A PRODUÇÃO ACADÊMICA SOBRE WEBQUEST NA BASE DE DADOS DA CAPES: ASPECTOS LÚDICOS COMO CARACTERIZAÇÃO DA FERRAMENTA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A PRODUÇÃO ACADÊMICA SOBRE WEBQUEST NA BASE DE DADOS DA CAPES: ASPECTOS LÚDICOS COMO CARACTERIZAÇÃO DA FERRAMENTA"

Transcrição

1 A PRODUÇÃO ACADÊMICA SOBRE WEBQUEST NA BASE DE DADOS DA CAPES: ASPECTOS LÚDICOS COMO CARACTERIZAÇÃO DA FERRAMENTA PEREIRA, Larissa Santos (Mestranda, Programa de Mestrado em Educação em Ciências e Matemática, Universidade Federal de Goiás) MESQUITA, Nyuara Araújo da Silva (Professora orientadora, Instituto de Química, Universidade Federal de Goiás) Resumo: Esta pesquisa teve como objetivo investigar o estado da arte relacionado à pesquisa acadêmica que aborda o tema webquest, visando identificar os aspectos que norteiam o desenvolvimento dessas pesquisas, bem como observar se os trabalhos caracterizam a webquest como um recurso lúdico. Foi realizada uma análise documental a partir do banco de teses e dissertações da CAPES, a partir do descritor "webquest" e da intersecção dos descritores "webquest", "lúdico" e "atividades lúdicas", independentemente, no campo "assunto". Foram coletados os principais dados dos trabalhos: autor, título, ano, Universidade/Programa, palavras-chave, área de conhecimento e resumo. A partir desse levantamento, foram encontrados 28 trabalhos acadêmicos que tratam sobre o assunto webquest no âmbito educacional, todos publicados a partir de 2002, o que demonstra a recente inserção do tema no cenário acadêmico. A maioria das pesquisas foi desenvolvida na região sudeste, isso provavelmente porque é nessa região que se encontra o maior número de Universidades e Programas de Pós- Graduação na área educacional do Brasil. A análise das áreas do conhecimento e dos resumos, demonstrou que, de forma geral, as pesquisas apontam para a análise da ferramenta, caracterizando-a como ativiade tecnológica. Embora nenhum resumo caracterize a webquest como recurso lúdico, considera-se tal relação a partir das principais características de uma atividade lúdica, tais como diversão, desenvolvimento de interesse e curiosidade, caráter cognitivista/construtivista, entre outros. Assim, foi possível identificar apenas 06 dissertações de mestrado que apontam possível relação entre webquest e ludicidade, o que demonstra a importância de maiores estudos relacionados a essa temática. Palavras chave: Webquest; Atividade Lúdica; Estado da Arte; Banco de dados CAPES. The academic production about webquest in the CAPES database: ludic aspects in characterization of the toll. Abstract: This study had a purpose to investigate the state of the art about academic production with the topic webquest to identify the aspects that direct the development of this research, and to observe the works characterizing the webquest as a ludic resource. Was made a documental analysis from the CAPES theses and dissertations database, with the descriptor word webquest and with intersection of the

2 descriptor words ludic and ludic activities independently, on the subject line. Was collected the key data on the academic papers: author, title, year, university/program, key-words, knowledge area and abstract. Have been found 28 academic papers that discuss the theme webquest in the educational ambit, and all was published after 2002, which shows the recent insertion of the topic in the academic setting. Most research has been developed in the Brazil south region, probably because it is the region which has a largest number of universities and education graduate programs in Brazil. The analysis of knowledge areas and the abstracts showed that, in general, the research points to the toll analysis, characterizing it as technology activity. Even though no summary characterizes the webquest as a ludic resource, this relationship was considered because the main characteristics of ludic activity, like as fun, development of interest and curiosity, cognitive and constructivists characters, and the others. So, was possible to identify only 06 dissertations that link possible relationship between lucidity and webquest, which shows the importance of future studies related to the topic. Key-words: Webquest; Ludic activities; State of the art; CAPES database. 1 Introdução A utilização da internet se faz cada vez mais presente na sociedade contemporânea constituindo-se como aspecto de comunicação importante entre os jovens. Nesse sentido, o uso da internet, pode se tornar uma ferramenta importante no contexto da escola por associar elementos lúdicos ao contexto educacional. Assim, já existem vários serviços e aplicativos gratuitos na internet, que permitem, em seu uso educacional, o desenvolvimento de produções discentes que colaborem com o sucesso do processo ensino aprendizagem em ambiente escolar. Diante dessa compreensão da importância do uso da internet como possibilidade formativa no âmbito escolar, a webquest vem despontando como um importante aliado no processo ensino-aprendizagem. A webquest é uma ferramenta que permite ao professor construir roteiros de pesquisa na web e a produção de atividades discentes através de ferramentas integradas, como os blogs. O uso desta tecnologia é viável, pois além de serem gratuitas, são facilmente formatadas e sua navegabilidade é simples aos usuários. Segundo Costa et al a metodologia webquest é uma atividade de aprendizagem instigante, pois permite ao aluno adquirir conhecimento através da pesquisa pela internet, como também utilizando outros meios informacionais (2009, p. 39). O presente artigo originou-se de uma pesquisa de mestrado do Programa de Mestrado em Educação em Ciências e Matemática, da Universidade Federal de Goiás, cujo título é O uso de webquests como recurso lúdico no ensino de conceitos científicos. A pesquisa aqui descrita é uma revisão bibliográfica que incluiu o levantamento das produções acadêmicas sobre o uso da ferramenta webquest como recurso lúdico, catalogadas no banco de dissertações e teses da Coordenação e Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O objetivo desse estudo foi o de investigar o estado da arte relacionado à pesquisa acadêmica que aborda o tema webquest, visando identificar os aspectos que norteiam o desenvolvimento dessas pesquisas, bem como observar se os trabalhos caracterizam a webquest como um recurso lúdico.

3 2 Referencial Teórico A aprendizagem é um processo natural que acompanha o desenvolvimento humano, e o ensino formal, através da escola, tem o papel fundamental de mediar e direcionar essa aprendizagem. Para que tal processo aconteça com sucesso, se faz necessário o estabelecimento do interesse do aluno/aprendiz, que nada mais é que "o resultado de uma carência específica, que gera uma necessidade de aprendizagem" (SOARES, 2008, p. 24). Portanto, é importante buscar alternativas que alcancem o aluno contemporâneo e suas necessidades, despertando seu interesse e consequentemente desenvolvendo seu potencial de aprendizado. Na maioria das escolas, as aulas ainda são tradicionais, com metodologias expositivas restritas ao uso de quadro, giz, livro didático e à fala do professor. Porém a agregação de recursos tecnológicos as aulas, não pode mais ser desconsiderada. Entendendo atividade lúdica como qualquer ação divertida e motivante que, em um contexto educacional, é organizada em atividades direcionadas e com objetivos claros, o uso de recursos lúdicos que utilizam ferramentas tecnológicas, como computadores e internet, podem despertar o interesse do aluno e contribuir para uma melhor aprendizagem (SOARES, 2008). Nessa perspectiva, o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), sobretudo ao que se refere à informática e à internet, pode ser um facilitador para o ensino. A internet, portanto, pode contribuir para a construção do conhecimento do aluno através de atividades interativas de busca, organização e sistematização de informações (SANTOS, 2000). Existem várias formas de uso da internet como recurso metodológico de ensino, tais como blogs, vídeos, redes sociais, ambientes virtuais de aprendizagem e correio eletrônico. No entanto a presente pesquisa tem como foco a ferramenta webquest como metodologia alternativa de ensino. A webquest é um recurso tecnológico que tem como objetivo a pesquisa orientada (SILVA e FERRARI, 2009). Existem vários sites que permitem a criação fácil e gratuita dessa ferramenta, e assim, o professor pode orientar todos os processos de pesquisa, organização, sistematização e produção dos alunos em determinado conteúdo, atendendo aos objetivos traçados e às necessidades do grupo. É necessário, portanto, salientar que quando o professor utiliza a internet como mera ferramenta, pode cair no problema de os alunos apenas navegarem desconectados dos objetivos da atividades e com dificuldade de escolher as informações úteis e/ou confiáveis. Nessa perspectiva, a webquest torna-se uma importante metodologia alternativa de ensino a partir do uso da internet, pois: (...) a webquest procura ir além da simples pesquisa na internet, mas pretende ser uma estratégia integradora dos diversos recursos multimédia, das atividades manuais e de tarefas experimentais as mais diversas, de forma orientada e que encorajem a capacidade do pensamento em níveis elevados de conhecimento. (...) uma webquest é uma atividade didática que promove uma tarefa atrativa e executável para os alunos e um processo a ser realizado, durante o qual os alunos lidem com a informação no sentido de a analisar, sintetizar, compreender, transformar, criar, julgar, avaliar, publicar e compartilhar (LEÃO e SOUZA, 2011). A webquest foi proposta por Bernie Dodge em 1995, em estudos do Departamento de Tecnologia Educacional da Universidade Estadual de San Diego (DODGE, 2007). Desde então, ela vem sendo considerada uma maneira pedagogicamente viável para o uso da

4 internet. Entre outras coisas, a webquest permite o desenvolvimento da autonomia, colaboração, motivação, produção de conhecimento e compreensão do conteúdo, uma vez que os alunos recebem do professor uma série de dados e conceitos que os orienta, os direciona, mas todo o trabalho de pesquisa e produção é desenvolvido pelos próprios discentes (VALENTE e MATTAR, 2007). Esta é uma ferramenta que deve motivar e envolver os alunos no desenvolvimento das tarefas de investigação utilizando os recursos da internet. Assim, sua escolha pode minimizar as dificuldades de compreensão dos conceitos relacionados à biologia celular. Segundo Leão e Souza (2011), Dodge não propõe uma estrutura rígida para uma webquest, mas de forma geral, a maioria delas apresenta uma estrutura organizada com: introdução, que possui algumas informações e mensagens de motivação para que os alunos se interessem por aquele momento de aprendizagem; tarefa, que é o ponto chave desta metodologia, pois é o momento em que o professor propõe os problemas a serem resolvidos; recursos, com as fontes de informações pré-selecionadas pelo professor; processos, com a descrição de todos os passos da tarefa; avaliação, momento em que o professor esclarece os critérios e objetivos da avaliação; conclusões, momento em que se discutem as conclusões da pesquisa e suas implicações no processo de aprendizagem dos alunos. Essa sequência de elementos caracteriza a sistematização das atividades de pesquisa e de construção de conhecimento, características fundamentais da metodologia webquest. Apesar de diversos relatos na literatura brasileira sobre a utilização da webquest como ferramenta de ensino (MERCADO, 2004; ABAR e BARBOSA, 2004; XAVIER, 2008), os aspectos relacionados à pesquisa acadêmica envolvendo o tema ainda se mostram incipientes, pois alguns fatores como a recente inserção do computador como ferramenta de ensino nas escolas e a formação de professores considerando tal instrumento, ainda não possibilitaram um amplo estudo acadêmico a partir das práticas docentes envolvendo o uso das webquests nas aulas de ciências. 3 Aspectos Metodológicos O presente estudo pretende investigar o estado da arte relacionado à pesquisa acadêmica que aborda o tema webquest a partir do banco de teses e dissertações da CAPES, visando identificar os aspectos que norteiam o desenvolvimento dessas pesquisas, bem como se os trabalhos a caracterizam como um recurso lúdico. Para tanto, foi realizada uma análise documental que, segundo Lüdke e André (1986), busca identificar as informações factuais nos documentos a partir do interesse do pesquisador. Para estes autores, são considerados documentos quaisquer escritos tais como leis, roteiros, estatísticas, diários pessoais, arquivos, entre outros, que podem ser usados como fonte de informação sobre o comportamento humano. Conforme descrito anteriormente, a fonte básica de referência para esta pesquisa foi o Banco de dissertações e teses da CAPES, que pode ser acessada através do sítio e a palavra webquest foi o descritor de referência. Foi realizada também a intersecção do descritor webquest associado aos descritores lúdico e atividades lúdicas independentemente. A procura destes descritores foi dirigida por meio da ferramenta todas as palavras no campo assunto. A busca realizada no sítio da CAPES foi realizada em abril de 2012.

5 Os dados coletados em cada dissertação e tese foram: Autor, Título, Ano, Universidade/Programa, Palavras-chave, Área de conhecimento e Resumo. O banco de teses e dissertações da CAPES está estruturado para que todas essas e outras informações estejam disponíveis para todas as produções, porém nem todos os trabalhos catalogados possuem esses dados completos e/ou claros. Foram encontrados um total de 34 trabalhos, sendo 24 dissertações de mestrado acadêmico, 8 dissertações de mestrado profissionalizante e 2 teses de doutorado, que abrangeram o período de 2002 a Deste total, 6 trabalhos não estão incluídos na área de educação, sendo 4 de mestrado acadêmico nas áreas de comunicação/computação, 1 de mestrado profissionalizante e 1 de doutorado, ambos na área da saúde. Assim, serão analisados 28 trabalhos, sendo 20 dissertações de mestrado acadêmico, 7 dissertações de mestrado profissionalizante e 1 tese de doutorado. Em relação às áreas do conhecimento, as 28 produções acadêmicas analisadas foram organizadas em eixos temáticos, conforme sua similaridade. Assim, foram organizados 6 eixos: Ensino de ciências/biologia; Ensino de Informática; Ensino de Química; Ensino de Matemática; Formação docente; Análise da ferramenta. A seguir, são apresentadas as primeiras sínteses e considerações relativas aos dados coletados, que buscam traçar o perfil das dissertações e teses no sentido de identificar se as pesquisas caracterizam o uso de webquest apenas como recurso tecnológico, ou também como recurso lúdico. 4 Apresentação e Análise dos resultados O mapeamento das 28 produções acadêmicas analisadas por esta pesquisa, a partir do descritor webquest e do dado ano de defesa, são apresentados na tabela 1 e revelam que as pesquisas nesta área são recentes com uma tendência de aumento do interesse nos últimos anos. A partir da análise desses dados, foi possível observar que somente a partir do ano de 2002 foram desenvolvidos trabalhos com o tema webquest. Tal aspecto se deve, provavelmente, à recente inserção das TICs no ensino que aconteceu com mais ênfase somente após a década de 90, quando os Parâmetros Curriculares Nacionais (BRASIL, 1997) sinalizaram que as tecnologias deveriam tornar-se eixo formativo da educação básica como se pode observar nos trechos transcritos a seguir: É indiscutível a necessidade crescente do uso de computadores pelos alunos como instrumento de aprendizagem escolar, para que possam estar atualizados em relação às novas tecnologias da informação e se instrumentalizarem para as demandas sociais presentes e futuras (BRASIL, 1997, p 67). O interesse e a curiosidade dos estudantes pela natureza, pela Ciência pela Tecnologia e pela realidade local e universal, conhecidos também pelos meios de comunicação, favorecem o envolvimento e o clima de interação que precisa haver para o sucesso das atividades, pois neles encontram mais facilmente significado (BRASIL, 1998, p. 28).

6 Ano Quantitativo de produção acadêmica Tabela 1: Distribuição da produção acadêmica sobre webquest por ano de defesa. Os dados relativos à distribuição das produções acadêmicas envolvendo webquest por região do Brasil estão dispostos na tabela 2. Eles demonstram que a região sudeste detém o maior número de produções na área, no período analisado, o que provavelmente se justifica no fato de que se encontra nessa região o maior número de universidades e de programas de pós-graduação na área educacional do Brasil (SANTOS e AZEVEDO, 2009). Região N % Centro-Oeste 03 10,7 Nordeste 06 21,4 Norte 00 0 Sudeste 13 46,5 Sul 06 21,4 TOTAL Tabela 2: Distribuição da produção acadêmica sobre webquest por região do Brasil. A divisão por eixos temáticos encontra-se disposta na tabela 3. Essa caracterização foi realizada a partir do marcador Área do conhecimento. Os dados apontam que a maioria dos trabalhos realizados possui enfoque no ensino da matemática ou na análise da ferramenta webquest de forma geral. Porém, com a leitura dos resumos, pode-se constatar que, embora a área do conhecimento aponte para o ensino, a análise dos resultados na maioria das vezes aponta para o aprofundamento em relação às características técnicas e tecnológicas da ferramenta não abordando seus aspectos educacionais. Eixos temáticos N % Ensino de Ciências/biologia 05 17,9 Ensino de Informática 01 3,6 Ensino de Química 01 3,6 Ensino de Matemática 09 32,1 Formação docente 03 10,7 Análise da ferramenta 09 32,1 TOTAL Tabela 3: Distribuição da produção acadêmica sobre webquest por eixos temáticos.

7 A partir dos dados quantitativos, passou-se à análise dos resumos, com o objetivo de identificar os aspectos que norteiam o desenvolvimento dessas pesquisas, bem como se os trabalhos caracterizam a webquest como um recurso lúdico. De forma geral, com a realização da pesquisa pela intersecção do descritor webquest com os descritores lúdico e atividades lúdicas independentemente, não se obteve nenhum retorno, o que demonstra que ainda não foi realizada essa associação. Considera-se que apesar de bastante utilizados no contexto da sala de aula, os recursos lúdicos ainda são associados de maneira mais evidente aos jogos e brincadeiras. Muitos autores classificam a atividade lúdica como jogo, brincadeira, teatro, dança e canto (DOHME, 2003). Pontua-se aqui que as TICs podem se configurar como proposta lúdica partindo-se do princípio de que apresentam características como diversão, liberdade e despertam o interesse dos estudantes por relacionarem a sala de aula às experiências vividas por eles em sua vida diária, pois muitos alunos têm acesso a computadores e à internet. De acordo com Michel et al (2004) essas ferramentas podem ser usadas para a construção de um currículo centrado sobre os problemas do mundo real. Tal aspecto remete também à construção de uma proposta de ensino que seja realmente significativa para o estudante, conforme as orientações da educação nacional. Assim, com a leitura das 28 produções previamente selecionadas, foi posível identificar apenas 06 dissertações de mestrado que apontam a possível relação entre a ferramenta webquest e a ludicidade. Essa relação foi estabelecida a partir do que foi considerado como principais características de uma atividade lúdica: diversão, desenvolvimento de interesse e curiosidade, caráter cognitivista/construtivista, conforme disposição na tabela 4. Dissertação ALEIXO, 2008 CARLAN, 2009 HEERDT, 2009 SILVA, 2008 SILVA, 2008 SILVA, 2006 Descrição da relação ( ) WebQuests quando concebidas dentro de uma proposta construtivista de ensino e aprendizagem, são estratégias eficazes para níveis introdutórios do conhecimento ( ) Constatou-se, na aplicação e desenvolvimento da atividade de Webquest, muita motivação e entusiasmo dos alunos ( )" Nesta pesquisa a WebQuest foi utilizada como uma mediadora entre o sujeito e o objeto de conhecimento, mostrou-se uma ferramenta eficiente neste processo pois os conceitos científicos foram reelaborados pelos estudantes ( ) Os resultados da pesquisa revelaram que as WebQuests quando concebidas dentro de uma proposta construtivista de ensino e aprendizagem, são estratégias eficazes para níveis introdutórios do conhecimento, por ter em seu bojo atividades que despertam a curiosidade, a pesquisa, o trabalho cooperativo, a autonomia ( ) Pode-se notar também em termos de motivação e interesse, um crescimento considerável por parte dos alunos, para a realização de estudos sobre temas da Matemática ( ) É uma metodologia que promove a motivação do estudante ao realizar pesquisas na internet, sem que o mesmo se disperse nas teias de informações ali disponíveis. Tabela 4: Trechos que demonstram a relação entre webquest e ludicidade nos resumos dos trabalhos analisados.

8 É importante ressaltar que o que se defende na presente pesquisa é a associação dos aspectos lúdicos ao uso da webquest, por se considerar que algumas características identificadas no uso desta ferramenta podem ser relacionadas ao uso do lúdico durante atividades escolares. Entretanto, nas leituras feitas para a análise, percebe-se que tal associação não é feita nas pesquisas levantadas. A partir do contexto atual da educação e considerando-se a necessidade de inserção das TIC no processo ensino aprendizagem, um novo olhar sobre as ferramentas tecnológicas precisa repensar as articulações entre estas ferramentas e as questões lúdicas, pois conforme Regis e Perani (2009), a integração das mídias e dos processos digitais estimulam práticas lúdicas e contribuem deveras para o enriquecimento de práticas pedagógicas inovadoras. 5 Considerações Finais O objetivo do levantamento aqui descrito, era o de mapear e caracterizar as produções acadêmicas que discutem o tema webquest catalogadas no banco de dissertações e teses da CAPES, identificando os principais aspectos que norteiam essas pesquisas e sua caracterização desta ferramento como recurso lúdico. No que se refere ao mapeamento geral das dissertações e teses, nota-se que as pesquisas com uso de webquest no âmbito escolar ainda é recente no cenário acadêmico nacional, pois foram encontradas apenas 28 trabalhos com este tema. A maioria das pesquisas descreve a webquest como uma ferramenta tecnológica, caracterizando-a como importante ferramenta para inserção da tecnologia no âmbito escolar, seja na educação básica ou no ensino superior. Nenhum dos trabalhos catalogados e analisados faz menção à webquest enquanto atividade lúdica. Embora nenhum resumo explicite diretamente o caráter divertido, lúdico da ferramenta, foram identificados cerca de seis trabalhos que apontam algumas características do adjetivo lúdico nessa ferramenta (tais como interresse e motivação), o que demonstra a importância de maiores estudos relacionados à temática. 6. Referências Bibliográficas ABAR, C.; BARBOSA, L. Webquest: um desafio para o professor. São Paulo: Avercamp, ALEIXO, A. A. Flexquest no ensino de ciências: incorporando a teoria da flexibilidade cognitiva na estratégia webquest. 01/06/2008. Mestrado. Universidade Federal Rural de Pernambuco. BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: ciências naturais. Brasília: MEC/SEF, CARLAN, F. A. O Uso de Ferramentas de Informática e sua Implicação em Atividades Didáticas Experimentais para Melhoria do Ensino de Biologia. 01/04/2009. Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

9 COSTA, W. A.; COSTA, M. N. S.; PINHEIRO, M. I. S. O bibliotecário escolar incentivando a leitura através da webquest. Perspectiva em Ciência da Informação, Uberlândia, v. 14, n.1, p , jan/abr DODGE, B. WebQuest.Org. San Diego: WebQuest.Org, Disponível em: <http://www.webquest.org/>. Acesso em 06 mar. 2012, 18:30. DOHME, V. Atividades lúdicas na educação: o caminho de tijolos amarelos do aprendizado. Petrópolis, Editora Vozes, HEERDT, B. Processos e Aprendizagem da biologia mediados por webquests. 01/02/2009. Mestrado. Universidade Estadual de Ponta Grossa. LEÃO, M. B. C; SOUZA, F. N. Flexquest: um modelo webquest com aportes da teoria da flexibilidade cognitiva (TFC). In: LEÃO, M. B. C. (org). Tecnologias na educação: Uma abordagem crítica para uma atuação prática. Recife: UFRPE, cap. 09, LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.E.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, EPU, MERCADO, L. P. L. (org). Tendências na utilização das tecnologias da informação e comunicação na educação. Maceió: EDUFAL, MICHEL, R (et. al). Uma busca na Internet por Ferramentas para a Educação Química no Ensino Médio. Química Nova na escola, n. 19, maio REGIS, F.; PERANI, L. Comunicação e entretenimento na cibercultura: repensando as articulações entre lúdico, cognição e tecnologia. III Simpósio Nacional da ABCIBER. São Paulo, 2009 SANTOS, A. F. S.; AZEVEDO, J. M. L. A pós-graduação no Brasil, a pesquisa em educação e os estudos sobre a política educacional: os contornos da constituição de um campo acadêmico. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 42, set./dez SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 3ª ed. Rio de Janeiro, São Paulo: Record, SILVA, A. P. B. Resolução de problemas aditivs de ordem inversa: proposta e ensino em contexto significativo de jogo por meio de um suporte representacional. 01/01/2008. Mestrado. Universidade Federal Rural de Pernambuco. SILVA, E. G. L. S. Uso de recursos da internet para o ensino de matemática webquest: uma experiência com alunos do ensino médio. Mestrado. Universidade Católica de Brasília. SILVA, F. Q.; FERRARI, H. O. A webquest como atividade didática potencializadora da educação. Novas Tecnologias da Educação. Florianópolis, v. 7, n. 1, jul SILVA, K. X. S. Webquest: uma metodologia para a pesquisa escolar por meio da internet. 01/12/2006. Mestrado. Universidade Católica de Brasília.

10 SOARES, Marlon H. F. B. Jogos para o ensino de química: teoria, métodos e aplicações. Guarapari: Ex Libris, VALENTE, C.; MATTAR, J. Second Life e Web 2.0 na educação: O potencial revolucionário das novas tecnologias XAVIER, K. Webquest: Uma metodologia para a pesquisa escolar por meio da internet. São Paulo: Edgard Blucher, 2008.

O uso da informática na escola: Webquest como estratégia de aprendizagem construtivista

O uso da informática na escola: Webquest como estratégia de aprendizagem construtivista O uso da informática na escola: Webquest como estratégia de aprendizagem construtivista Maira Teresinha Lopes Penteado 1 Gisele Dorneles Fernandes 2 RESUMO: O presente artigo tem por finalidade esclarecer

Leia mais

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO Luciano Bernardo Ramo; Maria Betania Hermenegildo dos Santos Universidade Federal da Paraíba. luciano_bernardo95@hotmail.com

Leia mais

USO DO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA NAS DE MATEMÁTICA

USO DO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA NAS DE MATEMÁTICA USO DO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA NAS DE MATEMÁTICA Resumo: Neste mini-curso os participantes terão a oportunidade de conhecer uma metodologia, bem como também construir e trabalhar com a mesma, na tentativa

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

Análise de artigos apresentados nos Encontros Nacionais de Ensino de Biologia (ENEBIO) sobre o tema aulas práticas experimentais.

Análise de artigos apresentados nos Encontros Nacionais de Ensino de Biologia (ENEBIO) sobre o tema aulas práticas experimentais. Análise de artigos apresentados nos Encontros Nacionais de Ensino de Biologia (ENEBIO) sobre o tema aulas práticas experimentais. Analysis of papers presented in the National Meetings of Biology Teaching

Leia mais

Um panorama dos Programas de pós-graduação da área de Ensino de Ciências e Matemática no Rio Grande do Sul

Um panorama dos Programas de pós-graduação da área de Ensino de Ciências e Matemática no Rio Grande do Sul Um panorama dos Programas de pós-graduação da área de Ensino de Ciências e Matemática no Rio Grande do Sul Resumo A prospect of Postgraduate programs of Science and Mathematics teaching in Rio Grande do

Leia mais

A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II

A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II 1 A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II Donizeth Henrique Aleluia Vieira 1 Paula Rodrigues de Souza 2 Suely Miranda Cavalcante Bastos 3 Resumo: Juntamente com o campo dos Números

Leia mais

REDES SOCIAIS COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

REDES SOCIAIS COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA REDES SOCIAIS COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA Guilherme Garcez Cunha, UNIPAMPA Campus Dom Pedrito, guilhermecunha@unipampa.edu.br; Franciele B. de O. Coelho,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MARIA MAZUR

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MARIA MAZUR UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO MARIA MAZUR A INFORMÁTICA E A MÍDIA IMPRESSA: COMO ELAS PODEM Prudentópolis 2013 MARIA MAZUR A INFORMÁTICA

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

Uma Análise da História da Matemática Apresentada nos Planos de Aulas para o Ensino Fundamental no Espaço da Aula do Portal do Professor (MEC)

Uma Análise da História da Matemática Apresentada nos Planos de Aulas para o Ensino Fundamental no Espaço da Aula do Portal do Professor (MEC) Uma Análise da História da Matemática Apresentada nos Planos de Aulas para o Ensino Fundamental no Espaço da Aula do Portal do Professor (MEC) Rosana Rodrigues da Silva 1 GD5 História da Matemática e Cultura

Leia mais

TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO: A CONSTITUIÇÃO DE UM CORPUS DE PESQUISA Moema Gomes Moraes PUC-GO/UFG Agência Financiadora: CAPES PROSUP

TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO: A CONSTITUIÇÃO DE UM CORPUS DE PESQUISA Moema Gomes Moraes PUC-GO/UFG Agência Financiadora: CAPES PROSUP TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO: A CONSTITUIÇÃO DE UM CORPUS DE PESQUISA Moema Gomes Moraes PUC-GO/UFG Agência Financiadora: CAPES PROSUP Resumo O propósito deste trabalho é apresentar o processo de constituição

Leia mais

ATIVIDADE WEBQUEST COMO ABORDAGEM DIDÁTICA

ATIVIDADE WEBQUEST COMO ABORDAGEM DIDÁTICA ATIVIDADE WEBQUEST COMO ABORDAGEM DIDÁTICA Renato dos Santos Diniz renatomatematica@hotmail.com Adelmo de Andrade Carneiro adelmomatematico@yahoo.com.br Wesklemyr Lacerda wesklemyr@hotmail.com Abigail

Leia mais

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA Patrícia Sândalo Pereira UNIOESTE Foz do Iguaçu patriciasandalop@uol.com.br Cleonice Salateski Colégio Estadual Alberto Santos Dumont maucleo@seed.pr.gov.br

Leia mais

ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES

ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES Tamiris Andrade Nascimento (Mestranda do Programa Educação Cientifica e Formação de Professores da Universidade

Leia mais

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas.

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas. A INTERAÇÃO DOS PROFESSORES DO CURSO DE FISIOTERAPIA COM AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO PROCESSO PEDAGÓGICO Heloisa Galdino Gumueiro Ribeiro 1, Prof. Dirce Aparecida Foletto De Moraes 2

Leia mais

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG Moema Gomes Moraes 1 RESUMO: Este trabalho faz uma reflexão sobre os aspectos relacionados ao uso de Blogs no ensino de Matemática. Para isto, ele inicia fazendo uma reflexão

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

Métodos e Práticas na Formação Inicial e Desenvolvimento Profissional do Professor de Matemática em uma Plataforma Digital

Métodos e Práticas na Formação Inicial e Desenvolvimento Profissional do Professor de Matemática em uma Plataforma Digital Métodos e Práticas na Formação Inicial e Desenvolvimento Profissional do Professor de Matemática em uma Plataforma Digital Carla de Araújo 1 GD13 Educação Matemática e Inclusão Resumo: Tendo em vista as

Leia mais

A apropriação das Tecnologias Digitais pelos acadêmicos de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis)

A apropriação das Tecnologias Digitais pelos acadêmicos de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis) A apropriação das Tecnologias Digitais pelos acadêmicos de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis) Moema Gomes Moraes Universidade Estadual de Goiás (UEG)/ CEPAE-UFG

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Lygia de Assis Silva Sérgio Paulino Abranches Universidade Federal de Pernambuco lygia1@hotmail.com/ Este

Leia mais

A importância da Informática na Educação

A importância da Informática na Educação A importância da Informática na Educação AGUIAR, Juliana Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais FAEG - Rua das Flores, 740 Bairro Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone

Leia mais

BALANÇO DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA: A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO FERRAMENTA DE PESQUISA ACADÊMICA

BALANÇO DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA: A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO FERRAMENTA DE PESQUISA ACADÊMICA MILHOMEM, André Luiz Borges; GENTIL, Heloisa Salles; AYRES, Sandra Regina Braz. Balanço de Produção Científica: A utilização das TICs como ferramenta de pesquisa acadêmica. SemiEdu2010 - ISSN:1518-4846

Leia mais

TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO COM LICENCIANDOS E PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA A PARTIR DO PIBID

TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO COM LICENCIANDOS E PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA A PARTIR DO PIBID TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO COM LICENCIANDOS E PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA A PARTIR DO PIBID Nataélia Alves da Silva (1) * ; Creuza Souza Silva (1); Lecy das Neves Gonzaga (1); Michelle

Leia mais

A PESQUISA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS: RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE DE ENSINO

A PESQUISA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS: RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE DE ENSINO A PESQUISA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS: RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA DOCENTE DE ENSINO Silvana Sousa Andrade - UESC 1 GT15 - O Professor e a Pesquisa RESUMO: Este estudo aborda a relação entre

Leia mais

A atuação do educador e as tecnologias: uma relação possível?

A atuação do educador e as tecnologias: uma relação possível? 1 A atuação do educador e as tecnologias: uma relação possível? Natália Regina de Almeida (UERJ/EDU/CNPq) Eixo Temático: Tecnologias: Pra que te quero? Resumo As novas tecnologias estão trazendo novos

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A EFICIÊNCIA DO USO DE UM AMBIENTE VIRTUAL NO ENSINO DE PADRÕES E SEQUÊNCIAS: UMA EXPERIÊNCIA A PARTIR DO PIBID

REFLEXÕES SOBRE A EFICIÊNCIA DO USO DE UM AMBIENTE VIRTUAL NO ENSINO DE PADRÕES E SEQUÊNCIAS: UMA EXPERIÊNCIA A PARTIR DO PIBID REFLEXÕES SOBRE A EFICIÊNCIA DO USO DE UM AMBIENTE VIRTUAL NO ENSINO DE PADRÕES E SEQUÊNCIAS: UMA EXPERIÊNCIA A PARTIR DO PIBID Aline Cordeiro da Silva 1 acs_uepb@hotmail.com Izailma Nunes de Lima 2 izailmanunes@gmail.com

Leia mais

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de maio de 2012

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de maio de 2012 COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Ensino PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: O FACEBOOK COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES

WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: O FACEBOOK COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES ISSN 2316-7785 WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: O FACEBOOK COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES Arlam Dielcio Pontes da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco arllan_dielcio@hotmail.com

Leia mais

O blog no processo de ensino e aprendizagem em Ciências: horizontes e possibilidades

O blog no processo de ensino e aprendizagem em Ciências: horizontes e possibilidades O blog no processo de ensino e aprendizagem em Ciências: horizontes e possibilidades Rodolfo Fortunato de Oliveira Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho UNESP, Bauru/SP rodolfo_fdeoliveira@hotmail.com

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

INCORPORANDO AS NOVAS TECNOLOGIAS DE ENSINO/ APRENDIZAGEM: CRIAÇÃO DE ATLAS ONLINE DE PATOLOGIA GERAL *

INCORPORANDO AS NOVAS TECNOLOGIAS DE ENSINO/ APRENDIZAGEM: CRIAÇÃO DE ATLAS ONLINE DE PATOLOGIA GERAL * INCORPORANDO AS NOVAS TECNOLOGIAS DE ENSINO/ APRENDIZAGEM: CRIAÇÃO DE ATLAS ONLINE DE PATOLOGIA GERAL * DUARTE, Yara de Paula 1 ; VALADÃO, Danilo Ferreira 2 ; LINO-JÚNIOR, Ruy de Souza 3. Palavras-chave:

Leia mais

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA Ms. Jeferson Fernando de Souza Wolff RESUMO O computador, como ferramenta pedagógica para ensino e aprendizagem

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS ISSN 2316-7785 FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS José André Tavares de Oliveira Instituto Federal de Alagoas

Leia mais

relato êa internet como atividade integrante de uma prática docente

relato êa internet como atividade integrante de uma prática docente A internet como atividade integrante de uma prática docente Flávio Chame Barreto Instituto Educacional Vivenciando RJ flaviocbarreto@yahoo.com.br Resumo Um consenso entre os docentes do Ensino Fundamental

Leia mais

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA Mário Taveira Martins 1 (IF-SERTÃO PE) Lucas Samir Silva de Matos 2 (IF-SERTÃO PE) Resumo: Este artigo foi elaborado

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil Professor: Fernando Zaidan 1 Referências: SANTINELLO, J. Informática educativa no Brasil e ambientes

Leia mais

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS Lucas Gabriel Seibert Universidade Luterana do Brasil lucasseibert@hotmail.com Roberto Luis Tavares Bittencourt Universidade Luterana do Brasil rbittencourt@pop.com.br

Leia mais

Procuramos verificar o que propõem alguns professores que ministram disciplinas relacionadas aos temas em questão nos cursos de licenciatura em

Procuramos verificar o que propõem alguns professores que ministram disciplinas relacionadas aos temas em questão nos cursos de licenciatura em A SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR RELACIONADA AOS TEMAS JOGOS E BRINCADEIRAS E CAPOEIRA, NA PERSPECTIVA DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR André Barros Laércio Iório Luciana Venâncio

Leia mais

PENSAMENTO ALGÉBRICO: Equações no Ensino Fundamental

PENSAMENTO ALGÉBRICO: Equações no Ensino Fundamental PENSAMENTO ALGÉBRICO: Equações no Ensino Fundamental Antonia Zulmira da Silva (autor) 1 GD2 Educação Matemática nos anos finais do Ensino Fundamental Resumo: Este artigo tem por objetivo apresentar, analisar

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL REYNALDO MASSI JOÃO BATISTA ALVES DE SOUZA SIRLENE SOUZA BENEDITO VIRGENS

ESCOLA ESTADUAL REYNALDO MASSI JOÃO BATISTA ALVES DE SOUZA SIRLENE SOUZA BENEDITO VIRGENS ESCOLA ESTADUAL REYNALDO MASSI JOÃO BATISTA ALVES DE SOUZA SIRLENE SOUZA BENEDITO VIRGENS INTERATIVIDADE NA ESCOLA O USO DO APLICATIVO WHATSAPP COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NAS AULAS DE GEOGRAFIA DO ENSINO

Leia mais

TECNOLOGIAS DIGITAIS E INOVAÇÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR COM O USO DO SOFTWARE P3D

TECNOLOGIAS DIGITAIS E INOVAÇÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR COM O USO DO SOFTWARE P3D TECNOLOGIAS DIGITAIS E INOVAÇÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR COM O USO DO SOFTWARE P3D Luzivone Lopes GOMES UEPB luzivone@gmail.com Filomena Mª Gonçalves da Silva Cordeiro Moita - UEPB filomena_moita@hotmail.com

Leia mais

Aline de Souza Santiago (Bolsista PIBIC-UFPI), Denis Barros de Carvalho (Orientador, Departamento de Fundamentos da Educação/UFPI).

Aline de Souza Santiago (Bolsista PIBIC-UFPI), Denis Barros de Carvalho (Orientador, Departamento de Fundamentos da Educação/UFPI). A Produção de pesquisas sobre Educação dos Programas de Pós-graduação (Mestrados e Doutorados) cadastrados na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações BDTD. Aline de Souza Santiago (Bolsista PIBIC-UFPI),

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO ESPECIALIZAÇÃO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO VÂNIA RABELO DELGADO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO ESPECIALIZAÇÃO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO VÂNIA RABELO DELGADO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO ESPECIALIZAÇÃO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO VÂNIA RABELO DELGADO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI UTILIZAÇÃO DO LABORATORIO DE INFORMÁTICA Guarapuava 2013

Leia mais

USO DOS RECURSOS EDUCACIONAIS BASEADOS EM MÍDIAS INTERATIVAS INTEGRADAS ONLINE (RE-MIIO) NA GEOGRAFIA

USO DOS RECURSOS EDUCACIONAIS BASEADOS EM MÍDIAS INTERATIVAS INTEGRADAS ONLINE (RE-MIIO) NA GEOGRAFIA USO DOS RECURSOS EDUCACIONAIS BASEADOS EM MÍDIAS INTERATIVAS INTEGRADAS ONLINE (RE-MIIO) NA GEOGRAFIA BEATRIZ RENEIS LUIS¹, FELIPE DE PAULA RUI² e LUCIENE APARECIDA GOUVÊA NOGUEIRA³ biareneis@gmail.com,

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

PRODUÇÃO TEXTUAL ONLINE E OFFLINE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA *

PRODUÇÃO TEXTUAL ONLINE E OFFLINE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA * PRODUÇÃO TEXTUAL ONLINE E OFFLINE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA * Luciana Patricia Schumacher Eidelwein - UFSM RESUMO: Este trabalho apresenta uma proposta de utilização do uso das Tecnologias Digitais

Leia mais

Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras. Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem

Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras. Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem Maio, 2014 1 Índice 1. Introdução 3 2. Cenário do acesso

Leia mais

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF 1 SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF Fortaleza CE Junho/2009 Karla Angélica Silva do Nascimento - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza karla@fgf.edu.br

Leia mais

MODELAGEM CONCEITUAL EM MATEMÁTICA. UMA EXPERIÊNCIA COM O USO DO SOFTWARE CMAPTOOLS

MODELAGEM CONCEITUAL EM MATEMÁTICA. UMA EXPERIÊNCIA COM O USO DO SOFTWARE CMAPTOOLS MODELAGEM CONCEITUAL EM MATEMÁTICA. UMA EXPERIÊNCIA COM O USO DO SOFTWARE CMAPTOOLS Dr. André Ricardo Magalhães andrerm@gmail.com Universidade do Estado da Bahia Brasil Modalidade: Comunicação Breve Nível

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA

WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E ENSINO DE CIÊNCIAS NO AMAZONAS MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS NO AMAZONAS WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA PROPOSTAS

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO Tatiane Testa Ferrari e-mail: tatitferrari@ig.com.br Ticiane Testa Ferrari e-mail: ticiferrari@ig.com.br Araceli Simão Gimenes Russo e-mail:

Leia mais

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Eixo temático 1: Fundamentos e práticas educacionais Telma Sara Q. Matos 1 Vilma L. Nista-Piccolo 2 Agências Financiadoras: Capes / Fapemig

Leia mais

principalmente na UFES (três), na UFSCar (dois) e a UERJ (dois). Em 2005 a produção tem ápice com doze estudos em diferentes universidades.

principalmente na UFES (três), na UFSCar (dois) e a UERJ (dois). Em 2005 a produção tem ápice com doze estudos em diferentes universidades. A PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL/INCLUSÃO ESCOLAR NA PERSPECTIVA DA PESQUISA-AÇÃO: REFLEXÕES A PARTIR DE SEUS CONTEXTOS Mariangela Lima de Almeida UFES Agência Financiadora: FAPES Num contexto

Leia mais

A PRODUÇÃO CIENTÍFICA ACERCA DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES

A PRODUÇÃO CIENTÍFICA ACERCA DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES A PRODUÇÃO CIENTÍFICA ACERCA DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES Patrícia Xavier Figueiredo FURG Maria Renata Alonso Mota FURG RESUMO: Este trabalho é parte integrante da pesquisa

Leia mais

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ Rose Maria Bastos Farias (UFAL) rmbfarias@hotmail.com RESUMO: Trata-se de uma pesquisa

Leia mais

As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento

As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento Nirave Reigota Caram Universidade Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: nirave.caram@usc.br Comunicação Oral Pesquisa em Andamento

Leia mais

Ensino da Estatística na Educação Básica: Ferramenta Computacional como proposta para o processo pedagógico

Ensino da Estatística na Educação Básica: Ferramenta Computacional como proposta para o processo pedagógico Ensino da Estatística na Educação Básica: Ferramenta Computacional como proposta para o processo pedagógico José Carlos Coelho Saraiva 1 GD6 Educação Matemática, Tecnologias Informáticas e Educação à Distância

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA SUBPROJETO: PEDAGOGIA Alfabetizar letrando com as tecnologias INTRODUÇÃO A escola necessita formar seu aluno a aprender a ler o mundo, ter autonomia para buscar seu conhecimento, incentivá-lo a ser autor

Leia mais

PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO 1

PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO 1 PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO 1 Maria Madalena Dullius madalena@univates.br Professora do Centro Universitário UNIVATES Doutora em Ensino de Ciências Lajeado/RS - Brasil Claus Haetinger chaet@univates.br

Leia mais

Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. INCLUSÃO DIGITAL

Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. INCLUSÃO DIGITAL Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. Resumo INCLUSÃO DIGITAL Leandro Durães 1 A inclusão digital que vem sendo praticada no país tem abordado, em sua

Leia mais

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas CONSTRUINDO CONCEITOS SOBRE FAMÍLIA DE FUNÇÕES POLINOMIAL DO 1º GRAU COM USO DO WINPLOT Tecnologias da Informação e Comunicação e Educação Matemática (TICEM) GT 06 MARCOS ANTONIO HELENO DUARTE Secretaria

Leia mais

INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS SOBRE FUNÇÕES UTILIZANDO O WINPLOT

INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS SOBRE FUNÇÕES UTILIZANDO O WINPLOT INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS SOBRE FUNÇÕES UTILIZANDO O WINPLOT Luciano Feliciano de Lima Universidade Estadual de Goiás lucianoebenezer@yahoo.com.br Resumo: Esse minicurso tem por objetivo evidenciar possibilidades

Leia mais

Inovações na sala de aula e as Redes Sociais

Inovações na sala de aula e as Redes Sociais Inovações na sala de aula e as Redes Sociais Painel: Inovando nas estruturas acadêmicas e administrativas Profa. Dra. Marta de Campos Maia Marta.maia@fgv.br Agenda As Tecnologias Educacionais e os Nativos

Leia mais

As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática

As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática Rosangela Ferreira Prestes Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões DECET 1 / GEMEP

Leia mais

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R INTRODUÇÃO A pesquisa é um procedimento reflexivo e crítico de busca de respostas para problemas ainda não solucionados. O

Leia mais

ANÁLISE DE TRABALHOS PRODUZIDOS NOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO

ANÁLISE DE TRABALHOS PRODUZIDOS NOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO ANÁLISE DE TRABALHOS PRODUZIDOS NOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA REGIÃO SUDESTE, ÁREA 46 DA CAPES, SOBRE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA. Osmair Benedito da Silva (Departamento de Química, Universidade

Leia mais

JAPIASSU, Ricardo. A linguagem teatral na escola: pesquisa, docência e prática pedagógica. Campinas: Papirus, 2007.

JAPIASSU, Ricardo. A linguagem teatral na escola: pesquisa, docência e prática pedagógica. Campinas: Papirus, 2007. RESENHA REVIEW TEATRO E EDUCAÇÃO TEATHER AND EDUCATION JAPIASSU, Ricardo. A linguagem teatral na escola: pesquisa, docência e prática pedagógica. Campinas: Papirus, 2007. Danielle Rodrigues de Moraes*

Leia mais

1. Introdução. 2. Conceitos. 3. Metodologia. 4. Resultados. 5. Considerações

1. Introdução. 2. Conceitos. 3. Metodologia. 4. Resultados. 5. Considerações Comunidades de Prática Experiências e Contribuições da Tecnologia para a Educação Profissional Lane Primo Senac Ceará 2012 Sumário 1. Introdução 2. Conceitos 3. Metodologia 4. Resultados 5. Considerações

Leia mais

Universidade Federal do Acre Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática

Universidade Federal do Acre Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática ANEXO 1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA DE PROJETO DE PESQUISA Aos candidatos ao Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática solicita-se anexar, no ato de inscrição on line, uma Proposta

Leia mais

PROJETO DE XADREZ NO CAC/UFG

PROJETO DE XADREZ NO CAC/UFG PROJETO DE XADREZ NO CAC/UFG ALCÂNTARA, Franciele Brandão Ferreira 1 OLIVEIRA, Leandro Damas de 2 SANTOS JÚNIOR, Porfírio Azevedo dos 3 SILVA, André Carlos 4 SILVA, Elenice Maria Schons 5 SILVA, Élida

Leia mais

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR GLEICE PEREIRA (UFES). Resumo Com o objetivo de apresentar considerações sobre a formação do bibliotecário escolar, esta pesquisa analisa o perfil dos alunos do Curso

Leia mais

Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem

Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem Prof. Me. Wagner Antonio Junior Secretaria Municipal da Educação de Bauru e-mail: wag.antonio@gmail.com Pôster Pesquisa em andamento A

Leia mais

AS TIC COMO ESTRATÉGIA DE AMPLIAÇÃO DA INTERNACIONALIZAÇÃO ACADÊMICA DA PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

AS TIC COMO ESTRATÉGIA DE AMPLIAÇÃO DA INTERNACIONALIZAÇÃO ACADÊMICA DA PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU AS TIC COMO ESTRATÉGIA DE AMPLIAÇÃO DA INTERNACIONALIZAÇÃO ACADÊMICA DA PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Santa Cruz do Sul RS Maio/2013 LANZARINI, Joice Nunes - UNISC - joice@unisc.br OLIVEIRA, Cláudio J.

Leia mais

Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica

Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica Pavão, Antonio, C.¹, Rocha, Claudiane, F..S.², Silva, Ana, P.³ Espaço Ciência - www.espacociencia.pe.gov.br pavao@ufpe.br¹,

Leia mais

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Pedro Henrique SOUZA¹, Gabriel Henrique Geraldo Chaves MORAIS¹, Jessiara Garcia PEREIRA².

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS I Mostra de Iniciação Científica I MIC 23 e 24 de setembro de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

Leia mais

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO 1 ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO CELINA APARECIDA ALMEIDA PEREIRA ABAR Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Brasil abarcaap@pucsp.br - VIRTUAL EDUCA 2003-1 INTRODUÇÃO

Leia mais

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1 OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1. Introdução: Compreendendo que a Educação Infantil é uma etapa

Leia mais

IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca

IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DOS EGRESSOS O Instituto de Ensino de Garça,

Leia mais

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE Rafaela Souza SANTOS, Valquiria Rodrigues do NASCIMENTO, Dayane Graciele dos SANTOS, Tamíris Divina Clemente URATA, Simara Maria Tavares

Leia mais

Mídia, linguagem e educação

Mídia, linguagem e educação 21 3 22 Mídia, Linguagem e Conhecimento Segundo a UNESCO (1984) Das finalidades maiores da educação: Formar a criança capaz de refletir, criar e se expressar em todas as linguagens e usando todos os meios

Leia mais

O ENSINO DE FRAÇÕES SEGUNDO A OPINIÃO DOCENTE

O ENSINO DE FRAÇÕES SEGUNDO A OPINIÃO DOCENTE O ENSINO DE FRAÇÕES SEGUNDO A OPINIÃO DOCENTE Nazaré do Socorro Moraes da Silva Universidade do Estado do Para/UEPA Secretaria Executiva de Educação/SEDUC nazaresocorro@hotmail.com Elise Cristina Pinheiro

Leia mais

TRANSFORMAÇÕES LINEARES NO PLANO E O SOFTWARE GEOGEBRA

TRANSFORMAÇÕES LINEARES NO PLANO E O SOFTWARE GEOGEBRA TRANSFORMAÇÕES LINEARES NO PLANO E O SOFTWARE GEOGEBRA Débora Dalmolin Universidade Federal de Santa Maria debydalmolin@gmail.com Lauren Bonaldo Universidade Federal de Santa Maria laurenmbonaldo@hotmail.com

Leia mais

Oficina de jogos pedagógicos de ensino de ecologia e educação ambiental como estratégia de ensino na formação de professores

Oficina de jogos pedagógicos de ensino de ecologia e educação ambiental como estratégia de ensino na formação de professores Oficina de jogos pedagógicos de ensino de ecologia e educação ambiental como estratégia de ensino na formação de professores Pedagogical games workshop of ecology teaching and environmental education as

Leia mais

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Susana Lazzaretti Padilha Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) Campus Cascavel susana.lap@hotmail.com

Leia mais

Ludo Químico: Uma Maneira Divertida de Aprender Química

Ludo Químico: Uma Maneira Divertida de Aprender Química Ludo Químico: Uma Maneira Divertida de Aprender Química Givanilda. S. de Freitas, Ellen Danielly de F. Lima 1, Myrelly Morais Tôrres¹, Suzana Pereira. Rêgo¹ e Wellima Fabíola B. Jales¹, Paulo Roberto N.

Leia mais

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática.

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática. MATRIZ CURRICULAR* Disciplina CH Integração 20 Planejamento e Gestão em Educação a Distância 40 Cultura Virtual, Pensamento e Construção do Conhecimento na Educação a Distância 40 Noções de Gestão de Projetos

Leia mais

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC ALVES,S.S.S 1 A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica

Leia mais

O USO DAS TIC S COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA NO ENSINO DA MATEMÁTICA

O USO DAS TIC S COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA NO ENSINO DA MATEMÁTICA O USO DAS TIC S COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA NO ENSINO DA MATEMÁTICA POR: Edluzia da Silva Batista Maria da Gloria Ribeiro da Silva Bastos RESUMO Em meio a tantas transformações do século XXI, encontra-se,

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

Análise das pesquisas em Ensino de Biologia do PPGEC da UFRPE: um olhar sobre os referenciais teóricos

Análise das pesquisas em Ensino de Biologia do PPGEC da UFRPE: um olhar sobre os referenciais teóricos Análise das pesquisas em Ensino de Biologia do PPGEC da UFRPE: um olhar sobre os referenciais teóricos Analysis of the Researches in the Biology Teaching of the PPGEC of UFRPE: A look at the Theoretical

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais