentos de manutenção, dedetização, manutenção construção civil, pintura, elevadores, equipamentos automáticos, ar condicionado, hidráulica, máquinas e equipamentos, móveis e utensílios, gerador, piscinas e áreas comuns, e gastos com informática) / Utilidades (energia elétrica, gás, combustível gerador e água) / Basic Fee (remuneração da operadora percentual sobre a receita total). DESPESAS FIXAS Fundo de Reposição (taxa para reposição de ativos e conservação do hotel) / Seguro Predial e IPTU (responsabilidade civil, seguro multirrisco e IPTU) / Incentive Fee (remuneração da operadora percentual sobre o resultado) / Asset Management (taxa de gestão estratégica dos ativos). O DRE já contempla o fundo de reposição, o que permite que o hotel se mantenha sempre renovado e competitivo

29 7. ANÁLISE DE RENTABILIDADE

30 7. ANÁLISE DE RENTABILIDADE A análise de rentabilidade do Hotel Proposto será calculada sob a perspectiva do comprador do condohotel. Para isso, levou-se em consideração os seguintes passos: Preço de venda a vista de cada apartamento do Hotel Proposto, conforme definido pela Odebrecht; Projeção do fluxo de caixa do investidor (comprador do condo-hotel): é projetado um fluxo de caixa durante o período de implantação do projeto e os 10 anos seguintes de operação. Em outras palavras, considera-se o valor pago pela UH (Unidade Habitacional) e suas perspectivas de resultado operacional. Ao final do 10º ano de operação, adotou-se como premissa a venda do apartamento (descontada a taxa de corretagem 6%). Para a estimativa do valor potencial de venda futura, foi utilizado um cap rate de 0,5% a.m., índice atualmente adotado no mercado secundário (fonte: Fundo Maxinvest, com base em 117 vendas de apartamentos registradas entre julho de 2013 a junho de 2014). Com base nessas informações (fluxo de caixa durante os 10 primeiros anos de operação + venda da unidade no 10º ano), calculou-se o retorno total bruto do investidor, conforme tabela a seguir. Este valor é considerado bruto, antes da incidência do Imposto de Renda. O ROI (Retorno sobre Investimento) também é apresentado a seguir e é calculado dividindo-se a distribuição média projetada por UH pelo investimento total realizado pelo comprador da UH

31 7. ANÁLISE DE RENTABILIDADE Rentabilidade do comprador do condo-hotel Fonte: HVS/HotelInvest FLUXO DE CAIXA DO INVESTIDOR (POR UH DE 26,5M² DE ÁREA PRIVATIVA) Resultado Operacional TIR Retorno Total Bruto 10,56% ( ) (6.420) O fluxo de caixa acima apresenta o volume de investimento e o resultado operacional por unidade habitacional de 26,5m², em valores nominais. O investimento total (R$ ) é composto pelo preço à vista da UH com FF&E (R$ ) + taxa de afiliação à Accor (R$ 1.344) + montante necessário para cobrir os custos pré-operacionais do hotel, incluindo o capital de giro do empreendimento (R$ 5.956). Ao final do 10º ano de operação, além do resultado operacional do hotel, considera-se também a venda do ativo. Premissas de inflação advindas do Boletim Focus de 13 de Março de 2015: IPC-A (utilizado para atualização dos rendimentos mensais) 2015 (7,93% a.a.), 2016 (5,60% a.a.) e para o período de 2017 a 2027, adotou-se o mesmo índice de 2016 (5,60% a.a.); IGP-M (utilizado para atualização da taxa de afiliação e pré-operacional) 2015 (6,00% a.a.) e 2016 (5,50% a.a.). Para definição do ano estabilizado do Novotel Praça São Paulo (2021), considerou-se o período de penetração do empreendimento e o período de recuperação de diária e ocupação do mercado depois da abertura do Novotel Praça São Paulo e da retomada de crescimento da economia nacional. Em valores reais, já descontados os efeitos da inflação, a rentabilidade mensal (ROI) é próxima a 0,6% a partir do ano estabilizado (2021)

32 7. ANÁLISE DE RENTABILIDADE Rentabilidade do comprador do condo-hotel DISTRIBUIÇÃO E ROI ANUAIS POR UH 14,0% 12,0% 10,0% 8,0% 6,0% 4,0% 2,0% 0,0% 12,1% 11,4% 10,8% 10,2% 9,7% 9,2% 7,8% R$ ,6% R$ R$ R$ ,2% R$ R$ R$ ,1% R$ R$ R$ Fonte: HVS/HotelInvest Distribuição anual por UH ROI Cálculo em valores nominais. Premissas de inflação: IPC-A 2015 (7,93% a.a.), 2016 (5,60% a.a.) e para o período de 2017 a 2027, adotou-se o mesmo índice de 2016 (5,60% a.a.). Preço da UH: R$ (considerando preço da UH com FF&E e taxas de afiliação e pré-operacional). Distribuição de R$ por UH e ROI de 12,1% no 10º ano de operação (2026)

33 7. ANÁLISE DE RENTABILIDADE Valor do m² PREÇO DE VENDA DE HOTÉIS SIMILARES Empreendimento Localização Preço Praticado* M² do menor quarto Preço/ m² Quality Berrini Berrini R$ ,97 29,03 R$ ,28 Intercity Nações Unidas Chácara Santo Antônio R$ ,72 30,26 R$ ,10 Intercity Premium Berrini Berrini R$ ,08 26,4 R$ ,78 Tryp Berrini Brooklin Novo R$ ,99 28,21 R$ ,79 Novotel Praça São Paulo Praça São Paulo R$ ,00 26,50 R$ ,04 Fonte: HotelInvest e Odebrecht Realizações Imobiliárias Hotéis de categorias similares da região estão sendo comercializados em até R$ 503 mil por UH (referência de valores reais em fevereiro de 2015 na comercialização das unidades pertencentes ao Fundo Maxinvest). É importante destacar que estes valores são calculados a partir do histórico de desempenho operacional de cada um dos empreendimentos e não levam em consideração o potencial de valorização dos ativos. O preço de venda de um condo-hotel depende principalmente do potencial de distribuição de lucro da propriedade

34 8. CONSIDERAÇÕES FINAIS

35 8. CONSIDERAÇÕES FINAIS Análise SWOT do Projeto PONTOS FORTES O hotel fará parte de um importante complexo imobiliário em desenvolvimento. Proximidade a importantes geradores de demanda locais. Operadora hoteleira com forte marca e boa penetração no mercado nacional e internacional. PONTOS FRACOS Entorno imediato com pouca atratividade aos finais de semana. OPORTUNIDADES SWOT AMEAÇAS Provável requalificação da região por meio da Operação Urbana Água Espraiada. Existência de demanda não atendida em alguns dias da semana e durante a realização de grandes eventos na cidade. A do mercado de edifícios corporativos na região aumentará a demanda por hotéis em médio prazo. Prolongamento do período de baixo crescimento econômico do país. Possível construção de novos hotéis, além dos indicados no estudo

36 8. CONSIDERAÇÕES FINAIS Parecer sobre a qualidade do empreendimento A qualidade de um hotel depende de diversos fatores, entre os quais a adequação do produto ao perfil da demanda, a localização do empreendimento, o profissionalismo e a força de marca do operador, as perspectivas de evolução do mercado, e os parceiros envolvidos na estruturação do negócio. Com base em tais variáveis, a seguir são apresentadas as principais considerações da HVS em relação ao projeto em desenvolvimento. Produto desenvolvido conforme o Manual de Melhores Práticas: o Manual de Melhores Práticas Para Hotéis de Investidores Imobiliários Pulverizados, publicado em 2012 pelo SECOVI-SP em parceria com a ABIH, o FOHB, a Adit Brasil e o Fhoresp tem como finalidade principal (...) disponibilizar parâmetros, refêrencias e procedimentos que permitam caracterizar, de maneira objetiva, o que é, na prática, um bom produto imobiliário de investimento hoteleiro (SECOVI, 2012). O manual pode ser visualizado no site do SECOVI. Investimento assessorado pela HVS: a HVS é uma das maiores empresas de consultoria e serviços especializados em hotelaria, complexos de uso misto, propriedades compartilhadas e em empreendimentos de lazer e entretenimento. Fundada em 1980, a companhia desenvolve mais de projetos ao ano para investidores hoteleiros, do mercado imobiliário, operadores e desenvolvedores em todo o mundo. A HVS possui uma equipe técnica altamente qualificada e com grande conhecimento em suas respectivas regiões de atuação. Com uma rede de mais de 30 escritórios e 450 profissionais, a HVS oferece uma ampla oferta de serviços complementares para o setor hoteleiro. Na América do Sul, a HVS é representada pela área de consultoria da HotelInvest fundada em 1999, referência em assessoria de investimento hoteleiro na região. Perspectiva de rentabilidade acima de hotéis já em operação: em média, hotéis similares da região distribuíram R$ 2,0 mil por mês por UH em 2014;

Análise de Viabilidade Hoteleira

Análise de Viabilidade Hoteleira Análise de Viabilidade Hoteleira Novotel Praça São Paulo, São Paulo - SP Elaborado para Odebrecht Realizações Imobiliárias 28 de Novembro de 2014 Em associação com: - 1 - São Paulo, 28 de novembro de 2014.

Leia mais

Análise de Viabilidade Hoteleira

Análise de Viabilidade Hoteleira Análise de Viabilidade Hoteleira Hotel Iman Estanplaza Faria Lima, São Paulo Elaborado para Estanplaza 19 de fevereiro de 2015 Em associação com: - 1 - São Paulo, 19 de fevereiro de 2015. Ref: Estudo de

Leia mais

Análise de Viabilidade Hoteleira

Análise de Viabilidade Hoteleira Análise de Viabilidade Hoteleira Hotel Laghetto Stilo proposto, Porto Alegre, RS Cyrela Sul 18 de Junho de 2015 Em associação com: - 1 - São Paulo, 18 de junho de 2015. Ref: Estudo de Viabilidade Hotel

Leia mais

Análise de Viabilidade Hoteleira

Análise de Viabilidade Hoteleira Análise de Viabilidade Hoteleira Hotel Pestana Barra Proposto, Rio de Janeiro RJ Elaborado para Dominus/Prodomus 10 de dezembro de 2014 Em associação com: - 1 - São Paulo, 10 de dezembro de 2014. Ref:

Leia mais

Análise de Viabilidade Hoteleira

Análise de Viabilidade Hoteleira Análise de Viabilidade Hoteleira Hotel Linx Proposto, Canoas, RS Melnick-Even 18 de Dezembro de 2015 Em associação com: - 1 - São Paulo, 18 de dezembro de 2015. Ref: Estudo de Viabilidade Hotel Linx Canoas

Leia mais

Análise de Viabilidade do projeto Hoteleiro

Análise de Viabilidade do projeto Hoteleiro Análise de Viabilidade do projeto Hoteleiro Intercity Hotel Araraquara -SP 30 de novembro de 2015 Análise de viabilidade do projeto hoteleiro Intercity Araraquara Agenda 1. Introdução 3 2. Tendências e

Leia mais

Análise de Viabilidade do projeto Hoteleiro

Análise de Viabilidade do projeto Hoteleiro Análise de Viabilidade do projeto Hoteleiro Comfort Guarulhos 9 de abril de 2015 Estudo de mercado e viabilidade econômica Agenda 1. Introdução 2 2 Análise econômica da região 5 3 O projeto hoteleiro 8

Leia mais

INCORTEL INCORPORAÇÃO E HOTELARIA

INCORTEL INCORPORAÇÃO E HOTELARIA INCORTEL INCORPORAÇÃO E HOTELARIA EXPERTISE EM INCORPORAÇÃO HOTELEIRA 28 anos de experiência no segmento de incorporação Conceito diferenciado agregado aos seus produtos de alto padrão Parceria com o grupo

Leia mais

PLACAR DA HOTELARIA. 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil. Projeção da taxa de ocupação nas. 2ª Edição Março/2011

PLACAR DA HOTELARIA. 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil. Projeção da taxa de ocupação nas. 2ª Edição Março/2011 PLACAR DA HOTELARIA Projeção da taxa de ocupação nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil 2ª Edição Março/2011 realização O Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB) nasceu da iniciativa de

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini maio 2013

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini maio 2013 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini maio 2013 PREMISSAS E RESPONSABILIDADES NA ANÁLISE DE INVESTIMENTOS EM FLATS Prof. M.Eng. Rogerio Santovito Diretor-executivo da LARES

Leia mais

PLACAR DA HOTELARIA. 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil. Projeção da taxa de ocupação nas. 3ª Edição Outubro /2011

PLACAR DA HOTELARIA. 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil. Projeção da taxa de ocupação nas. 3ª Edição Outubro /2011 O Placar da Hotelaria é uma publicação que tem como objetivo monitorar a evolução dos mercados hoteleiros nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, de maneira a colaborar para o desenvolvimento ordenado

Leia mais

Material sujeito a alteração e exclusivo para uso interno da Even. Proibida a divulgação

Material sujeito a alteração e exclusivo para uso interno da Even. Proibida a divulgação Material sujeito a alteração e exclusivo para uso interno da Even. Proibida a divulgação Avenida Hélio Material sujeito a alteração e exclusivo para uso interno da Even. Proibida a divulgação Fácil acesso

Leia mais

HOTÉIS ECONÔMICOS NO BRASIL - 2008

HOTÉIS ECONÔMICOS NO BRASIL - 2008 HOTÉIS ECONÔMICOS NO BRASIL - 2008 FICHA TÉCNICA: Consultor Coordenador José Ernesto Marino Neto Este relatório foi realizado pela BSH Travel Research, divisão estatística da BSH International e apresenta

Leia mais

O setor hoteleiro do Brasil às portas da Copa do Mundo. Roberto Rotter 20 de setembro de 2013

O setor hoteleiro do Brasil às portas da Copa do Mundo. Roberto Rotter 20 de setembro de 2013 O setor hoteleiro do Brasil às portas da Copa do Mundo Roberto Rotter 20 de setembro de 2013 Panorama atual da hotelaria - Brasil Total de hotéis: 10 mil Total de UH s: 460 mil Fonte: Hotelaria em Números

Leia mais

62 o. FENINJER. Período 17 a 20 de fevereiro de 2016 Quarta à Sexta - das 10h às 20h / Sábado das 10h às 18h WTC Events Center

62 o. FENINJER. Período 17 a 20 de fevereiro de 2016 Quarta à Sexta - das 10h às 20h / Sábado das 10h às 18h WTC Events Center 62 o. FENINJER Período 17 a 20 de fevereiro de 2016 Quarta à Sexta - das 10h às 20h / Sábado das 10h às 18h WTC Events Center Hotel Quality Berrini Rua Henrich Hertz, 14 Brooklin São Paulo/SP O Quality

Leia mais

Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts

Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts 2013 Realização: INVESTIMENTOS NO BRASIL: HOTÉIS & RESORTS 2013 O relatório a seguir foi realizado pela BSH Travel Research, divisão estatística da BSH International

Leia mais

Panorama da Hotelaria Brasileira. Rio de Janeiro São Paulo Salvador Curitiba Porto Alegre Belo Horizonte

Panorama da Hotelaria Brasileira. Rio de Janeiro São Paulo Salvador Curitiba Porto Alegre Belo Horizonte Panorama da Hotelaria Brasileira Rio de Janeiro São Paulo Salvador Curitiba Porto Alegre Belo Horizonte 211-212 Apresentação Bem-vindo à 4ª edição do Panorama da Hotelaria Brasileira, a publicação anual

Leia mais

SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS

SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS Análise Econômica e Financeira Este relatório, elaborado pela Projeobra Engenharia Ltda., apresenta a análise econômica e financeira da implantação de um Shopping Popular

Leia mais

Holiday Inn. Um investimento tão seguro que a Patrimar garante o seu retorno. Belo Horizonte - Savassi

Holiday Inn. Um investimento tão seguro que a Patrimar garante o seu retorno. Belo Horizonte - Savassi Holiday Inn. Um investimento tão seguro que a Patrimar garante o seu retorno. Belo Horizonte - Savassi Juros em queda, dólar em alta, poupança em baixa. Sem dúvida, o investimento mais seguro e rentável

Leia mais

Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts -2011

Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts -2011 Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts -2011 INVESTIMENTOS NO BRASIL: HOTÉIS & RESORTS - 2011 Este relatório foi realizado pela BSH Travel Research, divisão estatística da BSH International e apresenta

Leia mais

PANORAMA DA HOTELARIA SUL AMERICANA 2015 2016

PANORAMA DA HOTELARIA SUL AMERICANA 2015 2016 ABRIL 2016 PANORAMA DA HOTELARIA SUL AMERICANA 2016 Argentina Chile Colômbia Peru Brasil Em associação com: Diogo Canteras, FRICS Senior Partner Cristiano Vasques, MRICS Managing Director Pedro Cypriano

Leia mais

Atualização do Estudo Mercadológico e de Viabilidade Econômico-Financeira. Adagio Batel Curitiba - PR. Helbor

Atualização do Estudo Mercadológico e de Viabilidade Econômico-Financeira. Adagio Batel Curitiba - PR. Helbor Atualização do Estudo Mercadológico e de Viabilidade Econômico-Financeira Adagio Batel Curitiba - PR Helbor Setembro / Outubro de 2014 Realização: Cliente: Atualização de Mercado e Estudo Preliminar de

Leia mais

Material preliminar para treinamento interno sujeito a alterações.

Material preliminar para treinamento interno sujeito a alterações. HOLIDAY INN NO MUNDO Fundado em 1952, por Kemmons Wilson em Memphis, Tennessee, EUA, se tornou a primeira rede hoteleira do mundo; É uma das marcas hoteleiras mais reconhecidas no mundo, com reputação

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME DO INVESTIDOR ADQUIRENTE: ENDEREÇO: Nº INSCRIÇÃO NO CPF/CNPJ:

DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME DO INVESTIDOR ADQUIRENTE: ENDEREÇO: Nº INSCRIÇÃO NO CPF/CNPJ: OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO WISE HOTEL ( OFERTA ) DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME DO INVESTIDOR ADQUIRENTE:

Leia mais

1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014. Logística

1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014. Logística 1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014 Logística Economia Brasileira Gráfico 1 Crescimento Econômico Brasileiro e Mundial PIB 2002 a 2016 (em %) 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0-2,0 7,5 61 6,1 5,7 4,6 5,3 5,2

Leia mais

Expansão no Brasil dos operadores internacionais/ novas bandeiras; O crescimento induzido: Copa 2014 e Olimpíada 2016.

Expansão no Brasil dos operadores internacionais/ novas bandeiras; O crescimento induzido: Copa 2014 e Olimpíada 2016. SITUAÇÃO DO SETOR HOTELEIRO NO BRASIL O parque hoteleiro; Novos conceitos de hotéis de negócios e eventos; O mercado para hotéis de negócios no Brasil; Retrofit Hoteleiro; Funding para a construção de

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2014

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2014 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2014 O SETOR HOTELEIRO BRASILEIRO APÓS A COPA Caio Sergio Calfat Jacob - ex-presidente da LARES (Latin American Real Estate Society)

Leia mais

RNGO11. Indicadores. O fundo foi lançado em: 20.7.2012; no valor de R$ 100,00 por cota. Não houve lançamentos secundário de cotas.

RNGO11. Indicadores. O fundo foi lançado em: 20.7.2012; no valor de R$ 100,00 por cota. Não houve lançamentos secundário de cotas. RNGO11 O fundo foi lançado em: 20.7.2012; no valor de R$ 100,00 por cota. Não houve lançamentos secundário de cotas. O fundo esteve em RMG até novembro de 2013 e pagou neste período um rendimento mensal

Leia mais

o Cláusulas e Condições Gerais previstas na forma de Anexo I ao Contrato de Promessa de Compra e Venda;

o Cláusulas e Condições Gerais previstas na forma de Anexo I ao Contrato de Promessa de Compra e Venda; Eu, [nome completo do cliente/declarante], [qualificação completa, incluindo nacionalidade, profissão e número de documento de identidade oficial e endereço], na qualidade de investidor interessado na

Leia mais

OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE

OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO CONDOMÍNIO EDIFÍCIO IBIRAPUERA ( OFERTA ) DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME

Leia mais

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados)

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) Plano de Negócio MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) O Projeto 04 Cenário Econômico A Demanda Concorrência Estratégia Comercial Operação Rentabilidade O Empreendedor 06

Leia mais

AVALIAÇÃO E CONSULTORIA IMOBILIÁRIA (VALUATION & ADVISORY)

AVALIAÇÃO E CONSULTORIA IMOBILIÁRIA (VALUATION & ADVISORY) Valuation & Advisory América do sul A Cushman & Wakefield é a maior empresa privada de serviços imobiliários comerciais do mundo. Fundada em Nova York, em 1917, tem 250 escritórios em 60 países e 16.000

Leia mais

Apresentação. Informações, dúvidas, comentários ou sugestões? Entre em contato com Cristiano Vasques: cvasques@hvs.com / (11) 3093-2743.

Apresentação. Informações, dúvidas, comentários ou sugestões? Entre em contato com Cristiano Vasques: cvasques@hvs.com / (11) 3093-2743. Maio 2015 Diogo Canteras, FRICS - Senior Partner Cristiano Vasques, MRICS - Managing Director Pedro Cypriano - Consulting Manager Vinicius Moreti - Analyst Rebecca Ribeiro - Analyst Alexandre Alfer - Assistant

Leia mais

por turistas poderá diminuir a taxa de ocupação e/ou do valor cobrado para o uso do empreendimento, impactando negativamente o resultado.

por turistas poderá diminuir a taxa de ocupação e/ou do valor cobrado para o uso do empreendimento, impactando negativamente o resultado. Antes de tomar a decisão de adquirir as frações ideais do empreendimento hoteleiro, os investidores devem considerar cuidadosamente todas as informações constantes deste material publicitário, em especial

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação Nesta 17ª Carta de Conjuntura da Saúde Suplementar, constam os principais indicadores econômicos de 2011 e uma a n á l i s e d o i m p a c t o d o crescimento da renda e do emprego sobre o

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Estudo de Mercado e de Viabilidade Econômico-Financeira. Hotel Americas Townhouses Hotel by Ramada Barra da Tijuca, Rio de Janeiro RJ

Estudo de Mercado e de Viabilidade Econômico-Financeira. Hotel Americas Townhouses Hotel by Ramada Barra da Tijuca, Rio de Janeiro RJ Estudo de Mercado e de Viabilidade Econômico-Financeira Hotel Americas Townhouses Hotel by Ramada Barra da Tijuca, Rio de Janeiro RJ Novembro de 2014 Índice Introdução... 05 Conjuntura Econômica Brasileira...

Leia mais

OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO

OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO CONDOMÍNIO HOTEL TATUAPÉ ( OFERTA ) DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME DO

Leia mais

GUIA INVESTIDOR HOTELEIRO

GUIA INVESTIDOR HOTELEIRO GUIA DO INVESTIDOR HOTELEIRO 15 A Operadora Proposta Tem capacidade de captação em nível internacional e possui canais de distribuição adequados ao mundo globalizado? Tem capacidade empresarial/diferencial

Leia mais

PORTO ALEGRE CARTILHA DO CORRETOR. 27822_009_Goldsztein_Cyrela_Open_Cartilha14.8x21cm.indd 1

PORTO ALEGRE CARTILHA DO CORRETOR. 27822_009_Goldsztein_Cyrela_Open_Cartilha14.8x21cm.indd 1 CARTILHA DO CORRETOR 27822_009_Goldsztein_Cyrela_Open_Cartilha14.8x21cm.indd 1 10/29/12 5:55 PM Office PORTO ALEGRE Hotel PORTO ALEGRE 1 2 3 4 5 6 7 ÍNDICE PG DUO CONCEPT PORTO ALEGRE...4 LOCALIZAÇÃO...7

Leia mais

Resorts no Brasil 2013

Resorts no Brasil 2013 Resorts no Brasil 2013 Realização: Apoio: RESORTS NO BRASIL 2013 Este relatório foi realizado pela BSH Travel Research, divisão estatística da BSH International e apresenta um panorama atual do mercado

Leia mais

AQUECIMENTO IMOBILIÁRIO

AQUECIMENTO IMOBILIÁRIO A VALORIZAÇÃO POR METRO QUADRADO. AQUECIMENTO IMOBILIÁRIO Como efeito inevitável do bom momento econômico do país e de todo o processo de revitalização da cidade em função da Copa de 2014 e da Olimpíada

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Abril de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve riscos

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O TURISMO E O DESENVOLVIMENTO HOTELEIRO NO BRASIL

REFLEXÕES SOBRE O TURISMO E O DESENVOLVIMENTO HOTELEIRO NO BRASIL REFLEXÕES SOBRE O TURISMO E O DESENVOLVIMENTO HOTELEIRO NO BRASIL Turismo é o estudo do deslocamento humano para fora de seu habitat usual, da indústria que responde por suas necessidades e dos impactos

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA FRALDAS DESCARTAVEIS Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA Fevereiro/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Leia mais

Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras No ano de 2012 o Londrina Country Club atualizou o plano de contas de sua demonstração de resultado. O objetivo é atualizar a nomenclatura das contas permitindo

Leia mais

Resorts no Brasil 2014

Resorts no Brasil 2014 Resorts no Brasil 2014 Realização: Apoio: RESORTS NO BRASIL 2014 Este relatório foi realizado pela BSH Travel Research, divisão estatística da BSH International e apresenta um panorama atual do mercado

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2012

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2012 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2012 O RISCO DOS DISTRATOS O impacto dos distratos no atual panorama do mercado imobiliário José Eduardo Rodrigues Varandas Júnior

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

ANEXO À DECLARAÇÃO DO INVESTIDOR FATORES DE RISCO

ANEXO À DECLARAÇÃO DO INVESTIDOR FATORES DE RISCO ANEXO À DECLARAÇÃO DO INVESTIDOR FATORES DE RISCO Antes de tomar a decisão de adquirir as frações imobiliárias hoteleiras do Pestana, potenciais investidores devem considerar cuidadosamente todas as informações

Leia mais

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO.

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO. EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO. Análise Econômico-financeira da Concessão A licitante deverá apresentar uma análise econômico-financeira da concessão,

Leia mais

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 índice Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 DADOS DO FUNDO 3 RENTABILIDADE 10 OBJETIVO

Leia mais

População PIB. Empresas Instaladas. 107ª maior cidade brasileira (2010) 240.652 Habitantes (2010) 6º maior PIB do estado de SP 15º maior PIB do Brasil

População PIB. Empresas Instaladas. 107ª maior cidade brasileira (2010) 240.652 Habitantes (2010) 6º maior PIB do estado de SP 15º maior PIB do Brasil População 107ª maior cidade brasileira (2010) 240.652 Habitantes (2010) PIB 6º maior PIB do estado de SP 15º maior PIB do Brasil Empresas Instaladas 15.804 empresas em 2011, representando 18,5% de crescimento

Leia mais

ESCRITÓRIOS CORPORATIVOS

ESCRITÓRIOS CORPORATIVOS 3T 2015 SÃO PAULO RELATÓRIO DE MERCADO ESCRITÓRIOS CORPORATIVOS FLIGHT TO QUALITY DETERMINA MELHOR RESULTADO ACUMULADO EM ALTO PADRÃO DOS ÚLTIMOS ANOS São Paulo Economia Indicadores Acumulados 2015 A+,

Leia mais

Bem-vindo ao Primeiro Hotel de Águas Claras

Bem-vindo ao Primeiro Hotel de Águas Claras Bem-vindo ao Primeiro Hotel de Águas Claras Dentro de um Cenário Econômico nacional jamais visto, o Brasil vive um momento de crescimento, e desenvolvimento acelerado, que é demonstrado pelos crescimentos

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012 Apresentação de Resultados 2T12 10 de agosto de 2012 Aviso Legal Esta apresentação contém certas declarações futuras e informações relacionadas à Companhia que refletem as visões atuais e/ou expectativas

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

Valor da diária convênio Instituto Licitar: R$ 395,00 apto. duplo Valor da diária balcão: R$ 718,00 apto. duplo

Valor da diária convênio Instituto Licitar: R$ 395,00 apto. duplo Valor da diária balcão: R$ 718,00 apto. duplo Apresentamos opções de hotéis próximos ao local de nosso evento, para sua escolha personalizada ao seu interesse e orçamento. As reservas e confirmações de tarifas devem ser efetuadas diretamente com a

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T10

Divulgação de Resultados do 4T10 Divulgação de Resultados do 4T10 23 de fevereiro de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia,

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010 APIMEC 1T10 27 de maio 2010 Aviso Importante O material que segue é uma apresentação de informações gerais de Multiplus S.A. ( Multiplus" ou "Companhia") na data desta apresentação. Este material foi preparado

Leia mais

Invista no hotel certo

Invista no hotel certo Invista no hotel certo O QUE VOCÊ PROCURA EM UM INVESTIMENTO HOTELEIRO ESTÁ AQUI. A economia de minas gerais cresce acima da média nacional: 5,15% no 1º trim./2011. Fonte: Informativo CEI-PIB MG _Fundação

Leia mais

4.2 MODELOS MATEMÁTICOS PARA A ANÁLISE DE INVESTIMENTOS

4.2 MODELOS MATEMÁTICOS PARA A ANÁLISE DE INVESTIMENTOS 4 PLANILHA ELETRÔNICA 4.1 CONTEXTO O Capítulo 3 tratou do método de pesquisa utilizado, as etapas e as estratégias adotadas neste trabalho. Neste capítulo, discorre-se sobre a planilha eletrônica desenvolvida

Leia mais

Relatório de Administração Semestre findo em 30 de junho de 2015 JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário

Relatório de Administração Semestre findo em 30 de junho de 2015 JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário Relatório de Administração Semestre findo em 30 de junho de 2015 JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário 1. Objetivo do fundo O Fundo JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

O PARQUE HOTELEIRO BRASILEIRO ÀS PORTAS DA COPA 2014

O PARQUE HOTELEIRO BRASILEIRO ÀS PORTAS DA COPA 2014 O PARQUE HOTELEIRO BRASILEIRO ÀS PORTAS DA COPA 2014 Reunião Trimestral dos Conselhos de Administração, Curador e Consultivo do SPCVB Sede do SECOVI-SP, 28.06.13 O PARQUE HOTELEIRO BRASILEIRO 450.000 UHs

Leia mais

Buenos Aires Santiago Bogota Rio de Janeiro São Paulo

Buenos Aires Santiago Bogota Rio de Janeiro São Paulo Maio 2015 Buenos Aires Santiago Bogota Rio de Janeiro São Paulo Diogo Canteras, FRICS - Senior Partner Cristiano Vasques, MRICS - Managing Director Pedro Cypriano - Consulting Manager Fernanda L'Hopital

Leia mais

408 Hotéis 63.858 DESEMPENHO GERAL BRASIL. notícias AMOSTRA + PÁG. 4. Roberto Rotter presidente. por cidade analisada (Uhs):

408 Hotéis 63.858 DESEMPENHO GERAL BRASIL. notícias AMOSTRA + PÁG. 4. Roberto Rotter presidente. por cidade analisada (Uhs): Ed. 43 fevereiro/2011 Dando continuidade ao objetivo do FOHB de seguir compartilhando informações e experiências de forma a colaborar para melhor planejar, estruturar e gerenciar a atividade hoteleira

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

Apresentação. Informações, dúvidas, comentários ou sugestões? Entre em contato com Cristiano Vasques: cvasques@hvs.com / (11) 3093-2743.

Apresentação. Informações, dúvidas, comentários ou sugestões? Entre em contato com Cristiano Vasques: cvasques@hvs.com / (11) 3093-2743. Apresentação Chegamos à 6ª edição do Panorama da Hotelaria Brasileira, a publicação anual que apresenta e analisa o desempenho do setor nos principais mercados nacionais. A cada ano, empenhamo-nos em trazer

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

HOTELARIA DE CURITIBA: UM GOL DE PLACA NA COPA 2014

HOTELARIA DE CURITIBA: UM GOL DE PLACA NA COPA 2014 HOTELARIA DE CURITIBA: UM GOL DE PLACA NA COPA 2014 INDUSTRIA HOTELEIRA EM CURITIBA Curitiba e região possui atualmente 18 mil leitos, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH).

Leia mais

Assembleia Geral Ordinária - FII BB Votorantim JHSF Cidade Jardim Continental Tower

Assembleia Geral Ordinária - FII BB Votorantim JHSF Cidade Jardim Continental Tower Assembleia Geral Ordinária - FII BB Votorantim JHSF Cidade Jardim Continental Tower Abril de 2014 Agenda Aprovação de Contas Laudo de Avaliação elaborado pela Colliers International Informações sobre o

Leia mais

ANEXO IV PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL

ANEXO IV PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL ANEXO IV PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL ANEXO IV PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL p. 1 / 28 Índice Índice... 2 Lista de Figuras... 3 1. Introdução... 4 2. Modelo de Investimentos... 6 2.1. CAPEX... 6 2.2.

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

Conforto + Praticidade = Sucesso Absoluto.

Conforto + Praticidade = Sucesso Absoluto. 1 2 2 3 Conforto + Praticidade = Sucesso Absoluto. O melhor custo-benefício transformado num diferencial único. Construtora Souza Maria No mercado desde 2001, a Construtora Souza Maria atua nos segmentos

Leia mais

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Agenda 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Cenário Internacional Cenário Internacional Mundo cresce, mas pouco. Preocupação com China 4 EUA

Leia mais

Está nascendo o empreendimento que vai mudar a paisagem da hotelaria e do turismo de negócios em Minas Gerais.

Está nascendo o empreendimento que vai mudar a paisagem da hotelaria e do turismo de negócios em Minas Gerais. Está nascendo o empreendimento que vai mudar a paisagem da hotelaria e do turismo de negócios em Minas Gerais. A economia de Belo Horizonte se destaca entre as principais cidades brasileiras. É um capítulo

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

O Desenvolvimento Hoteleiro no Interior do Brasil

O Desenvolvimento Hoteleiro no Interior do Brasil O Desenvolvimento Hoteleiro no Interior do Brasil Panorama e Oportunidades Apresentado por O Desenvolvimento Hoteleiro No Interior do Brasil A economia brasileira, caracterizada pelos setores de agricultura,

Leia mais

02 Panorama da Hotelaria Brasileira

02 Panorama da Hotelaria Brasileira 02 Prezado Amigo, Em 2009, a HVS faz 10 anos de Brasil! Nem parece que já faz tanto tempo que nos associamos ao Steve Rushmore para trazer a HVS pra cá! Olhando para trás, sentimos orgulho do muito que

Leia mais

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 São Paulo, 07 de Novembro de 2005 - O Submarino S.A. (Bovespa: SUBA3), empresa líder dentre aquelas que operam exclusivamente no varejo eletrônico

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO CPC-O - 01. Entidades de Incorporação Imobiliária

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO CPC-O - 01. Entidades de Incorporação Imobiliária COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS ORIENTAÇÃO CPC-O - 01 Entidades de Incorporação Imobiliária Descrição Item Objetivo e alcance 1 Formação do custo do imóvel, objeto da incorporação imobiliária 2-9 Despesas

Leia mais

Análise Resultados Agosto de 2015

Análise Resultados Agosto de 2015 Análise Resultados Agosto de 2015 Os resultados do mês de agosto de 2015 (revpar) no Best Western Plus Pampulha Design Hotel demonstram grande evolução em relação a agosto de 2014, aproximadamente 152%.

Leia mais

Cenários,Tendências e Desafios da Construção Civil no Brasil

Cenários,Tendências e Desafios da Construção Civil no Brasil Cenários,Tendências e Desafios da Construção Civil no Brasil I. Cenário Atual II. III. IV. Histórico e Dados Relevantes para Viabilidade O Negócio Imobiliário - Definições e Características Cenários para

Leia mais

Análise do Market Share e Fair Share no Setor Hoteleiro: Um estudo de Caso no Hotel Meliá Confort Berrini na cidade de São Paulo

Análise do Market Share e Fair Share no Setor Hoteleiro: Um estudo de Caso no Hotel Meliá Confort Berrini na cidade de São Paulo Análise do Market Share e Fair Share no Setor Hoteleiro: Um estudo de Caso no Hotel Meliá Confort Berrini na cidade de São Paulo Resumo Luciana Passos Marcondes 1 Luciana Helena Crnkovic 2 Maurício Sanitá

Leia mais

* Respectivamente, gerente, administradora e engenheiro da Gerência Setorial 4 do BNDES.

* Respectivamente, gerente, administradora e engenheiro da Gerência Setorial 4 do BNDES. HOTEL DE NEGÓCIOS Mary Lessa Alvim Ayres Ilka Gonçalves Daemon Paulo Cesar Siruffo Fernandes* Resumo Muito têm-se falado de hotéis de negócios: oportunidades de investimentos, grupos estrangeiros alardeando

Leia mais

ESCRITÓRIOS CORPORATIVOS

ESCRITÓRIOS CORPORATIVOS 2T 2015 SÃO PAULO RELATÓRIO DE MERCADO ESCRITÓRIOS CORPORATIVOS DISPONIBILIDADE APRESENTA QUEDA PONTUAL NO SEGMENTO ALTO PADRÃO São Paulo Indicadores Acumulados 2015 Estoque Total 4,68 milhões m² Absorção

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

5. Shopping Centers. 5.1. O Mercado de Shopping Centers no Brasil

5. Shopping Centers. 5.1. O Mercado de Shopping Centers no Brasil 52 5. Shopping Centers 5.1. O Mercado de Shopping Centers no Brasil O primeiro Shopping Center inaugurado no Brasil foi o Iguatemi, em São Paulo, em 1966. Na década de 70, mais sete empreendimentos foram

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES 1. INTRODUÇÃO Referente à elaboração e divulgação de informações pelas instituições administradoras dos Fundos de Investimento Imobiliário, para o mercado de valores mobiliários e encaminhamento à Comissão

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais