SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS"

Transcrição

1 SERVIÇO PÚBLICO FERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FERAL EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA MINAS GERAIS EDITAL ESPECÍFICO Nº 59/14, 14 FEVEREIRO O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FERAL EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA MINAS GERAIS (CEFET-MG), nos termos do Edital de Normas Gerais nº 40/14, torna público o Edital Específico para o Concurso Público de Provas e Títulos destinado ao provimento, em caráter efetivo, de cargos de Professor do Magistério Federal da Carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, de que trata a Lei n.º /2012, de 28 de novembro de 2012, classe D 1, nível 01, em Regime de Dedicação Exclusiva (), para atender ao CEFET-MG, nas áreas do conhecimento especificadas no Quadro 1 do presente Edital Específico. 1. Das Disposições Preliminares 1.1. O presente Edital Específico é parte integrante do Edital de Normas Gerais n.º 40/14, de 14/02/2014, que estabelece as normas gerais aplicáveis, bem como os procedimentos e o período de inscrição, a remuneração detalhada e o ingresso na carreira O Concurso Público destina-se ao preenchimento de vagas para o cargo de Professor da Carreira de Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, para a Unidade Araxá, conforme distribuição de vagas constante do Quadro 1 deste Edital Específico O ingresso na carreira do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico ocorrerá no nível I, classe D1, em regime de trabalho de 40 dedicação exclusiva (). 2. Das Inscrições 2.1. As inscrições estarão abertas a partir das 9 horas do dia 19/02/2014 até as 23 horas e 59 minutos do dia 20/03/2014 (horário de Brasília) e as informações relacionadas a valor e procedimentos estão descritas no Edital de Normas Gerais nº 40/14, de 14/02/ A inscrição do candidato implicará o conhecimento e aceitação tácita das condições estabelecidas tanto no presente Edital Específico, quanto no Edital de Normas Gerais nº 40/14, expedientes dos quais não poderá alegar desconhecimento. 3. Das Provas e dos Critérios de Avaliação 3.1 As informações relativas às provas e aos critérios de avaliação constam do Quadro 2 deste Edital Específico. 4. Das disposições Gerais 4.1. Incorporar-se-ão a este Edital Específico, para todos os efeitos legais, quaisquer editais complementares deste concurso que vierem a ser publicados pelo CEFET-MG, bem como as disposições e instruções contidas no endereço e demais expedientes pertinentes O prazo de validade do concurso será de 1 (um) ano, contado da data da publicação da homologação do resultado final do Edital Específico no Diário Oficial da União, podendo ser prorrogado por igual período, a critério do CEFET-MG É de inteira responsabilidade do candidato acompanhar as publicações no Diário Oficial da União de todos os atos, editais e comunicados referentes a este concurso público, e também as publicações no sítio Os casos omissos serão resolvidos pelo Diretor-Geral. Quadro 1 - Vagas por Área do Concurso Unidade / Departamento Nº de Vagas Área do Concurso Classe de Ingresso - Regime Araxá 1 Geologia Araxá 1 Topografia de Mina Araxá 1 Planejamento e controle da produção; Gestão da qualidade; Escolaridade exigida para o cargo Engenharia de Minas; Geologia Engenharia de Minas; Geologia Graduação em Engenharia de Produção

2 Sistemas integrados de manufatura; Logística; Normalização; Organização empresarial; Pesquisa operacional; Segurança no trabalho Araxá 1 Metalurgia; Metalografia; Tratamento térmico; Fundição, Materiais metálicos ferrosos e não ferrosos; Materiais não metálicos Araxá 1 Química Araxá 1 Matemática Araxá 1 Desenho Técnico; Desenho e Projeto Arquitetônico; Legislação Araxá 1 Língua Portuguesa Araxá 1 Circuitos Elétricos, Magnéticos e Eletrônicos; Eletrônica Industrial, Sistemas e Controles Eletrônicos Araxá 1 Medidas Elétricas, Magnéticas e Eletrônicas; Instrumentação Eletrônica Industrial, Sistemas e Controles Eletrônicos Engenharia de Materiais; Engenharia Metalúrgica; Engenharia Mecânica Licenciatura ou Bacharelado em Química Bacharelado e/ou Licenciatura em Matemática ou Matemática Aplicada ou Matemática Computacional Graduação em Arquitetura e Urbanismo Licenciatura Plena em Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Literatura brasileira Engenharia de Controle e Automação; Engenharia de Automação Industrial; Engenharia Elétrica Engenharia de Controle e Automação; Engenharia de Automação Industrial; Engenharia Elétrica Quadro 2 - Das Provas e dos Critérios de Avaliação Circuitos Elétricos, Magnéticos e Eletrônicos Eletrônica Industrial, Sistemas e Controles Eletrônicos I-Coesão, qualidade e coerência da argumentação-10 pontos II-Conteúdo e fundamentação teórica-80 pontos III- Capacidade de síntese e objetividade-10 pontos III. domínio de conteúdo: 40 (quarenta) pontos; VII. 1-Redes Industriais-1.1-Topologias de redes: Integração e comunicação; 1.2-Avaliação de desempenho: noções gerais; 1.3-Engenharia de protocolo: uso de linguagem de especificação e de ferramentas para concepção de Sistemas Distribuídos e protocolos; 1.4- Base de dados distribuídos; 1.5-SDCD; 1.6-Tolerância a faltas: noções gerais. 2-Sistemas de Controle: 2.1-Características de Sistemas lineares; 2.2-Análise e síntese de sistemas Contínuos e discretos; 2.3- Modelagem e simulação de sistema de controle; 2.4-Análise e Estabilidade de Sistemas de Controle realimentados; 2.5-Resposta em freqüência. 3-Sistemas Supervisórios e Interfaces Homem-Máquina- 3.1-Interface homem-máquina (IHM); 3.2-Sistemas supervisórios; 3.3-Programação de alarmes; 3.4-Projeto de sistema supervisório. AGUIRRE, L. A. Enciclopédia de automática: controle e automação. São Paulo: Blücher, 2007 ALBUQUERQUE, Pedro Urbano Braga de; ALEXANDRIA, Auzuir Ripardo de. Redes industriais: aplicações em sistemas digitais de controle distribuído. 2. ed. Editora Ensino Profissional, 2009 BOYER, Stuart A. SCADA: Supervisory Control and Data Acquisition. 3. ed. Editora ISA. CARVALHO, J. L. M. Sistemas de Controle Automático. São Paulo: LTC, CLARKE, Gordon; REYNRS, Deon. Practical modern SCADA protocols: DNP3, IEC and related systems. Elsevier. DORF, Richard C. Sistemas de Controle Moderno. 8. ed., São Paulo: LTC, HEMERLY, Elder M. Controle por computador de sistemas dinâmicos. 2. ed. São Paulo: Blücher, LUGLI, Alexandre Paratella et al. Redes industriais para automação industrial: AS-I, Profibus e Profinet. Érica. NATALE, Ferdinando. Automação industrial. 10. Ed. São Paulo: Érica, NISE, Norman S. Engenharia de sistemas de controle. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC OGATA, Katsuhiko. Engenharia de Controle Moderno. 8. ed. São Paulo: LTC, SMITH, Carlos A. Princípios e prática do controle automático de processo. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, SOUZA, Vitor Amadeu. Entendendo o Elipse SCADA. Editora Clube de Autores. Medidas Elétricas, Magnéticas e Eletrônicas; Instrumentação Eletrônica Industrial, Sistemas e Controles Eletrônicos

3 I-Coesão, qualidade e coerência da argumentação-10 pontos II-Conteúdo e fundamentação teórica-80 pontos III- Capacidade de síntese e objetividade-10 pontos VII. 1-Circuitos Elétricos -1.1-Técnicas de análise de circuitos em corrente contínua. 1.2-Técnicas de análise de circuitos em corrente alternada; 1.3- Potência em circuitos de corrente alternada. 2-Instrumentação, Controle e Automação- 2.1-Terminologia e simbologia de instrumentos e atuadores em diagramas de controle e instrumentação; 2.2-Elementos Finais de Controle; 2.3-Controladores Industriais. 3-Controladores Lógicos Programáveis Constituição dos CLPs; 3.2-Linguagens de programação de CLPs; 3.3 Comandos elétricos seqüenciais e combinacionais utilizando CLPs; 3.4-Projeto de sistemas de controle e comandos elétricos baseados em controladores lógico-programáveis. 4-Acionamentos Elétricos. 4.1-Acionamentos de motores elétricos: Conjugado de carga; 4.3-Comportamento térmico de motores elétricos; 4.4-Variação de velocidade de motores elétricos: inversores e soft-starters. 5-Sistemas Supervisórios e Interfaces Homem-Máquina- 5.1-Interface homem-máquina (IHM); 5.2-Sistemas supervisórios; 5.3-Programação de alarmes; 5.4-Projeto de sistema supervisório. ALVES, J. L. Loureiro. Instrumentação, Controle e Automação de Processos. LTC, BEGER, Egidio A. Instrumentação industrial: IBPG/ Inst, Brás, Petróleo & Gás. São Paulo: Interciência, BELOV, N. Acionamentos Elétricos. Educs, BOYER, Stuart A., SCADA: Supervisory Control and Data Acquisition. 3. ed. ISA. BOYLESTAD, R. L. Introdução a Análise de Circuitos Elétricos. Prentice Hall. BURIAN, Y. Jr.; LYRA, A. C. C. Circuitos Elétricos. Prentice Hall Brasil, L TORO, V. et. AL. Fundamentos de Máquinas Elétricas. LTC, DORF, R. C. Introdução aos Circuitos Elétricos. LTC. FRANCHI, C. M. Acionamentos Elétricos. Érica, GEORGINI, Marcelo. Automação aplicada: descrição e implementação de sistemas sequenciais com PLCs. 5. ed. São Paulo: Érica, CLARKE, Gordon; REYNRS, Deon. Practical modern Scada protocols: DNP3, IEC and related systems. Elsevier. Kosov, I. I. Máquinas Elétricas. Ed. Globo, MAME, J. Instalações Elétricas Industriais. LTC, MORAES, Cícero Couto de; CASTRUCCI, Plinio. Engenharia de automação industrial. Rio de Janeiro: LTC, NATALE, Ferdinando. Automação industrial. 10. ed. São Paulo: Érica, NILSSON, J. W.; RIEL, S. A. Circuitos Elétricos. LTC. ROLDAN, Jose. Manual de automação por controladores: tecnologia, motores trifásicos e monofásicos, manobra e comando, inversão de rotação e partida. São Paulo: Hemus, SMITH, Carlos A. Princípios e prática do controle automático de processo. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, SOUZA, Vitor Amadeu. Entendendo o Elipse SCADA. Editora Clube de Autores. Metalurgia; Metalografia; Tratamento térmico; Fundição, Materiais metálicos ferrosos e não ferrosos; Materiais não metálicos. I- conteúdo e fundamentação teórica 80 pontos; II- coesão, qualidade e coerência da argumentação 5 pontos; III- capacidade de síntese e objetividade 5 pontos; IV- uso da norma culta da língua 10 pontos. II.sequência, concatenação de ideias e desenvolvimento do tema: 20 (vinte) pontos; III.domínio de conteúdo: máximo de 40 (quarenta) pontos; IV.uso de linguagem técnico-científica adequada ao tema: 5 (cinco) pontos; V.uso de recursos didático-pedagógicos e criatividade: 10 (dez) pontos; VI.uso correto da norma culta da língua utilizada na prova: 10 (dez) pontos; VII. 1 - Ciência dos materiais: propriedades dos materiais; definição e tipos de materiais; ligações químicas; estruturas cristalinas. 2 Metalurgia: metais puros e soluções sólidas; estruturas dos metais e ligas; conceito de grão, defeitos de solidificação; equilíbrio e diagramas de fases; difusão em metais e ligas; transformações de fase; metais e ligas especiais; processos de conformação de metais; elaboração e refino de metais. Solidificação; Conformação termomecânica; tratamentos térmicos; metalurgia do pó 3 - Obtenção, propriedades e aplicações dos materiais metálicos ferrosos; diagrama ferro-carbono; esfriamento em condições de equilíbrio; Classificação dos aços conforme Norma ABNT; 4 - Tratamentos térmicos dos aços, tratamentos isotérmicos, tratamentos termoquímicos; correlação entre estruturas e propriedades, Diagrama Tempo, Temperatura e Transformação (TTT). Diagrama Transformação em Resfriamento Contínuo (TRC). 5 - Ferros fundidos. 6 - Metalografia: macrografia e micrografia de aços e ferros fundidos: técnicas e análises. 7 - Fundição: características, classificação e descrição dos processos de fundição; solidificação de metais, nucleação e crescimento; super-resfriamento e crescimento dendrítico; macroestruturas de solidificação; defeitos de solidificação; projeto e fabricação de peças fundidas; defeitos em peças fundidas; 8 - Obtenção, propriedades e aplicações dos materiais metálicos não ferrosos. 9 - Obtenção, propriedades e aplicações dos materiais cerâmicos Obtenção, propriedades e aplicações dos materiais poliméricos Obtenção, propriedades e aplicações dos materiais compósitos. ASKELAND, D. R.; PHULÉ, P. P. Ciência e engenharia dos materiais. São Paulo: Cengage Learning, p. BALDAM, Roquemar de Lima; VIEIRA, Estéfano Aparecido. Fundição: processos e tecnologias correlatas. São Paulo: Érica, p. CALLISTER JR., W. D. Ciência e engenharia de materiais: uma introdução. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, p. CHIAVERINI, V. Aços e ferros fundidos. 7. ed. São Paulo: Associação Brasileira de Metalurgia e Materiais - ABM, p. CHIAVERINI, V. Tecnologia mecânica: estrutura e propriedades das ligas metálicas. 2. ed. São Paulo: McGraw-Hill, v p. CHIAVERINI, V. Tecnologia mecânica: processos de fabricação e tratamento. 2. ed. São Paulo: McGraw-Hill, v p.

4 CHIAVERINI, V. Tecnologia mecânica: materiais de construção mecânica. 2. ed. São Paulo: McGraw-Hill, v p. CHIAVERINI, V. Metalurgia do pó: técnicas e produtos. 4. ed. São Paulo: Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração, p. COLPAERT, H. Metalografia dos produtos siderúrgicos comuns. 4. ed. São Paulo: Edgard Blücher, p. COUTINHO, T. A. Metalografia de não ferrosos. São Paulo: Edgard Blücher, p. PADILHA, A. F. Materiais de engenharia: microestrutura e propriedades. 2. ed. São Paulo: Hemus, p. SHACKELFORD, J. F. Ciência dos materiais. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, p. SOARES, G. A. Fundição: mercado, processos e metalurgia. Rio de Janeiro: Coppe / UFRJ, p. Disponível em: <http://www.metalmat.ufrj.br/livros/fundicao-mercado-processos-e-metalurgia/>. Acesso em: 17 nov VAN VLACK, L. H. Princípios de ciência e tecnologia dos materiais. Rio de Janeiro: Campus, p. Planejamento e controle da produção; Gestão da qualidade; Sistemas integrados de manufatura; Logística; Normalização; Organização empresarial; Pesquisa operacional; Segurança no trabalho. I- Uso correto da norma culta da língua utilizada na prova: 10 pontos; II- Coesão, qualidade e coerência da argumentação: 5 pontos; III- Conteúdo e fundamentação teórica: 80 pontos; IV- Capacidade de síntese e objetividade: 5 pontos. VII. SEGURANÇA NO TRABALHO: Introdução à engenharia de segurança. Estatística dos acidentes. Aspectos sociais e econômicos dos acidentes. CIPA, SEESMT. Tipos de acidentes e medidas; Combates a Incêndios. Equipamentos de proteção individual. Agentes físicos, químicos e biológicos. Fundamentos da higiene do trabalho. Doenças ocupacionais. Noções de toxicologia industrial e de ergonomia. Primeiros socorros. GESTÃO DA QUALIDA: Conceitos; Gestão da qualidade; Indicadores; Ferramentas e técnicas da gestão da qualidade; Padronização dos processos; Normalização ISO; Sistema de gestão da qualidade; Auditorias. PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO: Introdução ao PCP e o PCP na visão estratégica industrial. Previsão de demanda. S&Op. Planejamento agregado da produção. Planejamento mestre da produção. Planejamento das necessidades de materiais (MRP). Planejamento da capacidade de produção e Recursos de manufatura (MRP2). Ferramentas estatísticas aplicadas ao controle da produção. Produção Enxuta x Produção Puxada. Programação e sequenciamento de produção. SISTEMAS INTEGRADOS MANUFATURA: Sistemas de produção industrial e suas variações. Introdução a automação industrial. Tecnologia de grupo. DFMA Design for Manufacturing and Assembly. Células de manufatura. Engenharia simultânea e concorrente. Engenharia robusta. Sistemas flexíveis de manufatura. Ferramentas (Kanban). CAD/CAM/CAE. Vantagens de projetos aplicando engenharia simultânea. Vantagens de sistemas com FMS. LOGISTICA: Fundamentos; Conceito; Cadeia de suprimentos e Supply Chain Management; Princípios logísticos. Nível de serviço logístico. Logística e globalização. Funções logísticas na cadeia de suprimentos. Suprimento físico. Gestão de transportes. Gestão de estoques. Logística e tecnologia. NORMALIZAÇÃO: fundamentos e conceitos; Normalização a nível nacional, internacional e empresarial; Elaboração de normas técnicas e especificações; Aspectos básicos da qualidade industrial; Controle estatístico de processo; Gráficos e cartas de controle; Normas básicas para planos de amostragem e guias de utilização; Introdução ao 6 sigma. ORGANIZAÇÃO EMPRESARIAL: A importância das organizações versus os fenômenos externos. Competência organizacional e gerencial. O meio e as escolhas dos agentes econômicos. A empresa como um sistema. Organogramas empresariais. Administração financeira. Gestão de Custos. Introdução a contabilidade empresarial. PESQUISA OPERACIONAL: Formulação de Modelos. Programação Linear. Método Simplex. Problemas de Transporte. Programação Inteira. Modelos de Rede. Simulação Computacional. Introdução a Pesquisa Operacional. Programação Linear; Programação Linear Inteira; Programação Não Linear; Programação Dinâmica; Método Simplex. Problemas de Transporte. Teoria das Filas; Softwares; Análise de sensibilidade. ARENALES, M., ARMENTANO, V. A. MORABITO, R., YANASSE, H. H. Pesquisa Operacional, Editora Elsevier ATLAS. Segurança e Medicina do Trabalho. São Paulo: Atlas, BALLESTERO-ALVAREZ, MARIA ESMERALDA. Gestão da Qualidade, Produção e Operações. São Paulo - Atlas, 2012; BALLOU, R.H., Gerenciamento da cadeia de suprimentos/ Logística empresarial, 5a Edição, Bookman Editora. Porto Alegre, RS., BATEMAN, T. Administração novo cenário competitivo. 2. ed. -. São Paulo (SP). Atlas BLACK, J. T. O Projeto da Fábrica com Futuro. Porto Alegre, Bookman, BOWERSOX, D.J.; CLOSS, D.J., Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimento. Editora Atlas, 1a Edição. São Paulo, SP., BREVIGLIERO, E.; POSSEBON, J.; SPINELLI, R. Higiene ocupacional: agentes biológicos, químicos e físicos. São Paulo: SENAC São Paulo, p. CAMPOS, V. FALCONI.TQC Controle da Qualidade Total (no estilo japonês ),Nova Lima-MG : Editora Falconi, 8ª edição, 2004, 256 p. CARVALHO, M. M.; PALADINI, E. P. Gestão da Qualidade - Teoria e Casos. Rio de Janeiro: Campus, CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 7ª ed. Rio de Janeiro (RJ). Elsevier : Campus CHOPRA, S., MEINDL, P., Gerenciamento da cadeia de suprimentos, Prentice Hall, São Paulo, SP., DIAS, J. L. M. Medida, normalização e qualidade : aspectos da história da metrologia no Brasil. INMETRO. Coleções Metrologia Brasileira, DINIZ, M. G. Desmistificando o controle estatístico de processo. São Paulo: Artliber; 1ª edição, 2ª reimpressão, 2001, 70 p. FERNANS, F. C. F. Planejamento e Controle da Produção: Dos Fundamentos ao Essencial. Ed. Atlas,2010. ISBN: GROOVER, M. Automação Industrial e Sistemas de Manufatura. Pearson, HESS, G; MARQUES, J. L; PAES, L. C. R., et al. Engenharia Econômica. 15ª ed. São Paulo: Ed. DIFEL, 1982, 165 p e 100 tabelas. HILLIER, F. S.; LIEBERMAN, G. J. Introdução à Pesquisa Operacional. Trad. De Ariovaldo Griesi. 8.ed. São Paulo: McGraw-Hill, HITT, Mic. Administração estratégica. São Paulo (SP). Pioneira Thomson Learning. c2002. JACOBS, F. R. Administração da produção e de operações o essencial. Porto Alegre (RS). Bookman JURAN, J. M. A qualidade desde o Projeto. Cengage Learning, LACHTERMACHER, Gerson. Pesquisa operacional na tomada de decisões: Editora Prentice Hall, LARSON, Ron, FABER, Betsy. Estatística Aplicada, 2ª edição. São Paulo, Pearson Prentice Hall, 2007, 476 p. LUSTOSA, L. Planejamento e Controle da Produção (PCP). Elsevier,2008. MARANHAO, M. ISO Séries 9000 Versão Qualitymark, MARTINS, P. Administração da produção. 2. ed. São Paulo (SP). Saraiva MONTGOMERY, D. C. Introdução ao Controle Estatístico da Qualidade - 4ª Ed. LTC, MOREIRA, D. A. - Pesquisa Operacional - Curso Introdutório Editora Thomson Learning, São Paulo, MOREIRA, D. A. Administração da Produção e Operações. Cengage Learning, Moreira, D. A. Administração da Produção e Operações. Cengage Learning, RAGSDALE, C. T. Modelagem e Análise de Decisão. Cengage Learning, ISBN 13: SALIBA, T. M. Curso básico de segurança e higiene ocupacional. São Paulo: LTr, p.

5 SLACK, Nigel, CHAMBERS, Stuart, JOHNSTON, Robert. Administração da Produção. São Paulo. Editora Atlas. 3ª edição, 2009, 703 p. Química Coesão, qualidade e coerência da argumentação: 20 (vinte) pontos; Conteúdo e fundamentação teórica: 70 (sessenta) pontos; Capacidade de síntese e objetividade: 10 (dez) pontos. Durante a realização da Prova Escrita, o candidato poderá portar: calculadora científica não programável, caneta azul ou preta e com corpo transparente. Ligações químicas (iônica, covalente e metálica), Estrutura molecular, Forças intermoleculares e propriedades das substâncias, Estrutura atômica da matéria e suas propriedades.gases ideais e reais, Termodinâmica (princípios e equações fundamentais), Condições de equilíbrio e espontaneidade. Forças intermoleculares e propriedades físicas e químicas dos compostos orgânicos. Atkins, P. W.; Jones, L. Princípios de Química- Questionando a Vida Moderna e o Meio Ambiente, 5ª edição, Porto Alegre: Bookman, Shriver, D. F.; Atkins, P. W. Química Inorgânica, 4ª edição, São Paulo: Bookman, Atkins, P. W.; Paula, J. Físico-Química, vol. 1, 9ª edição, LTC, 2012 Solomons, T. W. G.; Fryhle, C. B. Química Orgânica, vol. 1, 10ª edição, LTC, Solomons, T. W. G.; Fryhle, C. B. Química Orgânica, vol. 2, 10ª edição, LTC, Matemática I. coesão, qualidade e coerência da argumentação: 20 (vinte) pontos; II. conteúdo e fundamentação teórica: 80 (oitenta) pontos. VII IX. sequência, concatenação de ideias e desenvolvimento do tema: 20 (vinte) pontos; X. domínio de conteúdo: 40 (quarenta) pontos; XI. uso de linguagem técnico-científica adequada ao tema: 5 (cinco) pontos; XII. uso de recursos didático-pedagógicos e criatividade: 10 (dez) pontos; XIII. uso correto da norma culta da língua utilizada na prova: 10 (dez) pontos; XIV. Durante a realização da Prova Escrita, o candidato poderá portar: lápis, caneta azul ou preta e com corpo transparente, régua transparente e borracha I- Conjuntos numéricos, funções, função afim, função quadrática, função modular, função exponencial, Logaritmos, função logarítmica. Progressões, semelhança de triângulos, trigonometria no triângulo retângulo, resolução de triângulos, funções circulares, relações entre funções, transformações, equações e inequações, outras funções trigonométricas, matrizes, determinantes, sistemas lineares, áreas de figuras planas, geometria espacial de posição. Análise combinatória, probabilidade, binômio de Newton, poliedros, prisma, pirâmide, cilindro, cone, esfera, troncos, estatística, ponto, reta, circunferência, cônicas, números complexos, polinômios, equações polinomiais ou algébricas. II - ÁLGEBRA LINEAR: vetores, espaços vetoriais, espaços vetoriais euclidianos, transformações lineares, operadores lineares, vetores próprios e valores próprios, formas quadráticas, III- CÁLCULO: limites e continuidade, derivadas e suas aplicações, integrais, funções de várias variáveis, integrais múltiplas, integrais curvilíneas e de superfície, teoremas integrais, equações diferenciais ordinárias de 1ª e 2ª ordem e superiores, transformada de Laplace. Iezzi, Gelson: et alli. Matemática, ciência e aplicações. Volumes 1, 2 e 3. 1 ed. São Paulo: Atual, Barbosa, João Lucas Marques. Geometria Euclidiana Plana, 4 ed. SBM, Steinbruch, Alfredo; Winterle, Paulo. Álgebra Linear, 2 ed. São Paulo: Pearson Makron Books, Stewart, James. Cálculo, Volume 1, 6 ed. São Paulo: Cengage Learning, Stewart, James. Cálculo, Volume 2, 6 ed. São Paulo: Cengage Learning, Boyce, W.E.; Di Prima, R.C. Equações Diferenciais Elementares e Problemas de Valores e Contorno. 9ª Rio de Janeiro: ed. LTC, Desenho Técnico; Desenho e Projeto Arquitetônico; Legislação. I- uso correto da norma culta da língua utilizada na prova: 10 pontos; II- coesão, qualidade e coerência da argumentação: 20 pontos; II- conteúdo e fundamentação teórica (quando se tratar de questão discursiva) e clareza, legibilidade e qualidade gráfica da apresentação (quando se tratar de questão de desenho): 60 pontos; IV- capacidade de síntese e objetividade: 10 pontos. Durante a realização da Prova Escrita, o candidato poderá portar: material de desenho: papel manteiga ou sulfite no formato A3 (sem margens - 75 g/m²), régua de 30 cm e esquadros 30º/60º e 45º (transparentes), compasso, transferidor transparente, lapiseiras para diferentes traços, borracha, escalímetro triangular nº 1, fita crepe, lápis de cor, etc.. Outros: caneta azul ou preta com corpo transparente e calculadora não programável. O desenho como meio de comunicação, artístico, técnico e geométrico; A normalização e a informática; Materiais para desenho; Normas da ABNT;

6 Instrumentos para desenho técnico; Caligrafia; Desenho Geométrico; Geometria Descritiva; Desenho Técnico (Planta Baixa, Cortes, e Elevações); Perspectiva isométrica; Fluxograma de Projeto Arquitetônico; Elaboração de Programa de necessidades; Elaboração de Estudo Preliminar, Anteprojeto, Projeto Executivo e Detalhamento de Projeto. CARVALHO, B. - Desenho Geométrico. Rio de Janeiro: Editora Ao Livro Técnico S.A.,1959. CHING, F. D. K. -Representação gráfica em Arquitetura. Porto Alegre: Bookman, FERREIRA, P.- Desenho de Arquitetura. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, LEAKE, J. M. - Manual de desenho técnico para engenharia: desenho, modelagem e visualização. Rio de Janeiro: LTC, LITTLEFIELD, D. - Manual do Arquiteto Planejamento, dimensionamento e Projeto. Porto Alegre: Ed. Bookman, MACHADO, A.- Geometria descritiva: teoria e exercícios. São Paulo: McGraw-Hill, MONTENEGRO, G. A.- Desenho Arquitetônico. São Paulo: Edgard Blücher, MONTENEGRO, G. A.- A perspectiva dos profissionais: sombras, insolação, axonometria. São Paulo: Blucher, MONTENEGRO, G. A.- Geometria descritiva: V1. São Paulo: E. Blucher, SILVA, S.; A Linguagem do desenho técnico, LTC, DA CUNHA, L. V.- Desenho Técnico, 7ª Edição, Fundação Calouste Gulbenkian. MORAIS, S.- Desenho Técnico Básico, Vol. III, Porto Editora. PRINCIPE JÚNIOR, Noções de Geometria Descritiva. V. 1. São Paulo: Nobel, SARAPKA, E. M. et al. Desenho Arquitetônico Básico. São Paulo: Ed. Pini, SPECK, H. J.; PEIXOTO, V. V. - Manual Básico de Desenho Técnico. Florianópolis, EDFSC, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA NORTAS TÉCNICAS ABNT. NBR 6492 Representação de Projetos de Arquitetura. Rio de Janeiro, NBR 8403 Aplicac o es de linhas em desenhos tipos e larguras de linhas. Rio de Janeiro, NBR Folha de Desenho leiaute e dimensões. Rio de Janeiro, NBR Princípios gerais de representação em desenho técnico. Rio de Janeiro, NBR Dobramento e cópia. Rio de Janeiro, NBR 8196/ NB 806 Desenho Técnico emprego de escalas. Rio de Janeiro, NBR10126 Cotagem em Desenho Técnico. Rio de Janeiro, TOPOGRAFIA MINA I-Uso correto da norma culta da língua utilizada na prova: 10 (dez) pontos; II-Coesão, qualidade e coerência da argumentação: 20 (vinte) pontos; III-Conteúdo e fundamentação teórica: 60 (sessenta) pontos; IV-Capacidade de síntese e objetividade: 10 (dez) pontos. transparente, régua transparente, esquadro transparente, transferidor transparente e borracha. Planimetria, Altimetria, Sistema de Posicionamento Global, Normas da Topografia de Mina, Fundamentos de Cartografia, Topografia e Cartografia aplicadas à Mineração. Borges, A.de C. Topografia. Vol. 1, 14 reimp. São Paulo: Ed. Blucher, p. Borges, A.de C. Topografia. Vol. 2, 5 reimp. São Paulo: Ed. Blucher, p. McCormac, J. Topografia. 5 ed. Rio de Janeiro:Ed. LTC, p. Casaca, J.; Matos, J.; Baio, M. Topografia Geral. 4 Ed. Rio de Janeiro: Ed. LTC, p GEOLOGIA I-Uso correto da norma culta da língua utilizada na prova: 10 (dez) pontos; II-Coesão, qualidade e coerência da argumentação: 20 (vinte) pontos; III-Conteúdo e fundamentação teórica: 60 (sessenta) pontos; IV-Capacidade de síntese e objetividade: 10 (dez) pontos. Durante a realização da Prova Escrita, o candidato poderá portar: usar lápis, caneta azul ou preta e com corpo transparente e borracha. Geologia Introdutória, Pesquisa Mineral, Meio Ambiente e Mineração Press, E. et al. Para Entender a Terra. Porto Alegre: Artmed editora, p. Teixeira, W. et al. Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, p. Pereira, R.M. Fundamentos de Prospecção Mineral. Ed. Interciência, p Nunes, P.H.F. Meio Ambiente e Mineração. Ed. Juruá, p. Língua Portuguesa I-Atendimento à proposta: 40 pontos

7 II-Argumentação e fundamentação teórica: 40 pontos III-Coesão e coerência: 10 pontos IV-Norma padrão: 10 pontos Durante a realização da Prova Escrita, o candidato poderá portar: caneta esferográfica de corpo transparente, lápis e borracha. 1. Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na promoção da leitura literária e na formação do leitor de textos literários. 2. Ensino de Língua Portuguesa e suas literaturas na perspectiva da abordagem dos gêneros textuais. 3. Análise linguística e produção textual na formação do aluno do ensino médio, técnico e tecnológico. 4. As noções de dialogismo, polifonia e interdiscursividade e o trabalho com leitura e produção de textos. 5. Do enunciado à enunciação: por uma outra abordagem da gramática de língua portuguesa. 6. Produção Textual: estratégias de progressão textual e Recursos argumentativos. 7. Aspectos linguísticodiscursivos e a produção de sentido. 8. A ficção brasileira contemporânea e o cânone literário. 9. Literatura comparada e crítica cultural. 9. Inclusão social e cidadania nas demandas de leitura e produção dos diversos textos no ensino técnico e tecnológico. AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? In: AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Trad. Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó, SC: Argos, p AMARILHA, Marly (Org). Educação e leitura: novas linguagens, novos leitores. Campinas/SP: Mercado de Letras; Natal/RN: UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte, BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo, Hucitec, BRASIL. Ministério da Educação. Orientações curriculares para o ensino médio. Linguagens, códigos e suas tecnologias / Secretaria de Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, BRASIL. Ministério da Educação/ Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade: Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-raciais. Brasília: SECAD, P ; BUZEN, Clécio; MENDONÇA, Márcia (Orgs.). Português no ensino médio e a formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, CABRAL, Ana Lúcia Tinoco. A força das palavras. 1ed. São Paulo: Contexto, CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. In: CANDIDO, Antonio. Vários escritos. 4ª Ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul ǀ São Paulo: Duas Cidades, p COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Trad. Cleonice Paes Barreto Mourão e Consuelo Fortes Santiago. 2ª Ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, COSTA VAL, Maria das Graças et al. Avaliação do texto escolar: professor-leitor/ aluno-autor. BH: Autentica/CEALE, DIONÍSIO, Ângela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora (Orgs). Gêneros Textuais e ensino. São Paulo: Parábola Editorial: FIGUEIREDO, Francisco José. Aprendendo com os erros: uma perspectiva comunicativa de ensino de línguas. 2. ed. rev. e aum. Goiânia: UFG, 2002 FlORES, V.; Teixeira, M. Introdução à Lingüística da Enunciação. São Paulo: Contexto, KOCH, I. V. Desvendando os segredos do texto. 2 ed. Sp: Cortez, MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação.sp: Cortez: MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Cortez, MARCUSCHI, Luiz Antonio; XAVIER, Antonio Carlos (Orgs). Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção dos sentidos. São Paulo: Cortez, MEIROS, Cléia. EGHRARI, Iradj Roberto. (Orgs.) História e cultura afro-brasileira e africana na escola. Brasília: Ágere Cooperação em Advocay, Seção III Concepções que envolvem o projeto pedagógico, p M00RE, Carlos. A África que incomoda. Belo Horizonte: Nandyala, NEVES, Maria Helena Moura. A gramática: história, teoria e análise e ensino. São Paulo: Editora UNESP, NUNES, Antônia Elizabeth da Silva. OLIVEIRA, Elias Vieira de. Implementação das diretrizes curriculares das relações étnico-raciais e o ensino de história e cultura afro-brasileira na educação profissional e tecnológica. Brasília: MEC, SETEC, P ; MARI, Hugo. Os lugares do sentido. Campinas, S P: Mercado das Letras, MUSSALIM, Fernanda & BENTES, Anna Christina.(orgs). Introdução à linguística: fundamentos epistemológicos. Vol. 3. SP: Cortez, SANTIAGO, Silviano. O cosmopolitismo do pobre: crítica literária e crítica cultural. Belo Horizonte, Editora UFMG, SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Ficção brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, SOUZA, Eneida Maria de. Crítica cult. Belo Horizonte: Editora UFMG, Prof. Márcio Silva Basílio Diretor Geral do CEFET-MG

1. ÁREA DE CONHECIMENTO: Matemática

1. ÁREA DE CONHECIMENTO: Matemática SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O PROVIMENTO DE CARGOS DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO DO ENSINO

Leia mais

PLANO ANUAL DE TRABALHO DOCENTE CURSO DISCIPLINA ANO ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2015 DOCENTE CARGA HORÁRIA AULAS PREVISTAS JULIANA SARTOR ÁVILA 160 80

PLANO ANUAL DE TRABALHO DOCENTE CURSO DISCIPLINA ANO ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2015 DOCENTE CARGA HORÁRIA AULAS PREVISTAS JULIANA SARTOR ÁVILA 160 80 PLANO ANUAL DE TRABALHO DOCENTE CURSO DISCIPLINA ANO ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA 2015 DOCENTE CARGA HORÁRIA AULAS PREVISTAS JULIANA SARTOR ÁVILA 160 80 EMENTA DA DISCIPLINA O Estudo das funções e suas aplicações

Leia mais

(46) 3243-1371 EDITAL N. 041/2014 VESTIBULAR UNILAGOS 2015

(46) 3243-1371 EDITAL N. 041/2014 VESTIBULAR UNILAGOS 2015 1 Fundação de Ensino Superior de Mangueirinha Faculdade Unilagos Rua Saldanha Marinho, 85 www.unilagos.com.br CNPJ 05.428.075/0001-91 (46) 3243-1371 EDITAL N. 041/2014 VESTIBULAR UNILAGOS 2015 A Diretora

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA - ITEC FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA - FEM CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA - ITEC FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA - FEM CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA 1 IDENTIFICAÇÃO Nome e código: Materiais de Construção Mecânica TE04031 Nome do professor: Prof. Dr. Jorge Teófilo de Barros Lopes Período: 2º Ano letivo: 2013 Carga horária total: 68 horas Carga horária

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS EDITAL ESPECÍFICO Nº 57/14, DE 14 DE FEVEREIRO DE 2014. O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Matemática - (1ª série)

Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Matemática - (1ª série) Relacionar e resolver problemas que envolvem conjuntos; Reconhecer, operar e resolver problemas com conjuntos numéricos; Compreender os conceitos e propriedades aritméticas; Resolver problemas de porcentagem,

Leia mais

CEFET-MG Concurso Público EBTT 2013 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE

CEFET-MG Concurso Público EBTT 2013 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE CEFET-MG Concurso Público EBTT 23 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE De acordo com o item 3.3.1.2 do de Normas Gerais 077/13 de 21 de junho de 23, havendo compatibilidade de cronograma

Leia mais

RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa

RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa Bacharelado em Engenharia Civil bibliografia complementar ALMEIDA, Márcio de Souza S. Aterros sobre solos moles: projeto e desempenho. 1. reimpr.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA - ITEC FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA - FEM CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA - ITEC FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA - FEM CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA 1 IDENTIFICAÇÃO Nome e código: Materiais de Construção Mecânica TE04031 Nome do professor: Prof. Dr. Jorge Teófilo de Barros Lopes Caráter: Obrigatória Bloco: III Período: 2º Ano letivo: 2014 Carga horária

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 235, DE 2 DE JUNHO DE 2014 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO Ementa: Identificar os elementos básicos das organizações: recursos, objetivos e decisões. Desenvolver

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS 7ª ETAPA GESTÃO EMPRESARIAL: FOCO SISTEMAS CORPORATIVOS Disciplina: ESTRATÉGIAS EM SISTEMAS DE GESTÃO EMPRESARIAL ENEX00614 (34) Teóricas 34 h/a Conceitos básicos de estratégia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas / UNIFAL-MG Programa de Pós-graduação em Estatística Aplicada e Biometria

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas / UNIFAL-MG Programa de Pós-graduação em Estatística Aplicada e Biometria EDITAL 35/2014 A Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG), por meio de sua Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação faz saber que estarão abertas as inscrições para a seleção de alunos para o Programa

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT

CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT Área de Conhecimento Ementa/Bibliografia Acionamentos Elétricos Conversão Eletromecânica de Energia: Circuitos magnéticos. Sistemas e dispositivos magnetelétricos.

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 095/2015 Altera a Deliberação CONSEP Nº 147/2012, que altera o Currículo do Curso de Engenharia de Produção Mecânica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FICHA DE COMPONENTE CURRICULAR CÓDIGO: COMPONENTE CURRICULAR: CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS (CLPs) E DISPOSITIVOS INDUSTRIAIS UNIDADE ACADÊMICA OFERTANTE: SIGLA:

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE JAMBEIRO SP EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 02

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE JAMBEIRO SP EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 02 CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 O Prefeito do município de Jambeiro, Estado de São Paulo no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, torna público a presente retificação

Leia mais

Pós-Graduação em Gestão Industrial

Pós-Graduação em Gestão Industrial Pós graduação lato sensu da Universidade de São Paulo (USP) O Curso de Especialização em aborda, de maneira conceitual e prática, os processos de suprimento, produção, distribuição e vendas, com uma concepção

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 147/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia de Produção Mecânica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MEC-479/2012,

Leia mais

Código da Disciplina: ENEX01427. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015

Código da Disciplina: ENEX01427. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015 Unidade Universitária: FACULDADE DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA Curso: Sistemas de Informação Disciplina: SISTEMAS DE GESTÃO DE FINANÇAS E CUSTOS Etapa: 07 Carga horária: 68 Teóricas, 0 Práticas, 0 EaD Ementa:

Leia mais

EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA BÁSICA

EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA BÁSICA EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA BÁSICA 2º ANO Nome da disciplina: Física Geral II Carga horária: 90h Acústica e Ondas. Óptica Física e Geométrica. Lei de Coulomb; Campo Elétrico. Lei de Gauss. Potencial. Capacitância.

Leia mais

Aula 02/18 CLASSIFICAÇÃO DOS DESENHOS TÉCNICOS DESENHO PROJETIVO: DESENHO NÃO PROJETIVO:+

Aula 02/18 CLASSIFICAÇÃO DOS DESENHOS TÉCNICOS DESENHO PROJETIVO: DESENHO NÃO PROJETIVO:+ EXPRESSÃO GRÁFICA CURSO: Engenharia Mecânica PROFESSOR: José Ricardo Flores Faria Aula 02/18 CLASSIFICAÇÃO DOS DESENHOS TÉCNICOS DESENHO PROJETIVO: Desenho resultante da projeção do objeto, sob um ou mais

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE SERGIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014/1

FACULDADES INTEGRADAS DE SERGIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014/1 FACULDADES INTEGRADAS DE SERGIPE EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014/1 A ASSOCIAÇÃO DE APOIO À EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESTADO DE SERGIPE APEC/SE, entidade mantenedora das FACULDADES INTEGRADAS DE

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS - PGCEM

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS - PGCEM UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS - PGCEM CMA CIÊNCIA DOS MATERIAIS

Leia mais

EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008

EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008 EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. OCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008 A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições,

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. LÍNGUA PORTUGUESA (Para todos os cargos)

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. LÍNGUA PORTUGUESA (Para todos os cargos) CONTEÚDO PROGRAMÁTICO LÍNGUA PORTUGUESA (Para todos os cargos) 1. Identificação de informações pontuais no texto. 2. Uso da língua padrão em gêneros textuais na modalidade escrita (pontuação, ortografia,

Leia mais

RETIFICAÇÃO DE 09 DE ABRIL DE 2015 DO EDITAL nº 06/2015 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS

RETIFICAÇÃO DE 09 DE ABRIL DE 2015 DO EDITAL nº 06/2015 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul RETIFICAÇÃO DE 09 DE ABRIL DE 2015 DO EDITAL nº 06/2015

Leia mais

FACULDADES SENAC PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º SEMESTRE/2016 ANEXO I

FACULDADES SENAC PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º SEMESTRE/2016 ANEXO I ANEXO I As Faculdades Senac Minas, com o intuito de atender às diversas demandas, oferece à comunidade dois processos vestibular: o vestibular e o vestibular agendado. Ambos os processos buscam selecionar

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 30/2014 PROFESSOR SUBSTITUTO

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 30/2014 PROFESSOR SUBSTITUTO MINISTÉRI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário - Viçosa, MG - 36570-000 - Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail:

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA ANÁLISE GRÁFICA DE FUNÇÕES

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA ANÁLISE GRÁFICA DE FUNÇÕES CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIA DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: MATEMÁTICA I SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:.

Leia mais

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios,

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios, Prezados colégios, Buscando atender a demanda por GeekieTestes para o 1º e 2º anos do Ensino Médio, elaboramos nossa Matriz Geekie de Avaliação para 2014. Nela, buscamos contemplar os principais conteúdos

Leia mais

4/12/2013 DESENHO TÉCNICO. Programa. Datas. Sistema de Avaliação DESENHO TÉCNICO. Lista de material para as aulas

4/12/2013 DESENHO TÉCNICO. Programa. Datas. Sistema de Avaliação DESENHO TÉCNICO. Lista de material para as aulas FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL Cursos: Agronomiae Eng. Florestal1 o Semestre Prof. responsável: Lorena Stolle Programa 1 - Materiais e instrumentos de desenho, convenções e normalização

Leia mais

PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR 2013.1 EDITAL

PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR 2013.1 EDITAL PROCESSO SELETIVO/VESTIBULAR 2013.1 EDITAL A Faculdade de Ciências Aplicadas de Limoeiro FACAL, mantida pela Autarquia de Ensino Superior do Limoeiro, reconhecida pela Portaria Ministerial n.º 024 de 08

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

Saiba quais são os momentos marcantes da trajetória da ETEP

Saiba quais são os momentos marcantes da trajetória da ETEP Manual do Candidato Cursos Superiores Curta Duração 1º Semestre de 2015 Desde a sua idealização, em 1956, a ETEP visa formar, com excelência, profissionais para atender às demandas do mercado de trabalho.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementas Tecnólogo em Fabricação Mecânica Departamento de Ensino Superior

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementas Tecnólogo em Fabricação Mecânica Departamento de Ensino Superior ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementas Tecnólogo em Fabricação Mecânica Departamento de Ensino Superior DISCIPLINA: Metodologia da Pesquisa Científica Técnicas para elaboração de

Leia mais

Programa e Bibliografia Edital 100/12

Programa e Bibliografia Edital 100/12 Programa e Bibliografia Edital 100/12 Campus Área Pontos Bibliografia Jaguarão Administração, Cultura e Turismo 1. Administração e Gerência Cultural 2. Gestão de agência de viagens 3. Gestão de recursos

Leia mais

Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL CONVÊNIO COM O SENAI Matriz Curricular válida para os acadêmicos

Leia mais

REITORIA PRÓ-REITORIA DE ENSINO Quadro de Disciplinas Comuns aos Cursos de Graduação (2015)

REITORIA PRÓ-REITORIA DE ENSINO Quadro de Disciplinas Comuns aos Cursos de Graduação (2015) PRÓREITORIA DE ENSINO Quadro de s Comuns aos Cursos de Graduação (2015) I FUNDAMENTAÇÃO: 1) RESOLUÇÃO N. 81/2014/CS (PPC de Engenharia Civil), referendado pela Resolução n. 04/2015/CS/IFS; 2) RESOLUÇÃO

Leia mais

3. DA APLICAÇÃO DO EXAME E DO RESULTADO

3. DA APLICAÇÃO DO EXAME E DO RESULTADO Edital nº. 01 de 04 de março de 2011 EXAME DE PROFICIÊNCIA DEPARTAMENTO III O Departamento de Áreas Acadêmicas III do IFG campus Goiânia, torna públicos, aos alunos dos seus cursos ofertados, as normas

Leia mais

BIBLIOGRAFIA BÁSICA PARA AS DISCIPLINAS DA ÁREA DE ENGENHARIA

BIBLIOGRAFIA BÁSICA PARA AS DISCIPLINAS DA ÁREA DE ENGENHARIA BIBLIOGRAFIA BÁSICA PARA AS DISCIPLINAS DA ÁREA DE ENGENHARIA 1. ALGEBRA LINEAR ANTON, H.; RORRES, C. Álgebra linear com aplicações. 10 ed. Rio de Janeiro: Bookman, 2012. 786p. BOLDRINI, J.L.; COSTA, S.I.R.,

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral.

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Ementas: Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Desenho Mecânico 80hrs Normalização; Projeções; Perspectivas;

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Departamento de Engenharia AUTOMAÇÃO CODICRED 44637-04 PROGRAMA DE DISCIPLINA 01 SÍNTESE DISCIPLINA: CURSO (S): Engenharia

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: Técnico em Eletromecânica FORMA/GRAU:( )integrado ( X )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

CONTEÚDOS PARA A 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL 2ª ETAPA 2014 ENSINO MÉDIO CONTEÚDOS DA 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL DE BIOLOGIA 2ª ETAPA 2014

CONTEÚDOS PARA A 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL 2ª ETAPA 2014 ENSINO MÉDIO CONTEÚDOS DA 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL DE BIOLOGIA 2ª ETAPA 2014 CONTEÚDOS DA 1ª AVALIAÇÃO PARCIAL DE BIOLOGIA 2ª ETAPA 2014 1ª SÉRIE - 06/ 08/ 2014 - Capítulo 6 Citoplasma e organelas citoplasmáticas; - Capítulo 7 Núcleo e cromossomos; - Capítulo 8 Divisão celular:

Leia mais

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81 Períodos de inscrições: no sítio http://www.concurso.ufjf.br a) Primeiro período: das 09h do dia 11/05/2009 até as 14h do dia 29/05/2009; b) Segundo período: das 09h do dia 22/06/2009 até as 14h do dia

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DA NATUREZA INSTITUTO DE QUÍMICA

CENTRO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DA NATUREZA INSTITUTO DE QUÍMICA CENTRO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DA NATUREZA INSTITUTO DE QUÍMICA EDITAL Nº 156, de 25 de maio de 2015 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (UFRJ), por intermédio da Direção do Instituto de Química,

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar engenheiros com sólidos e atualizados conhecimentos científicos

Leia mais

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Móveis Integrado FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DA NATUREZA INSTITUTO DE QUÍMICA

CENTRO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DA NATUREZA INSTITUTO DE QUÍMICA CENTRO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DA NATUREZA INSTITUTO DE QUÍMICA EDITAL Nº 155 (complementar), de 14 de agosto de 2015 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (UFRJ), por intermédio da Direção do Instituto

Leia mais

M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS

M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS O conteúdo programático de Matemática dos processos seletivos da UFU tem como objetivo identificar a habilidade do estudante em resolver problemas, fazer conexões

Leia mais

Ementas 2011 Tecnólogo em Segurança do Trabalho

Ementas 2011 Tecnólogo em Segurança do Trabalho Ementas 2011 Tecnólogo em Segurança do Trabalho Disciplina: Desenvolvimento Sustentável Capacitar e qualificar os alunos para o desenvolvimento e incremento de ações voltadas à proteção, conservação e

Leia mais

013/2013 Câmpus Juiz de Fora. 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. 1.1. Sobre a vaga para o cargo de PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO e TECNOLÓGICO

013/2013 Câmpus Juiz de Fora. 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. 1.1. Sobre a vaga para o cargo de PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO e TECNOLÓGICO 013/2013 Câmpus Juiz de Fora O Reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais, conferidas pelo decreto presidencial de 24.04.2013,

Leia mais

EDITAL 2015 Testes de Português e Matemática - Material: com foto PORTUGUÊS Indicação bibliográfica: Na ponta da língua MATEMÁTICA

EDITAL 2015 Testes de Português e Matemática - Material: com foto PORTUGUÊS Indicação bibliográfica: Na ponta da língua MATEMÁTICA EDITAL 2015 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Testes de Português e Matemática - Material: o candidato deverá trazer: lápis apontados, apontador, borracha e o Compreensão e interpretação de textos; exploração

Leia mais

Polo Itanhandu MANUAL DO CANDIDATO VESTIBULAR

Polo Itanhandu MANUAL DO CANDIDATO VESTIBULAR Câmpus Avançado de Carmo de Minas Polo Itanhandu MANUAL DO CANDIDATO VESTIBULAR 1º Semestre de 2015 Cursos Técnicos Modalidade Subsequente COMISSÃO RESPONSÁVEL PELO PROCESSO SELETIVO Alianne de Almeida

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 149/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia de Controle e Automação para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MEC-481/2012,

Leia mais

5º ANO Disciplina: Automação Industrial Ementa: Medição, atuação e controle. Estabilidade e desempenho de sistemas realimentados. Controle de sistemas a eventos discretos. Hierarquia em sistemas automatizados.

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01 CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 01/2014

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01 CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 01/2014 EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01 CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 01/2014 O Prefeito do município de Motuca, Estado de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, torna público

Leia mais

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE - UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE - UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE - UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA 1ª SÉRIE - 2010/1 1. Curso: Curso: Missão do curso: Perfil profissiográfico: ENGENHARIA

Leia mais

Introdução APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA. joseana@computacao.ufcg.edu.br

Introdução APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA. joseana@computacao.ufcg.edu.br Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Introdução APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE TECNOLOGIA EDITAL FT - 08/2014

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE TECNOLOGIA EDITAL FT - 08/2014 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE TECNOLOGIA EDITAL FT - 08/2014 1 Processo Seletivo Sumário para admissão de um docente substituto, da carreira do Magistério Tecnológico Superior, no nível

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2014/1 Fase Cod Disciplina Pré-Req.

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL M A N U A L D O C A N D I D A T O

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL M A N U A L D O C A N D I D A T O 1 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL M A N U A L D O C A N D I D A T O PROCESSO SELETIVO - INVERNO / 2014 Rua Profº Duílio Calderari, nº 600 Jardim Paulista CEP 83.430-000 Campina Grande do Sul PR. Fone:

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE MESTRADO EM PESQUISA OPERACIONAL 2º SEMESTRE/2013 A Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp, em Limeira, torna pública a abertura das inscrições

Leia mais

EDITAL 009/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA/TUTORIA RETIFICAÇÃO Nº. 01/2015

EDITAL 009/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA/TUTORIA RETIFICAÇÃO Nº. 01/2015 EDITAL 009/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA/TUTORIA RETIFICAÇÃO Nº. 01/2015 O edital 009/2015 de 12 de agosto de 2015, referente ao Processo Seletivo para Monitores e Tutores do IFMG Câmpus

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais - PPGCEM EDITAL 03/2013 - PPGCEM

Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais - PPGCEM EDITAL 03/2013 - PPGCEM Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais - PPGCEM EDITAL 03/2013 - PPGCEM PROCESSO DE SELEÇÃO Doutorado (Fluxo Contínuo) O coordenador

Leia mais

Análise dos Vestibulares

Análise dos Vestibulares Análise dos Vestibulares

Leia mais

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72 Matriz Curricular do Curso de Administração 2015.1 1ª Fase CÓDIGO DISCIPLINAS PRÉ- REQUISITOS CRED ADM001 Interpretação e Produção de Textos - ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE EDITAL Nº 067/2011 CAMPUS SAPUCAIA DO SUL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE EDITAL Nº 067/2011 CAMPUS SAPUCAIA DO SUL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE EDITAL Nº 067/2011 CAMPUS SAPUCAIA DO SUL ANEXO 2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ÁREA: 25 EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO

Leia mais

Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP)

Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) 1. Apresentação/Público Alvo Este curso de Pós-Graduação Lato Sensu é destinado especialmente a alunos graduados

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente - 2015

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente - 2015 ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça/SP Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº. 226, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014.

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº. 226, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014. ANEXO À RESOLUÇÃO Nº. 226, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014. CURSO LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO ESTRUTURA CURRICULAR 1.1 QUADRO GERAL DA ESTRUTURA CURRICULAR Carga Horária LOTAÇÃO Módulo Disciplina Teoria Prática

Leia mais

EDITAL Nº 204/2014-PROG/UEMA

EDITAL Nº 204/2014-PROG/UEMA EDITAL Nº 204/2014-PROG/UEMA A Universidade Estadual do Maranhão, por meio da PROG, torna público, para conhecimento dos interessados, que, no período de 15/12/2014 a 13/02/2015, estarão abertas as inscrições

Leia mais

UMA NOVA PROPOSTA PARA GEOMETRIA ANALÍTICA NO ENSINO MÉDIO

UMA NOVA PROPOSTA PARA GEOMETRIA ANALÍTICA NO ENSINO MÉDIO UMA NOVA PROPOSTA PARA GEOMETRIA ANALÍTICA NO ENSINO MÉDIO DANIELLA ASSEMANY DA GUIA CAp- UFRJ danyprof@bol.com.br 1.1. RESUMO Esta comunicação científica tem como objetivo tratar e apresentar a Geometria

Leia mais

EDITAL Nº 128/2015 - GR/UEMA

EDITAL Nº 128/2015 - GR/UEMA EDITAL Nº 128/2015 - GR/UEMA A Universidade Estadual do Maranhão UEMA torna público, para conhecimento dos interessados, que, no período de 15/10/2015 a 30/11/2015, estarão abertas as inscrições para os

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de AUXILIAR ADMINISTRATIVO. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de AUXILIAR ADMINISTRATIVO. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Mestrado Profissional em Educação Matemática Morro do Cruzeiro, s/n, Bauxita CEP 35400 000 - Ouro Preto Minas Gerais BRASIL

Mestrado Profissional em Educação Matemática Morro do Cruzeiro, s/n, Bauxita CEP 35400 000 - Ouro Preto Minas Gerais BRASIL EDITAL DE SELEÇÃO DO MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARA INGRESSO EM 2015 A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Federal de Ouro Preto (PPGEDMAT/UFOP)

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2014/1 Fase Cod

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA DE ALUNOS E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO PRIMEIRO SEMESTRE - 2016 ANEXO IX ENGENHARIAS - 1º ANO CÁLCULO I

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA DE ALUNOS E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO PRIMEIRO SEMESTRE - 2016 ANEXO IX ENGENHARIAS - 1º ANO CÁLCULO I ANEXO IX ENGENHARIAS - 1º ANO CÁLCULO I 1 Funções de uma variável 2 Funções reais 3 Conceito, cálculo e aplicações de limites, continuidade, derivadas e diferenciais 4 Cálculos de pontos de máximos, mínimos

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1)

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1) Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 24/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1) Fase

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO EDITAL PRGDP Nº 02/2013 TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA

CONCURSO PÚBLICO EDITAL PRGDP Nº 02/2013 TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA CONCURSO PÚBLICO EDITAL PRGDP Nº 02/2013 TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS PROVAS DE LÍNGUA PORTUGUESA, MATEMÁTICA E LEGISLAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA Será avaliada a capacidade de: Ler, compreender

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de Bauru

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de Bauru UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de Bauru Curso: Licenciatura em Pedagogia Departamento: Educação-FC IDENTIFICAÇÃO Código: 4419 Disciplina: CONTEÚDOS E METODOLOGIA DO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Profª Danielle Casillo

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Profª Danielle Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profª Danielle Casillo Nome: Automação e Controle Créditos: 4 60 horas Período: 2010.2 Horário: quartas e sextas das 20:40 às 22:20

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS PARA COMPUTAÇÃO...

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO Matriz curricular do Curso de Graduação em Engenharia de Produção da UFERSA a partir de 2011.2. (Adequada à Matriz curricular do Curso de Bacharelado em Ciência e Tecnologia) Período Disciplinas Obrigatórias

Leia mais

Código da Disciplina: ENEX01426. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015

Código da Disciplina: ENEX01426. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015 Unidade Universitária: FACULDADE DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA Curso: Sistemas de Informação Disciplina: SISTEMAS DE GESTÃO COMERCIAL Etapa: 08 Carga horária: 68 Teóricas, 0 Práticas, 0 EaD Ementa: Código

Leia mais

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DE APRENDIZAGEM 2015 CSN-VOLTA REDONDA

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DE APRENDIZAGEM 2015 CSN-VOLTA REDONDA EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DE APRENDIZAGEM 2015 CSN-VOLTA REDONDA O presente edital destina-se ao preenchimento de 144 (cento e quarenta e quatro) vagas para Jovens Aprendizes nos Cursos do Programa

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO ECULTURA 19ª GERÊNCIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO CEMTI JOÃO HENRIQUE DE AL MEIDA SOUSA

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO ECULTURA 19ª GERÊNCIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO CEMTI JOÃO HENRIQUE DE AL MEIDA SOUSA O Centro de Ensino Médio de Tempo Integral João Henrique de Almeida Sousa torna público aos interessados a abertura das inscrições do Exame Classificatório para preenchimento de vagas referentes à 1ª,

Leia mais

PROGRAMAS E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PROGRAMAS E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 066/2011 PROGRAMAS E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CONHECIMENTOS GERAIS PARA OS CARGOS DE NÍVEL C LÍNGUA PORTUGUESA 1. Compreensão de textos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS EDITAL DE SELEÇÃO Nº 112/2014 PROFESSOR SUBSTITUTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS EDITAL DE SELEÇÃO Nº 112/2014 PROFESSOR SUBSTITUTO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário - Viçosa, MG - 36570-000 - Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA PARAÍBA COORDENAÇÃO PERMANENTE DE CONCURSOS PÚBLICOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA PARAÍBA COORDENAÇÃO PERMANENTE DE CONCURSOS PÚBLICOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA PARAÍBA COORDENAÇÃO PERMANENTE DE CONCURSOS PÚBLICOS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PROFESSOR SUBSTITUTO DA CARREIRA

Leia mais

1ª ERRATA DO EDITAL Nº 018/2010

1ª ERRATA DO EDITAL Nº 018/2010 A) No item: 1. DA ESPECIFICAÇÃO: Inclusão de Vagas: 1ª ERRATA DO EDITAL Nº 018/2010 094 Mineração 01 Belém Graduado em Engenharia de Minas 094 Mineração Belém 1. Desmonte de Rochas 2. Planejamento de Lavra

Leia mais